MANUAL DE OPERAÇÃO DO SISTEMA i-traffic Export

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MANUAL DE OPERAÇÃO DO SISTEMA i-traffic Export"

Transcrição

1 MANUAL DE OPERAÇÃO DO SISTEMA i-traffic Export Atualizado em: Agosto/2011 Atualizado por: Marilete Aguiar (Revisado por Carlos Valotto) Versão: 2.0

2 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO REQUISITOS MÍNIMOS PARA INSTALAÇÃO CADASTROS GRUPO DE USUÁRIO USUÁRIO FINANCEIRO ITENS / DESPESAS CONTA FINANCEIRA UNIDADE OPERACIONAL TABELAS EMPRESAS CLIENTE INFORMAÇÕES BÁSICAS CLIENTE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES CLIENTE - CONTATOS CLIENTE - ACESSO CLIENTE HABILITAÇÃO CLIENTE SERVIÇO DESPACHANTES AGENTE INTERNACIONAL ARMADOR COMPANHIA AÉREA CÁLCULOS REFERENTES AO RELATÓRIO IATA TRANSPORTADOR RODOVIÁRIO EMPRESA ESTRANGEIRA CORRETORA DE CÂMBIO ARMAZÉM FORNECEDOR TABELAS TABELA FRETE FRETE EXPORTAÇÃO FRETE EXPORTAÇÃO AÉREA FRETE EXPORTAÇAÕ FRETE EXPORTAÇÃO MARÍTIMA FRETE RODOVIÁRIO TABELA RODOVIÁRIA EXTERIOR E PAÍS TABELAS TIPO CONTAINER TABELAS HISTÓRICO DE

3 8. TABELAS - VENDEDOR MOVIMENTAÇÃO COMERCIAL COTAÇÃO AGENCIAMENTO MOVIMENTAÇÃO GESTÃO DO PROCESSO ABERTURA PROCESSO AGENCIAMENTO MOVIMENTAÇÃO EXPORTAÇÃO AÉREA INSTRUÇÃO DE EMBARQUE AGENCIAMENTO OPERACIONAL EXPORTAÇÃO AÉREA MOVIMENTAÇÃO EXPORTAÇÃO MARÍTIMA INSTRUÇÃO DE EMBARQUE MOVIMENTAÇÃO ACCOUNT ANÁLISE DE ACCOUNT ANÁLISE DE ACCOUNT MASTER FECHAMENTO DE CÂMBIO FOLLOW-UP DO PROCESSO LIBERADOR / CANCELAMENTO BAIXA CONTAS A RECEBER SOLICITAÇÃO DE PAGAMENTO MONTAGEM DE PAGAMENTO LIBERAÇÃO DE PAGAMENTO CONTA A PAGAR / BAIXA CAIXA CONCILIAÇÃO FINANCEIRA TRANSFERÊNCIA FINANCEIRA RESUMO FINANCEIRO CONTA CORRENTE DO PROCESSO FATURAMENTO DO PROCESSO RPS GERAÇÃO E RETORNO PARÂMETROS DO USUÁRIO PARÂMETROS DO SISTEMA MÁSCARA DO PROCESSO DADOS COMPLEMENTARES VALORES E ALÍQUOTAS PARÂMETROS ITENS APLICATIVOS EXTERNOS EVENTOS REPORT DESIGN (DOCUMENTO DESIGN) GERA MENU REPORT

4 1. INTRODUÇÃO A implementação de um novo sistema abrange uma gama de mudança de conceitos e critérios dentro de uma organização. Para apoiar o uso de nosso produto, desenvolvemos o Manual de Operação para o Sistema i-traffic Export, que têm por objetivo determinar o macro fluxo do sistema aliado à prática de uma operação de importação. Consideramos em nossa metodologia de implementação, as etapas que você deve percorrer para obter o resultado almejado sobre o sistema. Salientamos que o objetivo focal está em prover a gestão e automatizar a operação de sua empresa. Bom Aproveitamento! Grupo Bysoft 3

5 2. REQUISITOS MÍNIMOS PARA INSTALAÇÃO Aplicação Local instalada em Servidor Próprio do Cliente Para a instalação do aplicativo, a BYSOFT recomenda: Ambiente WEB Configuração mínima para a Aplicação e Banco de Dados instalado na Matriz com acesso pelos Filiais: Servidor de Aplicação Servidor bi processado: Processador Intel Pentium 2600 ou superior. Memória:Ao menos 2GHz da memória disponível (RAM), sendo que 1 GB é somente para o JBoss, se instalar outros aplicativos deve aumentar a memória. Espaço em disco: 120Gb Java JRE SDK Compilador Servidor de Banco de Dados Banco de Dados a escolha do cliente: Oracle, MS SQL2005, PostgreSQL Para outros Bancos de Dados contate seu fornecedor. Estação de Trabalho do usuário Equivalente a : Pentium de Processador Intel, 1100 ou superior. Sistema operacional Windows 2000, XP ou 2003 Capacidade de Memoria RAM Minima: 512MHz memória disponível Capacidade de Disco Minima: 100Mb de espaço disponível de disco Resolução de vídeo recomendada de 1024 x 768 definições do pixel ou superior Internet Explorer (IE6.0 ou superior) IWW para conexão com Siscomex 4

6 Java JRE Virtual Machine Link de Comunicação Independente do modelo de contratação escolhido, para que o acesso ao Sistema possa ser efetuado por WEB de qualquer ponto de internet, há a necessidade de 02 mb de link dedicado ao acesso e uso do Sistema, a fim de tornar mais rápida a consulta e movimentação de dados. 5

7 3. CADASTROS Antes de iniciar a operação é necessária a preparação da base de dados com as principais informações que serão utilizadas durante a operação. Os cadastros possuem uma função muito importante no processo de implantação; quanto mais completos estiverem cadastros, mais fácil, simples, rápida e segura será a operacionalização do sistema. Para tanto, algumas regras devem ser observadas como: - Metodologia de Organização - Padronização - Restrições aos acessos - Duplicidade de informação No i-traffic Export, todos os cadastros estão dispostos em um único menu denominado Tabelas - conforme figura abaixo: Para facilitar seu trabalho tomamos o cuidado em manter um mesmo padrão, tanto no layout das telas, como nas opções apresentadas. 6

8 Assim que você acessar uma opção no menu, será exibida uma lista com todos os registros já cadastrados, conforme o exemplo abaixo: Em cada tela disponibilizamos um conjunto de ferramentas trabalho: O recurso de Busca cadastrado. ajudará você na localização de um registro já Também estão disponíveis os botões de operação. Por meio deles você pode: Incluir novos registros. Consultar ou Alterar um registro já existente. Excluir um registro selecionado na lista principal. Sair da tela que está (também através do botão localizado no canto superior direito da tela). Na parte inferior da tela, sempre o sistema irá exibir botões de controle. Caso você queira efetuar alguma modificação basta ratificá-la selecionando o botão de gravar. Caso queira apenas consultar ou abortar uma alteração indevida, basta selecionar o botão de cancelar de registros do módulo. e o sistema irá automaticamente voltar para a lista 7

9 DICA! IMPORTANTE! Para agilizar ainda mais o seu trabalho, criamos uma forma de pesquisa avançada, representada pelo botão. Através dele é fácil localizar um registro com maior precisão. Quando acionado o sistema abre uma tela onde é possível informar um conjunto de dados que serão utilizados na pesquisa. Para melhor visualização das telas do sistema, recomendamos ajustar sua resolução de vídeo para 1024 x 768. Embora os cadastros do sistema sejam auto-explicativos. Vamos visualizar abaixo alguns deles, ressaltando seus principais campos. 8

10 3.1. GRUPO DE USUÁRIO O Objetivo deste cadastro é criar um conjunto de regras para acesso ao sistema, estabelecendo grupos ou equipes de trabalho. À esquerda estão listados todos os módulos do sistema, e à direita as ações que podem ser executadas em cada módulo selecionado (como incluir, alterar, calcular, etc.). DICA! Definir com precisão os acessos para os usuários facilita controle das informações e permite uma melhor gestão das atividades da empresa. 9

11 3.2. USUÁRIO Após definir os grupos de acesso, você pode cadastrar os usuários do sistema e vincular cada um a um grupo. Segue abaixo a tela onde este cadastro é realizado e uma breve explicação dos seus campos disponíveis: Número sequêncial controlado pelo sistema para cada registro cadastrado. Nome completo que será usado principalmente na impressão de documentos. Unidade Operacional, onde se encontra o usuário. Define o seu nível de acesso ao sistema. Login utilizado para entrar no sistema. A quem o usuário se reporta. Esta informação é muito importante para a gestão dos processos que o usuário irá lidar. 10

12 Quando o usuário entra no sistema são exibidas na tela principal, em forma de quadros, conjuntos de informações relacionadas às tarefas que ele executa (como a quantidade de processos em aberto, ou a quantidade de contas a pagar, etc. Existem dez opções de quadros disponíveis para exibição, sendo possível parametrizar até nove quadros simultaneamente. É preciso também vincular ao cadastro de cada usuário a(s) Unidade(s) Operacional(s) e os clientes a quem ele atende. DICA! O sistema foi desenvolvido em tecnologia Web. Isso possibilita cadastrar os seus clientes como usuários, para que ele tenha acesso aos processos. Importante lembrar que este tipo de recurso depende de configurações no servidor (conforme manual de instalação) e hoje este controle é feito em cima de apenas alguns módulos. 11

13 3.3. FINANCEIRO ITENS / DESPESAS Neste cadastro você define todas as despesas/créditos/serviços de processos para emissão da Solicitação de Numerário, Nota Fiscal Complementar e Custeio. Caso o seu i-traffic Import tenha o módulo financeiro (i-finance) você também cadastra as despesas/receitas operacionais e administrativas. Deixará o registro disponível para consulta e seleção nos módulos do sistema. A que tipo de utilização se destina esta despesa. Podendo ser: - Administrativo: Não relacionadas a processos. Ex: Água, Luz, etc. - Operacional: Que fazem parte dos processos de uma comissária (Ex: Armazenagem, AFRMM, etc.) - Financeiro: Impostos e outros lançamentos gerados única e exclusivamente pelos módulos financeiros do sistema. Determina como a despesa será rateada para os itens (No módulo de Custo Final). Existem quatro possibilidades de rateio: Quantidade; Peso; Valor CIF; e Valor MLE. 12

14 Organiza as despesas separando-as em grupos (ou por departamento, ou por célula ou até mesmo por separação do organograma). Muito útil para emissão de relatórios. Indica se a despesa fará ou não parte da base de cálculo do ICMS. Indica se a despesa será somada e demonstrada na nota fiscal de entrada Determina se a despesa deverá ou não fazer parte do valor unitário da mercadoria na nota fiscal de saída. 13

15 3.4. CONTA FINANCEIRA Este cadastro se refere às Contas Financeiras da empresa (sejam elas ou não tratadas como conta bancária) Facilita a identificação da conta na pesquisa, podendo ser o próprio número ou mesmo um apelido como, por exemplo, Praça Tereza Cristina, etc. São duas classificações possíveis: - Banco: Conta que não teremos controle (apenas informativa) - Caixa: Conta que teremos controle (entradas e saídas) Unidade Operacional em que a conta poderá ser utilizada. Modelo para impressão de cheques utilizado para esta conta (para ajuste consulte item 46.1 deste manual) Caso empresa separe as movimentações administrativas e operacionais o sistema não permitirá que lançamentos não correspondentes sejam feitos na conta. 14

16 3.5. UNIDADE OPERACIONAL Determinar as unidades de negócio que o sistema deverá controlar (filiais). Usado para compor a referência dos processos, caso este seja feito por unidade operacional. Para maiores informações consulte o item 04 deste manual Percentual do ISS do município em que a unidade está registrada, utilizado para emissão da nota fiscal de prestação de serviço. IMPORTANTE! Assim que o sistema for instalado, uma unidade operacional (0001 Bysoft) também é instalada. Alterar os dados da unidade para a razão social da empresa. 15

17 4. TABELAS EMPRESAS 4.1. CLIENTE INFORMAÇÕES BÁSICAS De extrema importância este cadastro armazena, além do endereço, todos os dados para gestão dos processos da empresa, como as regras para o andamento dos processos, faturamento e tipos de serviços prestados. Informações Básicas onde: Ao selecionar esta opção, o sistema bloqueará a utilização deste cadastro nos módulos Operacionais. Também permite a inclusão de um possível cliente sem a necessidade do preenchimento do CNPJ. Específico para as unidades operacionais de São Paulo que utilizam o sistema de faturamento eletrônico, através do RPS. Controla a referência do processo por importador. Para maiores informações consulte o item 04 deste manual. 16

18 4.2. CLIENTE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES Veta a prestação de serviços, isto é, a abertura de processos e toda e qualquer operação que envolva dinheiro (solicitação de pagamento, solicitação de numerário, etc.) sem autorização. Se a restrição financeira estiver igual a SIM, o sistema direciona o processo para um liberador. Para emissão de Nota Fiscal de Prestação de Serviços. Atualmente o limite de faturamento para o cliente é de R$ 5.000,00. Limite para o uso dos recursos financeiros da comissária. O sistema exibirá um aviso de advertência e enviará o processo para um liberador. Impede que uma DI seja enviada para o Cismes, se o cliente não possui crédito. 17

19 4.3. CLIENTE - CONTATOS Os dados informados nesta tela serão utilizados para emissão de documentos. 18

20 4.4. CLIENTE - ACESSO Define e limita quais usuários atenderão o cliente e quais os processos serão visualizados pelos usuários. IMPORTANTE! Como já citado anteriormente, apenas alguns módulos do sistema possuem controle para esta opção. 19

21 4.5. CLIENTE HABILITAÇÃO Nesta tela é necessário estabelecer quais Unidades Operacionais prestam serviços para o cliente e, para cada Unidade relacionada deverão ser definidas as regras para faturamento, os tipos de serviços prestados e os despachantes que irão tratar dos seus processos. IMPORTANTE! Sem o preenchimento correto e completo o sistema não permitirá a operação. Qual conta será utilizada para realizar o faturamento dos processos. Regras para emissão de Nota Fiscal de Serviços: - Receitas + Despesas: Imprime na Nota tanto as despesas tributáveis como não tributáveis (utilizada, por exemplo, no município de Santos). - Apenas Receitas: Emite a Nota somente com os serviços prestados, deixando as despesas para a Nota de Despesas ou Fatura de Serviços. - RPS Receita + Despesas: Mesmo conceito do parâmetro Receitas + Despesas com exceção que este caso só pode ser utilizado em São Paulo capital e influencia não só na emissão do documento fisicamente como na geração do arquivo para integração com o Site da Prefeitura. 20

22 - RPS Apenas Receitas: Mesmo conceito do parâmetro Apenas Receitas com exceção que este caso só pode ser utilizado em São Paulo capital e influencia não só na emissão do documento fisicamente como na geração do arquivo para integração com o Site da Prefeitura. Modelo de nota fiscal de entrada, complementar e filhote que será utilizado pelo cliente. Maiores informações de configuração consulte a opção 25 deste manual. 21

23 4.6. CLIENTE SERVIÇO Cada Serviço é composto por um conjunto de ações que devem ser executadas para que ele seja realizado com qualidade. A estas ações chamamos de 'eventos'. Ao entrar no cadastro de serviços temos a seguinte visualização: Observe que o serviço selecionado (Importação aérea) possui uma seqüência de eventos (registro de abertura do processo, etc.) necessários à sua realização. Para configurá-la um serviço, temos que observar alguns parâmetros conforme relatamos na figura abaixo: 22

24 Qual evento conclui a prestação do serviço em questão. Controla a abertura de processos por tipo de serviço. Para maiores informações consulte o item 04 deste manual. Seqüência na qual o evento deve ser executado. Impossibilita o avanço para o próximo evento antes da conclusão do atual. Em caso de atraso, o sistema envia um comunicando: - Analista do processo: O usuário que abriu o processo. - Superior: O usuário superior ao analista responsável pelo processo. - Analista + Superior: Ambos receberão o comunicado. - Não Notificar: Caso a ação venha a atrasar o sistema não irá notificar nenhum usuário. DICA! Recomendamos que, no início, os cadastros de Serviços e seus eventos sejam feitos de maneira simplificada, de modo que a empresa obtenha os benefícios que este controle oferece, contudo sem tornar morosa e burocrática a gestão. Também que considere este controle de modo dinâmico, podendo revê-lo, alterá-lo, aprimorá-lo constantemente. As notificações enviadas por pelo sistema são definidas por eventos. Você deve sempre se perguntar: é necessário receber notificação para este evento específico? Evite aumentar ainda mais o seu volume de 's com informações desnecessárias. Agora que o conceito de serviço e evento foi esclarecido, vamos voltar para as explicações do cadastro de clientes, tela de Serviços. Ao selecionar o botão cada unidade operacional. você determinará os tipos de serviços prestados para o cliente, por 23

25 Informa se a Unidade de Faturamento do cliente é diferente da Unidade vinculada aos processos (Ambas devem ser cadastradas). Para débito automático dos impostos no registro da DI (pode ser alterada no momento da confecção da DI). Contrato de prestação de serviço entre despachante e importador. Data de validade do contrato de prestação de serviço (se, no momento de abrir um processo, a data estiver vencida, o sistema envia o processo para um liberador). Determinar as despesas que farão parte da solicitação de numerário do cliente. Para casos em que o cliente solicita mais de um numerário, você pode relacionar as despesas da primeira e das despesas das demais solicitações. Refere-se às despesas e receitas que da solicitação de Faturamento do cliente. 24

26 4.7. DESPACHANTES Informam quais despachantes podem fazer parte da distribuição do SDA. Vincula ao cliente os despachantes cadastrados no sistema. Identificação do despachante no sindicato. Local onde o registro do despachante é válido. Classificação do despachante na empresa. 25

27 4.8. AGENTE INTERNACIONAL O Objetivo desse cadastro é inserirmos os agentes Internacionais onde vinculamos o agente nas rotinas de tabelas de frete, abertura de processo, módulo operacional e módulo de análise de account. Esse campo visa informar se o agente pertence á algum grupo de agente. 26

28 Se nesse campo for informado que o agente account é próprio, no momento de efetuar o fechamento de câmbio o código do agente a ser informado é o mesmo do processo. Se informamos que o agente Account é outro, estamos determinando que o fechamento de câmbio será feito para outro agente, e não deverá ser informado o código do agente do processo e sim o agente que foi informado nesse campo. Nesse campo marcamos com a opção SIM para os agentes que possuem cálculo do Imposto. Na opção dados bancários mencionamos os dados bancários relacionado ao cadastro desse agente. Na aba de cálculo mencionamos para cada serviço e modal qual será forma de divisão do profit no processo, e após fazer uma proposta/cotação, ou abertura de processo no operacional essa informação é migrada automaticamente. 27

29 No campo base de cálculo informamos se o profit será calculado pelo valor de Venda ou divisão por percentual. Na opção Valor Fixo Brasil o valor a ser informado será o profit para o Brasil. - Valor Fixo Agente: o valor a ser informado será o profit para o Brasil. - Percentual Brasil: o valor a ser informado será o % de divisão do profit no processo para o Brasil. - Percentual Agente: o valor a ser informado será o % de divisão do profit no processo para o agente. 28

30 4.9. ARMADOR Para esse cadastro não existem campos a serem explicados. Para esse cadastro não temos a necessidade de explicar os campos, pois não há campos que necessitem de explicação detalhadas. 29

31 4.10. COMPANHIA AÉREA Nesse cadastro informamos todas as companhias aéreas e suas parametrizações. Código de identificação do transportador junto a companhia IATA. 30

32 Sigla de identificação da companhia junto a IATA. Número da Conta de registro da companhia juntamente com a IATA. Nesse campo informamos a sigla da companhia na IATA, dessa forma esse código é impresso na emissão do conhecimento Master. Informações referentes ao número de conhecimento fornecido pela companhia, essa informação somente é utilizada para Exportação Aérea. Nessa opção cadastramos os números de conhecimento que são fornecidos pela Cia área, sendo seqüencial ou por uma determinada faixa. Se a opção estiver marcada como SIM, o número do conhecimento seguirá conforme padronização e cálculo da IATA. Se solicitar a opção seqüencial, você informará o conhecimento inicial e informará a quantidade de conhecimentos que foram disponibilizadas pela Cia. Se solicitar a opção de Intervalo deverá ser informado o conhecimento inicial e final, dessa forma o sistema calculara automaticamente a quantidade que fora disponibilizada pela Cia. 31

33 4.11. CÁLCULOS REFERENTES AO RELATÓRIO IATA Nesse cadastro informamos as parametrizações para emissão do relatório IATA, personalizados para cada Cia aérea. : Informamos se o cálculo do OVER será feito sobre a tarifa do transportador NET ou NET/NET ou sobre a tarifa aplicada no conhecimento. Percentual para cálculo da comissão IATA relacionado ao valor do conhecimento ou a tarifa NET. Nessa opção indicamos se o cálculo da comissão IATA será sobre o valor do conhecimento, ou o valor da tarifa NET. Indicamos se a tarifa do transportador no relatório IATA será a NET ou a NET/NET. Na emissão do relatório IATA a conversão dos valores na moeda estrangeira, serão convertido para a moeda nacional com base na Data de emissão do conhecimento Master, ou na data de embarque dos processos. Para cálculo do Imposto de Renda informamos como será cobrado o imposto a ser crédito, débito ou demonstrativo. 32

34 Informamos que no relatório IATA o IRRF poderá ser calculado abaixo do valor mínimo de 10,00 reais. Informamos se o IRRF será calculado sobre o valor da comissão IATA. Informamos se o IRRF será calculado sobre o valor da OVER. Informamos se na emissão do relatório IATA faturamos somente a comissão IATA e OVER, IATA e Over separados, ou apena a comissão IATA. 33

35 4.12. TRANSPORTADOR RODOVIÁRIO Nesse cadastro efetuamos o cadastro dos transportadores rodoviários que efetuam o transporte no país, para serem vinculados na tabela de frete como transporte no Brasil e no exterior. 34

36 4.13. EMPRESA ESTRANGEIRA Nesse cadastro vinculamos os Exportadores, Fabricantes no caso de estarmos trabalhando com o produto de Importação, e no caso de trabalharmos com o produto de Exportação cadastramos os Importadores, e selecionamos qual opção ele se enquadra. 35

37 4.14. CORRETORA DE CÂMBIO Nesse cadastro realizamos o cadastramento dos dados da corretora de câmbio, que serão visualizados no momento de efetuar o fechamento de câmbio. 36

38 4.15. ARMAZÉM Nesse cadastro efetuamos o cadastramento dos armazéns alfandegados, e esse cadastro estará disponível no operacional de Importação Marítima para informar onde será a atracação e a descarga. 37

39 4.16. FORNECEDOR Nesse cadastro efetuamos o cadastramento dos fornecedores onde estaremos efetuando o pagamento de despesas, através da montagem de pagamento. 38

40 Dados da Conta Corrente, nesse cadastro deve ser informada quais as contas que esse fornecedor opera, esse cadastro fica disponível na montagem de pagamento para vínculo do pagamento. 39

41 5. TABELAS TABELA FRETE 5.1. FRETE EXPORTAÇÃO FRETE EXPORTAÇÃO AÉREA Nesse cadastro realizamos a inclusão dos custos das taxas de frete aérea de Exportação, onde informamos os tarifários de frete, e as despesas elencadas pela companhia aérea, origem, destino e agente. Esse cadastro é visualizado no módulo Comercial e operacional. 40

42 Período de vigência da tabela de frete. Tarifas de Frete de acordo com o peso mencionado pela companhia. Nesse campo mencionamos as taxas que são cobradas por esta companhia. A classificação Master indica que o valor de custo da taxa ficará disponível no comercial, porém no operacional esse custo fica com o valor zero, dessa forma evitando que o usuário efetue uma venda menor que o valor de custo. A classificação por processo indica que o valor de custo ficará disponível no comercial e operacional. 41

43 5.2. FRETE EXPORTAÇÃO FRETE EXPORTAÇÃO MARÍTIMA Nesse cadastro realizamos a inclusão das tabelas de frete marítima de Exportação, onde informamos os tarifários de frete, e as despesas elencadas pela companhia marítima, origem, destino e agente. Esse cadastro é visualizado no módulo Comercial e operacional. 42

44 Prazo de validade da tabela de frete conforme vigência da proposta ou cotação. Tarifário de Frete LC Tarifário de Frete FCL, onde mencionamos os valores de frete para os container que são amarrados ao cadastro de tipo de container. Nesse campo mencionamos as taxas que são cobradas por esta companhia. Vale lembrar que de acordo com o tipo de estufagem da carga as taxas também mudam, ou seja, se o tarifário for LCL na lista de taxas devem ser informadas as taxas para LCL, assim também como no tarifário FCL. A classificação Master indica que o valor de custo da taxa ficará disponível no comercial, porém no operacional esse custo fica com o valor zero, dessa forma evitando que o usuário efetue uma venda menor que o valor de custo. A classificação por processo indica que o valor de custo ficará disponível no comercial e operacional. 43

45 5.3. FRETE RODOVIÁRIO TABELA RODOVIÁRIA EXTERIOR E PAÍS Nesse cadastro inserimos as tabelas de fretes relacionadas ao Frete Interno ou Frete no Exterior, no caso o transportador rodoviário. Opção para cálculo do frete. Na opção Intervalo de Peso você inclui o valor a cada faixa de peso. E na opção valor /peso você informa o valor para cada peso informado. 44

46 6. TABELAS TIPO CONTAINER Nesse cadastro efetuamos o cadastramento de todos os tipos de containers, que serão visualizados na instrução de embarque, operacional e módulo comercial. O Tipo de peso está relacionado ao tipo do container, deve-ser informado se o container é de 20, 40 e Tanque. 45

47 7. TABELAS HISTÓRICO DE Nesse módulo ficam armazenados todos os s disparados através das rotinas do sistema, comercial e operacional. 46

48 8. TABELAS - VENDEDOR Nesse módulo efetuamos o cadastro dos vendedores da aérea comercial, para serem vinculados no cadastro e cliente e utilização no módulo comercial, como histórico e agenda comercial. 47

49 9. MOVIMENTAÇÃO COMERCIAL Na Cotação realizamos a confecção de documento ao cliente que está cotando um embarque com apenas a seleção de um serviço e produto, com isso demonstramos os valores de Frete fechado ( peso multiplicado pela tarifa), os dados da cargas e as taxas que serão cobradas no embarque, bem como dados da companhia aérea ou marítima. Essas informações são oriundas do cadastro da tabela de frete conforme telas anteriores. 48

50 Tipo de Estufagem da carga, no caso de embarque aéreo essa opção sem é fixa como LCL, apenas nos serviços marítimos que a opção pode ser modificada para FCL. Percentual de divisão do Profit, caso essa informação tenha sido preenchida no cadastro de agente, esse campo é preenchido automaticamente, podendo ser alterado se necessário. Nesse campo informamos a origem do transporte. Nesse campo informamos o destino do transporte. Nesse campo selecionamos qual a tabela de frete utilizaremos para essa cotação. Nesse campo preenchemos o valor da tarifa de venda. Esse campo indica que o valor a ser utilizado é o valor mínimo. Botão de Incluir. Botão de alterar. 49

51 Botão de duplicar. Botão de Excluir Botão de Impressão do documento Botão de aprovação da cotação, após selecionar o botão o sistema abre o cadastro de usuários do sistema, onde após seleção de um usuário é enviado um notificando que a cotação foi aprovada. Após confirmação a cotação fica disponível na abertura do processo para vinculação a um processo. Botão de cancelamento, que deve ser acionado quando houver o cancelamento da cotação. Botão de rejeição da cotação, que deve ser acionado quando o cliente não aceitar com a cotação. 50

52 9.1. COTAÇÃO AGENCIAMENTO Na Proposta podemos inserir diversos tipos de serviço e produto para um cliente em prospecção, o contrário da cotação que é necessário que o cliente já tenha efetuado outros embarques. Nesse documento demonstramos apenas o tarifário de frete e as taxas que são cobradas pelo agente e companhia aérea ou marítima. Informações oriundas da tabela de frete. Em serviços incluímos todos os serviços que ofereceremos na Proposta. 51

53 Na lista de detalhes inserimos a unidade, produto, serviço e Incoterms. Na lista é visualizado as tabelas de frete que foram inseridas para o Serviço, no exemplo acima como está posicionado em um serviço aérea, somente exibirá dados referentes ao modal. Conforme é alternado o serviço essas listas serão modificadas conforme necessidade. Em detalhes você informará: Origem da Carga que está relacionado ao cadastro de terminal da carga onde você informará qual o aeroporto ou porto de origem. Destino da Carga que está relacionado ao cadastro de terminal da carga onde você informará qual o aeroporto ou porto de destino. Nessa consulta o sistema filtrará todas as tabelas de frete com vigência até a data de vencimento da sua Proposta e com base na origem e destino que informado. Essa informação será preenchida de acordo com a parametrização feita no cadastro de agente, podendo ser modificada se necessário. Esse botão tem a função excluir a informação. Esse botão tem a função de incluir uma informação. Esse botão tem a função de salvar a informação no grid de seleção. Esse botão tem a função de cancelar a informação no grid de seleção. 52

54 Botão de Incluir Botão de alterar Botão de duplicar Botão de Excluir Botão de Impressão do documento Botão de aprovação da Proposta, após selecionar o botão o sistema abre o cadastro de usuários do sistema, onde após seleção de um usuário é enviado um notificando que a cotação foi aprovada. Após confirmação a cotação fica disponível na abertura do processo para vinculação a um processo. Botão de cancelamento, que deve ser acionado quando houver o cancelamento da cotação. Botão de rejeição da cotação, que deve ser acionado quando o cliente não aceitar com a cotação. 53

55 9.2. HISTÓRICO COMERCIAL Nesse módulo inserimos histórico de contatos com clientes e fornecedores, através de visita, entre outros. Efetuamos o cadastro da agenda de visita de vendedores. 54

56 10. MOVIMENTAÇÃO GESTÃO DO PROCESSO ABERTURA PROCESSO AGENCIAMENTO Na abertura do processo criamos um embarque com vinculo a uma cotação ou proposta aprovada no Módulo Comercial. Lembrando que para um embarque vinculamos uma cotação, e para uma proposta podemos vincular a vários embarques. Nesse campo será informado o tipo de serviço do embarque. Nesse campo será informada a origem do embarque. Nesse campo será informado o destino do embarque. Nesse campo informamos o agente internacional que coordenará o embarque. Nesse campo será informado o transportador aéreo ou marítimo que efetuará o transporte da carga. 55

57 Ao selecionar o botão de pesquisa comercial, o sistema listará as cotações e propostas aprovadas, dentro do filtro informado nos campos acima. Caso não seja selecionado nenhuma proposta ou cotação, o sistema exibirá a mensagem abaixo informando que o processo não tem vínculo com o Comercial, caso esse procedimento esteja correto pode confirmar a mensagem, e assim o processo é gerado. Após criação do processo a referência estará disponível no módulo de Instrução de embarque. 56

58 11. MOVIMENTAÇÃO EXPORTAÇÃO AÉREA INSTRUÇÃO DE EMBARQUE Na instrução de embarque, preenchemos os dados do frete, informações referente as dimensões da carga, e as taxas que serão cobradas do cliente e utilizadas no processo. O item de frete não deve ser lançado, o sistema identifica o frete será cobrado e imprime na notificação automaticamente. O campo referência comercial indica qual o número do processo criado no Módulo Comercial. O campo classificação comercial indica C = Cotação e P= Proposta. Botão de alterar registro. Botão de impressão do documento de instrução de embarque. Botão de filtro de pesquisa de processo. 57

59 Após preenchermos as informações na instrução de embarque, nossa próxima etapa é criarmos a consolidada. Através do botão selecionado na imagem, o sistema irá buscar o número do conhecimento que deverá estar cadastrado no cadastro da Cia aérea, conforme orientação na páginas anteriores referente a cadastros. Depois da mensagem de embarque gerado com sucesso, o processo estará disponível na rotina de agenciamento operacional. 58

60 11.2. AGENCIAMENTO OPERACIONAL EXPORTAÇÃO AÉREA 59

61 Após criar a consolidada, caso exista um novo embarque a ser incluído no máster, a rotina abaixo permitirá a consolidação de novos houses. Ao selecionarmos esse botão a caixa abaixo é exibida: Após preenchermos os dados nessa rotina é exibido os embarques gerados de acordo com o filtro informado, selecionamos os registros na caixa denominada Processos, e após pressionar o botão de OK, o sistema nos direciona para o master onde foi incluído o novo house. Nesse botão editamos as informações no master e house. Nesse botão excluímos o house e o processo é retornado para a instrução de embarque. Nesse botão efetuamos o cálculo do profit. Nesse botão efetuamos a impressão da notificação e confirmação da impressão para envio ao faturamento. Nesse botão efetuamos a impressão de documentos do embarque e do conhecimento Master e House. Nesse botão efetuamos a impressão da invoice que o sistema gerou após o cálculo do profit. 60

62 Após visualização da fatura, o sistema exibe uma mensagem perguntando ao usuário se a fatura foi impressa com sucesso, após a confirmação da mensagem SIM e finalização do embarque, as faturas ficam disponíveis na analise de account para aprovação do embarque e fechamento do câmbio. Nesse botão efetuamos a solicitação de pagamento das despesas do house e do master. Nesse botão efetuamos o cancelamento dos itens que foram solicitados os pagamentos. Nesse botão efetuamos o fechamento do embarque, após a execução o processo é enviado ao módulo de análise de account para fechamento de câmbio. 61

63 12. MOVIMENTAÇÃO EXPORTAÇÃO MARÍTIMA INSTRUÇÃO DE EMBARQUE Na instrução de embarque, preenchemos os dados do frete, informações referente as dimensões da carga, e as taxas que serão cobradas do cliente e utilizadas no processo. O item de frete não deve ser lançado, o sistema identifica o frete será cobrado e imprime na notificação automaticamente. O campo referência comercial indica qual o número do processo criado no Módulo Comercial. O campo classificação comercial indica C = Cotação e P= Proposta. Botão de alterar registro. Botão de impressão do documento de instrução de embarque. Botão de filtro de pesquisa de processo. 62

64 Botão de gerar o booking. Depois de criarmos o máster, o sistema disponibilizará o embarque na rotina de agenciamento. 63

65 12.2. AGENCIAMENTO EXPORTAÇÃO MARÍTIMA Nessa rotina estarão disponíveis todos os embarques consolidados e, tendo a necessidade de consolidar um novo embarque em uma consolidada seguir a orientação abaixo. Ao selecionarmos esse botão a caixa abaixo é exibida: 64

66 Após preenchermos os dados nessa rotina é exibido os embarques gerados de acordo com o filtro informado, selecionamos os registros na caixa denominada Processos, e após pressionar o botão de OK, o sistema nos direciona para o master que acaba de ser criado. Nesse botão editamos as informações no master e house. Nesse botão excluímos o house e o processo é retornado para a instrução de embarque. Nesse botão efetuamos o cálculo do profit. Nesse botão efetuamos a impressão da notificação e confirmação da impressão para envio ao faturamento. Nesse botão efetuamos a impressão de documentos e emissão do BL. Nesse botão efetuamos a solicitação de pagamento das despesas do house e do master. Nesse botão efetuamos o cancelamento dos itens que foram solicitados os pagamentos. Nesse botão efetuamos o fechamento do embarque, após a execução o processo é enviado ao módulo de análise de account para fechamento de câmbio. 65

67 13. MOVIMENTAÇÃO ACCOUNT ANÁLISE DE ACCOUNT Após encerramento do embarque na rotina operacional, os processos ficam disponíveis na rotina de análise de account para inclusão das faturas que foram recebidas do agente no caso da Importação e, para a exportação como as faturas são emitidas na rotina operacional, automaticamente as faturas são visualizadas no processo na análise de account. Botão de alterar o registro. Botão de filtro avançado. Botão para aprovar o processo, após aprovação o processo estará disponível na rotina de fechamento de câmbio. Botão para efetuar a liberação do processo quando o status do processo não estiver como aprovado. Essa situação será encontrada quando o valor da invoice não estiver igual ao valor do account, ou quando o processo não tiver sido recebido ou faturado. Botão para abrir o processo após a aprovação, nesse caso será utilizado quando for necessário alterar alguma informação na fatura ou excluir e incluir novas faturas. Botão para retornar o embarque ao operacional, caso o embarque tenha a necessidade de ser recalculado ou inserida alguma informação ou alteração de informações no embarque. Botão de liberar a invoice parcial, ou seja, o sistema permite remeter apenas uma parte do valor das faturas no embarque. 66

68 13.2. ANÁLISE DE ACCOUNT MASTER A rotina de análise de account master destina-se a efetuar a inclusão das faturas pelo máster, ou seja, a idéia é que seja inserida uma única fatura com o valor total de todos os embarques existentes na consolidada. 67

69 13.3. FECHAMENTO DE CÂMBIO Após preenchimento dos Filtros na tela acima, o sistema exibirá as faturas que foram aprovadas na rotina de análise de account. 68

70 Após seleção dos processos para geração da remessa, o usuário irá informar a taxa de câmbio e selecionar o botão de gravar. Nesse momento o sistema irá gerar um conta a pagar ou receber, isso dependerá do tipo de da remessa à remeter ou receber. A opção conversão de faturas tem a função de converter uma fatura em EURO onde a remessa será feita em dólar, dessa forma você informará qual a taxa para a moeda. Botão de Incluir Botão de alterar 69

71 Nesse botão excluímos a remessa. Botão de filtro avançado. Botão que permitir a inclusão de outras faturas em uma remessa. Botão de efetivação da remessa, após acionado a remessa é enviado as rotinas financeiras. Botão de cancelamento da remessa nas rotinas financeiras. 70

72 14. FOLLOW-UP DO PROCESSO Conforme os eventos configurados, todo o histórico de datas e andamento do processo será exibido nesta tela. Ao acionar este módulo você visualizará a seguinte tela: Onde: São os eventos informados no serviço que o processo foi aberto. De acordo com a data da abertura do processo, o sistema monta uma previsão de realização do evento. Campo aberto para digitação da data que o evento foi realizado. Mostra qual a situação de cada evento (Atrasado, Realizado com atraso, Realizado, ETC) Caso o evento não possa ser realizado no prazo, uma justificativa pode ser informada neste campo para que todos na empresa saibam as ações que estão sendo tomadas. 71

73 DICA! O campo de Observações varia de acordo com o campo, ou seja, caso preencha uma observação no primeiro evento, quando posicionar o mouse no próximo, o sistema irá apagar o conteúdo do campo de observações. 72

74 15. LIBERADOR / CANCELAMENTO Uma vez bloqueado o processo, o sistema não permite que seja utilizado a menos que um procedimento seja executado. Este procedimento deve ser feito no módulo de Liberação. Uma vez acionado, você vizualizará a seguinte tela: Onde: Motivo pelo qual o processo não foi aberto. Botão para liberar o processo ao operacional. Botão para Cancelar o processo caso tenha sido aberto por engano. DICA! No sistema não é possível excluir processo. É permitido cancelar o processo informando uma justificativa, porém o registro do erro deve ser mantido. Além de editar as informações este módulo também serve como uma previsão do que a empresa tem a receber e pode ser muito preciso utilizando o botão de filtro avançado. Assim que o numerário for quitado, você poderá informar o sistema através do módulo de baixa. 73

75 16. BAIXA CONTAS A RECEBER O Objetivo deste módulo é informar ao sistema as ao valores quitados. Uma vez acionado o sistema exibirá a seguinte tela: Através dos campos da parte superior da tela (como a Unidade Operacional Vencimento, etc.) você pode filtrar quais são os lançamentos que ainda estão em aberto. Uma vez informado basta selecionar o botão. Na coluna você poderá selecionar quais os lançamentos tem à receber, sendo que existe um facilitador. Antes de você é obrigado a informar e. Uma vez Confirmada a baixa, o sistema irá entender que os lançamentos selecionados foram recebidos e automaticamente irá atualizar o caixa da empresa. 74

76 17. SOLICITAÇÃO DE PAGAMENTO Como vimos no fluxo, após a solicitação de numerário o sistema gera no módulo de solicitação de pagamento as despesas a serem pagas pelo despachante. O Módulo de solicitação de pagamento uma vez acionado exibirá a seguinte tela: Nela você terá acesso a todas as despesas podendo inclusive atualizar o valor e informar o fornecedor que a despesa está em aberto. Após a edição do pagamento, você terá que selecionar o botão despesas devem ser quitadas. para informar ao financeiro quais as 75

77 18. MONTAGEM DE PAGAMENTO Foi criado um módulo que permite a consolidação das contas a serem quitadas de um mesmo fornecedor. Uma vez acionado o sistema exibirá a seguinte tela: Através dos campos da parte superior da tela (como a Fornecedor, Vencimento até, etc.) você poderá filtrar quais são os lançamentos, a serem quitados. Uma vez informado basta selecionar o botão. Na coluna você pode selecionar quais os lançamentos serão quitados, sendo que existe um facilitador. Finalizada a seleção, basta você confirmar a ação através do botão. DICA! Neste momento o sistema valida as informações, havendo divergências será bloqueada a montagem do pagamento, retornando ao módulo de liberação. 76

78 19. LIBERAÇÃO DE PAGAMENTO Tela de liberação de pagamento. O objetivo deste módulo é controlar quais pagamentos podem e quais pagamentos não podem passar pelas regrar de gestão definidas no cadastro de clientes. Uma vez analisada a situação da montagem, um usuário com direito de acesso pode selecionar o pagamento desejado e o botão. Com esta ação o sistema irá liberar a montagem e o lançamento será criado no módulo de conta a pagar. 77

79 20. CONTA A PAGAR / BAIXA Assim que um pagamento é montado ele fica disponível para visualização no módulo de contas a pagar. Porém este módulo não se limita apenas a exibir os dados oriundos do módulo operacional mais também permite um controle das despesas administrativas da empresa. Assim como no módulo de contas a receber, quando você selecionar o botão, o sistema entenderá como um lançamento administrativo. Sendo assim no mesmo módulo teremos uma visão de todas as despesas a serem pagas independente da origem. Uma vez acionado você visualizará a seguinte tela: Nela, você poderá personalizar o registro e para os casos operacionais, o sistema terá condições de informar através da tela o que está sendo pago, caso exista a necessidade de uma atualização de valor incluindo um acréscimo ou um desconto. Após a conferência, é possível efetuar a atualização do caixa através da rotina de baixa conforme tela abaixo: 78

80 Através dos campos da parte superior da tela (como a Unidade, Vencimento até, etc.) você poderá filtrar quais são os lançamentos que deseja quitar. Uma vez informado basta selecionar o botão. Na coluna você poderá selecionar quais os lançamentos serão quitados. Na parte inferior da tela é necessário preencher os dados de pagamento e de qual conta bancária valor a será abatido. Outro campo muito importante é. Pois dependendo a forma escolhida o sistema terá uma ação diferente. Ex: Caso você selecione a forma de pagamento cheque, o sistema irá solicitar a impressão da folha no mesmo momento confirme a operação. Finalizada a seleção, basta você confirmar a ação através do botão. DICA! Caso no momento da baixa ocorra algum problema na emissão do cheque, você poderá efetuar uma nova impressão. 79

81 21. CAIXA Toda a movimentação financeira da empresa é consolidada neste módulo independente de ter sido gerado um crédito ou um débito. Uma vez acionada, o sistema exibirá a seguinte tela: O sistema sempre exibirá a movimentação financeira do dia, conforme podemos observar no título da janela. Caso você queira informações de outra data ou mesmo visualizar os registros de forma mais objetiva, basta selecionar o filtro avançado. Uma vez acionado o sistema exibirá a seguinte tela: Além dos dados oriundos dos outros módulos é possível efetuar um lançamento direto no caixa (como taxas bancárias ou mesmo lançamentos não previstos) esta operação deve ser feita através do botão. 80

82 22. CONCILIAÇÃO FINANCEIRA Como sabemos, o fato de uma conta ter sido baixada não significa que o valor foi debitado da conta da empresa. O objetivo deste módulo é informar para o sistema quando o lançamento realmente ocorreu. Para isso você deve incluir uma conciliação. Uma vez acionado o módulo o sistema exibirá a seguinte tela: Os dados a serem preenchidos referem-se ao que você está conciliando. Uma vez informado, selecione o botão e o sistema exibirá a seguinte tela: Através da coluna você pode selecionar quais são os lançamentos que deseja conciliar. DICA! Todo lançamento cuja forma de lançamento for diferente de cheque, o sistema trará selecionado, pois partimos do pré suposto que a operação é on line. 81

83 23. TRANSFERÊNCIA FINANCEIRA Em alguns casos, as empresas possuem mais de uma conta bancária e constantemente efetuam transferências bancárias. Uma vez acionado o módulo o sistema exibirá a seguinte tela: Basta você informar os dados solicitados e automaticamente o valor será debitado de uma conta e creditado em outra sem a necessidade de inclusão de lançamentos. 82

84 24. RESUMO FINANCEIRO O sistema gera de forma resumida os dados do módulo financeiro, conforme tela a seguir: Além de visualizar os dados em tela, você poderá efetuar a impressão desse resumo. DICA! Caso a empresa tenha mais de uma conta bancária, basta deixar o campo em branco e o sistema trará na lista de contas os dados de todas as contas que estiverem classificadas como conta empresa. 83

85 25. CONTA CORRENTE DO PROCESSO Nesta tela você terá acesso as despesas do processo: Além de possibilitar a consulta de qualquer despesa relacionada ao processo, o sistema também permite incluir uma despesa diretamente no processo (sendo que neste caso, nenhuma movimentação financeira será feita. Este item será apenas exibido no faturamento do processo). 84

86 26. FATURAMENTO DO PROCESSO Aqui, você tem a possibilidade de emitir os documentos necessários para o faturamento do processo. Uma vez acionado o sistema exibirá a seguinte tela: Note que neste módulo fomos forçados a incluir um Processo de Faturamento. O/os Processo/s que serão/ao faturado/s só iremos informar na tela de faturamento, podemos visualizar a tela abaixo:. Uma vez incluso o processo de 85

87 Aqui, você terá a flexibilidade necessária para faturar um ou mais processos (faturamento consolidado). Para que os processos sejam exibidos na lista, basta selecionar o botão. O sistema trará todos os processos abertos para faturamento bastando selecionar qual será faturado. No momento que o processo for importado, todas as despesas serão enviadas para a tela de permitindo inclusive que você inclua mais itens a serem faturados. A última tela como um protocolo. funciona Finalizada a operação, através do botão você poderá emitir os documentos necessários para o faturamento (nota de despesa / nota fiscal ou RPS) Existe ainda a possibilidade de refaturar um processo. Este caso é utilizado quando o problema foi encontrado antes de enviar a nota para o cliente. 86

88 27. RPS GERAÇÃO E RETORNO Para os clientes de São Paulo que trabalham com a nota fiscal eletrônica, existe a possibilidade de gerar o arquivo de envio dos RTP s emitidos no dia. 87

89 28. PARÂMETROS DO USUÁRIO Para facilitar as operações no sistema, alguns parâmetros do usuário ficam disponíveis para personalização. Ao acessar este menu, será exibida a seguinte tela: Somente preencherá estes campos quem possui o sistema i-drawback. Caminho da impressora de cheque Ex: //<IP>/<nome compartilhamento> Parâmetro exclusivo para o sistema i-export. Caminho para geração do arquivo de integração com o site da Secretaria da Fazenda. 88

90 29. PARÂMETROS DO SISTEMA MÁSCARA DO PROCESSO Neste módulo encontraremos os principais parâmetros de personalização do sistema (conforme realidade da empresa). Para facilitar seu entendimento, vamos dividir este módulo em cada uma das telas do sistema iniciando pela mascara do processo. Esta configuração tem como objetivo controlar a seqüência de abertura do processo, conforme regra pré determinado pelo usuário. Uma vez acionado, o sistema exibirá a seguinte tela: Onde: Máscara genérica de como o sistema deverá compor a referência do processo. Através das letras que se encontram na lista de composição da referência, o usuário poderá montar sua referência informando a quantidade de letras para cada situação. Conjunto de letras que servirá para qualquer processo independente da regra determinada. Caso o embarque que está sendo aberto sofra variação sobre uma destas variáveis, o sistema deverá iniciar uma nova seqüência numérica sempre iniciando pelo número um. 89

91 DICA! Para manter o campo Número do Processo aberto para digitação manter o campo em branco e o sistema não seguirá a seqüência automaticamente. 90

92 29.1. DADOS COMPLEMENTARES Nesta tela, você poderá personalizar o quadro de informações complementares das DI s que a empresa registra. Uma vez selecionado você vizualizará a seguinte tela: Onde: Nesta coluna você terá a possibilidade de selecionar quais dados serão enviados para o quadro de informações complementares automaticamente. Para isso, basta selecionar o campo, e a informação será acrescida automaticamente no texto. Com estes 2 botões, você poderá selecionar a ordem que as informações poderão aparecer no quadro. 91

93 29.2. VALORES E ALÍQUOTAS Nesta tela, todas as alíquotas poderão ser definidas para toda a empresa. Uma vez acionado o sistema você visualizará a seguinte tela: Onde: Campo utilizado para controle de radar. Campo exclusivo para iexport. 92

94 29.3. PARÂMETROS ITENS Essa configuração é muito importante, uma vez que, para as despesas relacionadas, o sistema irá efetuar rotinas automáticas (como o cálculo de IRRF, ou mesmo o débito de um imposto no processo). Como cada empresa pode criar um padrão de código diferenciado, é necessário identificar o código criado com a despesa relacionada. Para o funcionamento de algumas rotinas no agenciamento é necessário a configuração de alguns itens: Item de Frete Internacional. Recebimento de Fatura. Item de Profit Share Imposto do Paraíso Fiscal 93

95 29.4. APLICATIVOS EXTERNOS Todos os aplicativos externos para geração de documentos referentes aos processos. São gerados nesta tela. 94

96 29.5. EVENTOS A partir desses parâmetros o sistema irá efetuar rotinas automáticas como o registro da DI, ou mesmo a solicitação de numerário. Para tanto é necessário identificar o código criado com a despesa relacionada. 95

97 30. REPORT DESIGN (DOCUMENTO DESIGN) Para acessar a ferramenta de Report Design basta selecionar o menu Ferramentas Configurações Reports Design e o sistema exibirá a seguinte tela: Ferramentas que podem ser utilizadas: Para criação de um novo relatório: 96

98 97

99 98

100 99

101 Algumas dicas de formatação de campos: 100

102 31. GERA MENU REPORT Após a criação do documento, precisamos disponibilizá-lo no menu. Uma vez acionada esta opção, o sistema exibirá a seguinte tela: Para incluir um relatório, basta selecionar na coluna da direita qual relatório deseja imprimir e logo em seguida pressionar o botão indicado. O sistema automaticamente passará o relatório da direita para a esquerda, finalizar a operação basta selecionar o botão indicado. Esses botões permitem organizar o relatório no menu. Este botão permite que um novo subgrupo seja criado. 101

MANUAL DE OPERAÇÃO DO SISTEMA i-broker Export

MANUAL DE OPERAÇÃO DO SISTEMA i-broker Export MANUAL DE OPERAÇÃO DO SISTEMA i-broker Export Atualizado em: Atualizado por: Maio/2011 Carlos Valotto Versão: 4.0 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 REQUISITOS MÍNIMOS PARA INSTALAÇÃO... 4 1. CADASTROS... 5 1.1. CADASTRO

Leia mais

Manual de Operações. Versão 2.0. Junho/2011. Autor : Carlos Valotto. Página 1

Manual de Operações. Versão 2.0. Junho/2011. Autor : Carlos Valotto. Página 1 Manual de Operações Versão 2.0 Junho/2011 Autor : Carlos Valotto Página 1 Índice Sistema i-drawback Introdução... 3 01 - Cadastros... 5 01.1 - Grupo de usuários... 8 01.2 - Usuários... 9 01.3 - Item /

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO DO SISTEMA i-broker Import

MANUAL DE OPERAÇÃO DO SISTEMA i-broker Import MANUAL DE OPERAÇÃO DO SISTEMA i-broker Import Atualizado em: Mês/ano Atualizado por: Nome do Colaborador Versão: 3.0 Manual do Sistema i-broker Import v.3 ÍNDICE APRESENTAÇÃO... 3 INTRODUÇÃO... 4 REQUISITOS

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO DO SISTEMA i-nota

MANUAL DE OPERAÇÃO DO SISTEMA i-nota MANUAL DE OPERAÇÃO DO SISTEMA i-nota Atualizado em: Maio/2011 Atualizado por: Carlos Valotto Versão: 1.0 ÍNDICE APRESENTAÇÃO... 2 1. CADATROS... 4 1.1. CADASTRO GRUPO DE USUÁRIO... 7 1.2. CADASTRO - USUÁRIO...

Leia mais

Índice 1. PORTAL DE VENDAS... 3 2. INTEGRAÇÃO PORTAL DE VENDAS X FOX... 4 3. CADASTRO DE VENDEDORES/SUPERVISORES... 5 4. CONFIGURAÇÃO DO SISTEMA...

Índice 1. PORTAL DE VENDAS... 3 2. INTEGRAÇÃO PORTAL DE VENDAS X FOX... 4 3. CADASTRO DE VENDEDORES/SUPERVISORES... 5 4. CONFIGURAÇÃO DO SISTEMA... Portal de Vendas Índice 1. PORTAL DE VENDAS... 3 2. INTEGRAÇÃO PORTAL DE VENDAS X FOX... 4 3. CADASTRO DE VENDEDORES/SUPERVISORES... 5 1.1. Guia Portal de Vendas... 7 4. CONFIGURAÇÃO DO SISTEMA... 8 5.

Leia mais

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador.

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador. - INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais

Manual de Sistema - DDMantra

Manual de Sistema - DDMantra Prezado Cliente Bysoft Você acaba de adquirir um sistema de recuperação e consulta de informações automáticas do Mantra Neste material, você encontrará explicações de todos os recursos oferecidos pelo

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DA RECEITA PED MANUAL INTERNET

SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DA RECEITA PED MANUAL INTERNET SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DA RECEITA MANUAL INTERNET ÍNDICE Sistema Integrado de Administração da Receita 1 INTRODUÇÃO GERAL... 4 2 INTRODUÇÃO AO... 4 2.1 OBJETIVOS... 4 2.2 BENEFÍCIOS... 4 2.3

Leia mais

Manual do Sistema "Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro" Editorial Brazil Informatica

Manual do Sistema Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro Editorial Brazil Informatica Manual do Sistema "Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro" Editorial Brazil Informatica I Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro Conteúdo Part I Introdução

Leia mais

MANUAL DDTraffic Importação

MANUAL DDTraffic Importação MANUAL DDTraffic Importação Prezado cliente Bysoft Você acaba de adquirir um sistema para controle Agenciamento de Carga Importação para sua empresa. Neste material, você encontrará explicações de todos

Leia mais

Manual para Transportadoras

Manual para Transportadoras Índice 1 Objetivo... 3 2 O Projeto e-suprir... 3 3 Introdução... 3 4 Informações Básicas... 4 4.1 Painel de Controle Compras... 4 5 Acessando o Pedido... 5 6 Digitando o Espelho de Nota Fiscal... 7 6.1

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO DO SISTEMA i-tracking

MANUAL DE OPERAÇÃO DO SISTEMA i-tracking MANUAL DE OPERAÇÃO DO SISTEMA i-tracking Atualizado em: Novembro/2009 Atualizado por: Marcelo Gomes Versão: 1.0 ÍNDICE 1. CONFIGURAÇÕES INICIAIS... 4 2. MÓDULOS... 7 3. FERRAMENTAS... 9 4. CADASTROS...

Leia mais

O Oficina Integrada é um sistema completo para o controle e gerenciamento de oficinas mecânicas. É o primeiro e único software que controla o fluxo

O Oficina Integrada é um sistema completo para o controle e gerenciamento de oficinas mecânicas. É o primeiro e único software que controla o fluxo O Oficina Integrada é um sistema completo para o controle e gerenciamento de oficinas mecânicas. É o primeiro e único software que controla o fluxo em sua oficina. O sistema foi desenvolvido para ser utilizado

Leia mais

Treinamento de. Linx Pos

Treinamento de. Linx Pos Treinamento de caixa Linx Pos Será instalados no terminal da loja, o ícone, conforme imagem abaixo: Linx POS ÍNDICE Abertura de caixa e leitura X Lançamentos Cancelamento de itens Consulta preços no ato

Leia mais

Emissão: 16/09/2010 Revisão: 23/04/2015 Revisado por: Juliana PEDIDO DE VENDAS SHP. PPV0102 v. 3.2.7.39 Help Desk

Emissão: 16/09/2010 Revisão: 23/04/2015 Revisado por: Juliana PEDIDO DE VENDAS SHP. PPV0102 v. 3.2.7.39 Help Desk Emissão: 16/09/2010 Revisão: 23/04/2015 Revisado por: Juliana PEDIDO DE VENDAS SHP PPV0102 v. 3.2.7.39 Help Desk 1 Conteúdo Introdução:... 3 CAMINHO:... 4 Inclusão e inicio do PEDIDO DE VENDAS... 5 DETALHES

Leia mais

PRINCIPAIS NOVIDADES VERSÃO 8.85/1.1.66

PRINCIPAIS NOVIDADES VERSÃO 8.85/1.1.66 PRINCIPAIS NOVIDADES VERSÃO 8.85/1.1.66 Sumário 1. Nota Fiscal Eletrônica São Paulo... 3 2. Motivo da baixa... 9 3. Contrato Endereço para cobrança... 12 4. Vistoria... 13 5. Contas a pagar Controle de

Leia mais

MANUAL DO PRESTADOR FATURAMENTO WEB

MANUAL DO PRESTADOR FATURAMENTO WEB MANUAL DO PRESTADOR FATURAMENTO WEB 0 Sumário Introdução... 2 Funcionalidades... 2 Requisitos Necessários... 2 Faturamento Web... 3 Faturamento Simplificado... 4 Faturamento Detalhado... 9 Faturamento

Leia mais

TUTORIAL COM OS PROCEDIMENTOS DE

TUTORIAL COM OS PROCEDIMENTOS DE TUTORIAL COM OS PROCEDIMENTOS DE GERAÇÃO DE BOLETOS BRADESCO NO FINANCE 2 Índice Como gerar Boleto Bancário pelo Bradesco... 3 Como gerar os arquivos de Remessa para o Banco pelo Finance... 14 Como enviar

Leia mais

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador.

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador. INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais

APRESENTAÇÃO... 3 OBJETIVO... 3 QUEM DEVE USAR... 3 CAPÍTULO 1 - INICIANDO O SISTEMA... 4

APRESENTAÇÃO... 3 OBJETIVO... 3 QUEM DEVE USAR... 3 CAPÍTULO 1 - INICIANDO O SISTEMA... 4 INDICE APRESENTAÇÃO... 3 OBJETIVO... 3 QUEM DEVE USAR... 3 CAPÍTULO 1 - INICIANDO O SISTEMA... 4 1.1 - ENTRADA NO SISTEMA... 4 1.2 - TELA DO ORGANIZADOR DO MULTICONTAS... 4 CAPÍTULO 2 - FUNCIONALIDADES

Leia mais

Sumário INTRODUÇÃO... 3 O QUE É CNAB?... 3 QUAL O OBJETIVO DO CNAB?... 3 QUAIS BANCOS E CARTEIRAS O EMPRESÁRIO ERP NOS FORNECE?...

Sumário INTRODUÇÃO... 3 O QUE É CNAB?... 3 QUAL O OBJETIVO DO CNAB?... 3 QUAIS BANCOS E CARTEIRAS O EMPRESÁRIO ERP NOS FORNECE?... Sumário INTRODUÇÃO... 3 O QUE É CNAB?... 3 QUAL O OBJETIVO DO CNAB?... 3 QUAIS BANCOS E CARTEIRAS O EMPRESÁRIO ERP NOS FORNECE?... 4 COMO CONFIGURAR O CNAB... 5 CADASTRO DE BANCOS... 5 PARAMETROS DO CNAB...

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO. ASP Consultoria e Desenvolvimento de Softwares Ltda. SISTEMA DE GESTÃO COMERCIAL. Manual de Operação do SIMPLES 1

MANUAL DE OPERAÇÃO. ASP Consultoria e Desenvolvimento de Softwares Ltda. SISTEMA DE GESTÃO COMERCIAL. Manual de Operação do SIMPLES 1 Manual de Operação do SIMPLES 1 MANUAL DE OPERAÇÃO SISTEMA DE GESTÃO COMERCIAL ASP Consultoria e Desenvolvimento de Softwares Ltda. Manual de Operação do SIMPLES 2 A Empresa A ASP Desenvolvimento de Softwares

Leia mais

Manual do Módulo. MerchNotas

Manual do Módulo. MerchNotas Manual do Módulo MerchNotas Bento Gonçalves (RS), Agosto de 2010 Índice 1. Introdução... 4 2. Menu Entrada de Notas... 5 2.1. Entrada de Notas (F11)... 5 2.2. Entrada de Notas NFe (F12)... 8 2.3. Apuração

Leia mais

Índice 1.Auditoria Financeira...2 2.Parametrizações do Sistema...3 2.1.Cadastro da Empresa...3 2.1.1.Forma de controle das notas na Auditoria

Índice 1.Auditoria Financeira...2 2.Parametrizações do Sistema...3 2.1.Cadastro da Empresa...3 2.1.1.Forma de controle das notas na Auditoria Índice 1.Auditoria Financeira...2 2.Parametrizações do Sistema...3 2.1.Cadastro da Empresa...3 2.1.1.Forma de controle das notas na Auditoria Financeira...4 2.1.2.Formas de Registro do Pagamento e Recebimento

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO GONDOLA

MANUAL DO USUÁRIO GONDOLA NOÇÕES GERAIS MANUAL DO USUÁRIO GONDOLA Para melhor compreender o ambiente de trabalho do sistema GONDOLA, é necessário que sejam apresentadas algumas noções gerais, antes de se aprofundar em cada módulo

Leia mais

MANUAL DDTRAFFIC IMPORTAÇÃO. Você acaba de adquirir um sistema para controle Agenciamento de Carga Importação para sua empresa.

MANUAL DDTRAFFIC IMPORTAÇÃO. Você acaba de adquirir um sistema para controle Agenciamento de Carga Importação para sua empresa. MANUAL DDTRAFFIC IMPORTAÇÃO Prezado cliente Bysoft, Você acaba de adquirir um sistema para controle Agenciamento de Carga Importação para sua empresa. Neste material, você encontrará explicações de todos

Leia mais

jfinanç as Pessoal Versão 2.0 - Fevereiro/2015

jfinanç as Pessoal Versão 2.0 - Fevereiro/2015 jfinanças Pessoal Versão 2.0 - Fevereiro/2015 Índice 1 INTRODUÇÃO E VISÃO GERAL... 1 2 INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO INICIAL DO JFINANÇAS PESSOAL... 2 2.1 Download... 3 2.2 Instalação do jfinanças Pessoal...

Leia mais

Treinamento GVcollege Módulo Financeiro 1

Treinamento GVcollege Módulo Financeiro 1 Treinamento GVcollege Módulo Financeiro 1 2013 GVDASA Sistemas Caixa AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio.

Leia mais

Pequenas Frotas. Manual do Sistema WEB

Pequenas Frotas. Manual do Sistema WEB Pequenas Frotas Manual do Sistema WEB Versão 1.1 Abr-2014 Sumário 1. Acesso ao Sistema... 3 1.1. Site Institucional... 3 1.2. Canal do Corretor Usuário Principal (Master)... 3 1.3. Controle de Acesso...

Leia mais

Manual de utilização do. sistema integrado de controle médico WWW.ISA.NET.BR

Manual de utilização do. sistema integrado de controle médico WWW.ISA.NET.BR Manual de utilização do sistema integrado de controle médico WWW.ISA.NET.BR Sistema integrado de controle médico Acesso... 3 Menu principal... 4 Cadastrar... 6 Cadastro de pacientes... 6 Convênios... 10

Leia mais

Passo a Passo do Orçamentos de Entrada no SIGLA Digital

Passo a Passo do Orçamentos de Entrada no SIGLA Digital Passo a Passo do Orçamentos de Entrada no SIGLA Digital Página 1 de 9 Este é um dos principais módulos do SIGLA Digital. Utilizado para dar entrada de produtos no estoque, essa ferramenta segue a seguinte

Leia mais

Gerenciamento de importação

Gerenciamento de importação Sumário Apresentação... 2 1. Procedimentos iniciais... 2 2. Realizar Cadastros... 4 3. Gerenciar Importação com Controle de Embarque... 18 Etapa 1 Fazer o pedido de compra máster... 19 Etapa 2 Controle

Leia mais

inux Sistemas Ltda. MANUAL DO USUÁRIO www.inux.com.br

inux Sistemas Ltda. MANUAL DO USUÁRIO www.inux.com.br 2013 inux Sistemas Ltda. s MANUAL DO USUÁRIO www.inux.com.br Sumário 1 Introdução... 2 2 Visão Geral do Sistema... 2 3 Tela de Configuração... 3 4 Tela de Mensagens... 5 5 Tela de Importação... 8 6 Tela

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA. Versão 6.07

MANUAL DO SISTEMA. Versão 6.07 MANUAL DO SISTEMA Versão 6.07 Movimentações... 4 Movimentações de Caixa... 4 Entradas... 6 Recebimento em Dinheiro... 8 Recebimento em Cheque... 8 Troco... 15 Saídas... 17 Movimentações de Banco... 22

Leia mais

Guia Prático do Usuário

Guia Prático do Usuário Guia Prático do Usuário 3. O que esse Manual aborda Esse manual é um guia prático de utilização do sistema, ele aborda noções gerais sobre gerenciamento de sua empresa além de ter informações detalhando

Leia mais

Manual do Sistema de Almoxarifado P á g i n a 2. Manual do Sistema de Almoxarifado Módulo Requisição. Núcleo de Tecnologia da Informação

Manual do Sistema de Almoxarifado P á g i n a 2. Manual do Sistema de Almoxarifado Módulo Requisição. Núcleo de Tecnologia da Informação Divisão de Almoxarifado DIAX/CGM/PRAD Manual do Sistema de Almoxarifado Módulo Requisição Versão On-Line Núcleo de Tecnologia da Informação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Manual do Sistema

Leia mais

Treinamento Módulo Contas a Pagar

Treinamento Módulo Contas a Pagar Contas a Pagar Todas as telas de cadastro também são telas de consultas futuras, portanto sempre que alterar alguma informação clique em Gravar ou pressione F2. Teclas de atalho: Tecla F2 Gravar Tecla

Leia mais

SIGEP WEB - Gerenciador de Postagens dos Correios Manual do Usuário

SIGEP WEB - Gerenciador de Postagens dos Correios Manual do Usuário MANUAL DO USUÁRIO 2 ÍNDICE 1. PRÉ REQUISITOS PARA UTILIZAÇÃO DO SIGEP WEB 04 2. PROCEDIMENTOS PARA DOWNLOAD DO SISTEMA 04 3. INSTALANDO O SIGEP WEB 07 4. CONFIGURAÇÕES DO SISTEMA 09 COMPARTILHANDO O BANCO

Leia mais

Sistema Integrado de Gerenciamento ARTESP MANUAL DO USUÁRIO SIGA EXTRANET - FRETAMENTO

Sistema Integrado de Gerenciamento ARTESP MANUAL DO USUÁRIO SIGA EXTRANET - FRETAMENTO Sistema Integrado de Gerenciamento ARTESP MANUAL DO USUÁRIO SIGA EXTRANET - FRETAMENTO Versão 1.0 Julho/2012 ÍNDICE 1 REQUISITOS MÍNIMOS PARA INSTALAÇÃO... 4 1.1 Equipamento e Sistemas Operacionais 4 1.1.1

Leia mais

Sistematic Tecnologia e Sistemas de Informação LTDA

Sistematic Tecnologia e Sistemas de Informação LTDA Manual do Usuário SisCommercePDV NFC-e Sistematic Tecnologia e Sistemas de Informação LTDA MANUAL DO USUÁRIO SisCommercePDV Emissor de Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica (NFC-e) *Manual em desenvolvimento

Leia mais

Manual Prático da Cobrança Eletrônica no Sistema BasePro ERP Fenix

Manual Prático da Cobrança Eletrônica no Sistema BasePro ERP Fenix Manual Prático da Cobrança Eletrônica no Sistema ERP Fenix Página 1 Sumário Introdução...4 1 Remessa ao Banco...5 1.1 Prévia...5 1.2 Geração...8 1.3 Envio do arquivo da Geração...10 1.3.1 Direcionando

Leia mais

SuperStore. Sistema para Automação de Óticas. MANUAL DO USUÁRIO (Módulo Vendas e Caixa)

SuperStore. Sistema para Automação de Óticas. MANUAL DO USUÁRIO (Módulo Vendas e Caixa) SuperStore Sistema para Automação de Óticas MANUAL DO USUÁRIO (Módulo Vendas e Caixa) Contato: (34) 9974-7848 http://www.superstoreudi.com.br superstoreudi@superstoreudi.com.br SUMÁRIO 1 Vendas... 3 1.1

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO MASTER VENDAS

MANUAL DE UTILIZAÇÃO MASTER VENDAS MANUAL DE UTILIZAÇÃO MASTER VENDAS 1. CONCEITO Master Vendas não é somente um sistema, e sim, um novo conceito de gestão para sua empresa. Foi desenvolvido por profissionais de informática juntamente com

Leia mais

APLICAÇÕES WEB GUIA DO USUÁRIO

APLICAÇÕES WEB GUIA DO USUÁRIO Parte:...................................... Gabarito Assunto:............................ Atualização: Original........................ Página: 1 SIA 7.5 - Sistema Integrado de Arrecadação APLICAÇÕES

Leia mais

Manual Sistema Curumim. Índice

Manual Sistema Curumim. Índice Versão 1.0 Índice 1. Instalação do Sistema... 3 2. Botões e Legenda... 4 3. Login do Sistema... 5 4. Tela Principal... 6 5. Dados Cadastrais da Empresa... 7 6. Aluno Cadastro... 8 7. Aluno - Cadastro de

Leia mais

Roteiro de Cadastros - GESTOR

Roteiro de Cadastros - GESTOR Página1 INDICE 1. MODULO EMPRESA 1.1. CADASTRO DE USUARIO --------------------------------------------------------------------- 4 1.2. CADASTRO DA EMPRESA --------------------------------------------------------------------

Leia mais

LINX POSTOS AUTOSYSTEM

LINX POSTOS AUTOSYSTEM LINX POSTOS AUTOSYSTEM Manual Notas Fiscais Sumário 1 CONCEITO... 3 2 REQUISITOS... 3 3 CONFIGURAÇÕES... 3 3.1 Permissões... 3 3.2 Configurar NF-e... 4 3.2.1 Aba Geral... 5 3.2.2 Opções... 6 3.3 Processador

Leia mais

Passo a Passo do Checkout no SIGLA Digital

Passo a Passo do Checkout no SIGLA Digital Página 1 de 7 Passo a Passo do Checkout no SIGLA Digital Este é um dos principais módulos do Sigla Digital. Utilizado para vendas no balcão por ser uma venda rápida, mais simples, onde não é necessário

Leia mais

SUMÁRIO. 1 Cadastro Empresa / Estabelecimento ----------------------------------- Pág. 05

SUMÁRIO. 1 Cadastro Empresa / Estabelecimento ----------------------------------- Pág. 05 1 Apresentação O presente manual tem o objetivo de apresentar o sistema Fortes Compras e Estoque, instruindo o usuário sobre as funcionalidades do sistema, seus benefícios e especificidades. Nele pode

Leia mais

SISTEMA COOL 2.0V. (Certificado de Origen On Line) MANUAL DO USUÁRIO

SISTEMA COOL 2.0V. (Certificado de Origen On Line) MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA COOL 2.0V (Certificado de Origen On Line) MANUAL DO USUÁRIO ÍNDICE Pré-requisitos para utilização do sistema....2 Parte I Navegador...2 Parte II Instalação do Interpretador de PDF...2 Parte III

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES. Sistema Nota Fiscal Eletrônica. Sil Tecnologia LTDA

MANUAL DE INSTRUÇÕES. Sistema Nota Fiscal Eletrônica. Sil Tecnologia LTDA Sistema Nota Fiscal Eletrônica Sil Tecnologia LTDA SUMÁRIO INTRODUÇÃO 4 1. CONHECENDO OS COMANDOS DO SISTEMA 5 1.1 Tela Inicial do Sistema 5 1.2 Navegador de registros 6 1.3 Filtro de Registros 6 2. TELA

Leia mais

ROTEIRO SOBRE NOTAS DE IMPORTAÇÃO CONTROLLER

ROTEIRO SOBRE NOTAS DE IMPORTAÇÃO CONTROLLER Inicialmente, o mais importante O objetivo deste material é apresentar como deve-se proceder em todas as fases, o cadastramento de uma Nota de Importação no Controller. Este material abordará os tópicos

Leia mais

Manual do Sistema "Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro" Editorial Brazil Informatica

Manual do Sistema Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro Editorial Brazil Informatica Manual do Sistema "Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro" Editorial Brazil Informatica I Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro Conteúdo Part I Introdução

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO PORTAL TISS. Manual. Usuário. Versão 1.3 atualizado em 13/06/2013

MANUAL DO USUÁRIO PORTAL TISS. Manual. Usuário. Versão 1.3 atualizado em 13/06/2013 Manual do Usuário Versão 1.3 atualizado em 13/06/2013 1. CONFIGURAÇÕES E ORIENTAÇÕES PARA ACESSO... 4 2 GUIAS... 11 2.1 DIGITANDO AS GUIAS... 11 2.2 SALVANDO GUIAS... 12 2.3 FINALIZANDO UMA GUIA... 13

Leia mais

Apostila nº 32 Contas a Pagar e a Receber; Como localizar, Incluir, Alterar, Eliminar, Baixar, reabrir e imprimir

Apostila nº 32 Contas a Pagar e a Receber; Como localizar, Incluir, Alterar, Eliminar, Baixar, reabrir e imprimir Apostila nº 32 Contas a Pagar e a Receber; Como localizar, Incluir, Alterar, Eliminar, Baixar, reabrir e imprimir Sumário Contas á Receber...3 Como atualizar a pesquisa no contas á receber?...3 Como efetuar

Leia mais

VESOFTWARE - DESENVOLIMENTO DE SISTEMAS E WEBSITES Fone: (11) 4036-6980 VIVO(11)9607-5649 TIM(11)7013-8480 1-13

VESOFTWARE - DESENVOLIMENTO DE SISTEMAS E WEBSITES Fone: (11) 4036-6980 VIVO(11)9607-5649 TIM(11)7013-8480 1-13 1-13 INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais

Shop Control 8 Pocket. Guia do usuário

Shop Control 8 Pocket. Guia do usuário Shop Control 8 Pocket Guia do usuário Abril / 2007 1 Pocket O módulo Pocket permite fazer vendas dos produtos diretamente em handhelds Pocket PC, pelos vendedores externos da empresa. Os cadastros (clientes,

Leia mais

NeXT ERP Manual do usuário. Resumo das principais funcionalidades. Dezembro/2009. NeXT Software

NeXT ERP Manual do usuário. Resumo das principais funcionalidades. Dezembro/2009. NeXT Software NeXT ERP Manual do usuário Resumo das principais funcionalidades Dezembro/2009 NeXT Software Página 1 de 33 Índice Iniciando NeXT ERP...3 Tela inicial...3 Interface padrão do NeXT ERP...3 Interface - Cadastro

Leia mais

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador.

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador. INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais

MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO

MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO ÍNDICE Relatórios Dinâmicos... 3 Requisitos de Sistema... 4 Estrutura de Dados... 5 Operadores... 6 Tabelas... 7 Tabelas x Campos... 9 Temas... 13 Hierarquia Relacionamento...

Leia mais

W3SAC Automação Comercial

W3SAC Automação Comercial Automação Comercial Elaborado pela W3 Automação e Sistemas Informação de Propriedade do Grupo Jomóveis Este documento, com todas as informações nele contidas, é confidencial e de propriedade do Grupo Jomóveis,

Leia mais

AVISO. Treinamento GVcollege Módulo Contas a Pagar 2

AVISO. Treinamento GVcollege Módulo Contas a Pagar 2 AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida nem transmitida

Leia mais

Ajuda do Sistema Aquarius.

Ajuda do Sistema Aquarius. Ajuda do Sistema Aquarius. Esta ajuda é diferenciada da maioria encontrada nos sistemas de computador do mercado. O objetivo desta ajuda é literalmente ajudar o usuário a entender e conduzir de forma clara

Leia mais

Processos de Compras. Tecinco Informática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar

Processos de Compras. Tecinco Informática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar Processos de Compras Tecinco Informática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar 1 Centro Cascavel PR www.tecinco.com.br Sumário Controle de Compras... 4 Parametrização... 4 Funcionamento... 4 Processo de Controle...

Leia mais

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA MÉDICOS

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA MÉDICOS HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA MÉDICOS 1 CADASTRANDO CLIENTES 1.1 BUSCANDO CLIENTES 1.1.1 BUSCANDO CLIENTES PELO NOME 1.1.2 BUSCANDO CLIENTES POR OUTRAS BUSCAS 1.2 CAMPO OBSERVAÇÕES 1.3

Leia mais

www.gerenciadoreficaz.com.br

www.gerenciadoreficaz.com.br Fone: (62) 4141-8464 E-mail: regraconsultoria@hotmail.com www.gerenciadoreficaz.com.br Guia Prático do Usuário Manual de Instalação Gerenciador Eficaz 7 2 Manual do Usuário Gerenciador Eficaz 7 Instalando

Leia mais

Manual NOV - PDV. Versão 1.0

Manual NOV - PDV. Versão 1.0 Manual NOV - PDV Versão 1.0 Sumário 01 Captura de Nota Fiscal...3 02 Remessa de Entrada...6 03 Remessa de Saída......9 04 Pedido Normal...12 05 Pedido Especial...16 06 Nota Fiscal Avulsa...18 07 Controle

Leia mais

Manual Mercador WEB. Sistema Mercador. Cia Quatro de Software Ltda. Versão 1.0

Manual Mercador WEB. Sistema Mercador. Cia Quatro de Software Ltda. Versão 1.0 Manual Mercador WEB Sistema Mercador Cia Quatro de Software Ltda. Versão 1.0 Menu do Vendedor... 4 Cadastros... 4 Consultas... 4 Analises... 4 Entrando no Sistema Mercador WEB... 5 Equipamento necessário...

Leia mais

Treinamento GVcollege Módulo Financeiro 1

Treinamento GVcollege Módulo Financeiro 1 Treinamento GVcollege Módulo Financeiro 1 AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio. Nenhuma parte desta publicação

Leia mais

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR/SBOT PARA MÉDICOS

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR/SBOT PARA MÉDICOS HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR/SBOT PARA MÉDICOS 1 CADASTRANDO CLIENTES 1.1 BUSCANDO CLIENTES 1.1.1 BUSCANDO CLIENTES PELO NOME 1.1.2 BUSCANDO CLIENTES POR OUTRAS BUSCAS 1.2 CAMPO OBSERVAÇÕES

Leia mais

Manual do Sistema "Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro" Editorial Brazil Informatica

Manual do Sistema Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro Editorial Brazil Informatica Manual do Sistema "Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro" Editorial Brazil Informatica I Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro Conteúdo Part I Introdução

Leia mais

Material de Apoio. SEB - Contas a Pagar. Versão Data Responsável Contato 1 05/12/2011 Paula Fidalgo paulaf@systemsadvisers.com

Material de Apoio. SEB - Contas a Pagar. Versão Data Responsável Contato 1 05/12/2011 Paula Fidalgo paulaf@systemsadvisers.com Material de Apoio SEB - Contas a Pagar Versão Data Responsável Contato 1 05/12/2011 Paula Fidalgo paulaf@systemsadvisers.com Conteúdo CONFIGURAÇÃO... 3 Cadastro de Fornecedores... 3 Métodos de Pagamento...

Leia mais

LINX POSTOS AUTOSYSTEM

LINX POSTOS AUTOSYSTEM LINX POSTOS AUTOSYSTEM Manual Sumário 1 CONCEITO... 4 2 REQUISITOS... 4 3 CONFIGURAÇÕES... 4 3.1 Permissões de Acesso... 4 3.2 Plano de Contas... 5 3.2.1 Parcelado... 6 3.2.2 Parcelamento Notas a Prazo...

Leia mais

ilog Sistema de Gestão para Comércio Exterior domingo, 21 de abril de 13

ilog Sistema de Gestão para Comércio Exterior domingo, 21 de abril de 13 ilog Sistema de Gestão para Comércio Exterior Menu Principal Barra de ferramentas com botões para acesso rápido O sistema é multiempresa e permite que tanto o controle operacional como financeiro seja

Leia mais

ÍNDICE GERAL ÍCONES COMUNS A VÁRIAS TELAS. 03 ATALHO ORDEM DE SERVIÇO 16 GARANTIA 16 PESQUISA PRODUTO. 05 NOVO CLIENTE 05 ESTOQUE 17

ÍNDICE GERAL ÍCONES COMUNS A VÁRIAS TELAS. 03 ATALHO ORDEM DE SERVIÇO 16 GARANTIA 16 PESQUISA PRODUTO. 05 NOVO CLIENTE 05 ESTOQUE 17 1 ÍNDICE GERAL ÍCONES COMUNS A VÁRIAS TELAS. 03 ATALHO PESQUISA PRODUTO. 05 NOVO CLIENTE 05 NOVO PRODUTO 07 NOVA VENDA VENDA IDENTIFICADA 07 NOVA ORDEM DE SERVIÇO 08 NOVO ORÇAMENTO 09 BALANÇO DIÁRIO DE

Leia mais

Convênio, Contrato de Repasse e Termo de Parceria operados por OBTV (Ordem Bancária de Transferências Voluntárias) Perfil Convenente

Convênio, Contrato de Repasse e Termo de Parceria operados por OBTV (Ordem Bancária de Transferências Voluntárias) Perfil Convenente MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE GESTÃO ESTRATÉGICA DA INFORMAÇÃO Portal dos Convênios SICONV Convênio, Contrato de Repasse

Leia mais

Índice. http://www.gosoft.com.br/atualiza/gosoftsigadmservico.pdf Versão 4.0

Índice. http://www.gosoft.com.br/atualiza/gosoftsigadmservico.pdf Versão 4.0 Índice I ENVIO DE BOLETOS POR E-MAIL... 2 APRESENTAÇÃO... 2 ALTERAÇÕES NO SIGADM CONDOMÍNIO... 4 ALTERAÇÕES NO SIGADM IMÓVEIS... 6 ALTERAÇÕES NO SIGADM CONCILIAÇÃO BANCÁRIA... 8 ALTERAÇÕES NO SIGADM CONDOMÍNIO

Leia mais

Manual de Operações. Versão 1.0. Janeiro/2009. Autor : Carlos Valotto

Manual de Operações. Versão 1.0. Janeiro/2009. Autor : Carlos Valotto Manual de Operações Versão 1.0 Janeiro/2009 Autor : Carlos Valotto 1 Controle Financeiro e Faturamento A Bysoft desenvolveu uma ferramenta indispensável aos Departamentos Financeiro e de Faturamento das

Leia mais

Manual do módulo Hábil NFC-e Emissor de Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica

Manual do módulo Hábil NFC-e Emissor de Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica Manual do módulo Hábil NFC-e Emissor de Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica Hábil Empresarial 2014 by Ltda (0xx46) 3225-6234 I Hábil Empresarial NFC-e Índice 1 Cap. I Introdução 1 O que é... o Hábil NFC-e

Leia mais

SSE 3.0. Guia Rápido. Módulo Secretaria. Nesta Edição

SSE 3.0. Guia Rápido. Módulo Secretaria. Nesta Edição SSE 3.0 Guia Rápido Módulo Secretaria Nesta Edição 1 Acessando o Módulo Secretaria 2 Cadastros Auxiliares 3 Criação de Modelos Definindo o Layout do Modelo Alterando o Layout do Cabeçalho 4 Parametrização

Leia mais

Manual Controle de Estoque

Manual Controle de Estoque 2014 Manual Controle de Estoque ICS Sistemas de Gestão em Saúde ICS 01/01/2014 Sumário Manual de Utilização... 3 1 - Cadastro... 3 1.1 Cadastro de Fornecedores... 4 1.2 Grupo de Materiais... 6 1.3 Unidades

Leia mais

MANUAL ESCOLA FLEX. Revisado em 09/07/2008. Sistema Flex www.sistemaflex.com

MANUAL ESCOLA FLEX. Revisado em 09/07/2008. Sistema Flex www.sistemaflex.com MANUAL ESCOLA FLEX Revisado em 09/07/2008 Sistema Flex www.sistemaflex.com Índice Manual Escola Flex Índice... 2 Tela de Abertura (Splash Screen)... 3 Login... 4 Seleção de Empresas... 5 Tela Principal...

Leia mais

Manual versão 12.3-08/03/2013-11:03:25 Sistema Integrado para Gestão de Frotas (11) 3025-6308

Manual versão 12.3-08/03/2013-11:03:25 Sistema Integrado para Gestão de Frotas (11) 3025-6308 O Sistema FleetMax foi desenvolvido com a finalidade de nossos clientes conseguirem liderar com a ferramenta completa o mercado no seu ramo de atividade e acelerar de forma automatizada as rotinas que

Leia mais

Treinamento Sistema Condominium Módulo II

Treinamento Sistema Condominium Módulo II CONDOMINIUM - Módulo II GERAÇÃO DE EMISSÕES RATEIO Neste módulo o aprendizado será a emissão dos boletos bancários. O sistema disponibiliza algumas maneiras para facilitar o seu dia-a-dia: Sequencia para

Leia mais

Módulo Vendas Balcão. Roteiro passo a passo. Sistema Gestor New

Módulo Vendas Balcão. Roteiro passo a passo. Sistema Gestor New 1 Roteiro passo a passo Módulo Vendas Balcão Sistema Gestor New Instruções para configuração e utilização do módulo Vendas balcão com uso de Impressora fiscal (ECF) 2 ÍNDICE 1. Cadastro da empresa......3

Leia mais

VESOFTWARE - DESENVOLIMENTO DE SISTEMAS E WEBSITES Fone: (11) 4036-6980 VIVO(11)9607-5649 TIM(11)7013-8480 www.vesoftware.com.

VESOFTWARE - DESENVOLIMENTO DE SISTEMAS E WEBSITES Fone: (11) 4036-6980 VIVO(11)9607-5649 TIM(11)7013-8480 www.vesoftware.com. Fone: (11) 4036-6980 VIVO(11)9607-5649 TIM(11)7013-8480 www.vesoftware.com.br 1-15 INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior,

Leia mais

TUTORIAL // MÓDULO PRESTADORES BENNER WEB MÓDULO PRESTADORES

TUTORIAL // MÓDULO PRESTADORES BENNER WEB MÓDULO PRESTADORES BENNER WEB MÓDULO PRESTADORES 1 Sumário Procedimento inicial para acessar o sistema na WEB... 3 Módulo Prestadores... 3 1. ÍCONES E FUNÇÕES... 4 2. CADASTRO DE PRESTADORES... 5 Cadastrar o prestador de

Leia mais

Instruções para configuração e utilização do. fiscal (ECF)

Instruções para configuração e utilização do. fiscal (ECF) 1 Instruções para configuração e utilização do módulo Vendas balcão SEM Impressora de cupom fiscal (ECF) 2 ÍNDICE 1. Cadastro da empresa...3 2. Configurações dos Parâmetros......3 3. Cadastro de cliente...4

Leia mais

Manual de Operações. Versão 1.0. Janeiro/2009. Autor : Carlos Valotto

Manual de Operações. Versão 1.0. Janeiro/2009. Autor : Carlos Valotto Manual de Operações Versão 1.0 Janeiro/2009 Autor : Carlos Valotto 1 Indice Sistema DDEXPORT 01 Opções 01.02 Parâmetros 01.03 Acesso 01.04 Integração DDExport x DDExport 01.04.01 Transmissão 01.04.02 Leitura

Leia mais

TUTORIAL COM OS PROCEDIMENTOS DE

TUTORIAL COM OS PROCEDIMENTOS DE TUTORIAL COM OS PROCEDIMENTOS DE GERAÇÃO DE BOLETOS CAIXA ECONÔMICA FEDERAL NO FINANCE Finance V10 New 2 Índice Como gerar Boleto Bancário pela Caixa Econômica... 3 Como efetuar a Conciliação por Extrato

Leia mais

INDICE 1. CADASTRO DE CATEGORIAS...5 2. CADASTRO DE BANCO... 3. CONTAS A RECEBER... 3.1. LANÇAMENTO AUTOMÁTICO DE CONTAS A RECEBER...

INDICE 1. CADASTRO DE CATEGORIAS...5 2. CADASTRO DE BANCO... 3. CONTAS A RECEBER... 3.1. LANÇAMENTO AUTOMÁTICO DE CONTAS A RECEBER... 1 2 INDICE 1. CADASTRO DE CATEGORIAS...5 2. CADASTRO DE BANCO......6 3. CONTAS A RECEBER......6 3.1. LANÇAMENTO AUTOMÁTICO DE CONTAS A RECEBER...6 3.2. LANÇAMENTO MANUAL DE CONTAS A RECEBER...7 3.3. GERAÇÃO

Leia mais

Pagamento - Fornecedor

Pagamento - Fornecedor Pagamento - Fornecedor MT-212-00137 - 1 Última Atualização 30/08/2014 I. Objetivos Após este módulo de capacitação você será capaz de: Carregar Documentos Fiscais Verificar o status de envio dos documentos

Leia mais

Movimento. Financeiro. Bancário. Contas a Pagar. Lançamento de Contas a Pagar (simples) Contas a Receber. Lançamento de Contas a Receber (simples)

Movimento. Financeiro. Bancário. Contas a Pagar. Lançamento de Contas a Pagar (simples) Contas a Receber. Lançamento de Contas a Receber (simples) Movimento Financeiro Contas a Pagar Lançamento de Contas a Pagar (simples) Contas a Receber Lançamento de Contas a Receber (simples) Movimento de Caixa Fechamento Caixa Bancos Apropriações de Centros de

Leia mais

MANUAL COTAÇAO WEB MANUAL MANUAL AVANÇO INFORMÁTICA AVANÇO INFORMÁTICA. [Digite seu endereço] [Digite seu telefone] [Digite seu endereço de email]

MANUAL COTAÇAO WEB MANUAL MANUAL AVANÇO INFORMÁTICA AVANÇO INFORMÁTICA. [Digite seu endereço] [Digite seu telefone] [Digite seu endereço de email] MANUAL COTAÇAO WEB [Digite seu endereço] [Digite seu telefone] [Digite seu endereço de email] MANUAL MANUAL AVANÇO INFORMÁTICA AVANÇO INFORMÁTICA Material Desenvolvido para a Célula Materiais Autor: Equipe

Leia mais

Manual de Instalação, Configuração e Uso

Manual de Instalação, Configuração e Uso Manual de Instalação, Configuração e Uso Este Manual destina-se ao usuário do sistema Smart Manager. É proibida a duplicação ou reprodução, no todo ou em parte, sob quaisquer formas ou qualquer meio, sem

Leia mais

Manual do Usuário. Sistema Financeiro e Caixa

Manual do Usuário. Sistema Financeiro e Caixa Manual do Usuário Sistema Financeiro e Caixa - Lançamento de receitas, despesas, gastos, depósitos. - Contas a pagar e receber. - Emissão de cheque e Autorização de pagamentos/recibos. - Controla um ou

Leia mais

1 - O que é o Conectividade Social? 03. 2 - Qual a configuração mínima para instalar o programa?... 04

1 - O que é o Conectividade Social? 03. 2 - Qual a configuração mínima para instalar o programa?... 04 Conteúdo 1 - O que é o Conectividade Social? 03 2 - Qual a configuração mínima para instalar o programa?... 04 3 - O que é necessário para instalar o Conectividade Social?.... 05 4 - Como faço para executar

Leia mais

CONHECENDO O BANCO DE DADOS DPCOMP COMO PROCEDER PARA FAZER BACKUP S

CONHECENDO O BANCO DE DADOS DPCOMP COMO PROCEDER PARA FAZER BACKUP S CONHECENDO O BANCO DE DADOS DPCOMP Atualmente, a DpComp, visando ampliar a capacidade corporativa de seus clientes, acompanha a evolução tecnológica e trabalha hoje com o banco de dados MySQL, um dos bancos

Leia mais

LINX POSTOS AUTOSYSTEM

LINX POSTOS AUTOSYSTEM LINX POSTOS AUTOSYSTEM Manual Caixa Visão Geral Sumário 1 CONCEITO... 3 2 REQUISITOS... 4 3 CONFIGURAÇÕES... 4 3.1 Permissões... 4 3.2 Incluir Ponto de Venda (PDV)... 5 3.3 Vincular Conta e Empresa...

Leia mais