28990 Diário da República, 2.ª série N.º de outubro de 2015

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "28990 Diário da República, 2.ª série N.º 196 7 de outubro de 2015"

Transcrição

1 28990 Diário da República, 2.ª série N.º de outubro de 2015 c) Orientar e contribuir ativamente para a formação e pedagógica do pessoal docente que consigo colabore, apoiando a sua formação naqueles domínios; d) Manter atualizados e desenvolver os seus conhecimentos culturais e científicos e efetuar trabalhos de investigação, numa procura constante do progresso científico e de satisfação das necessidades sociais; e) Desempenhar ativamente as suas funções, nomeadamente elaborando e pondo a disposição dos estudantes lições ou outros trabalhos didáticos atualizados; f) Cooperar interessadamente nas atividades de extensão da Escola como forma de apoio ao desenvolvimento da sociedade em que essa ação se projeta; g) Prestar o seu contributo para o funcionamento eficiente e produtivo da Escola, assegurando o exercício das funções para que hajam sido eleitos ou designados ou dando cumprimento às ações que lhes hajam sido cometidas pelos órgãos competentes, dentro do seu horário de trabalho e de domínio científico -pedagógico em que a sua atividade se exerça; h) Conduzir com rigor a análise de toda as matérias, sem prejuízo da liberdade de orientação, e de opinião; i) Colaborar com as entidades competentes e com os órgãos interessados no estudo e desenvolvimento do ensino e da investigação, com vista a uma constante satisfação das necessidades e fins conducentes ao progresso da sociedade portuguesa; j) Contribuir para a permanente dignificação e qualificação do projeto educativo da ESAI; k) Ser solidário, honesto e leal para com a instituição, os colegas, os funcionários e os estudantes; l) Empenhar -se em todas as atividades de organização e de apoio ao ensino e à cultura interna da ESAI, designadamente através de reuniões, colóquios, seminários, conferências e congressos; m) Participar ativamente nas publicações s ou de divulgação da ESAI; n) Colaborar na cooperação internacional da ESAI estabelecida com outras instituições congéneres. Artigo 3.º Liberdade de orientação e de opinião O pessoal docente goza da liberdade de orientação e de opinião na lecionação das matérias ensinadas, no contexto dos programas resultantes da coordenação. 24 de setembro de O Conselho de Administração: Julie Lefebvre, presidente Rui Lopes, vice-presidente Opções, ramos, ou outras formas de organização de percursos alternativos em que o curso se estruture (se aplicável): O Curso de Doutoramento em Psicologia apresenta 10 áreas de especialização: Psicologia Cognitiva, Psicologia do Desenvolvimento, Psicologia Educacional, Psicologia Social, Psicologia das Organizações, Psicologia Clínica, Psicologia da Saúde, Psicologia Comunitária, Psicanálise e Psicobiologia. 9 s e créditos que devem ser reunidos para a obtenção do grau ou diploma: Especialização em Psicologia Cognitiva QUADRO N.º 1 Psicologia Cognitiva PG Especialização em Psicologia do Desenvolvimento QUADRO N.º 2 Psicologia do Desenvolvimento PD ISPA, C. R. L. Aviso n.º 11538/2015 O ISPA CRL, entidade instituidora do ISPA Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida, considerando o disposto dos artigos 75.º a 80.º do Decreto -Lei n.º 74/2006, de 24 de março, alterado e republicado pelo Decreto -Lei n.º 107/2008, de 25 de junho, torna pública a alteração do plano de estudos do ciclo de estudos conducente ao grau de Doutor em Psicologia, publicado no Diário da República 2.ª série, N.º 33, Despacho n.º 2341/2012, de 15 de fevereiro. Esta alteração do plano de estudos foi alvo de registo junto da Direção- -Geral do Ensino Superior, com o número R/A -Ef 1086/2011/AL01, de 15 de setembro de de setembro de O Presidente da Direção, Emanuel João Flores Gonçalves. ANEXO Estrutura Curricular e Plano de Estudos do ciclo de estudos conducente ao grau de Doutor em Psicologia 1 Estabelecimento de ensino ISPA Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida. 2 Unidade Orgânica (faculdade, escola, instituto, etc.) ISPA- -Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida. 3 Curso Psicologia. 4 Grau ou diploma Doutoramento. 5 predominante do curso Psicologia. 6 Número de créditos, segundo o sistema europeu de transferência de créditos, necessário à obtenção do grau ou diploma Duração normal do curso três anos letivos (6 semestres). Especialização em Psicologia Educacional QUADRO N.º 3 Psicologia Educacional PE Especialização em Psicologia Social QUADRO N.º 4 Psicologia Social PS

2 Diário da República, 2.ª série N.º de outubro de Especialização em Psicologia das Organizações Especialização em Psicologia Comunitária QUADRO N.º 5 QUADRO N.º 8 Psicologia Social e das Organizações... PO Psicologia Comunitária PCM Especialização em Psicanálise Especialização em Psicologia Clínica QUADRO N.º 6 Psicologia Clínica PC QUADRO N.º 9 Psicanálise PSC Especialização em Psicobiologia QUADRO N.º 10 Especialização em Psicologia da Saúde QUADRO N.º 7 Psicobiologia PB Psicologia da Saúde PSA : Dos 24 créditos optativos necessários para a obtenção do 3.º ciclo, 18 são realizados na área de Métodos. 11 Plano de Estudos Psicologia Cognitiva QUADRO N.º 11 Estudos Avançados em Psicologia Cognitiva I PG S 225 TP: 64 OT: 32 Av: 9 9 Estudos Avançados em Psicologia Cognitiva II PG S 225 TP: 64 OT: 32 Av: 9 9 Métodos de Investigação Aplicada M S 225 TP: 64 OT: 32 Av: 9 9 O Métodos de Investigação Experimental M S 225 TP: 64 OT: 32 Av: 9 9 O Métodos de Investigação Qualitativa M S 225 TP: 64 OT: 32 Av: 9 9 O Métodos de Observação Direta e Indireta M S 225 TP: 64 OT: 32 Av: 9 9 O Técnicas de Análise de Dados I M S 225 TP: 64 OT: 32 Av: 9 9 O Técnicas de Análise de Dados II M S 225 TP: 64 OT: 32 Av: 9 9 O Seminário de Investigação PG A 450 S: 128 OT: 64 AV: 18 18

3 28992 Diário da República, 2.ª série N.º de outubro de 2015 Psicologia Cognitiva QUADRO N.º 12 Dissertação PG A 1500 OT: 100 TC: Psicologia Cognitiva QUADRO N.º 13 Dissertação PG A 1500 OT: 100 TC: Psicologia do Desenvolvimento QUADRO N.º 14 Estudos Avançados em Psicologia do Desenvolvimento I..... PD S 225 TP: 64 OT: 32 Av: 9 9 Estudos Avançados em Psicologia do Desenvolvimento II.... PD S 225 TP: 64 OT: 32 Av: 9 9 Seminário de Investigação PD A 450 S: 128 OT: 64 AV: Psicologia do Desenvolvimento QUADRO N.º 15 Dissertação PD A 1500 OT: 100 TC: Psicologia do Desenvolvimento QUADRO N.º 16 Dissertação PD A 1500 OT: 100 TC:

4 Diário da República, 2.ª série N.º de outubro de Psicologia Educacional QUADRO N.º 17 Estudos avançados em Psicologia Educacional I PE S 225 TP: 64 OT: 32 Av: 9 9 Estudos avançados em Psicologia Educacional II PE S 225 TP: 64 OT: 32 Av: 9 9 Seminário de Investigação PE A 450 S: 128 OT: 64 AV: Psicologia Educacional QUADRO N.º 18 Dissertação PE A 1500 OT: 100 TC: Psicologia Educacional QUADRO N.º 19 Dissertação PE A 1500 OT: 100 TC: Psicologia Social QUADRO N.º 20 Estudos Avançados em Psicologia Social I PS S 225 TP: 64 OT: 32 Av: 9 9 Estudos Avançados em Psicologia Social II PS S 225 TP: 64 OT: 32 Av: 9 9 Seminário de Investigação PS A 450 S: 128 OT: 64 AV: 18 18

5 28994 Diário da República, 2.ª série N.º de outubro de 2015 Psicologia Social QUADRO N.º 21 Dissertação PS A 1500 OT: 100 TC: Psicologia Social QUADRO N.º 22 Dissertação PS A 1500 OT: 100 TC: Psicologia das Organizações QUADRO N.º 23 Estudos Avançados em Psicologia das Organizações I PO S 225 TP: 64 OT: 32 Av: 9 9 Estudos Avançados em Psicologia das Organizações II PO S 225 TP: 64 OT: 32 Av: 9 9 Seminário de Investigação PO A 450 S: 128 OT: 64 AV: Psicologia das Organizações QUADRO N.º 24 Dissertação PO A 1500 OT: 100 TC: Psicologia das Organizações QUADRO N.º 25 Dissertação PO A 1500 OT: 100 TC:

6 Diário da República, 2.ª série N.º de outubro de Psicologia Clínica QUADRO N.º 26 Estudos Avançados em Psicologia Clínica I PC S 225 TP: 64 OT: 32 Av: 9 9 Estudos Avançados em Psicologia Clínica II PC S 225 TP: 64 OT: 32 Av: 9 9 Seminário de Investigação PC A 450 S: 128 OT: 64 AV: Psicologia Clínica QUADRO N.º 27 Dissertação PC A 1500 OT: 100 TC: Psicologia Clínica QUADRO N.º 28 Dissertação PC A 1500 OT: 100 TC: Psicologia da Saúde QUADRO N.º 29 Estudos Avançados em Psicologia da Saúde I PSA S 225 TP: 64 OT: 32 Av: 9 9 Estudos Avançados em Psicologia da Saúde II PSA S 225 TP: 64 OT: 32 Av: 9 9 Seminário de Investigação PSA A 450 S: 128 OT: 64 AV: 18 18

7 28996 Diário da República, 2.ª série N.º de outubro de 2015 Psicologia da Saúde QUADRO N.º 30 Dissertação PSA A 1500 OT: 100 TC: Psicologia da Saúde QUADRO N.º 31 Dissertação PSA A 1500 OT: 100 TC: Psicologia Comunitária QUADRO N.º 32 Estudos Avançados em Psicologia Comunitária I PCM S 225 TP: 64 OT: 32 Av: 9 9 Estudos Avançados em Psicologia Comunitária II PCM S 225 TP: 64 OT: 32 Av: 9 9 Métodos de Investigação Experimental M S 150 TP: 48 OT: 24 Av: 4 6 O Seminário de Investigação PCM A 450 S: 128 OT: 64 AV: Psicologia Comunitária QUADRO N.º 33 Dissertação PCM A 1500 OT: 100 TC: Psicologia Comunitária QUADRO N.º 34 Dissertação PCM A 1500 OT: 100 TC:

8 Diário da República, 2.ª série N.º de outubro de Psicanálise QUADRO N.º 35 Estudos Avançados em Psicanálise I PSC S 225 TP: 64 OT: 32 Av: 9 9 Estudos Avançados em Psicanálise II PSC S 225 TP: 64 OT: 32 Av: 9 9 Seminário de Investigação PSC A 450 S: 128 OT: 64 AV: Psicanálise QUADRO N.º 36 ientífica Dissertação PSC A 1500 OT: 100 TC: Psicanálise QUADRO N.º 37 Dissertação PSC A 1500 OT: 100 TC: Psicobiologia QUADRO N.º 38 Estudos Avançados em Psicobiologia I PB S 225 TP: 64 OT: 32 Av: 9 9 Estudos Avançados em Psicobiologia II PB S 225 TP: 64 OT: 32 Av: 9 9 Estudos Avançados em Psicobiologia I PB S 225 TP: 64 OT: 32 Av: 9 9

9 28998 Diário da República, 2.ª série N.º de outubro de 2015 Psicobiologia QUADRO N.º 39 Dissertação PB A 1500 OT: 100 TC: Psicobiologia QUADRO N.º 40 Dissertação PB A 1500 OT: 100 TC: PCI PARAMÉDICOS DE CATÁSTROFE INTERNACIONAL Regulamento n.º 690/2015 Paramédicos de Catástrofe Internacional PCI, adiante designada por PCI, é uma Organização Não Governamental Internacional na área médica, cooperação para o desenvolvimento e emergência humanitária conforme previsto na Lei n.º 66/98, de 14 de outubro, com estatuto de utilidade pública de Portugal, e de Instituição Particular de Solidariedade Social Previsto no Decreto -Lei n.º 119/83, de 25 fevereiro, e ONGA, conforme Portaria n.º 478/99, de 29 de junho, e Associação Juvenil conforme Portaria 1228/2006 de15 de novembro, sendo uma pessoa coletiva de direito privado, sem fins lucrativos, e ONGH, com sede na Rua Pedro Álvares Cabral Pontinha Odivelas - Portugal, com site -internacional.org, publica para uso exclusivo de funcionamento e operacionalidade nas suas atividades de interesse publico tato a nível nacional como internacional, a carreira de formação de Paramédico designadamente com as seguintes nomenclaturas de carreira EMT-P: Emergency Medical Technician Paramedic (Técnico em Emergências Médicas Paramédico), EMT -ICP: Emergency Medical Technician Intensive Care Paramedic (Técnico em Emergências Médicas Paramédico de Cuidados Intensivos), Técnico Paramédico de Emergência Humanitário (TPEH), Técnico Paramédico de Emergência Pré -hospitalar (TPEP), Técnico Paramédico de Emergências Sanitário (T.P.E.S.). Estas designações são de exclusividade e propriedade da instituição PCI, com objetivo de atuação em princípios humanitários segurança, prontidão, operacionalidade humanitária, coordenação de operações de emergência e socorro em cenários humanitários, catástrofe, cooperação para o desenvolvimento, ajuda e socorro, emergência medica, apoio social, apoio a inventos e de todas as atividades inerentes ao serviço da instituição conforme os seus regulamentos e estatutos no âmbito do interesse publico tanto a nível nacional como internacional da Unidade Operacional de Emergência dos Paramédicos de Catástrofe Internacional UOE/ PCI que será utilizado na íntegra por todos os elementos operacionais, Direção, Inspeção, Comando, Voluntários, Colaboradores, Funcionários da Instituição tanto para nível nacional como internacional para manter uma prontidão e resposta mais operacional às populações nas áreas da assistência médica e medicamentosa humanitária, saneamento, abrigos, segurança, alimentação, defesa dos direitos humanos e proteção das populações em cenários de catástrofe, calamidade, epidemias, prevenções a inventos, emergência medica, apoio social, guerras, entre outras. 1 de janeiro de O Presidente e Fundador dos PCI, Bruno Reis Ferreira PARTE J1 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA E DO MAR Direção-Geral de Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos Aviso n.º 11539/2015 Procedimento concursal para o cargo de Direção Intermédia de 2.º grau Chefe de Divisão de Recursos Humanos e Relações Públicas (DRHRP), da Direção de Serviços de Administração Geral (DSAG), da Direção -Geral de Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos (DGRM). Nos termos dos artigos 20.º e 21.º da Lei n.º 2/2004, de 15 de janeiro, na redação dada pela Lei n.º 64/2011, de 22 de dezembro, faz -se público que, por despacho de 26 de agosto de 2015 do Senhor Diretor -Geral, se encontra aberto, por um período de 10 dias úteis a contar do dia da publicitação na bolsa de emprego público (BEP), procedimento concursal com vista ao recrutamento para o cargo de direção intermédia de 2.º grau Chefe de Divisão de Recursos Humanos e Relações Públicas, da Direção de Serviços de Administração Geral, da Direção -Geral de Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos. A indicação dos requisitos formais de provimento, do perfil exigido, da composição do júri, dos métodos de seleção e outras informações de interesse para a apresentação da candidatura constará da publicitação na BEP, a ocorrer três dias úteis após a publicação do presente aviso no Diário da República. 30 de setembro de O Subdiretor -Geral, Carlos Miguel Alves de Mendonça Arrais

Universidade do Minho, 9 de Abril de 2008.

Universidade do Minho, 9 de Abril de 2008. Divisão Académica despacho RT/C-172/2008 Nos termos do disposto no artigo 4º da Resolução SU-63/07, de 5 de Novembro de 2007, do Senado Universitário da Universidade do Minho que, ao abrigo do disposto

Leia mais

ACEF/1112/12687 Guião para a auto avaliação

ACEF/1112/12687 Guião para a auto avaliação ACEF/1112/12687 Guião para a auto avaliação Caracterização do ciclo de estudos. A1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: ISPA, Crl A1.a. Descrição da instituição de ensino superior /

Leia mais

Diário da República, 2.ª série N.º 62 30 de março de 2015 7769 INSTITUTO POLITÉCNICO DA GUARDA INSTITUTO POLITÉCNICO DO CÁVADO E DO AVE

Diário da República, 2.ª série N.º 62 30 de março de 2015 7769 INSTITUTO POLITÉCNICO DA GUARDA INSTITUTO POLITÉCNICO DO CÁVADO E DO AVE Diário da República, 2.ª série N.º 62 30 de março de 2015 7769 Doutor Bruno Filipe Rama Travassos, Professor Auxiliar da Universidade da Beira Interior; Doutor Victor Manuel de Oliveira Maças, Professor

Leia mais

21022 Diário da República, 2.ª série N.º 155 13 de agosto de 2014

21022 Diário da República, 2.ª série N.º 155 13 de agosto de 2014 21022 Diário da República, 2.ª série N.º 155 13 de agosto de 2014 Despacho n.º 10553/2014 Ao abrigo do disposto nos artigos 75.º e 76.º do Decreto -Lei pelo Decreto -Lei n.º 107/2008, de 25 de junho, pelo

Leia mais

43220 Diário da República, 2.ª série N.º 155 11 de Agosto de 2010

43220 Diário da República, 2.ª série N.º 155 11 de Agosto de 2010 43220 Diário da República, 2.ª série N.º 155 11 de Agosto de 2010 11 Plano de estudos: Universidade Nova de Lisboa Faculdade de Ciências Sociais e Humanas Curso de Ciências da Educação Grau de Mestre Área

Leia mais

REGULAMENTO DO SEGUNDO CICLO DE ESTUDOS EM COMUNICAÇÃO E MARKETING

REGULAMENTO DO SEGUNDO CICLO DE ESTUDOS EM COMUNICAÇÃO E MARKETING REGULAMENTO DO SEGUNDO CICLO DE ESTUDOS EM COMUNICAÇÃO E MARKETING REGULAMENTO DO SEGUNDO CICLO DE ESTUDOS EM COMUNICAÇÃO E MARKETING O presente regulamento foi homologado pelo Presidente da ESEV, a 18

Leia mais

Concursos de Educadores de Infância e 2012-2013. 11 de abril de 2012. Direção de Serviços de Recrutamento de Pessoal Docente

Concursos de Educadores de Infância e 2012-2013. 11 de abril de 2012. Direção de Serviços de Recrutamento de Pessoal Docente Concursos de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário 2012-2013 11 de abril de 2012 Direção de Serviços de Recrutamento de Pessoal Docente ETAPAS CONTRATAÇÃO INICIAL (abril)

Leia mais

REGULAMENTO DO PROCESSO ESPECIAL DE ACREDITAÇÃO/RENOVAÇÃO DA ACREDITAÇÃO DE ENTIDADES CANDIDATAS À AVALIAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DOS MANUAIS ESCOLARES

REGULAMENTO DO PROCESSO ESPECIAL DE ACREDITAÇÃO/RENOVAÇÃO DA ACREDITAÇÃO DE ENTIDADES CANDIDATAS À AVALIAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DOS MANUAIS ESCOLARES REGULAMENTO DO PROCESSO ESPECIAL DE ACREDITAÇÃO/RENOVAÇÃO DA ACREDITAÇÃO DE ENTIDADES CANDIDATAS À AVALIAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DOS MANUAIS ESCOLARES CAPÍTULO I Âmbito de aplicação Artigo 1.º Objeto e âmbito

Leia mais

Ministério da Educação e Ciência. Despacho n.º

Ministério da Educação e Ciência. Despacho n.º Ministério da Educação e Ciência Gabinetes dos Secretários de Estado do Ensino e da Administração Escolar e do Ensino Básico e Secundário Despacho n.º De acordo com o estabelecido na Portaria n.º 135-A/2013,

Leia mais

47720 Diário da República, 2.ª série N.º 233 6 de Dezembro de 2011

47720 Diário da República, 2.ª série N.º 233 6 de Dezembro de 2011 47720 Diário da República, 2.ª série N.º 233 6 de Dezembro de 2011 UNIVERSIDADE DA MADEIRA Aviso (extracto) n.º 23548/2011 Nos termos do disposto no n.º 6 do artigo 12.º da Lei n.º 12 -A/2008, de 27 de

Leia mais

DGAE Direção-Geral da Administração Escolar CONTRATAÇÃO DE ESCOLA E BOLSA DE CONTRATAÇÃO DE ESCOLA. Maio/Junho 2015

DGAE Direção-Geral da Administração Escolar CONTRATAÇÃO DE ESCOLA E BOLSA DE CONTRATAÇÃO DE ESCOLA. Maio/Junho 2015 CONTRATAÇÃO DE ESCOLA E BOLSA DE CONTRATAÇÃO DE ESCOLA Maio/Junho 2015 CONCURSO DOCENTES 2015/2016 (Decreto-Lei n.º 132/2012, de 27/06, na redação conferida pelo Decreto-Lei n.º 83- A/2014, de 23/05, retificado

Leia mais

Despacho/SP/116/2014 Publicação das alterações ao plano de estudos do ciclo de estudos conducente ao grau de Licenciado em Turismo

Despacho/SP/116/2014 Publicação das alterações ao plano de estudos do ciclo de estudos conducente ao grau de Licenciado em Turismo Página 1 de 5 Despacho/SP/116/2014 Publicação das alterações ao plano de estudos do ciclo de estudos conducente ao grau de Licenciado em Turismo De acordo com o disposto nos artigos 75.º e seguintes do

Leia mais

PARTE I. Diário da República, 2.ª série N.º 214 6 de novembro de 2012 36465 FREGUESIA DE SOALHEIRA

PARTE I. Diário da República, 2.ª série N.º 214 6 de novembro de 2012 36465 FREGUESIA DE SOALHEIRA Diário da República, 2.ª série N.º 214 6 de novembro de 2012 36465 FREGUESIA DE SOALHEIRA Declaração de retificação n.º 1430/2012 Retifica o aviso n.º 13912/2012, publicado no Diário da República, 2.ª

Leia mais

DGES DIRECÇÃO GERAL DO ENSINO SUPERIOR MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR

DGES DIRECÇÃO GERAL DO ENSINO SUPERIOR MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR B Estrutura curricular e plano de estudos ESTRUTURA CURRICULAR 1. Estabelecimento de ensino: 2. Unidade orgânica (faculdade, escola, instituto, etc.): 3. Curso: 4. Grau ou diploma: 5. Área científica predominante

Leia mais

Mestrado em Ensino da Física e da Química

Mestrado em Ensino da Física e da Química Mestrado em Ensino da Física e da Química Mestrado em Ensino da Física e da Química - Faculdade de Ciências da Universidade do Porto 1 5. Estrutura curricular e plano de estudos FORMULÁRIO 1. Estabelecimento

Leia mais

FACULDADE DE LETRAS DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA REGULAMENTO DO SEGUNDO CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO GRAU DE MESTRE

FACULDADE DE LETRAS DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA REGULAMENTO DO SEGUNDO CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO GRAU DE MESTRE FACULDADE DE LETRAS DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA REGULAMENTO DO SEGUNDO CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO GRAU DE MESTRE O presente Regulamento tem como lei habilitante o Decreto-Lei nº 74/2006, de 24 de Março,

Leia mais

ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL

ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL Diretor Geral O Diretor Geral supervisiona e coordena o funcionamento das unidades orgânicas do Comité Olímpico de Portugal, assegurando o regular desenvolvimento das suas

Leia mais

ÁREA CIENTÍFICA CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CE 30 - METODOLOGIA E DIDÁTICA DO INSTRUMENTO MDEM 30 - SUPERVISÃO PEDAGÓGICA EM INSTRUMENTO SP 48 -

ÁREA CIENTÍFICA CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CE 30 - METODOLOGIA E DIDÁTICA DO INSTRUMENTO MDEM 30 - SUPERVISÃO PEDAGÓGICA EM INSTRUMENTO SP 48 - Mestrado em Ensino de Música Ramo Instrumento ÁREA CIENTÍFICA SIGLA OBRIGATÓRIOS OPTATIVOS CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CE 30 - METODOLOGIA E DIDÁTICA DO INSTRUMENTO MDEM 30 - SUPERVISÃO PEDAGÓGICA EM INSTRUMENTO

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Sexta-feira, 11 de dezembro de 2015. Série. Número 223

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Sexta-feira, 11 de dezembro de 2015. Série. Número 223 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Sexta-feira, 11 de dezembro de 2015 Série Sumário SECRETARIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO Despacho n.º 470/2015 Nomeação em regime de substituição do Licenciado João Manuel

Leia mais

r I MINISTÉRIOOAEDUCAÇAO

r I MINISTÉRIOOAEDUCAÇAO ti,. GOVERNO DE r I MINISTÉRIOOAEDUCAÇAO PORTUGAL ECI~NCIA Direção Geral dos Estabelecimentos Escolares do Centro AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SANTA CRUZ DA TRAPA 330309 CONTRIBUINTE N.o600080102 AV. SÃO

Leia mais

16050 Diário da República, 2.ª série N.º 77 21 de Abril de 2009

16050 Diário da República, 2.ª série N.º 77 21 de Abril de 2009 16050 Diário da República, 2.ª série N.º 77 21 de Abril de 2009 Unidades curriculares Área Tipo científica Obs Diagnóstico Molecular.................. BT Semestral 140 T: 15 TP: 5 PL: 5 S: 5 OT: 5 O: 5

Leia mais

DIREÇÃO REGIONAL DE JUVENTUDE E DESPORTO DESTACAMENTO DE DOCENTES PARA O MOVIMENTO ASSOCIATIVO DESPORTIVO ANO LETIVO 2014/2015

DIREÇÃO REGIONAL DE JUVENTUDE E DESPORTO DESTACAMENTO DE DOCENTES PARA O MOVIMENTO ASSOCIATIVO DESPORTIVO ANO LETIVO 2014/2015 REGULAMENTO Artigo 1.º Objeto 1 - O presente regulamento define as condições de candidatura ao destacamento de docentes para entidades que operam no Sistema Desportivo Regional e regula os procedimentos

Leia mais

Regulamento do Conselho Municipal de Juventude de Vendas Novas. Preâmbulo

Regulamento do Conselho Municipal de Juventude de Vendas Novas. Preâmbulo Regulamento do Conselho Municipal de Juventude de Vendas Novas Preâmbulo Enquanto autarquia local, a Câmara Municipal deve promover a participação dos seus munícipes nas decisões relativas ao destino do

Leia mais

1272 Diário da República, 2.ª série N.º 8 13 de janeiro de 2016

1272 Diário da República, 2.ª série N.º 8 13 de janeiro de 2016 1272 Diário da República, 2.ª série N.º 8 13 de janeiro de 2016 de novembro, na sua última redação, aplicável por força do disposto no artigo 8.º do Decreto -Lei n.º 4/2015, de 7 de janeiro, e no artigo

Leia mais

PROGRAMA ESCOLA + Voluntária

PROGRAMA ESCOLA + Voluntária PROGRAMA ESCOLA + Voluntária 1. Apresentação O voluntariado é considerado como uma atividade inerente ao exercício de cidadania que se traduz numa relação solidária para com o próximo, participando de

Leia mais

MESTRADO EM GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES

MESTRADO EM GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES PROCESSO REFERENTE À CRIAÇÃO E ENTRADA EM FUNCIONAMENTO DO MESTRADO EM GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES (De acordo com o Artigo 8.º do Decreto-Lei n.º 74/200, de 24 de Março) DGES DIRECÇÃO GERAL DO ENSINO SUPERIOR

Leia mais

Diário da República, 2.ª série N.º 49 11 de Março de 2010 11201

Diário da República, 2.ª série N.º 49 11 de Março de 2010 11201 Diário da República, 2.ª série N.º 49 11 de Março de 2010 11201 vem obedecer às orientações para este efeito emitidas por despacho do Director da FCSH. 2 A tese de doutoramento deverá ter um mínimo de

Leia mais

REGULAMENTO DO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO DA QUALIDADE DO INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO

REGULAMENTO DO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO DA QUALIDADE DO INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO REGULAMENTO DO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO DA QUALIDADE DO INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO A criação de um sistema integrado de gestão da qualidade para as instituições de ensino superior resulta das melhores

Leia mais

Guião para a autoavaliação. Ciclo de estudos em funcionamento. (Ensino Universitário e Politécnico)

Guião para a autoavaliação. Ciclo de estudos em funcionamento. (Ensino Universitário e Politécnico) Guião para a autoavaliação Ciclo de estudos em funcionamento (Ensino Universitário e Politécnico) Guião ACEF 2014/2015 PT (Revisão aprovada em 26.03.2014) Caracterização do pedido A1. Instituição de ensino

Leia mais

Avaliação do Desempenho do Pessoal Docente 2012/2013. Agrupamento de Escolas de Condeixa-a-Nova 21.03.2013

Avaliação do Desempenho do Pessoal Docente 2012/2013. Agrupamento de Escolas de Condeixa-a-Nova 21.03.2013 2012 2013 Avaliação do Desempenho do Pessoal Docente 2012/2013 Agrupamento de Escolas de Condeixa-a-Nova 21.03.2013 1. ÂMBITO Dando cumprimento ao disposto no decreto regulamentar nº 26/2012, de 21 de

Leia mais

Preâmbulo... 3. I Grau de cumprimento do Plano Estratégico e do Plano Anual... 4. II Da Realização dos Objectivos Estabelecidos...

Preâmbulo... 3. I Grau de cumprimento do Plano Estratégico e do Plano Anual... 4. II Da Realização dos Objectivos Estabelecidos... Relatório Anual 2008/2009 INDICE Preâmbulo... 3 I Grau de cumprimento do Plano Estratégico e do Plano Anual... 4 2 II Da Realização dos Objectivos Estabelecidos... 5 III Da eficiência da Gestão Administrativa

Leia mais

REGULAMENTO ACADÉMICO

REGULAMENTO ACADÉMICO I. Disposições Gerais Artigo 1º Objetivo O regulamento académico tem por objetivo definir a aplicação das normas que organizam e regulam todas as formações conducentes à obtenção do grau de licenciado

Leia mais

CRITÉRIOS DE QUALIFICAÇÃO DE PESSOAL DOCENTE PARA A ACREDITAÇÃO DE CICLOS DE ESTUDOS

CRITÉRIOS DE QUALIFICAÇÃO DE PESSOAL DOCENTE PARA A ACREDITAÇÃO DE CICLOS DE ESTUDOS CRITÉRIOS DE QUALIFICAÇÃO DE PESSOAL DOCENTE PARA A ACREDITAÇÃO DE CICLOS DE ESTUDOS Versão 1.1 Setembro 2013 1. Critérios (mínimos) de referência quanto à qualificação do corpo docente para a acreditação

Leia mais

---------- 23. - Presente à reunião proposta do Vereador José Maria Magalhães do seguinte teor:

---------- 23. - Presente à reunião proposta do Vereador José Maria Magalhães do seguinte teor: - Conselho Municipal de Educação de Vila Real - Proposta de Regulamento ---------- 23. - Presente à reunião proposta do Vereador José Maria Magalhães do seguinte teor: A Lei de Bases do Sistema Educativo

Leia mais

Guia de Curso. Administração e Gestão Educacional. Mestrado em. 15ª Edição. Universidade Aberta Departamento de Educação e Ensino a Distância

Guia de Curso. Administração e Gestão Educacional. Mestrado em. 15ª Edição. Universidade Aberta Departamento de Educação e Ensino a Distância Universidade Aberta Sede R. da Escola Politécnica, 147 1269-001 Lisboa Campus do Taguspark Av. J. Delors, Edifício Inovação I 2740-122 Porto Salvo, Oeiras Coordenadora: Guia de Curso Lídia Grave-Resendes

Leia mais

UNIVERSIDADE TÉCNICA DE LISBOA. Instituto Superior de Economia e Gestão

UNIVERSIDADE TÉCNICA DE LISBOA. Instituto Superior de Economia e Gestão UNIVERSIDADE TÉCNICA DE LISBOA Instituto Superior de Economia e Gestão Faz -se saber que, perante o Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade Técnica de Lisboa (adiante designado por Instituto),

Leia mais

REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM PSICOLOGIA CLÍNICA E DA SAÚDE

REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM PSICOLOGIA CLÍNICA E DA SAÚDE REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM PSICOLOGIA CLÍNICA E DA SAÚDE Artigo 1º Objeto O Regulamento do 2º Ciclo de Estudos Conducentes ao Grau de Mestre em Psicologia Clínica

Leia mais

Suplemento ao Diploma

Suplemento ao Diploma Suplemento ao Diploma 1. Informação sobre o titular da qualificação 1.1 Apelido(s): Fotografia 1.2 Nome(s) próprio(s): 1.3 Data Nascimento: dd/mm/aaaa 1.4 Número de identificação do estudante: XXXXXXXXXXXXXXXX

Leia mais

PEDIDO ESPECIAL DE RENOVAÇÃO DA ACREDITAÇÃO DE CICLO DE ESTUDOS NÃO-ALINHADO (PERA) Guião de apresentação do pedido

PEDIDO ESPECIAL DE RENOVAÇÃO DA ACREDITAÇÃO DE CICLO DE ESTUDOS NÃO-ALINHADO (PERA) Guião de apresentação do pedido PEDIDO ESPECIAL DE RENOVAÇÃO DA ACREDITAÇÃO DE CICLO DE ESTUDOS NÃO-ALINHADO (PERA) (Ensino Universitário e Politécnico) Guião de apresentação do pedido Versão 1.0 março de 2015 0. Âmbito do guião e síntese

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA. 1286 Diário da República, 1.ª série N.º 29 11 de fevereiro de 2014

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA. 1286 Diário da República, 1.ª série N.º 29 11 de fevereiro de 2014 1286 Diário da República, 1.ª série N.º 29 11 de fevereiro de 2014 verificação da utilização agrícola, florestal ou silvopastoril do prédio e do cumprimento por parte do adquirente ou do arrendatário de

Leia mais

Lei n.º 66/98 de 14 de Outubro

Lei n.º 66/98 de 14 de Outubro Lei n.º 66/98 de 14 de Outubro Aprova o estatuto das organizações não governamentais de cooperação para o desenvolvimento A Assembleia da República decreta, nos termos dos artigos 161.º, alínea c), 166.º,

Leia mais

4928-(5) c) Os n. os 3.1 e 3.2 do anexo III.B (mestrados); d) O n.º 1 do anexo III.C (ciclo de estudos integrado conducente ao grau de mestre).

4928-(5) c) Os n. os 3.1 e 3.2 do anexo III.B (mestrados); d) O n.º 1 do anexo III.C (ciclo de estudos integrado conducente ao grau de mestre). N.º 65 31 de Março de 2006 DIÁRIO DA REPÚBLICA II SÉRIE 4928-(5) Despacho n. o 7287-B/2006 (2. a série). O regime jurídico dos graus académicos e diplomas do ensino superior prevê que os estabelecimentos

Leia mais

Ensino Superior. Federação Nacional dos Professores www.fenprof.pt

Ensino Superior. Federação Nacional dos Professores www.fenprof.pt Federação Nacional dos Professores www.fenprof.pt Ensino Superior Regulamento n.º 319/2013 Regulamento do Programa de Apoio Social a Estudantes através de atividades de tempo Parcial (PASEP) da Universidade

Leia mais

NOTA INFORMATIVA BOLSA DE CONTRATAÇÃO DE ESCOLA (CANDIDATURA)

NOTA INFORMATIVA BOLSA DE CONTRATAÇÃO DE ESCOLA (CANDIDATURA) NOTA INFORMATIVA BOLSA DE CONTRATAÇÃO DE ESCOLA (CANDIDATURA) 1. A Bolsa de Contratação de Escola (BCE) é constituída pelos Agrupamentos de Escolas/Escola Não Agrupada (AE/ENA) TEIP e/ou com Contrato de

Leia mais

DESPACHO. ASSUNTO: - Regulamento do Gabinete de Apoio ao Estudante e ao Diplomado- GAED

DESPACHO. ASSUNTO: - Regulamento do Gabinete de Apoio ao Estudante e ao Diplomado- GAED DESPACHO Nº. 17/2015 Data: 2015/05/22 Para conhecimento de: Pessoal docente, discente e não docente ASSUNTO: - Regulamento do Gabinete de Apoio ao Estudante e ao Diplomado- GAED Com o intuito de normalizar

Leia mais

SUPLEMENTO II SÉRIE ÍNDICE. Ministério da Educação e Ciência PARTE C. Terça-feira, 27 de maio de 2014 Número 101

SUPLEMENTO II SÉRIE ÍNDICE. Ministério da Educação e Ciência PARTE C. Terça-feira, 27 de maio de 2014 Número 101 II SÉRIE Terça-feira, 27 de maio de 2014 Número 101 ÍNDICE SUPLEMENTO PARTE C Ministério da Educação e Ciência Direção-Geral da Administração Escolar: Aviso n.º 6472-A/2014: Abertura do concurso externo

Leia mais

47768 Diário da República, 2.ª série N.º 233 6 de Dezembro de 2011

47768 Diário da República, 2.ª série N.º 233 6 de Dezembro de 2011 47768 Diário da República, 2.ª série N.º 233 6 de Dezembro de 2011 Artigo 17.º Elementos que constam obrigatoriamente dos diplomas e cartas de curso Dos diplomas e cartas de curso constarão os seguintes

Leia mais

Mestrado em Conservação e Restauro com área de especialização em Conservação e Restauro ou Ciências da Conservação

Mestrado em Conservação e Restauro com área de especialização em Conservação e Restauro ou Ciências da Conservação Mestrado em Conservação e Restauro 1 Mestrado em Conservação e Restauro com área de especialização em Conservação e Restauro ou Ciências da Conservação Artigo 1º Criação A Universidade Nova de Lisboa (UNL),

Leia mais

ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3 I - DEFINIÇÕES... 4 II LOCALIZAÇÃO, INSTALAÇÕES E SERVIÇOS... 4 III UTILIZADORES E ATIVIDADES... 5

ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3 I - DEFINIÇÕES... 4 II LOCALIZAÇÃO, INSTALAÇÕES E SERVIÇOS... 4 III UTILIZADORES E ATIVIDADES... 5 Regulamento de utilização das instalações de Incubação Índice ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3 I - DEFINIÇÕES... 4 II LOCALIZAÇÃO, INSTALAÇÕES E SERVIÇOS... 4 III UTILIZADORES E ATIVIDADES... 5 IV INSTALAÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM COMUNICAÇÃO SOCIAL

REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM COMUNICAÇÃO SOCIAL REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM COMUNICAÇÃO SOCIAL REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM COMUNICAÇÃO SOCIAL O presente regulamento foi homologado pelo Presidente da ESEV, a 18 de maio

Leia mais

Reitoria. É revogado o Despacho RT-34/2014, de 2 junho. Universidade do Minho, 5 de dezembro de 2014. O Reitor. António M. Cunha. despacho RT-55/2014

Reitoria. É revogado o Despacho RT-34/2014, de 2 junho. Universidade do Minho, 5 de dezembro de 2014. O Reitor. António M. Cunha. despacho RT-55/2014 Reitoria despacho RT-55/2014 A Universidade do Minho tem vindo a atrair um número crescente de estudantes estrangeiros, que hoje representam um importante contingente da sua comunidade estudantil. Com

Leia mais

EEMI ITTI IDO PPOR: : Ministério da Educação. ASSSSUNTTO Estatuto do ensino particular e cooperativo DATTA 1980-11-21

EEMI ITTI IDO PPOR: : Ministério da Educação. ASSSSUNTTO Estatuto do ensino particular e cooperativo DATTA 1980-11-21 DIÁRIOS DA REPUBLLI ICA DEESSI IGNAÇÇÃO: : EEDUCCAÇÇÃO e Ciência ASSSSUNTTO Estatuto do ensino particular e cooperativo IDEENTTI I IFFI ICCAÇÇÃO Decreto lei nº 553/80 DATTA 1980-11-21 EEMI ITTI IDO PPOR:

Leia mais

DGES DIRECÇÃO GERAL DO ENSINO SUPERIOR MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR FORMULÁRIO

DGES DIRECÇÃO GERAL DO ENSINO SUPERIOR MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR FORMULÁRIO FORMULÁRIO 1. Estabelecimento de ensino: INSTITUTO POLITÉCNICO DE BEJA 2. Unidade orgânica (faculdade, escola, instituto, etc.): 3. Curso: SAÚDE AMBIENTAL 4. Grau ou diploma: Licenciado 5. Área científica

Leia mais

RESOLUÇÃO CEP 10/2015 25 de março de 2015

RESOLUÇÃO CEP 10/2015 25 de março de 2015 RESOLUÇÃO CEP 10/2015 25 de março de 2015 Aprova o Regulamento de Educação Continuada Docente. O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA DA FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO, no uso de suas atribuições regimentais,

Leia mais

Outonos da Vida Associação para os Cuidados Paliativos e Dor Crónica do Médio Tejo APRESENTAÇÃO

Outonos da Vida Associação para os Cuidados Paliativos e Dor Crónica do Médio Tejo APRESENTAÇÃO Outonos da Vida Associação para os Cuidados Paliativos e Dor Crónica do Médio Tejo APRESENTAÇÃO OUTONOS DA VIDA Instituição sem fins lucrativos, candidata a IPSS da área da Saúde com interacção com a Segurança

Leia mais

Ministério d. Decreto-lei n.º

Ministério d. Decreto-lei n.º A melhoria da qualidade do ensino constitui um dos desafios centrais da política do XIX Governo Constitucional. A valorização profissional dos docentes, através de um investimento na formação contínua,

Leia mais

3 - A avaliação do desempenho docente, a que se refere a alínea c) do número anterior, rege-se por Regulamento específico.

3 - A avaliação do desempenho docente, a que se refere a alínea c) do número anterior, rege-se por Regulamento específico. REGULAMENTO INTERNO DA CARREIRA DOCENTE DA ESG/ ESCOLA SUPERIOR GALLAECIA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º Objeto 1 - O presente Regulamento define o conjunto de critérios a observar na Escola Superior

Leia mais

ÍNDICE ENQUADRAMENTO... 3 1- CARACTERIZAÇÃO DO AGRUPAMENTO... 4

ÍNDICE ENQUADRAMENTO... 3 1- CARACTERIZAÇÃO DO AGRUPAMENTO... 4 ÍNDICE ENQUADRAMENTO... 3 1- CARACTERIZAÇÃO DO AGRUPAMENTO... 4 1.1- DOCENTES:... 4 1.2- NÃO DOCENTES:... 5 1.2.1- TÉCNICAS SUPERIORES EM EXERCÍCIO DE FUNÇÕES... 5 1.2.2- ASSISTENTES OPERACIONAIS EM EXERCÍCIO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. N. o 184 11-8-1998 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. N. o 184 11-8-1998 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 184 11-8-1998 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A 3907 seguem as atribuições e competências que lhes são conferidas pelos respectivos estatutos, aprovados, respectivamente, pelos Decretos-Leis n. os 74/95,

Leia mais

REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS

REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Faculdade de Ciências Sociais e Humanas REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS Artigo 1º Natureza O presente regulamento

Leia mais

CIRCULAR INFORMATIVA

CIRCULAR INFORMATIVA CIRCULAR INFORMATIVA Nº. 14 Data: 2013/02/13 Para conhecimento de: Pessoal docente, discente e não docente ASSUNTO: - Regulamento dos Grupos de Investigação da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de

Leia mais

CANDIDATURA À DIRECÇÃO DA UNIDADE DE INVESTIGAÇÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM

CANDIDATURA À DIRECÇÃO DA UNIDADE DE INVESTIGAÇÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM CANDIDATURA À DIRECÇÃO DA UNIDADE DE INVESTIGAÇÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM Pedro Jorge Richheimer Marta de Sequeira Marília Oliveira Inácio Henriques 1 P á g i n a 1. Enquadramento da Candidatura

Leia mais

Inquéritos de Empregabilidade aplicados aos Diplomados

Inquéritos de Empregabilidade aplicados aos Diplomados Escola Superior de Educação de Almada Inquéritos de Empregabilidade aplicados aos Diplomados Ciclos de Estudo de Mestrado Apresentação de Resultados Departamento para a Garantia da Qualidade Fevereiro,

Leia mais

Concursos e mobilidade. 5/6 de junho de 2014

Concursos e mobilidade. 5/6 de junho de 2014 Concursos e mobilidade 5/6 de junho de 2014 Regime de seleção, recrutamento e mobilidade do PD A satisfação das necessidades de pessoal docente das escolas é suprida através dos concursos: interno e externo

Leia mais

JORNAL OFICIAL Sexta-feira, 26 de abril de 2013

JORNAL OFICIAL Sexta-feira, 26 de abril de 2013 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Sexta-feira, 26 de abril de 2013 Série Sumário VICE-PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL E SECRETARIA REGIONAL DO PLANO E FINANÇAS Despacho conjunto n.º 31/2013 Homologação

Leia mais

DESPACHO ISEP/P/51/2010. Regulamento do Departamento de Engenharia Electrotécnica

DESPACHO ISEP/P/51/2010. Regulamento do Departamento de Engenharia Electrotécnica DESPACHO DESPACHO /P/51/2010 Regulamento do Departamento de Engenharia Electrotécnica Considerando que: Nos termos do n.º 4 do artigo 43.º dos Estatutos do Instituto Superior de Engenharia do Porto, homologados

Leia mais

II Edição 2014/2015 - REGULAMENTO -

II Edição 2014/2015 - REGULAMENTO - II Edição 2014/2015 - REGULAMENTO - Iniciativa de: Com o apoio de: 1. Apresentação O voluntariado é considerado como uma atividade inerente ao exercício de cidadania que se traduz numa relação solidária

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE JUVENTUDE DE VISEU

CONSELHO MUNICIPAL DE JUVENTUDE DE VISEU CONSELHO MUNICIPAL DE JUVENTUDE DE VISEU PROPOSTA DE REGULAMENTO 1 Preâmbulo Uma sociedade que quer preparar o futuro tem que criar condições para se proporcionar aos jovens o acesso a uma formação educativa,

Leia mais

MINISTÉRIOS DAS FINANÇAS E DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS

MINISTÉRIOS DAS FINANÇAS E DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS Diário da República, 1.ª série N.º 118 20 de junho de 2012 3057 Designação dos cargos dirigentes ANEXO Mapa a que se refere o artigo 9.º Qualificação dos cargos dirigentes Grau Número de lugares Diretor

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DAS FACULDADES DA UNIVERSIDADE FERNANDO PESSOA

REGULAMENTO GERAL DAS FACULDADES DA UNIVERSIDADE FERNANDO PESSOA REGULAMENTO GERAL DAS FACULDADES DA UNIVERSIDADE FERNANDO PESSOA Artigo 1º Denominação 1. As faculdades são unidades orgânicas da UFP que integram subunidades orgânicas, reúnem grandes áreas científicas

Leia mais

Ministério da Ciência e Tecnologia

Ministério da Ciência e Tecnologia Ministério da Ciência e Tecnologia Decreto n.º4/01 De 19 de Janeiro Considerando que a investigação científica constitui um pressuposto importante para o aumento da produtividade do trabalho e consequentemente

Leia mais

Regulamento de Atribuição do Título de Especialista Escola Superior de Educação João de Deus. na ESE João de Deus

Regulamento de Atribuição do Título de Especialista Escola Superior de Educação João de Deus. na ESE João de Deus Escola Superior de Educação João de Deus de Atribuição do Título de Especialista Escola Superior de Educação João de Deus na ESE João de Deus O Regime Jurídico das Instituições de Ensino Superior, aprovado

Leia mais

Mestrado em Gerontologia Social

Mestrado em Gerontologia Social Mestrado em Gerontologia Social Apresentação O Programa de Mestrado em Gerontologia Social do Instituto Superior Bissaya Barreto (ISBB), com estrutura curricular e plano de estudos constantes do Despacho

Leia mais

EDITAL MESTRADO EM JOGO E MOTRICIDADE NA INFÂNCIA. (Edição 2012-2014)

EDITAL MESTRADO EM JOGO E MOTRICIDADE NA INFÂNCIA. (Edição 2012-2014) 1/10 EDITAL MESTRADO EM JOGO E MOTRICIDADE NA INFÂNCIA (Edição 2012-2014) Nos termos do Decreto-Lei nº 42/2005, de 22 de fevereiro, do Decreto-Lei nº 74/2006, de 24 de março, com as alterações que lhes

Leia mais

REGULAMENTO. Estudante Internacional

REGULAMENTO. Estudante Internacional Estudante Internacional REGULAMENTO Elaboradopor: Aprovado por: Versão Gabinete de Apoio à Reitoria Reitor 1.1 Revisto e confirmadopor: de Aprovação Inicial Secretario Geral 11 de Agosto 2014 de aplicação

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE JUVENTUDE DO CARTAXO. Preâmbulo

REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE JUVENTUDE DO CARTAXO. Preâmbulo REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE JUVENTUDE DO CARTAXO Preâmbulo As Autarquias Locais são os órgãos que, devido à sua proximidade com a população, mais facilmente podem criar condições para uma efetiva

Leia mais

JORNAL OFICIAL Sexta-feira, 19 de julho de 2013

JORNAL OFICIAL Sexta-feira, 19 de julho de 2013 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Sexta-feira, 19 de julho de 2013 Série Sumário VICE-PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL Despacho n.º 114/2013 Designa, em regime de comissão de serviço, o DR. EMANUEL

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO GAYA

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO GAYA NORMAS REGULAMENTARES DAS LICENCIATURAS DO ISPGAYA Preâmbulo As presentes normas visam dar cumprimento ao estabelecido no artigo n.º14.º do Decreto- Lei n.º 74/2006, de 24 de março, na sua redação atual,

Leia mais

Instituto de Educação

Instituto de Educação Instituto de Educação Universidade de Lisboa Oferta Formativa Pós-Graduada Mestrado em Educação Especialização: Administração Educacional Edição Instituto de Educação da Universidade de Lisboa julho de

Leia mais

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora:

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA. Regulamento do Terceiro Ciclo de Estudos. Conducente ao Grau de Doutor/a em Direito

FACULDADE DE DIREITO UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA. Regulamento do Terceiro Ciclo de Estudos. Conducente ao Grau de Doutor/a em Direito FACULDADE DE DIREITO UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA Regulamento do Terceiro Ciclo de Estudos Conducente ao Grau de Doutor/a em Direito (versão em vigor a partir de 26 de março de 2015) Artigo 1.º Objeto 1

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM EDITAL

INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM EDITAL INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM EDITAL ABERTURA DE CONCURSO DOCUMENTAL PARA PREENCHIMENTO DE DOIS POSTOS DE TRABALHO PARA A CARREIRA DE DOCENTE DO ENSINO SUPERIOR POLITÉCNICO NA CATEGORIA DE PROFESSOR

Leia mais

Por despacho do Presidente da Assembleia da República de 26 de Julho de 2004, foi aprovado

Por despacho do Presidente da Assembleia da República de 26 de Julho de 2004, foi aprovado Regulamento dos Estágios da Assembleia da República para Ingresso nas Carreiras Técnica Superior Parlamentar, Técnica Parlamentar, de Programador Parlamentar e de Operador de Sistemas Parlamentar Despacho

Leia mais

Aviso de abertura de concurso de recrutamento e seleção de Juízes de Paz

Aviso de abertura de concurso de recrutamento e seleção de Juízes de Paz 1 Aviso de abertura de concurso de recrutamento e seleção de Juízes de Paz Em conformidade com o n.º 1 do artigo 24.º da Lei n.º 78/2001, de 13 de julho, com a redação dada pela Lei n.º 54/2013, de 31

Leia mais

REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM PUBLICIDADE E RELAÇÕES PÚBLICAS

REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM PUBLICIDADE E RELAÇÕES PÚBLICAS REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM PUBLICIDADE E RELAÇÕES PÚBLICAS REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM PUBLICIDADE E RELAÇÕES PÚBLICAS O presente regulamento foi homologado pelo Presidente

Leia mais

Regulamento do curso de Pós-Graduação em Ciências da Educação especialização em Administração Educacional da Universidade da Madeira

Regulamento do curso de Pós-Graduação em Ciências da Educação especialização em Administração Educacional da Universidade da Madeira 1 Regulamento do curso de Pós-Graduação em Ciências da Educação especialização em Administração Educacional da Universidade da Madeira Artigo 1.º Enquadramento jurídico O presente articulado baseia-se

Leia mais

Diário da República, 2.ª série N.º 161 19 de agosto de 2015 23691 UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR UNIVERSIDADE DE ÉVORA

Diário da República, 2.ª série N.º 161 19 de agosto de 2015 23691 UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR UNIVERSIDADE DE ÉVORA Diário da República, 2.ª série N.º 161 19 de agosto de 2015 23691 9 Participação dos interessados e decisão: 9.1 O projeto de ordenação final é notificado aos candidatos, para efeitos de realização da

Leia mais

Regulamento da Faculdade de Direito Universidade Católica Portuguesa

Regulamento da Faculdade de Direito Universidade Católica Portuguesa Regulamento da Faculdade de Direito da Universidade Católica Portuguesa (Proposta aprovada por unanimidade na reunião do Conselho Científico Plenário da Faculdade de Direito realizada no dia 14 de Outubro

Leia mais

CETAC.MEDIA. Centro de Estudos. das Tecnologias e Ciências da Comunicação. Regulamento

CETAC.MEDIA. Centro de Estudos. das Tecnologias e Ciências da Comunicação. Regulamento Centro de Estudos das Tecnologias e Ciências da Comunicação Regulamento Julho de 2008 CAPÍTULO I Natureza, Missão, Atribuições e Constituição Artigo 1º Natureza O Centro de Estudos das Tecnologias e Ciências

Leia mais

INSTITUTO PORTUGUÊS DO MAR E DA ATMOSFERA, I.P.

INSTITUTO PORTUGUÊS DO MAR E DA ATMOSFERA, I.P. INSTITUTO PORTUGUÊS DO MAR E DA ATMOSFERA, I.P. REGULAMENTO DE BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO CIENTIFICA Artigo 1º Âmbito O presente Regulamento, aplica-se às bolsas atribuídas pelo Instituto Português do Mar

Leia mais

REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL

REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL O presente regulamento foi homologado pelo Presidente da ESEV, a 18 de maio

Leia mais

ESE POLITCNiCQ. r FASE EDITAL MESTRADO EM DIDÁTICA DAS CIÊNCIAS DA NATUREZA E DA MATEMÁTICA (CANDIDATURA 2015- REF. ESEIMIDCNM)

ESE POLITCNiCQ. r FASE EDITAL MESTRADO EM DIDÁTICA DAS CIÊNCIAS DA NATUREZA E DA MATEMÁTICA (CANDIDATURA 2015- REF. ESEIMIDCNM) ESE POLITCNiCQ DOPORTO ESCOLA SUPERIOR DE EDUCACÃO EDITAL MESTRADO EM DIDÁTICA DAS CIÊNCIAS DA NATUREZA E DA MATEMÁTICA (CANDIDATURA 2015- REF. ESEIMIDCNM) r FASE Paulo Alberto da Silva Pereira, Presidente

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA DIRECÃO GERAL DOS ESTABELECIMENTOS ESCOLARES AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE FERNANDO PESSOA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA DIRECÃO GERAL DOS ESTABELECIMENTOS ESCOLARES AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE FERNANDO PESSOA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA DIRECÃO GERAL DOS ESTABELECIMENTOS ESCOLARES AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE FERNANDO PESSOA Procedimento concursal comum de recrutamento para quatro postos de trabalho para

Leia mais

Regulamento Atividades Complementares. Faculdade da Cidade de Santa Luzia - FACSAL

Regulamento Atividades Complementares. Faculdade da Cidade de Santa Luzia - FACSAL Regulamento Atividades Complementares Faculdade da Cidade de Santa Luzia - 2014 Regulamento das Atividades Complementares CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Artigo 1º - As Atividades

Leia mais

Diário da República, 2.ª série N.º 165 27 de agosto de 2012 30023

Diário da República, 2.ª série N.º 165 27 de agosto de 2012 30023 Diário da República, 2.ª série N.º 165 27 de agosto de 2012 30023 8.º semestre QUADRO N.º 9 Tempo de trabalho (horas) Unidades curriculares Área científica Tipo Créditos Observações Total Contacto (1)

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE ARTES E DESIGN REGULAMENTO DE ESTUDOS DA LICENCIATURA

ESCOLA SUPERIOR DE ARTES E DESIGN REGULAMENTO DE ESTUDOS DA LICENCIATURA ESCOLA SUPERIOR DE ARTES E DESIGN REGULAMENTO DE ESTUDOS DA LICENCIATURA Preâmbulo O processo de Bolonha implementado em 2006/2007 na ESAD, a reforma feita posteriormente aos cursos de Artes e de Design,

Leia mais

CAPÍTULO I. Denominação, Natureza, Âmbito, Duração, Sede e Objecto

CAPÍTULO I. Denominação, Natureza, Âmbito, Duração, Sede e Objecto REGULAMENTO DO CENTRO DE INVESTIGAÇÃO CAPÍTULO I Denominação, Natureza, Âmbito, Duração, Sede e Objecto Artigo 1º (Denominação, natureza e âmbito) 1. O Instituto Superior de Ciências Educativas e o Instituto

Leia mais

FUNDAÇÃO CONVENTO DA ORADA - ESCOLA SUPERIOR GALLAECIA. Regulamento de Bolsas de Investigação Científica. Capítulo I Disposições gerais

FUNDAÇÃO CONVENTO DA ORADA - ESCOLA SUPERIOR GALLAECIA. Regulamento de Bolsas de Investigação Científica. Capítulo I Disposições gerais FUNDAÇÃO CONVENTO DA ORADA - ESCOLA SUPERIOR GALLAECIA Regulamento de Bolsas de Investigação Científica Capítulo I Disposições gerais Artigo 1º Âmbito O presente Regulamento, segue o modelo aprovado pela

Leia mais

ÍNDICE ESCOLA SUPERIOR DE SAÚDE DE SANTARÉM 1. ÍNDICE 2. PROMULGAÇÃO 3. DESCRIÇÃO DA ESCOLA. 3.1 História. 3.2 Objetivo e Domínio da Certificação

ÍNDICE ESCOLA SUPERIOR DE SAÚDE DE SANTARÉM 1. ÍNDICE 2. PROMULGAÇÃO 3. DESCRIÇÃO DA ESCOLA. 3.1 História. 3.2 Objetivo e Domínio da Certificação ÍNDICE 1. ÍNDICE 2. PROMULGAÇÃO 3. DESCRIÇÃO DA ESCOLA 3.1 História 3.2 Objetivo e Domínio da Certificação 4. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE 4.1 Processos 4.2 Requisitos da Documentação 4.3 Controlo dos

Leia mais

Em seguida, prestam-se breves esclarecimentos sobre algumas questões frequentes sobre o acordo mencionado acima:

Em seguida, prestam-se breves esclarecimentos sobre algumas questões frequentes sobre o acordo mencionado acima: Acordo Ibérico entre Cooperativa de Ensino Superior Politécnico e Universitário (CESPU) e Universidade Alfonso X El Sabio de Madrid permite o ingresso de alunos licenciados em Ciências Biomédicas pela

Leia mais