Material produzido pela Equipe STC do Programa Interlegis. Funda mentos do Zope

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Material produzido pela Equipe STC do Programa Interlegis. Funda mentos do Zope"

Transcrição

1 Fundamentos do Zope Material produzido pela Equipe STC do Programa Interlegis 1

2 Índice geral Funda men to s do Zope...4 Web Applications...4 O que o Zope é?...5 Instalação...5 Resumo...7 Iniciando...8 Preparação...8 A tela de gerenciamento...9 Objetos...11 Gerenciamento de Objetos...20 Aquisição de Objetos...20 Resumo...20 As guias do Zope...21 A barra de guias do Zope...21 O botão Import /Export...27 O link Help...28 O painel de controle do Zope...29 Resumo...31 ZPT...32 Problemas com DTML...32 TAL Template Attribute Language...32 Python...38 Introdução ao Python...38 Delimitação de Blocos...38 Variáveis e Identificadores...38 Tipos de Dados Internos...39 Estrutura de Dados...40 Estruturas de Controle de Fluxo:...44 Funções:...47 Módulos e pacotes:...49 Classes:...50 Métodos:...50 Construtor:...51 Atributos:...51 Atributos e métodos privados:...51 Variáveis Estáticas:...52 Python e Zope...54 Python Script...54 Métodos Externos...55 O que é um Produto?...55 Criando um pacote...55 Criando um Produto...56 Subclasses de classes Zope...59 Zope e Banco de Dados...61 ZODB...61 RDBMS

3 Zope e o Gadfly...62 Métodos ZSQL...64 Resumo...66 A linguagem DTML...67 Fundamen tos...67 Namespace...67 A sintaxe do DTML...68 Tags e mais Tags...69 Resumo...76 File System Product...77 O que é um Produto?...77 Criando um pacote...77 Criando um Produto...78 Subclasses de classes Zope

4 1 Fundamentos do Zope Este capítulo introdu z o uso do Zope para desenvolvimento servidor de aplicações e gerenciador de conteúdo Web. Web, como Web Applications A World Wide Web (WWW) já não é mais uma coleção de páginas estáticas, ela se tornou um grande meio para o transporte de vários serviços. Nesses serviços incluem - se base de dados, mecanismos de busca, softwares, portais, etc. Alguns destes serviços são considerados Web Applications porque necessitam de apenas de um navegador para serem acessados e utilizados. A alta complexidade de algumas Web Applications tornou os recurso s oferecidos pela tradicional programação CGI (Commom Gateway Interface) insuficientes ou inadequa dos, assim fez- se necessário a criação de tecnologias alternativas como ColdFusion, JSP, ASP, PHP e outras para tornar a criação de Web Applications mais fácil e rápida. São várias as vantagens oferecidas pelo Zope aos desenvolvedores de Web Applications, dentre elas podemos destacar: O Zope possui um servidor web e um servidor de banco de dados orientado a objetos integrados. O Zope é orientado a objetos. O Zope pode se conectar a servidores de banco de dados relacionais tais como: Oracle, MySQL, MSSQL e PostgreSQL. O Zope permite o desenvolvimento de sistemas via Web utilizan do apenas o Navegador. O Zope possui código aberto e livre com licença de uso extrema men te flexível. O Zope possui total integração com a linguagem orientada a objetos Python o que lhe implementa alto poder de codificação. DTML, a primeira linguagem de templates do Zope, permite a codificação rápida e eficaz numa sintaxe de tags. A linguagem de templates, ZPT, segue a sintaxe XML e permite a criação de modelos de páginas para apresentação, além de possibilitar a edição de código Zope na maioria dos editores de HTML. 4

5 O que o Zope é? Um Servidor de Aplicações WEB Um servidor de aplicações Web funciona como uma ponte entre o navegador, os softwares de aplicações e o banco de dados. O Zope, como servidor de aplicações, funciona como essa ponte provendo a base para o desenvolvimento de aplicações Web, possibilitando ao desenvolvedor misturar HTML, XML, DTML, SQL, Python e outras tecnologias no desenvolvimento de aplicações. Instalação Requisitos Atualmente a instalação do Zope não necessita de grande quantidade de recursos, o arquivo de instalação para Windows possui, aproximada m en te, 10MB e para Linux, aproximada me nte, 3MB. Comparado com outros servidores de aplicação Web, o Zope requer poucos recursos sendo que um Pentiun II com 128MB de RAM é suficiente para utilização dos seus recursos. O Zope executa em sistemas Windows 98 e superiores e sistema s Linux e Solaris. Windows No Windows, a instalação é feita a partir de um executável que pode ser obtido em a partir da execução do mesmo a instalação é iniciada: Figura 1.1 Tela de boas vindas da instalação do Zope. 5

6 Figura 1.2 Local de instalação do Zope. Figura 1.3 Escolha do tipo de instalação do Zope. 6

7 Figura 1.4 Nome da pasta no Menu Iniciar Figura 1.5 Rodar instância Zope como Serviço no Windows? 7

8 Figura 1.6 Local de Instalação da Instância Zope. Figura 1.7 Senha do usuário admin' da instância inicial. 8

9 Figura 1.8 Tela de aviso das opções de instalação. Figura 1.9 Progresso da instalação do Zope. 9

10 Figura 1.10 Tela de finalização de instalação. Após as boas - vindas da instalação selecione o diretório em que você deseja instalar o Zope e o tipo de instalação. Se estiver instalando o Zope em um sistema Windows NT ou Windows 2000 será apresentada a opção de iniciar o Zope como um serviço do Windows, caso deseje isto, marque esta opção. A tela seguinte solicita o local onde a instância Zope será instalada. A partir do Zope 2.7.x o servidor Zope(matriz) é instalado em um local e as instâncias são instaladas e criadas em outro local. Instâncias são, a grosso modo, instalações Zope executáveis que compartilha m recursos na instalação matriz. Será perguntado então, a senha do administrador inicial, usuário admin, lembre - se desta senha, pois será útil para que você possa trabalhar com a instância Zope. Se você estiver instalando o Zope sob o Windows 9x deverá iniciar o Zope manualmente executando o arquivo runzo pe.bat localizado no diretório de instalação do Zope, se escolheu a opção de serviço Windows, vá para a administração de serviços do Windows e inicie o serviço Zope. Após isso o Zope será iniciado e por padrão o Zope estará acessível através da URL http: / / l ocalhost:8080 ou http: / / :8080 / que deverá ser digitada no seu navegador de preferência. Para utilizar o Zope, vá ao diretório de instalação ou no menu iniciar ache a pasta do Zope e execute o arquivo runzope.bat para iniciar a execução do servidor Zope. Para parar o serviço feche a janela de console aberta ao rodar runzo pe.bat ou pare o serviço no gerenciador de servições do windows. Linux A instalação do Zope no linux é um pouco mais complicada que a instalação para o windows, mas nada que assuste. Aliás o linux é a platafor ma aconselhável 10

11 para a instalação do Zope, pois oferece maior robustez e melhor perfor mance além de ser um software livre como é o caso do Zope. Em primeiro lugar é aconselhado você possuir o Python ou superior instalado na máquina. 1. Acesse a máquina como um usuário ou crie um usuário específico para o Zope. Exemplo: zopeuser 2. Faça o download do python source (código fonte) em python.org e coloque na pasta de seu usuário, geralmente: /ho m e / n o m e us u ario 3. Faça o download do zope source (código fonte) em zope.org e coloque na pasta de seu usuário, geralmente: /ho m e / n o m e us u ario 4. Na pasta de seu usuário descom pacte o python e o zope: >>tar xzvf nomedofontepython.tar.gz >>tar xzvf nomedofontezope.tar.gz 5. Entre no diretório do python e digite: >>./configure -prefix=/ home / seuusuario / no mepastapython >>make >>make install Se tudo ocorrer bem, o python foi instalado na área do usuário na mesma pasta onde está o código fonte. Caso tenha ocorrido algum problema, lembre se que o python possui dependê ncias com os pacotes task - c- devel e task c++ - devel. 6. Entre no diretório do zope e digite: >>./configure prefix=/ home / seuus uario / no medapastazope --with- python= / home / seuusuario / no medapastapython / py t hon >>make >>make install Se tudo ocorrer bem, o zope foi instalado na área de usuário na mesma pasta em que foi descom pacta do utilizando o python do usuário escolhido. 7. Em seguida é necessário criar uma instância zope, a partir de uma instalação você pode ter n instâncias para execução. Lembrando que, cada instância deve rodar em portas diferentes. Para isso vã para o diretório do Zope e digite: >>bin/mkzopeinstance.py 8. Após esse comando, você deverá informar o diretório onde a instância será colocada e usuário e senha de adminstração do zope. Experimente: Directory: /home/seuusuario/instancia1 11

12 Username: admin Password: suasenha Verify password: suasenha 9. Agora você já possui uma instância zope instalada e deve iniciá- la, para isto vá para o diretório da instância e digite: >>bin/zopectl fg Espere a mensagem Zope Ready to handle requests 10. Após a execução o Servidor estará acessível através da URL: http: / / l o calhost:8080 ou http: / / :8080 / que deverá ser digitada no seu navegador de preferência. Resumo Neste capítulo você aprendeu como instalar o Zope e como o mesmo é podero so e útil no que se refere ao provimento de aplicações via Web. No próximo capítulo, você aprenderá os conceitos básicos para o desenvolvimento de aplicações no Zope. 12

13 2 Iniciando Neste capítulo, você será apresenta do à interface de gerenciamento de objetos do Zope e aos principais componentes necessários para iniciar o desenvolvimen to de aplicações. Você verá també m, os principais conceitos relacionados à programação orientada a objetos e aos mais importantes objetos do Zope, tais como: documentos e métodos DTML. Preparação Para iniciar o uso do Zope algumas configurações são necessárias após a instalação. 1. Inicie o servidor através do script runzope.bat (windows) ou runzope e zopectl (linux). 2. Abra o navegador de sua preferência. 3. Digite http: / / l ocalhost:8080 / e leia as informações que serão apresentadas (figura 2.1). Se desejar acessar diretame nte o sistema de administração digite http: / / l ocalhost:8080 / m a n age / (figura 2.2). 4. Entre o nome e senha apresenta dos na instalação do sistema. Figura 2.1 Tela de início do servidor Zope. 13

14 Figura 2.2 Tela de gerenciamento do Zope. Criando Contas de Usuários Após a visualização da tela de gerenciamento, crie uma conta para você, seguindo os passos: 1. Clique em acl_users (figura 2.3). 2. Em seguida, clique em Add. 3. Entre com o nome de usuário (userna me) e a senha (password e confirm). 4. Selecione Manager nas opções listadas em Roles. Figura 2.3 Folder acl_users A tela de gerenciamento Vamos dar uma olhada na tela de gerenciamento do Zope e ver como ela trabalha. Primeiramente, feche o seu navegador. Agora abra o seu navegador e entre no Zope com o usuário e senha criados anterior mente, a tela de gerenciamen to será apresentada (figura 2.4) e nela pode mos identificar três partes. 14

15 Figura 2.4 Tela de gerenciamento apresentada ao usuário do tipo Manager. A parte esquer da nos mostra a visão hierárquica das pastas (Folders) e outros objetos containers do Zope (figura 2.5). Figura 2.5 Visão hierárquica do Zope. A parte superior informa o usuário corrente e menu de opções de navegação (figura 2.6). Figura 2.6 Informações de usuário e menu de navegação. 15

16 A parte direita nos mostra a visão dos objetos de um dado container ou folder, menu de objetos para adição e nas guias superiores as várias páginas de gerenciamen to do objeto selecionado (figura 2.7). Figura 2.7 Guias, objetos e menu de objetos. Objetos Vamos ver agora, como é a abordagem de orientação a objetos do Zope. Mostraremo s como copiar, criar, remover e renomear objetos no Zope bem como efetuar outras tarefas básicas. Zope e a OOP A principal característica do Zope é o fato dele ser orientado a objetos. A orientação a objetos é um paradigma de programação baseado na idéia de que o mun do é constituído de objetos. Um objeto é algo real ou não que possui estado, habilidade de executar ações e capacidade de se comunicar com outros objetos. Em programação podemos representar qualquer objeto, real ou não, através de propriedad es (características ou atributos) e métodos (ações ou funções). Por exemplo, podemos representar um cd- player através de suas características como: marca, peso, cor, modelo e etc; e através de ações que ele executa: tocar, pausar, avançar e etc. Assim um cd- player pode ser representado através de um objeto com propriedade s e métodos. Contu do, se avançarmos um pouco mais, nós veremos que a maioria dos cdplayers possui atributos e métodos comuns, sendo assim, quando definimos a estrutu ra de atributos e métodos de um cd- player estamos definindo uma classe que agrupa todos os cd- players. Assim um objeto é cada instância de uma classe, 16

17 isto é, cada cd- player existente no mundo é um objeto da classe cd- players que definimos anteriorme nte. Quando estiver trabalhando com o Zope você estará, basicamente, trabalhan do com objetos, pois cada folder, método dtml, ou outro objeto criado no Zope será uma instância das classes folder, Dtml Method, e outras classes presentes no Zope. A seguir, veremos funcionalidades. os objetos funda me ntais do Zope e suas principais Folders Um folder (pasta) é um objeto que pode conter outros objetos. Para criar um folder vá para o folder onde o novo folder será criado e selecione Folder no menu Select type to add (presente no lado direito da tela de gerenciamento) e então forneça a informação necessária para a criação do folder (figura 2.8) Id: Nome pelo qual o Zope identifica o objeto, deve ser único em um dado folder. Title: Campo opcional que provê uma descrição detalhada do folder que ajuda na identificação do mesmo. Create public interface: Se selecionar esta opção um docume nto DTML chamado index_html será criado dentro do novo folder. Um PageTemplate com o nome index_html é o documento padrão visualizado pelo usuário quando o mesmo acessar um folder via navegador. Create user folder: Selecionando esta opção criará um user folder (folder de usuário) dentro do qual você pode definir que usuários terão permissão de acesso a esse folder e seus objetos. Figura 2.8 Tela de informações para adição de um Folder. Exemplo: Vamos criar um folder para conter imagens, siga os passos: 1. Vá para a raiz do Zope (indicado pelo símbolo /) e crie um folder com Id igual a Imagens, deixe as opções de Public interface e User folder vazias. Se desejar escreva algo no campo Title. 2. Clique em Add para confirmar (figura 2.9). 17

18 3. Clique no novo folder para abrí - lo e então você verá que o mes mo está vazio (figura 2.10). Figura 2.9 Informações do folder de imagens. Figura 2.10 Folder Imagens sem nenhu m conteúdo. Todos objetos contidos em um folder, tais como imagens e arquivos, são atribuído s ao folder que os contêm e se tornam atributos deste folder. Objetos que podem conter outros objetos, tais como os folders, são chamados de containeres, pois possue m a funcionalidade de conter outros objetos. Arquivos Antes que você possa trabalhar com imagens e arquivos no Zope, é necessário que você os crie. Para criar objeto imagens escolha Image no menu Select type to add, para todos os outros tipos de arquivos selecione o objeto File. Você deve preencher o formulário (figura 2.11) para cada objeto File ou Image que você deseja inserir. Id: Identificador interno do Zope. Title: Título opcional. File: Caminho completo até o arquivo. Use o botão selecionar o arquivo desejado. browse para 18

19 Figura 2.11 Formulário de informações para adição de uma imagem. Exemplo: Vamos inserir uma imagem ao folder Imagens: 1. Entre no folder Imagens criado anterior me nte. 2. Selecione Image no menu Select type to add Forneça um Id e um Title para o objeto. 4. Especifique o caminho da imagem ou selecione utilizando browse e escolha um imagem a ser adicionada. o botão 5. Clique em Add (figura 2.12), para adicionar o objeto ao folder Imagens. Figura 2.12 Informações da imagem adicionada. 6. Após a inserção, clique sobre a imagem. Visualize suas propriedade s na guia Properties (figura 2.13). 19

20 Figura 2.13 Informações da guia Properties. 7. Visualize a sua aparência na guia View (figura 2.14). Figura 2.14 Informações da guia View. 20

21 Docu me ntos e Métodos DTML Até agora você aprendeu como inserir folders, imagens e arquivos em seu servidor Zope, agora daremos uma olhada em documentos e métodos DTML. Embora haja alguma semelhança, esses objetos se diferem na forma de uso e funcionalidade. DTML (Document Template Markup Language) é a linguagem do Zope que permite a criação de conteúdo dinâmico, assim como scripts ASP e JSP, a DTML possui um conjunto de tags que permite a criação de páginas dinâmicas na WEB. Você pode utilizar a DTML tanto em documentos DTML (DTML Documents) como em métodos DTML (DTML methods). Em geral, os documentos DTML são usados para armazenar texto, documen to s complexos e com grande conteúdo de informação; eles são como páginas web, mas com a possibilidade de geração dinâmica de conteúdo. Já os métodos DTML são usados para a execução de ações sobre dados e conteú do. Os métodos DTML, ao contrário dos documentos DTML, não possuem propriedad es próprias, isto é, eles assume m as proprieda de s do docume nto que os invocar ou utilizam, funciona m assim, como uma função que executa alguma ação. Os métodos DTML são os objetos mais indicados para a geração dinâmica de conteú do e para criação de componentes genéricos, pois possue m uma funcionalidade maior que os documentos DTML. Documentos DTML Para criar um documento DTML, vá ao folder no qual deseja inserir o novo docu men to (se possível utilize o folder Imagens criado anteriorme nte) e selecione DTML Document no menu de Select type to add, complete o formulário (figura 2.14) com as seguintes informações: Id: Identificador interno do Zope. Title: Título opcional. File: Insere conteúdo de um arquivo no documento DTML. Use o botão browse para selecionar o arquivo desejado. Add: Clique neste botão para criar o documento DTML. Se desejar criar e já iniciar a edição do documento clique no botão Add and Edit. 21

22 Figura 2.15 Formulário de informações para criação de um documento DTML. Para editar o documento clique sobre o mesmo e então surgirá a tela de edição com suas guias de opções. Na guia Edit é possível editar o conteúdo do documen to (figura 2.16) e fazer a carga de arquivos (upload) para o documento DTML. Experimente visualizar o conteúdo das outras guias para se familiarizar com informações que serão vistas futurame nte e colocar o conteúdo do documen to Doc1 de acordo o visto na figura Figura 2.16 Tela de edição de um docume nto DTML (Doc1). 22

23 Métodos DTML Agora, vamos criar um método DTML que define a forma que as figuras contidas no folder Imagens (criado anteriorme nte) serão apresenta das. 1. Abra o folder onde você quer criar o método (se possível utilize o folder Imagens criado anteriormente) e selecione DTML Method no menu Select type to add e então preencha os campos apresentados (figura 2.17). Figura 2.17 informações para a criação de um método DTML. 2. Clique Add and Edit. 3. Substitua o código existente na caixa de texto pelo código apresenta do na figura abaixo (figura 2.18). 4. Clique em Save Changes. 5. Clique em View e visualize sua primeira página Web criada com o Zope. Ela deverá se parecer com a página mostrada na figura abaixo (figura 2.19). 23

24 Figura 2.18 Código fonte do método DTML 1. Figura 2.19 Exemplo de Visualização da página gerada pelo método DTML 1. 24

25 Gerenciamento de Objetos Vamos aprender como gerenciar os principais objetos vistos neste capítulo, nós veremos como copiar, mover e renomear folder, métodos DTML, documen to s DTML, etc. Você pode mudar deter minadas propriedades dos objetos inseridos no servidor Zope. O Id, por exemplo, só pode ser alterado no folder ou container que possui o objeto através do botão Rename. Já, a proprieda de Title pode ser alterada na própria guia Edit do objeto com o uso de sua caixa de texto. Através do botão Copy, Cut e Delete você pode copiar, recortar e remover objetos de um folder ou container e através do botão Paste colar objetos para um folder ou container. Aquisição de Objetos O Zope organiza o relacionamento de seus objetos através de um mecanis mo chamado aquisição. É através da aquisisção que o Zope consegue cria uma estrutu ra eficiente no tratamento de informação. A idéia da aquisição é a seguinte: quando você coloca um objeto em um folder ou sub - folders, você acaba criando uma hierarquia de objetos que o Zope usará para reconhecer um objeto chamado. Assim, objetos em um folder herdam todas as propriedade s do folder que os contém, criando um conjunto de atributos que o objeto pode acessar. A esse conjunto é dado o nome de names pace. Em um namespace de um objeto estão todos os atributos diretamente acessíveis a esse objeto. O Zope monta o names pace de um objeto através do mecanismo de aquisição. Por exemplo, ao criar um documento DTML em um folder, o Zope saberá que o namespace deste objeto é o conjunto de todos atributos do próprio objeto mais os atributos de todos os folders hierarquicame nte superiores. Assim, quando um objeto referencia um outro objeto o Zope procura o objeto referenciado no folder corrente do objeto e na hierarquia superior até que o encontre. Caso um objeto deseje referenciar um outro objeto ou um atributo que não está em seu namespace, ou melhor, em sua hierarquia de mesmo nível ou superior, ele deverá referenciá - lo explicitamente através da tag with que será vista no capítulo 5. Resumo Neste capítulo, as principais guias e botões do Zope se tornaram familiares a você. Conceitos fundamentais foram expostos e você está pronto para se aprofun d ar no uso do Zope e começar a desenvolver pequenas aplicações em Zope através de seus objetos e de sua linguagem, a DTML. 25

26 3 As guias do Zope Este capítulo mostrará como usar as guias do Zope para executar várias funções para diferentes tipos de objetos existentes. A barra de guias do Zope A barra de guias do Zope permite o acesso a várias interfaces que podem ser usadas para configurar objetos do Zope. As guias e funções disponíveis depende m de qual objeto está selecionado e de quais permissões o usuário corrente possui em relação ao objeto selecionado. Veremos agora, as funcionalida des das principais guias. A guia Contents Quando você seleciona um objeto do tipo folder ou outro objeto do tipo container na tela de gerenciamento, a guia Contents se abre e lhe mostra todos os objetos daquele folder juntamente com seus Id s e Titles (figura 3.1). Figura 3.1 A guia Contents 26

27 Essa guia permite a você criar, renomear, copiar, recortar, mover, excluir, importar e exportar objetos através de botões situados na parte inferior da tela, além de permitir a adição de objetos através de um menu de escolha Select type to add... e um botão Add, situados na parte superior da tela de gerenciamento. A guia Edit Quando um objeto é do tipo não container, ao ser clicado o Zope lhe mostrará a guia Edit que permitirá a edição do conteúdo dos objetos. Exemplos de objetos não containeres que podem ser editados são métodos e documentos DTML, já outros objetos como: Imagens ( Images ) ou Arquivos ( Files ), não podem ser editados sendo permitido apenas a mudança de Id s, Title s e atualização do objeto. Portanto, cada objeto possui diferentes funcionalidades na guia Edit depen de n d o de seu conteúdo e tipo. Clique sobre um documento ou método DTML e a guia Edit aparecerá (figura 3.2). Os botões Taller, Shorter, Wider e Narrower permite m a mudança de tamanh o da caixa de edição de texto, experimente - os e veja o que acontece. Caso você faça alguma alteração de conteúdo clique sobre o botão Save Changes para salvar o conteúdo alterado. Caso deseje visualizar as alterações feitas clique na guia View (descrita a seguir) e no botão Back de seu navegador para retornar à guia Edit. Figura 3.2 A guia Edit. A guia View 27

28 A guia View permite a visualização de objetos da forma como os mesmo s serão apresentados pelo navegador (figura 3.3), ela estará disponível somente para objetos que podem ser exibidos através do navegador, tais como: imagens, métodos e documentos DTML e etc. Figura 3.3 A guia View. A guia History Esta guia aparece somente para docume ntos e métodos DTML, scripts e Page Templates, ela possibilita a visualização de qualquer modificação feita no objeto armazenan d o assim a história do objeto (figura 3.4). Ela funciona como um controle de versão possibilitando a comparação entre dois objetos (botão Compare ) e ainda a recuperação de um documento antigo para a versão atual (botão Copy to presen t ). 28

29 Figura 3.4 A guia History. A guia Undo A guia Undo é utilizada para desfazer ações. Na guia Undo é possível visualizar todas as ações executadas como o objeto (figura 3.5). Caso este objeto seja um folder ou container serão apresentadas todas as ações executadas para todos os objetos contidos no folder ou container. Nela você poderá desfazer todas ações executadas pelo usuário corrente em uma ordem de execução que garanta integridade às ações. Figura 3.5 A guia Undo 29

30 A guia Find A guia Find (figura 3.6) possibilita uma variedade de pesquisas em objetos do Zope, ela é utilizada para encontrar objetos no Zope. Experimente buscar objetos selecionando várias opções de pesquisa para se familiarizar com esta guia. Figura 3.6 A guia Find A guia Properties Lembre - se de que tudo no Zope é objeto, assim como objetos possue m propriedad es esta guia permite a você criar, remover e alterar propriedade s para um objeto (Figura 3.7). Por exemplo, você possuir um documento DTML que armazene um texto e neste documento adicionar proprieda des que armazenarão características deste texto. Assim você pode adicionar proprieda des como linhas, auto, palavras chaves e outros ao documento DTML para que o mes mo possa armazenar informações sobre o texto que possui. 30

31 Figura 3.7 A guia Properties Cada propriedade adicionada possui um nome, um valor e um tipo. Tipos como boolean (lógico), date (data), float (real), int (inteiro), string (cadeia de caracteres) e long (inteiro longo) são auto descritivos, mas existem tipos que cabem uma descrição mais detalhada Lines é o tipo que produz uma lista de valores. Se desejar usá - lo deixe o campo Value vazio, pois a inclusão de valores será permitida após a inserção da proprieda de. Text assim como o tipo string, este tipo consiste em uma cadeia de caracteres. A diferença consiste no fato de que o tipo Text permite a criação de texto com múltiplas linhas. Tokens consiste de uma linha de valores separados por espaço. A funcionalidade do tipo Tokens é que ele permite um busca otimizada. Selection e Multiple Selection o tipo Selection cria uma lista PullDown de valores onde apenas uma pode ser selecionada (no tipo Multiple Selection é permitido a seleção de vários valores). No campo Value deve - se colocar o nome de uma proprieda de ou método que possui a lista de valores a serem apresenta dos. Não deixe de experimentar a criação de proprieda des para alguns objetos, pois é através do uso e da pesquisa que aprende m os. A guia Ownership A guia Ownership permite a configuração de um proprietário para o objeto. Quando você cria um objeto, o Zope automaticamente o coloca como proprietário daquele objeto e através desta guia será possível dar permis sões de propriedad e a usuários (veja capitulo 6 para maiores detalhes sobre permissões). 31

32 Figura 3.8 A guia Ownership O botão Import /Export O botão Import /Export permite a importação e exportação Todos os objetos criados no Zope são armazena dos em uma base encontra no arquivo data.fs no diretório var dentro do diretório Zope. Para trocar objetos entre servidores Zope é necessário conseq üen te importação dos objetos desejados em arquivos. de de de a objetos Zope. dados que se instalação do exportação e Para exportar um objeto, selecione - o e clique no botão Import /Export e então selecione se a exportação se dará no servidor ( Save to file on server ) ou na máquina local ( Download to local machine ) e se o formato se dará em XML (figura 3.9). Se você não sabe o que é XML não deixe de pesquisar, pois o XML (extensible Markup Language) tem se tornado o formato padrão para o intercâmbio de informação entre aplicações. Bem, voltando, após a seleção das opções acima clique no botão Export e então o arquivo será criado no servidor ou máquina local e no formato desejado. Caso você não tenha escolhido o formato XML um arquivo no formato.zexp será criado, este arquivo é extrema me n te menor do que o formato XML, porém ele é um formato interno do Zope que não possui a mesma flexibilidade do formato XML. 32

33 Figura 3.9 Importação e Exportação de um objeto. Para importar um objeto, você deve informar o caminho completo do arquivo em sua máquina local e escolher entre se tornar proprietário (Take owners hip of imported objects) ou manter as propriedades originais (Retain existing ownership information). O link Help Como cantavam os Beatles, Help, I need somebody. Em todos os softwares que utilizamos há momentos em que necessitamos de ajuda. O Zope possui uma ajuda poderosa, só que em inglês, mas vale à pena quando você estiver com dúvida sobre alguma funcionalidade clicar no link Help localizado no canto superior direito das telas do Zope. Esse link trará informações sobre o tópico corrente além de uma árvore de opções para seleção e pesquisa de assuntos (figura 3.10). Para aqueles em que o inglês não é problema acredito ser o Help uma ótima fonte de conhecimen to. 33

34 Figura 3.10 O Help do Zope. O painel de controle do Zope O Zope possuir um folder especial chamado Control Panel (Painel de Controle), este folder está localizado abaixo do folder Root e possui informações sobre o servidor Zope (figura 3.11). Figura 3.11 Tela inicial do Painel de Controle. 34

35 O botão Shutdown Este botão permite você parar o servidor Zope sendo que o acesso ao servidor estará disponível somente após nova inicialização. Seja cuidadoso ao usar este botão, pois se algum usuário estiver utilizando o Zope e possuir conteúdo não salvo, estas informações serão perdidas. O botão Restart Este botão estará visível para instalações executando como um serviço Win32 do Windows ou como um daemon no Unix ou Linux. Ele permite que o servidor seja desligado e imediatamente reiniciado. Como o anterior deve ser utilizado com cautela. Database Manage me nt Esta opção possibilitará a configuração da base de dados do Zope, através de guias (figura 3.12) é possível configurar parâmetros de cache e do banco de dados. A principal opção de gerenciamento da base de dados é a opção Pack que permite que você discarte a história de objetos mais velhos que o número de dias selecionados. Assim a base de dados se tornará menor e seu desem pe n ho será otimiza do. É aconselhável que utilize esta opção toda vez que observar que seu arquivo Data.fs esta grande demais e que existem muitos objetos na guia History e Undo. Figura 3.12 Guias do Database Management. Version Manage ment O Zope possui um controle de versão que permite que você execute tarefas que não estarão acessíveis a outros usuários do Zope enquanto você ainda não finalizou o trabalho. Assim ao final essas modificações serão disponibilizadas todas de uma única vez (veja Capítulo 5 para maiores detalhes). Product Managem ent A tela de gerenciamento de produtos possibilita a visualização de todos os produtos instalados no Zope (figura 3.13). O gerenciamento de produtos está fora do escopo desta obra, sendo que maiores informações podem ser obtidas em futuros lançamentos por esta editora ou pelo site 35

Construindo portais com Plone. Módulo 3 Templates

Construindo portais com Plone. Módulo 3 Templates Construindo portais com Plone Módulo 3 Templates Templates l Quando o Plone vai mostrar uma página, duas perguntas precisam ser respondidas: Ø O que será mostrado? Isto é, quais conteúdos serão buscados

Leia mais

Manual de Utilização do PLONE (Gerenciador de página pessoal)

Manual de Utilização do PLONE (Gerenciador de página pessoal) Manual de Utilização do PLONE (Gerenciador de página pessoal) Acessando o Sistema Para acessar a interface de colaboração de conteúdo, entre no endereço http://paginapessoal.utfpr.edu.br. No formulário

Leia mais

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Neste capítulo nós iremos examinar as características da interface do gerenciador de arquivos Konqueror. Através dele realizaremos as principais operações com arquivos

Leia mais

Resumo da Matéria de Linguagem de Programação. Linguagem C

Resumo da Matéria de Linguagem de Programação. Linguagem C Resumo da Matéria de Linguagem de Programação Linguagem C Vitor H. Migoto de Gouvêa 2011 Sumário Como instalar um programa para executar o C...3 Sintaxe inicial da Linguagem de Programação C...4 Variáveis

Leia mais

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 3

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 3 AULA Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 3 Continuando nossa saga pelas ferramentas do Visual FoxPro 8.0, hoje vamos conhecer mais algumas. A Ferramenta Class Designer A Class Designer é a ferramenta

Leia mais

PHP() é uma linguagem de integração de servidor que permite a criação de paginas dinâmicas. Como todas

PHP() é uma linguagem de integração de servidor que permite a criação de paginas dinâmicas. Como todas O que é PHP? Acrônimo de PHP: Hipertext Language PostProcessor Inicialmente escrita para o desenvolvimento de aplicações Web Facilidade para iniciantes e recursos poderosos para programadores profissionais

Leia mais

TEORIA BÁSICA SOBRE LINGUAGEM PHP

TEORIA BÁSICA SOBRE LINGUAGEM PHP PHP - Introdução Vantagens do Uso do PHP O php é uma linguagem de programação para ambiente web ou seja com ela, você pode desenvolver aplicações que possam ser acessadas via browser (netscape,internet

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

Disparando o interpretador

Disparando o interpretador Capítulo 2: Usando o interpretador Python Disparando o interpretador O interpretador é frequentemente instalado como /usr/local/bin/python nas máquinas onde está disponível; adicionando /usr/local/bin

Leia mais

Scriptlets e Formulários

Scriptlets e Formulários 2 Scriptlets e Formulários Prof. Autor: Daniel Morais dos Reis e-tec Brasil Programação Avançada Para Web Página1 Meta Permitir ao aluno aprender a criar um novo projeto Java para web no Netbeans IDE,

Leia mais

Manual de Instalação: Agente do OCS Inventory NG

Manual de Instalação: Agente do OCS Inventory NG Manual de Instalação: Agente do OCS Inventory NG Abril 2013 Sumário 1. Agente... 1 2. Onde instalar... 1 3. Etapas da Instalação do Agente... 1 a. Etapa de Instalação do Agente... 1 b. Etapa de Inserção

Leia mais

Manual do Usuário. Sistema Financeiro e Caixa

Manual do Usuário. Sistema Financeiro e Caixa Manual do Usuário Sistema Financeiro e Caixa - Lançamento de receitas, despesas, gastos, depósitos. - Contas a pagar e receber. - Emissão de cheque e Autorização de pagamentos/recibos. - Controla um ou

Leia mais

Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter

Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter Índice Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter............... 1 Sobre a Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter................ 1 Requisitos de

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO DO FRAMEWORK - versão 2.0

DOCUMENTAÇÃO DO FRAMEWORK - versão 2.0 DOCUMENTAÇÃO DO FRAMEWORK - versão 2.0 Índice 1 - Objetivo 2 - Descrição do ambiente 2.1. Tecnologias utilizadas 2.2. Estrutura de pastas 2.3. Bibliotecas já incluídas 3 - Características gerais 4 - Criando

Leia mais

Utilizaremos a última versão estável do Joomla (Versão 2.5.4), lançada em

Utilizaremos a última versão estável do Joomla (Versão 2.5.4), lançada em 5 O Joomla: O Joomla (pronuncia-se djumla ) é um Sistema de gestão de conteúdos (Content Management System - CMS) desenvolvido a partir do CMS Mambo. É desenvolvido em PHP e pode ser executado no servidor

Leia mais

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário Sumário Conceitos Microsoft Access 97... 01 Inicialização do Access... 02 Convertendo um Banco de Dados... 03 Criando uma Tabela... 06 Estrutura da Tabela... 07 Propriedades do Campo... 08 Chave Primária...

Leia mais

Para testar seu primeiro código utilizando PHP, abra um editor de texto (bloco de notas no Windows) e digite o código abaixo:

Para testar seu primeiro código utilizando PHP, abra um editor de texto (bloco de notas no Windows) e digite o código abaixo: Disciplina: Tópicos Especiais em TI PHP Este material foi produzido com base nos livros e documentos citados abaixo, que possuem direitos autorais sobre o conteúdo. Favor adquiri-los para dar continuidade

Leia mais

5 O Joomla: Web Apache Banco de Dados MySQL http://www.joomla.org/ - 55 -

5 O Joomla: Web Apache Banco de Dados MySQL http://www.joomla.org/ - 55 - 5 O Joomla: O Joomla (pronuncia-se djumla ) é um Sistema de Gestão de Conteúdos (Content Management System - CMS) desenvolvido a partir do CMS Mambo. É desenvolvido em PHP e pode ser executado no servidor

Leia mais

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider Ferramenta: Spider-CL Manual do Usuário Versão da Ferramenta: 1.1 www.ufpa.br/spider Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 14/07/2009 1.0 15/07/2009 1.1 16/07/2009 1.2 20/05/2010 1.3 Preenchimento

Leia mais

Algoritmos e Estrutura de Dados. Introdução a Linguagem Python (Parte I) Prof. Tiago A. E. Ferreira

Algoritmos e Estrutura de Dados. Introdução a Linguagem Python (Parte I) Prof. Tiago A. E. Ferreira Algoritmos e Estrutura de Dados Aula 1 Introdução a Linguagem Python (Parte I) Prof. Tiago A. E. Ferreira Linguagem a ser Utilizada? Nossa disciplina é de Algoritmos e Estrutura de Dados, e não de linguagem

Leia mais

Introdução ao IDE Netbeans (Programação Java)

Introdução ao IDE Netbeans (Programação Java) Universidade Federal do ABC (UFABC) Disciplina: Processamento da Informação (BC-0505) Assunto: Java e Netbeans Introdução ao IDE Netbeans (Programação Java) Conteúdo 1. Introdução... 1 1.1. Programas necessários...

Leia mais

BCValidador VALIDAÇÃO DE ARQUIVOS XML RECEBIDOS PELO BANCO CENTRAL DO BRASIL

BCValidador VALIDAÇÃO DE ARQUIVOS XML RECEBIDOS PELO BANCO CENTRAL DO BRASIL BCValidador VALIDAÇÃO DE ARQUIVOS XML RECEBIDOS PELO BANCO CENTRAL DO BRASIL Deinf/Dine4 Versão 1.3 20/05/2013 Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 06/11/2007 1.0 Elaboração da primeira versão

Leia mais

Programação WEB. Prof. André Gustavo Duarte de Almeida andre.almeida@ifrn.edu.br docente.ifrn.edu.br/andrealmeida. Aula III Introdução PHP

Programação WEB. Prof. André Gustavo Duarte de Almeida andre.almeida@ifrn.edu.br docente.ifrn.edu.br/andrealmeida. Aula III Introdução PHP Programação WEB Prof. André Gustavo Duarte de Almeida andre.almeida@ifrn.edu.br docente.ifrn.edu.br/andrealmeida Aula III Introdução PHP Introdução PHP PHP=Hypertext Pre-Processor Linguagem de script open

Leia mais

Acessando um Banco de Dados

Acessando um Banco de Dados Acessando um Banco de Dados Introdução Agora que você já está craque em JSP e já instalou seu servidor, vamos direto para a parte prática! Neste tutorial vamos aprender a acessar um banco de dados. Para

Leia mais

Rational Quality Manager. Nome: Raphael Castellano Campus: AKXE Matrícula: 200601124831

Rational Quality Manager. Nome: Raphael Castellano Campus: AKXE Matrícula: 200601124831 Rational Quality Manager Nome: Raphael Castellano Campus: AKXE Matrícula: 200601124831 1 Informações Gerais Informações Gerais sobre o RQM http://www-01.ibm.com/software/awdtools/rqm/ Link para o RQM https://rqmtreina.mvrec.local:9443/jazz/web/console

Leia mais

Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011

Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Edição 4 O Componente Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus Ano: 03/2011

Leia mais

Minicurso de Python Aula 1. Raphael Lupchinski Marcelo Millani

Minicurso de Python Aula 1. Raphael Lupchinski Marcelo Millani Minicurso de Python Aula 1 Raphael Lupchinski Marcelo Millani Introdução Python é uma linguagem de programação poderosa e fácil de aprender Possui estruturas de dados eficientes e de alto nível, além de

Leia mais

Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop

Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop Apresentação da ferramenta Professor: Danilo Giacobo Página pessoal: www.danilogiacobo.eti.br E-mail: danilogiacobo@gmail.com 1 Introdução Visual

Leia mais

2. O AMBIENTE DE PROGRAMAÇÃO EM C

2. O AMBIENTE DE PROGRAMAÇÃO EM C 2. O AMBIENTE DE PROGRAMAÇÃO EM C Este capítulo trata de colocar a linguagem C para funcionar em um ambiente de programação, concentrando-se no compilador GNU Compiler Collection (gcc). Mas qualquer outro

Leia mais

WampServer. O ícone do mesmo aparecerá no rodapé do monitor, próximo ao. Language => portuguese.

WampServer. O ícone do mesmo aparecerá no rodapé do monitor, próximo ao. Language => portuguese. 5 O Joomla: O Joomla (pronuncia-se djumla ) é um Sistema de Gestão de Conteúdos (Content Management System - CMS) desenvolvido a partir do CMS Mambo. É desenvolvido em PHP e pode ser executado no servidor

Leia mais

Os objetivos indicados aplicam-se a duas linguagens de programação: C e PHP

Os objetivos indicados aplicam-se a duas linguagens de programação: C e PHP AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SANTA COMBA DÃO CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE GESTÃO E PROGRAMAÇÃO DE SISTEMAS INFORMÁTICOS 2012-2015 PROGRAMAÇÃO E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO MÓDULO 2 Mecanismos de Controlo de

Leia mais

Manual de Instalação. SafeNet Authentication Client 8.2 SP1. (Para MAC OS 10.7)

Manual de Instalação. SafeNet Authentication Client 8.2 SP1. (Para MAC OS 10.7) SafeNet Authentication Client 8.2 SP1 (Para MAC OS 10.7) 2/28 Sumário 1 Introdução... 3 2 Pré-Requisitos Para Instalação... 3 3 Ambientes Homologados... 4 4 Tokens Homologados... 4 5 Instruções de Instalação...

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO. Plataforma Windows. Relatório Técnico Versão 0.1 (201305032030) Leandro Gomes da Silva, Tiago França Melo de Lima

GUIA DE INSTALAÇÃO. Plataforma Windows. Relatório Técnico Versão 0.1 (201305032030) Leandro Gomes da Silva, Tiago França Melo de Lima Laboratório de Engenharia e Desenvolvimento de Sistemas LEDS/UFOP Universidade Federal de Ouro Preto UFOP GUIA DE INSTALAÇÃO Plataforma Windows Relatório Técnico Versão 0.1 (201305032030) Leandro Gomes

Leia mais

ModusOne. ModusOne Client. Version: 5.2

ModusOne. ModusOne Client. Version: 5.2 ModusOne ModusOne Client Version: 5.2 Written by: Product Documentation, R&D Date: February 2013 2012 Perceptive Software. All rights reserved ModusOne é uma marca registrada da Lexmark International Technology

Leia mais

INFORMÁTICA APLICADA AULA 02 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C++

INFORMÁTICA APLICADA AULA 02 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C++ UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: Bacharelado em Ciências e Tecnologia INFORMÁTICA APLICADA AULA 02 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C++ Profª ª Danielle Casillo COMPILADORES Toda linguagem de programação

Leia mais

APOSTILA PHP PARTE 1

APOSTILA PHP PARTE 1 APOSTILA PHP PARTE 1 1. Introdução O que é PHP? PHP significa: PHP Hypertext Preprocessor. Realmente, o produto foi originalmente chamado de Personal Home Page Tools ; mas como se expandiu em escopo, um

Leia mais

Introdução... 1. Instalação... 2

Introdução... 1. Instalação... 2 ONTE DO Introdução... 1 O que é IPP?... 1 Qual é a função de um software Samsung IPP?... 1 Instalação... 2 Requisitos do sistema... 2 Instalar o software Samsung IPP... 2 Desinstalar o software Samsung

Leia mais

Publicação web. Será ativado um assistente de publicação que lhe guiará em todas as etapas a seguir apresentadas.

Publicação web. Será ativado um assistente de publicação que lhe guiará em todas as etapas a seguir apresentadas. Publicação web Pré requisitos: Lista de questões Formulário multimídia Este tutorial tem como objetivo, demonstrar de maneira ilustrativa, todos os passos e opções que devem ser seguidos para publicar

Leia mais

Manual da Ferramenta Metadata Editor

Manual da Ferramenta Metadata Editor 4 de março de 2010 Sumário 1 Introdução 3 2 Objetivos 3 3 Visão Geral 3 3.1 Instalação............................. 3 3.2 Legenda.............................. 4 3.3 Configuração Inicial........................

Leia mais

Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans

Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans Aula 3 Cap. 4 Trabalhando com Banco de Dados Prof.: Marcelo Ferreira Ortega Introdução O trabalho com banco de dados utilizando o NetBeans se desenvolveu ao longo

Leia mais

Introdução à Linguagem

Introdução à Linguagem Introdução à Linguagem Curso de Nivelamento do PPGMNE Janeiro / 2011 Juliano J. Scremin jjscremin@jjscremin.t5.com.br Um pouco de história Um pouco de história: Nascimento do Python Um pouco de história:

Leia mais

Características do PHP. Começando a programar

Características do PHP. Começando a programar PHP Introdução Olá pessoal. Desculpe o atraso na publicação da aula. Pude perceber pelas respostas (poucas) ao fórum que a realização da atividade do módulo I foi relativamente tranquila. Assistam ao vídeo

Leia mais

Índice INSTALAÇÃO DO SOFTWARE EM SISTEMAS WINDOWS...2 INSTALAÇÃO DO SOFTWARE EM SISTEMAS LINUX...3 TESTANDO A CONEXÃO DA REDE LOCAL...

Índice INSTALAÇÃO DO SOFTWARE EM SISTEMAS WINDOWS...2 INSTALAÇÃO DO SOFTWARE EM SISTEMAS LINUX...3 TESTANDO A CONEXÃO DA REDE LOCAL... Índice INSTALAÇÃO DO SOFTWARE EM SISTEMAS WINDOWS...2 INSTALAÇÃO DO SOFTWARE EM SISTEMAS LINUX...3 TESTANDO A CONEXÃO DA REDE LOCAL...4 Configurações iniciais...5 Arquivo sudoers no Sistema Operacional

Leia mais

Como criar e editar Blogs. Manual Básico do. Mario Roberto Barro Jerino Queiroz Ferreira Profª Drª Salete Linhares Queiroz

Como criar e editar Blogs. Manual Básico do. Mario Roberto Barro Jerino Queiroz Ferreira Profª Drª Salete Linhares Queiroz Como criar e editar Blogs Manual Básico do Mario Roberto Barro Jerino Queiroz Ferreira Profª Drª Salete Linhares Queiroz São Carlos Setembro / 2008 Sumário Introdução...3 Criando um Blog no Edublogs...4

Leia mais

Logo abaixo temos a Barra de Menus que é onde podemos acessar todos os recursos do PHP Editor.

Logo abaixo temos a Barra de Menus que é onde podemos acessar todos os recursos do PHP Editor. Nessa aula iremos estudar: A anatomia da janela do PHP Editor Iniciando o servidor Web O primeiro exemplo de PHP Anatomia da janela do PHP Editor Barra de Títulos: É a barra azul que se encontra na parte

Leia mais

Gerador Menu. AVISO: A biblioteca só funciona corretamente com as versões 2.6 ou superiores ou 3.0 ou superiores.

Gerador Menu. AVISO: A biblioteca só funciona corretamente com as versões 2.6 ou superiores ou 3.0 ou superiores. Gerador Menu 1.0 Sobre este pacote Sistema gerador de menu para prompt de comando. 1.1 Sobre AVISO: A biblioteca só funciona corretamente com as versões 2.6 ou superiores ou 3.0 ou superiores. Resumidamente,

Leia mais

Documento de Instalação e Configuração do InfoGrid

Documento de Instalação e Configuração do InfoGrid Documento de Instalação e Configuração do InfoGrid Tecgraf/PUC Rio infogrid@tecgraf.puc rio.br 1.Introdução O objetivo deste documento é podermos registrar em um único local todas as informações necessárias

Leia mais

MANUAL DO ANIMAIL 1.0.0.1142 Terti Software

MANUAL DO ANIMAIL 1.0.0.1142 Terti Software O Animail é um software para criar campanhas de envio de email (email Marketing). Você pode criar diversas campanhas para públicos diferenciados. Tela Principal do sistema Para melhor apresentar o sistema,

Leia mais

2. INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO

2. INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO INDICE 1. INTRODUÇÃO 2. INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO 2.1. COMPARTILHANDO O DIRETÓRIO DO APLICATIVO 3. INTERFACE DO APLICATIVO 3.1. ÁREA DO MENU 3.1.2. APLICANDO A CHAVE DE LICENÇA AO APLICATIVO 3.1.3 EFETUANDO

Leia mais

DRIVE CONTÁBIL NASAJON

DRIVE CONTÁBIL NASAJON DRIVE CONTÁBIL NASAJON Módulo Gestão de Documentos Versão 1.0 Manual do Usuário 1 Sumário Os Módulos do Gerenciador de NFe: Informações Básicas Primeiro Acesso: Requisitos Acesso ao Drive Contábil Nasajon

Leia mais

Algoritmos em Javascript

Algoritmos em Javascript Algoritmos em Javascript Sumário Algoritmos 1 O que é um programa? 1 Entrada e Saída de Dados 3 Programando 4 O que é necessário para programar 4 em JavaScript? Variáveis 5 Tipos de Variáveis 6 Arrays

Leia mais

Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br

Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br Índice Como acessar o Moodle Editando seu PERFIL Editando o curso / disciplina no Moodle Incluindo Recursos

Leia mais

MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico

MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico O GCO é um sistema de controle de clínicas odontológicas, onde dentistas terão acesso a agendas, fichas de pacientes, controle de estoque,

Leia mais

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.4.1

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.4.1 Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.4.1 26 de agosto de 2015 Departamento de Engenharia de Produto (DENP) SEAT Sistemas Eletrônicos de Atendimento 1. Introdução O Teclado de Satisfação é uma

Leia mais

LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO WEB

LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO WEB LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO WEB GABRIELA TREVISAN Ambiente de Desenvolvimento Após instalar o Wamp Server, inicie o servidor. Um ícone aparecerá na SystemTray. A cor do ícone indica seu estado: Verde: servidor

Leia mais

Instalação, configuração e manual

Instalação, configuração e manual Cardápio Moura Instalação, configuração e manual Conteúdo Instalação... 4 Requisitos mínimos... 4 Windows 8... 5 Instalação do IIS no Windows 8... 5 Configuração do IIS no WINDOWS 8... 15 Windows 7...

Leia mais

Sophos SafeGuard Enterprise 6.00.1

Sophos SafeGuard Enterprise 6.00.1 Sophos SafeGuard Enterprise 6.00.1 Guia: Manual de instalação do Sophos SafeGuard Enterprise 6.00.1 Data do Documento: novembro de 2012 1 Conteúdo 1. Sobre este manual... 3 2. Requisitos de Sistema...

Leia mais

Esse manual é um conjunto de perguntas e respostas para usuários(as) do Joomla! 1.5.

Esse manual é um conjunto de perguntas e respostas para usuários(as) do Joomla! 1.5. Esse manual é um conjunto de perguntas e respostas para usuários(as) do Joomla! 1.5. Ele considera que você já tem o Joomla! instalado no seu computador. Caso você queira utilizá lo em um servidor na web,

Leia mais

SGCD 2.2. Sistema Gerenciador de Conteúdo Dinâmico

SGCD 2.2. Sistema Gerenciador de Conteúdo Dinâmico Atualizado em 13/AGO/2012 Sistema Gerenciador de Conteúdo Dinâmico No final de 2007, o Serviço Técnico de Informática da UNESP Marília, disponibilizou para a comunidade acadêmica e administrativa o Sistema

Leia mais

Criando Banco de Dados, Tabelas e Campos através do HeidiSQL. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011

Criando Banco de Dados, Tabelas e Campos através do HeidiSQL. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Criando Banco de Dados, Tabelas e Campos através do HeidiSQL Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Edição 2 Pedreiros da Informação Criando Banco de Dados, Tabelas e Campos através do HeidiSQL

Leia mais

Procedimentos para Reinstalação do Sisloc

Procedimentos para Reinstalação do Sisloc Procedimentos para Reinstalação do Sisloc Sumário: 1. Informações Gerais... 3 2. Criação de backups importantes... 3 3. Reinstalação do Sisloc... 4 Passo a passo... 4 4. Instalação da base de dados Sisloc...

Leia mais

Sumário. 1. Instalação GVcollege... 4. 1.1. GVsetup... 4. 1.1.1. Instalação com Banco de dados... 6. 1.2. Configurações... 10

Sumário. 1. Instalação GVcollege... 4. 1.1. GVsetup... 4. 1.1.1. Instalação com Banco de dados... 6. 1.2. Configurações... 10 Sumário 1. Instalação GVcollege... 4 1.1. GVsetup... 4 1.1.1. Instalação com Banco de dados... 6 1.2. Configurações... 10 1.2.1. APS Licence Service... 11 1.2.2. APS Licence File... 11 1.2.3. DBXconfig...

Leia mais

Conectando Bancos de Dados Microsoft Access no BrOffice.org Base. fornecido pelo Projeto de Documentação do BrOffice.org

Conectando Bancos de Dados Microsoft Access no BrOffice.org Base. fornecido pelo Projeto de Documentação do BrOffice.org Conectando Bancos de Dados Microsoft Access no BrOffice.org Base fornecido pelo Projeto de Documentação do BrOffice.org Índice 1 Introdução...2 1.1 Versão... 2 1.2 Licenciamento...2 1.3 Mensagem do Projeto

Leia mais

WEBDESIGN. Professor: Paulo Trentin paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br Escola CDI de Videira

WEBDESIGN. Professor: Paulo Trentin paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br Escola CDI de Videira WEBDESIGN Professor: Paulo Trentin paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br Escola CDI de Videira 1 CDI - Curso de Webdesign - Prof. Paulo Trentin Objetivos para esta aula Debater sobre

Leia mais

Início Rápido Desktop. 2015 Release 1 Xojo, Inc.

Início Rápido Desktop. 2015 Release 1 Xojo, Inc. Início Rápido Desktop 2015 Release 1 Xojo, Inc. Capítulo 1 Introdução Bem-vindo ao Xojo, O jeito mais fácil de criar aplicativos multi-plataforma para Desktop e Web. Seção 1 Sobre o Início Rápido para

Leia mais

Faculdade de Ciências Médicas FCM Unicamp Núcleo de Tecnologia de Informação NTI

Faculdade de Ciências Médicas FCM Unicamp Núcleo de Tecnologia de Informação NTI Manual do usuário Desenvolvendo páginas em Drupal Faculdade de Ciências Médicas FCM Unicamp Núcleo de Tecnologia de Informação NTI Conteúdo Primeiro Passo... 3 1.1 Login... 3 1.2 Recuperando a Senha...

Leia mais

SGCD 2.0 Sistema Gerenciador de Conteúdo Dinâmico

SGCD 2.0 Sistema Gerenciador de Conteúdo Dinâmico Sistema Gerenciador de Conteúdo Dinâmico Atualizado em 24/08/2011 No final de 2007, o Serviço Técnico de Informática da UNESP Marília, disponibilizou para a comunidade acadêmica e administrativa o Sistema

Leia mais

Programação WEB II. PHP e Banco de Dados. progweb2@thiagomiranda.net. Thiago Miranda dos Santos Souza

Programação WEB II. PHP e Banco de Dados. progweb2@thiagomiranda.net. Thiago Miranda dos Santos Souza PHP e Banco de Dados progweb2@thiagomiranda.net Conteúdos Os materiais de aula, apostilas e outras informações estarão disponíveis em: www.thiagomiranda.net PHP e Banco de Dados É praticamente impossível

Leia mais

4 Criação de macros e introdução à linguagem VBA

4 Criação de macros e introdução à linguagem VBA 4 Criação de macros e introdução à linguagem VBA Vinicius A. de Souza va.vinicius@gmail.com São José dos Campos, 2011. 1 Sumário Tópicos em Microsoft Excel 2007 Introdução à criação de macros...3 Gravação

Leia mais

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial 2 1. O Sistema PrinterTux O Printertux é um sistema para gerenciamento e controle de impressões. O Produto consiste em uma interface web onde o administrador efetua o cadastro

Leia mais

Programação de Computadores I. Conhecendo a IDE Code::Blocks

Programação de Computadores I. Conhecendo a IDE Code::Blocks Code::Blocks Conhecendo a IDE Programação de Computadores I Professor: Edwar Saliba Júnior Conhecendo a IDE Code::Blocks Apresentação: 1) Abra a IDE (Integrated Development Environment), ou seja, o Ambiente

Leia mais

Vamos criar uma nova Página chamada Serviços. Clique em Adicionar Nova.

Vamos criar uma nova Página chamada Serviços. Clique em Adicionar Nova. 3.5 Páginas: Ao clicar em Páginas, são exibidas todas as páginas criadas para o Blog. No nosso exemplo já existirá uma página com o Título Página de Exemplo, criada quando o WorPress foi instalado. Ao

Leia mais

Guia de instalação para ambiente de Desenvolvimento LINUX

Guia de instalação para ambiente de Desenvolvimento LINUX Guia de instalação para ambiente de Desenvolvimento LINUX Conteúdo deste manual Introdução O guia de instalação... 3 Capítulo 1 Instalando o servidor Web Apache... 4 Teste de instalação do Apache... 9

Leia mais

CA Nimsoft Unified Reporter

CA Nimsoft Unified Reporter CA Nimsoft Unified Reporter Guia de Instalação 7.5 Histórico de revisões do documento Versão do documento Data Alterações 1.0 Março de 2014 Versão inicial do UR 7.5. Avisos legais Este sistema de ajuda

Leia mais

Lazarus pelo SVN Linux/Windows

Lazarus pelo SVN Linux/Windows Lazarus pelo SVN Linux/Windows Sei que não faltam artigos sobre como obter e compilar o Lazarus e o FPC pelo SVN, mas sei também que nunca é de mais divulgar um pouco mais e talvez escrever algo diferente.

Leia mais

Aula 12: Funções. Pré-requisitos: Todas as aulas anteriores deste módulo. 1. Aproveitando Códigos no Programa

Aula 12: Funções. Pré-requisitos: Todas as aulas anteriores deste módulo. 1. Aproveitando Códigos no Programa Aula 12: Funções Nesta aula explicaremos o que são e como usar funções nos seus programas em JavaScript. Você aprenderá como elas podem receber e retornar valores à estrutura que as acionou. Entenderá

Leia mais

( JUDE Community 5.1 2006/2007 ) Por Denize Terra Pimenta Outubro/2007

( JUDE Community 5.1 2006/2007 ) Por Denize Terra Pimenta Outubro/2007 Tutorial JUDE ( JUDE Community 5.1 2006/2007 ) Por Denize Terra Pimenta Outubro/2007 Ferramenta CASE UML Índice Introdução... 2 Download e Instalação... 2 Apresentação da Ferramenta... 2 Salvando o Projeto...

Leia mais

Guia da interface Pcounter Administrator - PAdmin

Guia da interface Pcounter Administrator - PAdmin Guia da interface Pcounter Administrator - PAdmin Objetivo: Este documento tem como objetivo apresentar a interface Pcounter Administrator (PAdmin) e as funcionalidades necessárias para o gerenciamento

Leia mais

Guia de administração para a integração do Portrait Dialogue 6.0. Versão 7.0A

Guia de administração para a integração do Portrait Dialogue 6.0. Versão 7.0A Guia de administração para a integração do Portrait Dialogue 6.0 Versão 7.0A 2013 Pitney Bowes Software Inc. Todos os direitos reservados. Esse documento pode conter informações confidenciais ou protegidas

Leia mais

jquery Apostila Básica

jquery Apostila Básica jquery Apostila Básica INTRODUÇÃO 3 CAPÍTULO 1 POR ONDE INICIAR 3 CAPÍTULO 2 MEU PRIMEIRO SCRIPT! 4 EXERCÍCIOS...5 CAPÍTULO 3 ADICIONANDO CSS 6 EXERCÍCIOS...7 CAPÍTULO 4 MODIFICANDO APENAS PARTE DO DOCUMENTO

Leia mais

Maker Planet www.makerplanet.com Manual do Usuário

Maker Planet www.makerplanet.com Manual do Usuário Maker Planet www.makerplanet.com Manual do Usuário Atenção: Este é o rascunho inicial deste documento, visite o Maker Planet.COM (HTTP://www.makerplanet.com/) para obter as atualizações deste documento.

Leia mais

Listando itens em ComboBox e gravando os dados no Banco de Dados MySQL.

Listando itens em ComboBox e gravando os dados no Banco de Dados MySQL. Listando itens em ComboBox e gravando os dados no Banco de Dados MySQL. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2012 Edição 7 Listando e Gravando Listando itens em ComboBox e gravando os dados no

Leia mais

Mini manual para editar as informações no Portal bibliotecas.uff

Mini manual para editar as informações no Portal bibliotecas.uff Mini manual para editar as informações no Portal bibliotecas.uff Sumário 1.Sobre o Drupal 2.Como se logar 3.Inserindo conteúdo 4.Editando conteúdo 5.Alterando as notícias 6.Incluindo um serviço 7.Criando

Leia mais

Manual STCP Web Admin 27/07/2009, Riversoft Integração e Desenvolvimento

Manual STCP Web Admin 27/07/2009, Riversoft Integração e Desenvolvimento STCP OFTP Web Admin Versão 4.0.0 Riversoft Integração e Desenvolvimento de Software Ltda Av.Dr.Delfim Moreira, 537 Centro Santa Rita do Sapucaí, Minas Gerais CEP 37540 000 Tel/Fax: 35 3471 0282 E-mail:

Leia mais

ESET Remote Administrator ESET EndPoint Solutions ESET Remote Adminstrator Workgroup Script de Logon

ESET Remote Administrator ESET EndPoint Solutions ESET Remote Adminstrator Workgroup Script de Logon AGENDA 1. Download dos pacotes de instalação ESET Remote Administrator 2. Download dos pacotes de instalação ESET EndPoint Solutions 3. Procedimento de instalação e configuração básica do ESET Remote Adminstrator

Leia mais

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.6.0

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.6.0 Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.6.0 09 de novembro de 2015 Departamento de Engenharia de Produto (DENP) SEAT Sistemas Eletrônicos de Atendimento 1. Introdução O Teclado de Satisfação é uma

Leia mais

SENAI São Lourenço do Oeste. Introdução à Informática. Adinan Southier Soares

SENAI São Lourenço do Oeste. Introdução à Informática. Adinan Southier Soares SENAI São Lourenço do Oeste Introdução à Informática Adinan Southier Soares Informações Gerais Objetivos: Introduzir os conceitos básicos da Informática e instruir os alunos com ferramentas computacionais

Leia mais

Instituto Federal do Sertão-PE. Curso de PHP. Professor: Felipe Correia

Instituto Federal do Sertão-PE. Curso de PHP. Professor: Felipe Correia Instituto Federal do Sertão-PE Curso de PHP Professor: Felipe Correia Conteúdo Parte I Parte II Introdução Funções de strings Instalação Constantes Sintaxe Operadores Variáveis if else elseif Echo/Print

Leia mais

AFS para Windows. Iniciação Rápida. Versão 3.6 S517-6977-00

AFS para Windows. Iniciação Rápida. Versão 3.6 S517-6977-00 AFS para Windows Iniciação Rápida Versão 3.6 S517-6977-00 AFS para Windows Iniciação Rápida Versão 3.6 S517-6977-00 Nota Antes de utilizar estas informações e o produto a que elas se referem, leia as

Leia mais

Configurando o IIS no Server 2003

Configurando o IIS no Server 2003 2003 Ser ver Enterprise Objetivo Ao término, você será capaz de: 1. Instalar e configurar um site usando o IIS 6.0 Configurando o IIS no Server 2003 Instalando e configurando o IIS 6.0 O IIS 6 é o aplicativo

Leia mais

AULA APLICAÇÕES PARA WEB SESSÕES E LOGIN E SENHA

AULA APLICAÇÕES PARA WEB SESSÕES E LOGIN E SENHA Sumário Construção de sistema Administrativo... 1 Sistema de Login... 2 SQL INJECTION... 2 Técnicas para Evitar Ataques... 2 Formulário de Login e Senha fará parte do DEFAULT... 5 LOGAR... 5 boas... 6

Leia mais

Conteúdo. Curso de Introdução ao Plone. O que é Plone. Parte I Conceitos básicos

Conteúdo. Curso de Introdução ao Plone. O que é Plone. Parte I Conceitos básicos Curso de Introdução ao Plone Conteúdo Parte I - Conceitos básicos Parte II - Interface do Plone Parte III - Gerenciamento de usuários Modulo A Instrutores Carlos Alberto Alves Meira Laurimar Gonçalves

Leia mais

Primeiro programa em Java (compilação e execução)

Primeiro programa em Java (compilação e execução) Universidade Federal do ABC Disciplina: Linguagens de Programação (BC-0501) Assunto: Primeiro programa em Java (compilação e execução) Primeiro programa em Java (compilação e execução) Introdução Este

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS

ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS ARTEFATO 02 AT02 Diversos I 1 Indice ESQUEMAS NO BANCO DE DADOS... 3 CRIANDO SCHEMA... 3 CRIANDO TABELA EM DETERMINADO ESQUEMA... 4 NOÇÕES BÁSICAS SOBRE CRIAÇÃO E MODIFICAÇÃO

Leia mais

Iniciando o MySQL Query Brower

Iniciando o MySQL Query Brower MySQL Query Brower O MySQL Query Browser é uma ferramenta gráfica fornecida pela MySQL AB para criar, executar e otimizar solicitações SQL em um ambiente gráfico. Assim como o MySQL Administrator foi criado

Leia mais

Procedimentos para Instalação do Sisloc

Procedimentos para Instalação do Sisloc Procedimentos para Instalação do Sisloc Sumário: 1. Informações Gerais... 3 2. Instalação do Sisloc... 3 Passo a passo... 3 3. Instalação da base de dados Sisloc... 16 Passo a passo... 16 4. Instalação

Leia mais

Algoritmos e Programação Estruturada

Algoritmos e Programação Estruturada Algoritmos e Programação Estruturada Virgínia M. Cardoso Linguagem C Criada por Dennis M. Ritchie e Ken Thompson no Laboratório Bell em 1972. A Linguagem C foi baseada na Linguagem B criada por Thompson.

Leia mais