DIÁLOGO DE SABERES A Produção do Conhecimento em Turismo. (Agosto/09 Agosto/10)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DIÁLOGO DE SABERES A Produção do Conhecimento em Turismo. (Agosto/09 Agosto/10)"

Transcrição

1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO MULTIDISCIPLINAR DIÁLOGO DE SABERES A Produção do Conhecimento em Turismo (Agosto/09 Agosto/0) Bolsista: Maria da Penha Lacerda de Santana Categoria da Bolsa: Iniciação Científica PROIC/UFRRJ Orientadora: Teresa Cristina Viveiros Catramby Instituição: Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro- UFRRJ - Instituto Multidisciplinar Departamento de Administração, Direito e Turismo Área: Ciências Sociais Aplicadas Sub-área: Planejamento Urbano Regional Grupo de pesquisa: NEPET Núcleo de Estudo e Pesquisa em Turismo

2 Apresentamos o resultado final do projeto realizado através do edital de apoio à Iniciação Científica - PROIC/UFRRJ no ano de 2009/200. Este trabalho foi desenvolvido em cinco fases. A primeira consistiu em pesquisa bibliográfica apoiada em livros, artigos em anais de congressos, revistas, dissertações, teses, monografias e textos técnicos como dados secundários, que pudessem auxiliar na delimitação e embasamento teórico do tema. A segunda etapa foi a realização de uma seleção, apoiada em informações disponíveis no do site da Capes - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de nível Superior, de um elenco de programas de pós-graduação stricto sensu situados no estado do Rio de Janeiro que possuíssem produção acadêmica que apresentasse maior afinidade com o estudo sobre Turismo. Na terceira etapa foi feito contato por com os coordenadores dos programas citados e, paralelamente, uma pesquisa nos conteúdo dos sites desses programas, nos seus bancos de teses e dissertações e bibliotecas online como também no site do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) com o objetivo de levantar informações nos currículos dos autores e orientadores dos trabalhos identificados. A etapa final do trabalho consistiu na escolha de um modelo de banco de dados que atendesse às necessidades do projeto. O trabalho se concluiu com a alimentação e disponibilização deste banco de dados no IVT Instituto Virtual de Turismo, ligado ao LTDS/COPPE/UFRJ. Introdução O Rio de Janeiro foi o segundo estado brasileiro a ter um curso superior de Turismo, isto aconteceu no ano de 972, na Universidade Católica de Petrópolis (UCP). A criação do curso aconteceu através de uma parceria entre a instituição e a Universidad Autonoma de Guadalajara e como parte da parceria a UCP recebeu uma professora, Rosa Maria de La Fuente, responsável pelas disciplinas de Administração Hoteleira e Alimentos e Bebidas. No ano seguinte ao início do curso foi criado o Centro de Pesquisas Turísticas (CEPETUR) que era responsável por reunir dados, publicações e informações em geral que serviam de apoio aos alunos, a comunidade acadêmica e trade. Em 982 o curso deixou de ser oferecido voltando a compor turmas em 2000.

3 No início dos anos 2000 acompanhamos um crescimento gradativo do oferecimento de cursos superiores de Turismo chegando a 26 cursos sendo oferecidos por instituições em todo estado, tanto públicas quanto privadas, no ano de 2004 (CATRAMBY, 2004). O curso de bacharelado era oferecido, inicialmente, por instituições privadas, entretanto apartir do início da década instituições públicas criaram seus cursos sendo hoje oferecido pela UFF, UNIRIO, UERJ e UFRRJ sendo que esta última oferece o curso de Hotelaria presencial e a Licenciatura em Turismo na modalidade semi-presencial em parceria com as instituições públicas citadas acima. Entretanto, no que se refere à pós-graduação, o estado não possui nenhum programa específico sendo o tema abordado em algumas linhas de pesquisa em programas consolidados assim como disciplinas oferecidas em suas grades curriculares. Os programas segundo a CAPES Hoje no Brasil são recomendados pela CAPES (200) 2.99 programas de pósgraduação stricto sensu sendo que.430 situam-se na região sudeste. Destes que se encontram nesta região existem 20 doutorados, 405 mestrados, 48 mestrados profissionais e 857 programas que possuem tanto o mestrado como o doutorado. No Estado do Rio de Janeiro existem 36 programas sendo 4 de doutorado, 84 mestrado, 57 mestrado profissional e 26 programas que possuem tanto mestrado como doutorado.

4 Relação da distribuição dos Programas de Pós-graduação Mestrado e doutorado Profissonal Modalidade Mestrado Doutorado Quantidades Brasil Sudeste Rio de Janeiro Figura 3 Distribuição dos Programas de Pós-graduação Fonte: Elaborado pelo autor com dados da CAPES (200) Para fins de avaliação a CAPES divide as áreas de conhecimento em nove grandes áreas: Ciências Agrárias; Ciências Biológicas; Ciências da Saúde; Ciências Exatas e da Terra; Ciências Humanas; Ciências Sociais e Aplicadas; Engenharias; Lingüística, Letras e Artes e a Multidisciplinar. Dentro das grandes áreas encontram-se 45 áreas de conhecimento onde seus desdobramentos se alocam. O Turismo encontra-se na grande área Ciências Sociais Aplicadas sendo avaliado, especificamente, pelo Comitê de Administração, Ciências Contábeis e Turismo. Selecionamos, então, as grandes áreas e sub-áreas que possuem interface com o Turismo de forma abrangente, e isto diz respeito a ter ou não trabalhos já elaborados em seus programas como forma de balizar a pesquisa. Encontramos 47 programas com este perfil.

5 Grande Área Área Área de Avaliação Ciências Agrárias Recursos Florestais e Engenharia (Ciências Agrárias I) Florestal Ciências Biológicas Ecologia (Ecologia e Meio Ambiente) Ciências da Saúde Educação Física (Educação Física) Saúde Coletiva (Saúde Coletiva) Ciências Exatas e da Geociências (Geociências) Terra Ciências Humanas Antropologia (Antropologia /Arqueologia) Ciência política (Ciência Política e Relações Internacionais) Educação (Educação) Filosofia (Filosofia/Teologia: subcomissão Filosofia) Geografia (Geografia) História (História) Psicologia (Psicologia) Sociologia (Sociologia) Ciências Sociais Aplicadas Administração (Administração, Ciências Contábeis e Turismo) Arquitetura e Urbanismo (Arquitetura e Urbanismo) Ciência da Informação (Ciências Sociais Aplicadas I) Comunicação (Ciências Sociais Aplicadas I) Demografia (Planejamento Urbano e Regional/Demografia) Direito (Direito) Economia (Economia) Museologia (Ciências Sociais Aplicadas I) Planejamento Urbano e Regional (Planejamento Urbano e Regional/Demografia) Serviço Social (Serviço Social ) Turismo (Administração, Ciências Contábeis e Turismo ) Engenharias Engenharia de Produção (Engenharias III) Engenharia de Transportes (Engenharias I) Engenharia Sanitária (Engenharias I) Linguistica, Letras e Letras (Letras/Linguística) Artes Lingüística (Letras/Linguística) Multidisciplinar Interdisciplinar (Interdisciplinar) Quadro 5 Áreas de conhecimento segundo a CAPES Fonte: Elaborado pelo autor com dados da CAPES (200) Fazendo um levantamento quantitativo das áreas, com base na área de avaliação proposta pela CAPES, identificamos dos 47 programas o seguinte perfil: Interdisciplinar (7); História (); Administração, Ciências Contábeis e Turismo e Educação (0) e os outros com menos de 0. Os programas Interdisciplinares apresentam como característica um corpo docente com formação diversificada que para o estudo do Turismo é extremamente fecundo. Apresentamos a figura a seguir com este resultado.

6 Figura 4 Programas por área Fonte: Elaborado pelo autor As instituições Fazendo a análise com viés no tipo de instituição identificamos que 4 são públicas e 7 particulares. Nove públicas e particular não possuem interface com o Turismo e citamos como exemplo áreas como a Física e Astronomia. Instituições do Estado do Rio de Janeiro Podem Contemplar o tema turismo: Não contemplam o tema turismo: Públicas Privadas Figura 5 Tipo de instituição e interface com o Turismo Fonte: Santana e Catramby (200)

7 O material levantado Após a análise geral sobre os programas, instituições e áreas de conhecimento, partimos para a etapa de busca do material onde acessamos, primeiramente, o banco de teses da CAPES (200). Ao utilizarmos a palavra-chave Turismo, para termos uma noção geral do quantitativo, encontramos 3.0 trabalhos sendo dissertações; 358 teses e 98 dissertações defendidas em mestrados profissionais, isto em todos os programas no Brasil. Como alguns autores não utilizam a palavra Turismo como descritor optamos por não buscar somente em bancos de dados como CAPES e IBICT. Desta forma decidimos por pesquisar pelo título, palavras-chave e quando estes indicadores não eram suficientes partimos para a leitura dos resumos. Decidimos por este tipo de busca por acreditar que o tema, mesmo que tangenciado em alguns trabalhos, poderia ser um material interessante para análise. Encontramos 86 trabalhos sendo 48 dissertações; 29 teses e 9 dissertações em mestrados profissionais. O primeiro trabalho publicado data de 980 onde são três décadas de produção sobre Turismo que nos demonstra como este fenômeno tão discutido na atualidade é recente quando diz respeito a formulação de suas fundamentações teóricas. Figura 6 Quantitativo de trabalhos por ano Fonte: elaborado pelo autor

8 Constatamos que houve uma crescente na produção entre os anos de 2004 e 2006 e após um declínio, entretanto um aumento na produção de teses. Fato que podemos justificar entendendo que há uma busca pela continuidade na titulação. A figura abaixo demonstra esta linha cronológica: Figura 7 Relação por tipo de trabalho e ano de defesa Fonte: Elaborado pelo autor No ano de 2006 houveram 34 trabalhos produzidos. Não temos dados que nos levem a uma explicação sobre este resultado, entretanto cabe lembrar que nos anos anteriores houveram várias instituições criando cursos de Turismo, principalmente públicas, e possivelmente este seja um fator que tenha levado ao aumento da demanda por profissionais titulados aptos a lecionarem nestes cursos. Comparando os trabalhos produzidos em todos os programas de pós-graduação do Estado do Rio de Janeiro no ano de 2008 com os produzidos com o tema Turismo em três décadas, durante o período de 980 à 200, verifica-se que estes representam aproximadamente 3% do total de trabalhos produzidos pelos programas cujas áreas são correlatas com o Turismo, tal fato pode ser visualizado com clareza no gráfico abaixo.

9 Quantidade Dissertações Teses profissional 0 Geral Turismo Figura 8 Comparação do quantitativo de trabalhos produzidos em 2008 e os trabalhos em turismo entre 980 à 200. Fonte: elaborado pelo autor Com base nos programas analisados, o que mais produziu sobre o tema foi o PGCA - Programa de pós-graduação em Ciência Ambiental da Universidade Federal Fluminense - UFF com 5 dissertações de mestrado; em segundo lugar encontra-se o PPArq - Programa de pós-graduação em Arquitetura da Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ com 3 dissertação e em terceiro lugar PPgg.igeo - Programa de pós-graduação em Geografia também da UFRJ com 3 trabalhos produzidos sendo 8 teses de doutorado. O gráfico abaixo especifica melhor esta colocação. Programas do Estado do Rio de Janeiro total de produções em Turismo Programas PPGL - UFRJ PosPis - UFRJ PEP - UFRJ ProArq - UFRJ PPE-coppe - UFRJ CoppeAd - UFRJ PGE - UFF PGep - UFF PPGH - UFF PGCA - UFF PgGE - FGV PgA - FGV PgADI - UNESA PgE - PUC PgSS - PUC PPgeo - UERJ PPG-MA - UERJ PPGcom - UERJ PPGEN - UFRRJ PGCAF - UFRRJ Quantidade 6

10 Figura 9 Produções por Programas Fonte: Elaborado pelo autor O exposto nos leva a deduzir que o Turismo e as questões relativas ao espaço, tanto urbano como natural, tem sido o foco principal dos questionamentos e produção do conhecimento. Uma análise mais minuciosa poderá reafirmar esta hipótese. É nítido que a produção de teses e dissertação se dá, em maiores proporções, dentro das instituições públicas de ensino, entretanto os programas da Fundação Getúlio Vargas FGV e da PUC Pontifícia Universidade Católica contribuem consideravelmente para o aprimoramento das discussões, isto é, para a construção de um arcabouço mais sólido para o fenômeno turístico. Demonstramos, no quadro a seguira seguir, o quantitativo por ano e instituição.

11 Programas Ano de Produção Total 980/ 99/ PGCAF UFRRJ 2 3 CPDA UFRRJ PPGEN - UFRRJ PEAMB - UERJ 2 PPGcom - UERJ PPGPS - UERJ PPG-MA - UERJ 2 2 PGMC - UERJ PPgeo - UERJ 2 5 PgEPPS - ENCE PgSS - PUC PgEP - PUC 3 PgE - PUC 2 PgA - PUC 4 PgADI - UNESA 2 5 PgAP - FGV PgA - FGV 2 3 PgFEE - FGV PgGE - FGV PgGHPBC - FGV 3 5 PGCA - UFF PPge - UFF 2 5 PPGH - UFF 2 PGL - UFF PGep - UFF PgSG - UFF 2 4 PGE - UFF PPGAS - UFRJ CoppeAd - UFRJ 2 5 Pós-eco - UFRJ 2 5 PPE-coppe - UFRJ 5 PPGAV - UFRJ 2 ProArq - UFRJ PPgg.igeo - UFRJ PEP - UFRJ IPPUR - UFRJ 2 PosPis - UFRJ 3 0 Prourb - UFRJ 2 PPGL - UFRJ 2 2 PgAdm - IBEMEC Quadro 6 Quantitativo por ano por programa Fonte: Elaborado pelo autor

12 Formação de orientadores e autores Após o levantamento dos trabalhos partimos para outra etapa que foi: analisar a formação de autores e orientadores. Como dito anteriormente não há um programa específico de Turismo no Estado e tampouco um docente com esta formação nos programas de pós-graduação stricto sensu. Este é um fator extremamente importante onde podemos salientar que conhecimentos de diversas áreas contribuem para a produção de conhecimento na área de Turismo. Para demonstrar este fator elaboramos a figura a seguir: Formação dos Orientadores E. Florestal C. Agrícula C. Biológicas C. sociais Letras Economia E. Agronômca E. Civil Direito Comunicação Social Psicologia Administração E. Infra-estrutura aeronáutica Geografia Arquitetura e Urbanismo E. Elétrica E. Mecânica Pedagogia Processamento de Dados E. Produção C. Contábeis Engenharia História E. Marinha C. Políticas Educação Geologia Sociologia E. Cartográfica Museologia Jornalismo Matemática E. Química M. Veterinária Filosofia Oceonografia Não consta Não possui Não informado Figura 0 Formação dos orientadores Fonte: Elaborado pelo autor com dados da Plataforma Lattes. No total, encontramos 36 formações distintas no quadro de docentes que orientaram trabalhos que abordavam o tema Turismo. Encontramos orientados com formações em áreas já identificadas como correlatas como a geografia, economia, porém encontramos outras formações como engenharia elétrica e mecânica, matemática e engenharia química, por exemplo.

13 A formação em geografia é que apresentou maior destaque: Figura Destaque na formação dos orientadores Fonte: Elaborado pelo autor Com relação à formação dos autores encontramos a mesma situação que a apresentada anteriormente, isto é, um grande agregado de diferentes áreas do saber. Entretanto com relação aos autores há um número representativo de bacharéis em Turismo onde encontramos 2 sendo que o programa que recebeu 6 destes profissionais com a formação em Turismo foi o Programa de Pós-graduação em Psicosociologia de Comunidades e Ecologia Social EICOS UFRJ, orientados pela Profa. Marta de Azevedo Irving. Levantamos um total de 34 áreas para a formação dos autores. A figura abaixo demonstra com mais clareza este fato:

14 Formação dos Autores Turismo E. florestal C. Sociais Economia Economia Doméstica Administração Geografia Psicologia E. Elétrica C. Biológicas e Ecologia Filosofia Sociologia e Política História Medicina Veterinária E. Produção Marketing Comunicação Social E. Civil Analista de Sistemas E. Computação Museologia Produção Cultural Direito E. Mecânica Matemática E. Telecomunicação Desenho e plática Arquitetura e Urbanismo Meio Ambiente Engenharia E. Metalúrgica e de Materiais Publicidade Letras Desenho Industrial Não consta Não possui 8 Figura 2 Formação dos autores Fonte: Elaborado pelo autor Selecionamos as formações que mais se destacaram: Figura 3 Destaque na formação de autores Fonte: Elaborado pelo autor.

15 Considerações finais Apesar de termos apresentado um levantamento apenas quantitativo sem fazer nenhuma reflexão os números nos apontam na direção ao qual nos propusemos, o Turismo é uma área multidisciplinar e as relações estabelecidas apontam para um campo fecundo de análise sendo nosso propósito em etapas futuras. Foi possível observar através da pesquisa, nos programas de pós-graduação situados no Estado do Rio de Janeiro, que a construção do conhecimento na área do Turismo encontra-se em fase inicial e as múltiplas facetas que o fenômeno turístico pode desenvolver tornam ainda mais complexas ao pensar da atividade. Referências bibliográficas BASTOS, S.; FEDRIZZI, V. Produção acadêmica do programa de mestrado em hospitalidade. Revista Hospitalidade. São Paulo: Editora Anhembi Morumbi, Ano 3, n., 2006, p BERTUZZO, Gleid Maria Pereira. Produção científica: um estudo cienciométrico do periódico Turismo em Análise. Campinas: PUCCAMP, (Dissertação de Mestrado). GOMES, C. M. Pesquisa científica em lazer no Brasil: bases documentais e teóricas. São Paulo: ECA/USP, 2004 (Dissertação de Mestrado). JAFARI, J.; AASER, D. Tourism as the subject of doctoral dissertations. Annals of tourism research. USA, vol. 5, p , 988. JAFARI, Jafar; RITCHIE, J. R. Brent. Toward a framework for tourism education: problems and prospects. Annals of Tourism Research, Menomonie, 98. Disponível em: <http://www.periodicos.capes.br>. Acesso em: 2 jan REJOWSKI, Mirian. Pesquisa acadêmica em turismo no Brasil ( ): configuração e sistematização documental. São Paulo, USP, 993. (Dissertação de Metrado). REJOWSKI, Mirian. Turismo e pesquisa científica. Pensamento internacional X situação brasileira. Campinas: Papirus, 995. Sites CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de nível Superior. Disponível em: Acesso em 0/ Nov/ 200. CNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Disponível em: Acesso em 0/ Nov/ 200.

A PRODUÇÃO DO CONHECIMENTO EM TURISMO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (RJ) 1

A PRODUÇÃO DO CONHECIMENTO EM TURISMO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (RJ) 1 A PRODUÇÃO DO CONHECIMENTO EM TURISMO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (RJ) 1 Maria da Penha Lacerda de Santana 2 Teresa Cristina Viveiros Catramby 3 IM/UFRRJ Resumo: Este trabalho tem como objetivo levantar

Leia mais

Projetos de Extensão. Prof. Msc. Marcílio Meira Informátic ca

Projetos de Extensão. Prof. Msc. Marcílio Meira <marcilio.meira@ifrn.edu.br> Informátic ca Extensão Projetos de Extensão Prof. Msc. Marcílio Meira Informátic ca Objetivos da aula a. Compreender o que é um Projeto de Extensão, e seus objetivos; b Aprender como se

Leia mais

A produção científica em Turismo no Estado de Pernambuco: dissertações de mestrado 1

A produção científica em Turismo no Estado de Pernambuco: dissertações de mestrado 1 A produção científica em Turismo no Estado de Pernambuco: dissertações de mestrado 1 Gloria Maria Widmer 2 Ana Julia de Souza Melo 3 Airon Marcel da Silva Neri 4 Resumo: Orientado pelos métodos e técnicas

Leia mais

Produção Acadêmica em Turismo e Hotelaria no Brasil Análise da Categoria Ensino Superior

Produção Acadêmica em Turismo e Hotelaria no Brasil Análise da Categoria Ensino Superior Produção Acadêmica em Turismo e Hotelaria no Brasil Análise da Categoria Ensino Superior Resumo: Pesquisa exploratório-descritiva, de caráter documental, que trata da produção acadêmica sobre o ensino

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS E SUBPROJETOS DE PESQUISA

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS E SUBPROJETOS DE PESQUISA MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS E SUBPROJETOS DE PESQUISA O projeto deve, OBRIGATORIAMENTE, ser elaborado pelo Coordenador do Projeto (titulação mínima Mestre PBIC/UniEVANGÉLICA; titulação mínima Doutor

Leia mais

EDITAL Nº 13/2012-PROGRAD

EDITAL Nº 13/2012-PROGRAD 1 EDITAL Nº 13/2012-PROGRAD PUBLICAÇÃO DA RELAÇAO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO CONSIDERADOS COMO CURSOS AFINS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UNIOESTE - PROVOU. A Pró-reitora de Graduação da Universidade Estadual

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO RESUMO A SER PUBLICADO NOS ANAIS DO 22º ENCONTRO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA PUC-SP 2013 MODELO DE RESUMO

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO RESUMO A SER PUBLICADO NOS ANAIS DO 22º ENCONTRO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA PUC-SP 2013 MODELO DE RESUMO MODELO DE RESUMO 8.00.00.00-2 LINGÜÍSTICA, LETRAS E ARTES (grande área) 8.02.00.00-1 LETRAS (área da pesquisa e não curso do aluno) TÍTULO DO PROJETO OU DO PLANO DE TRABALHO DO ALUNO/BOLSISTA NOME... ORIENTADOR(A)

Leia mais

Tabela de vagas disponíveis para lista de espera/chamada pública do SiSU UFRGS

Tabela de vagas disponíveis para lista de espera/chamada pública do SiSU UFRGS Tabela de vagas disponíveis para lista de espera/chamada pública do SiSU UFRGS Periodo Curso NrVagasUni NrVagasL3 NrVagasL4 2015_1 ADMINISTRAÇÃO - Bacharelado - (Integral) 8 0 0 2015_2 ADMINISTRAÇÃO -

Leia mais

Cadastro de denominações consolidadas para Cursos de Graduação (bacharelado e licenciatura) do Ministério da Educação

Cadastro de denominações consolidadas para Cursos de Graduação (bacharelado e licenciatura) do Ministério da Educação Cadastro de denominações consolidadas para Cursos de Graduação (bacharelado e licenciatura) do Ministério da Educação Justificativa Desde a edição da nova LDB (Lei nº 9.394/1996), promulgada em decorrência

Leia mais

Modelos de Gestão da Qualidade da Pós-graduação e do Doutorado: Experiências Nacionais: BRASIL

Modelos de Gestão da Qualidade da Pós-graduação e do Doutorado: Experiências Nacionais: BRASIL Modelos de Gestão da Qualidade da Pós-graduação e do Doutorado: Experiências Nacionais: BRASIL Livio Amaral Diretor de Avaliação 17set13 A AVALIAÇÃO DO SISTEMA NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO (SNPG) (SNPG) -FUNDAMENTOS

Leia mais

VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP

VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ GABINETE DA REITORIA EDITAL Nº 12/2012 CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR EFETIVO ANEXO I VAGAS POR ÁREA DE CONHECIMENTO VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP 1) Área de Conhecimento:

Leia mais

Caracterização da produção científica sobre Turismo no Brasil Estudo documental das teses de doutorado (1990 a 2005)

Caracterização da produção científica sobre Turismo no Brasil Estudo documental das teses de doutorado (1990 a 2005) Caracterização da produção científica sobre Turismo no Brasil Estudo documental das teses de doutorado (1990 a 2005) Mirian Rejowski 1 Resumo Estudo descritivo-explicativo, de caráter documental, sobre

Leia mais

Reunião 3º ano Ensino Médio

Reunião 3º ano Ensino Médio Reunião 3º ano Ensino Médio ENSINO MÉDIO Aprofundamento da aprendizagem; Questionamentos sobre a vida pessoal; Apoio à escolha profissional; Autonomia para resolver problemas, buscando soluções próprias.

Leia mais

PROCEDIMENTOS E GRADE CURRICULAR MESTRADO (ACADÊMICO E PROFISSIONAL) E DOUTORADO

PROCEDIMENTOS E GRADE CURRICULAR MESTRADO (ACADÊMICO E PROFISSIONAL) E DOUTORADO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA ESCOLA POLITÉCNICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA INDUSTRIAL Rua Professor Aristides Novis, nº 02 Federação EP/UFBA

Leia mais

1/11 DIRETORIA DE PROGRAMAS E BOLSAS NO PAÍS COORDENAÇÃO GERAL DE PROGRAMAS ESTRATÉGICOS COORDENAÇÃO DE PROGRAMAS DE INDUÇÃO E INOVAÇÃO/CII

1/11 DIRETORIA DE PROGRAMAS E BOLSAS NO PAÍS COORDENAÇÃO GERAL DE PROGRAMAS ESTRATÉGICOS COORDENAÇÃO DE PROGRAMAS DE INDUÇÃO E INOVAÇÃO/CII 1/11 DIRETORIA DE PROGRAMAS E BOLSAS NO PAÍS COORDENAÇÃO GERAL DE PROGRAMAS ESTRATÉGICOS COORDENAÇÃO DE PROGRAMAS DE INDUÇÃO E INOVAÇÃO/CII PROGRAMA DE APOIO AO ENSINO E À PESQUISA CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA

Leia mais

ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL DE ILHA SOLTEIRA ILHA SOLTEIRA

ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL DE ILHA SOLTEIRA ILHA SOLTEIRA ILHA SOLTEIRA REQUISITOS PARA INSCRIÇÕES AO PROCESSO SELETIVO DE DOCENTES, OBJETIVANDO A FORMAÇÃO DE CADASTRO PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE EXCEPCIONAL INTERESSE PÚBLICO, Nº 065/09/2015 de 19/10/2015.

Leia mais

DIRETORIA DE CONCURSO VESTIBULAR

DIRETORIA DE CONCURSO VESTIBULAR DIRETORIA DE CONCURSO VESTIBULAR EDITAL Nº 001/2011-DCV PUBLICAÇÃO DA RELAÇÃO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO CONSIDERADOS COMO CURSOS AFINS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UNIOESTE. O Diretor de Concurso Vestibular

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO RESUMO A SER PUBLICADO NOS ANAIS DO 21º ENCONTRO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA PUC-SP 2012

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO RESUMO A SER PUBLICADO NOS ANAIS DO 21º ENCONTRO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA PUC-SP 2012 O texto deve ser conciso e ocupar no máximo 20 linhas, em um único parágrafo; utilizar linguagem objetiva, evitando frases inteiras do texto original (expressar apenas a idéia principal e não transcrevê-la);

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 3.046, DE 22 DE MAIO DE 2003.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 3.046, DE 22 DE MAIO DE 2003. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 3.046, DE 22 DE MAIO DE 2003. Revoga a Resolução N.º 2.888/CONSEP, estabelece diretrizes e dispõe

Leia mais

OFERTA INSTITUICAO CAMPUS CURSO GRAU TURNO

OFERTA INSTITUICAO CAMPUS CURSO GRAU TURNO 106137 UFPE CARUARU MEDICINA Bacharelado Integral (Mat/Vesp) 50 807,69 810,71 810,14 106117 UFPE RECIFE MEDICINA Bacharelado Integral (Mat/Vesp) 87 782,54 786,23 787,68 94728 UNIVASF CENTRO PETROLINA MEDICINA

Leia mais

Departamento de Enfermagem Básica (1 vaga) Processo nº 23071.004115/2009-81

Departamento de Enfermagem Básica (1 vaga) Processo nº 23071.004115/2009-81 Períodos de inscrições: no sítio http://www.concurso.ufjf.br a) Primeiro período: das 09h do dia 11/05/2009 até as 14h do dia 29/05/2009; b) Segundo período: das 09h do dia 22/06/2009 até as 14h do dia

Leia mais

Pesos e notas mínimas (ponto de corte) do Enem 2014 para os cursos de graduação inseridos no Sisu

Pesos e notas mínimas (ponto de corte) do Enem 2014 para os cursos de graduação inseridos no Sisu Pesos e notas mínimas (ponto de corte) do Enem 2014 para os cursos de graduação inseridos no Sisu CAMPUS RECIFE CURSO PROVA ENEM PESO ADMINISTRAÇÃO ARQUEOLOGIA ARQUITETURA E URBANISMO ARTES VISUAIS - LICENCIATURA

Leia mais

FONTES PARA O ESTUDO DO TURISMO

FONTES PARA O ESTUDO DO TURISMO REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA TURISMO PERIODICIDADE SEMESTRAL ANO III EDIÇÃO NÚMERO 4 JANEIRO DE 2006 FONTES PARA O ESTUDO DO TURISMO GUARALDO, Tamara de S. Brandão ACEG Faculdade de Ciências Humanas docente

Leia mais

AUXILIAR DOCENTE Atualizado em maio/2011

AUXILIAR DOCENTE Atualizado em maio/2011 AUXILIAR DOCENTE Atualizado em maio/2011 RELAÇÃO DE REQUISITOS MÍNIMOS PARA INGRESSO NO EMPREGO PÚBLICO PERMANENTE DE AUXILIAR DOCENTE I Este documento tem por finalidade apresentar os requisitos de titulação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CENTRO DE SELEÇÃO DA UFG PROCESSO SELETIVO 2013-1

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CENTRO DE SELEÇÃO DA UFG PROCESSO SELETIVO 2013-1 A105 Agronomia (bacharelado) Goiânia 56 8,86 A110 Ciências da Computação (bacharelado) Goiânia 32 5,72 A115 Engenharia de Alimentos (bacharelado) Goiânia 48 3,92 A120 Engenharia Civil (bacharelado) Goiânia

Leia mais

QUADRO DE AFINIDADES DE CURSOS

QUADRO DE AFINIDADES DE CURSOS ADMINISTRAÇÃO CIÊNCIAS CONTÁBEIS CIÊNCIAS ECONÔMICAS COMUNICAÇÃO SOCIAL DIREITO RELAÇÕES INTERNACIONAIS QUADRO DE AFINIDADES DE CURSOS Proc. de Dados / Licenciatura em Informática / Bacharelado em Moda

Leia mais

EDITAL Nº 03, DE 02 DE MARÇO DE 2010. CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR DO MAGISTÉRIO DO ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO ANEXO I

EDITAL Nº 03, DE 02 DE MARÇO DE 2010. CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR DO MAGISTÉRIO DO ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO ANEXO I MINISTERIO DA EDUCACÃO SECRETARIA DE EDUCACÃO PROFISSIONAL E TECNOLOGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCACÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA BAHIA. EDITAL Nº 03, DE 02 DE MARÇO DE 2010. CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR

Leia mais

UFRGS Concurso Vestibular 2009. Número de Candidatos por Curso em 1ª Opção

UFRGS Concurso Vestibular 2009. Número de Candidatos por Curso em 1ª Opção UFRGS Concurso Vestibular 2009 Número de Candidatos por Curso em 1ª Opção Código Nome do Curso Candidatos Vagas Densidade 01 Administração - Diurno 708 80 8,85 Acesso Universal 479 56 Ensino Público 206

Leia mais

Livio Amaral Diretor de Avaliação

Livio Amaral Diretor de Avaliação Livio Amaral Diretor de Avaliação 04nov13 Mestrado Profissional -Portaria nº n 80, de 16 de dezembro de 1998- Dispõe sobre o os mestrados profissionais. Apresenta como um de seus principais objetivos promover

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CENTRO DE SELEÇÃO PROCESSO SELETIVO 2014-1 Relação Candidato/Vagas (C/V)

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CENTRO DE SELEÇÃO PROCESSO SELETIVO 2014-1 Relação Candidato/Vagas (C/V) A105 Agronomia (bacharelado) integral Goiânia 35 588 16,8 A110 Ciências da Computação (bacharelado) integral Goiânia 20 210 10,5 A115 Engenharia de Alimentos (bacharelado) integral Goiânia 30 180 6 A120

Leia mais

Anexo I. Concurso Vestibular 2015 Carreiras e Cursos. Área de Humanidades

Anexo I. Concurso Vestibular 2015 Carreiras e Cursos. Área de Humanidades Carreira 100 Administração - Ribeirão Preto Curso 10: Administração - Diurno - Ribeirão Preto Curso 11: Administração - Noturno - Ribeirão Preto Concurso Vestibular 2015 Carreiras e Cursos Área de Humanidades

Leia mais

PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS PROUNI EDITAL DE INSCRIÇÃO PARA TRANSFERÊNCIAS DE CURSO COM BOLSA PROUNI 2015/1

PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS PROUNI EDITAL DE INSCRIÇÃO PARA TRANSFERÊNCIAS DE CURSO COM BOLSA PROUNI 2015/1 PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS PROUNI EDITAL DE INSCRIÇÃO PARA TRANSFERÊNCIAS DE CURSO COM BOLSA PROUNI 2015/1 1. Abertura O Coordenador do PROUNI, da Universidade do Vale do Rio dos Sinos UNISINOS,

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA - UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA - UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA - UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE Ciências Sociais Graduação em Ciência Política, Sociologia, Filosofia ou Antropologia. Seminários Graduação em Administração Pública, Administração

Leia mais

Pré-Vestibular Social UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE - UFF

Pré-Vestibular Social UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE - UFF UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE - UFF I) A UNIVERSIDADE A UFF foi criada em 1960 com a junção de 5 faculdades federais que já existiam em. Inicialmente se chamava UFERJ Universidade Federal do Estado do

Leia mais

UFRGS Concurso Vestibular 2011. Quadro de Lotação dos Candidatos em 1ª Opção

UFRGS Concurso Vestibular 2011. Quadro de Lotação dos Candidatos em 1ª Opção UFRGS Concurso Vestibular 2011 Quadro de Lotação dos Candidatos em 1ª Opção Código Nome do Curso Vagas Médias Ofer Ocup Primeiro Último 01 Administração - Diurno Acesso Universal 56 56 711,68 572,40 Ensino

Leia mais

COD Curso Inscritos Vagas Concorrência

COD Curso Inscritos Vagas Concorrência COD Curso Inscritos Vagas Concorrência A105 Agronomia (bacharelado) 496 56 8.8571 A110 Ciências da Computação (bacharelado) 183 32 5.7188 A115 Engenharia de Alimentos (bacharelado) 188 48 3.9167 A120 Engenharia

Leia mais

ANEXO IV REINGRESSO POR CONCURSO PÚBLICO CURSOS MINISTRADOS EM NITERÓI

ANEXO IV REINGRESSO POR CONCURSO PÚBLICO CURSOS MINISTRADOS EM NITERÓI CURSO PRETENDIDO ANTROPOLOGIA (Niterói) ARQUIVOLOGIA (Niterói) ARTES (Niterói) BIBLIOTECONOMIA E DOCUMENTAÇÃO (Niterói) BIOMEDICINA (Niterói) ANEXO IV REINGRESSO POR CONCURSO PÚBLICO CURSOS MINISTRADOS

Leia mais

TOTAL DE CANDIDATOS POR IES/CURSO

TOTAL DE CANDIDATOS POR IES/CURSO TOTAL DE CANDIDATOS POR IES/CURSO UF da IES Nome da IES Nome do Curso Qtd. Inscritos SP FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC Ciência e Tecnologia ** 16.253 BA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA

Leia mais

Universidade Federal da Bahia Serviço de Seleção, Orientação e Avaliação.VESTIBULAR UFBA 2013 RLSV006.1 - CONCORRÊNCIA

Universidade Federal da Bahia Serviço de Seleção, Orientação e Avaliação.VESTIBULAR UFBA 2013 RLSV006.1 - CONCORRÊNCIA Página 1 de 5 Campus: UFBA - Salvador 187140 Arquitetura e Urbanismo - Noturno - Salvador 327 36 9,08 101140 Arquitetura e Urbanismo - Salvador 987 96 10,28 189140 Bacharelado Interdisciplinar em Ciência

Leia mais

VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP

VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ GABINETE DA REITORIA EDITAL Nº 13/2013 CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR EFETIVO ANEXO I VAGAS POR ÁREA DE CONHECIMENTO VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP 135-Área de

Leia mais

Manual Comitê de Ética em Pesquisa Universidade do Sagrado Coração

Manual Comitê de Ética em Pesquisa Universidade do Sagrado Coração Manual Comitê de Ética em Pesquisa Universidade do Sagrado Coração Bauru SP Resolução CNS 196/96:...Assim, também são consideradas pesquisas envolvendo seres humanos as entrevistas, aplicações de questionários,

Leia mais

Universidade Federal de Santa Catarina - Código e-mec: 585. Cursos de Graduação

Universidade Federal de Santa Catarina - Código e-mec: 585. Cursos de Graduação Universidade Federal de Santa Catarina - Código e-mec: 585 Cursos de Graduação Curso Grau Campus Código e-mec Administração Bacharelado Florianópolis 14213 Agronomia Bacharelado Florianópolis 14214 Agronomia

Leia mais

PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS PROUNI EDITAL DE INSCRIÇÃO PARA TRANSFERÊNCIAS DE CURSO COM BOLSA PROUNI 2015/2

PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS PROUNI EDITAL DE INSCRIÇÃO PARA TRANSFERÊNCIAS DE CURSO COM BOLSA PROUNI 2015/2 PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS PROUNI EDITAL DE INSCRIÇÃO PARA TRANSFERÊNCIAS DE CURSO COM BOLSA PROUNI 2015/2 1. Abertura O Coordenador do PROUNI, da Universidade do Vale do Rio dos Sinos UNISINOS,

Leia mais

NOTAS MÍNIMAS NO ENEM 2012, ENTRE OS CANDIDATOS CONVOCADOS, CONSIDERANDO ATÉ A ÚLTIMA CHAMADA.

NOTAS MÍNIMAS NO ENEM 2012, ENTRE OS CANDIDATOS CONVOCADOS, CONSIDERANDO ATÉ A ÚLTIMA CHAMADA. Administração Matutino Administração Noturno Agronomia Biomedicina A. C. 656.01 A 1 582.98 A 2 623.08 A. C. 630.01 A 1 595.10 A 2 633.89 A 3 451.66 A. C. 582.74 A 1 591.39 A 2 577.87 A 3 506.48 A. C. 629.86

Leia mais

CATÁLOGO AUXILIAR DOCENTE

CATÁLOGO AUXILIAR DOCENTE CATÁLOGO DE AUXILIAR DOCENTE Atualizado em Novembro/2015 RELAÇÃO DE REQUISITOS MÍNIMOS PARA INGRESSO NO EMPREGO PÚBLICO PERMANENTE DE AUXILIAR DOCENTE I Este documento tem por finalidade apresentar os

Leia mais

COMUNICADO II (Estudantes GS. Ext.)

COMUNICADO II (Estudantes GS. Ext.) COMUNICADO II (Estudantes GS. Ext.) Edital SECRI 004/2015 Seleção para Programa de Bolsas Erasmus Mundus Projeto Euro Brazilian Windows (EBW+) 2ª chamada A (SECRI) com relação ao Edital SECRI 004/2015

Leia mais

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO MARANHÃO-IESMA UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR DO SUL DO MARANHÃO-UNISULMA NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO MARANHÃO-IESMA UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR DO SUL DO MARANHÃO-UNISULMA NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO MARANHÃO-IESMA UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR DO SUL DO MARANHÃO-UNISULMA NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Especialização em Metodologia do Ensino Superior Imperatriz

Leia mais

EDITAL Nº 15/2013-PROGRAD

EDITAL Nº 15/2013-PROGRAD 1 EDITAL Nº 15/2013-PROGRAD PUBLICAÇÃO DA RELAÇÃO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO CONSIDERADOS COMO CURSOS AFINS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UNIOESTE - PROVOU. A Pró-reitora de Graduação da Universidade Estadual

Leia mais

EDITAL 05/2012 TRANSFERÊNCIA EXTERNA

EDITAL 05/2012 TRANSFERÊNCIA EXTERNA EDITAL 05/2012 TRANSFERÊNCIA EXTERNA 1. INSCRIÇÃO 1.1 Somente poderão inscrever-se no processo de transferência candidatos que tenham vinculação em Curso de Instituição de Ensino Superior. 1.1.1 O curso

Leia mais

1. DADOS DO(S) ESTUDANTE(S)

1. DADOS DO(S) ESTUDANTE(S) Este formulário é válido apenas para projetos submetidos através do correio. Visite o nosso site www.lsi.usp.br/febrace para submeter o projeto eletronicamente. A FEBRACE não recebe projetos submetidos

Leia mais

Apresentação. Núcleo de Referência em Educação Ambiental

Apresentação. Núcleo de Referência em Educação Ambiental Apresentação Núcleo de Referência em Educação Ambiental O Núcleo de Referência em Educação Ambiental NUREDAM surgiu em 1998, no âmbito do Projeto de Educação Ambiental do Programa de Despoluição da Baía

Leia mais

CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO COMUNICAÇÃO E ARTES CCECA. 01 DE Graduação Plena em Pedagogia Pós-Graduação em Educação

CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO COMUNICAÇÃO E ARTES CCECA. 01 DE Graduação Plena em Pedagogia Pós-Graduação em Educação CIDADE: Teresina CAMPUS: Torquato Neto Total de Vagas: 36 (20 Vagas Dedicação Exclusiva e 16 Vagas 40 Horas) CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO COMUNICAÇÃO E ARTES CCECA CURSO: Licenciatura Plena em Pedagogia

Leia mais

RESUMO DAS VAGAS OFERECIDAS AO SISU PARA INGRESSO NO 1º SEMESTRE DE 2015

RESUMO DAS VAGAS OFERECIDAS AO SISU PARA INGRESSO NO 1º SEMESTRE DE 2015 CAMPO GRANDE/Campo Grande-MS 15830 Administração (Bacharelado) 60 37,5% Integral 315830 Administração (Bacharelado) 60 37,5% Noturno 1128367 Alimentos (Tecnológico) 40 37,5% Noturno 18387 Análise de Sistemas

Leia mais

Escola de Administração UFRGS. Porto Alegre - RS

Escola de Administração UFRGS. Porto Alegre - RS Escola de Administração UFRGS Porto Alegre - RS 1 A Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS está localizada na cidade de Porto Alegre, com cerca de 1.5 milhões de habitantes. Localização 1 A

Leia mais

VAGAS OCIOSAS 2015-1

VAGAS OCIOSAS 2015-1 Curso Pretendido na UFU Turno VAGAS OCIOSAS 2015-1 Tabela I Relação dos cursos, vagas, cursos afins e conteúdos da prova escrita. CAMPUS PONTAL Ituiutaba - MG Modalidade Reingresso ao Curso de Origem Interna

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO REITORIA COORDENADORIA DE ASSUNTOS INTERNACIONAIS RETIFICAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO REITORIA COORDENADORIA DE ASSUNTOS INTERNACIONAIS RETIFICAÇÃO RETIFICAÇÃO DO EDITAL 09/014/CAINT/UFOP, DE 08 DE SETEMBRO DE 014 PROGRAMA DE MOBILIDADE ACADÊMICA INTERNACIONAL GRADUAÇÃO Onde se lê:. VAGAS País Universidade Áreas abrangidas Vagas* África do Sul Universidade

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA COMISSÃO PERMANENTE DO VESTIBULAR VESTIBULAR 2015

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA COMISSÃO PERMANENTE DO VESTIBULAR VESTIBULAR 2015 CAMPUS FLORIANÓPOLIS ADMINISTRAÇÃO - DIURNO ADMINISTRAÇÃO - NOTURNO AGRONOMIA ANTROPOLOGIA - BEL - DIURNO ARQUITETURA E URBANISMO ARQUIVOLOGIA - BEL - DIURNO ARTES CÊNICAS - BEL - NOTURNO BIBLIOTECONOMIA

Leia mais

PROCEDIMENTOS E GRADE CURRICULAR MESTRADO PROFISSIONAL

PROCEDIMENTOS E GRADE CURRICULAR MESTRADO PROFISSIONAL SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA ESCOLA POLITÉCNICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA INDUSTRIAL Rua Professor Aristides Novis, nº 02 Federação EP/UFBA

Leia mais

EDITAL Nº 00012-2013 SELEÇÃO DE DOCENTES 2014/1

EDITAL Nº 00012-2013 SELEÇÃO DE DOCENTES 2014/1 EDITAL Nº 00012-2013 SELEÇÃO DE DOCENTES 2014/1 O Diretor da Faculdade Capixaba da Serra, torna pública a abertura de inscrições, no período de 25 de setembro a 30 de outubro do corrente ano, nas áreas

Leia mais

211A02 Artes Visuais - Bacharelado 212C02 Produção cênica - Tecnológico

211A02 Artes Visuais - Bacharelado 212C02 Produção cênica - Tecnológico Código Área Nome Área 1 Educação 2 Humanidades e Artes TABELA DE CURSO DE FORMAÇÃO SUPERIOR Código OCDE Nome do Curso - Grau Grau 142C01 Ciência da educação - 142P01 Pedagogia - Licenciatura Licenciatura

Leia mais

RESUMO DAS VAGAS OFERECIDAS AO SISU PARA INGRESSO NO 1º SEMESTRE DE 2014

RESUMO DAS VAGAS OFERECIDAS AO SISU PARA INGRESSO NO 1º SEMESTRE DE 2014 CAMPO GRANDE/Campo Grande-MS 15830 Administração (Bacharelado) 60 25,0% Integral 315830 Administração (Bacharelado) 60 25,0% Noturno 1128367 Alimentos (Tecnológico) 40 25,0% Noturno 18387 Análise de Sistemas

Leia mais

Ecologia Vegetal 01 ADJ DE Graduação em Ciências Biológicas. 01 ADJ DE Graduação em Engenharia. Ecologia Animal 01 ADJ DE Graduação em Ciências

Ecologia Vegetal 01 ADJ DE Graduação em Ciências Biológicas. 01 ADJ DE Graduação em Engenharia. Ecologia Animal 01 ADJ DE Graduação em Ciências Centro de Ciências Agrárias, Ambientais e Resumo: 12 vagas para Professor Adjunto e 05 vagas para Professor Assistente Ecologia Vegetal 01 ADJ DE Graduação em Ciências Doutorado em Ecologia, Biologia Vegetal

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E TÍTULOS / MAGISTÉRIO - IFSP Edital nº 50/2014

CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E TÍTULOS / MAGISTÉRIO - IFSP Edital nº 50/2014 CARGO: ADMINISTRAÇÃO CÓDIGO: 401 QUESTÃO ALTERNATIVA 1 D 2 B 3 C 4 D 5 A 6 A 7 C 8 B 9 C 10 D 11 C 12 D 13 D 14 C 15 A 16 D 17 A 18 B 19 D 20 A 21 D 22 B 23 C 24 C 25 A 26 B 27 D 28 C 29 B 30 A 31 C 32

Leia mais

PONTUAÇÃO MÁXIMA E MÍNIMA DOS CANDIDATOS CONVOCADOS PARA A 2ª FASE

PONTUAÇÃO MÁXIMA E MÍNIMA DOS CANDIDATOS CONVOCADOS PARA A 2ª FASE PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR - ª FASE / // PONTUAÇÃO MÁXIMA E MÍNIMA DOS CANDIDATOS CONVOCADOS PARA A ª FASE ª Fase ª Fase ª Fase ADMINISTRAÇÃO (MATUTINO),,,,,, ADMINISTRAÇÃO (NOTURNO),,,,,, AGRONOMIA

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ REITORIA DE GRADUAÇÃO CENTRO DE SELEÇÃO PROCESSO SELETIVO 2011 1 EDITAL N. 066/2010

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ REITORIA DE GRADUAÇÃO CENTRO DE SELEÇÃO PROCESSO SELETIVO 2011 1 EDITAL N. 066/2010 Página 1 de 6 Goiânia A302 Administração (bacharelado) 50 686 13,72 Goiânia A105 Agronomia 70 526 7,51 Goiânia A106 Arquitetura e Urbanismo 35 697 19,91 Goiânia A405 Artes Cênicas (bacharelado ou licenciatura)

Leia mais

Programa de Pós-Graduação Virtual. Prof. Luiz Nacamura Júnior Diretor de Pesquisa e Pós-Graduação

Programa de Pós-Graduação Virtual. Prof. Luiz Nacamura Júnior Diretor de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-Graduação Virtual Prof. Luiz Nacamura Júnior Diretor de Pesquisa e Pós-Graduação Contextualização 41 Programas de Pós-Graduação em Funcionamento Praticamente, todos os Câmpus da UTFPR desenvolvem

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA NO BRASIL: REALIDADE E PERSPECTIVAS GO TANI UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA NO BRASIL: REALIDADE E PERSPECTIVAS GO TANI UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO PÓSGRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA NO BRASIL: REALIDADE E PERSPECTIVAS GO TANI UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO PÓSGRADUAÇÃO RH PARA DOCÊNCIA NO ENSINO SUPERIOR RH PARA DESENVOLVIMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA INDISSOCIABILIDADE

Leia mais

UFPE - SISU - SISTEMA DE SELECAO UNIFICADA 2015 PAG 0001

UFPE - SISU - SISTEMA DE SELECAO UNIFICADA 2015 PAG 0001 UFPE - SISU - SISTEMA DE SELECAO UNIFICADA 2015 PAG 0001 001-ABI - ENGENHARIA AC 246 136 110 1256 330 AREA BASICA INTEGRAL 001-ABI - ENGENHARIA L1 28 16 12 137 36 AREA BASICA INTEGRAL 001-ABI - ENGENHARIA

Leia mais

Programa Institucional de Bolsa de Iniciação Científica PIBIC/CNPq, PIBITI/CNPq, PIBIC-Af/CNPq e PROIC. EDITAL Nº 001 de 13 de março de 2015

Programa Institucional de Bolsa de Iniciação Científica PIBIC/CNPq, PIBITI/CNPq, PIBIC-Af/CNPq e PROIC. EDITAL Nº 001 de 13 de março de 2015 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO NÚCLEO DE APOIO À ADMINISTRAÇÃO DA PESQUISA BR 465, Km 7, 23890-000 Seropédica, RJ FAX-FONE

Leia mais

EP2A - Ensino Médio em escola pública, autodeclarado preto, pardo e indígena. EP1 - Ensino Médio em escola pública, cota social

EP2A - Ensino Médio em escola pública, autodeclarado preto, pardo e indígena. EP1 - Ensino Médio em escola pública, cota social Curso: 3004 - ADMINISTRAÇÃO - Bacharelado - SILVEIRA MARTINS 3 6 6 7 0,86 1 5 0,20 6 7 0,86 62 2,77 Curso: 501 - ADMINISTRAÇÃO - Diurno 10 6 1,67 48 7 6,86 5 5 54 7 7,71 222 1 Curso: 2004 - ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

SISU UFBA 2015.1 Quadro de vagas por categoria de cotas da 2ª chamada

SISU UFBA 2015.1 Quadro de vagas por categoria de cotas da 2ª chamada SISU UFBA 2015.1 Quadro de vagas por categoria de cotas da 2ª chamada LEGENDA: Categoria / Cotas Am: Candidatos pretos/pardos/índios de escola pública e renda familiar igual ou inferior a 1,5 salário mínimo.

Leia mais

COMPONENTES CURRICULARES POR TITULAÇÃO PROCESSO SELETIVO 7591/2013

COMPONENTES CURRICULARES POR TITULAÇÃO PROCESSO SELETIVO 7591/2013 COMPONENTES CURRICULARES POR TITULAÇÃO PROCESSO SELETIVO 7591/2013 1. Gestão Empresarial (EII) / Ciências Administrativas (qualquer modalidade) Geral Ciências Administrativas Ciências Contábeis Ciências

Leia mais

CARREIRAS. Área de humanidades. CARREIRA 105 Arquitetura - FAU. CARREIRA 100 Administração - Ribeirão Preto. CARREIRA 110 Arquitetura - São Carlos

CARREIRAS. Área de humanidades. CARREIRA 105 Arquitetura - FAU. CARREIRA 100 Administração - Ribeirão Preto. CARREIRA 110 Arquitetura - São Carlos Área de humanidades CARREIRAS NOTA: A DURAÇÃO DOS CURSOS DA USP É COMPUTADA EM SEMESTRES. NA DURAÇÃO DOS CURSOS QUE ENVOLVEM ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO ESTÃO INCLUÍDAS TODAS AS ATIVIDADES NECESSÁ-

Leia mais

CURSOS DE GRADUAÇÃO - SITUAÇÃO LEGAL 19/12/2013. Avaliação in loco 4

CURSOS DE GRADUAÇÃO - SITUAÇÃO LEGAL 19/12/2013. Avaliação in loco 4 Administração s Arquitetura e Urbanismo Artes Cênicas - Licenciatura Ciências Biológicas Ciências Contábeis Ciência da Computação Ciências Econômicas Direito Educação Física Licenciatura Educação Física

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM PROGRAD - COMISSÃO PERMANENTE DO VESTIBULAR CONCURSO VESTIBULAR UFSM 2013

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM PROGRAD - COMISSÃO PERMANENTE DO VESTIBULAR CONCURSO VESTIBULAR UFSM 2013 - Cota Curso: 3004 - ADMINISTRAÇÃO - Bacharelado - SILVEIRA MARTINS Curso: 501 - ADMINISTRAÇÃO - Diurno Curso: 2004 - ADMINISTRAÇÃO - Diurno - CESNORS - P.M. Curso: 515 - ADMINISTRAÇÃO - Noturno Curso:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PROCESSOS SELETIVOS PARA OCUPAÇÃO DE VAGAS NA UFG 2015

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PROCESSOS SELETIVOS PARA OCUPAÇÃO DE VAGAS NA UFG 2015 PROCESSOS SELETIVOS PARA OCUPAÇÃO DE VAGAS NA UFG 2015 SISTEMA DE SELEÇÃO UNIFICADA SISU-2015 Total de vagas oferecidas 6285 Goiânia 3925 86 cursos Jataí 1080 25 cursos Catalão 990 21 cursos Goiás 290

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE ANÁPOLIS SEMANA NACIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA

PREFEITURA MUNICIPAL DE ANÁPOLIS SEMANA NACIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA PREFEITURA MUNICIPAL DE ANÁPOLIS SEMANA NACIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA REGIMENTO PARA PARTICIPAR DA FEIRA DE CIÊNCIAS N.º 001/2011 PREFEITURA MUNICIPAL DE ANÁPOLIS SECRETARIA MUNICIPAL DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA

Leia mais

EP2A - Ensino Médio em escola pública, autodeclarado preto, pardo e indígena. EP2 - Ensino Médio em escola pública Cota B - Necessidades Especiais

EP2A - Ensino Médio em escola pública, autodeclarado preto, pardo e indígena. EP2 - Ensino Médio em escola pública Cota B - Necessidades Especiais Curso: 3004 - ADMINISTRAÇÃO - Bacharelado - SILVEIRA MARTINS Curso: 501 - ADMINISTRAÇÃO - Diurno 1 4 0,25 10 5 17 31 0,55 12 4 76 5 15,20 12 4 57 4 14,25 211 6,84 Curso: 2004 - ADMINISTRAÇÃO - Diurno -

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM PROGRAD - COMISSÃO PERMANENTE DO VESTIBULAR CONCURSO VESTIBULAR UFSM 2014

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM PROGRAD - COMISSÃO PERMANENTE DO VESTIBULAR CONCURSO VESTIBULAR UFSM 2014 - Cota Curso: 3004 - ADMINISTRAÇÃO - Bacharelado - SILVEIRA MARTINS Curso: 501 - ADMINISTRAÇÃO - Diurno Curso: 2004 - ADMINISTRAÇÃO - Diurno - CESNORS - P.M. Curso: 515 - ADMINISTRAÇÃO - Noturno Curso:

Leia mais

ANEXO I - Relação dos cursos oferecidos pela UFG no Processo Seletivo 2014-1

ANEXO I - Relação dos cursos oferecidos pela UFG no Processo Seletivo 2014-1 ANEXO I - Relação dos cursos oferecidos pela no Processo Seletivo -1 CURSOS OFERECIDOS EM GOIÂNIA Em que: sm: salário-mínimo; PPI: estudantes autodeclarados pretos, pardos ou indígenas; DC: Demais estudantes

Leia mais

Livros Grátis. http://www.livrosgratis.com.br. Milhares de livros grátis para download.

Livros Grátis. http://www.livrosgratis.com.br. Milhares de livros grátis para download. Livros Grátis http://www.livrosgratis.com.br Milhares de livros grátis para download. Milhares

Leia mais

Nas Trilhas da Educação a Distância

Nas Trilhas da Educação a Distância Nas Trilhas da Educação a Distância Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas - Campus de Cruz das Almas 29 de maio de 2009 Figura: Universidade Federal do Recôncavo da Bahia UFRB Índice 1 As EaD oensino

Leia mais

Pontos de corte do SiSU 2014 1ª chamada

Pontos de corte do SiSU 2014 1ª chamada COORDENADORIA DE ASSUNTOS E REGISTROS ACADÊMICOS - CDARA CAMPUS UNIVERSITÁRIO - MARTELOS - JUIZ DE FORA - MG CEP 36036-900 TEL. (32)2102-3733 FAX (32) 2102-3732 e-mail: cdara@ufjf.edu.br Pontos de corte

Leia mais

ANEXO I NÚMERO DE VAGAS DISPONÍVEIS NOS CURSOS PRESENCIAIS DE GRADUAÇÃO PARA PREENCHIMENTO EM 2015-2 POR REGIONAL, CURSO E OPÇÃO DE PARTICIPAÇÃO

ANEXO I NÚMERO DE VAGAS DISPONÍVEIS NOS CURSOS PRESENCIAIS DE GRADUAÇÃO PARA PREENCHIMENTO EM 2015-2 POR REGIONAL, CURSO E OPÇÃO DE PARTICIPAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ REITORIA DE GRADUAÇÃO CENTRO DE GESTÃO ACADÊMICA PRÉDIO DA REITORIA CÂMPUS II FONE: (62) 3521 1088 FAX: (62)3521-1074 CAIXA POSTAL 131 GOIÂNIA/GO. CEP: 74001 970 EDITAL

Leia mais

CAMPUS A. C. SIMÕES ADMINISTRAÇÃO 13203 Matutino Bacharelado Ampla Concorrência 3

CAMPUS A. C. SIMÕES ADMINISTRAÇÃO 13203 Matutino Bacharelado Ampla Concorrência 3 CAMPUS CURSO CÓDIGO IES CURSO TURNO DESCRICAO FORMACAO ACAO AFIRMATIVA VAGAS RESTANTES ADMINISTRAÇÃO 13203 Matutino Bacharelado Ampla Concorrência 3 ADMINISTRAÇÃO 13203 Matutino Bacharelado ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE PRÓ-REITORIA DE RECURSOS HUMANOS DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE PRÓ-REITORIA DE RECURSOS HUMANOS DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL Tabela com as Áreas de Conhecimentos relativas à Educação Formal, com relação DIRETA aos Ambientes Organizacionais (Decreto 5.824/2006 de 29 de Junho de 2006 - ANEXO III) ADMINISTRATIVO INFRA-ESTRUTURA

Leia mais

EDITAL Nº 001/2014 TRANSFERÊNCIAS NO ÂMBITO DA PUC MINAS 2º SEMESTRE DE 2014

EDITAL Nº 001/2014 TRANSFERÊNCIAS NO ÂMBITO DA PUC MINAS 2º SEMESTRE DE 2014 EDITAL Nº 001/2014 TRANSFERÊNCIAS NO ÂMBITO DA PUC MINAS 2º SEMESTRE DE 2014 Nos termos das Normas Acadêmicas do Ensino de Graduação da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais PUC/MG, faço saber

Leia mais

Maior nota - 1º chamada - 2014 CAMPUS CUIABÁ

Maior nota - 1º chamada - 2014 CAMPUS CUIABÁ Maior - 1º chamada - 2014 CAMPUS CUIABÁ Maior Ampla - Maior L1 - Maior L2 - Maior L3 - Maior L4 - Maior ADMINISTRAÇÃO - BACHARELADO - MATUTINO 715.18 715.18 630.48 633.62 676.6 689.66 ADMINISTRAÇÃO - BACHARELADO

Leia mais

QUADRO DE TITULAÇÃO VERIFIQUE NO QUADRO OS COMPONENTES POSSÍVEIS COM BASE NA SUA TITULAÇÃO ENSINO MÉDIO

QUADRO DE TITULAÇÃO VERIFIQUE NO QUADRO OS COMPONENTES POSSÍVEIS COM BASE NA SUA TITULAÇÃO ENSINO MÉDIO 1 QUADRO DE TITULAÇÃO VERIFIQUE NO QUADRO OS COMPONENTES POSSÍVEIS COM BASE NA SUA TITULAÇÃO ENSINO MÉDIO DISCIPLINAS Artes (Base Nacional Comum) Biologia (Ensino Médio) Matemática (Base Nacional Comum)

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Ministério Educação Secretaria Educação Profissional e Tecnológica Instituto Feral Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Gran do Sul CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E TÍTULOS - EDITAL nº 011/2013 ANEXO I -

Leia mais

Câmpus Darcy Ribeiro Curso Grau Turno Vagas

Câmpus Darcy Ribeiro Curso Grau Turno Vagas Universidade de Brasília (UnB) Câmpus Darcy Ribeiro BIOLÓGICAS SOCIAIS SOCIAL FILOSOFIA FÍSICA GEOGRAFIA HISTÓRIA LETRAS LÍNGUA PORTUGUESA LETRAS FRANCÊS LETRAS INGLÊS MATEMÁTICA PSICOLOGIA Integral (Mat/Vesp)

Leia mais

Graduação Presencial 2010 - Matriculados 1º Semestre

Graduação Presencial 2010 - Matriculados 1º Semestre Catalão Administração Bacharelado Noturno 209 Catalão Ciências Biológicas Licenciatura Integral 179 Catalão Ciências Biológicas Bacharelado Integral 20 Catalão Ciências da Computação Bacharelado Integral

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ REITORIA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA RELAÇÃO DE CURSOS ATENDIDOS PELO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UFC

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ REITORIA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA RELAÇÃO DE CURSOS ATENDIDOS PELO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UFC UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ REITORIA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA RELAÇÃO DE CURSOS ATENDIDOS PELO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UFC Biblioteca Curso de Graduação Curso de Pós-Graduação Biblioteca de Ciências

Leia mais

Anexo II QUADRO DE CURSOS AFINS

Anexo II QUADRO DE CURSOS AFINS Campus Universitário de Cuiabá Anexo II QUADRO DE CURSOS AFINS Cursos UFMT Cursos de Graduação Afins Cursos de Graduação Afins Bacharelados em: Ciências Biológicas; Medicina; Nutrição; EDUCAÇÃO Tecnologia

Leia mais

[anexo 2] Quadro de Cursos / Vagas

[anexo 2] Quadro de Cursos / Vagas [anexo 2] Quadro de Cursos / Vagas I. Academia de Bombeiro Militar D. Pedro II / CBMERJ Oficial do Corpo de Bombeiros Militar (candidatos de sexo masculino e feminino) 50 II. Centro Universitário Estadual

Leia mais

Quadro Comparativo da Relação Candidato/Vaga 2014

Quadro Comparativo da Relação Candidato/Vaga 2014 Quadro Comparativo da Relação Candidato/Vaga 2014 I. Universidade do Estado do Rio de Janeiro / UERJ TOTAL NÃO-RESERVA REDE PÚBLICA Administração (RIO) 120 1.239 10,33 66 1.111 16,83 24 75 3,13 24 53 2,21

Leia mais

Um olhar sobre a Educomunicação enquanto prática em expansão

Um olhar sobre a Educomunicação enquanto prática em expansão Um olhar sobre a Educomunicação enquanto prática em expansão Cláudio Messias 1 Resumo Investigamos, por meio de pesquisa quantitativa e qualitativa, referenciais que dão sustentação à expansão da prática

Leia mais

VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP

VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ GABINETE DA REITORIA EDITAL Nº 07/2013 CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR EFETIVO ANEXO I VAGAS POR ÁREA DE CONHECIMENTO VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP 101-Área de

Leia mais

Área - Administração e Negócios. Área - Artes e Design

Área - Administração e Negócios. Área - Artes e Design Área - Administração e Negócios Administração 13.04 (2ª feira) 13h Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade Av. Prof. Luciano Gualberto, 908, Cidade 30/mar Ciências Atuárias 13.04 (2ª feira)

Leia mais