Boletim do Trabalho e Emprego, n.º 30, 15/8/2014. Anos completos de serviço. 0 anos. 1 ano. 3 anos. 4 anos. 5 anos. 6 anos. 8 anos. 9 anos.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Boletim do Trabalho e Emprego, n.º 30, 15/8/2014. Anos completos de serviço. 0 anos. 1 ano. 3 anos. 4 anos. 5 anos. 6 anos. 8 anos. 9 anos."

Transcrição

1 ANEXO IV Tabelas salariais Categoria A - Professores licenciados e profissionalizados Anos completos de serviço 0 anos 1 ano Nível Retribuição Valor hora semanal 2 anos A ,00 51,14 3 anos 4 anos 5 anos 6 anos 7 anos A ,00 63,41 8 anos 9 anos 10 anos 11 anos 12 anos A ,00 68,64 13 anos 14 anos 15 anos 16 anos 17 anos A ,00 79,55 18 anos 19 anos 20 anos 21 anos 22 anos 23 anos A ,00 88,64 24 anos 25 anos 26 anos 27 anos 28 anos 29 anos A ,00 95,45 30 anos 31 anos 32 anos 33 anos 34 anos A ,00 109,32 35 anos 36 anos 37 anos A ,00 138,64 Nota: Por força do artigo 74.º/1 do presente CCT, em 1 de setembro de 2014 não há lugar a aumentos salariais nem progressões ou reclassificações nas carreiras do pessoal docente, mantendo estes a remuneração, categoria e nível em que foram classificados em setembro de 2013, de acordo com o anexo V do CCT publicado no Boletim do Trabalho e Emprego n.º 30, de 15 de agosto de Categoria B - Professores com bacharelato e profissionalizados Anos completos de serviço 0 anos 1 ano 2 anos 3 anos 4 anos 5 anos 6 anos 7 anos 8 anos 9 anos 10 anos 11 anos 12 anos 13 anos 14 anos 15 anos 16 anos 17 anos 18 anos 19 anos 20 anos 21 anos 22 anos 23 anos 24 anos 25 anos 26 anos 27 anos 28 anos 29 anos 30 anos 31 anos Nível Retribuição Valor hora semanal B ,00 50,18 B ,29 62,15 B ,82 67,36 B ,46 78,11 B ,69 84,90 B ,41 93,38 B ,02 104,86 32 anos B ,64 113,94 Nota: Por força do artigo 74.º/1 do presente CCT, em 1 de setembro de 2014 não há lugar a aumentos salariais nem progressões ou reclassificações nas carreiras do pessoal docente, mantendo estes a remuneração, categoria e nível em que foram classificados em setembro de 2013, de acordo com o anexo V do CCT publicado no Boletim do Trabalho e Emprego n.º 30, de 15 de agosto de

2 Categoria C - Outros professores dos 2.º e 3.º ciclos do ensino básico e do ensino secundário Nível Categoria Retribuição Valor hora semanal C13 Restantes professores dos 2.º e 3.º ciclos do ensino básico e do ensino secundário. 771,80 35,08 C12 C11 C10 C9 C8.2 C8.1 C8 C7 C6 C5 C4 C3 C2 C1 com habilitação própria sem grau superior. Restantes professores dos 2.º e 3.º ciclos do ensino básico e do ensino secundário com 5 ou mais anos de serviço. Professor dos 2.º e 3.º ciclos do ensino básico e do ensino secundário profissionalizado sem grau superior. com habilitação própria sem grau superior e 5 ou mais anos de serviço. Restantes professores dos 2.º e 3.º ciclos do ensino básico e do ensino secundário com 10 ou mais anos de serviço. Restantes professores dos 2.º e 3.º ciclos do ensino básico e do ensino secundário com 15 ou mais anos de serviço. com habilitação própria de grau superior sem anos de serviço. com habilitação própria de grau superior com 1ano de serviço. com habilitação própria de grau superior com 2 anos de serviço. Professor dos 2.º e 3.º ciclos do ensino básico e do ensino secundário profissionalizado sem grau superior com 5 ou mais anos de serviço. Restantes professores dos 2.º e 3.º ciclos do ensino básico e do ensino secundário com 20 ou mais anos de serviço. com habilitação própria sem grau superior e 10 ou mais anos de serviço. Restantes professores dos 2.º e 3.º ciclos do ensino básico e do ensino secundário com 25 ou mais anos de serviço. com habilitação própria de grau superior e 5 ou mais anos de serviço. Professor dos 2.º e 3.º ciclos do ensino básico e do ensino secundário profissionalizado sem grau superior e 10 ou mais anos de serviço. com habilitação própria de grau superior e 10 ou mais anos de serviço. Professor dos 2.º e 3.º ciclos do ensino básico e do ensino secundário profissionalizado sem grau superior e 15 ou mais anos de serviço. Professor dos 2.º e 3.º ciclos do ensino básico e do ensino secundário profissionalizado sem grau superior e 20 ou mais anos de serviço. 825,28 37,51 847,65 38,53 964,01 43, ,22 49,42 838,92 38, ,44 45, ,67 51, ,55 52, ,65 54, ,76 55, ,90 61, ,52 63, ,21 67, ,77 79,17 Nota: Por força do artigo 74.º/1 do presente CCT, em 1 de setembro de 2014 não há lugar a aumentos salariais nem progressões ou reclassificações nas 2884

3 Categoria D - Educador de infância e professor 1.º ciclo do ensino básico com habilitação profissional e licenciatura Categoria E - Educador de infância e professor do 1.º ciclo do ensino básico com habilitação profissional Anos completos de serviço Nível Retribuição Anos completos de serviço Nível Retribuição 0 anos 0 anos 1 ano 2 anos D ,00 1 ano 2 anos E ,00 3 anos 3 anos 4 anos 4 anos 5 anos 6 anos D ,95 5 anos 6 anos E ,00 7 anos 7 anos 8 anos 8 anos 9 anos 10 anos D ,70 9 anos 10 anos E ,05 11 anos 11 anos 12 anos 12 anos 13 anos 14 anos D ,12 13 anos 14 anos E ,18 15 anos 15 anos 16 anos 16 anos 17 anos 18 anos D ,15 17 anos 18 anos E ,83 19 anos 19 anos 20 anos 20 anos 21 anos 22 anos D ,79 21 anos 22 anos E ,70 23 anos 23 anos 24 anos 24 anos 25 anos 26 anos D ,42 25 anos 26 anos E ,82 27 anos 27 anos 28 anos 28 anos 29 anos 30 anos 31 anos D ,16 32 anos D ,93 Nota: Por força do artigo 74.º/1 do presente CCT, em 1 de setembro de 2014 não há lugar a aumentos salariais nem progressões ou reclassificações nas carreiras do pessoal docente, mantendo estes a remuneração, categoria e nível em que foram classificados em setembro de 2013, de acordo com o anexo V do CCT publicado no Boletim do Trabalho e Emprego n.º 30, de 15 de agosto de anos 30 anos 31 anos E ,20 32 anos E ,67 Nota: Por força do artigo 74.º/1 do presente CCT, em 1 de setembro de 2014 não há lugar a aumentos salariais nem progressões ou reclassificações nas carreiras do pessoal docente, mantendo estes a remuneração, categoria e nível em que foram classificados em setembro de 2013, de acordo com o anexo V do CCT publicado no Boletim do Trabalho e Emprego n.º 30, de 15 de agosto de

4 Categoria F - Outros educadores de infância e professores do 1.º ciclo do ensino básico Nível Categoria Retribuição F10 F9 Educador de infância sem curso com diploma. Professor do 1.º ciclo do ensino básico sem magistério com diploma. Professor do 1.º ciclo do ensino básico com diploma para as povoações rurais. Professor autorizado para o 1.º ciclo do ensino básico. Educador de infância autorizado. Educador de infância sem curso com diploma e curso complementar. Professor do 1.º ciclo do ensino básico sem magistério com diploma e curso complementar. 634,54 697,47 F8 Educador de infância sem curso com diploma e 5 ou mais anos de serviço. Professor do 1.º ciclo do ensino básico sem magistério com diploma e 5 ou mais anos de serviço. 722,98 F7 F6 F5 F4 Educador de infância sem curso com diploma e curso complementar e 5 ou mais anos de serviço. Professor do 1.º ciclo do ensino básico sem magistério com diploma e curso complementar e 5 ou mais anos de serviço. Educador de infância sem curso com diploma e 10 ou mais anos de serviço. Professor do 1.º ciclo do ensino básico sem magistério com diploma e 10 ou mais anos de serviço. Educador de infância sem curso com diploma e curso complementar e 10 ou mais anos de serviço. Professor do 1.º ciclo do ensino básico sem magistério com diploma e curso complementar e 10 ou mais anos de serviço. Educador de infância sem curso com diploma e 15 ou mais anos de serviço. Professor do 1.º ciclo do ensino básico sem magistério com diploma e 15 ou mais anos de serviço. Educador de infância sem curso com diploma e curso complementar e 15 ou mais anos de serviço. Professor do 1.º ciclo do ensino básico sem magistério com diploma e curso complementar e 15 ou mais anos de serviço. Educador de infância sem curso com diploma e 20 ou mais anos de serviço. Professor do 1.º ciclo do ensino básico sem magistério com diploma e 20 ou mais anos de serviço. Educador de infância sem curso com diploma e curso complementar e 20 ou mais anos de serviço. Professor do 1.º ciclo do ensino básico sem magistério com diploma e curso complementar e 20 ou mais anos de serviço. Educador de infância sem curso com diploma e 25 ou mais anos de serviço. Professor do 1.º ciclo do ensino básico sem magistério com diploma e 25 ou mais anos de serviço. 767,52 869,55 962, ,60 F3 Educador de infância sem curso com diploma e curso complementar e 25 ou mais anos de serviço. Professor do 1.º ciclo do ensino básico sem magistério com diploma e curso complementar e 25 ou mais anos de serviço ,57 F2 Educador de infância sem curso com diploma e 26 ou mais anos de serviço. Professor do 1.º ciclo do ensino básico sem magistério com diploma e 26 ou mais anos de serviço ,69 F1 Educador de infância sem curso com diploma e curso complementar e 26 ou mais anos de serviço. Professor do 1.º ciclo do ensino básico sem magistério com diploma e curso complementar e 26 ou mais anos de serviço ,24 Nota: Por força do artigo 74.º/1 do presente CCT, em 1 de setembro de 2014 não há lugar a aumentos salariais nem progressões ou reclassificações nas 2886

5 Categoria G - Educador de infância de educação e ensino especial com especialização e professor de educação e ensino especial com especialização Nível Categoria Retribuição Valor hora semanal G8 Educador de infância de educação e ensino especial com especialização. Professor de educação e ensino especial com especialização e 0 anos de serviço. 845,63 38,44 G7 Educador de infância de educação e ensino especial com especialização. Professor de educação e ensino especial com especialização e 1 ano de serviço ,52 46,07 G6 Educador de infância de educação e ensino especial com especialização. Professor de educação e ensino especial com especialização e 2 anos de serviço ,47 53,79 G5 G4 G3 G2 Educador de infância de educação e ensino especial com especialização. Professor de educação e ensino especial com especialização e mais de 2 anos de serviço. Educador de infância de educação e ensino especial com especialização e 5 ou mais anos de serviço. Professor de educação e ensino especial com especialização e 5 ou mais anos de serviço. Educador de infância de educação e ensino especial com especialização e 10 ou mais anos de serviço. Professor de educação e ensino especial com especialização e 10 ou mais anos de serviço. Educador de infância de educação e ensino especial com especialização e 15 ou mais anos de serviço. Professor de educação e ensino especial com especialização e 15 ou mais anos de serviço ,22 61, ,46 66, ,92 84, ,89 85,00 G1 Educador de infância de educação e ensino especial com especialização e 20 ou mais anos de serviço. Professor de educação e ensino especial com especialização ou mais de 20 anos de serviço ,45 89,66 Notas: 1. Os docentes desta categoria com o grau de licenciatura passam a ser remunerados pelas categorias A ou D, de acordo com os níveis de ensino em que lecionem. 2. Por força do artigo 74.º/1 do presente CCT, em 1 de setembro de 2014 não há lugar a aumentos salariais nem progressões ou reclassificações nas Categoria H - Professor de estabelecimento de ensino e línguas Nível Categoria Retribuição Valor hora semanal H10 académica sem grau superior. 831,21 37,78 H9 académica sem grau superior e 5 ou mais anos de serviço. 969,23 44,06 H8.3 académica de grau superior sem anos de serviço. 843,57 38,34 H8.2 académica de grau superior com 1 ano de serviço ,34 45,79 H8.1 académica de grau superior com 2 anos de serviço ,63 52,26 H8.0 académica de grau superior com 3 anos de serviço ,60 53,

6 H7 H6 H5 H4 H3 H2 H1 académica sem grau superior e 10 ou mais anos de serviço. académica sem grau superior e 15 ou mais anos de serviço. académica de grau superior e 5 ou mais anos de serviço. académica sem grau superior e 20 ou mais anos de serviço. académica de grau superior e 10 ou mais anos de serviço. académica de grau superior e 15 ou mais anos de serviço. académica de grau superior e 20 ou mais anos de serviço ,55 52, ,65 54, ,76 55, ,69 56, ,52 63, ,33 65, ,91 67,13 Nota: Por força do artigo 74.º/1 do presente CCT, em 1 de setembro de 2014 não há lugar a aumentos salariais nem progressões ou reclassificações nas Categoria I - Professor de cursos extracurriculares Nível Categoria Retribuição Valor hora semanal I5 Professor de cursos extracurriculares. 826,90 37,59 I4 Professor de cursos extracurriculares com 5 ou mais anos de serviço. 964,01 43,82 I3 Professor de cursos extracurriculares com 10 ou mais anos de serviço ,64 52,85 I2 Professor de cursos extracurriculares com 15 ou mais anos de serviço ,65 54,57 I1 Professor de cursos extracurriculares com 20 ou mais anos de serviço ,69 56,03 Nota: Por força do artigo 74.º/1 do presente CCT, em 1 de setembro de 2014 não há lugar a aumentos salariais nem progressões ou reclassificações nas Categoria J - Instrutor de educação física e diplomado pelas ex-escolas de educação física Nível Categoria Retribuição Valor hora semanal J5 J4 J3 J2 J1 Instrutor de educação física ou diplomado pelas ex-escolas de educação física. Instrutor de educação física ou diplomado pelas ex-escolas de educação física com 5 ou mais anos de serviço. Instrutor de educação física ou diplomado pelas ex-escolas de educação física com 10 ou mais anos de serviço. Instrutor de educação física ou diplomado pelas ex-escolas de educação física com 15 ou mais anos de serviço. Instrutor de educação física ou diplomado pelas ex-escolas de educação física com 20 ou mais anos de serviço. 771,80 35, ,76 55, ,52 63, ,16 67, ,72 72,21 Nota: Por força do artigo 74.º/1 do presente CCT, em 1 de setembro de 2014 não há lugar a aumentos salariais nem progressões ou reclassificações nas 2888

7 Categoria K - Professores de escolas de ensino especializado artístico Nível Categoria Retribuição Valor hora semanal K12 Restantes professores. 768,04 34,91 K11 Professor com habilitação própria sem grau superior. 821,25 37,33 K10 Restantes professores com 5 ou mais anos de serviço. 843,52 38,34 K9 Professor com habilitação própria sem grau superior e 5 ou mais anos de serviço. Restantes professores com 10 ou mais anos de serviço. 964,01 43,82 K8 Restantes professores com 15 ou mais anos de serviço ,22 49,42 K7 Professor com habilitação própria de grau superior. Restantes professores com 20 ou mais anos de serviço ,67 51,99 K6 Professor com habilitação própria sem grau superior e 10 ou mais anos de serviço ,55 52,80 K5 Restantes professores com 25 ou mais anos de serviço ,65 54,57 K4 K3 Professor com habilitação própria de grau superior e 5 ou mais anos de serviço. Professor com habilitação própria sem grau superior e 15 ou mais anos de serviço. Professor com habilitação própria de grau superior e 10 ou mais anos de serviço. Professor com habilitação própria sem grau superior e 20 ou mais anos de serviço ,76 55, ,52 63,43 K2 Professor com habilitação própria de grau superior e 15 ou mais anos de serviço ,92 67,72 K1 Professor com habilitação própria de grau superior e 20 ou mais anos de serviço ,59 74,44 Notas: 1. Os docentes com licenciatura e profissionalização passam a ser remunerados pela Categoria A. E os docentes com bacharelato e profissionalização passam a ser remunerados pela categoria B. 2. Por força do artigo 75.º/1 do presente CCT, em 1 de setembro de 2014 não há lugar a aumentos salariais nem progressões ou reclassificações nas Categoria L - Psicólogo e assistente social Anos completos de serviço Nível Retribuição 0 anos 1 ano 2 anos 3 anos 4 anos 5 anos 6 anos 7 anos 8 anos 9 anos 10 anos 11 anos 12 anos 13 anos 14 anos 15 anos 16 anos 17 anos 18 anos 19 anos 20 anos 21 anos 22 anos 23 anos 24 anos 25 anos 26 anos L8 L7 L6 L5 L4 L3 L2 L , , , , , , , ,

8 Categoria M - Terapeuta ocupacional, fisioterapeuta, enfermeiro e monitor/formador especialista Anos completos de serviço Nível Retribuição 0 anos 1 ano 2 anos M8 995,98 3 anos 4 anos 5 anos 6 anos M ,14 7 anos 8 anos 9 anos 10 anos 11 anos M ,54 12 anos 13 anos 14 anos M ,52 15 anos 16 anos 17 anos 18 anos M ,59 19 anos 20 anos 21 anos M ,00 22 anos 23 anos 24 anos M ,03 25 anos 26 anos M ,85 Nota: Quando licenciados passam para a categoria L, contando-se o tempo de serviço na categoria M. 2890

9 Categoria N - Trabalhadores de apoio à docência Nível Categorias, graus e escalões Retribuição 1.B Monitor/formador principal com 25 ou mais anos de bom e efectivo serviço ,18 1.C Monitor/formador principal com 20 anos de bom e efectivo serviço ,31 1.D Monitor/formador principal com 15 anos de bom e efectivo serviço. 925,43 1.E Monitor/formador principal com 10 anos de bom e efectivo serviço. Monitor/formador auxiliar com 25 ou mais anos de bom e efectivo serviço. 816,56 1 Auxiliar de educação com 25 ou mais anos de bom e efectivo serviço. Auxiliar pedagógico do ensino especial com 25 ou mais anos de bom e efectivo serviço. Monitor/formador especialista. Monitor/formador principal com 5 anos de bom e efectivo serviço. Monitor/formador auxiliar com 20 anos de bom e efectivo serviço. Monitor de actividades ocupacionais de reabilitação com 25 ou mais anos de bom e efectivo serviço. Técnico de actividades de tempos livres com 25 anos de bom e efectivo serviço. Prefeito com 25 ou mais anos de bom e efectivo serviço. 737,09 2 Auxiliar de educação com 20 ou mais anos de bom e efectivo serviço. Auxiliar pedagógico do ensino especial com 20 ou mais anos de bom e efectivo serviço. Monitor/formador principal. Monitor/formador auxiliar com 15 anos de bom e efectivo serviço. Monitor de actividades ocupacionais de reabilitação com 20 ou mais anos de bom e efectivo serviço. Técnico de actividades de tempos livres com 20 anos de bom e efectivo serviço. Prefeito com 20 ou mais anos de bom e efectivo serviço. 712,70 3 Auxiliar de educação com 15 ou mais anos de bom e efectivo serviço. Auxiliar pedagógico do ensino especial com 15 ou mais anos de bom e efectivo serviço. Auxiliar de acção educativa com 25 ou mais anos de bom e efectivo serviço. Monitor/formador auxiliar com 10 anos de bom e efectivo serviço. Monitor de actividades ocupacionais de reabilitação com 15 ou mais anos de bom e efectivo serviço. Técnico de actividades de tempos livres com 15 anos de bom e efectivo serviço. Prefeito com 15 ou mais anos de bom e efectivo serviço. 681,10 4 Auxiliar pedagógico do ensino especial com 10 ou mais anos de bom e efectivo serviço. Auxiliar de educação com 10 ou mais anos de bom e efectivo serviço. Auxiliar de acção educativa com 20 ou mais anos de bom e efectivo serviço. Monitor/formador auxiliar com 5 anos de bom e efectivo serviço. Monitor de actividades ocupacionais de reabilitação com 10 ou mais anos de bom e efectivo serviço. Técnico de actividades de tempos livres com 10 anos de bom e efectivo serviço. Prefeito com 10 ou mais anos de bom e efectivo serviço. Vigilante com 25 ou mais anos de bom e efectivo serviço. 651,75 5 Auxiliar pedagógico do ensino especial com 5 ou mais anos de bom e efectivo serviço. Auxiliar de educação com 5 ou mais anos de bom e efectivo serviço. Auxiliar de acção educativa com 15 ou mais anos de bom e efectivo serviço. Monitor/formador auxiliar. Monitor de actividades ocupacionais de reabilitação com 5 ou mais anos de bom e efectivo serviço. Técnico de actividades de tempos livres com 5 anos de bom e efectivo serviço. Prefeito com 5 ou mais anos de bom e efectivo serviço. Vigilante com 20 ou mais anos de bom e efectivo serviço. 622,34 6 Vigilante com 15 ou mais anos de bom e efectivo serviço. Auxiliar de acção educativa com 10 ou mais anos de bom e efectivo serviço. 601,

10 7 Auxiliar pedagógico do ensino especial. Auxiliar de educação. Monitor de actividades ocupacionais de reabilitação. Técnico de actividades de tempos livres. Prefeito. Vigilante com 10 ou mais anos de bom e efectivo serviço. Auxiliar de acção educativa com 5 ou mais anos de bom e efectivo serviço. 591,87 8 Vigilante com 5 ou mais anos de bom e efectivo serviço. Auxiliar de acção educativa. 555,31 9 Vigilante. 535,89 Categoria O - Trabalhadores de administração e serviços Nível Categorias, graus e escalões Retribuição 1 - Director de serviços administrativos - Técnico licenciado ou bacharel de grau VI 1 522, Técnico licenciado ou bacharel de grau V 1 421, Técnico licenciado ou bacharel de grau IV 1 237, Técnico licenciado ou bacharel de grau III - Chefe de serviços administrativos - Contabilista III - Tesoureiro III 1 120, Contabilista II - Tesoureiro II - Técnico licenciado ou bacharel de grau II 1 018, Contabilista I - Tesoureiro I - Técnico bacharel de grau I - Técnico licenciado de grau I-A 960, Chefe de secção II - Técnico de secretariado III - Documentalista II 948, Chefe de secção I - Documentalista I - Assistente administrativo III - Técnico profissional de biblioteca e documentação III - Técnico profissional de laboratório III - Técnico de informática III - Técnico de contabilidade III - Técnico de secretariado II - Técnico bacharel de grau I-B 834, Assistente administrativo II - Técnico de secretariado I - Técnico de informática II - Técnico de contabilidade II - Operador reprografia III - Operador de computador II 759, Assistente administrativo I - Técnico de informática I - Técnico de contabilidade I - Técnico profissional de biblioteca e documentação II - Técnico profissional de laboratório II - Operador de computador I 714,

11 11 - Caixa - Cozinheiro-chefe - Encarregado de refeitório ou bar - Escriturário II - Técnico profissional de biblioteca e documentação I - Técnico profissional de laboratório I - Operador reprografia II - Motorista de serviço público - Oficial electricista 682, Carpinteiro - Motorista de veículos ligeiros - Motorista de pesados de mercadorias - Pedreiro - Pintor 653, Escriturário I - Operador reprografia I 636, Telefonista II 603, Escriturário-estagiário (2.º ano) - Telefonista I - Recepcionista II - Cozinheiro - Despenseiro - Empregado de mesa - Ajudante de carpinteiro - Encarregado de camarata - Encarregado de rouparia 593, Contínuo - Costureiro - Empregado de balcão ou bar - Empregado de refeitório - Engomadeiro - Escriturário-estagiário (1.º ano) - Guarda - Jardineiro - Lavadeiro - Porteiro - Recepcionista I 551, Empregado de camarata - Empregado de limpeza - Ajudante de cozinha 515,00 Lisboa, a 23 de julho de Pela AEEP - Associação dos Estabelecimentos de Ensino Particular e Cooperativo: António José Sarmento, mandatário com poderes para o ato. Pela FNE - Federação Nacional da Educação, em representação dos seguintes sindicatos seus filiados: SPZN - Sindicato dos Professores da Zona Norte; SPZC - Sindicato dos Professores da Zona Centro; SDPGL - Sindicato Democrático dos Professores da Grande Lisboa e Vale do Tejo; SDPSul - Sindicato Democrático dos Professores do Sul; SDPA - Sindicato Democrático dos Professores dos Açores; SDPM - Sindicato Democrático dos Professores da Madeira; STAAE-ZN - Sindicato dos Técnicos Superiores, Assistentes e Auxiliares de Educação da Zona Norte; STAAE-ZC - Sindicato dos Técnicos Superiores, Assistentes e Auxiliares de Educação da Zona Centro; STAAE-ZSul e Regiões Autónomas - Sindicato dos Técnicos, Administrativos e Auxiliares de Educação Sul e Regiões Autónomas. Pelo SINAPE - Sindicato Nacional dos Profissionais da Educação. Pela FETESE - Federação dos Sindicatos da Indústria e Serviços, por si e em representação dos seguintes sindicatos seus filiados: SITESE - Sindicato dos Trabalhadores e Técnicos de Serviços; SINDCES/UGT - Sindicato do Comércio, Escritório e Serviços. Pelo SINDEP - Sindicato Nacional e Democrático dos 2893

12 Professores. Pelo SINDITE - Sindicato dos Técnicos Superiores de Diagnóstico e Terapêutica. Pelo Sindicato dos Enfermeiros. Pelo SETAA - Sindicato da Agricultura, Alimentação e Florestas. Pelo SITRA - Sindicato dos Trabalhadores dos Transportes: José Manuel Ricardo Nunes Coelho, mandatário com poderes para o ato. Depositado em 1 de agosto de 2014, a fl. 157, do livro n.º 11, com o n.º 108/2014, nos termos do artigo 494.º do Código do Trabalho, aprovado pela Lei n.º 7/2009 de 12 de fevereiro. Acordo coletivo entre a NORMAX - Fábrica de Vidro Científico, L. da e outra e a FEVICCOM - Federação Portuguesa dos Sindicatos da Construção, Cerâmica e Vidro - Alteração salarial e outras Cláusula prévia A presente revisão altera as convenções publicadas nos Boletins do Trabalho e Emprego n.º 5 de 8 de Fevereiro de 2014 e n.º 14 de 15 de Abril de 2014, apenas nas matérias agora revistas. Cláusula 1.ª Área e âmbito 1- O presente ACT obriga, por um lado, as empresas signatárias, cuja actividade principal é a fabricação de vidros para laboratório e vidro científico, e, por outro, todos os trabalhadores filiados na associação sindical outorgante que se encontrem ao serviço das empresas, bem como os trabalhadores que se filiem durante o período de vigência do ACT. 2- O presente ACT é aplicável na área geográfica abrangida pelo distrito de Leiria. 3- O âmbito profissional é o constante dos anexos III e IV. 4- O presente ACT abrange 2 empregadores e 101 trabalhadores. Cláusula 2.ª Vigência 1- O presente ACT entra em vigor na data de publicação do Boletim do Trabalho e Emprego em que vier inserido, produzindo, no entanto, as tabelas salariais e clausulado de expressão pecuniária efeitos a 1 de Janeiro de O presente ACT será válido pelo prazo de um ano, mantendo-se, porém, em vigor até ser substituído por outro. Cláusula 25.ª Remuneração de trabalho suplementar Aos trabalhadores que prestem trabalho nos dias de Ano Novo e de Natal será pago um subsídio especial de: 62,50 (de 1 de Janeiro e 30 de Junho de 2014). 62,70 (de 1 de Julho e 31 de Dezembro de 2014), por cada um destes dias.... Cláusula 32.ª Cantinas em regime de auto-serviço Enquanto não existirem cantinas a funcionar, os trabalhadores terão direito a um subsídio de refeição no valor de: 5,67 (de 1 de Janeiro a 30 de Junho de 2014). 5,80 (de 1 de Julho a 31 de Dezembro de 2014). Este subsídio é devido por dia de trabalho prestado, nos termos do número Cláusula 34.ª Direitos especiais Para além do estipulado nas alíneas do número anterior, os motoristas e ajudantes terão ainda direito: Ao pagamento, mediante factura, de todas as refeições que estes, por motivo de serviço, tenham de tomar fora das horas referidas na alínea seguinte ou fora do local para onde foram contratados, até um máximo de: 4,78 (de 1 de Janeiro a 30 de Junho de 2014) e 4,80 (de 1 de Julho a 31 de Dezembro de 2014) por pequeno-almoço ou ceia e de 13,30 (de 1 de Janeiro a 30 de Junho de 2014) e 13,40 (de 1 de Julho a 31 de Dezembro de 2014), por almoço ou jantar, que não é acumulável com o subsídio de refeição.... ANEXO III Enquadramentos Grupo 00: Director de fábrica; Director de serviços. Grupo 01: Adjunto de director de fábrica; Adjunto de director de serviços. Grupo 1: Chefe de serviços ou divisão; Encarregado geral; Tesoureiro. Grupo 2: Chefe de compras; Chefe de secção; 2894

ANEXO III. Tabelas Salariais. As presentes tabelas produzem efeito a partir de 01 de Setembro de 2004

ANEXO III. Tabelas Salariais. As presentes tabelas produzem efeito a partir de 01 de Setembro de 2004 ANEXO III Tabelas Salariais As presentes tabelas produzem efeito a partir de 01 de Setembro de 2004 CATEGORIA A - PROFESSORES LICENCIADOS E PROFISSIONALIZADOS TEMPO DE SERVIÇO NÍVEL VALOR VALOR HORA SEMANAL

Leia mais

ANEXO V TABELAS SALARIAIS. CATEGORIA A Professores Licenciados e Profissionalizados TEMPO DE SERVIÇO NÍVEL VALOR VALOR HORA SEMANAL

ANEXO V TABELAS SALARIAIS. CATEGORIA A Professores Licenciados e Profissionalizados TEMPO DE SERVIÇO NÍVEL VALOR VALOR HORA SEMANAL ANEXO V TABELAS SALARIAIS CATEGORIA A Professores Licenciados e Profissionalizados TEMPO DE SERVIÇO NÍVEL VALOR VALOR HORA SEMANAL 0 anos A11 804,00 36,55 1 ano A10 964,50 43,84 2 anos A9 1.125,50 51,16

Leia mais

Categoria A - Professores [NOME] Anos completos de serviço Nível 1 de Setembro de 2013 01-Set-14 0 anos A9 1.104,00 A7 1 ano 1.125,00 2 anos 3 anos 4

Categoria A - Professores [NOME] Anos completos de serviço Nível 1 de Setembro de 2013 01-Set-14 0 anos A9 1.104,00 A7 1 ano 1.125,00 2 anos 3 anos 4 Categoria A - Professores [NOME] Anos completos de serviço Nível 1 de Setembro de 2013 01-Set-14 0 anos A9 1.104,00 A7 1 ano 1.125,00 2 anos 3 anos 4 anos A8 1.367,29 5 anos A6 6 anos 1.395,00 7 anos 8

Leia mais

Química, Farmacêutica, Eléctrica, Energia e Minas representa as seguintes organizações sindicais:

Química, Farmacêutica, Eléctrica, Energia e Minas representa as seguintes organizações sindicais: Química, Farmacêutica, Eléctrica, Energia e Minas representa as seguintes organizações sindicais: SINORQUIFA Sindicato dos Trabalhadores da Química, Farmacêutica, Petróleo e Gás do Norte; SINQUIFA Sindicato

Leia mais

D.R. DO TRABALHO, QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL E DEFESA DO CONSUMIDOR Convenção Colectiva de Trabalho n.º 6/2009 de 27 de Abril de 2009

D.R. DO TRABALHO, QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL E DEFESA DO CONSUMIDOR Convenção Colectiva de Trabalho n.º 6/2009 de 27 de Abril de 2009 D.R. DO TRABALHO, QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL E DEFESA DO CONSUMIDOR Convenção Colectiva de Trabalho n.º 6/2009 de 27 de Abril de 2009 CCT entre a URMA - União Regional das Misericórdias dos Açores e Outra

Leia mais

D.R. DO TRABALHO E QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL Convenção Colectiva de Trabalho n.º 32/2008 de 26 de Maio de 2008

D.R. DO TRABALHO E QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL Convenção Colectiva de Trabalho n.º 32/2008 de 26 de Maio de 2008 D.R. DO TRABALHO E QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL Convenção Colectiva de Trabalho n.º 32/2008 de 26 de Maio de 2008 CCT entre a URMA União Regional das Misericórdias dos Açores e Outra e o SINTAP/Açores Sindicato

Leia mais

Cláusula 1ª Área e âmbito

Cláusula 1ª Área e âmbito Principais elementos do CCT entre a APAP Assoc. Portuguesa das Empresas de Publicidade e Comunicação e a FETESE Feder. dos Sind. dos Trabalhadores de Serviços e outros. Publicado no Boletim do Trabalho

Leia mais

CLAUSULA 1ª Âmbito e Área

CLAUSULA 1ª Âmbito e Área AE entre a VARZIM SOL TURISMO, JOGO E ANIMAÇÃO, S.A. e o SINDICATO DOS TRABALHADORES DA INDUSTRIA DE HOTELARIA, TURISMO, RESTAURANTES E SIMILARES DO NORTE Artigo de revisão No AE celebrado entre a Varzim

Leia mais

Sexta-feira, 17 de abril de 2015 RELAÇÕES DE TRABALHO. Direção Regional do Trabalho. Regulamentação do Trabalho. Despachos:

Sexta-feira, 17 de abril de 2015 RELAÇÕES DE TRABALHO. Direção Regional do Trabalho. Regulamentação do Trabalho. Despachos: - REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Sexta-feira, 17 de abril de 2015 III Série RELAÇÕES DE TRABALHO Sumário SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E RECURSOS HUMANOS Direção Regional do Trabalho Regulamentação

Leia mais

Quarta-feira, 2 de julho de 2014 RELAÇÕES DE TRABALHO. Direção Regional do Trabalho. Regulamentação do Trabalho Despachos:...

Quarta-feira, 2 de julho de 2014 RELAÇÕES DE TRABALHO. Direção Regional do Trabalho. Regulamentação do Trabalho Despachos:... - REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Quarta-feira, 2 de julho de 2014 Série RELAÇÕES DE TRABALHO Sumário SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E RECURSOS HUMANOS Direção Regional do Trabalho Regulamentação

Leia mais

Valor (em euros) Tempo de Serviço (anos) Nível

Valor (em euros) Tempo de Serviço (anos) Nível ANEXO IV Tabelas Salariais As presentes tabelas vigoram entre 1 de Setembro de 2003 e 31 de Agosto de 2004 Categoria A - Professores Licenciados e Profissionalizados Tempo de Serviço (anos) Hora Semanal

Leia mais

RELAÇÃO DE SALÁRIOS POR CARGOS E EMPREGOS PÚBLICOS

RELAÇÃO DE SALÁRIOS POR CARGOS E EMPREGOS PÚBLICOS RELAÇÃO DE SALÁRIOS POR CARGOS E EMPREGOS PÚBLICOS Quadro de Cargos de Provimento Efetivo Quadro Próprio do Magistério Quadro Suplementar da Secretaria Municipal de Saúde Forma de investidura: Aprovação

Leia mais

MAPA ANEXO. Grupos de pessoal Nível Área funcional Carreira Categoria

MAPA ANEXO. Grupos de pessoal Nível Área funcional Carreira Categoria 3464 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o 163 17-7-1998 PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS E MINISTÉRIOS DAS FINANÇAS E DA SAÚDE Portaria n. o 413/98 17 Julho O quadro pessoal do Hospital Sousa Martins

Leia mais

Quinta-feira, 19 de março de 2015 RELAÇÕES DE TRABALHO. Direção Regional do Trabalho. Regulamentação do Trabalho. Despachos:...

Quinta-feira, 19 de março de 2015 RELAÇÕES DE TRABALHO. Direção Regional do Trabalho. Regulamentação do Trabalho. Despachos:... - REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Quinta-feira, 19 de março de 2015 III Série RELAÇÕES DE TRABALHO Sumário SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E RECURSOS HUMANOS Direção Regional do Trabalho Regulamentação

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE RIO NEGRINHO

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE RIO NEGRINHO EDITAL Nº 007/2009 - DE CONCURSO PÚBLICO ANEXO I RELAÇÃO DE CARGOS, NÚMEROS DE VAGAS, CARGA HORÁRIA, VENCIMENTO INICIAL E REQUISITOS ATIVIDADES COM FORMAÇÃO EM NÍVEL DE ENSINO SUPERIOR MAGISTÉRIO 101 Especialista

Leia mais

Rácios de pessoal para Estrutura Residencial para Pessoas Idosas

Rácios de pessoal para Estrutura Residencial para Pessoas Idosas Área dos Idosos Rácios de pessoal para Serviço de Apoio Domiciliário Portaria nº38/2013, 30 de janeiro Número de Percentagem de Diretor técnico a) 1 50% 60 a) Diretor técnico pode ser comum às restantes

Leia mais

Sindicato dos Trabalhadores Aduaneiros em Despachantes

Sindicato dos Trabalhadores Aduaneiros em Despachantes Sindicato dos Trabalhadores Aduaneiros em Despachantes e Empresas; STAD Sindicato dos Trabalhadores de Serviços de Portaria, Vigilância, Limpeza, Domésticas e Actividades Diversas; Sindicato dos Empregados

Leia mais

ESTADO DO MATO GROSSO DO SUL LEI COMPLEMENTAR N. 057, DE 20 DE OUTUBRO DE 2011

ESTADO DO MATO GROSSO DO SUL LEI COMPLEMENTAR N. 057, DE 20 DE OUTUBRO DE 2011 PREFEITURA MUNICIPAL DE FÁTIMA DO SUL 1 LEI COMPLEMENTAR N. 057, DE 20 DE OUTUBRO DE 2011 Dispõe sobre alterações no Plano de Classificação de Cargos e Vencimentos da Prefeitura Municipal de Fátima do

Leia mais

TABELAS DE TRANSIÇÃO PARA AS NOVAS POSIÇÕES REMUNERATÓRIAS - CARREIRAS GERAIS

TABELAS DE TRANSIÇÃO PARA AS NOVAS POSIÇÕES REMUNERATÓRIAS - CARREIRAS GERAIS TABELAS DE TRANSIÇÃO PARA AS NOVAS POSIÇÕES REMUNERATÓRIAS - CARREIRAS GERAIS - PESSOAL NÃO DOCENTE DO ENSINO NÃO SUPERIOR - Elaboradas de acordo com a Portaria n.º 1553-C/, de 31.12., a que se refere

Leia mais

ÍNDICE. Conselho Económico e Social: Regulamentação do trabalho: Organizações do trabalho: Despachos/portarias: Portarias de condições de trabalho:

ÍNDICE. Conselho Económico e Social: Regulamentação do trabalho: Organizações do trabalho: Despachos/portarias: Portarias de condições de trabalho: Conselho Económico e Social Regulamentação do trabalho 1074 Organizações do trabalho 1094 Informação sobre trabalho e emprego N. o Vol. Pág. 2009 13 76 1071-1110 8 Abr Propriedade Ministério do Trabalho

Leia mais

CARGO: ASSISTENTE DE EDUCAÇÃO INFANTIL

CARGO: ASSISTENTE DE EDUCAÇÃO INFANTIL CARGO: ASSISTENTE DE EDUCAÇÃO INFANTIL Questão 21- B Questão 22- D Questão 03- A Questão 23- B Questão 24- D Questão 25- C Questão 26- ANULADA Questão 07- D Questão 27- A Questão 08- ANULADA Questão 28-

Leia mais

LEI N.º 1.491, DE 27 DE JUNHO DE 2008.

LEI N.º 1.491, DE 27 DE JUNHO DE 2008. LEI N.º 1.491, DE 27 DE JUNHO DE 2008. Cria vagas e função no Quadro Permanente da Prefeitura Municipal de Paranaíba, alterando-se o Anexo I, da Lei nº 1000, de 04 de maio de 1998, Anexo III da Lei n.º

Leia mais

Horário das aulas: De 2.ª a 6.ª feira das 07:30 às 19:30.

Horário das aulas: De 2.ª a 6.ª feira das 07:30 às 19:30. 12º Não é permitido aos Pais e Encarregados de Educação contactarem pessoalmente, ou através do telefone e, docentes e/ou alunos, durante os tempos letivos. 13º Os serviços cobertos pela anuidade obrigatória

Leia mais

Boletim do 31 Trabalho e Emprego 1.

Boletim do 31 Trabalho e Emprego 1. Boletim do 31 Trabalho e Emprego 1. A SÉRIE Propriedade: Ministério da Segurança Social e do Trabalho Edição: Departamento de Estudos, Prospectiva e Planeamento Preço (IVA incluído 5%) Centro de Informação

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 95, DE 06 DE ABRIL DE 2011

LEI COMPLEMENTAR Nº 95, DE 06 DE ABRIL DE 2011 LEI COMPLEMENTAR Nº 95, DE 06 DE ABRIL DE 2011 Autoria: Poder Executivo Altera o Anexo I da Lei Complementar Nº 90, de 09 de dezembro de 2010 (Plano de Cargos, Carreiras e Salários da Administração Pública

Leia mais

Quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015 RELAÇÕES DE TRABALHO. Direção Regional do Trabalho. Regulamentação do Trabalho. Despachos:...

Quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015 RELAÇÕES DE TRABALHO. Direção Regional do Trabalho. Regulamentação do Trabalho. Despachos:... - REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015 III Série RELAÇÕES DE TRABALHO Sumário SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E RECURSOS HUMANOS Direção Regional do Trabalho

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE ITAPEVA

CÂMARA MUNICIPAL DE ITAPEVA (continuação do Autógrafo nº 051/02) ANEXO - I QUADRO DE PESSOAL - CARGOS EM COMISSÃO CRIADOS A SEREM REGIDOS PELO ESTATUTO DOS Quant. Denominação de Cargo Ref./Tabela Requisitos para Admissão 16 Assessor

Leia mais

Boletim do Trabalho e Emprego, n.º 31, 22/8/2015

Boletim do Trabalho e Emprego, n.º 31, 22/8/2015 Boletim do Trabalho e Emprego, n.º 31, 22/8/2015 Nível Valores em euros I 1177 II 1098 III 1035 IV 987 V 937 VI 889 VII 840 VIII 793 IX 746 X 698 XI 650 XII 607 XII 563 XIV 527 XV 517 XVI 513 XVII 509

Leia mais

ESTUDANTES QUE INGRESSARAM PELA 1ª VEZ NUM CURSO DE NÍVEL SUPERIOR EM PORTUGAL NO ANO LECTIVO 2004/05. Dados Estatísticos PARTE II

ESTUDANTES QUE INGRESSARAM PELA 1ª VEZ NUM CURSO DE NÍVEL SUPERIOR EM PORTUGAL NO ANO LECTIVO 2004/05. Dados Estatísticos PARTE II ESTUDANTES QUE INGRESSARAM PELA 1ª VEZ NUM CURSO DE NÍVEL SUPERIOR EM PORTUGAL NO ANO LECTIVO 2004/05 Dados Estatísticos PARTE II ESTUDANTES DE PÓS-LICENCIATURA (Mestrados e Doutoramentos) DSAS- Direcção

Leia mais

TABELAS DE TRANSIÇÃO PARA AS NOVAS POSIÇÕES REMUNERATÓRIAS - CARREIRAS GERAIS -

TABELAS DE TRANSIÇÃO PARA AS NOVAS POSIÇÕES REMUNERATÓRIAS - CARREIRAS GERAIS - TABELAS DE TRANSIÇÃO PARA AS NOVAS POSIÇÕES REMUNERATÓRIAS - CARREIRAS GERAIS - Elaboradas de acordo com a Portaria n.º 1553-C/, de 31.12., a que se refere o n.º 2 do artigo 68.º da Lei n.º 12-A/, de 27

Leia mais

sucessivamente plasmado no nº1 do artigo 20º do Decreto-Lei nº 409/89, de 18 de Novembro e no artigo 18º do Decreto-Lei nº 312/99, de 10 de Agosto

sucessivamente plasmado no nº1 do artigo 20º do Decreto-Lei nº 409/89, de 18 de Novembro e no artigo 18º do Decreto-Lei nº 312/99, de 10 de Agosto Tem a Administração Educativa recorrido, ora com carácter ocasional, ora com carácter regular, à contratação por oferta de escola de pessoal docente detentor de formação especializada para assegurar a

Leia mais

ENQUADRAMENTO DAS PROFISSÕES E CATEGORIAS PROFISSIONAIS EM NÍVEIS REMUNERATÓRIOS E DIUTURNIDADES (não negociada)

ENQUADRAMENTO DAS PROFISSÕES E CATEGORIAS PROFISSIONAIS EM NÍVEIS REMUNERATÓRIOS E DIUTURNIDADES (não negociada) Açores SEÇÃO COORDENADORA REGIONAL DO SINTAP-AÇORES Rua do Barcelos, 21/23 9700-026 ANGRA DO HEROÍSMO www.sintapazores.com E-mail: sede@sintapazores.com ENQUADRAMENTO DAS PROFISSÕES E CATEGORIAS PROFISSIONAIS

Leia mais

Cláusula 16.ª. Cláusula 41.ª

Cláusula 16.ª. Cláusula 41.ª Carlos Manuel Dias Pereira, mandatário. Pelo SINDEL Sindicato Nacional da Indústria e da Energia: Carlos Manuel Dias Pereira, mandatário. Depositado em 7 de Julho de 2010, a fl. 85 do livro n.º 11, com

Leia mais

ACT entre a BP Portugal Comércio de Combustíveis e Lubrificantes, SA, e outras empresas petrolíferas e a FIEQUIMETAL

ACT entre a BP Portugal Comércio de Combustíveis e Lubrificantes, SA, e outras empresas petrolíferas e a FIEQUIMETAL ACT entre a BP Portugal Comércio de Combustíveis e Lubrificantes, SA, e outras empresas petrolíferas e a FIEQUIMETAL ACORDO DE 2007 Publicado no Boletim do Trabalho e Emprego, 1ª série nº 8, de 29/02/2008

Leia mais

Boletim do 5 Trabalho e Emprego 1.

Boletim do 5 Trabalho e Emprego 1. Boletim do 5 Trabalho e Emprego 1. A SÉRIE Propriedade: Ministério da Segurança Social e do Trabalho Edição: Departamento de Estudos, Prospectiva e Planeamento Preço (IVA incluído 5%) Centro de Informação

Leia mais

Sexta-feira, 16 de agosto de 2013 RELAÇÕES DE TRABALHO. Direção Regional do Trabalho. Regulamentação do Trabalho Despachos:...

Sexta-feira, 16 de agosto de 2013 RELAÇÕES DE TRABALHO. Direção Regional do Trabalho. Regulamentação do Trabalho Despachos:... - REGIˆO AUT NOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Sexta-feira, 16 de agosto de 2013 III Série RELAÇÕES DE TRABALHO Sumário SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E RECURSOS HUMANOS Direção Regional do Trabalho Regulamentação

Leia mais

Alteração do Estatuto da Aposentação Corpos e Carreiras Especiais O PROJECTO DO GOVERNO

Alteração do Estatuto da Aposentação Corpos e Carreiras Especiais O PROJECTO DO GOVERNO Alteração do Estatuto da Aposentação Corpos e Carreiras Especiais O PROJECTO DO GOVERNO No quadro das iniciativas destinadas a reforçar a convergência e a equidade entre os subscritores da Caixa Geral

Leia mais

LEI N.º 1.480, DE 21 DE MAIO DE 2008.

LEI N.º 1.480, DE 21 DE MAIO DE 2008. LEI N.º 1.480, DE 21 DE MAIO DE 2008. Altera o Anexo III da Lei n.º 1.000 de 04 de maio de 1998, e dá outras providências. O Prefeito Municipal de Paranaíba, Estado de Mato Grosso do Sul. FAÇO saber que

Leia mais

Boletim do Trabalho e Emprego, n.º 28, 29/7/2013

Boletim do Trabalho e Emprego, n.º 28, 29/7/2013 Acordo de empresa entre a SCC - Sociedade Central de Cervejas e Bebidas, SA e a FESAHT - Federação dos Sindicatos da Agricultura, Alimentação, Bebidas, Hotelaria e Turismo de Portugal e outras - Alteração

Leia mais

ESCOLA PROFISSIONAL DO PICO (E.P.P) Secção de Inserção e Orientação Profissional INQUÉRITO EMPRESAS INSTITUIÇÕES DA ILHA DO PICO (E AÇORES)

ESCOLA PROFISSIONAL DO PICO (E.P.P) Secção de Inserção e Orientação Profissional INQUÉRITO EMPRESAS INSTITUIÇÕES DA ILHA DO PICO (E AÇORES) SÉRIE ESTATÍSTICA. INFO NET Morada: Rua D. Jaime Garcia Goulart, 1. 9950 361 Madalena do Pico. Telefones: 292 623661/3. Fax: 292 623666. Contribuinte: 512051534. Web: www.ep-pico.com. E-mail: epp@ep-pico.com

Leia mais

CNPJ 46.634.275/0001-88

CNPJ 46.634.275/0001-88 CNPJ 46.634.275/0088 Rua Egidio Seabra do Amaral, 260 Fone (15) 354742 Fax: (15)354748 CEP 183000 Guapiara Estado de São Paulo Email: guapiara@guapiara.sp.gov.br Site: www.guapiara.sp.gov.br 0PRFEITURA

Leia mais

Boletim do Trabalho e Emprego, n.º 29, 8/8/2015

Boletim do Trabalho e Emprego, n.º 29, 8/8/2015 Conselho Económico e Social... Regulamentação do trabalho 2210 Organizações do trabalho 2306 Informação sobre trabalho e emprego... N. o Vol. Pág. 2015 29 82 2206-2347 8 ago Propriedade Ministério da Solidariedade,

Leia mais

ÍNDICE. Conselho Económico e Social: Regulamentação do trabalho: Despachos/portarias:

ÍNDICE. Conselho Económico e Social: Regulamentação do trabalho: Despachos/portarias: Conselho Económico e Social Regulamentação do trabalho 3307 Organizações do trabalho 3511 Informação sobre trabalho e emprego 3519 N. o Vol. Pág. 2009 29 76 3303-3522 8 Ago Propriedade Ministério do Trabalho

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO DO PLANO DE SALÁRIOS DOS EMPREGADOS DA AGIR

REGULAMENTAÇÃO DO PLANO DE SALÁRIOS DOS EMPREGADOS DA AGIR REGULAMENTAÇÃO DO PLANO DE SALÁRIOS DOS EMPREGADOS DA AGIR Lei Estadual de Acesso a Informação, nº 18.028/2013, regulamentada pelo Decreto nº 7.904/2013. A regulamentação dos salários dos empregados da

Leia mais

N. o Vol. Pág. 2010 3 77 351-440 22 Jan

N. o Vol. Pág. 2010 3 77 351-440 22 Jan Conselho Económico e Social Regulamentação do trabalho 354 Organizações do trabalho 404 Informação sobre trabalho e emprego 436 N. o Vol. Pág. 2010 3 77 351-440 22 Jan Propriedade Ministério do Trabalho

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. N. o 184 11-8-1998 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. N. o 184 11-8-1998 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 184 11-8-1998 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A 3907 seguem as atribuições e competências que lhes são conferidas pelos respectivos estatutos, aprovados, respectivamente, pelos Decretos-Leis n. os 74/95,

Leia mais

Acordo coletivo entre a Associação de Regantes e. da Agricultura, Alimentação e Florestas - SETAA - Alteração salarial e outras. denúncia e revisão

Acordo coletivo entre a Associação de Regantes e. da Agricultura, Alimentação e Florestas - SETAA - Alteração salarial e outras. denúncia e revisão 4- Quadros intermédios altamente altamente 789,00 778,00 713,00 Lisboa, 6 de maio de 2015. Pela Associação Portuguesa de Fabricantes de Papel e Cartão - FAPEL: António de Andrade Tavares, mandatário. Manuel

Leia mais

Doc. 1 Texto consolidado Artigo 494.º, n.º 3 CT

Doc. 1 Texto consolidado Artigo 494.º, n.º 3 CT Doc. 1 Texto consolidado Artigo 494.º, n.º 3 CT Artigo 1.º Âmbito 1- A presente convenção é aplicável, em todo o território nacional, aos contratos de trabalho celebrados entre os estabelecimentos de ensino

Leia mais

Proposta de Decreto Legislativo Regional

Proposta de Decreto Legislativo Regional Proposta de Decreto Legislativo Regional Regulamenta na Região Autónoma dos Açores, os aspectos relativos à realização, em escolas da rede pública, do estágio pedagógico das licenciaturas em ensino e dos

Leia mais

Decreto Legislativo Regional nº. 003/2001

Decreto Legislativo Regional nº. 003/2001 Decreto Legislativo Regional nº. 003/2001 REVALORIZAÇÃO DAS CARREIRAS DO PESSOAL TÉCNICO CONTABILISTA E DE AUXILIAR DE CONTABILIDADE DA DIRECÇÃO REGIONAL DO ORÇAMENTO E TESOURO O Decreto Regulamentar Regional

Leia mais

Decreto-Lei n.º 144/2008 de 28 de Julho

Decreto-Lei n.º 144/2008 de 28 de Julho Decreto-Lei n.º 144/2008 de 28 de Julho O Programa do XVII Governo prevê o lançamento de uma nova geração de políticas locais e de políticas sociais de proximidade, assentes em passos decisivos e estruturados

Leia mais

ÍNDICE. Conselho Económico e Social: Regulamentação do trabalho: Despachos/portarias:

ÍNDICE. Conselho Económico e Social: Regulamentação do trabalho: Despachos/portarias: Conselho Económico e Social Regulamentação do trabalho 3524 Organizações do trabalho 3702 Informação sobre trabalho e emprego N. o Vol. Pág. 2008 32 75 3521-3714 29 Ago Propriedade Ministério do Trabalho

Leia mais

EEMI ITTI IDO PPOR: : Ministério da Educação. ASSSSUNTTO Estatuto do ensino particular e cooperativo DATTA 1980-11-21

EEMI ITTI IDO PPOR: : Ministério da Educação. ASSSSUNTTO Estatuto do ensino particular e cooperativo DATTA 1980-11-21 DIÁRIOS DA REPUBLLI ICA DEESSI IGNAÇÇÃO: : EEDUCCAÇÇÃO e Ciência ASSSSUNTTO Estatuto do ensino particular e cooperativo IDEENTTI I IFFI ICCAÇÇÃO Decreto lei nº 553/80 DATTA 1980-11-21 EEMI ITTI IDO PPOR:

Leia mais

LEI DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Nº 14.460 DE 16.01.2014

LEI DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Nº 14.460 DE 16.01.2014 LEI DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Nº 14.460 DE 16.01.2014 D.O.E/RS - 17.01.2014 Dispõe sobre o reajuste dos pisos salariais, no âmbito do Estado do Rio Grande do Sul, para as categorias profissionais

Leia mais

Curriculum Vitae. Elementos de identificação. Nome: Monteiro de Macedo /João Carlos. Natural de: (Angola) Nacionalidade: Portuguesa

Curriculum Vitae. Elementos de identificação. Nome: Monteiro de Macedo /João Carlos. Natural de: (Angola) Nacionalidade: Portuguesa 1 Curriculum Vitae Elementos de identificação Nome: Monteiro de Macedo /João Carlos Natural de: (Angola) Nacionalidade: Portuguesa Nascido em: 10 de Maio de 1959 Estado civil: Casado Cartão do cidadão

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO Edital Nº 001/2012 -TABELA DE CARGOS

CONCURSO PÚBLICO Edital Nº 001/2012 -TABELA DE CARGOS CONCURSO PÚBLICO Edital Nº 001/2012 -TABELA DE CARGOS NÍVEL FUNDAMENTAL INCOMPLETO (comprovação de escolaridade até a 4ª série do EF atual 5º ano) 01 Servente - Zona Urbana Nível Fundamental Incompleto

Leia mais

INDEZ 2010. Pessoal existente em INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR PÚBLICO. Setembro 2011 V1.2 DSSRES

INDEZ 2010. Pessoal existente em INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR PÚBLICO. Setembro 2011 V1.2 DSSRES INDEZ 2010 Pessoal existente em INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR PÚBLICO Setembro 2011 V1.2 DSSRES INDEZ 2010 Pessoal existente em Instituições de Ensino Superior Público DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE Direcção

Leia mais

Total de vagas: 5.565

Total de vagas: 5.565 Painel de vagas - CEAT em 12/04/2011 Total de vagas: 5.55 OCUPAÇÃO VAGAS BAIRRO 1 Açougueiro 17 EXPERIÊNCIA MÍNIMA (MESES) Escolaridade Mínima 2 Agente administrativo 1 ZONA OESTE Ensino Médio completo

Leia mais

QUADRO DE TRANSFERÊNCIA DE COMPETÊNCIAS PARA OS MUNICÍPIOS EM MATÉRIA DE EDUCAÇÃO

QUADRO DE TRANSFERÊNCIA DE COMPETÊNCIAS PARA OS MUNICÍPIOS EM MATÉRIA DE EDUCAÇÃO QUADRO DE TRANSFERÊNCIA DE COMPETÊNCIAS PARA OS MUNICÍPIOS EM MATÉRIA DE EDUCAÇÃO APROVADO PELO DECRETO-LEI N.º 144/2008, DE 28 DE JULHO ALTERADO PELOS SEGUINTES DIPLOMAS: - Lei n.º 3-B/2010, de 28 de

Leia mais

REGULAMENTO PARA A GESTÃO DE CARREIRAS DO PESSOAL NÃO DOCENTE CONTRATADO NO ÂMBITO DO CÓDIGO DO TRABALHO DA UNIVERSIDADE DO. Capítulo I.

REGULAMENTO PARA A GESTÃO DE CARREIRAS DO PESSOAL NÃO DOCENTE CONTRATADO NO ÂMBITO DO CÓDIGO DO TRABALHO DA UNIVERSIDADE DO. Capítulo I. Regulamentos REGULAMENTO PARA A GESTÃO DE CARREIRAS DO PESSOAL NÃO DOCENTE CONTRATADO NO ÂMBITO DO CÓDIGO DO TRABALHO DA UNIVERSIDADE DO PORTO Aprovado pelo Conselho de Gestão na sua reunião de 2011.01.20

Leia mais

Boletim do Trabalho e Emprego, n.º 29, 08/08/2013

Boletim do Trabalho e Emprego, n.º 29, 08/08/2013 Servente de limpeza Grupo 11... 485,00 Praticante do 3.º ano Grupo 12... 485,00 Praticante do 2.º ano Grupo 13... 485,00 Praticante do 1.º ano Vila Nova de Famalicão, 02 de maio de 2013 LEICA Aparelhos

Leia mais

3 Cursos de licenciaturas e diplomas de estudos superiores especializados constantes do Despacho n.º 25 156/2002, de 26 de Novembro, a considerar:

3 Cursos de licenciaturas e diplomas de estudos superiores especializados constantes do Despacho n.º 25 156/2002, de 26 de Novembro, a considerar: s previstos no art. 56.º do Estatuto da Carreira Docente que relevam para a aplicação da alínea c) do n.º 1 do art. 14.º do Decreto-Lei n.º35/2003, de 27 de Fevereiro, na redacção dada pelo Decreto-Lei

Leia mais

Terça-feira, 18 de agosto de 2015 RELAÇÕES DE TRABALHO. Direção Regional do Trabalho. Regulamentação do Trabalho. Despachos:...

Terça-feira, 18 de agosto de 2015 RELAÇÕES DE TRABALHO. Direção Regional do Trabalho. Regulamentação do Trabalho. Despachos:... - REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Terça-feira, 18 de agosto de 2015 Série RELAÇÕES DE TRABALHO Sumário SECRETARIA REGIONAL DA INCLUSÃO E ASSUNTOS SOCIAIS Direção Regional do Trabalho Regulamentação

Leia mais

Regime de constituição e de direitos e deveres das associações de pais e de encarregados de educação Decreto-Lei n.º 372/90 de 27 de Novembro

Regime de constituição e de direitos e deveres das associações de pais e de encarregados de educação Decreto-Lei n.º 372/90 de 27 de Novembro Regime de constituição e de direitos e deveres das associações de pais e de encarregados de educação Decreto-Lei n.º 372/90 de 27 de Novembro A Lei n.º 7/77, de 1 de Fevereiro, bem como a legislação que

Leia mais

REGULAMENTO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS AO EXTERIOR DA UNIVERSIDADE DO PORTO

REGULAMENTO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS AO EXTERIOR DA UNIVERSIDADE DO PORTO Regulamentos REGULAMENTO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS AO EXTERIOR DA UNIVERSIDADE DO PORTO A prestação de serviços ao exterior por docentes com contrato em funções públicas, em regime de dedicação exclusiva,

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO Nº 001/2014 EDITAL Nº 001/2014

CONCURSO PÚBLICO Nº 001/2014 EDITAL Nº 001/2014 CONCURSO PÚBLICO Nº 001/2014 EDITAL Nº 001/2014 O Município de Piratininga, Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições legais, torna público que será realizado, através da Empresa Astral Assessoria

Leia mais

Concurso de Educadores de Infância e de Professores dos Ensinos Básico e Secundário: ano escolar de 2015-2016

Concurso de Educadores de Infância e de Professores dos Ensinos Básico e Secundário: ano escolar de 2015-2016 Concurso de Educadores de Infância e de Professores dos Ensinos Básico e Secundário: ano escolar de 2015-2016 Nos termos do determinado no Decreto-Lei n.º 132/2012, de 27 de junho, na redação conferida

Leia mais

ANEXO 2 CLASSIFICAÇÃO SOCIAL INTERNACIONAL PROPOSTA POR GRAFFAR

ANEXO 2 CLASSIFICAÇÃO SOCIAL INTERNACIONAL PROPOSTA POR GRAFFAR ANEXO 2 CLASSIFICAÇÃO SOCIAL INTERNACIONAL PROPOSTA POR GRAFFAR Vitor da Fonseca Em resumo, utilizando as próprias palavras do autor: "Os estudos biológicos sobre amostras de população deveriam acompanhar

Leia mais

SUBSÍDIOS E REMUNERAÇÕES CARGOS DE PREFEITO, VICE-PREFEITO E SECRETÁRIOS MUNICIPAIS CARGOS COMISSIONADOS E FUNÇÕES GRATIFICADAS

SUBSÍDIOS E REMUNERAÇÕES CARGOS DE PREFEITO, VICE-PREFEITO E SECRETÁRIOS MUNICIPAIS CARGOS COMISSIONADOS E FUNÇÕES GRATIFICADAS PORTAL DA TRANSPARÊNCIA ATOS DE PESSOAL - JULHO/2012 - Página 1 Competência: Julho/2012 SUBSÍDIOS E REMUNERAÇÕES S DE PREFEITO, VICE-PREFEITO E SECRETÁRIOS MUNICIPAIS PREFEITO MUNICIPAL R$ 11.914,77 VICE-PREFEITO

Leia mais

S U M Á R I O. Terça-feira, 4 de Dezembro de 2012 Número 26 XII LEGISLATURA

S U M Á R I O. Terça-feira, 4 de Dezembro de 2012 Número 26 XII LEGISLATURA Terça-feira, 4 de Dezembro de 2012 Número 26 XII LEGISLATURA S U M Á R I O Proposta de lei n.º 110/XII (2.ª): Estabelece um regime temporário de pagamento dos subsídios de Natal e de férias para vigorar

Leia mais

ANEXO 01 - QUADRO DE CARGOS E VAGAS OFERTADAS

ANEXO 01 - QUADRO DE CARGOS E VAGAS OFERTADAS ANEXO 01 - QUADRO DE CARGOS E VAGAS OFERTADAS Cargo 001 Auxiliar Operacional de Construção - Carpinteiro Cargo 002 Auxiliar Operacional de Construção - Servente Cargo 003 Auxiliar Operacional de Construção

Leia mais

Estrutura Remuneratória SESI e SENAI (PCCR*) Cargo Grupo Salário Auxiliar de Cozinha 1 Auxiliar de Disciplina 1 Contínuo 1

Estrutura Remuneratória SESI e SENAI (PCCR*) Cargo Grupo Salário Auxiliar de Cozinha 1 Auxiliar de Disciplina 1 Contínuo 1 Auxiliar de Cozinha 1 Auxiliar de Disciplina 1 Contínuo 1 660 Garçom 1 Afiador de Ferramentas 2 Assistente da Central de Laudos 2 Atendende de Programa de Relacionamento 2 Atendente de Telemarketing 2

Leia mais

DECRETO n. 11.293 DISPÕE SOBRE A CONSOLIDAÇÃO DA TABELA DE CARGOS EFETIVOS DO QUADRO DE PESSOAL DA PREFEITURA MUNICIPAL, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

DECRETO n. 11.293 DISPÕE SOBRE A CONSOLIDAÇÃO DA TABELA DE CARGOS EFETIVOS DO QUADRO DE PESSOAL DA PREFEITURA MUNICIPAL, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. DECRETO n. 11.293 DISPÕE SOBRE A CONSOLIDAÇÃO DA TABELA DE DO QUADRO DE PESSOAL DA PREFEITURA MUNICIPAL, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. NELSON TRAD FILHO, Prefeito Municipal de Campo Grande, Capital do Estado

Leia mais

Pelo SE Sindicato dos Enfermeiros: Manuel José Sousa Santos Frade, mandatário com poderes

Pelo SE Sindicato dos Enfermeiros: Manuel José Sousa Santos Frade, mandatário com poderes Pelo SE Sindicato dos Enfermeiros: Manuel José Sousa Santos Frade, mandatário com poderes para o acto. Pelo SETAA Sindicato da Agricultura, Alimentação e Florestas: Manuel José Sousa Santos Frade, mandatário

Leia mais

M ODELO EUROPEU DE CURRICULUM VITAE

M ODELO EUROPEU DE CURRICULUM VITAE M ODELO EUROPEU DE CURRICULUM VITAE INFORMAÇÃO PESSOAL Nome Morada SALGUEIRO, ALBERTO MANUEL MORGADO Loteamento da Cocheira, Lote 1 2º Dr Tras 5370 Mirandela Telefone 936 023 190 Correio electrónico Asalgueiro@mixmail.com

Leia mais

PREFEITO MUNICIPAL COMISSÃO DE FISCALIZAÇÃO E SUPERVISÃO DO CONCURSO EXAMES & CONSULTORIA

PREFEITO MUNICIPAL COMISSÃO DE FISCALIZAÇÃO E SUPERVISÃO DO CONCURSO EXAMES & CONSULTORIA PREFEITO MUNICIPAL COMISSÃO DE FISCALIZAÇÃO E SUPERVISÃO DO CONCURSO EXAMES & CONSULTORIA Aditivo Nº 003/2011. Ao Edital do Concurso Público da PMLS. Ao Capítulo I Item 2. A distribuição de quantidade

Leia mais

Cláusula 47.ª. Boletim do Trabalho e Emprego, n. o 48, 29/12/2011. Alojamento e subsídio de deslocação. XIII Paquete de 17 anos...

Cláusula 47.ª. Boletim do Trabalho e Emprego, n. o 48, 29/12/2011. Alojamento e subsídio de deslocação. XIII Paquete de 17 anos... Cláusula 47.ª Alojamento e subsídio de deslocação 1 O trabalhador que for deslocado para prestar serviço fora do seu local de trabalho tem direito, para além da sua retribuição normal ou de outros subsídios

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO N. o 203 3-9-1998 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B 4595 mento. Pelo Ministro Adjunto, Fausto de Sousa Correia, Secretário de Estado da Administração Pública e da Modernização Administrativa. A Ministra da

Leia mais

Boletim do Trabalho e Emprego, n.º 30, 15/8/2014. Porto, 3 de Dezembro de 2013.

Boletim do Trabalho e Emprego, n.º 30, 15/8/2014. Porto, 3 de Dezembro de 2013. Porto, 3 de Dezembro de 2013. Pelo CESP - Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal: Jorge Manuel Silva Pinto, na qualidade de Marisa Rosário Talhas Macedo Ribeiro, na

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE TRÊS LAGOAS ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL

PREFEITURA MUNICIPAL DE TRÊS LAGOAS ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL LEI Nº. 2523, DE 02 DE AGOSTO DE 2011. CARGOS E SALÁRIOS PADRÕES MENSAIS DOS SERVIDORES DE PROVIMENTO EFETIVO (Fixação do Vencimento Mensal dos Cargos de Provimento Efetivo) Horária Semanal Vencimento

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MARATAÍZES ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

PREFEITURA MUNICIPAL DE MARATAÍZES ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PREFEITURA MUNICIPAL MARATAÍZES ESTA ESPÍRITO SANTO CONCURSO PÚBLICO 001/11 PMM ANEXO I S,, Nº,, E S. S DA ADMINISTRAÇÃO GERAL VALOR S OBJETIVAS Nº. TOTAL 01 Cozinheira 02 5,00 40 h 0 pontos NÃO SIM 02

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE IGUABA GRANDE Estado do Rio de Janeiro Gabinete do Prefeito

PREFEITURA MUNICIPAL DE IGUABA GRANDE Estado do Rio de Janeiro Gabinete do Prefeito LEI COMPLEMENTAR Nº 104/2012 DE 22 DE MARÇO DE 2012. DETERMINA IZAÇÃO DE VENCIMENTOS- BASE AOS CARGOS QUE PERCEBEM REMUNERAÇÃO ABAIXO OU PRÓXIMA AO SALÁRIO MÍNIMO NACIONALMENTE UNIFICADO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

11,00 classificações obtidas 1.4 De conclusão de curso do curso de especialização tecnológica

11,00 classificações obtidas 1.4 De conclusão de curso do curso de especialização tecnológica TABELA DE EMOLUMENTOS DO IPL 1 1 Certidões: Euros 1.1 Certidão do registo de graus e diplomas de ensino superior (licenciatura; mestrado; diploma de estudos superiores de curta duração; 15,00 conclusão

Leia mais

CONJUNTO DA ACTIVIDADE

CONJUNTO DA ACTIVIDADE INSTITUTO DESEGU UROS DE PORTUGAL ACTIVIDADE SEGURADORA EM PORTUGAL PESSOAL A 31 DE MARÇO DE 2011 CONJUNTO DA ACTIVIDADE LISBOA, 2011 Página 1 ÍNDICE Tabela Salarial... 2 01. Número de Trabalhadores e

Leia mais

PLANOS DE CARGOS E SALÁRIOS. Autor: Sidnei Di Bacco/Advogado

PLANOS DE CARGOS E SALÁRIOS. Autor: Sidnei Di Bacco/Advogado PLANOS DE CARGOS E SALÁRIOS Autor: Sidnei Di Bacco/Advogado ESTRUTURA REMUNERATÓRIA BÁSICA PCS dos servidores comissionados PCS dos servidores efetivos (quadro geral) PCS dos servidores do magistério SERVIDORES

Leia mais

14. PESSOAL DOCENTE: SITUAÇÃO E FORMAÇÃO

14. PESSOAL DOCENTE: SITUAÇÃO E FORMAÇÃO 14. PESSOAL DOCENTE: SITUAÇÃO E FORMAÇÃO 14.1 FORMAÇÃO INICIAL 14.1.1 PESSOAL DOCENTE DO ENSINO NÂO SUPERIOR A formação inicial de educadores de infância e de professores dos ensinos básico e secundário

Leia mais

Ministério da Ciência e Tecnologia

Ministério da Ciência e Tecnologia Ministério da Ciência e Tecnologia Decreto n.º4/01 De 19 de Janeiro Considerando que a investigação científica constitui um pressuposto importante para o aumento da produtividade do trabalho e consequentemente

Leia mais

MGS- Minas Gerais Administração e Serviços S/A

MGS- Minas Gerais Administração e Serviços S/A MGS- Minas Gerais Administração e Serviços S/A NORMATIVO DE EMPREGOS E SALÁRIOS DA MGS-MINAS GERAIS ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS S.A Normativo de Empregos e Salários da MGS NORMATIVO DE EMPREGOS E SALÁRIOS

Leia mais

ÍNDICE. Conselho Económico e Social: Regulamentação do trabalho: Despachos/portarias: Regulamentos de condições mínimas:

ÍNDICE. Conselho Económico e Social: Regulamentação do trabalho: Despachos/portarias: Regulamentos de condições mínimas: Conselho Económico e Social Regulamentação do trabalho 2941 Organizações do trabalho 3186 Informação sobre trabalho e emprego N. o Vol. Pág. 2008 29 75 2937-3228 8 Ago Propriedade Ministério do Trabalho

Leia mais

ANOTE O NÚMERO DA VAGA de interesse e dirija-se ao

ANOTE O NÚMERO DA VAGA de interesse e dirija-se ao ANOTE O NÚMERO DA VAGA de interesse e dirija-se ao Informações das vagas oferecidas no Sistema Nacional de Emprego (SINE). Vagas Maio/15 Nº Vaga Ocupação 3275599 Administrador hospitalar 3277945 Agente

Leia mais

NECESSIDADES DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DAS MICROEMPRESAS DO SECTOR DO TURISMO PARA 2010/2011

NECESSIDADES DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DAS MICROEMPRESAS DO SECTOR DO TURISMO PARA 2010/2011 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SECRETARIA REGIONAL DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL DIRECÇÃO REGIONAL DO TRABALHO, QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL E DEFESA DO CONSUMIDOR OBSERVATÓRIO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL

Leia mais

PORTARIA Nº, DE FEVEREIRO DE 2013

PORTARIA Nº, DE FEVEREIRO DE 2013 PORTARIA Nº, DE FEVEREIRO DE 2013 Define as diretrizes gerais para o processo de avaliação de desempenho para fins de progressão e de promoção das Carreiras do Magistério Superior e do Ensino Básico, Técnico

Leia mais

DGAE Direção-Geral da Administração Escolar CONTRATAÇÃO DE ESCOLA E BOLSA DE CONTRATAÇÃO DE ESCOLA. Maio/Junho 2015

DGAE Direção-Geral da Administração Escolar CONTRATAÇÃO DE ESCOLA E BOLSA DE CONTRATAÇÃO DE ESCOLA. Maio/Junho 2015 CONTRATAÇÃO DE ESCOLA E BOLSA DE CONTRATAÇÃO DE ESCOLA Maio/Junho 2015 CONCURSO DOCENTES 2015/2016 (Decreto-Lei n.º 132/2012, de 27/06, na redação conferida pelo Decreto-Lei n.º 83- A/2014, de 23/05, retificado

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BACABAL GABINETE DO PREFEITO

PREFEITURA MUNICIPAL DE BACABAL GABINETE DO PREFEITO PREFEITURA MUNICIPAL DE BACABAL GABINETE DO PREFEITO Decreto nº 446 de 08 de fevereiro de 2013 O PREFEITO DE BACABAL/MA, no uso de suas atribuições, DISPÕE SOBRE A CONTRATAÇÃO POR TEMPO DETERMINADO, NO

Leia mais

VAGAS QUE EXIGEM SUPERIOR COMPLETO

VAGAS QUE EXIGEM SUPERIOR COMPLETO VAGAS QUE EXIGEM SUPERIOR COMPLETO Contador VAGAS QUE EXIGEM SUPERIOR INCOMPLETO Auxiliar de crédito Secretária(o) executiva(o) VAGAS QUE EXIGEM ENSINO MÉDIO COMPLETO Analista de crédito (instituições

Leia mais

DECRETO Nº. 313, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2014*.

DECRETO Nº. 313, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2014*. DECRETO Nº. 313, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2014*. Define o número de vagas por cargo que serão disponibilizados em Concurso Público a ser deflagrado pela Prefeitura Municipal de Amargosa. A PREFEITA MUNICIPAL

Leia mais

SINDICATO DOS TRABALHADORES NO SERVIÇO PÚBLICO MUNICIPAL DE ITU FILIADO A FESSPMESP

SINDICATO DOS TRABALHADORES NO SERVIÇO PÚBLICO MUNICIPAL DE ITU FILIADO A FESSPMESP 1 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 - ESTATUTÁRIO Pelo presente instrumento particular de Acordo Coletivo de Trabalho de um lado o Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Itu, entidade

Leia mais

Foram aprovadas as alterações, para o ano de 2009, dos Contratos Colectivos de

Foram aprovadas as alterações, para o ano de 2009, dos Contratos Colectivos de CCT CCT- RESTAURAÇÃO E BEBIDAS Foram aprovadas as alterações, para o ano de 2009, dos Contratos Colectivos de Trabalho, para a Restauração e Bebidas, celebrados entre a AHRESP - ASSOCIAÇÃO DA HOTELARIA

Leia mais

Ministério d. da Presidência do Conselho, em 19 de Março de 2008. Registado com o n.º DL 116/2008 no livro de registo de diplomas

Ministério d. da Presidência do Conselho, em 19 de Março de 2008. Registado com o n.º DL 116/2008 no livro de registo de diplomas Registado com o DL 116/2008 no livro de registo de diplomas da Presidência do Conselho, em 19 de Março de 2008 No âmbito do programa de reformas da Administração Pública assume especial relevância o novo

Leia mais

Boletim do 1 Trabalho e Emprego 1.

Boletim do 1 Trabalho e Emprego 1. Boletim do 1 Trabalho e Emprego 1. A SÉRIE Edição: Direcção-Geral de Estudos, Estatística e Planeamento Preço (IVA incluído 5%) Centro de Informação e Documentação G 14,06 BOL. TRAB. EMP. 1. A SÉRIE LISBOA

Leia mais