Propriedades Mecânicas R: 480 MPa A: 27% D: 135 HB. Eletrodos GD. GD 99 SX AWS- E-NiCI. R: 500 MPa A: 20% D: 180 HB.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Propriedades Mecânicas R: 480 MPa A: 27% D: 135 HB. Eletrodos GD. GD 99 SX AWS- E-NiCI. R: 500 MPa A: 20% D: 180 HB."

Transcrição

1 Eletrodos GD GD 99 SX - E-NiCI GD 99 -E-NiCI GD 60 -E-NiFeCI GD 60S -E-NiFeS GD ST -E-ST Propriedades R: 480 MPa A: 27% D: 135 HB R: 500 MPa A: 20% D: 180 HB R: 520 MPa A: 20% D: 180 HB R: 530 MPa A: 18% D: 190 HB R: 600 MPa A: 10% D: 280 HB C 1,10 Si 0,52 Ni 97,58 C 0,82 Si 1,62 Ni 96,96 C 0,82 Si 1,62 Ni 60,00 C 0,74 Si 0,52 Ni 55,00 C 0,74 Si 0,52 Ferro Fundido Eletrodos Revestidos Eletrodo de níquel puro para a soldagem a frio de quaisquer tipos de ferro fundido. Proporciona uma solda isenta de porosidade, fissuras ou mordeduras, soldável com baixas amperagens, apresenta depósito e zona de transição perfeitamente limáveis, fino acabamento, cordão de solda plano em polaridade negativa. Eletrodo com alma de níquel ferro para soldagem a frio de quaisquer tipos de ferro fundido, proporciona uma solda de alta resistência, isenta de porosidade, fissuras ou mordeduras, soldável com baixas amperagens apresenta depósito e zona de transição, perfeitamente usináveis, fino acabamento e cordão de solda plano em polaridade negativa. Eletrodo com alma de níquel ferro para soldagem a frio de quaisquer tipos de ferro fundido, proporciona uma solda de alta resistência, isenta de porosidade, fissuras ou mordeduras, soldável com baixas amperagens apresenta depósito e zona de transição perfeitamente usináveis, fino acabamento e cordão de solda plano em polaridade negativa. Eletrodo de níquel ferro de alto rendimento, proporciona um alto índice de deposição, indicado para uniões ou revestimento em ferro fundido cinza nodular. Seu depósito é usinável e isento de porosidade, ótimo custo benefício. Eletrodo de aço carbono, indicado para revestimento em ferro fundido cinza e nodular. Seu depósito não é usinável. Eletrodos GD ALUS 12 AI Si 12 ALUS 5 AI Si 5 ALUS 33 AIMn 1 Propriedades R> 200 MPa LE: 80 MPa A: > 5 R> 180 MPa LE: 75 MPa A: > 5 R> 170 MPa LE: 70 MpA A: > 5 Si 12,00 AL 87,90 Si 5,00 AL 94,90 AI 98,47 Mn 1,1 Si 0,43 Alumínio Eletrodos Revestidos Eletrodo de alumínio silício extrudado, indicado para a soldagem de união ou revestimento de ligas laminadas, fundidas ou extrudadas de alumínio em geral e dos tipos AI Si; AI Mg Cu. Proporciona cordões de ótimo acabamento, isentos de defeitos, arco estável e escória de fácil remoção, préaquecer a 100ºC, soldar com CC+. Revestimento resistente à umidade. Eletrodo de alumínio silício extrudado, indicado para a soldagem de união ou revestimento de ligas laminadas, fundidas ou extrudadas de alumínio em geral e dos tipos AI Si; AI Mg Cu. Proporciona cordões de ótimo acabamento, isentos de defeitos, arco estável e escória de fácil remoção, préaquecer a 100ºC, soldar com CC+. Permite anodizagem. Revestimento resistente. Eletrodo de alumínio puro extrudado, indicado para a soldagem de união ou revestimento de ligas laminadas, fundidas ou extrudadas de alumínio em geral e dos tipos AI Si; AI Mg Cu. Proporciona cordões de ótimo acabamento, isentos de defeitos, arco estável e escória de fácil remoção, préaquecer a 100ºC, soldar com CC+. Permite anodizagem. Revestimento resistente à umidade.

2 Varetas GD TIG 5 ER TIG 12 ER Si 5,00 AL 94,70 Si 1200 AL 87,9 Alumínio Varetas TIG Vareta de alumínio silício com gravação mecânica e ponta amarela, indicado para a soldagem de união ou revestimento de ligas laminadas, fundidas ou extrudadas de alumínio em geral e dos tipos: AI Si; AI Mg Si; AI Si Mg Cu. Perfeito acabamento. Vareta de alumínio silício com gravação mecânica e ponta amarela, indicado para a soldagem de união ou revestimento de ligas laminadas, fundidas ou extrudadas de alumínio em geral e dos tipos: AI Si; AI Mg Si; AI Si Mg Cu. Perfeito acabamento. No processo oxiacetileno utilizar fluxo. Arame GD MIG 308 ER 308 LSi MIG 316 ER 316 LSi MIG 5 ER 4043 ER 308L Si ER 316L Si ER 4043 Cr 20 Ni 10,2 Si 0,8 Cr 18,5 Ni 12,2 Si 0,8 Mo 2,7 Si 5,00 Mn 1,10 AL 93,90 Arame MIG Varetas TIG Arame MIG em bobina para aplicação em aços inoxidáveis do tipo AISI 304L ou 19/9. Arame MIG em bobina para aplicação em aços inoxidáveis do tipo AISI 316L. Arame MIG de alumínio silício, indicado para a soldagem de união ou revestimento de ligas laminadas, fundidas ou extrudadas de alumínio em geral. Eletrodos GD GD 307S -E E Propriedad es C 0,04 Mn 6,60 Cr 19,0 Ni 9,10 Aço Inox Eletrodos Revestidos Eletrodo de alto rendimento com revestimento sintético para uniões em aços especiais, aço manganês novo ou encruado. Indicado como almofada para revestimentos duros.

3 GD 307 -E GD 308 -E E GD 309 -E-309L-16 -E-309L-17 GD 309 MoL -E-309 MoL-16 -E-309 MoL-17 GD 310 -E RT>590 RT>600 A> 32% RT>600 A> 32% RT>580 Mn 5,80 Cr 19,60 Ni 9,90 Cr 19,90 Ni 9,45 Cr 23,70 Ni 12,70 Cr 23,70 Ni 12,70 Mo 2,70 C 0,10 Cr 26,10 Ni 20,10 Eletrodo usado para uniões muito solicitadas em aços especiais, aço manganês novo ou encruado. Indicado como almofada para revestimentos duros. Eletrodo resistente à corrosão inter granular para a união ou revestimento do grupo de aços inoxidáveis AISI 304 e 304 L. Ultra resistente à corrosão até 350ºC por soluções oxidantes e à formação de carepa até 850ºC. Eletrodo resistente à fissuração e a fadiga em uniões de estruturas rígidas, para a interligação de alta resistência em aços semelhantes entre si, usado para a união de aço inoxidável AISI 304 ao aço carbono. Eletrodo resistente à fissuração e a fadiga em uniões de estruturas rígidas, para a interligação de alta resistência em aços semelhantes entre si, usado para a união de aço inoxidável AISI 316 ao aço carbono. Insensível à oxidação em temperaturas até 1100ºC. Eletrodo de alta ductilidade, resistente à fadiga em uniões rígidas, aços, ferramenta e alta liga em geral de difícil soldabilidade e alta solicitação, indicado para soldagem de aços refratários em geral. Revestimento usinável resistente ao desgaste por fricção ou compressão. Alta resistência mecânica e à oxidação em temperaturas de até 1200ºC. GD 310 H -E-310 H-16 RT>620 A> 27% D 280HB C 0,35 Cr 26,10 Ni 20,10 Eletrodo indiciado para soldagem de aços refratários AISI 310 H, resistentes ao calor. Revestimento resistente ao desgaste por fricção ou compressão. Alta resistência mecânica e à oxidação em temperaturas de até 1200º. GD 312 -E E Cromo RT>700 Níquel C 0,12 Si 0,40 Cr 29,10 Ni 9,10 Eletrodo austentinico-ferrítico de ata ductilidade, resistente à fadiga em uniões rígidas, usado para união de aços de médio e alto carbono, aços ferramenta e alta liga em geral, de difícil soldabilidade e alta solicitação. Revestimentos usináveis resistentes ao desgaste por fricção ou compressão.

4 GD 316 -E-316 L-16 -E-316 L-17 GD 317 -E-317 L-16 GD 318 -E GD 347 -E GD 410 -E E GD 410-NiMo -E-410-iMo-26 -E-410-iMo-25 GD Bronze -E-CuSnC RT>700 RT>620 RT>470 A> 20% RT>760 A> 15% R: 280 A: 20% D: Cr 19,00 Mo 2,50 Cr 19,60 Mo 3,8 Cr 19,60 Nb 0,3 Mo 2,50 Cr 19,80 Ni 9,90 Nb 0,3 C 0,09 Si 0,75 Cr 12,10 C 0,09 Si 0,75 Mo 0,60 Cr 12,10 Ni 4,5 Cu resto/ Sn 8,0 Eletrodos para soldagem de união ou revestimento de aço inoxidável AISI 316 e 316 L, ultra resistente aos diversos tipos de corrosão e por soluções oxidantes de alta agressividade de até 350ºC. Eletrodos para soldagem de união ou revestimento de aço inoxidável AISI 316 ultra resistente à corrosão e por soluções oxidantes de alta agressividade de até 350ºC, e à corrosão Inter cristalina pela inibição da precipitação de carbonetos de cromo. Eletrodo estabilizado para soldagem de união ou revestimento de aço inoxidável AISI 316 e 316 Cb, ultra resistente aos diversos tipos de corrosão e por soluções oxidantes de agressividade de até 350ºC. Eletrodo estabilizado resistente à corrosão inter granular para a união ou revestimento do grupo de aços inoxidáveis AISI 304 e 304 L. Ultra resistente à corrosão até 350ºC por soluções oxidantes e à formação de carepa até 850ºC. Eletrodo para soldar aços inoxidáveis martensíticos do tipo AISI 410 e 420. Resistente até 450ºC no trabalho. Possui boa resistência à corrosão. Eletrodo para soldar aços inoxidáveis martensíticos do tipo AISI 410 e ligados ao Ni. Possui boa resistência à corrosão até 800ºC. Eletrodo de bronze para soldagem de ligas de cobre como Bronze fosforoso, materiais dissimilares ao bronze e aços ou ferro fundido. Indicado para revestimento de buchas, mancais, eixos e bombas de água salgada.

5 Varetas GD TIG 308 ER 308 L ER Mn 1,4 Cr 19,9 Ni 10,2 Aço Inox Varetas TIG Vareta com gravação mecânica nas extremidades, baixíssimo teor de carbono. Usada para aplicação em aços inoxidáveis do tipo 19/9. TIG 316 ER 316 L ER Mn 1,50 Cr 18,40 Mo 2,50 Vareta com gravação mecânica nas extremidades, baixíssimo teor de carbono. Usada para aplicação em aços inoxidáveis do tipo 316 L. Varetas GD GD 350 E1 UM 350 GP Química% D= 350 HB Mo Cr Revestimento Duro Eletrodo básico indicado para revestimento que serão submetidos à abrasão moderada, impactos e altas solicitações de compressão e fricção. O depósito de solda pode ser usinado. Suas principais aplicações são: recuperações de rodas dentadas, rodas de pontes rolantes, links, roletes, eixos desgastados, etc.. GD 600 E6 UM 60 GD 650 E6 UM 60 G D= 55 HRC D= 60 HRC Mo Cr Nb Mo Cr Nb Eletrodo básico indicado para revestimentos duros sujeitos a abrasão e impactos. Possui alta tenacidade e pode ser submetido a altas temperaturas (600ºC). É indicado principalmente para a recuperação ou fabricação de chapas de desgaste, eixos entalhados, socas (calcadeira de linha férrea), roscas transportadoras, dentes de caçambas, revestimento protetivo sobre aço manganês, etc.. Eletrodo básico resistente a alto impacto e abrasão moderada, sendo especialmente indicado para abrasão úmida, como por exemplo enchimento de laterais de frisos de moendas ou usinas açucareiras, martelos de britadores, roscas tipo sem fim, dentes e fundos ou caçambas, entre outras. GD Cr 69 E10 UM 60G D= 60 HRC Cr 27% Eletrodo especial à base de carbonetos de cromo para revestimentos duros de peças e equipamentos sujeitos à abrasão severa, abrasão de altas temperaturas e com impactos moderados. O depósito não é usinável. É indicado tanto para abrasão úmida quanto a seco. Suas principais aplicações envolvem o revestimento preventivo sobre o aço manganês, confecção de facas e martelos nas usinas de açúcar, caçambas, roscas transportadoras, brocas de perfuração de solo, etc..

6 GD 65 G E 10 UM 65 G GD DURIT ESPECIAL GD ELLOY C E- Ni Cr Mo 5 GD 67 R3 ESPECIAL GD H 13 E- 3 UM 45 T GD 6H9 E- 4 UM 60 T E Fes5b D= 65 HRC D= 65 HRC D= 200 HB 450 HB após trabalho Mo Cr Nb W Mo Cr Nb W V Ni C Mn Mo Cr Nb W D= 58 HRC C Si Cr Mo Mn D= 47 HRC C Cr W Mo V Mn Si D= 62 HRC C Cr W Mo V Mn Si Eletrodos à base de carbonetos complexos de CR, Mo, W e Nb, para revestimentos duros sujeitos à extrema abrasão, mesmo a temperaturas de até 600ºC. Utilizado para revestimentos de britadores em geral, facas e martelos nas usinas de açúcar, roscas transportadoras, dragas e outros equipamentos nas indústrias de mineração, cimento, siderúrgicas etc.. Eletrodo básico indicado para revestimento duro altamente resistente ao desgaste por abrasão em meios secos ou úmidos como, por exemplo: setor sucroalcooleiro, minerações siderúrgicas, tais como maquinário para terraplanagem, britadores e outros equipamentos nas indústrias de mineração e/ou que sofram desgastes. Eletrodo a base de níquel para soldagem de ligas do tipo Ni Cr Mo (Hastelloy C), resistente à corrosão, bem como soldagens dissimilares entre estas ligas e os aços em geral. Além destas aplicações destaca-se por possuir grande capacidade de endurecimento com o trabalho, alta resistência em temperaturas elevadas, portanto é indicado para revestimentos de peças e ferramentas que trabalham a quente tais como estampos, martelos de queda, tenazes de lingotes, matrizes de forjamento, etc.. Eletrodo para soldagem de aços ferramenta para trabalho a frio e a quente, especialmente indicado para a recuperação de estampos e revestimentos de roscas helicoidais para extrusão de plásticos. Seu depósito de solda possui alta resistência ao desgaste por abrasão e fricção e alta resistência a fissuração. Normalmente há a necessidade de pré-aquecimento em função das características do metal base. Eletrodo indicado para a soldagem de aços-ferramenta para trabalhos a quente do tipo ASTM A681 grupo H (H10, H13). Indicado para a recuperação de facas de corte, rebarbadores, matrizes, punções e nas diversas aplicações onde se requer resistência ao desgaste por atrito e compressão a quente. Requer pré-aquecimento em função do material base e normalmente é revenida após a soldagem. Eletrodo para soldagem de aços ferramenta do tipo aço rápido. Destina-se a recuperação ou fabricação de ferramentas de corte, para trabalho a temperatura de até 550ºC, tais como ferramentas de usinagem, arestas de corte de facas e matrizes, punções, etc.. A soldagem deve ser feita com pré-aquecimento, seguida de resfriamento lento e normalmente a peça é revenida uma ou duas vezes, a fim de promover maior estabilidade dimensional e de dureza. Eletrodos GD GD - 10 Propriedad es < 414 MPa < 331 A 22-24% C 0,095 Si 0,20 Mn 0,34 Aço Carbono e baixa liga Eletrodos revestidos Eletrodo celulósico de alta penetração. Indicado para passes de raiz ou uniões, soldando em todas as posições. Ideal para tubulações e tanques. Facilidade no controle do arco e do banho de fusão. GD 13 Rutílico /ASME SFA 5.1 E6013 L.R MPa A 22-24% C 0,07 Si 0,20 Mn 0,35 O GD 13 é um eletrodo com revestimento rotílico,arco muito estável e suave. Uso geral, todos os tipos de juntas em todas as posições, produzindo cordões de excelente acabamento. Uso em: Chapas navais, estruturas metálicas, excelente para uso em ponteamento, etc...

7 GD 18 Básico /ASME SFA 5.1 E7018 L.R MPa A 27-32% Ch V (-30º C) J C 0,07 Si 0,50 Mn 1,30 Para soldagem de altíssima responsabilidade, deposita: metal de alta qualidade. Uso em todos os tipos de juntas, excelente facilidade de abertura e reabertura do arco. Os cordões apresentam excelente aspecto e ótimo acabamento. As soldas nunca trincam nos pontos em quaisquer circunstâncias normais de aplicação. Uso em estruturas rígidas, vasos de pressão, construções navais, aços fundidos e não ligados de composição desconhecida, etc... GD 18G MPa 480 A 25-27% Ch-V C 0,06 Mn 0,92 Mo Soldagens de altíssima responsabilidade, pode ser usado em todos os tipos de juntas; Não é sensível á composição do metal base para estruturas muito rígidas, fácil remoção de escória, fácil ignição do arco, isento de respingos. Pode ser usado em qualquer posição de soldagem. GD 818B MPa > 550 A 19% Ch-V C 0,05-0,12 Mo 0, Cr 1,0-1,5 Eletrodo tipo básico de grande tenacidade e extrema versatilidade. Para a soldagem de alta resistência em aço semelhantes tipo P 11, em tubulações, vasos de pressão, caldeiras, rodetes, aços de médio e alto carbono e baixa liga em geral, laminados, forjados ou fundidos, para cementação ou nitretação. Resistentes á temperatura e oxidação até 550º C. Solda em todas as posições. GD 118M MPa A 20-23% Ch V (- 51ºC) C 0,06 Si 0,80 Mn 1,00 Eletrodo básico, utilizado em soldas resistentes ao máximo esforço de tração e alta pressão, bem como tenacidade á frio. Recomendado para estruturas pesadas, lanças de guindastes, trilhos, braços de carregadeiras, chassis e reparos em prensas de aço. Excelente soldabilidade, cordões de bom acabamento, fácil remoção de escória, isento de respingo. Solda em todas as posições. Varetas GD GD CORTE Aço Inox Varetas TIG Especial para goivagem de peças metálicas em geral, aplica-se também para remoção de soldas, partes indesejadas, borras de fundição e corte. Excelente estabilidade de arco

ARAME PARA SOLDA MIG GERDAU A MELHOR OPÇÃO PARA INDÚSTRIAS

ARAME PARA SOLDA MIG GERDAU A MELHOR OPÇÃO PARA INDÚSTRIAS ARAMES PARA SOLDA ARAME PARA SOLDA MIG GERDAU A MELHOR OPÇÃO PARA INDÚSTRIAS Soldar com Gerdau-MIG é ter alto rendimento nos processos industriais em soldagens semiautomáticas, mecanizadas e robotizadas,

Leia mais

0,8 0,9 1,0 1,2 1,32 1,6 18-20 100-250 ROSETADO AWS A 5.18 ER70S-6 0,15 0,15 0,15 0,03

0,8 0,9 1,0 1,2 1,32 1,6 18-20 100-250 ROSETADO AWS A 5.18 ER70S-6 0,15 0,15 0,15 0,03 ARAMES PARA SOLDA A MELHOR OPÇÃO PARA INDÚSTRIAS Soldar com GerdauMIG é ter alto rendimento nos processos industriais em soldagens semiautomáticas, mecanizadas e robotizadas, nos mais diversos segmentos.

Leia mais

Soldabilidade de Metais. Soldagem II

Soldabilidade de Metais. Soldagem II Soldabilidade de Metais Soldagem II Soldagem de Ligas Metálicas A American Welding Society (AWS) define soldabilidade como a capacidade de um material ser soldado nas condições de fabricação impostas por

Leia mais

CATÁLOGO DE PRODUTOS NÓS TEMOS A SOLUÇÃO. www.weldinox.com.br

CATÁLOGO DE PRODUTOS NÓS TEMOS A SOLUÇÃO. www.weldinox.com.br 1 1 9 9 7 7 2 2 CATÁLOGO DE PRODUTOS 1 1 9 9 7 7 2 NÓS TEMOS A SOLUÇÃO 2 1 9 Índice Índice 1 9 7 2 Eletrodos Inox WI 37R...3 WI 37B...3 WI 37 SR...3 WI 8 LR...3 WI 8 L-17...3 WI 8 LB...3 WI 8 LR AC...3

Leia mais

Catálogo Técnico de Produtos e Soluções para Soldagem

Catálogo Técnico de Produtos e Soluções para Soldagem Catálogo Técnico de Produtos e Soluções para Soldagem Fábrica e Administração: Avenida Engenheiro Eusébio Stevaux, 1900 CEP: 04696-000 - São Paulo/SP Vendas e Assistência Técnica: (+55 11) 5523.0522 Administração:

Leia mais

- Bibliografia Recomendada

- Bibliografia Recomendada 1 7 a aula - ELETRODOS REVESTIDOS - Bibliografia Recomendada 1) Soldagem Processos e Metalurgia Capítulo 2b 2) Normas da AWS A5.1-81, A5.5-81 e demais normas 3) Catálogo de fabricantes de eletrodos revestidos

Leia mais

1 - ELÉCTRODOS ... 2 ... 3 ... 3 ... 4 ... 5 ... 6 ... 6 ... 7 ... 8 ... 8 ... 8

1 - ELÉCTRODOS ... 2 ... 3 ... 3 ... 4 ... 5 ... 6 ... 6 ... 7 ... 8 ... 8 ... 8 1 - ELÉCTRODOS Soldadura de aços carbono... Soldadura de aços resistentes à fluência... Soldadura de aços de baixa liga... Soldadura de aços com baixa soldabilidade... Soldadura de aços inoxidáveis e refractários...

Leia mais

TW103 TW203 MAIS QUE PRODUTOS. PRODUTIVIDADE.

TW103 TW203 MAIS QUE PRODUTOS. PRODUTIVIDADE. TW103 TW203 MAIS QUE PRODUTOS. PRODUTIVIDADE. BROCAS TW103 E TW203 PROPORCIONAM FUROS COM EXCELENTE QUALIDADE E MÁXIMO DESEMPENHO NO LATÃO E MATERIAIS DE CAVACO QUEBRADIÇO EM GERAL. Conheça suas características:

Leia mais

Soldagem de manutenção II

Soldagem de manutenção II A UU L AL A Soldagem de manutenção II A recuperação de falhas por soldagem inclui o conhecimento dos materiais a serem recuperados e o conhecimento dos materiais e equipamentos de soldagem, bem como o

Leia mais

Distribuição. Soluções em Aço para Solda

Distribuição. Soluções em Aço para Solda Distribuição Soluções em Aço para Solda A ArcelorMittal Distribuição apresenta sua linha de produtos para solda. A Belgo Bekaert Arames é líder de mercado no Brasil e tem um dos mais modernos parques industriais

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO SOLDAGEM DE COBRE E SUAS LIGAS

BOLETIM TÉCNICO SOLDAGEM DE COBRE E SUAS LIGAS INTRODUÇÃO A união de cobre e suas ligas podem ser efetuadas por processos de soldagem e brasagem O processo de brasagem é adequado para componentes de dimensões relativamente pequenas, devido a grande

Leia mais

Curso de Engenharia de Produção. Processos de Fabricação

Curso de Engenharia de Produção. Processos de Fabricação Curso de Engenharia de Produção Processos de Fabricação Soldagem MIG/MAG MIG e MAG indicam processos de soldagem por fusão que utilizam o calor de um arco elétrico formado entre um eletrodo metálico consumível

Leia mais

Eletrodos Revestidos

Eletrodos Revestidos Eletrodos Revestidos NOSSOS LIENTES SOLDAM MELHOR Pg. 3 AÇOS DE BAIXO E MÉDIO TEOR DE ARBONO Pg. AÇOS BAIXA LIGA Pg. 7 AÇOS INOXIDÁVEIS RESISTENTES AOS ÁIDOS E AO ALOR Pg. 9 REVESTIMENTOS DUROS Pg. 10

Leia mais

TW101 TW201 TW301 TW311 TW321 TW421 TW431 MAIS QUE PRODUTOS. PRODUTIVIDADE.

TW101 TW201 TW301 TW311 TW321 TW421 TW431 MAIS QUE PRODUTOS. PRODUTIVIDADE. TW101 TW201 TW301 TW311 TW321 TW421 TW431 MAIS QUE PRODUTOS. PRODUTIVIDADE. PARA FURAR MATERIAIS DE ALTA RESISTÊNCIA OU EM CONDIÇÕES EXTREMAS, UTILIZE NOSSA GAMA DE SOLUÇÕES. ALTA PERFORMANCE COM MÁXIMA

Leia mais

CATALOGO DE PRODUTOS 1

CATALOGO DE PRODUTOS 1 ATALOGO DE PRODUTOS 1 Índice geral de consumíveis para soldas 1 Varetas para o processo TIG 1.11.21.31.41.1.6 Aços carbono... 3 Aços inoxidáveis... 422 Aços baixa liga... 2327 Ferro fundido... 2830 Ligas

Leia mais

Processo de Forjamento

Processo de Forjamento Processo de Forjamento Histórico A conformação foi o primeiro método para a obtenção de formas úteis. Fabricação artesanal de espadas por martelamento (forjamento). Histórico Observava-se que as lâminas

Leia mais

Apresentação. Osmar Antonio Moscardo Diretor Presidente

Apresentação. Osmar Antonio Moscardo Diretor Presidente Apresentação A Indústria e Comércio de Eletrodos Ltda, fabricante de arames e ligas especiais para soldas, desenvolve seus produtos, observando as necessidades do mercado e atendendo sempre às normas mais

Leia mais

TW104 TW105 TW106 TW114 TW204 MAIS QUE PRODUTOS. PRODUTIVIDADE.

TW104 TW105 TW106 TW114 TW204 MAIS QUE PRODUTOS. PRODUTIVIDADE. TW104 TW105 TW106 TW114 TW204 MAIS QUE PRODUTOS. PRODUTIVIDADE. BROCAS PARA APLICAÇÃO GERAL LENOX-TWILL DESENVOLVIDAS PARA FURAR UMA AMPLA GAMA DE MATERIAIS, PROPORCIONANDO DESEMPENHO EFICIENTE COM EXCELENTE

Leia mais

SOLDAGEM POR ARCO SUBMERSO

SOLDAGEM POR ARCO SUBMERSO SOLDAGEM POR ARCO SUBMERSO Juntas com excelentes propriedades mecânicometalúrgicas Altas taxas de deposição Esquema básico do processo 1 Vantagens do processo Pode-se usar chanfros com menor área de metal

Leia mais

Conceitos Iniciais. Forjamento a quente Forjamento a frio

Conceitos Iniciais. Forjamento a quente Forjamento a frio Forjamento Conceitos Iniciais Forjamento é o processo de conformação através do qual se obtém a forma desejada da peça por martelamento ou aplicação gradativa de uma pressão. Forjamento a quente Forjamento

Leia mais

TECNOLOGIA DE SUPERFÍCIE TECNOLOGIA DE SUPERFÍCIES

TECNOLOGIA DE SUPERFÍCIE TECNOLOGIA DE SUPERFÍCIES TECNOLOGIA DE SUPERFÍCIES Sorocaba - SP Porto Alegre - RS Betim - MG Recife - PE R. de Janeiro - RJ A CASCADURA Simões Filho - BA Fundada em 1950, na cidade de São Paulo. Atualmente, possui 06 fábricas

Leia mais

SOLDAGEM DOS METAIS CAPÍTULO 9 SOLDAGEM COM ELETRODO REVESTIDO

SOLDAGEM DOS METAIS CAPÍTULO 9 SOLDAGEM COM ELETRODO REVESTIDO 62 CAPÍTULO 9 SOLDAGEM COM ELETRODO REVESTIDO 63 SOLDAGEM A ARCO ELÉTRICO COM ELETRODO REVESTIDO É um processo de soldagem por fusão a arco elétrico que utiliza um eletrodo consumível, no qual o calor

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO PROCESSO MIG BRAZING

BOLETIM TÉCNICO PROCESSO MIG BRAZING O PROCESSO Consiste na união de aços comuns, galvanizados e aluminizados, utilizando um processo de aquecimento à arco elétrico (MIG), adicionando um metal de adição a base de cobre, não ocorrendo a fusão

Leia mais

BR 280 - KM 47 - GUARAMIRIM SC Fone 47 3373 8444 Fax 47 3373 8191 nitriondobrasil@terra.com.br www.nitrion.com

BR 280 - KM 47 - GUARAMIRIM SC Fone 47 3373 8444 Fax 47 3373 8191 nitriondobrasil@terra.com.br www.nitrion.com TÉCNICA DA NITRETAÇÃO A PLASMA BR 280 KM 47 GUARAMIRIM SC Fone 47 3373 8444 Fax 47 3373 8191 nitriondobrasil@terra.com.br www.nitrion.com A Nitrion do Brasil, presente no mercado brasileiro desde 2002,

Leia mais

PROGRAMA DE MANUTENÇÃO INDUSTRIAL POR SOLDAGEM

PROGRAMA DE MANUTENÇÃO INDUSTRIAL POR SOLDAGEM PROGRAMA DE MANUTENÇÃO INDUSTRIAL POR SOLDAGEM Know-How no Segmento Industrial de Fundição A Eutectic Castolin acumulou vasto conhecimento nos principais setores industriais do Brasil e possui um programa

Leia mais

AÇOS ESTRUTURAIS. Fabio Domingos Pannoni, M.Sc., Ph.D. 1

AÇOS ESTRUTURAIS. Fabio Domingos Pannoni, M.Sc., Ph.D. 1 ESTRUTURAIS Fabio Domingos Pannoni, M.Sc., Ph.D. 1 INTRODUÇÃO Dentre os materiais encontrados no nosso dia-a-dia, muitos são reconhecidos como sendo metais, embora, em quase sua totalidade, eles sejam,

Leia mais

COLETÂNEA DE INFORMAÇÕES TÉCNICAS AÇO INOXIDÁVEL SOLDAGEM DE AÇOS INOXIDÁVEIS. Introdução

COLETÂNEA DE INFORMAÇÕES TÉCNICAS AÇO INOXIDÁVEL SOLDAGEM DE AÇOS INOXIDÁVEIS. Introdução COLETÂNEA DE INFORMAÇÕES TÉCNICAS AÇO INOXIDÁVEL SOLDAGEM DE AÇOS INOXIDÁVEIS Introdução Os aços inoxidáveis austeníticos são facilmente soldados com ou sem arame de enchimento. Ë considerável a utilização

Leia mais

1.OBJETIVO. Os principais objetivos da prática de soldagem com eletrodo revestido são:

1.OBJETIVO. Os principais objetivos da prática de soldagem com eletrodo revestido são: 1 Objetivo/Justificativa 2 Introdução 2.1 Soldagem por Arco Submerso 2.1.1 Princípio de Funcionamento 2.2 Soldagem por Arame Tubular 2.2.1 Princípio de Funcionamento 3 Descrição da Prática 3.1 Materiais

Leia mais

ÍNDICE CORROSÃO E MEDIDAS DE PROTEÇÃO... 3. ESPECIFICAÇÃO DE AÇOS, LIGAS ESPECIAIS E FERROS FUNDIDOS (Módulo I)... 4 ACABAMENTO DE SUPERFÍCIE...

ÍNDICE CORROSÃO E MEDIDAS DE PROTEÇÃO... 3. ESPECIFICAÇÃO DE AÇOS, LIGAS ESPECIAIS E FERROS FUNDIDOS (Módulo I)... 4 ACABAMENTO DE SUPERFÍCIE... ÍNDICE CORROSÃO E MEDIDAS DE PROTEÇÃO... 3 ESPECIFICAÇÃO DE AÇOS, LIGAS ESPECIAIS E FERROS FUNDIDOS (Módulo I)... 4 ACABAMENTO DE SUPERFÍCIE... 5 FUNDAMENTOS DOS TRATAMENTOS TÉRMICOS DAS LIGAS FERROSAS

Leia mais

MAGMA SOLDAS. Qualidade em Eletrodos. É uma marca registrada e exclusiva, fornecida somente através de revendedores autorizados

MAGMA SOLDAS. Qualidade em Eletrodos. É uma marca registrada e exclusiva, fornecida somente através de revendedores autorizados MAGMA SOLDAS Qualidade em Eletrodos É uma marca registrada e exclusiva, fornecida somente através de revendedores autorizados Do fundador Fundada por uma Equipe Veterana na Produção de Eletrodos e Ligas

Leia mais

endurecíveis por precipitação.

endurecíveis por precipitação. Introdução Tipos de Aços Inoxidáveis Aço inoxidável é o nome dado à família de aços resistentes à corrosão e ao calor contendo no mínimo 10,5% de cromo. Enquanto há uma variedade de aços carbono estrutural

Leia mais

TECNOLOGIA DOS MATERIAIS

TECNOLOGIA DOS MATERIAIS TECNOLOGIA DOS MATERIAIS Aula 7: Tratamentos em Metais Térmicos Termoquímicos CEPEP - Escola Técnica Prof.: Transformações - Curva C Curva TTT Tempo Temperatura Transformação Bainita Quando um aço carbono

Leia mais

CastoLab Services. Compromisso com o Resultado

CastoLab Services. Compromisso com o Resultado CastoLab Services Compromisso com o Resultado Serviços de Manutenção & Reparo Fabricação de Peças Revestidas Serviços de Campo Revestimentos Antidesgaste ISO 9001, ISO 14001 e OHSAS 18001 n Disponibilidade

Leia mais

PROGRAMA DE MANUTENÇÃO INDUSTRIAL POR SOLDAGEM

PROGRAMA DE MANUTENÇÃO INDUSTRIAL POR SOLDAGEM PROGRAMA DE MANUTENÇÃO INDUSTRIAL POR SOLDAGEM Know-How no Segmento Industrial de Forjaria A Eutectic Castolin acumulou vasto conhecimento nos principais setores industriais do Brasil e possui um programa

Leia mais

NOSSOS CLIENTES SOLDAM MELHOR

NOSSOS CLIENTES SOLDAM MELHOR OK Arames Tubulares NOSSOS LIENTES SOLDAM MELHOR S ES OK OM GASOSA Pg. 3 Aços de baixo e médio teor de carbono Pg. 4 Aços de baixa liga Pg. 8 Aços inoxidáveis S ES OK - ARO SUBMERSO Pg. 10 Revestimento

Leia mais

A Minas Metal está localizada em Matozinhos MG - em uma área própria de 40.000 m² com 8.000 m² construído dividido em seis galpões.

A Minas Metal está localizada em Matozinhos MG - em uma área própria de 40.000 m² com 8.000 m² construído dividido em seis galpões. FUNDIÇÃO USINAGEM CALDEIRARIA MANUTENÇÃO - FABRICAÇÃO E REFORMAS DE EQUIPAMENTOS A Minas Metal está localizada em Matozinhos MG - em uma área própria de 40.000 m² com 8.000 m² construído dividido em seis

Leia mais

CONSUMÍVEIS DE SOLDAGEM PARA AÇOS CARBONO

CONSUMÍVEIS DE SOLDAGEM PARA AÇOS CARBONO CATÁLOGO GERAL CONSUMÍVEIS DE SOLDAGEM PARA AÇOS CARBONO ELETRODOS REVESTIDOS HS 613 E 6013 Eletrodo Especial para USO GERAL, em TODAS AS POSIÇÕES, indicado para AÇOS COMUNS. Utilizado em SERRALHERIAS.

Leia mais

AÇOS PARA FERRAMENTAS

AÇOS PARA FERRAMENTAS AÇOS PARA FERRAMENTAS FEA Processo de Fabricação de Aços Convencionais e s Lingotamento Convencional Forno Panela VD Lingotamento Contínuo ACIARIA Processo Fusão (Convencional): FEA (Forno Elétrico Arco)

Leia mais

1. PROCESSOS DE CONFORMAÇÃO MECÂNICA

1. PROCESSOS DE CONFORMAÇÃO MECÂNICA 1 1. PROCESSOS DE CONFORMAÇÃO MECÂNICA Os processos de conformação mecânica são processos de fabricação que empregam a deformação plástica de um corpo metálico, mantendo sua massa e integridade. Alguns

Leia mais

MAGMA SOLDAS. Qualidade em Eletrodos. É uma marca registrada e exclusiva, fornecida somente através de revendedores autorizados

MAGMA SOLDAS. Qualidade em Eletrodos. É uma marca registrada e exclusiva, fornecida somente através de revendedores autorizados MAGMA SOLDAS Qualidade em Eletrodos É uma marca registrada e exclusiva, fornecida somente através de revendedores autorizados Eletrodos MAGMA de Aço de Carbono DO FUNDADOR Fundada por uma Equipe Veterana

Leia mais

MANUAL TÉCNICO DE AÇO INOXIDÁVEL

MANUAL TÉCNICO DE AÇO INOXIDÁVEL MANUAL TÉCNICO DE AÇO INOXIDÁVEL Manual Técnico de Aço Inoxidável Índice 1. INTRODUÇÃO...59 2. FABRICAÇÃO DO INOX...60 3. APLICABILIDADE DO AÇO INOXIDÁVEL...61 3.1 - Aço Inoxidável Austenítico...61 3.2

Leia mais

GLOSSÁRIO DE TRATAMENTOS TÉRMICOS E TERMOQUÍMICOS

GLOSSÁRIO DE TRATAMENTOS TÉRMICOS E TERMOQUÍMICOS 1 NITRAMET TRATAMENTO DE METAIS LTDA PABX: 11 2192 3350 nitramet@nitramet.com.br GLOSSÁRIO DE TRATAMENTOS TÉRMICOS E TERMOQUÍMICOS Austêmpera Tratamento isotérmico composto de aquecimento até a temperatura

Leia mais

Eletrodos - Aplicações Especiais http://www.esab.com.br/br/por/produtos/consumiveis/eletrodos/aplicacoesespeciais.c... Página 1 de 2 06/03/2012 Home > Produtos > Consumiveis > Eletrodos > Eletrodos - Aplicações

Leia mais

PROCESSOS DE FABRICAÇÃO PROCESSOS DE CONFORMAÇÃO MECÂNICA

PROCESSOS DE FABRICAÇÃO PROCESSOS DE CONFORMAÇÃO MECÂNICA PROCESSOS DE FABRICAÇÃO PROCESSOS DE CONFORMAÇÃO MECÂNICA 1 Forjamento Ferreiro - Uma das profissões mais antigas do mundo. Hoje em dia, o martelo e a bigorna foram substituídos por máquinas e matrizes

Leia mais

SOLDAGEM DOS METAIS CAPÍTULO 8 SOLDAGEM MIG/MAG

SOLDAGEM DOS METAIS CAPÍTULO 8 SOLDAGEM MIG/MAG 53 CAPÍTULO 8 SOLDAGEM MIG/MAG 54 PROCESSO MIG/MAG (METAL INERT GAS/METAL ACTIVE GAS) MIG é um processo por fusão a arco elétrico que utiliza um arame eletrodo consumível continuamente alimentado à poça

Leia mais

Consumíveis para Manutenção e Cladding

Consumíveis para Manutenção e Cladding Consumíveis para Manutenção e Cladding voestalpine Böhler Welding Soldas do Brasil Ltda. www.voestalpine.com/welding 1 voestalpine Böhler Welding O melhor conhecimento em solda se uniu ao do aço A voestalpine

Leia mais

UDDEHOLM NIMAX UDDEHOLM NIMAX

UDDEHOLM NIMAX UDDEHOLM NIMAX UDDEHOLM NIMAX Uma ferramenta confiável e eficiente é essencial para se obter bons resultados. O mesmo se aplica na busca da alta produtividade e disponibilidade. Quando se escolhe um aço ferramenta muitos

Leia mais

CAMPUS REGIONAL DE RESENDE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO ÊNFASE EM PRODUÇÃO MECÂNICA

CAMPUS REGIONAL DE RESENDE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO ÊNFASE EM PRODUÇÃO MECÂNICA UERJ CAMPUS REGIONAL DE RESENDE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO ÊNFASE EM PRODUÇÃO MECÂNICA CAPÍTULO 8: AÇOS PARA CONSTRUÇÃO MECÂNICA DEPARTAMENTO DE MECÂNICA MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO MECÂNICA IV PROF. ALEXANDRE

Leia mais

Telecurso 2000 Processos de fabricação Peça; Retalho; Tira.

Telecurso 2000 Processos de fabricação Peça; Retalho; Tira. Conjunto de processos: Corte, Dobramento/curvamento (calandragem), Embutimento (estamp. profunda), Cunhagem, Perfilamento, Repuxamento. Processo a frio, Produto acabado, Matéria prima laminada, Forma volumétrica,

Leia mais

Tratamentos Térmicos dos Aços Ferramenta Um Ensaio

Tratamentos Térmicos dos Aços Ferramenta Um Ensaio Tratamentos Térmicos dos Aços Ferramenta Um Ensaio Dr. Carlos Eduardo Pinedo Diretor Técnico 1. Considerações Iniciais Aços Ferramenta Dentre os diferentes materiais utilizados pelo homem em seu cotidiano,

Leia mais

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Módulo IV Aula 07 Solda A soldagem é um tema muito extenso. Basicamente a soldagem é a união de materiais, mas existem inúmeros processos totalmente diferentes

Leia mais

Para soldas, escolha qualidade. Soldas

Para soldas, escolha qualidade. Soldas ara soldas, escolha qualidade. oldas 1 Qualidade que faz a diferença onhecer a qualidade das coisas é saber diferenciá-las. E, assim, poder escolher o que há de melhor. omo os inúmeros produtos Belgo Bekaert

Leia mais

Escola Politécnica de Pernambuco Departamento de Ensino Básico PROGRAMA

Escola Politécnica de Pernambuco Departamento de Ensino Básico PROGRAMA PROGRAMA Disciplina: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO MECÂNICA Código: MECN0039 Carga Horária Semestral: 45 HORAS Número de Créditos: TEÓRICOS: 00; PRÁTICOS: 03; TOTAL: 03 Pré-Requisito: MECN0004 CIÊNCIA DOS MATERIAIS

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL NOVEMBRO DE 2012 Índice da Apresentação EMPRESA... 3 Missão... 3 Áreas de atuação... 3 Infraestrutura Fabril... 4 ESCOPO DE SERVIÇOS... 4 Serviços de Fabricação e Manutenção... 4 Engenharia de Soldagem...

Leia mais

Materiais de construção de máquinas

Materiais de construção de máquinas Universidade Estadual do Norte Fluminense Centro de Ciências e Tecnologias Agropecuárias Laboratório de Engenharia Agrícola EAG 03204 Mecânica Aplicada * Materiais de construção de máquinas 1. Introdução

Leia mais

SOLDA EM FIO SOLDA EM FIO SOLDA ESTANHO

SOLDA EM FIO SOLDA EM FIO SOLDA ESTANHO SOLDA 207 PASTA PARA SOLDA SOLDA EM FIO fio 1,0mm PASTA PARA SOLDA 833 110g 12 434 63x37 - Tubo 22g 200 112267 110g 12 PASTA PARA SOLDA SOLDA EM FIO fio 1,0mm SOLDA EM FIO para eletrônica fio 1,0mm Emavi

Leia mais

Curso de Engenharia de Produção. Processos de Fabricação

Curso de Engenharia de Produção. Processos de Fabricação Curso de Engenharia de Produção Processos de Fabricação Forjamento: O forjamento, um processo de conformação mecânica em que o material é deformado por martelamentoou prensagem, é empregado para a fabricação

Leia mais

Aços Inoxidáveis AÇOS INOXIDÁVEIS

Aços Inoxidáveis AÇOS INOXIDÁVEIS AÇOS INOXIDÁVEIS Aços Inoxidáveis 1 A corrosão dos aços carbono e dos aços baixa-liga é caracterizada pela presença de uma camada de oxidação permeável. Em um meio corrosivo, estes aços sofrem oxidação

Leia mais

GGD INOX MARTENSÍTICO

GGD INOX MARTENSÍTICO AÇOS INOXIDÁVEIS GGD INOX MARTENSÍTICO Generalidades Podem ser beneficiados para altas durezas e ampla faixa de resistência mecânica. São magnéticos e possuem boa usinabilidade. Resistência à corrosão:

Leia mais

ASPERSÃO TÉRMICA EQUIPAMENTOS PLASMA SPRAY PROCESSO PLASMA

ASPERSÃO TÉRMICA EQUIPAMENTOS PLASMA SPRAY PROCESSO PLASMA ASPERSÃO TÉRMICA PROCESSO Resumidamente, Aspersão Térmica consiste em um grupo de processos em que materiais metálicos e não metálicos são projetados na forma fundida ou semifundida sobre uma superfície

Leia mais

REVESTIMENTOS AUTOMATIZADOS EM CAMISAS DE MOENDA

REVESTIMENTOS AUTOMATIZADOS EM CAMISAS DE MOENDA REVESTIMENTOS AUTOMATIZADOS EM CAMISAS DE MOENDA Tcg Alexandre Serra dos Santos Para se fazer o trabalho de revestimento protetor das camisas de moenda através de um sistema automatizado é necessário uma

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Quem tem qualidade faz o Presente e confia no Futuro!

APRESENTAÇÃO. Quem tem qualidade faz o Presente e confia no Futuro! APRESENTAÇÃO A orgulhase em ser líder nesse competitivo mercado de consumíveis de soldagem. Estabelecida há mais de 4 anos, a conquistou esta posição de destaque em todo o Brasil e ao redor do mundo, com

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» CONTROLE E PROCESSOS INDUSTRIAIS (Perfil 08) «

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» CONTROLE E PROCESSOS INDUSTRIAIS (Perfil 08) « CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» CONTROLE E PROCESSOS INDUSTRIAIS (Perfil 08) «21. A grafia incorreta do resultado da medição propicia problemas de legibilidade, informações desnecessárias e sem sentido. Considerando

Leia mais

PROGRAMA DE MANUTENÇÃO INDUSTRIAL POR SOLDAGEM

PROGRAMA DE MANUTENÇÃO INDUSTRIAL POR SOLDAGEM PROGRAMA DE MANUTENÇÃO INDUSTRIAL POR SOLDAGEM Know-How no Segmento Industrial de Açúcar & Álcool A Eutectic Castolin acumulou vasto conhecimento dos principais setores industrias do Brasil e possui um

Leia mais

1 Qual dos documentos apresentados a seguir não necessita ser mantido sob a responsabilidade do Inspetor de Soldagem?

1 Qual dos documentos apresentados a seguir não necessita ser mantido sob a responsabilidade do Inspetor de Soldagem? 1 Qual dos documentos apresentados a seguir não necessita ser mantido sob a responsabilidade do Inspetor de Soldagem? (a) Controle de Desempenho de Soldadores e Operadores de Soldagem.. (b) Registro da

Leia mais

Introdução Vantagens e Desvantagens A Quente A Frio Carga Mecânica Matriz Aberta Matriz Fechada Defeitos de Forjamento

Introdução Vantagens e Desvantagens A Quente A Frio Carga Mecânica Matriz Aberta Matriz Fechada Defeitos de Forjamento Prof. Msc. Marcos Dorigão Manfrinato prof.dorigao@gmail.com Introdução Vantagens e Desvantagens A Quente A Frio Carga Mecânica Matriz Aberta Matriz Fechada Defeitos de Forjamento 1 Introdução: O forjamento

Leia mais

Especificações Técnicas

Especificações Técnicas Especificações Técnicas TABELA DE ESCOLHA DO TIPO DE FRESA TIPO DE FRESA MATERIAL A SER CORTADO Com geometria de corte N aço com resistência até 80 kg/mm² aço beneficiado até 100 kg/mm² ferro fundido até

Leia mais

Soldagem de Aço Inox Utilizando Arco Gasoso com Tungstênio (GTAW ou TIG)

Soldagem de Aço Inox Utilizando Arco Gasoso com Tungstênio (GTAW ou TIG) Soldagem de Aço Inox Utilizando Arco Gasoso com Tungstênio (GTAW ou TIG) Este é o processo mais amplamente usado devido a sua versatilidade e alta qualidade bem como a aparência estética do acabamento

Leia mais

Curso de MIQ - Profa. Simone P. Taguchi Borges DEMAR/EEL/USP COBRE E SUAS LIGAS

Curso de MIQ - Profa. Simone P. Taguchi Borges DEMAR/EEL/USP COBRE E SUAS LIGAS Cobre e suas ligas 1 COBRE E SUAS LIGAS Cobre e suas ligas 2 PRINCIPAIS RESERVAS DE COBRE Encontram-se no Chile, EUA, Canadá,, antiga URSS, Peru, Zambia e Zaire CUSTO 3-4 vezes mais caro que o Al e 6-7

Leia mais

LINHA MUNDIAL EUTECTIC CASTOLIN PARA SOLDAGEM DE AÇOS INOXIDÁVEIS ÍNDICE

LINHA MUNDIAL EUTECTIC CASTOLIN PARA SOLDAGEM DE AÇOS INOXIDÁVEIS ÍNDICE LINHA MUNDIAL EUTECTIC CASTOLIN PARA SOLDAGEM DE AÇOS INOXIDÁVEIS ÍNDICE I. CONSIDERAÇÕES GERAIS...3 II. TIPOS DE AÇOS INOXIDÁVEIS...4 III. LISTA DOS AÇOS INOXIDÁVEIS NORMALIZADOS SEGUNDO A AISI...8 IV.

Leia mais

DIVERSIDADE DE APLICAÇÕES PARA VÁRIOS SEGMENTOS

DIVERSIDADE DE APLICAÇÕES PARA VÁRIOS SEGMENTOS ALUMÍNIO ALUMÍNIO DIVERSIDADE DE APLICAÇÕES PARA VÁRIOS SEGMENTOS ALUMÍNIO VANTAGENS O é um metal leve, macio e resistente, muito maleável e dúctil, apto para a mecanização e fundição, além de ter uma

Leia mais

Soldadura de Alumínio

Soldadura de Alumínio Soldadura de Alumínio O alumínio é um metal leve, maleável, fácil de trabalhar, com boas propriedades térmicas e eléctricas. Tem uma película de óxido sobre a superfície que lhe dá uma boa resistência

Leia mais

Mecânica Tratamentos Térmicos

Mecânica Tratamentos Térmicos CPM - Programa de Certificação de Pessoal de Manutenção Mecânica Tratamentos Térmicos SENAI Departamento Regional do Espírito Santo 3 Tratamentos Térmicos - Mecânica SENAI - ES, 1997 Trabalho realizado

Leia mais

10. Fluxos e Arames para Soldagem a Arco Submerso AWS A5.17.

10. Fluxos e Arames para Soldagem a Arco Submerso AWS A5.17. CONSUMÍVEIS DE SOLDAGEM ÍNDICE: 1. Conceitos. 2. Normas Técnicas Aplicáveis. 3. Especificações e Classificações AWS. 4. As Normas AWS. 5. Gases de Proteção AWS A5.32. 6. Eletrodos Revestidos AWS A5.1,

Leia mais

PROCESSOS DE SOLDAGEM

PROCESSOS DE SOLDAGEM PROCESSOS DE SOLDAGEM ARCO ELÉTRICO COM ELETRODO REVESTIDO Prof. Marcio Gomes 1 Soldagem a arco elétrico É um processo de soldagem por fusão em que a fonte de calor é gerada por um arco elétrico formado

Leia mais

Concurso Público para Cargos Técnico-Administrativos em Educação UNIFEI 13/06/2010

Concurso Público para Cargos Técnico-Administrativos em Educação UNIFEI 13/06/2010 Questão 21 Conhecimentos Específicos - Técnico em Mecânica A respeito das bombas centrífugas é correto afirmar: A. A vazão é praticamente constante, independentemente da pressão de recalque. B. Quanto

Leia mais

AÇOS. Construção Mecânica

AÇOS. Construção Mecânica AÇOS Construção Mecânica SÃO CERCA DE 10.000 TONELADAS EM AÇOS E METAIS A PRONTA ENTREGA GGD 10 Composição Química C Mn Si Cr Al P S 0,17 0,24 0,18 0,23 0, 0,60 0,60 0,90 0, máx 0,15 0, ----- --- 0, 0,

Leia mais

TRATAMENTOS TÉRMICOS DOS AÇOS

TRATAMENTOS TÉRMICOS DOS AÇOS Tratamentos térmicos dos aços 1 TRATAMENTOS TÉRMICOS DOS AÇOS Os tratamentos térmicos empregados em metais ou ligas metálicas, são definidos como qualquer conjunto de operações de aquecimento e resfriamento,

Leia mais

Catálogo de Consumíveis

Catálogo de Consumíveis atálogo de onsumíveis Índice 1 - ELETRODOS REVESTIDOS... 3-19 - S TUBULARES... 38-1.1 - AÇOS DE BAIXO E MÉDIO TEOR DE ARBONO...-.1 - - AÇOS DE BAIXO E 1.2 - AÇOS DE BAIXA LIGA...6-9 MÉDIO TEOR DE ARBONO...

Leia mais

Essa ferramenta pode ser fixada em máquinas como torno, fresadora, furadeira, mandriladora.

Essa ferramenta pode ser fixada em máquinas como torno, fresadora, furadeira, mandriladora. Brocas A broca é uma ferramenta de corte geralmente de forma cilíndrica, fabricada com aço rápido, aço carbono, ou com aço carbono com ponta de metal duro soldada ou fixada mecanicamente, destinada à execução

Leia mais

Constituintes estruturais de equilíbrio dos aços

Constituintes estruturais de equilíbrio dos aços Constituintes estruturais de equilíbrio dos aços Austenita: É uma solução sólida de carbono em ferro gama. Somente é estável as temperaturas superiores a 723 ºC, desdobrando-se por reação eutetóide, a

Leia mais

MATERIAL DE QUEIMA E SOLDADURA

MATERIAL DE QUEIMA E SOLDADURA 06 MATERIAL DE QUEIMA E SOLDADURA CANDEEIROS A GÁS FOGAREIROS A GÁS ACESSÓRIOS FOGAREIROS A GÁS CARTUCHOS GÁS MAÇARICOS CARTUCHO MAÇARICOS GARRAFA ELECTRODOS FIO DE SOLDA CANDEEIROS Candeeiro a Gás L3000PZ

Leia mais

Influence of Austenitizing Temperature On the Microstructure and Mechanical Properties of AISI H13 Tool Steel.

Influence of Austenitizing Temperature On the Microstructure and Mechanical Properties of AISI H13 Tool Steel. Influence of Austenitizing Temperature On the Microstructure and Mechanical Properties of AISI H13 Tool Steel. Lauralice de C. F. Canale 1 George Edward Totten 2 João Carmo Vendramim 3 Leandro Correa dos

Leia mais

ANEXO A MATERIAIS ENGENHARIA DE VÁLVULAS E EQUIP. LTDA

ANEXO A MATERIAIS ENGENHARIA DE VÁLVULAS E EQUIP. LTDA MATERIAIS ANEXO A Pág. - Tabela 1: Limites de temperatura de uso para os materiais... A1 - Tabela 2: Ratings e pressões de teste para válvulas: Materiais do Grupo 1.1... A3 - Tabela 3: Ratings e pressões

Leia mais

VARETAS FLUXADAS VARETAS FLUXADAS PARA A SOLDADURA DOS AÇOS INOXIDÁVEIS

VARETAS FLUXADAS VARETAS FLUXADAS PARA A SOLDADURA DOS AÇOS INOXIDÁVEIS Rev: 1.1 OUT214 VARETAS FLUXADAS VARETAS FLUXADAS PARA A SOLDADURA DOS AÇOS INOXIDÁVEIS TG-X 38 L ASME SFA 5.22: R38LT1-5 19 TG-X 39 L ASME SFA 5.22: R39LT1-5 19 TG-X 316 L ASME SFA 5.22: R316LT1-5 2 TG-X

Leia mais

GRSS. Resistance WELDING SOLDAGEM POR RESISTÊNCIA ELÉTRICA

GRSS. Resistance WELDING SOLDAGEM POR RESISTÊNCIA ELÉTRICA SOLDAGEM POR RESISTÊNCIA ELÉTRICA Princípios A soldagem por resistência elétrica representa mais uma modalidade da soldagem por pressão na qual as peças a serem soldadas são ligadas entre si em estado

Leia mais

Olhal soldável VLBS Elevação e amarração de cargas Cumpre as diretrizes de maquinaria 2006/42/EG C F T D E T I Articulação 180 G B A H Descrição Carga de trab. (t) Dimensões (mm) Solda Peso O VLBS forjado

Leia mais

ISOFLAMA Indústria e Comercio de Equipamentos Ltda SELEÇÃO DE MATERIAIS PARA NITRETAÇÃO. J.C.Vendramim 1

ISOFLAMA Indústria e Comercio de Equipamentos Ltda SELEÇÃO DE MATERIAIS PARA NITRETAÇÃO. J.C.Vendramim 1 SELEÇÃO DE MATERIAIS PARA NITRETAÇÃO J.C.Vendramim 1 [1] João Carmo Vendramim Engenheiro metalurgista, mestrado em engenharia de materiais pela universidade de Campinas Unicamp. Introdução A seleção do

Leia mais

Tratamento térmico. A.S.D Oliveira

Tratamento térmico. A.S.D Oliveira Tratamento térmico Porque fazer Tratamentos Térmicos? Modificação de propriedades sem alterar composição química, pela modificação da microestrutura Sites de interesse: www.infomet.com.br www.cimm.com.br

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO PAULO CEFET-SP. Tecnologia Mecânica

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO PAULO CEFET-SP. Tecnologia Mecânica CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO PAULO CEFET-SP Tecnologia Mecânica Tratamentos térmicos e termo-químicos Recozimento Normalização Têmpera Revenimento Cementação Nitretação Tratamentos Térmicos

Leia mais

Propriedades Mecânicas dos Aços DEMEC TM175 Prof Adriano Scheid

Propriedades Mecânicas dos Aços DEMEC TM175 Prof Adriano Scheid Propriedades Mecânicas dos Aços DEMEC TM175 Prof Adriano Scheid Tensão Propriedades Mecânicas: Tensão e Deformação Deformação Elástica Comportamento tensão-deformação O grau com o qual a estrutura cristalina

Leia mais

Fundição em Moldes Metálicos Permanentes por Gravidade.

Fundição em Moldes Metálicos Permanentes por Gravidade. Aula 10: Processos de Fundição em Moldes Metálicos por Gravidade (Coquilhas) 01: Introdução - Características do processo - Etapas envolvidas. - Fatores econômicos e tecnológicos - Ligas emprwegadas 02:

Leia mais

TRATAMENTO TÉRMICO ALIVIO DE TENSÕES

TRATAMENTO TÉRMICO ALIVIO DE TENSÕES TRATAMENTO TÉRMICO ALIVIO DE TENSÕES Modulo II 1 1 1.0 TRATAMENTO TÉRMICO ALÍVIO DE TENSÕES 1.1 INTRODUÇÃO 1.2 CONSIDERAÇÕES SOBRE ALÍVIO DE TENSÕES 1.3 CLASSIFICAÇÃO DOS METAIS CONFORME P-NUMBER 1.4 INDICAÇÕES

Leia mais

Soldabilidade de Algumas Ligas Metálicas

Soldabilidade de Algumas Ligas Metálicas UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Departamento de Engenharia Metalúrgica e de Materiais Soldabilidade de Algumas Ligas Metálicas Prof. Paulo J. Modenesi Janeiro de 2011 Soldabilidade de Algumas Ligas

Leia mais

Aula 3: Forjamento e Estampagem Conceitos de Forjamento Conceitos de Estampagem

Aula 3: Forjamento e Estampagem Conceitos de Forjamento Conceitos de Estampagem Aula 3: Forjamento e Estampagem Conceitos de Forjamento Conceitos de Estampagem Este processo é empregado para produzir peças de diferentes tamanhos e formas, constituído de materiais variados (ferrosos

Leia mais

O comportamento em relação ao processo de fabricação e do modo como à peça será usada, devem ser previstos quando especificamos o material.

O comportamento em relação ao processo de fabricação e do modo como à peça será usada, devem ser previstos quando especificamos o material. 1 1. MATERIAIS. Os materiais são constituídos de átomos, e são estes que determinam se o material é um plástico, madeira, metal ou ar... (é a estrutura geral do átomo que diferencia um material do outro).

Leia mais

METALURGIA DO PÓ METALURGIA DO PÓ

METALURGIA DO PÓ METALURGIA DO PÓ METALURGIA DO PÓ Prof. M.Sc.: Anael Krelling 1 O MERCADO DA METALURGIA DO PÓ Ligas de Ferro com grande precisão e elevada qualidade estrutural Materiais de difícil processamento, com alta densidade e microestrutura

Leia mais

AÇOS CARBONO E BAIXA LIGA (DOCE - CORTEN - PATINAX - CORALDUR - SAC 50 - USIAR)

AÇOS CARBONO E BAIXA LIGA (DOCE - CORTEN - PATINAX - CORALDUR - SAC 50 - USIAR) MAC BLUE AÇOS CARBONO E BAIXA LIGA (DOCE - CORTEN - PATINAX - CORALDUR - SAC 50 - USIAR) DESENV. ESPECIAL (2,5=60-90) (3,2=80-120) (4,0=110-160) (5,0=150-200) Eletrodo Revest. Rutílico Posições de Soldagem:

Leia mais

REVESTIMENTOS DUROS RESISTENTES AO DESGASTES DEPOSITADOS POR SOLDAGEM

REVESTIMENTOS DUROS RESISTENTES AO DESGASTES DEPOSITADOS POR SOLDAGEM REVESTIMENTOS DUROS RESISTENTES AO DESGASTES DEPOSITADOS POR SOLDAGEM Para maior facilidade de análise e prevenção, procura-se geralmente identificar o(s) mecanismo(s) predominante(s) de remoção de material.

Leia mais

Materiais para Ferramenta de Corte. Prof. João Paulo Barbosa, M.Sc.

Materiais para Ferramenta de Corte. Prof. João Paulo Barbosa, M.Sc. Materiais para Ferramenta de Corte Prof. João Paulo Barbosa, M.Sc. Materiais para ferramentas de cortes Nas operações mais comuns, utiliza como ferramenta um material mais duro que o da peça. Por outro

Leia mais