A CORRETA SEPARAÇÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS: JUNHO/2014

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A CORRETA SEPARAÇÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS: JUNHO/2014"

Transcrição

1 A CORRETA SEPARAÇÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS: JUNHO/2014

2 Regeneração: Uma nova fase que inicia As soluções ambientais não estão mais relacionadas ao romantismo preservacionista, mas às medidas de sustentabilidade, evitando inclusive prejuízos à imagem institucional, além de multas e prejuízos. SUSTENTABILIDADE: É a produção e consumo de bens e serviços de forma a atender as necessidades das gerações atuais SEM COMPROMETER a qualidade ambiental e o atendimento das gerações futuras.

3 As leis brasileiras que orientam sobre o correto descarte dos resíduos sólidos: Lei nº 6938 de 31 de agosto de Política Nacional do Meio Ambiente; Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; Lei nº 9795 de 27 de abril de 1999; Lei nº de 02 de agosto e 2010 = Política Nacional dos Resíduos Sólidos;

4 Alguns objetivos das leis: - provocar mudança de hábitos; - garantir a correta separação e descarte dos resíduos - não geração, mas redução; - desenvolvimento de tecnologias LIMPAS visando evitar ao máximo o impacto ambiental. - reutilização; - reciclagem; - tratamento dos resíduos sólidos.

5 Aprovada por unanimidade pela Câmara Municipal de Porto Alegre, em 19 de dezembro de 2013 e sancionada em 8 de janeiro de 2014, a Lei Complementar 728/2014 institui o novo Código Municipal de Limpeza Urbana, atualizando as regras que vigoravam desde 1990 e atendendo às exigências da Política Nacional de Resíduos Sólidos. O objetivo é provocar uma mudança de hábitos e, entre os destaques da nova regra, está: - a ampliação das ações de educação e sensibilização socioambiental - endurecimento da punição para o descarte irregular de resíduos.

6 Lixo = Resíduos Sólidos - aplicação de notificações e autos de infração pelos fiscais com qualquer prova material, bem como de informações oriundas de equipamentos eletrônicos e câmaras. - parte da receita arrecadada com multas será destinada a ações de educação socioambiental. - multas não recolhidas serão transformadas em dívida ativa.

7 Como denunciar Pelo Fala Porto Alegre 156 ou por meio do preenchimento de formulário eletrônico: pode-se anexar fotos e vídeos de ações irregulares e que auxiliem na identificação de infratores.

8 Infrações: Atualmente (jun2014) já foram aplicadas mais de 2000 multas! Leve: R$ 263,82 a) Por depositar, lançar ou atirar nos passeios ou logradouros públicos papéis, invólucros, embalagens ou assemelhados; b) por não realize triagem ou catação no resíduo disposto em logradouros públicos; c) se o volume dos sacos plásticos para acondicionamento dos resíduos orgânicos a serem recolhidos ultrapassar a 100 litros; d) os veículos destinados à venda de alimentos de consumo imediato deverão ter recipientes de resíduos orgânicos e recicláveis.

9 Infrações: Média: R$ 527,65 - por não acondicionar corretamente os resíduos em sacolas plásticas antes da coleta; - por não separar os resíduos domiciliares em resíduo orgânico e resíduo reciclável; - estabelecimentos comerciais que não colocarem à disposição dos clientes recipientes próprios para os resíduos orgânicos e para os recicláveis.

10 Infrações: Grave: R$ 2.110,60 - apresentar para coleta os resíduos sólidos orgânicos e recicláveis nos dias e turnos NÃO estabelecidos pelo DMLU; - apresentar o resíduo à coleta após a passagem do veículo coletor; - depósito de resíduos sólidos recicláveis no interior dos contêineres destinados exclusivamente à coleta automatizada de orgânicos; - depositar, lançar ou atirar, em quaisquer áreas públicas ou terrenos, resíduos sólidos de qualquer natureza (até 100 litros); - varrer para os logradouros públicos resíduos do interior de prédios, terrenos ou calçadas.

11 Infrações: Gravíssima: R$ 4.221,21 - descartar resíduos sólidos em locais não-licenciados; - não embalar adequadamente materiais cortantes ou pontiagudos; - disposição de resíduos especiais para os serviços de coleta domiciliar regular, coleta seletiva e em locais não licenciados para este fim; - descartar em logradouros públicos resíduos decorrentes de desmatamentos ou obras; - depositar, lançar ou atirar em riachos, canais, arroios, córregos, lagos, lagoas e rios ou às suas margens resíduos de qualquer natureza que causem prejuízo à limpeza ou ao meio-ambiente; - danificar equipamentos de coleta automatizada.

12 O descarte de Produtos Especiais em Porto Alegre

13 O descarte de Produtos Especiais Descarte do óleo de cozinha Posto de Entrega de Óleo de Fritura (PEOF) - Hoje: 92 postos de entrega de óleo de fritura usado - colocar o óleo em recipientes como garrafas de plástico ou vidro para entregá-lo em um desses pontos. - é encaminhado depois à reciclagem: ração animal e biodiesel. 1 litro de óleo polui 1 milhão de litros de água!

14 O descarte de Produtos Especiais ELETRÔNICOS A Prefeitura de Porto Alegre tem sete postos de descarte à disposição da população.

15 O descarte de Produtos Especiais LOGíSTICA REVERSA PRODUTOS ESPECIAIS E PERIGOSOS: Estes resíduos devem voltar AO SETOR EMPRESARIAL para - aproveitamento do seu ciclo; - outros ciclos produtivos; - destinação final adequada.

16 O descarte de Produtos Especiais Pilhas e Baterias - LOGÍSTICA REVERSA De acordo com a Lei municipal nº 9.851/2005, os comerciantes e redes de assistência técnica que distribuem ou comercializam pilhas e baterias são obrigados a recebê-las de volta. No Brasil, empresa Suzaquim (Suzano, SP) já executa a reciclagem de pilhas e baterias: o processo de reciclagem, produz sais e óxidos metálicos, que podem ser utilizados pela indústria.

17 O descarte de Produtos Especiais Lâmpadas Fluorescentes - LOGÍSTICA REVERSA Devolver às lojas que as comercializam. Não quebre a lâmpada! Quando ela é quebrada, libera um gás tóxico. A quantidade de mercúrio em uma única lâmpada fluorescente comum é capaz de tornar não potável cerca de 20 mil litros de água.

18 O descarte de Produtos Especiais Medicamentos Vencidos e clisters vazios, plásticos e vidros que tiveram contato com o medicamento LOGÍSTICA REVERSA Devolver às lojas que as comercializam. PANVEL / Pharma & Cia / Farmácias São João

19 O descarte de Produtos Especiais Inseticida (lata e aerosol) - LOGÍSTICA REVERSA Cartuchos e Toners - LOGÍSTICA REVERSA

20 ECOPONTOS em Porto Alegre: São 4 Ecopontos (ou Unidades de Destino Certo) em operação na cidade e outros dois em construção. Recebem até meio metro cúbico de resíduos NÃO ORGÂNICOS que não são recolhidos habitualmente pelas coletas regulares, domiciliar e seletiva: Não são coletados regularmente pelo DMLU madeiras móveis terra entulhos caliça cerâmica (pratos, vasos) sucatas de ferro latas com resto de tintas e solventes eletrodomésticos resíduos arbóreos pneus velhos óleo de fritura coleta seletiva

21 Postos de Entrega Voluntária de Lixo Seletivo (PEV) São 44 Postos de Entrega Voluntária de Lixo Seletivo (PEV) espalhados pela cidade. Os PEVs podem ser utilizados em qualquer dia da semana para entrega de lixo seletivo, caso o cidadão não queira esperar pela coleta regular.

22 SEPARE OS RESÍDUOS SÓLIDOS ADEQUADAMENTE:

23 A baixa renda força papeleiros e catadores a procurarem dinheiro nos lixões. Porto Alegre possui Aterro Sanitário (em Minas do Leão). Mas a falta de educação e de vontade da população transferiu os lixões para a frente das suas próprias residências: ANTES AGORA

24 A importância da coleta seletiva e da separação dos resíduos sólidos: Os resíduos sólidos reutilizáveis e recicláveis são reconhecidos também como importante BEM ECONÔMICO e de VALOR SOCIAL gerador de trabalho e renda. Sobre a reciclagem: Nunca é possível dizer que um material não é reciclável, pois a tecnologia pode se desenvolver e encontrar alternativas para o reaproveitamento do produto, como ocorreu nos últimos anos com fraldas e isopor.

25 Resíduos Recicláveis Encaminhar à Coleta Seletiva 1) Metais latas de refrigerante, de óleo, de sardinha, ferragens, canos, arames, pregos, CD, DVD, desodorante aerosol, tubo de pasta de dentes, latas de tinta e solvente VAZIOS. 2) Plásticos: tampas, potes, garrafas, recipientes de limpeza e cosméticos, brinquedos, acrílicos, baldes, tubo de pasta de dentes, LPs. 3) Vidros: garrafas, potes, utensílios domésticos quebrados, espelhos, vidros refratários. 4) Papéis: Jornais, de fax, revistas, fotografias, cadernos, impressos, papel metalizado, restos de TNT e EVA, embalagens longa vida: caixas de leite, de suco, de creme de leite, de leite condensado, de extrato de tomate... NÃO PRECISA LAVAR ANTES DE DESTINÁ- LAS. 5) Isopor 6) Diversos: óculos, cabos de panela, louça e cerâmica quebrada (embrulhar), espuma, restos de EVA, chinelos e sapatos estragados.

26 Resíduos Orgânicos Domiciliares Encaminhar aos Contêineres OU à Coleta Domiciliar Sobras de alimentos Cascas de frutas Erva-mate Borra de café e chá Corte de grama Terra de vaso Cinzas Restos de Vegetação Resíduos orgânicos são recicláveis ou reaproveitáveis?

27 SIM! Os resíduos orgânicos são utilizados para a COMPOSTAGEM OBS: temperos e o sal, bem como a gordura prejudicam o processo. A compostagem usa restos do pré-preparo dos alimentos! A compostagem é um processo biológico em que os microrganismos transformam a matéria orgânica, (como o estrume, os restos de comida, os papéis) num material semelhante ao solo, ao qual se chama composto e que pode ser utilizado como adubo.

28 Resíduos Comuns/Rejeito Encaminhar aos Contêineres OU à Coleta Domiciliar São sobras de qualquer processo produtivo que não pode ser reaproveitado. SUGESTÃO: colocar os rejeitos na LIXEIRA DO BANHEIRO / LAVABO. Seguem para o Aterro Sanitário! Papel carbono Papel toalha Papéis engordurados Papel higiênico Toco de cigarro Guardanapos de boca Pequenos papéis de bala, biscoitos Papel jornal com urina (ANIMAIS) Lâmina do pote de iogurte Pó de varrição Fraldas descartáveis Cotonetes Esponjas comuns e de aço Lâmina de barbear (embrulhar) Lâmpadas comuns Restos de tecido (estragado) Clips e grampos Restos de TNT

29 Reduzir: Usar o mesmo material. Exemplo: talvez você não precise REALMENTE de sapatos novos. Compre produtos que usam menos embalagem (ex. Caixas de gelatina) e que duram mais; economize energia. Reutilizar: Use o mesmo produto muitas vezes, de diferentes formas. Exemplos: sacolas de compras, comprar roupas já usadas, consertar alguma coisa em vez de jogá-la fora, utilizar o verso do papel, garrafas PET têm multifunções (ex: arranjos de natal), etc Reciclar: Faça alguma coisa nova com o material velho; Exemplo: adubo, latas de alumínio e papel reciclado. Separe corretamente os resíduos sólidos dos resíduos orgânicos e rejeitos. REGENERE!

30 Reaproveitamento de GARRAFAS PET

31 Tempo de decomposição de alguns resíduos sólidos: Jornal: 6 meses; Chicletes: 5 anos; Cigarros: 2 a 5 anos Fralda descartável : 450 anos a 600 anos; Latas e copos de plástico: 50 anos; Plástico: 100 anos; Garrafa plástica: 400 anos; Pneus: 600 anos; Vidro: anos; Casca de frutas: 1 a 3 meses; Madeira pintada: 13 anos; Palito de madeira: 6 meses; Pano: 6 meses a 1 ano; Fósforos: 2 anos; Pilhas: 100 a 500 anos.

32 A água é mais importante do que o lixo seco, por isso ninguém deve lavar embalagens. Fontes: 1) Prefeitura de Porto Alegre DMLU Orientação: Dra Gisane Gomes (Socióloga do DMLU) 2) CENED Cursos Ambientais Curso de Gestão de Resíduos Sólidos

BR 448 RODOVIA DO PARQUE GESTÃO E SUPERVISÃO AMBIENTAL MÓDULO II EDUCADORES

BR 448 RODOVIA DO PARQUE GESTÃO E SUPERVISÃO AMBIENTAL MÓDULO II EDUCADORES BR 448 RODOVIA DO PARQUE GESTÃO E SUPERVISÃO AMBIENTAL MÓDULO II EDUCADORES 3 Definições de lixo: No dicionário: sujeira, imundice, coisa(s) inúteis, velhas, sem valor. Na linguagem técnica: sinônimo

Leia mais

COLETA SELETIVA PRATIQUE ESTA IDEIA

COLETA SELETIVA PRATIQUE ESTA IDEIA COLETA SELETIVA PRATIQUE ESTA IDEIA O QUE É? Coleta seletiva é o processo de separação dos materiais recicláveis do restante dos resíduos sólidos. Como definição de resíduos sólidos, pelo Wikipédia, entende-se

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/2015

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/2015 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/2015 Regulamentação do descarte de resíduos comuns, recicláveis, pilhas e baterias e lâmpadas no Centro de Ciências da Saúde da UFRJ - CCS-UFRJ. 1 Objetivo e aplicação Com o

Leia mais

É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto.

É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto. É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto. REDUZIR REUTILIZAR RECUPERAR RECICLAR A redução deve ser adaptada por

Leia mais

Programa de Gestão. Ambiental. Cartilha. Ambiental

Programa de Gestão. Ambiental. Cartilha. Ambiental Programa de Gestão Ambiental Cartilha Ambiental Índice Responsabilidade Ambiental 1. Responsabilidade Ambiental 2. Organograma 4. Política Ambiental 6. Coleta Seletiva Interna 12. Dicas Importantes A preocupação

Leia mais

CENÁRIO BRASILEIRO. Latas de alumínio e plásticos vão para a indústria de reciclagem.

CENÁRIO BRASILEIRO. Latas de alumínio e plásticos vão para a indústria de reciclagem. CENÁRIO BRASILEIRO O Brasil gera aproximadamente 250 mil toneladas de lixo por dia. Assim, imagine duas filas de caminhões de 5 toneladas de capacidade, ocupando uma distância equivalente a 10 pontes Rio-Niterói.

Leia mais

Reciclagem de Materiais COLETA SELETIVA

Reciclagem de Materiais COLETA SELETIVA Reciclagem de Materiais COLETA SELETIVA COLETA SELETIVA Conheça algumas medidas importantes para não poluir o meio ambiente na hora de jogar fora o seu lixo Já é inquestionável hoje a importância da reciclagem

Leia mais

Mensagem do Ministério Público do Estado de Goiás

Mensagem do Ministério Público do Estado de Goiás PRATIQUE COLETA SELETIVA Mensagem do Ministério Público do Estado de Goiás O Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) tem a missão de defender a ordem jurídica, o regime democrático e os interesses

Leia mais

REDUZIR REUTILIZAR RECICLAR. O caminho para um futuro melhor.

REDUZIR REUTILIZAR RECICLAR. O caminho para um futuro melhor. R R R REDUZIR REUTILIZAR RECICLAR O caminho para um futuro melhor. A FGR se preocupa com o planeta. v Reduza o quanto puder; Reutilize tudo que puder; Recicle o máximo que puder. 2 A qualidade de vida

Leia mais

Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo (FEC) Revitalização dos Programas de Coleta Seletiva e de Minimização de Resíduo Sólido na FEC

Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo (FEC) Revitalização dos Programas de Coleta Seletiva e de Minimização de Resíduo Sólido na FEC Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo (FEC) Revitalização dos Programas de Coleta Seletiva e de Minimização de Resíduo Sólido na FEC mar. 2013 Programa de Coleta seletiva na FEC Iniciado

Leia mais

PROGRAMA DE COLETA SELETIVA

PROGRAMA DE COLETA SELETIVA PROGRAMA DE COLETA SELETIVA PROGRAMA DE COLETA SELETIVA Usando Bem Ninguém Fica Sem. PROGRAMA DE COLETA SELETIVA 1. O QUE É COLETA SELETIVA 2. DESTINO FINAL DO LIXO DE SÃO PAULO 3. COMPOSIÇÃO DO LIXO SELETIVO

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS LEI 12.305 / 08/ 2010 DECRETO 7.404/ 12/ 2010

Política Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS LEI 12.305 / 08/ 2010 DECRETO 7.404/ 12/ 2010 Política Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS LEI 12.305 / 08/ 2010 DECRETO 7.404/ 12/ 2010 Cenário brasileiro de resíduos sólidos Aumento da: População nas cidades 50% mundial 85% Brasil (IBGE, 2010).

Leia mais

Apresenta: PAPEL METAL LIXO ORGÂNICO VIDRO PLÁSTICO. no luga

Apresenta: PAPEL METAL LIXO ORGÂNICO VIDRO PLÁSTICO. no luga Apresenta: Coloqu e o lixo no luga r, na hor a e no d certo. ia ORGÂNICO CAPItao VAREJO em: coleta seletiva Enquanto isso, na sala secreta de reuniões... Olá, Capitão Varejo! Grande Gênio, bom dia! Espero

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA A COLETA SELETIVA DO LIXO E DICAS DE CONSUMO CONSCIENTE

INSTRUÇÕES PARA A COLETA SELETIVA DO LIXO E DICAS DE CONSUMO CONSCIENTE 12:43 Page 1 INSTRUÇÕES PARA A COLETA SELETIVA DO LIXO E DICAS DE CONSUMO CONSCIENTE Jardins é Page 2 LIXO UM PROBLEMA DE TODOS Reduzir a quantidade de lixo é um compromisso de todos. Uma pessoa é capaz

Leia mais

Prática Pedagógica: Coleta de Lixo nas Escolas

Prática Pedagógica: Coleta de Lixo nas Escolas Prática Pedagógica: Coleta de Lixo nas Escolas Introdução O objetivo desse trabalho é ajudar as Escolas e demais instituições na implantação do programa da coleta seletiva do lixo e do lixo eletrônico.

Leia mais

Orientações aos geradores interessados

Orientações aos geradores interessados Grupo de Trabalho de Resíduos Sólidos - GTRS Conselho da APA Federal da Serra da Mantiqueira - CONAPAM Programa de Gestão Ecológica dos Resíduos Sólidos na Região de Visconde de Mauá, Resende, RJ Orientações

Leia mais

Olá meninos, vocês parecem contrariados. O que aconteceu?

Olá meninos, vocês parecem contrariados. O que aconteceu? Olá meninos, vocês parecem contrariados. O que aconteceu? Puxa, o lixo é mesmo um problema muito sério. Vocês sabiam que muitos animais silvestres estão morrendo porque confundem lixo com comida? Sério?

Leia mais

o ojet Pr a Consciênci 1 Resíduos

o ojet Pr a Consciênci 1 Resíduos Projeto Consciência Resíduos 1 Qual é a diferença entre resíduo e lixo? 2 Qual é a diferença entre resíduo e lixo? Resíduo pode ser considerado qualquer material que sobra após uma ação ou processo produtivo.

Leia mais

RESPEITO E CONSCIÊNCIA AMBIENTAL

RESPEITO E CONSCIÊNCIA AMBIENTAL RESPEITO E CONSCIÊNCIA AMBIENTAL A Comissão Ministerial de Gestão Ambiental foi criada através da Portaria POR-PGJ n 204/08, com o fim de estudar, sugerir e acompanhar a implementação de medidas administrativas

Leia mais

Prof. Paulo Medeiros

Prof. Paulo Medeiros Prof. Paulo Medeiros Em 2010 entrou em vigor no Brasil a lei dos Resíduos Sólidos. Seu objetivo principal é diminuir a destinação incorreta de resíduos ao meio ambiente. Ela define que todas as indústrias,

Leia mais

10/8/2013. Para se alimentar, o ser humano abate animais, colhe frutos, sementes, etc, recursos naturais que podem ser repostos;

10/8/2013. Para se alimentar, o ser humano abate animais, colhe frutos, sementes, etc, recursos naturais que podem ser repostos; 6º Anos Prof. Leonardo F. Stahnke Consiste em assegurar uma gestão responsável dos recursos do planeta de forma a preservar os interesses das futuras gerações e ao mesmo tempo atender às necessidades das

Leia mais

Cartilha Coleta Seletiva

Cartilha Coleta Seletiva Cartilha Coleta Seletiva Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Acre Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Cartilha Coleta Seletiva Renata Beltrão Teixeira Vlayrton Tomé Maciel

Leia mais

CARTILHA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DIVIRTA-SE E APRENDA SOBRE A RECICLAGEM E AS VANTAGENS DAS EMBALAGENS LONGA VIDA U M P RO J E TO

CARTILHA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DIVIRTA-SE E APRENDA SOBRE A RECICLAGEM E AS VANTAGENS DAS EMBALAGENS LONGA VIDA U M P RO J E TO CARTILHA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DIVIRTA-SE E APRENDA SOBRE A RECICLAGEM E AS VANTAGENS DAS EMBALAGENS LONGA VIDA U M P RO J E TO O PRIMEIRO PASSO PARA APRENDER A RECICLAR É CONHECER QUAIS MATERIAIS SÃO

Leia mais

Preservação do meio ambiente

Preservação do meio ambiente Preservação do meio ambiente Introdução: Este texto, visando a preservação do ambiente em que vivemos, traz atitudes fáceis e práticas que você mesmo pode tomar para tornar o mundo um lugar mais agradável

Leia mais

REUTILIZAÇÃO 100% Engenheiro Químico Celso Luís Quaglia Giampá

REUTILIZAÇÃO 100% Engenheiro Químico Celso Luís Quaglia Giampá REUTILIZAÇÃO 100% Engenheiro Químico Celso Luís Quaglia Giampá PROJETO FÊNIX IMPLANTANDO SOLUÇÃO GERENCIAMENTO DOS RSU EDUCAÇÃO AMBIENTAL CONTINUADA NA POPULAÇÃO COLETA SELETIVA PARA RESÍDUOS SECOS E ÚMIDOS

Leia mais

Vamos Cuidar do. nosso Planeta! Elaboração: Núcleo de Responsabilidade Social

Vamos Cuidar do. nosso Planeta! Elaboração: Núcleo de Responsabilidade Social Vamos Cuidar do Elaboração: Núcleo de Responsabilidade Social Unimed Londrina Rua Senador Souza Naves, 1333 Fone 43 3375-6161 - Fax 43 3375-6100 Cep 86010-160 - Londrina - PR nosso Planeta! responsabilidadesocial@unimedlondrina.com.br

Leia mais

13/09/2014. Consiste em usar os recursos do planeta de forma responsável, atendendo às necessidades atuais sem prejudicar as futuras gerações.

13/09/2014. Consiste em usar os recursos do planeta de forma responsável, atendendo às necessidades atuais sem prejudicar as futuras gerações. 6º Anos Prof. Leonardo F. Stahnke Consiste em usar os recursos do planeta de forma responsável, atendendo às necessidades atuais sem prejudicar as futuras gerações. Para se alimentar, o ser humano abate

Leia mais

Reciclar, são ações que. Reduzir É o inicio da conservação do meio. Reutilizar Significa reutilizar um produto de

Reciclar, são ações que. Reduzir É o inicio da conservação do meio. Reutilizar Significa reutilizar um produto de Especialistas em meio ambiente alertam para a necessidade da utilização racional dos recursos naturais. Reduzir, Reutilizar e Reciclar, são ações que contribuem para o consumo responsável reduzindo o impacto

Leia mais

13-09-2010 MATERIAIS RECICLÁVEIS, PROCESSO DE RECICLAGEM

13-09-2010 MATERIAIS RECICLÁVEIS, PROCESSO DE RECICLAGEM MATERIAIS RECICLÁVEIS, PROCESSO DE RECICLAGEM 1 2 Introdução História da limpeza; Educação Ambiental; Campanhas de Sensibilização, Publicidade; Reciclagem antigamente; Materiais reutilizáveis; Processos

Leia mais

Ambiental. Cartilha. Aquecimento Global. Saiba como reduzir ou até neutralizar suas emissões de Co2. Vamos deixar um futuro melhor para nossos filhos?

Ambiental. Cartilha. Aquecimento Global. Saiba como reduzir ou até neutralizar suas emissões de Co2. Vamos deixar um futuro melhor para nossos filhos? Cartilha Ambiental Vamos deixar um futuro melhor para nossos filhos? Saiba como reduzir ou até neutralizar suas emissões de Co2 Com atitudes simples você pode contribuir para diminuir sua emissão de CO2,

Leia mais

Município: São Pedro do Ivaí e-mail: nilsonmarquedeoliveira@seed.pr.gov.br Fone: (43) 3451 1241

Município: São Pedro do Ivaí e-mail: nilsonmarquedeoliveira@seed.pr.gov.br Fone: (43) 3451 1241 NRE: Ivaiporã Nome do Professor: Nilson Marques de Oliveira Município: São Pedro do Ivaí e-mail: nilsonmarquedeoliveira@seed.pr.gov.br Fone: (43) 3451 1241 Escola: Escola Estadual Vicente Machado Ensino

Leia mais

Página 1 de 8-01/04/2014-5:59

Página 1 de 8-01/04/2014-5:59 PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS BANCO DE QUESTÕES - LÍNGUA PORTUGUESA - 4 ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ========================================================================== Texto 1 LIXO NO LIXO Dá para

Leia mais

São José dos Campos e a Política Nacional de Resíduos Sólidos

São José dos Campos e a Política Nacional de Resíduos Sólidos São José dos Campos e a Política Nacional de Resíduos Sólidos Gestão Integrada dos Resíduos Sólidos Este sistema garante tratamento e destino adequado aos resíduos gerados na cidade, de modo que eles não

Leia mais

Gestão dos Resíduos em Florianópolis - COMCAP. Florianópolis, 03 setembro de 2011

Gestão dos Resíduos em Florianópolis - COMCAP. Florianópolis, 03 setembro de 2011 Gestão dos Resíduos em Florianópolis - COMCAP Florianópolis, 03 setembro de 2011 Missão Prestar serviços públicos p de saneamento ambiental com eficiência, qualidade e responsabilidade social. COMCAP

Leia mais

Cartilha de Coleta Seletiva da Embrapa Agroindústria de Alimentos

Cartilha de Coleta Seletiva da Embrapa Agroindústria de Alimentos Cartilha de Coleta Seletiva da Embrapa Agroindústria de Alimentos Meio Ambiente e Atitudes Sustentáveis O que eu tenho a ver com isso? A coleta seletiva e a reciclagem de resíduos têm um papel fundamental

Leia mais

Coleta Seletiva PRATIQUE ESTA IDEIA

Coleta Seletiva PRATIQUE ESTA IDEIA Coleta Seletiva PRATIQUE ESTA IDEIA O QUE É? Coleta seletiva é o processo de separação dos materiais recicláveis do restante dos resíduos sólidos. Como definição de resíduos sólidos, pelo Wikipédia, entende-se

Leia mais

SUSTENTABILIDADE NO SÉCULO XXI

SUSTENTABILIDADE NO SÉCULO XXI SUSTENTABILIDADE NO SÉCULO XXI CAOE O CAOE oferece Orientação Educacional, Atendimento Clínico e também novos projetos: Interidades e Universo das Artes INSTITUTO REINVENTAR Missão Sensibilizar indivíduos

Leia mais

C a m p a n h a I n s t I t u C I o n a l

C a m p a n h a I n s t I t u C I o n a l Viva Melhor! Campanha Institucional CAMPANHA VIVA MELHOR! Camisetas garrafa squeeze saco lixo para carro FOLHETO PROMOCIONAL CAMPANHA Viva Melhor! JUNTOS, PODEMOS CONSTRUIR UM CAMINHO MAIS SOLIDÁRIO E

Leia mais

Campanha de sensibilização, no âmbito dos projectos ALINHAS? e Eco-Escolas. ( Formação Cívica )

Campanha de sensibilização, no âmbito dos projectos ALINHAS? e Eco-Escolas. ( Formação Cívica ) RECICLAGEM E ECOPONTOS Campanha de sensibilização, no âmbito dos projectos ALINHAS? e Eco-Escolas ( Formação Cívica ) Significado do nome reciclagem? A palavra reciclagem difundiu-se nos media no A palavra

Leia mais

LEI 11.445/2007 RESSANEAR PROJETO INTEGRADO DE SANEAMENTO BÁSICO E RESÍDUOS SÓLIDOS. Eixo: LOGISTICA REVERSA

LEI 11.445/2007 RESSANEAR PROJETO INTEGRADO DE SANEAMENTO BÁSICO E RESÍDUOS SÓLIDOS. Eixo: LOGISTICA REVERSA LEI 11.445/2007 RESSANEAR PROJETO INTEGRADO DE SANEAMENTO BÁSICO E RESÍDUOS SÓLIDOS Eixo: LOGISTICA REVERSA PLANO MUNICIPAL DE GERENCIAMENTO INTEGRADO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS Instrumentos Legais: Resolução

Leia mais

Fique de bem. com a natureza!! Turma do Lixildo em:

Fique de bem. com a natureza!! Turma do Lixildo em: Fundado em agosto de 2003, o Instituto Kautsky é uma Associação sem fins lucrativos que tem como missão estabelecer a harmonia do homem com o meio ambiente pesquisando, promovendo e disseminando conhecimentos

Leia mais

Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE

Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE Preservação e Conservação A preservação é o esforço para proteger um ecossistema e evitar que ele seja modificado. Depende também da presença e ação do homem sobre

Leia mais

Guia de orientação para descarte adequado de resíduos

Guia de orientação para descarte adequado de resíduos Guia de orientação para descarte adequado de resíduos Sociedade Beneficente Espírita Bezerra de Menezes, A desde 2008, procura contribuir para que os resíduos que são produzidos em suas dependências sejam

Leia mais

Meio ambiente: a conscientização começa pela educação. Implementação. Coleta Seletiva Solidária

Meio ambiente: a conscientização começa pela educação. Implementação. Coleta Seletiva Solidária Meio ambiente: a conscientização começa pela educação Implementação da Coleta Seletiva Solidária A guardiã da natureza Judith Cortesão "... Quem conhece ama, quem ama protege. Uma das descobertas mais

Leia mais

Esta cartilha tem o objetivo de orientar o processo de implantação do Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos PGRS nas Empresas.

Esta cartilha tem o objetivo de orientar o processo de implantação do Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos PGRS nas Empresas. MANUAL DE GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS Gerência de Desenvolvimento Sustentável Núcleo de Saúde, Segurança e Meio Ambiente (NSSMA/SGI) Apresentação Esta cartilha tem o objetivo de orientar o processo de implantação

Leia mais

Edital Pibid n 11 /2012 CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID Plano de Atividades (PIBID/UNESPAR)

Edital Pibid n 11 /2012 CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID Plano de Atividades (PIBID/UNESPAR) Edital Pibid n 11 /2012 CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID Plano de Atividades (PIBID/UNESPAR) Tipo do produto: Plano de aula 1 IDENTIFICAÇÃO NOME DO SUBPROJETO: POPULARIZANDO

Leia mais

Para acessar os materiais da campanha ReciclaPOA, acesse o site do DMLU: http://www.portoalegre.rs.gov.br/dmlu > Projetos e Ações > ReciclaPOA

Para acessar os materiais da campanha ReciclaPOA, acesse o site do DMLU: http://www.portoalegre.rs.gov.br/dmlu > Projetos e Ações > ReciclaPOA O DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE LIMPEZA URBANA (DMLU) BUSCA HÁ MUITOS ANOS E DAS MAIS VARIADAS FORMAS SENSIBILIZAR A POPULAÇÃO PARA O DESCARTE CORRETO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS. NO DIA 7 DE JULHO DE 2015, DATA

Leia mais

Amanda Aroucha de Carvalho. Reduzindo o seu resíduo

Amanda Aroucha de Carvalho. Reduzindo o seu resíduo Amanda Aroucha de Carvalho Reduzindo o seu resíduo 1 Índice 1. Apresentação 2. Você sabe o que é Educação Ambiental? 3. Problemas Ambientais 4. Para onde vai o seu resíduo? 5. Soluções para diminuir a

Leia mais

Gestão Ambiental Resíduo Hospitalar. Gizelma de A. Simões Rodrigues

Gestão Ambiental Resíduo Hospitalar. Gizelma de A. Simões Rodrigues Gestão Ambiental Resíduo Hospitalar Gizelma de A. Simões Rodrigues SBS Hospital Sírio Libanês Instituição Filantrópica de saúde, ensino e pesquisa. Hospital de alta complexidade Matriz 172.000 m² 5.900

Leia mais

RESIDUOS ORGÂNICOS E INORGÂNICOS. De modo geral, podemos dizer que os resíduos domiciliares se dividem em orgânicos e inorgânicos.

RESIDUOS ORGÂNICOS E INORGÂNICOS. De modo geral, podemos dizer que os resíduos domiciliares se dividem em orgânicos e inorgânicos. RESIDUOS ORGÂNICOS E INORGÂNICOS De modo geral, podemos dizer que os resíduos domiciliares se dividem em orgânicos e inorgânicos. Resíduos orgânicos: São biodegradáveis (se decompõem naturalmente). São

Leia mais

Guia Ambiental de Materiais de Mídia. Reciclando objetos, renovando conceitos.

Guia Ambiental de Materiais de Mídia. Reciclando objetos, renovando conceitos. Guia Ambiental de Materiais de Mídia. Reciclando objetos, renovando conceitos. Conscientização A questão do lixo é de vital importância para a sobrevivência do planeta e da qualidade de vida da população.

Leia mais

RESÍDUOS SÓLIDOS : as responsabilidades de cada Setor

RESÍDUOS SÓLIDOS : as responsabilidades de cada Setor RESÍDUOS SÓLIDOS : as responsabilidades de cada Setor Gestão de Resíduos Sólidos ( São Paulo ) Lei 997/76 e regulamento: Dec. 8468/76 Foco: Comando e Controle Resíduos Disposição Final Disposição inadequada

Leia mais

Os 3 R s REDUZIR, REUTILIZAR E RECICLAR

Os 3 R s REDUZIR, REUTILIZAR E RECICLAR Os 3 R s REDUZIR, REUTILIZAR E RECICLAR O problema do lixo é um problema sério que, por enquanto, não tem solução. Citando a capital paulista, onde nem 10% do lixo são reciclados. Cada paulistano produz

Leia mais

Sustentabilidade do Planeta. Todo mundo deve colaborar!

Sustentabilidade do Planeta. Todo mundo deve colaborar! Sustentabilidade do Planeta Todo mundo deve colaborar! Situação no mundo atual O Planeta pede socorro!!!! A atividade humana tem impactado negativamente o meio ambiente. Os padrões atuais de consumo exploram

Leia mais

Os TRÊS Rs ADMINISTRADOR E GEÓGRAFO SEBASTIÃO CELSO FERREIRA DA SILVA

Os TRÊS Rs ADMINISTRADOR E GEÓGRAFO SEBASTIÃO CELSO FERREIRA DA SILVA Os TRÊS Rs ADMINISTRADOR E GEÓGRAFO SEBASTIÃO CELSO FERREIRA DA SILVA Há pouco mais de 100 anos, éramos 1,6 bilhões e em 2020, seremos 8 bilhões. Onde iremos viver? Com quem (animais)? Quais habitats serão

Leia mais

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM: O QUE FAZER COM TANTO LIXO?

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM: O QUE FAZER COM TANTO LIXO? SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM: O QUE FAZER COM TANTO LIXO? Eixo Temático -Ser Humano e Saúde. Tema -O que Fazer com Tanto Lixo? Subtema - Qualidade de Vida: A Saúde Individual, Coletiva e Ambiental. Ano/Série

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VILA VELHA Secretaria Municipal de Desenvolvimento Sustentável

PREFEITURA MUNICIPAL DE VILA VELHA Secretaria Municipal de Desenvolvimento Sustentável PREFEITURA MUNICIPAL DE VILA VELHA Secretaria Municipal de Desenvolvimento Sustentável TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS (APLICADO A INDÚSTRIA E COMÉRCIO

Leia mais

REVISÃO 2º BIMESTRE LIXO E SEU DESTINO

REVISÃO 2º BIMESTRE LIXO E SEU DESTINO REVISÃO 2º BIMESTRE LIXO E SEU DESTINO 1) Analise as alternativas sobre aspectos relacionados ao lixo e marque (V) para as verdadeiras e (F) para as falsas. ( ) O lixo é caracterizado como tudo aquilo

Leia mais

manual PARA COLETA SELETIVA Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro

manual PARA COLETA SELETIVA Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro manual PARA COLETA SELETIVA Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro manual PARA COLETA SELETIVA Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro Diretoria de Ambiente e Tecnologia

Leia mais

Práticas Verdes Para Condomínios

Práticas Verdes Para Condomínios Guia de Práticas Verdes Para Condomínios A economia que faz bem para o seu bolso e para o meio ambiente Com o objetivo de incentivar e disseminar práticas sustentáveis em condomínios, o Secovi Rio criou

Leia mais

Atividades: Aprendendo a reutilizar o lixo

Atividades: Aprendendo a reutilizar o lixo : Aprendendo a reutilizar o lixo Introdução A quantidade de lixo produzido no mundo é enorme. Para você ter uma idéia dessa quantidade, basta saber que cada brasileiro gera entre 500 gramas a 2 quilos

Leia mais

Como implantar e manter a coleta seletiva na sua escola. Coleta Seletiva

Como implantar e manter a coleta seletiva na sua escola. Coleta Seletiva Como implantar e manter a coleta seletiva na sua escola Coleta Seletiva Apresentaçao ~ Índice Esta cartilha foi elaborada pela Prefeitura de São Bernardo do Campo, em parceria com a SBC Valorização de

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO (Módulo: Resíduos Sólidos) Rio Claro SP

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO (Módulo: Resíduos Sólidos) Rio Claro SP PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO (Módulo: Resíduos Sólidos) Rio Claro SP LEI Nº 11.445/2007 LEI Nº 12.305/2010 1. OBJETIVOS - Realizar diagnósticos; - Elaborar propostas de intervenções; - Definir

Leia mais

O MEIO AMBIENTE E A IMPORTÂNCIA DA RECICLAGEM. 1 01/11/06

O MEIO AMBIENTE E A IMPORTÂNCIA DA RECICLAGEM. 1 01/11/06 O MEIO AMBIENTE E A IMPORTÂNCIA DA RECICLAGEM. 1 POR QUE A COLETA COLETIVA? Efeito estufa pela destruição da camada de ozônio, queimadas e derrubadas de florestas de forma desordenada, chuva ácida, produção

Leia mais

"PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL"

PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL "PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL" Associação sem fins lucrativos, fundado em 1992, o CEMPRE se dedica à promoção da reciclagem dentro do conceito de gerenciamento integrado do lixo.

Leia mais

Eloisa Maria Wistuba Dezembro/2014

Eloisa Maria Wistuba Dezembro/2014 Eloisa Maria Wistuba Dezembro/2014 1. Marcos legais no município 2. Resoluções Conselho Nacional do Meio Ambiente 3. Classificação dos resíduos de construção civil 4. Plano Integrado de Gerenciamento de

Leia mais

PALESTRA: CIDADANIA E CONSCIÊNCIA AMBIENTAL. Palestrante: Gisela Verri de Santana E-mail: givsantana@gmail.com.br

PALESTRA: CIDADANIA E CONSCIÊNCIA AMBIENTAL. Palestrante: Gisela Verri de Santana E-mail: givsantana@gmail.com.br PALESTRA: CIDADANIA E CONSCIÊNCIA AMBIENTAL Palestrante: Gisela Verri de Santana E-mail: givsantana@gmail.com.br Rio de Janeiro, 14 de agosto de 2007 ROTEIRO DA PALESTRA Apresentação pessoal Visualização

Leia mais

PROGRAMA DE GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS

PROGRAMA DE GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS CARTILHA EDUCATIVA PROGRAMA DE GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS COMA COORDENADORIA DO MEIO AMBIENTE BORTOLOSSI, Fernando. ALVES, Flávia Keller. ZANELLA, Geovani. Programa de Gestão de Resíduos Sólidos. Fernando

Leia mais

"PANORAMA DA COLETA SELETIVA DE LIXO NO BRASIL"

PANORAMA DA COLETA SELETIVA DE LIXO NO BRASIL Reciclagem e Valorizaçã ção o de Resíduos Sólidos S - Meio Ambiente UNIVERSIDADE DE SÃO S O PAULO "PANORAMA DA COLETA SELETIVA DE LIXO NO BRASIL" Associação sem fins lucrativos, o CEMPRE se dedica à promoção

Leia mais

19APOSTILA SEGURANÇA E MEIO AMBI- ENTE

19APOSTILA SEGURANÇA E MEIO AMBI- ENTE 19APOSTILA SEGURANÇA E MEIO AMBI- ENTE Caros Colegas, Neste mês de Junho comemoramos no dia 05 de Junho o Dia Mundial do Meio Ambiente. Esta Apostila traz um pouco de informação de como podemos ajudar

Leia mais

Lei 12.305/10 Decreto 7.404/10

Lei 12.305/10 Decreto 7.404/10 A EXPERIÊNCIA BRASILEIRA EM LOGÍSTICA REVERSA A INICIATIVA DO SETOR DE HIGIENE PESSOAL, PERFUMARIA E COSMÉTICOS POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS Lei 12.305/10

Leia mais

Como embalar o lixo. Apresentação

Como embalar o lixo. Apresentação Apresentação Como embalar o lixo Uberaba agora tem uma nova lei que regulamenta o sistema de limpeza urbana. Essa lei abrange desde a contratação da empresa responsável pela coleta do lixo até a maneira

Leia mais

Campanha de Limpeza e Conservação do Ambiente da Nossa Terra. A Câmara Municipal das Lajes do Pico convida todos os munícipes a aderir à

Campanha de Limpeza e Conservação do Ambiente da Nossa Terra. A Câmara Municipal das Lajes do Pico convida todos os munícipes a aderir à Campanha de Limpeza e Conservação do Ambiente da Nossa Terra A Câmara Municipal das Lajes do Pico convida todos os munícipes a aderir à Campanha de Limpeza e Conservação do Ambiente da Nossa Terra, e a

Leia mais

Jardim Escola Aladdin

Jardim Escola Aladdin Jardim Escola Aladdin Os 4 Rs da Sustentabilidade Rio de janeiro 2016 Objetivo geral Esse projeto tem como objetivo promover o envolvimento dos alunos, professores, pais e comunidade em defesa à sustentabilidade

Leia mais

LOGÍSTICA REVERSA A INICIATIVA DO SETOR DE HIGIENE PESSOAL, PERFUMARIA E COSMÉTICOS

LOGÍSTICA REVERSA A INICIATIVA DO SETOR DE HIGIENE PESSOAL, PERFUMARIA E COSMÉTICOS LOGÍSTICA REVERSA A INICIATIVA DO SETOR DE HIGIENE PESSOAL, PERFUMARIA E COSMÉTICOS POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS Lei 12.305/10 Decreto 7.404/10 POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS Uma Mudança

Leia mais

Logística Reversa. Guia rápido

Logística Reversa. Guia rápido Logística Reversa Guia rápido 1 Apresentação Em 2010 foi sancionada pelo Governo Federal, a Política Nacional de Resíduos Sólidos, na qual, dentre outros temas, constam exigências às empresas quanto à

Leia mais

Por favor, separe os seus resídous/lixo!

Por favor, separe os seus resídous/lixo! Por favor, separe os seus resídous/lixo! Preste atenção às seguintes regras de separação dos resíduos de Salzburgo e apoe-nos na redução e reciclagem de resíduos/lixo! A sua contribuição para a protecção

Leia mais

Reciclagem Monte seu jogo e chame a turma para brincar. Corrida da. ANO 7 - Nº7 Caça-palavras Vamos colorir 7 erros e muito mais!

Reciclagem Monte seu jogo e chame a turma para brincar. Corrida da. ANO 7 - Nº7 Caça-palavras Vamos colorir 7 erros e muito mais! ANO 7 - Nº7 Caça-palavras Vamos colorir 7 erros e muito mais! Atividades infantis para resolver e colorir. Uma publicação da Corrida da Reciclagem Monte seu jogo e chame a turma para brincar Vamos colorir?

Leia mais

M A N U A L COLETA SELETIVA DE LIXO

M A N U A L COLETA SELETIVA DE LIXO M A N U A L D A COLETA SELETIVA DE LIXO Coleta Seletiva de Lixo APRENDA AQUI TODOS OS PASSOS PARA IMPLANTAR UM SISTEMA DE COLETA SELETIVA DE LIXO EM SUA EMPRESA, CONDOMÍNIO, ESCOLA OU COMUNIDADE. I N T

Leia mais

PROGRAMA DE COLETA SELETIVA CODEBA

PROGRAMA DE COLETA SELETIVA CODEBA 1 PROGRAMA DE COLETA SELETIVA CODEBA SALVADOR BA FEVEREIRO - 2012 1. INTRODUÇÃO 2 O presente Programa de Coleta Seletiva trata dos resíduos gerados pela Companhia, tendo sua elaboração e implementação

Leia mais

Ref.: Lei Estadual-RJ nº 6.805, de 18 de junho de 2014 DOERJ 23.06.2014.

Ref.: Lei Estadual-RJ nº 6.805, de 18 de junho de 2014 DOERJ 23.06.2014. Rio de Janeiro, 24 de junho de 2014. Of. Circ. Nº 212/14 Ref.: Lei Estadual-RJ nº 6.805, de 18 de junho de 2014 DOERJ 23.06.2014. Senhor Presidente, Fazendo referência à Lei Estadual-RJ nº 6.805, de 18

Leia mais

A gestão de resíduos na UNISINOS atendendo aos requisitos da ISO 14.001:2004. Palestrante: Dra. Luciana Paulo Gomes, UNISINOS lugomes@unisinos.

A gestão de resíduos na UNISINOS atendendo aos requisitos da ISO 14.001:2004. Palestrante: Dra. Luciana Paulo Gomes, UNISINOS lugomes@unisinos. A gestão de resíduos na UNISINOS atendendo aos requisitos da ISO 14.001:2004 Palestrante: Dra. Luciana Paulo Gomes, UNISINOS lugomes@unisinos.br 1 LIVRO: Gestão de Resíduos em Universidades 1. Como foi

Leia mais

é lei Agora Política Nacional de Resíduos Sólidos poder público, empresas, catadores e população Novos desafios para

é lei Agora Política Nacional de Resíduos Sólidos poder público, empresas, catadores e população Novos desafios para Política Nacional de Resíduos Sólidos Agora é lei Novos desafios para poder público, empresas, catadores e população Marco histórico da gestão ambiental no Brasil, a lei que estabelece a Política Nacional

Leia mais

A Fundação Procon-SP preparou este material com dicas e orientações para ajudar você a construir esse novo conceito de consumo.

A Fundação Procon-SP preparou este material com dicas e orientações para ajudar você a construir esse novo conceito de consumo. 2012 consumo consciente i Especialistas em meio ambiente alertam para a necessidade da utilização racional dos recursos naturais. Repensar, Reduzir, Reutilizar e Reciclar, são ações que contribuem para

Leia mais

Esplanada sem desperdício: preservando o meio ambiente.

Esplanada sem desperdício: preservando o meio ambiente. Implementar ações voltadas ao uso racional de recursos sustentabilidade naturais para promover a ambiental e socioeconômica na Administração Pública Federal. A Esplanada terá metas de racionalização do

Leia mais

RESÍDUO SÓLIDO: UM PROBLEMA SOCIAL, AMBIENTAL E ECONÔMICO.

RESÍDUO SÓLIDO: UM PROBLEMA SOCIAL, AMBIENTAL E ECONÔMICO. RESÍDUO SÓLIDO: UM PROBLEMA SOCIAL, AMBIENTAL E ECONÔMICO. POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS LEI Nº 12.305/2010 DECRETO Nº 7.404/2010 O QUE MUDA COM A LEI 12.305/2010? Lixões a céu aberto e aterros

Leia mais

Reciclando para um mundo melhor

Reciclando para um mundo melhor Reciclando para um mundo melhor Tempo de reduzir, reutilizar, repensar e reciclar... O Perla Rossetti mundo evolui a uma velocidade estonteante, entretanto, a sociedade começa a perceber que é preciso

Leia mais

BASES ECOLÓGICAS PARA A COLETA SELETIVA. Comparativo Metrópoles Brasileiras X Primeiro Mundo. Jonathan Cawettiere Eng. Ambiental 16/11/2009

BASES ECOLÓGICAS PARA A COLETA SELETIVA. Comparativo Metrópoles Brasileiras X Primeiro Mundo. Jonathan Cawettiere Eng. Ambiental 16/11/2009 BASES ECOLÓGICAS PARA A COLETA SELETIVA Comparativo Metrópoles Brasileiras X Primeiro Mundo Jonathan Cawettiere Eng. Ambiental 16/11/2009 CONCEITOS Coleta seletiva É um sistema de recolhimento de materiais

Leia mais

Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos - Farroupilha -

Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos - Farroupilha - Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos - Farroupilha - 1ª Audiência Pública Convênio de cooperação técnica Prefeitura Municipal de Farroupilha/UCS Farroupilha, 14 de dezembro de 2013.

Leia mais

Projeto Sustentabilidade CRF-SP

Projeto Sustentabilidade CRF-SP Projeto Sustentabilidade CRF-SP 2010 O que é Sustentabilidade? Sustentabilidade se define como um princípio de uma sociedade que mantém as características necessárias para um sistema social justo, ambientalmente

Leia mais

Definições centrais do Plano Cidades Limpas PLANO REGIONAL DE GESTÃO ASSOCIADA E INTE- GRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS PARA O CIRCUITO DAS ÁGUAS

Definições centrais do Plano Cidades Limpas PLANO REGIONAL DE GESTÃO ASSOCIADA E INTE- GRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS PARA O CIRCUITO DAS ÁGUAS Definições centrais do Plano Cidades Limpas PLANO REGIONAL DE GESTÃO ASSOCIADA E INTE- GRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS PARA O CIRCUITO DAS ÁGUAS setembro 2013 As proposições elencadas neste documento originam-se

Leia mais

1 Simpósio ECP de Meio Ambiente. Resíduos Sólidos. Novembro - 2009

1 Simpósio ECP de Meio Ambiente. Resíduos Sólidos. Novembro - 2009 1 Simpósio ECP de Meio Ambiente Resíduos Sólidos Novembro - 2009 Antes de mais nada, o que é LIXO? Segundo a NBR-10.004 (Resíduos Sólidos, Classificação de 1987) da ABNT (Associação Brasileira de Normas

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS : A RESPONSABILIDADE DE CADA SETOR

POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS : A RESPONSABILIDADE DE CADA SETOR POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS : A RESPONSABILIDADE DE CADA SETOR Política Nacional de Resíduos Sólidos BASE LEGAL : Lei Federal nº 12305, de 02.08.2010 Decreto Federal nº 7404, de 23.12.2010 Princípio

Leia mais

Gerenciamento de Resíduos

Gerenciamento de Resíduos Gerenciamento de Resíduos ANVISA RDC 306/04 - REGULAMENTO TÉCNICO PARA GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS DE SAÚDE veronica.schmidt@ufrgs.br O perigo do lixo hospitalar. Resíduos biológicos - culturas de microrganismos

Leia mais

A Importância da reciclagem

A Importância da reciclagem Texto 1 A Importância da reciclagem Vanessa Minuzzi Bidinoto Reciclar é economizar energia, poupar recursos naturais e trazer de volta ao ciclo produtivo o que jogamos fora. Para compreendermos a reciclagem

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos e Logística Reversa

Política Nacional de Resíduos Sólidos e Logística Reversa Política Nacional de Resíduos Sólidos e Logística Reversa Cristina R. Wolter Sabino de Freitas Departamento Ambiental O mundo será obrigado a se desenvolver de forma sustentável, ou seja, que preserve

Leia mais

Programa Municipal de Sustentabilidade e Ação Social Implantação da A3P Agenda Ambiental na Administração Pública José Bonifácio SP, 2009. 28 p. : II.

Programa Municipal de Sustentabilidade e Ação Social Implantação da A3P Agenda Ambiental na Administração Pública José Bonifácio SP, 2009. 28 p. : II. Sumário 34 5 6 7 8 9 Apresentação... 03 Implementação da A3P... 04 Conheça a A3P...05 - O que é A3P?...05 - Objetivos da A3P...05 - Participantes...06 Impactos e Desperdícios...07 Prioridades...08 Planos

Leia mais

LEI FEDERAL 12305/2010 POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS

LEI FEDERAL 12305/2010 POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS LEI FEDERAL 12305/2010 POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS ARTIGO 13 -ORIGEM RSU(domiciliares e de limpeza pública) Comerciais e Prestadores de Serviços Serviços Públicos de Saneamento Básico Industriais

Leia mais

RECICLAGEM RECUPERAÇÃO DOS MATERIAIS DESCARTADOS, MODIFICANDO-SE SUAS CARACTERÍSTICAS FÍSICAS

RECICLAGEM RECUPERAÇÃO DOS MATERIAIS DESCARTADOS, MODIFICANDO-SE SUAS CARACTERÍSTICAS FÍSICAS RECICLAGEM RECUPERAÇÃO DOS MATERIAIS DESCARTADOS, MODIFICANDO-SE SUAS CARACTERÍSTICAS FÍSICAS REUTILIZAÇÃO RECUPERAÇÃO DOS DESCARTADOS SEM MODIFICAR SUAS CARACTERÍSTICAS FÍSICAS RECICLAGEM Por que Reciclar?

Leia mais

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS COLETA SELETIVA

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS COLETA SELETIVA SEJAM BEM VINDOS GRUPO MULTILIXO Coopercicla FLACIPEL Reciclados Cooperativa MULTILIXO Resíduos ATT PARI Entulho MADE VILA Bio Massa MULTIPALETS Palets Reciclados MULTIGLASS Vidro 3 TIPOS DE RESÍDUOS GERADOS

Leia mais