CONTABILIDADE. Atividades de lançamentos, razonetes e balancete. Sônia Maria de Araújo Maria Selma da Costa Cabral

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONTABILIDADE. Atividades de lançamentos, razonetes e balancete. Sônia Maria de Araújo Maria Selma da Costa Cabral"

Transcrição

1 CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS 10 CONTABILIDADE Atividades de lançamentos, razonetes e balancete Sônia Maria de Araújo Maria Selma da Costa Cabral

2 Governo Federal Ministério da Educação Projeto Gráfico Secretaria de Educação a Distância SEDIS EQUIPE SEDIS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE UFRN Coordenadora da Produção dos Materias Marta Maria Castanho Almeida Pernambuco Coordenador de Edição Ary Sergio Braga Olinisky Coordenadora de Revisão Giovana Paiva de Oliveira Design Gráfico Ivana Lima Diagramação Ivana Lima José Antônio Bezerra Júnior Mariana Araújo de Brito Vitor Gomes Pimentel Arte e ilustração Adauto Harley Carolina Costa Heinkel Huguenin Revisão Tipográfica Adriana Rodrigues Gomes Design Instrucional Janio Gustavo Barbosa Luciane Almeida Mascarenhas de Andrade Jeremias Alves A. Silva Margareth Pereira Dias Revisão de Linguagem Maria Aparecida da S. Fernandes Trindade Revisão das Normas da ABNT Verônica Pinheiro da Silva Adaptação para o Módulo Matemático Joacy Guilherme de Almeida Ferreira Filho Revisão Técnica Rosilene Alves de Paiva

3 rá e v ê c Vo... i u q a por N esta aula, estudaremos sobre como realizar atividades envolvendo vários fatos administrativos, sendo contabilizados e obedecendo à sistematização de um plano de contas, o que irá favorecer a apropriação do conhecimento, mesmo que de forma simplificada dos lançamentos, razonetes e balancete de verificação. Sendo assim, não teremos assunto novo. Envolveremos a aplicação do Plano de Contas, assunto este trabalhado na aula 7, cuja importância real, dentro da contabilidade, você terá a oportunidade de perceber agora. É fundamental que você volte à aula 7, sempre que sentir dificuldades. Objetivo Entender o que são contas de resultados. Fazer o lançamento de débito e crédito obedecendo à numeração do plano de contas. 1

4 Para começo de conversa Quem trabalha com dinheiro Tem responsabilidade, Imagine quem controla Toda a Contabilidade, Registrando em cada Conta Uma expressão da verdade. (Paulo Fernando Torres Veras - A Saga do Contabilista). 2

5 Contas de resultado São as contas que representam variações do Patrimônio Líquido (PL) de forma quantitativa, que irão influenciar diretamente no resultado da empresa em um determinado período, sinalizando para lucro ou prejuízo. As Contas de resultado são as Despesas e as Receitas. Observação importante: As Contas de resultado não aparecem no Balanço Patrimonial. Algumas observações são necessárias para você poder fazer os lançamentos contábeis, quando estes envolvem despesas e receitas. Receitas: são contas que representam uma variação positiva no patrimônio líquido, ou seja, acontece um aumento no PL. Por esse motivo, são sempre creditadas, exceto quando são encerradas, com a transferência do seu saldo para a conta de resultado do exercício. Também poderá ser debitada quando acontecer um estorno. Alguns tipos de Receitas: Vendas Juros ativos ou receita de juros Descontos obtidos Receita com aluguel ou renda de aluguel Receita de serviços, entre outras. Despesas: são contas que representam uma variação negativa no patrimônio líquido, ou seja, acontece uma diminuição no PL. Por esse motivo, são sempre debitadas, exceto quando são encerradas, com a transferência do seu saldo para a conta de resultado do exercício. Também poderá ser creditada quando acontecer um estorno. Alguns tipos de Despesas: Despesas com aluguel Despesas com juros ou juros passivos Compras de mercadorias 3

6 Descontos concedidos Despesas com água, luz e telefone, entre outras. Veja alguns exemplos de fatos administrativos, envolvendo contas de despesas e de receitas. Exemplo 1 1. Pagamento correspondente a juros no valor de R$ D - Despesas com juros C - Caixa Pagamento correspondente a juros... R$ 100,00 2. Recebimento de juros no valor de R$ 120,00 D - Caixa C - Receita com juros Recebimento correspondente a juros... R$ 120,00 3. Pagamento do empréstimo obtido junto ao Banco do Brasil no valor de R$ ,00 mais juros de 10% D - Empréstimos a pagar D - Despesas com juros C - Caixa Pagamento correspondente a empréstimo... R$ ,00 Pagamento referente a juros R$ 300,00... R$ ,00 4. Recebimento da duplicata 002 no valor de R$ 1.800,00 mais R$ 100,00 referente juros D - Caixa C - Duplicatas a receber C - Receita com juros Recebimento referente duplicata R$ 1.800,00 Recebimento referente juros sobre duplicata R$ 100,00... R$ 1.900,00 4

7 Praticando Defina com suas palavras receitas. Cite exemplos. 2. Defina com suas palavras despesas. Cite exemplos. 3. De acordo com o que vimos no exemplo 1, crie aqui alguns exemplos de fatos administrativos, envolvendo contas de despesas e de receitas. Lançamentos, razonetes e balancete de verificação Nesta seção, apresentaremos a você uma situação mais completa envolvendo lançamentos, razonetes e balancete de verifi cação. Mas, antes, vamos retomar, brevemente, o conceito de cada um dos termos trabalhados anteriormente. Como vimos no início de nossa disciplina, na aula 8, Lançamentos são os registros dos fatos administrativos. 5

8 Razonetes são demonstrações gráfi cas em forma de T para onde se transferem os valores a débito e a crédito de cada conta lançada, separadamente (Lembre-se: do lado direito do T fi cam os valores que foram debitados e do lado esquerdo do T, os valores que foram creditados.). Por fim, fazemos o balancete de verifi cação, que, como vimos na aula 9, é a relação de todas as contas que foram utilizadas pela contabilidade com o objetivo de verifi car a exatidão dos lançamentos contábeis. Praticando Marque com X a alternativa que apresenta a sequência correta: ( ) Lançamento, Balancete de Verifi cação e Razonete ( ) Balancete de verifi cação, Razonete e Lançamento ( ) Lançamento, Razonete e Balancete de verifi cação 2. No seu entendimento, qual a importância do balancete de verifi cação? 3. Cite os elementos essenciais do lançamento. 6

9 A prática dos registros dos fatos administrativos Agora, vamos analisar como são feitos os registros dos fatos administrativos a partir de situações que frequentemente ocorrem em uma empresa. Vale ressaltar que os dados abaixo são fi ctícios. Lançamentos A Empresa Contato, Prestadora de Serviços de Assistência Jurídica e Contábil, começou suas atividades no dia 02/01/2006. Em 2/1/2006: 1. João Maria de Oliveira e Renato Fernandes resolveram iniciar uma atividade para explorar o ramo de Prestação de Serviços de Assistência Jurídica e Contábil. Nesta data, integralizou a importância em dinheiro no valor de R$ , Depósito efetuado no Banco do Brasil, no valor de R$ ,00 para abertura de uma conta bancária sob o nº Compra a prazo de H. Fernandes: 6 mesas, 24 cadeiras, 6 prateleiras e 6 sofás para uso do escritório, no valor de R$ ,00. Houve aceite no ato da compra de quatro duplicatas de nº. 001, 002, 003 e 004 no valor de R$ ,00 cada, com vencimento para 30, 60, 90 e 120 dias, respectivamente. 4. Pagamento em dinheiro de diversas despesas correspondentes à legalização de livros e documentos para abertura da firma no valor de R$ 7.000, Pagamento correspondente ao aluguel do prédio onde a firma está instalada, referente ao mês de janeiro, no valor de R$ 3.000,00. O pagamento foi feito mediante cheque 0001-A do Banco do Brasil. Agora, vamos fazer os lançamentos dos fatos administrativos ocorridos no dia 2 de janeiro de Atenção! Lembre-se de que: D=conta devedora e C=conta credora 7

10 Lançamento 1 D 10.1 Caixa C 23.1 Capital Recebimento referente integralização de capital em dinheiro... R$ Lançamento 2 D 10.2 Banco conta movimento Banco do Brasil C 10.1 Caixa Pagamento referente deposito p/abertura de conta... R$ Lançamento 3 D Móveis e Utensílios C 20.2 Duplicatas a pagar Valor duplicata 001 vencível em 02/03... R$ Valor duplicata 002 vencível em 02/04... R$ Valor duplicata 003 vencível em 02/05... R$ Valor duplicata 004 vencível em 02/06... R$ R$ Lançamento 4 D Despesa de organização C 10.1 Caixa Pagamento referente despesa com legalização de livros R$ Lançamento 5 D 30.3 Despesa com aluguel C 10.2 Banco conta movimento-banco do Brasil Pagamento correspondente aluguel d/mês...r$ No dia 7 do mês em curso a empresa teve os seguintes fatos administrativos: Em 7/1/2006: 8

11 1. Compra de diversos materiais de expediente no valor de R$ ,00. O pagamento foi feito em dinheiro conforme nf Compra de um Veículo no valor de R$ ,00 nas seguintes condições: R$ ,00 foi pago à vista e o restante a prazo, conforme duplicata Foram retirados do estoque materiais diversos de expediente no valor de R$ 7.800,00 conforme requisição 001-R. 4. Obtenção de um empréstimo no Banco do Brasil, no valor de R$ ,00 fi cando o dinheiro depositado na conta bancária da empresa. Mais uma vez, iremos fazer lançamentos. Agora, dos fatos administrativos ocorridos no dia 7 de janeiro de 2006: Lançamento 6 D 10.7 Estoque de material de expediente C 10.1 Caixa Pagamento conforme NF R$ Lançamento 7 D Veículos C 10.1 Caixa C 20.2 Duplicatas a pagar Pagamento referente parte à vista...r$ Valor da duplicata R$ R$ Lançamento 8 D 30.6 Despesas com material de expediente C 10.7 Estoque de material de expediente Valor da requisição 001-R...R$ Lançamento 9 D 10.2 Banco conta movimento Banco do Brasil C 20.5 Empréstimos a pagar Recebido importância referente a empréstimos... R$

12 No dia 20, a empresa teve outros fatos administrativos. Você conhecerá a seguir. Em 20/1/2006: 10. Pagamento conta de luz no valor de R$ 2.000, Recebimento correspondente serviços prestados no valor de R$ 5.780, Pagamento correspondente conta de água no valor de R$ 1.500, Serviços prestados a prazo a Cia. Brasil no Valor de R$ ,00 conforme duplicata Recebida a importância de R$ ,00, correspondente a serviços prestados à Cia. Sul. 15. Compra de material de expediente no valor de R$ ,00 a prazo, mediante aceite da duplicata 008 com vencimento para 30 dias. 16. Pagamento correspondente ao aluguel deste mês no valor de R$ 3.000,00. Percebeu? No final de cada dia, levantamos os fatos ocorridos e fazemos os lançamentos contábeis. Chegou a hora de fazermos os lançamentos do dia 20 de janeiro de Lançamento 10 D 30.1 Luz e Telefone C 10.1 Caixa Pagamento referente à despesa do mês...r$ Lançamento 11 D 10.1 Caixa C 40.6 Receita de serviços Recebimento referente a serviços prestados... R$ Lançamento 12 D 30.2 água e esgoto 10

13 C 10.1 Caixa Pagamento referente a despesas deste mês... R$ Lançamento 13 D 10.4 Duplicatas a receber C 40.6 Receita de serviços Valor da duplicata 009 p/ prestação de serviços à Cia. Brasil... R$ Lançamento 14 D 10.1 Caixa C 40.6 Receita de Serviços Recebimento referente à prestação de serviços p/ Cia. Sul... R$ Lançamento 15 D 10.7 Estoque de material de expediente C 20.2 Duplicatas a pagar Valor da duplicata 008 vencível em 02/03... R$ Lançamento 16 D 30.3 Despesas com aluguel C 10.1 Caixa Pagamento referente aluguel do mês...r$ Dando continuidade aos registros dos fatos, vamos, agora, fazer os ocorridos no dia 31 do mês em curso. Em 31/01/2006: 17. Pagamento da duplicata 001 mediante cheque 003-A do Banco do Brasil. 18. Pagamento de água deste mês no valor de R$ 1.200, Pagamento referente a conta de luz deste mês no valor de R$ 2.000, Pagamento da duplicata 002 mais juros de 10%. 11

14 21. Serviços prestados a prazo para o Sr. José Marques no valor de R$ ,00, conforme duplicata Recebimento da duplicata 09 mais juros de 10%. 23. Foram retirados do estoque material de expediente no valor de R$ 8.600,00 conforme requisição 002-R. 24. Serviços prestados ao Sr. Roberto no valor de R$ ,00 a prazo. Conforme duplicatas 011 e 012 no valor de R$ 6.000,00 cada, com vencimento para 30 e 60 dias. 25. Pagamentos referentes a contas de luz e telefone deste mês no valor de R$ 900,00. Agora, vamos fazer os lançamentos do dia 31 de janeiro de Lançamento 17 D 20.2 Duplicatas a Pagar C 10.2 Banco conta movimento Banco do Brasil Pagamento duplicata 002 conforme cheque 003-A... R$ Lançamento 18 D 30.2 água e esgoto C 10.1 Caixa Pagamento referente conta de água do mês...r$ Lançamento 19 D 30.1 Luz e telefone C 10.1 Caixa Pagamento referente conta de luz do mês...r$ Lançamento 20 D 20.2 Duplicatas a pagar D 30.7 Despesas com juros C 10.1 Caixa Pagamento duplicata R$ Pagamento de juros s/dup.... R$ R$

15 Lançamento 21 D 10.4 Duplicatas a receber C 40.6 Receita de serviços Valor duplicata 010 p/ prestação de serv. a Jose Marques R$ Lançamento 22 D 10.1 Caixa C 10.4 Duplicatas a receber C 40.2 Receita com juros Recebimento de duplicata R$ Receb. referente a juros s/dup.... R$ R$ Lançamento 23 D 30.6 Material de expediente C 10.7 Estoque de material de expediente Valor da requisição 002-R... R$ Lançamento 24 D 10.4 Duplicatas a receber C 40.6 Receita de serviços Valor dup. 011 vencível em 25/04...R$ Valor dup. 012 vencível em 25/05...R$ R$ Lançamento 25 D 30.3 Despesa com luz e telefone C 10.1 Caixa Pagamento referente conta d/mês... R$

16 Razonetes Agora, vamos começar a fazer os razonetes. D 10.1 CAIXA C 01) (02 11) (04 14) (06 22) ( ( ( ( ( ( ( (25 Total Total D 23.1 CAPITAL C (01 Total D 10.2 BCM C 02) (05 09) (17 Total Total D MÓVEIS E UTENSÍLIOS C 03) Total

17 D 20.2 DUPLICATA A PAGAR C (03 20) ( (15 Total Total D DESP. DE ORGANIZ. C 04) Total D 30.3 DESP. COM ALUGUEL C 16) Total D 10.7 ESTOQUE DE MAT. EXP. D 06) (08 15) (23 Total Total D VEÍCULO C 07) Total D 30.6 DESP. MAT. EXPED. C 08) ) Total

18 D 30.1 LUZ E TELEFONE C 10) ) ) 900 Total D 20.5 EMPRÉST. A PAGAR. C (09 Total D 30.2 ÁGUA E ESGOTO C 12) ) Total D30.7 DESPESA COM JUROS C 20) Total D RECEITA DE SERVIÇOS C ( ( ( (24 Total D 10.4 DUPLICATA A RECEBER C 13) (22 21) ) Total Total

19 D 40.2 RECEITA COM JUROS C (22 Total Balancete de verificação Agora, nós vamos fazer o balancete de verifi cação. CONTAS MOVIMENTAÇÃO SALDOS débito crédito devedor credor 10.1 Caixa BCM Dup rec Est. mat.exp Mov.Uten Veículos Desp.org Dup. a pag Emp. a pg Capital Luz e tel Água e Esg Desp.alug Mat.exped Desp.juros Rec. juros Rec.serv Total

20 Praticando Especifi que os grupos e subgrupos que compõem um plano de contas. Nesta aula, você aprendeu a fazer o lançamento de débito e crédito obedecendo à numeração do plano de contas. Sendo assim, cada lançamento receberá uma conta com a sua respectiva numeração de acordo com o nosso plano de contas. 18

21 Três amigos resolveram organizar uma empresa de prestação de serviços para explorar o ramo de Assistência Contábil e Fiscal, a qual recebeu a denominação de SOS Contabilidade. Em 1º de Junho de 2006: 1. Investimento inicial de capital em dinheiro no valor de R$ , Pagamento em dinheiro de diversas taxas referentes à legalização de documentos e livros conforme recibos em anexo no valor de R$ 6.000, Compraram na loja Ideal: 6 cadeiras com 6 mesas para computador, 1 mesa grande para reuniões com 8 cadeiras, 2 estantes e dois armários, no valor de R$ ,00 nas seguintes condições: 50% foi pago à vista em dinheiro e o restante a prazo conforme duplicata 001 e 002 no valor de R$ 6.400,00 cada vencíveis para 30 e 60 dias respectivamente. 4. Para abertura de uma conta bancária de nº 0357-A foi feito um depósito no Banco do Nordeste no valor de R$ , Compra de Material de expediente no valor de R$ 8.000,00 à vista com pagamento feito, mediante cheque 001-A do Banco do Nordeste. 6. Pagamento de outras despesas de pintura e reformas no valor de R$ ,00 à vista. Em 9 de Junho de 2006: 7. Foram retirados do estoque para uso da empresa impressos e diversos materiais de expediente no valor de R$ 3.000,00, conforme requisição 001-R. 8. Aquisição de 03 sofás conforme NF. 045 da Cia X Ltda. No valor de R$ 3.000,00. O Pagamento foi efetuado mediante ch A do Banco do Nordeste. 9. Pagamento em dinheiro da duplicata Recebimento da importância de R$ 4.600,00 por serviços prestados a empresa ABC. 19

22 11. Para uso, foram retirados diversos impressos e materiais de expediente, no valor de R$ 2.000,00 conforme requisição 002-R. Em 13 de junho de 2006: 12. Empréstimo obtido no Banco do Nordeste, no valor de R$ ,00. O dinheiro ficou depositado na conta bancária da empresa. 13. Pagamento corresponde ao aluguel do imóvel onde a empresa está situada no valor de R$ 3.000, Pagamento em dinheiro da conta de luz e telefone no valor de R$ 1.540, Recebimento da Cia ABC da importância de R$ 8.000,00 correspondente a serviços prestados. 16. Compra de Material de expediente no valor de R$ ,00 a prazo, mediante aceite da duplicata 004 e 005 no valor de R$ 6.000,00 cada, com vencimento para 30 e 60 dias respectivamente. 17. Serviços prestados a Cia Sul no valor de R$ ,00 a qual aceitou, no ato 4 duplicatas 010/1 à 013/1 no valor de R$ cada, com vencimento de 30 em 30 dias. Em 20 de junho de 2006: 18. Foram retirados do estoque, material de expediente no valor de R$ 1.880,00 conforme requisição 003-R. 19. Recebimento de R$ 8.700,00 correspondente a serviços prestados a Cia Brasil. 20. Pagamento em dinheiro a importância de R$ 3.000,00 correspondente ao aluguel do imóvel onde a empresa esta localizada 21. Pagamento da conta de luz e telefone deste mês no valor de R$ 2.000,00. O pagamento foi efetuado mediante cheque 004-A do Banco do Nordeste Em 30 de junho de 2006: 20

23 22. Aquisição de um veículo usado no valor de R$ ,00 de propriedade da Sra. Marta da Silva, conforme recibo de transferência. No ato da compra, foi pago 50% do valor da compra em dinheiro e o restante foi dividido em duas parcelas no valor de R$ 5.000,00 cada, conforme duplicatas 0010 e 0011 vencíveis em 30 e 60 dias. 23. Para utilização de matéria de expediente, foram retirados do estoque a importância de R$1.500,00 conforme requisição 005-R. 24. Aquisição de 4 computadores no valor de R$ ,00 a prazo, conforme duplicata 013 com vencimento para 30 dias a partir desta data. 25. Pagamento da duplicata 002 mais juros de 10%. 26. Recebimento da duplicata 010 mais juros de 10%. Utilizando o plano de contas, faça os Lançamentos, os Razonetes e o Balancete de verificação. Referências FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA USP. FEA/USP. Equipe de professores. Contabilidade introdutória. São Paulo: Atlas, FRANCO, Hilário. Contabilidade comercial. 13. ed. São Paulo: Atlas, RIBEIRO, Osni Moura. Contabilidade básica fácil. 24. ed. São Paulo: Saraiva, SOUZA, Luis Carlos. Contabilidade ao alcance de todos. Curitiba: Juruá,

24 Anotações 22

25 Anotações 23

26 Anotações 24

27

28

CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS CONTABILIDADE. Sônia Maria de Araújo. Conceito e Formação do Patrimônio Inicial

CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS CONTABILIDADE. Sônia Maria de Araújo. Conceito e Formação do Patrimônio Inicial CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS 02 CONTABILIDADE Conceito e Formação do Patrimônio Inicial Sônia Maria de Araújo Governo Federal Ministério da Educação Projeto Gráfico Secretaria de Educação a Distância

Leia mais

CONTABILIDADE. Apuração e Contabilização de Lucro Bruto, Apuração e Contabilização das Provisões. Sônia Maria de Araújo Maria Selma da Costa Cabral

CONTABILIDADE. Apuração e Contabilização de Lucro Bruto, Apuração e Contabilização das Provisões. Sônia Maria de Araújo Maria Selma da Costa Cabral CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS 12 CONTABILIDADE Apuração e Contabilização de Lucro Bruto, Apuração e Contabilização das Provisões Sônia Maria de Araújo Maria Selma da Costa Cabral Governo Federal

Leia mais

CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS CONTABILIDADE. Balancete de verificação. Sônia Maria de Araújo

CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS CONTABILIDADE. Balancete de verificação. Sônia Maria de Araújo CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS 09 CONTABILIDADE Balancete de verificação Sônia Maria de Araújo Governo Federal Ministério da Educação Projeto Gráfico Secretaria de Educação a Distância SEDIS EQUIPE

Leia mais

CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS CONTABILIDADE. Sônia Maria de Araújo. Conceito, Débito, Crédito e Saldo. Maria Selma da Costa Cabral

CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS CONTABILIDADE. Sônia Maria de Araújo. Conceito, Débito, Crédito e Saldo. Maria Selma da Costa Cabral CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS 05 CONTABILIDADE Sônia Maria de Araújo Conceito, Débito, Crédito e Saldo Maria Selma da Costa Cabral Governo Federal Ministério da Educação Projeto Gráfico Secretaria

Leia mais

CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS CONTABILIDADE. Sônia Maria de Araújo Maria Selma da Costa Cabral. Operações com mercadorias / Preço de vendas

CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS CONTABILIDADE. Sônia Maria de Araújo Maria Selma da Costa Cabral. Operações com mercadorias / Preço de vendas CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS 14 CONTABILIDADE Operações com mercadorias / Preço de vendas Sônia Maria de Araújo Maria Selma da Costa Cabral Governo Federal Ministério da Educação Projeto Gráfico

Leia mais

CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS CONTABILIDADE. Sônia Maria de Araújo. Planos de Contas

CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS CONTABILIDADE. Sônia Maria de Araújo. Planos de Contas CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS 07 CONTABILIDADE Planos de Contas Sônia Maria de Araújo Governo Federal Ministério da Educação Projeto Gráfico Secretaria de Educação a Distância SEDIS EQUIPE SEDIS

Leia mais

CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS CONTABILIDADE. Sônia Maria de Araújo. Classificação e função das contas

CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS CONTABILIDADE. Sônia Maria de Araújo. Classificação e função das contas CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS 06 CONTABILIDADE Classificação e função das contas Sônia Maria de Araújo Governo Federal Ministério da Educação Projeto Gráfico Secretaria de Educação a Distância

Leia mais

CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS CONTABILIDADE. Escrituração e o Método das Partidas Dobradas. Sônia Maria de Araújo

CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS CONTABILIDADE. Escrituração e o Método das Partidas Dobradas. Sônia Maria de Araújo CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS 08 CONTABILIDADE Escrituração e o Método das Partidas Dobradas Sônia Maria de Araújo Governo Federal Ministério da Educação Projeto Gráfico Secretaria de Educação

Leia mais

CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS CONTABILIDADE. Sônia Maria de Araújo. Custos. Maria Selma da Costa Cabral

CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS CONTABILIDADE. Sônia Maria de Araújo. Custos. Maria Selma da Costa Cabral CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS 13 CONTABILIDADE Sônia Maria de Araújo Custos Maria Selma da Costa Cabral Governo Federal Ministério da Educação Projeto Gráfico Secretaria de Educação a Distância

Leia mais

C U R S O T É C N I C O E M S E G U R A N Ç A D O T R A B A L H O. matemática. Juros Compostos. Elizabete Alves de Freitas

C U R S O T É C N I C O E M S E G U R A N Ç A D O T R A B A L H O. matemática. Juros Compostos. Elizabete Alves de Freitas C U R S O T É C N I C O E M S E G U R A N Ç A D O T R A B A L H O 10 matemática Juros Compostos Elizabete Alves de Freitas Governo Federal Ministério da Educação Projeto Gráfico Secretaria de Educação

Leia mais

CURSO TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃO. Contabilidade. Origem da Contabilidade. Sônia Maria de Araújo

CURSO TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃO. Contabilidade. Origem da Contabilidade. Sônia Maria de Araújo CURSO TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃO 01 Contabilidade Origem da Contabilidade Sônia Maria de Araújo Governo Federal Ministério da Educação Projeto Gráfico Secretaria de Educação a Distância SEDIS equipe sedis

Leia mais

WWW.aplicms.com.br Aula de Apuração do Resultado (ARE) Prof. Pedro A. Silva (67) 3382-9772

WWW.aplicms.com.br Aula de Apuração do Resultado (ARE) Prof. Pedro A. Silva (67) 3382-9772 WWW.aplicms.com.br Aula de Apuração do Resultado (ARE) Prof. Pedro A. Silva (67) 3382-9772 Receitas x Despesas Podemos conceituar receitas como todos os recursos, em princípio, provenientes da venda de

Leia mais

matemática Taxa de porcentagem e outros tópicos de matemática financeira Elizabete Alves de Freitas

matemática Taxa de porcentagem e outros tópicos de matemática financeira Elizabete Alves de Freitas C U R S O T É C N I C O E M S E G U R A N Ç A D O T R A B A L H O 08 matemática Taxa de porcentagem e outros tópicos de matemática financeira Elizabete Alves de Freitas Governo Federal Ministério da Educação

Leia mais

www.editoraatlas.com.br

www.editoraatlas.com.br www.editoraatlas.com.br 6278curva.indd 1 04/04/2011 11:11:12 Equipe de Professores da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP Contabilidade Introdutória Manual do Professor Coordenação

Leia mais

LEITURA COMPLEMENTAR UNIDADE II

LEITURA COMPLEMENTAR UNIDADE II LEITURA COMPLEMENTAR UNIDADE II A leitura complementar tem como objetivo reforçar os conteúdos estudados e esclarecer alguns assuntos que facilitem a compreensão e auxiliem na elaboração da atividade.

Leia mais

Os valores totais do Ativo e do Patrimônio Líquido são, respectivamente,

Os valores totais do Ativo e do Patrimônio Líquido são, respectivamente, Faculdade de Tecnologia SENAC Goiás Exercícios de Contabilidade Professora Niuza Adriane da Silva 1º A empresa XYZ adquire mercadorias para revenda, com promessa de pagamento em 3 parcelas iguais, sendo

Leia mais

Contabilidade Prof. João Carlos

Contabilidade Prof. João Carlos EXERCÍCIOS Débito e Crédito 02 (solução) Contabilidade Prof. João Carlos Em 01/10/2012, oito pessoas resolveram organizar uma empresa de consertos de aparelhos de pesca, a qual denominou o nome de Paraíso

Leia mais

INFORMÁTICA I. BrOffi ce Writer Mala Direta e Etiqueta. Raimundo Nonato Camelo Parente

INFORMÁTICA I. BrOffi ce Writer Mala Direta e Etiqueta. Raimundo Nonato Camelo Parente C U R S O T É C N I C O E M O P E R A Ç Õ E S C O M E R C I A I S 13 INFORMÁTICA I BrOffi ce Writer Mala Direta e Etiqueta Raimundo Nonato Camelo Parente Governo Federal Ministério da Educação Projeto

Leia mais

CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS CONTABILIDADE. Situações Líquidas ou Patrimônio Líquido e as Variações Patrimoniais. Sônia Maria de Araújo

CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS CONTABILIDADE. Situações Líquidas ou Patrimônio Líquido e as Variações Patrimoniais. Sônia Maria de Araújo CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS 04 CONTABILIDADE Situações Líquidas ou Patrimônio Líquido e as Variações Patrimoniais Sônia Maria de Araújo Governo Federal Ministério da Educação Projeto Gráfico

Leia mais

Prof. Carlos Barretto

Prof. Carlos Barretto Unidade IV CONTABILIDADE FINANCEIRA Prof. Carlos Barretto Objetivos gerais Capacitar os estudantes a adquirir conhecimentos necessários para o desenvolvimento das seguintes competências: consciência ética

Leia mais

DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DE SERGIPE - CIÊNCIAS CONTÁBEIS QUESTÕES

DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DE SERGIPE - CIÊNCIAS CONTÁBEIS QUESTÕES QUESTÕES 01) Fazem parte do grupo de contas do : A) Duplicatas a Receber Caixa Duplicatas a Pagar. B) Terrenos Banco Conta Movimento Credores Diversos. C) Duplicatas a Pagar Caixa Adiantamentos de Clientes.

Leia mais

1) Elabore os lançamentos contábeis em razonetes e em seguida elabore a DRE e o BP:

1) Elabore os lançamentos contábeis em razonetes e em seguida elabore a DRE e o BP: 1) Elabore os lançamentos contábeis em razonetes e em seguida elabore a DRE e o BP: a) Constituição de uma sociedade com capital totalmente integralizado de R$ 30.000 b) Compra à vista de mercadorias para

Leia mais

BrOffice Calc Inserindo Funções

BrOffice Calc Inserindo Funções C U R S O T É C N I C O E M S E G U R A N Ç A D O T R A B A L H O 14 Informática BrOffice Calc Inserindo Funções Raimundo Nonato Camelo Parente Governo Federal Ministério da Educação Projeto Gráfico Secretaria

Leia mais

EXERCICIOS: MÉTODO DAS PARTIDAS DOBRADAS 2010 EXERCICIO Nº 02 _ CIA. MUZAMBINHO EXERCICIO Nº 01 _ CIA ATLANTIDA

EXERCICIOS: MÉTODO DAS PARTIDAS DOBRADAS 2010 EXERCICIO Nº 02 _ CIA. MUZAMBINHO EXERCICIO Nº 01 _ CIA ATLANTIDA EXERCICIO Nº 01 _ CIA ATLANTIDA Operações da Cia Atlântida no mês de janeiro de 20x1: 1) 03/jan Adquiriu móveis e utensílios a prazo por $ 800; 2) 08/jan - Comprou veiculo a vista por $ 5.000 (em cheque);

Leia mais

APURAÇÃO DO RESULTADO (1)

APURAÇÃO DO RESULTADO (1) APURAÇÃO DO RESULTADO (1) Isnard Martins - UNESA Rodrigo de Souza Freitas http://www.juliobattisti.com.br/tutoriais/rodrigosfreitas/conhecendocontabilidade012.asp 1 Apuração do Resultado A maioria das

Leia mais

C U R S O T É C N I C O E M O P E R A Ç Õ E S C O M E R C I A I S INFORMÁTICA I. BrOffi ce Impress terceira parte. Raimundo Nonato Camelo Parente

C U R S O T É C N I C O E M O P E R A Ç Õ E S C O M E R C I A I S INFORMÁTICA I. BrOffi ce Impress terceira parte. Raimundo Nonato Camelo Parente C U R S O T É C N I C O E M O P E R A Ç Õ E S C O M E R C I A I S 08 INFORMÁTICA I BrOffi ce Impress terceira parte Raimundo Nonato Camelo Parente Governo Federal Ministério da Educação Projeto Gráfico

Leia mais

Centro de Ciências Empresariais e Sociais Aplicadas CCESA. Bacharelado em Ciências Contábeis CONTABILIDADE GERAL. Profª. Cristiane Yoshimura

Centro de Ciências Empresariais e Sociais Aplicadas CCESA. Bacharelado em Ciências Contábeis CONTABILIDADE GERAL. Profª. Cristiane Yoshimura Centro de Ciências Empresariais e Sociais Aplicadas CCESA Bacharelado em Ciências Contábeis CONTABILIDADE GERAL Profª. Cristiane Yoshimura 2013 CONTABILIZAÇÃO DAS CONTAS PATRIMONIAIS DÉBITO E CRÉDITO RAZONETE

Leia mais

EXERCÍCIO PRÁTICO DE TEORIA DA CONTABILIDADE

EXERCÍCIO PRÁTICO DE TEORIA DA CONTABILIDADE EXERCICIO RESOLVIDO Nº DATA FATO 1 9/12/X1 Constituição da empresa com Capital Inicial de R$ 75.000,00, sendo R$ 50.000,00 em dinheiro e o restante em Mercadorias p/revenda. 2 19/12/X1 Compra de um Veículo

Leia mais

. Natureza de saldo das contas

. Natureza de saldo das contas . Natureza de saldo das contas Introdução Prezado candidato/aluno é de extrema importância entendermos a natureza de saldo das contas em contabilidade, em razão disse devemos separar as contas patrimoniais

Leia mais

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte TEORIA DA CONTABILIDADE 1. CONTA: Conta é o nome técnico que identifica cada componente patrimonial (bem, direito ou obrigação), bem como identifica um componente de resultado (receita ou despesas). As

Leia mais

Profa. Ma. Divane A. Silva. Unidade II CONTABILIDADE

Profa. Ma. Divane A. Silva. Unidade II CONTABILIDADE Profa. Ma. Divane A. Silva Unidade II CONTABILIDADE Contabilidade A disciplina está dividida em quatro unidades. Unidade I 1. Contabilidade Unidade II 2. Balanços sucessivos com operações que envolvem

Leia mais

Apostila 2 de Contabilidade Geral I. Prof. Ivã C Araújo

Apostila 2 de Contabilidade Geral I. Prof. Ivã C Araújo Apostila 2 de Contabilidade Geral I Prof. Ivã C Araújo 2013 Sumário 1 Procedimentos Contábeis... 3 1.1 Escrituração contábil... 3 1.1.1 Lançamentos Contábeis... 3 1.1.1.1 Fórmulas de Lançamentos... 3 1.2

Leia mais

Princípios Fundamentais Contabilidade

Princípios Fundamentais Contabilidade Princípios Fundamentais Contabilidade 1 Princípios Contábeis. Resolução CFC 750 de 29 de dezembro de 1993. Art. 3 São Princípios de Contabilidade:(2) I o da ENTIDADE; II o da CONTINUIDADE; III o da OPORTUNIDADE;

Leia mais

Contabilidade Básica

Contabilidade Básica Contabilidade Básica 2. Por Humberto Lucena 2.1 Conceito O Patrimônio, sendo o objeto da Contabilidade, define-se como o conjunto formado pelos bens, pelos direitos e pelas obrigações pertencentes a uma

Leia mais

Fones: 33829772/3383 1562 1 Av. Fernando Correa da Costa 1010, sala 22

Fones: 33829772/3383 1562 1 Av. Fernando Correa da Costa 1010, sala 22 I - APURAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO (SIMPLIFICADA) 1 - CONCEITO A Apuração do Resultado do Exercício também chamado de Rédito - consiste em verificar o resultado econômico atingido pela empresa em determinado

Leia mais

C U R S O T É C N I C O E M S E G U R A N Ç A D O T R A B A L H O. matemática. Função: definição, domínio e imagem. Elizabete Alves de Freitas

C U R S O T É C N I C O E M S E G U R A N Ç A D O T R A B A L H O. matemática. Função: definição, domínio e imagem. Elizabete Alves de Freitas C U R S O T É C N I C O E M S E G U R A N Ç A D O T R A B A L H O 11 matemática Função: definição, domínio e imagem Elizabete Alves de Freitas Governo Federal Ministério da Educação Projeto Gráfico Secretaria

Leia mais

NOÇÕES BÁSICAS DE CONTABILIDADE

NOÇÕES BÁSICAS DE CONTABILIDADE NOÇÕES BÁSICAS DE CONTABILIDADE AUTOR: PROF. FRANCISCO GLAUBER LIMA MOTA E-MAIL: motaglauber@gmail.com CONCEITO: CONTABILIDADE CIÊNCIA QUE ESTUDA E PRATICA AS FUNÇÕES DE REGISTRO, CONTROLE E ORIENTAÇÃO

Leia mais

Contabilidade Básica Prof. Jackson Luis Oshiro joshiro@ibest.com.br Conceito Conta Nome dado aos componentes patrimoniais (bens, direitos, obrigações e Patrimônio Líquido) e aos elementos de resultado

Leia mais

Logística Prof. Kleber dos Santos Ribeiro. Contabilidade. História. Contabilidade e Balanço Patrimonial

Logística Prof. Kleber dos Santos Ribeiro. Contabilidade. História. Contabilidade e Balanço Patrimonial Logística Prof. Kleber dos Santos Ribeiro Contabilidade e Balanço Patrimonial Contabilidade É a ciência teórica e prática que estuda os métodos de cálculo e registro da movimentação financeira e patrimônio

Leia mais

Balanço Patrimonial e DRE

Balanço Patrimonial e DRE Balanço Patrimonial e DRE Administração financeira e orçamentária Professor: Me. Claudio Kapp Junior Email: juniorkapp@hotmail.com 2 Demonstrações Financeiras (Contábeis) Dados Dados Coletados Coletados

Leia mais

Prova de Conhecimentos Específicos

Prova de Conhecimentos Específicos Prova de Conhecimentos Específicos Saldos para o Balancete de Verificação em 30/11/98 CONTA SALDO ($) Capital Social 10.000 Financiamentos imobiliários (curto prazo) 2.700 Caixa 250 Fornecedores (curto

Leia mais

O mecanismo de débito x crédito.

O mecanismo de débito x crédito. O mecanismo de débito x crédito. Represente os fatos abaixo, utilizando os balanços sucessivos. 1- Os sócios integralizaram capital social, no valor de R$ 1.000.000, em dinheiro. 2- Compra de veículos,

Leia mais

Para poder concluir que chegamos a: a) registrar os eventos; b) controlar o patrimônio; e c) gerar demonstrações

Para poder concluir que chegamos a: a) registrar os eventos; b) controlar o patrimônio; e c) gerar demonstrações Contabilidade: é objetivamente um sistema de informação e avaliação, destinado a prover seus usuários com demonstrações e análise de natureza econômica financeira. tratar as informações de natureza repetitiva

Leia mais

Fundamentos de Contabilidade. Representação do Patrimônio. Professor Isnard Martins

Fundamentos de Contabilidade. Representação do Patrimônio. Professor Isnard Martins Professor Isnard Martins Representação do Patrimônio Bibliografia Osni Moura Ribeiro, Contabilidade Fundamental 1Saraiva, 2011 1 O Patrimônio Direitos - são valores que a empresa tem para receber de terceiros.

Leia mais

CONTABILIDADE E CUSTOS Atualizado em 14 de abril de 2009

CONTABILIDADE E CUSTOS Atualizado em 14 de abril de 2009 Conceito de Contabilidade CONTABILIDADE E CUSTOS Atualizado em 14 de abril de 2009 Processo de identificar, mensurar e comunicar informações econômicas para permitir julgamentos e decisões fundamentais

Leia mais

CURSO de CIÊNCIAS CONTÁBEIS - Gabarito

CURSO de CIÊNCIAS CONTÁBEIS - Gabarito UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE TRANSFERÊNCIA 2 o semestre letivo de 2006 e 1 o semestre letivo de 2007 CURSO de CIÊNCIAS CONTÁBEIS - Gabarito INSTRUÇÕES AO CANDIDATO Verifique se este caderno contém:

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis 12.1. Introdução O artigo 176 da Lei nº 6.404/1976 estabelece que, ao fim de cada exercício social, a diretoria da empresa deve elaborar, com base na escrituração mercantil, as

Leia mais

Fluxo de Caixa método direto e indireto

Fluxo de Caixa método direto e indireto Fluxo de Caixa método direto e indireto A empresa Claudio Zorzo S/A apresenta inicialmente os seguintes saldos contábeis: Banco 100.000 Duplicatas a receber 80.000 Financiamentos 80.000 Capital Social

Leia mais

FUNDAMENTOS E PRÁTICAS NA EAD

FUNDAMENTOS E PRÁTICAS NA EAD CURSO TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO 03 FUNDAMENTOS E PRÁTICAS NA EAD O que é Educação a Distância Artemilson Alves de Lima Governo Federal Ministério da Educação Projeto Gráfico Secretaria de Educação

Leia mais

CONTABILIDADE E TURISMO

CONTABILIDADE E TURISMO Capítulo 1 CONTABILIDADE E TURISMO Glauber Eduardo de Oliveira Santos Capítulo 1 Informações iniciais Bibliografia básica IUDÍCIBUS, S. et al. Contabilidade Introdutória. 9 ed. São Paulo: Atlas, 2006.

Leia mais

CONTABILIDADE E TURISMO NOÇÕES PRELIMINARES 25/10/2012. Informações iniciais. Definição de contabilidade. Grupos de interesse.

CONTABILIDADE E TURISMO NOÇÕES PRELIMINARES 25/10/2012. Informações iniciais. Definição de contabilidade. Grupos de interesse. CONTABILIDADE E TURISMO Glauber Eduardo de Oliveira Santos Informações iniciais Bibliografia básica IUDÍCIBUS, S. et al. Contabilidade Introdutória. 9 ed. São Paulo: Atlas, 2006. 9 cópias na biblioteca

Leia mais

FACAPE 2008.2 - CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 3.º PERÍODO PROF. WALDENIR S. F. BRITTO - CONTABIILIDADE BÁSICA

FACAPE 2008.2 - CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 3.º PERÍODO PROF. WALDENIR S. F. BRITTO - CONTABIILIDADE BÁSICA FACAPE 2008.2 - CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 3.º PERÍODO PROF. WALDENIR S. F. BRITTO - CONTABIILIDADE BÁSICA 1 - RESPONDA TODOS OS EXERCICIOS UTILIZANDO OS TRÊS MÉTODOS DE CONTROLE DO ESTOQUE INVENTARIO PERMANENTE.

Leia mais

4º E 5º PERIODOS CIENCIAS CONTABEIS PROF NEUSA. 1- A empresa Brasil S/A apresenta inicialmente os seguintes saldos contábeis:

4º E 5º PERIODOS CIENCIAS CONTABEIS PROF NEUSA. 1- A empresa Brasil S/A apresenta inicialmente os seguintes saldos contábeis: 4º E 5º PERIODOS CIENCIAS CONTABEIS PROF NEUSA Exercícios: 1- A empresa Brasil S/A apresenta inicialmente os seguintes saldos contábeis: Banco 100.000 Duplicatas a receber 80.000 Financiamentos 80.000

Leia mais

Durante o mês de dezembro a Companhia efetuou as seguintes transações:

Durante o mês de dezembro a Companhia efetuou as seguintes transações: Durante o mês de dezembro a Companhia efetuou as seguintes transações: 1) Antecipação do pagamento de uma duplicata de $ 140.000 a um de seus fornecedores, com 2% de desconto. i 2) Efetuou os seguintes

Leia mais

10. AQUISIÇÃO DE INVESTIMENTOS COM GOODWILL, QUANDO O VALOR JUSTO É IGUAL AO VALOR PATRIMONIAL

10. AQUISIÇÃO DE INVESTIMENTOS COM GOODWILL, QUANDO O VALOR JUSTO É IGUAL AO VALOR PATRIMONIAL 790 E S A F 9. GANHOS POR COMPRA VANTAJOSA - JUSTO PAGO GANHO POR COMPRA VANTAJOSA CUSTO DE JUSTO 10. AQUISIÇÃO DE INVESTIMENTOS COM GOODWILL, QUANDO O JUSTO É IGUAL AO PATRIMONIAL goodwillvalor justoigual

Leia mais

Professor conteudista: Hildebrando Oliveira

Professor conteudista: Hildebrando Oliveira Contabilidade Professor conteudista: Hildebrando Oliveira Sumário CONTABILIDADE Unidade I 1 CONCEITO DE CONTABILIDADE...1 2 OBJETO DA CONTABILIDADE...2 3 O BALANÇO PATRIMONIAL...3 4 A CONTA...4 O RESULTADO...6

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS De acordo com o comando a que cada um dos itens de 51 a 120 se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com

Leia mais

Unidade IV. xxxx. Unidade IV. yyyy. Método das partidas dobradas

Unidade IV. xxxx. Unidade IV. yyyy. Método das partidas dobradas Unidade IV Unidade IV 4 PARTIDAS DOBRADAS DÉBITO E CRÉDITO Método das partidas dobradas Em qualquer operação há um débito e um crédito de igual valor ou um débito (ou mais débitos) de valor idêntico a

Leia mais

Unidade I CONTABILIDADE EMPRESARIAL. Prof. Amaury Aranha

Unidade I CONTABILIDADE EMPRESARIAL. Prof. Amaury Aranha Unidade I CONTABILIDADE EMPRESARIAL Prof. Amaury Aranha Sumário Unidade I Unidade I Provisão para devedores duvidosos Operações financeiras (duplicatas) Unidade II Empréstimos (pré e pós) Aplicações financeiras

Leia mais

FAPAS Contabilidade Geral Tema I - Patrimônio Candidato: Prof. Alexandre Silva de Oliveira, Dr.

FAPAS Contabilidade Geral Tema I - Patrimônio Candidato: Prof. Alexandre Silva de Oliveira, Dr. Candidato: Plano de Aula FAPAS Prof. OLIVEIRA, A. S., Dr. 1) 2) Justificativa da Aula Passiv o O estudo do patrimônio é a espinha dorsal da Teoria da Contabilidade. (Iudícibus e Marion, 2002, p. 141).

Leia mais

Sistema de contas. Capítulo 2 Sistema de contas

Sistema de contas. Capítulo 2 Sistema de contas Sistema de contas Capítulo 2 Sistema de contas SUMÁRIO: 1. Conceito 2. Teoria das contas 2.1. Teoria personalística (ou personalista) 2.2. Teoria materialística (ou materialista) 2.3. Teoria patrimonialista

Leia mais

Patrimônio Líquido. Investimentos = Financiamentos. Ativo. Passivo

Patrimônio Líquido. Investimentos = Financiamentos. Ativo. Passivo USP-FEA Disciplina: EAC0111 - Noções de Contabilidade para Administradores TEMA 3. Mecanismos Contábeis Profa. Dra. Joanília Cia (joanilia@usp.br) 1 Quais são os objetivos do tópico... Reconhecer o impacto

Leia mais

Profa. Ma. Divane A. Silva. Unidade IV CONTABILIDADE

Profa. Ma. Divane A. Silva. Unidade IV CONTABILIDADE Profa. Ma. Divane A. Silva Unidade IV CONTABILIDADE Contabilidade A disciplina está dividida em quatro unidades. Unidade I 1. Contabilidade Unidade II 2. Balanços sucessivos com operações que envolvem

Leia mais

Curso: Ciências Contábeis. Disciplina: ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Entrega dia 30 de Novembro

Curso: Ciências Contábeis. Disciplina: ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Entrega dia 30 de Novembro Faculdade Atenas Maranhense - FAMA Professor: Esp. CLEIDIANA SACCHETTO Curso: Ciências Contábeis. Disciplina: ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Entrega dia 30 de Novembro DEMONSTRAÇÃO DE LUCROS OU

Leia mais

C U R S O T É C N I C O E M S E G U R A N Ç A D O T R A B A L H O. matemática. Moeda, câmbio e conversões monetárias. Elizabete Alves de Freitas

C U R S O T É C N I C O E M S E G U R A N Ç A D O T R A B A L H O. matemática. Moeda, câmbio e conversões monetárias. Elizabete Alves de Freitas C U R S O T É C N I C O E M S E G U R A N Ç A D O T R A B A L H O 07 matemática Moeda, câmbio e conversões monetárias Elizabete Alves de Freitas Governo Federal Ministério da Educação Projeto Gráfico Secretaria

Leia mais

UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU CURSO: CIÊNCIAS CONTÁBEIS CONTABILIDADE AVANÇADA PROF FÁBIO BRUSSOLO CONSOLIDAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU CURSO: CIÊNCIAS CONTÁBEIS CONTABILIDADE AVANÇADA PROF FÁBIO BRUSSOLO CONSOLIDAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU CURSO: CIÊNCIAS CONTÁBEIS CONTABILIDADE AVANÇADA PROF FÁBIO BRUSSOLO CONSOLIDAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS CONCEITO É uma técnica contábil que consiste na unificação das

Leia mais

CONTABILIZAÇÃO DE OPERAÇÕES FINANCEIRAS

CONTABILIZAÇÃO DE OPERAÇÕES FINANCEIRAS CONTABILIZAÇÃO DE OPERAÇÕES FINANCEIRAS 1) Desconto de Duplicatas O desconto de duplicatas é uma operação muito comum nos dias atuais, por conta da grande necessidade de se fazer caixa. Nesta operação

Leia mais

Conceito de Contabilidade

Conceito de Contabilidade !" $%&!" #$ "!%!!&$$!!' %$ $(%& )* &%""$!+,%!%!& $+,&$ $(%'!%!-'"&!%%.+,&(+&$ /&$/+0!!$ & "!%!!&$$!!' % $ $(% &!)#$ %1$%, $! "# # #$ &&$ &$ 0&$ 01% & $ #$ % & #$&&$&$&* % %"!+,$%2 %"!31$%"%1%%+3!' #$ "

Leia mais

C U R S O T É C N I C O E M S E G U R A N Ç A D O T R A B A L H O. matemática. Regra de três. Elizabete Alves de Freitas

C U R S O T É C N I C O E M S E G U R A N Ç A D O T R A B A L H O. matemática. Regra de três. Elizabete Alves de Freitas C U R S O T É C N I C O E M S E G U R A N Ç A D O T R A B A L H O 02 matemática Regra de três Elizabete Alves de Freitas Governo Federal Ministério da Educação Projeto Gráfico Secretaria de Educação a

Leia mais

Vamos, então, à nossa aula de hoje! Demonstração de Fluxo de Caixa (2.ª parte) Método Indireto

Vamos, então, à nossa aula de hoje! Demonstração de Fluxo de Caixa (2.ª parte) Método Indireto Olá, pessoal! Aqui estou eu de novo, para continuar o assunto da aula passada: Fluxo de Caixa e Demonstração do Fluxo de Caixa. Assunto da maior importância, que está sendo cobrado nos atuais concursos

Leia mais

6/8/2012. Contabilidade Intermediária. Aula 1 Apuração do Resultado do Exercício. Objetivos. Objetivos. Profa. Ma. Simone Maria Menezes Dias

6/8/2012. Contabilidade Intermediária. Aula 1 Apuração do Resultado do Exercício. Objetivos. Objetivos. Profa. Ma. Simone Maria Menezes Dias Contabilidade Intermediária Aula 1 Apuração do Resultado do Exercício Profa. Ma. Simone Maria Menezes Dias Objetivos Entender a sistemática do Balancete de Verificação. Utilizar o Balancete de Verificação

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS»CONTABILIDADE «

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS»CONTABILIDADE « CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS»CONTABILIDADE «21. A respeito das funções da Contabilidade, tem-se a administrativa e a econômica. Qual das alternativas abaixo apresenta uma função econômica? a) Evitar erros

Leia mais

INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL

INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL 0401 01 IDENTIFICAÇÃO Título: CONTABILIDADE E EFICIÊNCIA NA ADMINISTRAÇÃO DO NEGÓCIO Atributo: ADMINISTRAÇÃO EFICIENTE Processo: ACOMPANHAMENTO CONTÁBIL O QUE É : Este é

Leia mais

ETEP TÉCNICO EM CONTABILIDADE MÓDULO 3 INFORMÁTICA 3 2012 PÓS MÉDIO

ETEP TÉCNICO EM CONTABILIDADE MÓDULO 3 INFORMÁTICA 3 2012 PÓS MÉDIO 2012 TÉCNICO EM CONTABILIDADE MÓDULO 3 INFORMÁTICA 3 PÓS MÉDIO 1 AULA 1 Verificação de Erros cometidos no Domínio Escrita Fiscal Para verificar o que já foi realizado no domínio escrita fiscal (e também

Leia mais

Artigo 04 Exercício Comentado Balanço Patrimonial PROFESSORA: Ivana Agostinho. Hoje vamos resolver um exercício sobre Balanço Patrimonial.

Artigo 04 Exercício Comentado Balanço Patrimonial PROFESSORA: Ivana Agostinho. Hoje vamos resolver um exercício sobre Balanço Patrimonial. Caro(a) aluno(a), Tudo bem? Hoje vamos resolver um exercício sobre Balanço Patrimonial. Só para refrescar sua memória, o Balanço Patrimonial é a demonstração financeira que evidencia, qualitativa e quantitativamente,

Leia mais

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS.

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. I. BALANÇO ATIVO 111 Clientes: duplicatas a receber provenientes das vendas a prazo da empresa no curso de suas operações

Leia mais

Contabilidade bem básica

Contabilidade bem básica Contabilidade bem básica Instruções simples para que você possa compreender todo o conteúdo do site. A contabilidade é uma base para os demais. Conceitos de contabilidade básica O que é contabilidade?

Leia mais

Como elaborar o fluxo de caixa pelo método indireto? - ParteII

Como elaborar o fluxo de caixa pelo método indireto? - ParteII Como elaborar o fluxo de caixa pelo método indireto? - ParteII Montando o fluxo de caixa pelo método indireto Situações especiais na montagem do fluxo de caixa Caso prático completo Como utilizar os quadros

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRO GRAU Seção Judiciária do Rio Grande do Norte Rua Dr. Lauro Pinto, nº 245, Lagoa Nova, Natal/RN

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRO GRAU Seção Judiciária do Rio Grande do Norte Rua Dr. Lauro Pinto, nº 245, Lagoa Nova, Natal/RN PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRO GRAU Seção Judiciária do Rio Grande do Norte Rua Dr. Lauro Pinto, nº 245, Lagoa Nova, Natal/RN PROCESSO SELETIVO PARA ESTÁGIO REMUNERADO EM CIÊNCIAS

Leia mais

Contabilidade Básica. Prof. Jackson Luis Oshiro joshiro@ibest.com.br. Escrituração. Conceito. Capítulo 5 Escrituração.

Contabilidade Básica. Prof. Jackson Luis Oshiro joshiro@ibest.com.br. Escrituração. Conceito. Capítulo 5 Escrituração. Contabilidade Básica Prof. Jackson Luis Oshiro joshiro@ibest.com.br Conceito É uma técnica contábil que consiste em registrar nos livros próprios todos os acontecimentos que ocorrem na empresa e que modifiquem

Leia mais

Capítulo 02: O Método das Partidas Dobradas

Capítulo 02: O Método das Partidas Dobradas Capítulo 02: O Método das Partidas Dobradas Livro Base: Contabilidade Básica César Augusto Tibúrcio Silva & Gilberto Tristão Universidade de Brasília - UnB Departamento de Ciências Contábeis e Atuariais

Leia mais

Contas. Osni Moura Ribeiro ; Contabilidade Fundamental 1, Editora Saraiva- ISBN 9788502065901

Contas. Osni Moura Ribeiro ; Contabilidade Fundamental 1, Editora Saraiva- ISBN 9788502065901 Contas 2.1. Conceito Na sua linguagem cotidiana, o que representa a palavra conta? Você poderá responder: Uma operação aritmética de soma, subtração, multiplicação ou divisão; A conta de água e esgoto,

Leia mais

Razonete e Balancete

Razonete e Balancete Razonete e Balancete 6.1. Razonete Também denominada gráfico em T ou conta em T, o razonete nada mais é do que uma versão simplificada do livro Razão. O livro Razão é o mais importante dos livros utilizados

Leia mais

Contabilidade Geral Correção da Prova APO 2010 Prof. Moraes Junior CONTABILIDADE GERAL

Contabilidade Geral Correção da Prova APO 2010 Prof. Moraes Junior CONTABILIDADE GERAL CONTABILIDADE GERAL 61- De acordo com a 750/93, do Conselho Federal de Contabilidade, foram aprovados os seguintes Princípios Fundamentais de Contabilidade: da Competência; da Prudência; do Denominador

Leia mais

Marketing Prof. Sidney Leone. Hoje Você Aprenderá: Ferramentas. Gestão Financeira: Planejamento Financeiro

Marketing Prof. Sidney Leone. Hoje Você Aprenderá: Ferramentas. Gestão Financeira: Planejamento Financeiro Marketing Prof. Sidney Leone Gestão Financeira: Planejamento Financeiro Hoje Você Aprenderá: Demonstrativos financeiros da empresa (Balanço Patrimonial, DRE, DMPL etc...) Análise econômicofinanceira.(fluxo

Leia mais

Artigo 02 Exercício Comentado - Débito e Crédito PROFESSORA: Ivana Agostinho

Artigo 02 Exercício Comentado - Débito e Crédito PROFESSORA: Ivana Agostinho Caro(a) aluno(a), Tudo bem? Hoje vamos resolver um exercício que aborda o mecanismo contábil do débito e do crédito, assunto que costuma dar um pouquinho de dor de cabeça nos iniciantes... Vou simplificar

Leia mais

CONTABILIDADE NA PRÁTICA, RÁPIDA E FÁCIL

CONTABILIDADE NA PRÁTICA, RÁPIDA E FÁCIL 1 CONTABILIDADE NA PRÁTICA, RÁPIDA E FÁCIL 2 SUMÁRIO CONTABILIDADE, INFORMAÇÃO CONTÁBIL...3 PATRIMÔNIO...3 METODOS DAS PARTIDAS DOBRADAS...7 BALANÇO PATRIMONIAL...7 FÓRUMULAS DE LANÇAMENTOS...7 RETIFICAÇÃO

Leia mais

Obrigações. Fornecedores 45.000. Salários a pagar 75.000. Impostos a recolher 20.000. Patrimônio Líquido. Capital Social 100.000. Reservas 30.

Obrigações. Fornecedores 45.000. Salários a pagar 75.000. Impostos a recolher 20.000. Patrimônio Líquido. Capital Social 100.000. Reservas 30. Você acessou como Administrador Usuário (Sair) Info Resultados Visualização prévia Modificar Visualização prévia de Contabilidade Geral Iniciar novamente 1 Considerando: I- A contabilidade estuda e controla

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL / composição 1

BALANÇO PATRIMONIAL / composição 1 BALANÇO PATRIMONIAL / composição 1 ATIVO CIRCULANTE Compreende contas que estão constantemente em giro, sua conversão em moeda corrente ocorrerá, no máximo, até o próximo exercício social. As contas devem

Leia mais

Lista de Exercícios ENADE

Lista de Exercícios ENADE Curso: ADMINISTRAÇÃO Data: Goiânia 15/09/2012 Disciplina: Contabilidade Geral Turma: ADM 03 Turno: Noturno Carga Horária: 72 Professor: Esp. Erik Silva. Lista de Exercícios ENADE Exercício n.01 (IRB-2004-ESAF)

Leia mais

Procedimentos Básicos de Escrituração

Procedimentos Básicos de Escrituração Procedimentos Básicos de Escrituração 1- Conceito Escrituração é uma técnica contábil que consiste em registrar nos livros próprios (Diário, Razão, Caixa etc.) todos os acontecimentos que ocorrem na empresa

Leia mais

Para realizar a Aula Atividade de hoje, você precisa ter estudado os itens a seguir:

Para realizar a Aula Atividade de hoje, você precisa ter estudado os itens a seguir: Disciplina: Aluno(a): FUNDAMENTOS DE CONTABILIDADE I RA: Aula Atividade 1 Para realizar a Aula Atividade de hoje, você precisa ter estudado os itens a seguir: Aula Satélite 1 Apostila Capítulo(s) 2 e 4

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 15

PROVA ESPECÍFICA Cargo 15 14 PROVA ESPECÍFICA Cargo 15 QUESTÃO 31 O Ativo representa um conjunto de: a) bens intangíveis. b) dinheiro na empresa. c) bens para investimento. d) bens e direitos da empresa. QUESTÃO 32 Um pagamento

Leia mais

O BANCO DO DESENVOLVIMENTO PROVA DISCURSIVA PROFISSIONAL BÁSICO - CIÊNCIAS CONTÁBEIS LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

O BANCO DO DESENVOLVIMENTO PROVA DISCURSIVA PROFISSIONAL BÁSICO - CIÊNCIAS CONTÁBEIS LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 04 NOVEMBRO / 2009 O BANCO DO DESENVOLVIMENTO PROVA DISCURSIVA PROFISSIONAL BÁSICO - CIÊNCIAS CONTÁBEIS (2 a FASE) LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material:

Leia mais

Neste artigo comentarei 06 (seis) questões da ESAF, para que vocês, que estão estudando para a Receita Federal, façam uma rápida revisão!!

Neste artigo comentarei 06 (seis) questões da ESAF, para que vocês, que estão estudando para a Receita Federal, façam uma rápida revisão!! Olá concurseiros (as)! Neste artigo comentarei 06 (seis) questões da ESAF, para que vocês, que estão estudando para a Receita Federal, façam uma rápida revisão!! Vamos lá!!! 01. (ESAF Analista da Receita

Leia mais

Curso de Graduação em Ciências Contábeis

Curso de Graduação em Ciências Contábeis PRODUÇÃO TEXTUAL INTERDISCIPLINAR EM GRUPO TEMA: Contabilidade Empresarial e Trabalhista OBJETIVO: Olá, sejam todos muito bem vindos, para mais um semestre do Curso de Ciências Contábeis. Vocês terão a

Leia mais

EMPREENDEDORISMO NO AGRONEGÓCIO

EMPREENDEDORISMO NO AGRONEGÓCIO CURSO TÉCNICO EM PESCA 05 EMPREENDEDORISMO NO AGRONEGÓCIO Cadeia produtiva da pesca/aquicultura e Arranjos Produtivos Locais Soniamar Zschornack Rodrigues Saraiva Governo Federal Ministério da Educação

Leia mais

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte TEORIA DA CONTABILIDADE Como vimos em aulas passadas, a Contabilidade engloba duas funções: 1. Função Administrativa: Controla o Patrimônio mediante registro dos fatos contábeis em livros apropriados (Diário

Leia mais

Aula 2 - Técnicas contábeis e Demonstrações Financeiras. Prof Adelino Correia

Aula 2 - Técnicas contábeis e Demonstrações Financeiras. Prof Adelino Correia Tema: Técnicas Contábeis e Demonstrações Financeiras MATERIAL DE APOIO - ENVIADO PELO PROFESSOR Índice 1. Síntese Técnicas Contábeis e Demonstrações Financeiras 2. Simulado 3. Gabarito Aula 2 - Técnicas

Leia mais