ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO"

Transcrição

1 ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO PROJECTO E INSTALAÇÃO DE REDES LOCAIS DE COMPUTADORES O Modelo TCP/IP: Camada Internet Discentes: Ricardo Alexandre Revez Costa, nº5963 Manuel José Terlica Revés, nº5968 João Miguel Faleiro Caixinha, nº5946 Pedro Miguel Palma Rodrigues, nº5956 Beja 4 de Maio de 2009

2 ÍNDICE ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3 ENDEREÇO IP... 3 PROTOCOLO INTERNET... 5 ROUTING... 6 RESOLUÇÃO DE ENDEREÇOS... 8 CONCLUSÃO BIBLIOGRAFIA

3 INTRODUÇÃO Este trabalho foi elaborado na disciplina de Introdução às Redes de Computadores, com a finalidade de aprofundar conhecimentos acerca do modelo TCP/IP. Devido à abrangente e extensão do tema, neste trabalho apenas foram aprofundados conhecimentos numa das camadas, que constitui este modelo: A Camada Internet. Contudo, há que alertar que embora este modelo de trabalho pretenda evitar trabalhos superficiais, é importante e indispensável o estudo e conhecimento das restantes camadas, pois o conhecimento destes permite uma análise e compreensão deste trabalho. O TCP/IP é o protocolo de rede mais usado actualmente, teve origem em 1970 no desenvolvimento da ARPANET. Mais tarde foi interligada a outras redes, formando um vasto conjunto, que passou a ser conhecido por internet. TCP/IP é um conjunto de protocolos, o seu nome provém de dois protocolos muito importantes nesta arquitectura, o TCP (Transmisson control protocol) e o IP (Internet protocol). O TCP/IP é formado por quatro camadas, a física, internet, transporte e aplicação. A camada internet é a primeira camada normalizada do modelo. É responsável pelo endereçamento, roteamento e controle de envio e recepção. Estas camadas têm como fim a transmissão, fragmentação, encaminhamento, reconstituição e apresentação da informação através das redes. ENDEREÇO IP 3

4 O IP é o protocolo que oculta a rede física subjacente, criando uma visão virtual da rede. É um protocolo de entrega de pacotes, mas que podem ser perdidos, ficam de fora ou mesmo uma duplicação. Mas o IP não se responsabiliza por estas situações, a responsabilidade fica para protocolos de camada mais alta. Os endereços IPs são representados por um valor binário, sem sinal de 32 bits, que geralmente são expressos em um formato decimal com pontos. Exemplo: é um endereço de ip válido é o mapeamento entre o endereço IP e o nome simbólico Os padrões para os endereços IPs são descritos na RFC internet numbers. Para ser capaz de identificar um host na internet, cada computador recebe o endereço IP ou endereço internet. Quando o host está ligado a mais de uma rede, é chamado de multi- homed e tem um endereço IP para cada interface de rede. Endereço IP= «número da rede» «número do computador» A parte do número da rede do endereço IP é administrada pelo internic (Internet Network Information Center- centro de informação de rede internet) e é único para toda a internet. Exemplo: Temos um IP , em que o é o número da rede e o 9.10 é o número de host. Os endereços IP são usados pelo protocolo IP para identificar de maneira única um Host na internet. Um endereço IP identifica uma interface que é capaz de enviar e receber datagramas IP (os pacotes de dados básicos trocados, entre os computadores) são transmitidos por uma rede física ligada ao Host e cada datagrama IP contém um endereço IP de origem e um endereço IP de destino, para enviar um datagrama para um determinado destino IP, o endereço IP do destino deve ser traduzido ou mapeado para um endereço físico. Isto exige transmissão da rede para descobrir o endereço da rede física do destino (podemos utilizar o ARP (adress resolution protocol- protocolo de resolução de endereços, converte endereços IP para endereços Mac físicos). Classes de endereços de ip 4

5 Classe Faixa de endereços Utilização A x.x.x B x.x.x C x.x.x D x.x.x Endereços multicast E x.x.x Reservado Nota: O endereço é reservado para teste de loopback (são para interfaces que processam dados localmente e nunca acedam a uma rede física). PROTOCOLO INTERNET Conhecido também como protocolo IP, este protocolo é responsável pelo tratamento da informação para que esta possa ser encaminhada pelas redes. Normalmente a informação enviada tem um tamanho muito grande para poder circular nas redes, o que o protocolo IP faz é dividir a informação em várias partes para que esta possa ser encaminhada por vários caminhos e não obstruir as linhas. Essas várias partes chamam- se datagramas, além dos dados normais são adicionados a cada datagrama um cabeçalho (header) ou rubrica. Este cabeçalho é constituído por vários campos, o primeiro é a versão, este campo especifica a versão do IP a ser utilizado, o IPv4 32bits ou IPv6 128bits, este campo é codificado a 8 bits. O campo Internet Header Length (IHL) especifica o tamanho do cabeçalho, é um número de palavras constituídas por 32bits q constituem o cabeçalho, o valor mínimo é cinco. Service type ou seja tipo de serviço é um capo codificado a 8bits que especifica a urgência da informação contida no datagrama. Total length, tamanho total contem o tamanho do datagrama em conjunto com o cabeçalho em bytes, este valor n pode passar os bytes. Indentificacion, flag e fragmentes são campos q controlam a fragmentação e união dá mensagem ou i informação. Identificação permite saber a ordem pela qual a mensagem foi fragmentada, ou seja identifica cada datagrama. Se o datagrama passar por um ub e a linha estiver muito obstruída o ub pode voltar a fragmentar o datagrama pra tornar mais fácil a transmissão mas só o pode fazer se o campo flag assim o permitir. 5

6 Offset fragmentes permite localizar uma parte de informação no datagrama. TTL, time to live, este campo é de índice regressivo, conta o numero de vezes q o datagrama pode passar por ubs, cada vez q passa o campo decrementa quando chegar a zero o datagrama é eliminado, isto pra evitar q a linha fique congestionada. Protocol permite saber de que qual protocolo provem a data contida no datagrama. Cada vez que o datagrama passar num router este pode alterar o cabeçalho original, header cheksun assegura a integridade dos valores do cabeçalho. O cabeçalho ainda contém o endereço de IP de onde provém o datagrama e o endereço do seu destino. Pode ainda conter um campo facultativo opções, só existe quando há opções adicionais tais como segurança ou pode ficar registado os endereços dos routers que o datagrama passou ate chegar ao destino. Todos este campos permitem que os datagramas uma vez criados ou seja uma mensagem fragmentada seja transportada pela rede em varias partes e por caminhos diferentes, que ao chegar ao seu destino possa ser reconstruída numa só novamente pela mesma ordem que foi fragmentada. ROUTING Routing é o caminho que os dados devem percorrer para chegar ao destino. Sempre que é feito um pedido de um cliente a um servidor, a resposta enviada passa por vários locais até chegar ao seu destino, a esses locais chamam- se de roteadores, ou também conhecidos como 6

7 hop (salto). São estes roteadores que fazem a ligação entre computadores na rede local e na Internet. O roteamento estático é usado nas pequenas redes, pois os dados percorrem sempre o mesmo caminho até ao destino, enquanto o dinâmico surge como necessário em redes maiores como a Internet. Ou seja, através do roteamento dinâmico, os roteadores são livres de escolher a qualquer momento a melhor rota a seguir, para chegar ao destino. A configuração da rota é medida pela distância mais curta (menor número de hop), mas nem sempre a mais curta é a mais rápida. Existem vários protocolos de roteamento, os mais conhecidos são o RIP (Routing Information Protocol, Protocolo de Informação de Roteamento), o OSPF ( Open Shortest Path First, Primeiro o Caminho Mais Curto) e o BGP (Border Gateway Protocol, Protocolo de Gateway de Fronteira). Os roteadores que usam o protocolo RIP enviam as suas tabelas de roteamento para todos os roteadores que têm acesso a cada 30 segundos. Essa tabela contém todas as redes, como alcança- las e a distância entre todos os roteadores conhecidos. Assim que um roteador receba uma nova tabela de um outro, procura a existência do caminho mais curto, isto é, com menos saltos, se existir, ele se reconfigurará para essa nova rota. Mas como o protocolo RIP não faz a verificação do caminho, não é confiável, logo uma rota mais curta poderá não ser a mais rápida. O protocolo OSPF através de envio de mensagens verifica o estado dos roteadores. Este protocolo conhece todos os caminhos possíveis, ao invés do RIP que só conhece o mais curto e como a cada 30 segundos envia as suas tabelas de roteamento aumentando assim o tráfego de rede. O OSPF permite também a divisão dos dados de modo a reduzir o táfego em cada um dos caminhos. O BGP é um protocolo usado em redes grandes, como a Internet, logo é usado pelos roteadores da Internet, ele é classificado como um protocolo externo, enquanto o RIP e o OSPF são classificados como protocolos internos porque são usados em redes sob a mesma administração. O BGP agrupa roteadores e computadores sob uma mesma administração que é chamada de Sistema Autônomo (SA). Exemplo: todos os roteadores e computadores que pertencem ou estão conectados ao mesmo provedor de Internet fazem parte de um mesmo SA. O BGP é chamado IBGP (Interno) se trabalha dentro de um mesmo sistema autónomo ou de EBGP (Externo) se trabalha entre dois sistemas autónomos diferentes. O BGP é muito mais complexo do que o RIP e o OSPF, já que ele usa vários critérios (chamados atributos) para determinar qual é a melhor rota a ser tomada. Ao contrário do RIP, os roteadores baseados no BGP enviam apenas o que há de novo em suas tabelas de roteamento em vez de enviar a tabela inteira de tempos em tempos. 7

8 RESOLUÇÃO DE ENDEREÇOS ARP ( Address Resolution Protocol), pacote responsável por converter endereços IP em endereços físicos na rede local. Isto é, ao desejar enviar uma mensagem, o host pode não saber o endereço completo do host do destino. Ao verificar- se, podem ocorrer duas situações distintas, ou o host do destino está na mesma rede, ou está numa rede distante. Caso a primeira situação ocorra o host de origem, envia um pacote ARP contendo o número IP de destino da mensagem para todos os computadores da sua rede. Só o computador que se identificar com o número IP desse pacote irá responder à mensagem, enviando de volta o seu endereço MAC. Além de enviar a mensagem, o host de origem recolhe o endereço MAC recebido do host do destino numa tabela temporária, denominada ARP CACHE, que relaciona os números IP aos endereços MAC recebidos da rede local. Computador A Computador B Computador C Computador D Computador E Fig.1 Host na mesma rede. Quando o host do destino está numa rede distante, o host de origem envia um pacote ARP que contém o IP para o Gateway, que então orienta esse pacote por diversas conexões are que chegue à rede local desejada. 8

9 Router Computador A Computador B Computador C Computador D Fig.2 Host em rede distante. RARP (Reverse Address Resolution Protocol), permite a uma estação descobrir o seu próprio endereço IP. Para isso os dispositivos que usam o RARP, necessitam que haja um servidor RARP presente na rede para responder ás solicitações RARP. O RARP é utilizado em estações que não possuam disco rígido, logo, cada vez que uma estação envia uma mensagem, este necessita descobrir o seu endereço IP, portanto envia uma mensagem ao servidor RARP da sua rede local contendo o seu endereço MAC, e então o servidor retorna à estação o seu endereço IP, possibilitando assim o envio de mensagens. ICMP (Internet Control Message Protocol), permite gerir informações, relativas aos erros das máquinas conectadas: O PC A envia um pacote destinado ao PC B para o Router 1 O Router 1 verifica que ele não é o adequado para entregar esse pacote O Router 1 envia então um pacote ICMP redirect ao PC A a informá- lo que deve usar o Router 2 para esse efeito LAN 1 LAN 2 PC a Router 2 PC b 9

10 Router 1 Fig.1 Rede com 2 routers. Na Internet, os routers reconhecem facilmente os routers vizinhos e escolhem a melhor rota para cada destino. Sempre que um router fica congestionado, os mesmos passam a evita- lo, escolhendo rotas alternativas. Essa comunicação é feita através de pacotes ICMP redirect, que avisam o emissor que uma rota mais rápida está disponível e que os pacotes seguintes devem ser encaminhados através dela. CONCLUSÃO Com este trabalho chegamos á conclusão que para haver troca de informação entre diferentes plataformas, é necessário que todos os computadores adoptem as mesmas regras para o envio 10

11 e recepção de informação. Esta regra é denominada por protocolo de comunicação, mais vulgarmente conhecido por TCP/IP. A importância do conjunto de protocolos TCP/IP está totalmente ligada ao sucesso da Internet. Estes protocolos, apesar de suas limitações em termos de roteamento, cada vez mais, estão se tornando a base de aplicações que são disponibilizadas e necessárias à Internet. 11

12 BIBLIOGRAFIA Magalhães, Alberto; Gouveia, José Redes de Computadores. 4ª Edição. Lisboa: FCA Editor de Informática, Julho 2005 Loureiro, Paulo TCP/IP Redes Microsoft para Profissionais. 5ª Edição. Lisboa: FCA Editor de Informática Boavida, Fernando; Monteiro, Edmundo Engenharia de Redes Informáticas. 4ª Edição. FCA Editor de Informática A Internet para novos internautas, 30/4/2009, Torres,Gabriel; Lima,Cássio - Como o Protocolo TCP/IP Funciona, 30/4/2009, Introdução às Redes de Computadores/Pilha de Protocolos da Internet, 30/4/2009,http://pt.wikiversity.org/wiki/Introdução_às_Redes_de_Computadores/Pil ha_de_protocolos_da_internet#protocolos_e_camadas 4/5/2009,http://www.pop- rs.rnp.br/ovni/tcpip/t_ip.htm Rauber, Fábio Kaiser - TCP/IP, 4/5/2009,http://www.baboo.com.br/absolutenm/templates/content.asp?articleid=45 22&zoneid=24&resumo= 12

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Redes de Computadores Nível de Rede Redes de Computadores 2 1 Nível de Rede Internet Nível de Rede na Internet O ambiente inter-redes: hosts conectados a redes redes interligam-se

Leia mais

Endereço IP Privado. Endereçamento IP. IP Protocolo da Internet. Protocolos da. Camada de Inter-Rede (Internet)

Endereço IP Privado. Endereçamento IP. IP Protocolo da Internet. Protocolos da. Camada de Inter-Rede (Internet) Protocolos da Camada de Inter- (Internet) IP Protocolo da Internet. Não Confiável; Não Orientado à conexão; Trabalha com Datagramas; Roteável; IPv 4 32 bits; IPv 6 128 bits; Divisão por Classes (A,B,C,D,E);

Leia mais

Protocolo IP (Internet Protocol) Características do

Protocolo IP (Internet Protocol) Características do Protocolo IP (Internet Protocol) Características do Protocolo IP Serviço de datagrama não confiável Endereçamento Hierárquico Facilidade de Fragmentação e Remontagem de pacotes Identificação da importância

Leia mais

Prof. Luís Rodolfo. Unidade III REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO

Prof. Luís Rodolfo. Unidade III REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO Prof. Luís Rodolfo Unidade III REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO Redes de computadores e telecomunicação Objetivos da Unidade III Apresentar as camadas de Transporte (Nível 4) e Rede (Nível 3) do

Leia mais

Protocolos, DNS, DHCP, Ethereal e comandos em Linux

Protocolos, DNS, DHCP, Ethereal e comandos em Linux Redes de Computadores Protocolos, DNS, DHCP, Ethereal e comandos em Linux Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico de Bragança Março de 2006 Endereços e nomes Quaisquer duas estações

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Departamento de Informática UFPE Redes de Computadores Nível de Redes - Exemplos jamel@cin.ufpe.br Nível de Rede na Internet - Datagramas IP Não orientado a conexão, roteamento melhor esforço Não confiável,

Leia mais

Camada de Rede. Prof. Leonardo Barreto Campos 1

Camada de Rede. Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Camada de Rede Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Sumário Introdução; Internet Protocol IP; Fragmentação do Datagrama IP; Endereço IP; Sub-Redes; CIDR Classes Interdomain Routing NAT Network Address Translation

Leia mais

Interconexão de Redes Parte 2. Prof. Dr. S. Motoyama

Interconexão de Redes Parte 2. Prof. Dr. S. Motoyama Interconexão de Redes Parte 2 Prof. Dr. S. Motoyama 1 Software IP nos hosts finais O software IP nos hosts finais consiste principalmente dos seguintes módulos: Camada Aplicação; DNS (Domain name system)

Leia mais

M3 Redes de computadores avançado (36 horas - 48 TL)

M3 Redes de computadores avançado (36 horas - 48 TL) M3 Redes de computadores avançado (36 horas - 48 TL) Redes de Comunicação Ano lectivo 2013/2014 Camada de rede do modelo OSI Routers e portos de interface de routers (I) 2 Nesta camada imperam os routers.

Leia mais

Módulo 9 Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IP

Módulo 9 Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IP CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes Módulo 9 Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IP Introdução ao TCP/IP 2 Modelo TCP/IP O Departamento de Defesa dos Estados Unidos (DoD) desenvolveu o modelo de

Leia mais

Camada de rede: IP. Cabeçalho IP, encaminhamento de pacotes IP, sub-redes, máscara de sub-redes e processos de cálculo, NAT e PAT, futuro do IPv4.

Camada de rede: IP. Cabeçalho IP, encaminhamento de pacotes IP, sub-redes, máscara de sub-redes e processos de cálculo, NAT e PAT, futuro do IPv4. Camada de rede: IP Cabeçalho IP, encaminhamento de pacotes IP, sub-redes, máscara de sub-redes e processos de cálculo, NAT e PAT, futuro do IPv4. Internet Rede 2 Rede 1 Internet Rede 4 Rede 3 Rede 5 O

Leia mais

Aula 4. Pilha de Protocolos TCP/IP:

Aula 4. Pilha de Protocolos TCP/IP: Aula 4 Pilha de Protocolos TCP/IP: Comutação: por circuito / por pacotes Pilha de Protocolos TCP/IP; Endereçamento lógico; Encapsulamento; Camada Internet; Roteamento; Protocolo IP; Classes de endereços

Leia mais

Aula 6 Modelo de Divisão em Camadas TCP/IP

Aula 6 Modelo de Divisão em Camadas TCP/IP Aula 6 Modelo de Divisão em Camadas TCP/IP Camada Conceitual APLICATIVO TRANSPORTE INTER-REDE INTERFACE DE REDE FÍSICA Unidade de Dados do Protocolo - PDU Mensagem Segmento Datagrama /Pacote Quadro 01010101010100000011110

Leia mais

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito - Roteamento www.labcisco.com.br ::: shbbrito@labcisco.com.br Prof. Samuel Henrique Bucke Brito Roteamento Roteamento é a técnica que define por meio de um conjunto de regras como os dados originados em

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores 1 Elmano R. Cavalcanti Redes de Computadores Camada de Rede elmano@gmail.com facisa-redes@googlegroups.com http://sites.google.com/site/elmano Esta apresentação contém slides fornecidos pela Editora Pearson

Leia mais

3) Na configuração de rede, além do endereço IP, é necessário fornecer também uma máscara de subrede válida, conforme o exemplo:

3) Na configuração de rede, além do endereço IP, é necessário fornecer também uma máscara de subrede válida, conforme o exemplo: DIRETORIA ACADÊMICA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA COORDENAÇÃO DOS CURSOS DA ÁREA DE INFORMÁTICA! Atividade em sala de aula. 1) A respeito de redes de computadores, protocolos TCP/IP e considerando uma rede

Leia mais

Redes TCP/IP. Prof. M.Sc. Alexandre Fraga de Araújo. alexandref@ifes.edu.br. INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Campus Cachoeiro de Itapemirim

Redes TCP/IP. Prof. M.Sc. Alexandre Fraga de Araújo. alexandref@ifes.edu.br. INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Campus Cachoeiro de Itapemirim Redes TCP/IP alexandref@ifes.edu.br Camada de Redes 2 O que acontece na camada de rede Transporta segmentos do hospedeiro transmissor para o receptor Roteador examina campos de cabeçalho em todos os datagramas

Leia mais

Redes TCP/IP. Prof. M.Sc. Alexandre Fraga de Araújo. alexandref@ifes.edu.br. INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Campus Cachoeiro de Itapemirim

Redes TCP/IP. Prof. M.Sc. Alexandre Fraga de Araújo. alexandref@ifes.edu.br. INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Campus Cachoeiro de Itapemirim Redes TCP/IP alexandref@ifes.edu.br Camada de Redes (Continuação) 2 Camada de Rede 3 NAT: Network Address Translation restante da Internet 138.76.29.7 10.0.0.4 rede local (ex.: rede doméstica) 10.0.0/24

Leia mais

Arquitetura do Protocolo da Internet. Aula 05 - Protocolos de Roteamento. Prof. Esp. Camilo Brotas Ribeiro cribeiro@catolica-es.edu.

Arquitetura do Protocolo da Internet. Aula 05 - Protocolos de Roteamento. Prof. Esp. Camilo Brotas Ribeiro cribeiro@catolica-es.edu. Arquitetura do Protocolo da Internet Aula 05 - Protocolos de Roteamento Prof. Esp. Camilo Brotas Ribeiro cribeiro@catolica-es.edu.br Revisão Roteamento; Gateway; Tabelas de Roteamento; Slide 2 de 82 Rotas?!

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores TCP/IP Fabricio Breve Fundamentos Atualmente é o protocolo mais usado em redes locais Principal responsável: Popularização da Internet Mesmo SOs que antigamente só suportavam seu

Leia mais

Alan Menk Santos. Redes de Computadores e Telecomunicações. Camada de Rede 21/05/2013. alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com.

Alan Menk Santos. Redes de Computadores e Telecomunicações. Camada de Rede 21/05/2013. alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com. Alan Menk Santos alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com.br/menk Redes de Computadores e Telecomunicações. Camada de Rede Modelo de Referência OSI 1 Camada de Rede: O que veremos. Entender os princípios

Leia mais

Assumiu em 2002 um novo desafio profissional como empreendedor e Presidente do Teleco.

Assumiu em 2002 um novo desafio profissional como empreendedor e Presidente do Teleco. O que é IP O objetivo deste tutorial é fazer com que você conheça os conceitos básicos sobre IP, sendo abordados tópicos como endereço IP, rede IP, roteador e TCP/IP. Eduardo Tude Engenheiro de Teleco

Leia mais

Foi inicialmente desenvolvido como parte de um

Foi inicialmente desenvolvido como parte de um PROTOCOLO TCP/IP 1 INTRODUCÃO Foi inicialmente desenvolvido como parte de um projeto incentivado pela DARPA; Tinha como objetivo desenvolver tecnologias para que as máquinas interligadas em rede continuassem

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Prof. Macêdo Firmino Camada de Redes Macêdo Firmino (IFRN) Redes de Computadores Junho 2012 1 / 68 Pilha TCP/IP A B M 1 Aplicação Aplicação M 1 Cab M T 1 Transporte Transporte Cab

Leia mais

Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas

Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas Conhecer os modelo OSI, e TCP/IP de cinco camadas. É importante ter um padrão para a interoperabilidade entre os sistemas para não ficarmos

Leia mais

A camada de rede do modelo OSI

A camada de rede do modelo OSI A camada de rede do modelo OSI 1 O que faz a camada de rede? (1/2) Esta camada tem como função principal fazer o endereçamento de mensagens. o Estabelece a relação entre um endereço lógico e um endereço

Leia mais

A camada de rede. A camada de rede. A camada de rede. 4.1 Introdução. 4.2 O que há dentro de um roteador

A camada de rede. A camada de rede. A camada de rede. 4.1 Introdução. 4.2 O que há dentro de um roteador Redes de computadores e a Internet Capitulo Capítulo A camada de rede.1 Introdução.2 O que há dentro de um roteador.3 IP: Protocolo da Internet Endereçamento IPv. Roteamento.5 Roteamento na Internet (Algoritmos

Leia mais

Redes de Computadores II INF-3A

Redes de Computadores II INF-3A Redes de Computadores II INF-3A 1 ROTEAMENTO 2 Papel do roteador em uma rede de computadores O Roteador é o responsável por encontrar um caminho entre a rede onde está o computador que enviou os dados

Leia mais

INTERNET = ARQUITETURA TCP/IP

INTERNET = ARQUITETURA TCP/IP Arquitetura TCP/IP Arquitetura TCP/IP INTERNET = ARQUITETURA TCP/IP gatewa y internet internet REDE REDE REDE REDE Arquitetura TCP/IP (Resumo) É útil conhecer os dois modelos de rede TCP/IP e OSI. Cada

Leia mais

Roteamento na Internet

Roteamento na Internet Roteamento na Internet IntraAS RIP OSPF InterAS BGP RIP Protocolo de informação de roteamento (Routing Information Protocol) Definido nas RFCs 1058 (versão 1) e 2453 (versão 2) RIPng IPv6 Protocolo de

Leia mais

Protocolos de Roteamento RIP e OSPF

Protocolos de Roteamento RIP e OSPF Protocolos de Roteamento RIP e OSPF Alexandre Urtado de Assis aua@cbpf.br Nilton Alves Jr. naj@cbpf.br http://mesonpi.cat.cbpf.br/naj Resumo Este trabalho aborda alguns protocolos de roteamento, especificamente

Leia mais

Endereços IP. Endereços são usados para encaminhar pacotes pela rede. Endereço IP é hierárquico com 2 partes:

Endereços IP. Endereços são usados para encaminhar pacotes pela rede. Endereço IP é hierárquico com 2 partes: Endereços IP Endereços são usados para encaminhar pacotes pela rede Na Internet, endereços são únicos e atribuídos pela Internet Assigned Numbers Authority (IANA) Endereço IP é hierárquico com 2 partes:

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES. Camada de Rede. Prof.: Agostinho S. Riofrio

REDES DE COMPUTADORES. Camada de Rede. Prof.: Agostinho S. Riofrio REDES DE COMPUTADORES Camada de Rede Prof.: Agostinho S. Riofrio Agenda 1. Introdução 2. Funções 3. Serviços oferecidos às Camadas superiores 4. Redes de Datagramas 5. Redes de Circuitos Virtuais 6. Comparação

Leia mais

Capítulo 9 - Conjunto de Protocolos TCP/IP e Endereçamento. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página

Capítulo 9 - Conjunto de Protocolos TCP/IP e Endereçamento. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página Capítulo 9 - Conjunto de Protocolos TCP/IP e Endereçamento IP 1 História e Futuro do TCP/IP O modelo de referência TCP/IP foi desenvolvido pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos (DoD). O DoD exigia

Leia mais

ICMP. Tipos de mensagens ICMP

ICMP. Tipos de mensagens ICMP ICMP Tipos de mensagens ICMP ICMP (Internet Control Message Protocol) Normalmente considera-se que o ICMP faz parte da camada de rede Comunica mensagens de erro, mensagens de informação, mensagens de resposta

Leia mais

Introdução ao Protocolo TCP/IP. Prof. Gil Pinheiro UERJ/FEN/DETEL

Introdução ao Protocolo TCP/IP. Prof. Gil Pinheiro UERJ/FEN/DETEL Introdução ao Protocolo TCP/IP Prof. Gil Pinheiro UERJ/FEN/DETEL Introdução ao Protocolo TCP/IP Protocolo Inter Redes Histórico Estrutura do Protocolo TCP/IP Equipamentos de Interconexão Endereçamento

Leia mais

Uma tabela de roteamento contém as informações necessárias para que um pacote IP seja encaminhado para o destino certo.

Uma tabela de roteamento contém as informações necessárias para que um pacote IP seja encaminhado para o destino certo. RIP (Protocolo de Informação de Rotemento) como o próprio nome diz é um protocolo de roteamento: isso significa que ele é responsável por manter as tabelas de roteamento entre os roteadores da mesma rede

Leia mais

Endereçamento e Roteamento IP

Endereçamento e Roteamento IP Endereçamento e Roteamento IP Redes TCP/IP O objetivo deste módulo é explicar como funciona a atribuição de endereços IP com classe e sem classe e como configurar logicamente tabelas de roteamento. Obs.

Leia mais

Protocolos. Prof. Wladimir da Costa

Protocolos. Prof. Wladimir da Costa Prof. Wladimir da Costa Introdução Até o presente momento discutimos sobre a infraestrutura de redes (hardware, sistema operacional e cabeamento). Agora vamos ver como realmente é feito a troca de informação

Leia mais

A Camada de Rede. A Camada de Rede

A Camada de Rede. A Camada de Rede Revisão Parte 5 2011 Modelo de Referência TCP/IP Camada de Aplicação Camada de Transporte Camada de Rede Camada de Enlace de Dados Camada de Física Funções Principais 1. Prestar serviços à Camada de Transporte.

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Camada de Rede Roteamento IP RIP OSPF e BGP Slide 1 Roteamento Determinar o melhor caminho a ser tomado da origem até o destino. Se utiliza do endereço de destino para determinar

Leia mais

Introdução ao Protocolo TCP/IP

Introdução ao Protocolo TCP/IP Introdução ao Protocolo TCP/IP Gil Pinheiro UERJ-FEN-DETEL Introdução ao Protocolo TCP/IP Protocolo Inter Redes Histórico Estrutura do Protocolo TCP/IP Equipamentos de Interconexão Endereçamento na Rede

Leia mais

TRANSMISSÃO DE DADOS Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com

TRANSMISSÃO DE DADOS Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com - Aula 4 - A CAMADA DE REDE (Parte 2) 1. Flooding (Inundação) Outro algoritmo estático é o algoritmo de inundação, no qual cada pacote de entrada é enviado para todas as linhas de saída, exceto para aquela

Leia mais

Relatório do 2º Guião Laboratorial de Avaliação: Encaminhamento de pacotes. Licenciatura: ETI Turma : ETC1 Grupo : rd2_t3_02 Data: 30/10/2009

Relatório do 2º Guião Laboratorial de Avaliação: Encaminhamento de pacotes. Licenciatura: ETI Turma : ETC1 Grupo : rd2_t3_02 Data: 30/10/2009 Licenciaturas em Informática e Gestão de Empresas, Engenharia de Telecomunicações e Informática e Engenharia Informática Redes Digitais II Relatório do 2º Guião Laboratorial de Avaliação: Encaminhamento

Leia mais

Capítulo 10 - Conceitos Básicos de Roteamento e de Sub-redes. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página

Capítulo 10 - Conceitos Básicos de Roteamento e de Sub-redes. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página Capítulo 10 - Conceitos Básicos de Roteamento e de Sub-redes 1 Protocolos Roteáveis e Roteados Protocolo roteado: permite que o roteador encaminhe dados entre nós de diferentes redes. Endereço de rede:

Leia mais

Serviço de datagrama não confiável Endereçamento hierárquico. Facilidade de fragmentação e remontagem de pacotes

Serviço de datagrama não confiável Endereçamento hierárquico. Facilidade de fragmentação e remontagem de pacotes IP Os endereços IP são números com 32 bits, normalmente escritos como quatro octetos (em decimal), por exemplo 128.6.4.7. A primeira parte do endereço identifica uma rede especifica na interrede, a segunda

Leia mais

Consulte a exposição. Qual declaração descreve corretamente como R1 irá determinar o melhor caminho para R2?

Consulte a exposição. Qual declaração descreve corretamente como R1 irá determinar o melhor caminho para R2? 1. Que duas declarações descrevem corretamente os conceitos de distância administrativa e métrica? (Escolha duas.) a) Distância administrativa refere-se a confiabilidade de uma determinada rota. b) Um

Leia mais

Protocolo TCP/IP. Protocolo TCP/IP. Protocolo TCP/IP. Protocolo TCP/IP. Conexão de Redes. Protocolo TCP/IP. Arquitetura Internet.

Protocolo TCP/IP. Protocolo TCP/IP. Protocolo TCP/IP. Protocolo TCP/IP. Conexão de Redes. Protocolo TCP/IP. Arquitetura Internet. Origem: Surgiu na década de 60 através da DARPA (para fins militares) - ARPANET. Em 1977 - Unix é projetado para ser o protocolo de comunicação da ARPANET. Em 1980 a ARPANET foi dividida em ARPANET e MILINET.

Leia mais

Visão geral da arquitetura do roteador

Visão geral da arquitetura do roteador Visão geral da arquitetura do roteador Duas funções-chave do roteador: Executar algoritmos/protocolos (RIP, OSPF, BGP) Comutar os datagramas do link de entrada para o link de saída 1 Funções da porta de

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Prof. Marcelo Gonçalves Rubinstein Programa de Pós-Graduação em Engenharia Eletrônica Faculdade de Engenharia Universidade do Estado do Rio de Janeiro Ementa Introdução a Redes de

Leia mais

Redes de Computadores Aula 3. Aleardo Manacero Jr.

Redes de Computadores Aula 3. Aleardo Manacero Jr. Redes de Computadores Aula 3 Aleardo Manacero Jr. O protocolo RM OSI 1 Camada de Rede Forma de ligação Endereçamento de máquinas Controle de rotas Controle de tráfego Forma de ligação Circuito Virtual

Leia mais

Arquitetura Internet (TCP/IP)

Arquitetura Internet (TCP/IP) Instituto Federal do Pará - IFPA Ricardo José Cabeça de Souza ricardo.souza@ifpa.edu.br 2010 Redes Básicas S-10 Arquitetura Internet (TCP/IP) MÁSCARA DA SUB-REDE Indica como separar o NetId do HostId,

Leia mais

Rede d s d e d Com o pu p t u ado d r o es Conceitos Básicos M d o e d los o de d Re R de d s:

Rede d s d e d Com o pu p t u ado d r o es Conceitos Básicos M d o e d los o de d Re R de d s: Tecnologia em Redes de Computadores Redes de Computadores Professor: André Sobral e-mail: alsobral@gmail.com Conceitos Básicos Modelos de Redes: O O conceito de camada é utilizado para descrever como ocorre

Leia mais

Além do IP, que é usado para a transferência de dados, a Internet tem diversos protocolos de controle usados na camada de rede.

Além do IP, que é usado para a transferência de dados, a Internet tem diversos protocolos de controle usados na camada de rede. Redes de Computadores 02 Camada De REDE Parte 04 Márcia Baltar Vieira marciabv@gmail.com 1 Redes de Computadores 02 Objetivos Gerais Objetivos do Material: Além do IP, que é usado para a transferência

Leia mais

Redes de Computadores. Trabalho de Laboratório Nº2

Redes de Computadores. Trabalho de Laboratório Nº2 Redes de Computadores Curso de Eng. Informática Curso de Eng. de Electrónica e Computadores Trabalho de Laboratório Nº2 Configuração de TCP/IP numa rede de computadores Utilização de Ipconfig, Ping e Tracert

Leia mais

Endereçamento IP. S u m á r i o Visão Geral...02 1 Camada de Internet...03 2 Endereços de Internet...04

Endereçamento IP. S u m á r i o Visão Geral...02 1 Camada de Internet...03 2 Endereços de Internet...04 Endereçamento IP S u m á r i o Visão Geral...02 1 Camada de Internet...03 2 Endereços de Internet...04 2.1 Endereçamento IP...04 2.2 Conversão decimal/binário...05 2.3 Endereçamento IPv4...06 2.4 Endereços

Leia mais

ADDRESS RESOLUTION PROTOCOL. Thiago de Almeida Correia

ADDRESS RESOLUTION PROTOCOL. Thiago de Almeida Correia ADDRESS RESOLUTION PROTOCOL Thiago de Almeida Correia São Paulo 2011 1. Visão Geral Em uma rede de computadores local, os hosts se enxergam através de dois endereços, sendo um deles o endereço Internet

Leia mais

Internet e TCP/IP. Camada de Rede: Objetivos. Encapsulamento. Redes de Computadores. Internet TCP/IP. Conceitos Básicos Endereçamento IP

Internet e TCP/IP. Camada de Rede: Objetivos. Encapsulamento. Redes de Computadores. Internet TCP/IP. Conceitos Básicos Endereçamento IP Camada de Rede Reinaldo Gomes reinaldo@cefet-al.br Redes de Computadores Conceitos Básicos Endereçamento IP Internet e TCP/IP Internet Conjunto de redes de escala mundial, ligadas pelo protocolo IP TCP/IP

Leia mais

Exercícios de Fixação TCP/IP

Exercícios de Fixação TCP/IP Capítulo 2 Endereço de Rede Exercícios de Fixação TCP/IP a) (V) Os pacotes IP são datagramas não-confiáveis b) (F) Os endereços do tipo 127.x.x.x são utilizados em redes do tipo Intranet c) (F) Os endereços

Leia mais

1. PRINCIPAIS PROTOCOLOS TCP/IP

1. PRINCIPAIS PROTOCOLOS TCP/IP 1. PRINCIPAIS PROTOCOLOS TCP/IP 1.1 IP - Internet Protocol RFC 791 Esse protocolo foi introduzido na ARPANET no início dos anos 80, e tem sido utilizado juntamente com o TCP desde então. A principal característica

Leia mais

Aula-16 Interconexão de Redes IP (Internet Protocol) Prof. Dr. S. Motoyama

Aula-16 Interconexão de Redes IP (Internet Protocol) Prof. Dr. S. Motoyama Aula-16 Interconexão de Redes IP (Internet Protocol) Prof. Dr. S. Motoyama Software de IP nos hosts finais O software de IP consiste principalmente dos seguintes módulos: Camada Aplicação; DNS (Domain

Leia mais

Na Figura a seguir apresento um exemplo de uma "mini-tabela" de roteamento:

Na Figura a seguir apresento um exemplo de uma mini-tabela de roteamento: Tutorial de TCP/IP - Parte 6 - Tabelas de Roteamento Por Júlio Cesar Fabris Battisti Introdução Esta é a sexta parte do Tutorial de TCP/IP. Na Parte 1 tratei dos aspectos básicos do protocolo TCP/IP. Na

Leia mais

Interligação de Redes

Interligação de Redes REDES II HETEROGENEO E CONVERGENTE Interligação de Redes rffelix70@yahoo.com.br Conceito Redes de ComputadoresII Interligação de Redes Quando estações de origem e destino encontram-se em redes diferentes,

Leia mais

A Camada de Rede. Romildo Martins Bezerra CEFET/BA Redes de Computadores II

A Camada de Rede. Romildo Martins Bezerra CEFET/BA Redes de Computadores II A Camada de Rede Romildo Martins Bezerra CEFET/BA Redes de Computadores II A Camada de Rede e o protocolo IP... 2 O protocolo IP... 2 Formato do IP... 3 Endereçamento IP... 3 Endereçamento com Classes

Leia mais

AGENTE PROFISSIONAL - ANALISTA DE REDES

AGENTE PROFISSIONAL - ANALISTA DE REDES Página 1 CONHECIMENTO ESPECÍFICO 01. Suponha um usuário acessando a Internet por meio de um enlace de 256K bps. O tempo mínimo necessário para transferir um arquivo de 1M byte é da ordem de A) 4 segundos.

Leia mais

Endereços Lógicos, Físicos e de Serviço

Endereços Lógicos, Físicos e de Serviço Endereçamento IP O IP é um protocolo da Camada de rede É um endereço lógico único em toda a rede, portanto, quando estamos navegando na Internet estamos utilizando um endereço IP único mundialmente, pois

Leia mais

1.1 Motivação e âmbito... 1 1.2 Objetivos e abordagem... 3 1.3 Organização do presente texto... 4

1.1 Motivação e âmbito... 1 1.2 Objetivos e abordagem... 3 1.3 Organização do presente texto... 4 Índice de figuras XVII Índice de tabelas XXII Agradecimentos XXIII Nota prévia XXIV 1- Introdução 1 1.1 Motivação e âmbito... 1 1.2 Objetivos e abordagem... 3 1.3 Organização do presente texto... 4 2 -

Leia mais

Redes de Comunicações

Redes de Comunicações A Camada de Rede da arquitectura TCP/IP O Protocolo IP (Internet Protocol) O Protocolo ARP (Adress Resolution Protocol) O Protocolo RARP (Reverse Address Resolution Protocol) O Protocolo ICMP (Internet

Leia mais

Arquitetura TCP/IP. Parte VI Entrega de pacotes sem conexão (IP) Fabrízzio Alphonsus A. M. N. Soares

Arquitetura TCP/IP. Parte VI Entrega de pacotes sem conexão (IP) Fabrízzio Alphonsus A. M. N. Soares Arquitetura TCP/IP Parte VI Entrega de pacotes sem conexão (IP) Fabrízzio Alphonsus A. M. N. Soares Tópicos Conceitos Pacote (ou datagrama) IP Formato Campos do cabeçalho Encapsulamento Fragmentação e

Leia mais

Módulo 10 Fundamentos de Routing e de Sub-redes

Módulo 10 Fundamentos de Routing e de Sub-redes CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes Módulo 10 Fundamentos de Routing e de Sub-redes Protocolos Roteados (Routed Protocols) 2 Protocolos Roteáveis e Roteados Routable and Routed Protocols Um protocolo roteado

Leia mais

Rede de Computadores

Rede de Computadores Escola de Ciências e Tecnologia UFRN Rede de Computadores Prof. Aquiles Burlamaqui Nélio Cacho Luiz Eduardo Eduardo Aranha ECT1103 INFORMÁTICA FUNDAMENTAL Manter o telefone celular sempre desligado/silencioso

Leia mais

Arquitetura de Rede de Computadores

Arquitetura de Rede de Computadores TCP/IP Roteamento Arquitetura de Rede de Prof. Pedro Neto Aracaju Sergipe - 2011 Ementa da Disciplina 4. Roteamento i. Máscara de Rede ii. Sub-Redes iii. Números Binários e Máscara de Sub-Rede iv. O Roteador

Leia mais

Máscaras de sub-rede. Fórmula

Máscaras de sub-rede. Fórmula Máscaras de sub-rede As identificações de rede e de host em um endereço IP são diferenciadas pelo uso de uma máscara de sub-rede. Cada máscara de sub-rede é um número de 32 bits que usa grupos de bits

Leia mais

CAMADA DE REDES PARTE II. Fabrício Pinto

CAMADA DE REDES PARTE II. Fabrício Pinto CAMADA DE REDES PARTE II Fabrício Pinto Interligação de Redes 2 Supomos até agora uma única rede homogênea Máquinas usando o mesmo protocolo Suposição muito otimista Existe muitas redes diferentes LANs,

Leia mais

identificar e localizar um ao outro computador pode estar conectado a mais de uma rede mais de um endereço

identificar e localizar um ao outro computador pode estar conectado a mais de uma rede mais de um endereço Endereçamento Endereçamento IP Para que dois sistemas quaisquer comuniquem-se, eles precisam ser capazes de se identificar e localizar um ao outro. Um computador pode estar conectado a mais de uma rede.

Leia mais

Curso de extensão em Administração de Redes

Curso de extensão em Administração de Redes Curso de extensão em Administração de Redes Italo Valcy da Silva Brito1,2 1 Gestores da Rede Acadêmica de Computação Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal da Bahia 2 Ponto de Presença

Leia mais

Endereçamento IP, Sub-redes e Roteamento

Endereçamento IP, Sub-redes e Roteamento Segurança em Redes Prof. Rafael R. Obelheiro Semestre: 2009.1 Endereçamento IP, Sub-redes e Roteamento Endereçamento IP Endereços IP possuem 32 bits, o que possibilita 2 32 = 4.294.967.296 endereços Na

Leia mais

Funções da camada de rede

Funções da camada de rede Funções da camada de rede As duas funções fundamentais desta camada são: 1. Endereçamento ou addressing atribuição de um código único a cada interface de estação, tornando possível enviar e receber pacotes

Leia mais

Comunicação de Dados

Comunicação de Dados Comunicação de Dados Roteamento Prof. André Bessa Faculade Lourenço Filho 22 de Novembro de 2012 Prof. André Bessa (FLF) Comunicação de Dados 22 de Novembro de 2012 1 / 26 1 Introdução 2 Roteamento na

Leia mais

REDES ESAF. leitejuniorbr@yahoo.com.br 1 Redes - ESAF

REDES ESAF. leitejuniorbr@yahoo.com.br 1 Redes - ESAF REDES ESAF 01 - (ESAF - Auditor-Fiscal da Previdência Social - AFPS - 2002) Um protocolo é um conjunto de regras e convenções precisamente definidas que possibilitam a comunicação através de uma rede.

Leia mais

Endereçamento IP (Internet Protocolo)

Endereçamento IP (Internet Protocolo) Endereçamento IP (Internet Protocolo) Conceitos Host Qualquer dispositivo que possui placa de rede; IP Internet Protocol TCP Transmission Control Protocol 11-01-2005 Rui Morgado - TEC 2 Endereçamento IP

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Roteamento IP Redes de Computadores Objetivo Conhecer o modelo de roteamento da arquitetura TCP/IP Entender os conceitos básicos de algoritmo, métrica, tabela e protocolos de roteamento

Leia mais

Veja abaixo um exemplo de um endereço IP de 32 bits: 10000011 01101011 00010000 11001000

Veja abaixo um exemplo de um endereço IP de 32 bits: 10000011 01101011 00010000 11001000 4 Camada de Rede: O papel da camada de rede é transportar pacotes de um hospedeiro remetente a um hospedeiro destinatário. Para fazê-lo, duas importantes funções da camada de rede podem ser identificadas:

Leia mais

24/03/2015. Prof. Marcel Santos Silva

24/03/2015. Prof. Marcel Santos Silva Prof. Marcel Santos Silva Embora os roteadores possam ser usados para segmentar os dispositivos de LAN, seu principal uso é como dispositivos de WAN. Os roteadores têm interfaces de LAN e WAN. As tecnologias

Leia mais

ICORLI. INSTALAÇÃO, CONFIGURAÇÃO e OPERAÇÃO EM REDES LOCAIS e INTERNET

ICORLI. INSTALAÇÃO, CONFIGURAÇÃO e OPERAÇÃO EM REDES LOCAIS e INTERNET INSTALAÇÃO, CONFIGURAÇÃO e OPERAÇÃO EM REDES LOCAIS e INTERNET 2010/2011 1 Protocolo TCP/IP É um padrão de comunicação entre diferentes computadores e diferentes sistemas operativos. Cada computador deve

Leia mais

1 TCI/IP... 3 1.1 MODELO TCP/IP... 3 1.1.1 Camada de Aplicação... 4

1 TCI/IP... 3 1.1 MODELO TCP/IP... 3 1.1.1 Camada de Aplicação... 4 TCP/IP Brito INDICE 1 TCI/IP... 3 1.1 MODELO TCP/IP... 3 1.1.1 Camada de Aplicação... 4 1.1.1.1 Camada de Transporte... 4 1.1.1.2 TCP (Transmission Control Protocol)... 4 1.1.1.3 UDP (User Datagram Protocol)...

Leia mais

Funcionamento de ARP entre redes (sub-redes) distintas. Mecanismos de entrega. Funcionamento entre redes (sub-redes): default gateway

Funcionamento de ARP entre redes (sub-redes) distintas. Mecanismos de entrega. Funcionamento entre redes (sub-redes): default gateway Introdução Inst tituto de Info ormátic ca - UF FRGS Redes de Computadores Protocolos ARP e ICMP Aula 18 A camada de rede fornece um endereço lógico Uniforme, independente da tecnologia empregada pelo enlace

Leia mais

Administração de Redes e Conectividade ao PoP-BA. III WTR do PoP-BA Luiz Barreto luiz@pop-ba.rnp.br PoP-BA: Ponto de Presença da RNP na Bahia

Administração de Redes e Conectividade ao PoP-BA. III WTR do PoP-BA Luiz Barreto luiz@pop-ba.rnp.br PoP-BA: Ponto de Presença da RNP na Bahia Administração de Redes e Conectividade ao PoP-BA III WTR do PoP-BA Luiz Barreto luiz@pop-ba.rnp.br PoP-BA: Ponto de Presença da RNP na Bahia Sumário Fundamentos Arquitetura OSI e TCP/IP Virtual LAN: Dispositivos

Leia mais

Redes de Computadores II

Redes de Computadores II Redes de Computadores II Prof. Celio Trois portal.redes.ufsm.br/~trois/redes2 Roteamento Dinâmico Os protocolos de roteamento utilizados em redes pertencem a duas categorias: IGP (Interior Gateway Protocol)

Leia mais

Redes de Computadores II. Professor Airton Ribeiro de Sousa

Redes de Computadores II. Professor Airton Ribeiro de Sousa Redes de Computadores II Professor Airton Ribeiro de Sousa 1 PROTOCOLO IP IPv4 - Endereçamento 2 PROTOCOLO IP IPv4 - Endereçamento A quantidade de endereços possíveis pode ser calculada de forma simples.

Leia mais

Arquitetura TCP/IP. Filosofia da Internet

Arquitetura TCP/IP. Filosofia da Internet Arquitetura TCP/IP Filosofia da Internet foi projetada p/: ser aberta o bastante p/ permitir a execução em uma grande variedade de equipamentos de resistir a possíveis danos que prejudicassem seu funcionamento

Leia mais

Arquitetura TCP/IP Prof. Ricardo J. Pinheiro

Arquitetura TCP/IP Prof. Ricardo J. Pinheiro Fundamentos de Redes de Computadores Arquitetura TCP/IP Prof. Ricardo J. Pinheiro Resumo Histórico Objetivos Camadas Física Intra-rede Inter-rede Transporte Aplicação Ricardo Pinheiro 2 Histórico Anos

Leia mais

Endereço Físico (cont.)

Endereço Físico (cont.) O Protocolo ARP Endereço Físico Cada interface de rede (NIC network interface card) vem com um identificador único de fábrica. Este identificador é o endereço físico ou endereço de hardware da interface.

Leia mais

Fundamentos de Redes de Computadores. Arquitetura TCP/IP Endereçamento das Redes Classes de redes Principais protocolos

Fundamentos de Redes de Computadores. Arquitetura TCP/IP Endereçamento das Redes Classes de redes Principais protocolos Fundamentos de Redes de Computadores Arquitetura TCP/IP Endereçamento das Redes Classes de redes Principais protocolos Histórico O TCP/IP é um padrão de comunicação entre diferentes computadores e diferentes

Leia mais

CURSO AVANÇADO DE BGP DESIGN COM ROTEADORES CISCO

CURSO AVANÇADO DE BGP DESIGN COM ROTEADORES CISCO CURSO AVANÇADO DE BGP DESIGN COM ROTEADORES CISCO Instrutor: Rinaldo Vaz Analista de Redes Responsável técnico pelo AS 28135 Versão do material: 1.0 1.1 INTRODUÇÃO autor: Rinaldo Vaz rinaldopvaz@gmail.com

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA

INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA ÁREA DEPARTAMENTAL DE ENGENHARIA DE ELECTRÓNICA E TELECOMUNICAÇÕES E DE COMPUTADORES Redes de Computadores (LEIC/LEETC/LERCM) Nome: Nº de aluno: 3ª Ficha de Avaliação

Leia mais

Redes de Computadores. Mauro Henrique Mulati

Redes de Computadores. Mauro Henrique Mulati Redes de Computadores Mauro Henrique Mulati Roteiro Roteamento na Internet OSPF BGP IPv6 Revisão MPLS Roteamento na Internet IGP: Interior Gateway Protocol (Protocolo de Gateway Interior) Algoritmo de

Leia mais

Prof. Marcelo Cunha Parte 5 www.marcelomachado.com

Prof. Marcelo Cunha Parte 5 www.marcelomachado.com Prof. Marcelo Cunha Parte 5 www.marcelomachado.com Criado em 1974 Protocolo mais utilizado em redes locais Protocolo utilizado na Internet Possui arquitetura aberta Qualquer fabricante pode adotar a sua

Leia mais

Redes de Computadores. Mauro Henrique Mulati

Redes de Computadores. Mauro Henrique Mulati Redes de Computadores Mauro Henrique Mulati Roteiro Sub-redes NAT CIDR Protocolos de controle Sub-redes Todos os hosts de uma rede devem ter o mesmo número de rede Ex.: Universidade pega endereço de classe

Leia mais

ESTUDOS REALIZADOS. Camada Física. Redes de Computadores AULA 13 CAMADA DE REDE. Camada Física Camada de Enlace Subcamada de Acesso ao Meio AGORA:

ESTUDOS REALIZADOS. Camada Física. Redes de Computadores AULA 13 CAMADA DE REDE. Camada Física Camada de Enlace Subcamada de Acesso ao Meio AGORA: Redes de Computadores AULA 13 CAMADA DE REDE Profº Alexsandro M. Carneiro Outubro - 2005 ESTUDOS REALIZADOS Camada Física Camada de Enlace Subcamada de Acesso ao Meio AGORA: Camada de Rede Camada Física

Leia mais