Organização Sete de Setembro de Cultura e Ensino LTDA Faculdade Sete de Setembro FASETE Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Organização Sete de Setembro de Cultura e Ensino LTDA Faculdade Sete de Setembro FASETE Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação"

Transcrição

1 Organização Sete de Setembro de Cultura e Ensino LTDA Faculdade Sete de Setembro FASETE Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação Camila de Souza Sá Uma Abordagem sobre Casas Inteligentes como Auxílio às Pessoas com Necessidades Especiais PAULO AFONSO BA Novembro/2011

2 Camila de Souza Sá Uma Abordagem sobre Casas Inteligentes como Auxílio às Pessoas com Necessidades Especiais Trabalho de conclusão de Curso apresentado ao curso de Bacharelado em Sistemas de Informação, da Faculdade Sete de Setembro FASETE, como requisito para avaliação conclusiva. Orientador: Prof. Msc. Fabiano Amorim Vaz. PAULO AFONSO BA Novembro/2011

3 Camila de Souza Sá Uma Abordagem sobre Casas Inteligentes como Auxílio às Pessoas com Necessidades Especiais Trabalho de conclusão de Curso apresentado ao curso de Bacharelado em Sistemas de Informação, da Faculdade Sete de Setembro FASETE, como requisito para avaliação conclusiva. Orientador: Prof. Msc. Fabiano Amorim Vaz. Data de aprovação / / BANCA EXAMINADORA Prof. Msc. Fabiano Amorim Vaz (Orientador). Prof. Esp. Ricardo Azevedo Porto. Prof. Esp. Igor de Oliveira Costa. PAULO AFONSO BA Novembro/2011

4 Tentar não significa conseguir, mas todos que conseguiram tentaram. Lili Bolero

5 AGRADECIMENTOS Esse é um daqueles momentos que perdemos o fôlego de tanta EMOÇÃO. A certeza de um SONHO realizado "Se chorei ou se sorri, o IMPORTANTE é que EMOÇÕES eu vivi!" Agradeço primeiramente a DEUS por conceder-me mais uma graça de tantas que já tem me ofertado. Obrigada Senhor, por essa vitória e por nunca me abandonar, por se fazer presente em mim, e me dar o dom de sentir sua Misericórdia Divina para comigo. Agradeço a minha Mãezinha do Céu, minha MÃE RAINHA SANTÍSSIMA obrigada por sempre me proteger e interceder por mim ao Pai. Obrigada por cobrir a minha vida, o meu lar e a minha família, com Vosso Manto Sagrado! Protegendo assim, de todos os males. Agradeço inteiramente aos meus pais PELO AMOR INCONDICIONAL. Pois, foram às pessoas que mais sofreram com meu stress por conta deste trabalho, agradeço pela santa paciência deles durante todos esses anos comigo, porque tem horas que sou insuportável, MEUS AMORES, eles são as pessoas mais importantes na minha vida e principalmente na realização deste sonho, vocês construíram para formação do meu caráter, me deram a vida, me fizeram ser o que sou hoje. Sou inteiramente grata a DEUS, por me conceder de presente as minhas duas JÓIAS preciosas SUELI ROSA DE SOUZA SÁ e OSMANDO ANTÔNIO DE SÁ eles cuidam de mim há 28 anos e me fazem acreditar que sou capaz de vencer limites e realizar meus SONHOS que são deles também. Ser VENCEDORA SEMPRE esse é o maior desejo deles para mim. Obrigada por este momento INESQUECÍVEL PAINHO e MAINHA DEUS...AMO MUITO VOCÊS!!!!! Também, não podendo deixar de mencionar uma pessoinha que sempre será muito especial em minha vida, apesar de não mais estar entre nós, mas sei que Deus está cuidando dele até o nosso próximo encontro, não é Vovô?. Meu querido ANTÔNIO GOMES DE SÁ Antônio de Velho, assim conhecido por todos, pois é vovô dedico este trabalho inteiramente a ti, pois sua neta TE AMA MUITO VÔ. Sei o quanto sou especial pra ti, e o quanto me AMA, porque sei

6 que está do meu lado sempre, posso sentir. O senhor faz muita falta muita mesmo, mas o mais importante o senhor deixou antes de partir, que foi o respeito, o amor, o carinho, a dedicação, a honestidade, a humildade, a perseverança, a bondade, para com seus NETOS, FILHOS, IRMÃOS, AMIGOS e PARA TODA FAMÍLIA, e o mais importante de tudo, o senhor ensinou, que a FÉ em DEUS é à base de tudo. Com lágrimas sobre a face deixo aqui VOVÔ meus ETERNOS agradecimentos, por ter me ensinado muito e mostrar que nesse mundo ainda podemos viver como seres humanos dignos, íntegros, verdadeiros e puros de coração. Ô moleca danada (como sempre me chamava). PRA SEMPRE TE AMAREI MEU VÔZINHO. Em especial a minha madrinha MARIA DAS GRAÇAS DE SÁ LIMA, pelo amor, incentivo e confiança. Por sempre estar ao meu lado me ajudando, principalmente nos momentos em que mais preciso, ela se faz presente. MUITO OBRIGADA MADRINHA, TE AMO MUITO! Ao meu querido irmão FERNANDO HENRIQUE, por todo amor e carinho. Lila TE AMA neguinho. Ao meu namorado ADOLFO DANIEL, pelo amor, apoio e compreensão durante essa caminhada. TE AMOOOO, MEU AMOR! A Todos os alunos da turma de Sistemas de Informação que colaboraram direta ou indiretamente para minha formação, em especial minha amiga JADE DAFNE. Obrigada amiga! Aos professores da FASETE que passaram todo o conhecimento necessário, contribuindo que chegasse até aqui. Em especial ao meu orientador FABIANO AMORIM VAZ, pelo apoio, ideais, compreensão e por ser uma boa pessoa, RICARDO PORTO, ANTÔNIO HENRIQUE, IGOR COSTA E IGOR VANDERLEI, obrigada pela dedicação, apoio, compreensão e por serem amigos. Vou sentir falta de vocês, meus mestres!

7 SÁ, Camila de Souza. Uma abordagem sobre Casas Inteligentes como Auxílio às Pessoas com Necessidades Especiais f. Monografia (Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação). Faculdade Sete de Setembro FASETE. Paulo Afonso (BA). RESUMO A real essência deste trabalho é uma abordagem teórica sobre a tecnologia Domótica e os benefícios que ela trás, exclusivamente, para pessoas com necessidades especiais. Por ser uma tecnologia que oferece um conjunto de soluções agregadas em um único ambiente, ela pode auxiliar as pessoas nas atividades rotineiras do lar. Pois ela apresenta aplicações que podem dar suporte às pessoas com necessidades, tornando algo mais simples de ser administrado. Porém, a falta de conhecimento dessa tecnologia, é limitada a um grupo ainda pequeno de usuários. As residências associadas ao uso da Domótica proporcionam as pessoas maior conforto, segurança, agilidade em suas tarefas, praticidade e comodidade, entre outras aplicações. Ajudando assim a amenizar o isolamento de pessoas que possuem alguma deficiência, a viverem mais independentes e com mais autonomia. Palavras-chave: Benefícios. Domótica. Pessoas com necessidades especiais. Residências.

8 SÁ, Camila de Souza. An approach to Intelligent Houses as Aid to People with Special Needs f. Monograph (Course of Bachelor of Information Systems). School of Seven in September FASETE. Paulo Afonso (BA). ABSTRACT The real essence of this paper is a theoretical approach about Home Automation technology and the benefits it brings, exclusively for people with special needs. Being a technology that offers a set of solutions aggregated into a single environment, it can help people in the routine activities of the home. For it has applications that can support people in need, making something simpler to run. However, the lack of knowledge of this technology is still limited to a small group of users. The residences associated with the use of the people Home Automation provides added comfort, safety, agility in their tasks, practicality and convenience, among other applications. Thus helping to alleviate the isolation of people with a disability, to live more independent and more autonomy. Key-words: Benefits. Home automation. People with special needs. Residences.

9 SUMÁRIO CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES INICIAIS CONTEXTUALIZAÇÃO JUSTIFICATIVA PROBLEMAS DE PESQUISA HIPÓTESES OBJETIVOS Geral Específicos METODOLOGIA APLICADA ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO CAPÍTULO II DOMÓTICA INTRODUÇÃO BENEFÍCIOS DA DOMÓTICA Conforto, Bem Estar e Qualidade de Vida Função de Gestão Segurança Função de Assistência e Saúde Apoio a utilizadores com Necessidades Especiais Eficiência e Economia de energia Comunicação Controle CAPÍTULO III PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS INTRODUÇÃO SUAS LIMITAÇÕES Motora Sensorial Intelectual Múltipla CAPÍTULO IV DOMÓTICA PARA PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS BENEFÍCIOS POR GRUPOS DE NECESSIDADES ESPECIAIS Idosos Deficientes Visuais... 33

10 4.1.3 Deficientes Auditivos Cadeirantes CONSIDERAÇÕES FINAIS CONSIDERAÇÕES FINAIS CONCLUSÃO TRABALHOS FUTUROS REFERÊNCIAS... 41

11 P á g i n a 9 CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES INICIAIS

12 P á g i n a CONSIDERAÇÕES INICIAIS 1.1 CONTEXTUALIZAÇÃO Quando surgiram os primeiros computadores, estes eram utilizados em grandes instituições, pois possuíam um alto custo. Com o avanço da tecnologia e a redução dos custos de produção destes equipamentos, foram produzindo ao longo do tempo produtos com custos otimizados e adaptados em diversas áreas, como comércio, indústrias, educação, comunicação e órgãos governamentais. Atualmente, a tecnologia está bem mais acessível, é difícil citar um ramo que a informática não esteja presente. Desde os carros no trânsito inspecionados por satélites à automação de suas residências, oferecendo assim, tecnologia como fonte continuada de segurança e comodidade das atividades domésticas. Definindo essas premissas, a humanidade busca cada vez mais conforto, sofisticação e segurança, auxiliada pelos sistemas inteligentes e computadores. Sobre as novidades tecnológicas, muito se fala que irão equipar os lares no futuro próximo, porém, já existem tecnologias, projetos, estudos e residências definitivamente funcionando através dos recursos da automação. A Automação Residencial apresenta um conjunto de soluções para as pessoas, de modo geral, bem como com alguma necessidade especial, pois reúnem numa única plataforma todos os comandos que devem ser utilizados para realizar o gerenciamento de uma casa, com segurança, comodidade e bemestar, auxiliados pela automação e que podem ser ligados através de pequenos painéis instalados no meio habitacional ou por dispositivos móveis como celulares, tablets 1 touchscreen 2, palm tops ou computador. Este estudo incide sobre os benefícios da Domótica e suas adaptações. Visando assim, apresentar aspectos inerentes a aplicabilidade da Domótica 1 Tablet Dispositivo pessoal em formato de prancheta que pode ser usado para acesso a internet, organização pessoal, visualização de fotos, vídeos, leitura de livros, jornais e revistas e para entretenimento com jogos 3D. Apresenta uma tela touchscreen que é o dispositivo de entrada principal (WIKIPÉDIA, 2011). 2 Touchscreen Tela de toque, sensível à pressão, dispensando assim a necessidade de outro periférico de entrada de dados, como o teclado. Pode ser ativado com a pressão de um dedo ou de uma caneta de feltro (sem tinta) (WIKIPÉDIA, 2011).

13 P á g i n a 11 para auxiliar pessoas que possuam algum tipo de necessidade especial, seja esta locomotiva, auxílio médico, visual, auditiva, física ou, apenas, segurança. 1.2 JUSTIFICATIVA Atualmente, as pessoas não só buscam meios de segurança, como também de facilitar suas atividades, de maneira a economizar tempo, oferecendo assim melhor conforto e bem-estar. Segundo Bolzani (2004), Para um portador de deficiência, faz muita diferença ser capaz de ligar ou desligar luzes e equipamentos a partir de uma cadeira de rodas ou da cama. A finalidade deste estudo é mostrar a importância da Automação Residencial na vida de pessoas com alguma necessidade especial, identificando os benefícios que podem melhorar a qualidade de vida dessas pessoas, de forma a se tornar algo simples de ser administrado. Mesmo que alguns não consigam compreender essas novas tecnologias, ou vejam como luxo desnecessário, é crescente o seu uso no mercado. Porém, quando se trata da aplicação específica da Domótica para facilitar a vida de pessoas com necessidades especiais o assunto ainda é escasso. Devido à necessidade de solucionar problemas para fomentar a automação e seus benefícios, foi escolhido este tema. Enfatizando a relevância das informações para que possa ser entendido o grau de importância. É de grande relevância o trabalho em questão, pois para uma pessoa com necessidade especial, a condição de viver sozinha em sua residência pode ser sua opção de independência e a Domótica, por meio de suas aplicações, oferece elementos para dar suporte a essa opção. 1.3 PROBLEMAS DE PESQUISA No mundo atual, existem pessoas demarcadas por conta de suas necessidades especiais, tais como idosos, deficientes auditivos, visuais e físicos, entre outros. São pessoas, ainda, marcadas por contrastes e desigualdades sociais. Portanto este ainda é um problema a ser tratado.

14 P á g i n a 12 Essas pessoas por apresentarem tais necessidades, muitas vezes são excluídas do âmbito social, a começar do seu próprio lar. Pessoas deficientes ou com alguma dificuldade de locomoção sofrem, de certa forma, um isolamento por não poderem, muitas vezes, executar algumas atividades por mais simples que sejam como fechar portas, abrir janelas, ligar e desligar aparelhos, atender ao telefone ou uma chamada de interfone, deslocar-se de um lugar para outro. Atividades estas, que para um cadeirante, um deficiente visual, auditivo ou um idoso, ficam difíceis de ser executadas em uma casa, sem nenhum auxilio. A Domótica, de um modo geral, possui técnicas que podem auxiliar as pessoas dentro do contexto residencial, no entanto, pessoas com necessidades especiais, podem fazer uso dessas tecnologias para suprirem suas necessidades dentro do lar. Diante desses aspectos, formula-se o seguinte problema de pesquisa: De que forma as casas inteligentes podem melhorar a qualidade de vida de pessoas com necessidades especiais, minimizando os impactos e desafios que possam encontrar em uma residência tradicional? 1.4 HIPÓTESES Com base no conhecimento adquirido na pesquisa exploratória, a Domótica poderá auxiliar as pessoas com necessidades especiais da seguinte forma: Proporcionar uma série de vantagens para melhorar sua qualidade de vida. Onde cada cômodo da casa estaria equipado de acordo com a necessidade de cada um, aumentando o conforto, bem estar e segurança. Um exemplo dessas vantagens é a interação do morador com os equipamentos, da casa, através de um controle remoto facilitando a execução de tarefas rotineiras. A automação de residências poderá auxiliar as pessoas com necessidades especiais na realização de tarefas do seu cotidiano, de maneira a facilitar suas vidas, pois, possui tecnologias específicas que oferecem suporte na administração de uma casa, nas diversas formas de necessidades de um lar.

15 P á g i n a OBJETIVOS Geral Analisar os aspectos importantes das residências inteligentes, com a abordagem orientada no auxílio de habitantes com necessidades especiais Específicos Realizar uma análise teórica sobre a influência da Domótica nas atividades cotidianas do lar; Desenvolver um estudo centrado nos benefícios que uma residência agregada ao uso da Domótica pode proporcionar as pessoas com necessidades especiais. 1.6 METODOLOGIA APLICADA O método utilizado foi de pesquisa bibliográfica exploratória, ou seja, foi feita uma revisão bibliográfica de livros, artigos científicos, dissertações, teses e internet, com o objetivo de reunir o maior número de informações sobre o tema. A pesquisa bibliográfica abrange a leitura, análise e interpretação de livros periódicos, textos, etc. Todo material recolhido foi referente ao assunto abordado, de maneira a buscar um fundamento das idéias expostas no decorrer do trabalho. O material recolhido foi submetido a uma seleção, a partir da qual foi possível estabelecer um plano de leitura. Tratando-se de uma leitura atenta acompanhada de anotações, que serviram para o fundamento teórico do estudo. O objetivo de uma pesquisa exploratória é proporcionar maior familiaridade com o problema, visando construir hipóteses ou torná-lo mais explícito, e tendo como objetivo principal o aprimoramento das idéias ou a descoberta de intuições. Seu planejamento é bastante flexível, de modo que possibilite a consideração dos mais variados aspectos relativos ao fato estudado (GABBAY, 2003).

16 P á g i n a 14 Foram estudados os principais benefícios que a Domótica pode oferecer no cotidiano dos lares, como também, as informações referentes às diversas funções dos sistemas domóticos no auxílio a pessoas com necessidades especiais. 1.7 ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO O primeiro capítulo tem a importância de mostrar a introdução ao tema da monografia, justificativa, motivação, problema de pesquisa, hipóteses, objetivos do trabalho e à metodologia utilizada. O segundo capítulo apresenta os principais conceitos de Domótica. O terceiro capítulo apresenta uma abordagem sobre pessoas com necessidades especiais, e as dificuldades encontradas no seu dia-a-dia. O quarto capítulo trás uma abordagem sobre os benefícios que a domótica pode trazer para pessoas com necessidades especiais no cotidiano dos lares. E por fim, as considerações finais, com a conclusão, resultados obtidos, e trabalhos futuros.

17 P á g i n a 15 CAPÍTULO II DOMÓTICA

18 P á g i n a DOMÓTICA 2.1 INTRODUÇÃO Segundo Venturi (2005, apud VAZ, 2008) diz que: A Domótica pode ser definida como um conjunto de tecnologias que ajudam na gestão e execução de tarefas domésticas cotidianas. A sua utilização tem por objetivo proporcionar um maior nível de conforto, comodidade e segurança além de um menor e mais racional consumo de energia. A Domótica em sua aplicação tem mostrado que é possível proporcionar benefícios, bem como, gerenciamento técnico, conforto, economia, prevenção de acidentes e falhas de equipamentos e também segurança aos usuários (DIAS; PIZZOLATO, 2004). Os projetos de casas tradicionais, em geral, não estão satisfazendo as necessidades dos moradores em parte, o que é muito contraditório, pois a moradia atende as poucas necessidades do ser humano como segurança, bem-estar, sendo de muita valia para maioria das famílias. No entanto, o lar deve ser prazeroso, porém, flexível as transformações. De acordo com Dias (2004), por meio de seu conjunto multidisciplinar de aplicações a Domótica, quando bem integrada às residências, é capaz de aumentar a qualidade de vida de quem nelas habitam. Considerando o que seria um ambiente doméstico automatizado, pode-se pensar em uma construção onde um conjunto de máquinas teria a função de trabalhar, sem pausa e nem descanso, para os habitantes de uma casa, devendo cobrir todas as necessidades que esta possa ter. (HERNASKI, 2010, p.1) Atualmente, existem sistemas de alto desempenho que proporcionam aos utilizadores um conjunto de soluções, tais como integrar e acionar todos os elementos de uma casa.

19 P á g i n a 17 Um exemplo da integração desse sistema é a iluminação total de uma residência, pode-se operar de acordo com o tempo, o local, a quantidade de luz solar no ambiente ou a orientação da casa, de acordo com essas variáveis o sistema determinará se é necessário mais ou menos iluminação. Associação Brasileira de Automação Residencial AURESIDE. Para pessoas com necessidades especiais, a Domótica pode oferecer uma série de vantagens para melhorar sua qualidade de vida. Na visão de Dias e Pizzolato (2004), A automação residencial apresenta valiosos recursos tecnológicos que podem ser incorporados às instalações domésticas e com isso promoverem, além de conforto e segurança, a redução de barreiras que dificultam suas atividades. A inclusão desses elementos promove maior independência e contribuição para que possam continuar residindo em seus domicílios. Entretanto, nas últimas décadas vem ocorrendo mudanças no perfil demográfico e nos hábitos da população brasileira, assim como, o crescimento da violência nas cidades, principalmente nos grandes centros. (DIAS; PIZZOLATO, 2004). A praticidade, o conforto e outras comodidades oferecidas pelos avanços das tecnologias no dia-a-dia das pessoas, mudam definitivamente seus hábitos. Certos indicativos como: o aumento das vendas pela internet, os serviços de tele-entregas, os circuitos internos de TV, os canais por assinatura, os serviços remotos de vigilância apresentam-se como fatores que demonstram que a população adquiriu novos hábitos de consumo, nos últimos anos, de acordo com a Fundação Getúlio Vargas FGV (2004, p.6). É muito difícil alguém que acostumou a usar seu aparelho de televisão com controle remoto, numa nova compra, optará por uma que não possua esta funcionalidade, assim como quem aprende a digitar textos num computador, não deseja voltar a utilizar uma máquina de escrever. A inclusão das novas tecnologias nas residências vem crescendo a qualidade de vida de seus habitantes e conseguem mudar definitivamente seus hábitos suprindo assim algumas necessidades.

20 P á g i n a BENEFÍCIOS DA DOMÓTICA Conforto, Bem Estar e Qualidade de Vida Atualmente, as pessoas procuram a cada dia uma vida melhor e é exatamente isso que a Domótica tende a oferecer. Quando uma casa faz uso de um sistema de automação, a família que nela reside aumentará seu tempo livre, pois, tarefas, que antes, eram realizadas manualmente, com o uso da Domótica, os equipamentos são programados para realizar essas tarefas automaticamente, logo, fará com que essa família tenha mais tempo para dedicar-se a atividades que realmente gostam. De acordo com Angel (1993), o homem tem suas necessidades de acordo com o ambiente onde vive. Portanto, a casa deve se adaptar as necessidades do indivíduo Função de Gestão Essa função vem objetivando automatizar sistemas cotidianos do ambiente com iluminação, calefação, qualidade do ar e a funcionalidade de outros aparelhos relacionados com conforto (ANGEL, 1993). Deste modo, é de fundamental importância essa função em uma casa inteligente, pois, tem como capacidade integrar todos os sistemas de uma residência tornando-se possível o monitoramento e controle externo Segurança Esse sistema busca a proteção da casa e dos moradores de riscos exteriores ou domésticos. Contudo, pode-se programar o sistema para que este faça simulações de presença na residência, com o propósito de evitar prováveis tentativas de invasões (ANGEL, 1993). Mesmo que essa simulação não venha impedir que os ladrões entrem, os habitantes saberão quando algo acontecer em sua casa, através dos detectores instalados pela residência. Os alarmes serão ativados através de sensores que podem ser do tipo acústico, visual, silencioso e também por uma chamada telefônica que comunicará a polícia, ou alguma empresa de segurança contratada (HERNASKI, 2010).

21 P á g i n a 19 Sensores e detectores são indispensáveis em locais onde residem idosos ou deficientes. Normalmente, essas pessoas carregam com si um dispositivo e este consiste em um pulsador, que pode ser ativado pelo usuário em caso de necessidade (HERNASKI, 2010). Também existem sensores que permitem detectar vazamento de gás ou água. E caso ocorra, o sistema enviará um aviso aos bombeiros. De acordo com Molina (et al, 2006), as necessidades de segurança estão relacionadas com: A qualidade do ar; A prevenção de acidentes físicos e materiais; A assistência à saúde; A segurança anti-intrusos Função de Assistência e Saúde Com a ajuda de equipamentos se pode precaver doenças e problemas de saúde. Como é o exemplo de um dispositivo, instalado no banheiro, que pode medir a pulsação e a pressão arterial, nível de açúcar e a albumina na urina registrando os dados. Também contém dispositivos espalhados pela residência, ou transportados com as pessoas, caso o morador passe mal, este aciona o dispositivo que comunica a um centro de saúde, uma central de atendimento ou a algum vizinho (ANGEL, 1993) Apoio a utilizadores com Necessidades Especiais Segundo Santos (2001): A habitação é um elemento essencial na qualidade de vida das pessoas com necessidades especiais. Infelizmente, a maioria das habitações atuais impedem que estes utilizadores possam viver de forma independente e que possam desenvolver uma atividade profissional.

22 P á g i n a 20 As casas tradicionais agregadas à automação podem trazer benefícios para este tipo de população, oferecendo-lhes ambientes seguros e permitindo controlar as funcionalidades oferecidas. O utilizador pode também ser monitorado pela própria casa, de forma a assegurar a sua segurança e a alertar a comunidade, em caso de dificuldades (SANTOS, 2001) Eficiência e Economia de energia Está se tornando comum o fato de que a iluminação também ser gerenciada pelo sistema de gestão de energia através de uma programação conjunta com os sensores de luminosidade e ocupação integrados, alcançando-se uma redução em torno de 30% e 50% no consumo (BOLZANI, 2001). Alguns benefícios estão relacionados abaixo (HERNASKI, 2010): Apagar as luzes da residência todas de uma só vez; Controlar cada luz separadamente, ou seja, adaptando a luz de acordo com o ambiente; Regular e controlar a intensidade da luz no ambiente; Automação das instalações e aparelhagem que houver na casa, aplicadas através de um controle eficiente que possui uma interface complacente para os usuários. A iluminação pode ser realizada das seguintes formas: luzes acendem e apagam de modo automático, quando um indivíduo entra em algum lugar que necessite de luz, e se apaga de acordo com o tempo quando não detectam a presença de alguém. São horários programados de acordo com as necessidades do ambiente e do morador como estação do ano, as horas, a luminosidade mínima, o tipo de ambiente, entre outros (BOLZANI, 2004) Comunicação O serviço de comunicação se aplica na interação tanto de usuário com equipamentos quanto os equipamentos entre si, por meio de cabos e outros sistemas de comunicação. Um exemplo de comunicação entre equipamento e

23 P á g i n a 21 usuário, pode ser citado comando de televisão ou do aparelho de som através de controles de infravermelho. E a comunicação de equipamento com equipamento pode ser exemplificada com a conexão de um sistema de segurança e a rede telefônica, meio o qual o sistema realiza chamadas em casos de emergência (ANGEL, 1993) Controle Para que todos os sistemas da residência estejam em contato entre si e com os moradores é preciso à ajuda das funções de controle de gestão. Assim os usuários podem receber sinais dos sistemas de áudio ou visual (texto, dados, e imagens), através dos microprocessadores e as técnicas digitais já desenvolvidas. A comunicação pode ser realizada utilizando cabos de comunicação convencionais ou comandos a distância (ANGEL, 1993).

24 P á g i n a 22 CAPÍTULO III PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS

25 P á g i n a PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS 3.1 INTRODUÇÃO Conforme o Programa de Ação Mundial ONU (apud PINHEIRO, 2003): "As pessoas com deficiência não formam um grupo homogêneo. Por exemplo, as pessoas com enfermidades ou deficiências mentais, visuais, auditivas ou da fala, as que têm mobilidade restringida ou as chamadas "deficiências médicas". Todas essas pessoas encaram barreiras diferentes a todo o momento. Segundo Cedipod (2011) há mais de quinhentos (500) milhões de pessoas deficientes no mundo, às quais devem dar oportunidades iguais aos de todos os demais seres humanos e reconhecer os mesmos direitos. Em razão aos obstáculos físicos e sociais que existem na sociedade, esses indivíduos são forçados a viverem em desvantagem, evitando assim sua total participação. No que resultam milhares de pessoas vivendo uma realidade isolada e marcada pelo desprezo (CEDIPOD, 2011). Segundo Cedipod (2011): As pessoas portadoras de deficiências permanentes que necessitam de serviços de apoio comunitário, aparelhos e equipamentos que lhes permitam viver o mais normalmente possível, tanto nos seus lares como na comunidade, devem ter acesso a tais serviços. Aqueles que convivem com as pessoas deficientes e as auxiliam nas suas atividades diárias também devem receber apoio que lhes facilite o descanso e o relaxamento adequado e lhes dêem oportunidades para desenvolverem as suas próprias atividades. O princípio da igualdade de direitos entre pessoas com e sem deficiência significa que as necessidades de todo indivíduo são de igual importância, e todos os recursos devem ser empregados de forma a garantir uma oportunidade igual de participação a cada indivíduo. Conforme o Programa de Ação Mundial para as Pessoas Deficientes (2011).

26 P á g i n a 24 De acordo com a Cedipod (2011), é necessário priorizar a capacidade da pessoa deficiente, e não as suas limitações. De forma a compreender suas necessidades, eliminando assim comportamentos desprovidos e preconceitos tradicionais. Segundo Cedipod (2011): De acordo com um estudo realizado por peritos no assunto, estimase que, no mínimo, 350 milhões de pessoas deficientes vivam em zonas que não dispõem dos serviços necessários para ajudá-las a superar as suas limitações. Uma grande parcela das pessoas deficientes está exposta a barreiras físicas, culturais e sociais que constituem obstáculos à sua vida, mesmo quando dispõem de ajuda para a sua reabilitação. Ter uma deficiência é crescer em um ambiente de repúdio e de exclusão principalmente para um número excessivo de crianças. Esta circunstância pode aumentar pelo comportamento e atitude inadequada da família e da sociedade durante os anos críticos do desenvolver da personalidade e da própria imagem das crianças. Programa de Ação Mundial para as Pessoas Deficientes (2011). Pessoas com deficiência precisam de equipamentos técnicos de apoio. Alguns países possuem a tecnologia essencial para fabricar equipamentos aperfeiçoados que facilitam a locomoção, comunicação e o dia-a-dia de pessoas deficientes. No entanto, o custo desses materiais é bastante alto, e somente alguns países podem fornecê-lo (CEDIPOD, 2011). Conforme Freitas e Cidade (1997) e Duarte e Lima (2003), pessoas com deficiência são excluídas da sociedade não tendo como participar ativamente, por conta dos obstáculos como portas muito estreitas atrapalhando a passagem de uma cadeira de rodas; escadas e degraus sem nenhum acesso em edifícios, ônibus, trens, e aviões; aparelhos telefônicos e disjuntores de luz instalados fora do alcance dessas pessoas e instalações sanitárias que não podem usar. São exemplos de barreiras que também acabam de alguma forma excluindo essas pessoas do meio social. A comunicação oral, quando não se dá suporte

Prime IHC. Intelligent Home Control. Automação residencial com estilo, segurança e economia de energia.

Prime IHC. Intelligent Home Control. Automação residencial com estilo, segurança e economia de energia. Intelligent Home Control com estilo, segurança e economia de energia. Projetos inteligentes exigem um sistema de automação completo. Funcionamento do sistema. O funciona com entradas e saídas, controlando

Leia mais

Universidade do Vale do Paraíba Faculdade de Engenharias Urbanismo e Arquitetura Curso de Engenharia Elétrica/Eletrônica JANELA SENSORIAL

Universidade do Vale do Paraíba Faculdade de Engenharias Urbanismo e Arquitetura Curso de Engenharia Elétrica/Eletrônica JANELA SENSORIAL 1 Universidade do Vale do Paraíba Faculdade de Engenharias Urbanismo e Arquitetura Curso de Engenharia Elétrica/Eletrônica JANELA SENSORIAL BRUNO AUGUSTO CAETANO FERNANDO ALMEIDA SALGADO Relatório do Trabalho

Leia mais

Um Sistema informatizado desenvolvido com alto padrão tecnológico para maior

Um Sistema informatizado desenvolvido com alto padrão tecnológico para maior Um Sistema informatizado desenvolvido com alto padrão tecnológico para maior segurança e bem-estar dos condôminos. Oferecemos a mais nova solução tecnológica, ideal contra invasão domiciliar, objetivando

Leia mais

Vídeo Porteiro, Casa Inteligente Alarme, CFTV, Signage, muita segurança e tranquilidade! INSTALADOR AUTORIZADO

Vídeo Porteiro, Casa Inteligente Alarme, CFTV, Signage, muita segurança e tranquilidade! INSTALADOR AUTORIZADO Vídeo Porteiro,, Casa Inteligente Alarme, CFTV, Signage, muita segurança e tranquilidade! INSTALADOR AUTORIZADO VOXI VOXI X10 Tenha o controle de seu bem estar em suas mãos! Com a vida agitada e estressante

Leia mais

Ambientes Inteligentes

Ambientes Inteligentes Ambientes Inteligentes APRESENTAÇÃO Com a grande inovação tecnológica e a evidente demanda por segurança e comodidade, o gerenciamento de todos os processos e máquinas que nos rodeia torna-se indispensável.

Leia mais

APLICAÇÕES PARA CASAS INTELIGENTES EM AMBIENTES PERVASIVOS

APLICAÇÕES PARA CASAS INTELIGENTES EM AMBIENTES PERVASIVOS APLICAÇÕES PARA CASAS INTELIGENTES EM AMBIENTES PERVASIVOS RESUMO Alessandro Lumertz Garcia 1 Anderson Yanzer Cabral 2 Este artigo apresenta tipos de aplicações que podem existir nas casas inteligentes,

Leia mais

Tudo sobre TELEMEDICINA O GUIA COMPLETO

Tudo sobre TELEMEDICINA O GUIA COMPLETO Tudo sobre TELEMEDICINA O GUIA COMPLETO O QUE É TELEMEDICINA? Os recursos relacionados à Telemedicina são cada vez mais utilizados por hospitais e clínicas médicas. Afinal, quem não quer ter acesso a diversos

Leia mais

TÍTULO: JANELA AUTOMATIZADA QUE OPERA A PARTIR DE DADOS METEOROLÓGICOS OBTIDOS POR SENSORES

TÍTULO: JANELA AUTOMATIZADA QUE OPERA A PARTIR DE DADOS METEOROLÓGICOS OBTIDOS POR SENSORES TÍTULO: JANELA AUTOMATIZADA QUE OPERA A PARTIR DE DADOS METEOROLÓGICOS OBTIDOS POR SENSORES CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE SANTA CECÍLIA

Leia mais

DOMÓTICA CONTROLO INTEGRADO Segurança Iluminação Som e Imagem Eficiência Energética

DOMÓTICA CONTROLO INTEGRADO Segurança Iluminação Som e Imagem Eficiência Energética DOMÓTICA CONTROLO INTEGRADO Segurança Iluminação Som e Imagem Eficiência Energética A DECORDIGITAL - 1 A DECORDIGITAL é uma empresa portuguesa dedicada à consultoria, desenvolvimento de projetos, fornecimento

Leia mais

INCLUSÃO DIGITAL: A TERCEIRA IDADE E SUAS DIFICULDADES ASSOCIADAS AS NOVAS TECNOLOGIAS.

INCLUSÃO DIGITAL: A TERCEIRA IDADE E SUAS DIFICULDADES ASSOCIADAS AS NOVAS TECNOLOGIAS. INCLUSÃO DIGITAL: A TERCEIRA IDADE E SUAS DIFICULDADES ASSOCIADAS AS NOVAS TECNOLOGIAS. Cícero Gonçalves dos Santos Faculdade Sete de Setembro (FASETE), cycero_hsc@hotmail.com Denise Xavier Fortes Faculdade

Leia mais

Detecção de vazamentos na rede urbana de água com rede de sensores sem fio

Detecção de vazamentos na rede urbana de água com rede de sensores sem fio Detecção de vazamentos na rede urbana de água com rede de sensores sem fio Igo Romero Costa de Souza 1, Icaro Ramires Costa de Souza 1, Mailson Sousa Couto 1 1 Instituto Federal da Bahia (IFBA) - Campus

Leia mais

MONITORE E CONTROLE SEUS SISTEMAS INTELIGENTES DE GERENCIAMENTO DE EVENTOS E MONITORAMENTO VISUAL DE ALARME DE INCÊNDIO ALARME DE INCÊNDIO

MONITORE E CONTROLE SEUS SISTEMAS INTELIGENTES DE GERENCIAMENTO DE EVENTOS E MONITORAMENTO VISUAL DE ALARME DE INCÊNDIO ALARME DE INCÊNDIO MONITORE E CONTROLE SEUS SISTEMAS GERENCIAMENTO DE EVENTOS INTELIGENTES DE E MONITORAMENTO VISUAL DE ALARME DE INCÊNDIO ALARME DE INCÊNDIO SEJA VOCÊ GERENTE DE UNIDADE OU PROFISSIONAL DO SETOR DE COMBATE

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO CENTRAL MC 4D

MANUAL DO USUÁRIO CENTRAL MC 4D 12 Manual do Usuário Intrusos podem entrar em zonas sem proteção, ou ter sofisticação para isolar um sensor ou desconectar dispositivos de aviso de alarme; Central, detectores, sensores só funcionam quando

Leia mais

Independentemente se a sua casa é Tipo 1 ou Tipo 10, ela pode ter um cérebro, as soluções da control4 são ideais para novas construções ou casas já

Independentemente se a sua casa é Tipo 1 ou Tipo 10, ela pode ter um cérebro, as soluções da control4 são ideais para novas construções ou casas já SMART HOME Independentemente se a sua casa é Tipo 1 ou Tipo 10, ela pode ter um cérebro, as soluções da control4 são ideais para novas construções ou casas já existentes. VIVER A VIDA, AUTOMATICAMENTE

Leia mais

SISTEMAS PREDIAIS II. Automação Predial

SISTEMAS PREDIAIS II. Automação Predial PCC-2466 SISTEMAS PREDIAIS II Automação Predial Serviços dos Edifícios HIDRÁULICOS Água Fria; Água Gelada; Água Quente; Sistemas de Aquecimento (solar etc.); Esgotos Sanitários; Águas Pluviais; Drenagem

Leia mais

Mercado de Automação Residencial Panorama Atual e Tendências

Mercado de Automação Residencial Panorama Atual e Tendências Mercado de Automação Residencial Panorama Atual e Tendências AURESIDE Panorama do mercado O mercado de automação residencial no mundo vem atravessando um momento de agitação caracterizado por: crescimento

Leia mais

Como saber que meu filho é dependente químico e o que fazer. A importância de todos os familiares no processo de recuperação.

Como saber que meu filho é dependente químico e o que fazer. A importância de todos os familiares no processo de recuperação. Como saber que meu filho é dependente químico e o que fazer A importância de todos os familiares no processo de recuperação. Introdução Criar um filho é uma tarefa extremamente complexa. Além de amor,

Leia mais

Monitoramento Pessoal

Monitoramento Pessoal Monitoramento Pessoal um novo nicho de mercado para empresas de alarmes e segurança Produzido por: 1 Sumário 1 2 3 4 5 6 Apresentação O que é monitoramento pessoal Ferramentas para monitoramento Público-alvo

Leia mais

6. Considerações finais

6. Considerações finais 84 6. Considerações finais Nesta dissertação, encontram-se registros de mudanças sociais que influenciaram as vidas de homens e mulheres a partir da chegada das novas tecnologias. Partiu-se da Revolução

Leia mais

Computação em Nuvem: Riscos e Vulnerabilidades

Computação em Nuvem: Riscos e Vulnerabilidades Computação em Nuvem: Riscos e Vulnerabilidades Bruno Sanchez Lombardero Faculdade Impacta de Tecnologia São Paulo Brasil bruno.lombardero@gmail.com Resumo: Computação em nuvem é um assunto que vem surgindo

Leia mais

Obtenha o controle da sua empresa. Tuxedo Touch Segurança empresarial e controlador de automação

Obtenha o controle da sua empresa. Tuxedo Touch Segurança empresarial e controlador de automação Tuxedo Touch Segurança empresarial e controlador de automação SEGURANÇA, AUTOMAÇÃO, VISUALIZAÇÃO / GRAVAÇÃO DE VÍDEOS E MUITO MAIS! Obtenha o controle da sua empresa Sua empresa conectada O Tuxedo Touch

Leia mais

Destaques. Um único sistema de controlo para segurança e conforto; Desempenho elevado e tecnologia de futuro da Siemens;

Destaques. Um único sistema de controlo para segurança e conforto; Desempenho elevado e tecnologia de futuro da Siemens; 1 Não há nada melhor do que saber que a sua família está em casa e em segurança. Agora imagine se pudesse melhorar a segurança e conforto do seu lar apenas com a instalação de um sistema Impossível? Então

Leia mais

sac.brasil@phonak.com www.phonak.com.br SAC 0800 701 8105

sac.brasil@phonak.com www.phonak.com.br SAC 0800 701 8105 Life is on A Phonak tem como objetivo melhorar, substancialmente a qualidade de vida de pessoas com deficiência auditiva e das que convivem com elas. As desafiar de maneira criativa os limites da tecnologia,

Leia mais

5.1 Nome da iniciativa ou Projeto. Academia Popular da Pessoa idosa. 5.2 Caracterização da Situação Anterior

5.1 Nome da iniciativa ou Projeto. Academia Popular da Pessoa idosa. 5.2 Caracterização da Situação Anterior 5.1 Nome da iniciativa ou Projeto Academia Popular da Pessoa idosa 5.2 Caracterização da Situação Anterior O envelhecimento é uma realidade da maioria das sociedades. No Brasil, estima-se que exista, atualmente,

Leia mais

MY HOME INTRODUÇÃO TOUCH SCREEN. Comando de Automação

MY HOME INTRODUÇÃO TOUCH SCREEN. Comando de Automação TOUCH SCREEN Comando de Automação Central de Cenário 54 ÍNDICE DE SEÇÃO 56 A casa como você quer 62 As vantagens de 66 Dispositivos BUS 68 Integração das funções My Home 70 Vantagens da instalação BUS

Leia mais

Sistema de localização e bloqueio veicular por célula de comunicação Objetivo Principal

Sistema de localização e bloqueio veicular por célula de comunicação Objetivo Principal de comunicação Objetivo Principal Prover uma solução de baixo custo para Identificação, localização, bloqueio e recuperação de veículos roubados ou procurados, através de micro circuitos embarcados de

Leia mais

MONITORE E CONTROLE SEUS SISTEMAS INTELIGENTES DE GERENCIAMENTO DE EVENTOS E MONITORAMENTO VISUAL DE ALARME DE INCÊNDIO ALARME DE INCÊNDIO

MONITORE E CONTROLE SEUS SISTEMAS INTELIGENTES DE GERENCIAMENTO DE EVENTOS E MONITORAMENTO VISUAL DE ALARME DE INCÊNDIO ALARME DE INCÊNDIO MONITORE E CONTROLE SEUS SISTEMAS GERENCIAMENTO DE EVENTOS INTELIGENTES DE E MONITORAMENTO VISUAL DE ALARME DE INCÊNDIO ALARME DE INCÊNDIO SEJA VOCÊ GERENTE DE UNIDADE OU PROFISSIONAL DO SETOR DE COMBATE

Leia mais

Eleve a experiência do consumidor: como criar uma situação de win-win entre a TI e seus usuários

Eleve a experiência do consumidor: como criar uma situação de win-win entre a TI e seus usuários Eleve a experiência : como criar uma situação de win-win entre a TI e seus usuários Introdução Soluções da CA Por que é necessário melhorar a experiência dos usuários com os serviços de TI? A consumerização

Leia mais

Alarme Automotivo com mensagem para móvel utilizando Arduino

Alarme Automotivo com mensagem para móvel utilizando Arduino Alarme Automotivo com mensagem para móvel utilizando Arduino Maycon Cirilo dos Santos¹, Wyllian Fressatti¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil mayconsi2012@gmail.com, wyllian@unipar.br

Leia mais

FORMAS DE COMUNICAÇÃO

FORMAS DE COMUNICAÇÃO FORMAS DE COMUNICAÇÃO Surdocegos usam diferentes formas de comunicação. As formas utilizadas por cada pessoa vai depender do grau de perda sensorial (visão/audição) e da capacidade de utilizar a forma

Leia mais

Internet of Things. utilizá-la em diversos tipos de negócios.

Internet of Things. utilizá-la em diversos tipos de negócios. Internet of Things 10 formas de utilizá-la em diversos tipos de negócios. INTRODUÇÃO As interfaces Machine to Machine (M2M) estão facilitando cada vez mais a comunicação entre objetos conectados. E essa

Leia mais

Implantação de Núcleos de Ação Educativa em Museus 1/72

Implantação de Núcleos de Ação Educativa em Museus 1/72 Implantação de Núcleos de Ação Educativa em Museus 1/72 Acessibilidade em Museus. 2/72 Ações para ampliar a acessibilidade em museus 3/72 A acessibilidade nos museus é um tema que interessa a todos e está

Leia mais

Acessibilidade e inclusão social para os cidadãos surdos e deficientes auditivos

Acessibilidade e inclusão social para os cidadãos surdos e deficientes auditivos Acessibilidade e inclusão social para os cidadãos surdos e deficientes auditivos No Brasil há necessidade de conscientização e cumprimento de Decretos e Leis para a promover acessibilidade e inclusão social

Leia mais

Sistema de Gerenciamento de Tráfego Miconic 10 A solução final para filas e aglomerações no seu edifício comercial.

Sistema de Gerenciamento de Tráfego Miconic 10 A solução final para filas e aglomerações no seu edifício comercial. Sistema de Gerenciamento de Tráfego Miconic 10 A solução final para filas e aglomerações no seu edifício comercial. Elevadores de Passageiros Schindler Tempo O menor tempo entre você e o seu andar O Miconic

Leia mais

Dicas de relacionamento com as pessoas com deficiência

Dicas de relacionamento com as pessoas com deficiência Dicas de relacionamento com as pessoas com deficiência Respeito à Diversidade A INFORMAÇÃO é fundamental para vencermos as barreiras do preconceito e da discriminação. Ao buscarmos a INFORMAÇÃO, exercitamos

Leia mais

O uso do passaporte da comunicação no desenvolvimento de Interação e comunicação de pessoas com surdocegueira e com deficiência múltipla sensorial

O uso do passaporte da comunicação no desenvolvimento de Interação e comunicação de pessoas com surdocegueira e com deficiência múltipla sensorial O uso do passaporte da comunicação no desenvolvimento de Interação e comunicação de pessoas com surdocegueira e com deficiência múltipla sensorial 1 O uso do passaporte da comunicação no desenvolvimento

Leia mais

O USO DE SOFTWARE EDUCATIVO NA EDUCAÇÃO INCLUSIVA DE CRIANÇA COM SEQUELAS DECORRENTES DE PARALISIA CEREBRAL

O USO DE SOFTWARE EDUCATIVO NA EDUCAÇÃO INCLUSIVA DE CRIANÇA COM SEQUELAS DECORRENTES DE PARALISIA CEREBRAL O USO DE SOFTWARE EDUCATIVO NA EDUCAÇÃO INCLUSIVA DE CRIANÇA COM SEQUELAS DECORRENTES DE PARALISIA CEREBRAL Introdução Com frequência as tecnologias digitais estão sendo empregadas pelos educadores em

Leia mais

Trabalho em grupo: modelos de deficiência 1/5

Trabalho em grupo: modelos de deficiência 1/5 1/5 Objetivo Esta ferramenta foi criada para melhorar os conhecimentos dos participantes a respeito dos modelos de deficiência e ajudar na compreensão de como esses modelos afetam a percepção e o comportamento

Leia mais

Soluções permitem o monitoramento a distância das instalações da casa, visando redução de consumo e alto desempenho

Soluções permitem o monitoramento a distância das instalações da casa, visando redução de consumo e alto desempenho Casa do futuro Soluções permitem o monitoramento a distância das instalações da casa, visando redução de consumo e alto desempenho Por Heloisa Medeiros A rápida evolução de produtos e equipamentos eletrônicos

Leia mais

Desenvolvimento motor do deficiente auditivo. A deficiência auditiva aparece, por vezes, associada a outras deficiências, como

Desenvolvimento motor do deficiente auditivo. A deficiência auditiva aparece, por vezes, associada a outras deficiências, como Texto de apoio ao Curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Desenvolvimento motor do deficiente auditivo A deficiência auditiva aparece, por vezes, associada

Leia mais

Alunos de 6º ao 9 anos do Ensino Fundamental

Alunos de 6º ao 9 anos do Ensino Fundamental Alunos de 6º ao 9 anos do Ensino Fundamental Resumo Este projeto propõe a discussão da Década de Ações para a Segurança no Trânsito e a relação dessa com o cotidiano dos alunos, considerando como a prática

Leia mais

O Futuro da Aposentadoria Escolhas para o amanhã. Relatório do Brasil

O Futuro da Aposentadoria Escolhas para o amanhã. Relatório do Brasil O Futuro da Aposentadoria Escolhas para o amanhã Relatório do Brasil A pesquisa O Futuro da Aposentadoria é uma pesquisa independente de referência mundial sobre tendências globais de aposentadoria realizada

Leia mais

ebook Aprenda como aumentar o poder de captação do seu site. por Rodrigo Pereira Publicitário e CEO da Agência Retina Comunicação

ebook Aprenda como aumentar o poder de captação do seu site. por Rodrigo Pereira Publicitário e CEO da Agência Retina Comunicação por Rodrigo Pereira Publicitário e CEO da Agência Retina Comunicação Sobre o Autor: Sempre fui comprometido com um objetivo de vida: TER MINHA PRÓPRIA EMPRESA. Mas assim como você, eu também ralei bastante

Leia mais

O papel da gerência em um ambiente de manufatura lean. Gary Convis, Presidente, Toyota Motor Manufacturing de Kentucky

O papel da gerência em um ambiente de manufatura lean. Gary Convis, Presidente, Toyota Motor Manufacturing de Kentucky O papel da gerência em um ambiente de manufatura lean Gary Convis, Presidente, Toyota Motor Manufacturing de Kentucky Tradução: Diogo Kosaka Gostaria de compartilhar minha experiência pessoal como engenheiro

Leia mais

SOLUÇÃO DE MONITORAMENTO INTEGRADO NA PREVENÇÃO DE PERDAS III FÓRUM ABRAS. HAÍLTON SANTOS Desenvolvimento de Novos Negócios

SOLUÇÃO DE MONITORAMENTO INTEGRADO NA PREVENÇÃO DE PERDAS III FÓRUM ABRAS. HAÍLTON SANTOS Desenvolvimento de Novos Negócios SOLUÇÃO DE MONITORAMENTO INTEGRADO NA PREVENÇÃO DE PERDAS HAÍLTON SANTOS Desenvolvimento de Novos Negócios Presente em 33 países Atuação em mais de 100 mercados ao redor do mundo Faturamento anual de 610

Leia mais

INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA TOUCH SCREEN

INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA TOUCH SCREEN INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA TOUCH SCREEN Eduardo Reis Tomiassi¹, Wyllian Fressatti 2 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí -Paraná- Brasil tomiassi88@hotmail.com, wyllian@unipar.br Resumo: Neste trabalho

Leia mais

Sistemas de Informação I

Sistemas de Informação I + Sistemas de Informação I Tipos de SI Ricardo de Sousa Britto rbritto@ufpi.edu.br + Introdução 2 n As organizações modernas competem entre si para satisfazer as necessidades dos seus clientes de um modo

Leia mais

B:mais. Painéis de Controle da Série B para proteger sua casa e sua família

B:mais. Painéis de Controle da Série B para proteger sua casa e sua família B:mais Painéis de Controle da Série B para proteger sua casa e sua família B:mais:seguro Obtenha mais do seu investimento em segurança. Sua casa é um de seus ativos mais importantes, e você quer para ela

Leia mais

Procedimentos de Garantia Empório Shop

Procedimentos de Garantia Empório Shop Procedimentos de Garantia Empório Shop Instruções e normas referentes ao procedimento de garantia: 1) Devolução e/ou arrependimento da compra Devolução do produto e o ressarcimento só serão aceitos para

Leia mais

construímos a inovação POR

construímos a inovação POR construímos a inovação POR construímos a inovação 2 3 Compact Habit, uma iniciativa da empresa de Manresa, Constructora d Aro S.A., foi criada em 2004 para atender à necessidade de inovação na construção.

Leia mais

Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008

Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008 Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008 IDENTIFICAÇÃO Meu nome é Alexandre da Silva França. Eu nasci em 17 do sete de 1958, no Rio de Janeiro. FORMAÇÃO Eu sou tecnólogo em processamento de dados. PRIMEIRO DIA

Leia mais

Soluções para protecção da comunidade Easy Series para moradias e apartamentos

Soluções para protecção da comunidade Easy Series para moradias e apartamentos Soluções para protecção da comunidade Easy Series para moradias e apartamentos 2 Painel de controlo Easy Series Tornar a segurança fácil e fiável Adicionar valor a projectos imobiliários inovadores Blocos

Leia mais

Global Security Network GSN Brasil. 1

Global Security Network GSN Brasil. 1 Global Security Network GSN Brasil. 1 Operação Básica O teclado Spectra 1689 e o Teclado 1641 (cristal liquido) funcionam da mesma maneira, Mas não oferecem a mesma visualização. Nesta seção veremos suas

Leia mais

Automação Residencial

Automação Residencial Automação Residencial F. A. Dias G. M. de Paula L. S. de Oliveira G.F. Vieira 1 CEFET-MG, Brasil Contexto Social e Profissional, 2009 Graduação em Engenharia Mecatrônica Motivação Questão fundamental O

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA ACESSIBILIDADE NA ESCOLA ESPECIAL HELEN KELLER CAXIAS DO SUL

PROJETO DE PESQUISA ACESSIBILIDADE NA ESCOLA ESPECIAL HELEN KELLER CAXIAS DO SUL UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL CENTRO DE FILOSOFIA E EDUCAÇÃO PROJETO NOSSA ESCOLA PESQUISA SUA OPINIÃO - PÓLO RS CURSO ESCOLA E PESQUISA: UM ENCONTRO POSSÍVEL ELENISE PEREIRA PROJETO DE PESQUISA ACESSIBILIDADE

Leia mais

Teleassistência ao serviço de pessoas idosas

Teleassistência ao serviço de pessoas idosas Sustentabilidade Social This document is intellectual property of PT and its use or dissemination is forbidden without explicit written consent. Enquadramento A pirâmide de idades da população está a inverter-se

Leia mais

A APAE E A EDUCAÇÃO INCLUSIVA

A APAE E A EDUCAÇÃO INCLUSIVA A APAE E A EDUCAÇÃO INCLUSIVA - APRESENTAÇÃO 1- COMO SURGIU A IDÉIA DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA? 2- O QUE SIGNIFICA INCLUSÃO ESCOLAR? 3- QUAIS AS LEIS QUE GARANTEM A EDUCAÇÃO INCLUSIVA? 4- O QUE É UMA ESCOLA

Leia mais

Apêndice IV ao Anexo A do Edital de Credenciamento nº 05/2015, do COM8DN DEFINIÇÃO DA TERMINOLOGIA UTILIZADA NO PROJETO BÁSICO

Apêndice IV ao Anexo A do Edital de Credenciamento nº 05/2015, do COM8DN DEFINIÇÃO DA TERMINOLOGIA UTILIZADA NO PROJETO BÁSICO Apêndice IV ao Anexo A do Edital de Credenciamento nº 05/2015, do COM8DN DEFINIÇÃO DA TERMINOLOGIA UTILIZADA NO PROJETO BÁSICO - Abordagem multiprofissional e interdisciplinar - assistência prestada por

Leia mais

COMO SE TORNAR UM VOLUNTÁRIO?

COMO SE TORNAR UM VOLUNTÁRIO? COMO SE TORNAR UM VOLUNTÁRIO? Apresentação Ir para a escola, passar um tempo com a família e amigos, acompanhar as últimas novidades do mundo virtual, fazer um curso de inglês e praticar um esporte são

Leia mais

Sistema Modular Wireless

Sistema Modular Wireless Sistema Modular Wireless SEM PILHAS Enjoy a new lifestyle feeling! Bom dia! Este é o meu perfeito despertar! A iluminação entra suavemente no quarto, enquanto o dimmer temporizado aumenta gradualmente

Leia mais

Ficha Técnica: Design e Impressão Mediana Global Communication

Ficha Técnica: Design e Impressão Mediana Global Communication Uma Cidade para Todos Ficha Técnica: Design e Impressão Mediana Global Communication Colaboração Nuno Oliveira, coordenador do Serviço de Psicologia do 1º ciclo do Ensino Básico da EMEC - Empresa Municipal

Leia mais

Segurança e Higiene do Trabalho. Volume XIX Gestão da Prevenção. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção. www.oportaldaconstrucao.

Segurança e Higiene do Trabalho. Volume XIX Gestão da Prevenção. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção. www.oportaldaconstrucao. Guia Técnico Segurança e Higiene do Trabalho Volume XIX Gestão da Prevenção um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído sem a expressa

Leia mais

PROGRAMA JOVEM APRENDIZ

PROGRAMA JOVEM APRENDIZ JOVEM APRENDIZ Eu não conhecia nada dessa parte administrativa de uma empresa. Descobri que é isso que eu quero fazer da minha vida! Douglas da Silva Serra, 19 anos - aprendiz Empresa: Sinal Quando Douglas

Leia mais

O VASO SANITÁRIO E AS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA.

O VASO SANITÁRIO E AS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA. O VASO SANITÁRIO E AS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA. Luiz Antonio Miguel Ferreira 1 Juliana Alves Biazoli 2 1. Introdução. A acessibilidade é um tema que vem sendo discutido cada vez mais pela sociedade, em

Leia mais

Serviço Social. DISCURSIVA Residência Saúde 2012 C COORDENADORIA DE DESENVOLVIMENTO ACADÊMICO D A. wwww.cepuerj.uerj.br ATIVIDADE DATA LOCAL

Serviço Social. DISCURSIVA Residência Saúde 2012 C COORDENADORIA DE DESENVOLVIMENTO ACADÊMICO D A. wwww.cepuerj.uerj.br ATIVIDADE DATA LOCAL HOSPITAL UNIVERSITÁRIO PEDRO ERNESTO C COORDENADORIA DE DESENVOLVIMENTO ACADÊMICO D A Serviço Social DISCURSIVA Residência Saúde 2012 ATIVIDADE DATA LOCAL Divulgação do gabarito - Prova Objetiva (PO) 31/10/2011

Leia mais

Chat com Fernanda Dia 17 de março de 2011

Chat com Fernanda Dia 17 de março de 2011 Chat com Fernanda Dia 17 de março de 2011 Tema: O papel do terapeuta ocupacional para pessoas em tratamento de leucemia, linfoma, mieloma múltiplo ou mielodisplasia Total atingido de pessoas na sala: 26

Leia mais

INTERFACE USUÁRIO MÁQUINA. Prof. Carlos Marques

INTERFACE USUÁRIO MÁQUINA. Prof. Carlos Marques INTERFACE USUÁRIO MÁQUINA Prof. Carlos Marques Dicionário Michaelis Interface Superfície, plana ou não, que forma um limite comum de dois corpos ou espaços. Ponto no qual um sistema de computação termina

Leia mais

Controle e Corte Emergencial de Cargas com Recomposição Automática Através do Sistema SCADA BRASIL

Controle e Corte Emergencial de Cargas com Recomposição Automática Através do Sistema SCADA BRASIL Controle e Corte Emergencial de Cargas com Recomposição Automática Através do Sistema SCADA MONTENEGRO, J. C. F. S. (José Carlos de França e Silva Montenegro) BANDEIRANTE BRASIL MARQUES, R. (Rogério Marques)

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO Curso Pedagogia Departamento de Educação: Formação Docente, Gestão e Tecnologias.

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO Curso Pedagogia Departamento de Educação: Formação Docente, Gestão e Tecnologias. PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO Curso Pedagogia Departamento de Educação: Formação Docente, Gestão e Tecnologias. A INCLUSÃO DA CRIANÇA COM SINDROME DE DOWN E SEU PROCESSO

Leia mais

SISTEMA DE MONITORAMENTO EM TEMPO INTEGRAL

SISTEMA DE MONITORAMENTO EM TEMPO INTEGRAL Oficio 032/2013 Rio de Janeiro, 19 de Dezembro de 2013 A MARINHA DO BRASIL CORPO DE FUZILEIROS NAVAIS Associação de Veteranos do Corpo de Fuzileiros Navais Exmo. Sr. Presidente Contra-Almirante (FN) José

Leia mais

PIXELFORCE Representações, Lda Telf: 252 428 094 fax: 252 428 094 WWW.PIXELFORCE.PT

PIXELFORCE Representações, Lda Telf: 252 428 094 fax: 252 428 094 WWW.PIXELFORCE.PT PIXELFORCE Representações, Lda Telf: 252 428 094 fax: 252 428 094 WWW.PIXELFORCE.PT O próximo alvo pode ser a sua casa, durma tranquilo. A paz da mente é o conforto da segurança A Série Conforto da PIXELFORCE

Leia mais

Gerenciamento da produção

Gerenciamento da produção 74 Corte & Conformação de Metais Junho 2013 Gerenciamento da produção Como o correto balanceamento da carga de dobradeiras leva ao aumento da produtividade e redução dos custos (I) Pedro Paulo Lanetzki

Leia mais

Projeto de controle e Automação de Antena

Projeto de controle e Automação de Antena Projeto de controle e Automação de Antena Wallyson Ferreira Resumo expandido de Iniciação Tecnológica PUC-Campinas RA: 13015375 Lattes: K4894092P0 wallysonbueno@gmail.com Omar C. Branquinho Sistemas de

Leia mais

Infra estrutura precária Máquinas e Equipamentos

Infra estrutura precária Máquinas e Equipamentos Variável: Infra estrutura precária Máquinas e Equipamentos Participantes do Aprofundamento da Variável: Coordenador: Mário Vinícius Bueno Cerâmica Betel - Uruaçu-Go Colaboradores: Juarez Rodrigues dos

Leia mais

A DIVERSIDADE NA ESCOLA

A DIVERSIDADE NA ESCOLA Tema: A ESCOLA APRENDENDO COM AS DIFERENÇAS. A DIVERSIDADE NA ESCOLA Quando entrei numa escola, na 1ª série, aos 6 anos, tinha uma alegria verdadeira com a visão perfeita, não sabia ler nem escrever, mas

Leia mais

GUIA PARA A REABILITAÇÃO DOMÓTICA. comunicações, segurança e conforto. PROJETO Cooperar para Reabilitar da InovaDomus

GUIA PARA A REABILITAÇÃO DOMÓTICA. comunicações, segurança e conforto. PROJETO Cooperar para Reabilitar da InovaDomus GUIA PARA A REABILITAÇÃO DOMÓTICA comunicações, segurança e conforto PROJETO Cooperar para Reabilitar da InovaDomus Autoria do Relatório Consultoria RedeRia - Innovation, S.A. Índice 0. Preâmbulo 5 1.

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Anais. III Seminário Internacional Sociedade Inclusiva. Ações Inclusivas de Sucesso

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Anais. III Seminário Internacional Sociedade Inclusiva. Ações Inclusivas de Sucesso Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais Anais III Seminário Internacional Sociedade Inclusiva Ações Inclusivas de Sucesso Belo Horizonte 24 a 28 de maio de 2004 Realização: Pró-reitoria de Extensão

Leia mais

Deficiência auditiva parcial. Annyelle Santos Franca. Andreza Aparecida Polia. Halessandra de Medeiros. João Pessoa - PB

Deficiência auditiva parcial. Annyelle Santos Franca. Andreza Aparecida Polia. Halessandra de Medeiros. João Pessoa - PB 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA COMITÊ DE INCLUSÃO E ACESSIBILIDADE MATERIAL DIDÁTICO- ORIENTAÇÕES AOS DOCENTES Deficiência auditiva parcial Annyelle Santos Franca Andreza Aparecida Polia Halessandra

Leia mais

A palavra de ordem será: ACESSIBILIDADE!

A palavra de ordem será: ACESSIBILIDADE! O que é o Congresso de Acessibilidade? O Congresso de Acessibilidade é o primeiro evento online TOTALMENTE GRATUITO a ser realizado no Brasil, com foco no público de Pessoas com Deficiência e/ou Necessidades

Leia mais

Inovações Assistenciais para Sustentabilidade da Saúde Suplementar. Modelo Assistencial: o Plano de Cuidado

Inovações Assistenciais para Sustentabilidade da Saúde Suplementar. Modelo Assistencial: o Plano de Cuidado Inovações Assistenciais para Sustentabilidade da Saúde Suplementar Modelo Assistencial: o Plano de Cuidado Linamara Rizzo Battistella 04.10.2012 Universal Irreversível Heterôgeneo Perda Funcional Progressiva

Leia mais

Entrevista da Professora Rosa Trombetta à rádio Jovem Pan.

Entrevista da Professora Rosa Trombetta à rádio Jovem Pan. Entrevista da Professora Rosa Trombetta à rádio Jovem Pan. A Professora Rosa Trombetta, Coordenadora de Cursos da FIPECAFI aborda o assunto elearning para os ouvintes da Jovem Pan Online. Você sabe o que

Leia mais

ACESSIBILIDADES. boas práticas Boas práticas para auxiliar pessoas com necessidades especiais. 1. Deficiência visual

ACESSIBILIDADES. boas práticas Boas práticas para auxiliar pessoas com necessidades especiais. 1. Deficiência visual Boas práticas para auxiliar pessoas com necessidades especiais 1. Deficiência visual A deficiência visual é a perda ou redução da capacidade visual, com caráter definitivo. As limitações do campo visual

Leia mais

Tema: As vantagens de implantar uma rede estruturada em ambiente corporativo.

Tema: As vantagens de implantar uma rede estruturada em ambiente corporativo. 1 TEMA Assunto: Redes de computadores. Tema: As vantagens de implantar uma rede estruturada em ambiente corporativo. 2 PROBLEMA Problema: Qual a importância de criar uma rede estruturada em instituições

Leia mais

TÍTULO: SISTEMA DE ACESSIBILIDADE E AUTOMATIZAÇÃO PARA PESSOAS PORTADORAS DE NECESSIDADE ESPECIAIS

TÍTULO: SISTEMA DE ACESSIBILIDADE E AUTOMATIZAÇÃO PARA PESSOAS PORTADORAS DE NECESSIDADE ESPECIAIS TÍTULO: SISTEMA DE ACESSIBILIDADE E AUTOMATIZAÇÃO PARA PESSOAS PORTADORAS DE NECESSIDADE ESPECIAIS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE TECNOLOGIA

Leia mais

Presidência da República

Presidência da República Presidência da República Casa Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI N o 10.098, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2000. Civil Regulamento Estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade

Leia mais

O IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DE UM SOFTWARE DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE PROJETOS NAS EMPRESAS

O IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DE UM SOFTWARE DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE PROJETOS NAS EMPRESAS O IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DE UM SOFTWARE DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE PROJETOS NAS EMPRESAS Nadia Al-Bdywoui (nadia_alb@hotmail.com) Cássia Ribeiro Sola (cassiaribs@yahoo.com.br) Resumo: Com a constante

Leia mais

Idosos de Ontário: Como preparar se para uma emergência

Idosos de Ontário: Como preparar se para uma emergência Idosos de Ontário: Como preparar se para uma emergência Os cidadãos de Ontário têm enfrentado todo tipo de emergência, quer sejam tempestades de gelo, falta de energia elétrica até tornados e acidentes

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA PARA PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS (PNEE): construindo a autonomia na escola

EDUCAÇÃO FÍSICA PARA PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS (PNEE): construindo a autonomia na escola EDUCAÇÃO FÍSICA PARA PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS (PNEE): construindo a autonomia na escola Autora: CAMILA SOUZA VIEIRA Introdução A presente pesquisa tem como temática Educação física para Portadores

Leia mais

Estudo x trabalho: aprenda a vencer a rotina de atividades rumo ao sucesso

Estudo x trabalho: aprenda a vencer a rotina de atividades rumo ao sucesso Estudo x trabalho: aprenda a vencer a rotina de atividades rumo ao sucesso Sumário introdução 03 Capítulo 5 16 Capítulo 1 Pense no futuro! 04 Aproveite os fins de semana Capítulo 6 18 Capítulo 2 07 É preciso

Leia mais

1 Introdução. 2 REDES sem fio de comunicações

1 Introdução. 2 REDES sem fio de comunicações 1 Introdução Neste manual serão apresentados os procedimentos de instalação e configuração do sistema de detecção e prevenção de incêndio GALBA V251, além de dicas que certamente agilizarão os trabalhos

Leia mais

Guaiaquil tira proveito da IoE para oferecer à população os benefícios da telemedicina e do governo eletrônico

Guaiaquil tira proveito da IoE para oferecer à população os benefícios da telemedicina e do governo eletrônico Guaiaquil tira proveito da IoE para oferecer à população os benefícios da telemedicina e do governo eletrônico RESUMO EXECUTIVO Objetivo Melhorar a vida dos moradores e ajudálos a serem bem-sucedidos na

Leia mais

BIOGRAFIA HUMANA. Terceiro espelho: A Infância e fase da Autoconsciência. Alma da Consciência: 0-7 Infância / 35-42 Maturidade.

BIOGRAFIA HUMANA. Terceiro espelho: A Infância e fase da Autoconsciência. Alma da Consciência: 0-7 Infância / 35-42 Maturidade. BIOGRAFIA HUMANA Terceiro espelho: A Infância e fase da Autoconsciência Alma da Consciência: 0-7 Infância / 35-42 Maturidade Edna Andrade Nascemos totalmente desamparados, totalmente dependentes e indefesos.

Leia mais

Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1

Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1 Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1 Aula 3 Disponibilidade em Data Center O Data Center é atualmente o centro nervoso

Leia mais

Como a comunicação e a educação podem andar de mãos dadas 1

Como a comunicação e a educação podem andar de mãos dadas 1 Como a comunicação e a educação podem andar de mãos dadas 1 Entrevista com Ricardo de Paiva e Souza. Por Flávia Gomes. 2 Flávia Gomes Você acha importante o uso de meios de comunicação na escola? RICARDO

Leia mais

O VASO SANITÁRIO E AS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA.

O VASO SANITÁRIO E AS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA. O VASO SANITÁRIO E AS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA. Luiz Antonio Miguel Ferreira 1 Juliana Alves Biazoli 2 1. Introdução. A acessibilidade é um tema que vem sendo discutido cada vez mais pela sociedade, em

Leia mais

Roteiro VcPodMais#005

Roteiro VcPodMais#005 Roteiro VcPodMais#005 Conseguiram colocar a concentração total no momento presente, ou naquilo que estava fazendo no momento? Para quem não ouviu o programa anterior, sugiro que o faça. Hoje vamos continuar

Leia mais

SOFTWARE DE INTERNET PARA DEFICIENTES VISUAIS

SOFTWARE DE INTERNET PARA DEFICIENTES VISUAIS SOFTWARE DE INTERNET PARA DEFICIENTES VISUAIS Aluno: Bruno Levy Fuks Orientador: Marcos da Silveira Introdução No Brasil, é evidente o pouco comprometimento da sociedade com o deficiente. Para se ter uma

Leia mais

Projeto Escola com Celular

Projeto Escola com Celular Projeto Escola com Celular Rede Social de Sustentabilidade Autores: Beatriz Scavazza, Fernando Silva, Ghisleine Trigo, Luis Marcio Barbosa e Renata Simões 1 Resumo: O projeto ESCOLA COM CELULAR propõe

Leia mais

ELIPSE E3 REDUZ AS DESPESAS DA COGERH COM MANUTENÇÃO E CONSUMO DE ÁGUA

ELIPSE E3 REDUZ AS DESPESAS DA COGERH COM MANUTENÇÃO E CONSUMO DE ÁGUA ELIPSE E3 REDUZ AS DESPESAS DA COGERH COM MANUTENÇÃO E CONSUMO DE ÁGUA Controle disponibilizado pela solução da Elipse Software contribuiu para que a Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos - COGERH

Leia mais