Contratos Derivativos. Futuro de Soja Brasil

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Contratos Derivativos. Futuro de Soja Brasil"

Transcrição

1 Contratos Derivativos Futuro de Soja Brasil

2 Futuro de Soja Brasil Proteja o seu preço e administre os riscos da produção O produto A produção de soja atende a uma cadeia de diversos produtos acabados derivados do farelo e do óleo provenientes do processamento do grão ambos são insumos para a cadeia de alimento animal, saúde, uso industrial e a produção de biodiesel. Devido ao seu grande emprego em diversos setores, podem ocorrer oscilações de preço da commodity. Mas como os produtores podem se defender das oscilações de preços em um ambiente que, além das variações de demanda, sofre com os impactos diretos de fatores externos, como clima, condições do solo e pragas, por exemplo? Este é um dos grandes desafios da cadeia produtiva do agronegócio. E a resposta pode estar no mercado de derivativos de commodities agrícolas. Um instrumento que dá aos produtores e empresas a ferramenta para se protegerem da variação de preço de seus produtos. Para auxiliar o mercado nas tomadas de decisão do dia a dia do negócio, a BM&FBOVESPA oferece para negociação o Contrato Futuro de Soja Brasil, desenvolvido com o objetivo de ser uma ferramenta para a gestão do risco de oscilação de preço, permitindo ao mercado negociar o produto (ativo-objeto) no mercado físico e travar o preço no mercado futuro. Como funcionam os contratos futuros? A origem do mercado de derivativos está associada ao problema que a sazonalidade dos mercados agrícolas produz nos preços das commodities. Para se proteger dessas variações, comprador e vendedor acordam o preço do produto em determinada data no futuro, e fecham um contrato na BM&FBOVESPA. No vencimento deste contrato, o vendedor recebe ou paga ao comprador a diferença entre o preço negociado e o preço a vista na data de vencimento (liquidação financeira). Em alguns tipos de contrato, também é possível a liquidação física, em que o vendedor entrega o ativo e recebe do comprador o valor financeiro negociado pela mercadoria.

3 Vantagens do produto Protege o produtor contra a oscilação de preço (hedge) e a sazonalidade do produto; Eficiência contra o risco de base (diferença entre o preço a vista do produto e o preço futuro) evitando oscilações não esperadas; Possibilita alavancagem de posição; e O mercado de soja no Brasil é bastante influenciado pelo mercado de soja negociado na Bolsa de Chicago (CBOT). Devido a essa relação é possível montar operações de compra e venda (arbitragem) entre os contratos de soja Brasil (SFI) e o contrato espelho de soja Chicago (SFC), ambos negociados na BM&FBOVESPA. O que são e como funcionam os ajustes diários? Os ajustes diários fazem parte do mercado futuro. Imagine que um produtor compre um contrato futuro de determinado produto, cotado a $100,00 por unidade da mercadoria estabelecida em contrato (arroba, quilograma ou saca, por exemplo), para vencimento em alguns meses. Dependendo do tipo de contrato, o objeto de negociação pode ser cotado em reais ou em dólares dos Estados Unidos da América. Caso o valor desse contrato seja negociado no dia seguinte a $110,00, o produtor receberá, automaticamente, $10,00 por contrato. Porém, caso o valor caia para $95,00, o produtor deverá pagar $5,00 por unidade da mercadoria. Dessa maneira, os valores do contrato serão ajustados diariamente até a data de vencimento. Adicionalmente ao valor de ajuste diário, também é exigido durante a vigência do contrato um valor de margem de garantia, por uma fração do valor negociado. Fique atento Ao firmar um Contrato Futuro de Soja Brasil, o investidor deve: considerar um desembolso inicial para o depósito de margem de garantia; gerir o fluxo de caixa para o pagamento e recebimento dos ajustes diários; considerar que as oscilações nos custos de armazenagem, da terra, clima e insumos para a produção nas diferentes regiões do cultivo da mercadoria podem acarretar em divergências na base de preço, uma vez que a formação de preço do contrato de soja é no Porto de Paranaguá, no Estado do Paraná; e avaliar a necessidade de contratação de proteção para a variação cambial, uma vez que o contrato de soja é negociado em dólares por saca.

4 O Contrato Futuro de Soja Brasil O contrato é negociado em dólares dos Estados Unidos da América por saca de 60 kg, sendo um contrato equivalente a 450 sacas, ou 27 toneladas métricas. A liquidação no vencimento é feita financeiramente por diferença de preço. A oscilação mínima é de US$0,01 por saca, ou a equivalência de US$4,50 por contrato (tick value). Os meses disponíveis para negociação são março, abril, maio, junho, julho, agosto, setembro e novembro. O último dia de negociação é o segundo dia útil anterior ao mês de vencimento. O período de safra de colheita da soja, historicamente, é percebido entre os meses de janeiro a junho. Já a entressafra, no segundo semestre do ano, quando normalmente se observa uma baixa oferta de grãos ao mercado.

5 Características técnicas Soja em grão a granel tipo exportação, com os seguintes limites máximos: 14% de umidade; 1% de matérias estranhas e impurezas; 30% de quebrados; 8% de esverdeados; 8% de avariados (queimados, ardidos, mofados, fermentados, germinados, danificados, imaturos e chochos), dos quais se permitem até 6% de grãos Objeto de Negociação ontratos Derivativos mofados, até 4% de grãos ardidos e queimados, sendo que esse último não pode ultrapassar 1%; e 18,5% de conteúdo de óleo. uturo ontratos Código de Soja de Derivativos Negociação Brasil SFI Tamanho do Contrato 450 sacas de 60 kg ou 27 toneladas métricas uturo ontratos ontratos de Soja Cotação Derivativos Derivativos Brasil Dólares dos Estados Unidos da América por saca de 60 kg ratos Variação Derivativos uturo uturo de de Soja Soja Mínima Brasil Brasil ontratos US$0,01 por saca de 60 kg de Soja (tick size) Brasil Derivativos ontratos Derivativos uturo uturo de Soja Lote-padrão de de Brasil Soja Soja Brasil Brasil 1 O contrato ajuste diário das posições em aberto será realizado até a data de vencimento do co uturo de Soja Brasil acordo com as seguintes fórmulas: Último Dia de O ajuste diário das posições em aberto será realizado até a data de vencimento do co Negociação e Data de Segundo Ajuste das dia posições útil anterior realizadas ao mês no de vencimento. dia Vencimento acordo com as seguintes fórmulas: O Ajuste ajuste diário diário = das PA posições 450 em n aberto será realizado até a data de vencimento do co acordo ajuste com diário as seguintes das posições fórmulas: em aberto será realizado até data de vencimento do co Meses de Vencimento O ajuste Março, acordo Ajuste diário abril, com das maio, posições as seguintes junho, realizadas em julho, fórmulas: aberto agosto, no será dia setembro realizado e novembro. até a data de vencimento do contrato, O ajuste diário das posições acordo em ajuste aberto com no dia anterior O diário das posições em aberto será realizado até data de vencimento do contrato, ajuste acordo com as diário as diário seguintes seguintes das = posições PA fórmulas: PA fórmulas: em aberto 450 n será diário realizado das posições será realizado até a data de vencimento do contrato, de até a data em PA 450 n de aberto vencimento será realizado contrato, até a de data de vencimento do Ajuste ajuste das diário posições das posições realizadas em no aberto dia será realizado até data de vencimento do co acordo com as seguintes fórmulas: O acordo ajuste com das com diário as posições as seguintes seguintes das posições realizadas fórmulas: fórmulas: em no aberto dia será realizado até a data de vencimento do co acordo Ajuste diário com as = seguintes PA Ajuste Diário Ajuste das posições das posições realizadas fórmulas: acordo das a) Ajuste diário com as posições seguintes PA realizadas realizadas em no aberto fórmulas: 450 n 450 dia no no dia no dia n dia anterior Ajuste das posições realizadas Ajuste no diário dia Ajuste = diário das PA posições = PA 450 realizadas PA n 450 n no dia Ajuste diário Ajuste AD das = PA posições valor do 450 realizadas ajuste em n aberto no diário, dia em dólares anterior Ajuste diário = PA dos Estados Unidos da América, referente à Ajuste Diário 450 n Ajuste diário das posições = PA Ajuste b) diário das t ; posições PA em realizadas em aberto 450 aberto no no n dia dia anterior Ajuste das posições em aberto PA no 450 no 450 n n Ajuste diário = PA dia anterior das PA AD posições preço em aberto de PA 450 ajuste, no dia 450 n anterior n Ajuste Ajuste das posições Diário em aberto Ajuste no diário dia dia em anterior dólares dos Estados Unidos da América, na data t, para Ajuste = = PA valor PA do ajuste 450 n diário, em dólares Estados Unidos da América, referente à Ajuste Diário Ajuste diário anterior das posições em aberto no dia anterior Ajuste das vencimento t ; PA posições PA em respectivo; 450 n aberto no dia anterior Ajuste diário = PA uste Diário Ajuste Diário PA 450 n onde: Ajuste diário das posições = PA Ajuste AD da operação, em dólares dos Estados Unidos da América; uste Diário PA diário = valor do PA em PA aberto ajuste PA 450 n no dia anterior diário, 450 n em dólares dos Estados Unidos da América, referente à Ajuste Diário Ajuste AD diário preço de ajuste, dos Estados Unidos da América, na data t, para AD n = valor = do do PA vencimento ajuste PA diário, diário, em 450 n dólares em dólares dos Estados Unidos Estados da América, Unidos referente da América, à data t ; t ; referente Ajuste Diário número de respectivo; contratos; Ajuste Diário = valor do ajuste diário, em dólares Estados Unidos da referente à data AD t ; PA valor t ; de ajuste, em dólares dos Estados Unidos da América, na data t, para o do preço ajuste de da diário, operação, ajuste, em do em dia dólares em útil dólares dos anterior dos Estados dos Estados à data Unidos Unidos t, Unidos da em da da dólares América, América; referente dos na Estados data t, data Unidos para AD = valor do ajuste diário, em PA AD PA t ; AD dólares = preço de ajuste, em dólares dos Estados Unidos da América, na data t, para n América, dos valor Estados número para Unidos diário, da América, em dólares referente Estados à data Unidos da América, referente à vencimento valor respectivo; diário, em dólares Estados Unidos da América, referente t ; de contratos; o vencimento respectivo. = AD preço vencimento de ajuste, em respectivo; dólares dos Estados Unidos da América, na data t, para o PA = t ; valor do ajuste diário, em dólares Estados Unidos da América, referente à vencimento preço t ; de ajuste, da da em operação, dólares em dólares em dos dólares Estados Estados Unidos Estados Unidos da da América, Unidos América; da na América; PA data t, para = preço de ajuste, em dólares PA respectivo; da operação, do dia em útil dólares anterior dos Estados à data vencimento respectivo; ISOJAPAGUA t, Unidos em da dólares América; dos Estados Unidos n PA dos Estados = t ; preço Unidos de ajuste, da América, em dólares na data Estados t, para Unidos o da América, na data t, para número preço de de de ajuste, contratos; em dólares dos Estados Unidos da América, = preço na data t, para vencimento respectivo; PA América, da número operação, para de contratos; em o vencimento dólares dos respectivo. Estados = Unidos da América; n = preço vencimento = preço de ajuste, respectivo; em dólares Estados Unidos da América, na data t, para PA número vencimento da de operação, contratos; de de ajuste respectivo; em dólares do dia útil dos anterior Estados à Unidos data 3 t, da América; em dólares Estados Unidos = preço da operação, em dólares PA PA número dos vencimento = preço Estados de da ajuste do dia útil anterior data t, em dólares dos Estados Unidos de contratos; Unidos operação, respectivo; do dia da útil América; em anterior dólares à data t, Estados em dólares Unidos Estados da América; Unidos da preço da para operação, o vencimento em dólares respectivo. dos Estados Unidos da América; n = número de contratos; ISOJAPAGUA = n preço de ajuste do dia útil anterior PA América, = América, número preço da para para de operação, o contratos; vencimento vencimento em respectivo. dólares preço de ajuste do dia útil anterior respectivo. à = data dos t, Estados em dólares Unidos da dos América; número de contratos; Estados Unidos da data PA t, em 3 dólares dos Estados Unidos da América, para o América, para = vencimento vencimento preço da operação respectivo. = preço de ajuste do dia útil O n PA PA preço anterior de = preço número liquidação à data de t, de ajuste do contratos; em do dólares dia é útil calculado dos anterior respectivo. relativa Estados pela à à Unidos data liquidação média ISOJAPAGUA por ISOJAPAGUA t, da de preços em dólares índice de preços, expresso de mercado, Estados Unidos preço de ajuste do dia útil anterior data t, em dólares dos Estados Unidos América, para o vencimento conforme PA respectivo. América, = fórmula preço de dólares abaixo: para ajuste o vencimento do dia útil respectivo. anterior dos Estados Unidos = à data da América por saca; Liquidação por Índice de ISOJAPAGUA t, em dólares dos Estados Unidos América, para vencimento respectivo. América, para o vencimento respectivo. 3 ISOJAPAGUA Indicador de Preço da ISOJAPAGUA Soja Paranaguá BM&FBOVESPA, para o co = preço da operação = exportação de relativa 3à liquidação por índice de preços, expresso ISOJAPAGUA ISOJAPAGUA dólares dos Estados Paranaguá Unidos da (PR), América expresso por saca; em dólares dos Estados Liquidação por Índice de = ISOJAPAGUA ISOJAPAGUA América por saca, apurado por instituição renomada em coleta d = 3 = preço da operação ISOJAPAGUA relativa à liquidação 3 por índice de preços, expresso Indicador de Preço = da Soja Paranaguá BM&FBOVESPA, para o co preço da operação relativa liquidação por índice de preços, expresso exportação definida em Ofício Paranaguá Circular, 3 (PR), expresso e divulgado Liquidação por Índice dólares dos Estados Unidos da América por saca; em dólares no endereço dos Estados eletr onde: = preço dólares da operação dos Estados relativa Unidos à liquidação América por índice por saca; de preços, expresso em Liquidação por Índice de dólares preço América dos da operação Estados por Unidos relativa saca, da apurado América liquidação por por instituição saca; índice de renomada preços, expresso em coleta em ISOJAPAGUA Indicador de Preço Soja Paranaguá BM&FBOVESPA, para o co d quidação = preço da operação Preço por Índice de Liquidação de ISOJAPAGUA relativa à liquidação quidação por Índice de ISOJAPAGUA d 2 dólares = = Indicador Preço da Soja Paranaguá BM&FBOVESPA, para co preço preço da por da operação operação índice exportação definida dos segundo Estados em dia Unidos de útil de relativa relativa preços, à liquidação Paranaguá Ofício anterior da América Circular, ao expresso à liquidação (PR), último por por em índice por índice expresso e saca; dia divulgado de negociação; de em preços, de preços, expresso preço da operação relativa liquidação por índice dólares de preços, dos Estados expresso endereço eletr eços Liquidação dólares por Índice dos Estados Unidos = da Indicador América exportação Preço de da Paranaguá Soja Paranaguá (PR), expresso BM&FBOVESPA, em dólares para dos o corredor Estados ISOJAPAGUA de expresso dólares = preço eços d exportação Indicador saca; em da América data de de Paranaguá Preço dólares operação Estados por vencimento dos Unidos relativa saca, da Soja Estados da à Unidos América liquidação apurado (PR), Paranaguá contrato por expresso por América por saca; índice instituição último em BM&FBOVESPA, dólares dia por saca; de preços, expresso dólares dos Estados Unidos da América por saca; renomada de dos negociação. para em Estados corredor coleta d ISOJAPAGUA Liquidação = por Indicador Índice de de Preço ISOJAPAGUA ISOJAPAGUA da Soja Paranaguá América por saca, apurado por instituição renomada em coleta Unidos d 2 exportação BM&FBOVESPA, definida América segundo saca, Paranaguá em Ofício dia apurado útil anterior (PR), para o corredor Circular, por expresso e ao instituição último em de = dólares = Indicador Indicador dos de Estados de Preço Preço de Preço da Unidos da Soja da Paranaguá da Soja América Paranaguá Soja Paranaguá BM&FBOVESPA, por saca; BM&FBOVESPA, para o co Liquidação por Índice de divulgado dia renomada de dólares BM&FBOVESPA, negociação; dos no para em Estados endereço o para coleta de Unidos eletr co exportação de Paranaguá ISOJAPAGUA (PR), expresso definida exportação Ofício Circular, divulgado no endereço preço eletr Formação de Preço Estado América em dólares Paranaguá dos Estados (PR), expresso Unidos em dólares Estados = Indicador de Preço da Soja Paranaguá BM&FBOVESPA, para o co corredor definida Paraná, exportação América por saca, data em saca, de específico, de Ofício vencimento apurado Paranaguá Circular, Porto por contrato e instituição (PR), expresso de Paranaguá divulgado e último renomada em dólares dia endereço negociação. em coleta dos Estados eletrônico de preço apurado d por 2 América de exportação do Porto de Paranaguá, Estado do exportação definida instituição por = América segundo em Ofício por renomada de saca, Paranaguá apurado dia útil saca, Circular, em (PR), anterior apurado coleta por expresso instituição ao de último por divulgado instituição preços, em renomada dólares dos em Estados coleta d Paraná, expresso em dólares dos Estados dia Unidos de no negociação; da renomada América definida em Ofício endereço por em eletrônico coleta d Circular, definida América segundo dia útil anterior ao último dia de negociação; e = definida divulgado por em saca, data de no Ofício endereço apurado Circular, por vencimento em Ofício do Circular, eletrônico e instituição divulgado contrato último divulgado da renomada endereço em coleta eletr d saca, dia de negociação. no endereço eletr Formação de Preço d 2 Estado do = segundo Paraná, definida apurado pelo Cepea/ESALQ, e divulgado no site da Bolsa; data dia em útil específico, de vencimento em anterior Ofício no ao Porto do último Circular, contrato de dia Paranaguá de e negociação; último divulgado dia de negociação. no endereço eletr d 2 d = segundo data de vencimento dia útil anterior do contrato ao último e dia de dia = segundo dia útil anterior d 2 de negociação. Formação de Preço Estado ao do data último = = segundo dia Paraná, de segundo vencimento de em negociação; dia dia útil útil anterior ao ao último último dia de dia negociação; de negociação; dia útil específico, do contrato anterior no Porto ao de último d Paranaguá dia dia de de negociação; Formação = de data Preço de vencimento d Estado 2 contrato = do Paraná, e = data último segundo de data de vencimento em específico, de dia dia vencimento de útil negociação. anterior do do contrato ao último e último e último dia dia de de dia negociação; negociação. de negociação. no Porto do contrato de Paranaguá último dia de negociação. rmação de Formação Preço de PreçoEstado do No d Paraná, Porto de em Paranaguá, = data específico, no de Estado vencimento no Porto do Paraná. do contrato e último dia de negociação. de Paranaguá Estado rmação Formação do de Paraná, Preço de em Preço específico, Estado no Estado Porto Paraná, do de Paraná, em Paranaguá específico, em específico, no Porto no de Porto Paranaguá Formação de Preço Estado do Paraná, em específico, no Porto de de Paranaguá Paranaguá Formação de Preço Estado do Paraná, em específico, no Porto de Paranaguá

6 Valor de um lote do contrato Para encontrar o valor nominal da posição, um investidor que queira comprar o Contrato Futuro de Soja Brasil ao preço de US$23,31/saca, deverá multiplicar o preço pela quantidade de sacas de um lote de negociação, que neste exemplo equivale US$10.489,50 (US$ 23,31/saca x 450 sacas). Os valores apresentados na tela de negociação representam o valor para determinado vencimento de uma saca do produto. Ao enviar uma oferta por meio de uma corretora credenciada junto à Bolsa, é preciso atentar ao preço de negociação do produto naquele momento, assim como qual o vencimento que se deseja negociar. Entenda o conceito de base para contratos derivativos O conceito de base para contratos derivativos é a diferença entre o preço do produto (ativo-objeto) no mercado a vista e seu preço no mercado futuro. Base = preço a vista preço futuro Para os contratos agropecuários, além do custo de oportunidade do dinheiro (juro), também são considerados custos de impostos, fretes e sazonalidade dos produtos. Isto porque o mesmo produto, em regiões diferentes, poderá sofrer influências distintas devido aos fatores de oferta e demanda local ou de diferenças fiscais. Base histórica de preço da soja Brasil Sou produtor de Mato Grosso. Posso utilizar o Contrato Futuro de Soja Brasil para me proteger das variações de base? Sim. A base é relevante para produtores, cooperativas, indústrias e tradings que têm por objetivo se proteger (hedge) de sua posição no mercado físico. Por exemplo, suponha que estamos no mês de março e a intenção é a venda da soja em maio. O preço da soja futura em maio está em US$25,00/saca, enquanto o preço praticado no mercado físico está a US$24,15/saca, o que significa dizer que o valor da base é de US$0,85 abaixo desse vencimento. Ao se posicionar no contrato futuro vendendo a US$25,00/saca, considerando o valor de base de US$0,85, o produtor está se protegendo a US$24,15/saca. No vencimento do contrato, o produtor, que tinha travado sua posição a US$25,00/saca, receberá a diferença do preço travado e o preço de liquidação do contrato dado pela média do indicador Cepea/ESALQ. Se o preço no vencimento estivesse a US$22,00/saca, ele teria recebido US$3,00/saca (25,00 22,00) de ajustes diários acumulados no período. Se a base ficasse estável a US$0,85/saca, o produtor teria vendido a soja a US$21,15/saca (22,00 0,85) no mercado físico. Acrescidos os ajustes recebidos no contrato futuro, ele teria retorno final de US$24,15/saca (21,15 + 3,00). Supondo que o valor da saca para essa região tenha sofrido uma queda aumentando a diferença de base de US$0,85 para US$4,00 o produtor teria vendido a soja no mercado físico a US$18,00/saca (22,00 4,00). Portanto, sua receita final considerando os resultados de hedge com o contrato futuro seria de US$21,00/saca (18,00 + 3,00). Assim, a variação da base causou desvalorização no preço da saca. Neste caso, diz-se que a base enfraqueceu, pois o preço na região se desvalorizou mais que no centro de formação de preço do contrato futuro. Caso contrário, teria ocorrido um fortalecimento da base. É fundamental o conhecimento do comportamento da base ao longo do ano. Para isso, os participantes do mercado devem acompanhar as diferenças de preço entre a sua região e o mercado futuro. Fixação do preço de soja na BM&FBOVESPA Para fixar os preços na BM&FBOVESPA, o produtor deve conhecer seus custos de produção. Ele deve programar quando irá vender a saca de soja a fim de que o vencimento escolhido para negociação na Bolsa coincida com a venda no mercado físico e reduza o risco de preço. Conhecendo estas informações, o produtor deve procurar uma corretora autorizada a negociar com a BM&FBOVESPA.

7 Aplicabilidade Hedge de venda de soja pelo produtor Um produtor de soja pretende vender cerca de 900 sacas (60 kg/saca) de soja. Buscando reduzir os riscos de oscilação no preço da soja, o produtor analisa os preços vigentes no mercado futuro, e com o auxílio de uma corretora, é informado que o preço do Contrato Futuro de Soja Brasil para o vencimento de mesma data da entrega física está sendo negociado a US$22,00/saca. Para eliminar o risco de preço e garantir a cobertura dos custos da sua produção, o produtor decide vender o equivalente a dois contratos futuros de soja (2 x 450 sacas de 60 kg). Com medo de um período de instabilidade nos preços da mercadoria, o produtor de soja garante o preço fixando a sua margem de lucro. No dia do vencimento dos contratos, considerando que o preço da saca de soja no mercado físico caiu para US$21,30/saca, o produtor ficou protegido contra a oscilação do preço devido à posição em contratos futuros na BM&FBOVESPA e garantiu a venda de sua produção por US$19.800,00, ou US$22/saca. Temos, então, o seguinte resultado financeiro: Venda da soja física no Porto de Paranaguá Resultado no mercado futuro Resultado final das operações 900 x US$21,30 = US$19.170, x 2 x (22,00 21,30) = US$630,00 US$19.170,00 + US$630,00 = US$19.800,00 ou US$22,00/saca (US$19.800,00 por 900 sacas) Note que a operação com o mercado futuro garantiu ao produtor o resultado de US$22,00/saca. Se ele não tivesse se protegido, teria vendido a soja por US$21,30/ saca. Dessa forma, o produtor realizou uma operação de proteção contra as oscilações dos preços. O contrato de soja é negociado em dólares, portanto, os agentes deverão analisar a necessidade de contratação de uma operação de hedge contra oscilação cambial. Operação de Spread Uma operação bastante comum é a arbitragem de preço entre vencimentos. A operação de spread nada mais é do que a compra do Contrato Futuro de Soja Brasil de um determinado vencimento e a venda simultânea de outro vencimento, em que o investidor acredita que o diferencial de preços praticados entre os vencimentos não condizem com a realidade. Ou seja, identificadas distorções entre determinados vencimentos, procurase obter ganhos com a correção destas distorções. Supondo que o investidor acredite que o diferencial de preço entre o vencimento junho e julho esteja abaixo da média histórica e que o mercado irá convergir para esta média. Com isso, resolve comprar o spread ao valor de US$1,50 entre esses vencimentos, ou seja, vender o contrato com vencimento em junho e comprar contrato com vencimento julho com as seguintes características: venda de 50 contratos do vencimento junho a US$22,00/saca; compra de 50 contratos do vencimento julho a US$23,50/saca. Se suas expectativas se concretizarem e o diferencial de preços voltar à média histórica de US$2,75/saca, o investidor realizará lucro de US$1,25/saca, conforme exemplo abaixo: O investidor reverte suas posições comprando o vencimento junho a US$21,25/saca e vendendo o vencimento julho a US$24,00/saca, e tem lucro de US$28.125,00: Vencimento junho Vencimento julho Resultado Lucro US$22,00 - US$21,25 = US$0,75 US$24,00 US$23,50 = US$0,50 US$0,75 + US$0,50 US$1,25 US$1,25 x 50 x 450 = US$28.125,00 A operação de spread deve ser feita com cautela, pois o spread poderia ter divergido da média histórica esperada pelo investidor, gerando resultado líquido negativo. Vale ressaltar que, ao realizar uma operação, devem ser considerados os custos operacionais no momento do cálculo do retorno esperado. Como investir neste produto? Para saber mais sobre este produto ou negociá-lo, os interessados devem entrar em contato com uma corretora de mercadorias. Profissionais especializados estão à disposição dos clientes para auxiliá-los nas tomadas de decisão e escolha das melhores estratégias para proteger o seu negócio. A lista de corretoras autorizadas a negociar na BM&FBOVESPA pode ser consultada no endereço bmfbovespa.com.br/corretoras.

8 Fevereiro 2015 linkedin.com/company/bm&fbovespa twitter.com/bmfbovespa facebook.com/bolsapravoce Visite o site da BM&FBOVESPA bmfbovespa.com.br/produtos Termos e Condições de Responsabilidades Os leitores podem utilizar cotações e demais dados disponíveis neste folder exclusivamente para uso pessoal. Não é permitido reproduzir, transmitir, comercializar, locar, publicar ou distribuir parte ou totalidade do conteúdo, mediante qualquer forma ou meio, sem prévia e expressa autorização da BM&FBOVESPA. Os textos e tabelas contidos neste impresso têm propósito unicamente informativo, não representando recomendação de investimento. Todas as informações disponíveis em suas páginas não foram produzidas para servir de base para qualquer decisão de investimento. As informações disponibilizadas são obtidas de fontes entendidas como confiáveis. Entretanto, a BM&FBOVESPA não garante e não se responsabiliza por pontualidade, integridade, exatidão e atualização das informações contidas neste material. Em nenhuma hipótese a BM&FBOVESPA, seus prepostos e/ou corretoras associadas serão responsáveis por perdas e danos diretos ou indiretos, incidentais ou consequentes, custos ou despesas, lucros cessantes, atrasos, inexatidões, erros, omissões, interrupções, prejuízo resultante do acesso não autorizado e mau uso do folder. Contate a BM&FBOVESPA sempre que tiver dúvidas ou interesse em mais detalhes sobre este folder. A BM&FBOVESPA tem o direito de, a qualquer tempo e sem aviso prévio, modificar, suspender ou cancelar este material.

CONTRATOS DERIVATIVOS. Futuro de Boi Gordo

CONTRATOS DERIVATIVOS. Futuro de Boi Gordo CONTRATOS DERIVATIVOS Futuro de Boi Gordo Futuro de Boi Gordo Ferramenta que permite a gestão financeira do risco existente nas operações realizadas no mercado físico. O Contrato Futuro de Boi Gordo é

Leia mais

CONTRATOS DERIVATIVOS. Opção sobre Futuro de Boi Gordo

CONTRATOS DERIVATIVOS. Opção sobre Futuro de Boi Gordo CONTRATOS DERIVATIVOS Opção sobre Futuro de Boi Gordo Opção sobre Futuro de Boi Gordo O Contrato de Opção sobre Futuro de Boi Gordo com Liquidação Financeira foi lançado pela BM&FBOVESPA, em 22/07/1994,

Leia mais

CONTRATOS DERIVATIVOS. Futuro de IGP-M

CONTRATOS DERIVATIVOS. Futuro de IGP-M CONTRATOS DERIVATIVOS Futuro de IGP-M Futuro de IGP-M Ferramenta de gerenciamento de risco contra a variação do nível de preços de diversos setores da economia O produto Para auxiliar o mercado a se proteger

Leia mais

renda fixa Certificado de Depósito Bancário

renda fixa Certificado de Depósito Bancário renda fixa Certificado de Depósito Bancário Certificado de Depósito Bancário Rentabilidade e proteção em um único investimento O produto Certificado de Depósito Bancário (CDB) é um título de renda fixa,

Leia mais

DERIVATIVOS DE Balcão. Termo de Moedas

DERIVATIVOS DE Balcão. Termo de Moedas DERIVATIVOS DE Balcão Termo de Moedas Termo de Moedas Registro de negociação de taxas de câmbio ou de paridade futura O produto O Contrato a Termo de Moedas possibilita a negociação de taxa de câmbio ou

Leia mais

Contratos Derivativos Futuro de Café Arábica 6/7. Contratos Derivativos

Contratos Derivativos Futuro de Café Arábica 6/7. Contratos Derivativos Contratos Derivativos Gestão eficiente contra risco de mercado garantindo o preço na entrega física. O produto O café é uma commodity mundialménté consumida é a produça o brasiléira, ja qué o país é um

Leia mais

Renda Fixa. Letra de Crédito Imobiliário

Renda Fixa. Letra de Crédito Imobiliário Renda Fixa Letra de Crédito Imobiliário Letra de Crédito Imobiliário Uma alternativa para diversificação de carteira de investimento O produto Letra de Crédito Imobiliário () é um título de crédito, lastreado

Leia mais

Renda Fixa. Letra de Crédito do Agronegócio

Renda Fixa. Letra de Crédito do Agronegócio Renda Fixa Letra de Crédito do Agronegócio Letra de Crédito do Agronegócio Diversifique sua carteira de investimentos e obtenha mais rentabilidade O produto Letra de Crédito do Agronegócio () é um título

Leia mais

Derivativos de Balcão. Opções Flexíveis

Derivativos de Balcão. Opções Flexíveis Derivativos de Balcão Opções Flexíveis Opções Flexíveis Proteção contra a volatilidade de preços O produto Opção flexível é um contrato em que o titular tem direito, mas não obrigação, de comprar (ou vender)

Leia mais

CONTRATOS DERIVATIVOS. Opções sobre Futuro BVMF de Standard & Poor s (S&P 500)

CONTRATOS DERIVATIVOS. Opções sobre Futuro BVMF de Standard & Poor s (S&P 500) CONTRATOS DERIVATIVOS Opções sobre Futuro BVMF de Standard & Poor s (S&P 500) Opções sobre Futuro de S&P 500 Diversifique o seu portfólio com derivativos que possuem exposição no mercado financeiro internacional

Leia mais

CONTRATOS DERIVATIVOS. Futuro BVMF de Standard & Poor s 500 (S&P 500)

CONTRATOS DERIVATIVOS. Futuro BVMF de Standard & Poor s 500 (S&P 500) CONTRATOS DERIVATIVOS Futuro BVMF de Standard & Poor s 500 (S&P 500) Futuro de S&P 500 Solução unificada para administração de risco ou alavancagem relativa a um portfólio diversificado de ações de primeira

Leia mais

Negociação de contratos futuros e de opções de milho na BVMF

Negociação de contratos futuros e de opções de milho na BVMF Negociação de contratos futuros e de opções de milho na BVMF Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Milho e Sorgo 11 de março de 2010 Agenda 1 Características do Mercado de Milho 2 Contratos Futuros e

Leia mais

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: MARÇO/2011 CEPEA - SOJA I - Análise Conjuntural II - Séries Estatísticas 1. Diferenciais de preços 2. Estimativa do valor das alternativas

Leia mais

Bolsa de Mercadorias & Futuros

Bolsa de Mercadorias & Futuros OPERAÇÕES EX-PIT Bolsa de Mercadorias & Futuros Apresentação Este folheto tem por objetivo apresentar aspectos técnicos e operacionais ligados aos negócios ex-pit. O que é a operação ex-pit, para que

Leia mais

CONTRATOS DERIVATIVOS. Futuro de Cupom de IGP-M

CONTRATOS DERIVATIVOS. Futuro de Cupom de IGP-M CONTRATOS DERIVATIVOS Futuro de Cupom de IGP-M Futuro de Cupom de IGP-M Um instrumento de proteção contra variações na taxa de juro real brasileira O produto O Contrato Futuro de Cupom de IGP-M oferece

Leia mais

CONTRATO FUTURO DE AÇÚCAR CRISTAL COM LIQUIDAÇÃO FINANCEIRA. Especificações

CONTRATO FUTURO DE AÇÚCAR CRISTAL COM LIQUIDAÇÃO FINANCEIRA. Especificações CONTRATO FUTURO DE AÇÚCAR CRISTAL COM LIQUIDAÇÃO FINANCEIRA Especificações 1. Definições Hedgers: Preço de ajuste (PA): PTAX: Taxa de câmbio referencial BM&FBOVESPA: Dia útil: comitentes que negociam o

Leia mais

TÍTULOS PÚBLICOS. Tesouro Direto

TÍTULOS PÚBLICOS. Tesouro Direto TÍTULOS PÚBLICOS Tesouro Direto Tesouro Direto Conheça esta alternativa de investimento em renda fixa. O produto O Tesouro Direto é uma alternativa de investimento em que o investidor sabe, no momento

Leia mais

Perguntas Freqüentes Operações em Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F)

Perguntas Freqüentes Operações em Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) 1. O que é contrato futuro? É um acordo entre duas partes, que obriga uma a vender e outra, a comprar a quantidade e o tipo estipulados de determinada commodity, pelo preço acordado, com liquidação do

Leia mais

FUTUROS DE SOJA E MILHO

FUTUROS DE SOJA E MILHO FUTUROS DE SOJA E MILHO Bolsa de Mercadorias & Futuros Apresentação Este folheto tem por objetivo apresentar aspectos técnicos e operacionais ligados aos mercados de soja e milho negociados na BM&F. O

Leia mais

Contratos Derivativos Opções sobre Dólar Comercial

Contratos Derivativos Opções sobre Dólar Comercial Opções Sobre Futuro de Milho Contratos Derivativos Derivativos que auxiliam no gerenciamento de risco e na criaça o de estrate gias de negociaça o do do lar comercial. O produto Os contratos de opções

Leia mais

Renda Fixa. Letra Financeira

Renda Fixa. Letra Financeira Renda Fixa Letra Financeira Captação de recursos no longo prazo com as melhores rentabilidades O produto A (LF) é um título de renda fixa, emitido por instituições financeiras com a finalidade de captar

Leia mais

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: ABRIL/2011 CEPEA - SOJA I - Análise Conjuntural II - Séries Estatísticas 1. Diferenciais de preços 2. Estimativa do valor das alternativas

Leia mais

Mercados Futuros (BM&F)

Mercados Futuros (BM&F) Neste segmento de mercado se negociam contratos e minicontratos futuros de ativos financeiros ou commodities. Ou seja, é a negociação de um produto que ainda não existe no mercado, por um preço predeterminado

Leia mais

Contratos Derivativos Futuro Míni de Dólar Comercial

Contratos Derivativos Futuro Míni de Dólar Comercial Opções Sobre Futuro de Milho Contratos Derivativos Proteção contra variações do dólar comercial em datas futuras. O produto O Contrato Futuro de Do lar Comercial e o segundo contrato derivativo mais negociado

Leia mais

Mercado de Opções Opções de Compra Aquisição

Mercado de Opções Opções de Compra Aquisição Mercado de Opções Opções de Compra Aquisição Ao comprar uma opção, o aplicador espera uma elevação do preço da ação, com a valorização do prêmio da opção. Veja o que você, como aplicador, pode fazer: Utilizar

Leia mais

RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO

RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO PANORAMA SEMANA DE 21 A 25 DE SETEMBRO de 2009 Semana de preço estável no mercado de Boi Gordo no Rio Grande do Sul, com o preço encerrando a semana a R$ 4,61/kg carcaça.

Leia mais

www.contratofuturo.com

www.contratofuturo.com www.contratofuturo.com www.contratofuturo.com História do Milho - Os primeiros registros do cultivo datam de 7.300 anos - Origem Americana: litoral do México - Nome, de origem indígena, significa "sustento

Leia mais

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: JULHO/2011 CEPEA - SOJA I - Análise Conjuntural II - Séries Estatísticas 1. Diferenciais de preços 2. Estimativa do valor das alternativas

Leia mais

INSPER INSTITUTO DE ENSINO E PESQUISA Certificate in Financial Management - CFM. Rafael Ribeiro Vinhal

INSPER INSTITUTO DE ENSINO E PESQUISA Certificate in Financial Management - CFM. Rafael Ribeiro Vinhal INSPER INSTITUTO DE ENSINO E PESQUISA Certificate in Financial Management - CFM Rafael Ribeiro Vinhal COFFEE EXPORT - HEDGE CAMBIAL VIA MERCADO FUTURO DE DÓLAR São Paulo 2012 Rafael Ribeiro Vinhal Coffee

Leia mais

METODOLOGIA DO INDICADOR DE PREÇOS DA SOJA ESALQ/BM&FBOVESPA

METODOLOGIA DO INDICADOR DE PREÇOS DA SOJA ESALQ/BM&FBOVESPA METODOLOGIA DO INDICADOR DE PREÇOS DA SOJA ESALQ/BM&FBOVESPA 1. OBJETIVO Descrever a Metodologia do Indicador de Preços da SOJA ESALQ/BM&FBOVESPA, produto comercializado no porto de Paranaguá na modalidade

Leia mais

Mercado a Termo e Futuro de Dólar: Estratégias de Hedge

Mercado a Termo e Futuro de Dólar: Estratégias de Hedge Mercado a Termo e Futuro de Dólar: Estratégias de Hedge 1 Hedge no Mercado a Termo No Brasil, são muito comuns as operações a termo real/dólar. Empresas importadoras, exportadoras, com dívidas ou ativos

Leia mais

www.contratofuturo.com

www.contratofuturo.com www.contratofuturo.com www.contratofuturo.com História Antes do dólar a moeda de referência internacional era a Libra Esterlina, pois a Inglaterra era a grande economia mundial. Somente após a segunda

Leia mais

Contratos Derivativos. Futuro de Milho

Contratos Derivativos. Futuro de Milho Contratos Derivativos Futuro Milho Futuro Milho Proteja o seu preço e administre os riscos da produção O produto O milho é usa pela indústria para produzir diversos produtos como óleo vegetal, farelo,

Leia mais

Renda Fixa Privada Notas Promissórias NP. Notas Promissórias - NP

Renda Fixa Privada Notas Promissórias NP. Notas Promissórias - NP Renda Fixa Privada Notas Promissórias - NP Uma alternativa para o financiamento do capital de giro das empresas O produto A Nota Promissória (NP), também conhecida como nota comercial ou commercial paper,

Leia mais

Bolsa de Mercadorias e Futuros

Bolsa de Mercadorias e Futuros Bolsa de Mercadorias e Futuros Mercado de Capitais Origens das Bolsas de mercadoria No Japão em 1730, surgiu o verdadeiro mercado futuro de arroz(que já era escritural), chamado chu-aí-mai, foi reconhecido

Leia mais

Renda Fixa Privada Certificado de Recebíveis do Agronegócio CRA. Certificado de Recebíveis do Agronegócio CRA

Renda Fixa Privada Certificado de Recebíveis do Agronegócio CRA. Certificado de Recebíveis do Agronegócio CRA Renda Fixa Privada Certificado de Recebíveis do Agronegócio CRA Certificado de Recebíveis do Agronegócio Instrumento de captação de recursos e de investimento no agronegócio O produto O Certificado de

Leia mais

SOJA COMENTÁRIO. Médias no Profitchart utilizando o after market. SUPORTE 1 $ 22,60 MARGEM: R$ 2.473,00. MÉDIAS 16 Exp. e 51 Exp SUPORTE 2 $ 22,00

SOJA COMENTÁRIO. Médias no Profitchart utilizando o after market. SUPORTE 1 $ 22,60 MARGEM: R$ 2.473,00. MÉDIAS 16 Exp. e 51 Exp SUPORTE 2 $ 22,00 SOJA GRÁFICO SOJA MAIO BM&F (SOJK10) Análise Gráfica - SOJA Médias Móveis - SOJA MÉDIAS NOVAS!!! Tempo 60 minutos. Médias no Profitchart utilizando o after market. SUPORTE 1 $ 22,60 MÉDIAS 16 Exp. e 51

Leia mais

Cotas de Fundos de Investimento em Participações - FIP

Cotas de Fundos de Investimento em Participações - FIP Renda Variável Cotas de Fundos de Investimento em Participações - Fundo de Investimento em Participações Investimento estratégico com foco no resultado provocado pelo desenvolvimento das companhias O produto

Leia mais

taxa de câmbio de reais por dólar dos Estados Unidos da

taxa de câmbio de reais por dólar dos Estados Unidos da Contrato Futuro de Boi Gordo com Liquidação Financeira Especificações 1. Definições Contrato: termos e regras específicos sob os quais os negócios serão realizados e liquidados. Day trade compra e venda,

Leia mais

METODOLOGIA DO INDICADOR DE PREÇOS DA SOJA ESALQ/BM&FBOVESPA

METODOLOGIA DO INDICADOR DE PREÇOS DA SOJA ESALQ/BM&FBOVESPA METODOLOGIA DO INDICADOR DE PREÇOS DA SOJA ESALQ/BM&FBOVESPA 1. OBJETIVO Descrever a Metodologia do Indicador de Preços da SOJA ESALQ/BM&FBOVESPA, produto comercializado no porto de Paranaguá nas modalidades

Leia mais

RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução.

RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução. Proibida a reprodução. A Planner oferece uma linha completa de produtos financeiros e nossa equipe de profissionais está preparada para explicar tudo o que você precisa saber para tomar suas decisões com

Leia mais

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução.

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução. Proibida a reprodução. A Planner oferece uma linha completa de produtos financeiros e nossa equipe de profissionais está preparada para explicar tudo o que você precisa saber para tomar suas decisões com

Leia mais

Cédula de Produto Rural -

Cédula de Produto Rural - Renda Fixa Cédula de Produto Rural - CPR Cédula do Produto Rural Comercialização de produtos do agronegócio com recebimento antecipado O produto A Cédula do Produtor Rural é um título de crédito lastreado

Leia mais

FUTURO E OPÇÕES DE CAFÉ ARÁBICA

FUTURO E OPÇÕES DE CAFÉ ARÁBICA FUTURO E OPÇÕES DE CAFÉ ARÁBICA Bolsa de Mercadorias & Futuros Apresentação Este folheto tem por objetivo apresentar aspectos técnicos e operacionais ligados aos mercados futuro e de opções de café arábica

Leia mais

O MERCADO FUTURO E SUAS APLICAÇÕES

O MERCADO FUTURO E SUAS APLICAÇÕES O MERCADO FUTURO E SUAS APLICAÇÕES MESA DE OPERAÇÕES BM&F "O único homem que nunca comete erros é aquele que nunca faz coisa alguma. Franklin Roosevelt 1 Prezado (a) Investidor (a), Esse texto foi elaborado

Leia mais

RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO PANORAMA. A informação é nossa, a decisão é sua! GR. Boi Gordo Mercado Físico RS Período Gráfico DIÁRIO

RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO PANORAMA. A informação é nossa, a decisão é sua! GR. Boi Gordo Mercado Físico RS Período Gráfico DIÁRIO PANORAMA RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO SEMANA DE 10 A 14 DE AGOSTO de 2009 Semana de nova estabilidade no preço do Boi Gordo no mercado físico do Rio Grande do Sul, fechando a semana em R$ 5,28/kg

Leia mais

Diretoria de Agronegócios

Diretoria de Agronegócios Proteção de Preços no Mercado Agropecuário Renato Barreto Riscos da atividade agropecuária Climáticos e/ou intempéries Preço Crédito... Mitigadores de Risco de Preço Risco: Oscilação nos preços das mercadorias

Leia mais

FUTUROS DE AÇÚCAR E ÁLCOOL

FUTUROS DE AÇÚCAR E ÁLCOOL FUTUROS DE AÇÚCAR E ÁLCOOL Bolsa de Mercadorias & Futuros Apresentação Este folheto tem por objetivo apresentar aspectos técnicos e operacionais ligados aos mercados futuros de açúcar e álcool negociados

Leia mais

CONJUNTURA ECONÔMICA

CONJUNTURA ECONÔMICA CONJUNTURA ECONÔMICA O mês de março de 2015 foi marcado pelo anúncio dos principais resultados da economia de 2014 e deste início de 2015. Dentre eles destacaramse o PIB, taxa de desemprego nas principais

Leia mais

GUIA SOBRE RISCOS DE RENDA VARIÁVEL V1. 04_2012

GUIA SOBRE RISCOS DE RENDA VARIÁVEL V1. 04_2012 AO FINAL DESTE GUIA TEREMOS VISTO: GUIA SOBRE RISCOS DE RENDA VARIÁVEL V1. 04_2012 O objetivo deste material é prestar ao investidor uma formação básica de conceitos e informações que possam auxiliá-lo

Leia mais

Proteção de Preços do Agronegócio

Proteção de Preços do Agronegócio Proteção de Preços do Agronegócio Derivativos: conceitos básicos Derivativos são instrumentos referenciados em outros ativos; O objetivo primordial é permitir a gestão de riscos a que estão submetidos

Leia mais

Tendências comerciais da pecuária de corte no cenário muncial

Tendências comerciais da pecuária de corte no cenário muncial Tendências comerciais da pecuária de corte no cenário muncial Ivan Wedekin Diretor de Produtos do Agronegócio e Energia ENIPEC Encontro Internacional dos Negócios da Pecuária 1 Brasil o gigante da pecuária

Leia mais

Valor ao par O valor de face uma ação ou título. No caso de ações, o valor ao par é, meramente, um registro contábil e não serve a outro propósito.

Valor ao par O valor de face uma ação ou título. No caso de ações, o valor ao par é, meramente, um registro contábil e não serve a outro propósito. Valor ao par O valor de face uma ação ou título. No caso de ações, o valor ao par é, meramente, um registro contábil e não serve a outro propósito. Valor da cota de um fundo de investimento É calculado

Leia mais

10.1DAS CARACTERÍSTICAS E DEFINIÇÕES DO MERCADO DE OPÇÕES. a) Ativo-objeto - o Ativo admitido à negociação na Bolsa, a que se refere a opção;

10.1DAS CARACTERÍSTICAS E DEFINIÇÕES DO MERCADO DE OPÇÕES. a) Ativo-objeto - o Ativo admitido à negociação na Bolsa, a que se refere a opção; 1 / 7 CAPÍTULO X DO MERCADO DE OPÇÕES 10.1DAS CARACTERÍSTICAS E DEFINIÇÕES DO MERCADO DE OPÇÕES 10.1.1 O mercado de opções compreende as operações relativas à negociação de direitos outorgados aos titulares

Leia mais

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: AGOSTO/2011 CEPEA - SOJA I - Análise Conjuntural II - Séries Estatísticas 1. Diferenciais de preços 2. Estimativa do valor das alternativas

Leia mais

COMO INVESTIR NO MERCADO A TERMO MERCADOS

COMO INVESTIR NO MERCADO A TERMO MERCADOS COMO INVESTIR NO MERCADO A TERMO MERCADOS Como Investir no Mercado a Termo 1 2 Como Investir no Mercado a Termo O que é? uma OPERAÇÃO A TERMO É a compra ou a venda, em mercado, de uma determinada quantidade

Leia mais

Futuros PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Futuros PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Futuros PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO ADVERTÊNCIA AO INVESTIDOR Risco de perda súbita total, superior ou parcial do capital investido Remuneração não garantida Existência de comissões Possibilidade de exigência

Leia mais

Introdução. Tipos de Futuros. O que são Futuros?

Introdução. Tipos de Futuros. O que são Futuros? Introdução O que são Futuros? São instrumentos financeiros derivados, negociados em bolsa, que obrigam ao seu comprador/vendedor comprar/vender uma determinada quantidade de um activo numa determinada

Leia mais

Renda Variável ETF de Ações. Renda Variável. ETF de Ações

Renda Variável ETF de Ações. Renda Variável. ETF de Ações Renda Variável O produto O, também conhecido como Exchange Traded Fund (ETF), é um fundo de índice, considerado investimento em renda variável. O produto representa uma comunhão de recursos destinados

Leia mais

Luciano de Souza Vacari Mercado Futuro Hedging e Opções Novembro/2006

Luciano de Souza Vacari Mercado Futuro Hedging e Opções Novembro/2006 Luciano de Souza Vacari Mercado Futuro Hedging e Opções Novembro/2006 O que é uma Bolsa de Futuros? Local organizado para administrar risco; Organização sem fins lucrativos; Dar visibilidade nos preços;

Leia mais

Cotas de Fundos de Investimento em Ações FIA

Cotas de Fundos de Investimento em Ações FIA Renda Variável Cotas de Fundos de Investimento em Ações FIA Cotas de Fundos de Investimento em Ações - FIA Mais uma alternativa na diversificação da carteira de investimento em ações O produto O Fundo

Leia mais

www.contratofuturo.com

www.contratofuturo.com www.contratofuturo.com www.contratofuturo.com O que é o Índice Futuro Para falar de índice futuro, primeiro precisamos falar do ÍNDICE no presente, que é o Ibovespa. O famoso índice que serve para medir

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DA BOLSA DE VALORES DE SÃO PAULO S.A. 1 / 6. Capítulo Revisão Data

MANUAL DE PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DA BOLSA DE VALORES DE SÃO PAULO S.A. 1 / 6. Capítulo Revisão Data DA BOLSA DE VALORES DE SÃO PAULO S.A. 1 / 6 CAPÍTULO X DO MERCADO DE OPÇÕES 10.1 CODIFICAÇÃO DAS SÉRIES A codificação utilizada no mercado de opções é composto de 5 letras (as 4 primeiras correspondem

Leia mais

COMPRAR E VENDER AÇÕES MERCADO A VISTA

COMPRAR E VENDER AÇÕES MERCADO A VISTA COMPRAR E VENDER AÇÕES MERCADO A VISTA ATENÇÃO Este texto não é uma recomendação de investimento. Para mais esclarecimentos, sugerimos a leitura de outros folhetos editados pela BOVESPA. Procure sua Corretora.

Leia mais

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução.

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução. Proibida a reprodução. A Planner oferece uma linha completa de produtos financeiros e nossa equipe de profissionais está preparada para explicar tudo o que você precisa saber para tomar suas decisões com

Leia mais

Especificações do Contrato Futuro de Boi Gordo Denominado em Reais

Especificações do Contrato Futuro de Boi Gordo Denominado em Reais Especificações do Contrato Futuro de Boi Gordo Denominado em Reais 1. Objeto de negociação Boi gordo acabado para abate. Tipo: bovinos machos, castrados, bem acabados (carcaça convexa), em pasto ou confinamento.

Leia mais

Contratos Derivativos Opções sobre Futuro de Soja Brasil

Contratos Derivativos Opções sobre Futuro de Soja Brasil Contratos Derivativos Opções sobre Futuro de Soja Brasil O produto Opções Sobre Futuro de Soja Brasil Proteja o seu preço e administre os riscos da produção A soja é amplamente utilizada como matéria-

Leia mais

Operações com derivativos (item 7 do edital BB)

Operações com derivativos (item 7 do edital BB) Operações com derivativos (item 7 do edital BB) Prof.Nelson Guerra set / 2012 INTRODUÇÃO Os preços gerais das mercadorias agrícolas, das taxas de juros e do câmbio têm-se mostrado altamente instável no

Leia mais

Gestão Tesouraria e Derivativos Prof. Cleber Rentroia MBA em Gestão Financeira Avançada

Gestão Tesouraria e Derivativos Prof. Cleber Rentroia MBA em Gestão Financeira Avançada 1. O direito de compra de um ativo, a qualquer tempo, pelo respectivo preço preestabelecido, caracteriza uma opção? a) Européia de venda b) Européia de compra c) Americana de venda d) Americana de compra

Leia mais

Derivativos Prática. Igor Forte Pedro Jonas

Derivativos Prática. Igor Forte Pedro Jonas Derivativos Prática Igor Forte Pedro Jonas Jul/2013 Mini-case 1 Hedge com DOL Dólar Usado para transferência de risco cambial em US$. Empresas importadoras exportadoras e/ou com ativos e passivos indexados

Leia mais

Derivativos Agropecuários Mercado Futuro

Derivativos Agropecuários Mercado Futuro 1 Índice 1. INTRODUÇÃO...Pág. 01 2. A BM&FBOVESPA...Pág. 01 3. CONCEITOS DE MERCADO À VISTA E MERCADOS DE DERIVATIVOS...Pág. 01 4. DIFERENÇA ENTRE MERCADO BALCÃO, ORGANIZADO, NÃO ORGANIZADO, E MERCADO

Leia mais

SUMÁRIO CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO...1 CAPÍTULO 2 CONCEITOS BÁSICOS DE MERCADOS FUTUROS..5 CAPÍTULO 3 MERCADO FUTURO DE DÓLAR COMERCIAL...

SUMÁRIO CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO...1 CAPÍTULO 2 CONCEITOS BÁSICOS DE MERCADOS FUTUROS..5 CAPÍTULO 3 MERCADO FUTURO DE DÓLAR COMERCIAL... SUMÁRIO CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO..................................1 CAPÍTULO 2 CONCEITOS BÁSICOS DE MERCADOS FUTUROS..5 2.1 Introdução...........................................5 2.2 Posições.............................................6

Leia mais

COMPRAR E VENDER AÇÕES MERCADO A VISTA

COMPRAR E VENDER AÇÕES MERCADO A VISTA COMPRAR E VENDER AÇÕES MERCADO A VISTA ATENÇÃO ESTE FOLHETO FAZ REFERÊNCIA AO PREGÃO À VIVA VOZ, FORMA DE NEGOCIAÇÃO UTILIZADA ATÉ 30/9/2005. A PARTIR DESSA DATA, TODAS AS OPERAÇÕES FORAM CENTRALIZADAS

Leia mais

Cotas de Fundos de Investimento Imobiliário - FII

Cotas de Fundos de Investimento Imobiliário - FII Renda Variável Cotas de Fundos de Investimento Imobiliário - FII Fundo de Investimento Imobiliário Aplicação no mercado imobiliário sem investir diretamente em imóveis O produto O Fundo de Investimento

Leia mais

NOTA TÉCNICA ALERTA PARA OS PRODUTORES DE SOJA

NOTA TÉCNICA ALERTA PARA OS PRODUTORES DE SOJA NOTA TÉCNICA ALERTA PARA OS PRODUTORES DE SOJA Ainda que o consumo de Soja continue crescendo com força, puxado principalmente pela China, as produções dos EUA e também do Brasil nos últimos dois anos

Leia mais

[CONFIDENCIAL] Aprenda com o SAGAZ. Primeiros passos para investir na Bolsa.

[CONFIDENCIAL] Aprenda com o SAGAZ. Primeiros passos para investir na Bolsa. 1 Aprenda com o SAGAZ Primeiros passos para investir na Bolsa. Está pensando em investir em ações e não sabe por onde começar? Fique tranqüilo, você está no lugar certo. Aqui você terá a melhor orientação

Leia mais

O que é e como funciona uma operação de swap

O que é e como funciona uma operação de swap O que é e como funciona uma operação de swap! O que é Swap! O que é Hedge! Mecanismo básico de funcionamento de uma operação de Swap Autores: Francisco Cavalcante(f_c_a@uol.com.br)! Administrador de Empresas

Leia mais

Soja: elevação dos preços da convencional/transgênica deve dificultar incremento da orgânica

Soja: elevação dos preços da convencional/transgênica deve dificultar incremento da orgânica Soja: elevação dos preços da convencional/transgênica deve dificultar incremento da orgânica Produção mundial deve recuar em 2007/08 Segundo o relatório de oferta e demanda divulgado pelo Usda em setembro

Leia mais

COMO INVESTIR NO MERCADO A TERMO MERCADOS

COMO INVESTIR NO MERCADO A TERMO MERCADOS COMO INVESTIR NO MERCADO A TERMO MERCADOS O que é? uma operação A TERMO É a compra ou a venda, em mercado, de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado,

Leia mais

www.contratofuturo.com

www.contratofuturo.com www.contratofuturo.com Boi - Mercado Mercado de Boi gordo - Brasil: * Maior exportador mundial, * Consumo interno: mais de 70%, * Maior rebanho comercial, * Perda de área para outras culturas. - Mundo:

Leia mais

Prazos e Riscos de Mercado

Prazos e Riscos de Mercado Prazos e Riscos de Mercado A Pilla Corretora oferece aos seus clientes uma gama completa de produtos e serviços financeiros. Nossa equipe de profissionais está qualificada para atender e explicar tudo

Leia mais

O QUE É HEDGE E COMO ELE FUNCIONA

O QUE É HEDGE E COMO ELE FUNCIONA O QUE É HEDGE E COMO ELE FUNCIONA! O que é hedge?! Como estar protegido de um eventual prejuízo de uma operação financeira da empresa no futuro?! Como podemos hedgear uma operação efetuada em dólar?! Como

Leia mais

Contrato de Opção Flexível de Compra sobre Índice de Taxa de Juro Spot Especificações

Contrato de Opção Flexível de Compra sobre Índice de Taxa de Juro Spot Especificações Contrato de Opção Flexível de Compra sobre Índice de Taxa de Juro Spot Especificações 1. Definições Contrato (especificações): termos e regras sob os quais as operações serão realizadas e liquidadas. Compra

Leia mais

MERCADO DE OPÇÕES - O QUE É E COMO FUNCIONA

MERCADO DE OPÇÕES - O QUE É E COMO FUNCIONA MERCADO DE OPÇÕES - O QUE É E Mercados Derivativos Conceitos básicos Termos de mercado As opções de compra Autores: Francisco Cavalcante (f_c_a@uol.com.br) Administrador de Empresas graduado pela EAESP/FGV.

Leia mais

Milho Período: 11 a 15/05/2015

Milho Período: 11 a 15/05/2015 Milho Período: 11 a 15/05/2015 Câmbio: Média da semana: U$ 1,00 = R$ 3,0203 Nota: A paridade de exportação refere-se ao valor/sc desestivado sobre rodas, o que é abaixo do valor FOB Paranaguá. *Os preços

Leia mais

OPERAÇÕES FINANCEIRAS DE CURTO PRAZO - PARTE II

OPERAÇÕES FINANCEIRAS DE CURTO PRAZO - PARTE II OPERAÇÕES FINANCEIRAS DE CURTO PRAZO - PARTE II COMO FUNCIONAM AS OPERAÇÕES EM MOEDA NACIONAL COM JUROS PÓS FIXADOS EM CDI? COMO FUNCIONAM AS OPERAÇÕES EM MOEDA ESTRANGEIRA? O QUE SÃO OPERAÇÕES DE ACC

Leia mais

Bom Dia Commodities. Commodities. 12 de Agosto, 2013. Café

Bom Dia Commodities. Commodities. 12 de Agosto, 2013. Café Bom Dia Café Semana positiva para o café. Finalmente saiu a medida que os produtores estavam esperando. A presidente Dilma anunciou que enxugará do mercado 3 milhões de sacas em março/14 a R$346,00/saca

Leia mais

MENU DE COMMODITIES SOJA MAIO (SOJK10) Soja fechou em leve baixa, trabalha na casa entre 21,50 e 21,80. JULHO 2009/ MAIO 2010 (N/K)

MENU DE COMMODITIES SOJA MAIO (SOJK10) Soja fechou em leve baixa, trabalha na casa entre 21,50 e 21,80. JULHO 2009/ MAIO 2010 (N/K) MENU DE COMMODITIES SOJA MAIO (SOJK10) SOJA MAIO (SOJK10) Médias no Profitchart utilizando o after market. Tempo 60 minutos MÉDIAS 12 SIMPLES E 23 SIMPLES TEMPO 60 MINUTOS SUPORTE 1 R$ 21,80 SITUAÇÃO VENDA

Leia mais

Milho Período: 19 a 23/10/2015

Milho Período: 19 a 23/10/2015 Milho Período: 19 a 23/10/2015 Nota: A paridade de exportação refere-se ao valor/sc desestivado sobre rodas, o que é abaixo do valor FOB Paranaguá. *Os preços médios semanais apresentados nas praças de

Leia mais

Conceitos básicos de negociação em Futuros

Conceitos básicos de negociação em Futuros Conceitos básicos de negociação em Futuros N.º 808 10 20 20 ApoioCliente@GoBulling.com www.bancocarregosa.com/gobulling www.facebook.com/gobulling Advertências Específicas ao Investidor: Pode implicar

Leia mais

GANHOS DO ETANOL HIDRATADO SUPERAM AÇÚCAR BRUTO EM NOVA YORK EM QUASE 10%

GANHOS DO ETANOL HIDRATADO SUPERAM AÇÚCAR BRUTO EM NOVA YORK EM QUASE 10% Boletim Semanal sobre Tendências de Mercados Ano XVII 0613/julho/2015 n. 583 GANHOS DO ETANOL HIDRATADO SUPERAM AÇÚCAR BRUTO EM NOVA YORK EM QUASE 10% O encerramento de junho foi marcado por mais um período

Leia mais

Commodities Agrícolas

Commodities Agrícolas Commodities Agrícolas quarta-feira, 18 de setembro de 2013 CAFÉ CAFÉ Bolsas Venc Ajuste Máx BM&F Mín Variação Venc Ajuste ICE FUTURES Máx Mín Variação SET13 133,50 0,00 0,00-4,85 SET13 111,05 114,75 111,10-3,75

Leia mais

Commodities Agrícolas

Commodities Agrícolas Commodities Agrícolas CAFÉ CAFÉ Bolsas BM&F ICE FUTURES Contrato Fechamento Máxima Mínimo Variação Contrato Fechamento Máxima Mínimo Variação SET13 136,80 136,50 135,80-1,80 SET 113,50 115,70 113,25-1,45

Leia mais

Mercado de Divisas e

Mercado de Divisas e Mercado de Divisas e Taxa de Câmbio Agentes do Mercado de Câmbio Taxa de Câmbio Nominal e Real Taxa de Câmbio Fixa e Flexível http://fernandonogueiracosta.wordpress.com/ Agentes do Mercado Cambial Todos

Leia mais

Manual para Modelagem Financeira Definição de Ano Safra

Manual para Modelagem Financeira Definição de Ano Safra Manual para Modelagem Financeira Definição de Ano Safra Muito embora os resultados financeiros da Companhia sejam divulgados no calendário de ano-civil (ex. o primeiro trimestre divulgado compreende o

Leia mais

Fundamentos de Mercado Futuro e de Opções no Agronegócio

Fundamentos de Mercado Futuro e de Opções no Agronegócio Fundamentos de Mercado Futuro e de Opções no Agronegócio Quais alternativas um produtor rural tem para diminuir os riscos de preços na hora de vender sua safra? Modelo tradicional: contato direto com o

Leia mais

Assunto: Derivativos Prof. Ms Keilla Lopes

Assunto: Derivativos Prof. Ms Keilla Lopes Assunto: Derivativos Prof. Ms Keilla Lopes Graduada em Administração pela UEFS Especialista em Gestão Empresarial pela UEFS Mestre em Administração pela UFBA Assunto: DERIVATIVOS Objetivos da aula: Conceito

Leia mais

5/3/2012. Derivativos. Prof. Dr. Bolivar Godinho de Oliveira Filho. Prof. Dr. Bolivar Godinho de Oliveira Filho

5/3/2012. Derivativos. Prof. Dr. Bolivar Godinho de Oliveira Filho. Prof. Dr. Bolivar Godinho de Oliveira Filho Derivativos Prof. Dr. Bolivar Godinho de Oliveira Filho 1 Prof. Dr. Bolivar Godinho de Oliveira Filho Currículo Economista com pós-graduação em Finanças pela FGV-SP, mestrado em Administração pela PUC-SP

Leia mais

Míni de Dólar WEBTRADING. É acessível. É descomplicado. É para você.

Míni de Dólar WEBTRADING. É acessível. É descomplicado. É para você. Míni de Dólar WEBTRADING É acessível. É descomplicado. É para você. FUTURO WEBTRADING EM UM CLIQUE O futuro em um clique Com apenas um clique, você pode negociar minicontratos. O acesso ao WTr é simples,

Leia mais

MERCADO DE OURO. Como investir no mercado a vista

MERCADO DE OURO. Como investir no mercado a vista MERCADO DE OURO Como investir no mercado a vista MERCADO DE OURO Como investir no mercado a vista 3 LIQUIDEZ INTERNACIONAL, DIVERSIFICAÇÃO DE INVESTIMENTO E RETORNO Ativo internacionalmente aceito, o

Leia mais