1) KELMAN, J. Desafios do Regulador, Synergia Editora e Centro de Estudos Econômicos do Setor Elétrico, 2009, 291p.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1) KELMAN, J. Desafios do Regulador, Synergia Editora e Centro de Estudos Econômicos do Setor Elétrico, 2009, 291p."

Transcrição

1 Jerson Kelman nasceu no Rio de Janeiro em 1948, é casado, tem dois filhos e cinco netos. É engenheiro civil com especialização em hidráulica pela Escola de Engenharia da UFRJ (1971), Mestre em Engenharia Civil pela COPPE-UFRJ (1973), Ph.D. em Hidrologia e Recursos Hídricos por Colorado State University (1976) e Livre Docente da UFRJ (1983). Desde 1974 é professor de Recursos Hídricos da COPPE-UFRJ. Presidiu (como orientador) e participou de dezenas de bancas de mestrado e doutorado. É autor dos livros Cheias e Aproveitamentos Hidroelétricos (1983) e Desafios do Regulador (2009), e de mais de uma centena de artigos técnicos e capítulos em livros especializados, bem como de dezenas de artigos publicados na grande imprensa. Foi fundador, diretor e presidente da Associação Brasileira de Recursos Hídricos (ABRH). Foi Interventor na Empresa Energética de Mato Grosso do Sul ENERSUL, Presidente do Grupo Light ( ), Diretor-Geral da Agência Nacional de Energia Elétrica - ANEEL ( ) e Diretor- Presidente da Agência Nacional de Águas - ANA ( ). Anteriormente, havia sido pesquisador do Centro de Pesquisas de Energia Elétrica (CEPEL), Diretor da SERLA-RJ (Fundação Superintendência Estadual de Rios e Lagoas), consultor do Banco Mundial e sócio da BR-Investimentos. É membro do Conselho Curador da Fundação Brasileira de Desenvolvimento Sustentável - FBDS, do Comitê Científico da Semana Mundial da Água em Estocolmo, da Academia Nacional de Engenharia - ANE, do Conselho Superior de Infraestrutura da Federação da Indústria do Estado de São Paulo - FIESP, do Conselho de Energia da FIRJAN, da Força Tarefa sobre Segurança Hídrica da Global Water Partnership - GWP e da Organisation for Economic Co-operation and Development - OECD. Foi membro do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), do Conselho Nacional de Recursos Hídricos (CNRH), do Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA), do Conselho Internacional da ABENGOA (Espanha), do Conselho Consultivo do Instituto de Hidráulica da UNESCO (Holanda) e do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE). Foi coordenador da Comissão de Análise do Sistema Hidrotérmico de Energia Elétrica que diagnosticou as causas do racionamento de É comendador da Ordem do Rio Branco e da Ordem do Mérito Científico. Recebeu medalhas de mérito legislativo da Câmara dos Deputados e da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, o Distinguished Alumni Award (2012, Colorado State University), o título de Engenheiro Eminente (2010, Associação de Antigos Alunos da Politécnica) e o King Hassan II World Water Prize (2003, World Water Council).

2 1) Publicações 1.1) Livros 1) KELMAN, J. Desafios do Regulador, Synergia Editora e Centro de Estudos Econômicos do Setor Elétrico, 2009, 291p. 2) KELMAN, J. Cheias e Aproveitamentos Hidrelétricos. Rio de Janeiro: Associação Brasileira de Recursos Hídricos - ABRH; Revista Brasileira de Engenharia - RBE, p. 1.2) Capítulos de livros 1) KELMAN, J. & GAMA, SINVAL Z. Energia Elétrica - aproveitamento de complementaridades entre países da América do Sul In: BERNARDO SORJ & SERGIO FAUSTO: O Brasil e a Governança da América Latina: Que Tipo de Liderança é Possível?, São Paulo, Edição do ifhc/centro Edelstein, ) KELMAN, J. APINE - 15 Anos Independente, Ativa e Equilibrada. In: JUNIOR, Cristóvão Soares de Faria. - Brasília: LGE Editora LTDA. / novembro de 2010, p ) KELMAN, J. O papel da regulação no setor elétrico na promoção do desenvolvimento sustentável In: ZYLBERSZTAIN, D & LINS, C.: Sustentabilidade e Geração de valor a transição para o século XXI, Rio de Janeiro, Ed. Elsevier, ISBN ) KELMAN, J. Good and Bad Forms of Participation in Water Management: Some Lessons from Brazil. In: DINAR, Ariel and ALBIAC, José (Org.). Policy and Strategic Behaviour in Water Resource Management, Earthscan, 2009, p ) KELMAN, J. & VERAS, L. Constituição Federal, serviços públicos concedidos e uso de bem público. In: DANTAS, Bruno et al. (Org.). Constituição de 1988: o Brasil 20 anos depois. Brasília: Senado Federal, v. 4, p ) BRAGA, B.; FLECHA. R.; PENA, D. S. & KELMAN, J. A reforma institucional do setor de recursos hídricos. Águas doces no Brasil: capital ecológico, uso e conservação / organizadores Aldo da Cunha Rebouças, Benedito Braga, José Galizia Tundisi. 3. ed. São Paulo: Escrituras Editora, ) KELMAN, J. Água. Memórias do Fórum Natureza e Sociedade nos Semi-áridos / Francisco de Assis Souza Filho e Antonio Divino Moura (Orgs.). - Fortaleza: Banco do Nordeste do Brasil; Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos, ) KELMAN, J.; PEREIRA, M. V. F.; NETO, T. A. A.; SALES, P. R. de H. & VIEIRA, A. de M. Hidreletricidade. Águas doces no Brasil: capital ecológico, uso e conservação / organizadores Aldo da Cunha Rebouças, Benedito Braga, José Galizia Tundisi. 3. ed. São Paulo: Escrituras Editora, ) KELMAN, J. Desafios para a expansão da geração. Setor elétrico brasileiro: passado e futuro, 10 anos / Grupo CanalEnergia. 1. ed. Rio de Janeiro: Editora CanalEnergia, ) KELMAN, J. Água doce e limpa para todos. In: TRIGUEIRO, André. Mundo sustentável: abrindo espaço na mídia para um planeta em transformação, São Paulo: Globo, ISBN ) KELMAN, J. & RAMOS, M. Custo, valor e preço da água na agricultura. In: THAME, Antonio Carlos de Mendes. (Org.). A cobrança pelo uso da água na agricultura, Embu, São Paulo: IQUAL Editora, ISBN ) MOREIRA, R. de M. & KELMAN, J. Alocação de Recursos Hídricos baseada no Custo de Oportunidade dos Usuários. In: FREITAS, Marcos Aurélio Vasconcelos de. (Org.). O Estado das Águas no Brasil, Brasília, 2003, p

3 13) KELMAN, J. & KELMAN, R. Alocação de Água para Produção Econômica em Região Semiárida. In: MAGRINI, Alessandra; SANTOS, Marco Aurélio dos. (Org.). Gestão Ambiental de Bacias Hidrográficas. Rio de Janeiro, 2001, p ) KELMAN, J. 7. Case Studies: 7.3 Macrodrenagem of the Reconstruction - Rio de Janeiro Program. In: TUCCI, Carlos E. M. (Org.). Urban Drainage in Specific Climates: Humid Tropics. Paris, 2001, v. I, p ) KELMAN, J. Outorga e Cobrança de Recursos Hídricos. In: AL.], Antonio Carlos de Mendes Thame [et. (Org.). A Cobrança pelo uso da água. São Paulo, 2000, p ) KELMAN, J. Evolution of Brazil's Water Resources Management System. In: CANALI, Gilberto Valente; CORREIA, Francisco Nunes; LOBATO, Francisco; MACHADO, Enéas Souza. (Org.). Water Resources Management Brazilian and European Trends and Approaches. Porto Alegre, 2000, p ) KELMAN, J. Outorga e Cobrança pelo Uso de Recursos Hídricos: Questões Legais e Institucionais. In: FREITAS, Marcos Aurélio Vasconcelos de. (Org.). O Estado das Águas no Brasil Brasília, 1999, p ) KELMAN, J. Hidreletricidade. In: REBOUÇAS, Aldo; TUNDISI, José; BRAGA, Benedito. (Org.). Águas Doces no Brasil: capital ecológico, uso e conservação. São Paulo: Escrituras Editora, ) KELMAN, J. Low Water Stress Low Coping Capability. Brazil's Example. Mar del Plata 20 Year Anniversary. Water for the next 30 years Averting the Looming Water Crisis. Stockholm International Water Institute, Sweeden, ) KELMAN, J. A Universidade vai a Jacarepaguá e à Baixada. In: ROSA, Luiz Pinguelli; LACERDA, Willy Alvarenga. (Org.). Tormentas Cariocas: Seminário Prevenção e Controle dos Efeitos dos Temporais no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 1997, p ) KELMAN, J. Macrodrenagem no Programa Reconstrução-Rio. In: FLORÊNCIO, J.; PORTO, H. R. & JUNIOR, O. A. dos Santos. (Org.). Saneamento Ambiental na Baixada: Cidadania e Gestão Democrática. Federação de Órgãos para Assistência Social e Educacional, ) KELMAN, J. Water Resources Management System in Ceará, Brazil. In: JONCH-CLAUSEN, Jan Lundqvist & Torkil. (Org.). Putting Dublin / Agenda 21 into Practice. Lessons and New Approaches in Water and Land Management. Suécia, 1994, p ) KELMAN, J. Statistical Approach to Floods. In: UMPHREY, Ian B. Macneill And Gary J. (Org.). Advances in the Statistical Sciences - Stochastic Hidrology. Londres, 1987, v. IV, p ) KELMAN, J. Modelos Estocáticos no Gerenciamento dos Recursos Hídricos. In: AL.], Flávio Terra Barth... [et. (Org.). Modelos para Gerenciamento de Recursos Hídricos. São Paulo, 1987, p ) KELMAN, Jerson. Programação Dinâmica Estocástica para Operação Otimizada de Sistemas Hidrotérmicos. In: Curso de Engenharia Hidrológica. EPUSP, DAEE, ABRH, p ) KELMAN, Jerson. Geração de Séries Sintéticas de Vazões. In: Curso de Engenharia Hidrológica. EPUSP, DAEE, ABRH, São Paulo, p ) KELMAN, J. A Simulation Model For Intermittent Process. Stochastic Processes in Water Resources Engineering. Water Resources Publications, p. 1.3) Prefácios e apresentações de livros 1) KELMAN, J. Desvendando as Redes Elétricas Inteligentes / Coordenação Geral: Fábio Toledo - Brasport, Rio de Janeiro, 2012.

4 2) KELMAN, J. Guia de História Natural do Rio de Janeiro / Organização: MV Serra e Maria Teresa S Serra, - Cidade Viva: Rio de Janeiro, ) KELMAN, J. Guide international du comptage intelligent / TOLEDO, Fabio, Collection EDF R&D - Lavoisier: Paris, ) KELMAN, J. Novas Tecnologias para Monitoramento e Estudos de Reservatórios Hidrelétricos e Grandes Lagos / Organizadores Enner Herenio Alcântara, Evlyn Marcia Leão de Moares Novo, José Luiz Stech. - Rio de Janeiro: Parêntese, ) KELMAN, J. O Diário de Marcia Garcês - Impacto, Reflexão e Superação / GARCÊS, Marcia, Rio de Janeiro, Synergia - Light, ) KELMAN, J. Economia das mudanças climáticas no Brasil - Estimativas da Oferta de Recursos Hídricos no Brasil em Cenários Futuros de Clima ( ), SALATI, Eneas (Coordenador), FBDS, Julho ) KELMAN, J. Electricity Auctions: An overview of efficient practices. The International Bank for Reconstruction and Development MAURER, Luiz; BARROSO, Luiz A - /The World Bank, ISBN ISBN ) KELMAN, J. Atlas de Energia Elétrica do Brasil - 3a edição, Agência Nacional de Energia Elétrica Brasília: ANEEL, p.: il, CDU (81)(084.4), ISBN ) KELMAN, J. Relatório ANEEL 10 Anos, Agência Nacional de Energia Elétrica Brasília: ANEEL, p.: il, CDU (81)(047) p 4. 10) KELMAN, J. Revista P&D Empresas do setor elétrico revelam seus melhores projetos. Agência Nacional de Energia Elétrica, Brasília: ANEEL, ) KELMAN, J. Acesso e uso dos sistemas de transmissão e de distribuição. Agência Nacional de Energia Elétrica, Brasília: ANEEL, ) KELMAN, J. Tarifas de fornecimento de energia elétrica. Agência Nacional de Energia Elétrica, Brasília: ANEEL, ) KELMAN, J. Energia assegurada. Agência Nacional de Energia Elétrica, Brasília: ANEEL, ) KELMAN, J. Compensação financeira pela utilização de recursos hídricos para geração de energia elétrica. Agência Nacional de Energia Elétrica, Brasília: ANEEL, ) KELMAN, J. Descentralização de atividades. Agência Nacional de Energia Elétrica, Brasília: ANEEL, ) KELMAN, J. Desafios na definição da base de remuneração de ativos / Francisco L. S. Gomide, Brasília: ANEEL, ) KELMAN, J. Convergência tarifária: remédio regulatório para o livre acesso / Davi Antunes Lima, Brasília: ANEEL, ) KELMAN, J. Desafios da regulação do setor elétrico, modicidade tarifária e atração de investimentos / Paulo Jerônimo Bandeira de Mello Pedrosa, Brasília: ANEEL, ) KELMAN, J. Baía de Guanabara: uma biografia de uma paisagem. Concepção e texto Eliane Canedo de Freitas Pinheiro, Rio de Janeiro, Andrea Jakobsson Estúdio Editorial Ltda, ) KELMAN, J. Conservação e Reuso de Água - Manual de Orientações para o Setor Industrial. CIRRA - Centro Internacional de Referência em Reuso de Água/FCTH - Fundação Centro Tecnológico de Hidráulica/DTC Engenharia, vol. 1, 2004.

5 21) KELMAN, J. Água - Esperança e Futuro. Universidade da Água, Edições Loyola, São Paulo, ) KELMAN, J. O Estado das Águas no Brasil, Brasília, Agência Nacional de Águas - ANA, ) KELMAN, J. A Gestão da Qualidade da Água - Inserção de Temas Ambientais na Agenda do Setor Hídrico. Banco Mundial, ) Artigos técnicos 1) KELMAN, J. Yes, we should build more larges dams. Global Water Forum, junho ) LIVINO, A.; LEE, E.; MOORCROFT, P.;BRISCOE, J.; KELMAN, J. Climate Change as a Challenge to Decision- Makers in the Management of the Brazilian Hydropower Systems. In: HYDRO 2013, 2013, Innsbruck, Austria. 3) GREY D, GARRICK D, BLACKMORE D, KELMAN J, MULLER M, SADOFF C. Water security in one blue planet: twenty-first century policy challenges for science. Phil Trans R Soc A 371: , ) BRAGA, B. & FLECHA, R. & PENA, D. & KELMAN, J. Pacto Federativo e gestão das águas. Dossiê Água. Revista Estudos Avançados USP, volume 22, edição 63, Maio/Agosto ISSN ) KELMAN, J. Disputa pela água entre regiões interligadas por estruturas hidráulicas. Reflexos da Água - organizadores Luis Veiga da Cunha, Alexandra Serra, José Vieira da Costa, Luis Ribeiro e Rodrigo Proença, Ed. Associação Portuguesa dos Recursos Hídricos APRH. pg 34 e 35, dezembro ISBN ) KELMAN, J. Garantia de água no semi-árido nordestino. Revista Plenarium, Câmara dos Deputados, Brasília, n.3 Ano III, setembro ) KELMAN, J. & RAMOS, M. Custo, valor e preço da água utilizada na agricultura. REGA Revista de Gestão de Água da América Latina / Global Water Partnership South América, Santiago: GWP / South América, vol. 2, n. 2, jul./dez ) KELMAN, J. Effective subsidies in developing countries. In: Water Science Technology, v. 49, n. 7, p Proceedings of the 13 th Stockholm Water Symposium Drainage Basin Security Balancing Production, Trade and Water Use, held in Stockholm, Sweden, August Organized by Stockholm International Water Institute. 9) CUNHA, E. C. N.; VEIGA, A. P. & KELMAN, J. Domínio e competência sobre os recursos hídricos no Brasil. Revista Justiça e Cidadania, Rio de Janeiro, n. 45, abr ) KELMAN, J.; KELMAN, R. & PEREIRA, M. V. F. Energia Firme de Sistemas Hidrelétricos e Usos Múltiplos dos Recursos Hídricos. RBRH Revista Brasileira de Recursos Hídricos, vol. 9, n. 1, jan. / mar p ) KELMAN, J. A Lei das Águas e o Semi-Árido. Revista Justiça & Cidadania, Rio de Janeiro, n. 42, jan ) CABRAL, B. & KELMAN, J. Quem é responsável pela administração dos rios? Revista Justiça e Cidadania, Rio de Janeiro, n. 36, jul

6 13) KELMAN, J. Water Resources Management in Brazil: Bridging the Gap Between Theory and Practice. 13 th Stockholm Water Symposium, Stockholm, Sweden, ) KELMAN, J. & KELMAN, R. Water Allocation for Economic Production in a Semi-arid Region.Water Resources Development, v. 18, n. 3, p , ) KELMAN, J.; VIEIRA, A. de M. & AMAYA, J. E. R. El Niño influence on streamflow forecasting. In: Stochastic Environmental Research and Risk Assessment, v. 14, p ) PORTO, M. & KELMAN, J. Water Resources Policy in Brazil. In: Rivers Studies in the Science Environmental Policy and Law of Instream Flow, v. 7, n. 3, ) KELMAN, J. Simpósio A Transposição de Águas do rio São Francisco. Revista da Fundação Milton Campos, n. 13, dez. 1999/jun ) KELMAN, J. Água: Desafio para o Próximo Milênio. In: Seminário para Discussão dos Anteprojetos de Lei sobre a Criação da Agência Nacional de Águas - Ana e do Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos SNGRH. Brasília: Ministério do Meio Ambiente - MMA, ) KELMAN, J.; VIEIRA, A. M. & AMAYA, J. E. R. Efeito Telescópico em Seqüências de Afluências. Revista Brasileira de Recursos Hídricos, ISSN X, n. 3, jul./set ) KELMAN, J. Integrated Water Resources Management in Brazil Some Issues.In: Conferencia sobre Evaluación y Estrategias de Gestión de Recursos Hídricos en America Latina y el Caribe, GWP/GX, Vitória, ) KELMAN, J. & VIEIRA, A. de M. Modelo PAR(P) Dinâmico. In: XII Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos, Vitória, ) KELMAN, J. Sistema de Tratamento de Esgoto: Concentrado ou Distribuído. In: XII Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos, Vitória, ) KELMAN, J. & MAGALHÃES, P. C. Controle de Enchentes Urbanas na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. In: XII Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos, Vitória, ) KELMAN, J.; MOREIRA, J. C. & CAMPOS, J. D. O Plano de Macro-Drenagem para a Bacia do Iguaçu-Sarapuí. In: XII Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos, Vitória, ) KELMAN, J. Gerenciamento de Recursos Hídricos: Parte II: Cobrança. In: XII Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos, Vitória, ) KELMAN, J. Gerenciamento de Recursos Hídricos: Parte I: Outorga. In: XII Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos, Vitória, ) NASCIMENTO, C. E. de S. & KELMAN, J. Um Modelo para Geração Estocástica de Chuvas Diárias. RBE - Caderno de Recursos Hídricos, v. 13, n. 2, p , dez ) KELMAN, J.; MOREIRA, J. C. & MAGALHÃES, P. C. Controle de Enchentes Urbanas - O Caso da Baixada Fluminense. In: Seminário Regional sobre Gestão Ambiental Urbana, Instituto de Desarrolo Económico del Banco Mundial (IDE), Rio de Janeiro, ) ROCHA, V. F.; DAMÁZIO, J. M. & KELMAN, J. Modelo de Programação da Operação de Controle de Cheias com a Utilização das Condições de Controlabilidade. In: X Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos e I Simpósio de Recursos Hídricos do Cone Sul, Gramado/RS, 1993.

7 30) DARÚ, R. L.; DAMÁZIO, J. M.; COSTA, F. da S.; MACEIRA, M. E. P. & KELMAN, J. Incorporação da Incerteza Paramétrica na Geração de Séries Sintéticas de Vazões através de Reamostragem.RBE - Caderno de Recursos Hídricos, v. 10, n. 2, p , dez ) KELMAN, J. Revisión de Principios de Probabilidad y Estadística. In: Seminario I: Conceptos Basicos de Planeamiento Operativo. Programa de Actividades Regionales en el Subsector Electrico Del Istmo Centroamericano (PARSEICA), p ) KELMAN, J. Conceptos de Hidrología.In: Seminario I: Conceptos Basicos de Planeamiento Operativo. Programa de Actividades Regionales en el Subsector Electrico Del Istmo Centroamericano (PARSEICA), p ) MACEIRA, M. E. P. & KELMAN, J. Coordenação Hidro-Térmica Baseada em Programação Dinâmica Amostral. In: XI Seminário Nacional de Produção e Transmissão de Energia Elétrica, Rio de Janeiro, out ) D'ANGELO, A. G.; KELMAN, J. & MAGALHÃES, P. C. Balanço Hídrico com Parâmetros Físicos, uma Aplicação para a Reserva Ducke (AM).In: IX Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos/V Simpósio Luso Brasileiro de Hidrologia, Rio de Janeiro, nov ) ALVES, M. H.; MAGALHÃES, P. C. & KELMAN, J. Previsão em Tempo Real de Vazão Associada a uma Incerteza e Utilizando Técnica de Filtragem de Erros. In: IX Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos/V Simpósio Luso Brasileiro de Hidrologia, Rio de Janeiro, nov ) COSTA, F. da S.; DAMÁZIO, J. M. & KELMAN, J. Um Modelo de Desagregação para Geração de Precipitação em Sub-Bacias. In: IX Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos/V Simpósio Luso Brasileiro de Hidrologia, Rio de Janeiro, nov ) KELMAN, J. Hidrologia e Gestão de Água na Bacia Amazônica. In: Associação Brasileira de Recursos Hídricos - ABRH, Manaus, ago. l ) KELMAN, J.; STEDINGER, J. R.; COOPER, L. A.; HSU, E. & YUAN, S. Sampling Stochastic Dynamic Programming Applied to Reservoir Operation. In: Water Resources Research, v. 26, n. 3, p , March, ) KELMAN, J. A Water Resources Agenda for Brazil. In: Issues Identification and Management Workshop. Lisboa, June, ) COSTA, F. S.; KELMAN, J. & DAMÁZIO, J. M. Pico de Cheia: Deve-Se Modelar Vazões Diárias ou Máximas Anuais? In: VIII Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos, Foz do Iguaçu, nov ) GORENSTIN, B. G.; COSTA, J. P.; CAMPODÓNICO, N. M.; KELMAN, J. & PEREIRA, M. V. F. Efeito das Tarifas a Custo Marginal no Planejamento e Operação de Sistemas Hidrotérmicos. In: VIII Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos, ABRH, Foz do Iguaçu, p ) KELMAN, J. & MACEIRA, M. E. P. Escolha da Variável de Estado Tendência Hidrológica no Cálculo da Política Ótima para Operação de Reservatórios. In: APRH - 4 Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos SILUSB, Lisboa, Portugal, ) MACEIRA, M. E. P. & KELMAN, J. Programação Dinâmica Amostral Aplicada a Operação de Reservatórios. In: X Seminário Nacional de Produção e Transmissão de Energia Elétrica, Curitiba, ) PEREIRA, M. V. F.; GORENSTIN, B. G.; CAMPODÓNICO, N. M.; DA COSTA, J. P. & KELMAN, J. Análise Comparativa de Metodologias de Repartição de Custos e Benefícios num Sistema de Geração Hidrotérmico. In: X Seminário Nacional de Produção e Transmissão de Energia Elétrica, Curitiba, ) KELMAN, J., DAMÁZIO, J. M.; MARIEN, J. L. & DA COSTA, J. P. The Determination of Flood Control Volumes in a Multireservoir System. In: Water Resources Research, v. 25, n. 3, p , march 1989.

8 46) KELMAN, J. Dificuldades na Implantação de Obras de Uso Múltiplo. In: Seminário Nacional de Energia para Irrigação, Contagem/BH, ) KELMAN, J.; COOPER, L. A.; HSU, E. & YUAN, S. The Use of Probabilistic Constraints in Reservoir Operation Policies with Sampling Stochastic Dynamic Programming. In: 3 rd Water Resources Operations and Management Workshop - ASCE, Colorado, USA, ) STASCHUS, K. & KELMAN, J. Probabilistic Dependable Hydro Capacity: The Benefits of Synthetic Hydrology.In: 3rd Water Resources Operation and Management Workshop - ASCE, Colorado, USA, jul ) KELMAN, J. Hydrology Hazards in Brazil. In: VI IWRA World Congress on Water Resources, Ottawa, Jun ) KELMAN, J. Dimensionamento de Volume de Espera para Controle de Cheia. In: XIII Congresso Latinoamericano de Hidráulica, Havana, Cuba, ) DE OLIVEIRA, G. C.; KELMAN, J.; PEREIRA, M. V. F. & STEDINGER, J. R. A Representation of Spatial Cross Correlations in Large Stochastic Seasonal Streamflow Models. In: Water Resources Research, v. 24, n. 5, p , ) DAMÁZIO, J. M.; KELMAN, J.; DA COSTA, J. P. & SERRA, F. Use of Synthetic Streamflow For Flood Control in a Multireservoir System.In: 11 th Triennial Conference on Operations Research - IFORS, Buenos Aires, Argentina, p ) STASCHUS, K. & KELMAN, J. The Benefits of Synthetic Hydrology For Determining Dependable Hydroelectric Capacity: a Case Study. In: Transactions AGU, v. 68, n. 44, nov ) KELMAN, J. Uso de Séries Sintéticas no Planejamento e Operação de Sistemas Hidrotérmicos.In: I Seminário Latinoamericano Sobre Aproveitamento de Recursos Hidráulicos. Colombia, Medellín, ) DIAS, N. L. C. & KELMAN, J. Comparação entre Modelos Climatológicos e o Uso de Tanques Classe A para Estimar a Evaporação no Reservatório de Sobradinho. In: VII Simpósio Brasileiro de Hidrologia e Recursos Hídricos, ABRH, Salvador, ) DIAS, N. L. C.; KELMAN, J. & DAMÁZIO, J. M. Métodos para a Estimação da Evaporação em Lagos. In: Seminário Balanço Hídrico no Brasil. Comissão Brasileira para o Programa Hidrológico Internacional COBRAPHI, Departamento Nacional de Águas e Energia Elétrica - DNAEE, Brasília, ) COSTA, F. S.; KELMAN, J. & DAMÁZIO, J. M. Cálculo do Desvio Padrão de Estimadores de Parâmetros Hidrológicos.In: VII Simpósio Brasileiro de Hidrologia e Recursos Hídricos, ABRH, Salvador, ) MACEIRA, M. E. P.; KELMAN, J. & DAMÁZIO, J. M. Utilização de Modelos Par para Simulação e Previsão de Séries Hidrológicas Mensais.In: VII Simpósio Brasileiro de Hidrologia e Recursos Hídricos, ABRH, Salvador, ) MACEIRA, M. E. P.; PEREIRA, M. V. F.; DE OLIVEIRA, G. C.; KELMAN, J. & DA CUNHA, S. H. F. Modelo Probabilístico de Simulação a Usinas Individualizadas para Sistemas Interligados.In: CIER, ) KELMAN, J.; COSTA, F. S. & DAMÁZIO, J. M. Monte Carlo Approach to Spillway Design Floods. In: National Conference on Hydraulic Engineering and Symposium on Engineering Hydrology - ASCE Hydraulics Division - Williamsburg, Virginia, ) KELMAN, J.; DAMÁZIO, J. M.; COSTA, J. P.; DIAS, N. L. C. & ALBUQUERQUE, F. C. Métodos de Cálculo de Cheia de Projeto de Vertedores. In: IX Seminário Nacional de Produção e Transmissão de Energia Elétrica, Belo Horizonte, p.

9 62) DAMÁZIO, J. M. & KELMAN, J. Use of Historical Data in Flood-Frequency Analysis. In: International Symposium in Flood-Frequency and Risk Analysis, Published in Hydrologic Frequency Modeling, V. P. Singh (ed.), D. Reidel Publishin Co, p ) KELMAN, J.; DA COSTA, J. P.; DAMÁZIO, J. M. & DIAS, N. L. C. Extreme Multivariate Rainfall Generation. In: AGU Chapman Conference, Caracas, Venezuela, Março, ) DA CUNHA, S. H. F.; KELMAN, J.; PEREIRA, M. V. F.; SANTOS, A. T. & BEM, F. A. S. Modelo de Simulação a Usinas Individualizadas para Estudos de Usos-Múltiplos da Água em Sistemas Interligados. In: VIII Seminário Nacional de Produção e Transmissão de Energia Elétrica, São Paulo, ) DE OLIVEIRA, G. C.; DA COSTA, J. P.; DAMÁZIO, J. M. & KELMAN, J. Previsão Multivariada das Afluências a Aproveitamentos Hidroelétricos. In: VIII Seminário Nacional de Produção e Transmissão de Energia Elétrica, São Paulo, ) KELMAN, J. Statistical Approach to Floods.In: Symposia on Statistics in Honour of Professor V. W. Joshi's 70 th Birthday, University of Western Ontario, Canada, p. 67) LEPECKI, J. & KELMAN, J. Brazilian Hydroelectric System. Water International, v. 10, n. 4, Elsevier Sequoia/Printed in The Netherlands, p ) TAVARES, L. V. & KELMAN, J. A Method to Optimize the Flood Retention Capacity for a Multi-Purpose Reservoir in Terms of the Accepted Risk. In: Journal of Hydrology, 81, 1985, p. 69) DIAS, N. L. C.; PEREIRA, M. V. F. & KELMAN, J. Optimization of Flood Control and Power Generation Requirements in a Multi-Purpose Reservoir. In: IFAC Symposium on Planning and Operation of Electric Energy Systems. Rio de Janeiro, p. 70) ARARIPE NETO, T. A.; COTIA, C. B.; PEREIRA, M. V. F. & KELMAN, J. Comparison of Stochastic and Deterministic Approaches in Hydrothermal Generation Scheduling. In: IFAC Symposium on Planning and Operation of Electric Energy Systems, Rio de Janeiro, p ) DE OLIVEIRA, G. C.; DA COSTA, J. P.; DAMÁZIO, J. M. & KELMAN, J. Multivariate Weekly Streamflow Forecasting Model. In: IFAC Conference on Systems Analysis Applied to Water and Related Land Resources. Lisboa, Portugal, p. 72) KELMAN, J.; DA COSTA, J. P.; DAMÁZIO, J. M. & BARBALHO, V. M. S. Flood Control in a Multireservoir System.In: Fourth International Hydrology Symposium. Fort Collins, Colorado, p. 73) KELMAN, J.; DAMÁZIO, J. M. & DA COSTA, J. P. A Multivariate Synthetic Daily Streamflow Generator.In: Fourth International Hydrology Symposium. Fort Collins, Colorado, p. 74) KELMAN, J. & DAMÁZIO, J. M. Fator de Segurança para Cheia Decamilenar. In: VI Simpósio Brasileiro de Hidrologia e Recursos Hídricos e Simpósio Internacional de Recursos Hídricos em Regiões Metropolitanas. São Paulo, ABRH, p. 75) KELMAN, J.; DA COSTA, J. P.; DAMÁZIO, J. M. & DIAS, N. L. C. Geração Multivariada de Precipitações Extremas.In: VI Simpósio Brasileiro de Hidrologia e Recursos Hídricos e Simpósio Internacional de Recursos Hídricos em Regiões Metropolitanas. São Paulo, ABRH, p. 76) KELMAN, J. Estudo da Periodicidade na Vazão Anual do Rio São Francisco.In: VI Simpósio Brasileiro de Hidrologia e Recursos Hídricos e Simpósio Internacional de Recursos Hídricos em Regiões Metropolitanas. São Paulo, ABRH, p. 77) ARARIPE NETO, T. A.; PEREIRA, M. V. F. & KELMAN, J. A Risk-Constrained Stochastic Dynamic Programming Approach to the Operation Planning of Hydrothermal Systems. In: IEEE/Transactions on Power Apparatus and Systems, v. PAS-104, n. 2, p.

10 78) KELMAN, J. Daily Synthetic Streamflow Sequences and the Evaluation of Dam Safety.In: Fall Annual Meeting of the American Geophysical Union. San Francisco/USA, v. 65, n. 45, 1984, p ) PEREIRA, M. V. F.; DE OLIVEIRA, G. C. & COSTA, C. C. G. & KELMAN, J. Stochastic Streamflow Models for Hydroelectric Systems. Water Resources Research, v. 20, n. 3, p ) DA COSTA, J. P.; PEREIRA, M. V. F.; DAMÁZIO, J. M. & KELMAN, J. Alocação Ótima de Volumes para Amortecimento de Cheias num Sistema de Reservatórios. In: VII Seminário Nacional de Produção e Transmissão de Energia Elétrica, Brasília/DF, p. 81) KELMAN, J. & DAMAZIO, Jorge. M. Cheia de 1983 no Rio Iguaçu em Salto Santiago. Revista Brasileira de Engenharia RBE, v. 2, n. 2, Rio de Janeiro, p. 82) KELMAN, J. & DAMÁZIO, J. M. Delimitação de Região Hidrologicamente Homogênea. In: Simpósio Brasileiro de Hidrologia e Recursos Hídricos 5, Blumenau/SC, p. 83) MOREIRA, J. C.; DAMÁZIO, J. M.; DA COSTA, J. P. & KELMAN, J. Estimação de Vazões Extremas: Séries Parciais ou Máximos Anuais? In: Simpósio Brasileiro de Hidrologia 5, Blumenau/SC, p. 84) DAMÁZIO, J. M.; MOREIRA, J. C.; DA COSTA, J. P. & KELMAN, J. Seleção de Métodos para Estimação de Vazões com Tempos de Retorno Elevados. In: Simpósio Brasileiro de Hidrologia 5, Blumenau/SC, p. 85) KELMAN, J. Hydroenergetic Systems. In: Seminar on Water Utilization in Latin America Curitiba/PR, p. 86) KELMAN, J.; DAMÁZIO, J. M. & DA COSTA, J. P. Geração de Séries Sintéticas de Vazões Diárias - Modelo Diana. RBE - Caderno de Recursos Hídricos, v. 1, n. 2, p. 5-22, set ) COSTA, C. C. G.; PEREIRA, M. V. F. & KELMAN, J. Esquemas de Redução de Dimensionalidade e Algoritmos de Programação Dinâmica Estocástica. Revista de Pesquisa Operacional (SOBRAPO), v. 3, n. 1, Rio de Janeiro, p. 88) KELMAN, J. e DAMAZIO, Jorge. M. Synthetic Hydrology and Spillway Design. In: 20th Congress of the International Association for Hydraulic Research (IARH), Moscow, p. 89) DE FRANCO, N.; FILHO, A. V.; KELMAN, J.; PEGADO, P. A. S. & VIAN, A. Impact of Construction Delays on the Reliability of a Hydro Systems. A Brazilian Planning Experience.In: International Conference on Large High Voltage Electric Systems (CIGRE), Paris, p. 90) KELMAN, J.; DAMÁZIO, J. M.; PEREIRA, M. V. F. & DA COSTA, J. P. A Propósito da Discussão de A. E. Lanna sobre Operação de um Reservatório para Controle de Cheias. Revista de Hidrologia e Recursos Hídricos, v. 3, n. 2, ) DAMAZIO, J. M. & KELMAN, J. Previsão de Total Anual de Precipitação. In: Simpósio Brasileiro de Hidrologia 4, Fortaleza/CE, p. 92) KELMAN, J. Tópicos de Investigação em Controle de Cheias. In: Simpósio Brasileiro de Hidrologia 4, Fortaleza/CE, p. 93) PINHEIRO, M. C.; DAMAZIO, J. M. & KELMAN, J. Análise de Freqüência de Cheias para as Regiões Sul e Sudeste do Brasil. In: IV Simpósio Brasileiro de Hidrologia e Recursos Hídricos, Fortaleza, p ) DAMAZIO, J. M.; KELMAN, J.; PEREIRA, M. V. F. & DA COSTA, J. P. Volumes de Espera para Amortecimento de Cheias. In: II Encontro Brasil-Venezuela de Engenharia Civil, Rio de Janeiro, p.

11 95) DA COSTA, J. P.; DAMAZIO, J. M.; PEREIRA, M. V. F. & KELMAN, J. Confiabilidade na Estimação de Vazões Extremas. In: IV Simpósio Brasileiro de Hidrologia, Fortaleza/CE. Anais do IV Simpósio Brasileiro de Hidrologia. Vol pages. 96) DAMÁZIO, J. M. & KELMAN, J. Aplicação de Modelos Regionais e Conceituais em Estudos Hidroenergéticos: Uma Abordagem Bayesiana. Revista de Hidrologia e Recursos Hídricos, ABRH, v. 3, n. 1, p , jan./jun ) COSTA, C. G. C.; DE OLIVEIRA, G. C.; PEREIRA, M. V. F. & KELMAN, J. Seleção de um Modelo de Afluências Mensais para Planejamento Energético. In: VI Seminário Nacional de Produção e Transmissão de Energia Elétrica, Camboriú/SC, p. 98) DA COSTA, J. P.; DAMÁZIO, J. M.; PEREIRA, M. V. F. & KELMAN, J. Uma Metodologia para Controle de Cheias. In: VI Seminário Nacional de Produção e Transmissão de Energia Elétrica, Camboriú/SC, p. 99) KELMAN, J.; DAMAZIO, J. M.; PEREIRA, M. V. F. & DA COSTA, J. P. Flood Control Restrictions for a Hydroelectric Plant.In: International Symposium on Real Time Operation of Hydro Systems, Canada, pages. 100) ALMEIDA, P. A. L.; THOMÉ, L. M.; PRAIS, M.; TERRY, L. A. & KELMAN, J. Aplicação de um Modelo de Previsão à Demanda do Sistema Light-Rio. In: I Encontro sobre Previsão Quantitativa. Aplicações e Metodologia, Rio de Janeiro, p ) KELMAN, J. A Stochastic Model For Daily Streamflow. Journal of Hydrology, 47, p ) KELMAN, J.; DAMÁZIO, J. M.; PEREIRA, M. V. F. & DA COSTA, J. P. Operação de um Reservatório para Controle de Cheias. Revista de Hidrologia e Recursos Hídricos 2 (2). jul./dez p. 103) KELMAN, J. A Stochastic Model for Daily Precipitation.In: World Congress on Water Resources 3, Mexico, p. 104) DAMÁZIO, J. M. & KELMAN, J. Vazão Garantida por um Reservatório. In: III Simpósio Brasileiro de Hidrologia, Brasília/DF, p. 105) TERRY, L. A.; KELMAN, J.; THOMÉ, L. M. S. & DE ALMEIDA, P. A. L. Modelo Estocástico de Demanda. In: V Seminário Nacional de Produção e Transmissão de Energia Elétrica, Recife, p. 106) KELMAN, J.; GOMES, F. B. M.; PINHEIRO, S. F. & PEREIRA, M. V. F. Revisão do Conceito de Energia Firme Através do Uso de Séries Hidrológicas Sintéticas.In: V Seminário Nacional de Produção e Transmissão de Energia Elétrica, Recife, p. 107) KELMAN, J.; DE OLIVEIRA, G. C. & PEREIRA, M. V. F. Geração de Séries Hidrológicas -Método de Desagregação. In: V Seminário Nacional de Produção e Transmissão de Energia Elétrica, Recife, p. 108) PEREIRA, M. V. F.; TERRY, L. A.; KELMAN, J. & ROSENBLATT, J. Modelo de Análise de Garantia de Suprimento. In: V Seminário Nacional de Produção e Transmissão de Energia Elétrica, Recife, p. 109) KELMAN, J & CARVALHO, E. Conjunto Hidroelétrico Divisa-Itapebi. Estudo Probabilístico de Alternativas de Desvio. In: XII Seminário Nacional de Grandes Barragens, São Paulo, p. 110) KELMAN, J & SALAZAR, P.G. Wet and Dry Periods of Annual Flow Series.ASCE Journal of the Hydraulics Division 103 HY9, p. 111) KELMAN, J & PEREIRA, M. V. F. Critérios de Avaliação para Modelos de Séries Hidrológicas.In: IV Seminário Nacional de Produção e Transmissão de Energia Elétrica, Rio de Janeiro, p.

12 112) SALAZAR, P. G. ; PEREIRA, M. V. F. KELMAN, J. & GOMES, F. B. M. Geração de Séries Hidrológicas Mensais para Estudos Energéticos. In: IV Seminário Nacional de Produção e Transmissão de Energia Elétrica, Rio de Janeiro, ) KELMAN, J. Simulação Hidrológica de Deflúvios Diários. Anais do Seminário apresentado aos alunos da COPPE/UFRJ. Rio de Janeiro, ) KELMAN, J. & Quimpo, R. G. Considerações Sobre a Solução Linearizada das Equações de Saint- Venant com Influxo Lateral. In: VI Congresso Latino Americano de Hidráulica. Colômbia: IAHR, p. 1.5) Artigos publicados em revistas 1) KELMAN, J. O modelo e a realidade, Revista Brasil Energia, nº 398, janeiro ) KELMAN, J. Usinas hidroelétricas e a questão indígena, Revista Brasil Energia, nº 396, novembro ) KELMAN, J. Sustentabilidade em pauta. Revista Brasil Energia, nº 394, setembro ) KELMAN, J. A xícara de acúcar e o ICMS amargo. Revista Brasil Energia, nº 391, junho ) KELMAN, J. Os Olhos de Inês. Revista Brasil Energia, nº 390, maio ) KELMAN, J. As distribuidoras na montanha russa. Revista Brasil Energia, nº 388, março ) KELMAN, J. Agências Reguladoras. Revista Brasil Energia, nº 386, janeiro ) KELMAN, J. Sobre a Medida Provisória 579. Revista Brasil Energia, nº 384, novembro ) KELMAN, J. Recuperação da energia contida no lixo. Revista Brasil Energia, nº 382, setembro ) KELMAN, J. Sustentabilidade global e local. Revista Brasil Energia, nº 380, julho ) KELMAN, J. Barragens e Reservatórios. Revista Brasil Energia, nº 378, maio ) KELMAN, J. O Patrono das Águas. Revista Justiça & Cidadania, Rio de Janeiro, n. 140, abr ) ROCHA, F.A., KELMAN, J. A entrega de convite de casamento em mãos é ilegal? Revista Justiça & Cidadania, Rio de Janeiro, n. 124, ) KELMAN, J. Complexidade tarifária. Revista Brasil Energia, nº 376, março ) KELMAN, J. O IFRS e as Distribuidoras de Energia Elétrica. Revista Brasil Energia, pág. 71, nº 373, janeiro ) KELMAN, J. Efeito da medição inteligente na estrutura tarifária. Revista Brasil Energia, pág. 75, nº 372, novembro ) KELMAN, J. Primarizar ou terceirizar a força de trabalho. Revista Brasil Energia, pág. 98, nº 370, setembro ) KELMAN, J. Os acionistas das distribuidoras de eletricidade têm lucros excessivos? Revista Brasil Energia, nº 368, Julho 2011, pág ) KELMAN, J. Toda franqueza será castigada? Revista Brasil Energia, nº 366, maio ) KELMAN, J. O Complexo de Lages. Revista Brasil Energia, Ed. 364, pg. 78, março 2011.

13 21) KELMAN, J. Quanto custa o furto de energia?. Revista Brasil Energia, Ed. 362, pg. 87, janeiro de ) KELMAN, J. Educação corporativa e genérica. Revista Brasil Energia, Ed 360, pg 79, edição novembro ) KELMAN, J. Sobre gatos e macacos. Revista Brasil Energia, Ed 358, pg 216, edição setembro ) KELMAN, J. A visão de um veterano. Revista Brasil Energia, Ed. 356, pg 82, julho ) KELMAN, J. O outro lado do balcão da concessão de serviço público. Revista Custo Brasil, Ano 5, número 26, págs. 7 a 11, abril/maio ) KELMAN, J. Belo Monte: a lição e a comemoração. Revista Brasil Energia, Ed. 354, pg 90, maio ) KELMAN, J. Cauchy e a garantia física de hidrelétricas. Revista Brasil Energia, nº 352, março 2010, pág ) KELMAN, J. As mudanças climáticas e a produção de energia hidrelétrica. Revista Brasil Energia, nº 351, fevereiro 2010, pág ) KELMAN, J. Tendências no Setor de Energia Elétrica, Investidor Institucional, edição 211, janeiro de ) KELMAN, J. Há erro no cálculo da tarifa?. Revista Brasil Energia, Edição 349, pg. 68, edição dezembro ) KELMAN, J. É preciso descomplicar o setor elétrico. Revista Brasil Energia, nº 347, outubro 2009, pág ) KELMAN, J. Usinas Hidrelétricas e o Ministério Público. Brasil Energia n 345 Edição de agosto ) KELMAN, J. Vencimento das concessões do Setor Elétrico. Revista Brasil Energia, Colunas, edição nº 407, maio ) KELMAN, J. Reflexões do Regulador. Revista Brasil Energia, Idéias, edição 338, pg 64 a 66, janeiro ) KELMAN, J. Eletrobrás. Revista Exame, Cartas & s, edição 932, ano 42, n 23, 03/12/ ) KELMAN, J. & VERAS, L. A Constituição Federal de 1988 e o setor elétrico brasileiro. Revista Justiça & Cidadania Especial 20 anos da Constituição, Ed. 99, pág 62 a 66, novembro de ) KELMAN, J. Números. Revista Veja, edição 2079, ano 41, n 38, Cartas, pág 35, 24/09/ ) KELMAN, J. & TUCCI, C. & BRAGA, B. & PINGUELLI, L. As hidrelétricas e o efeito estufa. Revista Brasil Energia, edição 334, Idéias, págs. 193 e 194, setembro de ) KELMAN, J. A saga dos atingidos por barragens. Revista Justiça & Cidadania, Edição 95, págs 34 e 35, junho ) Ambiente. Revista Veja, edição 2043, ano 41 n 2, Cartas, pág. 30, 16/01/ ) KELMAN, J. Agências reguladoras a caminho da consolidação. Revista ABAR, Edição comemorativa dos 10 anos de regulação, páginas 76,77 e 78, novembro ) KELMAN, J. As mudanças climáticas, as opções energéticas e a visão holística. Revista Justiça & Cidadania, Ed 84, Capa, pgs 3 e de 6 a 10 julho de ) KELMAN, J. O teorema do limite central, a Justiça e a questão energética. Revista Justiça & Cidadania, Especial 8 anos em defesa das instituições, edição 83, págs. 38 a 41, junho ) KELMAN, J. & ABICAIL, T. & PENA, D. Regulação de saneamento. L&C Revista da Administração Pública e Política. Número 104, ano X, pg 10, fevereiro de 2007.

14 45) KLABIN, I. & REICHSTUL, P. & BASTOS, M. & RICUPERO, R. & KELMAN, J., Membros do Conselho Curador da Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável (FDBS) Estagnação Insustentável. Revista Justiça e Cidadania, ed 79, fevereiro ) KELMAN, J. Risco e Custo Brasil. Revista Brazilian Business. Rio de Janeiro, ed. 227, agosto ) KELMAN, J. Risco e Custo Brasil. Revista Justiça & Cidadania. Rio de Janeiro, ed. 71, jun ) KELMAN, J. Paradoxo ambiental. Revista Justiça & Cidadania, Rio de Janeiro, n. 68, mar ) KELMAN, J. Filão farto. Revista Época, Cartas, n. 399, 09/01/ ) KELMAN, J. Gargalos do licenciamento ambiental. Brazilian Business, Revista da Câmara de Comércio Americana para o Brasil - Rio de Janeiro e Espírito Santo - AMCHAMRIO, Brasil Urgente, ano XX, n. 216, setembro de ) KELMAN, J. A justiça no cálculo das tarifas de energia elétrica. Revista Justiça e Cidadania, Rio de Janeiro, n. 60, jul ) KELMAN, J. Os rios de nossas aldeias. Revista ECO-21, ano XIV, n. 88, mar p ) KELMAN, J. We buy treated sewage: contact ANA. Brazilian Business, Revista da Câmara de Comércio Americana do Rio de Janeiro, ano XVIII, n. 194, nov p ) KELMAN, J. Água: mais eficácia e mais transparência. Revista ECO-21, ano XIII, n. 84, nov p ) KELMAN, J. A poluição e a seca. Informativo do Comitê Brasileiro do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, Instituto Brasil PNUMA, n. 65, abr./mai ) KELMAN, J. O insustentável uso dos rios. Revista ECO-21, ano XII, n. 62, jan p ) KELMAN, J. & FRAJTAG, D. K. Agências Reguladoras. Boletim da Associação Brasileira de Recursos Hídricos - ABRH, n. 3, nov ) KELMAN, J. Recursos Hídricos no Brasil Questão do Momento.A Água em Revista, Revista Técnica e Informativa da CPRM, Ano VII, n. 11, nov ) PIRES, C. L. F. & KELMAN, J. Regionalização de Precipitações Máximas Diárias em uma Região no Vale do Paraíba do Sul usando Momentos-L.A Água em Revista, Revista Técnica e Informativa da CPRM, Ano VII, n. 11, nov ) KELMAN, J. A Lei das Águas. Revista Rio-Águas, Ano I, n. 1, out./nov ) Artigos publicados em jornais 1) KELMAN, R. e KELMAN, J. Rios multiuso, O Globo, País, Opinião, 13/12/ ) KELMAN, J., Um risco para o abastecimento da cidade, O Globo, País, Opinião, 16/10/ ) KELMAN, J., Sustentabilidade do Setor Elétrico, O Estado de São Paulo, Opinião, 19/09/ ) KELMAN, J., Fora da caixa, O Globo, País, Opinião, 27/05/ ) KLABIN, I., KELMAN, J & ALQUERES, J.L., É preciso virar o jogo da despoluição da baía, O Globo, País, Opinião, 02/02/2013.

15 6) KELMAN, J. Bons exemplos. O Globo, Opinião, Rio de Janeiro, 15/01/ ) KELMAN, J. Redução de Riscos. O Globo, Opinião, Rio de Janeiro, 04/07/ ) KELMAN, J. & BRISCOE, J. Uso Múltiplo dos Recursos Hídricos. O Globo, Opinião, Rio de Janeiro, 18/06/ ) KELMAN, J. Brasil pode se tornar uma grande potência energética. Jornal do Senado, Comissões, capa e pg 8, 25/08/ ) KELMAN, J. Concessão de bacias hidrográficas. Valor Econômico, Rio de Janeiro, 14/05/09. 11) KELMAN, J. Salário de iniciante: R$5 mil. O Globo, Opinião, Primeiro Caderno, pág 7, 16/09/ ) KELMAN, R & KELMAN, J. O combate ao aquecimento global e seus benefícios. Jornal do Brasil, Caderno Economia, Especial Energia, Artigos, E5, 14/09/ ) KELMAN, J. Regras do cálculo tarifário. Valor Econômico, Opinião, A12, 24/07/ ) KELMAN, J. Caso Eletropaulo. Valor Econômico, Primeiro Caderno, Carta de leitores, A13, 03/07/ ) KELMAN, J. Atingidos por barragens. O Globo, País, Opinião, pg 7, 13/03/ ) KELMAN, J. Gatos que não miam. O Globo, Opinião, página 7, 06/06/ ) KELMAN, J. Amazônia, Kyoto e Bali. O Estado de S. Paulo, Espaço Aberto, A2,26/11/ ) KELMAN, J. Temporão tem razão. O Globo, Primeiro Caderno, Opinião, pg 7, 14/08/ ) KELMAN, J. Licenciamento ambiental e interesse nacional. O Estado de S. Paulo, Espaço Aberto, A2, 02/06/ ) KLABIN, I. & REICHSTUL, P. & BASTOS, M. & RICUPERO, R. & KELMAN, J., Membros do Conselho Curador da Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável (FDBS) Estagnação Insustentável. O Globo, País, opinião, pg 7, 14/01/ ) KELMAN, J.& ABICAIL, M. & PENA, D. Regulação do Saneamento. O Estado de S. Paulo, Espaço Aberto A2, 06/12/ ) KELMAN, J.VIDINICH, R. Energia e Responsabilidade Social. Gazeta Mercantil, C2, 06/09/ ) KELMAN, J. O leilão de linhas que não ocorreu (II). Gazeta Mercantil, Debate, C2, 24/08/06 24) KELMAN, J. O leilão de linhas que não ocorreu (I). Gazeta Mercantil, Debate, C2, 23/08/06. 25) KELMAN, J. Marco legal para setor de gás e alternativas para distribuição. Valor Econômico, Opinião, A10, 02/08/ ) KELMAN, J. Risco Regulatório. O Estado de São Paulo, Espaço Aberto, A2, 19/07/ ) KELMAN, J. O Ministério Público e o custo Brasil. O Globo, Opinião, Rio de Janeiro, p. 7, 16/06/ ) KELMAN, J. Medição eletrônica de eletricidade. Jornal do Brasil, Opinião, A11, 14/06/ ) KELMAN, J. Paradoxo Ambiental. Jornal do Brasil, 11/02/ ) KELMAN, J. Preço justo. O Globo, Opinião, Rio de Janeiro, 07/11/2005.

16 31) KELMAN, J. Gargalos do licenciamento ambiental brasileiro. Valor Econômico, Opinião, A10, São Paulo, 26, 27 e 28/08/ ) KELMAN, J. A tarifa da Light é justa. O Globo, Rio de Janeiro, 03/03/05. 33) KELMAN, J. Revisão tarifária e o interesse do consumidor, Valor Econômico, Opinião, São Paulo, 02/03/05. 34) KELMAN, J. Aneel responde. O Globo, Cartas dos Leitores, Rio de Janeiro, 11/02/05. 35) KELMAN, J. Aneel. Jornal do Brasil, Opinião, Cartas ao Editor, Rio de Janeiro, A10, 11/02/05. 36) KELMAN, J. Hidropirataria na Amazônia. Folha do Meio Ambiente, Ponto de Vista, ano 15, n 152, Brasília, outubro de ) KELMAN, J. Sobre torneiras e tribunais. O Estado de São Paulo, Espaço Aberto, São Paulo, 19/07/04. 38) KELMAN, J. Falha sistêmica e culpa individual. Gazeta Mercantil, Opinião, São Paulo, 12/07/04. 39) KELMAN, J. O IBGE das Águas. Correio Braziliense, Brasília, 17/05/04. 40) KELMAN, J. Água potável: o Brasil precisa acabar com a cultura da abundância. Folha do Meio Ambiente, Brasília, ano 14, n 145, março de ) KELMAN, J. Cartas dos Leitores. O Globo, Rio de Janeiro, 06/01/04. 42) KELMAN, J. Uma proposta: cobrar pela água confiável. O Globo, Rio de Janeiro, 02/12/03. 43) KELMAN, J. Vai faltar água. O Globo, Rio de Janeiro, 27/10/03. 44) KELMAN, J. As águas do São Francisco. O Globo, Rio de Janeiro, 22/05/03. 45) KELMAN, J. Os responsáveis e os irresponsáveis. O Globo, Opinião, Rio de Janeiro, 11/04/03. 46) KELMAN, J. Guanabara continua poluída. Gazeta Mercantil, Opinião, 17/09/02. 47) KELMAN, J & CARVALHO, J. C. Uma agenda para Johannesburgo. O Globo, Rio de Janeiro, 06/08/02. 48) KELMAN, J. Como melhorar a água do Rio? Jornal do Brasil, Opinião, Rio de Janeiro, 02/12/01. 49) DOMINGUES, A. F. & KELMAN, J. A revitalização do rio São Francisco. Agência Estado, 05/10/01. 50) KELMAN, J. Em tempo de escassez. Revista Galileu Vivendo e Aprendendo, ano X, n. 119, jun ) KELMAN, J. A ANA e o projeto de lei de saneamento. O Estado de São Paulo, São Paulo, 08/05/01. 52) KELMAN, J. & PEREIRA, D. É possível ter rios limpos. Valor Econômico, Opinião, São Paulo, 20/04/01. 53) KELMAN, J. Os rumos do debate da água. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 03/04/01. 54) KELMAN, J. Como salvar nossos rios. Projetos de Marketing, 22/03/01. 55) KELMAN, J. & FREITAS, M. A. V. Regras que garantem o uso pleno da água. Gazeta Mercantil, Análises e Perspectivas, 22/03/01. 56) KELMAN, J. & DOMINGUES, A. F. O Aqüífero Guarani e o Mercosul. O Estado de São Paulo, São Paulo, 12/03/01.

17 57) KELMAN, J. A Agência Nacional de Águas. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 07/10/99. 58) KELMAN, J. A Privatização da CEDAE. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 11/11/98. 59) KELMAN, J. Água para o Semi-Árido Nordestino. O Globo, Rio de Janeiro, 08/09/98. 60) KELMAN, J. Bosque da Freguesia. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 30/04/98. 61) KELMAN, J. Três Cheias, um Século. O Globo, Rio de Janeiro, 07/03/98. 62) KELMAN, J. Barra no Verão. O Globo, Rio de Janeiro, 10/10/97. 63) KELMAN, J. Furnas. O Globo, Cartas dos Leitores, Rio de Janeiro, 11/09/97. 64) KELMAN, J & KELMAN, C. A. Contratos de Gestão Já! O Tempo, Atualidades, Belo Horizonte, 11/07/97. 65) KELMAN, J. Judiciário. O Globo, Rio de Janeiro, 06/03/96. 66) KELMAN, J. Licitações. O Globo, Cartas dos Leitores, Rio de Janeiro, 03/07/96. 67) KELMAN, J. Corte de Árvores. O Globo, Cartas dos Leitores, Rio de Janeiro, 21/06/95. 68) KELMAN, J. Privatização do Setor Elétrico. O Globo, Rio de Janeiro, 11/10/95. 69) KELMAN, J. Cargo de Aluguel. O Globo, Rio de Janeiro, 25/06/95. 70) KELMAN, J. Barba, Cabelo e Bigode. O Globo, Rio de Janeiro, 01/06/95. 71) KELMAN, J. São Francisco. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 11/10/94. 72) KELMAN, J. Lixo e Inundações. Jornal do Commercio, Rio de Janeiro, 19/08/94. 73) KELMAN, J. O Serviço Público. O Dia, Opinião/Internacional, Rio de Janeiro, 26/07/94. 74) KELMAN, J. Meio Ambiente e Processo Democrático. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 10/06/94. 75) KELMAN, J. Boicote. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 31/05/93. 76) KELMAN, J. Círculos em Torno de uma Favela. Boletim Associação Brasileira de Recursos Hídricos - ABRH, Opinião, 2º semestre ) KELMAN, J. Pela Diminuição das Vagas. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 20/07/90. 78) KELMAN, J. Estado Palestino é a Única Saída para Israel. Jornal do Brasil, O Leitor Especial, Rio de Janeiro, 22/08/82. 2) Atividades profissionais 1965 Auxiliar de Escritório da Probal Tintas S.A. 1969/1970 Programador de Computadores da Montreal Engenharia S.A. 1970/1971 Monitor do Instituto de Matemática da UFRJ na Cadeira de Cálculo Numérico

18 Estagiário do Núcleo de Estudos Saturnino de Brito Consultor de Hidrologia do CNEC 1970/1973 Auxiliar de Pesquisa da COPPE/UFRJ Professor do curso Aplicação de Computadores à Hidráulica, para alunos do último ano do curso de Engenharia Civil da UFRJ, especialização em Hidráulica Auxiliar de Ensino da COPPE/UFRJ. Pesquisa na área de Hidrologia Determinística (modelagem do processo chuva x vazão) 1973 Professor de Física do 1º e do 2º Curso de Pesquisadores em Educação Física e Desportos, patrocinado pelo Laboratório de Fisiologia do Exercício, Instituto de Ciências Biomédicas da UFRJ Professor Assistente da COPPE/UFRJ - (Pós-Graduação em Engenharia) 1973/1976 Bolsista do CNPq em Colorado State University (EUA) - desenvolvimento de estudos e pesquisa na área de Hidrologia Estocástica e Recursos Hídricos 1976/1991 Pesquisador do Centro de Pesquisas de Energia Elétrica CEPEL, da Eletrobrás. 1976/... Professor da COPPE/UFRJ 1986/87 Engenheiro Senior da Pacific Gas and Electric Co. - San Francisco, California - Desenvolvimento de modelos matemáticos para Departamento de Geração e para Departamento de Operação. 1988/92 Consultor da Pacific Gas and Electric Co. - San Francisco, California - Desenvolvimento do programa BOSS - Basin Optimization and Operation System. Basin Optimization and Simulation System BOSS. Jerson Kelman, Ailton M. Vieira e Jery R. Stedinger. October /97 Diretor de Estudos Hidrológicos e Projetos, da Diretoria de Recursos Hídricos, da Fundação Superintendência Estadual de Rios e Lagoas SERLA. Direção técnica do componente de macro-drenagem do Programa Reconstrução- Rio: obras nas bacias da Baixada Fluminense financiadas pelo Banco Mundial e pela Caixa Econômica Federal (custo do empreendimento US$ 150 milhões). Realizaram-se três tipos de obras: (i) (ii) (iii) 1991/1993 aperfeiçoamento da capacidade de escoamento dos rios e canais; construção de duas barragens de contenção de cheias; remoção de obstáculos ao escoamento, principalmente pontes mal dimensionadas. Consultor Principal em Hidrologia do Projeto PARSEICA (financiamento do BID -Banco Interamericano de Desenvolvimento) para integração elétrica dos seis países da América Central: Panamá, Costa Rica, Nicarágua, Honduras, El Salvador e Guatemala. 1993/98 Consultor de ISA - Interconexión Eléctrica S.A., Medellin, Colombia

19 Consultor do Banco Mundial para projetos de recursos hídricos no Ceará (PROURB), consistindo na construção de cerca de 40 barragens e 40 adutoras, para garantir a sustentabilidade hídrica de cidades do interior. 1993/93 Membro da Comissão de Estudos Integrados da Bacia do Rio Paraíba do Sul. Consultor do Banco Mundial para projetos de recursos hídricos no Peru 1995/96 Membro da Comissão Especial da Matriz Energética Estadual - CEME, instituída pelo Decreto n , de 13 de março de 1995, representando a Secretaria de Estado do Meio Ambiente. 1997/99 Consultor do Banco Mundial para o projeto PROÁGUA, de estabelecimento de uma política de gestão de recursos hídricos na Região Nordeste do Brasil Consultor do Governo do Estado do Paraná para a implementação da associação de usuários do Alto Iguaçú. Consultor do Ministério de Meio Ambiente, dos Recursos Hídricos e da Amazônia Legal para regulamentação da Lei 9433/97 ( Lei das Águas ). Consultor da Escelsa - Espírito Santo Centrais Elétricas S.A., a partir de 1998: saneamento e recursos hídricos Membro do board de consultores do Banco Mundial ( Blue Ribbon Panel ), relacionado ao equacionamento econômico-financeiro da usina hidroelétrica bi-nacional Yacyreta (Argentina e Paraguai). 1998/... Professor do curso Master of Business and Environment - MBE, da COPPE-UFRJ. 1999/2000 Assessor Especial do Ministro de Estado do Meio Ambiente, dedicado à concepção da Agência Nacional de Águas ANA. Participação na Comitiva Brasileira junto à missão do BIRD, para discutir projetos de interligação de Bacias Hidrográficas dos Estados Unidos: Colorado Big Thompson e Windy gap (rio Colorado) e projetos na Califórnia (California Water Project e Central Arizona Project) Consultor do Comitê Técnico Assessor para a América Latina (SAMTAC) 2000/2005 Diretor-Presidente da Agência Nacional de Águas ANA Coordenador da Comissão de Análise do Sistema Hidrotérmico de Energia Elétrica que diagnosticou as causas do racionamento de 2001 ( Relatório Kelman ). 2005/2009 Diretor-Geral da Agência Nacional de Energia Elétrica ANEEL Sócio da BR- Investimentos Membro do Conselho Consultivo Internacional da Abengoa Presidente do Grupo Light

20 Interventor na Enersul (Companhia de Energia Elétrica de Mato Grosso do Sul) 3) Participação em colegiados Comissão de Análise do Sistema Hidrotérmico de Energia Elétrica Conselho Nacional de Recursos Hídricos - CNRH Conselho Nacional de Política Energética - CNPE Conselho Nacional do Meio Ambiente CONAMA Comitê Científico da Semana Mundial da Água em Estocolmo Comitê de Energia da Academia Nacional de Engenharia ANE Conselho Superior de Infraestrutura da Federação da Indústria do Estado de São Paulo FIESP Conselho de Energia da FIRJAN Força Tarefa Segurança Hídrica da Global Water Partnership - GWP e da Organisation for Economic Co-operation and Development OECD Conselho Consultivo da ABENGOA Conselho Curador da Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável - FBDS Associação Brasileira de Hidrologia e Recursos Hídricos/ABRH (presidente, 1987/89). International Water Resources Association/IWRA (fellow, 2000) Comitê Gestor de International Hydropower Association - IHA Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico - CMSE Governing Board of the UNESCO-IHE/Institute for Water Education Editorial board de Issues in Water Resource Policy Núcleo Executivo do Comitê de Revitalização do Setor Elétrico Comitê Gestor da Crise Energética Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas Grupo de Trabalho do Governo Federal para formulação do Projeto de Lei de Diretrizes Gerais para Saneamento Comitê de Assessoramento do CNPq Corpo Consultivo do Banco Mundial para Water Resources Experience and Strategy Special International Advisory Panel for the Bi-National Yacyreta Hydroelectric Project Steering Committee" de Global Water Partnership Comissão de Acompanhamento do Programa Baixada Viva Comissão Especial da Matriz Energética do Estado do Rio de Janeiro Comitê Internacional da Conferência Internacional de Hidrologia e Recursos Hídricos, Delhi, Índia Comitê Internacional da Conferência em Honra ao Prof. T. E. Unny sobre Métodos Estatísticos e Estocásticos em Hidrologia e Engenharia Ambiental, Universidade de Waterloo, Canadá Comitê do Programa Internacional da Conferência sobre Aplicação de Análise de Sistemas a Recursos Hídricos e Recursos do Solo, IFAC, Lisboa Comitê Internacional do Handbook of Hydrology, publicado pela McGraw Hill

A COPPE observada a meia distância. Jerson Kelman

A COPPE observada a meia distância. Jerson Kelman A COPPE observada a meia distância Jerson Kelman O início Meu pai ficou decepcionado quando anunciei que havia decidido ser programador de computadores da COPPE. A alternativa seria um estágio sofisticado

Leia mais

MUDANÇAS DO CLIMA E OS RECURSOS HÍDRICOS. São Carlos, 25 de fevereiro de 2010

MUDANÇAS DO CLIMA E OS RECURSOS HÍDRICOS. São Carlos, 25 de fevereiro de 2010 MUDANÇAS DO CLIMA E OS RECURSOS HÍDRICOS São Carlos, 25 de fevereiro de 2010 A BACIA HIDROGRÁFICA COMO UNIDADE DE PLANEJAMENTO OCUPAÇÃO DA BACIA HIDROGRÁFICA O DESMATAMENTO DAS BACIAS OCUPAÇÃO DA BACIA

Leia mais

Aspectos de mudanças climáticas no componente hidrológico dos projetos e operação de barragens

Aspectos de mudanças climáticas no componente hidrológico dos projetos e operação de barragens Aspectos de mudanças climáticas no componente hidrológico dos projetos e operação de barragens Mesa redonda: Mudanças Climáticas (ClimateChanges) XXVIII Seminário Nacional de Grandes Barragens Rio de Janeiro.

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 131, DE 11 DE MARÇO DE 2003

RESOLUÇÃO Nº 131, DE 11 DE MARÇO DE 2003 RESOLUÇÃO Nº 131, DE 11 DE MARÇO DE 2003 Dispõe sobre procedimentos referentes à emissão de declaração de reserva de disponibilidade hídrica e de outorga de direito de uso de recursos hídricos, para uso

Leia mais

Curso de Gestão de Águas Pluviais

Curso de Gestão de Águas Pluviais Curso de Gestão de Águas Pluviais Capítulo 4 Prof. Carlos E. M. Tucci Prof. Dr. Carlos E. M. Tucci Ministério das Cidades 1 Capítulo 4 Gestão Integrada Conceito Marcos Mundiais, Tendência e Estágio Institucional

Leia mais

PROGRAMAÇÃO. Terça-feira, 23 de fevereiro de 2010. Quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

PROGRAMAÇÃO. Terça-feira, 23 de fevereiro de 2010. Quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010 PROGRAMAÇÃO Chegada dos participantes Terça-feira, 23 de fevereiro de 2010 Quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010 09:30-10:30 Cerimônia de abertura Coordenação: José Galizia Tundisi 10:30-11:10 Mudanças

Leia mais

- SEMINÁRIO SEGURANÇA HÍDRICA - CENÁRIO DO ESTADO DE MINAS GERAIS

- SEMINÁRIO SEGURANÇA HÍDRICA - CENÁRIO DO ESTADO DE MINAS GERAIS - SEMINÁRIO SEGURANÇA HÍDRICA - CENÁRIO DO ESTADO DE MINAS GERAIS Eng. Mário Cicareli Pinheiro POTAMOS Engenharia e Hidrologia Ltda. mario.cicareli@potamos.com.br Belo Horizonte, 27 de março de 2014 SUMÁRIO

Leia mais

CARACTERÍSTICAS DO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SIN

CARACTERÍSTICAS DO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SIN 2 CARACTERÍSTICAS DO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SIN 2.1 VOCAÇÃO À HIDROELETRICIDADE O sistema de produção e transmissão de energia elétrica do Brasil Sistema Interligado Nacional (SIN) pode ser classificado

Leia mais

AVALIAÇÃO DA ENERGIA SECUNDÁRIA DE SISTEMAS HIDRELÉTRICOS UNICAMP

AVALIAÇÃO DA ENERGIA SECUNDÁRIA DE SISTEMAS HIDRELÉTRICOS UNICAMP GOP / 3 17 a 22 de Outubro de 1999 Foz do Iguaçu Paraná - Brasil GRUPO IX GRUPO DE ESTUDO DE OPERAÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS (GOP) AVALIAÇÃO DA ENERGIA SECUNDÁRIA DE SISTEMAS HIDRELÉTRICOS Marcelo Augusto

Leia mais

XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GRUPO VII GRUPO DE ESTUDO DE PLANEJAMENTO DE SISTEMAS ELÉTRICOS - GPL

XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GRUPO VII GRUPO DE ESTUDO DE PLANEJAMENTO DE SISTEMAS ELÉTRICOS - GPL XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA Versão 1.0 GPL VII 22 a 25 Novembro de 2009 Recife - PE GRUPO VII GRUPO DE ESTUDO DE PLANEJAMENTO DE SISTEMAS ELÉTRICOS - GPL

Leia mais

Valor Setorial Energia (Valor Econômico) 15/04/2015 Garantia para o sistema

Valor Setorial Energia (Valor Econômico) 15/04/2015 Garantia para o sistema Valor Setorial Energia (Valor Econômico) 15/04/2015 Garantia para o sistema Duas importantes medidas foram anunciadas no fim de março pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para tornar mais

Leia mais

LINHAS DE TRANSMISSÃO DE ENERGIA LTE

LINHAS DE TRANSMISSÃO DE ENERGIA LTE LINHAS DE TRANSMISSÃO DE ENERGIA LTE Aula 1 Conhecendo o Setor Elétrico Brasileiro Aula 1: Conhecendo o Setor Elétrico Brasileiro Prof. Fabiano F. Andrade 2011 Tópicos da Aula Histórico do Ambiente Regulatório

Leia mais

Ailton Francisco da Rocha 2 ; Genival Nunes Silva 3

Ailton Francisco da Rocha 2 ; Genival Nunes Silva 3 ESTUDO DE CASO D0 PROJETO DE GESTÃO INTEGRADA DE ÁGUAS URBANAS DO MUNICÍPIO DE ARACAJU/SE 1 Ailton Francisco da Rocha 2 ; Genival Nunes Silva 3 RESUMO: A definição de saneamento básico dada pela Lei nº

Leia mais

BOLETIM DE MONITORAMENTO DA BACIA DO ALTO PARAGUAI

BOLETIM DE MONITORAMENTO DA BACIA DO ALTO PARAGUAI BOLETIM DE MONITORAMENTO DA BACIA DO ALTO PARAGUAI v.6, n. 01, jan. 2011 Bol. Mon. Bacia do Alto Paraguai, Brasília, v. 6, n. 01, p. 1-21, jan. 2011 República Federativa do Brasil Dilma Vana Rousseff Presidenta

Leia mais

I WORKSHOP DE PREVISÃO DE VAZÕES. PREVISÃO DE VAZÕES COM O MODELO CPINS Cálculo e Previsão de Vazões Naturais e Incrementais a Sobradinho

I WORKSHOP DE PREVISÃO DE VAZÕES. PREVISÃO DE VAZÕES COM O MODELO CPINS Cálculo e Previsão de Vazões Naturais e Incrementais a Sobradinho I WORKSHOP DE PREVISÃO DE VAZÕES PREVISÃO DE VAZÕES COM O MODELO CPINS Cálculo e Previsão de Vazões Naturais e Incrementais a Sobradinho Luana F. Gomes de Paiva ; Giovanni C. L. Acioli RESUMO Este trabalho

Leia mais

Turma 15: Espanhol - 17/08 à 30/08/2015 Turma 16: 17/08 à 30/08/2015. À distância Turma 31: 07/09 à 20/09/2015 Turma 32: 07/09 à 20/09/2015

Turma 15: Espanhol - 17/08 à 30/08/2015 Turma 16: 17/08 à 30/08/2015. À distância Turma 31: 07/09 à 20/09/2015 Turma 32: 07/09 à 20/09/2015 Cursos: Água Conhecimento para Gestão Saiba mais em: https://www.aguaegestao.com.br/br/lista-completa-de-cursos Curso Modalidade Inscrições Vagas Realização À distância Turma 15: 03/08 à 16/08/ Turma 15:

Leia mais

Queda da capacidade de geração de. energia elétrica no Brasil

Queda da capacidade de geração de. energia elétrica no Brasil Queda da capacidade de geração de energia elétrica no Brasil Luan Maximiano de Oliveira da Costa 1,2 Resumo: Energias renováveis representam em média 18% da energia consumida no mundo. Devido à necessidade

Leia mais

- DIMENSIONAMENTO DE VERTEDOUROS -

- DIMENSIONAMENTO DE VERTEDOUROS - V CONGRESSO BRASILEIRO DE MINA A CÉU C U ABERTO ASPECTOS CRÍTICOS DE PROJETO PARA FECHAMENTO DE BARRAGENS DE REJEITOS - DIMENSIONAMENTO DE VERTEDOUROS - MÁRIO CICARELI PINHEIRO Engenheiro Civil, especialidade

Leia mais

BRASIL: A ESCASSEZ HÍDRICA E SEUS IMPACTOS ECONÔMICOS

BRASIL: A ESCASSEZ HÍDRICA E SEUS IMPACTOS ECONÔMICOS BRASIL: A ESCASSEZ HÍDRICA E SEUS IMPACTOS ECONÔMICOS 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 Panorama Hídrico O Brasil é muito rico em recursos hídricos......mas

Leia mais

Water resources management and metering regulation A gestão de recursos hídricos e a regulação da medição de água Gisela Forattini

Water resources management and metering regulation A gestão de recursos hídricos e a regulação da medição de água Gisela Forattini Water resources management and metering regulation A gestão de recursos hídricos e a regulação da medição de água Gisela Forattini A Gestão de Recursos Hídricos H e a Regulação da Medição de Água Situação

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 12, DE 03 DE SETEMBRO DE 2008.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 12, DE 03 DE SETEMBRO DE 2008. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 12, DE 03 DE SETEMBRO DE 2008. Dispõe sobre procedimentos referentes à emissão de Declaração de Reserva de Disponibilidade Hídrica (DRDH) e de outorga de direito de uso de recursos

Leia mais

Perspectivas da Comunidade Energética no Mundo e na América Latina

Perspectivas da Comunidade Energética no Mundo e na América Latina Perspectivas da Comunidade Energética no Mundo e na América Latina FURNAS, 29/08/2012 Desafios da Indústria Elétrica na América Latina É natural pensar na interligação da região! Sob o ponto de vista energético,

Leia mais

Águas de Minas e Energia a Contribuição de Minas para o Sistema Elétrico Importância dos Reservatórios de Cabeceira.

Águas de Minas e Energia a Contribuição de Minas para o Sistema Elétrico Importância dos Reservatórios de Cabeceira. Águas de Minas e Energia a Contribuição de Minas para o Sistema Elétrico Importância dos Reservatórios de Cabeceira. 1 Sumário Produção de Energia Elétrica no Brasil e o no Mundo Características de Usinas

Leia mais

Rio São Francisco ERROS DA TRANSPOSIÇÃO

Rio São Francisco ERROS DA TRANSPOSIÇÃO Rio São Francisco ERROS DA TRANSPOSIÇÃO Bacia do São Francisco Irrigação na bacia do rio Potencial irrigável cerca de 1 milhão de hectares Efetivamente irrigados cerca de 340 mil hectares e em constante

Leia mais

CONSEQÜÊNCIAS QUE A FALTA DE ENERGIA ELÉTRICA PROVENIENTE DA ARGENTINA PODE TRAZER AO BRASIL

CONSEQÜÊNCIAS QUE A FALTA DE ENERGIA ELÉTRICA PROVENIENTE DA ARGENTINA PODE TRAZER AO BRASIL SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GME - 9 16 a 21 Outubro de 25 Curitiba - Paraná GRUPO VI GRUPO DE ESTUDOS DE MERCADO DE ENERGIA ELÉTRICA GME CONSEQÜÊNCIAS QUE A

Leia mais

Órgão de Coordenação: Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia e do Meio Ambiente SECTMA

Órgão de Coordenação: Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia e do Meio Ambiente SECTMA 12.4 SISTEMA DE GESTÃO PROPOSTO 12.4.1 ASPECTOS GERAIS O Sistema de Gestão proposto para o PERH-PB inclui órgãos da Administração Estadual, Administração Federal, Sociedade Civil e Usuários de Água, entre

Leia mais

Prof. Marcos Aurélio Vasconcelos de Freitas (mfreitas@ivig.coppe.ufrj.br) Instituto Virtual Internacional de Mudanças Globais IVIG/COPPE/UFRJ

Prof. Marcos Aurélio Vasconcelos de Freitas (mfreitas@ivig.coppe.ufrj.br) Instituto Virtual Internacional de Mudanças Globais IVIG/COPPE/UFRJ Formação e Capacitação de Recursos Humanos p/exploração de Recursos Energéticos e Geração de Energia Prof. Marcos Aurélio Vasconcelos de Freitas (mfreitas@ivig.coppe.ufrj.br) Instituto Virtual Internacional

Leia mais

Energia Competitiva para o Nordeste: Energia Limpa e Renovável

Energia Competitiva para o Nordeste: Energia Limpa e Renovável MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA Energia Competitiva para o Nordeste: Energia Limpa e Renovável Gilberto Hollauer Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético Abril de 2015 1 Sumário Política Energética

Leia mais

Norma Interna: Ajuste Curricular

Norma Interna: Ajuste Curricular Norma Interna: Ajuste Curricular A RESOLUÇÃO Nº 61/08-CEPE fixa o currículo do MESTRADO e DOUTORADO acadêmico em Engenharia de Recursos Hídricos e Ambiental da Universidade Federal do Paraná. Este currículo

Leia mais

Slobodan P. Simonović, Ph.D., P.Eng.

Slobodan P. Simonović, Ph.D., P.Eng. Professor e Titular de Pesquisas Department of Civil and Env. Engineering Institute for Catastrophic Loss Reduction The University of Western Ontario London, Ontario, N6A 5B9 (519)661-4075/4271 office

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DE ILHAMENTO ELÉTRICO EM REDES DE TRANSMISSÃO DE ENERGIA

IDENTIFICAÇÃO DE ILHAMENTO ELÉTRICO EM REDES DE TRANSMISSÃO DE ENERGIA UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ELETROTÉCNICA CURSO DE ENGENHARIA INDUSTRIAL ELÉTRICA ELETROTÉCNICA ANA CARLA CORDEIRO MICHEL ADOLPHO SLEDER ROSS IDENTIFICAÇÃO DE ILHAMENTO

Leia mais

BOLETIM DE NOTÍCIAS. Janela de Negócios. Market News. Edital do Leilão de Geração A-1 entra em audiência pública. 5 de outubro de 2015

BOLETIM DE NOTÍCIAS. Janela de Negócios. Market News. Edital do Leilão de Geração A-1 entra em audiência pública. 5 de outubro de 2015 BOLETIM DE NOTÍCIAS Janela de Negócios Demanda de Energia I5: Períodos de Suprimento Montante em (MW médios) Ideia de preço (NÃO É PROPOSTA) 1º trimestre 2016 Até 5 R$185/MWm Demanda de Energia Convencional:

Leia mais

XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA Versão 1.0 22 a 25 Novembro de 2009 Recife - PE GRUPO -GGH GRUPO DE ESTUDO DE GERAÇÃO HIDAÚLICA - GGH IMPACTOS NA GERAÇÃO DE ENERGIA,

Leia mais

Mudanças climáticas globais e recursos hídricos com enfoque para as bacias hidrográficas

Mudanças climáticas globais e recursos hídricos com enfoque para as bacias hidrográficas Mudanças climáticas globais e recursos hídricos com enfoque para as bacias hidrográficas Emília Hamada Pesquisador, Embrapa Meio Ambiente, Jaguariúna - SP A mudança climática global começou a ser discutida

Leia mais

Agência Nacional de Águas. Desafios, necessidades e perspectivas na formação e capacitação de recursos humanos na exploração de recursos hídricos

Agência Nacional de Águas. Desafios, necessidades e perspectivas na formação e capacitação de recursos humanos na exploração de recursos hídricos Agência Nacional de Águas Superintendência de Apoio à Gestão de Recursos Hídricos Desafios, necessidades e perspectivas na formação e capacitação de recursos humanos na exploração de recursos hídricos

Leia mais

A importância das hidroelétricas para um Brasil competitivo

A importância das hidroelétricas para um Brasil competitivo A importância das hidroelétricas para um Brasil competitivo Jerson Kelman 14º Encontro de Energia Matriz Segura e Competitiva FIESP 05 de agosto de 2013 Revista Justiça & Cidadania O Paradoxo Ambiental

Leia mais

Segurança Hídrica. Encob- 2015 Caldas Novas. Marília Carvalho de Melo Especialista em Recursos Hídricos

Segurança Hídrica. Encob- 2015 Caldas Novas. Marília Carvalho de Melo Especialista em Recursos Hídricos Segurança Hídrica Encob- 2015 Caldas Novas Marília Carvalho de Melo Especialista em Recursos Hídricos Tópicos a serem abordados -Conceito de Segurança Hídrica -O Brasil no contexto internacional -O Panorama

Leia mais

DIRETRIZES ESTRATÉGICAS DO CTHIDRO. Prof. Dr. Carlos Eduardo Morelli Tucci

DIRETRIZES ESTRATÉGICAS DO CTHIDRO. Prof. Dr. Carlos Eduardo Morelli Tucci DIRETRIZES ESTRATÉGICAS DO CTHIDRO Prof. Dr. Carlos Eduardo Morelli Tucci Abril 2013 1 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 3 1.1 INSTRUMENTOS LEGAIS PARA A CRIAÇÃO DO CTHIDRO... 3 1.2 OBJETIVOS DO CT-HIDRO... 3 1.3

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES GEOMORFOLÓGICAS E HIDROGEOGRÁFICAS ÀS REFLEXÕES SOBRE A TRANSPOSIÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

CONTRIBUIÇÕES GEOMORFOLÓGICAS E HIDROGEOGRÁFICAS ÀS REFLEXÕES SOBRE A TRANSPOSIÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO CONTRIBUIÇÕES GEOMORFOLÓGICAS E HIDROGEOGRÁFICAS ÀS REFLEXÕES SOBRE A TRANSPOSIÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO Fernando Souza Damasco 1 ; Caio Araujo Varela 2 fernandodamasco@hotmail.com 1 Universidade Federal

Leia mais

CURRÍCULO PROFISSIONAL

CURRÍCULO PROFISSIONAL CURRÍCULO PROFISSIONAL 1. INFORMAÇÕES PESSOAIS Nome : EDILBERTO MAURER. Data de Nascimento: 11 de março de 1942 Local de Nascimento: Curitiba Paraná - Brasil. Estado Civil: Casado. Telefone: 55 41 3324-8411.

Leia mais

AVALIAÇÃO DA RELEVÂNCIA DOS PARÂMETROS INTERVENIENTES NO CONSUMO DE ÁGUA NA CIDADE DE MARINGÁ. Rodrigo Fernandes Junqueira 1

AVALIAÇÃO DA RELEVÂNCIA DOS PARÂMETROS INTERVENIENTES NO CONSUMO DE ÁGUA NA CIDADE DE MARINGÁ. Rodrigo Fernandes Junqueira 1 AVALIAÇÃO DA RELEVÂNCIA DOS PARÂMETROS INTERVENIENTES NO CONSUMO DE ÁGUA NA CIDADE DE MARINGÁ Rodrigo Fernandes Junqueira 1 Paulo José Alves Lourenço 2 Sandro Rogério Lautenschlager 3 RESUMO Neste trabalho

Leia mais

Possíveis Aprimoramentos na Formação do PLD Preço de Liquidação das Diferenças no Mercado Brasileiro

Possíveis Aprimoramentos na Formação do PLD Preço de Liquidação das Diferenças no Mercado Brasileiro Possíveis Aprimoramentos na Formação do PLD Preço de Liquidação das Diferenças no Mercado Brasileiro Brasilia, 23 de setembro de 2008 Roberto Castro Assessor da VP Gestão de Energia CPFL Energia Agenda

Leia mais

Dinâmica Empresarial e Mecanismo de Formação de Preço Seminário Internacional de Integração Energética Brasil Colômbia

Dinâmica Empresarial e Mecanismo de Formação de Preço Seminário Internacional de Integração Energética Brasil Colômbia Dinâmica Empresarial e Mecanismo de Formação de Preço Seminário Internacional de Integração Energética Brasil Colômbia Antônio Carlos Fraga Machado Presidente do Conselho de Administração da CCEE 15 de

Leia mais

3 Modelo Computacional NEWAVE 3.1 Planejamento da Operação Energética Brasileira

3 Modelo Computacional NEWAVE 3.1 Planejamento da Operação Energética Brasileira 3 Modelo Computacional NEWAVE 3.1 Planejamento da Operação Energética Brasileira O Brasil apresenta o sistema de geração de energia predominante hídrico, com as usinas dispostas em cascata. Este sistema

Leia mais

Luiz Pinguelli Rosa. SEMINÁRIO Florianópolis, junho de 2015. O Setor Elétrico no Contexto da Política de Energia e Mudança Climática

Luiz Pinguelli Rosa. SEMINÁRIO Florianópolis, junho de 2015. O Setor Elétrico no Contexto da Política de Energia e Mudança Climática SEMINÁRIO Florianópolis, junho de 2015 O Setor Elétrico no Contexto da Política de Energia e Mudança Climática Luiz Pinguelli Rosa Diretor da COPPE UFRJ * Secretário do Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas

Leia mais

Gestão Integrada de Águas Urbanas

Gestão Integrada de Águas Urbanas Gestão Integrada de Águas Urbanas Prof. Carlos E. M. Tucci Consultor do Banco Mundial São Paulo 4 a 6 de dezembro de 2012 1 Impactos Aumento da magnitude das vazões e da frequência de inundações; Aumento

Leia mais

O SETOR DE ENERGIA ELÉTRICA NO BRASIL HOJE. Evandro Leite Vasconcelos Diretor de Energia e de Desenvolvimento de Negócios

O SETOR DE ENERGIA ELÉTRICA NO BRASIL HOJE. Evandro Leite Vasconcelos Diretor de Energia e de Desenvolvimento de Negócios 1 O SETOR DE ENERGIA ELÉTRICA NO BRASIL HOJE Evandro Leite Vasconcelos Diretor de Energia e de Desenvolvimento de Negócios ESTRUTURA SETORIAL CARACTERIZAÇÃO DO SISTEMA ELÉTRICO BRASILEIRO 3 PRINCIPAIS

Leia mais

II SEMINÁRIO NACIONAL PEQUENAS CENTRAIS HIDRELÉTRICAS E MICROGERAÇÃO

II SEMINÁRIO NACIONAL PEQUENAS CENTRAIS HIDRELÉTRICAS E MICROGERAÇÃO MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA II SEMINÁRIO NACIONAL PEQUENAS CENTRAIS HIDRELÉTRICAS E MICROGERAÇÃO Luiz Eduardo Barata Secretário-Executivo CÂMARA DOS DEPUTADOS Brasília, 22 de setembro de 2015 Energia

Leia mais

Os investimentos no setor elétrico e as mudanças sociais e econômicas no Brasil

Os investimentos no setor elétrico e as mudanças sociais e econômicas no Brasil Os investimentos no setor elétrico e as mudanças sociais e econômicas no Brasil Jerson Kelman PEC COPPE UFRJ APINE 07 de novembro de 2013 1) Concessão de bacias hidrográficas para uso múltiplo de recursos

Leia mais

Utilização do Google Earth e Google Maps na CEMIG

Utilização do Google Earth e Google Maps na CEMIG Utilização do Google Earth e Google Maps na CEMIG Roberto Proença da Silva Carlos Alberto Moura Companhia Energética de Minas Gerais - CEMIG Superintendência de Tecnologia da Informação - TI Gerência de

Leia mais

Diálogo Latino-Americano para as Melhores Práticas no Desenvolvimento de Grandes Hidrelétricas

Diálogo Latino-Americano para as Melhores Práticas no Desenvolvimento de Grandes Hidrelétricas CIER Comisión de Integración Energética Regional www.cier.org.uy Global Sustainable Electricity Partnership www.globalelectricity.org Diálogo Latino-Americano para as Melhores Práticas no Desenvolvimento

Leia mais

CMMC PLANO DE TRABALHO PARA 2015

CMMC PLANO DE TRABALHO PARA 2015 CMMC PLANO DE TRABALHO PARA 2015 Desde 2007, o Congresso Nacional intensificou o acompanhamento e o debate das questões que se referem aos cenários de mudanças climáticas, divulgados pelos relatórios do

Leia mais

Modelagem Climática LAMMA/NACAD/LAMCE Histórico e Projetos Futuros. Marcio Cataldi

Modelagem Climática LAMMA/NACAD/LAMCE Histórico e Projetos Futuros. Marcio Cataldi Estado da Arte da Modelagem Climática no Brasil COPPE/UFRJ- RJ Modelagem Climática LAMMA/NACAD/LAMCE Histórico e Projetos Futuros Marcio Cataldi Operador Nacional do Sistema Elétrico ONS Universidade Federal

Leia mais

GrandAmazon. Energia para o futuro Os desafios da sustentabilidade. Wilson Ferreira Jr. e Miguel Saad 16/03/2012

GrandAmazon. Energia para o futuro Os desafios da sustentabilidade. Wilson Ferreira Jr. e Miguel Saad 16/03/2012 GrandAmazon Energia para o futuro Os desafios da sustentabilidade Wilson Ferreira Jr. e Miguel Saad 16/03/2012 A alta complexidade do sistema elétrico brasileiro traz 3 grandes desafios para a política

Leia mais

A CRISE ENERGÉTICA NO BRASIL: HISTÓRICO E SITUAÇÃO ATUAL

A CRISE ENERGÉTICA NO BRASIL: HISTÓRICO E SITUAÇÃO ATUAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AGRÍCOLA DISCIPLINA: SEMINÁRIO IA A CRISE ENERGÉTICA NO BRASIL: HISTÓRICO E SITUAÇÃO ATUAL KENYA GONÇALVES NUNES ENGENHEIRA AGRÔNOMA

Leia mais

MÓDULO I Gerenciamento Integrado de Recursos Hídricos Conceitos

MÓDULO I Gerenciamento Integrado de Recursos Hídricos Conceitos MÓDULO I Gerenciamento Integrado de Recursos Hídricos Conceitos Neste módulo você conhecerá os conceitos que envolvem o gerenciamento integrado de recursos hídricos, compreendendo a sua importância e quais

Leia mais

ENASE Hotel Sofitel Rio de Janeiro, 29 de setembro de 2009 Agências reguladoras

ENASE Hotel Sofitel Rio de Janeiro, 29 de setembro de 2009 Agências reguladoras ENASE Hotel Sofitel Rio de Janeiro, 29 de setembro de 2009 Agências reguladoras Confiabilidade no fornecimento de energia elétrica Concessões e autorizações Cálculo tarifário Oportunidades para Parceria

Leia mais

José Galizia Tundisi tundisi@iie.com.br www.iie.com.br São Paulo, 25 de Março, 2015

José Galizia Tundisi tundisi@iie.com.br www.iie.com.br São Paulo, 25 de Março, 2015 José Galizia Tundisi tundisi@iie.com.br www.iie.com.br São Paulo, 25 de Março, 2015 SEGURANÇA HÍDRICA NÚMEROS GLOBAIS ACESSIBILIDADE UNESCO / JULHO 2014 Extensão de serviço à todos ainda inexistente.

Leia mais

IV-048 - A GESTÃO PARTICIPATIVA DA ÁGUA NA BACIA DO RIO PARAÍBA DO SUL DURANTE A ESTIAGEM 2003/04

IV-048 - A GESTÃO PARTICIPATIVA DA ÁGUA NA BACIA DO RIO PARAÍBA DO SUL DURANTE A ESTIAGEM 2003/04 IV-048 - A GESTÃO PARTICIPATIVA DA ÁGUA NA BACIA DO RIO PARAÍBA DO SUL DURANTE A ESTIAGEM 2003/04 André Pinhel Soares (1) M.Sc. Formado em Engenharia Sanitária pela UERJ, em 1998, concluiu, em 2003, o

Leia mais

Reservatórios: queda nos estoques Aumento das restrições ambientais para UHEs reduz volume de armazenamento para menos de um ano

Reservatórios: queda nos estoques Aumento das restrições ambientais para UHEs reduz volume de armazenamento para menos de um ano Page 1 of 5 Reservatórios: queda nos estoques Aumento das restrições ambientais para UHEs reduz volume de armazenamento para menos de um ano Carolina Medeiros, da Agência CanalEnergia, Reportagem Especial

Leia mais

"CURRICULUM VITAE" 5. CARTEIRA DE IDENTIDADE: Nº 34.150, expedida pelo Ministério da Aeronáutica

CURRICULUM VITAE 5. CARTEIRA DE IDENTIDADE: Nº 34.150, expedida pelo Ministério da Aeronáutica "CURRICULUM VITAE" 1. NOME: Ivan Müller Botelho 2. FILIAÇÃO: Ormeo Junqueira Botelho Dora Müller Botelho 3. NATURALIDADE: Leopoldina (MG) 4. DATA DE NASCIMENTO: 16 de março de 1934 5. CARTEIRA DE IDENTIDADE:

Leia mais

Curso Técnico Logística. Curso Técnico Segurança do Trabalho. Engenharia Sustentável: Desenvolvimento de um Filtro para Reaproveitamento da Água.

Curso Técnico Logística. Curso Técnico Segurança do Trabalho. Engenharia Sustentável: Desenvolvimento de um Filtro para Reaproveitamento da Água. Curso Técnico Logística Alunos Logística: Mayara Cristina Lima Macena e Túlio de Moura Carneiro Curso Técnico Segurança do Trabalho Alunos Tec. Segurança do Trab.: Cristovão Costa Barbosa e Lucas Marçal

Leia mais

Entrevista Jorge M. Samek Diretor Geral Brasileiro - Itaipu Binacional Curitiba, 13 de abril de 2015

Entrevista Jorge M. Samek Diretor Geral Brasileiro - Itaipu Binacional Curitiba, 13 de abril de 2015 1 Entrevista Jorge M. Samek Diretor Geral Brasileiro - Itaipu Binacional Curitiba, 13 de abril de 2015 P - O que significa para a Itaipu Binacional, para Foz do Iguaçu e região trinacional (Argentina,

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIO. 1. Busca e Análise Ambiental. 1.1 Ambiente Interno

PLANO DE NEGÓCIO. 1. Busca e Análise Ambiental. 1.1 Ambiente Interno PLANO DE NEGÓCIO A Grael Consultoria e Assessoria é a denominação de uma empresa que se dedica à prestação de serviços em Sistemas de Gestão Empresarial, voltada à empresas, órgão públicos e entidades

Leia mais

12. SISTEMA DE GESTÃO DO PERH/PB 12.1 ASPECTOS INSTITUCIONAIS DOS PLANOS DE RECURSOS HÍDRICOS

12. SISTEMA DE GESTÃO DO PERH/PB 12.1 ASPECTOS INSTITUCIONAIS DOS PLANOS DE RECURSOS HÍDRICOS 12. SISTEMA DE GESTÃO DO PERH/PB 12.1 ASPECTOS INSTITUCIONAIS DOS PLANOS DE RECURSOS HÍDRICOS Os Planos de Recursos Hídricos estão previstos nos Artigos 6 a 8 da Lei Federal N 9.433, de 08.01.97, onde

Leia mais

IEP815 Política Ambiental, Descentralização e Qualidade de Vida Profa. Estela Neves

IEP815 Política Ambiental, Descentralização e Qualidade de Vida Profa. Estela Neves Objetivo: O objetivo do curso é familiarizar os alunos com a base teórica, marcos conceituais e questões operacionais da política ambiental no âmbito municipal, para capacitá-los para analisar propostas

Leia mais

O Mercado de Energia Eólica E e no Mundo

O Mercado de Energia Eólica E e no Mundo O Mercado de Energia Eólica E no Brasil e no Mundo Audiência Pública P - Senado Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle Brasília/DF 19 de junho de 2008 Energia: importância

Leia mais

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010 27 de setembro a de outubro de 2 COMPARAÇÃO DOS MÉTODOS DOS MOMENTOS E DA MÁXIMA VEROSSSIMILHANÇA PARA ESTIMATIVA DOS PARÂMETROS DA DISTRIBUIÇÃO DE PROBABILIDADE WEIBULL LIDIANE APARECIDA BORGES, CARLOS

Leia mais

PARQUE EÓLICO NO RIO DE JANEIRO, POR QUE NÃO?

PARQUE EÓLICO NO RIO DE JANEIRO, POR QUE NÃO? PARQUE EÓLICO NO RIO DE JANEIRO, POR QUE NÃO? Adriana Amadeu Garcia Torres Adriana de Oliveira Martins Cidália de Paula Valente Clara Rosa Magalhães da Silva Introdução Se a qualidade de vida do homem

Leia mais

Tratados internacionais sobre o meio ambiente

Tratados internacionais sobre o meio ambiente Tratados internacionais sobre o meio ambiente Conferência de Estocolmo 1972 Preservação ambiental X Crescimento econômico Desencadeou outras conferências e tratados Criou o Programa das Nações Unidas para

Leia mais

ESTUDO DE VAZÕES E COTAS EM UMA BACIA HIDROGRÁFICA, CEARÁ, BRASIL

ESTUDO DE VAZÕES E COTAS EM UMA BACIA HIDROGRÁFICA, CEARÁ, BRASIL ESTUDO DE VAZÕES E COTAS EM UMA BACIA HIDROGRÁFICA, CEARÁ, BRASIL B. P. H. G. Cardoso 1 ; F. F de. Araújo 2 RESUMO: Este trabalho objetivou possibilitar um levantamento estatístico das vazões e cotas de

Leia mais

XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GRUPO IX GRUPO DE ESTUDO DE OPERAÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS - GOP

XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GRUPO IX GRUPO DE ESTUDO DE OPERAÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS - GOP XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA Versão. XXX.YY a 5 Novembro de 9 Recife - PE GRUPO IX GRUPO DE ESTUDO DE OPERAÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS - GOP COMPATIBILIDADE

Leia mais

Este caderno contém exercícios de fixação e passatempos sobre os temas: Água no cotidiano - Módulo 1. A oferta de água - Módulo 2

Este caderno contém exercícios de fixação e passatempos sobre os temas: Água no cotidiano - Módulo 1. A oferta de água - Módulo 2 professor Este caderno contém exercícios de fixação e passatempos sobre os temas:. Mapa conceitual sobre Água: Água no cotidiano - Módulo que são em três estados físicos A oferta de água - Módulo 2 é encontrada

Leia mais

A Suframa e o desenvolvimento do setor energético regional Manaus Novembro de 2009

A Suframa e o desenvolvimento do setor energético regional Manaus Novembro de 2009 Interligação Tucuruí Macapá Manaus: integração da Amazônia ao SIN A Suframa e o desenvolvimento do setor energético regional Manaus Novembro de 2009 Objetivos do modelo do Setor Elétrico Segurança no Modicidade

Leia mais

João José Ferreira Forni Palestras e Debates Participação como palestrante ou debatedor nos seguintes eventos:

João José Ferreira Forni Palestras e Debates Participação como palestrante ou debatedor nos seguintes eventos: João José Ferreira Forni Palestras e Debates Participação como palestrante ou debatedor nos seguintes eventos: 1997/1998 1. O relacionamento institucional da imprensa. - Palestra para Gerentes e executivos

Leia mais

V Conferência da RELOP - Associação de Reguladores de Energia dos Países de Língua Oficial Portuguesa

V Conferência da RELOP - Associação de Reguladores de Energia dos Países de Língua Oficial Portuguesa V Conferência da RELOP - Associação de Reguladores de Energia dos Países de Língua Oficial Portuguesa Aspetos regulatórios da energia renovável no Brasil Fernando Colli Munhoz Assessor Sup. de Regulação

Leia mais

Mikaelly Nayara Santos (*), Alessandra Ribeiro de Moraes * Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), mikaellynayara@hotmail.

Mikaelly Nayara Santos (*), Alessandra Ribeiro de Moraes * Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), mikaellynayara@hotmail. ANÁLISE DOS TRABALHOS APRESENTADOS NAS EDIÇÕES DO CONGRESSO BRASILEIRO DE GESTÃO AMBIENTAL SOBRE OS TEMAS GESTÃO AMBIENTAL EM SANEAMENTO E RECURSOS HÍDRICOS. Mikaelly Nayara Santos (*), Alessandra Ribeiro

Leia mais

Francis Lacerda MUDANÇAS CLIMÁTICAS E IMPACTOS NO ARARIPE

Francis Lacerda MUDANÇAS CLIMÁTICAS E IMPACTOS NO ARARIPE Francis Lacerda MUDANÇAS CLIMÁTICAS E IMPACTOS NO ARARIPE Introdução O recém divulgado relatório do IPCC AR5 sobre a base científica das mudanças climáticas conclui, com acima de 90% de confiança, que

Leia mais

ANÁLISE MULTITEMPORAL DO PADRÃO DE CHUVAS NA ZONA OESTE DO RIO DE JANEIRO NO ÂMBITO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS

ANÁLISE MULTITEMPORAL DO PADRÃO DE CHUVAS NA ZONA OESTE DO RIO DE JANEIRO NO ÂMBITO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS ANÁLISE MULTITEMPORAL DO PADRÃO DE CHUVAS NA ZONA OESTE DO RIO DE JANEIRO NO ÂMBITO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS ALMEIDA, Paula Maria Moura de (Orientadora) 1 KOVAC, Marcel da Silva 2 Palavras-chave: Precipitação.

Leia mais

Reed Exhibitions Alcantara Machado & Reed Expositions France

Reed Exhibitions Alcantara Machado & Reed Expositions France Reed Exhibitions Alcantara Machado & Reed Expositions France Estrutura do grupo Reed Elsevier REED EXHIBITIONS Alcance Global 500 eventos por ano 43 países 43 setores da economia 7 milhões de visitantes

Leia mais

Encontro Técnico AESABESP - FENASAM 26o. Congresso Nacional de Saneamento e Meio Ambiente A CRISE DA ÁGUA E SUAS CONSEQUÊNCIAS NO SÉCULO XXI

Encontro Técnico AESABESP - FENASAM 26o. Congresso Nacional de Saneamento e Meio Ambiente A CRISE DA ÁGUA E SUAS CONSEQUÊNCIAS NO SÉCULO XXI Encontro Técnico AESABESP - FENASAM 26o. Congresso Nacional de Saneamento e Meio Ambiente A CRISE DA ÁGUA E SUAS CONSEQUÊNCIAS NO SÉCULO XXI MR ÁGUA E ENERGIA: O DESAFIO DA SUSTENTABILIDADE Eduardo Mario

Leia mais

MESA REDONDA ÁGUA: ESCASSEZ, USO RACIONAL

MESA REDONDA ÁGUA: ESCASSEZ, USO RACIONAL MESA REDONDA ÁGUA: ESCASSEZ, USO RACIONAL IV SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE ENGENHARIA DE SAÚDE PÚBLICA Rodrigo Flecha Superintendente de Gestão de Recursos Hídricos 18 de março de 2013 Belo Horizonte/MG ESTRUTURA

Leia mais

Projetos de Pesquisa e Desenvolvimento Enerpeixe

Projetos de Pesquisa e Desenvolvimento Enerpeixe Projetos de Pesquisa e Desenvolvimento Enerpeixe 1 SUMÁRIO PROJETOS ESTRATÉGICOS... 3 Linha de Pesquisa 1... 5 Linha de Pesquisa 2... 6 Linha de Pesquisa 3... 7 Linha de Pesquisa 4... 8 PROJETOS PRÓPRIOS...

Leia mais

Neam Sul - Núcleo de Educação Ambiental Sul

Neam Sul - Núcleo de Educação Ambiental Sul Seminário Socioambiental Água Fonte de Vida PURA Programa de Uso Racional da Água Unidade de Negócio Sul Sabesp Neam Sul - Núcleo de Educação Ambiental Sul Panorama Mundial - Escassez A SOBREVIVÊNCIA DA

Leia mais

Desafios do Setor MineroMetalúrgico Impactos das crises hídrica e energética na mineração e siderurgia. Patrícia Boson tita@uaigiga.com.

Desafios do Setor MineroMetalúrgico Impactos das crises hídrica e energética na mineração e siderurgia. Patrícia Boson tita@uaigiga.com. Desafios do Setor MineroMetalúrgico Impactos das crises hídrica e energética na mineração e siderurgia Patrícia Boson tita@uaigiga.com.br Outubro de 2015 CENÁRIO DA ESCASSEZ HÍDRICA Fórum Econômico Mundial

Leia mais

feam engebio 129 ANEXO F Planilha Check List Uberlândia

feam engebio 129 ANEXO F Planilha Check List Uberlândia feam engebio 126 feam engebio 127 feam engebio 128 feam engebio 129 ANEXO F Planilha Check List Uberlândia feam engebio 130 feam engebio 131 feam engebio 132 feam engebio 133 REFERÊNCIAS ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA

Leia mais

Energia e Meio Ambiente Política de Energia e Mudança Climática: Histórico, Perspectivas e Alternativas. Luiz Pinguelli Rosa

Energia e Meio Ambiente Política de Energia e Mudança Climática: Histórico, Perspectivas e Alternativas. Luiz Pinguelli Rosa Luiz Pinguelli Rosa O BRASIL NO CONTEXTO DA AMÉRICA LATINA E A QUESTÃO DA ESQUERDA NO GOVERNO Superar a identificação da esquerda estritamente com o socialismo de tipo soviético O QUADRO POLÍTICO NACIONAL,

Leia mais

ANÁLISE DA PRECIPITAÇÃO DA ESTAÇÃO DA EMBRAPA SEMIARIDO, PROJETO BEBEDOURO PRETOLINA/PE, ATRAVÉS DA TÉCNICA DE QUANTIS

ANÁLISE DA PRECIPITAÇÃO DA ESTAÇÃO DA EMBRAPA SEMIARIDO, PROJETO BEBEDOURO PRETOLINA/PE, ATRAVÉS DA TÉCNICA DE QUANTIS ANÁLISE DA PRECIPITAÇÃO DA ESTAÇÃO DA EMBRAPA SEMIARIDO, PROJETO BEBEDOURO PRETOLINA/PE, ATRAVÉS DA TÉCNICA DE QUANTIS Iug Lopes¹; Miguel Júlio Machado Guimarães²; Juliana Maria Medrado de Melo³. ¹Mestrando

Leia mais

INFLUÊNCIA DO REGIME SAZONAL DE VAZÕES NAS DISPONIBILIDADES HÍDRICAS DE RESERVATÓRIOS

INFLUÊNCIA DO REGIME SAZONAL DE VAZÕES NAS DISPONIBILIDADES HÍDRICAS DE RESERVATÓRIOS INFLUÊNCIA DO REGIME SAZONAL DE VAZÕES NAS DISPONIBILIDADES HÍDRICAS DE RESERVATÓRIOS José Nilson B. Campos 1 ; Luiz Sérgio Vasconcelos do Nascimento 2 ; Dyego Galdino Barcelos 3 e Ticiana Marinho de Carvalho

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS EDUCAÇÃO AMBIENTAL E GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS EDUCANDO PARA UM AMBIENTE MELHOR Apresentação A Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos do Rio Grande do Norte SEMARH produziu esta

Leia mais

INSTITUTO DE ENGENHARIA

INSTITUTO DE ENGENHARIA INSTITUTO DE ENGENHARIA DISCUSSÕES INTERNAS SOBRE A SITUAÇÃO ATUAL E FUTURA DOS RECURSOS HÍDRICOS DA MACROMETRÓPOLE PAULISTA. CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES. AGOSTO 2014 RECURSOS HIDRICOS PARA A MACROMETROPOLE

Leia mais

Currículo. Carlos Roberto Vriesman. Engenheiro Eletricista Consultor

Currículo. Carlos Roberto Vriesman. Engenheiro Eletricista Consultor Currículo Carlos Roberto Vriesman Engenheiro Eletricista Consultor Out./2011 Currículo 1 - Tempo de Experiência Profissional 1.1 Tempo no cargo atual: Função: Superintendente desde 03.01.2011 Cargo: Engenheiro

Leia mais

Capítulo 21 Meio Ambiente Global. Geografia - 1ª Série. O Tratado de Kyoto

Capítulo 21 Meio Ambiente Global. Geografia - 1ª Série. O Tratado de Kyoto Capítulo 21 Meio Ambiente Global Geografia - 1ª Série O Tratado de Kyoto Acordo na Cidade de Kyoto - Japão (Dezembro 1997): Redução global de emissões de 6 Gases do Efeito Estufa em 5,2% no período de

Leia mais

CURSO EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA EM RECURSOS HUMANOS UFRJ

CURSO EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA EM RECURSOS HUMANOS UFRJ CURSO EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA EM RECURSOS HUMANOS UFRJ APRESENTAÇÃO A UFRJ traz para BH, através da Mérito Escola de Negócios, o curso de extensão universitária nível pós graduação em Recursos Humanos.

Leia mais

VI ENCONTRO NACIONAL DA ABRAPCH A importância da Geração Distribuída num momento de crise energética

VI ENCONTRO NACIONAL DA ABRAPCH A importância da Geração Distribuída num momento de crise energética VI ENCONTRO NACIONAL DA ABRAPCH A importância da Geração Distribuída num momento de crise energética Copel Distribuição S.A Vlademir Daleffe 25/03/2015 1 VI ENCONTRO NACIONAL DA ABRAPCH 1. Composição tarifária

Leia mais

Workshop Internacional Transientes Hidráulicos: uma abordagem inovadora e prática

Workshop Internacional Transientes Hidráulicos: uma abordagem inovadora e prática CONVITE O EVENTO Você está convidado a participar do sobre Transientes Hidráulicos: uma, a realizar-se nos dias 02 e 03 de dezembro de 2013, no auditório da Faculdade de Engenharia Civil da Universidade

Leia mais

RELATÓRIO ABEGÁS MERCADO E DISTRIBUIÇÃO. Ano II - Nº 07 - Janeiro/2008

RELATÓRIO ABEGÁS MERCADO E DISTRIBUIÇÃO. Ano II - Nº 07 - Janeiro/2008 RELATÓRIO ABEGÁS MERCADO E DISTRIBUIÇÃO Ano II - Nº 07 - Janeiro/2008 Sumário Panorama... 4 Estatísticas e Mercado... 5 Expediente Diretoria Executiva ABEGÁS - Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras

Leia mais

consultor saneamento ambiental

consultor saneamento ambiental saneamento ambiental A ENGECORPS é uma empresa de engenharia consultiva pronta a responder a todos os desafios da retomada e manutenção de crescimento do país e globalização da economia. Interessada em

Leia mais

O PLANEJAMENTO NO SETOR ELÉTRICO

O PLANEJAMENTO NO SETOR ELÉTRICO O PLANEJAMENTO NO SETOR ELÉTRICO Mario Veiga mario@psr-inc.com Seminário FBDS - Desafios Ambientais no Novo Modelo do Setor Elétrico Rio, 01 de Abril de 2005 1 Temário Visão geral do sistema elétrico Perspectivas

Leia mais

Apresentação CEI. Perspectivas no mercado de energia fotovoltaica

Apresentação CEI. Perspectivas no mercado de energia fotovoltaica Apresentação CEI Perspectivas no mercado de energia fotovoltaica A CEI é produtora independente de energia em MG, com 9 usinas em operação, 15 empreendimentos hidrelétricos em desenvolvimento (130MW) e

Leia mais