REESTRUTURAÇÃO PATRIMONIAL E SUCESSÓRIA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REESTRUTURAÇÃO PATRIMONIAL E SUCESSÓRIA"

Transcrição

1 REESTRUTURAÇÃO PATRIMONIAL E SUCESSÓRIA

2 PRINCIPAIS OBJETIVOS 1. PLANEJAMENTO PATRIMONIAL 2. PLANEJAMENTO SUCESSÓRIO 3. BENEFÍCIOS FISCAIS

3 PLANEJAMENTO PATRIMONIAL

4 PLANEJAMENTO PATRIMONIAL OPÇÕES DE ESTRUTURAS SOCIETÁRIAS NO BRASIL (a serem adaptadas de acordo com a situação específica de cada grupo familiar) Opção A Opção B Pessoa Física Pessoa Física HOLDING (1) S.A. ou LTDA. HOLDING S.A. (1) S.A. ou Ltda. HOLDING S.A. (2) HOLDING S.A. (2) HOLDING S.A. (3) Bens (móveis/imóveis) Bens (móveis/imóveis) Destinados à locação Bens (móveis/imóveis) NÃO destinados à locação Estrutura societária envolvendo duas Holdings Patrimoniais (opção interessante quando o cliente possui no patrimônio, apenas bens imóveis NÃO destinados à locação ou apenas bens imóveis destinados à locação). Estrutura societária envolvendo três Holdings Patrimoniais (opção interessante quando o cliente possui, no mesmo patrimônio, bens destinados à locação e também bens NÃO destinados à locação). No caso de bens imóveis NÃO destinados à locação é possível pleitear, junto à Prefeitura, a não-incidência do ITBI (Imposto de Transmissão de Bens Imóveis) Base Legal: Art. 156 CF.

5 PLANEJAMENTO PATRIMONIAL (principais premissas) 1. Minimizar a exposição do patrimônio familiar contra eventuais riscos de constrição judicial (ex: penhora on line sobre imóveis); 2. Estruturar a administração do patrimônio familiar; 3. IRPF: Não haverá variação patrimonial - haverá simplesmente uma troca de ativos, ou seja, no IRPF a pessoa física irá substituir bens (móveis e/ou imóveis) por ações/quotas da Holding Patrimonial; 4. Estrutura através de Sociedade Anônima (capital fechado): jurisprudência consolidada; mantém controle c/ 50% + 1 (e não 75% conforme Ltda); não permite dissolução parcial; menor exposição da figura do(s) acionista(s) o nome do(s) acionista(s) fica registrado em livros internos da companhia (livros de registro/transferência de ações); 5. Não caracterização de fraude a credores/fraude à execução;

6 PLANEJAMENTO SUCESSÓRIO

7 PLANEJAMENTO SUCESSÓRIO (será necessário analisar a situação específica de cada grupo familiar) Pessoa Física HOLDING S.A. (1) S.A. ou Ltda. Doação de nua-propriedade de ações/quotas c/ reserva de usufruto vitalício Filho(s) HOLDING S.A. (2) HOLDING S.A. (3) Acordo Acionistas/Quotistas Bens (móveis/imóveis) Destinados à locação Bens (móveis/imóveis) NÃO destinados à locação

8 PLANEJAMENTO SUCESSÓRIO (principais premissas) 1. Possibilitar adequada definição de aspectos sucessórios relacionados ao patrimônio familiar; 2. Preestabelecer regras de administração do patrimônio familiar no presente e no futuro (próximas gerações); 3. DOAÇÃO: Distribuição/divisão do patrimônio familiar previamente ao falecimento, através de doação de nua-propriedade de ações/quotas com reserva de usufruto vitalício em favor do(s) doador(es): a) simplificar/evitar processos de inventário; b) adiantamento de herança a descendente(s) e/ou cônjuge (art. 544 CC); c) direito aos frutos permanece com o(s) doador(es): recebimento de dividendos; juros sobre capital; etc (art CC); d) direito a voto pode permanecer com o(s) doador(es) ou ser transferido ao(s) donatário(s) (art. 114 LSA);

9 Continuação... e) cláusula de INCOMUNICABILIDADE (em relação a cônjuge dos filhos) e IMPENHORABILIDADE (em relação a terceiros, exceto, fisco); f) cláusula de reversibilidade (art. 547 CC) - retorno da nua-propriedade das ações ao patrimônio do(s) doador(es), caso sobreviva ao(s) donatário(s) - esta cláusula é opcional e dependerá do caso específico de cada grupo familiar; g) usufruto sucessivo (art CC) - o instrumento de doação poderá prever que no caso de instituição de usufruto em favor dos pais, no caso de falecimento, o quinhão do falecido acresce ao sobrevivente; h) pagamento ITCMD na doação da nua-propriedade;

10 Continuação ACORDO DE ACIONISTAS/QUOTISTAS: O planejamento sucessório através da estrutura de Holdings Patrimoniais permite a celebração de acordo de acionistas/quotistas, visando preestabelecer regras para o relacionamento dos membros do grupo familiar (no presente e no futuro): a) exercício de direito de voto e poder de controle; b) regras para a alienação de participação societária, conforme o caso (direito de preferência; tag along; drag along; put option; call option); c) administração (critérios para eleição/destituição de herdeiros; regras de representação; etc); d) entrada de herdeiros no quadro societário (ex: filhos; netos; cônjuge dos filhos (os agregados ); companheiro(a), etc); e) apuração e pagamento de haveres; f) demais matérias específicas (conforme particularidades de cada grupo familiar);

11 BENEFÍCIOS FISCAIS

12 LOCAÇÃO DE BENS PARA TERCEIROS (será necessário analisar a situação específica de cada grupo familiar) Pessoa Física TRIBUTAÇÃO INCIDENTE NA LOCAÇÃO DE BENS Tributação PJ lucro presumido (locação): Tributo Alíquota PIS 0,65% COFINS 3,00% IRPJ 4,80% CSLL 2,88% Total: 11,33% IRPJ (Adicional) 3,20% Total: 14,53% x Tributação PF (locação): Tributo Alíquota IRPF 27,50% Locação HOLDING S.A. (2) Bens (móveis/imóveis) Destinados à locação TERCEIROS Locação bens (imóveis/móveis) para terceiros HOLDING S.A. (1) S.A. ou Ltda. (tributação pelo lucro presumido) HOLDING S.A. (3) Bens (móveis/imóveis) NÃO destinados à locação não incidência ITBI

13 BENEFÍCIOS FISCAIS 1. Redução de impactos tributários na locação de bens: Pessoa Física (27,5%) Pessoa Jurídica (11,33% a 14,53% no caso de adicional IR); 2. Redução de impactos tributários na locação de bens para empresas operacionais (lucro real) do mesmo grupo familiar: aproveitamento de despesa IR/CSLL (34%); crédito PIS/Cofins (9,25%); 3. ITBI (Imposto de Transmissão de Bens Imóveis) - alíquota RJ (2%) - Não incidência ITBI caso a receita preponderante da Holding não seja oriunda de locação, compra/venda e/ou arrendamento de imóveis (art. 156 CF); 4. Redução de impactos tributários no caso de inventário (art. 16, Lei Estado RJ 1427/89): Imóvel: base de cálculo (valor real ) x alíquota (4%); Ações/quotas (não negociadas em bolsa): base de cálculo (valor patrimonial ) x alíquota (4%); 5. Doação da nua-propriedade de ações/quotas: aplica-se o mesmo conceito acima, todavia, a base de cálculo é reduzida em 50% (a legislação estadual RJ prevê que a nua-propriedade equivale a 50% do valor do bem (art. 16, Lei Estado RJ 1427/89);

14 FIM

PALESTRA REESTRUTURAÇÃO PATRIMONIAL E SUCESSÓRIA

PALESTRA REESTRUTURAÇÃO PATRIMONIAL E SUCESSÓRIA PALESTRA REESTRUTURAÇÃO PATRIMONIAL E SUCESSÓRIA 2012 1 NOTÍCIAS E JURISPRUDÊNCIA ATUAL 2 NOTÍCIAS 3 VOLUME DE VALORES PENHORADOS ELETRONICAMENTE (Fonte: Valor Econômico, 17/04/2012) 4 CONSELHO NACIONAL

Leia mais

Holding. Aspectos Tributários

Holding. Aspectos Tributários Holding Aspectos Tributários Holding Holding Pura O Objeto da Holding Pura é basicamente a participação no capital de outras sociedades. Dessa forma, a fonte de receitas desta serão os dividendos das empresas

Leia mais

Marcos Puglisi de Assumpção 3. PLANEJAMENTO FISCAL

Marcos Puglisi de Assumpção 3. PLANEJAMENTO FISCAL Marcos Puglisi de Assumpção 3. 2011 Planejar é antecipar. Existem determinadas situações particulares onde é possível utilizarse do planejamento fiscal visando economia de impostos. Essas situações estão

Leia mais

QUAL É A ESTRUTURA SOCIETÁRIA IDEAL? Vanessa Inhasz Cardoso 17/03/2015

QUAL É A ESTRUTURA SOCIETÁRIA IDEAL? Vanessa Inhasz Cardoso 17/03/2015 QUAL É A ESTRUTURA SOCIETÁRIA IDEAL? Vanessa Inhasz Cardoso 17/03/2015 2 CONSIDERAÇÕES INICIAIS Há vários tipos de estruturas societárias possíveis; Análise da realidade de cada empresa; Objetivos dos

Leia mais

O que é e qual sua finalidade?

O que é e qual sua finalidade? HOLDING Copyright Ody & Keller Advocacia e Assessoria Empresarial, 2014. Todos os direitos reservados. Versão: 01 (outubro de 2014) Este material tem caráter informativo, e não deve ser utilizado isoladamente

Leia mais

SUMÁRIO. Apresentação da 3ª Edição... XVII. Apresentação da 2ª Edição... XIX. Apresentação da 1ª Edição... XXI. Prefácio... XXV

SUMÁRIO. Apresentação da 3ª Edição... XVII. Apresentação da 2ª Edição... XIX. Apresentação da 1ª Edição... XXI. Prefácio... XXV SUMÁRIO Apresentação da 3ª Edição... XVII Apresentação da 2ª Edição... XIX Apresentação da 1ª Edição... XXI Prefácio... XXV 1. INTRODUÇÃO AO PLANEJAMENTO SUCESSÓRIO 1 1.1. O conto de fadas da empresa familiar...

Leia mais

ROBSON ZANETTI & ADVOGADOS ASSOCIADOS AS HOLDINGS COMO ESTRATÉGIA DE NEGÓCIOS, PROTEÇÃO PATRIMONIAL E SUCESSÃO FAMILIAR

ROBSON ZANETTI & ADVOGADOS ASSOCIADOS AS HOLDINGS COMO ESTRATÉGIA DE NEGÓCIOS, PROTEÇÃO PATRIMONIAL E SUCESSÃO FAMILIAR AS HOLDINGS COMO ESTRATÉGIA DE NEGÓCIOS, PROTEÇÃO PATRIMONIAL E SUCESSÃO FAMILIAR Robson Zanetti Advogados 1 1. Origem legal da holding no Brasil Lei nº. 6.404 (Lei das S/A s). No Brasil as holdings surgiram

Leia mais

PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO DA PESSOA FÍSICA. José Henrique Longo. IBCPF Março, 2015 LEGITIMIDADE DO PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO:

PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO DA PESSOA FÍSICA. José Henrique Longo. IBCPF Março, 2015 LEGITIMIDADE DO PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO: PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO DA PESSOA FÍSICA José Henrique Longo IBCPF Março, 2015 LEGITIMIDADE DO PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO: Capacidade Contributiva & Solidariedade Direito de Auto Organização Planejamento

Leia mais

PLANEJAMENTO SUCESSÓRIO ASPECTOS DO DIREITO CIVIL E TRIBUTÁRIO

PLANEJAMENTO SUCESSÓRIO ASPECTOS DO DIREITO CIVIL E TRIBUTÁRIO PLANEJAMENTO SUCESSÓRIO ASPECTOS DO DIREITO CIVIL E TRIBUTÁRIO Ricardo Lacaz Martins 20/03/2012 Sumário da aula 1. Objetivos a serem alcançados com o Planejamento Sucessório 2. Regime de bens e sucessão

Leia mais

Proteção Patrimonial e Planejamento Sucessório

Proteção Patrimonial e Planejamento Sucessório Proteção Patrimonial e Planejamento Sucessório Introdução Pessoa Física sócio ou administrador de uma empresa operacional. Segregar o patrimônio pessoal, como proteção contra eventual problema da sociedade

Leia mais

HOLDING PATRIMONIAL: AS VANTAGENS TRIBUTÁRIAS E O PLANEJAMENTO SUCESSÓRIO

HOLDING PATRIMONIAL: AS VANTAGENS TRIBUTÁRIAS E O PLANEJAMENTO SUCESSÓRIO HOLDING PATRIMONIAL: AS VANTAGENS TRIBUTÁRIAS E O PLANEJAMENTO SUCESSÓRIO RESUMO Inicialmente saliento que o presente artigo tem como escopo principal manifestar considerações acerca da elaboração de um

Leia mais

Curso de Férias do Grupo de Estudos em Direito Empresarial / UFMG DIREITO SOCIETÁRIO APLICADO

Curso de Férias do Grupo de Estudos em Direito Empresarial / UFMG DIREITO SOCIETÁRIO APLICADO Curso de Férias do Grupo de Estudos em Direito Empresarial / UFMG DIREITO SOCIETÁRIO APLICADO Técnicas de planejamento sucessório e societário em empresas familiares ( Caso Grupo Ultra ) Prof. Luís André

Leia mais

Visão Jurídica do Planejamento Societário, Sucessório e Tributário. Fabio Pereira da Silva fabio@weigandesilva.com.br

Visão Jurídica do Planejamento Societário, Sucessório e Tributário. Fabio Pereira da Silva fabio@weigandesilva.com.br Visão Jurídica do Planejamento Societário, Sucessório e Tributário Fabio Pereira da Silva fabio@weigandesilva.com.br CONTEXTUALIZAÇÃO Riscos da atividade empresarial: Legislação Trabalhista e Passivo Laboral

Leia mais

Boletim Informativo junho/2015 ITCMD

Boletim Informativo junho/2015 ITCMD Boletim Informativo junho/2015 ITCMD 23 de junho de 2015 Intenciona o governo propor projeto de Emenda Constitucional para aumentar a alíquota do Imposto sobre Herança e Doação ( ITCMD ) para 16% (dezesseis

Leia mais

Sucessão e Equação de Carga Tributária

Sucessão e Equação de Carga Tributária Sucessão e Equação de Carga Tributária LEGISLAÇÃO Art. 116 CTN Art. 116. Salvo disposição de lei em contrário, considera-se ocorrido o fato gerador e existentes os seus efeitos: I - tratando-se de situação

Leia mais

Alguns de nossos clientes

Alguns de nossos clientes Alguns de nossos clientes APRESENTAÇÃO A NELSON WILIANS & ADVOGADOS ASSOCIADOS (NW&ADV) consolidou-se como um dos maiores escritórios de advocacia empresarial do país. Para melhor atender nossos clientes,

Leia mais

ASPECTOS PRÁTICOS DE PLANEJAMENTO PATRIMONIAL/SUCESSÓRIO APLICADOS AO AGRONEGÓCIO

ASPECTOS PRÁTICOS DE PLANEJAMENTO PATRIMONIAL/SUCESSÓRIO APLICADOS AO AGRONEGÓCIO ASPECTOS PRÁTICOS DE PLANEJAMENTO PATRIMONIAL/SUCESSÓRIO APLICADOS AO AGRONEGÓCIO * Pedro Paulo Moreira Rodrigues 1 INTRODUÇÃO Após passar a vida se dedicando ao desenvolvimento de seus negócios e à formação

Leia mais

Niterói Administradora de Imóveis S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes

Niterói Administradora de Imóveis S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Niterói Administradora de Imóveis S/A Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Em 30 de Junho de 2007 e em 31 de Dezembro de 2006, 2005 e 2004 Parecer dos auditores independentes

Leia mais

CONTRATOS SOCIETÁRIOS E TRIBUTAÇÃO NO SETOR DE LOTEAMENTOS MARCELO GUARITÁ

CONTRATOS SOCIETÁRIOS E TRIBUTAÇÃO NO SETOR DE LOTEAMENTOS MARCELO GUARITÁ CONTRATOS SOCIETÁRIOS E TRIBUTAÇÃO NO SETOR DE LOTEAMENTOS MARCELO GUARITÁ 1 Considerações Iniciais. 2 Problemática da Integralização do Terreno e o Ganho de Capital. 3 Tributação da Venda do Imóvel na

Leia mais

N e w s l e t t e r AAPS

N e w s l e t t e r AAPS Caros Associados, A AAPS interessada nos temas que possam ser de utilidade aos associados, tem participado em eventos sobre o assunto em questão. No contexto das atividades desenvolvidas pelo GEPS (Grupo

Leia mais

Sucessão Familiar: Como Evitar que a passagem do bastão afete sua competitividade?

Sucessão Familiar: Como Evitar que a passagem do bastão afete sua competitividade? Sucessão Familiar: Como Evitar que a passagem do bastão afete sua competitividade? O tema acima tem passado longe das porteiras das propriedades rurais de nosso país. Aspectos de Sucessão e passagem de

Leia mais

Gestão Patrimonial, Família e Sucessões. Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados. Todos os direitos reservados.

Gestão Patrimonial, Família e Sucessões. Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados. Todos os direitos reservados. Gestão Patrimonial, Família e Sucessões Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados. Todos os direitos reservados. Nossos serviços Avaliação da situação patrimonial frente a atos passados

Leia mais

PIS-COFINS: receita bruta - o debate entre o direito e o fato contábil - Lei 12.973/14. Classificação contábil de imóveis e suas repercussões

PIS-COFINS: receita bruta - o debate entre o direito e o fato contábil - Lei 12.973/14. Classificação contábil de imóveis e suas repercussões PIS-COFINS: receita bruta - o debate entre o direito e o fato contábil - Lei 12.973/14 Classificação contábil de imóveis e suas repercussões Lei das S/A - 1976 - Circulante - Realizável a longo prazo ATIVO

Leia mais

Brito Amoedo Imobiliária S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes

Brito Amoedo Imobiliária S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Brito Amoedo Imobiliária S/A Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Em 30 de Junho de 2007 e em 31 de Dezembro de 2006, 2005 e 2004 Parecer dos auditores independentes

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS (IPECON) WERLEY DELFINO SILVA HOLDING ÊNFASE EM PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS (IPECON) WERLEY DELFINO SILVA HOLDING ÊNFASE EM PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS (IPECON) WERLEY DELFINO SILVA HOLDING ÊNFASE EM PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO GOIÂNIA 2011 WERLEY DELFINO SILVA HOLDING ÊNFASE EM PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO (IPECON) Trabalho

Leia mais

Responsabilidade Tributária de

Responsabilidade Tributária de Responsabilidade Tributária de Sócios e Administradores Responsabilidade Societária Responsabilidade d Tributária i Responsabilidade Previdenciária Planejamento Pessoa Jurídica (Sociedade) / Sócio / Administrador

Leia mais

Contmatic - Escrita Fiscal

Contmatic - Escrita Fiscal Lucro Presumido: É uma forma simplificada de tributação onde os impostos são calculados com base num percentual estabelecido sobre o valor das vendas realizadas, independentemente da apuração do lucro,

Leia mais

IR/ PESSOAS FÍSICAS GANHO DE CAPITAL NA ALIENAÇÃO DE BENS OU DIRIEITOS

IR/ PESSOAS FÍSICAS GANHO DE CAPITAL NA ALIENAÇÃO DE BENS OU DIRIEITOS IR/ PESSOAS FÍSICAS GANHO DE CAPITAL NA ALIENAÇÃO DE BENS OU DIRIEITOS Nesta edição, a Asscontas traz esclarecimentos acerca do cálculo e da incidência do Imposto de Renda sobre o ganho de capital auferido

Leia mais

A companhia permanece com o objetivo de investir seus recursos na participação do capital de outras sociedades.

A companhia permanece com o objetivo de investir seus recursos na participação do capital de outras sociedades. RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Apresentamos as Demonstrações Financeiras da Mehir Holdings S.A. referente ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2004 e as respectivas Notas

Leia mais

Holding Familiar & Proteção Patrimonial. Holding Familiar. Tipo societário e seu regime de tributação.

Holding Familiar & Proteção Patrimonial. Holding Familiar. Tipo societário e seu regime de tributação. Holding Familiar Tipo societário e seu regime de tributação. OBJETIVO: A importância do planejamento sucessório, nos seus aspectos societários e tributários, de acordo com o conceito da governança corporativa,

Leia mais

ITBI/ITD PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO SUCESSÓRIO. Gustavo Brigagão

ITBI/ITD PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO SUCESSÓRIO. Gustavo Brigagão ITBI/ITD PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO SUCESSÓRIO Gustavo Brigagão Histórico - Alvará 3/1809 Imposto de Sisa - Transmissão de bens de raiz (bens imóveis) e escravos ladinos - Constituição/1891 Imposto Estadual

Leia mais

Fernando Azevedo Pimenta

Fernando Azevedo Pimenta Fernando Azevedo Pimenta Sucessão Economia Tributária Proteção Patrimonial Organização dos bens familiares Reorganização dívidas e/ou ativos IRPF e demais documentos de estilo (escrituras, contratos, etc.);

Leia mais

O CONGRESSO NACIONAL decreta:

O CONGRESSO NACIONAL decreta: REDAÇÃO FINAL MEDIDA PROVISÓRIA Nº 608-A, DE 2013 PROJETO DE LEI DE CONVERSÃO Nº 14 DE 2013 Dispõe sobre crédito presumido apurado com base em créditos decorrentes de diferenças temporárias oriundos de

Leia mais

14. TRIBUTOS EM ESPÉCIE Impostos sobre a Transmissão ITBI e ITCMD

14. TRIBUTOS EM ESPÉCIE Impostos sobre a Transmissão ITBI e ITCMD 14. TRIBUTOS EM ESPÉCIE Impostos sobre a Transmissão ITBI e ITCMD 1 - Imposto sobre transmissão causa mortis e doação, de quaisquer bens ou direitos (ITCMD) Compete privativamente aos Estados a instituição

Leia mais

Sexta da Família: planejamento sucessório

Sexta da Família: planejamento sucessório Sexta da Família: planejamento sucessório LUIZ KIGNEL Advogado militante; Especialista em Direito Privado pela USP; Membro do IBDFam e do IBGC. Planejamento Sucessório Luiz Kignel kignel@plkc.com.br www.plkc.com.br

Leia mais

A Holding e o Processo da Sucessão Familiar Um Estudo de Caso em uma Empresa Familiar

A Holding e o Processo da Sucessão Familiar Um Estudo de Caso em uma Empresa Familiar A Holding e o Processo da Sucessão Familiar Um Estudo de Caso em uma Empresa Familiar Juliana Paola Avilla Petrin 1 Ricardo Pereira Rios 2 Resumo Neste artigo realizou-se um estudo sobre o processo da

Leia mais

Para gerar o arquivo do SPED PIS/COFINS com sucesso são necessárias algumas parametrizações e lançamentos.

Para gerar o arquivo do SPED PIS/COFINS com sucesso são necessárias algumas parametrizações e lançamentos. Para gerar o arquivo do SPED PIS/COFINS com sucesso são necessárias algumas parametrizações e lançamentos. 1. No cadastro de empresas 1.1. Informar o regime de apuração dos impostos 1.1.1. LUCRO PRESUMIDO

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADICIONADO

DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADICIONADO Olá, pessoal! Hoje trago uma aula sobre a Demonstração do Valor Adicionado DVA, que foi recentemente tornada obrigatória para as companhias abertas pela Lei 11.638/07, que incluiu o inciso V ao art. 176

Leia mais

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A CEMEPE INVESTIMENTOS S/A RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, submetemos à apreciação de V.Sas. as demonstrações financeiras do exercício

Leia mais

Instrumentos jurídicos para organização patrimonial e sucessória das pessoas físicas. Rosana Oleinik Mestre e doutoranda PUC/SP

Instrumentos jurídicos para organização patrimonial e sucessória das pessoas físicas. Rosana Oleinik Mestre e doutoranda PUC/SP Instrumentos jurídicos para organização patrimonial e sucessória das pessoas físicas Rosana Oleinik Mestre e doutoranda PUC/SP Contextualização Tema se insere no planejamento tributário Polêmico: seria

Leia mais

- Imposto com função regulatória, também chamado de imposto aduaneiro de importação.

- Imposto com função regulatória, também chamado de imposto aduaneiro de importação. 1. DIREITO TRIBUTÁRIO 1.5. Imunidade Tributária - Nenhum ente federativo pode criar impostos sobre: a) Patrimônio, renda ou serviços uns dos outros; b) Templos de qualquer culto; c) Partidos políticos,

Leia mais

Maratona Fiscal ISS Contabilidade geral

Maratona Fiscal ISS Contabilidade geral Maratona Fiscal ISS Contabilidade geral 1. Em relação ao princípio contábil da Competência, é correto afirmar que (A) o reconhecimento de despesas deve ser efetuado quando houver o efetivo desembolso financeiro

Leia mais

Imunidade O PIS e a Cofins não incidem sobre as receitas decorrentes de exportação (CF, art. 149, 2º, I).

Imunidade O PIS e a Cofins não incidem sobre as receitas decorrentes de exportação (CF, art. 149, 2º, I). Comentários à nova legislação do P IS/ Cofins Ricardo J. Ferreira w w w.editoraferreira.com.br O PIS e a Cofins talvez tenham sido os tributos que mais sofreram modificações legislativas nos últimos 5

Leia mais

IV - Bens e direitos que devem ser declarados

IV - Bens e direitos que devem ser declarados IV - Bens e direitos que devem ser declarados Regra geral, devem ser relacionados nessa ficha da Declaração a totalidade dos bens e direitos que, no Brasil ou no exterior, constituam, em 31 de dezembro

Leia mais

Principais Aspectos da Regulação da Lei 12.973/14

Principais Aspectos da Regulação da Lei 12.973/14 Principais Aspectos da Regulação da Lei 12.973/14 pela IN 1.515/14 Julio Chamarelli Sócio de Consultoria Tributária da KPMG jcepeda@kpmg.com.br Sergio André Rocha Professor Adjunto de Direito Financeiro

Leia mais

Ajuste a Valor Presente e Ajuste a Valor Justo

Ajuste a Valor Presente e Ajuste a Valor Justo Ajuste a Valor Presente e Ajuste a Valor Justo Roberto Haddad Ajuste a Valor Presente (AVP) Ativo decorrente de operações de longo prazo (Art. 3º) Os valores decorrentes do ajuste a valor presente, do

Leia mais

TRIBUTAÇÃO DO SETOR IMOBILIÁRIO E DA CONSTRUÇÃO CIVIL. Martelene Carvalhaes

TRIBUTAÇÃO DO SETOR IMOBILIÁRIO E DA CONSTRUÇÃO CIVIL. Martelene Carvalhaes TRIBUTAÇÃO DO SETOR IMOBILIÁRIO E DA CONSTRUÇÃO CIVIL Martelene Carvalhaes GESTÃO DE RISCOS O mercado de empreendimentos imobiliários é onde as empresas operam com maior nível de riscos devido às particularidades

Leia mais

INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO NOS EUA FLÓRIDA. 2014 - Direitos autorais reservados a Edgard Leite Advogados Associados

INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO NOS EUA FLÓRIDA. 2014 - Direitos autorais reservados a Edgard Leite Advogados Associados INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO NOS EUA FLÓRIDA 2014 - Direitos autorais reservados a Edgard Leite Advogados Associados A importância de ser confiável 2013 - Direitos autorais reservados a Edgard Leite Advogados

Leia mais

Tributação do Setor Imobiliário. Ricardo Lacaz Martins

Tributação do Setor Imobiliário. Ricardo Lacaz Martins Tributação do Setor Imobiliário Ricardo Lacaz Martins Abril de 2014 Visão Geral do Mercado Imobiliário Atividades Base legal Incorporação imobiliária Lei nº 4.591/64 Loteamento Lei nº 6.766/79 Compra e

Leia mais

F r e i t a s L e i t e S o l u ç õ e s t ã o e x c l u s i v a s q u a n t o s e u s d e s a f i o s w w w. f r e i t a s l e i t e. c o m.

F r e i t a s L e i t e S o l u ç õ e s t ã o e x c l u s i v a s q u a n t o s e u s d e s a f i o s w w w. f r e i t a s l e i t e. c o m. F r e i t a s L e i t e S o l u ç õ e s t ã o e x c l u s i v a s q u a n t o s e u s d e s a f i o s w w w. f r e i t a s l e i t e. c o m. b r Fundado em 1997, FreitasLeite possui grande experiência

Leia mais

ARQUITETURA TRIBUTÁRIA DA LOGÍSTICA NO BRASIL DESAFIOS E OPORTUNIDADES. Alessandro Dessimoni

ARQUITETURA TRIBUTÁRIA DA LOGÍSTICA NO BRASIL DESAFIOS E OPORTUNIDADES. Alessandro Dessimoni ARQUITETURA TRIBUTÁRIA DA LOGÍSTICA NO BRASIL DESAFIOS E OPORTUNIDADES Alessandro Dessimoni Temas abordados 1. CENÁRIO ATUAL DA TRIBUTAÇÃO NO BRASIL; 2. ENTRAVES E PROBLEMAS DO SISTEMA TRIBUTÁRIO RELACIONADOS

Leia mais

CRIAÇÃO DE HOLDING E PROTEÇÃO PATRIMONIAL

CRIAÇÃO DE HOLDING E PROTEÇÃO PATRIMONIAL CRIAÇÃO DE HOLDING E PROTEÇÃO PATRIMONIAL José Henrique Longo 1. INTRODUÇÃO A reorganização e proteção patrimonial objetivam a salvaguarda, dentro dos limites legais, de bens e direitos ante as responsabilidades

Leia mais

ITBI - Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis Direito Tributário

ITBI - Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis Direito Tributário 1 ITBI - Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis Direito Tributário Posição histórica Também conhecido como sisa, até 1988 era da competência dos Estados. A partir da Constituição Federal de 1988, passou

Leia mais

As vantagens de partilhar seus bens em vida

As vantagens de partilhar seus bens em vida As vantagens de partilhar seus bens em vida Antecipar a herança por meio de doações pode sair mais em conta e protege a família de preocupações Planejar a partilha da herança poupa a família de gastos

Leia mais

Fornecedores. Fornecedores de Serviços (passivo. circulante) Salários e ordenados a pagar. Pró-labore (resultado) Caixa

Fornecedores. Fornecedores de Serviços (passivo. circulante) Salários e ordenados a pagar. Pró-labore (resultado) Caixa V Pagamento de fornecedores Retenção de IRF sobre serviços Retenção de IRF sobre salários Pró-labore Integralização de capital em dinheiro Integralização de capital em bens Depreciação ICMS sobre vendas

Leia mais

Investimento Direto Estrangeiro e Tributação de Bens e Serviços no Brasil. Setembro 2015

Investimento Direto Estrangeiro e Tributação de Bens e Serviços no Brasil. Setembro 2015 Investimento Direto Estrangeiro e Tributação de Bens e Serviços no Brasil Setembro 2015 Investimento Direto Estrangeiro e Tributação de bens e serviços 1. Investimento Direto Estrangeiro Constituição de

Leia mais

Sucessão Testamento Público

Sucessão Testamento Público Sucessão Testamento Público O que acontece quando eu morro? A herança é uma universalidade imóvel Sucessão legítima ou testamentaria Planejamento sucessório Se a morte é inevitável... Planeje-a! Pacificar

Leia mais

DE LÉO, PAULINO E MACHADO ADVOGADOS

DE LÉO, PAULINO E MACHADO ADVOGADOS 01 02 Apresentação DE LÉO, PAULINO E MACHADO ADVOGADOS é um escritório que foi constituído para atuar nas mais diversas áreas do Direito Empresarial, tendo como principal objetivo a prestação de serviços

Leia mais

PROCESSOS DE REORGANIZAÇÃO SOCIETÁRIA 1

PROCESSOS DE REORGANIZAÇÃO SOCIETÁRIA 1 PROCESSOS DE REORGANIZAÇÃO SOCIETÁRIA 1 1.1 - Aspectos Introdutórios 1.1.1 - Objetivos Básicos Tais operações tratam de modalidades de reorganização de sociedades, previstas em lei, que permitem às empresas,

Leia mais

Questões Controvertidas do ITBI.

Questões Controvertidas do ITBI. FESDT Fundação Escola Superior de Direito Tributário 2011 X Congresso Direito Tributário em Questão Questões Controvertidas do ITBI. Ígor Danilevicz 1 /07/2011 (8h) ITBI ou ITIV? EC 1/69 Art. 23. Compete

Leia mais

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A CEMEPE INVESTIMENTOS S/A RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, submetemos à apreciação de V.Sas. as demonstrações contábeis do exercício encerrado

Leia mais

Fundos de Investimento Imobiliário. 09 de abril de 2010

Fundos de Investimento Imobiliário. 09 de abril de 2010 Fundos de Investimento Imobiliário 09 de abril de 2010 Introdução Histórico No Brasil, os fundos imobiliários foram inspirados nos Real Estate Investment Trusts americanos, tendo sido constituídos na forma

Leia mais

1.1.2.07.001 Empréstimos a empregados 1.1.2.07.002 Empréstimos a terceiros 1.1.2.08 Tributos a Compensar 1.1.2.08.001 IR Retido na Fonte a Compensar

1.1.2.07.001 Empréstimos a empregados 1.1.2.07.002 Empréstimos a terceiros 1.1.2.08 Tributos a Compensar 1.1.2.08.001 IR Retido na Fonte a Compensar A seguir um modelo de Plano de Contas que poderá ser utilizado por empresas comerciais, industriais e prestadoras de serviços, com as devidas adaptações: 1 Ativo 1.1 Ativo Circulante 1.1.1 Disponível 1.1.1.01

Leia mais

Aspectos Tributários

Aspectos Tributários Aspectos Tributários Principais Tributos IMPOSTOS Imposto sobre a Renda de Pessoas Jurídicas (IRPJ); Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS); Imposto sobre serviços de qualquer natureza

Leia mais

Tributação em bases universais: pessoas jurídicas

Tributação em bases universais: pessoas jurídicas Tributação em bases universais: pessoas jurídicas A MP 627, na linha adotada pelo STF na ADI 2.588, previu a tributação automática no Brasil somente dos lucros auferidos no exterior por controladas ou

Leia mais

MARAFON & FRAGOSO ADVOGADOS. pmarafon@marafonadvogados.com.br Fone 11 3889 22 84

MARAFON & FRAGOSO ADVOGADOS. pmarafon@marafonadvogados.com.br Fone 11 3889 22 84 MARAFON & FRAGOSO ADVOGADOS pmarafon@marafonadvogados.com.br Fone 11 3889 22 84 NOVO TRATAMENTO DO ÁGIO/DESÁGIO ARTIGO 20 O CONTRIBUINTE QUE AVALIAR INVESTIMENTO PELO VALOR DE PATRIMÔNIO LÍQUIDO DEVERÁ,

Leia mais

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A CEMEPE INVESTIMENTOS S/A RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, submetemos à apreciação de V.Sas. as demonstrações contábeis do exercício encerrado

Leia mais

Perguntas Frequentes - Tributação

Perguntas Frequentes - Tributação 1. Tributação do Ganho de Capital Perguntas Frequentes - Tributação 1.1 - Como é feita a tributação dos ganhos obtidos com a alienação de ações? A tributação é feita em bases mensais, ou seja: o ganho

Leia mais

DOING BUSINESS IN BRAZIL. 19 DE JUNHO Lisboa. RFF & Associados Preto Advogados

DOING BUSINESS IN BRAZIL. 19 DE JUNHO Lisboa. RFF & Associados Preto Advogados DOING BUSINESS IN BRAZIL 19 DE JUNHO Lisboa RFF & Associados Preto Advogados Raquel Elita Alves Preto - Graduada em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP), com especialização

Leia mais

Medida Provisória 627/13 Giancarlo Matarazzo

Medida Provisória 627/13 Giancarlo Matarazzo Medida Provisória 627/13 Giancarlo Matarazzo 2 de Dezembro de 2013 1 Evolução Histórica Introdução no Brasil de regras contábeis compatíveis com os padrões internacionais de contabilidade IFRS Essência

Leia mais

Marcos Puglisi de Assumpção 2. PLANEJAMENTO SUCESSÓRIO

Marcos Puglisi de Assumpção 2. PLANEJAMENTO SUCESSÓRIO Marcos Puglisi de Assumpção 2. 2011 O Planejamento Sucessório está intimamente ligado à proteção de bens, pois além de visar a futura partilha e a continuidade da boa administração do conjunto de bens,

Leia mais

ANALISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS. Prof. Mário Leitão

ANALISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS. Prof. Mário Leitão ANALISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Prof. Mário Leitão Estrutura das Demonstrações Financeiras A análise das demonstrações financeiras exige conhecimento do que representa cada conta que nela figura. Há

Leia mais

Conceito de Empresário

Conceito de Empresário Conceito de Empresário Requisitos (Art. 966,caput,CC): a) Profissionalismo; b) Atividade Econômica; c) Organização; d) Produção/Circulação de bens/serviços; Não Empresário Requisitos (Art. 966, único,

Leia mais

HOLDING IMOBILIÁRIA: PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO E PLANEJAMENTO SUCESSÓRIO.

HOLDING IMOBILIÁRIA: PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO E PLANEJAMENTO SUCESSÓRIO. HOLDING IMOBILIÁRIA: PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO E PLANEJAMENTO SUCESSÓRIO. Fernando Henrique Ferreira Liborio, (G), Unespar Câmpus de Campo Mourão, fernando_hfl@hotmail.com Nivaldo Aparecido Grego, (OR),

Leia mais

Basimóvel Consultoria Imobiliária S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes

Basimóvel Consultoria Imobiliária S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Basimóvel Consultoria Imobiliária S/A Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes 30 de Junho de 2007 (Período compreendido entre 06 de Junho e 30 de Junho de 2007) 1/11

Leia mais

Distribuição de Lucros: Critérios e Benefícios

Distribuição de Lucros: Critérios e Benefícios INFORMATIVO Nº 03 ASSUNTO: DISTRIBUIÇÃO DE LUCROS Distribuição de Lucros: Critérios e Benefícios Com o objetivo de contribuir e esclarecer os critérios e benefícios da DISTRIBUIÇÃO DE LUCROS e DIVIDENDOS

Leia mais

www.pwc.com Lei 12.973/2014 Junho, 2014 São Paulo Maio de 2014

www.pwc.com Lei 12.973/2014 Junho, 2014 São Paulo Maio de 2014 www.pwc.com Lei 12.973/2014 Junho, 2014 São Paulo Maio de 2014 Contexto Atual Contexto atual Fiscal X societário 1 2 3 4 Institui o balanço fiscal Tributa dividendos distribuídos em excesso em relação

Leia mais

PERMUTA DE IMÓVEIS CONCEITO

PERMUTA DE IMÓVEIS CONCEITO PERMUTA DE IMÓVEIS CONCEITO Considera-se permuta toda e qualquer operação que tenha por objeto a troca de uma ou mais unidades imobiliárias, prontas ou a construir, por outra ou outras unidades imobiliárias,

Leia mais

Salus Infraestrutura Portuária S.A. (anteriormente denominada RB Commercial Properties 42 Ltda.)

Salus Infraestrutura Portuária S.A. (anteriormente denominada RB Commercial Properties 42 Ltda.) Salus Infraestrutura Portuária S.A. (anteriormente denominada RB Commercial Properties 42 Ltda.) Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício Findo em 31 de Dezembro de 2013 e Relatório dos Auditores

Leia mais

DEBÊNTURES DE INFRAESTRUTURA e PD&I Fundos IE/PD&I

DEBÊNTURES DE INFRAESTRUTURA e PD&I Fundos IE/PD&I DEBÊNTURES DE INFRAESTRUTURA e PD&I Fundos IE/PD&I [LEI n 12.431, de 27 de Junho de 2011] Agosto de 2011 Introdução 1. Debêntures de Infraestruturae de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação ( Debêntures

Leia mais

INFORMATIVO 14/2014 LEI Nº 13.043/2014: CONVERSÃO DA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 651/2014

INFORMATIVO 14/2014 LEI Nº 13.043/2014: CONVERSÃO DA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 651/2014 Novo Hamburgo, 14 de novembro de 2014. INFORMATIVO 14/2014 LEI Nº 13.043/2014: CONVERSÃO DA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 651/2014 Foi publicada hoje, no Diário Oficial, a Lei nº 13.043/2014, resultante da conversão,

Leia mais

SIEEESP - SEMINÁRIO JURIDICO EDUCACIONAL. Tributação das Instituições de Ensino Particulares Perspectivas e Medidas. Wagner Eduardo Bigardi 27/05/2014

SIEEESP - SEMINÁRIO JURIDICO EDUCACIONAL. Tributação das Instituições de Ensino Particulares Perspectivas e Medidas. Wagner Eduardo Bigardi 27/05/2014 SIEEESP - SEMINÁRIO JURIDICO EDUCACIONAL Tributação das Instituições de Ensino Particulares Perspectivas e Medidas Wagner Eduardo Bigardi 27/05/2014 Sistema Tributário Nacional Conjunto de regras jurídicas

Leia mais

EQUIVALÊNCIA PATRIMONIAL

EQUIVALÊNCIA PATRIMONIAL EQUIVALÊNCIA PATRIMONIAL A equivalência patrimonial é o método que consiste em atualizar o valor contábil do investimento ao valor equivalente à participação societária da sociedade investidora no patrimônio

Leia mais

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Setembro 2007

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Setembro 2007 Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Setembro 2007 PATRIMÔNIO DE AFETAÇÃO EM SOCIEDADES DE PROPÓSITO ESPECÍFICO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO NA VENDA DE IMÓVEIS RESIDENCIAIS

Leia mais

Alterações tributárias na lei nº 13.097/2015

Alterações tributárias na lei nº 13.097/2015 Alterações tributárias na lei nº 13.097/2015 Foi publicada no Diário Oficial da União de 20/01/2015 a lei federal nº 13.097/15, decorrente da conversão da MP nº 656/14. A nova lei cuida de diversas matérias,

Leia mais

FORMAÇÃO DE PREÇO DE VENDA MÓDULO 9

FORMAÇÃO DE PREÇO DE VENDA MÓDULO 9 FORMAÇÃO DE PREÇO DE VENDA MÓDULO 9 Índice 1. Lucro presumido...3 2. Lucro real...4 2 Dentre os regimes tributários, os mais adotados são os seguintes: 1. LUCRO PRESUMIDO Regime de tributação colocado

Leia mais

IR: Fato Gerador CONTABILIDADE INTERMEDIÁRIA

IR: Fato Gerador CONTABILIDADE INTERMEDIÁRIA IR: Fato Gerador CONTABILIDADE INTERMEDIÁRIA TÓPICO: LEGISLAÇÃO FISCAL CONCEITOS GERAIS LUCRO REAL CTN [art. 43]: Aquisição da Disponibilidade Econômica ou Jurídica de Renda* ou Proventos de qualquer natureza**.

Leia mais

Portfólio de serviços - 1

Portfólio de serviços - 1 Portfólio de serviços - 1 www.valortributario.com.br { C om experiência de quem há mais de 12 anos oferece soluções empresariais para os mais diversos segmentos, a VALOR TRIBUTÁRIO destaca-se como uma

Leia mais

RESPONSABILIDADE PATRIMONIAL. Marcos Puglisi de Assumpção marcos@aesadv.com.br

RESPONSABILIDADE PATRIMONIAL. Marcos Puglisi de Assumpção marcos@aesadv.com.br RESPONSABILIDADE PATRIMONIAL SUMÁRIO Capítulo 01 Direito de Propriedade Capítulo 02 Limitações ao Direito de Propriedade Capítulo 03 Responsabilidade Patrimonial Capítulo 04 Proteção Patrimonial Capítulo

Leia mais

PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO (Anotações)

PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO (Anotações) PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO (Anotações) Aldemario Araujo Castro Procurador da Fazenda Nacional Professor da Universidade Católica de Brasília - UCB Mestre em Direito pela Universidade Católica de Brasília

Leia mais

INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO

INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO Aos Srs. Acionistas Investco S.A. Anexo I - Comentários dos Diretores da Companhia Contas dos Administradores referentes ao exercício social encerrado em 31.12.2012.

Leia mais

Rodobens Locação de Imóveis Ltda.

Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Demonstrações contábeis referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes Approach Auditores Independentes Relatório dos

Leia mais

LEGALE PÓS GRADUAÇÃO Renato S. Piccolomini de Azevedo

LEGALE PÓS GRADUAÇÃO Renato S. Piccolomini de Azevedo ASPECTOS TRIBUTÁRIOS NO DIREITO DE FAMÍLIA E SUCESSÕES LEGALE PÓS GRADUAÇÃO Renato S. Piccolomini de Azevedo rpa.adv@outlook.com IRPF ITBI ITCMD IRGCap ASPECTOS TRIBUTÁRIOS NO DIREITO DE FAMÍLIA E DAS

Leia mais

Imposto de Renda sobre o Ganho de Capital

Imposto de Renda sobre o Ganho de Capital Imposto de Renda sobre o Ganho de Capital Formas de Redução e Isenção da Obrigação Tributária gerada pelo ganho de capital com a venda de imóveis. Lucas Calafiori Catharino de Assis Conceito de Tributo

Leia mais

Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2013 e 2012

Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2013 e 2012 KPDS 81169 Conteúdo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 3 Balanços patrimoniais 5 Demonstrações de resultados 6 Demonstrações das mutações do patrimônio líquido 7 Demonstrações

Leia mais

GOVERNANÇA JURÍDICO SUCESSÓRIA PLANEJAMENTO SUCESSÓRIO VALE ENFRENTAR O DESAFIO? Luiz Kignel Márcia SeA Phebo

GOVERNANÇA JURÍDICO SUCESSÓRIA PLANEJAMENTO SUCESSÓRIO VALE ENFRENTAR O DESAFIO? Luiz Kignel Márcia SeA Phebo GOVERNANÇA JURÍDICO SUCESSÓRIA PLANEJAMENTO SUCESSÓRIO VALE ENFRENTAR O DESAFIO? Luiz Kignel Márcia SeA Phebo O MODELO CONHECIDO FAMÍLIA PATRIMÔNIO GESTÃO AS NOVAS FAMÍLIAS quem faz parte do núcleo familiar?

Leia mais

Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 14.08.2012.

Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 14.08.2012. PIS E COFINS DAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 14.08.2012. Sumário: 1 ENTIDADES FINANCEIRAS 2 - DA ALÍQUOTA 3 - DA BASE DE CÁLCULO 3.1 Receitas Incorridas

Leia mais

Imposto sobre a Renda. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Imposto sobre a Renda. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Imposto sobre a Renda Objetivos O presente curso tem por objetivo apresentar um estudo sobre o Imposto sobre a Renda, características, conceito, competência, fato gerador, sujeito ativo e passivo, base

Leia mais

CONTABILIDADE TRIBUTÁRIA LUCRO REAL POR ESCRITURAÇÃO

CONTABILIDADE TRIBUTÁRIA LUCRO REAL POR ESCRITURAÇÃO CONTABILIDADE TRIBUTÁRIA CONTABILIDADE TRIBUTÁRIA LUCRO REAL POR ESCRITURAÇÃO Prof. Emanoel Truta CONTABILIDADE TRIBUTÁRIA Conceito Ramo da contabilidade responsável pelo gerenciamento dos tributos incidentes

Leia mais

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A.

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A. Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo Passivo e patrimônio líquido Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 17.488 25.888 Fornecedores e outras obrigações 17.561 5.153 Contas a receber

Leia mais