PROJETO RUMOS DA INDÚSTRIA PAULISTA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROJETO RUMOS DA INDÚSTRIA PAULISTA"

Transcrição

1 PROJETO RUMOS DA INDÚSTRIA PAULISTA AVALIAÇÃO DO 1º SEMESTRE E PERSPECTIVAS PARA O 2º SEMESTRE DE 2014 Agosto/2014 Esta pesquisa tem como objetivo avaliar o desempenho do primeiro semestre de 2014, as expectativas das empresas com relação ao estre de 2014 e os efeitos da Copa do Mundo sobre as expectativas das empresas. Os dados foram coletados entre os dias 14 de julho e 04 de agosto de 2014 com 587 empresas. O porte das empresas é composto por: Micro/Pequenas (até 99 empregados): 57,6% (338 empresas); Médias (de 100 a 499 empregados): 34,1% (200 empresas); s (500 ou mais empregados): 8,3% (49 empresas). AVALIAÇÃO DO 1º SEMESTRE E PERSPECTIVAS PARA O 2º SEMESTRE Para 67,0% das empresas pesquisadas, o estre de 2014 foi pior que o estre de Para 16,9%, ele foi melhor e, para 16,1%, ele foi igual. Para um percentual maior das empresas de pequeno porte, o estre deste ano foi pior (69,3% das pequenas e 61,2% das grandes). O estre de 2014 em relação ao estre do ano anterior por porte Pior 69,3% 64,6% 61,2% 67,0% Melhor 15,8% 18,0% 20,4% 16,9% Igual 14,9% 17,4% 18,4% 16,1% Na comparação com a mesma pesquisa realizada em anos anteriores, o percentual de empresas que teve um estre pior que o do ano anterior é o maior da série, iniciada em 2005, sendo quase 10 pontos percentuais maior que 2012, o segundo maior da série, conforme tabela abaixo. 1

2 O estre em relação ao estre do ano anterior série histórica Pior 38,0% 44,0% 27,0% 20,8% 14,1% 17,0% 40,0% 57,3% 42,0% 67,0% Melhor 37,0% 28,0% 48,0% 57,8% 14,1% 64,2% 40,6% 20,4% 34,9% 16,9% Igual 25,0% 28,0% 25,0% 21,4% 71,8% 18,8% 19,4% 22,3% 23,1% 16,1% Para 42,1% das empresas pesquisadas, o volume de produção teve queda no estre de 2014 em relação ao estre de 2013, para 25,0%, ele teve queda acentuada, para 17,3%, foi igual, para 14,2%, teve aumento e, para 1,4%, teve aumento acentuado. Quanto às vendas no mercado interno, 40,3% das empresas indicaram queda no estre deste ano em relação ao mesmo período do ano passado, 28,8% indicaram queda acentuada, 15,1% indicaram que foram iguais, 14,4% indicaram aumento, e 1,4% indicaram aumento acentuado. Para 32,2% das empresas exportadoras que participaram da pesquisa, as exportações do 1º semestre de 2014 apresentaram queda em relação às do estre do ano passado, para 31,4%, elas foram iguais, para 18,8%, elas apresentaram queda acentuada, para 16,6%, aumento e, para 0,9%, aumento acentuado. O estre de 2014 em relação ao estre do ano anterior por porte Volume de produção Aumento acentuado 2,1% 0,5% 0,0% 1,4% Aumento 13,6% 13,8% 20,4% 14,2% Foram iguais 12,9% 23,5% 22,4% 17,3% Queda 41,9% 43,3% 38,8% 42,1% Queda acentuada 29,5% 18,9% 18,4% 25,0% Vendas no mercado interno Aumento acentuado 1,9% 1,0% 0,0% 1,4% Aumento 12,4% 15,5% 22,9% 14,4% Foram iguais 13,1% 18,0% 16,7% 15,1% Queda 38,3% 42,8% 43,7% 40,3% Queda acentuada 34,3% 22,7% 16,7% 28,8% 2

3 O estre de 2014 em relação ao estre do ano anterior por porte (continuação) Exportações Aumento acentuado 1,2% 0,9% 0,0% 0,9% Aumento 8,1% 21,7% 21,7% 16,6% Foram iguais 31,4% 31,1% 32,4% 31,4% Queda 36,0% 29,3% 32,4% 32,3% Queda acentuada 23,3% 17,0% 13,5% 18,8% Apenas o estre de 2009 apresentou resultados mais negativos que os deste ano. Enquanto em 2009, 70,7% indicavam queda ou queda acentuada de produção, este ano, foram 69,1%. Em 2009, 71,3% indicavam queda ou queda acentuada de vendas no mercado interno enquanto, este ano, foram 69,1%. Enquanto em 2009, 72,4% indicavam queda ou queda acentuada de exportações, este ano, foram 50,1%. Volume de produção Efetivo para os primeiros semestres de 2008 a Aumento acentuado 15,7% 2,9% 16,1% 4,0% 2,3% 4,2% 1,4% Aumento 46,1% 13,6% 46,8% 37,4% 19,4% 33,3% 14,2% Igual 16,1% 12,8% 18,8% 18,8% 19,4% 21,2% 17,3% Queda 18,0% 34,9% 12,6% 31,3% 36,3% 30,0% 42,1% Queda acentuada 4,1% 35,8% 5,7% 8,5% 22,6% 11,3% 25,0% Vendas no mercado interno Aumento acentuado 15,5% 2,3% 15,0% 4,3% 2,4% 3,0% 1,4% Aumento 47,9% 14,6% 48,9% 38,5% 21,2% 30,3% 14,4% Igual 16,2% 11,8% 17,1% 17,7% 17,1% 23,4% 15,1% Queda 15,3% 35,9% 12,7% 30,0% 35,7% 32,2% 40,3% Queda acentuada 5,1% 35,4% 6,3% 9,5% 23,6% 11,1% 28,8% 3

4 Exportações Efetivo para os primeiros semestres de 2008 a 2014 (continuação) Aumento acentuado 5,8% 1,9% 6,5% 2,8% 2,0% 3,0% 0,9% Aumento 18,4% 10,8% 31,8% 14,7% 19,6% 18,7% 16,6% Igual 29,9% 14,9% 36,4% 37,0% 34,3% 38,9% 31,4% Queda 24,1% 31,0% 15,6% 26,6% 28,4% 26,3% 32,3% Queda acentuada 21,8% 41,4% 9,7% 18,9% 15,7% 13,1% 18,8% A expectativa para o estre de 2014 em relação ao estre de 2013 para os negócios da empresa é pessimista para 34,8% das empresas pesquisadas, ela é indiferente para 32,0%, otimista para 22,1%, muito pessimista para 10,2% e muito otimista para 0,9%. O maior pessimismo em relação ao estre de 2014 independe do porte da empresa: 45,5% das pequenas estão pessimistas ou muito pessimistas; 44,9% das médias estão com esta mesma expectativa e 42,9% das grandes esperam um 2º semestre pior em Expectativa para o estre de 2014 em relação ao estre do ano anterior por porte Muito otimista 1,2% 0,0% 2,0% 0,9% Otimista 21,1% 23,2% 24,5% 22,1% Indiferente 32,2% 31,9% 30,6% 32,0% Pessimista 32,5% 38,7% 34,7% 34,8% Muito pessimista 13,0% 6,2% 8,2% 10,2% As empresas costumam ter uma expectativa predominantemente otimista em relação aos 2º semestres. Desde o início da série em 2005, menos de 30% das empresas estavam pessimistas ou muito pessimistas para o estre. Neste ano, no entanto, 45,0% das empresas estão pessimistas ou muito pessimistas. 4

5 Expectativa para o estre em relação ao estre do ano anterior série histórica Muito otimista 5,0% 3,0% 4,0% 4,8% 3,4% 2,8% 3,9% 1,1% 2,5% 0,9% Otimista 41,0% 44,0% 63,0% 59,1% 52,4% 67,6% 44,8% 38,1% 45,6% 22,1% Indiferente 27,0% 35,0% 22,0% 27,4% 29,4% 23,2% 32,5% 32,6% 29,8% 32,0% Pessimista 25,0% 15,0% 9,0% 7,7% 11,5% 5,7% 18,2% 24,4% 19,4% 34,8% Muito pessimista 2,0% 3,0% 2,0% 1,0% 3,3% 0,7% 0,6% 3,8% 2,7% 10,2% Quanto ao volume de produção para o estre de 2014 em relação a igual período de 2013, 40,0% das empresas acreditam que terá queda, 27,0% que será igual, 17,1% que terá aumento, 15,2% que terá queda acentuada e 0,7% que terá aumento acentuado. Quanto às vendas no mercado interno, a situação é semelhante: 39,6% acreditam que terão queda; 25,2% que serão iguais; 18,3% que terão aumento; 16,4% que terão queda acentuada e 0,5% que terão aumento acentuado. Por outro lado, a situação das exportações deverá estar mais próxima da estabilidade. Para 38,7% das empresas, as exportações do estre de 2014 serão iguais as do estre do ano passado, para 27,6%, elas sofrerão queda, para 20,4%, elas terão aumento, para 12,9%, elas sofrerão queda acentuada e, para 0,4%, apresentarão aumento acentuado. Expectativa para o estre de 2014 em relação ao estre do ano anterior por porte Volume de produção Aumento acentuado 0,9% 0,5% 0,0% 0,7% Aumento 16,9% 17,3% 18,4% 17,1% Serão iguais 27,1% 25,9% 30,6% 27,0% Queda 37,9% 43,6% 38,8% 40,0% Queda acentuada 17,2% 12,7% 12,2% 15,2% Vendas no mercado interno Aumento acentuado 0,6% 0,5% 0,0% 0,5% Aumento 16,9% 19,7% 22,4% 18,3% Serão iguais 27,1% 22,3% 24,5% 25,2% Queda 36,6% 43,5% 42,9% 39,6% Queda acentuada 18,8% 14,0% 10,2% 16,4% 5

6 Expectativa para o estre de 2014 em relação ao estre do ano anterior por porte (continuação) Exportações Aumento acentuado 0,0% 1,0% 0,0% 0,4% Aumento 11,8% 24,5% 29,0% 20,4% Serão iguais 41,2% 37,3% 36,8% 38,7% Queda 27,0% 28,4% 26,3% 27,6% Queda acentuada 20,0% 8,8% 7,9% 12,9% Na comparação temporal, nota-se as expectativas de queda e queda acentuada para o 2º semestre deste ano estão bastante mais elevadas que nos anos anteriores, alcançando 55,2% para volume de produção e 56,0% para as vendas no mercado interno. Para as exportações, por outro lado, as expectativas de queda e queda acentuada para o estre deste ano (40,5%) é inferior às de 2009 (51,5%) e às de 2011 (42,4%). Volume de produção Esperado para os segundos semestres de 2008 a Aumento acentuado 12,5% 5,1% 6,6% 1,8% 2,1% 2,7% 0,7% Aumento 50,3% 32,8% 60,4% 43,6% 28,7% 43,1% 17,1% Igual 23,2% 20,7% 23,2% 29,4% 29,2% 28,5% 27,0% Queda 12,0% 29,8% 8,4% 20,9% 30,2% 23,0% 40,0% Queda acentuada 2,0% 11,6% 1,4% 4,3% 9,8% 2,7% 15,2% Vendas no mercado interno Aumento acentuado 11,4% 5,3% 6,4% 2,2% 2,4% 2,8% 0,5% Aumento 51,0% 34,0% 60,7% 44,8% 29,3% 44,4% 18,3% Igual 24,2% 20,7% 23,1% 28,7% 27,8% 27,4% 25,2% Queda 11,4% 29,4% 8,8% 21,2% 30,4% 22,8% 39,6% Queda acentuada 2,0% 10,6% 1,0% 3,1% 10,1% 2,6% 16,4% 6

7 Exportações Esperado para os segundos semestres de 2008 a 2014 (continuação) Aumento acentuado 5,7% 2,6% 4,6% 0,7% 2,4% 3,0% 0,4% Aumento 18,3% 18,0% 37,9% 19,2% 22,4% 32,0% 20,4% Igual 33,8% 27,9% 39,9% 37,7% 42,0% 40,1% 38,7% Queda 24,7% 32,7% 11,1% 27,4% 23,9% 19,8% 27,6% Queda acentuada 17,5% 18,8% 6,5% 15,0% 9,3% 5,1% 12,9% Como as expectativas são principalmente de queda para a produção no estre, as empresas também não pretendem aumentar o quadro de empregados: 85,6% das empresas não pretendem realizar contratações de empregados no estre deste ano. Pretende realizar contratações de empregados no estre de 2014 por porte Sim 15,9% 11,1% 17,4% 14,4% Não 84,1% 88,9% 82,6% 85,6% Esse resultado, com apenas 14,4% das empresas pretendendo realizar contratações no 2º semestre, é o pior da série iniciada em Pretende realizar contratações de empregados no estre série histórica Sim 26,0% 35,0% 45,1% 28,9% 50,2% 31,6% 23,7% 27,8% 14,4% Não 74,0% 65,0% 54,9% 71,1% 49,8% 68,4% 76,3% 72,2% 85,6% O fechamento de vendas do ano de 2014 deve ser pior que o do ano passado para 60,0% das empresas pesquisadas, com uma queda esperada média de 22,6%, melhor para 19,6% das empresas, com um aumento médio de 14,6%, e deve ser igual para 20,4% das empresas. Na média, a variação esperada para o fechamento das vendas este ano é uma queda de 11%. Para todos os portes de empresas, o percentual que espera um fechamento de vendas este ano pior que o do ano passado é maior. No entanto, a queda esperada média é maior para as empresas de 7

8 menor porte. Com isso, na média, a variação esperada pelas empresas de pequeno porte é de -13%, pelas de médio porte é de -8% e pelas de grande porte é de -4%. Fechamento de vendas no ano de 2014 em relação ao ano anterior por porte Melhor 18,6% 20,0% 24,5% 19,6% Igual 18,6% 25,0% 14,3% 20,4% Pior 62,8% 55,0% 61,2% 60,0% % melhor 17,5% 10,5% 12,9% 14,6% % pior 26,5% 18,0% 12,5% 22,6% Variação média -13% -8% -4% -11% Desde o início da série em 2010, este ano teve o maior percentual de empresas que esperam um resultado pior que no ano anterior. Além disso, a variação esperada média para este ano também é mais negativa que nos anos anteriores, sendo que o único outro resultado negativo havia ocorrido em 2012, quando se esperava uma variação média de -6% das vendas no ano. Fechamento de vendas no ano em relação ao ano anterior série histórica Melhor 72,6% 45,8% 30,5% 48,4% 19,6% Igual 18,5% 27,1% 24,2% 25,1% 20,4% Pior 8,9% 27,1% 45,3% 26,5% 60,0% % melhor 21% 15% 16% 17% 14,6% % pior 21% 18% 23% 18% 22,6% Variação média 14% 2% -6% 3% -11% Em suma, para o estre deste ano, temos o maior o percentual da série iniciada em 2005 de empresas que teve um estre pior que o do ano anterior (67,0%), sendo quase 10 p.p. maior que 2012 (57,3%), o segundo maior da série. Além disso, cerca de dois terços das empresas que participaram da pesquisa indicaram queda ou queda acentuada do volume de produção (67,1%) e das vendas no mercado interno (69,1%) para os primeiros seis meses deste ano. 8

9 Quanto ao estre, as empresas costumam ter uma expectativa predominantemente otimista, com menos de 30% das empresas pessimistas ou muito pessimistas desde o início da série em Neste ano, no entanto, a situação se inverteu, 45,0% das empresas estão pessimistas ou muito pessimistas. Além disso, as expectativas de queda e queda acentuada para o estre deste ano estão bastante mais elevadas que nos anos anteriores, alcançando 55,2% para volume de produção e 56,0% para as vendas no mercado interno. Com expectativa de queda para a produção no estre, as empresas também não pretendem aumentar o quadro de empregados: 85,6% das empresas não pretendem realizar contratações de empregados no estre deste ano, pior resultado da série iniciada em Para o fechamento de vendas neste ano, as expectativas são principalmente de queda em relação ao ano passado, com uma variação esperada média de -11%. 9

10 EFEITO DA COPA DO MUNDO Durante a Copa do Mundo este ano, 63,6% das empresas pararam durantes os jogos do Brasil e as horas paradas foram compensadas em outros dias, 26,3% pararam durante os jogos e não compensaram as horas paradas, 5,6% pararam durante os jogos e compensaram as horas paradas no mesmo dia. Apenas 4,6% das empresas trabalharam normalmente durante a Copa, inclusive durante os jogos do Brasil. E 4,4% aproveitaram o período para dar férias coletivas a seus empregados. Algumas empresas (17,3%) também indicaram que por estarem localizadas em São Paulo, tiveram paralisação também durante o feriado no dia da abertura (12 de junho), enquanto outras (1,7%) trabalharam normalmente mesmo no feriado do dia da abertura. Os resultados não somam 100%, pois as empresas podiam marcar mais de uma alternativa. Como ocorreu a operação da empresa durante a Copa do Mundo este ano? (Resposta Múltipla) A empresa trabalhou normalmente durante a Copa, inclusive durante os jogos do Brasil As horas paradas durante os jogos do Brasil foram compensadas no mesmo dia As horas paradas durante os jogos do Brasil foram compensadas em outros dias As horas paradas durante os jogos do Brasil não foram nem serão compensadas Por estar localizada em São Paulo, também houve paralisação durante o feriado no dia da abertura (12/06) Apesar de estar localizada em São Paulo, trabalhou normalmente mesmo no feriado no dia da abertura A empresa aproveitou o período para dar férias coletivas a seus empregados 2,4% 4,5% 20,4% 4,6% 5,3% 7,0% 2,0% 5,6% 65,6% 61,8% 57,1% 63,6% 22,8% 30,2% 34,7% 26,3% 20,5% 12,6% 14,3% 17,3% 1,2% 3,0% 0,0% 1,7% 3,6% 5,0% 8,2% 4,4% Outros 4,5% 2,5% 4,1% 3,8% A paralisação da produção durante a Copa do Mundo impactou pouco os custos de 50,5% das empresas, impactou muito os custos de 21,9%, não impactou porque não houve paralisação para 7,7% e não impactou pois a produção já estava sendo reduzida por falta de demanda para 20,7% das empresas. 10

11 A paralisação da produção durante a Copa do Mundo teve impacto sobre os custos da empresa? (Resposta Múltipla) Impactou pouco 46,9% 54,3% 60,4% 50,5% Impactou muito 23,4% 21,6% 12,5% 21,9% Não impactou pois não houve paralisação da produção 6,2% 8,0% 16,7% 7,7% Não impactou pois a produção já estava sendo reduzida por falta de demanda 23,7% 16,6% 16,7% 20,7% Outros 0,9% 0,5% 2,1% 0,9% Quanto ao impacto da Copa do Mundo sobre o faturamento das empresas, o impacto foi grande e negativo para 38,3%, foi pequeno e negativo para 34,4%, não houve impacto pois as vendas já estavam baixas independentemente da Copa para 15,9%, não houve impacto pois as vendas ocorreram normalmente para 6,5%, não houve impacto pois as vendas foram antecipadas para 2,8%, foi pequeno e positivo para 2,4% e foi grande e positivo para 0,9%. A Copa do Mundo teve impacto sobre o faturamento da empresa? (Resposta Múltipla) Impactou pouco positivamente 2,4% 1,5% 6,5% 2,4% Impactou muito positivamente 0,9% 1,0% 0,0% 0,9% Impactou pouco negativamente 33,3% 34,7% 41,3% 34,4% Impactou muito negativamente 38,8% 39,3% 30,4% 38,3% Não impactou pois as vendas que ocorreriam no período da Copa foram antecipadas 2,4% 4,1% 0,0% 2,8% Não impactou pois as vendas ocorreram normalmente 4,8% 8,2% 10,9% 6,5% Não impactou pois as vendas já estavam baixas independentemente da Copa 18,2% 12,8% 13,0% 15,9% Outros 1,2% 1,5% 0,0% 1,2% Em suma, a maioria das empresas parou a produção durante os jogos do Brasil nesta Copa do Mundo, tendo as horas paradas compensadas em outros dias. Como as horas paradas foram 11

12 compensadas não houve um impacto muito grande sobre os custos das empresas. Quantas às vendas, no entanto o impacto foi maior, com 38,3% das empresas indicando um forte impacto negativo da Copa do Mundo sobre as suas vendas. Por outro lado, merece destaque o alto porcentual de empresas que indicam que a paralisação da produção durante os jogos da Copa do Mundo não afetou seus custos, pois a produção já estava sendo reduzida por falta de demanda (20,7%) e as que indicaram que a Copa do Mundo não afetou suas vendas que já estavam baixas independentemente da Copa (15,9%). 12

Pesquisa Expectativa dos Pequenos Negócios Gaúchos

Pesquisa Expectativa dos Pequenos Negócios Gaúchos Pesquisa Expectativa dos Pequenos Negócios Gaúchos Planejamento e Orçamento 3º trimestre/2014 Julho de 2014 Educação Empreendedora Consultoria Gestão Inovação Resultados 0800 570 0800 / www.sebrae-rs.com.br

Leia mais

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo.

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo. 1 MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo Abril / 2014 Metodologia 2 Metodologia 3 Técnica Pesquisa quantitativa,

Leia mais

Indústria. Prof. Dr. Rudinei Toneto Júnior Renata de Lacerda Antunes Borges

Indústria. Prof. Dr. Rudinei Toneto Júnior Renata de Lacerda Antunes Borges A Sondagem Industrial (SI) e o Índice de Confiança (ICEI) são elaborados pela unidade de Política Econômica da Confederação Nacional das s (CNI) em conjunto com as Federações das s dos 23 estados brasileiros

Leia mais

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo.

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo. 1 MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo Maio/ 2014 Metodologia 2 Metodologia 3 Técnica Pesquisa quantitativa,

Leia mais

Índice de Confiança do Agronegócio

Índice de Confiança do Agronegócio Índice de Confiança do Agronegócio Terceiro Trimestre 2014 Principais Resultados:» Índice de Confiança do Agronegócio» Índice da Indústria (antes e depois da porteira)» Índice do Produtor Agropecuário

Leia mais

Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC) NOVEMBRO/2013

Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC) NOVEMBRO/2013 16 de dezembro de 2013 Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC) NOVEMBRO/2013 O ICEC é um indicador da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) que visa medir o nível

Leia mais

Cesta básica tem alta moderada na maioria das capitais

Cesta básica tem alta moderada na maioria das capitais 1 São Paulo, 06 de julho de 2009. NOTA À IMPRENSA Cesta básica tem alta moderada na maioria das capitais Em junho, a Pesquisa Nacional da Cesta Básica, realizada pelo DIEESE - Departamento Intersindical

Leia mais

SONDAGEM INDUSTRIAL Dezembro de 2015

SONDAGEM INDUSTRIAL Dezembro de 2015 SONDAGEM INDUSTRIAL Dezembro de 2015 Indústria espera que as exportações cresçam no primeiro semestre de 2016 A Sondagem industrial, realizada junto a 154 indústrias catarinenses no mês de dezembro, mostrou

Leia mais

Cenário positivo. Construção e Negócios - São Paulo/SP - REVISTA - 03/05/2012-19:49:37. Texto: Lucas Rizzi

Cenário positivo. Construção e Negócios - São Paulo/SP - REVISTA - 03/05/2012-19:49:37. Texto: Lucas Rizzi Cenário positivo Construção e Negócios - São Paulo/SP - REVISTA - 03/05/2012-19:49:37 Texto: Lucas Rizzi Crescimento econômico, redução da pobreza, renda em expansão e dois grandes eventos esportivos vindo

Leia mais

Maxi Indicadores de Desempenho da Indústria de Produtos Plásticos do Estado de Santa Catarina Relatório do 4º Trimestre 2011 Análise Conjuntural

Maxi Indicadores de Desempenho da Indústria de Produtos Plásticos do Estado de Santa Catarina Relatório do 4º Trimestre 2011 Análise Conjuntural Maxi Indicadores de Desempenho da Indústria de Produtos Plásticos do Estado de Santa Catarina Relatório do 4º Trimestre 2011 Análise Conjuntural O ano de 2011 foi marcado pela alternância entre crescimento,

Leia mais

PESQUISA PULSO BRASIL FIESP/CIESP. Setembro/2015. Sumário

PESQUISA PULSO BRASIL FIESP/CIESP. Setembro/2015. Sumário PESQUISA PULSO BRASIL FIESP/CIESP CONSUMO Setembro/2015 Sumário Os brasileiros estão pouco estimulados a comprar em 2015. No primeiro semestre, houve um aumento dos que desistiram de comprar por falta

Leia mais

Índice de Confiança do Agronegócio

Índice de Confiança do Agronegócio Índice de Confiança do Agronegócio Primeiro Trimestre 2015 Principais Resultados:» Índice de Confiança do Agronegócio» Índice da Indústria (antes e depois da porteira)» Índice do Produtor Agropecuário

Leia mais

Setor Externo: Triste Ajuste

Setor Externo: Triste Ajuste 8 análise de conjuntura Setor Externo: Triste Ajuste Vera Martins da Silva (*) A recessão da economia brasileira se manifesta de forma contundente nos resultados de suas relações com o resto do mundo.

Leia mais

Pesquisa Trimestral de Condições de Crédito. Banco Central do Brasil Fevereiro de 2015

Pesquisa Trimestral de Condições de Crédito. Banco Central do Brasil Fevereiro de 2015 Pesquisa Trimestral de Condições de Crédito Banco Central do Brasil Fevereiro de 215 Indicadores de Condições de Crédito Objetivos: Verificar o sentimento dos últimos meses sobre o mercado de crédito e

Leia mais

Curitiba, 25 de agosto de 2010. SUBSÍDIOS À CAMPANHA SALARIAL COPEL 2010 DATA BASE OUTUBRO 2010

Curitiba, 25 de agosto de 2010. SUBSÍDIOS À CAMPANHA SALARIAL COPEL 2010 DATA BASE OUTUBRO 2010 Curitiba, 25 de agosto de 2010. SUBSÍDIOS À CAMPANHA SALARIAL COPEL 2010 DATA BASE OUTUBRO 2010 1) Conjuntura Econômica Em função dos impactos da crise econômica financeira mundial, inciada no setor imobiliário

Leia mais

PERSPECTIVAS DE VENDAS DE FLORES PARA O DIA DOS NAMORADOS DE 2015

PERSPECTIVAS DE VENDAS DE FLORES PARA O DIA DOS NAMORADOS DE 2015 PERSPECTIVAS DE VENDAS DE FLORES PARA O DIA DOS NAMORADOS DE 2015 SINDIFLORES Sindicato do Comércio Varejista de Flores e Plantas Ornamentais do Estado de São Paulo Hórtica Consultoria- Inteligência de

Leia mais

Rodobens é destaque no website Infomoney

Rodobens é destaque no website Infomoney Rodobens é destaque no website Infomoney Por: Conrado Mazzoni Cruz 19/04/07-09h55 InfoMoney SÃO PAULO - Atualmente, falar sobre o mercado imobiliário brasileiro é entrar na discussão sobre um possível

Leia mais

PAINEL. US$ Bilhões. nov-05 0,8 0,7 0,6 0,5 0,4 0,3 0,2 0,1

PAINEL. US$ Bilhões. nov-05 0,8 0,7 0,6 0,5 0,4 0,3 0,2 0,1 Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior ASSESSORIA ECONÔMICA PAINEL PRINCIPAIS INDICADORES DA ECONOMIA BRASILEIRA Número 68 1 a 15 de fevereiro de 211 ANÚNCIOS DE INVESTIMENTOS De

Leia mais

Maxi Indicadores de Desempenho da Indústria de Produtos Plásticos do Estado de Santa Catarina Relatório do 3º Trimestre 2011 Análise Conjuntural

Maxi Indicadores de Desempenho da Indústria de Produtos Plásticos do Estado de Santa Catarina Relatório do 3º Trimestre 2011 Análise Conjuntural Maxi Indicadores de Desempenho da Indústria de Produtos Plásticos do Estado de Santa Catarina Relatório do 3º Trimestre 2011 Análise Conjuntural O ano de 2011 está sendo marcado pela alternância entre

Leia mais

Construção encerra o ano em ritmo fraco

Construção encerra o ano em ritmo fraco SONDAGEM INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO Informativo da Confederação Nacional da Indústria Ano 4 Número 12 Dezembro de 2013 www.cni.org.br ISSN 2317-7322 Destaques ANÁLISE ECONÔMICA Dificuldade no acesso ao crédito

Leia mais

SONDAGEM INDUSTRIAL Março de 2015

SONDAGEM INDUSTRIAL Março de 2015 SONDAGEM INDUSTRIAL Março de 2015 A exportação se consolida como perspectiva positiva para os próximos meses A Sondagem industrial, realizada junto a 162 indústrias catarinenses no mês de março, mostrou

Leia mais

Ano I Boletim II Outubro/2015. Primeira quinzena. são específicos aos segmentos industriais de Sertãozinho e região.

Ano I Boletim II Outubro/2015. Primeira quinzena. são específicos aos segmentos industriais de Sertãozinho e região. O presente boletim analisa algumas variáveis chaves na atual conjuntura da economia sertanezina, apontando algumas tendências possíveis. Como destacado no boletim anterior, a indústria é o carro chefe

Leia mais

Produtividade Física do Trabalho na Indústria de Transformação em Outubro de 2015

Produtividade Física do Trabalho na Indústria de Transformação em Outubro de 2015 Produtividade Física do Trabalho na Indústria de Transformação em Outubro de 2015 Dezembro/2015 BRASIL A produtividade física do trabalho da Indústria de Transformação cresceu 0,3% em outubro de 2015,

Leia mais

ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 30 de Novembro de 2015

ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 30 de Novembro de 2015 Associação Brasileira de Supermercados Nº58 ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 30 de Novembro de 2015 Índice de Vendas acumula queda de -1,02% até outubro Vendas do setor

Leia mais

Perspectivas para novas contratações no Brasil voltam a cair para o próximo trimestre

Perspectivas para novas contratações no Brasil voltam a cair para o próximo trimestre EMBARGADO ATÉ 8 DE MARÇO DE 2016 Perspectivas para novas contratações no Brasil voltam a cair para o próximo trimestre As mais fracas intenções para contratações estão no estado do Rio de Janeiro e no

Leia mais

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA Indicadores CNI ISSN 27-702 Ano 5 Número 24 Agosto de 205 RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA Crise econômica I - Mercado de trabalho 24 Crise econômica muda relação de brasileiros com o mercado de trabalho

Leia mais

SIDERÚRGICA J. L. ALIPERTI S/A. INSTRUÇÃO CVM Nº 481 Anexo 9-1-II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO

SIDERÚRGICA J. L. ALIPERTI S/A. INSTRUÇÃO CVM Nº 481 Anexo 9-1-II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO SIDERÚRGICA J. L. ALIPERTI S/A INSTRUÇÃO CVM Nº 481 Anexo 9-1-II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO 1 Informar o lucro líquido do exercício - O montante do lucro líquido do exercício é de R$ 8.511.185,59 (oito

Leia mais

Expectativas dos Pequenos Negócios para 2015

Expectativas dos Pequenos Negócios para 2015 Expectativas dos Pequenos Negócios para 2015 Relatório Final Brasília, Novembro/2014 Método Objetivo geral: Levantar as expectativas para 2015 dos pequenos negócios atendidos pelo SEBRAE Método: Pesquisa

Leia mais

Ao longo dos anos 90, ocorreram diversas mudanças no mercado de trabalho

Ao longo dos anos 90, ocorreram diversas mudanças no mercado de trabalho RIO DE JANEIRO: TRABALHO E SOCIEDADE -Ano 1-Nº 1 JOVENS NO MERCADO DE TRABALHO DO RIO DE JANEIRO* 1. Introdução DANIELLE CARUSI MACHADO** Ao longo dos anos 90, ocorreram diversas mudanças no mercado de

Leia mais

Pesquisa de Qualidade de Vida 2015 ACIRP

Pesquisa de Qualidade de Vida 2015 ACIRP Pesquisa de Qualidade de Vida ACIRP Núcleo de Economia Qualidade de Vida Ribeirão Preto November 19, Resultados em : A Pesquisa de Qualidade de Vida da Associação Comercial e Industrial de Ribeirão Preto

Leia mais

O gráfico 1 mostra a evolução da inflação esperada, medida pelo IPCA, comparando-a com a meta máxima de 6,5% estabelecida pelo governo.

O gráfico 1 mostra a evolução da inflação esperada, medida pelo IPCA, comparando-a com a meta máxima de 6,5% estabelecida pelo governo. ANO 4 NÚMERO 31 OUTUBRO DE 2014 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO 1-CONSIDERAÇÕES INICIAIS O gerenciamento financeiro do governo, analisado de forma imparcial, se constitui numa das

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Outubro de 2015

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Outubro de 2015 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Outubro de 2015 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Outubro de 2015 Sumário Executivo Indicadores de confiança são indicadores

Leia mais

101/15 30/06/2015. Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados

101/15 30/06/2015. Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados 101/15 30/06/2015 Análise Setorial Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Junho de 2015 Sumário 1. Perspectivas do CenárioEconômico em 2015... 3 2. Balança Comercial de Março

Leia mais

Pesquisa do ManpowerGroup revela declínio nas expectativas de contratações no Brasil

Pesquisa do ManpowerGroup revela declínio nas expectativas de contratações no Brasil EMBARGOED UNTIL TUESDAY JUNE 09, 2015 AT 00.01 EST Pesquisa do ManpowerGroup revela declínio nas expectativas de contratações no Brasil A expectativa de contratação no Brasil chega a -3% para o próximo

Leia mais

USDA REAFIRMA DÉFICIT INTERNACIONAL EM 2015/16 - MERCADO REAGE TIMIDAMENTE

USDA REAFIRMA DÉFICIT INTERNACIONAL EM 2015/16 - MERCADO REAGE TIMIDAMENTE Boletim Semanal sobre Tendências de Mercados Ano XVII 30/novembro/2015 n. 603 USDA REAFIRMA DÉFICIT INTERNACIONAL EM 2015/16 - MERCADO REAGE TIMIDAMENTE Com o título já enfático sobre o futuro dos preços

Leia mais

Empreendedorismo do Rio de Janeiro: Conjuntura e Análise n.5 Marolinha carioca - Crise financeira praticamente não chegou ao Rio

Empreendedorismo do Rio de Janeiro: Conjuntura e Análise n.5 Marolinha carioca - Crise financeira praticamente não chegou ao Rio Empreendedorismo do Rio de Janeiro: Conjuntura e Análise n.5 Marolinha carioca - Crise financeira praticamente não chegou ao Rio Equipe: André Urani (editor responsável) Adriana Fontes Luísa Azevedo Sandro

Leia mais

Em agosto, ICES interrompe alta e cai para 96,2

Em agosto, ICES interrompe alta e cai para 96,2 Dados de Agosto/2013, Relatório Número 10 Em agosto, ICES interrompe alta e cai para 96,2 Em agosto, o ICES interrompeu a pequena tendência de alta registrada em julho, e voltou a cair, indo para 96,2,

Leia mais

Como a Copa do Mundo 2014 vai movimentar o Turismo Brasileiro

Como a Copa do Mundo 2014 vai movimentar o Turismo Brasileiro Como a Copa do Mundo 214 vai movimentar o Turismo Brasileiro 9 dias O estudo As empresas Principais conclusões a 9 dias da Copa 1 principais emissores 1 Desempenho das cidades-sede Chegadas internacionais

Leia mais

Taxa de desocupação foi de 9,3% em janeiro

Taxa de desocupação foi de 9,3% em janeiro Taxa de desocupação foi de 9,3% em janeiro A taxa de desocupação registrada pela Pesquisa Mensal de Emprego do IBGE, nas seis principais Regiões Metropolitanas do país (Recife, Salvador, Belo Horizonte,

Leia mais

SINCOR-SP 2016 FEVEREIRO 2016 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2016 FEVEREIRO 2016 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS FEVEREIRO 2016 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Estatísticas dos Corretores de SP... 6 3. Análise macroeconômica...

Leia mais

Relatório de Pesquisa. Março 2013

Relatório de Pesquisa. Março 2013 Relatório de Pesquisa SONDAGEM CONJUNTURAL DO VAREJO BRASILEIRO Março 2013 SONDAGEM CONJUNTURAL DO VAREJO BRASILEIRO Pesquisa realizada pela CNDL e SPC Brasil. Foram ouvidos em todo o país 615 varejistas.

Leia mais

Açotubo anuncia fusão com Incotep e Artex Aços Inoxidáveis

Açotubo anuncia fusão com Incotep e Artex Aços Inoxidáveis Açotubo anuncia fusão com Incotep e Artex Aços Inoxidáveis Ter, 02 de Agosto de 2011 07:13 Com base nos movimentos de mercado e da companhia alinhados ao aquecimento da indústria e economia brasileiras,

Leia mais

Análise Setorial. Sabesp // Minerva // Suzano //CPFL // CESP SABESP (SBSP3)

Análise Setorial. Sabesp // Minerva // Suzano //CPFL // CESP SABESP (SBSP3) Análise Setorial Sabesp // Minerva // Suzano //CPFL // CESP SABESP (SBSP3) A Sabesp divulgou ontem (09/05/2013, após o encerramento do mercado, seus números referentes ao primeiro trimestre de 2013. O

Leia mais

Presente ruim e futuro econômico desanimador para a construção civil

Presente ruim e futuro econômico desanimador para a construção civil CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DA CONSTRUÇÃO E DO MOBILIÁRIO RECONHECIDA NOS TERMOS DA LEGISLAÇÃO VIGENTE EM 16 DE SETEMBRO DE 2010 Estudo técnico Edição nº 17 outubro de 2014 Organização:

Leia mais

A necessidade de elevar a incidência da contribuição para o PIS/PASEP e da COFINS sobre cigarros

A necessidade de elevar a incidência da contribuição para o PIS/PASEP e da COFINS sobre cigarros A necessidade de elevar a incidência da contribuição para o PIS/PASEP e da COFINS sobre cigarros Estudo de Roberto Iglesias, economista, consultor da ACT Maio de 2009 O Poder Executivo, através da Medida

Leia mais

BRASIL Julio Setiembre 2015

BRASIL Julio Setiembre 2015 Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Julio Setiembre 2015 Prof. Dr. Rubens Sawaya Assistente: Eline Emanoeli PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE

Leia mais

O CÂMBIO E AS INCERTEZAS PARA 2016

O CÂMBIO E AS INCERTEZAS PARA 2016 O CÂMBIO E AS INCERTEZAS PARA 2016 Francisco José Gouveia de Castro* No início do primeiro semestre de 2015, o foco de atenção dos agentes tomadores de decisão, principalmente da iniciativa privada, é

Leia mais

Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados

Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Análise Setorial Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Abril de 2015 Sumário 1. Perspectivas do Cenário Econômico em 2015... 3 2. Balança Comercial de Março de 2015... 5 3.

Leia mais

Construção intensifica insatisfação com a situação financeira

Construção intensifica insatisfação com a situação financeira SONDAGEM INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO Informativo da Confederação Nacional da Indústria Ano 5 Número 3 Março de 2014 www.cni.org.br ISSN 2317-7322 Destaques ANÁLISE ECONÔMICA Piora na situação financeira é

Leia mais

SONDAGEM INDUSTRIAL PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2004 RESULTADOS DE RIO BRANCO - ACRE

SONDAGEM INDUSTRIAL PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2004 RESULTADOS DE RIO BRANCO - ACRE O QUE É A SONDAGEM INDUSTRIAL A Sondagem é uma pesquisa qualitativa realizada trimestralmente pela CNI e pelas Federações das s de 19 estados do país (AC, AL, AM, BA, CE, ES, GO, MG, MS, MT, PA, PB, PE,

Leia mais

SONDAGEM INDUSTRIAL. Sem sinal de melhora. Opinião CNI. Principais problemas enfrentados pela indústria no segundo trimestre 44,8% 44,2% 37,5%

SONDAGEM INDUSTRIAL. Sem sinal de melhora. Opinião CNI. Principais problemas enfrentados pela indústria no segundo trimestre 44,8% 44,2% 37,5% ndicadores CN SSN 1676-0212 Ano 18 Número 6 Junho de SONDAGEM NDUSTRAL Sem sinal de melhora A indústria terminou o primeiro semestre de pior do que começou e não há expectativa de melhora para o restante

Leia mais

Um novo paradigma para o mercado de óleo de soja

Um novo paradigma para o mercado de óleo de soja Um novo paradigma para o mercado de óleo de soja A determinaça o dos preços do o leo de soja e as mudanças recentes no contexto mundial de oferta e demanda Natalia Orlovicin Analista de Mercado natalia.orlovicin@intlfcstone.com

Leia mais

A despeito dos diversos estímulos monetários e fiscais, economia chinesa segue desacelerando

A despeito dos diversos estímulos monetários e fiscais, economia chinesa segue desacelerando INFORMATIVO n.º 42 NOVEMBRO de 2015 A despeito dos diversos estímulos monetários e fiscais, economia chinesa segue desacelerando Fabiana D Atri - Economista Coordenadora do Departamento de Pesquisas e

Leia mais

EXPORTAÇÕES DE ETANOL CAEM 45% EM JUNHO

EXPORTAÇÕES DE ETANOL CAEM 45% EM JUNHO Boletim Semanal sobre Tendências de Mercados Ano X 16/julho/2015 n. 454 EXPORTAÇÕES DE ETANOL CAEM 45% EM JUNHO O mês de junho foi marcado por um forte retrocesso nas exportações de etanol que caíram de

Leia mais

Relatório de Intenção de compras de Natal

Relatório de Intenção de compras de Natal Federação do Comércio do Estado de Santa Catarina Relatório de Intenção de compras de Natal Panorama da intenção de compras durante o período que antecede o Natal 2010 no município de Lages. Divisão de

Leia mais

Indicadores de Desempenho Publicado em Novembro de 2015

Indicadores de Desempenho Publicado em Novembro de 2015 Publicado em Novembro de 2015 Fatos Relevantes Agosto/2015 Vendas Industriais As vendas industriais registraram expansão de 28,40% em agosto. Trata-se do maior aumento dos últimos três meses e aponta para

Leia mais

SITUAÇÃO DOS ODM NOS MUNICÍPIOS

SITUAÇÃO DOS ODM NOS MUNICÍPIOS SITUAÇÃO DOS ODM NOS MUNICÍPIOS O presente levantamento mostra a situação dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) nos municípios brasileiros. Para realizar a comparação de forma mais precisa,

Leia mais

Pesquisa Ademi-Rio. A tabela abaixo mostra as unidades lançadas na cidade do Rio de Janeiro quanto à finalidade: residencial, comercial e hotel.

Pesquisa Ademi-Rio. A tabela abaixo mostra as unidades lançadas na cidade do Rio de Janeiro quanto à finalidade: residencial, comercial e hotel. Mercado Imobiliário da Cidade Rio de Janeiro no 1º trimestre de 2016 I - UNIDADES LANÇADAS Pesquisa Ademi-Rio A análise dos dados apurados pela Pesquisa ADEMI do Mercado Imobiliário no primeiro trimestre

Leia mais

Pesquisa Mensal de Emprego - PME

Pesquisa Mensal de Emprego - PME Pesquisa Mensal de Emprego - PME Dia Internacional da Mulher 08 de março de 2012 M U L H E R N O M E R C A D O D E T R A B A L H O: P E R G U N T A S E R E S P O S T A S A Pesquisa Mensal de Emprego PME,

Leia mais

A Influência da Crise Econômica Global no Setor Florestal do Brasil

A Influência da Crise Econômica Global no Setor Florestal do Brasil A Influência da Crise Econômica Global no Setor Florestal do Brasil 1. INTRODUÇÃO Ivan Tomaselli e Sofia Hirakuri (1) A crise financeira e econômica mundial de 28 e 29 foi principalmente um resultado da

Leia mais

CESTA BÁSICA DE CASCA REGISTRA AUMENTO DE 1,96% NO MÊS DE ABRIL

CESTA BÁSICA DE CASCA REGISTRA AUMENTO DE 1,96% NO MÊS DE ABRIL ANO 20 Nº 210 MAIO/2016 Publicação Mensal do Centro de Pesquisa e Extensão da Faculdade de Ciências Econômicas, Administrativas e Contábeis - CEPEAC Guilherme Mondin dos Santos (Estagiário CEPEAC/UPF);

Leia mais

Empresas de Minas diminuem investimento

Empresas de Minas diminuem investimento Ano 5 Nº 1 JANEIRO 2015 Empresas de Minas diminuem investimento No ano de 2014 mais da metade das empresas mineiras realizaram investimentos, no entanto, desde o início da pesquisa em 2010, o percentual

Leia mais

Ponto de vista. Metodologia para um índice de confiança. E expectativas das seguradoras no Brasil

Ponto de vista. Metodologia para um índice de confiança. E expectativas das seguradoras no Brasil Ponto de vista 40 Metodologia para um índice de confiança E expectativas das seguradoras no Brasil Francisco Galiza Em 2012, no Brasil, algumas previsões econômicas não fizeram muito sucesso. Por exemplo,

Leia mais

A experiência na reformulação do programa de pós-graduação em administração do departamento de administração da FEA - USP

A experiência na reformulação do programa de pós-graduação em administração do departamento de administração da FEA - USP A experiência na reformulação do programa de pós-graduação em administração do departamento de administração da FEA - USP Anais do 20º ENANPAD - 23 e 25/09/1996 Fauze Najib Mattar Este artigo relata os

Leia mais

ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 22 de Dezembro de 2015

ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 22 de Dezembro de 2015 Associação Brasileira de Supermercados Nº59 ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 22 de Dezembro de 2015 Supermercados mostram queda de -1,61% até novembro Desemprego e renda

Leia mais

Instituto Fernand Braudel de Economia Mundial

Instituto Fernand Braudel de Economia Mundial Instituto Fernand Braudel de Economia Mundial Associado à Fundação Armando Alvares Penteado Rua Ceará 2 São Paulo, Brasil 01243-010 Fones 3824-9633/826-0103/214-4454 Fax 825-2637/ngall@uol.com.br O Acordo

Leia mais

Expectativas para 2015

Expectativas para 2015 Crise Economia Pessimismo Política Otimismo Segurança Saúde Prosperidade Expectativas para 2015 OBJETIVO Medir a expectativa da população mundial para o ano seguinte, por meio de índices de esperança e

Leia mais

Análise Mensal do Comércio Varejista de Belo Horizonte

Análise Mensal do Comércio Varejista de Belo Horizonte Abril/15 A mostra o desempenho dos negócios do comércio no mês de Março/2015 e identifica a percepção dos empresários para o mês de Abril/2015. O mês de março mostrou mais uma queda no faturamento dos

Leia mais

FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO

FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO ANÁLISE CONJUNTURAL DO MÊS DE DEZEMBRO DE 2013 CURITIBA E R.M Este relatório, referente ao mês de Dezembro de 2013, da Pesquisa Conjuntural

Leia mais

Apresentação de Resultados do 4T13

Apresentação de Resultados do 4T13 Apresentação de Resultados do 4T13 Geraldo Bom dia a todos. Em nome da M DIAS BRANCO, gostaria de agradecer a presença dos senhores em nossa teleconferência para discussão dos resultados da Companhia no

Leia mais

PERFIL DOS FABRICANTES DE ESTRUTURAS DE AÇO. Resumo Executivo Pesquisa 2013

PERFIL DOS FABRICANTES DE ESTRUTURAS DE AÇO. Resumo Executivo Pesquisa 2013 PERFIL DOS FABRICANTES DE ESTRUTURAS DE AÇO Resumo Executivo Pesquisa 2013 APRESENTAÇÃO Em ação conjunta para o melhor conhecimento das capacidades do mercado brasileiro da construção em aço, o CBCA Centro

Leia mais

Elaboração da Pesquisa

Elaboração da Pesquisa Especificações Técnicas Período 16 a 20 de setembro de 2011 Abrangência Nacional Universo Eleitores com 16 anos ou mais Amostra 2.002 entrevistas em 141 municípios Margem de erro 2 pontos percentuais e

Leia mais

Índice de Preços ao Produtor (IPP) de setembro fica em 1,23%

Índice de Preços ao Produtor (IPP) de setembro fica em 1,23% Índice de Preços ao Produtor Fonte IBGE Base: Setembro de 2011 Por Ricardo Bergamini Índice de Preços ao Produtor (IPP) de setembro fica em 1,23% Em setembro de 2011, o Índice de Preços ao Produtor (IPP)

Leia mais

*UiILFR Taxa Selic, taxa VZDS de 180 dias e de 360 dias (%) 33 31 29 27 25 23 21 19 17 15 Jan 2000. Jul 2001. Swap de 180 Swap de 360 Taxa Selic

*UiILFR Taxa Selic, taxa VZDS de 180 dias e de 360 dias (%) 33 31 29 27 25 23 21 19 17 15 Jan 2000. Jul 2001. Swap de 180 Swap de 360 Taxa Selic Taxa de Juros, Custo do Crédito e Atividade Econômica Taxa básica e estrutura a termo de taxas de juros O Banco Central do Brasil, como a maioria dos bancos centrais modernos, utiliza a taxa básica de

Leia mais

Informações Trimestrais 4º trimestre e exercício de 2015 (4T15 e 2015) Relatório da Administração

Informações Trimestrais 4º trimestre e exercício de 2015 (4T15 e 2015) Relatório da Administração Informações Trimestrais 4º trimestre e exercício de 2015 (4T15 e 2015) Relatório da Administração Prezados acionistas A administração da WLM Indústria e Comércio S.A. (WLM), em conformidade com as disposições

Leia mais

Estrutura Produtiva BOLETIM. Ribeirão Preto/SP. Prof. Dr. Luciano Nakabashi Rafael Lima

Estrutura Produtiva BOLETIM. Ribeirão Preto/SP. Prof. Dr. Luciano Nakabashi Rafael Lima O presente boletim trata da evolução da estrutura produtiva de regiões selecionadas, entre 2002 e 2014, a partir dos dados de empregos formais da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) e do Cadastro

Leia mais

Turbulência Internacional e Impacto para as Exportações do Brasil

Turbulência Internacional e Impacto para as Exportações do Brasil Brasil África do Sul Chile México Coréia do Sul Rússia Austrália Índia Suíça Turquia Malásia Europa China Argentina São Paulo, 26 de setembro de 2011. Turbulência Internacional e Impacto para as Exportações

Leia mais

Pesquisa Secovi-SP aponta recuo no mercado de imóveis novos

Pesquisa Secovi-SP aponta recuo no mercado de imóveis novos FEVEREIRO DE 2014 Pesquisa Secovi-SP aponta recuo no mercado de imóveis novos Imóveis de 2 e 3 dormitórios foram destaques positivos em fevereiro, mês de variação negativa O mercado de imóveis novos residenciais

Leia mais

Suinocultura - Análise da Conjuntura Agropecuária

Suinocultura - Análise da Conjuntura Agropecuária Suinocultura - Análise da Conjuntura Agropecuária fevereiro de 2013. 1 - Considerações Iniciais A Suinocultura é uma das atividades da agropecuária mais difundida e produzida no mundo. O porco, espécie

Leia mais

DEPARTAMENTO DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E SOCIOLOGIA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA "LUIZ DE QUEIROZ"

DEPARTAMENTO DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E SOCIOLOGIA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ Na média, pecuarista ganha da inflação em setembro Em setembro, o custo efetivo da pecuária, pesquisado pela CNA/Cepea-USP, teve alta de apenas 0,22%, enquanto que a inflação medida pelo IGP-M alcançou

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Novembro 2012 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO - PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS- GRADUADOS

Leia mais

Desempenho da Agroindústria em 2004. histórica iniciada em 1992. Como tem sido freqüente nos últimos anos (exceto em 2003), os

Desempenho da Agroindústria em 2004. histórica iniciada em 1992. Como tem sido freqüente nos últimos anos (exceto em 2003), os Desempenho da Agroindústria em 2004 Em 2004, a agroindústria obteve crescimento de 5,3%, marca mais elevada da série histórica iniciada em 1992. Como tem sido freqüente nos últimos anos (exceto em 2003),

Leia mais

Dificuldade no acesso ao crédito é disseminada na construção

Dificuldade no acesso ao crédito é disseminada na construção SONDAGEM INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO Informativo da Confederação Nacional da Indústria Ano 5 Número 6 Junho de 2014 www.cni.org.br ISSN 2317-7322 Destaques ANÁLISE ECONÔMICA Falta de crédito dificulta recuperação

Leia mais

Indicadores SEBRAE-SP

Indicadores SEBRAE-SP Indicadores SEBRAE-SP Pesquisa de Conjuntura (resultados de julho de 2008) setembro/08 1 Principais destaques Em julho/08 as micro e pequenas empresas (MPEs) apresentaram queda de 3% no faturamento real

Leia mais

Panorama e Perspectivas 2011/2012. Mercado de Seguros, Previdência Complementar Aberta e Capitalização

Panorama e Perspectivas 2011/2012. Mercado de Seguros, Previdência Complementar Aberta e Capitalização Panorama e Perspectivas / Mercado de Seguros, Previdência Complementar Aberta e Capitalização 1. Sumário Executivo... 2 2. Seguradoras do grupo de seguros gerais... 2 2.1 Ramos do grupo de seguros gerais...

Leia mais

PERSPECTIVAS DE VENDAS DE FLORES PARA O DIA DAS MÃES DE 2015

PERSPECTIVAS DE VENDAS DE FLORES PARA O DIA DAS MÃES DE 2015 PERSPECTIVAS DE VENDAS DE FLORES PARA O DIA DAS MÃES DE 2015 SINDIFLORES Sindicato do Comércio Varejista de Flores e Plantas Ornamentais do Estado de São Paulo Hórtica Consultoria- Inteligência de Mercado

Leia mais

Pelo segundo mês consecutivo cai o endividamento e a inadimplência em Santa Catarina. Síntese dos resultados Meses Situação da família

Pelo segundo mês consecutivo cai o endividamento e a inadimplência em Santa Catarina. Síntese dos resultados Meses Situação da família Núcleo de Pesquisas Pelo segundo mês consecutivo cai o endividamento e a inadimplência em Santa Catarina Os dados levantados pela Pesquisa de Endividamento e Inadimplência dos Consumidores (PEIC) de Santa

Leia mais

Decomposição da Inflação de 2011

Decomposição da Inflação de 2011 Decomposição da de Seguindo procedimento adotado em anos anteriores, este boxe apresenta estimativas, com base nos modelos de projeção utilizados pelo Banco Central, para a contribuição de diversos fatores

Leia mais

Press-release. Voith consegue superar conjuntura difícil 12/12/2012

Press-release. Voith consegue superar conjuntura difícil 12/12/2012 Press-release Voith consegue superar conjuntura difícil 12/12/2012 Terceiro melhor resultado operacional na história da empresa, apesar de mercado difícil para a Voith Paper Volume de negócios cresceu

Leia mais

Redução do preço de alimentos básicos continua pelo terceiro mês

Redução do preço de alimentos básicos continua pelo terceiro mês 1 São Paulo, 04 de agosto de 2010. NOTA À IMPRENSA Redução do preço de alimentos básicos continua pelo terceiro mês Desde maio, na maioria das capitais onde é realizada mensalmente a Pesquisa Nacional

Leia mais

Indicadores de Desempenho Maio/2014. Fatos Relevantes RESUMO EXECUTIVO. Vendas Industriais

Indicadores de Desempenho Maio/2014. Fatos Relevantes RESUMO EXECUTIVO. Vendas Industriais Fatos Relevantes Maio/2014 Maio/2008 Vendas Industriais A Variável Indústria apresenta Química recuo com de (- aumento 8,42%), de incluso 9,16% em o maio setor fornece sucroenergético a maior contribuição

Leia mais

PERFIL DOS TRABALHADORES NA CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESTADO DA BAHIA

PERFIL DOS TRABALHADORES NA CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESTADO DA BAHIA PERFIL DOS TRABALHADORES NA CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESTADO DA BAHIA SETEMBRO /2012 ÍNDICE INTRODUÇÃO 3 1. Dimensão e características da ocupação no setor da construção civil no Brasil e na Bahia (2000 e 2010)...

Leia mais

As mudanças no comércio exterior brasileiro no primeiro semestre de 2008

As mudanças no comércio exterior brasileiro no primeiro semestre de 2008 As mudanças no comércio exterior brasileiro no primeiro semestre de 2008 Julio Gomes de Almeida Mauro Thury de Vieira Sá Daniel Keller de Almeida Texto para Discussão. IE/UNICAMP n. 149, nov. 2008. ISSN

Leia mais

Boletim Econômico Edição nº 86 outubro de 2014. Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico

Boletim Econômico Edição nº 86 outubro de 2014. Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Boletim Econômico Edição nº 86 outubro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Análise de indicadores bancários e financeiros em 2014 1 A concentração bancária brasileira em

Leia mais

REDUÇÃO DA TAXA DE POUPANÇA E AS EMPRESAS NÃO FINANCEIRAS: 2010-2014

REDUÇÃO DA TAXA DE POUPANÇA E AS EMPRESAS NÃO FINANCEIRAS: 2010-2014 NOTAS CEMEC 01/2015 REDUÇÃO DA TAXA DE POUPANÇA E AS EMPRESAS NÃO FINANCEIRAS: 2010-2014 Carlos A. Rocca Lauro Modesto Santos Jr. Fevereiro de 2015 1 1. Introdução No Estudo Especial CEMEC de novembro

Leia mais

Melhora nos indicadores da presença feminina no mercado de trabalho não elimina desigualdades

Melhora nos indicadores da presença feminina no mercado de trabalho não elimina desigualdades A INSERÇÃO DA MULHER NO MERCADO DE TRABALHO DE PORTO ALEGRE NOS ANOS 2000 Boletim Especial: Dia Internacional das Mulheres MARÇO/2010 Melhora nos indicadores da presença feminina no mercado de trabalho

Leia mais

Resultados e Análises Rodada de. Referente ao 2º Trimestre de 2015

Resultados e Análises Rodada de. Referente ao 2º Trimestre de 2015 Resultados e Análises Rodada de Maio de 2015 Referente ao 2º Trimestre de 2015 Ano 5, n 20, Maio de 2015 Ribeirão Preto Índice de Confiança dos Fornecedores do Setor Sucroenergético (ICFSS) Reed Exhibitions

Leia mais

O indicador do clima econômico piorou na América Latina e o Brasil registrou o indicador mais baixo desde janeiro de 1999

O indicador do clima econômico piorou na América Latina e o Brasil registrou o indicador mais baixo desde janeiro de 1999 14 de maio de 2014 Indicador IFO/FGV de Clima Econômico da América Latina¹ O indicador do clima econômico piorou na América Latina e o Brasil registrou o indicador mais baixo desde janeiro de 1999 O indicador

Leia mais

mesmo empregador recebendo

mesmo empregador recebendo AULA 6: Salário e Remuneração: a partir do art. 457, CLT Equiparação Salarial empregado que almeja ganhar um salário maior, deseja o salário de outro, que é o chamado paradigma ou modelo idêntica função

Leia mais

Cresce confiança dos empresários do comércio catarinense em março. Síntese dos resultados

Cresce confiança dos empresários do comércio catarinense em março. Síntese dos resultados Cresce confiança dos empresários do comércio catarinense em março Após a queda verificada em fevereiro, ocasionada por motivos sazonais, o Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC) catarinense

Leia mais