O consórcio é uma forma de aquisição de um bem, onde cada participante de um grupo segue um sistema de autofinanciamento.

Save this PDF as:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O consórcio é uma forma de aquisição de um bem, onde cada participante de um grupo segue um sistema de autofinanciamento."

Transcrição

1 COMO FUNCIONA CONSÓRCIO NACIONAL O QUE É CONSÓRCIO? O sistema Consórcio é uma modalidade de compra cooperada, inteligente e econômica. Em todo consórcio, sempre existe um grupo de pessoas que desejam possuir um determinado produto, denominado bem, mas que não possuem naquele momento o valor necessário para comprá-lo, ou preferem adquirir de forma programada ou ainda veem neste sistema uma interessante alternativa de investimento. ADMINISTRADORA Além do grupo de pessoas e do bem a ser adquirido, existe uma empresa a Administradora de Consórcios que é responsável pela organização e administração do sistema. A Administradora faz com que os participantes alcancem seu objetivo, de acordo com as normas estabelecidas pela legislação e pelo contrato firmado, e recebam assim seu bem dentro do prazo e das condições estabelecidas. A administradora tem como função: organizar os grupos, recolher as contribuições, promover as assembleias e tomar todas as providências que permitam aos grupos o cumprimento de seus objetivos. A administradora é, portanto, responsável por todos os aspectos administrativos, financeiros e operacionais relacionados com o sistema consórcio. Para realizar esse trabalho, é cobrada uma determinada importância mensal de cada participante, que constitui a Taxa de Administração. O consórcio é uma forma de aquisição de um bem, onde cada participante de um grupo segue um sistema de autofinanciamento. Isto significa que os próprios participantes financiam a aquisição do bem escolhido, pois cada membro do grupo contribui mensalmente com o valor relativo a um percentual do bem. No sistema consórcio, a contribuição de todos gera o beneficio de cada um. É importante lembrar que, para definir de forma clara as normas e procedimentos que devem ser adotadas pelo sistema consórcio, foi criada pelo Governo uma Legislação específica para consórcios, que deve ser seguida por todas as instituições que prestam esse tipo de serviço, possibilitando assim, segurança e garantia a todos os participantes do sistema.

2 QUEM FISCALIZA? Atualmente, quem regulamenta e fiscaliza as atividades das administradoras de consórcio no país é o Banco Central do Brasil. FORMAÇÃO DE GRUPO O processo de lançamento de grupos sempre parte de um princípio básico: a necessidade de se firmar contrato com parceiros, levando-se em consideração a legislação em vigor. A Abertura de Grupo é uma tabela que fornece todas as informações necessárias para que o vendedor possa comercializar a cota de consórcio, ou seja, o valor das taxas cobradas, duração do plano, data da primeira assembleia, valor dos créditos, valores das prestações para pessoa física e jurídica e características específicas de cada grupo. O valor do crédito é fixado pela tabela pública de preço do fabricante. PRAZOS E NÚMERO DE PARTICIPANTES DOS GRUPOS Os prazos de duração dos grupos são definidos livremente pela administradora, de acordo com a legislação vigente na época em que forem comercializadas as cotas para constituição de cada grupo. Exemplo: Duração do Grupo: 160 Quantidade de Contemplação: 80 meses Número de Participantes: 02 FUNDO COMUM Advém de recursos arrecadados dos consorciados, ou seja: Percentual mensal sobre o preço do bem: 100% = percentual de amortização Número de meses Valores provenientes das aplicações financeiras.

3 TAXAS COBRADAS As taxas cobradas no Sistema Consórcio incidem sobre o preço do bem, conforme abaixo: Taxa de Administração: é a remuneração que a administradora cobra para constituir, organizar e administrar grupos de consórcios. A taxa de administração é fixada pela administradora na abertura do grupo e mencionada na proposta de adesão. O consorciado pagará a taxa de administração mensalmente de acordo com percentual estabelecido na abertura do grupo, diluído na parcela do consorciado conforme a duração do grupo. Não será necessário fazer o cálculo, pois o mesmo constará na tabela devidamente descriminada. Exemplo: Se um grupo tiver 80 meses de duração e a TAXA DE ADMINISTRAÇÃO for 20%, o consorciado pagará 0,25% ao mês. X% TA = NÚMERO DE MESES Seguro Prestamista ou Seguro de Vida Comum: Esta taxa é cobrada para que haja cobertura do saldo devedor, não causando prejuízos aos demais con sorciados em caso de fatalidade, ou seja, morte ou invalidez permanente de qualquer dos componentes do grupo. Esta taxa, em grupos de automóveis, é obrigatória. Esta taxa, em grupos de automóveis, é obrigatória para pessoa física e optativa para pessoa jurídica. O limite de idade para adesão a grupos de automóveis é de 65 anos até a data da 1ª Assembleia. Nos grupos de automóveis, a seguradora devolve à Administradora o valor integral do plano do consorciado e esta quita o saldo devedor do mesmo e entrega aos herdeiros o bem quitado. O valor desta taxa é 0,088% ao mês, para automóveis. VSM = (VB + TA) X PERCENTUAL DO GRUPO VSM = Valor do Seguro Mensal TA = Taxa de administração

4 PROCESSO DE RESERVA E SUA CONFIRMAÇÃO As parceiras, no prazo de 05 (cinco) dias, enviarão as propostas de adesão à respectiva filial confirmando a reserva das cotas. Caso as propostas de adesão não cheguem nesse prazo, as reservas das cotas serão automaticamente canceladas. As cotas deverão ser reservadas pelas parcerias junto ao SAV Serviço de Apoio ao Vendedor das respectivas filiais. Informar: Dados Pessoais Bem Nome / CGC / Código do parceiro / Código do Vendedor CONSTITUIÇÃO A formação de um grupo se efetiva com a realização da Assembleia Geral Ordinária que só poderá ocorrer após a venda de, no mínimo, 70% das cotas pertencentes aquele grupo. O local da assembleia de constituição é sempre realizado juntamente com a assembleia ordinária, divulgada mensalmente com antecedência, no boleto do consorciado. ASSEMBLEIAS MENSAIS As Assembleias serão realizadas na administradora nas datas informadas na tabela de venda. A Aquisição do bem se dá através das contemplações mensais que ocorrem por sorteio ou lance, não existindo outro meio para que o consorciado passe a ter direito ao bem. Sorteio - As pedras de 0 a 9 são colocadas em um globo para serem sorteadas. A bola sorteada é chamada de Pedra Chave. Essa Pedra Chave vale para contemplar os consorciados por sorteio de todos os grupos de um mesmo número de meses e de participantes. Caso o número da Pedra Chave sorteada for um número de uma cota que já tenha sido contemplada anteriormente, será contemplada a cota de número imediatamente posterior a este número. Lance - É a quantidade de parcelas ofertada pelo consorciado na data da assembleia, como antecipação para sua contemplação, vencendo o maior valor ofertado, valor este que quitará as parcelas na ordem inversa, ou seja, do fim para o começo.

5 O consorciado que desejar dar lance deverá se utilizar da internet ou telefone, efetuando assim a oferta de lance da cota. As ofertas de lance só serão aceitas até 12h do dia da Assembleia ou na Concessionária no dia do Sorteio / Lance pelo próprio consorciado. No caso de eventuais antecipações realizadas, o percentual máximo permitido para a oferta de lance será de acordo com o percentual para quitação da cota. DESEMPATE Na hipótese de ocorrer empate entre dois ou mais lances em um mesmo grupo, o lance vencedor será aquele cujo número da cota seja o mais próximo da Pedra Chave. Será efetuado desempate através de globo. O consorciado que for contemplado por lance terá 48 horas para efetuar o seu pagamento, sob pena de ser automaticamente desclassificado. O valor do pagamento do lance será calculado sob o número de parcelas ofertado sobre o valor do bem. E se o consorciado não puder comparecer à Assembleia? Após a realização da assembleia, a Administradora envia um telegrama ao consorciado informando-o da contemplação. A partir da data do recebimento do telegrama, o consorciado deverá encaminhar os documentos cadastrais no prazo indicado e confirmar junto à parceria a contemplação, definindo a escolha do bem objeto do plano. O participante que for contemplado deverá estar rigorosamente em dia com seus pagamentos para poder adquirir o bem. Caso não esteja em dia, será desclassificado, passando-se para o suplente, que deverá, igualmente, estar em dia com seus pagamentos para fazer jus à contemplação, e assim por diante. ANTECIPAÇÃO DE PARCELA As situações que permitem ao consorciado quitar parcial ou integralmente o saldo devedor de seu plano de consórcio antecipadamente são as seguintes: Por antecipação espontânea. Por meio de lance vencedor.

6 Em caso de diferença de crédito na hipótese de adquirir bem de valor inferior. A quitação da cota não garante a entrega do produto. Deverá ser contemplado por sorteio ou lance. ENCERRAMENTO DO GRUPO Até 60 dias após a contemplação de todos os consorciados do grupo, a administradora deverá comunicar aos consorciados que não tenham utilizado o crédito, que o dinheiro está à sua disposição. Essa comunicação deverá ser feita também aos demais consorciados que ainda tenham algum dinheiro a receber, inclusive os e desistentes. O encerramento definitivo do grupo ocorre quando todos os bens são entregues e após o recebimento de todos os débitos e/ou após esgotados os meios de cobrança DEVOLUÇÃO DE COTAS CANCELADAS E DESISTENTES Participarão mensalmente através de um sorteio especial as cotas canceladas e desistentes, as quais a contemplada do mês terá direito a restituição do fundo comum atualizado descontando taxas e multas.

8) Qual o papel da administradora?

8) Qual o papel da administradora? 1) Como funciona o consórcio? R= Consórcio é um sistema que reúne em grupo pessoas físicas e/ou jurídicas com interesse comum para compra de bens ou serviços, por meio de autofinanciamento, onde o valor

Leia mais

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO APLUBCAP POPULAR 636 MODALIDADE POPULAR PAGAMENTO ÚNICO CONDIÇÕES GERAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLUB CAPITALIZAÇÃO S. A.

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO APLUBCAP POPULAR 636 MODALIDADE POPULAR PAGAMENTO ÚNICO CONDIÇÕES GERAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLUB CAPITALIZAÇÃO S. A. I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLUB CAPITALIZAÇÃO S. A. CNPJ: 88.076.302/0001-94 APLUBCAP POPULAR 636 MODALIDADE: POPULAR PROCESSO SUSEP Nº: 15414.901295/2014-52 II - GLOSSÁRIO Subscritor

Leia mais

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO APLUBCAP POPULAR 510 MODALIDADE POPULAR PAGAMENTO ÚNICO CONDIÇÕES GERAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLUB CAPITALIZAÇÃO S. A.

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO APLUBCAP POPULAR 510 MODALIDADE POPULAR PAGAMENTO ÚNICO CONDIÇÕES GERAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLUB CAPITALIZAÇÃO S. A. I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLUB CAPITALIZAÇÃO S. A. CNPJ: 88.076.302/0001-94 APLUBCAP POPULAR 510 MODALIDADE: POPULAR PROCESSO SUSEP Nº: 15414.902145/2013-85 II - GLOSSÁRIO Subscritor

Leia mais

Abrangência: Esse programa abrange:

Abrangência: Esse programa abrange: Condições a serem observadas para adesão ao programa de recuperação fiscal que concede condições especiais para o pagamento à vista e o parcelamento de débitos de qualquer natureza (Portaria Conjunta PGFN/RFB

Leia mais

Biblioteca do Consorciado

Biblioteca do Consorciado Biblioteca do Consorciado Esclareça suas dúvidas Para a perfeita interpretação dos termos do CONTRATO, disponibilizamos as expressões que possam surgir dúvidas do significado. ADESÃO É o ato formal que

Leia mais

Cartilha de Empréstimo 1

Cartilha de Empréstimo 1 Cartilha de Empréstimo 1 Empréstimo Economus: Como é? Quem tem direito? Que tipo de empréstimos o Economus oferece? O Economus oferece apenas a modalidade de empréstimo pessoal. Quem poderá solicitar empréstimos?

Leia mais

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO - APLUBCAP TRADICIONAL 16 MODALIDADE TRADICIONAL - PAGAMENTO ÚNICO

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO - APLUBCAP TRADICIONAL 16 MODALIDADE TRADICIONAL - PAGAMENTO ÚNICO TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO - APLUBCAP TRADICIONAL 16 MODALIDADE TRADICIONAL - PAGAMENTO ÚNICO CONDIÇÕES GERAIS I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLUB CAPITALIZAÇÃO S/A CNPJ: 88.076.302/0001-94

Leia mais

PROGRAMA DE CRÉDITO EDUCATIVO - INVESTCREDE REGULAMENTO

PROGRAMA DE CRÉDITO EDUCATIVO - INVESTCREDE REGULAMENTO PROGRAMA DE CRÉDITO EDUCATIVO - INVESTCREDE 1. DAS INFORMAÇÕES GERAIS REGULAMENTO 1.1 - O presente regulamento objetiva a concessão de Crédito Educativo para estudantes devidamente Matriculados nos cursos

Leia mais

I INFORMAÇÕES INICIAIS II - GLOSSÁRIO

I INFORMAÇÕES INICIAIS II - GLOSSÁRIO I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: INVEST CAPITALIZAÇÃO S/A CNPJ: 93.202.448/0001-79 (NOME FANTASIA DO PRODUTO): INVESTCAP TRAD-PU 03 (12M) MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO SUSEP Nº: 15414.900283/2013-20

Leia mais

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO APLUBCAP ECO 2.1 MODALIDADE DADE INCENTIVO PAGAMENTO ÚNICO CONDIÇÕES GERAIS

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO APLUBCAP ECO 2.1 MODALIDADE DADE INCENTIVO PAGAMENTO ÚNICO CONDIÇÕES GERAIS TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO APLUBCAP ECO.1 I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLUB CAPITALIZAÇÃO S. A. CNPJ: 88.076.30/0001-94 APLUBCAP ECO.1 MODALIDADE: INCENTIVO PROCESSO SUSEP Nº: 15414.0055/011-47

Leia mais

Manual de Normas e Procedimentos Comercial.

Manual de Normas e Procedimentos Comercial. Manual de Normas e Procedimentos Comercial. Gerência Comercial. Referência: Versão: Revisado 1.1 Data: 21/07/2014 21de Julho de 2014 Sumário Definição da Área Comercial.... 3 Representação da área comercial....

Leia mais

VI - PAGAMENTO 6.1 - Este Título é de pagamento único, cabendo ao Subscritor o pagamento de uma única parcela na data indicada.

VI - PAGAMENTO 6.1 - Este Título é de pagamento único, cabendo ao Subscritor o pagamento de uma única parcela na data indicada. CONDIÇÕES GERAIS DO (PU 12 MESES versão 178) I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: Sul América Capitalização S.A. SULACAP CNPJ Nº 03.558.096/0001-04 (PU 12 MESES versão 178) - MODALIDADE:

Leia mais

DÚVIDAS SOBRE O CONSÓRCIO (FAQ) 1. Por que utilizar o sistema CONSÓRCIO NACIONAL UNIVERSITÁRIO?

DÚVIDAS SOBRE O CONSÓRCIO (FAQ) 1. Por que utilizar o sistema CONSÓRCIO NACIONAL UNIVERSITÁRIO? DÚVIDAS SOBRE O CONSÓRCIO (FAQ) 1. Por que utilizar o sistema CONSÓRCIO NACIONAL UNIVERSITÁRIO? O Consórcio Nacional Universitário é uma modalidade destinada para alunos universitários que desejam poupar

Leia mais

GLOSSÁRIO. Subscritor é a pessoa que adquire o Título, responsabilizando-se pelo seu pagamento.

GLOSSÁRIO. Subscritor é a pessoa que adquire o Título, responsabilizando-se pelo seu pagamento. GLOSSÁRIO Subscritor é a pessoa que adquire o Título, responsabilizando-se pelo seu pagamento. Titular é o próprio subscritor ou outra pessoa expressamente indicada pelo mesmo, sendo este o proprietário

Leia mais

CIRCULAR N 3.084. Documento normativo revogado pela Circular nº 3.432, de 3/2/2009.

CIRCULAR N 3.084. Documento normativo revogado pela Circular nº 3.432, de 3/2/2009. CIRCULAR N 3.084 Documento normativo revogado pela Circular nº 3.432, de 3/2/2009. Dispõe sobre obrigação financeira, recursos não procurados, adiantamento a fornecedores, agregação de despesas e encerramento

Leia mais

2.4. Só será permitida uma única inscrição por participante (CPF), sendo que, em caso de duplicidade, uma das inscrições será cancelada.

2.4. Só será permitida uma única inscrição por participante (CPF), sendo que, em caso de duplicidade, uma das inscrições será cancelada. Regulamento: O presente regulamento estabelece os termos e as condições do Programa Club Red Brasil, bem como a concessão e utilização de créditos através de cartões de débito. Todos os participantes,

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO PRIME

CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO PRIME CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO PRIME I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: BRADESCO CAPITALIZAÇÃO S/A CNPJ: 33.010.851/0001-74 PÉ QUENTE BRADESCO PRIME PLANO PM 48/48 P - MODALIDADE:

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO APLICAP 026

CONDIÇÕES GERAIS DO APLICAP 026 CONDIÇÕES GERAIS DO APLICAP 026 I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLICAP CAPITALIZAÇÃO S.A. CNPJ: 13.122.801/0001-71 APLICAP 026 MODALIDADE: PU POPULAR PROCESSO SUSEP Nº: 15414.900500/2014-62

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO BRADESCO SOLUÇÃO DE ALUGUEL

CONDIÇÕES GERAIS DO BRADESCO SOLUÇÃO DE ALUGUEL I INFORMAÇÕES INICIAIS CONDIÇÕES GERAIS DO BRADESCO SOLUÇÃO DE ALUGUEL SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: BRADESCO CAPITALIZAÇÃO S.A. CNPJ: 33.010.851/0001-74 BRADESCO SOLUÇÃO DE ALUGUEL PLANO PU 15/15 A - MODALIDADE:

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO CAP FIADOR I INFORMAÇÕES INICIAIS. SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: Brasilcap Capitalização S.A. CNPJ: 15.138.043/0001-05 II GLOSSÁRIO

CONDIÇÕES GERAIS DO CAP FIADOR I INFORMAÇÕES INICIAIS. SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: Brasilcap Capitalização S.A. CNPJ: 15.138.043/0001-05 II GLOSSÁRIO CONDIÇÕES GERAIS DO CAP FIADOR I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: Brasilcap Capitalização S.A. CNPJ: 15.138.043/0001-05 CAP FIADOR MODALIDADE: Tradicional PROCESSO SUSEP Nº: 15414.005233/2011-75

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO PESSOA JURÍDICA

CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO PESSOA JURÍDICA CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO PESSOA JURÍDICA I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: BRADESCO CAPITALIZAÇÃO S/A. CNPJ: 33.010.851/0001-74 PÉ QUENTE BRADESCO PESSOA JURÍDICA PLANO PU

Leia mais

Condições Gerais Agromania CAP

Condições Gerais Agromania CAP Condições Gerais Agromania CAP CONDIÇÕES GERAIS DO (PU 12 MESES VERSÃO 16) I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: Sul América Capitalização S.A. SULACAP CNPJ Nº 03.558.096/0001-04 (PU 12 MESES

Leia mais

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO ZURICHCAP INCENTIVO Nº 07 PU I07 MODALIDADE INCENTIVO PAGAMENTO ÚNICO CONDIÇÕES GERAIS

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO ZURICHCAP INCENTIVO Nº 07 PU I07 MODALIDADE INCENTIVO PAGAMENTO ÚNICO CONDIÇÕES GERAIS DA ZURICHCAP INCENTIVO Nº 07 PU I07 I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: ZURICH BRASIL CAPITALIZAÇÃO S/A. CNPJ: 17.266.009/0001-41 MODALIDADE: INCENTIVO PROCESSO SUSEP Nº: II - GLOSSÁRIO

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO TC CASH 36

CONDIÇÕES GERAIS DO TC CASH 36 Página 1 de 7 CONDIÇÕES GERAIS DO TC CASH 36 I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: HSBC Empresa de Capitalização (Brasil) S.A. CNPJ: 33.425.075/0001-73 TC CASH 36 MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO

Leia mais

REGULAMENTO A CONCESSÃO E MANUTENÇÃO DE EMPRÉSTIMO SIMPLES AOS PARTICIPANTES E ASSISTIDOS DO PLANO BENEFÍCIO PREV-RENDA.

REGULAMENTO A CONCESSÃO E MANUTENÇÃO DE EMPRÉSTIMO SIMPLES AOS PARTICIPANTES E ASSISTIDOS DO PLANO BENEFÍCIO PREV-RENDA. REGULAMENTO A CONCESSÃO E MANUTENÇÃO DE EMPRÉSTIMO SIMPLES AOS PARTICIPANTES E ASSISTIDOS DO PLANO BENEFÍCIO PREV-RENDA. Índice Capítulo I Da Carteira de Empréstimo Simples... 3 Capítulo II Dos Recursos

Leia mais

Este regulamento está em vigor a partir do 11/07/2007 (inclusive) substituindo e cancelando o anterior

Este regulamento está em vigor a partir do 11/07/2007 (inclusive) substituindo e cancelando o anterior Este regulamento está em vigor a partir do 11/07/2007 (inclusive) substituindo e cancelando o anterior REGULAMENTO DE ACÚMULO DE PONTOS NO PROGRAMA BRADESCO COM TRANSFERÊNCIA PARA O PROGRAMA FIDELIDADE

Leia mais

Regulamento da Promoção "Punta Cana All Inclusive" - Consórcio Iveco

Regulamento da Promoção Punta Cana All Inclusive - Consórcio Iveco Regulamento da Promoção "Punta Cana All Inclusive" - Consórcio Iveco A Promoção Punta Cana All Inclusive é uma ação realizada pelo Consórcio Iveco para os clientes que adquirirem, em todo território nacional,

Leia mais

Regulamento da Carteira de Empréstimo - Antecipação do Abono Anual

Regulamento da Carteira de Empréstimo - Antecipação do Abono Anual Regulamento da Carteira de Empréstimo - Antecipação do Abono Anual Art. 1º - O presente Regulamento tem por finalidade disciplinar o funcionamento da Carteira de Empréstimo - Antecipação do Abono Anual,

Leia mais

Condições Gerais. I Informações Iniciais

Condições Gerais. I Informações Iniciais Condições Gerais I Informações Iniciais Sociedade de Capitalização: MAPFRE Capitalização S.A. CNPJ: 09.382.998/0001-00 Nome Fantasia do Produto: Mc-T-04- Pu 12 Meses Modalidade: Tradicional Processo Susep

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS Troca Premiável Bradesco Seguros

CONDIÇÕES GERAIS Troca Premiável Bradesco Seguros I INFORMAÇÕES INICIAIS CONDIÇÕES GERAIS Troca Premiável Bradesco Seguros SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: BRADESCO CAPITALIZAÇÃO S.A. CNPJ: 33.010.851/0001-74 PLANO PU 12/12 T MODALIDADE POPULAR PROCESSO SUSEP

Leia mais

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO Art. 1º Este documento, doravante denominado Regulamento de Empréstimo, estabelece os direitos e as obrigações da Boticário Prev, dos Participantes e Assistidos, para a concessão

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO 100 II

CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO 100 II CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO 100 II I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: BRADESCO CAPITALIZAÇÃO S/A. CNPJ: 33.010.851/0001-74 PÉ QUENTE BRADESCO 100 II PLANO PU 36/001 B1 - MODALIDADE:

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO REALCAP PRESENTE. (Empresa Incorporadora da Real Capitalização S.A. desde 30/09/2009) CNPJ: 03.209.092/0001-02

CONDIÇÕES GERAIS DO REALCAP PRESENTE. (Empresa Incorporadora da Real Capitalização S.A. desde 30/09/2009) CNPJ: 03.209.092/0001-02 CONDIÇÕES GERAIS DO REALCAP PRESENTE I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: Santander Capitalização S/A (Empresa Incorporadora da Real Capitalização S.A. desde 30/09/2009) CNPJ: 03.209.092/0001-02

Leia mais

CNPJ: 03.209.092/0001-02 MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO SUSEP Nº: 15414.004260/2008-25 WEB-SITE:

CNPJ: 03.209.092/0001-02 MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO SUSEP Nº: 15414.004260/2008-25 WEB-SITE: CONDIÇÕES GERAIS SANTANDER CAP SORTE FÁCIL I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: Santander Capitalização S/A CNPJ: 03.209.092/0001-02 MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO SUSEP Nº: 15414.004260/2008-25

Leia mais

Produto BNDES Exim Pós-embarque Normas Operacionais. Linha de Financiamento BNDES Exim Automático

Produto BNDES Exim Pós-embarque Normas Operacionais. Linha de Financiamento BNDES Exim Automático Produto BNDES Exim Pós-embarque Normas Operacionais Linha de Financiamento BNDES Exim Automático Capítulo I - REGULAMENTO 1. OBJETIVO Apoiar, na fase pós-embarque, a comercialização, no exterior, de bens

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 2.303. V - devolução de cheques pelo Serviço de Compensação de Cheques e Outros Papéis - SCCOP, exceto por insuficiência de fundos;

RESOLUÇÃO Nº 2.303. V - devolução de cheques pelo Serviço de Compensação de Cheques e Outros Papéis - SCCOP, exceto por insuficiência de fundos; RESOLUÇÃO Nº 2.303 Documento normativo revogado, a partir de 30/4/2008, pela Resolução nº 3.518, de 6/12/2007. Disciplina a cobrança de tarifas pela prestação de serviços por parte das instituições financeiras

Leia mais

GLOSSÁRIO. Data de aniversário é o mesmo dia do início de vigência para todos os meses subsequentes, enquanto o plano estiver em vigor.

GLOSSÁRIO. Data de aniversário é o mesmo dia do início de vigência para todos os meses subsequentes, enquanto o plano estiver em vigor. PLIN EMPRESARIAL Processo SUSEP: 15414.003337/2007-69 Período de Comercialização: 26/10/2007 a 27/02/2009 CONDIÇÕES GERAIS GLOSSÁRIO Subscritor é a pessoa que subscreve a proposta de aquisição do Título,

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS. Pagamento Cota de sorteio % Cota de carregamento % Cota de Capitalização % 1º ao 3º 5,336% 59,464% 35,20%

CONDIÇÕES GERAIS. Pagamento Cota de sorteio % Cota de carregamento % Cota de Capitalização % 1º ao 3º 5,336% 59,464% 35,20% CONDIÇÕES GERAIS GLOSSÁRIO Subscritor é a pessoa que subscreve a proposta de aquisição do Título, assumindo o compromisso de efetuar o pagamento na forma convencionada nestas Condições Gerais. Titular

Leia mais

Parabéns! Agora que a sua cota já está contemplada e você já recebeu sua CARTA DE CRÉDITO, você poderá concretizar o seu projeto.

Parabéns! Agora que a sua cota já está contemplada e você já recebeu sua CARTA DE CRÉDITO, você poderá concretizar o seu projeto. Orientações para aquisição de Bens Móveis Parabéns! Agora que a sua cota já está contemplada e você já recebeu sua CARTA DE CRÉDITO, você poderá concretizar o seu projeto. Lembrando que a análise do seu

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS I. INFORMAÇÕES INICIAIS II. GLOSSÁRIO

CONDIÇÕES GERAIS I. INFORMAÇÕES INICIAIS II. GLOSSÁRIO CONDIÇÕES GERAIS I. INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: CARDIF CAPITALIZAÇÃO S.A. CNPJ Nº. : 11.467.788/0001-67 PRODUTO: PR_PU_POPULAR1_S100_1S_CS0834 MODALIDADE: POPULAR PROCESSO SUSEP Nº:

Leia mais

Paulo Eduardo Armiliato. NOVO REFIS Lei 12.996, de 2014

Paulo Eduardo Armiliato. NOVO REFIS Lei 12.996, de 2014 Paulo Eduardo Armiliato NOVO REFIS Lei 12.996, de 2014 São Paulo, 14/8/2014 VISÃO GERAL DE PARCELAMENTO TIPOS DE PARCELAMENTO Normais: - Quantidade máxima de parcelas: 60 - Pedido a qualquer tempo Especiais:

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO PU 12 MESES

CONDIÇÕES GERAIS DO PU 12 MESES CONDIÇÕES GERAIS DO PU 12 MESES I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: Sul América Capitalização S.A. SULACAP CNPJ: Nº 03.558.096/0001-04 PU 12 MESES - MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO SUSEP

Leia mais

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICAS CORPORATIVAS

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICAS CORPORATIVAS 9 - Regulamentos Política de Empréstimos 9.1 Condições para associação O Funcionário, na sua admissão na empresa, assina a Proposta de Admissão e Depósito na Cooperativa, se for de seu interesse, sendo

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO PU 15 MESES

CONDIÇÕES GERAIS DO PU 15 MESES CONDIÇÕES GERAIS DO PU 15 MESES I INFORMAÇÕES INICIAIS II - GLOSSÁRIO SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: Sul América Capitalização S.A. SULACAP CNPJ: 03.558.096/0001-04 (PU 15 MESES) - MODALIDADE: TRADICIONAL

Leia mais

neste regulamento. 2. DOS CONCEITOS FUNDAMENTAIS

neste regulamento. 2. DOS CONCEITOS FUNDAMENTAIS 1. DAS PARTES 1.1. A constituição e o funcionamento de grupos de consórcio formados pela empresa Sponchiado Administradora de Consórcios Ltda., pessoa neste regulamento. 2. DOS CONCEITOS FUNDAMENTAIS promovida

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO DE PAGAMENTO MENSAL (CÓDIGO 45.1) VIP 200

CONDIÇÕES GERAIS TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO DE PAGAMENTO MENSAL (CÓDIGO 45.1) VIP 200 CONDIÇÕES GERAIS TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO DE PAGAMENTO MENSAL (CÓDIGO 45.1) VIP 200 CONDIÇÕES GERAIS TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO DE PAGAMENTO MENSAL (CÓDIGO 45.1) GLOSSÁRIO _ Subscritor é a pessoa que subscreve

Leia mais

REGULAMENTO Promoção Seguro Luiza Prestamista

REGULAMENTO Promoção Seguro Luiza Prestamista REGULAMENTO Promoção Seguro Luiza Prestamista Dados da Promotora: Cardif do Brasil Vida e Previdência S.A. CNPJ: 03.546.261/0001-08 Rua Campos Bicudo, 98 4º andar, São Paulo, CEP: 04536-010. 1. Cessão:

Leia mais

HIPERPLIN www.plin.com.br MODALIDADE POPULAR PROCESSO SUSEP Nº: 15414.003762/2008-39 CONDIÇÕES GERAIS

HIPERPLIN www.plin.com.br MODALIDADE POPULAR PROCESSO SUSEP Nº: 15414.003762/2008-39 CONDIÇÕES GERAIS HIPERPLIN www.plin.com.br MODALIDADE POPULAR PROCESSO SUSEP Nº: 15414.003762/2008-39 CONDIÇÕES GERAIS GLOSSÁRIO Subscritor é a pessoa que subscreve a proposta de aquisição do Título, assumindo o compromisso

Leia mais

GUIA DE ORIENTAÇÕES CONSÓRCIO DE IMÓVEIS EMBRACON

GUIA DE ORIENTAÇÕES CONSÓRCIO DE IMÓVEIS EMBRACON GUIA DE ORIENTAÇÕES CONSÓRCIO DE IMÓVEIS EMBRACON Estimado Consorciado de imóvel, Parabéns! Você fez um excelente investimento! É um privilégio para nós, tê-lo como nosso cliente! É a oportunidade de juntos,

Leia mais

Índice BEM-VINDO AO PLANO UNIMED-BH 02 GLOSSÁRIO 03 CONHECENDO O PLANO 06 INFORMAÇÕES ADICIONAIS 10 FORMAS DE CONTATO 13

Índice BEM-VINDO AO PLANO UNIMED-BH 02 GLOSSÁRIO 03 CONHECENDO O PLANO 06 INFORMAÇÕES ADICIONAIS 10 FORMAS DE CONTATO 13 Índice BEM-VINDO AO PLANO UNIMED-BH 02 GLOSSÁRIO 03 CONHECENDO O PLANO 06 INFORMAÇÕES ADICIONAIS 10 FORMAS DE CONTATO 13 UD004110B-MioloGuiaPlanoUnimedBH15x21.indd 1 2 Bem-vindo ao Plano de Previdência

Leia mais

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO CONDIÇÕES GERAIS TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO CONDIÇÕES GERAIS ÍNDICE I Informações Iniciais... 4 II Glossário... 4 III Objetivo... 5 IV Natureza do Título... 5 V Vigência... 5 VI Pagamento... 5 VII Carência...

Leia mais

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO COMERCIAL MODALIDADE INCENTIVO

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO COMERCIAL MODALIDADE INCENTIVO REGULAMENTO DA PROMOÇÃO COMERCIAL MODALIDADE INCENTIVO NOME DA PROMOÇÃO: SORTE EXTRA PERÍODO DA PROMOÇÃO: 01/06/2013 à 31/05/2014 1ª PRORROGAÇÃO: 01/06/2014 à 31/05/2015 A PROMOÇÃO SORTE EXTRA sofreu algumas

Leia mais

*O pagamento acontece diretamente para o vendedor, PJ ou PF, após toda análise crédito e do bem.

*O pagamento acontece diretamente para o vendedor, PJ ou PF, após toda análise crédito e do bem. 1- Posso comprar dois automóveis com uma única carta de crédito? Sim. Podem ser alienados dois veículos em uma única cota de consórcios, porém são duas despesas para alienação dos bens. *O pagamento acontece

Leia mais

CONTRATO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL. Empresa: Matrícula: Telefone: ( ) Renegociação? ( ) NÃO ( ) SIM Novo Contrato:

CONTRATO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL. Empresa: Matrícula: Telefone: ( ) Renegociação? ( ) NÃO ( ) SIM Novo Contrato: CONTRATO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL Nome do Participante/Assistido: Empresa: Matrícula: Telefone: ( ) Valor do Empréstimo: Quantidade de Prestações: Renegociação? ( ) NÃO ( ) SIM Novo Contrato: Valor liquido

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS. Mês de Vigência Taxa de Juros 1º 0,65% a.m. 2º ao 12º 0,45% a.m.

CONDIÇÕES GERAIS. Mês de Vigência Taxa de Juros 1º 0,65% a.m. 2º ao 12º 0,45% a.m. PLIN FIDELIDADE MODALIDADE TRADICIONAL PROCESSO SUSEP Nº: 15414.003764/2008-28 CONDIÇÕES GERAIS GLOSSÁRIO Subscritor é a pessoa que subscreve a proposta de aquisição do Título, assumindo o compromisso

Leia mais

Unidade I CONTABILIDADE EMPRESARIAL. Prof. Amaury Aranha

Unidade I CONTABILIDADE EMPRESARIAL. Prof. Amaury Aranha Unidade I CONTABILIDADE EMPRESARIAL Prof. Amaury Aranha Sumário Unidade I Unidade I Provisão para devedores duvidosos Operações financeiras (duplicatas) Unidade II Empréstimos (pré e pós) Aplicações financeiras

Leia mais

Este regulamento está em vigor a partir do 11/07/2007 (inclusive) substituindo e cancelando o anterior

Este regulamento está em vigor a partir do 11/07/2007 (inclusive) substituindo e cancelando o anterior Este regulamento está em vigor a partir do 11/07/2007 (inclusive) substituindo e cancelando o anterior REGULAMENTO DE ACÚMULO DE PONTOS NO PROGRAMA BRADESCO COM TRANSFERÊNCIA PARA O PROGRAMA FIDELIDADE

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS CONFIANÇA CAP

CONDIÇÕES GERAIS CONFIANÇA CAP CONDIÇÕES GERAIS CONFIANÇA CAP CONDIÇÕES GERAIS DO CONFIANÇA CAP CONDIÇÕES GERAIS CONFIANÇA CAP Versão: 05/2013 Proc. SUSEP 15414.004330/2012-21 CONDIÇÕES GERAIS DO CONFIANÇA CAP SUMÁRIO I - INFORMAÇÕES

Leia mais

O Consórcio Chevrolet quer lhe dar as boas-vindas e parabenizá-lo pela aquisição de sua cota de consórcio.

O Consórcio Chevrolet quer lhe dar as boas-vindas e parabenizá-lo pela aquisição de sua cota de consórcio. Prezado(a) cliente, O Consórcio Chevrolet quer lhe dar as boas-vindas e parabenizá-lo pela aquisição de sua cota de consórcio. Desde já, você conta com a experiência e qualidade de serviços de uma empresa

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA PROCURADORIA-GERAL DA FAZENDA NACIONAL SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL

MINISTÉRIO DA FAZENDA PROCURADORIA-GERAL DA FAZENDA NACIONAL SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL MINISTÉRIO DA FAZENDA PROCURADORIA-GERAL DA FAZENDA NACIONAL SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL PORTARIA CONJUNTA PGFN/RFB Nº 15, DE 22 DE AGOSTO DE 2014. Regulamenta o art. 33 da Medida Provisória

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS - DIN DIN JUNINA

CONDIÇÕES GERAIS - DIN DIN JUNINA CONDIÇÕES GERAIS - DIN DIN JUNINA GLOSSÁRIO Subscritor é a pessoa que subscreve a proposta de aquisição do Título, assumindo o compromisso de efetuar o pagamento na forma convencionada nestas Condições

Leia mais

Seguro Vida Servidor Federal

Seguro Vida Servidor Federal Seguro Vida Servidor Federal Condições Gerais do Produto Produto: Seguro de Vida Público-Alvo Servidores Públicos Federais Civis - SIAPE Coberturas Morte Qualquer Causa Sorteio mensal no valor de R$ 10.000,00*,

Leia mais

PROGRAMA DE CAPITALIZAÇÃO SORTE SEMPRE

PROGRAMA DE CAPITALIZAÇÃO SORTE SEMPRE PROGRAMA DE CAPITALIZAÇÃO SORTE SEMPRE DEFINIÇÕES UTILIZADAS NESTE REGULAMENTO I) TÍTULO: Título de Capitalização da Modalidade Tradicional emitido pela APLUB Capitalização S.A. (APLUBCAP) e aprovado pela

Leia mais

1.3. Em quais casos é possível solicitar o parcelamento? 1.4. Como saberei se minha empresa possui débitos junto à Anvisa?

1.3. Em quais casos é possível solicitar o parcelamento? 1.4. Como saberei se minha empresa possui débitos junto à Anvisa? Atualizado: 07 / 10 / 2011 - FAQ AI 1. Parcelamento de débitos em cobrança administrativa não inscritos em dívida ativa 1.1. Tipos de parcelamento de débito 1.2. Parcelamento de débito de AFE / AE 1.3.

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DIN DIN DO RONALDO

CONDIÇÕES GERAIS DIN DIN DO RONALDO CONDIÇÕES GERAIS DIN DIN DO RONALDO GLOSSÁRIO Subscritor é a pessoa que subscreve a proposta de aquisição do Título, assumindo o compromisso de efetuar o pagamento na forma convencionada nestas Condições

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO INSTITUTO AYRTON SENNA

CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO INSTITUTO AYRTON SENNA CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO INSTITUTO AYRTON SENNA I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: BRADESCO CAPITALIZAÇÃO S/A CNPJ: 33.010.851/0001-74 PÉ QUENTE BRADESCO INSTITUTO AYRTON

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO SORTE DIA&NOITE

CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO SORTE DIA&NOITE I INFORMAÇÕES INICIAIS CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO SORTE DIA&NOITE SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: BRADESCO CAPITALIZAÇÃO S/A CNPJ: 33.010.851/0001-74 PÉ QUENTE BRADESCO SORTE DIA&NOITE PLANO PM

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA RESGATE DE MENSALIDADE DA ASTTTER

REGULAMENTO DO PROGRAMA RESGATE DE MENSALIDADE DA ASTTTER REGULAMENTO DO PROGRAMA RESGATE DE MENSALIDADE DA ASTTTER CLÁUSULA PRIMEIRA: OBJETIVO E VIGÊNCIA DO PROGRAMA 1.1. O programa previsto neste regulamento tem como objetivo conceder ao associado titular da

Leia mais

PROGRAMA DE RECOMPENSA SICREDI ANEXO AO CONTRATO DE EMISSÃO E UTILIZAÇÃO DOS CARTÕES SICREDI

PROGRAMA DE RECOMPENSA SICREDI ANEXO AO CONTRATO DE EMISSÃO E UTILIZAÇÃO DOS CARTÕES SICREDI PROGRAMA DE RECOMPENSA SICREDI ANEXO AO CONTRATO DE EMISSÃO E UTILIZAÇÃO DOS CARTÕES SICREDI 1. O Programa de Recompensa Sicredi é um programa de incentivo ao uso do(s) CARTÃO(ÕES) Sicredi, administrado(s)

Leia mais

PROPOSTA DE REGULAMENTO QUIZ AMB 60 ANOS

PROPOSTA DE REGULAMENTO QUIZ AMB 60 ANOS PROPOSTA DE REGULAMENTO QUIZ AMB 60 ANOS APRESENTAÇÃO Este concurso cultural/recreativo é promovido pela Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), sociedade civil sediada em Brasília, capital do Distrito

Leia mais

REGULAMENTO DE CAMPANHA DE PRÊMIOS PARA ASSOCIADOS ANO PREMIADO

REGULAMENTO DE CAMPANHA DE PRÊMIOS PARA ASSOCIADOS ANO PREMIADO REGULAMENTO DE CAMPANHA DE PRÊMIOS PARA ASSOCIADOS ANO PREMIADO 1. Esta promoção é realizada pela Cooperativa de Economia de Crédito Mútuo dos Servidores Municipais de São Paulo, com sede na Rua Boa Vista,

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO PIC

CONDIÇÕES GERAIS DO PIC CONDIÇÕES GERAIS DO PIC I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: CIA ITAÚ DE CAPITALIZAÇÃO CNPJ: 23.025.711/0001-16 PIC - MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO SUSEP Nº: 15414.005217/2012-63 WEB-SITE:

Leia mais

Manual do Estipulante / Segurado. Condições Particulares - Seguro Cartão MAIS! Protegido I CRED-SYSTEM

Manual do Estipulante / Segurado. Condições Particulares - Seguro Cartão MAIS! Protegido I CRED-SYSTEM Para facilitar o seu entendimento, resumimos as Condições Gerais para o SEGURO CARTÃO MAIS PROTEGIDO I CRED-SYSTEM Cartões MAIS e CO-BRANDED, procedimentos e a documentação necessária para liquidação de

Leia mais

DÚVIDAS FREQUENTES CONSÓRCIO DE IMÓVEIS GAZIN

DÚVIDAS FREQUENTES CONSÓRCIO DE IMÓVEIS GAZIN DÚVIDAS CONSÓRCIO DE IMÓVEIS 1. Posso adquirir mais de uma carta de crédito no consorcio de Imóveis? Sim, o consórcio lhe dá a possibilidade de adquirir mais de uma carta de crédito, mediante análise prévia,

Leia mais

PDF created with pdffactory trial version www.pdffactory.com

PDF created with pdffactory trial version www.pdffactory.com REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS PLANOS DE ASSISTÊNCIA MÉDICO-HOSPITALAR E DE ASSISTÊNCIA ODONTOLÓGICA CONTRATADOS PELA ASTCERJ A utilização dos Planos de Assistência Médico-Hospitalar e de Assistência Odontológica

Leia mais

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX. FGTS Débitos Dos Empregadores Regularização Procedimentos

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX. FGTS Débitos Dos Empregadores Regularização Procedimentos VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX Orientador Empresarial FGTS Débitos Dos Empregadores Regularização Procedimentos CIRCULAR CAIXA Nº 351, DE 04 DE ABRIL DE 2005 - DOU

Leia mais

CARTA DE CONVOCAÇÃO. Lembramos ainda que: 1) A presença à Assembleia é indispensável para os cooperados interessados na atribuição de unidades.

CARTA DE CONVOCAÇÃO. Lembramos ainda que: 1) A presença à Assembleia é indispensável para os cooperados interessados na atribuição de unidades. CARTA DE CONVOCAÇÃO MOD.017 REV.03 Vitória-ES, 23 de abril de 2014 Prezado(a) Cooperado(a) Conforme edital de convocação, publicado no jornal NOTÍCIA AGORA do dia 18/04/2014, a Assembleia Geral Extraordinária

Leia mais

ICATU SEGUROS Condições Gerais Página 1

ICATU SEGUROS Condições Gerais Página 1 CONDIÇÕES GERAIS DO PU114P I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: ICATU CAPITALIZAÇÃO S.A. CNPJ: 74.267.170/0001-73 PLANO PU114P MODALIDADE: POPULAR PROCESSO SUSEP Nº: 15414.005166/2011-99II

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO PLANO DE PAGAMENTO ÚNICO (PU)

CONDIÇÕES GERAIS DE TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO PLANO DE PAGAMENTO ÚNICO (PU) CONDIÇÕES GERAIS DE TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO PLANO DE PAGAMENTO ÚNICO (PU) I INFORMAÇÕES INICIAIS 1.1- SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: LIDERANÇA CAPITALIZAÇÃO S.A. 1.2- SITE DA SOCIEDADE: www.telesena.com.br

Leia mais

PERFIL DA PRODUÇÃO CAIXA CONSÓRCIOS

PERFIL DA PRODUÇÃO CAIXA CONSÓRCIOS PERFIL DA PRODUÇÃO CAIXA CONSÓRCIOS A CAIXA CONSÓRCIOS possui uma carteira 150.000 cotas. Distribuição por tipo de cliente: 90% Pessoa Física; 10% Pessoa Jurídica. IMOBILIÁRIO CARACTERÍSTICAS DAS CARTAS

Leia mais

Seguro de Acidentes Pessoais

Seguro de Acidentes Pessoais Seguro de Acidentes Pessoais 1. O que é? Trata-se de um seguro de acidentes pessoais que garante indenização em caso de morte ou invalidez permanente total, ambos por motivo de acidente. 2. O que mais

Leia mais

Este regulamento estabelece as regras para o PROGRAMA E PROMOÇÃO AVAX CORRETORA DE SEGUROS INDIQUE UM AMIGO, instituído pela AVAX CORRETORA DE SEGUROS

Este regulamento estabelece as regras para o PROGRAMA E PROMOÇÃO AVAX CORRETORA DE SEGUROS INDIQUE UM AMIGO, instituído pela AVAX CORRETORA DE SEGUROS REGULAMENTO E TERMO DE ADESÃO AO PROGRAMA E PROMOÇÃO AVAX CORRETORA DE SEGUROS INDIQUE UM AMIGO Este regulamento estabelece as regras para o PROGRAMA E PROMOÇÃO AVAX CORRETORA DE SEGUROS INDIQUE UM AMIGO,

Leia mais

É muito importante ler com atenção este material e conhecer todos os detalhes de sua cota de consórcio.

É muito importante ler com atenção este material e conhecer todos os detalhes de sua cota de consórcio. Prezado(a) cliente, O Consórcio Nacional Chevrolet quer lhe dar as boas-vindas e parabenizá-lo pela aquisição de sua cota de consórcio. Desde já, você conta com a experiência e qualidade de serviços de

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO DIN DIN COPA SANTANDER LIBERTADORES

CONDIÇÕES GERAIS DO DIN DIN COPA SANTANDER LIBERTADORES CONDIÇÕES GERAIS DO DIN DIN COPA SANTANDER LIBERTADORES I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: Santander Capitalização S/A CNPJ: 03.209.092/0001-02 Din Din Copa Santander Libertadores MODALIDADE:

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS SUPERXCAP

CONDIÇÕES GERAIS SUPERXCAP CONDIÇÕES GERAIS SUPERXCAP Versão 2013 Processo SUSEP Nº: 15414.900275/2013-83 ÍNDICE I II III IV V VI VII VIII IX X XI XII XIII XIV INFORMAÇÕES INICIAIS........... Pág. 4 GLOSSÁRIO... Pág. 4 OBJETIVO...

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO SOS MATA ATLÂNTICA

CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO SOS MATA ATLÂNTICA CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO SOS MATA ATLÂNTICA I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: BRADESCO CAPITALIZAÇÃO S/A CNPJ: 33.010.851/0001-74 PÉ QUENTE BRADESCO SOS MATA ATLÂNTICA PLANO

Leia mais

A GMAC Administradora de Consórcios Ltda. quer lhe dar as boas-vindas e parabenizá-lo pela aquisição de sua cota de consórcio.

A GMAC Administradora de Consórcios Ltda. quer lhe dar as boas-vindas e parabenizá-lo pela aquisição de sua cota de consórcio. Prezado(a) cliente, A GMAC Administradora de Consórcios Ltda. quer lhe dar as boas-vindas e parabenizá-lo pela aquisição de sua cota de consórcio. Desde já, você conta com a experiência e qualidade de

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS PU 12 meses 1 sorteio, pagamento variável Modalidade: Incentivo Processo SUSEP: 15414.003760/2011-45

CONDIÇÕES GERAIS PU 12 meses 1 sorteio, pagamento variável Modalidade: Incentivo Processo SUSEP: 15414.003760/2011-45 CONDIÇÕES GERAIS PU 12 meses 1 sorteio, pagamento variável Modalidade: Incentivo Processo SUSEP: 15414.003760/2011-45 1. Glossário Subscritor é quem adquire o Título, assumindo o compromisso de efetuar

Leia mais

Regulamento Promoção Pague em Dia e concorra a 2 vale viagens CVC.

Regulamento Promoção Pague em Dia e concorra a 2 vale viagens CVC. Regulamento Promoção Pague em Dia e concorra a 2 vale viagens CVC. Promovente: São Roque Clube Avenida Antonino Dias Bastos, 368 São Roque SP CNPJ: 50.804.517/0001-01 1 -Objeto da promoção: 2 vales viagem

Leia mais

Norma do Empréstimo Pré-fixado Plano Prece III

Norma do Empréstimo Pré-fixado Plano Prece III Norma do Empréstimo Pré-fixado Plano Prece III Sumário - Objetivo -1/6 - Conceitos Básicos -1/6 - Competências - 2/6 - Condições para o Financiamento - 2/6 - Disposições Gerais - 6/6 - Vigência - 6/6 Objetivo.

Leia mais

Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 VOCÊ SABE COMO FUNCIONA UMA COOPERATIVA DE CRÉDITO?... 3 3 COOPERATIVISMO... 3 4 COOPERATIVA DE CRÉDITO...

Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 VOCÊ SABE COMO FUNCIONA UMA COOPERATIVA DE CRÉDITO?... 3 3 COOPERATIVISMO... 3 4 COOPERATIVA DE CRÉDITO... Manual do Cooperado Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 VOCÊ SABE COMO FUNCIONA UMA COOPERATIVA DE CRÉDITO?... 3 3 COOPERATIVISMO... 3 4 COOPERATIVA DE CRÉDITO... 3 5 COOPERHIDRO... 3 6 RECONHECIMENTO PARA FUNCIONAMENTO...

Leia mais

BB SEGURO CRÉDITO PROTEGIDO

BB SEGURO CRÉDITO PROTEGIDO BB SEGURO CRÉDITO PROTEGIDO Condições Particulares Processo SUSEP Nº 15414.003063/2009-70 0 ÍNDICES CONDIÇÕES PARTICULARES 1. OBJETO DO SEGURO 2 2. ESTIPULANTE 2 3. GRUPO SEGURÁVEL 2 4. GRUPO SEGURADO

Leia mais

Resolução Conjunta SF/PGE - 5, de 21-8-2008: Disciplina os procedimentos administrativos necessários ao recolhimento de débitos fiscais do Imposto

Resolução Conjunta SF/PGE - 5, de 21-8-2008: Disciplina os procedimentos administrativos necessários ao recolhimento de débitos fiscais do Imposto Resolução Conjunta SF/PGE - 5, de 21-8-2008: Disciplina os procedimentos administrativos necessários ao recolhimento de débitos fiscais do Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA PARTNERS AGRINVEST

REGULAMENTO DO PROGRAMA PARTNERS AGRINVEST REGULAMENTO DO PROGRAMA PARTNERS AGRINVEST O PROGRAMA PARTNERS AGRINVEST ( Programa Partners ), desenvolvido pela empresa AGRINVEST COMMODITIES ( AGRINVEST ), inscrita no CNPJ sob o nº 06.348.158/0001-33,

Leia mais

Produto BNDES Exim Pós-embarque Normas Operacionais. Linha de Financiamento BNDES Exim Automático

Produto BNDES Exim Pós-embarque Normas Operacionais. Linha de Financiamento BNDES Exim Automático Produto BNDES Exim Pós-embarque Normas Operacionais Classificação: Ostensivo Linha de Financiamento BNDES Exim Automático Capítulo I - REGULAMENTO 1. OBJETIVO Apoiar, na fase pós-embarque, a comercialização,

Leia mais

PORTAL DE SERVIÇOS AUTOMATIZADOS À PREFEITURA

PORTAL DE SERVIÇOS AUTOMATIZADOS À PREFEITURA O Portal de Serviços Automatizados à Prefeitura disponibiliza ao contribuinte a emissão de faturas referente os débitos do IPTU, ISSQN e DÍVIDAS DIVERSAS, do exercício e dívida ativa, tanto negociada (parcelamentos)

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS - TC MEGA DATA

CONDIÇÕES GERAIS - TC MEGA DATA Página 1 de 6 CONDIÇÕES GERAIS - TC MEGA DATA I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: HSBC Empresa de Capitalização (Brasil) S.A. TC MEGA DATA MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO SUSEP Nº 15414.000814/2006-53

Leia mais

Previdência Complementar

Previdência Complementar Cartilha Previdência Complementar Guia Fácil de Tributação TRATAMENTO TRIBUTÁRIO BÁSICO A primeira informação que deve ser observada na escolha de um plano de previdência que tenha como propósito a acumulação

Leia mais

Depósito a Prazo com Garantia Especial do FGC (DPGE)

Depósito a Prazo com Garantia Especial do FGC (DPGE) Depósito a Prazo com Garantia Especial do FGC (DPGE) 1. O depósito criado pela Resolução 3.692/09 do CMN é um RDB (Recibo de Depósito Bancário) ou um CDB (Certificado de Depósito Bancário)? R. É um Depósito

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA ITAUCARD BUSINESS REWARDS

REGULAMENTO DO PROGRAMA ITAUCARD BUSINESS REWARDS REGULAMENTO DO PROGRAMA ITAUCARD BUSINESS REWARDS 1. DISPOSIÇÕES GERAIS a) Este Regulamento faz parte integrante do Contrato de Cartão de Crédito ( Contrato ) e regula as condições aplicáveis ao Programa

Leia mais