Programa: Gestão e Manutenção do Ministério de Minas e Energia. Responsável: Superintendência de Gestão Técnica da Informação - SGI

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Programa: Gestão e Manutenção do Ministério de Minas e Energia. Responsável: Superintendência de Gestão Técnica da Informação - SGI"

Transcrição

1 Termo de Referência nº xxx/aaaa - SGI/ANEEL Brasília, 01 de março de I. DA IDENTIFICAÇÃO Programa: Gestão e Manutenção do Ministério de Minas e Energia Ação: Administração da Unidade Atividade: Item 14.2 Realizar Serviços Fábrica de Software Responsável: Superintendência de Gestão Técnica da Informação - SGI Desafio Estratégico: Desafio Estratégico: Nº 08 - INFORMAÇÃO COM QUALIDADE: reestruturar o modelo de gestão da informação, fortalecendo os mecanismos de acesso, integração e qualidade dos dados, bem como promover o tratamento racionalizado do fluxo das informações, no atendimento das demandas internas e do público interessado. Alinhamento PDTI: Item 2 Desenvolvimento, subitem Desenvolvimento de Novos Projetos II. DO OBJETO Contratação de empresa especializada na prestação de serviços de desenvolvimento e manutenção de sistemas, de forma continuada, por um período de 12 (doze) meses, prorrogáveis por até 60 (sessenta) meses, nos termos do artigo 57, inciso II da lei 8.666/93, para atender às necessidades da ANEEL. A natureza do Contrato, nos termos da Lei Civil, é por escopo, atraindo, portanto, todos os aspectos legais desse tipo de relação. III. DOS PRAZOS O prazo de vigência do futuro Contrato será de 12 (doze) meses, podendo ser prorrogado nos termos da Lei. IV. DOS VALORES ESTIMADOS 4. Os valores estimados estão compostos da seguinte maneira:

2 Fls. 2 do Termo de Referência nº 000/2013 SGI/ANEEL, de 04/03/ Tabela de Valores Totais por Serviço: Tabela 1. Valores por serviço Item Descrição Quantidade Valor Valor Geral Unitário 01 Empresa especializada na prestação de serviços de desenvolvimento e manutenção de sistemas PF R$ 0,00 02 Provisão para Diárias 20 diárias R$ 0,00 03 Provisão para passagens --- R$ ,00 TOTAL xxxxx Diárias: Somente serão pagas para as situações previstas no item e conforme regras constantes no ANEXO X, mediante autorização expressa da SGI/ANEEL Provisão para passagens: Somente serão pagas para as situações previstas no item e conforme regras constantes no ANEXO X, mediante autorização expressa da SGI/ANEEL Valor no Exercício 2013: R$ 0,00 (xxxx xxxxxx reais): 4.3. Valor no Exercício 2014: R$ 0,00 (xxxx xxxxxx reais): 4.4. Adequação Orçamentária: Qualidade do Serviço de Energia Elétrica / Gestão e Administração do Programa V. DETALHAMENTO DO OBJETO 5. Solução Escolhida 5.1. Descrição da Solução Escolhida O futuro contrato decorrente deste Termo de Referência fará parte de uma solução mais abrangente que consiste na operacionalização de quatro serviços, quais sejam: desenvolvimento e manutenção de novos sistemas; manutenção do legado; controle de qualidade de software; mensuração de software A contratação de cada um dos serviços previstos no item 5.1 será realizada por licitação específica O objeto desta contratação compreende os serviços de desenvolvimento e manutenção de novos sistemas, conforme Tabela 2:

3 Fls. 3 do Termo de Referência nº 000/2013 SGI/ANEEL, de 04/03/2013 Tabela 2 - Resumo do Objeto a Ser Contratado ITEM Serviços Descrição Resumida 01 Desenvolvimento e Manutenção de Sistemas Prestação de Serviços de Tecnologia da Informação para prover a ANEEL de capacidade de desenvolvimento e manutenção de novos sistemas. Quantitativo Anual Estimado (em pontos de função) Especificações Técnicas consideradas: DE INFORMAÇÃO SERVIÇOS DE DESENVOLVIMENTO E MANUTENÇÃO DE SISTEMAS Serviços de Desenvolvimento de Novos Aplicativos: Corresponde ao desenvolvimento de novos sistemas, a partir de especificações definidas ou validadas pela ANEEL Serviços de Manutenção de Sistemas: Corresponde às intervenções necessárias para manter funcionando em sua plenitude, os sistemas produzidos no âmbito dessa contratação, podendo ser de natureza Evolutiva, Adaptativa, Corretiva, Perfectiva, Cosmética, Preventiva, de Verificação de Erros ou de Apuração Especial Arquitetura Tecnológica A CONTRATADA deverá utilizar ferramentas e tecnologias compatíveis às adotadas pela CONTRATANTE A CONTRATANTE terá total liberdade para atualizar as versões dos sistemas operacionais, linguagens de programação, bancos de dados e outras ferramentas de apoio ao desenvolvimento de sistemas de informação, segundo sua necessidade e conveniência administrativa. Caberá, neste caso, a CONTRATADA adaptar-se à nova plataforma computacional às suas expensas, em até 30 (trinta) dias a partir do aviso formal de mudança. A plataforma tecnológica utilizada na CONTRATANTE encontra-se descrita a seguir: Rede com tecnologia em Estrela, segmentada por switches responsáveis pela interligação de 3 (três) módulos do edifício sede e auditório do CEPAT, totalizando 9 (nove) áreas do prédio da CONTRATANTE, com velocidade de 1 Gbps entre switches e 100 Mbps entre os outros pontes de rede, caracterizada como Fast Ethernet e que somam aproximadamente 1580 (mil quinhentos e oitenta pontos), distribuídos entre redes segmentadas lógica e fisicamente Composta de aproximadamente 100 servidores, sendo os serviços de maior criticidade o Correio Eletrônico, Controladores de Domínio, Duto de informações, Sistema de Apoio à Decisão (BI), Internet, Intranet, Extranet, Appliance para soluções de segurança da informação, Gerenciamento Eletrônico de

4 Fls. 4 do Termo de Referência nº 000/2013 SGI/ANEEL, de 04/03/2013 Documentos, Geoprocessamento, Banco de Dados Corporativos e Firewall. Os servidores da Rede Corporativa são instalados em uma sala-cofre, localizada nas dependências da CONTRATANTE. Este ambiente é protegido contra roubo, acesso indevido, desmoronamento, fogo e inundação, tendo seu acesso restrito àqueles que desenvolvem trabalhos inerentes a ele Os sistemas de informação compreendem os seguintes tipos: sistemas de informações transacionais, web (intranet, internet e extranet), de gestão eletrônica de documentos, de workflow, de informações textuais, de informações distribuídas, de portais corporativos, de apoio à decisão, de hipertextos, hipermídia e multimídia As linguagens de programação existentes são: Microsoft VB.Net, Cold Fusion, MS Visual Basic, Delphi, ASP, Visual C#, Visual C++, VB Script, JScript, PL/SQL Os Sistemas Operacionais são: MS 2003 e 2008 Server, MS XP e 7 Professional Os Sistemas Gerenciadores de Bancos de Dados são: MS SQL 2008, havendo ainda bancos de texto e imagens Golden Doc/Light Base, BRS e Key File São ferramentas de Segurança da Informação: Firewall, Filtro de Conteúdo, Sistema de Prevenção de Intrusão (IPS), Anti spam e Antivírus As ferramentas de Correio Eletrônico utilizadas na Agência são o MS Exchange 2010 e o Outlook São utilizados os seguintes softwares do pacote Office: Word, Excel, Powerpoint, Access, Share Point, Communicator 2007 e São utilizadas as seguintes ferramentas de apoio: MS Project 2010, MS One Note, Mind Manager, Enterprise Architect Sistema de Servicedesk para atendimento aos chamados abertos pelos colaboradores e clientes da ANEEL. Atualmente utiliza ferramenta OTRS (Open Source Trouble Ticket System) Metodologia de Execução de Serviços SERVIÇOS DE DESENVOLVIMENTO E MANUTENÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Medição dos serviços Os serviços relacionados ao objeto desse Edital serão medidos através de Pontos de Função Não Ajustados (PFNA). As contagens estimativa e detalhada de Pontos de Função serão realizada em aderência ao ROTEIRO DE MÉTRICAS de Software da ANEEL v1.0., constante do ANEXO VI.

5 Fls. 5 do Termo de Referência nº 000/2013 SGI/ANEEL, de 04/03/ A utilização de versões mais novas do citado documentos ficará sujeita a consenso entre as Partes. Inexistindo consenso, observará o devido processo administrativo formal A adoção das atualizações do IFPUG e do Roteiro de Métricas do SISP pelo Roteiro de Métricas da ANEEL, no interesse da eficiência do Contrato, será acorda entre as Partes, adotando-se o procedimento administrativo formal quando da ocorrência de conflitos A ANEEL poderá executar a auditoria da qualidade e da mensuração dos serviços por intermédio de seus servidores, ou utilizando serviço de empresa contratada para tal finalidade Na divergência de mensuração dos serviços da CONTRATADA, caberá a esta apresentar a defesa do resultado encontrado, quando formalmente informada pela ANEEL por intermédio da Equipe da SGI/ANEEL, no prazo de 2 (dois) dias úteis, ou aceitar o que foi mensurado pela ANEEL No caso da CONTRATADA apresentar defesa da mensuração, o julgamento das razões da defesa será realizada pela ANEEL, e caberá àquela acatar a decisão desta Na auditoria de mensuração estimada, fase de Iniciação, será considerada aceitável uma margem de diferença de até 5% na estimativa da CONTRATADA em relação à estimativa da ANEEL, não sendo aceitável a diferença na contagem final de pontos de função não ajustados, que ocorrerá, em geral, após a Fase de Transição Fase de início de operacionalização do Contrato e prazos de início de execução dos serviços A fase de preparação para início da prestação dos serviços de desenvolvimento e manutenção de sistemas deverá ser conduzida de acordo com as atividades abaixo estabelecidas: Tabela 3 ATIVIDADES E PRAZOS PARA INÍCIO DE OPERAÇÃO ATIVIDADES RESPONSABILIDADE PRAZO (ATÉ) A0 Assinatura do Contrato (vigência) ANEEL/CONTRATADA - A1 Reunião Inicial ANEEL 5 dias corridos após A0 A2 Entrega da documentação dos ANEEL sistemas a serem concluídos 2 dias após A1 A3 Entrega do Software de Gestão - SIGEFAS e apresentação do Plano CONTRATADA 15 dias corridos após A1 de Trabalho, subitem A4 Execução do Plano de Trabalho CONTRATADA 90 dias corridos após A0

6 Fls. 6 do Termo de Referência nº 000/2013 SGI/ANEEL, de 04/03/ O cumprimento da fase de inicialização (atividades A1 a A4) é requisito para início da execução do Objeto do Contrato A CONTRATADA deverá implantar, sem custo adicional para a ANEEL, em até 90 (noventa) dias corridos, a contar da assinatura do Contrato, Sistema de Gestão da Fábrica de Software, SIGEFAS, em plataforma WEB, para acompanhamento do andamento da execução dos serviços, atendendo os requisitos mínimos constantes no ANEXO VIII O Plano de Trabalho compreende: a) Descrição das atividades da CONTRATADA para absorção dos conhecimentos necessários à execução dos serviços; b) Planejamento da integração com a infraestrutura da CONTRATADA; c) Previsão de execução das atividades de estabelecimento do framework de desenvolvimento, canal de relacionamento, plano de gerenciamento, estratégia de versionamento, papéis, responsabilidades, produtos gerados, prazos e garantias adotados na prestação de serviço, em consonância com as especificações do presente termo; d) Planejamento do detalhamento de requisitos e entrega final do Sistema de Gestão da Fábrica de Software - SIGEFAS; e) Planejamento da customização e entrega do SIGEFAS durante a execução do plano de trabalho. f) Planejamento do início do atendimento às Ordens de Serviço Caberá à ANEEL o fornecimento das informações solicitadas pela CONTRATADA para elaboração do Plano de Trabalho Os prazos de execução da Ordem de Serviço de Iniciação e das fases de elaboração serão definidos por consenso entre as Partes. Inexistindo consenso, será seguido o processo administrativo formal. As alterações de prazo devem ser motivadas e devidamente registradas no processo Os prazos de execução das fases de Construção e Transição previstos na Ordem de Serviço de Fábrica serão definidos pela ANEEL, sendo no máximo os constantes na Tabela 4 a seguir: Tabela 4. Prazos para as fases de

7 Fls. 7 do Termo de Referência nº 000/2013 SGI/ANEEL, de 04/03/2013 Construção e Transição Dimensão, Prazo máximo (dias) em PF, do Software na Fase de Construção Transição Elaboração O dia de encerramento de prazo em que não haja expediente integral na ANEEL será prorrogado para o dia útil seguinte Caso uma Ordem de Serviço de Fábrica (OSF) contenha duas ou mais fases do Rational Unified Process (RUP), o prazo para execução será a soma dos prazos das fases nela contidas A correção de desconformidades nos artefatos está inclusa nestes prazos. Serão descontados os períodos de tempo em que a ANEEL estiver avaliando os artefatos entregues Os prazos para OSFs de tamanho superior ao do quadro acima serão acordados entre a ANEEL e a CONTRATADA O prazo de conclusão dos chamados para correções de defeitos deve estar em conformidade com o nível de criticidade, sendo contado a partir do recebimento da notificação da abertura do chamado no sistema específico, a ser definido no Plano de Trabalho. O chamado é considerado como concluído quando o problema estiver completamente resolvido, após o aceite do usuário, ou da SGI/ANEEL, observados os níveis de criticidade conforme especificado abaixo: Tabela 5 - CRITICIDADE DE DEFEITOS PARA MANUTENÇÃO CORRETIVA Nível Caracterização Prazo para conclusão de atendimento 1- Baixa Defeitos que não afetam o prosseguimento do processo de trabalho do usuário, nem impedem a utilização do sistema. 5 dias úteis

8 Fls. 8 do Termo de Referência nº 000/2013 SGI/ANEEL, de 04/03/ Média Defeitos que impedem o prosseguimento de trabalho do usuário, mas o usuário pode prosseguir de outra forma, não impedem a utilização do sistema. 3- Alta Defeitos que impedem o prosseguimento de processos de trabalho do usuário, sem haver outra forma de prosseguir, ou impedem a utilização do sistema ou dos que dele dependem. 3 dias úteis 1 dia útil A ANEEL poderá alterar o nível de criticidade do chamado ao longo do atendimento. O prazo continua sendo contado a partir da abertura do chamado Será desconsiderado, para efeito de contagem dos prazos de conclusão, o período de tempo compreendido entre a notificação de conclusão da Contratada e o aceite do usuário Para as Ordens de Serviço oriundas de projetos de Desenvolvimento e Manutenção Evolutiva e Adaptativa, a cada entrega, o prazo máximo de análise dos artefatos pela ANEEL será 30% do tempo gasto para execução da respectiva fase, incluindo o tempo utilizado para correção de artefatos desconformes, sendo, no mínimo, 7 (sete) dias corridos, contados a partir da comunicação de término de fase pela CONTRATADA. Poderá a ANEEL estender esse prazo mediante comunicação prévia à CONTRATADA informando a justificativa do adiamento Para as Manutenções Corretivas, o prazo de avaliação dos serviços será definido pela ANEEL durante o atendimento do chamado Local de execução dos serviços Os serviços devem ser executados nas instalações da CONTRATADA, que deve alocar RESPONSÁVEL TÉCNICO para se relacionar com a ANEEL e providenciar às suas expensas toda a infraestrutura de hardware e software, bem como os recursos humanos e materiais necessários à prestação do serviço A CONTRATADA deverá manter estrutura física de desenvolvimento própria, não sendo autorizado o uso da repartição da ANEEL para esta atividade, salvo em casos excepcionais, autorizados pela SGI/ANEEL Será permitida a execução dos serviços de levantamento inicial e de requisitos nas instalações da ANEEL Excepcionalmente, a critério da ANEEL, os serviços citados no subitem anterior poderão ser executados nas dependências

9 Fls. 9 do Termo de Referência nº 000/2013 SGI/ANEEL, de 04/03/2013 das instituições envolvidas nos projetos de desenvolvimento, tais como a CCEE, ONS, FURNAS, ELETROBRÁS, mesmo que fora de Brasília- DF, em ambiente específico para este fim Somente nestes casos serão pagas passagens e diárias para custear o deslocamento. O histórico da contratação atual registra que, dentre os 9 (nove) projetos em andamento no âmbito da fábrica de software no ano de 2012, foi realizada uma reunião na CCEE, com duração de um dia, na cidade de São Paulo Em todos os casos a ANEEL deverá dispor de instalações e mecanismos físicos (ambiente controlado) e instrutivos (normas internas) de controle que reduzam a interação direta, que não sejam as previstas neste Termo de Referência, entre os servidores da entidade e os funcionários terceirizados de forma a não configurar o vínculo empregatício, respeitando-se as leis e normas vigentes A ANEEL fornecerá a informação necessária para a precisa especificação dos requisitos da demanda. A CONTRATADA enviará técnico para reuniões agendadas com a unidade demandante da ANEEL, mediante cronograma aprovado pela ANEEL São de responsabilidade da CONTRATADA todas as despesas com deslocamento, viagem e hospedagem dos profissionais envolvidos nos serviços, além do fornecimento dos recursos materiais necessários à sua prestação, exceto aqueles previstos no item , nos casos de levantamento de requisitos fora da sede da ANEEL Os serviços a serem realizados nas dependências da ANEEL observarão o horário de expediente da Agência, das 8h às 12h e das 14h às 18h. Excepcionalmente, poderá ser solicitada, previamente e sempre por escrito, a realização de atividades fora desse horário, tanto em dias úteis quanto aos sábados, domingos e feriados Os serviços eventualmente realizados fora do horário de expediente, aos sábados, domingos e feriados não implicarão nenhum acréscimo ou majoração nos valores pagos à CONTRATADA, razão pela qual será improcedente a reivindicação de eventuais custos, com este fundamento, bem como horas-extras e/ou adicionais noturnos A critério da ANEEL poderá ser liberado acesso remoto para utilização dos ambientes computacionais, inclusive o de desenvolvimento Execução dos serviços A CONTRATADA deverá manter estrutura de atendimento 12x5 (doze horas por dia e cinco dias por semana) às demandas de

10 Fls. 10 do Termo de Referência nº 000/2013 SGI/ANEEL, de 04/03/2013 Manutenções Corretivas, obedecendo aos níveis de serviço especificados neste Termo de Referência As unidades demandantes informarão suas necessidades de desenvolvimento de novos sistemas, assim como as respectivas manutenções evolutivas e adaptativas, através de propostas de projeto, por meio de cadastro no SIGEFAS As solicitações de manutenção corretiva serão realizadas por meio da abertura de chamados no Service Desk da Aneel. A cada solicitação será aberto um projeto de manutenção corretiva, juntamente com a respectiva OS. O SIGEFAS deverá se integrar ao sistema de Service Desk da Agência de forma que todo o ciclo de vida dos chamados seja prontamente controlado As propostas de projeto serão priorizadas pela SGI e formarão uma fila. O SIGEFAS deve permitir a manutenção e divulgação, na Intranet da ANEEL, da fila de propostas de projeto, assim como o conjunto de projetos em atendimento e seus respectivos status Ao iniciar o atendimento, a CONTRATADA deverá criar um projeto, que será acompanhado pelo SIGEFAS. Poderá a CONTRATADA propor subdivisões, cabendo à ANEEL definir a divisão dos projetos em módulos e destes em Ordem de Serviço (OS) Os serviços (de desenvolvimento, manutenção evolutiva ou manutenção adaptativa) são organizados em Ordens de Serviço, que podem ser agrupadas em Projetos. Toda ordem de serviço deverá ser acompanhada pelo respectivo fiscal e pelo RESPONSÁVEL TÉCNICO. O projeto possui escopo, prazo de início e de término definidos por meio de avaliação da respectiva proposta de projeto, respeitando os prazos da Tabela Para efeito de encaminhamento de serviços para a CONTRATADA, o Projeto é composto de Ordens de Serviços (OS), documentos que formalizam e especificam as demandas, conforme fluxo de execução de serviços, com nível de serviço definido neste Instrumento. Em nenhuma hipótese poderá ser aberta uma ordem de serviço cujo escopo não possa ser medido em pontos de função não ajustados No caso da ANEEL já ter executado parte de um determinado Projeto (por exemplo, levantamento de requisitos, construção de um módulo do sistema, etc.), o processo de desenvolvimento será continuado pela CONTRATADA Os Projetos são desenvolvidos na plataforma e arquitetura tecnológica definida pela ANEEL. Caso haja alguma particularidade

11 Fls. 11 do Termo de Referência nº 000/2013 SGI/ANEEL, de 04/03/2013 num determinado projeto, esta deve estar explícita na Ordem de Serviço correspondente As mudanças de requisitos devem ser controladas pela CONTRATADA por meio de funcionalidade de gestão de mudanças a ser implementada no SIGEFAS Até a emissão do Termo de Aceite referente aos artefatos que definem requisitos do produto em desenvolvimento, eles podem sofrer alterações, conforme necessidades da ANEEL e sem ônus para a mesma. Nesse caso, a CONTRADADA deverá apresentar o impacto de tempo causado pelas mudanças de requisitos, o qual será analisado pela ANEEL, que definirá o prazo a ser ajustado no cronograma, o qual tomará como base os prazos constantes na Tabela 4 para os serviços de construção e transição correspondentes, sendo o prazo para levantamento de requisitos das mudanças definido em conjunto com a CONTRATADA Após a emissão do Termo de Aceite referente a tais artefatos, as mudanças serão remuneradas. Neste caso, a CONTRATADA deverá apresentar o impacto no projeto, tanto de tempo quanto de pontos de função não ajustados, e destacar as modificações nos artefatos que o justificam O impacto de custo que não estiver refletido no tamanho funcional do Projeto será avaliado pela ANEEL e será contabilizado ao final do projeto. O impacto de tempo será acrescido ao cronograma do Projeto após a aprovação da mudança. A cada modificação, a ANEEL emitirá requisição de mudança para formalizar a solicitação. A CONTRATADA deve emitir uma estimativa de impacto para subsidiar a decisão da ANEEL de autorizar, ou não, a mudança Durante a execução do projeto, os créditos em favor da CONTRATADA serão relativos ao tamanho funcional do sistema. Ao final do projeto, será apurado o custo das alterações e remoções de funcionalidades, bem como pelas funcionalidades construídas e/ou implantadas que foram removidas do seu escopo. Os cronogramas elaborados pela CONTRATADA devem ser suficientemente detalhados para permitir o controle das mudanças nas funcionalidades do produto alvo do projeto É obrigatória a análise de impacto definida no item anterior, ficando a cargo da ANEEL o aceite da continuação da demanda, com os novos requisitos, manter os requisitos anteriores, ou interromper o processo O Aceite e liberação das O.S. para faturamento não exime a CONTRATADA da responsabilidade pela GARANTIA TÉCNICA do produto, conforme definido item do Termo de Referência.

12 Fls. 12 do Termo de Referência nº 000/2013 SGI/ANEEL, de 04/03/ Fluxo de execução dos serviços: O Fluxo de Execução para Projetos Novos, Manutenções Evolutivas e Adaptativas está demonstrado a seguir: Criação dos projetos: Utilizando o SIGEFAS ou outra interface que seja definida no Plano de Trabalho, as unidades demandantes informarão suas necessidades de novos sistemas ou evoluções e adaptações nestes, preenchendo um formulário intitulado proposta de projeto As propostas de projeto serão priorizadas pela Superintendência de Gestão da Informação SGI e formarão uma fila Utilizando o SIGEFAS, a SGI informará a transformação das propostas de projeto em projetos, ação chamada de criação de Projeto A CONTRATADA terá 15 (quinze) dias, a partir da emissão da OSI, para analisar a respectiva proposta de projeto e, se necessário, iniciar as reuniões de detalhamento para fins de execução da fase de iniciação. O prazo final para as reuniões da iniciação será definido pela

13 Fls. 13 do Termo de Referência nº 000/2013 SGI/ANEEL, de 04/03/2013 ANEEL mediante consenso ou, inexistindo consenso, por meio de processo administrativo formal, durante a execução dessa fase Ao final da fase de iniciação, a CONTRATADA deverá entregar, além dos artefatos previstos para a fase, uma proposta de divisão do sistema alvo do Projeto em módulos funcionais e fases do RUP. A ANEEL analisará a proposta e, em seguida, programará a abertura das Ordens de Serviço necessárias para continuidade do Projeto Aprovados os artefatos da OSI, a ANEEL emitirá o respectivo Termo de Aceite. A CONTRATADA fará jus a um pagamento correspondente a 5% (cinco por cento) da contagem estimada de Pontos de função não ajustados para o projeto, validada pela ANEEL. O valor pago à CONTRATADA será ajustado quando houver contagem detalhada Será permitido à CONTRATADA o acesso ao banco de versionamento da ANEEL, ferramenta Team Foundation Server - TFS, para inclusão dos artefatos remotamente (via Internet ou através de link de dados provido pela CONTRATADA) nos Projetos em que estiver envolvida, pelo tempo necessário à execução do serviço. A CONTRATADA arcará com todos os custos de conexão e será inteiramente responsabilizada por qualquer utilização incorreta deste recurso por parte de seus funcionários Fluxo Operacional de Execução para Projetos Novos, Manutenções Evolutivas e Adaptativas: O fluxo de execução dos serviços é baseado na MDS/ANEEL e abrange todas as fases de desenvolvimento de software nela previstas, que são, respectivamente, Iniciação, Elaboração, Construção e Transição, cujos artefatos constam no ANEXO II - ARTEFATOS PREVISTOS deste Termo de Referência Execução da OS de Iniciação: A ANEEL emite a OSI, fornecendo as informações necessárias ao início do trabalho A CONTRATADA executa a OSI, entrando em contato com a ANEEL para obter as informações necessárias para a elaboração dos

14 Fls. 14 do Termo de Referência nº 000/2013 SGI/ANEEL, de 04/03/2013 artefatos previstos. A ANEEL fornecerá as informações necessárias ao trabalho da CONTRATADA durante todo o processo A ANEEL avalia os artefatos produzidos e os prazos das entregas. Caso verifique alguma desconformidade, retorna para a etapa de execução da OSI, para correção pela CONTRATADA. A ANEEL se reserva o direito de utilizar empresas terceirizadas especializadas em avaliação de qualidade e métricas Caso não seja verificada nenhuma desconformidade, a ANEEL emitirá o Termo de Aceite da OSI Execução da Ordem de Serviço de Fábrica - OSF: A ANEEL abrirá a Ordem de Serviço para prosseguimento do projeto, especificando quais fases serão executadas A CONTRATADA executa a fase da OSF e, ao final de cada fase, encaminha à ANEEL seus artefatos, tornando disponível no banco de versionamento da ANEEL A ANEEL avalia a execução da fase. Em caso de desconformidade, retorna-se à etapa de execução da fase corrente da OSF, devendo a CONTRATADA efetuar as correções necessárias Caso não seja verificada nenhuma desconformidade nos artefatos da fase, a ANEEL emitirá o Termo de Aceite da Fase e verificará se a OSF foi concluída. Se não foi concluída, passa-se à etapa de execução da próxima fase, para prosseguimento do serviço Caso a OSF tenha sido concluída, a ANEEL emitirá o Termo de Aceite da OSF A ANEEL verifica se ainda há OSFs previstas para o projeto e, caso afirmativo, abre a nova OSF. Caso contrário, o Projeto será encerrado e iniciará a contagem do período de Garantia Técnica Fluxo Operacional de Execução para Manutenções

15 Fls. 15 do Termo de Referência nº 000/2013 SGI/ANEEL, de 04/03/2013 Corretivas: O fluxo para Execução de Ordem de Serviço de fábrica para Manutenção Corretiva inicia-se com a abertura de um chamado por parte do usuário, via Service Desk da ANEEL ou, em caso de inoperância deste, via memorando para a SGI, que enviará ofício à CONTRATADA formalizando a abertura. O SIGEFAS deve se integrar ao sistema do Service Desk da ANEEL para propiciar o correto registro e acompanhamento dos chamados durante o seu ciclo de vida. Para cada chamado aberto pelo usuário deve ser criada uma Ordem de Serviço no SIGEFAS Se o serviço for de manutenção em produto com GARANTIA TÉCNICA, a CONTRATADA deve executar a respectiva Ordem de Serviço respeitando os níveis de serviço, exigidos neste Termo de Referência, não cabendo faturamento Se o serviço for de manutenção em produto fora da GARANTIA TÉCNICA, o mesmo deve ser atendido respeitando-se os níveis de serviço exigidos neste Termo de Referência, sendo o faturamento dessa Ordem de Serviço realizado juntamente com as demais referentes ao mês em que foi emitido o seu Termo de Aceite A CONTRATADA poderá solicitar reuniões com as Unidades Demandantes e de Informática da ANEEL, a se realizarem nas dependências da sede da ANEEL, para elucidação da ocorrência e definição de requisitos do Projeto de Manutenção Corretiva, com a anuência da Equipe da SGI/ANEEL A mensuração do serviço deve ser feita durante a execução das Ordens de Serviços, conforme ANEXO VI ROTEIRO DE MÉTRICAS DE SOFTWARE DA ANEEL, sendo avaliada pela ANEEL depois da execução do serviço. Nos casos de alta criticidade, a mensuração poderá ser feita durante, ou após a execução do serviço, ficando a Ordem de Serviço de Fábrica pendente do valor mensurado, sendo que neste caso não poderão ser pagas até que o valor seja definido pela CONTRATADA, avaliado e aceito pela ANEEL Após mensuração do serviço de correção fora da GARANTIA TÉCNICA, a CONTRATADA deverá apresentar o cronograma do projeto de Manutenção Corretiva, a não ser nos casos de urgência em que o serviço já foi executado. Caso solicitado pela ANEEL, um projeto de

16 Fls. 16 do Termo de Referência nº 000/2013 SGI/ANEEL, de 04/03/2013 Manutenção Corretiva, também poderá seguir o fluxo dos demais projetos Após execução do serviço de correção, além de avaliar a mensuração, a ANEEL verifica se os artefatos funcionais e técnicos do sistema foram devidamente atualizados ou incluídos e os avalia, caso existam, ou tenha sido solicitada a elaboração Em seguida, a CONTRATADA providencia a implantação da correção nos ambientes de teste e homologação da ANEEL A SGI/ANEEL testa e a demandante homologa. A ANEEL gera Termo de Aceite (ANEXO V TERMO DE ACEITE) no caso do produto estar adequado. Nos casos de alta criticidade, a implantação das correções poderá ser executada antes da homologação da ANEEL, sendo a CONTRATADA responsabilizada pelos efeitos de possíveis incorreções Caso o serviço não tenha sido corretamente executado, a CONTRATADA será convocada a corrigir o produto defeituoso, sem ônus para a ANEEL Por fim, a CONTRATADA providencia a implantação das correções no ambiente de produção da ANEEL Para os serviços de Manutenção Corretiva não há necessidade de abertura de Ordem de Serviço de Iniciação Demanda de Serviços Todos os serviços demandados pela ANEEL serão formalizados por meio de Ordens de Serviço (OS), cujos modelos constam nos ANEXOS III e IV deste Termo de Referência Os projetos de desenvolvimento de novos sistemas, bem como suas evoluções e adaptações, serão divididos em tantas Ordens de Serviço quantas forem convenientes e oportunas para a ANEEL, devendo obedecer às seguintes premissas básicas: a) Toda Ordem de Serviço deve ser medida em pontos de função não ajustados, sendo o percentual de pagamento baseado no esforço por fase do RUP, conforme Tabela 9. b) Em nenhuma hipótese, o escopo de uma Ordem de Serviço será inferior a uma fase do RUP;

17 Fls. 17 do Termo de Referência nº 000/2013 SGI/ANEEL, de 04/03/ Condições de Entrega c) A CONTRATADA não poderá iniciar uma fase do processo de desenvolvimento sem autorização expressa da SGI/ANEEL; d) O pagamento das Ordens de Serviços será referente à mensuração mais atual realizada pela ANEEL; e) Os ajustes de valores relativos a contagens anteriores serão realizados ao final do projeto As Ordens de Serviço serão emitidas pela ANEEL, assinadas pelo Fiscal da Ordem de Serviço e pelo Gestor do Contrato, e executadas obedecendo ao fluxo funcional da Figura constante do item As informações contidas nas Ordens de Serviços podem ser alteradas conforme necessidade da ANEEL, mediante acordo entre as partes ou, inexistindo acordo, via processo administrativo formal Estimativa de Volume de Serviços A entrega dos serviços correrá mediante demanda, atendendo aos limites de pontos de função estabelecidos no contrato O volume de serviços a ser contratado foi baseado em levantamento realizado pela SGI/ANEEL, originado na necessidade de atendimento ao conjunto de sistemas administrados e às demandas das diversas unidades organizacionais da ANEEL A demanda de desenvolvimento de sistemas de informação consta no quadro a seguir: Sistema SGO SIGET SIGEC SIAD SIGANEEL SIGAIN COMVEN SAABI SICRAM SIGEFIS SCR CFURH FISCONT SISCON CISE Descrição Sistema de Gestão de Ouvidoria Sistema de Gestão da Transmissão Sistema de Gerenciamento de Créditos Sistema de Acompanhamento da Descentralização Sistema de Informações Gerenciais da ANEEL Sistema de Controle de Processos de Auditoria Sistema de Contratos de Compra e Venda de Energia Elétrica Sistema de Amostragem e Acompanhamento do Bônus de Itaipu Sistema de Controle de Resultados de Atendimentos em Call Center de Agentes de Mercado Sistema de Fiscalização da Gestão Sistema de Controle de Reclamações Sistema de Cálculo dos coeficientes de distribuição da compensação financeira e dos royalties de Itaipu Sistema de Fiscalização dos Indicadores de Continuidade Sistema de Controle das Atividades dos Conselhos de Consumidores Sistema de Cadastro de Inadimplentes

18 Fls. 18 do Termo de Referência nº 000/2013 SGI/ANEEL, de 04/03/2013 Sistema SCCONT PDD ANAGER SCAP Concessões A3P SISGOP Descrição Sistema de Controle da Continuidade dos Pontos de Conexão entre Transmissoras e Distribuidoras e entre Distribuidoras Plano de Desenvolvimento da Distribuição Sistema de Apoio À Análise do Desempenho da UHEs não Despachadas Centralizadamente com base na Geração Verificada Sistema de Contribuições em Audiência Pública Sistema para gerenciamento das concessões de geração de energia elétrica APP PARACEMP Aplicativo para gerenciamento de ocorrências e pertubações Os projetos já iniciados que poderão ser retomados pela CONTRATADA são listados a seguir: Sistema Descrição Fase Status Acompanhamento de Processos da SICOR/APDIR Diretoria % realizado do Projeto PF total Estimados do software Elaboração Em andamento 40% 730 CASE Cadastro de Agentes do Setor Elétrico Construção Concluída 50% 230 CVA Sistema de Compensação das Variações Elaboração Em andamento 40% 320 da Parcela A SAG Sistema de Acompanhamento da Elaboração Concluída 40% 1431 Geração SGP&D Sistema de Gestão de P&D Construção Concluída 88% 616 SIRE Sistema de Ressarcimento do ICMS Elaboração Concluída 40% 302 SPEE Sistema de Programa de Eficiência Construção Em andamento 84% 556 Energética Nestes casos, quando da abertura da respectiva Ordem de Serviço de Fábrica, a ANEEL disponibilizará os artefatos existentes e definirá um prazo para análise e revisão No caso de retomada do serviço, a CONTRATADA fará jus a 25% (vinte e cinco por cento) do percentual de esforço das fases concluídas pela ANEEL, a título de revisão e adequação dos artefatos aos novos padrões. Para as fases executadas integralmente pela CONTRATADA, serão considerados 100% (cem por cento) dos percentuais de esforço previstos na da Tabela A estimativa de pontos de função do Objeto foi realizada em acordo com o levantamento das necessidades atuais Em face da dinamicidade das demandas, a ANEEL poderá alterar as listagens informadas, bem como o quantitativo de pontos de função conforme sua conveniência, dentro dos limites legais, podendo haver mudanças de acordo com a necessidade das unidades organizacionais da Agência Aceite, Alteração e Cancelamento

19 Fls. 19 do Termo de Referência nº 000/2013 SGI/ANEEL, de 04/03/ Condições de Aceite dos Serviços A cada término de Fase ou OS, a CONTRATADA entregará os artefatos produzidos, em formato digital, no banco de versionamento da Agência e comunicará o Fiscal da OS via SIGEFAS, conforme detalhamento a ser realizado no Plano de Trabalho A ANEEL realizará a avaliação dos artefatos entregues, verificando a sua qualidade, o tamanho do software, completude do conteúdo, atendimento às solicitações, etc., e emitirá o Termo de Aceite ou comunicará a recusa em até 30% do tempo gasto na execução da Fase ou OS, não podendo esse prazo ser inferior a 10 dias úteis. A ANEEL poderá prorrogar o prazo de avaliação mediante justificativa a ser registrada no SIGEFAS O Termo de Aceite somente será emitido após o pleno atendimento às demandas solicitadas, caracterizado pelo: Atendimento dos objetivos da OS e das solicitações realizadas pela ANEEL; Aprovação de todos os artefatos entregues e previstos do ponto de vista de qualidade do software, caracterizada pela aplicação do rótulo de aprovação no repositório de versionamento da ANEEL Aprovação dos artefatos utilizados para mensuração de software, caracterizada pela aplicação do rótulo de aprovação no repositório de versionamento da ANEEL A avaliação pode gerar a recusa de artefatos. Em caso de recusa, a contratada será notificada via SIGEFAS e serão informados os items em desconformidade juntamente com o motivo, ressaltando-se que o prazo de entrega do serviço não será prorrogado. Será aberto processo de apuração de responsabilidade por atraso e/ou defeitos, conforme definido nos Indicadores Mínimos de Serviços definidos neste Instrumento O Termo de Aceite do serviço discriminará se é referente a uma fase ou uma OS, de acordo com o modelo estabelecido no ANEXO V TERMO DE ACEITE A emissão do Termo de Aceite pela ANEEL não exime a CONTRATADA da responsabilidade pela correção de defeitos ou desconformidades posteriormente identificados, por vício oculto, qualidade técnica e segurança dos trabalhos desenvolvidos, aplicando-se cumulativamente as proteções contra os vícios da atividade de consumo fixadas pela Lei nº 8.078, de 11 de setembro de 1990 e os prazos de GARANTIA TÉCNICA definidos neste Termo de Referência Serão realizadas Reuniões Mensais De Pré-Fatura com o objetivo

20 Fls. 20 do Termo de Referência nº 000/2013 SGI/ANEEL, de 04/03/2013 de esclarecer o valor a ser faturado pela CONTRATADA, com base nas Ordens de Serviço aceitas e nos indicadores de nível de serviço apurados no período, utilizando-se para tal finalidade, relatórios emitidos pelo SIGEFAS O tempo gasto pela CONTRATANTE para avaliação será excluído do prazo imputado à CONTRATADA para conclusão dos serviços Condições de Alteração A CONTRATANTE poderá atualizar as versões dos sistemas operacionais, linguagens de programação, bancos de dados e outras ferramentas de apoio ao desenvolvimento de sistemas de informação, segundo sua necessidade e conveniência administrativa. Caberá, neste caso, à CONTRATADA adaptar-se à nova plataforma computacional às suas expensas, em até 30 (trinta) dias a partir do aviso formal de mudança As mudanças de requisitos devem ser controladas pela CONTRATADA por meio de funcionalidade de gestão de mudanças a ser implementada no SIGEFAS Até a emissão do Termo de Aceite referente aos artefatos que definem requisitos do produto em desenvolvimento, eles podem sofrer alterações, conforme necessidades da ANEEL e sem ônus para a mesma. Nesse caso, a CONTRADADA deverá apresentar o impacto de tempo causado pelas mudanças de requisitos, o qual será analisado pela ANEEL, que definirá o prazo a ser ajustado no cronograma Após a emissão do Termo de Aceite referente a tais artefatos, as mudanças serão remuneradas. Neste caso, a CONTRATADA deverá apresentar o impacto no projeto, tanto no que diz respeito a prazos, quanto no tocante a pontos de função não ajustados, e destacar as modificações nos artefatos que o justificam O impacto de custo que não estiver refletido no tamanho funcional do projeto será avaliado pela ANEEL e será contabilizado ao final do projeto. O impacto de tempo será acrescido ao cronograma do Projeto após a aprovação da mudança. A cada modificação, utilizando o SIGEFAS, a ANEEL emitirá requisição de mudança para formalizar a solicitação. A CONTRATADA deve emitir uma estimativa de impacto para subsidiar a decisão da ANEEL de autorizar, ou não, a mudança Durante a execução do projeto, os créditos em favor da CONTRATADA serão relativos ao tamanho funcional do sistema. Ao final do projeto, será apurado o custo das alterações e remoções de funcionalidades, bem como pelas funcionalidades construídas e/ou implantadas que foram removidas do seu escopo. Os cronogramas elaborados pela CONTRATADA devem ser suficientemente detalhados para permitir o controle das mudanças nas funcionalidades do produto alvo do projeto É obrigatória a análise de impacto definida no item anterior, ficando

ANEXO I NÍVEIS MÍNIMOS DE SERVIÇO EXIGIDOS (NMSE) PARA CONTRATO DE APOIO

ANEXO I NÍVEIS MÍNIMOS DE SERVIÇO EXIGIDOS (NMSE) PARA CONTRATO DE APOIO ANEXO I NÍVEIS MÍNIMOS DE SERVIÇO EXIGIDOS (NMSE) PARA CONTRATO DE APOIO 1. Introdução 1.1. Descrição do serviço Este documento disciplina a cessão de uso permanente da solução de software para Gestão

Leia mais

PROJETO BÁSICO PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ACADÊMICOS NA ÁREA DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

PROJETO BÁSICO PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ACADÊMICOS NA ÁREA DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA PROJETO BÁSICO PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ACADÊMICOS NA ÁREA DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA IMPLEMENTAÇÃO DE PROJETO DE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO LATU SENSO EM EFICIÊNCIA ENERGÉTICA PARA COMPOR O PROGRAMA DE EFICIÊNCIA

Leia mais

Termo de Referência. (Storage) do ambiente de Migração, composta pelo do subsistema de disco IBM DS8300.

Termo de Referência. (Storage) do ambiente de Migração, composta pelo do subsistema de disco IBM DS8300. Termo de Referência Expansão da solução s de armazenamento (Storage) do ambiente de Migração, composta pelo do subsistema de disco IBM DS8300. Termo de Referência Expansão da solução de armazenamento do

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Objeto. 2. Antecedentes. 3. Objeto da Licitação

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Objeto. 2. Antecedentes. 3. Objeto da Licitação TERMO DE REFERÊNCIA 1. Objeto 1.1. Contratação de empresa especializada em auditoria de tecnologia da informação e comunicações, com foco em segurança da informação na análise de quatro domínios: Processos

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA SERVIÇOS DE SUPORTE TÉCNICO EM SISTEMA DE COLABORAÇÃO ZIMBRA 1. OBJETO

TERMO DE REFERÊNCIA SERVIÇOS DE SUPORTE TÉCNICO EM SISTEMA DE COLABORAÇÃO ZIMBRA 1. OBJETO TERMO DE REFERÊNCIA SERVIÇOS DE SUPORTE TÉCNICO EM SISTEMA DE COLABORAÇÃO ZIMBRA 1. OBJETO 1.1. Prestação de serviços de suporte técnico em sistema de colaboração ZIMBRA. 2. DESCRIÇÃO GERAL DOS SERVIÇOS

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 4, 19 de maio de 2008.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 4, 19 de maio de 2008. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 4, 19 de maio de 2008. Dispõe sobre o processo de contratação de serviços de Tecnologia da Informação pela Administração Pública Federal direta, autárquica e fundacional. O SECRETÁRIO

Leia mais

Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas (MDS - ANEEL)

Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas (MDS - ANEEL) Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas (MDS - ANEEL) Versão 2.0 Escritório de Gerenciamento de Projetos - EGP Superintendência da Gestão Técnica da Informação SGI Agência Nacional de Energia Elétrica

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA MANUTENÇÔES EVOLUTIVAS NO SITE PRO-SST DO SESI

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA MANUTENÇÔES EVOLUTIVAS NO SITE PRO-SST DO SESI ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA MANUTENÇÔES EVOLUTIVAS NO SITE PRO-SST DO SESI 1. OBJETO 1.1. Contratação de empresa especializada para executar serviços de manutenção evolutiva, corretiva, adaptativa e normativa

Leia mais

Projeto Básico - Prestação de Serviços

Projeto Básico - Prestação de Serviços Diretoria de Tecnologia Gerência de Fornecimento de TI Projeto Básico - Prestação de Serviços 1. Objeto: 1.1 Contratação de empresa para prestação de serviços especializados de escuta de gravações e monitoração

Leia mais

Consulta Pública Contratação de Serviços de TI STI - Superintendência de Tecnologia da Informação

Consulta Pública Contratação de Serviços de TI STI - Superintendência de Tecnologia da Informação Consulta Pública Contratação de Serviços de TI STI - Superintendência de Tecnologia da Informação Diretoria de Soluções Tecnológicas Superintendência de Tecnologia da Informação Objeto Objeto: Prestação

Leia mais

1. Descrição dos Serviços de Implantação da SOLUÇÃO

1. Descrição dos Serviços de Implantação da SOLUÇÃO Este documento descreve os serviços que devem ser realizados para a Implantação da Solução de CRM (Customer Relationship Management), doravante chamada SOLUÇÃO, nos ambientes computacionais de testes,

Leia mais

Termo de Referência. Serviço de envio de mensagens SMS Short Message Service para dispositivos móveis, pelo período de 24 meses.

Termo de Referência. Serviço de envio de mensagens SMS Short Message Service para dispositivos móveis, pelo período de 24 meses. Termo de Referência Serviço de envio de mensagens SMS Short Message Service para dispositivos móveis, pelo período de 24 meses. Termo de Referência [OBJETO] 1 Termo de Referência Serviço de envio de mensagens

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA SEGURO DE VIDA

TERMO DE REFERÊNCIA SEGURO DE VIDA TERMO DE REFERÊNCIA SEGURO DE VIDA 1- Objeto da Licitação: Prestação de serviço para contratação de seguro de vida em grupo para os empregados da Empresa Municipal de Informática S.A - IplanRio, visando

Leia mais

1. INTRODUÇÃO 2. CONSIDERAÇÕES GERAIS

1. INTRODUÇÃO 2. CONSIDERAÇÕES GERAIS 1. INTRODUÇÃO 1.1. Este documento descreve como serão avaliados os serviços prestados pela CONTRATADA ao BNB, considerando prazos, conformidade, resultados dos indicadores de níveis de serviço estabelecidos

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE REALIZAÇÃO DO PROCESSO DE HOMOLOGAÇÃO DE MATERIAIS DE FORNECEDORES NA COPASA

PROCEDIMENTOS DE REALIZAÇÃO DO PROCESSO DE HOMOLOGAÇÃO DE MATERIAIS DE FORNECEDORES NA COPASA PROCEDIMENTOS DE REALIZAÇÃO DO PROCESSO DE HOMOLOGAÇÃO DE MATERIAIS DE FORNECEDORES NA COPASA 1 Solicitação de Abertura do Processo de Homologação 1.1 Os fornecedores interessados em ter seus materiais

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS PREGÃO Nº.../20... PROCESSO Nº 1.00.000.003689/2013-00 VALIDADE: 12 (DOZE) MESES ATA Nº.../20...

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS PREGÃO Nº.../20... PROCESSO Nº 1.00.000.003689/2013-00 VALIDADE: 12 (DOZE) MESES ATA Nº.../20... ATA DE REGISTRO DE PREÇOS PREGÃO Nº.../20... PROCESSO Nº 1.00.000.003689/2013-00 VALIDADE: 12 (DOZE) MESES ATA Nº.../20... Ao...do dia do mês de... do ano de 20..., na PROCURADORIA GERAL DA REPÚBLICA PGR,

Leia mais

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 052/2010 ESCLARECIMENTO 4

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 052/2010 ESCLARECIMENTO 4 MENSAGEM Assunto: Esclarecimento 4 Referência: Pregão Eletrônico n. 052/2010 Data: 19/11/2010 Objeto: Contratação de serviços técnicos especializados de atendimento remoto e presencial a usuários de tecnologia

Leia mais

ANEXO II - CADERNO DE MÉTRICAS E NÍVEIS DE SERVIÇOS

ANEXO II - CADERNO DE MÉTRICAS E NÍVEIS DE SERVIÇOS ANEXO II - CADERNO DE MÉTRICAS E NÍVEIS DE SERVIÇOS No caso de aplicação de glosa referente ao mesmo indicador deste caderno de métricas, durante três meses consecutivos, ou cinco meses intervalados durante

Leia mais

Edital de Credenciamento 003/2012

Edital de Credenciamento 003/2012 1/5 Edital de Credenciamento 003/2012 1 DO OBJETO: 1.1. O presente Termo tem por objetivo o credenciamento de Instituições Financeiras autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil, para prestação

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA GERENCIA EXECUTIVA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 1 RELAÇÃO DE ITENS ASSUNTOS 1. OBJETIVO... 1 2. DO OBJETO... 2 3. DA MOTIVAÇÃO... 2 4. DA JUSTIFICATIVA DO OBJETO... 3 5. DOS RESULTADOS A SEREM ALCANÇADOS...

Leia mais

E S P E C I F I C A Ç Õ E S

E S P E C I F I C A Ç Õ E S E S P E C I F I C A Ç Õ E S 1) DO OBJETO: É objeto da presente licitação, a contratação de empresa para Prestação de Serviço de Auditoria externa (independente), compreendendo: 1.1 Auditoria dos registros

Leia mais

CONTRATO 035/2014 CLÁUSULA PRIMEIRA DO OBJETO

CONTRATO 035/2014 CLÁUSULA PRIMEIRA DO OBJETO CONTRATO 035/2014 A Fundação de Apoio à Tecnologia e Ciência (FATEC), inscrita no CNPJ n.º 89.252.431/0001-59, sediada na Cidade Universitária, em Santa Maria /RS, neste ato representada pelo Diretor Presidente,

Leia mais

CONTRATO DE FORNECIMENTO DE GÁS NATURAL CANALIZADO CONTENDO AS CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO DE GÁS CANALIZADO REFERENTES AOS CLIENTES COMERCIAIS

CONTRATO DE FORNECIMENTO DE GÁS NATURAL CANALIZADO CONTENDO AS CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO DE GÁS CANALIZADO REFERENTES AOS CLIENTES COMERCIAIS CONTRATO DE FORNECIMENTO DE GÁS NATURAL CANALIZADO CONTENDO AS CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO DE GÁS CANALIZADO REFERENTES AOS CLIENTES COMERCIAIS DA CEG 1.º PARTES a) CEG: COMPANHIA DISTRIBUIDORA DE

Leia mais

PP650V7 TRADICIONAL CONDIÇÕES GERAIS PROCESSO SUSEP Nº 15414.000663/2009-86 CONDIÇÕES GERAIS I INFORMAÇÕES GERAIS

PP650V7 TRADICIONAL CONDIÇÕES GERAIS PROCESSO SUSEP Nº 15414.000663/2009-86 CONDIÇÕES GERAIS I INFORMAÇÕES GERAIS CONDIÇÕES GERAIS I INFORMAÇÕES GERAIS II - GLOSSÁRIO PP650V7 TRADICIONAL CONDIÇÕES GERAIS PROCESSO SUSEP Nº 15414.000663/2009-86 SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: ICATU HARTFORD CAPITALIZAÇÃO S.A. CNPJ: 74.267.170/0001-73

Leia mais

DECRETO N 001 A / 2015 De 02 de janeiro de 2015.

DECRETO N 001 A / 2015 De 02 de janeiro de 2015. DECRETO N 001 A / 2015 De 02 de janeiro de 2015. EMENTA: Regulamenta o Sistema de Registro de Preços SRP previsto no art. 15 da Lei nº 8.666/93, no âmbito do Município de Central Bahia. O PREFEITO DO MUNICÍPIO

Leia mais

ANEXO 2 APRESENTAÇÃO E FORMA DE PAGAMENTO DO DOCUMENTO DE COBRANÇA

ANEXO 2 APRESENTAÇÃO E FORMA DE PAGAMENTO DO DOCUMENTO DE COBRANÇA ANEXO 2 APRESENTAÇÃO E FORMA DE PAGAMENTO DO DOCUMENTO DE COBRANÇA 1. CLÁUSULA PRIMEIRA - PRINCÍPIOS GERAIS 1.1. O presente Anexo tem por objetivo explicitar os procedimentos para a apresentação do Documento

Leia mais

ESTADO DE GOIÁS CÂMARA MUNICIPAL DE INHUMAS Palácio Fulgêncio Alves Soyer

ESTADO DE GOIÁS CÂMARA MUNICIPAL DE INHUMAS Palácio Fulgêncio Alves Soyer CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS N. 010/2013 Termo de contrato de locação de softwares que entre si celebram a CÂMARA MUNICIPAL DE INHUMAS, pessoa jurídica de direito público, com sede na Praça Santana,

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE VENDA

CONDIÇÕES GERAIS DE VENDA CONDIÇÕES GERAIS DE VENDA I. Aplicabilidade Estas Condições Gerais serão aplicáveis a todas as vendas efetuadas pela Nefab e suas afiliadas (VENDEDOR) aos seus clientes (COMPRADOR). Desvios destas Condições

Leia mais

G E S T Ã O D E C O M P R A S P O R R E G I S T R O D E P R E Ç O S. VALDIR AUGUSTO DA SILVA Gestão Estratégica de Compras Portal de Compras

G E S T Ã O D E C O M P R A S P O R R E G I S T R O D E P R E Ç O S. VALDIR AUGUSTO DA SILVA Gestão Estratégica de Compras Portal de Compras G E S T Ã O D E C O M P R A S P O R R E G I S T R O D E P R E Ç O S VALDIR AUGUSTO DA SILVA Gestão Estratégica de Compras Portal de Compras SUMÁRIO O Sistema de Registro de Preços do Governo do Estado

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO E SUPORTE DO LICENCIAMENTO ATLASSIAN JIRA

TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO E SUPORTE DO LICENCIAMENTO ATLASSIAN JIRA TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO E SUPORTE DO LICENCIAMENTO ATLASSIAN JIRA Outubro de 2013 1 1 OBJETO Prestação de Serviço de Manutenção da licença

Leia mais

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO DOS SERVIÇOS

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO DOS SERVIÇOS ANEXO I ESPECIFICAÇÃO DOS SERVIÇOS DOS REQUISITOS PARA PRESTAÇÃO DO SERVIÇO: A CONTRATADA deverá atender os seguintes requisitos de qualidade do serviço: 1) Quando ocorrer chamado telefônico, comunicação

Leia mais

Termo de Referência. Aquisição de servidores para camada de banco de dados. Diretoria de Infra-Estrutura de TIC DIT

Termo de Referência. Aquisição de servidores para camada de banco de dados. Diretoria de Infra-Estrutura de TIC DIT Termo de Referência Aquisição de servidores para camada de banco de dados. Termo de Referência Aquisição de Servidores Tipo 1A-1B para camada de Banco de Dados / Alta Disponibilidade RQ DEPI nº 11/2009

Leia mais

CONSIDERANDO que deve haver compatibilidade entre o motivo do deslocamento e o interesse público;

CONSIDERANDO que deve haver compatibilidade entre o motivo do deslocamento e o interesse público; ATO DA MESA Nº 500, de 15 de julho de 2015 Dispõe sobre a concessão de diárias e passagens e a respectiva prestação de contas no âmbito da Assembleia Legislativa, e adota outras providências. A MESA DA

Leia mais

A G Ê N C I A N A C I O N A L D E E N E R G I A E L É T R I C A. S u b m ó d u l o 10. 2

A G Ê N C I A N A C I O N A L D E E N E R G I A E L É T R I C A. S u b m ó d u l o 10. 2 A G Ê N C I A N A C I O N A L D E E N E R G I A E L É T R I C A Módulo 10: Ordem e Condições de Realização dos Processos Tarifários e Requisitos de Informações e Obrigações Periódicas S u b m ó d u l o

Leia mais

REGULAMENTO/COGEP Nº 001, DE 1º DE JUNHO DE 2012. 2ª Edição Atualizada em 29 de janeiro de 2013.

REGULAMENTO/COGEP Nº 001, DE 1º DE JUNHO DE 2012. 2ª Edição Atualizada em 29 de janeiro de 2013. REGULAMENTO/COGEP Nº 001, DE 1º DE JUNHO DE 2012. 2ª Edição Atualizada em 29 de janeiro de 2013. Dispõe acerca da Política de uso do PONTO ELETRÔNICO E DA JORNADA DE TRABALHO dos servidores do Instituto

Leia mais

Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso do Sul Sistema Cofen/Conselhos Regionais - Autarquia Federal criada pela Lei Nº 5.

Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso do Sul Sistema Cofen/Conselhos Regionais - Autarquia Federal criada pela Lei Nº 5. TERMO DE REFERÊNCIA I DO OBJETO 1.1. Contratação de pessoa jurídica especializada para prestação de serviço de limpeza e desinfecção de caixa d água para subseção de Dourados/MS do Coren/MS, conforme as

Leia mais

Termo de Referência Manutenção Preventiva e Corretiva de Equipamentos Ativos de Rede de Dados do Palácio da Cidade

Termo de Referência Manutenção Preventiva e Corretiva de Equipamentos Ativos de Rede de Dados do Palácio da Cidade PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO Empresa Municipal de Informática S.A. - IplanRio Termo de Referência Manutenção Preventiva e Corretiva de Equipamentos Ativos de Rede de Dados do Palácio da Cidade

Leia mais

TÍTULO 17 VENDA DE PONTAS DE ESTOQUE DA CONAB Documento 2 - Edital de Venda de Pontas de Estoque

TÍTULO 17 VENDA DE PONTAS DE ESTOQUE DA CONAB Documento 2 - Edital de Venda de Pontas de Estoque REGULAMENTO DE VENDA CONAB/DIRAB/DECEG Nº 001/97 A COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO-CONAB, empresa pública federal vinculada ao Ministério da Agricultura e do Abastecimento, torna público as condições

Leia mais

NORMAS DE DILIGÊNCIA TÉCNICA DE VERIFICAÇÃO:

NORMAS DE DILIGÊNCIA TÉCNICA DE VERIFICAÇÃO: NORMAS DE DILIGÊNCIA TÉCNICA DE VERIFICAÇÃO: NORMAS DE DILIGÊNCIA TÉCNICA DE VERIFICAÇÃO: Considerando: - A Lei nº 12.232/10 estabelece no seu art. 4º que, para participar de licitações públicas, as agências

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO DIN DIN COPA SANTANDER LIBERTADORES

CONDIÇÕES GERAIS DO DIN DIN COPA SANTANDER LIBERTADORES CONDIÇÕES GERAIS DO DIN DIN COPA SANTANDER LIBERTADORES I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: Santander Capitalização S/A CNPJ: 03.209.092/0001-02 Din Din Copa Santander Libertadores MODALIDADE:

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO IBICAPITALIZAÇÃO MAIS

CONDIÇÕES GERAIS DO IBICAPITALIZAÇÃO MAIS CONDIÇÕES GERAIS DO IBICAPITALIZAÇÃO MAIS I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: BRADESCO CAPITALIZAÇÃO S.A. CNPJ: 33.010.851/0001-74 PLANO PM 60/60 A - MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO SUSEP

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA NÚCLEO DE LOGÍSTICA ATA DE REGISTRO DE PREÇOS

ESCOLA SUPERIOR DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA NÚCLEO DE LOGÍSTICA ATA DE REGISTRO DE PREÇOS ESCOLA SUPERIOR DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA NÚCLEO DE LOGÍSTICA ATA DE REGISTRO DE PREÇOS PREGÃO Nº 09/2007 PROCESSO Nº 0.01.000.000879/2007-37 VALIDADE: 1 (um)

Leia mais

ELETROBRAS DISTRIBUIÇÃO RONDÔNIA GERÊNCIA DO PROGRAMA LUZ PARA TODOS

ELETROBRAS DISTRIBUIÇÃO RONDÔNIA GERÊNCIA DO PROGRAMA LUZ PARA TODOS TERMO DE REFERÊNCIA Nº. 002 CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE AUDITORIA CONTÁBIL Porto Velho, 24 de Fevereiro de 2014. 1. OBJETO Prestação de serviços especializados em auditoria

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE CAMPO GRANDE ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL CONTRATO

CÂMARA MUNICIPAL DE CAMPO GRANDE ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL CONTRATO PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 036/2015 CONVITE Nº 007/2015 CONTRATO CONTRATO QUE FAZEM ENTRE SI A CÂMARA MUNICIPAL DE CAMPO GRANDE, COM RESULT ASSESSORIA EMPRESARIAL LTDA, PARA A CESSÃO DE USO, NA FORMA DE

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO OUROCAP TORCIDA BRASIL

CONDIÇÕES GERAIS DO OUROCAP TORCIDA BRASIL CONDIÇÕES GERAIS DO OUROCAP TORCIDA BRASIL I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: Brasilcap Capitalização S.A. CNPJ: 15.138.043/0001-05 OUROCAP TORCIDA BRASIL MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO

Leia mais

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO - APLUBCAP TRADICIONAL 16 MODALIDADE TRADICIONAL - PAGAMENTO ÚNICO

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO - APLUBCAP TRADICIONAL 16 MODALIDADE TRADICIONAL - PAGAMENTO ÚNICO TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO - APLUBCAP TRADICIONAL 16 MODALIDADE TRADICIONAL - PAGAMENTO ÚNICO CONDIÇÕES GERAIS I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLUB CAPITALIZAÇÃO S/A CNPJ: 88.076.302/0001-94

Leia mais

Declaração de Escopo

Declaração de Escopo 1/9 Elaborado por: Adriano Marra, Bruno Mota, Bruno Leite, Janaina Versão: 1.4 Lima, Joao Augusto, Paulo Takagi, Ricardo Reis. Aprovado por: Porfírio Carlos Roberto Junior 24/08/2010 Time da Equipe de

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO PM102T7 TRADICIONAL CNPJ: 74.267.170/0001-73 MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO SUSEP Nº:

CONDIÇÕES GERAIS DO PM102T7 TRADICIONAL CNPJ: 74.267.170/0001-73 MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO SUSEP Nº: CONDIÇÕES GERAIS DO PM102T7 TRADICIONAL I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: ICATU CAPITALIZAÇÃO S.A CNPJ: 74.267.170/0001-73 PM102T7 MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO SUSEP Nº: II GLOSSÁRIO

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SCM

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SCM CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SCM Contrato que entre si celebram Edmilson de Lima Araújo - ME, inscrito no CNPJ sob o nº 00552496/0001-06, Inscrição Estadual 24837800-7, situado a Av. Dr. Jayme Carneiro Lopes

Leia mais

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO - N.º 19651/2012

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO - N.º 19651/2012 SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO - N.º 19651/2012 Prezados Senhores, Brasília, 28 de novembro de 2012. O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento PNUD, no âmbito do Projeto BRA/04/044 - Implementação de

Leia mais

MODELO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 010/2015

MODELO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 010/2015 MODELO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 010/2015 NOME DA INSTITUIÇÃO: Cast Informática S.A AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL EMENTA: obter contribuições para a especificação

Leia mais

CNPJ: 03.209.092/0001-02 MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO SUSEP Nº: 15414.004260/2008-25 WEB-SITE:

CNPJ: 03.209.092/0001-02 MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO SUSEP Nº: 15414.004260/2008-25 WEB-SITE: CONDIÇÕES GERAIS SANTANDER CAP SORTE FÁCIL I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: Santander Capitalização S/A CNPJ: 03.209.092/0001-02 MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO SUSEP Nº: 15414.004260/2008-25

Leia mais

CG DA MODALIDADE TRADICIONAL PU CONDIÇÕES GERAIS DA ZURICHCAP TRADICIONAL PU 01

CG DA MODALIDADE TRADICIONAL PU CONDIÇÕES GERAIS DA ZURICHCAP TRADICIONAL PU 01 CONDIÇÕES GERAIS DA ZURICHCAP TRADICIONAL PU 01 I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: ZURICH BRASIL CAPITALIZAÇÃO S/A. CNPJ: 17.266.009/0001-41 ZURICHCAP TRADICIONAL PU 01 MODALIDADE: TRADICIONAL

Leia mais

Resolvem, na melhor forma de direito, celebrar o presente Contrato de Mútuo ( Contrato ), de acordo com os seguintes termos e condições:

Resolvem, na melhor forma de direito, celebrar o presente Contrato de Mútuo ( Contrato ), de acordo com os seguintes termos e condições: CONTRATO DE MÚTUO Prelo presente instrumento particular, [O Estudante, pessoa física proponente de empréstimo com determinadas características ( Proposta )], identificado e assinado no presente contrato

Leia mais

2.2 - Prestação de Serviços de Suporte Técnico Assistido

2.2 - Prestação de Serviços de Suporte Técnico Assistido Anexo I TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 010/2011 1 DO OBJETO 1.1 - Contratação de empresa para o fornecimento de licenças de uso de software SAP, BusinessObjects Enterprise - BOE, com manutenção

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO PIC

CONDIÇÕES GERAIS DO PIC CONDIÇÕES GERAIS DO PIC I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: CIA ITAÚ DE CAPITALIZAÇÃO CNPJ: 23.025.711/0001-16 PIC - MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO SUSEP Nº: 15414.005217/2012-63 WEB-SITE:

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Prestação de Serviços de suporte técnico para a Ferramenta de Scanner de Vulnerabilidades de Aplicações Web Acunetix

TERMO DE REFERÊNCIA Prestação de Serviços de suporte técnico para a Ferramenta de Scanner de Vulnerabilidades de Aplicações Web Acunetix TERMO DE REFERÊNCIA Prestação de Serviços de suporte técnico para a Ferramenta de Scanner de Vulnerabilidades de Aplicações Web Acunetix, e, atualização de novas versões e das vulnerabilidades detectáveis.

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO PREMIUM CASH

CONDIÇÕES GERAIS DO PREMIUM CASH CONDIÇÕES GERAIS DO PREMIUM CASH I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: BRADESCO CAPITALIZAÇÃO S/A CNPJ: 33.010.851/0001-74 PREMIUM CASH PLANO PM 60/60 N - MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO

Leia mais

ANEXO I T E R M O DE R E F E R Ê N C I A EDITAL DE PREGÃO Nº 05/2015 CREMEB

ANEXO I T E R M O DE R E F E R Ê N C I A EDITAL DE PREGÃO Nº 05/2015 CREMEB ANEXO I T E R M O DE R E F E R Ê N C I A EDITAL DE PREGÃO Nº 05/2015 CREMEB 1 -DO OBJETO O objeto do Pregão Presencial é a contratação de empresa especializada para prestação de serviços de rádio-táxi

Leia mais

ALTERAÇÕES DA MINUTA REVISADA EM MARÇO/2012

ALTERAÇÕES DA MINUTA REVISADA EM MARÇO/2012 CONTROLE DE VERSÃO SERVIÇO 102 - SMP TELEMAR NORTE LESTE S.A E OI S.A. ALTERAÇÕES DA MINUTA REVISADA EM MARÇO/2012 1. ALTERAÇÕES REALIZADAS NO CORPO DO CONTRATO: Alteração da redação do item CLÁUSULA QUINTA

Leia mais

Dispõe sobre a Cotação Eletrônica de Preços no Estado do Rio Grande do Sul.

Dispõe sobre a Cotação Eletrônica de Preços no Estado do Rio Grande do Sul. LEI Nº 13.179, DE 10 DE JUNHO DE 2009 Business Online Comunicação de Dados Dispõe sobre a Cotação Eletrônica de Preços no Estado do Rio Grande do Sul. A GOVERNADORA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL. Faço

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE EMAIL

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE EMAIL CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE EMAIL De um lado, M&T Logística e Tecnologia Ltda, sediada na cidade de Belo Horizonte/MG na, denominada CONTRATADA e de outro lado, pessoa física ou jurídica, neste denominada

Leia mais

Av. Presidente Vargas, 1261 CEP: 20071-004 - Centro - Rio de Janeiro Tel: +55 (21) 2532-2661

Av. Presidente Vargas, 1261 CEP: 20071-004 - Centro - Rio de Janeiro Tel: +55 (21) 2532-2661 TERMO DE REFERÊNCIA OBJETIVANDO A CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA PROJETO DOS SISTEMAS DE CFTV DA BIBLIOTECA PARQUE ESTADUAL DE MANGUINHOS BPM JUSTIFICATIVA A Biblioteca Parque Estadual de Manguinhos é um

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO OUROCAP EMPRESA FLEX

CONDIÇÕES GERAIS DO OUROCAP EMPRESA FLEX CONDIÇÕES GERAIS DO OUROCAP EMPRESA FLEX I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: BRASILCAP CAPITALIZAÇÃO S.A. CNPJ: 15.138.043/0001-05 OUROCAP EMPRESA FLEX - MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO OUROCAP MULTISORTE PM24P I INFORMAÇÕES INICIAIS

CONDIÇÕES GERAIS DO OUROCAP MULTISORTE PM24P I INFORMAÇÕES INICIAIS CONDIÇÕES GERAIS DO OUROCAP MULTISORTE PM24P I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: BRASILCAP CAPITALIZAÇÃO S.A. CNPJ: 15.138.043/0001-05 OUROCAP MULTISORTE PM24P - MODALIDADE: TRADICIONAL

Leia mais

Governo do Estado do Rio de Janeiro

Governo do Estado do Rio de Janeiro Governo do Estado do Rio de Janeiro Modelo de governança para contratos de desenvolvimento de software sob, no âmbito de programas financiados. Manual de Uso Histórico da revisão Data Versão Descrição

Leia mais

CONTRATO DE LICENÇA DE USO MENSAL E PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS

CONTRATO DE LICENÇA DE USO MENSAL E PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CONTRATO DE LICENÇA DE USO MENSAL E PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS JLR SERVIÇOS DE ATENDIMENTO E ORGANIZAÇÃO DE DOCUMENTOS LTDA, com sede a Rua Dona Elisa Fláquer, nº 70-13 º andar - sala 134, Centro - Santo André

Leia mais

DECRETO Nº. 1.370/2015 DE 05 DE JANEIRO DE 2015. O Prefeito Municipal de Querência - MT, no uso de suas

DECRETO Nº. 1.370/2015 DE 05 DE JANEIRO DE 2015. O Prefeito Municipal de Querência - MT, no uso de suas DECRETO Nº. 1.370/2015 DE 05 DE JANEIRO DE 2015. Dispõe acerca da Política de uso do ponto eletrônico e da jornada de trabalho dos servidores públicos do Poder Executivo município de Querência - MT. atribuições,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 01/99. A PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DO SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA, no uso de suas atribuições legais, regulamentares e regimentais,

RESOLUÇÃO Nº 01/99. A PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DO SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA, no uso de suas atribuições legais, regulamentares e regimentais, RESOLUÇÃO Nº 01/99 NORMAS DE ARRECADAÇÃO DIRETA MEDIANTE CONVÊNIO, alterações, aprova A PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DO SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA, no uso de suas atribuições legais, regulamentares

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PROCESSO Nº: 21218.000183/2011-59

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PROCESSO Nº: 21218.000183/2011-59 ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PROCESSO Nº: 21218.000183/2011-59 1. DA JUSTIFICATIVA 1.1 Dotar de melhores condições de trabalho a sala 12, da SUREG/AM, na qual atuam os empregados designados para compor

Leia mais

Plano de Controle de Qualidade. Resolução 3.954

Plano de Controle de Qualidade. Resolução 3.954 Plano de Controle de Qualidade Resolução 3.954 1. DA RESOLUÇÃO 3.954, DE 24 DE FEVEREIRO DE 2011 Com as alterações advindas pela Resolução 3.954/11, um dos objetivos do Conselho Monetário Nacional é que

Leia mais

Elaboração dos documentos

Elaboração dos documentos Estudo de Caso Área de conhecimento Gerência de Escopo Projeto Correspondência Eletrônica nos Correios S.A. A Presidência dos Correios vislumbrou a possibilidade da Empresa apresentar aos seus clientes

Leia mais

ANÁLISE DE VIABILIDADE. PLANEJAMENTO DE CONTRATAÇÃO DE SERVIÇO DE TI Contratações de Serviços de Desenvolvimento de Sistemas

ANÁLISE DE VIABILIDADE. PLANEJAMENTO DE CONTRATAÇÃO DE SERVIÇO DE TI Contratações de Serviços de Desenvolvimento de Sistemas PLANEJAMENTO DE CONTRATAÇÃO DE SERVIÇO DE TI Contratações de Serviços de Desenvolvimento de Sistemas 1 Índice 1. Apresentação...3 2. Avaliação da Necessidade...3 3. Especificação de Requisitos pela Área

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO Secretaria de Tecnologia da Informação

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO Secretaria de Tecnologia da Informação TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO Secretaria de Tecnologia da Informação REGIONALIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE TI MAPEAMENTO DE PROVIDÊNCIAS INICIAIS Março/2014 V 1.1 REGIONALIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE TI MAPEAMENTO

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO PESSOA JURÍDICA

CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO PESSOA JURÍDICA CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO PESSOA JURÍDICA I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: BRADESCO CAPITALIZAÇÃO S/A. CNPJ: 33.010.851/0001-74 PÉ QUENTE BRADESCO PESSOA JURÍDICA PLANO PU

Leia mais

Regulamenta o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993.

Regulamenta o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993. DECRETO N.º 7.892, DE 23 DE JANEIRO DE 2013. Regulamenta o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993. A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que

Leia mais

CONTRATO DE LOCAÇÃO DE SISTEMA DE ENGENHARIA GERENCIADOR DE OBRAS ON LINE IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES

CONTRATO DE LOCAÇÃO DE SISTEMA DE ENGENHARIA GERENCIADOR DE OBRAS ON LINE IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES CONTRATO DE LOCAÇÃO DE SISTEMA DE ENGENHARIA GERENCIADOR DE OBRAS ON LINE IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES LOCADOR: Obra24horas Soluções Web para Engenharia Ltda., com sede na Rua Formosa, 75 1º andar

Leia mais

Contrato de Adesão CONTRATO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO (STFC)

Contrato de Adesão CONTRATO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO (STFC) Contrato de Adesão CONTRATO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO (STFC) O texto deste Contrato foi submetido à aprovação da Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL, estando sujeito a

Leia mais

PORTARIA Nº 7.965, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2015.

PORTARIA Nº 7.965, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2015. PORTARIA Nº 7.965, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2015. Atualiza o macroprocesso da fase de Gestão de Contratos de Tecnologia da Informação e Comunicações, instituído no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho da

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS SANTANDER CAP SORTE UNIVERSITÁRIO I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO:

CONDIÇÕES GERAIS SANTANDER CAP SORTE UNIVERSITÁRIO I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: CONDIÇÕES GERAIS SANTANDER CAP SORTE UNIVERSITÁRIO I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: Santander Capitalização S/A CNPJ: 03.209.092/0001-02 MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO SUSEP Nº: 15414.001039/2009-04

Leia mais

Estudo de Caso. Projeto Correspondência Eletrônica nos Correios S.A.

Estudo de Caso. Projeto Correspondência Eletrônica nos Correios S.A. Estudo de Caso Projeto Correspondência Eletrônica nos Correios S.A. A Presidência dos Correios vislumbrou a possibilidade da Empresa apresentar aos seus clientes um novo serviço, que foi denominado de

Leia mais

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Fazenda Departamento Geral de Administração e Finanças TERMO DE REFERÊNCIA

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Fazenda Departamento Geral de Administração e Finanças TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA Código de Classificação: 13.02.01.15 1 DO OBJETO: A presente licitação tem por objeto a contratação de empresa para prestação dos serviços de cobertura securitária (seguro) para assegurar

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA GERENCIA EXECUTIVA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 1 RELAÇÃO DE ITENS ASSUNTOS 1. OBJETIVO... 1 2. DO OBJETO... 2 3. DA JUSTIFICATIVA DO OBJETO... 2 4. DAS ESPECIFICAÇÕES DOS SERVIÇOS... 2 5. DA PRESTAÇÃO

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CRIAÇÃO DE WEBSITE

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CRIAÇÃO DE WEBSITE CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CRIAÇÃO DE WEBSITE 1. DOS SERVIÇOS: 1.1 O presente contrato tem como objeto a formulação do conjunto de páginas eletrônicas e gráficas, aqui denominado simplesmente

Leia mais

ATA DE REGISTRIO DE PREÇOS Nº 007/2014

ATA DE REGISTRIO DE PREÇOS Nº 007/2014 ATA DE REGISTRIO DE PREÇOS Nº 007/2014 EDITAL DE LICITAÇÃO N. º 002/2014 MODALIDADE DE PREGÃO PRESENCIAL PROCESSO Nº 2014 0001 1954 VALIDADE: 12 (DOZE) MESES Aos 28 dias do mês de fevereiro de 2014, na

Leia mais

Art. 3º A diária será devida pela metade nos seguintes casos:

Art. 3º A diária será devida pela metade nos seguintes casos: Orientações para Solicitação e Prestação de Contas de Diárias de acordo com o Decreto nº 3328-R, de 17 de junho de 2013. DIÁRIAS Diárias são indenizações pagas antecipadamente para cobrir despesas com

Leia mais

CG DA MODALIDADE POPULAR PM CONDIÇÕES GERAIS DO APLUBCAP POPULAR 2262 SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLUB CAPITALIZAÇÃO S. A. CNPJ: 88.076.

CG DA MODALIDADE POPULAR PM CONDIÇÕES GERAIS DO APLUBCAP POPULAR 2262 SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLUB CAPITALIZAÇÃO S. A. CNPJ: 88.076. CONDIÇÕES GERAIS DO APLUBCAP POPULAR 2262 I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLUB CAPITALIZAÇÃO S. A. CNPJ: 88.076.302/0001-94 APLUBCAP POPULAR 226 MODALIDADE: POPULAR PROCESSO SUSEP Nº:

Leia mais

ANEXO III PREGÃO PRESENCIAL SESC/MA Nº 15/0019-PG MINUTA DO CONTRATO

ANEXO III PREGÃO PRESENCIAL SESC/MA Nº 15/0019-PG MINUTA DO CONTRATO ANEXO III PREGÃO PRESENCIAL SESC/MA Nº 15/0019-PG MINUTA DO CONTRATO Instrumento Particular de Contrato referente ao PREGÃO PRESENCIAL SESC/MA Nº 15/0019-PG, que entre si fazem o Serviço Social do Comércio

Leia mais

PORTARIA Nº 1.998, DE 22 DE ABRIL DE 2015.

PORTARIA Nº 1.998, DE 22 DE ABRIL DE 2015. PORTARIA Nº 1.998, DE 22 DE ABRIL DE 2015. Institui o macroprocesso da fase de Gestão de Contratos de Tecnologia da Informação e Comunicações no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região. A

Leia mais

ÂMBITO E FINALIDADE SERVIÇO DE EMPRÉSTIMO DE VALORES MOBILIÁRIOS

ÂMBITO E FINALIDADE SERVIÇO DE EMPRÉSTIMO DE VALORES MOBILIÁRIOS Dispõe sobre empréstimo de valores mobiliários por entidades de compensação e liquidação de operações com valores mobiliários, altera as Instruções CVM nºs 40, de 7 de novembro de 1984 e 310, de 9 de julho

Leia mais

I INFORMAÇÕES INICIAIS II - GLOSSÁRIO

I INFORMAÇÕES INICIAIS II - GLOSSÁRIO I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: INVEST CAPITALIZAÇÃO S/A CNPJ: 93.202.448/0001-79 (NOME FANTASIA DO PRODUTO): INVESTCAP TRAD-PU 03 (12M) MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO SUSEP Nº: 15414.900283/2013-20

Leia mais

ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA A B C D E OBJETO O presente Termo de Referência tem como objeto o fornecimento parcelado de combustíveis à frota dos veículos oficiais do Conselho Regional de Medicina do

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral do Amapá COORDENADORIA DE MATERIAL E PATRIMÔNIO

Tribunal Regional Eleitoral do Amapá COORDENADORIA DE MATERIAL E PATRIMÔNIO ATA DE REGISTRO DE PREÇOS n.º 25 /2014 PROCESSO n.º 62/2013 (Protocolo nº 6.007). PREGÃO ELETRÔNICO n.º 49/2013 VALIDADE: 12 (doze) meses Aos quatorze dias do mês de abril do ano de dois mil e quatorze,

Leia mais

Termo de Referência. Aquisição de Solução de Gerenciamento de Impressão para plataforma baixa.

Termo de Referência. Aquisição de Solução de Gerenciamento de Impressão para plataforma baixa. Termo de Referência Aquisição de Solução de Gerenciamento de Impressão para plataforma baixa. CGAD/COAR - Gerenciamento de Impressão Plataforma Baixa / RQ DSAO nº xxx/2009 1/8 Termo de Referência Aquisição

Leia mais

ANEXO I T E R M O DE R E F E R Ê N C I A EDITAL DE PREGÃO Nº 04/14 CREMEB

ANEXO I T E R M O DE R E F E R Ê N C I A EDITAL DE PREGÃO Nº 04/14 CREMEB ANEXO I T E R M O DE R E F E R Ê N C I A EDITAL DE PREGÃO Nº 04/14 CREMEB 1 - DO OBJETO Constitui objeto da presente licitação a aquisição de: 1.1-08 (oito) LICENÇAS modalidade MICROSOFT OPEN, sendo: 01

Leia mais

Versão: 3 Início de Vigência: 01.10.2008 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 3.042, de 14 de agosto de 2008

Versão: 3 Início de Vigência: 01.10.2008 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 3.042, de 14 de agosto de 2008 Procedimento de Comercialização Versão: 3 Início de Vigência: Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 3.042, de 14 de agosto de 2008 ÍNDICE 1. APROVAÇÃO... 3 2. HISTÓRICO DE REVISÕES... 3 3. PROCESSO

Leia mais

ICATU SEGUROS Condições Gerais Página 1

ICATU SEGUROS Condições Gerais Página 1 CONDIÇÕES GERAIS DO PU114P I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: ICATU CAPITALIZAÇÃO S.A. CNPJ: 74.267.170/0001-73 PLANO PU114P MODALIDADE: POPULAR PROCESSO SUSEP Nº: 15414.005166/2011-99II

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO BRADESCO SOLUÇÃO DE ALUGUEL

CONDIÇÕES GERAIS DO BRADESCO SOLUÇÃO DE ALUGUEL I INFORMAÇÕES INICIAIS CONDIÇÕES GERAIS DO BRADESCO SOLUÇÃO DE ALUGUEL SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: BRADESCO CAPITALIZAÇÃO S.A. CNPJ: 33.010.851/0001-74 BRADESCO SOLUÇÃO DE ALUGUEL PLANO PU 15/15 A - MODALIDADE:

Leia mais

MANUAL DA CERTIFICAÇÃO POR PROVA PARA TÉCNICOS 2015

MANUAL DA CERTIFICAÇÃO POR PROVA PARA TÉCNICOS 2015 MANUAL DA CERTIFICAÇÃO POR PROVA PARA TÉCNICOS 2015 1 1. A Certificação por Prova é destinada a profissionais de Previdência Complementar Fechada que atuem na área de Contabilidade. IMPEDIMENTOS 2. O candidato

Leia mais

EXTRATO DO CONTRATO DE REPRESENTANTE DE SEGUROS CUMULADO COM CORRESPONDENTE DE MICROSSEGUROS SEGUROS

EXTRATO DO CONTRATO DE REPRESENTANTE DE SEGUROS CUMULADO COM CORRESPONDENTE DE MICROSSEGUROS SEGUROS EXTRATO DO CONTRATO DE REPRESENTANTE DE SEGUROS CUMULADO COM CORRESPONDENTE DE MICROSSEGUROS SEGUROS TOKIO MARINE SEGURADORA S.A., inscrita no CNPJ sob o número 33.164.021/0001-00 pessoa jurídica de direito

Leia mais