Procedimentos de enfermagem Segue a lista de procedimentos básicos desenvolvidos:

Save this PDF as:
Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Procedimentos de enfermagem Segue a lista de procedimentos básicos desenvolvidos:"

Transcrição

1 Procedimentos de enfermagem Segue a lista de procedimentos básicos desenvolvidos: *Os valores serão reajustados pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). ATIVIDADES VALOR ADMINISTRATIVAS 01. Consultoria 02. Assessoria 03. Auditoria 04. Planejamento 05. Supervisão DIDÁTICAS Ensino: Em Serviços Na comunidade Em instituições de ensino * Nível Médio * Nível Universitário Nível Graduação - Especialização - Mestrado - Doutorado - Empresas ADMINISTRATIVAS Valor de livre manifestação entre as partes a partir de R$ 140,49 DIDÁTICAS 1. Ensino para Pesquisa R$ 98,10 /h R$ 98,10 /h R$ 105,81/h R$ 140,49/h R$ 140,49/h R$ 176,94 /h R$ 211,62 /h R$ 211,62 /h ASSISTÊNCIA 1. Atendimento às necessidades de higiene e conforto 1.1. Preparo de leito ocupado 1.2. Preparo de leito desocupado I II III R$ 5, Colocação e/ou retirada de colchão d' água ou ar 1.4. Banho no leito 1.5. Banho de aspersão 1.6. Banho de RN 1.7. Higiene oral com ou sem prótese 1.8. Tricotomia facial / axilar / abdominal torácica e de MMSS e MMII 1.9. Higiene do couro cabeludo Tricotomia do couro cabeludo Higiene íntima Tricotomia perineal / nádega e ânus Preparo da pele para cirurgias Cuidados com as mãos e unhas Cuidados com os pés e unhas Cuidados com escabiose Cuidados com pediculose Cuidados na prevenção de escaras de decúbito Cuidados integrais acamados parcialmente dep Cuidados integrais totalmente dependentes ASSISTÊNCIA 1. Atendimento às necessidades de higiene e conforto 1.1. R$ 10, R$ 6, R$ 10, R$ 17, R$ 7, R$ 35, R$ 10, R$ 10, R$ 6, R$ 13, R$ 10, R$ 35, R$ 6, R$ 10, R$ 13, R$ 13, R$ 17, R$ 13, R$ 56, R$ 105,81 2. Atendimento às necessidades de oxigenação 2.1. Verificação da respiração / pulsos e pressão 2.2. Verificação da pressão sanguínea 2.3. Aspiração do trato respiratório observ. e ausculta 2 Atendimento às necessidades de oxigenação 2.1. R$ 35, R$ 21, R$ 42,28

2 2.4. Drenagem postural sem percussão e ausculta 2.5. Instalação de cuidados gerais com oxigênio 2.6. Cuidado com a traqueostomia 2.7. Cuidados e montagens de respirador artificial 2.8. Cuidado com a nebulização 3. Atendimento às necessidades nutricionais e hídricas 3.1. Alimentação oral de pct. parcialmente dependentes 3.2. Alimentação oral de pct. totalmentes dependentes 3.3. Alimentação por gastronomia / mamadeira e sonda 3.4. Inserção e remoção de sonda nasogástrica 3.5. Inserção e remoção de sonda nasojejunal/entérica 3.6. Aspiração nasogástrica 3.7. Instalação controle cuidados com nutrição parental 3.8. Controle de ingestas 4. Atendimento às necessidades de eliminação 4.1. Inserção/remoção de sonda nasogástrica drenagem 4.2. Lavado gástrico 4.3. Inserção de sonda vesical de alívio ou demora 4.4. Inserção de sonda retal 4.5. Instalação/troca de dispositivos urinários externos 4.6. Irrigação de sonda vertical e bexiga 4.7. Instilação vesical 4.8. Enteróclise (lavagem intestinal) VR e outros 4.9. Enemas (retenção/carminativos/fluxo/medicação) Remoção manual de fezes (fecaloma) Troca de colostomia e jejunostomia Utilização de medidas não invasivas para estimular a eliminação de urina e fecal Controle de excretas I II III R$ 5, Cuidados com conjuntos de drenagem 2.4. R$ 13, R$ 13, R$ 21, R$ 42, R$ 6,95 3. Atendimento às necessidades nutricionais e hídricas 3.1. R$ 6, R$ 13, R$ 27, R$ 27, R$ 42, R$ 6, R$ 27, R$ 6,95 4. Atendimento às necessidades de eliminação 4.1. R$ 35, R$ 13, R$ 35, R$ 13, R$ 10, R$ 35, R$ 13, R$ 21, R$ 21, R$ 35, R$ 13, R$ 6, R$ 6, R$ 7,90 5. Atendimento às necessidades de regulação 5.1. Térmica Verificação de temperatura Aplicação de calor seco e calor úmido Aplicação de frio seco e frio úmido 5.2. Hormonal Controle sinais/sintomas de hipo/hiperglicemia Realização de teste de glicosório Realização de glicemia (teste) 5.3. Neurológica Controle do nível de consciência (Glagow) 5.3.2Controle de pupilas Cuidados básicos em situação de convulsão 5.4. Hidreletrolítica Balanço hídrico (controle de ingestas excretas) Diálise peritoneal I Hemodiálise I R$ 51, Controle / Cuidade / orientação com CAPD I Verificação de dados antropométricos Cuidados com derivação ventricular externa 5. Atendimento às necessidades de regulação 5.1. Térmica R$ 6, R$ 6, R$ 6, Hormonal R$ 6, R$ 13, R$ 13, Neurológica R$ 6, R$ 6, R$ 13, Hidreletrolítica R$ 13, R$ 70,31 (SeS) R$ 70,31 (SeS) R$ 70,31 (SeS) R$ 6, R$ 21,14 6. Atendimento às necessidades cutâneo-mucosas 6.1. No pós-operatório a pacientes conscientes 6.2. No pós-operatório a pacientes semiconscientes 6. Atendimento às necessidades cutâneo-mucosas 6.1. R$ 6, R$ 10,41

3 6.3. No pós-operatório a pacientes inconscientes 6.4. Curativo limpo 6.5. Curativo infectado 6.6. Curativo e troca de bolsas em estomas 6.7. Curativo e troca de cânula de traqueostomia 6.8. Curativo em lesões sem solução de continuidade 6.9. Cuidados com escaras de decúbito Aplicação de bandagens em diversas aplicações Retiradas de pontos 6.3. R$ 12, R$ 35, R$ 56, R$ 42, R$ 42, R$ 13, R$ 35, R$ 21, R$ 44,16 7. Atendimento às necessidades terapêuticas 7.1. Aplicação de material radioativo 7.2. Banho de leito ou aspersão / medicamento 7.3. Banho de assento 7.4. Embrocação vaginal 7.5. Coleta de material para exames laboratoriais Sangue Urina Fezes Secreções Coleta de sangue arterial Coleta de urina para urocultura Coleta de fezes para coprocultura Instalação de PVC Controle do PVC Instalação de PAM Controle de PAM Instalação de fluidoterapia Instalação e cuidados com fluidoterapia Instalação de quimioterápicos Controle e cuidados com quimioterápicos Cuidados gerais com hemoderivados Punção venosa com dispositivo simples Punção venosa com dispositivo com mandril Medicação tópica Medicação endovenosa Medicação IM-intradérmica e SC Medicação sublingual, ocular, nasal e oral Medicação retal e por sonda Medicação vaginal 7. Atendimento às necessidades terapêuticas 7.1. R$ 140, R$ 17, R$ 13, R$ 21, Coleta de material para exames laboratoriais R$ 24, R$ 13, R$ 21, R$ 24, R$ 35, R$ 21, R$ 21, R$ 42, R$ 44,16 /h R$ 42, R$ 44,16 /h R$ 18, R$ 6, R$ 33, R$ R$ 38, R$ 19, R$ 25, R$ 11, R$ 20, R$ 14, R$ 7, R$ 18, R$ 18,32 8. Atendimento às necessidades de locomoção/mobilidade/exercício 8.1. Acompanhamento na deambulação / passeio 8.2. Acompanhamento na realização de exames 8.3. Acompanhamento na transferência de instituições 8.4. Auxílio na deambulação 8.5. Movimentação ativa (auxílio) 8.6. Movimentação passiva 8.7. Mudança de decúbito 8.8. Posicionamento para exames 8.9. Assentar em cadeira / poltrona / ou beira do leito Transporte em cadeira de rodas Transporte em maca 8. Atendimento às necessidades de locomoção/mobilidade/exercício 8.1. R$ 63, R$ 32, R$ 32, R$ 9, R$ 32, R$ 63, R$ 10, R$ 6, R$ 6, R$ 32, R$ 51,41 9. Atendimento às necessidades de segurança física 9.1. Cuidados com pacientes sedados 9. Atendimento às necessidades de segurança física 9.1. R$ 12,75 /h

4 9.2. Cuidados com a restrição de movimentos 9.2. R$ 6,44 /h 10. Cuidados com o corpo após a morte Higiene, Tamponamento e vestuário 10. Cuidados com o corpo após a morte R$ 194,25 h 11. Vigilância e acompanhamento No domicílio No ambiente hospitalar Em transporte no perímetro urbano Em viagens Em eventos 11. Vigilância e acompanhamento I R$ 48,57 /h II R$ 25,68 /h III R$ 16,10 /h I R$ 64,15 /h II R$ 44,16 /h III R$ 32,17 /h I R$ 72,80 /h II R$ 48,57 /h III R$ 40,39 /h I R$ 96,82 /h II R$ 64,88 /h III R$ 48,57 /h I R$ 64,15 /h II R$ 44,16 /h III R$ 2,17 /h 12. Processo de Enfermagem Consulta de enfermagem Prescrição de enfermagem Evolução de enfermagem 12. Processo de Enfermagem I R$ 128, I R$ 63, I R$ 63, Primeiros Socorros Contato para socorrista 14. Visita Domiciliar Visita e atenção domiciliar 13. Primeiros Socorros I R$ 63,41 /h 14. Visita Domiciliar I R$ 128,31 /h II R$ 96,82 /h III R$ /h *Os valores serão reajustados pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). OBSERVAÇÕES: De acordo com a Resolução COFEN Nº 301/2005 Art. 2º A prestação de serviços de Enfermagem que ocorrer em horário noturno, ou nos fins de semana e feriados, haverá um acréscimo de 20%(vinte por cento) sobre os valores previstos na citada TABELA; A execução dos procedimentos da Assistência de Enfermagem inclui: Preparo do paciente, do material e do ambiente; Orientação quanto aos procedimentos e suas aplicações; Observação e controle do paciente até o término do procedimento; Registro quanto à execução, reações e condutas adotadas. - Os valores indicados para a prestação de Serviços de Enfermagem não incluem o custo do material necessário. 2) Quadro I Enfermeiro Quadro II Técnico de Enfermagem Quadro III Auxiliar de Enfermagem

5 3) Os Técnicos de Enfermagem e os Auxiliares de Enfermagem somente poderão desempenhar qualquer atividade em instituições de saúde, públicas e privadas, e em programas de saúde sob orientação e supervisão de Enfermeiro (Art. 15 da Lei 7.498/1986 e Art. 15 do Decreto /1987).

As profissões regulamentadas por lei de que trata o parágrafo único, do art. 3º do Regulamento do PROASA são as seguintes:

As profissões regulamentadas por lei de que trata o parágrafo único, do art. 3º do Regulamento do PROASA são as seguintes: Cartilha O PROASA consiste em disponibilizar aos beneficiários dos planos médico-hospitalares, serviços de Nutricionista e Terapia Ocupacional para atendimento em consultório, bem como, profissionais da

Leia mais

Tabela de Honorários para Prestação de Serviços de Enfermagem ATIVIDADES AÇÕES DESENVOLVIDAS QUADRO VALOR ATUAL

Tabela de Honorários para Prestação de Serviços de Enfermagem ATIVIDADES AÇÕES DESENVOLVIDAS QUADRO VALOR ATUAL Tabela de Honorários para Prestação de Serviços de Enfermagem ATIVIDADES AÇÕES DESENVOLVIDAS QUADRO VALOR ATUAL 1. Consultoria I 2. Assessoria I Livre ADMINISTRATIVAS 3. Auditoria I manifestação 4. Planejamento

Leia mais

Tabela de Honorários RESOLUÇÃO COFEN-301/2005

Tabela de Honorários RESOLUÇÃO COFEN-301/2005 Tabela de Honorários RESOLUÇÃO COFEN-301/2005 Atividades Administrativas 1. Consultoria I 2. Assessoria I 3. Auditoria I 4. Planejamento I 5. Supervisão I Livre negociação entre as partes a partir de 72,31

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO RIO GRANDE DO SUL Autarquia Federal Lei n 5.905/73

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO RIO GRANDE DO SUL Autarquia Federal Lei n 5.905/73 DECISÃO COREN-RS Nº 077/2013 Dispõe sobre os valores mínimos de honorários de serviços prestados pelos profissionais de Enfermagem no âmbito do Estado do Rio Grande do Sul. O CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM

Leia mais

Tabela de Honorários para Prestação de Serviços de Enfermagem

Tabela de Honorários para Prestação de Serviços de Enfermagem HIGIENE E CONFORTO Tabela de Honorários para Prestação de Serviços de Enfermagem ATIVIDADES AÇÕES DESENVOLVIDAS QUADRO VALOR ATUAL 1. Consultoria I Livre 2. Assessoria I manifestação ADMINISTRATIVAS 3.

Leia mais

Cronograma PCE IV Coordenadora Vanessa Cortes

Cronograma PCE IV Coordenadora Vanessa Cortes Cronograma PCE IV- 2011-2 Coordenadora Vanessa Cortes Data Dia Conteúdo Professor Local Vigilância sanitária e vigilância epidemiológica 2 semanas 27-02 Seg Métodos de Desinfecção e Esterilização e Métodos

Leia mais

Apresentação da disciplina; orientação quanto ao uso do laboratório.

Apresentação da disciplina; orientação quanto ao uso do laboratório. CURSO UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE ENFERMAGEM DE RIBEIRÃO PRETO ENFERMAGEM GERAL E ESPECIALIZADA CRONOGRAMA DA DISCIPLINA - 2019 BACHARELADO EM ENFERMAGEM (X) BACHARELADO E LICENCIATURA EM ENFERMAGEM

Leia mais

42. Aspiração de Tubo Endotraqueal: Sistema Aberto Aspiração de Tubo Endotraqueal: Sistema Fechado 254

42. Aspiração de Tubo Endotraqueal: Sistema Aberto Aspiração de Tubo Endotraqueal: Sistema Fechado 254 A 1. Administração de Enema de Limpeza de Pequeno Volume 21 2. Administração de Enema de Retenção 25 3. Administração de Enema para Limpeza de Grande Volume 30 4. Administração de Infusão Intravenosa com

Leia mais

Faculdade da Alta Paulista

Faculdade da Alta Paulista Plano de Ensino Disciplina: Fundamentação Básica em Enfermagem Curso: Enfermagem Período Letivo: 2018 Série: 3º ano Obrigatória (X) Optativa ( ) CH Teórica: 80 h CH Prática: 0 CH Total: 80 h I - Objetivos

Leia mais

TABELA GERAL DE SERVIÇOS DE ENFERMAGEM ALGALIAÇÃO C/ LAVAGEM VESICAL 7 C 25,00 ALGALIAÇÃO C/ LAVAGEM VESICAL 8 D 45,00

TABELA GERAL DE SERVIÇOS DE ENFERMAGEM ALGALIAÇÃO C/ LAVAGEM VESICAL 7 C 25,00 ALGALIAÇÃO C/ LAVAGEM VESICAL 8 D 45,00 ALGALIAÇÃO C/ LAVAGEM VESICAL 7 C 25,00 ALGALIAÇÃO C/ LAVAGEM VESICAL 8 D 45,00 ALGALIAÇÃO C/ SONDA NORMAL (15 DIAS) 5 C 20,00 ALGALIAÇÃO C/ SONDA NORMAL (15 DIAS) 6 D 35,00 ALGALIAÇÃO C/ SONDA 100% SILICONE

Leia mais

Ficha de Protocolo. Resumo do Protocolo. Contactos da Entidade

Ficha de Protocolo. Resumo do Protocolo. Contactos da Entidade Ficha de Protocolo Resumo do Protocolo Entidade: Serviço Médico Permanente, S.A. Local: Concelhos de Alcochete, Almada, Amadora, Barreiro, Cascais, Lisboa, Loures, Moita, Odivelas, Oeiras, Seixal, Sintra

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec Professor Massuyuki Kawano Código: 136 Município: Tupã Eixo Tecnológico: Ambiente e Saúde Habilitação Profissional: Técnico em Enfermagem Qualificação:

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Ambiente, Saúde e Segurança. Habilitação Profissional: Técnico em Enfermagem Qualificação:

Leia mais

Ficha de Protocolo. Serviços/Produtos: Serviços de Saúde domiciliários e ambulatórios associados ao Cartão Médico Permanente 24h Gold

Ficha de Protocolo. Serviços/Produtos: Serviços de Saúde domiciliários e ambulatórios associados ao Cartão Médico Permanente 24h Gold Ficha de Protocolo Resumo do Protocolo Entidade: Serviço Médico Permanente, S.A. Local: Território Nacional Serviços/Produtos: Serviços de Saúde domiciliários e ambulatórios associados ao Cartão Médico

Leia mais

TABELA GERAL DE SERVIÇOS DE ENFERMAGEM ALGALIAÇÃO C/ LAVAGEM VESICAL 7 C 25,00 ALGALIAÇÃO C/ LAVAGEM VESICAL 8 D 45,00

TABELA GERAL DE SERVIÇOS DE ENFERMAGEM ALGALIAÇÃO C/ LAVAGEM VESICAL 7 C 25,00 ALGALIAÇÃO C/ LAVAGEM VESICAL 8 D 45,00 ALGALIAÇÃO C/ LAVAGEM VESICAL 7 C 25,00 ALGALIAÇÃO C/ LAVAGEM VESICAL 8 D 45,00 ALGALIAÇÃO C/ SONDA NORMAL (15 DIAS) 5 C 20,00 ALGALIAÇÃO C/ SONDA NORMAL (15 DIAS) 6 D 35,00 ALGALIAÇÃO C/ SONDA PARA TRÊS

Leia mais

Programa Analítico de Disciplina EFG211 Habilidades em Enfermagem II

Programa Analítico de Disciplina EFG211 Habilidades em Enfermagem II 0 Programa Analítico de Disciplina Departamento de Medicina e Enfermagem - Centro de Ciências Biológicas e da Saúde Número de créditos: 6 Teóricas Práticas Total Duração em semanas: 15 Carga horária semanal

Leia mais

Resolução COFEN Nº 293/2007

Resolução COFEN Nº 293/2007 Resolução COFEN Nº 293/2007 Dimensionamento de Pessoal Cleide Mazuel Canavezi cleidem@corensp.org.br Resolução COFEN 293/2004 1 Dimensionamento de Pessoal Fixa e Estabelece Parâmetros para Dimensionar

Leia mais

Assistência de Enfermagem rio

Assistência de Enfermagem rio Assistência de Enfermagem Pós-operatóriorio Pós-operatório rio O período pós-operatp operatóriorio tem início logo após o término t da operação e vai até a alta do paciente, podendo ainda se estender a

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA VERSÃO CURRICULAR: 2014/2 PERÍODO: 5º DEPARTAMENTO: ENB

PROGRAMA DE DISCIPLINA VERSÃO CURRICULAR: 2014/2 PERÍODO: 5º DEPARTAMENTO: ENB PROGRAMA DE DISCIPLINA DISCIPLINA: Fundamentos do Cuidado de Enfermagem CÓDIGO: ENB040 COORDENADOR: CARGA HORÁRIA CARGA HORÁRIA CRÉDITOS INÍCIO TÉRMINO TEÓRICA PRÁTICA 45 105 10 VERSÃO CURRICULAR: 2014/2

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Técnico Plano de Curso nº 168 aprovado pela portaria Cetec nº 125 de 03/10/2012 Etec: PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Ambiente

Leia mais

Plano de Trabalho Docente

Plano de Trabalho Docente Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC Plano de Trabalho Docente - 2019 Ensino Técnico Plano de Curso no. 168 aprovado pela Portaria Cetec 724, de 10-9-2015, publicada no Diário Oficial de 11-9-2015

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE ENFERMAGEM DE RIBEIRÃO PRETO ENFERMAGEM GERAL E ESPECIALIZADA CRONOGRAMA DA DISCIPLINA

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE ENFERMAGEM DE RIBEIRÃO PRETO ENFERMAGEM GERAL E ESPECIALIZADA CRONOGRAMA DA DISCIPLINA CURSO UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE ENFERMAGEM DE RIBEIRÃO PRETO ENFERMAGEM GERAL E ESPECIALIZADA CRONOGRAMA DA DISCIPLINA - 2016 BACHARELADO EM ENFERMAGEM (X) BACHARELADO E LICENCIATURA EM ENFERMAGEM

Leia mais

ANOTAÇÃO DE ENFERMAGEM

ANOTAÇÃO DE ENFERMAGEM ANOTAÇÃO DE ENFERMAGEM ANOTAÇÃO DE ENFERMAGEM As anotações de enfermagem fornecem dados que irão subsidiar o enfermeiro no estabelecimento do plano de cuidados/prescrição de enfermagem suporte para análise

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Autorizado pela Portaria no 135, de 29/01/09, publicada no DOU no 21, de 30/01/09, seção 1, pág.

CURSO DE ENFERMAGEM Autorizado pela Portaria no 135, de 29/01/09, publicada no DOU no 21, de 30/01/09, seção 1, pág. CURSO DE ENFERMAGEM Autorizado pela Portaria no 135, de 29/01/09, publicada no DOU no 21, de 30/01/09, seção 1, pág. Componente Curricular: METODOLOGIA DO PROCESSO DE CUIDAR II Código: ENF 204 Pré-requisito:

Leia mais

Faculdade da Alta Paulista

Faculdade da Alta Paulista Plano de Ensino Disciplina: FUNDAMENTAÇÃO BÁSICA EM ENFERMAGEM Curso: Enfermagem Período Letivo: 2018 Série: 3ª 3 Obrigatória (X) Optativa ( ) CH Teórica: 60 CH Prática: 20 CH Total: 80 Obs: I - Objetivos

Leia mais

Enfermeiro Técnico de Enfermagem. INDICAÇÃO: Indicado a todos os técnicos de enfermagem do Alojamento Conjunto.

Enfermeiro Técnico de Enfermagem. INDICAÇÃO: Indicado a todos os técnicos de enfermagem do Alojamento Conjunto. PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO Título: Atribuições dos Técnicos de Enfermagem do Alojamento Conjunto Responsável pela prescrição do POP Responsável pela execução do POP 1. Definição Enfermeiro Técnico

Leia mais

Plano de Trabalho Docente

Plano de Trabalho Docente Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC Plano de Trabalho Docente - 2019 Ensino Técnico Plano de Curso no. 168 aprovado pela Portaria Cetec 724, de 10-9-2015, publicada no Diário Oficial de 11-9-2015

Leia mais

FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE

FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE PLANO DE CURSO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Curso: Bacharelado em Enfermagem Disciplina: Semiologia e Semiotécnica II Professores: Fabiano Mendes de Menezes e Lívia Fernanda Ferreira Deodato. e-mail: fmmenezes_2@yahoo.com.br

Leia mais

Plano de Trabalho Docente

Plano de Trabalho Docente Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC Plano de Trabalho Docente - 2019 Ensino Técnico Plano de Curso no. 168 aprovado pela Portaria Cetec 724, de 10-9-2015, publicada no Diário Oficial de 11-9-2015

Leia mais

Plano de Trabalho Docente

Plano de Trabalho Docente Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC Plano de Trabalho Docente - 2018 Ensino Técnico Plano de Curso no. 168 aprovado pela Portaria Cetec 724, de 10-9-2015, publicada no Diário Oficial de 11-9-2015

Leia mais

Assistência de enfermagem no período pré-operatório. Aline Carrilho Menezes

Assistência de enfermagem no período pré-operatório. Aline Carrilho Menezes Assistência de enfermagem no período pré-operatório Aline Carrilho Menezes Técnico e auxiliar de enfermagem A sua participação é importante e vital no transcorrer do ato anestésico-cirúrgico para a promoção

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2017 Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2017 Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2017 Ensino Técnico Plano de Curso nº aprovado pela portaria Cetec nº 125 de 03/10/2012 Etec Sylvio de Mattos Carvalho Código: 103 Município: Matão Eixo Tecnológico: Ambiente

Leia mais

LISTA DE PREÇOS HPGS/ Nipomed Diária. Referência Valor Apartamento Standard

LISTA DE PREÇOS HPGS/ Nipomed Diária. Referência Valor Apartamento Standard LISTA DE PREÇOS HPGS/ Nipomed 2017 1. Diária Código Descrição Referência Valor 5000001 Apartamento Standard Dia R$ 350,00 5000002 Enfermaria Dia R$ 210,00 5000003 Hospital Dia Apartamento Dia R$ 205,00

Leia mais

Faculdade da Alta Paulista

Faculdade da Alta Paulista Disciplina: Introdução a Prática de Enfermagem Curso: Enfermagem Plano de Ensino Período Letivo: 2018 Série: 1ª 1 Obrigatória (X) Optativa ( ) CH Teórica: 60 CH Prática: 202 CH Total: 80 I - Objetivos

Leia mais

SERVIÇO DE ENFERMAGEM

SERVIÇO DE ENFERMAGEM DESCRITIVO DO SERVIÇO O exercício profissional do Enfermeiro tem como objetivos a promoção da saúde, a prevenção da doença, o tratamento, a reabilitação e a reinserção social. Os cuidados de enfermagem

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2017 Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2017 Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2017 Ensino Técnico Plano de Curso nº 168 Aprovado pela portaria Cetec nº 125 de 03/10/2012. ETEC Sylvio de Mattos Carvalho. Código: 103 Município: Matão Eixo Tecnológico: Ambiente

Leia mais

Resultados da Validação do Mapeamento. Administrar medicamentos vasoativos, se adequado.

Resultados da Validação do Mapeamento. Administrar medicamentos vasoativos, se adequado. Intervenções de Enfermagem da Classificação das Intervenções de Enfermagem (NIC) para o diagnóstico de Volume de líquidos deficiente em pacientes vitimas de trauma Quadro 1- Reestruturação dos níveis de

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE ACORDO COM OS CBOS

PROCEDIMENTOS DE ACORDO COM OS CBOS PROCEDIMENTOS DE ACORDO COM OS CBOS COMP NOME PROCEDIMENTO COD_PROCED NOME CBO COD_CBO 201703 ATIVIDADE EDUCATIVA / ORIENTAÇÃO EM GRUPO NA ATENÇÃO BÁSICA 101010010 ENFERMEIRO DA ESTRATÉGIA DE SA 223565

Leia mais

A UNIDADE DE RECUPERAÇÃO PÓS-ANESTÉSICA PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DA UNIDADE

A UNIDADE DE RECUPERAÇÃO PÓS-ANESTÉSICA PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DA UNIDADE A UNIDADE DE RECUPERAÇÃO PÓS-ANESTÉSICA PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DA UNIDADE SRPA Unidade de Recuperação Pós-Anestésica é a área destinada à permanência do paciente, logo após o término da cirurgia, onde

Leia mais

GRUPO DE ORTOGERIATRIA

GRUPO DE ORTOGERIATRIA GRUPO DE ORTOGERIATRIA Processo de enfermagem no atendimento do paciente ortogeriátrico Enfa. Sidna Torres/Enfa. Márcia Gomes PROCESSO DE ENFERMAGEM NO ATENDIMENTO DO PACIENTE ORTOGERIÁTRICO 1- OBJETIVO

Leia mais

UNIDADE DE RECUPERAÇÃO PÓS- ANESTÉSICA (URPA) Maria da Conceição Muniz Ribeiro

UNIDADE DE RECUPERAÇÃO PÓS- ANESTÉSICA (URPA) Maria da Conceição Muniz Ribeiro UNIDADE DE RECUPERAÇÃO PÓS- ANESTÉSICA (URPA) Maria da Conceição Muniz Ribeiro O primeiro relato sobre a existência de uma sala de recuperação pós-anestésica foi em 8 na Inglaterra. Florence Nightingale,

Leia mais

CUIDADOS COM CATETERES E SONDAS

CUIDADOS COM CATETERES E SONDAS FACULDADE UNIGRAN CAPITAL TECNÓLOGO EM RADIOLOGIA PRINCÍPIOS E TÉCNICAS DA ENFERMAGEM CUIDADOS COM CATETERES E SONDAS ACESSO VENOSO PERIFÉRICO Definido como acesso ao sistema venoso sistêmico por punção

Leia mais

1ºSEMESTRE LETIVO 2013

1ºSEMESTRE LETIVO 2013 1ºSEMESTRE LETIVO 2013 DISCIPLINA: Semiotécnica Básica de Enfermagem Docentes : Graziela Ramos Barbosa de Souza Aparecida Santos Noia Luciana Soares Costa Santos Carga horária: Teórica: 60 horas Teórico-Prático:

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA EMENTA OBJETIVOS

PROGRAMA DA DISCIPLINA EMENTA OBJETIVOS UPE Campus Petrolina PROGRAMA DA DISCIPLINA Curso: Enfermagem Disciplina: Semiologia e Semiotécnica de Enfermagem Carga Horária: 150h Teórica: 90h Prática: 60h Semestre: 2013.1 Período: 4º Professor: Lusineide

Leia mais

Colaboradores...5 Dedicatória...6 Agradecimentos...7 Prefácio...9

Colaboradores...5 Dedicatória...6 Agradecimentos...7 Prefácio...9 Sumário Colaboradores...5 Dedicatória...6 Agradecimentos...7 Prefácio...9 PARTE I Introdução à profissão de enfermagem 1 Enfermagem uma profissão em evolução...21 Visão geral...22 Revisão histórica...22

Leia mais

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO PLANO DE CURSO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Curso: Bacharelado em Enfermagem Disciplina: Semiologia e Semiotécnica II Professores: Fabiano Mendes de Menezes e Lívia Fernanda Ferreira Deodato e-mail: fabiano.menezes@fasete.edu.br

Leia mais

AULA- 2 ANOTAÇÕES DE ENFERMAGEM UNISALESIANO

AULA- 2 ANOTAÇÕES DE ENFERMAGEM UNISALESIANO AULA- 2 ANOTAÇÕES DE ENFERMAGEM UNISALESIANO Os registros efetuados pela equipe de enfermagem (enfermeiro, técnico e auxiliar de enfermagem) têm a finalidade essencial de fornecer informações sobre a assistência

Leia mais

Higiene Corporal. Professora : Vanda Meneses Graduação em Enfermagem Especialista em Enfermagem do Trabalho

Higiene Corporal. Professora : Vanda Meneses Graduação em Enfermagem Especialista em Enfermagem do Trabalho Higiene Corporal Professora : Vanda Meneses Graduação em Enfermagem Especialista em Enfermagem do Trabalho Objetivos das aulas teórico-práticas para o aluno Identificar a importância da higiene corporal

Leia mais

1. Aprovar as Normas para Atendimento Domiciliar (Anexo I). 2. Revogar a Resolução N 1, de 10 de fevereiro de 2015.

1. Aprovar as Normas para Atendimento Domiciliar (Anexo I). 2. Revogar a Resolução N 1, de 10 de fevereiro de 2015. RESOLUÇÃO Nº 5, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2017 O PRESIDENTE DO COLEGIADO DO PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, no uso de suas atribuições legais, e de acordo

Leia mais

FECOMÉRCIO VEÍCULO: TRIBUNA DO NORTE DATA: EDITORIA: CAPA E ECONOMIA

FECOMÉRCIO VEÍCULO: TRIBUNA DO NORTE DATA: EDITORIA: CAPA E ECONOMIA FECOMÉRCIO VEÍCULO: TRIBUNA DO NORTE DATA: 19.05.16 EDITORIA: CAPA E ECONOMIA VEÍCULO: JORNAL DE FATO DATA: 19.05.16 EDITORIA: OPINIÃO / CÉSAR SANTOS VEÍCULO: TRIBUNA DO NORTE/BLOG ELIANA LIMA DATA: 18.05.16

Leia mais

Pref. Natal/RN

Pref. Natal/RN Pref. Natal/RN 1 Como passar na Prefeitura de Natal/RN 2017 Plano de Estudo / Manual da Aprovação Querida (o) Aluna (o), Hoje conversaremos sobre um assunto fundamental para que você consiga êxito na sua

Leia mais

SUMÁRIO. Glossário Apresentação PARTE I PRINCÍPIOS GERAIS... 27

SUMÁRIO. Glossário Apresentação PARTE I PRINCÍPIOS GERAIS... 27 SUMÁRIO Glossário... 23 Apresentação... 25 PARTE I PRINCÍPIOS GERAIS... 27 Capítulo 1.1 Introdução aspectos gerais, exigência de infraestrutura e atividades essenciais para a prevenção de iras na assistência

Leia mais

GABARITO PROCESSO

GABARITO PROCESSO DATA / /. Telefone: ( ) ( ) NOME COMPLETO: GABARITO PROCESSO 004-2018 Instruções de preenchimento do gabarito Você recebeu um cartão de resposta, contendo 20 questões objetivas. Leia atentamente as questões

Leia mais

ENFERMAGEM ADMINISTRAÇÃO EM ENFERMAGEM

ENFERMAGEM ADMINISTRAÇÃO EM ENFERMAGEM ENFERMAGEM ADMINISTRAÇÃO EM ENFERMAGEM Estrutura Organizacional dos Serviços de Enfermagem e Gerenciamento do Aula 3 Profª. Tatiane da Silva Campos EQUIPE DE ENFERMAGEM Lei nº 7498/86 Decreto nº 94406/87

Leia mais

Sumário. FUNDAMENTOS DA PRÁTICA DE ENFERMAGEM 32 Capítulo 1 Introdução à Enfermagem 34. Capítulo 6 Valores, Ética e Defesa de Direitos 114

Sumário. FUNDAMENTOS DA PRÁTICA DE ENFERMAGEM 32 Capítulo 1 Introdução à Enfermagem 34. Capítulo 6 Valores, Ética e Defesa de Direitos 114 Sumário UNIDADE I FUNDAMENTOS DA PRÁTICA DE ENFERMAGEM 32 Capítulo 1 Introdução à Enfermagem 34 Perspectivas históricas da enfermagem 35 Definições da enfermagem 37 Objetivos da enfermagem 38 Enfermagem

Leia mais

ENFERMAGEM HOSPITALAR Manual de Normas, Rotinas e Procedimentos Sumário ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE DE ENFERMAGEM

ENFERMAGEM HOSPITALAR Manual de Normas, Rotinas e Procedimentos Sumário ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE DE ENFERMAGEM ENFERMAGEM HOSPITALAR Sumário ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE DE ENFERMAGEM Chefia do Serviço de Enfermagem Supervisor de Enfermagem Enfermeiro Encarregado de Unidade/Setor Enfermeiros em Unidade de Terapia Intensiva

Leia mais

Situação clínica: Tempo:

Situação clínica: Tempo: Protocolo: Situação clínica: Número de Vagas: Tempo: FISC CRÔNICO Paciente com lesões agudas estáveis do SNC, principalmente AVC e TCED, podendo incluir pós-operatório neurocirúrgico, infecções ou anóxia,

Leia mais

CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO AUXILIAR DE SAÚDE Planificação anual de HSCG - 11ºano 2015/16

CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO AUXILIAR DE SAÚDE Planificação anual de HSCG - 11ºano 2015/16 CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO AUXILIAR DE SAÚDE Planificação anual de HSCG - 11ºano 2015/16 Turma: K Professora: Maria de Fátima Martinho 1 - Estrutura e Finalidades da disciplina A disciplina de Higiene,

Leia mais

Drogas que atuam no sistema cardiovascular, respiratório e urinário

Drogas que atuam no sistema cardiovascular, respiratório e urinário Drogas que atuam no sistema cardiovascular, respiratório e urinário Drogas que atuam no sistema cardiovascular As principais classes terapêuticas: 1. Antihipertensivos 2. Antiarrítmicos 3. Antianginosos

Leia mais

WILLIAM ROGÉRIO ARETZ BRUM RELATÓRIO DO ESTÁGIO CURRICULAR III DESENVOLVIDO NA UNIDADE DE TRATAMENTO INTENSIVO DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE

WILLIAM ROGÉRIO ARETZ BRUM RELATÓRIO DO ESTÁGIO CURRICULAR III DESENVOLVIDO NA UNIDADE DE TRATAMENTO INTENSIVO DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE WILLIAM ROGÉRIO ARETZ BRUM RELATÓRIO DO ESTÁGIO CURRICULAR III DESENVOLVIDO NA UNIDADE DE TRATAMENTO INTENSIVO DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE Trabalho apresentado ao curso de Enfermagem da Universidade

Leia mais

RELATO DE PRÁTICA PEDAGÓGICA DOS ACADÊMICOS DO 7º E 8º PERÍODO DE ENFERMAGEM NA PRÁTICA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

RELATO DE PRÁTICA PEDAGÓGICA DOS ACADÊMICOS DO 7º E 8º PERÍODO DE ENFERMAGEM NA PRÁTICA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1 RELATO DE PRÁTICA PEDAGÓGICA DOS ACADÊMICOS DO 7º E 8º PERÍODO DE ENFERMAGEM NA PRÁTICA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO André Alves Catapreta Especialista em Enfermagem em Clientes de Alta Complexidade com

Leia mais

Faculdade da Alta Paulista

Faculdade da Alta Paulista Plano de Ensino Disciplina: INTRODUÇÃO À PRATICA DE ENFERMAGEM Curso: Enfermagem Período Letivo: 2018 Série: 1º ano Obrigatória (X) Optativa ( ) CH Teórica: 80 h CH Prática: 0 CH Total: 80 h I - Objetivos

Leia mais

COM CORREÇÃO PELO ÍNDICE DE INFLAÇÃO MENSAL - INPC VALORES A SEREM COBRADOS NO MÊS DE SETEMBRO DE 2011. I Supervisão.

COM CORREÇÃO PELO ÍNDICE DE INFLAÇÃO MENSAL - INPC VALORES A SEREM COBRADOS NO MÊS DE SETEMBRO DE 2011. I Supervisão. 1 \TABELA DE HONORÁROS MÍNMOS COM CORREÇÃO PELO ÍNDCE DE NFLAÇÃO MENSAL - NPC VALORES A SEREM COBRADOS NO MÊS DE SETEMBRO DE 2011. ATVDADES AÇÕES DESENVOLVDAS QUADROS VALORES Administrativas Consultoria

Leia mais

É um conjunto de documentos que:

É um conjunto de documentos que: Prontuário É um conjunto de documentos que: identificam o paciente, registram a evolução da doença, o tratamento prescrito e executado as observações e ações dos profissionais envolvidos os exames realizados,

Leia mais

ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO PARA ESTUDANTES DA UFU EDITAL CIRÚRGICA II ENFERMAGEM HCU/UFU PROCESSO SELETIVO PARA ESTÁGIO

ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO PARA ESTUDANTES DA UFU EDITAL CIRÚRGICA II ENFERMAGEM HCU/UFU PROCESSO SELETIVO PARA ESTÁGIO 1 ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO PARA ESTUDANTES DA UFU EDITAL 017.2018 CIRÚRGICA II ENFERMAGEM HCU/UFU PROCESSO SELETIVO PARA ESTÁGIO O PRESIDENTE DA FUNDAÇÃO DE ASSISTÊNCIA, ESTUDO E PESQUISA DE UBERLÂNDIA

Leia mais

PRÉ-EDITAL SES-PE

PRÉ-EDITAL SES-PE PRÉ-EDITAL SES-PE 2018 1 PLANO DE ESTUDO - Enfermeiro e Técnico em Enfermagem SES/PE 2018 Saiba como encontrar cada assunto do último edital da SES-PE no Curso Completo de Enfermagem. ENFERMEIRO CONHECIMENTOS

Leia mais

LABORATÓRIO DE PRÁTICAS EM ENFERMAGEM SUGESTÕES DE MATERIAIS PARA AULAS PRÁTICAS

LABORATÓRIO DE PRÁTICAS EM ENFERMAGEM SUGESTÕES DE MATERIAIS PARA AULAS PRÁTICAS LABORATÓRIO DE PRÁTICAS EM ENFERMAGEM SUGESTÕES DE MATERIAIS PARA AULAS PRÁTICAS Conteúdo Higiene e Conforto Bacia inox Biombo Camisola Compressa Cuba rim Fronha Hamper Jarra de inox Lençol de baixo Lençol

Leia mais

Segurança e Manuseio de equipamentos de uso domiciliar

Segurança e Manuseio de equipamentos de uso domiciliar Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte Escola de Saúde Pública de Minas de Gerais Segurança e Manuseio de equipamentos de uso domiciliar Manejo de Sondas e Ostomias Enfª Gerontóloga Joyce Patto

Leia mais

Profª Leticia Pedroso

Profª Leticia Pedroso Profª Leticia Pedroso A finalidade do atendimento de enfermagem é sempre proporcionar ao indivíduo a sensação de bem estar. Para isto, a pessoa necessita ter satisfeitas necessidades que são comuns à espécie

Leia mais

ÍNDICE TEORIA MUSICAL 1. COMPASSOS EM GERAL SÍNCOPAS. QUIÁLTERAS. SINAIS DE ALTERAÇÃO: ARMADURAS DE CLAVES. TONS RELATIVOS...

ÍNDICE TEORIA MUSICAL 1. COMPASSOS EM GERAL SÍNCOPAS. QUIÁLTERAS. SINAIS DE ALTERAÇÃO: ARMADURAS DE CLAVES. TONS RELATIVOS... TEORIA MUSICAL ÍNDICE 1. COMPASSOS EM GERAL... 9 Identificando a UT e a UC... 10 Tempos Fortes e Fracos... 11 2. SÍNCOPAS. QUIÁLTERAS. SINAIS DE ALTERAÇÃO: ARMADURAS DE CLAVES. TONS RELATIVOS... 16 Síncopas...

Leia mais

ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AO PACIENTE NO PERÍODO PRÉ - OPERATÓRIO

ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AO PACIENTE NO PERÍODO PRÉ - OPERATÓRIO ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AO PACIENTE NO PERÍODO PRÉ - OPERATÓRIO P R DEFINIÇÃO DE PRÉ-OPERATÓRIO Avaliação global do estado de saúde do paciente para identificar anormalidades significativas que poderiam

Leia mais

Processo Seletivo Técnico de Enfermagem INSTRUÇÕES PARA REALIZAÇÃO DA PROVA (LEIA ATENTAMENTE!)

Processo Seletivo Técnico de Enfermagem INSTRUÇÕES PARA REALIZAÇÃO DA PROVA (LEIA ATENTAMENTE!) Processo Seletivo Técnico de Enfermagem Nome: Nota: 1. A prova é individual sem consulta. INSTRUÇÕES PARA REALIZAÇÃO DA PROVA (LEIA ATENTAMENTE!) 2. O candidato deverá preencher o gabarito com caneta azul

Leia mais

CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO AUXILIAR DE SAÚDE Planificação anual de Higiene, Segurança e Cuidados Gerais (HSCG) - 11ºano 2018/2019

CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO AUXILIAR DE SAÚDE Planificação anual de Higiene, Segurança e Cuidados Gerais (HSCG) - 11ºano 2018/2019 CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO AUXILIAR DE SAÚDE Planificação anual de Higiene, Segurança e Cuidados Gerais (HSCG) - 11ºano 2018/2019 Turma: 11º I2 Professora: Maria Luísa Silva 1 - Estrutura e Finalidades

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Técnico Plano de Curso nº 168 aprovado pela portaria Cetec nº 125 de 03/10/2012 Etec PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS Eixo Tecnológico: AMBIENTE E

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL MANOEL GUEDES Escola Técnica Dr. Gualter Nunes Habilitação Profissional de Técnico em Enfermagem. Procedimentos Básicos

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL MANOEL GUEDES Escola Técnica Dr. Gualter Nunes Habilitação Profissional de Técnico em Enfermagem. Procedimentos Básicos Prontuário É um conjunto de documentos que: identificam o paciente, registram a evolução da doença, o tratamento prescrito e executado as observações e ações dos profissionais envolvidos os exames realizados,

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico Etec Professor Massuyuki Kawano Código: 136 Município: Tupã Eixo Tecnológico: Ambiente e Saúde Habilitação Profissional:Técnica de Nível Médio de Técnico em

Leia mais

CATETERISMO CARDÍACO. Prof. Claudia Witzel

CATETERISMO CARDÍACO. Prof. Claudia Witzel CATETERISMO CARDÍACO CATETERISMO CARDÍACO Método diagnóstico invasivo É avaliada a presença ou não de estreitamentos nas artérias coronárias secundário às "placas de gordura" além do funcionamento das

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE JOINVILLE SECRETARIA DE GESTÃO DE PESSOAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE JOINVILLE SECRETARIA DE GESTÃO DE PESSOAS PREFEITURA MUNICIPAL DE JOINVILLE SECRETARIA DE GESTÃO DE PESSOAS RETIFICAÇÃO Nº 01 AO EDITAL 002/2011 E SEUS ANEXOS PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PREFEITURA MUNICIPAL DE JOINVILLE A PREFEITURA MUNICIPAL

Leia mais

ENFERMAGEM. SAÚDE DA MULHER Assistência de Enfermagem ao Parto/Aborto. Parte 4. Profª. Lívia Bahia

ENFERMAGEM. SAÚDE DA MULHER Assistência de Enfermagem ao Parto/Aborto. Parte 4. Profª. Lívia Bahia ENFERMAGEM SAÚDE DA MULHER Assistência de Enfermagem ao Parto/Aborto Parte 4 Profª. Lívia Bahia Assistência de enfermagem durante o Parto Cesáreo A cesariana é uma operação pela qual o feto é liberado

Leia mais

Programa Analítico de Disciplina EFG210 Habilidades em Enfermagem I

Programa Analítico de Disciplina EFG210 Habilidades em Enfermagem I Catálogo de Graduação 016 da UFV 0 Programa Analítico de Disciplina EFG10 Habilidades em Enfermagem I Departamento de Medicina e Enfermagem - Centro de Ciências Biológicas e da Saúde Número de créditos:

Leia mais

ROTINAS E TÉCNICAS DE ENFERMAGEM Relação de POPs

ROTINAS E TÉCNICAS DE ENFERMAGEM Relação de POPs ROTINAS E TÉCNICAS DE ENFERMAGEM Relação de POPs AFERIÇÕES 21.001 Aferição da Altura Corporal Pacientes acima de 2 anos 21.002 da Frequência Respiratória 21.003 de Peso Corporal Pacientes acima de 2 anos

Leia mais

Etec Monsenhor Antonio Magliano. Plano de Trabalho Docente Habilitação Profissional Técnica de Nível Médio de Técnico em Enfermagem

Etec Monsenhor Antonio Magliano. Plano de Trabalho Docente Habilitação Profissional Técnica de Nível Médio de Técnico em Enfermagem Etec Monsenhor Antonio Magliano Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico ETE MONSENHOR ANTONIO MAGLIANO Código: 088 Município: GARÇA- SP Eixo Tecnológico: SAÚDE Habilitação Profissional Técnica de

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA DIVISÃO DE ASSUNTOS ACADÊMICOS PROGRAMA DE DISCIPLINA DEPARTAMENTO DE SAÚDE CÓDIGO: SAU 227 DISCIPLINA: BASES TEÓRICAS E METODOLÓGICAS PARA O CUIDAR EM ENFERMAGEM CARGA HORÁRIA: 255h EMENTA: Iniciação

Leia mais

ENFERMAGEM ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NO PROCESSO NUTRICIONAL. DIETAS Aula 9. Profª. Tatiane da Silva Campos

ENFERMAGEM ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NO PROCESSO NUTRICIONAL. DIETAS Aula 9. Profª. Tatiane da Silva Campos ENFERMAGEM ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NO PROCESSO NUTRICIONAL DIETAS Aula 9 Profª. Tatiane da Silva Campos Sondas Nasogástricas Uma sonda NG é introduzida através do nariz para dentro do estômago, frequentemente

Leia mais

Pressão Venosa Central e Pressão Arterial Média. Profa Sandra Zeitoun Aula 10 e 11

Pressão Venosa Central e Pressão Arterial Média. Profa Sandra Zeitoun Aula 10 e 11 Pressão Venosa Central e Pressão Arterial Média Profa Sandra Zeitoun Aula 10 e 11 Métodos de monitorização A monitorização de pacientes internados visa contribuir com o processo de reabilitação e cura.

Leia mais

PREFEITURA DO RECIFE

PREFEITURA DO RECIFE PREFEITURA DO RECIFE - 2018 1 ENFERMEIRO 86 Vagas ENFERMEIRO PLANTONISTA 33 Vagas ENFERMEIRO PLANTONISTA SAMU 09 Vagas Cargos e Vagas ENFERMEIRO UBS 30H 23 ENFERMEIRO USF 40H 03 ENFERMEIRO 40H 18 TÉC.

Leia mais

ENFERMAGEM CIRÚRGICA

ENFERMAGEM CIRÚRGICA ENFERMAGEM CIRÚRGICA PERÍODO PRÉ OPERATÓRIO Conceito: É um período que se inicia na admissão e vai até o momento da cirurgia. Objetivos: Preparar o paciente adequadamente para a cirurgia; Diminuir riscos

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA PRESTADORES E COLABORADORES SOBRE O PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DE CASOS COMPLEXOS

ORIENTAÇÕES PARA PRESTADORES E COLABORADORES SOBRE O PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DE CASOS COMPLEXOS O Programa de Gerenciamento de Casos Complexos (PGCC) da Unimed Chapecó é desenvolvido pelo setor de Medicina Preventiva - UNIVIDA. O Programa tem como objetivo gerenciar o cuidado em saúde dos beneficiários

Leia mais

Objetivos da Respiração. Prover oxigênio aos tecidos Remover o dióxido de carbono

Objetivos da Respiração. Prover oxigênio aos tecidos Remover o dióxido de carbono Anatomia e Fisiologia pulmonar Objetivos da Respiração Prover oxigênio aos tecidos Remover o dióxido de carbono PatologiasRespiratórias Mais Comuns Patologias Respiratórias Mais Comuns Insuficiência Respiratória

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PÚBLICO PARA RESIDENTES EDITAL Nº 04/2018 RETIFICAÇÃO

PROCESSO SELETIVO PÚBLICO PARA RESIDENTES EDITAL Nº 04/2018 RETIFICAÇÃO PROCESSO SELETIVO PÚBLICO PARA RESIDENTES EDITAL Nº 04/2018 No quadro 2 do item 4 onde se lê: RETIFICAÇÃO Quadro 2 ESTRUTURA DA PROVA DO PROGRAMA DE RESIDÊNCIA PROFISSIONAL ENFERMAGEM PROVA Políticas Públicas

Leia mais

Regulamenta a Lei nº 7.498, de 25 de junho de 1986, que dispõe sobre o exercício da Enfermagem, e dá outras providências

Regulamenta a Lei nº 7.498, de 25 de junho de 1986, que dispõe sobre o exercício da Enfermagem, e dá outras providências Regulamenta a Lei nº 7.498, de 25 de junho de 1986, que dispõe sobre o exercício da Enfermagem, e dá outras providências O Presidente da República, usando das atribuições que lhe confere o Art. 81, item

Leia mais

Art. 2º - As instituições e serviços de saúde incluirão a atividade de Enfermagem no seu planejamento e programação.

Art. 2º - As instituições e serviços de saúde incluirão a atividade de Enfermagem no seu planejamento e programação. 1 Decreto Nº 94.406/87 Regulamenta a Lei nº 7.498, de 25 de junho de 1986, que dispõe sobre o exercício da Enfermagem, e dá outras providências. O Presidente da República, usando das atribuições que lhe

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE JACUÍ ESTADO DE MINAS GERAIS CONCURSO PÚBLICO Nº 01/2018. RETIFICAÇÃO Nº 01 Ao Edital 01/2018

PREFEITURA MUNICIPAL DE JACUÍ ESTADO DE MINAS GERAIS CONCURSO PÚBLICO Nº 01/2018. RETIFICAÇÃO Nº 01 Ao Edital 01/2018 CONCURSO PÚBLICO Nº 01/2018 RETIFICAÇÃO Nº 01 Ao Edital 01/2018 A Comissão Organizadora do Concurso Público e o INSTITUTO IBDO, tornam pública a RETIFICAÇÃO Nº 01 ao Edital 01/2018, permanecendo inalterados

Leia mais

TUTORIAL DE HABILIDADES

TUTORIAL DE HABILIDADES UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE ENFERMAGEM Av. Dr. Enéas de Carvalho Aguiar, 419 - CEP 05403-000 Tel.: (11) 3061-7523 - Fax: (11) 3088-8213 ee@usp.br São Paulo SP Brasil www.ee.usp.br TUTORIAL DE HABILIDADES

Leia mais

INSTRUÇÃO DE TRABALHO

INSTRUÇÃO DE TRABALHO 1. Título: BANHO NO LEITO 2. Definição: Higienização corporal realizado em cliente acamado. 3. Objetivos: Remover sujidades, odores corporais, células mortas e microorganismos; Estimular a circulação;

Leia mais

Informações de Impressão

Informações de Impressão Questão: 362267 Ao promover orientações quanto ao uso dos corticosteroides inalatórios, para um grupo de pacientes asmáticos, o enfermeiro esclarece sobre os efeitos adversos locais que podem ocorrer e

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO ASSOCIAÇÃO PAULISTA PARA O DESENVOLVIMENTO DA MEDICINA HOSPITAL SÃO PAULO DIRETORIA DE ENFERMAGEM

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO ASSOCIAÇÃO PAULISTA PARA O DESENVOLVIMENTO DA MEDICINA HOSPITAL SÃO PAULO DIRETORIA DE ENFERMAGEM 1 de 1 SUMÁRIO 1. OBJETIVO: Orientar o paciente / familiar o acompanhamento acerca das medidas para prevenção ou minimização dos efeitos tóxicos da quimioterapia antineoplásica. 2. APLICAÇÃO: Aos pacientes

Leia mais

SRPA- Sala de Recuperação Pós-Anestésica

SRPA- Sala de Recuperação Pós-Anestésica CAPÍTULO 7» Local destinado a receber o paciente em pós-operatório imediato até que recupere a consciência e tenha seus sinais vitais estáveis;» A assistência prestada ao paciente na SRPA requer cuidados

Leia mais