quer conquistar posição de destaque no mercado de movimentação de materiais e industrial

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "quer conquistar posição de destaque no mercado de movimentação de materiais e industrial"

Transcrição

1 quer conquistar posição de destaque no mercado de movimentação de materiais e industrial

2

3 edição nº 128 Out 2012 R$ 15,00 Monitoramento e rastreamento Plataformas niveladoras de docas OL s e transportadoras no setor automotivo Gollog investe em terminais, tecnologia e franquias Transmissão de Força A mais nova publicação da Logweb Editora Carlos Figueiredo, diretor da Gollog

4

5 Editorial 3 referência em logística Publicação mensal, especializada em logística, da Logweb Editora Ltda. Parte integrante do portal twitter: logweb_editora Uma edição com grandes matérias Tiragem: exemplares Redação, Publicidade, Circulação e Administração Rua dos Pinheiros, conj São Paulo - SP Fone/Fax: Nextel: ID: 15*7582 Redação Nextel: ID: 15*7949 Editor Wanderley Gonelli Gonçalves (MTB/SP 12068) Redação Danilo Cândido de Oliveira (MTB/SP 55394) Mariana Mirrha (MTB/SP 56654) Priscilla Cardoso (MTB/SP 68731) Diretoria Executiva Valeria Lima Marketing José Luíz Nammur Administração/Finanças Luís Cláudio R. Ferreira Diretoria Comercial Maria Zimmermann - Cel.: Nextel: ID 55*15*7581 Assistente Comercial Júlia Gonçalves Gerência de Negócios Nivaldo Manzano - Cel.: José Oliveira - Cel.: Thais Carvalho - Cel.: (Estagiária) Diagramação e Capa Alexandre Gomes F ugindo do nosso padrão editorial, esta edição de Logweb inclui um número matérias, ou seja, matérias jornalísticas normatiza o trabalho dos motoristas representantes de Sindicatos e editorial, esta edição destaca aos Operadores Logísticos e as o papel dos OL s e transportadoras no segmento, as tendências na logística, especial sobre rastreamento e setores hoje no Brasil, as tendências, os Ainda como matéria as mudanças ocorridas nos últimos tempos e o impacto dos condomínios logísticos no segmento de Wanderley Gonelli Gonçalves, Editor Ainda como grande matéria da edição, temos a cobertura do 11º Transporte de Produtos Perigosos, Para o leitor, trata-se de uma Os artigos assinados e os anúncios não expressam, necessariamente, a opinião da revista OUT/ LOGWEB

6 Sumário Especial Plataformas niveladoras de docas: agilidade requerida no setor logístico leva o setor a um sólido crescimento Rastreamento e monitoramento: dois setores distintos, que ainda provocam confusão Transmissão de Força A mais nova publicação da Logweb Editora Agenda do Logweb Consulte no portal a agenda com informações sobre feiras, fóruns, seminários, cursos e palestras nas áreas de logística, Suplay Chain, embalagem, movimentação, armazenagem, automação e comércio exterior. 8 Artigo Implantação do S&OP traz um melhor entendimento das oportunidades do mercado 10 Operador Logístico Kuehne + Nagel assume operação logística global de peças de reposição e equipamentos da TAM 12 Logística & Meio Ambiente 16 Evento Seminário, em São Paulo, discute o manuseio e o transporte de produtos perigosos 26 Legislação Lei , que normatiza o trabalho dos discussões 36 Negócio Fechado 54 Transporte Marítimo Com obras em ritmo avançado, terminal portuário da BTP prepara início das operações para Capa Gollog aproveita crescimento do setor logístico e investe em terminais, tecnologia e franquias 64 Mercado visando disseminar a logística farmacêutica 66 Movimentação Consigaz fornece sistema de reabastecimento para empilhadeiras 68 Alimentos & Bebidas Bunge inaugura fábrica com tecnologia alemã para produção de maioneses e amplia CD 72 Distribuição Alta nas vendas do setor automotivo obriga OL s e transportadores a adaptarem operações Notícias Rápidas 35, 45, 53, 56, 62,65 e 69 Errata Mills Estruturas Em nosso Anuário de Logística Logweb 125 julho de 2012 o telefone da Mills Estruturas e Serviços está incorreto. O certo é: Nautika Na matéria Com primeiro semestre positivo, setor de armazéns estruturais e infláveis prevê mais crescimento, publicada à pagina 70 da edição 126 agosto de 2012 de Logweb, o telefone da Nautika está incorreto. O certo é TGW Na matéria TGW avança em filiais internacionais e gera receitas de 262,3 milhões de euros, publicada na edição nº 127 de Logweb (página 71), o valor correto referente à receita da companhia é de 362,3 milhões de euros, como afirmado no texto, e não de 262,3 milhões de euros, como estampado no título. LOGWEB 128 OUT/2012

7 Nordeste. Esse é o nosso novo destino. A região Nordeste se destaca cada vez mais no cenário nacional e a Jamef acelera nessa direção. Especializada no transporte de cargas fracionadas de alto valor agregado, nossas unidades na região se multiplicam para transportar calçados, confecção, cosméticos, eletroeletrônicos, informática, editoriais, autopeças e muito mais. Tudo isso com agilidade, frota constantemente renovada, monitoramento via satélite 24 horas, 7 dias por semana, atendimento individualizado, comprometimento e cuidado com a carga, da coleta à entrega em suas mãos. Saiba mais porque a gente sempre leva o melhor para você. Acesse Baixe um leitor de QR CODE e saiba mais

8 6 Carta ao Leitor Novos tempos exigem decisões certas J seja acerto! Logweb, e a atenção dos senhores em nosso meio de comunicação e muito obrigada por mais um ano permitirem esta sinergia, Maria Zimmermann Diretora Comercial LOGWEB 128 OUT/2012

9

10 8 - Artigo Implantação do S&OP traz um melhor entendimento das oportunidades do mercado V ender somente empresas possuem setores de aumentarem seus ganhos, acabam somente aumentando o É comum encontrar gerentes ações, mas a cada dia ocorre uma encontrar clientes reclamando atuando para apagar incêndio empresa mais sincronizada, Algumas empresas entendem comum em uma organização não é simples se a mesma não possui Algumas empresas possuem duramente para atender as integradas, não se comunicam apropriadamente e não trabalham Claus Karl Krischnegg Diretor de Operações da Otimis, que oferece a solução JDA Sales & Operations Planning Para juntar as ilhas é preciso criar o processo de Sales and alinhar os planos estratégicos com - Os planos não podem ser escritos um ambiente onde as mudanças são esperadas e os ajustes a empresa possui reclamação MODELO BÁSICO S&OP P e 4 Revisão de Financeira Revisão de Supply 3 5 Reunião S&SOP Recursos Medição de Perfomance 1. é guiado pela demanda e pela um plano atualizado para suportar Ainda segundo e Obter primeiro o e depois dos gerentes e Estratégias Revisão de Demanda 2 Início Revisão de Produto Figura 1 Modelo básico de Sales and Operations Planning (Palmatier e Crum, 2003) 1 LOGWEB 128 OUT/2012

11 Editoria - 9 e honesta, principalmente na departamento sem considerar o impacto na empresa como um o planejamento da demanda enorme causado pela redução o impacto no mercado com o lançamento dos modelos do aspectos a serem considerados e cabe a cada empresa desenhar o BENEFÍCIOS DO S&OP PARA AS OPERAÇÕES LOGÍSTICAS um melhor entendimento das oportunidades do mercado e da Um bom ponto de partida (stockout) e, ao mesmo tempo, imagem da empresa, se, por justamente no momento em teríamos produtos sendo muito reduzida, ao mesmo tempo esta situação pois estes poderão melhorar a Além de tornar os gaps racional, garante entregas no prazo, Referências LEMBRAR DA EASYTEC É COMO UTILIZAR SEUS PRODUTOS, VOÇÊ NÃO PRECISA FAZER ESFORÇO Tel. : Rua Ely do Amparo, Lt 05 - Guarajuba - Paracambi - RJ - CEP. :

12 10 - Operador Logístico Kuehne + Nagel assume operação logística global de peças de reposição e equipamentos da TAM Mariana Mirrha A Kuehne + Operador Logístico multinacional, acaba de ser escolhida para realizar a logística para peças de reposição, concorrência lançada pelo cliente as importações de peças de reposição desde a disponibilização Também serão coordenados necessitem de determinado tipo para atender às necessidades da indústria aeroespacial, sejam de como seu Operador Logístico no segmento aeroespacial, Aeroespacial na América do A importação de peças e prioritariamente de cinco países operações nos modais aéreo e no desembaraço aduaneiro, com recebidas nos armazéns da Moraes Pinto: nas nossas operações logísticas, vamos atuar para que a TAM possua os estoques de peças de reposição nos locais onde há demanda brasileira, serão armazenadas estrutura operacional e armazéns do Operador Logístico em outros peças de reposição nos locais em relação à disponibilidade de também, o processo de entrega, é destinada ao atendimento da LOGWEB 128 OUT/2012

13 Operador Logístico - 11 Marcelo: utilizaremos os modais aéreo, marítimo e rodoviário, pois a carga será de peças de reposição, alguns consumíveis e material de bordo de bordo, também serão principalmente, na liberação rastreamento, o sistema tempo real e criar regras de monitoramento de status Pinto, a logística do mercado tamanhos e pesos, com muito indústria demanda soluções logísticas 24 horas por dia NOVO SERVIÇO Baseada na especialização aeroporto de Heathrow, na peças de reposição para permite realizar a logística atendendo às necessidades contribuiu para o aumento demandas de uma unidade para atender todo o ciclo A previsão inicial de operações da Kuehne + Nagel em atendimento à TAM é de 400 embarques por mês, contando com as exportações e as importações OUT/ LOGWEB

14 12 - Logística & Meio Ambiente ABRE LANÇA 2ª EDIÇÃO DE CARTILHA SOBRE DIRETRIZES DE ROTULAGEM AMBIENTAL PARA EMBALAGENS A cartilha Diretrizes de - - lidades de rotulagem ambiental, a simbologia técnica ajuda os O papel deles é separar as suas encaminhadas para umacoope- tura de reciclagem na região ou como base para o Pacto Setorial assinado pela Associação e o simbologia técnica de descarte FEDEX ATINGE 80% DE SUA META DE EFICIÊNCIA DE COMBUSTÍVEL OITO ANOS ANTES DO PRAZO ESTABELECIDO oito anos antes do prazo estabele- - cumprindo as normas estabelecidas em 2010 pela Agência de Proteção - e entrega para modelos menos buscar caminhos mais promissores e otimizar nossas operações de da empresa, é resultado de uma - da metade do caminho para a data - em comparação com nossa medida nossa meta de 2020 para potencial- ambientais e de sustentabilidade da SANTOS BRASIL INVESTE EM BIOCOMBUSTÍVEL PARA REDUZIR EMISSÃO DE GASES DO EFEITO ESTUFA caminhões de sua operação logís- nais de contêineres nos portos de Conde, PA, e conta com centros de distribuição logística em São Bernardo do Campo, SP, e no bairro BRIDGESTONE INVESTE EM PESQUISA PARA CRIAÇÃO DE NOVO TIPO DE BORRACHA NATURAL - - produz borracha natural em sua - à borracha natural colhida das operações da Bridgestone Operações de pneus para as Américas Tire Operations, em inglês) em colaboração com a Bridgesto- Tecnologia Bridgestone Américas e do Centro Técnico Akron para do Jaguaré, na capital paulista, encaminhou seus motoristas e - - gerente de responsabilidade social dade ao engajamento em causas integrante do Programa Brasileiro de - mitigar o impacto da nossa operação atender a demanda por borracha natural, como também consti- demonstra nosso compromisso com a gestão ambiental e a sus- processado mais perto do merca- - cientistas agrícolas, engenheiros na otimização das tecnologias produção da borracha para pneu A Bridgestone espera encontrar um local, estabelecer o espaço totalmente em operação até 2014 LOGWEB 128 OUT/2012

15 Logística & Meio Ambiente - 13 VELOCE REDUZ EM 19% SUAS EMISSÕES DE GÁS CARBÔNICO de poluentes lançados na Programa Brasileiro GHG gem percorrida pela empresa entre 2010 e 2011, suas emis- - - do Programa Brasileiro GHG Protocol aconteceu no dia 4 empresas brasileiras registrou da Veloce, também integram o grupo a Coopecarga e a metodologia mais utilizada internacionalmente para medir contribuíram para a melhoria no índice de sustentabilidade metros de comprimento para - de caminhões de operações nacionais, de 11,3 anos em no transporte internacional, sua dimensão continental, o Brasil conta com uma matriz de transportes majorita- Ambiente, os caminhões respondem, entre todos os sões de CO 2 menor capacidade de carga e o maior consumo energético estes ainda não contam com estruturas abrangentes ou - ambientais do transporte APPA CRIA GRUPO DE TRABALHO PARA DISCUTIR PROGRAMA DE DRAGAGEM PARA PORTOS PARANAENSES Com o intuito de discutir um programa de dragagem para os portos paranaenses, - criou o Grupo de Trabalho ras reuniões realizadas em apresentados o planos da dragagem de manutenção manutenção, balizamento e e, também, realizados debates dragadas e a particularidade superintendente da Appa, abrir a discussão da dragagem - o programa de dragagem da esta comissão têm um amplo conhecimento do tema e podem contribuir considera- manutenção dos pontos críticos do canal de acesso aos - tes e compreende a dragagem do Canal da Galheta, partes acesso ao Porto de Antonina, de metros cúbicos a serem SOLUÇÃO BENNER LOGÍSTICA GANHA RECURSO PARA MONITO- RAR A EMISSÃO DE CO 2 - para gestão da cadeia de curso permite o cumprimen- (CO 2 - de CO 2, as empresas podem compensar e neutralizar a emissão desses poluentes com ações, como por OUT/ LOGWEB (11) (11) FAÇA SUA COTAÇÃO ATRAVÉS DO SITE Distribuidor autorizado

16

17

18 16 - Evento Seminário, em São Paulo, discute o manuseio e o transporte de produtos perigosos Com a participação de vários especialistas do setor, o encontro foi integrado por diversas palestras e debateu as principais normas técnicas, as leis, legislações ambientais e as dificuldades que o mercado ainda enfrenta devido à burocracia e às divergências de leis no Brasil. E desde 2002 na cidade de São Paulo, o Semi- Transporte de Produtos Perigosos último mês de agosto, na sede do - - dias, cada um com sete palestras, ção de riscos, normas a serem seguidas, planos de emergência em caso de acidentes e meios de Além das palestras, no primeiro - transporte de produtos perigosos Viriato, da Indax-Intertox: o PP 11 é resultado de um trabalho árduo e chega como o mais completo guia que existe no Brasil para o segmento respeito do lançamento e contou O PP 11 é resultado de um o mais completo guia do Brasil Realizado na sede do Conselho Regional de Química da 4ª Região em São Paulo, SP, o evento contou com a participação de diversos especialistas e executivos do setor Também temos atualizado as téc- também prestou sua homenagem aos palestrantes, apoiadores e escultura do mapa do Brasil com a MEIO AMBIENTE E LEGISLAÇÃO sociação Brasileira de Transportes e Logística de Produtos Perigosos - abordou temas relacionados ao meio ambiente, como emissões de para transportar produtos perigo- De início, ele apontou os três estes produtos pelo modal ter dos do Sul e do Sudeste é mais rí- atendendo a todos ado em Porto Alegre, para acabar com legislação sobrepõe - assim o regulamento a ser Danilo Cândido de Oliveira e Priscilla Cardoso LOGWEB 128 OUT/2012

19 Evento - 17 interestaduais serão emitidas pelo implantou alguns procedimentos para padronizar as permissões ao Transportar um produto permitido em posse da Autorização Ambiental de Transporte Caso algum caminhão esteja transportando produtos perigosos sem licença, com documento irregularidade, as multas aplicadas ceções são para licenças emitidas - Gallão, auditor pleno do SAS- - cia aos assuntos relacionados ao transporte de produtos perigosos sobre crimes ambientais e a Políti- Como as leis ambientais são nacionais de grande porte, como Da esquerda para a direita: Glória, da ABNT; Pontes, da Polícia Rodoviária Federal; Gomes, da ABTLP; e Viriato, da Indax-Intertox zaram suas regras para o uso dos - tam produtos perigosos apresenta - me ambiental os danos causados à ções não incluem somente acidentes empresariais ou domésticos, como também as ocorrências ambientais causadas pelos trans- Antes disso, os acidentes com

20 18 - Evento Outra situação muito impor- da lei é a culpa por acidentes transportar carga perigosa e cau- impacto ambiental independente se o caminhoneiro passou por um o dono do material, o caminhão e a transportadora, e eles terão em agosto de 2010, demorou 21 bilidade compartilhada pelo ciclo cantes, distribuidores ou comer- da sustentabilidade, mas não é o pré-disposições, uma empresa não Vemos muitas companhias de Lainha, da CETESB/SP: um acidente rodoviário envolvendo produtos perigosos pode demandar até pessoas direta e indiretamente Carrasco, da Suatrans-Cotec: na emergência grave, você dificilmente verá um jovem. A experiência do técnico conta muito em situações como esta marca dessa maneira, mas nin- seu caminhão possui motorização - e cumpre uma série de outros Os sistemas de coletas são partes integrantes deste processo, municípios brasileiros têm algum os catadores sejam os grandes papelão e alumínio, principalmen- Para se chegar a uma meta - - resíduos um acordo de logística Distribuidores e Processadores de ciação Brasileira do Alumínio e ACIDENTES E PREVENÇÃO as ocorrências, Jorge Carrasco, superintendente de Operações José Lainha, analista de controle ambiental do setor de Operações situações críticas, contaminação de rios e métodos para ajudar a Lainha, cujo trabalho na uma ocorrência sem de acidentes com e sem cuidados anteriores são entanto, os mais comuns são os - tipo de ocorrência pode demandar - - por não cumprir alguns itens de Carrasco destacou os cami- e propano como grandes ameaças - - O terremoto do Chile, em 2007, desencadeou uma série de - amenizar os prejuízos ambientais causados pelos produtos perigo- As medidas adotadas em tempos LOGWEB 128 OUT/2012

21 Evento - 19 autoridades entendiam como ne- pelo analista ambiental são a necessidade de simular ocorrências Paulo, eu garanto o início do processo de emergência, em caso de comunicado à Central de Opera- - muito em situações como esta, NORMAS TÉCNICAS importantes para o segmento de transporte de produtos peri- Com ele, as empresas do setor logístico garantem o processo correto de carga e descarga, base neste processo de manuseio Brasileira dos Distribuidores de - O cadastro começou em é garantir o comprometimento saúde humana e a natureza, além de garanti a segurança de pessoas - ções de Segurança de Produtos - Glória, da ABNT: as empresas que garantem o PRODIR estão preservando a saúde humana e a natureza, além de garantir segurança de pessoas e instalações Pinheiro, diretor de gerencia- da- Linha Completa de Carrinhos e Suportes A melhor tecnologia Nova linha de carregadores de baterias tradicionais New Charger S 9.1 Informações Soft-Start Tempo de descanso da bateria programada Controle e gerenciamento microcontrolado Desligamento automático Maior economia de energia elétrica Histórico de operações e falhas Status da alimentação da rede Placa de circuito impressa em SMD Quatro estágios de carga Alarmes de falhas Sistemas de rede (RS-485) Retrofiting Modernização e nacionalização em qualquer tipo de carregador nacional ou importado, implantando toda tecnologia JLW em seu equipamento, aumentando assim o rendimento e durabilidade de seus carregadores prolongamento a vida útil de sua bateria Acessórios Sonda de temperatura Termômetro, Densímetro Conectores nacionais e importados Placa de circuito Cabo de rede Carrinhos e Suportes Linha completa para movimentação e organização de carregadores e baterias Manutenção Preventiva e corretiva Equipe treinada para realização de manutenção de carregadores de baterias de qualquer marca ou modelo Terceirização Projetos de salas de baterias Terceirização de mão de obra especializada para sala de baterias Treinamento especializado Tel.: Fax:

22 20 - Evento Turiani, da STD Consultoria: o modal rodoviário segue as normas da 11ª e 12ª edição do Orange Book, o problema é que os demais países já trabalham com a 17 ª edição Pinheiro, da Indax-Intertox: uma empresa que possui FISPQ passa a ser avaliada positivamente. A ficha é sinônimo de qualidade daquele que o tem Marino, da TAM Cargo: muitas pessoas transportam produtos perigosos sem saber, como peças de automóvel, aqueles estalinhos de crianças e fósforos - Unidos e não perigosa se ingerida O manuseio e transporte de duas - LEGISLAÇÕES FEDERAIS principais normas, regulamentos transporte de produtos perigo- Promulgada em maio de 2001, a normas impostas pelo Decreto n - - estabeleceu como de competência STD Consultoria em Transporte impostas por irregularidades no transporte de produtos perigosos tes para o embarcador e para o a regulamentar o transporte oito alterações desde sua criação se de risco e a homologação das Pode-se dizer, grosseiramente, parte logística é determinada pelo - ções para o Transporte de Produ- todos os modais), atualizada pela trabalham com a 17ª edição, então - atua hoje nessa empresa não nem tem alguma documentação Além das normas estabeleci- também segue as normas da - estabelecer um padrão para documentos, como colocação dos - estão sendo cumpridas, sob a possibilidade de aplicar multas e - - LOGWEB 128 OUT/2012

23 Evento estão ligados basicamente ao transporte a granel de produtos Além de seguir todas essas normas e legislações, as empre- - lista de produtos, então não é de clientes sempre perguntam se Seguindo as normas internacionais de segurança para o transporte de produtos perigosos, o modal aéreo brasileiro trabalha de acordo com as regras - - Gallão, advogado ambiental: uma empresa não pode se autointitular sustentável. Só é sustentável quem recicla 100% de seus resíduos sólidos e usa água da chuva todas as recomendações de comi- cumento é considerado como de mudar determinado regulamento, assim as empresas têm esse tempo, o regulamento muda e todos têm de estar ajustados às ra um acidente serão cobrados 30 Anos 100% Nacional Projeto completo para Salas de baterias Dieletro Eletro Eletrônico Ltda. Rua General Irulegui Cunha, 633, Cep: , Jardim Independência, SP/SP Tel.: Fax.:

24 22 - Evento - - produtos perigosos, a Agência designou três documentos sabilidades impostas em seu ligado ao transporte de produtos perigosos tem de receber treina- - Se uma carga sair do aeropor- ocorrer um acidente no períme- liberado para transporte aéreo e - Brasileiro, então, dependendo do incidente, as responsabilidades serão colocadas por base nessas Além dessas normas, as empre- têm regulamentos criados pelo tional Air Transport Association é uma associação das empresas aé em condições de segurança, seu regulamento de artigos pe- Gomes, da ABTLP: transportar um produto perigoso só será liberado com a posse do SNTPP, autorização ambiental que pode levar até um ano para ser emitida Magalhães, da Marinha do Brasil: Temos uma cadeira permanente na IMO, e por isso ela tem uma importância direta nas nossas normas rigoroso o transporte de baterias impactar o mercado brasileiro estão ligadas a alterações de transporte de materiais das classes 1, - As empresas brasileiras de têm de seguir as recomendações internacionais de segurança, essas empresas de transporte nadas às normas impostas pelos coordenador de cargas especiais empresas de transporte aéreo porte de produtos perigosos declarados pelos passageiros da transportam produtos perigosos sem saber, como peças de au- precisa mandar para São Paulo cil encontrar notícias sobre acidentes com produtos assim na lamentação para transporte de produtos perigosos é baseada no - cumprimento das leis no setor - essa operação é destinada aos e instalações elétricas, meios ção, transporte de mercadorias perigosas e gerenciamento de dos à segurança no transporte - abalroamento no mar, e a LC, so- - estão estabelecidas as diretrizes sobre homologação de embalagens para transporte marítimo de produtos perigosos, LOGWEB 128 OUT/2012

25 Evento - 23 ÂMBITO MUNICIPAL: LEGISLAÇÃO E FISCALIZAÇÃO dutos perigosos têm de lidar com - série de ações mitigadoras para e, também, diminuir os riscos de - - Dentro da cidade, a circulação - dessas legislações, também é pre- restritos para circulação de produtos perigosos em determinadas - de restrição para caminhões é um Borborema, do DSV: a Licença é válida por um ano e sua renovação tem de ser feita com 30 dias de antecedência ao vencimento. - o transportador precisa entrar primeiro com um pedido junto a publicação no, - Transporte de PP do Departamento de Operações do Sistema com 30 dias de antecedência ao podem solicitar a inclusão ou ocorrer cancelamentos da Licen- -

26 24 - Evento Cunha, da Polícia Militar: os painéis de segurança devem ser de material impermeável e resistentes a intempéries, para que permaneçam intactos durante todo o trajeto Carvalho, da CET: muitas multas ocorrem porque as transportadoras não se atentam que o horário de restrição para caminhões é um e o para produtos perigosos é outro Paes, da Slotter: no Brasil não existe um modelo único de homologação dos três modais, então se eu a quiser para um modal é um custo, para dois, dois custos e caso ocorra o cancelamento da inscrição da empresa no cadastro de transportadores de produtos Borborema, o DSV tem 734 empresas cadastradas, sem nenhum Por base no Decreto n gerar multas e penalidades tanto cancelamento da Licença em caso Temos uma parceria importante Além de checar todas as - Para o transporte de produtos - cumprindo os prazos das portarias Ainda segundo Cunha, as a detalhes das normas, como - considerado cheio, então as regras - - com placas de produto perigoso, eram apenas orientados a retirar a sinalização, agora seu uso sem ne- também citou as irregularidades e à colocação do painel de segu HOMOLOGAÇÃO DE EMBALAGENS Para o transporte de produtos embalagens homologadas recebem - modal se destinam e uma série de entre os dados do documento e os precisa constar, obrigatoriamente, classe de risco e grupo de emba- na embalagem e ao menos duas é o peso do produto e o grupo de do Departamento de Produtos perigo do produto, sendo Grupo embalagem em um grupo ou em - homologação de embalagens, assim - lo único de marcação dos três mo- homologada em todos os modais, um modal é um custo, para dois, - de embalagens do modal aéreo e normas da 17ª edição do Orange nem aparecer, então aumenta LOGWEB 128 OUT/2012

27

28 26 - Legislação Lei , que normatiza o trabalho dos motoristas profissionais, continua gerando discussões Depois de muito embate, as multas previstas na Lei devem começar a ser aplicadas em seis meses, após serem re-adiadas por falta de estrutura nas estradas para o cumprimento da norma. No entanto, apenas as multas estão supensas: a lei já está em pleno vigor. J ornada de trabalho controlada, tempo de descanso pré-estipulado, remuneração para o tempo gasto na carga e descarga de produtos no embarcador ou em normatiza o trabalho dos assegurados pela Consolidação classe achou e uma União Brasil com o primeiro adiamento das da lei, também conhecida como ainda em 2012 e discutiam Benatti, da NTC: a Lei tem uma característica trabalhista ampla e foi muito negociada entre as classes. Ela surgiu daquilo que se julgava melhor a todos sobre os locais de descanso nas para o início das penalidades, a competentes pudessem começar as normas era o último dia 11 de para o cumprimento da lei, com LOGWEB 128 OUT/2012 Foto: Chris Ceaviva as empresas e aplicar punições obedecendo a jornada de trabalho Os ministérios dos Transportes, uma lista com as para a parada de descanso dos motoristas e a, partir disso, as O QUE A LEI TRAZ DE NOVIDADE AO SETOR Direção máxima contínua de 4 horas por motorista, prorrogável por mais 1 hora caso não haja local seguro para parada nas viagens de longa distância, com mais de 24 horas; Paradas de descanso de 30 minutos a cada 4 horas ininterruptas de condução, podendo ser fracionada; Descanso diário de 11 horas; Descanso semanal de 35 horas para motoristas profissionais; Permitida a prorrogação da jornada de trabalho por até 2 horas; Mariana Mirrha O QUE DIZ A LEI ? como se apresenta atualmente, entre empresas de transportes, motoristas e entidades de presidente da Associação Durante este tempo, as principais nas operações e as soluções O motorista somente responde pelos prejuízos causados ao empregador se houver intenção de lesar ou descaso com veículo ou carga; Jornada de trabalho fiscalizada e registrada por meios que armazenem a real jornada realizada pelo profissional, contando os tempos de descanso, de espera e almoço; Criação do tempo de espera, com remuneração com base no salário-hora normal acrescido de 30%.

29 Legislação - 27 Bentivegna Filho, do Setcesp: a falta de controle de jornada e o aumento de acidente nas estradas trouxeram urgência no tratamento do assunto o transporte de cargas pelo unir classes de empresas e trabalhadores, pensando na especialidade de cada carga transportada para discutir uma regulamentação, Segundo Adauto coordenador jurídico e assessor da presidência do de Transportes de Cargas os direitos dos motoristas pouca sensibilidade para o trabalhistas ignorando a desobriga a marcação de sem condições de controle de ponto, somadas aos crescentes acidentes de assunto com a emergência e melhores condições de trabalho para motoristas estradas para entregar as cargas transportadas o mais do motorista, os seus lei, como estar atento às condições de segurança prudência, respeitar a pela carga transportada, Logística da Distribuição de motorista e suas Picolotti, a lei possui um redução de acidentes nas de 42 mil pessoas morrem O mais celebrado e, ao mesmo tempo, criticado ininterruptas durante o horas seguidas de direção, o cumprir 30 minutos de descanso, podendo ocorrer de direção e descanso, ser prorrogado em uma Dentro de um período de 24 horas, o condutor é obrigado a cumprir 11 horas entende-se como tempo de direção ou de condução de a origem e o seu destino, este seja dotado de locais apropriados para isso e O condutor somente cumprimento integral do o tempo de condução e OUT/ LOGWEB

O que você encontrará nesse e-book? Sumário

O que você encontrará nesse e-book? Sumário [ E-BOOK] Sumário O que você encontrará nesse e-book? Lei N.º 13.103/15 Lei dos Motoristas...03 Como fazer controle de jornada...07 Controle de Jornada...09 Portaria Nº 373...17 Conclusão...20 Material

Leia mais

Lei 12 619 Regulamentação Profissão Motorista

Lei 12 619 Regulamentação Profissão Motorista Lei 12 619 Regulamentação Profissão Motorista 1. Introdução Este documento tem por objetivo apresentar a solução de software e serviço que atenderá a Lei nº 12.619 de 30 de abril de 2012,publicada no Diário

Leia mais

DECOPE Possíveis Impactos da Lei 12.619

DECOPE Possíveis Impactos da Lei 12.619 Possíveis Impactos da Lei 12.619 Introdução Custos do TRC Comportamento dos Custos Produtividade no TRC Exemplos COMPLEXIDADE da escolha de um Preço FRETE $ FRETE x Qtde Vendida CUSTOS RECEITA Concorrentes

Leia mais

DEFINIÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS E DOS DESAFIOS DO TRANSPORTE URBANO DE CARGA.

DEFINIÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS E DOS DESAFIOS DO TRANSPORTE URBANO DE CARGA. DEFINIÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS E DOS DESAFIOS DO TRANSPORTE URBANO DE CARGA. Caro participante, Agradecemos a sua presença no III Megacity Logistics Workshop. Você é parte importante para o aprimoramento

Leia mais

Relatório de Sustentabilidade

Relatório de Sustentabilidade Relatório de Sustentabilidade Política de sustentabilidade da Rodorei Transportes Política de sustentabilidade da Rodorei Transportes A Rodorei Transportes adota, há dez anos, uma política agressiva de

Leia mais

Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos. Profª Caroline Pauletto Spanhol

Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos. Profª Caroline Pauletto Spanhol Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos Profª Caroline Pauletto Spanhol Cadeia de Abastecimento Conceitos e Definições Elementos Principais Entendendo a Cadeia de Abastecimento Integrada Importância

Leia mais

www.simplesgps.com.br Simples como tem que ser Revisão 1.05 Página 1

www.simplesgps.com.br Simples como tem que ser Revisão 1.05 Página 1 www.simplesgps.com.br Simples como tem que ser Revisão 1.05 Página 1 Sumário Simples como tem que ser... 3 Acesso... 4 Mapas... 5 Rastreamento... 7 Panorâmica... 7 Cercas... 8 Criando cercas eletrônicas...

Leia mais

Lei nº 12.619 Regulamentação da Profissão Motorista Case: Estrada Transportes

Lei nº 12.619 Regulamentação da Profissão Motorista Case: Estrada Transportes Lei nº 12.619 Regulamentação da Profissão Motorista Case: Estrada Transportes Agenda de hoje! Estrutura da Organização; Escopo de atuação; As etapas para implantação da lei - Case; As próximas etapas;

Leia mais

3 - Quem e como será fiscalizado o tempo de direção dos motoristas autônomos?

3 - Quem e como será fiscalizado o tempo de direção dos motoristas autônomos? Lei 12.619 1 - A lei já está em vigor ou entrará em qual data? R Sim. A lei está em vigor desde o dia 17/06/2012. 2 - O motorista profissional conforme artigo 67C, do CTB, na condição de condutor, é responsável

Leia mais

Unidade IV GERENCIAMENTO DE. Prof. Altair da Silva

Unidade IV GERENCIAMENTO DE. Prof. Altair da Silva Unidade IV GERENCIAMENTO DE TRANSPORTE Prof. Altair da Silva Transporte em area urbana Perceba o volume de caminhões que circulam nas áreas urbanas em nosso país. Quais são os resultados para as empresas

Leia mais

Lucro e Sustentabilidade no Transporte Rodoviário de Carga

Lucro e Sustentabilidade no Transporte Rodoviário de Carga Lucro e Sustentabilidade no Transporte Rodoviário de Carga Comportamento dos Custos Resumo Lei 12.619 Produtividade no TRC Possíveis Impactos da Lei Sustentabilidade uma forma de aumentar os Lucros contribuindo

Leia mais

A TECNOLOGIA NA MINIMIZAÇÃO DE CUSTOS ADICIONADOS AO TRANSPORTE PELA NOVA CARGA HORÁRIA DE TRABALHO DOS MOTORISTAS

A TECNOLOGIA NA MINIMIZAÇÃO DE CUSTOS ADICIONADOS AO TRANSPORTE PELA NOVA CARGA HORÁRIA DE TRABALHO DOS MOTORISTAS A TECNOLOGIA NA MINIMIZAÇÃO DE CUSTOS ADICIONADOS AO TRANSPORTE PELA NOVA CARGA HORÁRIA DE TRABALHO DOS MOTORISTAS Wagner Fonseca NETZ Engenharia Automotiva Fundada em 1.996 por profissionais oriundos

Leia mais

Bases Tecnológicas do curso de Logística 1991 3º Módulo

Bases Tecnológicas do curso de Logística 1991 3º Módulo Bases Tecnológicas do curso de Logística 1991 3º Módulo III.1 GESTÃO DE TRANSPORTES 1.1. O desenvolvimento econômico e o transporte. 1.2. A geografia brasileira, a infraestrutura dos estados, municípios

Leia mais

TMS e Roteirizadores. Breno Amorim brenoamorim@hotmail.com

TMS e Roteirizadores. Breno Amorim brenoamorim@hotmail.com TMS e Roteirizadores Breno Amorim brenoamorim@hotmail.com Definição TMS (Transportation Management System) é um produto para melhoria da qualidade e produtividade de todo o processo de distribuição. Este

Leia mais

COMO A TECNOLOGIA PODE AJUDAR UM ATACADISTA DISTRIBUIDOR A REDUZIR CUSTOS

COMO A TECNOLOGIA PODE AJUDAR UM ATACADISTA DISTRIBUIDOR A REDUZIR CUSTOS COMO A TECNOLOGIA PODE AJUDAR UM ATACADISTA DISTRIBUIDOR A REDUZIR CUSTOS 1 ÍNDICE 1. Introdução... 2. Por que preciso investir em tecnologia?... 3. Cinco passos para usar a tecnologia a meu favor... 4.

Leia mais

Fonte: Site NTC&Logística NTC divulga estudo sobre impactos da Lei 12.619 Seg, 10 de Setembro de 2012 12:32

Fonte: Site NTC&Logística NTC divulga estudo sobre impactos da Lei 12.619 Seg, 10 de Setembro de 2012 12:32 Fonte: Site NTC&Logística NTC divulga estudo sobre impactos da Lei 12.619 Seg, 10 de Setembro de 2012 12:32 Estudo sobre os impactos das exigências da Lei que regulamenta a profissão de motorista sobre

Leia mais

A GAMA TECNOLOGIA E SEGURANÇA PATRIMONIAL

A GAMA TECNOLOGIA E SEGURANÇA PATRIMONIAL A GAMA TECNOLOGIA E SEGURANÇA PATRIMONIAL, entendendo a necessidade do mercado em serviços relacionados a segurança e proteção do patrimônio, reúne as melhores tecnologias em soluções de segurança e geolocalização.

Leia mais

Setores químico e petroquímico: as características dos produtos determinam a logística correta -

Setores químico e petroquímico: as características dos produtos determinam a logística correta - Setores químico e petroquímico: as características dos produtos determinam a logística correta - Setores onde um erro pode acarretar sérios danos ao meio ambiente, às pessoas e as próprias instalações

Leia mais

onda Logistics powered by Quantum

onda Logistics powered by Quantum onda Logistics powered by Quantum Sonda IT Fundada no Chile em 1974, a Sonda é a maior companhia latino-americana de soluções e serviços de TI. Presente em 10 países, tais como Argentina, Brasil, Chile,

Leia mais

FORÇA LOCAL ALCANCE GLOBAL

FORÇA LOCAL ALCANCE GLOBAL FORÇA LOCAL ALCANCE GLOBAL 1 1 Índice FedEx Corporation 3 fedex EM NÚMEROS 4 fedex Express 5 fedex no brasil 6 portfólio doméstico 8 Logística 9 Aéreo 10 Rodoviário 11 portfólio internacional 12 Envios

Leia mais

O que você encontrará nesse e-book? Sumário

O que você encontrará nesse e-book? Sumário Sumário O que você encontrará nesse e-book? O que é Telemetria...03 Telemetria e Rastreamento...09 De que maneira a Telemetria contribui para a gestão a frota?...11 Cuidados ao escolher um sistema de telemetria...21

Leia mais

GESTÃO DA INOVAÇÃO - UTILIZAÇÃO DA TECNOLOGIA DE RASTREAMENTO POR SATÉLITE PARA MELHOR EFICIÊNCIA DA GESTÃO LOGÍSTICA - ESTUDO DE CASO

GESTÃO DA INOVAÇÃO - UTILIZAÇÃO DA TECNOLOGIA DE RASTREAMENTO POR SATÉLITE PARA MELHOR EFICIÊNCIA DA GESTÃO LOGÍSTICA - ESTUDO DE CASO ! "#$ " %'&)(*&)+,.- /10.2*&4365879&4/1:.+58;.2*=?5.@A2*3B;.- C)D 5.,.5FE)5.G.+ &4- (IHJ&?,.+ /?=)5.KA:.+5MLN&OHJ5F&4E)2*EOHJ&)(IHJ/)G.- D - ;./);.& GESTÃO DA INOVAÇÃO - UTILIZAÇÃO DA TECNOLOGIA DE

Leia mais

Frotistas tecnologia 72

Frotistas tecnologia 72 tecno Frotistas 72 Por Luiz Carlos Beraldo Há opiniões controversas no mundo dos empresários brasileiros de transportes quando o assunto trata do futuro dos veículos comerciais. Alguns apostam que não

Leia mais

Excelência. Recursos. Faturamento/Financeiro Faturamento Contas a Receber Contas a Pagar Fiscal Contábil

Excelência. Recursos. Faturamento/Financeiro Faturamento Contas a Receber Contas a Pagar Fiscal Contábil Competência Sistemas para Transportadoras e Soluções Você e sua Empresa em perfeita sintonia Excelência Recursos Tms EXPERIÊNCIA O sistema é composto por módulos que controlam e integram os processos operacionais

Leia mais

Por que investir no Brasil

Por que investir no Brasil Por que investir no Brasil Por que investir em Eventos? Expertise nacional e internacional dos organizadores contribui para o desenvolvimento dos seus negócios, impactando os seus atuais e potenciais clientes

Leia mais

WORKSHOP TRANSPORTE TERRESTRE DE PRODUTOS PERIGOSOS. REALIZADO EM 17/09/2004 LOCAL: NTC PROMOVIDO: ABTLP, NTC & LOGISTICA, ASSOCIQUIM e ABIQUIM

WORKSHOP TRANSPORTE TERRESTRE DE PRODUTOS PERIGOSOS. REALIZADO EM 17/09/2004 LOCAL: NTC PROMOVIDO: ABTLP, NTC & LOGISTICA, ASSOCIQUIM e ABIQUIM WORKSHOP TRANSPORTE TERRESTRE DE PRODUTOS PERIGOSOS REALIZADO EM 17/09/2004 LOCAL: NTC PROMOVIDO: ABTLP, NTC & LOGISTICA, ASSOCIQUIM e ABIQUIM PAINEL DE DEBATES: ANTT: Roberto David, Carmem Caixeta e Regina

Leia mais

Help RentaVision FRETE - NTC

Help RentaVision FRETE - NTC Help RentaVision FRETE - NTC Introdução O RentaVision foi desenvolvido com o intuito de ser uma ferramenta precisa para ser utilizada na montagem de Tabelas de Preços de transporte rodoviário de forma

Leia mais

22/02/2009 LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO POR QUE A LOGÍSTICA ESTÁ EM MODA POSIÇÃO DE MERCADO DA LOGÍSTICA

22/02/2009 LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO POR QUE A LOGÍSTICA ESTÁ EM MODA POSIÇÃO DE MERCADO DA LOGÍSTICA LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO A melhor formação cientifica, prática e metodológica. 1 POSIÇÃO DE MERCADO DA LOGÍSTICA Marketing Vendas Logística ANTES: foco no produto - quantidade de produtos sem qualidade

Leia mais

A UNION MODAL LOGÍSTICA INTEGRADA LTDA. vem apresentar à sua empresa um programa completo de suporte às operações de logística, que atende aos

A UNION MODAL LOGÍSTICA INTEGRADA LTDA. vem apresentar à sua empresa um programa completo de suporte às operações de logística, que atende aos 2012 Apresentação Luiz José de Souza Neto Union Modal Logística Integrada Rua Teixeira de Freitas, 72, cj. 23 Santos / SP - Tel.: 13 30613387 luiz@unionmodal.com.br A UNION MODAL LOGÍSTICA INTEGRADA LTDA.

Leia mais

4-8 TRANSFORME BONS NEGÓCIOS EM SUCESSO MAIO 2015. d a s 11 h à s 2 0 h Anhembi São Paulo - SP. www.feiplastic.com.br. facebook.

4-8 TRANSFORME BONS NEGÓCIOS EM SUCESSO MAIO 2015. d a s 11 h à s 2 0 h Anhembi São Paulo - SP. www.feiplastic.com.br. facebook. 4-8 MAIO 2015 d a s 11 h à s 2 0 h Anhembi São Paulo - SP TRANSFORME BONS NEGÓCIOS EM SUCESSO www.feiplastic.com.br Apoio Institucional: facebook.com/feiplastic Organização e Promoção: O EVENTO Com a ampliação

Leia mais

PLANILHA REFERENCIAL DE CUSTO DE TRANSPORTE DE CONTÊINER

PLANILHA REFERENCIAL DE CUSTO DE TRANSPORTE DE CONTÊINER PLANILHA REFERENCIAL DE CUSTO DE TRANSPORTE DE CONTÊINER PLANILHA REFERENCIAL DE CUSTOS PARA O TRANSPORTE DE CONTÊINER julho-11 Percurso de ida e volta Contêiner até 25 t Contêiner acima de 25 t até 30

Leia mais

6 Benefícios operacionais e financeiros atingidos após implantação do roteirizador de veículos

6 Benefícios operacionais e financeiros atingidos após implantação do roteirizador de veículos 6 Benefícios operacionais e financeiros atingidos após implantação do roteirizador de veículos 6.1 Introdução Esse capítulo tem o objetivo de descrever todos os ganhos observados após a implantação do

Leia mais

O que é o Direção Positiva?

O que é o Direção Positiva? Junho - 2014 1 2 O que é o Direção Positiva? O novo projeto da Sirtec busca conscientizar os colaboradores sobre a importância das medidas preventivas no trânsito. Objetivos: Contribuir com a redução dos

Leia mais

Ângelo Monteiro GERENCIAMENTO DE RISCOS EM TRANSPORTES

Ângelo Monteiro GERENCIAMENTO DE RISCOS EM TRANSPORTES 1 Ângelo Monteiro GERENCIAMENTO DE RISCOS EM TRANSPORTES 2 SEGURO DE TRANSPORTES NO BRASIL 3 SEGURO DE TRANSPORTES NO BRASIL POUCAS SEGURADORAS OPERANDO POUCOS CORRETORES ESPECIALIZADOS SINISTRALIDADE

Leia mais

GESTÃO DA MANUTENÇÃO DE FROTAS. "SOFIT 4TRANSPORT O SOFTWARE MAIS LEVE E FÁCIL DE USAR.

GESTÃO DA MANUTENÇÃO DE FROTAS. SOFIT 4TRANSPORT O SOFTWARE MAIS LEVE E FÁCIL DE USAR. GESTÃO DA MANUTENÇÃO DE FROTAS. "SOFIT 4TRANSPORT O SOFTWARE MAIS LEVE E FÁCIL DE USAR. ALGUNS DESAFIOS NÃO MUDAM Aumento no preço dos combustíveis Prazo de entrega reduzido Aumento no preço dos pneus

Leia mais

Sobre as alterações. Benefícios aos Motoristas Profissionais

Sobre as alterações. Benefícios aos Motoristas Profissionais Lei 99/2007 - Regulamentação da Profissão de Motorista Profissional no Brasil Artigo escrito por Marco Antonio Oliveira Neves, Diretor da Tigerlog Consultoria e Treinamento em Logística Ltda. A Lei 99/2007

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2009

PLANO DE ENSINO 2009 PLANO DE ENSINO 2009 Fundamental I ( ) Fundamental II ( ) Médio ( ) Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Graduação ( ) Pós-graduação ( ) I. Dados Identificadores Curso Superior de Tecnologia

Leia mais

Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos 12619 1 de 7 9/5/2012 13:20 Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 12.619, DE 30 DE ABRIL DE 2012. Mensagem de veto Dispõe sobre o exercício da profissão de motorista; altera a Consolidação

Leia mais

Gestão de Transporte. Gestão do Transporte: Próprio ou Terceiros? Gestão de Transporte Avaliação das modalidades. Que fatores a serem considerados?

Gestão de Transporte. Gestão do Transporte: Próprio ou Terceiros? Gestão de Transporte Avaliação das modalidades. Que fatores a serem considerados? Gestão de Transporte Que fatores a serem considerados? A Atividade de Transporte: Sua Gestão Barco Trem Caminhão Peso Morto por T transportada 350 kg 800kg 700 kg Força de Tração 4.000 kg 500 kg 150 kg

Leia mais

TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS

TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS SETEMBRO DE 2015 1 2 PRODUTOS PARTICIPAÇÃO NO PIB 2013 Outros Serviços 33,7% Administração, saúde e educação públicas

Leia mais

Categoria: Case: PAMTAX

Categoria: Case: PAMTAX PRÊMIO ANSP 2005 Categoria: Empresas de Prestação de Serviços Case: PAMTAX 2 Í N D I C E SINOPSE Pág. 4 PROBLEMA Pág. 5 A situação das seguradoras Pág. 6 A situação das transportadoras Pág. 8 SOLUÇÃO Pág.

Leia mais

APOIOS O EVENTO Principais Marcas Presentes Fenatran 2013 se consolida como a maior feira do setor na América Latina A 19ª edição da Fenatran (Salão Internacional do Transporte) que aconteceu entre os

Leia mais

APÓLICE COLETIVA DE SEGURO DE TRANSPORTE Coletânea de Perguntas e Respostas

APÓLICE COLETIVA DE SEGURO DE TRANSPORTE Coletânea de Perguntas e Respostas APÓLICE COLETIVA DE SEGURO DE TRANSPORTE Coletânea de Perguntas e Respostas 1. A quem se destina a apólice? R.: Destina-se às empresas associadas ao SICEPOT-MG, sendo extensivo às empresas do mesmo grupo

Leia mais

Universidade São Judas Tadeu

Universidade São Judas Tadeu Universidade São Judas Tadeu Anna Karoline Diniz Fortaleza Camila Moura Favaro Fernando dos Anjos Reinaldo Francisco Carvalho Tiago Souza Tecnologia da Informação no Transporte São Paulo 2013 1 Tecnologia

Leia mais

SYSTEM SAT SOLUÇÕES E CONSULTORIA EM COMUNICAÇÃO DE DADOS TLDA. MANUAL DO PORTAL GS LOG PLUS

SYSTEM SAT SOLUÇÕES E CONSULTORIA EM COMUNICAÇÃO DE DADOS TLDA. MANUAL DO PORTAL GS LOG PLUS SYSTEM SAT SOLUÇÕES E CONSULTORIA EM COMUNICAÇÃO DE DADOS TLDA. MANUAL DO PORTAL GS LOG PLUS Empresa: Systemsat Ltda. Criação: 16 de março de 2012 Termo de Confidencialidade As informações contidas neste

Leia mais

Planilha Referencial de Custo de Transporte Rodoviário com Equipamento Silo ( Granéis Sólidos )

Planilha Referencial de Custo de Transporte Rodoviário com Equipamento Silo ( Granéis Sólidos ) Planilha Referencial de Custo de Transporte Rodoviário com Equipamento Silo ( Granéis Sólidos ) DECOPE/NTC A planilha referencial de granéis sólidos foi elaborada pelo DECOPE/NTC&LOGÍSTICA sob supervisão

Leia mais

SOLUÇÕES DE MOBILIDADE E COMUNICAÇÃO PARA EFICIÊNCIA E SEGURANÇA PORTUÁRIAS

SOLUÇÕES DE MOBILIDADE E COMUNICAÇÃO PARA EFICIÊNCIA E SEGURANÇA PORTUÁRIAS SOLUÇÕES DE MOBILIDADE E COMUNICAÇÃO PARA EFICIÊNCIA E SEGURANÇA PORTUÁRIAS O PULSO VITAL DA ATIVIDADE PORTUÁRIA Cerca de 80% de todo o comércio mundial é despachado por contêineres, de modo que o gerenciamento

Leia mais

Patrus Transportes Urgentes Ltda.

Patrus Transportes Urgentes Ltda. Patrus Transportes Urgentes Ltda. Número de pessoas beneficiadas: 249 Motoristas diretos / 415 Motoristas agregados / Comunidade em geral. Introdução Ação: Campanhas Educativas Direção Consciente: 7 Pecados

Leia mais

GUIA DE GESTÃO DE FROTAS SUSTENTÁVEIS

GUIA DE GESTÃO DE FROTAS SUSTENTÁVEIS GUIA DE GESTÃO DE FROTAS SUSTENTÁVEIS 1 INTRODUÇÃO Existe um consenso científico segundo o qual a mudança climática é impulsionada por aumentos das emissões de gases de efeito estufa causadas pelo homem,

Leia mais

Associação Brasileira dos Distribuidores de Produtos Químicos e Petroquímicos

Associação Brasileira dos Distribuidores de Produtos Químicos e Petroquímicos Associação Brasileira dos Distribuidores de Produtos Químicos e Petroquímicos Outubro/2007 PRODIR GESTÃO DA QUALIDADE NO PROCESSO DE DISTRIBUIÇÃO DE PRODUTOS QUÍMICOS Engº. Fernandes J. dos Santos outubro/07

Leia mais

Declaração de Conformidade

Declaração de Conformidade APÊNDICE A DECLARAÇÃO DE CONFORMIDADE PARA OPERADOR AÉREO REGIDO PELO RBAC 121 QUE TRANSPORTA APENAS PASSAGEIRO Declaração de Conformidade Esta organização requerente apresenta o Manual de Artigos Perigosos

Leia mais

PROPOSTA DE RASTREAMENTO E MONITORAMENTO HÍBRIDO SATELITAL

PROPOSTA DE RASTREAMENTO E MONITORAMENTO HÍBRIDO SATELITAL PROPOSTA DE RASTREAMENTO E MONITORAMENTO HÍBRIDO SATELITAL Solução Tecnologia Monitoramento Instalação SOLUÇÃO A solução de rastreamento Unepxmil foi desenvolvida para atender as principais necessidades

Leia mais

Serviços Scania. Serviços Scania. Tudo o que o você precisa para cuidar bem do seu Scania, em um só lugar.

Serviços Scania. Serviços Scania. Tudo o que o você precisa para cuidar bem do seu Scania, em um só lugar. Serviços Scania Serviços Scania. Tudo o que o você precisa para cuidar bem do seu Scania, em um só lugar. SERVIÇOS SCANIA Serviços Scania. Máxima disponibilidade do seu veículo para o melhor desempenho

Leia mais

INTRODUÇÃO GEO SUPPLY PERÚ SEGURANÇA DO CONDUTOR E CARGA

INTRODUÇÃO GEO SUPPLY PERÚ SEGURANÇA DO CONDUTOR E CARGA INTRODUÇÃO Com sua abundância em recursos minerais, a América Latina é um local de alta atividade de exploração. De acordo com U.S. Geological Survey, em 2004 a América Latina foi a região com a maior

Leia mais

RIO GRANDE DO SUL CONTROLE INTERNO

RIO GRANDE DO SUL CONTROLE INTERNO 1/17 1 - DOS OBJETIVOS a) Regulamentar procedimentos de controle da frota de veículos leves e pesados da Prefeitura, visando otimizar o uso dos mesmos e reduzir custos de manutenção. 2- DOS ASPECTOS CONCEITUAIS

Leia mais

O Nordeste mais perto de você. Divisão Logística CDEX_4

O Nordeste mais perto de você. Divisão Logística CDEX_4 O Nordeste mais perto de você Divisão Logística CDEX_4 A INTERMARÍTIMA A Intermarítima está em atividade desde 1986. Atua com Operação Portuária (portos de Salvador, Aratu e Ilhéus) e Logística (Importação,

Leia mais

EMPRESA ESTRUTURA FROTAS MALHA LOGÍSTICA FRANQUIAS SERVIÇOS DIFERENCIAL CONTATO

EMPRESA ESTRUTURA FROTAS MALHA LOGÍSTICA FRANQUIAS SERVIÇOS DIFERENCIAL CONTATO EMPRESA ESTRUTURA FROTAS MALHA LOGÍSTICA FRANQUIAS SERVIÇOS DIFERENCIAL CONTATO Sob o pioneirismo do GRUPO JAD, atuante no mercado logístico há mais de 20 anos, a JADLOG visa disponibilizar um atendimento

Leia mais

Um software de gestão é realmente capaz de atender as necessidades de cada profissional? Saiba mais e usufrua de benefícios que tornarão sua empresa

Um software de gestão é realmente capaz de atender as necessidades de cada profissional? Saiba mais e usufrua de benefícios que tornarão sua empresa Um software de gestão é realmente capaz de atender as necessidades de cada profissional? Saiba mais e usufrua de benefícios que tornarão sua empresa mais ágil, com menos papel e mais resultados. 2 ÍNDICE

Leia mais

Localização e Inteligência Móvel. Com a iguard todos os caminhos levam sua empresa onde ela precisa chegar.

Localização e Inteligência Móvel. Com a iguard todos os caminhos levam sua empresa onde ela precisa chegar. Localização e Inteligência Móvel Com a iguard todos os caminhos levam sua empresa onde ela precisa chegar. 1 2 Localização e Inteligência Móvel Todos os dias sua empresa enfrenta grandes desafios para

Leia mais

Programa de Ação Profissional: Transporte de um Vaso de Pressão São Paulo SP a Marau RS.

Programa de Ação Profissional: Transporte de um Vaso de Pressão São Paulo SP a Marau RS. Programa de Ação Profissional: Transporte de um Vaso de Pressão São Paulo SP a Marau RS. UNIVERSIDADE METODISTA DE SÃO PAULO FACULDADE DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA GESTÃO LOGÍSTICA

Leia mais

GUIA ATS INFORMÁTICA: GESTÃO DE ESTOQUE

GUIA ATS INFORMÁTICA: GESTÃO DE ESTOQUE GUIA ATS INFORMÁTICA: GESTÃO DE ESTOQUE SUMÁRIO O que é gestão de estoque...3 Primeiros passos para uma gestão de estoque eficiente...7 Como montar um estoque...12 Otimize a gestão do seu estoque...16

Leia mais

Prof. Paulo Medeiros

Prof. Paulo Medeiros Prof. Paulo Medeiros Em 2010 entrou em vigor no Brasil a lei dos Resíduos Sólidos. Seu objetivo principal é diminuir a destinação incorreta de resíduos ao meio ambiente. Ela define que todas as indústrias,

Leia mais

CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO

CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI) Instituto de Engenharia de Produção e Gestão www.rslima.unifei.edu.br rslima@unifei.edu.br Conceituacão Sistema de Distribuição um para um

Leia mais

POR FAVOR, SEMPRE DESLIGUEM CELULARES e computadores!!! 2 o semestre de 2015

POR FAVOR, SEMPRE DESLIGUEM CELULARES e computadores!!! 2 o semestre de 2015 2º semestre de 2015 POR FAVOR, SEMPRE DESLIGUEM CELULARES e computadores!!! Universidade Presbiteriana Mackenzie Escola de Engenharia Depto. de Engenharia Civil 2 0 semestre de 2015 Aula 1 A Engenharia

Leia mais

Jorge Carrer Gerente Executivo Serviços e Ass. Técnica MAN Latin America. Serviços e Pós Vendas no auxílio à gestão e eficiência de frotas

Jorge Carrer Gerente Executivo Serviços e Ass. Técnica MAN Latin America. Serviços e Pós Vendas no auxílio à gestão e eficiência de frotas Jorge Carrer Gerente Executivo Serviços e Ass. Técnica MAN Latin America Serviços e Pós Vendas no auxílio à gestão e eficiência de frotas Importância do Custo Operacional TCO (Total Cost of Ownership)

Leia mais

Planejamento Integrado da Cadeia de Cimento

Planejamento Integrado da Cadeia de Cimento 01 SISTEMA ANALÍTICO DE PLANEJAMENTO QUE PERMITE OTIMIZAR O ATENDIMENTO DAS DEMANDAS, A PRODUÇÃO DE CIMENTO E SUPRIMENTO DE INSUMOS, MAXIMIZANDO A MARGEM DE CONTRI- BUIÇÃO DA OPERAÇÃO O CILO É uma ferramenta

Leia mais

PROGRAMAS MANTIDOS RESULTADOS ALCANÇADOS

PROGRAMAS MANTIDOS RESULTADOS ALCANÇADOS PROGRAMAS MANTIDOS RESULTADOS ALCANÇADOS OBJETIVO DOS PROGRAMAS PREVENIR ATITUDES INSEGURAS NO TRANSPORTE POR MEIO DA CONSCIENTIZAÇÃO DOS MOTORISTAS. META ATINGIR O NÍVEL ZERO EM ACIDENTES SÉRIOS. PRINCIPAL

Leia mais

Processamento de Pedidos na Mira Transportes

Processamento de Pedidos na Mira Transportes Processamento de Pedidos na Mira Transportes Sumário 1 Apresentação da empresa... 3 1.1 Histórico... 3 1.2 Diferenciais... 3 2 Processamento de pedidos: revisão teórica... 4 2.1 Preparação... 4 2.2 Transmissão...

Leia mais

LOGÍSTICA & BRASIL Artigo

LOGÍSTICA & BRASIL Artigo O artigo aborda relações entre logística, formação profissional e infra-estrutura do país. São debatidas questões sobre a evolução da logística no Brasil, a preparação educacional do profissional de logística

Leia mais

POR QUE EMBARCAR COM A LOG-IN? Soluções logísticas que integram Brasil e MERCOSUL

POR QUE EMBARCAR COM A LOG-IN? Soluções logísticas que integram Brasil e MERCOSUL POR QUE EMBARCAR COM A LOG-IN? Soluções logísticas que integram Brasil e MERCOSUL SOBRE LOG-IN BENEFÍCIOS MONITORAMENTO 24HS DAS CARGAS Monitoramento de risco e informação de todas as viagens; INTERMODALIDADE

Leia mais

Distribuição Física. A distribuição física de produtos é realizada com a participação de alguns componentes, físicos ou informacionais, a saber:

Distribuição Física. A distribuição física de produtos é realizada com a participação de alguns componentes, físicos ou informacionais, a saber: Distribuição Física Objetivo da aula: Apresentar e discutir o conceito e os componentes do sistema de distribuição física, dentro do processo logístico. O objetivo geral da distribuição física, como meta

Leia mais

TERCEIRIZAÇÃO, OUTSOURCING, INFRAESTRUTURA DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS E SITES, AUDITORIAS E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO.

TERCEIRIZAÇÃO, OUTSOURCING, INFRAESTRUTURA DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS E SITES, AUDITORIAS E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO. TERCEIRIZAÇÃO, OUTSOURCING, INFRAESTRUTURA DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS E SITES, AUDITORIAS E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO. OneIT A gente trabalha para o seu crescimento. Rua Bento Barbosa, n 155, Chácara Santo

Leia mais

Tatiana Guimarães Ferraz Andrade 1

Tatiana Guimarães Ferraz Andrade 1 Principais Mudanças no regime de trabalho determinadas pela Lei 13.103/15 e seus impactos no dia-a-dia das transportadoras e dos motoristas de veículos de cargas e de passageiros Tatiana Guimarães Ferraz

Leia mais

Guia Prático. MDF-e. Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais. 2014 JL Assessoria Contábil e Jurídica

Guia Prático. MDF-e. Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais. 2014 JL Assessoria Contábil e Jurídica Guia Prático MDF-e Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais 2014 JL Assessoria Contábil e Jurídica Entenda o que é: O Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais (MDF-e) é o documento emitido e armazenado

Leia mais

GERENCIAMENTO DE RISCOS EM TRANSPORTES

GERENCIAMENTO DE RISCOS EM TRANSPORTES 1 GERENCIAMENTO DE RISCOS EM TRANSPORTES 2 SEGURO DE TRANSPORTES NO BRASIL 3 SEGURO DE TRANSPORTES NO BRASIL POUCAS SEGURADORAS OPERANDO POUCOS CORRETORES ESPECIALIZADOS SINISTRALIDADE ALTA TAXAS CADA

Leia mais

Pós-venda Mercedes-Benz preparado para os novos produtos e tecnologias

Pós-venda Mercedes-Benz preparado para os novos produtos e tecnologias Pós-venda Informação à Imprensa Pós-venda Mercedes-Benz preparado para os novos produtos e tecnologias Data: 23 de outubro de 2011 Todos os itens necessários para a nova linha de veículos já estão disponíveis

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DA QUALIDADE. Rua Acre, 291 - CEP 83.040-030 Bairro Boneca do Iguaçu - São José dos Pinhais - Paraná.

MANUAL DO SISTEMA DA QUALIDADE. Rua Acre, 291 - CEP 83.040-030 Bairro Boneca do Iguaçu - São José dos Pinhais - Paraná. ELABORADO POR: Carlos Eduardo Matias Enns MANUAL DO SISTEMA DA QUALIDADE APROVADO POR: Edson Luis Schoen 28/1/5 1 de 11 1. FINALIDADE A Saint Blanc Metalmecânica Ltda visa estabelecer as diretrizes básicas

Leia mais

Manual Técnico MEMORIAL DESCRITIVO TREINAMENTO E-LEARNING MECÂNICA PARA MULHERES

Manual Técnico MEMORIAL DESCRITIVO TREINAMENTO E-LEARNING MECÂNICA PARA MULHERES Manual Técnico MEMORIAL DESCRITIVO TREINAMENTO E-LEARNING MECÂNICA PARA MULHERES Versão 1.0 Outubro de 2011 2 2 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO 4 1.1 HISTÓRICO 1.2 DEFINIÇÃO 2 OBJETIVOS 5 2.1 - OBJETIVO GERAL 2.2

Leia mais

As atuais condições da infraestrutura de transporte e logística do Brasil têm

As atuais condições da infraestrutura de transporte e logística do Brasil têm ESTUDO DA CNT APONTA QUE INFRAESTRUTURA RUIM AUMENTA CUSTO DO TRANSPORTE DE SOJA E MILHO As atuais condições da infraestrutura de transporte e logística do Brasil têm impacto significativo na movimentação

Leia mais

Política de Saúde, Segurança e Meio Ambiente

Política de Saúde, Segurança e Meio Ambiente Política de Saúde, Segurança e Meio Ambiente Política Global Novartis 1 de março de 2014 Versão HSE 001.V1.PT 1. Introdução Na Novartis, nossa meta é ser líder em Saúde, Segurança e Meio Ambiente (HSE).

Leia mais

TABELA DE CARGOS CARGOS DE NÍVEL MÉDIO VENCIMENTO BASE CARGA HORÁRIA SINTESE DAS ATIVIDADES TOTAL DE VAGAS REQUISITO

TABELA DE CARGOS CARGOS DE NÍVEL MÉDIO VENCIMENTO BASE CARGA HORÁRIA SINTESE DAS ATIVIDADES TOTAL DE VAGAS REQUISITO TABELA DE CARGOS CARGOS DE NÍVEL MÉDIO CARGO Assistente Operacional Assistente Administrativo PRÉ- REQUISITO completo completo TOTAL DE VAGAS VENCIMENTO BASE CARGA HORÁRIA 01 R$ 1.813,45 40 horas 02 R$

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Suprimentos. WMS Gerenciamento de Armazém

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Suprimentos. WMS Gerenciamento de Armazém Bloco Suprimentos WMS Gerenciamento de Armazém Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo WMS, que se encontra no Bloco Suprimentos. Todas informações aqui disponibilizadas foram

Leia mais

do Transporte Aquaviário

do Transporte Aquaviário Principais dados da Pesquisa CNT do Transporte Aquaviário Cabotagem 2013 Pesquisa CNT do Transporte Aquaviário Cabotagem 2013 OBJETIVOS Pes Mensurar a importância econômica da cabotagem no Brasil. Identificar

Leia mais

Unidade IV LOGÍSTICA PARA IMPORTAÇÃO. Prof. Márcio Antoni

Unidade IV LOGÍSTICA PARA IMPORTAÇÃO. Prof. Márcio Antoni Unidade IV LOGÍSTICA PARA IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO Prof. Márcio Antoni Seguros O seguro é uma operação comercial na qual o segurado (exportador ou importador) e segurador (companhia de seguro) formalizam

Leia mais

Ângelo Monteiro GERENCIAMENTO DE RISCOS EM TRANSPORTES

Ângelo Monteiro GERENCIAMENTO DE RISCOS EM TRANSPORTES 1 Ângelo Monteiro GERENCIAMENTO DE RISCOS EM TRANSPORTES 2 SEGURO DE TRANSPORTES NO BRASIL 3 SEGURO DE TRANSPORTES NO BRASIL POUCAS SEGURADORAS OPERANDO POUCOS CORRETORES ESPECIALIZADOS SINISTRALIDADE

Leia mais

COOPERATIVA DE TRABALHO DOS PROFISSIONAIS DE AGRONOMIA LTDA.

COOPERATIVA DE TRABALHO DOS PROFISSIONAIS DE AGRONOMIA LTDA. Manual de Uso de Veículo Respeito a Vida! TERMO DE RECEBIMENTO R ecebi da Cooperativa de Trabalho dos P r o f i s s i o n a i s d e A g r o n o m i a L t d a. UNICAMPO, o MANUAL DE USO DO VEÍCULO e após

Leia mais

Maior parte da extensão de rodovias avaliadas tem problema

Maior parte da extensão de rodovias avaliadas tem problema Mais de 100 mil km percorridos Maior parte da extensão de rodovias avaliadas tem problema Estudo da CNT mostra que 57,3% têm alguma deficiência no estado geral; 86,5% dos trechos são de pista simples e

Leia mais

RASTREAMENTO DE FROTAS COMO FORMA DE ECONOMIZAR COMBUSTÍVEL E TORNAR MAIS SUSTENTÁVEL O TRANSPORTE

RASTREAMENTO DE FROTAS COMO FORMA DE ECONOMIZAR COMBUSTÍVEL E TORNAR MAIS SUSTENTÁVEL O TRANSPORTE RASTREAMENTO DE FROTAS COMO FORMA DE ECONOMIZAR COMBUSTÍVEL E TORNAR MAIS SUSTENTÁVEL O TRANSPORTE por Cileneu Nunes Painel 3: Tecnologias para monitoramento de risco e produtividade logística O mercado

Leia mais

Infraero Logística: Facilidades pela infraestrutura aeroportuária. Gerência de Logística de Cargas - RFLC

Infraero Logística: Facilidades pela infraestrutura aeroportuária. Gerência de Logística de Cargas - RFLC Infraero Logística: Facilidades pela infraestrutura aeroportuária novembro de 2010 67 Aeroportos 80 Unidades de Apoio à Navegação Aérea 34 Terminais de Logística de Carga Aprox. 29.300 empregados (org

Leia mais

SOLUÇÕES TELEMÁTICAS

SOLUÇÕES TELEMÁTICAS SOLUÇÕES TELEMÁTICAS A Plataforma agora poderá atender à todos estes nichos de negócios, atendendo a cada necessidade de controle de cargas, logística, pessoas e ainda por cima valorizando a segurança

Leia mais

LOGÍSTICA Prof. Edwin B. Mitacc Meza

LOGÍSTICA Prof. Edwin B. Mitacc Meza LOGÍSTICA Prof. Edwin B. Mitacc Meza Prova 1 09 de Maio de 2013 Nome: 1ª QUESTÃO (1,0) Segundo os dados divulgados pela ood and Agriculture Organization (AO, 2011) sobre as exportações brasileiras, em

Leia mais

Aproveitamos também para colocar a nossa equipe à sua disposição para quaisquer dúvidas ou sugestões.

Aproveitamos também para colocar a nossa equipe à sua disposição para quaisquer dúvidas ou sugestões. Este guia é para auxiliar sua empresa para ter 100% de aproveitamento do evento. Peço que leia o manual por completo e tire todas suas dúvidas sobre o evento. Se em um momento você não encontrar o que

Leia mais

O Sistema Way foi além, idealizou uma forma não só de garantir a qualidade do produto final, como deotimizar a logística de transporte e entrega.

O Sistema Way foi além, idealizou uma forma não só de garantir a qualidade do produto final, como deotimizar a logística de transporte e entrega. A Way Data Solution se especializou em Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) para criar um sistema inovador de logística e monitoramento de temperatura/ umidade, através do qual empresas poderão

Leia mais

Como preparar minha empresa para o esocial?

Como preparar minha empresa para o esocial? 1 Como preparar minha empresa para o esocial? SUMÁRIO Introdução Você sabe o que é o esocial? Como está sua empresa? Os pontos mais importantes para se adequar 3.1 - Criar um comitê 3.2 - Mapear os processos

Leia mais

Em 2020 consultorias estimam que o número de usuários desse tipo de seguro já esteja próximo de 140 milhões de apólices no mundo.

Em 2020 consultorias estimam que o número de usuários desse tipo de seguro já esteja próximo de 140 milhões de apólices no mundo. A Drivedata surgiu com a proposta de oferecer a tecnologia necessária para que as seguradoras possam implantar sistemas de Usage Based Insurance de forma rápida, eficiente e barata. Nosso produto está

Leia mais

Brochura - Panorama ILOS

Brochura - Panorama ILOS Brochura - Panorama ILOS c Custos Logísticos no Brasil - 2014 - Apresentação O tema custos é uma preocupação recorrente dos executivos de logística no Brasil. Por isso, de dois em dois anos, o ILOS vai

Leia mais

LOGÍSTICA EMPRESARIAL. Rodolfo Cola Santolin 2009

LOGÍSTICA EMPRESARIAL. Rodolfo Cola Santolin 2009 LOGÍSTICA EMPRESARIAL Rodolfo Cola Santolin 2009 Conteúdo Cadeia de suprimentos Custos Logísticos Administração de Compras e Suprimentos Logística Reversa CADEIA DE SUPRIMENTOS Logística Logística Fornecedor

Leia mais

COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO - CODESP AUTORIDADE PORTUÁRIA DE SANTOS

COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO - CODESP AUTORIDADE PORTUÁRIA DE SANTOS RESOLUÇÃO DP Nº 14.2014, DE 3 DE FEVEREIRO DE 2014. ESTABELECE REGRAMENTO PARA O ACESSO TERRESTRE AO PORTO DE SANTOS O DIRETOR PRESIDENTE da COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO CODESP, na qualidade

Leia mais

índice A Empresa Nossa Infra Estrutura Porque utilizar Simulação Benefícios do Treinamento Metodologia de Ensino Simuladores Sistema de Treinamento

índice A Empresa Nossa Infra Estrutura Porque utilizar Simulação Benefícios do Treinamento Metodologia de Ensino Simuladores Sistema de Treinamento índice A Empresa Nossa Infra Estrutura Porque utilizar Simulação Benefícios do Treinamento Metodologia de Ensino Simuladores Sistema de Treinamento Modalidades de Treinamento Avaliação Profissional Nossos

Leia mais

Desafio Logístico 2013

Desafio Logístico 2013 1 Desafio Logístico 2013 Índice Introdução 3 A situação O desafio 5 5 Regras gerais 6 2 Introdução O desenvolvimento econômico do Brasil enfrenta inúmeros desafios sendo que um dos mais complexos está

Leia mais