UEM - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ DEAN COSTA PINTO. Um Estudo da Influência de Redes Sociais no Desenvolvimento de Estratégias de Marketing

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UEM - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ DEAN COSTA PINTO. Um Estudo da Influência de Redes Sociais no Desenvolvimento de Estratégias de Marketing"

Transcrição

1 UEM - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ DEAN COSTA PINTO Um Estudo da Influência de Redes Sociais no Desenvolvimento de Estratégias de Marketing Maringá 2012

2 DEAN COSTA PINTO Um Estudo da Influência de Redes Sociais no Desenvolvimento de Estratégias de Marketing Monografia apresentada a Universidade Estadual de Maringá como requisito parcial para obtenção do grau de Especialista em Desenvolvimento de Sistemas para Web. Orientador: Prof. Dr. Wesley Romão Maringá 2012

3 DEAN COSTA PINTO Monografia apresentada a Universidade Estadual de Maringá como requisito para a obtenção do título de Especialista em Desenvolvimento de Sistemas para Web, sob orientação do Prof. Dr. Wesley Romão aprovada em 16/03/2012. Um Estudo da Influência de Redes Sociais no Desenvolvimento de Estratégias de Marketing BANCA EXAMINADORA Orientador Prof. Dr. Wesley Romão Universidade Estadual de Maringá Membro Prof. Dr. Dante Alves Medeiros Filho Universidade Estadual de Maringá Membro Profa. Heloise Manica Paris Teixeira Universidade Estadual de Maringá

4 Aos meus pais Dárcio e Angela, pela compreensão da minha ausência nos finais de semana e pelo apoio a mais esta jornada.

5 AGRADECIMENTOS Agradeço a Deus por me conceder força e discernimento. Também agradeço pela proteção durante todos os dias da minha vida, por ter estado comigo durante as minhas conquistas e por ter me guiado pelo melhor caminho durante meus tropeços. A minha namorada Lorena pelo incentivo, companheirismo e cumplicidade. Aos professores Renato Balancieri e Wesley Romão (orientador) em especial, pela orientação e paciência dedicadas na elaboração deste trabalho.

6 Grupo de pessoas produzem escolhas democráticas com conclusões mais inteligentes do que o esperado sobre um assunto específico. Francis Galton.

7 RESUMO Este trabalho mostra uma análise, realizada por meio de uma pesquisa bibliográfica e um questionário aplicado a 115 usuários, que a Internet está se firmando cada vez mais como um veículo de comunicação eficaz que não deve ser ignorado, e que nos dias atuais está se consolidando como potencial estratégico para as empresas realizarem um processo de marketing. Desta forma, as redes sociais são fatores predisponentes para o compartilhamento da informação e consequentemente importantes no processo de marketing. Esta análise foi apresentada sob a modalidade de pesquisa exploratória, baseada em um questionário aplicado a diversos indivíduos a fim de detectar os seus principais meios de acesso às informações e as suas preferências na utilização das redes sociais. Desta maneira objetivou-se abordar a importância da Web 2.0 no processo de Marketing e como meio de oportunidades de negócios, assim como a relevância das redes sociais neste contexto. Palavras-Chave: Web 2.0; redes sociais; estratégia de marketing.

8 ABSTRACT This work shows, through a literature review and a questionnaire with 115 users, the Internet is increasingly establishing itself as a vehicle for effective communication should not be ignored, and that today is consolidating as a potential strategic business and integrated marketing process. Thus, social networks are predisposing factors for the sharing of information and therefore important in strategic marketing. This analysis was presented in the form of exploratory research, focused on implementing a questionnaire administered to different individuals in order to detect its main means of access to information and the use of social networks. Thus it was aimed to address the importance of Web 2.0 in the process of marketing strategy for business opportunities, as well as the relevance of social networks in this context. Keywords: Web 2.0, social networking, marketing strategy.

9 LISTA DE FIGURAS FIGURA 01 - Hierarquia das necessidades fundamentais de Maslow...30 FIGURA 02 - Características do novo consumidor social...31 FIGURA 03 - Tela de busca das palavras-chave...35

10 LISTA DE GRÁFICOS Gráfico 01: Separação por sexo...38 Gráfico 02: Separação de acordo com o estado civil...39 Gráfico 03: Separação dos indivíduos segundo sua área de atuação...39 Gráfico 04: Separação dos indivíduos entrevistados de acordo a faixa etária...40 Gráfico 05: Divisão dos entrevistados segundo a escolaridade...40 Gráfico 06: Principais ferramentas que utilizam...41 Gráfico 07: Análise segundo a rede social preferida...41 Gráfico 08: Locais onde as redes sociais são mais acessadas...42 Gráfico 09: Influência das redes sociais na opinião das pessoas Gráfico 10: Finalidade do uso das redes sociais...43 Gráfico 11: Acreditam que as redes sociais são boas formas de divulgação...43 Gráfico 12: Maiores riscos em relação ao uso das redes sociais...43 Gráfico 13: Vantagens em se ter um perfil em rede social...44 Gráfico 14: Tempo diário gasto com o uso das redes sociais...44

11 Gráfico 15: O que os entrevistados buscam nas redes sociais...45 Gráfico 16: Maiores impactos das redes sociais...45 Gráfico 17: Principais fatores negativos que provém do uso das redes sociais...46 Gráfico 18: Fatores positivos que provém do uso das redes sociais...46 Gráfico 19: Resultados alcançados através do uso das redes sociais...47 Gráfico 20: Comparação entre mídias tradicionais e as redes sociais...47 Gráfico 21: Interferência das redes sociais no desempenho no trabalho...48 Gráfico 22: Restrições do uso das redes sociais no trabalho...48 Gráfico 23: Mistura do perfil da empresa com o perfil de pessoas nas redes sociais...48 Gráfico 24: Mídias de maior acesso a notícias...49

12 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO COMUNIDADE VIRTUAL CONCEITO, HISTÓRICO E EVOLUÇÃO DA WEB REDES SOCIAIS Facebook Youtube Orkut Twitter Linkedin OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS ATRAVÉS DAS REDES SOCIAIS O CONSUMIDOR ATUAL AS EMPRESAS x REDES SOCIAIS O MARKETING DIGITAL SEO, SEM e ADWORD SITES DE BUSCA E RESULTADOS NATURAIS E PAGOS SEM e SEO ANÁLISE DE RESULTADOS E DISCUSSÕES CONSIDERAÇÕES FINAIS...50 REFERÊNCIAS...55 APÊNDICE...62

13 12 1. INTRODUÇÃO Com o surgimento da internet, o sistema de comunicação viu surgir uma nova mídia que, entre outras transformações, não só criou um novo sentido para a palavra feedback como ultrapassou, dando grande destaque para a relação entre os participantes de um processo comunicativo (ESCOBAR, 2007, p. 02). O debate a respeito das redes sociais é bastante amplo. Nos dias atuais, essa discussão tem se ampliado em razão de que as redes sociais estão sendo usadas nos mais diversos campos da ciência e tecnologia, como uma forma interdisciplinar de percepção de como se constituem e funcionam as redes sociais em diversas áreas da vida (MENESES; SARRIERA, 2005). No mundo atual, com o avanço da tecnologia adquirido a cada dia, as empresas praticamente têm a necessidade de acompanhar o desenvolvimento para que continuem competitivas. Ainda é preciso apresentar um espírito inovador infatigável, que permita aproveitar todas as oportunidades proporcionadas pela flexibilidade da tecnologia Web (STANLEY, 2009). Em virtude disso, para uma empresa continuar neste mercado, é preciso uma melhor organização, um planejamento estratégico bem traçado, abertura dos canais de venda, logística eficiente, assim como um suporte eficiente e um bom relacionamento com os clientes. Por outro lado, o trabalho pessoal em redes é tão antigo quanto à história da humanidade. Porém, somente nas últimas décadas os indivíduos passaram a percebê-lo como uma ferramenta organizacional. "O que é novo no trabalho em redes de conexões é sua promessa como uma forma global de organização com raízes na participação individual. Uma forma que reconhece a independência enquanto apóia a interdependência. O trabalho em redes de conexões pode conduzir a uma perspectiva global baseada na experiência pessoal" (LIPNACK; STAMPS, (1992, p.19) apud MARTELETO (2001, p.72). De acordo com Sandhusen (2003), as empresas que não se movimentam em direção às transformações tecnológicas, ignorando-as, estão fadadas a declinarem.

14 13 O indivíduo que navega pela internet descobre através da tecnologia cada vez mais avançada e abertura de campo decorrente primeiramente pela Web 1.0 e após pela Web 2.0, inúmeras possibilidades de produzir o seu próprio desenho, seu próprio caminho de busca, assim como o de procurar o que mais lhe interessa (ARGOLLO, 2010). As empresas no mundo atual não são mais capazes de unilateralmente impelir produtos para consumidores passivos. Os consumidores estão mais atuantes e possuem mais acessos aos recursos de informação comparáveis aos da empresa. Atualmente, os consumidores possuem condições de selecionar as empresas com que pretendem se relacionar, baseando-se em suas próprias perspectivas de como querem co-criar o valor (RAMASWAMY; PRAHALAD 2004). A Web é formada por uma rede de computadores que trocam informação a todo instante. A Web 2.0 nada mais é do que uma forma de agilizar essas informações e utilizá-las de formar mais inteligente e cooperativa. É toda a colaboração que se possa tirar do usuário, fazendo com que ele seja parte do contexto, e fazendo da Web uma plataforma, semelhante aos aplicativos para desktop, ou seja, a Web é a plataforma, os softwares os serviços e esses funcionam pela internet. A Web 2.0 é a segunda geração de serviços online e tem como característica aumentar as formas de publicação, compartilhamento e associação de informações, assim como a expansão dos espaços para a interação entre os usuários do processo (O'REILLY, 2005). Segundo O'REILLY (2006) apud PEDRO (2010, p.02) falar da Web 2.0 é discorrer da revolução dos negócios na indústria dos computadores gerada pela modificação para uma Internet como plataforma e um ensaio de compreender as regras a fim de que adquira o sucesso nesta nova plataforma. Uma regra de grande relevância é a de desenvolvimento de aplicações que impulsionem os efeitos do trabalho em rede para se tornarem cada vez mais eficazes à medida que são usadas por mais pessoas, assim, aproveitando o que se chama de inteligência coletiva. A Web 2.0 pode ser levada ao pensamento de LÉVY (1998), o qual trata da Inteligência Coletiva, como um preceito de que as inteligências individuais são adicionadas e compartilhadas por toda a sociedade sendo potencializadas com as tecnologias de informação.

15 14 Segundo PRIMO (2007, p.02), a Web 2.0 alude-se não somente de uma combinação de técnicas informáticas, mas também a um período tecnológico específico ou a uma gama de estratégias mercadológicas e processos de comunicação intercedidos mediante o computador. As redes sociais apresentam um sistema aberto em constante construção, que se estabelecem de forma individual e coletiva (MONTERO, 2003). A Web 2.0 tem repercussões sociais de grande importância, pois aumenta os processos de trabalho coletivo, de troca afetiva, de produção e circulação de informações, de edificação social do conhecimento alicerçada pela informática (O'REILLY, 2005). Uma das finalidades essenciais da Web 2.0 como uma plataforma é viabilizar funções online que antes só poderiam ser realizadas por programas instalados em um computador (O'REILLY, 2005). As redes sociais, mesmo apresentando um caráter informal, podem ser verificadas fora de seu espaço, interagindo com o Estado, a sociedade ou pelas instituições representativas (MARTELETO, 2001, p. 72). As pequenas decisões são influenciadas pelas grandes e vice-versa, tendo a rede como intermediária. Segundo RAMASWAMY e PRAHALAD (2004), os consumidores almejam a liberdade de escolha para interagir com as empresas através de uma série de portais de experiência. Assim, as empresas precisam direcionar a experiência de co-criação mediante diversos canais. É a partir dessas modificações que as empresas podem se apresentar de maneira bem mais concorrente e adaptando-se da melhor forma ao mercado atual. Neste contexto, o objetivo geral na presente monografia é verificar como a Web 2.0 pode ser utilizada a fim de gerar novas oportunidades de negócio e quais os impactos que causam para as empresas. Para a investigação de soluções empregáveis ao caso, quando se trata do uso de metodologia de estudo, foi empregada a técnica de pesquisa bibliográfica, que de acordo com Vergara (1997, p. 45), é o estudo sistematizado desenvolvido com base em material publicado em livros, revistas, jornais, redes eletrônicas, isto é, material acessível ao público em geral. Desta forma, foram pesquisadas publicações de cunho científico e livros da área de Marketing e Informática.

16 15 Para busca na internet foram utilizadas as seguintes palavras-chave: Web 2.0; mídia social; redes sociais; marketing digital. O presente trabalho utiliza-se de métodos descritivos que, segundo Beuren (2004), descrever representa identificar, relatar, comparar. Foi aplicado um questionário (Apêndice) composto de perguntas com respostas de múltiplas escolhas a fim de analisar as principais redes sociais utilizadas por um grupo de 115 pessoas que trabalham em uma única empresa. Em relação à abordagem do problema, este trabalho é classificado como quantitativo, uma vez que foi aplicado um questionário e para sua análise de dados foram aplicados procedimentos estatísticos. A relevância dos dados verificados está em propiciar respostas demandadas pela questão central e pelo objetivo geral deste trabalho.

17 16 2. COMUNIDADE VIRTUAL Muitos autores têm ressaltado a importância dos meios de comunicação que, através de sua ação, modificam o espaço, o tempo e as relações entre as várias partes da sociedade, transformando também a idéia de comunidade (McLuhan, 1964 apud Recuero, 2002, p.04). Deste modo, a Comunicação Mediada por Computador (CMC) está afetando a sociedade e influenciando a vida das pessoas e a noção de comunidade. Por isso, muitos autores optaram por definir as novas comunidades, surgidas no seio da CMC, como "comunidades virtuais" (Rheingold, 1996 Palacios, 1998, Donath, 1999 Smith, 1999 Wellman e Gulia, 1999 Paccagnella, 1997, entre outros). "Comunidade Virtual" seria o termo utilizado para os agrupamentos humanos que surgem no ciberespaço, através da comunicação mediada pelas redes de computadores (CMC). A sociedade atual pode ser analisada através de um fator preponderante, que é o conhecimento, usado como principal método estratégico para a aquisição de poder e acúmulo de riquezas, sejam elas em organizações ou em países. Na sociedade atual, a nova tecnologia, ou o neo conhecimento, passa a ser fator relevante para a produtividade e para o desenvolvimento econômico das organizações (FUKS, 2003). A informação e o conhecimento estão em todos os domínios e são entendidos como elementos centrais em relação às relações humanas e suas transformações do meio, gerando melhorias sociais e econômicas que propulsionam o desenvolvimento e são, também, recursos inerentes para desenvolvimento e manutenção das redes sociais. Nas redes sociais, cada indivíduo possui sua função e identidade cultural (TOMAÉL, ALCARÁ, DI CHIARA, 2005, p.93). Rheingold (1996, p. 20), um dos primeiros autores a efetivamente utilizar o termo "comunidade virtual" para os grupos humanos que travavam e mantinham relações sociais no ciberespaço, define-a: "As comunidades virtuais são agregados sociais que surgem da Rede [Internet], quando uma quantidade suficiente de gente leva adiante essas discussões públicas durante um tempo suficiente, com suficientes

18 17 sentimentos humanos, para formar redes de relações pessoais no espaço cibernético [ciberespaço]." (BEAMISH, 1995 apud RECUERO, 2002, p.04). Jacob Moreno foi um dos primeiros estudiosos a respeito das redes sociais, com trabalhos publicados em Em seus trabalhos, ele sugere estudar a maneira como os indivíduos pertencentes a um determinado grupo se interagem, delineia os lugares de centralidade através de algum membro diferenciado do grupo e indica formas gráficas para a percepção da estrutura do grupo o chamado sociograma (MENESES, CASTELA, 2005). Mesmo antes da era da modernidade, o estudo do comportamento de um grupo já era analisado a fim de melhorar seu desempenho e entender seu comportamento. Para Marteleto (2001, p.72), as redes sociais representam... um conjunto de participantes autônomos, unindo idéias e recursos em torno de valores e interesses compartilhados. Para melhorar o entendimento uma diferenciação entre Web e internet se faz necessária. Neste contexto, desde o seu aparecimento até os dias atuais, a Internet vem revolucionando o modo de transmitir informações nas mais diversas áreas. É uma ferramenta relevante na transmissão de conhecimentos e informações, por possuir uma vasta quantidade de conteúdos que podem ser utilizados em qualquer lugar do mundo e por qualquer indivíduo. Internet Pode ser definida como um imenso aglomerado de redes de computadores interligadas no mundo inteiro, independente do tipo de instrumento utilizado para o seu acesso (SILVA; CASSIANI; ZEM-MASCARENHAS, 2001, p.117). A Internet originou-se no ano de 1969 nos Estados Unidos da América e que no princípio interligava laboratórios de pesquisa e era conectada à área acadêmica. Somente no ano de 1987, teve sua liberação comercial, proporcionando maior frequência de utilização mas somente a partir de 1992 (SILVA; CASSIANI; ZEM- MASCARENHAS, 2001, p. 117). No Brasil as universidades estão conectadas à rede de computadores desde 1989, quando foram iniciados os serviços de correio eletrônico e transferência de arquivos (SILVA; CASSIANI; ZEM-MASCARENHAS, 2001).

19 18 Já a origem da Web aconteceu no ano de 1991 no laboratório CERN na Suíça. A intenção de Tim Berners-Lee, o seu inventor, era de disponibilizar documentos científicos de forma simples e de fácil acesso (SILVA; CASSIANI; ZEM- MASCARENHAS, 2001, p.117). Nos dias de hoje, a Web apresenta diversos recursos, como o hipertexto, que permite a interligação de textos e imagens mediante o uso de palavras-chave, o que faz com que a navegação seja de maneira simples e, ainda há a possibilidade do uso de áudio e vídeos. É conhecida como a parte multimídia da Internet. (SILVA; CASSIANI; ZEM-MASCARENHAS, 2001, p.117) Conceito, Histórico e Evolução da Web Sabe-se da importância que os meios de comunicação exercem sobre as relações entre diversas partes da sociedade e sua capacidade de influência e transformação da sociedade. Segundo Gabriel, A partir do momento em que a banda larga de acesso à internet se popularizou, a plataforma da Web 2.0 tornou-se viável e aplicações online participativas tornaram-se possíveis. A partir daí, observaram-se proliferação das redes sociais online e sua adoção ao redor do planeta... (GABRIEL, p.83). Em virtude das especulações em torno da internet, ocorreu o que foi denominado de estouro da bolha, um colapso das empresas ponto-com nas bolsas de valores, em abril de De acordo com Tim O Reilly, fundador da O'Reilly Media e apoiador dos movimentos a favor de softwares livres, este momento demarcou uma guinada significativa na forma como se cria e navega na Web. Desta forma, a rede se tornou mais vigorosa economicamente e também por parte da mídia (BRANDIZZI, 2005, p.01). No final do século XX o mundo ocidental viu emergir as novas tecnologias de informação e comunicação (TICs), que deram origem a uma revolução digital/informacional que potencializou o nascimento da sociedade da informação. As TICs estão hoje presentes em múltiplos aspectos do quotidiano humano e vieram

20 19 modificar profundamente o funcionamento do mundo (MSI, 1997 apud PEDRO, 2010, p 02.). Dentro desse contexto, o século subsequente proporciona um cenário complexo para o indivíduo produtor e consumidor de conteúdo intelectual introduzido no parâmetro das possibilidades propiciadas pelas Tecnologias de Informação e Comunicação, em particular a Internet e a Web. Segundo ARAYA e VIDOTTI, No ambiente informacional Web, se por um lado as práticas de criação, recriação, uso, reuso, compartilhamento e disseminação de conteúdos são potencializadas, gerando uma nova configuração cultural valorizadora da colaboração e do remix, por outro, elas são cerceadas por uma legislação idealizada para atender as exigências de um entorno social distinto (ARAYA; VIDOTTI, 2011, p.01). Segundo Lemos (2006, p. 06) apud Carvalho et al (2008 p.03) a Internet é, efetivamente, máquina desterritorializante sob os aspectos político (acesso e ação além de fronteiras), econômico (circulação financeira mundial), cultural (consumo de bens simbólicos mundiais) e subjetivo (influência global na formação do sujeito). A primeira geração da Internet, denominada Web 1.0 teve como característica essencial a grande quantidade de informação disponível para que fosse acessível a todos. Porém, o papel do usuário neste contexto era o espectador da ação que se decorria na página visitada, não havendo, na maioria dos casos, autorização para alterar o seu conteúdo (NOGUEIRA; VIEIRA, 2009, p.02). Ainda segundo os autores Nogueira e Vieira, 2009: A Web 1.0 trouxe grandes avanços, no que diz respeito ao acesso à informação e necessariamente ao conhecimento, porém a filosofia que estava por trás do conceito de rede global foi sempre a de dono ou indivíduo que controlasse o acesso ou o conteúdo publicado. Houve sempre a preocupação em tornar esse meio cada vez mais democrático, a evolução tecnológica. O aumento da velocidade de acesso e a possibilidade de se publicarem informações na Web, de forma fácil, rápida, independente de software específico, da linguagem de programação e livre de custos

21 20 adicionais facilitou, de forma surpreendente, a utilização da rede pelos usuários (NOGUEIRA; VIEIRA, 2009, p.02). Em síntese, na Web 1.0, as relações eram verticais, e os usuários agiam de forma passiva tendo somente acesso a informações do banco de dados, não havendo interatividade ou co-autoria, no que se tratava de conteúdos disponibilizados (VIEIRA; SANTOS; SILVA, 2011, p.06). A Web 2.0, segundo a Wikipédia um dos seus próprios produtos,, é: um termo cunhado em 2004 pela empresa estadunidense O'Reilly Media para designar uma segunda geração de comunidades e serviços baseados na plataforma Web, como wikis, aplicações baseadas em folksonomia (indexação de informações) e redes sociais (ex.: Orkut). Embora o termo tenha uma conotação de uma nova versão para a Web, ele não se refere à atualização nas suas especificações técnicas, mas a uma mudança na forma como ela é encarada por usuários e desenvolvedores (WIKIPÉDIA, 2011). "Web 2.0 é a mudança para uma internet como plataforma, e um entendimento das regras para obter sucesso nesta nova plataforma. Entre outras, a regra mais importante é desenvolver aplicativos que aproveitem os efeitos de rede para se tornarem melhores quanto mais são usados pelas pessoas, aproveitando a inteligência coletiva" (Tim O'Reilly, fundador da O'Reilly Media, 2005). Web 2.0 é um termo usado para definir a chamada segunda geração da internet, fortemente marcada pela interatividade, pelos conteúdos gerados por usuários e pela personalização de serviços. Alguns exemplos dessa geração são os blogs (e suas variações: fotologs, videologs), wikis, as redes sociais e os sites de compartilhamento de arquivo com a descentralização de download oferecida pelo BitTorrent (HEEMANN, 2008, p.02). Para Cipriani (2008), a Web 2.0 são aplicações formadas na plataforma Web que propiciam a participação ativa dos usuários e que possui características de instigar as mudanças no comportamento dos consumidores e possibilita uma maior eficácia dos negócios.

22 21 Apresenta repercussões sociais relevantes, que potencializam métodos de trabalho coletivo, de intercâmbio afetivo, de produção de informações, de construção de conhecimento alicerçada pela informática (HARDT; NEGRI, 2005). O portal colaborativo Wikipedia é um grande exemplo do poder da Web 2.0. Na página inicial, sob o logotipo com símbolos em diversas línguas, a máxima que resume o ideal daquele serviço: a enciclopédia livre. Livre no sentido de poder ser ampliada, revisada, modificada e utilizada por qualquer um com acesso à internet. Tais conceitos arrojados têm sido amplamente utilizados por serviços populares, como o site de relacionamentos Orkut, o serviço de microblogs Twitter, os clássicos Myspace e Facebook, o portal de vídeos Youtube, a grande rede de serviços Google, além de blogs, fotologs, sites pessoais, páginas wiki e afins (GRANDINO et al, 2009). Nos dias atuais, é possível deparar-se na internet com diversos exemplos de ações mais inovadoras que põem em prática o intercâmbio mútuo, abrindo espaço para a concretização de experiências participativas na atmosfera virtual. Pode-se exemplificar neste contexto o sistema Wiki, que segundo Recuero (2002) é uma ferramenta mediante a qual... um internauta pode alterar qualquer conteúdo apresentado em um site com tal recurso, através do próprio browser utilizado para navegação. Ou seja, logo após editar um texto disponível e clicar no botão de salvamento, a página é atualizada automaticamente no site, sem que o autor da versão anterior (ou qualquer outra pessoa) precise aprovar a modificação.... os textos são de todos, são da comunidade (RECUERO, 2002, p.08). A Web não tem fronteiras fixas, ela apresenta alguns preceitos práticos. Suas características ajudam a compreender e classificar uma plataforma como pertencente ou não à Web 2.0 (BRANDIZZI, 2005 p.01). Além de novas ou potenciais maneiras de publicar e circular uma determinada informação, a Web 2.0 proporciona um processo grupal para a organização e recuperação de documentos eletrônicos, o chamado social bookmarking, que é o registro de links de favoritos (bookmarks) em sites como del.icio.us e Technorati. Entretanto, o que distingue estes serviços da simples listagem de apontadores em uma página online é o processo de formação de metadados (ou seja, dados sobre dados) mediante a associação de tags (etiquetas) a referências e materiais (PRIMO, 2007, 03).

23 22 No tagging, ao invés do cadastramento padronizado de informações como autor e ano de publicação, os internautas ao adicionarem um novo link em sua lista pública de bookmarks podem anotar quaisquer palavras que acharem ser associadas a um material. É o que vem sendo denominado folksonomia, ou seja, muda-se os padrões de rigidez taxonômica (PRIMO, 2007, p.03). Para Mathes (2004, p. 7) apud Primo (2007, p.03): Uma folksonomia representa uma mudança fundamental à medida que não é derivada de profissionais ou criadores de conteúdo, mas dos usuários de informações e documentos Desta forma, ele reflete diretamente suas escolhas, terminologia e precisão. (tradução minha). As tags vêm sendo utilizadas não somente com a finalidade de verificar o significado para a quantidade de textos na Web, mas também a fim de facilitar o registro e recuperação de imagens (PRIMO, 2007, p.04). Nesse contexto, os leitores também são editores, uma vez que o sistema admite que sejam realizadas alterações on-line pelos próprios internautas e ainda todo conteúdo é aberto para supressões, correções e inclusões por qualquer pessoa que tenha vontade de realizar uma contribuição. Constantinides e Fountain (2008 apud Rosa 2010, p.31) definem Web 2.0 como sendo o conjunto de aplicações on-line de código aberto, interativos e ponderados pelo utilizador, com a finalidade de ampliar conhecimentos e poder de mercado desses mesmos utilizadores, como compartes nesse processo social. Em seu significado há um forte sentido participativo, com o escopo de aumentar a inteligência coletiva, numa classe de comunidades auto reguladas com transparência na geração da informação Segundo Rosa (2010, p.74) as companhias observaram que os comentários e outras menções que os consumidores fazem on-line, são relevantes fontes de informação, oportunidades de negócio, correção e melhoria de produtos e serviços. No período do conhecimento interativo, a Web modifica as rotinas dos indivíduos e proporciona uma tecnologia social e informativa que veio formar-se em assunto de extremo interesse na sociedade atual e que também é vital para as relações sociais entre os homens, bem como suas relações de formalização de negócios (JORENTE; SANTOS; VIDOTTI, 2009 p.11).

24 23 A Web 2.0 permite a interatividade humana na constituição dos conteúdos e se diferencia da Web 1.0 em diversos aspectos, entre eles: Alguns produtos e até mesmo conceitos diferenciam a Web tradicional ou clássica da Web 2.0. Temos na Web tradicional a produção de Websites pessoais, na Web 2.0, temos os Blogs, dentre outros. Na tradicional temos, por exemplo, a Enciclopédia Britânica on line, na 2.0, temos a Wikipedia. Temos na Web tradicional, os diretórios (taxonomias) e na Web 2.0, a Folksonomia (tags). Enfim, antes tínhamos recursos na Web exclusivamente voltados à publicação de conteúdos e agora temos recursos para participação na construção dos mesmos (GRACIOSO, 2007, p.05). O quadro 01 abaixo mostra as principais diferenças encontradas entre a Web 1.0 e a evolução para a Web 2.0, segundo Yamashita e Fausto (2009, p.4). Quadro 1 Diferenças entre Web 1.0 e Web 2.0 Web 1.0 Web 2.0 Unidirecional Páginas estáticas Complexidade Publicar Proteger e Controlar a informação Sistemas fechados Passividade Fonte: Yamashita; Fausto. (2009, p. 4) Multidirecional Páginas dinâmicas Simplicidade Participar Compartilhar a informação Sistemas colaborativos Interatividade Também houve um aperfeiçoamento das ferramentas utilizadas na Web 1.0 e Web 2.0, descritos também de acordo Blattmann e Silva (2007, p. 8). Quadro 2 - Progressão das Ferramentas da Web 1.0 para Web 2.0 Web 1.0 Web 2.0 Ofoto Mp3.com Britannica Online Sites pessoais Taxonomia (diretório) Flickr Napster Wikipédia Blogs Folksonomia (tagging) Fonte: Segundo Blattmann e Silva (2007, p. 8) Redes Sociais

25 24 As redes sociais podem ser definidas como uma estrutura social formada por indivíduos (ou empresa), chamados de nós, que são ligados (conectados) por um ou mais tipos específicos de interdependência, como amizade, parentesco, proximidade/afinidade, trocas financeiras, ódios/antipatias, relações sexuais, relacionamento de crenças, relacionamento de conhecimento e de prestígio, etc. (GABRIEL, p. 196). É importante diferenciar redes sociais de mídias sociais. As redes sociais estão relacionadas a pessoas conectadas em função de interesse comum. As mídias sociais estão relacionadas a conteúdos, como textos, vídeos entre outros que são criados e compartilhados por indivíduos pertencentes às redes sociais. Dentro desse contexto, a tecnologia entra como facilitadora da interação humana. Os sites das redes sociais como o facebook, Orkut, twitter, Youtube, entre outros, são plataformas que proporcionam e potencializam a inter-relação entre as pessoas, aumentando o alcance das redes sociais. Deste modo o facebook, Orkut, twitter, etc. não são redes sociais nem mídias sociais, mas sim plataformas de redes sociais e mídias sociais onde as pessoas se utilizam de suas estruturas a fim de compartilharem conteúdos (GABRIEL, 2011 p. 202). Embora haja uma gama de sites de redes sociais, existem alguns mais populares em boa parte do mundo. Outros são mais utilizados em determinados países, como é o caso do Orkut no Brasil. Como cada site de rede social apresenta características próprias, é preciso entender a funcionalidade e o perfil desses usuários para se conseguir melhores resultados em relação ao planejamento de marketing (GABRIEL, 2011). A seguir são apresentados os sites de plataformas de redes sociais mais utilizados no país Facebook Entrou em cena no dia 4 de fevereiro de 2004 mais uma rede social denominada Facebook. Seus progenitores foram Mark Zuckerberg, Dustin Moskovitz

3 As Mídias Sociais como Ferramentas de Marketing

3 As Mídias Sociais como Ferramentas de Marketing 26 3 As Mídias Sociais como Ferramentas de Marketing O surgimento das mídias sociais está intimamente ligado ao fenômeno da geração de conteúdo pelo usuário e ao crescimento das redes sociais virtuais

Leia mais

Aula 1: Introdução à Disciplina Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina

Aula 1: Introdução à Disciplina Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina Programação para Internet Rica 1 Aula 1: Introdução à Disciplina Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina Objetivo: Identificar os princípios que se destacam como características da Web 2.0. INTRODUÇÃO

Leia mais

Marcele Bastos Consultora de comunicação mbastos.sa@gmail.com MÍDIAS SOCIAIS

Marcele Bastos Consultora de comunicação mbastos.sa@gmail.com MÍDIAS SOCIAIS Marcele Bastos Consultora de comunicação mbastos.sa@gmail.com MÍDIAS SOCIAIS TEMAS o O que são mídias sociais (conceito, apresentação dos diversos canais das redes sociais, gestão dos canais) o Moda ou

Leia mais

HASHTAGS: ROMPIMENTOS COM DIZERES SEDIMENTADOS* Autora: Vânia Lúcia Coelho- Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto- FFCLRP/USP

HASHTAGS: ROMPIMENTOS COM DIZERES SEDIMENTADOS* Autora: Vânia Lúcia Coelho- Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto- FFCLRP/USP 1 HASHTAGS: ROMPIMENTOS COM DIZERES SEDIMENTADOS* Autora: Vânia Lúcia Coelho- Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto- FFCLRP/USP RESUMO: Há muito que áreas como a Biblioteconomia e

Leia mais

REDES SOCIAIS CONHEÇA A HISTÓRIA DAS. Professor Carlos Muniz

REDES SOCIAIS CONHEÇA A HISTÓRIA DAS. Professor Carlos Muniz CONHEÇA A HISTÓRIA DAS REDES SOCIAIS Nesse artigo você vai conhecer com detalhes a História das Redes Sociais. Leia esse artigo até o final e você irá conferir os seguintes tópicos: As redes sociais antecedem

Leia mais

1 Introdução. 1.1 A Nova Era Digital

1 Introdução. 1.1 A Nova Era Digital 11 1 Introdução Com o advento da nova era da internet, conhecida com web 2.0, e o avanço das tecnologias digitais, o consumidor passa a ter maior acesso à informação bem como à facilidade de expressar

Leia mais

Conceitos Fundamentais

Conceitos Fundamentais 19 Capítulo 1 Conceitos Fundamentais Para compreendermos este livro, há que se entender alguns conceitos-chave que vão permear a sua leitura. O blog hoje é o melhor mecanismo para construir relacionamentos

Leia mais

ABRIL 2010. Redes Sociais: revolução cultural na Internet. Ano 2 Número 2

ABRIL 2010. Redes Sociais: revolução cultural na Internet. Ano 2 Número 2 ABRIL 2010 Redes Sociais: revolução cultural na Internet Ano 2 Número 2 SUMÁRIO EXECUTIVO As redes sociais: revolução cultural na Internet Apresentação Definindo as redes sociais As redes sociais formam

Leia mais

AMBIENTES ONLINE: que formato tem o ambiente que os jovens procuram online?

AMBIENTES ONLINE: que formato tem o ambiente que os jovens procuram online? AMBIENTES ONLINE: que formato tem o ambiente que os jovens procuram online? Edgar Marcucci Reis 1 Jéssica Naiara dos Santos Batista 2 Resumo: O artigo apresenta uma visão sobre os ambientes online encontrados

Leia mais

ARKETING INTERNET SEO CRIATIVIDADE AGÊNCIA CRIAÇÃO

ARKETING INTERNET SEO CRIATIVIDADE AGÊNCIA CRIAÇÃO DESIGN CRIAÇÃO AGÊNCIA USABILIDA ARKETING INTERNET SEO DIGIT CRIATIVIDADE DESDE 1999 NO MERCADO, A M2BRNET É UMA AGÊNCIA DE MARKETING DIGITAL ESPECIALIZADA EM SOLUÇÕES PERSONALIZADAS. SI ARQ Desde 1999

Leia mais

Mídias sociais como apoio aos negócios B2C

Mídias sociais como apoio aos negócios B2C Mídias sociais como apoio aos negócios B2C A tecnologia e a informação caminham paralelas à globalização. No mercado atual é simples interagir, aproximar pessoas, expandir e aperfeiçoar os negócios dentro

Leia mais

Social Media. Criação Personalização Gerenciamento.

Social Media. Criação Personalização Gerenciamento. Criação Personalização Gerenciamento. A Cafuné Design trabalha com as principais mídias e plataformas digitais do momento: Facebook, Twiiter, Instagram, Youtube e LinkedIn. Novas ferramentas de mídia social

Leia mais

criar colaborar comunicar Tecnologia para Crescer

criar colaborar comunicar Tecnologia para Crescer Tecnologia para Crescer Com o crescimento da banda larga e smartphones/ tablets, conteúdos têm sido criados e consumidos em uma taxa alarmante. Atualmente, a definição de conteúdo mudou e não se trata

Leia mais

Marketing digital NARCISO SANTAELLA

Marketing digital NARCISO SANTAELLA Marketing digital 1 Introdução As agências de publicidade recorrem ao marketing digital para conquistar o público que hoje tem na web uma das principais fontes de informação. Utilizar todos os recursos

Leia mais

Tentar entender como usar melhor os diferentes canais.

Tentar entender como usar melhor os diferentes canais. The New Conversation: Taking Social Media from Talk to Action A Nova Conversação: Levando a Mídia Social da Conversa para a Ação By: Harvard Business Review A sabedoria convencional do marketing por muito

Leia mais

A BRASIL ROTÁRIO FRENTE ÀS MÍDIAS ELETRÔNICAS. Carlos Jerônimo da Silva Gueiros

A BRASIL ROTÁRIO FRENTE ÀS MÍDIAS ELETRÔNICAS. Carlos Jerônimo da Silva Gueiros A BRASIL ROTÁRIO FRENTE ÀS MÍDIAS ELETRÔNICAS Carlos Jerônimo da Silva Gueiros Um mundo em transformação 1998 / 1999 Mutirão Digital apoiar as escolas públicas no acesso à Internet 2010-12 anos depois...

Leia mais

O futuro do YouTube - VEJA.com

O futuro do YouTube - VEJA.com Entrevista O futuro do YouTube 29/08/2009 10:49 Por Leo Branco Nesta semana, Chad Hurley, de 32 anos, um dos criadores do YouTube, esteve no Brasil e falou a VEJA sobre o futuro do maior site de vídeos

Leia mais

USO DE REDES SOCIAIS DA INTERNET COMO FERRAMENTAS DE APOIO NA EDUCAÇÃO: ESTUDOS E POSSIBILIDADES. Douglas Ribeiro da Silva, Caroline Kraus Luvizotto

USO DE REDES SOCIAIS DA INTERNET COMO FERRAMENTAS DE APOIO NA EDUCAÇÃO: ESTUDOS E POSSIBILIDADES. Douglas Ribeiro da Silva, Caroline Kraus Luvizotto 1333 USO DE REDES SOCIAIS DA INTERNET COMO FERRAMENTAS DE APOIO NA EDUCAÇÃO: ESTUDOS E POSSIBILIDADES Douglas Ribeiro da Silva, Caroline Kraus Luvizotto Discente do curso de Ciências Contábeis da UNOESTE.

Leia mais

ESTUDO DA MELHOR METODOLOGIA PARA A DIFUSÃO DE VÍDEOS EXPLICATIVOS DE FENÔMENOS METEOROLÓGICOS

ESTUDO DA MELHOR METODOLOGIA PARA A DIFUSÃO DE VÍDEOS EXPLICATIVOS DE FENÔMENOS METEOROLÓGICOS Ana Beatriz Mesquita (CPTEC/INPE) ESTUDO DA MELHOR METODOLOGIA PARA A DIFUSÃO DE VÍDEOS EXPLICATIVOS DE FENÔMENOS METEOROLÓGICOS Metodologia do trabalho realizado referente a gravação e expansão dos vídeos

Leia mais

MONITORAMENTO E GOOGLE PLUS. Leonardo Alvez Letícia Chibior Patrick Miguel Ruth Derevecki Samara Bark / / 4MA

MONITORAMENTO E GOOGLE PLUS. Leonardo Alvez Letícia Chibior Patrick Miguel Ruth Derevecki Samara Bark / / 4MA MONITORAMENTO E GOOGLE PLUS Leonardo Alvez Letícia Chibior Patrick Miguel Ruth Derevecki Samara Bark / / 4MA MONITORAMENTO As empresas sabem que o planejamento digital, gestão de conteúdo, anúncios, campanhas

Leia mais

MÍDIAS DIGITAIS Sociedade da Informação e Cultura Digital

MÍDIAS DIGITAIS Sociedade da Informação e Cultura Digital APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA CURSO: Pós-graduação em Mídias Digitais DISCIPLINA: PROFESSOR: Luiz di Marcello (luizdimarcello@gmail.com) CALENDÁRIO: 30/05/09; 06, 20 e 27/06/09; 04/07/09 HORÁRIO: 08:00h às

Leia mais

Alto Taquari em Pauta: uma experiência interdisciplinar em jornalismo digital 1

Alto Taquari em Pauta: uma experiência interdisciplinar em jornalismo digital 1 Alto Taquari em Pauta: uma experiência interdisciplinar em jornalismo digital 1 Aparecido Marden Reis 2 Marli Barboza da Silva 3 Universidade do Estado de Mato Grosso, Unemat - MT RESUMO O projeto experimental

Leia mais

Tópicos Especiais em Informática. Msc. Márcio Alencar

Tópicos Especiais em Informática. Msc. Márcio Alencar Tópicos Especiais em Informática Msc. Márcio Alencar Recursos Certamente, um dos atrativos do chamado e- Learning (ou ensino á distância com uso de ferramentas computacionais/eletrônicas), são os novos

Leia mais

Blogs na Educação: uma ferramenta de auxilio na aprendizagem 1

Blogs na Educação: uma ferramenta de auxilio na aprendizagem 1 Blogs na Educação: uma ferramenta de auxilio na aprendizagem 1 Andreia Solange Bos 2 Rodrigo Moreira 3 Instituto Federal Farroupilha- Campus Alegrete Universidade Regional do Noroeste do Estado do RS Ijuí,

Leia mais

Ferramentas de informações e comunicações e as interações possíveis Tecnologias populares para uma Educação à Distância mais Popular.

Ferramentas de informações e comunicações e as interações possíveis Tecnologias populares para uma Educação à Distância mais Popular. Trabalha de Conclusão do Curso Educação a Distância : Um Novo Olhar Para a Educação - Formação de Professores/Tutores em EaD pelo Portal Somática Educar Ferramentas de informações e comunicações e as interações

Leia mais

CONTEÚDOS. Blog REDES SOCIAIS VIDEOS ONLINE PARTILHA DE FOTOGRAFIAS PARTILHA DE APRESENTAÇÕES

CONTEÚDOS. Blog REDES SOCIAIS VIDEOS ONLINE PARTILHA DE FOTOGRAFIAS PARTILHA DE APRESENTAÇÕES CONTEÚDOS ANTES DE INICIAR A SUA AVENTURA NAS REDES, TENHA EM CONTA AS SEGUINTES DICAS: Atribua a administração de cada canal e/ou estratégia a alguém que faça parte da sua empresa; Dê formação à sua equipa

Leia mais

MARKETING DIGITAL E E-BUSINESS AULA III ESTRATÉGIAS DO MARKETING DIGITAL PROF. M. SC. JOSUÉ VITOR MBA EM MARKETING ESTRATÉGICO

MARKETING DIGITAL E E-BUSINESS AULA III ESTRATÉGIAS DO MARKETING DIGITAL PROF. M. SC. JOSUÉ VITOR MBA EM MARKETING ESTRATÉGICO MBA EM MARKETING ESTRATÉGICO MARKETING DIGITAL E E-BUSINESS AULA III ESTRATÉGIAS DO MARKETING DIGITAL PROF. M. SC. JOSUÉ VITOR josuevitor16@gmail.com @josuevitor Marketing Digital Como usar a internet

Leia mais

RECOMENDAÇÕES PARA CAPTAR CLIENTES COMPANHIA ROBOFOREX

RECOMENDAÇÕES PARA CAPTAR CLIENTES COMPANHIA ROBOFOREX RECOMENDAÇÕES PARA CAPTAR CLIENTES NA O sucesso do Afiliado depende do número de clientes captados e da atividade de comércio desses clientes. E influenciar na atividade do cliente como um afiliado não

Leia mais

SISTEMÁTICA WEBMARKETING

SISTEMÁTICA WEBMARKETING SISTEMÁTICA WEBMARKETING Breve descrição de algumas ferramentas Sobre o Webmarketing Web Marketing é uma ferramenta de Marketing com foco na internet, que envolve pesquisa, análise, planejamento estratégico,

Leia mais

Sistemas web e comércio eletrônico. Aula 02 Arquiteturas de comércio eletrônico

Sistemas web e comércio eletrônico. Aula 02 Arquiteturas de comércio eletrônico Sistemas web e comércio eletrônico Aula 02 Arquiteturas de comércio eletrônico Tópicos abordados Arquitetura do e-commerce Aspectos importantes do e-commerce Modelos de negócios Identificação do modelo

Leia mais

Faça com que o CRM trabalhe da mesma maneira que o seu pessoal de vendas

Faça com que o CRM trabalhe da mesma maneira que o seu pessoal de vendas Faça com que o CRM trabalhe da mesma maneira que o seu pessoal de vendas APROVEITE AS TECNOLOGIAS DE HOJE PARA MAXIMIZAR A ADOÇÃO POR PARTE DOS USUÁRIOS Para os profissionais de venda, o tempo nunca havia

Leia mais

Redes Sociais, SEO, Blog ou Adwords: O que devo usar para minha empresa?

Redes Sociais, SEO, Blog ou Adwords: O que devo usar para minha empresa? Redes Sociais, SEO, Blog ou Adwords: O que devo usar para minha empresa? Você já pensou em posicionar sua marca na internet? Construir um relacionamento com seu cliente é uma das formas mais eficazes de

Leia mais

COMO ATRAIR VISITANTES PARA SEU WEBSITE

COMO ATRAIR VISITANTES PARA SEU WEBSITE GUIA Inbound Marketing COMO ATRAIR VISITANTES PARA SEU WEBSITE E-BOOK GRÁTIS WWW.FABIODONASCIMENTO.ME Tabela de Conteúdos Introdução... 3 Capítulo 1: Formas de obter Tráfego... 4 Capítulo 2: Como aumentar

Leia mais

Estudo de Web Marketing para a Prova NP1 Dia da prova: 07/10/2011

Estudo de Web Marketing para a Prova NP1 Dia da prova: 07/10/2011 Curso de Marketing Disciplina: Web Marketing Professor: Roberto Marcello Estudo de Web Marketing para a Prova NP1 Dia da prova: 07/10/2011 Web Marketing Web Marketing é qualquer esforço promocional realizado

Leia mais

Uma solução completa para sua estrátegia de SOCIAL MEDIA HELLO WORLD!

Uma solução completa para sua estrátegia de SOCIAL MEDIA HELLO WORLD! Uma solução completa para sua estrátegia de SOCIAL MEDIA HELLO WORLD! SocialSuite Rua Claudio Soares, 72-16 andar +55 11 3032 1982 São Paulo - SP Brasil Introdução Esse material foi desenvolvido pela equipe

Leia mais

Mídias Sociais: Conhecendo, aplicando e monitorando. Entenda como você pode trabalhar e monitorar mídias sociais, com foco no Twitter e Facebook.

Mídias Sociais: Conhecendo, aplicando e monitorando. Entenda como você pode trabalhar e monitorar mídias sociais, com foco no Twitter e Facebook. 1 Mídias Sociais: Conhecendo, aplicando e monitorando. Entenda como você pode trabalhar e monitorar mídias sociais, com foco no Twitter e Facebook. O que você vai encontrar neste ebook: Por que eu preciso

Leia mais

REDES SOCIAIS COMO FERRAMENTA DE MARKETING: ESTUDO COMPARATIVO DA UTILIZAÇÃO POR EMPRESAS BRASILEIRA

REDES SOCIAIS COMO FERRAMENTA DE MARKETING: ESTUDO COMPARATIVO DA UTILIZAÇÃO POR EMPRESAS BRASILEIRA ISSN 1984-9354 REDES SOCIAIS COMO FERRAMENTA DE MARKETING: ESTUDO COMPARATIVO DA UTILIZAÇÃO POR EMPRESAS BRASILEIRA Área temática: Gestão Estratégica e Organizacional Glauco Oliveira Rodrigues glaucorodriguesp10@gmail.com

Leia mais

Aline Santos Carlos Augusto Peterson Almeida Rafael Rodrigues Ramon Assis

Aline Santos Carlos Augusto Peterson Almeida Rafael Rodrigues Ramon Assis Aline Santos Carlos Augusto Peterson Almeida Rafael Rodrigues Ramon Assis Marketing Digital Trabalho científico apresentado ao Professor Edvaldo Jr., docente da matéria Marketing Digital, da turma de Produção

Leia mais

MARKETING DIGITAL E A APLICAÇÂO DO MARKETING DE MOBILE

MARKETING DIGITAL E A APLICAÇÂO DO MARKETING DE MOBILE MARKETING DIGITAL E A APLICAÇÂO DO MARKETING DE MOBILE Miriam Kazue SOKEN Rodrigo Bernardi BRAGA Orientadora: Professora Priscila Guidini RESUMO: Nos dias de hoje, a necessidade de se comunicar e trocar

Leia mais

SEMINÁRIO ABMES BASES DO MARKETING DIGITAL. Expositor. Júlio César de Castro Ferreira julio.ferreira@produtoranebadon.com.

SEMINÁRIO ABMES BASES DO MARKETING DIGITAL. Expositor. Júlio César de Castro Ferreira julio.ferreira@produtoranebadon.com. SEMINÁRIO ABMES BASES DO MARKETING DIGITAL Expositor Júlio César de Castro Ferreira julio.ferreira@produtoranebadon.com.br (61) 9613-6635 5 PILARES DO MARKETING DIGITAL 1 2 3 4 5 Presença digital: Ações

Leia mais

Estudo de Regionalização e Tecnologias nos Websites e Jornais auditados pelo IVC

Estudo de Regionalização e Tecnologias nos Websites e Jornais auditados pelo IVC Estudo de Regionalização e Tecnologias nos Websites e Jornais auditados pelo IVC Considerações iniciais O IVC audita publicações impressas e websites de seus filiados. O IVC não audita o mercado editorial

Leia mais

NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES

NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES 1. Conectando a Empresa à Rede As empresas estão se tornando empresas conectadas em redes. A Internet e as redes de tipo Internet dentro da empresa (intranets), entre uma

Leia mais

www.talk2.com.br O uso estratégico do LinkedIn Como usar uma rede social profissional de forma efetiva

www.talk2.com.br O uso estratégico do LinkedIn Como usar uma rede social profissional de forma efetiva www.talk2.com.br O uso estratégico do LinkedIn Como usar uma rede social profissional de forma efetiva 03 Introdução 3 05 Os 5 pilares de uma estratégia no LinkedIn 5 08 Devo entrar no LinkedIn? 8 11 17

Leia mais

1 Introdução. Dentre os conceitos que estudamos, o Inbound Marketing (Marketing Receptivo) é um que não pode passar em branco.

1 Introdução. Dentre os conceitos que estudamos, o Inbound Marketing (Marketing Receptivo) é um que não pode passar em branco. Sumário 1 Introdução... 3 2 Mas afinal o que é Inbound Marketing?... 4 3 Desenvolvimento de sites e Inbound Marketing... 5 4 Etapas do Inbound Marketing... 6 4.1 Atrair tráfego... 7 4.1.1 SEO (Search Engine

Leia mais

Mídias sociais como apoio aos negócios B2B

Mídias sociais como apoio aos negócios B2B Mídias sociais como apoio aos negócios B2B A tecnologia e a informação caminham paralelas à globalização. No mercado atual é simples interagir, aproximar pessoas, expandir e aperfeiçoar os negócios dentro

Leia mais

MAIS CLIENTES, MAIS VENDAS SEO. Estampe sua marca na primeira página do Google

MAIS CLIENTES, MAIS VENDAS SEO. Estampe sua marca na primeira página do Google MAIS CLIENTES, MAIS VENDAS SEO Search Engine Optimization Estampe sua marca na primeira página do Google Prefácio Este e-book que apresentamos ao leitor foi desenvolvido por uma equipe especializada em

Leia mais

Introdução à Otimização de Buscas na Web. Otimização de Buscas na Web

Introdução à Otimização de Buscas na Web. Otimização de Buscas na Web Introdução à Otimização de Buscas na Web Treinamentos e Workshops PaperCliQ A PaperCliQ Comunicação e Estratégia Digital oferece treinamentos e workshops para empresas, escolas ou grupos. Os slides a seguir

Leia mais

Como monitorar o que estão falando da minha empresa

Como monitorar o que estão falando da minha empresa http://www.tecnocratadigital.com.br/wp-content/uploads/2010/11/social-media-optimization.jpg Como monitorar o que estão falando da minha empresa nas Mídias Sociais de forma simples e direta. Paulo Milreu

Leia mais

Programação para Internet I

Programação para Internet I Programação para Internet I Faculdade de Tecnologia SENAC Curso Superior de Análise e Desenvolvimento de Sistemas Edécio Fernando Iepsen (edecio@terra.com.br) Vantagens da HTML 5 Código notadamente semântico;

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO MERCADOLÓGICA II

ADMINISTRAÇÃO MERCADOLÓGICA II ADMINISTRAÇÃO MERCADOLÓGICA II Atividades Gerenciais de MKT Produto Testar Novos Produtos; Modificar Atuais; Eliminar; Política de Marcas; Criar Satisfação e Valor; Embalagem. 2 1 Atividades Gerenciais

Leia mais

Breve história das mídias sociais. Os primórdios. Outros influenciadores

Breve história das mídias sociais. Os primórdios. Outros influenciadores Breve história das mídias sociais Facebook, Twitter, Orkut, YouTube sim, conhecemos todos esses nomes que estão presentes em nosso dia a dia, seja para entretenimento e informação ou para uso profissional.

Leia mais

MARKETING NAS REDES SOCIAIS. Carlos Henrique Cangussu (Discente do 2º ano do curso de Administração das Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS)

MARKETING NAS REDES SOCIAIS. Carlos Henrique Cangussu (Discente do 2º ano do curso de Administração das Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS) 1 MARKETING NAS REDES SOCIAIS Angela de Souza Brasil (Docente Esp. Faculdades Integradas de Três Carlos Henrique Cangussu Daniel Barbosa Maia Elisandra Inês Peirot Schneider Marcelo Da Silva Sivestre Tiago

Leia mais

efagundes com Curso Online sobre Comércio Eletrônico Eduardo Mayer Fagundes

efagundes com Curso Online sobre Comércio Eletrônico Eduardo Mayer Fagundes Curso Online sobre Comércio Eletrônico Eduardo Mayer Fagundes 1 Programa do Curso 1. Os consumidores 2. A Tecnologia 3. Marketing Digital 4. Logística 5. Meios de Pagamento 2 O Consumidor O objetivo do

Leia mais

O Uso das Redes Sociais Como Método Alternativo de Ensino

O Uso das Redes Sociais Como Método Alternativo de Ensino O Uso das Redes Sociais Como Método Alternativo de Ensino As Redes Sociais Virtuais são grupos ou espaços específicos na Internet, que permitem partilhar dados e informações, sendo estas de caráter geral

Leia mais

Modelo de comércio eletrônico livre

Modelo de comércio eletrônico livre 1/17 Modelo de comércio eletrônico livre Anarcovirus 2005 2/17 Quando o autor escreve um livro, não o faz sozinho. Seja aquilo que é escrito ou a forma de se colocar as palavras, as gravuras que escolhe,

Leia mais

Proposta Revista MARES DE MINAS

Proposta Revista MARES DE MINAS SATIS 2011 Proposta Revista MARES DE MINAS 21/03/2011 A SATIS Índice 1 A Satis 1 A Proposta 1 Serviços 2 Mapa do Site 2 SEO 3 Sistema de gerenciamento de conteudo 4 Cronograma e Prazos 5 Investimento 6

Leia mais

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS METODOLOGIA DE AUDITORIA PARA AVALIAÇÃO DE CONTROLES E CUMPRIMENTO DE PROCESSOS DE TI NARDON, NASI AUDITORES E CONSULTORES CobiT

Leia mais

Número de pessoas com acesso à internet passa de 120 milhões

Número de pessoas com acesso à internet passa de 120 milhões MÍDIA KIT INTERNET Número de pessoas com acesso à internet passa de 120 milhões Segundo pesquisa da Nielsen IBOPE, até o 1º trimestre/2014 número 18% maior que o mesmo período de 2013. É a demonstração

Leia mais

Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais

Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais Introdução O Brasil já tem 4,7 milhões de microempreendedores individuais, segundo dados de janeiro de 2015 da Receita

Leia mais

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios UNIMEP MBA em Gestão e Negócios Módulo: Sistemas de Informações Gerenciais Aula 4 TI com foco nos Negócios: Áreas envolvidas (Parte II) Flávio I. Callegari www.flaviocallegari.pro.br O perfil do profissional

Leia mais

Prezado Futuro Cliente

Prezado Futuro Cliente Prezado Futuro Cliente É com grade satisfação que encaminhamos nossa apresentação institucional e certos de estabelecermos uma parceria de sucesso e duradoura. Ela foi desenvolvida com objetivo de mostrar

Leia mais

Atividade Capitulo 6 - GABARITO

Atividade Capitulo 6 - GABARITO Atividade Capitulo 6 - GABARITO 1. A Internet é uma força motriz subjacente aos progressos em telecomunicações, redes e outras tecnologias da informação. Você concorda ou discorda? Por quê? Por todos os

Leia mais

Trabalho sobre Social Media Como implementar Social Media na empresa

Trabalho sobre Social Media Como implementar Social Media na empresa Como implementar Social Media na empresa 1 As razões: Empresas ainda desconhecem benefícios do uso de redes sociais Das 2,1 mil empresas ouvidas em estudo do SAS Institute e da Harvard Business Review,

Leia mais

As cinco disciplinas

As cinco disciplinas As cinco disciplinas por Peter Senge HSM Management julho - agosto 1998 O especialista Peter Senge diz em entrevista exclusiva que os programas de aprendizado podem ser a única fonte sustentável de vantagem

Leia mais

Sumário. Introdução ao Guia dos Anúncios na Internet 3. Links Patrocinados: as novas páginas amarelas

Sumário. Introdução ao Guia dos Anúncios na Internet 3. Links Patrocinados: as novas páginas amarelas 2 Sumário Introdução ao Guia dos Anúncios na Internet 3 Links Patrocinados: as novas páginas amarelas 5 Opções de investimento: o serviço ideal para alcançar os objetivos 8 Como começar a investir? 14

Leia mais

ESTUDO DE CASO NEXTEL RESUMO INTRODUÇÃO O PROJETO NEXTEL

ESTUDO DE CASO NEXTEL RESUMO INTRODUÇÃO O PROJETO NEXTEL ESTUDO DE CASO NEXTEL RESUMO A necessidade de reflexão para propostas de geração de valor, através da presença digital da marca Nextel, deu início ao processo apresentado neste caso, desenvolvido entre

Leia mais

AQUI VOCÊ ENCONTRA! (67) 9674-5519 Salas comerciais, veículos, imóveis, serviços, produtos, ofertas, eventos e muito mais...

AQUI VOCÊ ENCONTRA! (67) 9674-5519 Salas comerciais, veículos, imóveis, serviços, produtos, ofertas, eventos e muito mais... Quem somos: O site msfacil.com.br, foi criado posteriormente do site ivifacil.com.br, que atendia somente a cidade de Ivinhema. Desde a criação do Ivifácil, já ocorria à expectativa para expansão do site,

Leia mais

APÊNDICE A QUESTIONÁRIO APLICADO AOS GESTORES

APÊNDICE A QUESTIONÁRIO APLICADO AOS GESTORES 202 INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO ALGUNS COMENTÁRIOS ANTES DE INICIAR O PREENCHIMENTO DO QUESTIONÁRIO: a) Os blocos a seguir visam obter as impressões do ENTREVISTADO quanto aos processos de gestão da Policarbonatos,

Leia mais

O que é comércio eletrônico?

O que é comércio eletrônico? COMÉRCIO ELETRÔNICO O que é comércio eletrônico? O comércio eletrônico ou e-commerce é a compra e venda de mercadorias ou serviços por meio da Internet, onde as chamadas Lojas Virtuais oferecem seus produtos

Leia mais

Web site Espia Amazonas 1

Web site Espia Amazonas 1 1 Web site Espia Amazonas 1 Lidiane CUNHA 2 Adália CORDEIRO 3 Breno CABRAL 4 Iara RODRIGUES 5 Marcela MORAES 7 Gabrielle NASCIMENTO 8 Faculdade Boas Novas, Manaus, AM RESUMO O web site Espia Amazonas foi

Leia mais

A compra de TI e as redes sociais

A compra de TI e as redes sociais Solicitada por A compra de TI e as redes sociais Como as redes sociais transformaram o processo de compras B2B e as melhores práticas para adaptar as suas estratégias de marketing à nova realidade BRASIL

Leia mais

Check list. Plano estratégico de marketing no agronegócio Criando um plano de marketing

Check list. Plano estratégico de marketing no agronegócio Criando um plano de marketing Check list Plano estratégico de marketing no agronegócio Criando um plano de marketing Check list Plano estratégico de marketing no agronegócio Criando um plano de marketing Você ficaria surpreso se soubesse

Leia mais

TÍTULO: O PODER DAS REDES SOCIAIS-UM ESTUDO EM UMA INDÚSTRIA DE CONFECÇÕES DO NOROESTE PAULISTA

TÍTULO: O PODER DAS REDES SOCIAIS-UM ESTUDO EM UMA INDÚSTRIA DE CONFECÇÕES DO NOROESTE PAULISTA TÍTULO: O PODER DAS REDES SOCIAIS-UM ESTUDO EM UMA INDÚSTRIA DE CONFECÇÕES DO NOROESTE PAULISTA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA

Leia mais

MARKETING DE BUSCA: SEM E SEO

MARKETING DE BUSCA: SEM E SEO MARKETING DE BUSCA: SEM E SEO Orientação: Drª. Arlete Eni GRANERO Laís Oliveira Dal Bianco e Natássia Nayara de Andrade 1 Resumo: o objetivo deste artigo é abordar sobre o marketing de busca no cenário

Leia mais

A confluência dos vídeos e a Internet

A confluência dos vídeos e a Internet WHITEPAPER A confluência dos vídeos e a Internet Por que sua empresa deveria investir em vídeos em 2013 e como a Construção Civil pode utilizar os vídeos como diferencial competitivo. 1 Saiba como os vídeos

Leia mais

Índice. 03 A Empresa. 04 Missão Visão Valores 05 Nossos Eventos 23 Corpbusiness - Patrocínio 24 Divulgação 25 Expediente

Índice. 03 A Empresa. 04 Missão Visão Valores 05 Nossos Eventos 23 Corpbusiness - Patrocínio 24 Divulgação 25 Expediente MÍDIA KIT 2014 Índice 03 A Empresa 04 Missão Visão Valores 05 Nossos Eventos 23 Corpbusiness - Patrocínio 24 Divulgação 25 Expediente A empresa Fundada em 2007, a empresa possui uma grade anual com diversos

Leia mais

Uso estratégico do Twitter: como usar o microblogging a favor da sua empresa. www.talk2.com.br

Uso estratégico do Twitter: como usar o microblogging a favor da sua empresa. www.talk2.com.br Uso estratégico do Twitter: como usar o microblogging a favor da sua empresa www.talk2.com.br 04 Introdução 4 05 08 10 16 Por que as pessoas seguem uma conta 5 O que você precisa ter e saber antes de criar

Leia mais

CONSULTORIA E PROJETOS ELÉTRICOS JÚNIOR

CONSULTORIA E PROJETOS ELÉTRICOS JÚNIOR Título do Case: Impulsionando a Captação de Projetos Através do Marketing Digital Categoria: Projeto Interno Temática: Mercado Resumo: Sabe-se que grande parte dos projetos realizados pelas empresas juniores

Leia mais

SEO PARA INICIANTES Como otimizar um blog Guia passo a passo para fazer o seu blog otimizado e indexado corretamente!

SEO PARA INICIANTES Como otimizar um blog Guia passo a passo para fazer o seu blog otimizado e indexado corretamente! 1 SEO PARA INICIANTES Como otimizar um blog Guia passo a passo para fazer o seu blog otimizado e indexado corretamente! Fórmula Hotmart - www.formulahotmart.com 2 Este ebook pertence: Claudio J. Bueno

Leia mais

Quem é Ana Luiza Cunha?

Quem é Ana Luiza Cunha? Apresentação WSI Quem é a WSI? Fundada em 1995 Nascimento da Internet 1.100 Consultores de Marketing Digital 81 países 12 grandes Centros de Produção Receita estimada da rede: acima de US$160 milhões Parceiros:

Leia mais

Questão em foco: Colaboração de produto 2.0. Uso de técnicas de computação social para criar redes sociais corporativas

Questão em foco: Colaboração de produto 2.0. Uso de técnicas de computação social para criar redes sociais corporativas Questão em foco: Colaboração de produto 2.0 Uso de técnicas de computação social para criar redes sociais corporativas Tech-Clarity, Inc. 2009 Sumário Sumário... 2 Introdução à questão... 3 O futuro da

Leia mais

Prefácio. Boa leitura e bons negócios!

Prefácio. Boa leitura e bons negócios! Prefácio Muito se fala atualmente sobre a importância das mídias sociais para os negócios. O número crescente de usuários das mídias sociais, que já ultrapassa um bilhão no mundo, atrai empresas de todos

Leia mais

O QUE É AUTOMAÇÃO DE MARKETING?

O QUE É AUTOMAÇÃO DE MARKETING? O QUE É AUTOMAÇÃO DE MARKETING? AUTOMAÇÃO DE MARKETING AJUDA A Fechar mais negócios Atrair mais potenciais clientes Entregue mais clientes já qualificados para a equipe de vendas e feche mais negócios

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DA CIDADE UNIVERCIDADE ESCOLA DE NEGÓCIOS CURSO DE MARKETING

CENTRO UNIVERSITÁRIO DA CIDADE UNIVERCIDADE ESCOLA DE NEGÓCIOS CURSO DE MARKETING CENTRO UNIVERSITÁRIO DA CIDADE UNIVERCIDADE ESCOLA DE NEGÓCIOS CURSO DE MARKETING AS PRINCIPAIS MUDANÇAS OCORRIDAS NAS PRÁTICAS DE PUBLICIDADE NA INTERNET Autor: Ian Peter Figueiredo Medeiros Orientador:

Leia mais

Inteligência para ESTRATÉGIA DIGITAL

Inteligência para ESTRATÉGIA DIGITAL Inteligência para ESTRATÉGIA DIGITAL INTRODUÇÃO Já imaginou ter acesso a dados e estatísticas do website do concorrente? Com alguns aplicativos e ferramentas, isso já é possível. Com ajuda deles, você

Leia mais

Resumo. Palavras-chave: twitter; ferramenta; planejamento; Greenpeace.

Resumo. Palavras-chave: twitter; ferramenta; planejamento; Greenpeace. O Twitter Como Ferramenta de Divulgação Para As Empresas: Um Estudo De Caso do GREENPEACE 1 Jonathan Emerson SANTANA 2 Gustavo Guilherme da Matta Caetano LOPES 3 Faculdade Internacional de Curitiba - FACINTER

Leia mais

O uso do Facebook como ferramenta para promoção de serviços em bibliotecas universitárias

O uso do Facebook como ferramenta para promoção de serviços em bibliotecas universitárias Powered by TCPDF (www.tcpdf.org) O uso do Facebook como ferramenta para promoção de serviços em bibliotecas universitárias Rebeka Maria de Carvalho Santos Godeiro (UFERSA) - rebeka_carvalho@hotmail.com

Leia mais

www.intermidiabrasil.com.br Apresentação Presença Digital

www.intermidiabrasil.com.br Apresentação Presença Digital Apresentação Presença Digital 2012 ÍNDICE 1. GESTÃO MÍDIAS SOCIAIS... 03 2. ESTRATÉGIAS COMPLEMENTARES... 04 3. PERSONALIZAÇÃO... 05 4. CASES... 06 5. SOBRE A INTERMIDIA BRASIL... 13 6. CLIENTES... 14

Leia mais

Como cultivar leads do Comitê de TI

Como cultivar leads do Comitê de TI BRASIL Como cultivar leads do Comitê de TI O marketing está ajudando ou atrapalhando? Confiança + Credibilidade devem ser CONQUISTADAS O profissional de marketing moderno conhece a importância de cultivar

Leia mais

Marketing de Conteúdo para iniciantes CONTENT STRATEGY

Marketing de Conteúdo para iniciantes CONTENT STRATEGY Marketing de Conteúdo para iniciantes CONTENT STRATEGY A Rock Content ajuda você a montar uma estratégia matadora de marketing de conteúdo para sua empresa. Nós possuimos uma rede de escritores altamente

Leia mais

Relatório de Consumo de Conteúdo Profissional 2014

Relatório de Consumo de Conteúdo Profissional 2014 Relatório de Consumo de Conteúdo Profissional 2014 A ascensão dos Revolucionários de Conteúdo: uma análise minuciosa sobre os principais usuários que consomem conteúdo no LinkedIn e como os profissionais

Leia mais

CRESCIMENTO DAS REDES SOCIAS NO AMBIENTE DIGITAL RESUMO

CRESCIMENTO DAS REDES SOCIAS NO AMBIENTE DIGITAL RESUMO CRESCIMENTO DAS REDES SOCIAS NO AMBIENTE DIGITAL Talita Cristina Simionatto 1 William Quicoli dos Santos 2 Miriam Aparecida Quintanilha 3 Edson Leite Lopes Gimenez 4 RESUMO O objetivo deste trabalho foi

Leia mais

Origem do Pay-per-Click

Origem do Pay-per-Click Origem do Pay-per-Click Em 1998, a empresa GoTo.com foi a primeira a introduzir o pricing Pay-per-Click. PAG. 1 Introdução às Redes Sociais no Turismo NOVEMBRO.2010 PAG. 2 PAG. 2 A Web 2.0 Razões do Crescimento

Leia mais

Tec Triade. Brasil. Em um universo sem limites, sua marca precisa de uma comunicação sem limites. Precisa de um porta-voz.

Tec Triade. Brasil. Em um universo sem limites, sua marca precisa de uma comunicação sem limites. Precisa de um porta-voz. Seu porta-voz na sociedade digital. Em um universo sem limites, sua marca precisa de uma comunicação sem limites. Precisa de um porta-voz. A é uma agência de Comunicação Integrada, com uma equipe especialista

Leia mais

E-books. Introdução às Mídias Sociais. Sebrae

E-books. Introdução às Mídias Sociais. Sebrae E-books Sebrae Marketing e Vendas Introdução às Mídias Sociais O que fazer com as mídias sociais Tipos de ações As principais mídias sociais Dicas e considerações finais Autor Felipe Orsoli 1 SUMÁRIO 1

Leia mais

5 dicas incríveis de Facebook Ads para iniciantes. 1 INTRODUÇÃO

5 dicas incríveis de Facebook Ads para iniciantes. 1 INTRODUÇÃO 5 dicas incríveis de Facebook Ads para iniciantes. 1 INTRODUÇÃO Este e book foi criado após ter percebido uma série de dúvidas de iniciantes em Facebook Ads. O seu conteúdo é baseado na utilização da plataforma

Leia mais

Mídias Sociais. Fatos e Dicas para 2013. Esteja preparado para um ano digital, social e interativo

Mídias Sociais. Fatos e Dicas para 2013. Esteja preparado para um ano digital, social e interativo Mídias Sociais Fatos e Dicas para 2013 Esteja preparado para um ano digital, social e interativo NESTE E-BOOK VOCÊ VAI ENCONTRAR: 1 - Porque as mídias sociais crescem em tamanho e em importância para o

Leia mais

O / 4 FAIXA ETÁRIA SEXO 1.5% 0.2% 6.1% 0.2% 13.5% 25.8% 52.6% 407 entrevistas foram realizadas nos dias 27 e 28 de janeiro de 2010. Feminino.

O / 4 FAIXA ETÁRIA SEXO 1.5% 0.2% 6.1% 0.2% 13.5% 25.8% 52.6% 407 entrevistas foram realizadas nos dias 27 e 28 de janeiro de 2010. Feminino. A TERCEIRA EDIÇÃO DA CAMPUS PARTY BRASIL, REALIZADA EM SÃO PAULO ENTRE OS DIAS 25 E 31 DE JANEIRO DE 2010, REUNIU QUASE 100 MIL PARTICIPANTES PARA DISCUTIR AS TENDÊNCIAS DA INTERNET E DAS MÍDIAS DIGITAIS.

Leia mais

Marketing Digital de resultado para médias e pequenas empresas. Monitoramento de Mídias Sociais Os atalhos para médias e pequenas empresas

Marketing Digital de resultado para médias e pequenas empresas. Monitoramento de Mídias Sociais Os atalhos para médias e pequenas empresas Marketing Digital de resultado para médias e pequenas Monitoramento de Mídias Sociais Os atalhos para médias e pequenas 1 Índice Monitoramento nas Médias e Pequenas As duas etapas do monitoramento Parte

Leia mais

ENSINO DE MATEMÁTICA PONTO BLOG

ENSINO DE MATEMÁTICA PONTO BLOG ENSINO DE MATEMÁTICA PONTO BLOG Moema Gomes Moraes 1 RESUMO: Este trabalho faz uma reflexão sobre os aspectos relacionados ao uso de Blogs no ensino de Matemática. Para isto, ele inicia fazendo uma reflexão

Leia mais