Palavras-chave: Educação.Tecnologias computacionais. Planejamento. Educação a Distância. Mercosul.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Palavras-chave: Educação.Tecnologias computacionais. Planejamento. Educação a Distância. Mercosul."

Transcrição

1 As tecnologias computacionais na Educação a Distância e o planejamento como ferramenta na contribuição e desenvolvimento da aprendizagem: uma análise no Mercosul: Brasil e Paraguai Alexandre Franco Aranha Bacharel em Administração pela Faculdade Batista Brasileira. Licenciado em Matemática pela Faculdade de Ciências Educacionais. Especialização em Metodologia do Ensino Superior com Ênfase em Novas Tecnologias. Resumo Busca, no contexto histórico da educação e dentro de revisões bibliográficas, uma análise das relações que surgem, oferecendo conflitos, pela falta de políticas sociais levadas, guiadas ou dirigidas pelo interesse de determinadas facções ou grupos sociais articulados, como houve no final da primeira República e início da Segunda, assim como as tecnologias associadas, que impulsionaram as possibilidades de integração entre quem ensina e quem aprende, de forma ágil e com recursos multimídia, e com a utilização de ferramentas de planejamento empregadas na educação. O artigo demonstra que dentro do contexto histórico, verifica-se a tentativa de se estruturar, no país, uma política de diretrizes e base da educação, que se diverge em duas partes principais: de um lado o ideal da implantação da pedagogia tradicional pelos católicos e do outro o ideal pela pedagogia com base na escola novista, desenvolvida principalmente nos Estados Unidos da América, defendida por intelectuais na época, como por exemplo, Anísio Teixeira. Aborda o contexto histórico da educação e as ferramentas computacionais na utilização do desenvolvimento da aprendizagem, como forma de impulsionar as metodologias educacionais em sua aplicabilidade, onde perpassa sua utilização inclusive em países membros do Mercado Sul Americano, como exemplo, a Educação à Distância. A pesquisa mostra, também, os incrementos de novas tecnologias associadas ou inseridas na educação, utilizando processo de planejamento, que por longos anos, também, sofreu várias transformações no desenvolvimento da aprendizagem, forte propulsora no desenvolvimento dos processos de ensino-aprendizagem, que possibilita manter, de forma fácil e rápida, a interação professor-aluno, até sua inserção na educação, e o avesso que é a exclusão destas classes, na utilização da tecnologia, como forma de desenvolver a aprendizagem. Se a educação levou décadas para sua democratização, a tecnologia consolidase em estrutura, a solidez desta democratização. Palavras-chave: Educação.Tecnologias computacionais. Planejamento. Educação a Distância. Mercosul. Domus on line: rev. Teor. pol. soc. Cidad., Salvador, v. 6/7, n. 1/12, p , jan./dez. 2009/

2 Computer technologies in distance education and planning as a tool in the assessment and development of learning: an analysis in Mercosur: Brazil and Paraguay Abstract Looking at the historical context of education and within literature review, an analysis of the relationships that emerge, offering conflict, lack of social policies led, guided or directed by the interests of certain social groups or factions articulated, as there was at the end of the First Republic and beginning of the second, as well as associated technologies have spurred the integration possibilities between those who teach and those who learn, in an agile and multimedia features, and the use of planning tools employed in education. The article demonstrates that within the historical context, there is the attempt to structure in the country, a policy and guidelines based education, which diverges into two main parts: on one hand the ideal deployment of traditional pedagogy by catholics and the other by the ideal school-based pedagogy novista, developed mainly in the United States of America, defended by intellectuals at the time, such as Teixeira. Discusses the historical context of education and the use of computational tools in the development of learning as a way to boost the educational methodologies in its applicability, which permeates their use in member countries including South American Market, as an example, the Distance Education. The research also shows the increments of new technologies associated with or embedded in education, using planning process, which for many years has also undergone several transformations in learning development, strong driving the development of teaching and learning, which enables keeping, easily and quickly, the teacher-student interaction, to its insertion in education, and the reverse, which is the exclusion of these classes, the use of technology as a way to develop learning. If the education took decades for its democratization, the technology is consolidated in structure, the strength of this democratization. Keywords: Education. Computer technologies. Planning. Distance education. MERCOSUL. 1 INTRODUÇÃO A educação brasileira em muito tem passado por oscilações durante sua história, desde o entusiasmo pela educação, ao otimismo pedagógico de meado da década de 20 ao inicio de 30, passando pelas reflexões pedagógicas, onde endossava as teses da pedagogia nova, até a imposição pela constituinte de 1937, onde o Estado Novo se desincumbiu da educação pública, assumindo apenas um papel de subsidiário, na educação em classes populares em Novamente, em 1964, a educação volta a não ser de interesse público. Conheceu, durante 21 anos, a ditadura, a repressão educacional, a privatização do ensino e novamente a exclusão da parcela das classes populares. Segundo Ghiraldelli (1996) Só uma visão Domus on line: rev. Teor. pol. soc. Cidad., Salvador, v. 6/7, n. 1/12, p , jan./dez. 2009/

3 otimista/ingênua poderia encontrar indícios de saldo positivo na herança deixada pela ditadura. Outra abordagem será um paralelo dentro da pesquisa por definição na utilização no processo de ensino-aprendizagem, a ferramenta planejamento, seu uso na gestão educacional, a fim de obter o resultado desejado e a forma de prevê e distribuição dos conhecimentos organizados e participativos, além de apresentar as novas ferramentas computacionais na utilização do desenvolvimento da aprendizagem, como forma de impulsionar as metodologias educacionais, como podemos citar a Educação a Distância (EAD): [...] há muito que evoluir não somente no aspecto tecnológico, mas, sobretudo no que diz respeito á sua democratização, permitindo o acesso de camadas da população de baixa renda. (ALVES, 2003, p. 64). Diante de políticas protecionistas e paternalistas 1 aplicadas pelo governo, nota-se que o intuito é preencher uma imensa lacuna de irresponsabilidade, pela exclusão de boa parte da população, articulando projetos de inclusão e inserção das novas tecnologias para o desenvolvimento de aprendizagem para esta população excluída. Toda a coleta de dados deste trabalho está organizada para proporcionar à sociedade, como um todo, a importância das novas tecnologias computacionais inseridas como ferramentas na Educação e a sua acessibilidade pelas classes populares, no desenvolvimento da Educação, além de apresentar, de forma clara, as novas formas de aprender, com o uso da Internet, onde o aluno vai descobrir e viajar para novos locais, estando no seu próprio mundo, definido o momento para a realização dos seus estudos. As razões pelas quais tornam a pesquisa relevante é pelo fato da relação entre tecnologia, educação e mundo, estarem em constante mudança, pois, muito se deve, de um quadro social, político e econômico brasileiro, não muito recente; desde a transição do império, a primeira República, principalmente na década de 20, onde se dá o início a um surto de crescimento industrial, um melhoramento nas redes telegráficas, ferroviárias e portuárias. Assim, a Educação conhece duas frentes de desenvolvimento educacional, o entusiasmo pela Educação, otimismo pedagógico como inicio da popularização da Educação e a inserção de novas tecnologias computacionais, no desenvolvimento educacional para as classes populares, e a Educação tradicional, idealizada pela Igreja Católica, única mantenedora do conhecimento. Os entusiastas pela educação fomentaram, desta forma, contribuições teóricas, a fim de prover, à realidade atual, o fenômeno pesquisado. Como na história da Educação, assim como no avanço tecnológico computacional, surge a discussão: como a tecnologia Domus on line: rev. Teor. pol. soc. Cidad., Salvador, v. 6/7, n. 1/12, p , jan./dez. 2009/

4 computacional requer um planejamento de ensino e como são inseridas na Educação, contribuindo para aprendizagem, entre as classes menos favorecidas? O computador, a Internet, os softwares e as mídias são tecnologias computacionais utilizadas na educação, como ferramentas na contribuição do desenvolvimento da aprendizagem das classes populares em Salvador-Bahia, como é o caso da criação dos infocentros, pelo Departamento de Modernização da Secretária de Segurança Pública e o Projeto de Inclusão Digital, pelo Ministério das Tecnologias do Governo Federal, que utilizam as ferramentas computacionais, na Educação, para incluir o indivíduo na era digital, sendo muito utilizado para a proposta da Educação a Distância (EAD). Sendo, ainda, uma tecnologia pouco manipulada por professores e educadores, estes abnegam as tecnologias computacionais por indiferença ou resistência às novas formas de educar, não oferecendo ao individuo a inserção desta tecnologia, como forma de contribuir para a Educação, o extraído da sociedade da informação e tornando-o excluído da era digital. Muito bem observados nos planejamentos de ensino e os de aula, elaborados pelos professores educadores 2 e por instituições educacionais. 2 PLANEJAMENTO É imprescindível que toda aplicação de recursos materiais utilizados para o desenvolvimento do ensino-aprendizagem requer, a fim de obter melhor desempenho e êxito nos objetivos findo, o planejamento. 2.1 O INÍCIO DA APLICABILIDADE COMO INSTRUMENTOS NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM Segundo Delcia et al. (1994 p.34) [...] planejar é a previsão metódica de uma ação a ser desencadeada e a racionalização dos meios para atingir os fins. Mais do que planejar uma ação, com propósitos de se chegar a um determinado objetivo educacional, os professores e instituições de educação, podem tornar o ato de ensinar algo mecanizado e aplicado de forma errônea e, por conseguinte, não atingirá esses objetivos propostos inicialmente; daí é que se faz necessário que o planejamento seja direcionado com o intuito no desenvolvimento cultural e social do homem, contribuindo para a sua dignificação. No processo de planejamento, a estrutura obedece, em sua formatação, a planos que significa projetar objetivos e metas para serem alcançados. Domus on line: rev. Teor. pol. soc. Cidad., Salvador, v. 6/7, n. 1/12, p , jan./dez. 2009/

5 Na educação, o planejamento de ensino divide-se em plano de curso, de unidade e o plano de aula, onde torna necessário a sua execução, como o intuito de observarmos mudanças comportamentais, integração de estudo oriundos do ambiente extra escolar e inter escolar, contribuições em dimensões filosófica, psicológica e social, onde o aprendizado não só passa a ser transmitida como mera informação, mas a constituição dentro de experiências trazidas e colaborada no ensino-aprendizagem, professor e aluno no contexto social real. Entendermos por objetivos educacionais formulações explicitas das mudanças que, se espera, ocorrerem nos alunos mediante o processo educacional, isto é, dos moldes como aluno modificam seu pensamento, seus sentimentos e suas ações. (DELCIA et al., 1994, p. 43) Fica claro que dentro do planejamento de ensino, os objetivos explicitam o que se quer desenvolver no aluno: os objetivos cognitivos, afetivos e os psicomotores. Trata-se da diversidade de fatos que serão abstraídos do aluno, do ambiente e do próprio professor. [...] Entretanto, a realização de uma serie extrema de objetivos não se converteria nunca em uma possibilidade prática se necessitarmos experiências especiais para cada objetivo. São indispensáveis experiências de aprendizagem que levem em si mesma oportunidade para alcançar objetivos múltiplos ou, em outras palavras para por em prática diversos comportamento. O alcance de objetivos múltiplos compreende também o aumento de oportunidade para aprendizagem ativa. (DELCIA et al., 1994, p. 36) 2.2 OS TIPOS DE PLANEJAMENTO APLICADOS NA EDUCAÇÃO Como planejar é condição indiscutível para a realização de uma ação, a fim de obter êxito nos objetivos proposto, surgindo assim a necessidade de verificarmos os tipos de planejamento e as suas influências na educação. Segundo Maximiniano (2000) [...] o planejamento como processo é a ferramenta que as pessoas e organização visam para administrar suas relações com o futuro. O planejamento é uma forma hierarquizada, como se partisse do geral até o atendimento de objetivos específicos de uma ação desenvolvida. Podemos assim, tipificar os planejamentos utilizados na Educação como: a) o planejamento educacional; b) o planejamento curricular; Domus on line: rev. Teor. pol. soc. Cidad., Salvador, v. 6/7, n. 1/12, p , jan./dez. 2009/

6 c) o planejamento de ensino: - o plano de curso; - o plano de unidade; - e o plano de aula. Como início, no processo educacional é montado no primeiro momento utilizando o planejamento educacional como [...] processo contínuo que se preocupa com o para onde ir e quais as maneiras adequadas para chegar lá, tendo em vista a situação presente e a possibilidade futuras, para que o desenvolvimento da educação atenda tanto as necessidades do desenvolvimento da sociedade, quanto do individuo. (COARACY, 1972, p. 79). Verifica-se que no planejamento educacional propõem-se os objetivos e traçam-se os requisitos necessários para obter êxito no processo de ensino-aprendizagem. Outro tipo de planejamento é o curricular, não sendo estudado como uma grade curricular imutável, estável, não dinâmico, mas sim, é a forma organizada, sistêmica, dinâmica do modo a concentrar o maior campo do conhecimento abordado para que atinja o objeto máximo do ensino-aprendizagem. Portanto, o planejamento curricular deve, além de atender à estruturação do conteúdo e do desenvolvimento de habilidades específicas, atendem, também à junção e a mobilização dos conhecimentos abordados e comuns do dia a dia do aluno. Como define bem Delcia et al. (1994, p. 54). Uma tarefa multidisciplinar que tem por objeto organização de um sistema de relações lógica e psicológicas dentro de um ou vários campos do conhecimento, de tal modo que se favoreça ao máximo o processo ensinoaprendizagem. Em todas as atividades desenvolvidas pelo professor na sala de aula, mesmo já traçadas no planejamento educacional e no curricular, haverá a necessidade de um planejamento de ensino, que é na verdade, um guia onde irá mostrar o inicio sistêmico, um direcionamento do projeto de educar, a fim de atingir os objetivos propostos no processo de ensinoaprendizagem. Poderá ser realizado de forma abrangente ou até mesmo específico, de forma hierarquizada; os professores dispõem de uma subdivisão do planejamento de ensino que são: Domus on line: rev. Teor. pol. soc. Cidad., Salvador, v. 6/7, n. 1/12, p , jan./dez. 2009/

7 o Plano de Curso, onde ações serão desenvolvidas num período de um ano ou maior período; sua abrangência total reflete nos cursos; temos o Plano de Unidade, onde as ações serão observadas e executadas por disciplinas, numa esfera menor que a do plano de curso; e temos por fim, Plano de Aula, onde realizarão e materializarão os planos diariamente aplicados pelo professor. Num planejamento de ensino os processos de decisão são múltiplos e pra cada etapa existem várias alternativas. Estas devem ser selecionadas de tal forma que cada uma constitua pré-requisito para cada etapa seguinte. (CAPPELLETTI, p. 123). Nota que a autora em descrever que as decisões são múltiplas para cada etapa no processo de ensino, vislumbrando a abrangência que um planejamento de ensino, deve possuir, quando da tentativa de traçar metas e objetivos para o ensino e os quais terão variações nestes mesmos objetivos específicos, principalmente quando se tratar dos objetivos cognitivos, todo o processo que estará contido no planejamento de ensino é de formular, explicitamente, mudanças que se espera que ocorra, ou não, no aluno. Já, na Ciência Administrativa verifica-se que o processo de planejamento compreende três etapas: a) definição dos objetivos; b) os meios de execução; c) a forma de controle, que são distribuídas em três níveis: - o estratégico; - o funcional; - o operacional. Em muito, assemelham-se aos moldes e necessidades na educação. Plano estratégico é o processo de definições de objetivos e de metas a fim de realizá-los [...]. Planos Funcionais são elaborados para possibilitar a realização de planos estratégicos [...] e por fim os planos operacionais processo de definir atividades e recursos. (UNVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA, 2006, p. 83). Domus on line: rev. Teor. pol. soc. Cidad., Salvador, v. 6/7, n. 1/12, p , jan./dez. 2009/

8 2.3 ENSINAR E APRENDER COM A UTILIZAÇÃO DE RECURSOS PRÉ- DETERMINADOS NO PLANEJAMENTO Fica claro e notório que todos os recursos de ensino utilizado pelo professor, em sala, para facilitar o aprendizado do aluno, utilizando determinada forma de transmissão do conhecimento e sua discussão em sala de aula, proporciona uma interação e intervenção da realidade com o aluno. Para se atingir este objetivo, será necessário ter escrito e ditado no planejamento de ensino. Porém, surge um questionamento por parte do aplicador do plano: para que serve os recursos de ensino? a resposta para esta indagação seja em atender de forma clara e objetiva o estímulo do aluno em sala de aula no processo de aprendizagem, ou seja, [...] são componentes do ambiente de aprendizagem que dão origem à estimulação para o aluno. (GAGNEÉ, 1971, p. 247). Não podemos confundir que os equipamentos de apoio ao ensino, seja o fim ou a substituição do professor, ou seja, a utilização de recursos de ensino para o processo de aprendizagem é apoio ao processo de ensino-aprendizagem, uma ferramenta do profissional da educação, para melhor desempenho em sala de aula. É comum notar que professores já utilizavam no processo de ensino, principalmente nos seus planos de aula, os recursos de ensino disponíveis na época da formulação de seus planejamentos; isto significa que em determinado período da historia da educação não existia a aplicação dos computadores em sala, por motivos variados, como por exemplo: a tecnologia nova, muito cara, utilização que necessitava de treinamentos específicos, entre outras. Tradicionalmente, havia uma classificação fixa e rígida dos recursos de ensino utilizada pelos professores em sala de aula, como por exemplo: recursos visuais: cartazes e gravuras; recursos auditivos: rádio, e recursos áudio visual: televisão. É claro, que os itens mencionados acima são apenas exemplos de recursos, que os professores em determinada época, tinham à sua disposição. Entretanto, ainda hoje são muito utilizados os recursos de ensino daquela época, com uma enorme variação de ferramenta à disposição do professor, atualmente e principalmente com o advento das novas tecnologias computacionais, que antes não eram acessíveis; hoje, as ferramentas são realidade para melhor desempenho profissional dos professores. Hoje em dia, os recursos adotados no planejamento de ensino têm a presença cada vez mais marcante das tecnologias computacionais, empregados na educação, e, por conseguinte, permitem que esta educação quebre barreiras físicas e políticas, como é o caso da Educação a Distância (EAD), pois revela-nos um quadro paradoxal da realidade; se por um lado existem Domus on line: rev. Teor. pol. soc. Cidad., Salvador, v. 6/7, n. 1/12, p , jan./dez. 2009/

9 professores com resistência de aplicar ferramentas computacionais na transmissão do conhecimento, por outro, temos uma sociedade ainda com pouco ou nenhum acesso a essa tecnologia. Hoje, todos admitem que, conhecer sistemas de informação é essencial para os administradores, porque a maioria das organizações precisa deles para sobreviver e prosperar. (LAUDON; LAUDON, 2006, p. 7) O professor, como principal articulador no processo de ensino, não poderá, mesmo que seja trabalhoso ou difícil, por falta de treinamento, na qual esta última deverá buscar treinamento especializado, negar a aplicação de ferramenta computacional como recurso de ensino, apesar desta tecnologia está cada vez mais sendo aperfeiçoadas e com multimídias variadas. O professor deverá sempre utilizar os recursos que achar mais importante para facilitar o processo de ensino-aprendizagem, não perdendo de vista que, como motivador no processo terá que inserir constante e gradativamente tecnologias associadas como ferramenta de ensino dentro das salas de aula, pois assim, diminui-se o aspecto sobre o desconhecimento das tecnologias computacionais por parte do aluno. Não sendo aqui conhecidas como inclusão digital, que significa acesso pela sociedade às tecnologias computacionais, mas sim, o conhecimento da aplicação das tecnologias, como ferramenta de transmissão do conhecimento. 2.4 O PROFESSOR: ATOR NO PROCESSO DE MOTIVAÇÃO Motivação, expressão utilizada e designada para [..] ação ou efeito de motivar, dar motivo: a) causar, despertar o interesse ou a curiosidade de: estimular, incentivar, mover [...], conforme XIMENES (1999). Então, enquanto ator no principal papel da transmissão do conhecimento, o professor deverá despertar a curiosidade, estimular, incitar a busca do saber, do conhecer e do interagir. Fatos do dia a dia dos alunos irão apresentar em sala, e o professor não poderá deixar de interagir e ajudar quando se tratando do processo de ensino-aprendizagem. Algumas falhas mostram que um determinado aluno poderá sofrer forte influência negativa sobre a inércia do professor em sala ou até o não estimular no processo de aprendizagem. [...] o professor, geralmente mostrava-se irritado por ter que ensinar a um principiante. O professor nunca estava satisfeito com os progressos de seu aluno. Às vezes ridicularizava e insultava o aluno; utilizava o violão como instrumento de castigo: como você aprendeu a lição de ontem, hoje praticará Domus on line: rev. Teor. pol. soc. Cidad., Salvador, v. 6/7, n. 1/12, p , jan./dez. 2009/

10 uma hora a mais; a janela da sala de aula dava para o campo de futebol onde o aluno viu seus amigos jogando; os amigos zombavam dela; o aluno nunca sabia o que o professor esperava dele em relação ao progresso na aprendizagem; o professor não utilizava nenhum recurso didático; o professor nunca perguntava ao aluno se havia entendido as explicações; as vezes, queria que o aluno soubesse coisas que ele nunca havia ensinado. (PILETTI, 1990, p. 233). Fica claro que, se houvesse um planejamento anterior que estabelecesse quais os recursos que serão utilizados no processo de ensino, sendo estes recursos acompanhados, na medida do possível aos avanços tecnológicos, principalmente para a Educação a Distância, iria instigar, estimular o aluno à descoberta do novo saber, do conhecer, e fadado estará o professor a atingir os objetivos propostos, que de forma geral será o aprendizado. Motivar não é um processo fácil, e que todo e qualquer professor, após sua preparação que detém um conhecimento específico da sua matéria está capacitado para entrar em sala e, como passo de mágica, fomentando ao aluno à motivação, o aprender, o que se deseja ensinar dentro do planejamento pré-estabelecido. O óbvio é que, mesmo estando preparada para ministrar uma aula pelos conhecimentos adquiridos, uma pequena parte do professor ainda requer algo para estar completo, e que não está disponível nas escolas para serem treinados. Podemos aqui chamar de atividade e sensibilidade da realidade vivida pelo aluno. O professor, apesar de utilizar tecnologias computacionais como ferramenta para melhorar o entendimento do aluno ministrado em sala, planejando suas ações pela técnica pedagógica, deverá apresentar sensibilidade da realidade dos seus alunos, a fim de não estar cometendo um equívoco, ou de até não estar sendo entendido, além da criatividade, que somente caso a caso, ou seja, professor a professor poderá analisar como, quando e para quem poderá utilizar uma determinada ação e equipamentos para motivar o aluno. Não podemos aqui imaginar que somente os recursos de ensino farão o papel de motivação, mas sim, os recursos aliados às novas tecnologias e sua aplicação de forma criativa e sensível à realidade dos alunos, pode tornar o ensino-aprendizagem menos traumática e mais participativa. Motivar um aluno não é tarefa fácil. Muitas vezes o professor conhece as teorias e técnicas de motivação da aprendizagem, mas ele próprio não está motivado para ensinar. Os alunos percebem essa desmotivação e apesar das técnicas e dos métodos de ensino utilizados, não demonstra maior entusiasmo pela matéria [...] a falta de motivação para aprender pode ter origem na não satisfação de necessidades que antecedem a necessidade do conhecimento, um aluno com fome ou muito cansado, por exemplo, dificilmente terá motivação para aprender. (PILLET, 1990, p. 237). Domus on line: rev. Teor. pol. soc. Cidad., Salvador, v. 6/7, n. 1/12, p , jan./dez. 2009/

11 2.5 LEI DE DIRETRIZES E BASE: EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. USO DAS TECNOLOGIAS COMPUTACIONAIS A própria Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) estabelece que o planejamento é visto como uma ferramenta para alcançar os objetivos da formação do homem, segundo o que trata o Art. 1 0 da LDB, e seus incisos Da educação - Art A educação abrange os processos formativos que se desenvolvem na vida familiar, na convivência humana, no trabalho, nas instituições de ensino e pesquisa, nos movimentos sociais e organizações da sociedade civil e nas manifestações culturais. 1º. Esta Lei disciplina a educação escolar, que se desenvolve, prédominantemente, por meio do ensino, em instituições próprias. 2º. A educação escolar deverá vincular-se ao mundo do trabalho e à prática social. (BRASIL, 1996). O Ministério da Educação, para viabilizar o processo de abrangência da educação, de forma ampla e sem fronteiras estruturais, como a parede da sala de aula, resolve, por Decreto n , de 19 de dezembro de 2005, regulamentar o art. 80 da Lei n de 20 de dezembro de Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, estabelecendo a educação a distância, como modalidade na qual a mediação nos processos de aprendizagem é feita por uso incondicional da tecnologia da informação, principalmente a rede de computadores, e professores [tutores] com conhecimentos razoáveis destas tecnologias. Foi o Ministério da Educação que criou a Secretaria de Educação a Distância (SEAD), setor responsável em incorporar tecnologias nos processos de ensino e a aprendizagem. Desta forma, o governo utiliza as tecnologias para atingir seus objetivos, ensinar e educar à distância. Resgatando o Governo Brasileiro, o período histórico onde se manteve afastado das diretrizes. CAPÍTULO 1 - DAS DISPOSIÇÕES GERAIS - Art. 1 0 Para os fins deste Decreto, caracteriza-se a educação a distância como modalidade educacional na qual a mediação didático-pedagógica nos processos de ensino e aprendizagem ocorre com a utilização de meios e tecnologias de informação e comunicação, com estudantes e professores desenvolvendo atividades educativas em lugares ou tempos diversos. 1 A educação a distância organiza-se segundo metodologia, gestão e avaliação peculiares, para as quais deverá estar prevista a Domus on line: rev. Teor. pol. soc. Cidad., Salvador, v. 6/7, n. 1/12, p , jan./dez. 2009/

12 obrigatoriedade de momentos presenciais para: I - avaliações de estudantes; II - estágios obrigatórios, quando previstos na legislação pertinente; III - defesa de trabalhos de conclusão de curso, quando previstos na legislação pertinente; e IV - atividades relacionadas a laboratórios de ensino, quando for o caso. Art. 2 0 A educação a distância poderá ser ofertada nos seguintes níveis e modalidades educacionais: I - educação básica, nos termos do art. 30 deste Decreto; II - educação de jovens e adultos, nos termos do art. 37 da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996; III - educação especial, respeitadas as especificidades legais pertinentes; IV - educação profissional, abrangendo os seguintes cursos e programas: a) técnicos, de nível médio; e b) tecnológicos, de nível superior; V - educação superior, abrangendo os seguintes cursos e programas: a) sequenciais; b) de graduação; c) de especialização; d) de mestrado; e e) de doutorado. Art. 30 A criação, organização, oferta e desenvolvimento de cursos e programas a distância deverão observar ao estabelecido na legislação e em regulamentações em vigor, para os respectivos níveis e modalidades da educação nacional. 1 Os cursos e programas a distância deverão ser projetados com a mesma duração definida para os respectivos cursos na modalidade presencial. 2 Os cursos e programas a distância poderão aceitar transferência e aproveitar estudos realizados pelos estudantes em cursos e programas presenciais, da mesma forma que as certificações totais ou parciais obtidas nos cursos e programas a distância poderão ser aceitas em outros cursos e programas a distância e em cursos e programas presenciais, conforme a legislação em vigor. (BRASIL, 2005). 2.6 NOVAS FORMAS DE ENSINAR E APRENDER UMA VISÃO DA EDUCAÇÃO SEM FRONTEIRAS, MERCOSUL A exemplo de utilização de tecnologias computacionais associadas na educação, de forma planejada no bloco econômico Mercado Comum Sul Americano (MERCOSUL), está a Universidade Autônoma de Assunção (UAA), que representa esta nova modalidade de transmissão de conhecimentos. Como no Brasil, o Paraguai também, de forma análoga, adota parâmetros que são sugeridos por lei, entretanto, todos têm as mesmas convicções sobre o uso das tecnologias, ampla interação professor e aluno e sua facilidade em atender de forma rápida e a qualquer tempo na relação do ensino-aprendizado. A Universidade Autônoma de Assunção tem sua origem na Faculdade de Administração de Empresas (HESS), fundada em A instituição está estabelecida como uma associação civil sem fins lucrativos, com a missão de produzir e divulgar conhecimento na área específica das Ciências Sociais: Domus on line: rev. Teor. pol. soc. Cidad., Salvador, v. 6/7, n. 1/12, p , jan./dez. 2009/

13 o negócio, com um vasto âmbito, independentemente de política, social ou religiosa interessados em adquirir conhecimento. Com o passar do tempo, em um cenário de crescente demanda por educação e formação atraído pela seriedade, exigência e excelência do ensino ministrado na instituição. A AESA foi crescente infraestrutura e expandir a sua oferta acadêmica de diferentes áreas do conhecimento, tanto das Ciências Sociais e Tecnologia, Ciências Humanas, Direito e Política. Com o advento da democracia no Paraguai, ESAE fundou uma universidade com base em sua infraestrutura humana, física e desenvolvimento organizacional: a Universidade Autônoma de Assunção, em A Universidad Autónoma de Asunción (UAA) é regida pelas regras estabelecidas na Lei n º 136/93 de Universidades e por seus próprios estatutos, gozando de autonomia financeira, financeira, organizacional e acadêmico. Pelo caráter e status, não tem definições de políticas ou religiosas Em 1994, os cursos de Pós-Graduação começar oferecendo aos profissionais a oportunidade de completar os seus conhecimentos com visão superior. Atualmente, a Divisão de Pós- Graduação oferece mais de 30 programas, apoiados por um primeironúmero de funcionários de nível, preparados para enfrentar as mudanças necessárias vinte e sociedade do século primeiro. Os estudantes nacionais que participem em suas classes e de diferentes pontos do MERCOSUL (UNIVERSIDADE AUTONOMA DE ASSUNÇÃO, 2009b). Muitos critérios são estabelecidos, entretanto, sem os planos de ensino ou os planejamentos educacionais e os objetivos de ampliar-se a forma de transmissão do conhecimento, ficará sem obter os resultados esperados, o que não demonstra o papel da escola. Assim, alguns métodos para obter esta eficácia, resumem, de acordo com o portal da UAA, no seguinte: A Universidade Autônoma de Assunção, no Paraguai, continua a ser um líder na implementação deste método: Proporcionar maior acesso ao conhecimento, aprendendo habilidades, aptidões e atitudes, bem como expandir relacionamentos. Superar as barreiras geográficas, sociais, religiosas, culturais, infraestrutura educacional e da falta de restrições pessoais. Desenvolver um espírito de perseverança e tenacidade, as chaves para a vida. Permite que os alunos a organizar o seu tempo e estratégias de aprendizagem, de forma autônoma com o apoio de tutores. Dê a cada aluno a oportunidade de entrar site da universidade para o livre acesso aos contactos com os professores, uma biblioteca virtual, entre os cursos que estão matriculados, os alunos mantêm contato com outros professores que estão online. Assegura um quadro de professores qualificados, que desenvolvem módulos, desenvolver tutoriais, receber e corrigir testes. (UNIVERSIDADE AUTONOMA DE ASSUNÇÃO, 2009a). Domus on line: rev. Teor. pol. soc. Cidad., Salvador, v. 6/7, n. 1/12, p , jan./dez. 2009/

14 Desta forma, podemos verificar que, no Brasil, assim como em países do MERCOSUL, a exemplo do Paraguai, a utilização das tecnologias computacionais e o planejamento para se atingir o objetivo do ensino na aprendizagem do aluno, torna cada vez mais uma realidade sem barreiras físicas ou estruturais, conectando pessoas para um objetivo, sua meta, conhecimentos. Características do produto: Educação através de uma Educação à Distância. Utilizando uma metodologia específica com o uso combinado de mídia impressa e das novas tecnologias da aprendizagem. Assistência aos estudantes através de professores e orientadores dos diferentes métodos de comunicação entre professores e alunos: telefone, , chat, fax, . A excelência educativa que os mesmos enfrentam. A facilidade de acesso. Capacidade para interagir com outros estudantes. Seguimento por parte dos professores. Exames parciais distância. Treinamento no uso de novas tecnologias. Acessibilidade para grupos grandes. Ritmo de aprendizagem, de acordo com as condições individuais. Autonomia e individualidade do aluno. Combina as ocupações com o aluno e a família. (UNIVERSIDADE AUTONOMA DE ASSUNÇÃO, 2009a). 3 AS TECNOLOGIAS COMPUTACIONAIS, INSERIDAS COMO INSTRUMENTOS DE APOIO AO PROFESSOR Observa-se que as tecnologias avançam cada vez mais, e não interagir com esses meios tecnológicos é manter-se, de modo artesanal, o processo de ensino-aprendizagem, e de não levar em conta, o dia a dia do aluno que está, ou não, utilizando-se das tecnologias colocadas a sua disposição. Ao professor, do quadro de giz até o projetor de mídia [data show], pode apresentar-se um quadro claro de que o ensino passou por transformações, devido aos instrumentos educacionais e computacionais, a serviço da aprendizagem. Instrumentos como o computador, as multimídias, o próprio data show, a Internet e unidades de armazenamentos, que são, sem dúvidas, equipamentos que estão à disposição do professor, na atualidade, o qual os utiliza para facilitar a transmissão do conhecimento de modo tal que o aluno aprenda por estar ouvindo comentários diferentes, imagens coloridas que movimentam-se ou até interagir com tais equipamentos que estão à disposição no processo de ensino-aprendizagem. Na verdade, o professor não pode estar preso ao passado devido ao avanço de tais tecnologias, mas, sim, farse-á necessário que o professor, como motivador no processo de ensino-aprendizagem, facilite Domus on line: rev. Teor. pol. soc. Cidad., Salvador, v. 6/7, n. 1/12, p , jan./dez. 2009/

15 o entendimento do conhecimento para que torne a interação do ensino com a aprendizagem, ou seja, a transmissão do conhecimento pelo professor e o entendimento por sua aplicabilidade ao aluno. 3.1 PRINCIPAIS TECNOLOGIAS COMPUTACIONAIS: A INTERNET, A MULTIMÍDIA, O DATA SHOW, O COMPUTADOR O computador surgiu da necessidade do homem em criar e tornar máquinas capazes de servi-lo. Por momentos históricos, o computador teve como função inicial redigir cálculos complexos até a comunicação entre si. Sua comercialização somente começou a partir de 1981, com os computadores UNIVAC I e IBM 701. Nesta evolução constate da tecnologia, muitos pesquisadores já informam que estamos na sociedade informação, onde o computador passa a ser um equipamento de comunicação programável e com capacidade de armazenamento e de processamento. Computador é uma máquina eletrônica de processamento e armazenamento de dados, programável com alta capacidade de armazenamento [...] aliada a uma altíssima velocidade de fazer cálculos [10 milhões de instruções por segundo]. (CHUH et al., 1994, p. 12). A Internet, através do fato histórico que, com o advento da guerra fria dois países lideravam um parque tecnológico avançado para o tempo passado e para o presente, os Estados Unidos da América (EUA) e a União Soviética. Deste fato, os EUA elaboraram uma rede de computadores que comunicavam entre si e que recebeu o nome de ARPANET, que começou a funcionar em Com certeza, após a criação do computador como meio inicial de cálculos complexos e posteriormente sua utilização como comunicação entre um ou mais computadores, como um dos equipamentos que seriam necessários utilizar-se na educação. Verificou-se, que os avanços tecnológicos computacionais aliados à comunicação com softwares, utilizados e dirigidos para uma interação entre aluno e professor no processo de ensino-aprendizagem, seriam uma resposta para atender, de maneira rápida e gradual, ao ensino, que antes era fixo e rígido em estrutura física e por uma série de métodos tradicionais que não estavam acompanhando a sociedade da informação. Não significa que acabou a escola, símbolo de Domus on line: rev. Teor. pol. soc. Cidad., Salvador, v. 6/7, n. 1/12, p , jan./dez. 2009/

16 estrutura física que representa o saber, local de passagem de conhecimento; a busca do conhecimento, apenas abriu a oportunidade de levar este símbolo, a escola para qualquer lugar, a qualquer hora, atendendo a necessidade principal do aluno. A Internet foi uma das ferramentas computacionais que mais evolui e avançou tecnologicamente, criando soluções para a educação, o que antes não poderia se deslocar até uma casa, ou até de um sítio, ou um lugarejo só para ensinar a um punhado de alunos; com a Internet se consegue atingir um punhado alunos cada vez maior e com adaptações de horários e tempo para transformação do conhecimento. A educação a distância (EAD) pode e tem sido realizado por diversos meios, seja radio, correios, telefone, televisão, dentre outros. No entanto o sucesso dos cursos não depende unicamente da tecnologia empregada, assim como, muitas experiências atuais não obtêm êxito esperado devido a diversos fatores alheios ao meio tecnológico. Entretanto, não pode negar que com o surgimento de novas tecnologias de informação e comunicação (NTIC), originadas na década de 60 e consolidadas nos anos de 90, tem corroborado sensivelmente para o crescimento da educação a distância. (ALVES, 2003, p. 67). O data show (DS) é um equipamento de projeção de multimídias, com resolução de alta qualidade e transferência de dados por meio de armazenamento móvel como disquetes, cdrom ou pen drive, e na verdade um avanço da tecnologia do retro-projetor, que em sua época era considerado uma ferramenta indispensável para visualização de textos gráficos ou tabelas, facilitando o entendimento. Não há como negar que o DS tem maior luminosidade do que um retroprojetor. É verdade, também, o DS tem vantagem de armazenamento e acesso de imagens. Com um disquete, cd-rom ou pen drive que pode-se armazenar um arquivo com dezenas de imagens seja do word ou power point ou qualquer outro editor de texto e imagem. Porém, a diferença de luminosidade entre o retroprojetor e o DS não é de proporção que justifique o sepultamento do primeiro em favor do segundo. A dificuldade com o armazenamento de arquivos e imagens no retroprojetor pode ser contornado criando-se arquivos ou pastas de transparências. Hoje, algumas instituições permitem ao professor converter slides de power point em transparências de retroprojetor, bastando ao professor enviar o arquivo por via eletrônica ou disquete ao setor responsável. O boom dos computadores, do telefone e da tecnologia de televisão, bem como a fusão dessas tecnologias, vêm tendo grande impacto na maneira Domus on line: rev. Teor. pol. soc. Cidad., Salvador, v. 6/7, n. 1/12, p , jan./dez. 2009/

17 pela qual as empresas fabricam e vendem seus produtos. Á medida que a tecnologia vem proporcionando alimentos, roupas, moradias, veículos e possibilidades de entretenimento novos e melhores, nossas vidas têm mudadas muito. (KOTLER, 1998, p. 25). 4 UMA APLICAÇÃO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA EM SALVADOR Pode-se notar que está longe ainda do desafio de incluir todo brasileiro, principalmente as classes populares, na difusão do conhecimento e do uso da informática, no dia a dia. O governo empenha esforços para criar espaços cada vez mais dirigidos para incluir as classes populares no conhecimento de informática, ai entendendo as ferramentas como Internet, o computador, a multimídia. A Secretária de Segurança Publica Nacional e do Estado da Bahia cria projetos onde o objetivo é a inclusão digital e o ensino de ferramentas computacionais, com a educação a distância, passam a ter maior direcionamento e relevância. A Secretaria Nacional de Segurança Pública (SENASP) também utilizando das tecnologias computacionais, para transmitir o conhecimento aos recursos humano disponível para a área de Segurança Pública, a exemplo, podemos citar o Programa Nacional de Segurança Pública (PRONACI), que viabiliza o curso à distância, fomentando desta maneira, o conhecimento e o aperfeiçoamento dos profissionais. Outro Projeto é desenvolvido pelo Governo do Estado, e Governo Federal em parceria, no desenvolvimento dos inforcentros, que são salas de informática com acesso gratuito á Internet e infraestrutura para realização de cursos contendo 10 computadores para usuários e 01 servidor, interligado com conexão banda larga; utilizam sistemas operacionais Linux, editor de texto, entre outros aplicativos. E, disponibiliza cursos inteiramente grátis, para comunidade circunvizinha dos Batalhões de Polícia Militar. 5 CONCLUSÃO Podemos notar que, historicamente, a educação passa por várias transformações, sociais, políticas e tecnológicas; esta última como apoio indiscutível ao processo de ensinoaprendizagem. Os educadores passaram a usar as ferramentas tecnológicas e ferramentas de planejamento no processo de ensino. A reestruturação das Leis no Brasil e que perpassam fronteiras, como exemplo o Paraguai, ligadas à educação, adotaram tecnologias computacionais para levar conhecimento em locais distantes e agrupar um número maior de Domus on line: rev. Teor. pol. soc. Cidad., Salvador, v. 6/7, n. 1/12, p , jan./dez. 2009/

18 pessoas no processo de ensino. A educação a distância é um exemplo de planejamento com utilização de recursos apoiados por lei ou normas. O planejamento é a gestão do processo de ensino; são os ditames de onde quer chegar, promovendo uma precisão do futuro e do desenvolvimento de ações racionais, a sociedade da informação, e sem dúvida uma realidade presente, exigente, principalmente, para profissionais da educação que têm à sua disposição, ferramenta tecnológica tais como: computadores, data show, software ligados na educação, TV com circuito fechado, ente outros. Nota-se que o governo brasileiro e instituições de educação no Paraguai, demonstrando que a EAD é uma forma de integrar e abarcar um maior número de pessoas, oferecendo e transmitindo conhecimentos, como projeto do PRONACI, os Infocentros e na Educação Superior. Entre vários pontos históricos abordados, é destaque o momento atual, onde o destaque está no planejamento educacional como estratégia, e garantir ao aluno uma melhor forma de visualizar e entender o assunto transmitido, devido ser elencado no plano de aula do professor; as tecnologias computacionais serão utilizadas para melhor forma de transmitir os assuntos. Fica claro, que comunidades circunvizinhas a quartéis e ás universidades de Salvador irão ter acesso gratuito com implemento da tecnologia computacional, assim como as barreiras entre países, tornando-se um grande bloco sem paredes físicas; o conhecimento é aberto a todos. O objetivo geral é analisar a educação desde o seu contexto histórico e a participação de classes populares à educação e às tecnologias computacionais, utilizadas como ferramentas, para o melhoramento da aprendizagem. Como objetivo específico, o projeto mostra um retrato imparcial da inserção das tecnologias computacionais na educação, e como contribui para o desenvolvimento da aprendizagem nas classes populares de Salvador-Bahia. NOTAS 1 Protecionista e paternalista, o primeiro, é um sistema que favorece preferencialmente as indústrias e segundo, é um comportamento adotado por autoridades nas relações entre chefe e seus subordinados de caráter patriarcal, uma forte tendência de disfarçar o autoritarismo. Luft (2000). 2 Segundo Luft (2000), educador é a pessoa que promove o desenvolvimento harmônico de sua capacidade física e intelectual e moral. Domus on line: rev. Teor. pol. soc. Cidad., Salvador, v. 6/7, n. 1/12, p , jan./dez. 2009/

19 AGRADECIMENTOS A Deus, em primeiro lugar. À minha esposa, pelo apoio e incentivo. Mãe e filho pela paciência da minha ausência. À Faculdade Batista Brasileira, pelo espaço concedido. REFERÊNCIAS ALVES, Cristina. (Org.). Tecnologia e educação: trilhando novos rumos. Salvador, BRASIL. Decreto n , de 19 de dezembro de Regulamenta o art. 80 da Lei n , de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/ldb.pdf>. Acesso em: 14 out BRASIL. Lei n de 20 de dezembro de Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/ldb.pdf>. Acesso em: 14 out CAPPELLETTI, Isabel Franchi. Planejamento de ensino. Revista Escola, São Paulo, n. 5, abr CHUH, Kan et al. Manual do curso profissional Windows Systema da Byte, COARACY, Joanna. O planejamento como processo. Revista da Educação, Brasília, v. 1, n. 4, p. 79, DELCIA, Enricone et al. Planejamento de ensino e avaliação. 4. ed. São Paulo: Atica, GAGNEÉ, Paulo. Filosofia da Educação. 2. ed. São Paulo, GHIRALDELLI JR., Paulo. História da Educação. 8. ed. São Paulo: Moderna, KOTLER, Philip. Administração de marketing, análise, planejamento, implementação e controle. 5. ed. São Paulo: Atlas, LANDON, Kenneth C. E.; LANDON, Jane Price. Sistemas de informação gerenciais: administrando a empresa digital. 5. ed. São Paulo: Pearson, LUFT, Celso Pedro. Minidicionario Luft. 20. ed. São Paulo: Ática, MAXIMIANO, Antonio César Amaru. Introdução à Administração. 5 ed. São Paulo: Atlas, PILETTI, Claudino. Didática geral. 11. ed. São Paulo: Ática, Domus on line: rev. Teor. pol. soc. Cidad., Salvador, v. 6/7, n. 1/12, p , jan./dez. 2009/

20 UNIVERSIDADE AUTONOMA DE ASSUNÇÃO. Disponível em: <http://www.uaa.edu.py/educ_a_distancia/ventajas.html>. Acesso em: 14 out. 2009a. UNIVERSIDADE AUTONOMA DE ASSUNÇÃO. Disponível em: <http://www.uaa.edu.py/postgrado/es/launiversidad>. Acesso em: 14 set. 2009b. UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA. Planejamento governamental. Palhoça, XIMENES, Sérgio. Minidicionário da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Ediouro, Artigo recebido em 10/09/2010 e aceito para publicação 20/01/2011. Domus on line: rev. Teor. pol. soc. Cidad., Salvador, v. 6/7, n. 1/12, p , jan./dez. 2009/

Módulo 1. Introdução. 1.1 O que é EAD?

Módulo 1. Introdução. 1.1 O que é EAD? Módulo 1. Introdução Cada vez mais o mundo social e do trabalho necessitam de sujeitos capazes de fazer a diferença através de suas ações e atitudes. A utilização do ambiente virtual, como meio de interação

Leia mais

O PAPEL DO TUTOR A DISTÂNCIA NO ENSINO DE INFORMÁTICA: A EXPERIÊNCIA DO CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET UAB/IFSUL

O PAPEL DO TUTOR A DISTÂNCIA NO ENSINO DE INFORMÁTICA: A EXPERIÊNCIA DO CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET UAB/IFSUL O PAPEL DO TUTOR A DISTÂNCIA NO ENSINO DE INFORMÁTICA: A EXPERIÊNCIA DO CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET UAB/IFSUL Pelotas RS Maio 2010 Letícia Marques Vargas IFSul le.mvargas@gmail.com Gabriela

Leia mais

Educação a Distância: uma alternativa para a UFBA? Introdução

Educação a Distância: uma alternativa para a UFBA? Introdução Educação a Distância: uma alternativa para a UFBA? Nicia Cristina Rocha Riccio nicia@ufba.br Introdução Com o advento das tecnologias de informação e comunicação (TICs) a Educação a Distância (EAD) ganha

Leia mais

Pedagogia. Objetivos deste tema. 3 Sub-temas compõem a aula. Tecnologias da informação e mídias digitais na educação. Prof. Marcos Munhoz da Costa

Pedagogia. Objetivos deste tema. 3 Sub-temas compõem a aula. Tecnologias da informação e mídias digitais na educação. Prof. Marcos Munhoz da Costa Pedagogia Prof. Marcos Munhoz da Costa Tecnologias da informação e mídias digitais na educação Objetivos deste tema Refletir sobre as mudanças de experiências do corpo com o advento das novas tecnologias;

Leia mais

Projeto Pedagógico Institucional PPI FESPSP FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI

Projeto Pedagógico Institucional PPI FESPSP FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI Grupo Acadêmico Pedagógico - Agosto 2010 O Projeto Pedagógico Institucional (PPI) expressa os fundamentos filosóficos,

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA: UMA PROPOSTA UTILIZANDO TECNOLOGIAS

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA: UMA PROPOSTA UTILIZANDO TECNOLOGIAS I Mostra de Iniciação Científica I MIC 23 e 24 de setembro de 2011 Instituto Federal Catarinense Campus Concórdia Concórdia SC INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CAMPUS CONCÓRDIA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES

Leia mais

Revisitando os Desafios da Web: Como Avaliar Alunos Online

Revisitando os Desafios da Web: Como Avaliar Alunos Online Revisitando os Desafios da Web: Como Avaliar Alunos Online Neide Santos neide@ime.uerj.br 2º Seminário de Pesquisa em EAD Experiências e reflexões sobre as relações entre o ensino presencial e a distância

Leia mais

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade O caminho para o sucesso Promovendo o desenvolvimento para além da universidade Visão geral Há mais de 40 anos, a Unigranrio investe em ensino diferenciado no Brasil para cumprir com seu principal objetivo

Leia mais

Técnicas, Legislação e Operação de Sistemas de Educação a Distância (EAD) Módulo/Disciplina Tecnologia Educacional em EAD

Técnicas, Legislação e Operação de Sistemas de Educação a Distância (EAD) Módulo/Disciplina Tecnologia Educacional em EAD 1 Curso Técnicas, Legislação e Operação de Sistemas de Educação a Distância (EAD) Módulo/Disciplina Tecnologia Educacional em EAD Unidade I Material Instrucional - Texto 1. Introdução Qualquer que seja

Leia mais

RESOLUÇÃO N 012, de 02 de dezembro de 2008

RESOLUÇÃO N 012, de 02 de dezembro de 2008 CONSUC Parecer 12/2008 Aprovado em 02/12/2008 RESOLUÇÃO N 012, de 02 de dezembro de 2008 Cria o Núcleo de Educação a Distância (NEAD) e aprova seu Regimento Interno O DIRETOR GERAL DA FACULDADE DAS AMÉRICAS,

Leia mais

O ENSINO DE ESPANHOL COMO LE COM OS RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS NA PLATAFORMA MOODLE*

O ENSINO DE ESPANHOL COMO LE COM OS RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS NA PLATAFORMA MOODLE* 1 O ENSINO DE ESPANHOL COMO LE COM OS RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS NA PLATAFORMA MOODLE* Resumo Este trabalho se propõe a analisar o curso de extensão universitária CESB (Curso de Espanhol Básico) para

Leia mais

ESTRATÉGIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA PERSPECTIVA DAS NOVAS TECNOLOGIAS

ESTRATÉGIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA PERSPECTIVA DAS NOVAS TECNOLOGIAS 1 ESTRATÉGIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA PERSPECTIVA DAS NOVAS TECNOLOGIAS INTRODUÇÃO Marilda Coelho da Silva marildagabriela@yahoo.com.br Mestrado Profissional Formação de Professores UEPB As

Leia mais

FATORES PARA A INCLUSÃO NO MERCADO DE TRABALHO: EDUCAÇÃO, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO DAS QUALIDADES PESSOAIS

FATORES PARA A INCLUSÃO NO MERCADO DE TRABALHO: EDUCAÇÃO, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO DAS QUALIDADES PESSOAIS 1 FATORES PARA A INCLUSÃO NO MERCADO DE TRABALHO: EDUCAÇÃO, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO DAS QUALIDADES PESSOAIS MAURICIO SEBASTIÃO DE BARROS 1 RESUMO Este artigo tem como objetivo apresentar as atuais

Leia mais

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF)

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) Maio de 2007 Maria Rachel Barbosa Fundação Trompovsky (Apoio ao NEAD CENTRAN) rachel@centran.eb.br Vanessa Maria

Leia mais

Projetos de informatização educacional. Ketiuce Ferreira Silva 3º Período G1 Professora: Gilca

Projetos de informatização educacional. Ketiuce Ferreira Silva 3º Período G1 Professora: Gilca Projetos de informatização educacional Ketiuce Ferreira Silva 3º Período G1 Professora: Gilca O uso do computador como instrumento de educação ainda não é uma realidade para muitos no Brasil, mas aqui

Leia mais

Projeto Político-Pedagógico Estudo técnico de seus pressupostos, paradigma e propostas

Projeto Político-Pedagógico Estudo técnico de seus pressupostos, paradigma e propostas Projeto Político-Pedagógico Estudo técnico de seus pressupostos, paradigma e propostas Introdução A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional afirma que cabe aos estabelecimentos de ensino definir

Leia mais

11º GV - Vereador Floriano Pesaro

11º GV - Vereador Floriano Pesaro PROJETO DE LEI Nº 95/2011 Dispõe sobre a Política Municipal de Atendimento de Educação Especial, por meio do Programa INCLUI, instituído pelo Decreto nº 51.778, de 14 de setembro de 2010, e dá outras providências.

Leia mais

EaD como estratégia de capacitação

EaD como estratégia de capacitação EaD como estratégia de capacitação A EaD no processo Ensino Aprendizagem O desenvolvimento das tecnologias de informação e comunicação (tics) deu novo impulso a EaD, colocando-a em evidência na última

Leia mais

PROPOSTA PEDAGOGICA CENETEC Educação Profissional. Índice Sistemático. Capitulo I Da apresentação...02. Capitulo II

PROPOSTA PEDAGOGICA CENETEC Educação Profissional. Índice Sistemático. Capitulo I Da apresentação...02. Capitulo II Índice Sistemático Capitulo I Da apresentação...02 Capitulo II Dos objetivos da proposta pedagógica...02 Capitulo III Dos fundamentos da proposta pedagógica...02 Capitulo IV Da sinopse histórica...03 Capitulo

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Básica Diretoria de Formulação de Conteúdos Educacionais Programa Nacional de Tecnologia Educacional

Ministério da Educação Secretaria de Educação Básica Diretoria de Formulação de Conteúdos Educacionais Programa Nacional de Tecnologia Educacional Ministério da Educação Secretaria de Educação Básica Diretoria de Formulação de Conteúdos Educacionais Programa Nacional de Tecnologia Educacional SEB DCE CGMID COGTEC PROINFO SEB SECRETARIA DE EDUCAÇÃO

Leia mais

Proposta do projeto de extensão: Inclusão digital dos softwares livres na comunidade escolar da rede pública em Aracaju SE

Proposta do projeto de extensão: Inclusão digital dos softwares livres na comunidade escolar da rede pública em Aracaju SE Proposta do projeto de extensão: Inclusão digital dos softwares livres na comunidade escolar da rede pública em Aracaju SE Resumo O projeto tem como objetivo principal promover a inclusão digital dos softwares

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO CAIRU O QUE VOCÊ PRECISA SABER: Por que fazer uma pós-graduação?

PÓS-GRADUAÇÃO CAIRU O QUE VOCÊ PRECISA SABER: Por que fazer uma pós-graduação? PÓS-GRADUAÇÃO CAIRU O QUE VOCÊ PRECISA SABER: Por que fazer uma pós-graduação? O mercado do trabalho está cada vez mais exigente. Hoje em dia, um certificado de pós-graduação é imprescindível para garantia

Leia mais

a) As características sob a forma de Ensino à Distância:

a) As características sob a forma de Ensino à Distância: Guia do curso EaD O parecer do Conselho Nacional de Educação, homologado pelo Ministro da Educação por meio de Portaria publicada no Diário Oficial, pode ser encontrado nos termos da Lei 9.394/96 (LDB),

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE EDUCATIVO PARA O PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO SOFTWARE DEVELOPMENT FOR EDUCATIONAL PROCESS OF LITERACY

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE EDUCATIVO PARA O PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO SOFTWARE DEVELOPMENT FOR EDUCATIONAL PROCESS OF LITERACY DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE EDUCATIVO PARA O PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO SOFTWARE DEVELOPMENT FOR EDUCATIONAL PROCESS OF LITERACY Daiyane Akemi Morimoto- Graduanda em Pedagogia- Unisalesiano de Linsday_akemi@hotmail,com

Leia mais

Sistema de Educação a Distância Publica no Brasil UAB- Universidade Aberta do Brasil. Fernando Jose Spanhol, Dr

Sistema de Educação a Distância Publica no Brasil UAB- Universidade Aberta do Brasil. Fernando Jose Spanhol, Dr Sistema de Educação a Distância Publica no Brasil UAB- Universidade Aberta do Brasil Fernando Jose Spanhol, Dr www.egc.ufsc.br www.led.ufsc.br O Sistema UAB Denominação representativa genérica para a rede

Leia mais

CONSELHO UNIVERSITÁRIO

CONSELHO UNIVERSITÁRIO P R O P O S T A D E P A R E C E R CONSELHO UNIVERSITÁRIO PROCESS0 Nº: 007/2014 ASSUNTO: Proposta de texto Construção de Políticas e Práticas de Educação a Distância a ser incluído no Plano de Desenvolvimento

Leia mais

RESOLUÇÃO. Artigo 1º Fica aprovado, conforme anexo, o Regulamento da Coordenação de Ensino a Distância do Centro Universitário Franciscano do Paraná.

RESOLUÇÃO. Artigo 1º Fica aprovado, conforme anexo, o Regulamento da Coordenação de Ensino a Distância do Centro Universitário Franciscano do Paraná. RESOLUÇÃO CONSEPE 14/2006 Referenda a aprovação do Regulamento da Coordenação de Ensino a Distância do Centro Universitário Franciscano do Paraná. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão

Leia mais

WEB-RÁDIO MÓDULO 2: RÁDIO

WEB-RÁDIO MÓDULO 2: RÁDIO WEB-RÁDIO MÓDULO 2: RÁDIO NOME DO PROJETO Web Rádio: Escola César Cals- Disseminando novas tecnologias via web ENDREÇO ELETRÔNICO www.eccalsofqx.seduc.ce.gov.br PERÍODO DE EXECUÇÃO Março a Dezembro de

Leia mais

OS LIMITES DO ENSINO A DISTÂNCIA. Claudson Santana Almeida

OS LIMITES DO ENSINO A DISTÂNCIA. Claudson Santana Almeida OS LIMITES DO ENSINO A DISTÂNCIA Claudson Santana Almeida Junho 2012 Introdução O que o leitor encontrará neste artigo? Uma apresentação do sistema de Ensino a Distância (EAD), conhecer as vantagens e

Leia mais

PROJETO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA - FIC. Multimídia

PROJETO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA - FIC. Multimídia PROJETO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA - FIC Multimídia Prof.ª Sylvia Augusta Catharina Fernandes Correia de Lima Floresta - PE 2013 CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA - FIC 1. IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES CREDENCIAMENTO DE PÓLO DE APOIO PRESENCIAL PARA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES CREDENCIAMENTO DE PÓLO DE APOIO PRESENCIAL PARA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação a Distância SEED Departamento de Regulação e Supervisão da Educação a Distância - Dresead Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira

Leia mais

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES Edson Crisostomo dos Santos Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES edsoncrisostomo@yahoo.es

Leia mais

PROPOSTA DE UM MODELO DE SISTEMA HIPERMÍDIA PARA APRESENTAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

PROPOSTA DE UM MODELO DE SISTEMA HIPERMÍDIA PARA APRESENTAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO PROPOSTA DE UM MODELO DE SISTEMA HIPERMÍDIA PARA APRESENTAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Fabiana Pacheco Lopes 1 1 Universidade Presidente Antônio Carlos (UNIPAC) fabipl_21@yahoo.com.br Resumo.Este

Leia mais

SIC 56/07. Belo Horizonte, 8 de novembro de 2007.

SIC 56/07. Belo Horizonte, 8 de novembro de 2007. SIC 56/07 Belo Horizonte, 8 de novembro de 2007. 1. DIRETRIZES PARA A ELABORAÇÃO, PELO INEP, DOS INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO PARA O CREDENCIAMENTO DE INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR E SEUS PÓLOS DE APOIO

Leia mais

Pesquisa com Professores de Escolas e com Alunos da Graduação em Matemática

Pesquisa com Professores de Escolas e com Alunos da Graduação em Matemática Pesquisa com Professores de Escolas e com Alunos da Graduação em Matemática Rene Baltazar Introdução Serão abordados, neste trabalho, significados e características de Professor Pesquisador e as conseqüências,

Leia mais

Planejamento didático para o ensino de Surdos na perspectiva bilíngue. Vinicius Martins Flores Universidade Luterana do Brasil ULBRA

Planejamento didático para o ensino de Surdos na perspectiva bilíngue. Vinicius Martins Flores Universidade Luterana do Brasil ULBRA Planejamento didático para o ensino de Surdos na perspectiva bilíngue. Vinicius Martins Flores Universidade Luterana do Brasil ULBRA Resumo: O presente trabalho apresenta uma análise, que se originou a

Leia mais

Observatórios Virtuais

Observatórios Virtuais UNIVASF: UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE SÃO FRANCISCO TRABALHO DE ASTROFÍSICA ALUNO: PEDRO DAVID PEDROSA PROFESSOR: MILITÃO CURSO: MESTRADO NACIONAL PROFISSIONAL EM ENSINO DE FÍSICA Observatórios Virtuais

Leia mais

ITINERÁRIOS FORMATIVOS: CAMINHOS POSSÍVEIS NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL

ITINERÁRIOS FORMATIVOS: CAMINHOS POSSÍVEIS NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL ITINERÁRIOS FORMATIVOS: CAMINHOS POSSÍVEIS NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL Resumo Gabriel Mathias Carneiro Leão1 - IFPR, UFPR Rosane de Fátima Batista Teixeira2 - IFPR Grupo de Trabalho Cultura, Currículo e Saberes

Leia mais

**Graduandas em Turismo - Universidade Federal de Minas Gerais babicddelgado@gmail.com; carinafneves@hotmail.com; nilleeee@hotmail.

**Graduandas em Turismo - Universidade Federal de Minas Gerais babicddelgado@gmail.com; carinafneves@hotmail.com; nilleeee@hotmail. EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA: OS SOFTWARES LIVRES COMO MEIOS DE ACESSO À GRADUAÇÃO DE TURISMO* Bárbara Cardoso Delgado Carina Fernandes Neves Janille de Oliveira Morais RESUMO Pretende-se delinear uma análise

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO: CES

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO: CES PARECER CNE/CES 1.302/2001 - HOMOLOGADO Despacho do Ministro em 4/3/2002, publicado no Diário Oficial da União de 5/3/2002, Seção 1, p. 15. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO:

Leia mais

2 - Sabemos que a educação à distância vem ocupando um importante espaço no mundo educacional. Como podemos identificar o Brasil nesse contexto?

2 - Sabemos que a educação à distância vem ocupando um importante espaço no mundo educacional. Como podemos identificar o Brasil nesse contexto? A EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA E O FUTURO Arnaldo Niskier 1 - Qual a relação existente entre as transformações do mundo educacional e profissional e a educação à distância? A educação à distância pressupõe uma

Leia mais

softwares que cumprem a função de mediar o ensino a distância veiculado através da internet ou espaço virtual. PEREIRA (2007)

softwares que cumprem a função de mediar o ensino a distância veiculado através da internet ou espaço virtual. PEREIRA (2007) 1 Introdução Em todo mundo, a Educação a Distância (EAD) passa por um processo evolutivo principalmente após a criação da internet. Os recursos tecnológicos oferecidos pela web permitem a EAD ferramentas

Leia mais

EDITAL Nº 077/ 2014 EDITAL DE CHAMADA PARA SELEÇÃO DE ALUNOS PARA CURSO DE APERFEIÇOAMENTO DE PRODUÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICOS EJA NA DIVERSIDADE

EDITAL Nº 077/ 2014 EDITAL DE CHAMADA PARA SELEÇÃO DE ALUNOS PARA CURSO DE APERFEIÇOAMENTO DE PRODUÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICOS EJA NA DIVERSIDADE EDITAL Nº 077/ 2014 EDITAL DE CHAMADA PARA SELEÇÃO DE ALUNOS PARA CURSO DE APERFEIÇOAMENTO DE PRODUÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICOS EJA NA DIVERSIDADE A Universidade Federal do Paraná (UFPR), por meio do, da

Leia mais

Público Alvo: Critérios de admissão para o curso: Investimento:

Público Alvo: Critérios de admissão para o curso: Investimento: A Faculdade AIEC, mantida pela Associação Internacional de Educação Continuada AIEC, iniciou, em 2002, o curso de Bacharelado em Administração, na metodologia semipresencial. Foi pioneira e até hoje é

Leia mais

INSTITUIÇÕES E FUNDAÇÕES

INSTITUIÇÕES E FUNDAÇÕES P R O POS T A A INSTITUIÇÕES E FUNDAÇÕES SOBRE NÓS Quem Somos A mantenedora do Seu Professor atua há mais de 18 anos no segmento educacional, com escolas de Ensino Fundamental, Médio, cursos técnicos,

Leia mais

Serviço Público. Manutenção e Suporte em Informática

Serviço Público. Manutenção e Suporte em Informática Serviço Público Manutenção e Suporte em Informática Wilson Pedro Coordenador do Curso de Serviço Público etec_sp@ifma.edu.br Carla Gomes de Faria Coordenadora do Curso de Manutenção e Suporte em Informática

Leia mais

REALIDADE AUMENTADA APLICADA NA EDUCAÇÃO: ESTUDOS DOS SEUS BENEFÍCIOS

REALIDADE AUMENTADA APLICADA NA EDUCAÇÃO: ESTUDOS DOS SEUS BENEFÍCIOS REALIDADE AUMENTADA APLICADA NA EDUCAÇÃO: ESTUDOS DOS SEUS BENEFÍCIOS Kelly Cristina de Oliveira 1, Júlio César Pereira 1. 1 Universidade Paranaense (UNIPAR) Paranavaí PR Brasil kristhinasi@gmail.com,

Leia mais

VAMOS JUNTOS POR UMA ODONTOLOGIA MELHOR!

VAMOS JUNTOS POR UMA ODONTOLOGIA MELHOR! Eleições 2014 Faculdade de Odontologia UFRJ VAMOS JUNTOS POR UMA ODONTOLOGIA MELHOR! PLANO DE TRABALHO EQUIPE - CHAPA 1: Diretor - Maria Cynésia Medeiros de Barros Substituto Eventual do Diretor - Ednilson

Leia mais

TECNOLOGIAS COMPUTACIONAIS APLICADAS AO ENSINO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO

TECNOLOGIAS COMPUTACIONAIS APLICADAS AO ENSINO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO 63 TECNOLOGIAS COMPUTACIONAIS APLICADAS AO ENSINO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO CARLOS FERNANDO DE ARAUJO JR 1 ÁDERSON GUIMARÃES PEREIRA 2 RESUMO O trabalho procura demonstrar que a aplicação das tecnologias

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul ANEXO I MANUAL DE ALTERAÇÃO DE PPCs DE CURSOS SUPERIORES

Leia mais

Esfera: 10 Função: 12 - Educação Subfunção: 367 - Educação Especial UO: 26298 - Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação

Esfera: 10 Função: 12 - Educação Subfunção: 367 - Educação Especial UO: 26298 - Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Programa 1374 Desenvolvimento da Educação Especial Numero de Ações 16 Ações Orçamentárias 0511 Apoio ao Desenvolvimento da Educação Especial Produto: Projeto apoiado UO: 26298 - Fundo Nacional de Desenvolvimento

Leia mais

ÍNDICE O QUE É... 2 COMO FUNCIONA... 3. Acervo... 3. Meus Livros... 4. Livros em destaque... 7. Fórum... 7. Notícias... 8. Ajuda... 9. Suporte...

ÍNDICE O QUE É... 2 COMO FUNCIONA... 3. Acervo... 3. Meus Livros... 4. Livros em destaque... 7. Fórum... 7. Notícias... 8. Ajuda... 9. Suporte... ÍNDICE O QUE É... 2 COMO FUNCIONA... 3 Acervo... 3 Meus Livros... 4 Livros em destaque... 7 Fórum... 7 Notícias... 8 Ajuda... 9 Suporte... 9 POR QUE USAR... 10 EQUIPE RESPONSÁVEL... 12 CONTATO... 13 O

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A EDUCAÇÃO SUPERIOR A DISTÂNCIA NO BRASIL

POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A EDUCAÇÃO SUPERIOR A DISTÂNCIA NO BRASIL POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A EDUCAÇÃO SUPERIOR A DISTÂNCIA NO BRASIL Ana Paula Domingos Baladeli 1 Introdução As transformações científicas e tecnológicas vivenciadas atualmente impulsionam cada vez mais

Leia mais

Gestão Democrática da Educação

Gestão Democrática da Educação Ministério da Educação Secretaria de Educação Básica Departamento de Articulação e Desenvolvimento dos Sistemas de Ensino Coordenação Geral de Articulação e Fortalecimento Institucional dos Sistemas de

Leia mais

O que é educação a distância (*)

O que é educação a distância (*) O que é educação a distância (*) José Manuel Moran Professor da Universidade Bandeirante e das Faculdades Sumaré-SP Assessor do Ministério de Educação para avaliação de cursos a distância jmmoran@usp.br

Leia mais

Entrevista da Professora Rosa Trombetta à rádio Jovem Pan.

Entrevista da Professora Rosa Trombetta à rádio Jovem Pan. Entrevista da Professora Rosa Trombetta à rádio Jovem Pan. A Professora Rosa Trombetta, Coordenadora de Cursos da FIPECAFI aborda o assunto elearning para os ouvintes da Jovem Pan Online. Você sabe o que

Leia mais

RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 040/2007

RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 040/2007 RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 040/2007 Aprova a Reformulação do Regimento da Educação a Distância O Reitor da Universidade do Contestado, no uso de suas atribuições, de acordo com o Art. 25 do Estatuto da Universidade

Leia mais

Unidade I TECNOLOGIA. Material Instrucional. Profª Christiane Mazur

Unidade I TECNOLOGIA. Material Instrucional. Profª Christiane Mazur Unidade I TECNOLOGIA EDUCACIONAL EM EAD Material Instrucional Profª Christiane Mazur Ensinar Ensinar é, também, a arte de estimular o desejo de saber. EAD - Brasil 1904: Correspondência impressos; 1923:

Leia mais

Duvidas administrativas dos cursos da EAD Metodista:

Duvidas administrativas dos cursos da EAD Metodista: Duvidas administrativas dos cursos da EAD Metodista: A metodista é credenciada pelo MEC para o oferecimento de cursos a distância? Sim. A Universidade Metodista de São Paulo recebeu o credenciamento do

Leia mais

PROJETO Educação de Qualidade: direito de todo maranhense

PROJETO Educação de Qualidade: direito de todo maranhense PROJETO Educação de Qualidade: direito de todo maranhense 1. DISCRIMINAÇÃO DO PROJETO Título do Projeto Educação de Qualidade: direito de todo maranhense Início Janeiro de 2015 Período de Execução Término

Leia mais

Currículo e tecnologias digitais da informação e comunicação: um diálogo necessário para a escola atual

Currículo e tecnologias digitais da informação e comunicação: um diálogo necessário para a escola atual Currículo e tecnologias digitais da informação e comunicação: um diálogo necessário para a escola atual Adriana Cristina Lázaro e-mail: adrianaclazaro@gmail.com Milena Aparecida Vendramini Sato e-mail:

Leia mais

Estratégias de e-learning no Ensino Superior

Estratégias de e-learning no Ensino Superior Estratégias de e-learning no Ensino Superior Sanmya Feitosa Tajra Mestre em Educação (Currículo)/PUC-SP Professora de Novas Tecnologias da Anhanguera Educacional (Jacareí) RESUMO Apresentar e refletir

Leia mais

DISCIPLINAS CURRICULARES (PCN) INFORMÁTICA PRODUÇÃO DE MATERIAL

DISCIPLINAS CURRICULARES (PCN) INFORMÁTICA PRODUÇÃO DE MATERIAL A nossa meta é envolver alunos e professores num processo de capacitação no uso de ferramentas tecnológicas. Para isto, mostraremos ao professor como trabalhar as suas disciplinas (matemática, português,

Leia mais

GESTÃO EM EAD VIA INTERNET

GESTÃO EM EAD VIA INTERNET GESTÃO EM EAD VIA INTERNET Nunes, Flávio L. B. Cetro Federal de Educação Tecnológica de Pelotas Palavras-chave: Educação a distância Gestão Internet. Resumo: Este trabalho tem por objetivo lançar algumas

Leia mais

fundamentos teóricos e práticos necessários ao processo de inclusão do aluno com Deficiência Visual.

fundamentos teóricos e práticos necessários ao processo de inclusão do aluno com Deficiência Visual. A Universidade Católica Dom Bosco - UCDB com mais de 50 anos de existência, é uma referência em educação salesiana no país, sendo reconhecida como a melhor universidade particular do Centro-Oeste (IGC/MEC).

Leia mais

D I R E I T O SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES AUTORIZAÇÃO

D I R E I T O SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES AUTORIZAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Superior Sesu Departamento de Supervisão da Educação Superior - Desup Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria

Leia mais

Curso de ESPECIALIZAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

Curso de ESPECIALIZAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Curso de ESPECIALIZAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO ÁREA DO CONHECIMENTO: Engenharia. NOME DO CURSO: Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em Engenharia de Produção. PERFIL PROFISSIONAL: Este

Leia mais

ESTRATÉGIAS DE IMPLEMENTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE FORMAÇÃO À DISTÂNCIA

ESTRATÉGIAS DE IMPLEMENTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE FORMAÇÃO À DISTÂNCIA ESTRATÉGIAS DE IMPLEMENTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE FORMAÇÃO À DISTÂNCIA Mônica Mota Tassigny Professora doutora da Universidade de Fortaleza, UNIFOR, Brasil 1. INTRODUÇÃO Numa sociedade mundial, na qual

Leia mais

Comunidade Solidária: parcerias contra a pobreza

Comunidade Solidária: parcerias contra a pobreza Comunidade Solidária: parcerias contra a pobreza OConselho da Comunidade Solidária foi criado em 1995 com base na constatação de que a sociedade civil contemporânea se apresenta como parceira indispensável

Leia mais

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ÍNDICE em ordem alfabética: Artigo 1 - ENDOMARKETING: UMA FERRAMENTA ESTRATÉGICA PARA DESENVOLVER O COMPROMETIMENTO... pág. 2 Artigo 2 - MOTIVANDO-SE... pág. 4 Artigo 3 - RECURSOS

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

Público Alvo: Investimento: Disciplinas: Graduados em nível superior que atuam ou pretendem atuar na docência em instituições de ensino superior.

Público Alvo: Investimento: Disciplinas: Graduados em nível superior que atuam ou pretendem atuar na docência em instituições de ensino superior. A Universidade Católica Dom Bosco - UCDB com mais de 50 anos de existência, é uma referência em educação salesiana no país, sendo reconhecida como a melhor universidade particular do Centro-Oeste (IGC/MEC).

Leia mais

MANUAL DO ALUNO EM DISCIPLINAS NA MODALIDADE A DISTÂNCIA

MANUAL DO ALUNO EM DISCIPLINAS NA MODALIDADE A DISTÂNCIA MANUAL DO ALUNO EM DISCIPLINAS NA MODALIDADE A DISTÂNCIA ORIENTAÇÕES PARA OS ESTUDOS EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Caro (a) Acadêmico (a), Seja bem-vindo (a) às disciplinas ofertadas na modalidade a distância.

Leia mais

Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio Subseqüente ao Ensino Médio, na modalidade a distância, para:

Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio Subseqüente ao Ensino Médio, na modalidade a distância, para: INSTITUIÇÃO: IFRS CAMPUS BENTO GONÇALVES CNPJ: 94728821000192 ENDEREÇO: Avenida Osvaldo Aranha, 540. Bairro Juventude. CEP: 95700-000 TELEFONE: (0xx54) 34553200 FAX: (0xx54) 34553246 Curso de Educação

Leia mais

UTILIZAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARES EDUCACIONAIS PARA PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS.

UTILIZAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARES EDUCACIONAIS PARA PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS. MINISTERIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO UTILIZAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARES EDUCACIONAIS PARA PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS. Elaine Cristina Dias Calaça

Leia mais

Produção de Videoaulas de Física para a Internet Leonardo Senna Zelinski da Silva Silvia Leticia Ludke

Produção de Videoaulas de Física para a Internet Leonardo Senna Zelinski da Silva Silvia Leticia Ludke Instituto Federal do Paraná Licenciatura em Física Produção de Videoaulas de Física para a Internet Leonardo Senna Zelinski da Silva Silvia Leticia Ludke SUMÁRIO 1 Introdução... 2 2 Justificativa... 4

Leia mais

Projeto de Gestão Compartilhada para o Programa TV Escola. Projeto Básico

Projeto de Gestão Compartilhada para o Programa TV Escola. Projeto Básico Secretaria de Educação a Distância Departamento de Planejamento em EAD Coordenação Geral de Planejamento de EAD Programa TV Escola Projeto de Gestão Compartilhada para o Programa TV Escola Projeto Básico

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EXECUTIVO EM MARKETING E GESTÃO DE EQUIPES

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EXECUTIVO EM MARKETING E GESTÃO DE EQUIPES CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EXECUTIVO EM MARKETING E GESTÃO DE EQUIPES ÁREA DO CONHECIMENTO: Educação NOME DO CURSO: Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em MBA Executivo e Marketing e

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Conselho Nacional de Educação/Câmara de Educação UF: DF Superior. ASSUNTO: Diretrizes para a elaboração, pelo INEP,

Leia mais

Curso de Especialização em GESTÃO E LOGÍSTICA HOSPITALAR

Curso de Especialização em GESTÃO E LOGÍSTICA HOSPITALAR Curso de Especialização em GESTÃO E LOGÍSTICA HOSPITALAR ÁREA DO CONHECIMENTO: Administração e Saúde. NOME DO CURSO: Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em Gestão e Logística Hospitalar.

Leia mais

AVALIAÇÃO TRIMESTRAL DE METAS PDI- 2011/2015

AVALIAÇÃO TRIMESTRAL DE METAS PDI- 2011/2015 AVALIAÇÃO TRIMESTRAL DE METAS PDI- 2011/2015 METAS AÇÕES PRAZOS Expansão do número de vagas do curso de Engenharia de Produção. SITUAÇÃO MARÇO DE 2015 AVALIAÇÃO PROCEDIDA EM 12.03.2015 CPA E DIRETORIA

Leia mais

RELATÓRIO DA PESQUISA ONLINE: Avaliação dos Atores do Sistema de Garantia de Direitos participantes das Oficinas em São Paulo

RELATÓRIO DA PESQUISA ONLINE: Avaliação dos Atores do Sistema de Garantia de Direitos participantes das Oficinas em São Paulo RELATÓRIO DA PESQUISA ONLINE: Avaliação dos Atores do Sistema de Garantia de Direitos participantes das Oficinas em São Paulo APRESENTAÇÃO A SaferNet Brasil é uma associação civil de direito privado, com

Leia mais

Curso de Especialização em Saúde da Família

Curso de Especialização em Saúde da Família MÓDULO: FAMILIARIZAÇÃO TECNOLÓGICA COM EAD UNIDADE 03 DOCÊNCIA E TUTORIA NA EAD Prof. Msc Rômulo Martins 2.1 Introdução A Educação a Distância, por meio dos inúmeros recursos didáticos e tecnológicos,

Leia mais

Mídia e Tecnologia: experiência do jornal escolar no Projeto Mais Educação na Escola Marechal Rondon em Santa Maria/RS 1

Mídia e Tecnologia: experiência do jornal escolar no Projeto Mais Educação na Escola Marechal Rondon em Santa Maria/RS 1 Mídia e Tecnologia: experiência do jornal escolar no Projeto Mais Educação na Escola Marechal Rondon em Santa Maria/RS 1 Janilce Silva Praseres 2 Sandra Antonina Barrozo de Oliveira 3 Universidade Federal

Leia mais

O que é o projeto político-pedagógico (PPP)

O que é o projeto político-pedagógico (PPP) O que é o projeto político-pedagógico (PPP) 1 Introdução O PPP define a identidade da escola e indica caminhos para ensinar com qualidade. Saiba como elaborar esse documento. sobre ele: Toda escola tem

Leia mais

PROJETO XADREZ NA ESCOLA. Palavras-Chave: Xadrez, Ferramenta de Aprendizagem e Matemática.

PROJETO XADREZ NA ESCOLA. Palavras-Chave: Xadrez, Ferramenta de Aprendizagem e Matemática. PROJETO XADREZ NA ESCOLA FERREIRA, Massako Saiki Alves 1 SILVA, Lázaro Fernando Rodrigues 2 Palavras-Chave: Xadrez, Ferramenta de Aprendizagem e Matemática. Introdução O Ensino de Xadrez é defendido por

Leia mais

em partilhar sentido. [Gutierrez e Prieto, 1994] A EAD pode envolver estudos presenciais, mas para atingir seus objetivos necessita

em partilhar sentido. [Gutierrez e Prieto, 1994] A EAD pode envolver estudos presenciais, mas para atingir seus objetivos necessita II. COMPETÊNCIAS E HABILIDADES A assessoria pedagógica não consiste em transmitir certezas, mas em partilhar sentido. [Gutierrez e Prieto, 1994] A EAD pode envolver estudos presenciais, mas para atingir

Leia mais

Empresas descobrem a importância da educação no trabalho e abrem as portas para pedagogos

Empresas descobrem a importância da educação no trabalho e abrem as portas para pedagogos Empresas descobrem a importância da educação no trabalho e abrem as portas para pedagogos Já passou a época em que o pedagogo ocupava-se somente da educação infantil. A pedagogia hoje dispõe de uma vasta

Leia mais

Estabelecimento da Diretriz Organizacional

Estabelecimento da Diretriz Organizacional Estabelecimento da Diretriz Organizacional AULA 3 Bibliografia: Administração Estratégica: Planejamento e Implantação da Estratégia SAMUEL C. CERTO & J. P. PETERTO ASSUNTO: Três importantes considerações

Leia mais

A Utilização de Softwares Livres no Desenvolvimento de Cursos de Educação a Distância (EAD) nas Universidades e a Inclusão Digital² RESUMO

A Utilização de Softwares Livres no Desenvolvimento de Cursos de Educação a Distância (EAD) nas Universidades e a Inclusão Digital² RESUMO 1 A Utilização de Softwares Livres no Desenvolvimento de Cursos de Educação a Distância (EAD) nas Universidades e a Inclusão Digital² Bruna Barçante¹ Aylla Barbosa Ribeiro¹ Fernanda Teixeira Ferreira Leite¹

Leia mais

O USO DO FÓRUM DE DISCUSSÃO E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS NO AVA MOODLE: UMA ESTRATÉGIA PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA PARA ALUNAS SURDAS

O USO DO FÓRUM DE DISCUSSÃO E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS NO AVA MOODLE: UMA ESTRATÉGIA PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA PARA ALUNAS SURDAS O USO DO FÓRUM DE DISCUSSÃO E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS NO AVA MOODLE: UMA ESTRATÉGIA PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA PARA ALUNAS SURDAS Carlos Eduardo Rocha dos Santos, UNIBAN, carlao_santos@yahoo.com.br Oswaldo

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 6, DE 10 DE MARÇO DE 2004 (*)

RESOLUÇÃO Nº 6, DE 10 DE MARÇO DE 2004 (*) RESOLUÇÃO Nº 6, DE 10 DE MARÇO DE 2004 (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Ciências Contábeis, bacharelado, e dá outras providências. O Presidente da Câmara de Educação

Leia mais

PROPOSTA DE UMA METODOLOGIA PARA ELABORAR PROJETO DE ENSINO INTEGRANDO RECURSOS TECNOLÓGICOS

PROPOSTA DE UMA METODOLOGIA PARA ELABORAR PROJETO DE ENSINO INTEGRANDO RECURSOS TECNOLÓGICOS PROPOSTA DE UMA METODOLOGIA PARA ELABORAR PROJETO DE ENSINO INTEGRANDO RECURSOS TECNOLÓGICOS Fortaleza Ce Agosto 2009 Liádina Camargo Lima Universidade de Fortaleza liadina@unifor.br Categoria C Métodos

Leia mais

UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA

UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA Quando focalizamos o termo a distância, a característica da não presencialidade dos sujeitos, num mesmo espaço físico e ao mesmo tempo, coloca se como um

Leia mais

INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Adriana Beal, Eng. MBA Maio de 2001

INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Adriana Beal, Eng. MBA Maio de 2001 INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, Eng. MBA Maio de 2001 Apresentação Existe um consenso entre especialistas das mais diversas áreas de que as organizações bem-sucedidas no século XXI serão

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING CENÁRIO E TENDÊNCIAS DOS NEGÓCIOS 8 h As mudanças do mundo econômico e as tendências da sociedade contemporânea.

Leia mais

Belém PA, Maio 2012. Categoria: Pesquisa e Avaliação. Setor Educacional: Educação Universitária. Macro: Sistemas e Instituições de EAD

Belém PA, Maio 2012. Categoria: Pesquisa e Avaliação. Setor Educacional: Educação Universitária. Macro: Sistemas e Instituições de EAD 1 A QUALIDADE DOS CURSOS SUPERIORES A DISTÂNCIA: CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS E BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL UAB Belém PA, Maio 2012 Categoria: Pesquisa e Avaliação

Leia mais

SEPLAN. Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico. RESOLUÇÃO Nº 003/2006 - CEPINF de 15 de agosto de 2006.

SEPLAN. Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico. RESOLUÇÃO Nº 003/2006 - CEPINF de 15 de agosto de 2006. RESOLUÇÃO Nº 003/2006 - CEPINF de 15 de agosto de 2006. DEFINE a Política de Informática do Estado do Amazonas. O PRESIDENTE DO COMITÊ ESTADUAL DE POLÍTICA DE INFORMÁTICA, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU MESTRADO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO SILMARA SILVEIRA ANDRADE

PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU MESTRADO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO SILMARA SILVEIRA ANDRADE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU MESTRADO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO SILMARA SILVEIRA ANDRADE POLÍTICAS PÚBLICAS EDUCACIONAIS: FORTALECIMENTO DA LÍNGUA ESTRANGEIRA Assunção, Paraguay Abril 2015 POLÍTICAS PÚBLICAS

Leia mais