ou ainda ser chamado um método que pertença a um objeto, que pertence ao objeto em causa:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ou ainda ser chamado um método que pertença a um objeto, que pertence ao objeto em causa:"

Transcrição

1 OBJETOS, CLASSES E MÉTODOS 83 Esta sintaxe também é válida no caso em que existe encadeamento de objetos, uma vez que dentro de um objeto podem existir outros objetos. Nesse caso, continuam a usar-se pontos para separar o objeto do objeto que este contém e da variável dentro deste: Nome_do_Objeto.Variavel-Objeto.Variavel; OBJETOS E MÉTODOS Os métodos são referenciados por um objeto de uma forma muito idêntica à que é usada para referenciar as variáveis de objeto: utilizando os pontos. A diferença reside nos argumentos que os métodos podem aceitar. A sintaxe completa é a seguinte: Nome_do_Objeto.Metodo(Arg1, Arg2,...,ArgN); Esta sintaxe pode aparecer de várias maneiras. Um método pode não ter argumentos: v1.ligar_motor(); ou pode devolver, ele próprio, um método: v1.metodo1().metodo2(); ou ainda ser chamado um método que pertença a um objeto, que pertence ao objeto em causa: v1.variavel-objeto.metodo(); Um exemplo muito claro desta sintaxe, embora aplicada a classes e variáveis de classe, em vez de objetos e variáveis de objeto, é um método que o leitor já tem utilizado bastante ao longo do livro: o System.out.println(arg). System é o nome de uma classe e System.out é uma variável de classe. Esta variável contém um objeto, que tem um método chamado println, que envia a string que lhe for passada como argumento para o ecrã EXEMPLO Vejamos um exemplo de como criar uma classe e operar com objetos criados nesta classe. Para tal, vamos considerar uma classe Computador e definir algumas características: class Computador { /* Variaveis de Objecto */ final static boolean ligado = true; final static boolean desligado = false; String marca;

2 OBJETOS, CLASSES E MÉTODOS 95 class Veiculo { void travar() { System.out.println( Carregar com o pe direito no pedal do meio... ); Agora, proceda-se à criação de um novo ficheiro, com a subclasse Bicicleta : Ficheiro Bicicleta.java class Bicicleta extends Veiculo { // Override do metodo void travar() { System.out.println( Apertar o manipulo com a mao direita... ); public static void main( String[] args) { Veiculo v = new Bicicleta(); v.travar(); Neste caso, a classe Veiculo implementa um método travar. O autor deste método não pensou certamente na especificidade de alguns veículos quando o construiu e, assim, ao utilizar uma subclasse Bicicleta, da classe Veiculo, faz-se o override do método travar, por forma a adequar o código do método às características do tipo de objetos a criar nesta classe. No caso de o método travar ser chamado num objeto concretizado na classe Bicicleta, vai ser este último a ser chamado e não o definido na superclasse Veiculo, como aconteceria se não fosse feito o override. Compilando ambos os ficheiros e executando o Bicicleta.class, obtém-se um resultado óbvio (Figura 6.8). FIGURA 6.8 Execução do exemplo com override O método travar() que foi chamado foi o reescrito na classe Bicicleta.

3 134 PROGRAMAÇÃO EM JAVA CURSO COMPLETO TimesRoman, Courier, Terminal, Helvetica, Dialog e Symbol); e Estilo_da_Font é uma variável que representa os tipos de formatações de texto adicionais que gostamos de dar aos nossos textos, por exemplo, realçando as palavras a negrito (bold) ou a itálico. A lista completa está definida na classe font, mas os mais populares estilos são Font.PLAIN, Font.BOLD e Font.ITALIC. FIGURA 7.26 Variantes de texto Finalmente, temos também representado o tamanho, em pontos, da letra a utilizar. São vulgares valores entre 8 e 24 pontos para texto normal, mas o leitor pode alterar estes parâmetros à vontade. A seguir à declaração do objeto na classe Font, é necessário utilizar um método chamado setfont() para esta ação ser aplicada ao objeto da classe Graphics que estiver a ser utilizado. Fazendo uma breve demonstração de utilização, pode dar-se o seguinte exemplo: /* Applet de demonstracao de Fonts */ package pac; import java.awt.graphics; import java.awt.font; public class TesteApplet extends java.applet.applet { public void paint(graphics elemento) { /* Declaracao das Fonts */ Font f = new Font("TimesRoman", Font.PLAIN, 12); Font f1 = new Font("TimesRoman", Font.ITALIC, 12); Font f2 = new Font("Courier", Font.BOLD, 24); elemento.setfont(f);

4 182 PROGRAMAÇÃO EM JAVA CURSO COMPLETO Voce Pressionou a tecla? Voce Pressionou a tecla A Neste exemplo, a tradução do código da tecla shift para char é o? e o caráter virtual que aparece em seguida já é o A, em vez do a. Na especificação Java API da classe KeyEvent, aparece uma lista enorme de variáveis estáticas que representam carateres especiais (já usámos duas delas no exemplo anterior de tradução das setas esquerda e direita). Por exemplo (entre muitos outros): VK_ALT VK_CAPS_LOCK VK_ESCAPE VK_CONTROL VK_SHIFT Tecla Alt Caps Lock Esc Control Shift Um exemplo muito simples de uma aplicação deste tipo de variáveis no teste de pressão de uma tecla especial pode ser o seguinte: import java.awt.*; import java.awt.event.*; import java.applet.*; public class TesteKey2 extends Applet implements KeyListener { public void init() { requestfocus(); addkeylistener(this); public void keypressed(keyevent e) { if (e.getkeycode() == KeyEvent.VK_CONTROL) System.out.println("Voce pressionou o caracter Control, com o codigo ASCII " + e.getkeycode()); else System.out.println("Voce pressionou " + e.getkeychar()); public void keytyped(keyevent e) { public void keyreleased(keyevent e) {

5 210 PROGRAMAÇÃO EM JAVA CURSO COMPLETO carta1.add(new Button("Botao3 (1)")); carta1.add(new Button("Botao4 (1)")); /* Painel 2 - Definir Layout e inserir objectos */ carta2.setlayout(new FlowLayout()); carta2.add(new Button("Botao1 (2)")); carta2.add(new Button("Botao2 (2)")); carta2.add(new Button("Botao3 (2)")); carta2.add(new Button("Botao4 (2)")); /* Painel 3 - Definir Layout e inserir objectos */ carta3.setlayout(new BorderLayout()); carta3.add("north", new Button("Botao1 (3)")); carta3.add("south", new Button("Botao2 (3)")); carta3.add("east", new Button("Botao3 (3)")); carta3.add("west", new Button("Botao4 (3)")); add( Cartas,cartas); /* Adicionar painel principal */ cartas.add(carta1); /* Adicionar painel 1 ao principal */ cartas.add(carta2); /* Adicionar painel 2 ao principal */ cartas.add(carta3); /* Adicionar painel 3 ao principal */ Na Figura 9.12 nota-se bem a diferença entre estes três layouts. FIGURA 9.12 Vários layouts

6 270 PROGRAMAÇÃO EM JAVA CURSO COMPLETO passo = 1; // Voltar demonstracao ao principio else { saida = "Erro."; // Esta mensagem nao devera aparecer return saida; O protocolo que se pretende é algo como o seguinte: Servidor: Ola. Identifica-te! Cliente: Eu sou o Pedro. Servidor: A senha e: "Azul". Qual e a contra-senha? Cliente: Amarelo. Servidor: Autenticacao valida! Ola Pedro. O codigo de hoje e: 7811 Cliente: Adeus. Servidor: Adeus Pedro! Se o leitor executar o servidor, e posteriormente o cliente, poderá então escrever na janela do cliente e procurar seguir o protocolo. Foram introduzidas algumas ajudas ao protocolo, que aparecem quando o utilizador está perdido. Neste exemplo (Figura 10.3), o cliente e o servidor são entidades separadas, comunicando uma com a outra por TCP/IP. Poderiam estar facilmente localizados em máquinas diferentes, acessíveis via Internet, bastando para tal trocar o localhost pelo respetivo endereço IP. FIGURA 10.3 Execução de exemplo cliente-servidor

7 ARQUITETURA DE APLICAÇÕES JAVA 307 Um exemplo muito concreto para ajudar o leitor a perceber os conceitos de separação de apresentação da lógica funcional é o seguinte: imagine que pretende criar uma aplicação Java muito simples, que vá buscar um conjunto de valores a uma tabela de uma base de dados e apresente a soma dos seus valores. Com o que já aprendeu ao longo do livro, o leitor poderá facilmente construir um programa que faça isto. Nas Figuras 12.4 e 12.5 procedemos à criação de uma base de dados de testes, neste caso em mysql. Neste exemplo utilizamos uma única tabela, contendo um identificador de registo e uma parcela, registando um valor em cada registo distinto. Começamos por criar a estrutura de dados, composta pelas colunas id e parcelas, ambas de tipo integer. Em sequência, introduzimos alguns dados na tabela. FIGURA 12.4 Criação de uma estrutura de dados (1) FIGURA 12.5 Criação de uma estrutura de dados (2) A soma dos registos da coluna parcelas é 36, sendo este o valor que pretendemos atingir com o nosso programa. Nesta primeira versão temos um programa Java que se liga à base de dados, calcula o valor e o devolve: package pac; import java.sql.*; import java.util.*; public class Teste {

8 13 SERVLETS Como já tivemos ocasião de descrever, as servlets são programas Java compilados e que são executados do lado do servidor. As servlets são parte importantíssima da maioria das frameworks de desenvolvimento Java e uma das peças da tecnologia JEE, pelo que neste capítulo procuraremos descrever com algum pormenor a forma como podem ser construídas, instaladas e executadas, bem como identificar as circunstâncias em que devem ser utilizadas INTRODUÇÃO As servlets funcionam num modelo de pedido/resposta, como muitos outros objetos em utilização na Web. O cliente efetua um pedido (habitualmente HTTP) que invoca a servlet no servidor e depois recebe como retorno o resultado da sua execução (Figura 13.1). Browser Servidor Web Conteúdo estático Web container Servlet Base de Dados FIGURA 13.1 Execução de uma servlet O servidor Web tradicional continua a poder servir conteúdo estático ou dinâmico, mas é complementado com uma nova entidade lógica: o Web container (contentor de componentes Web), uma peça JEE que até pode funcionar na mesma máquina em que o servidor Web se situa. Este processo funciona bem, mas surge à partida uma questão de fundo: numa aplicação de qualquer tipo, é suposto que o cliente seja mantido num determinado contexto de sessão, ou seja, é expectável que as respostas que a aplicação Web lhe dá sejam dependentes de vários fatores, como o seu perfil de utilizador, as escolhas que já introduziu ou o percurso que já efetuou no site. Neste pressuposto (indispensável em aplicações Web

9 356 PROGRAMAÇÃO EM JAVA CURSO COMPLETO Uma JSP implementa-se estendendo uma classe chamada HttpJspBase que, por sua vez, implementa a interface Servlet. Há dois métodos essenciais envolvidos na execução de uma JSP: jspinit() Executado quando a JSP é inicializada, análoga ao método init() das servlets; jspdestroy() Executado quando a JSP é terminada, comparável ao método destroy() das servlets. Um outro método é gerado pelo contentor de servlets na compilação da JSP, designado por jspservice(), o equivalente do método service() das servlets. Este método irá conter o código principal da JSP, tratando de gerir os pedidos e as respostas. Falando de arquiteturas, as primeiras aproximações a este tema por parte da Sun falavam em dois modelos para utilização de JSP: o modelo 1 e o modelo 2. O modelo 1 baseava-se na utilização de JSP com recurso a EJB para interagir com os dados (Figura 14.4). Pedido Resposta JSP EJB Dados Browser FIGURA 14.4 Modelo 1 de utilização de JSP Este modelo apresenta alguns problemas, sendo o principal a inexistência de separação entre a apresentação e a lógica, porque essa função está toda concentrada nas JSP (as EJB são utilizadas para fazer interface com os dados). Recomendava-se, portanto, o recurso ao chamado modelo 2, já falado por ser conhecido como MVC (Figura 14.5). Pedido Controller servlet EJB Dados Resposta View JSP Browser FIGURA 14.5 Modelo 2 de utilização de JSP

10 JAVA Com lambda: public class execucao { public static void main(string[] args) { System.out.println( Teste ); Runnable r = () -> System.out.println( Ola Mundo ); r.run(); Repare-se na forma compacta como esta expressão transforma cinco linhas de código numa só. O código fica, sem dúvida, mais sucinto e fácil de ler. Uma expressão lambda pode ou não ter parâmetros, e se os tiver pode ter vários. Por outro lado, o tipo de parâmetros pode ser declarado ou omitido (expressões como (int x, int y) podem ser substituídas por (x,y), sendo o tipo derivado do contexto). Outro exemplo de utilização de uma expressão lambda é o da instrução seguinte, onde inicializamos um thread apenas com uma linha: new Thread( () -> System.out.println( Ola Mundo ) ).start(); Ou, ainda, o exemplo seguinte de uma sintaxe de gestão de eventos de um botão, utilizando uma expressão lambda: button.addactionlistener( (ev) -> { System.out.println( Botao carregado ); ); 21.2 INTERFACES FUNCIONAIS Tecnicamente, designa-se por interface funcional uma interface em que é declarado apenas um método abstrato. Podemos encontrar vários exemplos em Java de interfaces funcionais, como é o caso da ActionListener, mas o que surge de novo no Java 8 é a possibilidade de, através de uma expressão lambda, instanciar objetos de forma muito simplificada. Um exemplo de algo deste tipo foi apresentado na secção anterior: Runnable r = () -> System.out.println( Ola Mundo ); neste caso, em relação à interface functional java.lang.runnable. No Java 8 criou-se uma forma de identificar as interfaces funcionais, designandoas da seguinte public interface AMinhaInterface { public void executar();

Programação Orientada a Objetos e Java - Introdução. Carlos Lopes

Programação Orientada a Objetos e Java - Introdução. Carlos Lopes Programação Orientada a Objetos e Java - Introdução Carlos Lopes POO e Java Objetivo: proporcionar uma visão dos conceitos de POO e do seu uso na estruturação dos programas em Java. Classes e objetos em

Leia mais

1) De acordo com o trecho de código escrito na linguagem JAVA, responda a questão abaixo:

1) De acordo com o trecho de código escrito na linguagem JAVA, responda a questão abaixo: 1) De acordo com o trecho de código escrito na linguagem JAVA, responda a questão abaixo: boolean[][] bool = new boolean[5][5]; for(int v = 0; v < bool.length; v++) { for(int f = 0; f < bool[v].length;

Leia mais

Como foi exposto anteriormente, os processos podem ter mais de um fluxo de execução. Cada fluxo de execução é chamado de thread.

Como foi exposto anteriormente, os processos podem ter mais de um fluxo de execução. Cada fluxo de execução é chamado de thread. 5 THREADS Como foi exposto anteriormente, os processos podem ter mais de um fluxo de execução. Cada fluxo de execução é chamado de thread. 5.1 VISÃO GERAL Uma definição mais abrangente para threads é considerá-lo

Leia mais

Curso Adonai QUESTÕES Disciplina Linguagem JAVA

Curso Adonai QUESTÕES Disciplina Linguagem JAVA 1) Qual será o valor da string c, caso o programa rode com a seguinte linha de comando? > java Teste um dois tres public class Teste { public static void main(string[] args) { String a = args[0]; String

Leia mais

Capítulo 4. Packages e interfaces

Capítulo 4. Packages e interfaces Capítulo 4. Packages e interfaces 1/17 Índice Indice 4.1 - Package 4.2 - Interface 2/17 Índice 4.1 Package 4.1 - Package 4.2 -- Interface 3/17 4.1 Package Package ou pacote está para o Java como as directorias

Leia mais

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Disciplina: Programação Orientada a Objetos II Professor: Cheli dos S. Mendes da Costa Servidor de Aplicações WEB Tomcat Servidor Tomcat Foi desenvolvido

Leia mais

Programação Orientada a Objetos em java. Polimorfismo

Programação Orientada a Objetos em java. Polimorfismo Programação Orientada a Objetos em java Polimorfismo Polimorfismo Uma característica muito importante em sistemas orientados a objetos Termo proveniente do grego, e significa muitas formas Em POO, significa

Leia mais

Sistemas Paralelos e Distribuídos - 2003/2004 Curso: Matemática /Informática Sistemas Distribuídos - 2003/2004 Curso: Ensino da Informática

Sistemas Paralelos e Distribuídos - 2003/2004 Curso: Matemática /Informática Sistemas Distribuídos - 2003/2004 Curso: Ensino da Informática Java RMI - Remote Method Invocation Folha 5-1 No modelo de programação orientada a objectos, vimos que um programa consiste numa colecção de objectos que comunicam entre si através da invocação dos seus

Leia mais

Programação por Objectos. Java

Programação por Objectos. Java Programação por Objectos Java Parte 2: Classes e objectos LEEC@IST Java 1/24 Classes (1) Sintaxe Qualif* class Ident [ extends IdentC] [ implements IdentI [,IdentI]* ] { [ Atributos Métodos ]* Qualif:

Leia mais

Web Browser como o processo cliente. Servidor web com páginas estáticas Vs. Aplicações dinâmicas para a Web:

Web Browser como o processo cliente. Servidor web com páginas estáticas Vs. Aplicações dinâmicas para a Web: Web Browser como o processo cliente Servidor web com páginas estáticas Vs Aplicações dinâmicas para a Web: 1 Cliente Web browser HTTP porto 80 Servidor web... JDBC RMI XML... Base de Dados Aplicação em

Leia mais

Exemplo 1. Um programa que cria uma instância de uma classe que herda da classe Frame

Exemplo 1. Um programa que cria uma instância de uma classe que herda da classe Frame 6. Como aplicações gráficas funcionam em Java? Todas as aplicações gráficas em Java usam instâncias de classes existentes, que por serem parte da linguagem podem ser executadas em todas as versões de Java

Leia mais

Bacharelado em Ciência e Tecnologia Processamento da Informação. Equivalência Portugol Java. Linguagem Java

Bacharelado em Ciência e Tecnologia Processamento da Informação. Equivalência Portugol Java. Linguagem Java Linguagem Java Objetivos Compreender como desenvolver algoritmos básicos em JAVA Aprender como escrever programas na Linguagem JAVA baseando-se na Linguagem Portugol aprender as sintaxes equivalentes entre

Leia mais

Num sistema de objectos distribuídos, dois conceitos são fundamentais.

Num sistema de objectos distribuídos, dois conceitos são fundamentais. Folha 10-1 Java RMI - Remote Method Invocation No modelo de programação orientada a objectos, vimos que um programa consiste numa colecção de objectos que comunicam entre si através da invocação dos seus

Leia mais

CURSO DE PROGRAMAÇÃO EM JAVA

CURSO DE PROGRAMAÇÃO EM JAVA CURSO DE PROGRAMAÇÃO EM JAVA Introdução para Iniciantes Prof. M.Sc. Daniel Calife Índice 1 - A programação e a Linguagem Java. 1.1 1.2 1.3 1.4 Linguagens de Programação Java JDK IDE 2 - Criando o primeiro

Leia mais

Exercício 1 : As classes abaixo serão utilizadas neste exercício: public class Ponto { int x; int y; public Ponto(int x, int y){ this.

Exercício 1 : As classes abaixo serão utilizadas neste exercício: public class Ponto { int x; int y; public Ponto(int x, int y){ this. Exercício 1 : As classes abaixo serão utilizadas neste exercício: public class Ponto { int x; int y; public Ponto(int x, int y){ this.x = x; this.y = y; public String tostring(){ return "(" + x + "," +

Leia mais

Java para Desenvolvimento Web

Java para Desenvolvimento Web Java para Desenvolvimento Web Servlets A tecnologia Servlet foi introduzida pela Sun Microsystems em 1996, aprimorando e estendendo a funcionalidade e capacidade de servidores Web. Servlets é uma API para

Leia mais

Um pouco do Java. Prof. Eduardo

Um pouco do Java. Prof. Eduardo Um pouco do Java Prof. Eduardo Introdução A tecnologia JAVA é composta pela linguagem de programação JAVA e pela plataforma de desenvolvimento JAVA. Os programas são escritos em arquivos-texto com a extensão.java.

Leia mais

Java na WEB Servlet. Sumário

Java na WEB Servlet. Sumário 1 Java na WEB Servlet Objetivo: Ao final da aula o aluno será capaz de: Utilizar Servlets para gerar páginas web dinâmicas. Utilizar Servlets para selecionar páginas JSPs. Utilizar Servlets como elemento

Leia mais

INTERFACE COM O USUÁRIO (em Java) Programação Orientada a Objetos

INTERFACE COM O USUÁRIO (em Java) Programação Orientada a Objetos INTERFACE COM O USUÁRIO (em Java) Programação Orientada a Objetos Chegamos à interface com o usuário. Você já utilizou alguns métodos para dialogar com o usuário, quer enviando mensagens quer lendo dados.

Leia mais

Orientação a Objetos

Orientação a Objetos 1. Domínio e Aplicação Orientação a Objetos Um domínio é composto pelas entidades, informações e processos relacionados a um determinado contexto. Uma aplicação pode ser desenvolvida para automatizar ou

Leia mais

Programação Orientada a Objetos em Java. Threads Threads Threads. Threads

Programação Orientada a Objetos em Java. Threads Threads Threads. Threads Universidade Federal do Amazonas Departamento de Ciência da Computação IEC481 Projeto de Programas Programação Orientada a Objetos em Java Threads Threads Threads Threads Professor: César Melo Slides baseados

Leia mais

3 Classes e instanciação de objectos (em Java)

3 Classes e instanciação de objectos (em Java) 3 Classes e instanciação de objectos (em Java) Suponhamos que queremos criar uma classe que especifique a estrutura e o comportamento de objectos do tipo Contador. As instâncias da classe Contador devem

Leia mais

Use a Cabeça! FREEMAN, Eric e Elisabeth. HTML com CSS e XHTML BASHMAN, Brian / SIERRA Kathy / BATES, Bert. Servlets & JSP

Use a Cabeça! FREEMAN, Eric e Elisabeth. HTML com CSS e XHTML BASHMAN, Brian / SIERRA Kathy / BATES, Bert. Servlets & JSP Use a Cabeça! FREEMAN, Eric e Elisabeth. HTML com CSS e XHTML BASHMAN, Brian / SIERRA Kathy / BATES, Bert. Servlets & JSP Software cliente: browser e outros Protocolo HTTP Infraestrutura de transporte

Leia mais

Lista de Contas: Assinatura. Lista de Contas. Listas de Contas: Descrição. Listas de Contas: Descrição. Listas de Contas: Descrição

Lista de Contas: Assinatura. Lista de Contas. Listas de Contas: Descrição. Listas de Contas: Descrição. Listas de Contas: Descrição Lista de Contas Lista de Contas: Assinatura null Quais são os métodos necessários? class ListaDeContas { void inserir (Conta c) { void retirar (Conta c) { Conta procurar (String num) { Listas de Contas:

Leia mais

Programação II Programação para a Web. Christopher Burrows

Programação II Programação para a Web. Christopher Burrows Programação II Programação para a Web Christopher Burrows Apache Tomcat O Apache Tomcat é um Servlet Container desenvolvido pela Apache Software Foundation. Implementa as tecnologias Java Servlets e Java

Leia mais

Universidade da Beira Interior Cursos: Matemática /Informática e Ensino da Informática

Universidade da Beira Interior Cursos: Matemática /Informática e Ensino da Informática Folha 1-1 Introdução à Linguagem de Programação JAVA 1 Usando o editor do ambiente de desenvolvimento JBUILDER pretende-se construir e executar o programa abaixo. class Primeiro { public static void main(string[]

Leia mais

Os objetivos indicados aplicam-se a duas linguagens de programação: C e PHP

Os objetivos indicados aplicam-se a duas linguagens de programação: C e PHP AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SANTA COMBA DÃO CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE GESTÃO E PROGRAMAÇÃO DE SISTEMAS INFORMÁTICOS 2012-2015 PROGRAMAÇÃO E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO MÓDULO 2 Mecanismos de Controlo de

Leia mais

Desenvolvendo aplicações

Desenvolvendo aplicações Desenvolvendo aplicações 22 para a Web Uma aplicação Java pode ser executada sem modificação em qualquer plataforma que tenha a máquina virtual Java instalada. Esta característica faz com que as aplicações

Leia mais

Módulo 07 Características Avançadas de Classes

Módulo 07 Características Avançadas de Classes Módulo 07 Características Avançadas de Classes Última Atualização: 15/06/2010 1 Objetivos Descrever variáveis, métodos e iniciadores static Descrever a semântica do modificador final em classes, métodos

Leia mais

Algoritmia e Programação APROG. Linguagem JAVA. Básico. Nelson Freire (ISEP DEI-APROG 2012/13) 1/31

Algoritmia e Programação APROG. Linguagem JAVA. Básico. Nelson Freire (ISEP DEI-APROG 2012/13) 1/31 APROG Algoritmia e Programação Linguagem JAVA Básico Nelson Freire (ISEP DEI-APROG 2012/13) 1/31 Linguagem Java Estrutura de um Programa Geral Básica Estruturas de Dados Variáveis Constantes Tipos de Dados

Leia mais

Caso não exista nenhum listener registado no objecto que gera o evento, este não terá qualquer efeito.

Caso não exista nenhum listener registado no objecto que gera o evento, este não terá qualquer efeito. Interfaces Gráficas e Eventos - 10 Programação por eventos Um evento ocorre quando o utilizador interage com um objecto gráfico:. manipular um botão com o rato;. introduzir texto num campo de texto. seleccionar

Leia mais

JSP trata-se de uma tecnologia que possibilita o desenvolvimento de páginas web dinâmicas utilizando todas as potencialidades do Java como linguagem

JSP trata-se de uma tecnologia que possibilita o desenvolvimento de páginas web dinâmicas utilizando todas as potencialidades do Java como linguagem 1 JSP trata-se de uma tecnologia que possibilita o desenvolvimento de páginas web dinâmicas utilizando todas as potencialidades do Java como linguagem orientada a objectos. Tal como em ASP e PHP, os ficheiros

Leia mais

Aula 09 Introdução à Java. Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes http://www.profbrunogomes.com.br/

Aula 09 Introdução à Java. Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes http://www.profbrunogomes.com.br/ Aula 09 Introdução à Java Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes http://www.profbrunogomes.com.br/ Agenda da Aula Java: Sintaxe; Tipos de Dados; Variáveis; Impressão de Dados.

Leia mais

Java Como Programar, 8/E

Java Como Programar, 8/E Capítulo 2 Introdução aos aplicativos Java Java Como Programar, 8/E (C) 2010 Pearson Education, Inc. Todos os 2.1 Introdução Programação de aplicativo Java. Utilize as ferramentas do JDK para compilar

Leia mais

Programação III. Interface Gráfica - Swing. Interface Gráfica Swing Jocélio Passos joceliodpassos@bol.com.br. Interface Gráfica - Swing

Programação III. Interface Gráfica - Swing. Interface Gráfica Swing Jocélio Passos joceliodpassos@bol.com.br. Interface Gráfica - Swing Programação III Interface Gráfica Swing Jocélio Passos joceliodpassos@bol.com.br Deitel Capítulo 11 : Imagens gráficas e Java 2D Capítulo 12 : Componentes Básicos Capítulo 13 : Componentes Avançados GUI

Leia mais

Programação de Computadores - I. Profª Beatriz Profº Israel

Programação de Computadores - I. Profª Beatriz Profº Israel Programação de Computadores - I Profª Beatriz Profº Israel As 52 Palavras Reservadas O que são palavras reservadas São palavras que já existem na linguagem Java, e tem sua função já definida. NÃO podem

Leia mais

Associação Carioca de Ensino Superior Centro Universitário Carioca

Associação Carioca de Ensino Superior Centro Universitário Carioca Desenvolvimento de Aplicações Web Lista de Exercícios Métodos HTTP 1. No tocante ao protocolo de transferência de hipertexto (HTTP), esse protocolo da categoria "solicitação e resposta" possui três métodos

Leia mais

RESUMO DOS IMPORTANTES

RESUMO DOS IMPORTANTES RESUMO DOS TÓPICOS + IMPORTANTES De instância (non-static) - estão no contexto da classe sem o modificador static De Classe (static) - estão no contexto da classe com o modificador static Local estão no

Leia mais

BSI UFRPE Prof. Gustavo Callou gcallou@gmail.com

BSI UFRPE Prof. Gustavo Callou gcallou@gmail.com BSI UFRPE Prof. Gustavo Callou gcallou@gmail.com HelloWorld.java: public class HelloWorld { public static void main (String[] args) { System.out.println( Hello, World ); } } Identificadores são usados

Leia mais

Aula 2. Objetivos Conceitos; Instalação do Text Pad; Entendendo o código java do AloMundo1 Codificação do AloMundo2,AloMundo3 e AloMundo4.

Aula 2. Objetivos Conceitos; Instalação do Text Pad; Entendendo o código java do AloMundo1 Codificação do AloMundo2,AloMundo3 e AloMundo4. Aula 2 Objetivos Conceitos; Instalação do Text Pad; Entendendo o código java do AloMundo1 Codificação do AloMundo2,AloMundo3 e AloMundo4. Conceitos O software controla os computadores(freqüentemente conhecido

Leia mais

Capítulo 3. Programação por objectos em Java

Capítulo 3. Programação por objectos em Java Capítulo 3. Programação por objectos em Java 1/46 Índice Indice 3.1 - Qualificadores de visualização 3.2 - Classe 3.3 - Objecto 3.4 - Métodos 3.5 - Herança 3.6 - Reescrita de métodos 3.7 - Classes abstractas

Leia mais

Tutorial RMI (Remote Method Invocation) por Alabê Duarte

Tutorial RMI (Remote Method Invocation) por Alabê Duarte Tutorial RMI (Remote Method Invocation) por Alabê Duarte Este tutorial explica basicamente como se implementa a API chamada RMI (Remote Method Invocation). O RMI nada mais é que a Invocação de Métodos

Leia mais

ESQUEMA AULA PRÁTICA 1 Familiarização com o Ambiente de Desenvolvimento Eclipse Introdução à Linguagem de Programação JAVA

ESQUEMA AULA PRÁTICA 1 Familiarização com o Ambiente de Desenvolvimento Eclipse Introdução à Linguagem de Programação JAVA P. Fazendeiro & P. Prata POO FP1/1 ESQUEMA AULA PRÁTICA 1 Familiarização com o Ambiente de Desenvolvimento Eclipse Introdução à Linguagem de Programação JAVA 0 Inicie o ambiente de desenvolvimento integrado

Leia mais

ESQUEMA AULA PRÁTICA 1 Familiarização com o Ambiente de Desenvolvimento NetBeans Introdução à Linguagem de Programação JAVA

ESQUEMA AULA PRÁTICA 1 Familiarização com o Ambiente de Desenvolvimento NetBeans Introdução à Linguagem de Programação JAVA P. Fazendeiro & P. Prata POO FP1/1 ESQUEMA AULA PRÁTICA 1 Familiarização com o Ambiente de Desenvolvimento NetBeans Introdução à Linguagem de Programação JAVA 0 Iniciar o ambiente de desenvolvimento integrado

Leia mais

JSP - ORIENTADO A OBJETOS

JSP - ORIENTADO A OBJETOS JSP Orientação a Objetos... 2 CLASSE:... 2 MÉTODOS:... 2 Método de Retorno... 2 Método de Execução... 2 Tipos de Dados... 3 Boolean... 3 Float... 3 Integer... 4 String... 4 Array... 4 Primeira:... 4 Segunda:...

Leia mais

Programação Orientada a Objetos (DPADF 0063)

Programação Orientada a Objetos (DPADF 0063) Programação Orientada a Objetos (DPADF 0063) Aula 11 Applets Universidade Federal de Santa Maria Colégio Agrícola de Frederico Westphalen Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Prof. Bruno

Leia mais

Java. Marcio de Carvalho Victorino www.dominandoti.eng.br

Java. Marcio de Carvalho Victorino www.dominandoti.eng.br Java Marcio de Carvalho Victorino www.dominandoti.eng.br 3. Considere as instruções Java abaixo: int cont1 = 3; int cont2 = 2; int cont3 = 1; cont1 += cont3++; cont1 -= --cont2; cont3 = cont2++; Após a

Leia mais

Comandos de repetição For (inicialização; condição de execução; incremento/decremento) { //Código }

Comandos de repetição For (inicialização; condição de execução; incremento/decremento) { //Código } Este documento tem o objetivo de demonstrar os comandos e sintaxes básicas da linguagem Java. 1. Alguns passos para criar programas em Java As primeiras coisas que devem ser abordadas para começar a desenvolver

Leia mais

a) Desenhe os respetivos diagramas de sequência e de colaboração associado a este caso de uso..

a) Desenhe os respetivos diagramas de sequência e de colaboração associado a este caso de uso.. 1. Considere o melhor cenário para o caso de utilização Enviar Fax (o cenário em que tudo corre bem ). Considere um sistema composto pelos seguintes objectos: máquina que envia; máquina que recebe; uma

Leia mais

Linguagens de. Aula 02. Profa Cristiane Koehler cristiane.koehler@canoas.ifrs.edu.br

Linguagens de. Aula 02. Profa Cristiane Koehler cristiane.koehler@canoas.ifrs.edu.br Linguagens de Programação III Aula 02 Profa Cristiane Koehler cristiane.koehler@canoas.ifrs.edu.br Linguagens de Programação Técnica de comunicação padronizada para enviar instruções a um computador. Assim

Leia mais

Técnicas de Programação II

Técnicas de Programação II Técnicas de Programação II Aula 06 Orientação a Objetos e Classes Edirlei Soares de Lima Orientação a Objetos O ser humano se relaciona com o mundo através do conceito de objetos.

Leia mais

Orientação a Objetos em Java. Leonardo Gresta Paulino Murta leomurta@ic.uff.br

Orientação a Objetos em Java. Leonardo Gresta Paulino Murta leomurta@ic.uff.br Orientação a Objetos em Java Leonardo Gresta Paulino Murta leomurta@ic.uff.br Agenda Introdução; Orientação a Objetos; Orientação a Objetos em Java; Leonardo Murta Orientação a Objetos em Java 2 Agosto/2007

Leia mais

Análise de Programação

Análise de Programação Análise de Programação Conceitos Avançados da Linguagem de Programação Java Prof Gilberto B Oliveira Encapsulamento Proteger o dado dentro de uma classe (capsula segura) Facilita o uso da classe por outros

Leia mais

O desenvolvimento de aplicações em Programação com Objetos. João D. Pereira Nuno Mamede

O desenvolvimento de aplicações em Programação com Objetos. João D. Pereira Nuno Mamede O desenvolvimento de aplicações em Programação com Objetos João D. Pereira Nuno Mamede Outubro de 2012 Resumo O objetivo deste documento é apresentar o modo de desenvolvimento de aplicações a usar durante

Leia mais

Programação com Acesso a BD. Programação com OO Acesso em Java

Programação com Acesso a BD. Programação com OO Acesso em Java Programação com OO Acesso em Java a BD Curso: Técnico em Informática Campus: Ipanguaçu José Maria Monteiro Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro PUC-Rio Departamento Clayton Maciel de Informática

Leia mais

Uma Introdução à Arquitetura CORBA. O Object Request Broker (ORB)

Uma Introdução à Arquitetura CORBA. O Object Request Broker (ORB) Uma Introdução à Arquitetura Francisco C. R. Reverbel 1 Copyright 1998-2006 Francisco Reverbel O Object Request Broker (ORB) Via de comunicação entre objetos (object bus), na arquitetura do OMG Definido

Leia mais

Programa de Computador que funciona em Rede

Programa de Computador que funciona em Rede Programa de Computador que funciona em Rede professor Robinson Vida Noronha 1 Paradigma Um programa rodando em rede é como uma loja. 2 Uma loja é composta por Vendedores Vendedores 3 Um loja deve servir

Leia mais

Java : Comunicação Cliente-Servidor.

Java : Comunicação Cliente-Servidor. Java : Comunicação Cliente-Servidor. Objetivo: Capacitar o aluno a desenvolver uma aplicação servidora para múltiplos clientes. Apresentar as classes Socket e ServerSocket, classes de fluxo de dados, a

Leia mais

Aula 30 - Sockets em Java

Aula 30 - Sockets em Java Aula 30 - Sockets em Java Sockets Sockets são estruturas que permitem que funções de software se interconectem. O conceito é o mesmo de um soquete (elétrico, telefônico, etc...), que serve para interconectar

Leia mais

Como o FIT funciona. FIT: Framework for Integrated Tests FIT. http://fit.c2.com. Dados de testes. Programa. Fixtures. classes. Resultados de testes

Como o FIT funciona. FIT: Framework for Integrated Tests FIT. http://fit.c2.com. Dados de testes. Programa. Fixtures. classes. Resultados de testes Como o FIT funciona FIT: Framework for Integrated Tests http://fit.c2.com Dados de testes Fixtures Programa classes FIT Resultados de testes Universidade Portucalense Engenharia de Software ES04 2014-2015

Leia mais

JavaServer Pages. Também são conhecidas pela sigla correspondente (JSP). Representam mais uma tecnologia da plataforma JEE.

JavaServer Pages. Também são conhecidas pela sigla correspondente (JSP). Representam mais uma tecnologia da plataforma JEE. Slide 1 Conceito Também são conhecidas pela sigla correspondente (JSP). Representam mais uma tecnologia da plataforma JEE. Uma JSP é uma página HTML com código Java embutido com o objetivo de fornecer

Leia mais

Java para WEB. Servlets

Java para WEB. Servlets Servlets Servlets são classes Java que são instanciadas e executadas em associação com servidores Web, atendendo requisições realizadas por meio do protocolo HTTP. Servlets é a segunda forma que veremos

Leia mais

Chamadas Remotas de Procedimentos (RPC) O Conceito de Procedimentos. RPC: Programa Distribuído. RPC: Modelo de Execução

Chamadas Remotas de Procedimentos (RPC) O Conceito de Procedimentos. RPC: Programa Distribuído. RPC: Modelo de Execução Chamadas Remotas de Chamada Remota de Procedimento (RPC) ou Chamada de Função ou Chamada de Subrotina Método de transferência de controle de parte de um processo para outra parte Procedimentos => permite

Leia mais

Exercícios de Revisão Java Básico

Exercícios de Revisão Java Básico Exercícios de Revisão Java Básico (i) Programação básica (estruturada) 1) Faça um programa para calcular o valor das seguintes expressões: S 1 = 1 1 3 2 5 3 7 99... 4 50 S 2 = 21 50 22 49 23 48...250 1

Leia mais

Prof. Esp. Adriano Carvalho

Prof. Esp. Adriano Carvalho Prof. Esp. Adriano Carvalho Um arquivo contendo uma sequência de comandos em uma linguagem de programação especifica Esses comandosrespeitam regras de como serem escritos e quais são as palavras que podem

Leia mais

Objectivos:. Construir programas com interfaces gráficas Graphical User Interface (GUI) application programs

Objectivos:. Construir programas com interfaces gráficas Graphical User Interface (GUI) application programs Interfaces Gráficas e Eventos - 1 Objectivos:. Construir programas com interfaces gráficas Graphical User Interface (GUI) application programs - Utilizar as classes JFrame, JButton, JLabel, ImageIcon,

Leia mais

Fundamentos de Programação. Turma CI-240-EST. Josiney de Souza. josineys@inf.ufpr.br

Fundamentos de Programação. Turma CI-240-EST. Josiney de Souza. josineys@inf.ufpr.br Fundamentos de Programação Turma CI-240-EST Josiney de Souza josineys@inf.ufpr.br Agenda do Dia Aula 2 (07/08/15) Introdução ao Python História Características Estrutura dos código-fonte Primeiros elementos

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos Marcelo Lobosco DCC/UFJF Comunicação em Sistemas Distribuídos Aula 06 Agenda Modelo Cliente-Servidor (cont.) Invocação Remota de Método (Remote Method Invocation RMI) Visão Geral

Leia mais

Java 2 Standard Edition Como criar classes e objetos

Java 2 Standard Edition Como criar classes e objetos Java 2 Standard Edition Como criar classes e objetos Helder da Rocha www.argonavis.com.br 1 Assuntos abordados Este módulo explora detalhes da construção de classes e objetos Construtores Implicações da

Leia mais

Java II. Sérgio Luiz Ruivace Cerqueira sergioruivace@gmail.com

Java II. Sérgio Luiz Ruivace Cerqueira sergioruivace@gmail.com Java II Sérgio Luiz Ruivace Cerqueira sergioruivace@gmail.com Por quê JSP? Com Servlets é fácil Ler dados de um formulário Recuperar dados de uma requisição Gerar informação de resposta Fazer gerenciamento

Leia mais

Servlets e Applets, funcionamento e comparativo.

Servlets e Applets, funcionamento e comparativo. Servlets e Applets, funcionamento e comparativo. Airon Rabel Teixeira Rua Guarapuava Joinville SC airon@ymail.com Resumo: Este artigo explica de maneira breve o funcionamento de servlets e applets, mostrando

Leia mais

Threads e Sockets em Java. Threads em Java. Programas e Processos

Threads e Sockets em Java. Threads em Java. Programas e Processos Threads em Java Programas e Processos Um programa é um conceito estático, isto é, um programa é um arquivo em disco que contém um código executável por uma CPU. Quando este programa é executado dizemos

Leia mais

Programação Concorrente em java - Exercícios Práticos Abril 2004

Programação Concorrente em java - Exercícios Práticos Abril 2004 Programação Concorrente em java - Exercícios Práticos Abril 2004 1. Introdução As threads correspondem a linhas de controlo independentes no âmbito de um mesmo processo. No caso da linguagem JAVA, é precisamente

Leia mais

Java II. Sérgio Luiz Ruivace Cerqueira sergioruivace@gmail.com

Java II. Sérgio Luiz Ruivace Cerqueira sergioruivace@gmail.com Java II Sérgio Luiz Ruivace Cerqueira sergioruivace@gmail.com Servlets Servlet Aplicação Java que é executada no servidor que estende a capacidade do servidor Web Alternativa Java para os scripts CGI Gerenciado

Leia mais

Arquitetura de uma Webapp

Arquitetura de uma Webapp Arquitetura de uma Webapp Arquitetura J2EE Containers e componentes MVC: introdução Frederico Costa Guedes Pereira 2006 fredguedespereira@gmail.com Plataforma J2EE World Wide Web e a Economia da Informação

Leia mais

Classes Abstratas e Interfaces

Classes Abstratas e Interfaces Java Básico Classes Abstratas e Interfaces Marco Antonio, Arquiteto de Software TJDF ma@marcoreis.eti.br Novembro/2005 Classe abstrata Recurso avançado da OO Não pode ser instanciada Deve ser instanciada

Leia mais

Projeto de Software Orientado a Objeto

Projeto de Software Orientado a Objeto Projeto de Software Orientado a Objeto Ciclo de Vida de Produto de Software (PLC) Analisando um problema e modelando uma solução Prof. Gilberto B. Oliveira Estágios do Ciclo de Vida de Produto de Software

Leia mais

Programação por Objectos. Java

Programação por Objectos. Java Programação por Objectos Java Parte 3: Métodos LEEC@IST Java 1/45 Métodos (1) Sintaxe Qualif Tipo Ident ( [ TipoP IdentP [, TipoP IdentP]* ] ) { [ Variável_local Instrução ]* Qualif: qualificador (visibilidade,

Leia mais

Invocação de Métodos Remotos

Invocação de Métodos Remotos Invocação de Métodos Remotos Java RMI (Remote Method Invocation) Tópicos Tecnologia RMI Introdução Modelo de camadas do RMI Arquitetura Fluxo de operação do RMI Passos para implementação Estudo de caso

Leia mais

Módulo 06 Desenho de Classes

Módulo 06 Desenho de Classes Módulo 06 Desenho de Classes Última Atualização: 13/06/2010 1 Objetivos Definir os conceitos de herança, polimorfismo, sobrecarga (overloading), sobreescrita(overriding) e invocação virtual de métodos.

Leia mais

Eclipse IDE Dá-se importância aos antepassados quando já não temos nenhum. Francois Chateaubriand

Eclipse IDE Dá-se importância aos antepassados quando já não temos nenhum. Francois Chateaubriand Eclipse IDE Dá-se importância aos antepassados quando já não temos nenhum. Francois Chateaubriand O Eclipse O Eclipse (www.eclipse.org) e uma IDE (integrated development environment). Diferente de uma

Leia mais

Sobre o Professor Dr. Sylvio Barbon Junior

Sobre o Professor Dr. Sylvio Barbon Junior 5COP088 Laboratório de Programação Aula 1 Java Prof. Dr. Sylvio Barbon Junior Sylvio Barbon Jr barbon@uel.br 1 Sobre o Professor Dr. Sylvio Barbon Junior Formação: Ciência e Engenharia da Computação (2005

Leia mais

Professor: Douglas Sousa Cursos de Computação

Professor: Douglas Sousa Cursos de Computação Linguagem de Programação C# Professor: Douglas Sousa Cursos de Computação Agenda Conceitos Básicos; Principais Características; Visual Studio; Meu Primeiro Programa; A Linguagem C#; Sistemas de Tipos;

Leia mais

Slide 1 Deitel/Deitel, 8e. Java Como programar Copyright 2010 Pearson Education

Slide 1 Deitel/Deitel, 8e. Java Como programar Copyright 2010 Pearson Education Java Como Programar, 8/E Slide 1 Slide 2 Slide 3 Métodos genéricos e classes genéricas (e interfaces) permitem especificar, com uma única declaração de método, um conjunto de métodos relacionados ou, com

Leia mais

THREADS EM JAVA. George Gomes Cabral

THREADS EM JAVA. George Gomes Cabral THREADS EM JAVA George Gomes Cabral THREADS Fluxo seqüencial de controle dentro de um processo. Suporte a múltiplas linhas de execução permite que múltiplos processamentos ocorram em "paralelo" (em computadores

Leia mais

Keeper of Knowledge. Capítulo 2 Classes em Java

Keeper of Knowledge. Capítulo 2 Classes em Java Capítulo 2 Classes em Java INTRODUÇÃO Uma classe é um conjunto de software que representa uma realidade qualquer, que pode ser representada por números e símbolos. Uma classe possui dados de um ou mais

Leia mais

Findo o processo de normalização, obtemos o conjunto de tabelas indicado na tabela 1.28.

Findo o processo de normalização, obtemos o conjunto de tabelas indicado na tabela 1.28. ACCESS 2007 MACROS & VBA - CURSO COMPLETO AS-44-33 Honda Civic YY-44-32 Opel Corsa UU-44-44 Fiat Uno UU-44-44 Fiat Uno UU-44-44 Fiat Uno AA-00-01 Ford Transit TABELA ERRO! NÃO EXISTE NENHUM TEXTO COM O

Leia mais

Programação Na Web. Linguagem Java Parte II. break com o nome do bloco. Sintaxe. Nome do bloco. Termina o bloco. António Gonçalves ...

Programação Na Web. Linguagem Java Parte II. break com o nome do bloco. Sintaxe. Nome do bloco. Termina o bloco. António Gonçalves ... Programação Na Web Linguagem Java Parte II Sintaxe António Gonçalves break com o nome do bloco Nome do bloco Termina o bloco class class Matrix Matrix { private private int[][] int[][] mat; mat; public

Leia mais

public Agenda() { compromissos = null; } public int getnumerodecompromissos() { if (compromissos==null) return 0; else return compromissos.

public Agenda() { compromissos = null; } public int getnumerodecompromissos() { if (compromissos==null) return 0; else return compromissos. import java.util.scanner; class Data... class Compromisso... public class Agenda private Compromisso[] compromissos; private Compromisso[] realoquecompromissos (Compromisso[] vetor, int tamanhodesejado)

Leia mais

Grupo I [6,6v] Responda com os valores que se observam depois da chamada acontecer. 1 Falta na mensagem de resposta. Valor retornado na chamada

Grupo I [6,6v] Responda com os valores que se observam depois da chamada acontecer. 1 Falta na mensagem de resposta. Valor retornado na chamada Número: Nome: Pági 1 de 6 LEIC/LETI 2013/14, Repescagem do 1º Teste de Sistemas Distribuídos, 1/7/14 Responda no enunciado, apes no espaço fornecido. Identifique todas as folhas. Duração: 1h30m Grupo I

Leia mais

Javascript 101. Parte 2

Javascript 101. Parte 2 Javascript 101 Parte 2 Recapitulando O Javascript é uma linguagem de programação funcional Os nossos scripts são executados linha a linha à medida que são carregados. O código que está dentro de uma função

Leia mais

5 Caso de estudo O cartão fidelidade

5 Caso de estudo O cartão fidelidade 5 Caso de estudo O cartão fidelidade Cartão de fidelização de clientes das distribuidoras de combustível. Definição em JAVA da classe CartaoFidelidade, que deverá apresentar uma funcionalidade semelhante

Leia mais

Objetos Implícitos. Conceito. Instanciados pelo próprio contêiner. Disponíveis em quaisquer páginas JSP.

Objetos Implícitos. Conceito. Instanciados pelo próprio contêiner. Disponíveis em quaisquer páginas JSP. Slide 1 Conceito Instanciados pelo próprio contêiner. Disponíveis em quaisquer páginas JSP. Instruções de criação inseridas no método _jspservice( ). Slide 2 Identificação e tipo Identificação Tipo application

Leia mais

Arquitetura de Tratamento de Eventos em Programas com GUI - Graphical User Interface

Arquitetura de Tratamento de Eventos em Programas com GUI - Graphical User Interface Arquitetura de Tratamento de Eventos em Programas com GUI - Graphical User Interface Jorge H. C. Fernandes (jorge@dimap.ufrn.br) UFRN Abril de 2002 Programas com GUI Separação De Abstrações Arquitetura

Leia mais

Algoritmos e Programação II. Sobrecarga

Algoritmos e Programação II. Sobrecarga Algoritmos e Programação II Baseado no Material do Prof. Júlio Machado Sobrecarga Em várias linguagens é comum encontrarmos rotinas que fazem basicamente a mesma coisa, porém, têm nomes distintos porque

Leia mais

Paradigmas da Programação PPROG. Linguagem JAVA. Interfaces. (Livro Big Java, Late Objects Capítulo 9) Nelson Freire (ISEP DEI-PPROG 2013/14) 1/33

Paradigmas da Programação PPROG. Linguagem JAVA. Interfaces. (Livro Big Java, Late Objects Capítulo 9) Nelson Freire (ISEP DEI-PPROG 2013/14) 1/33 PPROG Paradigmas da Programação Linguagem JAVA Interfaces (Livro Big Java, Late Objects Capítulo 9) Nelson Freire (ISEP DEI-PPROG 2013/14) 1/33 PPROG Motivação para usar Interfaces Definição de Interface

Leia mais

PadrãoIX. Módulo II JAVA. Marcio de Carvalho Victorino. Servlets A,L,F,M

PadrãoIX. Módulo II JAVA. Marcio de Carvalho Victorino. Servlets A,L,F,M JAVA Marcio de Carvalho Victorino 1 Servlets 2 1 Plataforma WEB Baseada em HTTP (RFC 2068): Protocolo simples de transferência de arquivos Sem estado (não mantém sessão aberta) Funcionamento (simplificado):

Leia mais

insfcanceof new public switch transient while byte continue extends for int null

insfcanceof new public switch transient while byte continue extends for int null Palavras -chave de JAV A abstract catch do final implements long private static throw void boolean char double finally import native protected super throws volatile break class float insfcanceof new public

Leia mais

Programação por Objectos. Java

Programação por Objectos. Java Programação por Objectos Java Parte 6: Herança e Polimorfismo LEEC@IST Java 1/52 Herança revisão A herança é um mecanismo em que a subclasse constitui uma especialização da superclasse. A superclasse pode

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CURSO: Ciência da Computação DATA: / / 2013 PERÍODO: 4 o. PROFESSOR: Andrey DISCIPLINA: Técnicas Alternativas de Programação AULA: 05 APRESENTAÇÃO: Nesta aula vamos ver como se faz a criação de Métodos

Leia mais