AGÊNCIA PARA A MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA CONCURSO PÚBLICO N.º 13/14/GJ/DGE/WEBSITE PGETIC CADERNO DE ENCARGOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AGÊNCIA PARA A MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA CONCURSO PÚBLICO N.º 13/14/GJ/DGE/WEBSITE PGETIC CADERNO DE ENCARGOS"

Transcrição

1 AGÊNCIA PARA A MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA CONCURSO PÚBLICO N.º 13/14/GJ/DGE/WEBSITE/PGETIC CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE DESENVOLVIMENTO E IMPLEMENTAÇÃO DE WEBSITE PARA COMUNICAR O PGETIC 1 DE 33

2 CLÁUSULAS JURÍDICAS 1. Objet CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS 2. Dispsições e Cláusulas pr que se rege a Prestaçã de Serviçs 3. Duraçã CAPÍTULO II OBRIGAÇÕES CONTRATUAIS SECÇÃO I OBRIGAÇÕES DO ADJUDICATÁRIO SUBSECÇÃO I DISPOSIÇÕES GERAIS 4. Caracterizaçã ds serviçs a prestar 5. Afetaçã de recurss 6. Md de Execuçã da Prestaçã de Serviçs 7. Mnitrizaçã e reprte 8. Prazs da prestaçã de serviçs 9. Receçã ds elements a prduzir a abrig d cntrat 10. Transferência da prpriedade 11. Transmissã de cnheciment 12. Cnfrmidade e garantia técnica 13. Respnsabilidade 14. Objet d dever de sigil 15. Praz d dever de sigil SUBSECÇÃO II DEVER DE SIGILO E CONFLITO DE INTERESSES 16. Preç cntratual 17. Preç base 18. Cndições de pagament 19. Dispensa de cauçã e retenções 20. Adiantaments e revisões de preçs SECÇÃO II OBRIGAÇÕES DA AMA 2 DE 33

3 CAPÍTULO III PENALIDADES CONTRATUAIS E RESOLUÇÃO 21. Penalidades cntratuais 22. Frça mair 23. Resluçã pr parte da AMA 24. Resluçã pr parte d adjudicatári CAPÍTULO IV SEGUROS 25. Segurs CAPÍTULO V RESOLUÇÃO DE LITÍGIOS 26. Fr cmpetente CAPÍTULO VI DISPOSIÇÕES FINAIS 27. Subcntrataçã e cessã da psiçã cntratual 28. Cessã de crédits 29. Publicidade 30. Direits de Prpriedade Intelectual 31. Cmunicações e ntificações 32. Cntagem de prazs 33. Legislaçã aplicável 3 DE 33

4 CLÁUSULAS JURÍDICAS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS CLÁUSULA PRIMEIRA OBJETO O presente Cadern de Encargs cmpreende as cláusulas a incluir n cntrat a celebrar cm a Agência para a Mdernizaçã Administrativa, IP, (dravante abreviadamente designada pr AMA ), na sequência de prcediment pré-cntratual que tem pr bjet principal desenvlviment e implementaçã de um website bem cm serviçs assciads de manutençã, cm vista a cmunicar Plan Glbal Estratégic de Racinalizaçã e Reduçã de Custs das TIC, na Administraçã Pública. CLÁUSULA SEGUNDA DISPOSIÇÕES E CLÁUSULAS POR QUE SE REGE A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS 1. O cntrat é cmpst pel respetiv clausulad cntratual e seus anexs. 2. O cntrat a celebrar integra ainda s seguintes elements: a) Os supriments ds errs e das missões d Cadern de Encargs identificads pel cncrrente, desde que esses errs e missões tenham sid expressamente aceites pel órgã cmpetente para a decisã de cntratar; b) Os esclareciments e as retificações relativs a Cadern de Encargs; c) O presente Cadern de Encargs; d) A prpsta adjudicada. e) Os esclareciments sbre a prpsta adjudicada prestads pel adjudicatári. 3. Em cas de divergência entre s dcuments referids n númer anterir, a respetiva prevalência é determinada pela rdem pela qual aí sã indicads. 4. Em cas de divergência entre s dcuments referids n n.º 2 e clausulad d cntrat e seus anexs, prevalecem s primeirs, salv quant as ajustaments prpsts de acrd cm dispst n artig 99.º d Códig ds Cntrats Públics e aceites pel adjudicatári ns terms d dispst n artig 101.º desse mesm diplma legal. CLÁUSULA TERCEIRA DURAÇÃO O cntrat mantém-se em vigr desde a data da sua celebraçã até à integral execuçã de tdas as suas prestações, que se prevê que crra em 14 (catrze) meses, em cnfrmidade cm s respetivs terms e cndições e dispst na lei, sem prejuíz das brigações acessórias que devam perdurar para além da cessaçã d cntrat, que tenham sid estabelecidas inequivcamente em favr da AMA. CAPÍTULO II OBRIGAÇÕES CONTRATUAIS 4 DE 33

5 SECÇÃO I OBRIGAÇÕES DO ADJUDICATÁRIO SUBSECÇÃO I DISPOSIÇÕES GERAIS CLÁUSULA QUARTA CARACTERIZAÇÃO DOS SERVIÇOS A PRESTAR 1. Sem prejuíz de utras brigações previstas na legislaçã aplicável, n presente Cadern de Encargs u nas cláusulas cntratuais, da celebraçã d cntrat decrrerã para adjudicatári as seguintes brigações principais: a) Desenvlviment e implementaçã de um website ns terms melhr descrits nas cláusulas técnicas d presente cadern de encargs; b) Executar s serviçs de garantia e manutençã, ns terms indicads na sua prpsta, atent dispst nas Cláusulas Técnicas d presente Cadern de Encargs; c) Executar s serviçs de manutençã evlutiva, independentemente ds perfis necessáris para efeit, tend em cnta estabelecid nas Cláusulas técnicas d presente Cadern de Encargs; d) Apresentar tda a dcumentaçã e elements prevists nas cláusulas técnicas d presente Cadern de Encargs; e) Analisar e levar em cnsideraçã tdas as situações e circunstâncias relativas e/u relevantes para a execuçã da prestaçã de serviçs, incluind, entre utras e a títul meramente exemplificativ, a infrmaçã prévia necessária, as circunstâncias de md, temp e lugar e s meis de md a salvaguardar que s serviçs serã prestads ns terms cntratads, sem hiats, falhas u interrupções que pudessem ter sid previstas. f) Assumir tds s riscs inerentes à prestaçã ds serviçs, bem cm aqueles que, em cncret, apenas sejam u pssam ser d cnheciment d adjudicatári u pr este gerid em primeira linha; g) Garantir, a td mment, a crreta, cmpleta e adequada articulaçã e cmpatibilizaçã entre s serviçs prestads e a finalidade a que s mesms se dirigem cm utrs serviçs u utras finalidades que cm eles estejam u pssam estar em relaçã, de md a nã afetar negativamente quaisquer utrs serviçs, prduts u sluções da AMA, assumind, em cada mment, respetiv risc de interface; h) Cmunicar pr escrit à AMA, lg que deles tenha cnheciment, qualquer fact, situaçã, crrência u vicissitude que trne ttal u parcialmente impssível a prestaçã ds serviçs, bem cm cumpriment de qualquer utra das suas brigações, ns terms d presente cadern de encargs e d Cntrat celebrad cm a AMA; i) Nã alterar, pr qualquer md, as cndições de prestaçã ds serviçs fra ds cass prevists n presente Cadern de Encargs; j) Prestar de frma crreta, atempada e fidedigna as infrmações referentes às cndições em que sã prestads s serviçs, bem cm prestar, pr escrit u de frma ral, cnfrme determinad pela AMA, tds s esclareciments que se justifiquem u que esta entenda necessári; 5 DE 33

6 k) Executar a prestaçã ds serviçs dispnibilizand sempre à AMA aquela que seja, em cada mment e n respeit pel bjet cntratad, a sluçã mais recente, cmpleta e funcinal, brigand-se a infrmar imediatamente a AMA cas, durante a prestaçã de serviçs, venham a crrer atualizações u nvas funcinalidades inerentes as serviçs cntratads, de md a que a AMA pssa, em temp útil e a menr cust pssível, decidir cm livremente entender a esse respeit; l) Cmunicar pr escrit à AMA qualquer fact, situaçã u vicissitude que crra durante a execuçã d Cntrat a celebrar, e que, relativamente a adjudicatári, altere a sua denminaçã scial, s seus representantes legais, quadrs u funcináris cm relevância para a prestaçã de serviçs, a sua situaçã jurídica, bem cm a sua situaçã cmercial; m) Cmunicar pr escrit à AMA, a nmeaçã d gestr de Cntrat respnsável, d lad d adjudicatári, pela gestã e acmpanhament da execuçã d Cntrat a celebrar, nã pdend mesm ser substituíd sem autrizaçã prévia e pr escrit da AMA; n) Infrmar, pr escrit a AMA, relativamente a qualquer situaçã pr esta indicada referente à execuçã d Cntrat a celebrar, n praz que lhe vier a ser fixad pela AMA, qual nã pderá ser superir a 5 (cinc) dias excet em cas de urgência; ) Nã afetar s serviçs bjet d Cntrat a celebrar, a qualquer utra finalidade diferente da prevista n Cntrat. 2. A títul acessóri, adjudicatári fica ainda brigad, nmeadamente, a frnecer tds s meis humans, materiais e infrmátics que sejam necessáris e adequads à prestaçã de serviçs, bem cm a estabeleciment d sistema de rganizaçã necessári à perfeita e cmpleta execuçã ds referids serviçs, ns terms d artig 452.º d Códig ds Cntrats Públics. CLÁUSULA QUINTA AFETAÇÃO DE RECURSOS 1. Os recurss humans a afetar à execuçã ds serviçs estã n âmbit de rganizaçã e sb a autridade d adjudicatári nã existind qualquer víncul labral cm a AMA. 2. O Perfil mínim da equipa d adjudicatári a afetar a bjet d presente prcediment encntra-se definid nas cláusulas técnicas d presente cadern de encargs. 3. Durante a execuçã da prestaçã de serviçs, a AMA pderá slicitar a substituiçã de algum ds elements da Equipa, cas cnsidere que este nã reúne as cndições necessárias a desempenh das respetivas funções. 4. As férias u utrs impediments previsíveis pr parte ds recurss afets pel adjudicatári dá lugar à sua substituiçã. 5. Nas situações de substituiçã de recurss previstas ns númers anterires adjudicatári deverá submeter à aprvaçã da AMA curriculum vitae d nv recurs, e garantir um períd mínim de dez dias úteis de transmissã de cnheciments entre recurss. 6. O adjudicatári deverá respeitar tda a legislaçã em vigr, na parte que lhe fr aplicável, devend, nmeadamente, bservar as prescrições legais sbre a sanidade, salári mínim, hráris de trabalh, segurança e respnsabilidade pr 6 DE 33

7 acidentes de trabalh, send únic respnsável pr quaisquer determinações u sanções que lhe sejam impstas pr entidades ficiais. 7. A AMA, a qualquer mment, pde slicitar a apresentaçã de dcuments cmprvativs quant à situaçã prfissinal ds recurss humans afets à execuçã ds serviçs, incluind cumpriment da legislaçã aplicável. 8. Find cntrat, independentemente d fundament da cessaçã, destin d pessal e as cnsequências emergentes ds cntrats de trabalh sã da respnsabilidade d adjudicatári. 9. O adjudicatári é respnsável pela crreta utilizaçã ds bens que, eventualmente, lhe frem cnfiads, nã lhes dand us diferente d que lhes é devid. 10. N fim d cntrat, independentemente d mtiv da cessaçã, adjudicatári briga-se a devlver s bens que lhe tenham sid cnfiads, em perfeit estad de utilizaçã. CLÁUSULA SEXTA MODO DE EXECUÇÃO DA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS 1. A estrutura de crdenaçã da AMA será indicada em sede de execuçã d cntrat e assegurará a avaliaçã da qualidade ds serviçs prestads e da dcumentaçã e entregáveis dispnibilizadas pel adjudicatári. 2. Para acmpanhament da execuçã d cntrat, adjudicatári garante s mecanisms de acmpanhament indicads na sua prpsta de acrd cm previst nas cláusulas técnicas d presente cadern de encargs. 3. Para acmpanhament da execuçã d cntrat, adjudicatári fica brigad a manter reuniões de prgress, cm a peridicidade definida nas cláusulas técnicas d presente cadern de encargs. 4. As reuniões previstas n númer anterir devem ser alv de uma cnvcaçã escrita pr parte da AMA u d adjudicatári, cm indicaçã ds assunts a serem tratads. CLÁUSULA SÉTIMA MONITORIZAÇÃO E REPORTE 1. É brigaçã d adjudicatári prduzir, cm a peridicidade indicada nas cláusulas técnicas d cadern de encargs relatóris de execuçã ds trabalhs. 2. Os relatóris prevists n númer anterir deverã ser enviads à AMA, pr crrei eletrónic, u utr mei a acrdar entre as partes. 3. O nã envi ds relatóris referids n númer 1. da presente cláusula, u a existência de errs u missões ns mesms que nã permitam mnitrizar a execuçã d cntrat, terá um efeit suspensiv n pagament das faturas em dívida até à regularizaçã da situaçã em causa, sem prejuíz da aplicaçã das penalidades previstas na Cláusula Vigésima Primeira d presente Cadern de Encargs. 4. Sem prejuíz de utrs dads indicads nas Cláusulas Técnicas d presente Cadern de Encargs, s relatóris, referids na presente cláusula, devem incluir s seguintes dads: a) Infrmaçã prmenrizada quant às tarefas e/u fases cncluídas n períd a que respeita; b) Infrmaçã prmenrizada quant às tarefas e/u fases iniciadas n períd a que respeita; 7 DE 33

8 c) Infrmaçã glbal sbre pnt de situaçã da execuçã d cntrat, incluind cnfrntaçã ds trabalhs realizads face à calendarizaçã prpsta; d) Infrmaçã prmenrizada quant as trabalhs a realizar n períd subsequente; e) Justificaçã quant a incumpriment de qualquer das brigações decrrentes d cntrat e avaliaçã d seu impact na calendarizaçã prpsta, e na cnclusã d prjet. 5. Tds s relatóris, regists, cmunicações, atas e demais dcuments elabrads pel adjudicatári devem ser integralmente redigids em língua prtuguesa. CLÁUSULA OITAVA PRAZOS DA PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS O adjudicatári briga-se a cumprir tds s prazs indicads na sua prpsta para a prestaçã de serviçs, em cnfrmidade dispst nas Cláusulas Técnicas d presente Cadern de Encargs bem cm s que venham a ser definids quand utras tarefas lhe sejam slicitadas n âmbit da execuçã d bjet d cntrat. CLÁUSULA NONA RECEÇÃO DOS ELEMENTOS A PRODUZIR AO ABRIGO DO CONTRATO 1. N praz de 30 dias a cntar da entrega pel adjudicatári de quaisquer elements referentes à execuçã d cntrat, a AMA prcede à respetiva análise, cm vista a verificar se s mesms reúnem as características, especificações e requisits técnics definids n presente Cadern de Encargs e n Cntrat, bem cm na prpsta adjudicada e ainda s requisits exigids na lei. 2. Na análise a que se refere númer anterir, adjudicatári deve prestar à AMA tda a cperaçã e tds s esclareciments necessáris. 3. N cas da análise da AMA, a que se refere n.º 1, nã cmprvar a cnfrmidade ds elements entregues cm as exigências legais, u n cas de existirem discrepâncias cm as características, especificações e requisits técnics definids nas Cláusulas Técnicas d presente Cadern de Encargs, a AMA deve diss infrmar, pr escrit, adjudicatári. 4. N cas previst n númer anterir, adjudicatári deve prceder, à sua custa e num praz inferir a 7 dias, às alterações e cmplements necessáris para garantir cumpriment das exigências legais e das características, especificações e requisits técnics exigids. 5. Após a realizaçã das alterações e cmplements necessáris pel adjudicatári, n praz respetiv, a AMA prcede a nva análise, ns terms d n.º Cas a análise da AMA a que se refere n.º 1, cmprve a cnfrmidade ds elements entregues pel adjudicatári cm as exigências legais, e neles nã sejam detetadas quaisquer discrepâncias cm as características, especificações e requisits técnics definids nas Cláusulas Técnicas d presente Cadern de Encargs, deve ser emitida, n praz de 1 mês a cmunicaçã de aceitaçã pela AMA. 8 DE 33

9 7. A cmunicaçã de aceitaçã a que se refere númer anterir nã implica a aceitaçã de eventuais discrepâncias cm as exigências legais u cm as características, especificações e requisits técnics prevists n presente Cadern de Encargs. 8. A rejeiçã ds serviçs dispnibilizads, ns terms da presente Cláusula, nã cnfere a adjudicatári direit a qualquer indemnizaçã. 9. A rejeiçã ds serviçs pr parte da AMA, cnfere-lhe direit a ser indemnizada pels custs incrrids e prejuízs sfrids, sem prejuíz da aplicaçã das devidas penalidades. CLÁUSULA DÉCIMA TRANSFERÊNCIA DA PROPRIEDADE 1. Cm a declaraçã de aceitaçã pr parte da AMA, IP, crre a transferência da psse e da prpriedade ds elements a desenvlver a abrig d cntrat para a AMA, incluind s direits autrais sbre tdas as criações intelectuais abrangidas pels serviçs a prestar, incluind códig fnte da aplicaçã desenvlvida. 2. Pela cessã ds direits a que alude númer anterir nã é devida qualquer cntrapartida para além d preç a pagar ns terms d presente Cadern de Encargs. CLÁUSULA DÉCIMA PRIMEIRA TRANSMISSÃO DE CONHECIMENTO 1. O adjudicatári briga-se a entregar à AMA, cm a cnclusã d prjet, tdas as infrmações de que esta necessite para cnhecer, utilizar plenamente e, se necessári, mdificar e reparar a sluçã decrrente da prestaçã de serviçs cntratada, incluind, entre utrs, manuais, livrs técnics, códig fnte dcumentad, relatóris de execuçã d prjet, diagramas e dcumentaçã de suprte às várias fases d prjet (análise requisits, desenh, implementaçã e testes). 2. Adicinalmente, adjudicatári briga-se a realizar reuniões cm a AMA destinadas à transmissã ds cnheciments necessáris para utilizaçã, gestã, manutençã e evluçã da sluçã a frnecer, quand aplicável, de acrd cm as necessidades e dispnibilidade indicadas pela AMA em sede de prjet. 3. Pela entrega de dcumentaçã e realizaçã de reuniões a que aludem s númers anterires nã é devida qualquer cntrapartida para além d preç a pagar ns terms d presente Cadern de Encargs. CLÁUSULA DÉCIMA SEGUNDA CONFORMIDADE E GARANTIA TÉCNICA O adjudicatári fica sujeit, cm as devidas adaptações, e n que se refere as elements entregues à AMA em execuçã d cntrat, às exigências legais, brigações d frnecedr e prazs respetivs aplicáveis as cntrats de aquisiçã de bens móveis, ns terms d Códig d Cntrats Públics e demais legislaçã aplicável. CLÁUSULA DÉCIMA TERCEIRA 9 DE 33

10 RESPONSABILIDADE 1. O adjudicatári assume integral respnsabilidade pels serviçs cntratads, send únic respnsável perante a AMA pela ba prestaçã ds mesms. 2. O adjudicatári respnde nmeadamente pr quaisquer errs, deficiências u missões na prestaçã de serviçs, qualquer que seja a sua rigem e qualquer que seja mment em que frem detetads, salv se adjudicatári prvar que s mesms decrreram de dads frnecids pr escrit pela AMA. 3. O adjudicatári respnde pr quaisquer errs, deficiências u missões, sempre que a sua atuaçã resulte numa incrreta identificaçã ds mecanisms de acmpanhament e cntrl ds trabalhs a realizar. 4. Sempre que s errs, deficiências u missões na prestaçã de serviçs resultem de dads frnecids pela AMA, apurament das respnsabilidades far-se-á de acrd cm previst n artig 378.º d Códig ds Cntrats Públics. 5. Em qualquer altura e lg que slicitad pela AMA, adjudicatári briga-se a crrigir s errs, as deficiências u missões n praz razável que lhe vier a ser fixad, sb pena de esta mandar executá-ls pr cnta d adjudicatári, sempre que a respnsabilidades ds mesms lhe seja imputável. 6. As ações de supervisã e cntrl da AMA em nada alteram u diminuem a respnsabilidade d adjudicatári n que se refere à sua prestaçã ds serviçs. 7. A AMA tem direit de regress cntra adjudicatári respnsável pels ats u missões geradres de respnsabilidade da AMA n presente prcediment. SUBSECÇÃO II DEVER DE SIGILO E PRAZO DO DEVER DE SIGILO CLÁUSULA DÉCIMA QUARTA OBJETO DO DEVER DE SIGILO 1. O adjudicatári deve guardar sigil sbre tda a infrmaçã e dcumentaçã, técnica e nã técnica, cmercial u utra, relativa à AMA, de que pssa ter cnheciment a abrig u em relaçã cm a execuçã d cntrat. 2. A infrmaçã e a dcumentaçã cbertas pel dever de sigil nã pdem ser transmitidas a terceirs, nem ser bjet de qualquer us u md de aprveitament que nã destinad direta e exclusivamente à execuçã d cntrat. 3. Exclui-se d dever de sigil previst, a infrmaçã e a dcumentaçã que fssem cmprvadamente d dmíni públic à data da respetiva btençã pel adjudicatári u que este seja legalmente brigad a revelar, pr frça da lei, de prcess judicial u a pedid de autridades reguladras u utras entidades administrativas cmpetentes. CLÁUSULA DÉCIMA QUINTA PRAZO DO DEVER DE SIGILO O dever de sigil mantém-se em vigr sem limite de praz tend em cnta, nmeadamente, quaisquer deveres legais relativs, designadamente, à prteçã de segreds cmerciais u da credibilidade, d prestígi u da cnfiança devids às pessas cletivas. 10 DE 33

11 SECÇÃO II OBRIGAÇÕES DA AMA CLÁUSULA DÉCIMA SEXTA PREÇO CONTRATUAL 1. Pela prestaçã ds serviçs bjet d cntrat, bem cm pel cumpriment das demais brigações cnstantes d presente Cadern de Encargs, a AMA deve pagar a adjudicatári valr resultante da aplicaçã ds preçs cnstantes da prpsta adjudicada, as serviçs efetivamente prestads, acrescid de IVA à taxa legal em vigr, se este fr legalmente devid. 2. Os serviçs de manutençã evlutiva incluíds na blsa de hras serã efetuads de acrd cm as cmunicações da AMA e faturads cm base ns serviçs efetivamente prestads, pr referência a númer de hras necessárias para a sua prestaçã. 3. O preç referid n n.º 1 da presente cláusula inclui tds s custs, encargs e despesas cuja respnsabilidade nã esteja expressamente atribuída à AMA, bem cm a remuneraçã especial prevista n n.º 4 d artig 14.º d Códig d Direit de Autr e Direits Cnexs. 4. Sã, nmeadamente, suprtads pel adjudicatári s seguintes encargs: a) Tdas as deslcações, estadias e despesas de alimentaçã; b) Tdas as despesas de aquisiçã, transprte, armazenament e manutençã de material e equipament; c) Tds s encargs decrrentes da utilizaçã de marcas registadas, patentes u licenças; d) Encargs cm telecmunicações e crreis; e) Traduçã de dcuments; f) Reprduçã de dcuments emitids; g) Equipament e cnsumíveis de escritóri. 5. Sem prejuíz d preç cntratual previamente determinad ns terms d númer 1. da presente cláusula, a AMA só se briga a pagar a adjudicatári s serviçs que efetivamente venham a ser executads e aceites ns terms da Cláusula Nna d presente cadern de encargs. 6. Tds s encargs derivads da apresentaçã da prpsta, assinatura d cntrat, prestaçã de garantias e segurs sã igualmente da cnta d adjudicatári. CLÁUSULA DÉCIMA SÉTIMA PREÇO BASE 1. O preç base é de ,00 (vinte mil eurs) a qual acresce Impst sbre Valr Acrescentad. 2. Cnsidera-se que uma prpsta cntém um preç anrmalmente baix quand a mesma seja inferir a ,00 (quinze mil eurs). CLÁUSULA DÉCIMA OITAVA CONDIÇÕES DE PAGAMENTO 11 DE 33

12 3. As quantias devidas pela AMA, ns terms da Cláusula Décima Sexta, devem ser pagas n praz de 30 (trinta) dias após a receçã e validaçã da respetiva fatura, de acrd cm dispst ns númers seguintes: 4. Os serviçs de desenvlviment e implementaçã de um website cm as características e requisits cnstantes das cláusulas técnicas d presente cadern de encargs serã pags pr fases, de acrd cm seguinte: a) Fase de desenvlviment: a) 20% d preç prpst para a fase de desenvlviment, cm a aceitaçã, ns terms da Cláusula Nna d presente cadern de encargs, ds entregáveis prevists n pnt 4.1 das cláusulas técnicas; b) 50% d preç prpst para a fase de desenvlviment, cm a aceitaçã, ns terms da Cláusula Nna d presente cadern de encargs, ds entregáveis prevists ns pnts 4.14 a 4.18 das cláusulas técnicas; c) 30% d preç prpst para a fase de desenvlviment, cm a aceitaçã definitiva da sluçã, ns terms da Cláusula Nna e d pnt das cláusulas técnicas d presente cadern de encargs. 5. Os serviçs de manutençã preventiva e crretiva serã pags n mês seguinte a da prestaçã de serviçs a que respeitam, salvaguardada a aceitaçã ns terms da Cláusula Nna, devend as faturas ser acmpanhadas de tds s elements descritivs e justificativs que permitam a sua cnferência. 6. Os serviçs de manutençã evlutiva prestads a abrig da blsa de hras serã pags n mês seguinte a da prestaçã ds serviçs a que respeitam, salvaguardada a aceitaçã ns terms da Cláusula Nna, devend as faturas ser acmpanhadas de tds s elements descritivs e justificativs que permitam a sua cnferência. 7. As faturas devem discriminar s serviçs a que se reprtam, númer de referência d prcediment e d cntrat bem cm númer de cmprmiss financeir assciad, qual será indicad pela AMA, sb pena de devluçã das mesmas. Cas númer de cmprmiss seja alterad, a AMA cmunicará a adjudicatári nv númer a cnstar das faturas. 8. Cas as faturas apresentadas nã sejam validadas pela AMA esta cmunicará tal decisã a adjudicatári, que deverá apresentar utras em sua substituiçã, devidamente crrigidas. 9. As faturas pderã revestir a frma eletrónica, cas em que deverã ser remetidas à AMA através de mei de transmissã escrita e eletrónica de dads, para endereç 10. Só serã devids s valres referentes as serviçs efetivamente prestads e aceites ns terms da Cláusula Nna d presente cadern de encargs. 11. Em cas de atras n pagament, serã devids jurs de mra, à taxa legal fixada ns terms d 3 d artig 102.º d Códig Cmercial, em cumpriment d n.º 5 d artig 5.º d Decret-Lei n.º 62/2013, de 10 de mai, e d artig 1.º da Lei n.º 3/2010, de 27 de Abril. CLÁUSULA DÉCIMA NONA DISPENSA DE CAUÇÃO E RETENÇÕES 1. Cnsiderand que preç cntratual será inferir a EUR, atent preç base fixad ns terms da Cláusula Décima Sétima d presente Cadern de Encargs, nã é exigível a prestaçã de cauçã, ns terms d n.º 2 d artig 12 DE 33

13 88.º d Códig ds Cntrats Públics. 2. Face a preç cntratual, a AMA reserva-se na faculdade de reter 10% d valr ds pagaments a efetuar, para garantia d exat e pntual cumpriment das brigações que assume cm a celebraçã d cntrat. CLÁUSULA VIGÉSIMA ADIANTAMENTOS E REVISÃO DE PREÇOS 1. N âmbit da presente prestaçã de serviçs nã há lugar a adiantaments. 2. Os preçs acrdads n at da adjudicaçã sã válids, sem revisã de preçs, para s serviçs prestads durante a vigência d cntrat. CAPÍTULO III PENALIDADES CONTRATUAIS E RESOLUÇÃO CLÁUSULA VIGÉSIMA PRIMEIRA PENALIDADES CONTRATUAIS 1. A AMA pde exigir a adjudicatári pagament de uma sançã pecuniária, pel incumpriment das datas e prazs de entrega ds serviçs e/u dcumentaçã slicitads, de mntante a fixar em funçã da gravidade d incumpriment, até 20% d preç cntratual. 2. Em cas de resluçã d cntrat pr incumpriment d adjudicatári, a AMA pde exigir-lhe uma pena pecuniária de até 20% d preç cntratual, sem prejuíz d dispst n n.º 3 d 329.º d C.C.P. 3. A valr da pena pecuniária prevista n númer anterir sã deduzidas as imprtâncias pagas pel adjudicatári a abrig d n.º 1, relativamente as serviçs cuj atras na respetiva cnclusã tenha determinad a resluçã d cntrat. 4. Na determinaçã da gravidade d incumpriment, a AMA tem em cnta, nmeadamente, a duraçã da infraçã, a sua eventual reiteraçã, grau de culpa d adjudicatári, e as cnsequências d incumpriment. 5. A aplicaçã das sanções previstas na presente cláusula será bjet de audiência prévia, ns terms prevists n n.º 2 d artig 308.º d Códig ds Cntrats Públics. 6. A cbrança das eventuais sanções em que adjudicatári incrra, será efetuada, a critéri da AMA, designadamente pr descnt n pagament u pagaments subsequentes à verificaçã d fact que tenha dad rigem à penalidade u pr acinament das garantias em pder da AMA. 7. As sanções pecuniárias previstas na presente cláusula nã bstam a que a AMA exija uma indemnizaçã pel dan excedente. CLÁUSULA VIGÉSIMA SEGUNDA FORÇA MAIOR 13 DE 33

14 1. Nã pdem ser impstas penalidades a adjudicatári, nem é havida cm incumpriment, a nã realizaçã pntual das prestações cntratuais a carg de qualquer das partes que resulte de cas de frça mair, entendend-se cm tal as circunstâncias que impssibilitem a respetiva realizaçã, alheias à vntade da parte afetada, que ela nã pudesse cnhecer u prever à data da celebraçã d cntrat e cujs efeits nã lhe fsse razavelmente exigível cntrnar u evitar. 2. Para efeits d dispst n númer anterir, cnstituem cass de frça mair, tremres de terra, inundações, incêndis, epidemias, sabtagens, greves, embargs u blqueis internacinais, ats de guerra u terrrism, mtins e determinações gvernamentais u administrativas injuntivas 3. Nã cnstituem frça mair, designadamente: a) Circunstâncias que nã cnstituam frça mair para s subcntratads d adjudicatári, na parte em que intervenham; b) Greves u cnflits labrais limitads às sciedades d adjudicatári u a grups de sciedades em que este se integre, bem cm a sciedades u grups de sciedades ds seus subcntratads; c) Determinações gvernamentais, administrativas, u judiciais de natureza sancinatória u de utra frma resultantes d incumpriment pel adjudicatári de deveres u ónus que sbre ele recaiam; d) Manifestações ppulares devidas a incumpriment pel adjudicatári de nrmas legais; e) Incêndis u inundações cm rigem nas instalações d adjudicatári cuja causa, prpagaçã u prprções se devam a culpa u negligência sua u a incumpriment de nrmas de segurança; f) Avarias ns sistemas infrmátics u mecânics d nã devidas a sabtagem; g) Events que estejam u devam estar cberts pr segurs. 4. A crrência de circunstâncias que pssam cnsubstanciar cass de frça mair deve ser imediatamente cmunicada à utra parte. 5. A frça mair determina a prrrgaçã ds prazs de cumpriment das brigações cntratuais afetadas pel períd de temp cmprvadamente crrespndente a impediment resultante da frça mair. CLÁUSULA VIGÉSIMA TERCEIRA RESOLUÇÃO POR PARTE DA AMA 1. A AMA pderá reslver cntrat em cas de incumpriment definitiv pel adjudicatári das suas brigações cntratuais, ns terms d dispst na parte final d n.º 1 d artig 325.º e ainda d dispst ns artigs 333.º e 448.º d Códig ds Cntrats Públics. 2. O exercíci d direit de resluçã previst ns númers anterires pela AMA nã preclude direit de a mesma vir a ser ressarcida pels prejuízs que lhe advierem da cnduta d adjudicatári e da resluçã. 3. A AMA, independentemente da cnduta d adjudicatári, reserva-se direit de reslver cntrat ns terms e cm s fundaments prevists ns artigs 334.º e 335.º d Códig ds Cntrats Públics. 4. O direit de resluçã exerce-se mediante declaraçã escrita enviada a adjudicatári e nã determina a repetiçã das prestações já realizadas, a mens que tal seja determinad pela AMA. 14 DE 33

15 CLÁUSULA VIGÉSIMA QUARTA RESOLUÇÃO POR PARTE DO ADJUDICATÁRIO O adjudicatári pde reslver cntrat ns terms ds artigs 332.º e 449.º d Códig ds Cntrats Públics. CAPÍTULO IV SEGUROS CLÁUSULA VIGÉSIMA QUINTA SEGUROS 1. Sem que iss cnstitua limitaçã das suas brigações e respnsabilidades, ns terms d cntrat e deste Cadern de Encargs, adjudicatári deverá ser tmadr de apólice de segur de respnsabilidade civil prfissinal. 2. A AMA pderá exigir a td mment a adjudicatári, a apresentaçã da apólice de segur e s recibs cmprvativs d pagament ds prémis respetivs. 3. Qualquer deduçã efetuada pela Seguradra a títul de franquia em cas de sinistr indemnizável será de cnta d adjudicatári. CAPÍTULO V RESOLUÇÃO DE LITÍGIOS CLÁUSULA VIGÉSIMA SEXTA FORO COMPETENTE Para resluçã de tds s litígis decrrentes da interpretaçã, validade u execuçã d cntrat fica estipulada a cmpetência d Tribunal Administrativ de Círcul de Lisba, cm expressa renúncia a qualquer utr. CAPÍTULO VI DISPOSIÇÕES FINAIS CLÁUSULA VIGÉSIMA SÉTIMA SUBCONTRATAÇÃO E CESSÃO DA POSIÇÃO CONTRATUAL A subcntrataçã pel adjudicatári e a cessã da psiçã cntratual pr qualquer das partes depende da autrizaçã da utra, ns terms d Códig ds Cntrats Públics. CLÁUSULA VIGÉSIMA OITAVA CESSÃO DE CRÉDITOS Carece de autrizaçã prévia e escrita pr parte da AMA, qualquer cessã a terceirs, de crédits que adjudicatári venha a ter direit n âmbit da execuçã d cntrat a que der rigem presente prcediment. CLÁUSULA VIGÉSIMA NONA 15 DE 33

16 PUBLICIDADE O adjudicatári nã pderá fazer u cnsentir qualquer espécie de publicidade relacinada cm presente cntrat, sem a prévia autrizaçã da AMA. CLÁUSULA TRIGÉSIMA DIREITOS DE PROPRIEDADE INTELECTUAL 1. Crrem inteiramente pr cnta d adjudicatári, s encargs e respnsabilidades decrrentes da utilizaçã, na execuçã da prestaçã de serviçs, de materiais, de elements de cnstruçã, de hardware, de sftware u de utrs a que respeitem quaisquer patentes, licenças, marcas, desenhs registads e utrs direits de prpriedade industrial u direits de autr u cnexs. 2. Se a AMA vier a ser demandada pr ter sid infringid, na execuçã da prestaçã de serviçs, qualquer ds direits mencinads n pnt anterir, adjudicatári respnderá ns terms d dispst n artig 447.º, n.º 2, d Códig ds Cntrats Públics. CLÁUSULA TRIGÉSIMA PRIMEIRA COMUNICAÇÕES E NOTIFICAÇÕES 1. Sem prejuíz de pderem ser acrdadas utras regras quant às ntificações e cmunicações entre as partes d cntrat, estas devem ser dirigidas, ns terms d Códig ds Cntrats Públics, para dmicíli u sede cntratual de cada uma, identificads n cntrat. 2. Qualquer alteraçã das infrmações de cntact cnstantes d cntrat deve ser cmunicada à utra parte. CLÁUSULA TRIGÉSIMA SEGUNDA CONTAGEM DOS PRAZOS Os prazs prevists n cntrat sã cntínus, crrend em sábads, dmings e dias feriads, salv dispsiçã em cntrári. O cntrat é regulad pela legislaçã prtuguesa. CLÁUSULA TRIGÉSIMA TERCEIRA LEGISLAÇÃO APLICÁVEL 16 DE 33

Orientações e Recomendações Orientações relativas à informação periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de notação de risco

Orientações e Recomendações Orientações relativas à informação periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de notação de risco Orientações e Recmendações Orientações relativas à infrmaçã periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de ntaçã de risc 23/06/15 ESMA/2015/609 Índice 1 Âmbit de aplicaçã... 3 2 Definições... 3 3 Objetiv

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA 1. Intrduçã e Objetivs a) O Cncurs de Ideias OESTECIM a minha empresa pretende ptenciar apareciment de prjets invadres na regiã d Oeste sempre numa perspetiva de desenvlviment ecnómic e scial. b) O Cncurs

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE LAMEGO EDITAL

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE LAMEGO EDITAL EDITAL CANDIDATURA AOS CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS (CTeSP) 2015 CONDIÇÕES DE ACESSO 1. Pdem candidatar-se a acess de um Curs Técnic Superir Prfissinal (CTeSP) da ESTGL tds s que estiverem

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL Intrduçã O presente Regulament cnstitui um dcument intern d curs de Ciências Cntábeis e tem pr bjetiv reger as atividades relativas a Estági de Iniciaçã

Leia mais

Agenda: 2015 Sage Software, Inc. All rights reserved. 2/1/2016 3 2015 Sage Software, Inc. All rights reserved. 2/1/2016 5

Agenda: 2015 Sage Software, Inc. All rights reserved. 2/1/2016 3 2015 Sage Software, Inc. All rights reserved. 2/1/2016 5 Agenda: Event Sage AEBB Legislaçã inventári permanente (reduçã ds limites) Cnfigurações inventári permanente (ligaçã à CTB) O inventári a 31 de dezembr (imprtância d cntrl stcks, sage inventáris cntagem

Leia mais

Em qualquer situação, deve ser incluída toda a informação que seja relevante para a análise e resolução da questão/problema.

Em qualquer situação, deve ser incluída toda a informação que seja relevante para a análise e resolução da questão/problema. Mdel de Cmunicaçã Prescriçã Eletrónica de Medicaments Revisã 2 Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes da Prescriçã Eletrónica de Medicaments

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA

DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA REQUISITOS TECNICOS O Prgrama de Api as Actres Nã Estatais publica uma slicitaçã para prestaçã

Leia mais

PROTOCOLO FINANCEIRO E DE COOPERAÇÃO

PROTOCOLO FINANCEIRO E DE COOPERAÇÃO PROTOCOLO FINANCEIRO E DE COOPERAÇÃO MUNICÍPIO DE PAREDES DE COURA Fund Lcal n Cncelh de Paredes de Cura PROTOCOLO FINANCEIRO E DE COOPERAÇÃO Entre: O Municípi de Paredes de Cura, pessa clectiva nº 506

Leia mais

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000 ISO 9001:2008 alterações à versã de 2000 Já passaram quase it ans desde que a versã da ISO 9001 d an 2000 fi publicada, que cnduziu à necessidade de uma grande mudança para muitas rganizações, incluind

Leia mais

Consulta Serviços de conceção e desenvolvimento criativo, produção e montagem do Fórum PORTUGAL SOU EU

Consulta Serviços de conceção e desenvolvimento criativo, produção e montagem do Fórum PORTUGAL SOU EU Cnsulta Serviçs de cnceçã e desenvlviment criativ, prduçã e mntagem d Fórum PORTUGAL SOU EU Julh 2014 Cnteúd 1. Intrduçã... 2 2. Enquadrament... 2 3. Públic-Alv... 2 4. Objetivs da Cnsulta... 3 5. Cndições

Leia mais

2. Condições a Observar pelas Empresas Beneficiárias. Síntese dos termos e condições gerais da Linha de Crédito PME Crescimento. Condições genéricas:

2. Condições a Observar pelas Empresas Beneficiárias. Síntese dos termos e condições gerais da Linha de Crédito PME Crescimento. Condições genéricas: 2. Cndições a Observar pelas Empresas Beneficiárias Síntese ds terms e cndições gerais da Linha de Crédit PME Cresciment ( presente dcument identifica as principais características da Linha de Crédit PME

Leia mais

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso Universidade Federal d Ceará Campus de Sbral Curs de Engenharia da Cmputaçã Regulament para realizaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs Intrduçã Este dcument estabelece as regras básicas para funcinament das

Leia mais

H. Problemas/outras situações na ligação com a Segurança Social;

H. Problemas/outras situações na ligação com a Segurança Social; Mdel de Cmunicaçã Certificads de Incapacidade Temprária Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes n âmbit ds CIT Certificads de Incapacidade Temprária.

Leia mais

INFORMAÇÃO GAI. Apoios às empresas pela contratação de trabalhadores

INFORMAÇÃO GAI. Apoios às empresas pela contratação de trabalhadores INFORMAÇÃO GAI Apis às empresas pela cntrataçã de trabalhadres N âmbit das plíticas de empreg, Gvern tem vind a criar algumas medidas de api às empresas pela cntrataçã de trabalhadres, n entant tem-se

Leia mais

PROGRAMA DESENVOLVIMENTO RURAL CONTINENTE 2014-2020. DESCRIÇÃO DA AÇÃO Versão: 1 Data: 28/10/2013

PROGRAMA DESENVOLVIMENTO RURAL CONTINENTE 2014-2020. DESCRIÇÃO DA AÇÃO Versão: 1 Data: 28/10/2013 PROGRAMA DESENVOLVIMENTO RURAL CONTINENTE 2014-2020 DESCRIÇÃO DA AÇÃO Versã: 1 Data: 28/10/2013 M5. ORGANIZAÇÃO DA PRODUÇÃO AÇÃO 5.1. CRIAÇÃO DE AGRUPAMENTOS E ORGANIZAÇÃO DE PRODUTORES NOTA INTRODUTÓRIA

Leia mais

MODALIDADE DE FORMAÇÃO

MODALIDADE DE FORMAÇÃO CURSO 7855 PLANO DE NEGÓCIO - CRIAÇÃO DE PEQUENOS E MÉDIOS NEGÓCIOS Iníci ------ Duraçã 50h Hrári(s) ------ OBJECTIVOS GERAIS - Identificar s principais métds e técnicas de gestã d temp e d trabalh. -

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR 1. Históric da Jrnada AGIR Ns ambientes crprativs atuais, a adçã de um mdel de gestã integrada é uma decisã estratégica n api às tmadas

Leia mais

Resumo Executivo - Funcionalidades 1 INTRODUÇÃO

Resumo Executivo - Funcionalidades 1 INTRODUÇÃO 1 INTRODUÇÃO A crescente cmplexidade ds prjets, a quantidade de infrmaçã que lhes está assciada e aument d númer de intervenientes n prcess cnstrutiv, transfrmaram a indústria da cnstruçã numa indústria

Leia mais

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil;

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil; TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE ANÁLISE DA REDUÇÃO AO VALOR RECUPERÁVEL DE ATIVO PARA CÁLCULOS DO VALOR DO IMPAIRMENT E VIDA ÚTIL RESIDUAL, EM CONFORMIDADE COM O DISPOSTO

Leia mais

Direitos e Obrigações no âmbito dos Acidentes Profissionais e Doenças Profissionais

Direitos e Obrigações no âmbito dos Acidentes Profissionais e Doenças Profissionais Cmunicaçã Direits e Obrigações n âmbit ds Acidentes Prfissinais e Denças Prfissinais Direits e Obrigações n âmbit ds Acidentes Prfissinais e Denças Prfissinais (Lei nº 98/2009 de 4 de Setembr) 1- QUEM

Leia mais

Procedimentos para aceitação de materiais e equipamentos fornecidos à EDP Distribuição

Procedimentos para aceitação de materiais e equipamentos fornecidos à EDP Distribuição Julh 2010 Prcediments para aceitaçã de materiais e equipaments frnecids à EDP Distribuiçã DGF/Departament Gestã de Materiais e Equipaments Prcediments para aceitaçã de materiais e equipaments frnecids

Leia mais

Resultado do Inquérito On-line aos Participantes dos Workshops Realizados pela Direção-Geral das Artes. Avaliação da Utilidade dos Workshops

Resultado do Inquérito On-line aos Participantes dos Workshops Realizados pela Direção-Geral das Artes. Avaliação da Utilidade dos Workshops Resultad d Inquérit On-line as Participantes ds Wrkshps Realizads pela Direçã-Geral das Artes Avaliaçã da Utilidade ds Wrkshps Títul: Resultad d Inquérit On-line as Participantes ds Wrkshps realizads pela

Leia mais

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social Anex 03 Recmendaçã nº 3: estatut padrã, estatut fundamental e cntrat scial 1. Resum 01 Atualmente, Estatut da Crpraçã da Internet para a atribuiçã de nmes e númers (ICANN) tem um mecanism únic para alterações.

Leia mais

Software Development Kit (SDK) do Microsoft Kinect para Windows

Software Development Kit (SDK) do Microsoft Kinect para Windows Sftware Develpment Kit (SDK) d Micrsft Kinect para Windws Os presentes terms de licenciament cnstituem um cntrat entre a Micrsft Crpratin (u dependend d país em que reside uma das respetivas empresas afiliadas)

Leia mais

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO 1 de 7 1. OBJETIVO Este prcediment estabelece prcess para cncessã, manutençã, exclusã e extensã da certificaçã de sistema de segurança cnfrme ABNT NBR 15540. 2. DOCUMENTOS COMPLEMENTARES - ABNT NBR 15540:2013:

Leia mais

^i * aesíqn e=> ~omunícc3ç:c30

^i * aesíqn e=> ~omunícc3ç:c30 ^i * aesíqn e=> ~munícc3ç:c30 CONTRATO DE LICENÇA DE USO DO SISTEMA - SUBMIT CMS Web Site da Prefeitura de Frei Martinh - Paraíba 1. IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTE Prefeitura Municipal de Frei Martinh

Leia mais

www.highskills.pt geral@highskills.pt

www.highskills.pt geral@highskills.pt www.highskills.pt geral@highskills.pt Índice Designaçã d Curs... 2 Duraçã Ttal d Curs de Frmaçã... 2 Destinatáris... 2 Objetiv Geral... 2 Objetivs Específics... 2 Estrutura mdular e respectiva carga hrária...

Leia mais

PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA

PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA CAMINHO PARA ELABORAÇÃO DE AGENDAS EMPRESARIAIS EM ADAPTAÇÃO ÀS MUDANÇAS DO CLIMA Prpsta de Framewrk Resultad d diálg crrid em 26 de junh de 2013, n Fórum Latin-American

Leia mais

A atuação do Síndico Profissional é a busca do pleno funcionamento do condomínio. Manuel Pereira

A atuação do Síndico Profissional é a busca do pleno funcionamento do condomínio. Manuel Pereira A atuaçã d Síndic Prfissinal é a busca d plen funcinament d cndmíni Manuel Pereira Missã e Atividades Habilidade - Cnhecems prfundamente a rtina ds cndmínis e seus prblemas administrativs. A atuaçã é feita

Leia mais

Âmbito do Documento. Modelo de Comunicação. Modelo de Comunicação. Prescrição Eletrónica Médica - Aplicação

Âmbito do Documento. Modelo de Comunicação. Modelo de Comunicação. Prescrição Eletrónica Médica - Aplicação Mdel de Cmunicaçã Prescriçã Eletrónica Médica - Aplicaçã Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes da aplicaçã de Prescriçã Eletrónica Médica

Leia mais

Apresentação ao mercado do cronograma do processo de adopção plena das IAS/IFRS no sector financeiro

Apresentação ao mercado do cronograma do processo de adopção plena das IAS/IFRS no sector financeiro Apresentaçã a mercad d crngrama d prcess de adpçã plena das IAS/IFRS n sectr financeir DEPARTAMENTO DE SUPERVISÃO PRUDENCIAL DAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS 12 de Junh de 2014 Departament de Supervisã Prudencial

Leia mais

Regulamento do programa de bolsas de estudos

Regulamento do programa de bolsas de estudos Regulament d prgrama de blsas de estuds Unidades Ri de Janeir e Sã Paul Data de publicaçã: 13/05/2015 Regulament válid até 30/08/2015 1 1. Sbre prgrama Através de um prcess seletiv, prgrama de blsas de

Leia mais

INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR

INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR A pertinência e valr demnstrad das valências d Cartã de Saúde Cfre, em razã d flux de adesões e pedids de esclareciment, trnam essencial dar evidência e respsta a algumas situações

Leia mais

5. PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO:

5. PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO: 5. PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO: 5.1 INTRODUÇÃO A rganizaçã da manutençã era cnceituada, até há puc temp, cm planejament e administraçã ds recurss para a adequaçã à carga de trabalh esperada.

Leia mais

CIRCULAR. Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007. Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar. Contributos para a sua Operacionalização

CIRCULAR. Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007. Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar. Contributos para a sua Operacionalização CIRCULAR Data: 2007/10/10 Númer d Prcess: DSDC/DEPEB/2007 Assunt: GESTÃO DO CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007 Para: Inspecçã-Geral de Educaçã Direcções Reginais de Educaçã

Leia mais

3 Formulação da Metodologia 3.1. Considerações Iniciais

3 Formulação da Metodologia 3.1. Considerações Iniciais 53 3 Frmulaçã da Metdlgia 3.1. Cnsiderações Iniciais O presente capítul tem cm finalidade prpr e descrever um mdel de referencia para gerenciament de prjets de sftware que pssa ser mensurável e repetível,

Leia mais

SEGURANÇA NO TRABALHO CONTRATADOS E TERCEIROS DO CLIENTE

SEGURANÇA NO TRABALHO CONTRATADOS E TERCEIROS DO CLIENTE Flha 1 de 8 Rev. Data Cnteúd Elabrad pr Aprvad pr 0 16/06/2004 Emissã inicial englband a parte técnica d GEN PSE 004 Luiz C. Sants Cmitê da Qualidade 1 31/01/2006 Revisã geral Luiz C. Sants Cmitê da Qualidade

Leia mais

Art. 2º. Trata-se de uma promoção de caráter exclusivamente de estimulo cultural, profissional e acadêmico sem vínculo com sorteios.

Art. 2º. Trata-se de uma promoção de caráter exclusivamente de estimulo cultural, profissional e acadêmico sem vínculo com sorteios. Prêmi Data Pint de Criatividade e Invaçã - 2011 N an em que cmpleta 15 ans de atuaçã n mercad de treinament em infrmática, a Data Pint ferece à cmunidade a prtunidade de participar d Prêmi Data Pint de

Leia mais

Cursos Profissionais de Nível Secundário (Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março)

Cursos Profissionais de Nível Secundário (Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março) REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Curss Prfissinais de Nível Secundári (Decret-Lei n.º 74/2004, de 26 de Març) Família Prfissinal: 07 - Infrmática 1. QUALIFICAÇÕES / SAÍDAS PROFISSIONAIS As qualificações de nível

Leia mais

CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI

CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI 6.1 Requisits de Capacidade e Experiência d Prestadr A ANEEL deveria exigir um puc mais quant a estes requisits, de frma a garantir uma melhr qualificaçã da empresa a ser cntratada.

Leia mais

EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO N.º 2

EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO N.º 2 EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL REGULAMENTO ESPECÍFICO: EQUIPAMENTOS PARA A COESÃO LOCAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO N.º 2 Ns terms d regulament específic Equipaments para a Cesã Lcal,

Leia mais

Novas Salvaguardas Ambientais e Sociais

Novas Salvaguardas Ambientais e Sociais Nvas Salvaguardas Ambientais e Sciais Discussões Técnicas de Gvern ESS1 Avaliaçã e Gerenciament de Riscs e Impacts Sciais e Ambientais 15 de utubr, 2014 Objetivs da ESS1 Identificar, avaliar e gerir s

Leia mais

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde Anex V Sftware de Registr Eletrônic em Saúde Implantaçã em 2 (duas) Unidades de Saúde Índice 1 INTRODUÇÃO... 3 2 ESTRATÉGIAS E PROCEDIMENTOS DE IMPLANTAÇÃO... 3 4 INFRAESTRUTURA NAS UNIDADES DE SAÚDE -

Leia mais

AVISO CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS

AVISO CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS AVISO CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS PROGRAMA OPERACIONAL SUSTENTABILIDADE E EFICIÊNCIA NO USO DE RECURSOS (PO SEUR) EIXO PRIORITÁRIO 3 PROTEGER O AMBIENTE E PROMOVER A EFICIÊNCIA DOS RECURSOS

Leia mais

MANUAL dos LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA

MANUAL dos LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA MANUAL ds LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA Objetiv 1. Oferecer as aluns a infra-estrutura e suprte necessári à execuçã de tarefas práticas, slicitadas pels prfessres, bservand s prazs estabelecids. 2. Oferecer

Leia mais

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30)

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30) UNIP Brasília - Crdenaçã CG/CW/GR/AD Senhres Aluns, Seguem infrmações imprtantes sbre PIM: 1. O QUE É? - Os PIM (Prjet Integrad Multidisciplinar) sã prjets brigatóris realizads els aluns ds curss de graduaçã

Leia mais

Manual de Procedimentos

Manual de Procedimentos Manual de Prcediments Prcediments para Submissã de Prjets de MDL à Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima Secretaria Executiva Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima Prcediments para

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS REALIZAR MANUTENÇÃO PREDIAL

MANUAL DE PROCEDIMENTOS REALIZAR MANUTENÇÃO PREDIAL Códig: MAP-DILOG-002 Versã: 00 Data de Emissã: 01/01/2013 Elabrad pr: Gerência de Instalações Aprvad pr: Diretria de Lgística 1 OBJETIVO Estabelecer cicl d prcess para a manutençã predial crretiva e preventiva,

Leia mais

IARC Oferta de Infra-estruturas aptas ao Alojamento de Redes de Comunicações Eletrónicas

IARC Oferta de Infra-estruturas aptas ao Alojamento de Redes de Comunicações Eletrónicas IARC Oferta de Infra-estruturas aptas a Aljament de Redes de Cmunicações Eletrónicas Versã 1.1 08 de Julh de 2015 Índice 1. Intrduçã 3 2. Objet e Âmbit 3 3. Obrigações e respnsabilidades ds Clientes 3

Leia mais

Projetos, Programas e Portfólios

Projetos, Programas e Portfólios Prjets, Prgramas e Prtfólis pr Juliana Klb em julianaklb.cm Prjet Segund PMBOK (2008): um prjet é um esfrç temprári empreendid para criar um nv prdut, serviç u resultad exclusiv. Esta definiçã, apesar

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS Versã 0.0 25/10/2010 Sumári 1 Objetivs... 3 2 Cnceits... 3 3 Referências... 3 4 Princípis... 3 5 Diretrizes d Prcess... 4 6 Respnsabilidades... 5 7

Leia mais

Excluídas as seguintes definições:

Excluídas as seguintes definições: Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações Entre PM AM.08 APLICAÇÃO DE PENALIDADE POR INSUFICIÊNCIA DE CONTRATAÇÃO E PENALIDADE POR INSUFICIÊNCIA DE LASTRO DE VENDA & PdC AM.10 MONITORAMENTO DE INFRAÇÃO

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE. Técnicos de Instalação e Manutenção de Edifícios e Sistemas. (TIMs)

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE. Técnicos de Instalação e Manutenção de Edifícios e Sistemas. (TIMs) MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE Técnics de Instalaçã e Manutençã de Edifícis e Sistemas (TIMs) NO SISTEMA INFORMÁTICO DO SISTEMA NACIONAL DE CERTIFICAÇÃO ENERGÉTICA NOS EDIFÍCIOS (SCE) 17/07/2014

Leia mais

Gestão do Escopo 1. Planejamento da Gestão do Escopo: 2. Definição do Escopo: 3. Elaboração da EDT(EAP): 4. Verificação do Escopo:

Gestão do Escopo 1. Planejamento da Gestão do Escopo: 2. Definição do Escopo: 3. Elaboração da EDT(EAP): 4. Verificação do Escopo: Gestã d Escp 1. Planejament da Gestã d Escp: i. Autrizaçã d prjet ii. Definiçã d escp (preliminar) iii. Ativs em cnheciments rganizacinais iv. Fatres ambientais e rganizacinais v. Plan d prjet i. Plan

Leia mais

Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher E s c r i t ó r i o R e g i o n a l p a r a o B r a s i l e o C o n e S u l

Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher E s c r i t ó r i o R e g i o n a l p a r a o B r a s i l e o C o n e S u l Fund de Desenvlviment das Nações Unidas para a Mulher E s c r i t ó r i R e g i n a l p a r a B r a s i l e C n e S u l Fnd de Desarrll de las Nacines Unidas para la Mujer O f i c i n a R e g i n a l p

Leia mais

PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016

PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016 PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016 Tend presente a Missã da Federaçã Prtuguesa de Autism: Defesa incndicinal ds direits das pessas cm Perturbações d Espectr d Autism e suas famílias u representantes. Representaçã

Leia mais

www.highskills.pt geral@highskills.pt

www.highskills.pt geral@highskills.pt www.highskills.pt geral@highskills.pt Índice Designaçã d Curs... 2 Duraçã Ttal d Curs de Frmaçã... 2 Destinatáris... 2 Objetiv Geral... 2 Objetivs Específics... 2 Estrutura mdular e respectiva carga hrária...

Leia mais

Glossário das Metas Prioritárias 2010 Versão 1.2.14 Agosto/2010

Glossário das Metas Prioritárias 2010 Versão 1.2.14 Agosto/2010 Meta Priritária 5 Implantar métd de gerenciament de rtinas (gestã de prcesss de trabalh) em pel mens 50% das unidades judiciárias de 1º grau. Esclareciment da Meta Nã estã sujeits a esta meta s tribunais

Leia mais

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL Objetivs: Gestã Empresarial Desenvlver cmpetências para atuar n gerenciament de prjets, prestand cnsultria

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações SAZONALIZAÇÃO DE CONTRATO INICIAL E DE ENERGIA ASSEGURADA PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para

Leia mais

CURSO DE TRIPULANTE DE AMBULÂNCIA DE SOCORRO

CURSO DE TRIPULANTE DE AMBULÂNCIA DE SOCORRO EA.TAS.6.1.13 HELPCARE CURSO DE TRIPULANTE DE AMBULÂNCIA DE SOCORRO Prpsta Curs de Tripulante de Ambulância de Scrr Fundamentaçã O scrr e transprte de vítimas de dença súbita e/u trauma é executad pr váris

Leia mais

WORKSHOPS SOBRE AS POSSIBILIDADES DE COOPERAÇÃO / CONCENTRAÇÃO NO SECTOR AUXILIAR NAVAL

WORKSHOPS SOBRE AS POSSIBILIDADES DE COOPERAÇÃO / CONCENTRAÇÃO NO SECTOR AUXILIAR NAVAL WORKSHOPS SOBRE AS POSSIBILIDADES DE COOPERAÇÃO / CONCENTRAÇÃO NO SECTOR AUXILIAR NAVAL ÍNDICE I. Apresentaçã e bjectivs d wrkshp II. III. Resultads ds inquérits Ambiente cmpetitiv Negóci Suprte Prcesss

Leia mais

Laboratório Ibero Americano de Inovação Cidadã Convocatória de Projetos

Laboratório Ibero Americano de Inovação Cidadã Convocatória de Projetos Labratóri Iber American de Invaçã Cidadã Cnvcatória de Prjets Cnvcatória aberta para prjets de invaçã cidadã A iniciativa da Secretaria Geral Iber Americana (SEGIB) Cidadania 2.0, a Agencia Espanhla de

Leia mais

Modelo de Comunicação. Programa Nacional para a Promoção da Saúde Oral

Modelo de Comunicação. Programa Nacional para a Promoção da Saúde Oral Mdel de Cmunicaçã Prgrama Nacinal para a Prmçã da Saúde Oral Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e utilizadres d Sistema de Infrmaçã para a Saúde Oral

Leia mais

SEGURANÇA DE DADOS CLÍNICOS

SEGURANÇA DE DADOS CLÍNICOS SEGURANÇA DE DADOS CLÍNICOS 6/16/2005 HSM/SSIT-07062005/CA Carls Ferreira Hspital de Santa Maria Serviç de Sistemas de Infrmaçã e Telecmunicações Av. Prf. Egas Mniz 1649-035 Lisba Tel.: (+351) 217805327

Leia mais

Promover a obtenção de AIM (Autorização de Introdução no Mercado) no estrangeiro de medicamentos criados e desenvolvidos em Portugal.

Promover a obtenção de AIM (Autorização de Introdução no Mercado) no estrangeiro de medicamentos criados e desenvolvidos em Portugal. SIUPI SISTEMA DE INCENTIVOS À UTILIZAÇÃO DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL FICHA DE MEDIDA Apia prjects que visem estimular investiment em factres dinâmics de cmpetitividade, assciads à invaçã tecnlógica, a design

Leia mais

Índice. Introdução. Passo 1 - Conhecer os. O que é capital de risco. Manual

Índice. Introdução. Passo 1 - Conhecer os. O que é capital de risco. Manual Manual O que é capital de risc Índice Intrduçã Pass 1 - Cnhecer s cnceits-base Pass 2 - Cnhecer as frmas de atuaçã Pass 3 - Elabrar um plan de negócis Pass 4 - Apresentar plan de negócis a ptenciais SCR

Leia mais

REGULAMENTO DA OLIMPÍADA JURÍDICA 2014

REGULAMENTO DA OLIMPÍADA JURÍDICA 2014 1 REGULAMENTO DA OLIMPÍADA JURÍDICA 2014 PARTICIPANTES A Olimpíada Jurídica 2014 é uma cmpetiçã direcinada a aluns que estejam regularmente matriculads ns curss de graduaçã de Direit de Instituições de

Leia mais

REGULAMENTO TOP CIDADANIA ABRH-RS EDIÇÃO 2015 CATEGORIA ESTUDANTE

REGULAMENTO TOP CIDADANIA ABRH-RS EDIÇÃO 2015 CATEGORIA ESTUDANTE REGULAMENTO TOP CIDADANIA ABRH-RS EDIÇÃO 2015 CATEGORIA ESTUDANTE ARTIGO I DEFINIÇÃO E NATUREZA O Prêmi Cidadania, categria Estudante, premia trabalhs de caráter técnic u científic, referente a implementaçã

Leia mais

FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DO PORTO

FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DO PORTO FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DO PORTO C e n t r d e I n f r m á t i c a NORMAS DE UTILIZAÇÃO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA A FMUP dispõe de salas e labratóris de infrmática gerids pel Centr

Leia mais

Concurso Público. Estudo para a Simplificação Regulatória

Concurso Público. Estudo para a Simplificação Regulatória Concurso Público N.º 01/14/GJ/DSR/ Estudo para a Simplificação Regulatória Contratação de Serviços para Realização de Estudo Preparatório das Medidas de Simplificação Regulatória no Próximo Período de

Leia mais

GESTÃO DE LABORATÓRIOS

GESTÃO DE LABORATÓRIOS Seminári Luanda, 26,27,28,29 e 30 de Mai de 2014 - Htel **** Guia Prática GESTÃO DE LABORATÓRIOS Finanças Assegure uma gestã eficaz de tdas as áreas 40 hras de Frmaçã Especializada Cnceits ecnómic-financeirs

Leia mais

MTur Sistema Artistas do Turismo. Manual do Usuário

MTur Sistema Artistas do Turismo. Manual do Usuário MTur Sistema Artistas d Turism Manual d Usuári Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 3 3. ACESSAR O SISTEMA... 4 4. UTILIZANDO O SISTEMA... 9 4.1. CADASTRAR REPRESENTANTE... 9 4.2. CADASTRAR

Leia mais

CARTILHA PARA ORIENTAÇÃO ACERCA DAS OBRIGAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS PARA O PERÍODO ELEITORAL

CARTILHA PARA ORIENTAÇÃO ACERCA DAS OBRIGAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS PARA O PERÍODO ELEITORAL MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL SECRETARIA DA RECEITA PREVIDENCIÁRIA - SRP DEPARTAMENTO DE FISCALIZAÇÃO - DEFIS CARTILHA PARA ORIENTAÇÃO ACERCA DAS OBRIGAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS PARA O PERÍODO ELEITORAL

Leia mais

SI à Qualificação e Internacionalização de PME Projectos Individuais e de Cooperação Aviso nº 7/SI/2011

SI à Qualificação e Internacionalização de PME Projectos Individuais e de Cooperação Aviso nº 7/SI/2011 Objectiv Tiplgia SI à Qualificaçã e Internacinalizaçã de PME Prjects Individuais e de Cperaçã Avis nº 7/SI/2011 Prmçã da cmpetitividade das empresas através d aument da prdutividade, da flexibilidade e

Leia mais

Número de cédula profissional (se médico); Nome completo; 20/06/2014 1/7

Número de cédula profissional (se médico); Nome completo; 20/06/2014 1/7 Mdel de Cmunicaçã Sistema Nacinal de Vigilância Epidemilógica Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes d Sistema Nacinal de Vigilância Epidemilógica.

Leia mais

DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO

DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO 1. PREÂMBULO... 1 2. NATUREZA E OBJECTIVOS... 1 3. MODO DE FUNCIONAMENTO... 2 3.1 REGIME DE ECLUSIVIDADE... 2 3.2 OCORRÊNCIAS... 2 3.3

Leia mais

SDK (Software Development Kit) do Microsoft Kinect para Windows

SDK (Software Development Kit) do Microsoft Kinect para Windows SDK (Sftware Develpment Kit) d Micrsft Kinect para Windws Os presentes terms de licença cnstituem um acrd entre a Micrsft Crpratin (u, dependend d lcal n qual vcê esteja dmiciliad, uma de suas afiliadas)

Leia mais

Ministério da Justiça. Orientações para a preparação dos Policiais que atuam na Região

Ministério da Justiça. Orientações para a preparação dos Policiais que atuam na Região Ministéri da Justiça Departament da Plícia Federal Academia Nacinal de Plícia Secretaria Nacinal de Segurança Pública Departament de Pesquisa, Análise da Infrmaçã e Desenvlviment Humanan Orientações para

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA. Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I PROVA 3 FINANÇAS PÚBLICAS

PADRÃO DE RESPOSTA. Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I PROVA 3 FINANÇAS PÚBLICAS Questã n 1 Cnheciments Específics O text dissertativ deve cmtemplar e desenvlver s aspects apresentads abaix. O papel d PPA é de instrument de planejament de médi/lng praz que visa à cntinuidade ds bjetivs

Leia mais

OBJECTIVO. Ligação segura às redes públicas de telecomunicações, sob o ponto de vista dos clientes e dos operadores;

OBJECTIVO. Ligação segura às redes públicas de telecomunicações, sob o ponto de vista dos clientes e dos operadores; Prcediments de Avaliaçã das ITED ANACOM, 1ª ediçã Julh 2004 OBJECTIVO De acrd cm dispst n nº 1, d artº 22º, d Decret Lei nº 59/2000, de 19 de Abril (adiante designad cm DL59), a cnfrmidade da instalaçã

Leia mais

é a introdução de algo novo, que atua como um vetor para o desenvolvimento humano e melhoria da qualidade de vida

é a introdução de algo novo, que atua como um vetor para o desenvolvimento humano e melhoria da qualidade de vida O que é invaçã? Para a atividade humana: é a intrduçã de alg nv, que atua cm um vetr para desenvlviment human e melhria da qualidade de vida Para as empresas: invar significa intrduzir alg nv u mdificar

Leia mais

Legenda da Mensagem de Resposta à Verificação de Elegibilidade (respostaelegibilidade)

Legenda da Mensagem de Resposta à Verificação de Elegibilidade (respostaelegibilidade) Legenda da Mensagem de Respsta à Verificaçã de Elegibilidade (respstaelegibilidade) Mensagem : Respta à verificaçã de elegibilidade (respstaelegibilidade) - Flux : Operadra para Prestadr Códig da mensagem

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE RESOLUÇÃO N 379, DE 19 DE OUTUBRO DE 2006 Cria e regulamenta sistema de dads e infrmações sbre a gestã flrestal n âmbit d Sistema Nacinal

Leia mais

DIRETRIZES E CRITÉRIOS PARA APLICAÇÃO DOS RECURSOS

DIRETRIZES E CRITÉRIOS PARA APLICAÇÃO DOS RECURSOS DIRETRIZES E CRITÉRIOS PARA APLICAÇÃO DOS RECURSOS Prjets n Bima Amazônia A Critéris Orientadres B C D E F Cndicinantes Mínims para Prjets Mdalidades de Aplicaçã ds Recurss Restriçã de Us ds Recurss Critéris

Leia mais

Cm Criar Seu Própri Empreg em Apenas 5 Passs 1 1º Pass: A IDEIA 2º Pass: O CONTACTO COM VÁRIAS INSTITUIÇÕES E ENTIDADES 3º Pass: PLANO DE NEGÓCIOS 4º Pass: CRIAÇÃO DA EMPRESA E INÍCIO DE ACTIVIDADE 5º

Leia mais

CAE Rev_3: 47990 VENDAS AUTOMÁTICAS (VENDING)

CAE Rev_3: 47990 VENDAS AUTOMÁTICAS (VENDING) O cnteúd infrmativ dispnibilizad pela presente ficha nã substitui FUNCHAL CAE Rev_3: 47990 VENDAS AUTOMÁTICAS (VENDING) ÂMBITO A atividade de venda autmática deve bedecer à legislaçã aplicável à venda

Leia mais

1.1.3.1 Ausência de processo de monitoramento e avaliação da execução do PDTI.

1.1.3.1 Ausência de processo de monitoramento e avaliação da execução do PDTI. Cnstatações 1.1.3.1 Ausência de prcess de mnitrament e avaliaçã da execuçã d PDTI. 1.1.3.2 Cmitê de TI nã atuante e inefetiv. 1.1.3.3 Quantidade insuficiente de servidres para a gestã de TI. 1.1.3.4 Falhas

Leia mais

REGULAMENTO 1- OBJETIVO

REGULAMENTO 1- OBJETIVO REGULAMENTO 1- OBJETIVO O Prgrama Nv Temp é um iniciativa da Cargill Agricla SA, que visa ferecer as seus funcináris e das empresas patrcinadras ds plans de previdência sb a gestã da CargillPrev Sciedade

Leia mais

Responsabilidade Civil Responsabilidade Civil Geral

Responsabilidade Civil Responsabilidade Civil Geral Respnsabilidade Civil Respnsabilidade Civil Geral Infrmações Pré-Cntratuais Seguradr AIG Eurpe Limited Sucursal em Prtugal, entidade legalmente autrizada a exercer a atividade Seguradra e que, mediante

Leia mais

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 QUALIDADE RS PGQP PROGRAMA GAÚCHO DA QUALIDADE E PRODUTIVIDADE PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 GUIA PARA CANDIDATURA SUMÁRIO 1. O PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP... 3 1.1 Benefícis... 3 2. PREMIAÇÃO... 3 2.1 Diretrizes

Leia mais

REP REGISTO DOS PROFISSIONAIS DO EXERCICIO

REP REGISTO DOS PROFISSIONAIS DO EXERCICIO REP REGISTO DOS PROFISSIONAIS DO EXERCICIO Um prject eurpeu em clabraçã cm a EHFA Eurpean Health and Fitness Assciatin, cm sede em Bruxelas Regist ds Prfissinais Intrduçã Estams numa fase em que a Tutela

Leia mais

O projeto Key for Schools PORTUGAL

O projeto Key for Schools PORTUGAL O prjet Key fr Schls PORTUGAL O teste Key fr Schls O teste Key fr Schls é cncebid para aplicaçã em cntext esclar e está de acrd cm Quadr Eurpeu Cmum de Referência para as Línguas O teste Key fr Schls permite

Leia mais

VERSÃO ATUALIZADA EM 07/08/2015 > Alteração no cronograma (Art. 6º e Art. 12º).

VERSÃO ATUALIZADA EM 07/08/2015 > Alteração no cronograma (Art. 6º e Art. 12º). VERSÃO ATUALIZADA EM 07/08/2015 > Alteraçã n crngrama (Art. 6º e Art. 12º). APRESENTAÇÃO Idealizad e instituíd pela Assciaçã Nacinal de Entidades Prmtras de Empreendiments Invadres (Anprtec), em parceria

Leia mais

CURSO PREPARATÓRIO PARA CERTIFICAÇÃO

CURSO PREPARATÓRIO PARA CERTIFICAÇÃO Cnteúd prgramátic CURSO PREPARATÓRIO PARA CERTIFICAÇÃO Este é cnteúd prgramátic d curs preparatóri n nv prgrama CDO-0001 para a certificaçã CmpTIA CDIA+. CONCEITUAL ECM Apresentaçã ds cnceits envlvids

Leia mais

GERENCIAMENTO DE DOCUMENTOS, CONTEÚDO E PROCESSOS GED/ECM. Solução de Gestão Eletrônica de Documentos Acadêmicos

GERENCIAMENTO DE DOCUMENTOS, CONTEÚDO E PROCESSOS GED/ECM. Solução de Gestão Eletrônica de Documentos Acadêmicos GERENCIAMENTO DE DOCUMENTOS, CONTEÚDO E PROCESSOS GED/ECM Sluçã de Gestã Eletrônica de Dcuments Acadêmics OBJETIVOS DA SOLUÇÃO BENEFÍCIOS GERAIS A Sluçã ECMDOC de Gestã de Dcuments Acadêmics, tem cm principais

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para Prcediment de Cmercializaçã. Inserid

Leia mais