Manual de Gestão da Qualidade MGQ Elaborado por: Representante da Direção (RD)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Manual de Gestão da Qualidade MGQ Elaborado por: Representante da Direção (RD)"

Transcrição

1 1/22 Nº revisão Descrição da Revisão 00 Emissão do documento baseado nos requisitos da ISO 9001:2008 Vendas Gestão de Contratos Service Demais envolvidos na análise e aprovação Área / Processo Responsável Rubrica Administrativo Financeiro RH Engenharia Fabrica Suprimentos Jurídico Tecnologia da Informação Roberto Saghi Amanda Marciano Kellen Coração Carina Dorta Aline Teixeira João Tavares Carlos Reis Edison Momi Ricardo Abreu Marcos Monteggia Índice Pág. 1. Apresentação da Empresa Escopo do Sistema e Referência Normativa Escopo Referência Normativa Requisitos normativos não aplicáveis neste manual Termos e Definições Sistema de Gestão da Qualidade Requisitos Gerais Identificação dos processos para o Sistema de Gestão da Qualidade e sua aplicação por toda empresa Recursos e informações necessárias para apoiar a operação e o monitoramento dos processos Controle de Processos Externos Requisitos de Documentação Generalidades 08

2 2/ Manual de Gestão da Qualidade Controle de Documentos Controle de Registros Responsabilidade da Direção Comprometimento da Direção Foco no Cliente Política da Qualidade Planejamento Objetivos da Qualidade Planejamento do Sistema de Gestão da Qualidade Responsabilidade, Autoridade e Comunicação Responsabilidade e Autoridade Representante da Direção Comunicação Interna Análise Crítica pela Direção Generalidades Entradas para a Análise Crítica Saídas da Análise Crítica Gestão de Recursos Provisão de Recursos Recursos Humanos Generalidades Competência, Conscientização e Treinamento Infra Estrutura Ambiente de Trabalho Realização do Produto Planejamento da Realização do Produto ou do Serviço Processos Relacionados a Clientes Determinação de Requisitos Relacionados ao Produto ou ao Serviço Análise Crítica dos Requisitos Relacionados ao Produto ou ao Serviço 15

3 3/ Comunicação com o Cliente Projeto e Desenvolvimento Planejamento de projeto e desenvolvimento Entradas de projeto e desenvolvimento Saídas de projeto e desenvolvimento Análise crítica de projeto e desenvolvimento Verificação de projeto e desenvolvimento Validação de projeto e desenvolvimento Controle de alterações de projeto e desenvolvimento Aquisição Processo de Aquisição Informações de Aquisição Verificação do Produto Adquirido Produção e Fornecimento de Serviço Controle de Produção e Fornecimento de Serviço Validação dos Processos de Produção e Fornecimento do Serviço Identificação e Rastreabilidade Propriedade do Cliente Preservação do Produto Controle de Dispositivos de Medição e Monitoramento Medição, Análise e Melhoria Generalidades Medição e Monitoramento Satisfação dos Clientes Auditoria Interna e Externa Medição e Monitoramento de Processos Medição e Monitoramento de Produto Controle de Produto Não Conforme Análise de Dados Melhorias 22

4 4/ Melhoria Contínua Ação Corretiva Ação Preventiva 22 ANEXOS: Anexo 1 Fluxograma macro da interação dos processos; Anexo 2 Política da Qualidade; Anexo 3 Objetivos e Metas Lista de Indicadores da SINER; Anexo 4 Organograma; Anexo 5 Designação do RD (Representante da Direção); Anexo 6 Estabelecimento da Alta Direção; Anexo 7 Matriz de Responsabilidades.

5 5/22 1. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA Inovação é a palavra chave para as empresas atenderem as necessidades do mercado atual e para sobreviverem no século XXI. É através da inovação, que possibilitamos novas perspectivas para as empresas competirem no mercado e contribuírem para o desenvolvimento econômico e social do país. Assim, em 1990 nasce de uma visão empreendedora e futurística, uma empresa que viria a ser, uma das principais organizações de soluções de energia do país. Esta empresa se chama Siner e até hoje vem realizando serviços especializados em equipamentos de baixa, média e alta tensão para geração, transmissão, distribuição e controle de energia. Com seus 20 anos de muitas glórias e vitórias, participa de um momento histórico do nosso país com progresso sustentável, setorial e empresarial. 2. ESCOPO DO SISTEMA E REFERENCIA NORMATIVA 2.1 Escopo Projeto e Desenvolvimento, Fabricação, Instalação e Manutenção de Sistemas e Painéis Elétricos. 2.2 Referência normativa ABNT NBR ISO 9001:2008 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos; ABNT NBR ISO 9000:2005 Sistemas de gestão da qualidade Fundamentos e vocabulário. Consideramos ainda em nosso processo normas técnicas específicas para o desenvolvimento do escopo citado acima. 2.3 Requisitos normativos não aplicáveis neste Manual Não existem requisitos da NBR ISO 9001:2008 que sejam considerados não aplicáveis.

6 6/22 3. TERMOS E DEFINIÇÕES SGQ Sistema de Gestão da Qualidade. 4. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE 4.1 Requisitos Gerais O Sistema de Gestão da Qualidade foi estabelecido, documentado e implementado para o gerenciamento da Qualidade dos produtos e serviços oferecidos pela SINER. Adotamos como principio de melhoria, a metodologia conhecida como ciclo PDCA. Plan (Planejar): Estabelecer os objetivos e processos necessários para atingir resultados, de acordo com os requisitos e políticas da organização; Do (Fazer): Implementar os processos e executar as atividades planejadas; Check (Checar): Monitorar e medir processos e produtos, de acordo com políticas, objetivos e requisitos estabelecidos e relatar os resultados; e Act (Agir): Realizar ações de melhoria ao SGQ. MELHORIA CONTÍNUA DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE Clientes Responsabilidad e da Alta Direção Clientes Requisitos Entrada Gestão de recursos Realização do processo Medição, análise e melhoria Satisfação Produtos e serviços fornecidos Saída Figura 1: Sistema de Gestão da Qualidade baseado em processo

7 7/22 Esta abordagem de processo, apresentada na Figura 1, é aplicada no desenvolvimento, implementação e melhoria da eficácia do SGQ, com a intenção de buscar a satisfação do cliente através do atendimento dos seus requisitos. O cliente desempenha papel importante no sistema quando da definição dos requisitos de entrada e no retorno quanto a sua satisfação Identificação dos Processos para o Sistema de Gestão da Qualidade e sua Aplicação por toda a Empresa. Definimos um fluxograma macro da interação dos processos (conforme anexo 1), o qual representa o intercâmbio entre as áreas. Para que esta interação seja plena, implementamos as regras definidas em nosso manual de gestão da qualidade, nos procedimentos sistêmicos, nos procedimentos operacionais e de formulários que geram evidencias do controle que temos sobre as atividades, e subseqüentemente garantem a qualidade dos nossos produtos e serviços. As informações geradas nestes processos são incorporadas para a melhoria contínua do SGQ Recursos e Informações Necessárias para Apoiar a Operação e o Monitoramento dos Processos. O conjunto de documentação implementada garante que sejam: Identificados quais os recursos necessários para cada processo; Definidos os canais de comunicação para disseminação da informação; Promovidas informações interna e externa sobre os processos; Coletados dados quando da execução dos processos; Definidos os métodos para monitorar, medir e analisar os processos, assim como, ações necessárias para atingir os resultados planejados e a melhoria contínua do SGQ Controle de Processos Externos

8 8/22 Quando há necessidade de contratação de serviços de apoio ou terceirização de processos externos, os mesmos são realizados por fornecedores devidamente qualificados conforme definido no item Processo de Aquisição deste manual. 4.2 Requisitos de Documentação Generalidades Figura 2: Estrutura de documentação do Sistema de Gestão da Qualidade Manual de Gestão da Qualidade Este Manual de Gestão da Qualidade foi estabelecido e é mantido de forma a descrever o SGQ da SINER e a interação entre os seus processos. Possui referência a Procedimentos Sistêmicos PS`s e a Anexos, os quais complementam este manual Controle de Documentos O procedimento sistêmico PS01 Controle de Documentos foi desenvolvido, estabelecido e é mantido para controlar toda a documentação envolvida no funcionamento efetivo do SGQ Controle de Registros

9 9/22 Os Registros da Qualidade são emitidos e mantidos para evidenciarem a efetiva operação do SGQ e a conformidade dos produtos, processos e serviços, conforme procedimento sistêmico PS02 Controle de Registros. 5. RESPONSABILIDADE DA DIREÇÃO 5.1 Comprometimento da Direção A Alta Direção da SINER (conforme anexo 6) compromete-se no envolvimento de seu SGQ, assim como, na melhoria continua. Para tanto transfere responsabilidades aos gestores que garantem a comunicação e o entendimento dos requisitos do cliente quando do desenvolvimento de seus processos. A eficácia do SGQ poderá ser observada mediante a implementação das seções 5.3., 5.4., 5.6., 6.1. e Foco no Cliente A Alta Direção da SINER por meio de seus processos (seções e ) assegura que os requisitos dos clientes são determinados e atendidos, com foco em aumentar sua satisfação. 5.3 Política da Qualidade A Alta Direção da SINER assegura que sua Política da Qualidade (conforme anexo 2) é apropriada ao escopo (seção 2.1.) e garante a sua comunicação e seu entendimento aos colaboradores. A Política da Qualidade é analisada criticamente (seção 5.6.) objetivando sua manutenção e adequação. 5.4 Planejamento Objetivos da Qualidade

10 10/22 A Alta Direção da SINER assegura por meio de seus Indicadores de Desempenho (conforme anexo 3), a devida implementação de seus objetivos e metas da qualidade, os quais são coerentes e mensuráveis com a política da qualidade Planejamento do Sistema de Gestão da Qualidade A Alta Direção da SINER assegura que o seu SGQ se mantém continuamente implementado de forma planejada, atendendo aos requisitos citados na seção 4.1., bem como nos objetivos e metas determinados no anexo Responsabilidade, Autoridade e Comunicação Responsabilidade e Autoridade É de responsabilidade dos gestores à coordenação dos processos a fim de assegurar uma interação adequada entre as áreas, objetivando assim que os requisitos da qualidade sejam atingidos. Os gestores são responsáveis pela implementação e manutenção do SGQ descrito neste manual e nos demais procedimentos que integram o sistema de gestão, delegando a cada colaborador a responsabilidade individual pela qualidade do trabalho realizado quando do exercício de suas atividades em suas respectivas áreas. As autoridades no âmbito da estrutura hierárquica da SINER podem ser observadas no Organograma (conforme anexo 4) e as responsabilidades no âmbito da gestão da qualidade podem ser observadas na Matriz de Responsabilidades (conforme anexo 7) Representante da Direção A Alta Direção da SINER delega responsabilidade e autoridade ao Representante da Direção RD (conforme anexo 5), de modo que o mesmo assegure que os processos necessários para o SGQ sejam estabelecidos, implementados, mantidos e melhorados, por meio de auditorias e reuniões de Análise Crítica com a Alta Direção (conforme seção 5.6.).

11 11/22 O Representante da Direção deve relatar o desempenho do SGQ à Alta Direção sempre que necessário ou quando for solicitado, assegurando a conscientização dos colaboradores para com os requisitos do cliente quando estes estiverem executando suas atividades. Esta responsabilidade pode incluir a ligação com partes externas em assuntos relacionados ao SGQ Comunicação Interna São implementados e mantidos processos para a Comunicação Interna na Empresa tanto no âmbito informativo quanto entre as áreas no quesito trabalho (Painéis de Gestão a Vista, Banner`s, Intranet, Quadros, , reuniões), referentes a eficácia do SGQ, enfatizando principalmente a divulgação da Política da Qualidade, dos requisitos dos Clientes, dos Objetivos e Metas da Qualidade e seus resultados. 5.6 Análise Crítica pela Direção Generalidades O SGQ é analisado periodicamente pela Alta Direção, para assegurar sua contínua pertinência, adequação, suficiência e eficácia. Estas Análises são realizadas no mínimo uma vez a cada intervalo de auditoria de certificação ou de manutenção e incluem avaliações dos processos, dos procedimentos, de possíveis oportunidades de melhoria ou mudanças do sistema e da Política da Qualidade e seus objetivos Entradas para a Análise Crítica A complexidade e conteúdo das análises criticas pela Alta Direção, abrangem os temas abaixo, e são entendidos como dados de entrada: Ações voltadas a auditorias internas e externas; Satisfação do cliente ou outras informações advindas dos mesmos; Desempenho dos processos e conformidade dos produtos e serviços fornecidos;

12 12/22 Resultados de não conformidades, ações corretivas e ações preventivas; Resultados e acompanhamento das ações de análises criticas anteriores pela Direção; Mudanças relevantes que possam afetar o SGQ; Desempenho do SGQ; Análise da pertinência e adequação da Política da Qualidade, seus Objetivos e Metas Saídas da Análise Crítica As conclusões dos assuntos de Análise Crítica Pela Direção incluem decisões e ações relativas a: Melhoria Contínua e a eficácia do sistema e seus processos; Melhoria do produto quando comparados aos requisitos do cliente; Necessidade que prover recursos (financeiros, administrativos ou humanos) suficientes para garantir a implementação do SGQ. 6. GESTÃO DE RECURSOS 6.1 Provisão de Recursos A SINER provê recursos adequados para a implementação do SGQ através do planejamento dos investimentos que envolvem: A implementação do SGQ e a eficácia; A manutenção e a melhoria de sua infra-estrutura; A seleção, contratação e treinamento dos recursos humanos; Melhoria do ambiente de trabalho; O aumento da satisfação do cliente considerando para tanto seus requisitos. 6.2 Recursos Humanos Generalidades

13 13/22 As atividades dentro do SGQ que afetam a qualidade do produto ou do serviço são executadas por colaboradores que possuem competências suficientes (no âmbito da educação, dos treinamentos, das habilidades e das experiências necessárias para o bom desempenho de sua atividade), objetivando garantir que os requisitos solicitados pelo cliente (conforme seção ) sejam executados de forma controlada Competência, Conscientização e Treinamento As competências necessárias para exercer cada função do SGQ, estão determinadas nas Descrições de Cargos. A SINER possui controle quanto as evidências de competências determinadas para cada colaborador que desempenha uma atividade que afeta o SGQ. Quando uma ou mais destas competências não possuírem documentos formais que comprovem sua existência, a SINER proverá outras ações para formalizar tal necessidade de competência, assim como, sua eficácia perante nossos critérios de avaliação. 6.3 Infra Estrutura A infra-estrutura da SINER foi projetada para atender as necessidades de execução do produto e dos serviços prestados, tendo como objetivo alcançar a conformidade com os requisitos solicitados pelo cliente. A análise e disponibilização de recursos para garantir adequação desta infra-estrutura é realizada quando se identifica uma necessidade de adequação das instalações, sejam elas na melhoria ou na ampliação das instalações, na aquisição ou manutenção de equipamentos, na adequação de sistemas informatizados (hardware ou software) ou em outros processos como sistemas de transporte e comunicação. 6.4 Ambiente de Trabalho Quando do planejamento dos processos são efetuadas avaliações dos ambientes de trabalho, considerando para tanto os programas PPRA (Programa de Prevenção de Riscos Ambientais) e PCMSO (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional). São identificados os agentes físicos, químicos, os aspectos ergonômicos, as proteções de máquinas e equipamentos e

14 14/22 assuntos correlatos, visando preservar a segurança e a saúde dos colaboradores e eliminar possíveis interferências na qualidade do produto ou serviço. 7. REALIZAÇÃO DO PRODUTO 7.1 Planejamento da Realização do Produto ou do Serviço A área de gestão de contratos ou gestão de serviços faz uso de software especifico para o planejamento da realização dos processos/etapas produtivas e administrativas que garantirão o controle sobre a realização do produto ou o fornecimento do serviço que será executado. Quando da realização deste planejamento, será determinado ou poderá ser considerado os itens: Os objetivos da qualidade mencionados na seção deste manual; Os requisitos do projeto e do produto/serviço necessários para seu desempenho e uso pretendido; Os critérios de aceitação; A determinação das fases ou estágios de planejamento quanto a aquisição de materiais, de preparação, de montagem, de ensaios, de embalagem e de expedição; A determinação das fases ou estágios de verificação, validação, monitoramento, medição, inspeção e atividades de ensaio requeridas ou necessárias. 7.2 Processos Relacionados a Clientes Determinação de Requisitos Relacionados ao Produto ou ao Serviço Os requisitos dos clientes são identificados quando da preparação da proposta técnica e comercial, que é encaminhada ao cliente e posteriormente validada pelo recebimento do pedido ou outro documento similar que concretiza o negocio. São identificados todos os requisitos do cliente para o produto/serviço, incluindo requisitos não declarados pelo cliente mas necessários (requisitos estatutários, regulamentares e outros aplicáveis), assim como, requisitos de entrega e pós-venda como garantias, obrigações contratuais, manutenções, serviços suplementares e etc.

15 15/ Análise Crítica dos Requisitos Relacionados ao Produto ou ao Serviço Foram estabelecidos métodos para fazer uma análise crítica adequada e oportuna dos requisitos relacionados ao produto ou serviço a serem ofertados, esta análise é realizada antes da SINER assumir o compromisso de fornecimento. A proposta técnica e comercial é disponibilizada de tal forma que retrata detalhes dos requisitos, estabelece prazos e valores factíveis para este fornecimento, assim como as garantias. Quando apropriado ou requisitado pelo cliente é disponibilizado um Data Book, como documentação complementar Comunicação com o Cliente A comunicação com o cliente é feita inicialmente pela área comercial onde se desenvolve a proposta técnica e comercial, posteriormente administrada pela área de gestão de contratos e serviços onde as áreas de projeto e qualidade, assim como demais áreas quando necessário, podem estar interagindo de forma a manter e estabelecer os requisitos (incluindo emendas, reclamações ou outras tratativas). 7.3 Projeto e Desenvolvimento Planejamento de projeto e desenvolvimento A SINER planeja e controla o projeto e o desenvolvimento de seu produto ou serviço através do estabelecimento de cronogramas, onde suas fases ou estágios são determinados. São estabelecidas as análises críticas, as verificações, as validações (aprovações) e as alterações por profissionais qualificados aos quais são delegadas as responsabilidades e autoridades para tanto. Todo este gerenciamento é realizado pelo gestor de contratos pertinente a obra em questão que assegura a comunicação eficaz entre os diferentes grupos, áreas e processos envolvidos. Quando ocorrem alterações no projeto, estas são atualizadas e controladas por emissão de revisão dos documentos (desenhos, projetos e outros) ou por meio de carimbos de controle e ao final a preparação do As-Built Entradas de projeto e desenvolvimento

16 16/22 A SINER garante que os requisitos do cliente serão considerados quando do recebimento de uma solicitação representada por uma especificação técnica enviada pelo próprio cliente ou analisada em campo por sua equipe com ajuda e orientação do cliente, considerando nesta oportunidade os requisitos de funcionamento e desempenho do nosso produto ou serviço com relação a suas necessidades, os requisitos estatutários, regulamentares ou normativos aplicáveis, prazos e garantias. Conforme sessão deste manual, os requisitos de entrada são analisados quanto sua suficiência em atender as necessidades do cliente considerando as melhores soluções (tecnicamente e comercialmente), de forma transparente e objetiva, não gerando ambigüidade quando de sua interpretação ou entendimento Saídas de projeto e desenvolvimento A SINER garante que os requisitos determinados pelo cliente conforme sessão deste manual, sejam atendidos e quando alterações deste projeto surgirem, que sejam controladas conforme sessão deste manual, de maneira que sejam verificadas antes da disponibilização ao cliente. Quando apropriado ou requisitado pelo cliente é disponibilizado um Data Book, contendo documentação complementar e As-Built. Neste Data Book esta estabelecido as especificações e características do produto as previsões de ações preventivas de manutenção e de segurança, objetivando o seu uso adequado e seguro Análise crítica de projeto e desenvolvimento A SINER analisa criticamente o projeto e seu desenvolvimento em fases ou estágios apropriados, estas são realizadas por profissionais qualificados, aos quais são delegadas as responsabilidades e autoridades para verificar e avaliar a capacidade da SINER de atender os requisitos estabelecidos conforme sessão e planejados conforme deste manual. Quando desta análise for identificado um problema ou uma necessidade de alteração deste projeto, ações de alteração devem ser implementadas conforme sessão deste manual Verificação de projeto e desenvolvimento

17 17/22 A SINER verifica o projeto e o desenvolvimento de seu produto ou serviço conforme fases ou estágios pré determinados conforme sessão de maneira a assegura que as saídas deste projeto e desenvolvimento do produto ou serviço estejam atendendo os requisitos do cliente Validação de projeto e desenvolvimento A SINER valida o projeto e o desenvolvimento de seu produto ou serviço conforme fases ou estágios pré determinados conforme sessão de maneira a assegura que o produto ou serviço resultante deste processo, possa atender a aplicação especificada pelo cliente Controle de alteração de projeto e desenvolvimento Quando alterações de projeto e desenvolvimento do produto e serviços necessitarem de mudanças, estas serão devidamente identificadas, analisadas, verificadas e validadas (aprovadas) antes de sua implementação, considerando para tanto a avaliação de seu efeito quanto a não descaracterização da aplicação especificada pelo cliente. 7.4 Aquisição Processo de Aquisição A SINER estabelece sistemática para desenvolver, avaliar, cadastrar e reavaliar fornecedores que impactam no sistema de gestão de qualidade, esta sistemática envolve ainda os procedimentos de determinação de cadastramento, de compra e de recebimento das matérias primas e serviços, onde assegura que estes ao integrarem seus processos, estarão de acordo com os requisitos especificados de aquisição. Quando a SINER opta por terceirizar a execução de alguns processos (contratação de recursos humanos para Engenharia e Service), garante que estes profissionais seguem as sistemáticas operacionais internas de forma a assegurar o controle da execução desses processos de maneira a atender os requisitos do cliente, os requisitos estatutários e regulamentares definidos.

18 18/ Informações de Aquisição As informações de aquisição das matérias primas e serviços se darão quando da emissão do pedido de compra gerado através do sistema informatizado, onde as informações descrevam de forma clara e completa a matéria prima ou serviços a ser adquirido, incluindo onde apropriado requisito para: Estabelecimento de sistemáticas para aprovação da matéria prima ou serviço adquirido; Estabelecimento de procedimentos operacionais que devem ser seguidos ou mantidos; Estabelecimento de uso de equipamento específico para a execução do processo; Qualificação de colaboradores para desenvolver a atividade; E atendimento aos requisitos do sistema de gestão da qualidade adotados pela SINER Verificação do Produto Adquirido A SINER estabelece sistemática para verificar as matérias primas e serviços adquiridos de maneira a garantir que os requisitos especificados sejam atendidos. Quando necessário ou especificado em contrato, é realizado nas instalações do fornecedor, inspeções para garantir a conformidade da matéria prima ou do equipamento adquirido. Para estas necessidades, serão previamente formalizadas, agendadas as verificações pretendidas, assim como, a determinação do método e critério de aceitação para esta atividade Produção e Fornecimento de Serviço Controle de Produção e Fornecimento de Serviço A SINER planeja e realiza a fabricação ou executa a prestação de serviços de forma controlada, fazendo uso de procedimentos operacionais para garantir a conformidade destes processos. Para garantir este controle são utilizados mecanismos como o acompanhamento do cronograma da obra, atividades de verificação, validação, liberação e atividades pós-entrega voltadas aos requisitos de fornecimento assumidos com o Cliente e cadernos de desenho, os quais definem as características e o detalhamento dos painéis.

19 19/22 O uso de equipamentos e ferramentas específicas à fabricação ou controle dos processos são estabelecidas e controladas conforme sessão Validação dos Processos de Produção e Fornecimento de Serviço Os requisitos pertinentes a esta seção podem ser solucionados por meio das ações previstas em e 7.5.3, contudo se após a entrega algum produto ou serviços demonstrar qualquer não-conformidade, será tratado conforme ações previstas em e Identificação e Rastreabilidade A SINER estabelece sistemática para garantir a identificação e a devida rastreabilidade de seus produtos e serviços durante as fases de sua realização. Durante estas fases, os produtos ou os serviços sofrem monitoramento e medições objetivando o devido controle Propriedade do Cliente Quando estivermos nos referindo como propriedade do cliente à algum equipamento que tenha sido nos encaminhado para realizarmos alguma manutenção, conserto, retrofit (reforma) ou integração ao nosso produto, este receberá a mesma sistemática de identificação adotada pela SINER para seus produtos, garantindo assim, o devido controle de armazenamento, proteção, salvaguarda e rastreabilidade Preservação do Produto A SINER estabelece sistemática para garantir a preservação dos produtos durante as fases de sua realização. Tal preservação pode incluir cuidados especiais com o armazenamento, manuseio, preservação, embalagem e entrega Controle de Dispositivos de Medição e Monitoramento

20 20/22 A SINER estabelece sistemática para assegurar as calibrações e as devidas condições de manuseio, preservação, manutenção, ajustes e armazenamento dos dispositivos de medição e monitoramento a fim de garantir sua exatidão para com os resultados desejados e a adequação quando de seu uso, podendo desta forma demonstrar evidencias de conformidade para com os produtos ou serviços quando comparados aos requisitos determinados. Para as calibrações dos equipamentos de medição utilizados para garantir o monitoramento e a conformidade dos produtos e serviços realizados, são utilizados fornecedores que possuem rastreabilidade a padrões internacionais ou nacionais. 8. MEDIÇÃO, ANÁLISE E MELHORIA 8.1. Generalidades A SINER estabelece sistemática para atividades de monitoramento, medição, análise e melhoria que são mantidas e desenvolvidas para demonstrar a conformidade do nosso produto e serviço comparados aos requisitos estabelecidos, assegurando desta forma a conformidade do sistema de gestão da qualidade. Estas atividades incluem a aplicação de técnicas estatísticas que geram dados, os quais são analisados de maneira a promover a melhoria contínua do sistema e sua eficácia Medição e Monitoramento Satisfação dos Clientes A SINER estabelece sistemática que define o método para obter medição e monitoramento da satisfação dos clientes quanto aos produtos e serviços fornecidos. Os dados da medição da satisfação dos clientes são utilizados para demonstrar a adequação, o desempenho e eficácia do sistema de gestão da qualidade Auditoria Interna e Externa O procedimento sistêmico PS03 Auditoria Interna e Externa foi desenvolvido, estabelecido e é mantido para instituir a sistemática de execução das auditorias de forma planejada de modo

21 21/22 a garantir a aplicação das ações determinadas para a realização do produto ou serviço, assim como o atendimento aos requisitos deste manual e a eficácia do sistema de gestão da qualidade Medição e Monitoramento de Processos O monitoramento dos indicadores de desempenho é o método adotado para medir os principais processos, estes são periodicamente analisados de modo a demonstrarem sua capacidade em alcançar as metas planejadas. Quando estas metas não são atingidas, disposições ou ações corretivas são geradas de modo a manter a eficácia do sistema de gestão da qualidade Medição e Monitoramento de Produto É realizado medição e monitoramento do produto ou serviço durante a realização dos processos produtivos, objetivando verificar se os requisitos estabelecidos estão sendo atendidos. As atividades de medição e monitoramento são definidas conforme estabelece a sessão 7.1., onde a liberação do produto ou do serviço só se dará quando do atendimento satisfatórios dos requisitos determinados. Quando ocorrer a necessidade de liberar o produto ou serviço sem que todos os requisitos estejam devidamente verificados e atendidos, este produto ou serviço, só poderá ser entregue mediante a aceitação do cliente ou uma autoridade pertinente Controle de Produto Não Conforme O procedimento sistêmico PS04 Tratar Não Conformidades foi desenvolvido, estabelecido e é mantido para assegurar que produtos ou serviços que não estejam conformes com os requisitos estabelecidos, sejam devidamente identificados, analisados e controlados, objetivando evitar seu uso ou entrega não pretendida, o mesmo se dará para os processos considerados não conformes. Caso uma não conformidade seja identificada após a entrega ou início de uso, esta será tratada conforme sessão Os controles, responsabilidades e

22 22/22 autoridades para proceder nas situações não conformes serão devidamente instituídas a fim de eliminar as causas e minimizar os efeitos da não conformidade detectada Análise de Dados A SINER determina, coleta e analisa dados que demonstram a eficácia e melhoria contínua do sistema de gestão da qualidade, obtidas através de monitoramento da satisfação do cliente, conforme sessão 8.2.1, assim como, análise de dados obtidos através de conformidades dos processos, dos produtos e dos serviços conforme estabelece as sessões e É considerada ainda a análise dos dados que envolvem os fornecimentos de equipamentos, matérias, insumos e serviços, conforme sessão Melhorias Melhoria Contínua As ações de melhoria contínua são determinadas pela Diretoria e gestores e por ocasião da Análise Crítica pela Direção são devidamente registradas e monitoradas, considerando para tanto a política da qualidade, os indicadores de desempenho (objetivos e metas da qualidade), os resultados de auditorias, a análise de dados, os investimentos (infra-estrutura e recursos humanos), as não conformidade, as ações corretivas e as ações preventivas Ação Corretiva O procedimento sistêmico PS05 Ação Corretiva ou Preventiva foi desenvolvido, estabelecido e é mantido para identificar, analisar e executar ações corretivas, preventivas e de melhoria, evitando a ocorrência ou repetição não desejável, visando eliminar as causas das nãoconformidades reais ou potenciais e minimizando seus efeitos Ação Preventiva Idem a sessão

Manual de Gestão Integrado MGI Elaborado por: Representante

Manual de Gestão Integrado MGI Elaborado por: Representante 1/32 Nº revisão Descrição da Revisão 00 Emissão do documento baseado nos requisitos da ISO 9001:2008 01 Alteração do nome onde passa a ser chamado de e a devida adequação os requisitos das normas ISO 14001:2004

Leia mais

CHECK - LIST - ISO 9001:2000

CHECK - LIST - ISO 9001:2000 REQUISITOS ISO 9001: 2000 SIM NÃO 1.2 APLICAÇÃO A organização identificou as exclusões de itens da norma no seu manual da qualidade? As exclusões são relacionadas somente aos requisitos da sessão 7 da

Leia mais

Lista de Verificação / Checklist

Lista de Verificação / Checklist Lista de Verificação / Checklist Avaliação NC / PC / C Departamentos Padrões de Referência /// Referências do MQ //// Referências Subjetivas A B C D E Cláusula Padrão Conforme/ Não C. 4 Sistema de Gestão

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA ESTUDOCOMPARATIVO NBRISO13485:2004 RDC59:2000 PORTARIA686:1998 ITENSDEVERIFICAÇÃOPARAAUDITORIA 1. OBJETIVO 1.2. 1. Há algum requisito da Clausula 7 da NBR ISO 13485:2004 que foi excluída do escopo de aplicação

Leia mais

CHECK LIST DE AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES Divisão:

CHECK LIST DE AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES Divisão: 4.2.2 Manual da Qualidade Está estabelecido um Manual da Qualidade que inclui o escopo do SGQ, justificativas para exclusões, os procedimentos documentados e a descrição da interação entre os processos

Leia mais

NORMA NBR ISO 9001:2008

NORMA NBR ISO 9001:2008 NORMA NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE MQ-01

MANUAL DA QUALIDADE MQ-01 Sumário 1 Objetivo 2 Últimas Alterações 3 Termos e definições 4 Sistema de gestão de qualidade 5 Responsabilidade da direção 6 Gestão de recursos 7 Realização do produto 8 Medição, análise e melhoria.

Leia mais

ABNT NBR ISO 9001:2008

ABNT NBR ISO 9001:2008 ABNT NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema de

Leia mais

TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008. Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov.

TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008. Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov. TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008 Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov.br 11 3104-0988 Este treinamento tem por objetivo capacitar os participantes para

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DA QUALIDADE. Rua Acre, 291 - CEP 83.040-030 Bairro Boneca do Iguaçu - São José dos Pinhais - Paraná.

MANUAL DO SISTEMA DA QUALIDADE. Rua Acre, 291 - CEP 83.040-030 Bairro Boneca do Iguaçu - São José dos Pinhais - Paraná. ELABORADO POR: Carlos Eduardo Matias Enns MANUAL DO SISTEMA DA QUALIDADE APROVADO POR: Edson Luis Schoen 28/1/5 1 de 11 1. FINALIDADE A Saint Blanc Metalmecânica Ltda visa estabelecer as diretrizes básicas

Leia mais

Tradução livre Uso Exclusivo em Treinamento

Tradução livre Uso Exclusivo em Treinamento Web Site: www.simplessolucoes.com.br N786-1 ISO CD 9001 Tradução livre Uso Exclusivo em Treinamento N786-1 ISO CD 9001 para treinamento - Rev0 SUMÁRIO Página Introdução 4 0.1 Generalidades 4 0.2 Abordagem

Leia mais

MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE

MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE Revisão: 07 Data: 05.03.09 Página 1 de 7 Copia controlada MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE José G. Cardoso Diretor Executivo As informações contidas neste Manual são de propriedade da Abadiaço Ind. e Com.

Leia mais

Uso Exclusivo em Treinamento

Uso Exclusivo em Treinamento Web Site: www.simplessolucoes.com.br ABNT NBR ISO 9001:2008 Uso Exclusivo em Treinamento SUMÁRIO 0. Introdução 2 0.1 Generalidades 2 0.2 Abordagem de processo 3 0.3 Relação com a norma NBR ISO 9004 5 0.4

Leia mais

Sistemas de gestão da qualidade - Requisitos

Sistemas de gestão da qualidade - Requisitos DEZ 2000 NBR ISO 9001 Sistemas de gestão da qualidade - Requisitos ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13 28º andar CEP 20003-900 Caixa Postal 1680 Rio

Leia mais

Preparando a Implantação de um Sistema de Gestão da Qualidade

Preparando a Implantação de um Sistema de Gestão da Qualidade Preparando a Implantação de um Projeto Pró-Inova - InovaGusa Ana Júlia Ramos Pesquisadora em Metrologia e Qualidade e Especialista em Sistemas de Gestão da Qualidade 1. Gestão Gestão Atividades coordenadas

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade

Sistema de Gestão da Qualidade Sistema de Gestão da Qualidade Coordenadora Responsável Mara Luck Mendes, Jaguariúna, SP, mara@cnpma.embrapa.br RESUMO Em abril de 2003 foi lançado oficialmente pela Chefia da Embrapa Meio Ambiente o Cronograma

Leia mais

ESTRUTURA ISO 9.001:2008

ESTRUTURA ISO 9.001:2008 Sistema de Gestão Qualidade (SGQ) ESTRUTURA ISO 9.001:2008 Objetivos: Melhoria da norma existente; Melhoria do entendimento e facilidade de uso; Compatibilidade com a ISO 14001:2004; Foco Melhorar o entendimento

Leia mais

14 ANEXO 02 - NORMA ISO 9001:2000 - INTERPRETAÇÃO LIVRE

14 ANEXO 02 - NORMA ISO 9001:2000 - INTERPRETAÇÃO LIVRE 14 ANEXO 02 - NORMA ISO 9001:2000 - INTERPRETAÇÃO LIVRE Sumário Prefácio 0 Introdução 1 Objetivo 2 Referência normativa 3 Termos e definições 4 Sistema de gestão da qualidade 5 Responsabilidade da direção

Leia mais

ISO 9001 2008 FACULDADES INTEGRADAS DE TAQUARA FACCAT. Curso de Tecnólogo em Gestão da Qualidade.

ISO 9001 2008 FACULDADES INTEGRADAS DE TAQUARA FACCAT. Curso de Tecnólogo em Gestão da Qualidade. FACULDADES INTEGRADAS DE TAQUARA FACCAT Curso de Tecnólogo em Gestão da Qualidade. ISO 9001 2008 Carolina Rothe Luiz Gustavo W. Krumenauer Paulo Emílio Paulo Saldanha Relação das principais normas da Série

Leia mais

Cirius Quality. A Consultoria que mais cresce no Brasil. Av. José Bonifácio Nº 1076 - Diadema-SP.

Cirius Quality. A Consultoria que mais cresce no Brasil. Av. José Bonifácio Nº 1076 - Diadema-SP. CQ Consultoria Cirius Quality e Treinamento 1º Edição Interpretação da NBR ISO 9001:2008 Cirius Quality Av. José Bonifácio Nº 1076 - Diadema-SP. CEP: 09980-150 i www.ciriusquality.com.br e contato@ciriusquality.com.br

Leia mais

Procedimento Sistêmico N⁰ do procedimento: PS 03

Procedimento Sistêmico N⁰ do procedimento: PS 03 1/ 5 Nº revisão Descrição da Revisão 00 Emissão do documento baseado nos requisitos da ISO 9001:2008 01 Adequação as normas ISO 14001:2004 e OHSAS 18001:2007, inclusão das auditorias de manutenção e alteração

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade -Requisitos

Sistema de Gestão da Qualidade -Requisitos MB Consultoria Av. Constantino Nery, Nº 2789, Edifício Empire Center, Sala 1005 a 1008 Manaus - Amazonas - Brasil CEP: 69050-002 Telefones: (92) 3656.2452 Fax: (92) 3656.1695 e-mail: mb@netmb.com.br Site:

Leia mais

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos DEZ 2000 NBR ISO 9001 Sistemas de gestão da qualidade Requisitos Sumário Prefácio 0 Introdução 1 Objetivo 2 Referência normativa 3 Termos e definições 4 Sistema de gestão da qualidade 5 Responsabilidade

Leia mais

Correspondência entre OHSAS 18001, ISO 14001:1996, ISO 9001:1994 e ISO 9001:2000

Correspondência entre OHSAS 18001, ISO 14001:1996, ISO 9001:1994 e ISO 9001:2000 Anexo A (informativo) Correspondência entre, ISO 14001:1996, ISO 9001:1994 e ISO 9001:2000 Tabela A.1 - Correspondência entre, ISO 14001:1996 e ISO 9001:1994 Seção Seção ISO 14001:1996 Seção ISO 9001:1994

Leia mais

FORMAÇÃO DE AVALIADORES DE SGI PELAS NORMAS DE GESTÃO DE QUALIDADE, SMS E RESPONSABILIDADE SOCIAL

FORMAÇÃO DE AVALIADORES DE SGI PELAS NORMAS DE GESTÃO DE QUALIDADE, SMS E RESPONSABILIDADE SOCIAL FORMAÇÃO DE AVALIADORES DE SGI PELAS NORMAS DE GESTÃO DE QUALIDADE, SMS E RESPONSABILIDADE SOCIAL 1 MODELOS DE GESTÃO MODELO Busca representar a realidade GESTÃO ACT CHECK PLAN DO PDCA 2 MODELOS DE GESTÃO

Leia mais

Palestra Informativa Sistema da Qualidade NBR ISO 9001:2000

Palestra Informativa Sistema da Qualidade NBR ISO 9001:2000 Palestra Informativa Sistema da Qualidade NBR ISO 9001:2000 ISO 9001:2000 Esta norma considera de forma inovadora: problemas de compatibilidade com outras normas dificuldades de pequenas organizações tendências

Leia mais

ABNT NBR ISO 9001. Sistemas de gestão da qualidade Requisitos. Quality management systems Requirements ' NORMA BRASILEIRA. Segunda edição 28.11.

ABNT NBR ISO 9001. Sistemas de gestão da qualidade Requisitos. Quality management systems Requirements ' NORMA BRASILEIRA. Segunda edição 28.11. ' NORMA BRASILEIRA ABNT NBR ISO 9001 Segunda edição 28.11.2008 Válida a partir de 28.12.2008 Sistemas de gestão da qualidade Requisitos Quality management systems Requirements Palavras-chave: Sistemas

Leia mais

TRANSELETRON SERVIÇOS TÉCNICOS ESPECIALIZADOS LTDA SUMÁRIO

TRANSELETRON SERVIÇOS TÉCNICOS ESPECIALIZADOS LTDA SUMÁRIO Página 2 de 26 SUMÁRIO 1. Objetivo 05 2. Definições e Termos 05 3. Apresentação da Organização 05 3.1.1 Identificação 06 3.1.2 Histórico 06 3.1.3 Principais Clientes 06 3.1.4 Principais Fornecedores 07

Leia mais

ISO 9000 ISO 9001:2008

ISO 9000 ISO 9001:2008 ISO 9001:2008 QUALIDADE II ISO 9000 A ISO 9000 - Qualidade é o nome genérico utilizado pela série de normas da família 9000 (ISO) que estabelece as diretrizes para implantação de Sistemas de Gestão da

Leia mais

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas DEZ 2000 NBR ISO 9001 Sistemas de gestão da qualidade Requisitos Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13 28 o. andar CEP 20003-900 Caixa Postal 1680 Rio

Leia mais

NORMA NBR ISO 9001:2008

NORMA NBR ISO 9001:2008 NORMA NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema

Leia mais

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO EPR 16 - SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO EPR 16 - SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO EPR 16 - SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2000 Prof. Dr. João Batista Turrioni Objetivo geral Introduzir e discutir a importância da adoção de um Sistema de Gestão da Qualidade

Leia mais

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos SET/2000 PROJETO NBR ISO 9001 Sistemas de gestão da qualidade Requisitos ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13 28º andar CEP 20003-900 Caixa Postal 1680

Leia mais

INTERPRETAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO

INTERPRETAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO NBR ISO 9001:2008 INTERPRETAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO 8 Princípios para gestão da qualidade Foco no cliente Liderança Envolvimento das pessoas Abordagem de processos Abordagem sistêmica para a gestão Melhoria

Leia mais

MQ-1 Revisão: 06 Data: 20/04/2007 Página 1

MQ-1 Revisão: 06 Data: 20/04/2007 Página 1 MQ-1 Revisão: 06 Data: 20/04/2007 Página 1 I. APROVAÇÃO Emitente: Função: Análise crítica e aprovação: Função: Liliane Alves Ribeiro da Silva Gerente Administrativa Roberto José da Silva Gerente Geral

Leia mais

ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO EM ORGANIZAÇÕES

ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO EM ORGANIZAÇÕES V CONGRESSO BRASILEIRO DE METROLOGIA Metrologia para a competitividade em áreas estratégicas 9 a 13 de novembro de 2009. Salvador, Bahia Brasil. ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO

Leia mais

MBA em Administração e Qualidade

MBA em Administração e Qualidade MBA em Administração e Qualidade Sistemas ISO 9000 e Auditorias da Qualidade Aula 5 Prof. Wanderson Stael Paris Olá! Confira no vídeo a seguir alguns temas que serão abordados nesta aula. Bons estudos!

Leia mais

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos SET/2000 PROJETO NBR ISO 9001 Sistemas de gestão da qualidade Requisitos ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas Sede: Rio de Janeir o Av. Treze de Maio, 13 28º andar CEP 20003-900 Caixa Postal 1680

Leia mais

Pitrez Informática MANUAL DA QUALIDADE. Norma NBR ISO 9001:2008

Pitrez Informática MANUAL DA QUALIDADE. Norma NBR ISO 9001:2008 Título Manual da Qualidade Folha: 1 de 20 Pitrez Informática MANUAL DA QUALIDADE Norma NBR ISO 9001:2008 Título Manual da Qualidade Folha: 2 de 20 Título Manual da Qualidade Folha: 3 de 20 Índice 1. Apresentação...

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE MQ 01 Rev. 07 MANUAL DA QUALIDADE

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE MQ 01 Rev. 07 MANUAL DA QUALIDADE Rev. Data. Modificações 01 14/09/2007 Manual Inicial 02 12/06/2009 Revisão Geral do Sistema de Gestão da Qualidade 03 22/10/2009 Inclusão de documento de referência no item 8. Satisfação de cliente, Alteração

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA

MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA Páginas: 1 de 13 APROVAÇÃO Este Manual de Gestão está aprovado e representa o Sistema de Gestão Integrada implementado na FOX Comércio de Aparas Ltda. Ricardo Militelli Diretor FOX Páginas: 2 de 13 1.

Leia mais

LISTA DE VERIFICAÇAO DO SISTEMA DE GESTAO DA QUALIDADE

LISTA DE VERIFICAÇAO DO SISTEMA DE GESTAO DA QUALIDADE Questionamento a alta direção: 1. Quais os objetivos e metas da organização? 2. quais os principais Produtos e/ou serviços da organização? 3. Qual o escopo da certificação? 4. qual é a Visão e Missão?

Leia mais

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL MANUAL Elaborado por Comitê de Gestão de Aprovado por Paulo Fernando G.Habitzreuter Código: MA..01 Pag.: 2/12 Sumário Pag. 1. Objetivo...

Leia mais

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO DA EMPRESA... 3 1. ESCOPO... 3 2. REFERÊNCIA NORMATIVA... 4 3. TERMOS E DEFINIÇÕES... 4 4. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE...

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO DA EMPRESA... 3 1. ESCOPO... 3 2. REFERÊNCIA NORMATIVA... 4 3. TERMOS E DEFINIÇÕES... 4 4. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE... 1 / 21 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO DA EMPRESA... 3 1. ESCOPO... 3 2. REFERÊNCIA NORMATIVA... 4 3. TERMOS E DEFINIÇÕES... 4 4. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE... 4 4.1 REQUISITOS GERAIS... 4 4.2 REQUISITOS DE DOCUMENTAÇÃO...

Leia mais

---- --- --- Consultoria e Assessoria

---- --- --- Consultoria e Assessoria 4. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE SGQ. 4.1. Requisitos Gerais. A Protec estabelece, documenta e implementa o SGQ de acordo com os requisitos da NBR ISO 9001:2008. Para implementar o SGQ foi realizado um

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE DA CONSTRUTORA COPEMA

MANUAL DA QUALIDADE DA CONSTRUTORA COPEMA 1/10 INFORMAÇÕES SOBRE A EMPRESA... 2 ABRANGÊNCIA DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE... 3 1. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE:... 4 - MANUAL DA QUALIDADE... 4 Escopo do SGQ e definição dos clientes... 4 Política

Leia mais

Introdução à ISO 9001 ano 2008

Introdução à ISO 9001 ano 2008 Introdução à ISO 9001 ano 2008 1. A FAMÍLIA DE NORMAS ISO 9000 1.1 Histórico A primeira Norma de Garantia da Qualidade foi publicada em 1979 pela British Standards Institution (BSI) em três partes como

Leia mais

Data Revisão Página Código. Referência TÍTULO MANUAL DA QUALIDADE EMISSÃO. Márcio Oliveira. Cargo. Gestor do SGQ APROVAÇÃO. Egidio Fontana.

Data Revisão Página Código. Referência TÍTULO MANUAL DA QUALIDADE EMISSÃO. Márcio Oliveira. Cargo. Gestor do SGQ APROVAÇÃO. Egidio Fontana. Data Revisão Página Código 11/04/2014 03 1 / 22 MQ-01 Referência MANUAL DA QUALIDADE TÍTULO MANUAL DA QUALIDADE Escrital Contabilidade Rua Capitão Otávio Machado, 405 São Paulo/SP Tel: (11) 5186-5961 Site:

Leia mais

Estrutura da ISO DIS 9001/2015 ISO/TC 176/SC 2 Document N1224, July 2014

Estrutura da ISO DIS 9001/2015 ISO/TC 176/SC 2 Document N1224, July 2014 Prefácio Introdução 0.1 Generalidades 0.2 As normas ISO para gestão da qualidade 0.3 Abordagem de processo 0.4 Ciclo PDCA 0.5 Pensamento baseado em risco Estrutura da ISO DIS 9001/2015 0.6 Compatibilidade

Leia mais

M A N U A L D A Q U A L I D A D E

M A N U A L D A Q U A L I D A D E M A N U A L D A Q U A L I D A D E 14ª Versão Última atualização: MANUAL DA QUALIDADE - Rev. Data Elaborado por Descrição da alteração 01 10/06/2012 Hélio Lipiani Versão Inicial 02 20/07/2010 Hélio Lipiani

Leia mais

Curso do Prêmio PBQP-H 2009/2010 APOIO:

Curso do Prêmio PBQP-H 2009/2010 APOIO: Curso do Prêmio PBQP-H 2009/2010 APOIO: Objetivo do Prêmio PBQP-H 2009/2010 É um prêmio único no mundo. O objetivo geral é fazer a distinção das organizações da construção civil que elevam os patamares

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE NBR ISO 9001:2008 Índice Histórico de Revisões... 4 1. Introdução... 5 1.1. Política da Qualidade... 5 1.2. Escopo... 5 2. Histórico... 6 3. Gestão Estratégica...

Leia mais

Módulo 2. Estrutura da norma ISO 9001:2008 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos 0, 1, 2, 3 e 4/4, Exercícios

Módulo 2. Estrutura da norma ISO 9001:2008 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos 0, 1, 2, 3 e 4/4, Exercícios Módulo 2 Estrutura da norma ISO 9001:2008 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos 0, 1, 2, 3 e 4/4, Exercícios Norma NBR ISO 9001:2008 - Índice 0 - Introdução 1 - Escopo 2 - Referência Normativa 3 -

Leia mais

PROGRAMA INTEGRADO DE DESENVOLVIMENTO E QUALIFICAÇÃO DE FORNECEDORES SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE EM FORNECIMENTO

PROGRAMA INTEGRADO DE DESENVOLVIMENTO E QUALIFICAÇÃO DE FORNECEDORES SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE EM FORNECIMENTO PROGRAMA INTEGRADO DE DESENVOLVIMENTO E QUALIFICAÇÃO DE FORNECEDORES SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE EM FORNECIMENTO SGQF:: 2008 SUMÁRIO PREFÁCIO -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Relatório de Atividade Técnica

Relatório de Atividade Técnica RUA DESEMBARGADOR JÚLIO GUIMARÃES, 275 SAÚDE -SÃO PAULO -BR-SP CEP: 04158-060 CNPJ: 46.995.494/0001-92 Telefone: (11) 5058-6066 Pessoa de Contato: ALMO BRACCESI (almo@betta.com.br) Tipo: Auditoria de Manutenção

Leia mais

GESTÃO DA QUALIDADE MA-C-GQ-01 MANUAL DA QUALIDADE Cópia controlada Revisão 02 DATA Nº REVISÃO HISTÓRICO DAS REVISÕES 01/09/2009 15/03/2012 23/01/2013

GESTÃO DA QUALIDADE MA-C-GQ-01 MANUAL DA QUALIDADE Cópia controlada Revisão 02 DATA Nº REVISÃO HISTÓRICO DAS REVISÕES 01/09/2009 15/03/2012 23/01/2013 DATA Nº REVISÃO HISTÓRICO DAS REVISÕES 01/09/2009 15/03/2012 23/01/2013 00 01 02 Emissão inicial. Alteração do representante da direção Inclusão de informação no item 4.2.2.3 (passo 8) SMD 147. Elaborado:

Leia mais

Norma ISO 9001:2008. Gestão da Qualidade

Norma ISO 9001:2008. Gestão da Qualidade Norma ISO 9001:2008 Gestão da Qualidade Sistemas da Qualidade e Qualidade Ambiental ISO 9000 e ISO 14000 Prof. M. Sc. Helcio Suguiyama 1- Foco no cliente 2- Liderança 3- Envolvimento das Pessoas 4- Abordagem

Leia mais

CÓDIGO DE CATÁLOGO : 3701

CÓDIGO DE CATÁLOGO : 3701 INTERPRETAÇÃO DA NORMA ISO 9001/2000 SENAI - PR, 2002 CÓDIGO DE CATÁLOGO : 3701 Trabalho elaborado pela Diretoria de Educação e Tecnologia do Departamento Regional do SENAI - PR, através do LABTEC - Laboratório

Leia mais

CÓPIA CONTROLADA USO EXCLUSIVO PARA TREINAMENTO INTERNO DO LIM56

CÓPIA CONTROLADA USO EXCLUSIVO PARA TREINAMENTO INTERNO DO LIM56 NORMA ABNT BRASILEIRA NBR ISO 9001 Segunda edição 28.11.2008 Válida a partir de 28.12.2008 Sistemas de gestão da qualidade - Requisitos Quality management systems - Requirements CÓPIA CONTROLADA USO EXCLUSIVO

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE

SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE Objectivos do Curso. No final deste os alunos deverão: Identificar os principais objectivos associados à implementação de Sistemas de Gestão da Qualidade (SGQ) Compreender

Leia mais

Matrizes de Correlaça o ISO 9001:2008 e ISO 9001:2015

Matrizes de Correlaça o ISO 9001:2008 e ISO 9001:2015 2015 Matrizes de Correlaça o ISO 9001:2008 e ISO 9001:2015 Texto traduzido e adaptado por Fernando Fibe De Cicco, Coordenador de Novos Projetos do QSP. Outubro de 2015. Matrizes de correlação entre a ISO

Leia mais

livros indicados e / ou recomendados

livros indicados e / ou recomendados Material complementar. Não substitui os livros indicados e / ou recomendados Prof. Jorge Luiz - 203 Pág. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE - SGQ Sistema de Gestão da Qualidade SGQ é a estrutura a ser criada

Leia mais

CLAUSULA 4.0 DA NORMA ISO 9001:2008 SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

CLAUSULA 4.0 DA NORMA ISO 9001:2008 SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PÁGINA: 1 de 20 CLAUSULA 4.0 DA NORMA ISO 91:28 SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE 4.1 Requisitos gerais. A TIVOLITUR estabelece, documenta, implementa e mantêm seu sistema de gestão da qualidade, visando

Leia mais

AVALIAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DO FORNECEDOR

AVALIAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DO FORNECEDOR Prezado Fornecedor, A Innova S/A, empresa certificada nas normas ISO 9001:2000, ISO 14001:1996, OHSAS 18001, avalia seus fornecedores no atendimento de requisitos relativos a Qualidade, Meio Ambiente,

Leia mais

CICLO DE EVENTOS DA QUALIDADE

CICLO DE EVENTOS DA QUALIDADE Maio de 2003 CICLO DE EVENTOS DA QUALIDADE Dia 12/05/2003 Certificação e homologação de produtos, serviços e empresas do setor aeroespacial,com enfoque na qualidade Dia 13/05/2003 ISO 9001:2000 Mapeamento

Leia mais

DIS ISO 9001:2015 Publicado em Maio de 2014

DIS ISO 9001:2015 Publicado em Maio de 2014 DIS ISO 9001:2015 Publicado em Maio de 2014 Abordagem de Processos Risk-based thinking (Pensamento baseado em Risco) Anexo SL (Estrutura de Alto Nível) Anexo SL (Estrutura de Alto Nível) 1 - Escopo 2 -

Leia mais

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos INTERPRETAÇÃO ISO 9001:2008 GESTÃO DE QUALIDADE O que é ISO? ISO = palavra grega que significa Igualdade CAPÍTULO: Preâmbulo ISO 9001:2008 0.1 - Generalidades: foi esclarecido que a conformidade com requisitos

Leia mais

I S O ISO? NORMA ISO 9002 NORMA ISO 9002 NORMA ISO 9002 ISO SÉRIE 9000? BUROCRACIA? GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE

I S O ISO? NORMA ISO 9002 NORMA ISO 9002 NORMA ISO 9002 ISO SÉRIE 9000? BUROCRACIA? GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE ISO? ITÁLIA CANADÁ ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL, NÃO GOVERNAMENTAL, QUE ELABORA NORMAS. FAZEM PARTE DA ISO ENTIDADES DE NORMALIZAÇÃO DE MAIS DE UMA CENTENA DE PAÍSES. JAPÃO EUA I S O INGLATERRA ALEMANHA BRASIL

Leia mais

I S O ISO? NORMA ISO 9002 NORMA ISO 9002 ISO SÉRIE 9000? GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE

I S O ISO? NORMA ISO 9002 NORMA ISO 9002 ISO SÉRIE 9000? GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE ISO? ITÁLIA CANADÁ ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL, NÃO GOVERNAMENTAL, QUE ELABORA NORMAS. FAZEM PARTE DA ISO ENTIDADES DE NORMALIZAÇÃO DE MAIS DE UMA CENTENA DE PAÍSES. JAPÃO EUA I S O INGLATERRA ALEMANHA BRASIL

Leia mais

AUDITORIA DE DIAGNÓSTICO

AUDITORIA DE DIAGNÓSTICO 1.1 POLíTICA AMBIENTAL 1.1 - Política Ambiental - Como está estabelecida e documentada a política e os objetivos e metas ambientais dentro da organização? - A política é apropriada à natureza e impactos

Leia mais

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa Aécio Costa A segurança da informação é obtida a partir da implementação de um conjunto de controles adequados, incluindo políticas, processos, procedimentos, estruturas organizacionais e funções de software

Leia mais

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos NORMA BRASILEIRA ABNT NBR ISO 9001:2008 ERRATA 1 Publicada em 11.09.2009 Sistemas de gestão da qualidade Requisitos ERRATA 1 Esta Errata 1 da ABNT NBR ISO 9001:2008 foi elaborada no Comitê Brasileiro da

Leia mais

ABNT/CB PROJETO DE REVISÃO ABNT NBR ISO 9001 OUTUBRO:2008 APRESENTAÇÃO

ABNT/CB PROJETO DE REVISÃO ABNT NBR ISO 9001 OUTUBRO:2008 APRESENTAÇÃO Sistemas de gestão da qualidade - Requisitos PRESENTÇÃO 1) Este 1º Projeto de Revisão foi elaborado pela CE-25:002.18 - Comissão de Estudo de Sistemas da Qualidade - do BNT/CB-25 - Qualidade, nas reuniões

Leia mais

FORMAÇÃO DE AUDITORES DA QUALIDADE. Instrutor: F. Ermi R. Ferrari

FORMAÇÃO DE AUDITORES DA QUALIDADE. Instrutor: F. Ermi R. Ferrari FORMAÇÃO DE AUDITORES DA QUALIDADE Instrutor: F. Ermi R. Ferrari A EMPRESA Sandra Ferrari Valquíria Novaes Ermi Ferrari Sejam bem vindos! SUMÁRIO Apresentação dos participantes Trabalho em equipe Sistema

Leia mais

NBR ISO/IEC 17025 CONCEITOS BÁSICOS

NBR ISO/IEC 17025 CONCEITOS BÁSICOS NBR ISO/IEC 17025 CONCEITOS BÁSICOS Alexandre Dias de Carvalho INMETRO/CGCRE/DICLA 1/ 28 NBR ISO/IEC 17025 Estabelece requisitos gerenciais e técnicos para a implementação de sistema de gestão da qualidade

Leia mais

Procedimento Sistêmico Nome do procedimento: Tratar Não Conformidade, Incidentes e Acidentes Data da Revisão 18/01/12

Procedimento Sistêmico Nome do procedimento: Tratar Não Conformidade, Incidentes e Acidentes Data da Revisão 18/01/12 1/ 11 Nº revisão Descrição da Revisão 00 Emissão do documento Adequação de seu conteúdo para sistema ISO 9001:2008 e alteração de nomenclatura. 01 Deixa de ser chamado de PO (Procedimento Operacional)

Leia mais

CHECKLIST DA RDC 16/2013

CHECKLIST DA RDC 16/2013 CHECKLIST DA RDC 16/2013 Checklist para a RDC 16 de 2013 Página 2 de 10 Checklist 1. 2.1 Disposições gerais Existe um manual da qualidade na empresa? 2. Existe uma política da qualidade na empresa? 3.

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001. Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Curso: Ciências Biológicas - UFAM

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001. Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Curso: Ciências Biológicas - UFAM SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001 Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Conceitos Gerais A gestão ambiental abrange uma vasta gama de questões, inclusive aquelas com implicações estratégicas

Leia mais

NBR ISO 9001:2008. Prof. Marcos Moreira

NBR ISO 9001:2008. Prof. Marcos Moreira NBR ISO 9001:2008 Sistema de Gestão da Qualidade Prof. Marcos Moreira História International Organization for Standardization fundada em 1947, em Genebra, e hoje presente em cerca de 157 países. Início

Leia mais

ECS -ASSESSORIA E CONSULTORIA TÉCNICA. ISO 9001:2015 Tendências da nova revisão

ECS -ASSESSORIA E CONSULTORIA TÉCNICA. ISO 9001:2015 Tendências da nova revisão ISO 9001:2015 Tendências da nova revisão A ISO 9001 em sua nova versão está quase pronta Histórico ECS -ASSESSORIA E CONSULTORIA TÉCNICA As normas da série ISO 9000 foram emitidas pela primeira vez no

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade MQ Manual da Qualidade SUMÁRIO... 1 1. APRESENTAÇÃO... 2

Sistema de Gestão da Qualidade MQ Manual da Qualidade SUMÁRIO... 1 1. APRESENTAÇÃO... 2 Revisão:14 Folha:1 de17 SUMÁRIO SUMÁRIO... 1 1. APRESENTAÇÃO... 2 2. RESPONSABILIDADE DA DIREÇÃO... 3 2.1 POLÍTICA DA QUALIDADE... 3 2.2 OBJETIVOS DA QUALIDADE... 4 2.3 ORGANIZAÇÃO DA EMPRESA PARA A QUALIDADE...

Leia mais

PLANEJAMENTO DO SISTEMA DA QUALIDADE - SIAC - NÍVEL C - EDIFICAÇÕES Empresa:

PLANEJAMENTO DO SISTEMA DA QUALIDADE - SIAC - NÍVEL C - EDIFICAÇÕES Empresa: 4. (b) Foi definido claramente o(s) subsetore(s) e tipo(s) de obra abrangido(s) pelo Sistema de Gestão da Qualidade. Não foi definido o subsetor e o tipo de obra abrangido pelo Sistema de Gestão pela Qualidade.

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE E AMBIENTAL ISO 9001:2008 + ISO 14001:2004

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE E AMBIENTAL ISO 9001:2008 + ISO 14001:2004 ISO 91:28 + ISO 141:24 1. PROPÓSITO: Descrever o Sistema de Gestão da Qualidade e Ambiental (SGQA) da MONDIL MONTAGEM INDUSTRIAL, comprovando assim a sua plena adequação à norma NBR ISO 91:28 Sistemas

Leia mais

Enviado por sanson@tecpar.br. em 19/12/11. Recebido por

Enviado por sanson@tecpar.br. em 19/12/11. Recebido por Pedido nº.: Destinatário/ Addressee: PREFEITURA MUNICIPAL DE COLOMBO ((41) 3656-8161) Data/Date: 16 / 12 / 2011 Nome/Name: ISMAILIN SCHROTTER Fax N : Remetente/Sender: TECPAR CERTIFICAÇÃO Páginas/Pages:

Leia mais

MUDANÇAS NA ISO 9001: A VERSÃO 2015

MUDANÇAS NA ISO 9001: A VERSÃO 2015 MUDANÇAS NA ISO 9001: A VERSÃO 2015 Está em andamento o processo de revisão da Norma ISO 9001: 2015, que ao ser concluído resultará na mudança mais significativa já efetuada. A chamada família ISO 9000

Leia mais

Procedimento Sistêmico N⁰ do procedimento: PS 01

Procedimento Sistêmico N⁰ do procedimento: PS 01 1/ 6 Nº revisão Descrição da Revisão 00 Emissão do documento 01 Adequação aos processos Adequação de seu conteúdo para sistema ISO 9001:2008 e alteração de nomenclatura. 02 Deixa de ser chamado de PO (Procedimento

Leia mais

ISO IEC. Normas Regionais MERCOSUL CEN COPANT. Normas Nacionais ABNT, BSI, AFNOR, DIN, JISE. Normas internas das empresas

ISO IEC. Normas Regionais MERCOSUL CEN COPANT. Normas Nacionais ABNT, BSI, AFNOR, DIN, JISE. Normas internas das empresas Aula 03 : Norma NBR ISO 9001 Ghislaine Miranda Bonduelle NORMALIZAÇÃO DA QUALIDADE ISO IEC Internacional Normas Regionais MERCOSUL CEN COPANT Regional Normas Nacionais ABNT, BSI, AFNOR, DIN, JISE Nacional

Leia mais

PROPOSTA VERSÃO 23/05/2003

PROPOSTA  VERSÃO 23/05/2003 PROPOSTA Itens e Requisitos do Sistema de Qualificação SIQ Empresas de Arquitetura e Engenharia Consultiva Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade do Habitat PBQP-H VERSÃO 23/05/2003 ÍNDICE 0

Leia mais

AVALIAÇÃO E SELEÇÃO DE FORNECEDORES

AVALIAÇÃO E SELEÇÃO DE FORNECEDORES VERIFICAÇÃO APROVAÇÃO ARQUIVO SQ SIGLA DA UO SULOG RUBRICA SIGLA DA UO G-SCQ RUBRICA 1 OBJETIVO Definir os requisitos e procedimentos mínimos para avaliação e seleção de fornecedores, assegurando fontes

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE MQ SGQ 01-10

MANUAL DA QUALIDADE MQ SGQ 01-10 SUMÁRIO: Apresentação da ACEP 2 Missão da Empresa 3 Escopo e Justificativas de Exclusão 4 Comprometimento da Direção 5 Política da Qualidade 7 Objetivos de Qualidade 7 Fluxo de Processos 8 Organograma

Leia mais

GESTÃO DA QUALIDADE CONCEITOS E VOCABULÁRIO. Planejamento da Qualidade

GESTÃO DA QUALIDADE CONCEITOS E VOCABULÁRIO. Planejamento da Qualidade GESTÃO DA QUALIDADE CONCEITOS E VOCABULÁRIO 1 Conceitos e Vocabulário Afinal de contas, o que é qualidade? A ISO 9000:2000 define qualidade como: Grau no qual um conjunto de características inerentes atende

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE Revisão 00-fevereiro de 2014 1/11 SUMÁRIO 1. POLÍTICA DO SISTEMA DE GESTÃO... 3 2. OBJETIVOS DO SISTEMA DE GESTÃO... 3 3. ORGANIZAÇÃO... 4 4. HISTÓRICO... 6 5.

Leia mais

Planejamento Avançado da Qualidade Elementos APQP

Planejamento Avançado da Qualidade Elementos APQP Planejamento Avançado da Qualidade Elementos APQP São descritos a seguir objetivos, expectativas e requisitos relativos à documentação dos elementos individuais do APQP Status Report (ver QSV / S 296001

Leia mais

Qualidade de Software

Qualidade de Software Rafael D. Ribeiro, M.Sc. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br A expressão ISO 9000 (International Organization for Standardization) designa um grupo de normas técnicas que estabelecem

Leia mais

O IMPORTANTE PAPEL DA GESTÃO DA QUALIDADE EM LABORATÓRIOS DE ANÁLISE CONTROLE DE EFLUENTES

O IMPORTANTE PAPEL DA GESTÃO DA QUALIDADE EM LABORATÓRIOS DE ANÁLISE CONTROLE DE EFLUENTES O IMPORTANTE PAPEL DA GESTÃO DA QUALIDADE EM LABORATÓRIOS DE ANÁLISE CONTROLE DE EFLUENTES Natália de Freitas Colesanti Perlette (1) Engenheira Ambiental formada na Universidade Estadual Paulista Júlio

Leia mais

Manual da Gestão Integrada - M.G.I

Manual da Gestão Integrada - M.G.I Manual da Gestão Integrada - M.G.I Revisão 001 / Outubro de 2009 CBC - Consultoria e Planejamento Ambiental Ltda. Rua Felicíssimo Antonio Pereira, 21-37, CEP 17045-015 Bauru SP Fone: (14) 3313 6332 www.cbcambiental.com.br

Leia mais

CAMPO DE APLICAÇÃO Esta Norma se aplica no âmbito da Administração Pública Federal, direta e indireta.

CAMPO DE APLICAÇÃO Esta Norma se aplica no âmbito da Administração Pública Federal, direta e indireta. PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Gabinete de Segurança Institucional Departamento de Segurança da Informação e Comunicações METODOLOGIA DE GESTÃO DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÕES ORIGEM Departamento de

Leia mais

Treinamento ISO 9001:2008 e Selo de Qualificação ONA. Ubiara Marfinati Janeiro/2013

Treinamento ISO 9001:2008 e Selo de Qualificação ONA. Ubiara Marfinati Janeiro/2013 Treinamento ISO 9001:2008 e Selo de Qualificação ONA. Ubiara Marfinati Janeiro/2013 ISO 9001: 2008 Princípios Básicos 4.2 Controle de Documentos e Registros 5.2 Foco no Cliente 5.3 Política da Qualidade

Leia mais