Etiquetas de chumbo para anilhar asas de ânfora

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Etiquetas de chumbo para anilhar asas de ânfora"

Transcrição

1 Etiquetas de chumbo para anilhar asas de ânfora José de Sousa Projecto IPSIIS O rio Arade, a principal linha de água no Algarve a ocidente do Guadiana, desde a antiguidade desempenhou um importante papel do ponto de vista histórico e geográfico, fomentando o intercâmbio cultural e comercial do mundo mediterrânico e atlântico, com os povoados do interior. No seu estuário, implantada na margem direita, desenvolveu-se a Portus Magnus romana, hoje Portimão, porta de acesso a Cilpes, a actual Silves, subindo o rio, uma dezena de quilómetros a norte. O património cultural subaquático do rio Arade revelou-se a partir das dragagens na sua embocadura, que deram lugar ao aparecimento de uma imensidão de artefactos, datando sobretudo da época romana, dispersos pelas praias e depósitos de dragados. Dessa miscelânea de arrojados, merecem particular referência as etiquetas de ânforas em chumbo, com diversos exemplares recuperados. Serviram para identificar a officina que fabricava o produto transportado na ânfora preparados de peixe, como o garum ou o peixe em salmoura. Estas peças só encontram paralelo num naufrágio de um navio romano ao largo da costa da Argélia, tendo sido publicadas por Robert Lequément em 1975, partindo da observação de uma ânfora inteira, e de vários colos, com uma tessera em chumbo, rectangular, enrolada numa das asas; apresentam inscrições variadas, sendo a melhor documentada, proveniente de officina L (uci) Iuli Romani; a ânfora observada trata-se de uma variante de tipo "africano grande" de F.Zevi, apontando como cronologia o baixo-império, e como origem, a África Proconsular. No caso do Arade, podemos referir que as dragagens levaram ao aparecimento de um elevado número de fragmentos de ânforas africanas do baixo-império. Sugeriu-se que este tipo de etiquetagem de ânforas, estaria inserido num comércio de cabotagem ao longo da costa norte Africana, ou faria parte do abastecimento à Gália ou a Roma face a estes achados, de material anfórico e das etiquetas, incluiríamos uma nova rota comercial Mediterrâneo / Atlântica por via marítima, que teria como origem ou destino, o sul da Península Ibérica. Pelo facto de até à data, não terem sido encontradas em mais nenhum local do mundo romano, deduzimos que foram utilizadas numa área geográfica e num período temporal bastante restrito. Nas imediações de onde foram efectuadas as dragagens que expuseram estas etiquetas, Estácio da Veiga já havia identificado um complexo com cetárias, na margem direita do rio Arade, no lugar de Portimões, visível até finais da década de 1970, altura em que foi destruído. Das etiquetas que conseguimos recuperar, e que estão expostas no Museu de Portimão, descreve-se um conjunto que abarca as diversas tipologias figuradas, ressalvando que o espólio resgatado no âmbito do Projecto IPSIIS, é apenas uma ínfima parte do que foi exposto pelas dragagens, conhecendo inclusive o relato de vários indivíduos que testemunharam a destruição de largas dezenas destes objectos, derretidos para chumbadas, ou vendidas a peso nos sucateiros. Os motivos representados nestas etiquetas que observámos, variam, sendo os mais frequentes as palmas ou teixos de formas variadas, os sexifólios inscritos em círculos, assim como motivos ligados à actividade piscatória, o tridente e o peixe. Em apenas duas peças descortinamos inscrições que não conseguimos interpretar, devido ao mau estado ou desgaste das etiquetas. Apesar do seu aspecto modesto, estas peças singulares poderão contribuir para o estudo dos intercâmbios comerciais do mundo romano no baixo-império. Em face da importância destes materiais, e, por vezes, da dificuldade em encontrar da parte dos especialistas a disponibilidade imediata necessária, optou-se pela sua

2 divulgação, mesmo sem um aprofundado estudo de pormenor. Seja assim esta opção tida como um incitamento à colaboração futura da comunidade arqueológica no aprofundamento deste estudo. O mundo romano no século III, destacando Portimão e Annaba, únicos locais onde se verificaram achados destas etiquetas. Ânfora observada por Lequément, em Annaba, Argélia Podemos observar a tessera de chumbo enrolada na asa da ânfora

3 Etiqueta nº1 Em relevo, e no campo de etiqueta rectangular em chumbo, apresentando duas linhas de texto, separadas por lança? Dimensões: 100mm x 60mm Etiqueta nº2 (fragmento) Em relevo, e no campo de etiqueta rectangular em chumbo, peixe. Dimensões: 85mm x 42mm Etiqueta nº3 Em relevo, e no campo de etiqueta rectangular em chumbo, tridente. Dimensões: 106mm x 49mm

4 Etiqueta nº4 Em relevo, e no campo de etiqueta rectangular em chumbo, tridente. Dimensões: 115mm x 41mm Etiqueta nº5 (fragmento) Em relevo, e no campo de etiqueta rectangular em chumbo, palma. Esta peça foi furada, supondo uma posterior reutilização, de outro modo. Dimensões: 40mm x 33mm Etiqueta nº6 Em relevo, e no campo de etiqueta rectangular em chumbo, palma. Esta peça foi furada, supondo uma posterior reutilização, de outro modo. Dimensões: 80mm x 45mm

5 Etiqueta nº7 Em relevo, e no campo de etiqueta rectangular em chumbo, espiga. Dimensões: 106mm x 38mm Etiqueta nº8 Em relevo, e no campo de etiqueta rectangular em chumbo, palma; horizontalmente, linha em ziguezague; numa extremidade, cartela com vestígios de texto. Dimensões: 129mm x 66mm Etiqueta nº9 (fragmento) Em relevo, e no campo de etiqueta rectangular em chumbo, palma. Dimensões: 76mm x 49mm

6 Etiqueta nº10 Em relevo, e no campo de etiqueta rectangular em chumbo, sexifólios inscritos em círculos, nas extremidades, traços paralelos. Dimensões: 105mm x 51mm Etiqueta nº11 (fragmento) Em relevo, e no campo de etiqueta rectangular em chumbo, sexifólios inscritos em círculos, sendo os maiores, inscritos por quatro mais pequenos. Dimensões: 71mm x 52m

7 Bibliografia: Lequément, Robert (1975): Etiquettes de plomb sur les amphores d'afrique. Mélanges de l'école de Rome. Roma. 87:2, p.p Alves, F. [2005]: Apontamento sobre um fragmento de tábua de casco de navio dotado do sistema de fixação por encaixe-mecha-respiga, típico da antiguidade mediterrânica, descoberto em 2002 no estuário do rio Arade. Revista Portuguesa de Arqueologia, 8.2. IPA. Lisboa, 2º semestre de Francisco J. S. Alves, Maria Luísa P. Blot, Paulo J. Rodrigues, Rui Henriques, João G. Alves, A. M. Dias Diogo e João P. Cardoso Vestígios de naufrágios da antiguidade e da época medieval em águas portuguesas. Comunicação ao Congresso do Mar (Nazaré, 1 e 2 de Abril de 2005). Francisco Alves, Paulo Monteiro e Sérgio Pinheiro: Relatório da campanha de arqueografia preliminar dos destroços do navio Arade 23 (2007) Trabalhos da DANS, 44, Lisboa, 2008 Alberto Machado Grupo de Estudos Oceânicos A prospecção arqueológica da foz do Arade uma actuação permanente; Xelb 6, Carlos Fabião: Estácio da Veiga e a exploração de recursos marinhos no Algarve, em época romana Xelb 7, p.p , Silves, 2007 Luís Fraga da Silva: Imprompto.blogspot.pt Alberto Machado, José de Sousa, Projecto IPSIIS XELB 5, 2003, p.p 233/244 Sousa, J. e Viegas, P. (2004): Projecto IPSIIS fragmentos de História nas praias do Arade. Actas do Seminário Os Museus e o Património Náutico e Subaquático: p.p Câmara Municipal de Portimão.

AS NOSSAS EMBARCAÇÕES

AS NOSSAS EMBARCAÇÕES Trabalho de Projecto AS NOSSAS EMBARCAÇÕES Disciplinas intervenientes: Língua Portuguesa, Língua Estrangeira, História e Geografia de Portugal, Educação Visual e Tecnológica. Tópicos que podem ser tratados

Leia mais

Unidade de Arqueologia / CICTEM da Universidade do Minho

Unidade de Arqueologia / CICTEM da Universidade do Minho Unidade de Arqueologia / CICTEM da Universidade do Minho Projeto Paisagens em mudança. Bracara Augusta e o seu território (séculos I VII) (com a referência PTDC/HIS-ARQ/121136/2010) BOLSEIRO DE INVESTIGAÇÃO

Leia mais

Exposição "Há pesca em Vila do Conde"

Exposição Há pesca em Vila do Conde 1 Exposição "Há pesca em Vila do Conde" 27 de Agosto 13 de Novembro 2009 CMIA de Vila do Conde I - Temática Localizada na margem Norte da foz do rio Ave, Vila do Conde é um importante centro industrial,

Leia mais

1 Motivação. 2 Definição do Tema. . Visita a uma loja de vestuário de carnaval VAMOS VESTIR O MAR

1 Motivação. 2 Definição do Tema. . Visita a uma loja de vestuário de carnaval VAMOS VESTIR O MAR Disciplinas intervenientes Educação Visual e Tecnológica, Língua Portuguesa, Ciências da Natureza e História. 1 Motivação. Visita a uma loja de vestuário de carnaval ou. Visita ao Oceanário de Lisboa ou

Leia mais

FICHEIRO EPIGRÁFICO INSCRIÇÕES 509-511. (Suplemento de «Conimbriga») UNIVERSIDADE DE COIMBRA FACULDADE DE LETRAS

FICHEIRO EPIGRÁFICO INSCRIÇÕES 509-511. (Suplemento de «Conimbriga») UNIVERSIDADE DE COIMBRA FACULDADE DE LETRAS UNIVERSIDADE DE COIMBRA FACULDADE DE LETRAS FICHEIRO EPIGRÁFICO (Suplemento de «Conimbriga») 119 INSCRIÇÕES 509-511 INSTITUTO DE ARQUEOLOGIA DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA, ESTUDOS EUROPEUS, ARQUEOLOGIA E ARTES

Leia mais

As descobertas do século XV

As descobertas do século XV As descobertas do século XV Expansãomarítima: Alargamento do espaço português procurando terras noutros continentes através do mar; O acontecimento que marca o início da expansão portuguesaéaconquistadeceutaem1415;

Leia mais

CIRCULAR Nº 2 / 2013 PROCEDIMENTOS DE GESTÃO DE BENS ARQUEOLÓGICOS MÓVEIS EM TERRITÓRIO NACIONAL

CIRCULAR Nº 2 / 2013 PROCEDIMENTOS DE GESTÃO DE BENS ARQUEOLÓGICOS MÓVEIS EM TERRITÓRIO NACIONAL CIRCULAR Nº 2 / 2013 PROCEDIMENTOS DE GESTÃO DE BENS ARQUEOLÓGICOS MÓVEIS EM TERRITÓRIO NACIONAL 1. Legislação aplicável 1.1. Lei n.º 107/2001, de 8 de setembro, que estabelece as bases da política e do

Leia mais

INDICE. 1. Introdução 3. 2. Objectivos 4. 3. Público alvo 4. 4. Material 4. 5. Conteúdos programáticos 5. 6. Actividades Propostas 5

INDICE. 1. Introdução 3. 2. Objectivos 4. 3. Público alvo 4. 4. Material 4. 5. Conteúdos programáticos 5. 6. Actividades Propostas 5 INTRODUÇÃO INDICE 1. Introdução 3 2. Objectivos 4 3. Público alvo 4 4. Material 4 5. Conteúdos programáticos 5 6. Actividades Propostas 5 7. Descrição das Actividades 6 7.1 Formação em sala de aula: 6

Leia mais

CONJUNTO COMERCIAL CENTRO COMERCIAL DE PORTIMÃO

CONJUNTO COMERCIAL CENTRO COMERCIAL DE PORTIMÃO CONJUNTO COMERCIAL CENTRO COMERCIAL DE PORTIMÃO RELATÓRIO DE CONFORMIDADE AMBIENTAL DO PROJECTO DE EXECUÇÃO (RECAPE) SUMÁRIO EXECUTIVO JULHO DE 2008 Inovação e Projectos em Ambiente 1 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO...

Leia mais

Sítios e Achados Arqueológicos em Darque

Sítios e Achados Arqueológicos em Darque Sítios e Achados Arqueológicos em Darque Em Darque, e ao longo dos anos, têm vindo a ser assinalados vários sítios nos quais foram detectados vestígios arqueológicos que, infelizmente, nunca foram alvo

Leia mais

Rota dos Descobrimentos Portugueses

Rota dos Descobrimentos Portugueses LAGOS CENTRO HISTÓRICO Rota dos Descobrimentos Portugueses A epopeia dos descobrimentos portugueses, e em especial a fase henriquina, constitui um dos marcos de maior relevância na história da cidade de

Leia mais

CAPÍTULO 7 EVOLUÇÃO DA ÁREA NA AUSÊNCIA DO PROJECTO

CAPÍTULO 7 EVOLUÇÃO DA ÁREA NA AUSÊNCIA DO PROJECTO CAPÍTULO 7 EVOLUÇÃO DA ÁREA NA AUSÊNCIA DO PROJECTO ÍNDICE DE TEXTO VII. EVOLUÇÃO DA ÁREA NA AUSÊNCIA DO PROJECTO...219 217 218 VII. EVOLUÇÃO DA ÁREA NA AUSÊNCIA DO PROJECTO O presente capítulo tem como

Leia mais

3. Métodos para o estudo arqueológico da navegabilidade e da formação dos portos

3. Métodos para o estudo arqueológico da navegabilidade e da formação dos portos 3. Métodos para o estudo arqueológico da navegabilidade e da formação dos portos Procurámos realizar um estudo descritivo que implica uma análise dos dados geomorfológicos, arqueológicos, da geografia

Leia mais

É esta imensidão de oceano, que mais tarde ou mais cedo teremos de aproveitar de um modo sustentável.

É esta imensidão de oceano, que mais tarde ou mais cedo teremos de aproveitar de um modo sustentável. Pescas Senhor Presidente da Assembleia Senhoras e Senhores Deputados Senhor Presidente do Governo Senhoras e Senhores Membros do Governo É inevitável olhar as ilhas na sua descontinuidade e imaginá-las

Leia mais

O Ecomuseu Municipal do Seixal como sistema de recursos patrimoniais e museais descentralizados no território

O Ecomuseu Municipal do Seixal como sistema de recursos patrimoniais e museais descentralizados no território O Ecomuseu Municipal do Seixal como sistema de recursos patrimoniais e museais descentralizados no território Graça Filipe Modelos de redes de museus I Encontro de Museus do Douro Vila Real 24 Setembro

Leia mais

II Jornadas de Museologia da Chapelaria Brincar com Património

II Jornadas de Museologia da Chapelaria Brincar com Património II Jornadas de Museologia da Chapelaria 09 e 10 de Novembro Museu da Chapelaria de S. João da Madeira Os museus são hoje espaços de intervenção pedagógica que se assumem cada vez mais como interessantes

Leia mais

M418 AUTOMAÇÃO NAVAL

M418 AUTOMAÇÃO NAVAL ESCOLA NÁUTICA INFANTE D. HENRIQUE DEPARTAMENTO DE MÁQUINAS MARÍTIMAS M418 AUTOMAÇÃO NAVAL TRABALHO LABORATORIAL Nº1 SIMULAÇÃO DE SISTEMAS DE COMANDO ATRAVÉS DO WEBTRAINER (BOSCH) E AUTOMATION STUDIO Por:

Leia mais

Projecto de criação de uma escola de Gestão das Artes. Algumas considerações estratégicas

Projecto de criação de uma escola de Gestão das Artes. Algumas considerações estratégicas Projecto de criação de uma escola de Gestão das Artes Algumas considerações estratégicas António Jorge Monteiro Abril de 1992 2 I. A História II. O Mercado III. Os Cursos IV. Os Professores V. Os Alunos

Leia mais

O RISCO ESPREITA, MAIS VALE JOGAR PELO SEGURO

O RISCO ESPREITA, MAIS VALE JOGAR PELO SEGURO ANA MARIA MAGALHÃES ISABEL ALÇADA [ ILUSTRAÇÕES DE CARLOS MARQUES ] O RISCO ESPREITA, MAIS VALE JOGAR PELO SEGURO COLEÇÃO SEGUROS E CIDADANIA SUGESTÃO PARA LEITURA ORIENTADA E EXPLORAÇÃO PEDAGÓGICA DO

Leia mais

De mãos dadas ESCOLA NO MUSEU

De mãos dadas ESCOLA NO MUSEU De mãos dadas ESCOLA NO MUSEU Empenhado no desenvolvimento cultural da população que serve directamente, o Museu do Trajo considera prioritário o investimento na formação pessoal do escalão etário correspondente

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES 2015/2016. Associação Sénior de Odivelas

PLANO DE ATIVIDADES 2015/2016. Associação Sénior de Odivelas PLANO DE ATIVIDADES 2015/2016 Associação Sénior de Odivelas A Universidade Sénior de Odivelas é um projecto inovador que tem por base a promoção da qualidade de vida dos seniores de Odivelas, fomentando

Leia mais

memmolde Norte: uma contribuição para a salvaguarda da memória colectiva da indústria de moldes do Norte de Portugal

memmolde Norte: uma contribuição para a salvaguarda da memória colectiva da indústria de moldes do Norte de Portugal memmolde Norte: uma contribuição para a salvaguarda da memória colectiva da indústria de moldes do Norte de Portugal Nuno Gomes Cefamol Associação Nacional da Indústria de Moldes MEMMOLDE NORTE As rápidas

Leia mais

COMISSÃO DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DE MÁQUINAS MARÍTIMAS

COMISSÃO DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DE MÁQUINAS MARÍTIMAS ESCOLA NÁUTICA INFANTE D. HENRIQUE DEPARTAMENTO DE MÁQUINAS MARÍTIMAS COMISSÃO DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DE MÁQUINAS MARÍTIMAS RELATÓRIO DE ANÁLISE AOS INQUÉRITOS DE INGRESSO DOS NOVOS ALUNOS

Leia mais

PROGRAMA VOCAÇÃO 2012

PROGRAMA VOCAÇÃO 2012 PROGRAMA VOCAÇÃO 2012 Preâmbulo A ocupação dos tempos livres dos jovens em tempo de aulas, através de actividades que contribuam significativamente para o enriquecimento da sua formação pessoal, funcionando

Leia mais

Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes da Região de Aveiro

Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes da Região de Aveiro Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes da Região de Aveiro www.regiaodeaveiro.pt PIMT de Aveiro, Aveiro TIS.PT Transportes Inovação e Sistemas, S.A. 1 16 Breve enquadramento A Comunidade Intermunicipal

Leia mais

«RITAS CONTRA CHAMIÇOS»

«RITAS CONTRA CHAMIÇOS» «RITAS CONTRA CHAMIÇOS» Duas emissões de papel-moeda lançados entre os anos de 1921 e 1926, em Angola, um período entre guerras de grandes dificuldades económicas e caos financeiro Os anos entre 1921 e

Leia mais

Lic. em Arqueologia (2 o ano)

Lic. em Arqueologia (2 o ano) Introdução à Informática Lic. em Arqueologia (2 o ano) Trabalho Prático Outubro de 2004 2 a fase: 11 de Dezembro de 2004 Este trabalho único deve ser realizado, em grupo, ao longo das 4 últimas semanas

Leia mais

1. Objectivos do Observatório da Inclusão Financeira

1. Objectivos do Observatório da Inclusão Financeira Inclusão Financeira Inclusão Financeira Ao longo da última década, Angola tem dado importantes passos na construção dos pilares que hoje sustentam o caminho do desenvolvimento económico, melhoria das

Leia mais

PEGADAS DE DINOSSÁURIOS NA PRAIA DA PAREDE (CASCAIS)

PEGADAS DE DINOSSÁURIOS NA PRAIA DA PAREDE (CASCAIS) PEGADAS DE DINOSSÁURIOS NA PRAIA DA PAREDE (CASCAIS) RELATÓRIO PRELIMINAR PARA INFORMAR SOBRE O INTERESSE CIENTÍFICO, PATRIMONIAL, PEDAGÓGICO E CULTURAL DA JAZIDA Vanda Faria dos Santos Lisboa Novembro

Leia mais

Esta apresentação é composta por 4 partes

Esta apresentação é composta por 4 partes Projecto Toureg Esta apresentação é composta por 4 partes 1 Breve apresentação 2 Instalações de atendimento 3 Parques de estacionamento 4 Lavagens auto 5 Frota Breve apresentação Sixt Portugal A actual

Leia mais

ROTM800GF ROTM1000GF ROTM1500G2F

ROTM800GF ROTM1000GF ROTM1500G2F Apresentação Os es de Gorduras e Féculas, tipo EcoAlcance são recipientes estanques, destinados à recepção de águas residuais gordurosas procedentes do uso doméstico ou industrial, originadas pelo manuseamento

Leia mais

PRÁTICAS MUSICAIS LOCAIS: ALGUNS INDICADORES PRELIMINARES 1

PRÁTICAS MUSICAIS LOCAIS: ALGUNS INDICADORES PRELIMINARES 1 PRÁTICAS MUSICAIS LOCAIS: ALGUNS INDICADORES PRELIMINARES 1 Salwa El-Shawan Castelo-Branco Maria João Lima A música enquanto processo social, produto cultural e comportamento expressivo desempenha um papel

Leia mais

[resumo] - Mines et Industries. peças indispensáveis para a história económica JOSÉ M. BRANDÃO CARMEN CARVALHO

[resumo] - Mines et Industries. peças indispensáveis para a história económica JOSÉ M. BRANDÃO CARMEN CARVALHO JOSÉ M. BRANDÃO CARMEN CARVALHO ELIANA CASTRO [resumo] - Mines et Industries - Mines et Industries In: 1 peças indispensáveis para a história económica contemporânea cit. 63 Mines et Industries S.A., duas

Leia mais

PEGADA HÍDRICA EM PORTUGAL

PEGADA HÍDRICA EM PORTUGAL Resumo do relatório Water Footprint in Portugal WWF Mediterrâneo, 2010 O Problema: uma pegada demasiado elevada O Relatório Planeta Vivo 2008 da WWF demonstra que o uso insustentável da água é um problema

Leia mais

Associação Académica de Coimbra

Associação Académica de Coimbra Associação Académica de Coimbra Campanha de Marketing Desportivo Campanha de Marketing Desportivo 1 I. Contexto II. Objectivos III. Planeamento Campanha de Marketing Desportivo 2 I. Contexto II. Objectivos

Leia mais

Pr Além do Mare Nostrum Um Guia para a Navegação Romano no Atlântico. Articulação de conteúdos didáticos com as matérias das disciplinas escolares

Pr Além do Mare Nostrum Um Guia para a Navegação Romano no Atlântico. Articulação de conteúdos didáticos com as matérias das disciplinas escolares História e Geografia de Portugal 5º Ano (2º Ciclo do EB) Pr Além do Mare Nostrum Um Guia para a Navegação Romano no Atlântico Articulação de conteúdos didáticos com as matérias das disciplinas escolares

Leia mais

LICENCIATURA EM GESTÃO CONTROLO DA QUALIDADE

LICENCIATURA EM GESTÃO CONTROLO DA QUALIDADE LICENCIATURA EM GESTÃO 1º Ano 2º semestre CONTROLO DA QUALIDADE Elaborado por: João Gilberto Ramos Abreu 2089506 Nádia Andrade Abreu 2038907 Sónia Vieira da Silva - 2043407 Funchal Abril de 2008 "Criatividade

Leia mais

PROVAS DE AGREGAÇÃO A C

PROVAS DE AGREGAÇÃO A C PROVAS DE AGREGAÇÃO A ALVES, Jorge Fernandes A estruturação de um sector industrial a pasta de papel : plano de aula / Jorge Fernandes Alves.- Porto : [Edição do Autor], 1999.- 14 p.; 30 cm.- Plano apresentado

Leia mais

Enquadramento Turismo Rural

Enquadramento Turismo Rural Enquadramento Turismo Rural Portugal é um País onde os meios rurais apresentam elevada atratividade quer pelas paisagens agrícolas, quer pela biodiversidade quer pelo património histórico construído o

Leia mais

A. A sala dos professores

A. A sala dos professores A. A sala dos professores Esta iniciativa tem como objectivo promover o contacto e o intercâmbio de informação entre os professores e o parque, bem como facilitar a programação e fruição das nossas actividades.

Leia mais

Afinal, o que é o Navio-Escola Sagres? Qual é a sua função? E que simbologia contém?

Afinal, o que é o Navio-Escola Sagres? Qual é a sua função? E que simbologia contém? Etapa 2 Afinal, o que é o Navio-Escola Sagres? Qual é a sua função? E que simbologia contém? Segue as propostas desta ficha de trabalho para aprenderes a explorar e a organizar a informação a que a Internet

Leia mais

PROJECTO NAZARÉ XXI. - Marina de recreio e Complexo Turístico de S. Gião

PROJECTO NAZARÉ XXI. - Marina de recreio e Complexo Turístico de S. Gião PROJECTO NAZARÉ XXI - Marina de recreio e Complexo Turístico de S. Gião Nazaré XXI é um projecto turístico de impacto regional, inserido na política de desenvolvimento económico que a Câmara Municipal

Leia mais

I - Disposições gerais. Artigo 1.º Âmbito da cooperação

I - Disposições gerais. Artigo 1.º Âmbito da cooperação Decreto n.º 25/2002 Acordo de Cooperação na Área da Educação e Cultura entre a República Portuguesa e a Região Administrativa Especial de Macau da República Popular da China, assinado em Lisboa, em 29

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES 2014/2015. Associação Sénior de Odivelas

PLANO DE ATIVIDADES 2014/2015. Associação Sénior de Odivelas PLANO DE ATIVIDADES 2014/2015 Associação Sénior de Odivelas A Universidade Sénior de Odivelas é um projecto inovador que tem por base a promoção da qualidade de vida dos seniores de Odivelas, fomentando

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL 2014

PLANEJAMENTO ANUAL 2014 PLANEJAMENTO ANUAL 2014 Disciplina: HISTÓRIA Período: Anual Professor: INÊS PEREIRA Série e segmento: 1º ENSINO MÉDIO 1º TRIMESTRE 2º TRIMESTRE 3º TRIMESTRE Respeitar e entender a importância do patrimônio

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL 2º CICLO HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL 5.º ANO Documento(s) Orientador(es): Programa de História e Geografia de Portugal

Leia mais

CASA DO POVO DE ÓBIDOS PROJECTO EDUCATIVO

CASA DO POVO DE ÓBIDOS PROJECTO EDUCATIVO CASA DO POVO DE ÓBIDOS PROJECTO EDUCATIVO Índice 1. CARACTERIZAÇÃO DO MEIO... 1 1.1. Breves Notas Histórias sobre Óbidos... 1 1.2 Situação geográfica de Óbidos... 1 2 - BREVE HISTORIAL DA INSTITUIÇÃO...

Leia mais

O que é o porto de Leixões. O porto de Leixões é o maior porto artificial de Portugal.

O que é o porto de Leixões. O porto de Leixões é o maior porto artificial de Portugal. Porto de leixões O que é o porto de Leixões O porto de Leixões é o maior porto artificial de Portugal. História do porto de Leixões O porto de Leixões foi construído na foz do rio leça, aproveitando três

Leia mais

MEMÓRIA URBANA DE PALMAS-TO: LEVANTAMENTO DE INFORMAÇÕES E MATERIAL SOBRE O PLANO DE PALMAS E SEUS ANTECEDENTES

MEMÓRIA URBANA DE PALMAS-TO: LEVANTAMENTO DE INFORMAÇÕES E MATERIAL SOBRE O PLANO DE PALMAS E SEUS ANTECEDENTES MEMÓRIA URBANA DE PALMAS-TO: LEVANTAMENTO DE INFORMAÇÕES E MATERIAL SOBRE O PLANO DE PALMAS E SEUS ANTECEDENTES Tânia de Sousa Lemos 1 ; Ana Beatriz Araujo Velasques 2 1 Aluna do Curso de Arquitetura e

Leia mais

A FESTA DOS MUSEUS. 18 de Maio DIA INTERNACIONAL DOS MUSEUS Os Museus e os Jovens. 20/21 de Maio NOITE DOS MUSEUS

A FESTA DOS MUSEUS. 18 de Maio DIA INTERNACIONAL DOS MUSEUS Os Museus e os Jovens. 20/21 de Maio NOITE DOS MUSEUS MUSEU NACIONAL DE ARQUEOLOGIA MOSTEIRO DOS JERÓNIMOS, PRAÇA DO IMPÉRIO, 1400-206 LISBOA www.mnarqueologia-ipmuseus.pt; info@mnarqueologia-ipmuseus.pt A FESTA DOS MUSEUS 18 de Maio DIA INTERNACIONAL DOS

Leia mais

Caixa acelera. expansão em Angola. Controlo da parceria com Totta. será antecipado para liderar no financiamento às PME Empresas 8 e 9

Caixa acelera. expansão em Angola. Controlo da parceria com Totta. será antecipado para liderar no financiamento às PME Empresas 8 e 9 Caixa acelera expansão em Angola Controlo da parceria com Totta será antecipado para liderar no financiamento às PME Empresas 8 e 9 BANCA CGD antecipa controlo do Caixa Totta e acelera expansão em Angola

Leia mais

Pescas e Aquicultura na Região Centro BREVE CARACTERIZAÇÃO

Pescas e Aquicultura na Região Centro BREVE CARACTERIZAÇÃO Pescas e Aquicultura na Região Centro BREVE CARACTERIZAÇÃO As distintas actividades das pescas têm uma representação expressiva na área de actuação da DRAPCentro: frota de pesca (local, costeira e do largo);

Leia mais

MUNICÍPIOS E O MAR Associação Fórum Empresarial da Economia do Mar. Município da Nazaré

MUNICÍPIOS E O MAR Associação Fórum Empresarial da Economia do Mar. Município da Nazaré MUNICÍPIOS E O MAR Associação Fórum Empresarial da Economia do Mar Município da Nazaré PROJECTO VIVER O MAR Valorizar a associação da Nazaré ao Mar como factor de identidade Assegurar o conhecimento Científico

Leia mais

Do (re)conhecimento à salvaguarda e valorização do património corticeiro em Portugal: o Núcleo da Mundet do Ecomuseu Municipal do Seixal

Do (re)conhecimento à salvaguarda e valorização do património corticeiro em Portugal: o Núcleo da Mundet do Ecomuseu Municipal do Seixal Encontro internacional PATRIMÓNIO CULTURAL, A CORTIÇA E OS MUSEUS Auditório Municipal Fórum Cultural do Seixal 2-3 Julho 2010 Do (re)conhecimento à salvaguarda e valorização do património corticeiro em

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AGUALVA MIRA SINTRA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AGUALVA MIRA SINTRA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AGUALVA MIRA SINTRA código 171608 Escola Básica D. Domingos Jardo MANUAL ADOPTADO: HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL - HGP AUTORES: ANA OLIVEIRA/ FRANCISCO CANTANHEDE/ MARÍLIA GAGO

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA ESCOLA DAS ARTES

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA ESCOLA DAS ARTES UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA ESCOLA DAS ARTES LICENCIATURA DE ARTE - CONSERVAÇÃO E RESTAURO HISTÓRIA DAS ARTES METÁLICAS ANO LECTIVO 2013/2014 Docente: Prof. Doutor Gonçalo de Vasconcelos e Sousa OBJECTIVOS:

Leia mais

Que políticas de transportes

Que políticas de transportes Que políticas de transportes 8º ciclo de seminários - Transportes e negócios J. Paulino Pereira (Instituto Superior Técnico Universidade Técnica de Lisboa) Professor Universitário e Consultor Aeroportos

Leia mais

ACQUALIVEEXPO. Painel A INTERNACIONALIZAÇÃO DO SECTOR PORTUGUÊS DA ÁGUA EVOLUÇÃO DO SECTOR DA ÁGUA NOS BALCÃS: O EXEMPLO DA SÉRVIA

ACQUALIVEEXPO. Painel A INTERNACIONALIZAÇÃO DO SECTOR PORTUGUÊS DA ÁGUA EVOLUÇÃO DO SECTOR DA ÁGUA NOS BALCÃS: O EXEMPLO DA SÉRVIA ACQUALIVEEXPO Painel A INTERNACIONALIZAÇÃO DO SECTOR PORTUGUÊS DA ÁGUA EVOLUÇÃO DO SECTOR DA ÁGUA NOS BALCÃS: O EXEMPLO DA SÉRVIA Lisboa, 22 de Março de 2012 1 1. Introdução A diplomacia económica é um

Leia mais

Disciplina: Geografia. Trabalho realizado por: Mónica Algares nº 17. Turma: B

Disciplina: Geografia. Trabalho realizado por: Mónica Algares nº 17. Turma: B Disciplina: Geografia Trabalho realizado por: Mónica Algares nº 17 Turma: B 1 Índice Introdução... 3 Principais fontes de poluição dos oceanos e mares... 4 Prejuízos irremediáveis... 5 As marés negras...

Leia mais

Projecto de Candidatura da Universidade de Coimbra a Património Mundial

Projecto de Candidatura da Universidade de Coimbra a Património Mundial Projecto de Candidatura da Universidade de Coimbra a Património Mundial 1 Coimbra - 1941 Coimbra - 2001 2 Pólo II - Estado actual Pólo III - Estado actual 3 Pólo I - Estado actual 4 Pólo I - Estado actual

Leia mais

2003/2004 Programa Sócrates/Erasmus na Facultà di Beni Culturali, Università degli Studi di Lecce (Italia).

2003/2004 Programa Sócrates/Erasmus na Facultà di Beni Culturali, Università degli Studi di Lecce (Italia). C U R R I C U L U M V I T A E INFORMAÇÃO PESSOAL: Nome: Sónia Alexandra Rupio Bombico Data de Nascimento e Local: 08/04/1983, Cabrela Nacionalidade: Portuguesa Morada institucional: CIDEHUS EU Palácio

Leia mais

À descoberta da Geologia da Praia Grande, Sintra

À descoberta da Geologia da Praia Grande, Sintra À descoberta da Geologia da Praia Grande, Sintra Para observar as pegadas de dinossáurio preservadas na laje vertical do extremo sul da Praia Grande, suba as escadas até as encontrar. Nas pegadas que observa

Leia mais

Açude das Brazinhas. início/fim: Biblioteca Municipal _ Pólo de S. Pedro do Esteval extensão: 7,8 Km duração: ±3h grau de dificuldade: fácil

Açude das Brazinhas. início/fim: Biblioteca Municipal _ Pólo de S. Pedro do Esteval extensão: 7,8 Km duração: ±3h grau de dificuldade: fácil PR7 Açude das Brazinhas. início/fim: Biblioteca Municipal _ Pólo de S. Pedro do Esteval extensão: 7,8 Km duração: ±3h grau de dificuldade: fácil Rota dos Estevais Uma infusão de alecrim ataca a febre,

Leia mais

1.ª SESSÃO NOVA LEGISLAÇÃO TURÍSTICA (ANIMAÇÃO TURÍSTICA, RJET E ALOJAMENTO LOCAL) _ RESUMO _

1.ª SESSÃO NOVA LEGISLAÇÃO TURÍSTICA (ANIMAÇÃO TURÍSTICA, RJET E ALOJAMENTO LOCAL) _ RESUMO _ 1.ª SESSÃO NOVA LEGISLAÇÃO TURÍSTICA (ANIMAÇÃO TURÍSTICA, RJET E ALOJAMENTO LOCAL) _ RESUMO _ Novo Regime Jurídico dos Empreendimentos Turísticos (RJET) Inovadora, simplificadora e de maior facilidade

Leia mais

Arquivos universitários na encruzilhada do passado, presente e futuro: O caso do Arquivo Histórico dos Museus da Universidade de Lisboa

Arquivos universitários na encruzilhada do passado, presente e futuro: O caso do Arquivo Histórico dos Museus da Universidade de Lisboa Workshop Arquivos Universitários FCSH-UNL, 5 de Julho de 2013 Arquivos universitários na encruzilhada do passado, presente e futuro: O caso do Arquivo Histórico dos Museus da Universidade de Lisboa José

Leia mais

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2009

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2009 INSTITUTO POLITÉCNICO DO CÁVADO E DO AVE ESCOLA SUPERIOR DE GESTÃO RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2009 PROJECTO EM SIMULAÇÃO EMPRESARIAL Índice Introdução 1 Recursos Humanos afectos ao PSE... 3 1.1 Caracterização...

Leia mais

Actividades Organizadas 2005

Actividades Organizadas 2005 Historial O BTT Monchique começou por ser um grupo de amigos e adeptos da bicicleta, que se juntou no início de 2002 para a participação em eventos de ciclismo, mais propriamente BTT (Bicicletas Todo o

Leia mais

CADERNOS DE SOCIOMUSEOLOGIA Nº 15-1999 5

CADERNOS DE SOCIOMUSEOLOGIA Nº 15-1999 5 CADERNOS DE SOCIOMUSEOLOGIA Nº 15-1999 5 APRESENTAÇÃO. O presente número dos Cadernos de Sociomuseologia, reúne um conjunto de documentos sobre museologia e património que se encontram dispersos e muitas

Leia mais

Curso Livre Online. 3.ª edição. Gestão e Valorização de Coleções Paleontológicas e Arqueológicas em Museus PLANO MODULAR

Curso Livre Online. 3.ª edição. Gestão e Valorização de Coleções Paleontológicas e Arqueológicas em Museus PLANO MODULAR Curso Livre Online 3.ª edição Gestão e Valorização de Coleções Paleontológicas e Arqueológicas em Museus PLANO MODULAR Apresentação da entidade organizadora Centro Português de Geo História e Pré-História

Leia mais

Importância geoestratégica de Portugal

Importância geoestratégica de Portugal GRANDE REPORTAGEM CLUBE EUROPEU AEVILELA Importância geoestratégica de Portugal PORTO DE SINES Porta ideal de entrada num conjunto de mercados CIDADE DA HORTA Telegraph Construction and Maintenance Company

Leia mais

1 Escola Superior de Desporto de Rio Maior

1 Escola Superior de Desporto de Rio Maior Instituto Politécnico de Santarém ESCOLA SUPERIOR DE DESPORTO DE RIO MAIOR MESTRADO EM DESPORTO REGULAMENTO DE DISSERTAÇÃO Este regulamento enquadra-se no âmbito do artigo 21.º do regulamento específico

Leia mais

Curso(s): Licenciaturas em Engenharia Total de horas Aulas Teórico-Práticas 60 h

Curso(s): Licenciaturas em Engenharia Total de horas Aulas Teórico-Práticas 60 h UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA F A C U L D A D E D E E NGE N H ARIA Disciplina de DESENHO Contexto da Disciplina Horas de Trabalho do Aluno Curso(s): Licenciaturas em Engenharia Total de horas Aulas

Leia mais

Normas da ABNT para Desenho Técnico

Normas da ABNT para Desenho Técnico UFMG - Curso de Graduação em Engenharia Metalúrgica Disciplina: DESENHO D Prof. Marcelo Borges Mansur (DEMET-UFMG) Normas da ABNT para Desenho Técnico Associação Brasileira de Normas Técnicas TERMINOLOGIA

Leia mais

3º Relatório Técnico Semestral PLANO BÁSICO AMBIENTAL DA DRAGAGEM DE APROFUNDAMENTO DO PORTO DE SANTOS

3º Relatório Técnico Semestral PLANO BÁSICO AMBIENTAL DA DRAGAGEM DE APROFUNDAMENTO DO PORTO DE SANTOS PLANO BÁSICO AMBIENTAL DA DRAGAGEM DE APROFUNDAMENTO DO PORTO DE SANTOS 3º Relatório Técnico Semestral Programa de Monitoramento Ambiental da Área de Disposição Oceânica de Materiais Dragados da Região

Leia mais

X Ambiente e Salubridade

X Ambiente e Salubridade X Ambiente e Salubridade 1. Abastecimento de Água A taxa de Cobertura de Abastecimento de água no Concelho de Pombal é de aproximadamente 99%, podendo deste modo considerar-se que cobre todas as freguesias

Leia mais

Informações e Inscrições em: www.mun-setubal.pt Divisão de Ambiente, disqa@mun-setubal.pt Telef. 265 537 058 / 265 537 000

Informações e Inscrições em: www.mun-setubal.pt Divisão de Ambiente, disqa@mun-setubal.pt Telef. 265 537 058 / 265 537 000 Informações e Inscrições em: www.mun-setubal.pt Divisão de Ambiente, disqa@mun-setubal.pt Telef. 265 537 058 / 265 537 000 CONFERÊNCIA 18 DE MAIO CASA DA BAÍA 9h00 Abertura da Conferência Presidente da

Leia mais

METALOMECÂNICA RELATÓRIO DE CONJUNTURA

METALOMECÂNICA RELATÓRIO DE CONJUNTURA METALOMECÂNICA RELATÓRIO DE CONJUNTURA 1. Indicadores e Variáveis das Empresas A indústria metalomecânica engloba os sectores de fabricação de produtos metálicos, excepto máquinas e equipamento (CAE )

Leia mais

Planificação Anual. Professor: José Pinheiro Disciplina: História e Geografia de Portugal Ano: 5.º Turmas: B Ano letivo: 2014-2015

Planificação Anual. Professor: José Pinheiro Disciplina: História e Geografia de Portugal Ano: 5.º Turmas: B Ano letivo: 2014-2015 Planificação Anual Professor: José Pinheiro Disciplina: História e Geografia de Portugal Ano: 5.º Turmas: B Ano letivo: 2014-2015 UNIDADE DIDÁTICA: TEMA A: DOS PRIMEIROS POVOS À FORMAÇÃO DO REINO DE PORTUGAL.

Leia mais

Nº2 JUNHO 2002 PAREDES DIVISÓRIAS DE PAINÉIS LEVES

Nº2 JUNHO 2002 PAREDES DIVISÓRIAS DE PAINÉIS LEVES Nº2 JUNHO 2002 PAREDES DIVISÓRIAS DE PAINÉIS LEVES Catarina Aguiar Bentes A monografia apresentada foi realizada no âmbito da cadeira de Tecnologias da Construção de Edifícios do 11º Mestrado em Construção

Leia mais

PROJECTO IPSIIS. Janeiro de 2011

PROJECTO IPSIIS. Janeiro de 2011 Relatório dos trabalhos efectuados em 2010 no âmbito do IPSIIS Projecto de Prospecção com detectores de metais em zonas de praia dos Concelhos de Portimão e Lagoa Janeiro de 2011 Alberto Machado; José

Leia mais

1. ARQUITECTURA E CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL PARA TODOS

1. ARQUITECTURA E CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL PARA TODOS 1. No âmbito das Comemorações do Dia Mundial da Arquitectura (primeira segunda-feira do mês de Outubro 01 Out 2012), o Portal da Construção Sustentável (PCS) irá promover a 1ª edição da iniciativa, em

Leia mais

Hidrografia e Litoral

Hidrografia e Litoral Conferência Internacional ESTRUTURA ECOLÓGICA NACIONAL CONCEITOS E DELIMITAÇÃO Auditório da Torre do Tombo, 22 de Novembro de 2013 Hidrografia e Litoral João Silva Natália Cunha Ana Müller Lopes Manuela

Leia mais

Física e Química A. Actividade Prático-Laboratorial 1.3 Salto para a piscina

Física e Química A. Actividade Prático-Laboratorial 1.3 Salto para a piscina Física e Química A Actividade Prático-Laboratorial 1.3 Salto para a piscina Ano lectivo de 2009/2010 Índice Sumário 3 I Relatório 1.1. Objectivos.. 4 1.2. Planeamento 5 1.3. Execução. 6 1.4. Resultados

Leia mais

Relatório dos trabalhos arqueológicos de prospecção no âmbito do EIA da EN substituição da Ponte da Gala.

Relatório dos trabalhos arqueológicos de prospecção no âmbito do EIA da EN substituição da Ponte da Gala. 24 TRABALHOS DO CNANS Relatório dos trabalhos arqueológicos de prospecção no âmbito do EIA da EN-109 - substituição da Ponte da Gala. Pedro Caleja, António de Sá, Miguel Aleluia Foto: Pedro Caleja Lisboa,

Leia mais

CONCURSO NACIONAL DE VOZES & FESTIVAL REVELAÇÃO DE VOZES DA DIÁSPORA. Concurso. Nacional de Vozes & Revelação de Vozes da Diáspora - Projecto

CONCURSO NACIONAL DE VOZES & FESTIVAL REVELAÇÃO DE VOZES DA DIÁSPORA. Concurso. Nacional de Vozes & Revelação de Vozes da Diáspora - Projecto Nacional de Vozes & Revelação de Vozes da Diáspora - Projecto Concurso 2015 CONCURSO NACIONAL DE VOZES & FESTIVAL REVELAÇÃO DE VOZES DA DIÁSPORA PROJECTO APRESENTADO PARA EFEITO DE APRECIAÇÃO E RESPECTIVO

Leia mais

Engenharia Hidrográfica: do fio-de-prumo ao sondador multifeixe. Fernando Freitas Artilheiro Divisão de Hidrografia

Engenharia Hidrográfica: do fio-de-prumo ao sondador multifeixe. Fernando Freitas Artilheiro Divisão de Hidrografia Engenharia Hidrográfica: do fio-de-prumo ao sondador multifeixe Fernando Freitas Artilheiro Divisão de Hidrografia Sondagem a prumo Sondagem com sondadores acústicos Sumário Introdução Requisitos mínimos

Leia mais

Orientação nº 1/2008 ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DA ESTRATÉGIA LOCAL DE DESENVOLVIMENTO (EDL) EIXO 4 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES

Orientação nº 1/2008 ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DA ESTRATÉGIA LOCAL DE DESENVOLVIMENTO (EDL) EIXO 4 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES Programa de da ELABORAÇÃO DA ESTRATÉGIA LOCAL DE DESENVOLVIMENTO (ELD) 1 / 16 Programa de da 1. Caracterização Socioeconómica do Território A caracterização do território deve centrar-se em dois aspectos

Leia mais

Ano VI N.º 22. Boletim Informativo da Junta de Freguesia da Ribeira Quente. Quinta-Feira 28 de Julho de 2011

Ano VI N.º 22. Boletim Informativo da Junta de Freguesia da Ribeira Quente. Quinta-Feira 28 de Julho de 2011 Ano VI N.º 22 Boletim Informativo da Junta de Freguesia da Ribeira Quente Quinta-Feira 28 de Julho de 2011 Bandeira Azul Hasteada na Ribeira Quente A Praia do Fogo da Ribeira Quente recebeu no dia 28 de

Leia mais

Reabilitação do Edifício da Casa da Cultura

Reabilitação do Edifício da Casa da Cultura Reabilitação do Edifício da Casa da Cultura ANEXO III PROGRAMA PRELIMINAR Programa_Preliminar_JC_DOM 1 Reabilitação do Edifício da Casa da Cultura PROGRAMA PRELIMINAR Índice! " #! $ % &' ( Programa_Preliminar_JC_DOM

Leia mais

Produção Multimédia Interactiva

Produção Multimédia Interactiva Produção Multimédia Interactiva Candidaturas 2012/13 secretaria@ipa.univ.pt http://pmi.ipa.univ.pt www.ipa.univ.pt IPA Instituto Superior Autónomo de Estudos Politécnicos No IPA prosseguimos os seguintes

Leia mais

NOVA CONTABILIDADE DAS AUTARQUIAS LOCAIS

NOVA CONTABILIDADE DAS AUTARQUIAS LOCAIS CONTACTOS DAS ENTIDADES QUE INTEGRAM O Direcção-Geral das Autarquias Locais Morada: Rua José Estêvão,137, 4.º a 7.º 1169-058 LISBOA Fax: 213 528 177; Telefone: 213 133 000 E-mail: helenacurto@dgaa.pt Centro

Leia mais

CRIAÇÃO DE SISTEMAS DE INOVAÇÃO ORGANIZACIONAL (Transformação da criatividade individual em inovação) www.apgico.pt

CRIAÇÃO DE SISTEMAS DE INOVAÇÃO ORGANIZACIONAL (Transformação da criatividade individual em inovação) www.apgico.pt CRIAÇÃO DE SISTEMAS DE INOVAÇÃO ORGANIZACIONAL (Transformação da criatividade individual em inovação) www.apgico.pt QUEM SOMOS SOMOS ESPECIALISTAS (corpos sociais) Jorge Alves Prof. Catedrático jubilado

Leia mais

Informações & Contactos: INDUSCRIA _Plataforma Para as Indústrias Criativas > Tel.: 21 397 77 44/94 E-mail: induscria@gmail.com www.induscria.

Informações & Contactos: INDUSCRIA _Plataforma Para as Indústrias Criativas > Tel.: 21 397 77 44/94 E-mail: induscria@gmail.com www.induscria. INTRODUÇÃO No âmbito dos objectivos estratégicos da INDUSCRIA_Plataforma Para as Indústrias Criativas é lançado o projecto LISBOA: [NOVOS] ITIN- ERÁRIOS & DISTRITOS CULTURAIS com o intuito de contribuir

Leia mais

Mestrado e Pós-graduação em C&SIG Seminário Final do 2º semestre (2ª EDIÇÃO) Universidade de Cabo Verde 21 e 22 de Julho de 2010

Mestrado e Pós-graduação em C&SIG Seminário Final do 2º semestre (2ª EDIÇÃO) Universidade de Cabo Verde 21 e 22 de Julho de 2010 Mestrado e Pós-graduação em C&SIG Seminário Final do 2º semestre (2ª EDIÇÃO) Universidade de Cabo 21 e 22 de Julho de 2010 As sessões do Seminário Final do 2º semestre na UniCV estão programadas para os

Leia mais

PROPOSTA DE PROGRAMA DE ACÇÃO PEDAGÓGICA SOBRE ARQUITECTURA, CIDADE E TERRITÓRIO PARA CRIANÇAS ANDREIA SALAVESSA

PROPOSTA DE PROGRAMA DE ACÇÃO PEDAGÓGICA SOBRE ARQUITECTURA, CIDADE E TERRITÓRIO PARA CRIANÇAS ANDREIA SALAVESSA PROPOSTA DE PROGRAMA DE ACÇÃO PEDAGÓGICA SOBRE ARQUITECTURA, CIDADE E TERRITÓRIO PARA CRIANÇAS ANDREIA SALAVESSA OLHAR PARA VER OBJECTIVOS O desafio passa por analisar o meio construído segundo as suas

Leia mais

Eng.º José Pinto Leite

Eng.º José Pinto Leite Dia 27 de Maio Investimento e sustentabilidade Eng.º José Pinto Leite Programa Polis Congresso LIDER A 09 Sustentabilidade e o POLIS José Manuel Pinto Leite IST 27/05/2009 1 Sustentabilidade e o POLIS

Leia mais

4 de novembro Museu de Cerâmica de Sacavém JORNADAS SIPA 2011 João Paulo Martins martins@fa.utl.pt MÓVEIS MODERNOS

4 de novembro Museu de Cerâmica de Sacavém JORNADAS SIPA 2011 João Paulo Martins martins@fa.utl.pt MÓVEIS MODERNOS 4 de novembro Museu de Cerâmica de Sacavém JORNADAS SIPA 2011 João Paulo Martins martins@fa.utl.pt MÓVEIS MODERNOS A ACTIVIDADE DA COMISSÃO PARA AQUISIÇÃO DE MOBILIÁRIO NO ÂMBITO DA DIRECÇÃO-GERAL DOS

Leia mais

Artes. Cultura e Patrimónios. COLÓQUIO e WORKSHOPS MUSEU NACIONAL DE ETNOLOGIA PROGRAMA

Artes. Cultura e Patrimónios. COLÓQUIO e WORKSHOPS MUSEU NACIONAL DE ETNOLOGIA PROGRAMA de Pesca COLÓQUIO MUSEU NACIONAL DE ETNOLOGIA WORKSHOPS: 19 de junho COLÓQUIO: 26 de junho 2015 PROGRAMA Iniciativa realizada no âmbito da Exposição: «de Pesca: Pescadores, Normas, Objetos Instáveis» APRESENTAÇÃO

Leia mais

Cultura Material em Exposição: Museu do Couro e do Zé Didor, Campo Maior, Piauí

Cultura Material em Exposição: Museu do Couro e do Zé Didor, Campo Maior, Piauí 1 Cultura Material em Exposição: Museu do Couro e do Zé Didor, Campo Maior, Piauí Felipe de Sousa Soares* Felipe Rocha Carvalho Lima** Petherson Farias de Oliveira*** 1. Introdução O texto visa apresentar

Leia mais

UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu

UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu Rede Social de Aljezur Plano de Acção (2009) Equipa de Elaboração do Plano de Acção de 2009 / Parceiros do Núcleo Executivo do CLAS/Aljezur Ana Pinela Centro Distrital

Leia mais