FUNDÃO SOBRE DUAS RODAS. [Proposta de Sérgio Mendes para apreciação na discussão pública do Orçamento [CANDIDATURA ORÇAMENTO PARTICIPATIVO 2014]

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FUNDÃO SOBRE DUAS RODAS. [Proposta de Sérgio Mendes para apreciação na discussão pública do Orçamento [CANDIDATURA ORÇAMENTO PARTICIPATIVO 2014]"

Transcrição

1 [CANDIDATURA ORÇAMENTO PARTICIPATIVO 2014] FUNDÃO SOBRE DUAS RODAS [Proposta de para apreciação na discussão pública do Orçamento Participativo da C. M. do Fundão]

2 Nota introdutória A bicicleta é meio de transporte que tem atraído cada vez mais adeptos no concelho. É habitual verificar que são inúmeros os ciclistas a circular nas vias fundanenses. A esta realidade não será alheia a aposta do poder público na sua divulgação, criando condições para a prática de modalidades, como a BTT, ou atraindo grandes eventos nacionais, como a Volta a Portugal em Bicicleta. Consideramos, no entanto, que a sua utilização não se pode limitar a uma vertente lúdico-desportiva nas quais se insere a política local de disponibilização de diversos equipamentos (bicicletas, bicicletas elétricas, segways etc...) em regime de aluguer que podem ser requeridos nas piscinas cobertas do Fundão junto ao Parque Verde e 1 no Parque do Convento. Em nosso entender é possível, e desejável, fomentar o seu uso como meio de transporte utilitário. São inúmeras as vantagens tais como um menor custo quando comparado com qualquer veículo motorizado e um melhor nível de vida resultante, por exemplo, da redução do stress provocado pelo trânsito e da emissão de gases nocivos para a saúde pública e do aumento de massa muscular e melhoria da capacidade respiratória. As condições climatéricas frequentes na região durante grande parte do ano, associadas à maioria do relevo da freguesia e às distâncias entre alguns dos principais aglomerados habitacionais, comerciais, lúdico-desportivos e industriais constituem uma oportunidade para mudar hábitos sociais ao nível da mobilidade urbana.

3 Neste sentido este documento tem como fim a apresentação um projecto, denominado Fundão sobre duas rodas que será proposto no próximo Orçamento Participativo da Câmara Municipal do Fundão. O documento supra mencionado visa a apresentação de um projecto designado pelas Fundão sobre duas rodas, que consiste na adopção de uma nova atitude no que concerne à mobilidade urbana na freguesia do Fundão. 2

4 1. Objetivos 1.1. Objetivos gerais Colocar a bicicleta como parte do sistema de mobilidade urbana e equipamento da cidade 1.2. Objetivos específicos Sensibilizar a população local para as vantagens da circulação velocipédica; Contribuir para adopção de comportamentos ecológicos e saudáveis no domínio da mobilidade urbana Interagir com a população local no sentido da interiorizar o conceito de bem (objeto) comum; Reduzir os custos de vida das populações, disponibilizando bicicletas gratuitamente; Criar formas de promoção de práticas de prevenção rodoviária Ação a implementar Criação de uma rede de Bicicletas Públicas Partilhadas com gestão electrónica por cartão de utilizador. Objectivo: Adquirir um conjunto de bicicletas partilhadas e edificar / requalificar um conjunto de infraestruturas ligadas informaticamente entre si, que possibilitem o levantamento e a entrega de bicicletas partilhadas mediante a apresentação de um cartão identificativo. Desta forma é garantida: - a monitorização em tempo real do estado de cada parque de bicicletas;

5 - dar os alertas necessários à transferência de veículos de um lado para o outro; - gerir os dados provenientes de cada poste de abertura de fechadura gerando dados estatísticos por cada intervalo de uso, trajeto e utilizador. - possibilitar a gestão dos utilizadores, autorizações e nº de alugueres. 4

6 3. Locais para posto de recolha de bicicletas Sede da antiga Junta de Freguesia da Aldeia de Joanes Sede da antiga Junta de Freguesia do Donas Parte exterior do Pavilhão Multiusos do Fundão Sede da antiga Junta de Freguesia do Valverde ou, em alternativa, na sede do Grupo Desportivo Valverde Nota: em cada um destes locais deverá existir ligação à internet ou, na sua ausência, deverá garantir-se um cartão de 3G. 4. Orçamento previsto Quantidade Recursos Custo unitário Custo total 30 Bicicleta de cidade a) Posto de recolha de bicicletas para bicicletas 100 Cartões eletromagnéticos Total a) Bicicleta de cidade urbana não elétrica ref com possibilidade de colocação de painéis publicitários na roda traseira. 5

7 b) Sistema de parqueamento da bicicletas é composto por: b.1) base de fixação do poste composta por betão armado revestido de resina, dotado de um sistema de nivelamento patenteado, permitindo a montagem do parque sem necessitar de obtra de construção civil, salvo nivelamento do solo, quando necessário. b.2) poste de bloqueio da bibliceta constituído por uma estrutura de chapa de aço com tratamento anticorrosivo, um sistema de fecho elétrico de alta resistência e um reader RFID para leitura de cartões. O poste possui 2 conjuntos de antenas que lêem a informação do cartão do utilizador e o cartão de identificação RFID da bicicleta. c) Apesar de ser considerado um custo de emissão de 2 este poderá não ser imputado ao município mas sim ao utilizador. Neste caso poder-se-á defenir um valor anual superior (p.ex 15 ) pago pelo utilizador ficando o remanescente para garantir as despesas de manutenção do equipamento. Nota: o número de postos de recolha e/ou de bicicletas adquiridas poderá ser ajustado de acordo com o orçamento disponível 6

8 5. Proposta de Regulamento da Utilização das Bicicletas De modo a garantir uma utilização cuidadosa dos equipamentos propomos a adoção de um regulamento próprio que poderá assentar na seguinte proposta. É necessário ser detentor de um cartão identificativo pessoal ou de utilização ocasional adquirido nos postos indicados. É proibido o uso a menores de 16 anos, exceto se devidamente autorizados. É obrigatório repor o veículo num parque ou loja próprios, num período inferior a 3h A bicicleta, quando não estiver a ser utilizada, deve ser sempre colocada num Parque, devidamente fechada e com o engate de colocação de cartão inserido na respetiva ranhura. É proibido danificar, reter ou furtar as bicicletas. Qualquer um destes atos é considerado crime e, por isso, punido por lei. As bicicletas pertencem ao Município do Fundão, estando ao serviço de todos os cidadãos que deverão zelar pelo seu bom funcionamento. É obrigatório respeitar toda a sinalética existente, nomeadamente: - transportar as bicicletas à mão nos locais sinalizados para o efeito; - circular com cuidado suplementar nas zonais pedonais; - circular nas pistas quando estas existirem. 7 Nota: de forma a promover a utilização deste meio de transporte poder-se-á atribuir um prémio de uma anuidade gratuita aos três maiores utilizadores.

UMA BOA IDEIA PARA A SUSTENTABILIDADE

UMA BOA IDEIA PARA A SUSTENTABILIDADE UMA BOA IDEIA PARA A SUSTENTABILIDADE REGULAMENTO DO CONCURSO DE IDEIAS (Aberto a todos os Cidadãos) 1. O QUE É: O concurso Uma Boa Ideia para a Sustentabilidade é uma iniciativa da Câmara Municipal de

Leia mais

Mobilidade e Acessibilidade Mobilidade e em pri ro ugar as PESSOAS Fevereiro 2009

Mobilidade e Acessibilidade Mobilidade e em pri ro ugar as PESSOAS Fevereiro 2009 Mobilidade e Acessibilidade em primeiro i lugar as PESSOAS Fevereiro 2009 Mobilidade e Acessibilidade Mobilidade para todos! Hierarquia dos utilizadores dos espaços públicos 1. Pessoas com mobilidade reduzida

Leia mais

PROJECTO TER TOTAL ENERGY ROCKS

PROJECTO TER TOTAL ENERGY ROCKS PROJECTO TER 15 DE DEZEMBRO DE 2009 Projecto desenvolvido por: Professora Ana Mafalda Henriques Alunos Adriano Félix Ana Filipa Gonçalves Ana Rita Castelão André Gomes Lady Burrell Lauro Espanhol Marta

Leia mais

PLANO DE MOBILIDADE SUSTENTÁVEL DE MIRANDELA ESBOÇO DA ANÁLISE E DIAGNÓSTICO

PLANO DE MOBILIDADE SUSTENTÁVEL DE MIRANDELA ESBOÇO DA ANÁLISE E DIAGNÓSTICO PLANO DE MOBILIDADE SUSTENTÁVEL DE MIRANDELA ESBOÇO DA ANÁLISE E DIAGNÓSTICO 1. MOTIVAÇÕES E PREOCUPAÇÕES Condicionantes à Mobilidade Problemática Específica Articulação entre as decisões urbanísticas

Leia mais

Projecto REDE CICLÁVEL DO BARREIRO Síntese Descritiva

Projecto REDE CICLÁVEL DO BARREIRO Síntese Descritiva 1. INTRODUÇÃO Pretende-se com o presente trabalho, desenvolver uma rede de percursos cicláveis para todo o território do Município do Barreiro, de modo a promover a integração da bicicleta no sistema de

Leia mais

A maioria da população mundial, europeia e nacional vive hoje em cidades.

A maioria da população mundial, europeia e nacional vive hoje em cidades. 1. As cidades A maioria da população mundial, europeia e nacional vive hoje em cidades. Na União Europeia, mais de 2/3 da população vive em áreas urbanas e 67% do Produto Interno Bruto (PIB) europeu é

Leia mais

Câmara Municipal de Almeirim

Câmara Municipal de Almeirim Câmara Municipal de Almeirim Programa de Adesão SEMANA EUROPEIA DA MOBILIDADE 16 a 22 de Setembro de 2007 P r o g r a m a 1 - Aderindo à ECOTROCA ganhe viagens nos TUA (durante toda a semana): - Aderindo

Leia mais

MONTIJO, CIDADE SAUDÁVEL E SUSTENTÁVEL DA CICLOVIA A UMA REDE PEDONAL E CICLÁVEL

MONTIJO, CIDADE SAUDÁVEL E SUSTENTÁVEL DA CICLOVIA A UMA REDE PEDONAL E CICLÁVEL MONTIJO, CIDADE SAUDÁVEL E SUSTENTÁVEL DA CICLOVIA A UMA REDE PEDONAL E CICLÁVEL Identificação do ponto de partida: O Município de Montijo: - Integra a Rede Portuguesa das Cidades Saudáveis, com quatro

Leia mais

A rua como elemento central da mobilidade urbana ciclável

A rua como elemento central da mobilidade urbana ciclável A rua como elemento central da mobilidade urbana ciclável 15 de Fevereiro de 2011 José M. Viegas Susana Castelo Mudança de paradigma Necessidade de : 1. Revisão do modelo de Predict & Provide, já que este

Leia mais

Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes da Região de Aveiro

Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes da Região de Aveiro Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes da Região de Aveiro www.regiaodeaveiro.pt PIMT de Aveiro, Aveiro TIS.PT Transportes Inovação e Sistemas, S.A. 1 16 Breve enquadramento A Comunidade Intermunicipal

Leia mais

Normas de utilização das bicicletas urbanas de Torres Vedras

Normas de utilização das bicicletas urbanas de Torres Vedras Normas de utilização das bicicletas urbanas de Torres Vedras INTRODUÇÃO O Município de Torres Vedras está empenhado em promover as vantagens do uso de bicicleta, designadamente por se tratar de uma nova

Leia mais

REGULAMENTO BOLSA DE ÁRVORES AUTÓCTONES

REGULAMENTO BOLSA DE ÁRVORES AUTÓCTONES REGULAMENTO BOLSA DE ÁRVORES AUTÓCTONES 1 REGULAMENTO BOLSA DE ÁRVORES AUTÓCTONES PROJETO FLORESTA COMUM PREÂMBULO Tendo por base o protocolo celebrado entre a AFN Autoridade Florestal Nacional, o ICNB,

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE AMBIENTE PROPOSTA DO PLANO ELABORADO POR CÂMARA MUNICIPAL DE VILA POUCA DE AGUIAR

PLANO MUNICIPAL DE AMBIENTE PROPOSTA DO PLANO ELABORADO POR CÂMARA MUNICIPAL DE VILA POUCA DE AGUIAR PLANO MUNICIPAL DE AMBIENTE PROPOSTA DO PLANO ELABORADO POR CÂMARA MUNICIPAL DE VILA POUCA DE AGUIAR FICHA TÉCNICA Câmara Municipal de Vila Pouca de Aguiar Eng.º Duarte Marques Eng.ª Cristina Vieira Divisão

Leia mais

Ante projecto de decreto regulamentar que estabelece um regime experimental de circulação «Segway» em espaços públicos.

Ante projecto de decreto regulamentar que estabelece um regime experimental de circulação «Segway» em espaços públicos. Ante projecto de decreto regulamentar que estabelece um regime experimental de circulação «Segway» em espaços públicos. Promover a crescente sustentabilidade ambiental e a eficiência energética das deslocações

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA ATIVIDADE FORMATIVA DOS ENCONTROS DE SABEDORIA DA AMUT

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA ATIVIDADE FORMATIVA DOS ENCONTROS DE SABEDORIA DA AMUT REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA ATIVIDADE FORMATIVA DOS ENCONTROS DE SABEDORIA DA AMUT Conteúdo Artigo 1º... 3 OBJECTIVO... 3 Artigo 2º... 3 CONCEITO DE ENCONTRO DE SABEDORIA... 3 Artigo 3º... 3 ÂMBITO

Leia mais

REGULAMENTO DO SISTEMA PARA A VALORIZAÇÃO DE PRODUTOS E SERVIÇOS TURÍSTICOS DA ROTA DO ROMÂNICO

REGULAMENTO DO SISTEMA PARA A VALORIZAÇÃO DE PRODUTOS E SERVIÇOS TURÍSTICOS DA ROTA DO ROMÂNICO REGULAMENTO DO SISTEMA PARA A VALORIZAÇÃO DE PRODUTOS E SERVIÇOS TURÍSTICOS DA ROTA DO ROMÂNICO Objetivo Artigo 1.º 1. Este regulamento tem como objetivo estabelecer condições e normas para a obtenção

Leia mais

REGULAMENTO DO CARTÃO MORTÁGUA JOVEM NOTA JUSTIFICATIVA

REGULAMENTO DO CARTÃO MORTÁGUA JOVEM NOTA JUSTIFICATIVA REGULAMENTO DO CARTÃO MORTÁGUA JOVEM NOTA JUSTIFICATIVA Um dos desígnios da Câmara Municipal de Mortágua é o de, através das suas competências, responder a necessidades reais sentidas pela camada mais

Leia mais

ECOXXI Galardão 2013 MODOS DE TRANSPORTE SUAVES EM TORRES VEDRAS

ECOXXI Galardão 2013 MODOS DE TRANSPORTE SUAVES EM TORRES VEDRAS ECOXXI Galardão 2013 MODOS DE TRANSPORTE SUAVES EM TORRES VEDRAS LOCALIZAÇÃO DE TORRES VEDRAS POPULAÇÃO O Município de Torres Vedras localiza-se na costa oeste de Portugal e a sua cidade,torres Vedras,

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO PARA PROGRAMA VOLUNTARIADO. Regulamento do Voluntariado

REGULAMENTO INTERNO PARA PROGRAMA VOLUNTARIADO. Regulamento do Voluntariado REGULAMENTO INTERNO PARA PROGRAMA DE VOLUNTARIADO Índice 1. Enquadramento... 3 2. Definição... 3 3. Princípios... 4 4. Objetivos... 4 5. Direitos... 4 6. Deveres... 5 7. Inscrição... 7 8. Candidatura...

Leia mais

Apresentação. Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares. Oliveira de Azeméis Novembro 2007

Apresentação. Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares. Oliveira de Azeméis Novembro 2007 Apresentação Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares Oliveira de Azeméis Novembro 2007 Apresentação SABE 12-11-2007 2 Apresentação O conceito de Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares (SABE) que se

Leia mais

REGULAMENTO DE CEDÊNCIA E UTILIZAÇÃO DA VIATURA DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS DO COMITÉ OLIMPICO DE PORTUGAL CAPITULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

REGULAMENTO DE CEDÊNCIA E UTILIZAÇÃO DA VIATURA DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS DO COMITÉ OLIMPICO DE PORTUGAL CAPITULO I DISPOSIÇÕES GERAIS REGULAMENTO DE CEDÊNCIA E UTILIZAÇÃO DA VIATURA DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS DO COMITÉ OLIMPICO DE PORTUGAL CAPITULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Objeto 1. O Presente Regulamento estabelece as condições

Leia mais

Regulamento de Atribuição de Subsídios e Apoios às Coletividades e Associações sem fins lucrativos da Freguesia de Vendas Novas

Regulamento de Atribuição de Subsídios e Apoios às Coletividades e Associações sem fins lucrativos da Freguesia de Vendas Novas Regulamento de Atribuição de Subsídios e Apoios às Coletividades e Associações sem fins lucrativos da Freguesia de Vendas Novas Preâmbulo De acordo com a atual legislação, nomeadamente, a alínea f), do

Leia mais

PROJECTO DE LEI Nº 361/XI

PROJECTO DE LEI Nº 361/XI PROJECTO DE LEI Nº 361/XI ALTERA O REGIME JURÍDICO DA AVALIAÇÃO DE IMPACTE AMBIENTAL ESTABELECIDO PELO DECRETO-LEI Nº 69/2000, DE 3 DE MAIO, COM AS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELO DECRETO-LEI Nº 74/2001,

Leia mais

II Edição do Concurso Uma Boa Ideia para a Sustentabilidade. Tema: Uso Sustentável da Água. Regulamento do Concurso de Ideias

II Edição do Concurso Uma Boa Ideia para a Sustentabilidade. Tema: Uso Sustentável da Água. Regulamento do Concurso de Ideias II Edição do Concurso Uma Boa Ideia para a Sustentabilidade Tema: Uso Sustentável da Água Regulamento do Concurso de Ideias (Aberto a todos os cidadãos) 1. O que é? O concurso Uma Boa Ideia para a Sustentabilidade

Leia mais

ANA Aeroportos de Portugal Aeroportos e Ruído: Uma Gestão de Compromisso

ANA Aeroportos de Portugal Aeroportos e Ruído: Uma Gestão de Compromisso ANA Aeroportos de Portugal Aeroportos e Ruído: Uma Gestão de Compromisso O ruído tem vindo a assumir um lugar de destaque no conjunto de preocupações dos cidadãos em matéria ambiental. De acordo com informação

Leia mais

---------- 23. - Presente à reunião proposta do Vereador José Maria Magalhães do seguinte teor:

---------- 23. - Presente à reunião proposta do Vereador José Maria Magalhães do seguinte teor: - Conselho Municipal de Educação de Vila Real - Proposta de Regulamento ---------- 23. - Presente à reunião proposta do Vereador José Maria Magalhães do seguinte teor: A Lei de Bases do Sistema Educativo

Leia mais

M U N I C Í P I O D E V A L E N Ç A C ÂM ARA MUNIC I PAL

M U N I C Í P I O D E V A L E N Ç A C ÂM ARA MUNIC I PAL REGULAMENTO MUNICIPAL DE MEDIDAS DE APOIO SOCIAL A FAMÍLIAS CARENCIADAS DO CONCELHO DE VALENÇA Preâmbulo A atual situação económica tem provocado o aumento das situações de desemprego e como tal um elevado

Leia mais

P L A N O D E A C T I V I D A D E S

P L A N O D E A C T I V I D A D E S Agência Regional de Energia e Ambiente do Norte Alentejano e Tejo P L A N O D E A C T I V I D A D E S = 2008 = Janeiro de 2008 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. ACTIVIDADES A DESENVOLVER NO ANO DE 2008... 5

Leia mais

SUMÁRIO O TERRITÓRIO, A BICICLETA E A GÉNESE DO PROJECTO MURTOSA CICLÁVEL REDE DE CICLOVIAS E INFRAESTRUTURAS DE APOIO AS PESSOAS E A BICICLETA

SUMÁRIO O TERRITÓRIO, A BICICLETA E A GÉNESE DO PROJECTO MURTOSA CICLÁVEL REDE DE CICLOVIAS E INFRAESTRUTURAS DE APOIO AS PESSOAS E A BICICLETA A BICICLETA NA MOBILIDADE URBANA E NA FRUIÇÃO DA NATUREZA MURTOSA, 23 DE SETEMBRO DE 2011 SUMÁRIO O TERRITÓRIO, A BICICLETA E A GÉNESE DO PROJECTO MURTOSA CICLÁVEL REDE DE CICLOVIAS E INFRAESTRUTURAS DE

Leia mais

Programa Eco-Escolas

Programa Eco-Escolas ESCOLA SEC. D. INÊS DE CASTRO - ALCOBAÇA DIA ESCOLAR SEM CARROS ENCONTRO NACIONAL ESCOLA SEC. D. INÊS DE CASTRO - ALCOBAÇA Principais objectivos deste evento: Promover a mobilidade sustentável. Divulgar

Leia mais

JUNTA DE FREGUESIA DE CANAVIAIS Concelho de Évora GRANDES OPÇÕES DO PLANO

JUNTA DE FREGUESIA DE CANAVIAIS Concelho de Évora GRANDES OPÇÕES DO PLANO GRANDES OPÇÕES DO PLANO Na continuidade das opções que temos vindo a desenvolver ao longo do nosso mandato, que reflectem nas suas linhas gerais de orientação, uma constante preocupação em proporcionar

Leia mais

Estrutura do Plano de Acção de Energia e Sustentabilidade - Pacto dos Autarcas

Estrutura do Plano de Acção de Energia e Sustentabilidade - Pacto dos Autarcas Estrutura do Plano de Acção de Energia e Sustentabilidade - Pacto dos Autarcas Cascais, 26 de Agosto de 2010 1 P á g i n a ÍNDICE 1.ENQUADRAMENTO... 1 2.METAS E OBJECTIVOS... 2 3.MEDIDAS A IMPLEMENTAR...

Leia mais

J U N T A D E F R E G U E S I A D E S I N E S

J U N T A D E F R E G U E S I A D E S I N E S J U N T A D E F R E G U E S I A D E S I N E S Regulamento de Apoios às Associações e Instituições com Carater Desportivo, Educacional, Recreativo Cultural e Social Artigo 1º Lei habilitante 1 - O presente

Leia mais

Regulamento 17ª Edição Raid BTT Alvalade-Porto Côvo 17 Maio 2015

Regulamento 17ª Edição Raid BTT Alvalade-Porto Côvo 17 Maio 2015 Regulamento 17ª Edição Raid BTT Alvalade-Porto Côvo 17 Maio 2015 Actividade organizada pela secção de B.T.T. do F. C. Alvaladense e Terras de Evasão, integrada no calendário Bike Team, adopta a denominação

Leia mais

A MOBILIDADE URBANA E A SUSTENTABILIDADE DAS CIDADES. Opções da União Europeia e posição de Portugal

A MOBILIDADE URBANA E A SUSTENTABILIDADE DAS CIDADES. Opções da União Europeia e posição de Portugal A MOBILIDADE URBANA E A SUSTENTABILIDADE DAS CIDADES Opções da União Europeia e posição de Portugal 1 I Parte - O Plano de Acção da EU Plano de Acção para a Mobilidade Urbana Publicado pela Comissão Europeia

Leia mais

REGULAMENTO DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO

REGULAMENTO DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO REGULAMENTO DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO Capítulo I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º (Objeto) O presente regulamento define as normas de participação e intervenção no Orçamento Participativo do Município da

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL CARTÃO DO IDOSO

REGULAMENTO MUNICIPAL CARTÃO DO IDOSO REGULAMENTO MUNICIPAL CARTÃO DO IDOSO ÍNDICE Preâmbulo Artigo 1.º - Âmbito Artigo 2.º - Objetivo Artigo 3.º - Condições de Atribuição Artigo 4.º - Organização Processual Artigo 5.º - Benefícios do Cartão

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE JUVENTUDE DO CARTAXO. Preâmbulo

REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE JUVENTUDE DO CARTAXO. Preâmbulo REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE JUVENTUDE DO CARTAXO Preâmbulo As Autarquias Locais são os órgãos que, devido à sua proximidade com a população, mais facilmente podem criar condições para uma efetiva

Leia mais

CONCURSO DE FOTOGRAFIA

CONCURSO DE FOTOGRAFIA CONCURSO DE FOTOGRAFIA ACESSIBILIDADE E MOBILIDADE PARA TODOS REGULAMENTO Artigo 1º OBJECTIVO O presente concurso tem como objectivo sensibilizar os alunos do Ensino Básico e a comunidade em geral, para

Leia mais

FPN CADERNO DE ENCARGOS DE COMPETIÇÕES NACIONAIS. CADERNO DE ENCARGOS COMPETIÇÕES NACIONAIS DE POLO AQUÁTICO Pág. 1 de 1

FPN CADERNO DE ENCARGOS DE COMPETIÇÕES NACIONAIS. CADERNO DE ENCARGOS COMPETIÇÕES NACIONAIS DE POLO AQUÁTICO Pág. 1 de 1 [Type text] [Type text] [Type text] FPN CADERNO DE ENCARGOS DE COMPETIÇÕES NACIONAIS CADERNO DE ENCARGOS COMPETIÇÕES NACIONAIS DE POLO AQUÁTICO Pág. 1 de 1 1. NORMAS GERAIS A atribuição de sedes leva implícito

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº / 05

PROJETO DE LEI Nº / 05 PROJETO DE LEI Nº / 05 DISPÕE SOBRE O USO DA BICICLETA E O SISTEMA CICLOVIÁRIO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A Câmara Municipal de Uberlândia, APROVA: Art. 1º. Esta lei regula o uso da bicicleta e o sistema

Leia mais

Agência Portuguesa do Ambiente Apresentação Pública dos Resultados do Inquérito sobre Equipamentos de Educação Ambiental para a Sustentabilidade

Agência Portuguesa do Ambiente Apresentação Pública dos Resultados do Inquérito sobre Equipamentos de Educação Ambiental para a Sustentabilidade Agência Portuguesa do Ambiente Apresentação Pública dos Resultados do Inquérito sobre Equipamentos de Educação Ambiental para a Sustentabilidade Jorge Neves, 19/12/2011, Amadora colocar foto da era ENQUADRAMENTO

Leia mais

Regulamento de Atribuição de Apoios às Associações e Instituições com Caracter Desportivo, Educacional, Recreativo Cultural e Social

Regulamento de Atribuição de Apoios às Associações e Instituições com Caracter Desportivo, Educacional, Recreativo Cultural e Social Regulamento de Atribuição de Apoios às Associações e Instituições com Caracter Desportivo, Educacional, Recreativo Cultural e Social Artigo 1º Lei habilitante 1. O presente regulamento é elaborado ao abrigo

Leia mais

Regra geral uma grande parte das pessoas vive dia a dia, sem pensar no futuro, sem construir, sem saber como gerar riqueza.

Regra geral uma grande parte das pessoas vive dia a dia, sem pensar no futuro, sem construir, sem saber como gerar riqueza. 1.ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DO PLANO NACIONAL DE FORMAÇÃO FINANCEIRA A importância da formação financeira para os supervisores financeiros Antiga Igreja de S. Julião Sede do Banco de Portugal Lisboa,

Leia mais

Qualificação dos engenheiros para a reabilitação sísmica do edificado. Vítor Cóias GECoRPA

Qualificação dos engenheiros para a reabilitação sísmica do edificado. Vítor Cóias GECoRPA Qualificação dos engenheiros para a reabilitação sísmica do edificado Vítor Cóias GECoRPA 1. INTRODUÇÃO A reabilitação estrutural dum edifício existente é a modalidade de intervenção que visa melhorar

Leia mais

INTRODUÇÃO OPÇÕES DO PLANO

INTRODUÇÃO OPÇÕES DO PLANO INTRODUÇÃO O presente Orçamento para o ano de 2014 para o qual o órgão Executivo da Junta de Freguesia de Labruja elaborou e aprovou, orientar-se-á na linha do plano traçado para os quatro anos do mandato,

Leia mais

Projecto Eco-condução Portugal

Projecto Eco-condução Portugal Projecto Eco-condução Portugal Apresentação e Principais Actividades Hélder Pedro, ACAP 20 de Maio 2009 Introdução O conceito de Eco-condução tem nos últimos anos sido alvo de muito interesse em toda a

Leia mais

Centro Social Cultural Recreativo Arelhense. Fundado em 18 01 1980 7.ª MARATONA DE BTT TRILHOS DA LAGOA DE ÓBIDOS. Regulamento ARTIGO 1º DESCRIÇÃO

Centro Social Cultural Recreativo Arelhense. Fundado em 18 01 1980 7.ª MARATONA DE BTT TRILHOS DA LAGOA DE ÓBIDOS. Regulamento ARTIGO 1º DESCRIÇÃO Pag. 7/1 Escola de Regulamento ARTIGO 1º DESCRIÇÃO 1. A 7.ª Maratona de Trilhos da Lagoa de Óbidos (doravante designada de prova ) tem um lema: 5 EM 1... CONVIVER E DESFRUTAR DA NATUREZA FAZENDO DESPORTO

Leia mais

Centro de Estudos de Arquitectura Paisagista Prof. Francisco Caldeira Cabral Instituto Superior de Agronomia

Centro de Estudos de Arquitectura Paisagista Prof. Francisco Caldeira Cabral Instituto Superior de Agronomia Segurança dos utilizadores na ciclovia Acesso e circulação de veículos automóveis à ciclovia A entrada de veículos na ciclovia, quer de emergência, quer de manutenção e finalmente de trânsito local, deverá

Leia mais

REGULAMENTO DO CARTÃO JOVEM ConVida DO MUNICÍPIO DE SANTO TIRSO. Nota Justificativa

REGULAMENTO DO CARTÃO JOVEM ConVida DO MUNICÍPIO DE SANTO TIRSO. Nota Justificativa REGULAMENTO DO CARTÃO JOVEM ConVida DO MUNICÍPIO DE SANTO TIRSO Nota Justificativa O cartão Jovem ConVida do Município de Santo Tirso é uma iniciativa desta autarquia, que visa proporcionar aos jovens

Leia mais

Smart efficiency. O presente Regulamento estabelece as regras a que deve obedecer a disponibilização do serviço waterbeep da EPAL.

Smart efficiency. O presente Regulamento estabelece as regras a que deve obedecer a disponibilização do serviço waterbeep da EPAL. 1. Objeto O presente Regulamento estabelece as regras a que deve obedecer a disponibilização do serviço waterbeep da EPAL. 2. Âmbito O serviço waterbeep é disponibilizado a todos os clientes da EPAL, independentemente

Leia mais

Considerando ainda que as associações têm no desenvolvimento da freguesia um papel fundamental que a Junta de Freguesia fomenta e apoia;

Considerando ainda que as associações têm no desenvolvimento da freguesia um papel fundamental que a Junta de Freguesia fomenta e apoia; Considerando o quadro legal de atribuições e competências das autarquias locais consagrado na Lei 75/2013, de 12 de Setembro que em geral incumbe às autarquias a prossecução de interesses próprios, comuns

Leia mais

Enquadramento e critérios de Candidatura

Enquadramento e critérios de Candidatura Enquadramento e critérios de Candidatura A cidadania ativa constitui um elemento chave do reforço da coesão social. O Conselho da União Europeia instituiu o ano de 2011, como Ano Europeu do Voluntariado

Leia mais

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA COMISSÃO DE ASSUNTOS EUROPEUS

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA COMISSÃO DE ASSUNTOS EUROPEUS Parecer COM(2013)462 Proposta de REGULAMENTO DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO relativo a fundos europeus de investimento a longo prazo 1 PARTE I - NOTA INTRODUTÓRIA Nos termos do artigo 7.º da Lei n.º

Leia mais

Matriz de Responsabilidades. Descentralizar Educação Página 1 de 6 Contrato de Educação e Formação Municipal

Matriz de Responsabilidades. Descentralizar Educação Página 1 de 6 Contrato de Educação e Formação Municipal A3. Relação escola/comunidade A - Políticas Educativas A2. Políticas de avaliação institucional A1. Planeamento Estratégico 1 Definição geral de políticas educativas nacionais 2 Definição do Plano Estratégico

Leia mais

A SECRETARIA NACIONAL DE TRANSPORTE E DA MOBILIDADE URBANA (SEMOB)

A SECRETARIA NACIONAL DE TRANSPORTE E DA MOBILIDADE URBANA (SEMOB) A SECRETARIA NACIONAL DE TRANSPORTE E DA MOBILIDADE URBANA (SEMOB) ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO 1. SEMOB 2. POLÍTICA NACIONAL DE MOBILIDADE URBANA 3. PPA DA UNIÃO 2012-2015 4. PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO

Leia mais

Protocolo de Colaboração Entre a Câmara Municipal de Setúbal e a Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental de Setúbal

Protocolo de Colaboração Entre a Câmara Municipal de Setúbal e a Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental de Setúbal Protocolo de Colaboração Entre a Câmara Municipal de Setúbal e a Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental de Setúbal Considerando que: - A Câmara Municipal, no âmbito das suas

Leia mais

REGULAMENTO REGULAMENTO RAID BTT ROTA DAS CORTELHAS ADR LOUREIRO - 2013

REGULAMENTO REGULAMENTO RAID BTT ROTA DAS CORTELHAS ADR LOUREIRO - 2013 REGULAMENTO REGULAMENTO RAID BTT ROTA DAS CORTELHAS ADR LOUREIRO - 2013 Artigo Introdutório A ROTA DAS CORTELHAS é uma iniciativa da secção de BTT da Associação Desportiva e Recreativa do Loureiro. Esta

Leia mais

PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar. Projeto de Lei nº 65/XIII-1.ª

PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar. Projeto de Lei nº 65/XIII-1.ª PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar Projeto de Lei nº 65/XIII-1.ª Aprova medidas para a criação de uma rede de centros de recolha oficial de animais e para a modernização dos serviços municipais

Leia mais

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES Vice-Presidência do Governo Emprego e Competitividade Empresarial Direção Regional de Organização e Administração Pública

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES Vice-Presidência do Governo Emprego e Competitividade Empresarial Direção Regional de Organização e Administração Pública Propaganda eleitoral A propaganda eleitoral consiste na atividade que vise direta ou indiretamente promover candidaturas, seja dos candidatos, dos partidos políticos, dos titulares dos seus órgãos ou seus

Leia mais

Projeto Viva a Alameda

Projeto Viva a Alameda Projeto Viva a Alameda Janeiro 2012 I. Enquadramento a. Política de Cidades o instrumento PRU b. Sessões Temáticas II. A PRU de Oliveira do Bairro a. Visão b. Prioridades Estratégicas c. Área de Intervenção

Leia mais

Municípios Eco-Escolas apoiam a mobilidade sustentável

Municípios Eco-Escolas apoiam a mobilidade sustentável Municípios Eco-Escolas apoiam a mobilidade sustentável - enquadramento O Programa Eco-Escolas procura induzir estratégias de intervenção na comunidade, baseadas na identificação de problemas e na busca

Leia mais

REGULAMENTO DO CARTÃO MUNICIPAL DO IDOSO

REGULAMENTO DO CARTÃO MUNICIPAL DO IDOSO REGULAMENTO DO CARTÃO MUNICIPAL DO IDOSO REGULAMENTO DO CARTÃO MUNICIPAL DO IDOSO Preâmbulo O Concelho de Portel, à semelhança da generalidade dos Concelhos do interior do país, tem uma parte significativa

Leia mais

PROGRAMA DESENVOLVIMENTO RURAL CONTINENTE 2014-2020. DESCRIÇÃO DA MEDIDA Versão:1 Data:28/10/2013

PROGRAMA DESENVOLVIMENTO RURAL CONTINENTE 2014-2020. DESCRIÇÃO DA MEDIDA Versão:1 Data:28/10/2013 PROGRAMA DESENVOLVIMENTO RURAL CONTINENTE 2014-2020 DESCRIÇÃO DA MEDIDA Versão:1 Data:28/10/2013 REDE RURAL NACIONAL NOTA INTRODUTÓRIA O desenvolvimento das fichas de medida/ação está condicionado, nomeadamente,

Leia mais

Resultados dos Fóruns de Participação

Resultados dos Fóruns de Participação Resultados dos Fóruns de Participação Estatística Participantes: N.º Fóruns: 11 N.º total de participantes: 30 Média de participantes: 28 Em relação ao número de participantes, destacam-se as freguesias

Leia mais

Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes (PIMT) da Região de Aveiro. PIMT Região de Aveiro 1 16

Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes (PIMT) da Região de Aveiro. PIMT Região de Aveiro 1 16 Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes (PIMT) da Região de Aveiro 1 16 Breve enquadramento A Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro (CIRA) decidiu desenvolver o Plano Intermunicipal de

Leia mais

OCPLP Organização Cooperativista dos Povos de Língua Portuguesa. Proposta de Plano de Atividades e Orçamento 2014-2015

OCPLP Organização Cooperativista dos Povos de Língua Portuguesa. Proposta de Plano de Atividades e Orçamento 2014-2015 Proposta de Plano de Atividades e Orçamento 2014-2015 1 Índice: I Enquadramento II Eixos de Intervenção Estratégica III Proposta de Orçamento IV Candidaturas a Programas de Apoio 2 I Enquadramento Estratégico

Leia mais

PROTOCOLO SIMPLEX AUTÁRQUICO

PROTOCOLO SIMPLEX AUTÁRQUICO CONSIDERANDO QUE: PROTOCOLO SIMPLEX AUTÁRQUICO A simplificação administrativa e a administração electrónica são hoje reconhecidas como instrumentos fundamentais para a melhoria da competitividade e da

Leia mais

Marca Priolo Balanço do desenvolvimento e implementação (2013-2014)

Marca Priolo Balanço do desenvolvimento e implementação (2013-2014) 2015 Marca Priolo Balanço do desenvolvimento e implementação (2013-2014) Azucena de la Cruz Martin Gabinete CETS Terra do Priolo 01-01-2015 Marca Priolo Balanço do desenvolvimento e implementação (2013-2014)

Leia mais

Fonte: CML Fonte: CML, Américo Simas Seminário Internacional sobre Serviços de Táxi Mobilidade: os novos desafios para Lisboa CML, Novembro de 2008 Carta Europeia de Segurança Rodoviária Data de adesão

Leia mais

Memória descritiva do projecto Sanjonet Rede de Inovação e Competitividade

Memória descritiva do projecto Sanjonet Rede de Inovação e Competitividade Memória descritiva do projecto Sanjonet Rede de Inovação e Competitividade Candidatura aprovada ao Programa Política de Cidades - Redes Urbanas para a Competitividade e a Inovação Síntese A cidade de S.

Leia mais

ESPOSENDE PACTO DE AUTARCAS

ESPOSENDE PACTO DE AUTARCAS ESPOSENDE PACTO DE AUTARCAS Novembro de 2010 CÂMARA MUNICIPAL DE ESPOSENDE ESPOSENDE AMBIENTE, EEM OBJECTIVOS DE COMBATE ÀS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS Até ao ano de 2020, Aumentar em 20% a eficiência energética

Leia mais

MUNICÍPIO DO BARREIRO ASSEMBLEIA MUNICIPAL

MUNICÍPIO DO BARREIRO ASSEMBLEIA MUNICIPAL MUNICÍPIO DO BARREIRO ASSEMBLEIA MUNICIPAL EDITAL Nº 30/10 (DELIBERAÇÕES) - - - Frederico Fernandes Pereira, Presidente da Assembleia Municipal do Barreiro, torna público que no dia 26 de Novembro de 2010,

Leia mais

Setembro Dia Europeu Sem Carros 22 Semana Europeia da Mobilidade 16 17 18 19 20 21 22

Setembro Dia Europeu Sem Carros 22 Semana Europeia da Mobilidade 16 17 18 19 20 21 22 Câmara Municipal: Cidade VILA NOVA DE GAIA Vila Nova de Gaia Setembro Dia Europeu Sem Carros 22 Semana Europeia da Mobilidade 16 17 18 19 20 21 22 Área da cidade 600 ha População total 30 hab. Dimensão

Leia mais

M U N I C Í P I O D E V A L E N Ç A C ÂM ARA MUNIC I PAL

M U N I C Í P I O D E V A L E N Ç A C ÂM ARA MUNIC I PAL CARTÃO MUNICIPAL DO IDOSO REGULAMENTO PREÂMBULO Portugal, quer pelo aumento da esperança de vida, quer pelos baixos níveis da natalidade, está a tornar-se num país com população envelhecida. Valença não

Leia mais

Índice. 1. Nota Introdutória... 1. 2. Actividades a desenvolver...2. 3. Notas Finais...5

Índice. 1. Nota Introdutória... 1. 2. Actividades a desenvolver...2. 3. Notas Finais...5 Índice Pág. 1. Nota Introdutória... 1 2. Actividades a desenvolver...2 3. Notas Finais...5 1 1. Nota Introdutória O presente documento consiste no Plano de Acção para o ano de 2011 da Rede Social do concelho

Leia mais

ECOXXI 2011/2012 Indicador Mobilidade Sustentável

ECOXXI 2011/2012 Indicador Mobilidade Sustentável ECOXXI 2011/2012 Indicador Mobilidade Sustentável Gabinete de Planeamento Inovação e Avaliação Catarina Marcelino (cmarcelino@imtt.pt) http://www.imtt.pt APA, 14 de Fevereiro de 2012 Índice 1. Conceito

Leia mais

Actividades Organizadas 2005

Actividades Organizadas 2005 Historial O BTT Monchique começou por ser um grupo de amigos e adeptos da bicicleta, que se juntou no início de 2002 para a participação em eventos de ciclismo, mais propriamente BTT (Bicicletas Todo o

Leia mais

Carta registada com A/R Ao Conselho de Administração do. Consulta Pública sobre Cadastro de Infra-estruturas

Carta registada com A/R Ao Conselho de Administração do. Consulta Pública sobre Cadastro de Infra-estruturas Carta registada com A/R Ao Conselho de Administração do. - 1 B - A ü t o r i d a d e ~ d e ~ Av.JoséMalhobl2 1099-017 Lisboa Lisboa, 16 de Outubro de 2007 Assunto: Consulta Pública sobre Cadastro de Infra-estruturas

Leia mais

Com o objetivo de promover a atividade física, momentos de diversão e convívio, queremos tornar esta aventura n Os Km Mais Longos de Portugal!

Com o objetivo de promover a atividade física, momentos de diversão e convívio, queremos tornar esta aventura n Os Km Mais Longos de Portugal! REGULAMENTO DESCRIÇÃO Os Km Mais Longos de Portugal a Corrida Mais Louca de Mafra - edição 2015 Os Romanos é um evento desportivo organizado pela Manz Produções, com o apoio da Câmara Municipal de Mafra,

Leia mais

BANCO DE MANUAIS ESCOLARES USADOS DE SÃO PEDRO DO SUL

BANCO DE MANUAIS ESCOLARES USADOS DE SÃO PEDRO DO SUL BANCO DE MANUAIS ESCOLARES USADOS DE SÃO PEDRO DO SUL A União de Freguesias de São Pedro do Sul, Várzea e Baiões, em parceria com a Câmara Municipal de São Pedro do Sul e a Associação de Pais e Encarregados

Leia mais

INQUÉRITO À POPULAÇÃO DE BRAGANÇA

INQUÉRITO À POPULAÇÃO DE BRAGANÇA FACULDADE DE LETRAS UNIVERSIDADE DE LISBOA Mestrado em Geografia, Esp. em Urbanização e Ordenamento do Território O planeamento urbano e o ordenamento territorial estratégico: O papel das politicas de

Leia mais

AGÊNCIA DNA CASCAIS CASCAIS UM CONCELHO EMPREENDEDOR ESTATUTOS

AGÊNCIA DNA CASCAIS CASCAIS UM CONCELHO EMPREENDEDOR ESTATUTOS AGÊNCIA DNA CASCAIS CASCAIS UM CONCELHO EMPREENDEDOR ESTATUTOS Capítulo I Princípios Gerais Artigo 1.º Natureza A Agência DNA CASCAIS Cascais um Concelho Empreendedor é uma associação sem fins lucrativos,

Leia mais

2ª Reunião do National Supporting Group (NSG) - Projecto Ele.C.Tra. Lisboa, 13 de Junho de 2015

2ª Reunião do National Supporting Group (NSG) - Projecto Ele.C.Tra. Lisboa, 13 de Junho de 2015 2ª Reunião do National Supporting Group (NSG) - Projecto Ele.C.Tra Lisboa, 13 de Junho de 2015 EMEL EMEL Empresa Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa, E.M. S.A., tem como objecto a gestão

Leia mais

A Participação Voluntária No Planeamento, Execução E Controlo Social Do Orçamento. Participativo

A Participação Voluntária No Planeamento, Execução E Controlo Social Do Orçamento. Participativo Cecília Branco Programa Urbal Red 9 Projecto Orçamento Participativo Reunião de Diadema Fevereiro 2007 A Participação Voluntária No Planeamento, Execução E Controlo Social Do Orçamento Participativo Município

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DE ZONAS DE ESTACIONAMENTO DE DURAÇÃO LIMITADA CONTROLADAS POR MEIOS MECÂNICOS (PARCÓMETROS).

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DE ZONAS DE ESTACIONAMENTO DE DURAÇÃO LIMITADA CONTROLADAS POR MEIOS MECÂNICOS (PARCÓMETROS). REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DE ZONAS DE ESTACIONAMENTO DE DURAÇÃO LIMITADA CONTROLADAS POR MEIOS MECÂNICOS (PARCÓMETROS). Legislação habilitante - Considerando o artigo 64, nº 1, al u) da Lei 169/99, de

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO FINANCEIRO AO ASSOCIATIVISMO DESPORTIVO

REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO FINANCEIRO AO ASSOCIATIVISMO DESPORTIVO REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO FINANCEIRO AO ASSOCIATIVISMO DESPORTIVO ÍNDICE CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS... 2 Artigo 1.º Lei habilitante... 2 Artigo 2.º Objeto... 2 Artigo 3.º Âmbito... 2 Artigo 4.º

Leia mais

Dr. Henrique Relógio

Dr. Henrique Relógio Dia 28 de Maio Renovar com Sustentabilidade Dr. Henrique Relógio Jardins de S. Bartolomeu Case Study Renovar com Sustentabilidade Henrique Relógio henriquerelogio@gmail.com 1 Jardins São Bartolomeu Um

Leia mais

INFRAESTRUTURA CICLOVIÁRIA EM LARANJEIRAS E COSME VELHO

INFRAESTRUTURA CICLOVIÁRIA EM LARANJEIRAS E COSME VELHO INFRAESTRUTURA CICLOVIÁRIA EM LARANJEIRAS E COSME VELHO Proposta para criação de infraestrutura na Região... Apresentação Assim como as pessoas que as povoam, as cidades e seus elementos tem vida própria,

Leia mais

Prémio Inovação em Intervenção Psicológica

Prémio Inovação em Intervenção Psicológica Prémio Inovação em Intervenção Psicológica ABRIL 2015 Índice 03 05 11 1. Programa OPP Inovação em Intervenção Psicológica 1.1. Prémio Inovação em Intervenção Psicológica 1.2. Summer Camp - Inovação em

Leia mais

Autárquicas 2013. Recomendações da FPCUB às candidaturas autárquicas para uma Mobilidade Ciclável

Autárquicas 2013. Recomendações da FPCUB às candidaturas autárquicas para uma Mobilidade Ciclável 1/7 Autárquicas 2013 Recomendações da FPCUB às candidaturas autárquicas para uma Mobilidade Ciclável Nas cidades Europeias tem-se dado prioridade a Planos de Deslocações Urbanas que privilegiem uma mobilidade

Leia mais

I CONCURSO DE FOTOGRAFIA SOBRE AGRICULTURA SUSTENTAVEL REGULAMENTO

I CONCURSO DE FOTOGRAFIA SOBRE AGRICULTURA SUSTENTAVEL REGULAMENTO E/27562/2012 I CONCURSO DE FOTOGRAFIA SOBRE AGRICULTURA SUSTENTAVEL 2012 REGULAMENTO ENQUADRAMENTO O I Concurso de Fotografia sobre Agricultura Sustentável é uma iniciativa da Câmara Municipal de Loures,

Leia mais

REGULAMENTO DA FEIRA DE VIATURAS USADAS DE AZAMBUJA

REGULAMENTO DA FEIRA DE VIATURAS USADAS DE AZAMBUJA MUNICÍPIO DE AZAMBUJA REGULAMENTO DA FEIRA DE VIATURAS USADAS DE AZAMBUJA Aprovado por deliberação da Assembleia Municipal de 28 de Junho de 2011. Publicado pelo Edital n.º 118/2011. Em vigor desde 19

Leia mais

CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS ARTIGO 1º

CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS ARTIGO 1º ESTATUTOS CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS ARTIGO 1º (Denominação, constituição e duração) É constituída e reger-se-á pelos presentes Estatutos e pela Lei aplicável, uma Associação de âmbito nacional,

Leia mais

Regulamento de Apoio ao Movimento Associativo

Regulamento de Apoio ao Movimento Associativo Regulamento de Apoio ao Movimento Associativo As associações são a expressão do dinamismo e interesse das populações que entusiasticamente se dedicam e disponibilizam em prol da causa pública. As associações

Leia mais

Regulamento de Gestão e Utilização da Plataforma elearning estudo. RReee

Regulamento de Gestão e Utilização da Plataforma elearning estudo. RReee Regulamento de Gestão e Utilização da Plataforma elearning estudo RReee Artigo 1º Objeto e âmbito 1. O presente regulamento define as normas de gestão, administração, acessos e utilização da Plataforma

Leia mais

PROGRAMA MARATONA DE ÓBIDOS

PROGRAMA MARATONA DE ÓBIDOS PROGRAMA MARATONA DE ÓBIDOS SÁBADO 12 SET - 18:00 22:00 Abertura do secretariado no PAVILHÃO dos ARCOS, ÓBIDOS. Entrega de frontais, documentação e lembranças. DOMINGO 13 SET - 07:30 Abertura do secretariado

Leia mais

Regulamento geral das zonas de estacionamento privativo para veículos automóveis em domínio público PREÂMBULO

Regulamento geral das zonas de estacionamento privativo para veículos automóveis em domínio público PREÂMBULO Regulamento geral das zonas de estacionamento privativo para veículos automóveis em domínio público PREÂMBULO De acordo com as disposições combinadas previstas na alín. u), do nº1, alín. f), do nº2 e na

Leia mais

REGULAMENTO DE CIRCULAÇÃO E ESTACIONAMENTO PARA A ZONA DE TRANSITO CONDICIONADO DO CENTRO DA CIDADE DE SÃO JOÃO DA MADEIRA. Nota justificativa

REGULAMENTO DE CIRCULAÇÃO E ESTACIONAMENTO PARA A ZONA DE TRANSITO CONDICIONADO DO CENTRO DA CIDADE DE SÃO JOÃO DA MADEIRA. Nota justificativa REGULAMENTO DE CIRCULAÇÃO E ESTACIONAMENTO PARA A ZONA DE TRANSITO CONDICIONADO DO CENTRO DA CIDADE DE SÃO JOÃO DA MADEIRA Nota justificativa As recentes obras realizadas no Centro Cívico da Cidade de

Leia mais

instituições de comprovada valia social, o qual visa concretizar, especificando, o compromisso a que está vinculada.

instituições de comprovada valia social, o qual visa concretizar, especificando, o compromisso a que está vinculada. DECISÃO relativa ao programa para a atribuição de subsídio à aquisição de equipamentos de recepção das emissões de TDT por parte de cidadãos com necessidades especiais, grupos populacionais mais desfavorecidos

Leia mais