Avaliação de Pós Ocupação do Programa Habitar Brasil

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Avaliação de Pós Ocupação do Programa Habitar Brasil"

Transcrição

1 PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE OSASCO - SP Secretaria de Habitação e Desenvolvimento Urbano - SEHDU Diretoria de Habitação de Interesse Social Avaliação de Pós Ocupação do Programa Habitar Brasil Projeto de Urbanização Integrada da Área Y, localizada no Jd. Padroeira, no Município de Osasco - SP CADERNO 02 DATA DE EMISSÃO: 27/11/2008 Revisão I.RT Prefeitura do Município de Osasco

2 FICHA DE IDENTIFICAÇÃO 906FF003-R.03 Código do Documento I.RT Revisão Atual 00 Interessado: Resp. Técnico: Assinatura: Arqº Ronaldo Pezzo CREA Coordenador: Assinatura: PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE OSASCO SEHDU SECRETARIA DA HABITAÇÃO E DESENVOLVIMENTO URBANO DIRETORIA DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL Projeto: Engº André Luis Fernandes Avaliação de Pós Ocupação do Programa Habitar Brasil Assunto: Projeto de Urbanização Integrada da Área Y, localizada no Jd. Padroeira, no Município de Osasco - SP Objeto: CADERNO 02 Documentos de Referência: Documentos Resultantes: - Caderno 02 Volume Único Observações: 0 27/11/2008 Emissão Inicial Engº André Luis Fernandes Arqº. Ronaldo Pezzo Rev. Data Descrição Coordenador Resp. Técnico

3 Equipe Técnica: Coordenador Geral: Coordenadora Técnica: Consultora Especialista em Avaliação: Técnica Social: Pesquisadoras: André Luis Fernandes Maria de Lourdes da Paz Rodrigues Tânia Maria Ramos de Godói Diniz Querubina Castello Ruiz Claudia Aparecida da Silva Frutuoso Fabiana Freire Karina Deize Theodoro I.RT R Equipe Técnica 1 de 1

4 ÍNDICE A. APRESENTAÇÃO 2 B. APRESENTAÇÃO DA AVALIAÇÃO DE PÓS OCUPAÇÃO PARA O CORPO TÉCNICO 3 C. RELATÓRIO FOTOGRÁFICO DE REUNIÃO COM CORPO TÉCNICO 9 D. CONVITES DA REUNIÃO COM A EQUIPE DE AVALIAÇÃO DO PROJETO 11 E. APRESENTAÇÃO DA AVALIAÇÃO DE PÓS OCUPAÇÃO PARA OS MORADORES 12 F. RELATÓRIO FOTOGRÁFICO DE REUNIÃO COM OS MORADORES 20 G. PLANTA COM A DENOMINAÇÃO DAS VIAS DO CONJUNTO RESIDENCIAL VITÓRIA 23 H. CRONOGRAMA DE APLICAÇÃO DE QUESTIONÁRIOS 25 I. MODELO DE COMUNICADO DE VISITA PARA ENTREVISTA 30 J. MANUAL TÉCNICODE APLICAÇÃO DE PESQUISA 31 J.1. INTRODUÇÃO 33 J.1.1. OBJETIVOS DA PESQUISA DE AVALIAÇÃO DE PÓS OCUPAÇÃO 33 J.1.2. INSTRUMENTO DE COLETA DE INFORMAÇÕES 33 J.2. PROCEDIMENTOS DE COLETA 33 J.2.1. INFORMAÇÕES GERAIS 33 J.2.2. INSTRUÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DO INSTRUMENTAL DE PESQUISA 34 K. INSTRUMENTAL DE PESQUISA AVALIATIVA AMOSTRAL DOMICILIAR 37 L. QUESTÕES PARA OS TÉCNICOS I.RT R Caderno 02 1 de 50

5 A. APRESENTAÇÃO O presente registro de atividades informa sobre o processo de Avaliação de Pós- Ocupação de o Programa Habitar Brasil: Projeto de Urbanização Integrada da Área Y, cidade de Osasco, São Paulo, nos seguintes aspectos. Foi realizada uma reunião de apresentação da proposta de avaliação com os técnicos, tanto da Secretaria de Habitação do município de Osasco, quanto de outras secretarias que, à época de desenvolvimento do projeto, também participaram do processo; Foi realizada uma reunião de esclarecimento com a população, no equipamento multiuso, a qual, agendada previamente para as 18:00 horas do dia 10/10/2008, contou com a presença de lideranças, zeladores da rua e população de uma forma geral; Tendo como subsídio o mapa da área de abrangência da avaliação de pósocupação, foi organizado um cronograma que, além de controlar o número de entrevistas a serem realizadas por cada entrevistador/a, cumpriu também a tarefa de orientar, devidamente, os pesquisadores e a população da área, no sentido de apreender a necessidade de aguardar o/entrevistador/a na hora estipulada. A população foi devidamente informada do dia e hora em que os pesquisadores passariam em sua casa (vide filipeta de aviso anexo); Foi elaborado um Manual Técnico, orientativo do processo de preenchimento do questionário; Foram tabulados as respostas dos moradores, a partir do preenchimento do banco de dados; Foram elaboradas as questões que serão respondidas pelos técnicos que atuaram na área I.RT R Caderno 02 2 de 50

6 B. APRESENTAÇÃO DA AVALIAÇÃO DE PÓS OCUPAÇÃO PARA O CORPO TÉCNICO I.RT R Caderno 02 3 de 50

7 I.RT R Caderno 02 4 de 50

8 I.RT R Caderno 02 5 de 50

9 I.RT R Caderno 02 6 de 50

10 I.RT R Caderno 02 7 de 50

11 I.RT R Caderno 02 8 de 50

12 C. RELATÓRIO FOTOGRÁFICO DE REUNIÃO COM CORPO TÉCNICO 08/10/2008 Reunião com os técnicos para apresentação da proposta de avaliação 08/10/2008 Reunião com os técnicos para apresentação da proposta de avaliação I.RT R Caderno 02 9 de 50

13 08/10/2008 Reunião com os técnicos para apresentação da proposta de avaliação 08/10/2008 Reunião com os técnicos para apresentação da proposta de avaliação I.RT R Caderno de 50

14 D. CONVITES DA REUNIÃO COM A EQUIPE DE AVALIAÇÃO DO PROJETO Prefeitura do Município de Osasco Convidamos o Sr(a) a participar da reunião com a Equipe de Avaliação do Projeto de Urbanização para tratar de assunto referente ao Conjunto Residencial Vitória. A reunião será realizada em 10/10/2008 (sexta-feira) às 18:00 hs na Sede do Centro Comunitário. Contamos com sua presença! (a) Secretaria de Habitação e Desenvolvimento Urbano Prefeitura do Município de Osasco Convidamos o Sr(a) a participar da reunião com a Equipe de Avaliação do Projeto de Urbanização para tratar de assunto referente ao Conjunto Residencial Vitória. A reunião será realizada em 10/10/2008 (sexta-feira) às 18:00 hs na Sede do Centro Comunitário. Contamos com sua presença! (b) Secretaria de Habitação e Desenvolvimento Urbano Prefeitura do Município de Osasco Convidamos o Sr(a) a participar da reunião com a Equipe de Avaliação do Projeto de Urbanização para tratar de assunto referente ao Conjunto Residencial Vitória. A reunião será realizada em 10/10/2008 (sexta-feira) às 18:00 hs na Sede do Centro Comunitário. Contamos com sua presença! (c) (d) Secretaria de Habitação e Desenvolvimento Urbano I.RT R Caderno de 50

15 E. APRESENTAÇÃO DA AVALIAÇÃO DE PÓS OCUPAÇÃO PARA OS MORADORES I.RT R Caderno de 50

16 I.RT R Caderno de 50

17 I.RT R Caderno de 50

18 I.RT R Caderno de 50

19 I.RT R Caderno de 50

20 I.RT R Caderno de 50

21 I.RT R Caderno de 50

22 I.RT R Caderno de 50

23 F. RELATÓRIO FOTOGRÁFICO DE REUNIÃO COM OS MORADORES 10/10/2008 Reunião com os moradores para apresentação da proposta de avaliação 10/10/2008 Reunião com os moradores para apresentação da proposta de avaliação I.RT R Caderno de 50

24 10/10/2008 Reunião com os moradores para apresentação da proposta de avaliação 10/10/2008 Reunião com os moradores para apresentação da proposta de avaliação I.RT R Caderno de 50

25 10/10/2008 Reunião com os moradores para apresentação da proposta de avaliação 10/10/2008 Reunião com os moradores para apresentação da proposta de avaliação I.RT R Caderno de 50

26 G. PLANTA COM A DENOMINAÇÃO DAS VIAS DO CONJUNTO RESIDENCIAL VITÓRIA I.RT R Caderno de 50

27 Folha a ser substituída I.RT R Caderno de 50

28 H. CRONOGRAMA DE APLICAÇÃO DE QUESTIONÁRIOS I.RT R Caderno de 50

29 Pesquisador: Karina Rua Sunamita e Al. Ebenezer Impar Data Hora Morador Casa Nº quest. Observações 15/out 9:00 José Daniel de Araújo (Sun) 3 1 9:45 Claudia Ferreira Lourenço (Sun) :30 Maria do Socorro Barbosa Furtado (Sun) :15 Nadjane Maria da Silva (Sun) :00 Fernanda Ferreira da Silva (Ebe) :45 Judite Rodrigues de Camargo (Ebe) :30 Geraldina Vitória da Silva Reales (Ebe) :15 Adão Roberto dos Santos (Ebe) :00 Elenildo Veridiano do Nascimento (Ebe) 47 9 Total 9 casas Pesquisador: Fabiana Rua Sunamita e Al. Ebenezer - Par Data Hora Morador Casa Nº quest. Observações 15/out 9:00 Ciria Jonas C. Ferreira (Sun) :45 Valdeir Francisco de Oliveira (Sun) :30 Lourdes Rosa da Paixão Pereira (Sun) :15 Ione Teles de Lima (Sun) :00 Marcia Jocelia de Lima (Sun) :45 Flavia Cristina dos Santos Araújo (Sun) :30 Germano Moinhos (Ebe) :15 Rosimeire Oliveira (Ebe) :00 Robson Mendes Ferreira (Ebe) Total 9 casas Pesquisador: Claudia Al. Ebenezer / Rua Macedônia/ Melquesedeque/Al. Atalaia/ Al. dos Apostolos Data Hora Morador Casa Nº Quest. Observações 16/out 9:00 Maria Didi Pereira (Eb) :45 Etelvina Silva Santos(Eb) :30 José Rodrigues de Oliveira(Ma) :15 Wigmambergue S Reales Filha(Mel) :00 Zilma dos Santos Oliveira(Mel) :45 Odair Simões (Ata) :30 Acacia Pinheiro dos Santos (Ata) :15 Severina Maria da Silva(Apo) :00 Josineide Francisca da Silva (Apo) Total 9 casas Pesquisador: Karina Al. Shallon Adonai/ Al. Dos Apostolos Impar Data Hora Morador Casa Nº Quest. Observações 16/out 9:00 Aurinda dos Santos (Sh) :45 Patricia Nascimento Brito (Sh) :30 Adriana Alexandria de Sousa (Sh) :15 Marilva Barboza da Silva (Sh) :00 Edilene Batista Nery (Sh) :45 Rosana Aparecida de Sena (Ap) :30 Josefa Moreira da Silva (Ap) :15 Maria do Carmo Oliveira Caetano (Apo) :00 Angélica Aparecida da Silva (Apo) Total 9 casas

30 Pesquisador: Fabiana Al. Shallon Adonai/ Al. Dos Apóstolos - Par Data Hora Morador Casa Nº Quest. Observações 16/out 13:00 Cristiane Maria Caiado (Sh) :45 Elizabeth Ferreira da Silva (Sh) :30 Valdinez Pereira Santos (Sh) :15 Valdenice Silva Santos (Sh) :00 Edna Pinto de Oliveira (Sh) :00 Edeuzuita Barbosa dos Santos (Sh) :00 Manoel Antônio de Amorim :15 Maria Aparecida Tavares Ferreira :00 Miralva Souza Santos Total 9 casas Pesquisador: Claudia R.Tabernáculo da Paz Data Hora Morador Casa Nº Quest. Observações 17/out 13:00 Graciane Pereira dos S. Avelar :45 Rozane Vicente de Oliveira :30 Antonio Francisco da Silva :15 Fernanda Barézzio Fuciollo :00 João Domingos Dantas :00 Regina dos Santos :00 Maria Aparecida Rosa da Silva :15 Antonia da Cruz Nascimento :00 Carlos Alberto dos Santos Ferreira Total 9 casas Pesquisador: Karina R. Abraão Data Hora Morador Casa Nº Quest. Observações 17/out 9:00 Marinilza Marinho de Souza :45 Marileide Berlamino Feitosa :30 Crislei Martinez :15 José Jacinto da Silva :00 Selma Robeiro Costa :45 Jucélia Bispo Rocha :30 Carlos Alberto da Cruz :15 Neuza Santana :00 Eredi Alves Vieira Teodoro Total 9 casas Pesquisador: Fabiana Al. dos Apostolos/Malaquias/Tabernáculo da Paz Data Hora Morador Casa Nº Quest. Observações 17/out 9:00 Maria Claudineia Jesus Cesar (Apo) :45 Jocelina Pinto de Cerqueira (Apo) :30 Antonio A Barbosa (Mal) :15 Edilson Trindade de Lima (Mal) :00 Valdeni Pereira Santos (Mal) :45 Madalena Fernandes Santos (Mal) :30 Edileusa Cerqueira Santos (Mal) :15 Elizangela Harumi Sakamoto (Tab) :00 Sandra dos Santos (Tab) Total 9 casas

31 Pesquisador: Karina R. Abraão/Al. Perseverança Data Hora Morador Casa Nº Quest. Observações 18/out 9:30 Lucimara Corrêa Mota Sábado 10:15 Maria das Graças Silva Barbosa :00 Maria José Torquato dos Santos :45 Luzia Trindade Santos :00 Eliane Cesar da Silva (Ala) :45 Laura Maria Souza (Ala) Total 6 casas Pesquisador: Fabiana Al. Perseverança Data Hora Morador Casa Nº Quest. Observações 18/out 9:30 Ana Paula Maris Sábado 10:15 Salete Ribeiro dos Santos :00 Maria José da Silva Brito :45 Janete Serafim Garcia :00 Flávia dos Santos Antonio :45 Elizangela Timóteo dos Santos Total 6 casas Pesquisador: Claudia Al. El Shadai Data Hora Morador Casa Nº Quest. Observações 18/out 9:30 Jania Ferreira da Silva :45 Marlene Antonio :00 José Nunes de Oliveira :45 Eliane Silva Ferreira Total 6 casas Pesquisador: Fabiana R. Vida Nova/Al. Rosa de Sharon Data Hora Morador Casa Nº Quest. Observações 19/out 9:30 Maria de Lourdes Batista de Melo 3 91 Doming 10:15 Antonieta Marques de A. Resende :00 Adaide Felix Santa Rosa :45 Jóice Araujo da Silva (Ala) :00 Gilvanilda Pereira da Silva (Ala) Total 5 casas

32 Pesquisador: Claudia Al. Rosa de Sharon/ Data Hora Morador Casa Nº Quest. Observações 19/out 9:30 Neli da Silva Doming 10:15 Denise Darésio Fuciollo :00 Lucilene Aparecida Silva :45 Ducinéia Maria dos Santos :00 José Rubens da Silva Reales (Mal) :45 Elizete Garcia Albuquerque Total 6 casas

33 I. MODELO DE COMUNICADO DE VISITA PARA ENTREVISTA PREFEITURA DE OSASCO SECRETARIA DE HABITAÇÃO E DESENVOLVIMENTO URBANO Sr. Antônio A. Barbosa, estaremos em sua casa no dia / / às hs para entrevistá-lo sobre a atual condição de sua moradia. Endereço: Alameda Malaquias, nº I.RT R Caderno de 50

34 J. MANUAL TÉCNICO DE APLICAÇÃO DE PESQUISA I.RT R Caderno de 50

35 Manual Técnico PROJETO DE URBANIZAÇÃO INTEGRAGA DA ÁREA Y PROGRAMA HABITAR BRASIL-HBB AVALIAÇÃO DE PÓS-OCUPAÇÃO OUTUBRO I.RT R Caderno de 50

36 J.1. J.1.1. INTRODUÇÃO OBJETIVOS DA PESQUISA DE AVALIAÇÃO DE PÓS OCUPAÇÃO Avaliar a execução das atividades realizadas no Projeto de Urbanização Integrada da Área Y, localizada no Jd. Padroeira, Município de Osasco, inicialmente composta de 489 moradias, cujo remanejamento realizado em 2005/2006 para um novo parcelamento em área contígua, deu origem ao Conjunto Residencial Vitória com 504 unidades habitacionais. Serão incluídas na avaliação as dimensões construtiva, funcional, econômica e estética do projeto de urbanização, além dos aspectos ambientais, sociais e fundiários, e da estrutura organizacional da população envolvida, dando visibilidade aos resultados e impactos, avanços e dificuldades e gerando possibilidades de interlocução do poder público com os moradores e demais atores. J.1.2. INSTRUMENTO DE COLETA DE INFORMAÇÕES A metodologia da pesquisa abordará os eixos, as dimensões e os indicadores identificados na Matriz Avaliativa do Programa Habitar Brasil BID. Foram formatados três instrumentais interdependentes para coleta das informações, que alimentarão a análise posterior: Questionário composto por perguntas fechadas, cuja aplicação junto aos moradores será amostral e domiciliar; Roteiro de vistoria técnica ou de observação da área; Entrevistas abertas com os técnicos envolvidos no projeto. J.2. J.2.1. PROCEDIMENTOS DE COLETA INFORMAÇÕES GERAIS A sistematização dos dados exige que a coleta seja realizada a partir de alguns procedimentos básicos. Entre eles, o principal é que o questionário seja preenchido sem rasuras e sem nenhum campo em branco. O instrumental deverá ser preenchido a caneta, pois se trata de documento oficial da prefeitura. O questionário de perguntas fechadas, cuja aplicação junto aos moradores será amostral e domiciliar, é constituído por 6 (seis) itens: dados gerais, identificação do morador, identificação da moradia, inserção urbana, inclusão e participação social e grau de satisfação do morador. Todos os dados solicitados são importantes e a falta de coleta pode comprometer a análise e a produção dos relatórios de avaliação. Na impossibilidade de coleta em uma primeira visita, é impreterível a realização de outras duas até a complementação dos dados I.RT R Caderno de 50

37 Após essas novas tentativas para encontrar o morador e não sendo bem sucedido, poderá ser entrevistado o morador vizinho do mesmo pavimento e mesmo bloco, e no caso de sua ausência, poderá ser entrevistado o vizinho do pavimento diferente. Entretanto, para cumprir o estabelecido na metodologia uma entrevista para cada cinco domicílios - é necessário entrevistar um morador do mesmo bloco da primeira família escolhida. Os/as entrevistadores/as serão treinados por um/a coordenador/a de campo e deverão ter supervisão de campo. Esse/a coordenador/a deverá, sempre que necessário, atender demandas não previstas e esclarecer questionamentos. A esse/a caberá também a organização do fluxo da pesquisa na área, o acompanhamento dos/as entrevistadores/as e a mobilização da área durante o processo, para agilizar a realização das entrevistas. O fluxo da pesquisa deverá seguir o mapeamento da área numa planilha de controle previamente identificada com as moradias que serão objeto da entrevista. Diariamente, deverá ser preenchida esta planilha de controle dos questionários. Sob a responsabilidade do/a consultor/a do processo de avaliação de pós-ocupação, deverá ser realizada a mobilização dos moradores do Conjunto Residencial, ou seja, todas as famílias deverão ser informadas sobre o objetivo da pesquisa, como e quando a mesma ocorrerá. Em reunião previamente agendada, as famílias, representadas pela comissão de moradores e zeladores de rua, deverão ser apresentadas ao/a coordenador/a de campo e entrevistadores/as. Neste momento serão socializadas informações sobre o objetivo da pesquisa, a realização de avaliação de pós-ocupação do Conjunto Residencial Vitória. Nesta organização, o/a consultor/a poderá contar com a participação da SEHDU. Durante a pesquisa, os/as entrevistadores/as deverão sempre portar um crachá de identificação. Ao contatar a família, é necessário que se apresentem e esclareçam ao morador que será feita uma série de perguntas. O/a entrevistador/a deverá seguir as perguntas do questionário na ordem em que foram formuladas, lendo-as de forma clara e pausadamente para os moradores, momento rico de possibilidades de mobilização para participação. Nos casos de múltipla escolha, o morador deverá ser previamente orientado que ele poderá escolher várias opções. O/a entrevistador/a deverá entrevistar somente o 1º ou o 2º responsável pelo domicílio. A pesquisa não pode, em nenhuma hipótese, ser respondida por um vizinho ou por um parente não morador. J.2.2. INSTRUÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DO INSTRUMENTAL DE PESQUISA Número do questionário: será preenchido no momento da distribuição dos mesmos. Dados Gerais: Nome do entrevistador: Deverá constar o nome completo e legível Data: Deverá ser preenchida no início da entrevista I.RT R Caderno de 50

38 Nome da área: Este campo já estará preenchido. Identificação do Morador Nome do entrevistado: Anotar o nome completo do chefe da família assinalado como 1º responsável, ou cônjuge/parceiro/companheiro, assinalado como 2º responsável. Telefone para contato: Solicitar ao entrevistado um número de telefone para contato. Registrar se o telefone indicado é o da própria residência ou se é um telefone do local onde o entrevistado trabalha. No caso em que o morador apresentar apenas um telefone de recados, anotar o nome da pessoa com quem deverá ser deixado o recado. Caso não possua telefone para contato, deixe em branco e assinale o item correspondente a não possui. Endereço: Anote o nome da rua/ alameda/ viela, o n.º da edificação, o CEP e deve ser assinalado térreo quando o domicílio estiver no pavimento inferior e superior quando estiver no 1º andar. Bairro e cidade já estarão preenchidos. Identificação da Moradia Engloba as dimensões administrativas que dizem respeito a origem do morador, documentação da moradia e condição construtiva atual. Questões 1 e 2: identificam a origem da moradia da família antes da mudança para o Conjunto Residencial Vitória. Questão 3: a informação a ser obtida refere-se ao imóvel atual. Assinale a resposta de acordo com as seguintes opções: 1. Próprio. Quando o morador possui o documento Termo de Permissão de Uso, que é um documento emitido pela prefeitura, permissão de uso de caráter precário porque a área ainda não está regularizada. Faz-se necessário a apresentação do mesmo. 2. Alugado. Quando o morador utiliza o domicílio mediante um contrato (verbal ou escrito) de aluguel. 3. Cedido. Quando o domicílio é emprestado ou doado pelo morador anterior. 4. Outros. Especificar qual. Questão 4: entende-se na alternativa misto quando o domicilio é utilizado para moradia e outros fins. Questão 6: é importante que o morador apresente o documento da moradia que possui, seja de compra e venda, seja de aluguel. Questão 15: as alternativas deverão ser preenchidas com números que identifiquem a quantidade de cada cômodo. No caso de inexistência do cômodo, colocar I.RT R Caderno de 50

39 Inserção Urbana Abrange as dimensões do ambiente urbano que integram o sistema construtivo e os elementos do meio físico: infra-estrutura básica, mobilidade urbana, qualidade ambiental e moradia. Inclusão e Participação Social Abrange o acesso a serviços sociais públicos (educação, saúde, esporte, lazer, cultura, assistência social e segurança pública), cidadania e participação e inserção no mundo do trabalho. Questão 35: verificar a renda de todos os que trabalham na família e transformar o valor total em salários mínimos. Questão 38: entende-se por pessoas com mobilidade reduzida: idosos, pessoas com deficiência física. Questão 40: deverá ser marcado Secretaria Municipal de Habitação quando o contato foi estabelecido com funcionários, independentemente do cargo ou função; deverá ser marcado Ouvidoria Municipal quando a reclamação foi encaminhada para órgão da prefeitura que tem a função de ouvir as demandas, queixas e sugestões dos munícipes; deverá ser marcado vereadores e/ou outros políticos quando for citado especificamente. Questão 57: deve-se, inicialmente, ler a alternativa, para em seguida perguntar se a pessoa concorda ou discorda e depois, se concorda totalmente ou parcialmente. Satisfação do Morador Propõe apreender a avaliação do morador sobre as suas condições de moradia e serviços urbanos, bem como os efeitos provenientes da execução do projeto de urbanização na vida social e comunitária. Os enunciados das questões deverão ser lidos com bastante clareza. Questões 58 e 59: o morador deverá manifestar o seu parecer em relação à qualidade dos serviços e equipamentos do seu bairro. Questão 60: refere-se à avaliação objetiva e subjetiva definida pela nova inserção dos moradores no contexto social e urbano do Conjunto Residencial Vitória, comparativamente com a situação existente antes da mudança para o projeto. Questão 61: o morador deverá manifestar seu conhecimento (ou não) acerca da existência dos serviços públicos e, em caso afirmativo, deverá se manifestar se utiliza (ou não) os serviços I.RT R Caderno de 50

40 K. INSTRUMENTAL DE PESQUISA AVALIATIVA AMOSTRAL DOMICILIAR I.RT R Caderno de 50

41 Folha a ser substituída I.RT R Caderno de 50

42 Folha a ser substituída I.RT R Caderno de 50

43 Folha a ser substituída I.RT R Caderno de 50

44 Folha a ser substituída I.RT R Caderno de 50

45 Folha a ser substituída I.RT R Caderno de 50

46 Folha a ser substituída I.RT R Caderno de 50

47 Folha a ser substituída I.RT R Caderno de 50

48 Folha a ser substituída I.RT R Caderno de 50

49 Folha a ser substituída I.RT R Caderno de 50

50 Folha a ser substituída I.RT R Caderno de 50

51 Folha a ser substituída I.RT R Caderno de 50

52 Folha a ser substituída I.RT R Caderno de 50

53 L. QUESTÕES PARA OS TÉCNICOS Questões para os técnicos (da Secretaria Municipal de Habitação (Marilene, Ana Paula, Álvaro e Luiz Paulo), de Secretarias parceiras no projeto (Meio Ambiente : Sérgio, Trabalho: Sandra), das concessionárias (Eletropaulo e Sabesp) Nome Cargo e/ou função Instituição Período em que trabalhou no projeto Responsabilidades que tinha durante sua participação no projeto Houve participação da comunidade no desenvolvimento do projeto, em todas as suas etapas? Cite alguns elementos facilitadores e dificultadores da participação. A execução das obras e serviços do projeto integrado atendeu às diretrizes do Programa? Que dificuldades foram encontradas para a execução das obras e serviços do projeto de acordo com as diretrizes do Programa? Que aspectos podem ser considerados facilitadores da execução das obras e serviços do projeto de acordo com as diretrizes? Foram desenvolvidas ações para capacitação profissional e implantação de atividades voltadas à geração de trabalho e renda para as famílias residentes na área? Cite exemplos de ações desenvolvidas. A população estava devidamente esclarecida sobre as condições para efetivação da mudança para a nova moradia? Como foi desenvolvido este processo de informação? Foram discutidas regras de convivência coletiva? Como foi desenvolvido este processo de discussão? Após a mudança, as famílias foram orientadas quanto ao processo de adaptação da nova moradia? Que ações foram desenvolvidas? As famílias foram orientadas quanto às possibilidades de ampliação e/ou melhorias das unidades habitacionais? Que ações foram desenvolvidas? Que ações mitigadoras, potencializadoras ou compensatórias foram adotadas com relação às áreas degradadas e a preservação ambiental? Que atividades foram desenvolvidas para a constituição e/ou fortalecimento de grupos representativos da população envolvida no projeto? I.RT R Caderno de 50

54 Rua Líbero Badaró, Conj. 18C/D - São Paulo, SP - CEP Fone / Fax

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DO TRABALHO TÉCNICO SOCIAL Relatório condensado (novembro e dezembro) /2011

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DO TRABALHO TÉCNICO SOCIAL Relatório condensado (novembro e dezembro) /2011 RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DO TRABALHO TÉCNICO SOCIAL Relatório condensado (novembro e dezembro) /2011 1 IDENTIFICAÇÃO Programa: Operações Coletivas Contrato CAIXA nº: 0233.389.09/2007 Ação/Modalidade:

Leia mais

ROTEIRO I: Projeto de Trabalho Técnico Social

ROTEIRO I: Projeto de Trabalho Técnico Social ROTEIRO I: Projeto de Trabalho Técnico Social Timbre da Proponente (Prefeitura, quando o proponente for o poder municipal) 1 IDENTIFICAÇÃO Empreendimento: Município: UF Endereço : Bairro: Executor: Tel.:

Leia mais

APRESENTAÇÃO. O presente manual tem por finalidade principal orientar técnicos sociais dos

APRESENTAÇÃO. O presente manual tem por finalidade principal orientar técnicos sociais dos APRESENTAÇÃO O presente manual tem por finalidade principal orientar técnicos sociais dos municípios no processo de seleção de demanda, na elaboração e na execução do Projeto de Trabalho Social - PTS junto

Leia mais

Análise de Projeto Técnico Social APT MUNICÍPIO DE SÃO SEPÉ

Análise de Projeto Técnico Social APT MUNICÍPIO DE SÃO SEPÉ TE-SER Social Consultoria e Assessoria de Projetos Ltda. Rua Upamaroti, 1129/121 Bairro Cristal Porto Alegre/RS CEP: 90.820-140 CNPJ: 08.798.484/0001-78 Inscrição Municipal: 510.834.26 Análise de Projeto

Leia mais

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PROPOSTA DE AÇÃO Criar um fórum permanente onde representantes dos vários segmentos do poder público e da sociedade civil atuem juntos em busca de uma educação

Leia mais

3.1 Planejar, organizar logística e tecnicamente das Oficinas temáticas de formação da Agentes de Prevenção e seus parceiros locais.

3.1 Planejar, organizar logística e tecnicamente das Oficinas temáticas de formação da Agentes de Prevenção e seus parceiros locais. EDITAL DO CENTRO DE PROMOÇÃO DA SAÚDE TERMO DE REFERÊNCIA Nº 10/2012 COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO Nº 10/2012 TIPO: MELHOR TÉCNICA O Centro de Promoção da Saúde, entidade privada sem fins lucrativos, inscrita

Leia mais

ESTADO DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARI SECRETARIA DE HABITAÇÃO - SEHAB

ESTADO DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARI SECRETARIA DE HABITAÇÃO - SEHAB PROJETO BÁSICO CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA EXECUÇÃO DO PROJETO DE TRABALHO TÉCNICO SOCIAL NO RESIDENCIAL MORADA DOS CANÁRIOS CAMAÇARI PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA Camaçari, 10 de julho de 2015. 1. ANTECEDENTES

Leia mais

REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA DE ÁREAS PÚBLICAS. Cartilha de orientação sobre o Programa de Regularização Urbanística e Fundiária

REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA DE ÁREAS PÚBLICAS. Cartilha de orientação sobre o Programa de Regularização Urbanística e Fundiária REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA DE ÁREAS PÚBLICAS Cartilha de orientação sobre o Programa de Regularização Urbanística e Fundiária APRESENTAÇÃO Esta Cartilha foi desenvolvida como suporte ao trabalho da Prefeitura

Leia mais

MOC 10. CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO DE ATIVIDADES - COMUNIDADE NOSSA SENHORA APARECIDA

MOC 10. CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO DE ATIVIDADES - COMUNIDADE NOSSA SENHORA APARECIDA 10. CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO DE ATIVIDADES - COMUNIDADE NOSSA SENHORA APARECIDA EIXO Macroação ATIVIDADES Compor a equipe técnica com experiências no trabalho de desenvolvimento de comunidade. Identificar

Leia mais

Instruções Específicas para Desenvolvimento de Trabalho Social em Intervenções de Urbanização de Assentamentos Precários

Instruções Específicas para Desenvolvimento de Trabalho Social em Intervenções de Urbanização de Assentamentos Precários MININSTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Habitação Instruções Específicas para Desenvolvimento de Trabalho Social em Intervenções de Urbanização de Assentamentos Precários Programa: Urbanização Regularização

Leia mais

OPERAÇÕES URBANAS CONSORCIADAS Instrumentos de viabilização de projetos urbanos integrados

OPERAÇÕES URBANAS CONSORCIADAS Instrumentos de viabilização de projetos urbanos integrados OPERAÇÕES URBANAS CONSORCIADAS Instrumentos de viabilização de projetos urbanos integrados DEAP/SNAPU/MCIDADES Maio/2015 Contexto brasileiro Necessidade de obras públicas para requalificação e reabilitação

Leia mais

Análise de Projeto Técnico Social APT MUNICÍPIO DE VICENTE DUTRA/RS

Análise de Projeto Técnico Social APT MUNICÍPIO DE VICENTE DUTRA/RS TE-SER Social Consultoria e Assessoria de Projetos Ltda. Rua Upamaroti, 1129/121 Bairro Cristal Porto Alegre/RS CEP: 90.820-140 CNPJ: 08.798.484/0001-78 Inscrição Municipal: 510.834.26 Análise de Projeto

Leia mais

Avaliação de programa governamental: o Micro Empreendedor Individual (MEI) no Estado de Rondônia.

Avaliação de programa governamental: o Micro Empreendedor Individual (MEI) no Estado de Rondônia. CHAMADA MCTI-CNPq/MDS-SAGI Nº 24/2013 DESENVOLVIMENTO SOCIAL Linha temática: Tema 3: Inclusão Produtiva. Critério de Avaliação escolhido: Avaliar o acesso, a implantação e os efeitos de ações do Programa

Leia mais

Proponente/Agente Promotor: Prefeitura Municipal de Salto do Jacuí - RS. 1.000.000,00 Contrapartida

Proponente/Agente Promotor: Prefeitura Municipal de Salto do Jacuí - RS. 1.000.000,00 Contrapartida TE-SER Social Consultoria e Assessoria de Projetos Ltda. Rua Upamaroti, 1129/121 Bairro Cristal Porto Alegre/RS CEP: 90.820-140 CNPJ: 08.798.484/0001-78 Inscrição Municipal: 510.834.26 Análise de Projeto

Leia mais

Análise de Projeto Técnico Social APT MUNICÍPIO DE TURUÇU/ RS UF: RS

Análise de Projeto Técnico Social APT MUNICÍPIO DE TURUÇU/ RS UF: RS TE-SER Social Consultoria e Assessoria de Projetos Ltda. Rua Upamaroti, 1129/121 Bairro Cristal Porto Alegre/RS CEP: 90.820-140 CNPJ: 08.798.484/0001-78 Inscrição Municipal: 510.834.26 Análise de Projeto

Leia mais

Anexo 6.2-2 Atas de realização dos treinamentos

Anexo 6.2-2 Atas de realização dos treinamentos RELATÓRIO CONSOLIDADO DE ANDAMENTO DO PBA E DO ATENDIMENTO DE CONDICIONANTES CAPÍTULO 2 ANDAMENTO DO PROJETO BÁSICO AMBIENTAL Anexo 6.2-2 Atas de realização dos treinamentos ATA DE REUNIÃO Assunto: Oficina

Leia mais

RESULTADO FINAL PARA O CARGO DE AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE

RESULTADO FINAL PARA O CARGO DE AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE RESULTADO FINAL PARA O CARGO DE AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE UBS 01 LAS VEGAS - A (LAS VEGAS I) 1 4687824 FAGNA DA SILVA DOS SANTOS 79 95 174 CLASSIFICADO/APROVADO 2 5359552 VIVIANE RIBEIRO DA SILVA 75

Leia mais

GABINETE DO PREFEITO

GABINETE DO PREFEITO PREFEITURA MUNICIPAL DE SOBRADINHO ESTADO DA BAHIA SELEÇÃO PÚBLICA SIMPLIFICADA PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA POR EXCEPCIONAL INTERESSE PÚBLICO EDITAL N.º 007/2016 A Comissão Organizadora do Processo Seletivo

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CENTRO DE REFERÊNCIA TÉCNICA EM PSICOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS

CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CENTRO DE REFERÊNCIA TÉCNICA EM PSICOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CENTRO DE REFERÊNCIA TÉCNICA EM PSICOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS FORMAÇÃO EM PSICOLOGIA E POLITICAS PÚBLICAS: UMA APROXIMAÇÃO DO CRPRS COM O MEIO ACADÊMICO

Leia mais

Etapa 01 Proposta Metodológica

Etapa 01 Proposta Metodológica SP Etapa 01 Proposta Metodológica ConsultGEL - Rua: : José Tognoli, 238, Pres., 238, Pres. Prudente, SP Consultores Responsáveis, SP Élcia Ferreira da Silva Fone: : (18) 3222 1575/(18) 9772 5705 João Dehon

Leia mais

Programa de Reabilitação de Áreas Urbanas Centrais. Secretaria Nacional de Programas Urbanos

Programa de Reabilitação de Áreas Urbanas Centrais. Secretaria Nacional de Programas Urbanos Programa de Reabilitação de Áreas Urbanas Centrais Secretaria Nacional de Programas Urbanos CONCEITOS Área Urbana Central Bairro ou um conjunto de bairros consolidados com significativo acervo edificado

Leia mais

O artigo 8º da referida lei, contemplando exatamente a dimensão do sofrimento e dos danos que a violência doméstica e familiar provoca, determina:

O artigo 8º da referida lei, contemplando exatamente a dimensão do sofrimento e dos danos que a violência doméstica e familiar provoca, determina: TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO VARA CENTRAL DA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR CONTRA A MULHER SP Projeto: DE MÃOS DADAS COM A REDE Introdução A violência doméstica e familiar contra a mulher é um fenômeno

Leia mais

EDITAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS MUNICÍPIO DE CAUCAIA-CE

EDITAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS MUNICÍPIO DE CAUCAIA-CE EDITAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS MUNICÍPIO DE CAUCAIA-CE 1. INTRODUÇÃO A ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE LUZIA LOPES GADÊLHA, por meio do Termo Convênio nº 05/2015, como parte integrante do Projeto Fortalecendo

Leia mais

O que é o PLHIS? Quais são os beneficiários do PLHIS? Quais são as exigências do PLHIS?

O que é o PLHIS? Quais são os beneficiários do PLHIS? Quais são as exigências do PLHIS? O que é o PLHIS? Quais são os beneficiários do PLHIS? Quais são as exigências do PLHIS? Planejamento Planejamento é uma das condições para a prática profissional dos Assistente Social (BARBOSA, 1991).

Leia mais

ANÁLISE DE PROJETO TÉCNICO SOCIAL APT MUNICÍPIO SANTANA DA BOA VISTA

ANÁLISE DE PROJETO TÉCNICO SOCIAL APT MUNICÍPIO SANTANA DA BOA VISTA TE-SER Social Consultoria e Assessoria de Projetos Ltda. Rua Upamaroti, 1129/121 Bairro Cristal Porto Alegre/RS CEP: 90.820-140 CNPJ: 08.798.484/0001-78 Inscrição Municipal: 510.834.26 ANÁLISE DE PROJETO

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO DE SALTO

CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO DE SALTO CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO DE SALTO SECRETARIA MUNICIPAL DE AÇÃO SOCIAL E CIDADANIA PREFEITURA DA ESTÂNCIA TURÍSTICA DE SALTO www.cmisalto.com.br Pesquisa sobre a Frequência de Idosos em Grupos Em parceria

Leia mais

AULA 3. Aspectos Técnicos da Regularização Fundiária.

AULA 3. Aspectos Técnicos da Regularização Fundiária. Regularização Fundiária de Assentamentos Informais em Áreas Urbanas Disciplina: Regularização Fundiária e Plano Diretor Unidade 03 Professor(a): Laura Bueno e Pedro Monteiro AULA 3. Aspectos Técnicos da

Leia mais

Análise de Projeto Técnico Social APT MUNICÍPIO DE RONDA ALTA

Análise de Projeto Técnico Social APT MUNICÍPIO DE RONDA ALTA TE-SER Social Consultoria e Assessoria de Projetos Ltda. Rua Upamaroti, 1129/121 Bairro Cristal Porto Alegre/RS CEP: 90.820-140 CNPJ: 08.798.484/0001-78 Inscrição Municipal: 510.834.26 Análise de Projeto

Leia mais

experiência inovadora como contribuição da sociedade civil: Reintegração Familiar de Crianças e Adolescentes em Situação de Rua.

experiência inovadora como contribuição da sociedade civil: Reintegração Familiar de Crianças e Adolescentes em Situação de Rua. Título da experiência: Políticas públicas de apoio à população de rua Uma experiência inovadora como contribuição da sociedade civil: Reintegração Familiar de Crianças e Adolescentes em Situação de Rua.

Leia mais

RESULTADO DO EXAME NACIONAL DE ACESSO - 2012

RESULTADO DO EXAME NACIONAL DE ACESSO - 2012 1. Candidatos da Rede Publica Classificados e aptos a solicitar matrícula prévia no período de 13/02/2012 à 17/02/2012. 2012-PROFMAT-526.0006-0 ALECIO SOARES SILVA Classificado 2012-PROFMAT-526.0175-9

Leia mais

ANEXO VIII PORTARIA Nº 240, DE 2010. TERCEIRIZADOS (*) CARGO OU ATIVIDADE

ANEXO VIII PORTARIA Nº 240, DE 2010. TERCEIRIZADOS (*) CARGO OU ATIVIDADE TRIBUNAL DE CONTAS DO DISTRITO FEDERAL ANEXO VIII PORTARIA Nº 240, DE 2010. TERCEIRIZADOS (*) NOME ANDREIA ALMEIDA DA S. MORAES ANTONIA DE MARIA DA SILVA CRISTINA DE OLIVEIRA LIMA DENICE DE SOUZA MIRANDA

Leia mais

COMÉRCIO INTERNACIONAL CURSO DE ECONOMIA

COMÉRCIO INTERNACIONAL CURSO DE ECONOMIA COMÉRCIO INTERNACIONAL CURSO DE ECONOMIA CLASSIFICAÇÕES DO SEGUNDO TESTE E DA AVALIAÇÃO CONTINUA Classificações Classificação Final Alex Santos Teixeira 13 13 Alexandre Prata da Cruz 10 11 Aleydita Barreto

Leia mais

ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE RIBEIRO GONCALVES COMISSÃO ORGANIZADORA DO TESTE SELETIVO Local das Provas - Candidatos (A-Z)

ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE RIBEIRO GONCALVES COMISSÃO ORGANIZADORA DO TESTE SELETIVO Local das Provas - Candidatos (A-Z) ADELICE PEREIRA DE ANDRADE 8/00 PROF DE HAB HISTORIA ADILENE PEREIRA DE ANDRADE 8/00 PROF DE HAB MATEMATICA ALBAMARA DE OLIVEIRA E SOUSA /00 PROF DE EDUC INFANTIL ALDEIDE FERREIRA LIMA /00 PROF POLIVALENCIA

Leia mais

Programa de Regularização Fundiária de Interesse Social

Programa de Regularização Fundiária de Interesse Social Programa de Regularização Fundiária de Interesse Social CASA LEGAL Programa Estadual de Regularização Fundiária Programa Casa Legal Devido a Lei Estadual nº 16.269, de 29 de maio de 2008, dispor em seu

Leia mais

ESTADO DO PIAUÍ Prefeitura Municipal de Porto Alegre do Piauí

ESTADO DO PIAUÍ Prefeitura Municipal de Porto Alegre do Piauí CENTRO DE APLICAÇÃO: Escola Municipal Raymundo Neiva- Rua Maria de Sá Ribeiro, Centro, S/N, Porto Alegre do Piauí. SALA Nº 01 Médico PSF Cód. 001 01 HERMES DE NEIVA FERREIRA NETO 134250120006 Enfermeiro

Leia mais

Relatório do 1º Seminário Regional da Rede de Atenção à Criança e ao Adolescente em Situação de Rua - Região Norte Manaus.

Relatório do 1º Seminário Regional da Rede de Atenção à Criança e ao Adolescente em Situação de Rua - Região Norte Manaus. Relatório do 1º Seminário Regional da Rede de Atenção à Criança e ao Adolescente em Situação de Rua - Região Norte Manaus. 1. Resumo Descritivo Data: 31 de outubro de 2013. Local: Assembleia Legislativa

Leia mais

Roteiro para elaboração de Projeto Proposta

Roteiro para elaboração de Projeto Proposta . Capa: - Título do projeto - Nome da instituição proponente - Linha de ação a ser apoiada. Roteiro para elaboração de Projeto Proposta. Identificação da instituição proponente e responsável legal - devem

Leia mais

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS. Junho, 2006 Anglo American Brasil

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS. Junho, 2006 Anglo American Brasil MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS Junho, 2006 Anglo American Brasil 1. Responsabilidade Social na Anglo American Brasil e objetivos deste Manual Já em 1917, o Sr. Ernest Oppenheimer, fundador

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIONAL JATAÍ ASSESSORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIONAL JATAÍ ASSESSORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIONAL JATAÍ ASSESSORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO Orientações para cadastro, aprovação e prorrogação de Projetos de Pesquisa Os tópicos abaixo

Leia mais

O programa de urbanização de favelas da prefeitura de São Paulo um estudo de caso da favela de Heliópolis

O programa de urbanização de favelas da prefeitura de São Paulo um estudo de caso da favela de Heliópolis O programa de urbanização de favelas da prefeitura de São Paulo um estudo de caso da favela de Heliópolis Fabiana Cristina da Luz luz.fabiana@yahoo.com.br Universidade Cruzeiro do Sul Palavras-chave: Urbanização

Leia mais

ANEXO I ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS FIA 2011. Cada projeto deve conter no máximo 20 páginas

ANEXO I ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS FIA 2011. Cada projeto deve conter no máximo 20 páginas Cada projeto deve conter no máximo 20 páginas 1. APRESENTAÇÃO Faça um resumo claro e objetivo do projeto, considerando a situação da criança e do adolescente, os dados de seu município, os resultados da

Leia mais

Ata de Reunião do Conselho Gestor de Paraisópolis Local: Auditório do Albert Einstein Data: 15/05/2012 Pauta DESCRIÇÃO REFERÊNCIA AUTOR

Ata de Reunião do Conselho Gestor de Paraisópolis Local: Auditório do Albert Einstein Data: 15/05/2012 Pauta DESCRIÇÃO REFERÊNCIA AUTOR Ata de Reunião do Conselho Gestor de Local: Auditório do Albert Einstein Data: 15/05/2012 Pauta 1. Apresentação do Projeto de Urbanização para ; 2. Auxilio Aluguel 3. Informes Horário: 18h30 às 20h20 Por:

Leia mais

Sumário Executivo. Pesquisa Quantitativa de Avaliação do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil PETI

Sumário Executivo. Pesquisa Quantitativa de Avaliação do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil PETI Sumário Executivo Pesquisa Quantitativa de Avaliação do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil PETI Fundação Euclides da Cunha FEC/Data UFF Secretaria de Avaliação e Gestão da Informação Ministério

Leia mais

ANEXO I. Assistente Social - OPÇÃO 01: 01 CCA 1. Participação em conferências,

ANEXO I. Assistente Social - OPÇÃO 01: 01 CCA 1. Participação em conferências, Pós- 01 JOZELITA MARIA MARINHA DE SÁ JURUBEBA ANEXO I Social - OPÇÃO 01: 01 CCA 1. pontos (5,00 pontos por curso). por Social em área Total de Pontos 20,00 10,00 10,00-24,00 64,00 Pós- áreas afins. (20,00

Leia mais

Manual de Estágio. Serviço Social

Manual de Estágio. Serviço Social Manual de Estágio Serviço Social Sumário Manual de Estágio SERVIÇO SOCIAL INTRODUÇÃO... 03 1. ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL... 03 2. INFORMAÇÕES INICIAIS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO ES...

Leia mais

EDITAL DO CENTRO DE PROMOÇÃO DA SAÚDE TERMO DE REFERÊNCIA Nº 03/2012 COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO Nº 03/2012 TIPO: QUALIFICAÇÃO TÉCNICA

EDITAL DO CENTRO DE PROMOÇÃO DA SAÚDE TERMO DE REFERÊNCIA Nº 03/2012 COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO Nº 03/2012 TIPO: QUALIFICAÇÃO TÉCNICA EDITAL DO CENTRO DE PROMOÇÃO DA SAÚDE TERMO DE REFERÊNCIA Nº 03/2012 COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO Nº 03/2012 TIPO: QUALIFICAÇÃO TÉCNICA O Centro de Promoção da Saúde, entidade privada sem fins lucrativos, inscrita

Leia mais

PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA PSE

PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA PSE 2013 PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA PSE RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELO PSE NO ANO DE 2013. Janeiro/2014 PREFEITURA MUNICIPAL DO SURUBIM SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA

Leia mais

PLHIS - Plano Local de Habitação de Interesse Social

PLHIS - Plano Local de Habitação de Interesse Social SÃO VICENTE PLHIS - Plano Local de Habitação de Interesse Social Encontro Regional Discussão Pública do Plano Estadual de Habitação (PEH-SP) SEHAB - SECRETARIA DE HABITAÇÃO Prefeitura Municipal de São

Leia mais

RESULTADO DO REMANEJAMENTO DE VAGAS REMANESCENTES DO VESTIBULAR UAB-UESPI/2014.2, DO PROCESSO SELETIVO EDITAL NEAD/UESPI/UAB Nº 004/2015

RESULTADO DO REMANEJAMENTO DE VAGAS REMANESCENTES DO VESTIBULAR UAB-UESPI/2014.2, DO PROCESSO SELETIVO EDITAL NEAD/UESPI/UAB Nº 004/2015 RESULTADO DO REMANEJAMENTO DE VAGAS REMANESCENTES DO VESTIBULAR UAB-UESPI/2014.2, DO PROCESSO SELETIVO EDITAL NEAD/UESPI/UAB Nº 004/2015 A - UESPI, por intermédio da Coordenação de Projetos e Documentação

Leia mais

Prefeitura Municipal de Esplanada publica:

Prefeitura Municipal de Esplanada publica: Prefeitura Municipal de Esplanada 1 Quarta-feira Ano III Nº 540 Prefeitura Municipal de Esplanada publica: Resultado Do Processo Seletivo Simplificado 2013.1 Gestor - Rodrigo de Castro Lima / Secretário

Leia mais

Conselho Municipal dos Direitos do Idoso

Conselho Municipal dos Direitos do Idoso 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 Ata 05/2013 Aos vinte e seis do mês de junho de dois mil e treze aconteceu na sala de reuniões da Casa dos Conselhos, às oito

Leia mais

AV BRASIL 380 CENTRO 58330000 AV BRASIL 380 CENTRO 58330000 JURIPIRANGA PB Fone:32891551. JURIPIRANGA PB Fone:32891551 08.865.

AV BRASIL 380 CENTRO 58330000 AV BRASIL 380 CENTRO 58330000 JURIPIRANGA PB Fone:32891551. JURIPIRANGA PB Fone:32891551 08.865. 201 GABINETE DO PREFEITO GABINETE DO PREFEITO 928 ANTONIO MAROJA GUEDES FILHO PREFEITO 23684895415 5/10 464761 SSPPB 19021220965 03/01/2005 ELE 2 - Eletivos 201 GABINETE DO PREFEITO GABINETE DO PREFEITO

Leia mais

RELATÓRIO DA 5ª CONFERÊNCIA ETAPA MUNICIPAL APARECIDA DE GOIÂNIA-GO 24 E 25 DE MAIO DE 2013

RELATÓRIO DA 5ª CONFERÊNCIA ETAPA MUNICIPAL APARECIDA DE GOIÂNIA-GO 24 E 25 DE MAIO DE 2013 RELATÓRIO DA 5ª CONFERÊNCIA ETAPA MUNICIPAL 1. Dados Iniciais Estado: Goiás Município: Aparecida de Goiânia APARECIDA DE GOIÂNIA-GO 24 E 25 DE MAIO DE 2013 2. Dados da pessoa responsável pelo preenchimento

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO LOCAL DO PROJOVEM URBANO

ESTADO DA PARAÍBA PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO LOCAL DO PROJOVEM URBANO ESTADO DA PARAÍBA PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO LOCAL DO PROJOVEM URBANO RESULTADO DA 1ª ETAPA DO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO DE EDUCADORES TEMPORÁRIOS

Leia mais

Relatório Consolidado Indicadores Quantitativos. Programa de Fortalecimento Institucional, Participação e Controle Social Barro Alto - GO

Relatório Consolidado Indicadores Quantitativos. Programa de Fortalecimento Institucional, Participação e Controle Social Barro Alto - GO Relatório Consolidado Indicadores Quantitativos Programa de Fortalecimento Institucional, Participação e Controle Social Barro Alto - GO Relatório Consolidado Programa de Fortalecimento e Barro Alto -

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 16, DE 5 DE MAIO DE 2010

RESOLUÇÃO Nº 16, DE 5 DE MAIO DE 2010 RESOLUÇÃO Nº 16, DE 5 DE MAIO DE 2010 Define os parâmetros nacionais para a inscrição das entidades e organizações de assistência social, bem como dos serviços, programas, projetos e benefícios socioassistenciais

Leia mais

Status Documentação. Inscrição Candidato REQ1 REQ2 A B C D E F G TOTAL. Não recebida

Status Documentação. Inscrição Candidato REQ1 REQ2 A B C D E F G TOTAL. Não recebida 965046 ADELSON DA SILVA 0,00 964879 ADERSON ELIAS DOS SANTOS SIM NÃO 0,00 0,00 0,00 10,00 0,00 2,00 0,00 12,00 966665 ADEVÂNIA CLAUDINO COSTA SIM SIM 0,00 0,00 0,00 10,00 0,00 0,00 16,00 26,00 967344 ADRIANA

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÕES

MANUAL DE ORIENTAÇÕES MANUAL DE ORIENTAÇÕES Programa Direito e Cidadania Prezados parceiros e colaboradores É com grande satisfação que o (a) convidamos a participar do Programa Direito e Cidadania edição 2014, desenvolvido

Leia mais

CONDOMÍNIO ROTONDA PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS SORTEADAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

CONDOMÍNIO ROTONDA PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS SORTEADAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA SORTEADOS Titular 1 17ADILSON GOULART DE JESUS 819.***.***-15 Cangulo I Titular 2 1198 JANAINA COUTO SILVA DE OLIVEIRA 033.***.***-82 Cangulo I Titular 3 600 DARCILENE OLIVEIRA DA SILVA 058.***.***-65

Leia mais

Projeto de Decreto. (Criar uma denominação/nome própria para o programa)

Projeto de Decreto. (Criar uma denominação/nome própria para o programa) Projeto de Decreto Dispõe sobre as atribuições e competência do Programa de Execução de Medidas Socioeducativas em Meio Aberto, atendendo à Resolução do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente,

Leia mais

3. 1 Executar e monitorar as metas e etapas previstas no Plano de Trabalho assim com sua execução operacional, administrativa e financeira.

3. 1 Executar e monitorar as metas e etapas previstas no Plano de Trabalho assim com sua execução operacional, administrativa e financeira. EDITAL DO CENTRO DE PROMOÇÃO DA SAÚDE TERMO DE REFERÊNCIA Nº 02/2012 COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO Nº 02/2012 TIPO: MELHOR QUALIFICAÇÃO TÉCNICA O Centro de Promoção da Saúde, entidade privada sem fins lucrativos,

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO PELA EDUCAÇÃO - MPEDUC ESCOLA COM PARTICIPAÇÃO

MINISTÉRIO PÚBLICO PELA EDUCAÇÃO - MPEDUC ESCOLA COM PARTICIPAÇÃO MINISTÉRIO PÚBLICO PELA EDUCAÇÃO - MPEDUC ESCOLA COM PARTICIPAÇÃO APRESENTAÇÃO O Ministério Público pela Educação MPEDUC é um projeto que foi desenvolvido em parceria pelo Ministério Público Federal/Procuradoria

Leia mais

EDITAL Nº 1, DE 20 DE JANEIRO DE 2015.

EDITAL Nº 1, DE 20 DE JANEIRO DE 2015. EDITAL Nº 1, DE 20 DE JANEIRO DE 2015. A COMISSÃO COORDENADORA DA SELEÇÃO DE TUTORES PARA O CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS, constituída por meio da Instrução de Serviço

Leia mais

CANDIDATOS CLASSIFICADOS (PEDAGOGIA SÉRIES INICIAIS E ENSINO FUNDAMENTAL)

CANDIDATOS CLASSIFICADOS (PEDAGOGIA SÉRIES INICIAIS E ENSINO FUNDAMENTAL) FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA REITORIA DIRETORIA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - DIRED UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL - UAB Edital n.º 007/2011/DIRED/REITORIA CANDIDATOS CLASSIFICADOS (PEDAGOGIA SÉRIES

Leia mais

VIII Jornada de Estágio de Serviço Social. A PRÁTICA DO SERVIÇO SOCIAL NA ASSOCIAÇÃO MINISTÉRIO MELHOR VIVER- AMMV

VIII Jornada de Estágio de Serviço Social. A PRÁTICA DO SERVIÇO SOCIAL NA ASSOCIAÇÃO MINISTÉRIO MELHOR VIVER- AMMV A PRÁTICA DO SERVIÇO SOCIAL NA ASSOCIAÇÃO MINISTÉRIO MELHOR VIVER- AMMV SILVA, D. Pollyane¹ MORO, M. Silvana ² SOUSA, G. Cristiane³ Resumo Este trabalho tem o intuito de descrever a Prática Profissional

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Nacional de Renda de Cidadania Secretaria Nacional de Assistência Social

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Nacional de Renda de Cidadania Secretaria Nacional de Assistência Social Instrução Operacional Conjunta Senarc/SNAS/MDS Nº 07 de 22 de novembro de 2010. Assunto: Orientações aos municípios e ao Distrito Federal para a inclusão de pessoas em situação de rua no Cadastro Único

Leia mais

ANEXO II RESULTADO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO 001/2013

ANEXO II RESULTADO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO 001/2013 ANEXO II RESULTADO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO 001/2013 ASSISTENTE SOCIAL VOLANTE 197 IVANILDA CORREA PINTO 7,50 1º LUGAR 407 EDILEIA DE ARAUJO RIOS 6,42 2º LUGAR 177 GISELE MARTINEZ LOURENÇO DE OLIVEIRA

Leia mais

Nº. Da Equipe: 045 / verde

Nº. Da Equipe: 045 / verde USF: Onésimo Pinto Nº. Da Equipe: 045 / verde ESTADO DE SERGIPE PREFEITURA MUNICIPAL DE ARACAJU SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE CRONOGRAMA DE ATIVIDADES Mês:JULHO/2015 PROFISSIONAL NOME TURNO SEGUNDA TERÇA

Leia mais

Relatório de Atividades do Trabalho Social Residencial Recanto dos Pássaros Limeira/SP

Relatório de Atividades do Trabalho Social Residencial Recanto dos Pássaros Limeira/SP Relatório de Atividades do Trabalho Social Residencial Recanto dos Pássaros Limeira/SP A Secretaria Municipal da Habitação de Limeira realizou entre os dias 29/04 e 10/05/2014 uma série de encontros com

Leia mais

IN 105 ATENDIMENTO AO CLIENTE 001. Atividade Autoridade Responsabilidade

IN 105 ATENDIMENTO AO CLIENTE 001. Atividade Autoridade Responsabilidade IN 105 ATENDIMENTO AO CLIENTE 001 1 OBJETIVO Estabelecer as orientações e procedimentos para prestar o atendimento ao cliente que procura algum dos serviços ou produtos que compõe o portfólio e/ou o atendimento

Leia mais

ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORESTA DO PIAUI COMISSÃO ORGANIZADORA DO CONCURSO PÚBLICO RESULTADO GERAL POR ORDEM DE CLASSIFICAÇÃO

ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORESTA DO PIAUI COMISSÃO ORGANIZADORA DO CONCURSO PÚBLICO RESULTADO GERAL POR ORDEM DE CLASSIFICAÇÃO Cargo: 001 VIGIA 1 EDJANIA MARIA MARTINS 176 100,00 S S 2 JOSE RICARDO DA SILVA 136 98,00 S S 3 VALDILENE MARIA DE ALMEIDA PINHEIRO 124 97,00 S S 4 FRANCISCA FLAVIA CAMPOS DE LIMA 82 97,00 S S 5 MARIA

Leia mais

DECRETO Nº 33530 DE 22 DE MARÇO DE 2011. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais e,

DECRETO Nº 33530 DE 22 DE MARÇO DE 2011. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais e, DECRETO Nº 33530 DE 22 DE MARÇO DE 2011. Cria a Central de Teleatendimento da PCRJ Central 1746, no âmbito da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas

Leia mais

Nº. Da Equipe: 045 / verde

Nº. Da Equipe: 045 / verde USF: Onésimo Pinto Nº. Da Equipe: 045 / verde ESTADO DE SERGIPE PREFEITURA MUNICIPAL DE ARACAJU SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE CRONOGRAMA DE ATIVIDADES Mês: Agosto PROFISSIONAL NOME TURNO SEGUNDA TERÇA

Leia mais

POLO: EMBU DAS ARTES CURSO: DEFICIÊNCIA AUDITIVA APROVADOS E CLASSIFICADOS POLO: EMBU DAS ARTES CURSO: DEFICIÊNCIA AUDITIVA APROVADOS

POLO: EMBU DAS ARTES CURSO: DEFICIÊNCIA AUDITIVA APROVADOS E CLASSIFICADOS POLO: EMBU DAS ARTES CURSO: DEFICIÊNCIA AUDITIVA APROVADOS UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO COORDENAÇÃO DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA CEAD RESULTADOS DA SELEÇÃO DISCENTE 1 MARIA VANDERLEIA ARAUJO MAXIMIANO 62294393368 9,8 2 VIVIANE LINDA SARMENTO 33329574810

Leia mais

Pont. Nome Ano Turma Nº Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Total

Pont. Nome Ano Turma Nº Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Total Lin Yu 7º G 11 9 10 10 10 6 45 Vanessa Almeida 7º G 25 9 9 10 10 6 44 Paulo Ferreira 9º F 16 8 9 10 4 5 36 Samuel Marques 8º B 18 10 7 3 10 5 35 Bruno Silva 9º F 7 10 6 9 5 1 31 Maria Fernandes 7º G 13

Leia mais

Kit de Apoio à Gestão Pública 1

Kit de Apoio à Gestão Pública 1 Kit de Apoio à Gestão Pública 1 Índice CADERNO 3: Kit de Apoio à Gestão Pública 3.1. Orientações para a reunião de Apoio à Gestão Pública... 03 3.1.1. O tema do Ciclo 4... 03 3.1.2. Objetivo, ações básicas

Leia mais

A Função da Comissão Própria de Avaliação (CPA) em uma Instituição de Ensino Superior. Prof. Marcílio A. F. Feitosa

A Função da Comissão Própria de Avaliação (CPA) em uma Instituição de Ensino Superior. Prof. Marcílio A. F. Feitosa A Função da Comissão Própria de Avaliação (CPA) em uma Instituição de Ensino Superior Prof. Marcílio A. F. Feitosa Avaliação das Instituições de Educação Superior A Avaliação Institucional é um dos componentes

Leia mais

Carta ao cidadão - Prefeitura Municipal de Perimirim

Carta ao cidadão - Prefeitura Municipal de Perimirim A Prefeitura Municipal de Perimirim apresenta a carta ao cidadão que expõe de maneira abrangente, sucinta e objetiva os compromissos de qualidade que orientam o atendimento ao público e a prestação de

Leia mais

19º RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DO TRABALHO TÉCNICO SOCIAL

19º RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DO TRABALHO TÉCNICO SOCIAL 19º RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DO TRABALHO TÉCNICO SOCIAL Projeto de Trabalho Técnico Social Parque Araruama e Jardim Sumaré PAC Drenagem - Ct. Nº 0292.744-42/09 1 INTRODUÇÃO Durante este período a Equipe

Leia mais

Edital de Convocação nº 01/2015. Convocação para Inscrição de Entidades e Organizações Não-Governamentais

Edital de Convocação nº 01/2015. Convocação para Inscrição de Entidades e Organizações Não-Governamentais Edital de Convocação nº 01/2015 Convocação para Inscrição de Entidades e Organizações Não-Governamentais A Presidente do CMAS Conselho Municipal de Assistência Social de Cáceres, no uso de suas atribuições

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Cozinha Escola Borda Viva

Mostra de Projetos 2011. Cozinha Escola Borda Viva Mostra de Projetos 2011 Cozinha Escola Borda Viva Mostra Local de: São José dos Pinhais Categoria do projeto: I - Projetos em implantação, com resultados parciais Nome da Instituição/Empresa: Associação

Leia mais

3.1 Planejar, organizar e realizar oficinas de mapeamento participativo utilizando técnicas de educação popular e promoção da saúde;

3.1 Planejar, organizar e realizar oficinas de mapeamento participativo utilizando técnicas de educação popular e promoção da saúde; EDITAL DO CENTRO DE PROMOÇÃO DA SAÚDE TERMO DE REFERÊNCIA Nº 05/2012 COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO Nº 05/2012 TIPO: MELHOR TÉCNICA O Centro de Promoção da Saúde, entidade privada sem fins lucrativos, inscrita

Leia mais

Diagnóstico de oportunidades de quebra de barreiras para acesso às políticas públicas da Agricultura Familiar em São Félix do Xingu, Pará.

Diagnóstico de oportunidades de quebra de barreiras para acesso às políticas públicas da Agricultura Familiar em São Félix do Xingu, Pará. TERMO DE REFERÊNCIA Diagnóstico de oportunidades de quebra de barreiras para acesso às políticas públicas da Agricultura Familiar em São Félix do Xingu, Pará. 1. Título: Diagnóstico de oportunidades para

Leia mais

Você no Parlamento. Consulta Pública. Cooperação Técnica entre a CâmaraMunicipal de São Paulo e a Rede Nossa São Paulo

Você no Parlamento. Consulta Pública. Cooperação Técnica entre a CâmaraMunicipal de São Paulo e a Rede Nossa São Paulo Consulta Pública Você no Parlamento Cooperação Técnica entre a CâmaraMunicipal de São Paulo e a Rede Nossa São Paulo Termo de 18/04/2011 e Aditamento de 06/06/2011 Consulta pública com a população de São

Leia mais

INTREGRAPE PROJETO APE

INTREGRAPE PROJETO APE INTREGRAPE PROJETO APE Ações Preventivas na Escola Atua no fortalecimento e desenvolvimento do Eixo-Saúde no Programa Escola da Família, sistematizando ações de organização social, que qualifique multiplicadores

Leia mais

5.9 - Programa de Comunicação Social... 1/8. 5.9.1 - Objetivos... 1/8. 5.9.2 - Justificativas... 2/8. 5.9.3 - Metas... 2/8. 5.9.4 - Metodologia...

5.9 - Programa de Comunicação Social... 1/8. 5.9.1 - Objetivos... 1/8. 5.9.2 - Justificativas... 2/8. 5.9.3 - Metas... 2/8. 5.9.4 - Metodologia... 2818-00-EIA-RL-0000-00 LT 500 KV ESTREITO FERNÃO DIAS ÍNDICE 5.9 - Programa de Comunicação Social... 1/8 5.9.1 - Objetivos... 1/8 5.9.2 - Justificativas... 2/8 5.9.3 - Metas... 2/8 5.9.4 - Metodologia...

Leia mais

A INSERÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NA EQUIPE MULIDISCIPLINAR DO PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA NO MUNICÍPIO DE MEDIANEIRA - PR

A INSERÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NA EQUIPE MULIDISCIPLINAR DO PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA NO MUNICÍPIO DE MEDIANEIRA - PR A INSERÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NA EQUIPE MULIDISCIPLINAR DO PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA NO MUNICÍPIO DE MEDIANEIRA - PR 1.1 1.2 Cheile Kátia da Silva 1. Michelly Laurita Wiese 1.3 INTRODUÇÃO: De acordo com

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 008/2013

RESOLUÇÃO Nº 008/2013 RESOLUÇÃO Nº 008/2013 Súmula: Define critérios para apresentação de projetos para o valor R$966.734,86 (Novecentos e sessenta e seis mil, setecentos e trinta e quatro reais e oitenta e seis centavos) do

Leia mais

GRANDES ETAPAS DO TRABALHO SOCIAL

GRANDES ETAPAS DO TRABALHO SOCIAL TRABALHO SOCIAL GRANDES ETAPAS DO TRABALHO SOCIAL Parceria com o Município Parecer de Demanda Cadastramento (Procedimentos) Seleção IN DIFC Nº 32/2013 Agente Financeiro Sorteio/escolha da unidade habitacional

Leia mais

VIII Jornada de Estágio de Serviço Social O SERVIÇO SOCIAL NA PROLAR: BUSCANDO A EFETIVAÇÃO DO DIREITO À MORADIA.

VIII Jornada de Estágio de Serviço Social O SERVIÇO SOCIAL NA PROLAR: BUSCANDO A EFETIVAÇÃO DO DIREITO À MORADIA. VIII Jornada de Estágio de Serviço Social O SERVIÇO SOCIAL NA PROLAR: BUSCANDO A EFETIVAÇÃO DO DIREITO À MORADIA. LIMA Evelyn Paula Soares Matioski de 1 RIBEIRO Juliana 2 SANTOS Marcia Pedroso dos 3 SCHIMANSKI

Leia mais

Resultados da Candidatura a Alojamento

Resultados da Candidatura a Alojamento Resultados da Candidatura a Alojamento Unidade Orgânica: Serviços de Acção Social RESIDÊNCIA: 02 - ESE ANO LECTIVO: 2015/2016 2ª Fase - Resultados Definitivos >>> EDUCAÇÃO BÁSICA 14711 Ana Catarina Mendes

Leia mais

COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO ESTADUAL CONFERÊNCIA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO - CONED DADOS DO(A) COORDENADOR(A)

COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO ESTADUAL CONFERÊNCIA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO - CONED DADOS DO(A) COORDENADOR(A) COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO ESTADUAL CONFERÊNCIA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO - CONED NOME: JOÃO BATISTA RODRIGUES DOS SANTOS DADOS DO(A) COORDENADOR(A) CARGO/FUNÇÃO: Assessor Político INSTITUIÇÃO: Secretaria Estadual

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO

MANUAL DE ORIENTAÇÃO AMAVI ASSOCIAÇÃO DOS MUNICÍPIOS DO ALTO VALE DO ITAJAÍ MANUAL DE ORIENTAÇÃO FORMULÁRIO PARA ELABORAÇÃO DO DIAGNÓSTICO HABITACIONAL Este manual tem por finalidade orientar os cadastradores no preenchimento

Leia mais

PAUTA DE JULGAMENTO 2ª COMPOSIÇÃO

PAUTA DE JULGAMENTO 2ª COMPOSIÇÃO 3ª JUNTA DE RECURSOS EM PERNAMBUCO PAUTA DE JULGAMENTO 2ª COMPOSIÇÃO Pauta de Julgamento dos recursos das sessões ordinárias a serem realizadas, no curso do mês de ABRIL/2007, nos dias 10, 11(manhã e tarde),

Leia mais

Relação dos estagiários classificados da FACULDADE AMADEUS

Relação dos estagiários classificados da FACULDADE AMADEUS Inscrição Nome Curso 1 Graziele Gois Cabral 2 Brunelly Alves De Jesus Administração 3 Esthefany Araujo Dos 4 Sinezia Melo Vilas Boas Da Silva 5 Deisiane Da Silva Administração 6 Maria De Fátima Conceição

Leia mais

PROCESSO SELETIVO Nº 206/2015

PROCESSO SELETIVO Nº 206/2015 PROCESSO SELETIVO Nº 206/2015 O Sesc em Minas comunica a relação nominal com as notas da prova ocorrida entre os dias 07/06/2015 à 14/06/2015 Considerando o que está previsto no subitem 5.1.3.1 do Descritivo

Leia mais

APÊNDICE A FICHA DE ACOMPANHAMENTO DO TCC

APÊNDICE A FICHA DE ACOMPANHAMENTO DO TCC APÊNDICE A FICHA DE ACOMPANHAMENTO DO TCC MÉDIA PARCIAL: ( ) M1 ( ) M2 ( ) M3 ACADÊMICO: CÓDIGO DE MATRÍCULA: PROF. ORIENTADOR: Nº ENC. DATA DA ORIENTAÇÃO INÍCIO HORÁRIO ASSUNTOS ABORDADOS DURANTE AS REALIZOU

Leia mais

DIA: 27 de maio de 2015 HORÁRIO: 8hs às 13h30min LOCAL: Secretaria Municipal de Ação Social Trabalho

DIA: 27 de maio de 2015 HORÁRIO: 8hs às 13h30min LOCAL: Secretaria Municipal de Ação Social Trabalho Secretaria Municipal de Ação Social Trabalho e Cidadania realizaram a Conferencia Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente a 7ª Conferência Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente

Leia mais

Gestão Democrática da Educação

Gestão Democrática da Educação Ministério da Educação Secretaria de Educação Básica Departamento de Articulação e Desenvolvimento dos Sistemas de Ensino Coordenação Geral de Articulação e Fortalecimento Institucional dos Sistemas de

Leia mais

SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO Departamento Regional do SESC no Estado do Acre

SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO Departamento Regional do SESC no Estado do Acre RIO BRANCO PROGRAMA CULTURA 1 ADALBERTO QUEIROZ DE MELO 01.02 2 TEDDY FALCÃO 01.02 3 ANTONIO SERGIO DE CARVALHO E SOUZA 01.02 PROGRAMA CULTURA 1 ANELISE CAMARGO GARCIA 01.03 2 PAULO SERGIO FELIX LOPES

Leia mais