!!"#$%&'(! ')$'*'+!%!*,-./'*%&'!+!(%*+%#*(! 0+(*(!#!)'12(!#1*,*2!$!*3

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "!!"#$%&'(! ')$'*'+!%!*,-./'*%&'!+!(%*+%#*(! 0+(*(!#!)'12(!#1*,*2!$!*3"

Transcrição

1 !!"#$%&'(! ')$'*'+!%!*,-./'*%&'!+!(%*+%#*(! 0+(*(!#!)'12(!#1*,*2!$!*3!3#!)'120!%+'4$#!'('&-'& ) ' /&'&')*'('*)''4!+'12#!* '4'!+*&'*&'$-* 4!'(* %+!% ( #1 '#5* 6.%* 4$#!* *2!+%'(* #*+!%!+!'+'60*(!) '!'!+'&-' '('(!&'1' /'!3 #!)'12 0!'$%7'(' '+'60* ( 6%!+ (! +'12 (! ) ' /&', & #% %( ' &-' &')*'( *!)!*!%$-'!+!+%'(' (* &'*&'$-* 4!'(* 0!'$%7'(''+'60*(/ /!% (! $)%( (! #!)'12 '+'60* (* +)/* (! #!)'12 8)!!+' #!$!*#'1!+! ')$' (' &$)' (! #!)'12! #1 #!)'(!9' )!*8)! ''%4)': "#$! 0+(#!&)**%6%#%!% 0+()+%$%7'(#'''#!)'12(! #1* '%(;*+%'(#!+5$! #'+%(! <, 8)'(('#!)'12(

2 #%!%#1#!$ 0+(+'+%6,!*+! 0+(#'**)4'('+%6'!+!'*! #'(2'%(;*+%',*!()+%$%7'('*#!)'1=!*'+)'%* 0+( +'+%6&*%*+!! "! # $ % & " $!! %4)':> *+') '%$)*+'12(!) #1*!(#!)'(#!$'!'!+' % & Curso Prático & Objetivo ('! *%+!3 -++#3BBCCC-'$$%/)+& B#)/$%&B**B&+!+*B'+'D-!!+*BC!/B?E#(F %4)':>3$)*+'12(!) #1*!(#!)'(

3 ' (() #!'12(!#!)'12(!#1*0!'$%7'('#*('*(!#!)'12, 8)!#**)! #!*+)+)'*8)!! &9)+!'$%7' ''+%6%('(!(! #!)'12(!#1*!*) %('!+!'*('(!#!)'12(!6!#**)%!8)%#'!+*)!*+)+)'*&'#'7!*(!3 '7!'*+)/*(!#!)'12'*!! )+%$%7'(*G $!6'!#*%&%'!*+!*+)/*(!#!)'12G %4)' :H *+' ) ' %$)*+'12 (! ) ' *(' (! #!)'12, %!$%7!+! * +! *!*+2! %4$I*(!6%( J +!(' >KF ) '+'()12.#%('+! *3 &( & &( &!%&L '*+ )(#) #* M /'*(!$' ' '6!$%4/$&L '+'%' )(#%+* '8)!*(!$' ' C/$&L M$&(!&'!+ 4%!* +!* +'N+'/$!!*'+'+%6' %$$/%+ M&'(!#!)'12 *!*+)+)'*('*('8)!#! %+! (!*!6$6%!+('#!)'12 (*#1*#(! *!(%6%(%('*! *%*+! '*!(!+!!$!*+! *3 ' %*+! '(!)*+!+'12(!'4'* / %*+! '(!6%!+'12(!'4'* & %*+! '(!+'12 ( %*+! '(!%&)$'12(!$)%(*! %*+! '(!%+'!+ %*+! '(!!4)'1'(!)#!A&%! 4 %*+! '(!!'12(!!4%' '

4 %4)':H3$)*+'12(!) '*('(!#!)'12 ' ()" &$)'(!#!)'12 0& #*+'#!$' 9)12(! 6.%* +)/*(! #!)'12,+!(! *)'!"+! %('(!'/&'*+!*+)/*(!#!)'12 '#!*!+' '%*(!L4F,!& '&$)'0& #*+'# (!7!'*)&!+!'*(!*+!*+)/*,#!*'*!*)#+'(8)'(('(!*&%(' )!+%'('(!) '&$)'(!#!)'120!!)12(*%*+! '(! *)*+!+'12(!&'4'*0*)#+'!+'*!%+('*'*&'4'*'*!! %1'('* ()'+!'#!)'12 (

5 *%*+! '(!*)*+!+'12(!&'4'*0& #*+!*) %('!+!#!$* *!4)%+!*!8)%#'!+*3 ' * 3 )*+!+' #!* ('* &$)'* (! #!)'12! (!!6!*+%!+,!&!(+' /0 ) ' '$+)' *)%&%!+! #'' ')*!% (* +)/* %1'(* )'+!'* '/'* >,'&$)'!+%'(', 8)! *!. (!*&%(' #*+!%!+!#1,0'#%'(' '*+('*(',! ) $&'$ &-' '( (!?, & )&%.% 8)! +'/'$-'!*+! $&'$ 0 &-' '( (! +%*+', 0 & ) &-' '?(!!*'( +%*+' '*+('*('#(! *!/*!6'('%4)''$'( / +3O!*#*.6!$#'#%' '*+!!&!/!'**)'* &'4'* *)/!*+)+)' (!6! #! %+% )!*#'1'!+!+! ' *)#!A&%!!'!*'+'+%6',#''8)!#**'*!%*+'$'(*%*+! ' (!*!4)'1'(!*)#!A&%! ' %4)' :#(! * 6!#'+!(' *)#!%('*)/!*+)+)'(!*2&!&+'(**+)/*,'&'('* '*&$)'*,!+!)+'*'+%6%('(!*,!%,(!*2!'$%7'(*/' #'+!(*+'/'$-**)&%.%*8)!(!*! #!-'!*+'*+'!'* *2&-' '(*(!#$'+' %*+'* &, 3 *#'1(' $&'12!*!6'(#''' '7!' * +)/*' *!! )+%$%7'(* )*)/*+%+)A(*()'+!'#!)'12(#1 * +)/*!*+'$!%'(*%&' */!6%4'*#''#! %+%*!)%1'!+ #'''.!'( '*+ Curso Prático & Objetivo %4)':3'*+('(' > #!'12!'$%7'('8)'('&$)'(!#!)'120!+%'('(#1!0(!*&%('! *!4)%(',& &'*(!*)/*+%+)%12(!/&'* )

6 '' (! ()" )'+!#&!**(!#!)'120!&!**.%8)!,J!(%('8)!' /&''#)(' ' '12, * +)/* 8)! ''&$)'(!#!)'12 +' /0 +!-' (!*! 6%!+',!*+!&'*#''/'%" *%+)'1=!*(!!+%'('('&$)'(!#!)'12,#''!+%'('('/&'#!"! #$,0!&!**.%8)!-'9') *%*+! '&'#'7(! 6%!+'!*+'&$)' #''&% '*%*+! '(! 6%!+'12(!&'4'*#**)%!"'+'!+!!*+' )12,)*!9',*!&'#'7(! (! '%*'&!**5%*8)!!!&!**.%*F,!0& #*+#!$**!4)%+!* & #!+!*3 Curso Prático & Objetivo '. 3 '/(!'1 +'1'(#!*' 4)%&-! ) '!"+! %('(!!#!*') &'!+!$&+!(&'/6! )+' O &'/(!#!)'12 8)!*!.!$'( )(!*!$'( #''#! %+%' 6%!+'12(*!8)%#'!+* 56!%* / / 04)%&-0!*#*.6!$#!$')(!*!$'&'/ (!#!)'124)%&-'#!*!+'+' /0 ) *%*+! '(!!%* 8)! #! %+! &+$' ' 6!$&%('(! & 8)! *! *+'&'/(!#!)'12!$'( 4)%&-*+!)&%.%8)!'#'!&!'%4)'0&-' '((! *('(,!!*#*.6!$#&+$'*#'P!+*(!#!)'12, 6%!+''&'+'%',&(!' * +'/'$-*(*#$'+' %*+'*, %+'*(%6!***%*+! '*!6'%.6!%*,!+!)+'*'+%6%('(!* %4)':3)%&-,&'/(!#!)'12!*('( -

7 & 2 3/$&(!&'!+%&'%"'#'+! *)#!%( '*+!0 '(#) &9)+(!#$%'*#(! #'**' &'/ (! #!)'12 %4)' :Q *+' /$& (! &'!+ ( 3!*#*.6!$#*)*+!+'(%!+'!+! * +)/*'*!! (!*&%(*#1!#! %+%' 6%!+'12#''&% '!#''/'%" '*+&'+'%'+' /0 0& #*+'#) *%*+! '(!#$%'*, #0 20%"'! $)4''$4),*!(*)*+!+'('#!$&'/(! #!)'12 8)!#'**'!+!*)'*#$%'* %4)' :K *+'' &'+'%'! / 3'7'$%4'12('*&'4'*'*!! *)*#!*'*J&'+'%', +!( ' )12 (! '/*6!!6!+)'%* &-8)!* 8)! #**' '&+!&! O & ) ' &'+'%'! 4'&- '! ) *5 &9)+,!'**% *+'+'! *('8)% #(%'+!&-' '(:* '#!'*(!&'+'%' +33 *%*+! ' (! 6%!+'12 (! &'4'* *C%6!$ 0 Curso Prático & Objetivo!*#*.6!$# '7!' $%4'12!+!'&'+'%'! R* +)/*(! #!)'12S8)!*2(!*&%(*#1%4)':E *+'*C%6!$ %4)':Q3M$&(!'!+ 1

8 %4)':K3'+'%' %4)':E3C%6!$ +! 8)!'*%4)'*2!*+2'!* '!*&'$','**%,'&'+'%' (!6!#**)%&!&'(!>,!+*(!'$+)'!*C%6!$&!&'(!,<!+* *+'* %4)'* '!+%'('* (' '#!*!+'12 (!4!-!% ('!+/'*!'+'*'! #'$!*+'#!%'J! $%'5#$%*! (! '4*+ (! >, (%*#A6!$ ' %+!!+!(!!13 -++#3BBCCC#!+$!)*&/B#'$!*+'*B>DED#(, '&!**'(! BHB>K '* ( +'12'/&'0!&%(''+'60*(*%*+! '(!+'12*%*+! ' )*)'$(!+'* %+%+'12J/&','**('*(!+!' *!+2 *%*+! '(!+'12'+'60*('!*'+'+%6'!! *!4)%('6!! *8)'%*'* )+'* '*(!+'* %+%+'12J/&'**%,!*+!*%*+! '0& #*+ #!$**!4)%+!*!8)%#'!+* ' *5 3O!8)%#'!+!*#*.6!$#4!' 6%!+ +'+%6, +'* %+%(: RJ&$)'(!#!)'12S $0 (! 4!'' +'12,'!*' +'+%6'(!6!#! %+%'*)' $%6! 6%!+'12(' 4

9 R&$)'(!#!)'12S#''(!*&%(')!+%'('(!+)/*!*' +'+%6'#(!*!6%*)'$%7'(''%4)':< / 783! 6!%%&' * ' %4)' :< 6!! * 8)! R' &$)' (! Curso Prático & Objetivo #!)'12S#'**'#(!+('!*'+'+%6',!&!/!(*!) 6%!+ (! +'12, 8)! *!. +'* %+%( '+0 ' /&' +)%+%6'!+!*'/! *8)!*!%' '%*.&%$4%') +)/*!*)' *!12**!8)'('(','%60*(!&%&)$'+)/T!$$N#**)%!*+! '+,+'+':*!(!) +)/& *!128)'('(')-!"'4'$8)!!&!/!' +'12('!*' +'+%6'! +'* %+!#'' * +)/*(! #!)'12'%4)':<,8)!6! *#'**'(#!$'!*'+'+%6' ' 6!('(! 0 +)/ T!$$N,! 2 ' &$)' (! #!)'12 ##%'!+!(%+',#%**'*'*#'*&!1('!"#$%&'12 %4)':<3!*'+'+%6'!+)/T!$$N & +33*C%6!$!*+.$%4'((%!+'!+!'L!$$N! *)'#'+! %!%!,& 6% **%*+! '(!*)*+!+'12(!&'4'*,+' /0!*+. $%4'( J&'+'%'! *)'#'+!*)#!% *C%6!$ 0!+2!*#*.6!$+' /0 #'7!'$%4'12!+!*!$!!+*4%'+!* )+' '(! +'*!% +'12 J&$)'(!#!)'12 0')+%$%7'12 (!)!8)%#'!+&-' '((! #%6!0 /'*%&'!+!) +&'#'7(!4!''+'12,%&'(#*%&%'('/'%" (*C%6!$&6!&%'$''*)#+'+8)!!'&%'$('+'12('&$)' 6

10 (!#!)'12, # %6!(!*$%7'*/!(%* +%$-* %"'(*' '*+(' *(',&!#(!*!/*!6'('%4)': ' +'12 4!'(' #!$ + 0 +'*!%(' (%!+'!+!'#'+!*)#!%(' &$)'(!#!)'12,#(! * )+%$%7' '/'%" ( + (%!+'!+! * +)/* (! #!)'12 **%, # %6! (%*#!*' ' )+%$%7'12 ('!*' +'+%6'!(T!$$N,'$0 (!)+!8)%#'!+ 2!&%'( '+!%!+!&-' '((!/)&-' (T!$$N '4'(!6'+'4! ( # %6! 0 8)!, ' *!!&!**.%'(%&%' '%*+)/* ' &$)' (! #!)'12, #(! *'(%&%'+I*+)/*(! ) '*56!7,(%!!+!!+!(' #!)'12 &!*' +'+%6' 8)'+ #(! * '(%&%' '#!'* ) +)/ (! &'(' 6!7 *+ +' ' #!)'12 '%*.#%(' )+'6'+'4! ( #%6!0'#**%/%$%('(!(!!+%'(!*&!' &$)'(!#!)'12+'&%'('&$)')&%&)$'($)%((!#!)'12 ()'+! '/'*#!"! #$ *+ 2!'#**A6!$)+%$%7'('!*' +'+%6',! 0 )('!+'$ #'' &'** (! #1* '$+'!+! %&$%'(* ) -%7+'%* Curso Prático & Objetivo %4)' :: %*+! ' # %6!'#%'(#!$' &'+'%'!*C%6!$&6!&%'%* #(! */*!6',')+%$%7'12( #%6!+'74'-*#''' #!)'12,! & &*!8UI&%', *('*!8)%#'('* & # %6! '#!*!+' +'"'* (%.%'* '%*!$!6'('* 8)'+ 8)! ) ' *(' (! #!)'12 +!!*+!)+%$%7'(!*' +'+%6'#(!&)*+'! +(! VB(%',) '*('& #%6!&)*+'! +(!HVB(%' 9:

11 )+'/*!6'128)!!!&!*!!%+'08)!,'#!*'(! #%6!+! (!*! #!-*)#!%J!*'+'+%6',*('*!8)%#'('*& #%6! '#!*!+' +' /0 '!*'+'+%6'& *%*+! '(!/'&L)#'*-'9' '$4) '!&!**%('(! (! +'&%' ' &$)',! # %6! 2!*+!9' (%*#A6!$,)+%$%7':*!'!*'+'+%6' 0+( +'+%6(!#!)'12,&!'#!*!+'( &!1 (!*+!%+!,&*+'! '#$%&'+'12J/&',#''8)!!*+''4!+!' &-'*(%* 0+(*'#!*!+'(*'+0'4',!*'+'+%6'!+#(%6!,' +'12!''#$%&'(' J&$)'(!#!)'12!!*+' +'* %+%'' +'12 J /&' "%*+! *%+)'1=!*! 8)!*!(!*!9'8)!'#!'*'/&'4%!,%&'(' &$)'(!#!)'12*)/!+%(''#!'*' 6%!+(!*)/%('!(!*&%('!' ) ' +'12 A% '!&!**.%' J #!)'12, (% %)%( /'*+'+! *!) (!*4'*+!*+!/9!+%60&*!4)%('+'60*(')+%$%7'12(!)!8)%#'!+ &-' '( +(!)( &$&'( '&% ' (' /&', *!( /'*%&'!+! ) + -%(.)$%& 8)!!&! +'12 ' #'+% (' #'**'4! ( $)%( (! #!)'12 #!$ *!) %+!% %4)' : *+' +(!)( '&#$'( ' /&'! *%*+! '(!!$'*+W!* 8)! 4!' ' 6%!+ +'+%6 ' *! %4)':3+(!)(!*%*+! '(!!$'*+W!* '+'6!**'( #!$ $)%( (! #!)'12 *+' %4)'!*+. (%*#A6!$! 3 -++#3BBCCC)#!4)/B(C$'(*B(!8HKB#'$!*+'D(D$)&%'D#%!%'D#' +!#( 99

12 '# ( ++ 0+( +'+%6,'! 12(*&'*&'$-* 4!'(* %+!%( #1(!6%(J#!)'12!'4!+'12('&-'0!%+'9)+'!+!&!+ ( $)%( (! #!)'12, & )!+! &-' '( (! $' ', 8)! 0 / /!'(#!$%+!%('&$)'(!#!)'12 * $)%(*(!#!)'12*2' '7!'(* * +'8)!*(! $' '! / /!'(*'+'60*('*/ /'*(!$' ''%(('/ /'(!#!)'12*! (!*$&' #+)/)$'1=!*'+0!+''&$)'(!#!)'12'+'60*(*C%6!$,! *)'#'+!*)#!%8)!24%' *C%6!$!*+.&!&+'('T!$$N,!*+!$)%((!#!)'12!+''&$)'(!#!)'12!#'**''*!(!*$&' #!$*!)%+!%,*'%(#!$'/&'!!+'(#!$!*#'1!"%*+!+!!+! #1#!)'(!'&$)'(!#!)'12,!+'(J*)#!A&%! *& #!+!*(*%*+! '(!&%&)$'12(!$)%(**2!+23 ;! <0!*#*.6!%* # ' '7!' $)%( (! #!)'128)!*!.%9!+'('&$)'(!#!)'12 / 2 ' '3!*#*.6!%*#/ /!'$)%((!#!)'12 ; 23 *C%6!$!*+. $&'$%7'( '*+('*('! ) ''$+)'!$!6'(',0!&!**.%8)!'+)/)$'128)!*'%(' / /'(!$' '$!6!$)%((!#!)'12'+0!*+''$+)'+)/ /!4'$' 0 ) +)/ (%*#*+ ' 6!+%&'$ 8)! $!6' $)%( (! #!)'12'+0''$+)'( '*+('*(' +33 6% *,*C%6!$0+' /0!*#*.6!$##! %+%' %9!12(' $' ' '&$)'(!#!)'12'+'60*(!) '!+'(' (%*#A6!$! *)'$'+!'$%"',&-' '((!4*!!&L )/*%*+! '(!+'+'!+3#5*!+'! #!$!*#'1')$' &$)'(!#!)'12#1'/!+,'$' '(!#!)'12(!6!*! +'+'('#''#(!*!6'!+!!%9!+'('#5$*)/*%*+! ' (! +'+'!+ 0!*#*.6!$# +'+' * $)%(* 8)!!+' ( #1 %*+)'(*& *&'*&'$-*#!)'(**+!*)/*%*+! '0 & #*+ # #!!%' 6%/'+5%',!8)%#'!+* (!! 12 (! *!(%!+*,!&!+A)4'* *%*+! '(!&%&)$'12(!$)%(*#(!*!'& #'-'('%4)': >,+' /0 /+%(''+'60*('#'$!*+'(!4!-!%!'+'*',&%+'(' '+!%!+! 9

13 %4)':>3%*+! '(!%&)$'12(!$)%(* 9'

14 ', () () *%*+! '(! %+'!+0 '(/'*%&'!+!#!$ *+!#'%!$'#!*!+'% '1=!*'!*#!%+(*#'P!+*(! #!)'12& 3#!**/!'/&',('!*'+'+%6',+8)!*,#!**2 (!/ /!%,6'72('*/ /'*,!+&%4)':H *+') '#'+!(#'%!$ (*('( Curso Prático & Objetivo %4)':H3'%!$(*('( '- (") *%*+! ' (! *!4)'1' (! #1 +! ' %'$%('(! (! #+!4! ' *)#!A&%!(!!6!+)'%*!)#1=!*8)!#**' &!()'+!'#!)'12( #1*%*+! '(!*!4)'1'(!#10& #*+/'*%&'!+!#(%* &9)+*,*2!$!*3. 0 6!! *! %+!*#*+!%!*,'#!)'12 (!) #1(!#!+5$!0!'$%7'('! (%6!*'*'*!*,8)'(*2 (!*&%('*'*&$)'*(!!6!*+%!+#'+!*)#!%(#1,$4 '&% ' (' *)#!A&%!, 0 & #*+' # (%6!**!8)%#'!+*!*#*.6!%* #!$' '&'4!! 6!('12 ('* &$)'* (!!6!*+%!+ (! *)#!A&%!, *2 '* &-' '('* &'/!1'* (! 9(

15 !6!*+%!+! &'/!1' (! #()12 *+!* %+!* *!2!$- '#!*!+'(*8)'(!*+)(' *'#'+!(!& #$!+'12(!#1* 2.%2 3.&0M0)!8)%#'!+)('!+'$ #''*%*+! '(!*!4)'1'(!*)#!A&%!)'%'$%('(!0#! %+%!&-'!+(#1! *%+)'1=!*(!!!4I&%'& L%&L*) /$C)+* '. (%)"!!4%'!&!**.%' #'' )&%'!+ (! /' #'+! (!*+!*!8)%#'!+*0!&%(''+'60*(*%*+! '(!4!'12(!!!4%'*+'!!4%',4!'$!+!,0!&%(''+'60*(! +!*'(%!*!$(!&!,! &'*(!*('*+!!*+!*,('!!4%'*!!&%(''+'60*('!(!!$0+%&' $&'$ * +) &$)'(!#!)'12 0 '('#!$&9)+/&'! +)/*(! #!)'12 *)'!"+! %('(!*)#!%$%4':*!'+)/T!$$N&'*(' )+%$%7'12('!*'+'+%6',)' +(*%*+! ' #%6!&'*!*+!!*+!9' *!()+%$%7'( &$)'(!#!)'12,'$0 (!*!!*#*.6!$(%!+'!+!#!$' #!)'12(#1,'+'60*('/&',!&!+' /0!%#''8)!$)%( (!#!)'12*!9'%9!+'(!$'12 J**)'*&''&+!A*+%&'*'&$)'(!#!)'12(!6! +!!*%*+I&%'*)%&%!+!#''*)#+'!$!6'('**$%&%+'1=!*,'#!*!+'&!+ #!*#''8)!#**'*!'#$%&'(*/!'/&'(! ''')"%$%' #&!**(!#!)'12!,'$0 (%*+,#!&%*'#**)%&!+'$!"%/%$%('(!#'' &'*('*#!)'1=!*(%!&%'%* ''(!*! #!-'!*+'*)1=!*!#**)%!*+'*&''&+!A*+%&'*,* +)/*(!#!)'12)'*/&'*2*2+(*%4)'%*,&!6!! ** %+!**!4)%+!* * &/ M'*%&'!+!+! *+I*+%#*(!+)/*(!#!)'12,8)'%**!9' 9)

16 +I*+%#*(!+)/**2)+%$%7'(*! ) '!* '&$)'(!#!)'12,#%* & 6!! *&'(') (!$!*+! ) ')12!*#!&A%&' *+!* +)/* )+%$%7'(* ' #!)'12 (* #1* (!6! #! %+% '!"%*+I&%'(!) &''$(!$)"! *!)%+!%#''(!*$&'!+(* $)%(*(!#!)'12)'*&!"=!*(!6! *!.&!%*(!*!!!'$%7'('*, #0 (!6! '#!*!+'!*%*+I&%'*!!$-'+!'&#(+)/#''2*! &*+%+)A! #+* '&* '&$)' **%,*!9' 8)'$ +%#(! +)/ )+%$%7'(,+(*(!6! +!!*+'*&''&+!A*+%&'* *& '('/&'2 +)/*/'*+'+!#!*'(*!*)'#%&%#'$)1209)*+'!+!!&!#!*' &$)'(!#!)'12#''8)!#**'*!'#$%&'(#!**/!'/&'!8)!%( 0+( *& '(**2+)/*(! '%(%P!+8)!*(! '%*,'/%&'(*! '+!%'$+' /0 '%*!*%*+!+!!)&#0$%*!2'#!*!+' *'$%I&%'* '* &!"=!* +!(I&%' '+)'$ 0 ' )+%$%7'12 (! & '(*!*#%'$'(*8)!'&%$%+' $)"(!$)%(*!*#'1')$'& '(:#1 '/!+! %% %7'%*&(!#%*2(!&$)'#(%!!&%'$(!#!**2 %4)': *+') '%$)*+'12(!*+!*+)/* &% '(*& '(**2)+%$%7'(**+)/*#!*'(*,)-!'6NC!%4-+ (%$$#%#!**+!*+)/*'#!*!+' ) (%P!+%!%'*& '(*, '* &!"=!**!!$-'+!*,)*!9',) '!"+! %('(!#%,!')+'&'%"' (!+'$-!(*+)/*?X0!1/'*+'+!& ) #!*!+!!%(+)/ ') '+'*%12(! %4%(!7 '&$)'(!#!)'12!+! *& '(*! *(%$$#%#!* 8)!*2 &!&+'(*$4'&% '(!$!* %4)': *+''%$)*+'12(!*+!*+)/* *(%$$#%#!**2!*#*.6!%*#& #$!+''&$)'(!#!)'12 #%#!**2+)/*&!%4%(!78)!*(! '%*!'#!*!+' &!"=!* *!!$-'+!*'*(! 9-

17 %4)': *+') '+(!*+!*+)/*,!'+'/!$': *+')!"! #$(!) '&$)'(!#!)'12/*!6!8)!!*+'+'/!$'2!*+2 (!*&%+**(%$$#%#!*,#%**!*)/!+!(!8)!!*+!*!*+2&!&+'(*'&% ' (*-!'6NC!%4-+!62'+0'*)#!A&%! %4)':3 '(*, )/*!*'(*!%$$%#!*,!*#!&+%6'!+! '/!$':3"! #$(!) '& #*%12(!&$)'(!#!)'12 0 1() 1 (1 2(3 4?YX??YX?,E Z Z E,EE >E H M M,EH,K Q M[ M[ M,QE K,H> M M \,H 91

18 *' 5!!"#$%&'('+!%!+!,'&$)'(!#!)'12'#!*!+'! *)'!"+! %('(!'/&'/&'&')*'''4!+'12('&-'(!6%( ' 6%!++'+%68)!$-!0+'*!%( $)%((!#!)'12(!6!*!/ /!'(#!$%+!%('&$)' (!#!)'12,!*+!$)%((!6!#'**'#!$'/&'#''*!4)%*!)&' %- #''!*#'1')$'**%,'*/&'*,'$0 (!#**)A!! *!)&#'!*+)+)'&+'+!,'#!*!+' +' /0 9'+*,! 4!'$! ;!(!+I*,# (!$)%((!#!)'12*'%. '$4)*+%#*(!/&','%60*(! +! *9'+*,+! *8)!'/&'06'7'('!'#!*!+'&' %-*#!!!&%'%*! *!)&##''!*&'!+($)%((!#!)'12 '('*&$'**%%&'1=!*('*/&'*)+%$%7'&%+0%(' /%$%('(!(! *)'*#'+!*,'**%,+! */&'**! #'+!* 56!%*!/&'*& #'+!* 56!%* 5(1(6! */&'**! #'+!* 56!%*!4$/' '*/&'*%+!4'%*(!$P %' (!'1,#'+%&'!+!2 '%*)+%$%7'('*'#!)'12(!#1*(!#!+5$!, '*/&'*(!(%' '+!*'+)'%*!/&'*(!(%' '+!*'+%%&%'%*,&-' '('* (!/&'* */&'*(!(%' '+!*'+)'%*' %+()7%('*'%(;*+%'(! #!+5$!#''#!)' '1=!* '%*()'*,*!('%(')+%$%7'('*! /&'*!*#!&%'%*#''+!*+! )-'4! */&'* ' %+()7%('* '%(;*+%'& ) ''$+!'+%6' #'' ' #!)'12 (! &-'* '%* $!*, '+%4%(!$!6'('* +'"'* (! #!!+'12!!"&!$!+!6%(';+%$ %4)': *+'+*(!*+!*+%#*(!&-'!*+'%4)'#(! * /*!6'*&''%*(!$)"'/&'(!(%' '+!'+)'$!/%&(!) (* 9'+*('/&' 5(1(6! * /&'* & #'+!* 56!%* *2 '('* 4!'$!+! # ) '!*+)+)'(!+I*&!*8)!4%'! +(!)!%"#5#%,*!(#%** & )!+!&-' '('*(!/&'*+%&W%&'**+'*/&'**2!+2 '('* #*)'!*+)+)'&+'+!!#*!)*$'!+* 94

19 %4)':3M&'(!(%' '+!'+)'$!/&',!*#!&+%6'!+!!$'12.!*+)+)'&+'+!,!*+'*/&'*#(! #**)%(!+!*(! '1,)*!9',*'$%I&%'*8)!(!*! #!-' &+! $('(*#5#%&!, )#(! #**)%%*!+*(!&'/)!+(!+)4*+I%%*+'$'(*!*+!*&!* **% & '*/&'*(!(%' '+!*,'!*+)+)'&+'+!(!+! %'' '#$%&'12('/&',*!9'#'' '1=!* '%*()'*,)*!9'#'' '1=!* '%* $!* %4)':Q *+') (!+'$-!(!*+'*/&'*(!(!+!*(!'1!(! %*!+(!+)4*+I%,!*#!&+%6'!+! *+'*+*' /+%('*'+'60*(**%+!*(*'/%&'+!*(!/&'* %+-! -%*+!*! (!, &)9*!(!!1* ' %+!!+ *23 CCC* %+-/%+*&!CCC(!& / 51 $4) '*/&'**2(!*!-'('*#''%'$%('(!*!*#!&%'%*,& #!"! #$,/&'*#''+!*+! &'*('#%!%'/&'*)'%'$%('(!0&+''&-'(! ('&*!4)% 96

20 Curso Prático & Objetivo!+%') '' *+'#'''*)#!A&%!Z.*'$'4'(!**2)+%$%7'(*8)'( *!(!*!9'')!+'(%P!+(!) ''*!9.#!)'(' %4)':Q3M&'*(!(!+!*(!'1!(!%*!+(!+)4*+I%,!*#!&+%6'!+! %4)':K3M&'*(!+!*+! )-!/&''$'4'(',!*#!&+%6'!+! :

21 (! *6!%%&'8)!'!*&$-'('/&'&!+'#''*!#!)' ) #1(!#!(!('%'$%('(!8)!*!(!*!9''8)!$!+!&-#!)'(,/! & +%#(! '128)!*!(!*!9'#!)' /*!6!8)!()'+!'#!)'12(!) #1,6.%*+%#*(!/&' *2)+%$%7'(*,+'+#!$'6'%'12('* '1=!*#!)'('*& (%P!+ * '%*'(%'+!8)!) #10#!)'(! 6.%* (%P!+*F # + #)7+ Z.6% *8)! 0+(+'+%6&*+'('#!)'12('*&-'*'+'60* (' +'12 (! ) ' /&' */! '* *)'* *)#!A&%!*,!*!%$-'(:'*! '4!+'(:'*,*!(!*+!*&'*&'$-*4!'(*$!6'(*J*)#!A&%!9)+ &!+(!) $)%((!#!)'12/ /!'('+'60*('&$)'(! #!)'12 #'+% (!*+'!"#$%&'12 *).%' ( 0+( +'+%6 9. #(! * 6!%%&') '('*)1=!*(*$)%(*(!#!)'12,8)'$*!9'3R = S '$%*'('%('!*+!#&!** +'+%6(!#!)'12, 6! * 8)! ()'+!!*!%$-'!+('&-'#'+!('!!4%'(%**%#'('#!$'/&'0 &6!+%('! &'$ '**!9')+%$%7'(''!*' +'+%6' ) +#(%6!#'' $!6''+'* %+%+'12J/&',!*+'(%**%#'12(!!!4%'&!'%('! +(''!"+!*2('&$)'(!#!)'12(!6%('*!)'+%+!''*+! '* #'!(!*(#1 '' %% %7'!*+!!!%+,! /'(8)!*$)%(*#!*!+!**#*('*&-'*'+'6!**'('*!*+2*/!'$+'#!**2,&-' '('(!#!**2(!#*,!8)!'#!)' * #1&%' *) &' %-!+!!*+'*&-'*!'*)#!A&%!,+! *8)!' +!(I&%'(!*+!*$)%(*#!*!+!*'*&-'*0(!*!(!*$&'! #''(!+ (#1! %4'! #'''*)#!A&%!*+'*%+)'12*52%.&!&'*' #!**2(!+(#1*!9'*)#!%'#!**2(!#*,!!*+'0)+')12 (* $)%(*(!#!)'12" > #? 9

22 # % #+'+! &&!%+ % '#!*!+'( #'.4' '+!% A 3 #!*' (! 2 *!! (!*!9'(*, ' &I&%' (! L%&L* 0!$'+%6'!+!!8U!+! '#!)'12(!#1*,#%&%#'$!+!! #1*!"#$'+5%* +'%'!+!,'*%+)'12!"+! '(/$C)+20+2!8U!+!!#(!+! &*!8UI&%'*&'+'*+5%&'* #'8 + ''8)!*$)%(*(!#!)'12,& )!+!&-' '(*'%(;*+%' (#!+5$!(!$' '*(!#!)'12,(!*!6$6' '*)1=!*&%+'('*'&% '! )+'*)1=!*(!*!9'('**2!&!**.%'*(!+! %'('*&''&+!A*+%&'*,'**% $)%((!#!)'12(!6!,!+!)+'*&%*'*3!/ /!.6!$G > **)%&'#'&%('(!(! '+!*&'*&'$-*! *)*#!*2!* 8)'(/ /!'!+*)*#!*G H *+'/%$%7''*#'!(!*(#1G 2&')*'!'1=!*'* '1=!*'+'6!**'('*,)('*J* &-'*#()+'*G #!*!+' #''(!+(#1G Q 2&')*'&*2'*!8)%#'!+*G K! %+%'*!#''12!'%+!#!+'12(*&'&'$-*!+'(* J *)#!A&%! / /!'/%$%('(!0!8)%*%+/.*%&#''$)%((!#!)'12,6%*+ 8)! 0 *!) $)"&+A)'+'60*('&$)'(!#!)'12!!+#!$ ')$'&$)'(!#!)'12"#18)!'7& 8)!#'+!('*)1=!*&%+'('* %+! '+!%*!9' #**A6!%* *!4)('&''&+!A*+%&''#!*!+'('0(!)('!+'$% #+P&%' #''#**!4)%!+('#!)'12(*#1*! &'*(!#''('*(! / /!% '4%! 8)!!*+'**%+)'1=!*,&'*$)%((!#!)'122

23 +%6!**!&'#'&%('(!(! '+!*&'*&'$-**)*#!**,-'6!%') '.#%(' (!#*%12(!*+!*&'*&'$-**/!'/&',!! /'#'+!('&$)'(! #!)'12*+&!+'!+!&')*'%'*0%*#/$! '*#'''!+%'('(!*+' &$)',#(!(&')*''+0!* '#!('(#1!$'12J!*+'/%$%7'12('*#'!(!*(#1,!*+!0)+!8)%*%+ #''#**!4)%'#!)'12,6%*+8)!,&'*-'9'(!* '!+('* #'!(!*(#1*/!'&$)'(!#!)'12!/&',#(!. &!' *%+)'12(!*&%+'#'.4''+!%,)*!9','% #**%/%$%('(!(!!+%'' &$)'(!#!)'12(#1!&*!8)!+!!+!'#!('(!*+! '1=!*F *2'+'6!**'('*$)%((!#!)'12,'!+'! &+'+&!*+'* '1=!*(!6!!'4% A% #**A6!$&!*+'*&-'*"! #$%%&'(,0 & ) '#!*!1'(!'4%$'*8)!,&'*$)%((!#!)'122*!9'/! (%!*%'(,#(! %&-'! *)'#!*!1'*+!!W!&-' '((! %&-'!+(!'4%$'0)!"! #$(!!'+%6%('(!2(!*!9'('()'+!' #!)'12(*#1*,!#''8)!2&''(%&%' :*!'$)%('(%+%6* %%/%(!* (! %&-'!+ $0 ('!'+%6%('(! & '* '1=!* '+'6!**'('*,0(!*!9'(8)!$)%(2&+' %!'* '1=!*#()+'*, )*!9','* '1=!*#+'('*(!-%(&'/!+*,'% (!2&')*' '**'!*#!&A%&'F0!&!**.%8)!*!) 6'$*!9'*)%&%!+!#'',''+'6!**''* '1=!*,&')*!) (%!!&%'$(! #!**2#*%+%6*!+%(#1 '12"! #$%%&'(#(! *'(+' *!4)%+!!"! *#!)'() #1'>!+*(! #)(%('(!!&)9'#!**2(!#*(' '12!*+'#)(%('(!*!9'(! >#*%,#(! *&'$&)$'' '**'!*#!&A%&' A% '($)%((!#!)'12 #''8)!'#!**2(!+(#1*!9'*)#!%'#!**2(!#*,'**% +! *3 ρ ρ = ρ '

24 4%&'!+!,& 20(!*!9'(8)!-'9''&I&%'(!L%&L*, #&)':*!#!)'& ) ' '4! (!*!4)'1',&*%(!'('**% #'' #!* A% ($)%() '#!**2*)#!%'#!**2(!#*!*#!'('(' '12 #*1 + ''8)!*$)%(*(!*!6$6' '*)1=!*!8)!%('*,'#!*!+'( '*&''&+!A*+%&'*(!*!9'('*,0)('!+'$8)!*)'*##%!('(!*A*%&'*! 8)A %&'**!9''9)*+'('*?.6.%'*##%!('(!*(*$)%(*(!#!)'12 % #+'+!*#'''#!)'12(!#1*,**!*+)((!*+'&'! *3 '**'!*#!&A%&',!$4%'!1'4!$,!#'P!+*(!%$+'12 18!6% **&.$&)$*(%+! '+!%,' '**'!*#!&A%&'0 % #+'+!#''% #!(%'&I&%'(!$)"%(!*!9'((!$)%(*#''(!+ (#1 '**'!*#!&A%&'($)%((!#!)'120(!%%('& *!(' '**'($)%(#)%('(!(!6$)!,4!'$!+!!"#!**'! *!) 6'$ (!6!!*+' (!+ (! &!+ %+!6'$, *!(! 6'$ (!+! %'(#!$'#!**2(!#*!*#!'(',% #!(%('**% '&I&%'(! L%&L*,& 6% *'+!%!+! '%6'$#''' '**'!*#!&A%&'($)%((!#!)'12+' /0 0 (!%%(! )12('*##%!('(!*('* '1=!*'*!! '+'6!**'('*!*+!&'*'#!**28)!6'%$% %+'6'$(' '**'!*#!&A%&'0'#!**2 (!'+)'(' '12#!**2(!'+)'0(!%%('& *!('#!**2 8)!&')*' #%!+('&-','+)'(:'!*+' ','&'$&)$' *#!* ($)%( 8)! %! * )+%$%7', &*%(!' *8)!*!)6'$(!6!.*!'$+*)%&%!+!#''% #!(%' '#!**2(!#*F,#0 (!6!%&' '/'%"(6'$8)!&')*'''+)'(' ' #!**2(!'+)'F ])'(*!(!*!9'')!+'#!*(!) $)%((!#!)'12)+%$%7':*! /'%+%',) ''4%$'(!!$!6'(' (

25 *!(!*!9'(% %)%#!*,(%$)%:*!$)%((!#!)'12'(%&%'( '%*' '*!$A8)%(' +" %+!$4%'(!) $)%(!*+.!$'&%'('& *!)& #+'!+ 8)'(!!#)*! 6%!+'12!"! #$,$)%(*(%+*!C+%'*, & '.4)','#!*!+' '!* '!*%*+I&%''$)"%(!#!(!+!(!!*+'!!#)*)! 6%!+,!'%('%(!#!(!+!!+!('6!$&%('(! (!*+! 6%!+ **%, (%7! * 8)! * $)%(*!C+%'* ' *)' 6%*&*%('(!0&*+'+!,!*+'('6%*&*%('(!'**&%'(''!*%*+I&%'(!) $)%(' 6%!+!*+' ',#(! *(%7!8)!'.4)''#!*!+'!!*%*+I&%'' 6%!+(8)!) 4!$(!&'/!$,#!"! #$ $)%((!& #$!+'12(!6!'#!*!+') & #+'!+/'*+'+! #!&)$%' ])'( $)%(!*+%6!! 6%!+, 0 %+!!**'+! 8)!!$! '#!*!+!'!!*%*+I&%''$)"#**A6!$,#''8)!#**' *!"%4%!*('***'*/ /'*,*!!$-'+!..4)'(**!"! #$0, 8)'($)%(!*+%6!#''(,0%+!!**'+!8)!!$!'#!*!+!' '%!*%*+I&%' ' $)" #**A6!$ #'' 8)! * &'*&'$-* 8)!!$! &'!4' #! '!1'! *)*#!*2!2*!(!#*%+! */!'/&'!'!((' &$)'(!#!)'12,*!!$-'+!'4!$(**!"! #$ **%,(!'&(&!"! #$%%&'(#'.4''+!%,$)%((! #!)'12 2#(!'#!*!+'& #+'!+*!!$-'+!'* $)%(*(%+*!C+%'*,8)!'#!*!+'!* & #+'!+!!#)*)! 6%!+!*+' ', *#'P!+*!$54%&*( $)%((!#!)'12 (!6! #! %+%8)!!$!*!& #+!&!*#!'(**%,*$)%(*(! #!)'12*2(%+*+%"+5#%&*,)*!9',*!$%8)!'7! 8)'(! 6%!+!!+' '!*+'(8)'*!A4%(8)'(!!#)*,*!(!*+!#'P!+!$'&%'(& '1'4!$ ''')!+')(% %)%'6%*&*%('(!(!) $)%((!#!)'12 )+%$%7':*!) '(%+%6&-' +%#(!'4%$'F'*(!*!9! (% %)%*!)6'$)+%$%7':*!'(%+%6*8)!'/*6! '*#'+A&)$'*(!/!+%+'!8)%$%/'($)%( Curso Prático & Objetivo )

26 9( +!6%('(%!!&%'$#*%+%6(!#!**2)+%$%7'( '#!)'12 *!+%(#1 '12,!+' /0 (!6%(J(%!!1'(!&&!+'12(! (!+! %'(**'%*,-.&*+'+!#&!**(!%$+'12(!$)%(#''%+!% ('* '1=!* **5$%(*! *)*#!*2#!*!+!*$)%((!#!)'12,(!'&( & *!)* (%P!+*, +! %' # 2 &*!4)%!+' ' '12, '() '%'&' '('(!*5$%('#'!(!(#1,&-' '('(!!/& '12 (!/& (% %)% ' 6!$&%('(! (!*+' %$+'12, &+%/)%( +' /0 #'''!*+'/%$%('(!('*#'!(!*(#1!$'12 J#'&!$' $A8)%('( $)%((!#!)'12 8)!#!!+' ' '12,&-' '('(!%$+'(,!*+'#(!&')*'('*J '12,(% %)%( '*)'#!!'/%$%('(!,/*+)%(**!)*#*!'$+!'('*)'&'#'&%('(! (!#()12 '*' '12*!9'*!*A6!$.!*+! %$+'(,#(!-'6!!W!(!%&-'!+(*$-!$-*-%('+.6!%*,&')*'(!()12( #%*2('&$)'(! #!)'12,8)!4!'#!('(!+! #!! &'*!"+! '#!('(#1!*+' ',*#'P!+*(!%$+'12(!6! *!&+$'(*,!-. +!*+!*!*#!&A%&*#''(!+! %'*!)*6'$!*!& #+'!+($)%( 8)'+J%$+'12 ##+ + * $)%(* (! #!)'12 *2 & #*+* # ) ' '*! $)%((! #!)'120!%+'(!'&(& +%#(!'*!$A8)%(','**%,(!) ' ' 4!'$+! *$)%(*/'*!.4)')$)%(*/'*!5$! *$)%(*/'*!5$!,(!6%('&)*+%%&%'$!%*&(!#$)%12,*2!* )+%$%7'(* ' %(;*+%', '#!*' (' &!*&!+! )+%$%7'12 (! $)%(* *%+0+%&* -

27 '' ' /+!12 ('* &''&+!A*+%&'* (!*!9'('* #'' * $)%(* (! #!)'12'(%&%' :*!'!*+''*!(%*#!*'+!*'(%+%6**5$%(*)$A8)%(* *+!*'(%+%6**5$%(*&*+%+)! ''*!(%*#!*',! () )'+!'#!)'12(!#1*'+'6!**' *6.%'* '1=!*,!& 6% *%+! '+!%,$)%((!#!)'12(!6!*!(%!*%'((!'&( & '*&''&+!A*+%&'*('* '1=!*8)!!$!!+'! &+'+**%,#(! &!8)!) $)%((%!*%'(#'''* '1=!*#!)'('*2'+!(' *!8)%*%+*(!) '6'7''*!#!)'(',!2#**'*! (%%&'(! )12('*7'*9.'+'6!**'('*+2,8)!'7!!*+'**%+)'1=!*^ *%+)'1=!* &!*+', 0!&!**.% #+!4! '* '1=!* 9. '+'6!**'('*#''8)!$)%(#**'*! (%%&'(!' '%*!+!! &+'+&!$'*'''+%4% *!*+!/9!+%6'7! *8)!*!&-' '(!!6!*+%#1 *+)/*(!!6!*+%!+*2+)/*(!'1!*#!&%'$,(!(%P!+ 6'%'(& )!+!!+!HS!_S,& & #%!+(!&!&'(!<'!+*!!*#!**)'('#'!(!6'%'(!+!`S!S*+!*+)/*#(! *! &!&+'(*)*'*)+*'+'60*(!*&'*,*$('*)!&'%"!,*!(!*+'* ()'*;$+% '*&!"=!* '%*& )*! +)/*(! '%(%P!+O'&!"2 (!*+!*+)/*8)! '.'&$)'(!!6!*+%!+!&!**.%'#''!6!*+% #1#!)'(,*!('8)'+%('(!(!+)/*)+%$%7'(*6'%'((!'&( & & #%!+%'$('&$)'(!!6!*+%!+'*!(!*&%(' #5* ' (!*&%(' (' &$)' (!!6!*+%!+, ) ' 6'!+'#' 0!&!**.%'#''8)!*!9'4''+%(%*$'!+('* '1=!*'*!! #+!4%('**+'!+'#'0'&%!+'12,!&*+'(!#!!&-!!*#'1')$' &$)'(!!6!*+%!+#1'/!+& #'*+'(!&%!+,8)!'#5*!()!&%( '.) '/'!%',9)+'!+!&!6!*+%!+,#+!4!( +!&-#!)'( Curso Prático & Objetivo!#%*(!!6!*+%(!&%!+'('#'+!(#1&)9'* '1=!* (!6! *!#+!4%('*,#(! * 6$+''#!)')+%$%7'( 6 $)%( (%!*%'(,#!"! #$'*+!-' *8)!6'!+!#+!4!'*6'* 1

28 '1=!*!"#*+'*,!6!*+% *!&%!+' *'#'+!8)!#!)' * '**% #**!4)% *'+0'+%4%'#)(%('(!(!%+!!**! *! #! (!*&! * ) ' /&' %+!% (!6!*+%!+ '+!%!+!(!*&%(*,+! *8)!) #10#!)'(! 6.%*(%P!+*,!6.%*!6!*+%!+**2(!*&%(*!*+!*6.%*(%P!+*8)!#!)' * &-' ' *(!'*!!!6!*+%!+('*'*!*#!)'('*#(!+!'%(''* *!4)%+!*)1=!*3. 3, # # $# 3. B B 3 +! 3!$'12 J *)'* &''&+!A*+%&'*, *!6!*+%!+* (!6! #%%+'%'!+!*)#+' *!*1*'+)'+!*,*!!*%*+!+!'&*2! J '/'*2!+!(%!*=!*& #'+A6!%*& &%+0%*+0&%&*!!&W %&* +! 8)!'%'$('#!)'12(#1,!*+!*!.& #*+# (%6!*'*&$)'*(!!6!*+%!+,!%*+*!.#1)*!9',*!6!*+%!+* (!6! *!/! (%!*%'(*,#%*!$!*&*+%+)%2'&!**('*)#!A&%! '!*!6'+5%,*!(%"*!(!%%+%6*! +(''6%('(#1%4)':E *+' )!*8)! ' (! ) #1 #!)'(, *+'( (%P!+! #)(%('(!(#1'/!+!(%P!+!#)(%('(!(!6!*+%!+ (!*&%(!*+!&'*,+! *) '$P %'(a.4)'(!>!+*,*('(* /+%(*(!*+'%4)'*23 ) 2(3 / Curso Prático & Objetivo 9( 5 ) 2(3! () 9( : : Q HS > ><, K_S >EQ HHBES H H>>H, >`S H<, <BES HEE, E_S HE, KS 4

29 *%(!'('(! (!(!*&%('('&$)'(!!6!*+%!+,!'*)' )12,#(! *&$'**%%&'*!6!*+%!+*! 8)'++%#*3&()+,(! *)#!A&%!,%+!!(%.%!(!#()12 %4)':E3*8)! '(!!6!*+%!+*(!) #1(!#!+5$!!6!*+%!+&()+0#%!%!6!*+%!+(!*&%(#1,*)' )120&+!**!(%!+*(!*)#!A&%!!*+' ',*)'R#)(%('(! (!'**!+'!+S0&!&'(!>'!+*,!*!)(%P!+6'%'!+!Hbb! 6

30 HHBEbb +!',!*+!!6!*+%!+&()+04!'$!+!&'6'(*$,! '0'**!+'(#9'+!'!+!6!*+%!+(!*)#!A&%!,*!4)%+!'!6!*+%!+&()+,+! & #%!+6'%'(!+!!K!+*,0!6!*+%!+*!4)%+!' &()+! +! ' )12(!&+!'* '1=!*%&*$%('('*,#+!4! '8UA!*,!*!6%& *)*+!+'12#''*(! '%*!6!*+%!+*(!*&%(* #1,&!6!! *'#'+!(!& #$!+'12*+!!6!*+%!+(!6! *!&%!+'('+0'*)#!A&%!!*!)*(%P!+*6'%'!+!>bb!<BEbb!6!*+%!+(!#()120'8)!$!8)!'7'$%4'12('*)#!A&%!'+0 '* '1=!*#+'('*(!-%(&'/!+*,#! %+%( 8)! #1#()7' (! '*!4)''#5*!8)%#'(''*!(!#()12)'#)(%('(!(! '**!+'!+6'%'(!'&(& '#)(%('(!('7'#()+',!*!)* (%P!+*+A#%&*!*+2!+!<BEbb!_bb!6!*+%!+%+!!(%.%0(!*&%(*! #!8)!0!&!**.%#+!4! '$4) '7'%+!!(%.%',*!9'#&(%1=!*(!#!**2,#!*!1'(!$)%(* '4!**%6*,!&!**%('(!(! (%%&'12($)%((!#!)'12,!+!)+'* &(%1=!* *+!!6!*+%!+ 0(!*&%(,#+'+,!+!!6!*+%!+(! *)#!A&%!!!6!*+%!+(!#()12,#(!(!!*!"%*+%&'*+'%* &(%1=!*(!*&%+'*2&'!)*(%P!+*6'%'!+!HBEbb!Kbb &'*(!*8)! '('%4)':E+! **!4)%+!!*8)! '(!!6!*+%!+3 - () & 1 0(! () ) 2(3 9( ()+ Q HS )#!A&%! >EQ HHBES +!!(%.% H<, <BES ()12 HE, KS )(%('(!('3>!+* &%!+'12(!6!*+%!+(!*&%(0!&!**.%'#''8)!-'9' %*$'!+!+!!*#'1')$'#1'/!+!6!*+%!+(! '' ':

31 4''+%'#+!12(!*!9'('#'''* '1=!*!% #!(%(!*$&'!+(! $)%(*#!*+!!*#'1 &%!+'12&*+'(/ /!%(!) '#'*+'(!&%!+#!$'#5#%' &$)'(!!6!*+%!+,*!(!*+'(!*$&'('#''!*#'1')$''+0' '#!)'12(!) '6''*!,&'**!9'!&!**.%' &%!+ )+%$%7'( ' %(;*+%' ( &%!+ 0 &%!+ +$'(, *!!$-'+! ' )+%$%7'( ' &*+)12 &%6%$, #0 & &''&+!A*+%&'*!*#!&%'%* #'' ' %'$%('(! (!*!9'(', ' /%!+!! 8)! *!. )+%$%7'(! *$%&%+'1=!*J8)!*!.*)/!+%(!*+!&%!+,()'+!''/%&'12(' #'*+' 8)! *!. / /!'(' #'' #1, *2 '(%&%'(* '(%+%6* & %'$%('(!*!*#!&A%&'*, & '&!$!'(!* )!+'('(!* (! #!4', '(!*'+!*,(%*#!*'+!*)&+$'(!*(!%$+'(!$'12'*'*#!&+*#!'&%'%*,'#!*'(&%!+*!/ /!'( (%!+'!+!'+'60*('&$)'(!!6!*+%!+,(!6!*! + '('$4)* &)%('(**!+%((!!6%+''&+' %'12('#'*+'(!&%!+#$)%((! #!)'12,#!*!+!#1'#5*'(!*&%('('&$)'(!!6!*+%!+,! 4''+% #!!&-%!+ #%%+'%'!+! (!*#'1 ')$' &$)' (!!6!*+%!+#1'/!+,(!%"'( A%!&!**.%(!&%!+(!+ ('&$)'(!!6!*+%!+''8)!!*+!*/9!+%6**!9' '+%4%(*,)+%$%7' : *!'$4)*'&!**5%*'&$)'(!!6!*+%!+#''')"%$%''&%!+'12!*+' ', ''$%*'! * #%!%'!+!!*+!* '&!**5%*! #*+!%!+!6!! *& *!#&!**''&%!+'12(!) #1, 6 () ''**!*+)(,*#%&%#'%*'&!**5%*)+%$%7'(*'&%!+'12*23 *'#'+',&$'!+' #=!*!! */!6!!+!')12(!&'(') (!*+!* '&!**5%*,$&'$%7'(:*'&$)'(!!6!*+%!+,!! *!4)%('&%+'! * )+*'&!**5%*)+%$%7'(* *'#'+' 0 &$&'(' '!"+! %('(! (' &$)' (!!6!*+%!+, *!!$-'+!'#*%12('/&' '&$)'(!#!)'12 )' )12 0*!6% (! 4)%' #''!6!*+%!+ 8)! *!. (!*&%(, '/*6!( * &-8)!* '9

32 #6!%!+!*(!*+'(!*&%('*'#'+'0!%+'4!'$!+!(! '+!%'$!*!*%*+!+!,#%**!.&+'('()'+!'#!)'12(''*!*!4)%+!*+' *'#'+'#(!#**)%) '6.$6)$'(!!+!12&)9')120% #!(%$)"(! $)%(**!+%('*&!(!+! &$'0#*%&%'(&!&'(!(%*+)/*'&% '('*'#'+'!+! ')12 (!!+!*+' #=!*8)!*!2(!*$&'(*()'+!/ /!%('#'*+'(! &%!+**% & '*'+'#',#(!#**)%) '6.$6)$'8)!% #!(!$)" *!+%('*&!(!+!,*!(&-' '((!&$'$)+)'+! *+' #=!**2&%$%(*(!/'&-'& (%P!+%4)'$J&$)'(!!6!*+%!+(!*&%(')'+!'&%!+'12)+%$%7' :*!(%*+' +' #2(!)(,6'7'(! *!)%+!%, '*!&-'('#'+!*)#!%! #2(!+#,A4%(! +(''*)'!"+!*2 *(! '%*'&!**5%**2&!+'$%7'(!*(!!6!*+%!+,''-'(!* #''! 6!!/&! /+)'(!*!"+!*(!!6!*+%!+,)+%$%7'(* 8)'(*!(!*!9''7!) '&%!+'12! 6.%*!*+.4%*,' 0:;) 1 )+ () *!8UI&%' #!'&%'$ (! ) ' &%!+'12 #%.%' &*%*+! /'*%&'!+!(/ +' #=!*!9' *!*) %('!+!!*% #$%%&'('!+!& *!#&!**'3 M /!%':*!%%&%'$!+!) 6$)!(!$)%(& /9!+%6(! $% #'!6!*+%!+! ')"%$%' '! 12 (!/&!$-'( ' '(!I&%' ( &%!+ *+! 6$)! (! $)%( &-' ':*!&$&-2(!$'6'4! > #5*/ /!%(&$&-2(!$'6'4! $'1':*!+' #2(! )( H M /!%':*!! *!4)%(' ' #'*+' (! &%!+, & 6$)! &'$&)$'(#''!6!*+%!*#'1')$'!6!*+%!+ #1 '/!+'+0''$+)'(!*!9'(' '1':*!! *!4)%('+' #2(!+# '

33 Curso Prático & Objetivo!*$&':*!!*+! +' #2,! &*!8)!+!!+! ' #'*+' (! &%!+,+' #2(!+#!&$&-2(!$'6'4!,& $)%( (!(!*$&'!+,8)!#(!*!$)%((!#!)'12 '$%*'( ' (%*#*%12 (!*+!* $)%(* '&$)', +!! *'*%+)'12 '#!*!+'(' ' %4)' *,(! /'%"#''&% *-!F, #2(! #$)4F, $)%( (! **% ' #'*+' (! &%!+ 0 (!*$&'('!+!*+' #=!*'+0' +' #2(!)(+#'&$' '&0*&% (!#!**2 #!'#'+! *)#!%! %!% (!*+! +' #2 #! %+%('#'**'4! ('#'*+'(! &%!+,8)!#'**''*!(!*$&'#'' ')$''+0'&-!4'('(+' #2(! +#])'(!*+!+#'(+' #2(! )(,-.'&0*&% ('#!**2' / /',%(%&'(%'$('#!'12!*+!!+,'#'*+'/ /!'('*! (!*$&)#'' ')$'! %+!%(!6!*+%!+!*+.#'+%&'!+!&-!% (!$)%((!#!)'12 M'*+''4''#!'*'4)'('!()!&%!+ ( &%!+ #'' #**!4)%'*#!'1=!* %4)':<3*8)! '('%!+'12 ''

34 PRODUÇÃO ONSHORE E OFFSHORE PERFURAÇÃO ( BREVE RESUMO ) A perfuração de um poço de petróleo é realizada através de uma sonda, uma grande estrutura que contém diversos equipamentos responsáveis pela elevação do petróleo. Na perfuração rotativa, as rochas são perfuradas pela ação da rotação e peso aplicados a uma broca existente na extremidade de uma coluna de perfuração. Os fragmentos da rocha são removidos continuamente através de um fluido de perfuração ou lama. O fluido é injetado por bombas para o interior da coluna de perfuração através da cabeça de injeção, ou swivel, e retorna à superfície através do espaço anular formado pelas paredes do poço e a coluna. Ao atingir determinada profundidade, a coluna de perfuração é retirada do poço. O anular entre os tubos do revestimento e as paredes do poço é cimentado com a finalidade de isolar as rochas atravessadas pela broca, permitindo então o avanço da perfuração com segurança. Após a operação de cimentação, a coluna de perfuração é novamente descida no poço, tendo na sua extremidade uma nova broca de diâmetro menor do que a do revestimento para o prosseguimento da perfuração. Do exposto, percebe-se que o poço é perfurado em diversas fases, caracterizadas pelos diferentes diâmetros das brocas. PERFURAÇÃO ( BREVE RESUMO ) Após a operação de cimentação, a coluna de perfuração é novamente descida no poço, tendo na sua extremidade uma nova broca de diâmetro menor do que a do revestimento para o prosseguimento da perfuração. Do exposto, percebe-se que o poço é perfurado em diversas fases, caracterizadas pelos diferentes diâmetros das brocas. SISTEMAS DE PRODUÇÃO Produção em Terra (ONSHORE): primeiro sistema a ser desenvolvido, com custos menores e engenharia menos complexa em relação à exploração submarina. Produção no Mar (OFFSHORE): custos elevados, com tecnologia sendo um limitante para águas ultra-profundas. 34

PÓS GRADUAÇÃO EM PETRÓLEO E GÁS PARTE II PRODUÇÃO ONSHORE E OFFSHORE

PÓS GRADUAÇÃO EM PETRÓLEO E GÁS PARTE II PRODUÇÃO ONSHORE E OFFSHORE PÓS GRADUAÇÃO EM PETRÓLEO E GÁS PARTE II PRODUÇÃO ONSHORE E OFFSHORE PERFURAÇÃO BREVE RESUMO A perfuração de um poço de petróleo é realizada através de uma sonda, uma grande estrutura que contém diversos

Leia mais

EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO- EQUIPAMENTOS UTILIZADOS

EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO- EQUIPAMENTOS UTILIZADOS PROCESSOS INDUSTRIAIS ORGÂNICOS EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO- EQUIPAMENTOS UTILIZADOS PERFURAÇÃO - INTRODUÇÃO A perfuração de um poço de petróleo é realizada através de uma sonda, conforme ilustrado nas figuras

Leia mais

PC Prof. Del Gomes. Petrocenter

PC Prof. Del Gomes. Petrocenter Sistema de Movimentação de Cargas SWIVEL elemento que liga as partes girantes às fixas, permitindo livre rotação da coluna; por um tubo na sua lateral (gooseneck) permite a injeção de fluido no interior

Leia mais

PC PERFURAÇÃO E COMPLETAÇÃO

PC PERFURAÇÃO E COMPLETAÇÃO PC PERFURAÇÃO E COMPLETAÇÃO Introdução: As atividades de perfuração de poços de petróleo são do seguimento upstream, que consiste em métodos que visam a segurança e a produtividade do poço. Para tais operações

Leia mais

ENGENHARIA DE PERFURAÇÃO E COMPLETAÇÃO EM POÇOS DE PETRÓLEO

ENGENHARIA DE PERFURAÇÃO E COMPLETAÇÃO EM POÇOS DE PETRÓLEO ENGENHARIA DE PERFURAÇÃO E COMPLETAÇÃO EM POÇOS DE PETRÓLEO Renato Brandão Mansano Eng. de Petróleo PETROBRAS/UN-ES/ATP-JUB-CHT/IP ENGENHARIA DE PERFURAÇÃO E COMPLETAÇÃO DE POÇOS -Histórico; - Sistemas

Leia mais

Estrutura da Indústria do

Estrutura da Indústria do Estrutura da Indústria do Petróleo e Gás Professora Elaine Ribeiro EMENTA Noções de exploração e produção de petróleo e gás natural. PETRÓLEO EXPLORAÇÃO Art. 6º - lei 9478 de 1997 XV - Pesquisa ou Exploração:

Leia mais

Estrutura da Indústria do Petróleo e Gás

Estrutura da Indústria do Petróleo e Gás Estrutura da Indústria do Petróleo e Gás Professora Elaine Ribeiro EMENTA Noções de exploração e produção de petróleo e gás natural Parte 2 UPSTREAM BROCAS DE PERFURAÇÃO 1 BROCAS DE PERFURAÇÃO PERFURAÇÃO

Leia mais

Completação. Prof. Delmárcio Gomes

Completação. Prof. Delmárcio Gomes Completação Prof. Delmárcio Gomes Ao final desse capítulo, o treinando poderá: Explicar o conceito de completação; Diferenciar os tipos de completação; Identificar as etapas de uma intervenção de completação;

Leia mais

ÍNDICE II.13 - GLOSSÁRIO... 1. 2388-00-EIA-RL-0001-00 dezembro de 2009 Rev. nº 00

ÍNDICE II.13 - GLOSSÁRIO... 1. 2388-00-EIA-RL-0001-00 dezembro de 2009 Rev. nº 00 2388-00-EIA-RL-0001-00 dezembro de 2009 Rev. nº 00 ATIVIDADE DE PERFURAÇÃO MARÍTIMA NA ÁREA GEOGRÁFICA DOS BLOCOS BM-ES-37, 38, 39, 40 E 41 ÍNDICE II.13 - GLOSSÁRIO... 1 II.13 Glossário 1/1 2388-00-EIA-RL-0001-00

Leia mais

ANEXO II.7-1 - ANÁLISE PRELIMINAR DE PERIGOS - APP

ANEXO II.7-1 - ANÁLISE PRELIMINAR DE PERIGOS - APP ANEXO II.7-1 - ANÁLISE PRELIMINAR DE PERIGOS Pág. 1/19 ANÁLISE PRELIMINAR DE PERIGOS CLIENTE PETROBRAS REV. 00 DATA Out/2010 FOLHA 1/19 INSTALAÇÃO Unidade Marítima de Perfuração NS-21 (Ocean Clipper)

Leia mais

perfurações DE poços DE petróleo: métodos E EQUIpAmENToS UTIlIZADoS

perfurações DE poços DE petróleo: métodos E EQUIpAmENToS UTIlIZADoS perfurações DE poços DE petróleo: métodos E EQUIpAmENToS UTIlIZADoS Brayon Victor 1 Felipe Cerqueira 1 Fellipe C. Rodrigues 1 Marcone Carvalho 1 Marcus Vinicius 1 Pedro Henrique 1 Yuri Matheus 1 Michelle

Leia mais

II.3. DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES

II.3. DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES II.3. DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES II.3.1. DESCRIÇÃO GERAL DO PROCESSO DE PERFURAÇÃO A. Caracterização das Etapas do Processo de Perfuração O processo de perfuração e suas etapas serão aqui descritos com base

Leia mais

2 A Construção de Poços Off Shore

2 A Construção de Poços Off Shore 2 A Construção de Poços Off Shore A área de construção de poços evoluiu significativamente nas últimas décadas, principalmente, em função das dificuldades encontradas na execução de projetos cada vez mais

Leia mais

ANEXO II. Análise Preliminar de Perigos APP

ANEXO II. Análise Preliminar de Perigos APP ANEXO II Análise Preliminar de Perigos APP Sistema: Torre Subsistema: Top Drive Data: 05/05/5 Perigo Causas Mo de Corrosão da torre Desgaste por exposição tempo de operabilidade (corrosão) -Desabamento

Leia mais

Petróleo e Meio Ambiente

Petróleo e Meio Ambiente Instituto Superior de Tecnologia de Paracambi Petróleo e Meio Ambiente Curso:Tecnólogo em Gestão Ambiental Professora: Raquel Simas Pereira Teixeira Acidentes na Indústria de Petróleo Acidentes com Plataformas

Leia mais

Petróleo e Meio Ambiente

Petróleo e Meio Ambiente Instituto Superior de Tecnologia de Paracambi Petróleo e Meio Ambiente Curso:Tecnólogo em Gestão Ambiental Professora: Raquel Simas Pereira Maio de 2012 Completação Objetivo da Completação Deixar o poço

Leia mais

MATRIZ DE GERENCIAMENTO DE RISCOS

MATRIZ DE GERENCIAMENTO DE RISCOS UNIDADE MARÍTIMA Unidade Marítima de Perfuração Alaskan Star REV. 00 DATA Ago/2008 FOLHA 1 / 14 M1 Seguir programa de inspeção e manutenção dos equipamentos e linhas. Inspeções Periódicas e Programas de

Leia mais

Sistemas Marítimos. Hélio Y. Kubota Sala DE303 RiserProd e-mail: kubota@dep.fem.unicamp.br

Sistemas Marítimos. Hélio Y. Kubota Sala DE303 RiserProd e-mail: kubota@dep.fem.unicamp.br Sistemas Marítimos Hélio Y. Kubota Sala DE303 RiserProd e-mail: kubota@dep.fem.unicamp.br Visão Geral de um Sistema Marítimo Unidades de Perfuração / Produção Facilidades de Superfície / Fundo Riser, Flow

Leia mais

TÍTULO: SIMULAÇÃO EM LABORATÓRIO DO EFEITO DO BLOWOUT NO PROCESSO DE EXTRAÇÃO DE HIDROCARBONETOS

TÍTULO: SIMULAÇÃO EM LABORATÓRIO DO EFEITO DO BLOWOUT NO PROCESSO DE EXTRAÇÃO DE HIDROCARBONETOS TÍTULO: SIMULAÇÃO EM LABORATÓRIO DO EFEITO DO BLOWOUT NO PROCESSO DE EXTRAÇÃO DE HIDROCARBONETOS CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO

Leia mais

de dutos em base terrestre e em alto mar (offshore), operações de perfuração e produção.

de dutos em base terrestre e em alto mar (offshore), operações de perfuração e produção. A solução para uma manutenção segura e confiável, serviços de restauração e construção de dutos em base terrestre e em alto mar (offshore), operações de perfuração e produção. SERVIÇOS Testes em BOP

Leia mais

Universidade Federal de Campina Grande Centro de Ciências e Tecnologia Programa de Pós-Graduação em Ciência e Engenharia de Materiais

Universidade Federal de Campina Grande Centro de Ciências e Tecnologia Programa de Pós-Graduação em Ciência e Engenharia de Materiais Universidade Federal de Campina Grande Centro de Ciências e Tecnologia Programa de Pós-Graduação em Ciência e Engenharia de Materiais OPERAÇÕES ESPECIAIS DE PERFURAÇÃO Disciplina: Engenharia de Poço Professora:

Leia mais

RAPHAEL N. MOURA SUPERINTENDENTE DE SEGURANÇA OPERACIONAL E MEIO AMBIENTE AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS

RAPHAEL N. MOURA SUPERINTENDENTE DE SEGURANÇA OPERACIONAL E MEIO AMBIENTE AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS Processos administrativos relativos aos vazamentos de petróleo no Campo de Frade RAPHAEL N. MOURA SUPERINTENDENTE DE SEGURANÇA OPERACIONAL E MEIO AMBIENTE AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS

Leia mais

Operações - PETRA. Belo Horizonte Julho 2012

Operações - PETRA. Belo Horizonte Julho 2012 Operações - PETRA Belo Horizonte Julho 2012 Petra Bacia do São Francisco 72.000 km2 Programa Exploratório 24 blocos 14 poços iniciados 9 poços concluídos 2 Operação PRINCIPAIS DESAFIOS: Disponibilidade

Leia mais

CAPÍTULO 4 ESCOAMENTO DA PRODUÇÃO ESCOAMENTO

CAPÍTULO 4 ESCOAMENTO DA PRODUÇÃO ESCOAMENTO CAPÍTULO 4 ESCOAMENTO DA PRODUÇÃO ESCOAMENTO O escoamento das plataformas é feito através de dutos que podem ser denominados dutos rígidos ou dutos flexíveis, de acordo com o material de que são constituidos.

Leia mais

Demandas para nanotecnologia na exploração e produção de petróleo offshore. Alan Zaragoza Labes alan.labes@fmcti.com

Demandas para nanotecnologia na exploração e produção de petróleo offshore. Alan Zaragoza Labes alan.labes@fmcti.com Demandas para nanotecnologia na exploração e produção de petróleo offshore Alan Zaragoza Labes alan.labes@fmcti.com Cadeia de valor do EP offshore PERFURAÇÃO / COMPLETAÇÃO PROSPECÇÃO PRODUÇAO RESERVATÓRIO

Leia mais

Cartilha de Conteúdo Local do Prominp. Rio de Janeiro Julho 2008

Cartilha de Conteúdo Local do Prominp. Rio de Janeiro Julho 2008 Cartilha de Conteúdo Local do Prominp Rio de Janeiro Julho 2008 Necessidades Uniformidade; Simplicidade; Confiabilidade. Benefícios Padronização; Acompanhamento da evolução do CL; Oportunidades de Nacionalização;

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS ANA MARIA GARCIA DOS REIS PRINCIPAIS PROCESSOS EM UMA PLATAFORMA MARINHA OFFSHORE POÇOS DE CALDAS/MG 2015 ANA MARIA GARCIA DOS REIS TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO : PRINCIPAIS

Leia mais

Assunto: 13ª Rodada de Licitações de Blocos e de Campos Marginais - Alterações no Conteúdo Local para sondas.

Assunto: 13ª Rodada de Licitações de Blocos e de Campos Marginais - Alterações no Conteúdo Local para sondas. 48380.001019/2015-00 MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Política de Exploração e Produção de Petróleo e Gás Natural NOTA TÉCNICA

Leia mais

TECNOLOGIA DE BROCAS DE PERFURAÇÃO Msc. Rafael Castro PETROBRAS - Engenheiro de Petróleo Pleno UFS (Universidade Federal de Sergipe) Professor Assistente UNICAMP Mestre em Ciências e Engenharia de Petróleo

Leia mais

2. Produção de sólidos em poços de petróleo

2. Produção de sólidos em poços de petróleo 2. Produção de sólidos em poços de petróleo A produção de partículas sólidas, em poços de petróleo produtores, durante a extração de fluídos em um campo de petróleo é denominada produção de areia ou produção

Leia mais

Aplicação de Dinâmica de Sistemas ao estudo do comportamento das taxas diárias de aluguel de sondas de perfuração off-shore

Aplicação de Dinâmica de Sistemas ao estudo do comportamento das taxas diárias de aluguel de sondas de perfuração off-shore UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA POLITÉCNICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA INDUSTRIAL CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO PROJETO DE FIM DE CURSO Autor: Lúcia Rosenblatt Aplicação de Dinâmica de

Leia mais

INTRODUÇÃO À INDÚSTRIA DO PETRÓLEO

INTRODUÇÃO À INDÚSTRIA DO PETRÓLEO INTRODUÇÃO À INDÚSTRIA DO PETRÓLEO 1-1 - INTRODUÇÃO À INDÚSTRIA DO PETRÓLEO 2 PETROBRAS Petróleo Brasileiro S.A. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610, de 19.2.1998. É proibida a reprodução

Leia mais

2. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

2. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA 1. INTRODUÇÃO Do latim petra (pedra) e oleum (óleo), o petróleo é uma substância oleosa, inflamável, menos densa que a água, tem cheiro característico e sua coloração varia entre o negro e o castanho-claro.

Leia mais

Gas-Lift - Vantagens

Gas-Lift - Vantagens Gas-Lift - Vantagens Método relativamente simples para operar O equipamento necessário é relativamente barato e é flexível Podem ser produzidos baixos ou altos volumes É efetivo sob condições adversas

Leia mais

GESTÃO AMBIENTAL NA INDÚSTRIA DO PETRÓLEO: SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL NAS SONDAS DE PERFURAÇÃO RESUMO

GESTÃO AMBIENTAL NA INDÚSTRIA DO PETRÓLEO: SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL NAS SONDAS DE PERFURAÇÃO RESUMO GESTÃO AMBIENTAL NA INDÚSTRIA DO PETRÓLEO: SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL NAS SONDAS DE PERFURAÇÃO Erik Castilho Bussmeyer ¹ Jairo Afonso Henkes ² RESUMO As sondas de perfuração de petróleo, tem passado por

Leia mais

ANÁLISE ESTATÍSTICA DO CUSTO MÉTRICO DE PERFURAÇÃO DE POÇOS DE PETRÓLEO. Felipe Serra de Candol e Leonardo Luiz de Britto Corrêa

ANÁLISE ESTATÍSTICA DO CUSTO MÉTRICO DE PERFURAÇÃO DE POÇOS DE PETRÓLEO. Felipe Serra de Candol e Leonardo Luiz de Britto Corrêa ANÁLISE ESTATÍSTICA DO CUSTO MÉTRICO DE PERFURAÇÃO DE POÇOS DE PETRÓLEO. Felipe Serra de Candol e Leonardo Luiz de Britto Corrêa Projeto de Graduação apresentado ao Curso de Engenharia do Petróleo da Escola

Leia mais

Neste capítulo abordaremos alguns métodos de elevação artificial de petróleo, seu funcionamento, suas características e suas propriedades.

Neste capítulo abordaremos alguns métodos de elevação artificial de petróleo, seu funcionamento, suas características e suas propriedades. CAPÍTULO 3 MÉTODOS DE ELEVAÇÃO ARTIFICIAL DE PETRÓLEO. Neste capítulo abordaremos alguns métodos de elevação artificial de petróleo, seu funcionamento, suas características e suas propriedades. BOMBEIO

Leia mais

PERFURAÇÃO DIRECIONAL DE POÇOS DE PETRÓLEO MÉTODOS DE DEFLEXÃO E ACOMPANHAMENTO DIRECIONAL

PERFURAÇÃO DIRECIONAL DE POÇOS DE PETRÓLEO MÉTODOS DE DEFLEXÃO E ACOMPANHAMENTO DIRECIONAL PERFURAÇÃO DIRECIONAL DE POÇOS DE PETRÓLEO MÉTODOS DE DEFLEXÃO E ACOMPANHAMENTO DIRECIONAL Fellipe Bruno Barbosa Bandeira¹ ; Gheorgia Victoria de Medeiros Silva 2 1 Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

MÉTODOS DE ELEVAÇÃO UTILIZADOS NA ENGENHARIA DE PETRÓLEO UMA REVISÃO DE LITERATURA

MÉTODOS DE ELEVAÇÃO UTILIZADOS NA ENGENHARIA DE PETRÓLEO UMA REVISÃO DE LITERATURA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CAMPUS ANGICOS CURSO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA RONNIFRAN CABRAL DE LIMA LEONEZ MÉTODOS DE ELEVAÇÃO UTILIZADOS NA ENGENHARIA DE PETRÓLEO UMA REVISÃO DE LITERATURA

Leia mais

Assunto: 13ª Rodada de Licitações de Blocos e de Campos Marginais - Aprimoramento da sistemática de Conteúdo Local.

Assunto: 13ª Rodada de Licitações de Blocos e de Campos Marginais - Aprimoramento da sistemática de Conteúdo Local. 483.000879/2015-00 MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Política de Exploração e Produção de Petróleo e Gás Natural NOTA TÉCNICA N

Leia mais

INTERNAL PIPE PROTECTION INTERNAL PIPE PROTECTION

INTERNAL PIPE PROTECTION INTERNAL PIPE PROTECTION TM INTERNAL PIPE PROTECTION INTERNAL PIPE PROTECTION Fiberware/Duoline Technologies Sua solução de baixo custo para resolver os problemas altamente caros causados pela corrosão. O Sistema Duoline da Fiberware

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA QUÍMICA E DE PETRÓLEO CURSO DE ENGENHARIA DE PETRÓLEO

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA QUÍMICA E DE PETRÓLEO CURSO DE ENGENHARIA DE PETRÓLEO UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA QUÍMICA E DE PETRÓLEO CURSO DE ENGENHARIA DE PETRÓLEO TOP DRIVE: APLICAÇÕES E EXPERIÊNCIAS EM SISTEMAS DE PERFURAÇÃO MONOGRAFIA

Leia mais

RESOLUÇÃO ANP Nº 39, DE 13.11.2007

RESOLUÇÃO ANP Nº 39, DE 13.11.2007 AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS RESOLUÇÃO ANP Nº 39, DE 13.11.2007 O DIRETOR-GERAL da AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GAS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS ANP, no uso de suas atribuições

Leia mais

Oportunidades para a Cadeia. 8º Encontro Nacional do PROMINP São Luís, 24/11/2011

Oportunidades para a Cadeia. 8º Encontro Nacional do PROMINP São Luís, 24/11/2011 Oportunidades para a Cadeia de Suprimentos de E&P 8º Encontro Nacional do PROMINP São Luís, 24/11/2011 Aviso Estas apresentações podem conter previsões acerca de eventos futuros. Tais previsões refletem

Leia mais

Problemas de estabilização de poços petrolíferos: as questões críticas no onshore e no offshore

Problemas de estabilização de poços petrolíferos: as questões críticas no onshore e no offshore Problemas de estabilização de poços petrolíferos: as questões críticas no onshore e no offshore Andreia Filipa Coutinho Pereira Dissertação para obtenção do Grau de Mestre em Engenharia Geológica e de

Leia mais

II.2. CARACTERIZAÇÃO DA ATIVIDADE

II.2. CARACTERIZAÇÃO DA ATIVIDADE II.2. CARACTERIZAÇÃO DA ATIVIDADE II.2.1. IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE DE PERFURAÇÃO E DAS EMBARCAÇÕES DE APOIO A) EMBARCAÇÕES DE APOIO Para o apoio logístico (transporte de materiais, transporte de resíduos,

Leia mais

TÍTULO: ESTUDO COMPARATIVO DA APLICABILIDADE DOS MÉTODOS DE GERENCIAMENTO DA PRESSÃO DURANTE A PERFURAÇÃO DE POÇOS

TÍTULO: ESTUDO COMPARATIVO DA APLICABILIDADE DOS MÉTODOS DE GERENCIAMENTO DA PRESSÃO DURANTE A PERFURAÇÃO DE POÇOS TÍTULO: ESTUDO COMPARATIVO DA APLICABILIDADE DOS MÉTODOS DE GERENCIAMENTO DA PRESSÃO DURANTE A PERFURAÇÃO DE POÇOS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS INSTITUIÇÃO:

Leia mais

Exploração e Produção Offshore e Onshore. Soluções integradas para o mercado de óleo e gás

Exploração e Produção Offshore e Onshore. Soluções integradas para o mercado de óleo e gás Exploração e Produção Offshore e Onshore Soluções integradas para o mercado óleo e gás Exploração e Produção: Offshore e Onshore A presença da Parker no mercado Óleo e Gás garante a mais completa gama

Leia mais

II.7 - ANÁLISE E GERENCIAMENTO DE RISCOS AMBIENTAIS

II.7 - ANÁLISE E GERENCIAMENTO DE RISCOS AMBIENTAIS RCA - Relatório de Controle Ambiental II.7 - ANÁLISE E GERENCIAMENTO DE RISCOS AMBIENTAIS RCA - Relatório de Controle Ambiental Pág. 1/30 II.7 - ANÁLISE E GERENCIAMENTO DE RISCOS AMBIENTAIS O estudo de

Leia mais

2 Sistemas de Produção Offshore

2 Sistemas de Produção Offshore 2 Sistemas de Produção Offshore 2.1. Introdução O conjunto de equipamentos utilizados para a prospecção e exploração marinha de petróleo é conhecido como Sistema Offshore e compreende basicamente quatro

Leia mais

II.7.6. PROJETO DE DESATIVAÇÃO. 1. Justificativa

II.7.6. PROJETO DE DESATIVAÇÃO. 1. Justificativa II.7.6. PROJETO DE DESATIVAÇÃO 1. Justificativa A desativação de um campo de produção de petróleo contempla uma série de procedimentos que devem ser adotados, com vista à proteção e à manutenção da qualidade

Leia mais

DOCUMENTO PROTEGIDO PELA LEI DE DIREITO AUTORAL

DOCUMENTO PROTEGIDO PELA LEI DE DIREITO AUTORAL UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSO AVM FACULDADE INTEGRADA MACONDO: LIÇÕES APRENDIDAS Por: Anderson Henrique da Silva Fernandes Orientadora: Maria Esther de Araújo DOCUMENTO PROTEGIDO

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA. Assunto: Procedimentos para Tamponamento de Poços

INSTRUÇÃO NORMATIVA. Assunto: Procedimentos para Tamponamento de Poços IN-2/06 Outubro/26 1/6 1. OBJETIVO Esta Instrução Normativa em sua primeira versão visa definir procedimentos genéricos para desativação de poços tubulares que tenham sido abandonados por qualquer motivo

Leia mais

PROSPECÇÃO GEOTÉCNICA

PROSPECÇÃO GEOTÉCNICA PROSPECÇÃO GEOTÉCNICA A PROSPECÇÃO GEOTÉCNICA define-se como: Um conjunto de operações com vista a averiguar a constituição, características mecânicas e outras propriedades do solo e do substrato do ou

Leia mais

II.3.1- Descrição Geral do Processo de Perfuração. A - Caracterização das etapas do processo de perfuração

II.3.1- Descrição Geral do Processo de Perfuração. A - Caracterização das etapas do processo de perfuração Atividade de Perfuração Marítima no II.3 Pág. 1 / 1 II.3 - DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES 1- Descrição Geral do Processo de Perfuração A - Caracterização das etapas do processo de perfuração O processo de perfuração

Leia mais

RENAN HANADA PEIXOTO ESTUDO DA TECNOLOGIA E PROCESSOS DE EXTRAÇÃO EM POÇOS DE PETRÓLEO

RENAN HANADA PEIXOTO ESTUDO DA TECNOLOGIA E PROCESSOS DE EXTRAÇÃO EM POÇOS DE PETRÓLEO RENAN HANADA PEIXOTO ESTUDO DA TECNOLOGIA E PROCESSOS DE EXTRAÇÃO EM POÇOS DE PETRÓLEO Guaratinguetá 2014 RENAN HANADA PEIXOTO ESTUDO DA TECNOLOGIA E PROCESSOS DE EXTRAÇÃO EM POÇOS DE PETRÓLEO Trabalho

Leia mais

SISTEMAS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO

SISTEMAS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO SISTEMAS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO ROTEIRO INSTALAÇÕES MARÍTIMAS GESTÃO E ENGENHARIA DE PETRÓLEO E GÁS Introdução; Tipos de Unidades de Perfuração e Completação; Tipos de Unidades e Sistemas de Produção;

Leia mais

Métodos Não- Destrutivos TT

Métodos Não- Destrutivos TT Planejamento e instalação de tubulações com Métodos Não- Destrutivos TT O seu parceiro em instalação de tubulações por métodos não-destrutivos TRACTO-TECHNIK GRUNDOMAT- Perfuratriz pneumática (mole) Para

Leia mais

Automação Industrial. www.lutectecnologia.com.br

Automação Industrial. www.lutectecnologia.com.br Automação Industrial LINHA GERAL DE PRODUTOS E SERVIÇOS www.lutectecnologia.com.br A EMPRESA A Lutec Tecnologia é uma empresa de Automação Industrial, focada na flexibilidade e compromisso com o cliente.

Leia mais

POÇOS TUBULARES. Prof. Marcelo R. Barison 2009

POÇOS TUBULARES. Prof. Marcelo R. Barison 2009 POÇOS TUBULARES Prof. Marcelo R. Barison 2009 Introdução Poço mais antigo antigo Egito reinado de Mentuhotip 11º dinastia (~1990 ac) número de trabalhadores 3.000 para escavar 14 poços HOJE poços = abastecimento

Leia mais

Oportunidades para a cadeia de suprimentos em E&P

Oportunidades para a cadeia de suprimentos em E&P Oportunidades para a cadeia de suprimentos em E&P Seminário BNDES: Desenvolvimento da cadeia de fornecedores de petróleo e gás Guilherme Estrella Diretor de E&P Rio Rio de de Janeiro, 1º 1º de de setembro

Leia mais

PLATAFORMAS MARÍTIMAS Desenvolvimento das estruturas offshore Plataformas Fixas Parte 1

PLATAFORMAS MARÍTIMAS Desenvolvimento das estruturas offshore Plataformas Fixas Parte 1 PLATAFORMAS MARÍTIMAS Desenvolvimento das estruturas offshore Plataformas Fixas Parte 1 INTRODUÇÃO Com o declínio das reservas onshore e offshore em águas rasas, a exploração e produção em águas profundas

Leia mais

II Workshop Platec E&P Onshore RBNA SALVADOR OUT 2012. Sondas de Perfuração e Workover - Equipamentos e Serviços LDM 05.04.06

II Workshop Platec E&P Onshore RBNA SALVADOR OUT 2012. Sondas de Perfuração e Workover - Equipamentos e Serviços LDM 05.04.06 II Workshop Platec E&P Onshore Sondas de Perfuração e Workover - Equipamentos e Serviços LDM 05.04.06 SALVADOR OUT 2012 Sociedades Classificadoras Sociedades Classificadoras Possuem Livro de Regras próprio

Leia mais

Aplicação de programação matemática na racionalização do uso de sondas de perfuração e completação de poços de petróleo off-shore.

Aplicação de programação matemática na racionalização do uso de sondas de perfuração e completação de poços de petróleo off-shore. UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA POLITÉCNICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA INDUSTRIAL CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO PROJETO DE FIM DE CURSO Autor: André Corrêa Natal Aplicação de programação

Leia mais

Embarcações de Apoio Offshore e Barcos de Trabalho

Embarcações de Apoio Offshore e Barcos de Trabalho Embarcações de Apoio Offshore e Barcos de Trabalho - Líder Mundial em C Em 2012, a tornou-se a primeira classificadora do mundo a possuir mais de 200 milhões de toneladas de arqueação bruta em seu registro.

Leia mais

Tipos de Poços. escavação..

Tipos de Poços. escavação.. O que é um poço Tubular Chamamos de poço toda perfuração através da qual obtemos água de um aqüífero e há muitas formas de classificá-los. Usaremos aqui uma classificação baseada em sua profundidade e

Leia mais

CONEXÃO DE TUBOS DE PERFURAÇÃO: UMA ABORDAGEM ERGONÔMICA DA ATIVIDADE DE SONDAGEM

CONEXÃO DE TUBOS DE PERFURAÇÃO: UMA ABORDAGEM ERGONÔMICA DA ATIVIDADE DE SONDAGEM XXX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Maturidade e desafios da Engenharia de Produção: competitividade das empresas, condições de trabalho, meio ambiente. São Carlos, SP, Brasil, 12 a15 de outubro

Leia mais

Separação de misturas heterogêneas Sólido Sólido 1. TAMISAÇÃO OU PENEIRAÇÃO 2. LEVIGAÇÃO 3. IMANTAÇÃO OU SEPARAÇÃO MAGNÉTICA 4. DISSOLUÇÃO FRACIONADA 5. FLOTAÇÃO 6. CATAÇÃO 7. SUBLIMAÇÃO 1. Tamisação ou

Leia mais

2 REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

2 REVISÃO BIBLIOGRÁFICA 2 REVISÃO BIBLIOGRÁFICA 2.1. Introdução Neste capítulo é apresentado um breve resumo sobre os tópicos envolvidos neste trabalho, com o objetivo de apresentar a metodologia empregada na prática para realizar

Leia mais

TECNOLOGIA DOS MÉTODOS DE CONTROLE DE POÇO E BLOWOUT. Dirlaine Oliveira da Costa Juliana de Castro Lopez

TECNOLOGIA DOS MÉTODOS DE CONTROLE DE POÇO E BLOWOUT. Dirlaine Oliveira da Costa Juliana de Castro Lopez TECNOLOGIA DOS MÉTODOS DE CONTROLE DE POÇO E BLOWOUT Dirlaine Oliveira da Costa Juliana de Castro Lopez Projeto de Graduação apresentado ao Curso de Engenharia do Petróleo da Escola Politécnica, Universidade

Leia mais

Conteúdo Local na Construção Naval e Offshore Brasileira: O papel da ANP

Conteúdo Local na Construção Naval e Offshore Brasileira: O papel da ANP Conteúdo Local na Construção Naval e Offshore Brasileira: O papel da ANP Coordenadoria de Conteúdo Local Marintec South America / 12ª Navalshore, 12/08/15 A Política de Conteúdo Local Definição: Política

Leia mais

Willis Latin American Energy Conference

Willis Latin American Energy Conference Willis Latin American Energy Conference Planejamento Financeiro e Gestão de Riscos outubro 2012 Cátia Diniz Gerente Setorial de Seguros Internacionais Estas apresentações podem conter previsões acerca

Leia mais

PLATEC Plataformas Tecnológicas

PLATEC Plataformas Tecnológicas Programa de Desenvolvimento de Fornecedores para o Setor de Óleo e Gás - MULTIFOR PLATEC Plataformas Tecnológicas Barcos de Apoio Offshore Porto Alegre - RS em 26/03/2013 ONIP - MULTIFOR PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO

Leia mais

POLIMERO ADICIONADO À LAMA QUE DIMINUI O TEMPO DE PERFURAÇÃO

POLIMERO ADICIONADO À LAMA QUE DIMINUI O TEMPO DE PERFURAÇÃO POLIMERO ADICIONADO À LAMA QUE DIMINUI O TEMPO DE PERFURAÇÃO Guillermo Ruperto Martín-Cortés 1,2 ; Fabio José Esper 1,3 ; Jofer Miziara Nogueira 1 ; Francisco Rolando Valenzuela-Díaz 1. 1 PMT-EPUSP - Departamento

Leia mais

17:46. Departamento de Construção Civil FUNDAÇÕES INDIRETAS MOLDADAS IN LOCO (PARTE 2)

17:46. Departamento de Construção Civil FUNDAÇÕES INDIRETAS MOLDADAS IN LOCO (PARTE 2) FUNDAÇÕES INDIRETAS MOLDADAS IN LOCO (PARTE 2) Prof. Dr. Marcelo Medeiros Grupo de Materiais de Construção Versão 2013 1 Fundações indiretas profundas 1. Pré-moldadas 2. Moldadas in loco Prof. Dr. Marcelo

Leia mais

24º Congresso Nacional de Transporte Aquaviário, Construção Naval e Offshore

24º Congresso Nacional de Transporte Aquaviário, Construção Naval e Offshore 24º Congresso Nacional de Transporte Aquaviário, Construção Naval e Offshore Rio de Janeiro, 5 a 9 de Outubro de 22 Estudo da instalação de equipamentos em cabeça de poço submarino Lucas Cantinelle Sevillano

Leia mais

2 Revisão Bibliográfica

2 Revisão Bibliográfica 2 Revisão Bibliográfica 2.1 Perfuração de Poços A técnica de perfuração de poços já era utilizada desde o período de 1120 a 250 a.c. na China, onde a extração de água, sal e gás ocorria através do sistema

Leia mais

3 Sonda Dedicada e o Ganho de Flexibilidade

3 Sonda Dedicada e o Ganho de Flexibilidade 3 Sonda Dedicada e o Ganho de Flexibilidade 3.1. Introdução Durante o desenvolvimento de uma reserva de petróleo, a etapa de manutenção da produção, de principal interesse para este trabalho, é a de maior

Leia mais

MÉTODO/TÉCNICA CONSTRUTIVA

MÉTODO/TÉCNICA CONSTRUTIVA CONCEITO É uma estaca de pequeno diâmetro concretada in loco, cuja perfuração é realizada por rotação ou roto-percussão (no caso de rochas), em direção vertical ou inclinada. Utilizada para reforço de

Leia mais

Alta Pressão. Lideres em tecnologia de alta pressão

Alta Pressão. Lideres em tecnologia de alta pressão Alta Pressão A Haskel fornece uma grande variedade de equipamentos pneumáticos e hidráulicos de alta pressão para as indústrias de petróleo e gás, defesa, aeroespacial, automotiva, potência de fluido ou

Leia mais

GUINCHO HIDRÁULICO G-1000

GUINCHO HIDRÁULICO G-1000 GUINCHO HIDRÁULICO G-1000 MANUAL DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO ZELOSO DESDE 1956 PREFÁCIO GUINCHO HIDRÁULICO APLICAÇÃO: Este manual contém informações para a operação e manutenção, bem como uma lista ilustrada

Leia mais

II.10 - CONCLUSÃO. RCA - Relatório de Controle Ambiental Atividade de Perfuração Marítima no Bloco BM-PAMA-8, Bacia do Pará-Maranhão

II.10 - CONCLUSÃO. RCA - Relatório de Controle Ambiental Atividade de Perfuração Marítima no Bloco BM-PAMA-8, Bacia do Pará-Maranhão II.10 - CONCLUSÃO II.10 - Conclusão Pág. 1/5 II.10 - CONCLUSÃO O presente estudo foi desenvolvido com o objetivo de fornecer as informações necessárias para subsidiar o licenciamento ambiental da Atividade

Leia mais

12 bbl/h = 288 bbl/d; 1 m³ = 6,29 bbl; 1bbl = 0,16 m³ Resposta: 288 bbl/d; aprox. 46 m³

12 bbl/h = 288 bbl/d; 1 m³ = 6,29 bbl; 1bbl = 0,16 m³ Resposta: 288 bbl/d; aprox. 46 m³ CENTRO UNIVERSITÁRIO TIRADENTES ME 2ª UNIDADE INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DE PETRÓLEO PROF. ERNESTO MARCIEL AMORIM DE SOUZA 1º SEMESTRE ENG DE PETRÓLEO NOITE 1. Uma carreta de petróleo tem uma capacidade de

Leia mais

II.3. DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES

II.3. DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES II.3. DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES II.3.1. DESCRIÇÃO GERAL DO PROCESSO DE PERFURAÇÃO A) CARACTERIZAÇÃO DAS ETAPAS DO PROCESSO DE PERFURAÇÃO O processo de perfuração e suas etapas serão aqui descritos com base

Leia mais

CONDICIONAMENTO E COMISSIONAMENTO DOS SISTEMAS ELETRÍCOS DA SONDA PETROBRAS II 10000

CONDICIONAMENTO E COMISSIONAMENTO DOS SISTEMAS ELETRÍCOS DA SONDA PETROBRAS II 10000 UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO TECNOLÓGICO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU ENGENHEIRO DE CONDICIONAMENTO E COMISSIONAMENTO TRABALHO DE FIM DE CURSO

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UMA FERRAMENTA COMPUTACIONAL PARA DIMENSIONAMENTO E PROJETO DE SISTEMAS OPERANDO POR GAS LIFT

DESENVOLVIMENTO DE UMA FERRAMENTA COMPUTACIONAL PARA DIMENSIONAMENTO E PROJETO DE SISTEMAS OPERANDO POR GAS LIFT DESENVOLVIMENTO DE UMA FERRAMENTA COMPUTACIONAL PARA DIMENSIONAMENTO E PROJETO DE SISTEMAS OPERANDO POR GAS LIFT Rafael Soares da Silva 1 ; Hícaro Hita Souza Rocha 2 ; Gabriel Bessa de Freitas Fuezi Oliva

Leia mais

SISTEMAS HIDRÁULICOS DE POTÊNCIA NA INDÚSTRIA DO PETRÓLEO

SISTEMAS HIDRÁULICOS DE POTÊNCIA NA INDÚSTRIA DO PETRÓLEO SISTEMAS HIDRÁULICOS DE POTÊNCIA NA INDÚSTRIA DO PETRÓLEO Dirceu Silveira Sampaio dirceuss@petrobras.com.br (21)3876-3303 Introdução: 1 - Vivemos uma era de contrastes, onde sistemas de controle com nano

Leia mais

Avaliação da Formação

Avaliação da Formação Avaliação da Formação 01. Conceito Estudos e Atividades que visam avaliar qualitativamente e quantitativamente o potencial uma jazida petrolífera, ou seja, a sua capacidade produtiva e a valoração das

Leia mais

SISTEMA CONJUGADO DE EXAUSTÃO E ADMISSÃO PARA OS MOTORES A COMBUSTÃO INTERNA DO CICLO DE DOIS TEMPOS O

SISTEMA CONJUGADO DE EXAUSTÃO E ADMISSÃO PARA OS MOTORES A COMBUSTÃO INTERNA DO CICLO DE DOIS TEMPOS O 1/7 1 2 SISTEMA CONJUGADO DE EXAUSTÃO E ADMISSÃO PARA OS MOTORES A COMBUSTÃO INTERNA DO CICLO DE DOIS TEMPOS O motor do ciclo de dois tempos remonta aos primórdios da utilização dos motores do tipo à combustão

Leia mais

(51) lnt.ci.: G01 N 17/00 (2009.01) G05D 3/00 (2009.01)

(51) lnt.ci.: G01 N 17/00 (2009.01) G05D 3/00 (2009.01) (21) P0801399-3 A2 11111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111 * B R P O 8 O 1 3 9 9 A 2 * (22) Data de Depósito: 31/03/2008 (43) Data da Publicação: 17/1112009 (RP 2028)

Leia mais

Disciplina : Hidráulica e Pneumática Aula 1: Introdução

Disciplina : Hidráulica e Pneumática Aula 1: Introdução Curso: Técnico em Mecânica Disciplina : Hidráulica e Pneumática Aula 1: Introdução Prof. Evandro Rodrigo Dário, Dr. Eng. Estrutura da aula Introdução O circuito H&P quanto ao fluido Aplicações e exemplos

Leia mais

A empresa. A estrutura. A flutrol

A empresa. A estrutura. A flutrol A flutrol A empresa A Flutrol é uma empresa 100% Brasileira e totalmente voltada a produção de soluções avançadas em controle de fluidos. É fabricante de equipamentos para geração de pressão hidráulica

Leia mais

PERFURAÇÃO de POÇOS DIRECIONAIS e HORIZONTAIS

PERFURAÇÃO de POÇOS DIRECIONAIS e HORIZONTAIS PERFURAÇÃO de POÇOS DIRECIONAIS e HORIZONTAIS Professor: Rafael Castro Msc. Engenharia de Petróleo (UNICAMP) Engº de Petróleo (Petrobras) Contatos: Email: rcastro.oliveira@petrobras.com.br Tel.: (79) 9127-3354

Leia mais

Tecnologia Dopeless. Quantificando os benefícios operacionais, de produtividade dos poços e de Saúde, Segurança e Meio Ambiente

Tecnologia Dopeless. Quantificando os benefícios operacionais, de produtividade dos poços e de Saúde, Segurança e Meio Ambiente Tecnologia Dopeless Quantificando os benefícios operacionais, de produtividade dos poços e de Saúde, Segurança e Meio Ambiente 2 Tecnologia Dopeless Quantificando os benefícios operacionais, de produtividade

Leia mais

Fundamentos da Perfuração Direcional INTRODUÇÃO

Fundamentos da Perfuração Direcional INTRODUÇÃO Fundamentos da Perfuração Direcional INTRODUÇÃO Um poço é direcional quando o objetivo a atingir não se encontra na mesma vertical da locação da sonda, sendo necessário utilizar técnicas especiais não

Leia mais

Programa Plataformas Tecnológicas PLATEC ONSHORE. Workshop Tecnológico Sondas de Perfuração Onshore FIEBE Salvador/BA 31 de julho de 2012

Programa Plataformas Tecnológicas PLATEC ONSHORE. Workshop Tecnológico Sondas de Perfuração Onshore FIEBE Salvador/BA 31 de julho de 2012 Programa Plataformas Tecnológicas PLATEC ONSHORE Workshop Tecnológico Sondas de Perfuração Onshore FIEBE Salvador/BA 31 de julho de 2012 PLATEC - CONCEITUAL Plataformas Tecnológicas É uma base de conhecimentos

Leia mais

Desenvolvimento de Fornecedores para o Setor Petróleo e Gás

Desenvolvimento de Fornecedores para o Setor Petróleo e Gás Desenvolvimento de Fornecedores para o Setor Petróleo e Gás Santos Offshore Alfredo Renault Santos, 10 de abril de 2014. Sumário I PERSPECTIVAS E INVESTIMENTOS DO SETOR II A CADEIA DE FORNECEDORES III

Leia mais

LUPATECH S.A Unidade Metalúrgica Ipê

LUPATECH S.A Unidade Metalúrgica Ipê CAVITAÇÃO 1. Descrição: Para melhor entendimeto iremos descrever o fenomeno Cavitação Cavitação é o nome que se dá ao fenômeno de vaporização de um líquido pela redução da pressão, durante seu movimento.

Leia mais

Sondas de Perfuração. Perfuração / Produção TLP SPAR

Sondas de Perfuração. Perfuração / Produção TLP SPAR Sondas de Perfuração Tipos de Sondas: Terrestre Convencionais, Montadas em caminhão ou Helitransportadas; Fluviais / Lacustres; Marítimas Fixa (

Leia mais

Comandos Eletro-eletrônicos SENSORES

Comandos Eletro-eletrônicos SENSORES Comandos Eletro-eletrônicos SENSORES Prof. Roberto Leal Sensores Dispositivo capaz de detectar sinais ou de receber estímulos de natureza física (tais como calor, pressão, vibração, velocidade, etc.),

Leia mais