ESCOLA SENAI CELSO CHARURI CFP 5.12 PROGRAMA DE COLETA DE ÓLEO COMESTÍVEL USADO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESCOLA SENAI CELSO CHARURI CFP 5.12 PROGRAMA DE COLETA DE ÓLEO COMESTÍVEL USADO"

Transcrição

1 ESCOLA SENAI CELSO CHARURI CFP 5.12 PROGRAMA DE COLETA DE ÓLEO COMESTÍVEL USADO PROGRAMA Nº1/ 2012

2 SENAI-SP. Projeto desenvolvido pelo CFP 5.12 Escola SENAI Celso Charuri. 2ª edição, revisão e atualização do programa, março de ª edição, atualização das políticas do SENAI-SP, agosto de Elaboração Revisão Formatação Antonio Pedro Rinaldi Luís Rodrigues da Silva Keila Garcia Renata de Fátima da Silva 2

3 Sumário 1. Introdução Descrição das características do programa Objetivos Objetivos gerais e metas qualitativas Metas quantitativas Descrição do programa Descrição da coleta Ações necessárias Execução do programa e cronograma Identificação dos parceiros envolvidos Viabilidade ambiental Viabilidade econômica Obrigações do parceiro Obrigações da Escola SENAI Celso Charuri Indicadores/Monitoramento Resultados esperados Anexo Aprovação

4 1. Introdução O cenário mundial atual está caracterizado, entre outros fatores importantes, pelo aumento populacional e o impulso consumista que toma conta da sociedade. Vemos os recursos naturais sendo transformados de forma intensa e desregrada, provocando sua escassez ou contaminação, motivo que leva a preocupação de muitos cidadãos com o futuro próximo do nosso planeta. Um dos recursos naturais indispensáveis para nossa sobrevivência é a água, usada na maioria dos processos produtivos. Depois de utilizada, a água é descartada nas redes de esgotos ou efluentes e nem sempre chega a um centro de tratamento. Tal situação provoca escassez dos recursos naturais e também, a contaminação do Meio Ambiente. A poluição ou contaminação podem ser geradas por indústrias ou mesmo dentro das nossas residências. Muitas vezes se esquece que a mesma água que consumimos ainda deverá alimentar muitas pessoas ou amimais por diversas cidades onde passa. Devendo ser novamente tratada por processos cada vez mais complexos e caros para torná-la novamente própria para consumo. Quando jogamos o óleo de cozinha usado diretamente no ralo da pia ou no lixo, estamos contribuindo para o aumento da poluição em nossos córregos, riachos, rios e solo, além de proporcionar danos nas instalações hidráulicas de nossas casas, retardamento no crescimento de plantas e interferência no fluxo de água, podendo impedir a transferência do oxigênio para a água desequilibrando a vida nesses sistemas. Se lançado ao solo, o óleo de frituras pode poluir o lençol freático, além de causar impermeabilizações, impedindo a passagem e/ou escoamento da água, ocasionando as enchentes e diversos transtornos. De acordo com a SABESP (2008), o Brasil produz nove bilhões de litros de óleo de cozinha por ano. Mas apenas 2,5% de todo esse óleo (225 milhões de litros) é reciclado e reutilizado para a fabricação de sabão, massa de vidraceiro e biodiesel. Cada litro de óleo despejado no esgoto tem capacidade para poluir cerca de um milhão de litros de água. Essa quantidade corresponde ao consumo de uma pessoa durante 14 anos. Para tanto, os membros do Núcleo de Prevenção de Acidentes e Apoio à Defesa Civil NPAADC, da Escola SENAI Celso Charuri em conjunto com toda a 4

5 comunidade escolar, sensibilizados com as questões relacionadas com o meio ambiente¹, elaboraram o Programa de Coleta de Óleo Comestível Usado, demonstrando preocupação e comprometimento com a melhoria do cenário atual, e até, porque não afirmar, com a reversão da situação. 2. Descrição das características do programa Este programa tem como principal característica a motivação e participação do cidadão, em um processo de descarte do óleo comestível usado por meio de arrecadação pelas famílias dos alunos, professores e funcionários da escola, contribuindo para uma mudança de paradigmas e valores éticos, estimulando a participação, o exercício pleno da cidadania e a consciência solidária. É inegável o senso de voluntarismo e desejo de participação dos nossos alunos ao se proporem a esta arrecadação e entrega às entidades filantrópicas do Município. Vale lembrar, então, que o desenvolvimento deste projeto permite a integração de conhecimentos, parcerias sociais, valores éticos e solidários, permitindo educação e avanços socioambientais e econômicos para a sociedade. 3. Objetivos Consolidar a prática de ações junto a comunidade escolar para reduzirmos o impacto gerado pelo descarte inadequado do óleo comestível usado, na rede coletora de esgoto no Município de Sumaré, informando, qualificando e conscientizando as pessoas, para alcançarem os objetivos previstos na Política da Qualidade e Meio Ambiente do SENAI/SP. 3.1 Objetivos gerais e metas qualitativas Criar um elo entre a comunidade, empresas e os processos de ensino e de aprendizagem e por consequência a oportunidade de inserção de temas como a responsabilidade social no dia-a-dia escolar, fomentando, assim, a preocupação com a preservação da natureza e a qualidade de vida. Aplicar estratégia contínua de preservação ao meio ambiente, integrada aos processos de ensino e de aprendizagem. ¹ Anexo: Políticas do SENAI-SP. 5

6 Desenvolver atividades de responsabilidade social em projetos extracurriculares que agreguem valores à formação dos alunos. Desenvolver parcerias que possibilitem um campo maior de atuação, conscientização, integração social e consequentemente, melhores resultados. Contribuir para que possamos chegar a resultados satisfatórios quanto à questão do meio ambiente, ou seja, a despoluição de nossos rios. Contribuir para o desenvolvimento de jovens aprendizes assistidos pela entidade SHD (Sociedade Humana Despertar) no nosso Município. 4. Metas quantitativas Envolver 100% dos alunos dos 1ºs termos do CAI, e dos 1ºs semestrais do CT. Envolver 100% dos funcionários da escola. Destinar 100% do óleo comestível usado arrecadado. 5. Descrição do programa A Escola SENAI Celso Charuri em Sumaré propõe no programa Coleta de Óleo Comestível Usado, arrecadar óleo comestível usado pelos seus alunos e funcionários e fornecer à entidade filantrópica SHD (Sociedade Humana Despertar), situada no Município de Sumaré. A entidade se compromete a entregar o óleo arrecadado à outra empresa (que tenha certificado de responsabilidade ambiental), em troca de valores que contribuam para o desenvolvimento de suas ações de filantropia na cidade de Sumaré. A empresa recebedora do óleo comestível usado irá transformá-lo em biodiesel e dar destino responsável aos seus resíduos. 5.1 Descrição da coleta O aluno ou funcionário deverá entregar o óleo envasado e vedado em garrafas pet e depositá-lo em um contêiner devidamente identificado que será colocado próximo à cantina da Escola. 6

7 6. Ações necessárias 1- Implantar ponto de coleta de óleo comestível usado, em nossa Escola; 2- Envolver alunos e funcionários na arrecadação do óleo, através de doação dos alunos de todas as turmas dos cursos regulares da escola e funcionários; 3- Divulgar para pais e alunos, no período de integração a coleta de óleo comestível usado, buscando envolver os familiares no programa; 4- Incentivar a expansão do programa de coleta do óleo comestível usado em outras unidades escolares; 5- Realizar palestras de conscientização; 6- Realizar visitas anuais à instituição filantrópica SHD com o acompanhamento de alunos dos cursos regulares CAI e Técnico. 7. Execução do programa e cronograma O Programa de coleta de óleo comestível usado já acontece na nossa escola desde outubro de A partir daí temos desencadeado ações que visem à participação não só de alunos de nossa escola, mas de toda a cidade. Diversas escolas do Município aderiram ou implantaram programa em suas dependências. O programa, agora toma um curso para melhor destinação e qualidade do produto gerado pelo óleo comestível usado que é a produção de Biodiesel e Composto Orgânico. Este programa inicia-se no ano de Identificação dos parceiros envolvidos Escola SENAI Celso Charuri em Sumaré. AAPM da Escola SENAI Celso Charuri. Entidade filantrópica SHD (Sociedade Humana Despertar), entidade sem fins econômicos, fundada em 27 de novembro de 1995, tem como proposta trabalhar o potencial humano despertando valores dentro da perspectiva da 7

8 Ética do Amor à vida e da Ética Ecológica, com foco na criança, adolescente e comunidade; Cooperativa de reciclagem de gordura animal e vegetal, entidade utiliza o óleo de fritura usado para fazer biodiesel. 9. Viabilidade ambiental A coleta para a reciclagem do óleo de cozinha usado gera vários benefícios ambientais. O mais imediato é a preservação dos mananciais e lençóis freáticos utilizados no abastecimento público, já que um litro de óleo usado em frituras despejado no ralo da pia é suficiente para contaminar cerca de um milhão de litros de água, equivalente ao consumo de uma pessoa no período de 14 anos. É um produto de difícil degradação no meio ambiente, que não se dissolve e nem se mistura à água, formando uma camada densa que impede as trocas gasosas, se tornando um problema para rios, lagos e aquíferos. O óleo que é mais leve do que a água fica na superfície, criando uma barreira que dificulta a entrada de luz e a oxigenação, comprometendo assim a base da cadeia alimentar aquática. O descarte destas gorduras no esgoto também pode gerar graves problemas de higiene na rede de esgoto, causando seu entupimento, que força a infiltração no solo, contaminando o lençol freático, ou atingindo a superfície. Além disso, quando atinge o solo, o óleo tem a capacidade de impermeabilizá-lo, dificultando a infiltração de água das chuvas, por exemplo. Tal quadro é propício para as enchentes. Quando chega ao oceano, o óleo usado reage com a água salgada e libera gás metano, um dos grandes vilões do efeito estufa e do aquecimento global. O metano é considerado 21 vezes mais agressivo que o gás carbônico. Para retirar o óleo e desentupir os canos são empregados produtos químicos altamente tóxicos, o que acaba criando uma cadeia perniciosa. Frente aos fatos apresentados, temos a certeza de que a cada litro de óleo não lançado no esgoto, somamos mais tempo de vida ao nosso planeta e consequentemente às futuras gerações. Diante de tudo isso, estamos certos de que não podemos mais ter uma relação de meros espectadores com a natureza; somos parte da natureza e temos o dever de minimizar impactos e buscar mais alternativas de melhoria de condições de vida. 8

9 10. Viabilidade econômica A coleta seletiva de óleo comestível usado faz com que grande parte do óleo, que antes era jogado na rede de esgoto, seja transformada em biodiesel. Isso contribui direta ou indiretamente para a diminuição de alguns gastos com outras matérias primas para a produção desses materiais, e atende a grande demanda pela coleta do óleo comestível usado nas de usinas de Biodiesel a partir de óleo saturado. O Biodiesel oferece, segundo ambientalistas, a redução em 75% à emissão de dióxido de carbono, em 50% a emissão de monóxido de carbono e em 100% a emissão de enxofre, garantindo melhores condições de sobrevivência à sociedade. A ausência total de enxofre confere ao biodiesel uma grande vantagem, pois não há qualquer emissão de gases sulfurados normalmente detectados no escape de motores movidos a diesel. Considerando a melhoria das condições ambientais, sobretudo nos grandes centros metropolitanos, significa, também, evitar gastos dos governos e dos cidadãos no combate aos males da poluição. Outra enorme vantagem apresentada pela coleta seletiva do óleo comestível usado está na diminuição dos custos, em torno de 45%, no tratamento do esgoto, quando este for descartado de forma correta. 11. Obrigações do parceiro A empresa parceira SHD (Sociedade Humana Despertar), se compromete a entregar o óleo de fritura usado somente à empresa licenciada pela CETESB para uso e destinação adequada ao mesmo. 12. Obrigações da Escola SENAI Celso Charuri Estabelecer ponto de coleta de óleo comestível usado, dentro de suas dependências, observando as normas ambientais; Arrecadar através de doação dos alunos de todas as turmas dos cursos regulares da Escola e funcionários; Divulgar para pais e alunos, no período de integração de ingressos a coleta de óleo comestível usado, buscando envolver os familiares no programa. 9

10 13. Indicadores/Monitoramento O acompanhamento dos indicadores para coleta de óleo comestível usado será feito através da planilha de metas ambientais da Unidade. Com preenchimento mensal dos dados enviados pela SHD. 14. Resultados esperados A unidade espera com este programa melhorar a conscientização dos alunos, colaboradores e da comunidade quanto à melhor maneira do descarte de óleo comestível usado. É importante ressaltar, que o programa Coleta de Óleo Comestível Usado, não visa grande volume de coleta, mas sim a conscientização da população envolvida com a Unidade Escolar para a necessidade de cuidados com nosso planeta, buscando uma qualidade de vida sustentável. 15. Anexo Políticas do SENAI-SP Gestão do SENAI-SP O SENAI-SP, no cumprimento de sua missão, promove o contínuo aprimoramento dos serviços educacionais e tecnológicos, o desenvolvimento de seus recursos humanos e o fortalecimento da relação com os clientes e partes interessadas. Qualidade e Meio Ambiente Atendimento à legislação aplicável aos seus processos e serviços. Manutenção de ambientes de trabalho adequados e seguros. Preservação do meio ambiente por meio da prevenção à poluição e do uso consciente de recursos. Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação Desenvolvimento dos serviços técnicos e tecnológicos. Produção de inovações técnicas e inovações para o mercado. Atuação em rede e busca sistemática de referenciais externos. Reconhecimento da inovação como um ativo valioso da organização. Promoção de linguagem comum de inovação na instituição. 10

11 16. Aprovação Direção Escola SENAI Celso Charuri Assinatura/Identificação/Cópia de (s) Data Claudio Rafael Teti 10/08/

ESCOLA SENAI CELSO CHARURI CFP 5.12 PROGRAMA DE CONTROLE DA COLETA SELETIVA E DESTINO DOS MATERIAIS DESCARTADOS

ESCOLA SENAI CELSO CHARURI CFP 5.12 PROGRAMA DE CONTROLE DA COLETA SELETIVA E DESTINO DOS MATERIAIS DESCARTADOS ESCOLA SENAI CELSO CHARURI CFP 5.12 PROGRAMA DE CONTROLE DA COLETA SELETIVA E DESTINO DOS MATERIAIS DESCARTADOS PROGRAMA Nº 04/2012 SENAI-SP. Projeto desenvolvido pelo CFP 5.12 Escola SENAI Celso Charuri.

Leia mais

ESCOLA SENAI CELSO CHARURI CFP 5.12 PROGRAMA DE CONTROLE E REDUÇÃO DO CONSUMO DE PAPEL

ESCOLA SENAI CELSO CHARURI CFP 5.12 PROGRAMA DE CONTROLE E REDUÇÃO DO CONSUMO DE PAPEL ESCOLA SENAI CELSO CHARURI CFP 5.12 PROGRAMA DE CONTROLE E REDUÇÃO DO CONSUMO DE PAPEL PROGRAMA Nº 06/ 2012 SENAI-SP. Projeto desenvolvido pelo CFP 5.12 Escola SENAI Celso Charuri. 2ª edição, atualização

Leia mais

PROJETO DO LABORATÓRIO DE CIÊNCIAS

PROJETO DO LABORATÓRIO DE CIÊNCIAS GOVERNO DE ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETÁRIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO ESCOLA ESTADUAL NAIR PALÁCIO DE SOUZA NOVA ANDRADINA - MS PROJETO DO LABORATÓRIO DE CIÊNCIAS 1.TÍTULO: Projeto Óleo e água não se

Leia mais

ESCOLA SENAI CELSO CHARURI CFP 5.12 PROGRAMA DE CONTROLE DE CONSUMO DE ENERGIA ELÉTRICA

ESCOLA SENAI CELSO CHARURI CFP 5.12 PROGRAMA DE CONTROLE DE CONSUMO DE ENERGIA ELÉTRICA ESCOLA SENAI CELSO CHARURI CFP 5.12 PROGRAMA DE CONTROLE DE CONSUMO DE ENERGIA ELÉTRICA Programa Nº 03/2012 SENAI-SP. Projeto desenvolvido pelo CFP 5.12 Escola SENAI Celso Charuri. 2ª edição, revisão e

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Projeto de olho no óleo

Mostra de Projetos 2011. Projeto de olho no óleo Mostra de Projetos 2011 Projeto de olho no óleo Mostra Local de: São José dos Pinhais Categoria do projeto: II - Projetos finalizados Nome da Instituição/Empresa: Escola da Colina Educação Infantil e Ensino

Leia mais

Coleta e reciclagem de óleo de fritura.

Coleta e reciclagem de óleo de fritura. Nivia Sueli de Freitas e Ricardo Motta Pinto Coelho Coleta e reciclagem de óleo de fritura. Saiba como contribuir com o meio ambiente e ainda ganhar em troca. Belo Horizonte. MG 201 1-3 - 2ª Edição Prêmio

Leia mais

SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DA UNAERP CAMPUS GUARUJÁ. O ciclo do óleo de cozinha

SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DA UNAERP CAMPUS GUARUJÁ. O ciclo do óleo de cozinha SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DA UNAERP CAMPUS GUARUJÁ O ciclo do óleo de cozinha Felipe Zulian dos Santos f.zulian@hotmail.com Marivaldo Freixo Neto neto_surfigp@hotmail.com Renato Oliveira

Leia mais

Coleta e reciclagem de óleo de fritura.

Coleta e reciclagem de óleo de fritura. Nivia Sueli de Freitas, Roberto Góes Menicucci e Ricardo Motta Pinto Coelho Coleta e reciclagem de óleo de fritura. Saiba como contribuir com o meio ambiente e ainda ganhar em troca. Belo Horizonte. MG

Leia mais

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS Nobres Vereadores, pretendemos, embasados em uma lei instituída no Estado de São Paulo, em 2005 (Lei nº 12.047, de 21 de setembro de 2005), estabelecer, também, no nosso Município,

Leia mais

Of. nº 21 /2015. Guaporé, 25 de junho de 2015.

Of. nº 21 /2015. Guaporé, 25 de junho de 2015. Of. nº 21 /2015. Guaporé, 25 de junho de 2015. Senhor Presidente, Encaminho nesta Casa Legislativa, para apreciação e votação dos nobres Edis, o projeto de lei legislativa nº 009/2015, que INSTITUI O PROGRAMA

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL JUNTO A COLABORADORES DO SETOR DE MINERAIS NÃO METÁLICOS DA PARAÍBA PARA PRODUÇÃO DE SABÃO COM ÓLEO DE COZINHA USADO.

EDUCAÇÃO AMBIENTAL JUNTO A COLABORADORES DO SETOR DE MINERAIS NÃO METÁLICOS DA PARAÍBA PARA PRODUÇÃO DE SABÃO COM ÓLEO DE COZINHA USADO. EDUCAÇÃO AMBIENTAL JUNTO A COLABORADORES DO SETOR DE MINERAIS NÃO METÁLICOS DA PARAÍBA PARA PRODUÇÃO DE SABÃO COM ÓLEO DE COZINHA USADO. Antonio Augusto Pereira de Sousa - aauepb@gmail.com 1 Djane de Fátima

Leia mais

reciclagem de óleos e gorduras de uso doméstico, comercial e industrial; VII o estímulo à participação dos consumidores e da sociedade, por seus

reciclagem de óleos e gorduras de uso doméstico, comercial e industrial; VII o estímulo à participação dos consumidores e da sociedade, por seus PROJETO DE LEI Nº Institui, no Município de Canoas, o Programa de Incentivo ao Tratamento e à Reciclagem de Óleos e Gorduras, estabelece suas diretrizes e dá outras providências. Art. 1º. Fica instituído,

Leia mais

PROJETO ÓLEO DE COZINHA

PROJETO ÓLEO DE COZINHA PROJETO ÓLEO DE COZINHA Orientador: Paulo Egydio Berkenbrock, CPF: 005.078.559-14 Alunos: Leonardo Demitti CPF: 054.818.109-80 Sergio Paulo Bordin de Mello CPF: 082.071.129-21 Vânia Couto CPF: 050.518.299-88

Leia mais

PROJETO AMIGOS DO PLANETA. Autor. Rose Mariah de Souza Ferreira. Gestora Ambiental

PROJETO AMIGOS DO PLANETA. Autor. Rose Mariah de Souza Ferreira. Gestora Ambiental PROJETO AMIGOS DO PLANETA Autor Rose Mariah de Souza Ferreira Gestora Ambiental Gravataí, março de 2011. Introdução Pensar em tornar o ambiente em que se vive sustentável, é direcionar ações capazes de

Leia mais

Economia Verde e Sustentabilidade: O sabão em pó de mamão

Economia Verde e Sustentabilidade: O sabão em pó de mamão Economia Verde e Sustentabilidade: O sabão em pó de mamão Resumo A escolha do tema envolveu amplas pesquisas, a partir da quais decidimos que o objetivo do grupo seria contribuir, com este estudo, para

Leia mais

XIX Exposição de Experiências Municipais em Saneamento De 24 a 29 de maio de 2015 Poços de Caldas - MG PROJETO ÁGUA LIMPA

XIX Exposição de Experiências Municipais em Saneamento De 24 a 29 de maio de 2015 Poços de Caldas - MG PROJETO ÁGUA LIMPA PROJETO ÁGUA LIMPA Celia Regina Franco Passarini (1) brasileira, casada, funcionária pública, ouvidora, participante do Grupo Gestor do Voluntariado, Rua D. Libânia, 1941, apto 162, Vila Itapura Campinas

Leia mais

PROJETO CIDADANIA E SUSTENTABILIDADE

PROJETO CIDADANIA E SUSTENTABILIDADE PROJETO CIDADANIA E SUSTENTABILIDADE CONSELHEIRO LAFAIETE MG 2012 PROJETO CIDADANIA E SUSTENTABILIDADE JUSTIFICATIVA O Centro de Ensino Superior de Conselheiro Lafaiete tem como princípio desempenhar seu

Leia mais

RECICLANDO ATITUDES. Ana MariaVenquiaruti 1 ;Janice de Fátima Preuss dacruz 2 ;Natanael Martins Ajala 3 ; Tanise da Silva Moura 4 ;

RECICLANDO ATITUDES. Ana MariaVenquiaruti 1 ;Janice de Fátima Preuss dacruz 2 ;Natanael Martins Ajala 3 ; Tanise da Silva Moura 4 ; RECICLANDO ATITUDES Ana MariaVenquiaruti 1 ;Janice de Fátima Preuss dacruz 2 ;Natanael Martins Ajala 3 ; Tanise da Silva Moura 4 ; 1 Farmacêutica, Bioquímica e Pós Graduada em Educação Ambiental- Professora

Leia mais

TÍTULO: O DESTINO DO ÓLEO DE COZINHA USADO: UM ESTUDO DE CASO NA CIDADE DE PALMEIRA D OESTE/SP

TÍTULO: O DESTINO DO ÓLEO DE COZINHA USADO: UM ESTUDO DE CASO NA CIDADE DE PALMEIRA D OESTE/SP Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: O DESTINO DO ÓLEO DE COZINHA USADO: UM ESTUDO DE CASO NA CIDADE DE PALMEIRA D OESTE/SP CATEGORIA:

Leia mais

Núcleo União Pró-Tietê. Água : O ouro azul do planeta

Núcleo União Pró-Tietê. Água : O ouro azul do planeta Núcleo União Pró-Tietê Água : O ouro azul do planeta Água A água é um mineral, elemento químico simples (H 2 O) fundamental para o planeta. Forma oceanos, geleiras, lagos e rios. Cobre ¾ da superfície

Leia mais

- Análise estatística de impacto ambiental

- Análise estatística de impacto ambiental PROJETO PAPA ÓLEO A preservação do meio ambiente se tornou uma prioridade mundial. Aquecimento global, poluição, doenças respiratórias e de pele, intoxicação, problemas climáticos, são alguns dos problemas

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO I. PROJETO DE ( X ) CURTA DURAÇÃO ( ) LONGA DURAÇÃO

PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO I. PROJETO DE ( X ) CURTA DURAÇÃO ( ) LONGA DURAÇÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO I. PROJETO DE ( X ) CURTA DURAÇÃO ( ) LONGA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

unesp JABOTICABAL Programa Coleta de Óleos de Fritura

unesp JABOTICABAL Programa Coleta de Óleos de Fritura unesp JABOTICABAL Programa Coleta de Óleos de Fritura Desde maio de 2004 o LADETEL USP / RP desenvolve o projeto de reciclagem de óleo de fritura. O óleo de fritura usado é recolhido e enviado ao LADETEL

Leia mais

Projeto - óleo + vida

Projeto - óleo + vida FENABB FederaÅÇo Nacional das AABBs Concurso Socioambiental 2010 Recursos HÉdricos AABB SumarÑ (SP) PROJETO MENOS ÜLEO, MAIS VIDA Novembro/2010 1 IdentificaÅÇo AABB SumarÑ (SP) Projeto: Menos Üleo, Mais

Leia mais

CONCURSO SOCIOAMBIENTAL FENABB 2012 RECURSOS SOLÍDOS

CONCURSO SOCIOAMBIENTAL FENABB 2012 RECURSOS SOLÍDOS CONCURSO SOCIOAMBIENTAL FENABB 2012 RECURSOS SOLÍDOS DESCARTAR E RECICLAR PARA UM MUNDO MELHOR SANTO ÂNGELO - RS 1. IDENTIFICAÇÉO: 1.1. NOME DA AABB: AABB DE SANTO ÑNGELO - RS 1.2.TÖTULO: DESCARTAR E RECICLAR

Leia mais

Garrafas PET: Um lixo que Virou Moda nas Coleções Malwee

Garrafas PET: Um lixo que Virou Moda nas Coleções Malwee Malwee Malhas LTDA. Jaraguá do Sul (SC) Garrafas PET: Um lixo que Virou Moda nas Coleções Malwee Categoria Tecnologias Socioambientais 1. Sobre a organização participante: Razão social: - Malwee Malhas

Leia mais

Copasa obtém resultados eficientes no tratamento de esgoto em Serro

Copasa obtém resultados eficientes no tratamento de esgoto em Serro Copasa obtém resultados eficientes no tratamento de esgoto em Serro Inaugurada há pouco mais de 3 anos, Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) garante melhorias na qualidade da água do córrego Lucas, que

Leia mais

Sistema Gestão Ambiental

Sistema Gestão Ambiental Sistema Gestão Ambiental Sistema Gestão Ambiental - ISO 14001 Agora você vai conhecer o Sistema de Gestão Ambiental da MJRE CONSTRUTORA que está integrado ao SGI, entender os principais problemas ambientais

Leia mais

Reciclagem do óleo de cozinha e a melhoria da qualidade da água em mananciais urbanos

Reciclagem do óleo de cozinha e a melhoria da qualidade da água em mananciais urbanos Reciclagem do óleo de cozinha e a melhoria da qualidade da água em mananciais urbanos Thiago Eustáquio Lisboa Massula Eng. Ambiental Prof. Ricardo Motta Pinto Coelho Belo Horizonte 2009 Conceito Óleos

Leia mais

Problemas Ambientais Urbanos

Problemas Ambientais Urbanos Problemas Ambientais Urbanos INVERSÃO TÉRMICA É comum nos invernos, principalmente no final da madrugada e início da manhã; O ar frio, mais denso, é responsável por impedir a dispersão de poluentes (CO,

Leia mais

Amanda Aroucha de Carvalho. Reduzindo o seu resíduo

Amanda Aroucha de Carvalho. Reduzindo o seu resíduo Amanda Aroucha de Carvalho Reduzindo o seu resíduo 1 Índice 1. Apresentação 2. Você sabe o que é Educação Ambiental? 3. Problemas Ambientais 4. Para onde vai o seu resíduo? 5. Soluções para diminuir a

Leia mais

Cartilha informativa

Cartilha informativa Cartilha informativa CONSTRUINDO A CIDADANIA A necessidade de estabelecer a relação entre cidadania e meio ambiente está expressa no direito do indivíduo ter um meio ambiente saudável e no dever que cada

Leia mais

Poluição do Solo. Aprofundar os conhecimentos sobre como o solo pode ser poluído e as consequências para o homem e o meio ambiente.

Poluição do Solo. Aprofundar os conhecimentos sobre como o solo pode ser poluído e as consequências para o homem e o meio ambiente. Poluição do Solo 1) Objetivo Geral Aprofundar os conhecimentos sobre como o solo pode ser poluído e as consequências para o homem e o meio ambiente. 2) Objetivo Específico Conscientizar os alunos da importância

Leia mais

Unindo forças por um mesmo objetivo

Unindo forças por um mesmo objetivo Unindo forças por um mesmo objetivo Seguindo o conceito do programa em fomentar iniciativas de coleta e reciclagem, a parceria vai ampliar a atuação do Programa de Reciclagem do Óleo de Fritura (PROL),

Leia mais

UM ESTUDO DE VIABILIDADE E IMPLEMENTAÇÃO DO PROJETO INOVAR

UM ESTUDO DE VIABILIDADE E IMPLEMENTAÇÃO DO PROJETO INOVAR UM ESTUDO DE VIABILIDADE E IMPLEMENTAÇÃO DO PROJETO INOVAR Doralice Cesar dos Santos 1 (Dora@conesulpb.com.br) Antonio Fernandes de Oliveira 2 (f_oliveira-pib@hotmail.com) RESUMO: Os principais autores

Leia mais

COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO URBANO, OBRAS, VIAÇÃO E TRANSPORTE COMISSÃO DO MEIO AMBIENTE. PROJETO DE LEI Nº 237/2012 Com o Substitutivo n o 1

COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO URBANO, OBRAS, VIAÇÃO E TRANSPORTE COMISSÃO DO MEIO AMBIENTE. PROJETO DE LEI Nº 237/2012 Com o Substitutivo n o 1 COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO URBANO, OBRAS, VIAÇÃO E TRANSPORTE COMISSÃO DO MEIO AMBIENTE PROJETO DE LEI Nº 237/2012 Com o Substitutivo n o 1 RELATÓRIO: De autoria do Vereador Amauri Cardoso, este projeto

Leia mais

VALECONSULT EMPRESARIAL LTDA PROPOSTA COLETA E DISPOSIÇÃO ÓLEO COMESTÍVEL USADO

VALECONSULT EMPRESARIAL LTDA PROPOSTA COLETA E DISPOSIÇÃO ÓLEO COMESTÍVEL USADO PROPOSTA COLETA E DISPOSIÇÃO DO ÓLEO COMESTÍVEL USADO 1 REALIZAÇÃO CLÍNICA DE ENGENHARIA E PARCERIAS 2 OBJETIVOS 01.0-PORQUE COLETAR O ÓLEO DE COZINHA USADO: Batata frita, coxinha, pastel. São muitas as

Leia mais

Profa. Ana Luiza Veltri

Profa. Ana Luiza Veltri Profa. Ana Luiza Veltri EJA Educação de Jovens e Adultos Água de beber Como está distribuída a água no mundo? A Terra, assim como o corpo humano, é constituída por dois terços de água; Apenas 1% da quantidade

Leia mais

Projecto de Lei nº /X

Projecto de Lei nº /X Grupo Parlamentar Projecto de Lei nº /X ESTABELECE O REGIME APLICÁVEL À GESTÃO DE ÓLEOS ALIMENTARES USADOS Exposição de motivos: Os óleos alimentares usados são um resíduo não perigoso que carece de legislação

Leia mais

PROJETO: Sustentabilidade e mudanças de hábitos no ambiente escolar e na escola

PROJETO: Sustentabilidade e mudanças de hábitos no ambiente escolar e na escola ESCOLA MUNICIPAL COSTA E SILVA EDUCAÇÃO INFANTIL E ENSINO FUNDAMENTAL PROJETO: Sustentabilidade e mudanças de hábitos no ambiente escolar e na escola MARECHAL CÂNDIDO RONDON, JULHO DE 2011. RESUMO: O presente

Leia mais

PRÊMIO ABF- AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Categoria Franqueado

PRÊMIO ABF- AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Categoria Franqueado PRÊMIO ABF- AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Categoria Franqueado Dados da empresa Razão Social: J&I Serviços Educacionais LTDA Nome Fantasia: Wizard Aparecidinha Data de fundação:

Leia mais

ENSINO DE QUÍMICA: VIVÊNCIA DOCENTE E ESTUDO DA RECICLAGEM COMO TEMA TRANSVERSAL

ENSINO DE QUÍMICA: VIVÊNCIA DOCENTE E ESTUDO DA RECICLAGEM COMO TEMA TRANSVERSAL ENSINO DE QUÍMICA: VIVÊNCIA DOCENTE E ESTUDO DA RECICLAGEM COMO TEMA TRANSVERSAL MENDONÇA, Ana Maria Gonçalves Duarte. Universidade Federal de Campina Grande. E-mail: Ana.duartemendonca@gmail.com RESUMO

Leia mais

Professor: Cláudio Custódio. www.espacogeografia.com.br

Professor: Cláudio Custódio. www.espacogeografia.com.br Professor: Cláudio Custódio www.espacogeografia.com.br Estocolmo 1972 -Desenvolvimento zero X Desenvolvimento a qualquer custo. - Desenvolvimento sustentável - Crise do petróleo Rio 1992 - Agenda 21 -

Leia mais

Nome e contato do responsável pelo preenchimento deste formulário Luiz Antônio Jaeger (21) 9702 9194 luizantonio@parme.com.br parme@parme.com.

Nome e contato do responsável pelo preenchimento deste formulário Luiz Antônio Jaeger (21) 9702 9194 luizantonio@parme.com.br parme@parme.com. PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Categoria Franqueador Pleno Dados da empresa Razão Social Franquipar Franqueadora e Licenciadora de Marcas Ltda. Nome fantasia Parmê

Leia mais

REAPROVEITAMENTO DO ÓLEO DE COZINHA: possibilidades de projetos nas escolas do Campo

REAPROVEITAMENTO DO ÓLEO DE COZINHA: possibilidades de projetos nas escolas do Campo REAPROVEITAMENTO DO ÓLEO DE COZINHA: possibilidades de projetos nas escolas do Campo Vera Maria Klingelfus do Curso de Especialização em Educação do Campo EAD, Universidade federal do Paraná, Pólo UAB

Leia mais

COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO.

COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO. COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO. PROJETO DE LEI N o 2.074, DE 2007. (Apensos os PLs nº 2.075, de 2007, nº 2.076, de 2007, nº 2.115, de 2007, nº 2.116, de 2007 e nº 4.015, de

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MONTANHA ES SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE

PREFEITURA MUNICIPAL DE MONTANHA ES SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE 0 PREFEITURA MUNICIPAL DE MONTANHA ES SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE PRORAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PEA PLANO DE AÇÃO Montanha ES 2014 1 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 02 2. JUSTIFICATIVA... 03 3. OBJETIVO GERAL...

Leia mais

PRESERVAR O MEIO AMBIENTE UMA MISSÃO DE TODOS NÓS

PRESERVAR O MEIO AMBIENTE UMA MISSÃO DE TODOS NÓS PRESERVAR O MEIO AMBIENTE UMA MISSÃO DE TODOS NÓS Meio Ambiente Tudo que está a nossa volta: todas as formas de vida e todos os elementos da natureza. Ecologia Ciência que estuda a relação dos seres vivos

Leia mais

ECO-SABÃO: EDUCAÇÃO AMBIENTAL E CIDADANIA 1

ECO-SABÃO: EDUCAÇÃO AMBIENTAL E CIDADANIA 1 VII Semana de Ciências e Tecnologia IFMG - Campus Bambuí VII Jornada Científica e I Mostra de Extensão 21 a 23 de outubro de 2014 ECO-SABÃO: EDUCAÇÃO AMBIENTAL E CIDADANIA 1 Amanda Thaciane dos SANTOS¹,

Leia mais

PRÊMIO. Identificação da Empresa: Viação Águia Branca S/A. Identificação da Experiência: Preservar é Reduzir, Reutilizar e Reciclar

PRÊMIO. Identificação da Empresa: Viação Águia Branca S/A. Identificação da Experiência: Preservar é Reduzir, Reutilizar e Reciclar PRÊMIO 2012 Identificação da Empresa: Viação Águia Branca S/A Identificação da Experiência: Preservar é Reduzir, Reutilizar e Reciclar Data ou Período de Aplicação da Experiência: 2011 e 2012 Categoria

Leia mais

ASSOCIAÇÃO AMIGOS DO MEIO AMBIENTE - AMA HISTÓRICO A ASSOCIAÇÃO AMIGOS DO MEIO AMBIENTE - AMA, fundada em 20/07/1990 é uma organização

ASSOCIAÇÃO AMIGOS DO MEIO AMBIENTE - AMA HISTÓRICO A ASSOCIAÇÃO AMIGOS DO MEIO AMBIENTE - AMA, fundada em 20/07/1990 é uma organização ASSOCIAÇÃO AMIGOS DO MEIO AMBIENTE - AMA HISTÓRICO A ASSOCIAÇÃO AMIGOS DO MEIO AMBIENTE - AMA, fundada em 20/07/1990 é uma organização Não-Governamental, a qual desenvolve suas atividades no campo da preservação

Leia mais

PRODUÇÃO DE BIODIESEL A PARTIR DO ÓLEO DE FRITURA: UMA ALTERNATIVA SUSTENTÁVEL.

PRODUÇÃO DE BIODIESEL A PARTIR DO ÓLEO DE FRITURA: UMA ALTERNATIVA SUSTENTÁVEL. PRODUÇÃO DE BIODIESEL A PARTIR DO ÓLEO DE FRITURA: UMA ALTERNATIVA SUSTENTÁVEL. M. A. C. BUMBA 1, R. K.OI 2 e H. YAMAMURA 3 1 Universidade Católica de Santos, Departamento de Engenharia de Produção 2 Universidade

Leia mais

Limpando Pegadas fabricação de sabão ecológico. Por um planeta mais limpo e sustentável

Limpando Pegadas fabricação de sabão ecológico. Por um planeta mais limpo e sustentável Limpando Pegadas fabricação de sabão ecológico Por um planeta mais limpo e sustentável SUMÁRIO Introdução...03 Caracterização do problema...03 Justificativa...04 Objetivos...06 Metas e resultados previstos...07

Leia mais

VIABILIDADE DA UTILIZAÇÃO DE ÓLEO DE FRITURA PARA FABRICAÇÃO DE BIODIESEL E DEMAIS PRODUTOS

VIABILIDADE DA UTILIZAÇÃO DE ÓLEO DE FRITURA PARA FABRICAÇÃO DE BIODIESEL E DEMAIS PRODUTOS ISSN 1984-9354 VIABILIDADE DA UTILIZAÇÃO DE ÓLEO DE FRITURA PARA FABRICAÇÃO DE BIODIESEL E DEMAIS PRODUTOS Fabiana Pinheiro Costa (LATEC/UFF) Resumo O óleo de fritura usado tem grandes impactos negativos

Leia mais

PROC PROJETO DE RECICLAGEM DE ÓLEO DE COZINHA USADO : UM DESAFIO PARA A EDUCAÇÃO AMBIENTAL

PROC PROJETO DE RECICLAGEM DE ÓLEO DE COZINHA USADO : UM DESAFIO PARA A EDUCAÇÃO AMBIENTAL PROC PROJETO DE RECICLAGEM DE ÓLEO DE COZINHA USADO : UM DESAFIO PARA A EDUCAÇÃO AMBIENTAL Angela Cristina Borges Magalhães (1) Mestrado pela Universidade Federal de Uberlândia, com enfase na Gestão de

Leia mais

Biocombustíveis da Amazônia. Primeira Iniciativa Comercial na Produção de Biodiesel no Estado do Amazonas

Biocombustíveis da Amazônia. Primeira Iniciativa Comercial na Produção de Biodiesel no Estado do Amazonas Biocombustíveis da Amazônia Primeira Iniciativa Comercial na Produção de Biodiesel no Estado do Amazonas Biocombustíveis da Amazônia Ltda Capacidade inicial de 15 milhões de litros/ano Expansão em 2011

Leia mais

O Supermercado Cidade Canção atualmente com 45 lojas, é uma empresa socialmente responsável e atua nas comunidades que está inserido, através do

O Supermercado Cidade Canção atualmente com 45 lojas, é uma empresa socialmente responsável e atua nas comunidades que está inserido, através do O Supermercado Cidade Canção atualmente com 45 lojas, é uma empresa socialmente responsável e atua nas comunidades que está inserido, através do Instituto Cidade Canção que promove projetos nas áreas sociais,

Leia mais

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST CIÊNCIAS HUMANAS

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST CIÊNCIAS HUMANAS SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST CIÊNCIAS HUMANAS Título do Podcast Área Segmento Duração Consumo, consumismo e impacto humano no meio ambiente Ciências Humanas Ensino Fundamental; Ensino Médio 6min29seg Habilidades:

Leia mais

A COLETA SELETIVA PARA RECICLAGEM DE ÓLEO E GORDURA RESIDUAL Um estudo em unidades comerciais de alimentação de Salvador

A COLETA SELETIVA PARA RECICLAGEM DE ÓLEO E GORDURA RESIDUAL Um estudo em unidades comerciais de alimentação de Salvador A COLETA SELETIVA PARA RECICLAGEM DE ÓLEO E GORDURA RESIDUAL Um estudo em unidades comerciais de alimentação de Salvador Daniella de Oliveira Lima, MSc (MEAU/UFBA) Luiz Roberto Santos Moraes, PhD (DEA/UFBA)

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA A REUTILIZAÇÃO DO ÓLEO DE COZINHA NA PRODUÇÃO DE SABÃO PROJETO ECOLIMPO

EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA A REUTILIZAÇÃO DO ÓLEO DE COZINHA NA PRODUÇÃO DE SABÃO PROJETO ECOLIMPO EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA A REUTILIZAÇÃO DO ÓLEO DE COZINHA NA PRODUÇÃO DE SABÃO PROJETO ECOLIMPO Resumo LOPES, Roberta Cristina Univille rolops_bio@yahoo.com.br BALDIN, Nelma - Univille nelma@univille.br

Leia mais

São José dos Campos e a Política Nacional de Resíduos Sólidos

São José dos Campos e a Política Nacional de Resíduos Sólidos São José dos Campos e a Política Nacional de Resíduos Sólidos Gestão Integrada dos Resíduos Sólidos Este sistema garante tratamento e destino adequado aos resíduos gerados na cidade, de modo que eles não

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS EDUCAÇÃO AMBIENTAL E GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS EDUCANDO PARA UM AMBIENTE MELHOR Apresentação A Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos do Rio Grande do Norte SEMARH produziu esta

Leia mais

NORMA TÉCNICA INSTRUÇÕES PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE SISTEMAS DE TRATAMENTO DE EFLUENTES LÍQUIDOS CPRH N 2.005

NORMA TÉCNICA INSTRUÇÕES PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE SISTEMAS DE TRATAMENTO DE EFLUENTES LÍQUIDOS CPRH N 2.005 NORMA TÉCNICA INSTRUÇÕES PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE SISTEMAS DE TRATAMENTO DE EFLUENTES LÍQUIDOS CPRH N 2.005 SUMÁRIO 1. OBJETIVO 2. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 3. DEFINIÇÕES 4. CONDIÇÕES GERAIS 5. INFORMAÇÕES

Leia mais

OS CUIDADOS COM A ÁGUA NA ESCOLA FUNDAMENTAL PROFESSOR ADAILTON COELHO COSTA

OS CUIDADOS COM A ÁGUA NA ESCOLA FUNDAMENTAL PROFESSOR ADAILTON COELHO COSTA OS CUIDADOS COM A ÁGUA NA ESCOLA FUNDAMENTAL PROFESSOR ADAILTON COELHO COSTA Dantas 1, Mayara; Gomes 1, Márcia; Silva 1, Juliene; Silva 1, Jaciele; 1 Discente do Curso de Bacharelado em Ecologia; 2 Professora

Leia mais

MARCIA CONCEIÇÃO DE SOUZA SILVA

MARCIA CONCEIÇÃO DE SOUZA SILVA MARCIA CONCEIÇÃO DE SOUZA SILVA Ivinhema MS 2011 MARCIA CONCEIÇÃO DE SOUZA SILVA Projeto apresentado no Programa Nacional de Formação Continuada em Tecnologia Educacional PROINFO INTEGRADO III: Elaboração

Leia mais

Jovens cuidando do Brasil

Jovens cuidando do Brasil ação constitui uma parte da política dos três R reduzir, reutilizar e reciclar, depreende-se a necessidade de um trabalho com lixo que se inicie com uma revisão crítica dos hábitos e padrões de consumo.

Leia mais

Poluição da Água Poluição da água é qualquer alteração de suas propriedades físicas, químicas e biológicas, que possa implicar

Poluição da Água Poluição da água é qualquer alteração de suas propriedades físicas, químicas e biológicas, que possa implicar Poluição da Água Poluição da água é qualquer alteração de suas propriedades físicas, químicas e biológicas, que possa implicar em prejuízo à saúde, à segurança e ao bem estar das populações, causar danos

Leia mais

ENERGIAS RENOVÁVEIS: VANTAGENS E DESVANTAGENS

ENERGIAS RENOVÁVEIS: VANTAGENS E DESVANTAGENS ENERGIAS RENOVÁVEIS: VANTAGENS E DESVANTAGENS 1. BIOMASSA O termo biomassa refere-se a uma série de produtos e sub-produtos agrícolas e florestais, assim como resíduos diversos de origem animal e humana

Leia mais

Destinação Adequada de Resíduos Orgânicos

Destinação Adequada de Resíduos Orgânicos Destinação Adequada de Resíduos Orgânicos Compostagem na cidade de São Paulo Comissão do Meio Ambiente Câmara Municipal de São Paulo 23 de maio de 2012 Inspiração para viver em harmonia com a natureza

Leia mais

dicas sustentáveis Como crescer com práticas responsáveis

dicas sustentáveis Como crescer com práticas responsáveis dicas sustentáveis Como crescer com práticas responsáveis Um desafio que envolve você! Compartilhamos os mesmos espaços e problemas, mas também as soluções. É fundamental ter atitudes responsáveis, suprindo

Leia mais

Aula 19 Conteúdo O homem e o meio ambiente. Principais problemas ambientais do mundo.

Aula 19 Conteúdo O homem e o meio ambiente. Principais problemas ambientais do mundo. CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Unidade IV Natureza sociedade: questões ambientais. Aula 19 Conteúdo O homem e o meio ambiente. Principais problemas ambientais do mundo. 2 CONTEÚDO

Leia mais

SEPARAR PRA QUÊ? Idealizadoras. Eduarda Ramires Silveira. Evelyn Victória Cardoso Lopes. Mel Suzane Santos Marques. Voluntários

SEPARAR PRA QUÊ? Idealizadoras. Eduarda Ramires Silveira. Evelyn Victória Cardoso Lopes. Mel Suzane Santos Marques. Voluntários SEPARAR PRA QUÊ? Idealizadoras Eduarda Ramires Silveira Evelyn Victória Cardoso Lopes Mel Suzane Santos Marques Voluntários Joyce Thaís Mendes Alves Sílvia Rocha Pena Rodrigues Luíza Almeida Dias de Carvalho

Leia mais

Universidade e escola: práticas pedagógicas voltadas para as ações sustentáveis

Universidade e escola: práticas pedagógicas voltadas para as ações sustentáveis P á g i n a 36 Universidade e escola: práticas pedagógicas voltadas para as ações sustentáveis Silvio Ronney de Paula Costa * Resumo: Este artigo aborda a urgente implementação de um amplo esforço educacional

Leia mais

-- De São Paulo a Santos -- Colégio Santa Clara Prof. Marcos

-- De São Paulo a Santos -- Colégio Santa Clara Prof. Marcos -- De São Paulo a Santos -- Colégio Santa Clara Prof. Marcos São Paulo tem déficit de água Região Metropolitana de São Paulo População: aprox. 20 milhões Consumo médio de água: 73 mil litros por segundo

Leia mais

EDUCAÇÃO EM SAÚDE NO SUS BINGO DA ÁGUA

EDUCAÇÃO EM SAÚDE NO SUS BINGO DA ÁGUA EDUCAÇÃO EM SAÚDE NO SUS Desenvolver ações educativas e de mobilização social é disseminar informações visando o controle de doenças e agravos à saúde e fomentar nas pessoas o senso de responsabilidade

Leia mais

Localização Estoques Hídricos

Localização Estoques Hídricos ÁGUA USO RACIONAL FUNDAÇÃO RELICTOS Ciclo da Água Estado Físico da Água. Localização Estoques Hídricos Água no Mundo Água no Nosso Corpo 74% do nosso corpo também é constituído de água. Assim como a água

Leia mais

Desvio de Óleos Lubrificantes Usados ou Contaminados

Desvio de Óleos Lubrificantes Usados ou Contaminados Desvio de Óleos Lubrificantes Usados ou Contaminados Aspectos Ambientais e Sociais Nov/2006 Óleos Lubrificantes Usados ou Contaminados (OLUC's) são... Resíduo inevitável do indispensável uso de lubrificantes

Leia mais

Programa Lixo e Cidadania

Programa Lixo e Cidadania Programa Lixo e Cidadania São Bernardo do Campo (SP) Elisabeth Grimberg e Sonia Lima in Segurança Alimentar e Nutricional: a contribuição das empresas para a sustentabilidade das iniciativas locais Fechar

Leia mais

SUSTENTABILIDADE EM UMA INDÚSTRIA AUTOMOTIVA

SUSTENTABILIDADE EM UMA INDÚSTRIA AUTOMOTIVA SUSTENTABILIDADE EM UMA INDÚSTRIA AUTOMOTIVA Fabíola Santos Silva 1 Márcio Santos Godinho 1 Sara Floriano 1 Vivian Alves de Lima 1 Akira Yoshinaga 2 Helio Rubens Jacintho Pereira Junior 2 RESUMO Este trabalho

Leia mais

CONSCIÊNCIA LIMPA: RECICLANDO O ÓLEO DE COZINHA

CONSCIÊNCIA LIMPA: RECICLANDO O ÓLEO DE COZINHA CONSCIÊNCIA LIMPA: RECICLANDO O ÓLEO DE COZINHA ANUÁRIO DA PRODUÇÃO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DISCENTE Vol. 13, N. 17, Ano 2010 Priscila Oliveira de Godoy Katiucia Oliskovicz Vânia Maria Bernardino Wellington

Leia mais

Ambiental. Cartilha. Aquecimento Global. Saiba como reduzir ou até neutralizar suas emissões de Co2. Vamos deixar um futuro melhor para nossos filhos?

Ambiental. Cartilha. Aquecimento Global. Saiba como reduzir ou até neutralizar suas emissões de Co2. Vamos deixar um futuro melhor para nossos filhos? Cartilha Ambiental Vamos deixar um futuro melhor para nossos filhos? Saiba como reduzir ou até neutralizar suas emissões de Co2 Com atitudes simples você pode contribuir para diminuir sua emissão de CO2,

Leia mais

PRODUÇÃO DO SABÃO A PARTIR DO ÓLEO DE COZINHA: ATIVIDADE DESENVOLVIDA NO DIA NACIONAL DA RESPONSABILIDADE SOCIAL

PRODUÇÃO DO SABÃO A PARTIR DO ÓLEO DE COZINHA: ATIVIDADE DESENVOLVIDA NO DIA NACIONAL DA RESPONSABILIDADE SOCIAL PRODUÇÃO DO SABÃO A PARTIR DO ÓLEO DE COZINHA: ATIVIDADE DESENVOLVIDA NO DIA NACIONAL DA RESPONSABILIDADE SOCIAL G8- Espaços Educativos, Currículo e Formação Docente (Saberes e Práticas) * Gezyel Barbosa

Leia mais

COMPOSTAGEM: Reciclagem de Resíduos Orgânicos. VI EcoSP Anhembi 13 de novembro de 2012

COMPOSTAGEM: Reciclagem de Resíduos Orgânicos. VI EcoSP Anhembi 13 de novembro de 2012 COMPOSTAGEM: Reciclagem de Resíduos Orgânicos Cláudio Spínola VI EcoSP Anhembi 13 de novembro de 2012 Desmatamento Esgotamento dos recursos naturais Destruição da Camada de Ozônio Situação Atual Extinção

Leia mais

Crédito Imobiliário do HSBC apresenta: Sustentabilidade em Casa

Crédito Imobiliário do HSBC apresenta: Sustentabilidade em Casa Crédito Imobiliário do HSBC apresenta: Sustentabilidade em Casa Seja bem-vindo ao Guia Sustentabilidade em Casa do HSBC. O Guia Sustentabilidade em Casa é uma iniciativa do Crédito Imobiliário do HSBC

Leia mais

Projeto de Capacitação de Crianças e Adolescentes sobre Socorrismo, prevenção de acidentes, Defesa Civil e Cidadania

Projeto de Capacitação de Crianças e Adolescentes sobre Socorrismo, prevenção de acidentes, Defesa Civil e Cidadania R e s g a t e M i r i m Comunitário Projeto de Capacitação de Crianças e Adolescentes sobre Socorrismo, prevenção de acidentes, Defesa Civil e Cidadania 1 B E L O H O R I Z O N T E, S A N T A L U Z I A

Leia mais

Curso de Desenvolvimento. sustentável.

Curso de Desenvolvimento. sustentável. 50 Série Aperfeiçoamento de Magistrados 17 Curso de Desenvolvimento Sustentável Juliana Andrade Barichello 1 O objetivo deste trabalho é discorrer sobre os principais pontos das palestras proferidas sobre

Leia mais

Instituto de Responsabilidade Social Sírio-Libanês AÇÕES SUSTENTÁVEIS DO HOSPITAL GERAL DO GRAJAÚ

Instituto de Responsabilidade Social Sírio-Libanês AÇÕES SUSTENTÁVEIS DO HOSPITAL GERAL DO GRAJAÚ Instituto de Responsabilidade Social Sírio-Libanês AÇÕES SUSTENTÁVEIS DO HOSPITAL GERAL DO GRAJAÚ Autores: Raphaella Rodrigues de Oliveira Gerente de Hotelaria; Rafael Saad Coordenador Administrativo.

Leia mais

Tipos de Energia. Gravitacional; Elétrica; Magnética; Nuclear.

Tipos de Energia. Gravitacional; Elétrica; Magnética; Nuclear. Fontes de Energia Tipos de Energia Gravitacional; Elétrica; Magnética; Nuclear. Fontes de Energia Primaria fontes que quando empregadas diretamente num trabalho ou geração de calor. Lenha, para produzir

Leia mais

"PANORAMA DA COLETA SELETIVA DE LIXO NO BRASIL"

PANORAMA DA COLETA SELETIVA DE LIXO NO BRASIL Reciclagem e Valorizaçã ção o de Resíduos Sólidos S - Meio Ambiente UNIVERSIDADE DE SÃO S O PAULO "PANORAMA DA COLETA SELETIVA DE LIXO NO BRASIL" Associação sem fins lucrativos, o CEMPRE se dedica à promoção

Leia mais

FACCAMP - FACULDADE DE CAMPO LIMPO PAULISTA CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO FINANCEIRA Campo Limpo Paulista - Maio 2013

FACCAMP - FACULDADE DE CAMPO LIMPO PAULISTA CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO FINANCEIRA Campo Limpo Paulista - Maio 2013 FACCAMP - FACULDADE DE CAMPO LIMPO PAULISTA CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO FINANCEIRA Campo Limpo Paulista - Maio 2013 DISCIPLINA - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL Integrantes: Adriano de Oliveira RA: 14759 Karina

Leia mais

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CURSO DE BIOLOGIA (EAD)

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CURSO DE BIOLOGIA (EAD) UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CURSO DE BIOLOGIA (EAD) TRABALHO DE BIOLOGIA GERAL RAQUEL ALVES DA SILVA CRUZ Rio de Janeiro, 15 de abril de 2008. TRABALHO DE BIOLOGIA GERAL TERMOELÉTRICAS

Leia mais

Projeto Sementes Categoria

Projeto Sementes Categoria Banrisul S/A Porto Alegre (RS) Projeto Sementes Categoria Conservação de Recursos Naturais 1. Sobre a organização participante: Razão social: - BANCO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Nome fantasia: - BANRISUL

Leia mais

O ENSINO DE GEOGRAFIA E A DISTRIBUIÇÃO, DISPONIBILIDADE E USO DA ÁGUA: RELATO DE EXPERIÊNCIA

O ENSINO DE GEOGRAFIA E A DISTRIBUIÇÃO, DISPONIBILIDADE E USO DA ÁGUA: RELATO DE EXPERIÊNCIA O ENSINO DE GEOGRAFIA E A DISTRIBUIÇÃO, DISPONIBILIDADE E USO DA ÁGUA: RELATO DE EXPERIÊNCIA Elaine Aparecida Ramos elaineramos89@gmail.com Taison Luiz de Paula Braghiroli taisonbrag@gmail.com Resumo:

Leia mais

Relatório de Sustentabilidade 2014

Relatório de Sustentabilidade 2014 1 Relatório de Sustentabilidade 2014 2 Linha do Tempo TAM VIAGENS 3 Política de Sustentabilidade A TAM Viagens uma Operadora de Turismo preocupada com a sustentabilidade, visa fortalecer o mercado e prover

Leia mais

MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE

MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE Sustentabilidade significa permanecer vivo. Somos mais de 7 bilhões de habitantes e chegaremos a 9 bilhões em 2050, segundo a ONU. O ambiente tem limites e é preciso fazer

Leia mais

Ideal Qualificação Profissional

Ideal Qualificação Profissional 2 0 1 1 Finalista Estadual - SP Categoria Serviços de Educação 2 0 1 2 Vencedora Estadual - SP Categoria Serviços de Educação 2 0 1 2 Finalista Nacional Categoria Serviços de Educação Apresentação O desenvolvimento

Leia mais

SEMA SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE SEMEC SECRETARIA DE EDUCAÇÃO E CULTURA PARCERIA - PREFEITURA MUNICIPAL DE ÁGUA DOCE DO NORTE

SEMA SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE SEMEC SECRETARIA DE EDUCAÇÃO E CULTURA PARCERIA - PREFEITURA MUNICIPAL DE ÁGUA DOCE DO NORTE SEMA SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE SEMEC SECRETARIA DE EDUCAÇÃO E CULTURA PARCERIA - PREFEITURA MUNICIPAL DE ÁGUA DOCE DO NORTE PROJETO DE IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA NO MUNICÍPIO DE ÁGUA DOCE DO NORTE

Leia mais

Site Terra, 05 de Junho de 2013

Site Terra, 05 de Junho de 2013 Site Terra, 05 de Junho de 2013 Mesmo com data para acabar, lixões subsistem no Brasil. Mais da metade dos municípios brasileiros não impõe a destinação adequada ao lixo. Assim, cerca de 75 mil toneladas

Leia mais

TOMO II SUMÁRIO DO ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL EIA

TOMO II SUMÁRIO DO ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL EIA TOMO II SUMÁRIO DO ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL EIA 5. IDENTIFICAÇÃO E AVALIAÇÃO DOS IMPACTOS AMBIENTAIS 5.1 5.1. METODOLOGIA 5.1 5.2. IDENTIFICAÇÃO DOS IMPACTOS AMBIENTAIS 5.3 5.3. DESCRIÇÃO DOS IMPACTOS

Leia mais

ESTUDO DA QUALIDADE DA ÁGUA COMO REFERNCIA PARA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO ENSINO DE QUÍMICA

ESTUDO DA QUALIDADE DA ÁGUA COMO REFERNCIA PARA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO ENSINO DE QUÍMICA ESTUDO DA QUALIDADE DA ÁGUA COMO REFERNCIA PARA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO ENSINO DE QUÍMICA Maria S. B. DUARTE 1 Ana Maria G. D. MENDONÇA 2, Darling L. PEREIRA 3,, Aluska M. C. RAMOS 4 José J. MENDONÇA 5 1

Leia mais