Principais Destaques - 2T15

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Principais Destaques - 2T15"

Transcrição

1

2 Belo Horizonte, 22 de julho de 2015 O Banco INTERMEDIUM S.A., banco múltiplo, focado em Crédito Imobiliário e com atividades também nos segmentos de Consignado e Middle Market, divulga hoje seus resultados do 2 trimestre de Todas as informações operacionais e financeiras contidas neste relatório, exceto quando ressaltadas de forma diferente, são apresentadas com base em números consolidados, expressos em moeda corrente nacional (real). Principais Destaques - 2T15 P Lucro Líquido de R$ 15,9 milhões no 1S15, crescimento de 48,4% em relação ao 1S14 e rentabilidade de 10,5% sobre o Patrimônio Líquido Médio; P Carteira de Crédito On Balance atingiu o saldo de R$ 1,7 bilhão no 2T15, evolução de 7,2% no trimestre e de 40,2% em ; P A Carteira de Crédito Imobiliário alcançou maior representatividade na Carteira Total, com expressivo crescimento de 74,1% em relação ao 2T14 e de 13,9% em relação ao 1T15; P Captações alcançaram a marca de R$ 1,7 bilhão em junho, crescimento de 10,2% no trimestre e 28,6% em doze meses; P LCI atinge saldo de R$ 669,5 milhões no 2T15, crescimento de 74,1% em relação ao 2T14 e de 18,2% em relação ao 1T15; P Os Ativos Totais registraram crescimento de 8,5% no trimestre e 32,6% em relação ao 2T14, finalizando o 2T15 com R$ 2,2 bilhões; P Qualidade da Carteira de Crédito apresentou níveis comportados - Classificação entre os níveis AA-D representa 96,8% do total da Carteira. P Manutenção do excelente nível de capitalização, com Índice de Basileia de 21,0% no 2T15; P Agência de avaliação de risco FITCH manteve o rating do Banco Intermedium em brbbb; P Agências de Crédito Imobiliário do Banco Intermedium estão presentes em 45 cidades no território brasileiro. Principais Indicadores Atua PRINCIPAIS INDICADORES (R$ mil) 2T15 1T15 Var. (%) 2T14 Var. (%) 1S15 1S14 Var. (%) Resultado da Intermediação Financeira¹ ,8% ,4% ,9% Resultado Operacional ,2% ,3% ,9% Lucro Líquido ,0% ,3% ,4% Patrimônio Líquido ,2% ,4% ,4% Ativos Totais ,5% ,6% ,6% Carteira de Crédito Ampliada² ,0% ,7% ,7% Carteira de Crédito³ ,2% ,2% ,2% Captações de Recursos⁴ ,6% ,9% ,9% ÍNDICES DE DESEMPENHO 2T15 1T15 Var. (p.p.) 2T14 Var. (p.p) 1S15 1S14 Var. (%) ROAE (a.a.) 10,8% 10,5% 0,3 11,0% -0,2 10,5% 7,5% 3,0 ROAA (a.a.) 1,5% 1,6% -0,1 2,0% -0,5 1,4% -1,4 NIM (a.a.)¹ 9,6% 11,7% -2,1 11,0% -1,4 10,5% 11,0% -0,5 Índice de Eficiência¹ 59,7% 54,2% 5,5 48,3% 11,4 56,8% 52,1% 4,7 Índice de Basileia 21,0% 21,2% -0,2 22,0% -0,9 21,0% 22,0% -0,9 (1) Comissões de correspondentes e equalizações deduzidas da receita. (2) Inclui operações de crédito cedidas on balance e off balance. (3) Inclui operações de crédito cedidas on balance. (4) Considera depósitos à vista, CDB, DPGE, LCI, LF e LCA (não inclui cessões). 1

3 Mensagem da Administração Atua O primeiro semestre do ano de 2015 foi marcado por um cenário político-econômico desafiador, principalmente em relação ao processo de ajuste fiscal e aperto monetário em vigor. Tais medidas visam conter a inflação e trazê-la para o centro da meta estabelecida pelo Banco Central. As ações do governo para reconduzir o país ao crescimento esperado em 2016 deverão repercutir também no segundo semestre de Atento a este cenário econômico adverso, buscamos identificar as melhores oportunidades para a concretização de nossas estratégias e melhora dos resultados. Encerramos o primeiro semestre de 2015 com o lucro líquido de R$ 15,9 milhões, resultado 48,4% superior ao primeiro semestre de 2014 e ROE de 10,5%. Esse bom desempenho reflete a melhoria dos processos e controle de despesas, em paralelo aos esforços para aumentar nossas receitas. Destacamos o aumento das receitas do crédito imobiliário, que com o crescimento da carteira, trouxe bons frutos para o Intermedium, com impacto positivo nas receitas sem contrapartida recíproca das despesas. O foco comercial no segmento imobiliário se faz presente no expressivo crescimento anual de 74,1% da carteira. Destacamos que no primeiro semestre de 2015 a Carteira de Crédito Imobiliário alcançou a maior representatividade no portfolio de produtos do Banco com 42,1% de participação. A carteira de crédito total, composta além do segmento Imobiliário pelas Carteiras de Crédito Pessoal e Middle Market apresentou uma expansão de 40,2% nos últimos doze meses, atingindo o saldo de R$ 1,8 bilhão. A qualidade da carteira se mantém estável para o consignado, operando convênios tradicionais. No segmento imobiliário, a qualidade da carteira se manteve estável, uma vez que trata-se de modalidade de empréstimo com serviço de dívida adequado, além de contar com arcabouço legal que permite exercício das garantias quando isso se faz necessário. No primeiro semestre de 2015 as operações classificadas de AA - D representaram 96,8% da carteira do Banco. Em relação aos passivos, apresentamos uma evolução anual de 40,9% nas captações de Depósitos e Letras de Crédito, que atingiram o saldo de R$1,7 bilhão no primeiro semestre de Destacamos o alongamento do prazo médio dos passivos do Banco, que subiu aproximadamente 100 dias no primeiro semestre, fruto do foco na captação de produtos como a LCI IPCA e IGPM, que tem carência mínima de 36 meses. Ressaltamos a evolução das empresas Interfronting Gestão em Seguros, adquirida em 2012 e IDTVM, criada em 2013, com o objetivo de diversificar as receitas de serviços e ampliar o atendimento aos clientes e investidores do Grupo Intermedium. No primeiro semestre de 2015 a Interfronting atingiu a marca de R$ 12,2 milhões em prêmios, distribuídos em seu portfolio diversificado de produtos. Já a IDTVM apresentou uma receita de R$ 254,2 mil no primeiro semestre de 2015 e apresenta seu tripé estratégico estabelecido para atuar na Gestão, Distribuição e Custódia de Fundos e Ativos. Diante dos resultados apresentados, a agência de risco FITCH reafirmou em julho de 2015 o rating do Intermedium em brbbb. A classificação fundamentou-se principalmente pela capitalização confortável, liquidez adequada e a satisfatória qualidade de ativos do Banco. Ademais, mantivemos os investimentos em infraestrutura e tecnologia e tendo em vista o fortalecimento da cultura orientada à meritocracia iniciamos um programa complementar de participação nos resultados que visa reconhecer e evidenciar os profissionais que fazem a diferença na construção do futuro da organização. Mais uma vez, expressamos nossos agradecimentos pela dedicação de nossos colaboradores e parceiros, e nos orgulhamos pela confiança depositada no Banco pelos nossos clientes e investidores. 2

4 Visão Estratégica de Crescimento O Grupo INTERMEDIUM é um conglomerado financeiro, que surgiu em 1994, com a fundação do Banco Intermedium, atuante nos segmentos de crédito e investimentos. Em 2012, adquiriu a corretora de seguros Fronting, resultando na criação da Interfronting Gestão em Seguros, especializada em serviços de corretagem de seguros. Recentemente, foi criada a Intermedium DTVM, que passou a integrar o grupo, consolidando sua atuação no mercado de capitais. GRUPO INTERMEDIUM BANCO INTERMEDIUM Intermedium DTVM Interfronting Desta forma, o Banco INTERMEDIUM atua em duas vertentes: CRÉDITO e SERVIÇOS. Core Business Fee Business C R É D I T O Crédito Imobiliário Crédito Pessoal Middle Market Novos núcleos de Receitas S E R V I Ç O S DTVM Seguros Conta Corrente Digital Captações 3

5

6 Banco Intermedium O Banco INTERMEDIUM é um Banco Múltiplo, com 20 anos de experiência no mercado financeiro. Concentra seus negócios em 03 nichos de mercado e fontes diversificadas de captação de recursos: P Crédito Imobiliário: é uma modalidade de empréstimo e de financiamento em destaque na instituição, alvo de constante investimento pelos bons resultados e desempenho demonstrados. Os produtos imobiliários INTERMEDIUM são CredCasa (financiamento de imóveis residenciais e comerciais) e CredFlex (empréstimo com garantia do imóvel). Ainda, o Banco INTERMEDIUM é parceiro de diversas construtoras e possui uma linha de produtos voltada para aquelas que desejam a antecipação de seus recebíveis bem como financiamento para obras (apoio à produção); P Crédito Pessoal: carteira de empréstimos composta por operações de crédito consignado para aposentados e pensionistas do INSS, funcionários públicos de entidades municipais, estaduais, federais e forças armadas, bem como operações de cartões consignados e outras operações de crédito pessoal; P Crédito para Empresas: trata-se da concessão de crédito estruturado para pessoas jurídicas nas modalidades de empréstimo, desconto de duplicatas, capital de giro e cobrança simples, com garantia, baixo risco de inadimplência e taxas atrativas; P Captações de Recursos: carteira composta por portfolio diversificado de produtos de investimentos e conta com as seguintes linhas de Captação: CDB, LCI, LCA, LF, CRI e FIDC Intermedium. Possui segurança, taxas competitivas e atendimento diferenciado e ágil. Rentabilidade Lucro Líquido, ROAE, ROAA No semestre, o Lucro Líquido acumulado foi de R$ 15,9 milhões, crescimento expressivo de 48,4% em relação ao 1S14. Na comparação trimestral, o resultado alcançou o montante de R$ 8,1 milhões no 2T15, superior em 5,3% quando comparado ao 2T14 e em 3,0% em relação ao 1T15. Esse excelente desempenho confirma o êxito da nossa estratégia de crescimento da carteira de crédito de forma sustentável, mantendo o foco no Crédito Imobiliário. Além disso, o Banco tem desenvolvido iniciativas para melhorar sua eficiência operacional que também tem surtido efeitos positivos no resultado. R$ mil 2T15 1T15 Var. (%) 2T14 Var. (%) 1S15 1S14 Var. (%) Lucro Líquido ,0% ,3% ,4% Em função do lucro líquido apurado, o Retorno sobre o Patrimônio Líquido Médio Trimestral anualizado, (ROAE), encerrou o 1S15 em 10,5%, evolução de 3,0 p.p. em relação ao 1S14 e aumento de 0,2 p.p. quando comparado com o trimestre anterior. % / R$ mil 2T15 1T15 Var. (%)/p.p. 2T14 Var. (%)/p.p. 1S15 1S14 Var. (%)/p.p. ROAE (% a.a.) 10,8% 10,5% 0,3 11,0% -0,2 10,5% 7,5% 3,0 Lucro Líquido ,0% ,3% ,4% Patrimônio Líquido Médio ,7% ,3% ,3% Patrimônio Líquido ,2% ,4% ,4% Já o Retorno sobre o Ativo Médio (ROAA) foi de 1,5% no 2T15, aumento de 2,0 p.p. em doze meses e diminuição de 0,1 p.p. em relação ao trimestre anterior. % / R$ mil 2T15 1T15 Var. (%)/p.p. 2T14 Var. (%)/p.p. 1S15 1S14 Var. (%)/p.p. ROAA (% a.a.) 1,5% 1,6% -0,1 2,0% -0,5 1,6% 1,4% 0,2 Lucro Líquido ,0% ,3% ,4% Ativo Médio ,8% ,7% ,9% Ativo Total ,5% ,6% ,6% 5

7 Desempenho Operacional Distribuição dos Ativos Os Ativos Totais somaram R$ 2,2 bilhões no 2T15, evolução de 8,5% e de 32,6% em comparação ao 1T15 e 2T14, respectivamente. Em relação à composição, as Operações de Crédito Líquidas (descontadas as provisões) somaram R$ 1,7 bilhão no encerramento do trimestre, um aumento de 40,9% nos últimos doze meses e de 6,9% em relação ao trimestre anterior. Composição dos Ativos COMPOSIÇÃO DOS ATIVOS (R$ mil) 2T15 1T15 Var. (%) 2T14 Var. (%) Ativos Totais ,5% ,6% Operações de Crédito ,9% ,9% Aplicações Interfinanceiras ,9% ,2% TVM ,6% ,9% Outros ,3% ,7% 78,0% 11,3% 5,7% 5,0% Operações de Crédito Aplic. Interf. TVM Outros Carteira de Crédito Em junho de 2015, o saldo da Carteira de Crédito Ampliada somou R$ 1,8 bilhão, variação positiva de 33,7% nos últimos doze meses e de 7,0% ante o 1T15. A Carteira de Crédito On balance alcançou um saldo de R$ 1,8 bilhão, expansão de 40,2% em doze meses e 7,2% no trimestre. A carteira de Crédito Imobiliário, vetor estratégico do Banco, continua a registrar expressivo crescimento. As carteiras de Crédito Pessoal e Middle Market também demonstraram avanços estratégicos no ano de 2015, com foco na manutenção e melhoria da qualidade de suas operações. CARTEIRA DE CRÉDITO AMPLIADA (R$ mil) 2T15 1T15 Var. (%) 2T14 Var. (%) Carteira de Crédito Ampliada ,0% ,7% On balance ⁵ ,2% ,2% Crédito Imobiliário ,9% ,1% Crédito Pessoal ,6% ,3% Middle Market ,5% ,0% Off balance ⁶ ,5% ,6% Cessões ,5% ,6% (5) Saldo de carteira retida + cessões realizadas após 31/12/2011. (6) Saldo de cessões realizadas até 31/12/2011. Em acordo com a premissa de expansão das operações de Crédito Imobiliário, a carteira (própria e securitizada) representa 42,1% do total da carteira de crédito, um ganho de participação de 8,2 p.p. em doze meses. O portfolio é composto pelos segmentos de Crédito Pessoal com participação de 42,0% e Middle Market (própria e cedida) com 15,9%. Evolução da Carteira de Crédito - R$ mil Δ 40,2% Δ 7,2% Trimestre Carteira de Crédito - 2T15 15,9% Crédito Imobiliário 42,1% Crédito Pessoal 42,0% Middle Market 6

8 Em relação às cessões, a carteira de crédito ampliada finalizou o 1S15 com apenas 4,4% de créditos cedidos, em consonância com a estratégia de retenção de operações na instituição. Vale ressaltar que as cessões são realizadas mediante às boas oportunidades de negócios no mercado financeiro. O gráfico abaixo demonstra o percentual de cessões totais efetuadas versus à carteira de crédito ampliada. Carteira de Crédito Ampliada x Cessões Totais⁷ ,7% ,5% ,4% T14 1T15 2T15 Carteira Ampliada Valores em R$ mil (7) Cessões de Crédito Consignado (on balance e off balance até o 4T14), middle market e securitização imobiliária realizadas pelo Banco. Crédito Imobiliário Crescimento anual expressivo de 74,1% da Carteira Imobiliária atingindo R$ 740,6 milhões O saldo da Carteira de Crédito Imobiliário atingiu R$740,6 milhões no 2T15, alcançando a maior representatividade na carteira total, com expansão de 74,1% e de 13,9% em comparação ao 2T14 e 1T15, respectivamente. Destaque para os produtos CredCasa e CredFlex que apresentaram crescimento de 91,0% e 59,8% em, respectivamente. CARTEIRA DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO (R$ mil) 2T15 1T15 Var. (%) 2T14 Var. (%) Carteira de Crédito Imobiliário ,9% ,1% Compra e Venda (CredCasa) ,5% ,0% Home Equity (CredFlex) ,4% ,8% Apoio à Produção ,8% ,0% Evolução da Carteira de Crédito Imobiliário - R$ mil Δ 74,1% Δ 13,9% Trimestre

9 A Carteira de Crédito Imobiliário possui um portfolio composto por 58,7% de operações de compra e venda retidas em carteira, 38,1% por home equity, e os 3,2% restantes correspondem ao apoio à produção financiamentos destinados às obras das construtoras. Portfolio da Carteira Imobiliária - 2T15 3,2% Compra e Venda 38,1% 58,7% Home Equity Apoio à Produção Originação Imobiliária alcançou o montante de R$ 246,3 milhões no 1S15 No encerramento do 2T15, a originação registrou R$ 122,6 milhões, 0,8% menor em relação ao 1T15. Apesar da pequena redução na comparação trimestral, a originação se mantém em níveis estáveis. Evolução da Originação de Crédito Imobiliário - R$ mil Δ 71,1% S14 1S15 O Banco possui agências próprias, especializadas na concessão de crédito imobiliário, localizadas em pontos estratégicos ao longo do território nacional. Ao todo, já temos 47 agências, conforme a relação abaixo: Rede de Agências: * Barra da Tijuca * São Bern. do Campo * Aracajú * Barueri * São Carlos * Fortaleza * Bauru * São José do Rio Preto * Maceió * Belo Horizonte (3) * São José dos Campos * Natal * Cabo Frio * São Paulo * Recife * Campinas * Sorocaba * Salvador * Juiz de Fora * Uberaba * São Luís * Jundiaí * Uberlândia * Teresina * Mogi das Cruzes * Vitória *João Pessoa * Piracicaba * Balneário Camboriú * Brasília * Pouso Alegre * Curitiba * Campo Grande * Presidente Prudente * Florianópolis * Cuiabá * Ribeirão Preto * Londrina * Goiânia * Rio de Janeiro * Maringá * Rio Verde * Santos * Porto Alegre * Palmas 8

10 Crédito Pessoal Em junho de 2015, o saldo da Carteira de Crédito Pessoal alcançou R$ 739,1 milhões, variações positivas de 22,3% e de 4,6% no 2T15 em relação ao 2T14 e 1T15, respectivamente. O menor crescimento no trimestre faz parte da estratégia do Intermedium de crescer de forma moderada nesse segmento. A Carteira de Crédito Pessoal Ampliada, que inclui a operações cedidas off balance, encerrou o 1T15 com o saldo de R$ 748,1 milhões, com crescimento moderado de 4,2% no trimestre e 11,4% no ano. CARTEIRA DE CRÉDITO PESSOAL (R$ mil) 2T15 1T15 Var. (%) 2T14 Var. (%) Carteira de Crédito Pessoal Ampliada ,2% ,4% On balance ,6% ,3% Consignado ,4% ,7% Cartão ,9% - n.a. Outros ,3% ,1% Off balance ,5% ,6% Cessões ,5% ,6% Evolução da Carteira de Crédito Pessoal - R$ mil Δ 22,3% Δ 4,6% Trimestre A carteira de Crédito Pessoal On balance tem 92,9% de sua totalidade composta por operações de Crédito Consignado, Cessões e Cartões. Já o percentual de 7,1% representa outras operações de crédito pessoal. Segue abaixo o breakdown da carteira: Portfolio da Carteira de Crédito Pessoal - 2T15 3,0% 2,7% 30,8% 0,4% 7,0% 56,1% INSS Cartão Estados Prefeituras Forças Armadas Outros A manutenção desses ativos reflete positivamente na seletividade de convênios, conservação e aperfeiçoamento da qualidade da carteira de crédito consignado. A diminuição do volume da carteira no convênio Forças Armadas e das provisões no segmento, fazem parte da estratégia do Banco, sendo demonstrado no item "Qualidade da Carteira de Crédito". 9

11 Middle Market A carteira de Middle Market (pessoas jurídicas no segmento PME) finalizou o 2T15 com um volume de R$ 278,8 milhões, registrando crescimento de 24,0% em doze meses e redução de 1,5% na comparação trimestral. A retração no 2º trimestre era esperada em decorrência da desaceleração da economia brasileira no decorrer de Neste sentido, o Banco está se ajustando às novas situações do mercado e precificando melhor seu risco de crédito. CARTEIRA DE MIDDLE MARKET (R$ mil) 2T15 1T15 Var. (%) 2T14 Var. (%) Carteira Total de Middle Market ,5% ,0% Capital de Giro - Garantias diversas ,2% ,1% Capital de Giro - Garantias duplicatas/cheques ,6% ,9% Δ 24,0% Evolução da Carteira de Middle Market - R$ mil Δ -1,5% Trimestre Os gráficos abaixo representam as distribuições por segmento e geográfica da carteira de Middle Market : Distribuição por Setor Econômico - 2T15 Distribuição Geográfica - 2T15 Construção e Imobiliário Comércio Transportes Alimentos e Bebidas 9,4% 8,2% 12,6% 18,8% Centro- Oeste 7,7% Serviços Privados Eletroeletrônicos Siderurgia e Metalurgia 8,0% 8,0% 6,8% Sudeste 73,6% Sul 15,4% Eletricidade, Gás, Água e Esgoto Educação, Saúde e outros Químico e Petroquímico 6,0% 5,5% 5,5% Nordeste 3,3% Outros (% inferior a 5%) 11,2% 10

12 Qualidade da Carteira de Crédito A Qualidade da Carteira de Crédito classificada em conformidade com a Resolução Nº do Banco Central de AA a D foi mantida no 2T15 em relação ao 1T15 e representa 96,8% da carteira de crédito on balance (desconsideradas as operações cedidas até 31/12/2011), conforme detalhado abaixo: Rating Carteira de Crédito Provisão Provisão On balance % Requerida (R$ mil) (R$ mil) AA 0,0% ,4% A 0,5% ,6% B 1,0% ,9% 856 C 3,0% ,8% D 10,0% ,1% E 30,0% ,9% F 50,0% ,6% G 70,0% ,4% H 100,0% ,3% Total ,0% Precavendo uma possível deterioração da Carteira do Middle Market, diante do cenário econômico adverso, o Banco Intermedium manteve uma posição conservadora, e provisionou montantes além do requerido pelo Banco Central. Carteira de Crédito por Nível AA - D E - H 2T15 96,8% 3,2% 1T15 97,1% 2,9% 2T14 96,5% 3,5% A seguir, temos a exposição da carteira por segmento: Rating Crédito Imobiliário Crédito Pessoal Middle Market Carteira (R$ mil) % Provisão (R$ mil) Rating Carteira (R$ mil) % Provisão (R$ mil) Rating Carteira (R$ mil) % Provisão (R$ mil) AA - D ,0% AA - D ,8% AA - D ,5% E - G ,4% E - G ,0% E - G ,2% H ,6% H ,2% H ,3% Total ,0% Total ,0% Total ,0% Os gráficos abaixo demonstram a evolução da relação entre o saldo da provisão e as carteiras de crédito por segmento. É importante destacar os níveis estáveis do índice para o segmento de Crédito Imobiliário e a redução deste para o Crédito Pessoal na comparação anual. No segmento Middle Market o aumento observado está relacionado à provisão adicional efetuada pelo Banco. Neste sentido, vale destacar que apesar da possível piora da qualidade da carteira de Middle Market, as garantias são sólidas, com provável recuperação de crédito. Crédito Imobiliário Δ 0 p.p. 1,8% 1,8% Crédito Pessoal Δ -1,5 p.p. 3,8% 2,3% Middle Market Δ 2,2 p.p. 7,2% 5,0% 2T14 2T15 2T14 2T15 2T14 2T15 Evolução Provisão / Carteira de Crédito 3,3% 2,9% 2,6% 2,5% 2,9% 11

13 Captação de Recursos Captação de Recursos alcança o saldo de R$ 1,7 bilhão O saldo total da Captação de Recursos, incluindo as cessões de crédito, atingiu o volume de R$1,7 bilhão no encerramento do 2T15, o que demonstra variações positivas de 28,9% no ano e de 10,2% no trimestre. As oscilações negativas no saldo de cessões de crédito ocorreram em função, principalmente, das amortizações nos FIDC s, o qual foi encerrado no trimestre anterior. O saldo de Depósitos e Letras de Crédito atingiu o volume de R$ 1,7 bilhão no 2T15, expressiva alta de 40,9% em doze meses e de 12,6% em comparação ao 1T15. CAPTAÇÃO DE RECURSOS TOTAL (R$ mil) 2T15 1T15 Var. (%) 2T14 Var. (%) Captações de Recursos Total ,2% ,6% Depósitos Totais + Letras de Crédito ,6% ,9% Depósitos a Prazo + Letras de Crédito⁸ ,4% ,5% Depósitos à Vista ,2% ,4% Cessões de Crédito⁹ ,9% ,6% (8) Considera CDB, DPGE, LCI, LCA e LF. (9) Composto por cessões on balance e off balance. Breakdown da Captação - 2T15 0,8% 11,6% 45,2% 0,7% 1,3% 40,4% LCI CDB DPGE Dep. à Vista LCA Interfinanceiro 12,8% 7,3% Captações por Tipo de Investidor - 2T15 6,1% 6,2% 41,2% 26,3% PF (Correntista) PF (Distribuidores) Institucional Acionistas/Ligados Inst. Financeira PJ Demonstramos acima o breakdown da captação de recursos do 2T15 e as captações por tipo de investidor. Destaque para a evolução na diversificação do mix de captação, em especial por meio da emissão de LCI e da pulverização da base de depositantes. Além disto, o total de clientes pessoa física, que inclui correntistas e distribuidores, superou a marca de 10 mil clientes no 2T15. O crescimento da participação das Letras de Crédito Imobiliário no total de captações nos últimos anos impacta diretamente na qualidade dos recursos captados e diminuição do custo. No encerramento do 2T15, o volume de LCI registrou vigoroso crescimento de 74,1% em doze meses. Importante ressaltar que as aplicações em LCI do Banco Intermedium são operadas sem liquidez, o que ocasiona constante alongamento da duration de suas operações. Além disso, as taxas nominais das LCI são inferiores às taxas de CDB, e, consequentemente, reduzem o custo médio da Captação da instituição. Evolução da Captação de Recursos¹⁰ - R$ mil Evolução das LCI - R$ mil Δ 40,9% Δ 12,6% Δ 74,1% Δ 18,2% Trimestre Trimestre (10) Depósitos Totais e Letras de Crédito. 12

14 Liquidez Gestão de Ativos e Passivos Em função do enfoque em operações de Crédito Imobiliário e visto que as fontes de funding no Brasil não contemplam os mesmos prazos praticados nessa modalidade, é natural que o prazo médio da captação seja menor do que o dos ativos. Desta forma, o Intermedium realiza a Gestão de Ativos e Passivos pelo balanceamento entre seu funding e o perfil de seus ativos de crédito, conforme demonstrado a seguir: Middl Middl e e Crédito Pessoal Crédito Pessoal Middle Crédito Pessoal CDB Cessão CDB CDB DPGE Home Equity Financiamento Imobiliário CDB LCI CRI CRI FGTS FGT S FGTS Ativos FGTS FGT S FGTS Passivos Para que ocorra o casamento adequado de prazo e indexador nas operações de Crédito Imobiliário, em que a duration dos ativos tende a crescer, o Banco monitora constantemente o mercado de securitização para eventual atuação. Esta atuação é feita retendo participação nos riscos, tipicamente através da subscrição de instrumentos subordinados, de modo a assegurar remuneração vantajosa na carteira cedida. Destacamos que os produtos LCI IPCA e LCI IGPM, que tem carência mínima de 36 meses, alcançaram o saldo de R$ 47,3 milhões no 1S15. Esses produtos contribuem para o alongamento do prazo médio dos passivos do Banco, que subiu aproximadamente 100 dias. Patrimônio Líquido e Alavancagem Patrimônio Líquido Em junho de 2015, o Patrimônio Líquido atingiu R$ 319,9 milhões e as variações observadas são de +7,4% anual e de +2,2% trimestral. Patrimônio Líquido - R$ mil Carteira de Crédito / Patrimônio Líquido ,2 4,3 4,8 5,0 5,3 A relação entre Carteira de Crédito e Patrimônio Líquido, um dos indicadores que mede o grau de alavancagem da instituição, alcançou o volume de 5,3 vezes no 2T15, evolução positiva em comparação ao 1T15 e 2T14 que se situaram nos patamares de 5,0 vezes e 4,2 vezes respectivamente. 13

15 Índice de Basileia De acordo com as normas regulatórias do Banco Central do Brasil, os Bancos devem manter um percentual mínimo de 11% dos ativos ponderados pelo risco que incidem em suas operações, a fim de preservar a solvência e estabilidade do sistema financeiro em relação às oscilações e adversidades econômicas. O Banco INTERMEDIUM finalizou o 2T15 com um Índice de Basileia de 21,0%, mantendo sua forte estrutura de capital para o crescimento sustentável da instituição. Índice de Basileia 22,0% 24,4% 11 23,0% 21,2% 21,0% (11) Índice preliminar sujeito a revisão. Desempenho Financeiro Em função da metodologia adotada na elaboração das Demonstrações de Resultado, as comissões de agentes e valores de equalizações foram deduzidos das receitas contábeis para os períodos elencados nesse relatório. Receitas da Intermediação Financeira As Receitas da Intermediação Financeira totalizaram R$ 103,6 milhões no 2T15, crescimento de 38,2% nos últimos doze meses e de 6,0% quando comparado com o trimestre anterior. As receitas decorrentes das operações de crédito obtiveram crescimento satisfatório em todos os segmentos, com destaque para as receitas de crédito imobiliário, que obtiveram um crescimento de 61,9% em relação ao 2T14. RECEITAS DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA (R$ mil) 2T15 1T15 Var. (%) 2T14 Var. (%) Receita Total da Intermediação Financeira ,0% ,2% Operações de Crédito¹² ,2% ,3% Crédito Imobiliário ,4% ,9% Crédito Pessoal ,8% ,1% Despesas de Comissões de Agentes (19.897) (17.393) 14,4% (15.659) 27,1% Middle Market ,4% ,3% Resultado de Aplicações Financeiras ,7% ,6% Operações de venda ou transf. de ativos financeiros ,9% ,1% (12) Comissões de agentes e equalizações deduzidas da receita. Despesas da Intermediação Financeira As Despesas da Intermediação Financeira foram de R$ 70,5 milhões no 2T15, valor superior em 39,1% e de 17,1% em relação ao 2T14 e 1T15, nessa ordem. O aumento das despesas no último ano foi impulsionado pela crescente despesa de captação, influenciada pelo aumento da taxa básica de juros SELIC e naturalmente, pelo crescimento da carteira de captação. DESPESAS DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA (R$ mil) 2T15 1T15 Var. (%) 2T14 Var. (%) Despesa Total da Intermediação Financeira ,1% ,1% Despesas de Captação ,2% ,1% Provisão para créditos de liquidação duvidosa ,4% ,7% Operações de Empréstimos e Repasses (136) ,0% ,4% Operações de venda ou de transf. de ativos financ ,8% ,7% 14

16 Margem Financeira Líquida (NIM) A Margem Financeira Líquida anualizada (NIM) situou-se em 9,6% no 2T15, menor em 1,4 p.p. em relação ao mesmo período de 2014 e 2,1 p.p. em comparação ao trimestre anterior. MARGEM FINANCEIRA LÍQUIDA (R$ mil) 2T15 1T15 Var. (%)/p.p. 2T14 Var. (%)/p.p. NIM (% a.a.) 9,6% 11,7% -2,1 11,0% -1,4 Resultado Bruto da Intermediação Financeira antes da PDD¹³ ,2% ,4% Ativos Rentáveis Médios¹⁴ ,0% ,4% (13) Comissões de agentes e equalizações deduzidas da receita. (14) Médias calculadas pelos saldos mensais dos períodos. Índice de Eficiência O Índice de Eficiência finalizou o 2T15 em 59,7%, aumento de 5,5p.p. quando comparado com o trimestre anterior e de 11,4p.p. nos últimos doze meses. Na comparação anual, a piora do indicador é influenciada principalmente pelo aumento das despesas em função do investimento em pessoal decorrente da contratação dos colaboradores do Grupo Intermedium pelo Banco. Na comparação trimestral, o aumento do índice de eficiência pode ser explicado pelo maior crescimento das Despesas da Intermediação Financeira em relação às Receitas da Intermediação Financeira. Esse cenário foi resultado dos sucessivos incrementos na taxa de juros SELIC, que elevaram os custos das operações de captação no mercado. ÍNDICE EFICIÊNCIA 2T15 1T15 Var. (%)/p.p. 2T14 Var. (%)/p.p. Índice de Eficiência (%) 59,7% 54,2% 5,5 48,3% 11,4 Despesas (R$ mil) ,4% ,8% Despesas de pessoal ,1% ,3% Outras despesas administrativas¹⁵ ,0% ,7% Despesas tributárias ,9% (1.609) n.a. Outras despesas operacionais ,0% ,4% Receitas (R$ mil) ,4% ,9% Resultado Interm. Financeira antes da PDD¹⁴ ,2% ,4% Receitas de prestação de serviços ,8% ,1% Resultado participação controladas 188 (704) -126,7% (187) n.a. Outras receitas operacionais ,4% ,3% (15) Comissões de agentes e equalizações deduzidas da receita. 15

17

18 Interfronting Gestão em Seguros A Interfronting é uma empresa integrante do Grupo Intermedium desde setembro de 2012 e realiza operações diferenciadas focadas na gestão em seguros para pessoas jurídicas e físicas atreladas a essas empresas. No 2T15, a Interfronting atingiu um Lucro Líquido de R$ 510 mil, o que representa crescimento de 1,8% em relação ao mesmo período do ano anterior e redução de 18,0% em relação ao 1T15. Apesar dos resultados desfavoráveis nos últimos dois trimestres, a Interfronting se apresenta sólida e com grande potencial de crescimento. Evolução do Lucro Líquido - R$ mil Δ 1,8% T14 2T15 Os Prêmios de Seguro atingiram a marca de R$ 6,3 milhões no 2T15, +7,5% ante o trimestre anterior e redução de 0,8% nos últimos doze meses. Evolução dos Prêmios de Seguros - R$ mil Δ -0,8% T14 2T15 Além disso, a Interfronting possui um portfolio diversificado de produtos, com operações de longa duração, aliada à fidelização de suas parcerias, demonstrados a seguir: Portfolio de Seguros - 2T15 12,2% 6,6% 7,0% 14,6% 14,8% 27,0% 17,8% Garantia Vida em Grupo Habitacional Saúde Risco de Engenharia Empresarial Outros (% inferior a 5%) 17

19 Intermedium DTVM A Intermedium DTVM é uma instituição financeira Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários, criada em Agosto 2013 pelo Grupo Intermedium, com o objetivo principal de diversificação de suas receitas de serviços e da ampliação do atendimento aos seus Clientes Investidores via Gestão, Distribuição e Custódia de Fundos e Ativos. Em seu primeiro ano de atuação concluiu importantes etapas, fundamentais para suas atividades: Autorização de funcionamento concedida pelo Banco Central; Autorização e credenciamento pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM); Autorização a atuar como Agente de Custódia Pleno pela BM&FBovespa; Obtenção do Selo de Qualidade Anbima para a atuar como Gestora e Distribuidora de Fundos de Investimento. Essas ações foram essenciais para concluir a estruturação de seu tripé estratégico de atuação. GESTÃO DISTRIBUIÇÃO CUSTÓDIA Com a consolidação da base para seu plano estratégico, a Intermedium DTVM já demonstra evolução, totalizando uma receita de R$ 254,2 mil no 1S15. Para apresentar este resultado, a IDTVM possui hoje aproximadamente R$ 53 milhões sob Gestão, com o Fundo Aberto Intermedium Primus FIM Multiestratégia CP e o Fundo Restrito, Challenger FIA. É atuante na Distribuição de papéis e cotas de fundos de investimento originados e administrados por mais de 30 parceiros, tendo atingido aproximadamente R$ 81 milhões já distribuídos. Atualmente possui R$ 35 milhões em Custódia. Dando continuidade à estruturação de Produtos de Gestão própria, estão em fase final de abertura o Intermedium - DI PLUS Referenciado DI, um Fundo caixa ultraconservador destinado ao público que busca rentabilidade de 100% do CDI com liquidez imediata e sua primeira Oferta Pública, do Fundo de Investimento Imobiliário Intermedium FII. A instituição segue focada na consolidação de sua estratégia, com a missão de atender às diversas necessidades e objetivos de seus clientes e lançar novos produtos no mercado com características inovadoras, contribuindo, assim, para a diversificação e aumento da geração de receitas do Grupo Intermedium e da evolução continua do Mercado de Capitais. Conta Corrente A Conta Corrente Digital Intermedium é mais uma modalidade de serviço disponível aos clientes do Grupo Intermedium e possui toda estrutura necessária para que os clientes movimentem livremente recursos disponíveis em conta. O serviço é digital e os acessos e transações bancárias são realizados por meio do Internet Banking no computador ou pelo aplicativo mobile. Estão disponíveis os serviços de saque em toda Rede 24 horas, compras na modalidade de débito, transferências gratuitas de qualquer valor e pagamentos de boletos de cobrança. Um dos diferenciais desse produto é a completa isenção de tarifas de abertura e manutenção de conta para clientes pessoa física. Além disso, nossos clientes podem realizar aplicações em LCI e CDB através dos canais digitais, bem como efetivar resgates de CDB a qualquer momento ou conforme agendamento prévio. Importante salientar que o serviço de Conta Corrente centraliza a oferta de serviços do Grupo Intermedium favorecendo o cross-selling. Ressaltamos ainda, que 43,2% dos clientes que possuem conta corrente no Banco são também investidores da captação. Número de Contas Corrente Clientes Conta Corrente/Investidores - 2T15 Δ 23,1% 3 meses ,0% Clientes Conta Corrente/Investidores 76,0% Clientes Conta Corrente Abril Maio Junho 18

20 Ratings Agência de Classificação do Risco Avaliação de Mercado Corporativo Fitch Ratings Standard & Poor's brbbb escala nacional / perspectiva estável, em Julho/2015 brbbb- escala nacional / perspectiva negativa, em Abril/2015 Tipo Agência de Classificação do Risco Avaliação de Mercado Operações Estruturadas CRI - Créditos imobiliários cedidos pelo Banco Intermedium, 306ª série emitida pela Brazilian Securities CRI - Créditos imobiliários cedidos pelo Banco Intermedium, 305ª série emitida pela Brazilian Securities Standard & Poor's Fitch Ratings braa, em Out/2013 bra+, em Abr/

21 Anexos Balanço Patrimonial - R$ mil ATIVO 2T15 1T15 2T14 Circulante Disponibilidades Aplicações interfinanceiras de liquidez Títulos e valores mobiliários e Instrumentos derivativos Relações interfinanceiras Operações de crédito Operações de crédito vinculadas à cessão (-)Provisão para créditos de liquidação duvidosa (50.208) (41.009) (41.859) Outros créditos Outros valores e bens Despesas antecipadas Não Circulante Realizável a Longo Prazo Aplicações interfinanceiras de liquidez Títulos e valores mobiliários e Instrumentos derivativos Operações de crédito Operações de crédito vinculadas à cessão Outros créditos Outros valores e bens Despesas antecipadas Permanente Investimentos Imobilizado de uso Intangível Total do Ativo PASSIVO 2T15 1T15 2T14 Circulante Depósitos Letras de Crédito Relações interfinanceiras Obrigações por empréstimos e repasses Obrigações, operações, vendas e transferências Outra obrigações Não Circulante Exigível a Longo Prazo Depósitos Letras de Crédito Obrigações por empréstimos e repasses Obrigações, operações, vendas e transferências Outras obrigações Patrimônio Líquido Capital Social Reservas de lucros Ajustes de avaliação patrimonial (115) (111) (70) Ações em tesouraria Total do Passivo

22 Demonstrações de Resultado DEMONSTRAÇÕES DE RESULTADOS (R$ mil) 2T15 1T15 2T14 1S15 1S14 Receitas da intermediação financeira Operações de Crédito Resultado de operações com títulos e valores mobiliários Resultado com aplicações interfinanceiras Operações de venda ou de transferência de ativos financeiros Despesas da intermediação financeira (70.501) (60.220) (50.683) ( ) (95.029) Operações de captação no mercado (49.946) (41.553) (29.532) (91.499) (55.757) Operações de empréstimos e repasses 136 (679) (345) (543) (450) Operações de venda ou de transferência de ativos financeiros (6.657) (2.988) (6.238) (9.645) (11.161) Provisão para créditos de liquidação duvidosa (14.034) (15.000) (14.568) (29.034) (27.661) Resultado bruto da intermediação financeira Outras receitas/despesas operacionais (25.722) (25.353) (16.289) (51.075) (34.749) Receitas de prestação de serviços Despesas de pessoal (13.876) (12.835) (10.036) (26.711) (17.401) Outras despesas administrativas (11.283) (12.137) (11.097) (23.420) (23.646) Despesas tributárias (3.578) (4.640) (8.218) (1.271) Resultado de participações em controladas e controladas 188 (704) (187) (516) 60 Outras receitas operacionais Outras despesas operacionais (3.001) (2.564) (1.528) (5.565) (3.091) Resultado operacional Resultado não operacional (167) (527) Resultado antes da tributação sobre o lucro e participações Imposto de renda e contribuição social 588 (5.323) (150) (4.735) (2.746) Lucro liquído Contatos Diretoria Investimentos +55 (31)

PERFIL CORPORATIVO S E R V I Ç O S C R É D I T O. Crédito Imobiliário. Conta Corrente Digital Intermedium. Crédito Pessoal. Seguros.

PERFIL CORPORATIVO S E R V I Ç O S C R É D I T O. Crédito Imobiliário. Conta Corrente Digital Intermedium. Crédito Pessoal. Seguros. 3 trimestre de 2015 PERFIL CORPORATIVO Banco múltiplo privado com 21 anos de experiência no mercado financeiro. Sólida estrutura de capital e administração conservadora. Atuação em operações de: Core Business

Leia mais

PERFIL CORPORATIVO FOCO NO CLIENTE. Sustentabilidade econômica e sócioambiental. Expansão da base geográfica RELACIONAMENTO

PERFIL CORPORATIVO FOCO NO CLIENTE. Sustentabilidade econômica e sócioambiental. Expansão da base geográfica RELACIONAMENTO PERFIL CORPORATIVO P Banco múltiplo privado com 20 anos de experiência no mercado financeiro P Sólida estrutura de capital e administração conservadora P Atuação em operações: Ativas Passivas Crédito Imobiliário

Leia mais

Principais Destaques - 1T15

Principais Destaques - 1T15 Belo Horizonte, 28 de abril de 2015 O Banco INTERMEDIUM S.A., banco múltiplo, focado em Crédito Imobiliário e com atividades também nos segmentos de Consignado e Middle Market, divulga hoje seus resultados

Leia mais

Earnings Release 1s14

Earnings Release 1s14 Earnings Release 1s14 1 Belo Horizonte, 26 de agosto de 2014 O Banco Bonsucesso S.A. ( Banco Bonsucesso, Bonsucesso ou Banco ), Banco múltiplo, de capital privado, com atuação em todo o território brasileiro

Leia mais

Perfil Corporativo S E R V I Ç O S C R É D I T O. Conta Digital Intermedium. Crédito Imobiliário. Seguros. Crédito Consignado DTVM.

Perfil Corporativo S E R V I Ç O S C R É D I T O. Conta Digital Intermedium. Crédito Imobiliário. Seguros. Crédito Consignado DTVM. Perfil Corporativo Banco múltiplo privado com 22 anos de experiência no mercado financeiro. Sólida estrutura de capital e administração conservadora. Atuação em operações de: Core Business Fee Business

Leia mais

Release de Resultado 2T14

Release de Resultado 2T14 BANCO BMG ANUNCIA SEUS RESULTADOS CONSOLIDADOS DO 2T14 São Paulo, 07 de agosto de 2014 O Banco BMG S.A. e suas controladas ( BMG ou Banco ) divulgam seus resultados consolidados referentes ao período encerrado

Leia mais

Teleconferência de Resultados 4T09

Teleconferência de Resultados 4T09 Teleconferência de Resultados 4T09 Índice Comentários de Mercado Pág. 3 Qualidade da Carteira de Crédito Pág. 10 Liquidez Pág. 4 Índice de Eficiência Pág. 14 Funding e Carteira de Crédito Pág. 5 Rentabilidade

Leia mais

BRB ANUNCIA RESULTADOS DO 2T15

BRB ANUNCIA RESULTADOS DO 2T15 BRB ANUNCIA RESULTADOS DO 2T15 Brasília, 26 de agosto de 2015 O BRB - Banco de Brasília S.A., sociedade de economia mista, cujo acionista majoritário é o Governo de Brasília, anuncia seus resultados do

Leia mais

www.panamericano.com.br

www.panamericano.com.br www.panamericano.com.br Agenda Principais dados do Banco Histórico Divulgação das Demonstrações Financeiras Resultado e Balanço Providências e Perspectivas 2 Agenda Principais dados do Banco 3 Composição

Leia mais

Release de Resultado 4T14

Release de Resultado 4T14 BANCO BMG ANUNCIA SEUS RESULTADOS CONSOLIDADOS DO 4T14 São Paulo, 12 de fevereiro de 2015 O Banco BMG S.A. e suas controladas ( BMG ou Banco ) divulgam seus resultados consolidados referentes ao período

Leia mais

Teleconferência Resultados 1T10

Teleconferência Resultados 1T10 Teleconferência Resultados 1T10 18 de maio de 2010 Visão Geral da Administração Venda da estrutura de Varejo + Foco no segmento de crédito a Empresas Transferência das atividades de originação e crédito

Leia mais

Banco Santander (Brasil) S.A.

Banco Santander (Brasil) S.A. Banco Santander (Brasil) S.A. Resultados em BR GAAP 4T14 3 de Fevereiro de 2015 INFORMAÇÃO 2 Esta apresentação pode conter certas declarações prospectivas e informações relativas ao Banco Santander (Brasil)

Leia mais

Institucional. Base: Junho/2014

Institucional. Base: Junho/2014 Grupo Seculus Institucional Base: Junho/2014 Estrutura Societária Família Azevedo 50% 50% LATAN Participações e Investimentos S.A. 100% ON 75.896.000 ações 100% PN 75.896.000 ações Quem Somos Nossa história,

Leia mais

Relatório de Estabilidade Financeira. Banco Central do Brasil Setembro de 2013

Relatório de Estabilidade Financeira. Banco Central do Brasil Setembro de 2013 Relatório de Estabilidade Financeira Banco Central do Brasil Setembro de 2013 Pontos abordados para o Sistema Bancário* Base: 1º semestre de 2013 Risco de liquidez Captações Risco de crédito Portabilidade

Leia mais

2005 Corretora em Nova York. Diversificação do portfólio. 2007 Expansão em Investment Bank, Consignado e Cartões. Estrutura acionária 3

2005 Corretora em Nova York. Diversificação do portfólio. 2007 Expansão em Investment Bank, Consignado e Cartões. Estrutura acionária 3 VISÃO GERAL - 2T5 Histórico 99 Início das operações como banco múltiplo 2002 Agência em Nassau 2005 Corretora em Nova York 2009 Início da parceria estratégica com o Banco do Brasil 205 BV Promotora (Consignado

Leia mais

4 trimestre de 2010. Sumário Executivo. Itaú Unibanco Holding S.A.

4 trimestre de 2010. Sumário Executivo. Itaú Unibanco Holding S.A. 4 trimestre de 2010 Sumário Executivo Apresentamos, abaixo, informações e indicadores financeiros do (Itaú Unibanco) do quarto trimestre de 2010 e do exercício findo em 31 de dezembro de 2010. (exceto

Leia mais

RELEASE DE RESULTADOS

RELEASE DE RESULTADOS RELEASE DE RESULTADOS BANCO PAULISTA SOCOPA Corretora Resultados 1 Trimestre de 2011 1 O BANCO PAULISTA, reconhecido pela sua prestação de serviços de câmbio e de tesouraria, assim como pelo financiamento

Leia mais

Destaques Operacionais. Desempenho Financeiro

Destaques Operacionais. Desempenho Financeiro Press Release Destaques Operacionais O Banrisul apresentou, nos nove meses de 2011, trajetória ascendente de crescimento no crédito. Os indicadores de inadimplência e de qualidade da carteira mantiveram-se

Leia mais

Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta. Novembro de 2014

Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta. Novembro de 2014 Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta Novembro de 2014 OFERTA VOLUNTÁRIA DE PERMUTA DE AÇÕES No dia 30 de outubro realizamos o leilão da oferta voluntária. A adesão dos minoritários do Santander

Leia mais

RELEASE DE RESULTADOS

RELEASE DE RESULTADOS RELEASE DE RESULTADOS BANCO PAULISTA SOCOPA Corretora Resultados 4 Trimestre de 2011 1 O BANCO PAULISTA e a SOCOPA - CORRETORA PAULISTA anunciam os resultados do quarto trimestre de 2011. O BANCO PAULISTA

Leia mais

Demonstrações Financeiras

Demonstrações Financeiras Demonstrações Financeiras Junho 2015 1 SUMÁRIO ANÁLISE DE DESEMPENHO... 4 SUMÁRIO EXECUTIVO 1S15... 6 MERCADO COMPETITIVO... 8 MARGEM ANALÍTICA... 9 Desempenho da Intermediação Financeira... 9 Variações

Leia mais

Circular nº 3477. Total de Créditos Tributários Decorrentes de Diferenças Temporárias Líquidos de Obrigações Fiscais 111.94.02.01.

Circular nº 3477. Total de Créditos Tributários Decorrentes de Diferenças Temporárias Líquidos de Obrigações Fiscais 111.94.02.01. Detalhamento do patrimônio de referência (PR) : 100 110 111 111.01 111.02 111.03 111.04 111.05 111.06 111.07 111.08 111.90 111.90.01 111.91 111.91.01 111.91.02 111.91.03 111.91.04 111.91.05 111.91.06 111.91.07

Leia mais

RELEASE DE RESULTADOS. 3 Trimestre de 2012

RELEASE DE RESULTADOS. 3 Trimestre de 2012 RELEASE DE RESULTADOS 3 Trimestre de 2012 1 RELEASE DE RESULTADOS 3 Trimestre de 2012 MENSAGEM DA ADMINISTRAÇÃO O BANCO PAULISTA anuncia seus resultados do 3T12. O BANCO PAULISTA é reconhecido pela sua

Leia mais

Divulgação dos Resultados 1T15

Divulgação dos Resultados 1T15 Divulgação dos Resultados 1T15 Sumário Resultado Itens Patrimoniais Índices Financeiros e Estruturais Guidance 2 Resultado Margem Financeira (em e %) * 1T15 / 1T14 1T15 / 4T14 1T15 / 1T14 21,1% 5,4% 21,1%

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 5 Balanço Patrimonial Passivo 9 Demonstração do Resultado 12 Demonstração do Resultado

Leia mais

Semana Nacional de Educação Financeira Tema. Opções de investimentos em um cenário de juros em elevação

Semana Nacional de Educação Financeira Tema. Opções de investimentos em um cenário de juros em elevação Tema Opções de investimentos em um cenário de juros em elevação Apresentação JOCELI DA SILVA SILVA Analista Administrativo/Gestão Pública Lotado na Assessoria de Coordenação 3ª CCR Especialização UNB Clube

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS. 3T l 2015

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS. 3T l 2015 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 3T l 2015 Disclaimer Esta apresentação pode conter referências e declarações que representem expectativas de resultados, planos de crescimento e estratégias futuras do BI&P. Essas

Leia mais

Especial Lucro dos Bancos

Especial Lucro dos Bancos Boletim Econômico Edição nº 90 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Especial Lucro dos Bancos 1 Tabela dos Lucros em 2014 Ano Banco Período Lucro 2 0 1 4 Itaú Unibanco

Leia mais

Resultados do 1T08. 14 de maio de 2008

Resultados do 1T08. 14 de maio de 2008 Resultados do 1T08 14 de maio de 2008 Destaques do Trimestre Desenvolvimento dos Negócios Início dos desembolsos das operações de FINAME e BNDES Automático Bim Promotora de Vendas fase piloto das operações

Leia mais

EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO

EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO L2 0 0 6 R E L AT Ó R I O A N U A EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO Prêmio de Seguros Participação no Mercado (em %) Mercado 74,2% Fonte: Susep e ANS Base: Nov/2006 Bradesco 25,8%

Leia mais

Sexta-feira 14.05.2010 Divulgação do Resultado do Primeiro Trimestre de 2010

Sexta-feira 14.05.2010 Divulgação do Resultado do Primeiro Trimestre de 2010 Press Release 9 Bovespa: BRSR3, BRSR5, BRSR6 Este Press Release pode conter informações sobre eventos futuros. Tais informações não seriam apenas fatos históricos, mas refletiriam os desejos e as expectativas

Leia mais

1. Objetivo e Descrição do fundo

1. Objetivo e Descrição do fundo FATOR VERITÀ FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII CNPJ: 11.664.201/0001-00 Administrado pelo Banco Fator S.A. CNPJ: 33.644.196/0001-06 RELATÓRIO SEMESTRAL 1º. SEM. 2012 1. Objetivo e Descrição do fundo

Leia mais

Apresentação Bradesco

Apresentação Bradesco Apresentação Bradesco 1 Perspectivas Econômicas 2013 Bradesco 2014 * Consenso do Mercado ** 2015 * 2014 2015 PIB 2,50% 0,50% 1,50% 0,29% 1,01% Juros(SelicFinal) 10,00% 11,00% 11,00% 11,00% 11,38% Inflação(IPCA)

Leia mais

Evolução Recente das Principais Aplicações Financeiras

Evolução Recente das Principais Aplicações Financeiras Evolução Recente das Principais Aplicações Financeiras As principais modalidades de aplicação financeira disponíveis no mercado doméstico caderneta de poupança, fundos de investimento e depósitos a prazo

Leia mais

Alterações na Poupança

Alterações na Poupança PRODUTOS E SERVIÇOS FINANCEIROS INVESTIMENTOS POUPANÇA A conta de poupança foi criada para estimular a economia popular e permite a aplicação de pequenos valores que passam a gerar rendimentos mensalmente.

Leia mais

Divulgação de Resultados Segundo Trimestre de 2015

Divulgação de Resultados Segundo Trimestre de 2015 Divulgação de Resultados Segundo Trimestre de 2015 Apresentação da Teleconferência 06 de agosto de 2015 Para informações adicionais, favor ler cuidadosamente o aviso ao final desta apresentação. Divulgação

Leia mais

Workshop de Securitização FIDC E CRI. Comitê de FIDCs da ANBIMA Ricardo Augusto Mizukawa

Workshop de Securitização FIDC E CRI. Comitê de FIDCs da ANBIMA Ricardo Augusto Mizukawa Workshop de Securitização FIDC E CRI Comitê de FIDCs da ANBIMA Ricardo Augusto Mizukawa Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Mercado Iniciativas do Mercado - ANBIMA Classificação de FIDCs Formulário

Leia mais

Lucro Líquido Ajustado do BB atinge R$ 2,7 bilhões no 1T13

Lucro Líquido Ajustado do BB atinge R$ 2,7 bilhões no 1T13 Sumário do Resultado Resultado Lucro Líquido Ajustado do BB atinge R$ 2,7 bilhões no O Banco do Brasil apresentou lucro líquido ajustado, sem itens extraordinários, de R$ 2,7 bilhões no trimestre, desempenho

Leia mais

Basiléia. Patrimônio Líquido 6.368 5.927 5.117. Jun/09 Jun/10 Jun/11 Jun/12 Jun/13. Captações (líquidas de compulsório) 58.406 52.950 42.

Basiléia. Patrimônio Líquido 6.368 5.927 5.117. Jun/09 Jun/10 Jun/11 Jun/12 Jun/13. Captações (líquidas de compulsório) 58.406 52.950 42. Avenida Paulista, 2.100 - São Paulo - SP CNPJ 58.160.7890001-28 Se escolher navegar os mares do sistema bancário, construa seu banco como construiria seu barco: sólido para enfrentar, com segurança, qualquer

Leia mais

RELEASE DE RESULTADOS 1 Semestre de 2013

RELEASE DE RESULTADOS 1 Semestre de 2013 RELEASE DE RESULTADOS 1 Semestre de 2013 1 RELEASE DE RESULTADOS 1 Semestre de 2013 MENSAGEM DA ADMINISTRAÇÃO O BANCO PAULISTA anuncia seus resultados do 1S13. O BANCO PAULISTA é reconhecido pela sua prestação

Leia mais

Conferência Telefônica dos Resultados do 4T11 e 2011. 01/03/2011 às 09:30h

Conferência Telefônica dos Resultados do 4T11 e 2011. 01/03/2011 às 09:30h Conferência Telefônica dos Resultados do 4T11 e 2011 01/03/2011 às 09:30h Agenda 4T11e 2011 Principais Realizações e Destaques em 2011 Receitas, Lucro Líquido e Retorno sobre Capital Desempenho dos principais

Leia mais

SECURITIZAÇÃO DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS 28/10/2014 - IBCPF

SECURITIZAÇÃO DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS 28/10/2014 - IBCPF SECURITIZAÇÃO DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS 28/10/2014 - IBCPF Conceito 1 Conceito Integração dos mercados imobiliário e de capitais, de modo a permitir a captação de recursos necessários para o desenvolvimento

Leia mais

Teleconferência de Resultados 1T15. 8 de maio de 2015. Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 1T15. 8 de maio de 2015. Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 8 de maio de 2015 Magazine Luiza Destaques do Vendas E-commerce Despesas Operacionais EBITDA Luizacred Lucro Líquido Ganhos de market share, principalmente em tecnologia Receita

Leia mais

BANCO INDUSTRIAL DO BRASIL S.A.

BANCO INDUSTRIAL DO BRASIL S.A. BI Monitoramento de Rating A LFRating comunica ao Banco Industrial S.A. e ao mercado que, em reunião de Comitê realizada no dia 6 de agosto de 2008, foi confirmada a nota A+ atribuída ao referido banco

Leia mais

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006.

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. São Paulo, 28 de fevereiro de 2007 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia seu resultado

Leia mais

Banco Caterpillar S.A. Rua Alexandre Dumas, 1711 - Edifício Birmann 11-9º andar Setor 2 - São Paulo - SP CNPJ: 02.658.435/0001-53

Banco Caterpillar S.A. Rua Alexandre Dumas, 1711 - Edifício Birmann 11-9º andar Setor 2 - São Paulo - SP CNPJ: 02.658.435/0001-53 Rua Alexandre Dumas, 1711 - Edifício Birmann 11-9º andar Setor 2 - São Paulo - SP CNPJ: 02.658.435/0001-53 Balanço Patrimonial - Conglomerado Prudencial em 30 de Junho ATIVO 2014 CIRCULANTE 1.893.224 Disponibilidades

Leia mais

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Crise não afeta lucratividade dos principais bancos no Brasil 1 Lucro dos maiores bancos privados

Leia mais

Teleconferência de Resultados 2T15. 31 de julho de 2015. Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 2T15. 31 de julho de 2015. Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 2T15 31 de julho de 2015 Magazine Luiza Destaques do 2T15 Vendas E-commerce Ganho consistente de participação de mercado Redução na receita líquida de 10,1% para R$2,1 bilhões

Leia mais

BRB ANUNCIA RESULTADOS DE 2015

BRB ANUNCIA RESULTADOS DE 2015 BRB ANUNCIA RESULTADOS DE 2015 Brasília, 22 de março de 2016 O BRB - Banco de Brasília S.A., sociedade de economia mista, cujo acionista majoritário é o Governo de Brasília, anuncia seus resultados do

Leia mais

Mercado de Capitais e o Investimento Imobiliário. 1 Fórum de Investimentos Imobiliários

Mercado de Capitais e o Investimento Imobiliário. 1 Fórum de Investimentos Imobiliários Mercado de Capitais e o Investimento Imobiliário 1 Fórum de Investimentos Imobiliários Abril, 2014 Mercado Imobiliário e Mercado de Capitais Relembrando o Passado Recente Maior renda da população Evolução

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T14

Divulgação de Resultados 1T14 Divulgação de Resultados 1T14 A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private-equity ( Fundos

Leia mais

II - Evolução do crédito, da taxa de juros e do spread bancário 1

II - Evolução do crédito, da taxa de juros e do spread bancário 1 II - Evolução do crédito, da taxa de juros e do spread bancário 1 Desde março do ano passado, a partir da reversão das expectativas inflacionárias e do início da retomada do crescimento econômico, os juros

Leia mais

Ilmos. Senhores - Diretores e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS

Ilmos. Senhores - Diretores e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS A-PDF MERGER DEMO PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES São Paulo,04 de agosto de 2006. Ilmos. Senhores - es e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS 1. Examinamos os balanços

Leia mais

SOCINAL S.A- CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO

SOCINAL S.A- CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO SOCINAL S.A- CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE CAPITAL - EXERCICIO 2014 SUMÁRIO 1. Introdução; 2. Política Institucional para Gestão do Risco de Capital; 3. Estrutura,

Leia mais

Resultados 1º Trimestre de 2008

Resultados 1º Trimestre de 2008 O BANCO CRUZEIRO DO SUL ANUNCIA SEUS DO 1T08 São Paulo, 12 de Maio de 2008 O Banco Cruzeiro do Sul (Bovespa - CZRS4), banco múltiplo privado operando principalmente no mercado de crédito pessoal com desconto

Leia mais

em números Relatório de Prestação de Contas Sicoob Norte

em números Relatório de Prestação de Contas Sicoob Norte em números Relatório de Prestação de Contas Sicoob Norte O desempenho e os resultados alcançados pelo Sicoob Norte em comprovam as vantagens do trabalho coletivo em cooperativa. Mesmo num ano de muitas

Leia mais

Fundos de Investimento

Fundos de Investimento Gestão Financeira Prof. Marcelo Cruz Fundos de Investimento 3 Uma modalide de aplicação financeira Decisão de Investimento 1 Vídeo: CVM Um fundo de investimento é um condomínio que reúne recursos de um

Leia mais

Kinea Rendimentos Imobiliários - FII. Relatório de Gestão

Kinea Rendimentos Imobiliários - FII. Relatório de Gestão Kinea Rendimentos Imobiliários - FII Relatório de Gestão Maio de 2013 Palavra do Gestor Prezado investidor, O Kinea Rendimentos Imobiliários FII ( Fundo ) é dedicado ao investimento em Ativos de renda

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos. Informações Adicionais e. Dados Quantitativos

Relatório de Gerenciamento de Riscos. Informações Adicionais e. Dados Quantitativos Relatório de Gerenciamento de Riscos Informações Adicionais e Dados Quantitativos Avaliação da adequação do Patrimônio de Referência (PR) face à estrutura e contexto operacional O processo de monitoramento

Leia mais

Letras Financeiras - LF

Letras Financeiras - LF Renda Fixa Privada Letras Financeiras - LF Letra Financeira Captação de recursos de longo prazo com melhor rentabilidade O produto A Letra Financeira (LF) é um título de renda fixa emitido por instituições

Leia mais

1. Objetivo e Descrição do fundo

1. Objetivo e Descrição do fundo FATOR VERITÀ FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII CNPJ: 11.664.201/0001-00 Administrado pelo Banco Fator S.A. CNPJ: 33.644.196/0001-06 RELATÓRIO SEMESTRAL 1º. SEM. 2013 1. Objetivo e Descrição do fundo

Leia mais

Relatório. Gestão de Riscos. Conglomerado Cruzeiro do Sul

Relatório. Gestão de Riscos. Conglomerado Cruzeiro do Sul Relatório de Gestão de Riscos Conglomerado Cruzeiro do Sul Data-Base 31/12/2010 Superintendência de Riscos Índice 1. Introdução 3 2. Perímetro 3 3. Estrutura de Gestão de Riscos 3 3.1 Risco de Crédito

Leia mais

Banco Panamericano S.A.

Banco Panamericano S.A. Banco Panamericano S.A. Release Relatório de de Resultados 1T13 1T15 06de 04 Maio de 2013 2015 Teleconferência - Português 05 de maio de 2015 10h30 (Brasília) / 09h30 (US-EST) Telefone de Conexão: +55

Leia mais

Release de Resultado 3T08

Release de Resultado 3T08 PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$75,0 MILHÕES OU R$0,33 POR AÇÃO NO E R$211,6 MILHÕES OU R$0,92 POR AÇÃO NO 9M08. São Paulo, 7 de Novembro de 2008 Porto Seguro S.A. (BOVESPA: PSSA3), anuncia os

Leia mais

PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$110,9 MILHÕES OU R$0,48

PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$110,9 MILHÕES OU R$0,48 PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$110,9 MILHÕES OU R$0,48 POR AÇÃO ATÉ MAIO DE 2008. São Paulo, 02 de julho de 2008 Porto Seguro S.A. (BOVESPA: PSSA3), anuncia os resultados dos 5M08. As informações

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS. 4T l 2015

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS. 4T l 2015 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T l 2015 Disclaimer Esta apresentação pode conter referências e declarações que representem expectativas de resultados, planos de crescimento e estratégias futuras do BI&P. Essas

Leia mais

Agência Bradesco Praça Panamericana

Agência Bradesco Praça Panamericana Agência Bradesco Praça Panamericana Presença em todos os municípios brasileiros A B C D E 03 Crescimento Orgânico dos Canais de Distribuição 4.634 4.650 3.160 3.359 3.454 3.628 2007 2008 2009 2010 2011

Leia mais

Divulgação de resultados 3T13

Divulgação de resultados 3T13 Brasil Brokers divulga seus resultados do 3º Trimestre do ano de 2013 Rio de Janeiro, 13 de novembro de 2013. A Brasil Brokers Participações S.A. (BM&FBovespa: BBRK3) uma empresa com foco e atuação no

Leia mais

Luiz Carlos Angelotti. Diretor Executivo Gerente e Diretor de Relações com Investidores

Luiz Carlos Angelotti. Diretor Executivo Gerente e Diretor de Relações com Investidores 59 Luiz Carlos Angelotti Diretor Executivo Gerente e Diretor de Relações com Investidores Estratégia de Atuação 60 60 Balanço Patrimonial Tecnologia vs Eficiência operacional Basileia Desempenho Financeiro

Leia mais

Como investir em 2012 Entenda como funciona cada produto financeiro : O Globo 2/fev/2012

Como investir em 2012 Entenda como funciona cada produto financeiro : O Globo 2/fev/2012 Como investir em 2012 Entenda como funciona cada produto financeiro : O Globo 2/fev/2012 Analistas indicam quais cuidados tomar no mercado financeiro em 2012 e quais investimentos oferecem menor probabilidade

Leia mais

4T14 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas

4T14 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas resultados 4T14 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas Índice Análise Gerencial da Operação 3 Sumário Executivo 5 Análise do Resultado 15 Margem Financeira Gerencial 16 Receitas

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PARA 2010

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PARA 2010 POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PARA 2010 Subordinada à Resolução CMN nº 3.792 de 24/09/09 1- INTRODUÇÃO Esta política tem como objetivo estabelecer as diretrizes a serem observadas na aplicação dos recursos

Leia mais

Kinea Rendimentos Imobiliários - FII. Relatório de Gestão

Kinea Rendimentos Imobiliários - FII. Relatório de Gestão Kinea Rendimentos Imobiliários - FII Relatório de Gestão Janeiro de 2013 Palavra do Gestor Prezado investidor, O Kinea Rendimentos Imobiliário FII ( Fundo ) é dedicado ao investimento em Ativos de renda

Leia mais

INSTITUTO ASSAF: ANÁLISE DO DESEMPENHO DOS BANCOS MÉDIOS E DOS BANCOS GRANDES

INSTITUTO ASSAF: ANÁLISE DO DESEMPENHO DOS BANCOS MÉDIOS E DOS BANCOS GRANDES INSTITUTO ASSAF: ANÁLISE DO DESEMPENHO DOS BANCOS MÉDIOS E DOS BANCOS GRANDES O Instituto Assaf comparou diversos indicadores de desempenho dos bancos grandes e dos bancos médios de 2009 a 2011. Primeiramente

Leia mais

Direcional Engenharia S.A.

Direcional Engenharia S.A. 1 Direcional Engenharia S.A. Relatório da Administração Exercício encerrado em 31 / 12 / 2007 Para a Direcional Engenharia S.A., o ano de 2007 foi marcado por recordes e fortes mudanças: registramos marcas

Leia mais

Sumário do Resultado 2T09

Sumário do Resultado 2T09 Sumário do Resultado 1 BB lucra R$ 4,0 bilhões no 1º semestre de 2009 O Banco do Brasil registrou lucro líquido de R$ 4.014 milhões no 1S09, resultado que corresponde a retorno sobre Patrimônio Líquido

Leia mais

relatório mensal BB Recebíveis Imobiliários Fundo de Investimento Imobiliário FII

relatório mensal BB Recebíveis Imobiliários Fundo de Investimento Imobiliário FII relatório mensal BB Recebíveis Imobiliários Fundo de Investimento Imobiliário FII Maio 2015 BB Recebíveis Imobiliários Fundo de Investimento Imobiliário FII O fundo BB Recebíveis Imobiliários FII iniciou

Leia mais

Sumário. Destaques 3. Análise Econômico-Financeira 6. Grandes Números 6 Desempenho 7. - Principais Itens do Resultado 7

Sumário. Destaques 3. Análise Econômico-Financeira 6. Grandes Números 6 Desempenho 7. - Principais Itens do Resultado 7 3º Trimestre 2009 P R E S S R E L E A S E 2009 Sumário Destaques 3 Análise Econômico-Financeira 6 Grandes Números 6 Desempenho 7 - Principais Itens do Resultado 7 - Resultado da Intermediação Financeira

Leia mais

JSL Arrendamento Mercantil S/A.

JSL Arrendamento Mercantil S/A. JSL Arrendamento Mercantil S/A. Relatório de Gerenciamento de Riscos 2º Trimestre de 2015 JSL Arrendamento Mercantil S/A Introdução A JSL Arrendamento Mercantil S/A. (Companhia) se preocupa com a manutenção

Leia mais

RESULTADOS 2T11. Grupo Pão de Açúcar e Globex Utilidades. 26 de julho de 2011

RESULTADOS 2T11. Grupo Pão de Açúcar e Globex Utilidades. 26 de julho de 2011 RESULTADOS 2T11 Grupo Pão de Açúcar e Globex Utilidades 26 de julho de 2011 DESTAQUES DO 2T11 Impacto macroeconômico > IPCA 12 meses: +6,7% > Crescimento real GPA Alimentar: +2,3% > Aumento taxa Selic

Leia mais

PARECER MENSAL - 4/2015 14/05/2015. Regime Próprio de Previdência Social do município de Sorriso - MT PREVISO

PARECER MENSAL - 4/2015 14/05/2015. Regime Próprio de Previdência Social do município de Sorriso - MT PREVISO PARECER MENSAL - 4/2015 14/05/2015 Regime Próprio de Previdência Social do município de Sorriso - MT PREVISO Prezado(a) Diretor(a) Executivo(a), Sr(a). Adélio Dalmolin; Atendendo a necessidade do Instituto

Leia mais

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução.

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução. Proibida a reprodução. A Planner oferece uma linha completa de produtos financeiros e nossa equipe de profissionais está preparada para explicar tudo o que você precisa saber para tomar suas decisões com

Leia mais

3º trimestre de 2011. Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas. Itaú Unibanco Holding S.A.

3º trimestre de 2011. Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas. Itaú Unibanco Holding S.A. 3º trimestre de 2011 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas Itaú Unibanco Holding S.A. Índice Análise Gerencial da Operação 1 Sumário Executivo 3 Análise do Resultado 11 Margem

Leia mais

Release de Resultados do 1T10

Release de Resultados do 1T10 Release de Resultados do 1T10 Fale com R.I Relações com Investidores Tel: (11) 3366-5323 / 3366-5378 www.portoseguro.com.br, gri@portoseguro.com.br Porto Seguro S.A. Alameda Ribeiro da Silva, 275 1º andar

Leia mais

Simulado CPA 10 Completo

Simulado CPA 10 Completo Simulado CPA 10 Completo Question 1. O SELIC é um sistema informatizado que cuida da liquidação e custódia de: ( ) Certificado de Depósito Bancário ( ) Contratos de derivativos ( ) Ações negociadas em

Leia mais

RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução.

RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução. Proibida a reprodução. A Planner oferece uma linha completa de produtos financeiros e nossa equipe de profissionais está preparada para explicar tudo o que você precisa saber para tomar suas decisões com

Leia mais

sumário executivo Itaú Unibanco Holding S.A. 3º trimestre de 2013 Análise Gerencial da Operação

sumário executivo Itaú Unibanco Holding S.A. 3º trimestre de 2013 Análise Gerencial da Operação sumário executivo 3º trimestre de 2013 (Esta página foi deixada em branco intencionalmente) 4 Apresentamos, abaixo, informações e indicadores financeiros do (Itaú Unibanco). Destaques (exceto onde indicado)

Leia mais

REAL LEASING S.A. ARRENDAMENTO MERCANTIL INCORPORADO POR SANTANDER LEASING S.A. ARRENDAMENTO MERCANTIL

REAL LEASING S.A. ARRENDAMENTO MERCANTIL INCORPORADO POR SANTANDER LEASING S.A. ARRENDAMENTO MERCANTIL REAL LEASING S.A. ARRENDAMENTO MERCANTIL INCORPORADO POR SANTANDER LEASING S.A. ARRENDAMENTO MERCANTIL 5ª Emissão Pública de Debêntures Não Conversíveis Ações em Série Única da Espécie Subordinada Relatório

Leia mais

Teleconferência de Resultados 2014 e 4T14. 27 de fevereiro de 2015. Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 2014 e 4T14. 27 de fevereiro de 2015. Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 2014 e 4T14 27 de fevereiro de 2015 Magazine Luiza Destaques 2014 Vendas E-commerce Despesas Operacionais EBITDA Ajustado Luizacred Lucro Líquido Ajustado Crescimento da receita

Leia mais

Apresentação de Resultados

Apresentação de Resultados Apresentação de Resultados 4º Trimestre, Aviso Importante: esta apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas, estimativas de crescimento, projeções de resultados

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS De acordo com o comando a que cada um dos itens de 51 a 120 se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com

Leia mais

O FIOSAÚDE está adotando, no que aplica, as Leis nº 11.638/07 e nº 11.941/09 em suas demonstrações contábeis de 31 de dezembro de 2011.

O FIOSAÚDE está adotando, no que aplica, as Leis nº 11.638/07 e nº 11.941/09 em suas demonstrações contábeis de 31 de dezembro de 2011. Notas explicativas às Demonstrações Contábeis do Exercício Findo em 31 de dezembro de. (Valores expressos em Reais) 1. Contexto Operacional A Caixa de Assistência Oswaldo Cruz FIOSAÚDE, pessoa jurídica

Leia mais

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA.

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. 1. CONTEXTO OPERACIONAL A Patacão Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. ( Distribuidora ) tem como objetivo atuar no mercado de títulos e valores mobiliários em seu nome ou em nome de terceiros.

Leia mais

ATIVO Explicativa 2012 2011 PASSIVO Explicativa 2012 2011

ATIVO Explicativa 2012 2011 PASSIVO Explicativa 2012 2011 ASSOCIAÇÃO DIREITOS HUMANOS EM REDE QUADRO I - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO (Em reais) Nota Nota ATIVO Explicativa PASSIVO Explicativa CIRCULANTE CIRCULANTE Caixa e equivalentes de caixa 4 3.363.799

Leia mais

Teleconferência 2T14. 18 de agosto de 2014

Teleconferência 2T14. 18 de agosto de 2014 Teleconferência 18 de agosto de 2014 1T14 x Estabilidade da Carteira de Créditos, próxima a R$ 10,5 bilhões; Nível de liquidez imediata mantido dentro de parâmetros confortáveis; Redução dos NPLs, tanto

Leia mais

Indicadores do Segmento Bancário. Março 2013

Indicadores do Segmento Bancário. Março 2013 Indicadores do Segmento Bancário Março 2013 Indicadores do segmento bancário O ambiente atual que permeia a indústria bancária, caracterizado pelo acirramento da concorrência, estreitamento de margens,

Leia mais

Nota de Crédito PJ. Janeiro 2015. Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014

Nota de Crédito PJ. Janeiro 2015. Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014 Nota de Crédito PJ Janeiro 2015 Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014 mai/11 mai/11 Carteira de Crédito PJ não sustenta recuperação Após a aceleração verificada em outubro, a carteira de crédito pessoa jurídica

Leia mais

BANCO INDUSTRIAL DO BRASIL S.A.

BANCO INDUSTRIAL DO BRASIL S.A. Monitoramento de Rating A LFRating comunica ao Banco Industrial S.A. e ao mercado que, em reunião de Comitê realizada no dia 09 de Setembro de 2010, foi confirmada a nota atribuída ao referido banco no

Leia mais

O Lucro Líquido do 1T12 foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos.

O Lucro Líquido do 1T12 foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos. São Paulo, 13 de maio de 2013 - A Unidas S.A. ( Companhia ou Unidas ) anuncia os seus resultados do primeiro trimestre de 2012 (). As informações financeiras são apresentadas em milhões de Reais, exceto

Leia mais

PLANO DE CONTAS E CÁLCULO DE ÍNDICES

PLANO DE CONTAS E CÁLCULO DE ÍNDICES PLANO DE CONTAS E CÁLCULO DE ÍNDICES Introdução Em abril de 2009, a Fitch Ratings modificou a estrutura dos demonstrativos sintéticos que acompanham os relatórios dos bancos analisados, adotando um novo

Leia mais