Keywords: INTRODUÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Keywords: INTRODUÇÃO"

Transcrição

1 A Resignificação das Práticas Pedagógicas no Ensino Fundamental: uma experiência exitosa através das oficinas de matemática mediadas pelo monitor educacional em Salvador (BA). The Redefinition of Teaching Praticies in Elementary Education: a successful experience through the math workshops mediated by education monitor in Salvador (BA) Ana Lícia S. Stopilha¹ Universidade do Estado da Bahia Antônio Arivalter Santana² Secretaria de Educação do Estado da Bahia RESUMO Este artigo tem por objetivo apresentar uma experiência prática sobre a utilização motivadora da TV Pen Drive com alunos do ensino fundamental da Escola Estadual Álvaro Silva em Salvador (BA) resultante de um projeto da disciplina Matemática. Em pesquisa realizada em 2009 pelos mesmos autores deste artigo na escola em epígrafe percebeu-se a necessidade de realizar alguns ajustes na utilização da TV Pen Drive que possibilitassem aos alunos interesse e motivação nas aulas veiculadas a partir da referida tecnologia. Tais práticas resultam da necessidade em responder às demandas impostas pela sociedade do conhecimento e da informação, especialmente no tocante ao papel da educação em criar novas possibilidades de inclusão, sobretudo tecnológicas, às minorias que localizam-se à margem do tecido social, a exemplo dos alunos do ensino público, no sentido de produzirem-se ambientes próprios à criação e difusão do conhecimento. Para cumprir tal objetivo, a presente discussão orientou-se a partir da pesquisa bibliográfica, da pesquisa eletrônica e da apresentação da experiência realizada em campo. As conclusões expostas no presente trabalho são resultados parciais de uma experiência em processo de andamento em uma escola pública na cidade de Salvador (BA) e apontam para a os aspectos positivos sobre construção do conhecimento coletivo, trabalho em grupo, produção e difusão de conhecimentos de forma prática e, sobretudo para o aumento da autoestima proporcionado pela utilização de novas práticas de ensino mediadas pelo monitor educacional. Palavras-chave: TV pen drive. Ensino da matemática. Motivação. ABSTRACT This article aims to present a practical experience on the use of motivating Pen Drive TV with elementary students of the State School Alvaro Silva in Salvador (BA) resulting from a project of the Mathematics discipline. In a survey conducted in 2009 by the authors of this article referred to above in the school realized the need to make some adjustments in the use of Pen Drive TV that would allow students interest and motivation in lessons conveyed from the said technology. Such practices reflect the need to respond to the demands imposed by society of knowledge and information, especially concerning the role of education in creating new opportunities for integration, especially technology that minorities are located outside the society, like the students public education in order to produce their own environments to the

2 2 creation and diffusion of knowledge. To fulfill this goal, the present discussion was guided from the literature search, research and presentation of electronic experiment in the field. The findings of this work are partial results of an ongoing process of experience in a public school in Salvador (BA) and point to the positive aspects about the construction of collective knowledge, teamwork, production and dissemination of knowledge in and practical way, especially for increasing self-esteem provided by the use of new teaching practices mediated by education monitor. Keywords: TV pen drive. Mathematics teaching. Motivation. INTRODUÇÃO Atualmente os recursos imagéticos e a linguagem áudio visual assumem um significado de magnitude na educação de crianças e jovens. Essa cultura tem proporcionado tanto a construção e disseminação de conhecimento quanto a reelaboração de valores e saberes evidenciados no afloramento da inovação e criatividade. A televisão, a filmadora e outros recursos audiovisuais, presentes no contexto social, assumem um papel que transcende a produção de imagens, sons, entretenimento, lazer e informação. A televisão torna-se um objeto de educação na medida em que permita a conversão de informações em conhecimento, especialmente para crianças e jovens. Efetivamente as tecnologias de informação e comunicação (TIC) e seu compartilhamento representam ferramentas cada vez mais poderosas para disseminação do conhecimento, entretanto, não são suficientes para que o desenvolvimento aconteça. Neste sentido Lemos (1999) afirma que ao contrário do que se sustenta sobre a facilidade na disseminação do conhecimento nos dias atuais realizada através das TIC muitos conhecimentos não são transferidos, principalmente aqueles de difícil socialização e os tácitos que representam ativos das pessoas, organizações e até mesmo nações O Governo do Estado da Bahia, através da Secretaria de Educação (SEC-BA), implantou, como projeto piloto, o programa de inclusão digital denominado monitor educacional mais conhecido como TV pen drive. No primeiro semestre do ano de 2009 instalaram-se televisores de 29 polegadas em 22 mil salas de aula, inclusive no interior do Estado, com o objetivo de estimular a construção e socialização do conhecimento entre os atores escolares. A TV Pen drive configura-se como um recurso composto por entradas para VHS, DVD, cartão de memória e pen drive, e saídas de áudio e super vídeo para utilização de imagens e sons. O presente artigo surge de uma experiência mediada pelo o monitor educacional TV Pen Drive. Tal experiência originou-se de um Projeto solicitado pelo Curso Gestão e Aprendizagem (GESTAR II) oferecido pelo Governo Federal e mediado pelo Instituto Anísio

3 3 Teixeira (IAT) no Estado da Bahia. Assim, o Professor Antônio Arivalter Santana, aluno do GESTAR II e professor de matemática do ensino público, percebeu o desafio em desenvolver e construir novas competências e habilidades com o ensino da Matemática no ensino fundamental, do 6 ao 9 ano, visto que já percebia em suas turmas certa inquietação, desmotivação e desconforto dos alunos pelas metodologias e pelo próprio modelo de ensino vigente até então, mostrando claramente o abismo que separa o modelo do ensino formal da dinâmica de aprendizado das novas gerações. Dessa forma, buscou modernizar as aulas utilizando oficinas para desenvolver conteúdos a partir de recursos imagéticos, sons, textos e demais recursos do monitor educacional (TV Pendrive). Para melhor clareza, o artigo está estruturado em quatro seções: a primeira reflete sobre a relação entre sociedade do conhecimento e a necessidade de utilizarem-se novas práticas educativas; a segunda apresenta novos paradigmas no ensino da matemática; a terceira relata a experiência origem deste artigo e a quarta seção tece considerações finais acerca da temática proposta. 1 A SOCIEDADE DO CONHECIMENTO, NOVAS TIC E APRENDIZAGEM: a necessidade de ressignificação das práticas educativas. O arranjo societário atual e sua irreversível mobilidade permeado pelo uso das tecnologias da informação e comunicação (TIC) permitiu que crianças e adolescentes, filhos desta mesma sociedade da informação e do conhecimento, portanto com suas aguçadas capacidades da curiosidade, assumissem postura e destreza digital na maioria das vezes superior a de muitos educadores frente ao conhecimento destas ferramentas. Somando-se a este fato, em 2009 é implantado nas escolas públicas do Estado da Bahia os monitores educacionais também conhecidos como TV Pendrive. Ocorre que, o próprio desconhecimento equipamentos e do manejo das TIC ocasiona uma baixa utilização pelo corpo docente comprometendo, desta forma, a política pública de inclusão digital e a possibilidade de contribuição de tais tecnologias com a melhoria do ensino. Atrelado a tais questões observase o desinteresse dos alunos em serem meros espectadores. Em artigo publicado em 2008 sobre o efeito das TIC utilizadas em sala de aula na produção de conhecimento de alunos do ensino público, tendo como campo empírico o mesmo colégio objeto do presente trabalho, Stopilha; Santana apregoam que: [...] a tecnologia objeto deste estudo pode efetivamente representar uma ferramenta de motivação e interesse para o discente. A maioria das falas dos sujeitos investigados aponta positivamente pela convergência da TV Pen Drive, entretanto é preciso atentar para o uso do equipamento apenas como meio de informação, ainda atrelado às rotinas e métodos de ensino ultrapassados. O uso da TV Pen Drive deverá possibilitar a construção de conhecimentos de maneira criativa e inovadora,

4 4 tanto para discentes, quanto para docentes no sentido de ampliar os horizontes do aprender, proporcionando o aprendizado contínuo mediado por linguagens contemporâneas nas quais os sujeitos encontrem sua realidade e possam discutir as novas formas de saberes, atendendo assim à suas demandas. (STOPILHA;SANTANA, 2008, p. 11). Observa-se ainda nas palavras de Moraes; Lacerda (2000), que a educação tem um papel crucial na chamada sociedade tecnológica. De fato, é especialmente por meio da educação que os sujeitos desenvolverão condições para compreenderem, questionarem e situarem-se na sociedade contemporânea como partícipes e responsáveis. Sendo assim, as novas tecnologias devem ser compreendidas como elementos mediadores para a construção de uma nova representação da sociedade. matemática 2 A RAINHA DAS CIÊNCIAS: quebra de paradigmas no ensino da Através do passeio pela história da matemática Garbi (2006) leva-nos a compreendêla como rainha das ciências. Sob este prisma, observa-se que ao longo dos séculos, a matemática consolidou-se na construção do conhecimento em várias competências necessárias à sobrevivência humana, especialmente na sociedade atual, a ponto de várias outras ciências utilizarem seus instrumentos no sentido de produzirem explicações lógicas para a realidade. Na sociedade atual estabeleceu-se o modelo de competências, reconhecido como o conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes que o ser humano precisa desenvolver a fim de inserir-se no tecido social. Acredita-se, no âmbito educacional, que formar pessoas empreende e compreende um olhar para as disciplinas e seus conteúdos, produzindo entre elas a multireferencialidade a partir de uma pedagogia mais contextualizada e com recursos didáticos diversificados, de acordo com os descritores e temas dos Parâmetros Curriculares nacionais para o ensino Fundamental (PCNs) procurando deste modo uma aproximação maior entre os atores da sala de aula, professor e aluno para que haja ganhos cognitivos das pessoas no sentido de obterem um diferencial seletivo no mercado de trabalho assim como uma maior amplitude de formação humana. Uma educação que, conforme propõe Freire (1998), tenha compromisso com a formação integral dos sujeitos articulando-se, sobretudo, a uma fazer pedagógico crítico- reflexivo interativo, comprometido com a mudança e não apenas com a reprodução. O modelo puramente conteudista não tem produzido resultados eficazes na formação dos alunos do ensino fundamental nas Escolas públicas, tal fato traduz-se tanto em baixa aprovação em processos seletivos, mesmo em organizações de ensino cuja qualificação é notória a exemplo do Instituto Federal da Bahia (IFBA), considerando-se índices como o

5 5 prova Brasil; tais fatores também ocasionam baixo rendimento e baixa visibilidade em certames de notoriedade social a exemplo das Olimpíadas da Matemática. Problemas como a dificuldade em motivar alunos para o estudo e o desenvolvimento de competências de forma continuada em Matemática, a ausência de sensores de medição sobre as causas da evasão escolar e a desmotivação de alunos pode ter um dos seus vetores na ortodoxa forma de transferir conhecimento, centrado na figura do professor. A dinâmica do mundo contemporâneo sugere que, para alterar tal realidade, os profissionais em educação capacitem-se em novos saberes cujas compreensões produzirão novas intervenções pedagógicas em sala de aula, melhorando assim a qualidade do ensino da matemática que certamente favorecerão a criação de um ambiente mais propício ao aprendizado do aluno. Igualmente, observa-se que o aluno contemporâneo já se encontra inserido em um contexto permeado por tecnologias e na própria sociedade da informação e do conhecimento, sendo assim: A captação da realidade através das novas tecnologias de informação e comunicação ] potencializa o envolvimento multissensorial, afetivo e intelectual dos indivíduos inseridos nos sistemas de informação o que demanda novas pesquisas relativas ao fenômeno educativo. (OLIVEIRA et al, 2004, p.112). Desta forma, a experiência relatada a seguir procurou implementar uma prática pedagógica provocadora de uma maior motivação do aluno do ensino fundamental para o aprendizado contínuo, assim como uma maior inserção do mesmo no mundo digital através da utilização de efeitos imagéticos, de vídeo, de sons e de textos a fim de socializarem-se com os mesmos atividades da matemática utilizando o monitor educacional, TV Pen drive, objetivando mediar conhecimento com interatividade, motivar os alunos e criar um ambiente saudável para que o processo ensino-aprendizagem atinja seus fins com reflexão eficiente na educação matemática, sendo, portanto, de relevância social. 3 RESIGNIFICANDO PRÁTICAS PEDAGÓGICAS ATRAVÉS DA TV PEN DRIVE: a experiência. 3.1 Caminho Metodológico Para a melhor implementação da experiência, traçou-se um caminho metodológico no sentido de sistematizar as etapas a serem seguidas, assim como possibilitar a construção de instrumentos que transformassem o empírico em científico, objetivando alcançar o que salienta Fachin (1993, p.23) uma das características do conhecimento científico é justamente a presença do método e da sistematização dos fatos da realidade, da relação existente com outros fatos e as implicações advindas dessas relações.

6 6 Para tanto, configurou-se um referencial teórico baseado, inicialmente em Freire (1975, 1979); Lévy (1996); Lynn (1998). Inicialmente delinearam-se como participantes do projeto 40 alunos do colégio Álvaro Silva do 6º ano do ensino fundamental. A turma em referência também funcionou como piloto. A trilha metodológica incluiu o planejamento das atividades que foram socializadas na semana pedagógica, e a implantação do Projeto em fases. Sendo assim, estabeleceram-se as seguintes etapas. Escolha das temáticas para as oficinas Implantação do projeto por fase Apresentação planejamento das atividades na semana pedagógica. Escolha turma piloto para implantar Ampliação da experiência para demais classes Utilização do Projeto em evento interdisciplinar da escola Definição de avaliações qualitativa e quantitativa A Avaliação operou-se no viés processual e qualitativo, observando-se os seguintes passos: a) Para os alunos Qualitativa: envolveu depoimentos sobre as atividades, relatos escritos, produção e pesquisa. Quantitativa: aplicação de testes e Prova, como modelo dos descritores e temas da prova Brasil b) Para o Projeto Portfólio Semestral, apresentado à coordenação pedagógica em reuniões. 3.2 O relato da experiência No mês de agosto de 2010 realizaram-se as oficinas de Matemática na turma do 6º ano com o objetivo de desenvolver novas competências com os alunos. Trabalharam-se os seguintes conteúdos: medidas, formas geométricas e robótica. Inicialmente o professor de matemática explicou para os alunos como aconteceria a oficina e como cada um deveria inserir-se na atividade. Dividiu-se a turma em equipes de cinco componentes; distribuíram-se os kits de robótica. O tempo estimado foi de cinco aulas, incluindo a filmagem da atividade e sua posterior edição. Nas oficinas além da produção de novos conhecimentos desenvolveramse habilidades de organização, visualização de formas geométricas, compreensão de simetria, noção de tempos e movimentos a partir da construção de robôs com diversos formatos,

7 7 construção de campo de futebol, discussões sobre comidas africanas e outras temáticas. Esperava-se obter dos alunos especialmente motivações acerca de aptidões para tecnologia e para a educação matemática percebida na prática. As filmagens resultaram em projeção tendo os alunos como protagonistas, utilizando a TV Pen Drive. Os alunos assistiram o resultado da atividade e emitiram, por escrito e verbalmente, suas opiniões acerca das oficinas e da filmagem da atividade. A construção coletiva do conhecimento na oficina resultou em depoimentos positivos por parte de todos os alunos que participaram da experiência, especialmente sobre o momento em que se viram na TV Pen Drive, os quais se encontram registrados em portfólio pela escrita dos próprios alunos, alguns desses destacados a seguir: Para mim, a atividade foi feita para gente usar a mente ao montar objetos (ALUNO A): Eu entendi que é muito importante trabalhar em grupo e que a tecnologia vem mudando o mundo e isso é importante ( ALUNO B); Eu entendi que olhando se faz melhor (ALUNO C) Me achei diferente porque antes não gostava de matemática agora é minha matéria preferida então gostei de ir ao projeto por que em aprendi um pouco mais de geometria e outras coisas. Eu adoro matemática eu me senti muito feliz adorei ser filmada, ser vista na tv e etc (ALUNA D) Eu me sentir diferente [...]. Eu gostei muito do filme ficou muito legal [...]. Já de todas as escolas essa foi uma das muito legais eu gostei muito dessa filmagem [...] (ALUNA E) Eu achei muito legal me ver no filme. Eu me senti muito feliz e alegre e muito maravilhada (ALUNA F) [...] A matemática me mudou naquele dia. (ALUNA G) [...] a sala filmada e eu também filmado, quer dizer todos nós bem arrumados e o professor Arivalter bem arrumado[...] (ALUNO H). Eu achei que o filme foi muito bom e também a gente fez um campo representando figuras geométricas[...] (ALUNO I). Eu achei bom o filme[...]. Eu mim senti no projeto uma pessoa (ALUNO J). 4 CONSIDERAÇÕES FINAIS A sociedade do conhecimento e da informação impõe aos indivíduos e às organizações um novo perfil, especialmente no que se refere à aprendizagem. Notadamente com o advento das novas TIC, permeando todos os setores da sociedade e impactando de

8 8 maneira irreversível a vida de crianças e jovens que fazem parte dessa geração tecnológica, o sistema educacional e seus agentes devem possibilitar novas formas de aprender e desenvolver competências que efetivamente orientem o ser humano para a profissão, para o atitudinal e, especialmente para a reflexão no mundo a fim de propiciar o enfrentamento aos desafios atuais. Sendo assim, a partir da experiência apresentada neste artigo, conclui-se para a possibilidade de utilizarem-se novas tecnologias de forma motivadora, interessante e inclusiva, com o firme propósito de gerar conhecimento, desenvolver habilidades, mas, sobretudo ampliar horizontes e aumentar a autoestima de pessoas que fazem parte de grupos que se encontram à margem do tecido social e cujas perspectivas de melhoria podem significar melhorias também para sua própria comunidade. Os depoimentos dos alunos participantes do Projeto descrito apontam para os aspectos positivos sobre construção do conhecimento coletivo, trabalho em grupo, produção e difusão de conhecimentos de forma prática e, sobretudo para o aumento da autoestima, aspecto de extrema relevância para a melhoria de vida, para o aprendizado, para a permanência na escola e para a multiplicação do conhecimento nos espaços de convivência dos sujeitos. Aponta-se, ainda, a urgente necessidade da utilização de práticas e projetos em todas as disciplinas, de forma multidisciplinar e mediada por TIC a exemplo da TV Pen Drive, a fim de promover criatividade e inovação de maneira simples e divertida como salientam os alunos sujeitos do projeto. Por fim, considera-se que, apesar da utilização da TV Pen Drive em escolas do ensino público, as investigações e discussões sobre seus efeitos no aprendizado ainda são discretas. Assim, a experiência aqui referenciada poderá servir de contribuição, feed-back e suporte para a melhoria contínua do projeto TV Pen Drive, especialmente no âmbito da educação matemática. Vale salientar que o projeto aplicado na turma do 6º ano estendeu-se para outras turmas do referido colégio no qual o professor de matemática leciona. 1 ¹ Doutoranda em Difusão do Conhecimento pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Mestre em Políticas Públicas, Gestão do Conhecimento e Desenvolvimento Regional pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Pesquisadora do grupo de Pesquisa Educação, Etinicidade e Desenvolvimento Regional da UNEB. Professora Assistente da UNEB.

9 9 ² Especialista em Gestão da Aprendizagem Escolar pelo Instituto Anísio Teixeira. Especialista em Administração Pública pela Universidade Estadual de Feira de Santana. Professor de matemática da Rede Pública Estadual da Bahia. REFERÊNCIAS ALVES, Lynn. Novas Tecnologias: instrumento, ferramenta ou elementos estruturantes de um novo pensar? Revista da FAEBA. Salvador: p , FACHIN, Odília. Fundamentos de metodologia. São Paulo: Atlas, FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, FREIRE, Paulo. Educação e mudança. Rio de Janeiro: Paz e terra, FERRÉS, Joan. Pedagogia dos meios audiovisuais e pedagogia com os meios audiovisuais. In. SANCHO, Juana M. (org.) Para uma tecnologia educacional. Tradução de Beatriz Affonso Neves. Porto Alegre: Artmed, GARBI, Gilberto G. A rainha das ciências: um passeio histórico pelo maravilhoso mundo da matemática. São Paulo: Livraria da Física, LÉVY, Pierre. Tecnologias da Inteligência. São Paulo: Editora 34, LEMOS, Cristina. Inovação na era do conhecimento. In: LASTRES, Maria Helena; ALBAGLI, Sarita. Informação e globalização na era do conhecimento. Rio de Janeiro : Campus, MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA. Parâmetros Curriculares nacionais para o ensino fundamental. Brasilia : MEC/SEF,1998. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA. Programa Gestão da Aprendizagem Escolar-Gestar II.Matemática:Cadernos de teoria e Prática-TPs:construção do conhecimento matemático em ação.brasilia: MEC, MORAES, Raquel de Almeida; LACERDA, Gilberto. Educação e sociedade tecnológica. Disponível em: Acesso em 01/04/07. OLIVEIRA, Rosângela Cruz. Aprendizagem, autonomia e interatividade na EAD. Disponível em: Acesso em 01/04/07. STOPILHA, Ana Lícia de S; SANTANA, Arivalter. TV PEN DRIVE: O impacto das TIC entre alunos do ensino público em Salvador (BA). Curitiba: Universidade Federal Tecnológica do Paraná - IV simpósio de Tecnologia e Sociedade, 2009.

Mídia, linguagem e educação

Mídia, linguagem e educação 21 3 22 Mídia, Linguagem e Conhecimento Segundo a UNESCO (1984) Das finalidades maiores da educação: Formar a criança capaz de refletir, criar e se expressar em todas as linguagens e usando todos os meios

Leia mais

A Interdisciplinaridade como Metodologia de Ensino INTRODUÇÃO

A Interdisciplinaridade como Metodologia de Ensino INTRODUÇÃO A Interdisciplinaridade como Metodologia de Ensino O bom professor é o que consegue, enquanto fala trazer o aluno até a intimidade do movimento de seu pensamento. Paulo Freire INTRODUÇÃO A importância

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FISICA NAS SÉRIES INICIAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA LEILA REGINA VALOIS MOREIRA

A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FISICA NAS SÉRIES INICIAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA LEILA REGINA VALOIS MOREIRA 1 A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FISICA NAS SÉRIES INICIAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA LEILA REGINA VALOIS MOREIRA INTRODUÇÃO O tema a ser estudado tem como finalidade discutir a contribuição da Educação Física enquanto

Leia mais

Produção de vídeos pelos Educandos da Educação Básica: um meio de relacionar o conhecimento matemático e o cotidiano

Produção de vídeos pelos Educandos da Educação Básica: um meio de relacionar o conhecimento matemático e o cotidiano Produção de vídeos pelos Educandos da Educação Básica: um meio de relacionar o conhecimento matemático e o cotidiano SANTANA, Ludmylla Siqueira 1 RIBEIRO, José Pedro Machado 2 SOUZA, Roberto Barcelos 2

Leia mais

LURDINALVA PEDROSA MONTEIRO E DRª. KÁTIA APARECIDA DA SILVA AQUINO. Propor uma abordagem transversal para o ensino de Ciências requer um

LURDINALVA PEDROSA MONTEIRO E DRª. KÁTIA APARECIDA DA SILVA AQUINO. Propor uma abordagem transversal para o ensino de Ciências requer um 1 TURISMO E OS IMPACTOS AMBIENTAIS DERIVADOS DA I FESTA DA BANAUVA DE SÃO VICENTE FÉRRER COMO TEMA TRANSVERSAL PARA AS AULAS DE CIÊNCIAS NO PROJETO TRAVESSIA DA ESCOLA CREUSA DE FREITAS CAVALCANTI LURDINALVA

Leia mais

TV MULTIMÍDIA NA SALA DE AULA

TV MULTIMÍDIA NA SALA DE AULA TV MULTIMÍDIA NA SALA DE AULA MELLO, Rosângela Menta SEED/PR rosangelamenta@seed.pr.gov.br Eixo Temático: Comunicação e Tecnologia Agência Financiadora: Não contou com financiamento Resumo Apresentamos

Leia mais

O uso de blogs no ensino de Matemática 2

O uso de blogs no ensino de Matemática 2 Claudinei Flavia Batista Santos Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia Brasil bs_flavia@hotmail.com Sirlândia Souza Santana sirlandiasantana@hotmail.com Resumo Este trabalho tem como principal objetivo

Leia mais

Professores de Matemática e o Uso do Computador

Professores de Matemática e o Uso do Computador Secretaria de Estado da Educação SEED Superintendência da Educação - SUED Diretoria de Políticas e Programas Educacionais DPPE Programa de Desenvolvimento Educacional PDE SILVIA VILELA DE OLIVEIRA RODRIGUES

Leia mais

Novas tecnologias no ensino de matemática: possibilidades e desafios

Novas tecnologias no ensino de matemática: possibilidades e desafios Novas tecnologias no ensino de matemática: possibilidades e desafios Marcelo Antonio dos Santos Mestre em Matemática Aplicada UFRGS, Professor na Faculdade Cenecista de Osório (FACOS) e professor da rede

Leia mais

O USO DA TECNOLOGIA DE SIMULAÇÃO NA PRÁTICA DOCENTE NA ÁREA DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

O USO DA TECNOLOGIA DE SIMULAÇÃO NA PRÁTICA DOCENTE NA ÁREA DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO 1 GT2 O USO DA TECNOLOGIA DE SIMULAÇÃO NA PRÁTICA DOCENTE NA ÁREA DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Renato Fares Khalil Marco Aurélio Bossetto José Fontebasso Neto.br Orientadora: Profa. Dra. Irene Jeanete Lemos

Leia mais

INCLUSÃO DIGITAL, CIÊNCIA E CIDADANIA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA CONVERGÊNCIA DE MÍDIAS

INCLUSÃO DIGITAL, CIÊNCIA E CIDADANIA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA CONVERGÊNCIA DE MÍDIAS INCLUSÃO DIGITAL, CIÊNCIA E CIDADANIA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA CONVERGÊNCIA DE MÍDIAS Vera Nácia Duarte Franco(1) Instituto de Educação Fernando Rodrigues da Silveira CAp- UERJ, veranacia@hotmail.com

Leia mais

Palavras-chave: estilos de aprendizagem; atividades pedagógicas; lousa digital.

Palavras-chave: estilos de aprendizagem; atividades pedagógicas; lousa digital. A UTILIZAÇÃO DA LOUSA DIGITAL COMO ESTÍMULO NO PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM* Adnael Belford Martins - (UEMG - Campus Carangola) Patricia Silva Rocha - (UEMG - Campus Carangola) André Luis Adenes Deusdará

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE EDUCAÇÃO E HUMANIDADES FACULDADE DE EDUCAÇÃO ARTIGO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE EDUCAÇÃO E HUMANIDADES FACULDADE DE EDUCAÇÃO ARTIGO UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE EDUCAÇÃO E HUMANIDADES FACULDADE DE EDUCAÇÃO ARTIGO A RESILIÊNCIA NO AMBIENTE ESCOLAR E O PAPEL DO PROFESSOR ZÍPORA RAQUEL DE PAULA Resende RJ 2014.1

Leia mais

I - FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

I - FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA I - FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA O Colégio Ceom, fundamenta seu trabalho educacional na área da Educação Infantil, Ensino Fundamental I, Fundamental II e Ensino Médio, a partir das teorias de Jean Piaget e Emília

Leia mais

O USO DO SOFTWARE GEOGEBRA COMO METODOLOGIA DE ENSINO DE MATEMÁTICA NO 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DO COLÉGIO SÃO JOÃO BATISTA, CEDRO-CE

O USO DO SOFTWARE GEOGEBRA COMO METODOLOGIA DE ENSINO DE MATEMÁTICA NO 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DO COLÉGIO SÃO JOÃO BATISTA, CEDRO-CE O USO DO SOFTWARE GEOGEBRA COMO METODOLOGIA DE ENSINO DE MATEMÁTICA NO 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DO COLÉGIO SÃO JOÃO BATISTA, CEDRO-CE ¹C. J. F. Souza (ID); ¹M. Y. S. Costa (ID); ²A. M. Macêdo (CA)

Leia mais

Uma análise sobre a produção de conteúdo e a interatividade na TV digital interativa

Uma análise sobre a produção de conteúdo e a interatividade na TV digital interativa Uma análise sobre a produção de conteúdo e a interatividade na TV digital interativa Mariana da Rocha C. Silva Mariana C. A. Vieira Simone C. Marconatto Faculdade de Educação-Unicamp Educação e Mídias

Leia mais

Integrando a TV Escola com a Internet através de atividades escolares

Integrando a TV Escola com a Internet através de atividades escolares Integrando a TV Escola com a Internet através de atividades escolares Anna Friedericka Schwarzelmüller Departamento de Ciência da Computação - Universidade Federal da Bahia (UFBA) Campus de Ondina, Salvador

Leia mais

LUDICIDADE: UMA POSSIBILIDADE METODOLÓGICA PARA PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO INFANTIL E SÉRIES INICIAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA

LUDICIDADE: UMA POSSIBILIDADE METODOLÓGICA PARA PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO INFANTIL E SÉRIES INICIAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA LUDICIDADE: UMA POSSIBILIDADE METODOLÓGICA PARA PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO INFANTIL E SÉRIES INICIAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA RESUMO Edena Carla Dorne Cavalli UNIOESTE CAPES ed-cavalli@uol.com.br

Leia mais

PRÁTICAS E VIVÊNCIAS 1

PRÁTICAS E VIVÊNCIAS 1 1 PRÁTICAS E VIVÊNCIAS 1 Cintia Taiza Klein 2 Patrícia Luiza Klein Santos 3 Marilete Staub 4 Jair André Turcatto 5 1 INTRODUÇÃO O presente trabalho busca apresentar algumas atividades e vivências desenvolvidas

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2012 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL... 4 02 INVESTIGAÇÃO PEDAGÓGICA: DIVERSIDADE CULTURAL NA APRENDIZAGEM... 4 03 METODOLOGIA CIENTÍFICA...

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL Fase: 1ª Carga Horária: 30 h/a Prática: 30 h/a Créditos: 4 A biologia educacional e os fundamentos da educação. As bases biológicas do crescimento e desenvolvimento humano. A dimensão

Leia mais

Utilização de modelos virtuais no ensino de desenho técnico para engenheiros florestais

Utilização de modelos virtuais no ensino de desenho técnico para engenheiros florestais Utilização de modelos virtuais no ensino de desenho técnico para engenheiros florestais UNIPLAC fabiterezo@hotmail.com 1. Introdução Com o advento dos computadores, dos programas de desenho, das impressoras

Leia mais

A FORMAÇÃO INCLUSIVA DE PROFESSORES NO CURSO DE LETRAS A DISTÂNCIA

A FORMAÇÃO INCLUSIVA DE PROFESSORES NO CURSO DE LETRAS A DISTÂNCIA A FORMAÇÃO INCLUSIVA DE PROFESSORES NO CURSO DE LETRAS A DISTÂNCIA Autor - Juliana ALVES - IFTM 1 Coautor - Andriza ASSUNÇÃO IFTM 2 Coautor - Aparecida Maria VALLE IFTM 3 Coautor - Carla Alessandra NASCIMENTO

Leia mais

Palavras chave: Teatro Criatividade Espontaneidade - Imaginação

Palavras chave: Teatro Criatividade Espontaneidade - Imaginação INOVAÇÃO E CRIATIVIDADE NA ESCOLA: O MÉTODO DRAMÁTICO E IMAGINAÇÃO CRIATIVA NA ESCOLA Nayara Lopes Botelho Acadêmica de Artes Cênicas do IFTO Campus Gurupi nayara_lb@hotmail.com Resumo. Edna Maria Cruz

Leia mais

UMA ANÁLISE DO FORMATO DO ESTÁGIO NAS LICENCIATURAS A DISTÂNCIA DA UFRN. Natal/RN, 05/2009.

UMA ANÁLISE DO FORMATO DO ESTÁGIO NAS LICENCIATURAS A DISTÂNCIA DA UFRN. Natal/RN, 05/2009. 1 UMA ANÁLISE DO FORMATO DO ESTÁGIO NAS LICENCIATURAS A DISTÂNCIA DA UFRN Natal/RN, 05/2009. Auta Stella de Medeiros Germano - SEDIS-UFRN - autastella@yahoo.com.br Categoria (Gerenciamento e Logística)

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB Edital Pibid n 061 /2013 CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO

Leia mais

A BONITEZA DO OLHAR INFANTIL NA PERSPECTIVA EMANCIPADORA: Ensinar e aprender em diálogo com os saberes das crianças

A BONITEZA DO OLHAR INFANTIL NA PERSPECTIVA EMANCIPADORA: Ensinar e aprender em diálogo com os saberes das crianças A BONITEZA DO OLHAR INFANTIL NA PERSPECTIVA EMANCIPADORA: Ensinar e aprender em diálogo com os saberes das crianças PADILHA, Aparecida Arrais PMSP cidarrais@yahoo.com.br Resumo: Este artigo apresenta uma

Leia mais

Fundação Carmelitana Mário Palmério - FUCAMP Faculdade de Ciências Humanas e Sociais - FACIHUS Educação de qualidade ao seu alcance

Fundação Carmelitana Mário Palmério - FUCAMP Faculdade de Ciências Humanas e Sociais - FACIHUS Educação de qualidade ao seu alcance SUBPROJETO DE LETRAS PORTUGUÊS/ESPANHOL O ensino da língua espanhola no contexto da escola pública INTRODUÇÃO Este plano procura articular-se de forma integrada com o plano de trabalho institucional, que

Leia mais

As Novas Tecnologias de Informação e Comunicação na Formação Inicial do Professor de Matemática

As Novas Tecnologias de Informação e Comunicação na Formação Inicial do Professor de Matemática As Novas Tecnologias de Informação e Comunicação na Formação Inicial do Professor de Matemática Rosangela Ferreira Prestes Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões DECET 1 / GEMEP

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL REYNALDO MASSI JOÃO BATISTA ALVES DE SOUZA SIRLENE SOUZA BENEDITO VIRGENS

ESCOLA ESTADUAL REYNALDO MASSI JOÃO BATISTA ALVES DE SOUZA SIRLENE SOUZA BENEDITO VIRGENS ESCOLA ESTADUAL REYNALDO MASSI JOÃO BATISTA ALVES DE SOUZA SIRLENE SOUZA BENEDITO VIRGENS INTERATIVIDADE NA ESCOLA O USO DO APLICATIVO WHATSAPP COMO FERRAMENTA PEDAGÓGICA NAS AULAS DE GEOGRAFIA DO ENSINO

Leia mais

PRÁTICA PEDAGÓGICA EM AULAS DE MATEMÁTICA: INTEGRAÇÃO DO LAPTOP EDUCACIONAL NO ENSINO DE ÁLGEBRA

PRÁTICA PEDAGÓGICA EM AULAS DE MATEMÁTICA: INTEGRAÇÃO DO LAPTOP EDUCACIONAL NO ENSINO DE ÁLGEBRA PRÁTICA PEDAGÓGICA EM AULAS DE MATEMÁTICA: INTEGRAÇÃO DO LAPTOP EDUCACIONAL NO ENSINO DE ÁLGEBRA Fernanda Elisbão Silva de Souza Mestranda da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS, fernanda.elisbao@gmail.com

Leia mais

GEOMETRIA ANALÍTICA COM USO DO SOFTWARE GEOGEBRA: EXPERIÊNCIAS VIVENCIADAS NO CONTEXTO ESCOLAR*

GEOMETRIA ANALÍTICA COM USO DO SOFTWARE GEOGEBRA: EXPERIÊNCIAS VIVENCIADAS NO CONTEXTO ESCOLAR* GEOMETRIA ANALÍTICA COM USO DO SOFTWARE GEOGEBRA: EXPERIÊNCIAS VIVENCIADAS NO CONTEXTO ESCOLAR* Francisco Jeovane do Nascimento Universidade Estadual do Ceará - UECE jeonasc@hotmail.com Neiva Daiane Cordeiro

Leia mais

ANALISE DA METODOLOGIA DESENVOLVIDA NADISCIPLINA INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DE PRODUÇÃO CIVIL DA UNEB

ANALISE DA METODOLOGIA DESENVOLVIDA NADISCIPLINA INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DE PRODUÇÃO CIVIL DA UNEB ANALISE DA METODOLOGIA DESENVOLVIDA NADISCIPLINA INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DE PRODUÇÃO CIVIL DA UNEB Resumo Telma Dias Silva dos Anjos 1 - UNEB Tânia Regina Dias Silva Pereira 2 - UNEB Inaiá Brandão Pereira

Leia mais

A MOTIVAÇÃO É A ESSÊNCIA PARA APRENDER MATEMÁTICA

A MOTIVAÇÃO É A ESSÊNCIA PARA APRENDER MATEMÁTICA A MOTIVAÇÃO É A ESSÊNCIA PARA APRENDER MATEMÁTICA Sandro Onofre Cavalcante sandro-professor@hotmal.com José Carlos Lourenço FIP Faculdade Integrada de Patos JCLS956@hotmail.com Adriano Alves da Silveira

Leia mais

O PORTFÓLIO ENQUANTO INSTRUMENTO DE REFLEXÃO DA PRÁTICA DOCENTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL

O PORTFÓLIO ENQUANTO INSTRUMENTO DE REFLEXÃO DA PRÁTICA DOCENTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL O PORTFÓLIO ENQUANTO INSTRUMENTO DE REFLEXÃO DA PRÁTICA DOCENTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL Telma Maria Pereira dos Santos Graduada em Pedagogia pela Universidade do Estado da Bahia UNEB e Pós-graduada em Educação

Leia mais

ESTUDO SOBRE A APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA NA ATUAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: UMA ANÁLISE DA PERCEPÇÃO DOS PROFESSORES

ESTUDO SOBRE A APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA NA ATUAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: UMA ANÁLISE DA PERCEPÇÃO DOS PROFESSORES ESTUDO SOBRE A APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA NA ATUAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: UMA ANÁLISE DA PERCEPÇÃO DOS PROFESSORES Nara Dias Brito 1 ; Daniel Mill 2 Grupo 2.1. Docência na educação a distância: Formação

Leia mais

FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES: PARTILHA DE SABERES E VIVÊNCIAS COMUNICACIONAIS

FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES: PARTILHA DE SABERES E VIVÊNCIAS COMUNICACIONAIS FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES: PARTILHA DE SABERES E VIVÊNCIAS COMUNICACIONAIS Lourdes Helena Rodrigues dos Santos - UFPEL/F/AE/PPGE Resumo: O presente estudo pretende compartilhar algumas descobertas,

Leia mais

NOVAS TECNOLOGIAS: APOIO PARA FORMAÇÃO DE PROFESSORES

NOVAS TECNOLOGIAS: APOIO PARA FORMAÇÃO DE PROFESSORES 1 NOVAS TECNOLOGIAS: APOIO PARA FORMAÇÃO DE PROFESSORES Lúcia Helena de Magalhães 1 Neuza Maria de Oliveira Marsicano 2 O papel das tecnologias da informação na atual sociedade da informação vem sendo

Leia mais

FORMAÇÃO DE PROFESSOR E AS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO (TIC)

FORMAÇÃO DE PROFESSOR E AS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO (TIC) FORMAÇÃO DE PROFESSOR E AS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO (TIC) Divina Rosangela de Souza Costa UCG Joana Peixoto UCG Comunicação Formação e profissionalização docente O presente trabalho tem

Leia mais

Considerações sobre o papel da matemática na educação básica: pedagogia de projetos uma proposta de intervenção.

Considerações sobre o papel da matemática na educação básica: pedagogia de projetos uma proposta de intervenção. Considerações sobre o papel da matemática na educação básica: pedagogia de projetos uma proposta de intervenção. André Ricardo Magalhães* andrerm@gmail.com Geciara Carvalho* geciara@gmail.com Ivanise Gomes

Leia mais

O olhar do professor das séries iniciais sobre o trabalho com situações problemas em sala de aula

O olhar do professor das séries iniciais sobre o trabalho com situações problemas em sala de aula O olhar do professor das séries iniciais sobre o trabalho com situações problemas em sala de aula INTRODUÇÃO Josiane Faxina Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho Câmpus Bauru e-mail: josi_unesp@hotmail.com

Leia mais

O PIBID E O ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA SALA DE AULA: CONTRIBUIÇÕES NA FORMAÇÃO DO PEDAGOGO

O PIBID E O ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA SALA DE AULA: CONTRIBUIÇÕES NA FORMAÇÃO DO PEDAGOGO O PIBID E O ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA SALA DE AULA: CONTRIBUIÇÕES NA FORMAÇÃO DO PEDAGOGO Delcimara Santos Aranha (1); Kalyane Pereira de Oliveira (1); Sandra Alves de Oliveira (2); Sônia Maria Alves de

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO FERNANDA SERRER ORIENTADOR(A): PROFESSOR(A) STOP MOTION RECURSO MIDIÁTICO NO PROCESSO DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA: PAPEIS E ATORES

FORMAÇÃO CONTINUADA: PAPEIS E ATORES FORMAÇÃO CONTINUADA: PAPEIS E ATORES Shuellen Cristina Pereira da Silva (Pedagogia/UFPI/Parnaíba/shuellencristina@gmail.com) Marcos Junio Lira Silva (Pedagogia/UFPI/Parnaíba/marcos-junio100@hotmail.com)

Leia mais

O ENSINO DE LÍNGUA INGLESA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS- EJA

O ENSINO DE LÍNGUA INGLESA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS- EJA O ENSINO DE LÍNGUA INGLESA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS- EJA RESUMO Alba Patrícia Passos de Sousa 1 O presente artigo traz como temática o ensino da língua inglesa na educação de jovens e adultos (EJA),

Leia mais

A Inclusão escolar do aluno com deficiência intelectual e a mediação pedagógica articulada com integração das TIC

A Inclusão escolar do aluno com deficiência intelectual e a mediação pedagógica articulada com integração das TIC A Inclusão escolar do aluno com deficiência intelectual e a mediação pedagógica articulada com integração das TIC ALVES,S.S.S 1 A Inclusão escolar do aluno com deficiência intelectual e a mediação pedagógica

Leia mais

TECNOLOGIA CONTRIBUINDO PARA INCLUSÃO? ESCOLA DE HACKERS

TECNOLOGIA CONTRIBUINDO PARA INCLUSÃO? ESCOLA DE HACKERS TECNOLOGIA CONTRIBUINDO PARA INCLUSÃO? ESCOLA DE HACKERS Ariane Mileidi Pazinato; Neuza Terezinha Oro; Eliamar Ceresoli Rizzon; Maria Elene Mallmann; Josiane Muller; Adriano Canabarro Teixeira; Jaqueline

Leia mais

PESQUISA AÇÃO: ACOMPANHANDO OS IMPACTOS DO PIBID NA FORMAÇÃO DOCENTE

PESQUISA AÇÃO: ACOMPANHANDO OS IMPACTOS DO PIBID NA FORMAÇÃO DOCENTE PESQUISA AÇÃO: ACOMPANHANDO OS IMPACTOS DO PIBID NA FORMAÇÃO DOCENTE Rafaela Souza SANTOS, Valquiria Rodrigues do NASCIMENTO, Dayane Graciele dos SANTOS, Tamíris Divina Clemente URATA, Simara Maria Tavares

Leia mais

A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO NO ENSINO SUPERIOR: DA AULA UNIVERSITÁRIA AO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM

A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO NO ENSINO SUPERIOR: DA AULA UNIVERSITÁRIA AO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO NO ENSINO SUPERIOR: DA AULA UNIVERSITÁRIA AO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM Eugênia da Silva Pereira Pedagoga pela Universidade do Estado da Bahia UNEB CAMPUS XII

Leia mais

TECNOLOGIAS DA COMUNICAÇÃO E DA INFORMAÇÃO: novos desafios para o educador

TECNOLOGIAS DA COMUNICAÇÃO E DA INFORMAÇÃO: novos desafios para o educador TECNOLOGIAS DA COMUNICAÇÃO E DA INFORMAÇÃO: novos desafios para o educador Maceió AL, maio/2009 Luis Paulo Leopoldo Mercado Universidade Federal de Alagoas lpmercado@oi.com.br Categoria: B- Conteúdos e

Leia mais

RELATO DO PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO. GT 06 Formação de professores de Matemática: práticas, saberes e desenvolvimento profissional

RELATO DO PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO. GT 06 Formação de professores de Matemática: práticas, saberes e desenvolvimento profissional RELATO DO PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO GT 06 Formação de professores de Matemática: práticas, saberes e desenvolvimento profissional Maria Madalena Dullius, madalena@univates.br Daniela Cristina Schossler,

Leia mais

FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA GT 2 B Tecnologias na sala de aula REFLEXÕES SOBRE A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Jacks Richard de Paulo UFOP Professor Assistente jacks@cead.ufop.br Maria Antonia Tavares

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Estágio Supervisionado: Educação Infantil 4 e 5 anos Educação de Jovens e Adultos (EJA) Ensino Fundamental Educação Especial (Ensino

Leia mais

O TRABALHO COM PROJETOS: UMA PROPOSTA INCLUSIVA PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA

O TRABALHO COM PROJETOS: UMA PROPOSTA INCLUSIVA PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA O TRABALHO COM PROJETOS: UMA PROPOSTA INCLUSIVA PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA 1404 Naiara Chierici da Rocha, Elisa Tomoe Moriya Schlünzen, Danielle Aparecida do Nascimento dos Santos Universidade Estadual

Leia mais

A apropriação das Tecnologias Digitais pelos acadêmicos de licenciatura em Matemática da Universidade Estadual de Goiás (UEG-Anápolis)

A apropriação das Tecnologias Digitais pelos acadêmicos de licenciatura em Matemática da Universidade Estadual de Goiás (UEG-Anápolis) A apropriação das Tecnologias Digitais pelos acadêmicos de licenciatura em Matemática da Universidade Estadual de Goiás (UEG-Anápolis) Moema Gomes Moraes Universidade Estadual de Goiás (UEG)/ CEPAE-UFG

Leia mais

A utilização do LMS Chamilo na disciplina Laboratório de Ensino de Matemática: a experiência de professores em formação inicial

A utilização do LMS Chamilo na disciplina Laboratório de Ensino de Matemática: a experiência de professores em formação inicial A utilização do LMS Chamilo na disciplina Laboratório de Ensino de Matemática: a experiência de professores em formação inicial Luciane Mulazani dos Santos, UDESC, luciane.mulazani@udesc.br Ivanete Zuchi

Leia mais

O uso do computador na escola sob o olhar de Valente

O uso do computador na escola sob o olhar de Valente O uso do computador na escola sob o olhar de Valente The role of computer use at school through the vision of Valente Carlos Alessandro Barbosa carlosalessandrob@gmail.com Instituto de Ensino Superior

Leia mais

ANEXO E: EMENTÁRIO DO CURRÍCULO 13

ANEXO E: EMENTÁRIO DO CURRÍCULO 13 ANEXO E: EMENTÁRIO DO CURRÍCULO 13 I CICLO DE ESTUDOS INTERDISCIPLINARES (1º e 2º semestres): FUNDAMENTOS DA FORMAÇÃO DO PEDAGOGO EMENTÁRIO: O I Ciclo do Curso de Pedagogia do UniRitter desenvolve os fundamentos

Leia mais

UTILIZANDO RECURSOS AUDIOVISUAIS COMO ESTRATÉGIA PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

UTILIZANDO RECURSOS AUDIOVISUAIS COMO ESTRATÉGIA PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS UTILIZANDO RECURSOS AUDIOVISUAIS COMO ESTRATÉGIA PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Thayna Rhayssa Batista da Silva¹, Joaklebio Alves da Silva, Luiz Antonio de Sales 1. thaynarbs@bol.com.br

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DAS ATIVIDADES LÚDICAS NO PPROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

A IMPORTÂNCIA DAS ATIVIDADES LÚDICAS NO PPROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL A IMPORTÂNCIA DAS ATIVIDADES LÚDICAS NO PPROCESSO DE Resumo ALFABETIZAÇÃO NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL NICOLITTO, Mayara Cristina UEPG maycris_nic@hotmail.com CAMPOS, Graziela Vaneza de UEPG

Leia mais

EMITec/BA: INTERATIVIDADE EM TEMPO REAL E SUA CONTRIBUIÇÃO NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM

EMITec/BA: INTERATIVIDADE EM TEMPO REAL E SUA CONTRIBUIÇÃO NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM 1 EMITec/BA: INTERATIVIDADE EM TEMPO REAL E SUA CONTRIBUIÇÃO NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM Salvador BA Maio 2014 Letícia Machado dos Santos Secretaria de Educação do Estado da Bahia letícia.machado@educacao.ba.gov.br

Leia mais

II ENCONTRO DE MATEMÁTICA

II ENCONTRO DE MATEMÁTICA Perspectivas atuais para pesquisa em : Ensino e TECNOLOGIA EDUCACIONAL: POSSIBILIDADES DE INTERAÇÃO ENTRE PROFESSOR DE MATEMÁTICA E O ALUNO NO AMBIENTE ESCOLAR Ediênio Farias Célia Gomes Resumo: O presente

Leia mais

REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE PEDAGOGIA ISSN: 1678-300X. Ano XII Número 24 Julho de 2014 Periódicos Semestral

REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE PEDAGOGIA ISSN: 1678-300X. Ano XII Número 24 Julho de 2014 Periódicos Semestral CURRÍCULO E CONHECIMENTO ESCOLAR: O USO DA TECNOLOGIA NA EDUCAÇAO INFANTIL Amanda Aparecida ALVES 1 Marta Fresneda TOMÉ 2 RESUMO Esta pesquisa investiga questões relacionadas ao currículo suas teorizações

Leia mais

ÀGORA, Porto Alegre, Ano 3, jan/jun.2012. ISSN 2175-3792

ÀGORA, Porto Alegre, Ano 3, jan/jun.2012. ISSN 2175-3792 ÀGORA, Porto Alegre, Ano 3, jan/jun.2012. ISSN 2175-3792 70 A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E O USO DE AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA Rita de Cássia Viegas dos Santos

Leia mais

MODELAGEM MATEMÁTICA & TECNOLOGIA: POSSIBILIDADES E DESAFIOS. BIEMBENGUT, Maria Salett- Universidade Regional de Blumenau - salett@furb.

MODELAGEM MATEMÁTICA & TECNOLOGIA: POSSIBILIDADES E DESAFIOS. BIEMBENGUT, Maria Salett- Universidade Regional de Blumenau - salett@furb. MODELAGEM MATEMÁTICA & TECNOLOGIA: POSSIBILIDADES E DESAFIOS BIEMBENGUT, Maria Salett- Universidade Regional de Blumenau - salett@furb.br SANTOS, Selma dos Universidade Regional de Blumenau - selmasantos@senai-sc.ind.br

Leia mais

CONCEPÇÕES MATEMÁTICA APRESENTADAS POR PROFESSORES DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA

CONCEPÇÕES MATEMÁTICA APRESENTADAS POR PROFESSORES DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA CONCEPÇÕES MATEMÁTICA APRESENTADAS POR PROFESSORES DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA Jacqueline Oliveira de Melo Gomes Faculdade de Formação de Professores da Mata Sul / FAMASUL-PE jacomgomes@yahoo.com.br

Leia mais

A contribuição do lúdico na aprendizagem significativa em História

A contribuição do lúdico na aprendizagem significativa em História A contribuição do lúdico na aprendizagem significativa em História GERLANE DA CONCEIÇÃO CRUZ* Resumo: O presente texto busca enfatizar o papel do lúdico na aprendizagem significativa, com destaque para

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA 1 CURSO EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INVESTIGAÇÃO DA PRÁTICA DOCENTE I... 4 02 LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO... 4 03 PROFISSIONALIDADE DOCENTE... 4 04 RESPONSABILIDADE

Leia mais

TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA FORMAÇÃO DOCENTE: SUBSÍDIOS PARA UMA REFLEXÃO

TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA FORMAÇÃO DOCENTE: SUBSÍDIOS PARA UMA REFLEXÃO TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA FORMAÇÃO DOCENTE: SUBSÍDIOS PARA UMA REFLEXÃO Monique da Silva de Araujo UNESA monique_msa@yahoo.com.br Daniela Punaro Baratta de Faria UNESA daniela.punaro@gmail.com

Leia mais

Novas Tecnologias em EJA

Novas Tecnologias em EJA Novas Tecnologias em EJA Antropologia As Idades e os tempos As técnicas e as tecnologias De nômade a sedentário Criações e invenções Meios de produção ão: trabalho MULTIMEIOS NA EDUCAÇÃO O QUE SÃO MULTIMEIOS?

Leia mais

ANAIS DA VII JORNADA CIENTÍFICA DA FAZU 20 a 24 de outubro de 2008 ARTIGOS CIENTÍFICOS COMPUTAÇÃO SUMÁRIO

ANAIS DA VII JORNADA CIENTÍFICA DA FAZU 20 a 24 de outubro de 2008 ARTIGOS CIENTÍFICOS COMPUTAÇÃO SUMÁRIO ARTIGOS CIENTÍFICOS COMPUTAÇÃO SUMÁRIO AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES PESQUISADORES... 2 AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES PESQUISADORES SILVA, M.M Margareth Maciel Silva

Leia mais

O USO DA INTERNET E SUA INFLUÊNCIA NA APRENDIZAGEM COLABORATIVA DE ALUNOS E PROFESSORES NUMA ESCOLA PÚBLICA DE MACEIÓ

O USO DA INTERNET E SUA INFLUÊNCIA NA APRENDIZAGEM COLABORATIVA DE ALUNOS E PROFESSORES NUMA ESCOLA PÚBLICA DE MACEIÓ O USO DA INTERNET E SUA INFLUÊNCIA NA APRENDIZAGEM COLABORATIVA DE ALUNOS E PROFESSORES NUMA ESCOLA PÚBLICA DE MACEIÓ Rose Maria Bastos Farias (UFAL) rmbfarias@hotmail.com RESUMO: Trata-se de uma pesquisa

Leia mais

AS TECNOLOGIAS, A CIÊNCIA E A PESQUISA NA ESCOLA DE EDUCAÇÃO INFANTIL

AS TECNOLOGIAS, A CIÊNCIA E A PESQUISA NA ESCOLA DE EDUCAÇÃO INFANTIL AS TECNOLOGIAS, A CIÊNCIA E A PESQUISA NA ESCOLA DE EDUCAÇÃO INFANTIL Márcia Adriana Rosmann 1 Francieli da Veiga dos Santos 2 Palavras-chaves: Formação. Informação. Comunicação. Escola. A escola de Educação

Leia mais

PROJETO XADREZ NA ESCOLA. Palavras-Chave: Xadrez, Ferramenta de Aprendizagem e Matemática.

PROJETO XADREZ NA ESCOLA. Palavras-Chave: Xadrez, Ferramenta de Aprendizagem e Matemática. PROJETO XADREZ NA ESCOLA FERREIRA, Massako Saiki Alves 1 SILVA, Lázaro Fernando Rodrigues 2 Palavras-Chave: Xadrez, Ferramenta de Aprendizagem e Matemática. Introdução O Ensino de Xadrez é defendido por

Leia mais

Palavras-chaves: Ensino de Química, Educação, Softwares Educativos.

Palavras-chaves: Ensino de Química, Educação, Softwares Educativos. SOFTWARES EDUCACIONAIS PARA FUTUROS PROFESSORES DE QUÍMICA Joycyely Marytza de Araujo Souza Freitas 1 Reneid Emanuele Simplicio Dudu 2 Gilberlândio Nunes da Silva 3 RESUMO Atualmente a informática e a

Leia mais

MÍDIAS SOCIAIS COMO FERRAMENTA EDUCACIONAL REGRAS ABERTAS PARA UMA PARTICIPAÇÃO EFETIVA

MÍDIAS SOCIAIS COMO FERRAMENTA EDUCACIONAL REGRAS ABERTAS PARA UMA PARTICIPAÇÃO EFETIVA MÍDIAS SOCIAIS COMO FERRAMENTA EDUCACIONAL REGRAS ABERTAS PARA UMA PARTICIPAÇÃO EFETIVA Mário Taveira Martins 1 (IF-SERTÃO PE) Lucas Samir Silva de Matos 2 (IF-SERTÃO PE) Resumo: Este artigo foi elaborado

Leia mais

RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS, MODELAGEM MATEMÁTICA E O PROJETO TEIA DO SABER

RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS, MODELAGEM MATEMÁTICA E O PROJETO TEIA DO SABER RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS, MODELAGEM MATEMÁTICA E O PROJETO TEIA DO SABER Denise Helena Lombardo Ferreira. PUC-Campinas, lombardo@puc-campinas.edu.br Resumo: O projeto do governo do Estado de São Paulo, Brasil,

Leia mais

O BLOG NUMA PERSPECTIVA EDUCOMUNICATIVA

O BLOG NUMA PERSPECTIVA EDUCOMUNICATIVA O BLOG NUMA PERSPECTIVA EDUCOMUNICATIVA SANTOS, Suara Macedo dos 1 - UFPE Grupo de Trabalho Comunicação e Tecnologia Agência Financiadora: não contou com financiamento Resumo O trabalho apresentado resulta

Leia mais

Articulando saberes e transformando a prática

Articulando saberes e transformando a prática Articulando saberes e transformando a prática Maria Elisabette Brisola Brito Prado Na sociedade do conhecimento e da tecnologia torna-se necessário repensar o papel da escola, mais especificamente as questões

Leia mais

DOCUMENTO ORIENTADOR DE INTERVENÇÃO NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM DOS ANOS INICIAIS - 2009

DOCUMENTO ORIENTADOR DE INTERVENÇÃO NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM DOS ANOS INICIAIS - 2009 DOCUMENTO ORIENTADOR DE INTERVENÇÃO NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM DOS ANOS INICIAIS - 2009 No ano de 2009 o Departamento de Educação Fundamental, tem como meta alfabetizar 100% das crianças dos anos iniciais

Leia mais

ESTRATÉGIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA PERSPECTIVA DAS NOVAS TECNOLOGIAS

ESTRATÉGIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA PERSPECTIVA DAS NOVAS TECNOLOGIAS 1 ESTRATÉGIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA PERSPECTIVA DAS NOVAS TECNOLOGIAS INTRODUÇÃO Marilda Coelho da Silva marildagabriela@yahoo.com.br Mestrado Profissional Formação de Professores UEPB As

Leia mais

Internet um novo espaço de aprendizagem na formação do professor pesquisador 1

Internet um novo espaço de aprendizagem na formação do professor pesquisador 1 Internet um novo espaço de aprendizagem na formação do professor pesquisador 1 Venho trabalhando com educação e tecnologias, desde 1995 quando ingressei no projeto Internet nas Escolas, de lá para cá,

Leia mais

A MultiRio na formação do leitor

A MultiRio na formação do leitor A MultiRio na formação do leitor Há 18 anos, a MultiRio presta relevantes serviços, enfrentando o desafio de participar da formação de educadores e alunos da Rede Municipal de Ensino do Rio de Janeiro,

Leia mais

ANÁLISE DE UM PROJETO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL VOLTADO À INCLUSÃO SOCIAL GIL

ANÁLISE DE UM PROJETO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL VOLTADO À INCLUSÃO SOCIAL GIL ANÁLISE DE UM PROJETO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL VOLTADO À INCLUSÃO SOCIAL GIL, Thais Nogueira UFMG - thaisgil@terra.com.br- GT: Trabalho e Educação/ 09 Agência Financiadora: FUNADESP Este texto apresenta

Leia mais

Como promover a interatividade por meio das mídias nas aulas de Língua Inglesa. Resumo

Como promover a interatividade por meio das mídias nas aulas de Língua Inglesa. Resumo Como promover a interatividade por meio das mídias nas aulas de Língua Inglesa Lidiane Gonçalves Barbosa 1 Resumo Atualmente, o uso de novas tecnologias faz parte do dia a dia de alunos e professores.

Leia mais

ESTUDO DA MODALIDADE SEMIPRESENCIAL EM UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR NA CIDADE DE PORTO VELHO

ESTUDO DA MODALIDADE SEMIPRESENCIAL EM UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR NA CIDADE DE PORTO VELHO ESTUDO DA MODALIDADE SEMIPRESENCIAL EM UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR NA CIDADE DE PORTO VELHO Porto Velho - RO - 03/2010 Sara Luize Oliveira Duarte, Universidade de Taubaté, saralod@msn.com Walace

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM NO ENSINO DE QUÍMICA: EXPERIÊNCIA DO PIBID COMPUTAÇÃO/IFBA/CAMPUS PORTO SEGURO

UTILIZAÇÃO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM NO ENSINO DE QUÍMICA: EXPERIÊNCIA DO PIBID COMPUTAÇÃO/IFBA/CAMPUS PORTO SEGURO BRASIL & BAHIA (2013) UTILIZAÇÃO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM NO ENSINO DE QUÍMICA: EXPERIÊNCIA DO PIBID COMPUTAÇÃO/IFBA/CAMPUS PORTO SEGURO D.T. RODRIGUES 1, M. ROCHA 1, D.M. BRITO 1 e G.P. PINTO 1,2. 1

Leia mais

SABERES ADQUIRIDOS NO PIBID (PROGRAMA INSTUCIONAL DE BOLSA INICIAÇÃO À DOCÊNCIA) PARA O SUCESSO PROFISSIONAL.

SABERES ADQUIRIDOS NO PIBID (PROGRAMA INSTUCIONAL DE BOLSA INICIAÇÃO À DOCÊNCIA) PARA O SUCESSO PROFISSIONAL. SABERES ADQUIRIDOS NO PIBID (PROGRAMA INSTUCIONAL DE BOLSA INICIAÇÃO À DOCÊNCIA) PARA O SUCESSO PROFISSIONAL. TayaraCrystina P. Benigno, UERN; tayara_bbg@hotmail.com Emerson Carlos da Silva, UERN; emersoncarlos90@hotmail.com

Leia mais

LEITURA EM LÍNGUA ESPANHOLA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPREENSÃO E EXPRESSÃO CRIATIVA

LEITURA EM LÍNGUA ESPANHOLA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPREENSÃO E EXPRESSÃO CRIATIVA LEITURA EM LÍNGUA ESPANHOLA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPREENSÃO E EXPRESSÃO Instituto Federal Farroupilha Câmpus Santa Rosa ledomanski@gmail.com Introdução Ler no contexto mundial globalizado

Leia mais

Palavras-chave: Colegiado Escolar. Tecnologias. Gestão do conhecimento.

Palavras-chave: Colegiado Escolar. Tecnologias. Gestão do conhecimento. Perspectivas sobre a inserção das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) nos processos dos Colegiados Escolares: reflexões sobre a gestão do conhecimento João Marciano de Sousa Neto 1 (Ufba) Resumo:

Leia mais

Metodologias Utilizadas na Educação a Distância no Brasil

Metodologias Utilizadas na Educação a Distância no Brasil Metodologias Utilizadas na Educação a Distância no Brasil Resumo Autores: Bruno Antônio de Oliveira Yuri Cravo Fernandes Rodrigues de Oliveira O recente avanço das tecnologias de informação e comunicação

Leia mais

PROJETO KIDSMART PROMOVENDO A INCLUSÃO DIGITAL NA EDUCAÇÃO

PROJETO KIDSMART PROMOVENDO A INCLUSÃO DIGITAL NA EDUCAÇÃO PROJETO KIDSMART PROMOVENDO A INCLUSÃO DIGITAL NA EDUCAÇÃO Resumo MUNIZ, Cláudia Pereira - SME cmuniz@sme.curitiba.pr.gov.br SANTOS, Taís Wojciechowski SME taissantos@sme.curitiba.pr.gov.br Eixo Temático:

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID DETALHAMENTO DO SUBPROJETO 1. Unidade: 2. Área do Subprojeto: Dourados 3. Curso(s) envolvido(s) na proposta: Letras - Inglês Obs.: Para proposta

Leia mais

Formação de professores para o uso das TIC: um estudo de caso sobre os cursos presenciais de Letras no Vale do Paraíba

Formação de professores para o uso das TIC: um estudo de caso sobre os cursos presenciais de Letras no Vale do Paraíba 1 Formação de professores para o uso das TIC: um estudo de caso sobre os cursos presenciais de Letras no Vale do Paraíba Sílvia Helena Santos Vasconcellos 1 Resumo O presente artigo apresenta os resultados

Leia mais

CINEMA PEDAGÓGICO COMO INTERVENÇÃO PARA PRÁTICA DOCENTE. Elaine Fernanda Dornelas de Souza

CINEMA PEDAGÓGICO COMO INTERVENÇÃO PARA PRÁTICA DOCENTE. Elaine Fernanda Dornelas de Souza Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 721 CINEMA PEDAGÓGICO COMO INTERVENÇÃO PARA PRÁTICA DOCENTE Elaine Fernanda Dornelas de Souza Serviço Nacional de

Leia mais

Temática(s): ACESSIBILIDADE COMUNICACIONAL RELATO DE EXPERIÊNCIA

Temática(s): ACESSIBILIDADE COMUNICACIONAL RELATO DE EXPERIÊNCIA Temática(s): ACESSIBILIDADE COMUNICACIONAL RELATO DE EXPERIÊNCIA ACESSIBILIDADE INFORMACIONAL: alunos com deficiência visual na Universidade Federal do Rio Grande do Norte MELO, E. S. F. de. (Universidade

Leia mais

Produção de saberes através de redes sociais na internet

Produção de saberes através de redes sociais na internet Produção de saberes através de redes sociais na internet Adriana Batista Bastos Ananda Alves de Souza Eliene Machado Santana Robério Pereira Barreto Introdução Resumo: O presente trabalho discute as possibilidades

Leia mais