REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO PARA OS CURSOS DE ENSINO MÉDIO INTEGRADO DO COLÉGIO PEDRO II

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO PARA OS CURSOS DE ENSINO MÉDIO INTEGRADO DO COLÉGIO PEDRO II"

Transcrição

1 REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO PARA OS CURSOS DE ENSINO MÉDIO INTEGRADO DO COLÉGIO PEDRO II TÍTULO I DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CAPÍTULO I DA NATUREZA E DAS FINALIDADES Art. 1º O Estágio Curricular Supervisionado é componente curricular obrigatório para a obtenção do diploma de técnico e deverá ser realizado sob orientação e supervisão, conforme a Lei n o 11788, de 25 de setembro de 2008, a Orientação Normativa n o 7, de 30 de outubro de 2008, a Resolução n o 1 CEB/CNE, de 21 de janeiro de 2004, e as normas descritas neste Regulamento. Art. 2º O Estágio Curricular Supervisionado constitui-se na interface entre a vida escolar e a vida profissional, dando continuidade ao processo de aprendizagem. 1º O Estágio Curricular Supervisionado transcende o nível de treinamento, sendo alvo de um planejamento criterioso que envolve a orientação, o encaminhamento, a supervisão e a avaliação do aluno-estagiário. CAPÍTULO II DA REALIZAÇÃO E DA JORNADA DE TRABALHO Art. 3º O Estágio Curricular Supervisionado poderá ser realizado por alunos com idade igual ou superior a 16 (dezesseis) anos completos, regularmente matriculados no 2º ou 3º ano do Ensino Médio Integrado, em todas as Áreas de Formação/ Eixos Tecnológicos oferecidos pelo Colégio Pedro II, e por alunos com idade igual ou superior a 17 (dezessete) anos completos, regularmente matriculados a partir do 3º período ou do 2º ano dos cursos oferecidos na modalidade Integrada à Educação de Jovens e Adultos (PROEJA). 1º O Estágio Curricular Supervisionado deverá ser encerrado no prazo máximo de 18 (dezoito) meses após a conclusão do último ano/ período do Ensino Médio Integrado/ PROEJA, ficando o aluno obrigado à renovação da matrícula para fins de manutenção do vínculo institucional até sua integralização. 2º Deverá ser observado o limite máximo de 5 (cinco) anos entre a matrícula inicial do aluno e a integralização do Estágio Curricular Supervisionado, incluindo a entrega do Relatório Final, conforme disposto na Resolução n o 1 CEB/CNE, de 21 de janeiro de º Quando o prazo previsto no anterior não puder ser cumprido, deverá ser encaminhada justificativa por escrito à Coordenação Geral do Estágio Curricular Supervisionado do Colégio Pedro II, na. Art. 4º O Estágio Curricular Supervisionado no Colégio Pedro II poderá ser integralizado pelo conjunto de atividades descritas nos Anexos I e II deste Regulamento, conforme o curso, observando-se a carga horária ali apontada. 1º Os cursos de Ensino Médio Integrado à Educação de Jovens e Adultos _ PROEJA, dada sua especificidade, atenderão a diretrizes e atividades específicas, obedecendo ao estabelecido pelo Departamento de Ciência da Computação do Colégio Pedro II. 2º O Estágio Curricular Supervisionado dos alunos do curso de Ensino Médio Integrado à Educação de Jovens e Adultos _ PROEJA oferecido pelo Colégio Pedro II em convênio com o Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca/ CEFET-RJ será orientado pela Instituição responsável pelas disciplinas de Formação Técnica. Art. 5º No caso do Estágio Corporativo, a duração do Estágio Curricular Supervisionado é de até 6 (seis) horas diárias, não podendo o contrato de estágio ultrapassar o período de doze meses nem a jornada semanal exceder 30 (trinta) horas (Lei n de 25 de setembro de 2008). 1º No caso da realização do Estágio Corporativo em locais diferentes, a soma dos períodos de realização não poderá exceder a 12 (doze) meses. 2º Poderão ser feitas concessões no que diz respeito ao turno de estágio para o aluno que já tiver concluído, com êxito, todos os demais componentes curriculares previstos para o curso, mediante declaração de interesse por parte da Instituição e a concordância do aluno. 1

2 Art. 6º Caso tenha concluído com êxito todos os componentes curriculares obrigatórios previstos para o curso à exceção do Estágio Curricular Supervisionado, o aluno deverá manter sua matrícula ativa no Colégio Pedro II de forma a poder concluí-lo. 1º Os casos de abandono do Estágio Curricular Supervisionado serão julgados pela Coordenação Geral do Estágio Curricular Supervisionado do Colégio Pedro II na, ouvida a respectiva Comissão de Estágio na Unidade Escolar. CAPÍTULO III DO CREDENCIAMENTO DE INSTITUIÇÕES PARA FINS DE ESTÁGIO CORPORATIVO Art. 7º O Estágio Corporativo só será considerado válido se, atendidas a todas as exigências pedagógicas, tiver sido realizado na própria Instituição de Ensino ou em órgãos públicos, empresas e instituições privadas credenciadas pelo Colégio Pedro II para este fim ou que com ele tenham um Termo de Compromisso. 1º O credenciamento de Instituições para fins de realização de Estágio Corporativo será feito através da Seção de Pesquisa, Extensão e Cultura da _ SEPEC/DE, que providenciará a assinatura do convênio ou do Termo de Compromisso. 2º Estabelecido o convênio, a concedente do Estágio Corporativo poderá, a qualquer tempo, requisitar estagiários ao Colégio Pedro II, através da Coordenação Geral do Estágio Curricular Supervisionado no Colégio Pedro II. 3º No ato da assinatura do convênio ou do Termo de Compromisso, a concedente do Estágio Corporativo se obriga a providenciar seguro contra acidentes pessoais em favor do aluno estagiário. Art. 8º A manutenção do credenciamento estará condicionada à autorização da concedente do Estágio Corporativo para a realização de visitas por parte da Coordenação Geral do Estágio Curricular Supervisionado do Colégio Pedro II. único. A Coordenação Geral do Estágio Curricular Supervisionado poderá solicitar à Diretora- Geral do Colégio Pedro II o descredenciamento da concedente do estágio se caracterizada transgressão a este Regulamento. Art. 9º O Colégio Pedro II, nos termos dos seus projetos pedagógicos, zelará para que os estágios sejam realizados em locais que tenham efetivas condições de proporcionar aos alunos estagiários experiências profissionais satisfatórias pela participação em situações reais de vida e de trabalho no seu meio. Art. 10 O Colégio Pedro II poderá vir a desenvolver Programa Interno de Estágio Curricular Supervisionado, a ser desenvolvido na própria Instituição. único. No caso da realização de estágio conforme disposto no caput deste Artigo, deverá ser assinado um Termo de Adesão de Voluntário, além de obedecidos todos os procedimentos aqui previstos para as demais Instituições, no que couber. CAPÍTULO IV DOS PROCEDIMENTOS PARA O ESTÁGIO E DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS Art 11 Os alunos que obedecerem aos critérios estabelecidos no Artigo 3º deste Manual e, portanto, estiverem aptos a realizar o Estágio Curricular Supervisionado deverão dirigir-se à Comissão de Estágio de sua Unidade Escolar, em período estabelecido em calendário, para manifestar seu interesse em realizar o Estágio e efetuar sua inscrição. 1º As inscrições serão realizadas pela intranet, que somente pode ser acessada através de computadores instalados no Colégio Pedro II. 2º Para proceder à inscrição, o aluno deverá dirigir-se ao Laboratório de Informática ou ao SESOP de sua Unidade Escolar. 3º Após efetuar a inscrição, será emitido um comprovante, que deverá ser mantido sob a guarda do aluno até a integralização do Estágio Curricular Supervisionado. Cópia deste comprovante deverá ser entregue ao SESOP da Unidade Escolar. Art. 12 A concedente de Estágio Corporativo só poderá oferecer vagas através de documento oficial encaminhado à Coordenação Geral do Estágio Curricular Supervisionado do Colégio Pedro II, juntamente com a relação de atividades a serem nele desenvolvidas. 2

3 1º O Colégio Pedro II, através da SEPEC/DE, encaminhará à concedente do estágio, através de documento oficial, listagem de alunos inscritos. 2º A concedente de Estágio Corporativo deverá encaminhar o Plano de Estágio para avaliação e aprovação pelo Colégio Pedro II. 3º A Comissão de Estágio na respectiva Unidade Escolar providenciará a assinatura do Termo de Compromisso e dos demais documentos necessários ao início do Estágio Corporativo desde que devidamente autorizada pela Coordenação Geral do Estágio Curricular Supervisionado do Colégio Pedro II, através da SEPEC/DE. 4º Será assinado Termo Aditivo ao Termo de Compromisso quando: I- o contrato inicial de Estágio Corporativo não atingir a carga horária mínima do curso; II- a carga horária mínima do curso tiver sido cumprida e a concedente expressar, por escrito, a intenção de renovação do estágio, desde que obedecido o limite máximo estabelecido no caput do Artigo 4º deste Regulamento; forem feitas quaisquer alterações no disposto no Termo de Compromisso. Art. 13 A Instituição na qual vier a ser realizado o Estágio Corporativo deverá encaminhar à SEPEC/DE a indicação de um profissional com formação em área correlata à do aluno estagiário para atuar como o Supervisor do Estágio na Instituição, sem o quê a realização do Estágio não será autorizada. único. As atividades realizadas pelo aluno estagiário deverão estar de acordo com o conjunto das atribuições reconhecidas pelo respectivo Conselho Profissional, quando couber. Art. 14 São documentos obrigatórios ao desenvolvimento do Estágio Curricular Supervisionado: I- Plano de Estágio devidamente aprovado pela Coordenação Geral do Estágio no Colégio Pedro II; II- IV- Termo de Compromisso assinado pelo aluno estagiário e pela concedente do Estágio Corporativo; Registro diário das atividades desenvolvidas pelo aluno; Relatório Técnico de Estágio elaborado pelo aluno estagiário, sob a orientação do Professor Orientador; V- Avaliação; VI- Auto-avaliação. Art. 15 A seleção dos alunos inscritos no Programa Interno de Estágio Curricular Supervisionado do Colégio Pedro II será feita mediante inscrição nas Unidades Escolares, classificando-se os alunos conforme os critérios abaixo relacionados, nesta ordem: a) alunos regularmente matriculados no Colégio Pedro II e que já tenham concluído, com êxito, todos os componentes curriculares previstos para o curso; b) alunos regularmente matriculados no Colégio Pedro II, no último ano/ período do curso; c) alunos regularmente matriculados no Colégio Pedro II, no 2º ano do curso. 1º Em caso de empate, terá preferência o aluno de maior idade. 2º Em permanecendo o empate, outros critérios poderão ser considerados, após avaliação. Art. 16 O emprego registrado em carteira profissional e o contrato temporário poderão ser considerados válidos como Estágio Curricular Supervisionado na modalidade de capacitação em serviço, desde que ocorram em atividades pertinentes à área de habilitação cursada pelo aluno e que sejam cumpridas todas as demais normas previstas neste Regulamento. TÍTULO II DA SUPERVISÃO INSTITUCIONAL CAPÍTULO I DA COORDENAÇÃO DAS ATIVIDADES Art. 17 A Coordenação Geral do Estágio Curricular Supervisionado no Colégio Pedro II está a cargo de comissão integrada pelos seguintes profissionais: I- Diretora-Adjunta de Ensino Médio; II- Chefe da Seção de Pesquisa, Extensão e Cultura da ; 3

4 IV- Chefe da Seção de Supervisão e Orientação Pedagógica da ; Chefe(s) do(s) Departamento(s) Pedagógico(s) do(a) Eixo Tecnológico/ Área de Formação de cada curso. Parágrafo único. A Coordenação Geral do Estágio Curricular Supervisionado deverá atuar como órgão supervisor do trabalho desenvolvido pelos alunos dos cursos técnicos mantidos pelo Colégio Pedro II, cabendo a ela a decisão sobre eventuais recursos ou julgamento de situações não previstas neste Manual. Art. 18 Em cada uma das Unidades Escolares do Colégio Pedro II que mantiver cursos de Ensino Médio Integrado, será formada uma Comissão de Estágio, com o objetivo precípuo de orientar e supervisionar o desenvolvimento do Estágio Curricular Supervisionado no âmbito da Unidade Escolar, e constituída pelos seguintes profissionais: I- um Coordenador de Série, dentre aqueles que atuam no Ensino Médio, e/ ou Coordenador do PROEJA; II- um membro do SESOP da Unidade Escolar; Coordenador(es) Pedagógico(s) diretamente ligado(s) ao(à) Eixo Tecnológico/ Área de Formação do curso; IV- professor(es)orientador(es). CAPÍTULO II DAS COMPETÊNCIAS Art. 19 Compete à Coordenação Geral do Estágio Curricular Supervisionado: I- elaborar e divulgar o calendário anual; II- IV- solicitar o credenciamento de Instituições, através de convênios ou da assinatura do Termo de Compromisso; divulgar as Instituições credenciadas e as vagas disponíveis para estágio, bem como os critérios para o seu preenchimento; analisar as causas para a rescisão de contrato de estágio por parte das Instituições conveniadas; V- solicitar o descredenciamento de Instituições que não atendam aos objetivos do Estágio Curricular Supervisionado no Colégio Pedro II; VI- julgar recursos provenientes das Unidades Escolares, encaminhados através da Comissão de Estágio. 1º Compete à Chefe da Seção de Pesquisa, Extensão e Cultura da manter permanente diálogo com as Instituições conveniadas para o envio e recebimento do material relativo ao cumprimento do Estágio Corporativo dos alunos do Colégio Pedro II, bem como de documentos oficiais visando ao preenchimento das vagas por elas oferecidas. 2º Compete ao(s) Chefe(s) do(s) Departamento(s) Pedagógico(s) ligado(s) ao(à) Eixo Tecnológico/ Área de Formação do curso indicar o(s) professor(es) que atuará(ão) como Orientador(es) do Estágio Curricular Supervisionado nas diversas Unidades Escolares onde o(s) curso(s) é(são) oferecido(s), dentre os lotados em cada uma delas, atuando como elemento de ligação entre eles e a Coordenação Geral. Art. 20 Compete à Comissão de Estágio Curricular Supervisionado nas Unidades Escolares: I- obedecer e fazer cumprir este Regulamento; II- orientar os alunos quanto aos procedimentos relativos ao Estágio Curricular Supervisionado; IV- participar da elaboração do calendário anual; divulgar o calendário anual e as Instituições conveniadas junto aos alunos; V- encaminhar os alunos para o preenchimento de vagas oferecidas por Instituições concedentes de Estágio Corporativo; VI- VII- receber a documentação de cumprimento do Estágio realizado pelos alunos; validar o Estágio realizado pelos alunos, após análise da documentação; V encaminhar a documentação para arquivo na pasta do aluno na Secretaria de Assentamentos Escolares da Unidade Escolar; IX- analisar os pedidos de dispensa de Estágio Curricular Supervisionado; 4

5 X- analisar as causas do abandono do Estágio pelo aluno; XI- encaminhar os recursos à Coordenação Geral do Estágio Curricular Supervisionado. Art. 21 Compete ao Supervisor do Estágio Curricular Supervisionado: I- elaborar e submeter à apreciação prévia da Coordenação Geral do Estágio Curricular Supervisionado o Plano de Estágio a ser cumprido pelo aluno; II- orientar o aluno nas atividades de Estágio Corporativo; encaminhar à Coordenação Geral do Estágio Curricular Supervisionado, ao final do período de estágio, a Ficha Individual de Frequência e Avaliação do aluno estagiário. Art. 22 Compete ao Professor Orientador do Estágio Curricular Supervisionado: I- analisar o Plano de Estágio junto com o aluno; II- orientar o aluno quanto às normas de conduta e de linguagem a serem observadas durante o Estágio na Instituição concedente; orientar o aluno no que diz respeito à correta interpretação das Normas para Elaboração do Relatório Técnico de Estágio, bem como na sua elaboração; IV- receber os Relatórios Técnicos de Estágio para avaliação, encaminhando-os e corrigindo-os, dando parecer sobre sua aceitabilidade e orientando o aluno quanto às correções a serem feitas. Art. 23 Compete ao aluno estagiário: I- acatar as normas constantes deste Regulamento; II- acatar as normas da Instituição na qual for desenvolvido o Estágio Corporativo. efetuar sua inscrição para o cumprimento do Estágio Curricular Supervisionado no período previsto no calendário elaborado pelo Colégio Pedro II para este fim; IV- manter sua matrícula atualizada e renovada no Colégio Pedro II até a conclusão do Estágio Curricular Supervisionado; V- comparecer à Instituição concedente de Estágio, munido da Carta de Apresentação concedida pela Comissão de Estágio na Unidade Escolar, quando for o caso; VI- devolver o Termo de Compromisso à Comissão de Estágio, devidamente assinado, no prazo de 15 (quinze) dias após o início do estágio; VII- elaborar o cronograma de acompanhamento do Estágio Curricular Supervisionado em conjunto com o Professor Orientador; V elaborar Relatórios Técnicos de Estágio, com as atividades desenvolvidas, conforme as normas deste regulamento; IX- informar ao professor Orientador de Estágio quaisquer ocorrências referentes ao seu estágio na Instituição; X- participar de reuniões no Colégio Pedro II, quando convocados. TÍTULO III DO DESLIGAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CAPÍTULO ÚNICO Art. 24 O desligamento do aluno do Estágio Curricular Supervisionado ocorrerá: I- automaticamente ao seu término, cumpridas as horas e os procedimentos estabelecidos no Plano de Curso; II- a qualquer tempo, no interesse e conveniência do Colégio Pedro II; a pedido do estagiário; IV- em decorrência do descumprimento de qualquer compromisso assumido por ocasião da assinatura do Termo de Compromisso; V- pelo não comparecimento do estagiário, sem motivo justificado, por mais de 5 (cinco) dias, consecutivos ou não, no período de um mês, ou por 30 (trinta) dias durante todo o período de estágio; VI- pela interrupção do curso no Colégio Pedro II, por trancamento de matrícula, abandono ou não renovação da matrícula; VII- por conduta inadequada. 5

6 TÍTULO IV DA DISPENSA DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CAPÍTULO ÚNICO Art. 25 Entende-se por dispensa do Estágio Curricular Supervisionado a liberação do aluno regularmente matriculado no Colégio Pedro II de realizar esta atividade em função de possuir comprovada experiência profissional no mundo produtivo, obtida no desenvolvimento de atividades profissionais inerentes ou correlatas às do perfil profissional de seu curso, comprovado o cumprimento da carga horária mínima estabelecida no Plano de Curso. Art. 26 A dispensa do Estágio Curricular Supervisionado deverá ser requerida no Protocolo da Unidade Escolar de matrícula do aluno, no prazo estabelecido, contendo: I- relatório da experiência adquirida, através do preenchimento de formulário específico para este fim, com a caracterização das atividades desenvolvidas, o número de horas nelas empregadas e a avaliação da empresa; II- fotocópia e original da carteira profissional ou do contrato de trabalho, devidamente assinados. Parágrafo único. O aluno deverá comprovar haver exercido atividades profissionais correlatas ao seu curso, por período igual ou superior a um semestre ininterrupto. Art. 25 O deferimento do pedido de dispensa de Estágio está condicionado à análise de sua viabilidade pela Comissão de Estágio da respectiva Unidade Escolar, ouvida a Coordenação Geral do Estágio Curricular Supervisionado, se necessário. Art. 26 Os casos omissos serão avaliados pela Comissão de Estágio de cada Unidade Escolar, ouvidas a Direção da Unidade Escolar, a Coordenação Geral do Estágio Curricular Supervisionado e a Diretoria de Ensino, sempre que necessário. 6

7 ANEXO I Atividades consideradas para efeito de validação do Estágio Curricular Supervisionado Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação/ Técnico em Informática OBS: Essas atividades não se aplicam ao PROEJA. A formação do aluno do Ensino Médio Integrado em Informática será composta de conteúdos e atividades práticas, sob a supervisão dos professores responsáveis, dentro de uma dinâmica previamente estabelecida. Essas atividades constituem-se em práticas acadêmicas obrigatórias para os alunos, apresentadas sob múltiplos formatos, com o objetivo de: aproximar o estudante da realidade do mercado de trabalho que exige do profissional um espírito empreendedor, capacidade de liderança, perseverança e habilidade para constante atualização; ampliar os horizontes do conhecimento, bem como fornecer práticas e experiências extra-classe; complementar o currículo do curso; proporcionar ao estudante oportunidade de se qualificar, com vistas a um mercado cada vez mais exigente e seletivo; estimular o aprendizado científico; estimular o estudante a participar de eventos técnico-científicos que possam contribuir para a sua formação profissional. Dentro destes moldes, o Estágio Curricular Supervisionado em Informática, com carga horária mínima de 400 horas, deverá ser cumprido em atividades distribuídas como se segue: 1) Trabalho de Conclusão de Curso Carga Horária Máxima: 150 horas Comprovação: Documentação do sistema impressa em duas vias e gravada em meio digital Observação: Atividade obrigatória 2) Estágio Corporativo Carga Horária: sem limite Comprovação: Termo de Compromisso, Plano de Estágio, Registro Diário de Atividades, Ficha de Avaliação do Estágio e Ficha de Auto-Avaliação do Aluno. 3) Trabalho na Área com Vínculo Empregatício Formal Carga Horária: sem limite Comprovação: Carteira profissional com registro regular e declaração da empresa em modelo prédefinido. 4) Cursos na Área de Informática com Tema Relacionado ao Desenvolvimento de Software Carga Horária Máxima: 80 horas Requisitos: Certificado com aproveitamento superior a 70%, em qualquer modalidade de ensino, e frequência superior a 75% das aulas em cursos presenciais. 5) Participação em seminários, simpósios, conferências e congressos Carga Horária Máxima: 50 horas Requisitos: Certificado de presença e relatório 6) Palestra Carga Horária Máxima: 30 horas Requisitos: Certificado de presença e relatório 7) Monitoria em Disciplinas Técnicas do Ensino Médio Integrado em Informática Carga Horária Máxima: 96 horas Requisitos: Relatório do professor orientador 7

8 8) Monitorias de Auxílio na Organização de Seminário, Simpósios ou Congressos Internos em Atividades Relacionadas ao Desenvolvimento de Sistemas Carga Horária Máxima: 15 horas Comprovação: Certificado de participação ou relatório da comissão organizadora do evento. 9) Pesquisa e Iniciação Científica com Atuação em Atividades de Desenvolvimento de Sistemas Carga Horária Máxima: sem limite Comprovação: Relatório de atividade firmado pelo docente responsável. 10) Apresentação de Trabalho ligado à Informática em Eventos Científicos Carga Horária: sem limite Requisitos: Certificado de participação e trabalho apresentado 11) Viagens Acadêmicas Educacionais Carga Horária Máxima: 50 horas Comprovação: Certificado da Instituição ou órgão visitado ou declaração do professor responsável. 12) Visitas Técnicas Carga Horária Máxima: 24 horas Requisitos: Relatório e declaração do professor responsável. Cabe destacar que este Programa de Estágio tem, como objetivo suplementar, desenvolver no aluno a autonomia e a habilidade de gestão de seu aprendizado. Por isso, é importante lembrar que caberá ao mesmo: entrar em contato com os professores para estabelecer o vínculo de supervisão no Programa de Estágio; propor atividades ao supervisor de estágio que procederá a devida análise sobre a validade do evento como atividade componente do programa de estágio; Obs: Serão creditadas apenas as atividades previamente autorizadas pelo professor responsável pelo estágio. apresentar ao professor responsável documento comprobatório de participação em eventos, em formulário próprio, ao término de toda atividade autorizada; registrar sua presença em atividades internas; obter declaração, certificado ou diploma de atividade desenvolvida em atividades externas. 8

9 ANEXO II Atividades consideradas para efeito de validação Estágio Curricular Supervisionado Eixo Tecnológico: Ambiente, Saúde e Segurança/ Técnico em Meio Ambiente A formação do aluno do Ensino Médio Integrado em Meio Ambiente é composta de conteúdos e atividades práticas, sob a supervisão dos professores responsáveis, dentro de uma dinâmica previamente estabelecida. Essas atividades constituem-se em práticas acadêmicas obrigatórias para os alunos, apresentadas sob múltiplos formatos, com o objetivo de: estimular o aprendizado científico; ampliar os horizontes do conhecimento, bem como fornecer práticas e experiências extraclasse; complementar o currículo do curso; estimular o estudante a participar de eventos técnico-científicos que possam contribuir para sua formação profissional; aproximar o estudante da realidade do mercado de trabalho, que exige do profissional um espírito empreendedor, capacidade de liderança, perseverança e habilidade para constante atualização, proporcionando-lhe a oportunidade de se qualificar. Nestes moldes, o Ensino Médio Integrado em Meio Ambiente institui o Programa de Estágio e Atividades Complementares, que deverá ter carga mínima de 400 horas, distribuídas nas seguintes atividades: 1) Trabalho de Conclusão de Curso Carga horária máxima: 150 horas Comprovação: documentação impressa em duas vias e gravada em meio digital Observação: Atividade obrigatória 2) Estágio corporativo Carga horária: sem limite Comprovação: Termo de Compromisso, Plano de Estágio, Registro diário de Atividades, Ficha de Avaliação do Estágio e Ficha de Auto-Avaliação do Aluno 3) Trabalho na Área com Vínculo Empregatício Formal Carga horária: sem limite Comprovação: Carteira Profissional com registro regular e declaração da empresa em modelo prédefinido 4) Participação em seminários, simpósios, conferências e congressos Carga horária máxima: 50 horas Requisitos: certificado de presença e relatório 5) Palestras Carga horária máxima: 30 horas Requisitos: certificado de presença e relatórios 6) Pesquisa e Iniciação Científica com atuação em atividades de desenvolvimento de projetos ambientais Carga horária máxima: 150 horas Comprovação: relatório de atividade, firmado pelo docente responsável 7) Apresentação de trabalho ligado ao Meio Ambiente em eventos científicos Carga horária: 20 horas (5 horas por evento) Requisitos: certificado de participação e trabalho apresentado 8) Viagens acadêmicas educacionais Carga horária máxima: 60 horas (12 horas por viagem) Requisitos: certificado da entidade ou órgão visitado ou declaração do professor responsável 9

10 9) Visitas técnicas Carga horária máxima: 24 horas (6 horas por visita) Requisitos: relatório e declaração do professor responsável Cabe destacar que este Programa de Estágio tem, como objetivo suplementar, desenvolver no aluno a autonomia e a habilidade de gestão de seu aprendizado, cabendo ao mesmo: entrar em contato com os professores para estabelecer o vínculo de supervisão no Programa de Estágio; propor atividades ao supervisor de estágio, que procederá à devida análise da validade do evento como atividade componente do Programa; Obs: Serão creditadas apenas as atividades previamente autorizadas pelo professor responsável pelo estágio. apresentar ao professor responsável documento comprobatório de participação em eventos, em formulário próprio, ao término de toda atividade autorizada; registrar sua presença em atividades internas; obter declaração, certificado ou diploma de atividade desenvolvida em atividades externas. 10

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO APRESENTAÇÃO Dispõe sobre as normas para realização de Estágio Supervisionado pelos acadêmicos da Faculdade de Belém FABEL. O presente regulamento normatiza o Estágio

Leia mais

NORMATIZAÇÃO DE ESTÁGIO PARA OS CURSOS TÉCNICOS E SUPERIORES DO IFSULDEMINAS

NORMATIZAÇÃO DE ESTÁGIO PARA OS CURSOS TÉCNICOS E SUPERIORES DO IFSULDEMINAS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS NORMATIZAÇÃO DE ESTÁGIO PARA OS CURSOS TÉCNICOS E SUPERIORES

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Roberto Simonsen

Faculdade de Tecnologia SENAI Roberto Simonsen 1 SUMÁRIO Conteúdo 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. O CURSO... 3 3. PERFIL DO TECNÓLOGO EM MANUTENÇÃO INDUSTRIAL... 3 4. ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES... 3 5. CONDIÇÕES GERAIS DO ESTÁGIO... 5 6. MATRÍCULA...

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DO CESUBE

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DO CESUBE REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DO CESUBE Considerando o significado e a importância do Estágio como parte fundamental da formação profissional, define-se

Leia mais

NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA OS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS DA PUCRS

NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA OS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS DA PUCRS NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA OS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS DA PUCRS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS: Habilitações: Língua Portuguesa e respectivas Literaturas Língua Espanhola e respectivas

Leia mais

REGULAMENTO DA DISCIPLINA ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS SUPERIORESDE GRADUAÇÃO DO CEFET-PR. Capítulo I DO ESTÁGIO E SUAS FINALIDADES

REGULAMENTO DA DISCIPLINA ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS SUPERIORESDE GRADUAÇÃO DO CEFET-PR. Capítulo I DO ESTÁGIO E SUAS FINALIDADES REGULAMENTO DA DISCIPLINA ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS SUPERIORESDE GRADUAÇÃO DO CEFET-PR Capítulo I DO ESTÁGIO E SUAS FINALIDADES Art. 1º - O Estágio Curricular, baseado na lei nº 6.494,

Leia mais

Regulamento Interno. de Estágios

Regulamento Interno. de Estágios Regulamento Interno de Estágios Índice Apresentação... 3 Capítulo 1 Caracterização e objetivo do estágio... 3 Capítulo 2 - Oferta de vagas de estágio... 4 Capítulo 3 - Duração do estágio... 5 Capítulo

Leia mais

ANEXO I: REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

ANEXO I: REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES ANEXO I: REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Fixa normas para o funcionamento das Atividades Complementares para o curso de Administração da Universidade Federal de Mato Grosso, campus Rondonópolis/Mato

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO VICENTE

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO VICENTE FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO VICENTE REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURSOS SUPERIORES SUMÁRIO Apresentação...03 Regulamentação de estágio Estágio...04 Matrícula de estágio...05 Carga Horária e prazo para conclusão...05

Leia mais

Resolução nº. 01/09. Título I Estágio Supervisionado. Capítulo I. Caracterização do Estágio:

Resolução nº. 01/09. Título I Estágio Supervisionado. Capítulo I. Caracterização do Estágio: 1 Resolução nº. 01/09 Aprovar o Regulamento do Estágio Curricular Supervisionado do Curso de Pedagogia - considerando o art.70, VII do Regimento desta Instituição; - considerando necessidade de normatizar

Leia mais

Escola SENAI Anchieta

Escola SENAI Anchieta REGULAMENTAÇÃO DE ESTÁGIO Versão 02 1. Do estágio O diploma de técnico só será conferido ao aluno que realizar, no país, a complementação curricular obrigatória, na forma de estágio supervisionado prevista

Leia mais

REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO GRADE CURRICULAR 2008-2010 RIO CLARO 2010 1 REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CAPÍTULO I Da Origem, Finalidades e das Modalidades Art. 1º -

Leia mais

CONSELHO SUPERIOR DO ISEI RESOLUÇÃO Nº 01/ 2007, DE 29 DE JUNHO DE 2007

CONSELHO SUPERIOR DO ISEI RESOLUÇÃO Nº 01/ 2007, DE 29 DE JUNHO DE 2007 CONSELHO SUPERIOR DO ISEI RESOLUÇÃO Nº 01/ 2007, DE 29 DE JUNHO DE 2007 Aprova o regulamento dos Estágios Supervisionados dos cursos de Graduação - Licenciaturas do ISEI. O Presidente do Conselho Superior

Leia mais

Regulamento Atividades Complementares. Faculdade da Cidade de Santa Luzia - FACSAL

Regulamento Atividades Complementares. Faculdade da Cidade de Santa Luzia - FACSAL Regulamento Atividades Complementares Faculdade da Cidade de Santa Luzia - 2014 Regulamento das Atividades Complementares CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Artigo 1º - As Atividades

Leia mais

NORMAS DO ESTÁGIO CURRICULAR

NORMAS DO ESTÁGIO CURRICULAR ANEXO C UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE COMISSÃO COORDENADORA DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Fone: (31) 3899-2526. E-mail: cobio@ufv.br NORMAS DO ESTÁGIO CURRICULAR

Leia mais

Curso de Sistema de Informação

Curso de Sistema de Informação 1 Regulamento de Estágio Curricular Obrigatório Curso de Sistema de Informação Cascavel - PR CAPITULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º. Este regulamento tem por finalidade normatizar o Estágio Curricular

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FACULDADE ANGLO-AMERICANO CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Art. 1º Este Regulamento disciplina as atividades do Estágio Curricular Supervisionado,

Leia mais

REGIMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE TURISMO DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

REGIMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE TURISMO DAS DISPOSIÇÕES GERAIS REGIMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE TURISMO DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Os estágios curriculares do Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Turismo do Instituto

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DE GRADUAÇÃO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL O Colegiado do Curso de Tecnologia em Gestão Ambiental, no uso de suas atribuições, resolve aprovar, com registro

Leia mais

CAPÍTULO I CONCEITO, FINALIDADE E OBJETIVOS

CAPÍTULO I CONCEITO, FINALIDADE E OBJETIVOS VOTO CONSU 2009-02 de 23/04/2009 2011-03 de 24/03/2011 2012-19 de 14/06/2012 REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO Estabelece as normas institucionais para a realização de Estágios

Leia mais

REGULAME TO DE ESTÁGIO

REGULAME TO DE ESTÁGIO Serviço Público Federal I STITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊ CIA E TEC OLOGIA SUL-RIO-GRA DE SE - IFSul REGULAME TO DE ESTÁGIO CAPÍTULO I DA ATUREZA E DAS FI ALIDADES Art. 1 O estágio constitui-se na interface

Leia mais

Universidade Estadual de Maringá Centro de Tecnologia

Universidade Estadual de Maringá Centro de Tecnologia RESOLUÇÃO Nº 094/2010-CTC CERTIDÃO Certifico que a presente resolução foi afixada em local de costume, neste Centro, no dia 16/12/2010. Éder Rodrigo Gimenes Secretário Aprova Regulamento do componente

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADES DEL REY

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADES DEL REY REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADES DEL REY Sumário Título I... 3 Das disposições Preliminares... 3 Título II... 4 Caracterização do Estágio... 4 Capítulo

Leia mais

Manual de Estágio Supervisionado

Manual de Estágio Supervisionado NEP Manual de Estágio Supervisionado Sumário Apresentação.................................................................... 3 Considerações Iniciais............................................................

Leia mais

Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso de Engenharia Elétrica

Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso de Engenharia Elétrica Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso de Engenharia Elétrica 1. APRESENTAÇÃO O Estágio Curricular Supervisionado Obrigatório no curso de Engenharia Elétrica é uma atividade curricular obrigatória

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURSOS TÉCNICOS Revisão: setembro/2012 Escola SENAI Santos Dumont CFP 3.02 Rua Pedro Rachid, 304 Santana São José dos Campos - SP Fone: (12) 3519-4850 Fax: (12) 3922-9060 ELABORAÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO GERAL ESTÁGIO SUPERVISIONADO LICENCIATURA

REGULAMENTO GERAL ESTÁGIO SUPERVISIONADO LICENCIATURA REGULAMENTO GERAL ESTÁGIO SUPERVISIONADO LICENCIATURA APRESENTAÇÃO 1. CARGA HORÁRIA DE ESTÁGIO 2. A COORDENAÇÃO DE ESTÁGIOS 2.1. SUPERVISÃO GERAL DE ESTÁGIOS 2.2. COORDENADORES DE CURSO 2.3. PROFESSORES

Leia mais

TERMO DE CONVÊNIO DE ESTÁGIO ( IES x ENTIDADE CONCEDENTE)

TERMO DE CONVÊNIO DE ESTÁGIO ( IES x ENTIDADE CONCEDENTE) TERMO DE CONVÊNIO DE ESTÁGIO ( IES x ENTIDADE CONCEDENTE) PARTES ESSENCIAIS: I- QUALIFICAÇÃO DAS PARTE; II- INFORMAÇÕES RELEVANTES; III- CLÁUSULAS; IV- ASSINATURAS: das partes através de seus representantes

Leia mais

Curso de Engenharia de Elétrica

Curso de Engenharia de Elétrica Regulamento de Estágio Curricular Obrigatório Curso de Engenharia de Elétrica Cascavel-PR 2011 - 2 - CAPITULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º. Este regulamento tem por finalidade normatizar o Estágio

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE FARMÁCIA COE COMISSÃO DE ORIENTAÇÃO DE ESTÁGIOS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE FARMÁCIA COE COMISSÃO DE ORIENTAÇÃO DE ESTÁGIOS À Comunidade Acadêmica do Curso de Farmácia da UFPR. A Comissão Orientadora de Estágios (COE) do curso de Farmácia elaborou este documento com o objetivo de esclarecer as dúvidas referentes aos estágios

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DA UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE PALMEIRAS DE GOIÁS

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DA UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE PALMEIRAS DE GOIÁS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS Unidade Universitária de Palmeiras de Goiás Rua S-7, s/ nº _ Setor Sul_ Palmeiras de Goiás-GO Fone/ Fax: (64) 3571-1198 (64) 3571-1173 REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO REGULAMENTO PROVISÓRIO DE ESTÁGIO DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL

Leia mais

Colegiado do Curso de Graduação em Administração

Colegiado do Curso de Graduação em Administração Colegiado do Curso de Graduação em Administração Resolução nº 03/2012 de 08 de novembro de 2012 Fundamentada na LEI Nº 11.788, DE 25 DE SETEMBRO DE 2008. Regulamenta os procedimentos de Estágio Supervisionado

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 1 REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - Este regulamento normatiza as atividades relacionadas ao Estágio Curricular do Curso de Administração

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE ACOMPANHAMENTO E ORIENTAÇÃO DO ESTÁGIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES CAPÍTULO I

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE ACOMPANHAMENTO E ORIENTAÇÃO DO ESTÁGIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES CAPÍTULO I REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE ACOMPANHAMENTO E ORIENTAÇÃO DO ESTÁGIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES Dispõe sobre o Acompanhamento e Orientação do Estágio do Curso Superior de

Leia mais

RESOLUÇÃO N o 53 de 28/01/2013 - CAS RESOLVE: CAPÍTULO I DAS DEFINIÇÕES

RESOLUÇÃO N o 53 de 28/01/2013 - CAS RESOLVE: CAPÍTULO I DAS DEFINIÇÕES Regulamento de Estágios Estágios Não Obrigatórios Remunerados (ENOR) e Estágios Curriculares Obrigatórios (ECO) de alunos dos cursos superiores da Universidade Positivo. Aprovado pela Resolução n o 53

Leia mais

FACULDADE DE ARACRUZ FAACZ CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

FACULDADE DE ARACRUZ FAACZ CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS FACULDADE DE ARACRUZ FAACZ CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA O CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DA FACULDADE DE ARACRUZ - FAACZ ARACRUZ 2010 CAPÍTULO 1 DAS DISPOSIÇÕES

Leia mais

FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPITULO I DO OBJETIVO, DA NATUREZA E DA FINALIDADE

FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPITULO I DO OBJETIVO, DA NATUREZA E DA FINALIDADE FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPITULO I DO OBJETIVO, DA NATUREZA E DA FINALIDADE Art. 1º. O objetivo das Atividades Complementares é fomentar complementação

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA VOLUNTÁRIA 2008

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA VOLUNTÁRIA 2008 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS - UEMG ESCOLA DE DESIGN ED COORDENAÇÃO DE EXTENSÃO NUCLEO INTEGRADOR DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS - NIPP PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA VOLUNTÁRIA 2008 Aprovado pelo

Leia mais

CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS COLEGIADO DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS COLEGIADO DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Regulamento do Estágio Curricular Obrigatório do Bacharelado em Ciências Biológicas 1 CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS COLEGIADO DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO 2013 Coordenação Pedagógica: Prof. Ms José Luiz de Miranda Alves Coordenação do Núcleo de Estágio - NEST: Profª. Ms

Leia mais

Regulamento de Estágio

Regulamento de Estágio Regulamento de Estágio Capitulo I - Do Estágio e suas Finalidades Capitulo II - Da Forma de Realização Capitulo III - Da Inscrição, Duração e Encerramento do Estágio Capitulo IV - Do Acompanhamento e Avaliação

Leia mais

SOCIEDADE CULTURAL E EDUCACIONAL DE ITAPEVA - ACITA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA - FAIT

SOCIEDADE CULTURAL E EDUCACIONAL DE ITAPEVA - ACITA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA - FAIT REGULAMENTO GERAL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA DA FAIT ATUALIZADO EM 22 DE MAIO DE 2013. PARA VIGÊNCIA A PARTIR DE 2013 2º SEMESTRE Itapeva- SP 1 ANO DE 2013 - REGULAMENTO

Leia mais

REGULAMENTO ATIVIDADE COMPLEMENTAR Curso de Ciências Contábeis

REGULAMENTO ATIVIDADE COMPLEMENTAR Curso de Ciências Contábeis REGULAMENTO ATIVIDADE COMPLEMENTAR Curso de O presente regulamento normativa as Atividades Complementares, componente do Projeto Pedagógico do Curso da Faculdade de Presidente Epitácio FAPE. DA NATUREZA

Leia mais

FAMEC REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO

FAMEC REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO FAMEC REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO 1 REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO (Lei Nº 11.788 / 2008) Regulamenta as atividades do Estágio Curricular da FAMEC e estabelece normas

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO FACULDADE SUMARÉ

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO FACULDADE SUMARÉ REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO FACULDADE SUMARÉ 2008 CAPÍTULO I DA CONCEPÇÃO E FINALIDADE Art. 1º. Respeitada a legislação vigente, as normas específicas aplicáveis a cada curso e, em

Leia mais

Manual de Atividades Complementares

Manual de Atividades Complementares CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Manual de Atividades Complementares Belo Horizonte 1 Prezado(a) aluno(a): Este é o Manual de Atividades Complementar

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA O CURSO DE GEOGRAFIAA DISTÂNCIA CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES GERAIS

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA O CURSO DE GEOGRAFIAA DISTÂNCIA CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES GERAIS REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA O CURSO DE GEOGRAFIAA DISTÂNCIA CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES GERAIS Art. 1º - Este Regulamento visa normatizar as Atividades Complementares do Curso de Pedagogia.

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACERES CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO GERAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACERES CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO GERAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACERES CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º As Atividades Complementares são componentes curriculares obrigatórios

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 064/2011 CEPE ANEXO ÚNICO NORMAS GERAIS DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO

RESOLUÇÃO Nº 064/2011 CEPE ANEXO ÚNICO NORMAS GERAIS DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO RESOLUÇÃO Nº 064/2011 CEPE ANEXO ÚNICO NORMAS GERAIS DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO Art. 1º O Estágio Curricular Obrigatório é ato educativo supervisionado, desenvolvido em ambiente de trabalho, que

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO Licenciaturas em: - Geografia - História - Informática - Letras

MANUAL DE ESTÁGIO Licenciaturas em: - Geografia - História - Informática - Letras MANUAL DE ESTÁGIO Licenciaturas em: - Geografia - História - Informática - Letras Rio de Janeiro Julho/2013 1. Apresentação O presente Manual foi reorganizado pelos membros do Colegiado dos Cursos de Licenciatura

Leia mais

ANEXO B REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES. Da caracterização

ANEXO B REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES. Da caracterização ANEXO B REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Regulamento aprovado pela Comissão de Curso em 07 de outubro de 2014 Este anexo regulamenta as Atividades Acadêmica- Científico-Culturais do Curso de Engenharia

Leia mais

FACULDADE DE CAMPINA GRANDE DO SUL Credenciada pela Portaria MEC nº 381/2001, de 05/03/2001 D.O.U. 06/03/2001

FACULDADE DE CAMPINA GRANDE DO SUL Credenciada pela Portaria MEC nº 381/2001, de 05/03/2001 D.O.U. 06/03/2001 FACULDADE DE CAMPINA GRANDE DO SUL Credenciada pela Portaria MEC nº 381/2001, de 05/03/2001 D.O.U. 06/03/2001 RESOLUÇÃO Nº.06/2008 Dispõe sobre a Normatização do Programa. de Cursos de Pós-Graduação Lato

Leia mais

UNIÃO DINÂMICA DE FACULDADES CATARATAS Centro Universitário Dinâmica das Cataratas

UNIÃO DINÂMICA DE FACULDADES CATARATAS Centro Universitário Dinâmica das Cataratas REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO CAPÍTULO I CARACTERIZAÇÃO E OBJETIVOS Art. 1º Art. 2º Art. 3º Art. 4º Estágio Supervisionado em Administração (ESA), é a disciplina

Leia mais

Regulamento Estágio Curricular Obrigatório

Regulamento Estágio Curricular Obrigatório Regulamento Estágio Curricular Obrigatório CST em Fabricação Mecânica CST em Gestão de Recursos Humanos CST em Mecatrônica Industrial 1 CAPÍTULO I DA JUSTIFICATIVA E FINALIDADES Art. 1º - O programa de

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA VETERINÁRIA

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA VETERINÁRIA REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA VETERINÁRIA DAS FINALIDADES Artigo 1º - O estágio curricular obrigatório do curso de graduação em Medicina Veterinária é

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento normatiza as atividades do Estágio Supervisionado em Publicidade e Propaganda

Leia mais

REGULAMENTO PARA ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE ENGENHARIA BIOMÉDICA

REGULAMENTO PARA ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE ENGENHARIA BIOMÉDICA REGULAMENTO PARA ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE ENGENHARIA BIOMÉDICA I - INTRODUÇÃO Art. 1º Art. 2º O presente regulamento tem por finalidade normatizar as Atividades Complementares do Curso de

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS DO CEFET-SP

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS DO CEFET-SP REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS DO CEFET-SP Capítulo I DA NATUREZA E SUAS FINALIDADES Art. 1º O estágio baseia-se na Lei nº. 11.788, sancionada em 25 de setembro de 2008. Parágrafo

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DE GUANHÃES, Estado de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais;

O PREFEITO MUNICIPAL DE GUANHÃES, Estado de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais; LEI Nº 2451 DE 24 DE NOVEMBRO DE 2011 Dispõe sobre o estágio de estudantes junto ao poder público Municipal, suas autarquias e fundações e dá outras providencias. O PREFEITO MUNICIPAL DE GUANHÃES, Estado

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ESCOLA DE FARMÁCIA E ODONTOLOGIA DE ALFENAS CENTRO UNIVERSITÁRIO FEDERAL

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ESCOLA DE FARMÁCIA E ODONTOLOGIA DE ALFENAS CENTRO UNIVERSITÁRIO FEDERAL REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO DE INTERESSE CURRICULAR DO CURSO DE QUÍMICA DA Efoa/Ceufe Resolução Nº 007/2005 pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE) O presente regulamento foi elaborado tendo

Leia mais

CURSOS ADMINISTRAÇÃO E CIÊNCIAS CONTÁBEIS

CURSOS ADMINISTRAÇÃO E CIÊNCIAS CONTÁBEIS PROJETO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES ANO 2007 CURSOS ADMINISTRAÇÃO E CIÊNCIAS CONTÁBEIS INTRODUÇÃO: Tendo como objetivo propiciar ao aluno um conjunto de oportunidades que se refletirão, de forma direta

Leia mais

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEME MENTARES CURSO DE ENFERMAGEM. Belo Horizonte

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEME MENTARES CURSO DE ENFERMAGEM. Belo Horizonte MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEME MENTARES CURSO DE ENFERMAGEM Belo Horizonte 2013 ÍNDICE 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 FINALIDADE... 3 3 DEVERES DO COORDENADOR EM RELAÇÃO AS ATIVIDADES COMPLEMENTARES... 4 4 DEVERES

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Estabelece normas operacionais para acompanhamento e registro das Atividades Complementares. O Colegiado do Curso de Administração da

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DO ESTÁGIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING CAPÍTULO I

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DO ESTÁGIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING CAPÍTULO I REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DO ESTÁGIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING Dispõe sobre o Acompanhamento e Orientação do Estágio do Curso Superior de Tecnologia em Marketing da Faculdade de Castanhal.

Leia mais

Regulamento de Estágio. Curso de Engenharia de Produção

Regulamento de Estágio. Curso de Engenharia de Produção Regulamento de Estágio Curso de Engenharia de Produção Coronel Fabriciano Julho, 2010 1. INTRODUÇÃO O Estágio Curricular Obrigatório no curso de Engenharia de Produção é uma atividade curricular obrigatória

Leia mais

UFMG / PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO / SETOR DE BOLSAS PMG PROGRAMA DE MONITORIA DE GRADUAÇÃO DIRETRIZES GERAIS

UFMG / PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO / SETOR DE BOLSAS PMG PROGRAMA DE MONITORIA DE GRADUAÇÃO DIRETRIZES GERAIS UFMG / PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO / SETOR DE BOLSAS PMG PROGRAMA DE MONITORIA DE GRADUAÇÃO DIRETRIZES GERAIS 2015 1) DOS OBJETIVOS O Programa de Monitoria de Graduação visa dar suporte às atividades acadêmicas

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 15/2010, DE 12 DE ABRIL DE 2010

RESOLUÇÃO Nº 15/2010, DE 12 DE ABRIL DE 2010 RESOLUÇÃO Nº 15/2010, DE 12 DE ABRIL DE 2010 Aprova o Regulamento de Estágio Supervisionado de Iniciação Profissional do Curso de Ciências Contábeis, na forma do Anexo. O Reitor da Universidade Regional

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA MINISTRADOS PELA FATEC-SOROCABA

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA MINISTRADOS PELA FATEC-SOROCABA Fatec Sorocaba REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA MINISTRADOS PELA FATEC-SOROCABA Sorocaba, 2010 Reduza, Reutilize, Recicle REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 74/2010

RESOLUÇÃO Nº 74/2010 RESOLUÇÃO Nº 74/2010 Institui e regulamenta o estágio supervisionado curricular nos cursos de graduação da UFES. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO, no

Leia mais

Macapá-2011 REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

Macapá-2011 REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Macapá-2011 REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Art. 1º As Atividades Complementares são componentes curriculares que possibilitam

Leia mais

O ESTÁGIO CURRICULAR: ESPECIFICIDADES E FUNDAMENTOS LEGAIS

O ESTÁGIO CURRICULAR: ESPECIFICIDADES E FUNDAMENTOS LEGAIS O ESTÁGIO CURRICULAR: ESPECIFICIDADES E FUNDAMENTOS LEGAIS O QUE É O ESTÁGIO? Estágio é um ato educativo escolar supervisionado, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa à preparação para o trabalho

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS

REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS Dispõe sobre os estágios realizados pelos discentes do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais - IFMG, em cumprimento da Lei nº 11.788, de 25 de setembro

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Art.1º. O Estágio Supervisionado é componente curricular obrigatório do Curso de Graduação em Administração da FASIP que visa a proporcionar

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE QUÍMICA, CAMPUS PATO BRANCO

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE QUÍMICA, CAMPUS PATO BRANCO Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Pato Branco Coordenação do Curso Superior de Química: Bacharelado em Química Industrial e Licenciatura em Química REGULAMENTO DAS

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE BACHARELADO EM ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO

Leia mais

CAPÍTULO II DA DURAÇÃO E DA CARGA HORÁRIA

CAPÍTULO II DA DURAÇÃO E DA CARGA HORÁRIA POLO UFRJ - XERÉM COORDENAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL E SUPORTE ACADÊMICO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO Art. 1 o. As Atividades Complementares são componentes

Leia mais

FACULDADE DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E URBANISMO REGIMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR

FACULDADE DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E URBANISMO REGIMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR FACULDADE DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E URBANISMO REGIMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR CAPÍTULO I DO ESTÁGIO CURRICULAR Art. 1º O presente Regimento trata do Estágio Curricular dos cursos de graduação da Faculdade

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO SUPERIOR DE FORMAÇÃO ESPECÍFICA EM GESTÃO DE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS, SEQUENCIAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR

Leia mais

REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ARQUIVOLOGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ARQUIVOLOGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ARQUIVOLOGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1 Este regulamento fixa as normas para o estágio do Curso de Graduação

Leia mais

Curso de Engenharia de Computação Regulamento dos Trabalhos de Conclusão de Curso

Curso de Engenharia de Computação Regulamento dos Trabalhos de Conclusão de Curso 1 Centro Universitário de Araraquara UNIARA Departamento de Ciências da Administração e Tecnologia Curso de Engenharia de Computação Regulamento dos Trabalhos de Conclusão de Curso Capítulo I Das disposições

Leia mais

Normas do Estágio Curricular do Bacharelado em Sistemas de Informação

Normas do Estágio Curricular do Bacharelado em Sistemas de Informação Anexo 2 Normas do Estágio Curricular do Bacharelado em Sistemas de Informação Normas do Estágio Curricular do Bacharelado em Sistemas de Informação CAPÍTULO I DAS DEFINIÇÕES E OBJETIVOS Art. 1º - O Estágio

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO PARA O CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS DA UFPR

REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO PARA O CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS DA UFPR REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO PARA O CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS DA UFPR DA NATUREZA Art.1 o No Projeto Pedagógico do Curso de Ciências Econômicas, as diretrizes curriculares incluem o estágio

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES 1 REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Este regulamento, elaborado pela Coordenação do Curso de Ciências Econômicas da Universidade Metodista de São Paulo, tem por objetivo regulamentar o desenvolvimento

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO

ESTÁGIO SUPERVISIONADO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE QUÍMICA NORMAS DE FUNCIONAMENTO 1. Identificação da atividade acadêmica Caracterização: Atividades acadêmicas curricular optativa, do tipo estágio, conforme Arts. 2 0 e

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA RESOLUÇÃO N o 24/2012, DO CONSELHO DE GRADUAÇÃO Aprova as Normas Gerais de Estágio de Graduação da Universidade Federal de Uberlândia, e dá outras providências. O CONSELHO DE GRADUAÇÃO DA, no uso das competências

Leia mais

ATUALIZAÇÃO - REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES OBRIGATÓRIAS CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS

ATUALIZAÇÃO - REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES OBRIGATÓRIAS CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS ATUALIZAÇÃO - REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES OBRIGATÓRIAS Fixa normas para o funcionamento das atividades Complementares no âmbito do Curso de Graduação em Enfermagem da FAKCEN CAPÍTULO I DA

Leia mais

UNIÃO DAS INSTITUIÇÕES DE SERVIÇOS, ENSINO E PESQUISA LTDA.

UNIÃO DAS INSTITUIÇÕES DE SERVIÇOS, ENSINO E PESQUISA LTDA. UNIÃO DAS INSTITUIÇÕES DE SERVIÇOS, ENSINO E PESQUISA LTDA. REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO São Paulo 2010 CAPÍTULO I DO CONCEITO, FINALIDADE E OBJETIVOS Art. 1º - O Estágio

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento

Leia mais

REGULAMENTO ESTÁGIOS DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO E DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO UTFPR

REGULAMENTO ESTÁGIOS DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO E DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO E DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR Resolução nº 22/08

Leia mais

II celebração de termo de compromisso entre o educando, a parte concedente do estágio e a instituição de ensino;

II celebração de termo de compromisso entre o educando, a parte concedente do estágio e a instituição de ensino; REGULAMENTO DE ESTÁGIO DOS CURSOS TÉCNICO E TECNOLÓGICO NO ÂMBITO DA EAD / IFPR ADAPTADO EM CONFORMIDADE COM A LEI 11.788/08 E RESOLUÇÃO DO CONSUP 02/03/ 2013. CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO, CLASSIFICAÇÃO E

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO - NORMAS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC I e II

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO - NORMAS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC I e II CURSO DE ADMINISTRAÇÃO - NORMAS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC I e II Santa Maria, RS, Brasil 2015 Conforme Processo Nº 253/2015, aprovado pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão

Leia mais

UNIARA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO: PROCESSOS DE ENSINO, GESTÃO E INOVAÇÃO REGULAMENTO SUMÁRIO

UNIARA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO: PROCESSOS DE ENSINO, GESTÃO E INOVAÇÃO REGULAMENTO SUMÁRIO UNIARA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO: PROCESSOS DE ENSINO, GESTÃO E INOVAÇÃO REGULAMENTO SUMÁRIO TÍTULO I - APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA... 1 TÍTULO II - DOS OBJETIVOS...

Leia mais

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL Conforme determina o Regulamento das Atividades Complementares da Faculdade Visconde de Cairu FAVIC, este regulamento especifica como

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES AC DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DA UFPE TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES GERAIS

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES AC DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DA UFPE TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES GERAIS REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES AC DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DA UFPE TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES GERAIS Art. 1º - Este Regulamento objetiva disciplinar os procedimentos

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO NO INSTITUTO FEDERAL DE RONDÔNIA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO NO INSTITUTO FEDERAL DE RONDÔNIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA REGULAMENTO DE ESTÁGIO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO NO INSTITUTO FEDERAL

Leia mais

Programa de Mestrado em Informática 1

Programa de Mestrado em Informática 1 Programa de Mestrado em Informática 1 REGULAMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM INFORMÁTICA DA PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS I - OBJETIVOS DO CURSO ART. 1º - O Curso de

Leia mais

O CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA, no uso de suas atribuições, e CONSIDERANDO a importância do Princípio da Indissociabilidade, estabelecido pelo

O CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA, no uso de suas atribuições, e CONSIDERANDO a importância do Princípio da Indissociabilidade, estabelecido pelo REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DE INTEGRALIZAÇÃO CURRICULAR DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA Aprovado na CamEx, na 84 Sessão, realizada em 18 de março de 2015, apreciada no CONSEPE, na 54ª Sessão,

Leia mais

NORMAS DE FUNCIONAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

NORMAS DE FUNCIONAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Página 1 de 12 CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA DIRETORIA DE ENSINO (DIREN) DEPARTAMENTO DE ENSINO SUPERIOR (DEPES) DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE INFORMÁTICA (DEPIN) CURSO SUPERIOR

Leia mais

O Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, da Faculdade. de maio de 2007, publicada em DOU de 22 de maio de 2007, considerando:

O Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, da Faculdade. de maio de 2007, publicada em DOU de 22 de maio de 2007, considerando: Resolução Nº. 024/2010/CONSEPE/ Regulamento de Estágio Supervisionado O Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, da Faculdade de Educação e Meio Ambiente, credenciada pela Portaria MEC

Leia mais