FUNAI - FUNDAÇÃO NACIONAL DO ÍNDIO. WEBPORT Sistema de Controle de Visitantes WEBPORT. Sistema de Controle de Visitantes

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FUNAI - FUNDAÇÃO NACIONAL DO ÍNDIO. WEBPORT Sistema de Controle de Visitantes WEBPORT. Sistema de Controle de Visitantes"

Transcrição

1 FUNAI - FUNDAÇÃO NACIONAL DO ÍNDIO WEBPORT Sistema de Controle de Visitantes Diretoria de Assistência Coordenação Geral de Doc. e Tecnologia da Informação WEBPORT Sistema de Controle de Visitantes Desenvolvedores: Juliano Meinen de Sousa Wesley Henrique Alves de Brito Wesley Romualdo da Silva Software desenvolvido visando uma melhor gestão das informações adquiridas, tendo por objetivo realizar de forma satisfatória o controle de visitantes na Funai. Coordenador de Doc. e Tecnologia da Informação: Marcelo Staciarini Puttini Coordenador de Tecnologia da Informação: Pedro Albuquerque Cavalcanti

2 ii WEBPORT Sistema de Controle de Visitantes Desenvolvedores: Juliano Meinen de Sousa Wesley Henrique Alves de Brito Wesley Romualdo da Silva Tendo em vista que o fluxo de pessoas que entram e saem da fundação todos os dias e considerável, um sistema capaz de gerenciar tal fluxo seria mais que necessário nesse âmbito, não somente de pessoas, mas também de bens patrimoniais. Brasília, de julho de Pedro Albuquerque Cavalcanti Coordenador de Tecnologia da Informação Wesley Romualdo da Silva Assistente Administrativo (Analista/Programador) Juliano Meinen de Souza Assistente Administrativo (Programador) Wesley Henrique Alves de Brito Estagiário (Programador)

3 iii SUMÁRIO 1 OBJETIVO OBJETIVO GERAL OBJETIVO ESPECÍFICO FUNCIONALIDADES DO SISTEMA CRONOGRAMA E ATIVIDADES LEVANTAMENTO DE REQUISITOS DESCRIÇÃO DOS REQUISITOS RF001 Manipular Usuário RF002 Manipular Dados do Usuário RF003 Incluir Usuário RF004 Alterar Usuário RF005 Excluir perfil RF006 Validar senha RF011 Manipular Visitantes RF012 Validar dados Visitante RF013 Incluir Visitante RF014 Alterar Visitante RF015 Excluir Visitante RF016 Manipular Entrada RF017 Incluir Entrada RF018 Gerar Crachá RF019 - Manipular Saída RF020 - Validar Dados da Saída RF021 - Consultar Visitantes RF022 - Consulta Usuários RF023 - Consulta Todas Entradas RF024 - Consulta Visitante Dentro da Empresa RF025 - Consultar por Data RF026 - Emitir Relatório de Entradas RF027 - Emitir Relatório de Visitantes RF028 - Emitir Relatório de Saídas RF029 - Emitir Relatório por Datas RF030 - Manual do Usuário RF031 - Visualizar Erros RF032 - Tempo de Resposta RF033 - Volume de utilização RF034 - Disponibilidade RF035 - Flexibilidade RF036 - Compatibilidade RF037 - Tipo de interface desejada RF038 - Software Livre RF039 - Documentação do Sistema RECURSOS NECESSARIOS AO DESENVOLVIMENTO DESCRIÇÃO DO HARDWARE IDEAL DESCRIÇÃO DO HARDWARE MÍNIMO DESCRIÇÃO DO SOFTWARE Macromedia Dreamweaver 8: Php Sql Server Query Analyzer Enterprise Manager Servidor Apache DOCUMENTAÇÃO DA ANÁLISE MODELAGEM DE DADOS... 24

4 iv Caso de Uso Descrições de Casos de Uso e Atores Atores do sistema Administrador Detalhamento do Ator Usuário Detalhamento do Ator Diagrama de Classes Diagrama Geral de Classes Classe Entrada Classe Visitante Classe Destino Classe Usuário Classe Tip_Doc Classe Org_Exp DETALHAMENTO GERAL DA MODELAGEM DIAGRAMA GERAL CASO DE USO MODULO CADASTRO Diagrama Manipular Usuário Detalhamento do Caso de Uso Incluir Usuário Detalhamento do Caso de Uso Excluir Usuário Detalhamento do Caso de Uso Cancelar Inserção Detalhamento do Caso de Uso Validar Dados Detalhamento do Caso de Uso Alterar Usuário Diagrama Manipular Entrada Detalhamento do Caso de Uso Incluir Entrada Detalhamento do Caso de Uso Excluir Entrada Detalhamento do Caso de Uso Validar Dados Detalhamento do Caso de Uso Alterar Entrada Diagrama Manipular Saída Detalhamento do Caso de Uso Incluir Saida Detalhamento do Caso de Uso Excluir Saída Detalhamento do Caso de Uso Validar Dados Detalhamento do Caso de Uso Alterar Entrada DIAGRAMA GERAL CASO DE USO MODULO CONSULTA Detalhamento do Caso de Uso Consultar Entradas Detalhamento do Caso de Uso Consultar Saídas Detalhamento do Caso de Uso Consultar Visitante Detalhamento do Caso de Uso Consultar Visitante DIAGRAMA GERAL MÓDULO RELATÓRIO Detalhamento do Caso de Uso Relatório de Entrada Detalhamento do Caso de Uso Relatório de Saída Detalhamento do Caso de Uso Relatório de Visitantes Detalhamento do Caso de Uso Relatório por Data DETALHAMENTO DAS CLASSES CLASSE ENTRADA CLASSE VISITANTE CLASSE USUÁRIO CLASSE DESTINO CLASSE TIP_DOC CLASSE ORG_EXP TELAS TELA DE LOGIN Descrição Campos Botões Pesquisar Relatório TELA PRINCIPAL TELA DE ENTRADA Entrada de visitantes Botões... 52

5 8.4 TELA DE SAÍDA Saída de visitantes Botões TELA DE CADASTRO DE NOVO USUÁRIO Cadastro de usuário Botões Sistema de Controle de Entrada de Visitante v

6 vi LISTA DE FIGURAS FIGURAS 1 - DIAGRAMA GERAL DE CLASSES FIGURAS 2 - DIAGRAMA DO CASO DE USO DO COMPONENTE GERAL FIGURAS 3 - DIAGRAMA DO CASO DE USO DO COMPONENTE MANIPULAR USUÁRIO FIGURAS 4 - DIAGRAMA DO CASO DE USO DO COMPONENTE MANIPULAR ENTRADAS FIGURAS 5 - DIAGRAMA DO CASO DE USO DO COMPONENTE MANIPULAR SAIDAS FIGURAS 6 - DIAGRAMA DO CASO DE USO DO COMPONENTE MODULO CONSULTAS FIGURAS 7 - DIAGRAMA DO CASO DE USO DO COMPONENTE MODULO RELATÓRIO FIGURAS 8 CLASSE ENTRADA FIGURAS 9 - CLASSE VISITANTE FIGURAS 10 - CLASSE USUÁRIO FIGURAS 11 - CLASSE DESTINO FIGURAS 12 - CLASSE TIP_DOC FIGURAS 13 - CLASSE ORG_EXP FIGURAS 14 TELA DE LOGIN FIGURAS 15 TELA PRINCIPAL FIGURAS 16 TELA DE ENTRADA DE VISITANTES FIGURAS 17 TELA DE SAÍDA DE VISITANTE FIGURAS 18 TELA DE CADASTRO DE USUÁRIO... 54

7 vii LISTA DE QUADROS QUADRO 1 CRONOGRAMA E ATIVIDADES QUADRO 2 - FLUXO DE EVENTO DO CASO DE USO INCLUIR USUÁRIO QUADRO 3 - FLUXO DE EVENTO DO CASO DE USO EXCLUIR USUÁRIO QUADRO 4 - FLUXO DE EVENTO DO CASO DE USO CANCELAR INSERÇÃO QUADRO 5 - FLUXO DE EVENTO DO CASO DE USO VALIDAR DADOS QUADRO 6 - FLUXO DE EVENTO DO CASO DE USO ALTERAR USUARIO QUADRO 7 - FLUXO DE EVENTO DO CASO DE USO INCLUIR ENTRADA QUADRO 8 - FLUXO DE EVENTO DO CASO DE USO EXCLUIR ENTRADA QUADRO 9 - FLUXO DE EVENTO DO CASO DE USO VALIDAR DADOS QUADRO 10 - FLUXO DE EVENTO DO CASO DE USO ALTERAR ENTRADA QUADRO 11 - FLUXO DE EVENTO DO CASO DE USO INCLUIR SAÍDA QUADRO 12 - FLUXO DE EVENTO DO CASO DE USO EXCLUIR SAÍDA QUADRO 13 - FLUXO DE EVENTO DO CASO DE USO VALIDAR DADOS QUADRO 14 - FLUXO DE EVENTO DO CASO DE USO ALTERAR SAÍDA QUADRO 15 - FLUXO DE EVENTO DO CASO DE USO CONSULTAR ENTRADAS QUADRO 16 - FLUXO DE EVENTO DO CASO DE USO CONSULTAR SAÍDA QUADRO 17 - FLUXO DE EVENTO DO CASO DE USO CONSULTAR VISITANTE QUADRO 18 - FLUXO DE EVENTO DO CASO DE USO CONSULTAR POR DATA QUADRO 19 - FLUXO DE EVENTO DO CASO DE USO RELATÓRIO DE ENTRADA QUADRO 20 - FLUXO DE EVENTO DO CASO DE USO RELATÓRIO DE SAÍDA QUADRO 21 - FLUXO DE EVENTO DO CASO DE USO RELATÓRIO DE VISITANTES QUADRO 22 - FLUXO DE EVENTO DO CASO DE USO RELATÓRIO POR DATA QUADRO 23 CLASSE ENTRADA QUADRO 24 CLASSE VISITANTE QUADRO 25 CLASSE USUÁRIO QUADRO 26 CLASSE DESTINO QUADRO 27 CLASSE TIP_DOC QUADRO 28 CLASSE ORG_EXP... 47

8 8 1 OBJETIVO 1.1 Objetivo Geral O objetivo deste projeto será de desenvolver um sistema capaz de solucionar as necessidades e deficiências existentes na forma atual de execução de rotinas da empresa Funai. Sendo que todas possíveis soluções foram baseadas em levantamentos da realidade da própria empresa. 1.2 Objetivo Específico Elaborar um sistema denominado Sistema de Controle de Visitantes (WEBPORT) para a empresa Funai, que seja capaz de controlar todas as entradas e saídas de visitantes, bem como todas as operações associadas a esses visitante, de maneira eficaz e satisfatória, transmitindo a empresa mais segurança, confiabilidade, agilidade e precisão nas informações. Assim, descrevem-se os objetivos almejados no presente Sistema: Controlar Entradas. Controlar Saidas. Controlar Visitantes. Controlar Usuários. 1.3 Funcionalidades do Sistema WEBPORT deverá proporcionar ao seu usuário trabalhar com certas funcionalidades: Controlar Acessos ao Sistema. Manter Cadastro de Visitantes. Manter Cadastro de Usuários. Controlar Entrada de Visitantes. Controlar Saida de Visitantes. Consultar Informações de Visitantes Cadastrados.

9 9 Consultar Informações de Usuários Cadastrados. Consultar Informações de Entradas Realizadas. Consultar Informações de Saídas Realizadas. Emitir Relatórios de Visitantes. Emitir Relatórios de Entradas. Emitir Relatórios de Saídas. Emitir Relatórios por Períodos.

10 10 2 CRONOGRAMA E ATIVIDADES Quadro 1 Cronograma e Atividades ETAPAS/AÇÕES P/R PERIODO DE EXECUÇÃO JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO Plano de Entrevista Levantamento de Informações Modelagem em Ambiente UML Documentação do Projeto Revisão do Projeto Prototipação do Projeto Revisão Ortográfica Simulação de Funcionamento Instalação LEGENDA: Programado: Realizado:

11 11 3 LEVANTAMENTO DE REQUISITOS A Análise de Requisitos é a primeira fase técnica do desenvolvimento de software, e pode ser entendida como responsável por definir as atividades que um sistema deve realizar. Os requisitos dos sistemas devem estabelecer o que o sistema deve fazer ao invés de como isto será feito. O termo Análise de Requisitos ou Engenharia de Requisitos, segundo Fischer, refere-se a uma coleção dos processos de extração, especificação, verificação e validação, apresentados na seqüência: A extração de requisitos é o exercício de agrupar as informações a fim de verificar exatamente o que o cliente ou usuário está requerendo. A especificação refere-se tanto ao processo como ao resultado deste processo. Resulta em um documento denominado Especificação dos Requisitos, em que toda a informação obtida sobre o processo está reunida. É quando ocorre o maior esforço de análise, o fluxo dos dados é avaliado, as funções definidas e detalhadas, o comportamento do software entendido no contexto do ambiente e as restrições do projeto são incluídos. A verificação é feita para assegurar que este documento não contém inconsistências, uma vez que os requisitos não devem ser conflitantes entre si. A validação preocupa-se em assegurar que o documento descreve com precisão o sistema que o cliente deseja, incluindo todas as funcionalidades e restrições impostas por ele. Segundo Sommerville, o termo definição de requisitos serve para a fase inicial do processo, quando os requisitos são estabelecidos ao cliente e correspondem à macro especificações de serviços que o sistema deve realizar. Deve estar descrito em um documento em linguagem natural, acrescido de alguns diagramas. Já o termo especificação de requisitos é usado no outro extremo do processo, quando os requisitos estão detalhadamente definidos e um documento preciso é gerado, também conhecido por Especificação Funcional. No final uma especificação um Documento de Requisitos de Software é montando. Esse documento une a definição e a especificação dos requisitos. No desenvolvimento do processo alguns papéis estão envolvidos: os requerentes, os facilitadores e os implementadores. Os requerentes são os clientes e usuários, e

12 12 representam as pessoas que precisam do sistema. Os facilitadores são analistas, e seu papel é o de desenvolver, ao longo do processo, as técnicas de extração, especificação, verificação e validação, numa descrição precisa do sistema que o requerente quer. Já os implementadores são engenheiros, projetistas e gerentes de projeto, que elaboram o sistema base do processo que efetivamente constroem os sistemas com base no documento de requisitos e no processo do software. O levantamento de requisitos elaborado baseado em analise de documentos, observações e entrevistas. Suas definições atende a quem vai ter acesso, o que o produto vai fazer, porque e como o produto vai ser usado. Em todos os requisitos funcionais foram atribuídos tipos de prioridades. Para estabelecer tais prioridades, foram adotadas as denominações essencial, importante e desejável. Essencial: é o requisito sem o qual o sistema não entra em funcionamento. Requisitos essenciais são requisitos imprescindíveis, que devem ser implementados impreterivelmente; Importante: é o requisito sem o qual o sistema entra em funcionamento, mas de forma não satisfatória. Requisitos importantes devem ser implementados, mas, se não forem, o sistema poderá ser implantado e usado mesmo assim; Desejável: é o requisito que não compromete as funcionalidades básicas do sistema, isto é, o sistema pode funcionar de forma satisfatória sem ele. Requisitos desejáveis podem ser deixados para versões posteriores do sistema, caso não haja tempo hábil para implementá-los na versão que está sendo especificada. Por convenção, a referência a requisitos é feita através do identificador do requisito, de acordo com o esquema abaixo: identificador de tipo de requisito. Identificador do requisito. O identificador de tipo de requisito pode ser: RF requisito funcional RNF requisito não funcional Identificador do requisito é um número, criado seqüencialmente, que determina que aquele requisito seja único para um determinado tipo de requisito. Ex.: RF001, RF002, RNF001, RNF002.

13 Descrição dos Requisitos Para conhecer as atividades do sistema deve-se definir e caracterizar cada requisito. Demonstrando assim uma visão especifica do projeto automatizado RF001 Manipular Usuário A manipulação de usuários consiste nas especificações das tarefas necessárias para definir o acesso de determinados usuários ao sistema. Sendo que para isso será disponibilizado um login e uma senha para cada usuário cadastrado. A senha será criptografada e armazenada no banco de dados. Durante o cadastro do usuário serão determinadas as funcionalidades que ele poderá manipular, sendo que a falha nesse requisito poderá comprometer toda a segurança do sistema. Apenas poderá ser cadastrado como usuário do sistema: os funcionários da segurança e o administrador, para os quais serão atribuídos um login, uma senha e o status de acesso. Prioridade: ( X ) Essencial ( ) Importante ( ) Desejável RF002 Manipular Dados do Usuário Através deste requisito o sistema deverá validar dados obrigatórios para o cadastro. Prioridade: ( X ) Essencial ( ) Importante ( ) Desejável RF003 Incluir Usuário Este requisito permitirá ao administrador incluir um novo usuário do sistema. Para isso deverão ser especificadas algumas regras, como definir o login, senha e a permissão de acesso que representa quais funcionalidades o usuário poderá acessar. Prioridade: ( ) Essencial ( X ) Importante ( ) Desejável

14 RF004 Alterar Usuário Existem alguns casos que o perfil do usuário poderá sofrer alterações, como no nome do login e senha ou nas características de acesso, assim se em um momento o usuário teria acesso apenas a consultas em outro poderá também efetuar cadastro. Prioridade: ( ) Essencial ( X ) Importante ( ) Desejável RF005 Excluir perfil Existem alguns casos em que a permanência de usuários do sistema não se faz mais necessária, quando, por exemplo, ocorre a demissão de um funcionário que acessava o sistema ou um cadastro de usuário indevido. Prioridade: ( ) Essencial ( X ) Importante ( ) Desejável RF006 Validar senha Durante todos os acessos o usuário informará sua senha, este requisito deverá validar esta senha, verificando na base de dados, se a senha é a mesma especificada pelo usuário. Prioridade: ( X ) Essencial ( ) Importante ( ) Desejável RF011 Manipular Visitantes Este requisito permitirá ao sistema controlar e atualizar cadastros de visitantes. Para que possa efetuar esta operação o sistema devera verificar no banco se existe algum visitante com o numero de documento informado cadastrado. Após receber os dados para cadastro o sistema validará os mesmo. Após o processo de validação o cadastro será confirmado, tudo automático sem a intervenção do usuário. Prioridade: ( X ) Essencial ( ) Importante ( ) Desejável

15 RF012 Validar dados Visitante Este requisito deverá validar os dados informados pelo usuário. Prioridade: ( X ) Essencial ( ) Importante ( ) Desejável RF013 Incluir Visitante Este requisito permitirá ao sistema cadastrar os visitantes que entram na empresa. Para o cadastro serão necessários alguns dados como nome, numero de documento, tipo de documento e o órgão. Prioridade: ( ) Essencial ( ) Importante ( X ) Desejável RF014 Alterar Visitante Este requisito permitirá ao administrador alterar os dados de um visitante já existente. Prioridade: ( ) Essencial ( ) Importante ( X ) Desejável RF015 Excluir Visitante Este requisito permitirá ao administrador excluir um visitante já existente. Prioridade: ( ) Essencial ( ) Importante ( X ) Desejável RF016 Manipular Entrada Após o cadastro do visitante poderá efetuar a manipulação de entradas de visitante na empresa, este requisito representa todas as movimentações relacionada com a entrada de visitante. Prioridade: ( ) Essencial ( X ) Importante ( ) Desejável RF017 Incluir Entrada Este requisito representa as inclusões de novas entradas de visitante na empresa.

16 16 Prioridade: ( ) Essencial ( ) Importante ( X ) Desejável RF018 Gerar Crachá Este requisito representa a geração de crachá no momento da entrada, este crachá tem que ser aleatório. Cada nova entrada e gerado um crachá novo. Prioridade: ( X ) Essencial ( ) Importante ( ) Desejável RF019 - Manipular Saída Após realizar o cadastro de entrada de visitante, este fica responsável em efetuar a saída deste que consta dentro da empresa, para realizar a saída pode ser informado o numero do crachá, do documento ou o seu nome. Isto dependendo do visitante. Prioridade: ( ) Essencial ( X ) Importante ( ) Desejável RF020 - Validar Dados da Saída Após informado o um deste três itens acima o sistema pega este dados e verifica no banco se consta alguma entrada com este dados, retornando um erro caso exista. Prioridade: ( X ) Essencial ( ) Importante ( ) Desejável RF021 - Consultar Visitantes Este requisito e responsável pela consulta dos visitantes que entraram na empresa. Prioridade: ( ) Essencial ( ) Importante ( X ) Desejável RF022 - Consulta Usuários Este requisito e responsável pela consulta dos usuários que utiliza o sistema. Prioridade: ( ) Essencial ( ) Importante ( X ) Desejável

17 RF023 - Consulta Todas Entradas Este requisito e responsável pela consulta das entradas realizada na empresa. Prioridade: ( ) Essencial ( ) Importante ( X ) Desejável RF024 - Consulta Visitante Dentro da Empresa Este requisito e responsável pela consulta dos visitantes que se encontram dentro da empresa, isto é, que ainda não saíram. Prioridade: ( ) Essencial ( ) Importante ( X ) Desejável RF025 - Consultar por Data Este requisito e responsável pela consulta de entradas por um certo período, que é informado pelo usuário do sistema. Prioridade: ( ) Essencial ( ) Importante ( X ) Desejável RF026 - Emitir Relatório de Entradas Este requisito e responsável pela emissão de relatório de todas entradas. Prioridade: ( ) Essencial ( ) Importante ( X ) Desejável RF027 - Emitir Relatório de Visitantes Este requisito e responsável pela emissão de relatório de todos visitantes cadastrados. Prioridade: ( ) Essencial ( ) Importante ( X ) Desejável RF028 - Emitir Relatório de Saídas Este requisito e responsável pela emissão de relatório de todas saídas. Prioridade: ( ) Essencial ( ) Importante ( X ) Desejável

18 RF029 - Emitir Relatório por Datas Este requisito e responsável pela emissão de relatório por datas, o usuário informa a data inicio e data fim. Prioridade: ( ) Essencial ( ) Importante ( X ) Desejável RF030 - Manual do Usuário O usuário terá acesso as informações através do manual do usuário, onde conterá dados sobre a utilização do sistema e dicas de manejo, auxiliando-o a tirar dúvidas. A manipulação e o funcionamento do sistema estarão detalhadamente apresentados no manual para que os usuários conheçam a utilização e interaja com facilidade ao sistema. Esta documentação pode ser adequada para futuramente ser transformada em manual do usuário. Prioridade: ( X ) Essencial ( ) Importante ( ) Desejável RF031 - Visualizar Erros Tem por objetivo a visualização de erros para resolução e correção dos problemas de operação e de execução dos processos que possam afetar o sistema. Quando o administrador faz uma operação errada, o sistema o informará do erro após a confirmação da opção desejada. Isso poderá ser alcançado e trabalhado durante a fase de teste do software. Prioridade: ( ) Essencial ( X ) Importante ( ) Desejável RF032 - Tempo de Resposta Descreve o nível em que considerações sobre tempo de resposta influenciam no desenvolvimento da aplicação. Especificando o tempo de resposta aceitável do ponto de vista do cliente para que alguma operação seja concluída. Observamos então que como tempo aceitável 6 segundos. Prioridade: ( ) Essencial ( X ) Importante ( ) Desejável

19 RF033 - Volume de utilização O sistema deverá suportar uma carga máxima de 500 usuários simultâneos com degradação de desempenho de, no máximo, 10% em qualquer operação. Prioridade: ( ) Essencial ( X ) Importante ( ) Desejável RF034 - Disponibilidade O sistema estará disponível pelo menos 99,5% do tempo em dias de semana entre 06:00 e 21:00 e pelo menos 99,00% entre 6:00 e 18:00 nos finais de semana e feriados. Caso seja necessário atualizações ou melhorias do sistema deverá ser efetuadas nos horários que não venham a comprometer o funcionamento da empresa. Prioridade: ( ) Essencial ( X ) Importante ( ) Desejável RF035 - Flexibilidade Deverá ser disponibilizada uma pessoa com o conhecimento necessário para solucionar eventuais falhas e erros do sistema em tempo máximo de 3 horas. Prioridade: ( ) Essencial ( X ) Importante ( ) Desejável RF036 - Compatibilidade O sistema deverá ser implementado para ser utilizado em ambiente Windows ou similar. Prioridade: ( ) Essencial ( X ) Importante ( ) Desejável RF037 - Tipo de interface desejada O sistema deverá ser acessado completamente via browser. Prioridade: ( ) Essencial ( X ) Importante ( ) Desejável

20 RF038 - Software Livre Software livre se refere à liberdade de execução. Todas as ferramentas que foram adotadas neste sistema são softwares livre, com isso desenvolveremos um produto com baixo custo e muita qualidade. Prioridade: ( ) Essencial ( X ) Importante ( ) Desejável RF039 - Documentação do Sistema A documentação do sistema deverá conter um documento impresso e outro disponibilizado em forma de arquivo, sendo que deverá acompanhar a esse documento o Manual do Usuário. Prioridade: ( ) Essencial ( X ) Importante ( ) Desejável

21 21 4 RECURSOS NECESSARIOS AO DESENVOLVIMENTO 4.1 Descrição do Hardware Ideal Esta configuração de hardware foi a que adotamos durante o processo de desenvolvimento, onde o desempenho apresentado fora totalmente satisfatório. PC Pentium IV 2.8 Mhz com 512 MB RAM e HD 40 GB. Sistema Operacional: Windows 2000 com Services Pack 4 e Internet Explore 6 ou Windows XP Professional com Services Pack 2 e Internet Explore 6; 4.2 Descrição do Hardware Mínimo Já esta versão de hardware demonstrou ser o mínimo necessário para não prejudicar o desenvolvimento. Sendo que chegamos a esta conclusão através de algumas experiências realizada. PC Pentium IV 1.8 Mhz com 256 MB RAM e espaço livre de HD 5 GB. Sistema Operacional: Windows 2000 com Services Pack 4 e Internet Explore 6 ou Windows XP Professional com Services Pack 2 e Internet Explore 6; 4.3 Descrição do Software Para o desenvolvimento do sistema bem como sua instalação será necessário sistema operacional Windows 2000 ou superior, não será necessário estrutura de rede interna mais será necessário instalação de outros software para o mesmo, como Php 5.1, SQL Server 2000, Query Analyzer, Macromedia Dreamweaver, Enterprise Manager e Apache Macromedia Dreamweaver 8: Dreamweaver é o mais completo editor de HTML do mercado, possui controle melhor de CSS2, lida muito bem com Coldfusion, ASP, ASPX e PHP, tem mais behaviors (eventos javascript pré-configurados), possui um ótimo mecanismo de

22 gerenciamento de sites com cliente FTP embutido. Com ele o trabalho de construir ou administrar um site pode se tornar bem mais fácil. (WIKIPÉDIA) Php 5.1 PHP (um acrónico recursivo para "PHP: Hypertext Preprocessor") é uma linguagem de programação de computadores interpretada, livre e muito utilizada para gerar conteúdo dinâmico na Web. Apesar de ser uma linguagem de fácil aprendizado e de uso para pequenos scripts dinâmicos simples, o PHP é uma linguagem poderosa orientada a objetos. Trata-se de uma linguagem extremamente modularizada, o que a torna ideal para instalação e uso em servidores web. Diversos módulos são criados no repositório de extensões PECL (PHP Extension Community Library) e alguns destes módulos são introduzidos como padrão em novas versões da linguagem. É muito parecida, em tipos de dados, sintaxe e mesmo funções, com a linguagem C e com a C++. Pode ser, dependendo da configuração do servidor, embutida no código HTML. Existem versões do PHP disponíveis para os seguintes sistemas operacionais: Windows, Linux, FreeBSD, Mac OS, OS/2, AS/400, Novell Netware, RISC OS, IRIX e Solaris. Construir uma página dinâmica baseada em bases de dados é simples,(em parte, vale lembrar), com PHP, este provê suporte a um grande número de bases de dados: Oracle, Sybase, PostgreSQL, InterBase, MySQL, SQLite, MSSQL, Firebird etc, podendo abstrair o banco com a biblioteca ADOdb, entre outras. PHP tem suporte aos protocolos: IMAP, SNMP, NNTP, POP3, HTTP, LDAP, XML-RPC, SOAP. É possível abrir sockets e interagir com outros protocolos. E as bibliotecas de terceiros expandem ainda mais estas funcionalidades. (WIKIPÉDIA) Sql Server 2000 SQl da Microsoft é considerado um dos mais rápidos banco de dados do mercado. Suporta XML, multiprocessamento, busca, debug, importação de dados, funções Transact-SQL e muito mais.

23 Query Analyzer O Query Analyzer é o microscópio para analisar os detalhes. Com o Query Analyzer, podemos executar consultas e stored procedures e obter uma exibição visual do plano de execução do SQL Server Enterprise Manager O SQL Server Enterprise Manager é a porta de entrada para interface de usuário do SQL Server Servidor Apache O servidor Apache (Apache server) é um bem sucedido servidor web livre. Foi criado em 1995 por Rob McCool, então funcionário do NCSA (National Center for Supercomputing Applications), Universidade Independente. Numa pesquisa realizada em dezembro de 2005, foi constatado que a utilização do Apache supera 60% nos servidores ativos no mundo. É a principal tecnologia da Apache Software Foundation, responsável por mais de uma dezena de projetos envolvendo tecnologias de transmissão via web, processamento de dados e execução de aplicativos distribuídos. O servidor é compatível com o protocolo HTTP. Suas funcionalidades são mantidas através de uma estrutura de módulos, podendo inclusive o usuário escrever seus próprios módulos utilizando a API do software. É disponibilizado em versões para os sistemas Windows, Novell Netware, OS/2 e diversos outros do padrão POSIX (Unix, Linux, FreeBSD, etc). Para garantir segurança nas transações HTTP, o servidor dispõe de um módulo chamado mod_ssl, o qual adiciona a capacidade do servidor atender requisições utilizando o protocolo HTTPS. Este protocolo utiliza uma camada SSL para criptografar todos os dados transferidos entre o cliente e o servidor, provendo maior grau de segurança, confidencialidade e confiabilidade dos dados. A camada SSL é compatível com certificados X.509, que são os certificados digitais fornecidos e assinados por grandes entidades certificadoras no mundo. (WIKIPÉDIA).

24 24 5 DOCUMENTAÇÃO DA ANÁLISE 5.1 Modelagem de Dados Caso de Uso Descrições de Casos de Uso e Atores Este documento trata da descrição detalhada de todos os casos de uso e atores. Sua finalidade e tornar esta descrição uma ferramenta para o desenvolvimento do sistema e ao mesmo tempo explanar as funcionalidades e interações do sistema Atores do sistema Ator representa algo que interage com o sistema, mas sobre o qual não se tem controle. Ele está fora da influência do sistema. Os atores têm um papel externo e são quem iniciam (e quem respondem) aos casos de uso. Tipicamente, um ator representa um papel que um ser humano, um outro processo, um outro sistema, ou até um dispositivo de hardware, desempenha ao interagir com o sistema. Cada ator corresponde a um papel específico: uma mesma pessoa que desempenha diferentes papéis nas interações com o sistema é representada por diferentes atores; por outro lado, diversas pessoas que desempenham o mesmo papel correspondem a um único ator Administrador Este ator representa as pessoas responsáveis pela supervisão do sistema de uma maneira geral, principalmente no que diz respeito ao cadastramento de usuários do sistema e atribuições de perfis para os mesmos. O administrador do sistema terá acesso a todas as funcionalidades do sistema.

Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor

Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor H6Projetos Documento de Requisitos Versão 1.3 Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 05/09/2013 1.0 Preenchimento do Capítulo 2 Requisitos Funcionais Evilson Montenegro 26/09/2013 1.1 Preenchimento

Leia mais

Documento de Requisitos

Documento de Requisitos UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE INFORMÁTICA GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO Documento de Requisitos Sistema Gerenciador de Atendimento de Chamados Técnicos Grupo: Luiz Augusto Zelaquett

Leia mais

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO DESCRIÇÃO DO SIGAI O SIGAI (Sistema Integrado de Gestão do Acesso à Informação) é uma solução de software que foi desenvolvida para automatizar os processos administrativos e operacionais visando a atender

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA. Sistema de Gerenciamento Eletrônico de Documentos

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA. Sistema de Gerenciamento Eletrônico de Documentos UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA Sistema de Gerenciamento Eletrônico de Documentos Autor: Evandro Bastos Tavares Orientador: Antônio Claudio Gomez

Leia mais

Desenvolvendo Websites com PHP

Desenvolvendo Websites com PHP Desenvolvendo Websites com PHP Aprenda a criar Websites dinâmicos e interativos com PHP e bancos de dados Juliano Niederauer 19 Capítulo 1 O que é o PHP? O PHP é uma das linguagens mais utilizadas na Web.

Leia mais

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1 DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1 SUMÁRIO DEFINIÇÃO DE REQUISITOS 4 1. INTRODUÇÃO 4 1.1 FINALIDADE 4 1.2 ESCOPO 4 1.3 DEFINIÇÕES, ACRÔNIMOS

Leia mais

Sistema de Inteligência Patrimônial. Especificação dos Requisitos

Sistema de Inteligência Patrimônial. Especificação dos Requisitos Sistema de Inteligência Patrimônial Especificação dos Requisitos Especificação dos Requisitos Data Versão: 18 / 11 / 2015 Histórico das Revisões Data Versão Descrição Autor 23 / 11/ 2015 1.0 Versão Inicial

Leia mais

Sistema de Armazenamento de Dados Eleitorais - SisElege

Sistema de Armazenamento de Dados Eleitorais - SisElege Faculdade de Tecnologia Senac DF Sistema de Armazenamento de Dados Eleitorais - SisElege Documento de Visão Versão 4.0 Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 05/09/2014 1.0 Versão Inicial do

Leia mais

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1 DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1 SUMÁRIO DEFINIÇÃO DE REQUISITOS 4 1. INTRODUÇÃO 4 1.1 FINALIDADE 4 1.2 ESCOPO 4 1.3 DEFINIÇÕES, ACRÔNIMOS

Leia mais

CONTRA CONTROLE DE ACESSOS E MODULARIZADOR DE SISTEMAS

CONTRA CONTROLE DE ACESSOS E MODULARIZADOR DE SISTEMAS MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE MODERNIZAÇÃO E INFORMÁTICA CONTRA CONTROLE DE ACESSOS E MODULARIZADOR DE SISTEMAS MANUAL

Leia mais

Especialização em Engenharia de Software com Ênfase em Software Livre ESL2/2008. Projeto Agenda Saúde Requisitos e Modelagem UML

Especialização em Engenharia de Software com Ênfase em Software Livre ESL2/2008. Projeto Agenda Saúde Requisitos e Modelagem UML Projeto Agenda Saúde Requisitos e Modelagem UML Histórico de Revisão Versão 0.1 Data 01/06/09 Revisor Descrição Versão inicial Sumário 1. Introdução...4 1.1 Visão geral deste documento...4 1.2 Módulos

Leia mais

Uma poderosa ferramenta de monitoramento. Madson Santos - madson@pop-pi.rnp.br Técnico de Operação e Manutenção do PoP-PI/RNP

Uma poderosa ferramenta de monitoramento. Madson Santos - madson@pop-pi.rnp.br Técnico de Operação e Manutenção do PoP-PI/RNP Uma poderosa ferramenta de monitoramento Madson Santos - madson@pop-pi.rnp.br Técnico de Operação e Manutenção do PoP-PI/RNP Abril de 2008 O que é? Características Requisitos Componentes Visual O que é?

Leia mais

Documento de Requisitos Sistema WEB GEDAI

Documento de Requisitos Sistema WEB GEDAI Universidade Federal de São Carlos Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia Departamento de Computação GEDAI-Grupo de Estudo e Desenvolvimento em Automação Industrial Documento de Requisitos Sistema WEB

Leia mais

FERRAMENTA WEB PARA MODELAGEM LÓGICA EM PROJETOS DE BANCOS DE DADOS RELACIONAIS

FERRAMENTA WEB PARA MODELAGEM LÓGICA EM PROJETOS DE BANCOS DE DADOS RELACIONAIS FERRAMENTA WEB PARA MODELAGEM LÓGICA EM PROJETOS DE BANCOS DE DADOS RELACIONAIS PAULO ALBERTO BUGMANN ORIENTADOR: ALEXANDER ROBERTO VALDAMERI Roteiro Introdução Objetivos Fundamentação teórica Desenvolvimento

Leia mais

Desenvolvendo Websites com PHP

Desenvolvendo Websites com PHP Desenvolvendo Websites com PHP 2ª Edição Juliano Niederauer Novatec Copyright 2009, 2011 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida a reprodução

Leia mais

LEVANTAMENTO DE REQUISITOS SEGUNDO O MÉTODO VOLERE

LEVANTAMENTO DE REQUISITOS SEGUNDO O MÉTODO VOLERE LEVANTAMENTO DE REQUISITOS SEGUNDO O MÉTODO VOLERE RESUMO Fazer um bom levantamento e especificação de requisitos é algo primordial para quem trabalha com desenvolvimento de sistemas. Esse levantamento

Leia mais

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial 2 1. O Sistema PrinterTux O Printertux é um sistema para gerenciamento e controle de impressões. O Produto consiste em uma interface web onde o administrador efetua o cadastro

Leia mais

DMS Documento de Modelagem de Sistema. Versão: 1.4

DMS Documento de Modelagem de Sistema. Versão: 1.4 DMS Documento de Modelagem de Sistema Versão: 1.4 VERANEIO Gibson Macedo Denis Carvalho Matheus Pedro Ingrid Cavalcanti Rafael Ribeiro Tabela de Revisões Versão Principais Autores da Versão Data de Término

Leia mais

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador.

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador. INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais

Aplicação Prática de Lua para Web

Aplicação Prática de Lua para Web Aplicação Prática de Lua para Web Aluno: Diego Malone Orientador: Sérgio Lifschitz Introdução A linguagem Lua vem sendo desenvolvida desde 1993 por pesquisadores do Departamento de Informática da PUC-Rio

Leia mais

Conecta S_Line. 2.2 Downloads Para instalar o Conecta S_Line, basta acessar www.sline.com.br/downloads.aspx

Conecta S_Line. 2.2 Downloads Para instalar o Conecta S_Line, basta acessar www.sline.com.br/downloads.aspx 1 Introdução O Conecta S_Line permite que o laboratório envie à Central S_Line os resultados de exames gerados pelo Sistema de Informação Laboratorial (LIS) em forma de arquivos digitais. Todo o processo

Leia mais

Documento de Requisitos Projeto SisVendas Sistema de Controle de Vendas para Loja de Informática.

Documento de Requisitos Projeto SisVendas Sistema de Controle de Vendas para Loja de Informática. Documento de Requisitos Projeto SisVendas Sistema de Controle de Vendas para Loja de Informática. 1 Introdução 1.1 Propósito O propósito deste documento de especificação de requisitos é definir os requisitos

Leia mais

Banco de Dados de Músicas. Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho

Banco de Dados de Músicas. Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho Banco de Dados de Músicas Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho Definição Aplicação Web que oferece ao usuário um serviço de busca de músicas e informações relacionadas, como compositor, interprete,

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE Esplanada dos Ministérios, Edifício Sede, 1º andar, Sala 131 CEP 70.058-900 sinan@saude.gov.

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE Esplanada dos Ministérios, Edifício Sede, 1º andar, Sala 131 CEP 70.058-900 sinan@saude.gov. MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE Esplanada dos Ministérios, Edifício Sede, 1º andar, Sala 131 CEP 70.058-900 sinan@saude.gov.br NOTA TÉCNICA N.º 01/2010 GT-SINAN/CIEVS/DEVEP/SVS/MS

Leia mais

Gerenciador Financeiro CITi. Gerenciador Financeiro CITi

Gerenciador Financeiro CITi. Gerenciador Financeiro CITi (Sistema de Gerenciamento Financeiro) Especificação dos Requisitos do Software Gerenciador Financeiro CITi Versão 1.0 Autores: Bruno Medeiros de Oliveira Igor Rafael Medeiros Pedro Araújo de Melo Tiago

Leia mais

Este documento consiste em 48 páginas. Elaborado por: Innova Tecnologia de Soluções. Liberado em Janeiro de 2010.

Este documento consiste em 48 páginas. Elaborado por: Innova Tecnologia de Soluções. Liberado em Janeiro de 2010. Manual de Configuração Este documento consiste em 48 páginas. Elaborado por: Innova Tecnologia de Soluções. Liberado em Janeiro de 2010. Impresso no Brasil. Sujeito a alterações técnicas. A reprodução

Leia mais

Especificação dos Requisitos do Software. White Label

Especificação dos Requisitos do Software. White Label Ubee Especificação dos Requisitos do Software White Label Review 0.3 Autores: Airton Sampaio de Sobral (asds@cin.ufpe.br) Alan Gomes Alvino (aga@cin.ufpe.br) Glauco Roberto Pires dos Santos (grps@cin.ufpe.br)

Leia mais

Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning

Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning www.pwi.com.br 1 Volpe Enterprise Resource Planning Este manual não pode, em parte ou no seu todo, ser copiado, fotocopiado,

Leia mais

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider Ferramenta: Spider-CL Manual do Usuário Versão da Ferramenta: 1.1 www.ufpa.br/spider Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 14/07/2009 1.0 15/07/2009 1.1 16/07/2009 1.2 20/05/2010 1.3 Preenchimento

Leia mais

Aplicativo da Manifestação do Destinatário. Manual

Aplicativo da Manifestação do Destinatário. Manual Aplicativo da Manifestação do Destinatário Manual Novembro de 2012 1 Sumário 1 Aplicativo de Manifestação do Destinatário...4 2 Iniciando o aplicativo...4 3 Menus...5 3.1 Manifestação Destinatário...5

Leia mais

Gerenciador de Multi-Projetos. Manual do Usuário. 2000 GMP Corporation

Gerenciador de Multi-Projetos. Manual do Usuário. 2000 GMP Corporation GMP Corporation Gerenciador de Multi-Projetos Manual do Usuário 2000 GMP Corporation Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 24/08/2004 1.0 Versão inicial do documento Bárbara Siqueira Equipe

Leia mais

MANUAL PARA USO DO SISTEMA

MANUAL PARA USO DO SISTEMA Clínicas Odontológicas MANUAL PARA USO DO SISTEMA (GCO) GERENCIADOR CLÍNICO ODONTOLÓGICO SmilePrev Versão 2.0 SmilePrev Clínicas Odontológicas www.smilepev.com 2008 REQUISITOS BÁSICOS DO SISTEMA HARDWARE

Leia mais

Codificar Sistemas Tecnológicos

Codificar Sistemas Tecnológicos Codificar Sistemas Tecnológicos Especificação dos Requisitos do Software Sistema de gestão para a Empresa Cliente SlimSys Autor: Equipe Codificar Belo Horizonte MG Especificação dos Requisitos do Software

Leia mais

SAV Sistema de Aluguel de Veículos I - DOCUMENTO DE REQUISITOS Versão 1.00

SAV Sistema de Aluguel de Veículos I - DOCUMENTO DE REQUISITOS Versão 1.00 SAV Sistema de Aluguel de Veículos I - DOCUMENTO DE REQUISITOS Versão 1.00 Conteúdo 1. INTRODUÇÃO...3 1.1 CONVENÇÕES, TERMOS E ABREVIAÇÕES... 3 1.1.1 Identificação dos Requisitos... 3 1.1.2 Prioridades

Leia mais

Simular de Financiamento

Simular de Financiamento Simular de Financiamento Versão: PI001 1. Objetivo deste documento Este documento tem como objetivo autorizar formalmente o início de um projeto e contém informações necessárias para o entendimento do

Leia mais

SISTEMA DE GERÊNCIA - DmView

SISTEMA DE GERÊNCIA - DmView Sistema de Gerenciamento DmView O DmView é o Sistema de Gerência desenvolvido para supervisionar e configurar os equipamentos DATACOM, disponibilizando funções para gerência de supervisão, falhas, configuração,

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS e OPERACIONAIS. BioGer Server e BioGer Client

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS e OPERACIONAIS. BioGer Server e BioGer Client ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS e OPERACIONAIS BioGer Server e BioGer Client ÍNDICE A) OBJETIVO...3 B) MODELOS...3 C) CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS...5 D) CARACTERÍSTICAS OPERACIONAIS...5 D.1) Características Operacionais

Leia mais

Manual de Transferência de Arquivos

Manual de Transferência de Arquivos O Manual de Transferência de Arquivos apresenta a ferramenta WebEDI que será utilizada entre FGC/IMS e as Instituições Financeiras para troca de arquivos. Manual de Transferência de Arquivos WebEDI Versão

Leia mais

Nome da Empresa Sistema digitalizado no almoxarifado do EMI

Nome da Empresa Sistema digitalizado no almoxarifado do EMI Nome da Empresa Documento Visão Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 23/02/2015 1.0 Início do projeto Anderson, Eduardo, Jessica, Sabrina, Samuel 25/02/2015 1.1 Correções Anderson e Eduardo

Leia mais

Manual de Usuário INDICE

Manual de Usuário INDICE Manual de Usuário INDICE Características do Sistema... 02 Características Operacionais... 03 Realizando o Login... 04 Menu Tarifador... 05 Menu Relatórios... 06 Menu Ferramentas... 27 Menu Monitor... 30

Leia mais

Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Cookies e Sessões. Prof. MSc. Hugo Souza

Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Cookies e Sessões. Prof. MSc. Hugo Souza Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Cookies e Sessões Prof. MSc. Hugo Souza Se você precisar manter informações sobre seus usuários enquanto eles navegam pelo seu site, ou até quando eles saem

Leia mais

Manual de utilização do. sistema integrado de controle médico WWW.ISA.NET.BR

Manual de utilização do. sistema integrado de controle médico WWW.ISA.NET.BR Manual de utilização do sistema integrado de controle médico WWW.ISA.NET.BR Sistema integrado de controle médico Acesso... 3 Menu principal... 4 Cadastrar... 6 Cadastro de pacientes... 6 Convênios... 10

Leia mais

Apache + PHP + MySQL

Apache + PHP + MySQL Apache + PHP + MySQL Fernando Lozano Consultor Independente Prof. Faculdade Metodista Bennett Webmaster da Free Software Foundation fernando@lozano.eti.br SEPAI 2001 O Que São Estes Softwares Apache: Servidor

Leia mais

Declaração do Escopo do Projeto. SysTrack

Declaração do Escopo do Projeto. SysTrack Declaração do Escopo do Projeto SysTrack Nome do Projeto: SysTrack Versão do Documento: 1.0 Elaborado por: André Ricardo, André Luiz, Daniel Augusto, Diogo Henrique, João Ricardo e Roberto Depollo. Revisado

Leia mais

WebEDI - Tumelero Manual de Utilização

WebEDI - Tumelero Manual de Utilização WebEDI - Tumelero Manual de Utilização Pedidos de Compra Notas Fiscais Relação de Produtos 1. INTRODUÇÃO Esse documento descreve o novo processo de comunicação e troca de arquivos entre a TUMELERO e seus

Leia mais

4 Desenvolvimento da ferramenta

4 Desenvolvimento da ferramenta direcionados por comportamento 38 4 Desenvolvimento da ferramenta Visando facilitar a tarefa de documentar requisitos funcionais e de gerar testes automáticos em uma única ferramenta para proporcionar

Leia mais

SISTEMA DE CONTROLE INTERNO DE FLUXO DE CAIXA DO SETOR DE APOIO FINANCEIRO (ULBRA GUAÍBA)

SISTEMA DE CONTROLE INTERNO DE FLUXO DE CAIXA DO SETOR DE APOIO FINANCEIRO (ULBRA GUAÍBA) SISTEMA DE CONTROLE INTERNO DE FLUXO DE CAIXA DO SETOR DE APOIO FINANCEIRO (ULBRA GUAÍBA) Alessandra Lubbe 1 Alexandre Evangelista 2 Jeandro Perceval 3 José Ramiro Pereira 4 Luiz Gustavo Mahlmann 5 RESUMO

Leia mais

TOPLAB VERSÃO WEB 3.0 Solução completa para o gerenciamento de laboratórios de análises clínicas Interface web

TOPLAB VERSÃO WEB 3.0 Solução completa para o gerenciamento de laboratórios de análises clínicas Interface web Página 01 TOPLAB VERSÃO WEB 3.0 Solução completa para o gerenciamento de laboratórios de análises clínicas Interface web Página 02 Plataforma O TOPLAB foi projetado para funcionar na web, nasceu 'respirando

Leia mais

Sumário. Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web

Sumário. Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Sumário Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Fazendo Login no Sistema Tela inicial do Portal WEB Criando um

Leia mais

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador.

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador. INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais

Sistema Datachk. Documento de Requisitos. Versão <1.2> Z u s a m m e n a r b e i t I d e i a s C o l a b o r a t i v a s

Sistema Datachk. Documento de Requisitos. Versão <1.2> Z u s a m m e n a r b e i t I d e i a s C o l a b o r a t i v a s Documento de Requisitos Versão Z u s a m m e n a r b e i t I d e i a s C o l a b o r a t i v a s 2010 2 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autores 27/04/2010 1.0 Criação da primeira versão

Leia mais

Sumário 1. SOBRE O NFGoiana DESKTOP... 3 1.1. Apresentação... 3 1.2. Informações do sistema... 3 1.3. Acessando o NFGoiana Desktop... 3 1.4.

Sumário 1. SOBRE O NFGoiana DESKTOP... 3 1.1. Apresentação... 3 1.2. Informações do sistema... 3 1.3. Acessando o NFGoiana Desktop... 3 1.4. 1 Sumário 1. SOBRE O NFGoiana DESKTOP... 3 1.1. Apresentação... 3 1.2. Informações do sistema... 3 1.3. Acessando o NFGoiana Desktop... 3 1.4. Interface do sistema... 4 1.4.1. Janela Principal... 4 1.5.

Leia mais

Manual de Instalação, Administração e Uso do Sistema Elétric

Manual de Instalação, Administração e Uso do Sistema Elétric Manual de Instalação, Administração e Uso do Sistema Elétric Versão 1.0 Autores Bruna Cirqueira Mariane Dantas Milton Alves Robson Prioli Nova Odessa, 10 de Setembro de 2013 Sumário Apoio 1. Licença deste

Leia mais

Maximus Software Soluções Tecnológicas Ltda. A empresa que desenvolve o seu Produto ao Máximo

Maximus Software Soluções Tecnológicas Ltda. A empresa que desenvolve o seu Produto ao Máximo Maximus Software Soluções Tecnológicas Ltda. A empresa que desenvolve o seu Produto ao Máximo FARMAINFOR Modernização da Farmácia do Hospital Mater Day Documento de Requisitos Versão 2.0 Histórico de Revisão

Leia mais

Configuração de Digitalizar para E-mail

Configuração de Digitalizar para E-mail Guia de Configuração de Funções de Digitalização de Rede Rápida XE3024PT0-2 Este guia inclui instruções para: Configuração de Digitalizar para E-mail na página 1 Configuração de Digitalizar para caixa

Leia mais

Especificações de Casos de Uso UC04 Cadastro de Funcionários

Especificações de Casos de Uso UC04 Cadastro de Funcionários Especificações de Casos de Uso UC04 Cadastro de Funcionários Sistema Gerenciador de Locadora Documento de Caso de Uso UC04 Versão 1.1 Responsável: Gustavo Teles UC04 Cadastro de Funcionários Página 1 de

Leia mais

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Disciplina: Programação Orientada a Objetos II Professor: Cheli dos S. Mendes da Costa Modelo Cliente- Servidor Modelo de Aplicação Cliente-servidor Os

Leia mais

*HUPRQGR±0DQXDOGR8VXiULR

*HUPRQGR±0DQXDOGR8VXiULR 1 of 23 *HUPRQGR±0DQXDOGR8VXiULR O manual do usuário tem como objetivo, detalhar o funcionamento do Sistema de Gerenciamento e Monitoramento On-Line de Obras, de forma clara para seus usuários. Clique

Leia mais

Sistema de Automação Comercial de Pedidos- Versão 1.1

Sistema de Automação Comercial de Pedidos- Versão 1.1 Termo de Abertura Sistema de Automação Comercial de Pedidos- Versão 1.1 Iteração 1.0- Release 1.0 Versão do Documento: 1.1 Histórico de Revisão Data Versão do Documento Descrição Autor 18/03/2011 1.0 Versão

Leia mais

Processo de garantia da qualidade baseado no modelo MPS.BR. Acadêmico: Anildo Loos Orientador: Everaldo Artur Grahl

Processo de garantia da qualidade baseado no modelo MPS.BR. Acadêmico: Anildo Loos Orientador: Everaldo Artur Grahl Processo de garantia da qualidade baseado no modelo MPS.BR Acadêmico: Anildo Loos Orientador: Everaldo Artur Grahl Roteiro introdução objetivos do trabalho fundamentação teórica desenvolvimento da ferramenta

Leia mais

Palavras-Chaves: engenharia de requisitos, modelagem, UML.

Palavras-Chaves: engenharia de requisitos, modelagem, UML. APLICAÇÃO DA ENGENHARIA DE REQUISITOS PARA COMPREENSÃO DE DOMÍNIO DO PROBLEMA PARA SISTEMA DE CONTROLE COMERCIAL LEONARDO DE PAULA SANCHES Discente da AEMS Faculdades Integradas de Três Lagoas RENAN HENRIQUE

Leia mais

Manual do Usuário Central de Agendamento. Versão 1.1

Manual do Usuário Central de Agendamento. Versão 1.1 Manual do Usuário Central de Agendamento Versão 1.1 Maio, 2014 Central de Agendamento Manual de utilização Tribunal de Justiça do Estado da Bahia Setor: Coordenação de Sistemas - COSIS Histórico de Revisões

Leia mais

Versão <1.0> Documento de Requisitos. Documento de Requisitos. Equipe:

Versão <1.0> Documento de Requisitos. Documento de Requisitos. Equipe: Versão Documento de Requisitos Documento de Requisitos Equipe: Bruno Harada (bhhc) Edilson Augusto Junior (easj) José Ivson Soares da Silva (jiss) Pedro Rodolfo da Silva Gonçalves (prsg) Raphael

Leia mais

Prof. Marcelo Machado Cunha www.marcelomachado.com mcelobr@yahoo.com.br

Prof. Marcelo Machado Cunha www.marcelomachado.com mcelobr@yahoo.com.br Prof. Marcelo Machado Cunha www.marcelomachado.com mcelobr@yahoo.com.br Ementa Introdução a Banco de Dados (Conceito, propriedades), Arquivos de dados x Bancos de dados, Profissionais de Banco de dados,

Leia mais

Aplicativo web para definição do modelo lógico no projeto de banco de dados relacional

Aplicativo web para definição do modelo lógico no projeto de banco de dados relacional Aplicativo web para definição do modelo lógico no projeto de banco de dados relacional Juarez Bachmann Orientador: Alexander Roberto Valdameri Roteiro Introdução Objetivos Fundamentação teórica Desenvolvimento

Leia mais

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server Noções de 1 Considerações Iniciais Basicamente existem dois tipos de usuários do SQL Server: Implementadores Administradores 2 1 Implementadores Utilizam o SQL Server para criar e alterar base de dados

Leia mais

Manual de Instalação

Manual de Instalação Manual de Instalação Sumário 1. Sobre este documento... 3 2. Suporte técnico... 3 3. Requisitos de hardware... 4 3.1. Estação... 4 3.2. Servidor... 4 4. Instalação... 5 4.1. Instalação no servidor... 5

Leia mais

Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 19/09/2014 1.0 Implementação de itens essenciais para futuro aprimoramento.

Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 19/09/2014 1.0 Implementação de itens essenciais para futuro aprimoramento. Documento de Requisitos 1 Documento de Requisitos Versão 1.2 Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 19/09/2014 1.0 Implementação de itens essenciais para futuro aprimoramento. Camilo Fernandes

Leia mais

SERVICE DESK MANAGER SDM. Manual do Sistema - DPOI

SERVICE DESK MANAGER SDM. Manual do Sistema - DPOI SERVICE DESK MANAGER SDM Manual do Sistema - DPOI Conteúdo SERVICE DESK MANAGER SDM... 1 Manual do Sistema - DPOI... 1 INTRODUÇÃO... 4 ACESSO AO SISTEMA... 5 OPÇÕES DO SISTEMA... 6 SISTEMA... 7 Pesquisar

Leia mais

3 Um Framework Orientado a Aspectos para Monitoramento e Análise de Processos de Negócio

3 Um Framework Orientado a Aspectos para Monitoramento e Análise de Processos de Negócio 32 3 Um Framework Orientado a Aspectos para Monitoramento e Análise de Processos de Negócio Este capítulo apresenta o framework orientado a aspectos para monitoramento e análise de processos de negócio

Leia mais

SISTEMA COOL 2.0V. (Certificado de Origen On Line) MANUAL DO USUÁRIO

SISTEMA COOL 2.0V. (Certificado de Origen On Line) MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA COOL 2.0V (Certificado de Origen On Line) MANUAL DO USUÁRIO ÍNDICE Pré-requisitos para utilização do sistema....2 Parte I Navegador...2 Parte II Instalação do Interpretador de PDF...2 Parte III

Leia mais

Faturamento Eletrônico - CASSEMS

Faturamento Eletrônico - CASSEMS 1 Conteúdo 1. Informações Iniciais... 3 1.1. Sobre o documento... 3 1.2. Organização deste Documento... 3 2. Orientações Básicas... 3 2.1. Sobre o Faturamento Digital... 3 3. Instalação do Sistema... 4

Leia mais

INTRODUÇÃO REQUISITOS TECNOLÓGICOS E DE AMBIENTE

INTRODUÇÃO REQUISITOS TECNOLÓGICOS E DE AMBIENTE INTRODUÇÃO Na intenção de realizar um novo sistema financeiro para a gestão de recursos de convênios celebrados pela Academia Brasileira de Ciências, o setor de informática juntamente com o setor financeiro

Leia mais

1 ACESSO AO PORTAL UNIVERSITÁRIO 3 3 PLANO DE ENSINO 6 4 AULAS 7 5 AVALIAÇÃO E EXERCÍCIO 9 6 ENQUETES 12 7 QUADRO DE AVISOS 14

1 ACESSO AO PORTAL UNIVERSITÁRIO 3 3 PLANO DE ENSINO 6 4 AULAS 7 5 AVALIAÇÃO E EXERCÍCIO 9 6 ENQUETES 12 7 QUADRO DE AVISOS 14 portal@up.com.br Apresentação Este manual contém informações básicas, e tem como objetivo mostrar a você, aluno, como utilizar as ferramentas do Portal Universitário e, portanto, não trata de todos os

Leia mais

DOCUMENTO DE REQUISITOS

DOCUMENTO DE REQUISITOS 1/38 DOCUMENTO DE REQUISITOS GED Gerenciamento Eletrônico de Documentos Versão 1.1 Identificação do Projeto CLIENTE: NOME DO CLIENTE TIPO DO SISTEMA OU PROJETO Participantes Função Email Abilio Patrocinador

Leia mais

Projeto Disciplinar de Infra-Estrutura de Software ECOFROTA TRIBUNAL THEMIS

Projeto Disciplinar de Infra-Estrutura de Software ECOFROTA TRIBUNAL THEMIS 1 Projeto Disciplinar de Infra-Estrutura de Software ECOFROTA TRIBUNAL THEMIS EDILBERTO SILVA 1, AQUILA ISRAEL (1316079) 2, CYNTHIA FERREIRA (1316079) 2, MARKO DE CASTRO (1316119) 2, RAFAELA ALMEIDA (1316189)

Leia mais

Manual Comunica S_Line

Manual Comunica S_Line 1 Introdução O permite a comunicação de Arquivos padrão texto entre diferentes pontos, com segurança (dados criptografados e com autenticação) e rastreabilidade, isto é, um CLIENTE pode receber e enviar

Leia mais

Sistema Integrado de Gerenciamento ARTESP MANUAL DO USUÁRIO SIGA EXTRANET - FRETAMENTO

Sistema Integrado de Gerenciamento ARTESP MANUAL DO USUÁRIO SIGA EXTRANET - FRETAMENTO Sistema Integrado de Gerenciamento ARTESP MANUAL DO USUÁRIO SIGA EXTRANET - FRETAMENTO Versão 1.0 Julho/2012 ÍNDICE 1 REQUISITOS MÍNIMOS PARA INSTALAÇÃO... 4 1.1 Equipamento e Sistemas Operacionais 4 1.1.1

Leia mais

Funcionalidades da ferramenta zabbix

Funcionalidades da ferramenta zabbix Funcionalidades da ferramenta zabbix Jordan S. Romano¹, Eduardo M. Monks¹ ¹Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS (FATEC PELOTAS) Rua Gonçalves Chaves,

Leia mais

Documento de Visão REPOSITÓRIO DE ARQUIVOS V1.0

Documento de Visão REPOSITÓRIO DE ARQUIVOS V1.0 Documento de Visão REPOSITÓRIO DE ARQUIVOS V1.0 Macaíba/2014 1 REPOSITÓRIO DE ARQUIVOS Histórico Data Versão Descrição Autor 11/06/2014 1.0 Fim do levantamento de requisitos e casos de uso Renan Farias

Leia mais

Índice. http://www.gosoft.com.br/atualiza/gosoftsigadmservico.pdf Versão 4.0

Índice. http://www.gosoft.com.br/atualiza/gosoftsigadmservico.pdf Versão 4.0 Índice I ENVIO DE BOLETOS POR E-MAIL... 2 APRESENTAÇÃO... 2 ALTERAÇÕES NO SIGADM CONDOMÍNIO... 4 ALTERAÇÕES NO SIGADM IMÓVEIS... 6 ALTERAÇÕES NO SIGADM CONCILIAÇÃO BANCÁRIA... 8 ALTERAÇÕES NO SIGADM CONDOMÍNIO

Leia mais

Curso Básico Sistema EMBI

Curso Básico Sistema EMBI Curso Básico Sistema EMBI Módulo Atendentes e Administradores Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste trabalho pode ser reproduzida em qualquer forma por qualquer meio gráfico, eletrônico ou

Leia mais

ArpPrintServer. Sistema de Gerenciamento de Impressão By Netsource www.netsource.com.br Rev: 02

ArpPrintServer. Sistema de Gerenciamento de Impressão By Netsource www.netsource.com.br Rev: 02 ArpPrintServer Sistema de Gerenciamento de Impressão By Netsource www.netsource.com.br Rev: 02 1 Sumário INTRODUÇÃO... 3 CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS DO SISTEMA... 3 REQUISITOS DE SISTEMA... 4 INSTALAÇÃO

Leia mais

A CMNet disponibilizou no dia 24 de junho para download no Mensageiro a nova versão do Padrão dos Sistemas CMNet.

A CMNet disponibilizou no dia 24 de junho para download no Mensageiro a nova versão do Padrão dos Sistemas CMNet. Prezado Cliente, A CMNet disponibilizou no dia 24 de junho para download no Mensageiro a nova versão do Padrão dos Sistemas CMNet. No Padrão 9 você encontrará novas funcionalidades, além de alterações

Leia mais

SLA - Service Level Agreement (Acordo de Nível de Serviço) Gerenciamento de Estoque

SLA - Service Level Agreement (Acordo de Nível de Serviço) Gerenciamento de Estoque 1 / 7 SLA - Service Level Agreement (Acordo de Nível de Serviço) Gerenciamento de Estoque Código: : Data de Publicação: Cliente: Faculdade de Tecnologia SENAC-GO 2 / 7 Identificação e Histórico do Documento

Leia mais

MANUAL DO GERENCIADOR ESCOLAR WEB

MANUAL DO GERENCIADOR ESCOLAR WEB CNS LEARNING MANUAL DO GERENCIADOR ESCOLAR WEB Versão Online 13 Índice ÍNDICE... 1 VISÃO GERAL... 2 CONCEITO E APRESENTAÇÃO VISUAL... 2 PRINCIPAIS MÓDULOS... 3 ESTRUTURAÇÃO... 3 CURSOS... 4 TURMAS... 4

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA SIGPLAN - ELABORAÇÃO DA FASE QUALITATIVA DO PPA 2008-2011

MANUAL DO SISTEMA SIGPLAN - ELABORAÇÃO DA FASE QUALITATIVA DO PPA 2008-2011 MANUAL DO SISTEMA SIGPLAN - ELABORAÇÃO DA FASE QUALITATIVA DO PPA 2008-2011 O trabalho faz a diferença. Manaus, maio de 2007. Manual de Operação do Sistema de Informações Gerenciais e de Planejamento -

Leia mais

Manual de Instalação Flex

Manual de Instalação Flex Manual de Instalação Flex Sumário 1. Sobre este documento... 3 2. Suporte técnico... 3 3. Requisitos de hardware... 4 4. Instalação... 5 4.1. Instalação no servidor... 5 4.1.1. Instalação do sistema...

Leia mais

Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Universidade Estadual do Oeste do Paraná Universidade Estadual do Oeste do Paraná Estudo de Requisitos de um software para uma loja de lentes de contato Bruno Eduardo Soares Leonardo Zanotto Baggio Maykon Valério da Silva Cascavel, 10 de Junho

Leia mais

Manual do usuário - Service Desk SDM - COPASA. Service Desk

Manual do usuário - Service Desk SDM - COPASA. Service Desk Manual do usuário - Service Desk SDM - COPASA Service Desk Sumário Apresentação O que é o Service Desk? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Fazendo Login no Sistema Tela inicial

Leia mais

Plano de Gerenciamento do Projeto Baseado na 5ª edição do Guia PMBOK

Plano de Gerenciamento do Projeto Baseado na 5ª edição do Guia PMBOK 0 2015 Projeto: Conecta Contábil Sistema de controle e depreciação de patrimônio Plano de Gerenciamento do Projeto Baseado na 5ª edição do Guia PMBOK Plano de Gerenciamento desenvolvido para a realização

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SIA-012-R00 GESTÃO DE SISTEMAS DA SIA

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SIA-012-R00 GESTÃO DE SISTEMAS DA SIA MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SIA-012-R00 GESTÃO DE SISTEMAS DA SIA 10/2015 PÁGINA INTENCIONALMENTE EM BRANCO 2 09 de outubro de 2015. Aprovado, Leandro Costa Pereira Crispim de Sousa Fabio Faizi Rahnemay

Leia mais

Sistema BuildParty para montagem e gerenciamento de eventos. Plano de Testes. Versão <1.1> DeltaInfo. Soluções para web Soluções para o mundo

Sistema BuildParty para montagem e gerenciamento de eventos. Plano de Testes. Versão <1.1> DeltaInfo. Soluções para web Soluções para o mundo Sistema BuildParty para montagem e gerenciamento de eventos Plano de Testes Versão DeltaInfo Soluções para web Soluções para o mundo DeltaInfo 2 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autores

Leia mais

Conteúdo Programático de PHP

Conteúdo Programático de PHP Conteúdo Programático de PHP 1 Por que PHP? No mercado atual existem diversas tecnologias especializadas na integração de banco de dados com a WEB, sendo o PHP a linguagem que mais se desenvolve, tendo

Leia mais

MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico

MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico O GCO é um sistema de controle de clínicas odontológicas, onde dentistas terão acesso a agendas, fichas de pacientes, controle de estoque,

Leia mais

Plano de Gerenciamento do Projeto

Plano de Gerenciamento do Projeto Projeto para Soluções Contábeis 2015 Plano de Gerenciamento do Projeto Baseado na 5ª edição do Guia PMBOK Brendon Genssinger o e Elcimar Silva Higor Muniz Juliermes Henrique 23/11/2015 1 Histórico de alterações

Leia mais

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09 ÍNDICE Sobre o SabeTelemarketing 03 Ícones comuns à várias telas de gerenciamento Contato Verificar registros 09 Telas de cadastro e consultas 03 Menu Atalho Nova pessoa Incluir um novo cliente 06 Novo

Leia mais

Manual de Instalação. SafeNet Authentication Client 8.2 SP1. (Para MAC OS 10.7)

Manual de Instalação. SafeNet Authentication Client 8.2 SP1. (Para MAC OS 10.7) SafeNet Authentication Client 8.2 SP1 (Para MAC OS 10.7) 2/28 Sumário 1 Introdução... 3 2 Pré-Requisitos Para Instalação... 3 3 Ambientes Homologados... 4 4 Tokens Homologados... 4 5 Instruções de Instalação...

Leia mais

Rua Minas Gerais, 190 Higienópolis 01244-010 São Paulo/SP Brasil Fone (11) 3017.3600 Fax: (11) 3017.3633 www.abnt.org.br

Rua Minas Gerais, 190 Higienópolis 01244-010 São Paulo/SP Brasil Fone (11) 3017.3600 Fax: (11) 3017.3633 www.abnt.org.br GUIA DO VISUALIZADOR SUA EMPRESA ONLINE NO MUNDO DA NORMALIZAÇÃO SUMÁRIO 1 O QUE É ABNTCOLEÇÃO...3 1.1 CONFIGURAÇÕES MINIMAS DESEJAVEL...3 1.1.2 SEGURANÇADE REDE...3 2 COMO ACESSAR A SUA COLEÇÃO...4 2.1

Leia mais