ECOLOGIA & CIÊNCIAS AMBIENTAIS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ECOLOGIA & CIÊNCIAS AMBIENTAIS"

Transcrição

1 COLÉGIO/ESCOLA: Disciplina: Professor(a): Ensino: fundamental médio Nota máxima: ( ) Nota avaliada Série/Ano: 9ºano 1ª série 2ª série 3ª série Turno: manhã tarde noite Aluno: Nº aluno: Turma: Tipo de avaliação: trabalho lista de exercício teste prova Bimestre/Trimestre: 1ºPL 2ºPL 3ºPL 4ºPL ECOLOGIA & CIÊNCIAS AMBIENTAIS (volume 4) Exercícios de fixação e aprofundamento - questões ENEM e vestibulares (COLEÇÃO OMNIBIOCIÊNCIA) Profº Rafael Barbosa da Cunha CADERNO de EXERCÍCIOS Introdução ao estudo da ecologia Interações entre os seres vivos e suas técnicas de sobrevivência Os limites do nosso planeta Fontes de energia, exploração e uso dos recursos naturais Problemas ambientais Biologia da conservação Políticas & entidades ambientais internacionais Noções de legislação ambiental brasileira 1

2 Introdução ao estudo da ecologia RAFAEL BC 1) São ecossistemas todos os exemplos abaixo, EXCETO: a) uma astronave. b) uma lagoa. c) um pasto. d) uma colônia de corais. e) o solo. 2) (FGV) Que fator abiótico tem o menor impacto direto na distribuição dos animais? a) Composição do solo b) Temperatura do ar c) Acesso à água doce d) Luz e) Padrão da chuva 3) (ENEM) O menor tamanduá do mundo é solitário e tem hábitos noturnos, passa o dia repousando, geralmente em um emaranhado de cipós, com o corpo curvado de tal maneira que forma uma bola. Quando em atividade, se locomove vagarosamente e emite som semelhante a um assobio. A cada gestação, gera um único filhote. A cria é deixada em uma árvore à noite e é amamentada pela mãe até que tenha idade para procurar alimento. As fêmeas adultas têm territórios grandes e o território de um macho inclui o de várias fêmeas, o que significa que ele tem sempre diversas pretendentes à disposição para namorar! Ciência Hoje das Crianças, ano 19, n.º 174, nov (adaptado). Essa descrição sobre o tamanduá diz respeito ao seu a) hábitat. b) biótopo. c) nível trópico. d) nicho ecológico. e) potencial biótico. 4) (UFPE) Ao dizer onde uma espécie pode ser encontrada e o que faz no lugar onde vive, estamos informando respectivamente, a) Nicho ecológico e habitat. b) Habitat e nicho ecológico. c) Habitat e biótopo. d) Nicho ecológico e ecossistema. e) Habitat e ecossistema. 5) (UERJ) Mergulhando em águas costeiras, encontramos em uma rocha algas, cracas, anêmonas, estrelasdo-mar e ouriços-do-mar. As algas produzem seu próprio alimento. As cracas ingerem, com água, seres microscópios que nela vivem. As anêmonas comem pequenos peixes que ficam presos entre seus tentáculos. As estrelas-do-mar prendem seus braços os moluscos contra a rocha e sugam o animal de dentro da rocha. Os ouriços do mar raspam a rocha com seus dentes, alimentando-se de detritos. Em função do que foi descrito, pode-se afirmar que as algas e os animais citados apresentam diferentes. a) nichos. b) habitats. c) mimetismos. d) competições. e) biomas. 6) (ENEM) Suponha que o chefe do departamento de administração de uma empresa tenha feito um discurso defendendo a ideia de que os funcionários deveriam cuidar do meio ambiente no espaço da empresa. Um dos 2

3 funcionários levantou-se e comentou que o conceito de meio ambiente não era claro o suficiente para se falar sobre esse assunto naquele lugar. Considerando que o chefe do departamento de administração entende que a empresa é parte do meio ambiente, a definição que mais se aproxima dessa concepção é: a) Região que inclui somente cachoeiras, mananciais e florestas. b) Apenas locais onde é possível o contato direto com a natureza. c) Locais que servem como áreas de proteção onde fatores bióticos são preservados. d) Apenas os grandes biomas, por exemplo, Mata Atlântica, Mata Amazônica, Cerrado e Caatinga. e) Qualquer local em que haja relação entre fatores bióticos e abióticos, seja ele natural ou urbano. 7) (UFRS) As afirmações a seguir estão relacionadas ao conceito de nicho ecológico. I - A grande variedade de formas de vida que frequentemente os ecótonos apresentam pode ser explicada por seu elevado número de nichos ecológicos. II - Em determinado ecossistema, espécies diferentes que têm o mesmo habitat podem, durante muito tempo, ocupar um nicho ecológico idêntico. II - Espécies taxonomicamente distantes, como o bisão norte-americano e os grandes cangurus australianos, podem ocupar nichos ecológicos semelhantes em regiões geográficas diferentes. Quais afirmativas estão corretas? a) Apenas I b) Apenas II c) Apenas III d) Apenas I e III e) Apenas II e III 8) (PUCRJ) A biodiversidade constitui uma das propriedades fundamentais da natureza e tem sido muito debatida em reuniões internacionais, como a RIO 92. As opções abaixo expressam características da biodiversidade, EXCETO: a) variedade de espécies que existem em um ecossistema. b) variedade de ecossistemas que existem em todo o planeta. c) características genéticas existentes dentro de uma mesma espécie. d) a quantidade de biomassa de uma determinada espécie. e) a variedade de todos os seres vivos. 9) (UFRJ) As figuras abaixo (A e B) mostram graficamente dois conjuntos de espécies e seus respectivos nichos (áreas delimitadas pelas curvas). Uma das figuras representa a zona temperada e a outra, a zona tropical. Qual figura corresponde à zona tropical e qual corresponde à zona temperada? Justifique sua resposta, apresentando duas razões para sua escolha. 10) (FEI) 3

4 Na cadeia alimentar presente no trecho da música faltou mencionar: a) o produtor. b) consumidor de 1ª ordem. c) consumidor de 2ª ordem. d) consumidor de 3ª ordem. e) decompositor. 11) (UNICAMP) O gráfico da figura I mostra a distribuição de três espécies de esquilos que vivem nas mesmas árvores de uma floresta, e o da figura II mostra os alimentos preferidos por essas espécies. a) Com base nas informações fornecidas pelas figuras, dê dois motivos que expliquem por que as três espécies podem coexistir no mesmo ambiente. b) Supondo que uma quarta espécie de esquilo fosse introduzida no mesmo local, explique como essa espécie poderia coexistir nesse ambiente. 12) (ENEM) Ao longo do século XX, a taxa de variação na população do Brasil foi sempre positiva (crescimento). Essa taxa leva em consideração o número de nascimentos (N), o número de mortes (M), o de emigrantes (E) e o de imigrantes (I) por unidade de tempo. É correto afirmar que no século XX: a) M > I + E + N. 4

5 b) N + I > M + E. c) N + E > M + I. d) M + N < E + I. e) N < M - I + E. RAFAEL BC 13) (UFPR) Um biólogo anotou as taxas de natalidade, mortalidade, imigração e emigração de quatro populações nos anos de 2004, 2005 e Com os dados obtidos, montou os gráficos a seguir, que representam as taxas de crescimento dessas populações. Numere a coluna da direita, indicando a que população está correlacionado cada um dos gráficos. Assinale a alternativa que apresenta a numeração correta da coluna da direita, de cima para baixo. a) b) c) d) e) ) (UNIRIO) Em relação a Potencial Biótico, pode-se afirmar que corresponde ao(à): a) início da colonização de um ambiente por uma população. b) número de indivíduos que entram em uma população. c) número de indivíduos que saem de uma população. d) união anatômica entre indivíduos da mesma espécie. e) capacidade de uma população aumentar o número de indivíduos em condições ideais. 5

6 15) (FUVEST) O gráfico a seguir apresenta a curva de crescimento de uma população: Na fase III a população: a) dobrou o número de indivíduos existentes no início. b) diminuiu a taxa de mortalidade em relação à fase II. c) migrou para outro ambiente mais favorável. d) atingiu a capacidade limite do ambiente. e) continua crescendo na mesma proporção da fase II. 16) (UESPI) Considerando a curva de crescimento populacional mostrada abaixo, assinale a alternativa correta. a) O potencial biótico de uma população é determinado pela capacidade mínima de seu crescimento. b) O crescimento real de uma população pode ser representado por uma contínua curva ascendente, ao longo do tempo. c) A curva de crescimento real pode, eventualmente, superar, em número de indivíduos, a curva de potencial biótico. d) A carga biótica máxima do ambiente é dada pelo limite máximo de indivíduos que o ambiente suporta. e) Fatores de resistência do meio, como a oferta ilimitada de alimento e espaço, impedem o crescimento da população. 17) (CEFET-MG) O gráfico abaixo representa a curva de crescimento de uma população, a partir de um pequeno número de indivíduos iniciais 6

7 Ao conjunto de fatores que limitam o crescimento de uma população, dá-se o nome de a) potencial biótico. b) índice de fertilidade. c) resistência do meio. d) carga biótica máxima. e) taxa de crescimento relativo. 18) (UFF) Em laboratórios de pesquisa é comum realizar-se o cultivo de diferentes micro-organismos, como protozoários e bactérias. Para tanto, em determinado laboratório preparou-se um meio de cultura estéril (livre de contaminantes), contendo, inclusive, os fatores nutricionais adequados. Em experiência realizada neste laboratório e representada no gráfico a seguir, iniciou-se o cultivo de uma certa bactéria no instante h = 0, acompanhando-se o desenvolvimento de sua população em função do tempo. a) Assinale, nos parênteses correspondentes, toda alternativa que, a partir da análise do gráfico, interpreta um aspecto do crescimento desta população de bactérias. ( ) O segmento B representa o período no qual ocorreu a maior taxa de multiplicação das bactérias. ( ) No segmento C, o índice de crescimento da população é igual a 1. ( ) No segmento D, o índice de crescimento da população é menor que 1. b) Explique cada escolha feita no item anterior, considerando as alterações ocorridas no meio de cultura durante a experiência. 19) (UFRJ) Em uma ilha, durante nove anos, foi observada a variação do número de indivíduos de uma espécie de mamífero. Os resultados são mostrados no gráfico abaixo (acima). 7

8 A capacidade de suporte do ambiente é o numero de indivíduos de uma espécie que um dado ambiente pode manter. No gráfico há duas linhas pontilhadas a e b. Qual delas representa a real capacidade de suporte do ambiente. Justifique sua resposta. 20) (UEL) Analise os gráficos a seguir. Com base nos gráficos e nos conhecimentos sobre o tema, assinale a alternativa que define corretamente qual dos gráficos descreve o padrão esperado de variação da biomassa com o tempo, para que em um ecossistema ocorra uma retirada líquida de carbono da atmosfera: a) O gráfico 1, pois, com a mortalidade e a redução da biomassa, o carbono será incorporado ao solo na forma de matéria orgânica. b) O gráfico 2, pois, com o aumento da biomassa, haverá mais carbono atmosférico sendo retirado do ar. c) O gráfico 2, pois, com o aumento da biomassa, haverá também uma maior taxa de respiração. d) O gráfico 3, pois indica o que ocorreria em uma floresta madura, como na Amazônia. 8

9 21) (UERJ) Na maioria dos casos, a energia de um ecossistema origina-se da energia solar. A figura abaixo mostra alguns seres componentes do ecossistema de um lago. (Adaptado de BAKER & ALLEN. Estudo da Biologia. São Paulo: Edgar Blücher, 1975.) Considere que, no lago, existam quatro diferentes espécies de peixes. Cada uma dessas espécies se alimenta exclusivamente de um dos quatro componentes indicados. O peixe que teria melhores condições de desenvolvimento, em função da disponibilidade energética, seria o que se alimentasse de: a) algas b) insetos c) copépodes d) crustáceos 22) (FUVEST) O cogumelo shitake é cultivado em troncos, onde suas hifas nutrem-se das moléculas orgânicas componentes da madeira. Uma pessoa, ao comer cogumelo shitake, está se comportando como: a) Produtor. b) Consumidor primário. c) Consumidor secundário. d) Consumidor terciário. e) Decompositor 23) (UFRJ) As espécies de capim que crescem nos campos da Austrália podem ser diferentes das que existem na América ou na África, mas todas têm a mesma função: são produtores dos ecossistemas de campo. Nos campos da Austrália vivem cangurus, nos da África há zebras e na América do Norte há bisões. Todos esses animais exercem em seus ecossistemas a função de: a) consumidores primários b) consumidores secundários c) consumidores terciários d) decompositores e) parasitas 24) (UNIR) Recentemente descobriu-se que a lesma do mar Elysia chlorotica, um molusco desprovido de concha, utiliza como estratégia de proteção uma coloração verde-esmeralda que a confunde com algas. Essa estratégia de disfarce contra predadores é adquirida de forma singular: através da realização da fotossíntese, como um organismo autótrofo. Sobre as condições necessárias para a realização do processo fotossintético no ser vivo, marque V para as verdadeiras e F para as falsas. ( ) Presença de cloroplasto intracelular. ( ) Elevada concentração de sal no meio. ( ) Baixa concentração de oxigênio na água. 9

10 ( ) Capacidade de absorver energia solar. Assinale a sequência correta. RAFAEL BC a) V, F, F, V b) V, F, V, F c) F, V, V, F d) F, V, F, V e) V, V, F, F 25) (UNIR) A respeito dos reguladores de uma população, considere: I - Predação II - Competição interespecífica III - Competição intraespecífica IV - Parasitismo São reguladores a) I e II, apenas. b) I, II e III, apenas. c) II, III e IV, apenas. d) II e III, apenas. e) I, II, III e IV. 26) (UNIR) A coluna da esquerda apresenta organismos e a da direita, sua condição quanto à exploração dos recursos ambientais. Numere a coluna da direita de acordo com a da esquerda. Assinale a sequência correta. a) 4, 2, 1, 3 b) 4, 1, 2, 3 c) 3, 1, 4, 2 d) 1, 2, 3, 4 e) 1, 4, 2, 3 1. Urubu ( ) Predador 2. Minhoca ( ) Necrófago 3. Piolho ( ) Detritívoro 4. Águia ( ) Parasita 27) (UNIRIO) O esquema anterior representa os fluxos de energia e de matéria que se processam no ecossistema, a unidade básica da natureza. Assim, os processos essenciais que mantêm essa dinâmica são: a) digestão e decomposição. b) digestão e respiração. 10

11 c) fotossíntese e digestão. d) fotossíntese e decomposição. e) respiração e decomposição. RAFAEL BC 28) (UFMG) Analise este esquema, em que está representado o fluxo de energia em um ecossistema: Considerando-se as informações desse esquema e outros conhecimentos sobre o assunto, é INCORRETO afirmar que as setas significam, a) em I, a energia luminosa a ser transformada em energia química. b) em II, a quantidade de energia disponível para detrívoros e decompositores. c) em III, a energia calorífica a ser convertida em energia química. d) em IV, a energia da biomassa de herbívoros disponível para carnívoros. 29) (UERJ) Quando nos referimos a um ecossistema, é frequente a utilização do termo "ciclo" em relação à matéria e do termo "fluxo" em relação à energia, caracterizando dois processos distintos. A energia de um ecossistema flui através das cadeias alimentares e, portanto, precisa ser reintroduzida. O processo por meio do qual há reintrodução da energia no ecossistema é: a) fermentação alcoólica b) fermentação lática c) fotossíntese d) respiração 30) (ENEM) A figura representa um dos modelos de um sistema de interações entre seres vivos. Ela apresenta duas propriedades, P1 e P2, que interagem em I, para afetar uma terceira propriedade, P3, quando o sistema é alimentado por uma fonte de energia, E. Essa figura pode simular um sistema de campo em que P1 representa as plantas verdes; P2 um animal herbívoro e P3, um animal onívoro. A função interativa I representa a proporção de a) herbivoria entre P1 e P2. b) polinização entre P1 e P2. 11

12 c) P3 utilizada na alimentação de P1 e P2. d) P1 ou P2 utilizada na alimentação de P3. e) energia de P1 e de P2 que saem do sistema. RAFAEL BC 31) (UNIFESP) A figura esquematiza o fluxo de energia através de um ecossistema. Esse fluxo é mediado por processos fisiológicos nos organismos. Os retângulos representam grupos de organismos e as flechas, o fluxo de energia. Assinale a alternativa que correlaciona corretamente os fluxos aos processos ocorrentes nos organismos e representados por X, Y e Z. a) X: excreção; Y: respiração; Z: digestão. b) X: respiração; Y: digestão; Z: excreção. c) X: respiração; Y: excreção; Z: digestão. d) X: excreção; Y: digestão; Z: respiração. e) X: digestão; Y: respiração; Z: excreção. 32) (UDESC) Na representação abaixo encontram-se exemplos de seres que se incluem em um determinado nível trófico. Leia e analise as proposições abaixo. I. Trata-se de uma cadeia alimentar em que o trigo é o produtor, e o suíno o consumidor primário. II. Bactérias e fungos representam os consumidores terciários. III. O homem é o consumidor primário e secundário. Assinale a alternativa que corresponde às proposições corretas. a) Somente as afirmativas I e II são verdadeiras. b) Somente as afirmativas II e III são verdadeiras. c) Somente a afirmativa III é verdadeira. d) Somente a afirmativa I é verdadeira. e) Somente as afirmativas I e III são verdadeiras. 12

13 33 (ENEM) Não é de hoje que o homem cria, artificialmente, variedades de peixes por meio da hibridação. Esta é uma técnica muito usada pelos cientistas e pelos piscicultores porque os híbridos resultantes, em geral, apresentam maior valor comercial do que a média de ambas as espécies parentais, além de reduzir a sobrepesca no ambiente natural. Terra da Gente, ano 4, n.º 47, mar, 2008 (adaptado). Sem controle, esses animais podem invadir rios e lagos naturais, se reproduzir e a) originar uma nova espécie poliploide. b) substituir geneticamente a espécie natural. c) ocupar o primeiro nível trófico no hábitat aquático. d) impedir a interação biológica entre as espécies parentais. e) produzir descendentes com o código genético modificado. 34) (ENEM) Os personagens da figura estão representando uma situação hipotética de cadeia alimentar. Suponha que, em cena anterior à apresentada, o homem tenha se alimentado de frutas e grãos que conseguiu coletar. Na hipótese de, nas próximas cenas, o tigre ser bem-sucedido e, posteriormente, servir de alimento aos abutres, tigre e abutres ocuparão, respectivamente, os níveis tróficos de a) produtor e consumidor primário. b) consumidor primário e consumidor secundário. c) consumidor secundário e consumidor terciário. d) consumidor terciário e produtor. e) consumidor secundário e consumidor primário. 35) (PUC-Camp) Uma grande área de vegetação foi devastada e esse fato provocou a emigração de diversas espécies de consumidores primários para uma comunidade vizinha em equilíbrio. Espera-se que, nesta comunidade, em um primeiro momento: a) Aumente o número de consumidores secundários e diminua a competição entre os herbívoros. b) Aumente o número de produtores e diminua a competição entre os carnívoros. c) Aumente o número de herbívoros e aumente a competição entre os carnívoros. d) Diminua o número de produtores e não se alterem as populações de consumidores. e) Diminua o número de produtores e aumente a competição entre os herbívoros. 36) (UDESC) A teia alimentar mostrada abaixo apresenta as relações entre os diversos tipos de organismos. Sobre isso, é incorreto afirmar: 13

14 a) Existe apenas um representante dos organismos produtores b) Apenas dois organismos representados na teia podem ser considerados como consumidor secundário e terciário ao mesmo tempo. c) Fungos e bactérias representam os decompositores. d) Na teia, os consumidores primários estão representados por dois organismos. e) Existe apenas um consumidor estritamente secundário. 37) (UFG) Analise o diagrama a seguir. A teia alimentar representada evidencia as relações interespecíficas de uma comunidade que ocorre em vários ecossistemas. No caso da retirada dos consumidores secundários, espera-se inicialmente que a população de: a) Consumidores primários diminua. b) Consumidores terciários aumente. c) Produtores diminua. d) Consumidores quaternários aumente. e) Decompositores diminua. 38) (FATEC) As relações alimentares entre os diversos organismos de um ecossistema costumam ser representadas por meio de diagramas, denominados teias ou redes alimentares. Observe a teia alimentar a seguir. Com base na figura e nos conceitos de ecologia, considere as seguintes afirmações: I. Galinhas podem ocupar os níveis II e IV. II. Bactérias e fungos podem ocupar o nível VI. III. Minhocas podem ocupar os níveis V e VI. 14

15 IV. O ser humano pode ocupar o nível III. RAFAEL BC Está correto o contido apenas em a) III. b) II e III. c) I e IV. d) I, II e IV. e) II, III e IV. 39) (UFMS) Considerando o esquema da pirâmide de energia mostrado abaixo e os seus conhecimentos sobre esse tópico, assinale a(s) alternativa(s) correta(s). 0 0 Cerca de 90% da energia dos produtores é repassada para os consumidores primários. 1 1 Da energia armazenada nos animais, somente uma pequena parte é utilizada na produção dos movimentos corporais. 2 2 Muita energia armazenada é consumida para manter a temperatura corpórea de animais homeotérmicos. 3 3 Uma pequena quantidade de energia é perdida até chegar aos consumidores terciários. 4 4 Os consumidores digerem a matéria orgânica proveniente de produtores ou de outros consumidores e produzem com ela glicogênio e gordura. 15

16 40) (UFMT) Após verificar algumas interações ecológicas em um sítio, um aluno de Biologia montou uma teia alimentar com alguns seres vivos. Sobre essa teia alimentar, o aluno fez algumas afirmações. I. A quantidade de energia recebida pelas águias é a mesma que a recebida pelos pardais e plantas. II. Insetos, roedores e pardais são consumidores primários e pertencem ao segundo nível trófico. III. Sapos e pardais podem ser consumidores primários e secundários, respectivamente. IV. Serpentes podem ser consumidoras secundárias ou terciárias, dependendo dos animais que elas ingerirem. V. A redução na população de águias irá interferir no tamanho populacional dos demais animais. É correto apenas o que se afirma em a) I, II e III. b) I, III e IV. c) I, IV e V. d) II, III e V. e) II, IV e V. 41) (ENEM) Um agricultor, que possui uma plantação de milho e uma criação de galinhas, passou a ter sérios problemas com os cachorros-do-mato que atacavam sua criação. O agricultor, ajudado pelos vizinhos, exterminou os cachorros-do-mato da região. Passado pouco tempo, houve um grande aumento no número de pássaros e roedores que passaram a atacar as lavouras. Nova campanha de extermínio e, logo depois da destruição dos pássaros e roedores, uma grande praga de gafanhotos, destruiu totalmente a plantação de milho e as galinhas ficaram sem alimento. Analisando o caso anterior, podemos perceber que houve desequilíbrio na teia alimentar representada por: a) b) c) d) e) 16

17 42) (PUCSP) Analise a cadeia alimentar abaixo: RAFAEL BC A menor quantidade de energia disponível deve ser encontrada no nível trófico: a) I. b) II. c) III. d) IV. e) V. 43) (UFMG) Analise este gráfico, em que estão representados dados obtidos em um estudo sobre a cadeia alimentar presente em determinada área: Considerando-se essas informações, é CORRETO afirmar que as curvas I, II e III representam, respectivamente, populações de: a) capim, gafanhotos e sapos. b) capim, sapos e gafanhotos. c) sapos, capim e gafanhotos. d) sapos, gafanhotos e capim. 44) (VUNESP) As cadeias alimentares podem ser representadas graficamente por pirâmides ecológicas nas quais cada degrau representa um nível trófico. As pirâmides podem representar o número de indivíduos, a biomassa ou a energia em cada nível da cadeia, e a extensão de cada degrau depende dos componentes do nível. Uma pirâmide invertida, com a base menor e o topo maior, poderia representar: a) A energia ou a biomassa, mas não o número de indivíduos. b) A energia, mas não a biomassa ou o número de indivíduos. c) O número de indivíduos ou a biomassa, mas não a energia. d) O número de indivíduos ou a energia, mas não a biomassa. e) O número de indivíduos, a biomassa ou a energia. 45) (UERJ) Analise a tabela: 17

18 (Adaptado de ODUM, E. Ecologia. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1988.) Considerando a variação dos dados apresentados, foi possível concluir que as seis populações estão funcionando aproximadamente no mesmo nível trófico. Dentre as variáveis apresentadas na tabela, a que permite comprovar essa conclusão é: a) biomassa b) densidade c) fluxo de energia d) dimensão característica do indivíduo 46) (VUNESP) O fluxo de energia em um ecossistema é unidirecional e, iniciando-se pelos produtores, a) mantém-se constante nos diversos níveis tróficos. b) mantém-se constante dos produtores aos consumidores de primeira ordem, aumentando progressivamente nos demais níveis tróficos. c) aumenta dos produtores aos consumidores de primeira ordem, mantendo-se constante nos demais níveis tróficos. d) aumenta progressivamente nos diversos níveis tróficos. e) diminui progressivamente nos diversos níveis tróficos. 47) (UFPR) Abaixo estão representados três exemplos de cadeias alimentares na coluna da esquerda e, na coluna da direita, três pirâmides que expressam o número relativo de indivíduos em cada nível, numa situação de equilíbrio ecológico. Relacione as cadeias alimentares da coluna da esquerda com as pirâmides da direita. 18

19 Assinale a alternativa que apresenta a numeração correta da coluna da direita, de cima para baixo. A) B) C) D) E) RAFAEL BC 48) (UERJ) O gráfico a seguir é uma pirâmide ecológica e demonstra as relações tróficas em uma comunidade. A alternativa que indica, respectivamente, o tipo de pirâmide e o aumento que ela representa, é: a) de biomassa - do peso seco em função do tamanho dos organismos b) de energia - do teor de calorias, pela maior velocidade de ciclagem c) de energia - das populações de consumidores primários e secundários d) de números - da quantidade de organismos, sem considerar a biomassa 49) (UFAC) A pirâmide de biomassa é uma representação gráfica da quantidade de matéria orgânica acumulada nos diferentes níveis tróficos. Na figura abaixo, podemos observar duas dessas pirâmides. Assinale a alternativa correta: a) A pirâmide representada pela letra B não é uma configuração possível para representação da variação da biomassa nos níveis tróficos. b) A pirâmide representada pela letra B é de um ambiente terrestre (exemplo: floresta ou savana). c) A pirâmide representada pela letra B é de ambiente aquático (exemplo: oceano ou lago). d) Observando-se as pirâmides, podemos concluir que os indivíduos do segundo nível trófico apresentam maior biomassa. e) A pirâmide representada pela letra A é de um ambiente aquático (exemplo: oceano ou lago). Gab: C 50) (UFRGS) Considerando que, nas pirâmides ecológicas apresentadas nas alternativas, P (produtor) = fitoplâncton, C1 (consumidor primário) = zooplâncton e C2 (consumidor secundário) = peixes, assinale a que representa uma pirâmide de biomassa. 19

20 51) (UNICAMP) Os seres vivos têm níveis de organização acima do organismo, e a Ecologia é a área da Biologia que estuda as relações entre os organismos e destes com o ambiente em que vivem. Dentre os vários níveis de organização podem ser citados a População, a Comunidade e o Ecossistema. a) As figuras adiante representam a biomassa de níveis tróficos em dois tipos de ecossistemas. Relacione cada uma das figuras com um ecossistema. Justifique. b) Explique como o dióxido de enxofre (SO 2 ), liberado na atmosfera por diversas indústrias, pode afetar as populações dos diferentes níveis tróficos da pirâmide A. 52) (CEFET-PI) A biosfera, assim como todos os ecossistemas, são sistemas abertos que possuem um ponto de entrada e de saída da energia. Analise a pirâmide abaixo que representa o fluxo de energia em um ecossistema. 20

21 I. O fluxo da energia no ecossistema é unidirecional e a quantidade de energia disponível, em cada nível trófico, é progressivamente maior. II. O nível energético mais elevado, na pirâmide demonstrada, é o representado pelos vegetais. III. O esquema representa uma pirâmide de energia invertida. Marque a alternativa CORRETA: a) Se I, II e III estiverem corretas. b) Se I e III estiverem corretas. c) Somente II está correta. d) Se I e II estiverem corretas. e) Se II e III estiverem corretas. 53) (UERJ) Nos ecossistemas, o fluxo de energia dos organismos produtores para os consumidores pode ser representado por um diagrama. Dentre os diagramas anteriores, o que melhor representa esse fluxo na cadeia alimentar é o de número: a) I b) II c) III d) IV 21

22 54) (PUCRS) A fim de estudar o funcionamento de uma comunidade biótica, um biólogo "construiu" uma comunidade simplificada composta por um representante de cada nível trófico em um ambiente controlado, onde era permitida apenas a entrada de raios solares e de ar esterilizado. O gráfico abaixo apresenta a biomassa de equilíbrio atingida pelas populações de três espécies, uma planta (embaúba) e dois animais (preguiça e gato-do-mato), após um longo período de observação neste ambiente controlado. Com base no conhecimento sobre o fluxo de energia ao longo da cadeia alimentar, é correto afirmar que as espécies 1, 2 e 3 representam, respectivamente, as populações de a) embaúbas, preguiças e gatos-do-mato. b) gatos-do-mato, embaúbas e preguiças. c) gatos-do-mato, preguiças e embaúbas. d) preguiças, gatos-do-mato e embaúbas. e) preguiças, embaúbas e gatos-do-mato. 55) (VUNESP) Considere o esquema que mostra diversos níveis tróficos ligados entre si formando uma teia alimentar na qual ocorre transferência de matéria e energia entre os organismos representados. (Hickman, Roberts e Larson, Princípios integrados de zoologia. Adaptado) 22

23 Ao destacar uma cadeia alimentar com cinco níveis tróficos, dentre as várias relações, pode-se considerar que, nessa cadeia, a) a quantidade de energia disponível no nível trófico do gafanhoto é maior que no nível trófico do musaranho. b) a quantidade de energia disponível nos níveis tróficos dos camundongos e ratos é equivalente. c) a quantidade de energia ao longo dessa cadeia sofre pequena variação devido à participação de organismos provenientes de diferentes ecossistemas. d) a maior quantidade de energia disponível ocorre no nível trófico dos moluscos marinhos em relação ao nível trófico das aves costeiras. e) a quantidade de energia pode aumentar ou diminuir, pois um mesmo animal pode participar de várias cadeias alimentares simultaneamente como o tico tico. 56) (UFF) Ao deixarem de ser nômades, caçadores e coletores, os humanos se estabeleceram em áreas determinadas e começaram a cultivar plantas. Nesse processo, as paisagens naturais foram modificadas, sendo retirada a cobertura vegetal original para dar lugar às plantas cultivadas. Ao mesmo tempo, começouse a domesticar animais, dentre estes, os gatos. Estudos paleontológicos recentes mostraram que os felinos se aproximavam atraídos por roedores, dentre estes, os ratos, que por sua vez eram atraídos pelos grãos que eram colhidos e armazenados. Aponte o gráfico que melhor representa o fluxo de energia da interação entre grãos, ratos e gatos. 23

24 Interações entre os seres vivos e suas técnicas de sobrevivência RAFAEL BC 1) (UNIMONTES) A ecologia estuda as relações entre os seres vivos e o seu ambiente. O esquema a seguir refere-se a esse processo. Analise-o. Considerando o esquema apresentado e o assunto abordado, analise as alternativas abaixo e assinale a que não pode ser representada por I, II ou III. a) Mutualismo. b) Inquilinismo. c) Sociedade. d) Comensalismo. 2) (ENEM) Um grupo de ecólogos esperava encontrar aumento de tamanho das acácias, árvores preferidas de grandes mamíferos herbívoros africanos, como girafas e elefantes, já que a área estudada era cercada para evitar a entrada desses herbívoros. Para espanto dos cientistas, as acácias pareciam menos viçosas, o que os levou a compará-las com outras de duas áreas de savana: uma área na qual os herbívoros circulam livremente e fazem podas regulares nas acácias, e outra de onde eles foram retirados há 15 anos. O esquema a seguir mostra os resultados observados nessas duas áreas. Internet: <cienciahoje.uol.com.br> (com adaptações). 24

25 De acordo com as informações acima, a) a presença de populações de grandes mamíferos herbívoros provoca o declínio das acácias. b) os hábitos de alimentação constituem um padrão de comportamento que os herbívoros aprendem pelo uso, mas que esquecem pelo desuso. c) as formigas da espécie 1 e as acácias mantêm uma relação benéfica para ambas. d) os besouros e as formigas da espécie 2 contribuem para a sobrevivência das acácias. e) a relação entre os animais herbívoros, as formigas e as acácias é a mesma que ocorre entre qualquer predador e sua presa. 3) (UFMT) Alguns seres vivos apresentam entre si relações ecológicas consideradas benéficas (harmônicas) ou então prejudiciais (desarmônicas). Assinale a alternativa que apresenta somente relações harmônicas. a) Competição, predação, colônia e mutualismo. b) Comensalismo, parasitismo, predação e sociedade. c) Colônia, comensalismo, parasitismo e mutualismo. d) Colônia, mutualismo, comensalismo e sociedade. e) Competição, parasitismo, comensalismo e sociedade. 4) (IFMT) Libélulas Vão Combater Mosquito da Dengue em São Paulo A Prefeitura de São José do Rio Preto, a 440 quilômetros de São Paulo, começa a combater a dengue com libélulas. A ideia é que as flores da planta Crotalaria juncea atraiam as libélulas, que se alimentam das larvas e do mosquito adulto do Aedes aegypti. As mudas da planta estão sendo distribuídas para a população interessada em participar do combate à doença. Além disso, a prefeitura vai plantar as Crotalárias nas praças e canteiros de avenidas. Os técnicos da Prefeitura esperam que, em dois meses, já seja possível verificar uma possível redução da incidência do mosquito e, consequentemente, dos casos de dengue. Monte Aprazível, outra cidade da região, adotou a planta no fim do ano passado. Em 2010, a cidade contabilizou, até agora, 11 casos de dengue. (Adaptado de: AGÊNCIA ESTADO. Libélulas vão combater mosquito da dengue em São Paulo. Disponível em:<http://www.oimparcialonline.com.br/noticias.php?id=39247>. Acesso em: 23 mar a) A relação ecológica entre as larvas dos mosquitos e as libélulas pode ser descrita como relação intraespecífica de predatismo. b) A introdução de Crotálias em um novo hábitat é uma medida totalmente isenta de efeitos para os outros seres integrantes do ecossistema. c) A conclusão de que a incidência da dengue deve diminuir com a introdução das Crotálias é plausível, mas deve ser cautelosa, uma vez que outros mecanismos podem interferir na difusão da doença na população humana. d) O uso de inseticidas em larga escala é superior em termos de rapidez, com danos ambientais desprezíveis quando comparado ao controle biológico proposto pelo texto acima. e) A dengue, doença transmitida por um protozoário flagelado, utiliza o mosquito Aedes aegypti como vetor. 5) (UFT) Interações entre organismos ocorrem de muitas formas. Algumas dessas envolvem predar e ser predado. Mas os organismos podem também interagir competitivamente, ou podem ser beneficiados pela interação. A tabela abaixo mostra os principais tipos de interações ecológicas possíveis de ocorrer entre organismos de duas espécies. Efeito na espécie 1 Prejudicial Benéfico TIPOS DE INTERAÇÕES ECOLÓGICAS Efeito na espécie 2 Prejudicial Benéfico Neutro Competição (-/-) Predação ou parasitismo (+/-) Neutro Amensalismo (0/-) Predação ou parasitismo (-/+) Amensalismo (-/0) Mutualismo (+/+) Comensalismo (+/0) Comensalismo (0/+) - 25

26 Analise as assertivas abaixo: I. A competição pode restringir a distribuição e reduzir a abundância das espécies. II. Nas interações Predador-Presa e Parasita-Hospedeiro, os predadores são geralmente maiores que as presas e os parasitas são menores que seus hospedeiros e vivem fora ou dentro do seu corpo. III. No amensalismo e no parasitismo uma das espécies que interagem não é afetada. IV. As plantas têm muitas interações do tipo amensalismo com os animais. Um exemplo dessa interação complexa ocorre entre árvores e formigas: nos caules ou espinhos ocos de algumas espécies de árvores, as formigas constroem seus ninhos, ou se alimentam de néctar; as formigas atacam insetos folívoros, comem larvas de insetos herbívoros e ferroam mamíferos comedores de folhas. V. Interações entre plantas e seus polinizadores e dispersores de sementes são claramente mutualísticas, embora não sejam puramente mutualísticas. São verdadeiras as assertivas: a) I, II, III, e V. b) I, II, III e IV. c) I, II e V. d) I, IV e V. e) I, II, III, IV e V. 6) (UFES) A ilustração abaixo representa uma forma de associação de indivíduos da mesma espécie, encontrada na Physalia caravella. Nessa associação: a) Cada tipo de indivíduo deve apresentar constituição genética diferente. b) Os indivíduos representados constituem uma sociedade. c) A diversidade morfológica dos indivíduos favorece a sobrevivência da espécie. d) A perpetuação da espécie é assegurada por um processo de reprodução assexuada. e) A distribuição do alimento pelos diferentes indivíduos se faz por meio de uma extensa rede de capilares. 7) (CEFET-MG) Responda esta questão com base na ilustração abaixo. O tipo de comensalismo representado pela imagem é a(o): a) foresia. b) epifitismo. c) sociedade. d) mutualismo. e) inquilinismo. 26

27 8) (UEPA) Uma pesquisa feita pelas Universidade de Oxford (Reino Unido) e de Turim (Itália) demonstrou que as formigas conversam no formigueiro. A rainha emite um som que provoca reações nas operárias. As operárias ficam em estado de alerta ao ouvir certos sinais sonoros. (Adaptado de Planeta, Abril/09, p.57). Nesse sentido, afirma-se que a relação acima exemplificada denomina-se: a) Mutualismo. b) Colônia. c) Parasitismo. d) Sociedade. e) Comensalismo. 9) (UNESP) Tudo começa com os cupins alados, conhecidos como aleluias ou siriris. Você já deve ter visto uma revoada deles na primavera. São atraídos por luz e calor, e quando caem no solo perdem suas asas. Machos e fêmeas se encontram formando casais e partem em busca de um local onde vão construir os ninhos. São os reis e as rainhas. Dos ovos nascem as ninfas, que se diferenciam em soldados e operários. Estes últimos alimentam toda a população, passando a comida de boca em boca. Mas, como o alimento não é digerido, dependem de protozoários intestinais que transformam a celulose em glicose, para de ela obter a energia. Mas do que se alimentam? Do tronco da árvore de seu jardim, ou da madeira dos móveis e portas da sua casa. Segundo os especialistas, existem dois tipos de residência: as que têm cupim e as que ainda terão. (Texto extraído de um panfleto publicitário de uma empresa dedetizadora. Adaptado.) No texto, além da relação que os cupins estabelecem com os seres humanos, podem ser identificadas três outras relações ecológicas. A sequência em que aparecem no texto é: a) sociedade, mutualismo e parasitismo. b) sociedade, comensalismo e predatismo. c) sociedade, protocooperação e inquilinismo. d) colônia, mutualismo e inquilinismo. e) colônia, parasitismo e predatismo. 10) (ENEM) Usada para dar estabilidade aos navios, a água de lastro acarreta grave problema ambiental: ela introduz indevidamente, no país, espécies indesejáveis do ponto de vista ecológico e sanitário, a exemplo do mexilhão dourado, molusco originário da China. Trazido para o Brasil pelos navios mercantes, o mexilhão dourado foi encontrado na bacia Paraná-Paraguai em A disseminação desse molusco e a ausência de predadores para conter o crescimento da população de moluscos causaram vários problemas, como o que ocorreu na hidrelétrica de Itaipu, onde o mexilhão alterou a rotina de manutenção das turbinas, acarretando prejuízo de US$ 1 milhão por dia, devido à paralisação do sistema. Uma das estratégias utilizadas para diminuir o problema é acrescentar gás cloro à água, o que reduz em cerca de 50% a taxa de reprodução da espécie. GTÁGUAS, MPF, 4.ª CCR, ano 1, n.º 2, maio/2007 (com adaptações). De acordo com as informações acima, o despejo da água de lastro a) é ambientalmente benéfico por contribuir para a seleção natural das espécies e, consequentemente, para a evolução delas. b) trouxe da China um molusco, que passou a compor a flora aquática nativa do lago da hidrelétrica de Itaipu. c) causou, na usina de Itaipu, por meio do microrganismo invasor, uma redução do suprimento de água para as turbinas. d) introduziu uma espécie exógena na bacia Paraná-Paraguai, que se disseminou até ser controlada por seus predadores naturais. e) motivou a utilização de um agente químico na água como uma das estratégias para diminuir a reprodução do mexilhão dourado. 11) (ENEM) O esquema a seguir representa os diversos meios em que se alimentam aves, de diferentes espécies, que fazem ninho na mesma região. 27

28 Com base no esquema, uma classe de alunos procurou identificar a possível existência de competição alimentar entre essas aves e concluiu que: a) não há competição entre os quatro tipos de aves porque nem todas elas se alimentam nos mesmos locais. b) não há competição apenas entre as aves dos tipos 1, 2 e 4 porque retiram alimentos de locais exclusivos. c) há competição porque a ave do tipo 3 se alimenta em todos os lugares e, portanto, compete com todas as demais. d) há competição apenas entre as aves 2 e 4 porque retiram grande quantidade de alimentos de um mesmo local. e) não se pode afirmar se há competição entre as aves que se alimentam em uma mesma região sem conhecer os tipos de alimento que consomem. 12) (ENEM) Os vaga-lumes machos e fêmeas emitem sinais luminosos para se atraírem para o acasalamento. O macho reconhece a fêmea de sua espécie e, atraído por ela, vai ao seu encontro. Porém, existe um tipo de vaga-lume, o Photuris, cuja fêmea engana e atrai os machos de outro tipo, o Photinus fingindo ser desse gênero. Quando o macho Photinus se aproxima da fêmea Photuris, muito maior que ele, é atacado e devorado por ela. BERTOLDI, O. G.; VASCONCELLOS, J. R. Ciência & sociedade: a aventura da vida, a aventura da tecnologia. São Paulo: Scipione, 2000 (adaptado). A relação descrita no texto, entre a fêmea do gênero Photuris e o macho do gênero Photinus, é um exemplo de a) comensalismo. b) inquilinismo. c) cooperação. d) predatismo. e) mutualismo. 13) (UERJ) Traíras são predadoras naturais dos lambaris. Acompanhou-se, em uma pequena lagoa, a evolução da densidade populacional dessas duas espécies de peixes. Tais populações, inicialmente em equilíbrio, sofreram notáveis alterações após o início da pesca predatória da traíra, na mesma lagoa. Esse fato pode ser observado no gráfico abaixo, em que a curva 1 representa a variação da densidade populacional da traíra. A curva que representa a variação da densidade populacional de lambaris é a de número: a) 2. b) 3. c) 4. d)

29 14) (UFSCAR) Os gráficos mostram os resultados das curvas de crescimento das espécies Paramecium caudatum e Paramecium bursaria (gráfico A) e das espécies Paramecium caudatum e Paramecium aurelia (gráfico B), quando estas espécies foram cultivadas no mesmo frasco. Analisando os gráficos, responda: a) o que se pode dizer dos nichos ecológicos explorados pelas espécies de Paramecium constantes dos gráficos A e B? b) como se explicam os resultados das curvas de crescimento das espécies Paramecium caudatum e Paramecium bursaria (gráfico A), quando cultivadas no mesmo frasco? 15) (CEFET-MG) Pode-se inferir que há dois tipos de interação, apesar da discordância do hipopótamo: um, em que os benefícios são mútuos, denominado, e outro, em que o benefício é unilateral, denominado a) mutualismo e inquilinismo. b) parasitismo e canibalismo. c) amensalismo e predatismo. d) epifitismo e mutualismo facultativo. e) protocooperação e comensalismo. 16) (UNESP) Analise os gráficos abaixo. No gráfico 1, são apresentadas duas populações (pop.) vivendo isoladas em ambientes com as mesmas características; no gráfico 2, são apresentadas as mesmas populações vivendo no mesmo ambiente. 29

30 A relação que provavelmente ocorre entre as duas populações, quando juntas (gráfico 2), é de: a) Mutualismo. b) Inquilinismo. c) Comensalismo. d) Protocooperação. e) Parasitismo. 17) (UFAL) Numa pastagem, há uma cadeia alimentar na qual o boi se alimenta de capim, tem seu sangue sugado pelo carrapato, que se aloja na superfície do seu corpo, e que, por sua vez, serve de alimento a certas aves que pousam sobre os bois. As interações ecológicas entre boi e capim, carrapato e boi, carrapato e aves e aves e bois, são respectivamente: a) predatismo, parasitismo, predatismo, protocooperação. b) predatismo, predatismo, parasitismo e comensalismo. c) herbivorismo, parasitismo, comensalismo e simbiose. d) herbivorismo, parasitismo, predatismo e protocooperação. e) predatismo, predatismo, predatismo e mutualismo não-obrigatório. 18) (PUC-RS) A metade sul do Estado do Rio Grande do Sul é caracterizada pelo bioma dos Campos Sulinos, onde as principais atividades econômicas são a agricultura e a pecuária. Na pecuária, destaca-se a criação de gado bovino, que se alimenta de material de origem vegetal rico em celulose. Como esses herbívoros ruminantes não produzem a celulase, enzima que hidrolisa a celulose, a digestão de seu alimento ocorre com o auxílio de microrganismos que vivem em seu sistema digestório. As figuras abaixo mostram parte do aparelho digestório desses ruminantes. Qual o tipo de interação interespecífica existente entre o gado bovino e os microrganismos que vivem em seu aparelho digestório? a) Parasitismo. b) Inquilinismo. c) Comensalismo. d) Mutualismo. e) Herbivoria. 19) (UEFS) O esquema abaixo representa interações bióticas que podem ocorrer de forma direta e indireta entre determinadas populações de um ecossistema. 30

31 A respeito dessas alelobioses, pode-se considerar que: a) A população de carvalhos faz parte do único elo nessa cadeia, que deverá crescer permanentemente próximo ao seu potencial biótico. b) A relação entre os camundongos e os carvalhos interfere tanto na curva de crescimento da população de mariposas como na curva da população de predadores desses camundongos. c) A relação entre as mariposas-cigana e os carvalhos se configura como um exemplo de parasitismo, já que não interfere na produção de novos descendentes para as árvores de carvalho. d) Os predadores de camundongos e as mariposas-cigana são prejudiciais ao equilíbrio das populações envolvidas. e) O aumento da população de mariposas-cigana garante, de forma aparentemente contraditória, o incremento da população de camundongo que, por sua vez, é o seu principal predador. 20) (PUC-MG) As ervas-de-passarinho constituem um grupo variado de plantas parcialmente parasitas, ou seja, são capazes de realizar fotossíntese, mas não obtêm água do solo ou da chuva. Elas possuem raízes especiais, que retiram água e alguns nutrientes diretamente de outros vegetais, seus hospedeiros. A maioria das espécies de ervas-de-passarinho depende de pássaros para a disseminação de suas sementes. Assinale a afirmativa correta sobre essas ervas. a) São plantas heterótrofas, pois usam nutrientes de outras plantas. b) Sua fonte de alimento é a seiva elaborada, retirada de seus hospedeiros. c) São vegetais do grupo das Angiospermas, com flores, frutos e sementes. d) Utilizam compostos orgânicos das outras plantas através de suas raízes sugadoras. 31

32 21) (ENEM) Diferente do que o senso comum acredita, as lagartas de borboletas não possuem voracidade generalizada. Um estudo mostrou que as borboletas de asas transparentes da família Ithomiinae, comuns na Floresta Amazônica e na Mata Atlântica, consomem, sobretudo, plantas da família Solanaceae, a mesma do tomate. Contudo, os ancestrais dessas borboletas consumiam espécies vegetais da família Apocinaceae, mas a quantidade dessas plantas parece não ter sido suficiente para garantir o suprimento alimentar dessas borboletas. Dessa forma, as solanáceas tornaram-se uma opção de alimento, pois são abundantes na Mata Atlântica e na Floresta Amazônica. Cores ao vento. Genes e fósseis revelam origem e diversidade de borboletas sul-americanas. Revista Pesquisa FAPESP. N 170, 2010 (adaptado). Nesse texto, a ideia do senso comum é confrontada com os conhecimentos científicos, ao se entender que as larvas das borboletas Ithomiinae encontradas atualmente na Mata Atlântica e na Floresta Amazônica, apresentam a) facilidade em digerir todas as plantas desses locais. b) interação com as plantas hospedeiras da família Apocinaceae. c) adaptação para se alimentar de todas as plantas desses locais. d) voracidade indiscriminada por todas as plantas existentes nesses locais. e) especificidade pelas plantas da família Solanaceae existentes nesses locais. 22) (UFPB) Muitas espécies animais e vegetais têm sido introduzidas em determinados ambientes sem uma avaliação dos riscos que essa prática pode causar. A algaroba (Prosopis juliflora), a abelha africana (Apis mellifera scutellata) e a tilápia (Tilapia niloticus), introduzidas no Brasil, são casos exemplares dessa prática. Os maiores efeitos causados pela introdução de espécies estranhas a um ambiente são as possíveis relações ecológicas entre essas espécies e a comunidade nativa. Acerca das relações ecológicas entre cada uma das espécies exóticas citadas acima e as espécies nativas, pode-se afirmar: I. A competição é a principal relação ecológica entre a algaroba e as plantas nativas da caatinga. II. A herbivoria é a única relação ecológica entre a abelha africana e as espécies polinizadas pela mesma. III. A predação é uma das relações ecológicas entre a tilápia e alguns peixes nativos. Está(ão) correta(s): a) I, II e III. b) Apenas II e III. c) Apenas I e II. d) Apenas I e III. e) Apenas III. 23) (UEL) Considere as descrições a seguir, referentes a quatro diferentes espécies vegetais. I. Vegetal com folhas verdes, cujas raízes cresçam aderidas à casca de uma árvore. II. Vegetal com folhas verdes, com raízes imersas no xilema dos ramos de uma árvore. III. Vegetal sem clorofila, com raízes imersas no floema dos ramos jovens de uma árvore. IV. Vegetal sem clorofila, com raízes imersas na matéria vegetal morta depositada sobre o solo. As espécies vegetais descritas anteriormente correspondem, respectivamente, a: a) Ectoparasita, endoparasita, saprófita, epífita. b) Epífita, hemiparasita, holoparasita, saprófita. c) Hemiparasita, epífita, holoparasita, saprófita. d) Epífita, endoparasita, ectoparasita, micorriza. e) Orquídea, bromélia, parasita, cogumelo. 24) (UNIR) Em matas brasileiras é muito comum a ocorrência de orquídeas que se desenvolvem em troncos de árvores. A relação entre a orquídea e a árvore caracteriza uma interação ecológica denominada: a) Parasitismo b) Sociedade c) Colônia d) Inquilinismo e) Competição 25) (UEA) Com base nas informações do texto, é correto afirmar que ocorre 32

33 a) a polinização das castanheiras e duas relações ecológicas, o parasitismo das orquídeas pelos zangões e o epifitismo entre as orquídeas e as castanheiras. b) a polinização das orquídeas e castanheiras e duas relações ecológicas, a sociedade entre as abelhas e o inquilinismo entre as orquídeas e as castanheiras. c) a reprodução nas colônias das abelhas e uma relação ecológica, o comensalismo, que ocorre entre os vegetais e os zangões, pois ambos são beneficiados. d) a nutrição e reprodução das abelhas e duas relações ecológicas, a protocooperação entre os zangões e as orquídeas e o hemiparasitismo entre as orquídeas e as castanheiras. e) a reprodução dos vegetais e duas relações ecológicas, o epifitismo das orquídeas em relação às castanheiras e a polinização, responsável pela produção das castanhas. 26) (UEL) No nível de organismo, a ecologia procura saber como os indivíduos são afetados pelo seu ambiente e como eles os afetam. No nível de população, a ecologia se ocupa da presença ou ausência de determinadas espécies, da sua abundância ou raridade e das tendências e flutuações em seus números. A ecologia de comunidade, então, trata da composição ou estrutura de comunidades ecológicas. (Adaptado de: TOWNSEND, C. R. Fundamentos em ecologia. 2ª Ed. Porto Alegre: ARTMED, p.28) Com base no texto e nos seus conhecimentos sobre o tema, considere as afirmativas abaixo. I. No mimetismo mülleriano, os organismos palatáveis se desenvolvem de forma idêntica aos impalatáveis, que são rejeitados pelos predadores. Os complexos mimetismos batesianos compreendem as espécies nocivas que usam aparências semelhantes entre si para anunciarem que são impalatáveis. II. A competição é o uso ou a disputa de um recurso por um ou mais indivíduos consumidores. Quando os indivíduos pertencem à mesma espécie, sua interação é chamada competição interespecífica. Quando pertencem a espécies diferentes, é chamada de competição intraespecífica. III. Na protocooperação, duas populações são beneficiadas pela associação, embora as relações não sejam obrigatórias. Quanto ao mutualismo, o crescimento e a sobrevivência de duas populações são beneficiadas, sendo que nenhum delas consegue sobreviver em condições naturais sem a outra. IV. A competição pode ser inferida por uma mudança no tamanho populacional de uma espécie após a adição ou remoção de outra. Quando duas espécies competem fortemente, a população da primeira espécie é sensível à mudança nos números da segunda, e vice-versa. Assinale a alternativa correta. a) Somente as afirmativas I e III são corretas. b) Somente as afirmativas III e IV são corretas. c) Somente as afirmativas I e II são corretas. d) Somente as afirmativas I, II e IV são corretas. e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas. 27) (ENEM) Muitas espécies de plantas lenhosas são encontradas no cerrado brasileiro. Para a sobrevivência nas condições de longos períodos de seca e queimadas periódicas, próprias desse ecossistema, essas plantas desenvolveram estruturas muito peculiares. 33

34 As estruturas adaptativas mais apropriadas para a sobrevivência desse grupo de plantas nas condições ambientais de referido ecossistema são: a) Cascas finas e sem sulcos ou fendas. b) Caules estreitos e retilíneos. c) Folhas estreitas e membranosas. d) Gemas apicais com densa pilosidade. e) Raízes superficiais, em geral, aéreas. 28) (UPE) Todos os organismos buscam adaptar-se ao meio em que vivem, seja nos aspectos anatômicos, fisiológicos ou comportamentais. Analise os exemplos de adaptação abaixo. I. A pelagem das raposas-do-ártico, que é branca durante o inverno e acinzentada em outras épocas do ano, quando não há neve. II. As flores de orquídea Ophrys apifera, que se assemelham às fêmeas de uma espécie de abelhas e atraem zangões, que transportam o pólen, agindo como polinizadores. III. A falsa-coral (Erithrolampus aesculapi), serpente sem dentes injetores de peçonha, e a coral-verdadeira (Micrurus coralinus) altamente peçonhenta. IV. O inseto conhecido como bicho-pau, que se assemelha a gravetos. Assinale a alternativa correta. a) I, II e III são exemplos de mimetismo. b) II e III são exemplos de mimetismo. c) Todos são exemplos de camuflagem. d) Apenas o IV é exemplo de camuflagem. e) III e IV são exemplos de camuflagem. 34

35 Os limites do nosso planeta RAFAEL BC 1) (ENEM) Dois pesquisadores percorreram os trajetos marcados no mapa. A tarefa deles foi analisar os ecossistemas e, encontrando problemas, relatar e propor medidas de recuperação. A seguir, são reproduzidos trechos aleatórios extraídos dos relatórios desses dois pesquisadores. Trechos aleatórios extraídos do relatório do pesquisador P 1 : Ecossistemas brasileiros: mapa da distribuição dos ecossistemas. Disponível em: Acesso em: 20 abr (adaptado). I. Por causa da diminuição drástica das espécies vegetais deste ecossistema, como os pinheiros, a gralha azul também está em processo de extinção. II. As árvores de troncos tortuosos e cascas grossas que predominam nesse ecossistema estão sendo utilizadas em carvoarias. Trechos aleatórios extraídos do relatório do pesquisador P 2 : III. Das palmeiras que predominam nesta região podem ser extraídas substâncias importantes para a economia regional. IV. Apesar da aridez desta região, em que encontramos muitas plantas espinhosas, não se pode desprezar a sua biodiversidade. Os trechos I, II, III e IV referem-se, pela ordem, aos seguintes ecossistemas: a) Caatinga, Cerrado, Zona dos cocais e Floresta Amazônia. b) Mata de Araucárias, Cerrado, Zona dos cocais e Caatinga. c) Manguezais, Zona dos cocais, Cerrado e Mata Atlântica. d) Floresta Amazônia, Cerrado, Mata Atlântica e Pampas. e) Mata Atlântica, Cerrado, Zona dos cocais e Pantanal. 2) (UECE) São ecossistemas costeiros de grande importância, seja pela produtividade de alimentos, pela diversidade de espécies ou pela manutenção do equilíbrio ecológico: a) Mata Atlântica, Manguezais e Restingas b) Manguezais, Mata Atlântica e Cerrados c) Mata Atlântica, Dunas e Pampas d) Cerrados, Caatingas e Manguezais 35

36 3) (UFSC) Sobre as formações fitogeográficas ou Biomas existentes no Brasil, assinale a(s) proposição(ões) correta(s). a) O Cerrado é uma formação fitogeográfica caracterizada por uma floresta tropical que cobre cerca de 40% do território brasileiro, ocorrendo na Região Norte. b) A Caatinga é caracterizada por ser uma floresta úmida da região litorânea do Brasil, hoje muito devastada. c) O Mangue ocorre desde o Amapá até Santa Catarina e desenvolve-se em estuários, sendo utilizados por vários animais marinhos para reprodução. d) O Pampa ocorre na Região Centro-Oeste, onde o clima é quente e seco. A flora e a fauna dessa região são extremamente diversificadas. e) A Floresta Amazônica está localizada nos estados do Maranhão e do Piauí e as árvores típicas dessa formação são as palmeiras e os pinheiros. f) O Pantanal ocorre nos estados do Mato Grosso do Sul e do Mato Grosso, caracterizando-se como uma região plana que é alagada nos meses de cheias dos rios. g) A Mata Atlântica é uma formação que se estende de São Paulo ao Sul do país, onde predominam árvores como o babaçu e a carnaúba, e está muito bem preservada. 4) (PUC-RJ) O estado do Rio de Janeiro apresenta diversos ecossistemas, em função da grande variabilidade de sua paisagem. Dentre as características listadas abaixo, destaque a alternativa ERRADA. a) A mata atlântica é a formação dominante do Rio de Janeiro. b) As restingas se desenvolvem sobre solos arenosos e constituem o ecossistema mais ameaçado de todos os demais. c) Os campos de altitude estão localizados principalmente nas serras dos Órgãos e Itatiaia e apresentam grande número de endemismos. d) A mata atlântica é constituída por florestas secundárias na maior parte do trecho fluminense. e) Os manguezais estão ligados à existência de um ciclo de marés e apresentam alta diversidade de espécies vegetais. 5) (PUC-SP) O texto abaixo refere-se à qual formação vegetal? De origem bastante discutida, essa formação é característica das áreas onde o clima apresenta duas estações bem marcadas: uma seca e outra chuvosa, como no Planalto Central. Ela apresenta 2 estratos nítidos: uma arbóreo-arbustivo, onde as espécies tortuosas têm os caules geralmente revestidos de casca espessa, e outro herbáceo, geralmente dispostos em tufos. a) Floresta tropical b) Caatinga c) Formação do Pantanal d) Mata semiúmida e) Cerrado 6) (ENEM) As florestas tropicais estão entre os maiores, mais diversos e complexos biomas do planeta. Novos estudos sugerem que elas sejam potentes reguladores do clima, ao provocarem um fluxo de umidade para o interior dos continentes, fazendo com que essas áreas de floresta não sofram variações extremas de temperatura e tenham umidade suficiente para promover a vida. Um fluxo puramente físico de umidade do oceano para o continente, em locais onde não há florestas, alcança poucas centenas de quilômetros. Verificase, porém, que as chuvas sobre florestas nativas não dependem da proximidade do oceano. Esta evidência aponta para a existência de uma poderosa bomba biótica de umidade em lugares como, por exemplo, a bacia amazônica. Devido à grande e densa área de folhas, as quais são evaporadores otimizados, essa bomba consegue devolver rapidamente a água para o ar, mantendo ciclos de evaporação e condensação que fazem a umidade chegar a milhares de quilômetros no interior do continente. A. D. Nobre. Almanaque Brasil Socioambiental. Instituto Socioambiental, 2008, p (com adaptações). As florestas crescem onde chove, ou chove onde crescem as florestas? De acordo com o texto, a) onde chove, há floresta. b) onde a floresta cresce, chove. c) onde há oceano, há floresta. d) apesar da chuva, a floresta cresce. e) no interior do continente, só chove onde há floresta. 36

37 7) (ENEM) Apesar da riqueza das florestas tropicais, elas estão geralmente baseadas em solos inférteis e improdutivos. Grande parte dos nutrientes é armazenada nas folhas que caem sobre o solo, não no solo propriamente dito. Quando esse ambiente é intensamente modificado pelo ser humano, a vegetação desaparece, o ciclo dos nutrientes é alterado e a terra se torna rapidamente infértil. (CORSON, Walter H, Manual Global de Ecologia, 1993) No texto anterior, pode parecer uma contradição a existência de florestas tropicais exuberantes sobre solos pobres. No entanto, este fato é explicado pela a) profundidade do solo, pois, embora pobre, sua espessura garante a disponibilidade de nutrientes para a sustentação dos vegetais da região. b) boa iluminação das regiões tropicais, uma vez que a duração regular do dia e da noite garante os ciclos dos nutrientes nas folhas dos vegetais da região. c) existência de grande diversidade animal, com número expressivo de populações que, com seus dejetos, fertilizam o solo. d) capacidade de produção abundante de oxigênio pelas plantas das florestas tropicais, considerado os "pulmões do mundo". e) rápida reciclagem dos nutrientes potencializada pelo calor e umidade das florestas tropicais, o que favorece a vida dos decompositores. 8) (ENEM) A ocupação predatória associada à expansão da fronteira agropecuária e acelerada pelo plantio da soja tem deflagrado, com a perda da cobertura vegetal, a diminuição da biodiversidade, a erosão do solo, a escassez e a contaminação dos recursos hídricos no bioma cerrado. Segundo ambientalistas, o cerrado brasileiro corre o risco de se transformar em um deserto. A respeito desse assunto, analise as afirmações a seguir. I. Considerando-se que, em 2006, restem apenas 25% da cobertura vegetal original do cerrado e que, desse percentual, 3% sejam derrubados a cada ano, estima-se que, em 2030, o cerrado brasileiro se transformará em deserto. II. Sabe-se que a eventual extinção do bioma cerrado, dada a pobreza que o caracteriza, não causará impacto sistêmico no conjunto dos biomas brasileiros. III. A substituição de agrotóxicos por bioinseticidas reduz a contaminação dos recursos hídricos no bioma cerrado. É correto o que se afirma a) apenas em I. b) apenas em III. c) apenas em I e II. d) apenas em II e III. e) em I, II e III. 9) (MACK) Em relação aos ecossistemas brasileiros, são feitas as afirmações: I- Presença de animais adaptados a correr, saltar ou escavar e predominância de plantas gramíneas. II- Presença de animais com hábitos noturnos e plantas xerófitas. III- Presença de árvores tortuosas e esparsas com características xeromórficas, porém sem problema drástico com a relação à água. IV- Ecossistemas predominantes no Brasil. As afirmações que melhor caracterizam os ecossistemas CAMPOS CERRADOS e CAATINGA são: a) I, II e III. b) I, II e IV. c) I e II. d) II e III. e) II, III e IV. 10) (ENEM) Muitas espécies de plantas lenhosas são encontradas no cerrado brasileiro. Para a sobrevivência nas condições de longos períodos de seca e queimadas periódicas, próprias desse ecossistema, essas plantas desenvolveram estruturas muito peculiares. 37

38 As estruturas adaptativas mais apropriadas para a sobrevivência desse grupo de plantas nas condições ambientais de referido ecossistema são: a) Cascas finas e sem sulcos ou fendas. b) Caules estreitos e retilíneos. c) Folhas estreitas e membranosas. d) Gemas apicais com densa pilosidade. e) Raízes superficiais, em geral, aéreas. 11) (ENEM) A análise de esporos de samambaias e de pólen fossilizados contidos em sedimentos pode fornecer pistas sobre as formações vegetais de outras épocas. No esquema a seguir, que ilustra a análise de uma amostra de camadas contínuas de sedimentos, as camadas mais antigas encontram-se mais distantes da superfície. Essa análise permite supor-se que o local em que foi colhida a amostra deve ter sido ocupado, sucessivamente, por a) floresta úmida, campos cerrados e caatinga. b) floresta úmida, floresta temperada e campos cerrados. c) campos cerrados, caatinga e floresta úmida. d) caatinga, floresta úmida e campos cerrados. e) campos cerrados, caatinga e floresta temperada. 12) (ENEM) Na região semiárida do Nordeste brasileiro, mesmo nos anos mais secos, chove pelo menos 200 milímetros por ano. Durante a seca, muitas pessoas, em geral as mães de família, têm de caminhar várias horas em busca de água, utilizando açudes compartilhados com animais e frequentemente contaminados. Sem tratamento, essa água é fonte de diarreias, parasitas intestinais, e uma das responsáveis pela elevada mortalidade infantil da região. Os açudes secam com frequência, tornando necessário o abastecimento das populações por carros-pipa, uma alternativa cara e que não traz solução definitiva ao abastecimento de água. OSAVA, M. Chuva de beber: Cisternas para 50 mil famílias. Revista Eco21, nº- 96, nov (adaptado). Considerando o texto, a proposta mais eficaz para reduzir os impactos da falta de água na região seria a) subsidiar a venda de água mineral nos estabelecimentos comerciais. b) distribuir gratuitamente remédios contra parasitas e outras moléstias intestinais. c) desenvolver carros-pipa maiores e mais econômicos, de forma a baratear o custo da água transportada. d) captar água de chuva em cisternas, permitindo seu adequado tratamento e armazenamento para consumo. e) promover a migração das famílias mais necessitadas para as regiões Sudeste e Sul, onde as chuvas são abundantes. 13) (UFSC) O Brasil possui uma enorme extensão territorial, com grandes variações climáticas, e uma ampla diversidade de tipos de solo. Em função dessas características, há uma evidente diversidade de biomas, definidos sobretudo pelo tipo de cobertura vegetal. Com relação à distribuição dessa cobertura vegetal no Brasil, assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(s). 01. A Floresta Amazônica tem uma grande extensão e se espalha pelas regiões Norte, Centro-Oeste e parte da região Sudeste. 02. Tanto o pampa como a Mata de Araucárias são formações vegetais exclusivas da região Sul. 04. Originalmente, a Mata Atlântica era uma formação vegetal que se estendia, pela região costeira, do Rio Grande do Norte até o Sul do Brasil. 08. A zona de Cocais se distribui, principalmente, na costa nordestina. 16. Os manguezais preenchem uma faixa larga e descontínua, paralela ao litoral do país. 32. Enquanto o cerrado se espalha, principalmente, pela região central do país, a distribuição do pantanal se restringe à região Centro-Oeste brasileira. 64. A caatinga é uma formação exclusiva do Brasil central. Soma: 38

39 14) (UFF) Assinale a opção que encerra a afirmação INCORRETA. a) No deserto, a vegetação é esparsa e à noite observa-se queda de temperatura. b) A zona entre dois ecossistemas é chamada ecótono. c) São exemplos de floresta pluvial tropical: a Floresta Amazônica e a Mata Atlântica. d) Nas savanas, há alternância entre plantas e arbustos. e) As tundras são características do hemisfério norte. Nelas a vegetação se desenvolve o ano todo, caracterizando-se pela presença de gimnospermas. 15) (UFSM) As plantações das cerejas-vacina foram feitas em uma região do sul do Brasil, cuja vegetação original foi destruída para dar lugar à agricultura. Essa vegetação se caracterizava pela predominância de plantas herbáceas da família das gramíneas, com a presença eventual de pequenos bosques de arbustos. O índice de chuvas fica entre 500 e 1000 mm por ano e a temperatura, normalmente, varia de 10 a 14 C no inverno e de 20 a 23 C no verão. Essa descrição corresponde a qual dos biomas a seguir? a) Caatinga. b) Campos sulinos. c) Campos cerrados. d) Matas de araucárias. e) Pantanal. 16) (UNESP) Assinale a alternativa que representa, em ordem crescente, os ecossistemas com maior diversidade de vida. a) Floresta tropical pluvial, tundra, taiga, floresta temperada caducifólia. b) Tundra, taiga, floresta tropical pluvial, floresta temperada caducifólia. c) Taiga, tundra, floresta tropical pluvial, floresta temperada caducifólia. d) Taiga, floresta temperada caducifólia, tundra, floresta tropical pluvial. e) Tundra, taiga, floresta temperada caducifólia, floresta tropical pluvial. 17) (ENEM) Os ingredientes que compõem uma gotícula de nuvem são o vapor de água e um núcleo de condensação de nuvens (NCN). Em torno desse núcleo, que consiste em uma minúscula partícula em suspensão no ar, o vapor de água se condensa, formando uma gotícula microscópica, que, devido a uma série de processos físicos, cresce até precipitar-se como chuva. Na floresta Amazônica, a principal fonte natural de NCN é a própria vegetação. As chuvas de nuvens baixas, na estação chuvosa, devolvem os NCNs, aerossóis, à superfície, praticamente no mesmo lugar em que foram gerados pela floresta. As nuvens altas são carregadas por ventos mais intensos, de altitude, e viajam centenas de quilômetros de seu local de origem, exportando as partículas contidas no interior das gotas de chuva. Na Amazônia, cuja taxa de precipitação é uma das mais altas do mundo, o ciclo de evaporação e precipitação natural é altamente eficiente. Com a chegada, em larga escala, dos seres humanos à Amazônia, ao longo dos últimos 30 anos, parte dos ciclos naturais está sendo alterada. As emissões de poluentes atmosféricos pelas queimadas, na época da seca, modificam as características físicas e químicas da atmosfera amazônica, provocando o seu aquecimento, com modificação do perfil natural da variação da temperatura com a altura, o que torna mais difícil a formação de nuvens. Paulo Artaxo et al. O mecanismo da floresta para fazer chover. In: Scientific American Brasil, ano 1, n.º 11, abr./2003, p (com adaptações). Na Amazônia, o ciclo hidrológico depende fundamentalmente a) da produção de CO 2 oriundo da respiração das árvores. b) da evaporação, da transpiração e da liberação de aerossóis que atuam como NCNs. c) das queimadas, que produzem gotículas microscópicas de água, as quais crescem até se precipitarem como chuva. d) das nuvens de maior altitude, que trazem para a floresta NCNs produzidos a centenas de quilômetros de seu local de origem. e) da intervenção humana, mediante ações que modificam as características físicas e químicas da atmosfera da região. 39

40 18) (UFES) Os manguezais são ecossistemas costeiros típicos de regiões com sedimento limoso, que sofrem inundações periódicas durante a maré alta, de tal forma que apresentam solo alagado, movediço, pouco arejado e com alta salinidade. Com base no texto anterior, cite duas adaptações das plantas que permitem o seu desenvolvimento nesse tipo de ambiente, justificando o porquê de cada uma. 19) (UNIRIO) Plantas com raízes-escora e raízes respiratórias são típicas dos ecossistemas: a) caatinga. b) restingas. c) manguezais. d) mata tropical. e) campos cerrados. 20) (UNICAMP) Escreve James W. Wells em Três mil milhas através do Brasil: A aparência desta vegetação lembra um pomar de frutas mirrado na Inglaterra; as árvores ficam bem distantes uma das outras, ananicadas no tamanho, extremamente retorcidas tanto de troncos quanto de galhos, e a casca de muitas variedades lembra muito a cortiça; a folhagem é geralmente seca, dura, áspera e quebradiça; as árvores resistem igualmente ao calor, frio, seca ou chuva [...]. a) A que tipo de formação vegetal brasileira o texto se refere? b) Qual é a principal causa do aspecto ananicado das árvores? c) Qual é a principal causa do aspecto da casca? d) Cite outra característica importante das plantas dessa formação vegetal que não esteja descrita no texto. A que se deve essa característica? 21) (PUCRJ) Considere as afirmativas a seguir: I - Devido à eutrofização das lagunas costeiras, numerosas espécies têm desaparecido em consequência do aumento da produção de algas adaptadas à poluição. II - As restingas se desenvolvem sobre solos argilosos e de alta fertilidade e constituem o ecossistema mais preservado de todos os demais. III - O manguezal é um ecossistema que apresenta espécies adaptadas às baixas concentrações de oxigênio no solo. IV - Dos ecossistemas do Rio de Janeiro, o de maior extensão é a mata atlântica e o de menor extensão são os campos de altitude. Das afirmativas anteriores, admitem-se como verdadeiras as indicadas na opção: a) as afirmativas I e III. b) as afirmativas I, III e IV. c) as afirmativas I, II e IV. d) as afirmativas II e III. e) as afirmativas II e III e IV. 22) (UNIRIO) Sabe-se que quase sempre a floresta faz limite com um campo. As plantas da floresta procuram propagar-se em direção ao campo e, ao mesmo tempo, as espécies do campo também procuram alargar seus domínios na direção da floresta. Sendo assim, a linha de tensão entre as comunidades dos dois biótopos é denominada: a) ecésis. b) clímax. c) ecótono. d) sucessão secundária. e) nomadismo. 40

41 23) Os animais marinhos: -que flutuam e são movidos passivamente pelos ventos, ondas e correntes; -que nadam livremente por atividade própria; -que são restritos ao fundo. RAFAEL BC a) planctônicos, nectônicos e bentônicos. b) planctônicos, bentônicos e nectônicos. c) nectônicos, bentônicos e planctônicos. d) nectônicos, planctônicos e bentônicos. e) bentônicos, planctônicos e nectônicos. 24) (UNIRIO) Em uma palestra, um ecologista discursou sobre a importância da preservação de cada Biociclo da Biosfera. Cite e defina resumidamente, em cerca de 2 linhas, cada um deles. 25) (UERJ) Em certos trechos de litoral, como na região do Cabo Frio, Rio de Janeiro, correntes marinhas profundas afloram à superfície. Este fenômeno, denominado de ressurgência, é consequência da disposição peculiar da região costeira e da direção dos ventos e correntes predominantes, proporcionando, nas proximidades da costa, uma maior produção de matéria orgânica por organismos autotróficos. Em relação às águas superficiais, as águas de correntes marinhas profundas apresentam a seguinte característica associada à elevação da produção primária da região de ressurgência: a) baixa salinidade b) temperatura mais alta c) baixa taxa de iluminação d) maior teor de sais minerais 26) (ENEM) As mudanças climáticas e da vegetação ocorridas nos trópicos da América do Sul têm sido bem documentadas por diversos autores, existindo um grande acúmulo de evidências geológicas ou paleoclimatológicas que evidenciam essas mudanças ocorridas durante o Quaternário nessa região. Essas mudanças resultaram em restrição da distribuição das florestas pluviais, com expansões concomitantes de habitats não-florestais durante períodos áridos (glaciais), seguido da expansão das florestas pluviais e restrição das áreas não-florestais durante períodos úmidos (interglaciais). Disponível em: Acesso em: 1 maio Durante os períodos glaciais, a) as áreas não-florestais ficam restritas a refúgios ecológicos devido à baixa adaptabilidade de espécies não-florestais a ambientes áridos. b) grande parte da diversidade de espécies vegetais é reduzida, uma vez que necessitam de condições semelhantes a dos períodos interglaciais. c) a vegetação comum ao cerrado deve ter se limitado a uma pequena região do centro do Brasil, da qual se expandiu até atingir a atual distribuição. d) plantas com adaptações ao clima árido, como o desenvolvimento de estruturas que reduzem a perda de água, devem apresentar maior área de distribuição. e) florestas tropicais como a amazônica apresentam distribuição geográfica mais ampla, uma vez que são densas e diminuem a ação da radiação solar sobre o solo e reduzem os efeitos da aridez. 41

42 27) (UEL) Considere a sequência: RAFAEL BC Essa sequência pode representar a evolução de uma a) população. b) comunidade. c) sociedade em formação. d) sucessão primária. e) sucessão secundária. líquens musgos capim arbustos 28) (UNITAU) A ilustração a seguir representa os estágios de recuperação vegetal de uma área submetida à extração de areia pelo método de cava, situado num terreno na várzea do Rio Paraíba do Sul. Os algarismos romanos representam os estágios de sucessão ecológica no local. Pode-se considerar, como afirmativa correta: a) No estágio I, a biomassa, a diversidade de espécies, o aproveitamento de energia e a estabilidade são superiores aos estágios II e III. b) Nos estágios II e III, a energia que entra na comunidade é apenas parcialmente aproveitada, a produção de biomassa e a estabilidade da comunidade são inferiores ao estágio I. c) O estágio II, por apresentar uma maior diversidade de espécies, ser mais eficiente energeticamente e ter uma constância na produção de biomassa, é denominado de comunidade clímax. d) No estágio III, a produção de biomassa, a diversidade de espécies, o aproveitamento de energia das comunidades são superiores aos estágios I e II. e) Nos estágios I e II, a biomassa, a estabilidade, a diversidade de espécies e o aproveitamento de energia que entra nessas comunidades, são superiores ao estágio III. 29) (UNIRIO) "Em relação ao que foi outrora, nossa terra transformou-se num esqueleto de um corpo descarnado pela doença. As partes gordas e macias desapareceram e tudo o que resta é a carcaça nua." (Platão) Apesar do constante movimento do homem em direção à simplificação e a destruição dos ecossistemas, já notado por Platão no século IV antes de Cristo, a natureza apresenta mecanismos contrários a essa tendência. Os impactos, sejam antrópicos ou naturais, são absorvidos, e a natureza tende a se reestruturar, atingindo o máximo de complexidade que o ambiente permitir. Como exemplo de reestruturação de ecossistemas há o processo de assoreamento em pequenas lagoas, ilustrado nas etapas do esquema a seguir. 42

43 a) Analise a sequência de etapas e responda: a1 - Qual o nome que se dá à substituição de comunidades que ocorre ao longo do processo? a2 - Como se denomina a etapa IV? a3 - Se esse processo ocorresse em uma ilha vulcânica recém-formada, que organismo poderia iniciar uma nova comunidade? b) A produtividade líquida de um ecossistema é determinada pela biomassa acumulada ao longo de um período, sendo resultado da diferença entre a taxa fotossintética e a taxa de respiração. Sabendo-se que a produtividade líquida varia ao longo do processo, qual deve ser a proporção entre as taxas fotossintética e de respiração quando esse processo atingir a última etapa? 30) (UNESP) Considerando um ecossistema aquático, em processo de sucessão ecológica, responda: a) O que ocorre com a biomassa desse ecossistema durante o processo de sucessão? b) Quando a comunidade atingirá o clímax? 31) (UNESP) A colonização de uma lagoa recém-formada se inicia com: a) plantas vasculares. b) anfíbios. c) peixes. d) decompositores. e) fitoplâncton. 32) (UERJ) Três grupos de espécies vegetais nativas de Mata Atlântica - 1, 2 e 3 - estão adaptadas a três estágios diferentes de sucessão ecológica. No gráfico a seguir, estão mostradas as curvas de saturação luminosa desses três grupos. 43

44 (Adaptado de BEGOM, M. et alii. Ecology. Londres: Blackwell Science, 1996.) Considere um programa de reflorestamento em uma região antes ocupada pela Mata Atlântica. a) Indique, dentre esses grupos de espécies, o mais recomendado para iniciar o programa em uma área de pastagem com pouco sombreamento. Justifique sua indicação. b) Suponha que, com o reflorestamento, estágios mais avançados da sucessão ecológica tenham sido alcançados. Nesta situação, indique o comportamento da produtividade primária líquida e da biomassa da comunidade vegetal. 33) (UFPR) Uma área, originalmente ocupada por floresta, é transformada em pastagem. Esta, após abandonada por alguns anos, naturalmente se modifica, tendendo a ser reocupada pela vegetação natural. Como se denomina este processo de reocupação, e de que forma ocorre? 34) (UFPE) Uma comunidade clímax é definida como: a) aquela que inicia uma área despovoada em que nunca houve vida ou na qual os organismos preexistentes tenham sido completamente extintos; b) aquela que possui a capacidade de perdurar indefinidamente enquanto perdurarem as condições ambientais nas quais se originou, através do fenômeno de sucessão ecológica; c) aquela que se estabelece numa área pelo fenômeno de sucessão ecológica onde a comunidade anterior foi praticamente destruída e é substituída em intervalos de tempo bastante curtos; d) aquela que, numa dada região e submetida às mesmas condições climáticas, vai se modificando lenta e progressivamente até tornar-se completamente diferente. e) Nenhuma das afirmativas anteriores está correta. 35) (UERJ) O esquema abaixo representa o ciclo do carbono na biosfera. Nele estão indicados os reservatórios desse elemento e seus processos de transferência entre os reservatórios. 44

45 (Adaptado de RICKLEFS, Robert E. A economia da natureza. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2003.) a) Nomeie e descreva o processo de transferência que é acelerado pela ação do ser humano. b) Explique como o desequilíbrio no ciclo do carbono causado por essa ação antropogênica pode afetar a temperatura terrestre. 36) (UFRS) Relacione os processos biológicos listados (1, 2 e 3) com um ou mais dos ciclos biogeoquímicos na coluna a seguir (a, b e c). 1 - Fotossíntese 2 - Respiração vegetal 3 - Decomposição aeróbica de restos orgânicos por microrganismos (a) Ciclo do carbono (b) Ciclo do oxigênio (c) Ciclo do nitrogênio Assinale a alternativa que melhor representa estas relações: a) 1 (a) (b) - 2 (a) (b) - 3 (a) (b) (c) b) 1 (a) (b) - 2 (a) (b) - 3 (c) c) 1 (b) - 2 (a) - 3 (a) (b) d) 1 (b) - 2 (a) - 3 (b) (c) e) 1 (b) (c) - 2 (c) - 3 (b) (c) 45

46 37) (UEL) Na biosfera, contribuem para maior e menor produção de oxigênio atmosférico, respectivamente, a) as florestas pluviais tropicais e os oceanos. b) as comunidades clímax e as terras cultivadas. c) as comunidades clímax e as florestas tropicais. d) os oceanos e as comunidades clímax. e) os oceanos e as florestas tropicais. 38) (UNIFESP) Observe a figura, que se refere ao ciclo da água em escala global. (Valores entre parênteses expressos em bilhões de bilhões de gramas [10 ] e bilhões de bilhões de gramas por ano. Modificado de R. G. Barry & R. J. Chorley. Atmosphere, Weather and Climate, 1970.) Pela análise da figura, pode-se concluir que a quantidade de água que evapora por ano da superfície da Terra para a atmosfera... a quantidade precipitada. A energia... pela água promove sua evaporação. Posteriormente, a condensação do vapor formado... a energia potencial da água na forma de calor. A... e não a... determina o fluxo de água através do ecossistema. Nesse texto, as lacunas devem ser preenchidas, respectivamente, por a)... supera... absorvida... absorve... precipitação... evaporação b)... supera... liberada... libera... evaporação... precipitação c)... iguala... liberada... absorve... precipitação... evaporação d)... iguala... liberada... libera... precipitação... evaporação e)... iguala... absorvida... libera... evaporação... precipitação 39) (ENEM) O sol participa do ciclo da água, pois além de aquecer a superfície da Terra dando origem aos ventos, provoca a evaporação da água dos rios, lagos e mares. O vapor da água, ao se resfriar, condensa em minúsculas gotinhas, que se agrupam formando as nuvens, neblinas ou névoas úmidas. As nuvens podem ser levadas pelos ventos de uma região para outra. Com a condensação e, em seguida, a chuva, a água volta à superfície da Terra, caindo sobre o solo, rios, lagos e mares. Parte dessa água evapora retornando à atmosfera, outra parte escoa superficialmente ou infiltra-se no solo, indo alimentar rios e lagos. Esse processo é chamado de ciclo da água. Considere, então, as seguintes afirmativas: I. A evaporação é maior nos continentes, uma vez que o aquecimento ali é maior do que nos oceanos. II. A vegetação participa do ciclo hidrológico por meio da transpiração. III. O ciclo hidrológico condiciona processos que ocorrem na litosfera, na atmosfera e na biosfera. 46

47 IV. A energia gravitacional movimenta a água dentro do seu ciclo. V. O ciclo hidrológico é passível de sofrer interferência humana, podendo apresentar desequilíbrios. a) Somente a afirmativa III está correta. b) Somente as afirmativas III e IV estão corretas. c) Somente as afirmativas I, II e V estão corretas. d) Somente as afirmativas II, III, IV e V estão corretas. e) Todas as afirmativas estão corretas. 40) (ENEM) O ciclo da água é fundamental para a preservação da vida no planeta. As condições climáticas da Terra permitem que a água sofra mudanças de fase e a compreensão dessas transformações é fundamental para se entender o ciclo hidrológico. Numa dessas mudanças, a água ou a umidade da terra absorve o calor do sol e dos arredores. Quando já foi absorvido calor suficiente, algumas das moléculas do líquido podem ter energia necessária para começar a subir para a atmosfera. Disponível em: Acesso em: 30 mar (adaptado). A transformação mencionada no texto é a a) fusão. b) liquefação. c) evaporação. d) solidificação. e) condensação. 41) (ENEM) Um jornal de circulação nacional publicou a seguinte notícia: Choveu torrencialmente na madrugada de ontem em Roraima, horas depois de os pajés caiapós Mantii e Kucrit, levados de Mato Grosso pela Funai, terem participado do ritual da dança da chuva, em Boa Vista. A chuva durou três horas em todo o estado e as previsões indicam que continuará pelo menos até amanhã. Com isso, será possível acabar de vez com o incêndio que ontem completou 63 dias e devastou parte das florestas do estado. Jornal do Brasil, abr./1998 (com adaptações). Considerando a situação descrita, avalie as afirmativas seguintes. I. No ritual indígena, a dança da chuva, mais que constituir uma manifestação artística, tem a função de intervir no ciclo da água. II. A existência da dança da chuva em algumas culturas está relacionada à importância do ciclo da água para a vida. III. Uma das informações do texto pode ser expressa em linguagem científica da seguinte forma: a dança da chuva seria efetiva se provocasse a precipitação das gotículas de água das nuvens. É correto o que se afirma em a) I, apenas. b) III, apenas. c) I e II, apenas. d) II e III, apenas. e) I, II e III. 42) (FUVEST) O ciclo do carbono pode ser resumido no esquema a seguir: 47

48 As etapas I e II podem ser, respectivamente, a) fotossíntese e quimiossíntese. b) decomposição e queima de combustíveis. c) fotossíntese e queima de combustíveis. d) quimiossíntese e fotossíntese. e) fermentação e respiração. RAFAEL BC 43) (ENEM) O ciclo biogeoquímico do carbono compreende diversos compartimentos, entre os quais a Terra, a atmosfera e os oceanos, e diversos processos que permitem a transferência de compostos entre esses reservatórios. Os estoques de carbono armazenados na forma de recursos não renováveis, por exemplo, o petróleo, são limitados, sendo de grande relevância que se perceba a importância da substituição de combustíveis fósseis por combustíveis de fontes renováveis. A utilização de combustíveis fósseis interfere no ciclo do carbono, pois provoca a) aumento da porcentagem de carbono contido na Terra. b) redução na taxa de fotossíntese dos vegetais superiores. c) aumento da produção de carboidratos de origem vegetal. d) aumento na quantidade de carbono presente na atmosfera. e) redução da quantidade global de carbono armazenado nos oceanos. 44) (UFSM) Em relação ao ciclo do carbono na natureza, é correto afirmar que I - esse elemento provém da atmosfera e é incorporado diretamente aos seres vivos. II - os depósitos de carbono fósseis, como carvão, turfa e petróleo, são inesgotáveis uma vez que vão sendo supridos por todos os organismos que morrem. III - um dos fatores que tem aumentado muito a liberação de CO 2 na atmosfera é a queimada das florestas. Está(ão) correta(s) a) apenas I. b) apenas II. c) apenas III. d) apenas I e II. e) apenas II e III. 45) (PUCSP) O esquema a seguir representa um dos ciclos biogeoquímicos que ocorrem nos ecossistemas. Nesse esquema, os espaços I e II devem ser substituídos correta e respectivamente por: a) oxigênio e consumidores primários. b) água e consumidores primários. c) dióxido de carbono e produtores. d) oxigênio e produtores. e) dióxido de carbono e consumidores primários. 48

49 46) (UNESP) Ciclo do carbono na natureza pode ser representado, simplificadamente, da seguinte maneira. Os números de 1 a 5 indicam, respectivamente, a) fotossíntese, nutrição, respiração, combustão e morte. b) respiração, nutrição, fotossíntese, morte e combustão. c) nutrição, combustão fotossíntese, morte e respiração. d) fotossíntese, combustão, respiração, morte e nutrição. e) fotossíntese, respiração, nutrição, combustão e morte. 47) (UFMG) Muitos agricultores têm abandonado o plantio nas encostas das serras devido à dificuldade de máquinas agrícolas modernas trabalharem em terras íngremes. Observa-se, em vários desses locais, a recuperação de florestas, inclusive de trechos de Mata Atlântica, graças ao processo representado nesta figura: Considerando-se o processo de recuperação dessas áreas, é CORRETO afirmar que a) os ciclos do carbono e do nitrogênio são mais demorados no final desse processo. b) esse processo começa com espécies pioneiras que produzem poucas sementes. c) a biomassa e a taxa de respiração, no início da recuperação, são maiores que no final. d) o tempo necessário para a recuperação da floresta é de, aproximadamente, cinco anos. 48) (FUVEST) No esquema a seguir, os retângulos representam os quatro maiores reservatórios do elemento carbono em nosso planeta e as setas indicam o fluxo do carbono entre esses reservatórios. 49

50 (Baseado em Trabalka, J. K. & Reichle, D. E. (eds) "The Changing Carbon Cycle: a global analysis"; Springer, Nova York, 1986). Indique, justificando: a) os fluxos que incluem os processos de fotossíntese, respiração aeróbica e fermentação, realizados pelos seres vivos atuais. b) o fluxo que é diretamente afetado pelas usinas termoelétricas a carvão mineral. 49) (UFV) Contrariando a sua fama de vilãs, como causadoras de doenças nos seres vivos, muitas bactérias se relacionam com a natureza como agentes importantes nos ciclos biogeoquímicos. No ciclo do nitrogênio, as bactérias nitrificantes convertem: a) amônia em nitrato. b) amônia em aminoácidos. c) nitrogênio atmosférico em amônia. d) nitrato em nitrogênio. e) aminoácidos em amônia. 50) (PUC-RJ) Apesar de a atmosfera terrestre ser constituída em sua maior parte por nitrogênio, este não pode ser diretamente absorvido pelas plantas. As plantas podem obter do solo e da água, sob a forma de nitratos, o nitrogênio utilizado pelos organismos. Os nitratos são produzidos por: a) decomposição das rochas por ação das intempéries. b) bactérias nitrificantes. c) decompositores em geral. d) plantas em putrefação. e) animais em decomposição. 51) (PUCRS) A associação entre plantas leguminosas e bactérias do gênero Rhizobium é um exemplo de mutualismo envolvendo membros de reinos distintos. Por tratar-se de um mutualismo, ambos os organismos são beneficiados. O papel das bactérias do gênero Rhizobium nessa associação contribui significativamente para o ciclo global a) do carbono. b) do nitrogênio. c) da água. d) do fósforo. e) do enxofre. 50

51 52) (UFAL) As espécies de bactérias que vivem em células dos nódulos presentes nas raízes das leguminosas desempenham papel importante no ciclo a) da água. b) do fósforo. c) do carbono. d) do oxigênio. e) do nitrogênio. 53) (PUCRS) Quando se estuda o ciclo do nitrogênio, verifica-se que os seres que devolvem este elemento à atmosfera são bactérias particularmente denominadas. a) nitrificantes. b) ferrosas. c) sulfurosas. d) denitrificantes. e) simbiontes. 54) (IFAL) As etapas abaixo enumeradas relacionam-se com o ciclo do nitrogênio em uma comunidade. a) I II III. b) I III II. c) II I III. d) II III I. e) III II I. I. O nitrogênio das plantas passa para o reino animal através da cadeia alimentar. II. Os compostos orgânicos nitrogenados são transformados em amônia por ação dos decompositores. III. Nitratos são absorvidos pelas raízes dos vegetais e transformados em matéria orgânica. 55) (UEL) Considere as seguintes etapas do ciclo biogeoquímico do nitrogênio e os microrganismos que delas participam: 1 - transformação do nitrogênio atmosférico em amônia 2 - transformação da amônia em nitritos e nitratos 3 - transformação de substâncias nitrogenadas em amônia 4 - transformação da amônia em nitrogênio a - bactérias e fungos decompositores b - bactérias quimiossintetizantes c - bactérias desnitrificantes d - bactérias em associação mutualista com raízes A associação correta é a) 1 - a, 2 - d, 3 - c, 4 - b b) 1 - c, 2 - b, 3 - a, 4 - d c) 1 - c, 2 - d, 3 - b, 4 - a d) 1 - d, 2 - a, 3 - b, 4 - c e) 1 - d, 2 - b, 3 - a, 4 - c 56) (UNIOESTE) Relativo aos ciclos biogeoquímicos, é correto afirmar que (01) o ciclo do nitrogênio não envolve microrganismos e sua principal reserva encontra-se na água. 51

52 (02) a decomposição de esqueletos e conchas constitui parte do ciclo do cálcio na natureza. (04) bactérias do gênero Rhizobium são muito importantes no ciclo do fósforo. (08) no ciclo do carbono, a forma inorgânica do gás carbônico é transformada em orgânica na fotossíntese. (16) o ciclo do nitrogênio compreende a transformação do N atmosférico em nitratos que são assimilados pelas plantas. (32) os sais de fósforo não passam aos animais através das cadeias alimentares, o que permite o não estabelecimento do ciclo do fósforo. Soma: 57) (UERJ) As plantas leguminosas apresentam frequentemente nódulos nas suas raízes causadas por invasão de bactérias fixadoras de nitrogênio nas células vegetais. Podemos afirmar, então, que se estabelece uma relação classificada como mutualismo entre a bactéria e a planta. Justifique esta afirmativa. 58) (FUVEST) O esquema representa o ciclo do elemento nitrogênio. a) Explique de que maneira os animais obtêm nitrogênio para a fabricação de suas substâncias orgânicas. b) Em quais dos processos indicados por letras (A, B, C, D e E) participam bactérias? c) Qual a importância do processo E para a continuidade da vida? 52

53 59) (UERJ) O esquema abaixo mostra alguns dos processos metabólicos que resumem as relações dos gases da atmosfera com a síntese e a decomposição de matéria orgânica que são executadas por bactérias, animais ou vegetais. Observe que seis desses processos estão numerados. Identifique, numericamente, um processo que libere energia e um que absorva energia. A seguir, indique, dentre os grupos de seres vivos citados, aqueles capazes de realizar cada um dos dois processos identificados. 60) (UEPG) Na natureza, átomos como os de nitrogênio, hidrogênio, carbono e oxigênio não são criados ou destruídos, nem transformados uns nos outros. A matéria que constitui os componentes dos ecossistemas é constantemente reciclada. Fala-se então de ciclo da matéria ou ciclos biogeoquímicos. Sobre este tema, assinale o que for correto. (01) Nos ciclos biogeoquímicos, a atividade dos decompositores é fundamental. Eles degradam os restos dos animais e vegetais, devolvendo ao solo a água e ao ar os materiais que constituem esses restos, que podem então ser reutilizados. (02) Quatro categorias de bactérias participam do ciclo de nitrogênio: fixadoras, decompositoras, nitrificantes e desnitrificantes. (04) As leguminosas são capazes de absorver, pelas folhas, nitrogênio atmosférico, a partir do qual sintetizam nitratos. (08) Todas as moléculas orgânicas dos seres vivos - carboidratos, proteínas, lipídios e ácidos nucléicos - apresentam átomos de carbono em sua composição. (16) O fósforo, um dos elementos que circulam nos ecossistemas, é de grande importância para a vida. Ele faz parte dos ácidos nucleicos, do ATP e dos fosfolipídios, além de constituir, nos animais, um componente mineral dos ossos e dos dentes. Soma: 53

54 61) (UFRRJ) Observe o ciclo representado abaixo. RAFAEL BC In : LINHARES, Sérgio. & GEWANDSZNAJDER, Fernando. Biologia hoje. São Paulo, Ática, p Sobre esse ciclo, pode-se afirmar que a) ao contrário de ciclos como o da água, o ciclo do fósforo não tem envolvimento da atmosfera. b) a partir do fosfato, os vegetais sintetizam compostos inorgânicos, como os ácidos nucléicos. c) as aves marinhas não desempenham papel importante na restituição do fósforo marinho para o ambiente terrestre. d) o fosfato é levado de volta ao solo através da respiração dos animais. e) ao contrário do que acontece com o cálcio, o fósforo não tende a se acumular no mar. 54

55 Fontes de energia, exploração e uso dos recursos naturais RAFAEL BC 1) (ENEM) Suponha que você seja um consultor e foi contratado para assessorar a implantação de uma matriz energética em um pequeno país com as seguintes características: região plana, chuvosa e com ventos constantes, dispondo de poucos recursos hídricos e sem reservatórios de combustíveis fósseis. De acordo com as características desse país, a matriz energética de menor impacto e risco ambiental é a baseada na energia a) dos biocombustíveis, pois tem menor impacto ambiental e maior disponibilidade. b) solar, pelo seu baixo custo e pelas características do país favoráveis à sua implantação. c) nuclear, por ter menor risco ambiental e ser adequada a locais com menor extensão territorial. d) hidráulica, devido ao relevo, à extensão territorial do país e aos recursos naturais disponíveis. e) eólica, pelas características do país e por não gerar gases do efeito estufa nem resíduos de operação. 2) (UFC) Sobre as fontes de energia utilizadas pelo homem, é possível afirmar, de forma correta, que: a) entre as fontes de energia classificadas como renováveis, destacam-se o carvão mineral, o petróleo, o gás natural e os minerais radioativos. b) as fontes de energia modernas, de rendimento elevado, respondem por quase metade da energia consumida atualmente no mundo. c) o petróleo foi a fonte de energia básica que garantiu a Revolução Industrial, a partir da segunda metade do século XVIII. d) as fontes de energia utilizadas, variaram, através dos tempos, em função do desenvolvimento cultural e técnicocientífico das sociedades. e) o uso da energia alternativa, gerada pelo álcool, pelo sol, ou ventos, é crescente, graças à baixo custo tecnológico necessária à sua produção. 3) (UFPEL) A energia move o mundo. As fontes de energia podem ser divididas em renováveis e não renováveis, primárias e secundárias. Com base nas informações anteriores e em seus conhecimentos, é correto afirmar que a) o petróleo, principal fonte energética da Revolução Industrial, impulsionou o movimento da economia, através da indústria automobilística, sendo uma fonte de energia renovável. b) o carvão mineral, fonte de energia básica da Segunda Revolução Industrial, entre os combustíveis fósseis, é o menos abundante, no Brasil, apesar de ser muito utilizado em nosso país. c) as hidrelétricas não apresentam nenhum inconveniente para o meio ambiente, sendo bastante viáveis, por sua construção ser de baixo custo, por serem totalmente naturais e por não emitirem poluentes. d) a energia nuclear é produzida através de reatores nucleares, que produzem energia térmica por fissão (quebra do átomo de urânio ou de tório) não apresentando riscos de contaminação ambiental. e) o gás natural, um recurso esgotável que requer altos custos na construção de gasômetros e na utilização de metaneiros, tem influência na formação de chuvas ácidas e na alteração climática. 4) (ENEM) A biodigestão anaeróbica, que se processa na ausência de ar, permite a obtenção de energia e materiais que podem ser utilizados não só como fertilizante e combustível de veículos, mas também para acionar motores elétricos e aquecer recintos. 55

56 O material produzido pelo processo esquematizado acima e utilizado para geração de energia é o a) biodiesel, obtido a partir da decomposição de matéria orgânica e(ou) por fermentação na presença de oxigênio. b) metano (CH 4 ), biocombustível utilizado em diferentes máquinas. c) etanol, que, além de ser empregado na geração de energia elétrica, é utilizado como fertilizante. d) hidrogênio, combustível economicamente mais viável, produzido sem necessidade de oxigênio. e) metanol, que, além das aplicações mostradas no esquema, é matéria-prima na indústria de bebidas. 5) (ENEM) Qual das seguintes fontes de produção de energia é a mais recomendável para a diminuição dos gases causadores do aquecimento global? a) Óleo diesel. b) Gasolina. c) Carvão mineral. d) Gás natural. e) Vento. 6) (ENEM) "A idade da pedra chegou ao fim, não porque faltassem pedras; a era do petróleo chegará igualmente ao fim, mas não por falta de petróleo". Xeque Yamani, Ex-ministro do Petróleo da Arábia Saudita. "O Estado de S. Paulo", 20/08/2001. Considerando as características que envolvem a utilização das matérias-primas citadas no texto em diferentes contextos histórico-geográficos, é correto afirmar que, de acordo com o autor, a exemplo do que aconteceu na Idade da Pedra, o fim da era do Petróleo estaria relacionado a) à redução e esgotamento das reservas de petróleo. b) ao desenvolvimento tecnológico e à utilização de novas fontes de energia. c) ao desenvolvimento dos transportes e consequente aumento do consumo de energia. d) ao excesso de produção e consequente desvalorização do barril de petróleo. e) à diminuição das ações humanas sobre o meio ambiente. 56

57 7) (PUC-RS) Responder à questão com base no esquema. RAFAEL BC A importante fonte de energia encontrada no sul do Brasil que obedece ao esquema de formação acima é a) o carvão vegetal. b) o petróleo. c) o carvão mineral. d) o gás metano. e) o xisto betuminoso. 8) (UFC) As reservas petrolíferas estão relacionadas a um tipo de formação geológica. Indique, corretamente, esse tipo de formação. a) Escudos cristalinos. b) Bacias sedimentares. c) Dobramentos cenozoicos. d) Placas tectônicas. e) Aluviões quaternários. 9) (UFRS) Assinale a alternativa correta com relação aos recursos energéticos. a) Os combustíveis fósseis, recursos finitos e não renováveis, têm os custos econômicos de sua exploração encarecidos, quando a sua localização ocorre em consideráveis profundidades. b) São chamadas de combustíveis fósseis as fontes energéticas geradas pela fossilização de material orgânico. Os mais importantes combustíveis fósseis são o carvão, o petróleo e os derivados do álcool. c) A queima de combustíveis fósseis provoca a liberação de gás carbônico na atmosfera, o que ocasiona o resfriamento das temperaturas globais. d) Os maiores responsáveis pela poluição atmosférica causada pela queima dos combustíveis fósseis são os países periféricos, uma vez que as indústrias dos países tecnologicamente mais avançados já operam, em sua maioria, com a chamada "tecnologia limpa". e) A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) congrega exclusivamente países árabes, constituindo-se numa organização essencialmente política, baseada no poder econômico possibilitado pelo domínio da exploração do mais importante dos combustíveis fósseis. 10) (UDESC) Sobre as reservas de petróleo da camada pré-sal, assinale a alternativa incorreta. a) O campo de Jubarte será o primeiro, no Brasil, a produzir óleo abaixo da camada de sal. Apesar de ser na Bacia de Santos que estão sendo depositadas as expectativas de maior volume de reservas na camada do pré-sal, é no litoral capixaba, ainda na Bacia de Campos, que o primeiro óleo será retirado desta formação geológica. b) A grande vantagem do Brasil na exploração de petróleo da camada do pré-sal é que a Petrobrás é 100% estatal e única dona do petróleo existente na referida reserva. c) O presidente Luiz Inácio Lula da Silva quer que o modelo de exploração da camada pré-sal transforme o Brasil em um grande exportador de derivados, que valem mais que exportar o petróleo cru. d) A Petrobrás realizou, também, uma avaliação regional do potencial petrolífero do pré-sal que se estende nas bacias do Sul e Sudeste brasileiros. Os volumes recuperáveis estimados de óleo e gás para os reservatórios do pré-sal, se confirmados, elevarão significativamente a quantidade de óleo existente em bacias brasileiras, colocando o Brasil entre os países com grandes reservas de petróleo e gás do mundo. e) A Petrobrás e sócias identificaram indícios de petróleo em diferentes pontos na camada pré-sal, que se estende por 800km desde o litoral do Espírito Santo ao de Santa Catarina. 11) (UFMS) Com o slogan: Pré-sal, patrimônio da união, riqueza do povo e futuro do Brasil, o Governo Federal lança campanha para aumentar a extração de petróleo no Brasil em áreas oceânicas. Sobre o présal, é correto afirmar: 57

58 1) Os poços petrolíferos no pré-sal foram descobertos por empresas que estavam extraindo sal em grandes profundidades e perceberam manchas de petróleo em algumas partes rochosas nas salinas submarinas; posteriormente, a Petrobrás avaliou a qualidade do petróleo dos poços e a viabilidade econômica para sua extração. 2) O petróleo atualmente é um mineral bastante valorizado no mercado internacional, e todos os países exportadores desse mineral conseguiram elevado grau de desenvolvimento econômico e social bancados pelos petrodólares; não há perspectiva de diminuição do preço do barril de petróleo, considerando sua trajetória histórica e as pressões da OPEP, para manutenção do preço, sendo assim existe uma garantia de retorno dos investimentos para o Brasil com a exportação desse produto. 4) A extração de petróleo no mar é muito mais segura em relação aos riscos ambientais, o que a torna uma atividade comercial mais ambientalmente segura e socialmente justa para a nação; as possibilidades de vazamento são mínimas e o pré-sal funciona como um depurador dos resíduos em superfície, além de que as bacias petrolíferas do pré-sal estão sob o controle da Marinha Brasileira. 8) A Petrobrás, por ser uma empresa estatal, defende os interesses do Estado brasileiro na exploração do petróleo; nesse sentido, o Governo encaminhou projeto de lei para tornar o pré-sal monopólio de exploração da Petrobrás. Atualmente, a extração de petróleo no pré-sal é feita através de uma associação da Petrobrás com empresas privadas internacionais sob a forma de partilha do volume extraído e não mais sob a forma de contrato de risco. 16) As bacias petrolíferas do pré-sal localizam-se numa extensa área oceânica nas direções dos estados de Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo, a aproximadamente 300 km do litoral e numa profundidade de 5 a 7 km abaixo do leito do mar. Essa situação torna o empreendimento de alto custo e risco tanto do ponto de vista da logística de transporte quanto do tecnológico para extração do petróleo, exigindo maior capitalização de recursos por parte da Petrobrás. 12) (ENEM) O potencial brasileiro para gerar energia a partir da biomassa não se limita a uma ampliação do Pró-álcool. O país pode substituir o óleo diesel de petróleo por grande variedade de óleos vegetais e explorar a alta produtividade das florestas tropicais plantadas. Além da produção de celulose, a utilização da biomassa permite a geração de energia elétrica por meio de termelétricas a lenha, carvão vegetal ou gás de madeira, com elevado rendimento e baixo custo. Cerca de 30% do território brasileiro é constituído por terras impróprias para a agricultura, mas aptas à exploração florestal. A utilização de metade dessa área, ou seja, de 120 milhões de hectares, para a formação de florestas energéticas, permitiria produção sustentada do equivalente a cerca de 5 bilhões de barris de petróleo por ano, mais que o dobro do que produz a Arábia Saudita atualmente. José Walter Bautista Vidal. Desafios Internacionais para o século XXI. Seminário da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara dos Deputados, ago./2002 (com adaptações). Para o Brasil, as vantagens da produção de energia a partir da biomassa incluem a) implantação de florestas energéticas em todas as regiões brasileiras com igual custo ambiental e econômico. b) substituição integral, por biodiesel, de todos os combustíveis fósseis derivados do petróleo. c) formação de florestas energéticas em terras impróprias para a agricultura. d) importação de biodiesel de países tropicais, em que a produtividade das florestas seja mais alta. e) regeneração das florestas nativas em biomas modificados pelo homem, como o Cerrado e a Mata Atlântica. 13) (FUVEST) Considere as seguintes atividades humanas: I - Uso de equipamento ligado à rede de energia gerada em usinas hidrelétricas. II - Preparação de alimentos em fogões a gás combustível. III - Uso de equipamento rural movido por tração animal. IV - Transporte urbano movido a álcool combustível. As transformações de energia solar, por ação direta ou indireta de organismos fotossintetizantes, ocorrem exclusivamente em a) I b) II 58

59 c) II, III e IV d) III e IV e) IV RAFAEL BC 14) (ENEM) Deseja-se instalar uma estação de geração de energia elétrica em um município localizado no interior de um pequeno vale cercado de altas montanhas de difícil acesso. A cidade é cruzada por um rio, que é fonte de água para consumo, irrigação das lavouras de subsistência e pesca. Na região, que possui pequena extensão territorial, a incidência solar é alta o ano todo. A estação em questão irá abastecer apenas o município apresentado. Qual forma de obtenção de energia, entre as apresentadas, é a mais indicada para ser implantada nesse município de modo a causar o menor impacto ambiental? a) Termelétrica, país é possível utilizar a água do rio no sistema de refrigeração. b) Eólica, pois a geografia do local é própria para a captação desse tipo de energia. c) Nuclear, pois o modo de resfriamento de seus sistemas não afetaria a população. d) Fotovoltaica, pois é possível aproveitar a energia solar que chega à superfície do local. e) Hidrelétrica, pois o rio que corta o município é suficiente para abastecer a usina construída. 15) (ENEM) O uso mais popular de energia solar está associado ao fornecimento de água quente para fins domésticos. Na figura ao lado, é ilustrado um aquecedor de água constituído de dois tanques pretos dentro de uma caixa termicamente isolada e com cobertura de vidro, os quais absorvem energia solar. Nesse sistema de aquecimento, A. Hinrichs e M. Kleinbach. Energia e meio ambiente. São Paulo: Thompson, 3.ª ed., 2004, p. 529 (com adaptações). a) os tanques, por serem de cor preta, são maus absorvedores de calor e reduzem as perdas de energia. b) a cobertura de vidro deixa passar a energia luminosa e reduz a perda de energia térmica utilizada para o aquecimento. c) a água circula devido à variação de energia luminosa existente entre os pontos X e Y. d) a camada refletiva tem como função armazenar energia luminosa. e) o vidro, por ser bom condutor de calor, permite que se mantenha constante a temperatura no interior da caixa. 16) (ENEM) Álcool, crescimento e pobreza O lavrador de Ribeirão Preto recebe em média R$ 2,50 por tonelada de cana cortada. Nos anos 80, esse trabalhador cortava cinco toneladas de cana por dia. A mecanização da colheita o obrigou a ser mais produtivo. O corta-cana derruba agora oito toneladas por dia. O trabalhador deve cortar a cana rente ao chão, encurvado. Usa roupas mal-ajambradas, quentes, que lhe cobrem o corpo, para que não seja lanhado pelas folhas da planta. O excesso de trabalho causa a birola: tontura, desmaio, cãibra, convulsão. A fim de aguentar dores e cansaço, esse trabalhador toma drogas e 59

60 soluções de glicose, quando não farinha mesmo. Tem aumentado o número de mortes por exaustão nos canaviais. O setor da cana produz hoje uns 3,5% do PIB. Exporta US$ 8 bilhões. Gera toda a energia elétrica que consome e ainda vende excedentes. A indústria de São Paulo contrata cientistas e engenheiros para desenvolver máquinas e equipamentos mais eficientes para as usinas de álcool. As pesquisas, privada e pública, na área agrícola (cana, laranja, eucalipto etc.) desenvolvem a bioquímica e a genética no país. Folha de S. Paulo, 11/3/2007 (com adaptações). Folha de S. Paulo, 25/3/2007. Confrontando-se as informações do texto com as da charge acima, conclui-se que a) a charge contradiz o texto ao mostrar que o Brasil possui tecnologia avançada no setor agrícola. b) a charge e o texto abordam, a respeito da cana-de açúcar brasileira, duas realidades distintas e sem relação entre si. c) o texto e a charge consideram a agricultura brasileira avançada, do ponto de vista tecnológico. d) a charge mostra o cotidiano do trabalhador, e o texto defende o fim da mecanização da produção da cana de-açúcar no setor sucroalcooleiro. e) o texto mostra disparidades na agricultura brasileira, na qual convivem alta tecnologia e condições precárias de trabalho, que a charge ironiza. 17) (ENEM) Há diversas maneiras de o ser humano obter energia para seu próprio metabolismo utilizando energia armazenada na cana-de-açúcar. O esquema a seguir apresenta quatro alternativas dessa utilização. A partir dessas informações, conclui-se que a) a alternativa 1 é a que envolve maior diversidade de atividades econômicas. b) a alternativa 2 é a que provoca maior emissão de gás carbônico para a atmosfera. c) as alternativas 3 e 4 são as que requerem menor conhecimento tecnológico. d) todas as alternativas requerem trabalho humano para a obtenção de energia. e) todas as alternativas ilustram o consumo direto, pelo ser humano, da energia armazenada na cana. 18) (CFT-MG) A preocupação ambiental e a crise que atinge o setor energético convencional incentivam as pesquisas das fontes alternativas tais como: a biomassa, as energias eólica e solar. Com relação ao biodiesel, é correto afirmar que se trata de a) um combustível inorgânico de grande poder energético, obtido a partir da mistura de óleos minerais. b) uma combinação de óleos refinados da mamona e da soja para emprego como combustível em usinas termoelétricas. c) um produto resultante da combinação de óleos, vegetais ou animais, e álcool com poder energético suficiente para propulsão automotiva. d) uma mistura de álcool, diesel, óleo vegetal e gasolina com enorme poder explosivo, para ser empregado na combustão em motores diesel. 60

61 19) (ENEM) Os biocombustíveis de primeira geração são derivados da soja, milho e cana-de-açúcar e sua produção ocorre através da fermentação. Biocombustíveis derivados de material celulósico ou biocombustíveis de segunda geração coloquialmente chamados de gasolina de capim são aqueles produzidos a partir de resíduos de madeira (serragem, por exemplo), talos de milho, palha de trigo ou capim de crescimento rápido e se apresentam como uma alternativa para os problemas enfrentados pelos de primeira geração, já que as matérias-primas são baratas e abundantes. DALE, B. E.; HUBER, G. W. Gasolina de capim e outros vegetais. Scientific American Brasil. Ago. 2009, nº 87 (adaptado). O texto mostra um dos pontos de vista a respeito do uso dos biocombustíveis na atualidade, os quais a) são matrizes energéticas com menor carga de poluição para o ambiente e podem propiciar a geração de novos empregos, entretanto, para serem oferecidos com baixo custo, a tecnologia da degradação da celulose nos biocombustíveis de segunda geração deve ser extremamente eficiente. b) oferecem múltiplas dificuldades, pois a produção é de alto custo, sua implantação não gera empregos, e deve-se ter cuidado com o risco ambiental, pois eles oferecerem os mesmos riscos que o uso de combustíveis fósseis. c) sendo de segunda geração, são produzidos por uma tecnologia que acarreta problemas sociais, sobretudo decorrente do fato de a matéria-prima ser abundante e facilmente encontrada, o que impede a geração de novos empregos. d) sendo de primeira e segunda geração, são produzidos por tecnologias que devem passar por uma avaliação criteriosa quanto ao uso, pois uma enfrenta o problema da falta de espaço para plantio da matériaprima e a outra impede a geração de novas fontes de emprego. e) podem acarretar sérios problemas econômicos e sociais, pois a substituição do uso de petróleo afeta negativamente toda uma cadeia produtiva na medida em que exclui diversas fontes de emprego nas refinarias, postos de gasolina e no transporte petróleo e gasolina. 20) (PUC-RJ) O álcool e a gasolina são combustíveis que, em última análise, promovem a transformação da energia solar porque: a) no refino de ambos, há a necessidade da energia do sol para transformação da energia química contida nas moléculas orgânicas. b) para a fabricação do álcool, é necessária a energia solar para fermentação da glicose, e o refino do petróleo é constituído de organismos vegetais fossilizados. c) o álcool provém de um vegetal fotossintético, e o petróleo é um combustível mineral. d) o álcool provém de um vegetal fotossintético, e o petróleo, de florestas fossilizadas. e) o álcool provém de um vegetal fotossintético, e o processo de fossilização do petróleo se dá em função de sua oxidação pela energia do sol. 21) (UEA) Leia o texto. Hidrelétricas na Amazônia Nós, do Pará, não precisamos de mais hidrelétricas. O governo vende a falácia da energia limpa como se só tivéssemos duas alternativas: ou a energia suja do petróleo ou a energia limpa dos rios. E como a Amazônia é riquíssima em rios, eles estão aproveitando. São mais de 58 projetos de hidrelétricas na Amazônia. Cada barragem incide numa inundação imensa rio acima, provocando um distúrbio na bacia do rio abaixo, além da expulsão dos ribeirinhos, disse Padre Edilberto Sena, coordenador da Rádio Rural AM de Santarém, Pará, e membro da Frente em Defesa da Amazônia (FDA). (www.portalamazonia-teste.tempsite.ws. Adaptado.) De acordo com o texto, a construção de um grande lago artificial implica, na região, a) o aumento da biodiversidade de peixes, visto que o lago formado propicia a inauguração de diferentes nichos ecológicos, que podem ser explorados por diferentes espécies. b) a retirada da totalidade dos seres vivos, antes da formação do lago, que serão transferidos para áreas semelhantes, mitigando os impactos causados pela alteração do ambiente. 61

62 c) a redução do efeito estufa, devido ao crescimento de algas, melhorando muito a qualidade e oxigenação da água de lagos recém-formados. d) a inundação de áreas parcialmente desmatadas, ocasionando a decomposição da floresta submersa, que emite gases prejudiciais à atmosfera, como o metano, agravando o efeito estufa. e) a melhor distribuição de renda que um empreendimento desse porte proporciona para a população ribeirinha, devido ao grande e equilibrado desenvolvimento urbano e paisagístico da região. 22) (ENEM) Do ponto de vista ambiental, uma distinção importante que se faz entre os combustíveis é serem provenientes ou não de fontes renováveis. No caso dos derivados de petróleo e do álcool de cana, essa distinção se caracteriza a) pela diferença nas escalas de tempo de formação das fontes, período geológico no caso do petróleo e anual no da cana. b) pelo maior ou menor tempo para se reciclar o combustível utilizado, tempo muito maior no caso do álcool. c) pelo maior ou menor tempo para se reciclar o combustível utilizado, tempo muito maior no caso dos derivados do petróleo. d) pelo tempo de combustão de uma mesma quantidade de combustível, tempo muito maior para os derivados do petróleo do que do álcool. e) pelo tempo de produção de combustível, pois o refino do petróleo leva dez vezes mais tempo do que a destilação do fermento de cana. 23) (ENEM) TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO: Seguem alguns trechos de uma matéria da revista Superinteressante, que descreve hábitos de um morador de Barcelona (Espanha), relacionando-os com o consumo de energia e efeitos sobre o ambiente. I. Apenas no banho matinal, por exemplo, um cidadão utiliza cerca de 50 litros de água, que depois terá que ser tratada. Além disso, a água é aquecida consumindo 1,5 quilowatt-hora (cerca de 1,3 milhões de calorias), e para gerar essa energia foi preciso perturbar o ambiente de alguma maneira... II. Na hora de ir para o trabalho, o percurso médio dos moradores de Barcelona mostra que o carro libera 90 gramas do venenoso monóxido de carbono e 25 gramas de óxidos de nitrogênio... Ao mesmo tempo, o carro consome combustível equivalente a 8,9 kwh. III. Na hora de recolher o lixo doméstico... quase 1kg por dia. Em cada quilo há aproximadamente 240 gramas de papel, papelão e embalagens; 80 gramas de plástico; 55 gramas de metal, 40 gramas de material biodegradável e 80 gramas de vidro. Com referência ao trecho II, pode-se afirmar que: a) um automóvel produz monóxido de carbono pelo fato de que a queima dos combustíveis utilizados não é completa. b) pode-se concluir que o automóvel em questão não utiliza o álcool como combustível. c) a produção de óxido de nitrogênio contribui para a chuva ácida. d) o texto está equivocado, pois os óxidos de nitrogênio lançados na atmosfera não têm qualquer relação com o automóvel. e) caso o automóvel fosse elétrico, não poluiria o ambiente com monóxido de carbono, mas lançaria ao ar radiações eletromagnéticas prejudiciais à saúde. 24) (ENEM) Considerando a riqueza dos recursos hídricos brasileiros, uma grave crise de água em nosso país poderia ser motivada por a) reduzida área de solos agricultáveis. b) ausência de reservas de águas subterrâneas. c) escassez de rios e de grandes bacias hidrográficas. d) falta de tecnologia para retirar o sal da água do mar. e) degradação dos mananciais e desperdício no consumo. 25) (ENEM) Em usinas hidrelétricas, a queda d água move turbinas que acionam geradores. Em usinas eólicas, os geradores são acionados por hélices movidas pelo vento. Na conversão direta solar-elétrica são 62

63 células fotovoltaicas que produzem tensão elétrica. Além de todos produzirem eletricidade, esses processos têm em comum o fato de: a) não provocarem impacto ambiental. b) independerem de condições climáticas. c) a energia gerada poder ser armazenada. d) utilizarem fontes de energia renováveis. e) dependerem das reservas de combustíveis fósseis. 26) (UFV) O Brasil é um país rico em rios, o que lhe confere um grande potencial hidrelétrico. Este potencial está relacionado respectivamente aos seguintes fatores geográficos: a) às condições climáticas e ao relevo acidentado. b) à predominância no país do clima equatorial e à existência de poucas áreas planas. c) à continentalidade do território e à disposição longitudinal do seu relevo. d) à latitude e à monotonia do relevo. e) à tropicalidade e à existência de planícies de tamanho considerável. 27) (ENEM) A economia moderna depende da disponibilidade de muita energia em diferentes formas, para funcionar e crescer. No Brasil, o consumo total de energia pelas indústrias cresceu mais de quatro vezes no periodo entre 1970 e Enquanto os investimentos em energias limpas e renováveis, como solar e eólica, ainda são incipientes, ao se avaliar a possibilidade de instalação de usinas geradoras de energia elétrica, diversos fatores devem ser levados em consideração, tais como os impactos causados ao ambiente e às populações locais. Ricardo. B. e Campanili, M. Almanaque Brasil Socioambiental. Instituto Socioambiental. São Paulo, 2007 (adaptado) Em uma situação hipotética, optou-se por construir uma usina hidrelétrica em região que abrange diversas quedas d água em rios cercados por mata, alegando-se que causaria impacto ambiental muito menor que uma usina termelétrica. Entre os possíveis impactos da instalação de uma usina hidrelétrica nessa região, inclui-se: a) a poluição da água por metais da usina. b) a destruição do habitat de animais terrestres. c) o aumento expressivo na liberação de CO 2 para a atmosfera. d) o consumo não renovável de toda água que passa pelas turbinas. e) o aprofundamento no leito do rio, com a menor deposição de resíduos no trecho de rio anterior à represa. 28) (ENEM) Segundo dados do Balanço Energético Nacional de 2008, do Ministério das Minas e Energia, a matriz energética brasileira é composta por hidrelétrica (80%), termelétrica (19,9%) e eólica (0,1%). Nas termelétricas, esse percentual é dividido conforme o combustível usado, sendo: gás natural (6,6%), biomassa (5,3%), derivados de petróleo (3,3%), energia nuclear (3,1%) e carvão mineral (1,6%). Com a geração de eletricidade da biomassa, podese considerar que ocorre uma compensação do carbono liberado na queima do material vegetal pela absorção desse elemento no crescimento das plantas. Entretanto, estudos indicam que as emissões de metano (CH 4 ) das hidrelétricas podem ser comparáveis às emissões de CO 2 das termelétricas. MORET, A. S.; FERREIRA, I. A. As hidrelétricas do Rio Madeira e os impactos socioambientais da eletrificação no Brasil. Revista Ciência Hoje. V. 45, n. 265, 2009 (adaptado). No Brasil, em termos do impacto das fontes de energia no crescimento do efeito estufa, quanto à emissão de gases, as hidrelétricas seriam consideradas como uma fonte: a) limpa de energia, contribuindo para minimizar os efeitos deste fenômeno. b) eficaz de energia, tomando-se o percentual de oferta e os benefícios verificados. c) limpa de energia, não afetando ou alterando os níveis dos gases do efeito estufa. d) poluidora, colaborando com níveis altos de gases de efeito estufa em função de seu potencial de oferta. e) alternativa, tomando-se por referência a grande emissão de gases de efeito estufa das demais fontes geradoras. 63

64 29) (UFPA) A Agricultura, apesar de ser uma atividade humana importantíssima para a sobrevivência de nossa espécie, vem provocando, juntamente com o desmatamento, um aumento das taxas de erosão. Grande parte dos solos cultiváveis do planeta já foi destruída pela erosão, principalmente após a II Guerra Mundial. Além dos problemas causados à própria atividade agrícola, a erosão provoca grandes danos ambientais, como o assoreamento de várzeas, açudes, riachos e rios. Uma das práticas utilizadas para minimizar a erosão consiste em a) substituir a mão-de-obra humana por máquinas pesadas. b) usar intensivamente produtos químicos no controle das ervas daninhas, para permitir, assim, que o solo absorva rapidamente a água, impedindo o deslocamento superficial da água. c) fazer o cultivo das plantas em curva de nível e usar culturas de cobertura, o que protegerá o solo da ação erosiva das chuvas. d) fazer o plantio em épocas sem chuva. e) eliminar a vegetação de áreas com declividade acentuada para permitir a drenagem da água. 30) (CPS) O desenvolvimento sustentável tem por aspectos prioritários: a satisfação das necessidades básicas da população como, por exemplo, a educação, alimentação, saúde, lazer; a solidariedade para com as gerações futuras por meio da preservação do ambiente de modo que elas tenham chance de viver; a participação da população envolvida; a preservação dos recursos naturais; a elaboração de um sistema social que garanta emprego, segurança social e respeito às diferentes culturas e a efetivação dos programas educativos. Nas frases a seguir, são apontados aspectos que ameaçam a sustentabilidade da sociedade em que vivemos. Procure identificá-los. I. Aproveitamento da energia hidráulica e eólica para a obtenção de energia elétrica. II. Estímulo à agricultura familiar. III. Uso de transporte ferroviário para pessoas e mercadorias. IV. Crescimento, sem planejamento, da população humana. V. Economia apoiada no crescimento contínuo do consumo. Assinale a alternativa que contém todas as frases que apontam os aspectos que colocam em risco o desenvolvimento sustentável. a) Apenas I e II b) Apenas II e III c) Apenas III e IV d) Apenas IV e V e) Apenas I, II e III 31) (UFRJ) As figuras A e B representam esquematicamente a entrada de energia em dois ecossistemas. A energia que entra é igual nos dois ecossistemas e se divide de forma desigual; nas figuras, a espessura das setas é proporcional à quantidade de energia. Um dos ecossistemas é um ecossistema agrícola, formado por milho e arroz, o outro é uma floresta tropical primária. Identifique o ecossistema agrícola. Justifique sua resposta. 64

65 32) (UERJ) A agricultura orgânica, caracterizada pelo uso intensivo de adubos preparados a partir de dejetos animais, tem sido preconizada como alternativa ao emprego de agrotóxicos. No entanto, quando praticada em larga escala, sem os devidos cuidados, pode causar danos ao meio ambiente, com a ocorrência de: a) contaminação do solo por metais pesados. b) desenvolvimento de microrganismos autotróficos. c) diminuição de nutrientes de origem inorgânica no solo. d) acúmulo de matéria orgânica em cursos d água próximos. 33) (UFRS) Relacione as atividades humanas com os problemas ambientais diretamente envolvidos. Coluna A 1 - Urbanização crescente 2 - Extrativismo desenfreado 3 - Queima de combustíveis fósseis 4 - Agricultura intensiva Coluna B ( ) erosão e infertilidade do solo ( ) aceleração da eutrofização dos recursos hídricos ( ) chuva ácida ( ) extinção de recursos naturais de origem vegetal e/ou animal A sequência numérica correta, de cima para baixo, na coluna B, é: a) b) c) d) e) ) (FAAP) É normal, na agricultura, fazer rotação de culturas vegetais, alternando leguminosas (feijão, soja) com outro tipo de plantação. Este procedimento ocorre devido a: a) as leguminosas recuperam o prejuízo do agricultor. b) as leguminosas evitam a erosão do solo. c) as leguminosas têm a capacidade de fixar carbono no solo, deixando-o mais fértil. d) as leguminosas apresentam bactérias associadas às suas raízes que fixam nitrogênio no solo, deixando-o mais fértil. e) as leguminosas impedem o aparecimento de substâncias tóxicas no solo. 35) (CPS) "Nos últimos dez mil anos, após a invenção da agricultura, a erosão causada pelos cultivos e a quantidade de solo e rochas revolvidos pela construção de cidades, minas, usinas energéticas e estradas fizeram dos seres humanos um dos principais agentes a esculpir o planeta - só perdem para a dança das placas tectônicas. Nenhum outro processo natural conhecido é tão veloz, nem tão potencialmente perigoso". (Claudio Ângelo in "Folha de S. Paulo", 27/3/05) Em sua argumentação, o jornalista procura chamar a atenção das pessoas para o fato de que a agricultura é responsável pela a) esterilização e depauperamento do solo, de maneira inevitável. b) utilização de tecnologias que geralmente afetam o movimento das placas tectônicas. c) introdução de fertilizantes e de agrotóxicos que "auxiliam o homem a esculpir o planeta". d) fixação do homem à terra que passou a ter necessidades e interesses econômicos que se sobrepõem à preservação ambiental. e) decomposição da matéria inorgânica, sendo inevitável o retorno da água, gás carbônico e íons minerais para os vegetais. 65

66 Problemas ambientais RAFAEL BC 1) (ENEM) No ano de 2000, um vazamento em dutos de óleo na baía de Guanabara (RJ) causou um dos maiores acidentes ambientais do Brasil. Além de afetar a fauna e a flora, o acidente abalou o equilíbrio da cadeia alimentar de toda a baía. O petróleo forma uma película na superfície da água, o que prejudica as trocas gasosas da atmosfera com a água e desfavorece a realização de fotossíntese pelas algas, que estão na base da cadeia alimentar hídrica. Além disso, o derramamento de óleo contribuiu para o envenenamento das árvores e, consequentemente, para a intoxicação da fauna e flora aquáticas, bem como conduziu à morte diversas espécies de animais, entre outras formas de vida, afetando também a atividade pesqueira. LAUBIER, L. Diversidade da Maré Negra. In: Scientific American Brasil 4(39), ago (adaptado). A situação exposta no texto e suas implicações a) indicam a independência da espécie humana com relação ao ambiente marinho. b) alertam para a necessidade do controle da poluição ambiental para redução do efeito estufa. c) ilustram a interdependência das diversas formas de vida (animal, vegetal e outras) e o seu habitat. d) indicam a alta resistência do meio ambiente à ação do homem, além de evidenciar a sua sustentabilidade mesmo em condições extremas de poluição. e) evidenciam a grande capacidade animal de se adaptar às mudanças ambientais, em contraste com a baixa capacidade das espécies vegetais, que estão na base da cadeia alimentar hídrica. 2) (ENEM) As cidades industrializadas produzem grandes proporções de gases como o CO 2, o principal gás causador do efeito estufa. Isso ocorre por causa da quantidade de combustíveis fósseis queimados, principalmente no transporte, mas também em caldeiras industriais. Além disso, nessas cidades concentramse as maiores áreas com solos asfaltados e concretados, o que aumenta a retenção de calor, formando o que se conhece por ilhas de calor. Tal fenômeno ocorre porque esses materiais absorvem o calor e o devolvem para o ar sob a forma de radiação térmica. Em áreas urbanas, devido à atuação conjunta do efeito estufa e das ilhas de calor, espera-se que o consumo de energia elétrica a) diminua devido à utilização de caldeiras por indústrias metalúrgicas. b) aumente devido ao bloqueio da luz do sol pelos gases do efeito estufa. c) diminua devido à não necessidade de aquecer a água utilizada em indústrias. d) aumente devido à necessidade de maior refrigeração de indústrias e residências. e) diminua devido à grande quantidade de radiação térmica reutilizada. 3) (ENEM) De acordo com o relatório A grande sombra da pecuária (Livestock s Long Shadow), feito pela Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação, o gado é responsável por cerca de 18% do aquecimento global, uma contribuição maior que a do setor de transportes. Disponível em: Acesso em: 22 jun A criação de gado em larga escala contribui para o aquecimento global por meio da emissão de 66

67 a) metano durante o processo de digestão. b) óxido nitroso durante o processo de ruminação. c) clorofluorcarbono durante o transporte de carne. d) óxido nitroso durante o processo respiratório. e) dióxido de enxofre durante o consumo de pastagens. RAFAEL BC 4) (ENEM) Confirmada pelos cientistas e já sentida pela população mundial, a mudança climática global é hoje o principal desafio socioambiental a ser enfrentado pela humanidade. Mudança climática é o nome que se dá ao conjunto de alterações nas condições do clima da Terra pelo acúmulo de seis tipos de gases na atmosfera sendo os principais o dióxido de carbono (CO 2 ) e o metano (CH 4 ) emitidos em quantidade excessiva através da queima de combustíveis (petróleo e carvão) e do uso inadequado do solo. SANTILLI, M. Mudança climática global. Almanaque Brasil Socioambiental São Paulo, 2007 (adaptado). Suponha que, ao invés de superaquecimento, o planeta sofresse uma queda de temperatura, resfriando-se como numa era glacial, nesse caso a) a camada de geleiras, bem como o nível do mar, diminuiriam. b) as geleiras aumentariam, acarretando alterações no relevo do continente e no nível do mar. c) o equilíbrio do clima do planeta seria re-estabelecido, uma vez que ele está em processo de aquecimento. d) a fauna e a flora das regiões próximas ao círculo polar ártico e antártico nada sofreriam com a glaciação. e) os centros urbanos permaneceriam os mesmos, sem prejuízo à população humana e ao seu desenvolvimento. 5) (ENEM) Segundo dados do Balanço Energético Nacional de 2008, do Ministério das Minas e Energia, a matriz energética brasileira é composta por hidrelétrica (80%), termelétrica (19,9%) e eólica (0,1%). Nas termelétricas, esse percentual é dividido conforme o combustível usado, sendo: gás natural (6,6%), biomassa (5,3%), derivados de petróleo (3,3%), energia nuclear (3,1%) e carvão mineral (1,6%). Com a geração de eletricidade da biomassa, pode-se considerar que ocorre uma compensação do carbono liberado na queima do material vegetal pela absorção desse elemento no crescimento das plantas. Entretanto, estudos indicam que as emissões de metano (CH 4 ) das hidrelétricas podem ser comparáveis às emissões CO 2 das termelétricas. MORET, A. S.; FERREIRA, I. A. As hidrelétricas do Rio Madeira e os impactos socioambientais da eletrificação no Brasil. Revista Ciência Hoje. V. 45, n 265, 2009 (adaptado). No Brasil, em termos do impacto das fontes de energia no crescimento do efeito estufa, quanto à emissão de gases, as hidrelétricas seriam consideradas como uma fonte a) limpa de energia, contribuindo para minimizar os efeitos deste fenômeno. b) eficaz de energia, tornando-se o percentual de oferta e os benefícios verificados. c) limpa de energia, não afetando ou alterando os níveis dos gases do efeito estufa. d) poluidora, colaborando com níveis altos de gases de efeito estufa em função de seu potencial de oferta. e) alternativa, tomando-se por referência a grande emissão de gases de efeito estufa das demais fontes geradoras. 6) (ENEM) A atmosfera terrestre é composta pelos gases nitrogênio (N 2 ) e oxigênio (O 2 ), que somam cerca de 99%, e por gases traços, entre eles o gás carbônico (CO 2 ), vapor de água (H 2 O), metano (CH 4 ), ozônio (O 3 ) e o óxido nitroso (N 2 O), que compõem o restante 1% do ar que respiramos. Os gases traços, por serem constituídos por pelo menos três átomos, conseguem absorver o calor irradiado pela Terra, aquecendo o planeta. Esse fenômeno, que acontece há bilhões de anos, é chamado de efeito estufa. A partir da Revolução Industrial (século XIX), a concentração de gases traços na atmosfera, em particular o CO 2, tem aumentado significativamente, o que resultou no aumento da temperatura em escala global. Mais recentemente, outro fator tornou-se diretamente envolvido no aumento da concentração de CO 2 na atmosfera: o desmatamento. BROWN, I. F.; ALECHANDRE, A. S. Conceitos básicos sobre clima, carbono, florestas e comunidades. A.G. Moreira & S. Schwartzman. As mudanças climáticas globais e os ecossistemas brasileiros. Brasília: Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia, 2000 (adaptado). Considerando o texto, uma alternativa viável para combater o efeito estufa é a) reduzir o calor irradiado pela Terra mediante a substituição da produção primária pela industrialização refrigerada. b) promover a queima da biomassa vegetal, responsável pelo aumento do efeito estufa devido à produção de CH 4. c) reduzir o desmatamento, mantendo-se, assim, o potencial da vegetação em absorver o CO 2 da atmosfera. 67

68 d) aumentar a concentração atmosférica de H 2 O, molécula capaz de absorver grande quantidade de calor. e) remover moléculas orgânicas polares da atmosfera, diminuindo a capacidade delas de reter calor. RAFAEL BC 7) (ENEM) A abertura e a pavimentação de rodovias em zonas rurais e regiões afastadas dos centros urbanos, por um lado, possibilita melhor acesso e maior integração entre as comunidades, contribuindo com o desenvolvimento social e urbano de populações isoladas. Por outro lado, a construção de rodovias pode trazer impactos indesejáveis ao meio ambiente, visto que a abertura de estradas pode resultar na fragmentação de habitats, comprometendo o fluxo gênico e as interações entre espécies silvestres, além de prejudicar o fluxo natural de rios e riachos, possibilitar o ingresso de espécies exóticas em ambientes naturais e aumentar a pressão antrópica sobre os ecossistemas nativos. BARBOSA, N. P. U.; FERNANDES, G. W. A destruição do jardim. Scientific American Brasil. Ano 7, número 80, dez (adaptado). Nesse contexto, para conciliar os interesses aparentemente contraditórios entre o progresso social e urbano e a conservação do meio ambiente, seria razoável a) impedir a abertura e a pavimentação de rodovias em áreas rurais e em regiões preservadas, pois a qualidade de vida e as tecnologias encontradas nos centros urbanos são prescindíveis às populações rurais. b) impedir a abertura e a pavimentação de rodovias em áreas rurais e em regiões preservadas, promovendo a migração das populações rurais para os centros urbanos, onde a qualidade de vida é melhor. c) permitir a abertura e a pavimentação de rodovias apenas em áreas rurais produtivas, haja vista que nas demais áreas o retorno financeiro necessário para produzir uma melhoria na qualidade de vida da região não é garantido. d) permitir a abertura e a pavimentação de rodovias, desde que comprovada a sua real necessidade e após a realização de estudos que demonstrem ser possível contornar ou compensar seus impactos ambientais. e) permitir a abertura e a pavimentação de rodovias, haja vista que os impactos ao meio ambiente são temporários e podem ser facilmente revertidos com as tecnologias existentes para recuperação de áreas degradadas. 8) (ENEM) Um agricultor, buscando o aumento da produtividade de sua lavoura, utilizou o adubo NPK (nitrogênio, fósforo e potássio) com alto teor de sais minerais. A irrigação dessa lavoura é feita por canais que são desviados de um rio que abastece os canais, devido à contaminação das águas pelo excesso de adubo usado pelo agricultor. Que processo biológico pode ter sido provocado na água do rio pelo uso do adubo NPK? a) Lixiviação, processo em que ocorre a lavagem do solo, que acaba disponibilizando os nutrientes para a água do rio. b) Acidificação, processo em que os sais, ao se dissolverem na água do rio, formam ácidos. c) Eutrofização, ocasionada pelo aumento do fósforo e nitrogênio dissolvidos na água, que resulta na proliferação do fitoplâncton. d) Aquecimento, decorrente do aumento de sais dissolvidos na água do rio, que eleva sua temperatura. e) Denitrificação, processo em que o excesso de nitrogênio que chega ao rio é disponibilizado para a atmosfera, prejudicando o desenvolvimento dos peixes. 9) (ENEM) Calcula-se que 78% do desmatamento na Amazônia tenha sido motivado pela pecuária cerca de 35% do rebanho nacional está na região e que pelo menos 50 milhões de hectares de pastos são pouco produtivos. Enquanto o custo médio para aumentar a produtividade de 1 hectare de pastagem é de 2 mil reais, o custo para derrubar igual área de floresta é estimado em 800 reais, o que estimula novos desmatamentos. Adicionalmente, madeireiras retiram as árvores de valor comercial que foram abatidas para a criação de pastagens. Os pecuaristas sabem que problemas ambientais como esses podem provocar restrições à pecuária nessas áreas, a exemplo do que ocorreu em 2006 com o plantio da soja, o qual, posteriormente, foi proibido em áreas de floresta. Época, 3/3/2008 e 9/6/2008 (com adaptações). A partir da situação-problema descrita, conclui-se que 68

69 a) o desmatamento na Amazônia decorre principalmente da exploração ilegal de árvores de valor comercial. b) um dos problemas que os pecuaristas vêm enfrentando na Amazônia é a proibição do plantio de soja. c) a mobilização de máquinas e de força humana torna o desmatamento mais caro que o aumento da produtividade de pastagens. d) o superavit comercial decorrente da exportação de carne produzida na Amazônia compensa a possível degradação ambiental. e) a recuperação de áreas desmatadas e o aumento de produtividade das pastagens podem contribuir para a redução do desmatamento na Amazônia. 10) (ENEM) O gráfico abaixo mostra a área desmatada da Amazônia, em km 2, a cada ano, no período de 1988 a As informações do gráfico indicam que a) o maior desmatamento ocorreu em b) a área desmatada foi menor em 1997 que em c) a área desmatada a cada ano manteve-se constante entre 1998 e d) a área desmatada por ano foi maior entre 1994 e 1995 que entre 1997 e e) o total de área desmatada em 1992, 1993 e 1994 é maior que km 2. Fonte: MMA. 11) (ENEM) A economia moderna depende da disponibilidade de muita energia em diferentes formas, para funcionar e crescer. No Brasil, o consumo total de energia pelas indústrias cresceu mais de quatro vezes no período entre 1970 e Enquanto os investimentos em energias limpas e renováveis, como solar e eólica, ainda são incipientes, ao se avaliar a possibilidade de instalação de usinas geradoras de energia elétrica, diversos fatores devem ser levados em consideração, tais como os impactos causados ao ambiente e às populações locais. RICARDO, B.; CAMPANILI, M. Almanaque Brasil Socioambiental. São Paulo: Instituto Socioambiental, 2007 (adaptado). Em uma situação hipotética, optou-se por construir uma usina hidrelétrica em região que abrange diversas quedas d água em rios cercados por mata, alegando-se que causaria impacto ambiental muito menor que uma usina termelétrica. Entre os possíveis impactos da instalação de uma usina hidrelétrica nessa região, inclui-se a) a poluição da água por metais da usina. b) a destruição do habitat de animais terrestres. c) o aumento expressivo na liberação de CO 2 para a atmosfera. d) o consumo não renovável de toda água que passa pelas turbinas. e) o aprofundamento no leito do rio, com a menor deposição de resíduos no trecho de rio anterior à represa. 12) (ENEM) O aquecimento global, ocasionado pelo aumento do efeito estufa, tem como uma de suas causas a disponibilização acelerada de átomos de carbono para a atmosfera. Essa disponibilização acontece, por exemplo, na queima de combustíveis fósseis, como a gasolina, os óleos e o carvão, que libera o gás 69

70 carbônico (CO 2 ) para a atmosfera. Por outro lado, a produção de metano (CH 4 ), outro gás causador do efeito estufa, está associada à pecuária e à degradação de matéria orgânica em aterros sanitários. Apesar dos problemas causados pela disponibilização acelerada dos gases citados, eles são imprescindíveis à vida na Terra e importantes para a manutenção do equilíbrio ecológico, porque, por exemplo, o a) metano é fonte de carbono para os organismos fotossintetizantes. b) metano é fonte de hidrogênio para os organismos fotossintetizantes. c) gás carbônico é fonte de energia para os organismos fotossintetizantes. d) gás carbônico é fonte de carbono inorgânico para os organismos fotossintetizantes. e) gás carbônico é fonte de oxigênio molecular para os organismos heterotróficos aeróbios. 13) (ENEM) A figura a seguir ilustra as principais fontes de emissões mundiais de gás carbônico, relacionando-as a nossas compras domésticas (familiares). Compre verde: como nossas compras podem ajudar a salvar o planeta. Época, n. 515, 31 março Com base nas informações da figura, é observado que as emissões de gás carbônico estão diretamente ligadas às compras domésticas. Deste modo, deduz-se das relações de produção e consumo apresentadas que a) crescimento econômico e proteção ambiental são políticas públicas incompatíveis. b) a redução da atividade industrial teria pouco impacto nas emissões globais de gás carbônico. c) os fluxos de carbono na biosfera não são afetados pela atividade humana, pois são processos cíclicos. d) a produção de alimentos, em seu conjunto, é diretamente responsável por 17% das emissões de gás carbônico. e) haveria decréscimo das emissões de gás carbônico se o consumo ocorresse em áreas mais próximas da produção. 14) (ENEM) Os oceanos absorvem aproximadamente um terço das emissões de CO 2 procedentes de atividades humanas, como a queima de combustíveis fósseis e as queimadas. O CO 2 combina-se com as águas dos oceanos, provocando uma alteração importante em suas propriedades. Pesquisas com vários 70

71 organismos marinhos revelam que essa alteração nos oceanos afeta uma série de processos biológicos necessários para o desenvolvimento e a sobrevivência de várias espécies da vida marinha. A alteração a que se refere o texto diz respeito ao aumento a) da acidez das águas dos oceanos. b) do estoque de pescado nos oceanos. c) da temperatura média dos oceanos. d) do nível das águas dos oceanos. e) da salinizaçăo das águas dos oceanos. 15) (ENEM) Os corais que formam o banco dos Abrolhos, na Bahia, podem estar extintos até 2050 devido a uma epidemia. Por exemplo, os corais-cérebro já tiveram cerca de 10% de sua população afetada pela pragabranca, a mais prevalente da seis doenças identificadas em Abrolhos, causada provavelmente por uma bactéria. Os cientistas atribuem a proliferação das patologias ao aquecimento global e à poluição marinha. O aquecimento global reduziria a imunidade dos corais ou estimularia os patógenos causadores desses males, trazendo novos agentes infecciosos. FURTADO, F. Peste branca no mar. Ciência hoje. Rio de Janeiro, v. 42, n. 251, ago (adaptado). A fim de combater a praga-branca, a medida mais apropriada, segura e de efeitos mais duradouros seria a) aplicar antibióticos nas águas litorâneas de Abrolhos. b) substituir os aterros sanitários por centros de reciclagem de lixo. c) introduzir nas águas de Abrolhos espécies que se alimentem da bactéria causadora da doença. d) aumentar, mundialmente, o uso de transportes coletivos e diminuir a queima de derivados de petróleo. e) criar uma lei que proteja os corais, impedindo que mergulhadores e turistas se aproximem deles e os contaminem. 16) (FGV) Esse importante bioma tem passado por transformações lentas, mas significativas, nas últimas décadas. A caça ilegal, a pesca predatória, o turismo e a expansão urbana têm acelerado estas transformações. A ocupação desordenada das regiões mais altas, onde nasce a maioria dos rios, é o risco mais grave. A agricultura indiscriminada está provocando a erosão do solo, além de contaminá-lo com o uso excessivo de agrotóxicos. O resultado da destruição do solo é o assoreamento dos rios (...). Os problemas descritos referem-se ao domínio: a) da Mata Atlântica. b) da Caatinga. c) dos Campos. d) da Floresta Amazônica. e) do Pantanal. (Fonte. Adaptado dem 17) (ENEM) O cultivo de camarões de água salgada vem se desenvolvendo muito nos últimos anos na região Nordeste do Brasil e, em algumas localidades, passou a ser a principal atividade econômica. Uma das grandes preocupações dos impactos negativos dessa atividade está relacionada à descarga, sem nenhum tipo de tratamento, dos efluentes dos viveiros diretamente no ambiente marinho, em estuários ou em manguezais. Esses efluentes possuem matéria orgânica particulada e dissolvida, amônia, nitrito, nitrato, fosfatos, partículas de sólidos em suspensão e outras substâncias que podem ser consideradas contaminantes potenciais. CASTRO, C. B.; ARAGÃO, J. S.; COSTA-LOTUFO, L. V. Monitoramento da toxicidade de efluentes de uma fazenda de cultivo de camarão marinho. Anais do IX Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia, 2006 (adaptado). Suponha que tenha sido construída uma fazenda de carcinicultura próximo a um manguezal. Entre as perturbações ambientais causadas pela fazenda, espera-se que a) a atividade microbiana se torne responsável pela reciclagem do fósforo orgânico excedente no ambiente marinho. b) a relativa instabilidade das condições marinhas torne as alterações de fatores físico-químicos pouco críticas à vida no mar. c) a amônia excedente seja convertida em nitrito, por meio do processo de nitrificação, e em nitrato, formado como produto intermediário desse processo. 71

72 d) os efluentes promovam o crescimento excessivo de plantas aquáticas devido à alta diversidade de espécies vegetais permanentes no manguezal. e) o impedimento da penetração da luz pelas partículas em suspensão venha a comprometer a produtividade primária do ambiente marinho, que resulta da atividade metabólica do fitoplâncton. 18) (ENEM) Cerca de 1% do lixo urbano é constituído por resíduos sólidos contendo elementos tóxicos. Entre esses elementos estão metais pesados como o cádmio, o chumbo e o mercúrio, componentes de pilhas e baterias, que são perigosos à saúde humana e ao meio ambiente. Quando descartadas em lixos comuns, pilhas e baterias vão para aterros sanitários ou lixões a céu aberto, e o vazamento de seus componentes contamina o solo, os rios e o lençol freático, atingindo a flora e a fauna. Por serem bioacumulativos e não biodegradáveis, esses metais chegam de forma acumulada aos seres humanos, por meio da cadeia alimentar. A legislação vigente (Resolução CONAMA no 257/1999) regulamenta o destino de pilhas e baterias após seu esgotamento energético e determina aos fabricantes e/ou importadores a quantidade máxima permitida desses metais em cada tipo de pilha/bateria, porém o problema ainda persiste. Disponível em: Acesso em: 11 jul (adaptado). Uma medida que poderia contribuir para acabar definitivamente com o problema da poluição ambiental por metais pesados relatado no texto seria a) deixar de consumir aparelhos elétricos que utilizem pilha ou bateria como fonte de energia. b) usar apenas pilhas ou baterias recarregáveis e de vida útil longa e evitar ingerir alimentos contaminados, especialmente peixes. c) devolver pilhas e baterias, após o esgotamento da energia armazenada, à rede de assistência técnica especializada para repasse a fabricantes e/ou importadores. d) criar nas cidades, especialmente naquelas com mais de 100 mil habitantes, pontos estratégicos de coleta de baterias e pilhas, para posterior repasse a fabricantes e/ou importadores. e) exigir que fabricantes invistam em pesquisa para a substituição desses metais tóxicos por substâncias menos nocivas ao homem e ao ambiente, e que não sejam bioacumulativas. 19) (ENEM) Devido ao aquecimento global e à consequente diminuição da cobertura de gelo no Ártico, aumenta a distância que os ursos polares precisam nadar para encontrar alimentos. Apesar de exímios nadadores, eles acabam morrendo afogados devido ao cansaço. A situação descrita acima a) enfoca o problema da interrupção da cadeia alimentar, o qual decorre das variações climáticas. b) alerta para prejuízos que o aquecimento global pode acarretar à biodiversidade no Ártico. c) ressalta que o aumento da temperatura decorrente de mudanças climáticas permite o surgimento de novas espécies. d) mostra a importância das características das zonas frias para a manutenção de outros biomas na Terra. e) evidencia a autonomia dos seres vivos em relação ao habitat, visto que eles se adaptam rapidamente às mudanças nas condições climáticas. 20) (ENEM) O gráfico abaixo ilustra o resultado de um estudo sobre o aquecimento global. A curva mais escura e contínua representa o resultado de um cálculo em que se considerou a soma de cinco fatores que influenciaram a temperatura média global de 1900 a 1990, conforme mostrado na legenda do gráfico. A contribuição efetiva de cada um desses cinco fatores isoladamente é mostrada na parte inferior do gráfico. 72

73 Internet: <solar-center.stanford.edu>. Os dados apresentados revelam que, de 1960 a 1990, contribuíram de forma efetiva e positiva para aumentar a temperatura atmosférica: a) aerossóis, atividade solar e atividade vulcânica. b) atividade vulcânica, ozônio e gases estufa. c) aerossóis, atividade solar e gases estufa. d) aerossóis, atividade vulcânica e ozônio. e) atividade solar, gases estufa e ozônio. 21) (ENEM) Em 2006, foi realizada uma conferência das Nações Unidas em que se discutiu o problema do lixo eletrônico, também denominado e-waste. Nessa ocasião, destacou-se a necessidade de os países em desenvolvimento serem protegidos das doações nem sempre bem-intencionadas dos países mais ricos. Uma vez descartados ou doados, equipamentos eletrônicos chegam a países em desenvolvimento com o rótulo de mercadorias recondicionadas, mas acabam deteriorando-se em lixões, liberando chumbo, cádmio, mercúrio e outros materiais tóxicos. Internet: <g1.globo.com> (com adaptações). A discussão dos problemas associados ao e-waste leva à conclusão de que a) os países que se encontram em processo de industrialização necessitam de matérias-primas recicladas oriundas dos países mais ricos. b) o objetivo dos países ricos, ao enviarem mercadorias recondicionadas para os países em desenvolvimento, é o de conquistar mercados consumidores para seus produtos. c) o avanço rápido do desenvolvimento tecnológico, que torna os produtos obsoletos em pouco tempo, é um fator que deve ser considerado em políticas ambientais. d) o excesso de mercadorias recondicionadas enviadas para os países em desenvolvimento é armazenado em lixões apropriados. e) as mercadorias recondicionadas oriundas de países ricos melhoram muito o padrão de vida da população dos países em desenvolvimento. 73

74 22) (UERJ) As falhas da camada de ozônio da alta atmosfera provocam uma maior incidência de radiação solar sobre a Terra, aumentando o número de casos de câncer de pele. A pele escura, no entanto, é mais resistente à doença do que a pele clara. A menor incidência do câncer nas pessoas de pele escura se deve à seguinte associação entre tipo de radiação e sua absorção por substâncias encontradas na pele: a) raios X - melanina b) raios ultravioleta - melanina c) raios infravermelhos - queratina d) raios luminosos na faixa visível - queratina 23) (ENEM) Uma região industrial lança ao ar gases como o dióxido de enxofre e óxidos de nitrogênio, causadores da chuva ácida. A figura mostra a dispersão desses gases poluentes. Considerando o ciclo da água e a dispersão dos gases, analise as seguintes possibilidades: I. As águas de escoamento superficial e de precipitação que atingem o manancial poderiam causar aumento de acidez da água do manancial e provocar a morte de peixes. II. A precipitação na região rural poderia causar aumento de acidez do solo e exigir procedimentos corretivos, como a calagem. III. A precipitação na região rural, embora ácida, não afetaria o ecossistema, pois a transpiração dos vegetais neutralizaria o excesso de ácido. Dessas possibilidades, a) pode ocorrer apenas a I. b) pode ocorrer apenas a II. c) podem ocorrer tanto a I quanto a II. d) podem ocorrer tanto a I quanto a III. e) podem ocorrer tanto a II quanto a III. 24) (CEFET-BA) As zonas mortas nos oceanos do mundo, onde a ausência de oxigênio impede o desenvolvimento de vida marinha, aumentaram significativamente entre 1995 e 2007 [...]. Os principais fatores dessa catástrofe oceânica são a contaminação por fertilizantes e a queima de combustíveis fósseis. [...] O aumento das zonas mortas no mar transformou-se no principal agente de pressão sobre os ecossistemas marítimos, no mesmo nível da pesca excessiva, perda de habitat e outros problemas ambientais. Segundo os cientistas, seu aumento se deve também a certos nutrientes, especialmente o nitrogênio e o fósforo, que, ao entrarem em excesso nas águas litorâneas, causam a morte de algas. Ao morrer, essas plantas microscópicas se afundam e se transformam em alimento de bactérias que, durante a decomposição, consomem o oxigênio a sua volta. Na linguagem científica, esse processo da diminuição progressiva de oxigênio se chama 'hipoxia'. Disponível em: <http://oglobo.globo.com/ciencia/salvevoceoplaneta/mat/2008/08/14/estudo_revela_aumento_de_zonas_onde_ausencia_de_oxigenio_reduz_vida_mari nha asp>. Acesso em: 21.agt.08. A partir da análise das informações do texto, conclui-se que essa catástrofe oceânica causada por contaminação a) afeta o primeiro nível trófico da comunidade, comprometendo a estruturação das cadeias alimentares. b) proporciona através da atividade dos decompositores a conversão de sais minerais em biomoléculas. c) estabelece condições favoráveis à colonização das profundezas marinhas por bactérias aeróbicas. d) compromete diretamente a sobrevivência de mamíferos aquáticos pelo fenômeno da hipoxia. 74

75 e) contamina o meio aquático com o nitrogênio e o fósforo, elementos que não fazem parte da composição dos seres vivos. 25) (ENEM) O despejo de dejetos de esgotos domésticos e industriais vem causando sérios problemas aos rios brasileiros. Esses poluentes são ricos em substâncias que contribuem para a eutrofização de ecossistemas, que é um enriquecimento da água por nutrientes, o que provoca um grande crescimento bacteriano e, por fim, pode promover escassez de oxigênio. Uma maneira de evitar a diminuição da concentração de oxigênio no ambiente é: a) Aquecer as águas dos rios para aumentar a velocidade de decomposição dos dejetos. b) Retirar do esgoto os materiais ricos em nutrientes para diminuir a sua concentração nos rios. c) Adicionar bactérias anaeróbicas às águas dos rios para que elas sobrevivam mesmo sem o oxigênio. d) Substituir produtos não degradáveis por biodegradáveis para que as bactérias possam utilizar os nutrientes. e) Aumentar a solubilidade dos dejetos no esgoto para que os nutrientes fiquem mais acessíveis às bactérias. 26) (ENEM) Um rio que é localmente degradado por dejetos orgânicos nele lançados pode passar por um processo de autodepuração. No entanto, a recuperação depende, entre outros fatores, da carga de dejetos recebida, da extensão e do volume do rio. Nesse processo, a distribuição das populações de organismos consumidores e decompositores varia, conforme mostra o esquema: Com base nas informações fornecidas pelo esquema, são feitas as seguintes considerações sobre o processo de depuração do rio: I. a vida aquática superior pode voltar a existir a partir de uma certa distância do ponto de lançamento dos dejetos; II. os organismos decompositores são os que sobrevivem onde a oferta de oxigênio é baixa ou inexistente e a matéria orgânica é abundante; III. as comunidades biológicas, apesar da poluição, não se alteram ao longo do processo de recuperação. Está correto o que se afirma em a) I, apenas. b) II, apenas. c) III, apenas. d) I e II, apenas. e) I, II e III. 75

76 27) (ENEM) Nas últimas décadas os ecossistemas aquáticos têm sido alterados de maneira significativa em função de atividades antrópicas, tais como mineração, construção de barragens, desvio do curso natural de rios, lançamento de efluentes domésticos e industriais não tratados, desmatamento e uso inadequado do solo próximo aos leitos, superexploração dos recursos pesqueiros, introdução de espécies exóticas, entre outros. Como consequência, tem-se observado expressiva queda da qualidade da água e perda da biodiversidade aquática, em função da desestruturação dos ambientes físico, químico e biológico. A avaliação de impactos ambientais nesses ecossistemas tem sido realizada através da medição de alterações nas concentrações de variáveis físicas e químicas da água. Este sistema de monitoramento, juntamente com a avaliação de variáveis biológicas, é fundamental para a classificação de rios e córregos em classes de qualidade de água e padrões de potabilidade e balneabilidade humanas. DAVE, M.; GOULART, C.; CALLISTO, M. Bioindicadores de qualidade de água como ferramenta em estudo de impacto ambiental. Disponível em: Acesso em: 9 jan (adaptado). Se um pesquisador pretende avaliar variáveis biológicas de determinado manancial, deve escolher os testes de a) teor de oxigênio dissolvido e de temperatura e turbidez da água. b) teor de nitrogênio amoniacal e de temperatura e turbidez da água. c) densidade populacional de cianobactérias e de invertebrados bentônicos. d) densidade populacional de cianobactérias e do teor de alumínio dissolvido. e) teor de nitrogênio amoniacal e de densidade populacional de invertebrados bentônicos. 28) (ENEM) No ano de 2000, um vazamento em dutos de óleo na baía de Guanabara (RJ) causou um dos maiores acidentes ambientais do Brasil. Além de afetar a fauna e a flora, o acidente abalou o equilíbrio da cadeia alimentar de toda a baía. O petróleo forma uma película na superfície da água, o que prejudica as trocas gasosas da atmosfera com a água e desfavorece a realização de fotossíntese pelas algas, que estão na base da cadeia alimentar hídrica. Além disso, o derramamento de óleo contribuiu para o envenenamento das árvores e, consequentemente, para a intoxicação da fauna e flora aquáticas, bem como conduziu à morte diversas espécies de animais, entre outras formas de vida, afetando também a atividade pesqueira. LAUBIER, L. Diversidade da Maré Negra. In: Scientific American Brasil 4(39), ago (adaptado). A situação exposta no texto e suas implicações a) indicam a independência da espécie humana com relação ao ambiente marinho. b) alertam para a necessidade do controle da poluição ambiental para redução do efeito estufa. c) ilustram a interdependência das diversas formas de vida (animal, vegetal e outras) e o seu habitat. d) indicam a alta resistência do meio ambiente à ação do homem, além de evidenciar a sua sustentabilidade mesmo em condições extremas de poluição. e) evidenciam a grande capacidade animal de se adaptar às mudanças ambientais, em contraste com a baixa capacidade das espécies vegetais, que estão na base da cadeia alimentar hídrica. 29) (ENEM) Encontram-se descritas a seguir algumas das características das águas que servem três diferentes regiões. Região I - Qualidade da água pouco comprometida por cargas poluidoras; casos isolados de mananciais comprometidos por lançamento de esgotos; assoreamento de alguns mananciais. Região II - Qualidade comprometida por cargas poluidoras urbanas e industriais; área sujeita a inundações; exportação de carga poluidora para outras unidades hidrográficas. Região III - Qualidade comprometida por cargas poluidoras domésticas e industriais e por lançamento de esgotos; problemas isolados de inundação; uso da água para irrigação. De acordo com essas características, pode-se concluir que: a) a região I é de alta densidade populacional, com pouca ou nenhuma estação de tratamento de esgoto. b) na região I ocorrem tanto atividades agrícolas como industriais, com práticas agrícolas que estão evitando a erosão do solo. c) a região II tem predominância de atividade agrícola, muitas pastagens e parque industrial inexpressivo. d) na região III ocorrem tanto atividades agrícolas como industriais, com pouca ou nenhuma estação de tratamento de esgotos. e) a região III é de intensa concentração industrial e urbana, com solo impermeabilizado e com amplo tratamento de esgotos. 76

77 30) (ENEM) Os esgotos domésticos constituem grande ameaça aos ecossistemas de lagos ou represas, pois deles decorrem graves desequilíbrios ambientais. Considere o gráfico abaixo, no qual no intervalo de tempo entre t1 e t3, observou-se a estabilidade em ecossistema de lago, modificado a partir de t3 pelo maior despejo de esgoto. Assinale a interpretação que está de acordo com o gráfico. a) Entre t3 e t6, a competição pelo oxigênio leva à multiplicação de peixes, bactérias e outros produtores. b) A partir de t3, a decomposição do esgoto é impossibilitada pela diminuição do oxigênio disponível. c) A partir de t6, a mortandade de peixes decorre da diminuição da população de produtores. d) A mortandade de peixes, a partir de t6, é devida à insuficiência de oxigênio na água. e) A partir de t3, a produção primária aumenta devido à diminuição dos consumidores. 31) (IFMT) Partindo-se do pressuposto de que o lago teria realmente tudo o que foi mencionado e de que você tivesse que fornecer maiores informações ao Horácio, marque a alternativa que contém a informação incorreta. a) A eutrofização, resultante do acúmulo de matéria orgânica e mineral em ecossistemas aquáticos, pode favorecer a proliferação de algas, especialmente clorofitas, num fenômeno descrito como floração das águas, originando a cor característica da água descrita no texto. b) O lago é o ponto final do ciclo da água na biosfera, sendo apenas o depósito de toda água já precipitada e advinda dos rios. c) Não há necessidade da existência de um casal de bactérias para colonizar determinado hábitat, uma vez que uma única bactéria pode se reproduzir assexuadamente por divisão binária. d) A proliferação excessiva de algas pode desequilibrar o ecossistema aquático ao impedir a adequada oxigenação da água e a penetração de luz. e) Algas dinoflageladas são as responsáveis pelo fenômeno de marés vermelhas que, ao se reproduzirem excessivamente, liberam toxinas que matam outros seres vivos. 77

78 32) (IFMT) Estas imagens do satélite Envisat, da ESA, mostram o petróleo que foi derramado no golfo do México, depois da explosão e afundamento de uma plataforma de petróleo, próximo à costa do Louisiana e do Mississipi-EUA. O desastre aconteceu em 22 de abril de Assinale a alternativa correta. a) O acidente em questão não provocou danos ambientais graves, graças à evolução dos processos técnicos de limpeza, que são rápidos e eficazes. b) As aves são bem adaptadas a esse tipo de acidente devido à produção de uma substância que impede a aderência do óleo em suas penas. c) As esponjas e os corais que vivem no ambiente marinho são aliados no combate à poluição, devido à sua grande capacidade de absorção e retenção do óleo. d) Algumas bactérias e fungos são capazes de degradar hidrocarbonetos do petróleo. e) Quando os navios petroleiros estão vazios, costuma-se encher seus tanques com água para dar equilíbrio. Depois, a água suja é jogada no mar, sendo uma operação segura, pois não polui o ambiente. 33) (FEI) Torna-se cada vez mais premente a necessidade em cuidar da natureza. Sabemos que as ações antrópicas sobre os ecossistemas devem ser minimizadas ou até cessadas, devido aos grandes desequilíbrios ambientais que podem causar. Um exemplo disso é o derramamento de óleo nos oceanos, fato preocupante, pois a) atua sobre seres nectônicos, os quais podem ser fotossintetizantes, gerando a morte desses organismos e o desequilíbrio na cadeia alimentar. b) atua sobre seres bentônicos, os quais podem ser fotossintetizantes, gerando a morte desses organismos e o desequilíbrio na cadeia alimentar. c) atua sobre seres planctônicos, os quais podem ser fotossintetizantes, gerando a morte desses organismos e o desequilíbrio na cadeia alimentar. d) atua sobre seres abissais, os quais podem ser quimiossintetizantes, gerando a morte desses organismos e o desequilíbrio na cadeia alimentar. e) atua sobre seres nectônicos, os quais podem ser quimiossintetizantes, gerando a morte desses organismos e o desequilíbrio na cadeia alimentar. 34) (ENEM) A energia térmica liberada em processos de fissão nuclear pode ser utilizada na geração de vapor para produzir energia mecânica que, por sua vez, será convertida em energia elétrica. Abaixo está representado um esquema básico de uma usina de energia nuclear. 78

79 Com relação ao impacto ambiental causado pela poluição térmica no processo de refrigeração da usina nuclear são feitas as seguintes afirmações: I. o aumento na temperatura reduz, na água do rio, a quantidade de oxigênio nela dissolvido, que é essencial para a vida aquática e para a decomposição da matéria orgânica. II. o aumento da temperatura da água modifica o metabolismo dos peixes. III. o aumento na temperatura da água diminui o crescimento de bactérias e de algas, favorecendo o desenvolvimento da vegetação. Das afirmativas acima, somente está(ão) correta(s): a) I. b) II. c) III. d) I e II. e) II e III. 35) (ENEM) Um dos índices de qualidade do ar diz respeito à concentração de monóxido de carbono (CO), pois esse gás pode causar vários danos à saúde. A tabela a seguir mostra a relação entre a qualidade do ar e a concentração de CO. Para analisar os efeitos do CO sobre os seres humanos, dispõem-se dos seguintes dados: 79

80 Suponha que você tenha lido em um jornal que na cidade de São Paulo foi atingido um péssimo nível de qualidade do ar. Uma pessoa que estivesse nessa área poderia: a) não apresentar nenhum sintoma. b) ter sua capacidade visual alterada. c) apresentar fraqueza muscular e tontura. d) ficar inconsciente. e) morrer. 36) (ENEM) A Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB) divulga continuamente dados referentes à qualidade do ar na região metropolitana de São Paulo. A tabela apresentada corresponde a dados hipotéticos que poderiam ter sido obtidos pela CETESB em determinado dia. Se esses dados fossem verídicos, então, seria mais provável encontrar problemas de visibilidade a) no Parque Dom Pedro II. b) em São Caetano do Sul. c) em Congonhas. d) em Osasco. e) em Pinheiros. 80

81 37) (UERJ) Leia o texto a seguir: Além do impacto ambiental agudo advindo do derramamento de grandes quantidades de óleo em ambientes aquáticos, existem problemas a longo prazo associados à presença, no óleo, de algumas substâncias como os hidrocarbonetos policíclicos aromáticos, mutagênicos e potencialmente carcinogênicos. Essas substâncias são muito estáveis no ambiente e podem ser encontradas por longo tempo no sedimento do fundo, porque gotículas de óleo, após adsorção por material particulado em suspensão na água, sofrem processo de decantação. As substâncias mutagênicas mencionadas no texto podem atingir o topo da pirâmide alimentar através do fenômeno denominado: a) biogênese b) biossíntese c) biodegradação d) bioacumulação 38) (ENEM) O controle biológico, técnica empregada no combate a espécies que causam danos e prejuízos aos seres humanos, é utilizado no combate à lagarta que se alimenta de folhas de algodoeiro. Algumas espécies de borboleta depositam seus ovos nessa cultura. A microvespa Trichogramma sp. introduz seus ovos nos ovos de outros insetos, incluindo os das borboletas em questão. Os embriões da vespa se alimentam do conteúdo desses ovos e impedem que as larvas de borboleta se desenvolvam. Assim, é possível reduzir a densidade populacional das borboletas até níveis que não prejudiquem a cultura. A técnica de controle biológico realizado pela microvespa Trichogramma sp. consiste na a) introdução de um parasita no ambiente da espécie que se deseja combater. b) introdução de um gene letal nas borboletas para diminuir o número de indivíduos. c) competição entre a borboleta e a microvespa para a obtenção de recursos. d) modificação do ambiente para selecionar indivíduos melhor adaptados. e) aplicação de inseticidas a fim de diminuir o número de indivíduos que se deseja combater. 39) (FATEC) Os inseticidas clorados são muito estáveis e permanecem nos ecossistemas por muito tempo. Em uma cadeia alimentar, uma parte da biomassa é transferida de um nível trófico para outro, e outra parte é consumida. No entanto, as perdas dos compostos clorados ao longo da cadeia alimentar são pequenas em relação à quantidade transferida, havendo assim um efeito acumulativo. Na pirâmide de biomassa representada a seguir, a concentração de DDT é maior no nível a) 1 b) 2 c) 3 d) 4 e) 5 40) (UFPR) Algumas populações de humanos têm sua dieta baseada em carne de peixe. Para as populações que vivem à beira de rios poluídos por mercúrio, por exemplo, é mais prejudicial comer peixes carnívoros do que peixes herbívoros porque: a) os peixes carnívoros se alimentam de qualquer tipo de organismo, aumentando a chance de contaminação por substâncias tóxicas além do mercúrio. b) os peixes herbívoros não ficam expostos ao mercúrio por muito tempo, diminuindo as chances de contaminar os humanos. c) os peixes carnívoros ficam expostos também ao mercúrio presente no ar. d) os peixes carnívoros acumulam o mercúrio em seu organismo quando se alimentam de outros organismos, inclusive os peixes herbívoros. e) os peixes herbívoros não acumulam mercúrio em seus tecidos. 81

82 Biologia da conservação RAFAEL BC 1) (ENEM) Para diminuir o acúmulo de lixo e o desperdício de materiais de valor econômico e, assim, reduzir a exploração de recursos naturais, adotou-se, em escala internacional, a política dos três erres: Redução, Reutilização e Reciclagem. Um exemplo de reciclagem é a utilização de a) garrafas de vidro retornáveis para cerveja ou refrigerante. b) latas de alumínio como material para fabricação de lingotes. c) sacos plásticos de supermercado como acondicionantes de lixo caseiro. d) embalagens plásticas vazias e limpas para acondicionar outros alimentos. e) garrafas PET recortadas em tiras para fabricação de cerdas de vassouras. 2) (ENEM) O lixo orgânico de casa constituído de restos de verduras, frutas, legumes, cascas de ovo, aparas de grama, entre outros, se for depositado nos lixões, pode contribuir para o aparecimento de animais e de odores indesejáveis. Entretanto, sua reciclagem gera um excelente adubo orgânico, que pode ser usado no cultivo de hortaliças, frutíferas e plantas ornamentais. A produção do adubo ou composto orgânico se dá por meio da compostagem, um processo simples que requer alguns cuidados especiais. O material que é acumulado diariamente em recipientes próprios deve ser revirado com auxílio de ferramentas adequadas, semanalmente, de forma a homogeneizá-lo. É preciso também umedecê-lo periodicamente. O material de restos de capina pode ser intercalado entre uma camada e outra de lixo da cozinha. Por meio desse método, o adubo orgânico estará pronto em aproximadamente dois a três meses. Como usar o lixo orgânico em casa? Ciência Hoje, v. 42, jun (adaptado). Suponha que uma pessoa, desejosa de fazer seu próprio adubo orgânico, tenha seguido o procedimento descrito no texto, exceto no que se refere ao umedecimento periódico do composto. Nessa situação, a) o processo de compostagem iria produzir intenso mau cheiro. b) o adubo formado seria pobre em matéria orgânica que não foi transformada em composto. c) a falta de água no composto vai impedir que microrganismos decomponham a matéria orgânica. d) a falta de água no composto iria elevar a temperatura da mistura, o que resultaria na perda de nutrientes essenciais. e) apenas microrganismos que independem de oxigênio poderiam agir sobre a matéria orgânica e transformá-la em adubo. 3) (ENEM) Pesticidas são contaminantes ambientais altamente tóxicos aos seres vivos e, geralmente, com grande persistência ambiental. A busca por novas formas de eliminação dos pesticidas tem aumentado nos últimos anos, uma vez que as técnicas atuais são economicamente dispendiosas e paliativas. A biorremediação de pesticidas utilizando micro-organismos tem se mostrado uma técnica muito promissora para essa finalidade, por apresentar vantagens econômicas e ambientais. Para ser utilizado nesta técnica promissora, um microrganismo deve ser capaz de a) transferir o contaminante do solo para a água. b) absorver o contaminante sem alterá-lo quimicamente. c) apresentar alta taxa de mutação ao longo das gerações. d) estimular o sistema imunológico do homem contra o contaminante. e) metabolizar o contaminante, liberando subprodutos menos tóxicos ou atóxicos. 4) (ENEM) Uma pesquisadora deseja reflorestar uma área de mata ciliar quase que totalmente desmatada. Essa formação vegetal é um tipo de floresta muito comum nas margens de rios dos cerrados no Brasil central e, em seu clímax, possui vegetação arbórea perene e apresenta dossel fechado, com pouca incidência luminosa no solo e nas plântulas. Sabe-se que a incidência de luz, a disponibilidade de nutrientes e a umidade do solo são os principais fatores do meio ambiente físico que influenciam no desenvolvimento da planta. Para testar unicamente os efeitos da variação de luz, a pesquisadora analisou, em casas de vegetação com condições controladas, o desenvolvimento de plantas de 10 espécies nativas da região desmatada sob quatro condições de luminosidade: uma sob sol pleno e as demais em diferentes níveis de 82

83 sombreamento. Para cada tratamento experimental, a pesquisadora relatou se o desenvolvimento da planta foi bom, razoável ou ruim, de acordo com critérios específicos. Os resultados obtidos foram os seguintes: Para o reflorestamento da região desmatada, a) a espécie 8 é mais indicada que a 1, uma vez que aquela possui melhor adaptação a regiões com maior incidência de luz. b) recomenda-se a utilização de espécies pioneiras, isto é, aquelas que suportam alta incidência de luz, como as espécies 2, 3 e 5. c) sugere-se o uso de espécies exóticas, pois somente essas podem suportar a alta incidência luminosa característica de regiões desmatadas. d) espécies de comunidade clímax, como as 4 e 7, são as mais indicadas, uma vez que possuem boa capacidade de aclimatação a diferentes ambientes. e) é recomendado o uso de espécies com melhor desenvolvimento à sombra, como as plantas das espécies 4, 6, 7, 9 e 10, pois essa floresta, mesmo no estágio de degradação referido, possui dossel fechado, o que impede a entrada de luz. 5) (ENEM) Ministério do Meio Ambiente. Cadastro Nacional de Unidades de Conservação. Analisando-se os dados do gráfico acima, que remetem a critérios e objetivos no estabelecimento de unidades de conservação no Brasil, constata-se que a) o equilíbrio entre unidades de conservação de proteção integral e de uso sustentável já atingido garante a preservação presente e futura da Amazônia. b) as condições de aridez e a pequena diversidade biológica observadas na Caatinga explicam por que a área destinada à proteção integral desse bioma é menor que a dos demais biomas brasileiros. 83

ECOLOGIA & CIÊNCIAS AMBIENTAIS

ECOLOGIA & CIÊNCIAS AMBIENTAIS COLÉGIO/ESCOLA: Disciplina: Professor(a): Ensino: fundamental médio Nota máxima: ( ) Nota avaliada Série/Ano: 9ºano 1ª série 2ª série 3ª série Turno: manhã tarde noite Aluno: Nº aluno: Turma: Tipo de avaliação:

Leia mais

Ciências Naturais 6º ano Lígia Palácio

Ciências Naturais 6º ano Lígia Palácio Relações Ecológicas Tema: Ecologia Ciências Naturais 6º ano Lígia Palácio 1) Introdução A interação dos diversos organismos que constituem uma comunidade biológica são genericamente denominadas relações

Leia mais

Ecologia Conceitos Básicos e Relações Ecológicas

Ecologia Conceitos Básicos e Relações Ecológicas Ecologia Conceitos Básicos e Relações Ecológicas MOUZER COSTA O que é Ecologia? É a parte da Biologia que estuda as relações dos seres vivos entre si e com o ambiente. Conceitos Básicos Espécie População

Leia mais

ECOLOGIA SERES VIVOS AMBIENTE. estuda as relações entre

ECOLOGIA SERES VIVOS AMBIENTE. estuda as relações entre ECOLOGIA SERES VIVOS estuda as relações entre AMBIENTE Níveis de Organização Molécula Célula Tecido Órgão Sistema Espécie População Comunidade Ecossistema Biosfera Níveis de Organização Espécie Grupo de

Leia mais

2ª Série Biologia Prof o Sérgio Santos

2ª Série Biologia Prof o Sérgio Santos 2ª Série Biologia Prof o Sérgio Santos Aluno(a):...Turma:... 1º) Um indivíduo ao ser picado por uma cobra coral, foi levado ao hospital onde lhe aplicaram: a. Antígenos específico para a citada cobra.

Leia mais

Matéria: Biologia Assunto: Relações Ecológicas Prof. Enrico Blota

Matéria: Biologia Assunto: Relações Ecológicas Prof. Enrico Blota Matéria: Biologia Assunto: Relações Ecológicas Prof. Enrico Blota Biologia Ecologia Relações ecológicas Representam as interações entre os seres vivos em um determinado ecossistema. Podem ser divididas

Leia mais

EXERCÍCIOS DE REVISÃO 1ª VP4 de Ciências 6ª SÉRIE 1ª ETAPA. Professora: Alexsandra Ribeiro

EXERCÍCIOS DE REVISÃO 1ª VP4 de Ciências 6ª SÉRIE 1ª ETAPA. Professora: Alexsandra Ribeiro CONTEÚDO: CAP. 1, 2 e 3 EXERCÍCIOS DE REVISÃO 1ª VP4 de Ciências 6ª SÉRIE 1ª ETAPA Professora: Alexsandra Ribeiro 1. O esquema abaixo nos mostra como a vida está organizada no planeta. A complexidade da

Leia mais

1. O conjunto de indivíduos de uma mesma espécie que vive numa mesma área geográfica constitui:

1. O conjunto de indivíduos de uma mesma espécie que vive numa mesma área geográfica constitui: COLÉGIO JOÃO PAULO I ENSINO MÉDIO 2009 ECOLOGIA PROF. XANDI 1. O conjunto de indivíduos de uma mesma espécie que vive numa mesma área geográfica constitui: a) população b) comunidade c) ecossistema d)

Leia mais

BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 20 ECOLOGIA

BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 20 ECOLOGIA BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 20 ECOLOGIA Como pode cair no enem (ENEM) Várias estratégias estão sendo consideradas para a recuperação da diversidade biológica de um ambiente degradado, dentre elas, a criação

Leia mais

Biologia Fascículo 10 André Eterovic

Biologia Fascículo 10 André Eterovic Biologia Fascículo 10 André Eterovic Índice Ecologia Conceitos Ecológicos...1 Cadeias Alimentares...2 Relações Simbióticas...4 Exercícios...6 Gabarito...8 Ecologia Conceitos Ecológicos Ecologia: definição

Leia mais

Específicas. I. Harmônicas. II. Desarmônicas. I. Harmônicas 1) SOCIEDADE. Estas relações podem ser

Específicas. I. Harmônicas. II. Desarmônicas. I. Harmônicas 1) SOCIEDADE. Estas relações podem ser Relações Ecológicas Os seres vivos mantém constantes relações entre si, exercendo influências recíprocas em suas populações. INTRA ou INTERESPECÍFICAS Estas relações podem ser HARMÔNICAS OU DESARMÔNICAS

Leia mais

Introdução à Ecologia Prof. Fernando Belan

Introdução à Ecologia Prof. Fernando Belan Introdução à Ecologia Prof. Fernando Belan Ecologia (oikos = casa; logos = ciência) Estuda as relações entre os seres vivos, e o ambiente em que vivem; Multidisciplinar A Ecologia é complexa, e envolve:

Leia mais

Ecologia: interações ecológicas

Ecologia: interações ecológicas FACULDADES OSWALDO CRUZ Curso: Engenharia Ambiental Disciplina: Microbiologia Aplicada Prof a MsC. Vanessa Garcia Aula 12 (2º semestre): Ecologia: interações ecológicas Objetivos: analisar os principais

Leia mais

BIOVESTIBA.NET BIOLOGIA VIRTUAL Profº Fernando Teixeira UFRGS. ECOLOGIA Conceitos e Sucessão Ecológica

BIOVESTIBA.NET BIOLOGIA VIRTUAL Profº Fernando Teixeira UFRGS. ECOLOGIA Conceitos e Sucessão Ecológica UFRGS ECOLOGIA Conceitos e Sucessão Ecológica 1. (Ufrgs 2014) Considere as seguintes afirmações sobre conceitos utilizados em ecologia. I. Nicho ecológico é a posição biológica ou funcional que um ecossistema

Leia mais

Biologia LIVRO 3 Unidade 3 Avaliação capítulos 12, 13, 14, 15 e 16 Ecologia

Biologia LIVRO 3 Unidade 3 Avaliação capítulos 12, 13, 14, 15 e 16 Ecologia 1. Durante uma aula de campo, a professora informou que naquela área existiam diversas espécies de formigas, seres que estabelecem uma relação intraespecífica harmônica conhecida como sociedade. Informou

Leia mais

Ecologia. Aula Programada. Biologia. Tema: Ecologia

Ecologia. Aula Programada. Biologia. Tema: Ecologia Aula Programada Tema: Ecologia Biologia 1) Conceitos Básicos Indivíduo: Exemplar de uma espécie qualquer que constitui uma unidade distinta. Espécie: Conjunto de indivíduos muito semelhantes entre si e

Leia mais

5ª SÉRIE/6º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL UM MUNDO MELHOR PARA TODOS

5ª SÉRIE/6º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL UM MUNDO MELHOR PARA TODOS 5ª SÉRIE/6º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL UM MUNDO MELHOR PARA TODOS Auno(a) N 0 6º Ano Turma: Data: / / 2013 Disciplina: Ciências UNIDADE I Professora Martha Pitanga ATIVIDADE 01 CIÊNCIAS REVISÃO GERAL De

Leia mais

BIOVESTIBA.NET BIOLOGIA VIRTUAL Profº Fernando Teixeira UFRGS. ECOLOGIA Fluxo de energia e Interações ecológicas

BIOVESTIBA.NET BIOLOGIA VIRTUAL Profº Fernando Teixeira UFRGS. ECOLOGIA Fluxo de energia e Interações ecológicas UFRGS ECOLOGIA Fluxo de energia e Interações ecológicas 1. (Ufrgs 2015) Analise o quadro abaixo que apresenta os componentes de uma cadeia alimentar aquática e de uma terrestre. Ecossistema aquático aguapé

Leia mais

Pirâmides de números

Pirâmides de números Fluxo de energia Pirâmides de números COBRA (1) RATO (15) MILHO (100) PROTOZOÁRIOS CUPIM (100) (1) ÁRVORE (1000) ARANHAS (100) MOSCAS (300) (1) BANANA NAO HA PADRAO UNICO!!! - Massa de matéria orgânica

Leia mais

PROFESSOR: Leonardo Mariscal

PROFESSOR: Leonardo Mariscal PROFESSOR: Leonardo Mariscal BANCO DE QUESTÕES BIOLOGIA - 1ª SÉRIE - ENSINO MÉDIO ============================================================================================== 01- O aumento da poluição

Leia mais

Conceitos Ecológicos. Prof. Dr. Mauro Parolin

Conceitos Ecológicos. Prof. Dr. Mauro Parolin Conceitos Ecológicos Prof. Dr. Mauro Parolin Hábitat [1] ou habitat (do latim, ele habita) é um conceito usado em ecologia que inclui o espaço físico e os fatores abióticos que condicionam um ecossistema

Leia mais

RELAÇÕES ECOLÓGICAS & DINÂMICA DE POPULAÇÕES.

RELAÇÕES ECOLÓGICAS & DINÂMICA DE POPULAÇÕES. RELAÇÕES ECOLÓGICAS & DINÂMICA DE POPULAÇÕES. (FGV-SP - 2010) Questão 1 Em Umuarama, interior do Paraná, verdadeiros exércitos de formigas saúva vêm atormentando a população e os agricultores. Na cidade,

Leia mais

EXERCÍCIOS DE ECOLOGIA

EXERCÍCIOS DE ECOLOGIA BIOLOGIA Iaci Belo www.iaci.com.br ASSUNTO: ECOLOGIA Série: 3EM EXERCÍCIOS DE ECOLOGIA 01. Os seres aquáticos podem se divididos em três grupos: I. Organismos que nadam ativamente vencendo as correntes;

Leia mais

Relações Ecológicas. Essa interação entre os seres vivos é chamada de relação ecológica.

Relações Ecológicas. Essa interação entre os seres vivos é chamada de relação ecológica. Relações Ecológicas Relações Ecológicas Os seres vivos de diferentes espécies, além de interagirem com o meio abiótico em que vivem, também se interagem com os outros seres vivos presentes num mesmo local.

Leia mais

Lista de relações ecológicas, sucessão e dinâmica de pop./ Prof. Karina/ 1º ano

Lista de relações ecológicas, sucessão e dinâmica de pop./ Prof. Karina/ 1º ano 1. (Upf 2015) Considerando as relações ecológicas entre os seres vivos de uma comunidade, as formigas de um formigueiro, os liquens, um coral cérebro e uma bromélia crescendo no galho de uma árvore são,

Leia mais

EXERCÍCIOS ON LINE 6 ANO - 1 TRIMESTRE

EXERCÍCIOS ON LINE 6 ANO - 1 TRIMESTRE EXERCÍCIOS ON LINE 6 ANO - 1 TRIMESTRE 1- Leia o texto e responda as questões Todos os animais, independentemente do seu estilo de vida, servem como fonte de alimento para outros seres vivos. Eles estão

Leia mais

Ecossistemas e Saúde Ambiental :: Prof.ª MSC. Dulce Amélia Santos

Ecossistemas e Saúde Ambiental :: Prof.ª MSC. Dulce Amélia Santos Engenharia Civil Disciplina Ecossistemas e Saúde Ambiental Relações Ecológicas Duas Aula- Relações Ecológicas Profª Msc. Dulce Amélia Santos PODEMOS CLASSIFICAR AS RELAÇÕES ECOLÓGICAS EM RELAÇÕES INTRA-ESPECÍFICAS

Leia mais

E C O L O G I A. Incluindo todos os organismos e todos os processos funcionais que a tornam habitável

E C O L O G I A. Incluindo todos os organismos e todos os processos funcionais que a tornam habitável E C O L O G I A Deriva do grego oikos, com sentido de casa e logos com sentido de estudo Portanto, trata-se do estudo do ambiente da casa Incluindo todos os organismos e todos os processos funcionais que

Leia mais

ATIVIDADE INTERAÇÕES DA VIDA. CAPÍTULOS 1, 2, 3 e 4

ATIVIDADE INTERAÇÕES DA VIDA. CAPÍTULOS 1, 2, 3 e 4 ATIVIDADE INTERAÇÕES DA VIDA CAPÍTULOS 1, 2, 3 e 4 Questão 1) Abaixo representa uma experiência com crisântemo, em que a planta foi iluminada, conforme mostra o esquema. Com base no esquema e seus conhecimentos,

Leia mais

RELAÇÕES ECOLÓGICAS CLASSIFICAÇÃO

RELAÇÕES ECOLÓGICAS CLASSIFICAÇÃO CLASSIFICAÇÃO Tipo de interação A Intraespecíficas 9 relações que ocorrem entre indivíduos da mesma espécie. 9 relações que ocorrem entre indivíduos de espécies diferentes. Tipo de resultado da interação

Leia mais

INTERAÇÕES. Guilherme Alfenas Programa de Pós-Graduação em Ecologia PGECOL - UFJF

INTERAÇÕES. Guilherme Alfenas Programa de Pós-Graduação em Ecologia PGECOL - UFJF INTERAÇÕES Guilherme Alfenas Programa de Pós-Graduação em Ecologia PGECOL - UFJF BIBLIOGRAFIA RICKLEFS, R.E. 5ª edição. A Economia da Natureza. Editora Guanabara Koogan. CONCEITO BÁSICO São relações que

Leia mais

BIOLOGIA Prof. Fred correta

BIOLOGIA Prof. Fred correta BIOLOGIA Prof. Fred 1. (Ufpr) Pesquisadores da Universidade da Flórida estão realizando testes para introduzir nos Estados Unidos o inseto Calophya latiforceps (conhecido como gralha-da-folha-da-aroeira),

Leia mais

Exercícios de Cadeias, Pirâmides e Teias Tróficas

Exercícios de Cadeias, Pirâmides e Teias Tróficas Exercícios de Cadeias, Pirâmides e Teias Tróficas 1. (ENEM) Os personagens da figura estão representando situação hipotética de cadeia alimentar. A figura representa um exemplo de cadeia alimentar Suponha

Leia mais

Data: /08/14 Bimestr e: Nome: 9 ANO Nº Disciplina Biologia Valor da Prova / Atividade:

Data: /08/14 Bimestr e: Nome: 9 ANO Nº Disciplina Biologia Valor da Prova / Atividade: Data: /08/14 Bimestr e: 2 Nome: 9 ANO Nº Disciplina Biologia : Valor da Prova / Atividade: Professo r: Ângela Nota: Objetivo / Instruções: Lista de Recuperação 1.Explique a principal diferença entre sociedade

Leia mais

Relações ecológicas. Relações intraespecíficas harmônicas

Relações ecológicas. Relações intraespecíficas harmônicas Relações ecológicas Nenhum ser vivo está sozinho neste planeta, todos os seres vivos se relacionam seja com seres da própria espécie ou com seres de outras espécies. Essas relações são muito importantes

Leia mais

RELAÇÕES HARMÔNICAS (interações positivas) COLÔNIAS INTRA - ESPECÍFICAS SOCIEDADES

RELAÇÕES HARMÔNICAS (interações positivas) COLÔNIAS INTRA - ESPECÍFICAS SOCIEDADES RELAÇÕES HARMÔNICAS (interações positivas) COLÔNIAS INTRA - ESPECÍFICAS SOCIEDADES SOCIEDADES Diferem das colônias basicamente pela independência física exibida por seus integrantes. Também caracterizam-se

Leia mais

Cadeia alimentar 3º ano

Cadeia alimentar 3º ano Cadeia alimentar 3º ano O equilíbrio ecológico depende diretamente da interação, das trocas e das relações que os seres vivos estabelecem entre si e com o ambiente. Os seres respiram, vivem sobre o solo

Leia mais

Interações entre os seres vivos

Interações entre os seres vivos Relações Ecológicas Interações entre os seres vivos I. CLASSIFICAÇÃO:. Quanto as espécies participantes: - Intra-espec específicas ou Homotípicas picas: : mesma espécie cie. - Interespecíficas ou Heterotípicas

Leia mais

5ª série / 6º ano 1º bimestre

5ª série / 6º ano 1º bimestre 5ª série / 6º ano 1º bimestre Água e o planeta Terra Hidrosfera Distribuição e importância Hidrosfera é o conjunto de toda a água da Terra. Ela cobre 2/3 da superfície terrestre e forma oceanos, mares,

Leia mais

A Ecologia e sua Importância. Componentes Estruturais. Estudo das Relações dos Seres Vivos entre si e com o meio onde vivem

A Ecologia e sua Importância. Componentes Estruturais. Estudo das Relações dos Seres Vivos entre si e com o meio onde vivem Link para acessar o conteúdo, calendário, notas, etc. www.e-conhecimento.com.br Ensino Médio Primeiros Anos Ecologia oikos casa ; logos - estudo A Ecologia e sua Importância Estudo das Relações dos Seres

Leia mais

Exercício de Biologia - 3ª série

Exercício de Biologia - 3ª série Exercício de Biologia - 3ª série 1- A poluição atmosférica de Cubatão continua provocando efeitos negativos na vegetação da Serra do Mar, mesmo após a instalação de filtros nas indústrias na década de

Leia mais

Relações ecológicas. Professora: Reisila Migliorini Mendes - Biologia 1ª série - Ensino Médio

Relações ecológicas. Professora: Reisila Migliorini Mendes - Biologia 1ª série - Ensino Médio Relações ecológicas Professora: Reisila Migliorini Mendes - Biologia 1ª série - Ensino Médio Classificação Intraespecífica: entre indivíduos da mesma espécie. Interespecífica: entre indivíduos de espécies

Leia mais

Ecologia. 1) Níveis de organização da vida

Ecologia. 1) Níveis de organização da vida Introdução A ciência que estuda como os seres vivos se relacionam entre si e com o ambiente em que vivem e quais as conseqüências dessas relações é a Ecologia (oikos = casa e, por extensão, ambiente; logos

Leia mais

ECOLOGIA I - CONCEITOS GERAIS

ECOLOGIA I - CONCEITOS GERAIS BIOLOGIA ECOLOGIA I - CONCEITOS GERAIS Ecologia é o estudo das relações entre os seres vivos e o ambiente onde vivem. É uma ciência que estuda os seres vivos acima do nível do organismo individual, estuda,

Leia mais

Dinâmica dos Ecossistemas

Dinâmica dos Ecossistemas UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS ECOLOGIA Prof. Oriel Herrera Monitores: John David & Giuliane Sampaio Dinâmica dos Ecossistemas Fortaleza-CE Versão

Leia mais

Matéria e Energia no Ecossistema

Matéria e Energia no Ecossistema Matéria e Energia no Ecossistema Qualquer unidade que inclua a totalidade dos organismos (comunidade) de uma área determinada, interagindo com o ambiente físico, formando uma corrente de energia que conduza

Leia mais

Ecologia Relações entre os seres vivos

Ecologia Relações entre os seres vivos O funcionamento de uma comunidade depende das diversas relações ou interações entre os organismos que a compõem. Essas relações podem ser: A)Intra-específicas quando ocorrem entre seres da mesma espécie;

Leia mais

Aula 11 Cadeia alimentar

Aula 11 Cadeia alimentar Aula 11 Cadeia alimentar A biosfera, parte do planeta onde vivem os seres vivos, é formado por ecossistemas. O ecossistema é constituído por comunidade (parte biótica) e os fatores físicos e químicos do

Leia mais

BIOLOGIA ECOLOGIA - CONCEITOS ECOLÓGICOS

BIOLOGIA ECOLOGIA - CONCEITOS ECOLÓGICOS BIOLOGIA Prof. Fred ECOLOGIA - CONCEITOS ECOLÓGICOS Ecologia: definição e importância Ecologia é o estudo das relações entre os seres vivos e entre estes e o ambiente em que vivem. Envolve aspectos do

Leia mais

Que tipo de relação há entre o peixe-palhaço e a anêmona? Justifique sua resposta. R.:

Que tipo de relação há entre o peixe-palhaço e a anêmona? Justifique sua resposta. R.: PROFESSOR: EQUIPE DE CIÊNCIAS BANCO DE QUESTÕES - CIÊNCIAS - 6º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ============================================================================================= 01- Nas figuras abaixo

Leia mais

III BIMESTRE TRABALHO DE BIOLOGIA 2011

III BIMESTRE TRABALHO DE BIOLOGIA 2011 III BIMESTRE TRABALHO DE BIOLOGIA 2011 INSTRUÇÕES 1. Preencha o cabeçalho e com o nome completo de cada aluno da equipe MÉDIA = 2. Todas as respostas deverão ser apresentadas nos espaços apropriados, com

Leia mais

Ecologia: definição. OIKOS Casa LOGOS Estudo. Ciência que estuda as relações entre os seres vivos e desses com o ambiente.

Ecologia: definição. OIKOS Casa LOGOS Estudo. Ciência que estuda as relações entre os seres vivos e desses com o ambiente. Profª Kamylla Ecologia: definição OIKOS Casa LOGOS Estudo Ciência que estuda as relações entre os seres vivos e desses com o ambiente. Componentes do Ecossistema Substâncias Abióticas; Componentes Bióticos:

Leia mais

Quiz 6 a Série. 1. Um cientista estudou o conteúdo do estômago de um animal e descobriu que nele só havia plantas. Este animal deve ser um:

Quiz 6 a Série. 1. Um cientista estudou o conteúdo do estômago de um animal e descobriu que nele só havia plantas. Este animal deve ser um: Quiz 6 a Série Professora: Alexsandra Ribeiro Instruções: Olá queridos alunos e alunas! O quiz é mais uma ferramenta que nos possibilita saber se realmente você está entendendo o conteúdo abordado em sala

Leia mais

Professor(a): Marco Rossellini Disciplina: Biologia Aluno(a): Ano: 2 EM Nº: Data: / / Bimestre: 3º NOTA: Exercícios - Geekie.

Professor(a): Marco Rossellini Disciplina: Biologia Aluno(a): Ano: 2 EM Nº: Data: / / Bimestre: 3º NOTA: Exercícios - Geekie. Professor(a): Marco Rossellini Disciplina: Biologia Aluno(a): Ano: 2 EM Nº: Data: / / Bimestre: 3º NOTA: Exercícios - Geekie 1) O conjunto do ambiente físico e dos organismos que nele vivem é conhecido

Leia mais

FACULDADES SANTO AGOSTINHO DE SETE LAGOAS FASASETE - CURSO: ENGENHARIA AMBIENTAL UNIDADE IV - DISCIPLINA: ECOLOGIA - Prof.: Ramon L. O.

FACULDADES SANTO AGOSTINHO DE SETE LAGOAS FASASETE - CURSO: ENGENHARIA AMBIENTAL UNIDADE IV - DISCIPLINA: ECOLOGIA - Prof.: Ramon L. O. FACULDADES SANTO AGOSTINHO DE SETE LAGOAS FASASETE - CURSO: ENGENHARIA AMBIENTAL UNIDADE IV - DISCIPLINA: ECOLOGIA - Prof.: Ramon L. O. Junior Nome: 01. Classifique as relações seguintes conforme o modelo

Leia mais

20/5/2014 RELAÇÕES ECOLÓGICAS RELAÇÕES HARMÔNICAS INTRA-ESPECÍFICAS COLÔNIA CLASSIFICAÇÃO

20/5/2014 RELAÇÕES ECOLÓGICAS RELAÇÕES HARMÔNICAS INTRA-ESPECÍFICAS COLÔNIA CLASSIFICAÇÃO RELAÇÕES ECOLÓGICAS RELAÇÕES ECOLÓGICAS Os seres vivos, além de interagirem com o meio abiótico, também interagem com outros seres vivos presentes na mesma comunidade. Estas interações são as relações

Leia mais

DISCIPLINA: BIOLOGIA PROFª. CRISTINA DE SOUZA 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO

DISCIPLINA: BIOLOGIA PROFª. CRISTINA DE SOUZA 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO DISCIPLINA: BIOLOGIA PROFª. CRISTINA DE SOUZA 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO RELAÇÕES ECOLÓGICAS Interações (relações ou associações) = SIMBIOSE INTRAESPECÍFICAS - entre indivíduos da mesma espécie. INTERESPECÍFICAS

Leia mais

FERNANDA ROTEIRO DE ESTUDOS DE RECUPERAÇÃO E REVISÃO

FERNANDA ROTEIRO DE ESTUDOS DE RECUPERAÇÃO E REVISÃO Aluno (a): Disciplina GEOGRAFIA Curso Professor ENSINO MÉDIO FERNANDA ROTEIRO DE ESTUDOS DE RECUPERAÇÃO E REVISÃO Série 1ª SÉRIE Número: 1 - Conteúdo: Domínios morfoclimáticos - estudar as interrelações

Leia mais

Broca da madeira. Atividade de Aprendizagem 19. Eixo(s) temático(s) Vida e ambiente

Broca da madeira. Atividade de Aprendizagem 19. Eixo(s) temático(s) Vida e ambiente Atividade de Aprendizagem 19 Broca da madeira Eixo(s) temático(s) Vida e ambiente Tema Interações entre os seres vivos / características e diversidade dos seres vivos / manutenção da vida e integração

Leia mais

CADERNO DE ATIVIDADES CIÊNCIAS

CADERNO DE ATIVIDADES CIÊNCIAS COLÉGIO ARNALDO 2015 CADERNO DE ATIVIDADES CIÊNCIAS Aluno (a): 4º ano: Turma: Professor (a): Valor: 20 pontos Este trabalho deverá ser entregue IMPRETERIVELMENTE no dia da prova. Conteúdo de Recuperação

Leia mais

Níveis de Organização

Níveis de Organização Níveis de Organização Indivíduo Átomos Moléculas Células Tecidos Órgãos Sistemas capazes de se cruzarem entre si, originando indivíduos férteis. Ex: Cachorro População: grupo de indivíduos da mesma espécie

Leia mais

Como Eu Ensino Biomas brasileiros Material de apoio

Como Eu Ensino Biomas brasileiros Material de apoio Roteiro da atividade: Jogo da Sobrevivência Como jogar 1. Cada jogador iniciará o jogo com uma população de sessenta quatis na primeira geração e, portanto, marcará na folha-região 60 indivíduos no eixo

Leia mais

ORIENTAÇÕES RESUMO TEÓRICO. BIOLOGIA 3 Prof.: Vinícius (Minguado) LISTA 11 FLUXO DE ENERGIA E PIRÂMIDES ECOLÓGICAS

ORIENTAÇÕES RESUMO TEÓRICO. BIOLOGIA 3 Prof.: Vinícius (Minguado) LISTA 11 FLUXO DE ENERGIA E PIRÂMIDES ECOLÓGICAS BIOLOGIA 3 Prof.: Vinícius (Minguado) LISTA 11 FLUXO DE ENERGIA E PIRÂMIDES ECOLÓGICAS ORIENTAÇÕES Esta lista contém questões relativas ao fluxo de energia e pirâmides ecológicas de cadeias alimentares.

Leia mais

COLÉGIO SÃO JOSÉ 3º ANO- ENSINO MÉDIO BIOLOGIA PROFESSORA VANESCA 2015

COLÉGIO SÃO JOSÉ 3º ANO- ENSINO MÉDIO BIOLOGIA PROFESSORA VANESCA 2015 COLÉGIO SÃO JOSÉ 3º ANO- ENSINO MÉDIO BIOLOGIA PROFESSORA VANESCA 2015 ECOLOGIA Introdução, Cadeias alimentares, Matéria e Energia no Ecossistema. O termo ECOLOGIA foi empregado pela 1ª vez por E. Haeckel,

Leia mais

ECOLOGIA www.vestibular1.com.br

ECOLOGIA www.vestibular1.com.br EXERCÍCIOS DE BIOLOGIA Até que ponto chegará a burrice do ser humano? Temos a felicidade de ser os únicos seres vivos a ter inteligência, mas infelizmente, ela é usada apenas para destruir o meio que vivemos.

Leia mais

Comer o milho ou a galinha que comeu o milho?

Comer o milho ou a galinha que comeu o milho? Comer o milho ou a galinha que comeu o milho? A UU L AL A Na Aula 29 usamos como exemplo o galinheiro de um fazendeiro. Para alimentar as galinhas, o fazendeiro planta ou compra milho. As galinhas, aproveitando

Leia mais

6 O PRODUTO. ATIVIDADE 01: Perfil

6 O PRODUTO. ATIVIDADE 01: Perfil 54 6 O PRODUTO ATIVIDADE 01: Perfil Descrição da atividade Olá, como vai? Seja bem-vindo (a) a nossa primeira atividade! Nesta atividade, você terá a oportunidade de conhecer colegas e professores utilizando

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO ADMINISTRAÇÀO DISCIPLINA: MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO PROF: NAZARÉ FERRÀO TURMA: 7-ADN-1

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO ADMINISTRAÇÀO DISCIPLINA: MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO PROF: NAZARÉ FERRÀO TURMA: 7-ADN-1 1 CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO ADMINISTRAÇÀO DISCIPLINA: MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO PROF: NAZARÉ FERRÀO TURMA: 7-ADN-1 I. MEIO AMBIENTE CONCEITOS MEIO AMBIENTE Tudo o que cerca o ser vivo,

Leia mais

Paisagens Climatobotânicas do Brasil

Paisagens Climatobotânicas do Brasil Paisagens Climatobotânicas do Brasil 1. (UEL-2012) Os domínios morfoclimáticos brasileiros são definidos a partir da combinação dos elementos da natureza, como os climáticos, botânicos, pedológicos, hidrológicos

Leia mais

Entre os seres vivos de um ecossistema, há um inter relacionamento dinâmico e equilibrado, que permite a troca de matéria e de energia.

Entre os seres vivos de um ecossistema, há um inter relacionamento dinâmico e equilibrado, que permite a troca de matéria e de energia. Cadeia alimentar A biosfera, parte do planeta onde vivem os seres vivos, é formado por ecossistemas. O ecossistema é constituído por comunidades (parte biótica) e os fatores físicos e químicos do meio

Leia mais

RELAÇÕES ENTRE OS SERES VIVOS (ALELOBIOSES) 1- HARMÔNICAS NINGUÉM É PREJUDICADO 3- INTRA-ESPECÍFICAS OU HOMOTÍPICAS OS SERES SÃO DA MESMA ESPÉCIE

RELAÇÕES ENTRE OS SERES VIVOS (ALELOBIOSES) 1- HARMÔNICAS NINGUÉM É PREJUDICADO 3- INTRA-ESPECÍFICAS OU HOMOTÍPICAS OS SERES SÃO DA MESMA ESPÉCIE RELAÇÕES ENTRE OS SERES VIVOS (ALELOBIOSES) 1- HARMÔNICAS NINGUÉM É PREJUDICADO 2- DESARMÔNICAS ALGUÉM É PREJUDICADO 3- INTRA-ESPECÍFICAS OU HOMOTÍPICAS OS SERES SÃO DA MESMA ESPÉCIE 4- INTERESPECÍFICAS

Leia mais

Relações Harmônicas (Não há prejuízo)- Homotípicas (Seres da mesma espécie) -Colônia Indivíduos unidos fisicamente.

Relações Harmônicas (Não há prejuízo)- Homotípicas (Seres da mesma espécie) -Colônia Indivíduos unidos fisicamente. RELAÇÕES ECOLÓGICAS RELAÇÕES ECOLÓGICAS - As relações ecológicas são aquelas que se manifestam em diferentes populações de um ecossistema que pode ocorrer em indivíduos de uma mesma espécie ou não. Relações

Leia mais

No caso da Candida spp. se tornar patogênica, como se denomina a relação interespecífica entre esse fungo e o ser humano? Justifique sua resposta.

No caso da Candida spp. se tornar patogênica, como se denomina a relação interespecífica entre esse fungo e o ser humano? Justifique sua resposta. 1. (Unesp 2013) Texto 1 O biopoder, sem a menor dúvida, foi elemento indispensável ao desenvolvimento do capitalismo, que só pode ser garantido à custa da inserção controlada dos corpos no aparelho de

Leia mais

DIVERSIDADE DE CLIMAS = DIVERSIDADE DE VEGETAÇÕES

DIVERSIDADE DE CLIMAS = DIVERSIDADE DE VEGETAÇÕES FORMAÇÕES VEGETAIS - Os elementos da natureza mantém estreita relação entre si. - A essa relação, entendida como a combinação e coexistência de seres vivos (bióticos) e não vivos (abióticos) dá-se o nome

Leia mais

Muitos animais se alimentam da

Muitos animais se alimentam da A U A UL LA Animais caçadores e herbívoros Atenção Aumento de pragas Muitos animais se alimentam da quilo que é produzido pelo homem. Várias espécies de roedores, por exemplo, vivem principalmente de grãos

Leia mais

ORIENTAÇÕES RESUMO TEÓRICO. BIOLOGIA 3 Prof.: Vinícius (Minguado) LISTA 14.a INTERAÇÕES ECOLÓGICAS

ORIENTAÇÕES RESUMO TEÓRICO. BIOLOGIA 3 Prof.: Vinícius (Minguado) LISTA 14.a INTERAÇÕES ECOLÓGICAS BIOLOGIA 3 Prof.: Vinícius (Minguado) LISTA 14.a INTERAÇÕES ECOLÓGICAS ORIENTAÇÕES A lista 14.a é muito importante apresenta questões sobre as interações ecológicas existentes entre os vários seres vivos.

Leia mais

O manguezal. Se você costuma viajar para o litoral, provavelmente

O manguezal. Se você costuma viajar para o litoral, provavelmente A U A UL LA O manguezal Se você costuma viajar para o litoral, provavelmente já viu pela estrada algumas pessoas vendendo caranguejos. Esses animais tornam-se verdadeiras iguarias nos restaurantes. Muitos

Leia mais

Universidade Federal de Goiás. Ecologia de Ecossistemas. Aula 4: Produtividade e Decomposição

Universidade Federal de Goiás. Ecologia de Ecossistemas. Aula 4: Produtividade e Decomposição Universidade Federal de Goiás Instituto de Ciências Biológicas Dep. Ecologia Prof. Adriano S. Melo - asm.adrimelo@gmail.com Ecologia de Ecossistemas Aula 4: Produtividade e Decomposição Produção primária

Leia mais

23/8/2011 CADEIAS ALIMENTARES CADEIA ALIMENTAR OU CADEIA TRÓFICA PRODUTORES. Ecossitemas e Saúde Ambiental ::Profª MSC. Dulce Amélia Santos 1

23/8/2011 CADEIAS ALIMENTARES CADEIA ALIMENTAR OU CADEIA TRÓFICA PRODUTORES. Ecossitemas e Saúde Ambiental ::Profª MSC. Dulce Amélia Santos 1 CADIAS ALIMNTARS ngenharia Civil Disciplina cossistemas e Saúde Ambiental Aula - Cadeias Alimentares - Fluxo De nergia Profª Msc.. Dulce Amélia Santos As espécies que vivem em um mesmo ambiente estão ligadas

Leia mais

Delza - Ciências 6ª Série RECUPERAÇÂO. QUESTÃO 1 (Descritor: associar características básicas à classificação dos seres vivos.)

Delza - Ciências 6ª Série RECUPERAÇÂO. QUESTÃO 1 (Descritor: associar características básicas à classificação dos seres vivos.) Delza - Ciências 6ª Série RECUPERAÇÂO QUESTÃO 1 (Descritor: associar características básicas à classificação dos seres vivos.) Assunto: Classificação dos seres vivos Os cientistas estabeleceram um sistema

Leia mais

Os seres vivos e o ambiente

Os seres vivos e o ambiente Nas teias alimentares, certos organismos podem ser, ao mesmo tempo, consumidores primários, secundários, etc., dependendo da cadeia alimentar que for selecionada. A eliminação de alguns organismos de uma

Leia mais

CADERNO DE EXERCÍCIOS 1G

CADERNO DE EXERCÍCIOS 1G CADERNO DE EXERCÍCIOS 1G Ensino Fundamental Ciências da Natureza Questão Conteúdo Habilidade da Matriz da EJA/FB 1 Movimentos dos continentes H7 2 Origem dos seres vivos na Terra H17 3 Relações ecológicas

Leia mais

Ciências Naturais. Fluxo de Energia nos Ecossistemas teste de verificação da aprendizagem

Ciências Naturais. Fluxo de Energia nos Ecossistemas teste de verificação da aprendizagem Ciências Naturais 8º ano Fluxo de Energia nos Ecossistemas teste de verificação da aprendizagem 1 O que representa a imagem seguinte? A. Uma sucessão ecológica. B. Uma teia aliemntar. C. Uma pirâmide ecológica.

Leia mais

3. Ler atentamente as 3 afirmativas relativas às relações entre os seres vivos,

3. Ler atentamente as 3 afirmativas relativas às relações entre os seres vivos, ATIVIDADE DE RECUPERAÇÃO BIOLOGIA 1º ANO / 3ª etapa Professor: Warley Ferreira 1. Uma população de parasitas e seus hospedeiros estão em interação. Eliminando-se os parasitas, espera-se que a população

Leia mais

1. As larvas do bicho-da-seda Bombyx mori atacam as folhas da amoreira. Sob o ponto de vista ecológico, um predador dessas larvas se comporta como

1. As larvas do bicho-da-seda Bombyx mori atacam as folhas da amoreira. Sob o ponto de vista ecológico, um predador dessas larvas se comporta como Biologia Prova 1 os anos Rodrigo abr/13 Nome: Nº: Turma: 1. As larvas do bicho-da-seda Bombyx mori atacam as folhas da amoreira. Sob o ponto de vista ecológico, um predador dessas larvas se comporta como

Leia mais

PROGRAMAÇÃO CURRICULAR DE CIÊNCIAS UNIDADE 1 Conteúdos. UNIDADE 2 Conteúdos

PROGRAMAÇÃO CURRICULAR DE CIÊNCIAS UNIDADE 1 Conteúdos. UNIDADE 2 Conteúdos Ser humano: semelhanças e diferenças (características físicas e comportamentais, gostos pessoais) Partes do corpo humano Sentidos humanos: audição, visão, paladar, tato e olfato Cuidados com os órgãos

Leia mais

ECOLOGIA GERAL FLUXO DE ENERGIA E MATÉRIA ATRAVÉS DE ECOSSISTEMAS

ECOLOGIA GERAL FLUXO DE ENERGIA E MATÉRIA ATRAVÉS DE ECOSSISTEMAS ECOLOGIA GERAL Aula 05 Aula de hoje: FLUXO DE ENERGIA E MATÉRIA ATRAVÉS DE ECOSSISTEMAS Sabemos que todos os organismos necessitam de energia para se manterem vivos, crescerem, se reproduzirem e, no caso

Leia mais

Ecologia das comunidades

Ecologia das comunidades Ecologia das comunidades Relações ecológicas Intraespecífica ou interespecífica Harmônica ou desarmônica Intraespecíficas harmônicas Disponível em: .

Leia mais

Professora: Andréa Rodrigues Monitora: Marina Borges

Professora: Andréa Rodrigues Monitora: Marina Borges ECOSSISTEMAS MÓDULO 1 Professora: Andréa Rodrigues Monitora: Marina Borges ESPÉCIES EXISTENTES NA TERRA Espécies conhecidas 1.412.000 Outros animais 281.000 Insetos 751.000 Fungos 69.000 Procariontes 4.800

Leia mais

Ecologia Geral (ECG33AM) Curso de Graduação em Engenharia Ambiental UTFPR Francisco Beltrão

Ecologia Geral (ECG33AM) Curso de Graduação em Engenharia Ambiental UTFPR Francisco Beltrão Ecologia Geral (ECG33AM) Curso de Graduação em Engenharia Ambiental UTFPR Francisco Beltrão Antes de continuarmos... ainda algumas orientações! Orientações gerais (muito importantes) 1) O prazo máximo

Leia mais

CAPÍTULO 02 A TEIA ALIMENTAR

CAPÍTULO 02 A TEIA ALIMENTAR CAPÍTULO 02 A TEIA ALIMENTAR Cadeia alimentar: é uma seqüência de seres vivos relacionando-se dentro de um ecossistema, onde um ser serve de alimento para outro ser. Exemplo: Capim capivara onça bactéria

Leia mais

NETXPLICA http://forum.netxplica.com TESTE DE AVALIAÇÃO 8º Ano Ciências Naturais Ecossistemas fluxos de energia e ciclos de matéria

NETXPLICA http://forum.netxplica.com TESTE DE AVALIAÇÃO 8º Ano Ciências Naturais Ecossistemas fluxos de energia e ciclos de matéria Classificação Encarregado de Educação Nome nº Turma Data / / 08 GRUPO I (Cotação = 25 pontos: 1.1-10x2=20 + 1.2-5 pontos) 1. Considera a figura seguinte, que representa o fluxo de energia numa cadeia alimentar.

Leia mais

Biomas Brasileiros I. Floresta Amazônica Caatinga Cerrado. Mata Atlântica Pantanal Campos Sulinos ou Pampas Gaúchos

Biomas Brasileiros I. Floresta Amazônica Caatinga Cerrado. Mata Atlântica Pantanal Campos Sulinos ou Pampas Gaúchos Biomas Brasileiros I Floresta Amazônica Caatinga Cerrado Mata Atlântica Pantanal Campos Sulinos ou Pampas Gaúchos Floresta Amazônica Localizada na região norte e parte das regiões centro-oeste e nordeste;

Leia mais

Complete com as principais características de cada bioma: MATA ATLÂNTICA

Complete com as principais características de cada bioma: MATA ATLÂNTICA Atividade de Ciências 5º ano Nome: ATIVIDADES DE ESTUDO Complete com as principais características de cada bioma: MATA ATLÂNTICA FLORESTA AMAZÔNICA FLORESTA ARAUCÁRIA MANGUEZAL PANTANAL CAATINGA CERRADO

Leia mais

BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 29 FITOGEOGRAFIA DO BRASIL

BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 29 FITOGEOGRAFIA DO BRASIL BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 29 FITOGEOGRAFIA DO BRASIL Fixação 1) (ENEM) A ocupação predatória associada à expansão da fronteira agropecuária e acelerada pelo plantio da soja tem deflagrado, com a perda

Leia mais

Matéria e energia nos ecossistemas

Matéria e energia nos ecossistemas Aula de hoje Matéria e energia nos ecossistemas Matéria e energia nos ecossistemas A forma e funcionamento dos organismos vivos evoluiu parcialmente il em respostas às condições prevalecentes no mundo

Leia mais

COMENTÁRIO DA PROVA DE BIOLOGIA

COMENTÁRIO DA PROVA DE BIOLOGIA COMENTÁRIO DA PROVA DE BIOLOGIA A prova de Biologia da UFPR apresentou uma boa distribuição de conteúdos ao longo das nove questões. O grau de dificuldade variou entre questões médias e fáceis, o que está

Leia mais

FATORES ECOLÓGICOS. Professora: Dayse Luna Barbosa

FATORES ECOLÓGICOS. Professora: Dayse Luna Barbosa FATORES ECOLÓGICOS Professora: Dayse Luna Barbosa Fatores Ecológicos São o conjunto de fatores biológicos e físicos que atuam sobre o desenvolvimento de uma comunidade. Fatores Ecológicos Fatores Ecológicos

Leia mais

IC II - Lab.Geo.Fis. Aula 3. Turma: 2015/1 Profª. Larissa Bertoldi larabertoldi@gmail.com

IC II - Lab.Geo.Fis. Aula 3. Turma: 2015/1 Profª. Larissa Bertoldi larabertoldi@gmail.com IC II - Lab.Geo.Fis Aula 3 Turma: 2015/1 Profª. Larissa Bertoldi larabertoldi@gmail.com Aula de hoje.. Sistemas Teoria Geral dos Sistemas Relações entre os elementos dos Ecossistemas Biogeografia e Sistemas

Leia mais