Os empréstimos no ano

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Os empréstimos no ano"

Transcrição

1 Os empréstimos no ano Resumo Esta seção inclui sumários por países com breves descrições de empréstimos, operações de cooperação técnica (acima de US$1 milhão), pequenos projetos e operações do Fundo Multilateral de Investimentos (acima de US$1 milhão) autorizados pelo Banco em O parágrafo introdutório para cada país inclui o número de operações de cooperação técnica e do Fumin de mais de US$ aprovado pelo Banco em 2002, mas são descritas apenas as operações de mais de US$1 milhão. A seção termina com informações relativas ao programa de empréstimos e cooperação técnica do Banco e uma Relação de Empréstimos e Garantias Aprovados. Os empréstimos e garantias autorizados pelo Banco em 2002 vieram das seguintes fontes: Recursos do capital ordinário: 60 empréstimos no montante de US$3.988 milhões e duas garantias de US$155 milhões levaram o total acumulado de empréstimos, descontados os cancelamentos, a 1.590, no montante de US$ milhões, e as garantias a sete operações, no total de US$611 milhões, em 31 de dezembro de Fundo para Operações Especiais: 24 empréstimos no montante de US$406 milhões levaram o total acumulado de empréstimos, descontados os cancelamentos, a 1.110, no montante de US$ milhões, em 31 de dezembro de Outros fundos: Não houve empréstimos aprovados em O total acumulado de empréstimos, descontados os cancelamentos, foi de 209, no montante de US$1.736 milhões, em 31 de dezembro de QUADRO III. DISTRIBUIÇÃO DOS EMPRÉSTIMOS POR SETOR DE ATIVIDADE (Em milhões de dólares dos Estados Unidos) Setor % % Produtivo Agricultura e pesca $ 156,9 3,4 $ ,4 10,9 Indústria, mineração e turismo 497,6 10, ,9 10,4 Ciência e tecnologia 18,0 0, ,4 1,4 Infra-estrutura física Energia 127,6 2, ,2 14,3 Transportes e comunicações 451,8 10, ,6 11,6 Social Saneamento 133,8 2, ,5 7,8 Desenvolvimento urbano 284,1 6, ,4 6,0 Educação 115,0 2, ,7 4,3 Investimento social 1.912,5 42, ,0 9,3 Saúde 5,0 0, ,7 1,8 Meio ambiente 146,4 3, ,0 1,4 Microempresa 30,0 0,7 418,6 0,4 Outros Reforma e modernização do Estado 667,2 14, ,3 17,2 Financiamento de exportações 0,0 0, ,1 1,3 Pré-investimento e outro 7,0 0, ,8 1,9 TOTAL $4.552,9 $ ,7 1 Inclui aumento de US$4,5 milhões ao 997/SF-HO. OS EMPRÉSTIMOS NO ANO 51

2 QUADRO IV. EMPRÉSTIMOS E GARANTIAS ANUAIS (2002) E ACUMULADOS ( ) 1 (Em milhões de dólares dos Estados Unidos) Relação por fundos Fundo para Fundos em Montante total Capital ordinário 2 Operações Especiais administração País Argentina - $ ,6 - $ ,7 - $ 644,9 $ - $ 49,0 Bahamas - 344,2-342, ,0 Barbados $ 17,0 407,3 $ 17,0 345,5-42,8-19,0 Belize - 92,2-92, Bolívia 229, ,4 112, ,0 $117, ,7-71,7 Brasil 690, ,9 690, , ,5-129,6 Chile 15, ,7 15, ,5-203,3-41,9 Colômbia 105, ,3 105, ,3-754,7-60,3 Costa Rica 14, ,3 14, ,7-351,8-139,8 El Salvador 70, ,9 70, ,2-747,8-145,9 Equador 75, ,5 75, ,9-933,3-87,3 Guatemala 321, ,3 321, ,0-629,4-71,9 Guiana 62,9 819,9-109,5 62,9 703,5-6,9 Haiti - 749, ,1-6,3 Honduras 76, ,5 13,7 530,4 62, ,0-68,1 Jamaica 34, ,0 34, ,3-163,8-198,9 México 1.000, , , ,0-559,0-53,0 Nicarágua 142, ,5-259,3 142, ,1-68,1 Panamá 67, ,0 67, ,6-280,0-44,4 Paraguai 29, ,9 29, ,7-576,1-12,1 Peru 488, ,7 488, ,6-418,1-221,0 República Dominicana 290, ,5 290, ,8-705,3-85,4 Suriname 3,4 76,6 3,4 74,6-2,0 - - Trinidad e Tobago 32, ,0 32,0 962,2-30,6-25,2 Uruguai 733, ,2 733, ,3-104,1-41,8 Venezuela 28, ,7 28, ,4-101,4-72,9 Regional 20, , ,4 20,0 217,2-13,1 TOTAL $4.548,3 $ ,7 $4.142,7 $ ,2 $405,6 $15.773,6 $1.735,9 1 Após cancelamentos e ajustes cambiais. Devido ao arredondamento, os totais podem não refletir a soma das parcelas. 2 Inclui empréstimos do setor privado, líquido de participações. O Banco concordou em custear parcialmente até cinco pontos porcentuais os juros sobre cinco empréstimos, no montante de US$81,6 milhões, aprovados em 2002 com recursos do capital ordinário, com fundos do Mecanismo de Financiamento Intermediário (MFI), criado no âmbito do Sexto Aumento Geral de Recursos. Custo total dos projetos O montante de US$4,5 bilhões em empréstimos e garantias do Banco ajuda a financiar projetos que envolvem um investimento total superior a US$7,6 bilhões. Os empréstimos do BID cobrem apenas parcialmente o custo total dos projetos em execução pelos países mutuários. O montante que excede as contribuições do Banco vem principalmente dos países da América Latina e do Caribe. Desembolsos Os desembolsos do Banco por conta de empréstimos aprovados ascenderam a US$5.837 milhões em 2002, contra US$6.459 milhões em Em 31 de dezembro de 2002, os desembolsos acumu- 52

3 QUADRO V. DESEMBOLSOS ANUAIS (2002) E ACUMULADOS ( ) 1 (Em milhões de dólares dos Estados Unidos) Relação por fundos Fundo para Fundos em Montante total Capital ordinário 2 Operações Especiais administração País Argentina $ 413,0 $13.757,6 $ 408,0 $13.075,0 $ 5,0 $ 633,6 - $ 49,0 Bahamas 13,8 276,0 13,8 274, ,0 Barbados 15,8 284,5 15,8 222,7-42,8-19,0 Belize 14,3 48,6 14,3 48, Bolívia 99, ,9 4, ,1 94, ,1-71,7 Brasil 1.792, , , ,5 9, ,3-129,6 Chile 100, ,7 100, ,5-203,3-41,9 Colômbia 159, ,9 151, ,3 7,3 738,3-60,3 Costa Rica 45, ,6 45, ,8-351,8-128,0 El Salvador 144, ,5 143, ,4 0,4 747,0-134,1 Equador 94, ,8 85, ,6 9,0 930,9-87,3 Guatemala 195, ,6 187, ,7 7,9 626,8-60,1 Guiana 24,6 583,5-109,5 24,6 467,1-6,9 Haiti 2,6 548, ,6 542,6-6,3 Honduras 47, ,3 0,1 516,7 47, ,2-50,4 Jamaica 133, ,6 133, ,9-163,8-198,9 México 993, ,7 991, ,7-559,0 $1,8 53,0 Nicarágua 104, ,9-259,3 104, ,2-50,4 Panamá 72, ,5 72, ,9-280,0-32,6 Paraguai 52, ,7 52,0 776,5-576,1-12,1 Peru 307, ,5 307, ,4-418,1-221,0 República Dominicana 184, ,0 184,1 907,3-705,3-85,4 Suriname 0,8 37,3 0,8 35,3-2,0 - - Trinidad e Tobago 24,5 702,9 24,5 647,1-30,6-25,2 Uruguai 558, ,3 558, ,4-104,1-41,8 Venezuela 176, ,7 176, ,4-101,4-72,9 Regional 67, ,8 66, ,5 0,3 197,2-13,1 TOTAL $5.836,5 $97.160,1 $5.521,8 $81.653,1 $312,9 $13.853,7 $1,8 $1.653,3 1 Após cancelamentos e ajustes cambiais. Devido ao arredondamento, os totais podem não refletir a soma das parcelas. 2 Inclui empréstimos do setor privado, líquido de participações. lados, incluindo ajustamentos de câmbio, totalizavam US$ milhões, ou 82% dos empréstimos autorizados pelo Banco. Os desembolsos e os totais acumulados em 2002 foram os seguintes: Recursos do capital ordinário: US$5.522 milhões, elevando o total acumulado em 31 de dezembro de 2002 a US$ milhões. Fundo para Operações Especiais: US$313 milhões, elevando o total acumulado em 31 de dezembro de 2002 a US$ milhões. Outros fundos: US$1,8 milhão, elevando o total acumulado dos fundos administrados pelo Banco em 31 de dezembro de 2002 a US$1.653 milhões. Amortizações As amortizações de empréstimos se elevaram a US$4.375 milhões em O montante acumulado das amortizações em 31 de dezembro de 2002 era de US$ milhões. As amortizações recebidas pelo Banco durante o ano e acumuladas, em 31 de dezembro de 2002, foram: Recursos do capital ordinário: US$4.106 milhões, elevando o total acumulado, OS EMPRÉSTIMOS NO ANO 53

4 QUADRO VI. CUSTO TOTAL DE PROJETOS, ANUAL (2002) E ACUMULADO ( ) 1 (Em milhões de dólares dos Estados Unidos) Empréstimos e Contrapartida da Custo total garantias do Banco 2 América Latina País Argentina $ 0,0 $ ,0 $ 0,0 $ ,5 $ 0,0 $ ,5 Bahamas 0,0 555,7 0,0 344,3 0,0 211,5 Barbados 24,2 717,6 17,0 407,3 7,2 310,2 Belize 0,0 139,9 0,0 92,2 0,0 47,7 Bolívia 680, ,8 229, ,4 451, ,4 Brasil 1.228, ,5 690, ,9 538, ,6 Chile 25, ,6 15, ,8 10, ,9 Colômbia 199, ,6 105, ,2 93, ,3 Costa Rica 17, ,7 14, ,3 3, ,3 El Salvador 88, ,0 70, ,0 18, ,1 Equador 102, ,0 75, ,6 27, ,4 Guatemala 401, ,6 321, ,3 79, ,3 Guiana 74, ,6 62,9 819,9 11,9 198,7 Haiti 0, ,7 0,0 749,5 0,0 306,2 Honduras 125, ,7 80, ,5 44, ,2 Jamaica 44, ,5 34, ,0 10,0 812,5 México 2.377, , , , , ,5 Nicarágua 156, ,4 142, ,5 13, ,9 Panamá 82, ,6 67, ,0 15, ,6 Paraguai 34, ,4 29, ,9 4,6 821,5 Peru 505, ,5 488, ,7 16, ,8 República Dominicana 494, ,0 290, ,5 204, ,5 Suriname 4,5 97,4 3,4 76,7 1,1 20,7 Trinidad e Tobago 40, ,8 32, ,0 8,0 573,8 Uruguai 809, ,8 733, ,3 75, ,5 Venezuela 40, ,0 28, ,6 12, ,4 Regional 22, ,7 20, ,8 2, ,9 TOTAL $7.579,4 $ ,6 $4.552,9 $ ,7 $3.026,6 $ ,9 1 Empréstimos acumulados após cancelamentos e ajustes cambiais. Devido ao arredondamento, os totais podem não refletir a soma das parcelas. 2 Com exceção de participações do setor privado. 3 Inclui aumento de US$4,5 milhões ao 997/SF-HO descontados os reembolsos a participantes, a US$ milhões em 31 de dezembro de Fundo para Operações Especiais: US$256 milhões, elevando o total acumulado a US$6.311 milhões em 31 de dezembro de Outros fundos: US$13 milhões, elevando o total acumulado a US$1.587 milhões em 31 de dezembro de

5 Descrição de projetos Para mais informações sobre os projetos aprovados pelo Banco em 2002, consulte o site do BID na Internet em ARGENTINA Em 2002, o Banco aprovou dois financiamentos do Fumin para a Argentina. Acumulados, os 218 empréstimos somaram US$ milhões e os desembolsos totalizaram US$ milhões. Competitividade para pequenas empresas (CT não reembolsável de US$1,9 milhão do Fumin) Este programa gerará novas oportunidades de emprego, promovendo projetos de desenvolvimento de pequenos negócios em três localidades: Olavarría, na província de Buenos Aires; Esquel, no noroeste da província de Chubut; e a microrregião de San Justo-San Javier, na província de Santa Fe. Cada subprograma prevê atividades específicas para promover o desenvolvimento de setores produtivos, aproveitando suas vantagens competitivas, como fortalecimento de cadeias de produção em Olavarría, diversificação de produtos regionais em Esquel e desenvolvimento da agroindústria e do artesanato étnico em San Justo-San Javier. Desenvolvimento da cadeia de abastecimento na província de Córdoba (CT não reembolsável de US$1 milhão do Fumin) Este projeto contribuirá para incentivar a competitividade e o crescimento de pequenas e médias empresas estratégicas. Será dada ênfase ao apoio a pólos de empresas de tecnologia de informação e comunicação, móveis e outros artigos de madeira e produtos agrícolas regionais, principalmente agricultura orgânica e pecuária. O programa fortalecerá a cooperação entre empresas e instituições, aumentará o acesso a tecnologia de produção e organização e melhorará o acesso a mercados. BAHAMAS Em 2002 não foram aprovados novos empréstimos para as Bahamas. Acumulados, os 17 empréstimos somaram US$344 milhões e os desembolsos totalizaram US$276 milhões. Em 2002, o Banco priorizou nas Bahamas a revisão da carteira corrente de operações creditícias e de cooperação técnica, delineando um programa para apoiar o governo que assumiu o poder em maio e criando bases para a preparação de uma nova Estratégia de País para cobrir o período Em colaboração estreita com as autoridades nacionais, esse esforço compreendeu a identificação preventiva de questões de implementação e ações corretivas e o acompanhamento posterior para assegurar que os projetos atendam seus objetivos de desenvolvimento. O apoio do Banco a diversos projetos nas Bahamas nos últimos anos geraram benefícios palpáveis. Um empréstimo para aumentar a geração, transmissão e distribuição de energia em New Providence, por exemplo, contribuiu para maior eficiência e menores custos de produção. Outros investimentos do Banco em infra-estrutura contribuíram para a reabilitação de vias públicas, docas e quebra-mares nas Family Islands e para a melhoria do sistema viário em New Providence. Nos setores sociais, os projetos do Banco ajudaram a ampliar o acesso a água potável e estão contribuindo para melhorias no ensino fundamental e médio. Uma importante iniciativa tomada em 2002 foi a criação, pela Representação do BID em Nassau, de um Grupo Assessor da Sociedade Civil. Reuniram-se representantes de várias organizações, entre as quais sindicatos, grupos de jovens e grupos ambientais e de defesa social, para oferecer com regularidade ao Banco e a contrapartes do governo suas sugestões a respeito de áreas em que o Banco esteja atuando ou possa vir a atuar em todo o país. Durante o ano foi feito um esforço para refinar a qualidade dos dados OS EMPRÉSTIMOS NO ANO 55

6 obtidos com a Amostra de Condições de Vida nas Bahamas, com estimativa do custo de uma cesta básica e análise dos índices de pobreza e desigualdade. BARBADOS Em 2002, o Banco aprovou um empréstimo para Barbados. Acumulados, os 39 empréstimos somaram US$407 milhões e os desembolsos totalizaram US$285 milhões. Programa de infra-estrutura costeira (Empréstimo de US$17 milhões do CO) As praias são cruciais para a atividade turística de Barbados, mas o crescimento urbano tem reduzido cada vez mais o acesso às áreas de praias e prejudicado o meio ambiente. Esta operação dará apoio ao manejo e ao desenvolvimento sustentável da costa, financiando projetos para estabilização costeira, controle da erosão, restauração de habitats costeiros e melhor acesso às praias, tanto pelos residentes quanto pelos turistas. As obras incluem melhorias na costa, desde Rockley Beach até Drill Hall, proteção da área terrestre entre Little Bay e Women s Bay, restauração de Crane Beach, melhorias nas praias de Welch e Holetown e ainda a instalação de um sistema de oxigenação de lagoas ao longo da praia de Holetown, a restauração de dunas em Walker s Savannah e melhorias no acesso à água junto ao ancoradouro do Hospital Velho de Bay Street e à rampa de barcos de Tent Bay. BELIZE Em 2002, o Banco aprovou uma operação de cooperação técnica e um financiamento do Fumin para Belize. Acumulados, os nove empréstimos somaram US$92 milhões e os desembolsos totalizaram US$49 milhões. Este financiamento desenvolverá projetos de geração de receita para as comunidades garífunas que levem em conta sua cultura e história singulares. Os garífunas reúnem elementos de populações de origem africana bem como de grupos indígenas do Caribe. Será elaborado um plano de negócios para promover iniciativas de desenvolvimento comunitário e um estudo identificará projetos produtivos viáveis bem como investidores potenciais. As comunidades da área receberão treinamento em como implementar e sustentar esses projetos. Será também proporcionado ao Conselho Garífuna Nacional treinamento em planejamento, técnicas de negociação e capacidade de organização e análise institucional. O programa também estabelecerá uma rede de contatos e alianças com grupos descendentes de africanos em outros países e promoverá investimentos culturalmente apropriados. Promoção de comércio e investimento (CT não reembolsável de US$ do Fumin) Esta operação visa aumentar o investimento estrangeiro em empresas de Belize e promover as exportações de produtos e serviços do país. O programa disponibilizará assistência técnica e consultores para identificar exportações prioritárias e mercados de destino, realizar uma campanha de comercialização de produtos alimentícios ecológicos, fortalecer a participação de Belize em eventos internacionais de promoção de exportações e desenvolver a capacidade de prestação de informações mercadológicas. Com o objetivo de atrair investimentos, sobretudo em pequenas e médias empresas, será posto em ação um plano de investimentos dirigido a empresas estrangeiras em setores prioritários. O apoio ao Serviço de Comércio e Desenvolvimento de Belize criará um fórum consultivo para promoção de exportações e investimentos, fortalecerá a área de tecnologia da informação e capacitará pessoal na aplicação de normas de comércio e investimento internacionais na indústria, na agricultura e na área de serviços de Belize. Preservação da cultura garífuna (CT não reembolsável de US$ do Fundo Dinamarquês para Serviços de Consultoria) 56

7 BOLÍVIA Em 2002, o Banco aprovou oito empréstimos para a Bolívia. Acumulados, os 160 empréstimos somaram US$3.138 milhões e os desembolsos totalizaram US$2.531 milhões. Projeto Corredor Santa Cruz-Puerto Suárez (Fase I) (Empréstimo de US$75 milhões do FOE) O Corredor Santa Cruz-Puerto Suárez, com 632 km, estende-se desde a área de maior crescimento da Bolívia até a fronteira com o Brasil. Essa rodovia constitui uma ligação crítica com grandes centros consumidores e mercados de exportação. Esta operação destina-se a pavimentar o trecho Paraíso-San José de Chiquitos-Roboré, de 346 km, recuperar o trecho de 139 km entre Roboré e El Carmen e realizar obras de manutenção em outros 88 km de vários trechos de cascalho da estrada. Tais melhorias reduzirão os custos de transporte e os tempos de percurso, melhorarão as condições da via e a segurança do tráfego, além de promover a integração com mercados regionais e internacionais. Um empréstimo complementar (ver abaixo) eliminará os impactos sócio-ambientais da construção da rodovia, apoiando projetos de conservação e desenvolvimento econômico nas áreas afetadas. Transredes S.A. (Empréstimo de US$75 milhões do CO e empréstimo B de US$57 milhões, com co-financiamento de US$88 milhões da Corporação Andina de Fomento) Esta operação do setor privado expandirá a rede de dutos de gás natural e hidrocarbonetos líquidos da Transredes, a fim de atender à crescente demanda nacional e aumentar as exportações para o Brasil. A Transredes é a principal companhia transportadora de gás da Bolívia. A operação que ampliará a capacidade de transporte de gás de 19 milhões para 30 milhões de metros cúbicos diários consistirá no acréscimo de linhas paralela e expandirá e modernizará estações de compressão entre os campos produtores, no sul e em Río Grande, onde o sistema se liga ao gasoduto Bolívia-Brasil. A ampliação dos dutos de hidrocarbonetos líquidos se estenderá a Santa Cruz e a Cochabamba, bem como a Arica, no Chile, e aumentará a capacidade do sistema de para barris diários. Para melhorar a segurança e a confiabilidade da rede de transporte, o programa substituirá dutos, instalará linhas subterrâneas, modernizará equipamentos e instalará sistemas de proteção de estações, interruptores de fluxo e alarmes, sistema de combate a incêndios, proteções catódicas, sistemas de medição de hidrocarbonetos líquidos, sistemas de drenagem pluvial e de rejeitos industriais, tanques de combustíveis e salas de controle. Projeto REDIBOL (Empréstimo de US$37 milhões do CO e um empréstimo B de US$3 milhões) Este programa financiará a instalação e a operação de uma rede de telecomunicações de ponta cobrindo o país que aumentará a qualidade e a cobertura dos serviços telefônicos, incluindo um melhor serviço de telefonia interurbana e internacional, bem como acesso direto à Internet e outros serviços de transmissão de dados. O projeto será executado pela AES Corporation, empresa privada que é uma das principais produtoras independentes mundiais de energia. A AES já completou cerca de 70% de seu programa de gastos de capital. Essa operação financiará parcialmente o lançamento da rede de fibra óptica da companhia e da infra-estrutura conexa em todo o país. A arquitetura da rede baseia-se numa tecnologia polivalente de nova geração que dá ao equipamento de transmissão plena capacidade para oferecer serviços telefônicos, de envio de dados, Internet e vídeo. Proteção ambiental e social no Corredor Santa Cruz-Puerto Suárez (Empréstimo de US$21 milhões do FOE, com co-financiamento do Fundo Nórdico de Desenvolvimento) A modernização do corredor Santa Cruz-Puerto Suárez se reveste de fundamental importância para ligar a Bolívia aos mercados de exportação, mas a conclusão de uma rodovia moderna terá um impacto ambiental e social sobre as áreas adjacentes. Para reduzir esses efeitos, esta operação instituirá um programa de concessão de títulos de propriedade de terras para cerca de OS EMPRÉSTIMOS NO ANO 57

8 famílias que vivem nas proximidades da rodovia, prestará assistência técnica, capacitação e financiamento para fortalecer organizações indígenas, desenvolverá projetos de microcrédito, aperfeiçoará a regulação e o manejo de áreas protegidas e criará um fundo de compensação para famílias removidas ou afetadas pela construção da rodovia. Os recursos também serão usados para proteger e preservar sítios de interesse cultural e arqueológico. A prestação de assistência técnica na área de planejamento e zoneamento urbano ajudará as prefeituras a atender às demandas sociais e ambientais que deverão resultar da construção desse corredor. Programa de desenvolvimento sustentável do turismo (Empréstimo de US$10 milhões do FOE) A Bolívia é rica em recursos naturais e culturais com potencial turístico. Este programa visa realçar a imagem do país como um destino turístico, melhorando a qualidade dos serviços de turismo e financiando projetos pilotos de turismo sustentável empreendidos em conjunto pelos setores público e privado. Atividades de assistência técnica e capacitação contribuirão para a criação de um sistema de acreditamento e certificação para que as agências de turismo cumpram as normas de qualidade internacionais; a elaboração de normas referentes à conservação do patrimônio cultural, à segurança e à proteção ambiental; e a organização de campanhas promocionais. O programa financiará pelo menos uma dúzia de projetos pilotos que incluem investimentos em projetos de infra-estrutura ambiental, como trilhas educacionais, sistemas de energia limpa e tratamento de esgotos. Projetos comunitários em pequena escala melhorarão as atrações turísticas, mediante a construção de mirantes, museus in situ e cabinas de informação. Fortalecimento do Mecanismo Setorial de Comércio Exterior (Empréstimo de US$5 milhões do FOE) Esta operação modernizará e fortalecerá a capacidade do governo para formular e executar uma política comercial eficaz e atrair investimentos. Será criada uma Unidade de Negociações Comerciais Internacionais e profissionais da área receberão capacitação. Um programa de assistência técnica ao Ministério de Comércio Exterior e Investimento dará apoio a reformas destinadas a facilitar a execução e o monitoramento de acordos comerciais. Entre os objetivos específicos da operação estão a consolidação do mecanismo de guichê único de exportações, mediante a adoção da certificação ISO 9000 e outros requisitos técnicos, a criação de grupos empresariais exportadores e o desenvolvimento de produtos de exportação com vantagens competitivas e a promoção de seu acesso aos mercados internacionais. Um componente de informática elaborará um plano diretor de tecnologia, introduzirá o comércio eletrônico para firmas de exportação e criará redes que garantam o acesso rápido a informações a respeito de fluxos de comércio. Programa de prevenção de desastres (Empréstimo de US$2,7 milhões do FOE) Ao fortalecer a prevenção de desastres e a capacidade de prestar assistência, esta operação lançará os alicerces de um sistema nacional eficaz de redução de risco. Programas de assistência técnica e de capacitação ajudarão vários ministérios a executar e coordenar planos de assistência de emergência e de manejo de risco. Um plano de prevenção de desastres elaborado para a área de La Paz servirá como piloto para planos posteriores de manejo de risco em outros municípios e um modelo de manejo de informação para o órgão governamental de prevenção de desastres e redução de risco facilitará o intercâmbio de informações essenciais para o processo decisório. O programa também preparará e divulgará uma campanha de informação pública para intensificar a consciência dos perigos dos desastres naturais e divulgar os mecanismos existentes para evitá-los ou atenuar seus efeitos. Produção de água na Reserva Biológica Cordilheira de Sama (Empréstimo de US$2,5 milhões do FOE) Em agosto de 2002, um incêndio na reserva de Sama, situada no departamento de Tarija, destruiu cerca de hectares de florestas e campos, causando prejuízos de milhões de dólares. O escoamento superficial e a erosão provocados pelo desflorestamento reduziram drasticamente os 58

9 níveis de água em áreas que funcionam como um reservatório para as comunidades locais, inclusive a cidade de Tarija. Esta operação de emergência restaurará o abastecimento de água potável, mediante a construção de uma galeria filtrante, valetas e diques, além de barreiras para estabilização do solo. A operação fornecerá produtos químicos e equipamentos para controlar e tratar a água poluída por cinzas. O plantio de forragens e a emissão de cupons para aquisição de rações para o gado ajudarão fazendeiros que sofreram enormes prejuízos em conseqüência do incêndio. O programa financiará também estudos para uma melhor avaliação dos danos ao meio ambiente, bem como a preparação de um plano de prevenção de desastres para a área. BRASIL Em 2002, o Banco aprovou nove empréstimos e seis financiamentos do Fumin para o Brasil. Acumulados, os 296 empréstimos somaram US$ milhões e os desembolsos totalizaram US$ milhões. Desenvolvimento do turismo no Nordeste (segunda etapa) (Empréstimo de US$240 milhões do CO) Este programa ajudará os estados e municípios a executar planos de desenvolvimento integrado de turismo que ofereçam infra-estrutura básica, fomentem investimentos privados e garantam uma atividade turística sustentável que beneficie os residentes locais. Com base em lições aprendidas na primeira fase do programa, esta operação dará ênfase a um processo de planejamento participativo e a uma adequada gestão ambiental, administrativa e fiscal em nível municipal. Os componentes de assistência técnica e capacitação fortalecerão a capacidade dos governos estaduais e municipais no planejamento e na gestão de turismo, proteção dos recursos naturais e culturais e manejo de detritos sólidos. Serviços de consultoria ajudarão na elaboração de planos de comercialização e de campanhas publicitárias para promover atrações turísticas na área. O programa financiará investimentos em infra-estrutura de transportes, como rodovias e aeroportos, serviços de água e esgoto, serviços de capacitação profissional e melhorias em áreas turísticas, como cais, praias e calçadões. Programa rodoviário no estado de Santa Catarina (Fase IV) (Empréstimo de US$150 milhões do CO) Este programa visa melhorar as condições das estradas, pavimentando ou recuperando rodovias de tráfego pesado, instalando equipamentos de segurança e fortalecendo a polícia rodoviária estadual. Cerca de 450 km de estradas de terra ou de cascalho serão asfaltadas e outros 700 km de estradas já pavimentadas serão recuperados. Outras obras incluem o alargamento de pistas e a construção ou melhorias de acostamentos e sistemas de drenagem. Para reduzir o número de acidentes nas estradas catarinenses, que aumentou nos últimos anos, o programa dará ênfase especial a aspectos de segurança, como obras civis relacionadas com cruzamentos, vias de acesso urbano e construção de caminhos para pedestres e ciclovias. O programa financiará também a construção de dez novos postos da polícia rodoviária e a aquisição de veículos de patrulha e socorro. Por fim, será elaborado um plano diretor para o transporte de materiais perigosos. Programa Paraná Urbano II (Empréstimo de US$100 milhões do CO) Este programa aumentará a cobertura e a qualidade dos serviços municipais no estado do Paraná, financiando projetos economicamente viáveis para reparo e expansão da infra-estrutura social. A operação também fortalecerá a capacidade de gestão, financiamento e auditoria das prefeituras. Entre as obras que receberão recursos contam-se estradas, sistemas de abastecimento de água e de esgotos, manejo de detritos sólidos, iluminação pública, mercados, terminais rodoviários, parques, instalações culturais e de lazer, bem como estruturas para controle de erosão e inundações. O programa também financiará serviços sociais nas áreas da educação e saúde e dará apoio à criação de pequenas empresas, assim como a diversas iniciativas culturais. A assistência técnica ajudará a explorar meios de atrair capitais privados para financiamento municipal, adotará um sistema de gestão baseado em resultados para apresentação de relatórios municipais do estado e promoverá a participação da sociedade civil na definição de prioridades para os investimentos municipais. OS EMPRÉSTIMOS NO ANO 59

10 Programa de desenvolvimento sustentável do Acre (Empréstimo de US$64,8 milhões do CO) O PIB per capita decaiu continuamente na década passada no estado do Acre, em parte devido à redução da demanda de borracha natural. O desmatamento aumentou, na medida em que a população se volta cada vez mais para atividades agrícolas de baixa produtividade. Este empréstimo dará apoio a um desenvolvimento mais sustentável, graças a investimentos em projetos de conservação, infra-estrutura e produção. O programa inclui um componente de concessão de títulos de propriedade de terras e haverá fornecimento de assistência técnica, capacitação, infra-estrutura e equipamentos para reabilitar terras degradadas, fomentar a pecuária orgânica, promover a exploração sustentável de recursos florestais, melhorar a comercialização de produtos locais, modernizar o transporte fluvial e preservar culturas indígenas. Serão criadas áreas protegidas, num total de hectares, em torno do Parque Nacional da Serra do Divisor. Para facilitar a comercialização de produtos florestais certificados, serão pavimentados 70 km do trecho Rio Liberdade-Rio Tauri-Igarapé Santa Fé da rodovia BR-364. Programa de apoio Pará Urbe (Fase I) (Empréstimo de US$48 milhões do CO) Esta operação ampliará e aumentará a qualidade dos serviços das prefeituras municipais prestados às comunidades no Pará. O programa financiará a construção ou a recuperação de infra-estrutura social sob jurisdição municipal, incluindo estradas, sistemas de abastecimento de água e de esgotos, manejo de detritos sólidos, iluminação pública, mercados, terminais rodoviários, parques e centros de lazer, além de estruturas para controle de erosão e cheias. Para apoiar pequenas empresas, o programa construirá e equipará instalações comerciais e industriais básicas e prestará assistência técnica com o objetivo de fomentar alianças de negócios e promover melhores operações de comercialização e exportação. A assistência técnica contribuirá para a utilização mais eficiente e transparente dos recursos municipais, mediante a revisão da fórmula de distribuição dos impostos estaduais, o uso de métodos de recuperação de custos, elaboração de um sistema mais racional de transferências estaduais, promoção do investimento privado, fortalecimento da capacidade municipal de gestão e incentivo à participação da sociedade civil nas decisões sobre investimento. Programa de água e saneamento de Goiânia (Empréstimo de US$47,6 milhões do CO) Somente um terço dos domicílios da capital de Goiás conta com ligações de esgotos e embora a maioria dos domicílios disponha de água potável, o rápido crescimento da cidade provocou uma séria escassez de água. Esta operação garantirá um sistema de abastecimento de água mais confiável e seguro, ampliará a rede de esgoto e com isso melhorará a qualidade dos rios locais e tornará mais eficiente a prestação do serviço. Para aumentar a oferta de água, será construído uma barragem no rio João Leite, com um sistema de captação e transporte de água. Juntamente com a rede de distribuição da cidade, serão modernizadas estações elevatórias e tanques de armazenamento para águas tratadas. Ao todo, serão construídos 268 km de redes de esgoto e 21 km de interceptores de esgotos, o que permitirá a expansão dos serviços de esgoto a cerca de domicílios, a maioria deles de famílias de baixa renda. Serviços de consultoria ajudarão a empresa estadual de água e saneamento a aumentar a eficiência de seus serviços, mediante a adoção de um modelo moderno de gestão, com a participação de um operador do setor privado. Programa de Microcrédito do Nordeste (CrediAmigo) (Empréstimo de US$30 milhões do CO com financiamento paralelo do Banco Mundial) Segundo se estima, 90% das empresas no Nordeste brasileiro são microempresas, mas somente 2% dessas pequenas firmas têm acesso ao crédito bancário. Este financiamento expandirá a oferta de microcrédito na região de baixa renda, permitindo ao CrediAmigo, o braço do Banco do Nordeste do Brasil voltado para as microempresas, conceder créditos a novos clientes para capital de giro e capital fixo. Isso triplicará o número de mutuários em relação ao fim do ano O CrediAmigo utiliza um modelo de crédito solidário no qual mutuários se reúnem em grupos e garantem os empréstimos uns dos outros. Esses créditos giram em torno de uma média de 60

11 US$500. Será dada assistência técnica para capacitar assessores de crédito do CrediAmigo, formular estratégias de promoção, criar uma unidade de classificação de risco, identificar novos produtos de poupança e crédito e revisar os procedimentos de gestão de empréstimos. Diversidade no acesso ao ensino superior (Empréstimo de US$5 milhões do CO) Como ocorre na maioria dos países latino-americanos, os indicadores educacionais relativos a afro-brasileiros e indígenas são baixos em comparação com o restante da população. Este programa melhorará o desempenho escolar no ensino médio de estudantes negros e indígenas e promoverá o acesso desses grupos à educação superior. O programa, focalizado especificamente em melhorar os resultados dos estudantes de grupos minoritários no exame nacional do ensino médio, oferecerá subsídios para a entrada na escola e para despesas de subsistência, cursos especiais de estudo e treinamento, organizará visitas a universidades e estabelecerá redes. Estudos, seminários e materiais curriculares e de comunicação visarão formar um consenso quanto a políticas e estratégias que promovam inclusão social e diversidade cultural e que combatam a discriminação racial e étnica no ensino médio e superior. O programa será executado em nove estados, escolhidos com base na representatividade das condições socioeconômicas de negros e indígenas em comparação com o resto do país. Modernização do Tribunal de Contas da União (Empréstimo de US$5 milhões do CO) O Tribunal de Contas da União é o órgão legislativo ao qual compete realizar as auditorias contábil, financeira, orçamentária, operacional e patrimonial do país. Esta operação dará apoio à modernização e ao fortalecimento institucional do TCU, a fim de tornar mais eficaz e eficiente seu trabalho de acompanhamento do uso dos recursos públicos. O componente de assistência técnica aumentará a rapidez e a qualidade dos processos de controle, mediante modernização dos métodos, instrumentos e técnicas de auditoria. As funções do órgão serão ampliadas de modo a incluir o controle das normas que regem as empresas públicas e garantir o cumprimento da nova Lei de Responsabilidade Fiscal. O programa implantará um modelo empreendedor de gestão baseado nos princípios de qualidade total, planejamento estratégico e em resultados. Serão feitos investimentos em capacitação de pessoal e iniciativas destinadas a melhorar a coordenação e o diálogo entre o TCU e o Congresso Nacional e a sociedade civil. Fundo de investimento LatinTech para novas empresas de tecnologia (Investimento de US$4 milhões e CT não reembolsável de US$ do Fumin) Este projeto ajudará a capitalizar aproximadamente uma dúzia de pequenas e médias empresas novas ou recém-criadas com alto potencial de crescimento que oferecem serviços de software em atividades financeiras e bancárias, informações empresariais e aumento de produtividade. Será enfatizado o apoio a empresas que cumpram as normas de divulgação de informação e outras práticas de gestão empresarial exigidas para sua inclusão na listagem do Novo Mercado, um segmento de listagem da Bolsa de Valores do Estado de São Paulo (Bovespa) destinado à negociação de ações emitidas por empresas que aceitam voluntariamente padrões elevados, mais rígidos que os presentes na legislação brasileira. O projeto contribuirá para o desenvolvimento da indústria de capital de risco no Brasil e apoiará melhoras no ambiente regulador. Fundo de investimento para empresas emergentes de tecnologia (Rio Bravo-Investech II) (Investimento de US$3 milhões e CT não reembolsável de US$ do Fumin) Este fundo investirá em 12 a 15 pequenas e médias empresas das regiões Sul e Sudeste do Brasil que atuem em setores ligados a biotecnologia e bioinformática (até um máximo de 30% da carteira) e em empresas que ofereçam soluções em software e hardware na área de tecnologia de informação e telecomunicações, (acima de 80% da carteira). Prevê-se que até um terço da carteira compreenda empresas nas primeiras fases de desenvolvimento, enquanto o resto dos recursos será investido em empresas já estabelecidas. OS EMPRÉSTIMOS NO ANO 61

12 Desenvolvimento de distritos industriais (CT não reembolsável de US$2,1 milhões do Fumin) As pequenas e médias empresas constituem aproximadamente 98% do total da atividade empresarial no Brasil. Este programa será dirigido a pequenas empresas que produzem bens e serviços em distritos industriais selecionados, ajudando a fortalecer sua capacidade competitiva. O projeto criará incentivos para cooperação industrial e aumentará a eficiência e a produtividade das empresas, mediante a aplicação de lições derivadas da experiência internacional. Modernização da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) (CT não reembolsável de US$2 milhões do Fumin) Este projeto ajudará a Comissão de Valores Mobiliários a aumentar a transparência do mercado e aperfeiçoar as normas jurídicas referentes às entidades financeiras regulamentadas. O programa financiará estudos que proporcionem à comissão um guia para aprofundar seu conhecimento de melhores práticas internacionais em prol da competitividade. O objetivo é fortalecer os mercados de capital do país, que atualmente atuam abaixo de seu potencial e passam por um processo de modernização. O projeto racionalizará e desenvolverá quadros reguladores, elaborará sistemas informatizados de gestão de dados e dará capacitação a corretores e outros agentes em atividades relacionadas a valores mobiliários. Sistema de certificação em apoio ao turismo sustentável (CT não reembolsável de US$1,7 milhão do Fumin) Este projeto criará um sistema de certificação para aumentar a qualidade e a competitividade de pequenas e médias empresas no setor de turismo. A primeira fase do projeto pretende certificar 400 empresas. Será dada capacitação a cerca de 400 profissionais para conceder certificação e prestar assistência técnica às companhias participantes. Espera-se que em 2010 mais de pequenas e médias empresas do setor de turismo tenham solicitado certificação. O projeto elaborará um sistema com reconhecimento internacional de padrões de qualidade, avaliações, auditorias e certificações. O projeto também beneficiará outros setores produtivos, pois promoverá a criação de novas empresas de bens e serviços nas áreas de sustentabilidade ambiental e socioeconômica. CHILE Em 2002, o Banco aprovou um empréstimo para o Chile. Acumulados, os 126 empréstimos somaram US$4.873 milhões e os desembolsos totalizaram US$4.382 milhões. Modernização da Controladoria Geral (Empréstimo de US$15 milhões do CO) A Controladoria Geral monitora a legalidade da administração do Estado, registra as contas gerais do país e realiza auditoria dos fluxos de receita e investimentos dos recursos públicos. Apoiando a modernização e a reforma da Controladoria Geral, este projeto aperfeiçoará a gestão financeira,a transparência e a proteção dos ativos do Estado. Uma nova estrutura organizacional com base em resultados ajudará a instituição a adaptar-se melhor a sua missão e a seus objetivos, discriminar os indicadores de resultados e desempenho por área funcional e calcular o coeficiente de custo-benefício das atividades. Melhores sistemas informáticos e tecnologias possibilitarão uma rede de comunicações mais eficiente, tanto com os interlocutores externos quanto entre a sede da Controladoria Geral e seus 12 escritórios regionais. Entre as iniciativas inovadoras nas áreas de auditoria, controle e monitoramento estão a elaboração de um abrangente manual de auditoria, novas técnicas de auditoria e um sistema de informações financeiras. Elaboração de modelos hidrológicos e estudo de controle da poluição nas baías de Concepción e San Vicente (CT não reembolsável de US$1,2 milhão do Fundo Fiduciário Japonês para Serviços de Consultoria) Este programa destina-se a criar instrumentos operacionais para controle da poluição de águas em dois importantes portos chilenos que há muitos anos vêm enfrentando os efeitos decorrentes de despejos de indústrias pesadas, estaleiros, fábricas de conservas de peixe e esgotos domésticos. Os estudos utilizarão modelos matemáticos 62

13 para definir a capacidade de carga das duas baías e para avaliar as mudanças ambientais que se produzem quanto se aplicam diferentes medidas para o controle das águas servidas. Alguns dos fatores medidos serão a hidrodinâmica, as correntes, a dispersão e a qualidade da água. Com base nesses dados, será elaborado um plano de controle da poluição, de acordo com as normas ambientais chilenas. Além disso, o programa transferirá tecnologia e know-how nas áreas de hidrodinâmica, elaboração de modelos da qualidade da água e limpeza das instalações para eliminação de águas servidas de origem industrial e doméstica. COLÔMBIA Em 2002, o Banco aprovou quatro empréstimos e quatro financiamentos do Fumin para a Colômbia. Acumulados, os 192 empréstimos somaram US$8.864 milhões e os desembolsos totalizaram US$7.907 milhões. Infra-estrutura social e gestão comunitária para a paz (Empréstimo de US$63 milhões do CO) Este programa visa recuperar, equipar e construir novas escolas, hospitais, clínicas de saúde e equipamentos de lazer e outras instalações comunitárias em áreas pobres afetadas pelo conflito armado na Colômbia. Serão financiadas cerca de obras de infra-estrutura social em 252 pequenos municípios. Poderão habilitar-se ao programa as comunidades que cumpram a legislação de reforma fiscal e tenham líderes eleitos por via democrática. Quase um terço da população beneficiada será formada por negros ou indígenas. A assistência técnica e a capacitação oferecida aos governos municipais e às organizações comunitárias garantirão a participação local na definição, gestão e manutenção dos projetos. O objetivo é não só melhorar as condições de vida, como também reconstituir o tecido social, mediante a participação da comunidade, e fortalecer os governos locais e a presença do Estado. Modernização de estradas e fortalecimento institucional em Cundinamarca (Empréstimo de US$21,7 milhões do CO) Cundinamarca, distrito que circunda a capital Bogotá, ocupa o terceiro lugar como produtor de bens e serviços entre os 32 departamentos da Colômbia. Ao melhorar a malha rodoviária e fortalecer a capacidade de gestão do departamento, esta operação preparará o caminho para a execução de um amplo plano para seu desenvolvimento. Os recursos serão utilizados para modernizar e pavimentar 240 km de rodovias que completarão um cinturão em torno da capital, um anel rodoviária externo em volta do departamento e sete linhas-tronco regionais. Em termos de fortalecimento institucional, o programa proporcionará capacitação, assistência técnica e equipamentos, com vistas a fomentar o planejamento, a administração financeira e os sistemas de informação. Serão criados sistemas de apoio administrativo para fazer um inventário dos documentos departamentais, atualizar e avaliar os registros imobiliários, avaliar o desempenho do funcionalismo e realizar auditorias internas. Além disso, o programa fortalecerá o planejamento municipal nas áreas fiscal, financeira e de zoneamento, proporcionando serviços de assessoria e modernizando as funções técnica e administrativa. Fortalecimento institucional do distrito de Bogotá (Empréstimo de US$16 milhões do CO) Este programa melhorará o nível dos serviços públicos, fortalecendo a gestão das atividades de planejamento e preparação de orçamentos, registro imobiliário e zoneamento em nível distrital e aperfeiçoando a eficiência administrativa nos municípios da área da capital. Os objetivos do programa são: reorganizar instituições distritais importantes, utilizando uma abordagem setorial; introduzir uma metodologia orçamentária baseada no desempenho e sistemas informáticos que a possibilitem; formular planos decenais e sistemas de capacitação para planejamento do uso da terra; e atualizar os sistemas de registro imobiliário. Assistência técnica e cursos de capacitação aumentarão a capacidade de gestão municipal, definindo melhor a divisão de serviços e funções entre o governo central e as prefeituras e revisando os métodos de designação de recursos. O pro- OS EMPRÉSTIMOS NO ANO 63

14 grama promoverá uma maior participação pública nas decisões orçamentárias do governo local, através do fortalecimento de grupos de ação comunitária e melhoria do acesso da população à informação. O programa construirá três centros de atendimento ao público e instalará um sistema interativo de atendimento pela Internet. Projeto de garantia hipotecária para o Banco Colpatria (Empréstimo de US$5,2 milhões do CO) Historicamente, o mercado hipotecário da Colômbia tem sido um dos mais bem sucedidos da América Latina, porém um clima macroeconômico desfavorável e taxas de juros crescentes limitaram o desenvolvimento do setor nos últimos anos. Esta operação a primeira em que o BID atua como garante de títulos de dívida hipotecária do setor privado fortalecerá a capacidade do Banco Colpatria, um dos principais bancos hipotecários da Colômbia, de oferecer hipotecas residenciais, principalmente para habitações destinadas a grupos de baixa renda. A garantia é prestada em apoio a US$50 milhões em títulos da dívida emitidos pelo Colpatria a investidores institucionais do país. Essa operação pioneira para estabelecer títulos da dívida hipotecária como um novo instrumento nos mercados de capital colombianos tornou-se possível devido às novas normas financeiras aprovadas em Vínculos empresariais na indústria de confecções (CT não reembolsável de US$1,1 milhão do Fumin) Este programa incentivará investimentos na indústria de confecções, principalmente nos departamentos de Caldas, Risaralda e Quindío, áreas gravemente afetadas pelo terremoto de janeiro de O programa criará um sistema coordenado e sustentável para proporcionar capacitação e assistência técnica a empresas de confecções e a seus empregados. Cerca de trabalhadores e treinadores receberão capacitação e a operação estimulará firmas menores a estabelecer vínculos com empresas maiores a fim de padronizar o processo produtivo, aumentar a produtividade e fortalecer a capacidade da indústria de competir internacionalmente. Fortalecimento dos mercados de capitais (CT não reembolsável de US$1 milhão do Fumin) Este projeto contribuirá para fortalecer os mercados de capitais da Colômbia para que estejam à altura do nível de desenvolvimento econômico do país. Os recursos serão utilizados para criar um armazém de dados que contenha dados financeiros e referentes a empresas para uso de investidores. Além disso, apoiará os esforços da Bolsa de Valores da Colômbia (BVC) para proteger os interesses dos investidores, sobretudo dos minoritários, mediante a divulgação das exigências de boa gestão empresarial baseadas em princípios internacionais. O armazém de dados incluirá informações históricas provenientes das três bolsas de valores que se fundiram para formar a BVC, assim como informações atualizadas a respeito dos instrumentos negociados. Promoção de empreendimentos cooperativos entre empresas (CT não reembolsável de US$1 milhão do Fumin) Este projeto aumentará a competitividade de pequenas e médias empresas, incentivando e fortalecendo empreendimentos cooperativos entre empresas vinculadas horizontalmente em pólos industriais ou verticalmente em cadeias de produção. O projeto demonstrará a eficácia de empreendimentos cooperativos em áreas como intercâmbio de tecnologia, construção de economias de escala e capacitação. Além disso, estimulará empreendimentos conjuntos e contribuirá para uma maior confiança entre as empresas. A experiência internacional já demonstrou, que atuando juntas, as empresas que integram uma mesma indústria (preferencialmente quando localizadas na mesma área geográfica) podem unir esforços para obter economias de escala e baixar custos. Tecnologias de informação e comunicação em apoio ao desempenho empresarial (CT não reembolsável de US$1 milhão do Fumin) Nos últimos cinco anos, a rede da Internet triplicou na Colômbia, passando de menos de usuários para mais de 1,5 milhão. Todas as empresas na Colômbia com mais de 100 empregados estão hoje ligadas à Internet e 90% delas 64

15 têm um site. Este projeto tornará as pequenas e médias empresas mais competitivas, mediante a utilização da tecnologia de informação e comunicação (TIC), além de estimular o mercado nacional de TIC. As pequenas e médias empresas do país serão incentivadas a formar e fortalecer comunidades empresariais mediante o uso de tecnologias de informação e comércio eletrônico, especialmente comércio eletrônico empresa-aempresa na Internet, que reduz os custos de transação e aumenta a eficiência. COSTA RICA Em 2002, o Banco aprovou um empréstimo para a Costa Rica. Acumulados, os 98 empréstimos somaram US$2.196 milhões e os desembolsos totalizaram US$1.814 milhões. Produção agrícola sustentável (Empréstimo de US$14,4 milhões do CO) Este programa ajudará pequenos e médios agricultores a aumentar a produção mediante o emprego de práticas agrícolas ecologicamente sustentáveis. A operação financiará projetos de assistência técnica e de investimento que apliquem novas tecnologias, adaptem sistemas produtivos a mudanças em mercados locais ou internacionais, façam uso mais eficiente dos recursos do solo a fim de liberar terras para silvicultura ou conservação, reduzam a utilização de agrotóxicos mediante a aplicação de técnicas de manejo de recursos naturais e adotem métodos de classificação e certificação de produtos. As atividades do programa se concentrarão nas regiões de Chorotega, Brunca e Huetar Norte, onde a pobreza rural é maior. Atividades de capacitação fortalecerão as técnicas empresariais de organizações de produtores, bem como grupos de mulheres e de jovens. A rede InfoAgro será ampliada de modo a incluir todos os órgãos de fomento agrícola e agentes de extensão serão treinados para ajudar a aumentar a competitividade em áreas não tradicionais. EL SALVADOR Em 2002, o Banco aprovou dois empréstimos e um financiamento do Fumin para El Salvador. Acumulados, os 105 empréstimos somaram US$2.909 milhões e os desembolsos totalizaram US$2.363 milhões. Programa global de crédito multissetorial (Empréstimo de US$42,4 milhões do CO) A reduzida disponibilidade de recursos a longo prazo limita a capacidade do sistema financeiro de El Salvador para atender à crescente demanda de crédito por parte de pequenas e médias empresas. Esta operação criará uma oferta estável desse tipo de financiamento para ajudar essas empresas privadas a se tornar mais produtivas e competitivas. Os recursos à disposição do Banco Multissetorial de Investimentos (BMI), uma instituição nacional, financiarão empréstimos concedidos por instituições financeiras intermediárias autorizadas (IFI). Os subempréstimos serão concedidos a empresas manufatureiras, comerciais ou de serviços, incipientes ou já estabelecidas, que necessitarem de crédito para aquisição de ativos fixos, capital de giro para expandir, reestruturar ou modernizar a produção, ou para contratar serviços técnicos ou gerenciais. A assistência técnica fortalecerá a capacidade institucional do BMI de ter acesso a mercados de capitais nacionais e internacionais e ajudará as IFI a fazer análises de risco e ampliar os serviços financeiros em áreas rurais. Apoio ao programa de paz social (Empréstimo de US$27,9 milhões do CO) Esta operação aumentará a segurança pública, apoiando serviços sociais para jovens em áreas com altos níveis de criminalidade e violência. Com vistas a criar bairros mais seguros e lidar com os fatores subjacentes à delinqüência, o programa promoverá organizações sociais comunitárias, recuperará instalações de lazer como estádios desportivos e salões de reunião, criará programas de emprego e capacitação profissional, além de apoiar programas de formação de líderes, resolução de conflitos e combate às drogas nas escolas. A operação dará apoio também a projetos para OS EMPRÉSTIMOS NO ANO 65

16 melhorar as relações entre a polícia e as comunidades, prevenir e coibir a violência doméstica e reabilitar jovens infratores. Novas tecnologias de informação serão adotadas para sistematizar dados estatísticos relativos a crimes, expandir o sistema de informação sobre a infância para proteger menores e organizar um registro computadorizado da população carcerária. Serviços financeiros e de remessas familiares para grupos de baixa renda (CT não reembolsável de US$1,5 milhão do Fumin) Este projeto melhorará o acesso de grupos de baixa renda a serviços financeiros, principalmente em áreas rurais. Contribuirá para fortalecer a gestão e a capacidade financeira das 29 associações de crédito que integram a Federação das Associações Cooperativas de Poupança e Crédito de El Salvador (Fedecaces), que atua em 13 dos 14 departamentos do país. A Fedecaces e as associações de crédito receberão apoio para integrar seus serviços de remessas e automatizar seus sistemas informáticos e operacionais, a fim de cortar custos e aumentar a eficiência. A Fedecaces e os funcionários das associações receberão capacitação para administrar e promover esses serviços. EQUADOR Em 2002, o Banco aprovou três empréstimos e uma operação de cooperação técnica para o Equador. Acumulados, os 167 empréstimos somaram US$3.792 milhões e os desembolsos totalizaram US$3.561 milhões. Programa ambiental de saneamento da área metropolitana de Quito (Fase I) (Empréstimo de US$40 milhões do CO) À medida que a cidade de Quito se espraiou pelos morros íngremes que a cercam, essas áreas foram sendo desmatadas, o que aumentou a erosão e a acumulação de água na superfície, sobrecarregando o sistema de esgotos e pondo vidas em perigo, principalmente as populações carentes que vivem em áreas de risco. Esta operação reduzirá o risco de inundações e de deslizamentos de terra e lama, construindo ou recuperando obras de estabilização e ampliando o sistema de esgotos no centro e na zona sul da cidade. Serão também instalados sistemas de transporte de água, linhas de distribuição e ligações domiciliares, para levar o abastecimento de água a áreas de baixa renda. Serão criadas áreas verdes nas zonas de intervenção para manejo de encostas e se estabelecerão empresas comunitárias para a coleta de lixo. A fim de aumentar a eficiência, serviços de consultoria serão utilizados para ajudar a privatizar parte da empresa local de água e serão tomadas medidas para coibir as ligações clandestinas de água e ampliar o monitoramento hidrometeorológico. Programa de apoio ao setor habitacional II (Empréstimo de US$25 milhões do CO, com juros subsidiados pelo MFI) Atualmente, o setor formal de habitação do Equador só consegue atender a metade da crescente demanda de unidades habitacionais urbanas, o que freqüentemente leva famílias de baixa renda a recorrer ao setor informal para solucionar suas necessidades de habitação. Este programa proporcionará subsídios, na forma de cupons, que possibilitarão a famílias pobres comprar uma moradia nova ou reformar a atual. Além disso, financiamentos concedidos às prefeituras servirão de incentivo para que elas enfoquem áreas de baixa renda e promovam melhorias em infraestrutura básica e serviços, como abastecimento de água, creches, regulamentação de títulos de propriedade, parques e centros comunitários. O componente de subsídios do programa visa também estimular os setores financeiro e de construção civil privados, uma vez que os cupons permitirão aos beneficiados obter uma hipoteca. Os subsídios para reformas habitacionais darão prioridade a ligações de águas e esgoto e à construção ou expansão de cozinhas, banheiros e telhados. Ao todo, calcula-se que o programa beneficiará pessoas. Desenvolvimento sustentável da zona de fronteira da Amazônia Setentrional (Empréstimo de US$10 milhões do CO e CT não reembolsável de US$ do FOE) A região da Amazônia Setentrional responde por 80% da biodiversidade do Equador, mas as indústrias extrativas e o número cada vez maior de núcleos habitacionais estão causando prejuízos ao 66

17 meio ambiente. Este projeto aumentará a proteção da Reserva de Produção de Fauna Cuyabeno e de suas zonas-tampão, ao mesmo tempo em que apoiará projetos produtivos sustentáveis para famílias pobres da região. Cerca de produtores de cacau e café das províncias fronteiriças de Sucumbíos, Orellana e Napo receberão assistência técnica, capacitação e equipamentos destinados a promover práticas agroecológicas. Levantamentos topográficos e programas de concessão de títulos de propriedade definirão as áreas protegidas e regularizarão as terras ancestrais indígenas e as propriedade de colonos. Um programa de controle e supervisão será criado para a reserva e projetos pilotos explorarão o mercado potencial para produtos relacionados à biodiversidade, como plantas medicinais, ecoturismo e alimentos naturais. GUATEMALA Em 2002, o Banco aprovou cinco empréstimos e um financiamento do Fumin para a Guatemala. Acumulados, os 109 empréstimos somaram US$2.539 milhões e os desembolsos totalizaram US$1.983 milhões. Programa de reforma do setor financeiro II (Empréstimo de US$200 milhões do CO, com juros subsidiados pelo MFI) Este programa modernizará o quadro jurídico do setor bancário e fortalecerá os órgãos que o regulamentam. As reformas jurídicas possibilitarão ao Banco Central e à Superintendência de Bancos exercer plenamente suas funções no que diz respeito à implementação de políticas monetárias, cambiais e creditícias e também à supervisão e regulamentação das instituições financeiras. O empréstimo será liberado em parcelas, de acordo com o cumprimento de um programa de estabilização macroeconômica e de execução de uma série de reformas jurídicas, que incluem medidas para deixar claras as funções do Banco Central, garantir sua independência e restaurar seu capital; eliminar restrições quanto à propriedade de moeda estrangeira; pôr em vigor um novo sistema de gestão de risco; consolidar a supervisão de grupos financeiros; e criar novas normas contábeis e de auditoria. Programa de redução da pobreza urbana (Empréstimo de US$46,8 milhões do CO) Este programa destina-se a criar infra-estrutura básica e serviços sociais para áreas de habitações precárias na Cidade da Guatemala e em sua área metropolitana. A operação melhorará as condições de vida de aproximadamente pessoas que vivem em 32 favelas. Financiará obras de abastecimento de água e de esgotos, mercados e equipamentos de lazer, reabilitação de vias públicas, iluminação pública e aterro sanitário. A concessão de títulos de propriedade legalizará propriedades familiares, enquanto a estabilização de encostas, o reflorestamento e a construção de muros de arrimo protegerão os moradores dessas áreas contra desastres naturais. Os serviços sociais, que se concentrarão nos grupos em situação de risco, compreenderão programas de enriquecimento em creches comunitárias, prevenção de doenças, aconselhamento familiar, capacitação profissional e encaminhamento para empregos. Gestão de recursos naturais no alto de bacias hidrográficas (Empréstimo de US$40 milhões do CO) Este projeto fomentará atividades produtivas sustentáveis do ponto de vista ambiental e financeiro, com o objetivo de conciliar a necessidade de preservar os recursos de solo e de água com as necessidades econômicas das pessoas que residem nas áreas altas de bacias hidrográficas. O projeto dará assistência técnica e financeira a iniciativas que alteram as formas tradicionais de uso da terra, convertendo os sistemas produtivos que degradam a base de recursos naturais em sistemas favoráveis ao meio ambiente. Serão financiados projetos ligados à agro-silvicultura, à criação de infra-estrutura básica como sistemas de irrigação e armazéns, ao processamento em pequena escala de produtos florestais e à produção de café orgânico. Pequenas e médias organizações de produtores em 94 municípios de áreas empobrecidas no centro e no oeste da Guatemala, habitadas por populações predominantemente indígenas, poderão habilitar-se ao programa. OS EMPRÉSTIMOS NO ANO 67

18 Gastos de capital para distribuição de eletricidade (Empréstimo de US$25 milhões do CO) Este programa expandirá a cobertura da distribuição de eletricidade e aumentará a confiabilidade e a eficiência dos serviços. Serão instaladas novas ligações em áreas rurais, onde a maioria dos clientes vive abaixo da linha de pobreza. O programa reduzirá as interrupções no fornecimento, as perdas por motivos técnicos ou de outra natureza e os custos operacionais de manutenção. Os investimentos modernizarão as instalações técnicas e acrescentarão dispositivos de segurança e proteção digital à rede de distribuição; elevarão a padrões internacionais os requisitos de impacto ambiental e controle e qualidade da energia; e modernizarão a rede comercial. A operação será executada por duas empresas privadas de distribuição elétrica supervisionadas pela Unión Fenosa Internacional, companhia espanhola que ganhou a concessão de distribuição de eletricidade na Guatemala. Programa para o mercado de trabalho (Empréstimo de US$10 milhões do CO) As políticas trabalhistas na Guatemala têm dois objetivos: dar emprego remunerado a uma maior parcela da população economicamente ativa e aumentar a produtividade dos que estão empregados ou subempregados. Este programa aumentará a participação no mercado de trabalho, capacitando grupos rurais vulneráveis e ajustando melhor o treinamento às necessidades do mercado. Programas de capacitação voltados para áreas carentes ou para grupos em risco, como mulheres que chefiam famílias, beneficiarão cerca de desempregados ou subempregados em zonas rurais. Em áreas urbanas, programas de capacitação no emprego ou cursos especiais de formação profissionalizante básica ajudarão jovens de 18 a 29 anos de idade a conseguir emprego ou melhorar sua produtividade. O programa criará também um cadastro eletrônico de vagas e uma rede de agenciamento de emprego, patrocinará feiras de empregos e fortalecerá o sistema nacional de estatísticas do trabalho. Regulamentação e supervisão de bancos (CT não reembolsável de US$1 milhão do Fumin) Este projeto aumentará a solvência, a eficiência e a transparência do sistema bancário na Guatemala. Um objetivo importante é fortalecer a Superintendência de Bancos, para lhe permitir pôr em prática e fazer cumprir o novo quadro jurídico, bem como consolidar sua supervisão de todas as instituições que integram o sistema financeiro. Os componentes do projeto incluem ainda a redação de normas para sua promulgação, a atualização dos manuais de inspeção e contabilidade e o aperfeiçoamento dos sistemas de informação. GUIANA Em 2002, o Banco aprovou três empréstimos para a Guiana. Acumulados, os 44 empréstimos somaram US$820 milhões e os desembolsos totalizaram US$584 milhões. Programa de acesso ao ensino básico e apoio gerencial (Fase I) (Empréstimo de US$30 milhões do FOE) Esta operação financiará a construção e reparos de escolas secundárias em áreas mal atendidas e fortalecerá o ensino fundamental mediante uma série de reformas curriculares e pedagógicas em alfabetização e aritmética. Para expandir o acesso à educação, serão construídas cinco escolas secundárias, enquanto outras sete serão ampliadas ou recuperadas em áreas de baixa renda. Serão fornecidos equipamentos, materiais escolares e mobiliário, bem como acomodações para estudantes e funcionários de cinco escolas em áreas remotas. Para melhorar o desempenho escolar no ensino fundamental, a operação financiará programas de alfabetização orientados para resultados, ensino interativos básicos de aritmética pelo rádio, iniciativas comunitárias para aumentar a freqüência às aulas, adoção de tecnologias modernas no ensino, no aprendizado e na administração escolar, formação de professores e um sistema integral de avaliação do aluno. 68

19 Programa de eletrificação em áreas mal atendidas (Empréstimo de US$27,4 milhões do FOE) Esta operação ligará cerca de domicílios em Georgetown e outras regiões litorâneas à rede elétrica. Muitos dos novos clientes serão famílias de baixa renda residentes em conjuntos habitacionais ou em assentamentos irregulares em processo de reparação ou regularização. As ligações serão possibilitadas pela ampliação de redes de distribuição de 13,8 kv, num total de 200 km, e por sua ligação ao sistema de transmissão de 69 kv. O programa financiará também projetos pilotos para testar a viabilidade da aplicação de tecnologias representativas e de fontes locais de energia em regiões isoladas do interior do país, para as quais não é viável levar as redes existentes. Por fim, programas de capacitação e assistência técnica darão apoio às atuais reformas estruturais do setor elétrico, fortalecendo o quadro jurídico, regulador e institucional, principalmente em apoio aos planos de levar a eletrificação a áreas remotas. Programa de nutrição básica (Empréstimo de US$5 milhões do FOE) Este programa reduzirá a carência alimentar entre mães e crianças pequenas, mediante uma série de intervenções nas áreas de saúde, nutrição e educação. Em áreas pobres serão distribuídos cupons de alimentação para crianças até 24 meses, desde que a família participe de programas de educação sanitária em clínicas locais. Suplementos de ferro também serão oferecidos nas clínicas a crianças e mães lactantes ou gestantes, a fim de combater a anemia. Será formulada uma estratégica nacional de informação, educação e comunicação para promover o aleitamento materno e a nutrição infantil e agentes sanitários receberão capacitação nesses temas. Uma avaliação determinará o impacto do projeto na situação nutricional infantil. HAITI Em 2002, o Banco aprovou uma cooperação técnica para o Haiti. Acumulados, os 47 empréstimos somaram US$750 milhões e os desembolsos totalizaram US$549 milhões. Iniciativas de fortalecimento institucional (CT não reembolsável de US$ do Fumin) Esta operação visa melhorar a gestão das finanças públicas mediante o fortalecimento do Ministério da Economia e Finanças (MEF) e de outros órgãos do governo central. Atividades de capacitação e assistência técnica reforçarão a capacidade do MEF para empreender o planejamento estratégico em política econômica, gasto público, investimento, ajuda externa e dívida; preparar e executar o orçamento nacional; coletar e analisar informações sobre fluxos de recursos; gerir a dívida interna e externa; verificar as informações contábeis e consolidar os demonstrativos financeiros. O apoio aos demais órgãos do governo enfocará a adoção de um programa de fortalecimento institucional centralizado para aumentar a eficiência e a eficácia em todos os aspectos da gestão de recursos públicos. A operação disponibilizará também serviços de consultoria e instalará computadores e programas de informática. HONDURAS Em 2002, o Banco aprovou sete empréstimos para Honduras. Acumulados, os 135 empréstimos somaram US$2,3 bilhões e os desembolsos totalizaram US$1.859 milhões. Modernização da administração de justiça (segunda etapa) (Empréstimo de US$30 milhões do FOE) Está em curso em Honduras um processo de fortalecimento das instituições jurídicas e judiciárias, a fim de consolidar o estado de direito e garantir a transparência e os padrões éticos da justiça. Este programa financiará a construção, em várias áreas do país, de dez novos prédios nos quais serão instalados tribunais de primeira instância, tribunais especializados e juizados de paz. As instalações OS EMPRÉSTIMOS NO ANO 69

20 existentes serão modernizadas para abrigar novas varas criminais especiais e salas de julgamento. O programa proporcionará assistência técnica, capacitação e equipamentos para proceder às reformas penais, eliminar o acúmulo de processos pendentes e fortalecer a Defensoria Pública. Para promover o profissionalismo nas investigações criminais, será fortalecida a capacidade de investigação do Ministério Público e dos órgãos de segurança. Serão instaladas redes informatizadas para melhorar a coordenação entre as instituições judiciais e o programa apoiará a legislação e o cumprimento de um novo Código de Processo Penal, a fim de institucionalizar um processo de reforma jurídica permanente e participativo. Projeto de água e esgoto de San Pedro Sula (Empréstimo de US$13,7 milhões do CO) Este empréstimo financiará um amplo programa qüinqüenal de investimentos para expandir e modernizar os serviços de água e esgoto em San Pedro Sula, importante centro industrial e segunda cidade de Honduras. O programa será executado por uma empresa privada, Aguas de San Pedro Sula de C.V, que recebeu da prefeitura a concessão para prestar esses serviços. O empréstimo financiará a construção de quatro estações de tratamento de água e melhorias nas estações existentes; a construção de uma rede coletora e de tanques de armazenamento; a instalação de medidores de água, equipamentos de bombeamento e hidrantes contra incêndios; a instalação de tubulações para incorporar sistemas isolados e em áreas que, segundo a previsão, crescerão no futuro;e reparos ou substituição de equipamentos em todo o sistema. A empresa responsável pelo projeto conta com investidores de várias importantes empresas italianas da área de água e esgoto. Programa de manejo ambiental das Ilhas da Bahía II (Empréstimo de US$12 milhões do FOE) As Islas de la Bahía compreendem três ilhas principais e mais de 60 ilhotas situadas a cerca de 50 km a leste do território de Honduras. O arquipélago constitui a base para a frota de pesca industrial do país e os recifes de coral circundantes representam uma importante atração turística. Esta operação fortalecerá o manejo dos recursos litorâneos e marinhos, expandirá os serviços de saneamento ambiental e melhorará o planejamento local do uso da terra. Será criado um sistema de taxas para financiar a proteção e a restauração de ecossistemas críticos. Os serviços de abastecimento de água potável, tratamento de águas servidas e manejo de resíduos sólidos serão ampliados para atender a residentes das ilhas de Utila, Guanja e Roatán. Por meio de assistência técnica, será fortalecida a capacidade municipal de operar e manter os serviços. Além disso, o programa assegurará títulos de propriedade a famílias de baixa renda e criará um moderno registro imobiliário ligado a quatro cadastros municipais. Programa de desenvolvimento municipal de San Pedro Sula (Fase II) (Empréstimo de US$9 milhões do FOE) Este programa de reformas, já em andamento, reestruturará a gestão financeira municipal para aumentar a eficiência e modernizar a prestação de serviços. Cobrindo uma série de serviços municipais, o programa complementará as reformas institucionais executadas em sua primeira fase. A assistência técnica facilitará os investimentos em transportes e a formulação de programas de manutenção de vias públicas e gestão de trânsito. Será construído um aterro sanitário e se contratará uma empresa privada para a coleta e manejo de detritos sólidos. Serão construídas moradias para cerca de beneficiários de baixa renda, ao mesmo tempo em que se criará modelos de reassentamento para populações em situação de risco. Para melhorar a administração, será implantado um sistema integrado de gestão financeira, complementado por serviços de informática. As reformas ambientais incluem ainda a elaboração de um plano de gestão para a bacia do Merendón e a intensificação das medidas para controlar o crescimento, com ênfase na participação do público. Fortalecimento institucional sustentável do setor viário (Empréstimo de US$7,6 milhões do FOE) Esta operação executará um projeto piloto de segurança em estradas e dará apoio a melhorias no planejamento, projeto, construção e manutenção de rodovias. O projeto piloto compreende a 70

Grupo Banco Mundial. Construindo um mundo sem pobreza

Grupo Banco Mundial. Construindo um mundo sem pobreza Grupo Banco Mundial Construindo um mundo sem pobreza Enfoque Regional! O Banco Mundial trabalha em seis grandes regiões do mundo: 2 Fatos Regionais: América Latina e Caribe (ALC)! População total: 500

Leia mais

Curso Agenda 21. Resumo da Agenda 21. Seção I - DIMENSÕES SOCIAIS E ECONÔMICAS

Curso Agenda 21. Resumo da Agenda 21. Seção I - DIMENSÕES SOCIAIS E ECONÔMICAS Resumo da Agenda 21 CAPÍTULO 1 - Preâmbulo Seção I - DIMENSÕES SOCIAIS E ECONÔMICAS CAPÍTULO 2 - Cooperação internacional para acelerar o desenvolvimento sustentável dos países em desenvolvimento e políticas

Leia mais

CAF: Um banco de desenvolvimento ao serviço da água na América Latina

CAF: Um banco de desenvolvimento ao serviço da água na América Latina CAF: Um banco de desenvolvimento ao serviço da água na América Latina Apoio financeiro e técnico no setor água O CAF apoia os esforços que os países da região realizam para garantir que toda a população

Leia mais

PLANO DE GOVERNO 2015-2018 EXPEDITO JÚNIOR....o futuro pode ser melhorado por uma intervenção ativa no presente. Russel Ackoff

PLANO DE GOVERNO 2015-2018 EXPEDITO JÚNIOR....o futuro pode ser melhorado por uma intervenção ativa no presente. Russel Ackoff PLANO DE GOVERNO 2015-2018 EXPEDITO JÚNIOR...o futuro pode ser melhorado por uma intervenção ativa no presente. Russel Ackoff Julho/2014 0 APRESENTAÇÃO Se fôssemos traduzir o Plano de Governo 2015-2018

Leia mais

WP Board No. 980/05 Rev. 1

WP Board No. 980/05 Rev. 1 WP Board No. 980/05 Rev. 1 International Coffee Organization Organización Internacional del Café Organização Internacional do Café Organisation Internationale du Café 12 janeiro 2006 Original: inglês Projetos/Fundo

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DOS ESTADOS AMERICANOS Conselho Interamericano de Desenvolvimento Integral (CIDI)

ORGANIZAÇÃO DOS ESTADOS AMERICANOS Conselho Interamericano de Desenvolvimento Integral (CIDI) - 1 - ORGANIZAÇÃO DOS ESTADOS AMERICANOS Conselho Interamericano de Desenvolvimento Integral (CIDI) ANEXO I PRIMEIRA REUNIÃO INTERAMERICANA DE MINISTROS OEA/Ser./XLIII.1 E ALTAS AUTORIDADES DE DESENVOLVIMENTO

Leia mais

ESTADO DO ACRE. Estado do Acre estabelece processos de inclusão social e econômica visando ao uso sustentável dos recursos naturais

ESTADO DO ACRE. Estado do Acre estabelece processos de inclusão social e econômica visando ao uso sustentável dos recursos naturais Estado do Acre estabelece processos de inclusão social e econômica visando ao uso sustentável dos recursos naturais Através da Política de Valorização do Ativo Ambiental Florestal e do Zoneamento Ecológico

Leia mais

Avaliação Ambiental Estratégica em Instituições Financeiras Multilaterais

Avaliação Ambiental Estratégica em Instituições Financeiras Multilaterais Avaliação Ambiental Estratégica em Instituições Financeiras Multilaterais Garo Batmanian Banco Mundial Seminário Latino Americano de Avaliação Ambiental Estratégica Brasília, 28 de agosto de 2006 Estratégia

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CRUZEIRO DO SUL PPA 2010/2013 CLASSIFICAÇÃO DOS PROGRAMAS E AÇÕES POR FUNÇÃO E SUBFUNÇÃO SUBFUNÇÃO PROGRAMA AÇÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CRUZEIRO DO SUL PPA 2010/2013 CLASSIFICAÇÃO DOS PROGRAMAS E AÇÕES POR FUNÇÃO E SUBFUNÇÃO SUBFUNÇÃO PROGRAMA AÇÃO FUNÇÃO: 01 - LEGISLATIVA 031 Ação Legislativa 0001 - Execução da Ação Legislativa Manutenção das Atividades Legislativas FUNÇÃO: 02 - JUDICIÁRIA 122 Administração Geral 0006 - Defesa Jurídica do Município

Leia mais

Como Economizar US$ 36 Bilhões em Eletricidade

Como Economizar US$ 36 Bilhões em Eletricidade Como Economizar US$ 36 Bilhões em Eletricidade (sem desligar as luzes) UMA PESQUISA SOBRE A PRODUTIVIDADE ENERGÉTICA NAS AMERICAS CONTINUE POR FAVOR 6 1,9 1 0,1 4 3 14 4 8 O Futuro Sem Eficiência Uma maneira

Leia mais

BANCO DA AMAZÔNIA. Seminário Programa ABC

BANCO DA AMAZÔNIA. Seminário Programa ABC BANCO DA AMAZÔNIA Seminário Programa ABC O BANCO DA AMAZÔNIA Missão Criar soluções para que a Amazônia atinja patamares inéditos de desenvolvimento sustentável a partir do empreendedorismo consciente.

Leia mais

X CONFERÊNCIA DE MINISTROS DA DEFESA DAS AMÉRICAS PUNTA DEL ESTE - REPÚBLICA ORIENTAL DO URUGUAI 8 A 10 DE OUTUBRO DE 2012

X CONFERÊNCIA DE MINISTROS DA DEFESA DAS AMÉRICAS PUNTA DEL ESTE - REPÚBLICA ORIENTAL DO URUGUAI 8 A 10 DE OUTUBRO DE 2012 X CONFERÊNCIA DE MINISTROS DA DEFESA DAS AMÉRICAS PUNTA DEL ESTE - REPÚBLICA ORIENTAL DO URUGUAI 8 A 10 DE OUTUBRO DE 2012 DECLARAÇÃO DE PUNTA DEL ESTE (10 de outubro de 2012) Os Ministros da Defesa e

Leia mais

Primeiro Ciclo 2004-2005 Formulário de inscrição

Primeiro Ciclo 2004-2005 Formulário de inscrição INICIATIVA DA CEPAL COM O APOIO DA FUNDAÇÃO W.K. KELLOGG Primeiro Ciclo 2004-2005 Formulário de inscrição Os formulários para a inscrição estão disponíveis na página web da CEPAL, www.cepal.cl, e na do

Leia mais

Sistemas integrados de tratamento e reciclagem de águas servidas na América Latina: realidade e potencial

Sistemas integrados de tratamento e reciclagem de águas servidas na América Latina: realidade e potencial Sistemas integrados de tratamento e reciclagem de águas servidas na América Latina: realidade e potencial Julio Moscoso Cavallini - jmoscoso@cepis.ops-oms.org Luis Egocheaga Young - legochea@cepis.ops-oms.org

Leia mais

Solidariedade - É uma empatia fundamental com as causas das famílias mais excluídas, que nos move a # querer estar e trabalhar junto com elas.

Solidariedade - É uma empatia fundamental com as causas das famílias mais excluídas, que nos move a # querer estar e trabalhar junto com elas. BRIEF COMERCIAL 2015 QUEM SOMOS TETO é uma organização presente na América Latina e no Caribe, que busca superar a situação de pobreza em que vivem milhões de pessoas nos assentamentos precários, através

Leia mais

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR SERVIÇOS. www.prochile.gob.cl

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR SERVIÇOS. www.prochile.gob.cl CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR SERVIÇOS www.prochile.gob.cl O Chile surpreende pela sua variada geografia. Suas montanhas, vales, desertos, florestas e milhares de quilômetros de costa, o beneficiam

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CRUZEIRO DO SUL PPA 2010/2013 CLASSIFICAÇÃO DOS PROGRAMAS E AÇÕES POR FUNÇÃO E SUBFUNÇÃO SUBFUNÇÃO PROGRAMA AÇÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CRUZEIRO DO SUL PPA 2010/2013 CLASSIFICAÇÃO DOS PROGRAMAS E AÇÕES POR FUNÇÃO E SUBFUNÇÃO SUBFUNÇÃO PROGRAMA AÇÃO FUNÇÃO: 01 - LEGISLATIVA 31 Ação Legislativa 0001- Execução da Ação Legislativa 2001 - Manutenção das Atividades Legislativas da Câmara Municipal FUNÇÃO: 02 - JUDICIÁRIA 122 Administração Geral 0006- Defesa

Leia mais

os empréstimos no ano

os empréstimos no ano os empréstimos no ano Beneficiárias de um projeto de nutrição financiado pelo BID em Georgetown, Guiana. Resumo Esta seção apresenta sumários por países, com breves descrições de empréstimos, operações

Leia mais

NOTA DE IMPRENSA. Embargado até 27/11/2007, às 10h (horário de Brasília) Aquecimento global vai ampliar as desigualdades na América Latina

NOTA DE IMPRENSA. Embargado até 27/11/2007, às 10h (horário de Brasília) Aquecimento global vai ampliar as desigualdades na América Latina NOTA DE IMPRENSA Embargado até 27/11/2007, às 10h (horário de Brasília) Aquecimento global vai ampliar as desigualdades na América Latina Relatório de desenvolvimento humano 2007/2008 estabelece o caminho

Leia mais

Distance to frontier

Distance to frontier Boletim Informativo do Doing Business 2013: América Latina e Caribe Das 50 economias que desde 2005 mais tiveram melhorias regulamentares para facilitar a prática de fazer negócios para empresas locais,

Leia mais

como captar, gerenciar e reportar

como captar, gerenciar e reportar Guia para projetos com financiamento externo: como captar, gerenciar e reportar A solução para que uma boa ideia saia do papel ou ainda, para que um problema encontre solução, pode estar em um financiamento

Leia mais

150 a SESSÃO DO COMITÊ EXECUTIVO

150 a SESSÃO DO COMITÊ EXECUTIVO ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE 150 a SESSÃO DO COMITÊ EXECUTIVO Washington, D.C., EUA, 18 22 de junho de 2012 Tema 4.10 da Agenda Provisória CE150/20, Rev. 1 (Port.) 23

Leia mais

BNB - Segmentação de Clientes

BNB - Segmentação de Clientes BNB - Segmentação de Clientes Grande Pirâmide dos Empreendedores (Formais ou Informais) FORMAL Médio Pequeno MICROEMPRESA INFORMAL EMPREENDEDOR URBANO EMPREENDEDOR RURAL SERVIÇO INDÚSTRIA COMÉRCIO ATIVIDADES

Leia mais

AGENDA 21 COMPERJ DESCRIÇÃO DO CAPÍTULO ESTÁGIO DESEJÁVEL ESTÁGIO PREOCUPAÇÕES POTENCIALIDADES AÇÕES

AGENDA 21 COMPERJ DESCRIÇÃO DO CAPÍTULO ESTÁGIO DESEJÁVEL ESTÁGIO PREOCUPAÇÕES POTENCIALIDADES AÇÕES DESCRIÇÃO DO CAPÍTULO ESTÁGIO PREOCUPAÇÕES POTENCIALIDADES ESTÁGIO DESEJÁVEL AÇÕES Capítulo 1: Integração das preocupações relativas ao meio ambiente e 3 O Conselho está inativo Pouca participação e articulação

Leia mais

LUIZ ROS Banco Interamericano de Desenvolvimento

LUIZ ROS Banco Interamericano de Desenvolvimento LUIZ ROS Banco Interamericano de Desenvolvimento A BASE DA PIRÂMIDE É DIFERENTE MUNDIALMENTE POR REGIÃO, POR SETOR MAS SEMPRE UM MERCADO ENORME UMA GRANDE OPORTUNIDADE Na América Latina há cerca de 400

Leia mais

aprovado no Foro de Ministros de Meio Ambiente (2004-2006) para 2005-2007.

aprovado no Foro de Ministros de Meio Ambiente (2004-2006) para 2005-2007. PROGRAMA LATINO-AMERICANO E CARIBENHO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL ACORDOS PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA ESTRATÉGIA DO PLACEA: 2005-2007 1 (DOCUMENTO EM VERSÃO PRELIMINAR) Introdução: Os especialistas em Gestão Pública

Leia mais

55% da população mundial vive em zonas rurais. 70% da população mundial muito pobre é rural. 1,4 bilhão vive com menos de U$ 1,25/ dia

55% da população mundial vive em zonas rurais. 70% da população mundial muito pobre é rural. 1,4 bilhão vive com menos de U$ 1,25/ dia A pobreza rural 55% da população mundial vive em zonas rurais 70% da população mundial muito pobre é rural 1,4 bilhão vive com menos de U$ 1,25/ dia 1,0 bilhão passa fome 80% dos lugares mais pobres dependem

Leia mais

Finpyme ExportPlus dá assistência para PMEs aumentarem capacidade de exportação

Finpyme ExportPlus dá assistência para PMEs aumentarem capacidade de exportação Finpyme ExportPlus dá assistência para PMEs aumentarem capacidade de exportação Como tem sido mostrado nos números recentes da Carta Mensal INTAL, as PMEs na América Latina e no Caribe enfrentam diversos

Leia mais

Programas e Ações VALOR DO PROGRAMA NO ANO 2016 2017 2018 2019 ORÇAMENTO FISCAL 131.747.455 6.000 6.000 6.000

Programas e Ações VALOR DO PROGRAMA NO ANO 2016 2017 2018 2019 ORÇAMENTO FISCAL 131.747.455 6.000 6.000 6.000 PROGRAMA : 016 - DESENVOLVIMENTO DA INFRAESTRUTURA GOVERNAMENTAL PROGRAMA : UNISSETORIAL EIXO : INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA UNIDADE RESPONSÁVEL : OBJETIVO DO PROGRAMA : 2141 - DEPARTAMENTO DE OBRAS PÚBLICAS

Leia mais

Projetos de desenvolvimento sustentável no Brasil : o caso do Programa Piloto

Projetos de desenvolvimento sustentável no Brasil : o caso do Programa Piloto Projetos de desenvolvimento sustentável no Brasil : o caso do Programa Piloto Desde 1987, após a publicação do relatório da Comissão das Nações Unidas para o Me i o Ambiente e o Desenvolvimento, o termo

Leia mais

ANEXO IX - DEMONSTRATIVO VII METAS E PRIORIDADES - COMPATIBILIZAÇÃO DA LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS COM O PLANO PLURIANUAL

ANEXO IX - DEMONSTRATIVO VII METAS E PRIORIDADES - COMPATIBILIZAÇÃO DA LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS COM O PLANO PLURIANUAL METAS E PRIORIDADES - COMPATIBILIZ DA LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS COM O PLANO PLURIANUAL TÍTULO PRODUTO TIPO DE META 2013 2001 Administração Legislativa Serviços Realizados ORÇAMENTÁRIA 95% 0001 GESTÃO

Leia mais

Referência na gestão otimizada de recursos na América Latina

Referência na gestão otimizada de recursos na América Latina Referência na gestão otimizada de recursos na Renovando o mundo O mundo desenvolve-se e necessita de novos recursos: recursos naturais, econômicos e humanos. A nossa contribuição consiste em conceber e

Leia mais

A IFC na América Latina e no Caribe CRIANDO OPORTUNIDADES

A IFC na América Latina e no Caribe CRIANDO OPORTUNIDADES A IFC na América Latina e no Caribe CRIANDO OPORTUNIDADES IFC: Sua Parceira no Investimento Sustentável A IFC, membro do Grupo Banco Mundial, é a principal instituição global de desenvolvimento dedicada

Leia mais

Programa de Reabilitação de Áreas Urbanas Centrais. Secretaria Nacional de Programas Urbanos

Programa de Reabilitação de Áreas Urbanas Centrais. Secretaria Nacional de Programas Urbanos Programa de Reabilitação de Áreas Urbanas Centrais Secretaria Nacional de Programas Urbanos CONCEITOS Área Urbana Central Bairro ou um conjunto de bairros consolidados com significativo acervo edificado

Leia mais

Desenvolvimento Agrícola e Meio Ambiente

Desenvolvimento Agrícola e Meio Ambiente p Relatório Consulta Pública Região Sudeste Oficinas 274 pessoas se credenciaram para participar das oficinas na cidade de Natividade. Foi solicitado à elas que elencassem as demandas e problemas regionais.

Leia mais

SEMIPRESENCIAL DISCIPLINA: MEIO AMBIENTE E QUALIDADE DE VIDA MATERIAL COMPLEMENTAR UNIDADE I PROFESSOR: EDUARDO PACHECO

SEMIPRESENCIAL DISCIPLINA: MEIO AMBIENTE E QUALIDADE DE VIDA MATERIAL COMPLEMENTAR UNIDADE I PROFESSOR: EDUARDO PACHECO SEMIPRESENCIAL DISCIPLINA: MEIO AMBIENTE E QUALIDADE DE VIDA MATERIAL COMPLEMENTAR UNIDADE I PROFESSOR: EDUARDO PACHECO 2 - Marco político, normativo e de contexto nacional 2.1 - Marco político atual para

Leia mais

(Do Sr. Wellington Fagundes) Art. 1º Esta Lei institui a Política Nacional de Bens e Serviços Ambientais e Ecossistêmicos PNBSAE.

(Do Sr. Wellington Fagundes) Art. 1º Esta Lei institui a Política Nacional de Bens e Serviços Ambientais e Ecossistêmicos PNBSAE. PROJETO DE LEI N o, DE 2011 (Do Sr. Wellington Fagundes) Institui a Política Nacional de Bens e Serviços Ambientais e Ecossistêmicos PNBASAE, e dá outras providências. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art.

Leia mais

ANEXO VI 3583 REAPARELHAMENTO, ATUALIZAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO TECNOLÓGICO DOS POSTOS ADUANEIROS 2247 SISTEMA INTEGRADO DE COMÉRCIO EXTERIOR- SISCOMEX

ANEXO VI 3583 REAPARELHAMENTO, ATUALIZAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO TECNOLÓGICO DOS POSTOS ADUANEIROS 2247 SISTEMA INTEGRADO DE COMÉRCIO EXTERIOR- SISCOMEX PROGRAMA: 0910 ADEQUAÇÃO DE RODOVIAS FEDERAIS 5850 ADEQUAÇÃO DE RODOVIAS FEDERAIS 5851 ADEQUAÇÃO DE TRECHOS RODOVIÁRIOS NA REGIÃO SUDESTE 5868 ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE CAPACIDADE DE RODOVIAS PROGRAMA:

Leia mais

Banco Interamericano de Desenvolvimento CICLO DE PROJETOS. Representação no Brasil Setor Fiduciário

Banco Interamericano de Desenvolvimento CICLO DE PROJETOS. Representação no Brasil Setor Fiduciário Banco Interamericano de Desenvolvimento CICLO DE PROJETOS Representação no Brasil Setor Fiduciário Ciclo de projetos Cada projeto financiado pelo BID passa por uma série de etapas principalmente as de

Leia mais

Solidariedade - É uma empatia fundamental com as causas das famílias mais excluídas, que nos move a # querer estar e trabalhar junto com elas.

Solidariedade - É uma empatia fundamental com as causas das famílias mais excluídas, que nos move a # querer estar e trabalhar junto com elas. BRIEF INSTITUCIONAL 2015 QUEM SOMOS TETO é uma organização presente na América Latina e no Caribe, que busca superar a situação de pobreza em que vivem milhões de pessoas nos assentamentos precários, através

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2013

Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Volume 40 Ano base 2012 Guia de leitura Guia de leitura O Guia de Leitura tem o propósito de orientar

Leia mais

SÍNTESE DA COMPATIBILIZAÇÃO E ARTICULAÇÃO

SÍNTESE DA COMPATIBILIZAÇÃO E ARTICULAÇÃO SÍNTESE DA COMPATIBILIZAÇÃO E ARTICULAÇÃO Esta síntese objetiva apresentar de forma resumida o que foi produzido na fase B do plano de bacia, permitindo uma rápida leitura das principais informações sobre

Leia mais

Código Especificação Fiscal Seg.Social Investimentos Total

Código Especificação Fiscal Seg.Social Investimentos Total 100 Fortalecimento da Atuação Legislativa 8.475.000 8.475.000 101 Fortalecimento do Controle Externo Estadual 80.649.880 80.649.880 102 Fortalecimento do Controle Externo Municipal 3.245.000 3.245.000

Leia mais

Planejamento da fiscalização no TCU. Um novo paradigma em prática

Planejamento da fiscalização no TCU. Um novo paradigma em prática Planejamento da fiscalização no TCU Um novo paradigma em prática Competências do TCU(art. 70 e 71 da CF) Art. 70 - A fiscalização contábil, financeira, orçamentária, operacional e patrimonial da União

Leia mais

BANGLADESH E O SEU BANCO COMUNITÁRIO Carlos Daniel Baioto*

BANGLADESH E O SEU BANCO COMUNITÁRIO Carlos Daniel Baioto* BANGLADESH E O SEU BANCO COMUNITÁRIO Carlos Daniel Baioto* *Carlos Daniel Baioto é professor de pós-graduação em gestão cooperativa na Unisinos, São Leopoldo, RS. É consultor nas áreas de projetos de tecnologias

Leia mais

Programa de Capacitação em RPP- Relação Público Privadas

Programa de Capacitação em RPP- Relação Público Privadas Programa de Capacitação em RPP- Relação Público Privadas O que é o BID Organismo multilateral de desenvolvimento que tem como propósito financiar projetos viáveis de desenvolvimento econômico, social e

Leia mais

alimentos para o brasil APRESENTAÇÃO

alimentos para o brasil APRESENTAÇÃO 2014-2015 alimentos para o brasil APRESENTAÇÃO O Plano Safra da Agricultura Familiar 2014/2015 Alimentos Para o Brasil vem consolidar mais de uma década de políticas públicas que melhoram a vida de quem

Leia mais

INVESTIMENTOS, ABORDAGENS E ESFORÇOS COMUNS NO SANEAMENTO RURAL

INVESTIMENTOS, ABORDAGENS E ESFORÇOS COMUNS NO SANEAMENTO RURAL VI SEMINÁRIO NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL I ENCONTRO LATINO-AMERICANO DE SANEAMENTO RURAL INVESTIMENTOS, ABORDAGENS E ESFORÇOS COMUNS NO SANEAMENTO RURAL Ernani Ciríaco de Miranda Diretor SNSA/MCIDADES

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BETÂNIA Estado de Pernambuco LEI Nº 636 /2012 DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS 2013 Anexo de Prioridades e Metas ( Sintético )

PREFEITURA MUNICIPAL DE BETÂNIA Estado de Pernambuco LEI Nº 636 /2012 DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS 2013 Anexo de Prioridades e Metas ( Sintético ) Anexo de Prioridades e s ( Sintético ) s Processo Legislativo Administração Legislativa Planejamento Governamental Gestão Política Administrativa Suporte Administrativo Garantir o exercício da função legislativa

Leia mais

III CONGRESSO BRASILEIRO DO CACAU: INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E SUSTENTABILIDADE

III CONGRESSO BRASILEIRO DO CACAU: INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E SUSTENTABILIDADE III CONGRESSO BRASILEIRO DO CACAU: INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E SUSTENTABILIDADE Painel 8: O papel de Instituições Públicas para Desenvolvimento da Cacauicultura Brasileira O Cacau e a Agricultura Familiar Adriana

Leia mais

Integração produtiva e cooperação industrial: LEONARDO SANTANA

Integração produtiva e cooperação industrial: LEONARDO SANTANA Integração produtiva e cooperação industrial: a experiência da ABDI LEONARDO SANTANA Montevidéu, 15 de julho de 2009 Roteiro da Apresentação 1. Política de Desenvolvimento Produtivo PDP 2. Integração Produtiva

Leia mais

Curso de Gestão de Águas Pluviais

Curso de Gestão de Águas Pluviais Curso de Gestão de Águas Pluviais Capítulo 4 Prof. Carlos E. M. Tucci Prof. Dr. Carlos E. M. Tucci Ministério das Cidades 1 Capítulo 4 Gestão Integrada Conceito Marcos Mundiais, Tendência e Estágio Institucional

Leia mais

Concessão Rodoviária Estadual Trecho Litoral Norte

Concessão Rodoviária Estadual Trecho Litoral Norte Concessão Rodoviária Estadual Trecho Litoral Norte Descrição Concessão à iniciativa privada dos principais eixos rodoviários de acesso ao litoral norte de Alagoas, visando a melhoria operacional, manutenção,

Leia mais

como instrumento de desenvolvimento

como instrumento de desenvolvimento OPINIÃO DOS ATORES Microcrédito como instrumento de desenvolvimento econômico e social Rita Valente* 1. Introdução A experiência do Banco do Nordeste com o programa de crédito popular CrediAmigo, implementado

Leia mais

EIXOS ESTRATÉGICOS E PROGRAMAS/PROJETOS MEIO AMBIENTE

EIXOS ESTRATÉGICOS E PROGRAMAS/PROJETOS MEIO AMBIENTE EIXOS ESTRATÉGICOS E PROGRAMAS/PROJETOS MEIO AMBIENTE 1. FORTALECIMENTO DO SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL Fortalecer os órgãos de controle ambiental; Articular os instrumentos de incentivos, fomento com os

Leia mais

alimentos para o brasil APRESENTAÇÃO

alimentos para o brasil APRESENTAÇÃO 2014-2015 APRESENTAÇÃO O Plano Safra da Agricultura Familiar 2014/2015 Alimentos Para o Brasil vem consolidar mais de uma década de políticas públicas que melhoram a vida de quem vive no Brasil Rural.

Leia mais

A importância do crédito para as pequenas e médias empresas. Condicionantes da oferta de crédito

A importância do crédito para as pequenas e médias empresas. Condicionantes da oferta de crédito A importância do crédito para as pequenas e médias empresas Condicionantes da oferta de crédito Distribuição de empresas por porte MICRO PEQUENA MÉDIA GRANDE 0,4% 0,7% 6,2% Micro e Pequenas empresas 98,9%

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2012

Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Volume 39 Ano base 2011 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2010-2011

Leia mais

Políticas públicas para a Faixa de Fronteira. Marcus Vinicius Rego Gerente Nacional Gerência Nacional de Segmentos

Políticas públicas para a Faixa de Fronteira. Marcus Vinicius Rego Gerente Nacional Gerência Nacional de Segmentos Políticas públicas para a Faixa de Fronteira Marcus Vinicius Rego Gerente Nacional Gerência Nacional de Segmentos Fonte: Rel. Administração 2011 153 Anos de existência 71,7 milhões de clientes 67,5 mil

Leia mais

BDMG. Semana Mineira de Redução de Resíduos. Instrumentos Financeiros para Redução de Resíduos

BDMG. Semana Mineira de Redução de Resíduos. Instrumentos Financeiros para Redução de Resíduos BDMG Semana Mineira de Redução de Resíduos Instrumentos Financeiros para Redução de Resíduos Novembro de 2010 BDMG Desenvolvimento, inclusão social e sustentabilidade Perfil do BDMG Fundação: Lei Estadual

Leia mais

Legislação Territorial Agenda 21. Alunos: Allan Gomes Murian Rafael Di Cicco Clauber Rogério da Costa Leandro Benicio de Souza

Legislação Territorial Agenda 21. Alunos: Allan Gomes Murian Rafael Di Cicco Clauber Rogério da Costa Leandro Benicio de Souza Legislação Territorial Agenda 21 Alunos: Allan Gomes Murian Rafael Di Cicco Clauber Rogério da Costa Leandro Benicio de Souza O que é Agenda 21? Agenda 21 é um conjunto de resoluções tomadas Eco-92, que

Leia mais

PODER EXECUTIVO - PROGRAMAS ESTRUTURADORES PLANO PLURIANUAL - 2010/2013 - Lei 6.716, de 22 de dezembro de 2010.

PODER EXECUTIVO - PROGRAMAS ESTRUTURADORES PLANO PLURIANUAL - 2010/2013 - Lei 6.716, de 22 de dezembro de 2010. 2001 Administração Legislativa Serviços Realizados Percentual 95% 0001 GESTÃO LEGISLATIVA E CIDADANIA 2002 Processamento Legislativo Ações Realizadas Percentual 95% 2003 Modernização Administrativa Gestão

Leia mais

FOME ZERO. O papel do Brasil na luta global contra a fome e a pobreza

FOME ZERO. O papel do Brasil na luta global contra a fome e a pobreza FOME ZERO O papel do Brasil na luta global contra a fome e a pobreza Seminário Internacional sobre Seguro de Emergência e Seguro Agrícola Porto Alegre, RS -- Brasil 29 de junho a 2 de julho de 2005 Alguns

Leia mais

A Economia da América Latina

A Economia da América Latina A Economia da América Latina adsense1 Agricultura A agricultura de subsistência era a principal atividade econômica dos povos originais da América Latina, Essa atividade era complementada pela caça, pela

Leia mais

Construindo governos efetivos

Construindo governos efetivos Construindo governos efetivos Sucessos e desafios da gestão pública para resultados na América Latina e no Caribe Resumo executivo EDITORES Jorge Kaufmann, Mario Sanginés, Mauricio García Moreno Construindo

Leia mais

O BID E A AGRICULTURA NA ALC - Financiando oportunidades para o desenvolvimento do setor cafeeiro

O BID E A AGRICULTURA NA ALC - Financiando oportunidades para o desenvolvimento do setor cafeeiro O BID E A AGRICULTURA NA ALC - Financiando oportunidades para o desenvolvimento do setor cafeeiro 4.º Fórum Consultivo da Organização Internacional do Café (OIC) Londres, Reino Unido, 23 de setembro de

Leia mais

PLANO MESTRE DE INVESTIMENTO DE CAPITAL

PLANO MESTRE DE INVESTIMENTO DE CAPITAL CD50/INF/8, Rev. 1 (Port.) Anexo B - 14 - B PLANO MESTRE DE INVESTIMENTO DE CAPITAL Relatório periódico sobre a implantação do Plano Mestre de Investimento de Capital Introdução 1. Este documento resume

Leia mais

Plataforma Ambiental para o Brasil

Plataforma Ambiental para o Brasil Plataforma Ambiental para o Brasil A Plataforma Ambiental para o Brasil é uma iniciativa da Fundação SOS Mata Atlântica e traz os princípios básicos e alguns dos temas que deverão ser enfrentados na próxima

Leia mais

Banco Público Federal com Departamento Especializado em Microcrédito

Banco Público Federal com Departamento Especializado em Microcrédito Banco Público Federal com Departamento Especializado em Microcrédito CREDIAMIGO - A experiência de Microfinanças do Banco do Nordeste II Encontro Internacional sobre regulação e supervisão em Microfinanças

Leia mais

A decolagem do turismo

A decolagem do turismo A decolagem do turismo OBrasil sempre foi considerado detentor de um enorme potencial turístico. Em 1994, no entanto, o país recebeu menos de 2 milhões de turistas internacionais, um contingente que, na

Leia mais

O BADESUL Agência de Desenvolvimento, controlada pelo Governo Estadual, integra Sistema

O BADESUL Agência de Desenvolvimento, controlada pelo Governo Estadual, integra Sistema O BADESUL Agência de Desenvolvimento, controlada pelo Governo Estadual, integra o Sistema de Desenvolvimento do Estado coordenado pela Secretaria de Desenvolvimento e Promoção do Investimento SDPI. Tem

Leia mais

PREFEITURA DE XINGUARA

PREFEITURA DE XINGUARA 50/000-20 Anexo IV - Programas, Metas e Ações - (PPA Inicial) Página de 5 Programa: 000 AÇÃO LEGISLATIVA Manutenção da CMX através do apoio financeiro às atividades legislativas, custeio de despesas administrativas,

Leia mais

TRATADO SOBRE AGRICULTURA SUSTENTÁVEL PREÂMBULO

TRATADO SOBRE AGRICULTURA SUSTENTÁVEL PREÂMBULO [25] TRATADO SOBRE AGRICULTURA SUSTENTÁVEL PREÂMBULO Entendendo que: 1. O sistema sócio-econômico e político internacionalmente dominante, ao qual se articula o modelo industrial de produção agrícola e

Leia mais

SINDICATO DOS BANCÁRIOS DE BRASÍLIA PÚBLICA

SINDICATO DOS BANCÁRIOS DE BRASÍLIA PÚBLICA SINDICATO DOS BANCÁRIOS DE BRASÍLIA PÚBLICA 2 Caixa, patrimônio dos brasileiros. Caixa 100% pública! O processo de abertura do capital da Caixa Econômica Federal não interessa aos trabalhadores e à população

Leia mais

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR INDÚSTRIAS. www.prochile.gob.cl

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR INDÚSTRIAS. www.prochile.gob.cl CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR INDÚSTRIAS www.prochile.gob.cl O Chile surpreende pela sua variada geografia. Suas montanhas, vales, desertos, florestas e milhares de quilômetros de costa, o beneficiam

Leia mais

Easy PDF Creator is professional software to create PDF. If you wish to remove this line, buy it now.

Easy PDF Creator is professional software to create PDF. If you wish to remove this line, buy it now. PROGRAMA : ADMINISTRAÇÃO GERAL OBJETIVO : Manter as atividades administrativas e operacionais dos órgãos para melhoria da prestação de serviços ao público Valores (R$ 1,00) 2006 11.700,000 Manutenção das

Leia mais

Orçamento ANEXO III ORÇAMENTO DE INVESTIMENTO DAS EMPRESAS CONTROLADAS PELO ESTADO

Orçamento ANEXO III ORÇAMENTO DE INVESTIMENTO DAS EMPRESAS CONTROLADAS PELO ESTADO Governo do Estado de Minas Gerais Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão Subsecretaria de Planejamento, Orçamento e Qualidade do Gasto Superintendência Central de Planejamento e Programação Orçamentária

Leia mais

Acordo-Quadro de Associação entre o MERCOSUL e a República do Suriname

Acordo-Quadro de Associação entre o MERCOSUL e a República do Suriname Acordo-Quadro de Associação entre o MERCOSUL e a República do Suriname A República Argentina, a República Federativa do Brasil, a República do Paraguai, a República Oriental do Uruguai, a República Bolivariana

Leia mais

CONTROLE EXTERNO GOVERNANÇA A E DESENVOLVIMENTO

CONTROLE EXTERNO GOVERNANÇA A E DESENVOLVIMENTO CONTROLE EXTERNO GOVERNANÇA A E DESENVOLVIMENTO Evento Tá na Mesa Federasul Federação das Associações Comerciais e de Serviços do Rio Grande do Sul Ministro João Augusto Ribeiro Nardes Presidente do TCU

Leia mais

SÍNTESE JUINA. Meio Ambiente

SÍNTESE JUINA. Meio Ambiente SÍNTESE JUINA Aperfeiçoar mecanismos controle ambiental Meio Ambiente Instalação de viveiros de distribuição de mudas para o reflorestamento e matas ciliares Ampliar aceso aos programas de crédito de Capacitar

Leia mais

Uma nova geração de transformação rural

Uma nova geração de transformação rural FIDA/Carla Francescutti Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola Escritório Conjunto das Nações Unidas Elevador Lacerda, Praça Municipal Thomé de Souza Salvador, Brasil Telefone: +55 71 3183 5714

Leia mais

Nome da operação. Região País Setor. Número da operação Instrumento de crédito Mutuário(s) Entidade executora

Nome da operação. Região País Setor. Número da operação Instrumento de crédito Mutuário(s) Entidade executora Nome da operação Região País Setor DOCUMENTO DE INFORMAÇÃO DO PROGRAMA (PID) ETAPA CONCEITUAL Relatório nº: AB7437 (O número do relatório é gerado automaticamente pelo IDU e não

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ANDRE

ESTADO DA PARAÍBA PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ANDRE LEI Nº 354/2014 Dispõe sobre a Política Municipal de Saneamento Básico, cria o Conselho Municipal de Saneamento Básico e o Fundo Municipal de Saneamento de Básico, e dá outras providências. A Prefeita

Leia mais

ORINDIÚVA OBRAS E AÇÕES - GESTÃO 2011-2014

ORINDIÚVA OBRAS E AÇÕES - GESTÃO 2011-2014 ORINDIÚVA OBRAS E AÇÕES - GESTÃO 2011-2014 CULTURA: Pólo do Projeto Guri: O Projeto Guri tem como objetivo resgatar a auto-estima dos adolescentes, utilizando a música como agente transformador. Pólo Rua

Leia mais

ESTADO DO ACRE MUNICÍPIO DE SANTA ROSA DO PURUS LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIA

ESTADO DO ACRE MUNICÍPIO DE SANTA ROSA DO PURUS LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIA Lei nº 010/2015 DE 28 DE OUTUBRO DE 2015. Dispõe sobre as Diretrizes Orçamentárias para o Exercício Financeiro de 2016 e dá outras providencias. O Prefeito Municipal de Santa Rosa do Purus, Estado do Acre,

Leia mais

MINISTERIO DO MEIO AMBIENTE DEPARTAMENTO DE FLORESTAS

MINISTERIO DO MEIO AMBIENTE DEPARTAMENTO DE FLORESTAS MINISTERIO DO MEIO AMBIENTE DEPARTAMENTO DE FLORESTAS Referência: Agenda para a criação de instrumentos de financiamentos e crédito para o setor florestal Interessado: DFLOR/SBF/MMA. 1. ANTECEDENTES: O

Leia mais

ROSÁRIO MARQUES Internacionalizar para a Colômbia Encontro Empresarial GUIMARÃES 19/09/2014

ROSÁRIO MARQUES Internacionalizar para a Colômbia Encontro Empresarial GUIMARÃES 19/09/2014 ROSÁRIO MARQUES Internacionalizar para a Colômbia Encontro Empresarial GUIMARÃES 19/09/2014 REPÚBLICA DA COLÔMBIA POPULAÇÃO 48 Milhões SUPERFÍCIE 1.141.748 Km2 CAPITAL Bogotá 7,3 milhões PRINCIPAIS CIDADES

Leia mais

SÍNTESE BARRA DO GARÇAS RP IV

SÍNTESE BARRA DO GARÇAS RP IV SÍNTESE BARRA DO GARÇAS RP IV Realizar projetos para destinação de resíduos sólidos * Meio Ambiente Desenvolver programas de educação ambiental Apresentar pequenos e médios projetos de recuperação (seqüestro

Leia mais

Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste

Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste O que é FCO? O Fundo de Financiamento do Centro-Oeste (FCO) é um fundo de crédito criado pela Constituição Federal de 1988 com o objetivo de promover

Leia mais

Sistema de Incentivos para a Competitividade Empresarial

Sistema de Incentivos para a Competitividade Empresarial Sistema de Incentivos para a Competitividade Empresarial COMPETIR + O Sistema de Incentivos para a Competitividade Empresarial tem por objetivo promover o desenvolvimento sustentável da economia regional,

Leia mais

Rumo a um Mundo Verde, Limpo e Resiliente para Todos

Rumo a um Mundo Verde, Limpo e Resiliente para Todos 80483 Rumo a um Mundo Verde, Limpo e Resiliente para Todos Estratégia Ambiental do Grupo do Banco Mundial 2012 2022 THE WORLD BANK ii Rumo a um Mundo Verde, Limpo e Resiliente para Todos Resumo Executivo

Leia mais

ESTRATÉGIA ECONÔMICA LEAPFROG DO SÉCULO XXI: O RIO GRANDE DO SUL TORNA-SE O LUGAR MAIS SUSTENTÁVEL E INOVADOR DA AMÉRICA LATINA ATÉ 2030

ESTRATÉGIA ECONÔMICA LEAPFROG DO SÉCULO XXI: O RIO GRANDE DO SUL TORNA-SE O LUGAR MAIS SUSTENTÁVEL E INOVADOR DA AMÉRICA LATINA ATÉ 2030 ESTRATÉGIA ECONÔMICA LEAPFROG DO SÉCULO XXI: O RIO GRANDE DO SUL TORNA-SE O LUGAR MAIS SUSTENTÁVEL E INOVADOR DA AMÉRICA LATINA ATÉ 2030 Um relatório para o Governo do Estado do Rio Grande Sul (AGDI) e

Leia mais

A CÂMARA MUNICIPAL DE CAIAPÔNIA, ESTADO DE GOIÁS, APROVA E EU, PREFEITO MUNICIPAL, SANCIONO A SEGUINTE LEI: TÍTULO II DISPOSIÇÕES GERAIS

A CÂMARA MUNICIPAL DE CAIAPÔNIA, ESTADO DE GOIÁS, APROVA E EU, PREFEITO MUNICIPAL, SANCIONO A SEGUINTE LEI: TÍTULO II DISPOSIÇÕES GERAIS LEI N o 1.633 DE 14 DE JANEIRO DE 2013. DEFINE A NOVA ESTRUTURA ADMINISTRATIVA DO MUNICÍPIO DE CAIAPÔNIA E DETERMINA OUTRAS PROVIDÊNCIAS A CÂMARA MUNICIPAL DE CAIAPÔNIA, ESTADO DE GOIÁS, APROVA E EU, PREFEITO

Leia mais

Departamento de Geração de Renda e

Departamento de Geração de Renda e Departamento de Geração de Renda e Agregação de Valor - DGRAV ESTRUTURA DO MDA Gabinete do Ministro Secretaria Executiva Secretaria da Agricultura Familiar SAF Secretaria de Reordenamento Agrário - SRA

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2014

PROJETO DE LEI Nº, DE 2014 PROJETO DE LEI Nº, DE 2014 (Do Sr. Geraldo Resende) Estabelece a Política Nacional de Captação, Armazenamento e Aproveitamento de Águas Pluviais e define normas gerais para sua promoção. O Congresso Nacional

Leia mais

Oportunidade de Investimento no Pará. Principais linhas de financiamento do Banco da Amazônia

Oportunidade de Investimento no Pará. Principais linhas de financiamento do Banco da Amazônia Seminário: Oportunidade de Investimento no Pará Palestra: Principais linhas de financiamento do Banco da Amazônia Palestrante: Valmir Pedro Rossi - Presidente São Paulo, 02 de dezembro de 2013 Pauta da

Leia mais