PROJETOS DE EXTENSÃO DO CURSO DE BACHARELADO EM ENFERMAGEM DO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO CAMPUS XII

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROJETOS DE EXTENSÃO DO CURSO DE BACHARELADO EM ENFERMAGEM DO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO CAMPUS XII"

Transcrição

1 PROJETOS DE EXTENSÃO DO CURSO DE BACHARELADO EM ENFERMAGEM DO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO CAMPUS XII SEMESTRE PROJETOS DE EXTENSÃO Estudo dos Efeitos de plantas Medicinais do Semi-Árido Nordestino Sobre o Coração de Mamíferos RESPONSÁVEL/COORDENADOR(A) OBJETIVO GERAL CLIENTELA ATENDIDA/BENEFICIADA Antônio Nei Santana Gondim Avaliar o(s) efeito(s) de extratos obtidos de plantas medicinais do semi-árido da Bahia sobre o miocárdio atrial do rato; Comparar o efeito destes extratos com o uso empírico dessas plantas pela população. Comunidade Acadêmica e local Laboratórios de Enfermagem Extensão Universitária Antônio Nei Santana Gondim Proporcionar condições mínimas para o desenvolvimento das atividades de ensino, pesquisa e extensão que estejam vinculadas aos Laboratórios de Enfermagem; Comunidade Acadêmica Oferecer condições necessárias para capacitação/atualização de recursos humanos em

2 Enfermagem; Fomentar a interação entre os docentes do DEDC XII e os Laboratórios de Enfermagem; Oportunizar ao monitor selecionado um aprofundamento de seus conhecimentos na área da monitoria de extensão Incentivo ao Aleitamento Materno Gabriela Cardoso Moreira Marques Contribuir de forma significativa na formação e capacitação de multiplicadores em atividades de Educação em Saúde, para que a equipe de saúde e usuárias das unidades básicas de saúde adquira consciência e sensibilidade em relação à importância do aleitamento materno exclusivo. Gestantes que realizam Pré-Natal nos PSFs (Guanambi, BA) e Puérperas Perfil ergonômico dos postos de trabalho dos profissionais de enfermagem da cidade de Guanambi - Bahia Mauro César Ribeiro dos Santos Identificar os fatores no ambiente de trabalho que podem gerar alterações na saúde dos profissionais de enfermagem; Verificar a utilização das normas regulamentadoras do trabalho de enfermagem; Comunidade Acadêmica e Profissionais de Enfermagem Identificar as mudanças ergonômicas necessárias para a melhoria de qualidade de vida no trabalho; Incentivar a prática de atividades de prevenção de acidentes de trabalho Projeto Interdisciplinar em Atenção Integral a saúde do Adolescente Tatiana Barreto Pereira Viana Respeitar o princípio da autonomia dentro do qual o adolescente, reconhecido como sujeito, é capaz de assumir de imediato ou gradativamente responsabilidades sobre a sua saúde e qualidade de vida; Adolescentes (entre 10 e 19 anos) assistidos pela equipe multiprofissional da Unidade de Saúde da Família do Bairro São Francisco, Guanambi/BA. Considerar a privacidade, confidencialidade e o sigilo na abordagem das questões de saúde do adolescente;

3 Garantir o direito à cidadania do adolescente, de sua família e da equipe; Respeitar as escolhas do adolescente e de sua família; Atender e complementar a necessidade de formação específica do aluno de enfermagem, desenvolvendo competências profissionais que lhes permitam atuar com eficiência na preservação da saúde do adolescente; Analisar por meio de critérios holísticos o papel do enfermeiro no contexto da saúde das práticas tradicionais complementares às práticas de saúde do adolescente; Identificar os papéis específicos dos diversos integrantes da equipe de saúde; Incentivar o desenvolvimento de Parcerias e alianças estratégicas entre a UNEB e os segmentos sociais. Oficina de Orientação Sexual Lorena D Oliveira Gusmão Aprender a conhecer o próprio corpo e a cuidar dele; Conscientizar sobre a importância de uma vida sexual saudável. Adolescentes (12-18 anos) que compõem a clientela descrita na Unidade Básica de Saúde do Monte Pascoal que queiram participar da oficina. Reinserção Social do Portador de Transtorno Mental na Era Digital Jaine Kareny da Silva Demonstrar o papel socioeconômico do educador do enfermeiro que transcende a o modelo tradicional da sala de aula, propiciando ao acadêmico a possibilidade de vivencia experimental que subsidiará a sua formação profissional. Usuários do CAPS (Centro de Atenção Psicossocial) II Beija- Flor. Auxiliar o portador de transtorno mental no inicio da trajetória social, favorecendo base sólida

4 Educação Sexual em Sala de Espera no PSF do Distrito de Ceraíma Ivanete Fernandes do Prado Mediar Conhecimentos a cerca de hábitos de prevenção das DST; Estimular os ouvintes a adquirirem esses novos hábitos e posterior prevenção; Comunidade do distrito de Ceraima que freqüentam os Postos de Saúde. Incentivo ao Aleitamento Materno Sensibilizar os ouvintes a servirem como mediadores dos conhecimentos transmitidos. Gabriela Cardoso Moreira Marques Contribuir de forma significativa na formação e capacitação de multiplicadores de educação em saúde, para a equipe de saúde e usuárias das unidades básicas de saúde adquiram consciência e sensibilidade em relação a importância do aleitamento materno exclusivo. Gestantes que realizam pré-natal nos PSFs (Guanambi-Ba) e puérperas que estão cadastradas no Programa de saúde da mulher. Perfil ergonômico dos Postos de Trabalho dos Profissionais de Enfermagem da cidade de Guanambi Bahia. Mauro César Ribeiro dos Santos Identificar os fatores no ambiente de trabalho que podem gerar alterações na saúde dos profissionais de enfermagem; Verificar a utilização das normas regulamentadoras do trabalho de enfermagem; Profissionais de Enfermagem dos PSFs e do Hospital Regional de Guanambi. Indicar as mudanças ergonômicas necessárias para a melhoria da qualidade de vida no trabalho; Incentivar a prática de atividades de prevenção de acidentes de trabalho Projeto Interdisciplinar em Atenção a Saúde do Adolescente Tatiana Barreto Pereira Viana Respeitar o princípio da autonomia dentro do qual o adolescente, reconhecido como sujeito, é capaz de assumir de imediato ou gradativamente responsabilidades sobre a sua saúde e qualidade de vida; Adolescentes (entre 10 e 19 anos) assistidos pela equipe multiprofissional da Unidade de Saúde da Família do Bairro São Francisco, Guanambi/BA.

5 Considerar a privacidade, confidencialidade e o sigilo na abordagem das questões de saúde do adolescente; Garantir o direito à cidadania do adolescente, de sua família e da equipe; Respeitar as escolhas do adolescente e de sua família; Atender e complementar a necessidade de formação específica do aluno de enfermagem, desenvolvendo competências profissionais que lhes permitam atuar com eficiência na preservação da saúde do adolescente; Analisar por meio de critérios holísticos o papel do enfermeiro no contexto da saúde das práticas tradicionais complementares às práticas de saúde do adolescente; Identificar os papéis específicos dos diversos integrantes da equipe de saúde; Incentivar o desenvolvimento de Parcerias e alianças estratégicas entre a UNEB e os segmentos sociais.

6 Curso de APH ( Atendimento Pré-hospitalar) SUPORTE BÁSICO A VIDA José Everaldo e Silva Propiciar aos participantes conhecimentos teóricos e técnicas de APH básico, através de ensinamentos teóricos e de treinamentos práticos realizados com matérias e equipamentos especializados; Tornar os participantes aptos a ministrarem palestras minicurso sobre primeiros Socorros; Buscar desenvolver nos participantes, universitários, consciência critica sobre seu papel na sociedade. Hospital Regional de Guanambi Incentivo ao Aleitamento Materno Gabriela Cardoso Moreira Marques Contribuir de forma significativa na formação e capacitação de multiplicadores em atividades de Educação em Saúde, para que a equipe de saúde e usuárias das unidades básicas de saúde adquira consciência e sensibilidade em relação à importância do aleitamento materno exclusivo. Gestantes que realizam Pré-Natal nos PSFs (Guanambi, BA) e Puérperas Reinserção Social do Portador de Transtorno Mental na Era Digital Jaine Kareny da Silva Demonstrar o papel socioeconômico do educador do enfermeiro que transcende a o modelo tradicional da sala de aula, propiciando ao acadêmico a possibilidade de vivencia experimental que subsidiará a sua formação profissional. Usuários do CAPS (Centro de Atenção Psicossocial) II Beija- Flor. Auxiliar o portador de transtorno mental no inicio da trajetória social, favorecendo base sólida Oficina de Orientação Sexual Lorena D Oliveira Gusmão Aprender a conhecer o próprio corpo e a cuidar dele; Adolescentes (12-18 anos) que compõem a clientela descrita na Unidade Básica de Saúde do Monte Pascoal que queiram

7 Conscientizar sobre a importância de uma vida sexual saudável. participar da oficina. Projeto Interdisciplinar SM Atenção Integral a saúde do Adolescente Tatiana Barreto Pereira Viana Respeitar o principio de autonomia dentro do qual o adolescente, reconhecido como sujeito, é capaz de assumir de imediato ou gradativamente responsabilidades sobre sua saúde e qualidade de vida ; Considerar a privacidade, confiabilidade e o sigilo na abordagem das questões de saúde do adolescente; Garantir o direito a cidadania do adolescente, de sua família e da equipe; Respeitar as escolhas dos adolescentes e de sua família; Atender e complementar a necessidade de formação específica do aluno do curso de enfermagem, desenvolvendo competências profissionais que lhe permitam atuar com eficiência na prevenção da saúde do adolescente; Analisar por meio de critérios holísticos o papel do enfermeiro no contexto da saúde das práticas tradicionais complementares às práticas da saúde do adolescente Identificar os papeis específicos dos diversos integrantes da equipe de saúde; Incentivar o desenvolvimento de parcerias e alianças estratégias entre a UNEB e os segmentos sociais. Adolescentes do Projeto Tempero Verde.

8 Oficina de Orientação Sexual Lorena D Oliveira Gusmão Aprender a conhecer o próprio corpo e cuidar dele; Conscientizar sobre a importância de uma vida sexual responsável; Adolescentes e comunidade em geral Compreender a sexualidade como parte do desenvolvimento humano; Comporta-se sexualmente com respeito e sexualidade; Refletir sobre tabus relacionados à sexualidade; Conhecer os métodos contraceptivos; Evitar contrair e transmitir DST; Evitar uma gravidez indesejada. Curso de APH (Atendimento Pré-hospitalar) Suporte básico de vida Darlyane Antunes Macêdo Proporcionar a comunidade atendida, possibilidades para adquirir conhecimentos teóricos e práticos de Atendimento Préhospitalar. Comunidade geral Formar multiplicadores aptos a ministrarem palestras e Mini-cursos sobre Primeiros socorros. Trabalhar com os acadêmicos uma consciência critica sobre seu papel na sociedade. Tornar os participantes, acadêmicos e comunidade, aptos a orientar e proceder no atendimento pré-hospitalar.

9 Prevenção e Promoção da Saúde de Gestantes, Puérperas, recém-nascidos e da Família Werla Aparecida Alves dos Santos Brito e Larissa Silva de Abreu Rodrigues Prevenir agravos e promover a saúde das gestantes, puérpeas, recém-nascidos e da família; Proporcionar vivência dos discentes de enfermagem e educação física com o trabalho em saúde junto com gestantes, puérperas, recém-nascidos e família; Acadêmicos do curso de Educação Física, e Enfermagem; docentes, integrantes de unidades de saúde da família, do NASF e do CRAS; mulheres no ciclo gravídico-puerperal e suas famílias. Favorecer o trabalho interdisciplinar e do cuidado integral as gestantes, puérperas, recém-nascidos e família. Perfil ergonômico dos postos de trabalho dos profissionais de enfermagem do Hospital Regional de Guanambi-Ba Mauro Cesar Ribeiro dos Santos Identificar os fatores no ambiente de trabalho que podem gerar alterações na saúde dos profissionais de enfermagem; Verificar a utilização das normas reguladoras do trabalho de enfermagem; Indicar as mudanças ergonômicas necessárias para a melhoria de qualidade de vida no trabalho; Incentivar a prática de atividades de prevenção de acidentes de trabalho. Profissionais de enfermagem dos PSFs e Hospital Regional de Guanambi Reinserção social do portador de transtorno mental através da era digital Jaine Kareny da Silva Demonstrar o papel sócio-educador do enfermeiro que transcende ao modelo tradicional da sala de aula, propiciando ao acadêmico a possibilidade de vivência experimental que subsidia a sua formação profissional. Auxiliar ao portador de transtorno mental no início da trajetória social, favorecendo base para a construção da mesma. Programar aulas extras conforme necessidade do usuário para reforçar conteúdo anterior. Usuários do CAPS II Beija-flor do município de Guanambi-Ba

10 Avaliação da assistência pré-natal oferecida em Guanambi-Bahia Oficina de Orientação Sexual Lorena D Oliveira Gusmão Lorena D Oliveira Gusmão Avaliar a assistência pré-natal oferecida em Guanambi- Bahia Descrever o perfil da gestante. Analisar a cobertura da população assistida por equipes da Estratégia Saúde da Família (ESF. Descrever o percentual de gestantes inscritas no PHPN que realizaram seis consultas de pré-natal. Descrever o percentual de gestantes inscritas no PHPN que realizaram todos os exames básicos. Verificar o percentual de gestantes inscritas que receberam imunização antitânica. Avaliar o percentual de gestantes inscritas que realizaram a consulta puerperal. Avaliar o registro da assistência no cartão da gestante. Aprender a conhecer o próprio corpo e cuidar dele; Conscientizar sobre a importância de uma vida sexual responsável; Compreender a sexualidade como parte do desenvolvimento humano; Gestantes em geral Adolescentes (12-18 anos) que compõem a clientela descrita na Unidade Básica de Saúde do Monte Pascoal que queiram participar da oficina. Comporta-se sexualmente com respeito e sexualidade; Refletir sobre tabus relacionados à sexualidade; Conhecer os métodos contraceptivos; Evitar contrair e transmitir DST; Evitar uma gravidez indesejada. Incentivo ao aleitamento Materno Gabriela Cardoso Moreira Marques Contribuir de forma significativa na formação e capacitação de multiplicadores em atividades de Educação em Saúde, para que Gestantes que realizaram Pré-natal nos PSFs (Guanambi) e puérperas.

11 e equipe de saúde e usuárias das atividades básicas de saúde adquiram consciência e sensibilidade em relação a importância do aleitamento materno exclusivo. Mobilizar os funcionários dos estabelecimentos de saúde para que mudem condutas e rotinas responsáveis pelos elevados índices de desmame precoce. Promover, apoiar e incentivar o aleitamento materno na comunidade. Subsidiar a equipe de saúde no repasse de informações adequadas sobre o ato de amamentar e seus benefícios. Promover vinculo afetivo entre mãe e filho. Reduzir à mor bi infantil. Projeto Interdisciplinar em Atenção Integral a Saúde do Adolescente Tatiana Barreto Pereira Viana Respeitar o princípio de autonomia dentro do qual o adolescente, reconhecido como sujeito, é capaz de assumir de imediato ou gradativamente responsabilidades sobre sua saúde e qualidade de vida; Considerar a privacidade, confiabilidade e o sigilo na abordagem das questões de saúde do adolescente; Garantir o direito a cidadania do adolescente, de sua família e da equipe; Respeitar as escolas dos adolescentes e de sua família; Atender e complementar a necessidade de formação específica do aluno do curso de enfermagem, desenvolvendo competências profissionais que lhe permitam atuar com eficiência na prevenção da saúde do adolescente; Analisar por meio de critérios holísticos o papel do enfermeiro no contexto da saúde das práticas tradicionais complementares às práticas da saúde Adolescentes do Projeto Tempero Verde

12 do adolescente Identificar os papeis específicos dos diversos integrantes da equipe de saúde; Incentivar o desenvolvimento de parcerias e alianças estratégias entre a UNEB e os segmentos sociais. Curso de APH (Atendimento Pré-hospitalar) Suporte básico de vida Darlyane Antunes Macêdo Proporcionar a comunidade atendida, possibilidades para adquirir conhecimentos teóricos e práticos de Atendimento Préhospitalar. Comunidade geral Formar multiplicadores aptos a ministrarem palestras e Mini-cursos sobre Primeiros socorros. Trabalhar com os acadêmicos uma consciência critica sobre seu papel na sociedade. Tornar os participantes, acadêmicos e comunidade, aptos a orientar e proceder no atendimento pré-hospitalar.

13 Enfermagem e Educação: Cuidados a crianças Especiais Sinara Patrícia Alves Rocha Ávila Identificar as principais necessidades e promover assistência e educação contínua as crianças portadoras de necessidades especiais; Crianças matriculadas regularmente nos órgãos da APAE e APADA Conhecer as necessidades infantis relevantes que dificultam acessibilidade à saúde; Promover assistência qualificada, humanizada e integral. Inter-agir/humanizar Ivanete Fernandes do Prado Proporcionar ao Estudante de Graduação, experiências práticas em áreas diversificadas; Estudantes de enfermagem Permitir a interação do monitor com professores e alunos desta área de conhecimento; Oportunizar ao estudante, engajar-se em plano de trabalho e atividades de extensão, que possibilitem o aperfeiçoamento do conhecimento e o desenvolvimento de atitudes e habilidades favoráveis a sua formação acadêmica e profissional; Contribuir para o desenvolvimento de novas práticas pedagógicas tendo em vista a melhoria do ensino de graduação; Proporcionar ao aluno um aprofundamento de seus conhecimentos na área de monitoria Reinserção social do portador de transtorno mental através da era digital Projeto Interdisciplinar em Jaine Kareny da Silva Tatiana Barreto Pereira Viana Despertar o interesse pelo aprendizado da informática, tornando-se um elemento mediador com o mundo, através da janela virtual (internet), assim como buscar conhecimento disponível no universo virtual. Promover traça de experiências entre unidade de saúde mental (CAPS II Beija-Flor), monitores do projeto de extensão, comunidade presente e usuários do serviço de saúde. Promover atividades educativas em atenção integral à saúde do adolescente, visando a Acadêmicos e comunidade local Adolescentes do Projeto Tempero Verde e do

14 Atenção Integral a Saúde do Adolescente Incentivo ao aleitamento Materno promoção da saúde e a prevenção de agravos, proporcionando maior instrução dos mesmos acerca de temas gerais muito comuns a essa faixa etária com a atenção especial voltada aos aspectos preventivos. Gabriela Cardoso Moreira Marques Contribuir de forma significativa na formação e capacitação de multiplicadores em atividades de Educação em Saúde, para que e equipe de saúde e usuárias das atividades básicas de saúde adquiram consciência e sensibilidade em relação a importância do aleitamento materno exclusivo. PETI Gestantes que realizaram Pré-natal nos PSFs (Guanambi) e puérperas Mobilizar os funcionários dos estabelecimentos de saúde para que mudem condutas e rotinas responsáveis pelos elevados índices de desmame precoce. Promover, apoiar e incentivar o aleitamento materno na comunidade. Subsidiar a equipe de saúde no repasse de informações adequadas sobre o ato de amamentar e seus benefícios. Promover vinculo afetivo entre mãe e filho. Reduzir a mor bi infantil. Curso de APH (Atendimento Pré-hospitalar) Suporte básico de vida Darlyane Antunes Macêdo Proporcionar a comunidade atendida, possibilidades para adquirir conhecimentos teóricos e práticos de Atendimento Préhospitalar. Comunidade geral Formar multiplicadores aptos a ministrarem palestras e Mini-cursos sobre Primeiros socorros. Trabalhar com os acadêmicos uma consciência critica sobre seu papel na

15 sociedade. Tornar os participantes, acadêmicos e comunidade, aptos a orientar e proceder no atendimento pré-hospitalar. Saúde Lá em Casa Serviço de Assistência Domiciliar Elaine de Oliveira Fonseca Oferecer saúde no domicílio através do atendimento de enfermagem no âmbito da assistência e acompanhamento domiciliar principalmente vinculado a educação continuada de cuidadores e de agentes comunitários de saúde. Clientes da Unidade DE Programa Saúde da Família PSF do Bairro Vila Nova do município de Guanambi e acadêmicos de enfermagem Oficina de Orientação Sexual Lorena D Oliveira Gusmão Aprender a conhecer o próprio corpo e a cuidar dele; Conscientizar sobre a importância de uma vida sexual responsável. Adolescentes que cursam a 9ª série do ensino fundamental e acadêmicos do curso

16 Perfil Ergonômico dos Trabalhadores do Sudoeste da Bahia Mauro César Ribeiro dos Santos Identificar os fatores no ambiente de trabalho que podem gerar alterações na saúde dos trabalhadores de diferentes profissões exercidas no Sudoeste da Bahia; Acadêmicos do curso Averiguar o cumprimento das normas regulamentadoras do trabalho; Indicar as mudanças ergonômicas necessárias para a melhoria de qualidade de vida no trabalho; Incentivar a prática de atividades de prevenção de acidentes laboratoriais e de cumprimento das Normas Regulamentadoras do Trabalho. Inter-agir/humanizar Ivanete Fernandes do Prado Proporcionar ao Estudante de Graduação, experiências práticas em áreas diversificadas; Comunidade acadêmica. Permitir a interação do monitor com professores e alunos desta área de conhecimento; Oportunizar ao estudante, engajar-se em plano de trabalho e atividades de extensão, que possibilitem o aperfeiçoamento do conhecimento e o desenvolvimento de atitudes e habilidades favoráveis a sua formação acadêmica e profissional; Contribuir para o desenvolvimento de novas práticas pedagógicas tendo em vista a melhoria do ensino de graduação; Proporcionar ao aluno um aprofundamento de seus conhecimentos na área de monitoria Enfermagem no cuidado às Sinara Patrícia Alves Rocha Ávila Acompanhar o crescimento e desenvolvimento das crianças portadoras Pessoas portadoras de necessidades

17 Crianças Especiais de necessidades especiais. especiais Monitorar o crescimento e desenvolvimento infantil. Conhecer as necessidades infantis relevantes que dificultam acessibilidade à saúde. Identificar os fatores que dificultam aos profissionais para uma assistência adequada. Estimular a humanização dos profissionais envolvidos. Promover assistência qualificada, humanizada e integral. Incentivar e ensinar os portadores de necessidades especiais para realizarem o autocuidado. Estimular o vínculo entre a família, profissionais, sociedade e as crianças. Educação permanente: qualificação profissional no atendimento pré-hospitalar Jaine Kareny da Silva Facilitar o atendimento prévio à população com base no fortalecimento das habilidades dos profissionais das unidades básicas de saúde e serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU 192). Usuários do SUS (Sistema Único de Saúde). Promover qualificação dos profissionais que prestam o primeiro atendimento a fim

18 de minimizar ou evitar agravamento do quadro clínico do cliente. Possibilitar melhor atendimento aos clientes, usuários do SUS (Sistema Único de Saúde). Propiciar participação do aluno do processo de construção do saber, como contribuição para melhoria profissional e multiplicação do conhecimento. Incentivo ao Aleitamento Materno Gabriela Cardoso Moreira Marques Contribuir de forma significativa na formação e capacitação de multiplicadores em atividades de Educação em Saúde, para que a equipe de saúde e usuárias das unidades básicas de saúde adquira consciência e sensibilidade em relação à importância do aleitamento materno exclusivo. Mobilizar os funcionários dos estabelecimentos de saúde para que mudem condutas e rotinas responsáveis pelos elevados índices de desmame precoce; Promover, apoiar e incentivar o aleitamento na comunidade. Subsidiar a equipe de saúde no repasse de informações adequadas sobre o ato de amamentar e seus benefícios. Promover vínculo afetivo entre mãe e filho. Reduzir a morbi-mortalidade infantil. Gestantes que realizam Pré-Natal nos PSFs (Guanambi, BA) e Puérperas Projeto interdisciplinar em Atenção Integral a saúde do adolescente Tatiana Barreto Pereira Viana Promover atividades educativas em atenção á saúde do adolescente, visando a promoção da saúde e a prevenção de agravos, proporcionando maior instrução dos mesmos acerca de temas gerais muito comuns a essa faixa etária com atenção especial voltada aos aspectos preventivos. Respeitar o princípio de autonomia dentro do qual o adolescente, reconhecido como sujeito, é capaz de assumir de imediato ou gradativamente Adolescentes, alunos de enfermagem.

19 Educação em saúde na rede escolar pública de ensino de Guanambi Darlyane Antunes Macêdo responsabilidades sobre sua saúde e qualidade de vida. Considerar a privacidade, confidencialmente e o sigilo na abordagem das questões de saúde do adolescente. Garantir o direito à cidadania do adolescente, de sal família e da equipe. Respeitar a escolhas e de sua família. Atender e complementar a necessidade de formação especifica do aluno do curso de enfermagem, desenvolvendo competências profissionais que lhes permitem atuar com eficiência na preservação da saúde do adolescente. Analisar por meio de critérios holísticos o papel do enfermeiro no contexto da saúde do adolescente. Incentivar o desenvolvimento de parcerias e alianças estratégicas entre a UNEB e os segmentos sociais. Desenvolver atividades de caráter interdisciplinar(envolvendo os projetos executados na UNEB/DEDC XII), proporcionando atividades com foco na promoção a saúde. Formar multiplicadores (acadêmicos) aptos a trabalharem com educação em Saúde na rede pública básica de ensino e saúde no município de Guanambi. Trabalhar com os acadêmicos por meio de encontros do grupo, a sua criticidade, sobre o papel que exerce na sociedade, como multidisciplinar e disseminador do conhecimento através da educação em saúde-educação popular. Tornar os participantes acadêmicos e comunidade aptos a orientar e proceder no atendimento préhospitalar, de maneiras distintas, mas com segurança que o reconhecimento adquirido por cada um permita. Proporcionar a comunidade atendida pelo projeto, possibilidades para adquirir conhecimentos teóricos e práticos de Atendimento Pré-hospitalar- APH (móvel, fixo e emergências hospitalares). Buscar atuar nas comunidades atendidas pelas Unidades de Saúde UBS da família no município de Guanambi. Acadêmicos, comunidade geral.

20 Saúde lá em casa-serviço de Assistência Domiciliar Perfil ergonômico dos trabalhadores do sudoeste da Bahia Elaine de Oliveira Souza Fonseca Mauro César Ribeiro dos Santos Desenvolver pesquisas no campo de atuação do projeto, que visem trazer uma resposta para a comunidade assistida o trabalho realizado. Oferecer saúde no domicilio através de atendimento de enfermagem no âmbito da assistência e acompanhamento domiciliar, principalmente vinculado a educação continuada. Desenvolver no domicílio atividades preventivas e de promoção da saúde ao usuário e sua família. Capacitar os profissionais de saúde (equipe de enfermagem e agentes comunitários) a desempenhar atividades de assistência e vigilância a saúde no domicilio. Capacitar cuidadores domiciliares leigos para atenção a saúde no domicilio. Identificar os fatores no ambiente de trabalho que podem gerar alterações na saúde dos trabalhadores de diferentes profissões exercidas no Sudoeste da Bahia. Averiguar o comprimento das normas regulamente do trabalho. Indicar as mudanças ergonômicas necessárias para a melhoria de qualidade de vida no trabalho. Incentivar a prática de atividades de prevenção de acidentes laborais e de cumprimento das Normas Regulamentadoras do Trabalho. Comunidade em geral (domicilio) Trabalhadores em geral Oficina de Orientação Sexual Lorena D Oliveira Gusmão Aprender a conhecer o próprio corpo e a cuidar dele; Comunidade e demais interessados Conscientizar sobre a importância de uma vida sexual responsável. Inter-agir/humanizar Ivanete Fernandes do Prado Criar uma política de valorização e respeito pela vida humana e o aprimoramento das relações entre os acadêmicos de Enfermagem, os servidores do Campus XII, os profissionais, os clientes do hospital regional de Guanambi residentes do Lar dos Velhinhos. Acadêmicos de enfermagem, servidores do Campus XII.

21 Proporcionar ao estudante de Graduação, experiências em áreas diversificadas. Permitir a interação do monitor com professores e alunos desta área de conhecimento. Oportunizar ao estudante, engajar-se em plano e atividades de extensão, que possibilitem o aperfeiçoamento do conhecimento e desenvolvimento de atitudes e habilidades favoráveis a sua formação acadêmica e profissionais. Proporcionar ao aluno um aprofundamento de seus conhecimentos na área de monitoria. Contribuir para o desenvolvimento de novas práticas pedagógicas tendo em vista a melhoria do ensino de graduação.

22

EVENTOS DO CURSO DE BACHARELADO EM ENFERMAGEM DO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO CAMPUS XII

EVENTOS DO CURSO DE BACHARELADO EM ENFERMAGEM DO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO CAMPUS XII EVENTOS DO CURSO DE BACHARELADO EM DO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO CAMPUS XII SEMESTRE NOME DO EVENTO RESPONSÁVEL OBJETIVOS CLIENTELA ATENDIDA 2006.1 Curso de Primeiros Socorros Aracy Fernandes de Magalhães

Leia mais

PROJETOS DE EXTENSÃO 2011 CURSO RESPONSÁVEL PELO PROJETO

PROJETOS DE EXTENSÃO 2011 CURSO RESPONSÁVEL PELO PROJETO ATENÇÃO À CRIANÇA (S) DE EXECUÇÃO E FREQUÊNCIA Projeto Sorriso Visa proporcionar às crianças internas e usuárias do PSF do Crianças da Casa de Passagem e do PSF Santa Rita bairro Santa Rita o conhecimento

Leia mais

INSERÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA EM UMA UNIDADE DE SAÚDE EM PONTA GROSSA-PR

INSERÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA EM UMA UNIDADE DE SAÚDE EM PONTA GROSSA-PR INSERÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA EM UMA UNIDADE DE SAÚDE EM PONTA GROSSA-PR SANTOS, Elaine Ferreira dos (estagio II), WERNER, Rosiléa Clara (supervisor), rosileawerner@yahoo.com.br

Leia mais

ANEXO II ATRIBUIÇÕES DOS INTEGRANTES DO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA

ANEXO II ATRIBUIÇÕES DOS INTEGRANTES DO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA ANEXO II ATRIBUIÇÕES DOS INTEGRANTES DO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA ATRIBUIÇÕES DO MÉDICO I- Realizar consultas clínicas aos usuários de sua área adstrita; II- Participar das atividades de grupos de controle

Leia mais

PROJETO DE ESTRUTURAÇÃO SAÚDE PÚBLICA Prefeitura Municipal de Itapeva - SP. Maio de 2014

PROJETO DE ESTRUTURAÇÃO SAÚDE PÚBLICA Prefeitura Municipal de Itapeva - SP. Maio de 2014 PROJETO DE ESTRUTURAÇÃO SAÚDE PÚBLICA Prefeitura Municipal de Itapeva - SP Maio de 2014 UMA RÁPIDA VISÃO DA SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL HOJE Estrutura com grandes dimensões, complexa, onerosa e com falta de

Leia mais

CONSULTA PUERPERAL DE ENFERMAGEM: IMPORTÂNCIA DA ORIENTAÇÃO PARA O ALEITAMENTO MATERNO

CONSULTA PUERPERAL DE ENFERMAGEM: IMPORTÂNCIA DA ORIENTAÇÃO PARA O ALEITAMENTO MATERNO 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X) SAÚDE ( ) TRABALHO (

Leia mais

CURSO: ENFERMAGEM. Objetivos Específicos 1- Estudar a evolução histórica do cuidado e a inserção da Enfermagem quanto às

CURSO: ENFERMAGEM. Objetivos Específicos 1- Estudar a evolução histórica do cuidado e a inserção da Enfermagem quanto às CURSO: ENFERMAGEM Missão Formar para atuar em Enfermeiros qualificados todos os níveis de complexidade da assistência ao ser humano em sua integralidade, no contexto do Sistema Único de Saúde e do sistema

Leia mais

O CUIDADO QUE EU PRECISO

O CUIDADO QUE EU PRECISO O CUIDADO QUE EU PRECISO GOVERNO FEDERAL GOVERNO ESTADUAL GOVERNO MUNICIPAL MOVIMENTOS SOCIAIS MEIOS DE COMUNICAÇÃO O CUIDADO QUE EU PRECISO Serviço Hospitalar de Referência AD CAPS AD III Pronto Atendimento

Leia mais

A atenção obstétrica, neonatal, infantil e os desafios para alcançar os ODM 3, 4 e 5

A atenção obstétrica, neonatal, infantil e os desafios para alcançar os ODM 3, 4 e 5 A atenção obstétrica, neonatal, infantil e os desafios para alcançar os ODM 3, 4 e 5 A partir dos esforços para melhorar a saúde materno-infantil, tais como: Programa de Humanização do Parto e Nascimento

Leia mais

GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM

GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM CARACTERIZAÇÃO DO CURSO DENOMINAÇÃO: CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DIPLOMA CONFERIDO: BACHAREL NÚMERO DE VAGAS: 100 VAGAS ANUAIS NÚMERO DE ALUNOS POR TURMA: 50 ALUNOS TURNOS

Leia mais

b. Completar a implantação da Rede com a construção de hospitais regionais para atendimentos de alta complexidade.

b. Completar a implantação da Rede com a construção de hospitais regionais para atendimentos de alta complexidade. No programa de governo do senador Roberto Requião, candidato ao governo do estado pela coligação Paraná Com Governo (PMDB/PV/PPL), consta um capítulo destinado apenas à universalização do acesso à Saúde.

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Atenção primária às gestantes de baixo risco

Mostra de Projetos 2011. Atenção primária às gestantes de baixo risco Mostra de Projetos 2011 Atenção primária às gestantes de baixo risco Mostra Local de: Londrina. Categoria do projeto: Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa: (Campo

Leia mais

A INSERÇÃO DO PROFISSIONAL BIOMÉDICO NO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA NO CONTEXTO DO PET/SAÚDE

A INSERÇÃO DO PROFISSIONAL BIOMÉDICO NO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA NO CONTEXTO DO PET/SAÚDE A INSERÇÃO DO PROFISSIONAL BIOMÉDICO NO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA NO CONTEXTO DO PET/SAÚDE MAIA, Indiara da 1 ; RUCKERT, Tatiane Konrad 2 ; BARBOSA, Elisa Gisélia dos Santos 3 ; KAEFER, Cristina T.

Leia mais

1 SADS- Serviço de Atendimento Domiciliar em Saúde. 1 Projeto Dengue. 1 Consultório na Rua. 1 Central de Ambulâncias

1 SADS- Serviço de Atendimento Domiciliar em Saúde. 1 Projeto Dengue. 1 Consultório na Rua. 1 Central de Ambulâncias Equipamentos de Saúde Gerenciados pelo CEJAM em Embu das Artes 11 Unidades Básicas de Saúde com 25 equipes de Estratégia Saúde da Família 1 SADS- Serviço de Atendimento Domiciliar em Saúde 1 Projeto Dengue

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO RIO GRANDE DO SUL Autarquia Federal Lei nº 5.905/73

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO RIO GRANDE DO SUL Autarquia Federal Lei nº 5.905/73 PARECER DEFISC Nº 09/2012 Porto Alegre, 11 de maio de 2012. Laudo para teste rápido de gravidez por profissionais de Enfermagem. I - Relatório Trata-se de solicitação de dúvida, encaminhada por profissional

Leia mais

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL Das Atribuições dos Profissionais dos Recursos Humanos Atribuições comuns a todos os profissionais que integram a equipe: Conhecer a realidade das famílias pelas

Leia mais

Trabalho em Equipe e Educação Permanente para o SUS: A Experiência do CDG-SUS-MT. Fátima Ticianel CDG-SUS/UFMT/ISC-NDS

Trabalho em Equipe e Educação Permanente para o SUS: A Experiência do CDG-SUS-MT. Fátima Ticianel CDG-SUS/UFMT/ISC-NDS Trabalho em Equipe e Educação Permanente para o SUS: A Experiência do CDG-SUS-MT Proposta do CDG-SUS Desenvolver pessoas e suas práticas de gestão e do cuidado em saúde. Perspectiva da ética e da integralidade

Leia mais

Juventude com Arte, Saúde e Cidadania Autores: Ellen da Silva Mourão; Giovanna Grasiane de Sousa; Preceptora de Serviço: Maria Regina de Paula Fagundes Netto; Preceptora Acadêmica: Lêda Maria Leal de Oliveira.

Leia mais

SAÚDE PÚBLICA PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA. Palestrante: Carolina Ferri

SAÚDE PÚBLICA PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA. Palestrante: Carolina Ferri SAÚDE PÚBLICA PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA Palestrante: Carolina Ferri Programa de Saúde da Família Estratégia de reorientação do modelo assistencial, operacionalizada mediante a implantação de equipes

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 1559/02, DE 16 DE JULHO DE 2002.

LEI MUNICIPAL Nº 1559/02, DE 16 DE JULHO DE 2002. LEI MUNICIPAL Nº 1559/02, DE 16 DE JULHO DE 2002. Cria e extingue cargos na estrutura do Quadro Permanente de Cargos, lei Municipal 1338/98, e dá outras providências. WOLMIR ÂNGELO DALL`AGNOL, Prefeito

Leia mais

PROPOSTA DE REORIENTAÇÃO DO CURSO DE ENFERMAGEM UFMS: Formando Profissionais Integrados ao SUS.

PROPOSTA DE REORIENTAÇÃO DO CURSO DE ENFERMAGEM UFMS: Formando Profissionais Integrados ao SUS. Centro de Ciências Biológicas e da Saúde - CCBS Coordenação do Curso de Enfermagem PROPOSTA DE REORIENTAÇÃO DO CURSO DE ENFERMAGEM UFMS: Formando Profissionais Integrados ao SUS. RESUMO DO PROJETO 1. INTRODUÇÃO:

Leia mais

GRUPO DE GESTANTES E CASAIS GRÁVIDOS: PARCERIA DO DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM E HOSPITAL UNIVERSITÁRIO/ UFSC

GRUPO DE GESTANTES E CASAIS GRÁVIDOS: PARCERIA DO DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM E HOSPITAL UNIVERSITÁRIO/ UFSC GRUPO DE GESTANTES E CASAIS GRÁVIDOS: PARCERIA DO DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM E HOSPITAL UNIVERSITÁRIO/ UFSC Área Temática: Saúde. Atenção Integral à saúde da mulher Maria de Fátima Mota Zampieri - coordenador

Leia mais

RESOLUÇÃO. Artigo 2º - O Currículo, ora alterado, será implantado no 2º semestre letivo de 2001 para os alunos matriculados no 4º semestre.

RESOLUÇÃO. Artigo 2º - O Currículo, ora alterado, será implantado no 2º semestre letivo de 2001 para os alunos matriculados no 4º semestre. RESOLUÇÃO CONSEPE 38/2001 ALTERA O CURRÍCULO DO CURSO DE ENFERMAGEM, REGIME SERIADO SEMESTRAL, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, no uso

Leia mais

Autoavaliação. Institucional. Comissão Própria de Avaliação CPA 2012

Autoavaliação. Institucional. Comissão Própria de Avaliação CPA 2012 Autoavaliação Institucional FACULDADES INTEGRADAS DO EXTREMO SUL DA BAHIA Credenciada pela Portaria Ministerial nº 1.727 de 13/06/2002 - D.O.U. 14/06/2002 Comissão Própria de Avaliação CPA 2012 OBJETIVOS

Leia mais

Disciplina MSP 0670-Atenção Primária em Saúde I. Atenção Básica e a Saúde da Família 1

Disciplina MSP 0670-Atenção Primária em Saúde I. Atenção Básica e a Saúde da Família 1 Disciplina MSP 0670-Atenção Primária em Saúde I Atenção Básica e a Saúde da Família 1 O acúmulo técnico e político dos níveis federal, estadual e municipal dos dirigentes do SUS (gestores do SUS) na implantação

Leia mais

PROGRAMA Nº- 105 CASA DA MULHER/CENTRO ESPECIALIZADO DE ATENDIMENTO A MULHER CASA ABRIGO

PROGRAMA Nº- 105 CASA DA MULHER/CENTRO ESPECIALIZADO DE ATENDIMENTO A MULHER CASA ABRIGO ÓRGÃO RESPONSÁVEL: Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulher NOME: PROGRAMA Nº- 105 CASA DA MULHER/CENTRO ESPECIALIZADO DE ATENDIMENTO A MULHER CASA ABRIGO Código Descrição FUNÇÃO: 14 Direitos

Leia mais

PROCESSO DE INSCRIÇÃO DO PROJETO DE EXTENSÃO FORMAÇÃO DE CUIDADORES DE CRIANÇAS DE 0 A 6 ANOS / 2013 EDITAL Nº. 02/2013 - UNCISAL

PROCESSO DE INSCRIÇÃO DO PROJETO DE EXTENSÃO FORMAÇÃO DE CUIDADORES DE CRIANÇAS DE 0 A 6 ANOS / 2013 EDITAL Nº. 02/2013 - UNCISAL PROCESSO DE INSCRIÇÃO DO PROJETO DE EXTENSÃO FORMAÇÃO DE CUIDADORES DE CRIANÇAS DE 0 A 6 ANOS / 2013 EDITAL Nº. 02/2013 - O Programa Pró-Criança, em parceria com a Pró-Reitoria de Extensão da Universidade

Leia mais

ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA E A PROMOÇÃO DA SAÚDE NO TERRITÓRIO A SAÚDE ATUAÇÃO DO AGENTE COMUNITÁRIO

ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA E A PROMOÇÃO DA SAÚDE NO TERRITÓRIO A SAÚDE ATUAÇÃO DO AGENTE COMUNITÁRIO ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA E A PROMOÇÃO DA SAÚDE NO TERRITÓRIO A SAÚDE ATUAÇÃO DO AGENTE COMUNITÁRIO Marlúcio Alves UFU Bolsista programa CAPES/FCT Jul/dez 2011 A ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA - ESF

Leia mais

Mostra de Projetos 2011 BRINQUEDOTECA: O LÚDICO NO RESGATE

Mostra de Projetos 2011 BRINQUEDOTECA: O LÚDICO NO RESGATE Mostra de Projetos 2011 BRINQUEDOTECA: O LÚDICO NO RESGATE Mostra Local de: Londrina. Categoria do projeto: Projetos finalizados. Nome da Instituição/Empresa: (Campo não preenchido). Cidade: Londrina.

Leia mais

EXPOSIÇÃO DE RISCO DOS PARTICIPANTES DO PROJETO UEPG-ENFERMAGEM NA BUSCA E PREVENÇÃO DO HIV/AIDS

EXPOSIÇÃO DE RISCO DOS PARTICIPANTES DO PROJETO UEPG-ENFERMAGEM NA BUSCA E PREVENÇÃO DO HIV/AIDS 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA EXPOSIÇÃO DE RISCO DOS PARTICIPANTES DO PROJETO UEPG-ENFERMAGEM

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE O ACOMPANHAMENTO DO CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO INFANTIL (PUERICULTURA)

ORIENTAÇÕES SOBRE O ACOMPANHAMENTO DO CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO INFANTIL (PUERICULTURA) ORIENTAÇÕES SOBRE O ACOMPANHAMENTO DO CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO INFANTIL (PUERICULTURA) I- Introdução O acompanhamento do crescimento e desenvolvimento, do nascimento até os 5 anos de idade, é de fundamental

Leia mais

Rede Cegonha no RS Componente 1 Pré-natal

Rede Cegonha no RS Componente 1 Pré-natal 1 Rede Cegonha no RS Componente 1 Pré-natal Exames e Ações (pré-natal de risco habitual e alto risco) Ofertar os exames e consultas de pré-natal Fomentar a contratação de serviços laboratoriais de qualidade

Leia mais

DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ

DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ EIXO 1 DIREITO À SAÚDE, GARANTIA DE ACESSO E ATENÇÃO DE QUALIDADE Prioritária 1: Manter o incentivo aos Programas do Núcleo Apoio da Saúde da Família

Leia mais

ESF Estratégia de Saúde da Família GESTÃO DE PESSOAS. 40 Relatório de Gestão 2014. Copyright. Proibida cópia ou reprodução sem autorização do IABAS.

ESF Estratégia de Saúde da Família GESTÃO DE PESSOAS. 40 Relatório de Gestão 2014. Copyright. Proibida cópia ou reprodução sem autorização do IABAS. ESF Estratégia de Saúde da Família GESTÃO DE PESSOAS 40 Relatório de Gestão 2014 B lanço Soci l ESF Estratégia de Saúde da Família Relatório de Gestão 2014 41 GESTÃO DE PESSOAS Gestão de Pessoas Com o

Leia mais

Da Natureza, Personalidade Jurídica e Identificação. Art. 1º O Colégio da Polícia Militar do Estado de Goiás, neste Regimento

Da Natureza, Personalidade Jurídica e Identificação. Art. 1º O Colégio da Polícia Militar do Estado de Goiás, neste Regimento SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR UNIDADE POLIVALENTE GABRIEL ISSA REGIMENTO INTERNO TÍTULO I Das Disposições Preliminares

Leia mais

6h diárias - 11 meses

6h diárias - 11 meses 6h diárias - 11 meses PROPOSTA PEDAGÓGICA PROGRAMA DE APRENDIZAGEM EM AUXILIAR DE VAREJO ÍNDICE 1 - Apresentação da Entidade ijovem 3 2 - Justificativa do Programa. 3 3 Público-alvo: 4 4 Objetivo geral:

Leia mais

Currículo - Lúcia Freitas

Currículo - Lúcia Freitas Currículo - Lúcia Freitas Bairro Continental Osasco SP Cel. (11) 951409948 email contato@luciafreitas.com.br site: www.luciafreitas.com.br Coren- 34470-E Formação UFPE - Universidade Federal de Pernambuco

Leia mais

Profea- Projeto de Formação de Educadores Ambientais

Profea- Projeto de Formação de Educadores Ambientais Profea- Projeto de Formação de Educadores Ambientais Mostra Local de: Maringá PR Categoria do projeto: I Projetos em Andamento (projetos em execução atualmente) Nome da Instituição/Empresa: Facinor- Faculdade

Leia mais

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS Art. 1. A Política de Assistência Estudantil da Pós-Graduação da UFGD é um arcabouço de princípios e diretrizes

Leia mais

Experiência: VIGILÂNCIA À SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

Experiência: VIGILÂNCIA À SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE 1 Experiência: VIGILÂNCIA À SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Nome fantasia: Projeto de volta prá casa Instituições: Núcleo de Epidemiologia do Serviço de Saúde Comunitária da Gerência de saúde Comunitária

Leia mais

Carvalho Goretti Moreira Leal de, Themis; Ribas Almeida, Milene. Brasil RESUMO

Carvalho Goretti Moreira Leal de, Themis; Ribas Almeida, Milene. Brasil RESUMO ID:862 PROJETO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA AMPLIANDO AS AÇÕES DE PREVENÇÃO EM DST/AIDS E HEPATITES VIRAIS JUNTO À POPULAÇÃO ESCOLAR: UM ESPAÇO PARA FORMAÇÃO PROFISSIONAL E PROMOÇÃO DA SAÚDE Carvalho Goretti

Leia mais

Minuta do Capítulo 8 do PDI: Políticas de Atendimento aos Discentes

Minuta do Capítulo 8 do PDI: Políticas de Atendimento aos Discentes Minuta do Capítulo 8 do PDI: Políticas de Atendimento aos Discentes Elaborada pela Diretoria de Assuntos Estudantis 1 1 Esta minuta será apreciada pelo Colegiado de Ensino, Pesquisa e Extensão nos dias

Leia mais

Plano Integrado de Capacitação de Recursos Humanos para a Área da Assistência Social PAPÉIS COMPETÊNCIAS

Plano Integrado de Capacitação de Recursos Humanos para a Área da Assistência Social PAPÉIS COMPETÊNCIAS PAPÉIS E COMPETÊNCIAS O SERVIÇO PSICOSSOCIAL NO CREAS... O atendimento psicossocial no serviço é efetuar e garantir o atendimento especializado (brasil,2006). Os profissionais envolvidos no atendimento

Leia mais

CARTA ACORDO Nº. 0600.103.002 Fundação Arnaldo Vieira de Carvalho mantenedora da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo

CARTA ACORDO Nº. 0600.103.002 Fundação Arnaldo Vieira de Carvalho mantenedora da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo Ao Ministério da Saúde Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde Departamento de Gestão da Educação na Saúde E-mail: deges@saude.gov.br - prosaude@saude.gov.br CARTA ACORDO Nº. 0600.103.002

Leia mais

ATIVIDADE EDUCATIVA NA SALA DE ESPERA: UNINDO CONHECIMENTOS PARA PROMOVER A AMAMENTAÇÃO

ATIVIDADE EDUCATIVA NA SALA DE ESPERA: UNINDO CONHECIMENTOS PARA PROMOVER A AMAMENTAÇÃO ATIVIDADE EDUCATIVA NA SALA DE ESPERA: UNINDO CONHECIMENTOS PARA PROMOVER A AMAMENTAÇÃO SANTOS, Norrama Araújo I ; SANTOS, Simone Silva dos II ; BARCELOS, Ivanildes Solange da Costa III ; SOUZA, Marise

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2012. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2012. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2012 Ensino Técnico ETEC Monsenhor Antonio Magliano Código: 088 Município: Garça Eixo Tecnológico: Saúde Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de Técnico em Enfermagem

Leia mais

As escolas podem transformar os cenários de atuação?

As escolas podem transformar os cenários de atuação? As escolas podem transformar os cenários de atuação? Jorge Harada COSEMS/SP Premissas Relação da Instituição de Ensino com o serviço... com a gestão local é mais amplo do que a autorização ou disponibilização

Leia mais

Uma área em expansão. Radiologia

Uma área em expansão. Radiologia Uma área em expansão Conhecimento especializado e treinamento em novas tecnologias abrem caminho para equipes de Enfermagem nos serviços de diagnóstico por imagem e radiologia A atuação da Enfermagem em

Leia mais

NUPE NÚCLEO DE PESQUISA E EXTENSÃO PROJETO DE EXTENÇÃO UNIVERSITÁRIA FEUC SOLIDÁRIA 2008 COMBATE À AIDS: UM DEVER DE TODOS

NUPE NÚCLEO DE PESQUISA E EXTENSÃO PROJETO DE EXTENÇÃO UNIVERSITÁRIA FEUC SOLIDÁRIA 2008 COMBATE À AIDS: UM DEVER DE TODOS NUPE NÚCLEO DE PESQUISA E EXTENSÃO PROJETO DE EXTENÇÃO UNIVERSITÁRIA FEUC SOLIDÁRIA 2008 COMBATE À AIDS: UM DEVER DE TODOS Professores responsáveis: Luiz Arcúrio Júnior Leiri Valentin Isabela Custódio

Leia mais

Ministério da Saúde Área Técnica de Saúde Mental Álcool e outras Drogas Miriam Di Giovanni Curitiba/PR - 12/11/2010

Ministério da Saúde Área Técnica de Saúde Mental Álcool e outras Drogas Miriam Di Giovanni Curitiba/PR - 12/11/2010 Saúde da População em Situação de Rua, com foco em Saúde Mental Consultório de Rua Ministério da Saúde Área Técnica de Saúde Mental Álcool e outras Drogas Miriam Di Giovanni Curitiba/PR - 12/11/2010 Saúde

Leia mais

Consulta Pública ESTRATÉGIAS

Consulta Pública ESTRATÉGIAS Plano Municipal de Educação PME Secretaria Municipal de Educação São Francisco do Sul Fórum Municipal de Educação Consulta Pública META 3: Universalizar, até 2016, o atendimento escolar para toda a população

Leia mais

A Organização da Atenção Nutricional: enfrentando a obesidade

A Organização da Atenção Nutricional: enfrentando a obesidade A Organização da Atenção Nutricional: enfrentando a obesidade Introdução Há cerca de 20 anos, a Secretaria de Saúde de um grande município começou a desenvolver e implantar iniciativas relacionadas à Alimentação

Leia mais

Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais

Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais Estatuto da Criança e do Adolescente: 18 anos, 18 Compromissos A criança e o adolescente no centro da gestão municipal O Estatuto

Leia mais

Proposta de Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos Proteção Social Básica do SUAS BLOCO I - DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

Proposta de Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos Proteção Social Básica do SUAS BLOCO I - DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Proposta de Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos Proteção Social Básica do SUAS BLOCO I - DADOS DE IDENTIFICAÇÃO NOME DA ENTIDADE: TIPO DE SERVIÇO: ( ) de convivência para crianças de 3

Leia mais

SMES. Prevenção ao uso de álcool e outras drogas 07/07/2011. Audiência Pública no Senado Federal

SMES. Prevenção ao uso de álcool e outras drogas 07/07/2011. Audiência Pública no Senado Federal SMES Segurança, Meio Ambiente, Eficiência Energética e Saúde Prevenção ao uso de álcool e outras drogas 07/07/2011 Audiência Pública no Senado Federal CASDEP Comissão de Assuntos Sociais Premissas Se aplica

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE ARAPONGAS Estado do Paraná

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE ARAPONGAS Estado do Paraná SECRETARIA EXECUTIVA LEI Nº 3.336, DE 30 DE AGOSTO DE 2006 Dispõe sobre a criação de empregos públicos para a execução dos Programas de Saúde da Família e Agentes Comunitários de Saúde. A CÂMARA MUNICIPAL

Leia mais

Elementos para suporte na Decisão Clínica e organização da atenção na Área de Saúde da Mulher

Elementos para suporte na Decisão Clínica e organização da atenção na Área de Saúde da Mulher PRÊMIO POR INOVAÇÃO E QUALIDADE 1 Identificação Título Implantação da linha de cuidado em Saúde da Mulher na USF Hidrolândia Área temática Elementos para suporte na Decisão Clínica e organização da atenção

Leia mais

Campanha dos16 dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra a Mulher. Vitória da Conquista - Bahia

Campanha dos16 dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra a Mulher. Vitória da Conquista - Bahia Campanha dos16 dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra a Mulher Vitória da Conquista - Bahia A Campanha dos16 dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra a Mulher, realizada pela Rede de Proteção

Leia mais

GRUPO 3 - TRABALHO e REABILITAÇÃO PROFISSIONAL

GRUPO 3 - TRABALHO e REABILITAÇÃO PROFISSIONAL GRUPO 3 - TRABALHO e REABILITAÇÃO PROFISSIONAL Nº PROPOSTA UF e Nº Original da Proposta 01 Garantir os 20% das vagas, e a efetivação das condições de acesso e permanência AC/08 necessárias para pessoas

Leia mais

Proposta de Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos Proteção Social Básica do SUAS BLOCO I - DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

Proposta de Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos Proteção Social Básica do SUAS BLOCO I - DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Proposta de Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos Proteção Social Básica do SUAS BLOCO I - DADOS DE IDENTIFICAÇÃO NOME DA ENTIDADE: TIPO DE SERVIÇO: ( ) de convivência para crianças de 3

Leia mais

Programa de Educação em Saúde e Mobilização Social: Saúde da Mulher. Chyrly Elidiane de Moura Félix Enfermeira. Parnamirim-RN

Programa de Educação em Saúde e Mobilização Social: Saúde da Mulher. Chyrly Elidiane de Moura Félix Enfermeira. Parnamirim-RN III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família Brasília-DF Programa de Educação em Saúde e Mobilização Social: Sustentabilidade nas Ações de Saúde da Mulher. Chyrly Elidiane de Moura Félix Enfermeira

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Projeto de elaboração de meios para a integração da assistência à gestação, parto, puerpério e puericultura

Mostra de Projetos 2011. Projeto de elaboração de meios para a integração da assistência à gestação, parto, puerpério e puericultura Mostra de Projetos 2011 Projeto de elaboração de meios para a integração da assistência à gestação, parto, puerpério e puericultura Mostra Local de: Umuarama Categoria do projeto: I - Projetos em implantação,

Leia mais

PROJETO DE LEI 01-00453/2014 dos Vereadores Floriano Pesaro (PSDB), Andrea Matarazzo (PSDB), José Américo (PT) e Marta Costa (PSD)

PROJETO DE LEI 01-00453/2014 dos Vereadores Floriano Pesaro (PSDB), Andrea Matarazzo (PSDB), José Américo (PT) e Marta Costa (PSD) Secretaria de Documentação Equipe de Documentação do Legislativo PROJETO DE LEI 01-00453/2014 dos Vereadores Floriano Pesaro (PSDB), Andrea Matarazzo (PSDB), José Américo (PT) e Marta Costa (PSD) Autores

Leia mais

Pesquisa ação: Um Instrumento utilizado por uma equipe multiprofissional em saúde para capacitação de professores na educação infantil.

Pesquisa ação: Um Instrumento utilizado por uma equipe multiprofissional em saúde para capacitação de professores na educação infantil. Pesquisa ação: Um Instrumento utilizado por uma equipe multiprofissional em saúde para capacitação de professores na educação infantil. Aline Alessandra Irano Anaí Ramos Vieira Francielli Viana Mota Laura

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CENTRO DE REFERÊNCIA TÉCNICA EM PSICOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS

CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CENTRO DE REFERÊNCIA TÉCNICA EM PSICOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CENTRO DE REFERÊNCIA TÉCNICA EM PSICOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS FORMAÇÃO EM PSICOLOGIA E POLITICAS PÚBLICAS: UMA APROXIMAÇÃO DO CRPRS COM O MEIO ACADÊMICO

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007

PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007 PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007 Institui o Programa Mais Educação, que visa fomentar a educação integral de crianças, adolescentes e jovens, por meio do apoio a atividades

Leia mais

4h diárias - 16 meses

4h diárias - 16 meses 4h diárias - 16 meses PROPOSTA PEDAGÓGICA PROGRAMA DE APRENDIZAGEM EM RECEPCIONISTA ÍNDICE 1 - Apresentação da Entidade ijovem 3 2 - Justificativa do Programa. 3 3 Público-alvo: 4 4 Objetivo geral: 4 -

Leia mais

Serviço Social. DISCURSIVA Residência Saúde 2012 C COORDENADORIA DE DESENVOLVIMENTO ACADÊMICO D A. wwww.cepuerj.uerj.br ATIVIDADE DATA LOCAL

Serviço Social. DISCURSIVA Residência Saúde 2012 C COORDENADORIA DE DESENVOLVIMENTO ACADÊMICO D A. wwww.cepuerj.uerj.br ATIVIDADE DATA LOCAL HOSPITAL UNIVERSITÁRIO PEDRO ERNESTO C COORDENADORIA DE DESENVOLVIMENTO ACADÊMICO D A Serviço Social DISCURSIVA Residência Saúde 2012 ATIVIDADE DATA LOCAL Divulgação do gabarito - Prova Objetiva (PO) 31/10/2011

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE JUNDIAÍ DO SUL

PREFEITURA MUNICIPAL DE JUNDIAÍ DO SUL ANEXOII ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS PARA CONCURSO PÚBLICO PARA EMPREGO PÚBLICO Nº. 001/2010 JUNDIAÍ DO SUL PARANÁ 1. Para os cargos do grupo PSF Programa da Saúde da Família, conveniados com o Governo Federal:

Leia mais

Experiências de Formação de Nutricionistas para o Sistema Único de Saúde

Experiências de Formação de Nutricionistas para o Sistema Único de Saúde Experiências de Formação de Nutricionistas para o Sistema Único de Saúde CASO 9: PRÁTICAS INTEGRADORAS Introdução Neste Caso Didático será relatada a experiência do curso de graduação em Nutrição do Centro

Leia mais

O ACONSELHAMENTO NO HIV EM UMA COMUNIDADE COMO MEDIDA PREVENTIVA

O ACONSELHAMENTO NO HIV EM UMA COMUNIDADE COMO MEDIDA PREVENTIVA O ACONSELHAMENTO NO HIV EM UMA COMUNIDADE COMO MEDIDA PREVENTIVA Zardo L*¹ Silva CL*² Zarpellon LD*³ Cabral LPA* 4 Resumo O Vírus da Imunodeficiência humana (HIV) é um retrovírus que ataca o sistema imunológico.através

Leia mais

Equipe de Saúde. Jeanine e Sarah

Equipe de Saúde. Jeanine e Sarah Equipe de Saúde Jeanine e Sarah Considerando o saber popular dos agentes comunitários, quais as atividades de educação e promoção do aleitamento materno e alimentação complementar saúdável podem ser realizadas

Leia mais

ANEXO II REQUISITOS E ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DO PROCESSO DE SELEÇÃO SIMPLIFICIDA DA SECRETARIA DE SAÚDE

ANEXO II REQUISITOS E ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DO PROCESSO DE SELEÇÃO SIMPLIFICIDA DA SECRETARIA DE SAÚDE ANEXO II REQUISITOS E ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DO PROCESSO DE SELEÇÃO SIMPLIFICIDA DA SECRETARIA DE SAÚDE 1 ATENÇÃO PRIMÁRIA 1.1 MÉDICO CLINICO GERAL Medicina. ATRIBUIÇÕES: Atendimento aos pacientes em área

Leia mais

Introdução. Importante: O Programa não inclui atendimento de urgência/emergência. Nestes casos deverão ser procurados os serviços específicos.

Introdução. Importante: O Programa não inclui atendimento de urgência/emergência. Nestes casos deverão ser procurados os serviços específicos. Introdução A Assistência Domiciliar surge para responder à demanda de individualização da assistência, realizando cuidados na privacidade do domicílio do paciente, possibilitando ao mesmo e à família participarem

Leia mais

Seminário de Doenças Crônicas

Seminário de Doenças Crônicas Seminário de Doenças Crônicas LINHA DE CUIDADO DE HIPERTENSÃO ARTERIAL E DIABETES EXPERIÊNCIA DE DIADEMA SP Dra Lidia Tobias Silveira Assistente Gabinete SMS Diadema Linha de cuidado de HAS e DM Experiência

Leia mais

VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE

VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE Um modelo de assistência descentralizado que busca a integralidade, com a participação da sociedade, e que pretende dar conta da prevenção, promoção e atenção à saúde da população

Leia mais

VIVENCIANDO ATIVIDADE DE EXTENSÃO NUMA COMUNIDADE CARENTE ATRAVÉS DA CONSULTA DE ENFERMAGEM À MULHERES 1

VIVENCIANDO ATIVIDADE DE EXTENSÃO NUMA COMUNIDADE CARENTE ATRAVÉS DA CONSULTA DE ENFERMAGEM À MULHERES 1 1 VIVENCIANDO ATIVIDADE DE EXTENSÃO NUMA COMUNIDADE CARENTE ATRAVÉS DA CONSULTA DE ENFERMAGEM À MULHERES 1 Anna Maria de Oliveira Salimena 2 Maria Carmen Simões Cardoso de Melo 3 Ívis Emília de Oliveira

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE 9ª CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE RELATÓRIO FINAL

CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE 9ª CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE RELATÓRIO FINAL 9ª CONFERÊNCIA MUNICIPAL RELATÓRIO FINAL TEMA CENTRAL Saúde e Qualidade de Vida: Política de Estado e Desenvolvimento DIRETRIZES PROPOSTAS PELAS OFICINAS TEMÁTICAS PARA COLOMBO, BIÊNIO 2007-2009, APROVADAS

Leia mais

THALITA KUM PROJETO - CUIDANDO COM HUMANIDADE DOS ACAMADOS E DE SEUS CUIDADORES.

THALITA KUM PROJETO - CUIDANDO COM HUMANIDADE DOS ACAMADOS E DE SEUS CUIDADORES. THALITA KUM PROJETO - CUIDANDO COM HUMANIDADE DOS ACAMADOS E DE SEUS CUIDADORES. ANA LUCIA MESQUITA DUMONT; Elisa Nunes Figueiredo. Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte SMSA-BH (Atenção Básica)

Leia mais

PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA PSE

PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA PSE 2013 PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA PSE RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELO PSE NO ANO DE 2013. Janeiro/2014 PREFEITURA MUNICIPAL DO SURUBIM SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA

Leia mais

PARTICIPAÇÃO DO GRUPO PET MATEMÁTICA NO PRÉ- VESTIBULAR POPULAR ALTERNATIVA

PARTICIPAÇÃO DO GRUPO PET MATEMÁTICA NO PRÉ- VESTIBULAR POPULAR ALTERNATIVA Resumo ISSN 2316-7785 PARTICIPAÇÃO DO GRUPO PET MATEMÁTICA NO PRÉ- VESTIBULAR POPULAR ALTERNATIVA Stephanie Abé abe.stephanie1@gmail.com Ana Caroline Pierini karolpierini@gmail.com Luana Kuister Xavier

Leia mais

Atenção à Saúde e Saúde Mental em Situações de Desastres

Atenção à Saúde e Saúde Mental em Situações de Desastres Atenção à Saúde e Saúde Mental em Situações de Desastres Desastre: interrupção grave do funcionamento normal de uma comunidade que supera sua capacidade de resposta e recuperação. Principais causas de

Leia mais

CONFERÊNCIAS MUNICIPAIS OU REGIONAIS INSTRUMENTAL PARA GRUPO DE TRABALHO SAÚDE

CONFERÊNCIAS MUNICIPAIS OU REGIONAIS INSTRUMENTAL PARA GRUPO DE TRABALHO SAÚDE CONFERÊNCIAS MUNICIPAIS OU REGIONAIS INSTRUMENTAL PARA GRUPO DE TRABALHO SAÚDE II CONFERÊNCIA DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL Instrumental de Trabalho baseado nas Propostas Aprovadas na I Conferencia Estadual

Leia mais

Fica autorizada a remuneração por parte das OS (Organizações Sociais) de acordo com tabela e instruções contidas em anexo - Orientações

Fica autorizada a remuneração por parte das OS (Organizações Sociais) de acordo com tabela e instruções contidas em anexo - Orientações Circular S/SUBPAV/SAP n.º 10/2011. Aos Coordenadores das A.P.s com vistas às Unidades Primárias de Saúde Assunto: Pagamento de gratificações Rio de Janeiro, 15 de abril de 2011. CONSIDERANDO a necessidade

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE (MS) - 2004

MINISTÉRIO DA SAÚDE (MS) - 2004 MINISTÉRIO DA SAÚDE (MS) - 2004 INTRODUÇÃO Última edição do Manual (revista e atualizada): 2006 Objetivo: Implantação do Serviço de Atendimento Móvel às Urgências Atende aos princípios e diretrizes do

Leia mais

Experiências Nacionais na Abordagem de Hipertensão e Diabetes na Rede de Atenção Primária A Experiência de São Bernardo do Campo

Experiências Nacionais na Abordagem de Hipertensão e Diabetes na Rede de Atenção Primária A Experiência de São Bernardo do Campo Experiências Nacionais na Abordagem de Hipertensão e Diabetes na Rede de Atenção Primária A Experiência de São Bernardo do Campo VIII Encontro Nacional de Prevenção da Doença Renal Crônica Dra. Patrícia

Leia mais

PATRULHA JUVENIL DE GARÇA

PATRULHA JUVENIL DE GARÇA Rua Baden Powell, 451 Telefone: (14) 3471-1630 / 3471-1816 CEP 17400-000 Garça - S P Fundada em 26 de Setembro de 1972 CNPJ 47.645.809/0001-34 Isenta de Contribuições Sociais conforme Decreto nº 3.048

Leia mais

ESCOLA DE ENFERMAGEM DA USP EEUSP PROGRAMA NACIONAL DE REORIENTAÇÃO DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL EM SAÚDE PRÓ-SAÚDE

ESCOLA DE ENFERMAGEM DA USP EEUSP PROGRAMA NACIONAL DE REORIENTAÇÃO DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL EM SAÚDE PRÓ-SAÚDE ESCOLA DE ENFERMAGEM DA USP EEUSP PROGRAMA NACIONAL DE REORIENTAÇÃO DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL EM SAÚDE PRÓ-SAÚDE Resumo do Projeto: A proposta apresentada ao PRÓ-SAÚDE tem como foco principal a superação

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico ETEC: DR. JOSÉ LUÍZ VIANA COUTINHO CÓDIGO: 073 EIXO TECNOLÓGICO: HABILITAÇÃO PROFISSIONAL: QUALIFICAÇÃO: MÓDULO: COMPONENTE CURRICULAR: C.H. SEMANAL: PROFESSOR:

Leia mais

6h diárias - 11 meses

6h diárias - 11 meses 6h diárias - 11 meses PROPOSTA PEDAGÓGICA PROGRAMA DE APRENDIZAGEM EM AUXILIAR DE TELEMARKETING ÍNDICE 1 - Apresentação da Entidade ijovem 3 2 - Justificativa do Programa. 3 3 Público-alvo: 4 4 Objetivo

Leia mais

especialidade Psic. Raquel Pusch pusch11@terra.com.br www.psicosaude.com.br

especialidade Psic. Raquel Pusch pusch11@terra.com.br www.psicosaude.com.br Psicologia Intensiva uma especialidade Psic. Raquel Pusch pusch11@terra.com.br www.psicosaude.com.br PSICOLOGIA INTENSIVA O intensivismo é uma especialidade que apresenta um caráter interdisciplinar voltado

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE ITABORAÍ ESTADO DO RIO DE JANEIRO

CÂMARA MUNICIPAL DE ITABORAÍ ESTADO DO RIO DE JANEIRO CÂMARA MUNICIPAL DE ITABORAÍ ESTADO DO RIO DE JANEIRO Meta 4: universalizar, para a população de 4 (quatro) a 17 (dezessete) anos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades

Leia mais

REGULAMENTO DAS COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS DO ENFERMEIRO ESPECIALISTA EM ENFERMAGEM DE SAÚDE DA CRIANÇA E DO JOVEM

REGULAMENTO DAS COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS DO ENFERMEIRO ESPECIALISTA EM ENFERMAGEM DE SAÚDE DA CRIANÇA E DO JOVEM REGULAMENTO DAS COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS DO ENFERMEIRO ESPECIALISTA EM ENFERMAGEM DE SAÚDE DA CRIANÇA E DO JOVEM APROVADO POR MAIORIA EM ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DE 20 DE NOVEMBRO DE 2010 Proposta

Leia mais