1 - Publituris.pt, , Publituris: ExpoQuintas em processo de certificação para "Green Event"

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1 - Publituris.pt, 30-09-2010, Publituris: ExpoQuintas em processo de certificação para "Green Event""

Transcrição

1

2 Revista de Imprensa Cascais Energia 1 - Publituris.pt, , Publituris: ExpoQuintas em processo de certificação para "Green Event" 2 - Planeta Azul.pt, , Caça Watts e Eco-famílias 3 - Água & Ambiente, , Agências de energia privilegiam intervenções em edifícios e iluminação pública

3 Publituris.pt, Publituris: ExpoQuintas em processo de certificação para "Green Event" AExpoQuintas, através da Publihappening - empresa organizadora, iniciou o processo de certificação para "Green Event, Evento Responsável", com vista a integrar a Rede Oxigénio, no âmbito de uma parceria com as Agências Cascais Energia e Cascais Natura. A Rede Oxigénio é um plano de promoção e defesa da Natureza e da biodiversidade no Concelho de Cascais. O projecto Oxigénio vem também responder às exigências do crescente mercado voluntário do carbono e do emergente mercado voluntário para a biodiversidade. Assim, a organização compromete-se a cumprir alguns passos importantes: "a minimização do "Impacto", através da elaboração e envio a todos os intervenientes das "Normas Verdes" e a sensibilização de promotores, organizadores e participantes para que sejam tomadas medidas adequadas, nas áreas da sustentabilidade, da responsabilidade social e da protecção ambiental; a aferição do "Pegada de Carbono", com a elaboração e a realização de inquéritos a todo os intervenientes, para recolha de dados relativos ao impacto ambiental do evento e a medição, pós-evento, da "dimensão da pegada de carbono", com a colaboração da Agência Cascais Energia". Por fim, informa que estará empenhada na "mitigação da "Pegada" e a Compensação do "Impacto", pós-evento, proporcional ao "impacto" causado, através de acções apropriadas, entre as quais a participação da organização e de voluntários numa jornada ambiental, com plantação de árvores e outras acções directas de protecção da natureza, a favor da biodiversidade no Parque Natural de Sintra-Cascais, cumprindo os requisitos da adesão à Rede Oxigénio". 3

4 Planeta Azul.pt, Caça Watts e Eco-famílias 27/09/2010 Juntos no combate ao desperdício de energia Acha que a sua factura de electricidade é exorbitante? Já tentou apagar as luzes mas não acha grande piada a jantar à luz de velas? E se tivesse uma ajuda? Os projectos Caça Watts e Eco-famílias II diagnosticam os "pontos negros" - grandes consumidores de energia em sua casa, e sugerem-lhe o que pode fazer para diminuir os consumos e consequentemente o valor a pagar no final de cada mês. Pequenos gestos que farão uma grande diferença. Apontar e atacar O grande objectivo dos projectos Caça Watts e Eco-famílias II, são ajudá-lo a reduzir o desperdício e o consumo através da adopção de boas práticas para a eficiência energética. Como? Só tem que se inscrever/ candidatar, mostrando o seu interesse. Posteriormente será contactado para agendar uma visita da equipa técnica a sua casa, de acordo com a sua disponibilidade. Nos dias e horas marcadas, a equipa técnica, devidamente qualificada e identificada, realiza uma auditoria à habitação tendo em conta: Os padrões e hábitos de consumo energético com a análise de facturas e análise de contadores; A medição dos consumos de electrodomésticos e outros equipamentos; Os pontos de consumo excessivo; Os aspectos construtivos da habitação; A medição de parâmetros ambientais como temperatura e humidade; O como e o onde reduzir o desperdício ao nível dos consumos de e("consumos fantasma"), iluminação, hábitos de utilização dos equipamentos eléctricos e electrónicos, aquecimento/arrefecimento, contadores, etc.; A utilização de equipamentos de energias renováveis ao nível doméstico e a sua influência na factura energética. Após a auditoria os técnicos Caça Watts emitem um relatório com o diagnóstico final e recomendações de boas práticas e os técnicos Eco-famílias II elaboram uma Ficha de Recomendação com um plano de gestão adaptado e personalizado. Ao adoptarem as práticas recomendadas, as famílias podem poupar até 10% a 20% na factura. Caça Watts Entidade promotora: Agência de Energia de Cascais Público-alvo: Residentes no concelho de Cascais ou noutros concelhos da Área Metropolitana de Lisboa Equipa Técnica: Brigada CaçaWatts Procedimento: Custo: Necessário o pagamento simbólico de uma quantia em dinheiro que varia de acordo com a tipologia da casa, e que tem como objectivo cobrir as despesas operacionais da visita. Mais informações: Telefone (Linha Verde disponível nos dias úteis das 9H00 às 18H00) Web - Eco-famílias II Entidade promotora: EDP Distribuição em parceria com a Quercus e financiado pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) Público-alvo: 1000 Famílias residentes em Portugal Continental (500 famílias em 2009 e 500 famílias em 2010) Equipa Técnica: Técnicos Eco-famílias II 4

5 Procedimento: Candidatura através de envio de com o seu nome, morada e telefone de contacto paraou para; Contacto e marcação de visita técnica; Visita dos técnicos Eco-famílias II para a auditoria; Emissão de Ficha de Recomendação específica para cada família, com um plano de gestão adaptado e personalizado, dividido por vários níveis de implementação (alteração de comportamentos, melhor utilização dos equipamentos, proposta para a troca de equipamentos por outros mais eficientes e divulgação de informação sobre aspectos construtivos e soluções que melhorem o desempenho térmico da habitação Custo: Grátis Mais informações: Telefone Web - ou 5

6 Água & Ambiente ID: Tiragem: 3000 País: Portugal Period.: Mensal Âmbito: Ambiente e Ciência Pág: 72 Cores: Cor Área: 23,38 x 32,13 cm² Corte: 1 de 2 6

7 Água & Ambiente ID: Tiragem: 3000 País: Portugal Period.: Mensal Âmbito: Ambiente e Ciência Pág: 73 Cores: Cor Área: 15,58 x 31,73 cm² Corte: 2 de 2 7

PPEC 2013-2014 Plano de Promoção da Eficiência Energética no Consumo de Energia Eléctrica. Auditoria Energética para Escolas

PPEC 2013-2014 Plano de Promoção da Eficiência Energética no Consumo de Energia Eléctrica. Auditoria Energética para Escolas PPEC 2013-2014 Plano de Promoção da Eficiência Energética no Consumo de Energia Eléctrica Auditoria Energética para Escolas Objectivo da Medida As Auditorias Energéticas para Escolas faz parte de um conjunto

Leia mais

Certificação e Monitorização de Edifícios Públicos Municipais em Cascais

Certificação e Monitorização de Edifícios Públicos Municipais em Cascais Certificação e Monitorização de Edifícios Públicos Municipais em Cascais TECNOFIL Workshop Municípios e Certificação Energética de Edifícios Lisboa, 18 Junho 2009 Objectivos A Agência Cascais Energia é

Leia mais

Revista de Imprensa. 1 - Jornal da Costa do Sol, 26-03-2009, "Água e energia" a concurso. 2-24 Horas, 23-03-2009, Água e energia valem prémios

Revista de Imprensa. 1 - Jornal da Costa do Sol, 26-03-2009, Água e energia a concurso. 2-24 Horas, 23-03-2009, Água e energia valem prémios Revista de Imprensa Cascais Atlântico 1 - Jornal da Costa do Sol, 26-03-2009, "Água e energia" a concurso 2-24 Horas, 23-03-2009, Água e energia valem prémios 3 - Notícias da Manhã, 23-03-2009, Concurso

Leia mais

ESPOSENDE PACTO DE AUTARCAS

ESPOSENDE PACTO DE AUTARCAS ESPOSENDE PACTO DE AUTARCAS Novembro de 2010 CÂMARA MUNICIPAL DE ESPOSENDE ESPOSENDE AMBIENTE, EEM OBJECTIVOS DE COMBATE ÀS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS Até ao ano de 2020, Aumentar em 20% a eficiência energética

Leia mais

Diagnóstico Energético. Projecto Influência Comportamental no Consumo de Energia Eléctrica. Promotor: Entidade Financiadora: Parceiro:

Diagnóstico Energético. Projecto Influência Comportamental no Consumo de Energia Eléctrica. Promotor: Entidade Financiadora: Parceiro: Diagnóstico Energético Projecto Influência Comportamental no Consumo de Energia Eléctrica Entidade Financiadora: Promotor: Parceiro: Medida financiada no âmbito do Plano de Promoção da Eficiência no Consumo

Leia mais

O Projecto SMART-SPP: a visão do Município de Cascais

O Projecto SMART-SPP: a visão do Município de Cascais O Projecto SMART-SPP: a visão do Município de Cascais Dr. João Dias Coelho - Administrador da Agência Cascais Energia Supported by: YOUR LOGO OBJECTIVOS DA CASCAIS ENERGIA Promover o uso racional de energia;

Leia mais

OBJECTIVOS DA CASCAIS ENERGIA

OBJECTIVOS DA CASCAIS ENERGIA O Projecto SMART-SPP: a visão do Município de Cascais Dr. João Dias Coelho - Administrador da Agência Cascais Energia Supported by: YOUR LOGO OBJECTIVOS DA CASCAIS ENERGIA Promover o uso racional de energia;

Leia mais

Castelo de Vide 16.02.2009. Mais eco. Mais futuro.

Castelo de Vide 16.02.2009. Mais eco. Mais futuro. Castelo de Vide 16.02.2009 Mais eco. Mais futuro. O mundo está nas nossas mãos... 1 O consumo energético mundial tem registado forte crescimento nos últimos anos, agravando o volume de emissões de CO 2

Leia mais

ARTIGO TÉCNICO. Os objectivos do Projecto passam por:

ARTIGO TÉCNICO. Os objectivos do Projecto passam por: A metodologia do Projecto SMART MED PARKS ARTIGO TÉCNICO O Projecto SMART MED PARKS teve o seu início em Fevereiro de 2013, com o objetivo de facultar uma ferramenta analítica de confiança para apoiar

Leia mais

XIX CONGRESSO SOCIEDADE, TERRITÓRIO E AMBIENTE A INTERVENÇÃO DO ENGENHEIRO 19 e 20 de outubro de 2012

XIX CONGRESSO SOCIEDADE, TERRITÓRIO E AMBIENTE A INTERVENÇÃO DO ENGENHEIRO 19 e 20 de outubro de 2012 XIX CONGRESSO SOCIEDADE, TERRITÓRIO E AMBIENTE A INTERVENÇÃO DO ENGENHEIRO 19 e 20 de outubro de 2012 O CONSUMO MUNDIAL DE ENERGIA CONTINUARÁ A CRESCER, MAS AS POLÍTICAS DE EFICIÊNCIA TERÃO UM FORTE IMPACTO

Leia mais

OPORTUNIDADES DE FINANCIAMENTO PARA A EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM IPSS SUSTENTABILIDADE E EFICIÊNCIA NO USO DE RECURSOS PORTARIA 57-B/2015

OPORTUNIDADES DE FINANCIAMENTO PARA A EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM IPSS SUSTENTABILIDADE E EFICIÊNCIA NO USO DE RECURSOS PORTARIA 57-B/2015 OPORTUNIDADES DE FINANCIAMENTO PARA A EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM IPSS SUSTENTABILIDADE E EFICIÊNCIA NO USO DE RECURSOS PORTARIA 57-B/2015 ENQUADRAMENTO Para os efeitos previstos na secção 2 da Portaria 57-B/2015,

Leia mais

Restituição de cauções aos consumidores de electricidade e de gás natural Outubro de 2007

Restituição de cauções aos consumidores de electricidade e de gás natural Outubro de 2007 Restituição de cauções aos consumidores de electricidade e de gás natural Outubro de 2007 Ponto de situação em 31 de Outubro de 2007 As listas de consumidores com direito à restituição de caução foram

Leia mais

Auditoria ao Processo de. no Sector Eléctrico

Auditoria ao Processo de. no Sector Eléctrico Auditoria ao Processo de Mudança de Comercializador no Sector Eléctrico Agenda 1. Enquadramento e objectivos 2. Descrição dos trabalhos do auditor 3. Conclusões do trabalho do auditor 4. Recomendações

Leia mais

SESSÃO "SEMANA EUROPEIA DA ENERGIA SUSTENTÁVEL 2015" RELATÓRIO FINAL

SESSÃO SEMANA EUROPEIA DA ENERGIA SUSTENTÁVEL 2015 RELATÓRIO FINAL SESSÃO "SEMANA EUROPEIA DA ENERGIA SUSTENTÁVEL 015" RELATÓRIO FINAL ENQUADRAMENTO No âmbito da Semana Europeia da Energia Sustentável (15 a 19 de Junho de 015),, a Câmara Municipal de Lisboa e a Lisboa

Leia mais

1 - Câmaras Verdes.pt, 27-01-2010, CASCALENSES REGISTAM COMPORTAMENTOS ECOLÓGICOS ONLINE. 2 - Time Out Lisboa, 27-01-2010, Agenda de Feiras

1 - Câmaras Verdes.pt, 27-01-2010, CASCALENSES REGISTAM COMPORTAMENTOS ECOLÓGICOS ONLINE. 2 - Time Out Lisboa, 27-01-2010, Agenda de Feiras Revista de Imprensa Agenda 21 1 - Câmaras Verdes.pt, 27-01-2010, CASCALENSES REGISTAM COMPORTAMENTOS ECOLÓGICOS ONLINE 2 - Time Out Lisboa, 27-01-2010, Agenda de Feiras 3 - Time Out Lisboa, 20-01-2010,

Leia mais

Encontro Investigação, Desenvolvimento e Inovação Lisboa, 07de Outubro de 2013

Encontro Investigação, Desenvolvimento e Inovação Lisboa, 07de Outubro de 2013 Encontro Investigação, Desenvolvimento e Inovação Lisboa, 07de Outubro de 2013 1 PROBLEMA Como responder às crescentes exigências económicas e ambientais, às alterações permanentes e aos diversos estilos

Leia mais

O Sistema de Certificação Energética como plataforma integrada de gestão do património edificado

O Sistema de Certificação Energética como plataforma integrada de gestão do património edificado O Sistema de Certificação Energética como plataforma integrada de gestão do património edificado ENERGY FOR SMART CITIES Cascais Painel Built Environment Lisboa, 28 a 30 de Novembro de 2012 Joana Fernandes

Leia mais

EDP. PREPARAR A ECONOMIA DO CARBONO Eficiência energética em alerta vermelho EMPRESA

EDP. PREPARAR A ECONOMIA DO CARBONO Eficiência energética em alerta vermelho EMPRESA EDP PREPARAR A ECONOMIA DO CARBONO Eficiência energética em alerta vermelho EMPRESA O Grupo EDP Energias de Portugal centra as suas actividades na produção, distribuição e comercialização de energia eléctrica,

Leia mais

Plano de Acção 2010-11. Escola Básica 2.3 Professor Noronha Feio Queijas, Oeiras. Página 1 de 7

Plano de Acção 2010-11. Escola Básica 2.3 Professor Noronha Feio Queijas, Oeiras. Página 1 de 7 Página 1 de 7 Diagnóstico Objectivos Diagnóstico Acções Recursos Intervenientes Calendarização Água Resíduos Energia Transportes Biodiversidade Mar Plano de Acção Elementos do Plano de Acção Temas em que

Leia mais

Ana Oliveira. Anibal T. de Almeida [aalmeida@isr.uc.pt] Enviado: sexta-feira, 9 de Março de 2001 18:06 Para: De: erse@erse.pt Cc:

Ana Oliveira. Anibal T. de Almeida [aalmeida@isr.uc.pt] Enviado: sexta-feira, 9 de Março de 2001 18:06 Para: De: erse@erse.pt Cc: Ana Oliveira De: Anibal T. de Almeida [aalmeida@isr.uc.pt] Enviado: sexta-feira, 9 de Março de 2001 18:06 Para: erse@erse.pt Cc: anacris@isr.uc.pt Assunto: Comentarios Anexos: ERSE-Revisão dos Regulamentos.doc;

Leia mais

QUEM FAZ A AVALIAÇÃO ENERGÉTICA E EMITE O CERTIFICADO?

QUEM FAZ A AVALIAÇÃO ENERGÉTICA E EMITE O CERTIFICADO? O QUE É UM CERTIFICADO ENERGÉTICO? Um Certificado Energético (CE) de um edifício ou fracção autónoma é o documento emitido no âmbito do Sistema Nacional de Certificação Energética e Qualidade do Ar Interior

Leia mais

UMA BOA IDEIA PARA A SUSTENTABILIDADE

UMA BOA IDEIA PARA A SUSTENTABILIDADE UMA BOA IDEIA PARA A SUSTENTABILIDADE REGULAMENTO DO CONCURSO DE IDEIAS (Aberto a todos os Cidadãos) 1. O QUE É: O concurso Uma Boa Ideia para a Sustentabilidade é uma iniciativa da Câmara Municipal de

Leia mais

Página. Plano. de Gestão Sustentável do IFDR. Poupança. Boas Práticas. Energia. Reciclagem. Plano de Gestão Sustentável do IFDR

Página. Plano. de Gestão Sustentável do IFDR. Poupança. Boas Práticas. Energia. Reciclagem. Plano de Gestão Sustentável do IFDR Página Plano de Gestão Sustentável do IFDR 2010 Energia Poupança Boas Práticas Reciclagem Dezembro de 2010 Página 2 Energia Poupança Página Reciclagem Boas Práticas Índice 1. Enquadramento 5 2. Objectivos

Leia mais

FUNDO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

FUNDO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA FUNDO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA Aviso 10 Edifício Eficiente 2015 LNEC - LABORATÓRIO NACIONAL DE ENGENHARIA CIVIL DIREÇÃO EXECUTIVA DO PNAEE LISBOA, 29/06/2015 O que é? Fundo de Eficiência Energética (FEE):

Leia mais

Gestão de Energia e Eficiência Energética nas Empresas O enquadramento legal!

Gestão de Energia e Eficiência Energética nas Empresas O enquadramento legal! Gestão de Energia e Eficiência Energética nas Empresas O enquadramento legal! 25 de Janeiro de 2013 Agenda: Enquadramento Legislativo e Regulamentar adequado à Utilização de Energia nas empresas; Âmbito

Leia mais

Regulamento do Green Project Awards

Regulamento do Green Project Awards Regulamento do Green Project Awards A GCI em parceria com a Agência Portuguesa do Ambiente e a Quercus Associação Nacional de Conservação da Natureza, institui um Prémio de reconhecimento de boas práticas

Leia mais

POLÍTICA DE AMBIENTE, QUALIDADE E SEGURANÇA

POLÍTICA DE AMBIENTE, QUALIDADE E SEGURANÇA HOMOLOGAÇÃO: José Eduardo Carvalho 14-03- Pág. 2 de 5 A Tagusgás subscreve a Política AQS da Galp Energia. A Política AQS da Tagusgás foi definida tendo em consideração os Objectivos Estratégicos do Grupo

Leia mais

CTT. Consigo por um futuro sustentável.

CTT. Consigo por um futuro sustentável. CTT. Consigo por um futuro sustentável. Boas práticas no fornecimento de serviços/produtos CTT. Consigo por um futuro sustentável. CTT. Consigo por um futuro sustentável. Porquê e para quê? CTT. Consigo

Leia mais

SUSTENTABILIDADE URBANA

SUSTENTABILIDADE URBANA 1ª FEIRA IBÉRICA SUSTENTABILIDADE URBANA ENERGIA, SUSTENTABILIDADE, CIDADANIA Joaquim Borges Gouveia bgouveia@ua.pt DEGEI UAVEIRO 8 de Junho de 2011 ENERGIA e SUSTENTABILIDADE Utilização Racional de Energia

Leia mais

ENERGIA: OPORTUNIDADE, EMPRESAS, CRESCIMENTO Filipe Vasconcelos, Diretor Geral da ADENE

ENERGIA: OPORTUNIDADE, EMPRESAS, CRESCIMENTO Filipe Vasconcelos, Diretor Geral da ADENE ENERGIA: OPORTUNIDADE, EMPRESAS, CRESCIMENTO Filipe Vasconcelos, Diretor Geral da ADENE Lisboa, 26 de Junho 2012 23 de Março de 2012 ONDE NOS ENCONTRAMOS Num Contexto Internacional financeiro e económico

Leia mais

Case study. Novo Conceito de Hotelaria SUSTENTABILIDADE 360 NA HOTELARIA EM PORTUGAL EMPRESA ENVOLVIMENTO

Case study. Novo Conceito de Hotelaria SUSTENTABILIDADE 360 NA HOTELARIA EM PORTUGAL EMPRESA ENVOLVIMENTO Case study 2010 Novo Conceito de Hotelaria SUSTENTABILIDADE 360 NA HOTELARIA EM PORTUGAL EMPRESA A Inspira, uma joint-venture formalizada em 2006 entre o grupo Blandy, com sede na Madeira e larga experiência

Leia mais

(n.º/lote), (andar), (localidade) (cód. Postal), Freguesia de, com o telefone n.º, telemóvel n.º fax n.º e-mail Site (WWW):.

(n.º/lote), (andar), (localidade) (cód. Postal), Freguesia de, com o telefone n.º, telemóvel n.º fax n.º e-mail Site (WWW):. FORMULÁRIO DE CANDIDATURA Ano a que respeita a candidatura I. IDENTIFICAÇÃO DA ENTIDADE GESTORA (Designação da Entidade/Organização) n.º de contribuinte, com sede na (Rua, Av.) (n.º/lote), (andar), (localidade)

Leia mais

Concurso de Design Mascote Eficiência Energética

Concurso de Design Mascote Eficiência Energética Concurso de Design Mascote Eficiência Energética Regulamento 1. Introdução O presente concurso destina-se à criação da Mascote da Eficiência Energética, que estará associada à COGEN Portugal, e que será

Leia mais

Revista de Imprensa Dezembro 2008. 11 - Blog Correio de Cascais.com, 18-12-2008, Natal ecológico no Green Festival

Revista de Imprensa Dezembro 2008. 11 - Blog Correio de Cascais.com, 18-12-2008, Natal ecológico no Green Festival Revista de Imprensa Dezembro 2008 Cascais Atlântico 1 - Blog Correio de Cascais.com, 18-12-2008, Natal ecológico no Green Festival 2 - Jornal da Costa do Sol, 18-12-2008, Cascais aposta na intervenção

Leia mais

Regulamento do Green Project Awards

Regulamento do Green Project Awards Regulamento do Green Project Awards A GCI em parceria com a Agência Portuguesa do Ambiente e a Quercus Associação Nacional de Conservação da Natureza, institui um Prémio de reconhecimento de boas práticas

Leia mais

Formulário de Candidatura para admissão como membro do Cluster 2Bparks

Formulário de Candidatura para admissão como membro do Cluster 2Bparks Formulário de Candidatura para admissão como membro do Cluster 2Bparks Eu, abaixo-assinado/a, declaro que a organização que represento solicita a sua admissão como Membro do Cluster Ambiental 2Bparks e

Leia mais

Apresentação de 4 anos de actividade. DNA Cascais. Apoiamos Empreendedores

Apresentação de 4 anos de actividade. DNA Cascais. Apoiamos Empreendedores Apresentação de 4 anos de actividade DNA Cascais Apoiamos Empreendedores Janeiro 27 de 2011 Outubro de 2010 ECOSSISTEMA EMPREENDEDOR COMO INDUTOR DO TALENTO E DA SUSTENTABILIDADE ECONÓMICA E SOCIAL Parceiros

Leia mais

Boas Práticas Ambientais. Hotéis e Pousadas

Boas Práticas Ambientais. Hotéis e Pousadas Hotéis e Pousadas 2008 Índice Introdução Principais Resultados Utilização Racional de Energia Gestão de Resíduos Uso Eficiente da Água Certificação Ambiental Conceitos 2 Introdução A estratégia nacional

Leia mais

Planos de Promoção do

Planos de Promoção do Planos de Promoção do Desempenho Ambiental Sector eléctrico Balanço de 5 anos e novas regras 20 de Maio de 2008 Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos 1 Enquadramento 4 A tem as seguintes responsabilidades

Leia mais

Melhoria do desempenho ambiental - implementação do Sistema de Gestão Ambiental

Melhoria do desempenho ambiental - implementação do Sistema de Gestão Ambiental Melhoria do desempenho ambiental - implementação do Sistema de Gestão Ambiental 1 Melhoria do desempenho ambiental implementação do Sistema de Gestão Ambiental A Caixa Geral de Depósitos (CGD) tem implementado

Leia mais

1 Criação de uma bolsa anual de árvores para oferta

1 Criação de uma bolsa anual de árvores para oferta Floresta Comum, Qual o objectivo principal do Floresta Comum? O objectivo? O Floresta Comum, é um programa de incentivo à reflorestação com a floresta autóctone portuguesa. Para a concretização deste objectivo,

Leia mais

13 - Blog Correio de Cascais.com, 18-12-2008, Natal ecológico no Green Festival

13 - Blog Correio de Cascais.com, 18-12-2008, Natal ecológico no Green Festival Revista de Imprensa 14-01-2009 Cascais Atlântico 1 - Blog Correio de Cascais.com, 18-12-2008, Natal ecológico no Green Festival 2 - Jornal da Costa do Sol, 18-12-2008, Cascais aposta na intervenção social

Leia mais

Desenvolvimento Sustentável da Inovação Empresarial

Desenvolvimento Sustentável da Inovação Empresarial Desenvolvimento Sustentável da Inovação Empresarial Inovar para Ganhar Paulo Nordeste Portugal tem apresentado nos últimos anos casos de sucesso em inovação; como novos produtos, serviços e modelos de

Leia mais

ABORDAGEM METODOLÓGICA E OBJECTIVOS - REGULAMENTO URBANÍSTICO DE ALMADA

ABORDAGEM METODOLÓGICA E OBJECTIVOS - REGULAMENTO URBANÍSTICO DE ALMADA ABORDAGEM METODOLÓGICA E OBJECTIVOS - REGULAMENTO URBANÍSTICO DE ALMADA ABORDAGEM METODOLÓGICA E OBJECTIVOS - REGULAMENTO URBANÍSTICO DE ALMADA INTRODUÇÃO ENQUADRAMENTO PONTO DE SITUAÇÃO DO PROCESSO OBJECTIVOS

Leia mais

Medida Solar Térmico 2009 A eficiência energética como dinamizador da economia

Medida Solar Térmico 2009 A eficiência energética como dinamizador da economia Medida Solar Térmico 2009 A eficiência energética como dinamizador da economia Instituições Particulares de Solidariedade Social e Clubes e Associações de Utilidade Pública Desportiva Lisboa, 4 de Agosto

Leia mais

Soluções Empresariais. Business Remote Monitoring Solutions

Soluções Empresariais. Business Remote Monitoring Solutions Soluções Empresariais Business Remote Monitoring Solutions «A energia é hoje um bem escasso e dispendioso. Utilizá-la com rigor, de forma eficiente e sem desperdício, é o nosso desafio todos os dias» Isa

Leia mais

GROUP PEDREIRA S PROJECTO IN AIR CONDITIONING SERVICE

GROUP PEDREIRA S PROJECTO IN AIR CONDITIONING SERVICE Serviços de Instalação - VRV e VRF O ar condicionado está se tornando rapidamente a tecnologia favoreceu para fornecer aquecimento e soluções para escritórios, comércio e lazer de refrigeração. Ele está

Leia mais

8 anos de Planos de Promoção do Desempenho Ambiental (PPDA)

8 anos de Planos de Promoção do Desempenho Ambiental (PPDA) 8 anos de Planos de Promoção do Desempenho Ambiental (PPDA) PPDA CONCRETIZAÇÃO DAS OBRIGAÇÕES ESTATUTÁRIAS DA ERSE Estatutos Ferramentas Contribuir para melhorar o desempenho ambiental das empresas que

Leia mais

A Carta da Qualidade da Habitação Cooperativa (Carta) é um

A Carta da Qualidade da Habitação Cooperativa (Carta) é um CARTA DA QUALIDADE DA HABITAÇÃO COOPERATIVA Carta da Qualidade da Habitação Cooperativa A Carta da Qualidade da Habitação Cooperativa (Carta) é um instrumento de promoção, afirmação e divulgação, junto

Leia mais

Redução da Dependência Energética de Portugal Principal Desafio:

Redução da Dependência Energética de Portugal Principal Desafio: Redução da Dependência Energética de Portugal Principal Desafio: Mudança de paradigma energético em Portugal, com um implícito Desenvolvimento Sustentável suportado no seu crescimento económico, justiça

Leia mais

Certificação de Sistemas de Gestão. ACIB Associação Comercial e Industrial de Barcelos Barcelos, 29 de Novembro de 2010

Certificação de Sistemas de Gestão. ACIB Associação Comercial e Industrial de Barcelos Barcelos, 29 de Novembro de 2010 Certificação de Sistemas de Gestão ACIB Associação Comercial e Industrial de Barcelos Barcelos, 29 de Novembro de 2010 Sumário 1. Certificação de Sistemas de Gestão Qualidade (ISO 9001:2008); 2. Certificação

Leia mais

Projeto: Objetos de Natal Reciclados

Projeto: Objetos de Natal Reciclados Projeto: Objetos de Natal Reciclados Regulamento do Projeto Entidade Promotora O projeto Objetos de Natal Reciclados é uma iniciativa da Câmara Municipal de Gouveia. Objetivos Com este projeto pretende-se

Leia mais

Enquadramento com as políticas de Ecoinovação. Clara Lopes, 8 Maio 2012, Lisboa

Enquadramento com as políticas de Ecoinovação. Clara Lopes, 8 Maio 2012, Lisboa Enquadramento com as políticas de Ecoinovação Clara Lopes, 8 Maio 2012, Lisboa Organização da apresentação Políticas de Eco-Inovação EcoAP Plano de Acção em Eco-Inovação Fundos para Eco-Inovação Parceria

Leia mais

Revista de Imprensa Abril de 2009. 1 - Electro Imagen.com, 27-04-2009, Green Festival

Revista de Imprensa Abril de 2009. 1 - Electro Imagen.com, 27-04-2009, Green Festival Revista de Imprensa Abril de 2009 Cascais Atlântico 1 - Electro Imagen.com, 27-04-2009, Green Festival 2 - Qualidade Online.com, 23-04-2009, Festival que celebra a Sustentabilidade regressa em Setembro

Leia mais

AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO

AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO Eixo Prioritário IV Protecção e Valorização Ambiental ACÇÕES DE VALORIZAÇÃO E QUALIFICAÇÃO AMBIENTAL GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS ÁGUAS INTERIORES Aviso nº : CENTRO-VQA-2009-14-PIN-07

Leia mais

CAPACITAR A AUTARQUIA PARA RECONSTRUIR A EUROPA

CAPACITAR A AUTARQUIA PARA RECONSTRUIR A EUROPA CAPACITAR A AUTARQUIA PARA RECONSTRUIR A EUROPA 18 e 19 de Abril 2012 4. Cascais no Pacto dos Autarcas CASCAIS É ACTUALMENTE MEMBRO DO PACTO DOS AUTARCAS INICIATIVA MAIS AMBICIOSA DE SEMPRE NO COMBATE

Leia mais

Energia: Sustentabilidade e redução de custos.

Energia: Sustentabilidade e redução de custos. . dossier / Energia Pág: 36 Área: 15,00 x 20,27 cm² Corte: 1 de 6 Energia: Sustentabilidade e redução de custos. 2015 marca o ano Internacional da Luz. No que diz respeito ao consumo de energia, os hotéis

Leia mais

A visão da AREAC. Rua Dr. Rosa Falcão, 133 3220-216 Miranda do Corvo 239 542 939 areac@mail.telepac.pt

A visão da AREAC. Rua Dr. Rosa Falcão, 133 3220-216 Miranda do Corvo 239 542 939 areac@mail.telepac.pt A visão da AREAC Rua Dr. Rosa Falcão, 133 3220-216 Miranda do Corvo 239 542 939 areac@mail.telepac.pt A AREAC... Os nossos objetivos: Promover e desenvolver atividades e projetos que promovam a eficiência

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA N.º3 /2009. Política de Cidades - Parcerias para a Regeneração Urbana. Programas integrados de criação de Eco-Bairros

ORIENTAÇÃO TÉCNICA N.º3 /2009. Política de Cidades - Parcerias para a Regeneração Urbana. Programas integrados de criação de Eco-Bairros ORIENTAÇÃO TÉCNICA N.º3 /2009 Política de Cidades - Parcerias para a Regeneração Urbana Programas integrados de criação de Eco-Bairros 1. ENQUADRAMENTO GERAL A Autoridade de Gestão do Programa Operacional

Leia mais

OPORTUNIDADES. Cluster energético: oportunidades; horizontes; observatório, BejaGlobal; PASE

OPORTUNIDADES. Cluster energético: oportunidades; horizontes; observatório, BejaGlobal; PASE CLUSTER ENERGÉTICO DE BEJA OPORTUNIDADES SUSTENTABILIDADE ENERGÉTICA E CRESCIMENTO ECONÓMICO A sustentabilidade energética e climática é um desígnio estratégico duplo significado. Por um lado, desenvolvimento

Leia mais

Caso prático: Um contrato de desempenho energético num hotel de cinco estrelas. pág. 22

Caso prático: Um contrato de desempenho energético num hotel de cinco estrelas. pág. 22 Caso prático: Um contrato de desempenho energético num hotel de cinco estrelas. pág. 22 H IPALAI.'I.)"S'.' HOlfc.O'.^INIHIA Corínthía Hotel Lisbon "Energy Performance Contracting" num hotel de cinco estrelas

Leia mais

Medida Solar Térmico 2009 A eficiência energética como dinamizador da economia

Medida Solar Térmico 2009 A eficiência energética como dinamizador da economia Medida Solar Térmico 2009 A eficiência energética como dinamizador da economia Instituições Particulares de Solidariedade Social e Clubes e Associações de Utilidade Pública Desportiva 20 de Outubro 2009

Leia mais

Sistema de Incentivos

Sistema de Incentivos Sistema de Incentivos Qualificação e Internacionalização de PME amrconsult 13 de Maio de 2010 1 Agenda 1 Enquadramento 2 Condições de elegibilidade 3 Despesas elegíveis 4 Incentivo 2 1 Enquadramento 3

Leia mais

Medida Solar Térmico 2009 Impulsionar a Eficiência Energética e a Economia Nacional

Medida Solar Térmico 2009 Impulsionar a Eficiência Energética e a Economia Nacional Medida Solar Térmico 2009 Impulsionar a Eficiência Energética e a Economia Nacional Alargamento a Instituições Particulares de Solidariedade Social e Associações Desportivas de Utilidade Pública Lisboa,

Leia mais

AVALIAÇÃO GLOBAL DA SATISFAÇÃO DE CLIENTES - 2006 -

AVALIAÇÃO GLOBAL DA SATISFAÇÃO DE CLIENTES - 2006 - AVALIAÇÃO GLOBAL DA SATISFAÇÃO DE CLIENTES - 2006 - JUNHO 2007 AVALIAÇÃO GLOBAL DA SATISFAÇÃO DE CLIENTES - 2006 De modo a automatizar de forma simples a realização da Avaliação da Satisfação de Clientes,

Leia mais

PLANO DE PROMOÇÃO DA EFICIÊNCIA NO CONSUMO (PPEC) REVISÃO DAS REGRAS

PLANO DE PROMOÇÃO DA EFICIÊNCIA NO CONSUMO (PPEC) REVISÃO DAS REGRAS PLANO DE PROMOÇÃO DA EFICIÊNCIA NO CONSUMO (PPEC) REVISÃO DAS REGRAS Intervenção do Senhor Presidente da CIP Confederação da Indústria Portuguesa, Eng.º Francisco van Zeller, na Audição Pública (CCB, 04/04/2008)

Leia mais

Portugal 2020. Pedro Gomes Nunes. Director Executivo. Lisboa, Fevereiro 2014. www.risa.pt

Portugal 2020. Pedro Gomes Nunes. Director Executivo. Lisboa, Fevereiro 2014. www.risa.pt Pedro Gomes Nunes Director Executivo Lisboa, Fevereiro 2014 RISA - Apresentação ÁREAS DE NEGÓCIO Estudos e Projectos + 20 anos de experiência + 1.500 candidaturas a Fundos Comunitários aprovadas. + 1,6

Leia mais

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO::

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO:: ::ENQUADRAMENTO:: :: ENQUADRAMENTO :: O actual ambiente de negócios caracteriza-se por rápidas mudanças que envolvem a esfera politica, económica, social e cultural das sociedades. A capacidade de se adaptar

Leia mais

Vale Projecto - Simplificado

Vale Projecto - Simplificado IDIT Instituto de Desenvolvimento e Inovação Tecnológica Vale Projecto - Simplificado VALES Empreendedorismo e Inovação Associados Parceiros / Protocolos IDIT Enquadramento Vale Projecto - Simplificado

Leia mais

Auditoria ao Processo de Mudança de Comercializador. A. Enquadramento e Objectivos. Síntese do Relatório de Auditoria

Auditoria ao Processo de Mudança de Comercializador. A. Enquadramento e Objectivos. Síntese do Relatório de Auditoria A. Enquadramento e Objectivos A EDP Distribuição - Energia, S.A. (EDP Distribuição), empresa que exerce a actividade de Operador de Rede de Distribuição (ORD) de Energia Eléctrica em Média Tensão (MT)

Leia mais

1 DONATIVO = 1 POSTAL ELECTRÓNICO

1 DONATIVO = 1 POSTAL ELECTRÓNICO A campanha Prenda AMIga tem como objectivo angariar fundos para os projectos nacionais, internacionais e ambientais da AMI. Pretende-se sensibilizar e incentivar o espírito solidário das empresas e da

Leia mais

Mudança de Comportamento no âmbito da Eficiência Energética. Estudo de mercado Mudança de Comportamento no âmbito da Eficiência Energética

Mudança de Comportamento no âmbito da Eficiência Energética. Estudo de mercado Mudança de Comportamento no âmbito da Eficiência Energética Mudança de Comportamento no âmbito da Eficiência Energética Estudo de mercado Mudança de Comportamento no âmbito da Eficiência Energética 28 setembro 2011 Agenda Objectivo Metodologia Áreas temáticas Distribuição

Leia mais

Programas Operacionais das Organizações de Produtores de Frutas e Produtos Hortícolas. Acções ambientais

Programas Operacionais das Organizações de Produtores de Frutas e Produtos Hortícolas. Acções ambientais Página: 1 de 14 das Organizações de Produtores de Frutas e Produtos Hortícolas Acções ambientais Acção 7.3 Recuperação de energia a partir de resíduos de colheitas e outras matérias orgânicas Acção 7.4

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE AMBIENTE PROPOSTA DO PLANO ELABORADO POR CÂMARA MUNICIPAL DE VILA POUCA DE AGUIAR

PLANO MUNICIPAL DE AMBIENTE PROPOSTA DO PLANO ELABORADO POR CÂMARA MUNICIPAL DE VILA POUCA DE AGUIAR PLANO MUNICIPAL DE AMBIENTE PROPOSTA DO PLANO ELABORADO POR CÂMARA MUNICIPAL DE VILA POUCA DE AGUIAR FICHA TÉCNICA Câmara Municipal de Vila Pouca de Aguiar Eng.º Duarte Marques Eng.ª Cristina Vieira Divisão

Leia mais

GUIA PRÁTICO CARTÃO EUROPEU DE SEGURO DE DOENÇA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO CARTÃO EUROPEU DE SEGURO DE DOENÇA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO CARTÃO EUROPEU DE SEGURO DE DOENÇA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Cartão Europeu de Seguro de Doença (N39 - v4.07) PROPRIEDADE Instituto da Segurança

Leia mais

MAIS JANELAS EFICIENTES

MAIS JANELAS EFICIENTES MAIS JANELAS EFICIENTES MAIS EFICIÊNCIA ENERGÉTICA nos edifícios portugueses TEKTÓNICA 2014 Lisboa 06 de Maio de 2014 1 JANELAS EFICIENTES E A REABILITAÇÃO URBANA 2 JANELAS EFICIENTES E A SUSTENTABILIDADE

Leia mais

tecnologias para o seu sucesso tecnologias de informação

tecnologias para o seu sucesso tecnologias de informação tecnologias para o seu sucesso tecnologias de informação A experiência ao serviço do sucesso. A Alvo é uma empresa tecnológica nacional líder na implementação e suporte de soluções inovadoras de software

Leia mais

Estratégia para a Eficiência e Plano de Promoção da Eficiência no Consumo (PPEC)

Estratégia para a Eficiência e Plano de Promoção da Eficiência no Consumo (PPEC) Estratégia para a Eficiência e Plano de Promoção da Eficiência no Consumo (PPEC) Susana Pires Unión Fenosa Comercial Sucursal em Portugal Lisboa, 22 de Maio de 2006 POSICIONAMENTO DA UNION FENOSA VISÃO

Leia mais

PIRELIÓFORO. (P Himalaia) Água. Quente. Solar. Jorge Cruz Costa para. para PORTUGAL DER/INETI. Energia Solar na Hotelaria FIL Jan 04

PIRELIÓFORO. (P Himalaia) Água. Quente. Solar. Jorge Cruz Costa para. para PORTUGAL DER/INETI. Energia Solar na Hotelaria FIL Jan 04 PIRELIÓFORO e (P Himalaia) Água Quente Solar Jorge Cruz Costa para DER/INETI para PORTUGAL Como desenvolver o solar sem cometer os erros dos anos 80? O Programa E4, apresentado no ano passado pelo Ministério

Leia mais

8, 9 e 10 NOVEMBRO 2011 LISBOA. Novos Mercados Encontro de Sectores INSCREVA-SE JÁ. Especial: MERCADOS INTERNACIONAIS. www.expoenergia2011.about.

8, 9 e 10 NOVEMBRO 2011 LISBOA. Novos Mercados Encontro de Sectores INSCREVA-SE JÁ. Especial: MERCADOS INTERNACIONAIS. www.expoenergia2011.about. 8, 9 e 10 NOVEMBRO 2011 LISBOA Centro de Congressos Univ. Católica Novos Mercados Encontro de Sectores Especial: MERCADOS INTERNACIONAIS ORGANIZAÇÃO PARCEIRO PATROCÍNIO INSCREVA-SE JÁ www.expoenergia2011.about.pt

Leia mais

Eficiência Energética. Monitorização e Análise do Consumo Energético de Edifícios

Eficiência Energética. Monitorização e Análise do Consumo Energético de Edifícios j Infrastructures & Cites Building Efficiency Monitoring Eficiência Energética Monitorização e Análise do Consumo Energético de Edifícios Monitorização e Controlo de Energia de forma simples e eficaz.

Leia mais

Apresentação Corporativa

Apresentação Corporativa CONSULTORIA E ESTUDOS TÉCNICOS DE AMBIENTE E SEGURANÇA, S.A. Apresentação Corporativa Dezembro 2011 Propriedade da Enviprime 12/2011. Proibida a Cópia Sem Autorização Prévia SOBRE A ENVIPRIME, S.A. é uma

Leia mais

Regulamento. Prémio Eu Reduzo

Regulamento. Prémio Eu Reduzo Regulamento Prémio Eu Reduzo Almada, Portugal 2015 PRÉMIO EU REDUZO Regulamento Artigo 1 (Projeto Missão Reduzir) a) Missão Reduzir é um projeto que visa sensibilizar, mobilizar e capacitar os munícipes

Leia mais

QUERES SER VOLUNTÁRIO(A) NO GEOTA?

QUERES SER VOLUNTÁRIO(A) NO GEOTA? INVENTARIAÇÃO DE POPULAÇÕES DE AVIFAUNA DA RESERVA NATURAL LOCAL DO PAUL DE TORNADA - Quais os objetivos da tarefa? Manter, incrementar e divulgar os valores naturais da Reserva Natural Local do Paul de

Leia mais

PLANIFICAÇÃO CIÊNCIAS NATURAIS (8.º ANO) 2015/2016 Docentes: João Mendes, Madalena Serra e Vanda Messenário

PLANIFICAÇÃO CIÊNCIAS NATURAIS (8.º ANO) 2015/2016 Docentes: João Mendes, Madalena Serra e Vanda Messenário PLANIFICAÇÃO CIÊNCIAS NATURAIS (8.º ANO) 2015/2016 Docentes: João Mendes, Madalena Serra e Vanda Messenário 1 Metras Curriculares Estratégias Tempo Avaliação TERRA UM PLANETA COM VIDA Sistema Terra: da

Leia mais

Agenda 21 Local de Arganil 3ª Sessão do Fórum Participativo

Agenda 21 Local de Arganil 3ª Sessão do Fórum Participativo Agenda 21 Local de Arganil 3ª Sessão do Fórum Participativo 22 de Fevereiro 2010 Índice Índice PARTE I SÍNTESE DO 2º FÓRUM PARTICIPATIVO (10 minutos) PARTE II SÍNTESE DA ESTRATÉGIA DE SUSTENTABILIDADE

Leia mais

Dream Energis. Sistema de Eficiência Energética A forma inteligente de medir e controlar a sua energia. Dream Code

Dream Energis. Sistema de Eficiência Energética A forma inteligente de medir e controlar a sua energia. Dream Code Dream Energis Sistema de Eficiência Energética A forma inteligente de medir e controlar a sua energia Dream Code Como podemos ajudá-lo a poupar energia? Estimativa de18% de poupança de energia todos os

Leia mais

CDE Agências Bancárias

CDE Agências Bancárias CDE Agências Bancárias Andreia Carreiro Innovation Project Manager acarreiro@isa.pt Agenda 1. ISA Intelligent Sensing Anywhere S.A. ; 2. CDE BES Banco Espirito Santo; 1. Motivação; 2. Objetivos; 3. Dados

Leia mais

A Construção Sustentável e o Futuro

A Construção Sustentável e o Futuro A Construção Sustentável e o Futuro Victor Ferreira ENERGIA 2020, Lisboa 08/02/2010 Visão e Missão O Cluster Habitat? Matérias primas Transformação Materiais e produtos Construção Equipamentos Outros fornecedores

Leia mais

FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO. Organização Tecnifar - Indústria Tecnica Farmaceutica, SA. Morada Rua Tierno Galvan, Torre 3, 12º 1099-036 LISBOA

FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO. Organização Tecnifar - Indústria Tecnica Farmaceutica, SA. Morada Rua Tierno Galvan, Torre 3, 12º 1099-036 LISBOA FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Organização Tecnifar - Indústria Tecnica Farmaceutica, SA Diretor(a) CEO António Chaves Costa Setor de Atividade Farmacêutico Número de Efetivos 90 NIF 500280436 Morada Rua Tierno

Leia mais

Case study. Aumentar o conhecimento, informar a decisão ÍNDICE E.VALUE ENERGIA E CO2 EM PORTUGAL EMPRESA

Case study. Aumentar o conhecimento, informar a decisão ÍNDICE E.VALUE ENERGIA E CO2 EM PORTUGAL EMPRESA Case study 2010 Aumentar o conhecimento, informar a decisão ÍNDICE E.VALUE ENERGIA E CO2 EM PORTUGAL EMPRESA A E.Value S.A. é uma empresa de consultoria e desenvolvimento, com competências nos domínios

Leia mais

Encontro Eficiência Energética na Mobilidade Eléctrica: O que o público e os actores do sector pensam

Encontro Eficiência Energética na Mobilidade Eléctrica: O que o público e os actores do sector pensam Encontro Eficiência Energética na Mobilidade Eléctrica: O que o público e os actores do sector pensam No âmbito da Campanha de Sensibilização para a Eficiência Energética na Mobilidade Eléctrica, a APVE

Leia mais

P L A N O D E A C T I V I D A D E S

P L A N O D E A C T I V I D A D E S Agência Regional de Energia e Ambiente do Norte Alentejano e Tejo P L A N O D E A C T I V I D A D E S = 2008 = Janeiro de 2008 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. ACTIVIDADES A DESENVOLVER NO ANO DE 2008... 5

Leia mais

Empresas que se mexem, são empresas que crescem!

Empresas que se mexem, são empresas que crescem! Empresas que se mexem, são empresas que crescem! Apresentação do Projecto/ Abertura de inscrições Introdução A Adere-Minho - Associação para o Desenvolvimento Regional do Minho, entidade de natureza associativa

Leia mais

WORKSHOP 'EFICIÊNCIA ENERGÉTICA - DESAFIOS E OPORTUNIDADES PARA PORTUGAL

WORKSHOP 'EFICIÊNCIA ENERGÉTICA - DESAFIOS E OPORTUNIDADES PARA PORTUGAL WORKSHOP 'EFICIÊNCIA ENERGÉTICA - DESAFIOS E OPORTUNIDADES PARA PORTUGAL Eficiência Energética na Industria Experiencia Save to Compete Sofia Tavares EDP Comercial sofia.tavares@edp.pt Lisboa, 6 Março,

Leia mais

Uma iniciativa que pretende RECONHECER AS BOAS PRÁTICAS em projetos que promovam o desenvolvimento sustentável.

Uma iniciativa que pretende RECONHECER AS BOAS PRÁTICAS em projetos que promovam o desenvolvimento sustentável. GREEN PROJECT AWARDS BRASIL Uma iniciativa que pretende RECONHECER AS BOAS PRÁTICAS em projetos que promovam o desenvolvimento sustentável. CANDIDATURAS 201 INSCRIÇÕES NO PRIMEIRO ANO INSCRIÇÕES FEITAS

Leia mais

Plano de Prevenção de Riscos de Gestão. Incluindo os de Corrupção e Infracções Conexas

Plano de Prevenção de Riscos de Gestão. Incluindo os de Corrupção e Infracções Conexas Plano de Prevenção de Riscos de Gestão Incluindo os de Corrupção e Infracções Conexas Introdução No âmbito da sua actividade, o Conselho de Prevenção da Corrupção (CPC), aprovou a Recomendação n.º 1/2009,

Leia mais

CGD. Relatório de Compensação de Emissões de GEE

CGD. Relatório de Compensação de Emissões de GEE CGD 1 RELATÓRIO DE COMPENSAÇÃO DE EMISSÕES DE GEE CGD S.A. 2014 2 CGD Relatório de Compensação de Emissões de GEE - CGD S.A. 2014 1.1 Introdução O Programa de Baixo Carbono, pioneiro no setor da banca

Leia mais

Portugal 2020 e outros instrumentos financeiros. Dinis Rodrigues, Direção-Geral de Energia e Geologia Matosinhos, 27 de fevereiro de 2014

Portugal 2020 e outros instrumentos financeiros. Dinis Rodrigues, Direção-Geral de Energia e Geologia Matosinhos, 27 de fevereiro de 2014 Portugal 2020 e outros instrumentos financeiros Dinis Rodrigues, Direção-Geral de Energia e Geologia Matosinhos, 27 de fevereiro de 2014 O desafio Horizonte 2020 Compromissos Nacionais Metas UE-27 20%

Leia mais

Programa de Educação para a Sustentabilidade 2014/2015

Programa de Educação para a Sustentabilidade 2014/2015 Programa de Educação para a Sustentabilidade 2014/2015 Plano de Atividades Programa de Educação para a Sustentabilidade O Programa de Educação para a Sustentabilidade para o ano letivo 2014/2015 integra

Leia mais