GERALDO ALCKMIN Governador do Estado de São Paulo. FLORIANO PESARO Secretário de Estado de Desenvolvimento Social

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GERALDO ALCKMIN Governador do Estado de São Paulo. FLORIANO PESARO Secretário de Estado de Desenvolvimento Social"

Transcrição

1

2 GERALDO ALCKMIN Governador do Estado de São Paulo FLORIANO PESARO Secretário de Estado de Desenvolvimento Social FELIPE SARTORI SIGOLLO Secretário-Adjunto MENDY TAL Chefe de Gabinete 2015

3 Coordenadoria de Desenvolvimento Social Isabel Cristina C.V. Martin Elaboração, organização e redação Heder Augusto de Sousa - Equipe Estadual de Referência do PETI Colaboração Juliana Felicidade Armede Letícia M Lobo Leite Rosemairy Norye Inamine Simone Alves dos Santos Tony Shigueki Nakatani Revisão Denise M. Valsechi Púlici Projeto Gráfico, Capa e Diagramação Didiu Rio Branco

4 Apresentação Atualmente a erradicação do Trabalho Infantil é um dos tópicos mais prementes na agenda das Políticas Públicas dos governos nas três esferas. Para tanto, necessita-se de mobilização social permanente, atuação em rede institucional e a articulação de políticas públicas. Esta tarefa exige qualificação dos agentes públicos por lidar com uma complexa teia de normatizações, rede de proteção e de defesa de direitos que devem garantir a proteção integral dos direitos das crianças e dos adolescentes. É atribuição do Estado apoiar a execução da política socioassistencial pelos entes municipais. Com esta intenção, elencamos numa mesma publicação a legislação pertinente ao tema, que se encontra muitas vezes dispersas e desatualizada, e os principais mecanismos e programas de políticas públicas de erradicação do trabalho infantil de forma a dar agilidade e praticidade a esta missão. O combate ao trabalho infantil é prioridade para nós. A minha luta sempre foi no campo da defesa dos direitos da criança e dos adolescentes. Entendendo que o trabalho infantil é uma das mais graves violações de direitos das crianças. O lugar das crianças é na escola. O combate ao trabalho infantil é um trabalho permanente, de vigilância e de acompanhamento das crianças e de suas famílias. A sociedade precisa perceber a profunda transformação que vivemos. Passamos da sociedade do trabalho para a sociedade do conhecimento onde se requer que as crianças fiquem o maior tempo possível na escola. O que faz a diferença no mundo do trabalho atual é o conhecimento e não mais a força de trabalho como foi no século passado. Portanto, para as crianças, a educação integral é fundamental, assim como o acesso ao Serviço de Convivência e de Fortalecimento de Vínculos ofertado pela política socioassistencial, ao esporte e ao lazer e jamais o trabalho. Floriano Pesaro Secretário de Estado de Desenvolvimento Social

5 Conceito Trabalho Infantil é qualquer atividade econômica e ou de subsistência remunerada ou não exercida por criança ou adolescente com menos de 16 anos, exceto na condição de aprendiz, a partir dos 14 anos. O compartilhamento de tarefas do lar não se enquadra enquanto tal, desde que não se configure transferência de responsabilidade para as crianças e adolescentes.

6 POLÍTICAS PÚBLICAS DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL Constituição Federal O inciso XXXIII do art. 7 proíbe trabalho noturno, perigoso ou insalubre a menores de dezoito e de qualquer trabalho a menores de dezesseis anos, salvo na condição de aprendiz, a partir de quatorze anos. Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) Trata da proteção do trabalho do menor de idade, em seu capítulo V, nos artigos 402 a 441. A proibição de trabalho insalubre por menores de 18 anos também é prevista no art. 405, I. A insalubridade é definida pelo art. 189 da CLT. O trabalho perigoso é definido na CLT em seu art O art. 428 prevê o Contrato de Aprendizagem como contrato de trabalho especial acima de 14 até 24 anos. A pessoa com deficiência pode acessar o programa aprendiz acima de 14 anos com qualquer idade. A CLT define previsão legal de direitos e proteções dedicadas ao menor de 18 anos, prevendo regulamentações que estabelecem um regime diferenciado sobre jornada de trabalho (arts. 411 a 413), locais de trabalho (arts. 403, único; 405, 2º), serviços vedados (arts. 407, único e 408), obrigações do empregador (arts.426 e 427), entre outros. Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) Os artigos 60 a 69 do ECA (Lei nº de 13/07/1990) prevêem ao adolescente o direito à profissionalização e à proteção no trabalho. O art. 67 proíbe o trabalho insalubre, penoso, perigoso, noturno e o realizado em local impróprio à sua formação e desenvolvimento biopsicossocial. 6 Guia de Políticas Públicas de Erradicação e Prevenção do Trabalho Infantil

7 Trabalho artístico infantil Única hipótese de previsão legal de trabalho para menores de 16 anos, porém não está isenta de questionamento uma vez não estar prevista na Carta Magna (XXIII do art. 7). O art. 406, I e II da CLT prevê a possibilidade de trabalho artístico por menores de catorze anos desde que com autorização judicial. O Estatuto da Criança e do Adolescente também expressa no mesmo sentido no art. 149, II, 1º e 2º. O artigo 149 do ECA, dispõe que a participação de menores de 14 anos em espetáculos públicos e seus ensaios, como também em certames de beleza, dependerá de autorização da autoridade judiciária por meio de alvará o qual deverá prever garantias de trabalho protegido e em harmonia com a proteção integral, conforme estabelece o art. 8, item I, da Convenção 138 da OIT, ratificada pelo Estado Brasileiro. Convenção Organização Internacional do Trabalho (OIT) nº 138: aprovada na 58ª reunião da Conferência Internacional do Trabalho, dispõe sobre a idade mínima para admissão em emprego, prescrevendo a adoção de idade mínima para admissão a emprego ou trabalho não inferior à idade de conclusão da escolaridade compulsória ou, em qualquer caso, não inferior a quinze anos. O Brasil acatou a convenção por meio do Decreto nº 179/1999 e estabeleceu como meta a erradicação até Convenção OIT nº 182 aborda a proibição das piores formas de trabalho infantil e da ação imediata para a sua eliminação (até 2016), sendo regulamentada em seus arts. 3º, alínea d e 4º pelo Governo Brasileiro através do Decreto nº 6.481/2008. Declaração Mundial e Convenção sobre os Direitos da Criança, criados pela UNICEF (Fundação das Nações Unidas para Infância), em 1997, estabelece que a exploração do trabalho infantil é abuso dos direitos humanos quando: em tempo integral e iniciado muito cedo em idade; provoca excessivo estresse físico, social e psicológico; ocorre pagamento inadequado; atrapalha o acesso à educação e abala a dignidade e autoestima da criança, como a escravidão e a servidão, a responsabilidade em excesso, viver e laborar nas ruas, em condições inapropriadas, entre outros. 7 Guia de Políticas Públicas de Erradicação e Prevenção do Trabalho Infantil

8 Lei do Aprendiz Criado pela Lei nº /2000, regulamentada pela Lei /2005 e Decreto nº 5.598/2005 (idade limite até 24 anos, exceto pessoas com deficiência) determina que toda empresa de grande e médio porte deve ter de 5% a 15% de aprendizes (funções que demandem formação profissional de acordo com a Classificação Brasileira de Ocupações (CBO), excluídas de nível técnico e superior). Os aprendizes são jovens de 14 a 24 anos que devem continuar na escola e em um curso de formação profissional. Lista TIP Lista das Piores Formas de Trabalho Infantil (Lista TIP). Decreto nº 6.481, de 12 de junho de 2008 classifica 93 atividades proibidas para o trabalho do menor de dezoito anos. Sistema de Garantia dos Direitos da Criança e do Adolescente (SGDCA) Estabelecido pela Resolução 113 do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (CONANDA) de 2006, SGDCA é formado pela integração e a articulação entre o Estado, as famílias e a sociedade civil como um todo (Trabalho em Rede), para garantir a integralidade dos direitos, que as conquistas do ECA e da Constituição de 1988 (no seu Artigo 227) sejam realidade. Tem origem na mobilização marcada pela Constituição de 1988 e pela promulgação do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). O SGDCA se expressa por um conjunto articulado de ações estruturado em três grandes eixos estratégicos: I- Defesa (responsabilização: Justiça, MPE, MPT, CTs, Defensoria, Ouvidoria, Polícia, Entidades de Defesa de DHs); II- Proteção (políticas de atendimento: Saúde, Educação, 8 Guia de Políticas Públicas de Erradicação e Prevenção do Trabalho Infantil

9 Assistência Social, Habitação, Esporte, Cultura); III- Controle Social (CMDCA e demais Conselhos, Órgãos de controle interno e externo etc). Essa divisão dimensiona quais campos age cada ator envolvido e assim podemos cobrar de nossos representantes suas responsabilidades. Antes da criação do SGDCA, o ECA, no seu Artigo 88, já estabelecia a atuação articulada das diversas esferas para a efetivação dos direitos nele previstos. Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) O PETI é um programa em âmbito federal que visa a retirada de crianças e adolescentes de idade de 05 a 15 anos da atividade econômica, exceto os aprendizes. O programa articula um conjunto de ações: inserção da família em Programa de Transferência de Renda (Renda Cidadã, Programa Bolsa Família, Ação Jovem), oferta de trabalho social por meio do CRAS e ou CREAS, e inserção da criança ou do adolescente em Serviços de Convivência, Programa Aprendiz, Escola Integral ou outra atividade socioeducativa. PETI e o Sistema Único de Assistência Social O PETI foi incorporado pela Lei Orgânica da Assistência Social (LOAS), Lei nº 8.742, de 7 de dezembro de 1993, modificada pela Lei 12435/2011: artigo 24-C. A Norma Operacional do SUAS (NOB/SUAS), isto é a Resolução nº 33, de 12/12/2012 do CNAS, em seu artigo 8º do Capítulo II estabelece como uma de suas diretrizes a erradicação do trabalho infantil. Protocolo de Gestão Integrada (Res. CIT, N.7 10/09/2010) estabelece prioridade de acesso aos serviços socioassistenciais aos beneficiários dos PTRs. A Resolução da CIT nº 1 de 19/03/2014 que dispõe sobre as Ações Estratégicas do PETI, enfatiza no 2º do artigo 2º que todos os municípios onde há ocorrência de trabalho infantil devem executar as ações que compõem o PETI. 9 Guia de Políticas Públicas de Erradicação e Prevenção do Trabalho Infantil

10 O artigo 23 da Portaria 134 do MDS de 28/11/2013 revogou a exigência de frequência mínima no SCFV às crianças e adolescentes retirados do trabalho infantil, em consonância com o Reordenamento do SCFV que incorporou o conceito de participação no serviço. Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) para Crianças e Adolescentes de 6 a 15 anos Tipificado pela Resolução 09 de 2009 do Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS), o SCFV é ofertado pela Proteção Social Básica do Sistema Único de Assistência Social (SUAS), por meio de experiências lúdicas, culturais e esportivas como formas de expressão, interação, aprendizagem, sociabilidade e proteção social. Busca constituir de espaço de convivência, formação para a participação e cidadania, desenvolvimento do protagonismo e da autonomia das crianças e adolescentes, a partir dos interesses, demandas e potencialidades dessa faixa etária. Vinculado ao PAIF, o SCFV prevê a inserção prioritária de pessoas com experiências de situações de violações de direitos, entre elas a situação de trabalho infantil, conforme o Reordenamento do SCFV (Resolução 01 de 2013 do CNAS). Programas de Transferência de Renda Os programas de transferência de renda Ação Jovem para jovens de 15 a 24 anos, Renda Cidadã, para famílias em situação de pobreza, ambos do governo estadual e o Programa Bolsa Família do governo federal, prevêem a frequência escolar como condicionalidade o que contribui para retardar a entrada precoce de crianças e adolescentes no mercado de trabalho e valoriza a escolarização. 10 Guia de Políticas Públicas de Erradicação e Prevenção do Trabalho Infantil

11 SAÚDE Em 2003, foi instituída a Política Nacional de Saúde para a Erradicação do Trabalho Infantil e Proteção do Trabalhador Adolescente e, em 2005, as ações foram reorganizadas por meio do documento Trabalho Infantil: Diretrizes para a Atenção Integral à Saúde de Crianças e Adolescentes Economicamente Ativos visando, entre outros pontos, a promoção de ações educacionais, de vigilância e de atenção e a identificação da situação de trabalho de crianças e adolescentes que comparecerem ao serviço de saúde. Sendo assim, a Estratégia Saúde da Família (ESF), que reorganizou a atenção básica de Saúde e os Agentes Comunitário de Saúde (ACS) que atuam e fazem parte da saúde prestada nas localidades por meio de acompanhamento das famílias, estabelecendo com elas vínculos, constituem-se parceiros fundamentais na prevenção e erradicação do trabalho infantil. Os Centros de Referência da Saúde dos Trabalhadores (CERESTs) constituem-se, regionalmente, em importantes espaços de articulação de ações intersetoriais e tem a atribuição de, entre outras, prestar apoio técnico nas ações de vigilância e assistência à saúde nos municípios. Veja também: Política Nacional de Atenção Básica: php?conteudo=publicacoes/pnab EDUCAÇÃO INTEGRAL Programa Ensino Integral Escolas que contam com jornada de estudos de até nove horas e meia oferecem aos alunos a possibilidade de cursar o Ensino Técnico aliado ao Ensino Médio que inclui orientação de estudos, preparação para o mundo do trabalho e auxílio na elaboração 11 Guia de Políticas Públicas de Erradicação e Prevenção do Trabalho Infantil

12 de um projeto de vida. Além das disciplinas obrigatórias, os estudantes contam também com disciplinas eletivas, que são escolhidas de acordo com seu objetivo. sp.gov.br/ensino-integral/ Programa Mais Educação Programa de educação integral do Ministério da Educação. O Programa Mais Educação, ofertado às escolas públicas de ensino fundamental, consiste no desenvolvimento de atividades de educação integral que expandem o tempo diário de escola para o mínimo de sete horas e que também ampliam as oportunidades educativas dos estudantes. educacaointegral.mec.gov.br/mais-educacao TRABALHO DECENTE O Trabalho Decente é constituído pela convergência dos quatro objetivos estratégicos da OIT: o respeito aos direitos no trabalho (em especial aqueles definidos como fundamentais pela Declaração Relativa aos Direitos e Princípios Fundamentais no Trabalho e seu seguimento adotada em 1998: (i) liberdade sindical e reconhecimento efetivo do direito de negociação coletiva; (ii)eliminação de todas as formas de trabalho forçado; (iii) abolição efetiva do trabalho infantil; (iv) eliminação de todas as formas de discriminação em matéria de emprego e ocupação), a promoção do emprego produtivo e de qualidade, a extensão da proteção social e o fortalecimento do diálogo social. A promoção do Trabalho Decente no estado de São Paulo se dá pela agenda do Trabalho Decente que será composta a partir das propostas resultantes da 1ª Conferência Estadual de Emprego e Trabalho Decente (CEETD): trabalhodecentesp.com.br/content/agenda-estadualde-emprego-e-trabalho-decente-0 12 Guia de Políticas Públicas de Erradicação e Prevenção do Trabalho Infantil

13 Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) O MTE deve realizar fiscalização de toda forma de trabalho infantil por meio das Superintendências Regionais do Trabalho (SRT) com operações fiscais periódicas, além de atualizar o Mapa de Focos de Trabalho Infantil. Ministério Público do Trabalho (MPT) O objetivo do MPT é assegurar a garantia ao direito fundamental do não trabalho antes da idade mínima, bem como à profissionalização. Desenvolve inspeções in loco o que pode levar a instauração de inquéritos civis, celebração de Termo de Ajuste de Conduta (TAC), ações civis públicas, que pode prever, inclusive, indenização por dano moral coletivo. O MPT também desenvolve ações com o objetivo de conscientização da sociedade como o programa MPT na Escola. O Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) mantém Termo de Cooperação Técnica com o MTE e o MPT para desenvolver ações de mobilização e sensibilização da sociedade e assegurar a imediata inserção de crianças e adolescentes com idade inferior a 16 anos em situação de trabalho no PETI. Carta de Constituição de Estratégias em Defesa da Proteção Integral dos Direitos da Criança e do Adolescente O Conselho Nacional de Justiça, Conselho Nacional do Ministério Público, Conselho de Defensores Público, Secretaria de Direitos Humanos da Presidência, Ministério da Justiça, MS, MDS, MTE se comprometeram a desenvolver ações de forma conjunta, articulada, continua e permanente de defesa da convivência familiar e comunitária, enfrentamento da 13 Guia de Políticas Públicas de Erradicação e Prevenção do Trabalho Infantil

14 violência sexual, aperfeiçoamento do Sistema Socieducativo, e de erradicação do Trabalho Infantil. Veja mais: Conselho Tutelar O Conselho Tutelar (CT) é definido pelo art.131, da Lei n 8.069/90 como órgão permanente e autônomo, não jurisdicional, encarregado pela sociedade de zelar pelo cumprimento dos direitos da criança e do adolescente. Deve garantir absoluta prioridade na efetivação de direitos de crianças e adolescentes. O CT recebe denúncias, reclamações, solicitações; orienta, encaminha e acompanha casos; aplica medidas protetivas, requisita serviços; contribui para o planejamento e a formulação de políticas e planos municipais. Fiscaliza e inicia procedimentos de apuração de irregularidades (não se trata de investigação criminal, pois não é sua atribuição), infração administrativa de entidades de atendimento e infração penal e situações de violação de direitos envolvendo crianças e adolescentes. Encaminha notificação e representação ao Ministério Público, a Vara da Infância e ao MPT. Quando há necessidade de investigação criminal, o CT deve se dirigir ao MP para que este solicite à polícia. Denúncias de exploração de trabalho infantil Disque 100: o disque denúncia é gratuito e anônimo. A denúncia é registrada e encaminhada ao órgão responsável. Órgãos que recebem denúncias: Conselho Tutelar, Superintendência Regional do Trabalho e Emprego, Ministério Público do Trabalho, Polícia Rodoviária Federal. 14 Guia de Políticas Públicas de Erradicação e Prevenção do Trabalho Infantil

15 SAIBA MAIS Plano Nacional de Combate ao Trabalho Infantil (CONAETI). Disponível em: Relatório Brasil Livre de Trabalho Infantil, disponível: http//reporterbrasil.org/trabalhoinfantil/livro IBGE: Fórum Nacional de Erradicação do Trabalho Infantil: Fórum Paulista de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil: OIT: Comissão Nacional de Erradicação do Trabalho Infantil CONAETI: MPT: TRT: Proteja Brasil: Download App 15 Guia de Políticas Públicas de Erradicação e Prevenção do Trabalho Infantil

16 FLUXO DO PROGRAMA DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL

17 CALENDÁRIO DE COMEMORAÇÕES NA ÁREA DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Janeiro 28 de janeiro - Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo (Lei nº /2009, de 29 de outubro de 2009) Semana que inclui o 1º de fevereiro - Semana de Prevenção da Gravidez na Adolescência (Aprovado na Câmara: Projeto de Lei 512/2011) 27 de Fevereiro - Dia Nacional do Livro Didático Março 1º de Março - Dia internacional da criança no rádio e na TV (Criado pelo Unicef em 1992) 15 de Março - Dia da Escola 20 de Março - Dia Nacional do Teatro Para Infância e Juventude - (Lei nº /2008, de 23/06/2008) Abril 13 de Abril - Dia do Jovem 15 de Abril - Dia do Desarmamento Infantil 18 de Abril - Dia Nacional do Livro Infantil (Lei nº /2002, de 08/01/2002) 24 de Abril- Dia do Jovem Trabalhador 17 Guia de Políticas Públicas de Erradicação e Prevenção do Trabalho Infantil

18 Maio 18 de Maio - Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes (Lei nº 9.970/2000, de 17/05/2000) 25 de Maio - Dia Nacional da Adoção (Lei nº /2002, de 09/05/2002) 25 de Maio - Dia Internacional da Criança Desaparecida Junho 4 de Junho - Dia Mundial Contra Agressão Infantil (Dia Internacional das Crianças Vítimas de Agressão) 6 de junho - Dia Nacional do Teste do Pezinho -(Lei nº /2007, de 5 de dezembro de 2007) 12 de Junho - Dia Internacional de Combate ao Trabalho Infantil -(90ª reunião da Conferência Internacional do Trabalho, realizada em Genebra, Suíça, em junho de 2002) (Lei nº /2007, de 12/11/2007) 29 de Junho - Dia do Resgate das Crianças Desaparecidas Julho 13 de Julho - Aniversário de assinatura do Estatuto da Criança e do Adolescente (1990) (Lei nº 8.069/1990, de 13/07/1990) Agosto 1 a 7 de Agosto - Semana Mundial de Amamentação 11 de Agosto - Dia do Estudante 18 Guia de Políticas Públicas de Erradicação e Prevenção do Trabalho Infantil

19 12 de Agosto - Dia Nacional dos Direitos Humanos (Lei nº /2012, de 15/05/2012) 24 de Agosto - Dia da Infância 25 de Agosto - Dia Nacional da Educação Infantil -(Lei nº /2012, de 03/04/2012) 29 de Agosto - Dia do Combate à Desnutrição Setembro 2 de Setembro - Dia do Livro Infantil 22 de Setembro - Dia Internacional da Juventude 23 de Setembro - Dia Internacional contra a Exploração Sexual e o Tráfico de Mulheres e Crianças Outubro 4 de Outubro - Dia Mundial da Criança 10 de Outubro - Dia Nacional de Segurança e de Saúde nas Escolas (Lei nº /2012, de 16/05/2012) 12 de Outubro - Aniversário da entrada em vigor do ECA (Lei nº 8.069, de 13/07/1990) 12 de Outubro- Dia da Criança 12 de Outubro - Dia da Cirurgia Infantil 12 de Outubro - Dia Nacional de Luta por Creches 18 de Outubro - Dia do Desarmamento Infantil 18 de Outubro - Dia do Pensamento Infantil 29 de outubro- Dia Nacional do Livro (Lei nº 5.191/1966, de 13 de dezembro de 1966) 19 Guia de Políticas Públicas de Erradicação e Prevenção do Trabalho Infantil

20 Novembro 17 de Novembro - Dia Internacional do Estudante- (Estabelecido em 1941, em Londres, durante reunião do Conselho Internacional de Estudantes) 18 de Novembro- Dia Nacional do Conselheiro Tutelar- (Lei nº /2007, de 19/12/2007) 20 de Novembro - Dia Mundial da Criança (Dia da Proclamação dos Direitos da Criança pela ONU) 21 de Novembro - Dia Nacional do Compromisso com a Criança, o Adolescente e a Educação (Lei nº /2012, de 18/07/2012) 23 de novembro - Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantil (Lei nº /2008, de 4 de abril de 2008) Dezembro 5 de dezembro - Dia Nacional da Pastoral da Criança (Lei nº /2007, de 28 de novembro de 2007) 7 de dezembro -Dia Nacional da Assistência Social (Lei nº /2005, de 5 de agosto de 2005) 9 de Dezembro - Dia Internacional da Criança no Rádio e na TV 10 de Dezembro - Dia Internacional dos Direitos Humanos (1948) 12 de dezembro- Dia do Plano Nacional de Educação (Lei nº /2009, de 1º de dezembro de 2009) 14 de dezembro - Dia Nacional de Combate à Pobreza -(Lei nº /2005, de 6 de setembro de 2005) 20 Guia de Políticas Públicas de Erradicação e Prevenção do Trabalho Infantil

21 PET 2015 III CIRCUITO PAULISTA Mobilização Social e Articulação de Políticas Públicas

22

Observação: De acordo com o art.2º da Lei 8.069/90 Estatuto da Criança e Adolescente :

Observação: De acordo com o art.2º da Lei 8.069/90 Estatuto da Criança e Adolescente : TRABALHO É toda atividade humana, remunerada ou não, sistemática, obrigatória, que pode ou não exigir conhecimentos específicos sobre determinado tema, arte ou ofício, cujo objetivo é o alcance de uma

Leia mais

TRABALHO INFANTIL. Fabiana Barcellos Gomes

TRABALHO INFANTIL. Fabiana Barcellos Gomes TRABALHO INFANTIL Fabiana Barcellos Gomes Advogada, Pós graduada em Direito e Processo Penal com ênfase em Segurança Pública, Direito do Trabalho e Pós graduanda em Direito de Família e Sucessões O que

Leia mais

NOTA DE REPÚDIO ou sob o regime de tempo parcial, a partir de quatorze anos

NOTA DE REPÚDIO ou sob o regime de tempo parcial, a partir de quatorze anos NOTA DE REPÚDIO A presente Nota faz considerações referentes à Proposta de Emenda Constitucional PEC nº 18 de 2011, de autoria do Deputado Federal Dilceu Sperafico e outros, que propõe o seguinte texto

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome PETI. Programa de Erradicação do Trabalho Infantil

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome PETI. Programa de Erradicação do Trabalho Infantil Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome PETI Programa de Erradicação do Trabalho Infantil Brasil livre do trabalho infantil, todos juntos nesse desafio! O Governo Federal e a sociedade brasileira

Leia mais

O PETI e o Trabalho em Rede. Maria de Fátima Nassif Equipe Proteção Social Especial Coordenadoria de Ação Social Secretaria de Desenvolvimento Social

O PETI e o Trabalho em Rede. Maria de Fátima Nassif Equipe Proteção Social Especial Coordenadoria de Ação Social Secretaria de Desenvolvimento Social O PETI e o Trabalho em Rede Maria de Fátima Nassif Equipe Proteção Social Especial Coordenadoria de Ação Social Secretaria de Desenvolvimento Social Articulação da rede de serviços socioassistenciais Proteção

Leia mais

CARTA DE SÃO PAULO PELA PROTEÇÃO DOS DIREITOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM SITUAÇÃO DE TRABALHO INFANTIL ARTÍSTICO

CARTA DE SÃO PAULO PELA PROTEÇÃO DOS DIREITOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM SITUAÇÃO DE TRABALHO INFANTIL ARTÍSTICO CARTA DE SÃO PAULO PELA PROTEÇÃO DOS DIREITOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM SITUAÇÃO DE TRABALHO INFANTIL ARTÍSTICO A. PREÂMBULO I CONSIDERANDO que o Brasil é signatário da Declaração dos Direitos da Criança,

Leia mais

Seminário: Proteção Social e Trabalho Infantil

Seminário: Proteção Social e Trabalho Infantil Seminário: Proteção Social e Trabalho Infantil Enfrentamento ao trabalho infantil no Sistema Único de Assistência Social - SUAS 12 de junho de 2013 Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome

Leia mais

I Oficina com os Estados: Fortalecer a Gestão para Concretizar a Proteção Social

I Oficina com os Estados: Fortalecer a Gestão para Concretizar a Proteção Social I Oficina com os Estados: Fortalecer a Gestão para Concretizar a Proteção Social OFICINAS DO XIV ENCONTRO NACIONAL DO CONGEMAS ENFRENTAMENTO AO TRABALHO INFANTIL NO PLANO BRASIL SEM MISÉRIA Nivia Maria

Leia mais

OU SOBRE A EXPLORAÇÃO DE MÃO-DE- OBRA INFANTIL!

OU SOBRE A EXPLORAÇÃO DE MÃO-DE- OBRA INFANTIL! Luiz Inácio Lula da Silva Presidente da República Carlos Lupi Ministro do Trabalho e Emprego André Figueiredo Secretário-Executivo Ruth Beatriz de Vasconcelos Vilela Secretária de Inspeção do Trabalho

Leia mais

Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais

Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais Estatuto da Criança e do Adolescente: 18 anos, 18 Compromissos A criança e o adolescente no centro da gestão municipal O Estatuto

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 08, DE 18 DE ABRIL DE 2013.

RESOLUÇÃO Nº 08, DE 18 DE ABRIL DE 2013. RESOLUÇÃO Nº 08, DE 18 DE ABRIL DE 2013. Dispõe sobre as ações estratégicas do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil - PETI no âmbito do Sistema Único da Assistência Social SUAS e o critério de

Leia mais

OU SOBRE A EXPLORAÇÃO DE MÃO-DE-OBRA INFANTIL

OU SOBRE A EXPLORAÇÃO DE MÃO-DE-OBRA INFANTIL OU SOBRE A EXPLORAÇÃO DE MÃO-DE-OBRA INFANTIL 2 OBrasil tem uma legislação ampla sobre a proteção da criança e do adolescente e a proibição do trabalho infantil. Vamos conhecê-la? A Constituição Federal

Leia mais

Redesenho do PETI e Ações Estratégicas

Redesenho do PETI e Ações Estratégicas ENCONTRO INTERSETORIAL DAS AÇÕES ESTRATÉGICAS DO PETI Região Centro-Oeste Redesenho do PETI e Ações Estratégicas MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Nacional de Assistência

Leia mais

CONCLUSÕES DOS GRUPOS DE TRABALHO DO ENCONTRO NACIONAL SOBRE TRABALHO INFANTIL

CONCLUSÕES DOS GRUPOS DE TRABALHO DO ENCONTRO NACIONAL SOBRE TRABALHO INFANTIL CONCLUSÕES DOS GRUPOS DE TRABALHO DO ENCONTRO NACIONAL SOBRE TRABALHO INFANTIL BRASÍLIA/DF, 22 de agosto de 2012. Grupo de Trabalho sobre Autorizações para o Trabalho Infanto-juvenil: I. Não cabe autorização

Leia mais

SECRETARIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL COMISSÃO INTERGESTORES TRIPARTITE RESOLUÇÃO Nº 4, DE 24 DE MAIO DE 2011

SECRETARIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL COMISSÃO INTERGESTORES TRIPARTITE RESOLUÇÃO Nº 4, DE 24 DE MAIO DE 2011 SECRETARIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL COMISSÃO INTERGESTORES TRIPARTITE RESOLUÇÃO Nº 4, DE 24 DE MAIO DE 2011 Institui parâmetros nacionais para o registro das informações relativas aos serviços ofertados

Leia mais

ANEXO IV PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL. Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO

ANEXO IV PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL. Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL ANEXO IV Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO 1-Promoção dos Direitos de Crianças e Adolescentes Buscar apoio das esferas de governo (Federal e Estadual)

Leia mais

ção o do Trabalho Infantil Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Tipificação Nacional de Serviços Socioassistenciais

ção o do Trabalho Infantil Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Tipificação Nacional de Serviços Socioassistenciais Programa de Erradicaçã ção o do Trabalho Infantil Ministério Ministério do do Desenvolvimento Social Social e e Combate àà Fome SUBSÍDIOS IMPORTANTES PARA A CONSTRUÇÃO DE DIRETRIZES PARA O PETI PNAS, NOB/SUAS

Leia mais

Proposições do Seminário Sistema de Justiça e o Combate ao Trabalho Infantil Rio de Janeiro Agosto 2015

Proposições do Seminário Sistema de Justiça e o Combate ao Trabalho Infantil Rio de Janeiro Agosto 2015 Proposições do Seminário Sistema de Justiça e o Combate ao Trabalho Infantil Rio de Janeiro Agosto 2015 Proposições aprovadas durante o Seminário "Sistema de Justiça e o Combate ao Trabalho Infantil" realizado

Leia mais

14UF - Construção, Reforma, Equipagem e Ampliação de Unidades de Atendimento Especializado a Crianças e Adolescentes

14UF - Construção, Reforma, Equipagem e Ampliação de Unidades de Atendimento Especializado a Crianças e Adolescentes Programa 2062 - Promoção dos Direitos de Crianças e Adolescentes Número de Ações 6 Tipo: Projeto 14UF - Construção, Reforma, Equipagem e Ampliação de Unidades de Atendimento Especializado a Crianças e

Leia mais

O Desafio da Implementação das Políticas Transversais

O Desafio da Implementação das Políticas Transversais O Desafio da Implementação das Políticas Transversais Professora: Juliana Petrocelli Período: Novembro de 2013 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS SECRETARIA NACIONAL DE PROMOÇÃO DOS

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007

PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007 PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007 Institui o Programa Mais Educação, que visa fomentar a educação integral de crianças, adolescentes e jovens, por meio do apoio a atividades

Leia mais

TERMO DE AJUSTE DE CONDUTA - ASSISTÊNCIA SOCIAL

TERMO DE AJUSTE DE CONDUTA - ASSISTÊNCIA SOCIAL TERMO DE AJUSTE DE CONDUTA - ASSISTÊNCIA SOCIAL Pelo presente instrumento, na forma do artigo 5º, 6º, da lei n.º 7.347/85, alterado pelo artigo 113 da Lei n.º 8.078/90, o MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO

Leia mais

REGIÃO SUL. Grupo 1 EXPLORAÇÃO SEXUAL Políticas Envolvidas. Assistência Social. Saúde. Segurança pública. Sistema de justiça. Turismo.

REGIÃO SUL. Grupo 1 EXPLORAÇÃO SEXUAL Políticas Envolvidas. Assistência Social. Saúde. Segurança pública. Sistema de justiça. Turismo. REGIÃO SUL Eixos de Atuação 1. Informação e Mobilização Planejamento das Ações Intersetoriais 1.1 Realizar campanhas articuladas entre as políticas para prevenção do turismo sexual (agentes de saúde, professores

Leia mais

Governo planeja ações com base em dados e tenta aprimorar combate à exploração incentivando envolvimento da sociedade civil em fóruns e conselhos

Governo planeja ações com base em dados e tenta aprimorar combate à exploração incentivando envolvimento da sociedade civil em fóruns e conselhos / / Fique ligado Notícias / Especiais Promenino Fundação Telefônica 10/12/2012 Os desafios da fiscalização do trabalho infantil Governo planeja ações com base em dados e tenta aprimorar combate à exploração

Leia mais

Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social Gerência de Planejamento,

Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social Gerência de Planejamento, Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social Gerência de Planejamento, Projetos e Capacitação Ministério do Desenvolvimento Social

Leia mais

A Conferência Geral da Organização Internacional do Trabalho,

A Conferência Geral da Organização Internacional do Trabalho, RECOMENDAÇÃO 190 SOBRE PROIBIÇÃO DAS PIORES FORMAS DE TRABALHO INFANTIL E AÇÃO IMEDIATA PARA SUA ELIMINAÇÃO Aprovadas em 17/06/1999. No Brasil, promulgada pelo Decreto 3597de 12/09/2000. A Conferência

Leia mais

ZILIOTTO CONSULTORIA SOCIAL LTDA. FEBRAEDA

ZILIOTTO CONSULTORIA SOCIAL LTDA. FEBRAEDA . FEBRAEDA OFICINA DE TRABALHO SOBRE A CONSTRUÇÃO DA METODOLOGIA DA SÓCIO APRENDIZAGEM PROFª: MARIA CECILIA ZILIOTTO 26 DE MAIO DE 2014 CAMP - PINHEIROS . Construindo a Metodologia da Socioaprendizagem

Leia mais

Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes

Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes EIXO 1 PROMOÇÃO DOS DIREITOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES Diretriz 01 - Promoção da cultura do respeito e da garantia dos direitos humanos de

Leia mais

Palestra: Política Nacional de Assistência Social e Sistema Único da Assistência Social SUAS

Palestra: Política Nacional de Assistência Social e Sistema Único da Assistência Social SUAS Palestra: Política Nacional de Assistência Social e Sistema Único da Assistência Social SUAS Professores: Leonardo Martins Prudente e Adailton Amaral Barbosa Leite Brasília, Agosto de 2013 Política Nacional

Leia mais

Faço saber que a Câmara Municipal de Queimados, APROVOU e eu SANCIONO a seguinte Lei:

Faço saber que a Câmara Municipal de Queimados, APROVOU e eu SANCIONO a seguinte Lei: LEI N.º 1135/13, DE 01 DE ABRIL DE 2013. Dispõe sobre o Sistema Municipal de Assistência Social de Queimados e dá outras providências. Faço saber que a Câmara Municipal de Queimados, APROVOU e eu SANCIONO

Leia mais

FÓRUM ESTADUAL DE PREVENÇÃO E ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL E REGULARIZAÇÃO DO TRABALHO DO ADOLESCENTE -FEPETI-GO TERMO DE COOPERAÇÃO

FÓRUM ESTADUAL DE PREVENÇÃO E ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL E REGULARIZAÇÃO DO TRABALHO DO ADOLESCENTE -FEPETI-GO TERMO DE COOPERAÇÃO FÓRUM ESTADUAL DE PREVENÇÃO E ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL E REGULARIZAÇÃO DO TRABALHO DO ADOLESCENTE -FEPETI-GO TERMO DE COOPERAÇÃO TERMO DE COOPERAÇÃO que entre si celebram I) o FORUM ESTADUAL DE

Leia mais

RESOLUÇÃO CONJUNTA CNAS/CONANDA Nº 001 DE 09 DE JUNHO DE 2010

RESOLUÇÃO CONJUNTA CNAS/CONANDA Nº 001 DE 09 DE JUNHO DE 2010 RESOLUÇÃO CONJUNTA CNAS/CONANDA Nº 001 DE 09 DE JUNHO DE 2010 Estabelece parâmetros para orientar a constituição, no âmbito dos Estados, Municípios e Distrito Federal, de Comissões Intersetoriais de Convivência

Leia mais

O Suas Sistema Único da Assistência Social em perspectiva Valéria Cabral Carvalho, CRESS nº 0897 Luiza Maria Lorenzini Gerber, CRESS nº 0968

O Suas Sistema Único da Assistência Social em perspectiva Valéria Cabral Carvalho, CRESS nº 0897 Luiza Maria Lorenzini Gerber, CRESS nº 0968 O Suas Sistema Único da Assistência Social em perspectiva Valéria Cabral Carvalho, CRESS nº 0897 Luiza Maria Lorenzini Gerber, CRESS nº 0968 Com a Constituição Federal de 1988, a Assistência Social passa

Leia mais

8ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE MINAS GERAIS

8ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE MINAS GERAIS 8ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE MINAS GERAIS DOCUMENTO FINAL EIXO 1 PROMOÇÃO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Ações de mobilização: 1. Ampla mobilização, por

Leia mais

EIXO 2 PROTEÇÃO E DEFESA DOS DIREITOS: PROPOSTAS APROVADAS OBTIVERAM ENTRE 80 e 100% DOS VOTOS

EIXO 2 PROTEÇÃO E DEFESA DOS DIREITOS: PROPOSTAS APROVADAS OBTIVERAM ENTRE 80 e 100% DOS VOTOS EIXO 2 PROTEÇÃO E DEFESA DOS DIREITOS: PROPOSTAS APROVADAS OBTIVERAM ENTRE 80 e 100% DOS VOTOS Garantir a elaboração e implementação da Política e do Plano Decenal de Direitos Humanos de Criança e Adolescente

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE FUNDAÇÃO ASSISTÊNCIA SOCIAL E CIDADANIA

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE FUNDAÇÃO ASSISTÊNCIA SOCIAL E CIDADANIA PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE FUNDAÇÃO ASSISTÊNCIA SOCIAL E CIDADANIA 1 DADOS DE IDENTIFICAÇÃO PROJETO TÉCNICO: ACESSUAS TRABALHO / PRONATEC EQUIPE RESPONSÁVEL: Proteção Social Básica PERÍODO: Setembro

Leia mais

A Política Nacional de Assistência Social na Perspectiva do Sistema Único - SUAS

A Política Nacional de Assistência Social na Perspectiva do Sistema Único - SUAS A Política Nacional de Assistência Social na Perspectiva do Sistema Único - SUAS Deliberação da IV Conferência Nacional; Garantia de acesso aos direitos socioassistenciais; Modelo democrático e descentralizado

Leia mais

ipea políticas sociais acompanhamento e análise 7 ago. 2003 133 ASSISTÊNCIA SOCIAL

ipea políticas sociais acompanhamento e análise 7 ago. 2003 133 ASSISTÊNCIA SOCIAL ASSISTÊNCIA SOCIAL Regulamento da Organização e do Custeio da Seguridade Social Decreto n o 2.173, de 5 de março de 1997 aprova o Regulamento da Organização e do Custeio da Seguridade Social. Decreto n

Leia mais

CARTA DE CONSTITUIÇÃO DE ESTRATÉGIAS EM DEFESA DA PROTEÇÃO INTEGRAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

CARTA DE CONSTITUIÇÃO DE ESTRATÉGIAS EM DEFESA DA PROTEÇÃO INTEGRAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE CARTA DE CONSTITUIÇÃO DE ESTRATÉGIAS EM DEFESA DA PROTEÇÃO INTEGRAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE O CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA, na pessoa de seu Excelentíssimo Senhor Presidente, Ministro

Leia mais

Políticas Setoriais Secretarias Municipais: Saúde, Assistência Social, Educação, Direitos Humanos(quando houver). Participações Desejáveis

Políticas Setoriais Secretarias Municipais: Saúde, Assistência Social, Educação, Direitos Humanos(quando houver). Participações Desejáveis PARÂMETROS PARA A CONSTITUIÇÃO DAS COMISSÕES INTERSETORIAIS DE ACOMPANHAMENTO DO PLANO NACIONAL DE PROMOÇÃO, PROTEÇÃO E DEFESA DO DIREITO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES À CONVIVÊNCIA FAMILIAR E COMUNITÁRIA

Leia mais

PAIF. Programa de Atenção Integral à Família - PAIF CRAS

PAIF. Programa de Atenção Integral à Família - PAIF CRAS Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Secretaria Nacional de Assistência Social Programa de Atenção Integral à Família - PAIF CRAS PAIF IMPORTANTE INTERRELAÇÃO ENTRE PAIF E CRAS CRAS O

Leia mais

TRABALHO INFANTIL. CEREST ESTADUAL Márcia Peixoto Lucimeira Costa

TRABALHO INFANTIL. CEREST ESTADUAL Márcia Peixoto Lucimeira Costa TRABALHO INFANTIL CEREST ESTADUAL Márcia Peixoto Lucimeira Costa O que é trabalho infantil? São crianças e adolescentes economicamente ativos, meninos e meninas com idade até 18 anos que contribuam para

Leia mais

A GESTÃO DO CREAS E AS MUDANÇAS COM A TIPIFICAÇÃO E O PROTOCOLO DE GESTÃO

A GESTÃO DO CREAS E AS MUDANÇAS COM A TIPIFICAÇÃO E O PROTOCOLO DE GESTÃO A GESTÃO DO CREAS E AS MUDANÇAS COM A TIPIFICAÇÃO E O PROTOCOLO DE GESTÃO A Assistência Social como política de proteção social configura uma nova situação para o Brasil: garantir proteção a todos, que

Leia mais

3 o A instância coordenadora da Política Nacional de Assistência Social é o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. (NR).

3 o A instância coordenadora da Política Nacional de Assistência Social é o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. (NR). PROJETO DE LEI Altera a Lei n o 8.742, de 7 de dezembro de 1993, que dispõe sobre a organização da Assistência Social. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1 o Os arts. 6 o, 13, 14, 15, 16, 17, 20, 22 e

Leia mais

Art. 2 O Sistema Municipal de Assistência Social de Mangueirinha SUAS é regido pelos seguintes princípios:

Art. 2 O Sistema Municipal de Assistência Social de Mangueirinha SUAS é regido pelos seguintes princípios: LEI Nº 1720/2012 Dispõe sobre o Sistema Municipal de Assistência Social de Mangueirinha SUAS (Sistema Único de Assistência Social). Faço saber, que a Câmara Municipal de Mangueirinha, Estado do Paraná

Leia mais

Expert Consultation on Prevention of and Responses to Violence against Young Children Lima, 27 28 August 2012

Expert Consultation on Prevention of and Responses to Violence against Young Children Lima, 27 28 August 2012 Expert Consultation on Prevention of and Responses to Violence against Young Children Lima, 27 28 August 2012 JANDIRA FEGHALI (Deputada Federal/Brasil) Temas: Trabalhando com autoridades e parlamentares

Leia mais

ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A

ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR Irma Martins Moroni da Silveira FALAR DA CONTEMPORANEIDADE É REFLETIR SOBRE O TEMPO PRESENTE Falar do hoje da Assistência Social; Como

Leia mais

NOTA TÉCNICA 003/2012_ DA OBRIGAÇÃO DO PODER EXECUTIVO MUNICIPAL NO ATENDIMENTO DA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO À COMUNIDADE DE ADOLESCENTES

NOTA TÉCNICA 003/2012_ DA OBRIGAÇÃO DO PODER EXECUTIVO MUNICIPAL NO ATENDIMENTO DA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO À COMUNIDADE DE ADOLESCENTES Prezada, NOTA TÉCNICA 003/2012_ DA OBRIGAÇÃO DO PODER EXECUTIVO MUNICIPAL NO ATENDIMENTO DA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO À COMUNIDADE DE ADOLESCENTES Florianópolis, 18 de abril de 2012. Interessados: Secretarias

Leia mais

Declaração de Brasília sobre Trabalho Infantil

Declaração de Brasília sobre Trabalho Infantil Declaração de Brasília sobre Trabalho Infantil Nós, representantes de governos, organizações de empregadores e trabalhadores que participaram da III Conferência Global sobre Trabalho Infantil, reunidos

Leia mais

Erradicação do Trabalho Infantil. Secretaria de Inspeção do Trabalho Departamento de Fiscalização do Trabalho

Erradicação do Trabalho Infantil. Secretaria de Inspeção do Trabalho Departamento de Fiscalização do Trabalho Erradicação do Trabalho Infantil Secretaria de Inspeção do Trabalho Departamento de Fiscalização do Trabalho Estrutura do MTE para o Combate ao Trabalho Infantil a Serviço da Rede de Proteção à Infância.

Leia mais

Projeto de Decreto. (Criar uma denominação/nome própria para o programa)

Projeto de Decreto. (Criar uma denominação/nome própria para o programa) Projeto de Decreto Dispõe sobre as atribuições e competência do Programa de Execução de Medidas Socioeducativas em Meio Aberto, atendendo à Resolução do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente,

Leia mais

NOME DO SERVIÇO: SERVIÇO DE CONVIVÊNCIA E FORTALECIMENTO DE VÍNCULOS.

NOME DO SERVIÇO: SERVIÇO DE CONVIVÊNCIA E FORTALECIMENTO DE VÍNCULOS. NOME DO SERVIÇO: SERVIÇO DE CONVIVÊNCIA E FORTALECIMENTO DE VÍNCULOS. DESCRIÇÃO GERAL: Serviço realizado em grupos, organizado a partir de percursos, de modo a garantir aquisições progressivas aos seus

Leia mais

GABINETE DA MINISTRA PORTARIA No- 251, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2012

GABINETE DA MINISTRA PORTARIA No- 251, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2012 GABINETE DA MINISTRA PORTARIA No- 251, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2012 Regulamenta a gestão das condicionalidades do Programa Bolsa Família, revoga a portaria GM/MDS nº 321, de 29 de setembro de 2008, e dá outras

Leia mais

I Fórum Municipal sobre Autismo Acessibilidade e Mobilidade Territorial

I Fórum Municipal sobre Autismo Acessibilidade e Mobilidade Territorial I Fórum Municipal sobre Autismo Acessibilidade e Mobilidade Territorial SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA E DESENVOLVIMENTO SOCIAL Coordenadoria de Proteção Social Especial Março/2014 CONSTITUIÇÃO FEDERAL

Leia mais

Os Atores do Sistema de Garantia aos Direitos da Criança e do Adolescente e o Significado do Controle Social

Os Atores do Sistema de Garantia aos Direitos da Criança e do Adolescente e o Significado do Controle Social Os Atores do Sistema de Garantia aos Direitos da Criança e do Adolescente e o Significado do Controle Social INGRID CATARINA SOLEDADE CALASANS ingridcalasans@gmail.com ARYADNE MARTINS SOARES BOHRER aryadneadv@gmail.com

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE ATENDIMENTO SÓCIOEDUCATIVO DO MUNICÍPIO DE ESPÍRITO SANTO/RN

PLANO MUNICIPAL DE ATENDIMENTO SÓCIOEDUCATIVO DO MUNICÍPIO DE ESPÍRITO SANTO/RN PLANO MUNICIPAL DE ATENDIMENTO SÓCIOEDUCATIVO DO MUNICÍPIO DE ESPÍRITO SANTO/RN ESPÍRITO SANTO/RN, OUTUBRO DE 2014. FRANCISCO ARAÚJO DE SOUZA PREFEITO MUNICIPAL DE ESPÍRITO SANTO/RN ELIZANGELA FREIRE DE

Leia mais

LEI N.º 7.390, DE 6 DE MAIO DE 2015

LEI N.º 7.390, DE 6 DE MAIO DE 2015 LEI N.º 7.390, DE 6 DE MAIO DE 2015 Institui o Sistema Municipal de Assistência Social do Município de Santo Antônio da Patrulha e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL de Santo Antônio da Patrulha,

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO FIRMADO PERANTE O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ PELOS CANDIDATOS A PREFEITOS MUNICIPAIS DE BELÉM, NAS ELEIÇÕES 2012.

TERMO DE COMPROMISSO FIRMADO PERANTE O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ PELOS CANDIDATOS A PREFEITOS MUNICIPAIS DE BELÉM, NAS ELEIÇÕES 2012. TERMO DE COMPROMISSO FIRMADO PERANTE O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ PELOS CANDIDATOS A PREFEITOS MUNICIPAIS DE BELÉM, NAS ELEIÇÕES 2012. O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ, daqui por diante

Leia mais

Regulamentação da Questão do Trabalho do Adolescente no Município de São José dos Campos

Regulamentação da Questão do Trabalho do Adolescente no Município de São José dos Campos RESOLUÇÃO No. 12/96 O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente - CMDCA de São José dos Campos, usando de suas atribuições, aprovou em sua Reunião Ordinária do dia 04 de junho de 1.996,

Leia mais

Mobilização: 5% do Orçamento para Assistência Social. [Projeto de Emenda à Lei Orgânica do Município nº 02/09]

Mobilização: 5% do Orçamento para Assistência Social. [Projeto de Emenda à Lei Orgânica do Município nº 02/09] Mobilização: 5% do Orçamento para Assistência Social [Projeto de Emenda à Lei Orgânica do Município nº 02/09] Apresentação O retrato social da cidade de São Paulo revela uma lógica contraditória: a cidade

Leia mais

MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA SOCIAL SECRETARIA DE ESTADO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL

MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA SOCIAL SECRETARIA DE ESTADO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA SOCIAL SECRETARIA DE ESTADO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL PORTARIA Nº 458, DE 4 DE OUTUBRO DE 2001* Estabelece Diretrizes e Normas do Programa de Erradicação do Trabalho

Leia mais

SERVIÇOS DE CONVIVÊNCIA E FORTALECIMENTO DE VÍNCULOS SCFV

SERVIÇOS DE CONVIVÊNCIA E FORTALECIMENTO DE VÍNCULOS SCFV SERVIÇOS DE CONVIVÊNCIA E FORTALECIMENTO DE VÍNCULOS SCFV SOCIOASSISTENCIAL X SOCIOEDUCATIVO SOCIOASSISTENCIAL apoio efetivo prestado a família, através da inclusão em programas de transferência de renda

Leia mais

Como proceder à notificação e para onde encaminhá-la?

Como proceder à notificação e para onde encaminhá-la? Se a família não quiser ou não puder assumir a notificação, o educador deverá informar a família que, por força da lei, terá que notificar o fato aos órgãos competentes. Como proceder à notificação e para

Leia mais

Secretaria Nacional de Assistência Social

Secretaria Nacional de Assistência Social POLÍTICA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL SUAS Secretaria Nacional de Assistência Social MARCOS NORMATIVOS E REGULATÓRIOS Constituição Federal 1988 LOAS 1993 PNAS 2004

Leia mais

OBJETIVOS. Associar o início da vida no mercado de trabalho com a conclusão de um curso profissional;

OBJETIVOS. Associar o início da vida no mercado de trabalho com a conclusão de um curso profissional; OBJETIVOS Associar o início da vida no mercado de trabalho com a conclusão de um curso profissional; Fornecer conhecimento teórico e prático; Ampliar o acesso ao mercado de trabalho antecipadamente; Permitir

Leia mais

11º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM TRABALHO INFANTIL E O PROJETO BRINCADEIRAS COM MENINOS E MENINAS DE E NA RUA.

11º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM TRABALHO INFANTIL E O PROJETO BRINCADEIRAS COM MENINOS E MENINAS DE E NA RUA. 11º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM TRABALHO INFANTIL E O PROJETO BRINCADEIRAS COM MENINOS E MENINAS DE E NA RUA. Luisa de Oliveira Demarchi Costa (apresentadora) 1 Cléia Renata Teixeira Souza (coordenadora)

Leia mais

PORTARIA Nº 321, DE 29 DE SETEMBRO DE 2008

PORTARIA Nº 321, DE 29 DE SETEMBRO DE 2008 PORTARIA Nº 321, DE 29 DE SETEMBRO DE 2008 Regulamenta a gestão das condicionalidades do Programa Bolsa Família, revoga a Portaria/MDS nº 551, de 9 de novembro de 2005, e dá outras providências. O MINISTRO

Leia mais

Orientações Técnicas para a formação da Agenda Intersetorial

Orientações Técnicas para a formação da Agenda Intersetorial Orientações Técnicas para a formação da Agenda Intersetorial Brasília, 7 de Agosto de 2014 Encontro Intersetorial das Ações Estratégicas do PETI ETAPAS PARA FORMAÇÃO DA AGENDA INTERSETORIAL DO PETI Reuniões/

Leia mais

Minuta PARECER Nº, DE 2011. RELATORA: Senadora LÚCIA VÂNIA

Minuta PARECER Nº, DE 2011. RELATORA: Senadora LÚCIA VÂNIA Minuta PARECER Nº, DE 2011 Da COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS, sobre o Projeto de Lei da Câmara nº 189, de 2010 (Projeto de Lei nº 3.077, de 2008, na origem), do Poder Executivo, que altera a Lei nº 8.742,

Leia mais

Convenção sobre a Proibição das Piores Formas de Trabalho Infantil e a Ação Imediata para a sua Eliminação (Convenção 182 da O.I.T.

Convenção sobre a Proibição das Piores Formas de Trabalho Infantil e a Ação Imediata para a sua Eliminação (Convenção 182 da O.I.T. Direito Internacional Aplicado Tratados e Convenções Proteção Internacional dos Direitos Humanos Convenção sobre a Proibição das Piores Formas de Trabalho Infantil e a Ação Imediata para a sua Eliminação

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO TRABALHO INFANTIL MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO QUEM É O MPT? ÁREAS DE ATUAÇÃO TEMAS PRIORITÁRIOS 8 COORDENADORIAS TEMÁTICAS. COORDINFÂNCIA PORTARIA Nº 299/2000 ÁREAS DE ATUAÇÃO DA COORDINFÂNCIA POLÍTICAS

Leia mais

Centro de Referência de Assistência Social. Paraná, agosto de 2012

Centro de Referência de Assistência Social. Paraná, agosto de 2012 Centro de Referência de Assistência Social Paraná, agosto de 2012 Centro de Referência de Assistência Social - CRAS Unidade pública estatal de base territorial, localizada em áreas de vulnerabilidade social

Leia mais

Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes: barreiras ao convívio democrático Josevanda Mendonça Franco Professora-Especialista

Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes: barreiras ao convívio democrático Josevanda Mendonça Franco Professora-Especialista CURSO DE APERFEIÇOAMENTO PARA O PROCESSO SELETIVO E CONSULTIVO PARA DIRETORES ESCOLARES Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes: barreiras ao convívio democrático Josevanda Mendonça Franco Professora-Especialista

Leia mais

TRABALHO INFANTIL: Uma agenda rumo ao cumprimento das metas de erradicação

TRABALHO INFANTIL: Uma agenda rumo ao cumprimento das metas de erradicação TRABALHO INFANTIL: Uma agenda rumo ao cumprimento das metas de erradicação Brasília, março de 2015 Compromisso mundial / Legislação internacional Nas últimas décadas, foram adotadas importantes normas

Leia mais

Tourisme sexuel impliquant des enfants & grands

Tourisme sexuel impliquant des enfants & grands Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente Conférence Internationale Tourisme sexuel impliquant des enfants & grands

Leia mais

Câmara Municipal de Uberaba A Comunidade em Ação LEI Nº 7.904

Câmara Municipal de Uberaba A Comunidade em Ação LEI Nº 7.904 A Comunidade em Ação LEI Nº 7.904 Disciplina a Política Municipal de Enfrentamento à Violência Sexual e dá outras providências. O Povo do Município de Uberaba, Estado de Minas Gerais, por seus representantes

Leia mais

O trabalho social com famílias. no âmbito do Serviço de Proteção e. Atendimento Integral à Família - PAIF

O trabalho social com famílias. no âmbito do Serviço de Proteção e. Atendimento Integral à Família - PAIF O trabalho social com famílias no âmbito do Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família - PAIF Contexto Social: Acesso diferencial às informações Uso e abuso de substâncias psicoativas Nulo ou

Leia mais

LEI N 2.284/07 DE 14 DE SETEMBRO DE 2007.

LEI N 2.284/07 DE 14 DE SETEMBRO DE 2007. 1 LEI N 2.284/07 DE 14 DE SETEMBRO DE 2007. Altera, em parte, a Lei Municipal nº 2.231, de 24 de julho de 2006, que DISPÕE SOBRE A REORGANIZAÇÃO DA ESTRUTURA ADMINISTRATIVA DO PODER EXECUTIVO DO MUNICÍPIO

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE ENFRENTAMENTO A VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA A CRIANÇA E O ADOLESCENTE

PLANO MUNICIPAL DE ENFRENTAMENTO A VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA A CRIANÇA E O ADOLESCENTE PLANO MUNICIPAL DE ENFRENTAMENTO A VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA A CRIANÇA E O ADOLESCENTE APRESENTAÇÃO: A violência sexual contra a criança e o adolescente tem sido um problema de difícil enfrentamento por

Leia mais

Trabalho Infantil - Diagnóstico Brasil e Sudeste. Paula Montagner Outubro/ 2014

Trabalho Infantil - Diagnóstico Brasil e Sudeste. Paula Montagner Outubro/ 2014 Trabalho Infantil - Diagnóstico Brasil e Sudeste Paula Montagner Outubro/ 2014 A Organização Internacional do Trabalho - OIT tem sido a principal promotora da implementação de ações restritivas ao trabalho

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES PAIR

PROGRAMA NACIONAL DE ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES PAIR Presidência da República Secretaria de Direitos Humanos Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente Departamento de Políticas Temáticas dos Direitos da Criança e do Adolescente

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL ADJUNTA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL-SUAS TRABALHANDO EM REDE

SECRETARIA MUNICIPAL ADJUNTA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL-SUAS TRABALHANDO EM REDE SECRETARIA MUNICIPAL ADJUNTA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL-SUAS TRABALHANDO EM REDE CONCEITO DE REDE Para as Ciências Sociais: conjunto de relações sociais entre um conjunto

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL, SUAS e legislações pertinentes. Profa. Ma. Izabel Scheidt Pires

POLÍTICA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL, SUAS e legislações pertinentes. Profa. Ma. Izabel Scheidt Pires POLÍTICA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL, SUAS e legislações pertinentes Profa. Ma. Izabel Scheidt Pires REFERÊNCIAS LEGAIS CF 88 LOAS PNAS/04 - SUAS LOAS A partir da Constituição Federal de 1988, regulamentada

Leia mais

Programa de Erradicação do Trabalho Infantil

Programa de Erradicação do Trabalho Infantil Programa de Erradicação do Trabalho Infantil Diretrizes Operacionais Ministério Ministério do do Desenvolvimento Social Social e e Combate à à Fome 1. CONTEXTUALIZAÇÃO Estudo Quantitativo e Qualitativo

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BAURU ESTADO DE SÃO PAULO Secretaria Municipal do Bem-Estar Social

PREFEITURA MUNICIPAL DE BAURU ESTADO DE SÃO PAULO Secretaria Municipal do Bem-Estar Social Padrão Normativo da Rede de Proteção Social Especial de Média Complexidade Serviço Especializado de Abordagem Social Administração: Rodrigo Antonio de Agostinho Mendonça Secretária do Bem Estar Social:

Leia mais

Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Juruti 2012-2014

Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Juruti 2012-2014 Plano de Ação Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Juruti 2012-2014 APRESENTAÇÃO Nosso O Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente do município de Juruti apresenta, no

Leia mais

Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI)

Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) Presidência da República Controladoria-Geral da União Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) PROGRAMA DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL (PETI) O PETI é um programa do Governo Federal que

Leia mais

Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes

Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes Mostrando que a proteção de nossas crianças e adolescentes também está em fase de crescimento Subsecretaria de Promoção

Leia mais

Coordenação-Geral de Regulação da Gestão do SUAS do Departamento de Gestão do SUAS

Coordenação-Geral de Regulação da Gestão do SUAS do Departamento de Gestão do SUAS Coordenação-Geral de Regulação da Gestão do SUAS do Departamento de Gestão do SUAS SUAS E SISAN MARCO LEGAL - Art. 6º da CF/88 : São direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia,

Leia mais

APRENDIZAGEM aprendizagem

APRENDIZAGEM aprendizagem APRENDIZAGEM APRENDIZAGEM A aprendizagem é um instituto que cria oportunidades tanto para o aprendiz quanto para as empresas, pois prepara o jovem para desempenhar atividades profissionais e ter capacidade

Leia mais

Disciplina: modernidade e Envelhecimento Curso de Serviço Social 3º e 5º Semestre Políticas públicas para idosos 1 Marco Legal Nacional Constituição Federal (1988) Art. 202 Inciso I Ao idoso é assegurado

Leia mais

Plano Nacional de Promoção, Proteção e Defesa do Direito de Crianças e Adolescentes à Convivência Familiar e Comunitária

Plano Nacional de Promoção, Proteção e Defesa do Direito de Crianças e Adolescentes à Convivência Familiar e Comunitária Plano Nacional de Promoção, Proteção e Defesa do Direito de Crianças e Adolescentes à Convivência Familiar e Comunitária Manaus/AM 29 de Abril de 2014 Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Criança

Leia mais

PROTEÇÃO SOCIAL BÁSICA DO SUAS

PROTEÇÃO SOCIAL BÁSICA DO SUAS PROTEÇÃO SOCIAL BÁSICA DO SUAS CRAS Centro de Referência de Assistência Social PÚBLICO-ALVO: A PROTEÇÃO SOCIAL BÁSICA B DO SUAS Famílias, seus membros e indivíduos em situação de vulnerabilidade social

Leia mais

FORTALECENDO E ARTICULANDO A REDE DE ATENÇÃO A CRIANÇA E O ADOLESCENTE

FORTALECENDO E ARTICULANDO A REDE DE ATENÇÃO A CRIANÇA E O ADOLESCENTE FORTALECENDO E ARTICULANDO A REDE DE ATENÇÃO A CRIANÇA E O ADOLESCENTE Fazer laços é ligar, entrelaçar o que está separado. Literal e metaforicamente falando. A inclusão do trabalho sobre o tema da sexualidade

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Anais. III Seminário Internacional Sociedade Inclusiva. Ações Inclusivas de Sucesso

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Anais. III Seminário Internacional Sociedade Inclusiva. Ações Inclusivas de Sucesso Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais Anais III Seminário Internacional Sociedade Inclusiva Ações Inclusivas de Sucesso Belo Horizonte 24 a 28 de maio de 2004 Realização: Pró-reitoria de Extensão

Leia mais

O Redesenho do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) e os Novos Desafios

O Redesenho do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) e os Novos Desafios O Redesenho do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) e os Novos Desafios Heder Sousa Equipe Estadual de Erradicação do Trabalho Infantil PETI O que é Trabalho Infantil? Trabalho infantil

Leia mais

CARTA DE CONSTITUIÇÃO DE ESTRATÉGIAS EM DEFESA DA PROTEÇÃO INTEGRAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

CARTA DE CONSTITUIÇÃO DE ESTRATÉGIAS EM DEFESA DA PROTEÇÃO INTEGRAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE CARTA DE CONSTITUIÇÃO DE ESTRATÉGIAS EM DEFESA DA PROTEÇÃO INTEGRAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE C A R TA D E C O N S T I T U I Ç Ã O D E E S T R AT É G I A S E M D E F E S A D A PROTEÇÃO INTEGRAL

Leia mais

NORMATIVAS INTERNACIONAIS Publicação/Origem

NORMATIVAS INTERNACIONAIS Publicação/Origem LEVANTAMENTO DOS MARCOS LÓGICOS E LEGAIS DO SERVIÇO DE ENFRENTAMENTO À VIOLÊNCIA, ABUSO E EXPLORAÇÃO SEXUAL CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES 1. Marcos Lógicos NORMATIVAS INTERNACIONAIS DECLARAÇÃO DE GENEBRA

Leia mais

Menor Aprendiz Perguntas Frequentes

Menor Aprendiz Perguntas Frequentes Menor Aprendiz Perguntas Frequentes A aprendizagem é regulada pela CLT e passou por um processo de modernização com a promulgação das Leis nºs. 11.180/2005, 10.097/2008 e 11.788/2008. O Estatuto da Criança

Leia mais