RELATÓRIO ANUAL DE INFORMAÇÕES

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RELATÓRIO ANUAL DE INFORMAÇÕES"

Transcrição

1 RESUMO DO RELATÓRIO ANUAL DE INFORMAÇÕES Plano Misto de Benefícios CNPB da SUPRE Fundação de Suplementação Previdenciária CNPJ /

2 NOTA DA DIRETORIA No encerramento de mais um ano contábil, apresentamos os resultados da Fundação, observados o cenário mundial e mais especificamente do Brasil. Além das influências do mercado externo, marcado por regiões em crise, outras em conflitos étnicos e parte em movimentos de recuperação após sucessivos anos sem crescimento, o Brasil mais uma vez conviveu com cenários internos adversos, que refletiram em insegurança e grandes oscilações no mercado. Foi um ano atípico e difícil, marcado por eventos que contribuíram para a instabilidade do cenário econômico brasileiro. Sediamos a Copa do Mundo que foi cercada por muitas expectativas, que se concretizaram em parte com sucesso, observado na sua organização e funcionamento das estruturas de serviços (hospedagem, transportes e segurança), atividades que transcorreram de forma satisfatória, mas que por outro lado, não trouxeram os resultados financeiros esperados, inclusive pela concessão de feriados e redução das atividades nas datas de jogos, com impacto significativo nas atividades econômicas, na indústria e nos serviços, que se refletiram nos resultados finais do ano de Outro fator que interferiu fortemente nos resultados financeiros do ano de 2014 foi a realização da eleição presidencial, marcada por uma polarização muito forte entre os concorrentes, intensificada por um fato inesperado, que foi a morte de um dos candidatos. O movimento foi tão marcante, que provocou durante o transcorrer do ano forte instabilidade nos resultados da Bolsa de Valores, que variavam significativamente ao sabor das pesquisas eleitorais. O mercado reagia explicitamente a cada mudança do cenário. A inflação esteve durante todo o período próxima do teto da meta de 6,50%, fechando o ano em 6,43%. Contribuíram para este resultado as incertezas políticas, os preços de serviços controlados (água, energia, combustíveis e transportes), represados por bastante tempo, e que sofreram forte aumento no final do exercício, o índice elevado de volatilidade, a queda dos valores dos produtos brasileiros no mercado internacional e também os reflexos da operação Lava Jato deflagrada a partir de fevereiro/2014, que impactaram no resultado final do ano. Mesmo diante de tamanha turbulência, a SUPRE obteve a rentabilidade final de 10,19%, atingindo o patamar de 84% da meta atuarial de 12,07% para 2014 (INPC+ 5,5% ao ano), um resultado satisfatório se comparado com as informações apuradas pelo Núcleo Técnico da Abrapp Associação Brasileira das Entidade de Previdência Complementar, que apurou uma rentabilidade média das carteiras das EFPCs de 7,07%, lembrando que a análise destas Entidades, por sua característica, deve levar em conta o horizonte de longo prazo. No consolidado após a instituição do Plano Misto de Benefícios em 2001, permanecemos com resultados financeiros positivos, atingindo 131% da meta atuarial histórica, possibilitando assegurar a continuidade dos benefícios e demonstrando equilíbrio financeiro e atuarial. Entre os fatos relevantes de 2014, destacamos: Fiscalização presencial da PREVIC Superintendência Nacional de Previdência Complementar em março/2014, que efetuou análise do período de 2009 a 2014, além de requerer a comprovação das ações designadas ou recomendadas no relatório da sua última ação fiscal em Entre elas estava a efetivação do ressarcimento dos salários dos dirigentes dos últimos cinco anos em que foram empregados da Patrocinadora, passível de sanção e multa, devido ao entendimento deste Órgão quanto à aplicação da legislação. Baseado em valores determinados em estudo atuarial, no mesmo mês de março foi efetuado o repasse no valor de R$ ,66, quitando desta forma o passivo existente, através da emissão do Termo de Transação e Assunção de Responsabilidade, que prevê o ressarcimento pela Sercomtel para a SUPRE, no caso de êxito na ação coletiva movida pelo SINDAPP contra o Órgão Regulador e Fiscalizador (PREVIC).

3 Eleição direta em 03/07/2014 para escolha pelos Participantes de um membro titular e seu respectivo suplente para o Conselho Fiscal e também para o Conselho Deliberativo, este último responsável pela indicação da Diretoria que representará a SUPRE nos próximos quatro anos. Outro membro efetivo e seu suplente foram indicados pela Patrocinadora, visando a renovação de 50% do quadro de conselheiros da SUPRE, na forma do Estatuto. Posse dos novos Conselheiros e da nova Diretoria da SUPRE em 01/08/2014, com mandato até 31/07/2018. Realização de treinamento sobre a Legislação Previdenciária, apresentado pelo advogado especialista em Previdência Complementar, Dr. Sidnei Aparecido Cardoso, como aperfeiçoamento para os novos membros e reciclagem para os que já estavam no curso de seus mandatos. Participaram os membros do Conselho Deliberativo, Conselho Fiscal, Diretoria Executiva, Comitê de Investimentos e colaboradores da Fundação. Realização do evento comemorativo SUPRE 20 ANOS, marcando o aniversário de criação da Fundação, composto de um talk show com a palestra Dinheiro na mão é vendaval, apresentada pelo ator Leonardo Silva da SIPAT SHOW, e a distribuição de brinde para os Participantes Ativos e Assistidos. Atendimento ao determinado na Resolução CMN nº 3792 de 24/09/2009, do Banco Central do Brasil, com a certificação de todos os membros do Conselho Deliberativo pelo ICSS - Instituto de Certificação dos Profissionais de Seguridade Social, e a renovação da certificação do quadro de colaboradores da SUPRE. Realização de auditoria externa pela Maciel Auditores, contratada pela Patrocinadora, em atendimento à exigência do Artigo 25 da Lei Complementar nº 108/2001, que trata da responsabilidade pela supervisão e fiscalização sistemática das atividades das suas respectivas Entidades de Previdência Complementar. Atendimento a novas exigências do processo de alteração do Regulamento do Plano Misto de Benefícios, que resultou no envio de novo dossiê em 07/11/2014, para análise do órgão regulador e fiscalizador, buscando a aprovação da proposta. Suspensão pela Patrocinadora do aporte das contribuições devidas ao Plano Misto de Benefícios, a partir da competência outubro/2014, após Notificação Extrajudicial recebida da Patrocinadora, reivindicando a compensação destas contribuições com o saldo de Fundos Coletivos do Plano. Conforme comunicado aos Participantes, a PREVIC foi comunicada e as ações cabíveis estão sendo aplicadas na forma da lei. Revisão do ALM, ferramenta para direcionar a alocação dos recursos, considerando a previsão dos pagamentos dos benefícios futuros, buscando garantir a constituição das reservas necessárias e a liquidez ao longo do tempo. Renovação do contrato do plano médico junto à Unimed, que sofreu reajuste acima da inflação, devido ao elevado índice de sinistralidade. A renovação do contrato do plano odontológico firmado com a Uniodonto e do Seguro de Vida em Grupo junto à Zurich ocorreu nos mesmos moldes e sem reajuste. Abaixo, quando resumo com a movimentação dos Participantes e do volume de benefícios pagos. SUPRE EM NÚMEROS: Participantes Ativos Benefícios pagos , ,57 Part. Autopatrocinados (aposentadorias, pensões, pecúlios, auxílios, resgates) Participantes Vinculados Pensões Contribuições para o Plano Misto: Participantes Aposentados Participantes , ,84 Total Participantes Patrocinadoras , ,73 Auxílios-Doença Total , ,57 O Resumo e os relatórios, demonstrações contábeis e financeiras em sua íntegra, bem como os Pareceres do Atuário responsável, do Auditor Independente, dos Conselhos Deliberativo e Fiscal, entre outros, estão disponíveis na página da SUPRE no menu Notícias, ou diretamente na Fundação.

4 Conclusão do PARECER DO ATUÁRIO (*) Conclui-se que o custo do Plano Misto de Benefícios calculado pela CONDE CONSULTORIA resultou em 12,41% dos Salários de Participação, por outro lado a SUPRE arrecada contribuições na proporção de 12,41% sobre o total dos mesmos Salários de Participação. O Patrimônio Líquido do Plano de Benefícios em 31/12/2014 foi de R$ ,65, para fazer frente às Reservas Matemáticas que totalizaram R$ ,66, gerando um Superávit de R$ ,99. A rentabilidade patrimonial do Plano Misto de Benefícios administrado pela SUPRE se posicionou abaixo da meta atuarial, ficando negativa em 2,78%. Conforme estudo de aderência de hipóteses biométricas elaborado, revelou que as tábuas de mortalidade geral, de entrada em Invalidez e de mortalidade de inválidos adotadas nesta avaliação, para o Plano Misto da SUPRE, estão adequadas com a realidade da população. Há de se verificar que a Patrocinadora não repassou as contribuições a SUPRE nos meses de outubro a dezembro de Com base em tais fatos, podemos concluir que o Plano Misto de Benefícios Previdenciário da SUPRE FUNDAÇÃO DE SUPLEMENTAÇÃO PREVIDENCIÁRIA encontra-se em boa situação financeiro-atuarial. Vale salientar que na Avaliação Atuarial de um Plano de Benefícios utiliza-se dos cálculos de probabilidades combinado com a matemática financeira, e tendo em vista que estimamos despesas com os encargos de aposentadorias e pensões, dentro de períodos futuros é comum trabalharmos com hipóteses e premissas atuariais. Assim, os resultados da Avaliação Atuarial são extremamente sensíveis às variações dessas hipóteses e premissas utilizadas nos cálculos e modificações futuras nas experiências observadas como: crescimento salarial, rotatividade, capacidade de benefícios e salarial, mortalidade e invalidez poderão implicar em variações substanciais nos resultados atuariais. CONDE CONSULTORIA ATUARIAL LTDA. (*) Parecer em seu texto completo disponível na página da SUPRE, sendo parte do Encerramento do Exercício 2014 Demonstrativos Contábeis BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO milhares de reais PASSIVO DISPONÍVEL EXIGÍVEL OPERACIONAL Gestão Previdencial REALIZÁVEL Gestão Administrativa Gestão Previdencial Gestão Administrativa Investimentos Créditos Privados e Depósitos PATRIMÔNIO SOCIAL Fundo de Investimentos Patrimônio de Cobertura do Plano Renda Fixa Provisões Matemáticas Ações Benefícios Concedidos Imobiliário - 16 Benefícios a Conceder Investimentos Imobiliários (-) Provisões Matemáticas a Constituir (855) (1.045) Empréstimos Equilíbrio Técnico Resultados Realizados PERMANENTE Superávit Técnico Acumulado Imobilizado FUNDOS Fundos Previdenciais Fundos Administrativos TOTAL DO ATIVO TOTAL DO PASSIVO

5 DEMONSTRAÇÃO DO ATIVO LÍQUIDO POR PLANO DE BENEFÍCIOS milhares de reais DESCRIÇÃO Variação (%) 1. Ativos ,72 Disponível (21,74) Recebível (54,32) Investimento ,80 Créditos Privados e Depósitos (6,67) Fundo de Investimentos ,86 Renda Fixa ,19 Ações (4,98) Imobiliários - 16 (100,00) Investimentos Imobiliários (1,69) Empréstimos ,82 2. Obrigações ,14 Operacional ,14 3. Fundos não Previdenciais (54,53) Fundos Administrativos (54,53) 4. Ativo Líquido (1-2-3) ,71 Provisões Matemáticas ,23 Superávit/Déficit Técnico (24,68) Fundos Previdenciais ,26 DEMONSTRAÇÃO DA MUTAÇÃO DO ATIVO LÍQUIDO milhares de reais DESCRIÇÃO Variação (%) A) Ativo Líquido - início do exercício ,66 1. Adições ,98 (+) Contribuições (22,19) (+) Resultado Positivo dos Investimentos - Gestão Previdencial ,53 2. Destinações (11.060) (12.083) (8,47) (-) Benefícios (8.038) (7.468) 7,63 (-) Resultado Negativo dos Investimentos - Gestão Previdencial (2.642) (4.132) (36,06) (-) Custeio Administrativo (380) (483) (21,33) 3. Acréscimo/Decréscimo no Ativo Líquido (1+2) ,12 (+/-) Provisões Matemáticas (46,09) (+/-) Fundos Previdenciais 919 (2.746) (133,47) (+/-) Superávit (Déficit) Técnico do Exercício (967) (13.025) (92,58) B) Ativo Líquido - final do exercício (A+3) ,71 C) Fundos não previdenciais (54,53) (+) Fundos Administrativos (54,53)

6 DEMONSTRAÇÃO DAS PROVISÕES TÉCNICAS DO PLANO DE BENEFÍCIOS milhares de reais DESCRIÇÃO Variação (%) Provisões Técnicas ( ) ,75 1. Provisões Matemáticas , Benefícios Concedidos ,91 Benefício Definido , Benefício a Conceder ,05 Contrituição Definida ,43 Saldo de contas - parcela patrocinador(es)/instituidor(es) ,87 Saldo de contas - parcela participantes Benefício Definido ,29 Benefício Definido (6,25) 1.3 (-) Provisões matemáticas a constituir (855) (1.045) (18,18) (-) Serviço Passado (855) (1.045) (18,18) (-) Patrocinador(es) (855) (1.045) (18,18) 2. Equilíbrio Técnico (24,68) 2.1. Resultados Realizados (24,68) Superávit Técnico Acumulado (24,68) Reserva de Contingência (24,68) 3. Fundos , Fundos Previdenciais ,26 4. Exigível Operacional , Gestão Previdencial ,14 Investimentos Os investimentos dos recursos confiados à SUPRE, com vistas a promover a segurança, liquidez e rentabilidade necessárias para assegurar o equilíbrio entre ativos e passivos do plano, são regidos por princípios e diretrizes fundamentados a partir da Resolução CMN nº 3792, de 24/09/2009 e constam da Política de Investimentos da Fundação. Apesar de vislumbrar um horizonte de cinco anos em seu planejamento, a Política de Investimentos é anualmente revisada, contando com a assessoria de uma experiente empresa de consultoria financeira, que continua o seu trabalho realizando o acompanhamento dos riscos e dos mandatos dos gestores ao longo do ano. A referida Política de Investimentos, além de aprovada pelo Conselho Deliberativo em cada revisão, conta com o acompanhamento e definição de diretrizes dos membros do Comitê de Investimentos da SUPRE, composto por representantes da Diretoria Executiva, da área de Investimentos da Entidade, representantes dos Participantes Ativos e dos Assistidos, bem como do acompanhamento do Custodiante. Gestão Terceirizada dos Recursos: BRAM - Bradesco Asset Management e Sulamérica Investimentos Custodiante: Banco Bradesco S.A. Empresa Responsável pela Auditoria Independente: BEZ & Associados Auditores Independentes S/S Administrador Estatutário Tecnicamente Qualificado - AETQ: Patrícia Delgado Calil dos Santos - Diretora Administrativo-Financeira.

7 Política de Investimentos 2014 PLANO MISTO Limite MÍNIMO POLÍTICA Limite MÁXIMO POLÍTICA LIMITE LEGAL Renda Fixa 68,70% 90,78% 100,00% Quotas de Fundos de Investimentos Debêntures Conversíveis Debêntures não conversíveis Renda Variável 9,22% 13,84% 70,00% Quotas de Fundos de Ações Investimentos Estrutrados 0,00% 1,20% 20,00% Fundo Imobiliário Nova Morada Investimentos no Exterior 0,00% 1,00% 10,00% Investimentos Imobiliários 0,24% 1,00% 8,00% Imóveis Operações com Participantes 0,00% 9,00% 15,00% Empréstimos 100% 90% 80% 70% 60% 50% 40% 30% 20% 10% Limite Máximo POLÍTICA 2014 Alocação Ativos 2014 PGA - Renda Fixa 0,00% 100,00% 100,00% ASSISTENCIAL - Renda Fixa 0,00% 100,00% 100,00% 0% Renda Fixa Invest. Estrutrados Invest. Imobiliários % Em relação aos Investimentos Administração TERCEIRIZADA Administração PRÓPRIA TOTAL - Posição 2014 Recursos Garantidores por Segmento: Valor em R$ % Valor em R$ % Valor em R$ % ,22 T O T A L G E R A L , , ,42 100,82% Total PLANO MISTO de Benefícios ,12 100,00% ,75 100,00% ,87 100,00% 100,00% Renda Fixa ,89 91,08% - 0,00% ,89 89,91% 89,91% SUPRE I - Gestor: Sulamérica ,77 52,25% ,77 51,58% SUPRE II - Gestor: Bradesco ,12 38,81% ,12 38,30% Debêntures Conversíveis ,00 0,02% ,00 0,02% Outros - - 0,00% Renda Variável ,23 8,92% ,23 8,81% 8,81% Itau RPI Ações ,97 4,11% ,97 4,06% Sulamérica Expertise ,82 3,80% ,82 3,74% HSBC - FIC FIA IBOV Regimes Prev ,26 0,51% ,26 0,51% Sulamérica Expertise II ,18 0,50% ,18 0,49% Investimentos Estruturados (*) - 0,00% ,00% 0,00% Investimentos Imobiliários ,32 19,37% ,32 0,25% 0,25% Empréstimos a Participantes ,43 80,63% ,43 1,03% 1,03% Total PGA - Renda Fixa ,11 100,00% ,11 100,00% 0,73% Total ASSISTENCIAL - Renda Fixa ,44 100,00% ,44 100,00% 0,11% (*)Fundo de Investimento Imobiliário Nova Morada liquidado em dezembro/2014

8 Comparativo de Rentabilidade por Segmento PLANO PREVIDENCIÁRIO % Alocação por Segmento Rentabilidade BENCHMARK Renda Fixa 89,91% 12,51% INPC + 5,5% 12,07% Renda Variável 8,81% -10,42% IBrX + 6% 3,05% Investimentos Estruturados 0,00% -18,76% INPC + 5,5% 12,07% Investimentos no Exterior 0,00% 0,00% INPC + 5,5% 12,07% Imóveis 0,25% 5,29% INPC + 5,5% 12,07% Empréstimos a Participantes 1,03% 19,31% INPC + 5,5% 12,07% RENTABILIDADE TOTAL 100,00% 10,19% RENTABILIDADE COTA TOTAL 10,05% Meta Atuarial INPC + 5,5% 12,07% GESTÃO ADMINISTRATIVA % Alocação Rentabilidade BENCHMARK Renda Fixa - RENTAB. TOTAL 100,00% 9,79% C D I 10,80% GESTÃO ASSISTENCIAL % Alocação Rentabilidade BENCHMARK Renda Fixa - RENTAB. TOTAL 100,00% 10,62% C D I 10,80% DESPESAS DOS FUNDOS 2014 JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ACUMULADO Taxa Administração Taxa de Performance Taxa de Custódia Desp. com Auditoria (2.880) Desp. com Corretagem Desp. CBLC Taxa Andima Taxa Cetip Taxa CVM Taxa de Permanência Taxa Registro Taxa Selic Outras TOTAL DESPESAS ADMINISTRATIVAS 2014 JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ACUMULADO Auditoria e Consultoria Atuário Adm. Carteira Investimentos Acomp. Gestão de Risco Assessoria Jurídica Software Viagens e Estadias Passagens Aluguel sala Taxa Fiscalização PREVIC Pis e Cofins Cursos, Congr. e Seminários Entidade de Classe (Abrapp) Remun. Dirigentes e Encargos Pessoal e Encargos Serviços Públicos Depreciações Materiais (limpeza, expediente) Condomínio Outras ** TOTAL ** Outras: Reavaliação de Imóveis,;Administração dos Imóveis (Ag. Fiduciário); Reprografia e Encadernações; Limpeza e Cons. Prédios -(limpeza da sala); Conserv. Manutenção Equips. Escritório; Assinatura Jornais, Revistas e Periódicos; Seguros; Reembolso de Quilometragem; Outros Impostos, Taxas e Contribuições; Publicidade Institucional; Almoços e Confraternizações; Estacionamento;

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: ELETRA

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: ELETRA DA transmitida à Previc em 27/03/2013 às 11:08:58 Número do protocolo: 005549 INFORMAÇÕES CADASTRAIS ENTIDADE Código: 0134-5 CNPJ: 02.884.385/0001-22 Sigla: ELETRA Razão Social: ELETRA FUNDACAO CELG DE

Leia mais

Fundação Previdenciária IBM. Resumo Relatório Anual 2013 PLANO DE BENEFÍCIOS DA IBM BRASIL. 1 Relatório Anual - IBM

Fundação Previdenciária IBM. Resumo Relatório Anual 2013 PLANO DE BENEFÍCIOS DA IBM BRASIL. 1 Relatório Anual - IBM Fundação Previdenciária IBM Resumo Relatório Anual 2013 PLANO DE BENEFÍCIOS DA IBM BRASIL 1 VIVER O PRESENTE, DE OLHO NO FUTURO Caro participante, Muitos dizem que é melhor viver intensamente o presente

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: ELETRA

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: ELETRA DA transmitida à Previc em 27/03/2013 às 11:10:46 Número do protocolo: 005262 INFORMAÇÕES CADASTRAIS ENTIDADE Código: 0134-5 CNPJ: 02.884.385/0001-22 Sigla: ELETRA Razão Social: ELETRA FUNDACAO CELG DE

Leia mais

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Maio/2013

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Maio/2013 1 ATIVO 110.659.714,85 D 11.382.915,50 12.144.413,81 109.898.216,54 D 1.1 DISPONÍVEL 676.336,92 D 5.039.632,26 5.650.035,90 65.933,28 D 1.1.1 IMEDIATO 676.336,92 D 5.039.632,26 5.650.035,90 65.933,28 D

Leia mais

Regius - Plano de Benefícios 03 1

Regius - Plano de Benefícios 03 1 Regius - Plano de Benefícios 03 1 Parecer Atuarial Avaliamos atuarialmente o Plano de Benefícios 03 da Regius Sociedade Civil de Previdência Privada em 31/12/2010, com o objetivo de identificar sua situação

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Telest Celular

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Telest Celular Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios Visão Telest Celular Exercício: 2013 e 2012 dezembro R$ Mil Descrição 2013 2012 Variação (%) Relatório Anual 2013 Visão Prev 1. Ativos Recebível Investimento

Leia mais

Cafbep - Plano Prev-Renda 1

Cafbep - Plano Prev-Renda 1 Cafbep - Plano Prev-Renda 1 Parecer Atuarial Para fins da avaliação atuarial referente ao exercício de 2013 do Plano Prev-Renda da Cafbep Caixa de Previdência e Assistência aos Funcionários do Banco do

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [00.469.585/0001-93] FACEB - FUNDACAO DE PREVIDENCIA DOS EMPREGADOS DA CEB PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2006.0068-11] CEBPREV ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2013 Atuário

Leia mais

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Maio/2012

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Maio/2012 1 ATIVO 103.099.161,56 D 21.051.568,01 20.800.568,57 103.350.161,00 D 1.1 DISPONÍVEL 170.618,82 D 10.279.904,19 10.329.287,48 121.235,53 D 1.1.1 IMEDIATO 170.618,82 D 10.279.904,19 10.329.287,48 121.235,53

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [49.323.025/0001-15] SUPREV-FUNDACAO MULTIPATROCINADA DE SUPLEMENTACAO PREV PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [1985.0012-92] PB USIBA ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2014 Atuário

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - PBS Telesp Celular Exercício: 2013 e 2012 - dezembro - R$ Mil

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - PBS Telesp Celular Exercício: 2013 e 2012 - dezembro - R$ Mil Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios PBS Telesp Celular Exercício: 203 e 202 dezembro R$ Mil Descrição 203 202 Variação (%) Relatório Anual 203 Visão Prev. Ativos Disponível Recebível

Leia mais

Parecer Atuarial. Cadastro. Características do Plano. Hipóteses Atuariais

Parecer Atuarial. Cadastro. Características do Plano. Hipóteses Atuariais Parecer Atuarial Avaliamos atuarialmente o Plano PREV-RENDA da CAFBEP Caixa de Previdência e Assistência aos Funcionários do Banco do Estado do Pará, patrocinado pelo BANPARÁ com o objetivo de identificar

Leia mais

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Fevereiro/2013

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Fevereiro/2013 1 ATIVO 115.678.223,34 D 40.374.433,45 40.033.273,64 116.019.383,15 D 1.1 DISPONÍVEL 101.250,59 D 19.093.776,18 19.079.771,98 115.254,79 D 1.1.1 IMEDIATO 101.250,59 D 19.093.776,18 19.079.771,98 115.254,79

Leia mais

Balancete Contábil Julho de 2014

Balancete Contábil Julho de 2014 Balancete Contábil Julho de 2014 CNPJ 06.025.140/0001-09 Balancete Consolidado de 31 de Julho de 2014 ATIVO PASSIVO DISPONÍVEL 78 EXIGÍVEL OPERACIONAL 701 Caixa - Gestão Previdencial 442 Bancos c/movimento

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [49.323.025/0001-15] SUPREV-FUNDACAO MULTIPATROCINADA DE SUPLEMENTACAO PREV PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [1990.0016-29] PLANO DE BENEFÍCIOS BD ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2014

Leia mais

ANEXO A PLANIFICAÇÃO CONTÁBIL PADRÃO

ANEXO A PLANIFICAÇÃO CONTÁBIL PADRÃO Plano de Contas Padrão, contendo alterações pela Instrução SPC nº 34/2009 ANEXO A PLANIFICAÇÃO CONTÁBIL PADRÃO I CARACTERÍSTICAS 1. O plano de contas é formado por codificação alfanumérica. 2. A parte

Leia mais

Balancete Contábil Outubro de 2013

Balancete Contábil Outubro de 2013 Balancete Contábil Outubro de 2013 CNPJ 06.025.140/0001-09 Balancete Consolidado de 31 de outubro de 2013 ATIVO PASSIVO DISPONÍVEL 54 EXIGÍVEL OPERACIONAL 423 Caixa - Gestão Previdencial 185 Bancos c/movimento

Leia mais

Resolução CNPC Nº. 8 de 31 de outubro de 2011. (Publicado no D.O.U. Nº 241, de 16 de dezembro de 2011, seção I)

Resolução CNPC Nº. 8 de 31 de outubro de 2011. (Publicado no D.O.U. Nº 241, de 16 de dezembro de 2011, seção I) Resolução CNPC Nº. 8 de 31 de outubro de 2011. (Publicado no D.O.U. Nº 241, de 16 de dezembro de 2011, seção I) Dispõe sobre os procedimentos contábeis das entidades fechadas de previdência complementar,

Leia mais

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Julho/2015

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Julho/2015 1 ATIVO 136.818.275,38 D 11.173.181,50 9.398.611,67 138.592.845,21 D 1.1 DISPONÍVEL 196.857,29 D 4.296.773,25 4.309.777,52 183.853,02 D 1.1.1 IMEDIATO 196.857,29 D 4.296.773,25 4.309.777,52 183.853,02

Leia mais

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Junho/2015

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Junho/2015 1 ATIVO 135.948.021,65 D 7.972.075,13 7.101.821,40 136.818.275,38 D 1.1 DISPONÍVEL 112.965,02 D 3.486.006,70 3.402.114,43 196.857,29 D 1.1.1 IMEDIATO 112.965,02 D 3.486.006,70 3.402.114,43 196.857,29 D

Leia mais

Relatório Anual 2014 VERSÃO RESUMIDA

Relatório Anual 2014 VERSÃO RESUMIDA Relatório Anual 2014 VERSÃO RESUMIDA O Fundo de Pensão Multinstituído da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia - SBOTPREV apresenta o relatório das principais atividades da Entidade durante

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [08.071.645/0001-27] CIASPREV - CENTRO DE INTEGRACAO E ASSISTENCIA AOS SERVIDORES PUBLICOS PREVIDENCIA PRIVADA PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2005.0049-11] PREVINA ENCERRAMENTO

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Vivo Prev

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Vivo Prev Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios Vivo Prev Exercício: 2013 e 2012 dezembro R$ Mil Descrição 2013 2012 Variação (%) Relatório Anual 2013 Visão Prev 1. Ativos Disponível Recebível Investimento

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [10.530.382/0001-19] FUNDO DE PREVIDENCIA COMPLEMENTAR DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE PERNAMBUCO-ALEPEPREV PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2008.0048-56] ALEPEPREV ENCERRAMENTO

Leia mais

Balancete Contábil Dezembro de 2012

Balancete Contábil Dezembro de 2012 Balancete Contábil Dezembro de 2012 CAGEPREV - FUNDAÇÃO CAGECE DE PREVIDENCIA COMPLEMENTAR DISPONIVEL 7.619 EXIGIVEL OPERACIONAL 315.366 Caixa 97 Gestão Previdencial 116.641 Banco c/movimento 7.523 Gestão

Leia mais

MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL Conselho de Gestão da Previdência Complementar RESOLUÇÃO CGPC Nº. 28, DE 26 DE JANEIRO DE 2009.

MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL Conselho de Gestão da Previdência Complementar RESOLUÇÃO CGPC Nº. 28, DE 26 DE JANEIRO DE 2009. (DOU nº. 27, de 09 de fevereiro de 2009, Seção 1, páginas 44 a 49) MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL Conselho de Gestão da Previdência Complementar RESOLUÇÃO CGPC Nº. 28, DE 26 DE JANEIRO DE 2009. Dispõe

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Multi

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Multi Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios Visão Multi Exercício: 013 e 01 dezembro R$ Mil Descrição 013 01 Variação (%) Relatório Anual 013 Visão Prev 1. Ativos Recebível Investimento Ações

Leia mais

NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE NBC TE ENTIDADE FECHADA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR

NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE NBC TE ENTIDADE FECHADA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE NBC TE ENTIDADE FECHADA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DISPOSIÇÕES GERAIS 1. Esta norma estabelece critérios e procedimentos específicos para estruturação das demonstrações

Leia mais

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Junho/2010

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Junho/2010 1 ATIVO 72.608.824,13 D 30.147.120,69 29.842.629,99 72.913.314,83D 1.1 DISPONÍVEL 190.258,33 D 1.771.877,67 1.812.144,85 149.991,15D 1.1.1 IMEDIATO 190.258,33 D 1.771.877,67 1.812.144,85 149.991,15D 1.1.1.2

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [02.884.385/0001-22] ELETRA FUNDACAO CELG DE SEGUROS E PREVIDENCIA PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2000.0069-65] PLANO CELGPREV ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2011 Atuário Responsável

Leia mais

Demonstrações Financeiras. SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA (Em milhares) Exercícios findos em 31 de dezembro de 2002 e 2001

Demonstrações Financeiras. SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA (Em milhares) Exercícios findos em 31 de dezembro de 2002 e 2001 Demonstrações Financeiras SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA Exercícios findos em 31 de dezembro de 2002 e 2001 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Índice Balanço Patrimonial... Quadro 1 Demonstração do

Leia mais

Rio de Janeiro, 14 de fevereiro de 2014.

Rio de Janeiro, 14 de fevereiro de 2014. Rio de Janeiro, 14 de fevereiro de 2014. STEA:- 80/2014/153 Ilma. Sra. Dra. Jussara Carvalho Salustino M.D. Diretora Presidente da ECOS Ref:- Parecer Atuarial sobre o Balanço de 31/12/2013 Plano BD Prezada

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [01.541.775/0001-37] HP PREV SOCIEDADE PREVIDENCIARIA PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [1996.0026-19] PLANO HP PREV ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2014 Atuário Responsável MIRIA

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [07.083.033/0001-91] CABEC-CAIXA DE PREVIDENCIA PRIVADA DO BEC PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [1979.0019-11] BD ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2011 Atuário Responsável VICENTE

Leia mais

Plano de Benefícios EDP Renováveis

Plano de Benefícios EDP Renováveis Plano de Benefícios EDP Renováveis ENERPREV - RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES -04 ENERPREV - RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES -04 ENERPREV - RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES -04 Demonstração do ativo líquido -

Leia mais

Principais Destaques

Principais Destaques Aumento do Patrimônio Atingimento da Meta Atuarial Principais Destaques 1. Perfil Institucional A Fundação CAGECE de Previdência Complementar CAGEPREV, criada através da Lei Estadual nº 13.313, de 30 de

Leia mais

JESSÉ MONTELLO Serviços Técnicos em Atuária e Economia Ltda.

JESSÉ MONTELLO Serviços Técnicos em Atuária e Economia Ltda. PARECER ATUARIAL V.1- Custos para o exercício seguinte em relação ao anterior: 1) A aplicação da metodologia de cálculo atuarial estabelecida para o plano de benefícios da FUNCASAL, utilizando as hipóteses

Leia mais

demonstração da Mutação do ativo Líquido

demonstração da Mutação do ativo Líquido Período: dezembro de 2010 R$ mil demonstração da Mutação do ativo Líquido Visão ATelecom Descrição 2010 A) Ativo Líquido - Início do Exercício 2.207 1. Adições 4.979 (+) Contribuições 4.727 (+) Resultado

Leia mais

Plano de Benefícios Investco

Plano de Benefícios Investco Plano de Benefícios Investco ENERPREV - RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES -2 ENERPREV - RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES -2 ENERPREV - RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES -2 Demonstração do ativo líquido - Plano de

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [01.225.861/0001-30] REGIUS SOCIEDADE CIVIL DE PREVIDENCIA PRIVADA PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2012.0017-18] PB CD-02 ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2014 Atuário Responsável

Leia mais

RELATÓRIO DE CONTROLES INTERNOS DO CONSELHO FISCAL

RELATÓRIO DE CONTROLES INTERNOS DO CONSELHO FISCAL RELATÓRIO DE CONTROLES INTERNOS DO CONSELHO FISCAL Artigo 19, da Resolução do CGPC nº 13/04. CAPOF Caixa de Assistência e Aposentadoria dos Funcionários do Banco do Estado do Maranhão. 1º SEMESTRE DE 2011

Leia mais

Renda Vitalícia por Aposentadoria por SRB - INSS Benefício Definido Capitalização Crédito Unitário Projetado Invalidez (1)

Renda Vitalícia por Aposentadoria por SRB - INSS Benefício Definido Capitalização Crédito Unitário Projetado Invalidez (1) PARECER ATUARIAL PLANO DE BENEFÍCIOS REB 1998 AVALIAÇÃO ANUAL 2005 Fl. 1/6 ENTIDADE SIGLA: FUNCEF 1 CÓDIGO: 01523 2 RAZÃO SOCIAL: FUNCEF-FUNDAÇÃO DOS ECONOMIÁRIOS FEDERAIS 18 3 PLANO NOME DO PLANO: REB

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 3 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO DE EMPREGADOS 11- FOLHA SALÁRIO DA PATROCINADORA

Leia mais

Relatório anual do Plano de Benefícios Multifuturo I

Relatório anual do Plano de Benefícios Multifuturo I Relatório anual do Plano de Benefícios Multifuturo I Pareceres PARECER ATUARIAL DA AVALIAÇÃO REALIZADA EM 31/12/2009 Considerações iniciais O presente parecer tem por objetivo apresentar nossas considerações

Leia mais

2004 78 52.164 4.897 13 47.254 38.474 7.531 1.249 28 28 52.270 48 7 41 68.125. Receitas. Despesas 75.017 19.369 26.261) 15.903) 16.

2004 78 52.164 4.897 13 47.254 38.474 7.531 1.249 28 28 52.270 48 7 41 68.125. Receitas. Despesas 75.017 19.369 26.261) 15.903) 16. 7,7% 7,% 6,17% 31 DE DEZEMBRO DE ATIVO DISPONÍVEL REALIZÁVEL Operações com Participantes PERMANENTE Imobilizado TOTAL DO ATIVO PASSIVO EXIGÍVEL OPERACIONAL EXIGÍVEL ATUARIAL PROVISÕES MATEMÁTICAS Benefícios

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 3 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO DE EMPREGADOS 11- FOLHA SALÁRIO DA PATROCINADORA

Leia mais

Balancete Contábil Janeiro de 2015

Balancete Contábil Janeiro de 2015 Balancete Contábil Janeiro de 2015 CNPJ: 06.025.140/0001-09 Balancete Consolidado de 31 de Janeiro de 2015 ATIVO PASSIVO DISPONÍVEL 809 EXIGÍVEL OPERACIONAL 1.574 Caixa - Gestão Previdencial 1.263 Bancos

Leia mais

Sumário. Planos instituídos. Plano Aduanaprev. Parecer Atuarial... 85. Parecer Atuarial... 46. Balanço do plano... 59. Balanço do plano...

Sumário. Planos instituídos. Plano Aduanaprev. Parecer Atuarial... 85. Parecer Atuarial... 46. Balanço do plano... 59. Balanço do plano... Sumário Planos instituídos Plano Aduanaprev Parecer Atuarial... 02 Balanço do plano... 07 Demonstrativo de investimentos... 08 Plano ANAPARPREV Parecer Atuarial... 10 Balanço do plano... 12 Demonstrativo

Leia mais

Prestação de Contas Libertas - 2014

Prestação de Contas Libertas - 2014 Prestação de Contas Libertas - 2014 participantes aposentados pensionistas patrocinadoras Na Libertas, é assim. Sumário - Prestação de Contas 2014 Relatório Anual de Informações - RAI 2014 Documentação

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 1 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO 20.050.042-11 - PLANO PREVER DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO DE EMPREGADOS

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [01.182.491/0001-00] OABPREV-RS - FUNDO DE PENSAO MULTIPATROCINADO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL, SECCIONAL DO RIO GRANDE DO SUL [2006.0013-29]

Leia mais

ÍNDICE. Introdução. 1. Demonstração Patrimonial e de Resultados. 2. Política de Investimentos 2010. 3. Distribuição de Investimentos

ÍNDICE. Introdução. 1. Demonstração Patrimonial e de Resultados. 2. Política de Investimentos 2010. 3. Distribuição de Investimentos Relatório Anual 2009 ÍNDICE Introdução 1. Demonstração Patrimonial e de Resultados 2. Política de Investimentos 2010 3. Distribuição de Investimentos 4. Parecer Atuarial 5. Parecer dos Auditores Independentes

Leia mais

Paulo Teixeira Brandão - Conselheiro Deliberativo da Petros Eleito pelos Participantes

Paulo Teixeira Brandão - Conselheiro Deliberativo da Petros Eleito pelos Participantes NOSSA LUTA CONTINUA Paulo Teixeira Brandão - Conselheiro Deliberativo da Petros Eleito pelos Participantes Prezados participantes da PETROS. Em anexo o arquivo contendo a apresentação abaixo reproduzida,

Leia mais

PARECER ATUARIAL Exercício de 2014. INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social PLANO SALDADO INERGUS (PSI) Março de 2015

PARECER ATUARIAL Exercício de 2014. INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social PLANO SALDADO INERGUS (PSI) Março de 2015 PARECER ATUARIAL Exercício de 2014 INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social PLANO SALDADO INERGUS (PSI) Março de 2015 1 PARECER ATUARIAL Avaliamos atuarialmente o Plano de Benefícios Previdenciários

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL RESUMO

RELATÓRIO ANUAL RESUMO RELATÓRIO ANUAL RESUMO 2014 ÍNDICE Despesas Previdenciais e de Investimentos...3 Rentabilidade dos Perfi s de Investimento...3 Investimentos...3 Número de Participantes...4 Resumo do Resultado Atuarial...4

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [05.054.648/0001-64] CX DE PREV E ASSIS AOS FUNC DO B EST DO PARA SA CAFBEP PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2002.0009-56] PREV-RENDA ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2014 Atuário

Leia mais

Sumário. Planos de Contribuição Variável

Sumário. Planos de Contribuição Variável Planos de Contribuição Variável Sumário Plano Sanasa Parecer atuarial sobre o balanço...2 Demonstrações patrimonial e de resultados de plano de benefícios de natureza previdencial...7 Demonstrativo de

Leia mais

Demonstrativo de Investimentos

Demonstrativo de Investimentos Demonstrativo de Investimentos 2º Trimestre de 2013 Este relatório é de uso exclusivo dos órgãos de administração (Diretoria, Conselho Deliberativo e Conselho Fiscal) da SIAS. Diretoria Administrativa

Leia mais

RENDA FIXA CDB FUNDOS

RENDA FIXA CDB FUNDOS Este relatório tem como objetivo atender a Instrução SPC nº de 2005, e informar aos Participantes, Assistidos, Patrocinadores, Entidades de Classe e a Secretaria de Previdência Complementar ( SPC ) sobre

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 1- SIGLA: FUSESC 2- CÓDIGO: 00552 3- RAZÃO SOCIAL: FUNDACAO CODESC DE SEGURIDADE SOCIAL 4- NÚMERO DE PLANOS: 3

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 1- SIGLA: FUSESC 2- CÓDIGO: 00552 3- RAZÃO SOCIAL: FUNDACAO CODESC DE SEGURIDADE SOCIAL 4- NÚMERO DE PLANOS: 3 FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 3 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO 20.020.006-38 - PLANO DE BENEFÍCIOS MULTIFUTURO I 12- OBSERVAÇÕES: ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO

Leia mais

POUPREV FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL RESUMO DO RELATÓRIO ANUAL DE INFORMAÇÕES DE 2014

POUPREV FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL RESUMO DO RELATÓRIO ANUAL DE INFORMAÇÕES DE 2014 POUPREV FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL RESUMO DO RELATÓRIO ANUAL DE INFORMAÇÕES DE 2014 O presente resumo do Relatório Anual de Informações de 2014 trata das atividades desenvolvidas pela POUPREV, no referido

Leia mais

PARECER ATUARIAL Exercício de 2014. INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social. Plano de Origem - BD. Março de 2015

PARECER ATUARIAL Exercício de 2014. INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social. Plano de Origem - BD. Março de 2015 PARECER ATUARIAL Exercício de 2014 INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social Plano de Origem - BD Março de 2015 1 PARECER ATUARIAL Avaliamos atuarialmente o Plano de Benefícios Previdenciários do

Leia mais

Posição e Desempenho da Carteira - Resumo HSBC INSTITUIDOR FUNDO MULTIPLO - CONSERVADORA FIX

Posição e Desempenho da Carteira - Resumo HSBC INSTITUIDOR FUNDO MULTIPLO - CONSERVADORA FIX BENCHMARK 100.00%CDI Relatório Gerencial Consolidado - Período de 01/04/2015 Posição e Desempenho da Carteira - Resumo a 30/04/2015 pg. 1 Posição Sintética dos Ativos em 30/04/2015 Financeiro % PL FUNDOS

Leia mais

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, A Resolução CFC n.º 1.329/11 alterou a sigla e a numeração desta Norma de NBC TE 11 para ITG 2001 e de outras normas citadas: de NBC T 19.27 para NBC TG 26; de NBC T 1 para NBC TG ESTRUTURA CONCEITUAL.

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 2 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO DE EMPREGADOS 11- FOLHA SALÁRIO DA PATROCINADORA

Leia mais

PARECER ATUARIAL Exercício de 2014. INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social

PARECER ATUARIAL Exercício de 2014. INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social PARECER ATUARIAL Exercício de 2014 INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social Plano de Benefícios PCD INERGUS Março de 2015 1 PARECER ATUARIAL Avaliamos atuarialmente o Plano de Benefícios PCD INERGUS

Leia mais

Plano de Benefícios 1 Plano de Benefícios PREVI Futuro Carteira de Pecúlios CAPEC

Plano de Benefícios 1 Plano de Benefícios PREVI Futuro Carteira de Pecúlios CAPEC Relatório PREVI 2013 Parecer Atuarial 2013 74 Plano de Benefícios 1 Plano de Benefícios PREVI Futuro Carteira de Pecúlios CAPEC 1 OBJETIVO 1.1 O presente Parecer Atuarial tem por objetivo informar sobre

Leia mais

Posição e Desempenho da Carteira - Resumo HSBC INSTITUIDOR FUNDO MULTIPLO - MODERADA MIX 20

Posição e Desempenho da Carteira - Resumo HSBC INSTITUIDOR FUNDO MULTIPLO - MODERADA MIX 20 BENCHMARK RF:80.00% ( 100.00%CDI ) + RV:20.00% ( 100.00%IBRX 100 ) Relatório Gerencial Consolidado - Período de 01/04/2015 Posição e Desempenho da Carteira - Resumo a 30/04/2015 pg. 1 Posição Sintética

Leia mais

Resumo do Relatório Anual Exercício 2014. Plano C. PSS - Seguridade Social

Resumo do Relatório Anual Exercício 2014. Plano C. PSS - Seguridade Social Resumo do Relatório Anual Exercício 2014 Plano C PSS Seguridade Social Apresentação Este relatório resumo foi elaborado conforme a Instrução Normativa número 13 de 2014 da Superintendência Nacional de

Leia mais

Retorno dos Investimentos 1º semestre 2011

Retorno dos Investimentos 1º semestre 2011 Retorno dos Investimentos 1º semestre 2011 Cesar Soares Barbosa Diretor de Previdência É responsável também pela gestão dos recursos garantidores dos planos de benefícios administrados pela Sabesprev,

Leia mais

Rendimentos líquidos mensais (R$) Alíquota Deduzir Prazo de acumulação dos recursos Alíquota. 35% Até 1.566,61. 30% De 1.566,62 até 2.

Rendimentos líquidos mensais (R$) Alíquota Deduzir Prazo de acumulação dos recursos Alíquota. 35% Até 1.566,61. 30% De 1.566,62 até 2. 2010 1 Introdução A Resolução CGPC n 23, de 06 de dezembro de 2006, estabeleceu procedimentos básicos para divulgação de informações aos Participantes. Em conformidade com esta resolução, apresentamos

Leia mais

DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES ALEGRE. Porto Alegre, novembro de 2010

DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES ALEGRE. Porto Alegre, novembro de 2010 DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE PORTO ALEGRE Porto Alegre, novembro de 2010 REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL Os servidores públicos ocupantes de cargo

Leia mais

PARECER MENSAL - 4/2015 14/05/2015. Regime Próprio de Previdência Social do município de Sorriso - MT PREVISO

PARECER MENSAL - 4/2015 14/05/2015. Regime Próprio de Previdência Social do município de Sorriso - MT PREVISO PARECER MENSAL - 4/2015 14/05/2015 Regime Próprio de Previdência Social do município de Sorriso - MT PREVISO Prezado(a) Diretor(a) Executivo(a), Sr(a). Adélio Dalmolin; Atendendo a necessidade do Instituto

Leia mais

Brasília, 27.08.2015

Brasília, 27.08.2015 Brasília, 27.08.2015 1/23 FUNDAÇÃO DOS ECONOMIÁRIOS FEDERAIS Fundo de Pensão instituído em 1º.08.1977 Investidor de longo prazo Patrocinadores: a CAIXA ECONÔMICA FEDERAL e a própria FUNCEF Planos administrados:

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [83.564.443/0001-32] FUNDACAO CODESC DE SEGURIDADE SOCIAL PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2002.0046-92] MULTIFUTURO II ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2013 Atuário Responsável

Leia mais

Relatório Anual 2013. Plano Básico BD. (Plano Básico Anterior) Modalidade Benefício Definido

Relatório Anual 2013. Plano Básico BD. (Plano Básico Anterior) Modalidade Benefício Definido Relatório Anual 2013 Plano Básico BD (Plano Básico Anterior) Modalidade Benefício Definido 1 Relatório Anual 2013 ÍNDICE PLANO BÁSICO (ANTERIOR) BD GESTÃO DE SEGURIDADE... 04 Quem são os Participantes...

Leia mais

PARECER ATUARIAL 2014

PARECER ATUARIAL 2014 PARECER ATUARIAL 2014 Plano de Benefícios 1 Plano de Benefícios PREVI Futuro 1. OBJETIVO 1.1. O presente Parecer Atuarial tem por objetivo informar sobre a qualidade da base cadastral, as premissas atuariais,

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL [29.959.574/0001-73] FUNDACAO DE PREVIDENCIA DOS SERVIDORES DO IRB PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: TIPO: RETIFICADORA: [1977.0001-18] PLANO A ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2012 COMPLETA

Leia mais

Contextualizando os Investimentos em 2012. O Olhar do órgão Fiscalizador

Contextualizando os Investimentos em 2012. O Olhar do órgão Fiscalizador Contextualizando os Investimentos em 2012 O Olhar do órgão Fiscalizador Brasília Maio/2012 1 Agenda A PREVIC e Dados do setor Impacto de Mudanças nas Taxas de Juros Alteração Res. CGPC 18 Guia PREVIC de

Leia mais

SOCIEDADE IBGEANA DE ASSISTÊNCIA E SEGURIDADE Demonstrativo de Investimentos 2º Semestre

SOCIEDADE IBGEANA DE ASSISTÊNCIA E SEGURIDADE Demonstrativo de Investimentos 2º Semestre 2011 SOCIEDADE IBGEANA DE ASSISTÊNCIA E SEGURIDADE Demonstrativo de Investimentos 2º Semestre Este relatório destina-se, na forma da Lei, a divulgação aos participantes e assistidos dos Planos de Benefícios

Leia mais

GLOSSÁRIO TERMOS UTILIZADOS PARA FUNDOS DE PENSÃO. ABRAPP. Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência

GLOSSÁRIO TERMOS UTILIZADOS PARA FUNDOS DE PENSÃO. ABRAPP. Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência GLOSSÁRIO ABRAPP. Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar. ASSISTIDOS. Participante ou Beneficiário(s) em gozo de benefício. ATUÁRIO. Profissional técnico especializado,

Leia mais

FUNCASAL EM NÚMEROS SETEMBRO / 2011

FUNCASAL EM NÚMEROS SETEMBRO / 2011 FUNCASAL EM NÚMEROS SETEMBRO / 2011 DEFINIÇÕES ESTATUTO: Art. 1º -A Fundação CASAL de Seguridade Social FUNCASAL, instituída pela Companhia de Saneamento de Alagoas CASAL, é pessoa jurídica de Direito

Leia mais

Página 1 de 7 Demonstrativo de Resultados da Avaliação Atuarial - 2014 RJ - PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA CNPJ : 32512501000143 SIAFI : 985925 Cadastro de Nome do Plano : Plano Previdenciário QUADRO

Leia mais

Orgulho de ser OABPREV

Orgulho de ser OABPREV RELATÓRIO ANUAL 2008 Av. Hercílio Luz nº 639, sala 211 - Centro - Florianópolis - SC - CEP: 88020-000 Fones: (48) 3222-7440 e 3222-7450 - www.oabprev-sc.org.br APRESENTAÇÃO Orgulho de ser OABPREV Acreditamos

Leia mais

BICBANCO STOCK INDEX AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS

BICBANCO STOCK INDEX AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS BICBANCO STOCK INDEX AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS (Administrado pelo Banco Industrial e Comercial S.A.) DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AO EXERCÍCIO FINDO EM 30 DE SETEMBRO

Leia mais

FUNDAÇÃO SAELPA DE SEGURIDADE SOCIAL RELATÓRIO DE REFLEXÃO. 1º Trimestre 2008

FUNDAÇÃO SAELPA DE SEGURIDADE SOCIAL RELATÓRIO DE REFLEXÃO. 1º Trimestre 2008 RELATÓRIO DE REFLEXÃO 1º Trimestre 2008 1. INDICADORES DE CONTROLE 1. Orçamento administrativo 2. Recursos coletados 3. Recursos utilizados 4. Evolução do fundo administrativo 5. Evolução do patrimônio

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 1- SIGLA: SUPREV 2- CÓDIGO: 00984 3- RAZÃO SOCIAL: SUPREV-FUNDACAO MULTIPATROCINADA SUPLEMENTAÇAO PREVIDENCIARIA

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 1- SIGLA: SUPREV 2- CÓDIGO: 00984 3- RAZÃO SOCIAL: SUPREV-FUNDACAO MULTIPATROCINADA SUPLEMENTAÇAO PREVIDENCIARIA FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 8 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO 19.810.009-92 - PLANO DE BENEFÍCIOS N.º 001 - BROOKLYN 12- OBSERVAÇÕES: ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA

Leia mais

A Rentabilidade líquida do Plano ALEPEPREV e do PGA ; Resumo de Informações sobre o Demonstrativo de Investimentos. Resumo do Exercício 2014

A Rentabilidade líquida do Plano ALEPEPREV e do PGA ; Resumo de Informações sobre o Demonstrativo de Investimentos. Resumo do Exercício 2014 Síntese dos Resultados dos Investimentos O Pl ALEPEPREV, instituído na modalidade de Contribuição Definida, obteve um desempenho muito satisfatório no de 2014. O Pl de Benefícios superou a sua meta de

Leia mais

FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DA ORDEM DOS AVOGADOS DO BRASIL, SEÇÃO DO PARANÁ E DA CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS ADVOGADOS DO PARANÁ OABPREV-PR

FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DA ORDEM DOS AVOGADOS DO BRASIL, SEÇÃO DO PARANÁ E DA CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS ADVOGADOS DO PARANÁ OABPREV-PR FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DA ORDEM DOS AVOGADOS DO BRASIL, SEÇÃO DO PARANÁ E DA CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS ADVOGADOS DO PARANÁ OABPREV-PR DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS REFERENTES AOS EXERCÍCIOS FINDOS

Leia mais

FUNDAÇÃO CHESF DE ASSISTÊNCIA E SEGURIDADE SOCIAL FACHESF

FUNDAÇÃO CHESF DE ASSISTÊNCIA E SEGURIDADE SOCIAL FACHESF FUNDAÇÃO CHESF DE ASSISTÊNCIA E SEGURIDADE SOCIAL FACHESF DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS E NOTAS EXPLICATIVAS 2010 SOBRE OS PLANOS DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS E DE GESTÃO ADMINISTRATIVA CNPJ Nº 42.160.192/0001-43

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis Exercícios findos em 31 de dezembro de 2014 e 2013 Fundação Sabesp de Seguridade Social SABESPREV CNPJ 65.471.914/0001-86 Alameda Santos, 1827 14 º andar CEP 01419.909 Cerqueira

Leia mais

Esclarecimentos sobre rentabilidade das cotas do Plano SEBRAEPREV

Esclarecimentos sobre rentabilidade das cotas do Plano SEBRAEPREV INVESTIMENTOS Esclarecimentos sobre rentabilidade das cotas do Plano SEBRAEPREV Uma questão de suma importância para a consolidação e perenidade de um Fundo de Pensão é a sua saúde financeira, que garante

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS CAGEPREV - FUNDAÇÃO CAGECE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PLANO DE BENEFÍCIO DE CONTRIBUIÇÃO VARIÁVEL Vigência: 01/01/2013 a 31/12/2017 1. OBJETIVOS A Política de Investimentos tem

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Celular CRT

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Celular CRT Demonstrações Financeiras Relatório Anual 04 Visão Prev Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios Visão Celular CRT Período: 04 e 03 dezembro R$ Mil Descrição 04 03 Variação (%). Ativos.85.769

Leia mais

CAGEPREV FUNDAÇÃO CAGECE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR RELATÓRIO DE DESEMPENHO

CAGEPREV FUNDAÇÃO CAGECE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR RELATÓRIO DE DESEMPENHO CAGEPREV FUNDAÇÃO CAGECE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR RELATÓRIO DE DESEMPENHO NOVEMBRO DE 2013 1. Apresentação A Fundação CAGECE de Previdência Complementar CAGEPREV, criada através da Lei Estadual nº 13.313,

Leia mais

Perguntas e respostas relativas ao preenchimento e envio das Demonstrações Atuariais (DA).

Perguntas e respostas relativas ao preenchimento e envio das Demonstrações Atuariais (DA). Perguntas e respostas relativas ao preenchimento e envio das Demonstrações Atuariais (DA). 1. Como proceder para corrigir, nas Demonstrações Atuariais, as informações do campo características dos benefícios?

Leia mais

Renda Fixa: 88%[(78% [CDI+0,5%]+17% IMAB + 5%IMAB5)+12%(103%CDI)] Renda Variável Ativa = 100%(IBrx+6%) Inv. estruturados = IFM Inv. no exterior = BDRX

Renda Fixa: 88%[(78% [CDI+0,5%]+17% IMAB + 5%IMAB5)+12%(103%CDI)] Renda Variável Ativa = 100%(IBrx+6%) Inv. estruturados = IFM Inv. no exterior = BDRX Objetivo Os investimentos dos Planos Básico e Suplementar, modalidade contribuição definida, tem por objetivo proporcionar rentabilidade no longo prazo através das oportunidades oferecidas pelos mercados

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Notas explicativas às Demonstrações Contábeis dos Planos de Assistência Médica, Hospitalar e Odontológica da Fundação Celesc de Seguridade Social do Exercício Findo em 31 de dezembro de 2011 e 2010. NOTAS

Leia mais

BALANCETE MENSAL ANALÍTICO

BALANCETE MENSAL ANALÍTICO Folha: 1 1 ATIVO 8.544.240.885,03D 1.187.712.812,83 1.039.959.543,84 8.691.994.154,02D 1.1 DISPONIVEL 746.563,71D 790.856.397,54 790.554.320,33 1.048.640,92D 1.1.1 IMEDIATO 139.546,54D 596.064.600,66 596.064.241,19

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA - PGA

REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA - PGA INSTITUTO GEIPREV DE SEGURIDADE SOCIAL REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA - PGA Regulamento aprovado pelo Conselho Deliberativo do GEIPREV na 123ª reunião realizada em 27/11/2009. 1 SUMÁRIO

Leia mais