UTILIZAÇÃO DA TECNOLOGIA ENTERPRISE JAVABEANS NO DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES DISTRÍBUIDAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UTILIZAÇÃO DA TECNOLOGIA ENTERPRISE JAVABEANS NO DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES DISTRÍBUIDAS"

Transcrição

1 UTILIZAÇÃO DA TECNOLOGIA ENTERPRISE JAVABEANS NO DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES DISTRÍBUIDAS ¹Lucas Martins de Andrade, ¹Jaime William Dias ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil Resumo. Este artigo compreende o estudo da tecnologia Enterprise JavaBeans, abordando seus principais conceitos, e sua importância no desenvolvimento de produtos de qualidade. Este componente (EJB) vem cada vez mais sendo utilizado devido à eficiência da tecnologia em garantir segurança para a aplicação, o que faz com que os produtos desenvolvidos façam realmente a diferença no mercado. 1. Introdução Com a rápida evolução dos softwares nos últimos anos e a necessidade de sua distribuição em larga escala, muitos conceitos de programação foram revistos. A gerência dos projetos tornou-se vital, e novas tecnologias surgiram para auxiliar neste processo. Os sistemas tornam-se cada vez mais complexos e, em contrapartida, tem prazos de entrega cada vez mais reduzidos. Enterprise JavaBeans (EJB), é um componente do software gerenciado por um container J2EE, e que é executado no servidor da aplicação. Seu foco está nas regras de negócio do sistema e na organização das transações, que permite o reaproveitamento de código, segurança, e assim o rápido desenvolvimento da aplicação, bem como a fácil manutenção [ORACLE, 2013]. O objetivo deste trabalho é apresentar o conceito das principais funcionalidades e componentes do EJB, e como sua utilização beneficia os projetos de tecnologia da informação (TI). A tecnologia foi empregada no desenvolvimento de uma aplicação web, para colocar na prática todos os conceitos aqui abordados, podendo assim chegar a uma conclusão sobre sua utilização. 2. Tipos de EJB Existem três tipos de EJB, cada um responsável por um conjunto de funções específicas, e configuráveis de acordo com a necessidade. São eles Session Beans, Message-Driven Beans e Entity Beans, os quais veremos detalhadamente nas seções seguintes deste artigo. A figura 1 apresenta a estrutura organizacional do EJB, onde temos a representação do servidor EJB, contendo o container (conjunto de componentes para negócios)[oracle, 2013], e dentro deste container, os EJBS da aplicação, onde temos também ao lado esquerdo, os clients que são as chamadas requisitadas pelos usuários,

2 ou seja, as instâncias do EJB. Fica claro que podemos ter diversas instâncias externas do EJB, e que estas podem ou não manter um estado conversacional com o servidor. 2.1.Session Beans Figura 1: Arquitetura EJB (fonte: MASSLIGHT, 2013) São EJBs de seção, na sua tradução, sua função é mapear as seções da aplicação, as regras de negócio do sistema são executadas aqui. Seu ciclo de vida está diretamente relacionada à seção [ORACLE, 2013]. O ciclo de vida dos Session Beans são gerenciados pelo container de forma automática, ou seja, os clients não podem manipular as instâncias dos beans. A sua instância e sua destruição ocorrem quando o container determinar que seja necessário[roman, 2000]. Os Session Beans são responsáveis pela distribuição da aplicação para os clientes, através das seções da aplicação. Os estados desta seção podem ou não serem mantidos, têm-se, então, dois tipos de Session Beans: Stateless Beans e Stateful Beans [MONSON-HEAFEL, 2000] Stateless Beans Os Session Beans do tipo Stateless permitem que um grande número de usuários acessem o mesmo EJB, pois eles não mantem um estado conversacional para um cliente específico e no caso da execução de um método, as variáveis mantém os valores somente enquanto o método é executado. Os Stateless Beans, trabalham com valores passados por referência durante a invocação do método, e não representam um dado em um banco de dados, isso garante a sua agilidade, pois assim que o método é finalizado, o estado de conversação é encerrado[ibm, 2000]. Os Stateless Beans são simples se comparados com Stateful Beans, isto implica no poder de processamento necessário para instanciarmos (menos recursos necessários),

3 e também, na complexidade de sua programação (são mais fáceis de programar e gerenciar) Stateful Beans Os Session Beans do tipo Stateful, por outro lado, mantém o estado conversacional com o servidor entre as chamadas, esses dados são mantidos enquanto durar a seção, ou até algum método descartar o Stateful da seção [OLIVEIRA, 2011]. Os Stateful Beans, são dedicados, pois mantém um estado para apenas um determinado cliente, e esse estado pode ser compartilhado por métodos no mesmo bean. Desta forma, o cliente pode obter e definir valores diretamente às variáveis por meio de getters e setters para utilizar nos métodos de negócio [IBM, 2000]. Os Stateful Beans são mais complexos em relação aos Stateless Beans, e necessitam de mais atenção, além de permitir um numero reduzido de requisições, pois necessitam de um maior controle e mais recursos de processamento para suprir as necessidades do servidor. Este é o preço que se paga pela complexidade e controle do objeto. A figura 2 demonstra a utilização do Stateful Bean. Podemos observar a utilização de um getter,e utilizando um método externo (salvar), diretamente em um bean, fazendo uma chamada externa, o que facilita muito a programação da aplicação Message-Driven Beans Figura 2: Exemplo de Stateful Session Bean [OLIVEIRA, 2011] As aplicações durante sua execução enviam diversas mensagens para filas ou tópicos, de forma assíncrona, através da API Java Message Service (JMS). Os Message-Driven

4 Beans, ou MDB, são responsáveis por consumir essas mensagens, de forma que, funcionem como um ouvinte (listener) destas mensagens [ORACLE, 2013]. Um MDB não possui estado conversacional (ou seja, é stateless), nem retorna exceções ao cliente, é composto apenas pelo método onmessage(), que recebe os variados tipos de mensagens [BORGES, 2005] Tipos de MDB De acordo com o tipo do dado, existem determinados tipos de mensagens: TextMessage: Trabalha com troca de mensagens de texto simples. ObjectMessage: Utilizado para enviar mensagens contendo um objeto serializado Java. MapMessage: Utilizada para transportar mensagens contendo pares de nome/valor, comumente utilizada no transporte de mensagens contendo parâmetros. BytesMessage: Neste tipo de mensagem, os dados são transportados em bytes, muito útil na troca de informações entre sistemas diferentes ou evitar conversões de dados, pois os dados vão em formato nativo (bytes). StreamMessage: Também chamado de mensagem de fluxo, útil para transportar uma série de dados primitivos, como uma sequencia de números inteiros, seguidos de uma cadeia de caracteres ou um valor flutuante. 3. Entity Beans Entity Beans são responsáveis pela persistência física dos dados do objeto/entidade, ou seja, são representantes das tabelas do banco de dados dentro da aplicação [SOBRAL, 2009]. Os Entity Beans podem persistir a si próprio (Bean Managed Persistence), que necessita que o programador programe as instruções para persistência previamente, ou passar a função ao container EJB (Container Managed Persistence), que fica responsável por este trabalho. O que identifica um Enetity Bean é sua chave primária [ORACLE, 2013]. A grande facilidade que Entity Bean nos proporciona, é que não necessitamos manipular fisicamente os dados no banco, como por exemplo utilizando inúmeras linhas de SQL, ao invés disto, deixamos esta tarefa por conta do EJB, que faz o sincronismo automático dos dados. 4. Injeção de Dependências Injeção de dependências é um padrão de desenvolvimento que foca em manter um baixo acoplamento entre as partes ou módulos de um sistema [ORACLE, 2013]. Em termos práticos, a utilização da injeção de dependências gera grande agilidade na instância de objetos, pois todas as dependências que esta classe tem por outras classes do sistema são gerenciadas automaticamente pelo container, evitando que o programador programe construtores complexos e extensos. Desta forma, evita-se que as classes se preocupem com métodos de suas classes dependentes.

5 5. Metodologia Este trabalho foi desenvolvido através da revisão bibliográfica de livros, artigos e textos disponíveis na Internet. Foram utilizados também conceitos transmitidos em diálogos com o orientador do trabalho, e slides com materiais de aulas universitárias (aulas do curso de Sistemas de Informação pela Universidade Paranaense Unipar, Campus de Paranavaí - Paraná). 6. Conclusão Após o desenvolvimento do produto computacional com a utilização do EJB no desenvolvimento de aplicações distribuídas, conclui-se que o uso do EJB é uma prática extremamente eficaz, pois o tempo economizado, principalmente na injeção de dependências e no controle das transações é de fato significativo, além de termos uma grande melhora na manutenção do produto devido ao encapsulamento do código. Os fatores vantagem desta tecnologia fazem a diferença no resultado final do sistema proposto, pois em um mundo onde a concorrência é acirrada, o tempo de entrega pode fazer toda a diferença. O objetivos do sistema foram devidamente alcançados devido aos benefícios da tecnologia Enterprise JavaBeans, todos os conceitos abordados neste artigo foram empregados no desenvolvimento deste produto computacional em um curto prazo, o que indica a facilidade no aprendizado do componente. 7. Referências ORACLE 2013, Enterprise JavaBeans Technology disponível em: acesso em 01/08/2013. ROMAN, Ed 2000, Mastering Enterprise JavaBeans and the Java 2 Platform, disponível em: acesso em 31/07/2013. MONSON-HAEFEL, R. " Enterprise JavaBeans - Second Edition, Sebastopol, CA: O'Reilly & Associates, ISBN: , disponível em: acesso em 01/08/2013. IBM 2000, Enterprise JavaBeans Fundamentals - Presented by developerworks, your source for great tutorials, disponível em: acesso em 25/07/2013. OLIVEIRA, Rafael Guelleri Major e Dias, Jaime William 2011, Desenvolvimento de Aplicações Corporativas Utilizando EJB, disponível em: acesso em 02/08/2013. BORGES, Alexandra 2005, EJB Enterprise JavaBeans, disponível em: acesso em 15/07/2013.

ENTERPRISE JAVABEANS 3. Msc. Daniele Carvalho Oliveira

ENTERPRISE JAVABEANS 3. Msc. Daniele Carvalho Oliveira ENTERPRISE JAVABEANS 3 Msc. Daniele Carvalho Oliveira Apostila Servlets e JSP www.argonavis.com.br/cursos/java/j550/index.html INTRODUÇÃO Introdução Enterprise JavaBeans é um padrão de modelo de componentes

Leia mais

Enterprise Java Beans

Enterprise Java Beans Enterprise Java Beans Prof. Pasteur Ottoni de Miranda Junior DCC PUC Minas Disponível em www.pasteurjr.blogspot.com 1-O que é um Enterprise Java Bean? O Entertprise Java Bean (EJB) é um componente server-side

Leia mais

Sistemas Distribuídos na WEB (Plataformas para Aplicações Distribuídas) Sumário. Java 2 Enterprise Edition. J2EE (Java 2 Enterprise Edition)

Sistemas Distribuídos na WEB (Plataformas para Aplicações Distribuídas) Sumário. Java 2 Enterprise Edition. J2EE (Java 2 Enterprise Edition) Sistemas Distribuídos na WEB (Plataformas para Aplicações Distribuídas) J2EE () Sumário Introdução J2EE () APIs J2EE Web Container: Servlets e JSP Padrão XML 2 J2EE é Uma especificação para servidores

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Especialização em Desenvolvimento de Aplicações Web com Interfaces Ricas EJB 3.0 Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 6 EJB Enterprise Java

Leia mais

Informática UFRGS. Programação com Objetos Distribuídos (C. Geyer) J2EE EJBs 1

Informática UFRGS. Programação com Objetos Distribuídos (C. Geyer) J2EE EJBs 1 EJB Introdução Versão Atual (maio/06): 3.0 Versão anterior: 2.1 Programação com Objetos Distribuídos (C. Geyer) J2EE EJBs 1 Autores Autores Cláudio Geyer Eduardo Studzinski Estima de Castro Gisele Pinheiro

Leia mais

Mini-curso Gratuito Globalcode Slide 1

Mini-curso Gratuito Globalcode Slide 1 Mini-curso Gratuito Slide 1 Mini-curso Gratuito Introdução Enterprise Java Beans (EJB) 3.0 Slide 2 Agenda Plataforma Java EE Conceitos Iniciais (EJB) Session Bean Message-Driven Bean (MDB) Java Persistence

Leia mais

Prof. Fellipe Araújo Aleixo fellipe.aleixo@ifrn.edu.br

Prof. Fellipe Araújo Aleixo fellipe.aleixo@ifrn.edu.br Prof. Fellipe Araújo Aleixo fellipe.aleixo@ifrn.edu.br A arquitetura Enterprise JavaBeans é uma arquitetura de componentes para o desenvolvimento e a implantação de aplicativos de negócio distribuídos

Leia mais

UNIDADE IV ENTERPRISE JAVABEANS

UNIDADE IV ENTERPRISE JAVABEANS UNIDADE IV ENTERPRISE JAVABEANS MODELO J2EE COMPONENTES DE Camada de Negócios NEGÓCIOS JAVA SERVLET, JSP E EJB Nos capítulos anteriores, foi mostrado como desenvolver e distribuir aplicações servlet e

Leia mais

PadrãoIX. Módulo II JAVA. Marcio de Carvalho Victorino. Servlets A,L,F,M

PadrãoIX. Módulo II JAVA. Marcio de Carvalho Victorino. Servlets A,L,F,M JAVA Marcio de Carvalho Victorino 1 Servlets 2 1 Plataforma WEB Baseada em HTTP (RFC 2068): Protocolo simples de transferência de arquivos Sem estado (não mantém sessão aberta) Funcionamento (simplificado):

Leia mais

Como criar um EJB. Criando um projeto EJB com um cliente WEB no Eclipse

Como criar um EJB. Criando um projeto EJB com um cliente WEB no Eclipse Como criar um EJB Criando um projeto EJB com um cliente WEB no Eclipse Gabriel Novais Amorim Abril/2014 Este tutorial apresenta o passo a passo para se criar um projeto EJB no Eclipse com um cliente web

Leia mais

Java 2 Enterprise Edition Fundamentos básicos de Transações

Java 2 Enterprise Edition Fundamentos básicos de Transações Java 2 Enterprise Edition Fundamentos básicos de Transações Helder da Rocha www.argonavis.com.br 1 Objetivos Apresentar conceitos essenciais sobre transações em aplicações J2EE Este curso não aborda o

Leia mais

Laboratório EJB e J2EE Uma aplicação completa

Laboratório EJB e J2EE Uma aplicação completa J530 - Enterprise JavaBeans Laboratório EJB e J2EE Uma aplicação completa Helder da Rocha (helder@acm.org) argonavis.com.br 1 Objetivos O objetivo deste módulo é construir e implantar uma aplicação J2EE

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Especialização em Desenvolvimento de Aplicações Web com Interfaces Ricas EJB 3.0 Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 5 Servidores de Aplicação

Leia mais

Componentes no Java EE

Componentes no Java EE Unidade III Componentes no Plataforma Java Enterprise Edition Adiciona ao Java suporte para: Desenvolvimento de Aplicações Web: JSP, Servlets e Componentes de Negócio: Interconexão com Sistemas Legados:

Leia mais

TDC2012. EJB simples e descomplicado, na prática. Slide 1

TDC2012. EJB simples e descomplicado, na prática. Slide 1 TDC2012 EJB simples e descomplicado, na prática Slide 1 Palestrantes Kleber Xavier Arquiteto Senior / Globalcode kleber@globalcode.com.br Vinicius Senger Arquiteto Senior / Globalcode vinicius@globalcode.com.br

Leia mais

Enterprise Java Bean. Enterprise JavaBeans

Enterprise Java Bean. Enterprise JavaBeans Enterprise Java Bean Introdução Elementos do Modelo Enterprise JavaBeans A especificação do Enterprise JavaBeansTM (EJB) define uma arquitetura para o desenvolvimento de componentes de software distribuídos

Leia mais

Java 2 Enterprise Edition Uma aplicação J2EE completa

Java 2 Enterprise Edition Uma aplicação J2EE completa Java 2 Enterprise Edition Uma aplicação J2EE completa Helder da Rocha www.argonavis.com.br 1 Objetivos O objetivo deste módulo é construir e implantar uma aplicação J2EE completa Inicialmente, será mostrada

Leia mais

ABORDAGEM DE FRAMEWORKS PARA JSF QUE AUXILIAM O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

ABORDAGEM DE FRAMEWORKS PARA JSF QUE AUXILIAM O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE ABORDAGEM DE FRAMEWORKS PARA JSF QUE AUXILIAM O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE Amarildo Aparecido Ferreira Junior 1, Ricardo Ribeiro Rufino 1 ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil aapfjr@gmail.com

Leia mais

Aplicação da Arquitetura Multicamadas Utilizando Java. Raquel Schlickmann Orientador: Marcel Hugo

Aplicação da Arquitetura Multicamadas Utilizando Java. Raquel Schlickmann Orientador: Marcel Hugo Aplicação da Arquitetura Multicamadas Utilizando Java Raquel Schlickmann Orientador: Marcel Hugo Roteiro Introdução Histórico da Arquitetura de Software Enterprise JavaBeans - EJB Voyager Implementação

Leia mais

Arquitetura JEE Introdução à Camada de Negócios: Enterprise Java Beans (EJB) Marcos Kalinowski (kalinowski@ic.uff.br)

Arquitetura JEE Introdução à Camada de Negócios: Enterprise Java Beans (EJB) Marcos Kalinowski (kalinowski@ic.uff.br) Arquitetura JEE Introdução à Camada de Negócios: Enterprise Java Beans (EJB) (kalinowski@ic.uff.br) Agenda Arquiteturas Web em Java (Relembrando) Arquitetura Java EE Introdução a Enterprise Java Beans

Leia mais

4 - Padrões da Camada de Integração. Introdução

4 - Padrões da Camada de Integração. Introdução Padrões de Projeto J2EE J931 Padrões da Camada de Integração Helder da Rocha (helder@acm.org) argonavis.com.br Introdução A camada de integração encapsula a lógica relacionada com a integração do sistema

Leia mais

DESENVOLVIMENTO WEB UTILIZANDO FRAMEWORK PRIMEFACES E OUTRAS TECNOLOGIAS ATUAIS

DESENVOLVIMENTO WEB UTILIZANDO FRAMEWORK PRIMEFACES E OUTRAS TECNOLOGIAS ATUAIS DESENVOLVIMENTO WEB UTILIZANDO FRAMEWORK PRIMEFACES E OUTRAS TECNOLOGIAS ATUAIS Emanuel M. Godoy 1, Ricardo Ribeiro Rufino 1 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil godoymanel@gmail.com,

Leia mais

Web Technologies. Tópicos da apresentação

Web Technologies. Tópicos da apresentação Web Technologies Tecnologias de Middleware 2004/2005 Hugo Simões hsimoes@di.fc.ul.pt 1 A Web Tópicos da apresentação Tecnologias Web para suporte a clientes remotos (Applets,CGI,Servlets) Servidores Aplicacionais

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Especialização em Desenvolvimento de Aplicações Web com Interfaces Ricas EJB 3.0 Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 10 Persistência de Dados

Leia mais

Desenvolvimento de Aplicações. Desenvolvimento de Aplicações. Desenvolvimento de Aplicações. Dificuldades no uso de Bancos de Dados

Desenvolvimento de Aplicações. Desenvolvimento de Aplicações. Desenvolvimento de Aplicações. Dificuldades no uso de Bancos de Dados Desenvolvimento de Aplicações Desenvolvimento de Aplicações Dificuldades no uso de Bancos de Dados Um leigo não sabe o que é e como funciona um BD Mesmo um profissional da área de informática pode ter

Leia mais

Message Driven Beans. Apresentação. Introdução Implementação de MDBs Deployment no JBoss Java Messaging Service Exemplo

Message Driven Beans. Apresentação. Introdução Implementação de MDBs Deployment no JBoss Java Messaging Service Exemplo Message Driven Beans Apresentação Introdução Implementação de MDBs Deployment no JBoss Java Messaging Service Exemplo 1 Introdução Message Driven Beans são EJBs que consomem mensagens enviadas para filas

Leia mais

DESENVOLVENDO APLICAÇÕES UTILIZANDO JAVASERVER FACES E MVC

DESENVOLVENDO APLICAÇÕES UTILIZANDO JAVASERVER FACES E MVC DESENVOLVENDO APLICAÇÕES UTILIZANDO JAVASERVER FACES E MVC Felipe Moreira Decol Claro 1, Késsia Rita da Costa Marchi 1 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil felipe4258@hotmail.com, kessia@unipar.br

Leia mais

SISTEMA DE AGENDAMENTO E GERENCIAMENTO DE CONSULTAS CLÍNICAS

SISTEMA DE AGENDAMENTO E GERENCIAMENTO DE CONSULTAS CLÍNICAS SISTEMA DE AGENDAMENTO E GERENCIAMENTO DE CONSULTAS CLÍNICAS Pablo dos Santos Alves Alexander Roberto Valdameri - Orientador Roteiro da apresentação Introdução Objetivos Motivação Revisão bibliográfica

Leia mais

NOME DA APRESENTAÇÃO

NOME DA APRESENTAÇÃO 25 DE MAIO @MICROSOFT Novidades de Java EE 7 Ernest Duarte NOME DA APRESENTAÇÃO Nome (Nick no Fórum) About me! Nickname na Comunidade Ernest Duarte Profissão Instrutor em Ciências e Tecnologias Numéricas

Leia mais

Java e Banco de Dados: JDBC, Hibernate e JPA

Java e Banco de Dados: JDBC, Hibernate e JPA Java e Banco de Dados: JDBC, Hibernate e JPA 1 Objetivos Apresentar de forma progressiva as diversas alternativas de persistência de dados que foram evoluindo na tecnologia Java, desde o JDBC, passando

Leia mais

ARQUITETURA DO SISTEMA ERP PEGASUS

ARQUITETURA DO SISTEMA ERP PEGASUS ARQUITETURA DO SISTEMA ERP PEGASUS Elaborado por: Bruno Duarte Nogueira Arquiteto de Software Data: 05/03/2012 1 Sumário 1. Introdução... 3 2. Tecnologias... 3 2.1. Web Tier... 3 2.1.1. Facelets 1.1.14...

Leia mais

DESENVOLVIMENTO COM JAVA EE E SUAS ESPECIFICAÇÕES

DESENVOLVIMENTO COM JAVA EE E SUAS ESPECIFICAÇÕES DESENVOLVIMENTO COM JAVA EE E SUAS ESPECIFICAÇÕES Hugo Henrique Rodrigues Correa¹, Jaime Willian Dias 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil hugohrcorrea@gmail.com, jaime@unipar.br Resumo.

Leia mais

Padrões do Catálogo J2EE. Lincoln Souza Rocha, M.Sc. (lincolnrocha@gmail.com)

Padrões do Catálogo J2EE. Lincoln Souza Rocha, M.Sc. (lincolnrocha@gmail.com) Padrões do Catálogo J2EE Lincoln Souza Rocha, M.Sc. (lincolnrocha@gmail.com) Livros Deepak Alur, John Crupi e Dan Malks. Core J2EE Patters: Best Practices and Design Strategies, Second Edition (2003).

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE MATEMÁTICA CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO LINGUAGENS PARA APLICAÇÃO COMERCIAL. Java Peristence API 1.

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE MATEMÁTICA CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO LINGUAGENS PARA APLICAÇÃO COMERCIAL. Java Peristence API 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE MATEMÁTICA CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO LINGUAGENS PARA APLICAÇÃO COMERCIAL Java Peristence API 1.0 Salvador-Ba Março/2009 1 RAMON PEREIRA LOPES Java Peristence API

Leia mais

J2EE. J2EE - Surgimento

J2EE. J2EE - Surgimento J2EE Java 2 Enterprise Edition Objetivo: Definir uma plataforma padrão para aplicações distribuídas Simplificar o desenvolvimento de um modelo de aplicações baseadas em componentes J2EE - Surgimento Início:

Leia mais

3 - Padrões da Camada de Negócios. Introdução. A camada de negócios encapsula a lógica central da aplicação. Considerações de design incluem

3 - Padrões da Camada de Negócios. Introdução. A camada de negócios encapsula a lógica central da aplicação. Considerações de design incluem Padrões de Projeto J2EE J931 Padrões da Camada de Negócios (EJB) Helder da Rocha (helder@acm.org) argonavis.com.br Introdução A camada de negócios encapsula a lógica central da aplicação. Considerações

Leia mais

EJB 3.1: A Community Update

EJB 3.1: A Community Update EJB 3.1: A Community Update Reza Rahman Autor, EJB 3 in Action Expert Group Member, Java EE 6 and EJB 3.1 Fundador, Cognicellence Julho de 2008 1 EJB 3.0: Revisão Breve > As grandes mudanças > EJB simplificado

Leia mais

Prova Específica Cargo Desenvolvimento

Prova Específica Cargo Desenvolvimento UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ Centro de Educação Aberta e a Distância CEAD/UFPI Rua Olavo Bilac 1148 - Centro CEP 64.280-001 Teresina PI Brasil Fones (86) 3215-4101/ 3221-6227 ; Internet: www.uapi.edu.br

Leia mais

HIBERNATE EM APLICAÇÃO JAVA WEB

HIBERNATE EM APLICAÇÃO JAVA WEB HIBERNATE EM APLICAÇÃO JAVA WEB Raul Victtor Barbosa Claudino¹, Ricardo Ribeiro Rufino¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil victtor.claudino@gmail.com, ricardo@unipar.br Resumo: Este

Leia mais

EXPLORE - UMA FERRAMENTA DE SOFTWARE PARA EXPERIMENTAÇÃO PRÁTICA COM TRANSAÇÕES DISTRIBUÍDAS EM SISTEMAS BASEADOS EM COMPONENTES

EXPLORE - UMA FERRAMENTA DE SOFTWARE PARA EXPERIMENTAÇÃO PRÁTICA COM TRANSAÇÕES DISTRIBUÍDAS EM SISTEMAS BASEADOS EM COMPONENTES TRABALHO DE GRADUAÇÃO EXPLORE - UMA FERRAMENTA DE SOFTWARE PARA EXPERIMENTAÇÃO PRÁTICA COM TRANSAÇÕES DISTRIBUÍDAS EM SISTEMAS BASEADOS EM COMPONENTES Aluno: Fábio Ottobeli Machado Orientador: Márcia Pasin

Leia mais

Service Oriented Architecture (SOA)

Service Oriented Architecture (SOA) São Paulo, 2011 Universidade Paulista (UNIP) Service Oriented Architecture (SOA) Prof. MSc. Vladimir Camelo vladimir.professor@gmail.com 04/09/11 vladimir.professor@gmail.com 1 04/09/11 vladimir.professor@gmail.com

Leia mais

Padrões Arquiteturais no Java EE 7

Padrões Arquiteturais no Java EE 7 Padrões Arquiteturais no Java EE 7 Vagner F. Le Roy Júnior Curso de Pós Graduação em Arquitetura de Software Distribuído Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais Belo Horizonte, MG Brasil vagnerleroy@gmail.com

Leia mais

Sistemas Distribuídos e Tolerância a Falhas Mestrado em Engenharia Informática 1ª ano / 2ª semestre

Sistemas Distribuídos e Tolerância a Falhas Mestrado em Engenharia Informática 1ª ano / 2ª semestre Sistemas Distribuídos e Tolerância a Falhas Mestrado em Engenharia Informática 1ª ano / 2ª semestre Prática: 1 - A plataforma JEE (Java Enterprise Edition) UBI, DI, Paula Prata SDTF T01 1 Arquitectura

Leia mais

Framework. Marcos Paulo de Souza Brito João Paulo Raittes

Framework. Marcos Paulo de Souza Brito João Paulo Raittes Framework Marcos Paulo de Souza Brito João Paulo Raittes Sobre o seu surgimento A primeira versão do spring foi escrita por Rod Johnson em 2002, quando ele estava Lancando o seu livro Expert One-on-One

Leia mais

UM ESTUDO SOBRE ARQUITETURA PARA DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE WEB UTILIZANDO NOVAS TECNOLOGIAS

UM ESTUDO SOBRE ARQUITETURA PARA DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE WEB UTILIZANDO NOVAS TECNOLOGIAS UM ESTUDO SOBRE ARQUITETURA PARA DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE WEB UTILIZANDO NOVAS TECNOLOGIAS Edi Carlos Siniciato ¹, William Magalhães¹ ¹ Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil edysiniciato@gmail.com,

Leia mais

DESENVOLVENDO APLICAÇÃO UTILIZANDO JAVA SERVER FACES

DESENVOLVENDO APLICAÇÃO UTILIZANDO JAVA SERVER FACES DESENVOLVENDO APLICAÇÃO UTILIZANDO JAVA SERVER FACES Alexandre Egleilton Araújo, Jaime Willian Dias Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil araujo.ale01@gmail.com, jaime@unipar.br Resumo.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CURSO DE GRADUAÇÃO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Contribuições do MDA para o desenvolvimento de software

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CURSO DE GRADUAÇÃO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Contribuições do MDA para o desenvolvimento de software UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CURSO DE GRADUAÇÃO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Contribuições do MDA para o desenvolvimento de software Anna Carla Mohr Verner Helder Eugenio dos Santos Puia Florianópolis,

Leia mais

MÓDULO. Linguagem de Programação para Web 2

MÓDULO. Linguagem de Programação para Web 2 MÓDULO Linguagem de Programação para Web 2 Distribuição das Disciplinas de Programação para Web LPW 1: MVC Servlets JSP LPW2: Visão geral do JEE, JSF MVC, Facelets, PrimeFaces,... Padrões de projeto relacionadas

Leia mais

Cliente/Servidor. Conceitos Gerais. Graça Bressan. Graça Bressan/LARC 2000 1

Cliente/Servidor. Conceitos Gerais. Graça Bressan. Graça Bressan/LARC 2000 1 Cliente/Servidor Conceitos Gerais Graça Bressan Graça Bressan/LARC 2000 1 Forças de marketing que conduzem à arquitetura cliente/servidor "Cliente/Servidor é um movimento irresistível que está reformulando

Leia mais

Oracle WebLogic Server 11g: Conceitos Básicos de Administração

Oracle WebLogic Server 11g: Conceitos Básicos de Administração Oracle University Entre em contato: 0800 891 6502 Oracle WebLogic Server 11g: Conceitos Básicos de Administração Duração: 5 Dias Objetivos do Curso Este curso treina administradores Web nas técnicas para

Leia mais

Java EE 6. A revolução do. Um overview sobre as novidades da JSR 316. a r t i g o

Java EE 6. A revolução do. Um overview sobre as novidades da JSR 316. a r t i g o a r t i g o Pedro Henrique S. Mariano (pedro.mariano@caelum.com.br) técnologo em Análise e Desenvolvimento de Sofware pela FIAP, possui as certificações SCJP 6 e SCRUM master.trabalha como consultor e

Leia mais

Universidade Federal de Goiás Instituto de Informática Sistemas de Informação Código da Matriz Curricular: 109P1NB

Universidade Federal de Goiás Instituto de Informática Sistemas de Informação Código da Matriz Curricular: 109P1NB Universidade Federal de Goiás Instituto de Informática Sistemas de Informação Código da Matriz Curricular: 109P1NB Plano de Disciplina Ano Letivo: 2012-2 º Semestre Dados da Disciplina Código Disc. Nome

Leia mais

Java Message Service (JMS)

Java Message Service (JMS) J530 - Enterprise JavaBeans Java Message Service (JMS) Helder da Rocha (helder@acm.org) argonavis.com.br 1 Introdução O objetivo deste capítulo é apresentar uma introdução ao modelo de comunicações baseado

Leia mais

JAVA ENTERPRISE EDITION: PERSISTÊNCIA DE BANCO DE DADOS

JAVA ENTERPRISE EDITION: PERSISTÊNCIA DE BANCO DE DADOS COLÉGIO ESTADUAL ULYSSES GUIMARÃES CURSO TÉCNICO PROFISSIONALIZANTE EM INFORMÁTICA ERINALDO SANCHES NASCIMENTO JAVA ENTERPRISE EDITION: PERSISTÊNCIA DE BANCO DE DADOS FOZ DO IGUAÇU 2013 SUMÁRIO 1. PERSISTÊNCIA

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE INFORMÁTICA CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE INFORMÁTICA CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE INFORMÁTICA CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Modelagem do Catálogo e Autenticação do Direto utilizando J2EE e JAAS por FLÁVIO RODRIGUES

Leia mais

3 Um Framework Orientado a Aspectos para Monitoramento e Análise de Processos de Negócio

3 Um Framework Orientado a Aspectos para Monitoramento e Análise de Processos de Negócio 32 3 Um Framework Orientado a Aspectos para Monitoramento e Análise de Processos de Negócio Este capítulo apresenta o framework orientado a aspectos para monitoramento e análise de processos de negócio

Leia mais

Uma Abordagem sobre Mapeamento Objeto Relacional com Hibernate

Uma Abordagem sobre Mapeamento Objeto Relacional com Hibernate Uma Abordagem sobre Mapeamento Objeto Relacional com Hibernate Luis Gustavo Zandarim Soares 1, Késsia Rita da Costa Marchi 1 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paraná PR Brasil luisgustavo@live.co.uk,

Leia mais

MODELO DE DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES CORPORATIVAS COM JAVA ENTERPRISE EDITION 5

MODELO DE DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES CORPORATIVAS COM JAVA ENTERPRISE EDITION 5 MODELO DE DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES CORPORATIVAS COM JAVA ENTERPRISE EDITION 5 Gilbert AZEVEDO da Silva (1); Fellipe Araújo ALEIXO (2); Rosemary Pessoa BORGES (3); Wanderson CÂMARA dos Santos (4);

Leia mais

SISTEMA GERENCIAL TRATORPLAN

SISTEMA GERENCIAL TRATORPLAN SISTEMA GERENCIAL TRATORPLAN SIGET Fabrício Pereira Santana¹, Jaime William Dias¹, ², Ricardo de Melo Germano¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil fabricioblack@gmail.com germano@unipar.br

Leia mais

SCC-0263. Técnicas de Programação para WEB. Rodrigo Fernandes de Mello http://www.icmc.usp.br/~mello mello@icmc.usp.br

SCC-0263. Técnicas de Programação para WEB. Rodrigo Fernandes de Mello http://www.icmc.usp.br/~mello mello@icmc.usp.br SCC-0263 Técnicas de Programação para WEB Rodrigo Fernandes de Mello http://www.icmc.usp.br/~mello mello@icmc.usp.br 1 Cronograma Fundamentos sobre servidores e clientes Linguagens Server e Client side

Leia mais

Entity Beans. Introdução Entity Beans BMP

Entity Beans. Introdução Entity Beans BMP Entity Beans Introdução Entity Beans BMP Agenda Conceitos básicos de persistência Definição de entity beans Recursos Conceitos de programação Típos de entity beans Exemplos de entity beans usando Bean-

Leia mais

Projeto da Certificação SCEA 5 Um estudo de caso de um projeto fictício para obter a certificação de arquiteto Java EE

Projeto da Certificação SCEA 5 Um estudo de caso de um projeto fictício para obter a certificação de arquiteto Java EE c a p a Projeto da Certificação SCEA 5 Um estudo de caso de um projeto fictício para obter a certificação de arquiteto Java EE Márcio Varchavsky (marciovar@gmail.com): engenheiro de Computação formado

Leia mais

A interface de uma mensagem é extremamente flexível e permite várias formas de customização de conteúdo. Figura 1 - Tipos de Mensagens JMS

A interface de uma mensagem é extremamente flexível e permite várias formas de customização de conteúdo. Figura 1 - Tipos de Mensagens JMS Programando com Java Artigo http://mballem.wordpress.com/ Chat JMS com ActiveMQ Java Message Service Autor Marcio Ballem: é formado em Sistemas de Informação e possui certificação Oracle Certified Professional,

Leia mais

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição Intensiva de Férias

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição Intensiva de Férias CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição Intensiva de Férias O curso foi especialmente planejado para os profissionais que desejam trabalhar com desenvolvimento de sistemas seguindo o paradigma Orientado a Objetos

Leia mais

Geração e execução de scripts de teste em aplicações web a partir de casos de uso direcionados por comportamento 64

Geração e execução de scripts de teste em aplicações web a partir de casos de uso direcionados por comportamento 64 direcionados por comportamento 64 5 Estudo de caso Neste capítulo serão apresentadas as aplicações web utilizadas na aplicação da abordagem proposta, bem como a tecnologia em que foram desenvolvidas, o

Leia mais

INTEGRADOR DE MENSAGENS CORPORATIVAS PARA UMA INFRA-ESTRUTURA DE ELETRONIC DATA INTERCHANGE (EDI)

INTEGRADOR DE MENSAGENS CORPORATIVAS PARA UMA INFRA-ESTRUTURA DE ELETRONIC DATA INTERCHANGE (EDI) INTEGRADOR DE MENSAGENS CORPORATIVAS PARA UMA INFRA-ESTRUTURA DE ELETRONIC DATA INTERCHANGE (EDI) Fernando José Lunelli Marcel Hugo - Orientador Roteiro da apresentação: Introdução Objetivos Fundamentação

Leia mais

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA WEB E FLEX Setembro de 2010 à Janeiro de 2011

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA WEB E FLEX Setembro de 2010 à Janeiro de 2011 CURSO DESENVOLVEDOR JAVA WEB E FLEX Setembro de 2010 à Janeiro de 2011 O curso foi especialmente planejado para os profissionais que desejam trabalhar com desenvolvimento de sistemas seguindo o paradigma

Leia mais

J530 - Enterprise JavaBeans. Introdução a EJB e Stateless. Session Beans. argonavis.com.br. Helder da Rocha (helder@acm.org)

J530 - Enterprise JavaBeans. Introdução a EJB e Stateless. Session Beans. argonavis.com.br. Helder da Rocha (helder@acm.org) J530 - Enterprise JavaBeans Introdução a EJB e Stateless Session Beans Helder da Rocha (helder@acm.org) argonavis.com.br 1 Componentes de um EJB Para que o container possa gerar o código necessário é preciso

Leia mais

Ensino Superior: IESB Instituto de Educação Superior de Brasília Ciências da Computação - Cursando

Ensino Superior: IESB Instituto de Educação Superior de Brasília Ciências da Computação - Cursando Vinicius Nascimento Informações pessoais Estado civil: Casado Nacionalidade Brasileira Idade: 30 anos Naturalidade: Brasília DF Formação Ensino Superior: IESB Instituto de Educação Superior de Brasília

Leia mais

SISTEMA DE AUXÍLIO À MATRÍCULA DE ALUNOS UTILIZANDO JAVA 2 ENTERPRISE EDITION

SISTEMA DE AUXÍLIO À MATRÍCULA DE ALUNOS UTILIZANDO JAVA 2 ENTERPRISE EDITION UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS CURSO DE CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO (Bacharelado) SISTEMA DE AUXÍLIO À MATRÍCULA DE ALUNOS UTILIZANDO JAVA 2 ENTERPRISE EDITION TRABALHO

Leia mais

Capítulo 1 - Java EE 6 por alto - 1

Capítulo 1 - Java EE 6 por alto - 1 Capítulo 1 - Java EE 6 por alto - 1 Um pouquinho de história - 2 Padrões - 4 Arquitetura - 4 Componentes - 5 Contentores - 6 Serviços - 7 Protocolos de rede - 9 Empacotamento - 9 Java Standard Edition

Leia mais

Projetos Corporativos Baseados na Tecnologia Java Que Falham: O Que Podemos Aprender Deles?

Projetos Corporativos Baseados na Tecnologia Java Que Falham: O Que Podemos Aprender Deles? Projetos Corporativos Baseados na Tecnologia Java Que Falham: O Que Podemos Aprender Deles? Sobre o Palestrante Sun Certified Programmer for the Java 2 Platform 1.2 & 1.4 e Sun Certified Web Component

Leia mais

COMPARANDO APLICAÇÃO WEB SERVICE REST E SOAP

COMPARANDO APLICAÇÃO WEB SERVICE REST E SOAP COMPARANDO APLICAÇÃO WEB SERVICE REST E SOAP Cleber de F. Ferreira¹, Roberto Dias Mota¹. ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil cleberferreirasi@hotmail.com, motaroberto@hotmail.com Resumo.

Leia mais

Java Persistence API. Entity Entity Campos e Propriedades Entity Chaves Primárias Entity Associações

Java Persistence API. Entity Entity Campos e Propriedades Entity Chaves Primárias Entity Associações Java Persistence API Entity Entity Campos e Propriedades Entity Chaves Primárias Entity Associações Entity Manager Entity Manager API Java Persistence Query Language (JPQL) Persistence Units 1 Java Persistence

Leia mais

EJB. Session Beans. J2EE (C. Geyer) Introdução a SessionBean 1

EJB. Session Beans. J2EE (C. Geyer) Introdução a SessionBean 1 EJB Session Beans J2EE (C. Geyer) Introdução a SessionBean 1 Autores! Autores " Cláudio Geyer " Eduardo Studzinski Estima de Castro (EJB 3.0) " Gisele Pinheiro Souza (EJB 3.0) J2EE (C. Geyer) Introdução

Leia mais

Persistência de Dados em Java com JPA e Toplink

Persistência de Dados em Java com JPA e Toplink Persistência de Dados em Java com JPA e Toplink Vinicius Teixeira Dallacqua Curso de Tecnologia em Sistemas para Internet Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia - IFTO AE 310 Sul, Avenida

Leia mais

JMS. Java Message Service

JMS. Java Message Service JMS Autoria Autoria Fábio Cecin (1a versão) Versão V3.2, junho de 2013 C. Geyer Referências Referências: The JMS Tutorial após versão 1.4 do JEE em capítulo do tutorial JEE da Sun v.1.5 (JEE): até v. 1.3:

Leia mais

Curso de Linguagem Java

Curso de Linguagem Java Curso de Linguagem Java 1 Referência Bibliográfica: Enterprise JavaBeans 3.0 Bill Burke & Richard Monson Editora. Prentice Hall Tutorial do J2EE Bodoff Green Haase Jendrock - Pawlan Stearns Editora Campus

Leia mais

Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans

Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans Aula 3 Cap. 4 Trabalhando com Banco de Dados Prof.: Marcelo Ferreira Ortega Introdução O trabalho com banco de dados utilizando o NetBeans se desenvolveu ao longo

Leia mais

Palavras-chave: clínica de psicologia, Java EE 6, Web Profile, EBJ Lite, sistema de gerenciamento.

Palavras-chave: clínica de psicologia, Java EE 6, Web Profile, EBJ Lite, sistema de gerenciamento. Uma Experiência de Adoção do Java 6 Web Profile no Desenvolvimento de um Sistema para Gerenciamento de uma Clínica de Psicologia Ana Paula Allian 1, Edson A. Oliveira Junior 2 Resumo. Os sistemas de gestão

Leia mais

Enterprise JavaBeans. Java Deployment Course. por Jorge H. C. Fernandes (jhcf@di.ufpe.br) DI-UFPE Julho de 1999

Enterprise JavaBeans. Java Deployment Course. por Jorge H. C. Fernandes (jhcf@di.ufpe.br) DI-UFPE Julho de 1999 Enterprise JavaBeans Java Deployment Course por Jorge H. C. Fernandes (jhcf@di.ufpe.br) DI-UFPE Julho de 1999 Enterprise JavaBeans Java Deployment Course Copyright 1999 by Jorge H. C. Fernandes (jhcf@di.ufpe.br)

Leia mais

Fundamentos da Plataforma Java EE. Prof. Fellipe Aleixo (fellipe.aleixo@ifrn.edu.br)

Fundamentos da Plataforma Java EE. Prof. Fellipe Aleixo (fellipe.aleixo@ifrn.edu.br) Fundamentos da Plataforma Java EE Prof. Fellipe Aleixo (fellipe.aleixo@ifrn.edu.br) Como a plataforma Java EE trata o SERVIÇO DE NOMES Serviço de Nomes Num sistema distribuído os componentes necessitam

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE PRODUÇÃO DE EVENTOS

SISTEMA DE GESTÃO DE PRODUÇÃO DE EVENTOS SISTEMA DE GESTÃO DE PRODUÇÃO DE EVENTOS Rodrigo das Neves Wagner Luiz Gustavo Galves Mählmann Resumo: O presente artigo trata de um projeto de desenvolvimento de uma aplicação para uma produtora de eventos,

Leia mais

Tecnologias Web. Java Enterprise Edition

Tecnologias Web. Java Enterprise Edition Tecnologias Web Java Enterprise Edition Cristiano Lehrer, M.Sc. Introdução Java Enterprise Edition (JEE): Plataforma de tecnologias para o desenvolvimento de aplicações corporativas distribuídas. É uma

Leia mais

Daniel Berti Fonseca RA 0310096-8º semestre INTEGRAÇÃO DE SISTEMAS CORPORATIVOS COMPLEXOS COM JAVA EE

Daniel Berti Fonseca RA 0310096-8º semestre INTEGRAÇÃO DE SISTEMAS CORPORATIVOS COMPLEXOS COM JAVA EE Daniel Berti Fonseca RA 0310096-8º semestre INTEGRAÇÃO DE SISTEMAS CORPORATIVOS COMPLEXOS COM JAVA EE Jaguariúna 2006 Daniel Berti Fonseca RA 0310096-8º Semestre INTEGRAÇÃO DE SISTEMAS CORPORATIVOS COMPLEXOS

Leia mais

Web Services. (Introdução)

Web Services. (Introdução) Web Services (Introdução) Agenda Introdução SOA (Service Oriented Architecture) Web Services Arquitetura XML SOAP WSDL UDDI Conclusão Introdução Comunicação distribuída Estratégias que permitem a comunicação

Leia mais

Aplicações Distribuídas Cliente/ Servidor Corporativas

Aplicações Distribuídas Cliente/ Servidor Corporativas Aplicações Distribuídas Cliente/ Servidor Corporativas Introdução Desenvolver e distribuir Servlets e aplicativos EJB. Desenvolver e distribuir aplicativos Enterprise JavaBeans (EJB). Introdução Simples

Leia mais

ORDEM DE SERVIÇO OS 003/DINFO/2013 16/09/2013

ORDEM DE SERVIÇO OS 003/DINFO/2013 16/09/2013 A DIRETORIA DE INFORMÁTICA DINFO DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO -UERJ, no uso de suas atribuições legais, estabelece: Art. 1º: Para fins de normatização do Desenvolvimento Tecnológico na UERJ

Leia mais

4 Um Exemplo de Implementação

4 Um Exemplo de Implementação 4 Um Exemplo de Implementação Neste capítulo será discutida uma implementação baseada na arquitetura proposta. Para tanto, será explicado como a arquitetura proposta se casa com as necessidades da aplicação

Leia mais

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2009

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2009 CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2009 O curso foi especialmente planejado para os profissionais que desejam trabalhar com desenvolvimento de sistemas seguindo o paradigma Orientado a Objetos e com o uso

Leia mais

WebSphere MQ. Bruno Miguel de Sousa Gonçalves

WebSphere MQ. Bruno Miguel de Sousa Gonçalves WebSphere MQ Bruno Miguel de Sousa Gonçalves 1.Introdução ao WebSphere Os produtos WebSphere providenciam comunicação entre programas através da interligação entre componentes heterogéneos, processadores,

Leia mais

Uso de Design Patterns e J2EE: um estudo de caso

Uso de Design Patterns e J2EE: um estudo de caso Uso de Design Patterns e J2EE: um estudo de caso Rogério Sorroche (FURB) rs@furb.br Maurício Capobianco Lopes (FURB) mclopes@furb.br Resumo. Este trabalho apresenta um estudo de caso sobre o desenvolvimento

Leia mais

EJB ainda tem vez no Java EE 6? Fernando Lozano Consultor 4Linux lozano@4linux.com.br

EJB ainda tem vez no Java EE 6? Fernando Lozano Consultor 4Linux lozano@4linux.com.br EJB ainda tem vez no Java EE 6? Fernando Lozano Consultor 4Linux lozano@4linux.com.br Você Gosta do EJB? O EJB esteve por muito tempo na berlinda do mundo Java É pesado... É complicado... Código muito

Leia mais

COMPARAÇÃO ENTRE OS SERVIDORES DE E-MAILS MAIS UTILIZADOS ATUALMENTE

COMPARAÇÃO ENTRE OS SERVIDORES DE E-MAILS MAIS UTILIZADOS ATUALMENTE COMPARAÇÃO ENTRE OS SERVIDORES DE E-MAILS MAIS UTILIZADOS ATUALMENTE Mayara Dos Santos Marinho¹, Julio César Pereira¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR - Brasil mayara-marinho@hotmail.com

Leia mais

BOOCH, G. Object Oriented Design with Applications. EUA: The Benjamin Cummings Publishing Company, 1991.

BOOCH, G. Object Oriented Design with Applications. EUA: The Benjamin Cummings Publishing Company, 1991. TECNOLOGIA DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS E FERRAMENTAS UML I (20 horas) Ementa: Conceitos e Terminologia de Orientação a Objetos. Modelagem e processo de desenvolvimento de software. Diagramas de Casos de Uso.

Leia mais

UNIVERSIDADE. Sistemas Distribuídos

UNIVERSIDADE. Sistemas Distribuídos UNIVERSIDADE Sistemas Distribuídos Ciência da Computação Prof. Jesus José de Oliveira Neto Web Services Web Services Existem diferentes tipos de comunicação em um sistema distribuído: Sockets Invocação

Leia mais

Fundação Universidade Estadual de Maringá

Fundação Universidade Estadual de Maringá Fundação Universidade Estadual de Maringá PAD/DIRETORIA DE MATERIAL E PATRIMÔNIO AVISO DE LICITAÇÃO EDITAL 485/2007 CONCORRÊNCIA PÚBLICA - PROC.: N 15344/2007 OBJETO: CONTRATAÇÃO DE UMA EMPRESA ESPECIALIZADA

Leia mais

ALTO DESEMPENHO UTILIZANDO FRAMEWORK HIBERNATE E PADRÃO JAVA PERSISTENCE API

ALTO DESEMPENHO UTILIZANDO FRAMEWORK HIBERNATE E PADRÃO JAVA PERSISTENCE API ALTO DESEMPENHO UTILIZANDO FRAMEWORK HIBERNATE E PADRÃO JAVA PERSISTENCE API Tiago Henrique Gomes da Silva Balduino 1, Ricardo Ribeiro Rufino 1 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil tiagobalduino77@gmail.com

Leia mais

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Disciplina: Programação Orientada a Objetos II Professor: Cheli dos S. Mendes da Costa Modelo Cliente- Servidor Modelo de Aplicação Cliente-servidor Os

Leia mais

Linguagem de Programação JAVA. Professora Michelle Nery Nomeclaturas

Linguagem de Programação JAVA. Professora Michelle Nery Nomeclaturas Linguagem de Programação JAVA Professora Michelle Nery Nomeclaturas Conteúdo Programático Nomeclaturas JDK JRE JEE JSE JME JVM Toolkits Swing AWT/SWT JDBC EJB JNI JSP Conteúdo Programático Nomenclatures

Leia mais