38 Fórum de QPC. Realizações 2007 Seminário de Benchmarking Prêmio Realce ABGC Acontece

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "38 Fórum de QPC. Realizações 2007 Seminário de Benchmarking Prêmio Realce ABGC Acontece"

Transcrição

1 38 Fórum de QPC Realizações 2007 Seminário de Benchmarking Prêmio Realce ABGC Acontece Perspectivas 2007 PGQB Programa de Capacitação Prêmio Realce Seminário de Excelência na Saúde Comitês Temáticos Projeto ASSESPRO Fórum QPC Projeto MBA Salvador 18/07/2007

2 Realizações º Seminário de Benchmarking Pontos Fortes: Público Presente: 331 Qualidade dos palestrantes muito bem avaliada em especial a do Sr Ulisses Tapajós Presidente da Masa da Amazônia; Maior participação das MPE s; Qualidade e harmonia dos temas apresentados; Participação de novas empresas e pessoas, totalizando 103; Oportunidades de Melhorias: Maior participação do Setor Público Índice de patrocínio

3 Realizações Cerimônia do Prêmio Realce Empresarial 15 empresas premiadas 7 empresas vencedoras

4 Realizações Informativo Digital ABGC Acontece Início das Edições Bimestrais do Informativo Digital (1ª Edição: 15/03) Vínculo com a área de notícias do Web-Site Envio para mala-direta de aproximadamente s Necessário apoio dos empresários e especialistas do tema

5 Perspectivas para 2007 PGQB Programa de Capacitação Prêmio Realce Seminário de Excelência na Saúde Comitês Temáticos Projeto ASSESPRO Fórum QPC Projeto MBA

6 Perspectivas para 2007 Prêmio Gestão Qualidade Bahia Os projetos com a BRASKEM e RLAM deverão gerar candidaturas a partir do ciclo de 2008; A EMBASA está comprometida a retomar sua participação no PGQB a partir de A partir de 2008 a participação do Setor Público se configura como mais promissora, pelos contatos que temos mantido (Exército, Iperba, ALBa, Escolas públicas, etc).

7 Programa de Capacitação Rumo à Excelência da Gestão WT Processos 7 WT Resultados WT Liderança 1 5 WT Informações e Conhecimento WT Estratégias e Planos Seminário: Boas Práticas de Gestão para Pequenas Empresas 8 6 WT Pessoas Princípios Fundamentais da Gestão - Seminário Executivo Elaboração de Relatório da Gestão Auto-Avaliação e Gestão de Melhorias MEG Distância Prep. de Exam. de Sistema de Gestão Estruturação do Sistema de Gestão 2 Ferramentas Gerenciais: Gestão por Processos Seminário: Gestão da Excelência em Instituições de Saúde 4 WT Sociedade WT Clientes 3 Seminário de Benchmarking Ferramentas Gerenciais: BSC CIEG Conf. Internac. Excelência em Gestão

8 Programa de Capacitação 2007 Seminário Executivo: Princípios Fundamentais do Modelo de Excelência da Gestão Curso: Auto-avaliação e Gestão de Melhorias Curso: Estruturação do sistema de gestão Critérios Rumo à Excelência Curso: Elaboração de Relatório da Gestão Curso: Preparação de Examinadores de Sistema de Gestão Curso: Reciclagem de Preparação de Examinadores de Sistema de Gestão Curso: Gestão da Estratégia BSC Curso: Gestão por Processos Workshop Temático Liderança Workshop Temático - Estratégias e Planos Workshop Temático Clientes Workshop Temático - Sociedade Workshop Temático - Informações e Conhecimento Workshop Temático Pessoas Workshop Temático Processos Workshop Temático - Resultados

9 Perspectivas para 2007 Prêmio Realce Meta: 2500 inscrições com 12% retorno de questionários devolvidos Estratégias para divulgação: - Reuniões internas no SEBRAE com APLs (Projetos Finalísticos) e com gestores das Unidades do interior: realizadas 4 reuniões; - Mobilização de Sindicatos e Associações de Classe: realizadas 3 reuniões (ABASE, PROMO, CÂMARA DE COMÉRCIO BAHIA PORTUGAL); - Lançamento do ciclo 2007: dia 17 de maio no SEBRAE Estratégia para incrementar questionários devolvidos: - Capacitar multiplicadores nas Unidades SEBRAE do interior; - Provocar o preenchimento dos questionários durante os workshops in loco (em 2006 participaram 320 técnicos e só tivemos 164 questionários que foram devolvidos posteriormente e pela internet dificuldades de acesso); - Ampliar o número de workshops.

10 Comitês Temáticos Comitê da Saúde Realização de Workshops: O último foi sobre Gestão de Custos em Instituições da Saúde: Palestrante: Professor: Haroldo Peon (Mestre em Administração pela UFBA. Pós-graduado em Análise de Sistemas) Local: Escola de Administração da UFBA; Presentes: 55 pessoas inclusive da Sec. da Saúde; 3 Seminário de Gestão da Excelência em Instituições de Saúde: Data: 20 de setembro de 2007 Programa e demais detalhes:

11 Comitês Temáticos Comitê da Educação Comitê formado, contando com a participação da Secretaria de Educação, integrado ao projeto nacional Todos pela Educação; Estaremos levantando as boas práticas de Gestão implementadas no setor de Educação; Será criado um projeto piloto para adoção da metodologia e disseminação de boas práticas em um grupo de 10 escolas.

12 Projeto Gestão para Inovação Trabalhos iniciados, em maio de 2006, com a formação da equipe de bolsistas e com a proposição de plano de ação; O projeto segue conforme planejado, devendo entrar na fase de validação dos critérios; Este projeto conta com a cooperação de instituições como SECTI, SEBRAE, FIEB, Instituto do Recôncavo, ABIMAQ.

13 Objetivo Definir um modelo sistêmico de Gestão para Inovação, seus critérios de avaliação e instrumentos de implantação nas empresas.

14 Patrocínio CNPq Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

15 Coordenação ABGC Associação Baiana para a Gestão Competitiva

16 Colaboração ABIMAC SECTI ASSESPRO SEBRAE FIEB IRT MBC entre outras

17 O Modelo deverá ajudar a definir: A estratégia competitiva genérica da empresa, de forma simples, organizada e prática; A estratégia genérica de inovação, as melhores práticas e a estrutura correspondente; Os indicadores de avaliação do nível de adoção das recomendações e dos resultados alcançados.

18 Princípio a ser adotado na formulação do modelo Nem todos os gatos são pardos

19 Negócios e Empresas Empresas e negócios guardam marcantes diferenças entre si, tanto nas suas estruturas, quanto nas estratégias, processos, valores, transações etc. Como acontece em qualquer outra área do conhecimento humano, no estudo da Administração, pelo menos, duas preocupações podem ser observadas, quando se formula uma teoria ou um modelo: 1. Estabelecer uma taxonomia das empresas ou negócios; 2. Estabelecer relações das causas c/ os efeitos.

20 É importante fazer recomendações diferentes para empresas diferentes

21 Fases da execução 1. Base de conhecimento do problema; 2. Modelo de Gestão para Inovação; 3. Software de Aplicação do Modelo; 4. Teste de campo: 5. Textos de fundamentação e descrição do modelo; 6. Manual de Aplicação para multiplicadores; 7. Material para worshops e seminários.

22 Estágio Atual 1. Base de conhecimento; Hoje 2. Modelo de Gestão; 3. Software de Aplicação; 4. Teste de campo: 5. Texto fundamentação; 6. Manual para multiplicadores; 7. Material para treinamento.

23 Duração total do Projeto 16 meses

24 Projeto ASSESPRO Projeto denominado EMPRESA COMPETITIVA BAHIA, desenvolvido pela SECTI que inclui uma parcela para a Associação das Empresas de Informática do Estado da Bahia ASSESPRO que foi formalizado dia 5 de dezembro pelo Governador do Estado; A ABGC teve sua proposta aprovada pela Associação das Empresas de Informática e pela SECTI para participar deste projeto com o seguinte escopo: Capacitação, Diagnóstico de Gestão, Apresentação do Relatório de PF e OM e elaboração do Plano de Ação usando como base os Critérios de Excelência da Gestão. Previsão de participação inicial de 40 de um total de 90 empresas do setor de TI, potenciais candidatas ao PGQB. Projeto encontra-se suspenso aguardando decisão do governo do Estado.

25 Projeto MBA A ABGC está em entendimentos com a Academia para estruturação de um curso de pós graduação baseado nos fundamentos e conceitos da Excelência Empresarial.

RUMO DAS FORMAS DE GESTÃO E SUSTENTABILIDADE DOS PROGRAMAS

RUMO DAS FORMAS DE GESTÃO E SUSTENTABILIDADE DOS PROGRAMAS Natureza Jurídica Característica da Qualidade Rio Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços do Rio de Janeiro Critérios de Excelência da FNQ e Norma ISO 9001:2000

Leia mais

Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2º semestre 2014

Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2º semestre 2014 Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2º semestre 2014 Sobre a FNQ História Criada em 1991, por um grupo de representantes dos setores público e privado, a Fundação Nacional da Qualidade (FNQ)

Leia mais

Estratégias de atuação da FNQ

Estratégias de atuação da FNQ Estratégias de atuação da FNQ Mudanças na estrutura organizacional FNQ Estrutura organizacional principais mudanças Direção Executiva COMEX Diretor Executivo: Ricardo Correa Martins Principais Processos

Leia mais

Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2014

Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2014 Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2014 Sobre a FNQ História Criada em 1991, por um grupo de representantes dos setores público e privado, a Fundação Nacional da Qualidade (FNQ) procura

Leia mais

Programa de Inovação. nas Pequenas Empresas ABINEE TEC 2009 ENITEE

Programa de Inovação. nas Pequenas Empresas ABINEE TEC 2009 ENITEE Programa de Inovação nas Pequenas Empresas ABINEE TEC 2009 ENITEE Inovação Competitividade Direcionamento do Sistema SEBRAE 2015 Promover a inovação nas MPE Incentivar a cultura de inovação nas MPE,buscando

Leia mais

Abordagens metodológicas na Elaboração de Planos Municipais de Saneamento Básico.

Abordagens metodológicas na Elaboração de Planos Municipais de Saneamento Básico. Seminário Política e Planejamento do Saneamento Básico na Bahia: Desafios e Perspectivas da Implementação Abordagens metodológicas na Elaboração de Planos Municipais de Saneamento Básico. Danilo Gonçalves

Leia mais

Planejamento Estratégico 2007-2008

Planejamento Estratégico 2007-2008 Planejamento Estratégico 2007-2008 Missão: Promover, fortalecer e integrar programas estaduais e setoriais de QPC, visando contribuir para o desenvolvimento sustentável do Brasil e a qualidade de vida

Leia mais

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE Palestra para o Conselho Regional de Administração 1 O QUE É O SEBRAE? 2 O Sebrae O Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas da Bahia

Leia mais

Atualização constante, o segredo do S U C E S S O D A F N Q

Atualização constante, o segredo do S U C E S S O D A F N Q Atualização constante, o segredo do S U C E S S O D A F N Q Instituição atualiza Fundamentos da Excelência e lança produtos que ajudam empresas a melhorar seus sistemas de gestão Ao longo dos 15 anos de

Leia mais

Criada em 1991, por um grupo de representantes dos setores público e privado, a FNQ é uma instituição sem fins lucrativos, cujo objetivo é disseminar

Criada em 1991, por um grupo de representantes dos setores público e privado, a FNQ é uma instituição sem fins lucrativos, cujo objetivo é disseminar Criada em 1991, por um grupo de representantes dos setores público e privado, a FNQ é uma instituição sem fins lucrativos, cujo objetivo é disseminar os Fundamentos da Excelência em Gestão para organizações

Leia mais

CONSELHO TEMÁTICO DA MICRO, PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA

CONSELHO TEMÁTICO DA MICRO, PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA ASSUNTOS TRATADOS Cartilha sobre produtos e serviços bancários para Micro e Pequenos Empresários Apresentação dos cases de sucesso e fracasso no setor da Construção Civil Notícias sobre o Fórum Permanente

Leia mais

Seminário Em Busca da Excelência 2008

Seminário Em Busca da Excelência 2008 Seminário Em Busca da Excelência 2008 IEL/SC - Implementação de sistema de gestão com base nos fundamentos da excelência Natalino Uggioni Maio, 2008 1 IEL em Santa Catarina Integrante da FIESC Federação

Leia mais

Gestão Colaborativa. Luiz Ildebrando Pierry Curitiba/PR 30 de setembro de 2009. Qualidade e Produtividade para Enfrentar a Crise INOVAÇÃO

Gestão Colaborativa. Luiz Ildebrando Pierry Curitiba/PR 30 de setembro de 2009. Qualidade e Produtividade para Enfrentar a Crise INOVAÇÃO Qualidade e Produtividade para Enfrentar a Crise Gestão Colaborativa INOVAÇÃO SUSTENTABILIDADE GESTÃO COLABORATIVA EMPREENDEDORISMO CRIATIVIDADE Luiz Ildebrando Pierry Curitiba/PR 30 de setembro de 2009

Leia mais

Plan International e IIDAC com recursos do Fundo União Europeia

Plan International e IIDAC com recursos do Fundo União Europeia INSTITUTO INTERNACIONAL PARA O DESENVOLVIMENTO DA CIDADANIA TERMO DE REFERÊNCIA No. 012/2015 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA/JURÍDICA CONSULTOR POR PRODUTO 1. PROJETO Pontes para o Futuro 2. RECURSOS

Leia mais

OBJETIVO CARACTERIZAÇÃO

OBJETIVO CARACTERIZAÇÃO OBJETIVO Incrementar a economia digital do Estado de Alagoas e seus benefícios para a economia local, através de ações para qualificação, aumento de competitividade e integração das empresas e organizações

Leia mais

O QUE É? Um programa que visa melhorar a Gestão dos CFCs Gaúchos, tendo como base os Critérios de Excelência da FNQ (Fundação Nacional da Qualidade).

O QUE É? Um programa que visa melhorar a Gestão dos CFCs Gaúchos, tendo como base os Critérios de Excelência da FNQ (Fundação Nacional da Qualidade). O QUE É? Um programa que visa melhorar a Gestão dos CFCs Gaúchos, tendo como base os Critérios de Excelência da FNQ (Fundação Nacional da Qualidade). Coordenação Sindicato dos Centros de Formação de Condutores

Leia mais

Fortus Consultoria Contábil Case Qualidade. Gestão de Resultados Solução Independente de Setor e Tamanho

Fortus Consultoria Contábil Case Qualidade. Gestão de Resultados Solução Independente de Setor e Tamanho Fortus Consultoria Contábil Case Qualidade Gestão de Resultados Solução Independente de Setor e Tamanho A Motivação da Busca de Programas de Qualidade 34 Experiência com manuais sobre qualidade em indústria

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL ASSOCIAÇÃO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, SOFTWARE E INTERNET ASSESPRO REGIONAL PARANÁ

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL ASSOCIAÇÃO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, SOFTWARE E INTERNET ASSESPRO REGIONAL PARANÁ APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL ASSOCIAÇÃO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, SOFTWARE E INTERNET ASSESPRO REGIONAL PARANÁ LUÍS MÁRIO LUCHETTA DIRETOR PRESIDENTE GESTÃO 2005/2008 HISTÓRICO

Leia mais

RELATÓRIO FORMADORES DE OPINIÃO E ASSOCIADOS

RELATÓRIO FORMADORES DE OPINIÃO E ASSOCIADOS RELATÓRIO FORMADORES DE OPINIÃO E ASSOCIADOS RESULTADOS PESQUISA COM COMITÊS Definição e significado do PGQP para os comitês: Definições voltadas para ao Programa Significado do PGQP Qualificação das organizações

Leia mais

NOSSA MISSÃO NOSSA ASPIRAÇÃO NOSSOS CLIENTES

NOSSA MISSÃO NOSSA ASPIRAÇÃO NOSSOS CLIENTES NOSSA MISSÃO Estimular e apoiar as organizações para o desenvolvimento e evolução de sua gestão, por meio da disseminação dos Fundamentos e Critérios de Excelência, para que se tornem sustentáveis, cooperativas

Leia mais

www.inovforum.org.br MDIC / SDP Fórum Permanente DEPME 08 de outubro de 2008

www.inovforum.org.br MDIC / SDP Fórum Permanente DEPME 08 de outubro de 2008 www.inovforum.org.br MDIC / SDP Fórum Permanente DEPME 08 de outubro de 2008 Evolução 2000 I Fundamentos II Inovação III Organizações 2008 IV Redes 2000 I Fundamentos II Inovação III Organizações IV Redes

Leia mais

Projeto: Rede MERCOSUL de Tecnologia

Projeto: Rede MERCOSUL de Tecnologia ANEXO XIII XXXIII REUNIÓN ESPECIALIZADA DE CIENCIA Y TECNOLOGÍA DEL MERCOSUR Asunción, Paraguay 1, 2 y 3 de junio de 2005 Gran Hotel del Paraguay Projeto: Rede MERCOSUL de Tecnologia Anexo XIII Projeto:

Leia mais

Sobre a Universidade Banco Central do Brasil (UniBacen)

Sobre a Universidade Banco Central do Brasil (UniBacen) Sobre a Universidade Banco Central do Brasil (UniBacen) Histórico A UniBacen é um departamento vinculado diretamente ao Diretor de Administração do Banco Central do Brasil (BCB), conforme sua estrutura

Leia mais

Faça parte da Fundação Nacional da Qualidade

Faça parte da Fundação Nacional da Qualidade Faça parte da Fundação Nacional da Qualidade A BUSCA CONTÍNUA DA EXCELÊNCIA DA GESTÃO É O QUE NOS MOVE! A Fundação Nacional da Qualidade (FNQ) é uma instituição sem fins lucrativos, que conta com uma rede

Leia mais

Reunião do Fórum das Entidades Empresariais de Santa Maria

Reunião do Fórum das Entidades Empresariais de Santa Maria Reunião do Fórum das Entidades Empresariais de Santa Maria Santa Maria, 15 de Outubro de 2012 Pauta: 1) Contexto da Economia Criativa no Brasil de acordo com o Plano da Secretaria da Economia Criativa

Leia mais

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO COM FOCO EM COMPETÊNCIAS:

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO COM FOCO EM COMPETÊNCIAS: AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO COM FOCO EM COMPETÊNCIAS: Implantação do sistema de Avaliação de Desempenho com Foco em Competências no Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região Belém PA 2013 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO

Leia mais

PGQP. Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade. Qualidade Gestão Inovação Competitividade Sustentabilidade

PGQP. Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade. Qualidade Gestão Inovação Competitividade Sustentabilidade PGQP Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade Qualidade Gestão Inovação Competitividade Sustentabilidade visão das lideranças A Excelência de qualquer organização depende da sinergia entre três fatores:

Leia mais

Projeto Extensão Industrial Exportadora. Título da apresentação

Projeto Extensão Industrial Exportadora. Título da apresentação Título da apresentação DEFINIÇÃO: É um sistema de resolução de problemas técnico-gerenciais e tecnológicos que visa incrementar a competitividade e promover a cultura exportadora empresarial e estrutural

Leia mais

NÚCLEO NÓS PODEMOS BAHIA. Plano de Ação. Articular e integrar os segmentos da sociedade e recursos para desenvolver ações que contribuam

NÚCLEO NÓS PODEMOS BAHIA. Plano de Ação. Articular e integrar os segmentos da sociedade e recursos para desenvolver ações que contribuam NÚCLEO NÓS PODEMOS BAHIA Plano de Ação A - MISSÃO Articular e integrar os segmentos da sociedade e recursos para desenvolver ações que contribuam diretamente para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento

Leia mais

01. O QUE É? 02. OBJETIVOS DO CURSO 03. CAMPO DE ATUAÇÃO

01. O QUE É? 02. OBJETIVOS DO CURSO 03. CAMPO DE ATUAÇÃO 01. O QUE É? O Curso de Desenvolvimento de Websites é um curso de graduação tecnológica de nível superior com duração de dois anos e meio. Este curso permite a continuidade dos estudos em nível de bacharelado

Leia mais

PARANÁ ---------------------------- GOVERNO DO ESTADO PROGRAMA FORMAÇÃO DE GESTORES PARA O TERCEIRO SETOR

PARANÁ ---------------------------- GOVERNO DO ESTADO PROGRAMA FORMAÇÃO DE GESTORES PARA O TERCEIRO SETOR PARANÁ ---------------------------- GOVERNO DO ESTADO PROGRAMA FORMAÇÃO DE GESTORES PARA O TERCEIRO SETOR CURITIBA Maio 2012 1 PROGRAMA TÍTULO: Formação de Gestores para o Terceiro Setor. JUSTIFICATIVA:

Leia mais

PAEX Parceiros para a Excelência

PAEX Parceiros para a Excelência PAEX Parceiros para a Excelência Estabelecer parcerias por melhores resultados: uma prática comum na natureza e nas empresas que querem se desenvolver. CONHECA A FDC Alianças Internacionais: Uma Escola

Leia mais

Anexo V - A. Proposta de um Novo Programa de Trabalho e Funcionamento da RECYT

Anexo V - A. Proposta de um Novo Programa de Trabalho e Funcionamento da RECYT Anexo V - A Proposta de um Novo Programa de Trabalho e Funcionamento da RECYT Breve Histórico A Reunião Especializada em Ciência e Tecnologia do MERCOSUL RECYT, criada em 1992, realizou a sua primeira

Leia mais

Omega Tecnologia. Vencedora Nacional do MPE Brasil Categoria: Serviços de TI

Omega Tecnologia. Vencedora Nacional do MPE Brasil Categoria: Serviços de TI Omega Tecnologia Vencedora Nacional do MPE Brasil Categoria: Serviços de TI Quem Somos Somos uma empresa especializada em serviços e soluções de TI e Telecom. A busca permanente da inovação, o compromisso

Leia mais

Movimento Brasil Competitivo

Movimento Brasil Competitivo Movimento Brasil Competitivo O NOVO CONPI Conselho das Partes Interessadas Irani Carlos Varella Presidente do CONPI Assessor do Presidente da Petrobras Belém, 25 de setembro de 2007 Revisão das Atribuições

Leia mais

Caracterização Regional e Difusão Tecnológica para Uso Sustentável dos Recursos Hídricos das Aluviões do Semi-Árido Brasileiro

Caracterização Regional e Difusão Tecnológica para Uso Sustentável dos Recursos Hídricos das Aluviões do Semi-Árido Brasileiro CONSULTORIA Caracterização Regional e Difusão Tecnológica Ministério de Minas e Energia / CPRM / UFPE Consultoria: Ana Cristina Brito Arcoverde Período: 2006-2010 PLANO DE TRABALHO DE CONSULTORIA AO PROALUV

Leia mais

Parte integrante da Metodologia Tear de Trabalho em Cadeia de Valor

Parte integrante da Metodologia Tear de Trabalho em Cadeia de Valor Parte integrante da Metodologia Tear de Trabalho em Cadeia de Valor 2 Apresentando as etapas da Metodologia Tear de forma simplificada, esta versão resumida foi preparada para permitir um acesso rápido

Leia mais

)))* "*+$ Núcleo de Projetos Especiais Divisão de Processos e Segurança da Informação "$%&'(

)))* *+$ Núcleo de Projetos Especiais Divisão de Processos e Segurança da Informação $%&'( )))* "*+$!"# Núcleo de Projetos Especiais Divisão de Processos e Segurança da Informação "$%&'( , $-. Cecom Centro de Computação: atendimento das demandas corporativas da universidade. LCC Laboratório

Leia mais

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social Programa 0465 SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO - INTERNET II Objetivo Incrementar o grau de inserção do País na sociedade de informação e conhecimento globalizados. Público Alvo Empresas, usuários e comunidade

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO - Pós-Graduação em Logística Empresarial

MANUAL DO CANDIDATO - Pós-Graduação em Logística Empresarial CONHEÇA A FACCENTRO Educação de excelência de mãos dadas com o mercado de trabalho. Esse é o compromisso da rede de ensino FACCENTRO, que possui mais de 15 anos de tradição e reconhecimento em ensino técnico.

Leia mais

visitas às instituições sociais. Os colaboradores voluntários também foram consultados, por meio da aplicação de um questionário.

visitas às instituições sociais. Os colaboradores voluntários também foram consultados, por meio da aplicação de um questionário. 1. Apresentação O Voluntariado Empresarial é um dos canais de relacionamento de uma empresa com a comunidade que, por meio da atitude solidária e proativa de empresários e colaboradores, gera benefícios

Leia mais

A estratégia do PGQP frente aos novos desafios. 40ª Reunião da Qualidade 09-10-2006 Eduardo Guaragna

A estratégia do PGQP frente aos novos desafios. 40ª Reunião da Qualidade 09-10-2006 Eduardo Guaragna A estratégia do PGQP frente aos novos desafios 40ª Reunião da Qualidade 09-10-2006 Eduardo Guaragna PROCESSO DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO MACROFLUXO ENTRADAS PARA O PROCESSO - Análise de cenários e conteúdos

Leia mais

PROGRAMA BRASILEIRO DE AVALIAÇÃO DO CICLO DE VIDA

PROGRAMA BRASILEIRO DE AVALIAÇÃO DO CICLO DE VIDA VII WORKSHOP INTERNACIONAL DE AC DO INMETRO PROGRAMA BRASILEIRO DE AVALIAÇÃO DO CICLO DE VIDA Elizabeth Cavalcanti Rio de Janeiro 15 de maio de 2012 PBACV: OBJETIVO Estabelecer diretrizes, no âmbito do

Leia mais

Projeto de Inovação Tecnológica - (PIT) da Câmara Brasileira da Indústria da Construção. Projeto 6 Capacitação para a Inovação

Projeto de Inovação Tecnológica - (PIT) da Câmara Brasileira da Indústria da Construção. Projeto 6 Capacitação para a Inovação Projeto de Inovação Tecnológica - (PIT) da Câmara Brasileira da Indústria da Construção Projeto 6 Capacitação para a Inovação Vicente Mattos Sinduscon-BA Coordenador Geral: Equipe Técnica Vicente Mattos

Leia mais

Projeto 05. Plano de intercâmbio / parceria entre os examinadores de diferentes Estados e Setores

Projeto 05. Plano de intercâmbio / parceria entre os examinadores de diferentes Estados e Setores Projeto 05 Plano de intercâmbio / parceria entre os examinadores de diferentes Estados e Setores Estimular intercâmbio/ parceria entre os examinadores de diferentes estados e setores Desenvolver plano

Leia mais

Governo do Estado do Rio Grande do Sul Secretaria da Educação Secretaria do Meio Ambiente Órgão Gestor da Política Estadual de Educação Ambiental

Governo do Estado do Rio Grande do Sul Secretaria da Educação Secretaria do Meio Ambiente Órgão Gestor da Política Estadual de Educação Ambiental Governo do Estado do Rio Grande do Sul Secretaria da Educação Secretaria do Meio Ambiente Órgão Gestor da Política Estadual de Educação Ambiental PROJETO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

Leia mais

Projeto de Extensão 1 IDENTIFICAÇÃO DO EVENTO

Projeto de Extensão 1 IDENTIFICAÇÃO DO EVENTO 1 IDENTIFICAÇÃO DO EVENTO Título: PROJETO DE GESTÃO E VALORIZAÇÃO DE PESSOAS Data de realização: a partir de 2013 Local de realização: IESUR Clientela: Colaboradores e acadêmicos do IESUR Unidade organizadora

Leia mais

COMITÊ NACIONAL DA QUALIDADE ABES CNQA. Ata da 50ª Reunião do CNQA

COMITÊ NACIONAL DA QUALIDADE ABES CNQA. Ata da 50ª Reunião do CNQA COMITÊ NACIONAL DA QUALIDADE ABES CNQA ATA de Reunião Ata da 50ª Reunião do CNQA Local: Estação Business School - Curitiba - Paraná. Data: 23/01//2014 Horário: 14h00minh às 18h00min Coordenação: Carlos

Leia mais

Metodologia de implementação e certificação ISO20.000. Garanta a eficiência e a competitividade da sua empresa

Metodologia de implementação e certificação ISO20.000. Garanta a eficiência e a competitividade da sua empresa de implementação e certificação ISO20.000 Garanta a eficiência e a competitividade da sua empresa Por que estas organizações implementaram a ISO20.000? Alinhamento do negócio e TI Redução da exposição

Leia mais

FÓRUM REGIONAL PERMANENTE DAS MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE DO ESTADO DO PARANÁ

FÓRUM REGIONAL PERMANENTE DAS MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE DO ESTADO DO PARANÁ FÓRUM REGIONAL PERMANENTE DAS MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE DO ESTADO DO PARANÁ MISSÃO DO FÓRUM REGIONAL Promover, articular e integrar governo, entidades de apoio e de representação visando

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão de Projetos tem por fornecer conhecimento teórico instrumental que

Leia mais

"Caso de Sucesso" Palace Hotel Vencedor MPE Brasil Categoria Turismo

Caso de Sucesso Palace Hotel Vencedor MPE Brasil Categoria Turismo "Caso de Sucesso" Palace Hotel Vencedor MPE Brasil Categoria Turismo Nossas Boas Práticas de Gestão Vantagens na Adoção Ganhos Obtidos com o Prêmio Histórico Final do século XIX: Palacete Comendador Cardoso

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu. MBA em Estratégia e Liderança Empresarial

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu. MBA em Estratégia e Liderança Empresarial Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Estratégia e Liderança Empresarial Apresentação O programa de MBA em Estratégia e Liderança Empresarial tem por objetivo preparar profissionais para

Leia mais

Programa Ciência Sem Fronteiras (PCsF) para a indústria INDÚSTRIA BRASILEIRA

Programa Ciência Sem Fronteiras (PCsF) para a indústria INDÚSTRIA BRASILEIRA Programa Ciência Sem Fronteiras (PCsF) para a indústria INDÚSTRIA BRASILEIRA MEI-Mobilização Empresarial pela Inovação PRINCIPAIS DIRETRIZES Enfatizar a formação de recursos humanos qualificados Apoiar

Leia mais

NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA E EXTENSÃO

NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA E EXTENSÃO NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA E EXTENSÃO 1. Caracterização do Problema (máximo 1 página) Descrever objetivamente, com o apoio da literatura, o problema focalizado, sua relevância no contexto

Leia mais

PROPOSTA. Plano de Trabalho do Comitê Temático de APLs de Base Mineral 2011/ 2012.

PROPOSTA. Plano de Trabalho do Comitê Temático de APLs de Base Mineral 2011/ 2012. PROPOSTA Plano de Trabalho do Comitê Temático de APLs de Base Mineral 2011/ 2012. 1 Apresentação No campo da Política Nacional de Apoio aos Arranjos Produtivos Locais (APLs), o Grupo de Trabalho Permanente

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO - Pós-Graduação em Finanças e Controladoria

MANUAL DO CANDIDATO - Pós-Graduação em Finanças e Controladoria CONHEÇA A FACCENTRO Educação de excelência de mãos dadas com o mercado de trabalho. Esse é o compromisso da rede de ensino FACCENTRO, que possui mais de 15 anos de tradição e reconhecimento em ensino técnico.

Leia mais

PROJETO SETORIAL DO POLO DE TI&C DE SÃO CAETANO DO SUL E REGIÃO TERMO DE REFERÊNCIA

PROJETO SETORIAL DO POLO DE TI&C DE SÃO CAETANO DO SUL E REGIÃO TERMO DE REFERÊNCIA PROJETO SETORIAL DO POLO DE TI&C DE SÃO CAETANO DO SUL E REGIÃO TERMO DE REFERÊNCIA Prestação de Serviços em Assessoria, Consultoria e Treinamento na área de Recursos Humanos. 1. OBJETIVO Os objetivos

Leia mais

EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS

EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS EIXO III - CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO

Leia mais

Como o TCU vem implantando a governança de TI

Como o TCU vem implantando a governança de TI Como o TCU vem implantando a governança de TI Assessoria de Segurança da Informação e Governança de TI - Assig - Marisa Alho Chefe de Assessoria Assessoria de Segurança da Informação e Governança de TI

Leia mais

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL Eixos Temáticos, Diretrizes e Ações Documento final do II Encontro Nacional de Educação Patrimonial (Ouro Preto - MG, 17 a 21 de julho

Leia mais

Cooperação e Governança em Arranjos Produtivos Locais

Cooperação e Governança em Arranjos Produtivos Locais Cooperação e Governança em Arranjos Produtivos Locais 1ª Conferência Brasileira sobre Arranjos Produtivos Locais Carlos Roberto Rocha Cavalcante Superintendente 2004 Histórico de Atuação do IEL 1969 -

Leia mais

V - promover a cooperação internacional na área de ciência, tecnologia e inovação;

V - promover a cooperação internacional na área de ciência, tecnologia e inovação; DECRETO Nº 7.642, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011 * Programa Ciência sem Fronteiras. * Institui o Programa Ciência sem Fronteiras. A Presidenta da República, no uso das atribuições que lhe confere o art. 84,

Leia mais

Projeto de Apoio a Inserção Internacional de. São João Batista (SC) DEZEMBRO - 2009

Projeto de Apoio a Inserção Internacional de. São João Batista (SC) DEZEMBRO - 2009 Projeto de Apoio a Inserção Internacional de MPE s Brasileiras Calçadistas do APL de São João Batista (SC) DEZEMBRO - 2009 Identificar OBJETIVOS DA AÇÃO e solucionar gargalos na gestão das empresas, principalmente

Leia mais

Gestão da Inovação no Contexto Brasileiro. Hugo Tadeu e Hérica Righi 2014

Gestão da Inovação no Contexto Brasileiro. Hugo Tadeu e Hérica Righi 2014 Gestão da Inovação no Contexto Brasileiro Hugo Tadeu e Hérica Righi 2014 INTRODUÇÃO Sobre o Relatório O relatório anual é uma avaliação do Núcleo de Inovação e Empreendedorismo da FDC sobre as práticas

Leia mais

Programa Rede A PARCERIA CFC E SEBRAE: EDUCAÇÃO EMPREENDEDORA EM RESPONSABILIDADE PROFISSIONAL E SOCIAL

Programa Rede A PARCERIA CFC E SEBRAE: EDUCAÇÃO EMPREENDEDORA EM RESPONSABILIDADE PROFISSIONAL E SOCIAL Programa Rede A PARCERIA CFC E SEBRAE: EDUCAÇÃO EMPREENDEDORA EM RESPONSABILIDADE PROFISSIONAL E SOCIAL JUSTIFICATIVA A experiência na implementação da primeira versão do Programa Contabilizando o Sucesso

Leia mais

12º PRÊMIO SER HUMANO ABRH-ES EDIÇÃO 2015

12º PRÊMIO SER HUMANO ABRH-ES EDIÇÃO 2015 12º PRÊMIO SER HUMANO ABRH-ES EDIÇÃO 2015 REGULAMENTO A ABRH-ES (Associação Brasileira de Recursos Humanos Seccional Espírito Santo) é integrante do Sistema Nacional ABRH e configura-se como instituição

Leia mais

Núcleo Estadual GesPública RS

Núcleo Estadual GesPública RS Programa Nacional de Gestão Pública e Desburocratização GESPÚBLICA Núcleo Estadual GesPública RS Contexto do GESPÚBLICA no MINISTÉRIO Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão G E S P Ú B L I C A Conselho

Leia mais

IEL no Brasil. Integrante do Sistema Indústria. Criado em 1969 (presente nas 27 UFs e DF) Foco: Gestão

IEL no Brasil. Integrante do Sistema Indústria. Criado em 1969 (presente nas 27 UFs e DF) Foco: Gestão IEL no Brasil Integrante do Sistema Indústria Criado em 1969 (presente nas 27 UFs e DF) Foco: Gestão O diálogo constante com o setor produtivo faz do IEL uma das instituições mais atuantes no aperfeiçoamento

Leia mais

BRASIL JUNTOS PELO BRASIL

BRASIL JUNTOS PELO BRASIL JUNTOS PELO O Green Project Awards (GPA) é uma plataforma de multi-stakeholders que permite a criação de um movimento para o desenvolvimento sustentável. O grande diferencial do GPA é que ele coloca os

Leia mais

4ªConferência Brasileira de Arranjos Produtivos Locais OPORTUNIDADES DE MELHORIA NA GESTÃO DOS APLS PROPOSIÇÕES MBC

4ªConferência Brasileira de Arranjos Produtivos Locais OPORTUNIDADES DE MELHORIA NA GESTÃO DOS APLS PROPOSIÇÕES MBC 4ªConferência Brasileira de Arranjos Produtivos Locais OPORTUNIDADES DE MELHORIA NA GESTÃO DOS APLS PROPOSIÇÕES MBC QUEM SOMOS O (MBC) foi criado em novembro de 20012 e é reconhecido como uma Organização

Leia mais

Histórico do Programa Brasileiro do Design

Histórico do Programa Brasileiro do Design Histórico do Programa Brasileiro do Design 1995 Lançamento do Programa Brasileiro do Design; Exposição: "O Brasil Mostra sua Marca". 1996 Concurso da Logomarca do PBD; Estudo: "Design para a Competitividade".

Leia mais

gestão das Instâncias de Governança nas regiões turísticas prioritárias do país.

gestão das Instâncias de Governança nas regiões turísticas prioritárias do país. OBJETIVO GERAL Estabelecer cooperação técnica para desenvolver e implementar ações que visem a fortalecer o ciclo da gestão das Instâncias de Governança nas regiões turísticas prioritárias do país. IMPORTANTE:

Leia mais

2 - APLICAÇÃO DO MMD-TC QATC

2 - APLICAÇÃO DO MMD-TC QATC 2.1 - Domínios, Indicadores, Dimensão e Critérios A metodologia do MMD-TC QATC, baseada no SAI-PMF, é composta de: Domínios (áreas chaves) que possuem: 1 ou + Indicadores compostos por: 1 a 4 Dimensões

Leia mais

APL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO PLANO DE DESENVOLVIMENTO PRELIMINAR - PDP. Junho/2008

APL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO PLANO DE DESENVOLVIMENTO PRELIMINAR - PDP. Junho/2008 APL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO PLANO DE DESENVOLVIMENTO PRELIMINAR - PDP Junho/2008 Foco Estratégico 1.Aumento da participação de mercado com os produtos atuais. 2.Conquista e manutenção

Leia mais

GRADUAÇÃO INOVADORA NA UNESP

GRADUAÇÃO INOVADORA NA UNESP PROGRAMA GRADUAÇÃO INOVADORA NA UNESP 2014 PROGRAMA GRADUAÇÃO INOVADORA NA UNESP INTRODUÇÃO A Pró-reitoria de graduação (PROGRAD), a Câmara Central de Graduação (CCG), o Núcleo de Educação à Distância

Leia mais

Planejamento Estratégico 2007 2008. Quatro Projetos da Equipe 1

Planejamento Estratégico 2007 2008. Quatro Projetos da Equipe 1 Planejamento Estratégico 2007 2008 Objetivo Estratégico: Estimular criação / desenvolvimento e fortalecimento de programas estaduais e setoriais. Quatro Projetos da Equipe 1 revisão em 26/09/2007 Missão:

Leia mais

PROJETO IND P&G 6.1 PROMINP. Workshop Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores SP 25/outubro/2011

PROJETO IND P&G 6.1 PROMINP. Workshop Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores SP 25/outubro/2011 PROJETO IND P&G 6.1 PROMINP Workshop Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores SP 25/outubro/2011 AGENDA 1 O SETOR DE PETRÓLEO E GÁS 2 O CONVÊNIO PETROBRAS-SEBRAE 3 GESTÃO E RESULTADOS DOS PROJETOS CENÁRIO

Leia mais

O QUE SUA EMPRESA PODE FAZER PARA SER MAIS COMPETITIVA?

O QUE SUA EMPRESA PODE FAZER PARA SER MAIS COMPETITIVA? O QUE SUA EMPRESA PODE FAZER PARA SER MAIS COMPETITIVA? O IEL O Instituto Euvaldo Lodi é uma entidade vinculada à CNI - Confederação Nacional da Indústria. Com 101 unidades em 26 estados e no Distrito

Leia mais

Convênio FIESP/SEBRAE. APL de Jóias de São José do Rio Preto

Convênio FIESP/SEBRAE. APL de Jóias de São José do Rio Preto Convênio FIESP/SEBRAE APL de Jóias de São José do Rio Preto Rio de Janeiro - Outubro, 2004 1 Metodologia FIESP 2 Objetivos: Micros e Pequenas Empresas Aumentar a Competitividade Criar Processos de Auto-Sustentação

Leia mais

QUALITY ASSURANCE. Com a Auditoria Interna da Telefônica Vivo se Estruturou para Obter a Certificação Internacional do IIA

QUALITY ASSURANCE. Com a Auditoria Interna da Telefônica Vivo se Estruturou para Obter a Certificação Internacional do IIA QUALITY ASSURANCE Com a Auditoria Interna da Telefônica Vivo se Estruturou para Obter a Certificação Internacional do IIA Viviane Souza Miranda CCSA Diretora de Auditoria Interna Telefônica Vivo Índice

Leia mais

O Programa de Fortalecimento da Atividade Empresarial (PROGREDIR) e os APLs no Estado da Bahia: Um Caso de Sucesso

O Programa de Fortalecimento da Atividade Empresarial (PROGREDIR) e os APLs no Estado da Bahia: Um Caso de Sucesso O Programa de Fortalecimento da Atividade Empresarial (PROGREDIR) e os APLs no Estado da Bahia: Um Caso de Sucesso 4ª Conferência Brasileira de Arranjos Produtivos Locais Brasília, 27 a 29 de novembro

Leia mais

JORNADA DE EXCELÊNCIA IPEG

JORNADA DE EXCELÊNCIA IPEG v11 1 JORNADA DE EXCELÊNCIA IPEG Um caminho eficaz para sua empresa ganhar mais competitividade e sustentabilidade por meio da gestão. Modelo, Metodologia, Gente O que é Um programa prático de educação

Leia mais

Centro Tecnológico do Couro, Calçados e Afins

Centro Tecnológico do Couro, Calçados e Afins Centro Tecnológico do Couro, Calçados e Afins O CTCCA - Centro Tecnológico do Couro, Calçados e Afins é uma entidade de direito privado, sem fins lucrativos, localizada na cidade de Novo Hamburgo/RS, que

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA DE COMÉRCIO EXTEIROR 3 ª CONFERÊNCIA BRASILEIRA DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA DE COMÉRCIO EXTEIROR 3 ª CONFERÊNCIA BRASILEIRA DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA DE COMÉRCIO EXTEIROR DEPARTAMENTO DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO DO COMÉRCIO EXTERIOR 3 ª CONFERÊNCIA BRASILEIRA DE ARRANJOS PRODUTIVOS

Leia mais

Qual a melhor técnica para auto-avaliação?

Qual a melhor técnica para auto-avaliação? técnicas Qual a melhor técnica para auto-avaliação? : Integração das ferramentas de auto-avaliação 1. Por meio de questionários aplicados às partes interessadas (docentes, discentes, funcionários e sociedade)

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 1. Palestras informativas O que é ser voluntário Objetivo: O voluntariado hoje, mais do que nunca, pressupõe responsabilidade e comprometimento e para que se alcancem os resultados

Leia mais

CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA VISCONDE DE CAIRU CEPPEV CURSO: GESTÃO DE DATACENTER E COMPUTAÇÃO EM NUVEM 2013.2

CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA VISCONDE DE CAIRU CEPPEV CURSO: GESTÃO DE DATACENTER E COMPUTAÇÃO EM NUVEM 2013.2 NÚMERO DE VAGAS: 25 (Vinte e Cinco) Vagas. PREVISÃO DE INÍCIO DAS AULAS 01 de Novembro de 2013 CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA VISCONDE DE CAIRU CEPPEV APRESENTAÇÃO / JUSTIFICATIVA A Fundação Visconde

Leia mais

SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS

SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS 1 FINALIDADE DO PROJETO ESTRATÉGICO Simplificar e padronizar os processos internos, incrementando o atendimento ao usuário. Especificamente o projeto tem o objetivo de: Permitir

Leia mais

Luiz Ildebrando PIERRY 28/4/2009

Luiz Ildebrando PIERRY 28/4/2009 Luiz Ildebrando PIERRY 28/4/2009 Estrutura da AQRS/PGQP 2009/2010 CONSELHO SUPERIOR CONSELHO FISCAL CTSA CTSA CONSELHO DIRETOR SECRETARIA EXECUTIVA Comitês Setoriais Comitês Regionais Org. com Termo de

Leia mais

Análise exploratória da Inovação Tecnológica nos Estados, Regiões e. no Brasil com base na Pesquisa de Inovação Tecnológica PINTEC

Análise exploratória da Inovação Tecnológica nos Estados, Regiões e. no Brasil com base na Pesquisa de Inovação Tecnológica PINTEC USCS UNIVERSIDADE MUNICIPAL DE SÃO CAETANO DO SUL PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Guilherme Yukihiro Dallaido Shibata Análise exploratória da Inovação Tecnológica nos Estados, Regiões e no Brasil com

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ESTADO DO CEARÁ SECITECE UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ UECE

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ESTADO DO CEARÁ SECITECE UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ UECE GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ESTADO DO CEARÁ SECITECE UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ UECE PROJETO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ

Leia mais

Visa, como objetivo final, a promoção do desenvolvimento sustentável da região.

Visa, como objetivo final, a promoção do desenvolvimento sustentável da região. Agenda 21 Comperj Iniciativa voluntária de relacionamento da Petrobras para contribuir para que o investimento na região retorne para a população, fomentando a formação de capital social e participação

Leia mais

Plano BrasilMaior 2011/2014

Plano BrasilMaior 2011/2014 Plano BrasilMaior 2011/2014 Inovar para competir. Competir para crescer. Agenda de Ações para a Competitividade dos Pequenos Negócios Dimensões do Plano Brasil Maior -Quadro Síntese Dimensão Estruturante:

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. MEMÓRIA: Reunião Preparatória do Comitê Temático de Inovação e Crédito GT Rede de Disseminação, Informação e Capacitação

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. MEMÓRIA: Reunião Preparatória do Comitê Temático de Inovação e Crédito GT Rede de Disseminação, Informação e Capacitação PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Secretaria da Micro e Pequena Empresa Fórum Permanente de Microempresas e Empresas de Pequeno Porte MEMÓRIA: Reunião Preparatória do Comitê Temático de Inovação e Crédito GT Rede

Leia mais

TERMOS DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL ESPECIALIZADO

TERMOS DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL ESPECIALIZADO TERMOS DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL ESPECIALIZADO 1. IDENTIFICAÇÃO DO TERMO DE REFERÊNCIA 1.1 UGP Nº 002/ 2012. 2. IDENTIFICAÇÃO DO CONTRATANTE 2.1 Contratante A Secretaria de Desenvolvimento

Leia mais

A Construção de Categorias e Indicadores para Avaliação Institucional de Cursos, Projetos e Atividades de Extensão Universitária

A Construção de Categorias e Indicadores para Avaliação Institucional de Cursos, Projetos e Atividades de Extensão Universitária Anais do 2º Congresso Brasileiro de Extensão Universitária Belo Horizonte 12 a 15 de setembro de 2004 A Construção de Categorias e Indicadores para Avaliação Institucional de Cursos, Projetos e Atividades

Leia mais

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br PREZADO (A) SENHOR (A) Agradecemos seu interesse em nossos programas de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você está recebendo o programa do curso

Leia mais

PNGS Ciclo 2012-2013 CQH

PNGS Ciclo 2012-2013 CQH PNGS Ciclo 2012-2013 CQH Missão: Contribuir para a melhoria contínua da qualidade no atendimento nos serviços de saúde mediante metodologia específica. Modelo de Gestão Entidades Mantenedoras Associação

Leia mais