Tipo firma, duração, sede e objeto social

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Tipo firma, duração, sede e objeto social"

Transcrição

1 CONTRATO DE SOCIEDADE DA ESPÍRITO SANTO SAÚDE - SGPS, S.A. Capítulo I Tipo firma, duração, sede e objeto social Artigo 1.º Tipo, Firma e Duração 1. A Sociedade é organizada sob a forma de sociedade anónima e adota a firma ESPÍRITO SANTO SAÚDE - SGPS, S.A. 2. A Sociedade durará por tempo indeterminado. Artigo 2.º Sede Social e Formas de Representação 1. A Sociedade tem sede social na Rua Carlos Alberto da Mota Pinto, número dezassete, nono andar, freguesia de Campo de Ourique, em Lisboa. 2. Por simples deliberação do Conselho de Administração, poderá a sede social ser deslocada dentro do território nacional, podendo ainda o mesmo órgão social deliberar a criação, a transferência ou o encerramento, em território nacional ou no estrangeiro, de sucursais, agências, delegações ou quaisquer outras formas de representação. Artigo 3.º Objeto 1. A Sociedade tem por objeto a gestão de participações sociais noutras sociedades, como forma indireta de exercício de atividades económicas. 2. A Sociedade pode livremente adquirir participações como sócia de responsabilidade ilimitada ou participações em sociedades com objeto diferente do seu, em sociedades reguladas por leis especiais, bem como participar em agrupamentos complementares de empresas ou em agrupamentos europeus de interesse económico. Capítulo II Capital Social, Ações, Obrigações e Outros Valores Mobiliários Artigo 4.º Capital Social O capital social, integralmente subscrito e realizado, é de noventa e cinco milhões quinhentos e quarenta e dois mil duzentos e cinquenta e quatro Euros, e está representado por noventa e cinco milhões quinhentas e quarenta e duas mil duzentas e cinquenta e quatro ações ordinárias, com o valor nominal de um Euro cada. Artigo 5.º Ações 1. As ações são nominativas e representadas escrituralmente. 1

2 2. A Sociedade pode emitir ações de quaisquer categorias, incluindo ações preferenciais sem voto até ao montante máximo legalmente admissível, podendo tais categorias de ações ser remíveis, em data fixa ou em data a fixar pela Assembleia Geral, pelo respetivo valor nominal ou com um prémio, em conformidade com o que seja fixado na deliberação da respetiva emissão, não assistindo aos titulares de ações remíveis o direito de solicitar a dissolução da sociedade por via administrativa com fundamento em incumprimento de obrigação de remir. 3. Existindo várias categorias de ações na Sociedade, nos aumentos de capital social por incorporação de reservas mediante a criação de novas ações, serão emitidas ações das diversas categorias em quantidade proporcional às ações de cada categoria já existentes, salvo disposição diversa da Assembleia Geral que deliberar tal aumento de capital. Artigo 6.º Aumentos de Capital e Direito de Preferência 1. O Conselho de Administração fica autorizado, após parecer favorável do Conselho Fiscal, a aumentar o capital social mediante novas entradas em dinheiro, por uma ou mais vezes, até ao limite de ,00 (cento e quinze milhões de Euros). 2. O Conselho de Administração poderá deliberar que o aumento de capital referido no número anterior se faça mediante a emissão de ações ordinárias ou mediante a emissão de qualquer outra categoria de ações, competindo-lhe fixar os direitos inerentes a tais ações bem como os demais termos e condições de cada aumento de capital, incluindo os prazos de subscrição e realização. 3. A autorização conferida nos números anteriores é válida pelo prazo de cinco anos, podendo ser renovada, por uma ou mais vezes, por deliberação da Assembleia Geral. 4. Os acionistas terão direito de preferência na subscrição de novas ações resultantes de aumentos de capital por entradas em dinheiro, salvo se tal direito for limitado ou suprimido por deliberação da Assembleia Geral tomada pela maioria exigida para deliberar um aumento de capital, desde que o interesse social o justifique. Artigo 7.º Obrigações e Outros Valores Mobiliários 1. A Sociedade poderá emitir qualquer tipo de valores mobiliários representativos de dívida, designadamente obrigações, obrigações convertíveis em ações ou obrigações com direito a subscrever ações, bem como quaisquer outros tipos de valores mobiliários legalmente admissíveis. 2. A deliberação de emissão de quaisquer dos tipos valores mobiliários referidos no número anterior compete ao Conselho de Administração, salvo quando disposição legal imperativa atribua tal competência exclusiva a outro órgão social, nomeadamente à Assembleia Geral. Artigo 8.º Ações e Obrigações Próprias 1. A Sociedade fica autorizada a realizar todas as operações legalmente permitidas tendo por objeto ações, obrigações ou outros valores mobiliários por si emitidos e nos termos legais mais amplamente admitidos. 2

3 2. Compete ao Conselho de Administração da Sociedade deliberar sobre a realização de quaisquer das operações sobre valores mobiliários próprios referidas no número anterior, salvo quando disposição legal imperativa atribua tal competência exclusiva a outro órgão social, nomeadamente à Assembleia Geral. Capítulo III Órgãos Sociais Artigo 9.º Organização da Sociedade A Sociedade tem como órgãos sociais a Assembleia Geral, o Conselho de Administração, o Conselho Fiscal, o Revisor Oficial de Contas e o Secretário da Sociedade. Artigo 10.º Mandatos 1. Os membros da Mesa da Assembleia Geral, do Conselho de Administração, do Conselho Fiscal e o Revisor Oficial de Contas são eleitos pela Assembleia Geral da Sociedade por períodos de quatro anos, sendo sempre permitida a sua reeleição por uma ou mais vezes, salvo o disposto em normas legais imperativas. 2. Os membros eleitos para os órgãos sociais consideram-se empossados imediatamente após a sua eleição. Secção I - Assembleia Geral Artigo 11.º Assembleia Geral 1. A Assembleia Geral é constituída por todos os acionistas com direito de voto. 2. Os Acionistas sem direito de voto e os titulares de outros valores mobiliários emitidos pela Sociedade não poderão assistir às reuniões da Assembleia Geral, sem prejuízo do direito de nelas se fazerem representar, nos termos legalmente previstos. 3. Só podem estar presentes na Assembleia Geral e aí discutir e votar ou em cada uma das suas sessões, em caso de suspensão, os acionistas que pelas 0 horas do quinto dia útil anterior ao da realização da Assembleia Geral, tenham devidamente registadas na respetiva conta de registo individualizado de valores mobiliários escriturais uma quantidade de ações que lhes confiram, segundo a lei e o presente contrato, pelo menos um direito de voto. 4. Os acionistas que pretendam participar na Assembleia Geral em conformidade com termos previstos no número anterior deverão declarar essa sua intenção, por escrito, ao Presidente da Mesa da Assembleia Geral e ao intermediário financeiro onde a conta de registo individualizado esteja aberta, enviando também ao Presidente da Mesa da Assembleia Geral, caso seja aplicável, os instrumentos de representação e a indicação de quem os representa, o mais tardar até ao dia referido no número 3 deste Artigo. 3

4 Artigo 12.º Da Mesa e da Convocação da Assembleia Geral 1. A Mesa da Assembleia Geral é composta por um Presidente, um Vice-Presidente e um Secretário, eleitos pela Assembleia Geral. 2. A Assembleia Geral convocada a requerimento de acionistas titulares de ações que lhe confiram tal direito, nos termos da lei imperativa, não se realizará se não estiverem presentes os requerentes dessa convocatória. 3. A exigência de a ata da Assembleia Geral ser lavrada por notário, quando a lei a permita, deverá ser formulada em carta dirigida ao Presidente da Mesa, com a assinatura legalmente reconhecida, entregue na sede social até ao quinto dia útil anterior ao dia designado para a reunião da Assembleia Geral. Artigo 13.º Direito de Voto 1. A cada cem ações corresponde um voto. 2. É admitido o voto por correspondência. 3. Os votos por correspondência são contados para a formação do quórum constitutivo da Assembleia Geral e valem igualmente para a segunda convocação da Assembleia Geral para a qual foram emitidos, cabendo ao Presidente da Mesa verificar a sua autenticidade e regularidade, nos termos que forem publicitados na convocatória para a Assembleia Geral. 4. Cabe igualmente ao Presidente da Mesa assegurar a confidencialidade dos votos por correspondência até ao momento da votação. 5. Considera-se revogado o voto por correspondência emitido, no caso de presença na Assembleia Geral do acionista ou de seu representante. 6. Os votos por correspondência valem como votos negativos relativamente a propostas de deliberação apresentadas posteriormente à data da sua emissão. Artigo 14.º Quórum 1. Em primeira convocação, a Assembleia Geral não poderá reunir sem estarem presentes ou representados, acionistas titulares de ações representativas de, pelo menos, cinquenta por cento do capital social, sejam quais forem os assuntos da ordem de trabalhos. 2. Em segunda convocação, a Assembleia Geral pode deliberar seja qual for o número de acionistas presentes ou representados e o capital por eles representado. Artigo 15.º Maioria Deliberativa 1. A Assembleia Geral delibera por maioria dos votos emitidos, salvo nos casos em que a lei ou o presente contrato exijam uma maioria qualificada. 2. As deliberações sobre alteração do contrato de sociedade, fusão, cisão, transformação, dissolução ou outros assuntos para os quais a lei exija maioria qualificada, sem a 4

5 especificar, devem ser aprovadas por dois terços dos votos emitidos, quer a Assembleia reúna em primeira quer em segunda convocação. 3. As abstenções não são contadas para quaisquer deliberações. Secção II - Conselho de Administração Artigo 16.º Composição 1. O Conselho de Administração é constituído por um mínimo de cinco e um máximo de dezanove Administradores, eleitos pela Assembleia Geral, que designará de entre eles o Presidente e, se assim o entender, um ou mais Vice-Presidentes. 2. A Assembleia Geral que deliberar a eleição de Administradores fixará o número efetivo de membros do Conselho de Administração para o mandato para o qual são eleitos; na falta de menção expressa, considera-se fixado para aquele mandato o número de Administradores que vier a ser eleito pela Assembleia Geral. 3. Os acionistas minoritários que tenham votado contra a proposta que fez vencimento na eleição dos Administradores têm direito de designar, em conformidade com o disposto nos números 6 e 7 do artigo 392.º do Código das Sociedades Comerciais, um Administrador, desde que tais acionistas representem, pelo menos, 10% do capital social. 4. A responsabilidade de cada membro do Conselho de Administração deverá ser caucionada pelo montante de Euros e por alguma das formas permitidas por lei, sem prejuízo do disposto no número 5 do artigo 396.º do Código das Sociedades Comerciais. Artigo 17.º Reuniões e Deliberações 1. O Conselho de Administração reunirá pelo menos uma vez por trimestre e sempre que for convocado pelo seu Presidente, por iniciativa própria ou a solicitação de dois Administradores ou do Conselho Fiscal. 2. As reuniões poderão ser convocadas por escrito, nomeadamente através de correio eletrónico, com a antecedência mínima razoável e da convocatória constará a ordem de trabalhos da reunião. 3. As deliberações do Conselho de Administração serão tomadas por maioria dos votos dos membros presentes e representados, tendo o Presidente voto de qualidade. 4. Qualquer membro do Conselho de Administração pode fazer-se representar por outro membro do Conselho de Administração, mediante carta dirigida ao Presidente, que não poderá ser utilizada mais do que uma vez. 5. As reuniões do Conselho de Administração podem realizar-se através de meios telemáticos, se a Sociedade assegurar a autenticidade das declarações e a segurança das comunicações, procedendo ao registo do seu conteúdo e dos respetivos intervenientes. 5

6 6. Os Administradores que faltem, sem justificação aceite pelo órgão de administração, a mais de metade das reuniões ocorridas durante um exercício incorrem numa situação de falta definitiva. Artigo 18.º Comissão Executiva 1. O Conselho de Administração pode delegar a gestão corrente da Sociedade numa Comissão Executiva composta por um mínimo de três e um máximo de nove Administradores, indicando, para o efeito, os Administradores que a compõem e o respetivo Presidente. 2. Aplicam-se à Comissão Executiva os números 2 a 6 do Artigo anterior Artigo 19.º Vinculação Sem prejuízo do disposto no artigo 408.º do Código das Sociedades Comerciais, a Sociedade vincula-se ainda pelos atos praticados: a. por dois Administradores que integrem a Comissão Executiva; b. por um membro da Comissão Executiva agindo conjuntamente com um mandatário, dentro dos limites fixados no respetivo instrumento de mandato; e c. por mandatários da Sociedade, dentro dos limites das procurações outorgadas. Secção III Fiscalização Artigo 20.º Composição 1. A fiscalização da Sociedade compete a um Conselho Fiscal, constituído por três membros efetivos e um suplente, e a um revisor oficial de contas ou sociedade de revisores oficiais de contas que não integre o Conselho Fiscal, eleitos pela Assembleia Geral, sendo o revisor oficial de contas ou sociedade de revisores oficiais de contas que não integre o Conselho Fiscal propostos para eleição pelo Conselho Fiscal. 2. A Assembleia Geral elegerá de entre os membros do Conselho Fiscal o respetivo Presidente. 3. A responsabilidade de cada membro do Conselho Fiscal deverá ser caucionada pelo montante de Euros e por alguma das formas permitidas por lei. Artigo 21.º Reuniões e Deliberações 1. O Conselho Fiscal reúne, pelo menos, trimestralmente. 2. As deliberações do Conselho Fiscal são tomadas por maioria dos votos emitidos. 6

7 Secção IV Secretário da Sociedade Artigo 22.º Designação e competência 1. A Sociedade terá um Secretário e um seu suplente, designados por deliberação do Conselho de Administração. 2. A duração das funções do Secretário coincide com a do mandato do Conselho de Administração que o designou, podendo renovar-se por uma ou mais vezes. Secção V Comissão de Remunerações Artigo 23.º Composição e Funções 1. A remuneração dos titulares dos órgãos sociais será fixada por uma Comissão de Remunerações composta por três membros eleitos por períodos de quatro anos pela Assembleia Geral. A Assembleia Geral designará de entre eles o respetivo Presidente. 2. No caso dos membros do Conselho de Administração, à remuneração fixa poderá acrescer uma remuneração variável, que poderá, no todo ou em parte, corresponder a uma percentagem dos lucros consolidados da Sociedade. Neste último caso, a percentagem global destinada aos Administradores não poderá exceder, em cada exercício, 10 (dez) por cento dos lucros consolidados do exercício. 3. As deliberações da Comissão de Remunerações serão tomadas por maioria simples dos votos. Capítulo IV Disposições Gerais O ano social coincide com o ano civil. Artigo 24.º Ano Social Artigo 25.º Aplicação de Resultados 1. Os lucros líquidos de cada exercício, depois de deduzidas ou reforçadas as provisões e reservas impostas por lei, terão a aplicação que a Assembleia Geral deliberar por maioria simples, podendo os mesmos ser, ou não, no todo ou em parte, distribuídos pelos acionistas, em conformidade com o que for deliberado pela Assembleia Geral. 2. Nos termos e dentro dos limites legalmente estabelecidos na lei, podem ser feitos aos acionistas adiantamentos sobre lucros no decurso do exercício. Artigo 26.º Dissolução e Liquidação 1. A Sociedade só se dissolverá nos casos previstos na lei ou mediante deliberação tomada em Assembleia Geral por maioria de dois terços dos votos emitidos. 7

8 2. A liquidação da Sociedade ficará a cargo de uma comissão liquidatária constituída pelos membros da Comissão Executiva em exercício à data da dissolução, caso esta se encontre constituída, caso contrário pelos membros do Conselho de Administração, salvo se a Assembleia Geral que votar a dissolução deliberar diferentemente. 8

ESTATUTOS DA PREVISÃO SOCIEDADE GESTORA DE FUNDOS DE PENSÕES, S.A.

ESTATUTOS DA PREVISÃO SOCIEDADE GESTORA DE FUNDOS DE PENSÕES, S.A. ESTATUTOS DA PREVISÃO SOCIEDADE GESTORA DE FUNDOS DE PENSÕES, S.A. CAPÍTULO I Denominação, duração, sede e objecto Artigo 1.º Denominação e duração É constituída, nos termos da lei e dos presentes estatutos,

Leia mais

Contrato de Sociedade do Banco Espírito Santo, S.A. Capítulo I Denominação, Sede, Duração e Objecto. Artigo 1.º. Natureza e Firma

Contrato de Sociedade do Banco Espírito Santo, S.A. Capítulo I Denominação, Sede, Duração e Objecto. Artigo 1.º. Natureza e Firma Contrato de Sociedade do Banco Espírito Santo, S.A. Capítulo I Denominação, Sede, Duração e Objecto Artigo 1.º Natureza e Firma 1. A Sociedade é organizada sob a forma de sociedade anónima e adopta a firma

Leia mais

Proposta relativa ao ponto 5. da ordem de trabalhos da. Assembleia Geral Anual de. 30 de Março de 2007 ESTATUTOS

Proposta relativa ao ponto 5. da ordem de trabalhos da. Assembleia Geral Anual de. 30 de Março de 2007 ESTATUTOS Proposta relativa ao ponto 5. da ordem de trabalhos da Assembleia Geral Anual de 30 de Março de 2007 ESTATUTOS SAG GEST SOLUÇÕES AUTOMÓVEL GLOBAIS, SGPS, SA Sociedade Aberta CAPITULO I DENOMINAÇÃO, DURAÇÃO,

Leia mais

SAG GEST SOLUÇÕES AUTOMÓVEL GLOBAIS, SGPS, SA. Sociedade Aberta. Após aprovação na Assembleia Geral de 24 de Junho de 2013

SAG GEST SOLUÇÕES AUTOMÓVEL GLOBAIS, SGPS, SA. Sociedade Aberta. Após aprovação na Assembleia Geral de 24 de Junho de 2013 ESTATUTOS ACTUALIZADOS SAG GEST SOLUÇÕES AUTOMÓVEL GLOBAIS, SGPS, SA Sociedade Aberta Após aprovação na Assembleia Geral de 24 de Junho de 2013 ------------------------------------------------------CAPITULO

Leia mais

CONTRATO DE SOCIEDADE ACTUALIZADO SEMAPA SOCIEDADE DE INVESTIMENTO E GESTÃO, SGPS, S.A.

CONTRATO DE SOCIEDADE ACTUALIZADO SEMAPA SOCIEDADE DE INVESTIMENTO E GESTÃO, SGPS, S.A. CONTRATO DE SOCIEDADE ACTUALIZADO SEMAPA SOCIEDADE DE INVESTIMENTO E GESTÃO, SGPS, S.A. Capítulo Primeiro Denominação, Sede e Objecto Artigo Primeiro A sociedade adopta a denominação SEMAPA - Sociedade

Leia mais

CONTRATO DE SOCIEDADE DO BANCO PORTUGUÊS DE INVESTIMENTO, S.A. (Versão consolidada com as alterações aprovadas na reunião

CONTRATO DE SOCIEDADE DO BANCO PORTUGUÊS DE INVESTIMENTO, S.A. (Versão consolidada com as alterações aprovadas na reunião CONTRATO DE SOCIEDADE DO BANCO PORTUGUÊS DE INVESTIMENTO, S.A. (Versão consolidada com as alterações aprovadas na reunião da Assembleia Geral de 10 de Abril de 2008) CONTRATO DE SOCIEDADE DO BANCO PORTUGUÊS

Leia mais

VAA VISTA ALEGRE ATLANTIS, SGPS SA.

VAA VISTA ALEGRE ATLANTIS, SGPS SA. VAA VISTA ALEGRE ATLANTIS, SGPS SA. Sociedade aberta Sede: Lugar da Vista Alegre, 3830-292 Ílhavo Matriculada na C.R.C. de Ílhavo - NIPC: 500.978.654 Capital social: 92.507.861,92 Euros -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

CAIXA-GESTÃO DE ACTIVOS, SGPS, SA

CAIXA-GESTÃO DE ACTIVOS, SGPS, SA ESTATUTOS DE CAIXA-GESTÃO DE ACTIVOS, SGPS, SA (actualizados) CAPITULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJECTO SOCIAL E DURAÇÃO ARTIGO PRIMEIRO Natureza e Denominação A Sociedade é constituída sob a forma de Sociedade

Leia mais

ESTATUTOS SOCIEDADE COMERCIAL OREY ANTUNES, S.A. (Sociedade Aberta) CAPITULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJECTO E DURAÇÃO. Artigo 1º

ESTATUTOS SOCIEDADE COMERCIAL OREY ANTUNES, S.A. (Sociedade Aberta) CAPITULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJECTO E DURAÇÃO. Artigo 1º ESTATUTOS DA SOCIEDADE COMERCIAL OREY ANTUNES, S.A. (Sociedade Aberta) CAPITULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJECTO E DURAÇÃO Artigo 1º A sociedade adopta a denominação de Sociedade Comercial Orey Antunes, S.A..

Leia mais

CONTRATO DE SOCIEDADE DO GRUPO MEDIA CAPITAL SGPS, S.A. CAPÍTULO PRIMEIRO. Denominação, sede e objecto. Artigo 1º

CONTRATO DE SOCIEDADE DO GRUPO MEDIA CAPITAL SGPS, S.A. CAPÍTULO PRIMEIRO. Denominação, sede e objecto. Artigo 1º CONTRATO DE SOCIEDADE DO GRUPO MEDIA CAPITAL SGPS, S.A. CAPÍTULO PRIMEIRO Denominação, sede e objecto Artigo 1º A sociedade adopta a denominação de Grupo Media Capital, SGPS, S.A. Artigo 2º Um - A sociedade

Leia mais

CAPÍTULO SEGUNDO CAPITAL SOCIAL E ACÇÕES CAPÍTULO TERCEIRO ÓRGÃOS SOCIAIS ARTIGO QUARTO (ELENCO DOS ÓRGÃOS SOCIAIS)

CAPÍTULO SEGUNDO CAPITAL SOCIAL E ACÇÕES CAPÍTULO TERCEIRO ÓRGÃOS SOCIAIS ARTIGO QUARTO (ELENCO DOS ÓRGÃOS SOCIAIS) ESTATUTOS DA ISA INTELLIGENT SENSING ANYWHERE, S.A. CAPÍTULO PRIMEIRO DENOMINAÇÃO, DURAÇÃO, SEDE E OBJECTO ARTIGO PRIMEIRO (DENOMINAÇÃO, DURAÇÃO E SEDE) A sociedade, constituída sob a forma de sociedade

Leia mais

Reditus Sociedade Gestora de Participações Sociais, S.A. ESTATUTOS

Reditus Sociedade Gestora de Participações Sociais, S.A. ESTATUTOS Reditus Sociedade Gestora de Participações Sociais, S.A. ESTATUTOS CAPITULO PRIMEIRO Denominação, sede, objectivo e duração ARTIGO PRIMEIRO (Denominação Social) A sociedade adopta a denominação de Reditus

Leia mais

CONTRATO DE SOCIEDADE DO BANCO PORTUGUÊS DE INVESTIMENTO, S.A. Capítulo I Firma, sede e objecto social

CONTRATO DE SOCIEDADE DO BANCO PORTUGUÊS DE INVESTIMENTO, S.A. Capítulo I Firma, sede e objecto social CONTRATO DE SOCIEDADE DO BANCO PORTUGUÊS DE INVESTIMENTO, S.A. Capítulo I Firma, sede e objecto social Artigo Primeiro A sociedade adopta a firma Banco Português de Investimento, S.A. Artigo Segundo 1.

Leia mais

SOCIEDADE COMERCIAL OREY ANTUNES, S.A. SOCIEDADE ABERTA ASSEMBLEIA GERAL DE 15 DE ABRIL DE 2009 PROPOSTA RELATIVA AO PONTO CINCO DA ORDEM DE TRABALHOS

SOCIEDADE COMERCIAL OREY ANTUNES, S.A. SOCIEDADE ABERTA ASSEMBLEIA GERAL DE 15 DE ABRIL DE 2009 PROPOSTA RELATIVA AO PONTO CINCO DA ORDEM DE TRABALHOS SOCIEDADE COMERCIAL OREY ANTUNES, S.A. SOCIEDADE ABERTA ASSEMBLEIA GERAL DE 15 DE ABRIL DE 2009 PROPOSTA RELATIVA AO PONTO CINCO DA ORDEM DE TRABALHOS Em face das recentes recomendações da CMVM no que

Leia mais

Um A Sociedade tem a sua sede na Estrada da Malveira da Serra, 1237, Aldeia de Juso, freguesia e concelho de Cascais.

Um A Sociedade tem a sua sede na Estrada da Malveira da Serra, 1237, Aldeia de Juso, freguesia e concelho de Cascais. CAPÍTULO PRIMEIRO Denominação, Sede e Objecto da Sociedade ARTIGO PRIMEIRO A Sociedade adopta a denominação de AdC - Águas de Cascais, S.A. ARTIGO SEGUNDO Um A Sociedade tem a sua sede na Estrada da Malveira

Leia mais

Sonae SGPS, SA Lugar do Espido Via Norte Apartado Maia Portugal Tel (+351) /76 22 Fax (+351)

Sonae SGPS, SA Lugar do Espido Via Norte Apartado Maia Portugal Tel (+351) /76 22 Fax (+351) Exmº Senhor Presidente da Mesa da Assembleia Geral da Sonae, SGPS, SA Lugar do Espido 4470 Maia Ponto n.º 5 PROPOSTA Propõe-se que se delibere: a) Modificar a redacção: do art. 4º; dos nºs 1, 2 e 7 (futuro

Leia mais

PROPOSTA DE ALTERAÇÃO PARCIAL DE ESTATUTOS A APRESENTAR NA ASSEMBLEIA GERAL DE

PROPOSTA DE ALTERAÇÃO PARCIAL DE ESTATUTOS A APRESENTAR NA ASSEMBLEIA GERAL DE PROPOSTA DE ALTERAÇÃO PARCIAL DE ESTATUTOS A APRESENTAR NA ASSEMBLEIA GERAL DE 14-03-2007. PORTUCEL EMPRESA PRODUTORA DE PASTA E PAPEL, S.A. ESTATUTOS CAPÍTULO I Firma, sede e objecto Artigo 1º. - A sociedade

Leia mais

Estatutos da Sociedade de Transportes Colectivos do Porto, S.A.

Estatutos da Sociedade de Transportes Colectivos do Porto, S.A. Estatutos da Sociedade de Transportes Colectivos do Porto, S.A. CAPÍTULO I Denominação, duração, sede e objeto Artigo 1º Denominação e duração 1. A sociedade adota a forma de sociedade anónima e a denominação

Leia mais

CONTRATO DE SOCIEDADE

CONTRATO DE SOCIEDADE CONTRATO DE SOCIEDADE CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO ARTIGO PRIMEIRO (Denominação) UM A sociedade, constituída sob a forma de Sociedade Anónima, adopta a denominação de GLINTT GLOBAL INTELLIGENT TECHNOLOGIES,

Leia mais

CONTRATO DE SOCIEDADE DO GRUPO MÉDIA CAPITAL SGPS, S.A. CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE E OBJECTO

CONTRATO DE SOCIEDADE DO GRUPO MÉDIA CAPITAL SGPS, S.A. CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE E OBJECTO CONTRATO DE SOCIEDADE DO GRUPO MÉDIA CAPITAL SGPS, S.A. CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE E OBJECTO Artigo 1 Denominação A Sociedade adopta a denominação de Grupo Média Capital, SGPS, S.A. Artigo 2 Sede A Sociedade

Leia mais

ESTATUTOS DA TRANSTEJO TRANSPORTES TEJO, S.A.

ESTATUTOS DA TRANSTEJO TRANSPORTES TEJO, S.A. ESTATUTOS DA TRANSTEJO TRANSPORTES TEJO, S.A. 1 2 ESTATUTOS DA TRANSTEJO Transportes Tejo, S.A. CAPÍTULO I Denominação, duração, sede e objeto Artigo 1.º Denominação e duração 1 A sociedade adota a forma

Leia mais

Madabena C&iq Ferreir CONTRATO DE SOCIEDADE ACTUALIZADO ( ) SONAGI, SGPS, S.A. CAPÍTULO PRIMEIRO. Denominação, Sede e Objecto

Madabena C&iq Ferreir CONTRATO DE SOCIEDADE ACTUALIZADO ( ) SONAGI, SGPS, S.A. CAPÍTULO PRIMEIRO. Denominação, Sede e Objecto (02.04.2019) SONAGI, SGPS, S.A. CAPÍTULO PRIMEIRO I.!1 14 7flfl F-, ri ç 7A 10-121 LISBOA 771 Madabena C&iq Ferreir acções escriturais. freguesia de Santo António. estabelecimentos ou qualquer outra forma

Leia mais

ESTATUTOS. CAPÍTULO PRIMEIRO Denominação, sede e objecto social. ARTIGO PRIMEIRO A sociedade adopta a firma de Sonae Capital, SGPS, S.A..

ESTATUTOS. CAPÍTULO PRIMEIRO Denominação, sede e objecto social. ARTIGO PRIMEIRO A sociedade adopta a firma de Sonae Capital, SGPS, S.A.. ESTATUTOS CAPÍTULO PRIMEIRO Denominação, sede e objecto social ARTIGO PRIMEIRO A sociedade adopta a firma de Sonae Capital, SGPS, S.A.. ARTIGO SEGUNDO Um A sede social é no Lugar de Espido, Via Norte,

Leia mais

Estatutos da ENATUR Empresa Nacional de Turismo, S.A. CAPÍTULO I. Denominação, duração, sede e objecto. Artigo 1º Denominação e duração

Estatutos da ENATUR Empresa Nacional de Turismo, S.A. CAPÍTULO I. Denominação, duração, sede e objecto. Artigo 1º Denominação e duração Estatutos da ENATUR Empresa Nacional de Turismo, S.A. CAPÍTULO I Denominação, duração, sede e objecto Artigo 1º Denominação e duração 1. A sociedade adopta a forma de sociedade anónima e a denominação

Leia mais

Portugal Capital Ventures Sociedade de Capital de Risco, S. A.

Portugal Capital Ventures Sociedade de Capital de Risco, S. A. Portugal Capital Ventures Sociedade de Capital de Risco, S. A. ESTATUTOS CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE E OBJECTO ARTIGO PRIMEIRO Denominação A Sociedade adota a denominação de Portugal Capital Ventures

Leia mais

MARÉ - Mercado Abastecedor da Região de Évora, S.A. ESTATUTOS

MARÉ - Mercado Abastecedor da Região de Évora, S.A. ESTATUTOS MARÉ - Mercado Abastecedor da Região de Évora, S.A. ESTATUTOS CAPÍTULO I Tipo, denominação, sede e objecto ARTIGO 1º UM - A sociedade é constituída por tempo indeterminado, a partir da presente data, sob

Leia mais

ESTATUTOS. CAPITULO I Tipo, denominação, sede e objecto ARTIGO 1º. adoptando a denominação de MARL - Mercado Abastecedor da Região de Lisboa, S.A.

ESTATUTOS. CAPITULO I Tipo, denominação, sede e objecto ARTIGO 1º. adoptando a denominação de MARL - Mercado Abastecedor da Região de Lisboa, S.A. ESTATUTOS CAPITULO I Tipo, denominação, sede e objecto ARTIGO 1º 1. A sociedade é constituída por tempo indeterminado, sob a forma de sociedade anónima, adoptando a denominação de MARL - Mercado Abastecedor

Leia mais

RELAÇÃO DOS ESTATUTOS DA SONAE INDÚSTRIA, SGPS, S. A. CAPÍTULO PRIMEIRO DENOMINAÇÃO, SEDE E OBJECTO SOCIAL ARTIGO PRIMEIRO ARTIGO SEGUNDO

RELAÇÃO DOS ESTATUTOS DA SONAE INDÚSTRIA, SGPS, S. A. CAPÍTULO PRIMEIRO DENOMINAÇÃO, SEDE E OBJECTO SOCIAL ARTIGO PRIMEIRO ARTIGO SEGUNDO RELAÇÃO DOS ESTATUTOS DA SONAE INDÚSTRIA, SGPS, S. A. CAPÍTULO PRIMEIRO DENOMINAÇÃO, SEDE E OBJECTO SOCIAL ARTIGO PRIMEIRO A sociedade adopta a denominação de Sonae Indústria, SGPS, S.A.. ARTIGO SEGUNDO

Leia mais

ESTATUTOS DO BISON BANK, S.A. CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, DURAÇÃO, SEDE E OBJECTO SOCIAL

ESTATUTOS DO BISON BANK, S.A. CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, DURAÇÃO, SEDE E OBJECTO SOCIAL ESTATUTOS DO BISON BANK, S.A. CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, DURAÇÃO, SEDE E OBJECTO SOCIAL ARTIGO PRIMEIRO (Denominação Social e Duração da Sociedade) 1. É constituída, para se reger pelos preceitos da lei aplicável

Leia mais

CONTRATO DE SOCIEDADE. AQUASIS Sistemas de Informação, S.A. ARTIGO PRIMEIRO. Tipo e Firma

CONTRATO DE SOCIEDADE. AQUASIS Sistemas de Informação, S.A. ARTIGO PRIMEIRO. Tipo e Firma CONTRATO DE SOCIEDADE de AQUASIS Sistemas de Informação, S.A. ARTIGO PRIMEIRO Tipo e Firma A sociedade é constituída segundo o tipo de sociedade anónima e adopta a firma AQUASIS Sistemas de Informação,

Leia mais

RAMADA INVESTIMENTOS E INDÚSTRIA, S.A. Estatutos da Sociedade

RAMADA INVESTIMENTOS E INDÚSTRIA, S.A. Estatutos da Sociedade RAMADA INVESTIMENTOS E INDÚSTRIA, S.A. Estatutos da Sociedade ESTATUTOS DA RAMADA INVESTIMENTOS E INDÚSTRIA, S.A. EM 04.MAI.2018 CAPÍTULO I Firma, duração, sede e objecto social Artigo 1º. A sociedade

Leia mais

ESTATUTOS DA AGÊNCIA NACIONAL DE INOVAÇÃO, S.A.

ESTATUTOS DA AGÊNCIA NACIONAL DE INOVAÇÃO, S.A. ESTATUTOS DA AGÊNCIA NACIONAL DE INOVAÇÃO, S.A. SETEMBRO 2017 0 ANI - AGÊNCIA NACIONAL DE INOVAÇÃO, S.A. Capítulo I Denominação, sede, duração e objeto Artigo Primeiro (Denominação) A Sociedade anónima

Leia mais

Um A sede social é no Lugar de Espido, Via Norte, freguesia e concelho da Maia, podendo

Um A sede social é no Lugar de Espido, Via Norte, freguesia e concelho da Maia, podendo RELAÇÃO INTEGRAL DO PACTO SOCIAL DA SONAE - SGPS, S.A. QUE RESULTA DA PROPOSTA DE ALTERAÇÃO APRESENTADA PELO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO À ASSEMBLEIA GERAL ANUAL DE 27 DE ABRIL DE 2011 - CAPÍTULO PRIMEIRO

Leia mais

RELAÇÃO ATUALIZADA DO CONTRATO DA SOCIEDADE SONAE MC, SGPS, S.A. CAPÍTULO PRIMEIRO DENOMINAÇÃO, SEDE E OBJECTO SOCIAL ARTIGO PRIMEIRO

RELAÇÃO ATUALIZADA DO CONTRATO DA SOCIEDADE SONAE MC, SGPS, S.A. CAPÍTULO PRIMEIRO DENOMINAÇÃO, SEDE E OBJECTO SOCIAL ARTIGO PRIMEIRO RELAÇÃO ATUALIZADA DO CONTRATO DA SOCIEDADE SONAE MC, SGPS, S.A. CAPÍTULO PRIMEIRO DENOMINAÇÃO, SEDE E OBJECTO SOCIAL ARTIGO PRIMEIRO A sociedade adopta a denominação, SONAE MC, SGPS, S.A. ARTIGO SEGUNDO

Leia mais

COMPTA EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS DE INFORMÁTICA, S.A.

COMPTA EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS DE INFORMÁTICA, S.A. COMPTA EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS DE INFORMÁTICA, S.A. Sociedade Aberta Avenida José Gomes Ferreira, 13, Miraflores, 1495 139 Algés NIPC e matrícula na Conservatória do Registo Comercial de Cascais 500 069

Leia mais

PME INVESTIMENTOS Sociedade de Investimento, S.A. Estatutos. CAPÍTULO I Denominação, sede e objecto

PME INVESTIMENTOS Sociedade de Investimento, S.A. Estatutos. CAPÍTULO I Denominação, sede e objecto PME INVESTIMENTOS Sociedade de Investimento, S.A. Estatutos CAPÍTULO I Denominação, sede e objecto Artigo 1º Denominação e duração A sociedade adopta a denominação de PME Investimentos Sociedade de Investimento,

Leia mais

ESTATUTOS COPAM - COMPANHIA PORTUGUESA DE AMIDOS, SA

ESTATUTOS COPAM - COMPANHIA PORTUGUESA DE AMIDOS, SA ESTATUTOS COPAM - COMPANHIA PORTUGUESA DE AMIDOS, SA CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJECTO E DURAÇÃO DA COMPANHIA Artigo 1 1. A sociedade adopta a denominação de COPAM - COMPANHIA PORTUGUESA DE AMIDOS,

Leia mais

ESTATUTOS DO BANIF - BANCO DE INVESTIMENTO, S.A. CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, DURAÇÃO, SEDE E OBJECTO SOCIAL

ESTATUTOS DO BANIF - BANCO DE INVESTIMENTO, S.A. CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, DURAÇÃO, SEDE E OBJECTO SOCIAL ESTATUTOS DO BANIF - BANCO DE INVESTIMENTO, S.A. CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, DURAÇÃO, SEDE E OBJECTO SOCIAL ARTIGO PRIMEIRO (Denominação Social e Duração da Sociedade) 1. É constituída, para se reger pelos

Leia mais

A sociedade adopta a firma BANCO BPI, S.A.

A sociedade adopta a firma BANCO BPI, S.A. &2175$72'(62&,('$'('2%$1&2%3,6$ &DStWXOR, )LUPDVHGHHREMHFWRVRFLDO A sociedade adopta a firma BANCO BPI, S.A. 1. A sede social é no Porto, na Rua Tenente Valadim, número duzentos e oitenta e quatro. 2.

Leia mais

ESTATUTOS DA EDA - ELECTRICIDADE DOS AÇORES, S.A.

ESTATUTOS DA EDA - ELECTRICIDADE DOS AÇORES, S.A. ESTATUTOS DA EDA - ELECTRICIDADE DOS AÇORES, S.A. Aprovados na Assembleia Geral de 28 de maio de 2015 Capítulo I Firma, Sede e Objeto Artigo 1.º Firma A sociedade anónima adota a denominação de EDA - Electricidade

Leia mais

ESTATUTOS DO SPORT LISBOA E BENFICA - FUTEBOL, SAD CAPÍTULO I NATUREZA, DENOMINAÇÃO, SEDE E OBJECTO

ESTATUTOS DO SPORT LISBOA E BENFICA - FUTEBOL, SAD CAPÍTULO I NATUREZA, DENOMINAÇÃO, SEDE E OBJECTO ESTATUTOS DO SPORT LISBOA E BENFICA - FUTEBOL, SAD CAPÍTULO I NATUREZA, DENOMINAÇÃO, SEDE E OBJECTO Artigo 1º (Natureza e denominação) 1. A sociedade tem a natureza de sociedade anónima desportiva e adopta

Leia mais

ARTIGO 6º UM - O capital social é representado por acções nominativas, com valor facial de 4,99 Euros cada uma, em títulos de 1, 5, 10, 100, 1000 ou m

ARTIGO 6º UM - O capital social é representado por acções nominativas, com valor facial de 4,99 Euros cada uma, em títulos de 1, 5, 10, 100, 1000 ou m ESTATUTOS CAPITULO I (Tipo, denominação, sede e objecto) ARTIGO 1º UM - A sociedade é constituída por tempo indeterminado, sob a forma de sociedade anónima, adoptando a denominação de MARF - Mercado Abastecedor

Leia mais

ESTATUTOS SAS Apostas Sociais, Jogos e Apostas Online, S.A.

ESTATUTOS SAS Apostas Sociais, Jogos e Apostas Online, S.A. ESTATUTOS SAS Apostas Sociais, Jogos e Apostas Online, S.A. CAPÍTULO I FIRMA, SEDE E OBJETO SOCIAL ARTIGO 1º Denominação 1. A sociedade adota o tipo de sociedade anónima e a firma SAS Apostas Sociais,

Leia mais

1 A sociedade adopta a forma de sociedade anónima e a denominação de ANA Aeroportos de Portugal,S. A.

1 A sociedade adopta a forma de sociedade anónima e a denominação de ANA Aeroportos de Portugal,S. A. ESTATUTOS DA ANA AEROPORTOS DE PORTUGAL, S. A. CAPÍTULO I Denominação, sede, objecto e duração Artigo 1º Tipo, denominação e regime 1 A sociedade adopta a forma de sociedade anónima e a denominação de

Leia mais

ESTATUTOS APROVADOS NA ASSEMBLEIA GERAL REALIZADA EM 27 DE DEZEMBRO DE 2013 NO ÂMBITO DO PROJETO DE FUSÃO POR INCORPORAÇÃO DA EEG

ESTATUTOS APROVADOS NA ASSEMBLEIA GERAL REALIZADA EM 27 DE DEZEMBRO DE 2013 NO ÂMBITO DO PROJETO DE FUSÃO POR INCORPORAÇÃO DA EEG ESTATUTOS APROVADOS NA ASSEMBLEIA GERAL REALIZADA EM 27 DE DEZEMBRO DE 2013 NO ÂMBITO DO PROJETO DE FUSÃO POR INCORPORAÇÃO DA EEG EMPRESA DE ELETRICIDADE E GÁZ, LDA. CAPÍTULO I FIRMA, SEDE E OBJECTO Artigo

Leia mais

IMOBILIÁRIA CONSTRUTORA GRÃO-PARÁ, S.A. PROPOSTA DE ALTERAÇÕES AO CONTRATO DE SOCIEDADE - ASSEMBLEIA GERAL DE 31 DE MAIO DE

IMOBILIÁRIA CONSTRUTORA GRÃO-PARÁ, S.A. PROPOSTA DE ALTERAÇÕES AO CONTRATO DE SOCIEDADE - ASSEMBLEIA GERAL DE 31 DE MAIO DE IMOBILIÁRIA CONSTRUTORA GRÃO-PARÁ, S.A. Sociedade Aberta Sede: Edifício Espaço Chiado, Rua da Misericórdia, 12 a 20, 3.º andar, Escritório n.º 7 1200-273 Lisboa Capital social: Euro 12.500.000 Matriculada

Leia mais

REGULAMENTO DA COMISSÃO EXECUTIVA. Artigo 1.º. Âmbito

REGULAMENTO DA COMISSÃO EXECUTIVA. Artigo 1.º. Âmbito Sociedade Comercial Orey Antunes, S.A. Sociedade aberta com o Capital Social: 12.000.000,00 (doze milhões de euros) Sede: Rua Carlos Alberto da Mota Pinto, n.º 17, 6.º andar, 1070-313 Lisboa Registada

Leia mais

CONVOCATÓRIA Assembleia Geral

CONVOCATÓRIA Assembleia Geral CONVOCATÓRIA Assembleia Geral Convocam-se os Senhores Acionistas desta Sociedade para se reunirem em Assembleia Geral, no dia 3 de Abril de 2014, pelas 10.30 horas, a realizar na Rua Cidade de Goa, n.º

Leia mais

CIMPOR - CIMENTOS DE PORTUGAL SGPS, S.A.

CIMPOR - CIMENTOS DE PORTUGAL SGPS, S.A. CIMPOR - CIMENTOS DE PORTUGAL SGPS, S.A. ESTATUTOS 1/9 CAPITULO I FIRMA, SEDE, OBJECTO ARTIGO PRIMEIRO A sociedade adota a forma de sociedade anónima, a denominação social de CIMPOR - Cimentos de Portugal,

Leia mais

ESTATUTOS DA DENOMINAÇÃO, SEDE E OBJETO DA SOCIEDADE

ESTATUTOS DA DENOMINAÇÃO, SEDE E OBJETO DA SOCIEDADE ESTATUTOS DA DENOMINAÇÃO, SEDE E OBJETO DA SOCIEDADE Artigo 1.º A sociedade é gestora de participações sociais e é constituída sob a forma de sociedade anónima, adotando a firma NOS, SGPS, S.A.. Artigo

Leia mais

ESTATUTOS DA SDC - INVESTIMENTOS, S.A. Capítulo I. Denominação, Firma, Duração, Sede e Objeto da Sociedade. Artigo 1º

ESTATUTOS DA SDC - INVESTIMENTOS, S.A. Capítulo I. Denominação, Firma, Duração, Sede e Objeto da Sociedade. Artigo 1º ESTATUTOS DA SDC - INVESTIMENTOS, S.A. Capítulo I Denominação, Firma, Duração, Sede e Objeto da Sociedade Artigo 1º Denominação social, firma e duração 1. A Sociedade adota a denominação de SDC - INVESTIMENTOS,

Leia mais

LITHO FORMAS, S.A. Contrato de Sociedade. CAPÍTULO I Denominação social, forma e duração

LITHO FORMAS, S.A. Contrato de Sociedade. CAPÍTULO I Denominação social, forma e duração LITHO FORMAS, S.A. Contrato de Sociedade CAPÍTULO I Denominação social, forma e duração Artigo 1º 1. A sociedade tem a denominação de Litho Formas, S.A., e teve o seu início em 5 de Dezembro de 1966. 2.

Leia mais

CTT- CORREIOS DE PORTUGAL, S.A. ESTATUTOS. CAPÍTULO I Denominação, Sede, Duração e Objeto. Artigo 1º Denominação

CTT- CORREIOS DE PORTUGAL, S.A. ESTATUTOS. CAPÍTULO I Denominação, Sede, Duração e Objeto. Artigo 1º Denominação CTT- CORREIOS DE PORTUGAL, S.A. ESTATUTOS CAPÍTULO I Denominação, Sede, Duração e Objeto Artigo 1º Denominação A sociedade adota a forma de sociedade anónima e a denominação de CTT - Correios de Portugal,

Leia mais

ESTATUTOS GALP ENERGIA, SGPS, S.A.

ESTATUTOS GALP ENERGIA, SGPS, S.A. ESTATUTOS GALP ENERGIA, SGPS, S.A. A crescer com a exploração e produção GALP ENERGIA, SGPS, S.A. CAPÍTULO I Firma, sede e objecto Artigo 1.º A sociedade adopta a denominação social Galp Energia, SGPS,

Leia mais

ASSEMBLEIA GERAL DE ACIONISTAS CONVOCATÓRIA

ASSEMBLEIA GERAL DE ACIONISTAS CONVOCATÓRIA ASSEMBLEIA GERAL DE ACIONISTAS CONVOCATÓRIA Nos termos da lei e dos estatutos, são convocados os Senhores Acionistas e os Representantes Comuns dos Obrigacionistas da Mota-Engil, SGPS, S.A., Sociedade

Leia mais

BANCO ESPÍRITO SANTO, S.A.

BANCO ESPÍRITO SANTO, S.A. BANCO ESPÍRITO SANTO, S.A. Sociedade Aberta Sede: Avenida da Liberdade, 195, 1250-142, Lisboa Capital Social: 5.040.124.063,26 Euros Número de Pessoa Coletiva e de Matrícula 500 852 367, registado na Conservatória

Leia mais

euros, dividido em acções do valor nominal de euros, pertencentes:

euros, dividido em acções do valor nominal de euros, pertencentes: CONTRATO DE SOCIEDADE ANÓNIMA A) Declaram constituir uma sociedade nos termos dos artigos seguintes: Artigo 1.º Tipo e firma 1. A sociedade é [civil] OU [comercial], adopta o tipo de sociedade anónima

Leia mais

ESTATUTOS DA EMPRESA. CAPÍTULO I - Denominação, sede, objecto e duração

ESTATUTOS DA EMPRESA. CAPÍTULO I - Denominação, sede, objecto e duração ESTATUTOS DA EMPRESA CAPÍTULO I - Denominação, sede, objecto e duração Artigo 1º A sociedade constituída sob a forma de sociedade anónima com a denominação de CIPAN - Companhia Industrial Produtora de

Leia mais

ASSEMBLEIA GERAL ANUAL AVISO CONVOCATÓRIO

ASSEMBLEIA GERAL ANUAL AVISO CONVOCATÓRIO SONAE SGPS, S.A. Sede: Lugar do Espido, Via Norte, Maia Capital social: 2.000.000.000 Euros Matriculada na C.R.C. da Maia Número único de matrícula e de pessoa coletiva n.º 500 273 170 Sociedade Aberta

Leia mais

SONAECOM, S.G.P.S., S.A.

SONAECOM, S.G.P.S., S.A. SONAECOM, S.G.P.S., S.A. Sociedade com o capital aberto ao investimento do público Sede: Lugar do Espido - Via Norte - Maia Matriculada na Conservatória do Registo Comercial da Maia sob o n.º único de

Leia mais

CONVOCATÓRIA Assembleia Geral

CONVOCATÓRIA Assembleia Geral CONVOCATÓRIA Assembleia Geral Convocam-se os Senhores Acionistas desta Sociedade para se reunirem em Assembleia Geral, no dia 13 de abril de 2016, pelas 10.30 horas, a realizar na Rua Cidade de Goa, n.º

Leia mais

ESTATUTOS DA EMPRESA. CAPÍTULO I - Denominação, sede, objecto e duração

ESTATUTOS DA EMPRESA. CAPÍTULO I - Denominação, sede, objecto e duração ESTATUTOS DA EMPRESA CAPÍTULO I - Denominação, sede, objecto e duração Artigo 1º A sociedade constituída sob a forma de sociedade anónima com a denominação de CIPAN - Companhia Industrial Produtora de

Leia mais

EDM EMPRESA DE DESENVOLVIMENTO MINEIRO, SA, com sede em Lisboa, na Rua. Sampaio e Pina, nº 1 3º andar direito, freguesia de São Sebastião da Pedreira,

EDM EMPRESA DE DESENVOLVIMENTO MINEIRO, SA, com sede em Lisboa, na Rua. Sampaio e Pina, nº 1 3º andar direito, freguesia de São Sebastião da Pedreira, EDM EMPRESA DE DESENVOLVIMENTO MINEIRO, SA, com sede em Lisboa, na Rua Sampaio e Pina, nº 1 3º andar direito, freguesia de São Sebastião da Pedreira, N.I.P.C. 501692983 ESTATUTOS CAPÍTULO I Denominação,

Leia mais

CONVOCATÓRIA Assembleia Geral

CONVOCATÓRIA Assembleia Geral CONVOCATÓRIA Assembleia Geral Convocam-se os Senhores Acionistas desta Sociedade para se reunirem em Assembleia Geral, no dia 3 de maio de 2018, pelas 10.30 horas, a realizar na Rua Cidade de Goa, n.º

Leia mais

ARSENAL DO ALFEITE, S. A. ESTATUTOS

ARSENAL DO ALFEITE, S. A. ESTATUTOS ARSENAL DO ALFEITE, S. A. (Constituída pelo Decreto-Lei n.º33/2009, de 5 de Fevereiro) ESTATUTOS CAPÍTULO I Denominação, sede, objecto e duração Artigo 1º Forma e denominação A sociedade adopta a forma

Leia mais

GNB- COMPANHIA DE SEGUROS DE VIDA, S.A.

GNB- COMPANHIA DE SEGUROS DE VIDA, S.A. Ata nº45 No dia dezoito de Dezembro de dois mil e catorze, às 9h30m, realizouse a Assembleia Geral da BES Vida Companhia de Seguros, S.A., na sede social sita na Avenida Columbano Bordalo Pinheiro, n.º

Leia mais

CONTRATO DE SOCIEDADE DO BANCO BPI, S.A.

CONTRATO DE SOCIEDADE DO BANCO BPI, S.A. CONTRATO DE SOCIEDADE DO BANCO BPI, S.A. (Versão consolidada com as alterações aprovadas nas reuniões da Assembleia Geral de 23 de Abril de 2008, 22 de Abril de 2009 e 27 de Abril de 2011) CONTRATO DE

Leia mais

ANEXO 5. MINUTA DE Pacto Social CAPÍTULO I FIRMA, SEDE E OBJECTO

ANEXO 5. MINUTA DE Pacto Social CAPÍTULO I FIRMA, SEDE E OBJECTO ANEXO 5 MINUTA DE Pacto Social CAPÍTULO I FIRMA, SEDE E OBJECTO ARTIGO 1 (Firma e Sede) UM - A Sociedade adopta a firma NORSCUT CONCESSIONÁRIA DE AUTOESTRADAS, S.A., tem a sua sede em Aradeira, Lixa do

Leia mais

ESTATUTOS CAPÍTULO I. Denominação, sede, objecto e duração da sociedade ARTIGO 1º

ESTATUTOS CAPÍTULO I. Denominação, sede, objecto e duração da sociedade ARTIGO 1º ESTATUTOS CAPÍTULO I Denominação, sede, objecto e duração da sociedade ARTIGO 1º A sociedade anónima que, por força do Decreto-Lei nº 93/93, de 24 de Março, continua a personalidade jurídica da empresa

Leia mais

CONTRATO DE SOCIEDADE DO BANCO BPI, S.A.

CONTRATO DE SOCIEDADE DO BANCO BPI, S.A. CONTRATO DE SOCIEDADE DO BANCO BPI, S.A. (Versão consolidada com as alterações aprovadas nas reuniões da Assembleia Geral de 23 de Abril de 2008, de 22 de Abril de 2009, de 27 de Abril de 2011 e de 27

Leia mais

ARTIGO PRIMEIRO Denominação A Sociedade adopta a denominação FARMINVESTE - SGPS, S.A..

ARTIGO PRIMEIRO Denominação A Sociedade adopta a denominação FARMINVESTE - SGPS, S.A.. ARTIGO PRIMEIRO Denominação A Sociedade adopta a denominação FARMINVESTE - SGPS, S.A.. ARTIGO SEGUNDO Sede UM A Sociedade tem a sua sede na Travessa de Santa Catarina, n.º 8, freguesia de Santa Catarina,

Leia mais

MARTIFER SGPS, S.A. Sociedade Aberta ASSEMBLEIA GERAL ANUAL CONVOCATÓRIA

MARTIFER SGPS, S.A. Sociedade Aberta ASSEMBLEIA GERAL ANUAL CONVOCATÓRIA MARTIFER SGPS, S.A. Sociedade Aberta ASSEMBLEIA GERAL ANUAL CONVOCATÓRIA Nos termos da lei e do contrato de sociedade, e a pedido do Conselho de Administração, convoco os Senhores Acionistas da MARTIFER

Leia mais

CONTRATO DE SOCIEDADE DO BANCO BPI, S.A.

CONTRATO DE SOCIEDADE DO BANCO BPI, S.A. CONTRATO DE SOCIEDADE DO BANCO BPI, S.A. Versão consolidada com as alterações aprovadas em: 23 de Abril de 2008 (Assembleia Geral); 22 de Abril de 2009 (Assembleia Geral); 27 de Abril de 2011 (Assembleia

Leia mais

CONTRATO DE SOCIEDADE SOFLUSA SOCIEDADE FLUVIAL DE TRANSPORTES, SA CAPÍTULO I (Denominação, sede, objecto e duração) Artigo 1º A Sociedade é uma

CONTRATO DE SOCIEDADE SOFLUSA SOCIEDADE FLUVIAL DE TRANSPORTES, SA CAPÍTULO I (Denominação, sede, objecto e duração) Artigo 1º A Sociedade é uma CONTRATO DE SOCIEDADE SOFLUSA SOCIEDADE FLUVIAL DE TRANSPORTES, SA CAPÍTULO I (Denominação, sede, objecto e duração) Artigo 1º A Sociedade é uma Sociedade Comercial Anónima e adopta a firma de SOFLUSA

Leia mais

GLOBALEDA - Telecomunicações e Sistemas de Informação, S.A. ESTATUTOS

GLOBALEDA - Telecomunicações e Sistemas de Informação, S.A. ESTATUTOS GLOBALEDA - Telecomunicações e Sistemas de Informação, S.A. ESTATUTOS (De acordo com as alterações aprovadas pela Assembleia Geral nas reuniões de 13 de março de 2007, de 12 de agosto de 2008, de 14 de

Leia mais

Estatutos Arco Ribeirinho Sul, S. A.

Estatutos Arco Ribeirinho Sul, S. A. Estatutos Arco Ribeirinho Sul, S. A. DIPLOMA / ACTO : Decreto-Lei n.º 219/2009, de 8 de Setembro NÚMERO : 174 SÉRIE I EMISSOR: Ministério do Ambiente, do Ordenamento do Território e do Desenvolvimento

Leia mais

ASSEMBLEIA GERAL DE ACIONISTAS CONVOCATÓRIA

ASSEMBLEIA GERAL DE ACIONISTAS CONVOCATÓRIA ASSEMBLEIA GERAL DE ACIONISTAS CONVOCATÓRIA Nos termos da lei e dos estatutos, são convocados os Senhores Accionistas e os Representantes Comuns dos Obrigacionistas da MOTA ENGIL, SGPS, S.A., Sociedade

Leia mais

INAPA INVESTIMENTOS, PARTICIPAÇÕES E GESTÃO, S.A.

INAPA INVESTIMENTOS, PARTICIPAÇÕES E GESTÃO, S.A. INAPA INVESTIMENTOS, PARTICIPAÇÕES E GESTÃO, S.A. (sociedade aberta) Sede: Rua Braamcamp, n.º 40 9.º D, 1250-050 Lisboa Capital social: 180 135 111,43 Número único de matrícula na Conservatória do Registo

Leia mais

CONVOCATÓRIA ASSEMBLEIA GERAL ANUAL DE ACIONISTAS

CONVOCATÓRIA ASSEMBLEIA GERAL ANUAL DE ACIONISTAS NOS, SGPS, S.A. (Sociedade Aberta) Sede Social: Rua Actor António Silva, número 9 Campo Grande, freguesia do Lumiar, 1600-404 Lisboa Pessoa Coletiva número 504.453.513, matriculada na Conservatória do

Leia mais

CONTRATO DE SOCIEDADE DO BANCO BPI, S.A.

CONTRATO DE SOCIEDADE DO BANCO BPI, S.A. CONTRATO DE SOCIEDADE DO BANCO BPI, S.A. (Versão consolidada com as alterações aprovadas nas reuniões da Assembleia Geral de 23 de Abril de 2008, de 22 de Abril de 2009, de 27 de Abril de 2011 e de 27

Leia mais

ESTATUTOS ACTUALIZADOS PARVALOREM, S.A.

ESTATUTOS ACTUALIZADOS PARVALOREM, S.A. ESTATUTOS ACTUALIZADOS DA PARVALOREM, S.A. CAPÍTULO I Natureza, denominação, duração, sede e objecto social Artigo 1º Natureza, denominação e duração 1. A sociedade tem a natureza de sociedade anónima

Leia mais

ANEXO II Estatutos da MPE-Madeira Parques Empresariais, Sociedade Gestora, S. A. CAPÍTULO I Firma, sede, objeto Artigo 1.º Firma. Artigo 2.

ANEXO II Estatutos da MPE-Madeira Parques Empresariais, Sociedade Gestora, S. A. CAPÍTULO I Firma, sede, objeto Artigo 1.º Firma. Artigo 2. ANEXO II Estatutos da MPE-Madeira Parques Empresariais, Sociedade Gestora, S. A. CAPÍTULO I Firma, sede, objeto Artigo 1.º Firma A sociedade adota a firma MPE-Madeira Parques Empresariais, Sociedade Gestora,

Leia mais

c) a execução de estudos e acções que visem a organização, promoção e valorização da produção agrícola regional e dos serviços de logística. Dois A so

c) a execução de estudos e acções que visem a organização, promoção e valorização da produção agrícola regional e dos serviços de logística. Dois A so ESTATUTOS I - Tipo e Denominação Artigo Primeiro Um. A sociedade é constituída por tempo indeterminado, a partir da presente data, sob a forma de sociedade anónima, adoptando a denominação de MARB - Mercado

Leia mais

Sonae Capital, SGPS, S.A.

Sonae Capital, SGPS, S.A. SONAE CAPITAL, SGPS, S. A. Sede:, Maia Capital social: 250.000.000,00 Matriculada na Conservatória do Registo Comercial da Maia sob o número único de matrícula e identificação fiscal 508276756 Sociedade

Leia mais

Estatutos da Sociedade COSTAPOLIS, Sociedade para o Desenvolvimento do Programa Polis na Costa de Caparica, S. A.

Estatutos da Sociedade COSTAPOLIS, Sociedade para o Desenvolvimento do Programa Polis na Costa de Caparica, S. A. Estatutos da Sociedade COSTAPOLIS, Sociedade para o Desenvolvimento do Programa Polis na Costa de Caparica, S. A. Artigo 1.º Forma e denominação A sociedade adopta a forma de sociedade anónima e a denominação

Leia mais

FUNDGER - SOCIEDADE GESTORA DE FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO, S.A. ESTATUTOS. CAPÍTULO I Denominação, sede, objecto e duração da Sociedade

FUNDGER - SOCIEDADE GESTORA DE FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO, S.A. ESTATUTOS. CAPÍTULO I Denominação, sede, objecto e duração da Sociedade FUNDGER - SOCIEDADE GESTORA DE FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO, S.A. ESTATUTOS CAPÍTULO I Denominação, sede, objecto e duração da Sociedade ARTIGO 1º Natureza, denominação e sede 1- A Sociedade é constituída

Leia mais

ESTATUTOS SIMARSUL - SANEAMENTO DA PENÍNSULA DE SETÚBAL, S.A. CAPÍTULO I Denominação, duração e sede

ESTATUTOS SIMARSUL - SANEAMENTO DA PENÍNSULA DE SETÚBAL, S.A. CAPÍTULO I Denominação, duração e sede ESTATUTOS SIMARSUL - SANEAMENTO DA PENÍNSULA DE SETÚBAL, S.A. CAPÍTULO I Denominação, duração e sede Artigo 1.º Denominação e duração A sociedade adota a denominação de SIMARSUL - Saneamento da Península

Leia mais

CONTRATO DE SOCIEDADE DO BANCO BPI, S.A. Capítulo I. Firma, sede e objecto social. Artigo 1º. Artigo 2º

CONTRATO DE SOCIEDADE DO BANCO BPI, S.A. Capítulo I. Firma, sede e objecto social. Artigo 1º. Artigo 2º CONTRATO DE SOCIEDADE DO BANCO BPI, S.A. Capítulo I Firma, sede e objecto social Artigo 1º A sociedade adopta a firma BANCO BPI, S.A. Artigo 2º 1. A sede social é no Porto, na Rua Tenente Valadim, número

Leia mais

ESTATUTOS GALP ENERGIA, SGPS, S.A.

ESTATUTOS GALP ENERGIA, SGPS, S.A. ESTATUTOS GALP ENERGIA, SGPS, S.A. A crescer com a exploração e produção GALP ENERGIA, SGPS, S.A. CAPÍTULO I Firma, sede, duração e objecto Artigo 1º Firma e Regime 1. A Sociedade adopta a denominação

Leia mais

ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA CONVOCATÓRIA

ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA CONVOCATÓRIA ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA CONVOCATÓRIA Sociedade Comercial Orey Antunes, S.A. (sociedade aberta) Sede: Rua Maria Luísa Holstein, n.º 20, freguesia de Alcântara, concelho de Lisboa Capital Social:

Leia mais

CAPÍTULO I. Firma, sede, duração e objecto. Artigo 1.º. Firma. Artigo 2.º. Sede e Duração

CAPÍTULO I. Firma, sede, duração e objecto. Artigo 1.º. Firma. Artigo 2.º. Sede e Duração CAPÍTULO I Firma, sede, duração e objecto Artigo 1.º Firma A sociedade adopta a denominação social Galp Energia, SGPS, S.A. Artigo 2.º Sede e Duração 1. A sede social é em Lisboa, na Rua Tomás da Fonseca,

Leia mais

Proposta referente ao ponto 2º da Ordem de Trabalhos da Assembleia Geral Extraordinária da "SALVADOR CAETANO - IMVT, SA", de 22 de Dezembro de 2006

Proposta referente ao ponto 2º da Ordem de Trabalhos da Assembleia Geral Extraordinária da SALVADOR CAETANO - IMVT, SA, de 22 de Dezembro de 2006 Proposta referente ao ponto 2º da Ordem de Trabalhos da Assembleia Geral Extraordinária da "SALVADOR CAETANO - IMVT, SA", de 22 de Dezembro de 2006 Nos termos e para os efeitos do ponto dois da Ordem de

Leia mais

CONSEST, Promoção Imobiliária, S.A.

CONSEST, Promoção Imobiliária, S.A. CONSEST, Promoção Imobiliária, S.A. CAPITULO I Denominação, objeto e sede social Artigo 1º Denominação e sede 1. A Sociedade adopta a firma CONSEST Promoção Imobiliária, S.A., e tem sede na Avenida Defensores

Leia mais