RELATÓRIO DE PESQUISA: Uma Avaliação da GEstão dos SIstemas e Tecnologias de Informação nos Hospitais na Região Metropolitana de São Luís do Maranhão

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RELATÓRIO DE PESQUISA: Uma Avaliação da GEstão dos SIstemas e Tecnologias de Informação nos Hospitais na Região Metropolitana de São Luís do Maranhão"

Transcrição

1 RELATÓRIO TÉCNICO DE PESQUISAS DO PROJETO GESITI HOSPITALAR. RELATÓRIO DE PESQUISA: Uma Avaliação da GEstão dos SIstemas e Tecnologias de Informação nos Hospitais na Região Metropolitana de São Luís do Maranhão CTI/GESITI & Grupo de Pesquisa Interdisciplinar de Professores e Pesquisadores - GPIPP Cooperação Técnico-Científica: UNICEUMA / CEST Centro de Tecnologia da Informação CTI (www.cti.gov.br) DTSD - GESITI CAMPINAS Pesquisadores: Profa. MSc. Claudia Archer UNICEUMA Prof. Dr. Antônio José Balloni CTI/GESITI- Prof. MSc. Reinaldo de Jesus Silva UNICEUMA Prof. Esp. José Antônio Fecury UNICEUMA Prof. Esp. Matheus Foureaux Abras CEST Prof. Dr. Will R. Mendes Almeida Pesquisador Dr. André R. Mendes Almeida Pesquisador Médico São Luís 2010 PROJETO GESITI/HOSPITALAR: VOLUME I, ANO 2011.

2 LISTA DE GRÁFICOS Gráfico 1 Funcionários x Leitos... 6 Gráfico 2 - Ensino... 8 Gráfico 3 Investimento em Inovação Tecnológica Gráfico 4 Gestão Tecnológica Gráfico 5 - Equipamentos

3 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO CARACTERIZAÇÃO DO HOSPITAL RECURSOS HUMANOS GESTÃO ESTRATÉGICA PESQUISA E DESENVOLVIMENTO INOVAÇÃO TECNOLÓGICA INVESTIMENTOS EM INOVAÇÃO COOPERAÇÃO PARA INOVAÇÃO EQUIPAMENTOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PROGAMAS APLICATIVOS BASE DE DADOS REDES, SEGURANÇA E TELECOMUNICAÇÕES GESTÃO DE TI COMÉRCIO ELETRÔNICO Módulo A: Informações gerais sobre as tecnologias de comunicação e de informação em TI Módulo B: Uso da internet Módulo C: Comércio Eletrônico via internet Módulo D: Custo/Gastos e características do sistema implantado

4 14.5. Módulo E: Barreiras ao uso da internet e TCI em geral TELEMEDICINA CONSIDERAÇÕES FINAIS INTRODUÇÃO Atualmente, vive-se em um mundo globalizado, marcado por rápidas mudanças políticas, culturais, educacionais, econômicas e de significativo desenvolvimento do conhecimento, em especial, na área da tecnologia. Assim, devido a essa constante mutação, requer agilidade das pessoas e organizações de modo a se adaptarem, porquanto, coletar, selecionar e analisar dados, transformando-os em informação para gerar conhecimento, constitui algo imprescindível ao ambiente organizacional, adaptando-o às mudanças globais e à nova realidade. Nesse sentido, a conversão da informação em conhecimento e inovação se torna um dos grandes desafios enfrentados pelas organizações (KRUCKEN, 2008), assim cumpre recorrer a várias formas ou fontes na obtenção de informações, mas adaptá-las, para serem transformadas em conhecimento. Diante disto, deu-se início à pesquisa em citação Uma Avaliação da Gestão em Sistemas e Tecnologias de Informação nos Hospitais Brasileiros coordenada pelo Prof. Dr. Antônio José Balloni membro do Projeto GESITI, responsável pelos estudos dos impactos das tecnologias em instituições de saúde públicas, privadas e acadêmicas, especificamente, hospitais, foco deste estudo. O presente trabalho analisa a Gestão de Tecnologia da Informação e Comunicação na cidade de São Luís, em três hospitais, a saber, dois hospitais particulares e um estadual. Os 4

5 hospitais pesquisados serão descritos nesta pesquisa como hospitais 1, 2 e 3, como preservação da privacidade das instituições com o intuito de adquirir conhecimentos e compartilhá-los com toda a Rede, fomentando, assim, informações para a sociedade. A origem dos questionários utilizados para a pesquisa surgiu de adaptações realizadas na base de dados da Divisão de Tecnologia e Suporte a Decisão DTSD, do Centro de Tecnologia da Informação - CTI, além do material obtido por meio da Organization for Economic Co-operation and Development OECD - da United Nations Conference on Trade and Development NCTAD e para atender as expectativas e perfis dos hospitais brasileiros, houve a interação com o IBGE/PINTEC. De acordo com informações passadas para os pesquisadores, sua aplicação deverá ser conduzida por entrevista direta, ponto preponderante para evitar desvios de interpretações. 2. CARACTERIZAÇÃO DO HOSPITAL O é uma instituição pública, formada por 3 (três) diretores. Para atender a um público especial, ele foi fundado no ano de Atualmente, conta com 400 funcionários, 160 leitos e aproximadamente 1560 internações. Não possuem na organização um canal disponível para atender o cliente. A sua atuação abrange o estado do Maranhão, por ser o único hospital público na sua especialidade. O é privado, sua diretoria é composta por 3 (três) diretores. Atualmente, conta com 250 funcionários, 90 leitos, não possuímos os dados sobre 5

6 internações. A organização procura melhorar a qualidade através de pesquisa de satisfação. A sua atuação abrange a cidade de São Luís - Maranhão. O é privado, tem sua diretoria formada por 4 (quatro) diretores. Hoje, conta com 120 funcionários, 52 leitos, não possuímos os dados sobre internações. A organização procura melhorar a qualidade através de pesquisas periódicas de satisfação do cliente. A sua atuação abrange a cidade de São Luís - Maranhão. Considerações São três Hospitais com proporções bem distintas, tanto em infra-estrutura quanto composição de diretoria, quadro de funcionários e atendimento. Não possuímos alguns dados. Vide o gráfico Funcionários Leitos Gráfico 1 - Funcionários x Leitos Fonte: Elaborado CTI/GESITI & Grupo de Pesquisa Interdisciplinar de Professores e Pesquisadores GPIPP, São Luís MA. 3. RECURSOS HUMANOS 6

7 O seu quadro de diretoria envolve 3 (três) médicos: sendo um diretorpresidente, um diretor clínico-médico e um diretor administrativo-financeiro, não foi informado a escolaridade da diretoria. Possui 70 colaboradores com apenas o ensino fundamental, 210 colaboradores com ensino médio completo e 120 com nível superior. Entre esses 2 administradores de empresa, 20 médicos, 32 enfermeiros e 68 com graduações diversas. A Direção não realizou nenhuma capacitação nos últimos dois anos, para nenhuma área do hospital. O seu quadro de diretoria envolve 3 (três) profissionais:, sendo um diretorpresidente, um diretor clínico-médico e um diretor administrativo-financeiro, sendo 2 diretores pós graduados na área médica e 1 graduado em Gestão Hospitalar. Possui 30 colaboradores com apenas o ensino fundamental, 140 colaboradores com ensino médio completo e 80 com nível superior. Entre esses 10 administradores de empresa, 60 enfermeiros e 10 psicólogos. Mais de 50 médicos atuam na prestação de serviços. A Direção realizou diversas capacitações para seus colaboradores e prestadores de serviços, baseados em demandas internas, visando a qualidade do atendimento. As capacitações a partir de uma pesquisa de necessidades junto a lideranças, e foi realizado o treinamento de mais de 50% dos profissionais desse hospital. 7

8 A diretoria do hospital é composta por 4 Diretores: sendo um diretorpresidente, um diretor clínico-médico e dois diretores administrativo-financeiros, sendo que 2 diretores possuem pós graduação na área médica e 2 são graduados na área administrativa, a saber, administração e ciências contáveis. Possui 40 colaboradores com apenas o ensino fundamental, 120 colaboradores com ensino médio completo e 60 com nível superior. Entre esses 10 administradores de empresa, 40 enfermeiros e 10 psicólogos, possuem mais de 50 médicos, de especialidades diversas, atuando no hospital como prestação de serviços. A Direção realizou diversas capacitações para seus colaboradores e prestadores de serviços, baseados em demandas internas, visando a qualidade do atendimento. As capacitações a partir de uma pesquisa de necessidades junto a lideranças, e foram treinados no último ano, mais de 50% dos profissionais desse hospital. Considerações Observa-se que nenhum dos hospitais têm diretor de Rh ou de TI, podendo com isso não possuir um plano eficiente de capacitação e ou seleção de recursos humanos, assim como não tem um projeto eficaz para soluções em TIC. Na pesquisa, observa-se, que a maioria dos empregados têm o ensino médio, e que ainda possuem um quadro de empregados com apenas o ensino fundamental, vide quadro abaixo. 8

9 fundamental médio superior GRÁFICO 2 - Ensino Fonte: Elaborado CTI/GESITI & Grupo de Pesquisa Interdisciplinar de Professores e Pesquisadores GPIPP, São Luís MA 4. GESTÃO ESTRATÉGICA DO HOSPITAL O hospital não possui um Planejamento Estratégico, apesar disso a diretoria informa que está previsto a sua realização, ainda em O hospital não usa BSC (Balanced Scorecard) e desconhece as novas tecnologias relacionadas ao seu negócio. No entanto se informa sobre novas tecnologias através de revistas ou participando de feiras e congressos. Nesse caso, a organização também acredita que a inovação tecnológica traria uma melhoria na qualidade e na imagem do hospital, tanto que existe previsão de investimentos para isso. O possuí um Planejamento Estratégico e é conhecido por todos os níveis hierárquicos. A revisão do PE é realizada de 12 a 24 meses com a 9

10 participação da liderança executiva. As estratégias são criadas a partir da análise de cenários, concorrência, demanda atual e potencial. O cliente e os recursos têm Alta prioridade na determinação das estratégias, porém não há um acompanhamento sistematizado das estratégias formuladas. O hospital não utiliza Balancedscorecard, mas tem conhecimento das novas tecnologias disponíveis ao seu negócio, através de revistas, feiras e congressos, viagens ao exterior e consultorias. Acredita que a Inovação Tecnológica pode ajudar o Hospital, melhorando a qualidade e a imagem do hospital, tanto que existe previsão de investimentos na área de inovação tecnológica. O hospital possui um planejamento estratégico e é conhecido da diretoria, gerência e supervisão e é revisado a cada 3 meses. O grau de envolvimento da organização no planejamento estratégico é realizado pela liderança executiva e utilizam dados de análise de cenários, concorrentes e demanda atual e potencial. O cliente e os recursos têm um grau médio de importância na determinação das estratégias. Não há um acompanhamento sistemático das estratégias formuladas. O hospital não utiliza Balancedscorecard, mas têm conhecimento das novas tecnologias disponíveis ao seu negócio, através de revistas, feiras e congressos, viagens ao exterior e consultorias. Acredita que a Inovação Tecnológica pode ajudar o Hospital, melhorando a qualidade e a imagem do hospital, tanto que existe previsão de investimentos na área de inovação tecnológica. Considerações Apenas um hospital não possui planejamento estratégico definido. Porém, os que possuem, não o realizam efetivamente, por não acompanhá-lo de forma eficaz, com indicadores para mensuração do PE. 10

11 5. PESQUISA E DESENVOLVIMENTO Apesar de afirmar que desenvolveu ocasionalmente a P&D, verifica-se que isso não é tratado com relevância, a mesma situação acontece com a aquisição de conhecimentos externos. No hospital 2 a situação da P&D é similar ao hospital 1. No hospital 2 a situação da P&D é similar ao hospital 1. Considerações Em todos os hospitais não existe P&D demonstrando a falta de conhecimento de como isso pode auxiliar a instituição. 6. INOVAÇÃO TECNOLÓGICA Na perspectiva de inovação tecnológica, o possui uma diretoria que acredita que o desempenho competitivo melhoraria com o uso intensivo de da Tecnologia da Informação, além de agregar valor e incrementar o desempenho. O que dificulta um uso maior da Tecnologia da Informação envolve questões financeiras. 11

12 No, a Diretoria acredita que o desempenho competitivo do hospital melhoraria com o uso intensivo da Tecnologia da Informação, além de agregar valor aos serviços prestados e a melhoria em seu desempenho. Porém, existem dificuldades de investimento em TI, seu quadro de pessoal não esta qualificado o suficiente para empreender a implementação de TI, mas ele está qualificando seus servidores para o uso de TIC. Da mesma forma, o hospital esta observando o mercado e as novas tecnologias através de participações de feiras, congressos e eventos; reuniões com representantes do setor e atuação da concorrência. A diretoria do hospital acredita que o desempenho competitivo do hospital melhoraria com o uso intensivo da TI, pois agrega valor aos serviços prestados. Mas reconhece que existem dificuldades na parte de escassez de recursos. Também percebe que o nível de qualificação dos seus servidores para implantação de TI é insuficiente e por isso esta qualificando seus servidores para uso de TIC. Existem mecanismos para o monitoramento de elementos do ambiente externo através de reuniões com representantes do setor, cujo elemento monitorado é a atuação dos concorrentes. 7. INVESTIMENTOS EM INOVAÇÃO Os investimentos previstos focam a Gestão e as operações, e o percentual do faturamento investido é entre 2% e 3%, sendo o valor para investimentos futuros é menos de 1%, contando com a parceria de grandes empresas nacionais privadas e pequenas e médias empresas nacionais de pequeno e médio porte. 12

13 A falta de verbas e a baixa qualificação dos funcionários são os maiores entraves à inovação tecnológica. Possuem parceria com entidades públicas, por ser uma instituição pública. Desconhece as linhas de financiamento e fomento do governo federal para investimento em inovação tecnológica. O foco de novos investimentos seria automatizar a gestão do hospital, utilização de mapas digitais, base de dados, realizando a informatização total do hospital. Não existe nenhum programa de qualidade implantado até o momento. As áreas que em que estão previstos novos investimentos é na Gestão, nas Operações e em sistemas de almoxarifado. Os investimentos em Inovação foram entre 3 e 4% do faturamento, mesmo valor estimado para o futuro. Nos últimos 3 anos contou com fornecedores e prestadores de produtos/serviços de empresas nacionais de pequeno/médio porte. A visão da diretoria é um dos maiores entraves à inovação e tecnológica, possui parcerias com entidades públicas e conhecem linhas de crédito e financiamentos públicos para a área, não foi informado se já foi usado algum tipo de financiamento. A prioridade do hospital no que se refere a inovação tecnológica é a utilização de bases de dados para armazenar informações dos clientes. O hospital possuí certificação, desenvolvendo programas de qualidade desde Não foi indicado o programa de certificação e nem qual a metodologia utilizada. As áreas que prevêem maior investimento para a introdução de novas tecnologias é na parte de Gestão, operações, e almoxarifado. Nos últimos 3 anos o hospital tem investido entre 3 e 4% do faturamento em inovação tecnológica. No próximo ano pretende investir menos de 1% do faturamento. Os fornecedores de 13

14 produtos/serviços inovadores nos últimos 3 anos são pequenas e médias empresas nacionais. O principal entrave é a falta de verbas. O hospital possui parcerias com entidades públicas, porém não as citou. Também não informou seu conhecimento sobre financiamentos governamentais. As prioridades do hospital no que se refere a inovação tecnológica é a utilização de bases de dados para armazenar informações do cliente e a informatização. O hospital possui um programa de qualidade implantado desde 2005, foi certificado, mas não informou qual o programa e nem qual metodologia utilizada na gestão de qualidade. GRÁFICO 3 Investimento em Inovação Tecnológica Fonte: Elaborado CTI/GESITI & Grupo de Pesquisa Interdisciplinar de Professores e Pesquisadores GPIPP, São Luís MA 14

15 GRÁFICO 4 Gestão Tecnológica Fonte: Elaborado CTI/GESITI & Grupo de Pesquisa Interdisciplinar de Professores e Pesquisadores GPIPP, São Luís MA 8. COOPERAÇÃO PARA INOVAÇÃO Na realidade do hospital, a importância da introdução das inovações tecnológicas entre 2006 e 2010 foi baixa, além de não firmar nenhum tipo de parceria para que isso acontecesse. Muitos foram os fatores prejudiciais para as atividades inovativas desse hospital. Esse hospital considerou de alta relevância a introdução de novas tecnologias, entre os anos de 2006 e Dentre os parceiros destacados, o 15

16 Cliente, foi o que apresentou maior relevância, seguido pelos fornecedores, outros hospitais e centros de capacitação e assistência técnica prestada por fornecedores. Sobre os fatores que prejudicaram as atividades inovativas, destacam-se as dificuldades de se adequar a padrões, normas e regulamentações, as demais foram consideradas baixa ou não relevantes. A importância da introdução das inovações tecnológicas para o hospital entre 2006 e 2010 foi alta. Dentre os parceiros destacados, o Cliente, foi o que apresentou maior relevância, seguido pelos fornecedores e centros de capacitação e assistência técnica prestada por fornecedores. Sobre os fatores que prejudicaram as atividades inovativas, todos foram considerados baixa ou não relevantes. 9. EQUIPAMENTOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO No período entre 2006 e 2010, o hospital considerou baixa a importância na aquisição de máquinas e equipamentos. No período entre 2006 e 2010, o hospital 2 considerou alta a importância na aquisição de máquinas e equipamentos. O hospital 3, também considera alta a importância de aquisição e equipamentos entre 2006 e

17 Números de PC Impressora laser jato de tinta matricial 10 0 GRÁFICO 5 Equipamentos Fonte: Elaborado CTI/GESITI & Grupo de Pesquisa Interdisciplinar de Professores e Pesquisadores GPIPP, São Luís MA 10. PROGRAMAS APLICATIVOS Na parte de escritório, o hospital utiliza editores de texto Word, Planilhas Excel, e Apresentação PowerPoint, não existe software para manipulação de imagens. Para a parte de gestão, é utilizado o software público, não foi informado o custo mensal. Nas área de controle de estoques e gestão de ativos é utilizado o SIAGEM, também não nos foi informado os custos. Não existe software na área de composição de Custos e determinação de preço. Os aplicativos de escritório utilizados pelo hospital destacam-se Word, Excel, PowerPoint e Access. Também utilizam Corel Draw e Adobe Photoshop para manipulação de imagens. Na parte de gestão, o software SISAC, para gestão 17

18 integrada, não foi informado a empresa, a quantidade de módulos e o custo. Não existe software para a área de composição de Custos e determinação de preço. Na parte de aplicativos para escritório, utiliza Word, Excel e PowerPoint. Também utiliza o software Corel Draw e Adobe Photoshop. Na parte de Gestão não foi informado o software utilizado, empresa fornecedora e custo. Utilizam um software de gestão integrada, chamado System Hospital, porém não nos foi informada a empresa, módulos ou custo do mesmo.não possui um software na parte de composição de custos e determinação de preços. 11. BASE DE DADOS A base de dados utilizada não é caracterizada como DataWarehouse e é departamental. Também não existe um software de Gestão da Base de Dados. A parte de aplicações roda em sistema operacional Windows. Utiliza somente serviços de consultoria e impressão. A previsão de investimentos em outros serviços e Outsourcing é de até 3 meses, não possuem dispositivos de armazenamento, mas a previsão de investimento é maior que um ano. A base de dados do hospital é centralizada, mas não é caracterizada como DataWarehouse, não há ferramentas de Gestão da Base de Dados. O sistema operacional utilizado é o Windows. A parte de Serviços e Outsourcing é suprida por Consultoria, Integração de Sistemas, Serviços de Telecomunicações, Impressões e serviço de rede/dados. Sobre o período de investimentos em Outsourcing, a previsão de uso é entre 6 a 12 meses. Os dispositivos de armazenamento usam RAID e SAN e não sabem informar o período para novos investimentos na área. 18

19 A base de dados do hospital é centralizada, mas não é caracterizada como DataWarehouse, não há ferramentas de Gestão da Base de Dados. O sistema operacional utilizado é o Windows. A parte de Serviços e Outsourcing é suprida por Integração de Sistemas, Serviços de Telecomunicações, Impressões, Serviço de Segurança e serviço de rede/dados. Sobre o período de investimentos em Outsourcing, a previsão é entre 6 a 12 meses. Os dispositivos de armazenamento usam RAID e SAN e não sabem informar o período para novos investimentos na área. 12. REDES, SEGURANÇA E TELECOMUNICAÇÕES Quais ss tecnologias de rede, segurança e telecomunicações utilizadas pelo hospital não foram informadas, e os próximos investimentos estão previstos para daqui a mais de um ano. Na parte de segurança utilizam o antivírus. A previsão de investimentos nessas áreas é maior que um ano. Sobre as Redes, as tecnologias de utilizadas são Software de Comunicação, Redes sem Fio, LAN, Wi-Fi, serviços de segurança de rede, Sistema de gerenciamento de rede, serviços de Rede, Switches e Roteadores. Não souberam informar período para a realização de novos investimentos nessa área. Nos aspectos de SEGURANÇA, utilizam Antivírus, Software de Firewall e Software de gerenciamento de sistemas de segurança, logon único, softwares de gestão de identidade e acesso. Não souberam informar período para a realização de novos investimentos nessa área. 19

20 Na parte de TELECOMUNICAÇÕES, o Hospital utiliza Videoconferência, WAN,, Banda Larga e Acesso Remoto. Não souberam informar período para a realização de novos investimentos nessa área. A configuração do hospital 3 é similar ao hospital 2, nas Redes, as tecnologias utilizadas são Software de Comunicação, Redes sem Fio, LAN, Wi-Fi, serviços de segurança de rede, Sistema de gerenciamento de rede, serviços de Rede, Switches e Roteadores. Também, não souberam informar período para a realização de novos investimentos nessa área. Nos aspectos de SEGURANÇA, utilizam Antivírus, Software de Firewall e Software de gerenciamento de sistemas de segurança, logon único, softwares de gestão de identidade e acesso e IDS. Não souberam informar período para a realização de novos investimentos nessa área. Na parte de TELECOMUNICAÇÕES, o Hospital utiliza WAN, IP, PBX (PABX IP), Banda Larga e Acesso Remoto. Não souberam informar período para a realização de novos investimentos nessa área. 13. GESTÃO DE TI Na parte de Gestão de TI, o Hospital não utiliza nenhum item listado na pesquisa e tem uma previsão de investimentos para utilizá-lo de 3 à 6 meses. Na parte de Gestão de TI, o Hospital utiliza SGBD, CRM e BI/DM, sistemas de gerenciamento de integração de aplicativos, software financeiros, gerenciamento de Banco de Dados, software de gerenciamento, software de RH, software de 20

21 logística/remessa e software de gerenciamento patrimonial. Não souberam informar período para a realização de novos investimentos nessa área. A gestão da TI usa soluções de SGDB e CRM, softwares financeiros, gerenciamento de Banco de Dados, software de gerenciamento, software de RH, software de logística/remessa. Não souberam informar período para a realização de novos investimentos nessa área. 14. COMÉRCIO ELETRÔNICO Módulo A: Informações Gerais sobre Tecnologias de Comunicação e de Informação em TI. O hospital utiliza computadores pessoais e faz uso de desde Porém, não tem, mas planeja o uso de Intranet, Extranet e WAP. A sua rede interna possuí um servidor. O percentual de pessoal que utiliza estações de trabalho é entre 10-20%. O percentual de computadores pessoais em uso, que têm acesso a internet é de10-20%. O hospital usa computadores pessoais para diversas tarefas. O é utilizado desde antes de 2001, da mesma forma que a intranet e extranet, a WAP é usado desde O percentual de funcionários que tem acesso a Internet na rotina de trabalho é de aproximadamente 60-70%, mesmo percentual dos computadores pessoais estão conectados a Internet. 21

22 O hospital usa computadores pessoais para diversas tarefas. O é utilizado desde antes de 2001, bem como a intranet, extranet, utiliza a WAP desde Já o percentual de funcionários que tem acesso a Internet na rotina de trabalho é de aproximadamente 20 a 30%, mesmo percentual dos computadores pessoais estão conectados a Internet Módulo B: Uso da Internet O Hospital usa a internet desde antes de 2008 e possuí um site ativo e sua conexão é feita através modem. Dentre os propósitos de uso da internet são considerados busca de informações. Planeja usar nos próximos 5 anos para monitoramento do mercado, comunicação com autoridades públicas, serviços financeiros. Não planeja o uso para informar oportunidades de contratações. Na parte relacionada à compra e venda de bens e serviço via internet, o hospital pretende fazer uso nos próximos anos de informações em sites, e ter um site. Não pretende o uso para o recebimento de produtos digitais ou serviços pósvenda. O hospital usa a Internet antes de 2001, e possuí um site ativo. A conexão é feita via Rádio, e o propósito no uso da internet é busca de informações, monitoramento do mercado, comunicação com autoridades públicas, Banco e serviços financeiros, bem como, o recrutamento. Na parte relacionada a compra de bens ou serviços via internet é utilizada desde antes de 2001, para a busca de informações, a busca por produtos digitais gratuitos e pós-venda, EAD. Na parte relacionada a venda de bens e serviços, o hospital tem implantado marketing, enquetes, página, catalogo de produtos, entrega de produtos, firewall, integração com BackEnd Systems e assistência pós venda. 22

23 O hospital usa a Internet antes de 2001, e possuí um site ativo. A conexão é feita via Rádio, e o propósito no uso da internet é busca de informações, monitoramento do mercado, comunicação com autoridades públicas, Banco e serviços financeiros, bem como, o recrutamento. Na parte relacionada à compra de bens ou serviços via internet é utilizada desde antes de 2001, para a busca de informações, a busca por produtos digitais gratuitos e pós-venda, planeja utilizar nos próximos anos o recebimento de produtos digitais como o EAD. Na parte relacionada à venda de bens e serviços, o hospital tem implantado marketing, enquetes, página, catalogo de produtos, entrega de produtos, firewall, integração com BackEnd Systems e assistência pós venda Módulo C: Comércio Eletrônico via Internet O hospital 1 não contratou ou adquiriu serviços na internet em O Hospital adquiriu ou contratou serviços via Internet. O total de compras ou serviços representam cerca de 30 a 40%, com pagamentos on-line. Também contratou serviços especializados, representando um total de 20 a 30%. Os benefícios considerados bastante importante, pelo hospital 2 nas compras via Internet, são, a redução de custo, maior acesso e conhecimento de fornecedores, velocidade nos negócios. Houve bons resultados em tudo considerado bastante importante. Não houve vendas pela Internet. 23

24 O hospital realizou compras via internet em 2008 mas não possui catalogo de produtos on-line. Em termos monetários, as compras via internet representaram mais ou menos 60% e pagou de forma on-line pelos produtos adquiridos. A redução de custos foi o principal beneficio esperado. Além disso, o maior acesso aos fornecedores também foi muito importante, além do aumento da velocidade dos processos de negócios. O hospital não realiza venda via internet Módulo D: Custos/Gastos e características do sistema implantado. O hospital não possui nada nesse contexto da pesquisa. Porém sua perspectiva futura é expandir a internet, melhorar as TIC do hospital com melhores hardwares e softwares mais adequados. O hospital 2 investiu entre 15 a 20 mil reais, com a implantação, operação e manutenção do sistema de comércio eletrônico. A plataforma de hardware utilizada é a AMD com sistema operacional Windows. Não soube informar o software de comércio eletrônico não possui nada nesse contexto da pesquisa. O hospital pretende expandir a sua presença na internet, melhorar as TIC do hospital com hardwares e softwares mais adequados. 24

25 O hospital 3 investiu entre 15 a 20 mil reais, com a implantação, e menos de 10 mil em operação e manutenção do sistema de comércio eletrônico. A plataforma de hardware utilizada é a AMD com sistema operacional Windows. Não soube informar o software de comércio eletrônico não possui nada nesse contexto da pesquisa. O hospital não pretende expandir a sua presença na internet, nem adquirir novos hardwares e softwares Módulo E: Barreiras ao uso da Internet e TCI em geral. Na avaliação desse módulo da pesquisa, o hospital enfrenta barreiras na implantação de venda através da internet com a segurança de pagamentos, insegurança em relação a contratos, termos de entrega e garantias. As barreiras para o uso da internet são as questões de segurança e complexidade da tecnologia, de gastos no desenvolvimento e manutenção de sites, além da má utilização da internet, comunicação e a qualidade da mesma (lenta e instável) também são as principais barreiras para uso, o que gera uma pouca percepção de benefícios. Os altos gastos com TCI são muito importantes, o surgimento de novas versões de softwares também inibe o seu uso. A qualificação e a relutância do pessoal e a dificuldade de recrutar pessoas qualificadas em TCI, juntamente com uma falta de estratégia e benefícios de uso são considerados muito importantes. Na avaliação desse módulo da pesquisa, o hospital enfrenta barreiras na implantação de venda através da internet com a segurança de pagamentos, 25

26 insegurança em relação a contratos, termos de entrega e garantias, considerados bastante importante. As barreiras para o uso da internet são as questões de segurança, de gastos com comunicação de dados muito alto, além da qualidade da mesma (lenta e instável), são considerados bastante importante. Os benefícios do uso da internet são considerados bastante importante, demonstrando interesse nesse recurso. Os altos gastos com TCI são muito importantes, o surgimento de novas versões de softwares também inibe o seu uso. A qualificação e a relutância do pessoal e a dificuldade de recrutar pessoas qualificadas em TCI, juntamente com uma falta de estratégia e benefícios de uso são considerados bastante importantes. Dentre as barreiras presentes e futuras para o uso das TCI, são bastante importantes o aspecto de insegurança em relação a pagamentos, contratos. Já as barreiras para uso da internet destacam-se a segurança e a perda de tempo de trabalho como aspectos, gastos altos, comunicação lenta ou instável, considerados fatores bastante importante. 15. TELEMEDICINA O não faz uso da Telemedicina. O hospital declarou fazer uso da Telemedicina. A especialidade citada foi a cardiologia, via IP com pesquisa. Também realiza videoconferência mas com equipamento especializado, via IP com link superior a 2Mb. O periférico utilizado é Scanner radiológico, ultra-som para VC e monitoramento de ECG e EEG. O 26

27 conhecimento adquirido vem de colegas, treinamento e pós graduação médica, por mídia eletrônica e o uso mais comum é o diagnóstico, gerenciamento de doenças crônicas e segunda opinião médica. O conjunto de videoconferência utilizado envolve cardiologia, com vídeo interativo, armazenagem e envio de imagens/transmissão de textos, compartilhamento de imagens e áudio. O software utilizado possui interface amigável. O equipamento utilizado é um PC Dual Core com 2 GB de RAM, 1 TB de Disco Rígido, cuja função é armazenar, visualizar e enviar dados. O software utilizado possui interface amigável. O não faz uso da Telemedicina. 16. CONSIDERAÇÕES FINAIS Na pesquisa realizada entre os 3 (três) hospitais, compartilham uma grande dificuldade em usar sistema de informação de forma correta e completa. Todos os hospitais usam as TICs de forma parcial, não aproveitando todos os recursos que ele oferece. 27

28 Isso é conseqüência da pouca qualificação dos profissionais de saúde em usar Sistemas de Informação. Não se trata de usar ou não o computador, coisa que grande parte dos colaboradores faz, mas sim organizar as rotinas internas, informatizando-as. Percebe-se que os hospitais pesquisados ainda precisam de maiores informações sobre o que as TICs podem fazer pelos seus processos internos e no controle e acesso dos serviços prestados por eles à sociedade ludovicence. REFERENCIAS BALLONI, A.J., Projeto GESITI Hospitalar, 2010, - acessado em Junho, APPOLINÁRIO, Fabio. Metodologia da Ciência: Filosofia e Prática da Pesquisa. São Paulo: Editora Pioneira Thomson Learning, COLAUTO, Romualdo Douglas; BEUREN, Ilse Maria. Coleta, análise e interpretação dos dados. In: BEUREN, Ilse Maria (Org.). Como elaborar trabalhos monográficos em contabilidade: teoria e prática. São Paulo: Atlas, EUROPEAN_COMMISSION.e-Health Making Healthcare better for European Citizens: An Action Plan for a European e-health Area (Communication from the Commission to the Council, the European Parliament, the European Economic and Social Committee and the Committee of the Regions. Brussels: Commission of the European Communities, No. 356, EUROPEAN_COMMISSION.e-Health Priorities and Strategies in European Countries. Luxembourg: Office for Official Publications of the European Communities, JUNG, C. F. Metodologia para pesquisa & desenvolvimento: aplicada a novas tecnologias, produtos e processos. Rio de Janeiro: Axcel Books do Brasil, CURRICULO RESUMIDO Claudia Maria da Costa Archer - Coordenadora Local da Pesquisa do Maranhão 28

29 Formação: Graduação em Letras (UFMA) com Mestrado em Políticas Públicas (UFMA). Professora do UNICEUMA no curso de Comunicação Social Habilitação em Publicidade e Propaganda e no curso de Administração. Trabalho desde 1988 como técnica em Tecnologia da Informação na Empresa Brasileira de Tecnologia da Informação da Previdência Social - DATAPREV. Fui Gerente Regional no Maranhão durante cinco anos e meio, no período de abril de 2003 à setembro de Atualmente estou cedida para a Procuradoria Federal do Maranhão - AGU, sendo responsável pelo seção de apoio processual, trabalhando no sistema de controle processual SICAU. Link do Lattes: 29

RELATÓRIO DE PESQUISA: Uma Avaliação da GEstão dos SIstemas e Tecnologias de Informação nos Hospitais na Região Metropolitana de São Luís do Maranhão

RELATÓRIO DE PESQUISA: Uma Avaliação da GEstão dos SIstemas e Tecnologias de Informação nos Hospitais na Região Metropolitana de São Luís do Maranhão Publicado nos Anais do VI Workshop GESITI e Evento Acoplado II GESITI/Saúde. 17/18 Juno de 2010. ISSN: 1807-9350 RELATÓRIO DE PESQUISA: Uma Avaliação da GEstão dos SIstemas e Tecnologias de Informação

Leia mais

Publicado nos Anais do VI Workshop GESITI e Evento Acoplado II GESITI/Saúde. 17/18 de Junho de 2010. ISSN: 1807-9350 RELATÓRIO:

Publicado nos Anais do VI Workshop GESITI e Evento Acoplado II GESITI/Saúde. 17/18 de Junho de 2010. ISSN: 1807-9350 RELATÓRIO: Publicado nos Anais do VI Workshop GESITI e Evento Acoplado II GESITI/Saúde. 17/18 de Junho de 2010. ISSN: 1807-9350 RELATÓRIO: PROJETO GESITI/SAÚDE Uma avaliação da gestão em sistemas e tecnologia da

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO DE PESQUISAS DO PROJETO GESITI HOSPITALAR. PROJETO GESITI/HOSPITALAR. Relatório:

RELATÓRIO TÉCNICO DE PESQUISAS DO PROJETO GESITI HOSPITALAR. PROJETO GESITI/HOSPITALAR. Relatório: Relatório: PESQUISA HOSPITALAR GESITI / SETREM DOS HOSPITAIS DA REGIÃO FRONTEIRA NOROESTE DO RIO GRANDE DO SUL Ms. Fauzi de Moraes Shubeita, Dr. Antonio Balloni, Ms. Gilberto Souto Caramão, Ms. Estela

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO DE PESQUISAS DO PROJETO GESITI HOSPITALAR. PROJETO GESITI/HOSPITALAR.

RELATÓRIO TÉCNICO DE PESQUISAS DO PROJETO GESITI HOSPITALAR. PROJETO GESITI/HOSPITALAR. Diagnóstico acerca da Gestão de Tecnologias da Informação em hospitais de Uberlândia, MG Mirna Tonus 1 Adriana Cristina Omena dos Santos Marlon Wender Pinheiro Costa Tatiana Oliveira Lima Antonio José

Leia mais

GESTÃO DOS SISTEMAS E TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO EM HOSPITAIS: O CASO DO MUNICÍPIO DE LODRINA / PR

GESTÃO DOS SISTEMAS E TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO EM HOSPITAIS: O CASO DO MUNICÍPIO DE LODRINA / PR 1 GESTÃO DOS SISTEMAS E TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO EM HOSPITAIS: O CASO DO MUNICÍPIO DE LODRINA / PR Marcia Regina Camara Gabardo 1, Saulo Fabiano Amâncio Vieira 1, Renato Fabiano Cintra e Antonio José

Leia mais

GESTÃO EM SISTEMAS E TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO EM HOSPITAIS DE BOA VISTA-RR

GESTÃO EM SISTEMAS E TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO EM HOSPITAIS DE BOA VISTA-RR GESTÃO EM SISTEMAS E TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO EM HOSPITAIS DE BOA VISTA-RR Cleide Maria Fernandes Bezerra1; Jaci Lima da Silva 1 ; Sandra Huzek 1 ; Fábia Micheline Duarte Alves 1 ; Ednalva Castelo 1 ;

Leia mais

TEMA: 1. GESTÃO DE INFORMAÇÃO NOS SISTEMAS DE SAÚDE

TEMA: 1. GESTÃO DE INFORMAÇÃO NOS SISTEMAS DE SAÚDE TEMA: 1. GESTÃO DE INFORMAÇÃO NOS SISTEMAS DE SAÚDE UMA AVALIAÇÃO DA GESTÃO DOS SISTEMAS E TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NOS HOSPITAIS DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO LUÍS DO MARANHÃO Claudia Maria da Costa

Leia mais

DIAGNOSIS OF INFORMATION AND TECHNOLOGY MANAGEMENT SYSTEMS IN THE HOSPITALS OF SÃO LUÍS MARANHÃO

DIAGNOSIS OF INFORMATION AND TECHNOLOGY MANAGEMENT SYSTEMS IN THE HOSPITALS OF SÃO LUÍS MARANHÃO RF-646 DIAGNOSIS OF INFORMATION AND TECHNOLOGY MANAGEMENT SYSTEMS IN THE HOSPITALS OF SÃO LUÍS MARANHÃO Claudia Maria da Costa Archer (Centro Universitário do Maranhão UniCEUMA, Maranhão, Brasil) claudiarcher@gmail.com

Leia mais

UMA AVALIAÇÃO DA GESTÃO DOS SISTEMAS E TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NOS HOSPITAIS DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, REGIÃO METROPOLITANA

UMA AVALIAÇÃO DA GESTÃO DOS SISTEMAS E TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NOS HOSPITAIS DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, REGIÃO METROPOLITANA Relatório: UMA AVALIAÇÃO DA GESTÃO DOS SISTEMAS E TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NOS HOSPITAIS DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, REGIÃO METROPOLITANA Oliveira, S.B; Balloni, A.J.; G. P. Nogueira, G.P.;Villardi,

Leia mais

RELATÓRIO DA PESQUISA:

RELATÓRIO DA PESQUISA: Publicado nos Anais do VI Workshop GESITI e Evento Acoplado II GESITI/Saúde. 7/8 Juno de. ISSN: 87-95 UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA Faculdade de Ciências Contábeis Praça Treze de Maio, 6 Piedade 7- Salvador

Leia mais

Relatório: AVALIAÇÃO DA GESTÃO EM SISTEMAS E TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NOS HOSPITAIS BRASILEIROS: O CASO DA MICRORREGIÃO RONDONÓPOLIS-MT.

Relatório: AVALIAÇÃO DA GESTÃO EM SISTEMAS E TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NOS HOSPITAIS BRASILEIROS: O CASO DA MICRORREGIÃO RONDONÓPOLIS-MT. Relatório: AVALIAÇÃO DA GESTÃO EM SISTEMAS E TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NOS HOSPITAIS BRASILEIROS: O CASO DA MICRORREGIÃO RONDONÓPOLIS-MT Ruy Ferreira (1); Antonio José Balloni (3); Débora Aparecida da

Leia mais

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG Capítulo 3: Sistemas de Negócios Colaboração SPT SIG Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos, gerentes e profissionais de empresas.

Leia mais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Capítulo 3: Sistemas de Apoio Gerenciais Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos,

Leia mais

Publicado nos Anais do VI Workshop GESITI e Evento Acoplado II GESITI/Saúde. 17/18 Juno de 2010. ISSN: 1807-9350. Relatório:

Publicado nos Anais do VI Workshop GESITI e Evento Acoplado II GESITI/Saúde. 17/18 Juno de 2010. ISSN: 1807-9350. Relatório: Relatório: UMA AVALIAÇÃO DA GESTÃO DOS SISTEMAS E TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NOS HOSPITAIS DO MUNICÍPIO DE JAÚ E GARÇA, REGIÃO CENTRO-OESTE DO ESTADO DE SÃO PAULO Paulo Fernando R. de Almeida Prof. Ms.

Leia mais

Soluções Completas. Fundada em 1991, a.compos é pioneira na área de soluções em tecnologia, atuando nas áreas de:

Soluções Completas. Fundada em 1991, a.compos é pioneira na área de soluções em tecnologia, atuando nas áreas de: Soluções Completas Fundada em 1991, a.compos é pioneira na área de soluções em tecnologia, atuando nas áreas de: - Conexões compartilhada (.IP) e dedicada (.LINK); - Data Center com servidores virtuais

Leia mais

PMI-SP PMI-SC PMI-RS PMI PMI-PR PMI-PE

PMI-SP PMI-SC PMI-RS PMI PMI-PR PMI-PE ESTUDO DE BENCHMARKING EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS 2009 Brasil Uma realização dos Chapters Brasileiros do PMI - Project Management Institute PMI-SP PMI-RJ PMI-AM PMI-SC PMI-BA ANEXO 1 PMI-RS PMI PMI-CE

Leia mais

Pessoas e Negócios em Evolução

Pessoas e Negócios em Evolução Empresa: Atuamos desde 2001 nos diversos segmentos de Gestão de Pessoas, desenvolvendo serviços diferenciados para empresas privadas, associações e cooperativas. Prestamos serviços em mais de 40 cidades

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais Administração de Sistemas de Informação Gerenciais UNIDADE III: Infraestrutura de Tecnologia da Informação Atualmente, a infraestrutura de TI é composta por cinco elementos principais: hardware, software,

Leia mais

GESTÃO EM SISTEMAS E TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO EM HOSPITAIS DE MARINGÁ-PR

GESTÃO EM SISTEMAS E TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO EM HOSPITAIS DE MARINGÁ-PR GESTÃO EM SISTEMAS E TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO EM HOSPITAIS DE MARINGÁ-PR Heloise Manica Paris Teieira 1 ; Renato Balancieri 1 ; Maria Madalena Dias 1 ; Antonio José Balloni 2 1 Universidade Estadual de

Leia mais

Guaiaquil tira proveito da IoE para oferecer à população os benefícios da telemedicina e do governo eletrônico

Guaiaquil tira proveito da IoE para oferecer à população os benefícios da telemedicina e do governo eletrônico Guaiaquil tira proveito da IoE para oferecer à população os benefícios da telemedicina e do governo eletrônico RESUMO EXECUTIVO Objetivo Melhorar a vida dos moradores e ajudálos a serem bem-sucedidos na

Leia mais

João P. de Albuquerque, Marcelo Nerling, Edmir Parada Vasques Prado, Antonio José Balloni, Homero Fonseca Filho

João P. de Albuquerque, Marcelo Nerling, Edmir Parada Vasques Prado, Antonio José Balloni, Homero Fonseca Filho Relatório: UMA AVALIAÇÃO DA GESTÃO DOS SISTEMAS E TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NOS HOSPITAIS DO MUNICÍPIO DE GUARULHOS/SP João P. de Albuquerque, Marcelo Nerling, Edmir Parada Vasques Prado, Antonio José

Leia mais

Uso dos computadores e a Tecnologia da informação nas empresas: uma visão geral e introdutória

Uso dos computadores e a Tecnologia da informação nas empresas: uma visão geral e introdutória Uso dos computadores e a Tecnologia da informação nas empresas: uma visão geral e introdutória Não há mais dúvidas de que para as funções da administração - planejamento, organização, liderança e controle

Leia mais

Net View & Panda ManagedOfficeProtection Mais que antivírus, solução em segurança.

Net View & Panda ManagedOfficeProtection Mais que antivírus, solução em segurança. Net View & Panda ManagedOfficeProtection Mais que antivírus, solução em segurança. Net View & Panda Managed Office Protection É fato, tanto pequenas e médias e grandes empresas enfrentam os mesmos riscos

Leia mais

COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA (COTEC) ABRIL/2011

COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA (COTEC) ABRIL/2011 SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA (COTEC) ABRIL/2011 Rua do Rouxinol, N 115 / Salvador Bahia CEP: 41.720-052 Telefone: (71) 3186-0001. Email: cotec@ifbaiano.edu.br

Leia mais

2.3. ORGANIZAÇÕES E GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

2.3. ORGANIZAÇÕES E GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 2.3. ORGANIZAÇÕES E GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO As Empresas e os Sistemas Problemas locais - impacto no sistema total. Empresas como subsistemas de um sistema maior. Uma empresa excede a soma de

Leia mais

FACULDADE ANHANGUERA DE INDAIATUBA Rua Claudio Dal Canton, 89 - Cidade Nova II - Indaiatuba -SP - CEP 13334-390 (19) 3885-6700 www.portalpos.com.

FACULDADE ANHANGUERA DE INDAIATUBA Rua Claudio Dal Canton, 89 - Cidade Nova II - Indaiatuba -SP - CEP 13334-390 (19) 3885-6700 www.portalpos.com. A pós-graduação é fundamental para manter-se bem colocado no mercado de trabalho e para aperfeiçoar competências profissionais. Além de enriquecer o currículo, este tipo de especialização ajuda a melhorar

Leia mais

VANTAGENS E DIFERENCIAIS

VANTAGENS E DIFERENCIAIS A Treinar é uma escola com tradição na área de cursos de Informática, Tecnologia, Desenvolvimento Profissional e Educação à Distância. Oferece cursos do nível básico ao avançado, visando à formação completa

Leia mais

HOEPERS USA TECNOLOGIA PARA QUEBRAR PARADIGMAS E OBTER GERENCIAMENTO TOTAL DAS DEMANDAS DA ORGANIZAÇÃO

HOEPERS USA TECNOLOGIA PARA QUEBRAR PARADIGMAS E OBTER GERENCIAMENTO TOTAL DAS DEMANDAS DA ORGANIZAÇÃO HOEPERS USA TECNOLOGIA PARA QUEBRAR PARADIGMAS E OBTER GERENCIAMENTO TOTAL DAS DEMANDAS DA ORGANIZAÇÃO Perfil A Hoepers S.A se posiciona no mercado como uma das três maiores empresas de recuperação de

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação Gestão da Tecnologia da Informação A TCI BPO Com atuação em todo o Brasil, a TCI oferece excelência na prestação dos serviços em BPO - Business Process Outsourcing, levando aos seus clientes as melhores

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PLANO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA Flash Lan House: FOCO NO ALINHAMENTO ENTRE CAPITAL HUMANO E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Leia mais

Fundamentos de Sistemas de Informação Sistemas de Informação

Fundamentos de Sistemas de Informação Sistemas de Informação Objetivo da Aula Tecnologia e as Organizações, importância dos sistemas de informação e níveis de atuação dos sistemas de informação Organizações & Tecnologia TECNOLOGIA A razão e a capacidade do homem

Leia mais

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social Programa 0465 SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO - INTERNET II Objetivo Incrementar o grau de inserção do País na sociedade de informação e conhecimento globalizados. Público Alvo Empresas, usuários e comunidade

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Competências Analista 1. Administração de recursos de infra-estrutura de tecnologia da informação 2.

Leia mais

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI Sistemas de gestão A Gestão dos Sistemas Integrados é uma forma organizada e sistemática de buscar a melhoria de resultados.

Leia mais

Outsourcing e Terceirização

Outsourcing e Terceirização ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Estratégia de Negócios em TI (Parte 4) Outsourcing e Terceirização Prof. Me. Walteno Martins Parreira Jr Definições Processo de gestão pelo qual se

Leia mais

Pequeno Resumo ( è o link de abertura da pagina principal do site e o resumo do facebook e linkedin)

Pequeno Resumo ( è o link de abertura da pagina principal do site e o resumo do facebook e linkedin) Pequeno Resumo ( è o link de abertura da pagina principal do site e o resumo do facebook e linkedin) A HAUSCHILD é uma empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) que possui profissionais com

Leia mais

TIC Empresas 2007 DESTAQUES 2007

TIC Empresas 2007 DESTAQUES 2007 TIC Empresas DESTAQUES Os computadores estão presentes em 95% das empresas, sendo que a informatização aumenta de acordo com o porte. Entre as que utilizam computadores, o acesso à Internet é quase integral:

Leia mais

Prof. Lucas Santiago

Prof. Lucas Santiago Classificação e Tipos de Sistemas de Informação Administração de Sistemas de Informação Prof. Lucas Santiago Classificação e Tipos de Sistemas de Informação Sistemas de Informação são classificados por

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Graduação Tecnológica em Marketing Porto alegre, 2011 1 1. Objetivos do Curso O projeto do curso, através de sua estrutura curricular, está organizado em módulos, com certificações

Leia mais

Administration Kit. Parte de Kaspersky Business Space Security Kaspersky Enterprise Space Security Kaspersky Total Space Security

Administration Kit. Parte de Kaspersky Business Space Security Kaspersky Enterprise Space Security Kaspersky Total Space Security Administration Kit Parte de Kaspersky Business Space Security Kaspersky Enterprise Space Security Kaspersky Total Space Security O Kaspersky Administration Kit é uma ferramenta de administração centralizada

Leia mais

TIC Microempresas 2007

TIC Microempresas 2007 TIC Microempresas 2007 Em 2007, o Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação do NIC.br, no contexto da TIC Empresas 2007 1, realizou pela primeira vez um estudo sobre o uso das

Leia mais

MECANISMOS PARA GOVERNANÇA DE T.I. IMPLEMENTAÇÃO DA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

MECANISMOS PARA GOVERNANÇA DE T.I. IMPLEMENTAÇÃO DA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza MECANISMOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DA GOVERNANÇA DE T.I. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza CICLO DA GOVERNANÇA DE TI O CICLO DA GOVERNANÇA DE TI O Ciclo da Governança de T.I. ALINHAMENTO

Leia mais

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Outubro 2009 Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Sustentabilidade Articulação Ampliação dos limites Sistematização Elementos do Novo Modelo Incubação

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL (SIG) Conjunto integrado de pessoas, procedimentos, banco de dados e dispositivos que suprem os gerentes e os tomadores

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - SI

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - SI SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - SI Elaborado e adaptado por: Prof.Mestra Rosimeire Ayres Sistemas Colaborativos Empresariais (ECS) Os sistemas colaborativos nas empresas nos oferecem ferramentas para nos ajudar

Leia mais

DESCRITIVO TÉCNICO INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE REDES

DESCRITIVO TÉCNICO INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE REDES DESCRITIVO TÉCNICO INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE REDES 39 A, por resolução do seu Comitê Técnico, em acordo com o Estatuto e as Regras da Competição, adotou as exigências mínimas que seguem no tocante a esta

Leia mais

Pesquisa realizada com os participantes do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Apresentação

Pesquisa realizada com os participantes do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Apresentação Pesquisa realizada com os participantes do de Apresentação O perfil do profissional de Projetos Pesquisa realizada durante o 12 Seminário Nacional de, ocorrido em 2009, traça um importante perfil do profissional

Leia mais

gladiador INTERNET CONTROLADA

gladiador INTERNET CONTROLADA gladiador INTERNET CONTROLADA funcionalidades do sistema gladiador sistema Gerenciamento de usuários, gerenciamento de discos, data e hora do sistema, backup gladiador. Estações de Trabalho Mapeamento

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Art. 1º - A Diretoria de Tecnologia de Informação e Comunicação DTIC da Universidade FEDERAL DO ESTADO DO RIO

Leia mais

Administração e Desenvolvimento de Soluções em TI

Administração e Desenvolvimento de Soluções em TI Administração e Desenvolvimento de Soluções em TI Projeto Corporativo Missão: Oferecer soluções corporativas em Tecnologia da Informação, fornecendo e integrando produtos e serviços profissionais de alta

Leia mais

A TCI BPO. Nossos diferenciais competitivos:

A TCI BPO. Nossos diferenciais competitivos: Varejo e-commerce A TCI BPO Com atuação em todo o Brasil, a TCI oferece excelência na prestação dos serviços em BPO - Business Process Outsourcing, levando aos seus clientes as melhores competências e

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL 2015 Sabemos que as empresas atualmente utilizam uma variedade muito grande de sistemas de informação. Se você analisar qualquer empresa que conheça, constatará que existem

Leia mais

Subáreas. Incubadoras tecnológicas, polos e parques tecnológicos. Formação. Experiência. Conhecimentos. Habilidades

Subáreas. Incubadoras tecnológicas, polos e parques tecnológicos. Formação. Experiência. Conhecimentos. Habilidades Subáreas Incubadoras tecnológicas, polos e parques tecnológicos Design Área: Inovação Perfil Profissional: Instrutor/Consultor Competências Implantação de incubadoras de empresas; Processo de seleção de

Leia mais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais O que é ERP Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para integrar os diversos departamentos de uma empresa,

Leia mais

Excelência em Metodologia de Helpdesk

Excelência em Metodologia de Helpdesk Excelência em Metodologia de Helpdesk O IntraDesk foi desenvolvido com base nas melhores práticas conhecidas de Helpdesk, indicadas por organizações como o Gartner Group e o Helpdesk Institute, que, aliadas

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Modelo de Otimização de SAM Controle, otimize, cresça Em um mercado internacional em constante mudança, as empresas buscam oportunidades de ganhar vantagem competitiva

Leia mais

O relacionamento direto com o cliente, respeito mútuo, responsabilidade, flexibilidade e adaptabilidade são os principais valores da Infolux.

O relacionamento direto com o cliente, respeito mútuo, responsabilidade, flexibilidade e adaptabilidade são os principais valores da Infolux. A NOSSA HISTÓRIA A Infolux Informática possui seu foco de atuação voltado para o mercado corporativo, auxiliando micro, pequenas e médias empresas na tarefa de extrair o máximo de benefícios com investimentos

Leia mais

PMI-SP PMI-SC PMI-RS PMI PMI-PR PMI-PE

PMI-SP PMI-SC PMI-RS PMI PMI-PR PMI-PE ESTUDO DE BENCHMARKING EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS 2009 Brasil Uma realização dos Chapters Brasileiros do PMI - Project Management Institute PMI-SP PMI-RJ PMI-AM PMI-SC PMI-BA ANEXO 2 PMI-RS PMI PMI-CE

Leia mais

Planejamento Estratégico de TI. Felipe Pontes felipe.pontes@gmail.com

Planejamento Estratégico de TI. Felipe Pontes felipe.pontes@gmail.com Planejamento Estratégico de TI Felipe Pontes felipe.pontes@gmail.com VPN Virtual Private Network Permite acesso aos recursos computacionais da empresa via Internet de forma segura Conexão criptografada

Leia mais

Distribuidor de Mobilidade GUIA OUTSOURCING

Distribuidor de Mobilidade GUIA OUTSOURCING Distribuidor de Mobilidade GUIA OUTSOURCING 1 ÍNDICE 03 04 06 07 09 Introdução Menos custos e mais controle Operação customizada à necessidade da empresa Atendimento: o grande diferencial Conclusão Quando

Leia mais

Lacerda e Franze obtém economia significativa em custos de impressão com ECM/GED da SML Brasil

Lacerda e Franze obtém economia significativa em custos de impressão com ECM/GED da SML Brasil lacerda e franze Escritório de Advocacia Lacerda e Franze obtém economia significativa em custos de impressão com ECM/GED da SML Brasil CLIENTE Lacerda e Franze Advogados Associados V I S Ã O G E R A L

Leia mais

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Toda empresa privada deseja gerar lucro e para que chegue com sucesso ao final do mês ela precisa vender, sejam seus serviços

Leia mais

GESTÃO DE PROJETOS PARA A INOVAÇÃO

GESTÃO DE PROJETOS PARA A INOVAÇÃO GESTÃO DE PROJETOS PARA A INOVAÇÃO Indicadores e Diagnóstico para a Inovação Primeiro passo para implantar um sistema de gestão nas empresas é fazer um diagnóstico da organização; Diagnóstico mapa n-dimensional

Leia mais

Planejamento Estratégico de TI (2013-2015) - UFPel

Planejamento Estratégico de TI (2013-2015) - UFPel Planejamento Estratégico de TI (2013-2015) - UFPel 1 Missão Prover soluções de TI, com qualidade, à comunidade da UFPel. 2 Visão Ser referência em governança de TI para a comunidade da UFPel até 2015.

Leia mais

Soluções em Tecnologia da Informação

Soluções em Tecnologia da Informação Soluções em Tecnologia da Informação Curitiba Paraná Salvador Bahia A DTS Sistemas é uma empresa familiar de Tecnologia da Informação, fundada em 1995, especializada no desenvolvimento de soluções empresariais.

Leia mais

GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS

GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS Graduação PROCESSOS GERENCIAIS 1.675 HORAS Prepara os estudantes para o empreendedorismo e para a gestão empresarial. Com foco nas tendências

Leia mais

acesse: vouclicar.com

acesse: vouclicar.com Transforme como sua empresa faz negócios, com o Office 365. Vouclicar.com A TI chegou para as pequenas e médias empresas A tecnologia é hoje o diferencial competitivo que torna a gestão mais eficiente,

Leia mais

Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins BALANCED SCORECARD FACULDADE BELO HORIZONTE

Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins BALANCED SCORECARD FACULDADE BELO HORIZONTE Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins BALANCED SCORECARD FACULDADE BELO HORIZONTE Belo Horizonte 2011 Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins BALANCED SCORECARD FACULDADE BELO HORIZONTE

Leia mais

PLANO DIRETOR DE INFORMÁTICA Outubro de 2014

PLANO DIRETOR DE INFORMÁTICA Outubro de 2014 PLANO DIRETOR DE INFORMÁTICA Outubro de 2014 DIVISÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO - DTI PLANO DIRETOR DE INFORMÁTICA - 1 SUMÁRIO 1. OBJETIVOS 2. CENÁRIO ATUAL DE TI 2.1. AVALIAÇÃO E DIAGNÓSTICO DO CENÁRIO

Leia mais

PDTI - Definição. Instrumento de diagnóstico, planejamento e

PDTI - Definição. Instrumento de diagnóstico, planejamento e PDTI - Definição Instrumento de diagnóstico, planejamento e gestão dos recursos e processos de Tecnologia da Informação que visa atender às necessidades tecnológicas e de informação de um órgão ou entidade

Leia mais

Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 1: Fundamentos dos SI. Resposta do Exercício 1

Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 1: Fundamentos dos SI. Resposta do Exercício 1 Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 1: Fundamentos dos SI Resposta do Exercício 1 Fundação Getúlio Vargas Leia o texto e responda o seguinte: a) identifique os recursos de: Hardware: microcomputadores,

Leia mais

EDITAL N 01/2014 DE 20 DE MAIO DE 2014 PROCESSO SELETIVO EXTERNO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

EDITAL N 01/2014 DE 20 DE MAIO DE 2014 PROCESSO SELETIVO EXTERNO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ANEXO II EDITAL N 01/2014 DE 20 DE MAIO DE 2014 PROCESSO SELETIVO EXTERNO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO A-01 - ASSESSOR TECNICO III - COORDENADOR/SUPERVISOR PEDAGOGICO; A-02 - ASSESSOR TECNICO III - COORDENADOR/SUPERVISOR

Leia mais

Nossa Estrutura. 43ª Reunião da Qualidade RS 02 de abril de 2008

Nossa Estrutura. 43ª Reunião da Qualidade RS 02 de abril de 2008 Nossa Estrutura 43ª Reunião da Qualidade RS 02 de abril de 2008 Tecnologia da Informação para o Desempenho da Gestão Estratégica Com case Santa Casa de Porto Alegre por Fábio Frey Matthias Schneider Diretoria

Leia mais

Relatório: Uma avaliação da Gestão dos Sistemas e Tecnologias de Informação nos Hospitais do Estado de Sergipe

Relatório: Uma avaliação da Gestão dos Sistemas e Tecnologias de Informação nos Hospitais do Estado de Sergipe Relatório: Uma avaliação da Gestão dos Sistemas e Tecnologias de Informação nos Hospitais do Estado de Sergipe Adicinéia Aparecida de Oliveira 1, Antônio José Balloni 2, Rogério Patrício Chagas do Nascimento

Leia mais

Treinamento: - Cursos e palestras de treinamento técnico empresarial a sistemas e tecnologias de rede, segurança, VOIP e wi-fi.

Treinamento: - Cursos e palestras de treinamento técnico empresarial a sistemas e tecnologias de rede, segurança, VOIP e wi-fi. * Empresa: Atuação em Tecnologia da Informação, Segurança e Comunicações. * Visão: O compromisso da Onix com seus clientes é torná-los cada vez mais competitivos em suas áreas de atuação, oferecendo segurança

Leia mais

UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA. Curso: Redes de Computadores e Telecomunicações

UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA. Curso: Redes de Computadores e Telecomunicações UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA Curso: Redes de Computadores Módulo 2 - Conceitos e Fundamentos Evolução das Redes d LAN, MAN e WAN Material de Apoio 2011 / sem2 Prof. Luiz Shigueru Seo CONCEITOS e FUNDAMENTOS

Leia mais

COMPUTADORES NAS EMPRESAS Cloud Computing Prof. Reginaldo Brito

COMPUTADORES NAS EMPRESAS Cloud Computing Prof. Reginaldo Brito COMPUTADORES NAS EMPRESAS Prof. Reginaldo Brito Os computadores são essenciais para enfrentar o desafio da concorrência global, na qual as empresas precisam ser eficientes e ágeis e tem de produzir produtos

Leia mais

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES):

Leia mais

Soluções em Segurança

Soluções em Segurança Desafios das empresas no que se refere a segurança da infraestrutura de TI Dificuldade de entender os riscos aos quais a empresa está exposta na internet Risco de problemas gerados por ameaças externas

Leia mais

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS ANEXO 1 MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS Este documento serve como base orientadora para a apresentação de propostas de Arranjos Produtivos Locais para enquadramento no

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

Pesquisa realizada com os participantes do 16º Seminário Nacional de Gestão de Projetos APRESENTAÇÃO

Pesquisa realizada com os participantes do 16º Seminário Nacional de Gestão de Projetos APRESENTAÇÃO Pesquisa realizada com os participantes do de APRESENTAÇÃO O perfil do profissional de projetos Pesquisa realizada durante o 16 Seminário Nacional de, ocorrido em Belo Horizonte em Junho de, apresenta

Leia mais

Atualmente, as organizações de saúde estão reavaliando seus modelos de negócios tendo em vista as regulamentações governamentais, pressões das fontes

Atualmente, as organizações de saúde estão reavaliando seus modelos de negócios tendo em vista as regulamentações governamentais, pressões das fontes Atualmente, as organizações de saúde estão reavaliando seus modelos de negócios tendo em vista as regulamentações governamentais, pressões das fontes pagadoras e a exigência dos pacientes por serviços

Leia mais

CONHECENDO E CONCEITUANDO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CONHECENDO E CONCEITUANDO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONHECENDO E CONCEITUANDO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Franco Vieira Sampaio 1 Atualmente a informática está cada vez mais inserida no dia a dia das empresas, porém, no início armazenavam-se os dados em folhas,

Leia mais

Sistemas de Informação I

Sistemas de Informação I + Sistemas de Informação I Tipos de SI Ricardo de Sousa Britto rbritto@ufpi.edu.br + Introdução 2 n As organizações modernas competem entre si para satisfazer as necessidades dos seus clientes de um modo

Leia mais

Título: De Olho na Produção

Título: De Olho na Produção Título: De Olho na Produção Resumo O De Olho na Produção trata-se de um sistema inovador de gestão de informação que tem por premissas: projetar a chegada dos vagões até os pontos de carregamento e descarga,

Leia mais

Por que estudar sistemas de informação?

Por que estudar sistemas de informação? Por que estudar sistemas de informação? Por que estudar sistemas de informação? Isto é o mesmo que perguntar por que alguém deve estudar contabilidade, finanças, as, marketing, RH ou qualquer outra grande

Leia mais

Sistemas de Informações Gerenciais Introdução as redes de comunicação e redes de computadores Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza

Sistemas de Informações Gerenciais Introdução as redes de comunicação e redes de computadores Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza Sistemas de Informações Gerenciais Introdução as redes de comunicação e redes de computadores Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza Este documento está sujeito a copyright. Todos os direitos estão reservados

Leia mais

Pesquisa FGV-EAESP de Comércio Eletrônico no Mercado Brasileiro 16 a Edição 2014

Pesquisa FGV-EAESP de Comércio Eletrônico no Mercado Brasileiro 16 a Edição 2014 Resumo Introdução O Comércio Eletrônico é um dos aspectos relevantes no ambiente empresarial atual e tem recebido atenção especial das empresas nos últimos anos, primeiro por ser considerado como uma grande

Leia mais

Serviços do Prodasen. Estrutura de atendimento... 5. Central de Atendimento... 6. Gerente de Relacionamento... 7. Infra-estrutra de Rede...

Serviços do Prodasen. Estrutura de atendimento... 5. Central de Atendimento... 6. Gerente de Relacionamento... 7. Infra-estrutra de Rede... Serviços do Prodasen Estrutura de atendimento... 5 Central de Atendimento... 6 Gerente de Relacionamento... 7 Infra-estrutra de Rede... 9 Gestão de Equimentos... 9 Serviços de apoio... 10 Outros serviços...

Leia mais

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA 1. Projeto: OEI/BRA/09/004 - Aprimoramento da sistemática de gestão do Ministério da Educação (MEC) em seus processos de formulação, implantação e

Leia mais

Ricardo Scheurer Sonda Supermercado

Ricardo Scheurer Sonda Supermercado Tema: Apresentador: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Ricardo Scheurer Sonda Supermercado Objetivo desta palestra será resolver as seguintes questões: Porque fazer um PDTI? Quais os benefícios

Leia mais

A EMPRESA. A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia.

A EMPRESA. A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia. A EMPRESA A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia. A experiência da Future Technology nas diversas áreas de TI disponibiliza aos mercados público

Leia mais

V CINFORM Encontro Nacional de Ciência da Informação. Política de Informação Pública

V CINFORM Encontro Nacional de Ciência da Informação. Política de Informação Pública V CINFORM Encontro Nacional de Ciência da Informação Política de Informação Pública Salvador, 28 a 30 de junho de 2004 Política de Informação Pública Inclusão Digital de Micro e Pequeno Empresa Telecentros

Leia mais

gesacad GESTÃO ACADÊMIDA DE ESCOLAS

gesacad GESTÃO ACADÊMIDA DE ESCOLAS gesacad GESTÃO ACADÊMIDA DE ESCOLAS Mais de uma década de experiência e evolução é o que dá ao sistema uma vasta gama de funcionalidades. Esse conhecimento que faz total diferença para sua empresa. xp+

Leia mais

Balanced Scorecard. Planejamento Estratégico através do. Curso e- Learning

Balanced Scorecard. Planejamento Estratégico através do. Curso e- Learning Curso e- Learning Planejamento Estratégico através do Balanced Scorecard Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste material sem a permissão expressa

Leia mais

P á g i n a 3 INTRODUÇÃO

P á g i n a 3 INTRODUÇÃO P á g i n a 3 INTRODUÇÃO A Administração de Materiais compreende as decisões e o controle sobre o planejamento, programação, compra, armazenamento e distribuição dos materiais indispensáveis à produção

Leia mais

XVIII JORNADA DE ENFERMAGEM EM HEMODINÂMICA.

XVIII JORNADA DE ENFERMAGEM EM HEMODINÂMICA. . Qualificando o desempenho operacional utilizando ferramentas de Tecnologia de Informação. sfl.almada@gmail.com Enfª Sueli de Fátima da Luz Formação: Bacharel em Enfermagem e Obstetrícia Universidade

Leia mais

abilitisoft Ltda. PatriMo Soft Acordo de Nível Operacional - ANO

abilitisoft Ltda. PatriMo Soft Acordo de Nível Operacional - ANO abilitisoft Ltda. PatriMo Soft Acordo de Nível Operacional - ANO OBJETIVO: O Acordo de Nível Operacional, é um acordo entre equipes de TI internas, para que o provedor possa entregar o requisito estabelecido

Leia mais

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br Corporativo Transformar dados em informações claras e objetivas que possibilitem às empresas tomarem decisões em direção ao sucesso. Com essa filosofia a Star Soft Indústria de Software e Soluções vem

Leia mais