INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE RIO VERDE - FACULDADE OBJETIVO REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE RIO VERDE - FACULDADE OBJETIVO REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO"

Transcrição

1 INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE RIO VERDE - FACULDADE OBJETIVO REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Seçã I Da finalidade e da fundamentaçã legal REGULAMENTO DO T.C.C. - e anexs - CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1 - O presente regulament dispõe sbre as nrmas, rientaçã, redaçã, apresentaçã e avaliaçã d Trabalh de Cnclusã d Curs de Graduaçã em Direit d Institut de Ensin Superir de Ri Verde em estrit cumpriment a Parecer CNE/CES 211/2004, à Resluçã CNE/CES 09/2004 e as indicadres de avaliaçã cnstantes nas Prtarias nº 1.081/2008 e nº 3/ º - Assim determina Parecer CNE/CES 211/2004: Trabalh de Curs: é necessári que Prjet Pedagógic d Curs de Direit cntenha Trabalh de Curs cm cmpnente curricular brigatóri, ensejand a alun a prtunidade de revelar a sua aprpriaçã, a lng d curs, d dmíni da linguagem científica na ciência d direit, cm a indispensável precisã terminlógica da referida ciência. Desta maneira, Trabalh de Curs deve ser entendid cm um cmpnente curricular brigatóri da Instituiçã que, pderá desenvlvê-l em diferentes mdalidades, e em caráter individual, a saber: mngrafia, prjets de atividade centrada em determinadas áreas teórica-prática u de frmaçã prfissinal d curs, u ainda apresentaçã de trabalh sbre desempenh d alun n curs, que reúna e cnslide as experiências em atividades cmplementares e teóric-práticas. A IES deverá emitir regulamentaçã própria aprvada pel seu respectiv cnselh, cntend, brigatriamente, critéris, prcediments e mecanisms de avaliaçã, além das diretrizes técnicas relacinadas cm a sua elabraçã. 2º - Assim determina Resluçã CNE/CES 09/2004: Art. 10. O Trabalh de Curs é cmpnente curricular brigatóri, desenvlvid individualmente, cm cnteúd a ser fixad pelas Instituições de Educaçã Superir em funçã de seus Prjets Pedagógics. Parágraf únic. As IES deverã emitir regulamentaçã própria aprvada pr Cnselh cmpetente, cntend necessariamente, critéris, prcediments e mecanisms de avaliaçã, além das diretrizes técnicas relacinadas cm a sua elabraçã. Seçã II Das definições Art. 2 - Trabalh de Cnclusã de Curs é trabalh desenvlvid cm: 1 - mngrafia; Rua 12 de Outubr, nº 40, quadra: 64, lte: 02 Jardim Adriana - Ri Verde-GO CEP: Fne: (64)

2 2 - artig científic; 3 - prjet desenvlvid, e em funcinament, de atividade centrada em determinadas áreas teórica-prática u de frmaçã prfissinal d curs; 4 - relatóri científic, nde acadêmic irá desenvlver suas atividades, cnfrme Prjet de Pesquisa, redigir e apresentá-l ralmente e respnder questões prpstas pela Banca Examinadra de acrd cm as nrmas estabelecidas neste regulament; 5 - resenha crítica de bra literária de imprtância para a área jurídica. 1º Td prcess de pesquisa e redaçã é de respnsabilidade exclusiva d acadêmic que deverá, para validar trabalh, ter acmpanhament de um Prfessr Orientadr. 2º O prjet pde ser iniciad em semestre anterir a de sua cnclusã e apresentaçã. 3º N últim semestre alun deverá apresentar um pré-prjet à Crdenaçã n praz estipulad para este fim n Calendári de TCC, send que este pré-prjet deve cnter tema, a prblemática e tip de pesquisa que pderá ser realizada. 4º- O Trabalh de Cnclusã de Curs pde ser resultad de: I revisã teórica u bibligráfica: cnsiste num trabalh teóric-cnceitual sbre um assunt pesquisad bibligraficamente, seja em livrs, revistas u utrs dcuments. II estud de cas: análise específica de um determinad prcess judicial u de determinada rganizaçã relacinada a jurídic, levantand hipóteses, identificand relações, diagnsticand prblemas, pdend inclusive indicar ações para sluções. III teóric-empíric: representa uma pesquisa empírica (trabalh de camp), cm cleta e análise de dads primáris (btids diretamente na fnte) u secundáris (btids de bras bibligráficas e fntes já existentes). IV resenha crític-analítica de livr cnsiderad bra básica e/u clássica relacinada cm direit: leitura sistemática e redaçã indicativa ds pnts principais cm análise crítica a partir de bjetivs definids n Prjet de Pesquisa. V relatóri de prjet desenvlvid, e em funcinament, de atividade centrada em determinadas áreas teórica-prática u de frmaçã prfissinal d curs: relatóri sistemátic e detalhad de td prcess de idealizaçã e realizaçã d prjet, assim cm de seu funcinament e resultads até a data d estud. Art. 3 - Prfessr Orientadr é aquele que integra crp dcente d Institut de Ensin Superir de Ri Verde cm grau mínim acadêmic de Especialista, cabend-lhe rientar, Rua 12 de Outubr, nº 40, quadra: 64, lte: 02 Jardim Adriana - Ri Verde-GO CEP: Fne: (64)

3 assistir e fiscalizar acadêmic na realizaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs, send respnsável slidári a acadêmic pela riginalidade d cnteúd redigid e apresentad. Parágraf únic Cmpete à Crdenaçã indicar prfessr rientadr de acrd cm pré-prjet apresentad e a área de atuaçã d prfessr, send que, fica a carg d alun ficializar Cnvite para Orientaçã junt a prfessr indicad, respeitand s prazs estabelecids para esse fim. Art. 4 Banca Examinadra é a reuniã de dis prfessres, devend ser um deles brigatriamente Prfessr Orientadr e utr Prfessr Avaliadr, que tem pr finalidade avaliar trabalh realizad e apresentad pel acadêmic. Parágraf únic cmpete a Prfessr Avaliadr, a respnsabilidade da arguiçã prfunda e avaliativa d cnteúd escrit; da ratória; da capacidade de argumentaçã d acadêmic. Art. 5 Acadêmic apt para cursar a disciplina, para a elabraçã e apresentaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs é aquele: IES. I - que estiver regularmente matriculad n últim semestre d Curs de Direit desta II - que, devend disciplinas ds semestres anterires, esteja matriculad em tdas elas e as cursand de frma efetiva durante últim semestre. a) descumpriment desta cndiçã, durante semestre referid, acarretará impediment de cntinuidade na realizaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs. Art. 6º Versã Final d Trabalh de Cnclusã de Curs é trabalh que fi apresentad e aprvad perante a Banca Examinadra a ser entregue a Crdenadr d Curs que determinará seu arquivament após cumpriment das seguintes cndições: a) uma versã escrita, crrigida de acrd cm as eventuais sugestões da Banca Examinadra e encadernada pel ACADÊMICO cm a Ata de Apresentaçã e de Avaliaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs (anex 1). b) uma versã digital gravada em um CD-ROM crrespndend exatamente à versã escrita referida n item anterir cm etiqueta indicand títul d trabalh, autr e an e em pdf. c) a encadernaçã deverá ser em Capa dura. Cr da capa: vermelha. Tip da letra: arial. Cr da letra: durada. Tamanh da letra: crp 12. Tip de alinhament: centralizad. Aparência da capa: respeitand Mdel Oficial de Capa (anex 2). Seçã III Ds bjetivs d Trabalh de Cnclusã de Curs Art. 7 O Trabalh de Cnclusã de Curs tem cm bjetiv pssibilitar a acadêmic a prduçã sistematizada d cnheciment e desenvlviment de habilidades para realizar pesquisas em Direit e expressar ralmente sua capacidade de argumentaçã. Rua 12 de Outubr, nº 40, quadra: 64, lte: 02 Jardim Adriana - Ri Verde-GO CEP: Fne: (64)

4 Art. 8 O Trabalh de Cnclusã de Curs deve prprcinar a acadêmic a experimentaçã de Metdlgia Científica de Investigaçã e Metdlgia d Trabalh Científic cm bservância das Nrmas Técnicas. Art. 9 Sã bjetivs d Trabalh de Cnclusã de Curs permitir a acadêmic: I a aplicaçã ds cnheciments teórics e prátics desenvlvids n curs. II a demnstraçã de cnheciments sbre pesquisa científica cm aplicaçã ns diferentes camps d Direit e ciências auxiliares e de sua capacidade de ratória e argumentaçã. III a redaçã e a apresentaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs cm requisit parcial para a btençã d títul de Bacharel em Direit, dentr das nrmas previstas nas DIRETRIZES PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS E CIENTÍFICOS DO IESRIVER (Cnfrme padrnizaçã da Assciaçã Brasileira de Nrmas Técnicas ABNT) dispnível em: e na Bibliteca desta IES. Seçã IV Das exigências para a realizaçã Art. 10 O acadêmic deverá se inscrever na rientaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs a partir da cnclusã das disciplinas d 9 períd, bservand: I para se inscrever na Orientaçã acadêmic deverá estar matriculad n 10º períd. II deve ter cumpridas tdas as exigências d art. 5º e seus inciss deste Regulament. III s temas a serem pesquisads deverã se limitar às áreas de cnheciment previstas na Grade Curricular d Curs, dentr das linhas de pesquisa ds Prfessres Orientadres. IV acadêmic deverá encaminhar pré-prjet de pesquisa à Crdenaçã para que ela decida indicar pssível Prfessr Orientadr, levand em cnta a linha de pesquisa na qual prfessr se enquadra. V assinar, individualmente, Term de Cmprmiss de Frequência (anex 3) e entregá-l a Crdenadr n praz estabelecid n Calendári de TCC. VI Entregar Term de Cmprmiss de Orientaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs (anex 4) devidamente assinad pel Prfessr Orientadr, a Crdenadr n praz estabelecid n Calendári de TCC. Rua 12 de Outubr, nº 40, quadra: 64, lte: 02 Jardim Adriana - Ri Verde-GO CEP: Fne: (64)

5 VII assinar Term de Ciência das Atribuições d Orientadr e d Orientand (anex 11), n primeir encntr cm Prfessr Orientadr e entregá-l a Crdenadr n praz estabelecid n Calendári de TCC. de: VIII escrever Trabalh de Cnclusã de Curs individualmente cm as brigações a) participar das reuniões de rientaçã, da pesquisa e redaçã d text, da preparaçã e da apresentaçã perante a Banca Examinadra; b) assinar a Ficha de frequência de Orientaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs (anex 5) a cada reuniã cm Prfessr Orientadr, que deverá crrer, n mínim uma vez pr semana, e entregá-la a Crdenadr n final d semestre; c) respnder às arguições ds membrs da Banca Examinadra; d) entregar a Versã Final crrigida, encadernada e acmpanhada de sua cópia em CD- Rm, na data estipulada, sb pena de reprvaçã; e) cumprir as determinações deste Regulament. Seçã V D trabalh escrit Art. 11 A redaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs deverá ser realizada pel própri acadêmic, cm clareza, cerência e cesã, dentr das nrmas previstas nas DIRETRIZES PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS E CIENTÍFICOS DO IESRIVER. Art. 12 A versã final d Trabalh de Cnclusã de Curs deverá ser submetida à crreçã gramatical realizada pr prfessr graduad u especializad em Letras u cm ntóri cnheciment n tema. Existind abstract, deve juntar Declaraçã de Traduçã (anex 7). Parágraf únic a Declaraçã de Crreçã Gramatical (anex 6) deve ser entregue à Banca Examinadra, na pessa d Orientadr quand d iníci ds trabalhs da Apresentaçã e Avaliaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs. Art. 13 A versã final d Trabalh de Cnclusã de Curs deverá ser submetida à crreçã metdlógica de acrd cm Manual referid n art.11, realizada pr qualquer pessa, inclusive pel própri acadêmic, desde que, quand da entrega, seja juntada a Declaraçã de Crreçã Metdlógica (anex 8) de acrd cm as DIRETRIZES PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS E CIENTÍFICOS DO IESRIVER. Parágraf únic. A Declaraçã de Crreçã Metdlógica deve ser entregue à Banca Examinadra, na pessa d Orientadr quand d iníci ds trabalhs da Apresentaçã e Avaliaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs. Rua 12 de Outubr, nº 40, quadra: 64, lte: 02 Jardim Adriana - Ri Verde-GO CEP: Fne: (64)

6 Seçã VI Da cmpsiçã da Banca Examinadra Art. 14 A Banca Examinadra deverá ser cmpsta pr dis prfessres, devend ser um deles brigatriamente Prfessr Orientadr d acadêmic e utr Prfessr Avaliadr desta IES u, mediante autrizaçã d Crdenadr, prfessr de utras Instituições u prfissinal da área específica u de áreas afins a tema d Trabalh de Cnclusã de Curs. Art. 15 O cmpnente da Banca Examinadra será definid pel Crdenadr, que pderá aceitar cnvidad indicad pel acadêmic. O cnvidad deverá lançar seu aceite n Cnvite para Cmpsiçã da Banca Examinadra cm Prfessr Avaliadr (anex 9), assumind as respnsabilidades descritas n art.4º e parágraf únic deste Regulament. Art. 16 O Cnvite para Cmpsiçã da Banca Examinadra, assinad pel cnvidad, deve ser entregue à Crdenaçã acmpanhad d aceite d Prfessr Orientadr até 5 dias antes da data marcada para a apresentaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs. Seçã VII Da avaliaçã e da apresentaçã Art. 17 A avaliaçã da apresentaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs será realizada de acrd cm s seguintes critéris: Item Apresentaçã ral d trabalh pel acadêmic (Pes 4,0) - Pstura/Cmprtament durante a apresentaçã (1,0) - Us adequad d temp (1,0) - Us adequad ds recurss (1,0) - Clareza na cmunicaçã (1,0) Cnteúd d trabalh escrit (verificar antecipadamente quand da leitura)- (Pes 4,0) - Relaçã tema prpst x cnteúd d trabalh (1,0) - Cntribuiçã d trabalh para a frmaçã d acadêmic (1,0) - Organizaçã d cnteúd (1,0) - Observaçã das Nrmas Metdlógicas (1,0) Respstas às arguições (Pes 2,0) - Linguagem adequada (1,0) - Cnheciment teóric e prátic (1,0) Nta Final da Apresentaçã (máxima pssível) = 10,0. A média será calculada da seguinte maneira: nta d Prfessr Avaliadr + nta d Orientadr, resultad pr 2. 1º O temp de apresentaçã d trabalh será de 15 minuts, cm tlerância, sem prejuíz na nta, de 05 minuts para mais u para mens. Rua 12 de Outubr, nº 40, quadra: 64, lte: 02 Jardim Adriana - Ri Verde-GO CEP: Fne: (64)

7 2º O Prfessr Avaliadr terá n máxim 10 minuts para arguições e respstas. O Prfessr Orientadr nã participará da arguiçã, pdend tecer cmentáris a final, tend a brigaçã de também avaliar acadêmic. 3º A apresentaçã e a arguiçã serã realizadas em sessã aberta a públic, pel praz que nã deverá exceder 01h (uma hra). I a sessã será fechada smente n mment da deliberaçã da nta pr parte da Banca Examinadra. Seçã VIII D mment da apresentaçã ral Art. 18 O Presidente da Banca Examinadra (Prfessr Orientadr d Trabalh de Cnclusã de Curs que está send apresentada) deverá abrir s trabalhs: I - cnvidand Prfessr Avaliadr para cmpr a mesa; II - cnvcand acadêmic para se psicinar a frente da sala. III - terminada a apresentaçã ral, Presidente da Banca Examinadra passará a palavra a Prfessr Avaliadr para as arguições d acadêmic. IV - cncluída a fase de arguições, Presidente da Banca Examinadra deverá cnvidar tds s presentes, inclusive acadêmic, a se retirarem da sala para ser iniciada a fase de deliberaçã da nta. a) a nta final d trabalh será atribuída pela Banca Examinadra, respeitand estabelecid n caput d art.17. b) as antações referentes as 10 (dez) itens avaliativs deverã ser lançadas na Ficha de Avaliaçã da Apresentaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs: Banca Examinadra da Apresentaçã Oral (anex 10). c) a Média Final deverá ser resultad da sma das ntas ds integrantes da Banca Examinadra dividid pr 02 (dis). d) a Média Final deverá ser lançada na Ata da Apresentaçã e Avaliaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs. Esta deve ser assinada pels cmpnentes da Banca Examinadra e pel Crdenadr d Curs acrescida ds seguintes terms dependentes da avaliaçã final: APROVADO u REPROVADO. VI - cumpridas as exigências d incis anterir, Presidente da Banca Examinadra deverá cnvidar tds para retrnarem a fim de divulgar, em sessã aberta, resultad. Rua 12 de Outubr, nº 40, quadra: 64, lte: 02 Jardim Adriana - Ri Verde-GO CEP: Fne: (64)

8 VII - a entrega a acadêmic a Ata da Apresentaçã e Avaliaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs será feita pel Crdenadr em data a ser definida psterir à da apresentaçã e avaliaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs. a) em cas de aprvaçã, acadêmic receberá a Ata da Apresentaçã e Avaliaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs quand apresentar a Crdenadr uma versã escrita, crrigida de acrd cm as eventuais sugestões da Banca Examinadra. b) em cas de reprvaçã a Ata da Apresentaçã e Avaliaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs deverá ser arquivada na Crdenaçã d Curs. VIII - as Membrs da Banca Examinadra será entregue uma via da Ata da Apresentaçã e Avaliaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs, independentemente d resultad da avaliaçã, para fins de cmprvaçã curricular. Seçã VIII Das cndições e ds prazs para lançament da avaliaçã Art A avaliaçã será expressa em uma das frmas: Aprvad u Reprvad. 1º - Será cnsiderad aprvad quand a média cnferida pela Banca Examinadra fr igual u superir a 7,0 (sete) de acrd cm s critéris de avaliaçã prevists n art. 17 caput. I - a entrega da Versã Final d Trabalh de Cnclusã de Curs, cm TODAS as crreções determinadas pela Banca Examinadra em 01(uma) via escrita acmpanhada de sua crrespndente versã gravada em 01 (um) CD-Rm (cndiçã necessária para validaçã da nta d Trabalh de Cnclusã de Curs e para a pssibilidade de Integralizaçã Curricular), deverá crrer até a data limite estipulada n Calendári de TCC. a) smente Trabalh de Cnclusã de Curs entregue nas cndições e n praz d incis I d 1º deste artig pderá justificar a NOTA a ser lançada pel Crdenadr d Curs. 2º Será cnsiderad reprvad quand Trabalh de Cnclusã de Curs nã fr apresentad; quand acadêmic nã cmparecer à apresentaçã; quand se negar a respnder às arguições; quand durante a apresentaçã demnstrar cmprtament inadequad; assim cm quand a média cnferida pela Banca Examinadra fr inferir a 7,0 (sete) de acrd cm s critéris de avaliaçã prevists n art. 17 caput. I - em cas de reprvaçã, acadêmic deverá prcurar Crdenadr de Curs para definir nv Orientadr, tema, calendári de rientaçã, de apresentaçã e avaliaçã para próxim semestre. Rua 12 de Outubr, nº 40, quadra: 64, lte: 02 Jardim Adriana - Ri Verde-GO CEP: Fne: (64)

9 3º - O nã cumpriment da alínea a d incis I d 1º acarretará a mesma cnseqüência d 2º. Art. 20 A Ata da Apresentaçã e Avaliaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs será entregue em 04 (quatr) vias, send 01 (uma) para acadêmic encadernar na Versã Final, 01 (uma) para a Crdenaçã e as utras as membrs da Banca Examinadra. CAPÍTULO II DAS COMPETÊNCIAS Seçã I Da Crdenaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs e ds prfessres rientadres Art. 21 A Crdenaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs será exercida pr um Prfessr desta IES, cm grau acadêmic mínim de Mestre, pdend ser própri Crdenadr d Curs. Art. 22 Cmpete à Crdenaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs: I selecinar e indicar prfessres rientadres e as linhas de pesquisa. II cnvcar, quand necessári, reuniões cm s prfessres rientadres e acadêmics, buscand cumprir este regulament e dispsições legais pertinentes à matéria. III cnstituir Banca Examinadra cm Crdenadr d Curs de Direit, Prfessr Orientadr, e dis prfessres d quadr dcente da instituiçã, cm intuit de julgar em grau de recurs Trabalh de Cnclusã de Curs. IV manter atualizada as atas das reuniões das bancas examinadras. Art. 23 As prfessres rientadres cmpete, em especial: I assistir as seus acadêmics rientads; II rientar s acadêmics de acrd cm sua linha de pesquisa; III prvidenciar encaminhament a Crdenadr d Curs de 01 (uma) cópia da Versã Final d Trabalh de Cnclusã de Curs aprvada, inclusive a versã gravada em CD-Rm; IV participar das bancas cm Presidente da Banca Examinadra ds trabalhs que estiver rientand; V freqüentar as reuniões cnvcadas pel Crdenadr de Curs u Crdenadr d Trabalh de Cnclusã de Curs; VI atender, ns hráris estabelecids, s acadêmics rientads; Rua 12 de Outubr, nº 40, quadra: 64, lte: 02 Jardim Adriana - Ri Verde-GO CEP: Fne: (64)

10 VII definir s critéris de frequência ds acadêmics rientads; VIII cumprir cm a peridicidade semanal na rientaçã; IX encaminhar, quinzenalmente, relatóri de atividades sbre desenvlviment d trabalh à Crdenaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs. X cumprir e fazer cumprir este regulament. Art. 24 A divulgaçã da lista de prfessres rientadres e seus respectivs rientands deverá ser feita pela Crdenaçã de Curs lg n iníci de cada semestre, após praz para entrega ds pré-prjets ds aluns que pretendem desenvlver seu TCC neste semestre, de acrd cm Calendári de TCC. 1 O Trabalh de Cnclusã de Curs desenvlvid sb rientaçã de 01 (um) prfessr d Curs é de natureza acadêmica e pressupõe alcaçã de parte d temp ds prfessres à atividade de rientaçã as acadêmics. 2º Cada Prfessr Orientadr pderá rientar n máxim, 10 (dez) Trabalh de Cnclusã de Curs. Art. 25 O acadêmic u Prfessr Orientadr que desejar substituiçã terá Requeriment escrit analisad pela Crdenaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs e, à falta deste, pel Crdenadr d Curs. Após a análise d cas, cabe a Crdenadr d Curs dar parecer favrável u nã a pedid instruíd cm declaraçã escrita e assinada pel rientadr aceitand sua substituiçã. Art. 26 A respnsabilidade pela elabraçã d Trabalh de Cnclusã de Curs é integralmente d acadêmic. Parágraf únic é respnsabilidade d Prfessr Orientadr desempenhar adequadamente, dentr das nrmas definidas neste regulament, as atribuições decrrentes da sua atividade de Orientadr assumind, cm determina art. 3º deste Regulament, a respnsabilidade slidária pela veracidade d cnteúd redigid e apresentad. Seçã I Da publicaçã deste Regulament CAPÍTULO III DISPOSIÇÕES FINAIS Art. 27 A divulgaçã ficial d Regulament d Trabalh de Cnclusã de Curs de Direit d Institut de Ensin Superir de Ri Verde IESRIVER será feita cm a sua fixaçã na primeira semana de aulas d semestre n Placar da Crdenaçã d Curs de Direit, lcalizad a lad da prta d Núcle de Planejament e Pesquisa - NPPE n andar da bibliteca e estará dispnível para impressã na página desta IES na internet. Rua 12 de Outubr, nº 40, quadra: 64, lte: 02 Jardim Adriana - Ri Verde-GO CEP: Fne: (64)

11 Art. 28 A partir d cumpriment d estabelecid n artig anterir este Regulament entra em vigr e nenhum acadêmic pderá alegar descnheciment das nrmas e cndições estabelecidas neste. Art. 29 Os cass nã atendids pr este Regulament deverã ser analisads após requeriment, escrit e fundamentad, dirigid à Crdenaçã d Curs. Crdenaçã d Curs de Direit Rua 12 de Outubr, nº 40, quadra: 64, lte: 02 Jardim Adriana - Ri Verde-GO CEP: Fne: (64)

12 Ata da Apresentaçã e Avaliaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs ANEXO 1 As dias d mês de de dis mil e, crreu, nas dependências da sala da Faculdade Objetiv, às, a apresentaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs intitulad, realizad pel acadêmic d 10º períd d Curs de Direit desta IES. Os prfessres e que fizeram parte da Banca Examinadra, ( ) aprvaram; ( ) reprvaram, referid trabalh, cm a média final. Nada mais havend a tratar, deu-se pr encerrad trabalh, e lavru-se esta ata que vai assinada pel Crdenadr d Curs de Direit e pels membrs da Banca. Ri Verde - Giás, de de. Crdenaçã d Curs de Direit - Prfessr (a) Orientadr (a) - Prfessr (a) Avaliadr (a) Rua 12 de Outubr, nº 40, quadra: 64, lte: 02 Jardim Adriana - Ri Verde-GO CEP: Fne: (64)

13 Mdel ficial de capa ANEXO 2 INFORMAÇÕES SOBRE A FORMA DE IMPRESSÃO DA ENCADERNAÇÃO OFICIAL Tip de Capa: Cr da Capa: Tip de letra: Cr da letra: DURA VERMELHA ARIAL DOURADA Tamanh da letra: Crp 12 Tip de alinhament: Aparência da Capa: CENTRALIZADO (tds s elements da capa) Cm n mdel abaix INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE RIO VERDE - IESRIVER DIREITO ACADÊMICO TÍTULO DO TRABALHO RIO VERDE - GOIÁS 20 Rua 12 de Outubr, nº 40, quadra: 64, lte: 02 Jardim Adriana - Ri Verde-GO CEP: Fne: (64)

14 ANEXO 3 Term de Cmprmiss de Frequência EU,, declar que estu ciente que a minha ausência às reuniões de rientaçã, em 25%, implica em minha reprvaçã pr falta. Cm cnseqüência, ficarei impedid (a) de apresentar Trabalh de Cnclusã de Curs. Também estu ciente que nã cumpriment das brigações determinadas n Regulament, nas datas fixadas pela Crdenaçã, me impedirá de realizar sua apresentaçã. Ri Verde - Giás, de de. - Acadêmic Rua 12 de Outubr, nº 40, quadra: 64, lte: 02 Jardim Adriana - Ri Verde-GO CEP: Fne: (64)

15 ANEXO 4 Term de Cmprmiss de Orientaçã Trabalh de Cnclusã de Curs O Orientadr(a), cnfirma e aceita a indicaçã da Crdenaçã d Curs de Direit, cm cmprmiss de ORIENTAR (a) acadêmic(a) na realizaçã d seu Trabalh de Cnclusã de Curs e de cumprir e fazer cumprir Regulament para Elabraçã d Trabalh de Cnclusã de Curs, ciente d que dispõe s arts. 3º e 23. Ri Verde - Giás, de de. Prfessr Orientadr Rua 12 de Outubr, nº 40, quadra: 64, lte: 02 Jardim Adriana - Ri Verde-GO CEP: Fne: (64)

16 Ficha de Frequência de Orientaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs ANEXO 5 SEMESTRE/ANO: MÊS: Acadêmic Data das reuniões Vist d Orientadr Obs.: Para valer a frequência acadêmic deve assinar seu própri nme. ****************** SEMESTRE/ANO: MÊS: Acadêmic Data das reuniões Vist d Orientadr Obs.: Para valer a frequência acadêmic deve assinar seu própri nme. ****************** SEMESTRE/ANO: MÊS: Acadêmic Data das reuniões Vist d Orientadr Obs.: Para valer a frequência acadêmic deve assinar seu própri nme. ****************** SEMESTRE/ANO: MÊS: Acadêmic Data das reuniões Vist d Orientadr Obs.: Para valer a frequência acadêmic deve assinar seu própri nme. Observações: Prfessr (a) Orientadr (a) Ri Verde - Giás, de de. Rua 12 de Outubr, nº 40, quadra: 64, lte: 02 Jardim Adriana - Ri Verde-GO CEP: Fne: (64)

17 ANEXO 6 Declaraçã de Crreçã Gramatical DECLARO para s devids fins que se fizerem necessáris que realizei a crreçã gramatical d Trabalh de Cnclusã de Curs intitulad:, realizad pel acadêmic:, d IESRIVER Institut de Ensin Superir de Ri Verde. Pr ser verdade, firm a presente. Ri Verde - Giás, de de. Prfessr (a): Graduad em: Especialista em: Rua 12 de Outubr, nº 40, quadra: 64, lte: 02 Jardim Adriana - Ri Verde-GO CEP: Fne: (64)

18 ANEXO 7 Declaraçã de Traduçã DECLARO para s devids fins que se fizerem necessáris que realizei a traduçã da língua prtuguesa para a língua inglesa d resum d Trabalh de Cnclusã de Curs intitulad:, realizad pel acadêmic:, d IESRIVER Institut de Ensin Superir de Ri Verde. Pr ser verdade, firm a presente. Ri Verde- Giás, de de. Rua 12 de Outubr, nº 40, quadra: 64, lte: 02 Jardim Adriana - Ri Verde-GO CEP: Fne: (64)

19 ANEXO 8 Declaraçã de Crreçã Metdlógica De acrd cm as DIRETRIZES PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS E CIENTÍFICOS DO IESRIVER DECLARO para s devids fins que se fizerem necessáris que realizei a crreçã metdlógica d Trabalh de Cnclusã de Curs intitulad:, realizad pel acadêmic:, d IESRIVER Institut de Ensin Superir de Ri Verde. Pr ser verdade, firm a presente. Ri Verde, de de. Rua 12 de Outubr, nº 40, quadra: 64, lte: 02 Jardim Adriana - Ri Verde-GO CEP: Fne: (64)

20 ANEXO 9 Cnvite para Cmpsiçã da Banca Examinadra Ri Verde, de de Prezad (a) Sr (a): Tems a grata satisfaçã de cnvidá-l (a) para participar cm membr ( ) titular ( ) suplente da Banca Examinadra de Avaliaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs d (a) acadêmic (a):. Em anex segue um exemplar d Trabalh de Cnclusã de Curs intitulad: realizad sb rientaçã d (a) prfessr (a) O Trabalh de Cnclusã de Curs será apresentad na sala desta IES, n dia / / às. Antecipams agradeciments pela sua participaçã na Banca Examinadra. Atencisamente, Crdenaçã d Curs ACEITE DO PROFESSOR CONVIDADO: Ri Verde Giás; / / Rua 12 de Outubr, nº 40, quadra: 64, lte: 02 Jardim Adriana - Ri Verde-GO CEP: Fne: (64)

21 Ficha de Avaliaçã da Apresentaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs: Banca Examinadra da Apresentaçã Oral ANEXO 10 Títul d trabalh: Acadêmic (a): PROFESSOR AVALIADOR: Critéris de Avaliaçã: Nta Apresentaçã ral d trabalh pel acadêmic srtead - (Pes 4,0) Pes 4,0 - Pstura/Cmprtament durante a apresentaçã (1,0) - Us adequad d temp (1,0) - Us adequad ds recurss (1,0) - Clareza na cmunicaçã (1,0) Cnteúd d trabalh escrit (verificar antecipadamente quand da leitura)- (Pes 4,0) Pes 4,0 - Relaçã tema prpst x cnteúd d trabalh (1,0) - Cntribuiçã d trabalh para a frmaçã d acadêmic (1,0) - Organizaçã d cnteúd (1,0) - Observaçã das Nrmas Metdlógicas (1,0) Respsta às arguições - (Pes 2,0) Pes 2,0 - Linguagem adequada (1,0) - Cnheciment teóric e prátic (1,0) Nta Final da Apresentaçã (máxima pssível) = 10,0. Observações: Nta Final d Acadêmic: 1-2- Ri Verde, Giás; / /. Prfessr Avaliadr Vist d Prfessr Orientadr Para us exclusiv d Prfessr Orientadr: 1- A média será calculada da seguinte maneira: nta d Avaliadr + nta d Orientadr, resultad pr Depis de cncluída a avaliaçã e assinada esta ficha, ENCAMINHÁ-LA a Crdenadr, juntamente cm a sua via. 3- SEMPRE encaminhar a ATA DA APRESENTAÇÃO E AVALIAÇÃO a Crdenadr junt cm esta ficha. RESULTADO: ( ) APROVADO (nta igual u superir a 7,0) ( ) REPROVADO (nta inferir a 7,0) Rua 12 de Outubr, nº 40, quadra: 64, lte: 02 Jardim Adriana - Ri Verde-GO CEP: Fne: (64)

22 Anex 11 Declaraçã de Ciência das Atribuições d Orientadr e d Orientand 1- Sã atribuições d prfessr rientadr: atender alun em dias e hráris previamente fixads; acmpanhar trabalh, registrand as crrências pertinentes e necessárias; auxiliar na delimitaçã d tema; rientar quant à elabraçã d planejament d trabalh; rientar a elabraçã d trabalh cm rigr teóric e metdlógic; auxiliar alun na resluçã de prblemas cnceituais, técnics e de relacinament decrrentes das atividades; acmpanhar e avaliar desempenh d alun mediante registrs, discussã de texts sugerids para leitura, antações e bservações pertinentes; cmunicar, pr escrit, as pssíveis irregularidades quant a prcess de rientaçã, nã cumpriment de datas e cmprmisss pel alun, à Crdenaçã d Curs; ser mediadr n prcess de desenvlviment d trabalh (NUNCA entregar prnt para alun); verificar a pssibilidade de existência de PLÁGIO, pis além de ser um crime, plági cmprvad levará alun a resultad de reprvaçã na disciplina de Mngrafia. Cabe a rientadr registrar seu parecer e anexar à mngrafia as devidas cmprvações e em seguida entregar à crdenaçã d curs. acmpanhar prcess de entrega d TCC já prnt à Crdenaçã em praz hábil para a definiçã da Banca Examinadra, e, psterirmente a esta, d TCC crrigid cnfrme as rientações da Banca; cumprir e cbrar d alun cumpriment ds prazs estipulads n Calendári de TCC; cumprir Regulament d TCC. 2- Sã atribuições d alun rientand: entregar, n praz estipulad n Calendári de TCC, pré-prjet, cntend tema, prblemática e tip de pesquisa à Crdenaçã para que esta indique rientadr; ficializar pedid de rientaçã a prfessr, tmand-lhe aceite; cmparecer a tds s encntrs marcads pr seu rientadr, ns hráris prevists para estes; cmunicar pr escrit a Orientadr e à Crdenaçã quand da impssibilidade de cmparecer à encntr marcad, indicand mtiv relevante e juntand cmprvações; cumprir, rigrsamente, as rientações d prfessr sbre a prduçã d trabalh. Cas haja discrdância entre rientadr/ rientand, pedir a mediaçã da Crdenaçã; escrever seu Trabalh de Cnclusã de Curs; cumprir regulament de TCC e atender às exigências d Manual de Orientações para Trabalhs de Cnclusã de Curs d IESRIVER; cumprir tds s prazs estipulads pel Orientadr e pela Crdenaçã para cnfecçã, entrega e apresentaçã d TCC; fazer a apresentaçã ral à Banca Examinadra; NUNCA realizar PLÁGIO, sb pena de reprvaçã direta. EU,, declar estar ciente das minhas atribuições e das atribuições d Prfessr Orientadr n prcess de realizaçã d TCC - trabalh de cnclusã de curs de minha autria. Ri Verde Giás; / / Orientad Orientadr Crdenaçã d Curs Rua 12 de Outubr, nº 40, quadra: 64, lte: 02 Jardim Adriana - Ri Verde-GO CEP: Fne: (64)

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE RIO VERDE REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO FISIOTERAPIA

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE RIO VERDE REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO FISIOTERAPIA INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE RIO VERDE REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO FISIOTERAPIA Capítulo I Definições e Finalidade Art. 1º - O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC)

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL Intrduçã O presente Regulament cnstitui um dcument intern d curs de Ciências Cntábeis e tem pr bjetiv reger as atividades relativas a Estági de Iniciaçã

Leia mais

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso Universidade Federal d Ceará Campus de Sbral Curs de Engenharia da Cmputaçã Regulament para realizaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs Intrduçã Este dcument estabelece as regras básicas para funcinament das

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO (ESO)

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO (ESO) NORMAS PARA ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO (ESO) O relatóri de Estági Supervisinad (ESO) deverá ser elabrad pel alun matriculad n 10º semestre, em cmum acrd cm seu rientadr,

Leia mais

REGULAMENTO DA OLIMPÍADA JURÍDICA 2014

REGULAMENTO DA OLIMPÍADA JURÍDICA 2014 1 REGULAMENTO DA OLIMPÍADA JURÍDICA 2014 PARTICIPANTES A Olimpíada Jurídica 2014 é uma cmpetiçã direcinada a aluns que estejam regularmente matriculads ns curss de graduaçã de Direit de Instituições de

Leia mais

10ª JORNADA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Extensão Universitária e Políticas Públicas

10ª JORNADA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Extensão Universitária e Políticas Públicas SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO 10ª JORNADA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Extensã Universitária e Plíticas Públicas Períd 05 a 07 de dezembr de 2007 A 10ª Jrnada

Leia mais

ENCONTROCAS 2º SEMESTRE 2012 - ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O CURSO DE PEDAGOGIA. O ENCONTROCAS é um evento semestral realizado pelo Instituto Superior de

ENCONTROCAS 2º SEMESTRE 2012 - ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O CURSO DE PEDAGOGIA. O ENCONTROCAS é um evento semestral realizado pelo Instituto Superior de Faculdade de Ciências Sciais Aplicadas de Bel Hriznte Institut Superir de Educaçã Curs de Pedaggia ENCONTROCAS 2º SEMESTRE 2012 - ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O CURSO DE PEDAGOGIA O ENCONTROCAS é um event semestral

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS Cidade Universitária de Limeira

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS Cidade Universitária de Limeira DIRETRIZES PARA ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DOS CURSOS DE GESTÃO 1 Sumári I. O Estági em Gestã...3 II. O Estági curricular...4 III. Acmpanhament e avaliaçã...5 IV. Mdels de Plan de Atividades e de Relatóri...5

Leia mais

EDITAL Nº 025 / 2015 SELEÇÃO DE SUPERVISOR DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID

EDITAL Nº 025 / 2015 SELEÇÃO DE SUPERVISOR DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas - UNIFAL-MG Pró-Reitria de Graduaçã Rua Gabriel Mnteir da Silva, 700 - Alfenas/MG - CEP 37130-000 Fne: (35) 3299-1329 Fax: (35) 3299-1078 grad@unifal-mg.edu.br

Leia mais

METAS DE COMPREENSÃO:

METAS DE COMPREENSÃO: 1. TÓPICO GERADOR: Vivend n sécul XXI e pensand n futur. 2. METAS DE COMPREENSÃO: Essa atividade deverá ter cm meta que s aluns cmpreendam: cm se cnstrói saber científic; cm as áreas d saber estã inter-relacinadas

Leia mais

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30)

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30) UNIP Brasília - Crdenaçã CG/CW/GR/AD Senhres Aluns, Seguem infrmações imprtantes sbre PIM: 1. O QUE É? - Os PIM (Prjet Integrad Multidisciplinar) sã prjets brigatóris realizads els aluns ds curss de graduaçã

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DOS ESTÁGIOS FAFIT

REGULAMENTO GERAL DOS ESTÁGIOS FAFIT O significad das cisas nã está nas cisas em si, mas sim em nssa atitude em relaçã a elas. (Antine de Saint-Exupéry, 1943) CURSOS bacharelads: Administraçã Geral Ciências Cntábeis Direit Educaçã Física

Leia mais

MANUAL dos LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA

MANUAL dos LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA MANUAL ds LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA Objetiv 1. Oferecer as aluns a infra-estrutura e suprte necessári à execuçã de tarefas práticas, slicitadas pels prfessres, bservand s prazs estabelecids. 2. Oferecer

Leia mais

REGULAMENTO TOP CIDADANIA ABRH-RS EDIÇÃO 2015 CATEGORIA ESTUDANTE

REGULAMENTO TOP CIDADANIA ABRH-RS EDIÇÃO 2015 CATEGORIA ESTUDANTE REGULAMENTO TOP CIDADANIA ABRH-RS EDIÇÃO 2015 CATEGORIA ESTUDANTE ARTIGO I DEFINIÇÃO E NATUREZA O Prêmi Cidadania, categria Estudante, premia trabalhs de caráter técnic u científic, referente a implementaçã

Leia mais

RESOLUÇÃO COMPLEMENTAR N o 01/2007 De 8 de novembro de 2007 Reedita as Normas para Reconhecimento de Títulos de Pós-Graduação, revogando a

RESOLUÇÃO COMPLEMENTAR N o 01/2007 De 8 de novembro de 2007 Reedita as Normas para Reconhecimento de Títulos de Pós-Graduação, revogando a RESOLUÇÃO COMPLEMENTAR N 01/2007 De 8 de nvembr de 2007 Reedita as Nrmas para Recnheciment de Títuls de Pós-Graduaçã, revgand a Resluçã Cmplementar n 02/93, de 25 de junh de 1993. O CONSELHO DE ENSINO,

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS Sã Paul 2013 1 1 INTRODUÇÃO Este Manual tem a finalidade de servir à nrmalizaçã da elabraçã de Trabalhs de Cnclusã de Curs TCC pr mei de artigs científics,

Leia mais

Florianópolis, 25 de janeiro de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017

Florianópolis, 25 de janeiro de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017 Flrianóplis, 25 de janeir de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017 1) Cnsiderações Gerais: A Federaçã Nacinal ds Estudantes de Engenharia Civil

Leia mais

ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS FGV DIREITO RIO EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO CONTINUADA

ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS FGV DIREITO RIO EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO CONTINUADA ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO CONTINUADA 2º semestre / 2012 O Prgrama de Educaçã Cntinuada da trna públic, para cnheciment

Leia mais

ORIENTAÇÕES AOS CANDIDATOS CONTEMPLADOS NO

ORIENTAÇÕES AOS CANDIDATOS CONTEMPLADOS NO ORIENTAÇÕES AOS CANDIDATOS CONTEMPLADOS NO Prezad(a) Alun(a) A mbilidade acadêmica internacinal é uma prtunidade valisa para seu cresciment individual, acadêmic e prfissinal. Nã permita que a falta de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 03/2009, DE 5 DE JANEIRO DE 2009

RESOLUÇÃO Nº 03/2009, DE 5 DE JANEIRO DE 2009 RESOLUÇÃO Nº 03/2009, DE 5 DE JANEIRO DE 2009 Altera o Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso - TCC do Curso de Economia, na forma do Anexo. O Reitor da Universidade Regional de Blumenau, no uso

Leia mais

Manual do DEC Domicílio Eletrônico do Contribuinte

Manual do DEC Domicílio Eletrônico do Contribuinte GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA FAZENDA Crdenadria da Administraçã Tributária Diretria Executiva da Administraçã Tributária Manual d DEC Dmicíli Eletrônic d Cntribuinte Manual DEC (dezembr

Leia mais

Edital Simplificado de Seleção de Monitoria 2015.1

Edital Simplificado de Seleção de Monitoria 2015.1 Institut Federal de Educaçã, Ciência e Tecnlgia d Ri de Janeir Edital Simplificad de Seleçã de Mnitria 2015.1 A Direçã Geral d IFRJ/, cmunica, pel presente Edital, que estarã abertas as inscrições para

Leia mais

DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO

DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO 1. PREÂMBULO... 1 2. NATUREZA E OBJECTIVOS... 1 3. MODO DE FUNCIONAMENTO... 2 3.1 REGIME DE ECLUSIVIDADE... 2 3.2 OCORRÊNCIAS... 2 3.3

Leia mais

Seminário de Acompanhamento SNPG. Área 21. APCNs. André F Rodacki Marcia Soares Keske Rinaldo R J Guirro

Seminário de Acompanhamento SNPG. Área 21. APCNs. André F Rodacki Marcia Soares Keske Rinaldo R J Guirro Seminári de Acmpanhament SNPG Área 21 APCNs André F Rdacki Marcia Sares Keske Rinald R J Guirr Áreas de Avaliaçã - CAPES Clégi de Humanidades Ciências Humanas Ciências Sciais Aplicadas Linguística, Letras

Leia mais

FACULDADE DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE

FACULDADE DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE FACULDADE DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE (Prt. MEC nº 797/14, de 11/09/2014, publicada n DOU em 12/09/2014) EDITAL 2015 PROCESSO SELETIVO O Diretr Geral da Faculdade de Educaçã em Ciências da Saúde (FECS),

Leia mais

CIRCULAR. Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007. Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar. Contributos para a sua Operacionalização

CIRCULAR. Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007. Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar. Contributos para a sua Operacionalização CIRCULAR Data: 2007/10/10 Númer d Prcess: DSDC/DEPEB/2007 Assunt: GESTÃO DO CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007 Para: Inspecçã-Geral de Educaçã Direcções Reginais de Educaçã

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE LAMEGO EDITAL

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE LAMEGO EDITAL EDITAL CANDIDATURA AOS CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS (CTeSP) 2015 CONDIÇÕES DE ACESSO 1. Pdem candidatar-se a acess de um Curs Técnic Superir Prfissinal (CTeSP) da ESTGL tds s que estiverem

Leia mais

PRÊMIO DE INCENTIVO À EDUCAÇÃO

PRÊMIO DE INCENTIVO À EDUCAÇÃO PRÊMIO DE INCENTIVO À EDUCAÇÃO 1. OBJETIVO O Prêmi de Incentiv à Educaçã é uma iniciativa das empresas d Pl Industrial, através d Cmitê de Fment Industrial de Camaçari - COFIC. Tem pr bjetiv estimular,

Leia mais

Informações Importantes 2015

Informações Importantes 2015 Infrmações Imprtantes 2015 CURSOS EXTRACURRICULARES N intuit de prprcinar uma frmaçã cmpleta para alun, Clégi Vértice ferece curss extracurriculares, que acntecem lg após as aulas regulares, tant n períd

Leia mais

RESOLUÇÃO CEPEX Nº 014/2011 Teresina, 13 de maio de 2011.

RESOLUÇÃO CEPEX Nº 014/2011 Teresina, 13 de maio de 2011. RESOLUÇÃO CEPEX Nº 014/2011 Teresina, 13 de maio de 2011. Revoga a Resolução CEPEX 003/2010 e aprova o Regulamento Geral do Trabalho de Conclusão de Curso de Graduação da Universidade Estadual do Piauí

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE. Técnicos de Instalação e Manutenção de Edifícios e Sistemas. (TIMs)

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE. Técnicos de Instalação e Manutenção de Edifícios e Sistemas. (TIMs) MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE Técnics de Instalaçã e Manutençã de Edifícis e Sistemas (TIMs) NO SISTEMA INFORMÁTICO DO SISTEMA NACIONAL DE CERTIFICAÇÃO ENERGÉTICA NOS EDIFÍCIOS (SCE) 17/07/2014

Leia mais

PORTARIA Nº 025-R, DE 14 DE MARÇO DE 2013.

PORTARIA Nº 025-R, DE 14 DE MARÇO DE 2013. PORTARIA Nº 025-R, DE 14 DE MARÇO DE 2013. ATUALIZA DIRETRIZES PARA A IMPLEMENTAÇÃO DO PROJETO ALFABETIZAÇÃO PARA ESTUDANTES DAS TURMAS DO 2º, 3º e 4º ANOS E 4ª SÉRIES DO ENSINO FUNDAMENTAL, COM DOIS ANOS

Leia mais

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde Anex V Sftware de Registr Eletrônic em Saúde Implantaçã em 2 (duas) Unidades de Saúde Índice 1 INTRODUÇÃO... 3 2 ESTRATÉGIAS E PROCEDIMENTOS DE IMPLANTAÇÃO... 3 4 INFRAESTRUTURA NAS UNIDADES DE SAÚDE -

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE ESTÁGIO

ORIENTAÇÕES SOBRE ESTÁGIO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS Missã d Institut Federal de Educaçã, Ciência e Tecnlgia

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO EURÍPIDES DE MARÍLIA UNIVEM Mantido pela Fundação de Ensino Eurípides Soares Da Rocha

CENTRO UNIVERSITÁRIO EURÍPIDES DE MARÍLIA UNIVEM Mantido pela Fundação de Ensino Eurípides Soares Da Rocha REGULAMENTO DO TRABALHO DE CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO Art. 1º - Este regulamento fixa as normas para o Trabalho de Curso (TC) do Curso de Graduação em Direito do Centro Universitário Eurípides de Marília

Leia mais

REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE ALAGOAS - UNEAL

REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE ALAGOAS - UNEAL REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DA Este Regulamento e a Resolução do Conselho Superior da Uneal (CONSU/UNEAL) que o aprovou foram publicados na edição do Diário Oficial do Estado de 26 de

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Faculdade de Tecnlgia SENAI Flrianóplis e Faculdade de Tecnlgia SENAI Jaraguá d Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Pós-Graduaçã Lat Sensu em Gestã da Segurança da Infrmaçã em Redes de Cmputadres A Faculdade

Leia mais

PRODUÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO DE CONCLUSÃO DE CURSO DIREITO

PRODUÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO DE CONCLUSÃO DE CURSO DIREITO PRODUÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO DE CONCLUSÃO DE CURSO DIREITO Dispõe sobre a forma de operacionalização do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) do Curso de Direito. CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA 1. Intrduçã e Objetivs a) O Cncurs de Ideias OESTECIM a minha empresa pretende ptenciar apareciment de prjets invadres na regiã d Oeste sempre numa perspetiva de desenvlviment ecnómic e scial. b) O Cncurs

Leia mais

REGULAMENTO DA MONOGRAFIA FINAL DO CURSO DE DIREITO. Alterado pelo Conselho Acadêmico em 28 de março de 2011

REGULAMENTO DA MONOGRAFIA FINAL DO CURSO DE DIREITO. Alterado pelo Conselho Acadêmico em 28 de março de 2011 Considerando que: 1. A estrutura curricular do Curso de Direito da FDV, aprovada no ano de 2006, conta com quatro disciplinas não enquadradas em um período específico do curso, dentre as quais: Projeto

Leia mais

Apresentamos abaixo, os procedimentos que deverão ser seguidos por todos os (as) Professores (as) durante este semestre:

Apresentamos abaixo, os procedimentos que deverão ser seguidos por todos os (as) Professores (as) durante este semestre: Circular / (CA) nº 18 / 2015 Unaí-(MG), 03 de agst de 2015. ASSUNTO: Faculdade CNEC Unaí Prcediments necessáris para iníci d 2º Semestre de 2015. Prezads (as) Prfessres (as), Apresentams abaix, s prcediments

Leia mais

RESOLUÇÃO N o 12/2005, DE 03 DE NOVEMBRO DE 2005

RESOLUÇÃO N o 12/2005, DE 03 DE NOVEMBRO DE 2005 RESOLUÇÃO N 12/2005, DE 03 DE NOVEMBRO DE 2005 Aprva Regiment da Bibliteca Universitária - Sistema de Biblitecas da UFMG, e revga a Resluçã n 27/93, de 22/12/93, que aprvu Regiment da Bibliteca Universitária.

Leia mais

Regulamento do programa de bolsas de estudos

Regulamento do programa de bolsas de estudos Regulament d prgrama de blsas de estuds Unidades Ri de Janeir e Sã Paul Data de publicaçã: 13/05/2015 Regulament válid até 30/08/2015 1 1. Sbre prgrama Através de um prcess seletiv, prgrama de blsas de

Leia mais

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 QUALIDADE RS PGQP PROGRAMA GAÚCHO DA QUALIDADE E PRODUTIVIDADE PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 GUIA PARA CANDIDATURA SUMÁRIO 1. O PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP... 3 1.1 Benefícis... 3 2. PREMIAÇÃO... 3 2.1 Diretrizes

Leia mais

FACULDADE DO GUARUJÁ

FACULDADE DO GUARUJÁ FACULDADE DO GUARUJÁ INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 01/2011 REGULAMENTO DE TCC TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO NORMAS GERAIS Artigo 1º - O Trabalho de Conclusão de Curso TCC constitui-se em pré-requisito para

Leia mais

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL Objetivs: Gestã Empresarial Desenvlver cmpetências para atuar n gerenciament de prjets, prestand cnsultria

Leia mais

APRESENTAÇÃO MANUAL E REGULAMENTO DE MONOGRAFIA DO CURSO DE DIREITO AINDA SUJEITO À APROVAÇÃO DO CONSEPE.

APRESENTAÇÃO MANUAL E REGULAMENTO DE MONOGRAFIA DO CURSO DE DIREITO AINDA SUJEITO À APROVAÇÃO DO CONSEPE. APRESENTAÇÃO MANUAL E REGULAMENTO DE MONOGRAFIA DO CURSO DE DIREITO AINDA SUJEITO À APROVAÇÃO DO CONSEPE. A UNISA UNIVERSIDADE CIDADE DE SANTO AMARO, a fim de propiciar aos acadêmicos de Direito os meios

Leia mais

FACULDADE DE ENGENHARIA

FACULDADE DE ENGENHARIA FACULDADE DE ENGENHARIA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DOS CURSOS DA FACULDADE DE ENGENHARIA REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DOS CURSOS DA FACULDADE

Leia mais

Requisitos técnicos de alto nível da URS para registros e registradores

Requisitos técnicos de alto nível da URS para registros e registradores Requisits técnics de alt nível da URS para registrs e registradres 17 de utubr de 2013 Os seguintes requisits técnics devem ser seguids pels peradres de registr e registradres para manter a cnfrmidade

Leia mais

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL DEPARTAMENTO DO RIO DE JANEIRO

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL DEPARTAMENTO DO RIO DE JANEIRO 52ª PREMIAÇÃO ANUAL IAB RJ EDITAL 2014 INTRODUÇÃO O Institut de Arquitets d Brasil - IAB-RJ cnvca arquitets e urbanistas a participarem da 52ª Premiaçã Anual ds Arquitets que, em 2014, agrega às categrias

Leia mais

Regulamentação para Trabalho de Conclusão de Curso - TCC

Regulamentação para Trabalho de Conclusão de Curso - TCC Regulamentação para Trabalho de Conclusão de Curso - TCC Material elaborado pelo corpo docente da EBRAMEC / CIEFATO Para os cursos da Escola Brasileira de Medicina Chinesa Direção Geral: Reginaldo de Carvalho

Leia mais

FACULDADE AGES CURSO DE ENFERMAGEM REGULAMENTAÇÃO DAS PRÁTICAS EDUCATIVAS DISCIPLINA: SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM

FACULDADE AGES CURSO DE ENFERMAGEM REGULAMENTAÇÃO DAS PRÁTICAS EDUCATIVAS DISCIPLINA: SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM FACULDADE AGES CURSO DE ENFERMAGEM REGULAMENTAÇÃO DAS PRÁTICAS EDUCATIVAS DISCIPLINA: SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM As Práticas Educativas serã realizadas em hráris pré-determinads n períd

Leia mais

Art. 1. O presente Regulamento tem por objetivo normatizar o conjunto de atividades relacionadas com o Trabalho de Conclusão Curso (TCC);

Art. 1. O presente Regulamento tem por objetivo normatizar o conjunto de atividades relacionadas com o Trabalho de Conclusão Curso (TCC); Regulamenta o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), fixados no Projeto Pedagógico dos cursos de graduação da Faculdade Sequencial, e dá outras providências: O COLEGIADO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO, no uso

Leia mais

REGULAMENTO DO TCC - PROJETO EXPERIMENTAL OU MONOGRÁFICO DOS CURSOS DE BACHARELADO EM COMUNICAÇÃO SOCIAL JORNALISMO E PUBLICIDADE E PROPAGANDA

REGULAMENTO DO TCC - PROJETO EXPERIMENTAL OU MONOGRÁFICO DOS CURSOS DE BACHARELADO EM COMUNICAÇÃO SOCIAL JORNALISMO E PUBLICIDADE E PROPAGANDA REGULAMENTO DO TCC - PROJETO EXPERIMENTAL OU MONOGRÁFICO DOS CURSOS DE BACHARELADO EM COMUNICAÇÃO SOCIAL JORNALISMO E PUBLICIDADE E PROPAGANDA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º. Este Regulamento disciplina

Leia mais

REGULAMENTO 1- OBJETIVO

REGULAMENTO 1- OBJETIVO REGULAMENTO 1- OBJETIVO O Prgrama Nv Temp é um iniciativa da Cargill Agricla SA, que visa ferecer as seus funcináris e das empresas patrcinadras ds plans de previdência sb a gestã da CargillPrev Sciedade

Leia mais

Projetos, Programas e Portfólios

Projetos, Programas e Portfólios Prjets, Prgramas e Prtfólis pr Juliana Klb em julianaklb.cm Prjet Segund PMBOK (2008): um prjet é um esfrç temprári empreendid para criar um nv prdut, serviç u resultad exclusiv. Esta definiçã, apesar

Leia mais

DIRETRIZES PARA APRESENTAÇÃO DE REDES E CRONOGRAMAS SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2

DIRETRIZES PARA APRESENTAÇÃO DE REDES E CRONOGRAMAS SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2 1 / 5 SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2 2.1.1 CRITÉRIOS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DO CRONOGRAMA DE BARRAS TIPO GANTT:...2 2.1.2 CRITÉRIOS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO

Leia mais

ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS FGV DIREITO RIO FGV LAW PROGRAM

ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS FGV DIREITO RIO FGV LAW PROGRAM ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS FGV DIREITO RIO FGV LAW PROGRAM EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO CONTINUADA 1º semestre / 2015 O FGV Law Prgram da Escla

Leia mais

Guia Prático do Estágio. Seu Estágio em 5 Passos

Guia Prático do Estágio. Seu Estágio em 5 Passos Guia Prátic d Estági Seu Estági em 5 Passs O que é Estági? A atividade de estági é um fatr significativ na frmaçã d prfissinal, pr prprcinar a interaçã d alun cm a realidade da prfissã e a cmplementaçã

Leia mais

FDG FACULDADE DE DIREITO DE GARANHUNS REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

FDG FACULDADE DE DIREITO DE GARANHUNS REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO 1 FDG FACULDADE DE DIREITO DE GARANHUNS REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO I DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO, SEUS OBJETIVOS E ESTRUTURA Art. 1º Por Trabalho de Conclusão do Curso

Leia mais

RESOLUÇÃO CONJUNTA nº 01/2011 Conselho Setorial / Colegiado do Curso

RESOLUÇÃO CONJUNTA nº 01/2011 Conselho Setorial / Colegiado do Curso UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ FACULDADE DE DIREITO RESOLUÇÃO CONJUNTA nº 01/2011 Conselho Setorial / Colegiado do Curso Regulamenta a elaboração e a defesa de Trabalho de Conclusão de Curso - TCC. O Colegiado

Leia mais

FACULDADE CAMPO REAL CURSO DE NUTRIÇÃO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

FACULDADE CAMPO REAL CURSO DE NUTRIÇÃO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO FACULDADE CAMPO REAL CURSO DE NUTRIÇÃO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Caracterização A elaboração do Trabalho de Curso fundamenta-se nas Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Nutrição,

Leia mais

Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso. Faculdade da Cidade de Santa Luzia - FACSAL

Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso. Faculdade da Cidade de Santa Luzia - FACSAL Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso Faculdade da Cidade de Santa Luzia - 2014 REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Art. 1º -O Trabalho de Conclusão de Curso tem por objetivos contribuir

Leia mais

PRÊMIO AUTOMAÇÃO - CATEGORIA DE JORNALISMO

PRÊMIO AUTOMAÇÃO - CATEGORIA DE JORNALISMO PRÊMIO AUTOMAÇÃO - CATEGORIA DE JORNALISMO REGULAMENTO 1. DOS OBJETIVOS DO PRÊMIO O PRÊMIO NA CATEGORIA DE JORNALISMO tem cm bjetiv premiar matérias veiculadas na imprensa nacinal relativas a temas ligads

Leia mais

FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO CURSO DE DESIGN TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC DIRETRIZES

FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO CURSO DE DESIGN TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC DIRETRIZES FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO CURSO DE DESIGN TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC DIRETRIZES - 2012 1. ESTRUTURA As atividades didáticas relacinadas cm Trabalh de Cnclusã de Curs TCC estã estruturadas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA Manual de Us (Para Detentres de Bens) Infrmações adicinais n Prtal da Crdenaçã de Patrimôni: www.cpa.unir.br 2013 Cnteúd O que papel Detentr de Bem pde fazer?... 2 Objetiv...

Leia mais

REGULAMENTO DA ATIVIDADE ACADÊMICA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE

REGULAMENTO DA ATIVIDADE ACADÊMICA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE REGULAMENTO DA ATIVIDADE ACADÊMICA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE CAPÍTULO I Da Natureza e dos Objetivos Art. 1. Com base no disposto no Art. 77 do Regulamento da Graduação da Universidade

Leia mais

ASSOCIAÇÃO CARUARUENSE DE ENSINO SUPERIOR FACULDADE ASCES

ASSOCIAÇÃO CARUARUENSE DE ENSINO SUPERIOR FACULDADE ASCES DISPOSIÇÕES GERAIS ASSOCIAÇÃO CARUARUENSE DE ENSINO SUPERIOR FACULDADE ASCES REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO MONOGRAFIA Art. 1º. Este regulamento define os procedimentos referentes à elaboração,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 199 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011.

RESOLUÇÃO Nº. 199 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011. RESOLUÇÃO Nº. 199 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E CULTURA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS, no uso de suas atribuições legais e considerando o Parecer nº.

Leia mais

Inscrição do Candidato ao Processo de Credenciamento

Inscrição do Candidato ao Processo de Credenciamento Inscriçã d Candidat a Prcess de Credenciament O link de inscriçã permitirá que candidat registre suas infrmações para participar d Prcess de Credenciament, cnfrme Edital. Após tmar ciência de td cnteúd

Leia mais

Regulamento Biblioteca FACULDADE IPEL

Regulamento Biblioteca FACULDADE IPEL REGULAMENTO BIBLIOTECA FACULDADE IPEL Regulament Bibliteca FACULDADE IPEL Pus Alegre/MG 2014 REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ESTE REGULAMENTO TEM POR OBJETIVO ESTABELECER NORMAS REFERENTES AO FUNCIONAMENTO DA

Leia mais

REGULAMENTO TCC DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO: BACHARELADO e LICENCIATURA DA FACULDADE SÃO SEBASTIÃO

REGULAMENTO TCC DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO: BACHARELADO e LICENCIATURA DA FACULDADE SÃO SEBASTIÃO 1 REGULAMENTO TCC DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO: BACHARELADO e LICENCIATURA DA FACULDADE SÃO SEBASTIÃO 2015 2 SUMÁRIO REGULAMENTO PARA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO... 3 CAPÍTULO I GENERALIZAÇÕES... 3 CAPÍTULO

Leia mais

REGULAMENTO DA MONOGRAFIA. Capítulo I Da Origem e Finalidade

REGULAMENTO DA MONOGRAFIA. Capítulo I Da Origem e Finalidade REGULAMENTO DA MONOGRAFIA Capítulo I Da Origem e Finalidade Art. 1º. A monografia é exigida nos cursos de pós-graduação lato sensu, conforme resolução nº 1 de 3 de abril de 2001 do CNE/CES (Conselho Nacional

Leia mais

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADES DE ENGENHARIAS E DESIGN REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADES DE ENGENHARIAS E DESIGN REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADES DE ENGENHARIAS E DESIGN REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) INTRODUÇÃO O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) e é um componente curricular obrigatório

Leia mais

REGRAS PARA USO DE RECURSOS PROAP/CAP

REGRAS PARA USO DE RECURSOS PROAP/CAP REGRAS PARA USO DE RECURSOS PROAP/CAP I - AJUDA DE CUSTO A ALUNOS DE DOUTORADO DA CAP, PARA PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS CIENTÍFICOS INTERNACIONAIS FORA DO PAÍS Eligibilidade Aluns de dutrad da CAP que preencham,

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2009 Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( )

PLANO DE ENSINO 2009 Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Fundamental I ( ) Fundamental II ( ) Médi PLANO DE ENSINO 2009 Médi Prfissinalizante ( ) Prfissinalizante ( ) Graduaçã ( x ) Pós-graduaçã ( ) I. Dads Identificadres Curs Superir de Tecnlgia em Gestã Ambiental

Leia mais

CURSO DE DIREITO REGULAMENTO PARA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC ESPECÍFICO PARA O CURSO DE DIREITO

CURSO DE DIREITO REGULAMENTO PARA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC ESPECÍFICO PARA O CURSO DE DIREITO CURSO DE DIREITO REGULAMENTO PARA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC ESPECÍFICO PARA O CURSO DE DIREITO 2 DISPOSIÇÕES PRELIMINARES ART. 1 - O presente Regulamento tem por finalidade normatizar as atividades

Leia mais

GESTÃO DE PROJETOS. Uma visão geral Baseado nas diretrizes do PMI

GESTÃO DE PROJETOS. Uma visão geral Baseado nas diretrizes do PMI GESTÃO DE PROJETOS Uma visã geral Bead n diretrizes d PMI 1 Intrduçã Objetiv da Apresentaçã O bjetiv é frnecer uma visã geral ds prcesss de Gestã de Prjets aplicads à Gestã de Empreendiments. O que é Prjet?

Leia mais

EDITAL Nº 01/NIC/ 2014

EDITAL Nº 01/NIC/ 2014 Núcle de Intercâmbi e Cperaçã Institucinal EDITAL Nº 01/NIC/ 2014 Seleçã de acadêmics para Intercâmbi n primeir semestre de 2015 d Prgrama de Blsas Iber-Americanas Santander Universidades 2014 A Universidade

Leia mais

Regulamento Geral do Trabalho de Conclusão do Curso de Graduação em Ciência Política Bacharelado TCC

Regulamento Geral do Trabalho de Conclusão do Curso de Graduação em Ciência Política Bacharelado TCC Regulamento Geral do Trabalho de Conclusão do Curso de Graduação em Ciência Política Bacharelado TCC Estabelece normas para a realização do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) do Curso de Graduação em

Leia mais

FACULDADE SETE DE SETEMBRO COMUNICAÇÃO SOCIAL JORNALISMO/PUBLICIDADE E PROPAGANDA COORDENAÇÃO DE TCC

FACULDADE SETE DE SETEMBRO COMUNICAÇÃO SOCIAL JORNALISMO/PUBLICIDADE E PROPAGANDA COORDENAÇÃO DE TCC REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art.1º. Este regulamento disciplina o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) de Comunicação Social (Cursos de Jornalismo

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 06/2006, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2006

RESOLUÇÃO Nº 06/2006, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2006 RESOLUÇÃO Nº 06/2006, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2006 Altera o Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso - TCC do Curso de Direito, na forma do Anexo. O VICE-REITOR, NO EXERCÍCIO DA REITORIA DA UNIVERSIDADE

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE DIREITO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE DIREITO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE DIREITO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA Art. 1. Este Regulamento normatiza as atividades relacionadas com o Trabalho de Conclusão de Curso do Curso

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS Etapa 3 Cadastr d Prcess Seletiv O Presidente da CRM cadastra s dads d prcess n sistema. O prcess seletiv é a espinha drsal d sistema, vist que pr mei dele regem-se tdas as demais

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º. Este Regulamento estabelece as normas relativas às disciplinas Trabalho de Conclusão de Curso I (TCC

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS Versã 0.0 25/10/2010 Sumári 1 Objetivs... 3 2 Cnceits... 3 3 Referências... 3 4 Princípis... 3 5 Diretrizes d Prcess... 4 6 Respnsabilidades... 5 7

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 22/2005, de 30 de junho de 2005. RESOLVE:

RESOLUÇÃO Nº 22/2005, de 30 de junho de 2005. RESOLVE: MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO MARANHÃO CONSELHO DIRETOR RESOLUÇÃO Nº 22/2005, de 30 de junho de 2005. Aprova as Normas Regulamentadoras da operacionalização da Monografia

Leia mais

Os valores solicitados para transporte e seguro saúde deverão ser comprovados por um orçamento integral fornecido por uma agência de viagem.

Os valores solicitados para transporte e seguro saúde deverão ser comprovados por um orçamento integral fornecido por uma agência de viagem. Aluns de Pós-Graduaçã de Instituições Estrangeiras Visa apiar visitas de n máxim 30 dias, de dutrands de instituições estrangeiras, qualificads, e prcedentes de Centrs de Excelência para estudarem, pesquisarem

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º - Este Regulamento estabelece as normas relativas às disciplinas Trabalho

Leia mais

3 Formulação da Metodologia 3.1. Considerações Iniciais

3 Formulação da Metodologia 3.1. Considerações Iniciais 53 3 Frmulaçã da Metdlgia 3.1. Cnsiderações Iniciais O presente capítul tem cm finalidade prpr e descrever um mdel de referencia para gerenciament de prjets de sftware que pssa ser mensurável e repetível,

Leia mais

Nome do programa, pesquisa ou produto: Projeto Censo GIFE 2005/2006

Nome do programa, pesquisa ou produto: Projeto Censo GIFE 2005/2006 1 GIFE Grup de Instituts, Fundações e Empresas Dads da rganizaçã Data de elabraçã da ficha: Fev 2008 Nme: GIFE Grup de Instituts, Fundações e Empresas Endereç: Av. Brigadeir Faria Lima, 2.413 1º andar

Leia mais

Ministério da Justiça. Orientações para a preparação dos Policiais que atuam na Região

Ministério da Justiça. Orientações para a preparação dos Policiais que atuam na Região Ministéri da Justiça Departament da Plícia Federal Academia Nacinal de Plícia Secretaria Nacinal de Segurança Pública Departament de Pesquisa, Análise da Infrmaçã e Desenvlviment Humanan Orientações para

Leia mais

MANUAL DOS GESTORES DAA

MANUAL DOS GESTORES DAA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ UFPI NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO - NTI MANUAL DOS GESTORES DAA MÓDULOS: M atrícula e P rgramas e C DP [Digite resum d dcument aqui. Em geral, um resum é um apanhad

Leia mais

SELEÇÃO PARA ESPECIALIZANDO EM ORL DA CLINICA SOS OTORRINO. (Credenciada pela Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial)

SELEÇÃO PARA ESPECIALIZANDO EM ORL DA CLINICA SOS OTORRINO. (Credenciada pela Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial) SELEÇÃO PARA ESPECIALIZANDO EM ORL DA CLINICA SOS OTORRINO (Credenciada pela Assciaçã Brasileira de Otrrinlaringlgia e Cirurgia Cérvic-Facial) MANUAL DO CANDIDATO 2013 2 SOS OTORRINO Crdenadr da Residencia

Leia mais

Apresentação do Curso

Apresentação do Curso At endi m ent acl i ent e Apr es ent aç ãdc ur s Apresentaçã d Curs O curs Atendiment a Cliente fi elabrad cm bjetiv de criar cndições para que vcê desenvlva cmpetências para: Identificar s aspects que

Leia mais

Gestão do Escopo 1. Planejamento da Gestão do Escopo: 2. Definição do Escopo: 3. Elaboração da EDT(EAP): 4. Verificação do Escopo:

Gestão do Escopo 1. Planejamento da Gestão do Escopo: 2. Definição do Escopo: 3. Elaboração da EDT(EAP): 4. Verificação do Escopo: Gestã d Escp 1. Planejament da Gestã d Escp: i. Autrizaçã d prjet ii. Definiçã d escp (preliminar) iii. Ativs em cnheciments rganizacinais iv. Fatres ambientais e rganizacinais v. Plan d prjet i. Plan

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para Prcediment de Cmercializaçã. Inserid

Leia mais

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º. Este regulamento disciplina o Trabalho de Curso de graduação

Leia mais

PROJETO 23ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 28 e 29 DE OUTUBRO DE 2015 CURSO: SEGURANÇA DO TRABALHO

PROJETO 23ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 28 e 29 DE OUTUBRO DE 2015 CURSO: SEGURANÇA DO TRABALHO PROJETO 23ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 28 e 29 DE OUTUBRO DE 2015 CURSO: SEGURANÇA DO TRABALHO Objetivs: SEGURANÇA DO TRABALHO Desenvlver cmpetências para eliminar u minimizar s riscs de acidentes

Leia mais

EDITAL BOLSA SOCIOECONÔMICA. Seleção de Bolsistas para o Programa de Bolsa Socioeconômica para o período de 2014

EDITAL BOLSA SOCIOECONÔMICA. Seleção de Bolsistas para o Programa de Bolsa Socioeconômica para o período de 2014 EDITAL BOLSA SOCIOECONÔMICA Seleçã de Blsistas para Prgrama de Blsa Sciecnômica para períd de 2014 O Reitr d Centr Universitári Tled Unitled, ns terms d Regulament aprvad pel CONSEPE, cm vistas à seleçã

Leia mais