Facilitando o uso da busca nas pesquisas escolares

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Facilitando o uso da busca nas pesquisas escolares"

Transcrição

1 Facilitando o uso da busca nas pesquisas escolares 2005

2 SUMÁRIO Apresentação A formação do aluno pesquisador Por que usar a Internet para pesquisar? Como pesquisar na Internet? O sistema de buscas na Internet Como pesquisar nos sites de busca Exemplos Dicas Yahoo! de pequisa Para você usar com seus alunos Glossário Bibliografia consultada

3 A você, caro professor Formar para as novas tecnologias é formar o julgamento, o senso crítico, o pensamento Você está recebendo o Manual Yahoo! de hipotético e dedutivo, as faculdades de Busca na Internet que visa situar e orientar observação e de pesquisa, a imaginação, a o professor a respeito dos procedimentos capacidade de memorizar e classificar, a básicos para o trabalho com os sites de leitura e a análise de textos e de imagens, a busca na Internet, um instrumento que já é representação de redes, de procedimentos e considerado imprescindível na escola. A versão 2005 do Manual, editada e entregue no (Perrenoud) de estratégias de comunicação. final de 2004, tem o objetivo de chegar no momento em que você, professor, está fazendo o seu planejamento para o ano que vem. Sabendo que já não é mais possível deixar de incluir os cidadãos no mundo digital, sob pena de excluí-los definitivamente da sociedade contemporânea, e que a Internet é uma das maiores ferramentas de conexão a este mundo digital, o Yahoo! oferece aos professores brasileiros esta cartilha sobre como utilizar, de forma mais produtiva, os mecanismos de busca na Internet. Uma recente pesquisa da Unesco sobre o perfil dos professores de ensino fundamental e médio no Brasil, divulgada em maio de 2004, mostra que 60% deles nunca usaram o correio eletrônico ou navegaram na Internet. Tal dado é preocupante no cenário educacional brasileiro, pois, como afirma uma das professoras coordenadoras da pesquisa, Maria Fernanda Rezende Nunes, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo (25/05/04): Um professor que não conhece a Internet tem hoje capacidade limitada de ajudar ao seu aluno. Se a dificuldade em usar a Internet já é significativa, o que dizer sobre os mecanismos de busca, ferramentas altamente necessárias para quem pesquisa nos dias de hoje. Sabe-se que, muitas vezes, o professor não estimula o uso desta ferramenta em sala de aula porque nem ele está suficientemente familiarizado com ela. Integrar a escola à vida passa por um projeto educacional que possibilite ao aluno articular as informações recebidas em sala de aula e o seu aprendizado ao seu cotidiano, estabelecendo relações, questionando, interagindo, enfim... E isso só será possível se ele tiver não apenas acesso aos modernos meios de comunicação e informação, mas, principalmente, repertório e direção para manipulá-los e compreendê-los em suas múltiplas facetas. E tudo isso só será possível se o educador também estiver suficientemente motivado e instrumentado para servir como condutor deste processo de aprendizado, trocando com seus alunos, ensinando e aprendendo com eles. O Yahoo! espera, com este manual, poder contribuir para este projeto pedagógico, que integra a escola à vida digital. Carlos Augusto Araújo Diretor do serviço de busca do Yahoo! 3APRESENTAÇÃO

4 4

5 1. A FORMAÇÃO DO ALUNO PESQUISADOR Ouso das tecnologias da informação na educação tem provocado o questionamento dos métodos e práticas educacionais. Espera-se que o computador seja utilizado para auxiliar as diversas práticas pedagógicas, contribuindo para uma mudança significativa nos paradigmas pelos quais os educadores concebem a educação. Uma coisa é o artefato tecnológico: o computador, o vídeo, etc. A outra é o pensamento tecnológico, que requer o artefato, mas existe de modo independente. O pensamento tecnológico é a capacidade de pensar um problema, delineá-lo, armar um projeto para resolvê-lo, buscar os materiais necessários e conseguir solucionálo. O fundamental no sistema educativo é desenvolver o pensamento tecnológico, para aplicar o conhecimento na prática. Não é simplesmente por ter um computador que a escola e as aulas deixam de ser ultrapassadas. (Inês Aguerrondo, socióloga, em entrevista à revista Nova Escola, março 2004) Já foi testado e comprovado que não basta instalar máquinas potentes nas escolas, se não for estimulada nos educadores a paixão por aprender e ensinar com as novas tecnologias. Para tanto, o ambiente de aprendizagem deverá ser interativo, possibilitando ao aluno aprender a encontrar as respostas necessárias ao seu aprendizado. A escola que se baseia em memorização e transmissão de conhecimentos definitivamente cedeu espaço àquela que se baseia no papel ativo de quem aprende e de quem ensina, da que se baseia no desenvolvimento das capacidades cognitivas de interpretação, julgamento e decisão. Para desenvolvê-las, o professor deverá assumir seu papel de mediador, de articulador no processo de construção do conhecimento de seus alunos, um propositor de territórios a serem desbravados em conjunto, disponibilizando a condição de co-autoria e o estabelecimento de múltiplas conexões. A incorporação do computador, do CD-ROM, da Internet e de outros suportes tecnológicos ao cotidiano escolar implica também uma outra relação aluno/professor e, conseqüentemente, de ensino/aprendizagem. Isso requer, portanto, uma outra postura em sala de aula: ambos, professor e aluno, são sujeitos e co-autores no mesmo processo. Sendo assim, a formação do aluno pesquisador implica também formação do professor pesquisador, que, ao lado do aluno, se inquieta e busca respostas, estando sempre pronto para, muito mais do que responder rapidamente às questões propostas, buscar onde elas estão. O professor pesquisador leva em consideração em sua avaliação o processo da pesquisa, além do resultado dela. 5A FORMAÇÃO DO ALUNO PESQUISADOR

6 6 2. POR QUE USAR A INTERNET PARA PESQUISAR? Se a utilização da A sala de aula interativa seria o ambiente em que o Internet já modificou professor interrompe a tradição do falar/ditar, deixando as formas conhecidas de de identificar-se com o contador de histórias, e adota uma comunicação,trabalhar com postura semelhante a do designer de software interativo. ela, portanto, requer algumas habilidades específi- Ele constrói um conjunto de territórios a serem explorados pelos alunos e disponibliza co-autoria e múltiplas conexões, permitindo que o aluno também faça por si mesmo. cas, que têm de ser levadas em conta quando o professor leva o computador para (Marco Silva, em Sala de Aula Interativa) a sala de aula. Se antes a questão era ter acesso a informações e novos conhecimentos, a questão que hoje se coloca tendo-se em vista a facilidade com que estas informações nos chegam a toda hora é a de como estabelecer critérios de escolha, de seleção, de que tipo de conhecimento é necessário para cada um de nós. A Internet possui, atualmente, segundo estimativas da Universidade de Berkeley, EUA, em 2003, mais de 500 bilhões de documentos que são cobertos apenas em parte pelos cinco principais buscadores do mundo, dentre eles, o Yahoo!. Um volume de informação considerável. Por isso, a Internet também se tornou um importante instrumento de pesquisa para o aluno, devendo ser usado de maneira a contribuir para que ele encontre o que precisa e construa o seu próprio conhecimento. Sabe-se que uma das problemáticas centrais da informação está nos processos de elaboração de perguntas, pois, cognitivamente falando, é mais fácil localizar uma informação do que selecioná-la. Como o aluno busca as informações nos laboratórios de informática? Quais os caminhos que ele estabelece com o computador? Quais os recursos que utiliza para buscar o que necessita para realizar determinada tarefa? Estas e tantas outras questões inquietam os educadores que desejam desenvolver determinadas competências de busca e seleção. Por sua própria estrutura de concepção, a Internet permite que a temática seja vista a partir do interesse e das perspectivas de quem a utiliza. Diferente dos outros meios de comunicação de massa, que obedecem a uma ordem pré-estabelecida, a rede mundial de computadores possibilita que o aluno pesquise segundo seus próprios interesses e objetivos. Sendo assim, esperase que o professor discuta critérios de seleção, estabeleça prioridades e favoreça diversas relações a partir do tema a ser tratado.

7 Como diz Marco Silva em seu livro Sala de Aula Interativa, a interatividade, esta nova modalidade de comunicação, é um fenômeno da sociedade da informação num contexto complexo de múltiplas interferências e causalidades. Isto produz, portanto, uma revisão na relação entre emissor, receptor e mensagem, típica do sistema relativo aos meios de comunicação de massa. A possibilidade de ver/ouvir/ler/gravar/voltar atrás/avançar/enviar/receber/ editar/modificar altera decisivamente essa relação, tornando o emissor um propositor, o receptor co-autor e a mensagem passível de ser modificada. Então pode-se perguntar: o que significa para o professor rever seu papel e ser capaz de se colocar na posição de co-autor junto ao seu grupo de alunos? Sem dúvida, esse desafio passa pela apropriação dos novos meios tecnológicos, mas não se esgota neles. Por outro lado, a Internet favorece essa iniciativa por ser ela mesma uma ferramenta que possibilita ao aluno: PARTICIPAR INTERVIR Usar conceitos de BIDIRECIONALIDADE (contidos nos hiperlinks) Usar uma MULTIPLICIDADE de conexões (os hipertextos) APRENDER através de simulações Ter autonomia na ORGANIZAÇÃO dos conteúdos Ter ACESSO a conteúdos em diversos formatos (som, texto, imagem, vídeo, etc.) Pesquisar na Internet, portanto, envolve mais elementos do que a simples busca por uma determinada informação. Envolve, sobretudo, o desenvolvimento de determinadas competências e habilidades que implicam na construção de um outro modo de pensar e de olhar o mundo. Para os professores, a utilização da pesquisa pela Internet abre infinitas possibilidades de estabelecimento de uma relação diferente com o conhecimento, redefinindo suas ações e o modo como as realizam, de forma a torná-las um instrumento desencadeador de aprendizagens significativas. POR QUE USAR A INTERNET PARA PESQUISAR 7

8 3. COMO PESQUISAR NA INTERNET? Pesquisar, a partir de sua etimologia, nos remete a algumas palavraschave: perguntar, indagar, averiguar, investigar, descobrir e estabelecer princípios. Trata-se de uma atividade que o ser humano exerce quase instintivamente, porque busca conhecer, aprender. O ser humano é, em essência, um ser curioso e aprende por experiências e deduções, num processo de pesquisa permanente. Pesquisar nada mais é do que uma busca dirigida de dados e informações, é um trabalho que pressupõe um problema/questão a ser resolvido, vinculado ao universo de quem está realizando a pesquisa. Para pesquisar são requeridas habilidades metodológicas que nos aproximem do objeto em questão. Como define a professora Neusa Dias de Macedo em seu trabalho Iniciação à Pesquisa Bibliográfica: O importante é que se fixe a idéia de que, para a realização de um trabalho de pesquisa, deve-se levar o estudante a perseguir um problema ou um aspecto do tema de seu trabalho, para discuti-lo até a conclusão, numa postura pessoal. Não aceitar, portanto, meras cópias de livros e enciclopédias, sem reflexão e documentação. Dessa forma, é importante que o professor oriente seus alunos a estabelecerem um método de pesquisa para a obtenção das respostas desejadas. E mais do que fornecer um roteiro, o professor deverá acompanhá-los em seu processo, prevendo, inclusive, que o próprio planejamento feito e discutido minuciosamente, possa ser modificado, dependendo das questões que forem surgindo, da curiosidade e da motivação dos alunos. Sugerimos um roteiro básico para nortear as pesquisas de forma geral: SUMÁRIO A. PREPARAÇÃO PARA A PESQUISA 8 > Delimitar um assunto/questão/problema > Estabelecer qual o foco da questão > Conceituar > Eleger um grupo de palavras-chave que auxiliem a compreensão do assunto > Localizar o tema no tempo/espaço (delimitação) > Fazer um levantamento de fontes/recursos a serem utilizados > Listar as tarefas > Fazer um cronograma da pesquisa

9 SUMÁRIO B. REALIZAÇÃO DA PESQUISA > Ler e anotar os dados encontrados > Selecionar e organizar o que foi coletado (registrar as fontes para saber de onde vieram as informações) > Analisar o que foi coletado em relação ao projeto inicial > Fazer o fichamento de todas as informações relevantes SUMÁRIO C. APRESENTAÇÃO DA PESQUISA > Definir os itens que comporão a apresentação (tanto escrita quanto oral, se houver) > Elaborar a apresentação do trabalho > Redigir o texto, de acordo com um plano definitivo de abordagem do tema e do foco escolhido inicialmente Pesquisar na Internet requer não apenas um conhecimento prévio de como funcionam os seus sistemas de busca, mas também um certo domínio das técnicas de pesquisa. Não é à toa que utilizamos um jargão que se refere à arte da navegação quando falamos em Internet: para navegar com segurança, é preciso ter em mãos um mapa detalhado do caminho a seguir, conhecer esta rota, prever as intempérites e contar com instrumentos para lidar com elas, dispor-se a errar o caminho e tentar retomá-lo em seguida. E, neste sentido, frisamos novamente a importância do papel do professor na participação neste processo de pesquisa, na tessitura desta verdadeira teia de informações que compõem o tema pesquisado, como ressalta Marco Silva:... o professor costura os nós em caminhos diferentes e prevê situações de partida, intersituações e situações de chegada. Ele articula em teias e atalhos o conhecimento multidisciplinar e transdisciplinar, motivando cada aluno a tecer junto. Para uma pessoa mais jovem a Internet pode ser uma floresta: se você decidir virar para a esquerda em vez de ir para a direita, talvez deixe de achar o tesouro que está buscando. (Umberto Eco, em entrevista à revista Veja Mundo Digital, dezembro, 2000) 9COMO PESQUISAR NA INTERNET?

10 4. O SISTEMA DE BUSCAS NA INTERNET A lição fundamental de minhas viagens e labutas foi a de que, sem um conhecimento anterior e sem treinamento é possível encontrar o caminho através da informação personalizando-a, decidindo o que se deseja obter com ela, ficando à vontade com a própria ignorância. (Richard S. Wurman em Ansiedade de Informação) Ébom lembrar que a Internet surge tal qual as grandes bibliotecas: seus sites são como livros que foram sendo acumulados não mais em um único espaço, mas em diversos computadores ao redor do mundo. Nas bibliotecas, quando o número de livros se tornou grande a ponto de inviabilizar a localização das obras apenas com base na memória das pessoas, surgiram os catálogos que auxiliaram na recuperação das informações. Na Internet aconteceu o mesmo, surgiram os sites de busca que, num primeiro momento, trabalhavam com a recuperação por palavras e, atualmente, trabalham também a partir de palavras-chave que expressam conceitos. Essa mudança foi fundamental para um trabalho de recuperação e tratamento da informação. Neste imenso mar de informações que é a Internet há duas bússolas que podem orientar a pesquisa: os sites de busca e os diretórios. > Os sites de busca são softwares mais conhecidos como robôs que, regularmente, percorrem toda a Web em busca de novos documentos e armazenam tudo num banco de dados. Eles possuem um maior volume de informações do que os diretórios, porém, não organizam nenhuma das informações coletadas. > Os diretórios são como catálogos de endereços, contam com pessoas especializadas que fazem uma busca controlada nos documentos da Internet, um a um, e os organizam por assunto, ou seja, os diretórios tratam a informação, ao contrário dos sites de busca. No Yahoo! o usuário encontra, ainda, a opção de também pesquisar só Imagens e Notícias, facilitando a navegação. 10 Observe a tela ao lado do Yahoo! e veja as opções que você pode utilizar para a sua pesquisa:

11 Uma questão bastante comum que ocorre quando se pesquisa na Internet é a de como saber quando usar os sites de busca automática ou os diretórios. Para isso é importante que se saiba o seguinte: 1. Os sites de busca fazem a pesquisa através de um software que visita todos os documentos que encontra e os remete ao banco de dados do buscador. Este processo é chamado de crawling (engatinhar, arrastar-se, nadar estilo crawl). O processo automático de classificação e armazenamento destas informações é a indexação da web. O banco de dados do buscador é chamado de índice da web. O software ou robô navega automaticamente pela web pulando de link em link, recebe a página e: > Extrai links da página para prosseguir com o crawl > Passa o conteúdo da página para ser indexado > Segue para a próxima página da lista O SISTEMA DE BUSCAS NA INTERNET 11

12 12 O software guarda as informações recolhidas da página no índice da web e atribui informações àquela página relacionadas com: > País > Idioma Também: > Mapeia links apontando para a página > Associa informações escondidas da página > Identifica páginas de conteúdo adulto > Identifica páginas de spam 2. Os diretórios contam com o recurso de uma equipe especializada, que organiza, classifica e trata a informação, de forma que o usuário encontre no diretório um filtro para as suas pesquisas, obtendo dados importantes que evitarão perda de tempo e tentativas inúteis em busca da informação correta. > Tal como os sites de busca, os diretórios são acessados via palavrachave ou navegação; > O diretório do Yahoo!, por exemplo, é o maior em língua portuguesa e contém mais de 400 mil sites organizados por assunto, em que os editores ou surfistas olharam um a um, verificaram a qualidade dos sites disponíveis e decidiram quais deveriam ser listados no diretório, com base em alguns critérios de seleção de informações. Tendo essas informações em mente, o usuário pode decidir, dependendo do tema a ser pesquisado, qual a melhor opção de busca. No entanto, algumas dicas gerais sobre a busca em Internet devem ser observadas, antes de se decidir por este ou aquele caminho: > Uma boa pesquisa começa sempre pela definição precisa do tema e pela escolha das palavras-chaves; > Evite cometer erros ortográficos: eles o levarão na direção errada; > A opção de pesquisar o mesmo tema nos sites de busca e nos diretórios pode ser sempre utilizada, ela o ajudará a decidir qual o caminho mais seguro para obter as respostas de que necessita;

13 13 > Prefira pesquisar nos sites conhecidos ou de confiança. Lembre-se de que a melhor maneira de iniciar a pesquisa é investigar quais instituições trabalham com os assuntos que se quer, se essas instituições têm página na Internet e que conteúdo elas oferecem para o público. Geralmente, as instituições maiores disponibilizam seus bancos de dados. Como para a construção desses bancos são usadas diversas fontes e uma metodologia de pesquisa específica, esses conteúdos costumam ser uma fonte de informação confiável; > As fontes de pesquisa devem ser sempre analisadas com máximo cuidado. A Internet permite que muitas informações circulem livremente, por isso estabeleça alguns parâmetros para atestar a confiabilidade das fontes: quem é o autor desse site; como o assunto é abordado; quais as fontes que ele utilizou para construir o texto e a navegação; qual a periodicidade em que ele é modificado ou atualizado, etc; > Ao propor um tema de pesquisa para seus alunos, procure, antes de mais nada, experimentar você mesmo um percurso, até para assegurar-se de que alguns endereços eletrônicos sejam de sites idôneos. Além de garantir uma segurança mínima em relação ao conteúdo a ser abordado, esse exercício propiciará uma experiência a você, professor, que poderá ser útil na proposição dos territórios a serem explorados em sala de aula; > Vale ressaltar que os sites e textos disponíveis na Internet não são lineares, ou seja, apresentam links que nos remetem a outros sites e páginas que tratam sobre o mesmo assunto ou não. Nos livros, esse recurso nos remete às notas de rodapé, que localizam a obra/autor citado. Em um hipertexto, a partir de um click, o pesquisador pode navegar de um site brasileiro para um holandês ou espanhol, por exemplo. Assim, é importante ir registrando o percurso da pesquisa e das fontes que foram aparecendo ao longo do processo. Você pode fazer isso utilizando o próprio computador: use os recursos de personalização de busca do Yahoo! para guardar endereços buscados, mande um para você mesmo com os endereços já pesquisados, ou ainda, escolha uma palavra-chave para ir identificando cada passo do seu percurso, por exemplo. O SISTEMA DE BUSCAS NA INTERNET

14 14 5. COMO PESQUISAR NOS SITES DE BUSCA EXEMPLOS (...) a experiência de nossas vidas tem mostrado que, se mantivermos um ambiente rico, desafiador e estimulador, qualquer indivíduo será capaz de aprender sobre praticamente qualquer coisa. Esse deveria ser o objetivo principal da escola compatível com a sociedade de conhecimento. (José Armando Valente em O Computador na Sociedade do Conhecimento) Pesquisar só se aprende pesquisando. Esta máxima parece ser bastante verdadeira quando se trata de Internet. Por isso, o Manual Yahoo! de Busca na Internet oferece, a seguir, alguns exemplos de pesquisas comentadas, para que você, professor, possa experimentá-los e observar como funcionam, na prática, os mecanismos de busca na Internet. Vale frisar que, como a Internet é muito dinâmica, os resultados encontrados nestas pesquisas podem mudar de uma hora para outra, portanto, eles são datados. Assim, o importante é que você perceba a linha de raciocínio utilizada nas pesquisas, porque é isto que você vai poder usar, em quaisquer temas que deseje pesquisar. SUMÁRIO EXEMPLO A COMO USAR ADEQUADAMENTE OS SITES DE BUSCA Objetivo da pesquisa: História do Cavalo de Tróia 1. Busque e navegue em diretórios de sites organizados por assunto; 2. Use um site de buscas; 3. Primeira tentativa: busca por Tróia.

15 Número de resultados: 536 mil!* Avaliação geral: > Muitos resultados com baixa relevância, o que indica problemas na busca; > Esta busca pode ser refinada, ou seja, mais trabalhada, de modo a tornar-se mais específica; > Motivos da baixa relevância dos resultados: uma busca muito genérica traz muitos resultados e uma palavra-chave pode ter também significado em outras línguas, o que abre o escopo da busca para outros idiomas. Recomendação: > Ser mais específico na busca para realizar a pesquisar com precisão; > Usar palavras em português sempre que possível. COMO PESQUISAR NOS SITES DE BUSCA 15

16 4. Segunda tentativa: busca por Cavalo de Tróia Número de resultados: 36 mil* Avaliação geral: > Alguns resultados ainda irrelevantes; > Busca tem que ser refinada mais uma vez; > Motivos da baixa relevância dos resultados: resultados se referem a outro assunto e este assunto se sobrepôs ao tema desejado, porque, aparentemente, existe muito mais conteúdo na Internet sobre o tipo de vírus de computador com este nome do que sobre a história grega antiga. 16 Recomendação: > Mudar a estratégia de busca.

17 17 5. Terceira tentativa: busca por Guerra de Tróia Número de resultados: 19 mil* Avaliação geral: > Resultados relevantes; > O refinamento da busca funcionou: sites relevantes, em português, e diretamente relacionados ao assunto. * Note que o número de resultados de cada busca se refere ao momento de fechamento desta edição. Estes números podem variar. COMO PESQUISAR NOS SITES DE BUSCA

18 18 SUMÁRIO EXEMPLO B COMO USAR ADEQUADAMENTE OS DIRETÓRIOS Objetivo da pesquisa: Sites sobre vestibulares 1. Busque e navegue em diretórios de sites organizados por assunto; 2. Use um site de buscas.

19 3. Conclusão: os sites organizados por assunto são uma boa opção de pesquisa para: > Encontrar sites principais de organizações ou indivíduos; > Temas abrangentes e genéricos; > Comparar sites relacionados a um determinado tema; > Buscas com características exploratórias, compostas de várias etapas. COMO USAR OS DIRETÓRIOS 19

20 20 SUMÁRIO EXEMPLO C COMO PESQUISAR IMAGENS Um dos aspectos fundamentais da relevância da pesquisa de imagens na Internet, em sala de aula, é o fato de que ela pode abrir para o aluno outras possibilidades de conhecimento a respeito de um determinado assunto para além dos textos escritos. Pense só como pode ser rico para uma criança urbana ter a oportunidade de ver fotos de frutas e animais silvestres, por exemplo, tão distantes de sua realidade. Nesse sentido, a busca por imagens amplia o repertório imaginativo de quem a acessa, um aspecto fundamental para a aquisição do conhecimento. A pesquisa de imagens obedece aos mesmos critérios da pesquisa de textos. Se você quiser pesquisar sobre o sistema solar, por exemplo: > Ao digitar somente sistema solar, você acessa, no Yahoo!, imagens diferentes sobre este assunto.

21 > Se a busca for por sistema solar, com aspas, as opções são de imagens. > E se procurar sistema solar + vênus você terá 133 imagens, o que já refinou bastante a sua busca. > Se você clicar no ícone busca avançada do Yahoo! terá ainda a oportunidade de, tal como nos textos, optar por termos mais específicos sobre o assunto para refinar sua busca, e poderá, também, escolher as cores, tipos e tamanhos das imagens que deseja pesquisar. > Há, no Yahoo!, um outro recurso bastante útil nas pesquisas de imagens, especialmente a serem realizadas na escola: o filtro familiar ativado, que procura, ao máximo, não permitir a exibição de imagens com conteúdos proibidos para menores de 18 anos. COMO PESQUISAR IMAGENS 21

22 SUMÁRIO EXEMPLO D COMO PESQUISAR NOTÍCIAS As notícias são um material bastante importante para ser utilizado em sala de aula. Se entendermos o jornal seja ele impresso ou on-line como um material que, por sua diversidade de conteúdos, é um veículo de transmissão das idéias e visões da realidade das mais diversas, teremos então, um excelente material para o exercício do senso crítico através de sua leitura e feitura na escola. Além disto, o trabalho com as notícias pode ser realizado em quaisquer séries ou disciplinas, o importante é adequálo à sua proposta pedagógica. A busca por notícias na Internet obedece aos mesmos critérios de seleção que a busca de textos e imagens, e a equipe do Yahoo! selecionou este exemplo para você testar com seus alunos: Governo Lula 22 > Observe que você encontrará as opções de pesquisa por período, fontes, país e língua, o que abre um leque de opções bastante amplo para a sua busca; > Você também poderá selecionar por relevância e data; > Sem falar nos recursos de busca avançada disponíveis, que vão ajudálo a refinar ainda mais a sua busca!

23 23 Portanto, na hora de decidir qual a melhor opção de busca na Internet, lembre-se de que: > Quando a informação desejada for algo um pouco mais obscuro ou genérico, como um cientista pouco conhecido, por exemplo, o melhor é usar os sites de busca; > Quando for buscar por assunto, ou um nome de uma empresa, instituição, filme, por exemplo, prefira os diretórios; > Quando quiser excluir algum elemento de sua busca, use o sinal -, por exemplo Olimpíadas - história ou, ainda, se desejar incluir algum item, use o sinal +, este procedimento garante o refinamento de sua busca; > Buscadores sempre procuram por todas as palavras como opção padrão, ou seja, a busca do exemplo anterior foi feita por Guerra e Tróia ; > Buscadores ignoram a maioria das preposições e artigos. Nessa busca, a preposição de foi ignorada; > Use pelo menos duas palavras por busca e seja o mais específico possível. Mais palavras equivalem a menos resultados!; > Faça buscas por frases exatas usando aspas: que a força esteja com você ao invés de: que a força esteja com você; este é um dos recursos mais poderosos e fáceis de usar para uma busca na web!; > O ranking da busca nos sites de busca é afetado por: Presença do texto procurado na página Número de links provindos de outros sites Texto contido no link provindo de outro sites (anchor text) Presença do termo buscado no título, cabeçalho, negritos, tamanho da letra Freqüência do termo na página; COMO PESQUISAR NOTÍCIAS

24 24 > Os buscadores indexam e tentam encontrar o maior número possível de páginas da web, por isso, são ideais para se encontrar informações específicas e precisas na web; > As buscas na web são feitas em etapas: Formulação da busca Busca na Web Avaliação dos resultados Refinamento da busca; > Por isso, use o buscador para refinar a sua busca! > Os buscadores vasculham em bilhões de páginas da web, mas não conseguem pesquisar em: Páginas que exigem login (Ex.: Veja Online) Bancos de dados com regras de acesso fora de padrão Redes fechadas de empresas (Intranets) Documentos que não estão na web (Ex.: LexisNexis) Páginas que não têm nenhum link apontando para elas; > Por isso, é importante frisar que somente cerca de 10% do conteúdo total da Internet está nos buscadores. Assim, ela não deve ser a única fonte de pesquisa utilizada. Livros, jornais, CDRoms e outros meios também devem ser consultados para garantir a amplitude de sua pesquisa; > Clicar em ajuda é o procedimento mais seguro para o esclarecimento de todas as suas dúvidas com relação aos mecanismos de busca. Use e abuse dela também!

25 25 6. DICAS YAHOO! DE PESQUISA PARA VOCÊ USAR COM SEUS ALUNOS A equipe do Yahoo! preparou especialmente para o Manual Yahoo! de Busca na Internet um conjunto de sites (texto e imagens), entre aqueles que são os mais procurados no diretório, para estimular suas pesquisas em sala de aula. É importante observar, no entanto, que, como já dissemos, os conteúdos da Internet mudam muito rapidamente e alguns destes endereços podem mudar ou mesmo não existir daqui a algum tempo. Assim, é sempre bom checá-los antes de trabalhar com os alunos, para evitar esforços desnecessários. ENSINO FUNDAMENTAL I (1ª A 4ª SÉRIE) Folclore - web DICAS YAHOO! DE PESQUISA

26 26 Índios - web Índios - imagens

27 27 Corpo Humano - web Corpo Humano - imagens DICAS YAHOO! DE PESQUISA

28 28 Animais - web Animais - imagens

29 29 Animais em extinção - web Animais em extinção - imagens DICAS YAHOO! DE PESQUISA

30 30 ENSINO FUNDAMENTAL II (5ª A 8ª SÉRIE) Segunda Guerra Mundial - web Segunda Guerra Mundial - imagens

31 31 Efeito Estufa - web Efeito Estufa - imagens DICAS YAHOO! DE PESQUISA

32 32 Geografia - web Atenas - notícias

33 33 Atenas - imagens Getúlio Vargas - web DICAS YAHOO! DE PESQUISA

34 34 Getúlio Vargas - imagens ENSINO MÉDIO Vestibular - web

35 35 Vestibular - notícias Enem - web DICAS YAHOO! DE PESQUISA

36 36 Pablo Picasso - web Pablo Picasso - imagens

37 37 Renascimento - web Renascimento - imagens DICAS YAHOO! DE PESQUISA

38 6. GLOSSÁRIO A equipe do Yahoo! também preparou um glossário com os termos básicos para quem deseja usar os mecanismos de busca na Internet. A partir disto, você pode ampliar este trabalho, pesquisando outros termos com seus alunos, partindo, inclusive, das próprias dúvidas levantadas por eles. Mãos à obra! 38 Mecanismos de busca Palavrachave Metabusca Spam Spiders ou Crawlers Diretório Também conhecidos como motores de busca, serviços de busca ou search engines. Permitem a localização de qualquer tipo de informação, por mais obscura ou específica que seja, desde que exista na Internet e esteja indexada. Trabalha com os robôs, ou web crawlers ou spiders que navegam por toda a Internet indexando palavras e imagens. Conhecida também como keyword, termo de busca ou termo buscado. Palavra ou conjunto de palavras mais importantes utilizadas para localizar ou indexar determinado conteúdo. As palavras-chave constituem o núcleo da idéia que permitirá o maior refinamento da busca na Internet. Também conhecidos como metamotores ou multibuscadores, permitem a execução de uma mesma busca em mais de uma ferramenta, ao mesmo tempo exibindo todos os resultados encontrados. Estas ferramentas não possuem nenhuma base de dados, utilizando exclusivamente dados de outras ferramentas de busca. Originalmente o termo vem de uma lata de conservas fabricada nos Estados Unidos. O spam de que diz respeito a uma mensagem recebida sem o consentimento do usuário. Pode não haver a identificação do remetente ou ele é falso. O tema do assunto da mensagem é distinto de seu conteúdo de modo a induzir o destinatário em erro de abertura na mensagem. O spam no mecanismo de busca é quando os resultados da busca são irrelevantes para o usuário, geralmente induzindo a um site comercial ou apenas ao acesso à página para aumentar a sua audiência. Esses resultados quase nunca têm relação com a palavrachave buscada. Robôs que varrem a Internet buscando páginas, indexando-as e criando seu próprio banco de dados. Os diretórios possuem bases de dados menores do que os mecanismos de busca, mas contêm informações relevantes organizadas por assunto. Todo o conteúdo do diretório passa por uma revisão editorial.

39 7. BIBLIOGRAFIA CONSULTADA AIDAR & CARRARA, Flávia dos Santos & Ana Regina. Itaú Cultural na sala de aula, Itaú Cultural, SP, ALVES, Januária C. Nossa escola pesquisa sua opinião: diário de pesquisa, Global, SP, BABIN, P; KOULOUMDJIAN, M. F. Os novos modos de compreender: a geração do audiovisual e do computador. Paulinas, SP, ERCÍLIA, Maria.A Internet, Publifolha, SP, MACEDO, Neusa Dias de. Iniciação à Pesquisa Bibliográfica, Loyola, RJ, PERRENOUD, Philippe. Construir as competências desde a escola, Artmed, SP, SETZER, Valdemar W. Meios Eletrônicos e Educação uma visão alternativa, Escrituras, SP, SILVA, Marco. Sala de aula interativa, Quartet, RJ, VALENTE, José Armando e outros. O computador na sociedade do conhecimento. Learning - Coleção Informática para a Mudança na Educação, MEC, WURMAN, Richard S. Ansiedade de Informação, Cultura Editores Associados, SP, Expediente Realização Diretoria do serviço de busca do Yahoo! Criação Editorial e de Arte FSB Comunicações Concepção Editorial e Pedagógica, e Redação Januária Cristina Alves Jornalista Responsável Priscilla Cortezze - MTB Tiragem exemplares Cadastre-se no GLOSSÁRIO E BIBLIOGRAFIA 39

40 FSB Comunicações novembro de 2004

Como Criar uma Aula? Na página inicial do Portal do Professor, acesse ESPAÇO DA AULA: Ao entrar no ESPAÇO DA AULA, clique no ícone Criar Aula :

Como Criar uma Aula? Na página inicial do Portal do Professor, acesse ESPAÇO DA AULA: Ao entrar no ESPAÇO DA AULA, clique no ícone Criar Aula : Como Criar uma Aula? Para criar uma sugestão de aula é necessário que você já tenha se cadastrado no Portal do Professor. Para se cadastrar clique em Inscreva-se, localizado na primeira página do Portal.

Leia mais

MANUAL PARA UTILIZAÇÃO DO MOODLE FACULDADE INTERAÇÃO AMERICANA VIRTUAL - Versão: Aluno

MANUAL PARA UTILIZAÇÃO DO MOODLE FACULDADE INTERAÇÃO AMERICANA VIRTUAL - Versão: Aluno 1 MANUAL PARA UTILIZAÇÃO DO MOODLE FACULDADE INTERAÇÃO AMERICANA VIRTUAL - Versão: Aluno Acessando o sistema 1- Para acessar a Faculdade Interação Americana Virtual digite o seguinte endereço: http://ead.fia.edu.br/

Leia mais

INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA. Guia rápido

INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA. Guia rápido INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA Guia rápido A PLATAFORMA MOODLE Moodle (Modular Object Oriented Distance LEarning) é um Sistema para Gerenciamento de Cursos (SGC). Trata-se de um programa para computador

Leia mais

Portal Contador Parceiro

Portal Contador Parceiro Portal Contador Parceiro Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa 1. Portal Contador Parceiro... 03 2. Acesso ao Portal... 04 3. Profissionais...11 4. Restrito...16 4.1 Perfil... 18 4.2 Artigos...

Leia mais

CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3

CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3 CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3 Este tutorial não tem como finalidade esgotar todas as funcionalidades do Ambiente, ele aborda de forma prática

Leia mais

ANÁLISE DE SITES EDUCACIONAIS PELO PROFESSOR E PELO ALUNO

ANÁLISE DE SITES EDUCACIONAIS PELO PROFESSOR E PELO ALUNO Análise do professor: Parâmetros para avaliação Ao navegar por Web sites é importante observar alguns tópicos para determinar se um site é bom ou não. Navegação, design, conteúdo, velocidade de acesso,

Leia mais

REFLEXÕES PEDAGÓGICAS

REFLEXÕES PEDAGÓGICAS REFLEXÕES PEDAGÓGICAS A forma como trabalhamos, colaboramos e nos comunicamos está evoluindo à medida que as fronteiras entre os povos se tornam mais diluídas e a globalização aumenta. Essa tendência está

Leia mais

Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) Guia de Estudos Metodologias Jovem de Futuro

Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) Guia de Estudos Metodologias Jovem de Futuro Guia de Estudos Metodologias Jovem de Futuro Precisamos reinventar a forma de ensinar e aprender, presencial e virtualmente, diante de tantas mudanças na sociedade e no mundo do trabalho. Os modelos tradicionais

Leia mais

Dicas básicas para disciplinas/atividades na modalidade de educação a distância Mediação Digital Virtual

Dicas básicas para disciplinas/atividades na modalidade de educação a distância Mediação Digital Virtual Dicas básicas para disciplinas/atividades na modalidade de educação a distância Mediação Digital Virtual Escritório de Gestão de Projetos em EAD Unisinos http://www.unisinos.br/ead 2 A partir de agora,

Leia mais

Manual Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle-ESPMG 2.0

Manual Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle-ESPMG 2.0 Manual Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle-ESPMG 2.0 Adriano Lima Belo Horizonte 2011 SUMÁRIO Apresentação... 3 Acesso ao Ambiente Virtual de Aprendizagem AVA ESP-MG... 3 Programação do curso no AVA-ESPMG

Leia mais

Aula 5 Microsoft PowerPoint 2003: Criando uma Apresentação

Aula 5 Microsoft PowerPoint 2003: Criando uma Apresentação Universidade de São Paulo/Faculdade de Saúde Pública Curso de Saúde Pública Disciplina: HEP 147 - Informática Aula 5 Microsoft PowerPoint 2003: Criando uma Apresentação 1 Introdução ao Microsoft PowerPoint

Leia mais

EMPREGABILIDADE E MARKETING PESSOAL

EMPREGABILIDADE E MARKETING PESSOAL EMPREGABILIDADE E MARKETING PESSOAL 1 2 Para estar junto não é preciso estar perto, e sim do lado de dentro. Leonardo da Vinci CARO ALUNO Não existem limites para a educação a distância. Seus desafios

Leia mais

SOFTWARES DE SIMULAÇÃO NO ENSINO DE QUÍMICA

SOFTWARES DE SIMULAÇÃO NO ENSINO DE QUÍMICA Aula 7 SOFTWARES DE SIMULAÇÃO NO ENSINO DE QUÍMICA META Discutir a utilização de softwares no ensino de Química. OBJETIVOS Ao final desta aula, o aluno deverá: Através da utilização do software carbópolis,

Leia mais

Utilizando a ferramenta de criação de aulas

Utilizando a ferramenta de criação de aulas http://portaldoprofessor.mec.gov.br/ 04 Roteiro Utilizando a ferramenta de criação de aulas Ministério da Educação Utilizando a ferramenta de criação de aulas Para criar uma sugestão de aula é necessário

Leia mais

COORDENAÇÃO DE ENSINO A DISTÂNCIA - EaD

COORDENAÇÃO DE ENSINO A DISTÂNCIA - EaD COORDENAÇÃO DE ENSINO A DISTÂNCIA - EaD TUTORIAL MOODLE VERSÃO ALUNO Machado/MG 2013 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 4 2. EDITANDO O PERFIL... 5 2.1 Como editar o perfil?... 5 2.2 Como mudar a senha?... 5 2.3

Leia mais

Programa EAD-EJEF. Manual do Estudante

Programa EAD-EJEF. Manual do Estudante Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais - TJMG Escola Judicial Desembargador Edésio Fernandes - EJEF Programa de Educação a Distância do TJMG EAD-EJEF Programa EAD-EJEF Manual do Estudante Versão

Leia mais

Editor de Questões E24H

Editor de Questões E24H Editor de Questões E24H Conteúdo: Apresentação O que é o Editor de Questões Objetivos Potencialidades Vantagens adicionais Visualização no site (Quem acessa o Editor de Questões) (não Para quem o Editor

Leia mais

MANUAL DO ALUNO. Ambiente Virtual TelEduc FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA. http://www.fgf.edu.br

MANUAL DO ALUNO. Ambiente Virtual TelEduc FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA. http://www.fgf.edu.br MANUAL DO ALUNO Ambiente Virtual TelEduc FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA http://www.fgf.edu.br Sala Virtual TelEduc O TelEduc é um ambiente virtual desenvolvido Unicamp para apoiar professores

Leia mais

Guia de Início Rápido

Guia de Início Rápido Guia de Início Rápido O Microsoft Word 2013 parece diferente das versões anteriores, por isso criamos este guia para ajudar você a minimizar a curva de aprendizado. Barra de Ferramentas de Acesso Rápido

Leia mais

Manual do Moodle. Manual do Moodle para alunos. 29/Junho/2009. (Versão 1.0) Manual Moodle para alunos (Versão 1.0) 1

Manual do Moodle. Manual do Moodle para alunos. 29/Junho/2009. (Versão 1.0) Manual Moodle para alunos (Versão 1.0) 1 Manual do Moodle para alunos (Versão 1.0) 29/Junho/2009 Manual Moodle para alunos (Versão 1.0) 1 O que é?... 3 Acesso... 4 Atualizando suas informações... 4 Enviando Mensagens... 5 Acessando os seus cursos...

Leia mais

CURSOS A DISTÂNCIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO

CURSOS A DISTÂNCIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO CURSOS A DISTÂNCIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO TUTORIAL PARA TUTORES PLATAFORMA MOODLE OURO PRETO 2014 1 SUMÁRIO 1. PRIMEIRO ACESSO À PLATAFORMA... 03 2. PLATAFORMA DO CURSO... 07 2.1 Barra de Navegação...

Leia mais

MANUAL DO ALUNO COSEMS - MG. www.cosemsmg-ead.org.br

MANUAL DO ALUNO COSEMS - MG. www.cosemsmg-ead.org.br MANUAL DO ALUNO COSEMS - MG 1 ÍNDICE 03 APRESENTAÇÃO. Dicas para estudar a distância. Funções do professor e do tutor 04 CADASTRO NO CURSO 05 ACESSO AO CURSO 07 FERRAMENTAS DE ESTUDO. Conteúdo: aulas virtuais.

Leia mais

SELEÇÃO DE SITES, SOFTWARES E JOGOS DE MATEMÁTICA A PARTIR DA TEORIA CONSTRUTIVISTA

SELEÇÃO DE SITES, SOFTWARES E JOGOS DE MATEMÁTICA A PARTIR DA TEORIA CONSTRUTIVISTA SELEÇÃO DE SITES, SOFTWARES E JOGOS DE MATEMÁTICA A PARTIR DA TEORIA CONSTRUTIVISTA Andrea Polena Universidade Federal do Paraná - UFPR andrea.ufpr@yahoo.com.br Tania T. Bruns Zimer Universidade Federal

Leia mais

Apresentação. Estamos à disposição para quaisquer dúvidas e sugestões! Atenciosamente, Equipe do Portal UNESC

Apresentação. Estamos à disposição para quaisquer dúvidas e sugestões! Atenciosamente, Equipe do Portal UNESC Sumário Apresentação... 1 1. Orientações Iniciais... 2 2. Recursos... 4 2.1 Rótulos... 4 2.2 Página de Texto Simples... 8 2.3 Página de Texto Formatado... 12 2.4 Site... 16 2.5 Arquivo... 21 2.6 Pasta

Leia mais

Universidade de São Paulo Centro de Informática de Ribeirão Preto TUTORIAL HOTMAIL

Universidade de São Paulo Centro de Informática de Ribeirão Preto TUTORIAL HOTMAIL Universidade de São Paulo Centro de Informática de Ribeirão Preto TUTORIAL HOTMAIL Tutorial Hotmail Sobre o MSN Hotmail Acessando o Hotmail Como criar uma conta Efetuando o login Verificar mensagens Redigir

Leia mais

Caro(a) aluno(a), Estaremos juntos nesta caminhada. Coordenação NEO

Caro(a) aluno(a), Estaremos juntos nesta caminhada. Coordenação NEO Caro(a) aluno(a), seja bem-vindo às Disciplinas Online da Faculdade Presidente Antônio Carlos de Bom Despacho e Faculdade de Educação de Bom Despacho. Em pleno século 21, na era digital, não poderíamos

Leia mais

Manual do Ambiente Virtual Moodle

Manual do Ambiente Virtual Moodle Manual do Ambiente Virtual Moodle versão 0.3 Prof. Cristiano Costa Argemon Vieira Prof. Hercules da Costa Sandim Outubro de 2010 Capítulo 1 Primeiros Passos 1.1 Acessando o Ambiente Acesse o Ambiente Virtual

Leia mais

PORTAL EDUCACIONAL CLICKIDEIA. Ensino Fundamental (séries finais)

PORTAL EDUCACIONAL CLICKIDEIA. Ensino Fundamental (séries finais) PORTAL EDUCACIONAL CLICKIDEIA Ensino Fundamental (séries finais) O Clickideia é um portal educacional (www.clickideia.com.br), desenvolvido com o apoio do CNPq e da UNICAMP, que apresenta conteúdos didáticos

Leia mais

Mídia Brasil Online Manual do Usuário

Mídia Brasil Online Manual do Usuário 1) Menu Principal O Menu Principal se estende no topo da tela do MBO, apresentando as seguintes opções: Clicar sobre cada uma dessas opções permite o acesso às diferentes seções do site. 2) Funções do

Leia mais

Curso de Imposto de Renda da Pessoa Jurídica e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido. Manual do Aluno

Curso de Imposto de Renda da Pessoa Jurídica e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido. Manual do Aluno Curso de Imposto de Renda da Pessoa Jurídica e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido Manual do Aluno Março 2009 Mensagem de boas-vindas! Caro cursista! Seja bem-vindo ao curso de Formação de Tutores.

Leia mais

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E O USO INTEGRADO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS Sérgio Abranches

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E O USO INTEGRADO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS Sérgio Abranches PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E O USO INTEGRADO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS Sérgio Abranches A presença de tecnologias digitais no campo educacional já é facilmente percebida, seja pela introdução de equipamentos diversos,

Leia mais

Tutorial: Gestão da Central de Serviços

Tutorial: Gestão da Central de Serviços Tutorial: Gestão da Central de Serviços Orientação para acesso e edição de conteúdos de ofertas de serviços da Central de Serviços da UFABC Novembro de 2014 Autor: Nilson José Zoccaratto Versão 2 Conteúdo

Leia mais

Estratégia para fazer cópias de segurança ( backup ) em nuvem

Estratégia para fazer cópias de segurança ( backup ) em nuvem 1 de 20 Estratégia para fazer cópias de segurança ( backup ) em nuvem Resolvi documentar uma solução que encontrei para fazer minhas cópias de segurança. Utilizo um software gratuito chamado Cobian Backup

Leia mais

LISTA ICONOGRÁFICA - (Lista de ícones do Ambiente Virtual)

LISTA ICONOGRÁFICA - (Lista de ícones do Ambiente Virtual) 1 SUMÁRIO Funcionamento dos Cursos... 04 Geração de Login e Senha... 05 Guia de Percurso... 07 Manual Acadêmico... 09 Ambiente Virtual de Aprendizagem... 11 Edição do Perfil... 13 Ambiente Colaborar e

Leia mais

Potencialidades Tecnológicas e Educacionais - Parte II

Potencialidades Tecnológicas e Educacionais - Parte II UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA V SEMINÁRIO DE DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DOCENTE Patric da Silva Ribeiro patricribeiro@unipampa.edu.br Maicon Isoton maiconisoton@gmail.com Potencialidades Tecnológicas

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Manual de Utilização Google Grupos Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Utilização do Google Grupos Introdução... 3 Página

Leia mais

relato êa internet como atividade integrante de uma prática docente

relato êa internet como atividade integrante de uma prática docente A internet como atividade integrante de uma prática docente Flávio Chame Barreto Instituto Educacional Vivenciando RJ flaviocbarreto@yahoo.com.br Resumo Um consenso entre os docentes do Ensino Fundamental

Leia mais

Manual de Publicaça o no Blog da Aça o TRIBOS nas Trilhas da Cidadania

Manual de Publicaça o no Blog da Aça o TRIBOS nas Trilhas da Cidadania Manual de Publicaça o no Blog da Aça o TRIBOS nas Trilhas da Cidadania Sumário Objetivos do Blog... 2 Log-in... 3 Esqueci minha senha... 4 Utilizando o Blog... 5 Encontrando seu Blog... 5 Conhecendo o

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICAS EDUCACIONAIS. Prof. M.Sc.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICAS EDUCACIONAIS. Prof. M.Sc. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICAS EDUCACIONAIS Microsoft Office PowerPoint 2007 Prof. M.Sc. Fábio Hipólito Julho / 2009 Visite o site:

Leia mais

Manual do Aluno. NetAula. Manual produzido pela Coordenadoria de Capacitação e Formação Continuada 1

Manual do Aluno. NetAula. Manual produzido pela Coordenadoria de Capacitação e Formação Continuada 1 Manual do Aluno NetAula Manual produzido pela Coordenadoria de Capacitação e Formação Continuada 1 Manual do Aluno NetAula Caro aluno da EAD da ULBRA Para você ter acesso às salas das disciplinas ofertadas

Leia mais

Guia de Ambientação Março/2011

Guia de Ambientação Março/2011 Guia de Ambientação Março/2011 APRESENTAÇÃO Caro cursista, Bem vindo ao Guia de Ambientação. Este documento é dirigido a você, participante. Com ele, você conhecerá como está estruturada a interface de

Leia mais

Introdução ao Tableau Server 7.0

Introdução ao Tableau Server 7.0 Introdução ao Tableau Server 7.0 Bem-vindo ao Tableau Server; Este guia orientará você pelas etapas básicas de instalação e configuração do Tableau Server. Em seguida, usará alguns dados de exemplo para

Leia mais

MJ Secretaria Nacional de Segurança Pública Orientações para o Conteudista. Estruturação dos Materiais Básicos para os Cursos da SENASP

MJ Secretaria Nacional de Segurança Pública Orientações para o Conteudista. Estruturação dos Materiais Básicos para os Cursos da SENASP MJ Secretaria Nacional de Segurança Pública Orientações para o Conteudista Estruturação dos Materiais Básicos para os Cursos da SENASP Contacto: erisson.pitta@mj.gov.br Telefono: 5561 2025 8991 Prezado(a)

Leia mais

Como criar uma avaliação?

Como criar uma avaliação? EDITOR DE AVALIAÇÕES Com o editor, você cria avaliações para seus alunos com uma grande variedade de opções. Por exemplo: - A avaliação pode ser impressa ou aplicada de forma on-line. - Os alunos podem

Leia mais

1 ACESSO AO PORTAL UNIVERSITÁRIO 3 3 PLANO DE ENSINO 6 4 AULAS 7 5 AVALIAÇÃO E EXERCÍCIO 9 6 ENQUETES 12 7 QUADRO DE AVISOS 14

1 ACESSO AO PORTAL UNIVERSITÁRIO 3 3 PLANO DE ENSINO 6 4 AULAS 7 5 AVALIAÇÃO E EXERCÍCIO 9 6 ENQUETES 12 7 QUADRO DE AVISOS 14 portal@up.com.br Apresentação Este manual contém informações básicas, e tem como objetivo mostrar a você, aluno, como utilizar as ferramentas do Portal Universitário e, portanto, não trata de todos os

Leia mais

Software Tutorial sobre Sistema Solar

Software Tutorial sobre Sistema Solar Software Tutorial sobre Sistema Solar Alan Correa, Antônio Rocir, Sandro Niederauer Faculdade Cenecista de Osório (FACOS) Rua 24 de maio, 141 95520-000 Osório RS Brasil {sandroniederauer, alan.sms}@hotmail.com,

Leia mais

Certificado Digital A1

Certificado Digital A1 Certificado Digital A1 Geração Todos os direitos reservados. Imprensa Oficial do Estado S.A. - 2012 Página 1 de 41 Pré-requisitos para a geração Dispositivos de Certificação Digital Para que o processo

Leia mais

Migrando para o Outlook 2010

Migrando para o Outlook 2010 Neste guia Microsoft O Microsoft Outlook 2010 está com visual bem diferente, por isso, criamos este guia para ajudar você a minimizar a curva de aprendizado. Leia-o para saber mais sobre as principais

Leia mais

SOFTWARES LIVRES: UMA REDE PARA O ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA NA REGIÃO CARBONÍFERA

SOFTWARES LIVRES: UMA REDE PARA O ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA NA REGIÃO CARBONÍFERA SOFTWARES LIVRES: UMA REDE PARA O ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA NA REGIÃO CARBONÍFERA Ms. Jeferson Fernando de Souza Wolff RESUMO O computador, como ferramenta pedagógica para ensino e aprendizagem

Leia mais

Email marketing: os 10 erros mais comuns

Email marketing: os 10 erros mais comuns Email marketing: os 10 erros mais comuns Publicado em: 18/02/2008 Não ter permissão dos contatos para enviar mensagens Um dos princípios fundamentais do email marketing é trabalhar apenas com contatos

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 PERFIL ALUNO Versão 1.0 2014 NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE

Leia mais

Navegando no produto e utilizando esse material de apoio, você descobrirá os benefícios do IOB Online Regulatório, pois só ele é:

Navegando no produto e utilizando esse material de apoio, você descobrirá os benefícios do IOB Online Regulatório, pois só ele é: 1. CONCEITO Completo, prático e rápido. Diante do aumento da complexidade da tributação e do risco fiscal, pelos desafios de conhecimento e capacitação e pela velocidade para acompanhar mudanças na legislação,

Leia mais

Para estar junto não é preciso estar perto, e sim do lado de dentro. Leonardo da Vinci

Para estar junto não é preciso estar perto, e sim do lado de dentro. Leonardo da Vinci MATEMÁTICA - ENEM 1 2 Para estar junto não é preciso estar perto, e sim do lado de dentro. Leonardo da Vinci CARO ALUNO Não existem limites para a educação a distância. Seus desafios são os mesmos da educação

Leia mais

FUNCIONAMENTO DOS CURSOS

FUNCIONAMENTO DOS CURSOS 1 SUMÁRIO Funcionamento dos Cursos... 03 Guia de Percurso... 05 Manual Acadêmico... 07 Ambiente Virtual de Aprendizagem... 09 Edição do Perfil... 12 Acessando as Atividades... 14 Iniciando o Semestre...

Leia mais

O uso de blogs no ensino de Matemática 2

O uso de blogs no ensino de Matemática 2 Claudinei Flavia Batista Santos Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia Brasil bs_flavia@hotmail.com Sirlândia Souza Santana sirlandiasantana@hotmail.com Resumo Este trabalho tem como principal objetivo

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES SISTEMA OPERACIONAL MÉTODO QUANTUM 2014

MANUAL DE INSTRUÇÕES SISTEMA OPERACIONAL MÉTODO QUANTUM 2014 MANUAL DE INSTRUÇÕES SISTEMA OPERACIONAL MÉTODO QUANTUM 2014 ÍNDICE Apresentação Principais Botões Login Usúario Resultado Método Quantum Preencher Método Quantum Extrato On-Line Engenharia de Função Grupos

Leia mais

Exercícios orientadores da aprendizagem e sua solução; Indicação das referências complementares para cada

Exercícios orientadores da aprendizagem e sua solução; Indicação das referências complementares para cada 9 MATERIAIS DIDÁTICOS - Com base no conhecimento adquirido nas reuniões anteriores, o professor deve preparar uma proposta dos materiais que pretende produzir para o seu curso/disciplina. - É importante

Leia mais

UNIDADE II Conhecendo o Ambiente Virtual de Aprendizagem

UNIDADE II Conhecendo o Ambiente Virtual de Aprendizagem UNIDADE II Conhecendo o Ambiente Virtual de Aprendizagem 2.1 Introdução Caro Pós-Graduando, Nesta unidade, abordaremos o Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) que será utilizado no curso: o Moodle. Serão

Leia mais

DISCIPLINAS CURRICULARES (PCN) INFORMÁTICA PRODUÇÃO DE MATERIAL

DISCIPLINAS CURRICULARES (PCN) INFORMÁTICA PRODUÇÃO DE MATERIAL A nossa meta é envolver alunos e professores num processo de capacitação no uso de ferramentas tecnológicas. Para isto, mostraremos ao professor como trabalhar as suas disciplinas (matemática, português,

Leia mais

Curso de Informática Básica

Curso de Informática Básica Curso de Informática Básica O e-mail Primeiros Cliques 1 Curso de Informática Básica Índice Introdução...3 Receber, enviar e responder mensagens...3 Anexando arquivos...9 Cuidado com vírus...11 2 Outlook

Leia mais

Instituto Adus. Tutorial de acesso e publicação na Plataforma Wiki do Instituto ADUS

Instituto Adus. Tutorial de acesso e publicação na Plataforma Wiki do Instituto ADUS Instituto Adus Tutorial de acesso e publicação na Última atualização: 9 de agosto de 05 Conteúdo Sobre o Projeto Wiki Adus... 3 Login e Acesso... 4 Editando conteúdo... 6 Dicas Avançadas... REFÊNCIAS DE

Leia mais

Dell Premier. Guia de Compras e Pedidos. Fazendo Login na sua Página Premier. Três formas de comprar

Dell Premier. Guia de Compras e Pedidos. Fazendo Login na sua Página Premier. Três formas de comprar Dell Premier Guia de Compras e Pedidos A Dell Premier é o seu próprio site de suporte e compras seguro e personalizado, que permite um processo de compra fácil, eficiente e econômico. Examine este Guia

Leia mais

Ambiente de Aprendizagem Moodle FPD Manual do Aluno

Ambiente de Aprendizagem Moodle FPD Manual do Aluno Ambiente de Aprendizagem Moodle FPD Manual do Aluno Maio 2008 Conteúdo 1 Primeiros passos...4 1.1 Tornando-se um usuário...4 1.2 Acessando o ambiente Moodle...4 1.3 O ambiente Moodle...4 1.4 Cadastrando-se

Leia mais

Universidade Anhanguera Uniderp Centro de Educação a Distância

Universidade Anhanguera Uniderp Centro de Educação a Distância Universidade Anhanguera Uniderp Centro de Educação a Distância CURSOS DE GRADUAÇÃO MODALIDADE A DISTÂNCIA 2º semestre letivo / 2012 Sumário 1. Objetivo... 04 2. O Ambiente Virtual de Aprendizagem... 04

Leia mais

Manual e Normas Sistema Disciplina Online

Manual e Normas Sistema Disciplina Online Manual e Normas Sistema Disciplina Online 2011-2 1 SUMÁRIO Pág. 1. Sistema Disciplina Online - Aluno (UNIP). 05 1.1. Acesso ao sistema Disciplina Online - Aluno (UNIP). 05 1.2. Observações. 05 2. Sistema

Leia mais

MDaemon GroupWare. Versão 1 Manual do Usuário. plugin para o Microsoft Outlook. Trabalhe em Equipe Usando o Outlook e o MDaemon

MDaemon GroupWare. Versão 1 Manual do Usuário. plugin para o Microsoft Outlook. Trabalhe em Equipe Usando o Outlook e o MDaemon MDaemon GroupWare plugin para o Microsoft Outlook Trabalhe em Equipe Usando o Outlook e o MDaemon Versão 1 Manual do Usuário MDaemon GroupWare Plugin for Microsoft Outlook Conteúdo 2003 Alt-N Technologies.

Leia mais

Guia de Acesso Rápido AVA Ambiente Virtual de Aprendizagem Aluno

Guia de Acesso Rápido AVA Ambiente Virtual de Aprendizagem Aluno Guia de Acesso Rápido AVA Ambiente Virtual de Aprendizagem Aluno Introdução O Ambiente de Aprendizagem, ou AVA, é um aplicativo web onde os educadores e alunos podem disponibilizar materiais didáticos,

Leia mais

TUTORIAL DE ACESSO AO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM AVA

TUTORIAL DE ACESSO AO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM AVA TUTORIAL DE ACESSO AO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM AVA 1 O acesso a plataforma educacional do colégio kadima deverá ser feito através do endereço: http://edunote.com.br/kadima/ 2 Na tela que segue,

Leia mais

Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle

Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle No INSEP, o ambiente virtual de aprendizagem oferecido ao acadêmico é o MOODLE. A utilização dessa ferramenta é fundamental para o sucesso das atividades em EAD,

Leia mais

Certificado Digital A1

Certificado Digital A1 Abril/ Certificado Digital A1 Geração Página 1 de 32 Abril/ Pré requisitos para a geração Dispositivos de Certificação Digital Para que o processo de instalação tenha sucesso, é necessário obedecer aos

Leia mais

Suponha que uma pasta esteja sendo exibida pelo Windows Explorer e os seguintes arquivos são exibidos:

Suponha que uma pasta esteja sendo exibida pelo Windows Explorer e os seguintes arquivos são exibidos: 14 PROVA DE CONHECIMENTOS BÁSICOS DE INFORMÁTICA CÓD. 05 QUESTÃO 31: Suponha que uma pasta esteja sendo exibida pelo Windows Explorer e os seguintes arquivos são exibidos: Aqui existem um arquivo do tipo

Leia mais

Manual do Moodle para alunos. Manual do Moodle para alunos. 29/Junho/2009. (Versão 1.0) Manual Moodle para alunos (Versão 1.0) 1

Manual do Moodle para alunos. Manual do Moodle para alunos. 29/Junho/2009. (Versão 1.0) Manual Moodle para alunos (Versão 1.0) 1 Manual do Moodle para alunos (Versão 1.0) 29/Junho/2009 Manual Moodle para alunos (Versão 1.0) 1 O que é?... 3 Acesso... 4 Atualizando suas informações... 4 Enviando Mensagens... 5 Acessando os seus cursos...

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL AMBIENTE VIRTUAL INSTITUCIONAL MOODLE/UFFS

UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL AMBIENTE VIRTUAL INSTITUCIONAL MOODLE/UFFS UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL AMBIENTE VIRTUAL INSTITUCIONAL MOODLE/UFFS Guia Inicial de Acesso e Utilização Para Docentes Versão 1.0b Outubro/2010 Acesso e utilização do Ambiente Virtual de Ensino

Leia mais

Portal EJA - Programa de Alfabetização Passo a passo

Portal EJA - Programa de Alfabetização Passo a passo Portal EJA - Programa de Alfabetização Passo a passo Roteiro de acesso ao site: www.eja.educacao.org.br 1. Comece clicando no ícone: e depois em ; 2. Aguarde alguns segundos até a página inicial abrir;

Leia mais

ÁREA DO PROFESSOR (TUTOR)

ÁREA DO PROFESSOR (TUTOR) ÁREA DO PROFESSOR (TUTOR) 2- FÓRUM O fórum serve para avaliar os alunos através da participação na discussão sobre um ou mais assuntos, inserção de textos ou arquivos. Os fóruns de discussão compõem uma

Leia mais

Pró-Reitoria de Educação a Distância. Manual do Ambiente Virtual de Aprendizagem para alunos

Pró-Reitoria de Educação a Distância. Manual do Ambiente Virtual de Aprendizagem para alunos Pró-Reitoria de Educação a Distância Manual do Ambiente Virtual de Aprendizagem para alunos Como acessar o ambiente 1. Entre no Ambiente Virtual de Aprendizagem localizado na página principal do Portal

Leia mais

MANUAL DE MEMBRO COMUNIDADE DO AMIGO

MANUAL DE MEMBRO COMUNIDADE DO AMIGO SUMÁRIO Efetuando o Login na comunidade... 3 Esqueceu sua senha?... 3 Página Principal... 4 Detalhando o item Configurações... 5 Alterar Foto... 5 Alterar Senha... 5 Dados Pessoais... 6 Configurações de

Leia mais

ÍNDICE BLUELAB A UTILIZAÇÃO DO BLUELAB PELO PROFESSOR RECURSOS PARA PROFESSORES E ALUNOS...05 INICIANDO O BLUELAB PROFESSOR...06

ÍNDICE BLUELAB A UTILIZAÇÃO DO BLUELAB PELO PROFESSOR RECURSOS PARA PROFESSORES E ALUNOS...05 INICIANDO O BLUELAB PROFESSOR...06 ÍNDICE BLUELAB RECURSOS PARA PROFESSORES E ALUNOS...05 INICIANDO O BLUELAB PROFESSOR...06 ELEMENTOS DA TELA INICIAL DO BLUELAB PROFESSOR guia Meu Espaço de Trabalho...07 A INTERFACE DO BLUELAB...07 INICIANDO

Leia mais

Britannica Escola Online. Manual de Treinamento

Britannica Escola Online. Manual de Treinamento Britannica Escola Online Manual de Treinamento 1 ÍNDICE Conhecendo a Britannica Escola Online...3 Como Acessar a Britannica Escola Online...3 Página Inicial da Britannica Escola Online...4 Área de Pesquisa...4

Leia mais

MANUAL DO MOODLE VISÃO DO ALUNO

MANUAL DO MOODLE VISÃO DO ALUNO MANUAL DO MOODLE VISÃO DO ALUNO Desenvolvido por: Patricia Mariotto Mozzaquatro SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO....03 2 O AMBIENTE MOODLE......03 2.1 Quais as caixas de utilidade que posso adicionar?...04 2.1.1 Caixa

Leia mais

Ave: Manual do usuário

Ave: Manual do usuário As iniciais no canto superior esquerdo indicam a atual lista de espécies em uso. Clique neste campo para abrir uma grade com todas Ave: Manual do usuário Introdução A Janela Inicial O botão Listas Sobre

Leia mais

Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br

Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br Índice Como acessar o Moodle Editando seu PERFIL Editando o curso / disciplina no Moodle Incluindo Recursos

Leia mais

Prezados(as) amigo(as), sejam bem-vindos(as) ao Ambiente Virtual. C a d e r n o d o A m b i e n t e V i r t u a l - P r o g r a m a T r a v e s s i a

Prezados(as) amigo(as), sejam bem-vindos(as) ao Ambiente Virtual. C a d e r n o d o A m b i e n t e V i r t u a l - P r o g r a m a T r a v e s s i a f u n d a ç ã o r o b e r t o m a r i n h o A Internet deixou de ser uma novidade e hoje faz parte do nosso dia-a-dia, integrando-nos cada vez mais ao mundo. Esse canal de informação e de comunicação elimina

Leia mais

Manual da Ferramenta Construtor de Página Programa de Formação Continuada 2012

Manual da Ferramenta Construtor de Página Programa de Formação Continuada 2012 Manual da Ferramenta Construtor de Página Programa de Formação Continuada 2012 1º Semestre/2012 Joice Lopes Leite e Ana Paula Daikubara 1 Índice Criando um site...03 Configurações gerais...04 Visual e

Leia mais

Manual do Usuário 2013

Manual do Usuário 2013 Manual do Usuário 2013 MANUAL DO USUÁRIO 2013 Introdução Um ambiente virtual de aprendizagem é um programa para computador que permite que a sala de aula migre para a Internet. Simula muitos dos recursos

Leia mais

Curso de Informática Básica

Curso de Informática Básica Curso de Informática Básica O e-mail Com seus próprios cliques 1 Curso de Informática Básica Índice Introdução...3 Toque pessoal...3 Limpeza e Backup de e-mails...5 Dicas...7 2 Com seus próprios OutLook

Leia mais

Guia do Aluno Disciplinas EAD. UNIPs

Guia do Aluno Disciplinas EAD. UNIPs Guia do Aluno Disciplinas EAD UNIPs Sumário GUIA DO ALUNO / DISCIPLINAS EAD - UNIPs 3 1. ACESSO... 3 2. AULA INSTRUCIONAL / INTRODUÇÃO À EAD... 5 3. DISCIPLINA EAD... 8 4. COMO ESTUDAR NA EAD... 10 5.

Leia mais

Uso da ferramenta de mailing

Uso da ferramenta de mailing Uso da ferramenta de mailing A ferramenta e mailing integrada na plataforma SphinxnaWeb permite enviar rapidamente centenas ou milhares de e mails a diversos correspondentes, especialmente para obter respostas

Leia mais

BEM VINDOS AO DHL WEB SHIPPING GUIA DE USO

BEM VINDOS AO DHL WEB SHIPPING GUIA DE USO Envio de Remessas Online BEM VINDOS AO DHL WEB SHIPPING GUIA DE USO webshipping.dhl.com ACESSE O DHL WEB SHIPPING DE QUALQUER LUGAR DO MUNDO. Ideal para qualquer empresa com acesso à internet, o DHL Web

Leia mais

Manual Operacional AVA (Ambiente Virtual de Aprendizagem)

Manual Operacional AVA (Ambiente Virtual de Aprendizagem) Manual Operacional AVA (Ambiente Virtual de Aprendizagem) ead.clinicajulioperes.com.br Sumário navegável Como acesso o ambiente?... Como assisto aos vídeos?... Como preencher meu perfil?...

Leia mais

Webmail UFMA Tutorial de Operações Básicas do Usuário Cliente Web

Webmail UFMA Tutorial de Operações Básicas do Usuário Cliente Web UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO - UFMA NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO - NTI GERÊNCIA DE REDES - GEREDES Webmail UFMA Tutorial de Operações Básicas do Usuário Cliente Web São Luís 2014 1. INICIANDO...

Leia mais

VOCÊ SABE O QUE É E-MAIL MARKETING? [[ ][ Aprenda como funciona e quais resultados você pode obter

VOCÊ SABE O QUE É E-MAIL MARKETING? [[ ][ Aprenda como funciona e quais resultados você pode obter VOCÊ SABE O QUE É E-MAIL MARKETING? [[ ][ Aprenda como funciona e quais resultados você pode obter Vivemos a era do conteúdo na Internet. Um e-mail com o conteúdo certo, distribuído às pessoas certas é

Leia mais

Manual do. Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment. Manual do

Manual do. Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment. Manual do Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment 1 Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle O Moodle é um Ambiente Virtual de Aprendizagem gratuito para gestão e desenvolvimento de cursos na modalidade

Leia mais

Guia Como Baixar e Usar Dados Geográficos do IBGE

Guia Como Baixar e Usar Dados Geográficos do IBGE Guia Como Baixar e Usar Dados Geográficos do IBGE Guia Como Baixar e Usar Dados Geográficos do IBGE Este guia vai ajudar você a pesquisar e encontrar dados geoespaciais no Portal de Mapas do Instituto

Leia mais

MANUAL DO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM - NETAULA CURSOS DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PERFIL ALUNO

MANUAL DO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM - NETAULA CURSOS DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PERFIL ALUNO MANUAL DO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM - NETAULA CURSOS DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PERFIL ALUNO MANUAL NETAULA PERFIL ALUNO Caro aluno da EAD da ULBRA Para você ter acesso às salas das disciplinas ofertadas

Leia mais

GUIA PRA TICO DO ALUNO

GUIA PRA TICO DO ALUNO GUIA PRA TICO DO ALUNO Sistema de Avaliação, Ambiente Virtual de Aprendizagem AVA e Portal ÚNICO Guia prático e de conhecimento do Sistema de Avaliação, utilização das ferramentas tecnológicas Ambiente

Leia mais

Manual da Administração do site Abrasel 2.0

Manual da Administração do site Abrasel 2.0 Manual da Administração do site Abrasel 2.0 Caro usuário, Você está recebendo o manual que lhe dará acesso ao administrador do site 2.0 onde será possível fazer as seguintes alterações: Inserir notícias

Leia mais

NOVAS PERSPECTIVAS DE DIDÁTICA NO ENSINO SUPERIOR

NOVAS PERSPECTIVAS DE DIDÁTICA NO ENSINO SUPERIOR NOVAS PERSPECTIVAS DE DIDÁTICA NO ENSINO SUPERIOR 1 2 Para estar junto não é preciso estar perto, e sim do lado de dentro. Leonardo da Vinci CARO ALUNO Não existem limites para a educação a distância.

Leia mais

Manual do Aluno. O Moodle é um sistema que gerencia ambientes educacionais de aprendizagem que podem ser denominados como:

Manual do Aluno. O Moodle é um sistema que gerencia ambientes educacionais de aprendizagem que podem ser denominados como: Manual do Aluno É com muita satisfação que apresentamos o Reunir Unopar. Ambiente Virtual de Aprendizagem Colaborativa que tem por objetivo principal ser um espaço colaborativo de construção do conhecimento

Leia mais

1. Introdução ao Campus Virtual 1.1. Introdução

1. Introdução ao Campus Virtual 1.1. Introdução 1. Introdução ao Campus Virtual 1.1. Introdução Este tutorial tem a finalidade de guiar o aluno, dando orientações necessárias para o acesso, navegação e utilização das ferramentas principais. Um ambiente

Leia mais