Programa de Pós Graduação em Enfermagem

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Programa de Pós Graduação em Enfermagem"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Programa de Pós Graduação em Enfermagem GIATE - Grupo de Pesquisa em Tecnologias, Informações e Informática em Saúde e Enfermagem Mestranda: Camila Rosalia Antunes Baccin Orientadora:Grace Terezinha Marcon Dal Sasso

2 PACIENTE POLITRAUMATIZADO PROCESSO DE ENFERMAGEM INFORMÁTICA EM ENFERMAGEM CIPE

3 1º Estabelecer os diagnósticos, as intervenções e os resultados de enfermagem identificados de acordo com a CIPE, em uma estrutura lógica informatizada de dados DESENVOLVER E AVALIAR O P.E.I. AO PACIENTE POLITRAUMATIZADO DE TERAPIA INTENSIVA 3º Implementar o PEI utilizando a CIPE 1.0 ao paciente politraumatizado de terapia intensiva 2º Incorporar os dados Informatizados em um ambiente fixo e móvel computadorizado

4 Estudo metodológico e produção tecnológica- maior familiaridade e descrição do objetivo do estudo. Metodológico: desenvolver um sistema e validar, para verificar a confiabilidade. Pesquisa de natureza quantitativa Hospital Regional Dr. Homero de Miranda Gomes População: 10 enfermeiras de UTI 3 Docentes com experiência em UTI 2 Programadores de apoio 5 Alunos de graduação

5 INSTRUMENTOS PARA ANÁLISE O próprio sistema permitirá identificar os diagnósticos e as intervenções. Medir a efetividade do sistema, mediante critérios de avaliação para usabilidade, ergonomia e conteúdo.

6 Definido o grupo responsável e suas funções: design das telas, PLANEJAMENTO estrutura dos dados, referências que embasariam o sistema, linguagem de programação, construção do protótipo, cronograma dos testes e os aspectos éticos, demais recursos necessários para seu desenvolvimento.

7 IMPLEMENTAÇÃO Em ª avaliação: 90% das enfermeiras consideraram excelente. Apontaram ainda algumas sugestões como: - agilidade nos relatórios; - no registro dos testes laboratoriais; - na diminuição do número de diagnósticos de enfermagem; - na disposição e seqüência dos dados na tela de modo a não fragmentar o raciocínio clínico e ao mesmo tempo não poluir a tela com excesso de informações;

8 IMPLEMENTAÇÃO Em 2003, foram feitas mudanças na linguagem do programa para Web usando linguagem PHP e base de dados MySQL visando maior agilidade e segurança na informação. Foram acrescentados protocolos de cuidados de enfermagem ao paciente de UTI e sites para pesquisa on-line.

9 NESTE MOMENTO O sistema encontra-se no módulo 4 (sistemas de alerta) com ênfase especial para a ampliação dos diagnósticos a partir da estruturação dos dados ao paciente politraumatizado.

10 P R O C E S S O Módulo 1 M Avaliação e Módulo registro 1 Entrada de Dados Cadastro Consulta Prontuário Exames F R A M E W O R K D E E N F E R M A G E M I N F O R M A T I Z A D O Módulo 2 Módulo 3 Módulo 4 Diagnósticos CIPE Interv. deenf. Relatórios Sistemas Relatórios de alerta e Sistemas de alerta Integração ao PEP Lista de Pacientes da UTI Protocolos de Cuidados Protocolos e Sites de Cuidados e Sites Medicamentos Medicamentos Processo de Enfermagem Drogas Fluido Drogas e Fluido Exames Tempo de Permanência CCU Taxas de Altas, Óbitos e transferências Complicações Beira do Leito Módulo 5 Potencial para úlcera de pressão Central PEP Central PEP Uso de drogavasoativadose Uso de drogavasoativadose e ß + de 3 dias do mesmo diagnóstico

11

12

13

14 A interface dinâmica e amigável tornou o sistema mais atrativo, organizado e ágil; O programa via Web diminui os custos, por usar uma linguagem de código aberto que pode ser utilizada em várias plataformas computadorizadas. Resgate a assistência direta ao paciente, nomeando suas ações através da CIPE; A informática- ciência da informaçãoconhecimento e agilidade no processo de assistir. O programa encontra-se em desenvolvimento, atualizando constantemente sua base de dados, de forma a atender efetivamente as necessidades da prática

15 De Tudo Ficam Três Coisas A certeza de que estamos sempre começando... A certeza de que precisamos continuar... A certeza de que seremos interrompidos antes de terminar... Portanto devemos: Fazer da interrupção um caminho novo... Da queda, um passo de dança. Do sonho, uma ponte... Da procura, um novo encontro. (Fernando Pessoa)

SISTEMA INFORMATIZADO DE REGULAÇÃO E AVALIAÇÃO DO SAMU NO ESTADO DE SANTA CATARINA

SISTEMA INFORMATIZADO DE REGULAÇÃO E AVALIAÇÃO DO SAMU NO ESTADO DE SANTA CATARINA Centro de Ciências da Saúde Departamento de Enfermagem GIATE Grupo de Pesquisa em Tecnologias, Informações e Informática em Saúde SISTEMA INFORMATIZADO DE REGULAÇÃO E AVALIAÇÃO DO SAMU NO ESTADO DE SANTA

Leia mais

Processo de informatização do Sistema de Assistência de Enfermagem de um Hospital Universitário

Processo de informatização do Sistema de Assistência de Enfermagem de um Hospital Universitário 10º Congresso Brasileiro de Informática em Saúde - CBIS Processo de informatização do Sistema de Assistência de Enfermagem de um Hospital Universitário Heloisa Helena Ciqueto Peres Antônio Fernandes Costa

Leia mais

Prontuário Eletrônico do Paciente

Prontuário Eletrônico do Paciente Prontuário Eletrônico do Paciente a experiência portuguesa Paulino Sousa Unidade de Investigação e Desenvolvimento em Sistemas de Informação em Enfermagem (USINE) Porto - Portugal CBIS 2006 porque a é

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA 1. Projeto: OEI/BRA/09/004 - Aprimoramento da sistemática de gestão do Ministério da Educação (MEC) em seus processos de formulação, implantação e

Leia mais

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA 1. Projeto: OEI/BRA/09/004 - Aprimoramento da sistemática de gestão do Ministério da Educação (MEC) em seus processos de formulação, implantação e

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA 1. Projeto: OEI/BRA/09/004 - Aprimoramento da sistemática de gestão do Ministério da Educação (MEC) em seus processos de formulação, implantação e

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA 1. Projeto: OEI/BRA/09/004 - Aprimoramento da sistemática de gestão do Ministério da Educação (MEC) em seus processos de formulação, implantação e

Leia mais

Simulação baseada na web: uma ferramenta ao ensino em Enfermagem em Terapia Intensiva. Sayonara de Fátima F. Barbosa Heimar de Fátima Marin

Simulação baseada na web: uma ferramenta ao ensino em Enfermagem em Terapia Intensiva. Sayonara de Fátima F. Barbosa Heimar de Fátima Marin Simulação baseada na web: uma ferramenta ao ensino em Enfermagem em Terapia Intensiva Sayonara de Fátima F. Barbosa Heimar de Fátima Marin Objetivos Desenvolver, implementar e avaliar uma simulação em

Leia mais

Orientações para elaboração de documentos utilizados no gerenciamento e assistência de enfermagem

Orientações para elaboração de documentos utilizados no gerenciamento e assistência de enfermagem Orientações para elaboração de documentos utilizados no gerenciamento e assistência de enfermagem REGIMENTO DO SERVIÇO DE ENFERMAGEM De acordo com Paulina Kurcgant (1991): O regimento interno é o ato normativo

Leia mais

Sistemas de Informação Hospitalar: Presente e Futuro

Sistemas de Informação Hospitalar: Presente e Futuro Sistemas de Informação Hospitalar: Presente e Futuro Halley Johanston Unysis Corporation, EUA Revista Informédica, 1 (2): 5-9, 1993. A utilização da Informática na gestão hospitalar evoluiu, nos últimos

Leia mais

Sistema Online de Gerenciamento de Dados Clínicos Utilizando RIA (Rich Internet Applications)

Sistema Online de Gerenciamento de Dados Clínicos Utilizando RIA (Rich Internet Applications) Sistema Online de Gerenciamento de Dados Clínicos Utilizando RIA (Rich Internet Applications) ANTUNES, M. S.¹, SILVA, R. E. S. 2 (orientadora) ¹ Faculdade de Tecnologia Senac Pelotas RS (FATEC-PEL) Rua

Leia mais

Projetos desenvolvidos para o Hospital e Maternidade Municipal de Uberlândia e a o Hospital Escola de Uberlândia - UFU

Projetos desenvolvidos para o Hospital e Maternidade Municipal de Uberlândia e a o Hospital Escola de Uberlândia - UFU Projetos desenvolvidos para o Hospital e Maternidade Municipal de Uberlândia e a o Hospital Escola de Uberlândia - UFU AMBULATÓRIO Cadastro de paciente ( caso o paciente já tenha consultado no hospital

Leia mais

Sistema Gerenciador de Clínica Médica Automatizando a Clínica Cardiomed Implantação

Sistema Gerenciador de Clínica Médica Automatizando a Clínica Cardiomed Implantação Sistema Gerenciador de Clínica Médica Automatizando a Clínica Cardiomed Implantação Acadêmico: Giuliano Márcio Stolf Orientador: Ricardo Alencar de Azambuja Apresentação Clínica médica SI na área da saúde

Leia mais

SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM: A CRIAÇÃO DE UMA FERRAMENTA INFORMATIZADA.

SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM: A CRIAÇÃO DE UMA FERRAMENTA INFORMATIZADA. SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM: A CRIAÇÃO DE UMA FERRAMENTA INFORMATIZADA. ANDRADE 1, Elizandra Faria GRANDO 2, Simone Regina BÖING 3, Jaci Simão VIECELLI 4, Ana Maria SILVA 5, Jeane Barros

Leia mais

Experiência: REDUÇÃO DA TAXA DE CANCELAMENTO DE CIRURGIAS ATRAVÉS DA OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO ASSISTENCIAL

Experiência: REDUÇÃO DA TAXA DE CANCELAMENTO DE CIRURGIAS ATRAVÉS DA OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO ASSISTENCIAL Experiência: REDUÇÃO DA TAXA DE CANCELAMENTO DE CIRURGIAS ATRAVÉS DA OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO ASSISTENCIAL Hospital de Clínicas de Porto Alegre Ministério da Educação Responsável: Sérgio Carlos Eduardo Pinto

Leia mais

Manual de Competências do Estágio dos Acadêmicos de Enfermagem-Projeto de Extensão

Manual de Competências do Estágio dos Acadêmicos de Enfermagem-Projeto de Extensão Hospital Universitário Walter Cantídio Diretoria de Ensino e Pesquisa Serviço de Desenvolvimento de Recursos Humanos Manual de Competências do Estágio dos Acadêmicos de Enfermagem-Projeto de Extensão HOSPITAL

Leia mais

3 - Introdução. gestão hospitalar? 8 - Indicadores clínicos. 11 - Indicadores operacionais. 14 - Indicadores financeiros.

3 - Introdução. gestão hospitalar? 8 - Indicadores clínicos. 11 - Indicadores operacionais. 14 - Indicadores financeiros. 3 - Introdução 4 - Quais são as métricas para alcançar uma boa ÍNDICE As Métricas Fundamentais da Gestão Hospitalar gestão hospitalar? 8 - Indicadores clínicos 11 - Indicadores operacionais 14 - Indicadores

Leia mais

CRM GESTÃO DOS SERVIÇOS AOS CLIENTES

CRM GESTÃO DOS SERVIÇOS AOS CLIENTES Página 1 de 6 Este sistema automatiza todos os contatos com os clientes, ajuda as companhias a criar e manter um bom relacionamento com seus clientes armazenando e inter-relacionando atendimentos com informações

Leia mais

Experiência da UFSC com Projetos Apoiados pela Lei 8248

Experiência da UFSC com Projetos Apoiados pela Lei 8248 Experiência da UFSC com Projetos Apoiados pela Lei 8248 Prof. Raul Sidnei Wazlawick Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação Uso Institucional de Recursos da Lei 8248 Cooperação

Leia mais

Módulo Imobiliária. Proposta comercial

Módulo Imobiliária. Proposta comercial Módulo Imobiliária Proposta comercial Data: 24/10/2012 Página 1/6 Índice 1 Apresentação... 3 2 O Projeto... 3 3 Desenvolvimento do projeto... 4 4 Âmbito de intervenção do cliente... 4 5 Compromissos da

Leia mais

Palavras- chave: Vigilância epidemiológica, Dengue, Enfermagem

Palavras- chave: Vigilância epidemiológica, Dengue, Enfermagem ANÁLISE DAS NOTIFICAÇÕES DE DENGUE APÓS ATUAÇÃO DO SERVIÇO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA HOSPITALAR INTRODUÇÃO: A Dengue é uma doença infecciosa febril aguda de amplo espectro clínico e de grande importância

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS EDITAL SAL/MJ Nº 03, DE 14 DE JANEIRO DE 2015 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS EDITAL SAL/MJ Nº 03, DE 14 DE JANEIRO DE 2015 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS EDITAL SAL/MJ Nº 03, DE 4 DE JANEIRO DE 205 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Projeto BRA/07/004 Seleciona: Consultor para identificação das melhores

Leia mais

Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO

Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO Organização dos Estados Ibero-americanos Para a Educação, a Ciência e a Cultura OEI/TOR/MEC/DTI nº 003/2009 TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR 1. Projeto: OEI/BRA/09/004

Leia mais

INFORMATIZAÇÃO DOS LABORATÓRIOS DE ANÁLISES CLÍNICAS DA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE BELO HORIZONTE

INFORMATIZAÇÃO DOS LABORATÓRIOS DE ANÁLISES CLÍNICAS DA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE BELO HORIZONTE INFORMATIZAÇÃO DOS LABORATÓRIOS DE ANÁLISES CLÍNICAS DA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE BELO HORIZONTE Autor(a): Maria de Lourdes Baêta Zille Gontijo Co-autores(as): Maria Lúcia Silva Faleiro, Margarita

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 4 6 Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula 9 Cronograma de Aulas Pág. 10 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM AUDITORIA EM SERVIÇOS

Leia mais

PROPOSTA DE REORIENTAÇÃO DO CURSO DE ENFERMAGEM UFMS: Formando Profissionais Integrados ao SUS.

PROPOSTA DE REORIENTAÇÃO DO CURSO DE ENFERMAGEM UFMS: Formando Profissionais Integrados ao SUS. Centro de Ciências Biológicas e da Saúde - CCBS Coordenação do Curso de Enfermagem PROPOSTA DE REORIENTAÇÃO DO CURSO DE ENFERMAGEM UFMS: Formando Profissionais Integrados ao SUS. RESUMO DO PROJETO 1. INTRODUÇÃO:

Leia mais

2. Quais os objetivos do Programa Nacional de Segurança do Paciente?

2. Quais os objetivos do Programa Nacional de Segurança do Paciente? O tema Segurança do Paciente vem sendo desenvolvido sistematicamente pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) desde sua criação, cooperando com a missão da Vigilância Sanitária de proteger

Leia mais

Análise e desenvolvimento de sistemas de gestão da informação em saúde nas nuvens: Um estudo de caso em prontuário eletrônico do paciente

Análise e desenvolvimento de sistemas de gestão da informação em saúde nas nuvens: Um estudo de caso em prontuário eletrônico do paciente Graduação em Engenharia da Computação 2013.2 Análise e desenvolvimento de sistemas de gestão da informação em saúde nas nuvens: Um estudo de caso em prontuário eletrônico do paciente Proposta de Trabalho

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM AUDITORIA EM SERVIÇOS DE SAÚDE Unidade

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: : PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: Tupã Eixo Tecnológico: Ambiente e Saúde Habilitação Profissional:Técnico em enfermagem Qualificação:

Leia mais

Inovação em serviços de saúde: experiência da Unimed-BH. CISS Congresso Internacional de Serviços de Saúde

Inovação em serviços de saúde: experiência da Unimed-BH. CISS Congresso Internacional de Serviços de Saúde Inovação em serviços de saúde: experiência da Unimed-BH CISS Congresso Internacional de Serviços de Saúde Quem somos Por que inovar Qualificação da rede Adoção do DRG Acreditação da Operadora Inovação

Leia mais

Projeto de Informatização da Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte SISTEMA SAÚDE EM REDE - SISREDE

Projeto de Informatização da Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte SISTEMA SAÚDE EM REDE - SISREDE Projeto de Informatização da Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte SISTEMA SAÚDE EM REDE - SISREDE Belo Horizonte Pop. estimada: 2.375.151 hab. (estimativas IBGE 2010) Informatização da Rede

Leia mais

Seminário de Doenças Crônicas

Seminário de Doenças Crônicas Seminário de Doenças Crônicas LINHA DE CUIDADO DE HIPERTENSÃO ARTERIAL E DIABETES EXPERIÊNCIA DE DIADEMA SP Dra Lidia Tobias Silveira Assistente Gabinete SMS Diadema Linha de cuidado de HAS e DM Experiência

Leia mais

1. CADASTRO 2. AGENDAMENTOS:

1. CADASTRO 2. AGENDAMENTOS: 1. CADASTRO Para atuar no Hospital São Luiz, todo médico tem de estar regularmente cadastrado. No momento da efetivação, o médico deve ser apresentado por um membro do corpo clínico, munido da seguinte

Leia mais

Márcia Mascarenhas Alemão Gerência Observatório de Custos/ Diretoria de Desenvolvimento Estratégico Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais

Márcia Mascarenhas Alemão Gerência Observatório de Custos/ Diretoria de Desenvolvimento Estratégico Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais O Modelo de Gestão FHEMIG e a Prestação de Contas ao Paciente: a implantação do sistema de custos hospitalares e o uso da informação de custos como ferramenta gerencial da transparência do gasto público

Leia mais

Márcia Mascarenhas Alemão Gerência Observatório de Custos/ Diretoria de Desenvolvimento Estratégico Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais

Márcia Mascarenhas Alemão Gerência Observatório de Custos/ Diretoria de Desenvolvimento Estratégico Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais O Modelo de Gestão FHEMIG e a Prestação de Contas ao Paciente: a implantação do sistema de custos hospitalares e o uso da informação de custos como ferramenta gerencial da transparência do gasto público

Leia mais

ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM PROF. CARLOS ALBERTO

ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM PROF. CARLOS ALBERTO ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM PROF. CARLOS ALBERTO ADMINISTRAÇÃO DE ENFERMAGEM AVALIANDO O QUE ESTUDAMOS 1. A Supervisão de Enfermagem é fundamental para o desenvolvimento dos recursos humanos, através da educação

Leia mais

REDE SÃO CAMILO. Seminário Nacional de Acreditação CBA - JCI. Assistência Segura ao Paciente: Uma Reflexão Teórica Aplicada à Pratica Assistencial

REDE SÃO CAMILO. Seminário Nacional de Acreditação CBA - JCI. Assistência Segura ao Paciente: Uma Reflexão Teórica Aplicada à Pratica Assistencial REDE SÃO CAMILO VI Seminário Nacional de Acreditação CBA-JCI Assistência Segura ao aciente: Uma Reflexão Teórica Aplicada à ratica Assistencial Daniela Akemi Gerente Corporativo da Qualidade Seminário

Leia mais

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura Organização dos Estados Ibero-americanos Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO 1. Projeto: OEI/BRA/09/004 - Aprimoramento da

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS EDITAL SAL/MJ Nº 04, DE 14 DE JANEIRO DE 2015 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS EDITAL SAL/MJ Nº 04, DE 14 DE JANEIRO DE 2015 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS EDITAL SAL/MJ Nº 04, DE 4 DE JANEIRO DE 205 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Projeto BRA/07/004 Seleciona: Consultor para identificação das melhores

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico Etec PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: TUPÃ Eixo Tecnológico: AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Ensino Técnico. Qualificação:Sem certificação técnica

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Ensino Técnico. Qualificação:Sem certificação técnica Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC Paulino Botelho Código: 091 Município:São Carlos Eixo Tecnológico:Ambiente, Saúde e Segurança Habilitação Profissional: Técnico de Enfermagem Qualificação:Sem

Leia mais

Como a Tecnologia pode democratizar o acesso à saúde

Como a Tecnologia pode democratizar o acesso à saúde Como a Tecnologia pode democratizar o acesso à saúde Smartcity Business América 2015 Curitiba PR Brazil Maio de 2015 Sociedades Inteligentes e Governaça Airton Coelho, MsC, PMP Secretário de Ciência e

Leia mais

CURSO REDES DE COMPUTADORES ALANA CAMILA ARICLÉCIO DOMINGOS EUDES JUNIOR HILDERLENE GOMES

CURSO REDES DE COMPUTADORES ALANA CAMILA ARICLÉCIO DOMINGOS EUDES JUNIOR HILDERLENE GOMES 1 CURSO REDES DE COMPUTADORES ALANA CAMILA ARICLÉCIO DOMINGOS EUDES JUNIOR HILDERLENE GOMES CANINDÉ 2013 2 ALANA CAMILA ARICLÉCIO DOMINGOS EUDES JUNIOR HILDERLENE GOMES Trabalho realizado como requisito

Leia mais

Hospital de Clínicas Gaspar Viana

Hospital de Clínicas Gaspar Viana Hospital de Clínicas Gaspar Viana Atendimento de Enfermagem na Clínica Psiquiátrica Enf. Sofia Vasconcelos Alves ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM OBJETIVO:Promover ações terapêuticas voltadas para identificar

Leia mais

Objetivo Principal. Objetivos Secundários

Objetivo Principal. Objetivos Secundários Objetivo Principal O Personal Med Hospitalar foi resultado de um longo esforço de O&M em hospitais de vários portes e regiões do Brasil. O sistema foi concebido a partir do detalhamento de 176 processos

Leia mais

Hospitalares(HIS) com o. e Arquivamento de Imagens Médicas(PACS) Serviço de Informática - SINFO

Hospitalares(HIS) com o. e Arquivamento de Imagens Médicas(PACS) Serviço de Informática - SINFO Integração do Sistema de Informações Hospitalares(HIS) com o Sistema de Transmissão, Distribuição e Arquivamento de Imagens Médicas(PACS) Serviço de Informática - SINFO Instituto tuto do Coração de São

Leia mais

MBA em Auditoria dos Serviços de Saúde Objetivo do curso:

MBA em Auditoria dos Serviços de Saúde Objetivo do curso: Com carga horária de 420 horas o curso de MBA em Auditoria dos Serviços de Saúde é desenvolvido em sistema modular, com 01 encontro por bimestre (total de encontros no curso: 04) para avaliação nos diversos

Leia mais

Melhor em Casa Curitiba-PR

Melhor em Casa Curitiba-PR Melhor em Casa Curitiba-PR ATENÇÃO DOMICILIAR Modalidade de Atenção à Saúde, substitutiva ou complementar às já existentes, caracterizada por um conjunto de ações de promoção à saúde, prevenção e tratamento

Leia mais

INSTITUTO DE MEDICINA INTEGRAL PROFº FERNANDO FIGUEIRA - IMIP

INSTITUTO DE MEDICINA INTEGRAL PROFº FERNANDO FIGUEIRA - IMIP INSTITUTO DE MEDICINA INTEGRAL PROFº FERNANDO FIGUEIRA - IMIP Complexo Hospitalar - Hospital Filantrópico - Área 69.000 m² - 10 prédios - 1.143 leitos - 101 leitos de UTI NHE (VEH / GRSH / CCIH) COMISSÕES

Leia mais

PROTÓTIPO DE ATENDIMENTO DOMICILIAR AUTOMATIZADO: HOME CARE DE BAIXO CUSTO

PROTÓTIPO DE ATENDIMENTO DOMICILIAR AUTOMATIZADO: HOME CARE DE BAIXO CUSTO PROTÓTIPO DE ATENDIMENTO DOMICILIAR AUTOMATIZADO: HOME CARE DE BAIXO CUSTO Wilker Luiz Machado Barros¹, Wyllian Fressatti¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil wilkermachado1@hotmail.com,

Leia mais

Uma Proposta de Tecnologia Embarcada na Internação Domiciliar Capítulo 5 Conclusões 133

Uma Proposta de Tecnologia Embarcada na Internação Domiciliar Capítulo 5 Conclusões 133 Capítulo 5 Conclusões 133 CAPÍTULO 5 CONCLUSÕES Neste capítulo são abordadas as conclusões traçadas no desenvolvimento e validação do SMD, e indicação de estudos futuros. Ressalta-se o atendimento aos

Leia mais

Fazendo a diferença nos Serviços de Saúde: Visão do Técnico Especialista

Fazendo a diferença nos Serviços de Saúde: Visão do Técnico Especialista Fazendo a diferença nos Serviços de Saúde: Visão do Técnico Especialista Tec. de Enfermagem Claudia Sterque claudiasterque@yahoo.com.br 11 de novembro de 2010 VISÃO DO TÉCNICO ESPECIALISTA Quando comecei

Leia mais

Implementação de um serviço de Site Dinâmico para a Intranet do Pólo de Touros utilizando o ambiente Apache, MYSQL e PHP em um Servidor Linux

Implementação de um serviço de Site Dinâmico para a Intranet do Pólo de Touros utilizando o ambiente Apache, MYSQL e PHP em um Servidor Linux UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ - EAJ CURSO TÉCNICO DE INFORMÁTICA PROFESSOR CARLOS HENRIQUE GRILO DINIZ Projeto das Disciplinas de Sistemas Operacionais de Redes

Leia mais

Projeto Saúde On-line

Projeto Saúde On-line Projeto Saúde On-line Sistemas de computadorizados de registro médico e tecnologia de informação em saúde. INTRODUÇÃO: Visando organizar o acesso aos serviços, agilizar processo, impactar na qualidade

Leia mais

O PEP como Instrumento de Otimização Clinica Marcos Sobral

O PEP como Instrumento de Otimização Clinica Marcos Sobral O PEP como Instrumento de Otimização Clinica Marcos Sobral São Paulo, 19 de setembro de 2005 Agenda Introdução Desafios MVPEP Formas de acessos Funcionalidades Formulários eletrônicos Índices clínicos

Leia mais

SICLOM Cadastramento

SICLOM Cadastramento 1 Cadastramento SICLOM Cadastramento Versão: 2011 Manual de utilização do menu de Cadastramento Versão: 2013 2 Cadastramento 3 Cadastramento Índice Introdução. 5 Cadastramento. 6 Cadastro de usuário SUS.

Leia mais

CLASSCEEP MATEMÁTICA NAS REDES SOCIAIS

CLASSCEEP MATEMÁTICA NAS REDES SOCIAIS Mostra Brasileira de Ciência e Tecnologia e Mostra Internacional de Ciência e Tecnologia MOSTRATEC Centro Estadual de Educação Profissional em Gestão e Tecnologia da Informação Álvaro Melo Vieira Ilhéus

Leia mais

Sistema de Agendamento do Atendimento Médico na Unidade Básica de Saúde de Arroio Trinta Acadêmica: Roberta Raquel Leismann Orientador: Ricardo Alencar de Azambuja Seqüência da Apresentação Introdução

Leia mais

Sumário: 1. Saúde 1.1. Estratégia da Saúde da Família no território 2.1 (Rio de Janeiro);

Sumário: 1. Saúde 1.1. Estratégia da Saúde da Família no território 2.1 (Rio de Janeiro); PLANO DE TRABALHO 2014 Sumário: 1. Saúde 1.1. Estratégia da Saúde da Família no território 2.1 (Rio de Janeiro); 1.2. Estratégia da Saúde da Família no território 3.1 (Rio de Janeiro); 1.3. Estratégia

Leia mais

PROTOCOLO DE ATENDIMENTO A PARADA CARDIORRESPIRATÓRIA (PCR)

PROTOCOLO DE ATENDIMENTO A PARADA CARDIORRESPIRATÓRIA (PCR) PROTOCOLO DE ATENDIMENTO A PARADA CARDIORRESPIRATÓRIA (PCR) 1 - OBJETIVO Este protocolo tem por objetivo padronizar o atendimento à parada cardiorrespiratória (PCR), para um atendimento rápido e organizado,

Leia mais

O Prontuário rio Eletrônico do Paciente no Cunha 7 anos de sucesso

O Prontuário rio Eletrônico do Paciente no Cunha 7 anos de sucesso O Prontuário rio Eletrônico do Paciente no Hospital Márcio M Cunha 7 anos de sucesso INFORMAÇÕES GERAIS Hospital Geral com 480 leitos 02 unidades de internação 38 especialidades médicas 70% do atendimento

Leia mais

SISTEMA PARA AUXILIXAR NO GERENCIAMENTO DA ONG SOCIEDADE CASA DA ESPERANÇA

SISTEMA PARA AUXILIXAR NO GERENCIAMENTO DA ONG SOCIEDADE CASA DA ESPERANÇA UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO SISTEMA PARA AUXILIXAR NO GERENCIAMENTO DA ONG SOCIEDADE CASA DA ESPERANÇA Arã Mahatma Pasta Prof. Wilson Pedro Carli, Orientador ROTEIRO

Leia mais

II ENCONTRO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FAFIPA EIC ANÁLISE DAS ANOTAÇÕES DE ENFERMAGEM EM UMA INSTITUIÇÃO HOSPITALAR PRIVADA DO MUNICÍPIO DE PARANAVAÍ

II ENCONTRO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FAFIPA EIC ANÁLISE DAS ANOTAÇÕES DE ENFERMAGEM EM UMA INSTITUIÇÃO HOSPITALAR PRIVADA DO MUNICÍPIO DE PARANAVAÍ 61 II ENCONTRO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FAFIPA EIC ANÁLISE DAS ANOTAÇÕES DE ENFERMAGEM EM UMA INSTITUIÇÃO HOSPITALAR PRIVADA DO MUNICÍPIO DE PARANAVAÍ IMADO, Mayara Keiko (FAFIPA). DERENZO, Neide (Orientador),

Leia mais

Uma área em expansão. Radiologia

Uma área em expansão. Radiologia Uma área em expansão Conhecimento especializado e treinamento em novas tecnologias abrem caminho para equipes de Enfermagem nos serviços de diagnóstico por imagem e radiologia A atuação da Enfermagem em

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS FEVEREIRO/2014

PRESTAÇÃO DE CONTAS FEVEREIRO/2014 PRESTAÇÃO DE CONTAS FEVEREIRO/2014 28/02/2014 HOSPITAL ESTADUAL ALBERTO TORRES V. Relatório referente a execução do Contrato de Gestão 31/2012 sobre as ações executadas sobre o apoio ao gerenciamento e

Leia mais

2. O que informatizar?

2. O que informatizar? A INFORMÁTICA NO CONSULTÓRIO MÉDICO No fascículo anterior, comentamos como a gestão de custos, mesmo sendo feita de maneira simplista, auxilia o consultório a controlar e avaliar seus resultados, permitindo

Leia mais

ANEXO I Descrição dos Cargos

ANEXO I Descrição dos Cargos ANEXO I Descrição dos Cargos DESCRIÇÃO: 1. - Auxiliar de Enfermagem: Prestar cuidados diretos de enfermagem ao paciente, por delegação e sob a supervisão do enfermeiro e do médico. Administrar medicação

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico A decisão pela realização do Planejamento Estratégico no HC surgiu da Administração, que entendeu como urgente formalizar o planejamento institucional. Coordenado pela Superintendência

Leia mais

O CUIDADO QUE FAZ A DIFERENÇA

O CUIDADO QUE FAZ A DIFERENÇA O CUIDADO QUE FAZ A DIFERENÇA DAL BEN: SUA PARCEIRA EM CUIDADOS ASSISTENCIAIS A saúde no Brasil continua em constante transformação. As altas taxas de ocupação dos hospitais brasileiros demandam dos profissionais

Leia mais

TOPLAB VERSÃO WEB 3.0 Solução completa para o gerenciamento de laboratórios de análises clínicas Interface web

TOPLAB VERSÃO WEB 3.0 Solução completa para o gerenciamento de laboratórios de análises clínicas Interface web Página 01 TOPLAB VERSÃO WEB 3.0 Solução completa para o gerenciamento de laboratórios de análises clínicas Interface web Página 02 Plataforma O TOPLAB foi projetado para funcionar na web, nasceu 'respirando

Leia mais

Aplicativo Cliente/Servidor multicamadas para controle de uma rede de lojas via web utilizando Java

Aplicativo Cliente/Servidor multicamadas para controle de uma rede de lojas via web utilizando Java Aplicativo Cliente/Servidor multicamadas para controle de uma rede de lojas via web utilizando Java Aluno: Henrique Eduardo M. Oliveira Orientador: Prof. Dr. Leandro J. Komosinski Banca: Prof. M. Maria

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA

Leia mais

EMENTAS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

EMENTAS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS EMENTAS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO 60 h 1º Evolução histórica dos computadores. Aspectos de hardware: conceitos básicos de CPU, memórias,

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE SAÚDE E SERVIÇOS CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE SAÚDE E SERVIÇOS CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE SAÚDE E SERVIÇOS CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA CHRISTIAN GALAFASSI EDENIR HENRIQUE MARTINS GUSTAVO STANCK VILLAGE CLOUD

Leia mais

Tópicos de Ambiente Web. Modulo 2 Processo de desenvolvimento de um site Professora: Sheila Cáceres

Tópicos de Ambiente Web. Modulo 2 Processo de desenvolvimento de um site Professora: Sheila Cáceres Tópicos de Ambiente Web Modulo 2 Processo de desenvolvimento de um site Professora: Sheila Cáceres Roteiro Motivação Desenvolvimento de um site Etapas no desenvolvimento de software (software:site) Analise

Leia mais

SISTEMA DE CONTROLE DE ACESSO, PARA AMBIENTE ACADÊMICO

SISTEMA DE CONTROLE DE ACESSO, PARA AMBIENTE ACADÊMICO SISTEMA DE CONTROLE DE ACESSO, FREQÜÊNCIA E GESTÃO DE PERMISSÃO PARA AMBIENTE ACADÊMICO LEONARDO DENARDI ORIENTADOR: JACQUES ROBERT HECKMANN SEQÜÊNCIA DA APRESENTAÇÃO Introdução Objetivos Fundamentação

Leia mais

Programa de Acreditação Internacional. Gestão da Qualidade e Segurança

Programa de Acreditação Internacional. Gestão da Qualidade e Segurança 2012 Programa de Acreditação Internacional Gestão da Qualidade e Segurança Responda rapidamente: Os serviços prestados pela sua instituição têm qualidade e segurança satisfatórias??? Por Quê???? QUALIDADE?

Leia mais

Ensino técnico Integrado ao médio.

Ensino técnico Integrado ao médio. PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015 Ensino técnico Integrado ao médio. Código: 262 ETEC ANHANQUERA Município: Santana de Parnaíba Componente Curricular: Programação para Web I Eixo Tecnológico:

Leia mais

Sistema de Registro Eletrônico de Saúde : a Experiência do Hospital Moinhos de Vento. Hospital Moinhos de Vento

Sistema de Registro Eletrônico de Saúde : a Experiência do Hospital Moinhos de Vento. Hospital Moinhos de Vento Sistema de Registro Eletrônico de Saúde : a Experiência do Hospital Moinhos de Vento Dra. Sandra Abrantes Krug Seabra Coordenadora da Comissão de Prontuários Hospital Moinhos de Vento Porto Alegre RS Setembro

Leia mais

Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE):Informatização na Implantação(*)

Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE):Informatização na Implantação(*) Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE):Informatização na Implantação(*) Cristiane Vaucher(**) Enfermeira. Membro do Comitê de Implantação da SAE no INCA IV Jornada de Enfermagem em Oncologia

Leia mais

A PARTICIPAÇÃO EM GRUPOS DE PESQUISAS E A OPORTUNIDADE DE CRESCIMENTO E VISIBILIDADE DA ENFERMAGEM 1

A PARTICIPAÇÃO EM GRUPOS DE PESQUISAS E A OPORTUNIDADE DE CRESCIMENTO E VISIBILIDADE DA ENFERMAGEM 1 A PARTICIPAÇÃO EM GRUPOS DE PESQUISAS E A OPORTUNIDADE DE CRESCIMENTO E VISIBILIDADE DA ENFERMAGEM 1 NASCIMENTO, Letícia 2 ; NEVES, Eliane Tatsch 3 ; PIESZAK, Greice Machado 4 ; POTRICH, Tassiana 5 RESUMO

Leia mais

Com carga horária de 480 horas o curso Enfermagem do Trabalho é desenvolvido em sistema modular, com 01 encontro por bimestre (total de encontros no

Com carga horária de 480 horas o curso Enfermagem do Trabalho é desenvolvido em sistema modular, com 01 encontro por bimestre (total de encontros no Com carga horária de 480 horas o curso Enfermagem do Trabalho é desenvolvido em sistema modular, com 01 encontro por bimestre (total de encontros no curso: 04) para avaliação nos diversos pólos, atividades

Leia mais

Processo de Desenvolvimento de Software

Processo de Desenvolvimento de Software Coordenadoria de Tecnologia da Informação Documentos Formais Processo de Desenvolvimento de Software Sumário 1 Introdução... 03 2 Políticas do Documento de Processo de Desenvolvimento de Software... 04

Leia mais

SIGLA - Sistema Integrado de Gestão Legislativa e Administrativa

SIGLA - Sistema Integrado de Gestão Legislativa e Administrativa Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP Instituto de Ciências Exatas e Biológicas - ICEB Departamento de Computação - DECOM SIGLA - Sistema Integrado de Gestão Legislativa e Administrativa Aluno: Paulo

Leia mais

XVIII JORNADA DE ENFERMAGEM EM HEMODINÂMICA.

XVIII JORNADA DE ENFERMAGEM EM HEMODINÂMICA. . Qualificando o desempenho operacional utilizando ferramentas de Tecnologia de Informação. sfl.almada@gmail.com Enfª Sueli de Fátima da Luz Formação: Bacharel em Enfermagem e Obstetrícia Universidade

Leia mais

Análise e Projeto Orientados a Objetos Aula IV Requisitos. Prof.: Bruno E. G. Gomes IFRN

Análise e Projeto Orientados a Objetos Aula IV Requisitos. Prof.: Bruno E. G. Gomes IFRN Análise e Projeto Orientados a Objetos Aula IV Requisitos Prof.: Bruno E. G. Gomes IFRN 1 Introdução Etapa relacionada a descoberta e descrição das funcionalidades do sistema Parte significativa da fase

Leia mais

Estágio Curricular Supervisionado

Estágio Curricular Supervisionado Estágio Curricular Supervisionado CURSO DE ENFERMAGEM O curso de bacharelado em Enfermagem do IPTAN apresenta duas disciplinas em seu plano curricular pleno relativas ao estágio: Estágio Supervisionado

Leia mais

Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web

Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web Resumo. Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web Autor: Danilo Humberto Dias Santos Orientador: Walteno Martins Parreira Júnior Bacharelado em Engenharia da Computação

Leia mais

Manutenção de Ambientes de Saúde

Manutenção de Ambientes de Saúde Manutenção de Ambientes de Saúde Investir para gastar menos no ambiente de saúde Remendar, improvisar, dar um jeitinho, deixar para o último minuto. Nada disso funciona em ambientes de saúde. Essas soluções

Leia mais

Gerenciamento de Custos. Profª Karina Gomes Lourenço

Gerenciamento de Custos. Profª Karina Gomes Lourenço Gerenciamento de Custos Profª Karina Gomes Lourenço A EXPANSÃO DOS GASTOS NA SAÚDE (Nível Macroeconômico) Aumento da Demanda Incorporação de direitos universais de cobertura Mudanças na estrutura etária

Leia mais

Projeto Disciplinar de Infra-Estrutura de Software FARMAINFOR - GERENCIAMENTO DA FARMACIA

Projeto Disciplinar de Infra-Estrutura de Software FARMAINFOR - GERENCIAMENTO DA FARMACIA 1 Projeto Disciplinar de Infra-Estrutura de Software FARMAINFOR - GERENCIAMENTO DA FARMACIA PATRÍCIA LIMA 1, ALEXANDRE ALMEIDA, 2, LAÉCIO 3, OTAVIO 4,, PEDRO HENRIQUE 5, DAIRO 6,EDUARDO RADICHHI 7 LUA

Leia mais

Processos de Desenvolvimento de Software

Processos de Desenvolvimento de Software Processos de Desenvolvimento de Software Gerenciamento de Projetos Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência e

Leia mais

30/03/2010 a 30/03/2011

30/03/2010 a 30/03/2011 POP ACCR 01 Abertura da Ficha do Usuário ASSUNTO: Padronizar o procedimento para abertura da ficha do usuário. Nº 01 Resultados esperados: Cadastros atualizados dos Usuários Este POP aplica-se na recepção

Leia mais

HUMANIZAÇÃO DO REAL PARA O IDEAL NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA: UMA REVISÃO DE LITERATURA

HUMANIZAÇÃO DO REAL PARA O IDEAL NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA: UMA REVISÃO DE LITERATURA HUMANIZAÇÃO DO REAL PARA O IDEAL NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA: UMA REVISÃO DE LITERATURA Francisco Junio do Nascimento 1, Sheron Maria Silva Santos 1, Jose Thiago Gois de Alencar 1, Ivanildo do Carmo

Leia mais

EDITAL N 37/2013 1 - Das áreas 2- Das vagas 3- Dos Requisitos 4- Das inscrições 5 - Da seleção 1ª Etapa: Data: Resultado da 1ª Etapa:

EDITAL N 37/2013 1 - Das áreas 2- Das vagas 3- Dos Requisitos 4- Das inscrições 5 - Da seleção 1ª Etapa: Data: Resultado da 1ª Etapa: EDITAL N 37/2013 A Diretoria Acadêmica da Associação Caruaruense de Ensino Superior, mantenedora da Faculdade ASCES, torna público a realização do processo seletivo destinado ao recrutamento de profissional

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico ETEC: Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Ambiente e Saúde Habilitação Profissional: Técnico em enfermagem Qualificação: sem

Leia mais

TIC Saúde 2013 Pesquisa sobre o uso das TIC em estabelecimentos de saúde no Brasil

TIC Saúde 2013 Pesquisa sobre o uso das TIC em estabelecimentos de saúde no Brasil TIC Saúde 2013 Pesquisa sobre o uso das TIC em estabelecimentos de saúde no Brasil Latam Healthcare IT Summit São Paulo, 04 de abril de 2013 CGI.br Comitê Gestor da Internet no Brasil NIC.br Núcleo de

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM NEUROLOGIA CLÍNICA E INTENSIVA Unidade

Leia mais

Centro de Trabalho Indigenista CTI

Centro de Trabalho Indigenista CTI Centro de Trabalho Indigenista CTI Termo de Referência para Contratação de Consultoria Técnica Junho de 2015 Projeto Proteção Etnoambiental de Povos Indígenas Isolados e de Recente Contato na Amazônia

Leia mais