movimento & saúde REVISTAINSPIRAR Volume 3 Número 5 Supl. 1 setembro/outubro de 2011

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "movimento & saúde REVISTAINSPIRAR Volume 3 Número 5 Supl. 1 setembro/outubro de 2011"

Transcrição

1 R454 Revista Eletrônica Inspirar [recurso eletrônico] - Curitiba: Faculdade Inspirar, Bimestral, v. 3, n. 5, supl. 1, set/out ISSN X Modo de acesso: 1. Saúde - Periódicos. CDD 610 CDU 614 Página - 1

2 REVISTAINSPIRAR movimento & saúde A REVISTA A Revista Eletrônica da Inspirar é um periódico de acesso aberto, gratuito e bimestral, destinado à divulgação arbitrada da produção científica na área de Ciências da Saúde, de autores brasileiros e de outros, contribuindo, desta forma, para o crescimento e desenvolvimento da produção científica. MISSÃO Publicação de artigos científicos que contribuam para a expansão do conhecimento da área da saúde, baseados em princípios éticos. OBJETIVO Propiciar meios de socialização do conhecimento construído, tendo em vista o estimulo à investigação científica e ao debate acadêmico. Página - 2

3 CONSELHO EDITORIAL Alexandre Ricardo Pepe Ambrozin SP Alonso Romero Fuentes Filho SC Álvaro Luiz Perseke Wolf PR Ana Francisca Kleiner-SP Ana Paula Rodrigues - PR Andrea Cristiane Janz Moreira - RS César Antonio Luchesa PR Dulce Satori-SP Eduardo Ferro - SP Eliana Portella Carzino PR Evelise Guimarães da Silva SP Fabiana Carvalho-PR Fernando Henrique de Sousa - SP Janaina Medeiros de Souza SC Janaina Vall - PR Juliana Viana Paris -S P Karina Brongholi SC Lidiane Isabel Filippin RS Marcelo Zager SC Maria Aparecida Rapozo Araldi PR Maria de Fátima Fernandes Sípoli PR Marcos Claudio Signorelli- PR Nelson Francisco Serrão Junior SP Patricia Hommerding-RS Paulo José Oliveira Cortez - SP Rafael Vercelino - SP Renata Campos - SC Sheila Schneiberg - CE Sibele Melo PR Silvio Assis de Oliveira Junior MS Telma Cerqueira - SE Vanessa Fogaça -PR EDITORES Prof. Dr. Esperidião Elias Aquim - PR Prof. MSc. Marcelo Márcio Xavier - PR COORDENAÇÃO EDITORIAL Prof. Dra. Angélica Lodovico - EDITORAÇÃO ELETRÔNICA Camila Piaskowski Jacomel - INFORMAÇÕES PARA PUBLICAÇÃO DE ARTIGOS Todo o material a ser publicado deve ser submetido online através do site: I.P. (Informação Publicitária): As informações são de responsabilidade dos anunciantes. Faculdade Inspirar - Nenhuma parte dessa publicação pode ser reproduzida, arquivada ou distribuída por qualquer meio, eletrônico, mecânico, fotocópia ou outro, sem a permissão escrita do proprietário do copyright Inspirar. O editor não assume qualquer responsabilidade por eventual prejuízo a pessoas ou propriedades ligado à confiabilidade dos produtos, métodos, instruções ou idéias expostas no material publicado. Apesar de todo o material publicitário estar em conformidade com os padrões de ética da saúde, sua inserção na revista não é uma garantia ou endosso da qualidade ou valor do produto ou das asserções de seu fabricante. Página - 3

4 REVISTAINSPIRAR movimento & saúde AGRADECIMENTO LISTA DE ORGANIZADORES DO PULMONARE 2011 Diretoria Presidente - Dra. Dyély de Carvalho Oliveira Campos Vice - Presidente -Dr. Fernando Henrique do Amaral Barbieri Direção - William Felipe Alves Uchoa Membro da Comissão Científica - Geísa Ferreira Gomes Coordenação de Estrutura William Felipe Alves Uchoa Tesoureira Dra. Dyély de Carvalho Oliveira Campos Secretário Dr. Fernando Henrique do Amaral Barbieri Comissão de Divulgação Dra. Ana Karoline Soares Ferreira Bruna Guerra Igor Mariano Sousa Sales Joyce Suyane Andrade de Sousa Laline Mendonça Sampaio Silva Giannine Nunes da Silveira Sávio Sousa de Sabóia Vera Lúcia Lima e Silva Yara Pessoa Soares Comissão Científica Dra. Raimunda Hermelinda Maia Macena Dr. Thiago Brasileiro de Vasconcelos Geísa Ferreira Gomes Página - 4

5 PROGRAMAÇÃO - PULMONARE /11/ SEXTA - FEIRA 19:00h Entrega de Material 20:00-21:00h Mesa da Abertura A Importância da Equipe Interdisciplinar 21:00h Coquetel de Receptivo 12/11/11 SÁBADO 8:00-08:30h Palestra 1: Abertura: Dr. Hélio Pio Tema: O Coração da Mulher Segue com Palestras 12:00-13:30h ALMOÇO 13:30 as 17:00h Segue com Palestras 08:00h - Palestra 1 Segue com Palestras 12:00-13:30h ALMOÇO 13:30h Segue com Palestras 16:30-17:00h Encerramento 13/11/11 DOMINGO Página - 5

6 REVISTAINSPIRAR movimento & saúde SUMÁRIO AGRADECIMENTO...4 PROGRAMAÇÃO - PULMONARE RESUMO DOS TRABALHOS POSTER (P)...9 P01 - AVALIAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DOS PADRÕES RESPIRATÓRIOS ASSO- CIADOS À ESPIROMETRIA DE INCENTIVO NO PÓS-OPERATÓRIO DE CI- RURGIA DE REVASCULARIZAÇÃO DO MIOCÁRDIO RELATO DE CASO.9 Weslon Cleber Carvalho Vieira 1 ; Monalisa Joyce Silva Bezerra 1 ; Renata Gomes Chaves 1 ; Suyanne Gomes Rocha Fontenele 1 ; Clarissa Bentes De Araujo Magalhães 2 ; Andréa Da Nóbrega Cirino Nogueira 3,4 P02 - CRISE HIPERTENSIVA: A ABORDAGEM DE ENFERMAGEM NO ATEN- DIMENTO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA...9 Francisca Lívia de Oliveira Souza 1 ; Ana Lérica Morais Pereira 2 ; Antonia Edna Máximo 3 ; Gérsila Braga Batista de Souza 4 ; Georgy Xavier de Lima Sousa 5 P03 - ELABORAÇÃO DE UMA CARTILHA EDUCATIVA PARA ORIENTAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE PROTE- ÇÃO INDIVIDUAL...10 Thiago Brasileiro de Vasconcelos 1 ; Débora Raissa Lopes Lourenço 1 ; Flávia Ravany Carneiro 1 ;Teresa Maria da Silva Câmara 2 ; Vasco Pinheiro Diógenes Bastos 2 ; Gisele Rodrigues Matoso 2 P04 - ESTUDO DA PREVALÊNCIA DAS TAXAS DE MORTALIDADE RELACIO- NADAS AO SISTEMA CARDIOVASCULAR NA REGIÃO NORDESTE...10 Raquel Magalhães Castelo Branco Craveiro¹; Lara Beatriz Magalhães Loiola Sena²; Oscar Correia da Fonseca²; Adaneuda Silva Britto²; Barbara Visciglia Minghini³; Cristiano Sales da Silva 4 P05 - EVOLUÇÃO CLÍNICA DE PACIENTES COM INSUFICIÊNCIA CARDÍA- CA EM UMA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA Vera Lúcia Lima Silva 1 ; Geísa Ferreira Gomes 1 ; Indira Sanders Oliveira 2 ; Christiane Luck Macieira 3 ; Andréa Stopiglia Guedes Braide 3 ; Márcia Cardinalle Corrêia Viana 3 P06 - ANÁLISE DO PERFIL DOS PACIENTES INTERNADOS EM UMA UNIDA- DE DE TERAPIA INTENSIVA DE UM HOSPITAL DO NORTE DO PIAUÍ Oscaryna Veras de Freitas Dutra 1 ; Diana Malia Aquino Bezerra 1 ; Anne Jacqueline Pereira Melo 1 ; Lara Beatriz Magalhães Loiola Sena 1 ; Oscar Correia da Fonseca 1 ; Ana Karine de Figueredo Moreira 2 P07 - INFLUÊNCIA DAS VARIAÇÕES ANGULARES DE CABECEIRA DO LEI- TO DE PACIENTES SOBRE A PRESSÃO INTRACUFF DE PRÓTESES VENTI- LATÓRIAS EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA...12 Myrcia Ferreira Lopes 1 ; Lígia Maria Rufino Borges Bezerra 1 Página - 6

7 P08 - A ATUAÇÃO DA FISIOTERAPIA NA EVOLUÇÃO DE UM PACIENTE COM EDEMA AGUDO PULMONAR CARDIOGÊNICO: UM ESTUDO DE CASO 12 Glauber Cruz Lima 1 ; Maria Eunice Andrade Vasconcelos 1 ; Geórgia Guimarães Barros 2 P09 - IMPORTÂNCIA DA FISIOTERAPIA RESPIRATÓRIA EM UNIDADES DE TERAPIA INTENSIVA...13 Kellyanne Munick Rodrigues Soares 1 ; Jacqueline Maia de Lima 2 ; Claúdia Maria Montenegro 3 P10 - PERFIL CLÍNICO E TRATAMENTO FISIOTERÁPICO DE PACIENTES COM SÍNDROME DA IMUNODEFICIÊNCIA ADQUIRIDA E TUBERCULOSE ASSOCIADA...13 Danna de Macêdo Franco; Luíz Otávio Mendes Parente Júnior; Jéssica Luz Rocha; Mirizana Alves de Almeida P11 - ANÁLISE QUANTITATIVA DOS CASOS DE TUBERCULOSE NO MUNICÍ- PIO DE PARNAÍBA-PI...14 Elaine Cristina Campos do Nascimento¹; Diana Malia Aquino Bezerra¹; Anne Jacqueline Pereira Melo¹; Lara Beatriz Magalhães Loiola Sena¹; Oscar Correia da Fonseca¹; Oscaryna Veras de Freitas Dutra¹ P12 - TENDÊNCIA SECULAR DA TUBERCULOSE ENTRE DETENTOS DE PE- NITENCIÁRIAS DO CEARÁ, NO PERÍODO DE 2000 A Francisco Marto Leal Pinheiro Júnior 1 ; Márcia Cardinalle Correia Viana 2 P13 - PRINCIPAIS ALTERAÇÕES RESPIRATÓRIAS PRESENTES EM IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS...15 Nayara Eunice Gomes da Franca 1 ; Grasiely Rodrigues de Araujo 1 ; Maria Cristiane Soares de Lemos 2 ; Aurélio Dias Santos 3 P14 - FATORES DE RISCO EM PACIENTES CORONARIOPATAS COM IM- PLANTE DE STENTS FARMACOLÓGICOS...15 Geísa Ferreira Gomes 1 ; Vera Lúcia Lima e Silva 1 ; Aryadne Yasmmim Araújo Luna 2 ; Andréa Stopiglia Guedes Braide 3 ; Márcia Cardinalle Correia Viana 3 ; Christiane Luck Marcieira 3 P15 - MANOVACUÔMETRIA: EXAME COMPLEMENTAR PARA O DESMAME VENTILATÓRIO...16 Natália Antunes Campos; Ana Beatriz Mateus Oliveda; Kilvia Almeida Da Costa; Rita Helena Lacerda De Moura Brasil; Adriana Neres De Jesus; Denise Maria Sá Machado Diniz P16 - ANÁLISE DA PREVALÊNCIA DE CONSTIPAÇÃO EM PORTADORES DE DOENÇA PULMONAR OBSTRUTIVA CRÔNICA...16 Ana Karoline Soares Ferreira; Camila Barbosa Araujo; Renata Monteiro Bastos; Vasco Pinheiro Diógenes Bastos P17 - PERFIL CLÍNICO-EPIDEMIOLÓGICO DOS CASOS DE PNEUMONIA EM CRIANÇAS E IDOSOS DO MUNICÍPIO DE QUIXADÁ CEARÁ...17 Diego Rodrigues Ponciano; Laidiane Alves de Holanda; Natasha Teixeira Medeiros Página - 7

8 REVISTAINSPIRAR movimento & saúde P18 - TRATAMENTO FISIOTERÁPICO EM UMA PACIENTE COM SÍNDROME DE DOWN E CARDIOPATIA CONGÊNITA: ESTUDO DE CASO...17 Thiago Brasileiro de Vasconcelos 1 ; Lorena Façanha Nogueira Costa 1 ; Flávia Ravany Carneiro 1 ; Vanessa da Ponte Arruda 1 ; Vasco Pinheiro Diógenes Bastos 1 ; Maria de Fatima Leite Simão 1 P19 - AVALIAÇÃO DA PERFUSÃO PULMONAR COM UTILIZAÇÃO DO FLUT- TER VRP1 EM PACIENTE BRONQUIECTASICO: RELATO DE CASO...18 Camila Barbosa Araújo; Ana Karoline Soares Ferreira; Renata Monteiro Bastos; Denise Maria Sá Machado Diniz P20 - ABORDAGEM FISIOTERAPÊUTICA EM PACIENTE COM BRONQUIEC- TASIA ESTUDO DE CASO...18 Daniel Correia de Souza; Daniela Gardano Bucharles Mont Alverne; Sâmia Alves Fernandes P21 - REPERCUSSÕES HEMODINÂMICAS DO REANIMADOR DE MULLER EM PACIENTES SOB VENTILAÇÃO MECÂNICA INVASIVA...19 Francisco Marto Leal Pinheiro Júnior 1, Anielly Meneses Teixeira 1, Mailton Vasconcelos Miranda 1, Marcus Cesar Silva de Morais 2, Andréa Stopiglia Guedes Braide 3, Márcia Cardinalle Correia Viana 4 P22 - ATENDIMENTO FISIOTERÁPICO EM UNIDADES DE TERAPIA INTEN- SIVA ADULTO EM HOSPITAIS PÚBLICOS NA CIDADE DE FORTALEZA...19 Isabel Oliveira Barbosa 1, Fabíola Maria Sabino Meireles 1, Isabel Cristina de Mendonça Santiago 1, Márcia Cardinalle Correia Viana 2 P23 - ANÁLISE DA MORTALIDADE DOS PACIENTES INTERNADOS NA UNI- DADE DE TERAPIA INTENSIVA DE UM HOSPITAL DE REFERÊNCIA DO MU- NICÍPIO DE PARNAÍBA - PI...20 Oscaryna Veras de Freitas Dutra 1 ; Crislene Sousa Aguiar 1 ; Ednila Sousa Ferreira 1 ; Anne Jacqueline Pereira Melo 1 ; Diana Malia Aquino Bezerra¹; Ana Karine de Figueredo Moreira 2 P24 - DADOS EPIDEMIOLÓGICOS, CLÍNICOS E DEMOGRÁFICOS DISPONÍ- VEIS NA LITERATURA SOBRE TRANSPLANTE PULMONAR...20 Geísa Ferreira Gomes; Thais Muratori Holanda; Mirizana Alves De Almeida P25 - REPERCUSSÕES PULMONARES NO TRANSPLANTE DE FÍGADO...21 Vera Lúcia Lima Silva 1 ; Geísa Ferreira Gomes 1 ; Isabella Tavares Bonates 2 ; Christiane Luck Macieira 3 ; Andréa Stopiglia Guedes Braide 3 ; Márcia Cardinalle Corrêia Viana 3 P26 - APLICABILIDADE DE PARÂMETROS E ESTRATÉGIAS ADOTADAS POR FISIOTERAPEUTAS NO DESMAME DIFÍCIL...21 Fabíola Maria Sabino Meireles 1 ; Isabel Oliveira Barbosa 1 ; Márcia Cardinalle Correia Viana 2 P 27 - A ATUAÇÃO DA FISIOTERAPIA NA TUBERCULOSE...22 Glauber Cruz Lima 1 ; Audair Tavares Xavier Moreira 1 ; Érica Vieira Nojoza 1 ; Maria Eunice Andrade Vasconcelos 1 ; Luciano Lima Correia 2 Página - 8

9 Página - 9

10 REVISTAINSPIRAR movimento & saúde RESUMO DOS TRABALHOS POSTER (P) P01 - AVALIAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DOS PADRÕES RESPIRATÓRIOS ASSOCIADOS À ESPIROMETRIA DE INCENTIVO NO PÓS-OPERATÓRIO DE CIRURGIA DE REVASCULARIZAÇÃO DO MIOCÁRDIO RELATO DE CASO Weslon Cleber Carvalho Vieira 1 ; Monalisa Joyce Silva Bezerra 1 ; Renata Gomes Chaves 1 ; Suyanne Gomes Rocha Fontenele 1 ; Clarissa Bentes De Araujo Magalhães 2 ; Andréa Da Nóbrega Cirino Nogueira 3,4 OBJETIVO: Apresentar um caso clínico enfatizando a abordagem terapêutica utilizando os padrões respiratórios associados a espirometria de incentivo no pós-operatório de cirurgia de revascularização do miocárdio. METODOLOGIA: Relato de caso: Paciente sexo masculino, 70 anos, internado no Hospital Universitário da cidade de Fortaleza/CE com diagnóstico clínico de doença arterial crônica (DAC) e hipertensão arterial sistêmica (HAS) foi submetido à cirurgia de revascularização do miocárdio. Evoluiu no pós-operatório com diminuição da expansibilidade pulmonar (+++/+) e dispnéia. Recebeu assistência fisioterapêutica diária (2 sessões/dia durante aproximadamente 20 minutos),durante nove dias, onde realizou exercícios diafragmáticos, soluços inspiratórios com mobilização de membros superiores, incentivador inspiratório, tosse assistida e deambulação precoce. Apresentava ausculta pulmonar com diminuição dos sons pulmonares, predomínio basal, sem ruídos adventícios, dispnéia (+++/4+) e redução da expansibilidade torácica. Foram avaliadas dispnéia, padrão respiratório, expansibilidade torácica e ausculta pulmonar. RESULTADOS: Após cinco dias referiu melhora da dispnéia (+++/4+ p/ 0) e AP (++/4+ p/ uniforme). A expansibilidade torácica apresentou-se normal na reavaliação e raio -x (pulmão totalmente ventilado). CONCLUSÃO: As técnicas fisioterapêuticas adotadas no presente estudo favoreceram as limitações decorrentes do processo cirúrgico e ajudaram na recuperação, desse modo corroboraram para a redução do tempo de permanência hospitalar. ¹Discentes da Faculdade Estácio do Ceará Estácio/FIC; ²Fisioterapeuta Residente do Programa de Residência Integrada Mutiprofissional em Atenção Hospitalar à Saúde Área de Concentração: Terapia Intensiva do Complexo dos Hospitais Universitários da Universidade Federal do Ceará; 3Fisioterapeuta do Complexo dos Hospitais Universitários da Universidade Federal do Ceará; 4Docente da Faculdade Estácio Do Ceará. P02 - CRISE HIPERTENSIVA: A ABORDAGEM DE ENFERMAGEM NO ATENDIMENTO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA Francisca Lívia de Oliveira Souza 1 ; Ana Lérica Morais Pereira 2 ; Antonia Edna Máximo 3 ; Gérsila Braga Batista de Souza 4 ; Georgy Xavier de Lima Sousa 5 OBJETIVO: Analizar a produção cientifica referente a crise hiptensiva no atendimento de urgência e emergência, difirenciando-as e direcionando-as a uma abordagem de enfermagem holística e humanizada. METODOLOGIA: Estudo de cunho qualitativo descritivo exploratório que revisa produções literárias já pulicadas, com base em pesquisas bibliográficas realizadas em endereços eletrônicos, foram escolhidos oito artigos científicos publicados entre os anos de RESULTADOS: Já com o supracitado espera-se que os profissionais de enfermagem saibam diferenciar as crises hipertensivas de urgência e emergência de uma pseudocrisehipetensiva assim evitando maior agravamento no seu quadro clínico e uso indiscriminado de medicamentos, destacando-se diante dos demais profissionais da equipe multidisciplinar. CONCLUSÃO: Uma vez que pressuposto a evidência de uma crise hipertensiva, esta deve ser observada de forma mais crítica, o que pode causar confusão quanto ao seu diagnóstico repercutindo no seu tratamento. É importante ressaltar que os enfermeiros devem criar estratégias preventivas, e de recuperação da saúde das pessoas no intuito de evitar possíveis alterações de níveis pressóricos. 1Acadêmica de enfermagem do 7 semestre URCA; 2Acadêmica de enfermagem do 7 semestre URCA; 3Acadêmica de enfermagem do 7 semestre URCA; 4Acadêmica de enfermagem do 6 semestre URCA; 5Professor da Universidade Regional do Cariri, esp. em UTI. Página - 10

11 P03 - ELABORAÇÃO DE UMA CARTILHA EDUCATIVA PARA ORIENTAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Thiago Brasileiro de Vasconcelos 1 ; Débora Raissa Lopes Lourenço 1 ; Flávia Ravany Carneiro 1 ;Teresa Maria da Silva Câmara 2 ; Vasco Pinheiro Diógenes Bastos 2 ; Gisele Rodrigues Matoso 2 OBJETIVO: Criação de uma cartilha educativa direcionada aos profissionais da saúde sobre os equipamentos de proteção individual. METODOLOGIA: Trata-se de um estudo de caráter descritivo. A coleta de dados se deu no período de maio a junho do ano de 2011 através de uma pesquisa bibliográfica em bases de dados Scielo, Pubmed e Google Acadêmico, utilizando os descritores cartilhas educativas, equipamentos de proteção individual, prevenção primária em saúde. A cartilha chama a atenção para ações simples que muitas vezes são pouco valorizadas pelos profissionais da saúde. RESULTADOS: Iniciamos a cartilha educativa destacando as normas trabalhistas atuais sobre o uso dos equipamentos de proteção individual, em seguida, descrevendo todos os equipamentos de proteção individual que fazem parte da prática do profissional de saúde: máscaras, óculos, luvas, avental ou capote descartável e gorro. Destaca-se a higiene como uma necessidade básica de manutenção da saúde e exercício da construção de hábitos saudáveis na perspectiva da valorização do autocuidado e da auto-estima. CONCLUSÃO: As cartilhas educativas são uma forma prática e eficaz de informar os profissionais da saúde sobre a importância da correta utilização dos equipamentos de proteção individual. Destaca-se a necessidade de concomitantemente serem realizados cursos de capacitação e fiscalização a respeito do uso destes equipamentos nos locais de trabalho destes profissionais. ¹Fisioterapeutas graduados pela Faculdade Estácio do Ceará - Estácio/FIC; ²Docentes da Faculdade Estácio do Ceará Estácio/FIC P04 - ESTUDO DA PREVALÊNCIA DAS TAXAS DE MORTALIDADE RELACIONADAS AO SISTEMA CARDIOVASCULAR NA REGIÃO NORDESTE Raquel Magalhães Castelo Branco Craveiro¹; Lara Beatriz Magalhães Loiola Sena²; Oscar Correia da Fonseca²; Adaneuda Silva Britto²; Barbara Visciglia Minghini³; Cristiano Sales da Silva 4 OBJETIVO: Analisar o número de óbitos ocorridos nos anos de 1990, 2000 e 2004 na região nordeste em decorrência de problemas cardiovasculares com a finalidade de descrever os riscos das doenças relacionadas ao aparelho circularório representadas por sexo que desencadearam óbito, dimensionando sua magnitude como problema de saúde pública. METODOLOGIA: Foi realizado através de pesquisa de caráter exploratório, retrospectiva, descritiva, com método quantitativo e não experimental. Foram incluidas no estudo pessoas de ambos os sexos que vieram a óbito por conta de alguma patologia relacionada à circulação, abrangendo as doenças isquêmicas do coração, doenças cerebrovasculares e doenças do aparelho circulatório. Os dados foram coletados através do sistema de informação sobre mortalidade divulgada pelo Ministério da Saúde no DATASUS. RESULTADOS: Os dados representam a taxa de mortalidade específica por doença não padronizada por idade e estratificação de 100 mil habitantes da região nordeste. Das informações obtidas verificou-se maior taxa de mortalidade nas doenças do aparelho circulatório, na sequencia as doenças cerebrovasculares e por fim as doenças isquêmicas do coração, com aumento gradativo de todas as doenças desde os anos de 1990 até 2004, como mostra a tabela abaixo. CONCLUSÃO: Através dos resultados obtidos pode-se inferir que houve uma diminuição das causas de mortes mal definidas. Observa-se também a necessidade de uma intervenção multidisciplinar em atenção básica, focada na prevenção dos fatores de riscos adquiridos, devendo ser incentivada a prática esportiva como uma alternativa de baixo custo e fácil adesão. Dessa forma, buscando melhoria na qualidade de vida e visando a redução da proporção do índice de óbitos dessas patologias. 1Christus Discente da Faculdade Christus Fortaleza/CE; 2UFPI/CMRV Discentes da Universidade Federal do Piauí - Parnaíba/ PI; 3FAP Pós-Graduanda da Faculdade Piauiense Parnaíba/PI; 4UFPI/CMRV- Docente da Universidade Federal do Piauí Parnaíba/PI Página - 11

12 REVISTAINSPIRAR movimento & saúde P05 - EVOLUÇÃO CLÍNICA DE PACIENTES COM INSUFICIÊNCIA CARDÍACA EM UMA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA Vera Lúcia Lima Silva 1 ; Geísa Ferreira Gomes 1 ; Indira Sanders Oliveira 2 ; Christiane Luck Macieira 3 ; Andréa Stopiglia Guedes Braide 3 ; Márcia Cardinalle Corrêia Viana 3 OBJETIVO: Descrever a evolução clínica de pacientes com insuficiência cardíaca na unidade de terapia intensiva, identificando as principais repercussões cardio-pulmonares na população em estudo, apontando o tempo de permanência na unidade de terapia intensiva. METODOLOGIA: Utilizou-se como metodologia uma abordagem documental e retrospectiva. Foram analisados 40 prontuários, constatando-se que o tempo de permanência na UTI foi em média 11 dias, variando de um dia de internamento até 49 dias. RESULTADOS: Quanto ao desfecho da UTI, observou-se que 14 pacientes evoluíram para óbito. As etiologias mais freqüentes foram as miocardiopatias com 16 pacientes as cardiopatias isquêmicas com 10 pacientes. A prevalência de co-morbidades foi encontrada em 22 pacientes onde 19 tinham hipertensão arterial sistólica, oito apresentavam diabetes mellitus e três tinham pneumopatias. Pôde-se constatar que 13 pacientes tinham uma disfunção moderada, 11 tinham sua função sistólica preservada, oito tinham uma fração de ejeção com disfunção leve. O edema agudo de pulmão acometeu 10 pacientes e a fibrilação atrial acometeu nove. CONCLUSÃO: Pôde-se concluir que, os achados da evolução clínica foram muito relevantes para a efetividade e continuidade do tratamento na UTI, uma vez que, a maioria dos pacientes teve alta para a enfermaria representando um bom prognóstico. 1Acadêmica do Cusro de Fisioterapia da Faculdade Christus; 2Graduada em Fisioterapia pela Faculdade Christus; 3Docente da Faculdade Christus P06 - ANÁLISE DO PERFIL DOS PACIENTES INTERNADOS EM UMA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA DE UM HOSPITAL DO NORTE DO PIAUÍ Oscaryna Veras de Freitas Dutra 1 ; Diana Malia Aquino Bezerra 1 ; Anne Jacqueline Pereira Melo 1 ; Lara Beatriz Magalhães Loiola Sena 1 ; Oscar Correia da Fonseca 1 ; Ana Karine de Figueredo Moreira 2 OBJETIVO: Identificar o perfil dos pacientes internados na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Estadual Dirceu Arcoverde (HEDA) no município de Parnaíba-PI, que permaneceram reclusos no ambiente hospitalar no período compreendido entre janeiro a dezembro de METODOLOGIA: O presente estudo de caráter quantitativo e retrospectivo trata-se de uma análise de dados através da coleta de prontuários dos indivíduos internados no período de janeiro a dezembro de Foram analisados os prontuários de 45 pacientes com diagnóstico de Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS), dos quais continham as seguintes variáveis: sexo, idade, uso de ventilação mecânica e o tempo de internação. RESULTADOS: Na análise dos resultados foi observado que dos 45 prontuários, 26 correspondem ao sexo feminino com média de idade de 70 anos e 19 correspondem ao sexo masculino com média de idade de 68,3 anos. Do total de pacientes, 68% de ambos os sexos faziam uso de suporte ventilatório sendo que 21,15% são mulheres e 46,8% são homens e em relação ao tempo de internação a média da amostra estudada foi de 6 dias. CONCLUSÃO: A HAS é uma das doenças de maior prevalência encontrada no perfil dos pacientes internados na Unidade de Terapia Intensiva do HEDA. De acordo com a pesquisa realizada podemos identificar as mulheres como sexo de maior acometimento, com média de 70 anos de idade, sendo uma pequena parcela em ventilação mecânica. Outro fator que teve relevância no estudo foi a prevalência da HAS isolada tanto em homens quanto em mulheres contribuindo para um maior tempo de internação no HEDA. 1UFPI/CMRV Discentes da Universidade Federal do Piauí - Parnaíba/PI; 2UFPI/CMRV- Docente da Universidade Federal do Piauí Página - 12

13 P07 - INFLUÊNCIA DAS VARIAÇÕES ANGULARES DE CABECEIRA DO LEITO DE PACIENTES SOBRE A PRESSÃO INTRACUFF DE PRÓTESES VENTILATÓRIAS EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA Myrcia Ferreira Lopes 1 ; Lígia Maria Rufino Borges Bezerra 1 OBJETIVO: Analisar as pressões de balonetes de traqueostomia e tubo orotraqueal em diferentes angulações da cabeceira do leito de pacientes internados em unidade de terapia intensiva do Hospital São Paulo em Teresina-PI. METODOLOGIA: Estudo descritivo e prospectivo, por um período de cinco meses na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital São Paulo de Teresina-PI. Foram avaliadas três medidas de pressões de balonetes em diferentes angulações de cabeceira do leito (0,30 e 60 ). Pacientes de ambos os sexos e que estejam sob ventilação mecânica com uso de prótese orotraqueal e cânula de traqueostomia, no período noturno. A pressão do balonete foi mensurada utilizando um cuffômetro CE 0123 VBM, com graduação de 0 a 120 cmh2o que conectado ao balonete permitirá a sua in suflação e desinsuflação. Os valores de referência fo ram mantidos entre 20 e 30 cmh2o. RESULTADOS: Encontrou-se pacientes com faixa etária entre anos, de ambos os sexos, em tratamento intensivo sobre Ventilação Mecânica. Tipo de próteses ventilatórias encontradas: Tubo orotraqueal e traqueotomia tamanhos 7,5 e 8. Foi verificado no período noturno, a pressão intracuff de balonetes de próteses ventilatórias, com o auxílio do cufômetro em 0º, 30º e 60º de cabeceira do leito dos pacientes e observamos que quanto menor o grau de cabeceira do leito, maior a pressão encontrada, e quanto maior a inclinação de cabeceira menor a pressão intracuff encontrada. CONCLUSÃO: No presente trabalho foi possível concluir que, é de estrema importância a monitorização e os ajustes adequados da pressão de balonete, nos momentos em que o paciente for submetido a modificações na inclinação da cabeceira do leito, a fim de prevenir o escape aéreo e o risco de ocorrência de pneumonia por aspiração. ¹Fisioterapeuta Intensivista (Teresina/PI). Sociedade Brasileira de Terapia Intensiva SOBRATI. P08 - A ATUAÇÃO DA FISIOTERAPIA NA EVOLUÇÃO DE UM PACIENTE COM EDEMA AGUDO PULMONAR CARDIOGÊNICO: UM ESTUDO DE CASO Glauber Cruz Lima 1 ; Maria Eunice Andrade Vasconcelos 1 ; Geórgia Guimarães Barros 2 OBJETIVO: Comparar os parâmetros gasométricos iniciais e após uso de ventilação mecânica, avaliar o resultado das diversas técnicas fisioterapêuticas no paciente com edema agudo pulmonar em terapia intensiva. METODOLOGIA: Estudo descritivo, estudo de caso, realizado no Hospital de Messejana, no período de 15 de Agosto a 31 de Agosto de 2011, estratégia de coleta de dados norteou-se pela pesquisa em prontuário e abordagem fisioterapêutica à beira do leito. Paciente S. F. L. M. do sexo feminino, 56 anos, caucasiana, queixa principal e motivo para admissão hospitalar foi insuficiência respiratória aguda. O diagnóstico clínico foi edema agudo pulmonar cardiogênico. A paciente deu entrada na Unidade de Terapia Intensiva Cardiopulmonar do Hospital de Messejana no dia 14 de Agosto de RESULTADOS: A paciente evoluiu satisfatoriamente após utilização da ventilação mecânica melhorando acidose respiratória e hipoxemia apresentadas inicialmente. As técnicas fisioterapêuticas aumentaram os murmúrios vesiculares e expansibilidade torácica. As melhoras na função pulmonar correspondiam aos exames radiográficos de tórax. CONCLUSÃO: O uso da ventilação mecânica, com controle de fio2, freqüência respiratória, modo de ventilação, corrigiu acidose respiratória, hipoxemia e retenção de CO2 evidenciados nas gasometrias iniciais. As técnicas fisioterapêuticas melhoram a função pulmonar do paciente e evitaram acúmulo de secreção traqueobrônquica, sendo de grande relevância no tratamento complementar do paciente. Estes resultados demonstraram que as técnicas de fisioterapia são fundamentais para a estabilize do paciente. ¹Discentes do curso de Fisioterapia da Faculdade Estácio do Ceará- Estácio/FIC; ²Docente do curso de Fisioterapia da Faculdade Estácio do Ceará- Estácio/FIC Página - 13

14 REVISTAINSPIRAR movimento & saúde P09 - IMPORTÂNCIA DA FISIOTERAPIA RESPIRATÓRIA EM UNIDADES DE TERAPIA INTENSIVA Kellyanne Munick Rodrigues Soares 1 ; Jacqueline Maia de Lima 2 ; Claúdia Maria Montenegro 3 OBJETIVO: Analisar a importância e necessidade do fisioterapeuta nas UTI s, com objetivo de prevenir ou tratar complicações respiratórias. METODOLOGIA: Foi realizada uma pesquisa bibliográfica em livros e artigos científicos tendo como base de dados Lilacs, Scielo, Bireme, BVS. RESULTADOS: Estudos apontam que a eficácia pode ser observada pela redução na incidência de pneumonia e pela melhora da função pulmonar. Foi observada a efetividade da atuação da fisioterapia na redução do risco e/ou no tratamento de complicações pulmonares decorrentes do procedimento cirúrgico. Visto que paciente com vias aéreas artificiais requerem cuidados específicos para preservar a abertura de entrada ar, minimizar a lesão da mucosa e diminuir a mortalidade. Apontam ainda a diminuição nas taxas de incidência de pneumonias nosocomiais com a implementação do serviço de fisioterapia. Inclui também redução no tempo de ventilação mecânica, prevenção de re-entubações e traqueostomia e redução no período de internações. Segundo Regenga, drenagem postural, percusão, vibração, estímulo de tosse, aspiração, exercícios respiratórios, mobilização do paciente e ambu são recursos utilizados para deslocar secreções. CONCLUSÃO: A fisioterapia respiratória inserida nas UTI s contribui significativamente para o melhor prognóstico para os pacientes, pois atua na prevenção e tratamento de complicações pulmonares por meio de técnicas específicas, tais como vibração, percussão, compressão, hiperinsuflação manual, manobra de reexpansão, posicionamento, drenagem postural, estimulação da tosse, aspiração, exercícios respiratórios, AFE e mobilização. Posicionamento adequado no leito, mobilização geral por movimentação passiva, ativo-assistida ou exercícios ativos podem ser efetuados sem interromper a monitorização, a fim de minimizar os efeitos deletérios da restrição ao leito e readaptar o paciente aos esforços. 1Aluna pesquisadora da Iniciação Científica da Faculdade Integrada do Ceará; 2Aluna monitora da Faculdade Integrada do Ceará; 3Mestre, professora da Faculdade Integrada do Ceará P10 - PERFIL CLÍNICO E TRATAMENTO FISIOTERÁPICO DE PACIENTES COM SÍNDROME DA IMUNODEFICIÊNCIA ADQUIRIDA E TUBERCULOSE ASSOCIADA Danna de Macêdo Franco; Luíz Otávio Mendes Parente Júnior; Jéssica Luz Rocha; Mirizana Alves de Almeida OBJETIVO: Portanto a presente pesquisa teve como objetivo descrever o perfil clínico dos soro positivo com tuberculose (TB) e o tratamento fisioterápico oferecido a estes pacientes. METODOLOGIA: Para tanto foi realizada uma revisão de literatura dos últimos três anos em português por meio de acesso a internet, no primeiro semestre de Foram consultadas as bases de dados Google Acadêmico, Scientifc Eletronic Library Online (Scielo) e Publisher Medline (PUBMED). Os descritores considerados para a busca dos artigos foram Imunodificiência e tuberculose em português, inglês e espanhol, inseridos na plataforma de busca de forma isolada ou cruzada. RESULTADOS: Após a inserção dos descritores nas bases de dados foram encontradas 1300 referências em inglês, 428 referências em português e 1 em espanhol, dessas 11, 8 e 1 foram selecionadas respectivamente por apresentarem os assuntos Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (SIDA) e tuberculose de forma associada e terem sido publicadas nos últimos três anos. Em 2009 foram registrados no Brasil, 38 mil casos de SIDA, destes 87,5% são heterossexuais, entre os 30 aos 40 anos. A taxa de contaminação por SIDA é elevada em ambos os gêneros, sendo que dos 13 aos 19 anos acomete mais mulheres (10:8). No nordeste brasileiro o numero de casos acumulados de pacientes soropositivos é de 12,5% e a taxa de incidência de 13,9%. Destes, 57% só descobriu ser portador da SIDA em estágio avançado da doença. A infecção oportunista predominante descrita nos soropositivos é a TB. A fisioterapia nesse pacientes com SIDA e TB atua através de reeducação respiratória, manobras de higiene brônquica, técnicas de reexpansão pulmonar (AFE e vibrocompressão) e desobstrução (flutter e tosse assistida), cujo objetivo é restabelecer as capacidades pulmonares, melhorar a ventilação pulmonar, desobstruir as vias aéreas e por fim melhorar o quadro clínico do paciente. CONCLUSÃO: Os artigos consultados nessa pesquisa apontam que os portadores de SIDA com TB são na sua maioria heterossexuais na faixa de 30 a 40 anos que tem a fisioterapia solicitada como uma das principais estratégias terapêuticas para melhorar a função pulmonar e regredir o quadro clínico da TB com técnicas desobstrutivas, reexpansivas e reeducação respiratória. Faculdade Christus e Faculdade Integrada do Ceará - Fortaleza Ceará. Página - 14

INTERVENÇÃO FISIOTERAPÊUTICA NO PÓS-OPERATÓRIO DE REVASCULARIZAÇÃO DO MIOCÁRDIO: UMA PERSPECTIVA BIBLIOGRÁFICA

INTERVENÇÃO FISIOTERAPÊUTICA NO PÓS-OPERATÓRIO DE REVASCULARIZAÇÃO DO MIOCÁRDIO: UMA PERSPECTIVA BIBLIOGRÁFICA INTERVENÇÃO FISIOTERAPÊUTICA NO PÓS-OPERATÓRIO DE REVASCULARIZAÇÃO DO MIOCÁRDIO: UMA PERSPECTIVA BIBLIOGRÁFICA INTRODUÇÃO Antonio Quaresma de Melo Neto NOVAFAPI Marcos Maciel Soares e Silva NOVAFAPI Marcelo

Leia mais

Corrida da Saúde. Infantis A - Feminino

Corrida da Saúde. Infantis A - Feminino Corrida da Saúde Classificação geral do corta-mato, realizado no dia 23 de Dezembro de 2007, na Escola E.B. 2,3 de Valbom. Contou com a participação dos alunos do 4º ano e do 2º e 3º ciclos do Agrupamento

Leia mais

ENADE 2004 FISIOTERAPIA

ENADE 2004 FISIOTERAPIA ENADE 2004 FISIOTERAPIA QUESTÃO 38 Maurício Gomes Pereira. Epidemiologia teoria -- prática. Rio de Janeiro: Guanabra Koogan S.A., 1995, p. 31 (com adaptações). O gráfico acima demonstra os possíveis padrões

Leia mais

I JORNADA DE FISIOTERAPIA HGWA

I JORNADA DE FISIOTERAPIA HGWA I JORNADA DE FISIOTERAPIA HGWA 1. OBJETIVO Fomentar o conhecimento científico e investir no crescimento técnico científico da Fisioterapia sob o tema Segurança e Qualidade na Assistência Fisioterapêutica.

Leia mais

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Fisioterapia 2010-1 ISSN 1982-1816. www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Fisioterapia 2010-1 ISSN 1982-1816. www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais. Especial Online ISSN 1982-1816 www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.html DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO Fisioterapia 2010-1 O USO DA OXIGENIOTERAPIA DOMICILIAR NO PACIENTE DPOC Autora: ROSA, Ana Carolina

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE FISIOTERAPIA RESPIRATÓRIA E FISIOTERAPIA EM TERAPIA INTENSIVA - ASSOBRAFIR

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE FISIOTERAPIA RESPIRATÓRIA E FISIOTERAPIA EM TERAPIA INTENSIVA - ASSOBRAFIR ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE FISIOTERAPIA RESPIRATÓRIA E FISIOTERAPIA EM TERAPIA INTENSIVA - ASSOBRAFIR RELATÓRIO FINAL DA COMISSÃO DE ENSINO O ENSINO DE FISIOTERAPIA RESPIRATÓRIA E TERAPIA INTENSIVA NO BRASIL

Leia mais

CARACTERÍSTCAS DOS ATENDIMENTOS AOS PACIENTES COM GRIPE H1N1 EM UM SERVIÇO DE REFERÊNCIA

CARACTERÍSTCAS DOS ATENDIMENTOS AOS PACIENTES COM GRIPE H1N1 EM UM SERVIÇO DE REFERÊNCIA 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 CARACTERÍSTCAS DOS ATENDIMENTOS AOS PACIENTES COM GRIPE H1N1 EM UM SERVIÇO DE REFERÊNCIA Regina Lúcia Dalla Torre Silva 1 ; Marcia helena Freire Orlandi

Leia mais

PROJETO CURSOS 2015 CURSO TEÓRICO- PRÁTICO DE REABILITAÇÃO PULMONAR: DA ATUAÇÃO HOSPITALAR A DOMICILIAR

PROJETO CURSOS 2015 CURSO TEÓRICO- PRÁTICO DE REABILITAÇÃO PULMONAR: DA ATUAÇÃO HOSPITALAR A DOMICILIAR VALOR DA INSCRIÇÃO: R$ 1.400,00 PROJETO CURSOS 2015 EDITAL I: CURSO TEÓRICO- PRÁTICO DE REABILITAÇÃO PULMONAR: DA ATUAÇÃO HOSPITALAR A DOMICILIAR 1. OBJETIVO Promover uma atualização em Reabilitação Pulmonar

Leia mais

TRATAMENTO FISIOTERÁPICO NA ASMA

TRATAMENTO FISIOTERÁPICO NA ASMA TRATAMENTO FISIOTERÁPICO NA ASMA Meiry Alonso Rodrigues Pereira DEFINIÇÃO Distúrbio caracterizado pelo aumento da reatividade da traquéia e dos brônquios à vários estímulos, resultando na constrição difusa

Leia mais

Internações por Hipertensão Essencial em homens idosos no Brasil: estudo comparativo entre as regiões nordeste e sudeste no período de 2008 a 2012.

Internações por Hipertensão Essencial em homens idosos no Brasil: estudo comparativo entre as regiões nordeste e sudeste no período de 2008 a 2012. Internações por Hipertensão Essencial em homens idosos no Brasil: estudo comparativo entre as regiões nordeste e sudeste no período de 2008 a 2012. Layz Dantas de Alencar 1 - layzalencar@gmail.com Rosimery

Leia mais

MORBIDADES AUTORREFERIDAS POR IDOSOS ATENDIDOS EM UM AMBULATÓRIO DE GERIATRIA

MORBIDADES AUTORREFERIDAS POR IDOSOS ATENDIDOS EM UM AMBULATÓRIO DE GERIATRIA INTRODUÇÃO MORBIDADES AUTORREFERIDAS POR IDOSOS ATENDIDOS EM UM AMBULATÓRIO DE GERIATRIA Mayara Muniz Dias Rodrigues 1 Saemmy Grasiely Estrela de Albuquerque 2 Maria das Graças Melo Fernandes 3 Keylla

Leia mais

ESCOLA E.B. 2,3 DE LAMAÇÃES 2013-2014

ESCOLA E.B. 2,3 DE LAMAÇÃES 2013-2014 5º1 1 ANA CATARINA R FREITAS SIM 2 BEATRIZ SOARES RIBEIRO SIM 3 DIOGO ANTÓNIO A PEREIRA SIM 4 MÁRCIO RAFAEL R SANTOS SIM 5 MARCO ANTÓNIO B OLIVEIRA SIM 6 NÁDIA ARAÚJO GONÇALVES SIM 7 SUNNY KATHARINA G

Leia mais

Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa, Extensão e Ação Comunitária Coordenadoria de Extensão e Ação Comunitária PROPOSTA DE PROGRAMA

Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa, Extensão e Ação Comunitária Coordenadoria de Extensão e Ação Comunitária PROPOSTA DE PROGRAMA Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa, Extensão e Ação Comunitária Coordenadoria de Extensão e Ação Comunitária Coordenadoria de Extensão e Ação Comunitária PROPOSTA DE PROGRAMA Número da Ação (Para

Leia mais

Adriane Cristina de Jesus

Adriane Cristina de Jesus Adriane Cristina de Jesus Alexandre Coelho Rodrigues Gomes Alexandre Montenegro Nascimento Vilarinhos Ana Carolina Nogueira Ana Carolina Rodrigues Oliveira Ana Luiza de Paiva Silva Ana Luiza dos Anjos

Leia mais

OS EFEITOS DA FISIOTERAPIA RESPIRATÓRIA EM PACIENTES PÓS- CIRURGIA CARDÍACA

OS EFEITOS DA FISIOTERAPIA RESPIRATÓRIA EM PACIENTES PÓS- CIRURGIA CARDÍACA OS EFEITOS DA FISIOTERAPIA RESPIRATÓRIA EM PACIENTES PÓS- CIRURGIA CARDÍACA Vanessa Mota Lins Eder Rodrigues Machado RESUMO: Introdução: Trata-se de um estudo que sintetizou o conhecimento produzido acerca

Leia mais

CONDUTAS: EDEMA AGUDO DE PULMÃO

CONDUTAS: EDEMA AGUDO DE PULMÃO Universidade Federal do Ceará Faculdade de Medicina Programa de Educação Tutorial PET Medicina CONDUTAS: EDEMA AGUDO DE PULMÃO Paulo Marcelo Pontes Gomes de Matos OBJETIVOS Conhecer o que é Edema Agudo

Leia mais

10 projetos de pesquisa aprovados no edital BICT/FUNCAP 12/2014

10 projetos de pesquisa aprovados no edital BICT/FUNCAP 12/2014 Projetos de pesquisa no Saúde Instituto de Ciências da 10 projetos de pesquisa aprovados no edital BICT/FUNCAP 12/2014 Título: Avaliação da autoeficácia materna para prevenir diarreia infantil em Redenção-CE

Leia mais

Uma área em expansão. Radiologia

Uma área em expansão. Radiologia Uma área em expansão Conhecimento especializado e treinamento em novas tecnologias abrem caminho para equipes de Enfermagem nos serviços de diagnóstico por imagem e radiologia A atuação da Enfermagem em

Leia mais

03/08/2014. Sistematização da assistência de enfermagem ao paciente portador de doença pulmonar obstrutiva crônica DEFINIÇÃO - DPOC

03/08/2014. Sistematização da assistência de enfermagem ao paciente portador de doença pulmonar obstrutiva crônica DEFINIÇÃO - DPOC ALGUNS TERMOS TÉCNICOS UNESC FACULDADES - ENFERMAGEM PROFª.: FLÁVIA NUNES Sistematização da assistência de enfermagem ao paciente portador de doença pulmonar obstrutiva crônica Ortopneia: É a dificuldade

Leia mais

AÇÕES EDUCATIVAS COM UNIVERSITÁRIOS SOBRE FATORES DE RISCO PARA SÍNDROME METABÓLICA

AÇÕES EDUCATIVAS COM UNIVERSITÁRIOS SOBRE FATORES DE RISCO PARA SÍNDROME METABÓLICA AÇÕES EDUCATIVAS COM UNIVERSITÁRIOS SOBRE FATORES DE RISCO PARA SÍNDROME METABÓLICA Reângela Cíntia Rodrigues de Oliveira Lima UFPI/cynthiast_89@hotmail.com Gislany da Rocha Brito - UFPI/gislanyrochasj@hotmail.com

Leia mais

ATENÇÃO PRIMÁRIA (SAÚDE COLETIVA, PROMOÇÃO DA SAÚDE E SEMELHANTES)

ATENÇÃO PRIMÁRIA (SAÚDE COLETIVA, PROMOÇÃO DA SAÚDE E SEMELHANTES) ATENÇÃO PRIMÁRIA (SAÚDE COLETIVA, PROMOÇÃO DA SAÚDE E SEMELHANTES) ID: 103 A IMPORTÂNCIA DA CONSULTA DE ENFERMAGEM NO PRÉ-NATAL, NA PERSPECTIVA DO ENFERMEIRO Enfa. Aryhadne Michelle Chimicoviacki Machado

Leia mais

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Fisioterapia 2010-2 ISSN 1982-1816. www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Fisioterapia 2010-2 ISSN 1982-1816. www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais. Especial Online ISSN 1982-1816 www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.html DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO Fisioterapia 2010-2 DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO PROPOSTA DE UM PROGRAMA DE ERGONOMIA

Leia mais

CRS Leste/ST Guaianases UBS Jd. Aurora

CRS Leste/ST Guaianases UBS Jd. Aurora CRS Leste/ST Guaianases UBS Jd. Aurora Estudo do Controle da HA Hipertensão Arterial e Perfil Farmacológico pacientes cadastrados no PRC Programa Remédio em Casa UBS Jd. Aurora Subprefeitura de Guaianases

Leia mais

TÍTULO: "SE TOCA MULHER" CONHECIMENTO DAS UNIVERSITÁRIAS SOBRE O CÂNCER DE MAMA

TÍTULO: SE TOCA MULHER CONHECIMENTO DAS UNIVERSITÁRIAS SOBRE O CÂNCER DE MAMA TÍTULO: "SE TOCA MULHER" CONHECIMENTO DAS UNIVERSITÁRIAS SOBRE O CÂNCER DE MAMA CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: ENFERMAGEM INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICO

Leia mais

UNIÃO DE ENSINO SUPERIOR DE CAMPINA GRANDE FACULDADE DE CAMPINA GRANDE FAC CG 1º SIMPÓSIO MULTIDISCIPLINAR DE SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

UNIÃO DE ENSINO SUPERIOR DE CAMPINA GRANDE FACULDADE DE CAMPINA GRANDE FAC CG 1º SIMPÓSIO MULTIDISCIPLINAR DE SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE UNIÃO DE ENSINO SUPERIOR DE CAMPINA GRANDE FACULDADE DE CAMPINA GRANDE FAC CG 1º SIMPÓSIO MULTIDISCIPLINAR DE SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE LISTA DE TRABALHOS APROVADOS AUTOR RESPONSÁVEL Adriana Furtado

Leia mais

SESSÃO I. APRESENTAÇÃO POSTER

SESSÃO I. APRESENTAÇÃO POSTER SESSÃO I. APRESENTAÇÃO POSTER 1. Riscos e causas de contaminação na Central de Material de Juliana Santos Andrade Esterilização: uma análise teórico-reflexiva 2. Biossegurança e Higienização das mãos:

Leia mais

DIABETES MELLITUS NO BRASIL

DIABETES MELLITUS NO BRASIL DIABETES MELLITUS NO BRASIL 17º Congresso Brasileiro Multidisciplinar em Diabetes PATRÍCIA SAMPAIO CHUEIRI Coordenadora d Geral de Áreas Técnicas DAB/MS Julho, 2012 DIABETES MELITTUS Diabetes é considerado

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE E DEFESA CIVIL SUBSECRETARIA DE PROMOÇÃO, ATENÇÃO BÁSICA E VIVILÂNCIA COORDENADORIA DE SAÚDE DA AP 5.

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE E DEFESA CIVIL SUBSECRETARIA DE PROMOÇÃO, ATENÇÃO BÁSICA E VIVILÂNCIA COORDENADORIA DE SAÚDE DA AP 5. SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE E DEFESA CIVIL SUBSECRETARIA DE PROMOÇÃO, ATENÇÃO BÁSICA E VIVILÂNCIA COORDENADORIA DE SAÚDE DA AP 5.2 DIVISÃO DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DIVISÃO DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE BETI BRISSE

Leia mais

Escola sede: Escola Secundária de S. Pedro do Sul Alunos Matriculados - 2015/2016

Escola sede: Escola Secundária de S. Pedro do Sul Alunos Matriculados - 2015/2016 13948 5 A 2.º Ciclo do Ensino Básico Ana Gabriela Pedro Fernandes Escola Básica n.º 2 de São Pedro do Sul 13933 5 A 2.º Ciclo do Ensino Básico Ana Júlia Capela Pinto Escola Básica n.º 2 de São Pedro do

Leia mais

QUALIDADE NO REPROCESSAMENTO DE ARTIGOS PELO VAPOR SATURADO SOB PRESSÃO. Unidade Acadêmica: Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva - NESC/UFG

QUALIDADE NO REPROCESSAMENTO DE ARTIGOS PELO VAPOR SATURADO SOB PRESSÃO. Unidade Acadêmica: Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva - NESC/UFG QUALIDADE NO REPROCESSAMENTO DE ARTIGOS PELO VAPOR SATURADO SOB PRESSÃO. Alline Cristhiane da Cunha MENDONÇA 1 ; Ana Lúcia Queiroz BEZERRA 2 ; Anaclara Ferreira Veiga TIPPLE 3. Unidade Acadêmica: Núcleo

Leia mais

Programa de Condicionamento Cardiovascular

Programa de Condicionamento Cardiovascular Programa de Condicionamento Cardiovascular Versão eletrônica atualizada em Fevereiro 2010 Responsáveis pela Elaboração Dra. Luciana Diniz Nagem Janot de Matos Dr. Romeu Sérgio Meneghelo Fta. Andrea Kaarina

Leia mais

Inscrição Nome Opção de Curso Status. 000000005133 RAQUEL REZENDE DANTAS EDUCACAO FISICA Aprovado

Inscrição Nome Opção de Curso Status. 000000005133 RAQUEL REZENDE DANTAS EDUCACAO FISICA Aprovado Processo Seletivo 2016/1 000000005133 RAQUEL REZENDE DANTAS EDUCACAO FISICA Aprovado 000000004960 VALERIA DIAS MIRANDA EDUCACAO FISICA Aprovado 000000005764 BRUNNO DE PAULA SILVA BARBOSA EDUCACAO FISICA

Leia mais

PROGRAMA IV BRASIL PREVENT & II LATIN AMERICAN PREVENT DATA: 05 A 07 DEZEMBRO 2013 BAHIA OTHON PALACE HOTEL SALVADOR BAHIA

PROGRAMA IV BRASIL PREVENT & II LATIN AMERICAN PREVENT DATA: 05 A 07 DEZEMBRO 2013 BAHIA OTHON PALACE HOTEL SALVADOR BAHIA PROGRAMA IV BRASIL PREVENT & II LATIN AMERICAN PREVENT DATA: 05 A 07 DEZEMBRO 2013 BAHIA OTHON PALACE HOTEL SALVADOR BAHIA Sábado 07 de Dezembro de 2013 09:00 10:30 Sessão 4 Novas Estratégias Para Prevenção

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DAS TÉCNICAS MINISTRADAS NA DISCIPLINA DE RTM II PARA A ATUAÇÃO PROFISSIONAL DO DISCENTE DE FISIOTERAPIA

A IMPORTÂNCIA DAS TÉCNICAS MINISTRADAS NA DISCIPLINA DE RTM II PARA A ATUAÇÃO PROFISSIONAL DO DISCENTE DE FISIOTERAPIA A IMPORTÂNCIA DAS TÉCNICAS MINISTRADAS NA DISCIPLINA DE RTM II PARA A ATUAÇÃO PROFISSIONAL DO DISCENTE DE FISIOTERAPIA RESUMO SILVA 1, Thays Gonçalves ALMEIDA 2, Rogério Moreira de Centro de Ciências da

Leia mais

RESULTADOS. Nome Global ( /100) PT1840719 ADÃO AZEVEDO MALHEIRO MATOS BARBOSA 94 B1 PT1840720 ADRIANA MORAIS SOUSA 52 A1

RESULTADOS. Nome Global ( /100) PT1840719 ADÃO AZEVEDO MALHEIRO MATOS BARBOSA 94 B1 PT1840720 ADRIANA MORAIS SOUSA 52 A1 PT1840719 ADÃO AZEVEDO MALHEIRO MATOS BARBOSA 94 B1 PT1840720 ADRIANA MORAIS SOUSA 52 A1 PT1840721 ADRIANA XAVIER DA SILVA FERNANDES 38 Pré-A1 PT1840722 ALEXANDRA FILIPA AZEVEDO SANTOS 52 A1 PT1840723

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM PNEUMOLOGIA Ato de Oficialização: ATA de 12.03.1992 Conselho Departamental

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM PNEUMOLOGIA Ato de Oficialização: ATA de 12.03.1992 Conselho Departamental PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM PNEUMOLOGIA Ato de Oficialização: ATA de 12.03.1992 Conselho Departamental 1. Nome do Curso e Área de Conhecimento: Curso de Especialização em

Leia mais

BANCAS EXAMINADORAS DE TRABALHO DE CURSO (2013/2) CURSO DE FISIOTERAPIA. ORIENTADORA: Profa. ADRIANA CAIXETA

BANCAS EXAMINADORAS DE TRABALHO DE CURSO (2013/2) CURSO DE FISIOTERAPIA. ORIENTADORA: Profa. ADRIANA CAIXETA O coordenador do Núcleo de Atividades Complementares NAC, nos termos da Resolução CONSUP Faculdade CESUC 002/2010, divulga abaixo a relação das BANCAS PÚBLICAS EXAMINADORAS DE TRABALHO DE CURSO do Curso

Leia mais

CURSO TURNO NOME DO ALUNO CLASSIFICAÇÃO STATUS ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA noturno ANA CLÁUDIA ARAUJO DA MOTA 0 Desclassificado ENGENHARIA

CURSO TURNO NOME DO ALUNO CLASSIFICAÇÃO STATUS ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA noturno ANA CLÁUDIA ARAUJO DA MOTA 0 Desclassificado ENGENHARIA CURSO TURNO NOME DO ALUNO CLASSIFICAÇÃO STATUS ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA noturno ANA CLÁUDIA ARAUJO DA MOTA 0 Desclassificado ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA noturno ANDRÊSSA CAIXETA SOUZA 0 Desclassificado

Leia mais

TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO DE ENFERMAGEM 1ª TURMA - 2005/2009 DIURNO

TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO DE ENFERMAGEM 1ª TURMA - 2005/2009 DIURNO TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO DE ENFERMAGEM 1ª TURMA - 2005/2009 DIURNO CASSIO CRISTIANNO PEREIRA LIMA ASSISTENCIA DE ENFERMAGEM A PACIENTES IDOSOS COM ENFISEMA PULMONAR DEBORA GUIMARÃES SILVA O DESAFIO

Leia mais

PROCESSO SELETIVO Nº 206/2015

PROCESSO SELETIVO Nº 206/2015 PROCESSO SELETIVO Nº 206/2015 O Sesc em Minas comunica a relação nominal com as notas da prova ocorrida entre os dias 07/06/2015 à 14/06/2015 Considerando o que está previsto no subitem 5.1.3.1 do Descritivo

Leia mais

Apresentação. Introdução. Francine Leite. Luiz Augusto Carneiro Superintendente Executivo

Apresentação. Introdução. Francine Leite. Luiz Augusto Carneiro Superintendente Executivo Evolução dos Fatores de Risco para Doenças Crônicas e da prevalência do Diabete Melito e Hipertensão Arterial na população brasileira: Resultados do VIGITEL 2006-2009 Luiz Augusto Carneiro Superintendente

Leia mais

DOCENTES DO CURSO DE BACHARELADO EM ENFERMAGEM CAMPUS AMÍLCAR FERREIRA SOBRAL

DOCENTES DO CURSO DE BACHARELADO EM ENFERMAGEM CAMPUS AMÍLCAR FERREIRA SOBRAL DOCENTES DO CURSO DE BACHARELADO EM ENFERMAGEM CAMPUS AMÍLCAR FERREIRA SOBRAL CHEFE DO CURSO DE ENFERMAGEM Profa. MSc. Izabel Cristina Falcão Juvenal Barbosa Possui graduação em Terapia Ocupacional pela

Leia mais

RESULTADO DA ANÁLISE CURRICULAR LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA

RESULTADO DA ANÁLISE CURRICULAR LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA APRENDIZAGEM MOTORA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO RESULTADO DA ANÁLISE CURRICULAR LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA ANA PAULA ZANINI DA SILVA DESCLASSIFICADA ITEM 2.1.1 LUIZ FERNANDO MARIANO MONTEIRO 47 PONTOS

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA DA APLICAÇÃO DA SISTEMATIZAÇÃO DE ENFERMAGEM COM RECÉM-NASCIDO EM MÉTODO CANGURU

RELATO DE EXPERIÊNCIA DA APLICAÇÃO DA SISTEMATIZAÇÃO DE ENFERMAGEM COM RECÉM-NASCIDO EM MÉTODO CANGURU RELATO DE EXPERIÊNCIA DA APLICAÇÃO DA SISTEMATIZAÇÃO DE ENFERMAGEM COM RECÉM-NASCIDO EM MÉTODO CANGURU SOARES, Marília Freitas Elias 1 MOREIRA, Michele Pontes 2 SILVA, Emanuele Nascimento 3 SILVA, Eliana

Leia mais

HIV/AIDS EM IDOSOS: UMA REVISÃO INTEGRATIVA DA LITERATURA

HIV/AIDS EM IDOSOS: UMA REVISÃO INTEGRATIVA DA LITERATURA HIV/AIDS EM IDOSOS: UMA REVISÃO INTEGRATIVA DA LITERATURA Fabiana Medeiros de Brito (NEPB/UFPB). E-mail: fabianabrito_@hotmail.com Eveline de Oliveira Barros (NEPB/UFPB). E-mail: evinhabarros@gmail.com

Leia mais

TÍTULO: ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM Á CRIANÇA NO PÓS-OPERATÓRIO IMEDIATO DE TRANSPLANTE CARDÍACO

TÍTULO: ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM Á CRIANÇA NO PÓS-OPERATÓRIO IMEDIATO DE TRANSPLANTE CARDÍACO TÍTULO: ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM Á CRIANÇA NO PÓS-OPERATÓRIO IMEDIATO DE TRANSPLANTE CARDÍACO CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: ENFERMAGEM INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO

Leia mais

USO DA VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA NO TRATAMENTO DE PORTADORES DE DOENÇA OBSTRUTIVA CRÔNICA DURANTE O EXERCÍCIO FÍSICO

USO DA VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA NO TRATAMENTO DE PORTADORES DE DOENÇA OBSTRUTIVA CRÔNICA DURANTE O EXERCÍCIO FÍSICO USO DA VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA NO TRATAMENTO DE PORTADORES DE DOENÇA OBSTRUTIVA CRÔNICA DURANTE O EXERCÍCIO FÍSICO Autoria: Inácia Regina Barbosa Leal (FCM-CG) Rosa Suênia da Camara Melo (Orientadora)

Leia mais

RESULTADO DO VESTIBULAR AGENDADO Provas: 22 MAIO 2010 (Sábado) CANDIDATOS APROVADOS

RESULTADO DO VESTIBULAR AGENDADO Provas: 22 MAIO 2010 (Sábado) CANDIDATOS APROVADOS RESULTADO DO VESTIBULAR AGENDADO Provas: 22 MAIO 2010 (Sábado) NOME Manoel Ribeiro Samyres de Nardo da Silva Simone Alves Gomes Martins Poliana Pinheiro Poletto OPÇÃO Enfermagem Noturno Biomedicina Noturno

Leia mais

COMÉRCIO INTERNACIONAL CURSO DE ECONOMIA

COMÉRCIO INTERNACIONAL CURSO DE ECONOMIA COMÉRCIO INTERNACIONAL CURSO DE ECONOMIA CLASSIFICAÇÕES DO SEGUNDO TESTE E DA AVALIAÇÃO CONTINUA Classificações Classificação Final Alex Santos Teixeira 13 13 Alexandre Prata da Cruz 10 11 Aleydita Barreto

Leia mais

BANCAS EXAMINADORAS DE TRABALHO DE CURSO (2015/2) CURSO DE FISIOTERAPIA. ORIENTADORA: Profa. ANA CAROLINA MESQUITA DO NASCIMENTO

BANCAS EXAMINADORAS DE TRABALHO DE CURSO (2015/2) CURSO DE FISIOTERAPIA. ORIENTADORA: Profa. ANA CAROLINA MESQUITA DO NASCIMENTO O coordenador do Núcleo de Atividades Complementares NAC, nos termos da Resolução CONSUP Faculdade CESUC 001/2015, divulga abaixo a relação das BANCAS PÚBLICAS EXAMINADORAS DE TRABALHO DE CURSO do Curso

Leia mais

PROTOCOLO DE PREVENÇÃO DE PNEUMONIA ASSOCIADA À VENTILAÇÃO MECÂNICA EIXO PEDIÁTRICO

PROTOCOLO DE PREVENÇÃO DE PNEUMONIA ASSOCIADA À VENTILAÇÃO MECÂNICA EIXO PEDIÁTRICO VENTILAÇÃO MECÂNICA EIXO PEDIÁTRICO E L A B O R A Ç Ã O Adriana de Oliveira Sousa Gerente daterapia Integrada ISGH Ana Karine Girão Lima Assessora Técnica da Educação Permanente ISGH Braulio Matias Coordenador

Leia mais

DIABETES MELLITUS: ADESÃO E CONHECIMENTO DE IDOSOS AO TRATAMENTO

DIABETES MELLITUS: ADESÃO E CONHECIMENTO DE IDOSOS AO TRATAMENTO DIABETES MELLITUS: ADESÃO E CONHECIMENTO DE IDOSOS AO TRATAMENTO Roberta Kelle de Araújo Melo (FACENE) - robertakamelo@hotmail.com Morganna Guedes Batista (FACENE) - morganna_guedes@hotmail.com Rayra Maxiana

Leia mais

Resultado Vestibular 2013/1 (2ª Chamada)

Resultado Vestibular 2013/1 (2ª Chamada) Resultado Vestibular 2013/1 (2ª Chamada) ADMINISTRAÇÃO 1 ARIELA RODRIGUES SILVA 2 CAROLINA DANTAS DOS SANTOS 3 CRISTIANE DA SILVA GUERREIRO 4 GABRYELLA BUENO DO CARMO 5 JESSICA RAMOS DA SILVA 6 JULIA DE

Leia mais

Boletim Epidemiológico Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Influenza: Monitoramento até a Semana Epidemiológica 37 de 2015

Boletim Epidemiológico Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Influenza: Monitoramento até a Semana Epidemiológica 37 de 2015 Boletim Epidemiológico Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Influenza: Monitoramento até a Semana Epidemiológica 37 de 2015 A vigilância da influenza no Brasil é composta pela vigilância

Leia mais

Campeonato de Inverno de NS FIGURAS CATEGORIA INFANTIL Vila Franca de Xira, 10 de Abril de 2015

Campeonato de Inverno de NS FIGURAS CATEGORIA INFANTIL Vila Franca de Xira, 10 de Abril de 2015 FIGURAS CATEGORIA INFANTIL 1 131962 Maria Lazutina 2 126201 Beatriz Cerqueira Teixeira 3 125652 Maria Tribuzi Melo 4 126262 Mariana Goncalves Carvalho 5 128715 Rita Manuela Silva 6 125651 Mafalda Ventura

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA DA APLICABILIDADE DA FISIOTERAPIA RESPIRATÓRIA EM CRIANÇAS HOSPITALIZADAS COM PNEUMONIA NOSOCOMIAL

ANÁLISE COMPARATIVA DA APLICABILIDADE DA FISIOTERAPIA RESPIRATÓRIA EM CRIANÇAS HOSPITALIZADAS COM PNEUMONIA NOSOCOMIAL Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 23 a 26 de outubro de 2007 ANÁLISE COMPARATIVA DA APLICABILIDADE DA FISIOTERAPIA RESPIRATÓRIA EM CRIANÇAS HOSPITALIZADAS COM PNEUMONIA NOSOCOMIAL Gabriela

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA TRIÂNGULO MINEIRO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA TRIÂNGULO MINEIRO ANEXO II INSCRIÇÕES HOMOLOGADAS CANDIDATOS AUTODECLARADOS NEGROS EDITAL 74 DE 03/12/2015 TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM ADUCAÇÃO INSCRICAO CAMPUS CARGO NOME 19941 CAMPUS PATROCÍNIO TÉCNICO EM ALEX DE SOUZA

Leia mais

NÍVEL DE CONHECIMENTO DOS PROFISSIONAIS ENFERMEIROS SOBRE A SAÚDE DO HOMEM NO MUNICÍPIO DE CAJAZEIRAS-PB.

NÍVEL DE CONHECIMENTO DOS PROFISSIONAIS ENFERMEIROS SOBRE A SAÚDE DO HOMEM NO MUNICÍPIO DE CAJAZEIRAS-PB. NÍVEL DE CONHECIMENTO DOS PROFISSIONAIS ENFERMEIROS SOBRE A SAÚDE DO HOMEM NO MUNICÍPIO DE CAJAZEIRAS-PB. Antonio José Barbosa Neto (ajbneto_@hotmail.com) 1 Ceciliana Araújo Leite (cecidemais@hotmail.com)

Leia mais

ATENÇÃO PRIMÁRIA (SAÚDE COLETIVA, PROMOÇÃO DA SAÚDE E SEMELHANTES)

ATENÇÃO PRIMÁRIA (SAÚDE COLETIVA, PROMOÇÃO DA SAÚDE E SEMELHANTES) ATENÇÃO PRIMÁRIA (SAÚDE COLETIVA, PROMOÇÃO DA SAÚDE E SEMELHANTES) ID: 102 A PREVENÇÃO E PROMOÇÃO DA SAÚDE ENTRE CRIANÇAS POR MEIO DA RISOTERAPIA: RELATO DE EXPERIÊNCIA Profa. Esp. Andréa Savietto (UNIANCHIETA)

Leia mais

CÁRDIO/ RESPIRATÓRIA Terça Feira, dia 02/12, as 14:00 h Sala de vídeo 4 Horário aluno tema orientador

CÁRDIO/ RESPIRATÓRIA Terça Feira, dia 02/12, as 14:00 h Sala de vídeo 4 Horário aluno tema orientador CÁRDIO/ RESPIRATÓRIA Terça Feira, dia 02/12, as 14:00 h Sala de vídeo 4 14:00 Osmar da Silva Guimarães 14:30 Iuri Ferreira de Macedo Efeitos da hiperinsuflação manual e da PEEP-ZEEP como recurso de THB

Leia mais

GRUPOS DE ATIVIDADES EDUCATIVAS PARA OS PROGRAMAS DE ASSISTÊNCIA AO HIPERTENSO, DIABÉTICOS E IDOSO DA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE JATAÍ-GO*.

GRUPOS DE ATIVIDADES EDUCATIVAS PARA OS PROGRAMAS DE ASSISTÊNCIA AO HIPERTENSO, DIABÉTICOS E IDOSO DA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE JATAÍ-GO*. GRUPOS DE ATIVIDADES EDUCATIVAS PARA OS PROGRAMAS DE ASSISTÊNCIA AO HIPERTENSO, DIABÉTICOS E IDOSO DA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE JATAÍ-GO*. SILVA, Kelvia Donato¹; SILVA, Lorrayne Emanuela Duarte¹;

Leia mais

Este estudo foi desenvolvido considerando: o índice de mortalidade infantil ocorrido em UTI Neonatal; assim como a necessidade emergente da prática

Este estudo foi desenvolvido considerando: o índice de mortalidade infantil ocorrido em UTI Neonatal; assim como a necessidade emergente da prática Este estudo foi desenvolvido considerando: o índice de mortalidade infantil ocorrido em UTI Neonatal; assim como a necessidade emergente da prática da humanização no cenário atual, indicador inclusive

Leia mais

Belo Horizonte, 28 de setembro 2015.

Belo Horizonte, 28 de setembro 2015. Certifico que, Ademir dos Santos Ferreira, participou da palestra Logística Urbana, ministrada pelo Certifico que, Almir Junio Gomes Mendonça, participou da palestra Logística Urbana, ministrada pelo Engenheiro

Leia mais

Obs.: poderá ocorrer mudanças na lista.

Obs.: poderá ocorrer mudanças na lista. ALUNOS APTOS PARA PARTICIPAREM DA COLAÇÃO DE GRAU 2015/2 Obs.: poderá ocorrer mudanças na lista. AGRIMENSURA Nº NOME PENDÊNCIAS 1 Ana Claudia Nardes Carvalho OK 2 Caio Cesar dos Anjos Carneiro OK 3 Carine

Leia mais

ALCATEIA ACAGRUP 2014 - SIERRA NORTE - MADRID - ESPANHA PARTICIPANTES: 26 60% INCIDÊNCIA NO GRUPO 20%

ALCATEIA ACAGRUP 2014 - SIERRA NORTE - MADRID - ESPANHA PARTICIPANTES: 26 60% INCIDÊNCIA NO GRUPO 20% ALCATEIA Sec NIN NOME NIN NOME Lob 1215050143005 Alice Neto Santos Nascimento 1215050143015 Afonso da Fonseca Machado Lob 1215050143010 Amélia Maria Mesquita Aleixo Alves 1115050143010 Afonso Jesus Dias

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: : PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: Tupã Eixo Tecnológico: Ambiente e Saúde Habilitação Profissional:Técnico em enfermagem Qualificação:

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO PROCESSO SELETIVO 2015 PROVA ESCRITA DE CONHECIMENTO JURÍDICO DOUTORADO

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO PROCESSO SELETIVO 2015 PROVA ESCRITA DE CONHECIMENTO JURÍDICO DOUTORADO BANCA: D-01D LINHA DE PESQUISA: DIREITOS HUMANOS E ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO: FUNDAMENTAÇÃO, PARTICIPAÇÃO E EFETIVIDADE ÁREA DE ESTUDO: DIREITO POLÍTICO SALA: 501 Carlos Athayde Valadares Viegas Ricardo

Leia mais

151713 - Agrupamento de Escolas de Mosteiro e Cávado 346652 - Escola E.B.2,3 do Cávado. Relação de Alunos

151713 - Agrupamento de Escolas de Mosteiro e Cávado 346652 - Escola E.B.2,3 do Cávado. Relação de Alunos 3452 - Escola E.B.2,3 do Cávado : A 137 1 Adriana Manuela Gomes Pinheiro 14 S S 20 2 Alexandra Pereira Ferreira 28 3 Ângelo Rafael Araújo Gomes S 28 4 Beatriz da Costa Oliveira S 2 5 Domingos Gonçalo Ferreira

Leia mais

INSTITUTO DE DOENÇAS CARDIOLÓGICAS

INSTITUTO DE DOENÇAS CARDIOLÓGICAS Página: 1/7 1- CONSIDERAÇÕES GERAIS 1.1- As doenças cardiovasculares são, ainda hoje, as principais responsáveis pela mortalidade na população geral, no mundo ocidental. Dentre as inúmeras patologias que

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM DIAGNÓSTICO POR IMAGEM DO TÓRAX

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM DIAGNÓSTICO POR IMAGEM DO TÓRAX PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM DIAGNÓSTICO POR IMAGEM DO TÓRAX 1. Nome do Curso e Área de Conhecimento: Curso de Especialização em Diagnóstico por Imagem do Tórax 4.01.00.00-6

Leia mais

Danieli Sousa de Oliveira

Danieli Sousa de Oliveira Danieli Sousa de Oliveira Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/6302018416992298 Última atualização do currículo em 25/08/2013 Graduada em Fisioterapia pela Faculdade Católica Rainha do

Leia mais

MORBIDADE E MORTALIDADE POR NEOPLASIAS NO ESTADO DE PERNAMBUCO

MORBIDADE E MORTALIDADE POR NEOPLASIAS NO ESTADO DE PERNAMBUCO MORBIDADE E MORTALIDADE POR NEOPLASIAS NO ESTADO DE PERNAMBUCO Edmilson Cursino dos Santos Junior (1); Renato Filipe de Andrade (2); Bianca Alves Vieira Bianco (3). 1Fisioterapeuta. Residente em Saúde

Leia mais

31º Curso Normal de Magistrados para os Tribunais Judiciais

31º Curso Normal de Magistrados para os Tribunais Judiciais A 796 Neuza Soraia Rodrigues Carvalhas Direito e Processual 729 Maria Teresa Barros Ferreira Direito e Processual 938 Rute Isabel Bexiga Ramos Direito e Processual 440 Inês Lopes Raimundo Direito e Processual

Leia mais

Melhor em Casa Curitiba-PR

Melhor em Casa Curitiba-PR Melhor em Casa Curitiba-PR ATENÇÃO DOMICILIAR Modalidade de Atenção à Saúde, substitutiva ou complementar às já existentes, caracterizada por um conjunto de ações de promoção à saúde, prevenção e tratamento

Leia mais

11º GRANDE PRÉMIO DE S.JOSÉ

11º GRANDE PRÉMIO DE S.JOSÉ 11º GRANDE PRÉMIO DE S.JOSÉ 1 FRANCISCO PEREIRA 36 SENIOR MASC. VITÓRIA S.C. 20.23 2 ANDRE SANTOS 48 SENIOR MASC. C.A.O.VIANENSE 20.27 3 JORGE CUNHA 3 SENIOR MASC. S.C.MARIA DA FONTE 21.14 4 DOMINGOS BARROS

Leia mais

REVASCULARIZAÇÃO DO MIOCÁRDIO:COMPLICAÇÕES E CUIDADOS DE ENFERMAGEM NO PÓS-OPERATÓRIO IMEDIATO

REVASCULARIZAÇÃO DO MIOCÁRDIO:COMPLICAÇÕES E CUIDADOS DE ENFERMAGEM NO PÓS-OPERATÓRIO IMEDIATO REVASCULARIZAÇÃO DO MIOCÁRDIO:COMPLICAÇÕES E CUIDADOS DE ENFERMAGEM NO PÓS-OPERATÓRIO IMEDIATO Sara Priscila Constantino de Castro. UNIFACEX. E-mail: sarapryscyla@hotmail.com Ana Elza Oliveira de Mendonça.

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COMISSÃO DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL E EM ÁREA PROFISSIONAL DA SAÚDE -COREMU PROGRAMA DE RESIDÊNCIA EM ÁREA PROFISSIONAL DA SAÚDE EM MEDICINA VETERINÁRIA Edital nº: 03/2015 PROPPG/UFERSA

Leia mais

As disfunções respiratórias são situações que necessitam de intervenções rápidas e eficazes, pois a manutenção da função

As disfunções respiratórias são situações que necessitam de intervenções rápidas e eficazes, pois a manutenção da função As disfunções respiratórias são situações que necessitam de intervenções rápidas e eficazes, pois a manutenção da função respiratória é prioritária em qualquer situação de intercorrência clínica. O paciente

Leia mais

RESOLUÇÃO No- 454, DE 25 DE ABRIL DE 2015

RESOLUÇÃO No- 454, DE 25 DE ABRIL DE 2015 RESOLUÇÃO No- 454, DE 25 DE ABRIL DE 2015 Reconhece e disciplina a Especialidade Profissional de Fisioterapia Cardiovascular. O Plenário do Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (COFFITO),

Leia mais

FATORES ASSOCIADOS À ADESÃO E ABANDONO DO TRATAMENTO DA TUBERCULOSE

FATORES ASSOCIADOS À ADESÃO E ABANDONO DO TRATAMENTO DA TUBERCULOSE FATORES ASSOCIADOS À ADESÃO E ABANDONO DO TRATAMENTO DA TUBERCULOSE Arieli Rodrigues Nóbrega Videres¹- arieli.nobrega@hotmail.com Layz Dantas de Alencar²- layzalencar@gmail.com ¹ Professora mestre do curso

Leia mais

1.1.8 ESPECIALISTA EM REGULAÇÃO DE SERVIÇOS DE TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS QUALQUER ÁREA DE FORMAÇÃO/BELÉM 10057072, Augusto Rolim Dias Arruda, 68.

1.1.8 ESPECIALISTA EM REGULAÇÃO DE SERVIÇOS DE TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS QUALQUER ÁREA DE FORMAÇÃO/BELÉM 10057072, Augusto Rolim Dias Arruda, 68. MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS (ANTAQ) CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS NOS CARGOS DE ESPECIALISTA EM REGULAÇÃO DE SERVIÇOS DE TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS,

Leia mais

CONCEPÇÕES DE IDOSOS ACERCA DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM PARA UM ENVELHECER SAUDÁVEL

CONCEPÇÕES DE IDOSOS ACERCA DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM PARA UM ENVELHECER SAUDÁVEL CONCEPÇÕES DE IDOSOS ACERCA DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM PARA UM ENVELHECER SAUDÁVEL Ocilma Barros de Quental. Faculdade de Medicina do ABC(ocilmaquental2011@hotmail.com) Sheylla Nadjane Batista Lacerda.

Leia mais

A EVITABILIDADE DE MORTES POR DOENÇAS CRÔNICAS E AS POLÍTICAS PÚBLICAS VOLTADAS AOS IDOSOS

A EVITABILIDADE DE MORTES POR DOENÇAS CRÔNICAS E AS POLÍTICAS PÚBLICAS VOLTADAS AOS IDOSOS A EVITABILIDADE DE MORTES POR DOENÇAS CRÔNICAS E AS POLÍTICAS PÚBLICAS VOLTADAS AOS IDOSOS Niedja Maria Coelho Alves* nimacoal@hotmail.com Isabelle Carolline Veríssimo de Farias* belleverissimo@hotmail.com

Leia mais

Efeitos da fisioterapia na força muscular respiratória do idoso: revisão de literatura

Efeitos da fisioterapia na força muscular respiratória do idoso: revisão de literatura Efeitos da fisioterapia na força respiratória do idoso: revisão de literatura Flávia Alves de Abreu 1, Ingrid Maziero Cheles 1, Maíra de Freitas Souza 1, Michelle Pereira Lima 1, Rafael Bossolan 1, Andréa

Leia mais

CUIDADOS FISIOTERAPÊUTICOS NO PÓS OPERATÓRIO DE. Lígia Maria Coscrato Junqueira Silva Fisioterapeuta RBAPB Hospital São Joaquim

CUIDADOS FISIOTERAPÊUTICOS NO PÓS OPERATÓRIO DE. Lígia Maria Coscrato Junqueira Silva Fisioterapeuta RBAPB Hospital São Joaquim CUIDADOS FISIOTERAPÊUTICOS NO PÓS OPERATÓRIO DE ANEURISMAS CEREBRAIS Lígia Maria Coscrato Junqueira Silva Fisioterapeuta RBAPB Hospital São Joaquim AVALIAÇÃO FISIOTERAPÊUTICA Nível de consciência Pupilas

Leia mais

161718 - Agrupamento Escolas Castro Daire 343717 - Escola Básica dos 2.º e 3.º Ciclos de Castro Daire. Relação de Alunos

161718 - Agrupamento Escolas Castro Daire 343717 - Escola Básica dos 2.º e 3.º Ciclos de Castro Daire. Relação de Alunos 343717 - Escola Básica dos 2.º e 3.º s de Castro Daire Turma : A 1498 1 Ana Catarina Costa Esteves 14920 2 Ana Francisca da Silva Fernandes 16292 3 Beatriz Monteiro Andrade 14409 4 Camila Almeida Oliveira

Leia mais

29 de novembro de 2013 SUMÁRIO

29 de novembro de 2013 SUMÁRIO Câmpus Alfenas 29 de novembro de 2013 SUMÁRIO GRUPO 1: Aline, Angélica, Daniele, Eliana, Fabiana e Juciara... 2 GRUPO 2: Danielle, Fernanda, Izilda, Luciene, Luísa, Mariana, Rosana, Sidnea, Viviane Carvalho

Leia mais

INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS

INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS TÍTULO: DIABETES MELLITUS TIPO II E O ANTIDIABÉTICO METFORMINA CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: BIOMEDICINA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS

Leia mais

1. INTRODUÇÃO...3 2. TIPOS DE TRANSPORTE...3. 2.1 Transporte intra-hospitalar:...4. 2.2Transporte inter-hospitalar:...6

1. INTRODUÇÃO...3 2. TIPOS DE TRANSPORTE...3. 2.1 Transporte intra-hospitalar:...4. 2.2Transporte inter-hospitalar:...6 1 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...3 2. TIPOS DE TRANSPORTE...3 2.1 Transporte intra-hospitalar:...4 2.2Transporte inter-hospitalar:...6 3. SEGURANÇA E CONTRA-INDICAÇÕES...7 4. CONSIDERAÇÕES...9 5. CRITICIDADE DE

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Ambiente e Saúde Habilitação Profissional: Especialização Profissional Técnica

Leia mais

Edital 04/13 - Inglês Grupo 1

Edital 04/13 - Inglês Grupo 1 Edital 04/13 - Inglês Grupo 1 1º DANIELLE OLIVEIRA LELIS GONRING 74,00 25,90 62,00 18,60 100,00 15,00 89,00 17,80 77,30 2º MARA CORRÊA SENNA 96,00 33,60 41,00 12,30 94,00 14,10 83,00 16,60 76,60 3º CAROLINA

Leia mais

Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superio Resultados da 1ª Fase do Concurso Nacional de Acesso de 2011

Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superio Resultados da 1ª Fase do Concurso Nacional de Acesso de 2011 14286394 ALBANO LUIS ANDRADE PEREIRA Não colocado 14388714 ANA BEATRIZ MARTINS MACHADO Colocada em 3133 9104 14371141 ANA CATARINA MOREIRA LEAL Colocada em 7003 14319342 ANA CATARINA SOUSA RIBEIRO Colocada

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE COLETIVA

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE COLETIVA DO CHS Vivian Heringer Pizzinga APROVADO 1 Luiza do Carmo Louzada APROVADO 2 Thais Klein de Angelis APROVADO 3 Alessandra Teixeira Marques Pinto APROVADO 4 Mercedes Duarte e Silva APROVADO 5 Carlos Emmanuel

Leia mais

PROCESSO SELETIVO RESIDÊNCIA MÉDICA 2015 CLASSIFICAÇÃO GERAL POR CURSO

PROCESSO SELETIVO RESIDÊNCIA MÉDICA 2015 CLASSIFICAÇÃO GERAL POR CURSO Inscrição GILBRAN COSTA GUIMARÃES 003020851100087 662,64 Cirurgia Geral 1 * MARCELA SILVA VIEIRA 003027851100098 655,49 Cirurgia Geral 2 * GUTENBERG DINIZ BORBOREMA 003021851100096 619,4 Cirurgia Geral

Leia mais

PALAVRAS CHAVE Diabetes mellitus tipo 2, IMC. Obesidade. Hemoglobina glicada.

PALAVRAS CHAVE Diabetes mellitus tipo 2, IMC. Obesidade. Hemoglobina glicada. 11. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA AVALIAÇÃO

Leia mais

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO VICE REITORIA DE ENSINO DE PÓS GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO PRÓ REITORIA DE EXTENSÃO E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO VICE REITORIA DE ENSINO DE PÓS GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO PRÓ REITORIA DE EXTENSÃO E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO VICE REITORIA DE ENSINO DE PÓS GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO PRÓ REITORIA DE EXTENSÃO E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS FORMAÇÃO DE EQUIPES DE ALUNOS QUE PARTICIPARÃO DOS 5º JOGOS MUNDIAIS

Leia mais

Fóruns Científicos e Simpósio Multidisciplinar

Fóruns Científicos e Simpósio Multidisciplinar Fóruns Científicos e Simpósio Multidisciplinar Comissão dos Fóruns Científicos e do Simpósio Multidisciplinar Coordenação Geral Abdol Hakim Assef Fórum de Educação Física & Fisioterapia em Cardiologia

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ UECE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ UECE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ UECE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM Autores: Ilse Maria Tigre de Arruda Leitão, Sherida Kananini Paz de Oliveira, Roberta Meneses Oliveira, Nayane Silva Mendes, Renata

Leia mais

MODIFICAÇÕES NA FLEXIBILIDADE E NA FORÇA MUSCULAR EM PACIENTES COM DOR LOMBAR TRATADOS COM ISOSTRETCHING E RPG

MODIFICAÇÕES NA FLEXIBILIDADE E NA FORÇA MUSCULAR EM PACIENTES COM DOR LOMBAR TRATADOS COM ISOSTRETCHING E RPG 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 MODIFICAÇÕES NA FLEXIBILIDADE E NA FORÇA MUSCULAR EM PACIENTES COM DOR LOMBAR TRATADOS COM ISOSTRETCHING E RPG Fábio Alexandre Moreschi Guastala 1, Mayara

Leia mais