TÓPICO ESPECIAL: IMPÉRIOS IBÉRICOS NO ANTIGO REGIME

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TÓPICO ESPECIAL: IMPÉRIOS IBÉRICOS NO ANTIGO REGIME"

Transcrição

1 TÓPICO ESPECIAL: IMPÉRIOS IBÉRICOS NO ANTIGO REGIME Optativa / Carga Horária: 60hs Ementa: O curso visa analisar a formação dos Impérios Ibéricos entre os séculos XV e XVIII, considerando-se a perspectiva das histórias conectadas, das monarquias compósitas, das relações entre centros e periferias, e das autoridades negociadas, entre outras questões. Avaliações: Seminários e trabalho final escrito 1ª aula: Apresentação do programa UNIDADE I: Constituição dos Impérios no Período Moderno 2ª aula: - PUJOL, Xavier Gil. Centralismo e Localismo? Sobre as relações políticas e culturais entre capital e território nas monarquias européias dos séculos XVI e XVII. In: Penélope: Fazer e Desfazer História, n. 6, Lisboa, 1991, pp ELLIOT, J. H. A Europe of Composite Monarchies. In: Past and Present, n. 137, 1992, pp ª aula: - THOMAZ, Luis Filipe. Estrutura política e administrativa do Estado da Índia no século XVI. In:. De Ceuta a Timor. Lisboa: Difel, 1994, pp NEWITT, Malyn. Formal and Informal Empire in the History of Portuguese Expansion. In: Portuguese Studies, v. 17, 2001, pp UNIDADE II: Histórias Conectadas

2 4ª aula: - SUBRAHMANYAN, Sanjay. Connected Histories: Notes towards a reconfiguration of early modern Eurasia. In: LIEBERMAN, Victor (ed.). Beyond Binary Histories. Re-imagining Eurasia to c Michigan: University of Michigan Press, 1999, pp GRUZINSKI, Serge. Os mundos misturados da monarquia católica e outras Connected Histories. In: Revista Topoi, UFRJ, Rio de Janeiro, mar. 2001, pp ª aula: - BRADING, David. La Monarquia Catolica. In: ANNINO, Antonio et alli (orgs.). De los Imperios a las Naciones: Iberoamerica. Zaragoza: IberCaja, 1994, pp SCHAUB, Jean-Frédéric. Introdução. In:. Portugal na monarquia hispânica ( ). Lisboa: Livros Horizonte, 2001, pp UNIDADE III: Centro e Periferia, Liberalidade Régia e Economia das Mercês 6ª aula: - SHILS, Edward. Centro e Periferia. Lisboa: Difel, 1992, pp RUSSELL-WOOD, J. A. R. Centro e periferia no mundo luso-brasileiro, In: Revista Brasileira de História, vol. 18, n. 36, São Paulo, 1998, pp ª aula: - HESPANHA, António Manuel; XAVIER, Ângela Barreto. As Redes Clientelares. In: MATTOSO, José (dir.). História de Portugal. O Antigo Regime ( ), vol. 4. Lisboa: Editorial Estampa, 1993, pp OLIVAL, Fernanda. Liberalidade régia, doações e serviços, a mercê remuneratória. In:. As ordens militares e o Estado moderno. Honra, mercê e venalidade em Portugal. Lisboa: Estar Editora, 2001, pp UNIDADE IV: Autoridades Negociadas e Poder Local 8ª aula:

3 - MONTEIRO, Nuno Gonçalo. Os concelhos e as comunidades. In: MATTOSO, José (dir.). História de Portugal. O Antigo Regime ( ), vol. 4. Lisboa: Editorial Estampa, 1993, pp MELLO, Evaldo Cabral de. Loja x Engenho. In:. A Fronda dos Mazombos: nobres contra mascates. Pernambuco, São Paulo: Companhia das Letras, 1995, pp ª aula: - BICALHO, Maria Fernanda Baptista. As câmaras ultramarinas e o governo do Império. In: ; FRAGOSO, João; GOUVÊA, Maria de Fátima Silva. O Antigo Regime nos trópicos: a dinâmica imperial portuguesa (séculos XVI-XVIII). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001, pp MONTEIRO, Nuno Gonçalo. Monarquia, poderes locais e corpos intermédios no Portugal moderno (séculos XVII e XVIII), e Elites locais e mobilidade social em Portugal nos finais do Antigo Regime. In:. Elites e Poder: entre o Antigo Regime e o Liberalismo. Lisboa: ICS, 2007, pp UNIDADE V: Formação da Ibéria nos Tempos Modernos e União das Coroas 10ª aula: - BARBOZA FILHO, Rubens. O debate histórico sobre os séculos de ouro da Ibéria. In:. Tradição e Artifício. Iberismo e Barroco na Formação Americana. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2000, pp BARBOZA FILHO, Rubens. A dinâmica espacial ibérica. In:. Tradição e Artifício. Iberismo e Barroco na Formação Americana. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2000, pp ª aula: - BARBOZA FILHO, Rubens. Absolutismo e neotomismo na Ibéria do século XVI. In:. Tradição e Artifício. Iberismo e Barroco na Formação Americana. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2000, pp SCHAUB, Jean-Frédéric. Oposições e Dissidência. In:. Portugal na

4 monarquia hispânica ( ). Lisboa: Livros Horizonte, 2001, pp UNIDADE VI: Discursos e Práticas Políticas das Monarquias Ibéricas 12ª aula: - CARDIM, Pedro. Administração e governo : uma reflexão sobre o vocabulário do Antigo Regime. In: BICALHO, Maria Fernanda; FERLINI, Vera Lucia Amaral. Modos de Governar: idéias e práticas políticas no Império português, séculos XVI-XIX. São Paulo: Alameda, 2005, pp CURTO, Diogo Ramada. Cultura política. In: MAGALHÃES, Joaquim Romero. História de Portugal. No alvorecer da modernidade ( ), vol. 3. Lisboa: Editorial Estampa, 1993, pp ª aula: - TORGAL, Luís Reis. A literatura política da Restauração e o seu significado cultural e ideológico. In:. Ideologia política e teoria do Estado na Restauração, vol. 1. Coimbra: Biblioteca Geral da Universidade, 1981, pp TORGAL, Luís Reis. A legitimação do movimento restaurador. In:. Ideologia política e teoria do Estado na Restauração, vol. 1. Coimbra: Biblioteca Geral da Universidade, 1981, pp UNIDADE VII: Honras e Privilégios no Antigo Regime Ibérico 14ª aula: - MARAVALL, José Antonio. Funcion del honor y regimen de estratificacion en la sociedad tradicional. In:. Poder, honor y elites en el siglo XVII. Madrid: Siglo XXI, 1989 (Parte 1), pp MARAVALL, José Antonio. Funcion del honor y regimen de estratificacion en la sociedad tradicional. In:. Poder, honor y elites en el siglo XVII. Madrid: Siglo XXI, 1989 (Parte 2), pp ª aula:

5 - MONTEIRO, Nuno Gonçalo. O ethos nobiliárquico no final do Antigo Regime: poder simbólico, império e imaginário social. In: Almanack Braziliense. Revista Eletrônica, n. 2, IEB- USP, novembro de 2005, pp BICALHO, Maria Fernanda. Conquistas, mercês e poder local: a nobreza da terra na América portuguesa e a cultura política do Antigo Regime. In: Almanack Braziliense. Revista Eletrônica, n. 2, IEB-USP, novembro de 2005, pp

Os homens por detrás da engrenagem da Misericórdia do Rio de Janeiro

Os homens por detrás da engrenagem da Misericórdia do Rio de Janeiro 1 Karoline Marques Machado, A Caridade nos Territórios Ultramarinos. Notas sobre a trajetória dos provedores da Misericórdia do Rio de Janeiro A Caridade nos Territórios Ultramarinos. Notas sobre a trajetória

Leia mais

CENTRO CULTURAL DE BELÉM. PALESTRAS SOBRE HISTÓRIA DE PORTUGAL Janeiro Março de 2015. Segunda Parte Época Moderna

CENTRO CULTURAL DE BELÉM. PALESTRAS SOBRE HISTÓRIA DE PORTUGAL Janeiro Março de 2015. Segunda Parte Época Moderna CENTRO CULTURAL DE BELÉM PALESTRAS SOBRE HISTÓRIA DE PORTUGAL Janeiro Março de 2015 Segunda Parte Época Moderna Nuno Gonçalo Monteiro Instituto de Ciências Sociais Universidade de Lisboa Quarta Sessão

Leia mais

c. 1808-1824 Notas Preliminares de Pesquisa

c. 1808-1824 Notas Preliminares de Pesquisa O Governo Econômico da Vila de São João Del Rei, c. 1808-1824 Notas Preliminares de Pesquisa Tarcísio Greggio Mestrando em História Social/UFRJ. Bolsista CAPES/CNPq tarcisiogreggio@hotmail.com Resumo:

Leia mais

Ágatha Francesconi Gatti

Ágatha Francesconi Gatti Ágatha Francesconi Gatti contato: agatha_gatti@yahoo.com.br link para o currículo lattes: http://lattes.cnpq.br/3170048013948376 FORMAÇÃO ACADÊMICA / TITULAÇÃO Graduação em História (fev.2001-dez.2005):

Leia mais

II Encontros Coloniais Natal, de 29 a 30 de maio de 2014

II Encontros Coloniais Natal, de 29 a 30 de maio de 2014 Meu ofício, moeda e sustento: notas sobre propriedade de ofícios em Pernambuco no período post-bellum Aledson Manoel Silva Dantas Graduando em História, UFRN Orientadora: Carmen Margarida Oliveira Alveal

Leia mais

EDITAL DE CONTRATAÇÃO DE PROFESSOR HORISTA

EDITAL DE CONTRATAÇÃO DE PROFESSOR HORISTA EDITAL DE CONTRATAÇÃO DE PROFESSOR HORISTA 1) Sociologia II A Escola de Ciências Sociais / CPDOC da FGV-RJ informa a abertura de processo seletivo para a contratação de um professor horista para a disciplina

Leia mais

CURRICULO SIMPLIFICADO DE MARIA MARGARIDA VAZ DO REGO MACHADO

CURRICULO SIMPLIFICADO DE MARIA MARGARIDA VAZ DO REGO MACHADO CURRICULO SIMPLIFICADO DE MARIA MARGARIDA VAZ DO REGO MACHADO Nasceu em Ponta Delgada, Açores, onde fez os seu estudos Liceais. Na mesma cidade iniciou os estudos no Conservatório onde conclui 1970 Curso

Leia mais

LÍVIA NASCIMENTO MONTEIRO REDES DE PODER NA CÂMARA DE SÂO JOÃO DEL REI: SÉCULO XVIII. Monografia de Bacharelado

LÍVIA NASCIMENTO MONTEIRO REDES DE PODER NA CÂMARA DE SÂO JOÃO DEL REI: SÉCULO XVIII. Monografia de Bacharelado LÍVIA NASCIMENTO MONTEIRO REDES DE PODER NA CÂMARA DE SÂO JOÃO DEL REI: SÉCULO XVIII Monografia de Bacharelado JUIZ DE FORA MG 2007 2 UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS

Leia mais

Relatório de Licença Sabática. de Maria Antónia da Silva Figueiredo Lopes. (2º semestre do ano lectivo de 2007-08 e 1º semestre de 2008-09)

Relatório de Licença Sabática. de Maria Antónia da Silva Figueiredo Lopes. (2º semestre do ano lectivo de 2007-08 e 1º semestre de 2008-09) Relatório de Licença Sabática de Maria Antónia da Silva Figueiredo Lopes (2º semestre do ano lectivo de 2007-08 e 1º semestre de 2008-09) Por despacho do Senhor Vice-Reitor de 16 de Março de 2007, gozei

Leia mais

Balanço historiográfico acerca da atuação dos Juízes de Fora em Mariana

Balanço historiográfico acerca da atuação dos Juízes de Fora em Mariana Balanço historiográfico acerca da atuação dos Juízes de Fora em Mariana Débora Cazelato de Souza 1 Resumo: Os trabalhos dedicados ao estudo sobre administração e justiça na América Portuguesa focam de

Leia mais

INSTITUIÇÕES E REDES DE PODER URBANO

INSTITUIÇÕES E REDES DE PODER URBANO INSTITUIÇÕES E REDES DE PODER URBANO A história das instituições políticas nasce na época Liberal assumindo-se como legitimadora do processo de construção do Estado oitocentista. No que se refere às instituições

Leia mais

DISCIPLINA HISTÓRIA DA AMÉRICA I

DISCIPLINA HISTÓRIA DA AMÉRICA I UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO DECANATO DE ENSINO DE GRADUAÇÃO DEPARTAMENTO DE ASSUNTOS ACADÊMICOS E REGISTRO GERAL DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS PROGRAMA ANALÍTICO DISCIPLINA CÓDIGO: IH

Leia mais

- As fontes para o estudo da História do Brasil. UNIDADE 1 : Portugal e a transição para a modernidade

- As fontes para o estudo da História do Brasil. UNIDADE 1 : Portugal e a transição para a modernidade Disciplina: História do Brasil Colonial Código HIS 124 Créditos 04 Carga Horária 60 Departamento História Ementa Essa disciplina tem como objetivo o estudo da América Lusa, perpassando sobre as discussões

Leia mais

A ATUAÇÃO DA COMPANHIA DE JESUS EM PORTUGAL NO SÉCULO XVI NO ÂMBITO EDUCACIONAL

A ATUAÇÃO DA COMPANHIA DE JESUS EM PORTUGAL NO SÉCULO XVI NO ÂMBITO EDUCACIONAL A ATUAÇÃO DA COMPANHIA DE JESUS EM PORTUGAL NO SÉCULO XVI NO ÂMBITO EDUCACIONAL CRUBELATI, Ariele Mazoti (UEM) COSTA, Célio Juvenal (Orientador/UEM) Introdução Em Portugal, no século XVI, a Igreja deparava-se

Leia mais

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de São Paulo. Curso null - null. Ênfase. Disciplina LEM1714T1 - História da Música Brasileira

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de São Paulo. Curso null - null. Ênfase. Disciplina LEM1714T1 - História da Música Brasileira Curso null - null Ênfase Identificação Disciplina LEM1714T1 - História da Música Brasileira Docente(s) Paulo Augusto Castagna Unidade Instituto de Artes Departamento Departamento de Música Créditos 0 60

Leia mais

PROGRAMA DE ENSINO IV. AS FUNDAÇÕES DO PENSAMENTO POLÍTICO, SOCIAL E ECONÔMICO BRASILEIRO.

PROGRAMA DE ENSINO IV. AS FUNDAÇÕES DO PENSAMENTO POLÍTICO, SOCIAL E ECONÔMICO BRASILEIRO. CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E LETRAS CCHL MESTRADO DE CIÊNCIA POLÍTICA DISCIPLINA: FORMAÇÃO SOCIAL E POLÍTICA DO BRASIL PROFESSOR: CLEBER DE DEUS CONSULTAS: A COMBINAR COM O PROFESSOR PERÍODO: 2008.1 E-mail:

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Faculdade de Ciências Sociais

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Faculdade de Ciências Sociais EDITAL DE SELEÇÃO DE PROFESSORES A Diretora da no uso de suas atribuições, Faz saber que estão abertas as inscrições para o Processo Seletivo, que será realizado de 03/11/2015 a 30/11/2015, para preenchimento

Leia mais

A Igreja em Reforma e Expansão: o caso do Atlântico Português

A Igreja em Reforma e Expansão: o caso do Atlântico Português 1 BAHIA 16-19 American, European and African forging of a colonial capital city Minicurso no âmbito do projeto IRSES Bahia 16-19 A Igreja em Reforma e Expansão: o caso do Atlântico Português Docente: Hugo

Leia mais

CURSO LIVRE HISTÓRIA DO ENSINO ARTÍSTICO EM PORTUGAL PROGRAMA. 2.1. Francisco da Holanda e a sua perspectiva sobre o ensino artístico.

CURSO LIVRE HISTÓRIA DO ENSINO ARTÍSTICO EM PORTUGAL PROGRAMA. 2.1. Francisco da Holanda e a sua perspectiva sobre o ensino artístico. CURSO LIVRE HISTÓRIA DO ENSINO ARTÍSTICO EM PORTUGAL 8 de Abril a 1 de Julho (interrupção no dia 10 de Junho que é feriado) 4ª feira, das 18h 30m às 20h 30m 24h, 12 sessões PROGRAMA 1. A Idade Média 1.1.

Leia mais

PROGRAMA. Colóquio Internacional Utreque 1715-2015: Diplomacia, Cultura e Fronteiras. Lisboa, Biblioteca Nacional de Portugal, 15-17 de Junho de 2015

PROGRAMA. Colóquio Internacional Utreque 1715-2015: Diplomacia, Cultura e Fronteiras. Lisboa, Biblioteca Nacional de Portugal, 15-17 de Junho de 2015 PROGRAMA Colóquio Internacional Utreque 1715-2015: Diplomacia, Cultura e Fronteiras Lisboa, Biblioteca Nacional de Portugal, 15-17 de Junho de 2015 DIA 15 10:30-11:00 - BOAS VINDAS E ACTO INAUGURAL 11:00-12:00

Leia mais

Total aulas previstas

Total aulas previstas ESCOLA BÁSICA 2/3 DE MARTIM DE FREITAS Planificação Anual de História do 7º Ano Ano Lectivo 2011/2012 LISTAGEM DE CONTEÚDOS TURMA Tema 1.º Período Unidade Aulas Previas -tas INTRODUÇÃO À HISTÓRIA: DA ORIGEM

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular HISTÓRIA DIPLOMÁTICA DE PORTUGAL (MEDIEVAL E MODERNA) Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular HISTÓRIA DIPLOMÁTICA DE PORTUGAL (MEDIEVAL E MODERNA) Ano Lectivo 2014/2015 UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA Programa da Unidade Curricular HISTÓRIA DIPLOMÁTICA DE PORTUGAL (MEDIEVAL E MODERNA) Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA ESCOLA DAS ARTES

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA ESCOLA DAS ARTES UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA ESCOLA DAS ARTES LICENCIATURA DE ARTE - CONSERVAÇÃO E RESTAURO HISTÓRIA DAS ARTES METÁLICAS ANO LECTIVO 2013/2014 Docente: Prof. Doutor Gonçalo de Vasconcelos e Sousa OBJECTIVOS:

Leia mais

Conquista, Mercês e Poder Local: a nobreza da terra na América portuguesa e a cultura política do Antigo Regime.

Conquista, Mercês e Poder Local: a nobreza da terra na América portuguesa e a cultura política do Antigo Regime. Conquest, Grants and Local Power: Colonial Nobility ( nobreza da terra ) in Portuguese America and Ancien Régime s Political Culture Conquista, Mercês e Poder Local: a nobreza da terra na América portuguesa

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES. Análise de informação do manual. Filmes educativos

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES. Análise de informação do manual. Filmes educativos ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES 3º C.E.B. DISCIPLINA: História ANO: 8º ANO LECTIVO 2010/2011 COMPETÊNCIAS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ACTIVIDADES ESTRATÉGIAS AULAS PREVISTAS INSTRUMENTOS DE

Leia mais

Escola Básica e Secundária das Lajes do Pico História e Geografia de Portugal 2º Ciclo Ano Lectivo 2007/2008

Escola Básica e Secundária das Lajes do Pico História e Geografia de Portugal 2º Ciclo Ano Lectivo 2007/2008 Escola Básica e Secundária das Lajes do Pico História e Geografia de Portugal 2º Ciclo Ano Lectivo 2007/2008 Conteúdos Ano Lectivo Período Lectivo Tema A-A península Ibérica: dos primeiros povos à formação

Leia mais

TEMA E EXPANSÃO E MUDANÇA NOS SÉCULOS XV E XVI

TEMA E EXPANSÃO E MUDANÇA NOS SÉCULOS XV E XVI TEMA E EXPANSÃO E MUDANÇA NOS SÉCULOS XV E XVI 1. Expansionismo Europeu 1.1. Rumos da expansão 1.1.1. Os avanços da expansão e as rivalidades luso-castelhanas 1.1.2. A chegada à Índia e ao Brasil 1.2.

Leia mais

APELOS AO GOVERNADOR: ESTRATÉGIAS SOCIAIS PARA A RESOLUÇÃO DE CONFLITOS - UM ESTUDO DE CASO DE USURPAÇÃO INSITUCIONAL NAS MINAS SETECENTISTAS

APELOS AO GOVERNADOR: ESTRATÉGIAS SOCIAIS PARA A RESOLUÇÃO DE CONFLITOS - UM ESTUDO DE CASO DE USURPAÇÃO INSITUCIONAL NAS MINAS SETECENTISTAS APELOS AO GOVERNADOR: ESTRATÉGIAS SOCIAIS PARA A RESOLUÇÃO DE CONFLITOS - UM ESTUDO DE CASO DE USURPAÇÃO INSITUCIONAL NAS MINAS SETECENTISTAS Fernando Junio Santos Silva 1 Universidade Federal de Ouro

Leia mais

As elites regionais e locais no processo de construção do Estado e da nação brasileiros: um breve balanço historiográfico

As elites regionais e locais no processo de construção do Estado e da nação brasileiros: um breve balanço historiográfico As elites regionais e locais no processo de construção do Estado e da nação brasileiros: um breve balanço historiográfico Pablo de Oliveira Andrade Universidade Federal de Ouro Preto NOS ÚLTIMOS ANOS OS

Leia mais

Conclusão da Parte Escolar do Mestrado em Ciências Jurídico-Políticas na Faculdade de Direito da Universidade Católica Portuguesa, em 1995.

Conclusão da Parte Escolar do Mestrado em Ciências Jurídico-Políticas na Faculdade de Direito da Universidade Católica Portuguesa, em 1995. LINO TORGAL Data e local de nascimento: 1970, Lisboa Cédula Profissional: 12177L Correio eletrónico: lt@servulo.com HABILITAÇÕES LITERÁRIAS Leadership in Law Firms, Harvard Law School, em 2013. Admitido

Leia mais

Movimentos de Pré- Independência e Vinda da Família Real. História C Aula 08 Prof. Thiago

Movimentos de Pré- Independência e Vinda da Família Real. História C Aula 08 Prof. Thiago Movimentos de Pré- Independência e Vinda da Família Real História C Aula 08 Prof. Thiago Movimentos de Pré- Independência Século XVIII e XIX Crise do mercantilismo e do Estado Absolutista Hegemonia de

Leia mais

Superioridade ibérica nos mares

Superioridade ibérica nos mares 2.ª metade do século XVI Superioridade ibérica nos mares PORTUGAL Entre 1580 e 1620 ESPANHA Império Português do oriente entra em crise devido a Escassez de gentes e capitais Grande extensão dos domínios

Leia mais

Planificação Anual. Professor: José Pinheiro Disciplina: História e Geografia de Portugal Ano: 5.º Turmas: B Ano letivo: 2014-2015

Planificação Anual. Professor: José Pinheiro Disciplina: História e Geografia de Portugal Ano: 5.º Turmas: B Ano letivo: 2014-2015 Planificação Anual Professor: José Pinheiro Disciplina: História e Geografia de Portugal Ano: 5.º Turmas: B Ano letivo: 2014-2015 UNIDADE DIDÁTICA: TEMA A: DOS PRIMEIROS POVOS À FORMAÇÃO DO REINO DE PORTUGAL.

Leia mais

Ângela Daniela Ferreira Azevedo

Ângela Daniela Ferreira Azevedo Ângela Daniela Ferreira Azevedo Participou na Terça Técnica Soluções em alumínio para a Cláudia Patrícia Pires Machado Participou na Terça Técnica Soluções em alumínio para a David António Rosa Parreira

Leia mais

A experiência indígena nas câmaras de Porto Seguro: indícios para uma rediscussão da ideia de nobreza indígena no período pombalino

A experiência indígena nas câmaras de Porto Seguro: indícios para uma rediscussão da ideia de nobreza indígena no período pombalino 1 A experiência indígena nas câmaras de Porto Seguro: indícios para uma rediscussão da ideia de nobreza indígena no período pombalino Francisco Cancela UNEB Campus XVIII RESUMO: A presente comunicação

Leia mais

FORMULÁRIO PARA CRIAÇÃO DE COMPONENTE CURRICULAR

FORMULÁRIO PARA CRIAÇÃO DE COMPONENTE CURRICULAR Universidade Federal do Ceará Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação FORMULÁRIO PARA CRIAÇÃO DE COMPONENTE CURRICULAR 1. IDENTIFICAÇÃO DO PROGRAMA: Programa Programa de Pós-Graduação em Arquitetura,

Leia mais

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE PINHEIRO ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE PINHEIRO

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE PINHEIRO ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE PINHEIRO AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE PINHEIRO ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE PINHEIRO CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS - HISTÓRIA 8º Ano Turma A ANO LECTIVO 2011/2012 Disciplina 1º Período Nº de aulas previstas 38

Leia mais

História. baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo

História. baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo História baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo 1 PROPOSTA CURRICULAR DA DISCIPLINA DE HISTÓRIA Middle e High School 2 6 th Grade A vida na Grécia antiga: sociedade, vida cotidiana, mitos,

Leia mais

PELO BEM COMUM : A ATUAÇÃO POLÍTICA DAS CASAS DE CÂMARA NA CAPITANIA DE MINAS GERAIS SÉCULO XVIII

PELO BEM COMUM : A ATUAÇÃO POLÍTICA DAS CASAS DE CÂMARA NA CAPITANIA DE MINAS GERAIS SÉCULO XVIII PELO BEM COMUM : A ATUAÇÃO POLÍTICA DAS CASAS DE CÂMARA NA CAPITANIA DE MINAS GERAIS SÉCULO XVIII Pablo Menezes e Oliveira FASAR RESUMO: O presente trabalho tem por objetivo fazer uma breve análise da

Leia mais

MATRIZ DE EXAME (Avaliação em regime não presencial) Ano Letivo 2015/2016 Disciplina: História B Módulo(s): 1, 2 e 3

MATRIZ DE EXAME (Avaliação em regime não presencial) Ano Letivo 2015/2016 Disciplina: História B Módulo(s): 1, 2 e 3 Agrupamento de Escolas de Rio Tinto nº 3 Escola Secundária de Rio Tinto ENSINO SECUNDÁRIO RECORRENTE POR MÓDULOS MATRIZ DE EXAME (Avaliação em regime não presencial) Ano Letivo 2015/2016 Disciplina: História

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MIRA EB DE MIRA PLANIFICAÇÂO ANUAL DA DISCIPLINA DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL - 5º ANO. Ano letivo 2013/2014

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MIRA EB DE MIRA PLANIFICAÇÂO ANUAL DA DISCIPLINA DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL - 5º ANO. Ano letivo 2013/2014 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MIRA EB DE MIRA PLANIFICAÇÂO ANUAL DA DISCIPLINA DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL - 5º ANO Ano letivo 2013/2014 Manual de História e Geografia de Portugal do 5º Ano : «Saber

Leia mais

Centro Universitário Fundação Santo André Plano de Curso

Centro Universitário Fundação Santo André Plano de Curso Centro Universitário Fundação Santo André Plano de Curso Curso: Licenciatura Plena e Bacharelado em História Disciplina: História Contemporânea I Ano/2009. 3º B Carga Horário Anual: 144h/a Professora:

Leia mais

Aula 1414- Alta Idade Média - Feudalismo

Aula 1414- Alta Idade Média - Feudalismo Aula 14 - Feudalismo Aula 1414- Alta Idade Média - Feudalismo DeOlhoNoEnem H4 - Comparar pontos de vista expressos em diferentes fontes sobre determinado aspecto da cultura. (A boa e a má Idade Média).

Leia mais

ANAIS DO II COLÓQUIO DO LAHES: MICRO HISTÓRIA E OS CAMINHOS DA HISTÓRIA SOCIAL

ANAIS DO II COLÓQUIO DO LAHES: MICRO HISTÓRIA E OS CAMINHOS DA HISTÓRIA SOCIAL ANAIS DO II COLÓQUIO DO LAHES: MICRO HISTÓRIA E OS CAMINHOS DA HISTÓRIA SOCIAL Comissão Organizadora: Profª Drª Carla Maria Carvalho de Almeida (UFJF) Profº Dr Cássio Fernandes (UFJF) Profª Drª Mônica

Leia mais

Os homens ricos das Minas nas malhas do Império Português

Os homens ricos das Minas nas malhas do Império Português Os homens ricos das Minas nas malhas do Império Português 1 Os homens ricos das Minas nas malhas do Império Português Carla Maria Carvalho de Almeida 1, Ana Paula dos Santos Rangel 2, Juliano Custódio

Leia mais

MEU OFÍCIO, MOEDA E SUSTENTO: PROPRIEDADE DE OFÍCIOS NA CAPITANIA DE PERNAMBUCO NO PERÍODO POST-BELLUM 1

MEU OFÍCIO, MOEDA E SUSTENTO: PROPRIEDADE DE OFÍCIOS NA CAPITANIA DE PERNAMBUCO NO PERÍODO POST-BELLUM 1 MEU OFÍCIO, MOEDA E SUSTENTO: PROPRIEDADE DE OFÍCIOS NA CAPITANIA DE PERNAMBUCO NO PERÍODO POST-BELLUM 1 Aledson Manoel Silva Dantas 2 Resumo: Um aspecto importante da administração dos impérios coloniais

Leia mais

PLANIFICAÇÃO A LONGO PRAZO HISTÓRIA A. (sujeita a reajustamentos) 1º PERÍODO

PLANIFICAÇÃO A LONGO PRAZO HISTÓRIA A. (sujeita a reajustamentos) 1º PERÍODO PLANIFICAÇÃO A LONGO PRAZO HISTÓRIA A 10º Ano Ano Lectivo - 2012/2013 (sujeita a reajustamentos) Prof. ª Irene Lopes 1º PERÍODO MÓDULO 0 ESTUDAR E APRENDER HISTÓRIA MÓDULO 1 RAÍZES MEDITERRÂNICADA CIVILIZAÇÃO

Leia mais

1630 1670. HUGO COELHO VIEIRA*1

1630 1670. HUGO COELHO VIEIRA*1 1 As relações e influências da elite ibérica na circulação e trajetória dos militares na capitania de Pernambuco e no Atlântico Sul durante os anos de 1630 a 1670. HUGO COELHO VIEIRA* 1 Esta comunicação

Leia mais

Faculdade de Direito de Sorocaba

Faculdade de Direito de Sorocaba 2011 Faculdade de Direito de Sorocaba Direito Constitucional II Programa da disciplina Direito Constitucional II para o terceiro ano letivo do curso de graduação da Faculdade de Direito de Sorocaba. Prof.

Leia mais

FORMAÇÃO DA SOCIEDADE PORTUGUESA CONTEMPORÂNEA

FORMAÇÃO DA SOCIEDADE PORTUGUESA CONTEMPORÂNEA FORMAÇÃO DA SOCIEDADE PORTUGUESA CONTEMPORÂNEA David Justino Professor Associado Jorge Pedreira Professor Auxiliar CURSO DO 1º CICLO EM SOCIOLOGIA Ano Lectivo de 2014-2015 OBJECTIVOS E REQUISITOS DA DISCIPLINA

Leia mais

Poderes locais no contexto do constitucionalismo: as relações da Câmara de Campinas com o Conselho Geral da Província de São Paulo (1828-1834).

Poderes locais no contexto do constitucionalismo: as relações da Câmara de Campinas com o Conselho Geral da Província de São Paulo (1828-1834). Poderes locais no contexto do constitucionalismo: as relações da Câmara de Campinas com o Conselho Geral da Província de São Paulo (1828-1834). Victor Amadeu Brito dos Santos Faculdade de História Centro

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA QUINTA DO CONDE Escola Básica Integrada/JI da Quinta do Conde. Departamento de Ciências Humanas e Sociais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA QUINTA DO CONDE Escola Básica Integrada/JI da Quinta do Conde. Departamento de Ciências Humanas e Sociais HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL Distribuição dos tempos letivos disponíveis para o 5 º ano de escolaridade 1º Período 2º Período 3º Período *Início:15-21 de setembro 2015 *Fim:17 dezembro 2015 *Início:4

Leia mais

Título do Programa: Introdução a aspectos da história da África.

Título do Programa: Introdução a aspectos da história da África. 1 Disciplina: História da África Código: FLH-0649 Período: Noturno Créditos: 5 aulas, 1 trabalho Professora: Marina de Mello e Souza 2º semestre de 2014 Título do Programa: Introdução a aspectos da história

Leia mais

Curso de Mestrado em Arquivos, Bibliotecas e Ciências da Informação Ano Lectivo de 2006/2007- Ramo Bibliotecas

Curso de Mestrado em Arquivos, Bibliotecas e Ciências da Informação Ano Lectivo de 2006/2007- Ramo Bibliotecas 1 UNIVERSIDADE DE ÉVORA DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA Curso de Mestrado em Arquivos, Bibliotecas e Ciências da Informação Ano Lectivo de 2006/2007- Ramo Bibliotecas Seminário de Bibliotecas Prof. Dr. Francisco

Leia mais

O sol e a sombra: política e administração na América portuguesa do século XVIII *

O sol e a sombra: política e administração na América portuguesa do século XVIII * O sol e a sombra: política e administração na América portuguesa do século XVIII * Simei Maria de Souza Torres ** A sombra, quando o sol está no zênite, é muito pequenina, e toda se vos mete debaixo dos

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL 2º CICLO HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL 5.º ANO Documento(s) Orientador(es): Programa de História e Geografia de Portugal

Leia mais

PERSPECTIVAS DE REFORMA DA JUSTIÇA CONSTITUCIONAL EM PORTUGAL E NO BRASIL

PERSPECTIVAS DE REFORMA DA JUSTIÇA CONSTITUCIONAL EM PORTUGAL E NO BRASIL 8 e 9 de Abril de 2010 Lisboa CONGRESSO LUSO-BRASILEIRO DE DIREITO CONSTITUCIONAL PERSPECTIVAS DE REFORMA DA JUSTIÇA CONSTITUCIONAL EM PORTUGAL E NO BRASIL Local Auditório da Faculdade de Direito da Universidade

Leia mais

PERNAMBUCO NO ULTRAMAR PORTUGUÊS: JOÃO FERNANDES VIERIA EM ANGOLA, 1658 A 1661

PERNAMBUCO NO ULTRAMAR PORTUGUÊS: JOÃO FERNANDES VIERIA EM ANGOLA, 1658 A 1661 PERNAMBUCO NO ULTRAMAR PORTUGUÊS: JOÃO FERNANDES VIERIA EM ANGOLA, 1658 A 1661 LEANDRO NASCIMENTO DE SOUZA 1 RESUMO João Fernandes Vieira teve seus bens aumentados com as graças portuguesas, tornando-se

Leia mais

Faculdade de Economia Economia Política I 1º Semestre de 2011 (março/julho de 2011)

Faculdade de Economia Economia Política I 1º Semestre de 2011 (março/julho de 2011) Faculdade de Economia Economia Política I 1º Semestre de 2011 (março/julho de 2011) Professores: José Trindade/Gilberto Marques e-mail: jrtrindade@uol.com.br Aulas: seg-qua, 10:30-12:30hs Conhecimento

Leia mais

As Categorias de Nobreza e Prestigio em uma Conquista Colonial (Comarca das Alagoas, XVII-XVIII) Dimas Bezerra Marques * Resumo

As Categorias de Nobreza e Prestigio em uma Conquista Colonial (Comarca das Alagoas, XVII-XVIII) Dimas Bezerra Marques * Resumo As Categorias de Nobreza e Prestigio em uma Conquista Colonial (Comarca das Alagoas, XVII-XVIII) Dimas Bezerra Marques * Resumo O processo de análise e compreensão da formação, distribuição e funcionamento

Leia mais

(título provisório) AUTOR. Doutoranda no Instituto Universitário Europeu, Florença

(título provisório) AUTOR. Doutoranda no Instituto Universitário Europeu, Florença XXXI ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE HISTÓRIA ECONÓMICA E SOCIAL PROPOSTA DE COMUNICAÇÃO A UNIÃO IBÉRICA E O CONSELHO DA ÍNDIA (1604-1614): DINÂMICAS LUSO-CASTELHANAS NA ADMINISTRAÇÃO DO IMPÉRIO ULTRAMARINO

Leia mais

Instituto de Geografia e Ordenamento do Território Horários 2015/2016

Instituto de Geografia e Ordenamento do Território Horários 2015/2016 1º SEMESTRE Turma Docente 2.ª 3.ª 4.ª 5.ª 6.ª Sala - 1.º Dia Sala - 2.º Dia Introdução à Geografia Física Introdução à Geografia Humana Introdução ao Planeamento Territorial (PGT) Conceitos e Perspectivas

Leia mais

CURRICULUM VITAE. Licenciatura em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (1998-2002) com média final de 16 valores.

CURRICULUM VITAE. Licenciatura em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (1998-2002) com média final de 16 valores. CURRICULUM VITAE Miguel José Rodrigues Lourenço Rua Eduardo Vidal, n.º 5, R/C Esq. 1700-153 Lisboa B. I. : 11645843 Estado Civil : Solteiro Telm. : 00351 919187168 E-mail: mjlour@gmail.com Habilitações

Leia mais

Expansão do território brasileiro

Expansão do território brasileiro Expansão do território brasileiro O território brasileiro é resultado de diferentes movimentos expansionistas que ocorreram no Período Colonial, Imperial e Republicano. Esse processo ocorreu através de

Leia mais

Capítulo. Organização político- -administrativa na América portuguesa

Capítulo. Organização político- -administrativa na América portuguesa Capítulo Organização político- -administrativa na América portuguesa 1 O Império Português e a administração da Colônia americana Brasil: 1500-1530 O interesse português pelo território americano era pequeno

Leia mais

FIDELINO DE FIGUEIREDO

FIDELINO DE FIGUEIREDO CONGRESSO INTERNACIONAL FIDELINO DE F i l o s o f i a e L i t e r a t u r a Um Homem na sua Humanidade 12 a 15 de outubro, 2015 Faculdade de Letras da Universidade Porto Faculdade de Letras da Universidade

Leia mais

Artigo 23.º da Portaria 243/ 2012, de 10 de agosto 10.º ANO

Artigo 23.º da Portaria 243/ 2012, de 10 de agosto 10.º ANO Adriano Filipe Dias Sequeira Ana Carolina Leite da Silva 10.º ANO Ana Filipa Martins Façanha Marques Ana Laura Martins Dengucho Ana Luísa Marques Tomé Ana Sofia Tomé Vicente Andreia Cristina de Oliveira

Leia mais

TEMA F.1 O IMPÉRIO PORTUGUÊS E A CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL

TEMA F.1 O IMPÉRIO PORTUGUÊS E A CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL TEMA F.1 O IMPÉRIO PORTUGUÊS E A CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL A partir de meados do séc. XVI, o Império Português do Oriente entrou em crise. Que fatores contribuíram para essa crise? Recuperação das rotas

Leia mais

Os Contratos dos Caminhos de Ouro

Os Contratos dos Caminhos de Ouro Os Contratos dos Caminhos de Ouro Sofia Lorena Vargas Mestranda - UFMG A prática da arrematação dos contratos a terceiros está presente desde os primórdios do Estado Absolutista. São caracterizadas por

Leia mais

RARIDADES BIBLIOGRÁFICAS

RARIDADES BIBLIOGRÁFICAS RARIDADES BIBLIOGRÁFICAS As obras abaixo indicadas podem ser adquiridas e enviadas contra reembolso, após encomenda para palacio.vilavicosa@fcbraganca.pt ou Fax 268 989 808 ABRANTES, Ventura Ledesma, 1883-1956

Leia mais

I Curso Pós-Graduado de Atualização sobre. Direito e Interioridade PROGRAMA

I Curso Pós-Graduado de Atualização sobre. Direito e Interioridade PROGRAMA I Curso Pós-Graduado de Atualização sobre Direito e Interioridade da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa em colaboração com a Câmara Municipal de Bragança 2011-2012 PROGRAMA Abertura (4 Novembro

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS. Unidade Universitária Cora Coralina CURSO DE HISTÓRIA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS. Unidade Universitária Cora Coralina CURSO DE HISTÓRIA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA - CIDADE DE GOIÁS Curso: HISTÓRIA Disciplina: História Moderna Habilitação: LICENCIATURA Carga Horária Total: 64 h/a anuais 2 h/a semanais Carga Horária

Leia mais

LUÍS REIS TORGAL. SUB Hamburg A/522454 ESTADO NOVO. Ensaios de História Política e Cultural [ 2. IMPRENSA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA

LUÍS REIS TORGAL. SUB Hamburg A/522454 ESTADO NOVO. Ensaios de História Política e Cultural [ 2. IMPRENSA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA LUÍS REIS TORGAL SUB Hamburg A/522454 ESTADOS NOVOS ESTADO NOVO Ensaios de História Política e Cultural [ 2. a E D I Ç Ã O R E V I S T A ] I u IMPRENSA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA 2 0 0 9 ' C O I M B R

Leia mais

Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo FESPSP PLANO DE ENSINO

Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo FESPSP PLANO DE ENSINO Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo FESPSP PLANO DE ENSINO I. IDENTIFICAÇÃO DISCIPLINA Métodos e Técnicas de Pesquisa em Ciências CARGA HORÁRIA 72h Sociais CURSO Sociologia e Política

Leia mais

PROGRAMA DE GRADUAÇÃO EM GESTÃO PÚBLICA PARA O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL. História da Administração Pública no Brasil APRESENTAÇÃO

PROGRAMA DE GRADUAÇÃO EM GESTÃO PÚBLICA PARA O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL. História da Administração Pública no Brasil APRESENTAÇÃO PROGRAMA DE GRADUAÇÃO EM GESTÃO PÚBLICA PARA O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL Disciplina: História da Administração Pública no Brasil Professor(es): Wallace Moraes Período: 2013/2 Horário: 3 e 5 feiras,

Leia mais

SILVA, Maria Beatriz Nizza da (Org.). História de São Paulo colonial. São Paulo: Ed. UNESP, 2009. 346p.

SILVA, Maria Beatriz Nizza da (Org.). História de São Paulo colonial. São Paulo: Ed. UNESP, 2009. 346p. Histórias da capitania de São Paulo SILVA, Maria Beatriz Nizza da (Org.). História de São Paulo colonial. São Paulo: Ed. UNESP, 2009. 346p. Denise A Soares de Moura * São Paulo de 1532 a 1822. 290 anos

Leia mais

DESCRIÇÃO DA UNIDADE CURRICULAR CÓDIGO: CRÉDITOS ECTS: 5,0

DESCRIÇÃO DA UNIDADE CURRICULAR CÓDIGO: CRÉDITOS ECTS: 5,0 DESCRIÇÃO DA UNIDADE CURRICULAR Unidade Curricular: Gestão de Eventos Área Científica: Ciências da Comunicação CÓDIGO: CRÉDITOS ECTS: 5,0 CURSO: Comunicação e Relações Públicas Ano: 1º 2º 3º 4º Semestre:

Leia mais

A PROJEÇÃO ATLÂNTICO-AFRICANA DO IMPÉRIO DO BRASIL: UM DESAFIO À HEGEMONIA BRITÂNICA NO ATLÂNTICO SUL, 1826-1850

A PROJEÇÃO ATLÂNTICO-AFRICANA DO IMPÉRIO DO BRASIL: UM DESAFIO À HEGEMONIA BRITÂNICA NO ATLÂNTICO SUL, 1826-1850 A PROJEÇÃO ATLÂNTICO-AFRICANA DO IMPÉRIO DO BRASIL: UM DESAFIO À HEGEMONIA BRITÂNICA NO ATLÂNTICO SUL, 1826-1850 Gilberto da Silva Guizelin 1 José Miguel Arias Neto 2 PALAVRAS-CHAVE: Império do Brasil;

Leia mais

Conceito de cidade digital

Conceito de cidade digital Reflexão sobre o uso de sistemas CRM e SIG para suporte ao conceito de cidade digital Jorge Xavier, Luis Borges Gouveia, Joaquim Borges Gouveia Energaia, Universidade Fernando Pessoa, Universidade de Aveiro

Leia mais

a) Identifique e caracterize a situação histórica a que a charge se refere.

a) Identifique e caracterize a situação histórica a que a charge se refere. Revisão Específicas 1. (FUVEST) Observe esta charge: a) Identifique e caracterize a situação histórica a que a charge se refere. b) Explique quais são os principais elementos do desenho que permitem identificar

Leia mais

Dinâmica imperial portuguesa: conflitos de jurisdições no Rio de Janeiro colonial

Dinâmica imperial portuguesa: conflitos de jurisdições no Rio de Janeiro colonial Revista Ágora, Vitória, n.9, 2009, p.1-12. 1 Dinâmica imperial portuguesa: conflitos de jurisdições no Rio de Janeiro colonial VICTOR HUGO ABRIL 1 Resumo Este artigo se propõe a analisar os conflitos de

Leia mais

JORGE BORGES DE MACEDO (1921-1996) Por Álvaro Costa de Matos 1. 1. Bibliografia activa essencial

JORGE BORGES DE MACEDO (1921-1996) Por Álvaro Costa de Matos 1. 1. Bibliografia activa essencial JORGE BORGES DE MACEDO (1921-1996) Por Álvaro Costa de Matos 1 1. Bibliografia activa essencial É vastíssima a obra de Jorge Borges de Macedo. Ao todo engloba aproximadamente 400 títulos, ou talvez mais

Leia mais

VI ENCONTRO IBÉRICO EDICIC 2013. 4 a 6 de novembro

VI ENCONTRO IBÉRICO EDICIC 2013. 4 a 6 de novembro VI ENCONTRO IBÉRICO EDICIC 2013 4 a 6 de novembro CETAC.MEDIA Centro de Estudos das Tecnologias e Ciências da Comunicação e UNIVERSIDADE DE LÉON (org.) Globalização, Ciência, Informação Programa Faculdade

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA CURSO DE MESTRADO EM HISTÓRIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA CURSO DE MESTRADO EM HISTÓRIA UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA CURSO DE MESTRADO EM HISTÓRIA Disciplina: Tópicos Especiais em Historiografia do Ensino

Leia mais

A acumulação primitiva no Portugal pré-industrial e o Império Ultramarino Português debates historiográficos ace rca da col onização do Brasil

A acumulação primitiva no Portugal pré-industrial e o Império Ultramarino Português debates historiográficos ace rca da col onização do Brasil RIBEIRO, Mônica da Silva (...) USP Ano IV, n. 6, p. 9-36, 2013 A acumulação primitiva no Portugal pré-industrial e o Império Ultramarino Português debates historiográficos ace rca da col onização do Brasil

Leia mais

As Câmaras e as Revoltas à luz da Negociação.

As Câmaras e as Revoltas à luz da Negociação. As Câmaras e as Revoltas à luz da Negociação. Gabriel Almeida Frazão & Carlos Eduardo Loshe Rezende. Resumo: A partir da análise de alguns trabalhos historiográficos, atentamos para o papel da negociação

Leia mais

CURSO DE SERVIÇO SOCIAL. EMENTARIO 2º Semestre /2012 8º PERÍODO

CURSO DE SERVIÇO SOCIAL. EMENTARIO 2º Semestre /2012 8º PERÍODO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL EMENTARIO 2º Semestre /2012 8º PERÍODO FUNDAMENTOS ÉTICOS E ÉTICA PROFISSIONAL II Ética e ética profissional como uma das mediações entre o saber teórico-metodológico e a prática

Leia mais

EDITAL 01/2012DH 2011.2 SELEÇÃO PARA MONITOR DE ENSINO DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA

EDITAL 01/2012DH 2011.2 SELEÇÃO PARA MONITOR DE ENSINO DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA EDITAL 01/2012DH 2011.2 SELEÇÃO PARA MONITOR DE ENSINO DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA A Direção do Departamento de História, no uso de suas atribuições, conferidas pela resolução CONSEPE 04/2001, torna público

Leia mais

Os castelos medievais portugueses e os poder régio na Baixa Idade Média

Os castelos medievais portugueses e os poder régio na Baixa Idade Média Os castelos medievais portugueses e os poder régio na Baixa Idade Média Lukas Gabriel GRZYBOWSKI UFPR Para tratarmos da relação entre os castelos portugueses e o poder régio, percebemos a necessidade inicial

Leia mais

BAS CÂMARAS DA CAPITANIA E COMARCA DE ILHÉUS E A ADMINISTRAÇÃO DOS BENS DO CONCELHO (SÉCULOS XVIII E XIX).

BAS CÂMARAS DA CAPITANIA E COMARCA DE ILHÉUS E A ADMINISTRAÇÃO DOS BENS DO CONCELHO (SÉCULOS XVIII E XIX). BAS CÂMARAS DA CAPITANIA E COMARCA DE ILHÉUS E A ADMINISTRAÇÃO DOS BENS DO CONCELHO (SÉCULOS XVIII E XIX). BORGES, Dagson José Email: dagsonborges@hotmail.com As câmaras municipais são consideradas elementos

Leia mais

ESCOLA EB 2,3 DE GUEIFÃES 5ºANO

ESCOLA EB 2,3 DE GUEIFÃES 5ºANO 5ºANO Língua Portuguesa Diálogos 5 Fernanda Costa e Luísa Mendonça História e Geografia Saber em Acção 5 Ana Isabel Gonçalves, Eliseu Alves, Manuela Mendes Ciências da Natureza Educação Musical Tween 5

Leia mais

As pessoas principais da terra : Os oficiais das câmaras da fronteira oeste da América portuguesa

As pessoas principais da terra : Os oficiais das câmaras da fronteira oeste da América portuguesa As pessoas principais da terra : Os oficiais das câmaras da fronteira oeste da América portuguesa Nauk Maria de JESUS Universidade Federal da Grande Dourados MS (BRASIL) jnauk@hotmail.com Em 1718, ao chegar

Leia mais

Especialização em NEGOCIAÇÕES COMERCIAIS INTERNACIONAIS

Especialização em NEGOCIAÇÕES COMERCIAIS INTERNACIONAIS Especialização em NEGOCIAÇÕES COMERCIAIS INTERNACIONAIS Especialização em NEGOCIAÇÕES COMERCIAIS INTERNACIONAIS Setembro/2007 a Julho/2008 Estrutura Curricular Módulo 1 O Comércio Internacional Módulo

Leia mais

15. Outros Temas. LIVROS E OUTRAS PUBLICAÇÕES: Campos, Ezequiel de (1915),

15. Outros Temas. LIVROS E OUTRAS PUBLICAÇÕES: Campos, Ezequiel de (1915), 15. Outros Temas ATÉ Á DÉCADA DE 40 Campos, Ezequiel de (1915), Carvalho, Augusto da Silva (1903), Martins, João Lopes da Silva (1897), Sousa, Francisco Luíz Pereira (1919), A grei: subsídios para a demografia

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular HISTÓRIA DA CULTURA PORTUGUESA Ano Lectivo 2012/2013

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular HISTÓRIA DA CULTURA PORTUGUESA Ano Lectivo 2012/2013 Programa da Unidade Curricular HISTÓRIA DA CULTURA PORTUGUESA Ano Lectivo 2012/2013 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Engenharia Electrotécnica e de Computadores

Leia mais

Autorizado pela Portaria nº 3.355 de 05/12/02 DOU de 06/12/02 PLANO DE CURSO

Autorizado pela Portaria nº 3.355 de 05/12/02 DOU de 06/12/02 PLANO DE CURSO C U R S O D E D I R E I T O Autorizado pela Portaria nº 3.355 de 05/12/02 DOU de 06/12/02 Componente Curricular: HISTÓRIA DO DIREITO Código: DIR 162 CH Total: 30 h Pré-Requisito: ----- Período Letivo:

Leia mais

CURRICULUM VITAE JORGE MANUEL DIAS SEQUEIRA. Junho de 2013. Página 1 de 6

CURRICULUM VITAE JORGE MANUEL DIAS SEQUEIRA. Junho de 2013. Página 1 de 6 CURRICULUM VITAE JORGE MANUEL DIAS SEQUEIRA Junho de 2013 Página 1 de 6 Página 2 de 6 1. IDENTIFICAÇÃO Nome Jorge Manuel Dias Sequeira Data de nascimento 27 de Dezembro de 1966 Morada Rua Dom Jorge da

Leia mais

ESPAÇOS E ACTORES DA CIÊNCIA EM PORTUGAL (XVIII-XX)

ESPAÇOS E ACTORES DA CIÊNCIA EM PORTUGAL (XVIII-XX) ESPAÇOS E ACTORES DA CIÊNCIA EM PORTUGAL (XVIII-XX) C O O R D E N A Ç ÃO Maria Fernanda Rollo Maria de Fátima Nunes Madalena Esperança Pina Maria Inês Queiroz SUMÁRIO INTRODUÇÃO 7 ESPAÇOS E ACTORES: LUGARES

Leia mais

Escola Secundária de S. Pedro do Sul (AESPS)

Escola Secundária de S. Pedro do Sul (AESPS) Sala B5 KFS ALEXANDRE DE ALMEIDA SILVA ALEXANDRE HENRIQUE DA ROCHA OLIVEIRA ALEXANDRE MIGUEL DE ALMEIDA PEREIRA ALEXANDRE SILVA FIGUEIREDO ANA CATARINA GOMES MOREIRA ANA CATARINA MARQUES GOMES ANA MARGARIDA

Leia mais