Contexto. Galileu Galilei, René Descartes e Isaac Newton. Concepção racionalista do mundo Leis Naturais

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Contexto. Galileu Galilei, René Descartes e Isaac Newton. Concepção racionalista do mundo Leis Naturais"

Transcrição

1

2 Revolução Científica do século XVII Galileu Galilei, René Descartes e Isaac Newton Concepção racionalista do mundo Leis Naturais Contexto Crise do Antigo Regime Questionamento dos privilégios do Clero de da Nobreza

3 John Locke ( ) Segundo Tratado do Governo Civil (1690) Governo Limitado (nos moldes ingleses) Crítica ao absolutismo e à monarquia despótica Influenciou a Revolução Francesa e Independência na América.

4 Montesquieu ( ) Charles-Louis de Secondat, senhor de La Brède e Barão de Montesquieu O Espírito das Leis Defendia Monarquia Liberal Doutrina dos Três Poderes Executivo Legislativo Judiciário

5 Voltaire ( ) François-Marie Arouet Crítico da Igreja e da Monarquia e da Censura "Não concordo com nem uma das palavras que me diz, mas lutarei até com minha vida se preciso for, para que tenhas o direito de dizê-las. As massas devem temer alguma coisa Se Deus não existisse, seria necessário inventá-lo

6 Rousseau ( ) Jean-Jacques Rousseau Popular, radical crente em Deus - Despertou admiração e ódio Discurso sobre as Ciências e as Artes Progresso deteriorou o Homem Discurso sobre a origem da desigualdade entre os homens Crítica à propriedade privada O Contrato Social Vontade geral deve ultrapassar os interesses particulares Renúncia ao individualismo

7 Enciclopedismo Denis Diderot e Jean Le Rond d Alambert Organizada em 1751 Objetivo de reunir os conhecimentos da época Artigos escritos por importantes pensadores Publicada clandestinamente Influenciou o pensamento político e social do período

8 Fisiocracia Governo da Natureza Contrários a intervenção do Estado na economia François Quesnay Quadro Econômico Médico de Luis XIV 1º Teórico Escola de Manchester (Escola Clássica) Adam Smith A Riqueza das Nações e Teoria dos sentimentos morais Trabalho + Capital = Fator determinante da riqueza Critica ao Mercantilismo Conceitos de Divisão do Trabalho, Livre Mercado e o laissez-faire

9 Despotismo Esclarecido Monarcas Esclarecidos Adotavam princípios iluministas buscando modernizar o Estado Reprimiam opositores e mantinham o mercantilismo Principais Déspotas Esclarecidos José II da Áustria, Catarina II da Rússia, Marquês de Pombal em Portugal, Frederico II da Prússia e Carlos III da Espanha

10 Revolução Inglesa Governo Despótico de Carlos I ( ) Petição de Direitos (1628) Exigência do Parlamento Cobrança do ship money em cidades do interior desobediência ao Parlamento Guerra Civil ( ) Apoiavam o Rei Cavaleiros nobreza absolutista e católicos ingleses e irlandeses Apoiavam o Parlamento Cabeças Redondas Nobreza Liberal presbiterianos [alta burguesia], puritanos [baixa burguesia], Radicais [diggers(escavadores) e levellers(niveladores)] defesa de ideais republicanos e comunismo agrário

11 Revolução Inglesa Oliver Cromwell e os Ironsides (costelas de ferro) vencem os realistas Carlos I se exila na Escócia Entregue pelos escoceses Julgado e condenado Decapitado em 1649 Cromwell funda a República Puritana ( )

12 República Puritana Poder concentrado nas mãos de Cromwell Principais ações: Fechamento do Parlamento Repressão aos aliados de esquerda (radicais) e de direita (nobreza liberal) Atos de Navegação (1651) Conquista e submissão da Irlanda e da Escócia Ampliação do império colonial Confisco e venda das terras da Igreja Anglicana e dos realistas

13 Restauração ( ) Morte de Oliver e ascensão de seu filho Ricardo Renunciou após um ano Restauração do regime monárquico Dinastia Stuart Carlos II Disputas entre o Rei e o Parlamento Surgimento de dois partidos Tory conservador defesa da autoridade real Whig liberal favorável ao parlamento

14 Revolução Gloriosa Governo de Jaime II (irmão de Carlos II) católico e abertamente absolutista Whigs e Thories se unem contra a volta do catolicismo e do absolutismo Apoio ao príncipe Guilherme de Orange Londres foi tomada sem qualquer resistência Jaime II se refugiou na França Guilherme de Orange é coroado Guilherme III pelo parlamento

15 Revolução Gloriosa Revolução sem guerras Declaração de Direitos (Bill of Rights) Monarquia Limitada Julgamento pelo juri Habeas corpus Rei Anglicano Sem direito de criar impostos ou organizar o exercito sem autorização do Parlamento Fim das perseguições religiosas

Guerra Civil (1642-1648)

Guerra Civil (1642-1648) Prof. Thiago Revolução Inglesa Governo Despótico de Carlos I (1625-1648) Petição de Direitos (1628) Exigência do Parlamento Cobrança do ship money em cidades do interior desobediência ao Parlamento Guerra

Leia mais

O Século das Luzes HISTÓRIA 01 AULA 25 PROF. THIAGO

O Século das Luzes HISTÓRIA 01 AULA 25 PROF. THIAGO O Século das Luzes HISTÓRIA 01 AULA 25 PROF. THIAGO Contexto Revolução Científica do século XVII Galileu Galilei, René Descartes e Isaac Newton Concepção racionalista do mundo Leis Naturais Crise do Antigo

Leia mais

Revolução Inglesa Movimento revolucionário inglês que derrubou as práticas do Antigo Regime

Revolução Inglesa Movimento revolucionário inglês que derrubou as práticas do Antigo Regime Revolução Inglesa Movimento revolucionário inglês que derrubou as práticas do Antigo Regime Prof: Otto BARRETO Os ingleses foram os primeiros a aprender a dominar o Leviatã, e a fazer dele seu servo em

Leia mais

A Revoluções Burguesas na Inglaterra: o surgimento do Parlamentarismo

A Revoluções Burguesas na Inglaterra: o surgimento do Parlamentarismo A Revoluções Burguesas na Inglaterra: o surgimento do Parlamentarismo Parlamento Inglês -Rainha Elizabeth I (1558-1603) maior exemplo de poder absoluto na Inglaterra daquele tempo; - Maquiavélica; - Enquanto

Leia mais

A formação da monarquia inglesa na Baixa Idade Média, mais precisamente no século XII, na época da Guerra dos Cem anos.

A formação da monarquia inglesa na Baixa Idade Média, mais precisamente no século XII, na época da Guerra dos Cem anos. HISTÓRIA 8º ANO A formação da monarquia inglesa na Baixa Idade Média, mais precisamente no século XII, na época da Guerra dos Cem anos. Por volta do século XIII, o rei João sem terras estabeleceu novos

Leia mais

A Revolução Inglesa. Autor: Jose Jobson de Andrade Arruda. Editora: Brasiliense.

A Revolução Inglesa. Autor: Jose Jobson de Andrade Arruda. Editora: Brasiliense. Objetivos: - ANALISAR as relações entre a Monarquia inglesa e o Parlamento durante a Dinastia Stuart. - IDENTIICAR as principais etapas do processo revolucionário inglês. - INERIR o amplo alcance das lutas

Leia mais

A Revolução Inglesa. Monarquia britânica - (1603 1727)

A Revolução Inglesa. Monarquia britânica - (1603 1727) A Revolução Inglesa A Revolução inglesa foi um momento significativo na história do capitalismo, na medida em que, ela contribuiu para abrir definitivamente o caminho para a superação dos resquícios feudais,

Leia mais

Formação do Estado Nacional Moderno: O Antigo Regime

Formação do Estado Nacional Moderno: O Antigo Regime Formação do Estado Nacional Moderno: O Antigo Regime A formação do Absolutismo Inglês Medieval Territórios divididos em condados (shires) e administrados por sheriffs (agentes reais) submetidos ao poder

Leia mais

Absolutismo TEORIA DO DIREITO DIVINO JACQUES BOSSUET JEAN BODIN

Absolutismo TEORIA DO DIREITO DIVINO JACQUES BOSSUET JEAN BODIN Prof. Thiago Absolutismo QUANDO: aproximadamente entre os séculos XV e XVIII. ONDE: sobretudo na FRA, ING, POR e ESP. TEÓRICOS ABSOLUTISTAS: JEAN BODIN (A República). JACQUES BOSSUET (Política Segundo

Leia mais

Leitura da tragédia L orphelin de la Chine, de Voltaire, no salão de madame Geoffrin (pintura de Anicet Charles Gabriel Lemonnier, 1755)

Leitura da tragédia L orphelin de la Chine, de Voltaire, no salão de madame Geoffrin (pintura de Anicet Charles Gabriel Lemonnier, 1755) ã Leitura da tragédia L orphelin de la Chine, de Voltaire, no salão de madame Geoffrin (pintura de Anicet Charles Gabriel Lemonnier, 1755) DEFINIÇÃO O século XVIII ficou conhecido como sendo o Século

Leia mais

HISTÓRIA. SEGUNDA SÉRIE DO ENSINO MÉDIO Profº Msc. Givaldo Santos de Jesus REVOLUÇÕES INGLESAS DO SÉCULO XVII

HISTÓRIA. SEGUNDA SÉRIE DO ENSINO MÉDIO Profº Msc. Givaldo Santos de Jesus REVOLUÇÕES INGLESAS DO SÉCULO XVII HISTÓRIA SEGUNDA SÉRIE DO ENSINO MÉDIO Profº Msc. Givaldo Santos de Jesus REVOLUÇÕES INGLESAS DO SÉCULO XVII 1 - A Inglaterra no Início do Século XVII 1 - A Inglaterra no Início do Século XVII - A Dinastia

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA - Marco Histórico: Fim da Idade Moderna. Símbolo: Queda da Bastilha (1789). Lema: Liberdade, Fraternidade, Igualdade.

REVOLUÇÃO FRANCESA - Marco Histórico: Fim da Idade Moderna. Símbolo: Queda da Bastilha (1789). Lema: Liberdade, Fraternidade, Igualdade. REVOLUÇÃO FRANCESA REVOLUÇÃO FRANCESA - Marco Histórico: Fim da Idade Moderna. 1789 Símbolo: Queda da Bastilha (1789). Lema: Liberdade, Fraternidade, Igualdade. Influência: Iluminista. DIVISÃO SOCIAL 1º

Leia mais

FIM DO ABSOLUTISMO INGLÊS SÉCULO XVII

FIM DO ABSOLUTISMO INGLÊS SÉCULO XVII FIM DO ABSOLUTISMO INGLÊS SÉCULO XVII ANTECEDENTES: No início dos anos 1600, a Inglaterra apresentava-se como um país em desenvolvimento e expansão. Nos reinados do século anterior, de Henrique VIII e

Leia mais

Roteiro: Locke: contexto histórico, metodologia, natureza humana e estado de natureza

Roteiro: Locke: contexto histórico, metodologia, natureza humana e estado de natureza Gustavo Noronha Silva José Nailton Silveira de Pinho Juliana Gusmão Veloso Kátia Geralda Pascoal Fonseca Walison Vasconcelos Pascoal Roteiro: Locke: contexto histórico, metodologia, natureza humana e estado

Leia mais

Aula 6 A Expansão Ultramarina Européia

Aula 6 A Expansão Ultramarina Européia Aula 6 A Expansão Ultramarina Européia A Crise Européia dos Séculos XIV e XV - fatores - econômicos - monopólio do comércio Veneza / falta de metais - políticos - Guerra dos Cem Anos - naturais - peste

Leia mais

REVOLUÇÃO INGLESA: PURITANA E GLORIOSA

REVOLUÇÃO INGLESA: PURITANA E GLORIOSA NOME: ANO: 8º TURMA: ENS. FUND. II DATA: / /2014 PROF.: Ariany Galvão ATIVIDADE COMPLEMENTAR História (2º BIMESTRE) REVOLUÇÃO INGLESA: PURITANA E GLORIOSA UMA INTRODUÇÃO A Revolução Inglesa do século XVII

Leia mais

Reconhecimento: Resolução nº CEE - 1464/85 - D.O. 04/05/85 Ent. Mantenedora: Centro Evangélico de Recuperação Social de Paulo Afonso

Reconhecimento: Resolução nº CEE - 1464/85 - D.O. 04/05/85 Ent. Mantenedora: Centro Evangélico de Recuperação Social de Paulo Afonso COLÉGIO SETE DE SETEMBRO Reconhecimento: Resolução nº CEE - 1464/85 - D.O. 04/05/85 Ent. Mantenedora: Centro Evangélico de Recuperação Social de Paulo Afonso CNPJ: 13.911.052/0001-61 e Inscrição Municipal

Leia mais

Revolução Inglesa. Guilherme I foi o primeiro rei da Inglaterra e da Normandia.

Revolução Inglesa. Guilherme I foi o primeiro rei da Inglaterra e da Normandia. Revolução Inglesa Guilherme I foi o primeiro rei da Inglaterra e da Normandia. Após seu governo, em 1215, a Inglaterra publicou a primeira Carta Magna, que previa a formação de um Parlamento que possuía

Leia mais

A Organização da Aula

A Organização da Aula Curso: Ciências Sociais Prof. Ms: Edson Fasano Sociedade Capitalista: Revoluções Inglesas. A Organização da Aula 1º Bloco: A Inglaterra do século XVI; 2º Bloco: - A Revolução Puritana e Gloriosa; 3º Bloco:

Leia mais

História. Antigo regime, Estados nacionais e absolutismo

História. Antigo regime, Estados nacionais e absolutismo Antigo regime, Estados nacionais e absolutismo Índice Clique sobre tema desejado: A origem dos Estados Nacionais Contexto Histórico: crise feudal (séc. XIV-XVI) Idade Média Idade Moderna transição Sociedade

Leia mais

Revoluções Burguesas

Revoluções Burguesas Aula 10 Revoluções Burguesas Entende-se por Revoluções Burguesas os processos históricos que consolidam o poder econômico da burguesia, bem como sua ascensão ao poder político. Ao longo dos séculos XVII

Leia mais

ARTESANATO MANUFATURA PRODUÇÃO INDUSTRIAL FERRA- MENTAS MANUAIS DIVISÃO DO TRABALHO FERRAMENTAS MECÂNICAS INDIVIDUAL TRABALHO

ARTESANATO MANUFATURA PRODUÇÃO INDUSTRIAL FERRA- MENTAS MANUAIS DIVISÃO DO TRABALHO FERRAMENTAS MECÂNICAS INDIVIDUAL TRABALHO Definição: conjunto de transformações técnicas, econômicas e sociais caracterizadas pela substituição da energia física pela mecânica, da ferramenta pela máquina e da manufatura pela fábrica. ARTESANATO

Leia mais

Revolução Inglesa. Decapitação do rei Carlos I, em 30 de janeiro de 1649, na cidade de Londres. MARCOS ROBERTO

Revolução Inglesa. Decapitação do rei Carlos I, em 30 de janeiro de 1649, na cidade de Londres. MARCOS ROBERTO Decapitação do rei Carlos I, em 30 de janeiro de 1649, na cidade de Londres. MARCOS ROBERTO do século XVII representou a primeira manifestação de crise do sistema da época moderna, identificado com o absolutismo.

Leia mais

CURSO e COLÉGIO ESPECÍFICO Ltda

CURSO e COLÉGIO ESPECÍFICO Ltda DISCIPLINA: Sociologia PROF: Waldenir do Prado DATA: 06/02/2012. CURSO e COLÉGIO ESPECÍFICO Ltda www.especifico.com.br QUESTÕES DE VESTIBULAR e-mail: especifico@especifico.com.br Av. Rio Claro nº 615 Centro

Leia mais

ILUMINISMO/ LIBERALISMO. Regimes Absolutistas. Revolução Francesa. História da Educação. Prof. Manoel dos Passos da Silva Costa

ILUMINISMO/ LIBERALISMO. Regimes Absolutistas. Revolução Francesa. História da Educação. Prof. Manoel dos Passos da Silva Costa ILUMINISMO/ LIBERALISMO Regimes Absolutistas Revolução Francesa Prof. Manoel dos Passos da Silva Costa A palavra Iluminismo vem de luz e se refere à capacidade que a razão tem de tudo iluminar. A razão,

Leia mais

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE DIREITO VESTIBULAR 2009 PROVA DE HISTÓRIA. Fase 1

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE DIREITO VESTIBULAR 2009 PROVA DE HISTÓRIA. Fase 1 FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE DIREITO VESTIBULAR 2009 PROVA DE HISTÓRIA Fase 1 Novembro 2008 INTRODUÇÃO Na prova de História de 2009 foi possível concretizar vários dos objetivos do programa do Vestibular.

Leia mais

THOMAS HOBBES LEVIATÃ MATÉRIA, FORMA E PODER DE UM ESTADO ECLESIÁSTICO E CIVIL

THOMAS HOBBES LEVIATÃ MATÉRIA, FORMA E PODER DE UM ESTADO ECLESIÁSTICO E CIVIL THOMAS HOBBES LEVIATÃ ou MATÉRIA, FORMA E PODER DE UM ESTADO ECLESIÁSTICO E CIVIL Thomas Hobbes é um contratualista teoria do contrato social; O homem natural / em estado de natureza para Hobbes não é

Leia mais

1º - Foi um movimento liderado pela BURGUESIA contra o regime absolutista. 2º - Abriu espaço para o avanço do CAPITALISMO.

1º - Foi um movimento liderado pela BURGUESIA contra o regime absolutista. 2º - Abriu espaço para o avanço do CAPITALISMO. APRESENTAÇÃO Aula 08 3B REVOLUÇÃO FRANCESA Prof. Alexandre Cardoso REVOLUÇÃO FRANCESA Marco inicial da Idade Contemporânea ( de 1789 até os dias atuais) 1º - Foi um movimento liderado pela BURGUESIA contra

Leia mais

Recursos para Estudo / Atividades

Recursos para Estudo / Atividades COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Paralela 1ª Etapa 2014 Disciplina: HISTÓRIA Professora: ALESSANDRA PRADA Ano: 2º Turma: FG Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de recuperação.

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA. Por: Rodrigo A. Gaspar

REVOLUÇÃO FRANCESA. Por: Rodrigo A. Gaspar REVOLUÇÃO FRANCESA Por: Rodrigo A. Gaspar REVOLUÇÃO FRANCESA Influência dos valores iluministas Superação do Absolutismo monárquico e da sociedade estratificada Serviu de inspiração para outras revoluções,

Leia mais

Palestra realizada no auditório da Secretaria de Economia e Planejamento do Governo do Estado de São Paulo no dia 05/06/2009.

Palestra realizada no auditório da Secretaria de Economia e Planejamento do Governo do Estado de São Paulo no dia 05/06/2009. Palestra realizada no auditório da Secretaria de Economia e Planejamento do Governo do Estado de São Paulo no dia 05/06/2009. Palestrante: Profa. Dra. Gisele Mascarelli Salgado. GISELLE MASCARELLI SALGADO:

Leia mais

O FIM DO FEUDALISMO E A CENTRALIZAÇAO POLÍTICA

O FIM DO FEUDALISMO E A CENTRALIZAÇAO POLÍTICA O FIM DO FEUDALISMO E A CENTRALIZAÇAO POLÍTICA O sistema feudal entra em crise com o advento das cidades e a expansão do comércio, somados a outros fatores. 1) Necessidade de moedas, crescimento das cidades

Leia mais

Revolução Inglesa (séc XVII) Introdução:

Revolução Inglesa (séc XVII) Introdução: Revolução Inglesa (séc XVII) Introdução: Na história antiga havia o último grande império, o Império Romano, que teve seu apogeu no século I, momento em que viveu sua extensão máxima, tal que ocupou o

Leia mais

INTEIRATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA. Conteúdo: A Revolução Francesa

INTEIRATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA. Conteúdo: A Revolução Francesa Conteúdo: A Revolução Francesa Habilidades: Reconhecer nas origens e consequências da Revolução Francesa de 1789, os elementos fundamentais da formação política e social contemporânea para a história contemporânea.

Leia mais

HISTÓRIA DOS PARTIDOS POLÍTICOS NA REVOLUÇÃO FRANCESA

HISTÓRIA DOS PARTIDOS POLÍTICOS NA REVOLUÇÃO FRANCESA HISTÓRIA DOS PARTIDOS POLÍTICOS NA REVOLUÇÃO FRANCESA Marcos Faber 1ª Edição www.historialivre.com Antecedentes: O Iluminismo O Iluminismo foi um movimento filosófico que defendeu o final dos regimes absolutistas

Leia mais

HISTÓRIA DO LEGISLATIVO

HISTÓRIA DO LEGISLATIVO HISTÓRIA DO LEGISLATIVO Maurício Barbosa Paranaguá Seção de Projetos Especiais Goiânia - 2015 Origem do Poder Legislativo Assinatura da Magna Carta inglesa em 1215 Considerada a primeira Constituição dos

Leia mais

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 PLANEJAMENTO ANUAL DE HISTÓRIA 8º ANO PROFESSOR: MÁRCIO AUGUSTO

Leia mais

MONARQUIA INGLESA - LISTA DE EXERCÍCIOS

MONARQUIA INGLESA - LISTA DE EXERCÍCIOS 1. (Ufpr 2014) Na figura abaixo vemos à esquerda uma ilustração de Guy Fawkes, inglês católico morto em 1605 após tentar explodir o Parlamento inglês na Conspiração da Pólvora, e um manifestante inglês

Leia mais

1B Aula 01. O Iluminismo

1B Aula 01. O Iluminismo 1B Aula 01 O Iluminismo O contexto histórico em que surgiu o Iluminismo O Iluminismo foi acima de tudo uma revolução cultural porque propôs uma nova forma de entender a sociedade e significou uma transformação

Leia mais

Aprimoramento 3. parte 2. Prof. Osvaldo

Aprimoramento 3. parte 2. Prof. Osvaldo Aprimoramento 3 parte 2 Prof. Osvaldo 03. (UFPR) Leia os seguintes excertos da Magna Carta inglesa de 1215. 12 Nenhum imposto ou pedido será estabelecido no nosso reino sem o consenso geral. [...] que

Leia mais

Sugestões de avaliação. História 8 o ano Unidade 4

Sugestões de avaliação. História 8 o ano Unidade 4 Sugestões de avaliação História 8 o ano Unidade 4 5 Nome: Data: Unidade 4 1. Analise a gravura e explique qual crítica ela revela. Gravura anônima do século XVIII. Biblioteca Nacional da França, Paris

Leia mais

TODOS COLÉGIOS SIMULADO 2ª SÉRIE

TODOS COLÉGIOS SIMULADO 2ª SÉRIE TODOS COLÉGIOS SIMULADO 2ª SÉRIE 1.Analise as afirmativas abaixo referentes ao Iluminismo: 01 - Muitas das idéias propostas pelos filósofos iluministas são, hoje, elementos essenciais da identidade da

Leia mais

EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ECONÔMICO II

EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ECONÔMICO II EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ECONÔMICO II David Ricardo Profa. Enimar No século XVIIII tem início a fase científica da Economia. As Escolas Fisiocrata e Clássica foram as primeiras Escolas do Pensamento Econômico

Leia mais

Europa no Século XIX FRANÇA RESTAURAÇÃO DA DINASTIA BOURBON LUÍS XVIII CARLOS X LUÍS FELIPE ( 1824 1830 )

Europa no Século XIX FRANÇA RESTAURAÇÃO DA DINASTIA BOURBON LUÍS XVIII CARLOS X LUÍS FELIPE ( 1824 1830 ) Europa no Século XIX FRANÇA RESTAURAÇÃO DA DINASTIA BOURBON -Após a derrota de Napoleão Bonaparte, restaurou-se a Dinastia Bourbon subiu ao trono o rei Luís XVIII DINASTIA BOURBON LUÍS XVIII CARLOS X LUÍS

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA 1789-1799

REVOLUÇÃO FRANCESA 1789-1799 REVOLUÇÃO FRANCESA 1789-1799 À procura de solução para a crise: 1787 Luís XVI convocação dos conselheiros para criação de novos impostos Acabar com a isenção fiscal do Primeiro e Segundo Estados CONSEQUÊNCIA

Leia mais

HISTÓRIA EXERCÍCIOS REVOLUÇÕES INGLESAS (CAP. I)

HISTÓRIA EXERCÍCIOS REVOLUÇÕES INGLESAS (CAP. I) HISTÓRIA EXERCÍCIOS REVOLUÇÕES INGLESAS (CAP. I) 1. A Reforma, a despeito de sua hostilidade à magia, estimulara o espírito de profecia. A abolição dos intermediários entre o homem e a divindade, bem como

Leia mais

A CRISE DO ANTIGO REGIME

A CRISE DO ANTIGO REGIME A CRISE DO ANTIGO REGIME Definição: movimento político, militar e religioso que destruiu o absolutismo na Inglaterra instalando naquele país a primeira monarquia parlamentar da história; Quando: século

Leia mais

A Organização da Aula

A Organização da Aula Curso: Ciências Sociais Prof. Me: Edson Fasano Sociedade Capitalista: REVOLUÇÃO FRANCESA A Organização da Aula 1º Bloco: Iluminismo e Independência dos EUA. 2º Bloco: - Antecedentes da Revolução Francesa.

Leia mais

10 MULHERES PODEROSAS DA HISTÓRIA. No mês em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, uma seleção com aquelas que governaram com mãos de ferro.

10 MULHERES PODEROSAS DA HISTÓRIA. No mês em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, uma seleção com aquelas que governaram com mãos de ferro. 10 MULHERES PODEROSAS DA HISTÓRIA No mês em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, uma seleção com aquelas que governaram com mãos de ferro. 10. Maria Stuart País que governou Escócia Período 1542-1567

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO PARÁ MEC SEMTEC. Iluminismo

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO PARÁ MEC SEMTEC. Iluminismo CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO PARÁ MEC SEMTEC Iluminismo Belém - Pará Janeiro/2001 ILUMINISMO A Revolução Intelectual FÁBIO REGATEIRO DA SILVA MICHEL DA SILVA CASTRO RODRIGO RAFAEL SANTANA

Leia mais

NAPOLEÃO BONAPARTE. Pode-se dividir seu governo em três partes: Consulado (1799-1804) Império (1804-1815) Governo dos Cem Dias (1815)

NAPOLEÃO BONAPARTE. Pode-se dividir seu governo em três partes: Consulado (1799-1804) Império (1804-1815) Governo dos Cem Dias (1815) NAPOLEÃO BONAPARTE 1 Profª Adriana Moraes Destaca-se política e militarmente no Período Jacobino. DIRETÓRIO Conquistas militares e diplomáticas na Europa defesa do novo governo contra golpes. Golpe 18

Leia mais

História- 2 ano/ Ensino Médio Revolução Francesa

História- 2 ano/ Ensino Médio Revolução Francesa História- 2 ano/ Ensino Médio Revolução Francesa 1 A Revolução Francesa representou uma ruptura da ordem política (o Antigo Regime) e sua proposta social desencadeou a) a concentração do poder nas mãos

Leia mais

OFICINA DA PESQUISA ÉTICA, POLÍTICA E SOCIEDADE

OFICINA DA PESQUISA ÉTICA, POLÍTICA E SOCIEDADE OFICINA DA PESQUISA ÉTICA, POLÍTICA E SOCIEDADE Prof. Msc. Carlos José Giudice dos Santos carlos@oficinadapesquisa.com.br www.oficinadapesquisa.com.br A FORMAÇÃO DA MORAL OCIDENTAL A FILOSOFIA MODERNA

Leia mais

Sociologia Organizacional. Aula 1. Contextualização. Organização da Disciplina. Aula 1. Contexto histórico do aparecimento da sociologia

Sociologia Organizacional. Aula 1. Contextualização. Organização da Disciplina. Aula 1. Contexto histórico do aparecimento da sociologia Sociologia Organizacional Aula 1 Organização da Disciplina Aula 1 Contexto histórico do aparecimento da sociologia Aula 2 Profa. Me. Anna Klamas A institucionalização da sociologia: August Comte e Emile

Leia mais

Aula anterior... Revisão Geral de Conteúdo

Aula anterior... Revisão Geral de Conteúdo Aula anterior... Revisão Geral de Conteúdo Reveja esta aula em: http://www.joseferreira.com.br/blogs/sociologia/ Professor: Danilo Borges - Sociologia Aula de hoje... Aprofundamento do problema do trabalho

Leia mais

ABSOLUTISMO E MERCANTILISMO

ABSOLUTISMO E MERCANTILISMO ABSOLUTISMO E MERCANTILISMO CONTEXTO No final da Idade Média (séculos XIV e XV), ocorreu uma forte centralização política nas mãos dos reis. A burguesia comercial ajudou muito neste processo, pois interessa

Leia mais

DEFINIÇÃO. Antecedentes/causas: (dinastia STUART) e o. Atritos entre os reis parlamento.

DEFINIÇÃO. Antecedentes/causas: (dinastia STUART) e o. Atritos entre os reis parlamento. REVOLUÇÃO INGLESA DEFINIÇÃO Movimento político, militar e religioso que destruiu o absolutismo na Inglaterra instalando naquele país a primeira monarquia parlamentar da história. Quando: século XVII. Antecedentes/causas:

Leia mais

Mercantilismo. Os Impérios Coloniais na Idade Moderna. Absolutismo

Mercantilismo. Os Impérios Coloniais na Idade Moderna. Absolutismo Mercantilismo Os Impérios Coloniais na Idade Moderna Absolutismo Definição Mercantilismoéo nome dado a um conjunto de práticas econômicas desenvolvido na Europa na Idade Moderna, entre o século XV e o

Leia mais

História dos Direitos Humanos

História dos Direitos Humanos História dos Direitos Humanos Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Os direitos humanos são o resultado de uma longa história, foram debatidos ao longo dos séculos por filósofos e juristas. O início

Leia mais

ILUMINISMO LUZ DA RAZÃO CONTRA AS TREVAS DA IGNORÂNCIA

ILUMINISMO LUZ DA RAZÃO CONTRA AS TREVAS DA IGNORÂNCIA ILUMINISMO LUZ DA RAZÃO CONTRA AS TREVAS DA IGNORÂNCIA Conceito: O Iluminismo foi um movimento ideológico do século XVIII, que defendeu a liberdade de expressão e o fim de todo regime opressor. O Iluminismo

Leia mais

COLÉGIO SANTO ANDRÉ. EXERCÍCIOS DE HISTÓRIA 8º Ano - 1º TRIMESTRE. PROFª Ms ROSANE T. PETRORÓSSI DE FIGUEIREDO

COLÉGIO SANTO ANDRÉ. EXERCÍCIOS DE HISTÓRIA 8º Ano - 1º TRIMESTRE. PROFª Ms ROSANE T. PETRORÓSSI DE FIGUEIREDO COLÉGIO SANTO ANDRÉ EXERCÍCIOS DE HISTÓRIA 8º Ano - 1º TRIMESTRE PROFª Ms ROSANE T. PETRORÓSSI DE FIGUEIREDO REFLITA A PARTIR DE ESTUDOS EM SALA DE AULA E TAREFAS DIRIGIDAS E RESPONDA ÀS SEGUINTES QUESTÕES

Leia mais

O LIBERALISMO POLÍTICO DE JOHN LOCKE 1

O LIBERALISMO POLÍTICO DE JOHN LOCKE 1 O LIBERALISMO POLÍTICO DE JOHN LOCKE 1 Francy José Ferreira Vilela 2 Introdução John Locke foi um importante filósofo britânico, nascido no século XVII, que trouxe grandes contribuições para o pensamento

Leia mais

EXERCÍCIOS DE REVISÃO - HISTÓRIA CONSOLIDAÇÃO DO CAPITALISMO E DA ORDEM BURGUESA NA EUROPA

EXERCÍCIOS DE REVISÃO - HISTÓRIA CONSOLIDAÇÃO DO CAPITALISMO E DA ORDEM BURGUESA NA EUROPA EXERCÍCIOS DE REVISÃO - HISTÓRIA CONSOLIDAÇÃO DO CAPITALISMO E DA ORDEM BURGUESA NA EUROPA 01) "Movimento intelectual portador de uma visão unitária do mundo e do homem, o Iluminismo, apesar das diversidades

Leia mais

Prof. Alan Carlos Ghedini

Prof. Alan Carlos Ghedini Prof. Alan Carlos Ghedini ABSOLUTISMO A Coroa concentra todo o poder Pensadores do Sistema Absolutista: Thomas Hobbes: Estado Todo-Poderoso Nicolau Maquiavel: o Príncipe está acima do bem e do mal Jacques

Leia mais

HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 55 O CONGRESSO DE VIENA E A SANTA ALIANÇA

HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 55 O CONGRESSO DE VIENA E A SANTA ALIANÇA HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 55 O CONGRESSO DE VIENA E A SANTA ALIANÇA Fixação 1) Em perfeita sintonia com o espírito restaurador do Congresso de Viena, a criação da Santa Aliança tinha por objetivo: a)

Leia mais

CURSO BÁSICO OAM MÓDULO I/AULA III A Codificação Espírita: Antecedentes, Influências, Grandes Nomes & Allan Kardec, sua Metodologia e Obras Básicas

CURSO BÁSICO OAM MÓDULO I/AULA III A Codificação Espírita: Antecedentes, Influências, Grandes Nomes & Allan Kardec, sua Metodologia e Obras Básicas CURSO BÁSICO OAM MÓDULO I/AULA III A Codificação Espírita: Antecedentes, Influências, Grandes Nomes & Allan Kardec, sua Metodologia e Obras Básicas Mayara Faria Aliano 10/03/2015 INFLUÊNCIAS E GRANDES

Leia mais

Nome: nº. Recuperação Final de História Profª Patrícia

Nome: nº. Recuperação Final de História Profª Patrícia 1 Conteúdos selecionados: Nome: nº Recuperação Final de História Profª Patrícia Lista de atividades 8º ano Apostila 1: O Absolutismo; Revoluções Inglesas e colonização da América do Norte Apostila 2: Revolução

Leia mais

Revoluções Inglesas e Revolução Industrial

Revoluções Inglesas e Revolução Industrial 1. (Fgvrj 2013) A Reforma, a despeito de sua hostilidade à magia, estimulara o espírito de profecia. A abolição dos intermediários entre o homem e a divindade, bem como a ênfase na consciência individual,

Leia mais

Estudo Dirigido - RECUPERAÇÃO FINAL

Estudo Dirigido - RECUPERAÇÃO FINAL Educador: Luciola Santos C. Curricular: História Data: / /2013 Estudante: 7 Ano Estudo Dirigido - RECUPERAÇÃO FINAL 7º Ano Cap 1e 2 Feudalismo e Francos Cap 6 Mudanças no feudalismo Cap 7 Fortalecimento

Leia mais

INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA

INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA http://www.youtube.com/watch?v=lmkdijrznjo Considerações sobre a independência -Revolução racional científica do

Leia mais

EUROPA NO SÉCULO XIX. http://historiaonline.com.br

EUROPA NO SÉCULO XIX. http://historiaonline.com.br EUROPA NO SÉCULO XIX A INGLATERRA NO SÉCULO XIX: Era Vitoriana (1837-1901): Hegemonia marítima inglesa. Fortalecimento do poder político da burguesia. Expansão da economia industrial 2ª Revolução Industrial.

Leia mais

Revoluções Liberais do Século XIX

Revoluções Liberais do Século XIX Revoluções Liberais do Século XIX Revoluções Liberais do Século XIX Após a queda de Napoleão, os países absolutistas buscaram retomar o Antigo Regime com o Congresso de Viena. As diretrizes básicas do

Leia mais

A Era das Revoluções. Autor: Eric Hobsbawm. Editora: Paz e Terra.

A Era das Revoluções. Autor: Eric Hobsbawm. Editora: Paz e Terra. Objetivos: - EXPLICAR as características do Antigo Regime. - IDENTIFICAR o conjunto de causas sociais, econômicas e políticas da Revolução Francesa. - IDENTIFICAR as etapas do processo revolucionário francês

Leia mais

O ANTIGO REGIME FRANCÊS ANCIEN REGIM

O ANTIGO REGIME FRANCÊS ANCIEN REGIM O ANTIGO REGIME FRANCÊS ANCIEN REGIM Organização social que vigorou na França, principalmente na época em que os reis eram absolutistas, ou seja, de meados do século XVII até a Revolução Francesa. Tal

Leia mais

Exercícios de Iluminismo e Independência dos EUA

Exercícios de Iluminismo e Independência dos EUA Exercícios de Iluminismo e Independência dos EUA 1. (Enem) É verdade que nas democracias o povo parece fazer o que quer, mas a liberdade política não consiste nisso. Deve-se ter sempre presente em mente

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA MCC

REVOLUÇÃO FRANCESA MCC REVOLUÇÃO FRANCESA MCC REVOLUÇÃO FRANCESA. MOVIMENTO BURGUÊS França antes da revolução TEVE APOIO DO POVO Monarquia absolutista Economia capitalista.(costumes feudais) sociedade estamental. 1º Estado-

Leia mais

ONDAS REVOLUCIONÁRIAS LIBERAIS EUROPA NO SÉCULO XIX

ONDAS REVOLUCIONÁRIAS LIBERAIS EUROPA NO SÉCULO XIX ONDAS REVOLUCIONÁRIAS LIBERAIS EUROPA NO SÉCULO XIX 1820 Independência da Grécia submetida ao Império turco-otomano, o movimento conquista a autonomia política da região com apoio popular e internacional.

Leia mais

Curso Wellington História Iluminismo Prof Hilton Franco

Curso Wellington História Iluminismo Prof Hilton Franco 1. O Iluminismo foi um movimento intelectual, portador de uma visão unitária do mundo e do homem, apesar da diversidade de leituras que lhe são contemporâneas, conservou uma grande certeza quanto à racionalidade

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA Aulas 19 e 20 Pág. 15 P R O F ª C L E I D I V A I N E D A S. R E Z E N D E D I S C. H I S T Ó R I A / 8 º A N O

REVOLUÇÃO FRANCESA Aulas 19 e 20 Pág. 15 P R O F ª C L E I D I V A I N E D A S. R E Z E N D E D I S C. H I S T Ó R I A / 8 º A N O REVOLUÇÃO FRANCESA Aulas 19 e 20 Pág. 15 P R O F ª C L E I D I V A I N E D A S. R E Z E N D E D I S C. H I S T Ó R I A / 8 º A N O 1 - INTRODÇÃO 1789 a Bastilha (prisão) foi invadida pela população marca

Leia mais

A CRISE DO SISTEMA FEUDAL

A CRISE DO SISTEMA FEUDAL A CRISE DO SISTEMA FEUDAL O DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA FEUDAL NA EUROPA OCIDENTAL O apogeu do feudalismo ocorre entre os séculos IX e XIII; 4. CAUSAS PARA O DESENVOLVIMENTO DO FEUDALISMO Fim das invasões

Leia mais

Movimentos de Pré- Independência e Vinda da Família Real. História C Aula 08 Prof. Thiago

Movimentos de Pré- Independência e Vinda da Família Real. História C Aula 08 Prof. Thiago Movimentos de Pré- Independência e Vinda da Família Real História C Aula 08 Prof. Thiago Movimentos de Pré- Independência Século XVIII e XIX Crise do mercantilismo e do Estado Absolutista Hegemonia de

Leia mais

REVOLUÇÕES INGLESAS FIM DO ABSOLUTISMO INGLÊS SÉC. XVII. http://historiaonline.com.br

REVOLUÇÕES INGLESAS FIM DO ABSOLUTISMO INGLÊS SÉC. XVII. http://historiaonline.com.br REVOLUÇÕES INGLESAS FIM DO ABSOLUTISMO INGLÊS SÉC. XVII Elizabeth I (1558-1603). Consolidação da Reforma Anglicana. 1563: Lei dos 39 Artigos Adoção do Calvinismo como conteúdo doutrinário do Anglicanismo.

Leia mais

OS CONTRATUALISTAS E A QUESTÃO DO ESTADO

OS CONTRATUALISTAS E A QUESTÃO DO ESTADO OS CONTRATUALISTAS E A QUESTÃO DO ESTADO Thomas Hobbes (1588-1679) As teorias acerca dos fundamentos do Estado moderno começam a receber formulações mais completas a partir do século XVII com o pensador

Leia mais

DUAS CONCEPÇÕES DA FILOSOFIA POLÍTICA MODERNA: HOBBES E LOCKE

DUAS CONCEPÇÕES DA FILOSOFIA POLÍTICA MODERNA: HOBBES E LOCKE DUAS CONCEPÇÕES DA FILOSOFIA POLÍTICA MODERNA: HOBBES E LOCKE BERNARDO GOYTACAZES DE ARAUJO. SÉRGIO LUNA. Membros do Centro de Pesquisas Estratégicas da UFJF. Acadêmicos do Curso de Filosofia da UFJF.

Leia mais

1B Aula 01. O Iluminismo

1B Aula 01. O Iluminismo 1B Aula 01 O Iluminismo O contexto histórico em que surgiu o Iluminismo O Iluminismo foi acima de tudo uma revolução cultural porque propôs uma nova forma de entender a sociedade e significou uma transformação

Leia mais

SÉCULO XIX NOVOS ARES NOVAS IDEIAS Aula: 43 e 44 Pág. 8 PROFª: CLEIDIVAINE 8º ANO

SÉCULO XIX NOVOS ARES NOVAS IDEIAS Aula: 43 e 44 Pág. 8 PROFª: CLEIDIVAINE 8º ANO SÉCULO XIX NOVOS ARES NOVAS IDEIAS Aula: 43 e 44 Pág. 8 PROFª: CLEIDIVAINE 8º ANO 1 - INTRODUÇÃO Séc. XIX consolidação da burguesia: ascensão do proletariado urbano (classe operária) avanço do liberalismo.

Leia mais

(Perry Anderson, Linhagens do Estado absolutista. p. 18 e 39. Adaptado)

(Perry Anderson, Linhagens do Estado absolutista. p. 18 e 39. Adaptado) 1. (Fgv 2014) O paradoxo aparente do absolutismo na Europa ocidental era que ele representava fundamentalmente um aparelho de proteção da propriedade dos privilégios aristocráticos, embora, ao mesmo tempo,

Leia mais

Superioridade ibérica nos mares

Superioridade ibérica nos mares 2.ª metade do século XVI Superioridade ibérica nos mares PORTUGAL Entre 1580 e 1620 ESPANHA Império Português do oriente entra em crise devido a Escassez de gentes e capitais Grande extensão dos domínios

Leia mais

843 Tratado de Verdum divisão do Império entre os netos de Carlos Magno.

843 Tratado de Verdum divisão do Império entre os netos de Carlos Magno. História 8A - Aula 22 As Monarquias Feudais 843 Tratado de Verdum divisão do Império entre os netos de Carlos Magno. -Séculos IX e X sociedade francesa se feudalizou. -Poder real enfraqueceu. -Condes,

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Ensino Médio

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Ensino Médio Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL Ensino Médio ETEC Professora Nair Luccas Ribeiro Código: 156 Município: TEODORO SAMPAIO Área de conhecimento: Ciências Humanas Componente Curricular: Historia

Leia mais

RESOLUÇÕES DE QUESTÕES 9º ANO ENSINO FUNDAMENTAL II PROFº DANILO BORGES

RESOLUÇÕES DE QUESTÕES 9º ANO ENSINO FUNDAMENTAL II PROFº DANILO BORGES RESOLUÇÕES DE QUESTÕES 9º ANO ENSINO FUNDAMENTAL II PROFº DANILO BORGES (UFU ) Segundo Jean Paul Sartre, filósofo existencialista contemporâneo, liberdade é I- escolha incondicional que o próprio homem

Leia mais

CAPÍTULO 7 As revoluções inglesas, 105 CAPÍTULO 8 O iluminismo e a construção de novos paradigmas, 115 CAPÍTULO 9 A Revolução Industrial, 134

CAPÍTULO 7 As revoluções inglesas, 105 CAPÍTULO 8 O iluminismo e a construção de novos paradigmas, 115 CAPÍTULO 9 A Revolução Industrial, 134 CAPÍTULO 7 As revoluções inglesas, 105 CAPÍTULO 8 O iluminismo e a construção de novos paradigmas, 115 CAPÍTULO 9 A Revolução Industrial, 134 CAPÍTULO 10 A Independência dos EUA, 149 CAPÍTULO 11 A Revolução

Leia mais

1º ano. 1º Bimestre. Revolução Agrícola Capítulo 1: Item 5 Egito - política, economia, sociedade e cultura - antigo império

1º ano. 1º Bimestre. Revolução Agrícola Capítulo 1: Item 5 Egito - política, economia, sociedade e cultura - antigo império Introdução aos estudos de História - fontes históricas - periodização Pré-história - geral - Brasil As Civilizações da Antiguidade 1º ano Introdução Capítulo 1: Todos os itens Capítulo 2: Todos os itens

Leia mais

TEMA F.1 O IMPÉRIO PORTUGUÊS E A CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL

TEMA F.1 O IMPÉRIO PORTUGUÊS E A CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL TEMA F.1 O IMPÉRIO PORTUGUÊS E A CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL A partir de meados do séc. XVI, o Império Português do Oriente entrou em crise. Que fatores contribuíram para essa crise? Recuperação das rotas

Leia mais

COLÉGIO VICENTINO SANTA CECÍLIA

COLÉGIO VICENTINO SANTA CECÍLIA COLÉGIO VICENTINO SANTA CECÍLIA Série: 2º ano do Ensino Médio - PROF. Emerson Guimarães - Exercícios de revisão Iluminismo e Revolução Inglesa 1. As grandes revoluções burguesas do século XVIII refletem,

Leia mais

História. baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo

História. baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo História baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo 1 PROPOSTA CURRICULAR DA DISCIPLINA DE HISTÓRIA Middle e High School 2 6 th Grade A vida na Grécia antiga: sociedade, vida cotidiana, mitos,

Leia mais

PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS TEORIA DO ESTADO

PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS TEORIA DO ESTADO P á g i n a 1 PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS TEORIA DO ESTADO 1. Na teoria contratualista, o surgimento do Estado e a noção de contrato social supõem que os indivíduos abrem mão de direitos (naturais)

Leia mais

Divisão clássica da História da humanidade

Divisão clássica da História da humanidade 6. Idade Moderna Séc. XVII: A Química como Ciência Independente 1 Divisão clássica da História da humanidade História Moderna: entre o final do século XV - início das grandes navegações - conquista de

Leia mais

O termo cidadania tem origem etimológica no latim civitas, que significa "cidade". Estabelece um estatuto de pertencimento de um indivíduo a uma

O termo cidadania tem origem etimológica no latim civitas, que significa cidade. Estabelece um estatuto de pertencimento de um indivíduo a uma Bruno Oliveira O termo cidadania tem origem etimológica no latim civitas, que significa "cidade". Estabelece um estatuto de pertencimento de um indivíduo a uma comunidade politicamente articulada um país

Leia mais

MINERAÇÃO E REVOLTAS NO BRASIL COLONIAL

MINERAÇÃO E REVOLTAS NO BRASIL COLONIAL MINERAÇÃO E REVOLTAS NO BRASIL COLONIAL Portugal: crises e dependências -Portugal: acordos comerciais com a Inglaterra; -Exportação de produtos brasileiros; -Tratado de Methuen: redução fiscal para os

Leia mais