Modos Econômicos dos Sistemas de Refrigeração de Data Centers

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Modos Econômicos dos Sistemas de Refrigeração de Data Centers"

Transcrição

1 Modos Econômicos dos Sistemas de Refrigeração de Data Centers White Paper 132 Revisão 0 Por John Niemann John Bean Victor Avelar > Sumário Executivo Em determinados climas, alguns sistemas de refrigeração podem economizar mais de 70% dos gastos anuais de energia ao operar no modo econômico, o que corresponde a uma redução de mais de 15% na PUE por ano. No entanto, há pelo menos 17 tipos diferentes de modos econômicos com definições imprecisas, o que dificulta a comparação, escolha ou especificação entre eles. Este documento fornece a terminologia e as definições de vários tipos de modos econômicos e faz a comparação de seu desempenho em relação aos principais atributos do data center. Conteúdo clique em uma seção para ter acesso a ela Introdução 2 Finalidade e função dos modos econômicos Tipos de modo econômico 4 Comparação dos diferentes modos econômicos Fatores que afetam a operação de modo econômico Eliminação ou redução dos modos econômicos em sistemas de refrigeração Conclusão 20 Recursos 21 by Schneider Electric White Papers são parte da livraria de White papers Schneider Electric, produzidos pelo centro científico de data centers Schneider Electric

2 Introdução Os crescentes custos com energia e exigências para manter a consciência ecológica estão levando a uma maior necessidade de economizar energia. O potencial de economia de energia do modo econômico em determinados climas torna-o interessante para uso em ambientes de TI. Funcionar em modo econômico economiza energia ao utilizar o ar externo durante os meses mais frios do ano, o que permite desligar ou reduzir a capacidade dos componentes de refrigeração com base em elemento refrigerante, como es e compressores. Até pouco tempo, operar no modo econômico era considerado uma opção ou um modo secundário de operação, mas agora está se tornando uma exigência para atender às metas de eficiência definidas pelos operadores do data center e/ou padrões como o Padrão ANSI/ASHRAE , Padrão de Energia para edifícios, exceto edifícios residenciais com poucos andares. Os operadores de data center estão descobrindo que, em alguns climas, os sistemas de refrigeração podem operar principalmente em modo econômico, o que permite que os modos baseados em elementos refrigerantes (por exemplo, refrigeração mecânica) exerçam a função de modo secundário ou modo de backup de operação. Embora o conceito de modo econômico seja reconhecido em todo o setor de data centers, há pouca padronização da terminologia e suas definições, o que gera confusão. Uma importante origem de confusões está no uso do termo "econômico" para descrever um componente dentro de um sistema de refrigeração ou um subconjunto de um sistema de refrigeração. O termo "econômico" NÃO se refere a um objeto, e sim a um modo de operação. Link para a fonte White Paper 59 Os Diferentes Tipos de Equipamentos de Condicionamento de Ar para Ambientes de TI No nível mais alto, um sistema de refrigeração pode usar ar, água ou elemento refrigerante para transportar energia de calor de dentro do data center para o ambiente externo. Os termos "modo econômico do ar" e "modo econômico da água" são geralmente usados para descrever os sistemas de refrigeração com um modo econômico integrado. Com a falta de outras definições padronizadas, este documento propõe terminologias de definições para vários tipos de modo econômico que usa o ar ou a água para transportar a energia de calor para o ambiente externo. A operação de cada tipo de modo econômico é descrita, com seis tipos identificados como os que oferecem mais benefícios para os data centers. Esses seis tipos de modo econômico são então comparados considerando diversos atributos. Este documento considera que o leitor tenha um conhecimento básico sobre os vários tipos de sistema de eliminação de calor. Para um melhor entendimento dos componentes de refrigeração dos vários tipos de sistema de eliminação de calor, consulte o White Paper 59, Os Diferentes Tipos de Equipamentos de Condicionamento de Ar para Ambientes de TI. Finalidade e função dos modos econômicos Há muitos diferentes dispositivos e tecnologias de refrigeração usados para refrigerar os data centers. No entanto, todos esses sistemas usam um ou os quatro elementos básicos a seguir: Transporte de calor: ventiladores e/ou bombas, fluidos em movimento (como ar ou água), que movimentam energia de calor do data center para o ambiente externo. Troca de calor: bobinas ou respiradouros que transferem energia de calor de um fluxo de calor para outro. Em todos os casos, há uma troca de calor final para o ambiente externo. Compressor: sistema que usa elemento refrigerante de alta ou baixa pressão para forçar a energia de calor para fluxo "para cima" de uma área fria para uma área quente (ambiente externo no verão). O refrigerante de alta pressão comprimido está a uma temperatura muito mais alta do que a temperatura externa. Esse "aumento da temperatura" é que permite que o calor do data center vá para o ambiente externo. Schneider Electric Data Center Science Center White Paper 132 Rev 0 2

3 Assistência evaporativa: torres de refrigeração, filtros úmidos ou sprays que evaporam água para facilitar a transferência de calor para o ambiente externo. Um data center típico refrigerado com água usa TODOS os elementos acima para refrigerar o data center. O transporte de calor e o compressor consomem energia elétrica ao fornecer refrigeração, e a assistência evaporativa consome água. > Refrigeração livre Modos econômicos são, às vezes, chamados de "refrigeração livre". Embora o termo seja muito útil para descrever elementos de modo econômico em geral, é importante considerar o seguinte. Um modo econômico contorna parcial ou completamente um compressor em uma instalação de refrigeração. A maioria dos sistemas que usam modos econômicos gasta a maior parte do tempo em modo de desvio parcial, então, parte da energia de refrigeração é economizada, mas a refrigeração não é "livre". Além disso, mesmo quando um modo econômico opera com desvio total do compressor, há ainda uma quantidade significativa de energia usada no transporte de calor por meio dos ventiladores ou bombas e possivelmente em outras funções, como umidificação*. Mesmo nesse modo econômico total, a refrigeração não é "livre". * Em pelo menos um projeto, o chamado "puleiro", o transporte de calor leva vantagem sobre a convecção natural usando um design especial a fim de reduzir ou eliminar a necessidade de ventiladores de transporte de calor. O sistema de refrigeração deve ser projetado para funcionar sob condições de pior caso de carga total do data center e sob alta temperatura externa. A baixas cargas do data center e temperatura externa baixa, o sistema deve aplicar menos esforço para refrigerar o data center. Infelizmente, os vários dispositivos na instalação de refrigeração são subutilizados e não operam de forma eficiente sob essas condições. Para aumentar a eficiência sob essas condições, os dispositivos de refrigeração foram aprimorados de modo a incluir acionadores de velocidade variável, gradação e outras funções. Apesar disso, eles ainda exigem uma grande quantidade de energia. Os modos econômicos foram desenvolvidos para ajudar a reduzir a energia usada durante as condições favoráveis de carga leve do data center e temperaturas externas baixas. Em um modo econômico, a função do compressor é completamente ou parcialmente desviada, eliminando ou reduzindo o uso de energia. O compressor é usado para transferir o calor de dentro do data center para o ambiente externo quando a temperatura externa for maior do que a temperatura do data center. No entanto, quando a temperatura externa estiver suficientemente abaixo da temperatura do data center, o calor fluirá naturalmente para o lado externo sem a necessidade de "aumentar a temperatura" fornecida pelo compressor, assim, sua função não é necessária. Portanto, sob condições favoráveis, o compressor pode ser contornado, o que economiza uma grande quantidade de energia. Além disso, para sistemas que usam assistência evaporativa, essa função poderá também ser desativada ou contornada se as condições forem favoráveis, economizando água. Historicamente, implantar um modo econômico em um sistema de refrigeração de data center gerava gastos extras e complexidade, e só era justificado em situações com condições climáticas extremamente favoráveis, como em altas latitudes. No entanto, isso mudou, e os modos econômicos agora são considerados vantajosos na maioria dos locais, graças às seguintes razões: A operação do data center com cargas parciais aumenta o benefício dos modos econômicos e mais projetores reconhecem que os data centers gastam uma parte considerável de sua vida com carga leve. A tendência em direção à variação de potência dinâmica de equipamentos de TI amplificará esse efeito. A tendência em direção à operação de data centers a temperaturas mais altas de retorno do ar de TI exerce um efeito expressivo sobre à parcela de tempo que é possível usar em operações em modo econômico, especialmente em climas mais quentes. A maioria das novas implementações de modos econômicos pode agora operar em modo econômico "parcial", o que aumenta bastante a quantidade de energia economizada na maioria dos casos. As ferramentas disponíveis para quantificação da energia salva graças à implementação dos modos econômicos foram otimizadas e frequentemente preveem oportunidades significativas de economia com excelente ROI. A experiência real com os modos econômicos e a melhoria dos controles e sistemas de monitoramento tem aumentado a confiança de que esses modelos não afetam contrariamente a confiabilidade dos data centers. Esse é o conceito de um desvio da função do compressor que é essencial para todos os modos econômicos. O modo como esse desvio é alcançado (e os benefícios obtidos) depende do projeto da instalação de refrigeração, como explicado nas próximas seções. Schneider Electric Data Center Science Center White Paper 132 Rev 0 3

4 Tipos de modo econômico > Em série/em paralelo Os modos econômicos podem ser projetados e configurados por meio de uma das duas formas disponíveis: em série ou em paralelo. Em uma configuração em série, o componente que contorna o compressor (por exemplo, o trocador de calor de base e estrutura) é instalado em série com o compressor. Essa configuração permite o modo econômico parcial em que o trocador de calor "pré-resfria" o ar ou a água. Isso reduz a energia de calor total que o compressor deve recusar, economizando uma quantidade significativa de energia. Em uma configuração em paralelo, o componente que contorna a bomba de calor é instalado em paralelo com a bomba de calor. Essa configuração impede a operação em modo econômico parcial. Essa abordagem "tudo ou nada" falha em aproveitar as grandes economias de energia geradas ao operar em modo econômico parcial. Há 19 tipos fundamentais de modos econômicos, e desses modos, 15 podem ser realmente usados em um data center de produção (seis tipos que usam ar e nove tipos que usam água). Os outros quatro tipos que usam água não foram considerados, pois eles levam água do condensador diretamente para o data center, o que aumenta as chances de obstruções do equipamento. A Figura 1 organiza de forma lógica esses 15 tipos de modo econômico 1. Cada tipo é descrito com mais detalhes nas seções seguintes. Os modos destacados de amarelo serão analisados posteriormente neste documento. Para comparar de forma justa os diferentes modos econômicos, é importante incluir todos os componentes do sistema de refrigeração necessários para operar nesse modo. Por exemplo, às vezes, o trocador de calor de base e estrutura em uma instalação de refrigeração com água é confundido com o modo econômico, quando na verdade é somente um componente que permite que o sistema de refrigeração opere em modo econômico. Nesse caso, a torre de refrigeração, as bombas do condensador, as bombas de água refrigerada e unidades de condicionamento de ar (CRAH) da sala de computação são todos elementos necessários para que seja possível operar em modo econômico. É possível operar em modo econômico com a ausência de qualquer um desses dispositivos, mesmo nos dias mais frios. Esse é o motivo pelo qual, em geral, é errado referir ao termo "econômico" como um objeto em um data center e mais preciso referir-se a "modos econômicos" de uma operação do sistema de refrigeração. 1 CRACH (unidade de condicionamento do ar da sala de computação), CRAC (Ar-condicionado da sala de computação) Schneider Electric Data Center Science Center White Paper 132 Rev 0 4

5 Instalações de expansão direita refrigeradas por ar arcondicionado através de ar ambiente direto arcondicionado trocador de calor do ar arcondicionado através da roda de calor Sem assistência evaporativa Com assistência evaporativa Sem assistência evaporativa Com assistência evaporativa Sem assistência evaporativa Com assistência evaporativa Modos econômicos com base em ar Instalações de água fria Figura 1 Tipos de modo econômico trocador de calor embalado aseco embalado através do evaporativo compressor do sifão térmico interno do Em paralelo Série Em paralelo Série Em paralelo Série Resfriadores refrigerados por água Modos econômicos com base em água Resfriadores refrigerados por ar Instalações resfriadas por glicol compressor CRAC através de serpentina secundária Com aseco Com corporativo Os modos realçados em amarelo serão analisados posteriormente neste documento, uma vez que permitem a operação em modo econômico parcial e a refrigeração evaporativa. As seções a seguir descrevem cada tipo de modo econômico. Cada seção começa com uma lista de todos os componentes necessários para a operação em modo econômico (por exemplo, completamente operado por compressão mecânica de vapor). Todas as descrições consideram que o sistema de controle 2 é necessário. ar-condicionado através de ar ambiente direto Principais componentes: ventiladores, adufas, dampers, filtros (mantas úmidas e bomba, quando usadas com assistência Um modo econômico de ar ambiente (às vezes, chamado de ar direto) usa ventiladores e adufas para drenar uma determinada quantidade de ar frio externo através de filtros e, então levá-lo diretamente para dentro do data center quando as condições do ar externo estiverem dentro dos pontos estabelecidos, como ilustrado na Figura 2. As adufas e os 2 Sistema de controle refere-se aos componentes que regulam a operação de um sistema, como fechar uma válvula de água ou adufa de ar ao alcançar uma determinada temperatura externa. Schneider Electric Data Center Science Center White Paper 132 Rev 0 5

6 dampers também controlam a quantidade de ar quente de exaustão que é expelido para o ambiente externo e misturado novamente no ar de fornecimento do data center para manter os pontos definidos do ambiente. Embora o ar de fornecimento seja filtrado, isso não impede completamente que partículas finas, como fumaça e gases químicos, entrem no data center. Esse tipo de modo econômico pode também ser usado com assistência evaporativa onde o ar exterior também passa por um material de manta úmida antes de entrar no data center. Em regiões geográficas secas, a assistência evaporativa pode reduzir a temperatura do ar em até 19 C (35 F), o que resulta em horas adicionais do modo econômico. Esse éo mesmo efeito de refrigeração que acontece quando alguém sai do mar e sente a brisa marinha. Observe que usar a assistência evaporativa com esse tipo de modo econômico aumenta a umidade do data center, pois o ar ambiente trazido diretamente para o data center é transportado pelo meio evaporativo. A assistência evaporativa oferece mais benefícios em climas secos. Para climas mais úmidos, a assistência evaporativa deve ser avaliada com base no retorno do investimento (ROI). Esse tipo de modo econômico permite que a operação em modo econômico parcial seja usada. Figura 2 ar-condicionado modo de ar ambiente direto ar-condicionado trocador de calor do ar Principais componentes: ventiladores, trocador de calor da placa fixa de ar para ar (mantas úmidas e bomba, quando usadas com assistência evaporativo) Um desvio do ar-condicionado modo de troca de calor do ar (às vezes, chamado de ar indireto) usa ar externo para indiretamente resfriar o ar do data center quando as condições do ar externo estiverem dentro dos pontos estabelecidos. Esse modo usa ventiladores para soprar ar externo frio para uma série de placas ou tubos que, em troca, resfriam o ar quente do data center do outro lado das placas ou tubos, isolando completamente o ar do data center do ar externo (veja a Figura 3a). Esse tipo de modo econômico pode também ser usado com assistência evaporativa onde o lado externo das placas ou tubos são borrifados com água, que abaixa ainda mais a temperatura o ar externo e, consequentemente, o ar quente do data center. Diferentemente do modo econômico anterior, nesse caso, a assistência evaporativa não aumenta a umidade dentro do data center. A Figura 3b mostra uma ilustração de um trocador de calor de ar para ar com assistência evaporativa e um exemplo de um sistema completo de refrigeração com esse tipo de modo econômico. Esse tipo permite os modos econômicos parcial e completo. Figura 3a ar-condicionado modo do trocador de calor do ar Data Center TI TI Schneider Electric Data Center Science Center White Paper 132 Rev 0 6

7 Figura 3b Ilustração de um trocador de calor de ar para ar com assistência evaporativa (lado esquerdo) e um exemplo de um sistema completo de refrigeração com um desvio do ar-condicionado integrado modo de trocador de calor do ar (lado direito) ar-condicionado através da roda de calor Principais componentes: ventiladores, roda de calor (mantas úmidas e bomba, quando usadas com assistência Um desvio do ar-condicionado modo de roda de calor usa ventiladores para soprar o ar frio da parte externa através de um trocador de calor rotativo que preserva as condições de ar do secador do espaço do data center, como mostrado na Figura 4, juntamente com um exemplo de uma roda de calor. Rodas de calor dependem de um material especial que não permite que contaminantes poluam o ar do data center. Esse tipo de modo econômico pode também ser usado com assistência evaporativa onde o ar exterior é resfriado ao passar pelo material de uma manta úmida. Esse tipo permite os modos econômicos parcial e completo. Figura 4 ar-condicionado modo de roda de calor (lado esquerdo) e um exemplo de uma roda de calor (lado direito) Data center TI TI trocador de calor Principais componentes: torre de refrigeração, bombas, válvulas, trocador de calor de base e estrutura, CRAH Um desvio do modo econômico de troca de calor do ar usa água do condensador para indiretamente resfriar a água fria do data center quando as condições do ar externo estiverem dentro dos pontos estabelecidos. As bombas movem a água do condensador através de um trocador de calor de base e estrutura para resfriar a água fria usada nos CRAHs sem misturar os dois fluxos de água como mostrado na Figura 5. As válvulas desviam do permitindo que ele desligue dependendo da temperatura da água do condensador. Esse modo econômico permite a operação parcial quando o trocador de calor estiver funcionando em série com o. Embora não seja discutido neste Schneider Electric Data Center Science Center White Paper 132 Rev 0 7

8 documento, esse tipo de modo econômico também pode usar uma grande massa de água (por exemplo, um lago) como fonte de água fria. Bomba Data Center Figura 5 Chiller modo de trocador de calor Torre de refrigeração Bomba Trocador de Calor da Placa CRAH TI TI compressor do sifão térmico interno do Principais componentes: torre de refrigeração ou a seco, com sifão térmico, bombas, válvulas, CRAH Alguns es oferecem uma opção de modo econômico do sifão térmico que permite que o compressor seja desligado quando as condições do ar externo estiverem dentro dos pontos estabelecidos. Nesse modo, o atua como um simples trocador de calor. O princípio do sifão térmico faz com que o refrigerante quente movimente-se naturalmente em direção à serpentina do condensador frio onde é resfriado. O refrigerante quente então depende da gravidade ou de uma bomba para voltar para a serpentina do evaporador, onde resfria a água fria do data center. O refrigerante esquenta novamente e o ciclo recomeça. O sifão térmico elimina a necessidade do trocador de calor de base e estrutura do tipo anterior do modo econômico. No entanto, esse modo econômico não permite que o opere em modo econômico parcial porque o compressor deve permanecer desligado quando estiver funcionando no modo de sifão térmico. embalado a seco (ou evaporativo) Principais componentes: a seco, bombas, válvulas, CRAH (mantas úmidas e bomba, quando usadas com evaporativo) Um desvio do embalado modo econômico do a seco usa um trocador de calor conhecido como um a seco para resfriar diretamente a água fria do data center quando as condições do ar externo estiverem dentro dos pontos estabelecidos. As bombas movem a água do (geralmente uma mistura de glicol) através de um a seco, onde o ar exterior gelado resfria a água fria que abastece o CRAH, como mostrado na Figura 6a. As válvulas desviam do permitindo que ele desligue ou opere de forma mais eficiente dependendo da temperatura do ar externo. A operação em modo econômico parcial só é possível quando o trocador de calor estiver funcionando em série com o. Observe que o a seco e os controles na Figura 6a estão completamente integrados na solução do embalado. Essa é a solução considerada para esse tipo de modo econômico. Esse tipo de solução ocupa um espaço menor e proporciona uma operação em modo econômico significantemente mais previsível e eficiente em comparação ao conjunto em campo dos mesmos componentes. Um exemplo de uma solução do embalado com esse tipo de modo econômico, como mostrado na Figura 6b. Schneider Electric Data Center Science Center White Paper 132 Rev 0 8

9 Figura 6a embalado modo do a seco Figura 6b Exemplo de um embalado com a seco integrado Esse tipo de modo econômico também pode ser usado com assistência evaporativa onde o ar externo é ainda mais resfriado ao passar por um material de manta úmida ou um spray de água atomizada que reduz ainda mais a temperatura da água e aumenta o número de horas de operação em modo econômico. Isso exige que o a seco seja substituído por um evaporativo. compressor CRAC através de serpentina secundária Principais componentes: a seco, bombas, CRAC com serpentina secundária (mantas úmidas e bomba, quando usadas com evaporativo) Nesse tipo de modo econômico, a expansão direta (DX) de CRAC inclui uma segunda serpentina independente que usa a água do condensador durante a operação de modo econômico. Quando as condições do ar externo estiverem dentro dos pontos definidos especificados, a bomba movimentará a água do condensador a seco, onde o ar frio externo resfria a água do condensador que abastece a segunda serpentina no CRAC (Figura 7). Esse tipo de modo econômico permite a operação parcial e pode usar assistência evaporativa. Isso exige que o a seco seja substituído por um evaporativo. Observe que uma torre de refrigeração poderia também ser usada para resfriar a água do condensador, mas ela aumenta os requisitos de tratamento da água, portanto, não foi considerada para uso no data center. Figura 7 compressor CRAC modo de serpentina secundária Data Center Resfriador a seco Bomba TI TI CRAC Schneider Electric Data Center Science Center White Paper 132 Rev 0 9

10 Comparação dos diferentes modos econômicos Um modo econômico deve aproveitar de uma grande variedade de condições externas a fim de maximizar o número de horas em modo econômico e economizar energia. No entanto, em períodos de condições externas extremamente quentes, é necessário pelo menos depender parcialmente de um modo com base em refrigerante (por exemplo, refrigeração mecânica) para confiantemente manter as condições ambientais do data center enquanto economiza energia. Há dois atributos principais do modo econômico que ajudam nessa questão: 1. Operação do modo econômico parcial em que o compressor opera a uma carga reduzida 2. Assistência evaporativa Uma avaliação de alto nível de cada um dos 15 tipos de modo econômicos, mostrada na Figura 1, conclui que seis dos 15 tipos empregam esses dois atributos. A Mesa 1 compara esses seis tipos de modo econômico com vários atributos qualitativos descritos abaixo. As células azuis ilustram o melhor tipo de modo econômico para o atributo específico. A Mesa 2 compara esses seis tipos de modo econômico com vários atributos quantitativos descritos abaixo. Mesa 1 Comparação qualitativa entre tipos de modo econômico (as células azuis indicam o melhor desempenho para o atributo) Atributo do modo econômico Compatibilidade com a estrutura arcondicionado modo de ar ambiente direto Exige modificação da estrutura Modos econômicos com base em ar arcondicionado trocador de calor do ar Exige modificação da estrutura arcondicionado através da roda de calor do ar Exige modificação da estrutura Modos econômicos com base em água trocador de calor 3 Nenhum problema com a estrutura embalado evaporativo 3 Nenhum problema com a estrutura compressor CRAC através da serpentina secundária Nenhum problema com a estrutura Capacidade de readaptação Improvável para readaptação no sistema existente Improvável para readaptação no sistema existente Improvável para readaptação no sistema existente Prático se houver espaço disponível Prático se houver espaço disponível Exige troca da unidade CRAC Complexidade de controles Menos dispositivos para controlar Menos dispositivos para controlar Menos dispositivos para controlar Mais dispositivos para controlar Quantidade moderada de dispositivos para controlar Quantidade moderada de dispositivos para controlar Data center controle de umidade Dependente da umidade externa Independente da umidade externa Independente da umidade externa Independente da umidade externa Independente da umidade externa Independente da umidade externa Expectativa de vida anos para o trocador de calor anos para o trocador de calor anos para o trocador de calor anos para a placa do trocador de calor anos para o evaporativo anos para a unidade de refrigeração 3 Pressupõe que um trocador de calor esteja funcionando em série com o, o que permite uma operação em modo econômico parcial. Schneider Electric Data Center Science Center White Paper 132 Rev 0 10

11 Atributo do modo econômico Riscos de disponibilidade perda de água para refrigeração baixa qualidade da água supressão de incêndio arcondicionado modo de ar ambiente direto Altamente suscetível à qualidade do ar externo Desligamento necessário com supressão por agente limpo Modos econômicos com base em ar arcondicionado trocador de calor do ar Baixo risco de tempo de inatividade devido a perda de água. Sem riscos de baixa qualidade do ar ou supressão de incêndio arcondicionado através da roda de calor do ar Baixo risco de tempo de inatividade devido a perda de água. Sem riscos de baixa qualidade do ar ou supressão de incêndio Modos econômicos com base em água trocador de calor 3 Tempo de inatividade devido a perda de água de compensação para a torre de refrigeração embalado evaporativo 3 Sem tempo de inatividade devido a perda de água, baixa qualidade do ar ou supressão de incêndio compressor CRAC através da serpentina secundária Sem tempo de inatividade devido a perda de água, baixa qualidade do ar ou supressão de incêndio Espaço ocupado 0,41 pé 2 /kw 0,038 m 2 /kw 0,788 pé 2 /kw 0,073 m 2 /kw 1,72 pé 2 /kw 0,16 m 2 /kw 1,94 pé 2 /kw 0,18 m 2 /kw 3,34 pé 2 /kw 0,31 m 2 /kw 2,02 pé 2 /kw 0,19 m 2 /kw Necessidade de modo de refrigerante de backup Backup de tamanho completo em caso de baixa qualidade do ar externo Tamanho parcial para climas extremos Tamanho parcial para climas extremos Tamanho parcial para climas extremos Tamanho parcial para climas extremos Tamanho parcial para climas extremos Compatibilidade com a estrutura ar-condicionado ar ambiente direto, do trocador de calor do ar e da roda de calor do ar, todos exigem funcionamento por dutos de ar do equipamento de refrigeração externo para a sala de TI do data center. Em geral, isso exige que a estrutura seja especificamente criada com espaço para esse duto ou de forma que a sala de TI abrigue diretamente um local externo adequado para os equipamentos de refrigeração. Portanto, esses tipos de modos econômicos são geralmente difíceis de instalar em edifícios já existentes e edifícios com vários andares. Os modos econômicos que usam tubulações são mais flexíveis quanto às opções de instalação, pois os tubos de água transferem calor em um espaço físico muito menor que pode ser acomodado em espaços já existentes. Os sistemas de controle para sistemas de refrigeração pré-projetados padronizados com modo econômico integrado foram desenvolvidos junto com o hardware. Isso torna o sistema de controle inerentemente mais confiável do que os sistemas de controle personalizados desenvolvidos para instalações de sistema de controle exclusivas no campo. Capacidade de readaptação A meta típica em uma aplicação aprimorada é reutilizar o máximo possível da infraestrutura existente. É praticamente impossível melhorar um sistema de refrigeração tradicional com um desvio do ar-condicionado modo econômico de ar ambiente direto, já que a infraestrutura de refrigeração existente é incompatível (o sistema tradicional usa água enquanto o outro usa ar). Em um data center típico usando unidades CRAH ou CRAC, há basicamente três formas de aprimorar um modo econômico ao reutilizar equipamentos existentes. A primeira forma mais comum é adicionar um trocador de calor que desvia de um que utiliza água (por exemplo, desvio do modo econômico do trocador de calor). Isso normalmente exige a instalação de um trocador de calor de base e estrutura próximo ao e com controles associados e válvulas de desvio. O trocador de calor é muito menor do que um, então, geralmente há espaço suficiente para o trocador de calor na sala do já existente. A segunda forma é adicionar um trocador de calor que desvia de um que utiliza ar (por exemplo, o desvio do embalado modo econômico do Schneider Electric Data Center Science Center White Paper 132 Rev 0 11

12 evaporativo). Isso normalmente exige a instalação de um evaporativo próximo ao e com controles associados e válvulas de desvio. O espaço total do evaporativo pode ser muito maior do que o, dependendo do clima, então, é necessário espaço suficiente. A terceira forma é adicionar um trocador de calor que desvia de um compressor em um sistema DX que usa glicol (por exemplo, desvio do compressor CRAC modo econômico da segunda serpentina). Isso é muito mais difícil e impraticável, já que a segunda serpentina deve ser colocada dentro de um gabinete de unidade de refrigeração. Aprimorar esse tipo de sistema de refrigeração de forma realista exige a substituição de toda a unidade CRAC por uma que inclua uma segunda serpentina. Complexidade de controles A transição entre o modo econômico e o modo com base em refrigerante pode ser muito complicada e pode resultar em uma perda temporária de refrigeração durante o processo. Por fim, a confiabilidade dessa transição está nos controles. Os sistemas de controle para sistemas de refrigeração pré-projetados padronizados com modo econômico integrado foram desenvolvidos junto com o hardware. Isso torna o sistema de controle inerentemente mais confiável do que os sistemas de controle personalizados desenvolvidos para instalações de sistema de controle exclusivas no campo. O desvio do ar-condicionado trocador de calor do ar ou dos modos econômicos de roda de calor tem os sistemas de controle mais simples. O sistema de controle do modo econômico mais complexo é o desvio do trocador de calor devido àźzona neutra entre a baixa temperatura da água do condensador, exigida pelo trocador deźcalor de base e estrutura, e a temperatura mais alta da água do condensador, exigida pelo. Controle da umidade do data center Todos, exceto um tipo de modo econômico da Tabela 1, isolam o ar externo do ar interno do data center. A umidade do data center não é, portanto, afetada pelo modo econômico, mesmo quando o nível da umidade externa está alto. No entanto, o desvio do arcondicionado modo econômico do ar ambiente direto abastece o data center diretamente com ar externo, o que reduz substancialmente o número de horas em modo econômico em climas úmidos. Embora seja possível controlar a umidade, a energia extra usada pode compensar as economias de energia do modo econômico. Expectativa de vida Os sistemas de refrigeração que usam água para transportar energia de calor geralmente têm uma expectativa de vida menos do que aqueles que usam ar. Isso acontece devido a obstruções do fluxo da água na tubulação. O fator limitante para os sistemas de refrigeração que usam assistência evaporativa tende a ser as superfícies que ficam sujeitas à água. No geral, a expectativa de vida de qualquer sistema de refrigeração é substancialmente afetada pela quantidade de manutenção executada durante a vida útil. Schneider Electric Data Center Science Center White Paper 132 Rev 0 12

13 > Regulamentações e os modos econômicos Os modos econômicos foram tipicamente considerados uma opção em um projeto de data center. O cliente pode decidir se deseja incluir os recursos de modo econômico com base em sua própria visão dos custos e benefícios. No entanto, há uma tendência para que ocorra a regulamentação dos requisitos de desempenho mínimos para data centers novos, e esses requisitos podem exigir de forma explícita ou implícita a implementação de modos econômicos. A principal regulamentação que afeta essa questão é o Padrão ANSI/ASHRAE "Padrão de Energia para Edifícios, exceto Edifícios Residenciais com Poucos Andares". Esse padrão especifica os requisitos de desempenho mínimos para o desempenho de energia para edifícios e foi recentemente ampliado para incluir data centers. Embora a ASHRAE não constitua um órgão jurídico que aplica padrões, muitas autoridades regulatórias, incluindo o governo dos EUA e os códigos de construção locais adotaram esse padrão. Além disso, as organizações que definiram os requisitos para edifícios ecologicamente corretos, como o padrão LEED do US Green Building Council, adotaram o ASHRAE 90.1 como requisito mínimo para desempenho de energia. Para a maioria dos data centers que seguem as diretrizes da ASHRAE, o Padrão ASHRAE 90.1 define um sistema de refrigeração do data center padrão que é usado para estabelecer o requisito de desempenho mínimo. Esse padrão é um sistema de água resfriada típico com o modo econômico de "desvio do trocador de calor de fluido" como descrito anteriormente neste documento. Embora o 90.1 não determine que seja usado exatamente esse sistema, qualquer sistema usado em um data center deve atender ou superar o desempenho desse sistema padrão, o que exige um modo econômico. Isso sugere que quase todos os data center novos devem usar algum tipo de modo econômico. Riscos à disponibilidade Todos os tipos de modos econômicos estão sujeitos a ameaças externas, como furacões, tornados e terremotos. No entanto, há ameaças comuns que devem ser consideradas. Perda de água de refrigeração a perda de fornecimento de água municipal pode ocorrer devido a construções próximas ao data center, sejam desligamentos planejados ou não. Como os es de água fria tipicamente dependem totalmente das torres de refrigeração que operam continuamente, o modo econômico do trocador de calor é o mais suscetível. Essa ameaça é geralmente eliminada com a instalação de um tanque de armazenamento de água grande o suficiente para suportar uma falta de água de 24 horas ou mais. Uma ameaça de perda de refrigeração da assistência evaporativa de outros tipos de modo econômico é muito menos provável porque deve coincidir com condições externas de calor e secura. Os sistemas que também dependem da assistência evaporativa como meio de fornecer refrigeração por todo o ano estão também suscetíveis a uma perda da água de refrigeração. Isso pode solucionado ao instalar um sistema de fornecimento de água de backup, como descrito acima, ou ajustar o sistema de refrigeração mecânica para 100% da carga. Baixa qualidade do ar modos econômicos que abastecem o data center diretamente com ar externo podem representar uma ameaça aos equipamentos de TI. Alguns dos filtros de ar desses sistemas de refrigeração são eficientes na filtragem de partículas dentro da variedade mícron, como aquelas do tamanho de microorganismos. No entanto, sob a ameaça de cinza vulcânica, fumaça de algum incêndio nas proximidades ou areia trazida por tempestades, os modos econômicos de ar ambiente podem precisar ser trocados por refrigeração por refrigerante, já que os filtros seriam rapidamente obstruídos. Essa ameaça é geralmente reprimida pela instalação de um redundante capaz de suportar a carga de calor de todo o data center. Em modos econômicos que usam um meio úmido para assistência evaporativa, as mantas são vulneráveis ao acúmulo de particulados. Nesses casos, as mantas provavelmente precisarão ser substituídas depois do contato com essa ameaça. O padrão ASHRAE possui um white paper um livro com o assuntoparticulate and Gaseous Contamination in Datacom Environments (Contaminação por Elementos Particulados e Gasosos em Ambientes de Data Centers). Ambas as publicações fornecem detalhes sobre os modos e as falhas que podem ser causadas por contaminação por elementos gasosos e particulados, particularmente em aplicações do modo econômico de ar ambiente direto usado em áreas industriais. A publicação também fornece diretrizes para substâncias permitidas e condições operacionais para garantir uma operação livre de problemas. Supressão de incêndio dentro do data center os data centers que dependem de sistemas de supressão de incêndio com agentes limpos (por exemplo, FM200, INERGEN, ECARO-25) devem isolar o espaço do data center para manter a concentração adequada de agente limpo a fim de garantir a supressão de incêndio. Isso exige o fechamento de todos os dampers de ar e portas, o que representa problema para os modos econômicos que abastecem o data center diretamente com ar ambiente. Como acontece com a ameaça de baixa qualidade do ar, essa ameaça é eliminada ao garantir que o sistema mecânico seja capaz de lidar com 100% da carga de calor do data center. Espaço ocupado O espaço ocupado por diferentes sistemas de refrigeração é considerado para o espaço de todos os componentes, incluindo aqueles exigidos para o modo econômico e as unidades de refrigeração no data center. O espaço ocupado é normalizado para a capacidade nominal do data center (por exemplo, a capacidade máxima de TI que o data center suporta). O desvio Schneider Electric Data Center Science Center White Paper 132 Rev 0 13

14 do ar-condicionado sistema de refrigeração com ar ambiente direto ocupa o menor espaço. O espaço do desvio do ar-condicionado sistema de refrigeração de trocador de calor do ar é só um pouco maior devido à adição de um trocador de calor de ar para ar. O desvio do ar condicionado sistema de refrigeração de roda de calor ocupa o maior espaço de todos os "modos econômicos com base em ar" e é quase do mesmo tamanho de uma instalação de água fria com torre de refrigeração. Requisito para modo de refrigerante de backup Embora seja possível que um sistema de refrigeração não use um modo de refrigeração com base em refrigerante e dependa inteiramente de um modo econômico, ele aumenta o risco de tempos de inatividade e não é recomendado para data centers de produção alta disponibilidade. Além disso, muito poucos locais no mundo oferecem clima frio durante todo o ano. E esses que oferecem, ainda menos deles têm a acessibilidade necessária, linhas de fibra ótica, pool de trabalho e outros recursos necessários para operar um data center. Portanto, na maioria dos casos, um modo econômico precisará pelo menos de um modo de backup baseado em refrigerante parcialmente estabelecido para auxiliar nos dias mais quentes do ano. Quanto mais "transferências do trocador de calor" acontecerem em um modo econômico, mais provável será que um modo baseado em refrigerante totalmente estabelecido seja necessário. Por exemplo, um data center com um desvio do modo econômico do trocador de calor troca energia de calor em três pontos: no CRAH, no trocador de calor de base e estrutura e na torre de refrigeração. Para esse data center fornecer ar a 20 C (68 F) para os servidores a 100% da operação do modo econômico, a temperatura externa máxima de lâmpada úmida deve estar em cerca de 2 C (35 F) ou mais baixa durante o ano 4. Se a capacidade do for reduzida para 50%, a temperatura externa máxima de lâmpada úmida deve estar em cerca de 7 C (45 F) ou mais baixa durante o ano, o que ainda é muito baixo para um local de data center prático. Isso acontece porque esse tipo de modo econômico exige um totalmente estabelecido para um sistema mecânico de backup. O desvio do ar-condicionado modo econômico do ar ambiente direto não realiza trocas de calor, já que o ar externo é fornecido diretamente para o data center. Isso significa que ele pode operar durante todo o ano, em climas secos, com um sistema de refrigeração mecânica estabelecido parcialmente. No entanto, devido ao risco à qualidade do ar discutido acima e à necessidade de controle da umidade, é exigido um sistema mecânico estabelecido completamente. Embora o desvio do ar-condicionado modo econômico do trocador de calor do ar realize uma "troca de calor", ele impede que ocorram problemas de risco a qualidade do ar e controle de umidade, portanto, evita gastos de capital e operacionais de um sistema mecânico totalmente estabelecido. No futuro, quando máquinas virtuais permitirem que processos críticos sejam transferidos para outros data centers, será realista esperar que alguns data centers operem inteiramente em modo econômico sem backup de refrigerante. Espera-se que os limites de temperatura de entrada dos equipamentos de TI aumentem futuramente, tornando a operação em modo econômico em tempo integral ainda mais provável. 4 Pressupõe que o data center esteja 100% carregado com contenção de corredor quente, fornecimento de água fria a 14 C (57 F) Schneider Electric Data Center Science Center White Paper 132 Rev 0 14

15 Mesa 2 Comparação quantitativa entre os tipos de modo econômico Atributo do modo econômico Modos econômicos com base em ar arcondicionado modo de ar ambiente direto arcondicionado trocador de calor do ar arcondicionado através da roda de calor do ar Modos econômicos com base em água trocador de calor 5 embalado evaporativo 5 Os atributos a seguir são baseados em um data center de 1 MW a 50% da carga de TI, localizado em St. Louis, MO, EUA. Veja a barra lateral para todas as hipóteses Consumo de água 100 gal gal gal gal gal anual 379 L L L L L 6 Custo de capital de todo o sistema de refrigeração US$ 2,2/watt US$ 2,4/watt US$ 2,8/watt US$ 3,0/watt US$ 2,3/watt compressor CRAC através da serpentina secundária gal L US$ 2,0/watt Custo da manutenção anual de todo o 75% 75% 83% 100% 100% 92% sistema 7 Energia de refrigeração total 737, , , , , ,974 Horas por ano - modo econômico 5,723 7,074 5,990 4,705 5,301 4,918 completo Horas por ano - modo econômico parcial 0 1,686 2,770 3,604 1,773 3,800 PUE anual estimada > Economia da assistência evaporativa O custo dos es evaporativos e assistência evaporativa em geral inclui o custo material, uso da água e tratamento da água. Esses custos devem ser considerados ao decidir sobre um sistema de refrigeração do data center. A assistência evaporativa é mais eficaz em climas secos, como o clima de Las Vegas e Dubai. O custo de um evaporativo deve estar equilibrado com sua eficácia em climas mais úmidos. É possível gastar mais em refrigeração evaporativa do que é economizado em energia do sistema de refrigeração. Consumo de água anual Os modos econômicos usados com as torres de refrigeração estão sujeitos ao consumo máximo de água em comparação com alguns outros tipos de modo econômico devido à evaporação da água na torre de evaporação. Isso acontece porque o processo de evaporação ocorre continuamente durante o ano. As torres de refrigeração consomem aproximadamente 40 galões por minuto/1.000 toneladas da capacidade de refrigeração (151,4 litros por minuto) 8. O componente de assistência evaporativa dos outros modos econômicos consome muito menos água, já que só utiliza o processo de assistência evaporativa durante os períodos mais quentes do ano. Custo de capital de todo o sistema de refrigeração 5 Pressupõe que um trocador de calor esteja funcionando em série com o, o que permite uma operação em modo econômico parcial. 6 Consumo de água da torre de refrigeração estimado a partir da evaporação, direção da corrente e purga (desça a página) acessado em 23 de julho de O custo de manutenção é mostrado como uma porcentagem de um tradicional de base/sistema de refrigeração em torre. 8 Arthur A. Bell, Jr., Equações de HVAC, Dados e Regras Práticas (Nova York: McGraw-Hill, 2000), p. 243 Schneider Electric Data Center Science Center White Paper 132 Rev 0 15

16 > Hipóteses da Tabela 2 Capacidade do data center: kw (sem redundância) Localização: St. Louis, Missouri, EUA Carga total de TI: 500 kw Refrigeração por linha (modos econômicos com base em água) Teto suspenso (modos econômicos com base em ar) Contenção de ar quente (todos os modos) Ventiladores CRAH com velocidades variáveis Diferença de temperatura média entre os servidores: 13,9 C/25 F Temperatura de entrada média do rack: 24 C/75 F Ar de entrada máximo do servidor com 55% de umidade relativa Ponto de orvalho máximo: 10 C/60 F Razão do para o fluxo de TI: 120% Delta-T da água refrigerada no projeto: 6,7 C/12 F IPLV do COP do Resfriador*: 9 Temperatura mínima da água da torre: 4,4 C/40 F limitada pelo aquecedor de bacia para evitar o congelamento. Faixa de projeto de torre de resfriamento: 5,6 C/10 F O custo de capital inclui todos os materiais, trabalho de instalação, custos de projeto e todas as taxas associadas a todo o sistema de refrigeração em termos de dólar por watt da carga de TI. Por exemplo, em um modo econômico de "desvio do trocador de calor", o também é incluído no custo de capital. Na verdade, esse sistema de refrigeração tem o custo mais alto de capital de todos os outros sistemas devido ao custo agregado da torre de refrigeração, tubulação, bombas e sistema de controle personalizado. O projeto e a implementação desse sistema de controle representa um custo significante porque a maior parte dos componentes individuais, se não todos, vêm de diferentes fornecedores, o que exige codificações, testes, verificações e ajustes para garantir que todo o sistema de refrigeração é confiável e gere as economias esperadas. O custo de "ajustar" o sistema provavelmente prolonga o funcionamento por um ano ou mais. Essa análise tratou esses custos como um gasto de capital, mas eles também podem ser considerados um gasto operacional. O sistema de refrigeração com o desvio do embalado modo econômico do evaporativo custa aproximadamente 23% menos, já que ele não exige componentes de eliminação de calor fixos e grau de ajuste. No entanto, a PUE do data center geral é pior devido à eficiência mais baixa desse sistema. Custo da manutenção anual de todo o sistema de refrigeração O sistema do /torre de refrigeração é um sistema de refrigeração muito comum usado em data centers e serve como um bom elemento de comparação para outros custos de manutenção do sistema de refrigeração. Portanto, os custos de manutenção anual são mostrados na Tabela 2 como a porcentagem de um /sistema de refrigeração em torre. A manutenção anual inclui manutenção de todos os componentes do sistema de refrigeração para todos os modos de operação, incluindo o modo econômico. Por exemplo, em um modo econômico de desvio do trocador de calor, o também é incluído no custo de manutenção. Os sistemas de refrigeração com modos econômicos "com base em ar" têm um custo de manutenção mais baixo do que os outros modos econômicos que possuem mais componentes e são mais complexos. Energia de refrigeração total Esse é o total de energia consumido por ano por todo o sistema de refrigeração. O modo econômico com o custo de energia mais alto é o desvio do compressor CRAC através da segunda serpentina. Isso acontece principalmente devido à penalidade de ter sistemas de refrigeração distribuídos. O modo econômico com o consumo de energia mais baixo é o desvio do ar-condicionado trocador de calor do ar. O desvio do arcondicionado através da roda de calor do ar consome somente um pouco mais de energia. Também é útil fazer uma comparação entre o consumo de energia do modo econômico e um sistema de água fria/torre de refrigeração, já que ele é usado pela maioria dos data centers de 1 MW e maiores. O sistema de base considera a refrigeração do perímetro sem contenção, nenhuma modo econômico, temperatura de fornecimento de água fria de 7,2 C (45 F) 9 e ventiladores CRAH de velocidade constante. A partir dessa comparação, a Figura 8 compara os fatores de carga de refrigeração (CLF) 10 dos tipos de modo econômico com a instalação de água fria nas 11 cidades em que os data centers grandes estão comumente localizados. Os CLF são a parte da PUE dedicada ao sistema de refrigeração do data center. 9 Para modos econômicos que usam água fria, a temperatura de entrada de água fria deve ser maior do que nas instalações de água fria típicas. Definir a temperatura de entrada de água fria para C (50-59 F) aumenta significantemente o número de horas do modo econômico. 10 O Fator de Carga de Refrigeração (CLF) é a energia total consumida pelo sistema de refrigeração divida pela energia de carga de TI. A energia de carga de TI usada nesta análise foi 500 kw x horas/ano. Para mais informações sobre CLF, veja a página 7 do White Paper n 1, A Green Grid acessado em 21 de dezembro de Schneider Electric Data Center Science Center White Paper 132 Rev 0 16

17 Todos os modos econômicos possibilitaram economias de energia de refrigeração acima do sistema de refrigeração de base. O desvio do ar-condicionado modo do trocador de calor do ar fornece o consumo de energia de refrigeração mais baixo em quase todos os climas com uma média de kw/h. Isso representa uma economia de energia do sistema de refrigeração de 86% em comparação com o consumo médio de energia de refrigeração de base de kw/h. O desvio do ar-condicionado modo da roda de calor do ar também oferece bom desempenho. Figura 8 Os fatores de carga de refrigeração para modos econômicos comparados à base Cooling load factor CRACcompressorbypass via secondcoilw/ evap Air conditioner bypassvia directfreshairw/ evap Basline Packagedchillerbypass via evaporative cooler Chillerbypass via heat exchanger Air conditioner bypassvia airheat wheel w/ evap Air conditioner bypassvia airheatexchangerw/evap Cingapura Tóquio Nova York Moscou Londres Horas por ano modo econômico completo Essa é quantidade de horas por ano que cada tipo de modo econômico opera a 100% em modo econômico. Essa análise tem como base um data center de 1 MW a 50% da carga de TI, localizado em St. Louis, MO, EUA (o número de horas é altamente dependente da geografia). O desvio do ar-condicionado modo econômico do ar ambiente direto proporciona o menor número de horas do modo econômico completo devido à umidade e às condições de ponto de orvalho exigidas no data center. O desvio do ar-condicionado através do modo econômico do trocador de calor do ar fornece horas no modo econômico completo. Horas por ano modo econômico parcial A operação em modo econômico parcial ocorre quando o modo econômico sozinho é incapaz de resfriar o data center devido às condições externas e precisa de assistência do compressor. Esse é um atributo muito importante para qualquer modo econômico, já que muito poucos locais no mundo permitem a operação de 100% do tempo em modo econômico. Em alguns locais, as horas do modo econômico parcial são muito maiores do que as horas do modo econômico completo, o que resulta em mais economia de energia produzida pela operação parcial. O desvio do ar-condicionado modo econômico do ar ambiente direto proporciona o menor número de horas do modo econômico parcial devido às condições de umidade exigidas no data center. Schneider Electric Data Center Science Center White Paper 132 Rev 0 17

18 PUE anual estimada A Eficácia do Uso da Energia (PUE) é a proporção de energia total usada para todo o data center em comparação com o total de energia usada pelos equipamentos de TI. Essa estimativa anual tem como base uma infraestrutura e energia comum. O desvio do compressor CRAC modo econômico da segunda serpentina fornece a PUE anual mais alta (ou seja, pior) de 1,39. O desvio do ar-condicionado modo econômico do trocador de calor do ar fornece a PUE mais baixa de 1,25 em St. Louis. Ao considerar todos os climas na Figura 8, o desvio do ar-condicionado modo econômico do trocador de calor do ar fornece a PUE mais baixa em aproximadamente todos os climas com uma média de 1,34. Isso representa uma conta de energia 30% mais baixa para todo o data center comparado à PUE média (1,92) um sistema de base. Fatores que afetam a operação de modo econômico Há vários fatores que influenciam o número de horas do modo econômico disponível com um modo econômico particular. O fator dominante é a localização geográfica do data center. No entanto, o projeto e os pontos definidos do sistema de refrigeração do data center também exercem uma forte influência. Localização geográfica O uso de um modo econômico é completamente dependente da localização geográfica do data center. As condições sazonais do local definirão se usar um modo econômico é mesmo prático. A ASHRAE, o Laboratório Nacional de Energia Renovável (NREL) e a Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA) são apenas algumas fontes que fornecem dados sobre o clima para avaliação do número de horas do modo econômico disponíveis. Esses dados são geralmente chamados de "dados do depósito", já que os dados climáticos são armazenados em intervalos de temperatura. Ao usar os dados climáticos de um determinado local, o número de horas do modo econômico pode ser calculado. Pontos definidos do sistema de refrigeração Há essencialmente duas formas de aumentar as horas do modo econômico: 1) mover o data center para um clima mais frio e 2) aumentar a temperatura de entrada do servidor. A primeira opção é obviamente impraticável para os data centers existentes. A segunda opção é possível e está atualmente sendo implementada em data centers novos e já existentes. Na verdade, a versão 2008 do Padrão TC9.9 da ASHRAE aumentou a temperatura de entrada máxima do servidor (lâmpada seca) de 25 C (77 F) para 27 C (80,6 F). No entanto, o aumento da temperatura de entrada de TI depende de como os fluxos de ar frio e quente são separados. Link para a fonte White Paper 135 Impacto da Contenção em Corredores Quentes e Frios sobre a Temperatura e a Eficiência do Data Center Separação dos fluxos de ar quente e frio Os fluxos de ar quente e frio em data centers típicos tendem a se misturar significantemente devido a falha no layout do rack e às práticas de gerenciamento do ar. Se os pontos definidos de refrigeração são aumentados para 27 C (80,6 F) nesse cenário, até o momento em que o ar chegasse na entrada, a temperatura estaria perto dos 32 C (90 F). Isso acontece porque é comum ver pontos definidos do sistema de refrigeração significantemente abaixo da temperatura de entrada do servidor desejada. Para aumentar os pontos definidos do sistema de refrigeração e, portanto, as horas do modo econômico, os fluxos de ar quente e frio devem ser separados. Isso pode ser alcançado com sistemas de contenção de corredor frio ou de corredor quente. No entanto, a contenção de Schneider Electric Data Center Science Center White Paper 132 Rev 0 18

19 corredor quente resulta em substancialmente mais do modo econômico e, portanto, é sempre preferida para novos projetos. Esse tópico é discutido com mais detalhes no White Paper 135, Impacto da Contenção de Corredor Frio na Eficiência e Temperatura do Data Center. Qualquer data center que usa um modo econômico notará um grande ganho de eficiência quando for usado um sistema de contenção. Geralmente não é uma boa ideia investir em um modo econômico sem primeiro investir em um sistema de contenção. Eliminação ou redução dos modos econômicos em sistemas de refrigeração Historicamente, os modos econômicos foram vistos como um recurso de economia de energia adicional que complementa o sistema de refrigeração principal. A maioria dos projetos é criada para que o modo econômico possa ser desligado, e o data center possa funcionar em modo de refrigeração básico. No entanto, os projetos de data center são otimizados para que o modo econômico torne-se o modo de operação predominante, algumas novas possibilidades abrem caminho para melhorar mais os benefícios econômicos do data center: 1. Se um projeto permite o uso do modo econômico parcial mesmo sob condições do pior caso, como quando o sistema do compressor principal nunca é necessário para usar a carga completa do data center, então, existe a possibilidade de reduzir o tamanho do sistema do compressor principal, economizando e melhorando a eficiência. 2. Se um projeto permite o uso do modo econômico completo mesmo sob condições do pior caso, então é possível considerar a remoção completa do sistema do compressor principal e operar o data center sempre em modo econômico. 3. Se um projeto permite o uso do modo econômico completo, exceto por algumas condições do pior caso, então é possível considerar a substituição dos controles nos sistemas de TI para atender à carga de TI quando ocorrerem condições externas do pior caso, como quando o sistema do compressor principal pode ser eliminado. Tais controles podem limitar o desempenho do servidor com gerenciamento de energia agressivo ou ao mover as cargas de TI para um local diferente Link para a fonte White Paper 136 Módulos de refrigeração de ultra-alta eficiência para grandes data centers Implementar características de projeto que reduzem ou eliminam o uso de um sistema de compressor pode levar a sistemas de refrigeração de data center altamente eficientes. O White Paper 136, Módulos de refrigeração de ultra-alta eficiência para grandes data centers, discute uma nova abordagem para data centers de refrigeração que usa metade da energia dos métodos tradicionais e ainda fornece maior escalabilidade, disponibilidade e facilidade de manutenção. Schneider Electric Data Center Science Center White Paper 132 Rev 0 19

20 Conclusão No passado, os modos econômicos do sistema de refrigeração não foram considerados de forma séria na maioria dos data centers. Isso se deu amplamente devido ao custo mais baixo da eletricidade, temperaturas de entrada dos equipamentos de TI mais baixas e a ausência de regulamentações para emissão de carbono. Hoje, os padrões, como o Padrão ANSI/ASHRAE , e as regulamentações, como o Comitê de Redução de Carbono do Reino Unido, estão pressionando os data centers a reduzir o uso de energia. Certos modos econômicos são um meio eficaz de reduzir o uso de energia em muitos climas. Os operadores de data center estão descobrindo que, em alguns climas, os modos econômicos podem operar como sistema de refrigeração principal, permitindo que o sistema mecânico sirva como modo secundário ou de backup. Em determinados climas, alguns modos econômicos podem economizar mais de 70% dos gastos anuais de energia do sistema de refrigeração, o que corresponde a uma redução de mais de 15% na PUE por ano. No entanto, com pelo menos 15 tipos diferentes de modos econômicos com definições imprecisas, estabelecer uma terminologia para descrever esses modos é essencial para comparar, selecionar ou especificar modos econômicos. A terminologia e as definições propostas neste documento, juntamente com as comparações quantitativas de qualitativas dos diferentes tipos de modo econômico, ajudam os designers de data centers a tomar decisões melhores. Sobre os autores John Niemann é Gerente da Linha de Produtos de Fileira e Produtos de Refrigeração de Sistemas de Pequeno Porte da Schneider Electric, e é responsável pelo planejamento, suporte e marketing dessas linhas de produtos. John comanda a gestão de produtos de todos os produtos de refrigeração InRow da APC desde Ele tem 12 anos de experiência em climatização. Sua carreira começou no mercado de climatização comercial e industrial, onde se dedicou a sistemas personalizados de tratamento e refrigeração de ar, com experiência concentrada na recuperação de energia e filtragem para ambientes críticos. Sua experiência em climatização abrange engenharia de aplicações, desenvolvimento, gestão de produtos e vendas técnicas. John integra a ASHRAE e a The Green Grid, e é formado em engenharia mecânica pela Universidade de Washington em St. Louis, no Missouri. John Bean Jr. é o Diretor de Inovação para Soluções de Refrigeração de Rack na American Power Conversion pela Schneider Electric. Anteriormente, John era Gerente de Engenharia da World Wide para Soluções de Refrigeração na Schneider Electric, desenvolvendo várias novas plataformas de produtos e fundando instalações de engenharia e laboratório nos EUA e na Dinamarca. Antes de entrar para a APC, John era o Gerente de Engenharia de outras empresas envolvidas no desenvolvimento e fabricação de soluções de refrigeração de missão crítica. Victor Avelar é Analista Sênior de Pesquisa do Centro de Ciência de Data Centers da Schneider Electric. Ele é responsável pelas pesquisas de projeto e operações de data centers e dialoga com os clientes a respeito de avaliação de práticas de projeto para aumentar a disponibilidade e a eficiência de seus ambientes de data center. Victor é bacharel em engenharia mecânica pelo Instituto Politécnico Rensselaer, e obteve seu MBA pelo Babson College. Ele é membro da AFCOM e da Sociedade Americana de Qualidade. Schneider Electric Data Center Science Center White Paper 132 Rev 0 20

Como o Cabeamento Elevado Economiza Energia em Data Centers

Como o Cabeamento Elevado Economiza Energia em Data Centers Como o Cabeamento Elevado Economiza Energia em Data Centers White Paper 159 Revisão 0 Por Victor Avelar > Sumário Executivo O posicionamento de cabos de energia e de dados do data center em suportes para

Leia mais

Refrigeração de data centers completos com sistemas por corredor

Refrigeração de data centers completos com sistemas por corredor Refrigeração de data centers completos com sistemas por corredor White Paper 139 Revisão 0 Por Jim VanGilder e Wendy Torell > Sumário Executivo A refrigeração em linha está surgindo como uma solução de

Leia mais

Preparando a Infraestrutura Física de Data Centers de Recebimento para Consolidação

Preparando a Infraestrutura Física de Data Centers de Recebimento para Consolidação Preparando a Infraestrutura Física de Data Centers de Recebimento para Consolidação White Paper 175 Revisão 1 Por Neil Rasmussen > Sumário Executivo A consolidação de um ou mais data centers em um data

Leia mais

23/06/2010. Eficiência Energética: Regulamentação, Classificação e Conformidade Técnica. Roberto Lamberts

23/06/2010. Eficiência Energética: Regulamentação, Classificação e Conformidade Técnica. Roberto Lamberts Eficiência Energética: Regulamentação, Classificação e Conformidade Técnica Roberto Lamberts Oficina 09 junho de 2010 1 ETIQUETAGEM DE EDIFICAÇÕES Publicação: junho de 2009. EDIFÍCIOS ETIQUETADOS CETRAGUA

Leia mais

Para superar esses problemas, a metodologia de três partes a seguir está detalhada neste artigo: igualmente à DCiE

Para superar esses problemas, a metodologia de três partes a seguir está detalhada neste artigo: igualmente à DCiE Os benefícios de se determinar a eficiência da infraestrutura do data center como parte de um plano efetivo de gerenciamento de energia são amplamente reconhecidos. A métrica padrão PUE (Eficácia do Uso

Leia mais

Atlas Copco. Secadores de ar comprimido por refrigeração. FX1-16 60 Hz

Atlas Copco. Secadores de ar comprimido por refrigeração. FX1-16 60 Hz Atlas Copco Secadores de ar comprimido por refrigeração FX1-16 60 Hz Capacidade total, responsabilidade total A Atlas Copco fornece ar comprimido de qualidade para garantir uma excelente produtividade.

Leia mais

Determinando Capacidades de Energia, Refrigeração e Espaço ao Consolidar Data Centers

Determinando Capacidades de Energia, Refrigeração e Espaço ao Consolidar Data Centers Determinando Capacidades de Energia, Refrigeração e Espaço ao Consolidar Data Centers White Paper 177 Revisão 1 Por Wendy Torell e Patrick Donovan > Sumário Executivo Ao planejar a consolidação de vários

Leia mais

4 SISTEMAS E EQUIPAMENTOS DE CLIMATIZAÇÃO

4 SISTEMAS E EQUIPAMENTOS DE CLIMATIZAÇÃO 35 4 SISTEMAS E EQUIPAMENTOS DE CLIMATIZAÇÃO Em uma instalação de ar condicionado quando o circuito de refrigeração estiver desligado, teremos uma instalação de ventilação simples, onde são controlados

Leia mais

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Nível II

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Nível II Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Nível II Módulo IV Aula 01 1. Introdução Vamos estudar as torres de refrigeração que são muito utilizadas nas instalações de ar condicionado nos edifícios, na

Leia mais

Condensação. Ciclo de refrigeração

Condensação. Ciclo de refrigeração Condensação Ciclo de refrigeração Condensação Três fases: Fase 1 Dessuperaquecimento Redução da temperatura até a temp. de condensação Fase 2 Condensação Mudança de fase Fase 3 - Subresfriamento Redução

Leia mais

Diretrizes para a Especificação da Densidade de Potência do Data Center

Diretrizes para a Especificação da Densidade de Potência do Data Center Diretrizes para a Especificação da Densidade de Potência do Data Center White Paper 120 Revisão 1 Por Neil Rasmussen > Sumário Executivo Os métodos convencionais para especificar a densidade do data center

Leia mais

Implantação de Data Centers com Eficiência Energética

Implantação de Data Centers com Eficiência Energética Implantação de Data Centers com Eficiência Energética White Paper 114 Revisão 1 Por Neil Rasmussen > Sumário Executivo Os custos de utilização da energia elétrica passaram a ser uma fração crescente do

Leia mais

DRD. Secador de ar comprimido por refrigeração 5-6000 pcm

DRD. Secador de ar comprimido por refrigeração 5-6000 pcm DRD Secador de ar comprimido por refrigeração 5-6000 pcm DRD Secador de ar por refrigeração A importância do ar comprimido como um gerador de energia para os processos industriais modernos é largamente

Leia mais

14 ASPECTOS BÁSICOS PARA SELEÇÃO E ESPECIFICAÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE PROCESSO

14 ASPECTOS BÁSICOS PARA SELEÇÃO E ESPECIFICAÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE PROCESSO 14 ASPECTOS BÁSICOS PARA SELEÇÃO E ESPECIFICAÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE PROCESSO Há certos parâmetros que são desejados em todos os tipos de equipamentos de processo, como: FUNCIONALIDADE EFICÁCIA CONFIABILIDADE

Leia mais

Compressores de parafuso

Compressores de parafuso Construídos para toda a vida Compressores de parafuso SÉRIE SM Capacidade: 0.45 a 1.20 m³/min Pressão: 7.5 a 13 bar Compressor de parafusos rotativos Máxima Eficiência e Confiabilidade Há anos os consumidores

Leia mais

Implementação de data centers eficientes em termos de energia

Implementação de data centers eficientes em termos de energia Implementação de data centers eficientes em termos de energia Traduzido por Schneider Electric, Critical Power and Cooling Services Division - Brazil Relatório APC No. 114 Resumo executivo Os custos da

Leia mais

Sistemas de Condicionamento da Amostra para Análise de Gases

Sistemas de Condicionamento da Amostra para Análise de Gases Sistemas de Condicionamento da Amostra para Análise de Gases V1 O queéum Sistemade Condicionamento? O Que é um Sistema de Condicionamento? Amostra do Processo? Analisador Sistema de Condicionamento O sistema

Leia mais

Evaporadores. Ciclo de refrigeração

Evaporadores. Ciclo de refrigeração Evaporadores Ciclo de refrigeração Evaporadores Função Extrair calor do meio a ser resfriado (ar, água ou outra substância). Processo Mudança de estado do gás refrigerante, da fase líquida para a fase

Leia mais

Como escolher entre refrigeração perimetral, por corredor e por rack para data center

Como escolher entre refrigeração perimetral, por corredor e por rack para data center Como escolher entre refrigeração perimetral, por corredor e por rack para data center White Paper 130 Revisão 2 Por Kevin Dunlap e Neil Rasmussen > Sumário Executivo Os equipamentos de TI mais modernos

Leia mais

Soluções em Climatização para Data Center

Soluções em Climatização para Data Center Soluções em Climatização para Data Center Como a climatização pode contribuir na eficiência energética do Data Center Outubro 9, 2014 Universidade de Brasília (UnB) 1 Agenda Data Center: a importância

Leia mais

EDIFÍCIOS MAIS EFICIENTES

EDIFÍCIOS MAIS EFICIENTES UMA UMA BASE BASE FORTE FORTE PARA PARA EDIFÍCIOS MAIS EFICIENTES EDIFÍCIOS MAIS EFICIENTES UMA FUNDAÇÃO SÓLIDA A eficiência energética é o alicerce sobre a qual se constrói edifícios melhores, para hoje

Leia mais

EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM SISTEMAS E INSTALAÇÕES

EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM SISTEMAS E INSTALAÇÕES EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM SISTEMAS E INSTALAÇÕES PROF. RAMÓN SILVA Engenharia de Energia Dourados MS - 2013 2 Áreas de oportunidade para melhorar a eficiência na distribuição de frio Isolamento das tubulações

Leia mais

1 Introdução simulação numérica termoacumulação

1 Introdução simulação numérica termoacumulação 22 1 Introdução Atualmente o custo da energia é um dos fatores mais importantes no projeto, administração e manutenção de sistemas energéticos. Sendo assim, a economia de energia está recebendo maior atenção

Leia mais

Saiba mais sobre Condicionadores de AR.

Saiba mais sobre Condicionadores de AR. Saiba mais sobre Condicionadores de AR. O ar-condicionado está na vida das pessoas: em casa, no carro e no trabalho. Apesar de ser um alívio contra o calor, este equipamento pode ser um meio de disseminação

Leia mais

BOLETIM de ENGENHARIA Nº 001/15

BOLETIM de ENGENHARIA Nº 001/15 BOLETIM de ENGENHARIA Nº 001/15 Este boletim de engenharia busca apresentar informações importantes para conhecimento de SISTEMAS de RECUPERAÇÃO de ENERGIA TÉRMICA - ENERGY RECOVERY aplicados a CENTRAIS

Leia mais

Homologado pelos fabricantes de equipamentos

Homologado pelos fabricantes de equipamentos Homologado pelos fabricantes de equipamentos Confiabilidade e durabilidade são indispensáveis. A suspensão de uma sessão de radioterapia ou a perda de hélio em uma ressonância magnética precisam ser evitadas

Leia mais

CURSOS DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL CALENDÁRIO 2013

CURSOS DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL CALENDÁRIO 2013 S DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL CALENDÁRIO 2013 1 - Curso de Simulação de Edificações com o EnergyPlus (Edição 1) 8 e 9 de março 15 e 16 de março 5 e 6 de abril 19 e 20 de abril 2 - Curso de Psicrometria

Leia mais

Funcionamento de uma Torre de Resfriamento de Água

Funcionamento de uma Torre de Resfriamento de Água Funcionamento de uma Torre de Resfriamento de Água Giorgia Francine Cortinovis (EPUSP) Tah Wun Song (EPUSP) 1) Introdução Em muitos processos, há necessidade de remover carga térmica de um dado sistema

Leia mais

Chiller Industrial Quando confiabilidade faz a diferença

Chiller Industrial Quando confiabilidade faz a diferença Chiller Industrial Quando confiabilidade faz a diferença Produzidos com os melhores componentes disponíveis no mundo e projetados com foco em economia de energia e facilidade de operação e manutenção,

Leia mais

Gerenciamento inteligente de dados

Gerenciamento inteligente de dados Gerenciamento inteligente de dados Sanjeet Singh Grupo de produtos de armazenamento de dados da Dell ÍNDICE Índice RESUMO EXECUTIVO... 3 O GERENCIAMENTO DE DADOS DE HOJE... 3 VISÃO DA DELL: IDM... 4 OBJETIVOS

Leia mais

Secador de Ar por Refrigeração CPX. Produtos de Alta Performance. Desenvolvidos para você!

Secador de Ar por Refrigeração CPX. Produtos de Alta Performance. Desenvolvidos para você! Secador de Ar por Refrigeração CPX 2011 Produtos de Alta Performance. Desenvolvidos para você! Secador de Ar CPX 2. Condensados O ar comprimido produzido pelos compressores contém vapor de água que poderá

Leia mais

Hardware Básico. Refrigeração. Professor: Wanderson Dantas

Hardware Básico. Refrigeração. Professor: Wanderson Dantas Hardware Básico Refrigeração Professor: Wanderson Dantas Ventoinhas Ventoinhas são pequenos ventiladores que melhoram o fluxo de ar dentro do computador, trazendo ar frio para dentro do computador e removendo

Leia mais

Os modelos convencionais para estimar a eficiência elétrica em data centers são

Os modelos convencionais para estimar a eficiência elétrica em data centers são Resumo executivo Os modelos convencionais para estimar a eficiência elétrica em data centers são bem imprecisos em instalações no mundo real. As estimativas de perdas elétricas são feitas normalmente somando

Leia mais

Amboretto Skids. Soluções e manuseio de fluidos para indústria de óleo, gás, papel e água

Amboretto Skids. Soluções e manuseio de fluidos para indústria de óleo, gás, papel e água Soluções e manuseio de fluidos para indústria de óleo, gás, celulose e água 1 Disponível para Locação, Leasing e Cartão Amboretto Skids Soluções e manuseio de fluidos para indústria de óleo, gás, papel

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Modelo de Otimização de SAM Controle, otimize, cresça Em um mercado internacional em constante mudança, as empresas buscam oportunidades de ganhar vantagem competitiva

Leia mais

DC Modular Otimizado para consumo mínimo de água

DC Modular Otimizado para consumo mínimo de água DC Modular Otimizado para consumo mínimo de água A água aquecida que retorna do processo ingressa no DryCooler e ao sair é recolhida em um reservatório, sendo bombeada de volta ao processo já na temperatura

Leia mais

CPAS Climatizador Self Contained de Precisão

CPAS Climatizador Self Contained de Precisão CPAS Climatizador Self Contained de Precisão O Climatizador Self Contained de Precisão é uma unidade evaporadora que incorpora compressor, evaporador, ventilador e instrumentação de proteção e controle.

Leia mais

Inversores de Freqüência na Refrigeração Industrial

Inversores de Freqüência na Refrigeração Industrial ersores de Freqüência na Refrigeração Industrial Os inversores de freqüência possuem um vasto campo de aplicações dentro da área de refrigeração industrial. São utilizados nas bombas de pressurização,

Leia mais

inversores de frequência vacon para todas as necessidades de papel e celulose

inversores de frequência vacon para todas as necessidades de papel e celulose inversores de frequência vacon para todas as necessidades de papel e celulose 1 Depósito de madeira Pasta de celulose Descascador de madeira Picador Caldeira de biomassa Limpadores Refinadores Máquina

Leia mais

Aula 23 Trocadores de Calor

Aula 23 Trocadores de Calor Aula 23 Trocadores de Calor UFJF/Departamento de Engenharia de Produção e Mecânica Prof. Dr. Washington Orlando Irrazabal Bohorquez Definição: Trocadores de Calor Os equipamentos usados para implementar

Leia mais

DELL POWERVAULT SÉRIE MD ARMAZENAMENTO DE DADOS MODULAR ARMAZENAMENTO DE DADOS DELL POWERVAULT SÉRIE MD

DELL POWERVAULT SÉRIE MD ARMAZENAMENTO DE DADOS MODULAR ARMAZENAMENTO DE DADOS DELL POWERVAULT SÉRIE MD ARMAZENAMENTO DE DADOS MODULAR ARMAZENAMENTO DE DADOS DELL POWERVAULT SÉRIE MD Simplificação da TI O Dell série MD pode simplificar a TI, otimizando sua arquitetura de armazenamento de dados e garantindo

Leia mais

Customers. The core of our innovation. Alimentação & Transporte Secagem Dosagem Controle de Temperatura Refrigeração. Granulação

Customers. The core of our innovation. Alimentação & Transporte Secagem Dosagem Controle de Temperatura Refrigeração. Granulação PT Customers. The core of our innovation Alimentação & Transporte Secagem Dosagem Controle de Temperatura Refrigeração Granulação Tecnologias Piovan para Refrigeração: Chillers com compressores scroll

Leia mais

4ª aula Compressores (complemento) e Sistemas de Tratamento do Ar Comprimido

4ª aula Compressores (complemento) e Sistemas de Tratamento do Ar Comprimido 4ª aula Compressores (complemento) e Sistemas de Tratamento do Ar Comprimido 3ª Aula - complemento - Como especificar um compressor corretamente Ao se estabelecer o tamanho e nº de compressores, deve se

Leia mais

Opções Práticas para Implementação de Equipamentos de TI em Pequenos Data Centers

Opções Práticas para Implementação de Equipamentos de TI em Pequenos Data Centers Opções Práticas para Implementação de Equipamentos de TI em Pequenos Data Centers White Paper 174 Revisão 0 por Victor Avelar > Sumário executivo Pequenos data centers são geralmente desorganizados, inseguros,

Leia mais

Módulo I Segunda Lei da Termodinâmica e Ciclos

Módulo I Segunda Lei da Termodinâmica e Ciclos Módulo I Segunda Lei da Termodinâmica e Ciclos Limites da Primeira Lei No estudo da termodinâmica básica vimos que a energia deve ser conservar e que a Primeira Lei enuncia essa conservação. Porém, o cumprimento

Leia mais

Capítulo XII. Ares condicionados. Condicionamento de energia. parte II. Necessidade real de ar condicionado de precisão

Capítulo XII. Ares condicionados. Condicionamento de energia. parte II. Necessidade real de ar condicionado de precisão 18 Capítulo XII Ares condicionados parte II Por Luís Tossi, John Niemann e Carlos Illuminati * Quais as principais diferenças dos sistemas de refrigeração destinados à missão crítica, se compararmos aos

Leia mais

MODERNIZE SUA PLANTA FABRIL. Máquinas e equipamentos mais modernos são mais eficientes e consomem menos energia.

MODERNIZE SUA PLANTA FABRIL. Máquinas e equipamentos mais modernos são mais eficientes e consomem menos energia. 1 REALIZE UM DIAGNÓSTICO ENERGÉTICO para identificar todas as oportunidades existentes, avaliar a viabilidade, determinar as prioridades e montar um programa para sua implementação 2 MODERNIZE SUA PLANTA

Leia mais

Climatização eficiente com termoacumulação para produção abaixo de 10 TR. Por Carlos de Holanda, Fábio Cezar Beneduce, Rubens Herbster e Thiago Neves*

Climatização eficiente com termoacumulação para produção abaixo de 10 TR. Por Carlos de Holanda, Fábio Cezar Beneduce, Rubens Herbster e Thiago Neves* 46 Capítulo XII Climatização eficiente com termoacumulação para produção abaixo de 10 TR Por Carlos de Holanda, Fábio Cezar Beneduce, Rubens Herbster e Thiago Neves* Atualmente, o custo da energia elétrica

Leia mais

Custo Total de Exploração para Centro de Dados e Infraestrutura

Custo Total de Exploração para Centro de Dados e Infraestrutura Custo Total de Exploração para Centro de Dados e Infraestrutura White Paper #6 Revisão 2 Resumo Nesta comunicação é descrito um método melhorado para medir o Custo Total de Exploração (TCO) da infraestrutura

Leia mais

Impacto da Contenção em Corredores Quentes e Frios sobre a Temperatura e a Eficiência do Data Center

Impacto da Contenção em Corredores Quentes e Frios sobre a Temperatura e a Eficiência do Data Center Impacto da Contenção em Corredores Quentes e Frios sobre a Temperatura e a Eficiência do Data Center White Paper 135 Revisão 2 Por John Niemann, Kevin Brown e Victor Avelar > Sumário Executivo Tanto a

Leia mais

Otimização do Gerenciamento de Datacenters com o Microsoft System Center

Otimização do Gerenciamento de Datacenters com o Microsoft System Center Otimização do Gerenciamento de Datacenters com o Microsoft System Center Aviso de Isenção de Responsabilidade e Direitos Autorais As informações contidas neste documento representam a visão atual da Microsoft

Leia mais

Engenharia Gerencial. A cogeração como alternativa aos desafios energéticos

Engenharia Gerencial. A cogeração como alternativa aos desafios energéticos A cogeração como alternativa aos desafios energéticos A visão corrente de que o Brasil possui um dos maiores parques de energia hidrelétrica do mundo, nos afasta de uma realidade um pouco distante disto.

Leia mais

MERCOFRIO 2000 CONGRESSO DE AR CONDICIONADO, REFRIGERAÇÃO, AQUECIMENTO E VENTILAÇÃO DO MERCOSUL

MERCOFRIO 2000 CONGRESSO DE AR CONDICIONADO, REFRIGERAÇÃO, AQUECIMENTO E VENTILAÇÃO DO MERCOSUL MERCOFRIO 2000 CONGRESSO DE AR CONDICIONADO, REFRIGERAÇÃO, AQUECIMENTO E VENTILAÇÃO DO MERCOSUL ANÁLISE COMPARATIVA DAS TAXAS TRANSFERÊNCIA DE CALOR EM SISTEMAS DE CLIMATIZAÇÃO DO TIPO VOLUME DE AR CONSTANTE

Leia mais

Cálculo da necessidade total de potência para centros de dados

Cálculo da necessidade total de potência para centros de dados Cálculo da necessidade total de potência para centros de dados Por Victor Avelar Relatório APC N 3 Revisão 1 Resumo executivo Parte do projeto e planejamento de um Data Center consiste em alinhar as necessidades

Leia mais

PROJETOS DEMONSTRATIVOS DE CONTENÇÃO DE VAZAMENTOS DE HCFCs EM SUPERMERCADOS

PROJETOS DEMONSTRATIVOS DE CONTENÇÃO DE VAZAMENTOS DE HCFCs EM SUPERMERCADOS PROJETOS DEMONSTRATIVOS DE CONTENÇÃO DE VAZAMENTOS DE HCFCs EM SUPERMERCADOS EDITAL DE MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE 1. CONTEXTO Na 64ª Reunião do Comitê Executivo do Fundo Multilateral para Implementação

Leia mais

RECUPERAÇÃO DE CALOR. em processos industriais. Uso do calor residual Economia em energia primária Proteção do meio ambiente Redução de custos

RECUPERAÇÃO DE CALOR. em processos industriais. Uso do calor residual Economia em energia primária Proteção do meio ambiente Redução de custos RECUPERAÇÃO DE CALOR em processos industriais Uso do calor residual Economia em energia primária Proteção do meio ambiente Redução de custos A RECUPERAÇÃO DO CALOR ECONOMIZA ENERGIA PRIMÁRIA Em várias

Leia mais

13 TUBULAÇÕES DE REFRIGERANTE

13 TUBULAÇÕES DE REFRIGERANTE 167 13 TUBULAÇÕES DE REFRIGERANTE As tubulações de refrigerante representam uma parte essencial no sistema de refrigeração, pois requer as mesmas considerações gerais de projeto que qualquer sistema de

Leia mais

Ar de Alta Qualidade, da Geração à Utilização

Ar de Alta Qualidade, da Geração à Utilização Ar de Alta Qualidade, da Geração à Utilização A qualidade do ar em um sistema de ar comprimido tem variações e todas elas estão contempladas no leque de opções de produtos que a hb ar comprimido oferece.

Leia mais

Nota Técnica Entendendo o custo total de propriedade de um sistema de aplicação e de impressão de etiquetas

Nota Técnica Entendendo o custo total de propriedade de um sistema de aplicação e de impressão de etiquetas Nota Técnica Entendendo o custo total de propriedade de um sistema de aplicação e de impressão de etiquetas Uma visão informativa sobre os custos de longo prazo de um sistema LPA O investimento em um sistema

Leia mais

Modo econômico: Benefícios e riscos dos modos de economia de energia da Operação com No-Breaks

Modo econômico: Benefícios e riscos dos modos de economia de energia da Operação com No-Breaks Modo econômico: Benefícios e riscos dos modos de economia de energia da Operação com No-Breaks White Paper 157 Revisão 0 Por Neil Rasmussen > Sumário Executivo Muitos novos sistemas de UPS (no-break) têm

Leia mais

Eficiência operacional no setor público. Dez recomendações para cortar custos

Eficiência operacional no setor público. Dez recomendações para cortar custos Eficiência operacional no setor público Dez recomendações para cortar custos 2 de 8 Introdução Com grandes cortes no orçamento e uma pressão reguladora cada vez maior, o setor público agora precisa aumentar

Leia mais

PLAYBOOK. Criando uma Infraestrutura de TI que se Adapta ao Seu Negócio

PLAYBOOK. Criando uma Infraestrutura de TI que se Adapta ao Seu Negócio PLAYBOOK P A R A M U D A N Ç A Criando uma Infraestrutura de TI que se Adapta ao Seu Negócio Durante décadas, os data centers foram sobre provisionados de duas à três vezes em uma tentativa de planejar

Leia mais

CAPÍTULO II. 2.1. Ar Condicionado, refrigeração e refrigerante utilizado.

CAPÍTULO II. 2.1. Ar Condicionado, refrigeração e refrigerante utilizado. CAPÍTULO II 2 Ar condicionado automotivo. 2.1. Ar Condicionado, refrigeração e refrigerante utilizado. O condicionamento do ar é o processo que regula, artificialmente, a temperatura, o fluxo de ar, a

Leia mais

OBJETIVOS: CARGA HORÁRIA MÍNIMA CRONOGRAMA:

OBJETIVOS: CARGA HORÁRIA MÍNIMA CRONOGRAMA: ESTUDO DIRIGIDO COMPONENTE CURRICULAR: Controle de Processos e Instrumentação PROFESSOR: Dorival Rosa Brito ESTUDO DIRIGIDO: Métodos de Determinação de Parâmetros de Processos APRESENTAÇÃO: O rápido desenvolvimento

Leia mais

Sistemas de Armazenamento

Sistemas de Armazenamento M. Sc. isacfernando@gmail.com Especialização em Administração de Banco de Dados ESTÁCIO FIR Tipo de Não importa quanta memória seu smartphone tenha, ele nunca terá o bastante para guardar todas as suas

Leia mais

Compressores de Ar de Parafusos Rotativos Lubrificados

Compressores de Ar de Parafusos Rotativos Lubrificados Compressores de Ar de Parafusos Rotativos Lubrificados Séries-R 55-75 kw/75-100 hp Compressores Rotativos 3 Um Novo Nível de Confiabilidade, Eficiência e Produtividade Os compressores de ar de parafuso

Leia mais

Eficiência na transferência de calor de processos industriais

Eficiência na transferência de calor de processos industriais 58 Capítulo V Eficiência na transferência de calor de processos industriais Por Oswaldo de Siqueira Bueno* Nas edições anteriores, foram abordadas as perspectivas de economia de energia com a eficiência

Leia mais

Soluções para produção de Oxigênio Medicinal

Soluções para produção de Oxigênio Medicinal Soluções para produção de Oxigênio Medicinal Page1 O propósito da BHP é de fornecer ao hospital uma usina de oxigênio dúplex e enchimento de cilindros para tornar o hospital totalmente independente do

Leia mais

Afinal de contas, as decisões mais importantes de Minas Gerais merecem ser tomadas no melhor clima.

Afinal de contas, as decisões mais importantes de Minas Gerais merecem ser tomadas no melhor clima. A TUMA Desde 1971 no segmento de engenharia térmica e ar condicionado, a TUMA desenvolve projetos com alto nível técnico, visando atender as particularidades de cada cliente e atingir um elevado nível

Leia mais

Equipamentos que realizam a troca de calor entre dois fluidos que estão a diferentes temperaturas e separados através de uma parede sólida

Equipamentos que realizam a troca de calor entre dois fluidos que estão a diferentes temperaturas e separados através de uma parede sólida Trocadores de calor Equipamentos que realizam a troca de calor entre dois fluidos que estão a diferentes temperaturas e separados através de uma parede sólida Os fluidos podem ser ambos fluidos de processo

Leia mais

AVALIAÇÃO DAS EMISSÕES DE HCFC-22 DOS SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO COMERCIAL EM SUPERMERCADOS

AVALIAÇÃO DAS EMISSÕES DE HCFC-22 DOS SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO COMERCIAL EM SUPERMERCADOS AVALIAÇÃO DAS EMISSÕES DE HCFC-22 DOS SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO COMERCIAL EM SUPERMERCADOS Eng. Eduardo Linzmayer RESUMO Avaliação e levantamento das emissões de fluidos nos sistemas de refrigeração; Importância

Leia mais

A psicrometria é a parte da termodinâmica que tem por objetivo o estudo das propriedade do ar úmido.

A psicrometria é a parte da termodinâmica que tem por objetivo o estudo das propriedade do ar úmido. 16 3 PSICROMETRIA A psicrometria é a parte da termodinâmica que tem por objetivo o estudo das propriedade do ar úmido. 3.1 CARTA PSICROMÉTRICA É um ábaco que permite representar graficamente as evoluções

Leia mais

ANEXO XVII PLANO DE MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS E EDIFICAÇÕES

ANEXO XVII PLANO DE MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS E EDIFICAÇÕES ANEXO XVII PLANO DE MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS E EDIFICAÇÕES Complexo Esportivo de Deodoro Edital 1.10 1. Instalações Hidráulicas e Sanitárias Os serviços de manutenção de instalações hidráulicas e sanitárias,

Leia mais

TORRE DE. Engenharia mecânica. Adriano Beraldo Daniel Alves Danilo Di Lazzaro Diogenes Fernandes Paulo Berbel

TORRE DE. Engenharia mecânica. Adriano Beraldo Daniel Alves Danilo Di Lazzaro Diogenes Fernandes Paulo Berbel TORRE DE RESFRIAMENTO Engenharia mecânica Adriano Beraldo Daniel Alves Danilo Di Lazzaro Diogenes Fernandes Paulo Berbel FIGURA 01: Introdução São equipamentos utilizados para o resfriamento e reaproveitamento

Leia mais

Compressores a parafuso

Compressores a parafuso Construídos para toda a vida Compressores a parafuso Série CSD Capacidade: 5.50 a 16.10 m³/min Pressão: 7.5 a 13 bar Compressor de parafusos rotativos Máxima Eficiência e Confiabilidade Há anos os clientes

Leia mais

GERENCIAMENTO CENTRALIZADO DELL POWERVAULT DL 2000 BASEADO EM TECNOLOGIA SYMANTEC

GERENCIAMENTO CENTRALIZADO DELL POWERVAULT DL 2000 BASEADO EM TECNOLOGIA SYMANTEC GERENCIAMENTO CENTRALIZADO DELL POWERVAULT DL 2000 BASEADO EM TECNOLOGIA SYMANTEC RESUMO EXECUTIVO O PowerVault DL2000, baseado na tecnologia Symantec Backup Exec, oferece a única solução de backup em

Leia mais

Sistema de vácuo ICE Condensation Körting. para aplicações em óleo comestível

Sistema de vácuo ICE Condensation Körting. para aplicações em óleo comestível Sistema de vácuo ICE Condensation Körting para aplicações em óleo comestível Sistema de vácuo ICE Condensation No mercado de hoje em dia, o sistema de vácuo ICE Condensation Körting faz sentido! Como todos

Leia mais

ASHRAE Annual Conference 2011

ASHRAE Annual Conference 2011 ASHRAE Annual Conference 2011 Definição A ASHRAE Annual Conference é um evento criado pela American Society of Heating, Refrigerating and Air-Conditioning Engineers (sociedade americana dos engenheiros

Leia mais

Em que diferem os sistemas de refrigeração de missão crítica dos condicionadores de ar comuns e por quê. White Paper N 56

Em que diferem os sistemas de refrigeração de missão crítica dos condicionadores de ar comuns e por quê. White Paper N 56 Em que diferem os sistemas de refrigeração de missão crítica dos condicionadores de ar comuns e por quê White Paper N 56 Resumo executivo As salas de TI de hoje requerem ambientes estáveis e precisos para

Leia mais

Estratégias de Instalação de Servidores Blade em Data Centers

Estratégias de Instalação de Servidores Blade em Data Centers Estratégias de Instalação de Servidores Blade em Data Centers Por Neil Rasmussen Relatório interno N 125 Resumo Executivo Os servidores blade funcionam às densidades de potência mais altas que as capacidades

Leia mais

Armazenamento de energia

Armazenamento de energia Universidade do Vale do Rio dos Sinos UNISINOS Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mecânica 3 º. trimestre, 2015 A energia solar é uma fonte de energia dependente do tempo. As necessidades de energia

Leia mais

Ar Condicionado Central VRF Ar de Confiança

Ar Condicionado Central VRF Ar de Confiança Impression TM Ar Condicionado Central VRF Ar de Confiança Impression Ar condicionado Central VRF Perfil do Produto A linha de produtos Impression é um novo conceito de condicionador de ar inteligente VRF

Leia mais

Dicas da Eletrobras Procel para economizar energia elétrica em residências e condomínios

Dicas da Eletrobras Procel para economizar energia elétrica em residências e condomínios Dicas da Eletrobras Procel para economizar energia elétrica em residências e condomínios Utilizar a energia elétrica com eficiência significa combater desperdícios, e todos nós devemos participar ativamente

Leia mais

USO DE ENERGIA LIMPA NA INDÚSTRIA. Sugestão de tema a ser estudado, transformado em curso ou disciplina e disseminado no meio acadêmico técnico.

USO DE ENERGIA LIMPA NA INDÚSTRIA. Sugestão de tema a ser estudado, transformado em curso ou disciplina e disseminado no meio acadêmico técnico. USO DE ENERGIA LIMPA NA INDÚSTRIA Sugestão de tema a ser estudado, transformado em curso ou disciplina e disseminado no meio acadêmico técnico. Justificativa: A desmobilização de Carbono que demorou centenas

Leia mais

GROUP PEDREIRA S PROJECTO IN AIR CONDITIONING SERVICE

GROUP PEDREIRA S PROJECTO IN AIR CONDITIONING SERVICE Serviços de Instalação - VRV e VRF O ar condicionado está se tornando rapidamente a tecnologia favoreceu para fornecer aquecimento e soluções para escritórios, comércio e lazer de refrigeração. Ele está

Leia mais

Condicionamento de Ar

Condicionamento de Ar Condicionamento de Ar Instituto Federal de Brasília Sumário Introdução Tipos de Condicionadores de ar Vantagens e desvantagens Introdução Refrigeração por Compressão de Vapor Introdução Refrigeração por

Leia mais

Ar Condicionado. Tipos de aparelhos

Ar Condicionado. Tipos de aparelhos Ar Condicionado As pessoas passam, porventura, até cerca de 90 % das suas vidas nos espaços confinados, seja nas suas residências, no trabalho, nos transportes ou mesmo em espaços comerciais. A questão

Leia mais

TANQUES DE ARMAZENAMENTO E AQUECIMENTO DE ASFALTO E COMBUSTÍVEL

TANQUES DE ARMAZENAMENTO E AQUECIMENTO DE ASFALTO E COMBUSTÍVEL TANQUES DE ARMAZENAMENTO E AQUECIMENTO DE ASFALTO E COMBUSTÍVEL TANQUES DE ARMAZENAMENTO E AQUECIMENTO DE ASFALTO E COMBUSTÍVEL A ampla linha de tanques de armazenamento e aquecimento de asfalto da Terex

Leia mais

Aperfeiçoando o desempenho da pulverização com Dinâmica de fluidos computacional. Bicos Automação Análise Técnica. Sistemas

Aperfeiçoando o desempenho da pulverização com Dinâmica de fluidos computacional. Bicos Automação Análise Técnica. Sistemas Aperfeiçoando o desempenho da pulverização com Dinâmica de fluidos computacional Bicos Automação Análise Técnica Sistemas Dinâmica de fluidos computacional (DFC) DCF é uma ciência da previsão: Vazão do

Leia mais

Institui o Programa Estadual de Redução e Racionalização do Uso de Energia e dá providências correlatas

Institui o Programa Estadual de Redução e Racionalização do Uso de Energia e dá providências correlatas Decreto Estadual nº 45.765, de 4 de maio de 2001 Institui o Programa Estadual de Redução e Racionalização do Uso de Energia e dá providências correlatas GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO,

Leia mais

Oilon ChillHeat. Desempenho otimizado na refrigeração e aquecimento

Oilon ChillHeat. Desempenho otimizado na refrigeração e aquecimento Oilon ChillHeat Desempenho otimizado na refrigeração e aquecimento As bombas de calor oferecem energia econômica e ecologicamente correta Calor residual de baixa temperatura contém energia valiosa A indústria

Leia mais

AR CONDICIONADO E CO-GERAÇÃO DE ENERGIA

AR CONDICIONADO E CO-GERAÇÃO DE ENERGIA 1 SEMINÁRIO DE ENGENHARIA DE ENERGIA PUC-MINAS - 20 de Abril de 2007 AR CONDICIONADO E CO-GERAÇÃO DE ENERGIA Marco Tulio Starling de Vasconcellos marcotulio@tuma.com.br - Tel: (31) 2111-0053 www.tuma.com.br

Leia mais

8º CONGRESSO IBEROAMERICANO DE ENGENHARIA MECANICA Cusco, 23 a 25 de Outubro de 2007

8º CONGRESSO IBEROAMERICANO DE ENGENHARIA MECANICA Cusco, 23 a 25 de Outubro de 2007 8º CONGRESSO IBEROAMERICANO DE ENGENHARIA MECANICA Cusco, 23 a 25 de Outubro de 2007 ESTUDO COMPARATIVO DO DESEMPENHO DE CÂMARAS DE RESFRIAMENTO DE ALIMENTOS COM O MOTOR ELÉTRICO DO VENTILADOR DO CONDENSADOR

Leia mais

UM OLHAR SOBRE O COMPRESSOR NOS CONSULTÓRIOS E CLÍNICAS ODONTOLÓGICAS

UM OLHAR SOBRE O COMPRESSOR NOS CONSULTÓRIOS E CLÍNICAS ODONTOLÓGICAS UM OLHAR SOBRE O COMPRESSOR NOS CONSULTÓRIOS E CLÍNICAS ODONTOLÓGICAS NAS INSPEÇÕES DE CONSULTÓRIOS E CLÍNICAS ODONTOLÓGICAS ATÉ RECENTEMENTE NÃO ERA DADA A DEVIDA ATENÇÃO AO COMPRESSOR - TIPO - LOCAL

Leia mais

Módulo VIII - 1ª Lei da Termodinâmica Aplicada a Volume de Controle: Regime Permanente, Dispositivos de Engenharia com Escoamento e Regime Transiente.

Módulo VIII - 1ª Lei da Termodinâmica Aplicada a Volume de Controle: Regime Permanente, Dispositivos de Engenharia com Escoamento e Regime Transiente. Módulo VIII - 1ª Lei da Termodinâmica Aplicada a Volume de Controle: Regime Permanente, Dispositivos de Engenharia com Escoamento e Regime Transiente. Bocais e Difusores São normalmente utilizados em motores

Leia mais

Guia de Soluções EcoWin Soluções Ecológicas

Guia de Soluções EcoWin Soluções Ecológicas Guia de Soluções Problemas & Soluções Este manual técnico traz exemplos de situações que surgiram durante a instalação e operação dos sistemas URIMAT no país ou no exterior nos últimos anos. A seguir,

Leia mais

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil Gabriela Ferreira da Silva Companhia Paulista de Força e Luz gabrielaf@cpfl.com.br Eficiência

Leia mais

Motores Térmicos. 9º Semestre 5º ano

Motores Térmicos. 9º Semestre 5º ano Motores Térmicos 9º Semestre 5º ano 19 Sistema de Refrigeração - Tópicos Introdução Meios refrigerantes Tipos de Sistemas de Refrigeração Sistema de refrigeração a ar Sistema de refrigeração a água Anticongelantes

Leia mais

FINAL HONEYWELL.indd 3 07/07/13 18:02

FINAL HONEYWELL.indd 3 07/07/13 18:02 C l i m a t i z a d o r e s FINAL HONEYWELL.indd 3 07/07/13 18:02 Como um Climatizador fu Resfriamento Eficiência Su O climatizador é um modo natural de resfriar o ambiente, assim como uma brisa de cachoeira.

Leia mais

Tubos OmegaBond Tecnologia Avançada

Tubos OmegaBond Tecnologia Avançada Aumento de produtividade em plantas de uréia através aumento de capacidade e melhoria de confiabilidade quanto a resistência a corrosão COMO A NOVA TECNOLOGIA AJUDA OS FABRICANTES A AUMENTAR A LUCRATIVIDADE

Leia mais