LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE"

Transcrição

1 MUITOS DOS PROBLEMAS MAIS CRÍTICOS NÃO ESTÃO NO MUNDO DAS COISAS, MAS NO MUNDO DAS PESSOAS. DESENVOLVIMENTO: APTIDÕES TÉCNICAS >>> HABILIDADES SOCIAIS CIÊNCIAS BEM SUCEDIDAS X CIÊNCIAS MAL SUCEDIDAS. - - MUDANÇA: - CONHECIMENTO - ATITUDE INTERNA - COMPORTAMENTO INDIVIDUAL - COMPORTAMENTO DE GRUPO D I F I C U L D A D E + + T E M P O O ADMINISTRADOR, PARA SER EFICAZ, PRECISA TER CONHECIMENTO DOS ASPECTOS TÉCNICOS, MAS TAMBÉM DAS HABILIDADES HUMANAS. ADMINISTRAÇÃO: - TRABALHAR COM E POR MEIO DE PESSOAS E GRUPOS PARA ALCANÇAR OBJETIVOS ORGANIZACIONAIS. - ADMINISTRAR = ALCANÇAR OBJETIVOS ORGANIZACIONAIS POR MEIO DE LIDERANÇA. - ADMINISTRAÇÃO É UM TIPO ESPECIAL DE LIDERANÇA. - LIDERANÇA: INFLUENCIAR O COMPORTAMENTO DE UM INDIVÍDUO OU GRUPO. PROCESSO DE ADMINISTRAÇÃO PLANEJAR - ESTABELECER METAS E OBJETIVOS PARA A ORGANIZAÇÃO E DESENVOLVER PLANOS DE TRABALHO PARA INDICAR COMO ALCANÇÁ-LOS. ORGANIZAR - INTEGRAR RECURSOS HUMANOS, FINANCEIROS E TÉCNICOS, PARA OTIMIZAR A CONSECUÇÃO DAS METAS. MOTIVAR - DETERMINA O NÍVEL DE DESEMPENHO DOS FUNCIONÁRIOS. - EXTREMAMENTE IMPORTANTE NA ADMINISTRAÇÃO. - TRABALHADORES DESMOTIVADOS: % DA CAPACIDADE. - TRABALHADORES MOTIVADOS: % DA CAPACIDADE. CONTROLAR - ACOMPANHAR RESULTADOS E COMPARAR COM AS METAS, FAZENDO AJUSTES.

2 EFICIÊNCIA X EFICÁCIA INGREDIENTES DA EFICÁCIA: ENTENDER O COMPORTAMENTO PASSADO. PREVER O COMPORTAMENTO FUTURO. ORIENTAR, MUDAR E CONTROLAR O COMPORTAMENTO FUTURO. GERENCIAR: INFLUENCIAR O COMPORTAMENTO DE OUTRAS PESSOAS. HABILIDADES GERENCIAIS TÉCNICA - CAPACIDADE DE APLICAR CONHECIMENTO, TÉCNICAS, MÉTODOS E EQUIPAMENTOS NECESSÁRIOS À EXECUÇÃO DE TAREFAS ESPECÍFICAS. HUMANA - CAPACIDADE PARA TRABALHAR COM E POR MEIO DE PESSOAS. CONCEITUAL - CAPACIDADE DE COMPREENDER A COMPLEXIDADE DA ORGANIZAÇÃO COMO UM TODO. NÍVEIS ADMINISTRATIVOS ALTA ADMINISTRAÇÃO ADMINISTRAÇÃO DE NÍVEL INTERMEDIÁRIO ADMINISTRAÇÃO DE NÍVEL DE SUPERVISÃO HABILIDADES NECESSÁRIAS TÉCNICAS HUMANAS CONCEITUAIS ASCENÇÃO HIERÁRQUICA - HAB. TÉCNICAS HAB. CONCEITUAIS HABILIDADES HUMANAS - CONSTANTES EM TODOS OS NÍVEIS. ÊNFASE NA HABILIDADE HUMANA PAGAREI MAIS PELA HABILIDADE DE LIDAR COM PESSOAS DO QUE POR QUALQUER OUTRA NO MUNDO JOHN D. ROCKEFELLER FUNÇÕES PARA UMA GERÊNCIA EFICAZ PRODUZIR - ECONÔMICO / TECNOLÓGICO IMPLEMENTAR - ADMINISTRATIVO / ESTRUTURA INOVAR INTEGRAR - INFORMATIVO / DECISÓRIO - HUMANO / SOCIAL ESTRATÉGIAS INDIVIDUAIS - EST. DE GRUPO METAS INDIVIDUAIS - METAS DE GRUPO RISCOS INDIVIDUAIS - RISCOS DE GRUPO

3 ? MOTIVAÇÃO COMPORTAMENTO META (MOTIVO) (AÇÃO) (OBJETIVO) MOTIVAÇÃO MOTIVOS OBJETIVOS - FUNÇÃO DA INTENSIDADE DOS MOTIVOS. - PORQUÊS DO COMPORTAMENTO. - EXTERNOS À PESSOA. MOTIVAÇÃO COM ÊXITO: OBJETIVOS (INCENTIVOS) COMPATÍVEIS COM MOTIVOS (NECESSIDADES). MOTIVO OBJETIVO MOTIVO FOME OBJETIVO ALIMENTO MOTIVO OBJETIVO ELOGIO SITUAÇÃO MOTIVADORA COMPORTAMENTO RECONHECIMENTO (COMPETENTE, PRODUTIVA) IMPORTANTE CONHECER OS MOTIVOS ATIVIDADE DIRIGIDA PARA O OBJETO ATIVIDADE DO OBJETIVO PREPARAR O INGERIR O ALIMENTO ALIMENTO DINÂMICA DOS MOTIVOS MASLOW: NECESSIDADE SATISFEITA DEIXA DE MOTIVAR COMPORTAMENTO HIERARQUIA DAS NECESSIDADES: FORÇA DA NECESSIDADE (GRANDE) (PEQUENA) FISIOLÓGICAS SEGURANÇA SOCIAL ESTIMA AUTO-REALIZAÇÃO

4 FISIOLÓGICAS SEGURANÇA SOCIAL NECESSIDADES (MASLOW) MORADIA, ALIMENTO, ROUPA EM NOSSA SOCIEDADE ASSOCIADA AO DINHEIRO O QUE O DINHEIRO PODE COMPRAR PERIGOS CONSCIENTES: ACIDENTES, GUERRAS, DOENÇAS, INSTABILIDADES ECONÔMICAS SUBCONSCIENTES: INFÂNCIA EM UM AMBIENTE PREOCUPADO COM SEGURANÇA SUPERPROTEÇÃO BOA COMPANHIA / PROCURAM A CONFIRMAÇÃO DAS SUAS IDÉIAS AUTO ESTIMA RECONHECIMENTO / PRESTÍGIO E PODER PRESTÍGIO: UMA ESPÉCIE DE DEFINIÇÃO NÃO ESCRITA DE FORMAS DE COMPORTAMENTO ESPERADAS DAS OUTRAS PESSOAS EM NOSSA PRESENÇA. PODER: CAPACIDADE DE UMA PESSOA MANIPULAR OU CONTROLAR AS ATIVIDADES DOS OUTROS, DE ACORDO COM SUAS PRÓPRIAS FINALIDADES. AUTO REALIZAÇÃO COMPETÊNCIA E REALIZAÇÃO ÊNFASE NO RESULTADO - REALISMO AGRESSIVO MOTIVOGRAMA (PERFIL DE MOTIVAÇÃO INDIVIDUAL) AS DUAS ALTERNATIVAS SÃO CORRETAS E VÁLIDAS. VOCÊ DEVERÁ OPTAR POR UMA DAS DUAS, POR AQUELA QUE MELHOR REFLETIR A SUA REALIDADE INTERNA. O SOMATÓRIO DAS DUAS ALTERNATIVAS DEVE SER IGUAL A 3 (TRÊS). ENTÃO FICAMOS COM AS QUATRO SEGUINTES OPÇÕES: 3 E 0; 2 E 1; 1 E 2; 0 E O QUE MAIS INCENTIVA E ESTIMULA O MEU DESEMPENHO É: V UM SALÁRIO COMPATÍVEL COM AS MINHAS NECESSIDADES BÁSICAS E AS DE MINHA FAMÍLIA. Z A OPORTUNIDADE DE TESTAR A MINHA PRÓPRIA CAPACIDADE E TER ACESSO AOS MEUS RESULTADOS. 2. SE EU TIVER QUE ESCOLHER ENTRE DUAS ORGANIZAÇÕES PARA TRABALHAR, PREFIRO W Z ME OFERECE NORMAS DE TRABALHO CLARAMENTE DEFINIDAS, SÓLIDAS GARANTIAS DE ESTABILIDADE, E ASSEGURAR-ME PREVILÉGIOS MAIS AMPLOS DE ASSISTÊNCIA MÉDICA-HOSPITALAR. ME PROPORCIONAR AUTONOMIA PARA CRIAR, LIBERDADE PARA EXPERIMENTAR E AUTORIDADE PARA INOVAR. 3. O TIPO DE SUBORDINADO QUE MAIS ME IRRITA É AQUELE QUE: V NÃO VALORIZA AS BOAS CONDIÇÕES AMBIENTAIS DE TRABALHO QUE LHE SÃO OFERECIDAS (INSTALAÇÕES FÍSICAS CONFORTÁVEIS, BEM ILUMINADAS, RESTAURANTE INTERNO, ETC.). Y NÃO ME CONFERE O DEVIDO RESPEITO E CONSIDERAÇÃO. 4. DESENVOLVO MINHAS RESPONSABILIDADES COM MAIOR ENTUSIASMO E EFICIÊNCIA V RECEBO UM SALÁRIO COMPATÍVEL COM AS MINHAS NECESSIDADES BÁSICAS E AS DE MINHA FAMÍLIA. X MANTENHO UM RELACIONAMENTO CORDIAL E HARMONIOSO COM OS MEUS COLEGAS, MEUS SUPERIORES E MEUS SUBORDINADOS, BEM COMO A CONVICÇÃO DE QUE SOU BEM ACEITO POR ELES. 5. SE NA MINHA PRÓXIMA PROMOÇÃO ME FOR DADO ESCOLHER ENTRE DOIS CARGOS, DAREI PREFERÊNCIA ÀQUELE QUE: W Y ME OFERECER NORMAS DE TRABALHO CLARAMENTE DEFINIDAS, SÓLIDAS GARANTIAS DE ESTABILIDADE, E ASSEGURAR-ME PRIVILÉGIOS MAIS AMPLOS DE ASSISTÊNCIA MÉDICA-HOSPITALAR. ME CONFERIR MAIOR PRESTÍGIO E PODER.

5 6. A MINHA PRODUTIVIDADE PODE SER PREJUDICADA X ME DELEGAM RESPONSABILIDADE QUE EXIGE A MINHA DEDICAÇÃO PESSOAL, E FICO PRIVADO DE COMPARTILHAR OS MEUS PROBLEMAS E AS MINHAS IDÉIAS COM OS MEUS COMPANHEIROS. Z AS MINHAS RESPONSABILIDADES ATUAIS DEIXAREM DE REPRESENTAR UM DESAFIO. 7. O QUE MAIS INCENTIVA E ESTIMULA O MEU DESEMPENHO É: Y O RECONHECIMENTO QUE ME CONFEREM EXCLUSICAMENTE EM FUNÇÃO DOS MEUS MÉRITOS. W UM SUPERVISOR IMEDIATO EM QUEM EU POSSA CONFIAR, CONDIÇÕES DE TRABALHO BEM ORGANIZADAS, E UM AMBIENTE DE TRABALHO ONDE QUASE TUDO JÁ FOI PREVISTO E PLANEJADO. 8. SE EU TIVER QUE ESCOLHER ENTRE DUAS ORGANIZAÇÕES PARA TRABALHAR, PREFIRO X V ME CONVIDAR PARA FAZER PARTE DE UMA EQUIPE DE TRABALHO QUE MANTÉM EXCELENTES RELAÇÕES ENTRE OS SEUS MEMBROS. ME OFERECER BOAS CONDIÇÕES DE TRABALHO: AMBIENTE CONFORTÁVEL, AMPLO E LIMPO, COM BOA ILUMINAÇÃO E TEMPERATURA AGRADÁVEL, RESTAURANTE INTERNO COM COMIDA SABOROSA. 9. O TIPO O TIPO DE SUBORDINADO QUE MAIS ME IRRITA É AQUELE QUE: Y NÃO ME CONFERE O DEVIDO RESPEITO E CONSIDERAÇÃO. Z RESISTE A COLABORAR COMIGO NA EXPERIMENTAÇÃO DE NOVAS IDÉIAS. 10. DESENVOLVO MINHAS RESPONSABILIDADES COM MAIOR ENTUSIASMO E EFICIÊNCIA Z ME PROPORCIONAM A OPORTUNIDADE DE TESTAR A MINHA PRÓPRIA CAPACIDADE E TENHO ACESSO AOS MEUS RESULTADOS. W TENHO UM SUPERIOR IMEDIATO EM QUEM EU POSSA CONFIAR, CONDIÇÕES DE TRABALHO BEM ORGANIZADAS, E UM AMBIENTE DE TRABALHO ONDE QUASE TUDO JÁ FOI PREVISTO E PLANEJADO. 11. SE NA MINHA PRÓXIMA PROMOÇÃO ME FOR DADO ESCOLHER ENTRE DOIS CARGOS, DAREI PREFERÊNCIA ÀQUELE QUE: Y ME CONFERIR MAIOR PRESTÍGIO E PODER. V ME OFERECER BOAS CONDIÇÕES DE TRABALHO: AMBIENTE CONFORTÁVEL, AMPLO E LIMPO, COM BOA ILUMINAÇÃO E TEMPERATURA AGRADÁVEL, RESTAURANTE INTERNO COM COMIDA SABOROSA. 12. A MINHA PRODUTIVIDADE PODE SER PREJUDICADA Z AS MINHAS RESPONSABILIDADES ATUAIS DEIXAREM DE REPRESENTAR UM DESAFIO. V SOU EXCESSIVAMENTE SOLICITADO NO EXERCÍCIO DE MINHAS ATRIBUIÇÕES A PONTO DE TER QUE SACRIFICAR SISTEMATICAMENTE O MEU HORÁRIO DE ALMOÇO OU O DE SAÍDA. 13. O QUE MAIS INCENTIVA E ESTIMULA O MEU DESEMPENHO É: V UM SALÁRIO COMPATÍVEL COM AS MINHAS NECESSIDADES BÁSICAS E AS DE MINHA FAMÍLIA. W UM SUPERVISOR IMEDIATO EM QUEM EU POSSA CONFIAR, CONDIÇÕES DE TRABALHO BEM ORGANIZADAS, E UM AMBIENTE DE TRABALHO ONDE QUASE TUDO JÁ FOI PREVISTO E PLANEJADO. 14. SE EU TIVER QUE ESCOLHER ENTRE DUAS ORGANIZAÇÕES PARA TRABALHAR, PREFIRO W X ME OFERECER NORMAS DE TRABALHO CLARAMENTE DEFINIDAS, SÓLIDAS GARANTIAS DE ESTABILIDADE, E ASSEGURAR-ME PRIVILÉGIOS MAIS AMPLOS DE ASSISTÊNCIA MÉDICA-HOSPITALAR. ME CONVIDAR PARA FAZER PARTE DE UMA EQUIPE DE TRABALHO QUE MANTÉM EXCELENTES RELAÇÕES ENTRE OS SEUS MEMBROS.

6 15. O TIPO DE SUBORDINADO QUE MAIS ME IRRITA É AQUELE QUE: X É ANTI-SOCIAL E CONFUNDE QUALQUER INICIATIVA DE SOCIABILIDADE COM PUXA-SAQUISMO. W NÃO PENSA NO DIA DE AMANHÃ. 16. DESENVOLVO MINHAS RESPONSABILIDADES COM MAIOR ENTUSIASMO E EFICIÊNCIA Y ME CONFEREM RECONHECIMENTO EM FUNÇÃO DOS MEUS MÉRITOS EXCLUSIVAMENTE. Z ME PROPORCIONAM A OPORTUNIDADE DE TESTAR A MINHA PRÓPRIA CAPACIDADE E TENHO ACESSO AOS MEUS RESULTADOS. 17. SE NA MINHA PRÓXIMA PROMOÇÃO ME FOR DADO ESCOLHER ENTRE DOIS CARGOS, DAREI PREFERÊNCIA ÀQUELE QUE: W ME OFERECER NORMAS DE TRABALHO CLARAMENTE DEFINIDAS, SÓLIDAS GARANTIAS DE ESTABILIDADE, E ASSEGURAR-ME PRIVILÉGIOS MAIS AMPLOS DE ASSISTÊNCIA MÉDICA-HOSPITALAR. V ME OFERECER BOAS CONDIÇÕES DE TRABALHO: AMBIENTE CONFORTÁVEL, AMPLO E LIMPO, COM BOA ILUMINAÇÃO E TEMPERATURA AGRADÁVEL, RESTAURANTE INTERNO COM COMIDA SABOROSA. 18. A MINHA PRODUTIVIDADE PODE SER PREJUDICADA X ME DELEGAM RESPONSABILIDADE QUE EXIGE A MINHA DEDICAÇÃO PESSOAL, E FICO PRIVADO DE COMPARTILHAR OS MEUS PROBLEMAS E AS MINHAS IDÉIAS COM OS MEUS COMPANHEIROS. Y OUTRO EXECUTIVO, SEM AS QUALIFICAÇÕES QUE POSSUO, FOR PROMOVIDO POR MERO FAVORITISMO PARA O CARGO QUE EU ESTOU PLANEJANDO ASSUMIR NO FUTURO PRÓXIMO. 19. O QUE MAIS INCENTIVA E ESTIMULA O MEU DESEMPENHO É: Y O RECONHECIMENTO QUE ME CONFEREM EXCLUSIVAMENTE EM FUNÇÃO DOS MEUS MÉRITOS. X O RELACIONAMENTO CORDIAL E HARMONIOSO COM OS MEUS COLEGAS, MEUS SUPERIORES E MEUS SUBORDINADOS, BEM COMO A CONVICÇÃO DE QUE SOU BEM ACEITO POR ELES. 20. SE EU TIVER QUE ESCOLHER ENTRE DUAS ORGANIZAÇÕES PARA TRABALHAR, PREFIRO Z Y ME PROPORCIONAR AUTONOMIA PARA CRIAR, LIBERDADE PARA EXPERIMENTAR E AUTORIDADE PARA INOVAR. ME OFERECER UM CARGO QUE CONFIRA MAIOR PRESTÍGIO E PODER. 21. O TIPO DE SUBORDINADO QUE MAIS ME IRRITA É AQUELE QUE: V NÃO VALORIZA AS BOAS CONDIÇÕES AMBIENTAIS DE TRABALHO QUE LHE SÃO OFERECIDAS (INSTALAÇÕES FÍSICAS CONFORTÁVEIS, BEM ILUMINADAS, RESTAURANTE INTERNO, ETC.). X É ANTI-SOCIAL E CONFUNDE QUALQUER INICIATIVA DE SOCIABILIDADE COM PUXA-SAQUISMO. 22. DESENVOLVO MINHAS RESPONSABILIDADES COM MAIOR ENTUSIASMO E EFICIÊNCIA Z ME PROPORCIONAM A OPORTUNIDADE DE TESTAR A MINHA PRÓPRIA CAPACIDADE E TENHO ACESSO AOS MEUS RESULTADOS. X MANTENHO RELACIONAMENTO CORDIAL E HARMONIOSO COM OS MEUS COLEGAS, MEUS SUPERIORES E MEUS SUBORDINADOS, BEM COMO A CONVICÇÃO DE QUE SOU BEM ACEITO POR ELES. 23. SE NA MINHA PRÓXIMA PROMOÇÃO ME FOR DADO ESCOLHER ENTRE DOIS CARGOS, DAREI PREFERÊNCIA ÀQUELE QUE: V ME OFERECER BOAS CONDIÇÕES DE TRABALHO: AMBIENTE CONFORTÁVEL, AMPLO E LIMPO, COM BOA ILUMINAÇÃO E TEMPERATURA AGRADÁVEL, RESTAURANTE INTERNO COM COMIDA SABOROSA. Z ME PROPORCIONAR AUTONOMIA PARA CRIAR, LIBERDADE PARA EXPERIMENTAR E AUTORIDADE PARA INOVAR.

7 24. A MINHA PRODUTIVIDADE PODE SER PREJUDICADA Y OUTRO EXECUTIVO, SEM AS QUALIFICAÇÕES QUE POSSUO, FOR PROMOVIDO POR MERO FAVORITISMO PARA O CARGO QUE EU ESTOU PLANEJANDO ASSUMIR NO FUTURO PRÓXIMO. W PERCO A CONFIANÇA NO MEU CHEFE, DESCONFIO DA ESTABILIDADE DO MEU CARGO, TEMO PELA SOBREVIVÊNCIA DA MINHA ORGANIZAÇÃO. 25. O QUE MAIS INCENTIVA E ESTIMULA O MEU DESEMPENHO É: V UM SALÁRIO COMPATÍVEL COM AS MINHAS NECESSIDADES BÁSICAS E AS DE MINHA FAMÍLIA. Y O RECONHECIMENTO QUE ME CONFEREM EXCLUSIVAMENTE EM FUNÇÃO DOS MEUS MÉRITOS. 26. SE EU TIVER QUE ESCOLHER ENTRE DUAS ORGANIZAÇÕES PARA TRABALHAR, PREFIRO Y X ME OFERECER UM CARGO QUE CONFIRA MAIOR PRESTÍGIO E PODER. ME CONVIDAR PARA FAZER PARTE DE UMA EQUIPE DE TRABALHO QUE MANTÉM EXCELENTES RELAÇÕES ENTRE OS SEUS MEMBROS. 27. O TIPO DE SUBORDINADO QUE MAIS ME IRRITA É AQUELE QUE: W NÃO PENSA NO DIA DE AMANHÃ. Z RESISTE A COLABORAR COMIGO NA EXPERIMENTAÇÃO DENOVAS IDÉIAS. 28. DESENVOLVO MINHAS RESPONSABILIDADES COM MAIOR ENTUSIASMO E EFICIÊNCIA X MANTENHO RELACIONAMENTO CORDIAL E HARMONIOSO COM OS MEUS COLEGAS, MEUS SUPERIORES E MEUS SUBORDINADOS, BEM COMO A CONVICÇÃO DE QUE SOU BEM ACEITO POR ELES. W TENHO UM SUPERIOR IMEDIATO EM QUEM EU POSSA CONFIAR, CONDIÇÕES DE TRABALHO BEM ORGANIZADAS, E UM AMBIENTE DE TRABALHO ONDE QUASE TUDO JÁ FOI PREVISTO E PLANEJADO. 29. SE NA MINHA PRÓXIMA PROMOÇÃO ME FOR DADO ESCOLHER ENTRE DOIS CARGOS, DAREI PREFERÊNCIA ÀQUELE QUE: Z X ME POPORCIONAR AUTONOMIA PARA CRIAR, LIBERDADE PARA EXPERIMENTAR E AUTORIDADE PARA INOVAR. ME PROPORCIONAR OPORTUNIDADE PARA INTEGRAR UMA EQUIPE DE TRABALHO QUE MANTÉM EXCELENTES RELAÇÕES ENTRE OS SEUS MEMBROS. 30. A MINHA PRODUTIVIDADE PODE SER PREJUDICADA V SOU EXCESSIVAMENTE SOLICITADO NO EXERCÍCIO DE MINHAS ATRIBUIÇÕES A PONTO DE TER QUE SACRIFICAR SISTEMATICAMENTE O MEU HORÁRIO DE ALMOÇO OU DE SAÍDA. W PERCO A CONFIANÇA NO MEU CHEFE, DESCONFIO DA ESTABILIDADE DO MEU CARGO, TEMO PELA SOBREVIVÊNCIA DA MINHA ORGANIZAÇÃO.

8 (ALTA) COMPORTAMENTO COM ÊNFASE NO RELACIONAMENTO ESTILO DO SUPERIOR COMPARTILHAR E4 DELEGAR E3 E2 PERSUADIR E1 DETERMINAR (BAIXA) COMPORTAMENTO COM ÊNFASE NA TAREFA (ALTA) MATURO ALTA MODERADA BAIXA M4 M3 M2 M1 MATURIDADE DOS SUBORDINADOS IMATURO

9 TABULAÇÃO DAS RESPOSTAS ITEM V W X Y Z Σ V W X Y Z ATENÇÃO: O SOMATÓRIO DE V, W, X, Y E Z DEVE SER IGUAL A 90 PONTOS. NÍVEL DAS NECESSIDADES INSATISFEITAS FISIOLÓGICAS SEGURANÇA ASSOCIAÇÃO AUTO-ESTIMA AUTO-REALIZAÇÃO V W X Y Z

LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA

LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA MUITOS DOS PROBLEMAS MAIS CRÍTICOS NÃO ESTÃO NO MUNDO DAS COISAS, MAS NO MUNDO DAS PESSOAS. DESENOLIMENTO: APTIDÕES TÉCNICAS >>> HABILIDADES SOCIAIS CIÊNCIAS BEM SUCEDIDAS CIÊNCIAS MAL SUCEDIDAS. - - MUDANÇA:

Leia mais

MOTIVOGRAMA (PERFIL DO MOTIVOGRAMA INDIVIDUAL)

MOTIVOGRAMA (PERFIL DO MOTIVOGRAMA INDIVIDUAL) MOTIOGRAMA (PERFIL DO MOTIOGRAMA INDIIDUAL) Instruções ocê encontrará nas páginas seguintes 30 proposições diferentes para ler e avaliar. Cada uma delas apresenta duas alternativas possíveis. ocê deverá

Leia mais

FAQ - Faculdade XV de Agosto

FAQ - Faculdade XV de Agosto FAQ - Faculdade XV de Agosto TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO ANÁLISE MOTIVACIONAL DE AMBIENTE DE TRABALHO EM UMA CONCESSIONÁRIA VOLKSWAGEM. Marcelo Augusto Pereira Socorro - 2005 FAQ - Faculdade XV de Agosto

Leia mais

ESTUDO MOTIVACIONAL DE LÍDERES DE PRODUÇÃO DE UMA INDÚSTRIA ALIMENTÍCIA

ESTUDO MOTIVACIONAL DE LÍDERES DE PRODUÇÃO DE UMA INDÚSTRIA ALIMENTÍCIA ESTUDO MOTIVACIONAL DE LÍDERES DE PRODUÇÃO DE UMA INDÚSTRIA ALIMENTÍCIA AUTORES Carlos Cunha Danilo Miquelin Luciana Schmitt Natalia Alcântara Rico Mathisa Martinek Stachuk ORIENTADOR Gianfranco Muncinelli

Leia mais

Escola das relações humanas: Sociologia nas Organizações. Prof Rodrigo Legrazie

Escola das relações humanas: Sociologia nas Organizações. Prof Rodrigo Legrazie Escola das relações humanas: Sociologia nas Organizações Prof Rodrigo Legrazie Escola Neoclássica Conceitua o trabalho como atividade social. Os trabalhadores precisam muito mais de ambiente adequado e

Leia mais

www.dalecarnegie.com.br Como Impulsionar o Engajamento de Colaboradores em PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Dale Carnegie Training White Paper

www.dalecarnegie.com.br Como Impulsionar o Engajamento de Colaboradores em PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Dale Carnegie Training White Paper Como Impulsionar o Engajamento de Colaboradores em PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Dale Carnegie Training White Paper www.dalecarnegie.com.br Copyright 2014 Dale Carnegie & Associates, Inc. All rights reserved.

Leia mais

PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL

PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL Relatório e Análise 2005 Introdução: ``Para que a Construtora Mello Azevedo atinja seus objetivos é necessário que a equipe tenha uma atitude vencedora, busque sempre resultados

Leia mais

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

Perfil de Motivação Individual Identificação das necessidades segundo o modelo de motivação do Maslow

Perfil de Motivação Individual Identificação das necessidades segundo o modelo de motivação do Maslow 1. O que mais incentiva o meu desempenho é: Um salário compatível com as minhas necessidades básicas e as de minha família. Oportunidade de testar a minha própria capacidade e ter acesso aos meus resultados.

Leia mais

questionários de avaliação da satisfação CLIENTES, COLABORADORES, PARCEIROS

questionários de avaliação da satisfação CLIENTES, COLABORADORES, PARCEIROS questionários de avaliação da satisfação creche CLIENTES, COLABORADORES, PARCEIROS 2ª edição (revista) UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu Governo da República Portuguesa SEGURANÇA SOCIAL INSTITUTO DA

Leia mais

Introdução. Uma forma comum de estabelecimento de metas usada nas organizações é a Administração por Objetivos - APO

Introdução. Uma forma comum de estabelecimento de metas usada nas organizações é a Administração por Objetivos - APO ADMINISTRAÇÃO POR OBJETIVOS 1 Introdução Uma forma comum de estabelecimento de metas usada nas organizações é a Administração por Objetivos - APO Este processo é uma tentativa de alinhar metas pessoais

Leia mais

Unidade IV GESTÃO ESTRATÉGICA DE. Professora Ani Torres

Unidade IV GESTÃO ESTRATÉGICA DE. Professora Ani Torres Unidade IV GESTÃO ESTRATÉGICA DE RECURSOS HUMANOS Professora Ani Torres Visão estratégica Visão estratégica está relacionada com alcançar os objetivos empresariais. Considera: Tipos psicológicos, Motivação:

Leia mais

É habilidade de influenciar pessoas para trabalharem visando atingir aos objetivos identificados como sendo para o bem comum.

É habilidade de influenciar pessoas para trabalharem visando atingir aos objetivos identificados como sendo para o bem comum. Bem-Vindos! É habilidade de influenciar pessoas para trabalharem visando atingir aos objetivos identificados como sendo para o bem comum. Fonte: O Monge e o Executivo, James C. Hunter. ... é uma noção

Leia mais

ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM PROF. CARLOS ALBERTO

ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM PROF. CARLOS ALBERTO ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM PROF. CARLOS ALBERTO CONCURSO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM TEMA 04: ATIVIDADES DO ENFERMEIRO ATIVIDADES DO ENFERMEIRO SUPERVISÃO GERENCIAMENTO AVALIAÇÃO AUDITORIA

Leia mais

O que é Administração

O que é Administração O que é Administração Bem vindo ao curso de administração de empresas. Pretendemos mostrar a você no período que passaremos juntos, alguns conceitos aplicados à administração. Nossa matéria será puramente

Leia mais

EIM/UFPR AT086 Gestão de Projetos Prof. Umberto Klock. Gestão de pessoas

EIM/UFPR AT086 Gestão de Projetos Prof. Umberto Klock. Gestão de pessoas EIM/UFPR AT086 Gestão de Projetos Prof. Umberto Klock Gestão de pessoas PRINCIPAIS TÓPICOS 1. Cultura organizacional e outros desafios de projetos; 2. O papel do gerente de projetos; 3. O relacionamento

Leia mais

CAFÉ DA MANHÃ COM GESTÃO

CAFÉ DA MANHÃ COM GESTÃO CAFÉ DA MANHÃ COM GESTÃO Todas as sextas-feiras das 08 as 09. Pontualmente Cada sexta se escolhe o palestrante da próxima Tema relacionado à Gestão. Escolha do sorteado Todos os gerentes da SEPLAG e interessados

Leia mais

Saiba como gerir uma equipe com essas dicas REALIZAÇÃO

Saiba como gerir uma equipe com essas dicas REALIZAÇÃO Comunicação empresarial eficiente: Saiba como gerir uma equipe com essas dicas REALIZAÇÃO Sumário 01 Introdução 02 02 03 A comunicação dentro das empresas nos dias de hoje Como garantir uma comunicação

Leia mais

membros do time, uma rede em que eles possam compartilhar desafios, conquistas e que possam interagir com as postagens dos colegas.

membros do time, uma rede em que eles possam compartilhar desafios, conquistas e que possam interagir com as postagens dos colegas. INTRODUÇÃO Você, provavelmente, já sabe que colaboradores felizes produzem mais. Mas o que sua empresa tem feito com esse conhecimento? Existem estratégias que de fato busquem o bem-estar dos funcionários

Leia mais

O talento como diferencial de carreira... Uma fórmula de sucesso

O talento como diferencial de carreira... Uma fórmula de sucesso O talento como diferencial de carreira... Uma fórmula de sucesso Maiane Bertoldo Lewandowski Consultora de RH Hospital Mãe de Deus TRANSFORMAÇÕES NO MERCADO DE TRABALHO Mudança de modelo mental; Escassez

Leia mais

Estratégias de Liderança Corporativa

Estratégias de Liderança Corporativa Estratégias de Liderança Corporativa Sábio é aquele que reconhece que tem muito a aprender Liderança e as Habilidades para Desenvolver Equipes de Sucesso 2 Liderar é uma arte... Reflexões... Lições...

Leia mais

Equipe: Administradores de Sucesso. Componentes: Ricardo Miranda, Dalma Noronha, Fabio Macambira, Nivea Santos

Equipe: Administradores de Sucesso. Componentes: Ricardo Miranda, Dalma Noronha, Fabio Macambira, Nivea Santos Equipe: Administradores de Sucesso Componentes: Ricardo Miranda, Dalma Noronha, Fabio Macambira, Nivea Santos CONCEITOS PERFIS DE CARGOS AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO TIPOS DE AVALIAÇÃO FEEDBACK CASES SUMÁRIO

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE DIAGNÓSTICO ORGANIZACIONAL - "QDO" 5. ALGUNS ESCLARECIMENTOS SOBRE QDO

QUESTIONÁRIO DE DIAGNÓSTICO ORGANIZACIONAL - QDO 5. ALGUNS ESCLARECIMENTOS SOBRE QDO QUESTIONÁRIO DE DIAGNÓSTICO ORGANIZACIONAL - "QDO" 1. FOLHA DE RESULTADOS DO QDO 2. PERFIL E INTERPRETAÇÃO DO D.O. 3. FUNDAMENTAÇÃO 4. INTERPRETAÇÃO DO DIAGNÓSTICO 5. ALGUNS ESCLARECIMENTOS SOBRE QDO 6.

Leia mais

TÍTULO: O PAPEL DA LIDERANÇA NA MOTIVAÇÃO DENTRO DO AMBIENTE ORGANIZACIONAL UM ESTUDO NA EMPRESA VISÃO DIGITAL 3D E-COMMERCE

TÍTULO: O PAPEL DA LIDERANÇA NA MOTIVAÇÃO DENTRO DO AMBIENTE ORGANIZACIONAL UM ESTUDO NA EMPRESA VISÃO DIGITAL 3D E-COMMERCE TÍTULO: O PAPEL DA LIDERANÇA NA MOTIVAÇÃO DENTRO DO AMBIENTE ORGANIZACIONAL UM ESTUDO NA EMPRESA VISÃO DIGITAL 3D E-COMMERCE CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Quais são os objetivos dessa Política?

Quais são os objetivos dessa Política? A Conab possui uma Política de Gestão de Desempenho que define procedimentos e regulamenta a prática de avaliação de desempenho dos seus empregados, baseada num Sistema de Gestão de Competências. Esse

Leia mais

CURSO EXCELÊNCIA NO ATENDIMENTO AO CIDADÃO INSTRUTORAS

CURSO EXCELÊNCIA NO ATENDIMENTO AO CIDADÃO INSTRUTORAS CURSO EXCELÊNCIA NO ATENDIMENTO AO CIDADÃO INSTRUTORAS:Julie Almeida Gurgel do Amaral. CRP 01-8104 Luciana Jacob Nogueira. CRP 01-13.892 Neise Nascimento. CRP 01-8589 Suzan Carol de Oliveira Biscaro. CRP

Leia mais

UNESP - Botucatu. Gestão da Carreira e do Desenvolvimento Profissional. Prof. Joel Dutra

UNESP - Botucatu. Gestão da Carreira e do Desenvolvimento Profissional. Prof. Joel Dutra UNESP - Botucatu Gestão da Carreira e do Desenvolvimento Profissional Prof. Joel Dutra Prof. Joel Dutra Professor-Livre Docente da Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo FEA-USP,

Leia mais

Por que ouvir a sua voz é tão importante?

Por que ouvir a sua voz é tão importante? RESULTADOS Por que ouvir a sua voz é tão importante? Visão Tokio Marine Ser escolhida pelos Corretores e Assessorias como a melhor Seguradora pela transparência, simplicidade e excelência em oferecer soluções,

Leia mais

FACULDADE DE EDUCACAO DE COSTA RICA

FACULDADE DE EDUCACAO DE COSTA RICA FACULDADE DE EDUCACAO DE COSTA RICA DISCIPLINA: MOTIVACAO E ETICA LIDERAR PESSOAS ATRAVÉS DA MOTIVAÇÃO Por que as pessoas se comportam de certos modos? Liderar - é o processo de dirigir e influenciar as

Leia mais

Universidade de Brasília Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação Departamento de Ciência da

Universidade de Brasília Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação Departamento de Ciência da Universidade de Brasília Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação Departamento de Ciência da Informação e Documentação Disciplina: Planejamento e Gestão

Leia mais

A MOTIVAÇÃO COMO FATOR DE SUCESSO NA ORGANIZAÇÃO UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA MARF

A MOTIVAÇÃO COMO FATOR DE SUCESSO NA ORGANIZAÇÃO UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA MARF A MOTIVAÇÃO COMO FATOR DE SUCESSO NA ORGANIZAÇÃO UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA MARF Danilo Domingos Gonzales Simão 1 Fábio Augusto Martins Pereira 2 Gisele Maciel de Lima 3 Jaqueline de Oliveira Rocha 4

Leia mais

Elétrica montagem e manutenção ltda. AVALIAÇÃO DE COLABORADORES

Elétrica montagem e manutenção ltda. AVALIAÇÃO DE COLABORADORES AVALIAÇÃO DE COLABORADORES RESUMO A preocupação com o desempenho dos colaboradores é um dos fatores que faz parte do dia-a-dia da nossa empresas. A avaliação de desempenho está se tornando parte atuante

Leia mais

Saúde e produtividade: um olhar sobre o cenário brasileiro. Cesar Lopes Líder de Saúde e Benefícios em Grupo, Towers Watson

Saúde e produtividade: um olhar sobre o cenário brasileiro. Cesar Lopes Líder de Saúde e Benefícios em Grupo, Towers Watson Saúde e produtividade: o valor de uma força de trabalho saudável para o sucesso nos negócios Saúde e produtividade: um olhar sobre o cenário brasileiro Cesar Lopes Líder de Saúde e Benefícios em Grupo,

Leia mais

GESTÃO DE PESSOAS E PRODUTIVIDADE

GESTÃO DE PESSOAS E PRODUTIVIDADE GESTÃO DE PESSOAS E PRODUTIVIDADE 2 Download da Apresentação www.gptw.com.br publicações e eventos palestras Great Place to Work - Missão 3 Construindo um Excelente Ambiente de Trabalho 4 1 2 3 4 O que

Leia mais

Análise dos dados da Pesquisa de Clima Relatório

Análise dos dados da Pesquisa de Clima Relatório Recursos Humanos Coordenação de Gestão de Pessoas Pesquisa de Clima Análise dos dados da Pesquisa de Clima Relatório Introdução No dia 04 de Agosto de 2011, durante a reunião de Planejamento, todos os

Leia mais

Os Desafios na Gestão da Carreira e do Desenvolvimento Profissional. Prof. Joel Dutra

Os Desafios na Gestão da Carreira e do Desenvolvimento Profissional. Prof. Joel Dutra Os Desafios na Gestão da Carreira e do Desenvolvimento Profissional Prof. Joel Dutra Agenda Análise de contexto Conceitos básicos Papel da Pessoa na Gestão da Carreira Análise de Contexto Mudança de Referências

Leia mais

CADEIA DE DECISÃO NA GESTÃO DE NEGÓCIOS

CADEIA DE DECISÃO NA GESTÃO DE NEGÓCIOS Unidade IV CADEIA DE DECISÃO NA GESTÃO DE NEGÓCIOS Prof. Bernardo Solé Ambiente Recursos Materiais Patrimoniais Financeiros Humanos Tecnológicos Mudanças Desempenho Organizacional Eficiênciaiê i Eficácia

Leia mais

Noções de Liderança e Motivação

Noções de Liderança e Motivação Liderança A questão da liderança pode ser abordada de inúmeras formas: Liderança e Poder (recursos do poder) Liderança e Dominação (teorias da dominação legítima de Max Weber) Líder pela tradição Líder

Leia mais

O Paradigma da nova liderança

O Paradigma da nova liderança O Paradigma da nova liderança Robert B. Dilts Um dos mais importantes conjuntos de habilidades Um dos mais importantes conjuntos de habilidades necessárias num mundo em transformação são as habilidades

Leia mais

Questionário do Pessoal Docente do Pré-escolar

Questionário do Pessoal Docente do Pré-escolar Questionário do Pessoal Docente do Pré-escolar Liderança 1.1 1.2 1.3 1.4 1. As decisões tomadas pelo Conselho Pedagógico, pela Direção e pelo Conselho Geral são disponibilizadas atempadamente. 2. Os vários

Leia mais

Sistemas de Remuneração Tradicionais e a Remuneração Estratégica

Sistemas de Remuneração Tradicionais e a Remuneração Estratégica Sistemas de Remuneração Tradicionais e a Remuneração Estratégica por Camila Hatsumi Minamide* Vivemos em um ambiente com transformações constantes: a humanidade sofre diariamente mudanças nos aspectos

Leia mais

Atalhos para sermos líderes

Atalhos para sermos líderes Atalhos para sermos líderes José Renato S. Santiago Jr. 1 Meu papel na empresa Cada vez mais as empresas precisam ser mais rápidas naquilo que fazem; Os funcionários também precisam ser mais rápidos para

Leia mais

Fique a vontade para responder o questionário, seja o mais verdadeiro possível.

Fique a vontade para responder o questionário, seja o mais verdadeiro possível. MODELO DE PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL 1 FICHA DE INSTRUÇÕES A proposta deste questionário é conhecer as pessoas que trabalham na empresa, analisar suas necessidades e insatisfações, e tornar a organização

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING CENÁRIO E TENDÊNCIAS DOS NEGÓCIOS 8 h As mudanças do mundo econômico e as tendências da sociedade contemporânea.

Leia mais

Inquérito de Satisfação 2014

Inquérito de Satisfação 2014 Montijo Responderam Nº Total de Colaboradores 14 13 15 24 0 5 10 15 20 25 30 2014 2013 Eu As minhas ideias são ouvidas e reconhecidas mesmo quando não são implementadas pela empresa O trabalho que executo

Leia mais

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Avaliação de: Sr. Antônio Modelo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Especialistas The Inner

Leia mais

AS TEORIAS MOTIVACIONAIS DE MASLOW E HERZBERG

AS TEORIAS MOTIVACIONAIS DE MASLOW E HERZBERG AS TEORIAS MOTIVACIONAIS DE MASLOW E HERZBERG 1. Introdução 2. Maslow e a Hierarquia das necessidades 3. Teoria dos dois Fatores de Herzberg 1. Introdução Sabemos que considerar as atitudes e valores dos

Leia mais

PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL 2012 DGC/SPRH/DVRH

PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL 2012 DGC/SPRH/DVRH Pesquisa de Clima Organizacional PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL 2012 DGC/SPRH/DVRH Pesquisa de Clima Organizacional Objetivo da Pesquisa de Clima Organizacional: Conhecer de forma sistematizada o clima

Leia mais

G P - AMPLITUDE DE CONTROLE E NÍVEIS HIERÁRQUICOS

G P - AMPLITUDE DE CONTROLE E NÍVEIS HIERÁRQUICOS G P - AMPLITUDE DE CONTROLE E NÍVEIS HIERÁRQUICOS Amplitude de Controle Conceito Também denominada amplitude administrativa ou ainda amplitude de supervisão, refere-se ao número de subordinados que um

Leia mais

Pessoas e negócios em evolução.

Pessoas e negócios em evolução. Silvestre Consultoria Pessoas e negócios em evolução. Silvestre Consultoria desde 2001 Nossos Serviços: Pesquisa de Clima Cargos e Salários Avaliação de Desempenho Recrutamento Especializado Mapeamento

Leia mais

Código de Ética e Conduta

Código de Ética e Conduta Código de Ética e Conduta Introdução A Eucatex, através deste Código de Ética e Conduta, coloca à disposição de seus colaboradores, fornecedores e comunidade, um guia de orientação para tomada de decisões

Leia mais

Verônica A. Pereira Souto

Verônica A. Pereira Souto COMPORTAMENTO HUMANO NO TRABALHO Verônica A. Pereira Souto VITÓRIA-ES 11 de julho 2009 VERÔNICA APARECIDA PEREIRA SOUTO MINI-CURRÍCULO PSICÓLOGA GRADUADA EM LETRAS/INGLÊS PÓS-GRADUADA EM COMUNICAÇÃO SOCIAL

Leia mais

Avaliação Confidencial

Avaliação Confidencial Avaliação Confidencial AVALIAÇÃO 360 2 ÍNDICE Introdução 3 A Roda da Liderança 4 Indicadores das Maiores e Menores Notas 7 GAPs 8 Pilares da Estratégia 9 Pilares do Comprometimento 11 Pilares do Coaching

Leia mais

Pesquisa de Clima Organizacional Extended DISC

Pesquisa de Clima Organizacional Extended DISC Pesquisa de Clima Organizacional Extended DISC Pesquisas de Clima Organizacional fornecem subsídios para a melhoria das condições de trabalho e a satisfação dos colaboradores e, com isso, tornando esta

Leia mais

Síntese do Relatório. Avaliados Gerente Parceiro Colaborador Cliente Você Mesmo Subtotal

Síntese do Relatório. Avaliados Gerente Parceiro Colaborador Cliente Você Mesmo Subtotal Síntese do Relatório Avaliados Parceiro Colaborador Cliente Subtotal Respondido 1 3 2 1 1 8 Convidado 1 4 4 4 1 14 Escala de Classificação Escala Discordo Plenamente 1 Discordo 2 Neutro 3 Concordo 4 Concordo

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA (GESTÃO PARTICIPATIVA)

ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA (GESTÃO PARTICIPATIVA) ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA (GESTÃO PARTICIPATIVA) A administração participativa é uma filosofia ou política de administração de pessoas, que valoriza sua capacidade de tomar decisões e resolver problemas,

Leia mais

NORMA DE AVALIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO FUNCIONAL - NOR 312

NORMA DE AVALIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO FUNCIONAL - NOR 312 MANUAL DE GESTÃO DE PESSOAS COD. 300 ASSUNTO: AVALIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO FUNCIONAL COD: NOR 312 APROVAÇÃO: Resolução DIREX Nº 009/2012 de 30/01/2012 NORMA DE AVALIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO 1/17 ÍNDICE

Leia mais

Balanced Scorecard BSC. O que não é medido não é gerenciado. Medir é importante? Também não se pode medir o que não se descreve.

Balanced Scorecard BSC. O que não é medido não é gerenciado. Medir é importante? Também não se pode medir o que não se descreve. Balanced Scorecard BSC 1 2 A metodologia (Mapas Estratégicos e Balanced Scorecard BSC) foi criada por professores de Harvard no início da década de 90, e é amplamente difundida e aplicada com sucesso em

Leia mais

A importância da Educação para competitividade da Indústria

A importância da Educação para competitividade da Indústria A importância da Educação para competitividade da Indústria Educação para o trabalho não tem sido tradicionalmente colocado na pauta da sociedade brasileira, mas hoje é essencial; Ênfase no Direito à Educação

Leia mais

4. Tendências em Gestão de Pessoas

4. Tendências em Gestão de Pessoas 4. Tendências em Gestão de Pessoas Em 2012, Gerenciar Talentos continuará sendo uma das prioridades da maioria das empresas. Mudanças nas estratégias, necessidades de novas competências, pressões nos custos

Leia mais

Olhar ver entender aprender agir

Olhar ver entender aprender agir Empreendedorismo "Olhar é uma coisa, ver o que se olha é outra, entender o que se vê é uma outra, aprender o que você entende é uma coisa a mais, mas agir sobre o que você aprende, é tudo que realmente

Leia mais

Passos para recrutar voluntários

Passos para recrutar voluntários Passos para recrutar voluntários Encontrando o voluntário Faça um - mostrando o que Deus está fazendo no ministério Coloque no boletim um Em todos os eventos do ministério que levantam outras pessoas passe

Leia mais

Inscrições abertas. Programa Essencial de Desenvolvimento Fundamentos de Liderança

Inscrições abertas. Programa Essencial de Desenvolvimento Fundamentos de Liderança Inscrições abertas Programa Essencial de Desenvolvimento Fundamentos de Liderança Fundamentos de Liderança O Programa Fundamentos de Liderança foi especialmente desenhado para quem pretende iniciar uma

Leia mais

Teorias da Administração

Teorias da Administração Teorias da Administração Cronologia das teorias da administração 1903 Administração Científica 1903 Teoria Geral da Administração 1909 Teoria da Burocracia 1916 Teoria Clássica da Administração 1932 Teoria

Leia mais

Princípios de Liderança

Princípios de Liderança Princípios de Liderança LIDERANÇA E COACH www.liderancaecoach.com.br / liderancaecoach ÍNDICE Liderança Chefe x Líder O que um líder não deve fazer Dicas para ser um líder de sucesso Para liderar uma equipe

Leia mais

Elton Moraes. O que Clima Organizacional tem a ver com resultados da empresa?

Elton Moraes. O que Clima Organizacional tem a ver com resultados da empresa? Elton Moraes O que Clima Organizacional tem a ver com resultados da empresa? Sobre o Hay Group O Hay Group é uma consultoria mundial em gestão: Trabalhamos com líderes para transformar estratégias em realidade.

Leia mais

Capítulo 8 Decorrências da Teoria Neoclássica: Tipos de Organização

Capítulo 8 Decorrências da Teoria Neoclássica: Tipos de Organização Capítulo 8 Decorrências da Teoria Neoclássica: Tipos de Organização ESTRUTURA LINEAR Características: 1. Autoridade linear ou única. 2. Linhas formais de comunicação. 3. Centralização das decisões. 4.

Leia mais

liderança conceito Sumário Liderança para potenciais e novos gestores

liderança conceito Sumário Liderança para potenciais e novos gestores Sumário Liderança para potenciais e novos gestores conceito Conceito de Liderança Competências do Líder Estilos de Liderança Habilidades Básicas Equipe de alta performance Habilidade com Pessoas Autoestima

Leia mais

NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS

NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS Concurso para agente administrativo da Polícia Federal Profa. Renata Ferretti Central de Concursos NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS 1. Organizações como

Leia mais

Mário Ibide STAB Out. 2012

Mário Ibide STAB Out. 2012 pessoas processos resultados Mário Ibide STAB Out. 2012 um consumo de país rico Motivado pelo crescimento da renda, o Brasil irá experimentar uma década de expansão do consumo. Fonte: Revista Exame - Ago.

Leia mais

Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler

Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler 2 Introdução A política corporativa de RH da Schindler define as estratégias relacionadas às ações para com seus colaboradores; baseia-se na Missão e nos

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

Perfil de estilos de personalidade

Perfil de estilos de personalidade Relatório confidencial de Maria D. Apresentando Estilos de venda Administrador: Juan P., (Sample) de conclusão do teste: 2014 Versão do teste: Perfil de estilos de personalidade caracterizando estilos

Leia mais

COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL INTERNA UM ESTUDO DE CASO RESUMO

COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL INTERNA UM ESTUDO DE CASO RESUMO COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL INTERNA UM ESTUDO DE CASO Fábio William da Silva Granado 1 Marluci Silva Botelho 2 William Rodrigues da Silva 3 Prof Ms. Edson Leite Lopes Gimenez 4 RESUMO Realizou-se uma análise

Leia mais

Veículo: Site Estilo Gestão RH Data: 03/09/2008

Veículo: Site Estilo Gestão RH Data: 03/09/2008 Veículo: Site Estilo Gestão RH Data: 03/09/2008 Seção: Entrevista Pág.: www.catho.com.br SABIN: A MELHOR EMPRESA DO BRASIL PARA MULHERES Viviane Macedo Uma empresa feita sob medida para mulheres. Assim

Leia mais

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Adm.Walter Lerner 1.Gestão,Competência e Liderança 1.1.Competências de Gestão Competências Humanas e Empresariais são Essenciais Todas as pessoas estão, indistintamente,

Leia mais

Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares

Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares Existem três níveis distintos de planejamento: Planejamento Estratégico Planejamento Tático Planejamento Operacional Alcance

Leia mais

Ser sincero em sua crença de que todos devem ir para casa todos os dias com segurança e saúde - demonstre que você se importa.

Ser sincero em sua crença de que todos devem ir para casa todos os dias com segurança e saúde - demonstre que você se importa. A Liderança Faz a Diferença Guia de Gerenciamento de Riscos Fatais Introdução 2 A prevenção de doenças e acidentes ocupacionais ocorre em duas esferas de controle distintas, mas concomitantes: uma que

Leia mais

QI ESCOLAS E FACULDADES POS GRADUAÇÃO GETÃO DE PESSOAS LEIVA POSSAMAI PERFIL DO LÍDER

QI ESCOLAS E FACULDADES POS GRADUAÇÃO GETÃO DE PESSOAS LEIVA POSSAMAI PERFIL DO LÍDER QI ESCOLAS E FACULDADES POS GRADUAÇÃO GETÃO DE PESSOAS LEIVA POSSAMAI PERFIL DO LÍDER GRAVATAÍ 2011 LEIVA POSSAMAI GESTÃO DE PESSOAS DO NÍVEL ESTRATÉGICO AO NÍVEL OPERACIONAL Trabalho de avaliação da disciplina

Leia mais

TESTE: RELACIONAMENTO INTERPESSOAL

TESTE: RELACIONAMENTO INTERPESSOAL TESTE: RELACIONAMENTO INTERPESSOAL (JANELA JOHARI) É constituído de 20 situações possíveis de ocorrer dentro de uma empresa, composto por duas afirmativas de resposta em cada. O usuário deve analisar qual

Leia mais

Relatório de Avaliação do Grau de Satisfação dos Clientes do Serviço de Apoio Domiciliário da ABLA

Relatório de Avaliação do Grau de Satisfação dos Clientes do Serviço de Apoio Domiciliário da ABLA Relatório de Avaliação do Grau de Satisfação dos Clientes do Serviço de Apoio Domiciliário da ABLA Junho 3 Página de Introdução Entre os dias e 3 de Maio de 3, foi aplicado o Questionário de Avaliação

Leia mais

PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL. PERSPECTIVA Consultores Associados Ltda. NOME DA EMPRESA

PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL. PERSPECTIVA Consultores Associados Ltda. NOME DA EMPRESA PERSPECTIVA Consultores Associados Ltda. PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL NOME DA EMPRESA A pesquisa foi desenvolvida e aplicada pela PERSPECTIVA Consultores Associados. Coordenador Interno: Ricardo Lezana

Leia mais

o planejamento, como instrumento de ação permanente; a organização do trabalho, como produto efetivo do planejamento;

o planejamento, como instrumento de ação permanente; a organização do trabalho, como produto efetivo do planejamento; FRANCISCO BITTENCOURT Consultor Sênior do MVC VISÃO, AÇÃO, RESULTADOS Visão sem ação é um sonho, sonho sem visão é um passatempo. Fred Polak INTRODUÇÃO No conhecido diálogo entre Alice e o gato Ceeshire,

Leia mais

Gestão de Pessoas. Capacidade de gerar resultados a partir das pessoas e dos processos inerentes ao negócio.

Gestão de Pessoas. Capacidade de gerar resultados a partir das pessoas e dos processos inerentes ao negócio. Gestão Corporativa Governança Corporativa é o conjunto de processos, costumes, políticas, leis que regulam a maneira como uma empresa é dirigida, administrada ou controlada. PROCESSOS PESSOAS TECNOLOGIA

Leia mais

Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report

Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report Avaliação de: Sr. Mario Exemplo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report

Leia mais

18 de junho 2013 Espaço Araguari São Paulo - SP

18 de junho 2013 Espaço Araguari São Paulo - SP 18 de junho 2013 Espaço Araguari São Paulo - SP PORQUE DIÁLOGOS ENTRE GERAÇÕES? Nesta 5 a. Edição do Café com Estratégia, o tema escolhido foi Diálogos entre Gerações. Diálogos porque não há um conflito

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO DE UMA DIRETORIA DE PROJETOS

CONTRIBUIÇÃO DE UMA DIRETORIA DE PROJETOS www.tecnologiadeprojetos.com.br Diretoria de Acompanhamento e Avaliação de Projetos da Secretaria de Estado da Educação de Minas Gerais DAPE/SEE-MG RELATÓRIO DE PESQUISA 1 : CONTRIBUIÇÃO DE UMA DIRETORIA

Leia mais

Exercícios de Gestão de Processos

Exercícios de Gestão de Processos Exercícios de Gestão de Processos Agente de Administração 1) Uma organização formal, também conhecida como tradicional, compõe-se de camadas hierárquicas, enfatizando: a) o meio ambiente. b) os funcionários.

Leia mais

Aperf r e f iço ç a o m a ent n o t o Ge G re r nci c al a para Supermercados

Aperf r e f iço ç a o m a ent n o t o Ge G re r nci c al a para Supermercados Aperfeiçoamento Gerencial para Supermercados Liderança Liderança é a habilidade de influenciar pessoas, por meio da comunicação, canalizando seus esforços para a consecução de um determinado objetivo.

Leia mais

Índice. A importância da comunicação nas relações interpessoais MÓDULO 1 NOTA INTRODUTÓRIA 17 COMO UTILIZAR ESTA OBRA 19

Índice. A importância da comunicação nas relações interpessoais MÓDULO 1 NOTA INTRODUTÓRIA 17 COMO UTILIZAR ESTA OBRA 19 Índice NOTA INTRODUTÓRIA 17 COMO UTILIZAR ESTA OBRA 19 MÓDULO 1 A importância da comunicação nas relações interpessoais FINALIDADES 22 PRÉ-TESTE 23 Objetivo 1. Identificar a importância do estudo da comunicação

Leia mais

Gestão de pessoas na empresa rural. Prof. Rafahel Carvalho de Souza PUC Minas

Gestão de pessoas na empresa rural. Prof. Rafahel Carvalho de Souza PUC Minas Gestão de pessoas na empresa rural Prof. Rafahel Carvalho de Souza PUC Minas Panorama antigo Modernização da agricultura brasileira (década 60-80): Investimentos (máquinas, equipamentos e animais de raças

Leia mais

RECURSOS HUMANOS COMO FATOR DE EFICÁCIA ORGANIZACIONAL

RECURSOS HUMANOS COMO FATOR DE EFICÁCIA ORGANIZACIONAL RECURSOS HUMANOS COMO FATOR DE EFICÁCIA ORGANIZACIONAL Por quê o lado humano dos negócios está emergindo como uma indispensável vantagem competitiva? Era Industrial Taylor e Fayol Era do Conhecimento Tecnologia

Leia mais

GRADUAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING DENOMINAÇÃO: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING / ÁREA PROFISSIONAL: GESTÃO E NEGÓCIOS.

GRADUAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING DENOMINAÇÃO: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING / ÁREA PROFISSIONAL: GESTÃO E NEGÓCIOS. GRADUAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING CARACTERIZAÇÃO DO CURSO DENOMINAÇÃO: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING / ÁREA PROFISSIONAL: GESTÃO E NEGÓCIOS. DIPLOMA CONFERIDO: TECNÓLOGO DE

Leia mais

Agradeço muito o convite que me foi endereçado para encerrar este XI Congresso da Ordem dos Revisores Oficias de Contas.

Agradeço muito o convite que me foi endereçado para encerrar este XI Congresso da Ordem dos Revisores Oficias de Contas. Senhor Bastonário da Ordem dos Revisores Oficiais de Contas, Dr. José Azevedo Rodrigues; Senhor Vice-Presidente do Conselho Diretivo da Ordem dos Revisores Oficiais de Contas e Presidente da Comissão Organizadora

Leia mais

LIDERANÇA RESPONSÁVEL. R A menor distância entre a Organização e o Talento

LIDERANÇA RESPONSÁVEL. R A menor distância entre a Organização e o Talento R 1 O QUE DIFRENCIA UMA EXCELENTE EMPRESA DE UMA SIMPLESMENTE BOA? Mais que oferecer um ótimo salário e benefícios peculiares, um excelente lugar para trabalhar é aquele onde os funcionários confiam nas

Leia mais

Formação Analista DISC

Formação Analista DISC Formação Analista DISC Metodologia DISC Os Fatores DISC representam reações comportamentais a partir da percepção que o indivíduo tem do ambiente. Marston precisava medir de algum modo os estilos de comportamento.

Leia mais

Desenvolvimento de Pessoas na Administração Pública. Assembléia Legislativa do Estado de Säo Paulo 14 de outubro de 2008

Desenvolvimento de Pessoas na Administração Pública. Assembléia Legislativa do Estado de Säo Paulo 14 de outubro de 2008 Desenvolvimento de Pessoas na Administração Pública Assembléia Legislativa do Estado de Säo Paulo 14 de outubro de 2008 Roteiro 1. Contexto 2. Por que é preciso desenvolvimento de capacidades no setor

Leia mais

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Miriam Regina Xavier de Barros, PMP mxbarros@uol.com.br Agenda Bibliografia e Avaliação 1. Visão Geral sobre o PMI e o PMBOK 2. Introdução

Leia mais

EMPREENDEDORISMO LIDERANÇA MODERNA

EMPREENDEDORISMO LIDERANÇA MODERNA SIMPÓSIO ASBRAN 60 ANOS conjugando saberes e competências do Nutricionista & EMPREENDEDORISMO LIDERANÇA MODERNA Prof. Alexandre Cristiano Rosaneli COPYRIGHT K.MIND LIDERANÇA E GESTÃO. 1 PARA ONDE VAMOS?

Leia mais

Módulo: Gestão de Pessoas

Módulo: Gestão de Pessoas O Sistema FIRJAN, por meio do Instituto Euvaldo Lodi (IEL-RJ), apresenta o Programa de Capacitação Empresarial Inovando na Gestão. O objetivo é atualizar e capacitar os empresários e dirigentes empresariais

Leia mais